O Mercado da Saúde e o Desenvolvimento do Brasil. Saúde, Cidadania e Desenvolvimento. Ligia Bahia, UFRJ

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O Mercado da Saúde e o Desenvolvimento do Brasil. Saúde, Cidadania e Desenvolvimento. Ligia Bahia, UFRJ"

Transcrição

1 O Mercado da Saúde e o Desenvolvimento do Brasil Saúde, Cidadania e Desenvolvimento Ligia Bahia, UFRJ

2 Roteiro Comentários sobre o Desenvolvimento SUS e os Planos Privados de Saúde Características Gerais do Mercado de Assistência Suplementar Evolução do Mercado (taxas de crescimento em relação a população) Evolução do Mercado (taxas de crescimento em relação ao PIB e inflação) Financeirização da Saúde e Planos Flexíveis para os Segmentos C e D Impactos da Privatização Políticas Públicas para a Expansão da Privatização Tendências Agenda

3 Para Situar o Brasil: Gastos com Saúde no Mundo ototal global expenditure for health US$ 6.5 trillion ototal global expenditure for health per person per year US$ 948 ocountry with highest total spending per person per year on health United States (US$ 8362) ocountry with lowest total spending per person per year on health Eritrea (US$ 12) ocountry with highest government spending per person per year on health Luxembourg o(us$ 6906) ocountry with lowest government spending per person per year on health Myanmar (US$ 2) ocountry with highest annual out of-pocket household spending on health Switzerland o(us$ 2412) ocountry with lowest annual out-of-pocket household spending on health Kiribati (US$ 0.2) oaverage amount spent per person per year on health in countries belonging to the Organization for Economic Co-operation and Development (OECD) US$ 4380 opercentage of the world's population living in OECD countries 18 % opercentage of the world's total financial resources devoted to health currently spent in OECD countries 84 % owho estimate of minimum spending per person per year needed to provide basic, life-saving services US$ 44 onumber of WHO Member States where health spending including spending by government, households and the private sector and funds provided by external donors is lower than US$50 per person per year 34 Member States onumber of WHO Member States where health spending is lower than US$20 per person per year 7 Member States opercentage of funds spent on health in WHO's Africa Region that has been provided by donors 11 %

4 O Bem-Estar Social no Brasil Janela Demográfica Crescimento Econômico Estabilidade Democrática Economia Normal (empregos qualificados, aumento da produtividade) Policialização das Políticas Sociais Revitalização dos Movimentos Sociais Estadualização do Estatismo-Privatista

5 O Bem-Estar Social no Brasil Crescimento Econômico Aumento Real dos Salários Elevação do Crédito Ajuste Fiscal + Taxas de Juros Elevadas/Redução das Taxas de Juros Financeirização + Políticas Desenvolvimentistas+ Políticas Sociais (Inserção no Consumo) Planos Privados de Saúde (Financeirização da Saúde) SUS

6 O Mercado de Assistência Médica Suplementar (planos e seguros de saúde) empresas (320 só planos odontológicos) 83,4 bilhões contratos planos de saúde ANS, planos odontológicos Segundo inquérito populacional (PNAD morbidade e utilização de serviços de saúde estima-se que cerca de 49 milhões de brasileiros estivessem cobertos por planos e seguros de saúde (26,3% da população total). Segundo a Agência Nacional de Saúde-ANS, seriam 40,7 milhões (2008). Divergências de informação devidas a: Não registro das coberturas realizadas pelos esquemas assistenciais das forças armadas e de institutos de aposentadorias e pensões estaduais e municipais. Dados da ANS ainda não estão completos, seja pela sonegação de informação (pagamento de taxa), seja porque algumas empresas de planos de saúde de pequeno porte permanecem fora da abrangência da regulação da ANS.

7 Taxas de Crescimento dos Contratos de Planos de Saúde Privados Médicos, Odontológicos e da População, Brasil 2003 a Médico Odontológico População Fontes: ANS, 2012; IBGE, 2012

8 Taxas de Crescimento das Receitas das Empresas de Planos de Saúde, IPCA e PIB, Brasil 2004 a ,00 20,00 15,00 10,00 5,00 PIB IPCA Receitas 0,00-5,

9 Crescimento Cumulativo do Valor do Pagamento com Planos de Saúde Empresariais, Inflação e Salários, EUA, Source: Kaiser/HRET Survey of Employer-Sponsored Health Benefits, Bureau of Labor Statistics, Consumer Price Index, U.S. City Average of Annual Inflation (April to April), ; Bureau of Labor Statistics, Seasonally Adjusted Data from the Current Employment Statistics Survey, (April to April).

10 Financeirização: Abertura do Capital A Amil (cujo valor de mercado em janeiro de 2011 era R4 R$ 5,8 bilhões) é a empresa que se firmou como líder dos processos mais recentes de reconfiguração do mercado de assistência suplementar. Outras empresas que integram o segmento saúde do setor consumo cíclico da Bovespa são: Dasa (valor de mercado R$ 4,6 bilhões); Fleury (valor de mercado R$ 3,3 bilhões); Odontoprev (valor de mercado R$ 4 bilhões); Tempo Participações (valor de mercado R$ 700 milhões); Biomm (empresa de Biotecnologia ações na Bovespa em 2002); Cremer (distribuidora e fabricante de produtos médicos hospitalares que lançou ações em 2008). Além dessas organizações a Medial também direcionou suas estratégias para a abertura de ações na Bovespa em Mas enfrentou problemas e, em 2009, foi comprada pela Amil. (Bovespa, 2011).

11 Trajetória da Amil Sucessos e Fracassos na Trajetória de Reconfiguração Empresarial na Bolsa de Valores Ano Aquisições e Fusões/ Outros Investimentos IPO* (valor arrecadado)/ Valor das Ações 2002 Compra da Amico São Paulo empresa de medicina de grupo com 300 mil clientes e criação da Dix- Amico em Compra da carteira de clientes de seguro saúde (42 mil clientes) da Porto Seguro Saúde Compra da Semic Rio de Janeiro empresa de medicina de grupo com cerca de 100 mil clientes 2007 Clinihauer, Paraná fundada em 1969 com 120 mil clientes incluindo o hospital Milton Muricy e a rede de laboratórios Cendilab. Valor estimado R$ 120 milhões. MedCard São Paulo clientes incluindo 1 hospital e 2 centros médicos Blue Life São Paulo 150 mil clientes Life System São Paulo 55 mil clientes. Valor da compra R$ 60 milhões + pagamento R$ 50 milhões de dívidas Venda da Farmalife para a Dograsmil (rede de farmácias do Rio de Janeiro) As ações AMIL3 começaram a ser negociadas na Bovespa 2008 Ampla (Sistema Ipriranga) São Paulo 29 mil clientes Casa de Saúde Santa Lúcia Rio de Janeiro Hospital de Clinicas SK Steckelberg Ltda Brasília com 78 leitos. Valor da compra R$8,5 milhões + R$ 5,5 milhões de dívidas 2009 Medial empresa de medicina de grupo posição líder com 1,4 milhões de clientes. Valor da compra R$ 1,2 bilhão Hospital 9 de Julho (São Paulo) 2010 Hospital Pro-Cardiaco Rio de Janeiro com 110 leitos (Rio de Janeiro). Valor da compra 98,4 milhões Hospital Samaritano Rio de Janeiro com cerca de 100 leitos (Rio de Janeiro). Valor da compra R$ 180 milhões Excelsior Pernambuco empresa de medicina de grupo com 132 mil clientes. Valor da compra R$ 50 milhões Assinatura de memorando de entendimento entre a Dasa (Diagnósticos da América S.A.), com a MD1 Diagnósticos, empresa do ramo de análises clínicas e diagnóstico por imagens da Amil. A intenção era realizar uma reorganização societária de ativos: os laboratórios Sérgio Franco; a Clínica de Diagnóstico por Imagem CDPI, a clínica de ressonância CRMI e a Pro Echo Cardiodata Serviços Médicos. A Dasa iria adquirir fatias de 10% da Pro Echo, 28% da CRMI e 16,5% da CDPI, por R$ 88,2 milhões. Dasa (Diagnosticos da America) controle de 26% das ações pela Amilpar R$ (IPO) Valor da Ação Abertura R$18,00 Valor médio da ação 30 de novembro R$15,66 Valor médio da ação 28 de novembro R$8,22 Valor médio da ação 28 de novembro R$12,82 Valor da compra R$ 140 milhões + R$ 171 milhões dividas Valor médio da ação 28 de novembro R$16,87

12 Trajetória da Medial Sucessos e Fracassos na Trajetória de Reconfiguração Empresarial na Bolsa de Valores Ano Aquisições e Fusões/ Outros Investimentos (vendas) Receita/Valor Arrecado Lançamento das Ações 2006 Lançamento Ações na Bovespa R$ 750 milhões arrecadados com o lançamento de ações na Bovespa 2007 Amesp medicina de grupo localizada em São Paulo (500 mil clientes) valor R$ 253 milhões E-Nova plano odontológico valor R$ 2,1 milhões Laboratórios Endomed valor R$ 5,3 milhões 2008 Sport Club Corinthians (R$16,5 milhões) Grupo Saúde medicina de grupo localizada em Pernambuco valor 49% das cotas R$17 milhões SAE Laboratórios localizado em São Paulo valor R$ 12, 3 milhões Previsão de construir 2 hospitais 650 leitos em São Paulo R$1,58 bilhão (receita) 6,7 milhões Ebtida* 19,4 milhões lucro 17,8 milhões Ebitda* Prejuízo R$ 162 mil 2009 Prejuízo 1,1 milhão no primeiro trimestre de 2009 Valor das Ações Presidência, Conselho Consultivo, Consultorias (estratégia) R$ 22,10 Luiz Kaufmann* (Presidente) (expandir investimentos) Membros Externos do Conselho: Alcides Lopes Tápias; Antonio Kandir; Betania Tanure de Barros. McKinsey (americana) Gradus (brasileira, que auxiliou a integração da Brahma com a Antarctica) R$ 21,05 Emílio Carazzai*** (Presidente) Refrear investimentos Henning Von Koss*** (Presidente) Membros Independentes do Conselho: Alcides Lopes Tapias; Antonio Kandir; Betania Tanure de Barros e Gustavo Fernandes Moraes.

13 Trajetória da Tempo Participações A Tempo Participações tampouco figura entre os casos de sucesso de empresas que abriram seu capital. Esta empresa formada incialmente pela CRC-Connectmed, prestadora de serviços de administração de planos de saúde de autogestão, adquiriu em 2001 da AIG a Gama Saúde e diversos planos odontológicos. Em 2007 já sob o formato atual passou a integrar o grupo GP Investiments, referência em private equity na América Latina que não obteve o esperado sucesso com a aquisição da rede odontológica Imbra. Por sua vez, a Tempo voltou suas atividades ao atendimento domiciliar (comprou em 2007 a MED LAR e em 2008 a empresa paulista Staff Builders). Investiu também na compra de planos odontológicos como o Associl, OralTech e OdontoEmpresa. Ainda em 2009 criou uma joint venture com a Assist-Card especializada no mercado de assistência de viagens (Gazeta Mercantil, 2008) e comprou a seguradora de saúde do Unibanco por R$ 55 milhões. Tendo sido vencedora em licitações para ofertar assistência médica e odontológica para servidores públicos do Governo do Mato Grosso, Senado Federal e Infraero, em julho de 2010 anunciou uma associação com a Caixa Econômica Federal que criaria uma empresa de seguro saúde (Caixa Seguro Saúde) administrada pela Tempo (controle de 25% das ações). Essa oportunidade daria continuidade à trajetória de crescimento da empresa. Mas, pouco tempo depois, em outubro, O GP investimentos anunciou a venda da Tempo. O banco de capital suíço UBS foi contratado para negociar a venda de até 100% do capital da empresa, cujo valor foi estimado em R$ 900 milhões (Valor Econômico, 2010). As ações da Tempo caíram de R$5,40 em 2008 para R$ 4,00 no inicio de 2011 (Bovespa, 2011).

14 Trajetória do Grup D Or Uso de Recursos Próprios e Associações com Bancos de Investimentos A articulação com bancos de investimentos, especialmente o BTG Pactual, liderado por André Esteves, liderado por Andre Esteves, parece ter se firmado com um dos pilares de dinamização do mercado. Foi essa a estratégia que ao lado da concessão de empréstimos do International Finance Corporation IFC (IFC International Finance Corporation) vinculado ao Banco Mundial permitiu ao Grupo D Or ampliar velozmente sua rede de estabelecimentos hospitalares e tornar-se a maior empresa independente de hospitais privados do Brasil. Até 2006 a rede D Or estava composta por três hospitais (Barra D Or, Copa D Or e Quinta D Or) e 56 unidades de diagnóstico (Lab s) e localizava-se no Rio de Janeiro.

15 Uso de Recursos Próprios e Associações com Bancos de Investimentos Ano Investimentos Unidades da Federação Valor/ Tipo de Participação 2006 Hospital Badim (Tijuca) Rio de Janeiro 2007 Hospital Joari (Campo Grande), Hospital Real Cordis (Bangu), Hospital Bangu (Bangu), Hospital Provita (Cascadura), Hospital Israelita (Tijuca), Hospital Rio de Janeiro (Vila Valqueire) 2008 Hospital Esperança Hospital Prontolinda Hospital São Marcos 2010 Associação com o BTG Pactual Obtenção de recursos junto ao IFC Hospital e Maternidade Brasil (249 leitos) Hospital e Maternidade Assunção Hospital São Luis (3 unidades hospitalares 803 leitos) Venda do Lab s para o Fleury Rio Janeiro de Pernambuco (50%) (50%) (gestão) São Paulo (Santo André) (São Bernardo) (São Paulo) Compra de debêntures transformáveis em ações e direito a uma vaga no conselho de administração do Grupo D Or R$ 55 milhões (valor estimado R$ 1,030 bilhão) R$1,04 bilhão O grupo D Or terá 15% de participação no controle acionário e 1 vaga no conselho de administração

16 Grupo D OR Uso de Recursos Próprios e Associações com Bancos de Investimentos Diretoria Jorge Moll (Presidente) Graduado em medicina, fundador e principal proprietário José Roberto Guersola (Vice-Presidente) Graduado em medicina. ClaudioTonello (Diretor de Marketing Corporativo) Graduado em marketing, diretor do Grupo Pão de Açucar, vice-presidente Comercial e Marketing da Carl Zeiss Vision, diretor Comercial do Makro Atacadista, diretor de Marketing do Grupo Bertin e da, Johnson&Johnson. Roberto Martins Informação sobre graduação não disponível. Representante do BTG Pactual, Sócio do BCG Pactual, diretor Financeiro das Lojas Americanas. Outros membros da Família Moll

17 São 2 Estratégias, mas não necessariamente representam visões diferenciadas ou projetos societários distintos... A adoção de estratégias de capitalização diferenciadas pelos hospitais, e as empresas de planos e seguros e as unidades de diagnóstico podem ser explicadas apenas pelas restrições dos marcos legais sobre a busca de financiamento via oferta de ações. A constituição brasileira em seu artigo 199, inciso 3º veda a participação direta ou indireta de empresas ou capitais estrangeiros na assistência à saúde no País, salvo nos casos previstos em lei. A Lei 9656/98 que regulamentou as empresas de planos e seguros de saúde permitiu que pessoas físicas ou jurídicas residentes ou domiciliadas no exterior constituíam ou participem do capital, ou do aumento do capital, de pessoas jurídicas de direito privado constituídas sob as leis brasileiras para operar planos privados de assistência à saúde. Embora polêmica a abertura do capital de empresas como DASA e Fleury encontram respaldo no fato de não serem prestadores diretos de serviços. Entretanto à abertura de capitais de hospitais na bolsa de valores não seria tão simples. Em 2009, o Senador Flexa Ribeiro do PSDB apresentou o Projeto de Lei nº 259 propondo alterar a Lei nº 8.080, para permitir a participação de empresa e de capital estrangeiro na assistência à saúde incluindo instalação, operacionalização ou exploração de: a) hospital geral; b) laboratórios de análises; clínicas, de anatomia patológica e de genética humana; c) serviço de fisioterapia; d) serviço de diagnóstico por imagem; e) ações e pesquisas de planejamento familiar; f) seguro-saúde e plano privado de assistência à saúde; g) hospital geral filantrópico; h) serviço de saúde sem finalidade lucrativa, mantido por empresa para atendimento de seus empregados e dependentes.

18 Planos Flexiveis

19 Planos Flexiveis Dinâmica e Tendências do Mercado de Saúde Suplementar No Contexto da Regulação: Reestruturação Empresarial e Profissionalização da Gestão CNPq/ANS Planos contratados em São Paulo e preços das mensalidades Operadora Tipo de Plano de saúde Preço Avimed Saúde Standard Rede Preferencial Individual R$ 85,50 Ameplam Executivo Enfermaria R$ 84,96 Greenline Standard Global R$ 70,00 Intermédica Max 200 R$ 100,00 Itálica Master Enfermaria R$ 58,00 Medial Essencial 220E R$ 100,95 Medicol Master 520 E R$ 88,14 Med Tour Gama duas estrelas enfermaria R$ 115,42 Santa Amália IFRPO-R. Própria Standard R$ 82,69 Samcil Ideal Enf. R$ 98,60 São Cristóvão Alternative R$ 97,70 Serma Único R$ 81,66 Seisa Safira R$ 95,00 Trasmontano Premium R$ 44,50 Unimed Paulistana Original R$ 145,50

20 nº hospitais Planos Flexiveis COBERTURA POR ESPECIALIDADES - SP E RJ Dinâmica e Tendências do Mercado de Saúde Suplementar No Contexto da Regulação: Reestruturação Empresarial e Profissionalização da Gestão CNPq/ANS PEDIATRIA OBSTETRÍCIA ORTOPEDIA GINECOLOGIA CARDIOLOGIA NEUROLOGIA especialidades ONCOLOGIA PSIQUIATRIA Não especificados (SP) Não especificados (RJ)

21 Planos Flexiveis Grupo de Benefício Consultas Atendimento de urgência em pronto-socorro hospitalar Exames e procedimentos básicos ou especiais de apoio diagnóstico e tratamento Honorários médicos de internação Custos hospitalares de internação Amil 160 R Amil 150 R Amil Blue I Amil Blue II Amil Blue III Amil Blue IV Amil 140 até 1 vez a até 1 vez a até 1 vez a até 1 vez a Sem direito a reembolso Amil 150 R até 2 vezes a até 2 vezes a até 1 vezes a até 2 vezes a Sem direito a reembolso Amil 160 R até 3 vezes a até 3 vezes a até 3 vezes a até 4 vezes a Sim observado cláusula 19.5 Amil 160 R até 5 vezes a até 5 vezes a até 5 vezes a até 6 vezes a Sim observado cláusula 19.5 Amil 160 R até 7 vezes a até 7 vezes a até 7 vezes a até 8 vezes a Sim observado cláusula O reembolso das despesas com os custos hospitalares de internação somente é previsto para os planos AMIL 160, sendo o valor da conta apresentada para reembolso submetido à auditoria médica/técnica, sendo excluídas todas as despesas extraordinárias à internação, tais como o uso de telefone no quarto, consumo de frigobar, aluguel de filmes e toda e qualquer outra despesa definida como extraordinária pelo hospital A Amil se reserva o direito de analisar todo e qualquer valor apresentado para fins de reembolso, comparando-os com os valores levantados para práticas idênticas ou similares. Amil Remuneração Médicos

22 O Mercado Parto Normal Hospital + Equipe Médica apenas Foto Mulher-Bebê 18X 137,00 MEDNORTH Hospital Maternidade Estrada Intendente Magalhães,

23 Impactos da Privatização Deslocamento do Status dos Hospitais Públicos os hospitais de excelência hoje são os privados Plataforma de incorporação de tecnologia Einstein Dissociação Estado/Inovação Tecnológica Mudanças na Fisionomia do Sistema de Saúde

24 Impactos da Privatização Numero de Equipamentos por Milhão, ,00 12,00 10,00 8,00 6,00 Acelerador Linear Radioterapia 4,00 2,00 0,00 Brasil Canada Chile* China Colombia França India Japão Mexico Russia Africa do Sul* Reino Unido EUA Fonte: WHO. World Health Organization. Global Health Observatory Data Repository. Disponível em

25 Impactos da Privatização Equipamentos SUS e Não SUS Brasil 2002, 2005 e SUS Não SUS SUS Não SUS SUS Não SUS SUS Não SUS Mamográfo Comando Simples Mamográfo Estereotaxia Ressonância NM Tomográfo

26 Impactos da Privatização Evolução de Gastos com Saúde Brasil 1995 a ,0 45,0 % Gastos com Saúde do PIB 40,0 35,0 30,0 % Gastos Públicos em Relação ao Total de Gastos com Saúde 25,0 20,0 % Gastos com Saúde do Total de Gastos Governarmentais 15,0 10, ,0 0, % de Gastos com Planos e Seguros de Saúde em Relação ao Total de Gastos Privados

27 Plano de saúde usa SUS para não pagar medicamento caro CLÁUDIA COLLUCCI DE SÃO PAULO FSP 8/02/2011 Planos de saúde têm empurrado seus segurados ao SUS para buscarem remédios ou procedimentos que deveriam ser cobertos por eles. Cinco usuários de diferentes planos de saúde confirmaram a prática à Folha. O Idec (Instituto de Defesa do Consumidor) também já registrou queixas sobre isso. O caso mais recente envolve a Porto Seguro Saúde e um empresário paulista da área têxtil, D.L., 52, que sofre de artrite reumatoide. Há três anos, o plano cobre o tratamento com a droga Remicade (infliximabe), aplicada na veia. Ele fica uma noite internado para isso. Há um mês, porém, a Porto informou, por , que não cobriria mais o remédio e o orientou a buscá-lo no SUS - o frasco de 100 ml custa R$ A cada dois meses, L. usa cinco frascos. "O governo oferece gratuitamente essas medicações de alto custo através do posto de saúde, devendo apenas ao segurado dar entrada no processo para solicitar a medicação", diz o da Porto. Em seguida, informa que, no caso de L., "excepcionalmente", cuidaria da burocracia. Ele só precisaria retirar a medicação no posto. Cliente VIP, que paga R$ mensais do plano familiar, o empresário afirma que achou "um absurdo" a atitude da Porto. "Eu não vou ficar em fila de SUS nem morto", diz ele, que só permitiu a divulgação das suas iniciais. Segundo a advogada Daniela Trettel, do Idec, pela lei, toda medicação que exige internação para ser administrada deve ser fornecida pelo plano de saúde. A ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) também confirma a informação. A Porto, porém, afirma que não há necessidade de internação para aplicar o medicamento -basta que ele seja administrado sob supervisão clínica. Segundo o reumatologista Morton Sheinberg, no caso do Remicade, a internação é necessária porque há riscos colaterais graves, como choque anafilático, durante a infusão. "Tem que ter médico e desfibrilador por perto". Trettel afirma que a prática de empurrar paciente para o SUS tem sido recorrente entre os planos. "Ou eles vencem a pessoa pela burocracia ou acabam "facilitando" o encaminhamento para o SUS".

28 Politicas Públicas para a Privatização Isenções e Deduções Fiscais para a Demanda e para a Oferta Créditos e Empréstimos Associação de Banco Estatal com Investidores que Atuam no Mercado de Assistência Suplementar Gastos Diretos com Planos Privados para Servidores Públicos Auxilio na Obtenção de Emprestimos de Bancos Internacionais

29 Tendências Expansão da Oferta Pública (melhoria da qualidade da assistência) Reordenamento do Mercado (barreiras à entrada) Explicitação de Interesses/Conflitos de Interesses Privatização Planos de Saúde (segmentos C e D) Racionalização do Uso e Utilização de Serviços para Clientes de Planos SUS pobre para pobres Agenda Ampliada de Debates sobre o Sistema de Saúde Brasileiro

30 Agenda 9 o Simpósio de Saúde (Congresso Nacional) em 2012; Reforma Política e Reforma Tributária Seguridade Social (Articulação Saúde Previdência e Assistência Social Programática e nas Atuais e Futuras Receitas da Seguridade Social ou suas expansões). Participação no ciclo orçamentário (definição de juros e superávit primário). Dimensionamento, divulgação e revisão das isenções, deduções e subsídios fiscais envolvidos com a assistência não universalizada Projeto Iniciativa Popular 10% para saúde Política de Saúde Reforma Sanitária Transformação de Interesses Particulares em Direito Efetivo à Saúde

31 Considerações Finais Mudanças Importantes no Sistema de Saúde (SUS) Preservação do Padrão (seletivo, estratificado, discriminatório e vazado por privilégios)

32

Estado e a Financeirização da Assistência Médico-Hospitalar no Governo Lula*

Estado e a Financeirização da Assistência Médico-Hospitalar no Governo Lula* Estado e a Financeirização da Assistência Médico-Hospitalar no Governo Lula* X Encontro Nacional de Economia da Saúde 27 de outubro de 2010 * O Trabalho Constitui um Capítulo de uma Coletânea sobre Saúde

Leia mais

Seminário A Gestão da Saúde no Brasil

Seminário A Gestão da Saúde no Brasil Seminário A Gestão da Saúde no Brasil A participação do capital estrangeiro da assistência à saúde no Brasil: Notas para o Debate sob Um Enfoque Realista Ligia Bahia 12/03/2015 Roteiro: 1) Por uma abordagem

Leia mais

Reformas dos sistemas nacionais de saúde: experiência brasileira 5º Congresso Internacional dos Hospitais

Reformas dos sistemas nacionais de saúde: experiência brasileira 5º Congresso Internacional dos Hospitais Reformas dos sistemas nacionais de saúde: experiência brasileira 5º Congresso Internacional dos Hospitais Carlos Figueiredo Diretor Executivo Agenda Anahp Brasil: contexto geral e econômico Brasil: contexto

Leia mais

Audiência Pública. DF, 10mai2011

Audiência Pública. DF, 10mai2011 Audiência Pública DF, 10mai2011 FENASAÚDE Associadas 15 grupos empresariais Beneficiários 2010 20,2 milhões 33,6% do mercado planos médicos e odontológicos R$ 21,7 bilhões Despesas Assistenciais: (37,5%)

Leia mais

ESTRUTURA DOS HOSPITAIS PRIVADOS...38

ESTRUTURA DOS HOSPITAIS PRIVADOS...38 APRESENTAÇÃO...13 INTRODUÇÃO...15 Breve perfil do sistema de saúde... 15 Características do SUS e da saúde suplementar... 16 Modelo de financiamento... 17 O papel central dos hospitais... 18 A necessidade

Leia mais

Audiência Pública Câmara dos Deputados Comissão de Defesa do Consumidor. Brasília 03.abril.2013

Audiência Pública Câmara dos Deputados Comissão de Defesa do Consumidor. Brasília 03.abril.2013 Audiência Pública Câmara dos Deputados Comissão de Defesa do Consumidor Brasília 03.abril.2013 Federação Nacional de Saúde Suplementar Associadas: 15 grupos empresariais Beneficiários: 25 milhões (37.2%)

Leia mais

O sistema de saúde brasileiro: história, avanços e desafios

O sistema de saúde brasileiro: história, avanços e desafios O sistema de saúde brasileiro: história, avanços e desafios Jairnilson Paim (Professor Titular da UFBA) Claudia Travassos (Pesquisadora Titular do ICICT/FIOCRUZ) Celia Almeida (Pesquisadora Titular da

Leia mais

6º Seminário SINDHOSP e Grupo Fleury

6º Seminário SINDHOSP e Grupo Fleury 6º Seminário SINDHOSP e Grupo Fleury Saúde Suplementar Oportunidades e Desafios para o Crescimento São Paulo 16.abril.2013 Federação Nacional de Saúde Suplementar FENASAÚDE 2 Federação Nacional de Saúde

Leia mais

SEMINÁRIO NOVA LEI GERAL DE SEGUROS

SEMINÁRIO NOVA LEI GERAL DE SEGUROS SEMINÁRIO NOVA LEI GERAL DE SEGUROS Marco Antonio Rossi Presidente da Fenaprevi Presidente da Bradesco Seguros Agenda Mercado Segurador Nacional Os direitos dos Segurados e Participantes Legislação O Brasil

Leia mais

8º Congresso Brasileiro de Gestão em Clínicas de Serviço de Saúde. José Cechin SP, 24.mai.2013

8º Congresso Brasileiro de Gestão em Clínicas de Serviço de Saúde. José Cechin SP, 24.mai.2013 8º Congresso Brasileiro de Gestão em Clínicas de Serviço de Saúde José Cechin SP, 24.mai.2013 1 Gestão da Qualidade Adote o processo, escolha depois 2 FENASAUDE 3 FenaSaúde Associadas: 17 grupos empresariais

Leia mais

8ª Congresso Brasileiro de Gestão em Laboratórios Clínicos - Hospitalar

8ª Congresso Brasileiro de Gestão em Laboratórios Clínicos - Hospitalar 8ª Congresso Brasileiro de Gestão em Laboratórios Clínicos - Hospitalar Impactos da Contratualização na Saúde Suplementar e as várias visões do Relacionamento Comercial Sandro Leal Alves 22 de maio de

Leia mais

Seminário O Público e o Privado na Saúde. Mesa: Políticas e Estratégias Governamentais de Regulação

Seminário O Público e o Privado na Saúde. Mesa: Políticas e Estratégias Governamentais de Regulação Seminário O Público e o Privado na Saúde Mesa: Políticas e Estratégias Governamentais de Regulação Tema: O Mais Saúde (PAC Saúde) e as Políticas Sistêmicas de Investimentos Setoriais Pedro Ribeiro Barbosa

Leia mais

EMPRESAS BRADESCO SEGUROS, PREVIDÊNCIA E CAPITALIZAÇÃO

EMPRESAS BRADESCO SEGUROS, PREVIDÊNCIA E CAPITALIZAÇÃO L2 0 0 6 R E L AT Ó R I O A N U A EMPRESAS BRADESCO SEGUROS, PREVIDÊNCIA E CAPITALIZAÇÃO Prêmio de Seguros Participação no Mercado (em %) Mercado 74,2% Fonte: Susep e ANS Base: Nov/2006 Bradesco 25,8%

Leia mais

Saúde no Brasil. Mudanças da regulamentação resultam em oportunidades de investimentos no setor de saúde no Brasil

Saúde no Brasil. Mudanças da regulamentação resultam em oportunidades de investimentos no setor de saúde no Brasil Saúde no Brasil Mudanças da regulamentação resultam em oportunidades de investimentos no setor de saúde no Brasil Veja o que os profissionais da área da saúde têm a dizer sobre isso 2015 kpmg.com/br Emenda

Leia mais

Workshop - Mercado Imobiliário

Workshop - Mercado Imobiliário Workshop - Mercado Imobiliário Workshop - Mercado Imobiliário Workshop - Mercado Imobiliário 1. O que está acontecendo com o Brasil? 2. Por que o Brasil é a bola da vez? 3. Por que o Mercado imobiliário

Leia mais

Medial Saúde 12 th Annual Latin American Conference Acapulco Mexico 15 a 18 de janeiro de 2008

Medial Saúde 12 th Annual Latin American Conference Acapulco Mexico 15 a 18 de janeiro de 2008 Medial Saúde 12 th Annual Latin American Conference Acapulco Mexico 15 a 18 de janeiro de 2008 Disclaimer Este comunicado contém considerações referentes às perspectivas do negócio e estimativas de resultados

Leia mais

Tabelas de Preço Empresas de 30 até 99 vidas

Tabelas de Preço Empresas de 30 até 99 vidas 1 Tabelas de Preço Empresas de 30 até 99 vidas Sumário Apresentação... 2 Planos e Seguros Saúde Allianz... 3 Bradesco... 4 Amil... 5 Sul América... 6 Porto Seguro Saúde e Odontológico... 7 Unimed... 8

Leia mais

Panorama dos gastos com cuidados em saúde

Panorama dos gastos com cuidados em saúde Panorama dos gastos com cuidados em saúde Os custos da saúde sobem mais que a inflação em todo o mundo: EUA Inflação geral de 27% em dez anos, a inflação médica superou 100%; Brasil Inflação geral 150%

Leia mais

Pelos (Des) caminhos da medicina assistencial brasileira

Pelos (Des) caminhos da medicina assistencial brasileira Pelos (Des) caminhos da medicina assistencial brasileira A Transição O Cenário Atual O Futuro Pelos (Des) caminhos da medicina assistencial brasileira Criação da Primeira Santa Casa de Misericórdia no

Leia mais

CONSOLIDAÇÃO EM SAÚDE

CONSOLIDAÇÃO EM SAÚDE CONSOLIDAÇÃO EM SAÚDE Riscos e potenciais benefícios para usuários e prestadores José Cechin FGV/RJ, 13 novembro 2008 Agenda HISTÓRICO DA SAÚDE SUPLEMENTAR CONSOLIDAÇÃO E MODERNIZAÇÃO CONCENTRAÇÃO E CONCORRÊNCIA

Leia mais

Assistência Suplementar à Saúde no Brasil Segmento Odontológico

Assistência Suplementar à Saúde no Brasil Segmento Odontológico Assistência Suplementar à Saúde no Brasil Segmento Odontológico Sindicato Nacional das Empresas de Odontologia de Grupo Sinog Dezembro/ 2011 Press Kit para Imprensa Sinog Sindicato Nacional das Empresas

Leia mais

MACRO AMBIENTE DA INOVAÇÃO

MACRO AMBIENTE DA INOVAÇÃO MACRO AMBIENTE DA INOVAÇÃO Ambiente de Inovação em Saúde EVENTO BRITCHAM LUIZ ARNALDO SZUTAN Diretor do Curso de Medicina Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo SOCIEDADES CONHECIMENTO

Leia mais

FINALIDADE E BREVE HISTÓRICO

FINALIDADE E BREVE HISTÓRICO Medicaid FINALIDADE E BREVE HISTÓRICO O Medicaid é um programa de seguro saúde aprovado em 1965 como parte da Guerra à Pobreza. Ele é financiado em conjunto com recursos federais e estaduais, e representa

Leia mais

Painel da Saúde Suplementar no Brasil

Painel da Saúde Suplementar no Brasil Painel da Saúde Suplementar no Brasil Fundamentos da Auditoria na Saúde Suplementar 10h às 12h A ANS, a regulamentação e os Planos de Saúde. Goldete Priszkulnik (30 ) A Auditoria em Saúde assessorando

Leia mais

Observações sobre o Reequilíbrio Fiscal no Brasil

Observações sobre o Reequilíbrio Fiscal no Brasil Observações sobre o Reequilíbrio Fiscal no Brasil Nelson Barbosa Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão 1º de junho de 2015 Cenário Macroeconômico e Reequilíbrio Fiscal O governo está elevando

Leia mais

Mercado de Saúde no Brasil. Jaqueline Castro residecoadm.hu@ufjf.edu.br 40095172

Mercado de Saúde no Brasil. Jaqueline Castro residecoadm.hu@ufjf.edu.br 40095172 Mercado de Saúde no Brasil Jaqueline Castro residecoadm.hu@ufjf.edu.br 40095172 Constituição de 1988 Implantação do SUS Universalidade, Integralidade e Participação Social As instituições privadas participam

Leia mais

Assistência Suplementar à Saúde no Brasil Segmento Odontológico

Assistência Suplementar à Saúde no Brasil Segmento Odontológico Assistência Suplementar à Saúde no Brasil Segmento Odontológico Sindicato Nacional das Empresas de Odontologia de Grupo Sinog Março / 2011 Press Kit para Imprensa Sinog Sindicato Nacional das Empresas

Leia mais

Financiamento da saúde

Financiamento da saúde Financiamento da saúde Sessão de debates temáticos no Senado Federal Senado Federal 19 de setembro de 2013 O Brasil é o único país com mais de 100 milhões de habitantes que assumiu o desafio de ter um

Leia mais

Termo de uso genérico para designar qualquer grau de UNIMED Singular, Federação/ Central e Confederação, individualmente ou no conjunto.

Termo de uso genérico para designar qualquer grau de UNIMED Singular, Federação/ Central e Confederação, individualmente ou no conjunto. 1- INTERCÂMBIO A negociação entre as UNIMEDS do País, que geram relações operacionais específicas e normatizadas para atendimento de usuários na área de ação de uma cooperativa ou contratados por outra

Leia mais

b. Completar a implantação da Rede com a construção de hospitais regionais para atendimentos de alta complexidade.

b. Completar a implantação da Rede com a construção de hospitais regionais para atendimentos de alta complexidade. No programa de governo do senador Roberto Requião, candidato ao governo do estado pela coligação Paraná Com Governo (PMDB/PV/PPL), consta um capítulo destinado apenas à universalização do acesso à Saúde.

Leia mais

Fonte: AZ Investimentos / Andima. Fonte: AZ Investimentos / Andima

Fonte: AZ Investimentos / Andima. Fonte: AZ Investimentos / Andima ANÁLISE CAPTAÇÃO DE RECURSOS VIA OFERTAS PUBLICAS DE AÇÕES Por: Ricardo Zeno 55 21 3431 3831 27 de Fevereiro, 2008 Em 2007, o destaque foi para as emissões de Renda Variável, o volume total das ofertas

Leia mais

REDE HOSPITALAR DE SANTAS CASAS E FILANTRÓPICOS BRASILEIROS

REDE HOSPITALAR DE SANTAS CASAS E FILANTRÓPICOS BRASILEIROS REDE HOSPITALAR DE SANTAS CASAS E FILANTRÓPICOS BRASILEIROS HOSPITAIS ATENDIMENTOS AMBULATORIAIS SUS 240.430.247 1.753 TOTAL SUS LEITOS 170.869 126.883 (74%) INTERNAÇÕES SUS TOTAL 11.590.793 100% FILANTRÓPICOS

Leia mais

Conselho Regional de Administração de São Paulo

Conselho Regional de Administração de São Paulo Conselho Regional de Administração de São Paulo Grupo de Excelência Administração em Saúde Gestão em Serviços de Saúde: um foco na área de Medicina Diagnóstica Silvio José Moura e Silva 28/04/2008 Agenda

Leia mais

Tabelas de Preço Empresas de 2 até 29 vidas

Tabelas de Preço Empresas de 2 até 29 vidas 1 Tabelas de Preço Empresas de 2 até 29 vidas Sumário Apresentação... 2 Planos e Seguros Saúde Allianz... 3 Bradesco Saúde e Odontológico... 4 Amil... 5 Sul América... 6 Unimed... 7 Marítima... 8 Intermédica...

Leia mais

VERTICALIZAÇÃO OU UNIÃO ESTRATÉGICA

VERTICALIZAÇÃO OU UNIÃO ESTRATÉGICA VERTICALIZAÇÃO OU UNIÃO ESTRATÉGICA ABRAMGE-RS Dr. Francisco Santa Helena Presidente da ABRAMGE-RS Sistema ABRAMGE 3.36 milhões de internações; 281.1 milhões de exames e procedimentos ambulatoriais; 16.8

Leia mais

Resultados 3T10. Novembro, 2010 FLRY3

Resultados 3T10. Novembro, 2010 FLRY3 Resultados 3T10 FLRY3 A marca mais valiosa no setor de saúde Brasileiro A 6ª marca mais valiosa entre as empresas de serviços A 25ª marca mais valiosa no Brasil Millward Brand / BrandAnalytics A Empresa

Leia mais

MENSURANDO OS CUSTOS EM SAÚDE CENÁRIO ATUAL E PERSPECTIVAS NO ÂMBITO PÚBLICO E SUPLEMENTAR. Tania Moreira Grillo Pedrosa

MENSURANDO OS CUSTOS EM SAÚDE CENÁRIO ATUAL E PERSPECTIVAS NO ÂMBITO PÚBLICO E SUPLEMENTAR. Tania Moreira Grillo Pedrosa MENSURANDO OS CUSTOS EM SAÚDE CENÁRIO ATUAL E PERSPECTIVAS NO ÂMBITO PÚBLICO E SUPLEMENTAR Tania Moreira Grillo Pedrosa SISTEMA DE SAÚDE CENÁRIO MACROECONÔMICO BRASILEIRO Indicadores Econômicos Brasil

Leia mais

Saúde Coletiva: ciência e politica

Saúde Coletiva: ciência e politica Saúde Coletiva: ciência e politica Unicamp Março 2015 Ana Maria Costa: docente ESCS/DF, Presidentes do Cebes. Coordenadora Geral Alames Policia medica Higienismo Saude publica Medicina preventiva Medicina

Leia mais

Abertura ao capital estrangeiro na oferta de serviços de saúde

Abertura ao capital estrangeiro na oferta de serviços de saúde Abertura ao capital estrangeiro na oferta de serviços de saúde Lenir Santos 1 O título destas breves notas é o do capítulo XII do Projeto de Lei de Conversão n. 18, de 2014, da Medida Provisória n. 656,

Leia mais

Acreditação de Operadoras de Planos de Saúde. Experiência Bradesco Saúde

Acreditação de Operadoras de Planos de Saúde. Experiência Bradesco Saúde Acreditação de Operadoras de Planos de Saúde Experiência Bradesco Saúde Pontos O Mercado de Saúde Suplementar O Contexto da Bradesco Saúde A Acreditação de Operadoras de Planos de Saúde 2 Despesas Totais

Leia mais

ALTERNATIVAS PARA A APOSENTADORIA. Visão geral de previdência

ALTERNATIVAS PARA A APOSENTADORIA. Visão geral de previdência ALTERNATIVAS PARA A APOSENTADORIA Visão geral de previdência Agenda 4Conceitos assistência, previdência, seguro 4Regimes e grandes números 4Sustentabilidade 4Previdência privada 4Saúde-Previdência 2 CONCEITOS

Leia mais

MANUAL DE INVESTIMENTOS

MANUAL DE INVESTIMENTOS IPEA - INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA MANUAL DE INVESTIMENTOS PROPOSTA DE COLETA E CADRASTRAMENTO DE INFORMAÇÕES SOBRE INTENÇÕES DE INVESTIMENTOS EMPRESARIAIS (Segunda Versão) Luciana Acioly

Leia mais

UNIDAS. Angélica Villa Nova de Avellar Du Rocher Carvalho Gerente-Geral de Análise Técnica da Presidência Brasília, 28 de abril de 2014

UNIDAS. Angélica Villa Nova de Avellar Du Rocher Carvalho Gerente-Geral de Análise Técnica da Presidência Brasília, 28 de abril de 2014 UNIDAS Angélica Villa Nova de Avellar Du Rocher Carvalho Gerente-Geral de Análise Técnica da Presidência Brasília, 28 de abril de 2014 Saúde no Brasil Art. 196. A saúde é direito de todos e dever do Estado,

Leia mais

sobre as transações no setor de saúde

sobre as transações no setor de saúde 10 Minutos sobre as transações no setor de saúde Valor global de fusões e aquisições cresce e reverte tendência Destaques O valor total das transações no setor de saúde aumentou 4% em relação à segunda

Leia mais

DISCIPLINA DE ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE I MSP 0670/2011. SISTEMAS DE SAÚDE

DISCIPLINA DE ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE I MSP 0670/2011. SISTEMAS DE SAÚDE DISCIPLINA DE ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE I MSP 0670/2011. SISTEMAS DE SAÚDE Paulo Eduardo Elias* Alguns países constroem estruturas de saúde com a finalidade de garantir meios adequados para que as necessidades

Leia mais

A saúde da Zona Oeste passa por aqui

A saúde da Zona Oeste passa por aqui Centro Médico Bangu Shopping A saúde da Zona Oeste passa por aqui O Centro Médico será um marco na saúde da Zona Oeste. A CDPI - Clínica de Diagnóstico por Imagem e o Laboratório Sérgio Franco, referências

Leia mais

A Importância dos Incentivos para que Famílias e Empregadores Contribuam com o Sistema de Saúde POF 2002 e 2008

A Importância dos Incentivos para que Famílias e Empregadores Contribuam com o Sistema de Saúde POF 2002 e 2008 A Importância dos Incentivos para que Famílias e Empregadores Contribuam com o Sistema de Saúde POF 2002 e 2008 Marcos Novais José Cechin Superintendente Executivo APRESENTAÇÃO Este trabalho se propõe

Leia mais

Impacto do Envelhecimento sobre os gastos com saúde no setor de saúde Suplementar

Impacto do Envelhecimento sobre os gastos com saúde no setor de saúde Suplementar Impacto do Envelhecimento sobre os gastos com saúde no setor de saúde Suplementar Luiz Augusto Carneiro Superintendente Executivo Instituto de Estudos de Saúde Suplementar O rápido envelhecimento populacional

Leia mais

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar - NACISS

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar - NACISS Nota de Acompanhamento do Caderno de Informações da Saúde Suplementar - NACISS 29ª Edição Agosto de 214 SUMÁRIO EXECUTIVO Número de beneficiários de planos médico-hospitalares (Mar/14): 5.722.522; Taxa

Leia mais

Financeirização da educação no Brasil: a transformação da educação em mercadoria.

Financeirização da educação no Brasil: a transformação da educação em mercadoria. Financeirização da educação no Brasil: a transformação da educação em mercadoria. II CONAE 2014 Adércia Bezerra Hostin Coordenadora de assuntos educacionais Eixos i. Mercantilização ii. Financeirização

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE FINANÇAS E TRIBUTAÇÃO PROJETO DE LEI Nº 10, DE 2015

CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE FINANÇAS E TRIBUTAÇÃO PROJETO DE LEI Nº 10, DE 2015 PROJETO DE LEI Nº 10, DE 2015 Altera o art. 2º do Decreto-Lei nº 2.296, de 21 de novembro de 1986, a alínea p do 9º do art. 28 da Lei nº 8.212, de 24 de julho de 1991 e o art. 63 da Medida Provisória nº

Leia mais

Produtos Unimed Grande Florianópolis

Produtos Unimed Grande Florianópolis Produtos Unimed Grande Florianópolis A Unimed é o plano de saúde que oferece os melhores médicos do Brasil. Vamos além para que sua saúde seja plena e de qualidade. Para nós, o importante é ver você bem

Leia mais

4º PAINEL: INVESTIMENTO PRIVADO, INVESTIMENTO PÚBLICO E MERCADO DE CAPITAIS NO BRASIL

4º PAINEL: INVESTIMENTO PRIVADO, INVESTIMENTO PÚBLICO E MERCADO DE CAPITAIS NO BRASIL SEMINARIO FIESP REINDUSTRIALIZAÇÃO DO BRASIL: CHAVE PARA UM PROJETO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO 4º PAINEL: INVESTIMENTO PRIVADO, INVESTIMENTO PÚBLICO E MERCADO DE CAPITAIS NO BRASIL 26 agosto 2013 Carlos

Leia mais

Cenário Econômico para 2014

Cenário Econômico para 2014 Cenário Econômico para 2014 Silvia Matos 18 de Novembro de 2013 Novembro de 2013 Cenário Externo As incertezas com relação ao cenário externo em 2014 são muito elevadas Do ponto de vista de crescimento,

Leia mais

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº Altera dispositivos da Lei Complementar nº 141, de 13 de janeiro de 2012 que Regulamenta o 3 o do art. 198 da Constituição Federal para dispor sobre os valores mínimos a

Leia mais

Longo caminho. Acontece no mundo inteiro. Os doentes crônicos

Longo caminho. Acontece no mundo inteiro. Os doentes crônicos Gestão Foto: dreamstime.com Longo caminho Medida da ANS inicia discussão sobre a oferta de medicamentos ambulatoriais para doentes crônicos pelas operadoras de saúde Por Danylo Martins Acontece no mundo

Leia mais

A Omint dispõe de planos Hospitalares e Odontológicos cujas condições poderão ser apresentadas sob consulta.

A Omint dispõe de planos Hospitalares e Odontológicos cujas condições poderão ser apresentadas sob consulta. 1 Planos Omint Completo C19 C20 C21 C22 C23 Cobertura ambulatorial, hospitalar e obstétrica, incluindo pré-natal, na rede credenciada Omint e Skill ou pelo sistema de livre escolha, através de reembolso

Leia mais

O mercado de serviços de Saúde no Brasil

O mercado de serviços de Saúde no Brasil www.pwc.com.br O mercado de serviços de Saúde no Brasil O mercado brasileiro de serviços de saúde: um dos mais promissores e atraentes do mundo Contexto Quinto país em termos de área e população, com 8,51

Leia mais

Guia Técnico do Consultor Produto por Adesão

Guia Técnico do Consultor Produto por Adesão Guia Técnico do Consultor Produto por Adesão 1. Tabelas de Vendas PLANO CNU SALVADOR ADESÃO* FaixasEtárias BÁSICO Enfermaria 470.755/14-9 ESPECIAL Apartamento 470.758/14-3 MASTER Apartamento 470.757/14-5

Leia mais

Desafios do Brasil contemporâneo Infraestrutura, produtividade, reformas e pacto federativo

Desafios do Brasil contemporâneo Infraestrutura, produtividade, reformas e pacto federativo Desafios do Brasil contemporâneo Infraestrutura, produtividade, reformas e pacto federativo A grande janela de oportunidades (O Brasil decola) A grande janela de oportunidades Linha do tempo das conquistas

Leia mais

Ação Empresarial. Crescimento Econômico Sustentado

Ação Empresarial. Crescimento Econômico Sustentado Crescimento Econômico Sustentado Abril de 2007 Crescimento Econômico Sustentado Crescer com qualidade, segurança e de modo sustentável, de forma a assegurar a geração de emprego, de renda e distribuição

Leia mais

X Encontro Nacional de Economia da Saúde: Panorama Econômico e Saúde no Brasil. Porto Alegre, 27 de outubro de 2011.

X Encontro Nacional de Economia da Saúde: Panorama Econômico e Saúde no Brasil. Porto Alegre, 27 de outubro de 2011. X Encontro Nacional de Economia da Saúde: Panorama Econômico e Saúde no Brasil Porto Alegre, 27 de outubro de 2011. Brasil esteve entre os países que mais avançaram na crise Variação do PIB, em % média

Leia mais

Brasil precisa de médicos. Brasil 1,8 Argentina 3,2 Uruguai 3,7 Portugal 3,9 Espanha 4 Reino Unido 2,7 Austrália 3 Itália 3,5 Alemanha 3,6

Brasil precisa de médicos. Brasil 1,8 Argentina 3,2 Uruguai 3,7 Portugal 3,9 Espanha 4 Reino Unido 2,7 Austrália 3 Itália 3,5 Alemanha 3,6 Brasil precisa de médicos Médicos/mil habitantes Brasil 1,8 Argentina 3,2 Uruguai 3,7 Portugal 3,9 Espanha 4 Reino Unido 2,7 Austrália 3 Itália 3,5 Alemanha 3,6 2 22 estados estão abaixo da média nacional

Leia mais

Olhares sobre a Agenda Regulatória da ANS

Olhares sobre a Agenda Regulatória da ANS Olhares sobre a Agenda Regulatória da ANS Mercado de Saúde Suplementar Tabela 13 - Operadoras em atividade por porte, segundo modalidade (Brasil março/2012) Modalidade da operadora Total Sem beneficiários

Leia mais

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informação da Saúde Suplementar

Nota de Acompanhamento do Caderno de Informação da Saúde Suplementar Nota de Acompanhamento do Caderno de Informação da Saúde Suplementar 1. Informações Gerais No segundo trimestre de 2010, o número de beneficiários de planos de saúde cresceu 1,9%, totalizando 44.012.558

Leia mais

Perspectivas para o financiamento das PPPs

Perspectivas para o financiamento das PPPs Perspectivas para o financiamento das PPPs PPP Summit 2015 20 de maio de 2015 Frederico Estrella frederico@tendencias.com.br Histórico e perfil da Tendências 2 Histórico Fundada em 1996, a Tendências é

Leia mais

PDG Realty Apresentação Corporativa

PDG Realty Apresentação Corporativa PDG Realty Apresentação Corporativa AGENDA QUEM SOMOS; VISÃO GERAL; DIVERSIFICAÇÃO GEOGRÁFICA; RESULTADOS; EXPOSIÇÃO AO SEGMENTO ECONÔMICO; PROGRAMA "MINHA CASA MINHA VIDA; CONTATOS. 2 AGENDA QUEM SOMOS;

Leia mais

PLANOS DE SAÚDE SUSPENSOS PELA ANS: AMEPLAN ASSISTÊNCIA MÉDICA PLANEJADA LTDA 428613998 Plano Executivo 33895

PLANOS DE SAÚDE SUSPENSOS PELA ANS: AMEPLAN ASSISTÊNCIA MÉDICA PLANEJADA LTDA 428613998 Plano Executivo 33895 PLANOS DE SAÚDE SUSPENSOS PELA ANS: AMEPLAN ASSISTÊNCIA MÉDICA PLANEJADA LTDA 428613998 Plano Executivo 33895 AMICO SAÚDE LTDA 463374101 Dix Classic RJ SP GR. MUN 40540 464361115 Dix 100 DF QC PJCA 6131

Leia mais

Princípios e proposições gerais para a Saúde no Governo Wagner:

Princípios e proposições gerais para a Saúde no Governo Wagner: Princípios e proposições gerais para a Saúde no Governo Wagner: 1) defesa do Sistema Único de Saúde (SUS) universal, humanizado e de qualidade; 2) compromisso do governo com a geração de emprego, distribuição

Leia mais

do estado do Rio Grande do Sul lidera o ranking estadual com 221%, seguido por Minas Gerais na vice-liderança, com 179%.

do estado do Rio Grande do Sul lidera o ranking estadual com 221%, seguido por Minas Gerais na vice-liderança, com 179%. IBEF apoia reequilíbrio das dívidas dos estados e municípios com a União Pernambuco está em situação confortável se comparado a outros estados. Confira os números O Instituto Brasileiro de Executivos de

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS Curso de Graduação em Administração (Presencial) Turmas 1 e 2 MACROECONOMIA Prof. Adm. Dr. José Carlos de Jesus Lopes Material

Leia mais

Mercado de Saúde no Brasil Jaqueline Castro 4009 5172 residecoadm.hu@ufjf.edu.br

Mercado de Saúde no Brasil Jaqueline Castro 4009 5172 residecoadm.hu@ufjf.edu.br Constituição de 1988 Implantação do SUS Mercado de Saúde no Brasil Jaqueline Castro 4009 5172 residecoadm.hu@ufjf.edu.br Universalidade, Integralidade e Participação Social As instituições privadas participam

Leia mais

O AUMENTO DA RENDA DA POPULAÇÃO TEM EFEITO DIRETO SOBRE O AUDIOVISUAL.

O AUMENTO DA RENDA DA POPULAÇÃO TEM EFEITO DIRETO SOBRE O AUDIOVISUAL. 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 O AUMENTO DA RENDA DA POPULAÇÃO TEM EFEITO DIRETO SOBRE O AUDIOVISUAL. A CLASSE C IDENTIFICA CINEMA, INTERNET E TV POR ASSINATURA COMO

Leia mais

A Dinâmica Competitiva das OPS e sua Interface com o Setor de Serviços e a Indústria

A Dinâmica Competitiva das OPS e sua Interface com o Setor de Serviços e a Indústria A Dinâmica Competitiva das OPS e sua Interface com o Setor de Serviços e a Indústria Rio de Janeiro, Maio de 2008 Alfredo de Almeida Cardoso Diretor de Normas e Habilitação de Operadoras ANS Boa Tarde!

Leia mais

OPERADORAS DE SAÚDE. Mariana Braga Shoji Barbosa Enfermagem UNIFESP mariana_shoji@yahoo.com.br

OPERADORAS DE SAÚDE. Mariana Braga Shoji Barbosa Enfermagem UNIFESP mariana_shoji@yahoo.com.br OPERADORAS DE SAÚDE Mariana Braga Shoji Barbosa Enfermagem UNIFESP mariana_shoji@yahoo.com.br O que são Operadoras de saúde? O que são Operadoras de saúde? Operadora é a pessoa jurídica que opera ( administra,

Leia mais

Por que somos contrários ao capital estrangeiro na atenção à saúde: Veta Presidenta Dilma!

Por que somos contrários ao capital estrangeiro na atenção à saúde: Veta Presidenta Dilma! Por que somos contrários ao capital estrangeiro na atenção à saúde: Veta Presidenta Dilma! As entidades do Movimento da Reforma Sanitária que subscrevem essa nota, entendendo a gravidade da situação da

Leia mais

PLANOS DE SAÚDE SUSPENSOS PELA ANS AMEPLAN ASSISTÊNCIA MÉDICA PLANEJADA LTDA. 428613998 Plano Executivo 33895 AMICO SAÚDE LTDA

PLANOS DE SAÚDE SUSPENSOS PELA ANS AMEPLAN ASSISTÊNCIA MÉDICA PLANEJADA LTDA. 428613998 Plano Executivo 33895 AMICO SAÚDE LTDA PLANOS DE SAÚDE SUSPENSOS PELA ANS AMEPLAN ASSISTÊNCIA MÉDICA PLANEJADA LTDA 428613998 Plano Executivo 33895 AMICO SAÚDE LTDA 463374101 Dix Classic RJ SP GR. MUN 40540 464361115 Dix 100 DF QC PJCA 6131

Leia mais

PwC HealthCast 2020: creating a Substainable Future

PwC HealthCast 2020: creating a Substainable Future Há evidência crescente de que o atual sistema de saúde de todas as nações vai se tornar insustentável se algo não mudar nos próximos 15 anos. Globalmente, a assistência tem sido ameaçada por uma confluência

Leia mais

Estrutura para a avaliação de estratégias fiscais para Certificação Empresas B

Estrutura para a avaliação de estratégias fiscais para Certificação Empresas B Estrutura para a avaliação de estratégias fiscais para Certificação Empresas B Este documento fornece a estrutura que B Lab utiliza para avaliar as estratégias fiscais que atendam aos requisitos da Certificação

Leia mais

Marco Antonio Rossi. A Economia Brasileira Atual com Foco na Área de Benefícios

Marco Antonio Rossi. A Economia Brasileira Atual com Foco na Área de Benefícios Marco Antonio Rossi A Economia Brasileira Atual com Foco na Área de Benefícios 1 Agenda 1. Linha do Tempo 2. Mercado Brasileiro 3. Cenários Indicadores de Desenvolvimento 4. Desafios e Oportunidades 5.

Leia mais

Agência Nacional de Saúde Suplementar. A agência reguladora dos planos de saúde do Brasil

Agência Nacional de Saúde Suplementar. A agência reguladora dos planos de saúde do Brasil Agência Nacional de Saúde Suplementar A agência reguladora dos planos de saúde do Brasil O que é a ANS A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) é uma agência reguladora do Governo Federal vinculada

Leia mais

, 13 de agosto de 2015.

, 13 de agosto de 2015. Painel: Desafios do lado da despesa e possíveis alternativas O financiamento da política pública de saúde Sérgio Francisco Piola 9º Congresso de Gestão Pública do Rio Grande do Norte Natal, 13 de agosto

Leia mais

ROSÁRIO MARQUES Internacionalizar para a Colômbia Encontro Empresarial GUIMARÃES 19/09/2014

ROSÁRIO MARQUES Internacionalizar para a Colômbia Encontro Empresarial GUIMARÃES 19/09/2014 ROSÁRIO MARQUES Internacionalizar para a Colômbia Encontro Empresarial GUIMARÃES 19/09/2014 REPÚBLICA DA COLÔMBIA POPULAÇÃO 48 Milhões SUPERFÍCIE 1.141.748 Km2 CAPITAL Bogotá 7,3 milhões PRINCIPAIS CIDADES

Leia mais

Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social CDES. A Consolidação das Políticas Sociais na Estratégia de Desenvolvimento Brasileiro

Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social CDES. A Consolidação das Políticas Sociais na Estratégia de Desenvolvimento Brasileiro Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social CDES A Consolidação das Políticas Sociais na Estratégia de Desenvolvimento Brasileiro A CONTRIBUIÇÃO DO CDES PARA O DEBATE DA CONSOLIDAÇÃO DAS POLÍTICAS SOCIAIS

Leia mais

POUPANÇA INVESTIMENTO E SISTEMA FINANCEIRO. Sistema financeiro serve para unir pessoas que poupam com as pessoas que

POUPANÇA INVESTIMENTO E SISTEMA FINANCEIRO. Sistema financeiro serve para unir pessoas que poupam com as pessoas que Aula 21 12/05/2010 Mankiw (2007) - Cap 26. POUPANÇA INVESTIMENTO E SISTEMA FINANCEIRO. investem. Sistema financeiro serve para unir pessoas que poupam com as pessoas que INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS NA ECONOMIA

Leia mais

Marco Antonio Rossi. FenaPrevi e o Mercado de Seguros e Previdência

Marco Antonio Rossi. FenaPrevi e o Mercado de Seguros e Previdência Marco Antonio Rossi FenaPrevi e o Mercado de Seguros e Previdência 1 Agenda 1. Linha do Tempo 2. Mercado Brasileiro 3. Indicadores de Desenvolvimento 4. Cenários 5. O Agregado de Oportunidades 6. Seguros

Leia mais

Cenário econômico-político do Brasil: momento atual e perspectivas

Cenário econômico-político do Brasil: momento atual e perspectivas Simpósio UNIMED 2015 Cenário econômico-político do Brasil: momento atual e perspectivas Mansueto Almeida 28 de agosto de 2015 Indústria: o que aconteceu? Produção Física da Indústria de Transformação 2002-

Leia mais

Avaliação dos planos de saúde no estado de São Paulo

Avaliação dos planos de saúde no estado de São Paulo Artigo original Avaliação dos pl de saúde no estado de São Paulo Jorge Carlos Machado-Curi I, Tomás Patricio Smith-Howard II, Jarbas Simas III, Marcos Eurípedes Pimenta IV, Paulo Manuel Pêgo-Fernandes

Leia mais

Encontro de Bancos Centrais de países de língua portuguesa

Encontro de Bancos Centrais de países de língua portuguesa Encontro de Bancos Centrais de países de língua portuguesa Antônio Gustavo Matos do Vale Diretor de Liquidações e Desestatização 4 de outubro de 2010 1 Evolução recente da economia brasileira O momento

Leia mais

A GESTÃO HOSPITALAR E A NOVA REALIDADE DO FINANCIAMENTO DA ASSISTÊNCIA RENILSON REHEM SALVADOR JULHO DE 2006

A GESTÃO HOSPITALAR E A NOVA REALIDADE DO FINANCIAMENTO DA ASSISTÊNCIA RENILSON REHEM SALVADOR JULHO DE 2006 A GESTÃO HOSPITALAR E A NOVA REALIDADE DO FINANCIAMENTO DA ASSISTÊNCIA RENILSON REHEM SALVADOR JULHO DE 2006 No passado, até porque os custos eram muito baixos, o financiamento da assistência hospitalar

Leia mais

PROPOSTA DE PLANO DE SAÚDE ASSUFSM. Santa Maria, 06 de Junho de 2013.

PROPOSTA DE PLANO DE SAÚDE ASSUFSM. Santa Maria, 06 de Junho de 2013. PROPOSTA DE PLANO DE SAÚDE ASSUFSM Santa Maria, 06 de Junho de 2013. INTRODUÇÃO Trata-se de uma proposta de Plano de Saúde no sistema de pré-pagamento para atender os associados da ASSUFSM de Santa Maria/RS,

Leia mais

As perspectivas do mercado para os hospitais

As perspectivas do mercado para os hospitais As perspectivas do mercado para os hospitais Yussif Ali Mere Jr Presidente da Federação e do Sindicato dos Hospitais, Clínicas e Laboratórios do Estado de São Paulo (FEHOESP e SINDHOSP) 1. CONTEXTO 2.

Leia mais

Em defesa da Saúde pública para todos

Em defesa da Saúde pública para todos Boletim Econômico Edição nº 57 março de 2015 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Em defesa da Saúde pública para todos 1 A saúde pública faz parte do sistema de Seguridade Social

Leia mais

Salvador, 03/04/2008. 5º Congresso GIFE. Novos Arranjos do investimento social privado. Crédito social sustentado

Salvador, 03/04/2008. 5º Congresso GIFE. Novos Arranjos do investimento social privado. Crédito social sustentado presentação Sitawi Crédito ocial sustentado Salvador, 03/04/2008 5º Congresso GIFE Novos Arranjos do investimento social privado Crédito social sustentado O financiamento de OSCs é baseado principalmente

Leia mais

Emilio Botín: O objetivo é nos tornarmos o banco privado número um do Brasil

Emilio Botín: O objetivo é nos tornarmos o banco privado número um do Brasil Nota de Imprensa Emilio Botín: O objetivo é nos tornarmos o banco privado número um do Brasil Presidente mundial do Banco Santander apresenta em São Paulo o Plano Estratégico 2008-2010 para o A integração

Leia mais

Brasil precisa de médicos

Brasil precisa de médicos 1 Brasil precisa de médicos Médicos/mil habitantes Brasil 1,8 Argentina Uruguai Portugal Espanha Reino Unido Austrália Itália Alemanha 3,2 3,7 3,9 4 2,7 3 3,5 3,6 2 22 estados estão abaixo da média nacional

Leia mais

I Ao longo do último século o Brasil passou de um país mentalmente aberto para um país mentalmente fechado.

I Ao longo do último século o Brasil passou de um país mentalmente aberto para um país mentalmente fechado. I Ao longo do último século o Brasil passou de um país mentalmente aberto para um país mentalmente fechado. Em 1900, o País chegou a ter 7,3% da população composta por imigrantes; hoje, tem apenas 0,3%.

Leia mais

Private Equity ADVISORY

Private Equity ADVISORY Private Equity ADVISORY Private Equity Excelentes profissionais que trabalham em equipe, transformando conhecimento em valor, em benefício de nossos clientes. Private Equity 1 Qualidade e integridade são

Leia mais

Diagnóstico da realidade médica no país

Diagnóstico da realidade médica no país Diagnóstico da realidade médica no país Médicos por mil habitantes Peru 0,9 Chile 1,0 Paraguai 1,1* Bolívia 1,2* Colômbia 1,4* Equador 1,7 Brasil 1,8 Venezuela 1,9* México 2,0 Canadá 2,0 Estados Unidos

Leia mais