HOSPITALIDADE. Conceitos básicos

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "HOSPITALIDADE. Conceitos básicos"

Transcrição

1 HOSPITALIDADE Conceitos básicos

2 Etimologia Hospitalitas-atis (lt.) = ato de acolher, hospedar; a qualidade do hospitaleiro; boa acolhida; recepção; tratamento afável, cortês, amabilidade; gentileza. Hospedare (lt.) = hospedar, acolher temporariamente

3 O mito da hospitalidade Júpiter, o deus criador e seu filho Hermes, quiseram saber como andava o espírito de hospitalidade entre os humanos. Travestiram-se de pobres e começaram a peregrinar pelo mundo afora. Foram maltratados por uns, expulsos por outros. Depois de muito peregrinar tiveram de cruzar por uma terra cujos habitantes eram conhecidos por sua rudeza. As divindades sequer pensavam em pedir hospitalidade. Mas à noitinha passaram por uma choupana onde morava um casal de velhinhos, Báucis e Filêmon. Qual não foi a surpresa, quando Filêmon saiu à porta e sorridente foi logo dizendo: Forasteiros, vocês devem estar exaustos e com fome. Entrem. A casa é pobre mas aberta para acolhê-los. Báucis ofereceulhes logo um assento enquanto Filêmon acendeu o fogo. Báucis esquentou água e começou a lavar os pés dos andarilhos. Com os legumes e um pouco de toucinho fizeram uma sopa suculenta. Por fim, ofereceram a própria cama para que os forasteiros pudessem descansar. Nisso sobreveio grande tempestade. As águas subiram rapidamente e ameaçavam a região. Quando Báucis e Filêmon quiseram socorrer os vizinhos, ocorreu grande transformação: a tempestade parou e de repente a pequena choupana foi transformada num luzidio templo dourado. Báucis e Filêmon ficaram estarrecidos. Júpiter foi logo dizendo: por causa da hospitalidade quero atender um pedido que fizerem. Báucis e Filêmon disseram unissonamente: o nosso desejo é servir-vos nesse templo por toda a vida. Hermes não ficou atrás: quero que façam também um pedido. E eles, como se tivessem combinado responderam: depois de tanto amor gostaríamos de morrer juntos. Seus pedidos foram atendidos. Um dia, quando estavam sentados no átrio, de repente Filêmon viu que o corpo de Báucis se revestia de folhagens floridas e que o corpo de Filêmon também se cobria de folhas verdes. Mal puderam dizer adeus um ao outro. Filêmon foi transformado num enorme carvalho e Báucis numa frondosa Tília. As copas e os galhos se entrelaçaram no alto. E assim, abraçados, ficaram unidos para sempre. Os velhos, até hoje, repetem a lição: quem hospeda forasteiros, hospeda a Deus.

4 Hospitalidade Acolhimento As bases do bom acolhimento segurança, generosidade, discrição, compaixão O acolhimento gracioso e o acolhimento comercial A dádiva e a sua relação com o acolhimento O trinômio DAR RECEBER RETRIBUIR As bases históricas da hospitalidade A virtude da hospitalidade e a hospitalidade como negócio as bases da hotelaria moderna

5 Sócio-antropologia da hospitalidade Leitura da hospitalidade como um fenômeno social de relações temporárias que se estabelecem entre visitantes e comunidades receptoras (Barretto, 2000) O estudo parte da escola francesa (Derrida, Mauss, Gotman, Godboud, Caillé e Montandon), que baseia seus trabalhos no conceito do ir e vir e no trinômio darreceber-retribuir A escola francesa contrapõe-se à escola americana (Walker, Guerrier, Chon & Sparrowe), que enxerga a hospitalidade como um fenômeno comercial, baseada no contrato de troca firmado entre hóspede e anfitrião, muitas vezes intermediado (agências)

6 As escolas britânica e brasileira/portuguesa têm buscado ir além e estabelecer interações e pontos de contato entre as escolas americana e francesa Os principais autores da escola britânica são Lashley, Bell, Lynch, Lugosi, Morrison, McNeill, O Gorman e Taylor No Brasil, destacam-se Dias, Dencker, Grinover, Wada, Bastos, Cruz e Camargo - este, em seu livro Hospitalidade, revê a teoria apresentada por Lashley (vertentes comercial, social e doméstica da hospitalidade ) e apresenta uma matriz que contrapõe os TEMPOS e os ESPAÇOS sociais da hospitalidade, vistos como as práticas sociais e os ambientes onde o processo acontece, criando os 16 domínios da hospitalidade Para o autor, a perspectiva da COMUNIDADE ANFITRIÃ é o que diferencia a hospitalidade do turismo, este visto como um fenômeno notadamente estudado desde o ponto de vista do visitante. Por isso, ele sugere que o estudo da hospitalidade pela ótica do anfitrião é capaz de resgatar as verdadeiras virtudes da hospitalidade

7 Dimensões da hospitalidade (Lashley) Doméstico ou Privado Público ou Social Comercial ou Profissional

8 Dimensões da hospitalidade (Camargo) Recepcionar Hospedar Alimentar Entreter Doméstica Receber em casa Oferecer pouso e abrigo em casa Receber em casa para refeições Receber para festas Pública Receber em espaços públicos de livre acesso Hospitalidade do lugar na cidade, no país Gastronomia local Espaços públicos de lazer e eventos Comercial Receber profissionalmente Hospitalidade profissional em MH, hospitais, presídios Restauração profissional Eventos em espaços privados Virtual Receber na net a net-etiqueta Hospedagem de sites Gastronomia eletrônica Jogos e entretenimento eletrônico OS TEMPOS E ESPAÇOS SOCIAIS DA HOSPITALIDADE - Fonte: Adaptado de CAMARGO (2005)

9 Doméstica ou privada em casas de parentes e amigos Social ou pública espaços sociais públicos Comercial espaços privados, mesmo que com a proposta de uso parcial como espaço público Empreendimentos hoteleiros (formais) e extra-hoteleiros ou pára-hoteleiros (informais) - classificação aceita pelos órgãos oficiais ou de classe (que nem sempre têm valor comercial) Virtual espaço virtual

10 Fully Filled In Dimensões da hospitalidade (Gorman) Guest Relações gerais de hospitalidade Domestic Discourse Performance Types and Sites Inclusion / Exclusion Laws Host Politics of Space Social and Cultural Expectations Transactional Expectations Expectational Norms in the Hospitality Relationship Location and Context in the Hospitality Relationship Symbolism in the Hospitality Relationship O Gorman, The Origins of Hospitality and Tourism, Goodfellow Publishing 2010

11 Hospitality: a social lens (Lashley et al, 2007) O Gorman, The Origins of Hospitality and Tourism, Goodfellow Publishing 2010

12 O Gorman, The Origins of Hospitality and Tourism, Goodfellow Publishing 2010

13 Determinantes da hospitalidade A natureza do comportamento determinada pelas associações entre as formas e os lugares, as leis, os processos de inclusão/exclusão e o discurso e a performance em ambiente privado A natureza do relacionamento determinada pelas associações entre as formas e os lugares, as leis, os processos de inclusão/exclusão, as dinâmicas comerciais, a política do espaço e as dimensões sociais e culturais do universo moral das relações entre hóspedes e anfitriões O nível de intimidade determinado pelas associações entre as dinâmicas comerciais, a política do espaço, as dimensões sociais e culturais do universo moral das relações entre hóspedes e anfitriões e o discurso e performance por eles descritos O Gorman, The Origins of Hospitality and Tourism, Goodfellow Publishing 2010

14 Relações de hospitalidade em ambiente doméstico Expectational Norms in the Hospitality Relationship Location and Context in the Hospitality Relationship Symbolism in the Hospitality Relationship O Gorman, The Origins of Hospitality and Tourism, Goodfellow Publishing 2010

15 Guest Relações de hospitalidade em ambiente público Domestic Discourse Performance Types and Sites Inclusion / Exclusion Host Social and Cultural Expectations Transactional Expectations Laws Politics of Space Expectational Norms in the Hospitality Relationship Location and Context in the Hospitality Relationship Symbolism in the Hospitality Relationship O Gorman, The Origins of Hospitality and Tourism, Goodfellow Publishing 2010

16 Guest Relações de hospitalidade em ambiente comercial Domestic Discourse Performance Types and Sites Inclusion / Exclusion Laws Host Politics of Space Social and Cultural Expectations Transactional Expectations Expectational Norms in the Hospitality Relationship Location and Context in the Hospitality Relationship Symbolism in the Hospitality Relationship O Gorman, The Origins of Hospitality and Tourism, Goodfellow Publishing 2010

17 Hospitalidade, por Henri Nowen Hospitalidade não significa mudar as pessoas, e, sim, oferecer-lhes o espaço necessário para que as transformações possam ocorrer. ( ) O paradoxo da hospitalidade é que seu objeto é criar um vazio, onde o peregrino possa penetrar e se descobrir como um ser criado livre. Livre para cantar suas próprias músicas, falar sua língua, dançar suas danças. Livre para até mesmo para viver de acordo com as suas próprias vocações. A hospitalidade não é um convite sutil ao hóspede para que adote o estilo de vida de seu anfitrião, mas é a concessão ao hóspede, de encontrar seu próprio estilo de vida Para transformar a hostilidade em hospitalidade, é necessário a criação de um espaço vazio, onde podemos demonstrar interesse por nossos semelhantes e convidá-los a um relacionamento diferente dos que já mantinham. Henri Nouwen, Reaching Out

18 Para saber mais... CAMARGO, Luiz Octávio de Lima. Hospitalidade. São Paulo: Aleph, DENCKER, Ada de Freitas Maneti, BUENO, Marielys Siqueira. (orgs.). Hospitalidade: cenários e oportunidades. São Paulo: Thomson, DIAS, Célia Maria de Moraes (org.). Hospitalidade: reflexões e perspectivas. São Paulo: Manole, GODBOUT, Jacques T. O espírito da dádiva. Lisboa: Instituto Piaget, LASHLEY, Conrad e MORRISSON, Alison. Em busca da hospitalidade. Barueri: Manole, MONTANDON, Alain (org.). O livro da hospitalidade. São Paulo: Senac, O GORMAN, Kevin. The origins of tourism and hospitality. London: Goodfellow Publishers, 2010.

HOSPITALIDADE. Conceitos básicos

HOSPITALIDADE. Conceitos básicos HOSPITALIDADE Conceitos básicos Etimologia Hospitalitas-atis (lt.) = ato de acolher, hospedar; a qualidade do hospitaleiro; boa acolhida; recepção; tratamento afável, cortês, amabilidade; gentileza. Hospedare

Leia mais

Sobre os Domínios da Hospitalidade: Revisão Teórica e Proposições

Sobre os Domínios da Hospitalidade: Revisão Teórica e Proposições Sobre os Domínios da Hospitalidade: Revisão Teórica e Proposições Resumo Ana Paula Garcia Spolon 1 O estudo da hospitalidade vem sendo conduzido a partir de novos contextos, o que tem provocado significativas

Leia mais

A hospitalidade e a qualidade total no Turismo

A hospitalidade e a qualidade total no Turismo A hospitalidade e a qualidade total no Turismo Sidnei Teixeira de Castro Universidade Anhembi-Morumbi Desde que iniciei meus estudos no mestrado em Hospitalidade na Universidade Anhembi Morumbi, percebi

Leia mais

ESTUDO EXPLORATÓRIO SOBRE A HOSPITALIDADE EM DOIS CURSOS TECNOLÓGICOS EM GASTRONOMIA DO DO ESTADO DE SÃO PAULO

ESTUDO EXPLORATÓRIO SOBRE A HOSPITALIDADE EM DOIS CURSOS TECNOLÓGICOS EM GASTRONOMIA DO DO ESTADO DE SÃO PAULO ESTUDO EXPLORATÓRIO SOBRE A HOSPITALIDADE EM DOIS CURSOS TECNOLÓGICOS EM GASTRONOMIA DO DO ESTADO DE SÃO PAULO Luciana Moura de Abreu Prieto 1 Ana Cristina Maia de Araujo Acosta 2 Resumo O presente artigo

Leia mais

Comunicação Institucional na Hospitalidade Pública de Ouro Preto 1

Comunicação Institucional na Hospitalidade Pública de Ouro Preto 1 Comunicação Institucional na Hospitalidade Pública de Ouro Preto 1 Ronaldo Mendes Neves 2 Universidade Federal do Rio Grande do Norte Departamento de Comunicação Social 1 Trabalho apresentado no DT 3 Relações

Leia mais

Formação do caráter hospitaleiro como prática educativa nas instituições de ensino

Formação do caráter hospitaleiro como prática educativa nas instituições de ensino Formação do caráter hospitaleiro como prática educativa nas instituições de ensino Ronaldo Mendes Neves 1 Resumo: Este ensaio aborda a hospitalidade e a comunicação virtual para propor uma reflexão educativa

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO MESTRADO EM HOSPITALIDADE

MANUAL DO CANDIDATO MESTRADO EM HOSPITALIDADE MANUAL DO CANDIDATO Pós-Graduação Stricto Sensu MESTRADO EM HOSPITALIDADE 1. APRESENTAÇÃO O Programa de Mestrado em Hospitalidade da Universidade Anhembi Morumbi, recomendado pela CAPES (Coordenação de

Leia mais

APONTAMENTOS SOBRE HOSPITALIDADE, TURISMO E MODERNIDADE NOTES ABOUT HOSPITALITY, TURISM AND MODERNITY

APONTAMENTOS SOBRE HOSPITALIDADE, TURISMO E MODERNIDADE NOTES ABOUT HOSPITALITY, TURISM AND MODERNITY YEH, F.P. 335 APONTAMENTOS SOBRE HOSPITALIDADE, TURISMO E MODERNIDADE Sandra Regina Zúniga de Souza Bezerra * RESUMO: O presente trabalho aborda a hospitalidade enquanto recente campo de estudos, apresentando

Leia mais

Estudo de Caso da Festa das Nações de Pariquera-açu Vale do Ribeira SP. O uso da Técnica para Generalização Teórica em Hospitalidade e Festa 1

Estudo de Caso da Festa das Nações de Pariquera-açu Vale do Ribeira SP. O uso da Técnica para Generalização Teórica em Hospitalidade e Festa 1 Estudo de Caso da Festa das Nações de Pariquera-açu Vale do Ribeira SP. O uso da Técnica para Generalização Teórica em Hospitalidade e Festa 1 Sergio dos Santos CLEMENTE JÚNIOR 2 Faculdade das Américas,

Leia mais

DIRETORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM HOSPITALIDADE

DIRETORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM HOSPITALIDADE DIRETORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EDITAL 09/2015 PROCESSO SELETIVO l 1º SEMESTRE DE 2016 MESTRADO EM HOSPITALIDADE Duração: 24 meses Câmpus: Vila Olímpia PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM

Leia mais

HOSPITALIDADE DOMÉSTICA A vida privada e a política das relações. O acolhimento em ambientes particulares

HOSPITALIDADE DOMÉSTICA A vida privada e a política das relações. O acolhimento em ambientes particulares HOSPITALIDADE DOMÉSTICA A vida privada e a política das relações O acolhimento em ambientes particulares RELATO DE EXPERIÊNCIA E aí, como é ter que hospedar alguém em casa por um tempo que não é lá tão

Leia mais

NO PANORAMA CONCEITUAL DA HOSPITALIDADE, A PRESENÇA DE NOVOS APORTES TEÓRICOS

NO PANORAMA CONCEITUAL DA HOSPITALIDADE, A PRESENÇA DE NOVOS APORTES TEÓRICOS NO PANORAMA CONCEITUAL DA HOSPITALIDADE, A PRESENÇA DE NOVOS APORTES TEÓRICOS Ana Carolina Oliveira 1 Universidade de Caxias do Sul Marcia M. Cappellano dos Santos 2 Universidade de Caxias do Sul RESUMO:

Leia mais

Identidade e imagem institucional nos tempos da hospitalidade pública de Ouro Preto

Identidade e imagem institucional nos tempos da hospitalidade pública de Ouro Preto Emília Araújo & Eduardo Duque (eds.) (2012) Os tempos sociais e o mundo contemporâneo. e humanas Universidade do Minho: Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade / Centro de Investigação em Ciências

Leia mais

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele O Plantador e as Sementes Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele sabia plantar de tudo: plantava árvores frutíferas, plantava flores, plantava legumes... ele plantava

Leia mais

Sob a ótica. entre outros. O estudo de. da relação. 15 de março

Sob a ótica. entre outros. O estudo de. da relação. 15 de março MANUAL DO CANDIDATO 1º SEMESTRE DE D 2013 Pós Graduação Stricto Sensu MESTRADO EM HOSPITALIDADE 1 APRESENTAÇÃO O Programaa de Mestrado em Hospitalidade da Universidade Anhembi Morumbi, M recomendadoo pela

Leia mais

COMENSALIDADE: A DÁDIVA DA HOSPITALIDADE ATRAVÉS DA GASTRONOMIA

COMENSALIDADE: A DÁDIVA DA HOSPITALIDADE ATRAVÉS DA GASTRONOMIA CULTUR, ano 09 - nº 02 Jun/2015 www.uesc.br/revistas/culturaeturismo Licença Copyleft: Atribuição-Uso não Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas COMENSALIDADE: A DÁDIVA DA HOSPITALIDADE ATRAVÉS

Leia mais

DIALÉTICA DA HOSPITALIDADE: CAMINHOS PARA A HUMANIZAÇÃO

DIALÉTICA DA HOSPITALIDADE: CAMINHOS PARA A HUMANIZAÇÃO UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO MESTRADO EM TURISMO DIALÉTICA DA HOSPITALIDADE: CAMINHOS PARA A HUMANIZAÇÃO Renata Soares Plentz CAXIAS DO SUL - RS março de 2007 DIALÉTICA DA HOSPITALIDADE:

Leia mais

ACESSIBILIDADE AOS CADEIRANTES NOS HOTÉIS DA ORLA MARÍTIMA DO CABO BRANCO - JOÃO PESSOA-PB

ACESSIBILIDADE AOS CADEIRANTES NOS HOTÉIS DA ORLA MARÍTIMA DO CABO BRANCO - JOÃO PESSOA-PB ACESSIBILIDADE AOS CADEIRANTES NOS HOTÉIS DA ORLA MARÍTIMA DO CABO BRANCO - JOÃO PESSOA-PB Franciellu Sales Jussara de Farias Silva Patrícia Fernandes Vieira Yakey Santos Silva RESUMO: O setor hoteleiro

Leia mais

UMA VIDA DE PAZ, PACIÊNCIA E AMABILIDADE EM UM MUNDO HOSTIL.

UMA VIDA DE PAZ, PACIÊNCIA E AMABILIDADE EM UM MUNDO HOSTIL. UMA VIDA DE PAZ, PACIÊNCIA E AMABILIDADE EM UM MUNDO HOSTIL. Como sabemos o crescimento espiritual não acontece automaticamente, depende das escolhas certas e na cooperação com Deus no desenvolvimento

Leia mais

A HOSPITALIDADE EM RECURSOS HUMANOS

A HOSPITALIDADE EM RECURSOS HUMANOS Hotelaria A HOSPITALIDADE EM RECURSOS HUMANOS Walmir Güntzel 1 RESUMO Hospitalidade. Conforme dicionário: Ato de hospedar: qualidade de hospitaleiro. Hospitaleiro é aquele que da hospedagem por bondade

Leia mais

Freelapro. Título: Como o Freelancer pode transformar a sua especialidade em um produto digital ganhando assim escala e ganhando mais tempo

Freelapro. Título: Como o Freelancer pode transformar a sua especialidade em um produto digital ganhando assim escala e ganhando mais tempo Palestrante: Pedro Quintanilha Freelapro Título: Como o Freelancer pode transformar a sua especialidade em um produto digital ganhando assim escala e ganhando mais tempo Quem sou eu? Eu me tornei um freelancer

Leia mais

Como escrever um estudo de caso que é um estudo de caso? Um estudo so é um quebra-cabeça que tem de ser resolvido. A primeira coisa a

Como escrever um estudo de caso que é um estudo de caso? Um estudo so é um quebra-cabeça que tem de ser resolvido. A primeira coisa a Página 1 1 Como escrever um Estudo de Caso O que é um estudo de caso? Um estudo de caso é um quebra-cabeça que tem de ser resolvido. A primeira coisa a lembre-se de escrever um estudo de caso é que o caso

Leia mais

Segundo os Evangelhos, Jesus teria vivido toda sua infância, adolescência e juventude em Nazaré com sua família e com o povo dessa pequena aldeia.

Segundo os Evangelhos, Jesus teria vivido toda sua infância, adolescência e juventude em Nazaré com sua família e com o povo dessa pequena aldeia. Jesus e sua vida Segundo os Evangelhos, Jesus teria vivido toda sua infância, adolescência e juventude em Nazaré com sua família e com o povo dessa pequena aldeia. Seu nascimento foi no meio de muitas

Leia mais

HOSPITALIDADE VIRTUAL: Pode entrar que a home é sua!

HOSPITALIDADE VIRTUAL: Pode entrar que a home é sua! Página 1 de 5 Fórum HOSPITALIDADE VIRTUAL: Pode entrar que a home é sua! Conceituar a hospitalidade virtual é mais do que uma tarefa difícil. Este artigo é uma prévia da minha dissertação no Mestrado em

Leia mais

COLÉGIO NOSSA SENHORA DE SION LIÇÕES DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS - 3 ano Semana de 23 a 27 de março de 2015.

COLÉGIO NOSSA SENHORA DE SION LIÇÕES DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS - 3 ano Semana de 23 a 27 de março de 2015. COLÉGIO NOSSA SENHORA DE SION LIÇÕES DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS - 3 ano Semana de 23 a 27 de março de 2015. Leia o texto a seguir para realizar as lições de Matemática da semana. Os alunos do 3º ano foram

Leia mais

Transcriça o da Entrevista

Transcriça o da Entrevista Transcriça o da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Ex praticante Clarice Local: Núcleo de Arte Grécia Data: 08.10.2013 Horário: 14h Duração da entrevista: 1h COR PRETA

Leia mais

III Seminário de Turismo Rural do Distrito Federal

III Seminário de Turismo Rural do Distrito Federal IDESTUR Instituto de Desenvolvimento do Turismo Rural III Seminário de Turismo Rural do Distrito Federal O Turismo Rural não tem leis e regulamentos específicos que normatizem a sua diversidade, até por

Leia mais

JESUS, MOISÉS E ELIAS Lição 30. 1. Objetivos: Mostrar que Jesus está sobre todas as pessoas porque é o filho de Deus..

JESUS, MOISÉS E ELIAS Lição 30. 1. Objetivos: Mostrar que Jesus está sobre todas as pessoas porque é o filho de Deus.. JESUS, MOISÉS E ELIAS Lição 30 1 1. Objetivos: Mostrar que Jesus está sobre todas as pessoas porque é o filho de Deus.. 2. Lição Bíblica: Mateus 17.1-13; Marcos 2.1-13; Lucas 9.28-36 (Leitura bíblica para

Leia mais

UMA ESPOSA PARA ISAQUE Lição 12

UMA ESPOSA PARA ISAQUE Lição 12 UMA ESPOSA PARA ISAQUE Lição 12 1 1. Objetivos: Ensinar que Eliézer orou pela direção de Deus a favor de Isaque. Ensinar a importância de pedir diariamente a ajuda de Deus. 2. Lição Bíblica: Gênesis 2

Leia mais

Gtp+ PROGRAMAS E PROJETOS Grupo de Trabalhos em Prevenção Posithivo (GTP+) Fundação em 2000, Recife-PE O Grupo de Trabalhos em Prevenção Posithivo é a única ONG da Região Nordeste do Brasil coordenada

Leia mais

Projeto de monitoria em eventos: com destaque nas disciplinas Introdução a Hospitalidade e Teoria e Pesquisa do Lazer

Projeto de monitoria em eventos: com destaque nas disciplinas Introdução a Hospitalidade e Teoria e Pesquisa do Lazer Projeto de monitoria em eventos: com destaque nas disciplinas Introdução a Hospitalidade e Teoria e Pesquisa do Lazer Gilmara Barros da Silva 1, Janaina Luciana de Medeiros 2, Kettrin Farias Bem Maracajá

Leia mais

** O texto aqui reproduzido é de propriedade do MUD - Museu da Dança e não pode ser copiado ou reproduzido sem a autorização prévia.

** O texto aqui reproduzido é de propriedade do MUD - Museu da Dança e não pode ser copiado ou reproduzido sem a autorização prévia. * Este texto corresponde à visão da autora Marcia Dib e todas as informações aqui contidas são de inteira responsabilidade da autora. ** O texto aqui reproduzido é de propriedade do MUD - Museu da Dança

Leia mais

www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak

www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak Entrevista com Ezequiel Quem é você? Meu nome é Ezequiel, sou natural do Rio de Janeiro, tenho 38 anos, fui

Leia mais

Desafíos y Gestión de la Hotelería Hospitalaria

Desafíos y Gestión de la Hotelería Hospitalaria Desafíos y Gestión de la Hotelería Hospitalaria Merielle Barbosa Lobo Pró-Saúde Hospital Materno Infantil Tia Dedé Tocantins Brasil merielle.hmitd@prosaude.org.br A ORIGEM DA ATIVIDADE HOTELEIRA O hotel

Leia mais

Caridade quaresmal. Oração Avé Maria. Anjinho da Guarda. S. João Bosco Rogai por nós. Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Bom dia a todos!

Caridade quaresmal. Oração Avé Maria. Anjinho da Guarda. S. João Bosco Rogai por nós. Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Bom dia a todos! 2ª feira, 09 de março: Dar esmola Esta semana iremos tentar aprender a dar. A dar aos que mais precisam. E vamos ver que Dar é BRU TAL!!!! Um dia, uma mulher vestida de trapos velhos percorria as ruas

Leia mais

Sinopse I. Idosos Institucionalizados

Sinopse I. Idosos Institucionalizados II 1 Indicadores Entrevistados Sinopse I. Idosos Institucionalizados Privação Até agora temos vivido, a partir de agora não sei Inclui médico, enfermeiro, e tudo o que for preciso de higiene somos nós

Leia mais

Núcleo de Pesquisa Comércio Internacional, Gestão e Sustentabilidade.

Núcleo de Pesquisa Comércio Internacional, Gestão e Sustentabilidade. Núcleo de Pesquisa Comércio Internacional, Gestão e Sustentabilidade. Composição do Núcleo de Pesquisa em Comércio Internacional, Gestão e Sustentabilidade. Linhas de Pesquisa Coordenador Prof. Dr. Sérgio

Leia mais

12/02/2010. Presidência da República Secretaria de Imprensa Discurso do Presidente da República

12/02/2010. Presidência da República Secretaria de Imprensa Discurso do Presidente da República , Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de inauguração da Escola Municipal Jornalista Jaime Câmara e alusiva à visita às unidades habitacionais do PAC - Pró-Moradia no Jardim do Cerrado e Jardim Mundo

Leia mais

capítulo 3 Estatuto do Idoso, direitos e violações

capítulo 3 Estatuto do Idoso, direitos e violações capítulo Estatuto do Idoso, direitos e violações _IDOSOS NO BRASIL > vivências, desafios e expectativas na ª idade. Estatuto do Idoso, direitos e violações A maioria da população brasileira na ª idade

Leia mais

Recapitulando: quaresma. um tempo de olhar pra dentro e para o evangelho. um tempo de preparação para a Páscoa

Recapitulando: quaresma. um tempo de olhar pra dentro e para o evangelho. um tempo de preparação para a Páscoa Recapitulando: quaresma um tempo de preparação para a Páscoa um tempo de olhar pra dentro e para o evangelho Recapitulando: o caminho de Jerusalém Lc 9.51 Lc 19.41 perigos e distrações: esquecer o foco

Leia mais

REDE CARIOCA DE ANFITRIÕES CARTA DE COMPROMISSO

REDE CARIOCA DE ANFITRIÕES CARTA DE COMPROMISSO REDE CARIOCA DE ANFITRIÕES CARTA DE COMPROMISSO Esta Carta de Compromisso expressa o propósito de seus signatários anfitriões cariocas e os agentes profissionais que os representam de oferecer hospedagem

Leia mais

mundo. A gente não é contra branco. Somos aliados, queremos um mundo melhor para todo mundo. A gente está sentindo muito aqui.

mundo. A gente não é contra branco. Somos aliados, queremos um mundo melhor para todo mundo. A gente está sentindo muito aqui. Em 22 de maio de 2014 eu, Rebeca Campos Ferreira, Perita em Antropologia do Ministério Público Federal, estive na Penitenciária de Médio Porte Pandinha, em Porto Velho RO, com os indígenas Gilson Tenharim,

Leia mais

A Cura de Naamã - O Comandante do Exército da Síria

A Cura de Naamã - O Comandante do Exército da Síria A Cura de Naamã - O Comandante do Exército da Síria Samaria: Era a Capital do Reino de Israel O Reino do Norte, era formado pelas 10 tribos de Israel, 10 filhos de Jacó. Samaria ficava a 67 KM de Jerusalém,

Leia mais

As Tic- Tecnologias de Informação e Comunicação nos meus Percursos de Vida Pessoal e Profissional

As Tic- Tecnologias de Informação e Comunicação nos meus Percursos de Vida Pessoal e Profissional As Tic- Tecnologias de Informação e Comunicação nos meus Percursos de Vida Pessoal e Profissional 1 Nasci no dia 4 de Novembro de 1967, na freguesia de Vila Boa do Bispo, Concelho de Marco de Canaveses,

Leia mais

9º Plano de aula. 1-Citação as semana: Não aponte um defeito,aponte uma solução. 2-Meditação da semana:

9º Plano de aula. 1-Citação as semana: Não aponte um defeito,aponte uma solução. 2-Meditação da semana: 9º Plano de aula 1-Citação as semana: Não aponte um defeito,aponte uma solução. 2-Meditação da semana: Enraizando e criando raiz (CD-Visualização Criativa faixa 2) 3-História da semana: Persistência X

Leia mais

Núcleo de Pesquisa Comércio Internacional, Gestão e Sustentabilidade.

Núcleo de Pesquisa Comércio Internacional, Gestão e Sustentabilidade. Núcleo de Pesquisa Comércio Internacional, Gestão e Sustentabilidade. Composição do Núcleo de Pesquisa em Comércio Internacional, Gestão e Sustentabilidade. Linhas de Pesquisa Coordenador Prof. Dr. Sérgio

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE FACULDADE DE TURISMO E HOTELARIA DEPARTAMENTO DE TURISMO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM HOTELARIA

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE FACULDADE DE TURISMO E HOTELARIA DEPARTAMENTO DE TURISMO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM HOTELARIA UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE FACULDADE DE TURISMO E HOTELARIA DEPARTAMENTO DE TURISMO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM HOTELARIA GRAZIELE DE ATAÍDE GOMES CHE LAGARTO HOSTEL: UM JEITO DIFERENTE DE HOSPEDAR

Leia mais

A CURA DE UM MENINO Lição 31

A CURA DE UM MENINO Lição 31 A CURA DE UM MENINO Lição 31 1 1. Objetivos: Mostrar o poder da fé. Mostrar que Deus tem todo o poder. 2. Lição Bíblica: Mateus 17.14-21; Marcos 9.14-29; Lucas 9.37-43 (Leitura bíblica para o professor)

Leia mais

PRÓLOGO. #21diasdeamor. DEUS É AMOR 1 João 4:8

PRÓLOGO. #21diasdeamor. DEUS É AMOR 1 João 4:8 PRÓLOGO DEUS É AMOR 1 João 4:8 Quando demonstramos amor, estamos seguindo os passos de Jesus. Ele veio para mostrar ao mundo quem Deus é. Da mesma maneira, temos a missão de mostrar ao mundo que Deus é

Leia mais

KIT CÉLULA PARA CRIANÇAS: 28/10/15

KIT CÉLULA PARA CRIANÇAS: 28/10/15 KIT CÉLULA PARA CRIANÇAS: 28/10/15 A mentira não agrada a Deus Principio: Quando mentimos servimos o Diabo o Pai da mentira. Versículo: O caminho para vida é de quem guarda o ensino, mas o que abandona

Leia mais

Processos de Turistificação: Dinâmicas de inclusão e exclusão de Comunidades Locais 1

Processos de Turistificação: Dinâmicas de inclusão e exclusão de Comunidades Locais 1 1 Processos de Turistificação: Dinâmicas de inclusão e exclusão de Comunidades Locais 1 Yara Silvia Marques de Melo Issa 2 Ada de Freitas Maneti Dencker 3 Universidade Anhembi Morumbi Resumo Este artigo

Leia mais

Material: Uma copia do fundo para escrever a cartinha pra mamãe (quebragelo) Uma copia do cartão para cada criança.

Material: Uma copia do fundo para escrever a cartinha pra mamãe (quebragelo) Uma copia do cartão para cada criança. Radicais Kids Ministério Boa Semente Igreja em células Célula Especial : Dia Das mães Honrando a Mamãe! Principio da lição: Ensinar as crianças a honrar as suas mães. Base bíblica: Ef. 6:1-2 Texto chave:

Leia mais

A Hospitalidade em sala de aula: contribuições da prática de monitoria

A Hospitalidade em sala de aula: contribuições da prática de monitoria A Hospitalidade em sala de aula: contribuições da prática de monitoria Ednez Gomez da Glória 1 Manoela Carrillo Valduga 2 Resumo: Com vistas a facilitar a compreensão dos conceitos da disciplina de Hospitalidade,

Leia mais

PRIMEIRA LINGUAGEM DE AMOR: PALAVRAS DE ENCORAJAMENTO

PRIMEIRA LINGUAGEM DE AMOR: PALAVRAS DE ENCORAJAMENTO 50 Nona Lição AS CINCO LINGUAGENS DE AMOR Alguma coisa em nossa natureza clama por sermos amados. No âmago da nossa existência há o íntimo desejo se sermos amados. O casamento foi idealizado para suprir

Leia mais

Chantilly, 17 de outubro de 2020.

Chantilly, 17 de outubro de 2020. Chantilly, 17 de outubro de 2020. Capítulo 1. Há algo de errado acontecendo nos arredores dessa pequena cidade francesa. Avilly foi completamente afetada. É estranho descrever a situação, pois não encontro

Leia mais

Família. Escola. Trabalho e vida econômica. Vida Comunitária e Religião

Família. Escola. Trabalho e vida econômica. Vida Comunitária e Religião Família Qual era a profissão dos seus pais? Como eles conciliavam trabalho e família? Como era a vida de vocês: muito apertada, mais ou menos, ou viviam com folga? Fale mais sobre isso. Seus pais estudaram

Leia mais

Em algum lugar de mim

Em algum lugar de mim Em algum lugar de mim (Drama em ato único) Autor: Mailson Soares A - Eu vi um homem... C - Homem? Que homem? A - Um viajante... C - Ele te viu? A - Não, ia muito longe! B - Do que vocês estão falando?

Leia mais

Apoio: Patrocínio: Realização:

Apoio: Patrocínio: Realização: 1 Apoio: Patrocínio: Realização: 2 CINDERELA 3 CINDERELA Cinderela era uma moça muito bonita, boa, inteligente e triste. Os pais tinham morrido e ela morava num castelo. A dona do castelo era uma mulher

Leia mais

Segundo Relatório de Intercâmbio de Longa Duração

Segundo Relatório de Intercâmbio de Longa Duração Segundo Relatório de Intercâmbio de Longa Duração Carlos Araujo RCRJ/Nova Iguaçu Odense, Danmark. Ainda depois de 4 meses na Dinamarca, este país ainda consegue fazer surpresas. Desde de agosto, a minha

Leia mais

AS VIAGENS ESPETACULARES DE PAULO

AS VIAGENS ESPETACULARES DE PAULO Bíblia para crianças apresenta AS VIAGENS ESPETACULARES DE PAULO Escrito por: Edward Hughes Ilustradopor:Janie Forest Adaptado por: Ruth Klassen O texto bíblico desta história é extraído ou adaptado da

Leia mais

HOTELARIA DO RIO DE JANEIRO: A RELEVÂNCIA DE UMA LIDERANÇA HUMANIZADA

HOTELARIA DO RIO DE JANEIRO: A RELEVÂNCIA DE UMA LIDERANÇA HUMANIZADA ISSN 1984-9354 HOTELARIA DO RIO DE JANEIRO: A RELEVÂNCIA DE UMA LIDERANÇA HUMANIZADA Maria Clara Pavão de Melo mariaclaratur@hotmail.com (LATEC/UFF) Resumo: Porta de entrada no Brasil para o turismo internacional,

Leia mais

DINÂMICA LOCAL INTERATIVA I FORTALECENDO SABERES CIÊNCIAS NAT. CIÊNCIAS HUM. CONTEÚDO E HABILIDADES DESAFIO DO DIA. Conteúdo:

DINÂMICA LOCAL INTERATIVA I FORTALECENDO SABERES CIÊNCIAS NAT. CIÊNCIAS HUM. CONTEÚDO E HABILIDADES DESAFIO DO DIA. Conteúdo: CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA I Conteúdo: - Alguns aspectos que interferem na saúde das pessoas - Saúde como Direito Constitucional dos brasileiros

Leia mais

JOÁS, O MENINO REI Lição 65. 1. Objetivos: Ensinar que devemos permanecer fiéis a Deus embora nossos amigos parem de segui-lo.

JOÁS, O MENINO REI Lição 65. 1. Objetivos: Ensinar que devemos permanecer fiéis a Deus embora nossos amigos parem de segui-lo. JOÁS, O MENINO REI Lição 65 1 1. Objetivos: Ensinar que devemos permanecer fiéis a Deus embora nossos amigos parem de segui-lo. 2. Lição Bíblica: 2 Reis 11; 2 Crônicas 24.1-24 (Base bíblica para a história

Leia mais

Lição 10 Batismo Mergulhando em Jesus

Lição 10 Batismo Mergulhando em Jesus Ensino - Ensino 11 - Anos 11 Anos Lição 10 Batismo Mergulhando em Jesus História Bíblica: Mateus 3:13 a 17; Marcos 1:9 a 11; Lucas 3:21 a 22 João Batista estava no rio Jordão batizando as pessoas que queriam

Leia mais

CURSO DE GASTRONOMIA

CURSO DE GASTRONOMIA PROGRAMA 1. Teoria Geral da Administração: histórico. Teorias administrativas; 2. Princípios de organização de serviços; 3. Fundamentos de Marketing de Serviços; 4. Políticas e procedimentos operacionais

Leia mais

AULA CRIATIVA DE HISTÓRIA - FOLCLORE

AULA CRIATIVA DE HISTÓRIA - FOLCLORE AULA CRIATIVA DE HISTÓRIA - FOLCLORE Mesmo não acreditando na Educação Criativa, o professor pode fazer uma experiência para ver o resultado. É o caso da professora deste relato. Glorinha Aguiar glorinhaaguiar@uol.com.br

Leia mais

1º Domingo de Julho Conexão Kids -05/07/2015

1º Domingo de Julho Conexão Kids -05/07/2015 1º Domingo de Julho Conexão Kids -05/07/2015 Sinalizar o Amor de Deus através da obediência e do respeito! Objetivo: Mostrar a importância de respeitar as regras e obedecer aos pais e responsáveis. Reforçar

Leia mais

FÃS DE ESPORTES E A SEGUNDA TELA

FÃS DE ESPORTES E A SEGUNDA TELA FÃS DE ESPORTES E A SEGUNDA TELA ESCRITO POR Zachary Yorke Jess Greenwood PUBLICADO Junho 2014 RESUMO Os fãs de esportes sempre gritaram para a tela e pularam do sofá com o barulho da multidão. Hoje em

Leia mais

O Uso do Cinema como ferramenta de observação teórica em Hospitalidade: Lilo & Stitch (Walt Disney). 1. Sergio dos Santos CLEMENTE JÚNIOR 2

O Uso do Cinema como ferramenta de observação teórica em Hospitalidade: Lilo & Stitch (Walt Disney). 1. Sergio dos Santos CLEMENTE JÚNIOR 2 O Uso do Cinema como ferramenta de observação teórica em Hospitalidade: Lilo & Stitch (Walt Disney). 1 Sergio dos Santos CLEMENTE JÚNIOR 2 Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo ECA

Leia mais

Crianças e Meios Digitais Móveis TIC KIDS ONLINE NO TEMPO DOS MEIOS MÓVEIS: OLHARES DO BRASIL PARA CRIANÇAS DE 11-12 ANOS

Crianças e Meios Digitais Móveis TIC KIDS ONLINE NO TEMPO DOS MEIOS MÓVEIS: OLHARES DO BRASIL PARA CRIANÇAS DE 11-12 ANOS Crianças e Meios Digitais Móveis Lisboa, 29 de novembro de 2014 TIC KIDS ONLINE NO TEMPO DOS MEIOS MÓVEIS: OLHARES DO BRASIL PARA CRIANÇAS DE 11-12 ANOS Educação para o uso crítico da mídia 1. Contexto

Leia mais

Os Cadernos de Alegrete

Os Cadernos de Alegrete Os Cadernos de Alegrete Nesta tarde cinza, pensativo, vou folheando um volume encadernado das edições dos Cadernos de Extremo Sul, saudosa coleção de publicações literárias fundada em Alegrete, em 1953,

Leia mais

O trabalho com as cantigas e parlendas

O trabalho com as cantigas e parlendas O trabalho com as cantigas e parlendas nós na sala de aula - módulo: língua portuguesa 1º ao 3º ano - unidade 4 Cantigas e parlendas ajudam a introduzir a criança no mundo da leitura. Isso porque são textos

Leia mais

Bíblia para crianças. apresenta O ENGANADOR

Bíblia para crianças. apresenta O ENGANADOR Bíblia para crianças apresenta JACÓ O ENGANADOR Escrito por: Edward Hughes Ilustradopor:M. Maillot; Lazarus Adaptado por: M Kerr; Sarah S. Traduzido por: Berenyce Brandão Produzido por: Bible for Children

Leia mais

Gostava de redacções, como gostava! Dos seis filhos da família Santos apenas ele e a Nazaré (que andava no 9. ano) gostavam de escrever; de resto

Gostava de redacções, como gostava! Dos seis filhos da família Santos apenas ele e a Nazaré (que andava no 9. ano) gostavam de escrever; de resto 1 Gostava de redacções, como gostava! Dos seis filhos da família Santos apenas ele e a Nazaré (que andava no 9. ano) gostavam de escrever; de resto eram também os únicos que passavam horas a ler, nos tempos

Leia mais

Marketing Turístico e Hoteleiro

Marketing Turístico e Hoteleiro 2 CAPÍTULO II Significado do Marketing em Hotelaria e Turismo Significado do Marketing em Hotelaria e Turismo Capítulo II Sumário As características especiais do Marketing em Hotelaria e Turismo O ambiente

Leia mais

UM LÍDER DO TEMPLO VISITA JESUS

UM LÍDER DO TEMPLO VISITA JESUS Bíblia para crianças apresenta UM LÍDER DO TEMPLO VISITA JESUS Escrito por: Edward Hughes Ilustradopor:Byron Unger; Lazarus Adaptado por: M. Maillot; Sarah S. Traduzido por: Berenyce Brandão Produzido

Leia mais

São Paulo ganha dos companheiros. São atribuías a S.Paulo 14 cartas. Umas são dele mesmo: Romanos, 1 e 2 aos Corintios, a Filemom, aos Gálatas, aos

São Paulo ganha dos companheiros. São atribuías a S.Paulo 14 cartas. Umas são dele mesmo: Romanos, 1 e 2 aos Corintios, a Filemom, aos Gálatas, aos No Antigo Testamento são citadas algumas cartas, como no 2ºMacabeus, capi.1º. Mas é no Novo Testamento que muitas cartas foram conservadas como parte integrante da revelação de Deus. No Novo Testamento

Leia mais

Unidade 2: A família de Deus cresce José perdoa

Unidade 2: A família de Deus cresce José perdoa Olhando as peças Histórias de Deus:Gênesis-Apocalipse 3 a 6 anos Unidade 2: A família de Deus cresce José perdoa História Bíblica: Gênesis 41-47:12 A história de José continua com ele saindo da prisão

Leia mais

MOISÉS NO MONTE SINAI Lição 37

MOISÉS NO MONTE SINAI Lição 37 MOISÉS NO MONTE SINAI Lição 37 1 1. Objetivos: Ensinar que quando Moisés aproximou-se de Deus, os israelitas estavam com medo. Ensinar que hoje em dia, por causa de Jesus, podemos nos sentir perto de Deus

Leia mais

Direitos Autorais e a Hotelaria Câmara dos Deputados 05/11/2015

Direitos Autorais e a Hotelaria Câmara dos Deputados 05/11/2015 Direitos Autorais e a Hotelaria Câmara dos Deputados 05/11/2015 Sobre o FOHB Criado em 2002, o FOHB Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil é uma entidade associativa sem fins lucrativos que representa

Leia mais

Preparado para o infantário. Portugais

Preparado para o infantário. Portugais Preparado para o infantário Portugais As crianças precisam de tarefas que as façam crescer, De um modelo pelo qual se possam guiar, De comunidades que as façam sentir-se seguras. Prof. Dr. Gerald Hüther

Leia mais

Por Rogério Soares Coordenador Estadual da RCC São Paulo Grupo de Oração Kénosis

Por Rogério Soares Coordenador Estadual da RCC São Paulo Grupo de Oração Kénosis Grupos de Oração sem a experiência do Batismo no Espírito Santo, exercício dos carismas e o cultivo da vivência fraterna, revelam uma face desfigurada da RCC. Reflitamos a esse respeito tendo por base

Leia mais

Campanha de Advento Setor da Catequese do Patriarcado de Lisboa

Campanha de Advento Setor da Catequese do Patriarcado de Lisboa 12 Campanha de Advento Setor da Catequese do Patriarcado de Lisboa 2 Jogo da corrida das ovelhas 11 1. Monta-se o presépio (8 de dezembro). 2. Faz-se um caminho para a manjedoura. 3. Cada elemento da família

Leia mais

Atividades Lição 5 ESCOLA É LUGAR DE APRENDER

Atividades Lição 5 ESCOLA É LUGAR DE APRENDER Atividades Lição 5 NOME: N º : CLASSE: ESCOLA É LUGAR DE APRENDER 1. CANTE A MÚSICA, IDENTIFICANDO AS PALAVRAS. A PALAVRA PIRULITO APARECE DUAS VEZES. ONDE ESTÃO? PINTE-AS.. PIRULITO QUE BATE BATE PIRULITO

Leia mais

METODOLOGIA SEBRAE BAHIA PARA PÓLOS DE EMPREENDEDORISMO CULTURAL

METODOLOGIA SEBRAE BAHIA PARA PÓLOS DE EMPREENDEDORISMO CULTURAL Trabalho apresentado no III ENECULT Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura, realizado entre os dias 23 a 25 de maio de 2007, na Faculdade de Comunicação/UFBa, Salvador-Bahia-Brasil. METODOLOGIA

Leia mais

Manual 4.indd 1 09/12/2009 09:54:47

Manual 4.indd 1 09/12/2009 09:54:47 Manual 4.indd 1 09/12/2009 09:54:47 PROTEÇÃO À CRIANÇA Orientações para Pais e Filhos Você e sua família prevenidos contra o abuso Levando esperança ao coração da criança Manual 4.indd 2-3 09/12/2009 09:54:47

Leia mais

Palestra Virtual. Promovida pelo IRC-Espiritismo http://www.irc-espiritismo.org.br

Palestra Virtual. Promovida pelo IRC-Espiritismo http://www.irc-espiritismo.org.br Palestra Virtual Promovida pelo http://www.irc-espiritismo.org.br Tema: Mediunidade (Consciência, Desenvolvimento e Educação) Palestrante: Vania de Sá Earp Rio de Janeiro 16/06/2000 Organizadores da palestra:

Leia mais

A introdução da hospitalidade nos cursos de hotelaria de São Paulo

A introdução da hospitalidade nos cursos de hotelaria de São Paulo 1 A introdução da hospitalidade nos cursos de hotelaria de São Paulo Mestre Claudia Ricciuti Barbosa (UAM) clabarbosa@anhembi.br Resumo Ao pesquisar sobre hospitalidade, estuda-se, em primeira instância,

Leia mais

Mais um ano está começando... Tempo de pensar no que passou Avaliar. Tempo de pensar no que virá Planejar

Mais um ano está começando... Tempo de pensar no que passou Avaliar. Tempo de pensar no que virá Planejar Mais um ano está começando... Tempo de pensar no que passou Avaliar Tempo de pensar no que virá Planejar Hámomentos em nossa vida em que temos duas opções: Desistir Recomeçar Quando a VIDA decepciona João

Leia mais

Os encontros de Jesus. sede de Deus

Os encontros de Jesus. sede de Deus Os encontros de Jesus 1 Jo 4 sede de Deus 5 Ele chegou a uma cidade da Samaria, chamada Sicar, que ficava perto das terras que Jacó tinha dado ao seu filho José. 6 Ali ficava o poço de Jacó. Era mais ou

Leia mais

A Infra-estrutura como base para a Hospitalidade em Unidades de Conservação da Natureza 1

A Infra-estrutura como base para a Hospitalidade em Unidades de Conservação da Natureza 1 A Infra-estrutura como base para a Hospitalidade em Unidades de Conservação da Natureza 1 Bárbara Gambare dos Santos 2 Ana Julia de Souza Melo 3 Heloísa Maria Rodrigues de Souza 4 Gloria Maria Widmer 5

Leia mais

Hospitalidade e comunicação nas festividades de Natal paulistana *

Hospitalidade e comunicação nas festividades de Natal paulistana * Hospitalidade e comunicação nas festividades de Natal paulistana * Jéssica Patrícia Figueiredo 2. Universidade Anhembi Morumbi mestranda (sob a orientação da Prof.ª Dr.ª Sênia Bastos). Resumo O presente

Leia mais

RELATÓRIO DA OFICINA: COMO AGIR NA COMUNIDADE E NO DIA A DIA DO SEU TRABALHO. Facilitadoras: Liliane Lott Pires e Maria Inês Castanha de Queiroz

RELATÓRIO DA OFICINA: COMO AGIR NA COMUNIDADE E NO DIA A DIA DO SEU TRABALHO. Facilitadoras: Liliane Lott Pires e Maria Inês Castanha de Queiroz 1 RELATÓRIO DA OFICINA: COMO AGIR NA COMUNIDADE E NO DIA A DIA DO SEU TRABALHO Facilitadoras: Liliane Lott Pires e Maria Inês Castanha de Queiroz Contrato: AS.DS.PV.024/2010 Empresa: SENSOTECH ASSESSORAMENTO

Leia mais

Unidade 01- Estamos apenas começando Deus criou, eu cuidarei

Unidade 01- Estamos apenas começando Deus criou, eu cuidarei Olhando as peças Histórias de Deus:Gênesis-Apocalipse 3 a 6 anos Unidade 01- Estamos apenas começando Deus criou, eu cuidarei O velho testamento está cheio de histórias que Deus nos deu, espantosas e verdadeiras.

Leia mais

Centro de Altos Estudos de Segurança (CAES) da Polícia Militar do Estado de São Paulo DOUTORADO DA PM. Frei David Santos, OFM - out de 2012

Centro de Altos Estudos de Segurança (CAES) da Polícia Militar do Estado de São Paulo DOUTORADO DA PM. Frei David Santos, OFM - out de 2012 Centro de Altos Estudos de Segurança (CAES) da Polícia Militar do Estado de São Paulo DOUTORADO DA PM Frei David Santos, OFM - out de 2012 Dados disponibilizados pelo Sistema de Informações sobre Mortalidade

Leia mais

REGÊNCIA DO ALÉM CONTADOR (VOICE OVER)

REGÊNCIA DO ALÉM CONTADOR (VOICE OVER) REGÊNCIA DO ALÉM FADE IN SEQUÊNCIA # 01: CENA 01: EXT. IMAGENS DA CIDADE DE ARARAS DIA. Imagem do Obelisco da praça central da cidade, da igreja Matriz, Centro Cultural, rodoviária, Lago Municipal e cemitério.

Leia mais

História Para as Crianças. A menina que caçoou

História Para as Crianças. A menina que caçoou História Para as Crianças A menina que caçoou Bom dia crianças, feliz sábado! Uma vez, do outro lado do mundo, em um lugar chamado Austrália vivia uma menina. Ela não era tão alta como algumas meninas

Leia mais

OS IRMÃOS DA COPA. HONDURAS Wilson, Jhony e Jerry Palacios. COSTA DO MARFIM Yaya e Kolo Touré. PARAGUAI Edgard e Diego Barreto

OS IRMÃOS DA COPA. HONDURAS Wilson, Jhony e Jerry Palacios. COSTA DO MARFIM Yaya e Kolo Touré. PARAGUAI Edgard e Diego Barreto OS IRMÃOS DA COPA HONDURAS Wilson, Jhony e Jerry Palacios COSTA DO MARFIM Yaya e Kolo Touré PARAGUAI Edgard e Diego Barreto ALEMANHA e GANA Jerome e Kevin Prince Boateng OS FILHOS DO TROVÃO TIAGO E JOÃO

Leia mais

Pluralidade dos Mundos Habitados. Paulo Roberto de Mattos Pereira Centro Espírita Casa do Caminho - DF

Pluralidade dos Mundos Habitados. Paulo Roberto de Mattos Pereira Centro Espírita Casa do Caminho - DF Habitados Paulo Roberto de Mattos Pereira Centro Espírita Casa do Caminho - DF Jesus referiu-se em algum momento de suas pregações à existência de outros mundos habitados? Qualquer pessoa que pensa, ao

Leia mais

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão.

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão. REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO Código Entrevista: 2 Data: 18/10/2010 Hora: 16h00 Duração: 23:43 Local: Casa de Santa Isabel DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS Idade

Leia mais