JOSÉ CRETELLA NETO Advogado empresarial; Doutor e Livre-Docente em Direito Internacional pela Faculdade de Direito da USP.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "JOSÉ CRETELLA NETO Advogado empresarial; Doutor e Livre-Docente em Direito Internacional pela Faculdade de Direito da USP."

Transcrição

1 JOSÉ CRETELLA NETO Advogado empresarial; Doutor e Livre-Docente em Direito Internacional pela Faculdade de Direito da USP. EMPRESA TRANSNACIONAL E DIREITO INTERNACIONAL exame do tema a luz da globalização EDITORA FORENSE Rio de Janeiro 2006

2 CIP- Brasil. Catalogação-na-fonte Sindicato Nacional dos Editores de Livros, RJ C943e Cretella Neto, José, Empresa Transnacional e direito internacional: exame do tema à luz da globalização / José Cretella Neto..- Rio de Janeiro: Forense, Inclui bibliografia ISBN Empresas multinacionais. 2. Direito internacional. 3. Globalização. I. Título CDU 341:

3 SUMÁRIO Abreviaturas e Siglas Utilizadas Prefácio Prólogo IX XIII XVII Introdução - Relevância do Tema 1 Capítulo 1. Empresa Transnacional: Contornos Jurídicos Conceito e tipologia Empresa Transnacional (TNC) e Direito Internacional Direito Internacional: da origem interestatal ao mundo contemporâneo A evolução do conceito de empresa: da atividade individual do comerciante ao conglomerado, transnacional, de interesse para o Direito Internacional Discussão dos conceitos de sujeito de Direito Internacional e de personalidade jurídica de Direito Internacional. A empresa transnacional como sujeito de Direito Internacional. A questão da personalidade jurídica da empresa transnacional O macroambiente político-institucional internacional a partir do final da 2ª Guerra Mundial: da liberdade à regulamentação 63 Capítulo 2. Empresa Transnacional, Economia e Tributos Empresas transnacionais e investimentos O índice de Transnacionalidade - TNI dos países hospedeiros As cem maiores empresas transnacionais não financeiras do mundo Os regimes de FDI e a bitributação: aspectos econômicos e jurídicos 82 Capítulo 3. Resistências à Concessão de Status de Sujeito de Direito Internacional às Empresas Transnacionais e Iniciativas de Regulamentação. Tentativas de Controle das Empresas - Transnacionais por Meio de Legislação Nacional e Internacional Origens e formas de resistência O Projeto do Código de Conduta das Nações Unidas para as Empresas Transnacionais 98

4 3.3. A declaração e as decisões da OCDE sobre investimento internacional e as empresas multinacionais A dificuldade de harmonização dos direitos nacionais e o forum shopping Controle da empresa, transnacional por meio de legislação sobre transparência (disclosure legislation) e algumas das convenções internacionais de combate à corrupção 114 Capítulo 4. Atuação da Empresa Transnacional e Implicações Jurídicas de seu Comportamento Empresa transnacional e costume internacional A transnacional frente ao direito da concorrência e à legislação anti-trust A empresa transnacional e ás relações trabalhistas Transnacionais, movimento de capitais e de tecnologia 150 Capítulo 5. Contratos das Empresas Transnacionais com Estados e com Organizações Internacionais na Esfera da Ordem Jurídica Transnacional Contratos internacionais: breve conceituação Contratos internacionais entre Estados e empresas transnacionais Contratos internacionais entre organizações internacionais e empresas transnacionais 170 Capítulo 6. Responsabilidade Internacional: o Estado e a Empresa Transnacional Da responsabilidade internacional do Estado: conceito e contornos do instituto Ilícito cometido por Estado contra empresa transnacional: casos de denegação de justiça TNCs e responsabilidade internacional do Estado de origem Obrigações das empresas pertencentes a uma TNC e os efeitos internacionais de suas atividades sobre as demais empresas do grupo 193 Capítulo 7. Proteção da Empresa Transnacional por Parte do Estado de Origem Nacionalidade da empresa transnacional e espécies de processo em que litiga A proteção a empresas transnacionais "nacionais" 210

5 Capítulo 8. As TNCs e as Soluções de Controvérsias Perante as mais Importantes Jurisdições Internacionais A empresa transnacional em busca de um foro internacional: exame sucinto dós principais loci standi jurisdicionais e a possibilidade de acesso das TNCs A Corte Internacional de Justiça O Sistema GATT-OMC e as TNCs Visão geral do Sistema GATT-OMC As decisões do Órgão de Solução de Controvérsias da OMC acerca dos Acordos sobre Medidas de Investimentos Relacionadas ao Comércio (TRIMs) e sobre Subsídios e Medidas Compensatórias (SCM) e seus reflexos sobre as TNCs Ordenamento Jurídico Comunitário Europeu e as TNCs O ICSID: TNCs e litígios envolvendo investimentos O NAFTA e as TNCs O MERCOSUL e as TNCs A Corte Permanente de Arbitragem CPA e as TNCs 284 Capítulo 9. Riscos às Empresas Transnacionais rio Século XXI Riscos gerais Riscos específicos para as empresas de serviços Alguns dos riscos inéditos provocados pela globalização 294 Conclusões 299 Bibliografia 315 ANEXO 1- Estatuto da Corte Internacional de Justiça 341 ANEXO 2 - Tribunal de Justiça das Comunidades Européias TJCE 353 ANEXO 3 - Organização Mundial do Comércio-OMC 381 ANEXO 4 - International Center for Settlement of Investment Disputes -ICSID 401 ANEXO 5 - NAFTA- North American Free Trade Agreement 435 ANEXO 6 - MERCOSUL 463 ANEXO 7 - Corte Permanente de Arbitragem e o Sistema de Solução de Litígios Envolvendo TNCs 493

ÍNDICE SISTEMÁTICO. Capítulo VI Elementos de Conexão 6.1 Considerações iniciais 6.2 Classes de elementos de conexão

ÍNDICE SISTEMÁTICO. Capítulo VI Elementos de Conexão 6.1 Considerações iniciais 6.2 Classes de elementos de conexão ÍNDICE SISTEMÁTICO Capítulo I Noções Fundamentais e Objeto do Direito Internacional Privado 1.1 Considerações iniciais 1.2 Conceito 1.3 Objeto 1.4 Normas de DIPr na Constituição Federal de 1988 1.5 Direitos

Leia mais

Master em Regulação do Comércio Global. Master in International Trade Regulation (MITRE)

Master em Regulação do Comércio Global. Master in International Trade Regulation (MITRE) Proposta de curso de pós-graduação Escola de Economia de São Paulo da FGV Master em Regulação do Comércio Global Master in International Trade Regulation (MITRE) OU Coordenadores: Vera Thorstensen (EESP)

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA FADI 2014

FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA FADI 2014 FACULDADE DE DIREITO DE SOROCABA FADI 2014 Disciplina: Direito Internacional Departamento IV Direito do Estado Docente Responsável: Fernando Fernandes da Silva Carga Horária Anual: 100 h/a Tipo: Anual

Leia mais

Fundamentos de Direito Internacional. Aula Inaugural Escola Paulista de Direito - EPD. Programa de Pós-Graduação em Direito Internacional

Fundamentos de Direito Internacional. Aula Inaugural Escola Paulista de Direito - EPD. Programa de Pós-Graduação em Direito Internacional São Paulo Rio de Janeiro Brasília Curitiba Porto Alegre Recife Belo Horizonte Londres Lisboa Shanghai Miami Buenos Aires Aula Inaugural Escola Paulista de Direito - EPD Fundamentos de Direito Internacional

Leia mais

CONFEDERAÇÃO DAS ASSOCIAÇÕES COMERCIAIS E EMPRESARIAIS DO BRASIL - CACB

CONFEDERAÇÃO DAS ASSOCIAÇÕES COMERCIAIS E EMPRESARIAIS DO BRASIL - CACB CONFEDERAÇÃO DAS ASSOCIAÇÕES COMERCIAIS E EMPRESARIAIS DO BRASIL - CACB OS LIMITES DA AUTONOMIA DA VONTADE KÉLVIN WESLER SANTANA BAUER Primavera do Leste/MT 2014/1 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 04 2 SOCIEDADE,

Leia mais

AMMPL (BME) Código de Conduta

AMMPL (BME) Código de Conduta AMMPL (BME) Código de Conduta 1 Código de Conduta da AMMPL (BME) I Introdução A Association Materials Management, Purchasing and Logistics (Associação de Gestão de Materiais, Compras e Logística, AMMPL

Leia mais

DISCIPLINAS DE DIREITO USP

DISCIPLINAS DE DIREITO USP DISCIPLINAS DE DIREITO USP DES0571 Administração Indireta DES0581 Atos Administrativos DMF0413 Comportamento Humano Forense I DMF0532 Comportamento Humano Forense II DMF0551 Criminologia I DPN0541 Criminologia

Leia mais

Ementário do curso de

Ementário do curso de Introdução ao Estudo de I Fase: I Carga Horária: 60 h/a Créditos: 04 A sociedade. e ordem jurídica. Conceito de justiça. e moral. Fontes do. Positivo. objetivo e subjetivo. Público e Privado. Capacidade

Leia mais

GLOBALIZAÇÃO DEFINIÇÃO

GLOBALIZAÇÃO DEFINIÇÃO DEFINIÇÃO O termo globalização surgiu no início dos anos 80, nas grandes escolas de administração de empresas dos Estados Unidos (Harvard, Columbia, Stanford, etc.), como referência às oportunidades de

Leia mais

O Comércio Exterior. a Receita Federal do Brasil. Itajaí, 18 de fevereiro de 2011

O Comércio Exterior. a Receita Federal do Brasil. Itajaí, 18 de fevereiro de 2011 O Comércio Exterior & Itajaí, 18 de fevereiro de 2011 Contexto A RFB é o órgão responsável pela administração e controle aduaneiro no País. Missão Institucional: Arrecadaçãod ã dos tib tributost sobre

Leia mais

Requisitos do Grupo Volkswagen relativos à sustentabilidade nas relações com os seus parceiros comerciais (Code of Conduct para parceiros comerciais)

Requisitos do Grupo Volkswagen relativos à sustentabilidade nas relações com os seus parceiros comerciais (Code of Conduct para parceiros comerciais) Requisitos do Grupo Volkswagen relativos à sustentabilidade nas relações com os seus parceiros comerciais (Code of Conduct para parceiros comerciais) I. Preâmbulo Os requisitos que se seguem especificam

Leia mais

DEALBREAKERS: ALÉM DAS CONTIGÊNCIAS

DEALBREAKERS: ALÉM DAS CONTIGÊNCIAS DEALBREAKERS: ALÉM DAS CONTIGÊNCIAS Alguns Temas Recentes em Negócios Internacionais Carlos Augusto Derraik cderraik@ssd.com www.derraik.com.br Dealbreakers Alguns Temas Recentes Dealbreakers são basicamente

Leia mais

CURSO DE DIREITO INTERNACIONAL PRIVADO

CURSO DE DIREITO INTERNACIONAL PRIVADO STJ00100064 Florisbal de Souza Del'Olmo CURSO DE DIREITO INTERNACIONAL PRIVADO lp edição revista, atualizada e ampliada *** ~ FORENSE ~ RIO DE JANEIRO STJ00100064 A EDITORA FORENSE se responsabiliza pelos

Leia mais

Disciplina: Direito Internacional Econômico (DIE) Curso: Direito Carga Horária: 32 Departamento: Direito Público Área: Direito Público

Disciplina: Direito Internacional Econômico (DIE) Curso: Direito Carga Horária: 32 Departamento: Direito Público Área: Direito Público Faculdade de Direito Milton Campos Disciplina: Direito Internacional Econômico (DIE) Curso: Direito Carga Horária: 32 Departamento: Direito Público Área: Direito Público PLANO DE ENSINO EMENTA Transnacionalização

Leia mais

Áreas de Atuação Societário

Áreas de Atuação Societário SC Advogados Apresentação A Salomão Cateb Advogados foi fundada em 1963 na cidade de Belo Horizonte por Salomão de Araújo Cateb. Os mais de 40 anos de atividade conferiram à empresa o reconhecimento e

Leia mais

DIREITO INTERNACIONAL PÚBLICO

DIREITO INTERNACIONAL PÚBLICO DIREITO INTERNACIONAL PÚBLICO Concurso Delegado de Polícia Federal 2012 Prof. Leopoldo Canal Leopoldo Canal, advogado, assessor e procurador do consulado da República da Guiné no Rio de Janeiro, diretor

Leia mais

O recurso à Arbitragem e as suas vantagens

O recurso à Arbitragem e as suas vantagens O recurso à Arbitragem e as suas vantagens Modo de resolução jurisdicional de controvérsias em que, com base na vontade das partes, a decisão é confiada a um terceiro. Para este efeito, considera-se terceiro

Leia mais

SUMÁRIO PREFÁCIO... 5 INTRODUÇÃO... 15

SUMÁRIO PREFÁCIO... 5 INTRODUÇÃO... 15 SUMÁRIO PREFÁCIO... 5 INTRODUÇÃO... 15 POLÍTICA COMERCIAL: OS ESTADOS UNIDOS E OS INTERES- SES BRASILEIROS ALUISIO DE LIMA-CAMPOS... 21 Introdução... 21 A anatomia da política comercial nos EUA... 22 1.

Leia mais

Sumário. Capítulo 3 Dois Vetores Fundamentais da OMC: Cláusula da Nação Mais Favorecida e Tratamento Nacional 25

Sumário. Capítulo 3 Dois Vetores Fundamentais da OMC: Cláusula da Nação Mais Favorecida e Tratamento Nacional 25 Uô / Comércio erior Sumário Capítulo I Negociações Internacionais I Introdução 1 Definição: Negociação 1 Negociação Distributiva ou Posicionai 3 Negociação Cooperativa 4 Negociações Internacionais 7 Leitura

Leia mais

OMC: estrutura institucional

OMC: estrutura institucional OMC: estrutura institucional Especial Perfil Wesley Robert Pereira 06 de outubro de 2005 OMC: estrutura institucional Especial Perfil Wesley Robert Pereira 06 de outubro de 2005 Enquanto o GATT foi apenas

Leia mais

SUMÁRIO. Introdução... 13

SUMÁRIO. Introdução... 13 STJ00094835 SUMÁRIO Introdução... 13 Capítulo 1 Propriedade intelectual e industrial... 17 1. O conteúdo do direito de propriedade... 17 2. Conceito de propriedade... 20 3. A propriedade e a atual legislação

Leia mais

Ferramentas para Campanhas Globais

Ferramentas para Campanhas Globais Ferramentas para Campanhas Globais Coalisões sindicais globais Normas trabalhistas internacionais Ação direta Fortalecimento do relacionamento entre trabalhadores Engajamento de acionistas: investimento

Leia mais

BEPS, na perspectiva dos países não desenvolvidos

BEPS, na perspectiva dos países não desenvolvidos BEPS, na perspectiva dos países não desenvolvidos VI Congresso Internacional de Direito Tributário Internacional Instituto Brasileiro de Direito Tributário IBDT São Paulo, 19 de agosto de 2015 Everardo

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DA UNIVERSIDADE DE LISBOA DIREITO INTERNACIONAL PÚBLICO

FACULDADE DE DIREITO DA UNIVERSIDADE DE LISBOA DIREITO INTERNACIONAL PÚBLICO FACULDADE DE DIREITO DA UNIVERSIDADE DE LISBOA DIREITO INTERNACIONAL PÚBLICO Regente: Professora Doutora Maria Luísa Duarte Colaboradores: Professora Doutora Ana Gouveia Martins; Mestre Ana Soares Pinto;

Leia mais

Nelson Lara dos Reis Advogados. Experiência. Esther Coelho Lara dos Reis (OAB/RJ 6681) - Sócia Fundadora

Nelson Lara dos Reis Advogados. Experiência. Esther Coelho Lara dos Reis (OAB/RJ 6681) - Sócia Fundadora Nelson Lara dos Reis Advogados Com mais de 30 anos de experiência, nossos advogados e consultores oferecem seu conhecimento especializado ao tratar de questões simples e complexas, no âmbito nacional e

Leia mais

Atualidades. Blocos Econômicos, Globalização e União Européia. 1951 - Comunidade Européia do Carvão e do Aço (CECA)

Atualidades. Blocos Econômicos, Globalização e União Européia. 1951 - Comunidade Européia do Carvão e do Aço (CECA) Domínio de tópicos atuais e relevantes de diversas áreas, tais como política, economia, sociedade, educação, tecnologia, energia, ecologia, relações internacionais, desenvolvimento sustentável e segurança

Leia mais

Mercados. informação regulamentar. Alemanha Condições Legais de Acesso ao Mercado

Mercados. informação regulamentar. Alemanha Condições Legais de Acesso ao Mercado Mercados informação regulamentar Alemanha Condições Legais de Acesso ao Mercado Setembro 2012 Índice 1. Regime Geral de Importação 3 2. Regime de Investimento Estrangeiro 4 3. Quadro Legal 5 2 1. Regime

Leia mais

RECOMENDAÇÃO N.º 1/B/2012 (art.º 20.º, n.º 1, alínea b), da Lei n.º 9/91, de 9 de Abril)

RECOMENDAÇÃO N.º 1/B/2012 (art.º 20.º, n.º 1, alínea b), da Lei n.º 9/91, de 9 de Abril) Sua Excelência A Presidente da Assembleia da República Palácio de S. Bento 1249-068 LISBOA Vossa Ref.ª Vossa Comunicação Nossa Ref.ª Proc. P - 15/11 (A6) Assunto: Código de Boa Conduta Administrativa.

Leia mais

Edino Cezar Franzio de Souza

Edino Cezar Franzio de Souza Edino Cezar Franzio de Souza Advogado e Professor em Brasília (DF) Mestre em Processo Civil pela Universidade Presbiteriana Mackenzie de São Paulo Especialização (stricto sensu) em Integração Econômica

Leia mais

Cesar Lima - Gerdau Açominas.

Cesar Lima - Gerdau Açominas. Cesar Lima - Gerdau Açominas. A Gerdau Açominas. - Usina siderúrgica integrada. - Capacidade instalada de 3.000.000 t./ano de aço liquido. - Produz 2.750.000 t./ano de acabados em forma de blocos, placas,

Leia mais

AEDB CURSO DE ADMINISTRAÇÃO AULA 1 GESTÃO DE NEGÓCIOS INTERNACIONAIS

AEDB CURSO DE ADMINISTRAÇÃO AULA 1 GESTÃO DE NEGÓCIOS INTERNACIONAIS AEDB CURSO DE ADMINISTRAÇÃO AULA 1 GESTÃO DE NEGÓCIOS INTERNACIONAIS * NEGÓCIOS INTERNACIONAIS: Definição: Por negócios internacionais entende-se todo negócio realizado além das fronteiras de um país.

Leia mais

DIREITO INTERNACIONAL PRIVADO

DIREITO INTERNACIONAL PRIVADO Direito Internacional Profª Mestre Ideli Raimundo Di Tizio p 39 DIREITO INTERNACIONAL PRIVADO Introdução A dinâmica das relações de caráter econômico ou não no contexto mundial determinou a criação de

Leia mais

Assistência Jurídica para a Construção de um Mundo dos Negócios Novo e Sustentável

Assistência Jurídica para a Construção de um Mundo dos Negócios Novo e Sustentável Assistência Jurídica para a Construção de um Mundo dos Negócios Novo e Sustentável Quem Somos Somos uma sociedade de advogados dedicada à assistência e orientação jurídica as empresas nacionais e estrangeiras.

Leia mais

ACORDO SOBRE MEDIDAS DE INVESTIMENTO RELACIONADAS AO COMÉRCIO

ACORDO SOBRE MEDIDAS DE INVESTIMENTO RELACIONADAS AO COMÉRCIO ACORDO SOBRE MEDIDAS DE INVESTIMENTO RELACIONADAS AO COMÉRCIO Os Membros, Considerando que os Ministros acordaram em Punta del Este que "em seguida a um exame da operação dos Artigos do GATT relacionados

Leia mais

Cód. Disciplina Período Créditos Carga Horária. 020027 7º 4 Semanal Mensal 04 60

Cód. Disciplina Período Créditos Carga Horária. 020027 7º 4 Semanal Mensal 04 60 Credenciada pela Portaria Ministerial nº 2.611, de 18 de setembro de 2002 DOU - nº 183 - Seção 1, de 20 de Setembro de 2002 -. CURSOS AUTORIZADOS CIÊNCIAS ECONÔMICAS Portaria nº 2.612 18/09/2002 PEDAGOGIA

Leia mais

Comissão Europeia Direcção-Geral da Justiça B-1049 Bruxelas JUST-CIVIL-COOP@ec.europa.eu N/Ref. Ent.13561 de 25/07/2012

Comissão Europeia Direcção-Geral da Justiça B-1049 Bruxelas JUST-CIVIL-COOP@ec.europa.eu N/Ref. Ent.13561 de 25/07/2012 Comissão Europeia Direcção-Geral da Justiça B-1049 Bruxelas JUST-CIVIL-COOP@ec.europa.eu N/Ref. Ent.13561 de 25/07/2012 ASSUNTO: Resposta da Ordem dos Advogados de Portugal à Consulta Pública sobre Prazos

Leia mais

Sumário DIREITO INTERNACIONAL PÚBLICO. Capítulo 2 Fontes do Direito Internacional Público... 23

Sumário DIREITO INTERNACIONAL PÚBLICO. Capítulo 2 Fontes do Direito Internacional Público... 23 Sumário DIREITO INTERNACIONAL PÚBLICO Capítulo 1 Fundamentos do Direito Internacional Público... 13 1. Introdução... 13 2. A sociedade internacional... 14 3. Conceito... 16 4. Objeto... 16 5. Fundamentos

Leia mais

COMISSÃO NACIONAL DE ESTÁGIO E FORMAÇÃO. Deontologia Profissional. Programa

COMISSÃO NACIONAL DE ESTÁGIO E FORMAÇÃO. Deontologia Profissional. Programa COMISSÃO NACIONAL DE ESTÁGIO E FORMAÇÃO Deontologia Profissional Programa A - INTRODUÇÃO À DEONTOLOGIA 1. A Deontologia Profissional: Noção e análise da Deontologia Profissional como elemento comum a outras

Leia mais

Os 10 Princípios Universais do Pacto Global

Os 10 Princípios Universais do Pacto Global Os 10 Princípios Universais do Pacto Global O Pacto Global advoga dez Princípios universais, derivados da Declaração Universal de Direitos Humanos, da Declaração da Organização Internacional do Trabalho

Leia mais

Click to edit Master title style

Click to edit Master title style 26/05/2014 1 NOSSO ESCRITÓRIO Criado em 2008 em Recife, Pernambuco, Vasconcelos, Coutinho, Almeida & Gesteira Costa Advogados tem por objetivo a prestação de serviços de advocacia com excelência, agilidade

Leia mais

Rede de Língua Portuguesa de Avaliação de Impactes

Rede de Língua Portuguesa de Avaliação de Impactes Rede de Língua Portuguesa de Avaliação de Impactes A avaliação de impactes no mundo A IAIA e a APAI A língua portuguesa no mundo A Rede de Língua Portuguesa de Avaliação de Impactes - visão e missão, funcionamento,

Leia mais

DE LÉO, PAULINO E MACHADO ADVOGADOS

DE LÉO, PAULINO E MACHADO ADVOGADOS 01 02 Apresentação DE LÉO, PAULINO E MACHADO ADVOGADOS é um escritório que foi constituído para atuar nas mais diversas áreas do Direito Empresarial, tendo como principal objetivo a prestação de serviços

Leia mais

DOCUMENTO DE TRABALHO

DOCUMENTO DE TRABALHO ASAMBLEA PARLAMENTARIA EURO-LATINOAMERICANA EURO-LATIN AMERICAN PARLIAMENTARY ASSEMBLY ASSEMBLEIA PARLAMENTAR EURO-LATINO-AMERICANA ASSEMBLÉE PARLEMENTAIRE EURO-LATINO- AMÉRICAINE PARLAMENTARISCHE VERSAMMLUNG

Leia mais

O Brasil e os acordos internacionais de comércio e investimentos

O Brasil e os acordos internacionais de comércio e investimentos O Brasil e os acordos internacionais de comércio e investimentos Seminário AMCHAM 29 de Agosto de 2013 1 1. Os acordos de comércio 2 Crise não freou celebração de acordos de comércio Soma de Acordos Preferenciais

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL DAS

RESPONSABILIDADE SOCIAL DAS ONU - ACÇÃO RSE E OS DIREITOS HUMANOS Lisboa, 13 de NOVEMBRO 2012 ESTRATÉGIA DA UE PARA A RESPONSABILIDADE SOCIAL DAS EMPRESAS ODETE SEVERINO UE: Responsabilidade Social das Empresas 2002 COM - RSE: um

Leia mais

Código de Conduta da Dachser

Código de Conduta da Dachser Código de Conduta da Dachser 1. Introdução A fundação de todas as atividades na Dachser é a nossa adesão a regulamentos juridicamente vinculativos em nível nacional e internacional, assim como a quaisquer

Leia mais

GLOBALIZAÇÃO: NOVA ORDEM MUNIDAL PROFESSOR: WISLER JULIANO DISCIPLINA: GEOGRAFIA

GLOBALIZAÇÃO: NOVA ORDEM MUNIDAL PROFESSOR: WISLER JULIANO DISCIPLINA: GEOGRAFIA GLOBALIZAÇÃO: NOVA ORDEM MUNIDAL PROFESSOR: WISLER JULIANO DISCIPLINA: GEOGRAFIA GLOBALIZAÇÃO? É um fenômeno capitalista de aprofundamento da integração econômica, social, cultural e política, que teria

Leia mais

HARMONIZAÇÃO FISCAL: COMPETIÇÃO OU COORDENAÇÃO NOS PAÍSES DO MERCOSUL

HARMONIZAÇÃO FISCAL: COMPETIÇÃO OU COORDENAÇÃO NOS PAÍSES DO MERCOSUL Banco Interamericano de Desenvolvimento Departamento de Integração e Programas Regionais Divisão de Integração, Comércio e Programas Hemisféricos HARMONIZAÇÃO FISCAL: COMPETIÇÃO OU COORDENAÇÃO NOS PAÍSES

Leia mais

Tratados e Organizações INTERNACIONAIS. de Natureza ECONÔMICA

Tratados e Organizações INTERNACIONAIS. de Natureza ECONÔMICA Tratados e Organizações INTERNACIONAIS de Natureza ECONÔMICA CIP-BRASIL. CATALOGAÇÃO NA PUBLICAÇÃO SINDICATO NACIONAL DOS EDITORES DE LIVROS, RJ R69t Tratados e organizações internacionais de natureza

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA ÉTICA CAPANEMA DUARTE ADVOGADOS

CÓDIGO DE CONDUTA ÉTICA CAPANEMA DUARTE ADVOGADOS CÓDIGO DE CONDUTA ÉTICA CAPANEMA DUARTE ADVOGADOS I. Preâmbulo 1.1 Temos como objetivo ser um escritório de advocacia altamente conceituado e referência em nossa área de atuação, o que requer, além de

Leia mais

Informações para Parceiros de Negócios Cumprimento das leis, regulamentos e convenções. Transparência nos negócios. www.siemens.

Informações para Parceiros de Negócios Cumprimento das leis, regulamentos e convenções. Transparência nos negócios. www.siemens. Informações para Parceiros de Negócios Cumprimento das leis, regulamentos e convenções. Transparência nos negócios www.siemens.com/compliance "A cultura de uma empresa e seus valores fazem a diferença.

Leia mais

PROTEÇÃO DOS BENS AMBIENTAIS: PELA CRIAÇÃO DE UMA ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DO MEIO AMBIENTE (OME). Brasília, 20/04/2012 Sandra Cureau

PROTEÇÃO DOS BENS AMBIENTAIS: PELA CRIAÇÃO DE UMA ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DO MEIO AMBIENTE (OME). Brasília, 20/04/2012 Sandra Cureau XII CONGRESSO BRASILEIRO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DE MEIO AMBIENTE PROTEÇÃO DOS BENS AMBIENTAIS: PELA CRIAÇÃO DE UMA ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DO MEIO AMBIENTE (OME). Brasília, 20/04/2012 Sandra Cureau FUNDAMENTOS

Leia mais

O IMPACTO DO DIREITO OHADA E DOS ACORDOS DA OMC NO DIREITO FISCAL SÃO-TOMENSE. Jaime de Oliveira

O IMPACTO DO DIREITO OHADA E DOS ACORDOS DA OMC NO DIREITO FISCAL SÃO-TOMENSE. Jaime de Oliveira O IMPACTO DO DIREITO OHADA E DOS ACORDOS DA OMC NO DIREITO FISCAL SÃO-TOMENSE Jaime de Oliveira 1 PLANO DA APRESENTAÇÃO I. CONSIDERAÇÕES GERAIS SOBRE: OHADA, OMC E DIREITO FISCAL SÃO-TOMENSE II. DIFICULDADES

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Responsabilidade Social da Empresa e Comunicação Maria Cristina Mattioli Introdução. Em matéria veiculada no Valor Econômico de 27 de março de 2003, Duda Mendonça afirma que os produtos

Leia mais

Facilitações para o Comércio Exterior

Facilitações para o Comércio Exterior EXPORTAÇÕES POR ENVIOS POSTAIS Facilitações para o Comércio Exterior São Paulo 18 de novembro de 2009 José Barroso Tostes Neto Coordenação Geral de Administração Aduaneira FACILITAÇÕES PARA O COMÉRCIO

Leia mais

[ OBJETIVOS ESPECÍFICOS

[ OBJETIVOS ESPECÍFICOS [ [ OBJETIVOS ESPECÍFICOS Promover formação geral e ampla com conhecimentos sobre economia nacional e internacional, sobre tradições, costumes e culturas dos diferentes países do mundo, legislação internacional

Leia mais

1º SEMESTRE 2º SEMESTRE

1º SEMESTRE 2º SEMESTRE 1º SEMESTRE 7ECO003 ECONOMIA DE EMPRESAS I Organização econômica e problemas econômicos. Demanda, oferta e elasticidade. Teoria do consumidor. Teoria da produção e da firma, estruturas e regulamento de

Leia mais

Sumário. Nota à 2ª edição... 13 Agradecimentos... 17 Apresentação da coleção... 19 Prefácio... 21 Lista de siglas... 25

Sumário. Nota à 2ª edição... 13 Agradecimentos... 17 Apresentação da coleção... 19 Prefácio... 21 Lista de siglas... 25 Sumário Nota à 2ª edição... 13 Agradecimentos... 17 Apresentação da coleção... 19 Prefácio... 21 Lista de siglas... 25 Capítulo I TERMINOLOGIA E ASPECTOS CONCEITUAIS... 27 1. Diversidade terminológica...

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA PROFISSIONAL DOS CORRETORES DE SEGUROS, DE RESSEGUROS, DE CAPITALIZAÇÃO, DE PREVIDÊNCIA PRIVADA, DE SEGUROS DE PESSOAS, DE PLANOS E

CÓDIGO DE ÉTICA PROFISSIONAL DOS CORRETORES DE SEGUROS, DE RESSEGUROS, DE CAPITALIZAÇÃO, DE PREVIDÊNCIA PRIVADA, DE SEGUROS DE PESSOAS, DE PLANOS E CÓDIGO DE ÉTICA PROFISSIONAL DOS CORRETORES DE SEGUROS, DE RESSEGUROS, DE CAPITALIZAÇÃO, DE PREVIDÊNCIA PRIVADA, DE SEGUROS DE PESSOAS, DE PLANOS E DE SEGUROS DE SAÚDE, E SEUS PREPOSTOS FEVEREIRO/2008

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA PROFISSIONAL DOS CORRETORES DE SEGUROS, DE RESSEGUROS, DE CAPITALIZAÇÃO, DE PREVIDÊNCIA PRIVADA, DE SEGUROS DE PESSOAS, DE PLANOS E DE

CÓDIGO DE ÉTICA PROFISSIONAL DOS CORRETORES DE SEGUROS, DE RESSEGUROS, DE CAPITALIZAÇÃO, DE PREVIDÊNCIA PRIVADA, DE SEGUROS DE PESSOAS, DE PLANOS E DE CÓDIGO DE ÉTICA PROFISSIONAL DOS CORRETORES DE SEGUROS, DE RESSEGUROS, DE CAPITALIZAÇÃO, DE PREVIDÊNCIA PRIVADA, DE SEGUROS DE PESSOAS, DE PLANOS E DE SEGUROS DE SAÚDE, E SEUS PREPOSTOS FEVEREIRO/2008

Leia mais

Áreas de Atuação. Direito Administrativo

Áreas de Atuação. Direito Administrativo Atento à dinâmica evolução do mercado globalizado, a HG Advocacia surge com uma nova proposta em advocacia e assessoria jurídica, propondo soluções inovadoras e eficazes no planejamento e na defesa de

Leia mais

CURSO AVANÇADO DE MARCAS

CURSO AVANÇADO DE MARCAS CURSO AVANÇADO DE MARCAS 1º SEMESTRE DE 2014 RIO DE JANEIRO - RJ Coordenadores: Filipe Fonteles Cabral Ricardo Pinho Diretor de Estudos: Alexandre Fragoso Machado LOCAL Auditório da ABAPI Av. Rio Branco,

Leia mais

índice AUTONOMIA, NÃO-INDIFERENÇA E PRAGMATISMO: VETORES CONCEITUAIS DA POLÍTICA EXTERNA DO GOVERNO LULA Maria

índice AUTONOMIA, NÃO-INDIFERENÇA E PRAGMATISMO: VETORES CONCEITUAIS DA POLÍTICA EXTERNA DO GOVERNO LULA Maria índice Apresentação Pedro da Motta Veiga... 7 Política Comerciale Política Externa do Brasil AUTONOMIA, NÃO-INDIFERENÇA E PRAGMATISMO: VETORES CONCEITUAIS DA POLÍTICA EXTERNA DO GOVERNO LULA Maria Regina

Leia mais

FACULDADE ASSIS GURGACZ SAGRES ACADÊMICO GRADE CURRICULAR. Emissão: 28/05/2012 14:09 Página: 1 de 6. Colegiado: COLEGIADO DE DIREITO Curso:

FACULDADE ASSIS GURGACZ SAGRES ACADÊMICO GRADE CURRICULAR. Emissão: 28/05/2012 14:09 Página: 1 de 6. Colegiado: COLEGIADO DE DIREITO Curso: 1 de 6 Nível:BACHARELADO Início: 20021 01 DIT101 - Introdução ao Direito - Ativa desde: Atividade Pedagógica DIT102 - Filosofia - Ativa desde: DIT103 - Metodologia Científica - Ativa desde: DIT104 - Ciência

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular ECONOMIA MUNDIAL E COMÉRCIO EXTERNO Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular ECONOMIA MUNDIAL E COMÉRCIO EXTERNO Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular ECONOMIA MUNDIAL E COMÉRCIO EXTERNO Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (1º Ciclo) 2. Curso Relações Internacionais 3. Ciclo de Estudos 1º

Leia mais

Curso de DIREITO FINANCEIRO BRASILEIRO

Curso de DIREITO FINANCEIRO BRASILEIRO MARCUS ABRAHAM Curso de DIREITO FINANCEIRO BRASILEIRO 3 a edição I revista, atualizada e ampliada *** ~ FORENSE ~ Rio de Janeiro A EDITORA FORENSE se responsabiliza pelos vícios do produto no que concerne

Leia mais

Globalização Financeira e Fluxos de Capital. Referências Bibliográficas. Referências Bibliográficas. 1) Mundialização Financeira

Globalização Financeira e Fluxos de Capital. Referências Bibliográficas. Referências Bibliográficas. 1) Mundialização Financeira e Fluxos de Capital Wilhelm Eduard Meiners IBQP/UniBrasil/Metápolis Referências Bibliográficas Referências Bibliográficas Chesnais, F. Mundialização Financeira, cap.1 Baumann, Canuto e Gonçalves. Economia

Leia mais

Painel: LIMITES DA AUTONOMIA E DO CONTROLE DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

Painel: LIMITES DA AUTONOMIA E DO CONTROLE DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Gestão Encontro do 1º Ciclo de Debates Direito e Gestão Pública Núcleo Regional de São Paulo São Paulo-SP 23.10.09 Painel: LIMITES DA AUTONOMIA

Leia mais

- temas relevantes -

- temas relevantes - MARCELO MAGALHÃES PEIXOTO Membro do CARF - Conselho Administrativo de Recursos Fiscais do Ministério da Fazenda Juiz do TIT!SP - Tribunal de Impostos e Taxas do Estado de São Paulo Mestre em Direito Tributário

Leia mais

Faculdade de Direito da Alta Paulista

Faculdade de Direito da Alta Paulista Disciplina: DIREITO INTERNACIONAL PÚBLICO Código: Série: 4º Obrigatória (X) Optativa ( ) CH Teórica:68 CH Prática: CH Total: 68 Obs: Objetivos GERAL - Enfocar o conjunto de normas jurídicas que regulam

Leia mais

Formação em Gestão da Qualidade e Higiene dos Alimentos Praia 7, 8 e 9 Novembro 2011

Formação em Gestão da Qualidade e Higiene dos Alimentos Praia 7, 8 e 9 Novembro 2011 Formação em Gestão da Qualidade e Higiene dos Alimentos Praia 7, 8 e 9 Novembro 2011 Breve referência aos acordos da OMC OTC e SPS Sumário GATT Origem dos acordos OTC e SPS OMC funções e acordos Propósitos

Leia mais

Mestrado Profissionalizante

Mestrado Profissionalizante Mestrado Profissionalizante Curso de Especialização Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa (FDL) - Ano Lectivo 2010/2011 2.º Semestre Disciplina de REGULAÇÃO DA ECONOMIA PROGRAMA Coordenação Professor

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O. 3º As características específicas das ênfases somente constarão no histórico escolar do discente.

R E S O L U Ç Ã O. 3º As características específicas das ênfases somente constarão no histórico escolar do discente. RESOLUÇÃO CSA N.º 10/2011 APROVA A MATRIZ CURRICULAR 2012 DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO, BACHARELADO, COM ÊNFASE EM MARKETING E NEGÓCIOS INTERNACIONAIS, DA. O Presidente do Conselho Superior de Administração

Leia mais

SUMÁRIO NOTA DOS COORDENADORES DA COLEÇÃO...15

SUMÁRIO NOTA DOS COORDENADORES DA COLEÇÃO...15 SUMÁRIO NOTA DOS COORDENADORES DA COLEÇÃO...15 DIREITO ADMINISTRATIVO...17 Fernando Ferreira Baltar Neto e Ronny Charles Lopes de Torres 1. Direito Administrativo e o Regime Jurídico-Administrativo...17

Leia mais

OMC: suas funções e seus acordos de comércio

OMC: suas funções e seus acordos de comércio OMC: suas funções e seus acordos de comércio Prof.Nelson Guerra Surgiu para combater o protecionismo criado pelos países no período entreguerras. O GATT (Acordo Geral de Tarifas e Comércio) surgiu em 1947

Leia mais

LUIZ GUSTAVO LOVATO Especialista em Direito Privado Mestre em Direito Processual Civil pela PUCRS

LUIZ GUSTAVO LOVATO Especialista em Direito Privado Mestre em Direito Processual Civil pela PUCRS O PROCEDIMENTO DA SOLUÇÃO DE CONTROVÉRSIAS NA ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DO COMÉRCIO (OMC) COMO NORMA DE DIREITO SUPRANACIONAL AO ORDENAMENTO JURÍDICO BRASILEIRO LUIZ GUSTAVO LOVATO Especialista em Direito Privado

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular DIREITO DA FAMÍLIA Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular DIREITO DA FAMÍLIA Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular DIREITO DA FAMÍLIA Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Direito (1º Ciclo) 2. Curso Solicitadoria 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular DIREITO DA FAMÍLIA (28121)

Leia mais

REGULAÇÃO E AUTORREGULAÇÃO

REGULAÇÃO E AUTORREGULAÇÃO I Curso de Férias do Grupo de Estudos de Direito Empresarial - Direito UFMG REGULAÇÃO E AUTORREGULAÇÃO Adriano Ferraz Graduado e Mestre em Direito Empresarial pela UFMG. Fundador e Conselheiro do Grupo

Leia mais

A natureza jurídica sui generis do membro da EIRELI 1*

A natureza jurídica sui generis do membro da EIRELI 1* A natureza jurídica sui generis do membro da EIRELI 1* Nadialice Francischini de Souza 2** Em 11 de julho de 2011 foi sancionada a Lei n. 12.441, que criou a Empresa Individual de Responsabilidade Limitada

Leia mais

LEI ANTICORRUPÇÃO [LEI NO. 12.846, DE 1º. DE AGOSTO DE 2013]

LEI ANTICORRUPÇÃO [LEI NO. 12.846, DE 1º. DE AGOSTO DE 2013] LEI ANTICORRUPÇÃO [LEI NO. 12.846, DE 1º. DE AGOSTO DE 2013] PROGRAMA DE COMPLIANCE E ACORDO DE LENIÊNCIA SÃO PAULO RIO DE JANEIRO BELO HORIZONTE BRASÍLIA SALVADOR www.scbf.com. br SUMÁRIO A Lei Anticorrupção

Leia mais

ACORDO PARA A FACILITAÇÃO DE ATIVIDADES EMPRESARIAIS NO MERCOSUL

ACORDO PARA A FACILITAÇÃO DE ATIVIDADES EMPRESARIAIS NO MERCOSUL MERCOSUL/CMC/DEC. Nº 32/04 ACORDO PARA A FACILITAÇÃO DE ATIVIDADES EMPRESARIAIS NO MERCOSUL TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto e a Decisão Nº 26/03 do Conselho do Mercado

Leia mais

CONSTITUCIONALISMO SOCIAL NO MERCOSUL

CONSTITUCIONALISMO SOCIAL NO MERCOSUL ELIANNE MARIA MEIRA ROSA Professora Titular de Direito Internacional Público da Faculdade de Direito da Universidade Braz Cubas. Mogi das Cruzes-SP. Professora de Ética Geral e Profissional da Faculdade

Leia mais

FATORES MOTIVADORES DA CRIAÇÃO DO CODEFOZ

FATORES MOTIVADORES DA CRIAÇÃO DO CODEFOZ FATORES MOTIVADORES DA CRIAÇÃO DO CODEFOZ 1) A falta de focoda sociedade civil organizada, da administração municipal e demais órgãos públicos para definir os rumose as políticas de desenvolvimento do

Leia mais

Reflexões sobre os mecanismos de solução de controvérsias nos acordos regionais e multilaterais de comércio

Reflexões sobre os mecanismos de solução de controvérsias nos acordos regionais e multilaterais de comércio Reflexões sobre os mecanismos de solução de controvérsias nos acordos regionais e multilaterais de comércio Cadernos de Félix Alfredo Larrañaga Professor da Faculdade de Ciências Econômicas, Contáveis

Leia mais

Programa de Treinamento Judicial Internacional IJTP. Um Programa da Faculdade de Direito da Universidade da Géorgia

Programa de Treinamento Judicial Internacional IJTP. Um Programa da Faculdade de Direito da Universidade da Géorgia Programa de Treinamento Judicial Internacional IJTP Um Programa da Faculdade de Direito da Universidade da Géorgia Programa de Treinamento Judicial Internacional Por que Nos últimos anos, um número crescente

Leia mais

SILVIA RODRIGUES PEREIRA PACHIKOSKI

SILVIA RODRIGUES PEREIRA PACHIKOSKI SILVIA RODRIGUES PEREIRA PACHIKOSKI Brasileira, Advogada, Casada, Alameda Santos, 2395, 4º andar, Cerqueira César, CEP 01419-101 São Paulo/SP Brazil Fone: + 55 11 3061-6100 Cel: + 55 11 99189-8989 silvia@rpsnadvogados.com.br

Leia mais

Direito Ambiental. Prof. Fabrício Ferreira Aula III

Direito Ambiental. Prof. Fabrício Ferreira Aula III Direito Ambiental Prof. Fabrício Ferreira Aula III 1 Direito Internacional NOÇÕES PRELIMINARES CONCEITO: É o conjunto de normas jurídicas que regulam as relações mútuas dos Estados e, subsidiariamente,

Leia mais

EMENTA / PROGRAMA DE DISCIPLINA. ANO / SEMESTRE LETIVO Administração 2015.2. Direito Empresarial ADM 065. 36h 5º

EMENTA / PROGRAMA DE DISCIPLINA. ANO / SEMESTRE LETIVO Administração 2015.2. Direito Empresarial ADM 065. 36h 5º Faculdade Anísio Teixeira de Feira de Santana Autorizada pela Portaria Ministerial nº 552 de 22 de março de 2001 e publicada no Diário Oficial da União de 26 de março de 2001. Endereço: Rua Juracy Magalhães,

Leia mais

Harmonização Legislativa do Direito Empresarial no Mercosul

Harmonização Legislativa do Direito Empresarial no Mercosul José Antônio de Faria Martos Mestre em Direito Público. Doutorando pela Universidad Del Museo Social Argentino UMSA, Professor Titular da Faculdade de Direito de Franca e da Libertas Faculdades de São

Leia mais

TERRAS COELHO ADVOGADOS é uma sociedade de

TERRAS COELHO ADVOGADOS é uma sociedade de TERRAS COELHO ADVOGADOS é uma sociedade de advogados devidamente registrada da Ordem dos Advogados do Brasil sob o nº 15.196, e atual nos mais variados ramos do direito, com atuação preventiva e contenciosa

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA ÉTICA SWEETMIX

CÓDIGO DE CONDUTA ÉTICA SWEETMIX CÓDIGO DE CONDUTA ÉTICA SWEETMIX Caro Colaborador, A prática do Código de Conduta Ética é tão importante que fazemos questão que cada colaborador tenha seu próprio exemplar para ler e consultar sempre

Leia mais

Logística Empresarial

Logística Empresarial Logística Empresarial Aula 15 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades, conteúdos

Leia mais

VERSÕES CONSOLIDADAS

VERSÕES CONSOLIDADAS 9.5.2008 PT Jornal Oficial da União Europeia C 115/1 VERSÕES CONSOLIDADAS DO TRATADO DA UNIÃO EUROPEIA E DO TRATADO SOBRE O FUNCIONAMENTO DA UNIÃO EUROPEIA (2008/C 115/01) 9.5.2008 PT Jornal Oficial da

Leia mais

Actividades relacionadas com o património cultural. Actividades relacionadas com o desporto

Actividades relacionadas com o património cultural. Actividades relacionadas com o desporto LISTA E CODIFICAÇÃO DAS ÁREAS DE ACTIVIDADES Actividades relacionadas com o património cultural 101/801 Artes plásticas e visuais 102/802 Cinema, audiovisual e multimédia 103/803 Bibliotecas 104/804 Arquivos

Leia mais

A ÁREA DE PRÁTICA DE DIREITO PÚBLICO DA ABBC

A ÁREA DE PRÁTICA DE DIREITO PÚBLICO DA ABBC ABBC A atuação da ABBC assenta na independência, no profissionalismo e na competência técnica dos seus advogados e colaboradores, com o escrupuloso respeito das regras deontológicas que presidem ao exercício

Leia mais

Sumário. 14.1 Case 1 Exportação...69 14.2 Case 2 Importação...75

Sumário. 14.1 Case 1 Exportação...69 14.2 Case 2 Importação...75 Sumário Prefácio...IX Apresentação...XI Capítulo 1 O Comércio internacional no pós-guerra...1 Capítulo 2 O Departamento de comércio exterior...5 Capítulo 3 Métodos de comércio exterior...7 Capítulo 4 Agentes

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA Chamada Pública IPEA/PROESP nº 002/2011 Apoio a Estudos Científicos para a reflexão do Estado

Leia mais

Manual de Negociações Internacionais

Manual de Negociações Internacionais Manual de Negociações Internacionais MANUAL DE NEGOCIAÇÕES INTERNACIONAIS FEDERAÇÃO E CENTRO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SÃO PAULO DEPARTAMENTO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS E COMÉRCIO EXTERIOR DEREX GERÊNCIA

Leia mais

TERRAS COELHO ADVOGADOS é uma sociedade de

TERRAS COELHO ADVOGADOS é uma sociedade de TERRAS COELHO ADVOGADOS é uma sociedade de advogados voltada para os mais variados ramos do direito, com atuação preventiva e contenciosa em todo o território nacional. Sociedade nascida da união de profissionais

Leia mais