Marketing: o uso das ferramentas da TIC nos hotéis de categoria três estrelas localizados na avenida principal do município de Balneário Camboriú/SC

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Marketing: o uso das ferramentas da TIC nos hotéis de categoria três estrelas localizados na avenida principal do município de Balneário Camboriú/SC"

Transcrição

1 Marketing: o uso das ferramentas da TIC nos hotéis de categoria três estrelas localizados na avenida principal do município de Balneário Camboriú/SC Franciane Reinert 1 Francieli Boaria 2 Luiz Carlos da Silva Flores 3 Resumo: As grandes transformações que vem ocorrendo devido ao avanço da concorrência, tecnologia, acesso para os consumidores, entre outros fatores, têm relação direta entre fornecedores e clientes sobre a internet e reflete na indústria de viagens e turismo, onde os meios de hospedagens estão inseridos. Esta pesquisa aborda a utilização das ferramentas das Novas Tecnologias da Informação e Comunicação (NTICs) pelos meios de hospedagem de categoria três estrelas localizados na avenida principal do município de Balneário Camboriú/SC. Para tanto, foi desenvolvido um questionário com perguntas fechadas numa escala de zero a cinco para verificar a utilização destas ferramentas por parte dos gestores dos departamentos de marketing e vendas em cinco hotéis, portanto caracteriza-se uma pesquisa exploratória qualitativa, com enfoque descritivo de formato transversal. Os principais resultados demonstram que as empresas ainda não exploram amplamente as NTICs, confirmando assim a necessidade de conhecimento da importância das ferramentas da Internet e de sua utilização como meio de divulgação e venda de seus serviços. Palavras-chave: Tecnologia da Informação. Meios de Hospedagem. Marketing. Introdução Partindo do princípio de que cada vez mais a sociedade atual é influenciada pelo rápido desenvolvimento das tecnologias de informação (TIC) e comunicação (Levitt 1997), pode-se afirmar que grande parte dos resultados almejados pelos empreendimentos hoteleiros em todo mundo, seguindo a tendência de todas as demais organizações, depende quase que exclusivamente do sucesso das escolhas dos meios de divulgação e comercialização de seus serviços. Somado ao fato de que há uma extensa gama de opções de tecnologia de informação (TI) que estão disponíveis no mercado, incluindo as redes sociais que vêm se popularizando fortemente nos últimos anos e se destacam por serem gratuitas, muitos empreendimentos hoteleiros encontram sérias dificuldades em direcionar de maneira correta seus esforços de comunicação para com seus clientes/ hóspedes em potencial. Tais dificuldades têm como cerne a falta de identificação do seu público-alvo, ou ainda a ausência do conhecimento aprofundado sobre este público, seus hábitos de consumo e principais características, informações imprescindíveis para a eficácia das ferramentas de TI. Outro fator agravante é o desconhecimento das ferramentas da TI disponíveis e de que forma podem ser utilizadas, ou até em alguns casos a não-valorização do poder destas. 1 Mestranda em Turismo e Hotelaria pela UNIVALI Universidade do Vale do Itajaí, Balneário Camboriú, SC. 2 Mestranda em Turismo e Hotelaria pela UNIVALI Universidade do Vale do Itajaí, Balneário Camboriú, SC. 3 Doutor em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina UFSC e Professor do Mestrado em Turismo e Hotelaria pela UNIVALI Universidade do Vale do Itajaí, Balneário Camboriú, SC. 1

2 De acordo com os dados da Pesquisa de Demanda Turística de Santa Catarina na cidade de Balneário Camboriú, realizada pela Santur (2010), a Internet é o segundo (13,20%) veículo de propaganda mais utilizado pelos turistas, perdendo somente para os contatos com amigos e parentes. Da mesma forma, o hotel é o terceiro meio de hospedagem mais utilizado em uma lista de oito diferentes opções, sendo casa de amigos/parentes e aluguel de casa/apto os primeiros colocados, respectivamente, reafirmando a importância do setor hoteleiro para o turismo e economia no estado, sobretudo no município. Tendo em vista este atual contexto, o presente artigo originou-se de uma pesquisa realizada na disciplina de Marketing em Organizações Turísticas e Hoteleiras, a fim de investigar as ferramentas da tecnologia da informação que são utilizadas para a comunicação, divulgação e venda nos hotéis de categoria três estrelas situados na Avenida Brasil na cidade de Balneário Camboriú, Santa Catarina. Tal pesquisa foi realizada de 14 a 21 de novembro de A cidade de Balneário Camboriú foi escolhida para realização desta pesquisa em razão de sua representatividade para o turismo em Santa Catarina, recebendo cerca de quinhentos mil turistas na alta temporada anualmente e sendo considerada uma das melhores cidades turísticas do país (SANTUR, 2011). Outro fator considerado foi sua extensa rede hoteleira composta por inúmeros hotéis, inclusive alguns de redes internacionais, pousadas, resorts, entre outros, com grande concentração na Avenida Brasil, local desta pesquisa. Desta forma, o objetivo desta pesquisa é identificar quais ferramentas da tecnologia da informação e comunicação (TIC) são utilizadas para a comunicação, divulgação e venda nos hotéis de categoria três estrelas situados na Avenida Brasil na cidade de Balneário Camboriú, Santa Catarina. O artigo está divido em, primeiramente, fundamentação teórica, que é composta pelo marco teórico e têm como finalidade o embasamento da análise dos resultados alcançados. No item seguinte, são apresentados a metodologia e os resultados da pesquisa e sua respectiva análise. Por fim, estão as considerações finais e referências utilizadas. 2 Fundamentação Teórica 2.1 Marketing e tecnologia da informação e comunicação Atualmente, vivemos em um mundo globalizado, onde a concorrência é um fator extremamente presente na vida de qualquer organização, que é obrigada a conviver e/ ou sobreviver enfrentando muitas dificuldades neste processo. A informação detém um papel crucial, uma vez que o acesso a ela está mudando as formas de pensar e agir da humanidade, seus hábitos e desejos, e é imprescindível conhecê-los plenamente para que sirvam de diferencial e venham a contribuir para a permanência das organizações em atividade no mercado (DRUCKER, 2000). 2

3 A globalização seria a intensificação das relações sociais em escala mundial, ligando localidades distantes e fazendo com que seus acontecimentos sejam afetados por outros a muitos quilômetros de distância, explica Giddens (1991, p.69). Neste contexto é que o marketing está inserido. Para Kotler e Armstrong (2002) o marketing nada mais é do que uma troca, o meio pelo qual os indivíduos e grupos obtêm o que necessitam por meio de um processo social e gerencial; com o comércio eletrônico, os teóricos acrescentam como sendo trocas mediadas pela tecnologia entre parceiros (indivíduos, organizações ou ambos), bem como as atividades internas ou externas, apoiadas na informática, que facilitam essas trocas (KOTLER, 2002, p. 433). O marketing evoluiu e seu progresso foi marcado por três fases distintas: Marketing 1.0, Marketing 2.0 e Marketing 3.0. A era do Marketing 1.0 foi impulsionada pela Revolução Industrial e teve como foco principal a venda de produtos para o mercado de massa. Já a era do Marketing 2.0 caracterizou-se pelo desenvolvimento da tecnologia da informação, tendo como objetivo satisfazer e fidelizar os consumidores, sendo estes entendidos como clientes dotados de mente e coração. Quanto ao Marketing 3.0, esta representa a era mais recente do marketing, incentivado por uma nova onda de tecnologia e voltado para os valores. Esta fase tem como intuito oferecer soluções para os problemas da sociedade a partir da compreensão de que mais que simples consumidores as pessoas precisam ser tratadas como seres humanos plenos, com mente, coração e espírito (KOTLER, 2010). Cobra (1993) acrescenta que Marketing não se resume apenas a comercialização, pois ele propicia a correta colocação de um produto a um determinado público, sendo assim deve ser visto como uma filosofia em que todos na organização precisam agir e refletir seguindo seus preceitos. Para que esse processo se concretize de forma condizente com a nova era da informatização, informação e modernidade que nossa sociedade vivencia nos dias de hoje, é necessário o engajamento dos esforços de marketing com a tecnologia da informação (TI), que compreende todos os recursos tecnológicos ligados à Internet, computadores e softwares, destinados principalmente a disponibilização de informações, divulgação e comercialização de produtos e serviços. (ARRUDA; PIMENTA, 2005). De acordo com Kotler (2002), o acesso e a utilização das informações estão alterando a maneira das pessoas comprarem, portanto, a maneira como os bens são vendidos. As NTIC podem fornecer diversas ferramentas inovadoras de marketing para as organizações, (dentre elas as recentes redes sociais) bem como têm alterado fortemente as técnicas de marketing, incluindo as pesquisas de marketing, o planejamento estratégico, técnicas de venda e promoção, enfim, todos os processos que compõe o marketing nas organizações (MIDDLETON, 2002). 3

4 2.2 Marketing e NTIC nas organizações turísticas e hoteleiras Uma das atividades econômicas que mais têm crescido e se expandido devido à grande influência do desenvolvimento tecnológico é o turismo. Para De La Torre (1992, p. 19), o turismo é definido como um fenômeno social que consiste no deslocamento voluntário e temporário de indivíduos ou grupos por motivos como de recreação ou descanso, não exercendo atividades lucrativas, gerando relações de importância social, econômica e cultural. Os serviços realizados durante a atividade turística possuem algumas características singulares e que diferem e muito das características dos produtos. Dentre elas estão a intangibilidade, que seria a característica de não ser algo material, ou seja, um serviço somente pode ser percebido, experimentado ou sentido, nunca tocado, como é feito com os produtos. No turismo você compra a promessa de uma programação de atividades cuja qualidade você não teve ainda como comprovar (VAZ, 1999, p. 52). Outra característica importante é a perecibilidade, que constitui o fato de o serviço não poder ser estocado, cada dia de serviço não vendido é totalmente perdido pelas empresas turísticas (RUSCHMANN, 2003; VAZ, 1999). Outro ponto a ser considerado, é o fato de o setor turístico trabalhar basicamente com informação, sendo sua principal força vital e sem ela o setor não funcionaria. Os turistas, na sua maioria, têm buscado estas informações antes de viajar, o que indica sua vontade de ter autonomia no planejamento e execução das viagens, o que se possibilitou somente após a popularização das ferramentas de TI, principalmente da Internet (O CONNOR, 2001), visto que através dela, pode-se estabelecer uma ligação entre a oferta turística e sua possível demanda, ambas provenientes de qualquer localidade no mundo, de maneira prática e rápida. Middleton (2002) descreve que no início da década de 90, a internet e seus sistemas de distribuição e troca de informação era de menor importância nas indústrias de serviços do que em outras. Contradizendo, a razão pela qual a internet tornou-se importante de tal maneira é exatamente a impossibilidade da indústria de viagens e turismo em estocar fisicamente produtos, unidades habitacionais, refeições. A criação de sistemas de distribuição como centrais telefônicas, GDS, CRSs, website, entre outros, é um dos principais meios, senão o principal dependendo do público-alvo da empresa, de gerenciar a demanda de produtos intangíveis, variáveis, inseparáveis e perecíveis, e as TIC tornaram-se as principais áreas de busca de vantagens competitivas. Aos poucos, os canais de distribuição estão invadindo o espaço dos chamados materiais colaterais, que envolvem os materiais físicos como brochuras, mapas, menus, displays, flyers, entre outros, devido ao baixo custo de investimento e velocidade de acesso para o consumidor. Tendo isso em vista, e por consequência de o setor turístico estar inevitavelmente mais dependente da tecnologia da informação a cada dia, ele é ainda mais afetado pelas mudanças 4

5 decorrentes desta revolução mediante inúmeros motivos: concorrência global; guerra de preços, entre outros. Para amenizar suas perdas, ou melhor, para dinamizar suas técnicas de marketing e inserirem-se no mercado global, as empresas turísticas estão cada vez mais usufruindo das ferramentas de NTIC a fim de identificar com mais precisão seu público-alvo, conhecê-lo plenamente, e assim ter a possibilidade de direcionar todos os seus esforços de forma eficaz e direta (MIDDLETON, 2002). Remetendo à hotelaria, muitos são os recursos disponíveis para pesquisa, divulgação e promoção, venda e demais utilizações da TIC, dentre elas: Internet e redes sociais (Orkut, Facebook, Twitter, Linkdin, etc.), homepages, telefones celulares, sistemas operacionais (como por exemplo, Desbravador), s e bancos de dados, intranet, centrais telefônicas, entre outras. Os dados referentes à utilização das redes sociais são impressionantes: mais de 80% dos internautas brasileiros participam de alguma rede social, transmitindo um volume de informação muito expressivo, tais como o número de vídeos exibidos no YouTube diariamente, cerca de 1 bilhão, juntamente com as mais de 27 milhões de postagens diárias no Twitter e mundialmente as pessoas passam cerca de 5 bilhões de minutos no Facebook a cada dia (TELLES, 2010). Optou-se por incluir no presente artigo, uma definição para redes sociais que este mesmo autor coloca, uma vez que ainda é um termo muito recente na academia e não há teoria extensa sobre o tema. Segundo Telles (2010, p. 18): Sites de relacionamento ou redes sociais são ambientes cujo foco é reunir pessoas, os chamados membros, que uma vez inscritos, podem expor seu perfil com dados como fotos pessoais, textos, mensagens e vídeos, além de interagir com outros membros, criando listas de amigos e comunidades. Cada um destes recursos tecnológicos possui funções singulares e diversas sendo que é de suma importância identificá-los e dominá-los a fim de fazer o melhor e mais adequado uso destes. Outro fator importante para gerir com eficácia estas ferramentas de TI para o setor hoteleiro é acompanhar constantemente sua modernização e atualização para não ficar obsoleto perante o mercado. 3 Procedimentos metodológicos De acordo com Malhotra (2001, p. 155), a pesquisa qualitativa é definida como uma técnica de "pesquisa não-estruturada, exploratória, baseada em pequenas amostras, que proporciona insights e compreensão do contexto do problema" que está sendo estudado. Já a pesquisa exploratória tem a finalidade de gerar novos conhecimentos utilizando uma abordagem qualitativa através de entrevistas e/ou pesquisas bibliográficas. De acordo com Gil (2002, p. 41), a pesquisa exploratória tem como objetivo principal o aprimoramento de ideias ou a descoberta de intuições. 5

6 Desta forma, a pesquisa realizada utilizou métodos que compreendem levantamentos em fontes secundárias (bibliográficas, documentais, etc.), levantamentos de experiência, estudos de casos selecionados e entrevistas com pessoas que contribuíram com o tema proposto. De acordo com os seus objetivos, a pesquisa foi classificada como descritiva, pois visa analisar as características de determinada população ou fenômeno, além de observar, registrar, analisar e correlacionar fatos ou fenômenos sem manipulá-los (CERVO; BERVIAN, 1996). A pesquisa descritiva objetiva conhecer e interpretar a realidade sem nela interferir para modificá-la (CHURCHILL JR, 1987). Pode-se dizer que ela está interessada em descobrir e observar fenômenos, procurando descrevê-los, classificá-los e interpretá-los. O formato utilizado para a pesquisa foi o levantamento de dados de estudo transversal (coleta de informações somente uma vez no tempo). As pesquisas descritivas compreendem grande número de métodos de coleta de dados, os quais compreendem: entrevistas pessoais, entrevistas por telefone, questionários pelo correio, questionários pessoais e observação. A população da pesquisa foi formada pelos hotéis de categoria três estrelas, cujos padrões são definidos pelo sistema brasileiro de classificação dos meios de hospedagem, Ministério do Turismo Mtur (2011). Já a amostra compreendeu os hotéis desta categoria localizados na Avenida Brasil, de Balneário Camboriú, totalizando cinco, e os informantes, os profissionais do departamento de marketing e vendas desses hotéis. Os hotéis foram convidados a responderem ao questionário, aplicado de forma direta pelo pesquisador. Foram utilizados como instrumentos de coleta de dados questionários com perguntas fechadas e dirigidas para a entrevista com os profissionais do departamento de marketing e vendas dos hotéis. Nesses formulários foi utilizada a Escala de Likert, que Mattar (2001) explica que nessa escala a cada célula de resposta é atribuído um número que reflete a direção da atitude dos respondentes em relação a cada afirmação. A escala utilizada foi de 0 a 5, as declarações oportunizaram aos entrevistados expressar respostas claras em vez de respostas neutras ou ambíguas. Cada entrevista durou aproximadamente 10 minutos e todas foram realizadas nos próprios meios de hospedagem. A partir dos dados obtidos, foram realizadas as análises comparativas baseadas nas ferramentas mercadológicas identificadas pela pesquisa bibliográfica. 3.1 Área de estudo: Balneário Camboriú/SC Fundado em 1964, o município de Balneário Camboriú teve veloz crescimento devido sua localização privilegiada, clima e atrativos. Com área aproximada de 50 km² e nove praias (Ministério do Turismo, 2010), a partir da década de 70 os turistas dos estados vizinhos como Paraná, Rio Grande do Sul, São Paulo, e posteriormente países da América do Sul como Argentina, Paraguai e 6

7 Uruguai, desbravaram e incrementaram o turismo local no decorrer dos anos até os dias atuais. Atualmente Balneário Camboriú possui ampla infraestrutura para atender seus moradores e visitantes. Investimentos na área da saúde, saneamento, equipamentos turísticos, entre outros, classificou o município entre os 10 municípios brasileiros com melhor qualidade de vida, e em segundo lugar entre os municípios catarinenses de acordo com o último Relatório do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD/ONU, 2003). Devido às qualidades resumidamente apresentadas, o crescimento populacional explodiu, tendo hoje pouco mais de 108 mil habitantes no município (IBGE, 2010) e recebendo mais de quinhentos mil turistas na alta temporada (SANTUR, 2011) - de dezembro a fevereiro. O estudo buscou identificar e analisar todos os hotéis de categoria três estrelas situados em uma das principais avenidas de Balneário Camboriú. Os critérios utilizados se deram a partir da nova classificação dos meios de hospedagem (MINISTÉRIO DO TURISMO, 2011), que classifica hotel como meio de hospedagem com serviços de recepção e alimentação. Devem-se considerar categorias específicas dentro da tipologia de meio de hospedagem, pois de acordo com o que o hotel oferece ao cliente, ele recebe a classificação de uma a cinco estrelas. Desta forma, o hotel de categoria uma estrela atenderá a requisitos mínimos de infraestrutura. Para que a classificação possa ser elevada, o hotel deverá adicionar serviços que diferenciam as categorias entre si. Partindo desta primícia e utilizando informações de pesquisas realizadas em 2010 fornecidas pela Santur, podemos constatar em números os benefícios que o turismo brinda ao destino, como segue (últimos dados levantados dos meses de janeiro e fevereiro de 2010): Tabela 1. Movimento Estimado de Turistas e Receita Jan/Fev-2010 Origem Movimento de turistas Receita (R$) Jan Fev Jan Fev Nacionais , ,64 Estrangeiros , ,82 Total , ,46 Valor Dólar 1,78 1,84 Fonte: Adaptado de SANTUR/Gerência de Planejamento Nesta Tabela 1, verifica-se o movimento de turistas nos meses de janeiro e fevereiro, sendo este número sigficativo pois chega a ser tres vezes maior do que a população permanente do município, de habitantes, de acordo com o censo Na Tabela 2 a seguir demonstra as taxas de ocupação e a permanência em hotéis neste período. 7

8 Tabela 2. Ocupação na rede hoteleira e Permanência em Hotéis Jan Fev Taxa de Ocupação Rede Hoteleira 83% 80% Permanência média em Hotéis (dias) 6,17 6,27 Fonte: Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Bal. Camboriú e Região Verifica-se que a taxa de ocupação é alta e significativa para os estabelecimentos da rede hoteleira, enquanto que a taxa de permanencia em média de 6 dias possibilita um bom aproveitamento dos recursos do hotel. Tabela 3. Permanência em todos os meios de hospedagem e gasto médio Origem Permanência média em todos os meios de hospedagem em Dias Gasto médio diário estimado por turista em R$ Jan Fev Jan Fev Nacionais 8,98 8,20 76,75 113,34 Estrangeiros 10,78 14,29 82,18 64,11 Média 9,33 8,78 79,465 88,725 Valor Dólar 1,78 1,84 Fonte: Adaptado de SANTUR/Gerência de Planejamento Nesta tabela demonstra que os hotéis concorrem com outros meios de hospedagem, cuja taxa de permanência chega a ser em média 3 dias a mais, bem como verifica-se que os turistas gastam em média 84 reais por dia. Na Tabela 4, são apresentados os principais mercados emissores, nacionais e estrangeiros. Tabela 4. Principais Mercados Emissores Nacionais e Estrangeiros Nacionais Jan (%) Fev (%) Estrangeiros Jan (%) Fev (%) Paraná 48,56 32,16 Argentina 67,65 73,81 Rio Grande do Sul 13,94 21,11 Paraguai 26,47 16,67 Santa Catarina 11,78 13,32 Uruguai 1,96 7,14 Mato Grosso do Sul 6,25 2,26 Bolívia 1,96 0 EUA 0,98 0 Fonte: Adaptado de SANTUR/Gerência de Planejamento Verifica-se que os principais emissores são o estado do Paraná (BR) e a Argentina, com predominância maior do país vizinho. Na Tabela 5 demonstra os meios de hospedagem mais utilizados pelos turistas em Balneário Camboriú. Tabela 5. Meios de hospedagem utilizados Meios de Hospedagem Jan (%) Fev (%) Casa ou Apto Aluguel 30,12 26,08 Casa de amigos/parentes 28,57 29,48 Hotel 23,55 23,58 Casa própria 13,71 14,29 Outros 4,05 6,57 Total Fonte: Adaptado de SANTUR/Gerência de Planejamento 8

9 Verifica-se que a preferência dos turistas é pelo aluguel de casas ou apartamentos, provavelmente porque podem abrigar uma família maior, enquanto que hotel aparece em terceiro lugar, com 23% da preferência. A Tabela 6 apresenta os veículos de propaganda que mais influenciaram a viagem e o destino de Balneário Camboriú. Tabela 6. Veículo de Propaganda que Influenciou na Viagem Meios de Hospedagem Jan (%) Fev (%) Amigos e parentes 60,91 46,34 Internet 13,20 20,42 Televisão 12,18 12,04 Revistas 5,84 2,88 Folhetos/Folders 4,82 4,71 Jornais 2,54 11,26 Rádio 0,51 1,83 Filmes 0 0,52 Total Fonte: Adaptado de SANTUR/Gerência de Planejamento Verifica-se nesta tabela que o principal veículo de propaganda ainda é o boca-a-boca, a opinião de amigos e parentes, as experiências vividas no destino. Destaque para a Internet, em segundo lugar (20% em Fevereiro), que através de suas ferramentas possibilita a divulgação de imagens, informações, contato entre as pessoas entre outras, enquanto que as formas tradicionais e propaganda diminuem. Resumindo-se, as tabelas apresentadas anteriormente demonstram que a média de ocupação em Balneário Camboriú/SC é alta e contínua em todos os meios de hospedagem, sendo de nove dias, e especificamente em hotéis pouco mais de seis dias. Os hotéis estão em terceiro lugar no ranking de meios de hospedagem mais utilizados, perdendo apenas para casa ou apartamento alugado ou casa de amigos ou parentes. Outro dado de grande importância para a reflexão dos gestores de meios de hospedagem é quanto ao veículo de divulgação do destino e do empreendimento, pois a Internet vem logo atrás somente dos amigos e parentes. 4. Resultados da pesquisa Os cinco empreendimentos hoteleiros estudados nesta pesquisa são de categoria três estrelas situados na Avenida Brasil na cidade de Balneário Camboriú, Santa Catarina. Apesar de todos se encaixarem nessa definição, o número de funcionários varia de 15 a 70, essa grande variação se deve ao número de leitos, pois a média é de 6 a 8 leitos por funcionário em todos os hotéis pesquisados, demonstrados na Tabela 7 a seguir. 9

10 Tabela 7. Funcionários X Leitos A B C D E Número de funcionários Número de leitos Fonte: Dados da Pesquisa Abaixo na Tabela 8, são demonstrados os dados sobre as ferramentas de comunicação que são utilizados pelos hotéis pesquisados, classificados numa a escala de zero a cinco para verificar a utilização das ferramentas de comunicação representa nunca (0), raramente (1), às vezes (2), frequentemente (3), quase sempre (4) e sempre (5). Tabela 8. Comunicação com clientes Quais ferramentas de comunicação sua organização utiliza para a comunicação com os clientes? Fonte: Dados da Pesquisa A B C D E Internet (site, home e/ou outros recursos) Msn Twitter Facebook Sistema Operacional Telefone Verifica-se na tabela acima que para se comunicar com os clientes os hotéis utilizam algumas ferramentas como , Internet, MSN, redes sociais, sistema operacional e telefone. As ferramentas mais utilizadas por todos os hotéis são e telefone. Acredita-se que elas sejam mais utilizadas por serem mais difundidas e por isso todos os hotéis conseguem treinar seus funcionários para utilizá-las. Outras ferramentas como site ou redes sociais (facebook e twitter) são mais recentes, estão sendo utilizadas há poucos anos pelas empresas para atrair clientes, alguns hotéis já estão usando essas ferramentas para se comunicarem com os clientes e comentam que os resultados são muito positivos, a tendência é essa realidade mudar nos próximos anos e as mídias sociais serem mais presente na venda de hospedagem. A seguir são demonstradas na Tabela 09 as ferramentas de comunicação que os hotéis pesquisados mais utilizam para divulgação e propaganda, utilizando-se da mesma escala de classificação: 10

11 Tabela 9. Divulgação e Propaganda Quais ferramentas de comunicação sua organização utiliza para divulgação e Propaganda? A B C D E Fonte: Dados da Pesquisa Internet (site, home e/ou outros recursos) Msn Twitter Facebook Brochuras, panfletos e outras tradicionais Revistas tradicionais Conforme demonstrado na tabela acima, na divulgação e propaganda do hotel e dos serviços oferecidos existe uma maior variação entre as ferramentas mais utilizadas, e Internet são as ferramentas sempre utilizadas por três hotéis. Anúncios em revistas são sempre utilizados por dois hotéis. O facebook é utilizado frequentemente por um hotel e quase sempre por outro hotel. O twitter foi citado apenas por um hotel que às vezes usa a ferramenta. Com essa tabela também conseguimos concluir que todos os hotéis variam as ferramentas de divulgação e propaganda. Essa variação se justifica conforme o que é divulgado, uma promoção ou hotel. Na Tabela 10 demonstra-se a classificação das ferramentas de comunicação utilizadas pelos hotéis utilizadas para a venda dos produtos: Tabela 10. Venda de produto Quais ferramentas de comunicação sua organização utiliza para venda de produtos? A B C D E Fonte: Dados da Pesquisa Internet (site, home e/ou outros recursos) Msn Twitter Facebook Brochuras, panfletos e outras tradicionais Revistas tradicionais Verifica-se na tabela acima, a venda de produtos os cinco hotéis pesquisados são unânimes em sempre utilizar a internet. O vem como segunda ferramenta mais utilizada por todos os hotéis pesquisados. Também para vender produtos o twitter é a ferramenta menos utilizada, apenas 11

12 um hotel utiliza raramente a ferramenta. Em relação à comunicação com fornecedores e parceiros, o uso das fermentas de comunicação pelos hotéis pesquisados ficou representado, conforme Tabela 11: Tabela 11. Fornecedores e parceiros Quais ferramentas de comunicação sua organização utiliza para comunicação e negociações com fornecedores e parceiros? A B C D E Fonte: Dados da Pesquisa Internet Msn Twitter Facebook Telefone Verifica-se na Tabela 11 que quanto à comunicação e negociações com os fornecedores e parceiros o e o Telefone aparecem novamente como os mais utilizados. Dois hotéis utilizam sempre o MSN para se comunicar e negociar com os fornecedores. Essas ferramentas são de uso direto, onde uma pessoa fala com a outra sem que outras pessoas tenham acesso à conversa, justificando essas ferramentas serem mais utilizadas com os fornecedores e parceiros. Na Tabela 12 a seguir demonstra a estrutura de TI utilizada pelas organizações pesquisas, se terceirizada ou própria. Tabela 12. Estrutura de TI A B C D E Terceirizada Terceirizada Terceirizada Própria Própria Fonte: Dados da Pesquisa A estrutura de TI de 60% dos hotéis é terceirizada e apenas de dois hotéis é própria. Os hotéis que tem estrutura própria pertencem a uma rede de empresas e isso justifica ter um departamento de TI dentro do hotel. Conclusões O presente artigo buscou identificar as ferramentas de tecnologia, informação e comunicação (TIC) mais utilizadas pelas empresas pesquisadas. É unânime a opinião dos gestores entrevistados referente à revolução da internet quanto à distribuição de informação de turismo e 12

13 vendas, pois o desenvolvimento de novas tecnologias está influenciando diretamente a atividade turística. A presença da Internet nos negócios muda a forma pela qual os serviços são utilizados nos hotéis, altera a estrutura organizacional e modifica radicalmente a relação entre os clientes e a indústria hoteleira (BUHALIS, 1998). Ainda assim, de acordo com a pesquisa, nota-se que apenas o e o telefone são as ferramentas mais utilizadas, o que demonstra que os demais canais de distribuição de relevante importância ainda são pouco explorados. Em segundo lugar estão os sites do estabelecimento, que se comunica com seus visitantes e é um importante canal de distribuição para a captação de novos clientes através da confiabilidade transmitida dos serviços oferecidos. Tem sido utilizado pelas empresas pesquisadas também para a divulgação de promoções, pacotes, tarifas, etc. Pouco exploradas pelos hotéis pesquisados, as redes sociais são fortes ferramentas de relacionamento e divulgação do produto, além de serem de baixo custo e terem alto poder de informação e opinião. Destaca-se neste artigo que todas as empresas pesquisadas investem na TIC, seja por meios próprios ou terceirizados; isso demonstra as mudanças já ocorridas através do avanço tecnológico, e que o conhecimento e/ou aperfeiçoamento das ferramentas disponíveis aos poucos serão inseridas como forte parceiro de vendas. Desta maneira, verificamos a presença do Marketing 2.0, onde o teórico Kotler (2010) evidencia a satisfação e fidelização dos clientes, bem como, a importância dada às TICs pelas empresas hoteleiras a fim de inserirem-se no mercado global, conforme citado anteriormente por Middleton (2002). A utilização do marketing na Internet será de muita importância para a indústria hoteleira, pois além de definir estratégias, o marketing na web bem elaborado acarretará numa evolução bemsucedida. Para desfrutar desse sucesso, a empresa precisa descobrir e atender as necessidades dos seus clientes de modo lucrativo, mas também se engajar em atividades de marketing que contribuam positivamente para o desenvolvimento do comércio eletrônico. Como fator limitante de pesquisa, encontramos a desatualização dos hotéis perante a nova classificação hoteleira, uma vez que sua adesão é opcional. Desta forma, alguns hotéis localizados na avenida pesquisada não fizeram parte da amostra por estarem classificados com categoria não condizente com os critérios definidos neste estudo. Desta forma, este trabalho sugere um aprimoramento de utilização das ferramentas já disponíveis e contribui para novos estudos referentes às alternativas de captação de clientes, divulgação e venda dos produtos e serviços através da Internet. 13

14 Referências ARRUDA, Eucidio; PIMENTA, Durcelina. Algumas reflexões sobre a Internet e as estratégias comunicativas no marketing em Turismo. Caderno Virtual de Turismo. vol. 5, n. 4, BUHALIS, D. Strategic use of information technologies in the tourism industry. Tourism Management, v. 19, n. 5, p , CERVO, A. L; BERVIAN, P. A. Metodologia científica. 4. ed. São Paulo: Makron Books,1996. CHURCHILL JR., G.A. Marketing research: methodological foundations. Chicago: The Dryden Press, COBRA, M. Marketing competitivo. São Paulo:Atlas, COOPER, C.; FLETCHER, J.; WANHILL, S.; GILBERT, D.; SHEPHERD, R.; Turismo, princípios e prática. Porto Alegre: Bookman, DE LA TORRE, O. P. El turismo, fenômeno social. Ciudad de México: México, Fondo de Cultura Econômica, DRUCKER, P. Além da revolução da informação. HSM Management, 18, p , GIDDENS, A. As conseqüências da modernidade. São Paulo: UNESP, GIL, Antonio Carlos Gil. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSITCA IBGE. Disponível em Acesso em 10 abr KOTLER, P.; ARMSTRONG, G. Administração de marketing: a edição do novo milênio. 10 ed, Prentice Hall, KOTLER, P. Marketing 3.0. Rio de Janeiro: Elsevier, MALHOTRA, N. K. Pesquisa de Marketing: uma orientação aplicada. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, p MATTAR, Fauze Najib. Pesquisa de marketing. Edição Compacta. 3.ed. São Paulo: Atlas, MIDDLETON, Victor T. C.; CLARKE, Jackie. Marketing de turismo: teoria e prática. Rio de Janeiro: Elsevier, MINISTÉRIO DO TURISMO. Disponível em Acesso em 14 abr Relatório do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento. Disponível em: <www.pnud.org.br/atlas/pr/regioes_metropilitanas_1.doc>. Acesso em: 14 abr O CONNOR, P. Distribuição da Informação Eletrônica em Turismo e Hotelaria. Porto Alegre: Bookman, RUSCHMANN, D.v. M. Marketing turístico um enfoque promocional. 8 ed. Campinas/SP: Papirus, SANTUR. Santa Catarina Turismo S/A. Secretaria de Estado de Turismo Cultura e Esporte. Disponível em: <www.santur.sc.gov.br/index.php?option=com_content&task=view&id=1026&itemid=231>. Acesso em 28 nov SANTUR. Santa Catarina Turismo S/A. Secretaria de Estado de Turismo Cultura e Esporte. Pesquisa de Demanda Turística de Santa Catarina (2009). Disponível em <www.santur.sc.gov.br>. Acesso em 28 nov SANTUR. Santa Catarina Turismo S/A. Secretaria de Estado de Turismo Cultura e Esporte. Pesquisa mercadológica do estudo da demanda turística Município de Balneário Camboriú (2010). Disponível em: <http://www.santur.sc.gov.br/images/stories/estatisticas/ demanda2010/balneario%20camboriu%202010%20jan-fev-mar.pdf>. Acesso em: 18 abr Sistema Brasileiro de Classificação de Meios de Hospedagem. Disponível em: <http://www.turismo.gov.br/export/sites/default/turismo/o_ministerio/publicacoes/downloads_publicacoes/ 2_CARTILHA_HOTEL.pdf>. Acesso em: 26 nov TELLES, André. A revolução das mídias sociais: cases, conceitos, dicas e ferramentas. São Paulo: M. Books do Brasil, VAZ, G.N. Marketing turístico receptivo e emissivo. São Paulo: Pioneira Thomson Learning,

FERRAMENTAS DE TIC E O MARKETING DE RELACIONAMENTO ELETRÔNICO NA HOTELARIA DO MUNICÍPIO DE BALNEÁRIO CAMBORIÚ-SC

FERRAMENTAS DE TIC E O MARKETING DE RELACIONAMENTO ELETRÔNICO NA HOTELARIA DO MUNICÍPIO DE BALNEÁRIO CAMBORIÚ-SC FERRAMENTAS DE TIC E O MARKETING DE RELACIONAMENTO ELETRÔNICO NA HOTELARIA DO MUNICÍPIO DE BALNEÁRIO CAMBORIÚ-SC ICT TOOLS AND E-RELATIONSHIP MARKETING IN THE HOTEL INDUSTRY AT BALNEÁRIO CAMBORIÚ CITY-SC

Leia mais

OS 5 P S DO MARKETING NO SETOR HOTELEIRO NA CIDADE DE BAMBUÍ-MG

OS 5 P S DO MARKETING NO SETOR HOTELEIRO NA CIDADE DE BAMBUÍ-MG 1 OS 5 P S DO MARKETING NO SETOR HOTELEIRO NA CIDADE DE BAMBUÍ-MG Camila Alves Teles 1 Maria Solange dos Santos 2 Rodrigo Honório Silva 3 Romenique José Avelar 4 Myriam Angélica Dornelas 5 RESUMO O presente

Leia mais

SEGMENTAÇÃO DO PUBLICO PARA UMA ECOPOUSADA EM IBIRAMA SC

SEGMENTAÇÃO DO PUBLICO PARA UMA ECOPOUSADA EM IBIRAMA SC SEGMENTAÇÃO DO PUBLICO PARA UMA ECOPOUSADA EM IBIRAMA SC 1 INTRODUÇÃO Alice Mecabô 1 ; Bruna Medeiro 2 ; Marco Aurelio Dias 3 O turismo é uma atividade que hoje é considerada um dos meios econômicos que

Leia mais

Introdução. Núcleo de Pesquisas

Introdução. Núcleo de Pesquisas Introdução O verão é um período onde Santa Catarina demonstra todo a sua vocação para a atividade turística. Endereço de belas praias, o estado se consolidou como um dos principais destinos de turistas,

Leia mais

PESQUISA MERCADOLÓGICA ESTUDO DA DEMANDA TURÍSTICA MUNICÍPIO DE BOMBINHAS. SINOPSE COMPARATIVA 2006, 2007 e 2008 janeiro/fevereiro

PESQUISA MERCADOLÓGICA ESTUDO DA DEMANDA TURÍSTICA MUNICÍPIO DE BOMBINHAS. SINOPSE COMPARATIVA 2006, 2007 e 2008 janeiro/fevereiro PESQUISA MERCADOLÓGICA ESTUDO DA DEMANDA TURÍSTICA MUNICÍPIO DE BOMBINHAS SINOPSE COMPARATIVA 2006, 2007 e 2008 janeiro/fevereiro Convênio: Santur/Prefeitura Municipal Execução: Gerência de Planejamento/Santur

Leia mais

MARKETING PROMOCIONAL COMO FERRAMENTA PARA A ELABORAÇÃO DE AÇÕES REALIZADAS NA DIVULGAÇÃO DO 41º FESTIVAL NACIONAL DE TEATRO

MARKETING PROMOCIONAL COMO FERRAMENTA PARA A ELABORAÇÃO DE AÇÕES REALIZADAS NA DIVULGAÇÃO DO 41º FESTIVAL NACIONAL DE TEATRO MARKETING PROMOCIONAL COMO FERRAMENTA PARA A ELABORAÇÃO DE AÇÕES REALIZADAS NA DIVULGAÇÃO DO 41º FESTIVAL NACIONAL DE TEATRO Andressa Stefany Telles Carlos Alberto Maio Márcia Maria Dropa RESUMO: O presente

Leia mais

Autores: ANNARA MARIANE PERBOIRE DA SILVA, MARIA HELENA CAVALCANTI DA SILVA

Autores: ANNARA MARIANE PERBOIRE DA SILVA, MARIA HELENA CAVALCANTI DA SILVA RELAÇÕES ENTRE A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E O SETOR DE HOSPITALIDADE: um estudo de caso aplicável ao curso Técnico de Hospedagem Secretaria de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente de Pernambuco Autores: ANNARA

Leia mais

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras. Sistema de Informação de Marketing: ferramenta de construção da vantagem competitiva em organizações 03/09/2008

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras. Sistema de Informação de Marketing: ferramenta de construção da vantagem competitiva em organizações 03/09/2008 Núcleo de Pós Graduação Pitágoras Professor: Fernando Zaidan Disciplina: Arquitetura da Informática e Automação MBA Gestão em Tecnologia da Informaçao Sistema de Informação de Marketing: ferramenta de

Leia mais

A HOTELARIA NA CIDADE DE PONTA GROSSA PR: UMA ANÁLISE DO PERFIL DO HÓSPEDE E DA OCUPAÇÃO HOTELEIRA ATRAVÉS DE PROJETO DE EXTENSÃO

A HOTELARIA NA CIDADE DE PONTA GROSSA PR: UMA ANÁLISE DO PERFIL DO HÓSPEDE E DA OCUPAÇÃO HOTELEIRA ATRAVÉS DE PROJETO DE EXTENSÃO 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE

Leia mais

5 Conclusões 5.1. Síntese do estudo

5 Conclusões 5.1. Síntese do estudo 5 Conclusões 5.1. Síntese do estudo Este estudo teve como objetivo contribuir para a compreensão do uso das mídias sociais, como principal ferramenta de marketing da Casar é Fácil, desde o momento da sua

Leia mais

ANÁLISE DA EXISTÊNCIA DE ESTRATÉGIAS DE MARKETING APLICADAS NOS MATERIAIS DE DIVULGAÇÃO TURÍSTICA DE PONTA GROSSA-PARANÁ

ANÁLISE DA EXISTÊNCIA DE ESTRATÉGIAS DE MARKETING APLICADAS NOS MATERIAIS DE DIVULGAÇÃO TURÍSTICA DE PONTA GROSSA-PARANÁ ANÁLISE DA EXISTÊNCIA DE ESTRATÉGIAS DE MARKETING APLICADAS NOS MATERIAIS DE DIVULGAÇÃO TURÍSTICA DE PONTA GROSSA-PARANÁ Camilla Moro Piekarski 1 RESUMO Dentro de uma nova ordem mundial, com meios cada

Leia mais

Marcelo Bruno de Araújo Lacerda. O papel do propagandista como agente operacional das estratégias de marketing no segmento cardiovascular em Salvador.

Marcelo Bruno de Araújo Lacerda. O papel do propagandista como agente operacional das estratégias de marketing no segmento cardiovascular em Salvador. Marcelo Bruno de Araújo Lacerda O papel do propagandista como agente operacional das estratégias de marketing no segmento cardiovascular em Salvador. Artigo científico apresentado para conclusão do curso

Leia mais

Comunicação estratégica como diferencial competitivo para as organizações Um estudo sob a ótica de Administradores e Relações Públicas

Comunicação estratégica como diferencial competitivo para as organizações Um estudo sob a ótica de Administradores e Relações Públicas Comunicação estratégica como diferencial competitivo para as organizações Um estudo sob a ótica de Administradores e Relações Públicas Ana Carolina Trindade e-mail: carolinatrindade93@hotmail.com Karen

Leia mais

Capítulo 1 - Introdução 14

Capítulo 1 - Introdução 14 1 Introdução Em seu livro Pressman [22] define processo de software como um arcabouço para as tarefas que são necessárias para construir software de alta qualidade. Assim, é-se levado a inferir que o sucesso

Leia mais

LinkedIn - Tendências globais em recrutamento para 2013 1

LinkedIn - Tendências globais em recrutamento para 2013 1 LinkedIn - Tendências globais em recrutamento para 2013 Visão Brasil As cinco principais tendências em atração de talentos que você precisa saber 2013 LinkedIn Corporation. Todos os direitos reservados.

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAMENTO DE TURSIMO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAMENTO DE TURSIMO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAMENTO DE TURSIMO Concurso Público para o Cargo de Professor Adjunto EDITAL 027/2012 Código do Candidato: PROVA ESCRITA - 17.12.2012

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL

A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL Introdução A partir da década de 90 as transformações ocorridas nos aspectos: econômico, político, social, cultural,

Leia mais

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional.

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Empresa MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Nossa filosofia e oferecer ferramentas de gestão focadas na

Leia mais

4 Metodologia da Pesquisa

4 Metodologia da Pesquisa 79 4 Metodologia da Pesquisa Este capítulo se preocupa em retratar como se enquadra a pesquisa de campo e como foram desenvolvidas as entrevistas incluindo o universo pesquisado e a forma de analisá-las

Leia mais

ESTUDO SOBRE A UTILIZAÇÃO DOS GDSS PELAS AGÊNCIAS DE VIAGENS DE PORTO ALEGRE-RS

ESTUDO SOBRE A UTILIZAÇÃO DOS GDSS PELAS AGÊNCIAS DE VIAGENS DE PORTO ALEGRE-RS ESTUDO SOBRE A UTILIZAÇÃO DOS GDSS PELAS AGÊNCIAS DE VIAGENS DE PORTO ALEGRE-RS Jessica Borges de Almeida Lucimari Acosta Pereira Morgana Martini Arin RESUMO: O presente trabalho trata-se de uma análise

Leia mais

QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS!

QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS! QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS! 4 Introdução 5 Conheça seu público 5 Crie uma identidade para sua empresa 6 Construa um site responsivo 6 Seja direto, mas personalize o máximo possível

Leia mais

Empreenda! 9ª Edição Roteiro de Apoio ao Plano de Negócios. Preparamos este roteiro para ajudá-lo (a) a desenvolver o seu Plano de Negócios.

Empreenda! 9ª Edição Roteiro de Apoio ao Plano de Negócios. Preparamos este roteiro para ajudá-lo (a) a desenvolver o seu Plano de Negócios. Empreenda! 9ª Edição Roteiro de Apoio ao Plano de Negócios Caro (a) aluno (a), Preparamos este roteiro para ajudá-lo (a) a desenvolver o seu Plano de Negócios. O Plano de Negócios deverá ter no máximo

Leia mais

TÍTULO: MARKETING DIGITAL, ESTRATÉGIA FUNDAMENTAL PARA O CRESCIMENTO DAS EMPRESAS.

TÍTULO: MARKETING DIGITAL, ESTRATÉGIA FUNDAMENTAL PARA O CRESCIMENTO DAS EMPRESAS. Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: MARKETING DIGITAL, ESTRATÉGIA FUNDAMENTAL PARA O CRESCIMENTO DAS EMPRESAS. CATEGORIA: CONCLUÍDO

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO RCVB (RECIFE CONVENTION &VISITORS BUREAU) PARA A CONSOLIDAÇÃO DO TURISMO DE EVENTOS EM RECIFE.

A IMPORTÂNCIA DO RCVB (RECIFE CONVENTION &VISITORS BUREAU) PARA A CONSOLIDAÇÃO DO TURISMO DE EVENTOS EM RECIFE. A IMPORTÂNCIA DO RCVB (RECIFE CONVENTION &VISITORS BUREAU) PARA A CONSOLIDAÇÃO DO TURISMO DE EVENTOS EM RECIFE. Autor: ANTÔNIO CARLOS DE SOUZA E SÁ FILHO Introdução O Turismo de Eventos está em plena ascensão

Leia mais

Endomarketing: um estudo de caso em uma agência de uma instituição financeira de Bambuí- MG

Endomarketing: um estudo de caso em uma agência de uma instituição financeira de Bambuí- MG Endomarketing: um estudo de caso em uma agência de uma instituição financeira de Bambuí- MG Bruna Jheynice Silva Rodrigues 1 ; Lauriene Teixeira Santos 2 ; Augusto Chaves Martins 3 ; Afonso Régis Sabino

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE SITES DE COMPRA COLETIVA, POR EMPRESAS DO RAMO ALIMENTÍCIO, COMO ESTRATÉGIA DE MARKETING

UTILIZAÇÃO DE SITES DE COMPRA COLETIVA, POR EMPRESAS DO RAMO ALIMENTÍCIO, COMO ESTRATÉGIA DE MARKETING UTILIZAÇÃO DE SITES DE COMPRA COLETIVA, POR EMPRESAS DO RAMO ALIMENTÍCIO, COMO ESTRATÉGIA DE MARKETING Monique Michelon 1 Lorete Kossowski 2 RESUMO O empreendedorismo no Brasil vive hoje um cenário promissor,

Leia mais

Estudo da Demanda Turística Internacional

Estudo da Demanda Turística Internacional Estudo da Demanda Turística Internacional Brasil 2012 Resultados do Turismo Receptivo Pontos de Coleta de Dados Locais de entrevistas - 25 Entrevistados - 31.039 15 aeroportos internacionais, que representam

Leia mais

Distribuição Geográfica dos Pontos de Coleta de Dados

Distribuição Geográfica dos Pontos de Coleta de Dados Distribuição Geográfica dos Pontos de Coleta de Dados Nº de Entrevistados da Pesquisa: 39.000 pessoas Nº de locais das entrevistas: 27 15 em aeroportos internacionais, que representam 99% do fluxo internacional

Leia mais

O PAPEL DA AGÊNCIA DE JORNALISMO DA UEPG NO FOMENTO À PRODUÇÃO DE NOTÍCIAS INSTITUCIONAIS NA WEB

O PAPEL DA AGÊNCIA DE JORNALISMO DA UEPG NO FOMENTO À PRODUÇÃO DE NOTÍCIAS INSTITUCIONAIS NA WEB 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( X ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA O PAPEL DA

Leia mais

Hermes Management Consulting T: +54 11 4393 2019 www.hermesmc.com.ar

Hermes Management Consulting T: +54 11 4393 2019 www.hermesmc.com.ar Análise dos custos nas agências de viagem e formas de aperfeiçoamento do setor Hermes Management Consulting T: +54 11 4393 2019 www.hermesmc.com.ar Análise dos custos nas agências de viagem e formas de

Leia mais

1. Objetivo do Projeto

1. Objetivo do Projeto PROPOSTA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS VISNET - INTERNET E COMUNICAÇÃO Desenvolvimento de Site para CDL 1. Objetivo do Projeto O CDL Online é o mais novo sistema interativo especialmente projetado para criar

Leia mais

LEVANTAMENTO E ANÁLISE DE RETORNO DAS PRINCIPAIS FERRAMENTAS DE MARKETING PROMOCIONAL UTILIZADAS NO MERCADO IMOBILIÁRIO REGIONAL DE BALNEÁRIO CAMBORIÚ

LEVANTAMENTO E ANÁLISE DE RETORNO DAS PRINCIPAIS FERRAMENTAS DE MARKETING PROMOCIONAL UTILIZADAS NO MERCADO IMOBILIÁRIO REGIONAL DE BALNEÁRIO CAMBORIÚ LEVANTAMENTO E ANÁLISE DE RETORNO DAS PRINCIPAIS FERRAMENTAS DE MARKETING PROMOCIONAL UTILIZADAS NO MERCADO IMOBILIÁRIO REGIONAL DE BALNEÁRIO CAMBORIÚ Alexandra Cardoso da Rosa Bittencourt 1 ; Rogério

Leia mais

As pesquisas podem ser agrupadas de acordo com diferentes critérios e nomenclaturas. Por exemplo, elas podem ser classificadas de acordo com:

As pesquisas podem ser agrupadas de acordo com diferentes critérios e nomenclaturas. Por exemplo, elas podem ser classificadas de acordo com: 1 Metodologia da Pesquisa Científica Aula 4: Tipos de pesquisa Podemos classificar os vários tipos de pesquisa em função das diferentes maneiras pelo qual interpretamos os resultados alcançados. Essa diversidade

Leia mais

Estratégia De Diferenciação Competitiva Através Do Marketing De Relacionamento. Profa. Dra. Maria Isabel Franco Barretto

Estratégia De Diferenciação Competitiva Através Do Marketing De Relacionamento. Profa. Dra. Maria Isabel Franco Barretto Estratégia De Diferenciação Competitiva Através Do Marketing De Relacionamento Profa. Dra. Maria Isabel Franco Barretto CURRÍCULO DO PROFESSOR Administradora com mestrado e doutorado em engenharia de produção

Leia mais

Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins BALANCED SCORECARD FACULDADE BELO HORIZONTE

Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins BALANCED SCORECARD FACULDADE BELO HORIZONTE Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins BALANCED SCORECARD FACULDADE BELO HORIZONTE Belo Horizonte 2011 Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins BALANCED SCORECARD FACULDADE BELO HORIZONTE

Leia mais

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE Modelo de Otimização de SAM Controle, otimize, cresça Em um mercado internacional em constante mudança, as empresas buscam oportunidades de ganhar vantagem competitiva

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS COMUNICAÇÃO, TURISMO E LAZER

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS COMUNICAÇÃO, TURISMO E LAZER UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS COMUNICAÇÃO, TURISMO E LAZER PESQUISA DA OFERTA DOS MEIOS DE HOSPEDAGEM NO MUNICÍPIO DE ITAPEMA Janeiro UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ

Leia mais

{ 2 } Parque Tecnológico Capital Digital

{ 2 } Parque Tecnológico Capital Digital { 2 } Parque Tecnológico Capital Digital { 3 } 1. INTRODUÇÃO: PARQUE TECNOLÓGICO CAPITAL DIGITAL - PTCD Principal polo de desenvolvimento Científico, Tecnológico e de Inovação do Distrito Federal, o PTCD

Leia mais

Mídias sociais como apoio aos negócios B2C

Mídias sociais como apoio aos negócios B2C Mídias sociais como apoio aos negócios B2C A tecnologia e a informação caminham paralelas à globalização. No mercado atual é simples interagir, aproximar pessoas, expandir e aperfeiçoar os negócios dentro

Leia mais

TÍTULO: COMERCIO ELETRÔNICO (E-COMMERCE) CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO

TÍTULO: COMERCIO ELETRÔNICO (E-COMMERCE) CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO TÍTULO: COMERCIO ELETRÔNICO (E-COMMERCE) CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES): EBERSON EVANDRO DA SILVA GUNDIN, PAULO

Leia mais

ROSEMARY OLIVEIRA DE LIMA

ROSEMARY OLIVEIRA DE LIMA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ UECE CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA - CCT CENTRO DE ESTUDOS SOCIAIS APLICADOS - CESA MESTRADO PROFISSIONAL EM GESTÃO DE NEGÓCIOS TURÍSTICOS MPGNT ROSEMARY OLIVEIRA DE LIMA

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS

SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS 1 SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS John F. Eichstaedt, Toni Édio Degenhardt Professora: Eliana V. Jaeger RESUMO: Este artigo mostra o que é um SIG (Sistema de Informação gerencial) em uma aplicação prática

Leia mais

A Importância do Marketing nos Serviços da. Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente

A Importância do Marketing nos Serviços da. Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente A Importância do Marketing nos Serviços da Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente Hellen Souza¹ Universidade do Vale do Rio dos Sinos UNISINOS RESUMO Este artigo aborda a importância

Leia mais

As melhores estratégias. online para hotéis

As melhores estratégias. online para hotéis As melhores estratégias online para hotéis Descubra como atrair mais visitas a seu site (SEO) As práticas recomendadas para receber mais reservas diretas através do site do seu hotel Veja as estratégias

Leia mais

www.redeadm.com.br Fortaleza-CE

www.redeadm.com.br Fortaleza-CE www.redeadm.com.br Fortaleza-CE 03 Conhecendo a RAH. Seu hotel, flat ou condomínio em ótimas mãos. Com a RAH Rede Administradora Hoteleira, você tem à sua disposição uma empresa que garante a melhor administração

Leia mais

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida Unidade IV MERCADOLOGIA Profº. Roberto Almeida Conteúdo Aula 4: Marketing de Relacionamento A Evolução do Marketing E-marketing A Internet como ferramenta As novas regras de Mercado A Nova Era da Economia

Leia mais

TURISMO DE NEGÓCIO. Autores Mauricio Sanita de Azevedo Antonio Carlos Giuliani. Orientador Antonio Carlos Giuliani. 1. Introdução

TURISMO DE NEGÓCIO. Autores Mauricio Sanita de Azevedo Antonio Carlos Giuliani. Orientador Antonio Carlos Giuliani. 1. Introdução TURISMO DE NEGÓCIO Autores Mauricio Sanita de Azevedo Antonio Carlos Giuliani Orientador Antonio Carlos Giuliani 1. Introdução A indústria do turismo se tornou uma das principais atividades econômicas

Leia mais

Mídias sociais nas empresas O relacionamento online com o mercado

Mídias sociais nas empresas O relacionamento online com o mercado Mídias sociais nas empresas O relacionamento online com o mercado Maio de 2010 Conteúdo Introdução...4 Principais conclusões...5 Dados adicionais da pesquisa...14 Nossas ofertas de serviços em mídias sociais...21

Leia mais

ESTRATÉGIAS MERCADOLÓGICAS UTILIZADAS PELAS OPERADORAS, TIM, CLARO E VIVO.

ESTRATÉGIAS MERCADOLÓGICAS UTILIZADAS PELAS OPERADORAS, TIM, CLARO E VIVO. 1 ESTRATÉGIAS MERCADOLÓGICAS UTILIZADAS PELAS OPERADORAS, TIM, CLARO E VIVO. Juliana da Silva RIBEIRO 1 RESUMO: O presente trabalho enfoca as estratégias das operadoras de telefonia móvel TIM,VIVO e CLARO

Leia mais

Resumo. Palavras-chave: twitter; ferramenta; planejamento; Greenpeace.

Resumo. Palavras-chave: twitter; ferramenta; planejamento; Greenpeace. O Twitter Como Ferramenta de Divulgação Para As Empresas: Um Estudo De Caso do GREENPEACE 1 Jonathan Emerson SANTANA 2 Gustavo Guilherme da Matta Caetano LOPES 3 Faculdade Internacional de Curitiba - FACINTER

Leia mais

Situação mercadológica hoje: Era de concorrência e competição dentro de ambiente globalizado.

Situação mercadológica hoje: Era de concorrência e competição dentro de ambiente globalizado. TECNICAS E TECNOLOGIAS DE APOIO CRM Situação mercadológica hoje: Era de concorrência e competição dentro de ambiente globalizado. Empresas já não podem confiar em mercados já conquistados. Fusões e aquisições

Leia mais

REVENUE MANAGEMENT Conceitos Iniciais. Ana Carolina Monteiro São Paulo, Setembro de 2014.

REVENUE MANAGEMENT Conceitos Iniciais. Ana Carolina Monteiro São Paulo, Setembro de 2014. REVENUE MANAGEMENT Conceitos Iniciais Ana Carolina Monteiro São Paulo, Setembro de 2014. REVENUE MANAGEMENT Agenda: Mercado de serviços; Histórico do RM; Mitos sobre o RM; Definição de RM; Índices Importantes:

Leia mais

livrarias. No Brasil, o mercado livreiro é um dos melhores do mundo.

livrarias. No Brasil, o mercado livreiro é um dos melhores do mundo. Universidade Castelo Branco O PROCESSO DE EVOLUÇÃO DO E-COMMERCE DA SARAIVA RUAN CAÍQUE DE JESUS SIMAS Orientação: Prof.ª Carla Mota. Rio de Janeiro, jun. 2014 Introdução O comercio varejista brasileiro

Leia mais

A INFLUÊNCIA DAS NOVAS TECNOLOGIAS NO PROCESSO DE ENSINO: VANTAGENS E DESVANTAGENS

A INFLUÊNCIA DAS NOVAS TECNOLOGIAS NO PROCESSO DE ENSINO: VANTAGENS E DESVANTAGENS A INFLUÊNCIA DAS NOVAS TECNOLOGIAS NO PROCESSO DE ENSINO: VANTAGENS E DESVANTAGENS Vitor Cleton Viegas de Lima 1 Cristiane Camargo Aita 2 Daniele Pinto Andres 3 Resumo: este artigo tem por objetivo levantar

Leia mais

O CLIENTE COMO FONTE DE INFORMAÇÃO PARA INOVAÇÃO: INTEGRAÇÃO ENTRE AS DIMENSÕES CLIENTES E RELACIONAMENTO

O CLIENTE COMO FONTE DE INFORMAÇÃO PARA INOVAÇÃO: INTEGRAÇÃO ENTRE AS DIMENSÕES CLIENTES E RELACIONAMENTO O CLIENTE COMO FONTE DE INFORMAÇÃO PARA INOVAÇÃO: INTEGRAÇÃO ENTRE AS DIMENSÕES CLIENTES E RELACIONAMENTO Aliny Francielly de Oliveira Formada em Administração, atuante nos segmentos comércio varejista

Leia mais

Uma perspectiva do turismo em Ponta Grossa: Estudo de Caso do Encontro de Motos Easy Road

Uma perspectiva do turismo em Ponta Grossa: Estudo de Caso do Encontro de Motos Easy Road 8. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: EDUCAÇÃO Uma perspectiva do turismo em Ponta Grossa: Estudo de Caso do Encontro de Motos Easy Road Apresentador 1 Ana Paula Cunha Apresentador

Leia mais

Rua José de Alencar, 377/06 Menino Deus 90880.481 Porto Alegre RS Brasil fone/fax [51] 3012.1365

Rua José de Alencar, 377/06 Menino Deus 90880.481 Porto Alegre RS Brasil fone/fax [51] 3012.1365 Rua José de Alencar, 377/06 Menino Deus 90880.481 Porto Alegre RS Brasil fone/fax [51] 3012.1365 guilherme@2dayconsultoria.com patricia@2dayconsultoria.com www.2dayconsultoria.com A p r e s e n t a ç ã

Leia mais

A ERA DIGITAL E AS EMPRESA

A ERA DIGITAL E AS EMPRESA A ERA DIGITAL E AS EMPRESA Em 1997 o Brasil já possuia 1,8 MILHÕES de usuários Brasil O 5 Maior país em extensão territorial Brasil 5 Vezes campeão do Mundo Brasil O 5 Maior país em número de pessoas conectadas

Leia mais

FOLHETOS TURÍSTICOS: TIPOS E CARACTERÍSTICAS

FOLHETOS TURÍSTICOS: TIPOS E CARACTERÍSTICAS REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA TURISMO PERIODICIDADE SEMESTRAL ANO III EDIÇÃO NÚMERO 5 JUNHO DE 2006 FOLHETOS TURÍSTICOS: TIPOS E CARACTERÍSTICAS GUARALDO, Tamara de S. Brandão Mestre em Comunicação/ Unesp-Bauru

Leia mais

19/03/2013 1995: OMT. Elementos comuns a diferentes definições de turismo. Conceitos-chave:

19/03/2013 1995: OMT. Elementos comuns a diferentes definições de turismo. Conceitos-chave: 1995: OMT IFSP Profa. Rafaela Malerba O turismo compreende as atividades que realizam as pessoas durante suas viagens e estadas em lugares diferentes ao seu entorno habitual, por um período consecutivo

Leia mais

Portal de Turismo Divulgando seu empreendimento

Portal de Turismo Divulgando seu empreendimento www.visitesaopedrodaaldeia.com.br Portal de Turismo Divulgando seu empreendimento Tel/ax: (21) 2522-2421 ideias@ideias.org.br Quem Somos O Instituto IDEIAS é uma associação civil, sem fins lucrativos,

Leia mais

O artigo a seguir deve ser referenciado como:

O artigo a seguir deve ser referenciado como: O artigo a seguir deve ser referenciado como: Carvalho, José Oscar F. de (2000). A Utilização de Técnicas de Educação a Distância Mediada por Computador como Apoio às Aulas Presenciais: Um Estudo de Caso.

Leia mais

Imagem corporativa e as novas mídias

Imagem corporativa e as novas mídias Imagem corporativa e as novas mídias Ellen Silva de Souza 1 Resumo: Este artigo irá analisar a imagem corporativa, mediante as novas e variadas formas de tecnologias, visando entender e estudar a melhor

Leia mais

Orientadora: Profa. Dra. Sonia Aparecida Cabestré (USC)

Orientadora: Profa. Dra. Sonia Aparecida Cabestré (USC) Título (Limite de 250 caracteres incluindo os espaços) Título: Relações Públicas e Ferramentas de Comunicação um estudo abordando à realidade de Ibitinga A capital nacional do bordado 1 Autores (Incluir

Leia mais

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES):

Leia mais

CRESCIMENTO OFERTA LEITOS (%)

CRESCIMENTO OFERTA LEITOS (%) 3.9 Oferta Turística Para análise da oferta turística em Sergipe, o PDITS Costa dos Coqueirais apresenta a evolução da oferta turística no estado no período 1980-2000. Indica ainda o número atual de quartos

Leia mais

Melhor Prática vencedora: Monitoramento (Capital) Observatório do Turismo da Cidade de São Paulo

Melhor Prática vencedora: Monitoramento (Capital) Observatório do Turismo da Cidade de São Paulo 1 Melhor Prática vencedora: Monitoramento (Capital) Observatório do Turismo da Cidade de São Paulo DESTINO: São Paulo/SP INSTITUIÇÃO PROMOTORA: São Paulo Turismo S/A RESPONSÁVEL: Tasso Gadzanis Luiz Sales

Leia mais

Gestão de Relacionamento com o Cliente CRM

Gestão de Relacionamento com o Cliente CRM Gestão de Relacionamento com o Cliente CRM Fábio Pires 1, Wyllian Fressatti 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil pires_fabin@hotmail.com wyllian@unipar.br RESUMO. O projeto destaca-se

Leia mais

GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA NA ECONOMIA NACIONAL. Mapa de oportunidades para Agências de Viagens

GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA NA ECONOMIA NACIONAL. Mapa de oportunidades para Agências de Viagens GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA NA ECONOMIA NACIONAL Mapa de oportunidades para Agências de Viagens O que é ABAV? Entidade empresarial, sem fins lucrativos, que representa as Agências de Viagens espalhadas

Leia mais

MARKETING EM REDES SOCIAIS RESUMO

MARKETING EM REDES SOCIAIS RESUMO MARKETING EM REDES SOCIAIS Bruna Karine Ribeiro Simão Instituto Federal de Mato Grosso do Sul Campus Nova Andradina bruna_simao@hotmail.com Rodrigo Silva Duran Instituto Federal de Mato Grosso do Sul Campus

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA

UNIVERSIDADE PAULISTA UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Marketing Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Marketing. 1. Introdução Os Projetos

Leia mais

COMO ABRIR UM HOTEL/POUSADA

COMO ABRIR UM HOTEL/POUSADA COMO ABRIR UM HOTEL/POUSADA Viviane Santos Salazar 08 a 11 de outubro de 2014 08 a 11 de outubro de 2014 O mercado Crescimento da demanda por hospedagem Copa do Mundo Olimpíadas Qual a representatividade

Leia mais

JORNAL DIÁRIO DA CONSTRUÇÃO CIVIL DO PARÁ www.diariodaconstrucao.com.br

JORNAL DIÁRIO DA CONSTRUÇÃO CIVIL DO PARÁ www.diariodaconstrucao.com.br PROPOSTA DE PROPAGANDA - ANUNCIE NO JDC Apresentação de Plano de Publicidade Online no Site O JORNAL DIÁRIO DA CONSTRUÇÃO CIVIL DO PARÁ atende com o nome de JDC, porque é uma empresa que tem como sua atividade

Leia mais

THE NEXT GENERATION IS NOW MANAGEMENT & CONSULTING GROUP

THE NEXT GENERATION IS NOW MANAGEMENT & CONSULTING GROUP Soluções integradas para a Indústria do turismo empresarial THE NEXT GENERATION IS NOW MANAGEMENT & CONSULTING GROUP A equipa da XYM Hospitality e os seus parceiros possuem vastos conhecimentos sobre a

Leia mais

ORGANIZATI ONAL AGILITY

ORGANIZATI ONAL AGILITY PMI PULSO DA PROFISSÃO RELATÓRIO DETALHADO A VANTAGEM COMPETITIVA DO GERENCIAMENTO EFICAZ DE TALENTOS ORGANIZATI ONAL ORGANIZATI ONAL AGILITY AGILITY MARÇO DE 2013 Estudo Detalhado Pulse of the Profession

Leia mais

8. AS EQUIPES VIRTUAIS PROMOVENDO VANTAGENS COMPETITIVAS NA BUNGE FERTILIZANTES S/A

8. AS EQUIPES VIRTUAIS PROMOVENDO VANTAGENS COMPETITIVAS NA BUNGE FERTILIZANTES S/A 8. AS EQUIPES VIRTUAIS PROMOVENDO VANTAGENS COMPETITIVAS NA BUNGE FERTILIZANTES S/A Adriane Hartman Fábio Gomes da Silva Dálcio Roberto dos Reis Luciano Scandelari 1 INTRODUÇÃO Este artigo pretende mostrar

Leia mais

O USO DAS REDES SOCIAIS PARA O DESENVOLVIMENTO DAS HABILIDADES DO LETRAMENTO DIGITAL

O USO DAS REDES SOCIAIS PARA O DESENVOLVIMENTO DAS HABILIDADES DO LETRAMENTO DIGITAL O USO DAS REDES SOCIAIS PARA O DESENVOLVIMENTO DAS HABILIDADES DO LETRAMENTO DIGITAL 1. INTRODUÇÃO Lygia de Assis Silva Sérgio Paulino Abranches Universidade Federal de Pernambuco lygia1@hotmail.com/ Este

Leia mais

A Importância do CRM nas Grandes Organizações Brasileiras

A Importância do CRM nas Grandes Organizações Brasileiras A Importância do CRM nas Grandes Organizações Brasileiras Por Marcelo Bandeira Leite Santos 13/07/2009 Resumo: Este artigo tem como tema o Customer Relationship Management (CRM) e sua importância como

Leia mais

Mídias sociais como apoio aos negócios B2B

Mídias sociais como apoio aos negócios B2B Mídias sociais como apoio aos negócios B2B A tecnologia e a informação caminham paralelas à globalização. No mercado atual é simples interagir, aproximar pessoas, expandir e aperfeiçoar os negócios dentro

Leia mais

ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional

ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional Carlos Henrique Cangussu Discente do 3º ano do curso de Administração FITL/AEMS Marcelo da Silva Silvestre Discente do 3º ano do

Leia mais

PROJETO INTERDISCIPLINAR DO MÓDULO DE AGÊNCIAS DE VIAGENS E TRANSPORTES ( PIMAT ): ESTUDO DE CASO TURISMO E HOTELARIA / SÃO JOSÉ

PROJETO INTERDISCIPLINAR DO MÓDULO DE AGÊNCIAS DE VIAGENS E TRANSPORTES ( PIMAT ): ESTUDO DE CASO TURISMO E HOTELARIA / SÃO JOSÉ PROJETO INTERDISCIPLINAR DO MÓDULO DE AGÊNCIAS DE VIAGENS E TRANSPORTES ( PIMAT ): ESTUDO DE CASO TURISMO E HOTELARIA / SÃO JOSÉ Fabiano Ceretta 1 Resumo: O projeto interdisciplinar do módulo de Agências

Leia mais

Como a Copa do Mundo 2014 vai movimentar o Turismo Brasileiro

Como a Copa do Mundo 2014 vai movimentar o Turismo Brasileiro Como a Copa do Mundo 214 vai movimentar o Turismo Brasileiro 9 dias O estudo As empresas Principais conclusões a 9 dias da Copa 1 principais emissores 1 Desempenho das cidades-sede Chegadas internacionais

Leia mais

TURISMO E INCLUSÃO SOCIAL: um estudo da acessibilidade nos meios de hospedagem em Balneário Camboriú 1

TURISMO E INCLUSÃO SOCIAL: um estudo da acessibilidade nos meios de hospedagem em Balneário Camboriú 1 TURISMO E INCLUSÃO SOCIAL: um estudo da acessibilidade nos meios de hospedagem em Balneário Camboriú 1 Amanda Fantatto de Melo 2 ; Priscilla Gomes Welter 3 ; Sônia R. de S. Fernandes 4 INTRODUÇÃO O turismo

Leia mais

OBSERVATÓRIO DE GESTÃO DA INFORMAÇÃO. Palavras-chave: Gestão da Informação. Gestão do conhecimento. OGI. Google alertas. Biblioteconomia.

OBSERVATÓRIO DE GESTÃO DA INFORMAÇÃO. Palavras-chave: Gestão da Informação. Gestão do conhecimento. OGI. Google alertas. Biblioteconomia. XIV Encontro Regional dos Estudantes de Biblioteconomia, Documentação, Ciência da Informação e Gestão da Informação - Região Sul - Florianópolis - 28 de abril a 01 de maio de 2012 RESUMO OBSERVATÓRIO DE

Leia mais

TÍTULO: BIG DATA: UM DESAFIO DO MARKETING DE RELACIONAMENTO NO SETOR VAREJISTA

TÍTULO: BIG DATA: UM DESAFIO DO MARKETING DE RELACIONAMENTO NO SETOR VAREJISTA TÍTULO: BIG DATA: UM DESAFIO DO MARKETING DE RELACIONAMENTO NO SETOR VAREJISTA CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: CIÊNCIAS DA INFORMAÇÃO INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE PRESBITERIANA

Leia mais

NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES

NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES 1. Conectando a Empresa à Rede As empresas estão se tornando empresas conectadas em redes. A Internet e as redes de tipo Internet dentro da empresa (intranets), entre uma

Leia mais

ESTUDO DA MELHOR METODOLOGIA PARA A DIFUSÃO DE VÍDEOS EXPLICATIVOS DE FENÔMENOS METEOROLÓGICOS

ESTUDO DA MELHOR METODOLOGIA PARA A DIFUSÃO DE VÍDEOS EXPLICATIVOS DE FENÔMENOS METEOROLÓGICOS Ana Beatriz Mesquita (CPTEC/INPE) ESTUDO DA MELHOR METODOLOGIA PARA A DIFUSÃO DE VÍDEOS EXPLICATIVOS DE FENÔMENOS METEOROLÓGICOS Metodologia do trabalho realizado referente a gravação e expansão dos vídeos

Leia mais

Como usar o monitoramento de mídias sociais numa campanha política

Como usar o monitoramento de mídias sociais numa campanha política Como usar o monitoramento de mídias sociais numa campanha política No Brasil, há poucas experiências conhecidas de uso de ferramentas de monitoramento de mídias sociais em campanhas políticas. Uma delas

Leia mais

Corporativo. Transformar dados em informações claras e objetivas que. Star Soft. www.starsoft.com.br

Corporativo. Transformar dados em informações claras e objetivas que. Star Soft. www.starsoft.com.br Corporativo Transformar dados em informações claras e objetivas que possibilitem às empresas tomarem decisões em direção ao sucesso. Com essa filosofia a Star Soft Indústria de Software e Soluções vem

Leia mais

Pesquisa Mercadológica. Prof. Renato Resende Borges

Pesquisa Mercadológica. Prof. Renato Resende Borges Pesquisa Mercadológica Prof. Renato Resende Borges Definição de Pesquisa de Marketing É a identificação, coleta, análise e disseminação de informações de forma sistemática e objetiva e o uso de informações

Leia mais

Quem Somos. Nossa meta é o resultado do cliente!

Quem Somos. Nossa meta é o resultado do cliente! 2 0 1 5 Quem Somos Somos a equipe que você deseja para resolver um pequeno impasse, ou um grande dilema, quando o assunto e a MÍDIA certa, no lugar certo e no momento adequado. Regional, personalizada

Leia mais

PLANO DE MARKETING: UMA PROPOSTA PARA A AGÊNCIA DE VIAGENS COM FOCO NO PÚBLICO SÊNIOR DE SANTA VITÓRIA DO PALMAR (RS)

PLANO DE MARKETING: UMA PROPOSTA PARA A AGÊNCIA DE VIAGENS COM FOCO NO PÚBLICO SÊNIOR DE SANTA VITÓRIA DO PALMAR (RS) PLANO DE MARKETING: UMA PROPOSTA PARA A AGÊNCIA DE VIAGENS COM FOCO NO PÚBLICO SÊNIOR DE SANTA VITÓRIA DO PALMAR (RS) RESUMO: O objetivo deste trabalho é apresentar um Plano de Marketing para uma agência

Leia mais

USO DE REDES SOCIAIS EM AMBIENTES CORPORATIVOS. www.gentispanel.com.br

USO DE REDES SOCIAIS EM AMBIENTES CORPORATIVOS. www.gentispanel.com.br USO DE REDES SOCIAIS EM AMBIENTES CORPORATIVOS www.gentispanel.com.br Só quem tem uma base de 6,5 milhões de pessoas pode resolver suas pesquisas de mercado em poucos dias. Pesquisas ad-hoc Consumidores

Leia mais

Teoria Básica da Administração. Introdução à pesquisa em Marketing. Professor: Roberto César

Teoria Básica da Administração. Introdução à pesquisa em Marketing. Professor: Roberto César Teoria Básica da Administração Introdução à pesquisa em Marketing Professor: Roberto César Pesquisa de marketing no Brasil e no mundo A pesquisa de marketing, apesar de ser um negócio crescente no Brasil,

Leia mais

MBA em Gestão Estratégica

MBA em Gestão Estratégica MBA em Gestão Estratégica Disciplina Extra Metodologia Científica Profa. Dra. Sonia Valle W. B. Oliveira Parte 1-23/03/2012 Parte 2-30/03/2012 1 Aula Extra Parte 2 Metodologia Científica 2 Agenda Dados

Leia mais

Pessoas e Negócios em Evolução

Pessoas e Negócios em Evolução Empresa: Atuamos desde 2001 nos diversos segmentos de Gestão de Pessoas, desenvolvendo serviços diferenciados para empresas privadas, associações e cooperativas. Prestamos serviços em mais de 40 cidades

Leia mais

Qual é o grande por que do CONGRESSO PETVET?

Qual é o grande por que do CONGRESSO PETVET? Página - 0 Página - 1 Seja bem-vindo! Obrigado por aceitar o convite de fazer parte desse time fantástico de palestrantes do 1 Congresso de Negócios Online para PetShop & Clínica Veterinária. Você está

Leia mais

O Marketing no Setor de Transporte de Cargas: Serviços Intangíveis e Sustentabilidade

O Marketing no Setor de Transporte de Cargas: Serviços Intangíveis e Sustentabilidade Acadêmico Autor: Horácio Braga LALT - Laboratório de Aprendizagem em Logística e Transportes Faculdade de Engenharia Civil - UNICAMP O Marketing no Setor de Transporte de Cargas: Serviços Intangíveis e

Leia mais