SOCIEDADE EDUCACIONAL CAPIVARI DE BAIXO - SECAB FACULDADE CAPIVARI - FUCAP PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM HOTELARIA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SOCIEDADE EDUCACIONAL CAPIVARI DE BAIXO - SECAB FACULDADE CAPIVARI - FUCAP PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM HOTELARIA"

Transcrição

1 SOCIEDADE EDUCACIONAL CAPIVARI DE BAIXO - SECAB FACULDADE CAPIVARI - FUCAP PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM HOTELARIA Capivari de Baixo, 2014

2 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO - MEC SECRETARIA DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SESU INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM HOTELARIA Capivari de Baixo, 2014.

3 2 SUMÁRIO 1 CONTEXTUALIZAÇÃO DA IES IDENTIFICAÇÃO DA INSTITUIÇÃO Perfil e Missão da IES Dados Socioeconômicos da Região Breve histórico da IES Corpo Dirigente CONTEXTUALIZAÇÃO DO CURSO ORGANIZAÇÃO DIDÁTICO PEDAGÓGICA CONTEXTO EDUCACIONAL NO ÂMBITO ECONÔMICO E SOCIAL ADERÊNCIA ENTRE AS POLÍTICAS DO PDI E O CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM HOTELARIA OBJETIVOS DO CURSO PEFIL PROFISSIONAL DO EGRESSO Sob a Ótica do Processo Pedagógico Sob a Ótica das Habilidades ESTRUTURA CURRICULAR Matriz Curricular Diagrama de Formação Curricular do Curso CONTEÚDOS CURRICULARES Descrição das unidades curriculares METODOLOGIAS DE ENSINO E APRENDIZAGEM TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO MECANISMOS DE APOIO AO DISCENTE AÇÕES DECORRENTES DOS PROCESSOS DE AVALIAÇÃO DO CURSO TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNIDADE DINÂMICAS DE PRODUÇÃO E PUBLICAÇÃO DE MATERIAL DIDÁTICO E CIENTÍFICO MECANISMOS DE INTERAÇÃO ENTRE DOCENTES E DISCENTES PROCEDIMENTOS DE AVALIAÇÃO DOS PROCESSOS DE ENSINO E APRENDIZAGEM PRÁTICAS PEDAGÓGICAS PREVISTAS... 63

4 Atividade de Extensão Interdisciplinaridade Atividade Prática Extra-Classe (APEC) Visitas técnicas Cursos de Extensão CORPO DOCENTE ATUAÇÃO DO NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE - NDE ATUAÇÃO DO COORDENADOR INFORMAÇÕES DO CORPO DOCENTE DO CURSO O COLEGIADO DO CURSO: ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO ORIENTAÇÕES GERAIS PARA A PRODUÇÃO CIENTÍFICA, TÉCNICA, ARTISTICA E CULTURAL INFRAESTRUTURA FÍSICA E INSTALAÇÕES ACADÊMICAS GABINETES DE TRABALHO E ESPAÇOS DE CONVIVÊNCIA ESTRUTURA DA SALA DOS PROFESSORES ESTRUTURA DAS SALAS DE AULA INFRA-ESTRUTURA DE LABORATÓRIOS ESPECÍFICOS À ÁREA DO CURSO ACESSO AOS EQUIPAMENTOS DE INFORMÁTICA CONSIDERAÇÕES FINAIS APÊNDICE... 87

5 4 1 CONTEXTUALIZAÇÃO DA IES Essa seção trata da contextualização da instituição considerando além das devidas identificações da mantenedora e da mantida, o perfil e missão da IES e dos dados socioeconômicos da região ao qual está inserida. Tem-se ainda nesse item um breve histórico da IES, seu corpo dirigente e uma contextualização do curso de Ciências Contábeis. 1.1 IDENTIFICAÇÃO DA INSTITUIÇÃO Mantenedora Nome: Sociedade Educacional Capivari de Baixo- SECAB Endereço: Av. Nações Unidas Bairro Santo André Cidade: Capivari de Baixo Estado: SC CEP: Fone: (48) Registros: junta comercial do estado de Santa Catarina, nº JUCESC NIRE Atos Legais: Ata da Assembleia Geral de Constituição da Sociedade Educacional de Capivari de Baixo LTDA, realizada em 20/12/1999 e registrada no registro de títulos e documentos/r.c. Pessoas Jurídicas, registrado sob o número Mantida Nome: Faculdade Capivari FUCAP Endereço: Av. Nações Unidas Bairro Santo André Cidade: Capivari de Baixo Estado: SC CEP: Fone: (48) Atos legais: credenciada pela Portaria Nº 2.505, de 21 de novembro de 2001.

6 Perfil e Missão da IES Em essência, a FUCAP corrobora sua missão a partir da promoção do Ensino para o desenvolvimento da comunidade, assumindo seu compromisso de ser o centro de referência na região sul de Santa Catarina, a qual se fundamenta em aspectos de desenvolvimento humano e idealizadora de diversos segmentos industriais. Isso se confirma no momento em que a comunidade percebe a formação de profissionais Responsáveis, Dedicados e de Confiança, direcionando o discurso institucional para um processo ativo da busca pelo perfil do egresso, materializando, no profissional, competências empreendedoras e ações proativas de atendimento à comunidade do entorno. A Missão da FUCAP é Desenvolver, por meio da educação superior de excelência, o potencial realizador das pessoas, contribuindo para a formação de cidadãos sadios habilitados para a profissão, para a vida e integrados à comunidade Dados Socioeconômicos da Região A cidade de Capivari de Baixo possui 53 km² de extensão territorial e está situada na região da AMUREL (Associação de Municípios da Região de Laguna) que é composta por 17 municípios, cujo centro é Tubarão. As populações desses municípios somados ao de Capivari de Baixo alcançam habitantes, divididas conforme segue: População IBGE 2014 Municípios Habitantes Armazém Braço do Norte Grão Pará Gravatal Imaruí Imbituba Jaguaruna Laguna Pedras Grandes Rio Fortuna Sangão

7 6 Municípios Habitantes Santa Rosa de Lima São Ludgero São Martinho Treze de Maio Tubarão TOTAL Fonte: - acesso em 23 set DADOS DO MUNICÍPIO DE CAPIVARI DE BAIXO Microrregião Microrregião do Vale do Tubarão Secretaria Regional Tubarão Área 53.5 Km 2 Data de Criação 30/03/1992 Data de Instalação 01/01/1993 Data de Comemoração 30/03 Lei de Criação Lei No 8.556, de 20 de março de 1992 Município de Origem Tubarão População Eleitores IDH 0,812 PIB R$ ,51 Fonte: - acesso em 23 set Breve histórico da IES Em um cenário no qual a educação superior necessitava de novos métodos e de uma ideologia de vanguarda, e em meio à abertura proporcionada pela LDB de 1996 para o fomento de instituições educacionais, surge em Capivari de Baixo, após diversas experiências no contexto acadêmico-profissional, um conjunto de empreendedores visionários que entendiam à educação superior, pelos esforços da livre iniciativa, como um mecanismo de inclusão social e, sobretudo, de desenvolvimento regional. A partir das iniciativas do Prof. Expedito Michels, ex-coordenador de curso de uma Universidade no sul catarinense, o grupo de empreendedores passou a usufruir da liberdade proporcionada pelas políticas públicas para a educação, considerando o ensino da graduação como ferramenta de construção social em uma região carente pela democratização do acesso e que tinha na educação superior um instrumento elitista e conservador. Aproveitando a oportunidade proporcionada pela LDB e, posteriormente, pelo Plano Nacional da Educação,

8 7 surge em 2001 a Faculdade Capivari (FUCAP), idealizada sob um modelo dinâmico e credenciada pela Portaria Nº 2.505, de 21 de novembro de As ações institucionais, inicialmente, estavam vinculadas à oferta de cursos de Licenciatura e formação de professores por intermédio da educação a distância, em parceria com a Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC, constituindo uma experiência fundamental para a formação dos gestores institucionais responsáveis pela condução da Instituição. No mesmo ano a FUCAP tem o seu primeiro Plano de Desenvolvimento Institucional aprovado, documento no qual são explicitadas suas ações prioritárias para o desenvolvimento da educação no contexto regional. Em conjunto com esse documento, a Instituição também passa a operacionalizar o seu primeiro Planejamento Estratégico, de característica arrojada e coerente com os ensejos de seus idealizadores. Com o documento em vigor, o Prof. Expedito Michels encabeçou o desenvolvimento dos dois primeiros cursos de graduação da FUCAP, que foram autorizados, respectivamente, pela Portaria n o e pela Portaria N o 2.507, promulgadas quase que concomitantemente à autorização da Instituição, em 21 de novembro de A justificativa para a oferta de ambos os cursos, estava relacionada a um alto potencial empreendedor da região, pouco explorado pela instituição que, até então, se posicionada no contexto regional. No ano de 2002, aproveitando o aprendizado constituído com o desenvolvimento de seus dois primeiros cursos de graduação, a FUCAP, por meio das ações proativas da equipe de empreendedores encabeçados pelo Prof. Expedito Michels, assume o compromisso de desenvolver a região da AMUREL, sobretudo no sentido de proporcionar uma formação que valorize os aspectos sociais, econômicos e culturais da região. Por meio deste pressuposto, surge o curso superior de tecnologia em Hotelaria, autorizado pela Portaria N o 3.561, de 13/12/2002. Em sua estrutura curricular, o curso apresentava um direcionamento relevante ao fomento de ações que promoveriam o desenvolvimento da região na qual a FUCAP está inserida, sobretudo por meio da capacitação profissional para atender a capacidade hoteleira da região, formando mão-de-obra para a atuação técnica e estratégica neste ambiente. Neste mesmo período, absorvendo as experiências em nível de graduação, a Instituição passa a atuar em um contexto dinâmico no âmbito da especialização de modo a contribuir com a formação continuada de profissionais das organizações localizadas na região, assumindo também o compromisso de constituir um laço de parceria com as empresas e com todo o conglomerado empresarial da região da AMUREL. Isso fez com que a Instituição ganhasse escopo, especialmente em função das ações consonantes ao seu planejamento,

9 8 firmando uma parceria com a comunidade regional e partir de uma formação responsável e de qualidade. Ao atuar neste cenário, desde sua concepção, a FUCAP assume o compromisso de observar as questões políticas e regulatórias para a educação superior, já que, em seus objetivos institucionais, a Instituição sempre preconizou o desenvolvimento de uma educação superior de qualidade, envolvendo o corpo institucional de funcionários em um processo de qualificação constante. Isso fez com que os princípios norteadores da Instituição, evidenciados pelos seus valores, pudessem ser incutidos nos acadêmicos e orientassem a formação empreendedora de profissionais aptos ao enfrentamento de desafios proporcionado pelas organizações no contexto regional, estadual e, inclusive, nacional. Em seu percurso, sempre observando a formação empreendedora, a FUCAP passa a lograr êxito em suas ações educacionais em função da qualidade preconizada na formação de seus estudantes e pela observância dos pressupostos da avaliação institucional, da gestão e do desenvolvimento da comunidade regional. Isso se confirma no ano de 2005, quando, por meio da avaliação institucional, a FUCAP obtém o reconhecimento de seus dois primeiros cursos de graduação em função do pleno desenvolvimento das atividades com base nos aspectos de qualidade evidenciados. Por intermédio, respectivamente, das Portarias N o e N o 3.761, de 24 de outubro de 2005, os cursos de Administração e Ciências Contábeis são reconhecidos depois de formarem quase 400 profissionais, colaborando para o desenvolvimento econômico, social e estratégico da região. Em 2007, acompanhando o pensamento vanguardista da Instituição, o curso superior de tecnologia em Hotelaria também é reconhecido pela Portaria N o 365, de 22 de maio de 2007, permitindo que as atividades continuem dentro da perspectiva de qualidade da FUCAP. Em mais uma iniciativa empreendedora, em 2011, a FUCAP passa pela sua revisão de Planejamento Estratégico e de seu Plano de Desenvolvimento Institucional, instituindo ações estratégicas e objetivos para um interregno temporal de dez anos, buscando ações inovadoras e a consolidação de uma Instituição de referência em educação superior. Isso se confirmou em função dos dados do ENADE, que emanaram da avaliação do curso de Administração, retratando e preocupação da FUCAP com uma formação responsável. O IDD cinco (5), resultante do ENADE 2009, torna-se o mote para o desenvolvimento de uma revisão geral de seus projetos pedagógicos, encabeçada pelos respectivos coordenadores de curso, com a intenção de absorver as lições das melhores práticas aplicadas à gestão dos cursos de graduação.

10 9 As ações arrojadas continuam e, como fruto de um pensamento vanguardista, em 2012 a Família Michels assume o comando das quotas sociais da Faculdade Capivari e, detendo 100% do capital, passa a desenvolver ações que vão culminar na alteração do escopo de atividade da Instituição. A autorização do curso de Pedagogia, por intermédio da Portaria N o 34, de 19 de abril de 2012, sem a prerrogativa da visita de avaliação in loco, é o sinal de que muitos outros projetos inovadores estão por vir, resguardando a essência inovadora de uma Instituição que forma profissionais Responsáveis, Dedicados e de Confiança. Em maio de 2013 a FUCAP passa a oferecer mais um curso para a comunidade da região, com a publicação da portaria do MEC Nº 180 de 08 de maio de 2013, que autoriza o funcionamento do Curso de Engenharia de Produção, e o início das aulas em agosto de 2013, a FUCAP passa a figurar cada vez mais consolidada no cenário educacional da Educação Superior. Em novembro de 2014 a FUCAP recebe a autorização para o Curso de Engenharia Mecânica, a partir da portaria do MEC nº 719 de 24 de novembro, este será ofereciso já no Processo Seletivo 2015/1 e terá o início de suas aulas em fevereiro de Na pós-graduação são oferecidos cursos nas áreas de Educação, Gestão e Engenharia (oferecido a partir da autorização do Curso de Engenharia de Produção). Em extensão a IES oferece cursos de Programação, Planejamento e Controle de Produção, Língua Portuguesa, Desenho 2D e 3D, Matemática, Hotelaria e Turismo, Departamento Pessoal Corpo Dirigente ATRIBUIÇÃO NOME TÍTULAÇÃO Presidência da Mantendora Direção Geral da Mantida Prof. Expedito Michels Mestre Diretora Administrativa Maria Margarete Crema Michels Especialista Coordenadora Geral de Pós- Graduação Profª. Emillie Michels Mestre Secretária Acadêmica Profª. Ana Paula Matias Mestre Diretora Acadêmica Profª. Emillie Michels Mestre Coordenadora do Curso Superior de Tecnologia em Hotelaria Profª. Janine Koenig Soares Mestre Coordenadora da CPA Profª. Ana Paula Matias Mestre

11 CONTEXTUALIZAÇÃO DO CURSO Denominação Endereço de funcionamento Ato Legal Total de Vagas anuais Turno de funcionamento Carga horária total do curso Integralização da carga horária do curso: limite mínimo e máximo. Identificação da Coordenação do Curso Perfil da Coordenadora do Curso Modalidade do Curso Curso Superior de Tecnologia em Hotelaria Av. Nações Unidas, 500, Santo André, Capivari de Baixo SC Renovação de reconhecimento a partir da Portaria nº 626 de 27 de novembro 2013, publicado no DOU em 28 de novembro de vagas Noturno 1800 horas Mínimo de 2,5 anos Máximo de 5 anos Profª Ms. Janine Koenig Soares Mestrado em Turismo e Hotelaria Graduação em Turismo Presencial Núcleo Docente Estruturante - NDE Composição Titulação Regime de Trabalho Ana Paula Matias Mestre Integral Janine Koenig Soares Mestre Integral Magda Ternes Dittrich Mestre Parcial Nelson Granneman Casagrande Doutor Integral Emillie Michels Mestre Integral

12 11 2 ORGANIZAÇÃO DIDÁTICO PEDAGÓGICA 2.1 CONTEXTO EDUCACIONAL NO ÂMBITO ECONÔMICO E SOCIAL A contribuição do curso de Hotelaria para o entorno da FUCAP, está diretamente relacionada com a responsabilidade social da instituição preconizada na sua missão de Desenvolver, por meio da educação superior de excelência, o potencial realizador das pessoas, contribuindo para a formação de cidadãos sadios habilitados para a profissão, para a vida e integrados à comunidade. A FUCAP mantém em sua trajetória o comprometimento com o desenvolvimento da comunidade capivariense, estendendo à região da Associação dos Municípios da Região de Laguna AMUREL, e ainda, à região sul de Santa Catarina como um todo. Para tanto, a instituição observa a regionalidade e tem o homem como foco de interesse e principal vertente de suas ações institucionais como forma de desenvolvimento da sociedade. A instituição promove a educação para o desenvolvimento da comunidade, assumindo o compromisso de ser o centro de referência na região sul de Santa Catarina em matéria de ensino superior, oferecendo suas atividades para os diversos segmentos a partir da indissociabilidade entre ensino, iniciação científica, extensão e gestão e, sobretudo, integrando teoria e prática. Portanto, a FUCAP contribui para subsidiar o desenvolvimento da estrutura produtiva levando em conta a modernização da economia regional por meio de premissas empreendedoras e que determinem inovações sociais. Importante destacar que o perfil socioeconômico do sul de Santa Catarina se destaca pelas atividades centradas na indústria, nos serviços e nas atividades agrícolas. Outro ponto relevante é que o munícipio de Capivari de Baixo, que sedia a FUCAP, está localizado em um local estratégico na região da AMUREL, logo, trata-se de um ambiente em franca expansão, com expectativas de mudanças devido à duplicação da Rodovia BR 101, da inauguração do Aeroporto Regional Sul Humberto Ghizzo Bortoluzzi e de instalações de grandes empresas à sua volta. No entanto, a região é carente por educação superior de qualidade capaz de acompanhar o seu desenvolvimento e, consequentemente, carente de profissionais com capacidade de atender a demanda turístico hoteleira. No decorrer dos últimos 15 anos, principalmente, a atividade turística vem gerando novos campos de trabalho e renda. Tal fenômeno está ocorrendo no mundo, com grande movimento de visitantes se locomovendo de um espaço para outro. Santa Catarina, situada no

13 12 Sul do Brasil, não é um Estado que vive somente do turismo, mas ele agrega valores consideráveis principalmente nas cidades litorâneas. Aqui encontram-se economias diversificadas; entre agropecuária, a indústria e os serviços. O turismo, economia do setor de serviços, vem adquirindo destaque gradativamente. Segundo dados da SANTUR (2015), Santa Catarina é considerado o melhor destino turístico do Brasil, o estado recebe anualmente cerca de 5 milhões de visitantes, incluindo estrangeiros, brasileiros de outros estados e os próprios catarinenses que circulam pelo território com motivação turística. As belíssimas praias encontradas ao longo dos 560 km do litoral catarinense são as principais atrações da temporada mais movimentada, a de verão (entre dezembro e fevereiro). Já no inverno, a Serra Catarinense é o destino mais concorrido, principalmente quando há ocorrência de neve. Além disso, há destinos em Santa Catarina que atraem visitantes durante o ano inteiro, como o parque Beto Carrero World, em Penha, e o Santuário de Santa Paulina, em Nova Trento. Desta forma, o Curso Superior de Tecnologia em Hotelaria da FUCAP vem para desenvolver e transformar os recursos humanos da região para atuarem em Hospitalidade e Lazer, área em qual está inserido o Curso no Catálogo Nacional dos Cursos Superior de Tecnologia (2010). O sul de Santa Catarina é dotado de muitos atrativos naturais e culturais. São diversas as praias para práticas de esportes e banho; como exemplo, as praias de Imbituba e Garopaba, muito procuradas para o surf, banho e a observação de baleias francas, nos meses de junho e novembro. E a prática do ecoturismo como forma de preservação ambiental. A Região sul de SC é composta por 41 municípios, entre eles destaca-se aqueles com maior atratividade turística. Garopaba e Imbituba possuem belas praias, observação de baleias e antigos vilarejos de pescadores de origem açoriana. Já o município de Laguna, além das praias, conta com o turismo histórico, com o Tratado de Tordesilhas, 600 prédios tombados e patrimônio histórico; e Jaguaruna oferece dunas, lagoas e praias. Destaque também para o turismo rural em Santa Rosa de Lima e São Martinho com traços guardados da cultura germânica; em Tubarão as águas termais e a ferrovia são pontos de visitação. A cultura italiana representada na gastronomia, festas e dialeto nas cidades de Urussanga, Nova Veneza e Orleans, além da produção ceramista e a criação de minas de carvão para visitação em Criciúma. Para finalizar, em Timbé do Sul, os adeptos do ecoturismo estão presentes para apreciar o conjunto dos aparados da Serra, com cachoeiras, vegetação e paredões de pedra com até m. de altura.

14 13 Tudo o que foi demonstrado como atrativos turísticos da região sul de SC, vêm para referendar a justificativa da necessidade da qualificação de pessoas para atuar nas mais variadas atividades laborais na busca da sustentabilidade da atividade turística. O turismo por si só não se sustenta, ele necessita de negócios, e a área de alimentação e hospedagem são os principais setores de suporte. Nos municípios que compõem a região sul, onde está localizado o município de Capivari de Baixo, a oferta hoteleira ainda é modesta. De acordo com dados da SANTUR (2004), existe uma média de 500 meios de hospedagem na região, nas categorias: hotéis, pousadas, cabanas entre outros. Porém, há um número elevado de equipamentos hoteleiros informais; isto é; que não estão cadastrados junto ao órgão de turismo, chegando estes a duplicar a oferta de equipamentos de hospedagem. Sendo assim, faz-se necessário a preparação de pessoas para atuar no setor turístico; seja como funcionário ou como empreendedor. Países europeus, dotados de recursos naturais limitados comparados com a nossa exuberância tropical captaram fluxos turísticos muitos superiores ao da demanda estrangeira total pelo Brasil. Tal fato ocorre principalmente por falta de serviços e produtos com qualidade. A Faculdade Capivari oferece o Curso Superior de Tecnologia em Hotelaria com o desejo de melhorar a oferta de equipamentos e serviços ao turista. Ao ofertar o espaço para o visitante com mais qualidade, o residente também estará se beneficiando desse ambiente. É esse o pressuposto da instituição: gerar trabalho e renda com sustentabilidade para os estudantes e futuros profissionais. Ainda, na região como um todo, há poucos profissionais qualificados, assim como também não há oferecimento do Curso Superior de Tecnologia em Hotelaria por outras instituições. A qualidade no setor de Hospitalidade e Lazer para o sul do Estado só será efetivamente alcançada com a preparação de mão-de-obra qualificada encarregada de coordenar e supervisionar com habilidades e competências os pressupostos das necessidades mercadológicas. A FUCAP oferece este curso pensando na aplicabilidade das teorias e práticas, desenvolvendo as competências necessárias nos educandos para atuarem no mercado. As visitas técnicas orientadas, os laboratórios de informática e de alimentos e bebidas, instalados dentro da instituição, faz com que os alunos tenham a visão do trabalho laboral em hotelaria e turismo. Busca-se o encontro das habilidades, atitudes e valores ideais para que nossos alunos tenham um posicionamento crítico diante das exigências sociais e profissionais.

15 14 Desta forma, a FUCAP quer participar, e assim continuar, a qualificar mão de obra para uma demanda cada vez maior de profissionais que atuem na área de Hospitalidade e Lazer com propriedade e profissionalismo. 2.2 ADERÊNCIA ENTRE AS POLÍTICAS DO PDI E O CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM HOTELARIA Com o intuito de cumprir a sua missão, a FUCAP busca apoiar-se nos objetivos traçados em seu Plano de Desenvolvimento Institucional - PDI e promover o desenvolvimento de métodos inovadores de acompanhamento do Projeto Pedagógico de cada curso. A Instituição entende que dentre a estrutura de todos os seus cursos, é fundamental considerar o desenvolvimento de ações que visam a consolidação das políticas de ensino, iniciação científica, extensão e gestão ao longo dos cursos de graduação. Desse modo, com a intenção de consolidar esse aspecto, promove constantemente, por meio de seus gestores e dos órgãos de apoio, fóruns, cursos de capacitação docente e reuniões, que tem a intenção de acompanhar a dinâmica das políticas institucionais, promovendo o desenvolvimento de um curso coerente com a estrutura do seu PDI. Nesse sentido, os objetivos e metas do Curso Superior de Tecnologia em Hotelaria seguem as mesmas premissas da instituição considerando os cinco eixos: (a) planejar atividades por meio dos resultados da autoavaliação e da avaliação externa; (b) desenvolver a instituição através da implantação do PDI com vistas a promoção da responsabilidade social; (c) implantar políticas acadêmicas para o desenvolvimento do ensino, da iniciação científica, da extensão, da comunicação com a sociedade e atendimentos aos discentes; (d) implantar políticas de gestão que garantam o desenvolvimento da estrutura organizacional e a sustentabilidade financeira; (e) ampliar a infraestrutura física para atender ao desenvolvimento institucional. Importante destacar que a FUCAP busca um posicionamento diferenciado no contexto regional a partir de atividades desenvolvidas no âmbito do ensino de graduação e da especialização contando com a contribuição da comunidade no fomento de novas ideias. Nesse sentido, o Curso Superior de Tecnologia em Hotelaria por meio das ações da sua Coordenação e do Núcleo Docente Estruturante - NDE, busca o desenvolvimento de métodos de ensino e aprendizagem que estejam alinhados ao PDI da Instituição e, sobretudo, com as políticas institucionais delineadas no Projeto Pedagógico Institucional PPI. Para

16 15 tanto, concilia todo esse processo com as Diretrizes do Catálogo Nacional de Cursos Tecnológicos para o curso de Hotelaria. Portanto, no que se refere à política de ensino para a graduação de Tecnologia em Hotelaria, a indissociabilidade entre ensino, iniciação científica e extensão e, a regionalidade embasam uma política de ensino pautada em diretrizes sustentadas pelo planejamento da instituição como um todo. Nesse contexto, a Coordenação do Curso preconiza o desenvolvimento de métodos de aprendizagem que permitam a interação entre os estudantes, os docentes e as necessidades regionais, por meio da utilização de aulas práticas e visitas de campo que tem relação com as competências esperadas pelo mercado de trabalho e pela comunidade do entorno. Além disso, os docentes são orientados ao desenvolvimento de práticas de interdisciplinaridade, por meio do desenvolvimento de ações que ensejam a visão sistêmica da organização, inserindo, através dos conteúdos ministrados nas respectivas disciplinas, o acadêmico em um contexto teórico-prático, formando o profissional com base no perfil descrito no Projeto Pedagógico. Para que todo esse processo aconteça a FUCAP promove para o curso a formação de um corpo docente qualificado em nível de titulação, capaz de desenvolver metodologias alinhadas com o perfil de formação do profissional hoteleiro integrando atividades práticas e teóricas. Como exemplo de ação para a inserção do acadêmico no contexto prático, sobretudo profissional, tem-se os laboratórios de alimentos e bebidas e informática. Outros pontos que justificam o desenvolvimento do curso de Hotelaria sob a orientação das políticas de ensino da FUCAP, centram-se no fomento do currículo alinhado com as expectativas da região da AMUREL, da sociedade e da estrutura das organizações da região. A Instituição também desenvolve métodos de acompanhamento de egressos, por meio da avaliação desenvolvida pela CPA e por atividades que visam à integração dos exestudantes com a Pós-Graduação. Entre as informações consideradas no acompanhamento, destacam-se o posicionamento profissional e as expectativas em nível de pós-graduação, contribuindo para a educação continuada do egresso. Além de um conjunto relevante de informações, estes dados também vão compor o escopo de atividades que visam a manutenção dos estudantes nos bancos escolares, incidindo em ações que visam o controle dos índices de evasão, retenção e permanência, consolidando um escopo gerencial relevante aplicado ao curso de Tecnologia em Hotelaria. Quanto à política de iniciação científica no curso de Hotelaria, se constitui como uma ferramenta eficaz de relacionamento entre a Instituição e o entorno ao qual está inserida. As práticas desenvolvidas no ensino da graduação e que preconizam a investigação e a produção

17 16 de conhecimentos estão vinculadas à estrutura curricular do curso, integrando métodos que visam o desenvolvimento de trabalhos profissionalizantes. De acordo com o PDI da FUCAP, percebe-se, quanto a relação entre o ensino e a iniciação científica, o seguinte direcionamento, A Iniciação Científica na FUCAP não é, nem deve ser, via de mão-única e exclusividade de poucos acadêmicos e professores, mas sim como um resultado do esforço permanente dos docentes no sentido de superar a ciência que detém e, de acadêmicos na reinterpretação, na criação e na recriação do conhecimento. Neste caso, o professor, enquanto cientista, dentro da análise da realidade que deve permanentemente fazer, deve estar comprometido com o desvendamento da verdade e com o desenvolvimento da região sul catarinense (PDI 2014, p. 48). Considerando esses aspectos, as orientações que emanam desse direcionamento, a Iniciação Científica, no âmbito do curso, se consolidam por meio de atividades práticas de ensino, leituras, produção de materiais, tais como papers e artigos, que são ajustados de acordo com as necessidades de cada plano de ensino. Importante ponderar que, mesmo adotando práticas que visam a iniciação científica, a FUCAP, por meio de seu credenciamento institucional, não está obrigada a promover tais práticas em âmbito institucional. Contudo, por meio de seus pressupostos de ensino de qualidade, a Instituição desenvolve métodos que visam a inserção do acadêmico em contexto científico, buscando a formação de um estudante emancipado e que tem, na educação superior, um mecanismo de libertação e consolidação de valores. As práticas ensejadas serão propostas pelo Colegiado e implementadas com o auxílio do NDE sendo, constantemente, avaliadas pela CPA. O desenvolvimento da iniciação científica constitui um elemento essencial para o direcionamento da teoria com a prática no sentido de promover um ensino de qualidade. Para que todo esse processo aconteça são necessários professores capacitados para o desenvolvimento, orientação e auxílio na divulgação dos trabalhos elaborados. Para tanto, os docentes são incentivados, a partir do plano de carreira, a publicar artigos e demais produções científicas individuais ou em conjunto com os alunos orientados. A FUCAP auxilia ainda, na fixação de seus docentes, inclusive por meio de mecanismos de estímulos financeiros aos professores em tempo integral, tornando disponíveis para as atividades com vistas ao desenvolvimento da iniciação científica, sem prejuízo de seus trabalhos no campo do ensino. Quanto às políticas de extensão tem-se que, para a FUCAP, a extensão é uma troca sistemática de saberes e a efetiva comunicação entre a Instituição e o seu meio com o intuito de desenvolver a região em conjunto com a sociedade. A Instituição, comprometida com o

18 17 desenvolvimento social, técnico e estrutural de Capivari de Baixo e da região, tem, nas ações extensionistas, um mecanismo de diálogo com a sociedade, determinando uma participação direta de todos os envolvidos com a comunidade regional. Como exemplo de ações e eventos que promovam as políticas de extensão tem-se cursos de Agência de Viagens e Gastronomia; a Mostra Acadêmica onde os alunos têm a oportunidade de apresentar para a comunidade os trabalhos realizados em sala de aula; e Visitas Técnicas em empresas consideradas referência na região. No que se refere às políticas de gestão a FUCAP, desde sua concepção, tem uma preocupação significativa com o seu processo gerencial, desenvolvendo profissionais aptos e qualificados para a tomada de decisão e a compreensão das perspectivas que envolvem suas atividades. De acordo com o PDI, é possível perceber que: A estrutura organizacional da FUCAP, em termos de concepção gerencial busca, em seus aspectos morfológicos e fisiológicos, de interação, de relação intrínseca com a missão institucional, ser integrada com simplificação dos processos administrativos sem a perda do controle gerencial e mais próxima e disponível de seu corpo social. Neste caso, torna-se patente a necessidade de redução dos níveis hierárquicos, fazendo com que a estrutura organizacional da Instituição torne-se simplificada e flexível, comprometida com os ensejos institucionais (PDI 2014, p. 51). Para o curso de Tecnologia em Hotelaria fica claro e perceptível a preocupação da Instituição em manter seu padrão gerencial, decorrente de sua missão, e que envolva todos os responsáveis pelo pleno desenvolvimento das políticas institucionais. Baseada neste pressuposto, a Coordenação do Curso e o NDE se propõem a alinhar o Projeto Pedagógico com as políticas de gestão da FUCAP, preconizando o envolvimento dos agentes responsáveis pela condução do curso no processo de consolidação do Projeto Pedagógico. O Curso de Tecnologia em Hotelaria, por meio da Coordenação e dos órgãos complementares, utiliza no processo de gestão, toda a instrumentação institucional que permite o atendimento aos estudantes, consolidando sua plataforma de apoio gerencial (UNIMESTRE) como o mecanismo de atendimento direto aos estudantes e docentes. Isso permite, entre outros aspectos, o desenvolvimento de ações rápidas no atendimento à comunidade acadêmica e o conhecimento dos principais problemas que envolvem a relação entre o docente, o acadêmico e a Instituição. Por meio de um planejamento anual, alinhado ao Planejamento Estratégico da FUCAP, a Coordenação de Curso levará em consideração os dados do Censo da Educação Superior, quando existirem, as informações do IGC (INEP) e os dados da autoavaliação,

19 18 permitindo que existam investimentos vinculados à qualificação do corpo de professores e de sua estrutura técnica. De igual modo, os investimentos também serão aplicados na atualização da biblioteca, a qual observará os períodos análogos aos ciclos avaliativos. De maneira geral, a FUCAP, para o curso de Hotelaria, em conjunto com as ações da Coordenação, preconizará o desenvolvimento de suas ações gerenciais alinhadas com o Plano de Desenvolvimento Institucional, assegurando o desenvolvimento de práticas determinadas pelo planejamento e considerando a avaliação institucional como ferramenta de construção de informações, as quais subsidiam a tomada de decisão no âmbito do curso. Do mesmo modo, a Instituição também se compromete a analisar o curso, de modo frequente, na perspectiva das Diretrizes do Catálogo Nacional de Cursos Tecnológicos, e sobretudo, das políticas nacionais de avaliação e regulação, sempre observando a atualização dos postos-chave para o desenvolvimento do curso de graduação. Para tanto, a Instituição promoverá, de modo constante, o desenvolvimento de seu corpo de colaboradores, alocando, retendo e desenvolvendo os talentos necessários para que, tanto o curso de Hotelaria, quanto a FUCAP estejam alinhados com as prerrogativas do desenvolvimento de uma educação superior de excelência, o que é previsto no PDI. 2.3 OBJETIVOS DO CURSO O Curso Superior de Tecnologia em Hotelaria da FUCAP tem como objetivo habilitar profissionais com autonomia, criatividade, responsabilidade, ética, visão holística e empreendedora e voltados para o desenvolvimento sustentável, para atuar em diversos setores dos meios de hospedagens, como: Gerência de reservas; Gerência de recepção; Governança; Coordenação de eventos; Coordenação de equipes de recreação e lazer; Coordenação de produção e serviços de hospedagem; Gerência de alimentos e bebidas; Gerência de hospedagem; Promoção de vendas e comercial.

20 19 O Curso Superior de Tecnologia em Hotelaria objetiva o atendimento das necessidades do mercado de trabalho, enseja a formação de profissionais competentes e empreendedores, comprometidos com o desenvolvimento do sul catarinense. Trata-se de um novo modelo de curso, com um programa com carga horária de horas totais, formando tecnólogos em dois anos e meio, cujas atividades são direcionadas para formação específica, voltada à gestão, desenvolvimento e difusão de processos tecnológicos. 2.4 PEFIL PROFISSIONAL DO EGRESSO O Curso Superior de Tecnologia em Hotelaria, proposto pela Faculdade Capivari, enfatiza a formação que capacita o profissional para atuar nas empresas de meios de hospedagem, gastronomia, empresas de eventos, lazer e recreação entre outras diversas áreas deste segmento. A operacionalização destas áreas exige a formação de um profissional com características bem específicas, integrando conhecimentos, habilidades e atitudes pertinentes. Tal formação põe em evidência um profissional qualificado, criativo e com grande capacidade de adaptação às novas situações. O perfil do Tecnólogo em Hotelaria, proposto pela Faculdade Capivari, em cumprimento a Lei de Diretrizes Curriculares Nacionais, Resolução CNE/CEB para a Educação Profissional, e a disseminação da atividade turística e hoteleira, conclui sua formação com as seguintes habilidades e competências: Sob a Ótica do Processo Pedagógico Formação técnica para conceber, organizar e viabilizar produtos e serviços de hospitalidade adequados aos interesses, hábitos e expectativas dos clientes; Competência para operacionalizar políticas comerciais, realizando prospecção mercadológica, identificação e captação de clientes e adequação dos produtos e serviços; Competência para organizar espaços físicos dos meios de hospedagem e de alimentação, prevendo seus ambientes, uso e articulação funcional e fluxo de trabalho e de pessoas; Coordenar e supervisionar: serviços de hospedagens, eventos, atendimento, recepção e governança, atendendo a ética empresarial;

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO SOCIEDADE EDUCACIONAL CAPIVARI DE BAIXO - SECAB FACULDADE CAPIVARI - FUCAP PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO (revisado em maio/2014) Capivari de Baixo/SC, 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO - MEC SECRETARIA

Leia mais

SOCIEDADE EDUCACIONAL CAPIVARI DE BAIXO - SECAB FACULDADE CAPIVARI - FUCAP PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

SOCIEDADE EDUCACIONAL CAPIVARI DE BAIXO - SECAB FACULDADE CAPIVARI - FUCAP PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO SOCIEDADE EDUCACIONAL CAPIVARI DE BAIXO - SECAB FACULDADE CAPIVARI - FUCAP PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Capivari de Baixo, 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO - MEC SECRETARIA DA EDUCAÇÃO

Leia mais

SOCIEDADE EDUCACIONAL CAPIVARI DE BAIXO - SECAB FACULDADE CAPIVARI - FUCAP PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA

SOCIEDADE EDUCACIONAL CAPIVARI DE BAIXO - SECAB FACULDADE CAPIVARI - FUCAP PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA SOCIEDADE EDUCACIONAL CAPIVARI DE BAIXO - SECAB FACULDADE CAPIVARI - FUCAP PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA Capivari de Baixo, 2013 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO - MEC SECRETARIA DA EDUCAÇÃO

Leia mais

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO PROVÍNCIA LA SALLE BRASIL - CHILE APRESENTAÇÃO O Setor de Educação Superior da Província

Leia mais

FACULDADE SETE LAGOAS - FACSETE COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO / CPA RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DA CPA NO ANO DE 2013

FACULDADE SETE LAGOAS - FACSETE COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO / CPA RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DA CPA NO ANO DE 2013 FACULDADE SETE LAGOAS - FACSETE COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO / CPA RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DA CPA NO ANO DE 2013 Sete Lagoas Março de 2014 Sumário 1. DADOS DA INSTITUIÇÃO... 4 1.1. Composição da Comissão

Leia mais

CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO

CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO Com a finalidade de otimizar o processo de elaboração e avaliação dos Projetos Pedagógicos do Cursos (PPC), sugere-se que os itens a seguir sejam

Leia mais

Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais

Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação

Leia mais

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE FUNCIONÁRIOS - PDF ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR - EMENTAS

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE FUNCIONÁRIOS - PDF ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR - EMENTAS MÓDULO 1: GESTÃO ACADÊMICA DE IES Educação Superior no Brasil: cenários e tendências Conceitos e concepções de universidade; aspectos históricos da educação superior no Brasil; a reforma da educação superior

Leia mais

PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO DE COLABORADORES PQC ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR MÓDULO 1: GESTÃO ACADÊMICA DE IES

PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO DE COLABORADORES PQC ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR MÓDULO 1: GESTÃO ACADÊMICA DE IES MÓDULO 1: GESTÃO ACADÊMICA DE IES Educação Superior no Brasil: cenários e tendências Conceitos e concepções de universidade; aspectos históricos da educação superior no Brasil; a reforma da educação superior

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação Superior - DAES SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE MODA

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE MODA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE MODA Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 Curso Superior em Tecnologia em Design de Moda Dados de identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente

Leia mais

RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS

RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS SALVADOR 2012 1 CONTEXTUALIZAÇÃO Em 1999, a UNIJORGE iniciou suas atividades na cidade de Salvador, com a denominação de Faculdades Diplomata. O contexto

Leia mais

TÉCNICO EM HOSPEDAGEM

TÉCNICO EM HOSPEDAGEM Imagens para explicar que às vezes o turista quer um lugar simples, no meio da natureza para descansar, basta estar limpo, asseado e arejado, nem todos querem luxo, existe vários perfis de clientes.(grifo

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior- Conaes Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO

Leia mais

GRADUAÇÃO HOTELARIA BACHARELADO. NOTA MÁXIMA NO MEC Ministério da Educação

GRADUAÇÃO HOTELARIA BACHARELADO. NOTA MÁXIMA NO MEC Ministério da Educação NOTA MÁXIMA NO MEC Ministério da Educação TITULAÇÃO: Bacharel em Hotelaria CARGA HORÁRIA: 3.104 horas DURAÇÃO: 2 anos DIFERENCIAL 2 ANOS A Castelli ESH propõe-se a ofertar o Curso de Graduação em Hotelaria,

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Associação Escola Superior de Propaganda e Marketing UF: SP ASSUNTO: Recredenciamento da Escola Superior de Propaganda

Leia mais

CST EM GASTRONOMIA. Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC

CST EM GASTRONOMIA. Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC CST EM GASTRONOMIA Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 CURSO: CST EM GASTRONOMIA Dados de identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente da Mantenedora Presidente: Ed. Rodrigo Calvo Galindo

Leia mais

D I R E I T O SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES AUTORIZAÇÃO

D I R E I T O SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES AUTORIZAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Superior Sesu Departamento de Supervisão da Educação Superior - Desup Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 13, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2006 (*)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 13, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2006 (*) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 13, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2006 (*) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Turismo

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSEPE 33/99 ALTERA O PLANO CURRICULAR E O REGIME DO CURSO DE HOTELARIA, DO CÂMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA.

RESOLUÇÃO CONSEPE 33/99 ALTERA O PLANO CURRICULAR E O REGIME DO CURSO DE HOTELARIA, DO CÂMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA. RESOLUÇÃO CONSEPE 33/99 ALTERA O PLANO CURRICULAR E O REGIME DO CURSO DE HOTELARIA, DO CÂMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, no uso da atribuição

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2012 PRÓ-REITORIA DE ENSINO/IFMG/SETEC/MEC, DE 05 DE JUNHO DE 2012.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2012 PRÓ-REITORIA DE ENSINO/IFMG/SETEC/MEC, DE 05 DE JUNHO DE 2012. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS PRÓ-REITORIA DE ENSINO Av. Professor Mario Werneck, nº 2590,

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUACÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS: BACHARELADO NA MODALIDADE PRESENCIAL

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUACÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS: BACHARELADO NA MODALIDADE PRESENCIAL SOCIEDADE EDUCACIONAL CAPIVARI DE BAIXO - SECAB FACULDADE CAPIVARI - FUCAP PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUACÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS: BACHARELADO NA MODALIDADE PRESENCIAL Capivari de Baixo, 2012 2

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Instituto Doctum de Educação e Tecnologia Ltda. UF: MG ASSUNTO: Credenciamento da Faculdade de Ciências Gerenciais

Leia mais

Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES/INEP Coordenação-Geral de Avaliação de Cursos de Graduação e IES

Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES/INEP Coordenação-Geral de Avaliação de Cursos de Graduação e IES Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES/INEP Coordenação-Geral de Avaliação de Cursos de Graduação e IES EDUCAÇÃO SUPERIOR BRASILEIRA ALGUNS INDICADORES¹ 2.314 IES 245 públicas (10,6%) e 2.069

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL CÂMPUS CANOAS PROJETO PEDAGÓGICO CURSO FIC PRONATEC Canoas

Leia mais

FACULDADE PASCHOAL DANTAS

FACULDADE PASCHOAL DANTAS FACULDADE PASCHOAL DANTAS PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO ÊNFASE GESTÃO DE PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SÃO PAULO - SP NOVEMBRO DE 2008 ÍNDICE 1. Visão e Missão da FPD...3 2. ORGANIZAÇÃO

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 24/8/2009, Seção 1, Pág. 16. Portaria n 816, publicada no D.O.U. de 24/8/2009, Seção 1, Pág. 16. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL

Leia mais

CETEC EDUCACIONAL S.A. Mantenedora FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - ETEP. Mantida

CETEC EDUCACIONAL S.A. Mantenedora FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - ETEP. Mantida CETEC EDUCACIONAL S.A Mantenedora FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - ETEP Mantida PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SÃO JOSÉ DOS CAMPOS 1 SUMÁRIO

Leia mais

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO 1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO O Curso de Secretariado Executivo das Faculdades Integradas de Ciências Exatas Administrativas e Sociais da UPIS, reconhecido pelo MEC desde 1993, pela Portaria 905, de 24.06,1993,

Leia mais

SOCIEDADE EDUCACIONAL CAPIVARI DE BAIXO SECAB FACULDADE CAPIVARI FUCAP

SOCIEDADE EDUCACIONAL CAPIVARI DE BAIXO SECAB FACULDADE CAPIVARI FUCAP SOCIEDADE EDUCACIONAL CAPIVARI DE BAIXO SECAB FACULDADE CAPIVARI FUCAP PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL FUCAP 2015-2019 REVISADO EM NOVEMBRO DE 2014 Capivari de Baixo, 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

Leia mais

Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006

Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006 Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006 Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de graduação em Engenharia Agrícola e dá outras providências.

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC FLORIANÓPOLIS

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC FLORIANÓPOLIS FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC FLORIANÓPOLIS PORTARIA DE CREDENCIAMENTO DA FACULDADE Portaria Nº 3.544 de 13 de dezembro de 2002, publicada no DOU em 16 de dezembro de 2002. Diretor da Faculdade: José Carlos

Leia mais

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação em Direito (presencial e a distância)

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação em Direito (presencial e a distância) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior Sinaes

Leia mais

Ministério da Educação

Ministério da Educação Página 1 de 25 Ministério da Educação Nº 1229 - Segunda feira, 21 de junho de 2010 Gabinete do Ministro - Portaria nº 807, de 18 de junho de 2010 Gabinete do Ministro - Portaria nº 808, de 18 de junho

Leia mais

PUBLICIDADE E PROPAGANDA

PUBLICIDADE E PROPAGANDA PUBLICIDADE E PROPAGANDA Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 CURSO: AGRONOMIA Dados de identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente da Mantenedora Presidente: Ed. Rodrigo Calvo Galindo

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO CURSO: TURISMO ( bacharelado) Missão Formar profissionais humanistas, críticos, reflexivos, capacitados para planejar, empreender e gerir empresas turísticas, adaptando-se ao

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de Inglês Aplicado ao Turismo. Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de Inglês Aplicado ao Turismo. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA CÂMPUS GAROPABA Aprovação do curso e Autorização da oferta

Leia mais

Instrumento de Avaliação de Cursos Superiores de Pedagogia

Instrumento de Avaliação de Cursos Superiores de Pedagogia MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior -

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 CURSO: BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Dados de Identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente da Mantenedora Presidente: Ed. Rodrigo

Leia mais

Florianópolis, 2012. Expedito Michels. Mestrado Profissional em Administração Universitária (PPGAU/UFSC)

Florianópolis, 2012. Expedito Michels. Mestrado Profissional em Administração Universitária (PPGAU/UFSC) O PAPEL DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO E A CONTRIBUIÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO PARA A FORMAÇÃO DE PROFISSIONAIS DE ADMINISTRAÇÃO: UM ESTUDO DE CASO Florianópolis, 2012 Expedito Michels Mestrado Profissional

Leia mais

MINI STÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINI STRO P ORTARIA Nº 808, DE 18 DE JUNHO DE 2010

MINI STÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINI STRO P ORTARIA Nº 808, DE 18 DE JUNHO DE 2010 MINI STÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINI STRO P ORTARIA Nº 808, DE 18 DE JUNHO DE 2010 Aprova o instrumento de avaliação para reconhecimento de Cursos Pedagogia, no âmbito do Sistema Nacional de Avaliação

Leia mais

PORTARIA Nº 300, DE 30 DE JANEIRO DE 2006.

PORTARIA Nº 300, DE 30 DE JANEIRO DE 2006. PORTARIA Nº 300, DE 30 DE JANEIRO DE 2006. Aprova, em extrato, o Instrumento de Avaliação Externa de Instituições de Educação Superior do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES O MINISTRO

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO INTRODUÇÃO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO (PPC) Articulação com o Plano de Desenvolvimento Institucional PDI Projeto Político Pedagógico Indissociabilidade entre ensino, pesquisa

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE BACHARELADO E LICENCIATURA DA UTFPR

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE BACHARELADO E LICENCIATURA DA UTFPR Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE BACHARELADO E LICENCIATURA DA UTFPR Resolução

Leia mais

PONTOS FRACOS E PONTOS FORTES E PROPOSTA PARA SOLUCIONAR E/OU MINIMIZAR

PONTOS FRACOS E PONTOS FORTES E PROPOSTA PARA SOLUCIONAR E/OU MINIMIZAR PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO COORDENADORIA DE ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL SÍNTESE DE RELATORIO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL E DE AVALIAÇÃO EXTERNA PONTOS FRACOS E PONTOS FORTES E PROPOSTA

Leia mais

AUTO-AVALIAÇÃO: QUALIDADE NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS SUELEN APARECIDA TIZON MARTINS

AUTO-AVALIAÇÃO: QUALIDADE NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS SUELEN APARECIDA TIZON MARTINS AUTO-AVALIAÇÃO: QUALIDADE NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS SUELEN APARECIDA TIZON MARTINS Orientador: Prof. Expedito Michels FUCAP Faculdade, situada na Avenida Nações Unidas, nº 500, bairro Santo

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA CAMPUS FLORIANÓPOLIS CONTINENTE PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO FORMAÇÃO CONTINUADA EM GESTÃO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 039/2004-COU/UNICENTRO

RESOLUÇÃO Nº 039/2004-COU/UNICENTRO RESOLUÇÃO Nº 039/2004-COU/UNICENTRO REVOGADA PELA RESOLUÇÃO Nº 128/2014- COU/UNICENTRO. DISPOSITIVOS DO PROJETO PEDAGÓGICO APROVADO POR ESTA RESOLUÇÃO, ESTÃO ALTERADOS PELA RESOLUÇÃO Nº 26/2009-COU/UNICENTRO.

Leia mais

PARECER. Justificativa

PARECER. Justificativa Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás IFG - Campus Anápolis Departamento das Áreas Acadêmicas Parecer: Do:

Leia mais

RENOVAR PARA INOVAR! Plano de Gestão. Proposta de plano de gestão do candidato Érico S. Costa ao cargo de Diretor do Campus

RENOVAR PARA INOVAR! Plano de Gestão. Proposta de plano de gestão do candidato Érico S. Costa ao cargo de Diretor do Campus RENOVAR PARA INOVAR! Plano de Gestão Proposta de plano de gestão do candidato Érico S. Costa ao cargo de Diretor do Campus 2013-2016 0 1 Sumário Apresentação... 2 Análise Situacional... 2 Programas Estruturantes...

Leia mais

Universidade de Cuiabá. Curso de Licenciatura em Letras Habilitação Português / Espanhol e suas licenciaturas

Universidade de Cuiabá. Curso de Licenciatura em Letras Habilitação Português / Espanhol e suas licenciaturas Universidade de Cuiabá Curso de Licenciatura em Letras Habilitação Português / Espanhol e suas licenciaturas Dados de identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente da Mantenedora Presidente:

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO ELABORAÇÃO DO PPC INTRODUÇÃO O Projeto Pedagógico de Curso (PPC) deve orientar a ação educativa, filosófica e epistemológica do mesmo, explicitando fundamentos políticos,

Leia mais

Maio 2013 Macaé- RJ. Rafael Pacheco Lívia Leite

Maio 2013 Macaé- RJ. Rafael Pacheco Lívia Leite Maio 2013 Macaé- RJ Rafael Pacheco Lívia Leite Matriz do Curso de Engenharia Química 2013 Page 2 Sumário 1. APRESENTAÇÃO 2. JUSTIFICATIVA 3. DA CONCEPÇÃO DO CURSO 4. ORGANIZAÇÃO DO CURSO 5. A MATRIZ CURRICULAR

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Grupo Nobre de Ensino Ltda. UF: BA ASSUNTO: Recredenciamento da Faculdade Nobre de Feira de Santana, a ser instalada

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL PPI

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL PPI UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL PPI ABRIL, 2005 Introdução A Universidade Federal da Bahia ao elaborar o seu Plano de Desenvolvimento Institucional PDI (2004-2008), incluiu

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing PROJETO PEDAGÓGICO Curso de Graduação Tecnológica em Marketing Porto alegre, 2011 1 1. Objetivos do Curso O projeto do curso, através de sua estrutura curricular, está organizado em módulos, com certificações

Leia mais

FACULDADE PITÁGORAS CAMPUS MACEIÓ PROJETO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - CPA. Maceió, 2013.

FACULDADE PITÁGORAS CAMPUS MACEIÓ PROJETO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - CPA. Maceió, 2013. PROJETO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - CPA Maceió, 2013. SUMÁRIO APRESENTAÇÃO 1. HISTÓRICO DO GRUPO 2. DIREÇÃO 3. MISSÃO INSTITUCIONAL 4. VISÃO INSTITUCIONAL 5. FACULDADE PITÁGORAS 6. A COMISSÃO PRÓPRIA

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Associação de Ensino Superior de Ibaiti UF: PR ASSUNTO: Recredenciamento da Faculdade de Educação, Administração

Leia mais

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO Portaria nº 808, de 8 de junho de 00. Aprova o instrumento de avaliação para reconhecimento de Cursos Pedagogia, no âmbito do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior - SINAES. O MINISTRO DE

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC PRONATEC Assistente de Planejamento e Controle de Produção

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC PRONATEC Assistente de Planejamento e Controle de Produção MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

ENADE e CPC Como compreender seu desempenho e estratégias de melhoria de resultados. PROF. AMÉRICO DE ALMEIDA FILHO aalmeidaf@yahoo.com.

ENADE e CPC Como compreender seu desempenho e estratégias de melhoria de resultados. PROF. AMÉRICO DE ALMEIDA FILHO aalmeidaf@yahoo.com. ENADE e CPC Como compreender seu desempenho e estratégias de melhoria de resultados PROF. AMÉRICO DE ALMEIDA FILHO aalmeidaf@yahoo.com.br CPC Conceito Preliminar de Curso 1 - Nota dos Concluintes no ENADE

Leia mais

Autores: ANNARA MARIANE PERBOIRE DA SILVA, MARIA HELENA CAVALCANTI DA SILVA

Autores: ANNARA MARIANE PERBOIRE DA SILVA, MARIA HELENA CAVALCANTI DA SILVA RELAÇÕES ENTRE A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E O SETOR DE HOSPITALIDADE: um estudo de caso aplicável ao curso Técnico de Hospedagem Secretaria de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente de Pernambuco Autores: ANNARA

Leia mais

GRADUAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING DENOMINAÇÃO: CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING / ÁREA PROFISSIONAL: GESTÃO E NEGÓCIOS.

GRADUAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING DENOMINAÇÃO: CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING / ÁREA PROFISSIONAL: GESTÃO E NEGÓCIOS. GRADUAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING CARACTERIZAÇÃO DO CURSO DENOMINAÇÃO: CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING / ÁREA PROFISSIONAL: GESTÃO E NEGÓCIOS. DIPLOMA CONFERIDO: TECNÓLOGO DE

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014 1 FACULDADE DE ESTUDOS SOCIAIS DO ESPÍRITO SANTO PIO XII CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO EM COMÉRCIO EXTERIOR I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014 O currículo

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO CURSO TÉCNICO EM HOSPEDAGEM

APRESENTAÇÃO DO CURSO TÉCNICO EM HOSPEDAGEM APRESENTAÇÃO DO CURSO TÉCNICO EM HOSPEDAGEM 1. OBJETIVO DO CURSO Formar profissionais que consigam compreender o espaço social e as interações do mundo do trabalho na cadeia produtiva do Turismo e Hotelaria

Leia mais

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação Bacharelados, Licenciaturas e Cursos Superiores de Tecnologia (presencial e a distância)

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação Bacharelados, Licenciaturas e Cursos Superiores de Tecnologia (presencial e a distância) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior Sinaes

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUAÇÃO DIREITO

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUAÇÃO DIREITO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUAÇÃO DIREITO 1. APRESENTAÇÃO O Curso de Direito completa 30 anos em 2015. Nestas três décadas, o Curso tem passado por constantes modificações, todas na busca do aperfeiçoamento

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Faculdades Nordeste S/A UF: CE ASSUNTO: Recredenciamento da Faculdade Nordeste, com sede no Município de Fortaleza,

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Concepção do Curso de Administração A organização curricular do curso oferece respostas às exigências impostas pela profissão do administrador, exigindo daqueles que integram a instituição

Leia mais

ÚNICA EDUCACIONAL LTDA FACULDADE ÚNICA DE IPATINGA PROJETO DA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

ÚNICA EDUCACIONAL LTDA FACULDADE ÚNICA DE IPATINGA PROJETO DA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL ÚNICA EDUCACIONAL LTDA FACULDADE ÚNICA DE IPATINGA PROJETO DA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Março de 2015 SISTEMA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL A avaliação é entendida pela Faculdade Única de Ipatinga como um processo

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.638, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.638, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.638, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Associação Cristã de Moços de Sorocaba UF: SP ASSUNTO: Recredenciamento da Faculdade de Educação Física da Associação

Leia mais

Informações sobre o Curso de Administração

Informações sobre o Curso de Administração Objetivo Geral do Curso: Informações sobre o Curso de Administração Prover a sociedade de profissional dotado de senso crítico e comportamento ético-profissional qualificado. Um Administrador criativo,

Leia mais

RELATÓRIO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO (CPA )DA FACULDADE PARAIBANA (FAP) AÇÕES 2015 1 IDENTIFICAÇÃO DA INSTITUIÇÃO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR

RELATÓRIO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO (CPA )DA FACULDADE PARAIBANA (FAP) AÇÕES 2015 1 IDENTIFICAÇÃO DA INSTITUIÇÃO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RELATÓRIO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO (CPA )DA FACULDADE PARAIBANA (FAP) AÇÕES 2015 1 IDENTIFICAÇÃO DA INSTITUIÇÃO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DADOS DA MANTENEDORA I Identificação Nome: Associação Unificada

Leia mais

PROJETO VITRINE. Raquel Carvalho Gravina Universidade Federal de Juiz de Fora - NIDEEM/UFJF raquelcgravina@hotmail.com

PROJETO VITRINE. Raquel Carvalho Gravina Universidade Federal de Juiz de Fora - NIDEEM/UFJF raquelcgravina@hotmail.com PROJETO VITRINE Raquel Carvalho Gravina Universidade Federal de Juiz de Fora - NIDEEM/UFJF raquelcgravina@hotmail.com Amarildo Melchiades da Silva Universidade Federal de Juiz de Fora - UFJF xamcoelho@terra.com.br

Leia mais

CENTRO DE ESTUDO DE PÓS-GRADUAÇÃO PROPOSTA DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

CENTRO DE ESTUDO DE PÓS-GRADUAÇÃO PROPOSTA DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU CENTRO DE ESTUDO DE PÓS-GRADUAÇÃO PROPOSTA DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU 2013 INTRODUÇÃO: O presente trabalho apresenta a relação de Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu a serem reorganizados no

Leia mais

DSCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL

DSCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL CURSO DE BACHARELADO EM TURISMO Turno: MATUTINO Currículo nº 9 Currículo nº 10 Reconhecido pelo Decreto Estadual n. o 5.497, de 21.03.02, D.O.E. nº 6195 de 22.03.02. Renovação de Reconhecimento Decreto

Leia mais

BACHARELADOS INTERDISCIPLINARES

BACHARELADOS INTERDISCIPLINARES BACHARELADOS INTERDISCIPLINARES Bacharelados Interdisciplinares (BIs) e similares são programas de formação em nível de graduação de natureza geral, que conduzem a diploma, organizados por grandes áreas

Leia mais

POLÍTICA DE GOVERNANÇA COOPERATIVA

POLÍTICA DE GOVERNANÇA COOPERATIVA POLÍTICA DE GOVERNANÇA COOPERATIVA 1 1. APRESENTAÇÃO Esta política estabelece os princípios e práticas de Governança Cooperativa adotadas pelas cooperativas do Sistema Cecred, abordando os aspectos de

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO CURSO TÉCNICO EM HOSPEDAGEM

APRESENTAÇÃO DO CURSO TÉCNICO EM HOSPEDAGEM APRESENTAÇÃO DO CURSO TÉCNICO EM HOSPEDAGEM 1. OBJETIVO DO CURSO Formar profissionais que consigam compreender o espaço social e as interações do mundo do trabalho na cadeia produtiva do Turismo e Hotelaria

Leia mais

Leis Federais. LEI N o 10.861, DE 14 DE ABRIL DE 2004. Institui o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES e dá outras providências

Leis Federais. LEI N o 10.861, DE 14 DE ABRIL DE 2004. Institui o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES e dá outras providências LEI N o 10.861, DE 14 DE ABRIL DE 2004. Institui o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES e dá outras providências O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta

Leia mais

Cursos de Administração: qualidade necessária. XIV Fórum Internacional de Administração

Cursos de Administração: qualidade necessária. XIV Fórum Internacional de Administração Cursos de Administração: qualidade necessária XIV Fórum Internacional de Administração Rio de Janeiro, 18 de maio de 2015 ENSINAR, APRENDER, AVALIAR... TRAJETÓRIA DA AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO SUPERIOR CAPES avaliação

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 14/5/2011, Seção 1, Pág.147. Portaria n 545, publicada no D.O.U. de 14/5/2012, Seção 1, Pág.147. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Associação Brasileira de Educação Familiar e Social UF: BA ASSUNTO: Recredenciamento da Faculdade Social da Bahia

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de Comunicação e Atendimento ao Cliente. Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de Comunicação e Atendimento ao Cliente. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NORTE - RS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NORTE - RS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NORTE - RS PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO CIÊNCIAS BIOLÓGICAS LICENCIATURA PLENA ESTRATÉGIAS PEDAGÓGICAS O Curso de Ciências Biológicas, através

Leia mais

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação em Medicina

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação em Medicina MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior Sinaes

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: CENECT Centro Integrado de Educação, Ciência e UF: PR Tecnologia S/C Ltda. ASSUNTO: Recredenciamento da Faculdade

Leia mais

FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL NA ÁREA DE HOTELARIA E HOSPITALIDADE TURÍSTICA ESTUDO DE CASO DOS HOTÉIS DE PONTA GROSSA PARANÁ.

FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL NA ÁREA DE HOTELARIA E HOSPITALIDADE TURÍSTICA ESTUDO DE CASO DOS HOTÉIS DE PONTA GROSSA PARANÁ. FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL NA ÁREA DE HOTELARIA E HOSPITALIDADE TURÍSTICA ESTUDO DE CASO DOS HOTÉIS DE PONTA GROSSA PARANÁ. SILVA, Isiele Mello - Faculdade Santa Amélia 1 SILVA, Nivaldo Pereira

Leia mais

Documento orientador de um curso que traduz as políticas acadêmicas institucionais

Documento orientador de um curso que traduz as políticas acadêmicas institucionais Documento orientador de um curso que traduz as políticas acadêmicas institucionais Construção coletiva a partir das experiências, coordenada pelo Colegiado do Curso de Graduação (art. 34 do Regimento Geral

Leia mais

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação presencial e a distância

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação presencial e a distância MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior Sinaes

Leia mais

BACHARELADO. Administração. Ciências Contábeis. Ciências Econômicas. Serviço Social. Ciências Sociais. Objetivos. Objetivos. Objetivos.

BACHARELADO. Administração. Ciências Contábeis. Ciências Econômicas. Serviço Social. Ciências Sociais. Objetivos. Objetivos. Objetivos. BACHARELADO Administração O curso de Administração tem como objetivo formar profissionais que poderão atuar como executivos, técnicos em funções administrativas e/ou empreendedores, com capacidade de alinhar

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. INTERESSADO: Centro de Estudos de Administração e Marketing CEAM UF: SP

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. INTERESSADO: Centro de Estudos de Administração e Marketing CEAM UF: SP AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Centro de Estudos de Administração e Marketing CEAM UF: SP Ltda ASSUNTO: Recurso contra a decisão da Secretaria

Leia mais

Plano de Ação da Comissão Própria de Avaliação (CPA) do Instituto Tocantinense Presidente Antônio Carlos (ITPAC/Porto) para o triênio 2014-2016

Plano de Ação da Comissão Própria de Avaliação (CPA) do Instituto Tocantinense Presidente Antônio Carlos (ITPAC/Porto) para o triênio 2014-2016 Plano de Ação da Comissão Própria de Avaliação (CPA) do Instituto Tocantinense Presidente Antônio Carlos (ITPAC/Porto) para o triênio 2014-2016 Porto Nacional, 27 de Agosto de 2014 1 Conteúdo 1.1 Mantenedora...

Leia mais

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação presencial e a distância

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação presencial e a distância MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria de Avaliação da Educação Superior Daes Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior Sinaes

Leia mais