Hospital Dr.Arnaldo Pezzutti Cavalcanti

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Hospital Dr.Arnaldo Pezzutti Cavalcanti"

Transcrição

1 Hospital Dr.Arnaldo Pezzutti Cavalcanti Secretaria de Estado da Saúde Coordenadoria de Serviços de Saúde

2 Projeto UTI Humanizada Implementado em Fevereiro de 2006 Ampliado em Agosto de 2007

3 Vista Aérea Hospital Dr.Arnaldo Pezzutti Cavalcanti Localização = Mogi das Cruzes Área Física Total = m2 Área Construída = m2 Área Administrativa Área Assistencial

4

5 Missão Oferecer assistência de saúde físico-psico-social aos pacientes de longa permanência, com qualidade, humanidade e responsabilidade social nos âmbitos hospitalar, de reabilitação e de ambulatório de especialidades.

6 Descrição do Projeto Primeira Unidade de Terapia Intensiva do País, projetada exclusivamente para o acolhimento e tratamento humanizado de pacientes portadores de patologias crônicas,ou seja, pacientes residentes de UTI, assim como suporte e reinserção social familiar.

7 Objetivo Acolher e cuidar de pacientes cronicamente dependentes da Terapia Intensiva; Tratamento Humanizado, promovendo atenção especializada a esses pacientes e seus familiares, redirecionando sua terapêutica à Qualidade de Vida ; Reabilitar o Paciente, dentro das possibilidades individuais de cada caso; Contribuir para o aumento da disponibilidade de leitos de UTI de grande rotatividade da Grande São Paulo

8 Ações Desenvolvidas: Humanização do Ambiente

9 Ações Desenvolvidas: Humanização do Ambiente

10 Ações Desenvolvidas: Humanização do Ambiente

11 Ações Desenvolvidas: Humanização do Ambiente

12 Ações Desenvolvidas: Humanização do Ambiente

13 Ações Desenvolvidas: Atividades Lúdicas: Comemoração de Datas Festivas

14 Ações Desenvolvidas: Atividades Lúdicas: Momento de Historia

15 Ações Desenvolvidas: Atividades Lúdicas: Passeio no Parque

16 Filme:

17 Resultados Alcançados Aumento do Número de leitos disponíveis a pacientes Agudos em 22 Hospitais Públicos Estaduais de São Paulo; Desmame da Ventilação Mecânica com conseqüente restabelecimento da Ventilação Pulmonar espontânea em dois Pacientes; Reinserção Social e Introdução Profissional de mães de três pacientes;

18 Resultados Alcançados Hospital Vagas Disponibilizadas Hosp. Candido Fontoura 05 Hosp. Santa Marcelina 02 Hosp. Vila Alpina 02 Hosp. Ipiranga 01 Hosp. Guaianazes 02 Hosp. Taipas 01 Hosp. São Mateus 01 Hosp. Mario Covas 01 Hosp. de Barueri 01 Hosp. Darci Vargas 01 Hosp. de Itapecerica 01

19 Resultados Alcançados Hospital Vagas Disponibilizadas Hosp. Brigadeiro 01 Hosp. de Osasco 01 Hosp. Leonor Mendes de Barros 02 Hosp. de Itapevi 02 Hosp. de Pedreiras 02 Hosp. de Pirajussara 01 Hosp. Luzia de Pinho Melo 02 Hosp. Geral de Guarulhos 02 Hosp. Mandaqui 01 Hosp.Vila Penteado 01 TOTAL 33

20 Conclusão A arte do cuidar e acolher é mais que uma ação, é um dever, é um resgate do ser humano, é entender o pluralismo respeitando, aceitando ou apenas entendendo.são casos crônicos apresentados por seus familiares, através de historias tristes, que não podemos ignorar, mas sim oferecer qualidade de vida.

COD.101 - CLINICA MÉDICA

COD.101 - CLINICA MÉDICA ANEXO III COD.101 - CLINICA MÉDICA AREAS BÁSICAS 1 (UNOESTE) 3 1 4 2 Complexo Hospitalar Padre Bento - Guarulhos 4 4 3 Conjunto Hospitalar do Mandaqui 12 6 18 4 Faculdade de Medicina da Universidade de

Leia mais

COD.101 - CLINICA MÉDICA 02 ANOS

COD.101 - CLINICA MÉDICA 02 ANOS COD.101 - CLINICA MÉDICA AREAS BÁSICAS 1 Associação Lar São Francisco de Assis na Providência de Deus (UNOESTE) 3 2 Conjunto Hospitalar do Mandaqui 12 3 Faculdade de Medicina da Universidade de Santo Amaro

Leia mais

Anexo I. Quadro de vagas por Hospital / Especialidades AREAS BÁSICAS

Anexo I. Quadro de vagas por Hospital / Especialidades AREAS BÁSICAS Anexo I Quadro de vagas por Hospital / Especialidades AREAS BÁSICAS COD.101 - CLINICA MÉDICA 0 2 Conjunto Hospitalar do Mandaqui 11 3 Faculdade de Medicina de Catanduva 6 4 Hospital Guilherme Alvaro -

Leia mais

Hospital de Clínicas Gaspar Viana

Hospital de Clínicas Gaspar Viana Hospital de Clínicas Gaspar Viana Atendimento de Enfermagem na Clínica Psiquiátrica Enf. Sofia Vasconcelos Alves ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM OBJETIVO:Promover ações terapêuticas voltadas para identificar

Leia mais

REDES DE ATENDIMENTO NO ESTADO DE SÃO PAULO

REDES DE ATENDIMENTO NO ESTADO DE SÃO PAULO REDES DE ATENDIMENTO NO ESTADO DE SÃO PAULO SANTA CASA SUSTENTÁVEL wpollara@saude.sp.gov.br 3% 97% Km 2 21% Estado de São Paulo 79% BRASIL 33% 67% $ São Paulo 44% da Alta Complexidade Do Brasil + 8.514.876

Leia mais

Experiência Do Município De Cascavel PR Na Atenção Domiciliar ABRASAD

Experiência Do Município De Cascavel PR Na Atenção Domiciliar ABRASAD Experiência Do Município De Cascavel PR Na Atenção Domiciliar ABRASAD Histórico 2005: Início do trabalho. I Seminário de Assistência Domiciliar. 2006: Portaria GM 2529. Fundação da ABRASAD Associação Brasileira

Leia mais

Coordenadoria de Gestão de Contratos de Serviços de Saúde

Coordenadoria de Gestão de Contratos de Serviços de Saúde Coordenadoria de Gestão de Contratos de Serviços de Saúde 10/09/2014 Unidades e Serviços 40 Hospitais CEADIS 52 AMEs CRI Norte 7 Reabilitação Rede Lucy 3 CEAC 3 SEDI CROSS Total de Unidades/Serviços :

Leia mais

REDE HOSPITALAR DO ESTADO DE SÃO PAULO

REDE HOSPITALAR DO ESTADO DE SÃO PAULO REDE HOSPITALAR DO ESTADO DE SÃO PAULO NATUREZA Qtd de Hospitais Qtd Total de Leitos Qtd de Leitos Psiquiátricos e Crônicos Estaduais-Proprios 67 13.474 2.997 Universitários 27 9.894 626 Federal 1 797

Leia mais

ASSISTÊNCIA HOSPITALAR E AS REDES DE ATENÇÃO À SAÚDE

ASSISTÊNCIA HOSPITALAR E AS REDES DE ATENÇÃO À SAÚDE ASSISTÊNCIA HOSPITALAR E AS REDES DE ATENÇÃO À SAÚDE O MODELO DE ATENÇÃO À SAÚDE DO SUS A FRAGMENTAÇÃO DO SISTEMA A CONCEPÇÃO HIERÁRQUICA DO SISTEMA O DESALINHAMENTO DOS INCENTIVOS ECONÔMICOS A INEFICIÊNCIA

Leia mais

Resumo do Projeto Nacional de Atendimento ao Acidente Vascular Cerebral

Resumo do Projeto Nacional de Atendimento ao Acidente Vascular Cerebral MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO ESPECIALIZADA COORDENAÇÃO GERAL DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA Resumo do Projeto Nacional de Atendimento ao Acidente Vascular Cerebral

Leia mais

MINUTA DE RESOLUÇÃO CFM

MINUTA DE RESOLUÇÃO CFM MINUTA DE RESOLUÇÃO CFM Dispõe sobre a normatização do funcionamento dos prontos-socorros hospitalares, assim como do dimensionamento da equipe médica e do sistema de trabalho. O Conselho Federal de Medicina,

Leia mais

Gestão do Paciente com Deficiência Uma visão Prática da Terapia Ocupacional e da Fisioterapia

Gestão do Paciente com Deficiência Uma visão Prática da Terapia Ocupacional e da Fisioterapia Gestão do Paciente com Deficiência Uma visão Prática da Terapia Ocupacional e da Fisioterapia Percentual de pessoas com deficiência no Brasil..segundo Censo 2000: 14,5% Deficientes 85,5% Não Deficientes

Leia mais

3ªPromotoria de Justiça de Tutela Coletiva da Saúde. Audiência Pública Câmara Municipal do Rio de Janeiro Crack : Prevenção,Resgate e Cuidado

3ªPromotoria de Justiça de Tutela Coletiva da Saúde. Audiência Pública Câmara Municipal do Rio de Janeiro Crack : Prevenção,Resgate e Cuidado 3ªPromotoria de Justiça de Tutela Coletiva da Saúde Audiência Pública Câmara Municipal do Rio de Janeiro Crack : Prevenção,Resgate e Cuidado Inquérito Civil : 2012.00395272, instaurado em 20/08/2012. Objeto:

Leia mais

MANIFESTO DOS TERAPEUTAS OCUPACIONAIS À REDE DE HOSPITAIS PÚBLICOS FEDERAIS DO RIO DE JANEIRO

MANIFESTO DOS TERAPEUTAS OCUPACIONAIS À REDE DE HOSPITAIS PÚBLICOS FEDERAIS DO RIO DE JANEIRO MANIFESTO DOS TERAPEUTAS OCUPACIONAIS À REDE DE HOSPITAIS PÚBLICOS FEDERAIS DO RIO DE JANEIRO O Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão editou a portaria n 292 no dia 4 de julho de 2012 que autoriza

Leia mais

Secretaria de Estado da Saúde - SP. Estado de São Paulo. planejamento e mecanismos de acompanhamento, controle e avaliação

Secretaria de Estado da Saúde - SP. Estado de São Paulo. planejamento e mecanismos de acompanhamento, controle e avaliação Secretaria de Estado da Saúde - SP As Organizações Sociais de Saúde no Estado de São Paulo A experiência da Secretaria da Saúde planejamento e mecanismos de acompanhamento, controle e avaliação Organização

Leia mais

MODELOS DE GESTÃO E REMUNERAÇÃO : OS ARTISTAS EM CENA. Wilson Pollara Secretário Adjunto

MODELOS DE GESTÃO E REMUNERAÇÃO : OS ARTISTAS EM CENA. Wilson Pollara Secretário Adjunto MODELOS DE GESTÃO E REMUNERAÇÃO : OS ARTISTAS EM CENA Wilson Pollara Secretário Adjunto UNIDADES HOSPITALARES PRÓPRIOS HOSPITAIS ESTADUAIS RH ESTATUTÁRIO ORÇAMENTADO O.S.S. PRÉDIO ESTADUAL GESTÃO PRIVADA

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS / 2014. Convênio Municipal Secretaria de Desenvolvimento Social

RELATÓRIO ANUAL DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS / 2014. Convênio Municipal Secretaria de Desenvolvimento Social RELATÓRIO ANUAL DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS / 2014 Convênio Municipal Secretaria de Desenvolvimento Social Entidade: Grupo de Pesquisa e Assistência ao Câncer Infantil Endereço: Rua Antônio Miguel Pereira

Leia mais

Diário Oficial Estado de São Paulo

Diário Oficial Estado de São Paulo Diário Oficial Estado de São Paulo Poder Executivo Seção I Palácio dos Bandeirantes Av. Morumbi, 4.500 - Morumbi - CEP 05698-900 - Fone: 3745-3344 Nº 59 DOE de 28/03/12 Seção 1 - p.79 COORDENADORIA DE

Leia mais

COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA PROJETO DE LEI Nº 3.630, DE 2004

COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA PROJETO DE LEI Nº 3.630, DE 2004 COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA PROJETO DE LEI Nº 3.630, DE 2004 Define diretriz para a política de atenção integral aos portadores da doença de Alzheimer no âmbito do Sistema Único de Saúde SUS

Leia mais

Fiscalização, Controle e Monitoramento dos Contratos de Gestão: Um desafio imposto ao transferidor da atividade

Fiscalização, Controle e Monitoramento dos Contratos de Gestão: Um desafio imposto ao transferidor da atividade Fiscalização, Controle e Monitoramento dos Contratos de Gestão: Um desafio imposto ao transferidor da atividade WLADIMIR TABORDA 2013 W/Taborda Consultoria Executiva Saúde Ltda. Os indicadores de saúde

Leia mais

GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO SERVIÇO DE SAÚDE COMUNITÁRIA APOIO TÉCNICO EM MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO

GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO SERVIÇO DE SAÚDE COMUNITÁRIA APOIO TÉCNICO EM MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO SERVIÇO DE SAÚDE COMUNITÁRIA APOIO TÉCNICO EM MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO EXPERIÊNCIAS DE ORGANIZAÇÃO DO CUIDADO EM SAÚDE Abordagem integrada na atenção as pessoas com HAS, DM

Leia mais

ROTATIVIDADE DE CARGOS NA SES RELATÓRIO DE PESQUISA

ROTATIVIDADE DE CARGOS NA SES RELATÓRIO DE PESQUISA 1 ROTATIVIDADE DE CARGOS NA SES RELATÓRIO DE PESQUISA INTRODUÇÃO Um das questões pertinentes à gestão do trabalho na área da saúde diz respeito a efetiva fixação do trabalhador ao seu posto de trabalho.

Leia mais

POLITICA NACIONAL DE ATENÇÃO HOSPITALAR - PNHOSP

POLITICA NACIONAL DE ATENÇÃO HOSPITALAR - PNHOSP POLITICA NACIONAL DE ATENÇÃO HOSPITALAR - PNHOSP Macro estratégias Discussão, pactuação tripartite, e publicação de portaria da Politica Nacional de Atenção Hospitalar/PNHOSP no SUS, estabelecendo as diretrizes

Leia mais

III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família Brasília, 05 a 08 de Agosto de

III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família Brasília, 05 a 08 de Agosto de III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família Brasília, 05 a 08 de Agosto de 2008 Apoio Matricial em Saúde Mental: a Iniciativa de

Leia mais

Construção de Redes Intersetoriais para a atenção dos usuários em saúde mental, álcool, crack e outras drogas

Construção de Redes Intersetoriais para a atenção dos usuários em saúde mental, álcool, crack e outras drogas Construção de Redes Intersetoriais para a atenção dos usuários em saúde mental, álcool, crack e outras drogas EDUCAÇÃO PERMANENTE SAÚDE MENTAL - CGR CAMPINAS MÓDULO GESTÃO E PLANEJAMENTO 2012 Nelson Figueira

Leia mais

li'm(i)~mr:.\r&~ ~[~ ~~~ ~~~.l, ~~~:r,,~{íe.c.~ ~~ ~@)g ~ 1liiJ~mmrl!&

li'm(i)~mr:.\r&~ ~[~ ~~~ ~~~.l, ~~~:r,,~{íe.c.~ ~~ ~@)g ~ 1liiJ~mmrl!& li'm(i)~mr:.\r&~ ~[~ ~~~ ~~~.l, ~~~:r,,~{íe.c.~ ~~ ~@)g ~ 1liiJ~mmrl!& A RENTEGRACÃOSOCAL ~ É O MELHOR TRATAMENTO Na história da atenção às pessoas com transtornos mentais no Brasil, por muito tempo o

Leia mais

Elza Maria da Silva Gois Assistente Técnico - CRH

Elza Maria da Silva Gois Assistente Técnico - CRH AUDITORIA DA FOLHA DE PAGAMENTO CONVERSÃO DO SISTEMA ATUAL PARA O PORTAL E-FOLHA Elza Maria da Silva Gois Assistente Técnico - CRH OBJETIVO Apresentar o trabalho que vem sendo realizado em conjunto com

Leia mais

Plano Municipal de Enfrentamento ao uso prejudicial de Crack, Álcool e Outras Drogas

Plano Municipal de Enfrentamento ao uso prejudicial de Crack, Álcool e Outras Drogas Plano Municipal de Enfrentamento ao uso prejudicial de Crack, Álcool e Outras Drogas 1. APRESENTAÇÃO e JUSTIFICATIVA: O consumo de crack vem aumentando nas grandes metrópoles, constituindo hoje um problema

Leia mais

6.633 hospitais espalhados pelo Brasil* 2,6 milhões de colaboradores atuam hoje na área da saúde 494 mil leitos hospitalares

6.633 hospitais espalhados pelo Brasil* 2,6 milhões de colaboradores atuam hoje na área da saúde 494 mil leitos hospitalares PROJETO PROMOVENDO CULTURA NOS HOSPITAIS - 2016 O PROBLEMA A fragilidade da humanização no ambiente hospitalar. O CONTEXTO 6.633 hospitais espalhados pelo Brasil* 2,6 milhões de colaboradores atuam hoje

Leia mais

Ministério da Saúde Secretaria Executiva Departamento de Economia da Saúde e Desenvolvimento

Ministério da Saúde Secretaria Executiva Departamento de Economia da Saúde e Desenvolvimento 1 Ministério da Saúde Secretaria Executiva Departamento de Economia da Saúde e Desenvolvimento I Congresso Informação de Custos e Qualidade do Gasto no Setor Público Oficina II Informação de Custo para

Leia mais

Unidades de Negócios

Unidades de Negócios Grupo Clivale Como surgiu? História Tudo começou com a iniciativa de Raphael Serravalle ao perceber a carência de um serviço médico especializado na cidade do Salvador, calçada, induziu dois de seus filhos:

Leia mais

Revista de Saúde Pública ISSN: 0034-8910 revsp@usp.br Universidade de São Paulo Brasil

Revista de Saúde Pública ISSN: 0034-8910 revsp@usp.br Universidade de São Paulo Brasil Revista de Saúde Pública ISSN: 0034-8910 revsp@usp.br Universidade de São Paulo Brasil Secretaria de Estado da Saúde Vigilância Epidemiológica em âmbito hospitalar Revista de Saúde Pública, vol. 41, núm.

Leia mais

GLOSSÁRIO DE TERMOS COMUNS NOS SERVIÇOS DE SAÚDE DO MERCOSUL

GLOSSÁRIO DE TERMOS COMUNS NOS SERVIÇOS DE SAÚDE DO MERCOSUL MERCOSUL/GMC/RES. N 21/00 GLOSSÁRIO DE TERMOS COMUNS NOS SERVIÇOS DE SAÚDE DO MERCOSUL TENDO EM VISTA: o Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto, a Resolução N 91/93 do Grupo Mercado Comum e a Recomendação

Leia mais

Portaria nº 339 de 08 de Maio de 2002.

Portaria nº 339 de 08 de Maio de 2002. Portaria nº 339 de 08 de Maio de 2002. O Secretário de Assistência à Saúde, no uso de suas atribuições legais, Considerando a Portaria GM/MS nº 866, de 09 de maio de 2002, que cria os mecanismos para organização

Leia mais

As escolas podem transformar os cenários de atuação?

As escolas podem transformar os cenários de atuação? As escolas podem transformar os cenários de atuação? Jorge Harada COSEMS/SP Premissas Relação da Instituição de Ensino com o serviço... com a gestão local é mais amplo do que a autorização ou disponibilização

Leia mais

Selo Hospital Amigo do Idoso. Centro de Referência do Idoso

Selo Hospital Amigo do Idoso. Centro de Referência do Idoso SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DE SÃO PAULO COORDENADORIA DE REGIÕES DE SAÚDE CRS Política de Saúde para o Idoso no Estado de São Paulo Selo Hospital Amigo do Idoso Centro de Referência do Idoso Resolução

Leia mais

TABELA DE CUSTOS. TABELA DE CUSTOS FAMILIAR (Sem necessidade de Grau de Parentesco) R$ 15,00 / Contrato

TABELA DE CUSTOS. TABELA DE CUSTOS FAMILIAR (Sem necessidade de Grau de Parentesco) R$ 15,00 / Contrato Características Taxa de Implantação TABELA DE CUSTOS INDIVIDUAL R$ 15,00 / Contrato Produto: Max 200 Max 300 Max 300 Plus Max 400 Max 400 Plus Abrangência: Regional Regional Regional Regional Regional

Leia mais

HOSPITAIS FILANTRÓPICOS E SANTAS CASAS DE MISERICÓRDIA DO PARANÁ

HOSPITAIS FILANTRÓPICOS E SANTAS CASAS DE MISERICÓRDIA DO PARANÁ HOSPITAIS FILANTRÓPICOS E SANTAS CASAS DE MISERICÓRDIA DO PARANÁ 103 Instituições Beneficentes na área da Saúde* 58 são Hospitais Filantrópicos e Santas Casas de Misericórdia 45 Hospitais Filantrópicos

Leia mais

Mais do que financiar empresas ajudamos a transformar grandes ideias em negócios ainda mais rentáveis, oferecendo crédito sustentável.

Mais do que financiar empresas ajudamos a transformar grandes ideias em negócios ainda mais rentáveis, oferecendo crédito sustentável. QUEM SOMOS A DESENVOLVE SP é a instituição financeira do Governo do Estado de São Paulo que promove o crescimento sustentável das pequenas e médias empresas e municípios paulistas. Nosso objetivo é colaborar

Leia mais

Projetos desenvolvidos para o Hospital e Maternidade Municipal de Uberlândia e a o Hospital Escola de Uberlândia - UFU

Projetos desenvolvidos para o Hospital e Maternidade Municipal de Uberlândia e a o Hospital Escola de Uberlândia - UFU Projetos desenvolvidos para o Hospital e Maternidade Municipal de Uberlândia e a o Hospital Escola de Uberlândia - UFU AMBULATÓRIO Cadastro de paciente ( caso o paciente já tenha consultado no hospital

Leia mais

PROJETO DE ESTRUTURAÇÃO SAÚDE PÚBLICA Prefeitura Municipal de Itapeva - SP. Maio de 2014

PROJETO DE ESTRUTURAÇÃO SAÚDE PÚBLICA Prefeitura Municipal de Itapeva - SP. Maio de 2014 PROJETO DE ESTRUTURAÇÃO SAÚDE PÚBLICA Prefeitura Municipal de Itapeva - SP Maio de 2014 UMA RÁPIDA VISÃO DA SAÚDE PÚBLICA NO BRASIL HOJE Estrutura com grandes dimensões, complexa, onerosa e com falta de

Leia mais

A Política de Saúde Mental de Belo Horizonte. por uma sociedade sem manicômios

A Política de Saúde Mental de Belo Horizonte. por uma sociedade sem manicômios A Política de Saúde Mental de Belo Horizonte por uma sociedade sem manicômios UMA PÁTRIA SEM FRONTEIRAS, UMA CIDADE SEM PORTAS, DE CASAS SEM ARMADILHAS. UM JEITO SÓ DE VIVER, MAS NESSE JEITO, A VARIEDADE,

Leia mais

Parecer CRFa-4ª Região nº 003/2015

Parecer CRFa-4ª Região nº 003/2015 Parecer CRFa-4ª Região nº 003/2015 Dispõe sobre a atuação fonoaudiológica na área hospitalar privada, pública e filantrópica e em atendimento domiciliar e dá outras providências O presente Parecer tem

Leia mais

Brasil precisa de médicos. Brasil 1,8 Argentina 3,2 Uruguai 3,7 Portugal 3,9 Espanha 4 Reino Unido 2,7 Austrália 3 Itália 3,5 Alemanha 3,6

Brasil precisa de médicos. Brasil 1,8 Argentina 3,2 Uruguai 3,7 Portugal 3,9 Espanha 4 Reino Unido 2,7 Austrália 3 Itália 3,5 Alemanha 3,6 Brasil precisa de médicos Médicos/mil habitantes Brasil 1,8 Argentina 3,2 Uruguai 3,7 Portugal 3,9 Espanha 4 Reino Unido 2,7 Austrália 3 Itália 3,5 Alemanha 3,6 2 22 estados estão abaixo da média nacional

Leia mais

FINANCIAMENTO DA ASSISTENCIA PARA ALÉM DO PAGAMENTO POR PRODUÇÃO MAC/FAEC/INCENTIVOS/REDES

FINANCIAMENTO DA ASSISTENCIA PARA ALÉM DO PAGAMENTO POR PRODUÇÃO MAC/FAEC/INCENTIVOS/REDES 13º AUDHOSP Congresso Nacional de Auditoria em Saúde e Qualidade da Gestão e Assistência Hospitalar FINANCIAMENTO DA ASSISTENCIA PARA ALÉM DO PAGAMENTO POR PRODUÇÃO MAC/FAEC/INCENTIVOS/REDES Setembro/2014

Leia mais

Experiências Nacionais na Abordagem de Hipertensão e Diabetes na Rede de Atenção Primária A Experiência de São Bernardo do Campo

Experiências Nacionais na Abordagem de Hipertensão e Diabetes na Rede de Atenção Primária A Experiência de São Bernardo do Campo Experiências Nacionais na Abordagem de Hipertensão e Diabetes na Rede de Atenção Primária A Experiência de São Bernardo do Campo VIII Encontro Nacional de Prevenção da Doença Renal Crônica Dra. Patrícia

Leia mais

Estado de Mato Grosso Prefeitura Municipal de Itanhangá CNPJ: 07.209.225/0001-00 Gestão 2013/2016

Estado de Mato Grosso Prefeitura Municipal de Itanhangá CNPJ: 07.209.225/0001-00 Gestão 2013/2016 LEI Nº 325/2013 Data: 04 de Novembro de 2013 SÚMULA: Dispõe sobre o Plano Municipal de Políticas Públicas Sobre Drogas, que tem por finalidade fortalecer e estruturar o COMAD como órgão legítimo para coordenar,

Leia mais

Ação Integrada Centro Legal Nova Luz (Cracolândia) Cidade de Sao Paulo. Luca Santoro Gomes Cooordenadoria de Atencao as Drogas Secretaria Municipal

Ação Integrada Centro Legal Nova Luz (Cracolândia) Cidade de Sao Paulo. Luca Santoro Gomes Cooordenadoria de Atencao as Drogas Secretaria Municipal II JORNADA REGIONAL SOBRE DROGAS ABEAD/MPPE Recife, 9&10 Setembro Ação Integrada Centro Legal Nova Luz (Cracolândia) Cidade de Sao Paulo. Luca Santoro Gomes Cooordenadoria de Atencao as Drogas Secretaria

Leia mais

Rede de Atenção Psicossocial

Rede de Atenção Psicossocial NOTA TÉCNICA 62 2011 Rede de Atenção Psicossocial Altera a portaria GM nº 1.169 de 07 de julho de 2005 que destina incentivo financeiro para municípios que desenvolvem Projetos de Inclusão Social pelo

Leia mais

Especialização em Fisioterapia Respiratória e UTI - NOVO

Especialização em Fisioterapia Respiratória e UTI - NOVO Especialização em Fisioterapia Respiratória e UTI - NOVO Apresentação Previsão de Início Agosto Inscrições em Breve - Turma 01 - Campus Stiep O foco deste curso é promover ao profissional conhecimentos

Leia mais

Taxa de Inscrição: R$ 15,00 por contrato Referência: Junho de 2009 INDIVIDUAL ou GRUPAL

Taxa de Inscrição: R$ 15,00 por contrato Referência: Junho de 2009 INDIVIDUAL ou GRUPAL Taxa de Inscrição: R$ 15,00 por contrato Referência: Junho de 2009 INDIVIDUAL ou GRUPAL 12BFaixas Etárias Amil Blue I Amil Blue II Amil Blue III Amil Blue IV Amil 140 Amil 150 Amil 160 I Amil 160 II Amil

Leia mais

O PERFIL DOS PACIENTES ATENDIDOS PELO PROGRAMA DE ASSISTENCIA E INTERNAÇÃO DOMICILIAR-PAID NO MUNICIPIO DE CASCAVEL -PR

O PERFIL DOS PACIENTES ATENDIDOS PELO PROGRAMA DE ASSISTENCIA E INTERNAÇÃO DOMICILIAR-PAID NO MUNICIPIO DE CASCAVEL -PR O PERFIL DOS PACIENTES ATENDIDOS PELO PROGRAMA DE ASSISTENCIA E INTERNAÇÃO DOMICILIAR-PAID NO MUNICIPIO DE CASCAVEL -PR ROSANI DA ROSA BENDO 1 LAIS PRISCILA FAGHERAZZI 2 MARA LUCIA RENOSTRO ZACHI 3 INTRODUÇÃO:

Leia mais

AULA 1: ORGANIZAÇÃO E PLANEJAMENTO NA EMERGÊNCIA

AULA 1: ORGANIZAÇÃO E PLANEJAMENTO NA EMERGÊNCIA AULA 1: ORGANIZAÇÃO E PLANEJAMENTO NA EMERGÊNCIA 1- INTRODUÇÃO Quando uma pessoa sofre agravo agudo à saúde, deve ser acolhido em serviço do SUS mais próximo de sua ocorrência, seja numa Unidade de Saúde

Leia mais

- organização de serviços baseada nos princípios de universalidade, hierarquização, regionalização e integralidade das ações;

- organização de serviços baseada nos princípios de universalidade, hierarquização, regionalização e integralidade das ações; PORTARIA N 224/MS, DE 29 DE JANEIRO DE 1992. item 4.2 alterada(o) por: Portaria nº 147, de 25 de agosto de 1994 O Secretário Nacional de Assistência à Saúde e Presidente do INAMPS, no uso das atribuições

Leia mais

O CUIDADO QUE EU PRECISO

O CUIDADO QUE EU PRECISO O CUIDADO QUE EU PRECISO GOVERNO FEDERAL GOVERNO ESTADUAL GOVERNO MUNICIPAL MOVIMENTOS SOCIAIS MEIOS DE COMUNICAÇÃO O CUIDADO QUE EU PRECISO Serviço Hospitalar de Referência AD CAPS AD III Pronto Atendimento

Leia mais

PROPOSTA PARA CASAS DE APOIO PARA ADULTOS QUE VIVEM COM HIV/AIDS - ESTADO DE SANTA CATARINA

PROPOSTA PARA CASAS DE APOIO PARA ADULTOS QUE VIVEM COM HIV/AIDS - ESTADO DE SANTA CATARINA ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE DIRETORIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA PROPOSTA PARA CASAS DE APOIO PARA ADULTOS QUE VIVEM COM HIV/AIDS - ESTADO DE SANTA CATARINA

Leia mais

4 Quando o número de vagas proposto corresponde adequadamente à dimensão do corpo

4 Quando o número de vagas proposto corresponde adequadamente à dimensão do corpo MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Superior SESu Diretoria de Regulação e Supervisão da Educação Superior - Desup Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep

Leia mais

Como a Tecnologia pode democratizar o acesso à saúde

Como a Tecnologia pode democratizar o acesso à saúde Como a Tecnologia pode democratizar o acesso à saúde Smartcity Business América 2015 Curitiba PR Brazil Maio de 2015 Sociedades Inteligentes e Governaça Airton Coelho, MsC, PMP Secretário de Ciência e

Leia mais

Município de Guarulhos População: 1.244.518 habitantes

Município de Guarulhos População: 1.244.518 habitantes Município de Guarulhos População: 1.244.518 habitantes 1 2 EQUIPAMENTOS DE SAÚDE NO MUNICÍPIO Hospitais Municipais: 03 Hospitais Estaduais: 02 Hospitais Filantrópicos: 02 Policlínicas: 06 Unidade de Pronto

Leia mais

PROPOSTA DE IMPLANTAÇÃO DO ACOLHIMENTO E AVALIAÇÃO COM CLASSIFICAÇÃO DE RISCO NO PRONTO SOCORRO DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO CAJURU, CURITIBA (PR)

PROPOSTA DE IMPLANTAÇÃO DO ACOLHIMENTO E AVALIAÇÃO COM CLASSIFICAÇÃO DE RISCO NO PRONTO SOCORRO DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO CAJURU, CURITIBA (PR) PROPOSTA DE IMPLANTAÇÃO DO ACOLHIMENTO E AVALIAÇÃO COM CLASSIFICAÇÃO DE RISCO NO PRONTO SOCORRO DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO CAJURU, CURITIBA (PR) 1 Aline Cecilia Pizzolato 1 Em fevereiro de 2003 a nova equipe

Leia mais

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DOS ITENS DE VERIFICAÇÃO - UPA

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DOS ITENS DE VERIFICAÇÃO - UPA RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DOS ITENS DE VERIFICAÇÃO - UPA Quando da apresentação de protocolos, manual de normas e rotinas, procedimento operacional padrão (POP) e/ou outros documentos,

Leia mais

Instituições de Longa Permanência: Desafios e Modelos Possíveis. Neuma Nogueira Coordenadora do Grupo Vida - Brasil

Instituições de Longa Permanência: Desafios e Modelos Possíveis. Neuma Nogueira Coordenadora do Grupo Vida - Brasil Instituições de Longa Permanência: Desafios e Modelos Possíveis Neuma Nogueira Coordenadora do Grupo Vida - Brasil Há 17 anos promovendo os direitos dos idosos com qualidade de vida. Nossa História O Grupo

Leia mais

Contexto São Paulo, Brasil: 1980-2000

Contexto São Paulo, Brasil: 1980-2000 Contexto São Paulo, Brasil: 1980-2000 Transição para Democracia. Constituição de 1988. Aumento do efetivo, equipamento e armamento das polícias. Integração das polícias civil e militar + separação da polícia

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS. Rua Profº Leonor de Oliveira Melo, nº 159 Vila Laura Mogi das Cruzes

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS. Rua Profº Leonor de Oliveira Melo, nº 159 Vila Laura Mogi das Cruzes Dezembro / 2010 1 DE 47 REFERÊNCIA OBJETO ELABORAÇÃO DE PROJETO BÁSICO E EXECUTIVO PARA EXECUÇÃO DE OBRA PARA O IMÓVEL ONDE SERÁ INSTALADA A PTM DE MOGI DAS CRUZES DO MPT/PRT2º REGIÃO. LOCAL Rua Profº

Leia mais

Nome: Locenir Colovini Fone: (51) 98969229/80569032 Endereço: Av. Assis Brasil, 2590 Porto Alegre/ RS E-mail: locenir@yahoo.com.br

Nome: Locenir Colovini Fone: (51) 98969229/80569032 Endereço: Av. Assis Brasil, 2590 Porto Alegre/ RS E-mail: locenir@yahoo.com.br Nome: Locenir Colovini Fone: (51) 98969229/80569032 Endereço: Av. Assis Brasil, 2590 Porto Alegre/ RS E-mail: locenir@yahoo.com.br 1. DADOS PESSOAIS o Data de Nascimento: 02/05/1971 o Filiação: Napoleão

Leia mais

Modelos de Gestão e Remuneração: Os artistas em cena

Modelos de Gestão e Remuneração: Os artistas em cena 24º - CONGRESSO DE PRESIDENTES, PROVEDORES, DIRETORES E ADMINISTRADORES HOSPITALARES DE SANTAS CASAS E HOSPITAIS BENEFICENTES DO ESTADO DE SÃO PAULO Modelos de Gestão e Remuneração: Os artistas em cena

Leia mais

CAMINHOS DA HUMANIZAÇÃO EM UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO

CAMINHOS DA HUMANIZAÇÃO EM UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO CAMINHOS DA HUMANIZAÇÃO EM UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO Dalas Cristina Miglioranza 1 Maria Lucia Frizon Rizzotto Manoela de Carvalho RESUMO: O hospital, caracteriza-se como uma instituição complexa que participa

Leia mais

AMBIENTES DE TRATAMENTO. Hospitalização

AMBIENTES DE TRATAMENTO. Hospitalização FONTE: Ferigolo, Maristela et al. Centros de Atendimento da Dependência Química - 2007- Maristela Ferigolo, Simone Fernandes, Denise C.M. Dantas, Helena M.T. Barros. Porto Alegre: Editora AAPEFATO. 2007,

Leia mais

Papel do Hospital das Clínicas

Papel do Hospital das Clínicas Conquistas e Desafios na Atenção à Saúde Pública em Ribeirão Preto Papel do Hospital das Clínicas Milton Roberto Laprega 22 de maio de 2010 Ensino Pesquisa Assistência à saúde satisfação do paciente 1

Leia mais

O SERVIÇO SOCIAL E A PRÁTICA PROFISSIONAL NA CASA DA ACOLHIDA

O SERVIÇO SOCIAL E A PRÁTICA PROFISSIONAL NA CASA DA ACOLHIDA O SERVIÇO SOCIAL E A PRÁTICA PROFISSIONAL NA CASA DA ACOLHIDA LEMOS, Josiane (estágio I), e-mail: lemosjosi@hotmail.com SANTOS, Lourdes de Fátima dos (estágio I). e-mail: lurdesfsantos84@hotmail.com SCHEMIGUEL,

Leia mais

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 121, DE 25 DE JANEIRO DE 2012

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 121, DE 25 DE JANEIRO DE 2012 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 121, DE 25 DE JANEIRO DE 2012 Institui a Unidade de Acolhimento para pessoas

Leia mais

Linha de Cuidado da Obesidade. Rede de Atenção à Saúde das Pessoas com Doenças Crônicas

Linha de Cuidado da Obesidade. Rede de Atenção à Saúde das Pessoas com Doenças Crônicas Linha de Cuidado da Obesidade Rede de Atenção à Saúde das Pessoas com Doenças Crônicas Evolução do excesso de peso e obesidade em adultos 0,8% (1.550.993) da população apresenta obesidade grave 1,14% das

Leia mais

Rede de proteção a gestantes e bebês

Rede de proteção a gestantes e bebês Rede de proteção a gestantes e bebês Informações e fotos: Prefeitura de São Paulo/Nova S/B. Redação e edição: Editora Contadino. Diagramação: Multi Propaganda. Desde a criação do programa, em março de

Leia mais

UM OLHAR SOBRE OS MORADORES DO SERVIÇO RESIDENCIAL TERAPÊUTICO E SUAS POSSIBILIDADES DE CIRCULAÇÃO E AÇÃO NA CIDADE DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS-SP

UM OLHAR SOBRE OS MORADORES DO SERVIÇO RESIDENCIAL TERAPÊUTICO E SUAS POSSIBILIDADES DE CIRCULAÇÃO E AÇÃO NA CIDADE DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS-SP UM OLHAR SOBRE OS MORADORES DO SERVIÇO RESIDENCIAL TERAPÊUTICO E SUAS POSSIBILIDADES DE CIRCULAÇÃO E AÇÃO NA CIDADE DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS-SP Camila de Assis Covas 1 Karina Soares Montmasson 2 Ligia Moraes

Leia mais

De 26 a 49 Beneficiários

De 26 a 49 Beneficiários Taxa de Inscrição: R$ 50,00 por contrato Referência: Junho de 2009 De 3 até 25 Beneficiários 12BFaixas Etárias Amil Blue I Amil Blue II Amil Blue III Amil Blue IV Amil 140 Amil 150 Amil 160 I Amil 160

Leia mais

ATENÇÃO A POPULAÇÕES INDÍGENAS EM HOSPITAIS AMIGO DO ÍNDIO EM RONDÔNIA AUTORES: Lucia Rejane Gomes da Silva, Daniel Moreira Leite, Ana Lúcia Escobar, Ari Miguel Teixeira Ott 1 Introdução Em julho de 2005,

Leia mais

Linhas de Cuidado na Perspectiva de Redes de Atenção à Saúde

Linhas de Cuidado na Perspectiva de Redes de Atenção à Saúde Linhas de Cuidado na Perspectiva de Redes de Atenção à Saúde Linhas de Cuidado na RELEMBRANDO... Perspectiva de RAS A RAS é definida como arranjos organizativos de ações e serviços de saúde, de diferentes

Leia mais

A Rede de Atenção à Saúde Mental no Paraná. Coordenação Estadual de Saúde Mental Abril 2014

A Rede de Atenção à Saúde Mental no Paraná. Coordenação Estadual de Saúde Mental Abril 2014 A Rede de Atenção à Saúde Mental no Paraná Coordenação Estadual de Saúde Mental Abril 2014 Da segregação à conquista da cidadania 1980 mobilização dos usuários, familiares e trabalhadores de saúde visando

Leia mais

REQUERIMENTO Nº, DE 2011

REQUERIMENTO Nº, DE 2011 REQUERIMENTO Nº, DE 2011 Requeremos, nos termos do artigo 13, 2º da Constituição do Estado de São Paulo e do artigo 34 da XIII Consolidação do Regimento Interno, a constituição de uma Comissão Parlamentar

Leia mais

PADI. Programa de Atenção domiciliar ao Idoso

PADI. Programa de Atenção domiciliar ao Idoso PADI Programa de Atenção Objetivos do programa Apesar dos benefícios óbvios da internação quando necessária, o paciente idoso afastado da rotina de casa e da família apresenta maior dificuldade de recuperação,

Leia mais

PELOTAS /RS CARTILHA DE ORIENTAÇÕES

PELOTAS /RS CARTILHA DE ORIENTAÇÕES PELOTAS /RS CARTILHA DE ORIENTAÇÕES Coordenação geral: Julieta Carriconde Fripp Coordenação técnica: Isabel Arrieira Coordenação Administrativa: Airton Oliveira 1 - ATENÇÃO DOMICILIAR A atenção domiciliar

Leia mais

1.161 6.710 1.875. Posição em Março/2015

1.161 6.710 1.875. Posição em Março/2015 2014 7 1.161 249 55 9 6.710 1.875 Posição em Março/2015 791 mil Consultas 50,5 mil Internações 60 mil Proced. Cirúrgicos e Obstétricos 4,7 Milhões Diagnóstico e Tratamento 5.570.529 Total de procedimentos

Leia mais

O Serviço Social da Construção Civil do Estado de São Paulo (SECONCI-SP) é uma entidade filantrópica e sem fins lucrativos, fundada em março de 1964.

O Serviço Social da Construção Civil do Estado de São Paulo (SECONCI-SP) é uma entidade filantrópica e sem fins lucrativos, fundada em março de 1964. O Serviço Social da Construção Civil do Estado de São Paulo (SECONCI-SP) é uma entidade filantrópica e sem fins lucrativos, fundada em março de 1964. Missão: Promover ações de assistência social, saúde

Leia mais

Programa Nacional de Controle da Dengue - PNCD PLANO DE CONTINGÊNCIA AREA DA ASSISTÊNCIA

Programa Nacional de Controle da Dengue - PNCD PLANO DE CONTINGÊNCIA AREA DA ASSISTÊNCIA Programa Nacional de Controle da Dengue - PNCD PLANO DE CONTINGÊNCIA AREA DA DENGUE: PLANO DE CONTINGÊNCIA - AREA DA DIRETRIZES GERAIS PARA ELABORAÇÃO E EXECUÇÃO DO PLANO DE CONTIGÊNCIA Apoio Ministério

Leia mais

NOTA TÉCNICA REDE DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL (RAPS) 19/04/2012 Pag. 1 de 5

NOTA TÉCNICA REDE DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL (RAPS) 19/04/2012 Pag. 1 de 5 NOTA TÉCNICA REDE DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL (RAPS) 19/04/2012 Pag. 1 de 5 A Secretaria da Saúde do Estado do Ceará, através do Núcleo de Atenção à Saúde Mental//Coordenadoria de Políticas e Atenção à Saúde

Leia mais

Gerenciamento de Casos Especiais

Gerenciamento de Casos Especiais Gerenciamento de Casos Especiais Cuidados especiais pra Quem É especial. QUEM ama cuida. 2 o programa Gerenciamento de casos especiais, oferecido pelo departamento de Qualidade de vida e saúde, da unimed

Leia mais

LEI Nº 10.216, DE 6 DE ABRIL DE 2001

LEI Nº 10.216, DE 6 DE ABRIL DE 2001 LEI Nº 10.216, DE 6 DE ABRIL DE 2001 Dispõe sobre a proteção e os direitos das pessoas portadoras de transtornos mentais e redireciona o modelo assistencial em saúde mental. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço

Leia mais

Matriciamento em saúde Mental. Experiência em uma UBS do Modelo Tradicional de Atenção Primária à Saúde

Matriciamento em saúde Mental. Experiência em uma UBS do Modelo Tradicional de Atenção Primária à Saúde Matriciamento em saúde Mental Experiência em uma UBS do Modelo Tradicional de Atenção Primária à Saúde Matriciamento - conceito O suporte realizado por profissionais e diversas áreas especializadas dado

Leia mais

A SAÚDE NO GOVERNO LULA PROGRAMA DE GOVERNO

A SAÚDE NO GOVERNO LULA PROGRAMA DE GOVERNO A SAÚDE NO GOVERNO LULA PROGRAMA DE GOVERNO ÍNDICE Diagnóstico Princípios Básicos: 1- Redefinição da atuação pública na saúde 2-Saúde como direito de todos 3-Estabilidade e continuidade das políticas de

Leia mais

Média de Permanência Geral

Média de Permanência Geral Média de Permanência Geral V1.02 Janeiro de 2013 1. Sigla E-EFI-05 Sumário: Sigla Nome Conceituação Domínio 2. Nome Média de Permanência Geral 3. Conceituação Representa o tempo médio em dias que os pacientes

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO

MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO AGENDA ESTRATÉGICA DA GESTÃO (2012-2015) AGENDA ESTRATÉGICA DA GESTÃO (2012-2015) Este documento tem o propósito de promover o alinhamento da atual gestão

Leia mais

Tabela de Preços. Junho 2009 PLANO DE SAÚDE INDIVIDUAL / FAMILIAR

Tabela de Preços. Junho 2009 PLANO DE SAÚDE INDIVIDUAL / FAMILIAR Tabela de Preços Junho 2009 PLANO DE SAÚDE INDIVIDUAL / FAMILIAR Manual de Vendas - PF A Unimed Paulistana é uma Cooperativa Médica e todos os médicos que atendem aos beneficiários dos planos são donos

Leia mais

Política de humanização no estado de São Paulo

Política de humanização no estado de São Paulo Artigo Política de humanização no estado de São Paulo Por Eliana Ribas A autora é psicanalista e doutora em Psicologia Clínica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Atua como coordenadora

Leia mais

Núcleo de Atenção Integral à Saúde Unimed São José dos Campos

Núcleo de Atenção Integral à Saúde Unimed São José dos Campos Núcleo de Atenção Integral à Saúde Unimed São José dos Campos Núcleo de Atenção Integral à Saúde da Unimed SJC O Núcleo de Ação Integral à Saúde (NAIS) é o setor responsável pela promoção da saúde e prevenção

Leia mais

THALITA KUM PROJETO - CUIDANDO COM HUMANIDADE DOS ACAMADOS E DE SEUS CUIDADORES.

THALITA KUM PROJETO - CUIDANDO COM HUMANIDADE DOS ACAMADOS E DE SEUS CUIDADORES. THALITA KUM PROJETO - CUIDANDO COM HUMANIDADE DOS ACAMADOS E DE SEUS CUIDADORES. ANA LUCIA MESQUITA DUMONT; Elisa Nunes Figueiredo. Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte SMSA-BH (Atenção Básica)

Leia mais

Grupo de 3 a 9 vidas - PME Ambulatorial e Hospitalar com Obstetrícia

Grupo de 3 a 9 vidas - PME Ambulatorial e Hospitalar com Obstetrícia SulAmérica PME Compulsório (Obrigatório adesão de 100% dos sócios e/ou funcionários) JANEIRO de 2011 Vigência: 03.01.2011 a 31.01.2011 Tabela de prêmios comerciais mensais em reais e sem IOF (Acrescentar

Leia mais

INTEGRAÇÃO DOS HOSPITAIS, AMBULATÓRIOS E CENTROS PÚBLICOS DE SAÚDE DO ESTADO COM SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE IMAGENS MÉDICAS

INTEGRAÇÃO DOS HOSPITAIS, AMBULATÓRIOS E CENTROS PÚBLICOS DE SAÚDE DO ESTADO COM SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE IMAGENS MÉDICAS INTEGRAÇÃO DOS HOSPITAIS, AMBULATÓRIOS E CENTROS PÚBLICOS DE SAÚDE DO ESTADO COM SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE IMAGENS MÉDICAS Introdução O objetivo deste trabalho é apresentar um modelo de central de laudos

Leia mais

SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL

SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL -Principais serviços que a Assistência Social possui para atendimento de idosos: - Proteção Social Básica (atendimento preventivo) - Centro de Convivência do Idoso - atualmente

Leia mais