COLETA DE DADOS PROFA. ENIMAR JERÔNIMO WENDHAUSEN

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "COLETA DE DADOS PROFA. ENIMAR JERÔNIMO WENDHAUSEN"

Transcrição

1 COLETA DE DADOS PROFA. ENIMAR JERÔNIMO WENDHAUSEN

2 Objetivo da aula Conhecer os instrumentos de coleta de dados, suas vantagens e limitações.

3 Caminhos Para a Obtenção de Dados Pesquisa em ciências sociais caminhos para a obtenção de dados: Pesquisa bibliográfica e documental Pesquisa de campo

4 Coleta de dados diretamente das pessoas: Observação Questionário Entrevista Os mais utilizados nas ciências econômicas: Entrevista pessoal Questionário auto-aplicado

5 OBSERVAÇÃO Atividade de senso-comum, no entanto, pode ser considerada como procedimento científico à medida que: a) serve a um objetivo formulado de pesquisa; b) é sistematicamente planejada; c) é sistematicamente registrada e ligada a proposições mais gerais; d) é submetida à verificação e controles de validade e precisão. (GIL, 2000, p.133).

6 OBSERVAÇÃO Vantagem da utilização dessa técnica em relação as outras: Os fatos são percebidos diretamente, sem qualquer intermediação. Principal inconveniente: A presença do pesquisador pode alterar o comportamento dos observados.

7 OBSERVAÇÃO Não constitui o método dos mais utilizados nas ciências sociais, pois: Muitas ações humanas ocorrem no domínio privado. A observação pode provocar alterações no comportamento das pessoas observadas, produzindo resultados pouco confiáveis. Utilização bem mais restrita na Economia.

8 OBSERVAÇÃO Classificação: Observação Simples (observação reportagem) O pesquisador permanece alheio à comunidade, grupo ou situação que pretende estudar. Observa de forma espontânea os fatos. O pesquisador é muito mais um espectador do que um ator. Vantagens: Possibilita a obtenção de dados para a definição do problema. Favorece a construção de hipóteses acerca do problema estudado.

9 OBSERVAÇÃO Limitações: O registro das observações depende, freqüentemente, da memória do investigador. Dá ampla margem à interpretação subjetiva ou parcial do fenômeno estudado.

10 A observação simples é realizada de forma pouco sistemática, sua utilização não é adequada para testar hipóteses ou descrever com precisão as características da população ou de um grupo.

11 OBSERVAÇÃO Observação Participante o pesquisador assume até certo ponto, o papel de um membro do grupo. b.1) natural quando o observador pertence à mesma comunidade ou grupo que investiga. b.2) artificial quando o observador se integra ao grupo com o objetivo de realizar uma investigação.

12 OBSERVAÇÃO Vantagens: Facilita o rápido acesso a dados sobre situações habituais em que os membros das comunidades se encontram envolvidos. Possibilita o acesso a dados que a comunidade ou grupo considera de domínio privado. (GIL, 1999, p. 114). Desvantagens: Pode ter sua observação restrita a um retrato da população pesquisada.

13 OBSERVAÇÃO Observação Sistemática utilizada pelo pesquisador, para descrever fenômenos ou testar hipóteses. Antes de realizar a coleta de dados, o pesquisador deve elaborar um plano específico para a organização e o registro das informações.

14 Ex.: verificar as características dos clientes de um supermercado. O plano envolve: Sexo, idade aproximada, produtos adquiridos, tempo de permanência no supermercado etc.

15 QUESTIONÁRIO Técnica de investigação composta por questões apresentadas por escrito às pessoas. Tipos: a) auto-aplicado e, b) aplicado com entrevista (formulário ou entrevista totalmente estruturada). Vantagens em relação a outras técnicas: Pode atingir um grande número de pessoas. Implica em menores gastos. Não expõe os pesquisados à influência do entrevistador. Garante o anonimato das pessoas. Favorece a tabulação dos dados.

16 QUESTIONÁRIO Limitações: Pode excluir pessoas que não sabem ler e escrever. Impede o auxílio quando a questão não é entendida. Não oferece a garantia de que todos sejam preenchidos completamente e devolvidos, etc. Tipos de questões: a) fechadas; b) abertas; c) questões dependentes.

17 QUESTIONÁRIO Questões fechadas: Deve-se evitar um número muito grande de alternativas, pois isso poderá prejudicar a escolha. Sendo também necessário garantir que haja sempre uma alternativa em que o respondente se enquadre. Questões abertas. Evitar muitas questões abertas.

18 QUESTIONÁRIO NÚMERO DE PERGUNTAS ESCOLHA DAS PERGUNTAS Está condicionada a natureza da informação desejada, nível sociocultural dos interrogados etc. Incluir apenas perguntas relacionadas ao problema pesquisado e que possam ser respondidas sem maiores dificuldades; não devem ser incluídas perguntas cujas respostas possam ser obtidas de forma mais precisa através de outros procedimentos; deve-se evitar perguntas que envolvam a intimidade das pessoas.

19 QUESTIONÁRIO FORMULAÇÃO DAS PERGUNTAS Devem ser formuladas de forma clara e precisa; deve-se levar em consideração o nível de informação do interrogado; a pergunta não deve sugerir respostas e deve referir-se a uma única idéia de cada vez, além de possibilitar uma única interpretação.

20 QUESTIONÁRIO ORDEM DAS PERGUNTAS Adota-se a técnica do funil cada questão deve relacionar-se com a questão antecedente. PREVENÇÃO DE DEFORMAÇÕES O pesquisador deve levar em consideração os mecanismos de defesa social. Estes, de maneira inconsciente intervêm na situação de resposta a um questionário. Algumas deformações: A defesa de fachada: o respondente acredita estar correndo o risco de ser julgado e reage oferecendo respostas defensivas, ou socialmente desejáveis, encobrindo sua real percepção acerca do fato.

21 QUESTIONÁRIO Defesa contra a pergunta personalizada Na sua opinião, o que você pensa a respeito de, entre outras,. São perguntas que tendem a provocar fugas. Deve-se evitar iniciar o questionário com perguntas que provoquem tais reações.

22 QUESTIONÁRIO APRESENTAÇÃO DO QUESTIONÁRIO Apresentação gráfica Instruções para preenchimento Introdução do questionário Pré-teste do questionário

23 ENTREVISTA Técnica em que o pesquisador se apresenta ao pesquisado e formula as perguntas. Vantagens: Permite ao entrevistador adaptar-se às características e circunstâncias em que se desenvolve a entrevista. Possibilita o esclarecimento de questões não entendidas; Oferece maior garantia de respostas do que o questionário.

24 ENTREVISTA Não exige que o entrevistado saiba ler e escrever. Possibilita captar a expressão corporal do entrevistado, bem como a tonalidade da voz e a ênfase nas respostas. Permite a obtenção de dados com elevado nível de profundidade.

25 ENTREVISTA Alguns cuidados: Preparar um roteiro de entrevista. Estabelecer um contato inicial. Devem ser feitas, em primeiro lugar, perguntas que não conduzam à recusa em responder. Realizar uma pergunta de cada vez.

26 ENTREVISTA Limitações: Custo com treinamento de pessoal e aplicação das entrevistas; Tempo despendido; Influência das opiniões pessoais do entrevistador sobre as respostas do entrevistado; Dificuldade de tabulação e análise dos dados, no caso das entrevistas abertas; Ausência de anonimato.

27 ENTREVISTA No caso de respostas incompletas, o entrevistador deve estimular o entrevistado a fornecer a resposta, sem, no entanto sugerir a mesma. As respostas devem ser registradas imediatamente.

28 ENTREVISTA POR TELEFONE: Vantagens: Custos muito mais baixos; Maior facilidade de seleção da amostra; Mais rapidez; Maior aceitação dos moradores das grandes cidades, que temem abrir suas portas para estranhos; Possibilidade de agendar o momento mais apropriado para a realização da entrevista; [ ]. (GIL, 2000, p. 144).

29 ENTREVISTA Limitações: Possibilidade de interrupção da entrevista pelo entrevistado; Menor quantidade de informações; Impossibilidade de descrever as características do entrevistado ou as circunstâncias em que se realizou a entrevista; Parcela significativa da população que não dispõe de telefone ou não tem seu nome na lista. (GIL, 2000, p. 144).

30 ENTREVISTA Classificação: Entrevista Informal Entrevista Focalizada (Semi estruturada) Entrevista por Pautas Entrevista Estruturada

31 ENTREVISTA INFORMAL É o menos estruturado possível. O que se pretende com este tipo de entrevista é obter uma visão geral do problema pesquisado. É recomendada nos estudos exploratórios, que abordam realidades pouco conhecidas pelo pesquisador.

32 ENTREVISTA FOCALIZADA O entrevistador permite ao entrevistado falar livremente sobre o assunto, evitando que o mesmo desvie do tema original. Utilizada com grupos de pessoas que passaram por uma experiência específica.

33 O entrevistador confere ao entrevistado ampla liberdade para se expressar sobre o assunto. Requer grande habilidade do pesquisador para manter o foco do interesse temático.

34 ENTREVISTA POR PAUTAS Apresenta certo grau de estruturação, já que se guia por uma relação de interesse que o explorador vai explorando ao longo de seu curso. As pautas devem ser ordenadas e guardar certa relação entre si. O entrevistador faz poucas perguntas diretas e deixa o entrevistado falar livremente à medida que se refere às pautas assinaladas.

35 ENTREVISTA ESTRUTURADA Se desenvolve a partir de uma relação fixa de perguntas, cuja ordem e redação permanece invariável para todos os entrevistados que geralmente são em grande número. Vantagens: Entre algumas citadas anteriormente, possibilita a análise estatística dos dados. Limitações: Não possibilita a análise dos fatos com profundidade.

36 COMO SE PLANEJA UM QUESTIONÁRIO? É fácil construir um questionário? Deve-se definir no projeto: os objetivos do trabalho e o tipo de respondentes. Um questionário escrito sem finalidade definida terá perguntas desnecessárias.

37 Seja específico ao redigir o objetivo de sua pesquisa. Não escreva: o objetivo deste questionário é levantar algumas informações sobre moradores de rua (VIEIRA, 2009, 24) Escreva: O objetivo desse questionário é levantar as características demográficas de menores de 16 anos moradores de rua da cidade de São Paulo, região central, em (VIEIRA, 2009, 24)

38 Escolha dos respondentes É importante definir e conhecer as características da população alvo antes de começar a construir o questionário. Exemplos: Médicos Cuidadoras de crianças em orfanatos

39 Carta de apresentação Explicar por que o questionário está sendo aplicado (o que se pretende saber e para quê). Enfatizar a importância da resposta. Dar o nome da pessoa ou da instituição responsável pela pesquisa. Dar o nome e telefone da pessoa que deve ser contatada, em caso de dúvida. Garantir o sigilo. Agradecer ao respondente.

40 REFERÊNCIAS GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. ed. São Paulo: Atlas, Técnicas de pesquisa em economia e elaboração de monografias. 3. ed. São Paulo: Atlas, VIEIRA, Sonia. Como elaborar questionários. São Paulo: Atlas, 2009.

Técnicas e Instrumentos Utilizados na Pesquisa Científica Cavalcanti

Técnicas e Instrumentos Utilizados na Pesquisa Científica Cavalcanti Técnicas e Instrumentos Utilizados na Pesquisa Científica Técnicas de Pesquisa Técnica: Conjunto de preceitos ou processos de que se serve uma ciência. Toda ciência utiliza inúmeras técnicas na obtenção

Leia mais

Técnicas de coleta de dados e instrumentos de pesquisa

Técnicas de coleta de dados e instrumentos de pesquisa Técnicas de coleta de dados e instrumentos de pesquisa O que é técnica? O que é instrumento? Tipos de técnicas e instrumentos de pesquisa Entrevista Questionários Observação 1. ENTREVISTA Encontro entre

Leia mais

Modulo 4. Principais instrumentos de coleta de dados. Entrevista Questionário Formulário Observação Triangulação

Modulo 4. Principais instrumentos de coleta de dados. Entrevista Questionário Formulário Observação Triangulação Metodologia de Estudo e de Pesquisa em Administração Modulo 4 Principais instrumentos de coleta de dados. Entrevista Questionário Formulário Observação Triangulação UAB - UNEMAT Prof. Dr. Marcos Luís Procópio

Leia mais

Etapas da Metodologia da Pesquisa Científica. Maria da Conceição Muniz Ribeiro Mestre em Enfermagem pela UERJ

Etapas da Metodologia da Pesquisa Científica. Maria da Conceição Muniz Ribeiro Mestre em Enfermagem pela UERJ Etapas da Metodologia da Pesquisa Científica Maria da Conceição Muniz Ribeiro Mestre em Enfermagem pela UERJ Metodologia da Pesquisa Cientifica Metodologia Como se procederá a pesquisa? Caminhos para se

Leia mais

Índice. Grupo 6.3 - Módulo 13

Índice. Grupo 6.3 - Módulo 13 GRUPO 6.3 MÓDULO 13 Índice 1. Definição dos Instrumentos de Pesquisa...3 2. Critérios para Elaboração e Realização da Entrevista...3 3. A Internet como Ferramenta de Pesquisa...4 4. Coleta e Seleção de

Leia mais

TÉCNICAS DE COLETA E ANÁLISE DE DADOS EM ARQUITETURA. Prof. MSc. Francisco Zacaron Werneck

TÉCNICAS DE COLETA E ANÁLISE DE DADOS EM ARQUITETURA. Prof. MSc. Francisco Zacaron Werneck TÉCNICAS DE COLETA E ANÁLISE DE DADOS EM ARQUITETURA Prof. MSc. Francisco Zacaron Werneck INTRODUÇÃO A escolha das técnicas está condicionada ao Problema de Pesquisa. Três perguntas básicas devem ser respondidas

Leia mais

As Etapas da Pesquisa D R. G U A N I S D E B A R R O S V I L E L A J U N I O R

As Etapas da Pesquisa D R. G U A N I S D E B A R R O S V I L E L A J U N I O R As Etapas da Pesquisa D R. G U A N I S D E B A R R O S V I L E L A J U N I O R INTRODUÇÃO A pesquisa é um procedimento reflexivo e crítico de busca de respostas para problemas ainda não solucionados. O

Leia mais

O que é entrevista? 11.1 Conceituação 1.2 Vantagens e limitações da entrevista

O que é entrevista? 11.1 Conceituação 1.2 Vantagens e limitações da entrevista O que é entrevista? 11.1 Conceituação Segundo Gil (2008) pode-se definir entrevista como a técnica em que o investigador se apresenta frente ao investigado e lhe formula perguntas, com o objetivo de obtenção

Leia mais

MBA em Gestão Estratégica

MBA em Gestão Estratégica MBA em Gestão Estratégica Disciplina Extra Metodologia Científica Profa. Dra. Sonia Valle W. B. Oliveira Parte 1-23/03/2012 Parte 2-30/03/2012 1 Aula Extra Parte 2 Metodologia Científica 2 Agenda Dados

Leia mais

Métodos e técnicas de pesquisa. Alessandra Martins Coelho

Métodos e técnicas de pesquisa. Alessandra Martins Coelho Métodos e técnicas de pesquisa Alessandra Martins Coelho Método de Pesquisa Metodologia é o estudo dos métodos. O método consiste na seqüência de passos necessários para demonstrar que o objetivo proposto

Leia mais

TÉCNICAS PARA COLETA DE DADOS

TÉCNICAS PARA COLETA DE DADOS AULA 7 TÉCNICAS PARA COLETA DE DADOS Classificação das pesquisas científicas Classificação das pesquisas científicas: quanto a natureza Básica: Procura o progresso científico; Procura a ampliação dos conhecimentos

Leia mais

TÉCNICAS DE COLETA DE DADOS

TÉCNICAS DE COLETA DE DADOS TÉCNICAS DE COLETA DE DADOS Qualitativas e quantitativas Andréa Kanikadan Beatriz Lacombe Fábio Faiad Flavio Licio Gil Kruglianskas Técnicas Observação Análise documental Narrativas História de vida Análise

Leia mais

Investigação experimental

Investigação experimental Investigação experimental Aproximação positivista Experiências laboratoriais: identificação de relações exactas entre as variáveis escolhidas num ambiente controlado (laboratório) através do uso de técnicas

Leia mais

Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior

Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior INTRODUÇÃO O que é pesquisa? Pesquisar significa, de forma bem simples, procurar respostas para indagações propostas. INTRODUÇÃO Minayo (1993, p. 23), vendo por

Leia mais

Métodos e Instrumentos de Pesquisa

Métodos e Instrumentos de Pesquisa Métodos e Instrumentos de Pesquisa Prof. Ms. Franco Noce fnoce2000@yahoo.com.br MÉTODO E INSTRUMENTOS DE PESQUISA Entrevista Questionários Técnicas de Observação Sociometria Estudos de Caso Testes cognitivos

Leia mais

UNIVERSIDADE IGUAÇU FACUDADE DAS CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

UNIVERSIDADE IGUAÇU FACUDADE DAS CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS UNIVERSIDADE IGUAÇU FACUDADE DAS CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE MONOGRAFIA FILOMENA MARIA RATES SOARES VITOR TENÓRIO NOVA

Leia mais

Aimportância do levantamento de informações e pesquisa na publicidade

Aimportância do levantamento de informações e pesquisa na publicidade Aimportância do levantamento de informações e pesquisa na publicidade UNIBAN Unidade Marte Disciplina: Planejamento de Campanha Prof. Me. Francisco Leite Aulas: 07.04.11 Agenda: A importância do levantamento

Leia mais

???? AUDITORIA OPERACIONAL. Aula 5 Auditoria Operacional: aspectos práticos OBJETIVOS DESTA AULA RELEMBRANDO... AUDITORIA OPERACIONAL?

???? AUDITORIA OPERACIONAL. Aula 5 Auditoria Operacional: aspectos práticos OBJETIVOS DESTA AULA RELEMBRANDO... AUDITORIA OPERACIONAL? Aula 5 Auditoria Operacional: aspectos práticos OBJETIVOS DESTA AULA Conhecer os aspectos práticos da auditoria operacional Entender as etapas da auditoria operacional Compreender o funcionamento do planejamento

Leia mais

COLETA DE DADOS. Disciplina: TC0600 - Projeto de Graduação I Turma C Profa. Denyse de Araújo

COLETA DE DADOS. Disciplina: TC0600 - Projeto de Graduação I Turma C Profa. Denyse de Araújo COLETA DE DADOS Disciplina: TC0600 - Projeto de Graduação I Turma C Profa. Denyse de Araújo Instrumentos de coleta de dados: Questionários Entrevistas Observação Questionário: É um instrumento que permite

Leia mais

PESQUISA QUANTITATIVA e QUALITATIVA

PESQUISA QUANTITATIVA e QUALITATIVA universidade de Santa Cruz do Sul Faculdade de Serviço Social Pesquisa em Serviço Social I I PESQUISA QUANTITATIVA e QUALITATIVA BIBLIOGRAFIA: MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Técnicas de

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA CIENTÍFICA: a escolha do tema e a construção do problema

PROJETO DE PESQUISA CIENTÍFICA: a escolha do tema e a construção do problema PROJETO DE PESQUISA CIENTÍFICA: a escolha do tema e a construção do problema de pesquisa, temos que traçar um caminho a seguir durante a investigação. Realizar um estudo mais planejado dos aspectos que

Leia mais

ENTREVISTAS OBJETIVOS:

ENTREVISTAS OBJETIVOS: ENTREVISTAS 1 CONCEITO: Encontro entre duas pessoas, com vistas a que uma delas obtenha informações a respeito de determinado assunto, utilizando-se para isto de uma conversação de natureza técnico-profissional.

Leia mais

Estratégias de Pesquisa

Estratégias de Pesquisa Estratégias de Pesquisa Ricardo de Almeida Falbo Metodologia de Pesquisa Departamento de Informática Universidade Federal do Espírito Santo Agenda Survey Design e Criação Estudo de Caso Pesquisa Ação Experimento

Leia mais

A pesquisa e suas classificações FACULDADE DE COSTA RICA Prof.ª NELIZE A. VARGAS. nelizevargas@hotmail.com O que é pesquisa? MINAYO (l993,p.23), vendo por um prisma mais filósofico, considera a pesquisa

Leia mais

Tópicos Abordados. Pesquisa de Mercado. Aula 2. Contextualização. Qualitativa X Quantitativa. Instrumentalização. 1. Diferença entre qualitativa

Tópicos Abordados. Pesquisa de Mercado. Aula 2. Contextualização. Qualitativa X Quantitativa. Instrumentalização. 1. Diferença entre qualitativa Tópicos Abordados Pesquisa de Mercado Aula 2 Prof. Me. Ricieri Garbelini 1. Diferença entre qualitativa e quantitativa 2. Dados X informação 3. Tipos de coleta 4. Classificação dos dados 5. Amostragem

Leia mais

As pesquisas podem ser agrupadas de acordo com diferentes critérios e nomenclaturas. Por exemplo, elas podem ser classificadas de acordo com:

As pesquisas podem ser agrupadas de acordo com diferentes critérios e nomenclaturas. Por exemplo, elas podem ser classificadas de acordo com: 1 Metodologia da Pesquisa Científica Aula 4: Tipos de pesquisa Podemos classificar os vários tipos de pesquisa em função das diferentes maneiras pelo qual interpretamos os resultados alcançados. Essa diversidade

Leia mais

COMO TORNAR O ESTUDO E A APRENDIZAGEM MAIS EFICAZES

COMO TORNAR O ESTUDO E A APRENDIZAGEM MAIS EFICAZES COMO TORNAR O ESTUDO E A APRENDIZAGEM MAIS EFICAZES 1 Eficácia nos estudos 2 Anotação 2.1 Anotações corridas 2.2 Anotações esquemáticas 2.3 Anotações resumidas 3 Sublinha 4 Vocabulário 5 Seminário 1 EFICÁCIA

Leia mais

3 Metodologia. 3.1. Introdução

3 Metodologia. 3.1. Introdução 3 Metodologia 3.1. Introdução Este capítulo é dedicado à forma de desenvolvimento da pesquisa. Visa permitir, através da exposição detalhada dos passos seguidos quando da formulação e desenvolvimento do

Leia mais

1 ROTEIRO PARA PROJETO DE PESQUISA

1 ROTEIRO PARA PROJETO DE PESQUISA Roteiro para projeto de pesquisa Gildenir Carolino Santos, 2005. 1 ROTEIRO PARA PROJETO DE PESQUISA Antes de passar para a construção ou montagem de um projeto de pesquisa, é importante saber que esse

Leia mais

INSTITUTO LONG TAO METODOLOGIA CIENTÍFICA

INSTITUTO LONG TAO METODOLOGIA CIENTÍFICA INSTITUTO LONG TAO METODOLOGIA CIENTÍFICA Profa. Ms. Rose Romano Caveiro CONCEITO E DEFINIÇÃO É um conjunto de abordagens, técnicas e processos utilizados pela ciência para formular e resolver problemas

Leia mais

Observação como técnica de coleta de dados

Observação como técnica de coleta de dados 1 Universidade Federal de Rondônia Engenharia Ambiental Professora Orientadora: Renata G. Aguiar Disciplina: Metodologia Cientifica Observação como técnica de coleta de dados 2 O que é observação? técnica

Leia mais

Profª Cristina Lacerda Soares Petrarolha Silva Questionário Muito comum na época das pesquisas eleitorais Existem regras para se fazer pesquisa na forma de questionários. Um exemplo: 1- Quando se faz

Leia mais

Introdução. O que é um survey? Projeto de Surveys. Tópicos Especiais em E.S.: Surveys. Cleidson de Souza. representatividade de amostras;

Introdução. O que é um survey? Projeto de Surveys. Tópicos Especiais em E.S.: Surveys. Cleidson de Souza. representatividade de amostras; Introdução Tópicos Especiais em E.S.: Surveys Cleidson de Souza LABES - DI - UFPA cdesouza@ufpa.br! Um dos principais exemplos de pesquisa empírica:! Pesquisas de votos;! Pesquisas de opinião pública;!

Leia mais

Módulo: Seleção e Dinâmicas de Grupo Aula 1 Técnicas de Recrutamento e Seleção de Pessoas. Professora: Sonia Regina Campos

Módulo: Seleção e Dinâmicas de Grupo Aula 1 Técnicas de Recrutamento e Seleção de Pessoas. Professora: Sonia Regina Campos Módulo: Seleção e Dinâmicas de Grupo Aula 1 Técnicas de Recrutamento e Seleção de Pessoas Professora: Sonia Regina Campos Recrutamento Pontos Importantes que Antecedem R&S Planejamento junto às competências

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO DAS PESQUISAS PROFA. ENIMAR JERÔNIMO WENDHAUSEN

CLASSIFICAÇÃO DAS PESQUISAS PROFA. ENIMAR JERÔNIMO WENDHAUSEN CLASSIFICAÇÃO DAS PESQUISAS PROFA. ENIMAR JERÔNIMO WENDHAUSEN Serão destacadas as pesquisas quanto a sua natureza, objetivos e procedimentos. Quanto aos procedimentos de pesquisa, serão observadas nesta

Leia mais

TÉCNICAS DE PESQUISA. Profa. Esp. Tiago S. de Oliveira

TÉCNICAS DE PESQUISA. Profa. Esp. Tiago S. de Oliveira TÉCNICAS DE PESQUISA Profa. Esp. Tiago S. de Oliveira TÉCNICAS DE PESQUISA Existem algumas técnicas de pesquisa que podem ser utilizadas pelo pesquisador no desenvolvimento do trabalho científico. Estas

Leia mais

Quanto aos meios, trata-se de uma pesquisa bibliográfica, documental, telematizada e pesquisa de campo, conforme descrito abaixo:

Quanto aos meios, trata-se de uma pesquisa bibliográfica, documental, telematizada e pesquisa de campo, conforme descrito abaixo: 3 METODOLOGIA Apresenta-se a seguir a descrição da metodologia utilizada neste trabalho com o objetivo de expor os caminhos que foram percorridos não só no levantamento dos dados do estudo como também

Leia mais

08 a 11 de outubro de 2014

08 a 11 de outubro de 2014 COMO ELABORAR UMA PESQUISA DE MERCADO 08 a 11 de outubro de 2014 08 a 11 de outubro de 2014 O QUE É??? A coleta sistemática e o registro, classificação, análise e apresentação objetiva de dados sobre hábitos,

Leia mais

Como Elaborar Um Projeto de Pesquisa

Como Elaborar Um Projeto de Pesquisa Como Elaborar Um Projeto de Pesquisa Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro Prof. Edwar Saliba Júnior Fevereiro de 2015 1 O que é pesquisa? Pode-se definir pesquisa como:

Leia mais

A Técnica de Grupos Focais para Obtenção de Dados Qualitativos

A Técnica de Grupos Focais para Obtenção de Dados Qualitativos 1 www.tecnologiadeprojetos.com.br Instituto de Pesquisas e Inovações Educacionais www.educativa.org.br A Técnica de Grupos Focais para Obtenção de Dados Qualitativos (Publicação interna) Maria Elasir S.

Leia mais

Trabalho de Conclusão de Curso

Trabalho de Conclusão de Curso Trabalho de Conclusão de Curso Desenvolvimento do Projeto Prof. Walteno Martins Parreira Jr www.waltenomartins.com.br waltenomartins@yahoo.com 2015 Tópicos da Aula 8ºe9ºPeríodos Introdução; Normas gerais

Leia mais

Ajuda ao SciEn-Produção 1. 1. O Artigo Científico da Pesquisa Experimental

Ajuda ao SciEn-Produção 1. 1. O Artigo Científico da Pesquisa Experimental Ajuda ao SciEn-Produção 1 Este texto de ajuda contém três partes: a parte 1 indica em linhas gerais o que deve ser esclarecido em cada uma das seções da estrutura de um artigo cientifico relatando uma

Leia mais

O projeto de pesquisa e seus componentes

O projeto de pesquisa e seus componentes O projeto de pesquisa e seus componentes Leitura: Pesquisa científica componentes de um projeto de pesquisa Bibliografia: Livros de metodologia científica Sugestões :Vergara; Lakatos e Gil. Além disso,

Leia mais

6 Métodos e técnicas da pesquisa

6 Métodos e técnicas da pesquisa 6 Métodos e técnicas da pesquisa 93 6 Métodos e técnicas da pesquisa 6.1. Introdução Nos primeiros capítulos deste trabalho foram apresentadas as principais evoluções ocorridas tanto no ambiente da Internet

Leia mais

Instrumentos de Coleta de Dados em Projetos Educacionais

Instrumentos de Coleta de Dados em Projetos Educacionais Instrumentos de Coleta de Dados em Projetos Educacionais (Publicação do Instituto de Pesquisas e Inovações Educacionais - Educativa) Eduardo F. Barbosa - 1998 A necessidade de obtenção de dados no desenvolvimento

Leia mais

O presente capítulo descreve a metodologia utilizada pela pesquisa e aborda os seguintes pontos:

O presente capítulo descreve a metodologia utilizada pela pesquisa e aborda os seguintes pontos: 3 Metodologia O presente capítulo descreve a metodologia utilizada pela pesquisa e aborda os seguintes pontos: A questão da pesquisa O tipo da pesquisa e metodologia utilizada A coleta dos dados e tratamento

Leia mais

Ser Professor Universitário / INSTRUMENTOS DE COLETA DE DADOS EM PE...

Ser Professor Universitário / INSTRUMENTOS DE COLETA DE DADOS EM PE... Página 1 de 5 METODOLOGIA DA PESQUISA INSTRUMENTOS DE COLETA DE DADOS EM PESQUISAS EDUCACIONAIS Eduardo F. Barbosa A Necessidade de Dados para Monitorar e Avaliar Projetos Um sistema de monitoramento e

Leia mais

! Pesquisas de votos; ! Serviços de qualidade; ! Pesquisas de opinião pública; ! Em quem você vai votar em Outubro?

! Pesquisas de votos; ! Serviços de qualidade; ! Pesquisas de opinião pública; ! Em quem você vai votar em Outubro? Introdução Tópicos Especiais em E.S.: Surveys Cleidson de Souza LABES - DI - UFPA cdesouza@ufpa.br! Um dos principais exemplos de pesquisa empírica:! Pesquisas de votos;! Serviços de qualidade;! Pesquisas

Leia mais

Como levantar o ciclo de serviço:

Como levantar o ciclo de serviço: CONSTRUÇÃO DE QUESTIONÁRIOS PARA MEDIÇÃO E MONITORAMENTO DA SATISFAÇÃO DE CLIENTES CICLO DE SERVIÇO : A base do questionário é um roteiro que contém os principais incidentes críticos do ciclo de serviço.

Leia mais

PESQUISA QUALITATIVA

PESQUISA QUALITATIVA PESQUISA QUALITATIVA CONHECIMENTO É o processo pelo qual as pessoas intuem, apreendem e depois expressam. Qualquer ser humano que apreende o mundo (pensa) e exterioriza, produz conhecimento. PESQUISA É

Leia mais

Conceito de pesquisa

Conceito de pesquisa Conceito de pesquisa A pesquisa e uma atividade voltada para a solução de problemas, através do emprego de procedimentos científicos. Seus elementos são: 1. Problema ou dúvida 2. Metodo científico 3. Resposta

Leia mais

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 06

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 06 Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 06 Questões sobre o tópico Avaliação de Desempenho: objetivos, métodos, vantagens e desvantagens. Olá Pessoal, Espero que estejam gostando dos artigos. Hoje veremos

Leia mais

3 c m FACULDADE DE COLIDER-FACIDER ( NOME) 3 cm (TÍTULO DO PROJETO)

3 c m FACULDADE DE COLIDER-FACIDER ( NOME) 3 cm (TÍTULO DO PROJETO) 3 c m FACULDADE DE COLIDER-FACIDER ( NOME) 3 cm (TÍTULO DO PROJETO) 2 cm (arial / times roman 12 ) TIRAR NUMERAÇÃO PARA IMPRESSAO CAPA CIDADE/ESTADO 2 c m ANO (NOME) TÍTULO DO PROJETO) (arial / times roman

Leia mais

MONOGRAFIA : COMO FAZER

MONOGRAFIA : COMO FAZER Alguns sites que tratam sobre monografias http://www.admbrasil.com.br/abnt.htm http://planeta.terra.com.br/servicos/monografiaabnt/ http://www.sinescontabil.com.br/trabs_profissionais/fazendo_uma_monografia.htm

Leia mais

1. Escolha do Tema. 2. Formulação do Problema. 1 Escolha do Tema II. PLANEJAMENTO DA PESQUISA

1. Escolha do Tema. 2. Formulação do Problema. 1 Escolha do Tema II. PLANEJAMENTO DA PESQUISA II. PLANEJAMENTO DA PESQUISA 1. Escolha do tema 2. Formulação do problema 3. Justificativa 4. Determinação dos objetivos 5. Referencial teórico 6. Referências 1 Escolha do Tema 1. Escolha do Tema Nesta

Leia mais

Metodologia da Pesquisa

Metodologia da Pesquisa BACHARELADO EM ENFERMAGEM TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO I Prof. Me. Eurípedes Gil de França Metodologia da Pesquisa AULA 5 Refere-se ao como vou fazer a pesquisa. É a parte mecânica da pesquisa. Por meio

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA TRABALHOS DE PESQUISA NO ENSINO FUNDAMENTAL

ORIENTAÇÕES PARA TRABALHOS DE PESQUISA NO ENSINO FUNDAMENTAL JÚNIOR/2013 Mostra de Trabalhos do Ensino Fundamental ORIENTAÇÕES PARA TRABALHOS DE PESQUISA NO ENSINO FUNDAMENTAL Novo Hamburgo, abril de 2013. 1 APRESENTAÇÃO Estas orientações foram elaboradas baseadas

Leia mais

Etapas para a elaboração de um Pré- Projeto de Pesquisa

Etapas para a elaboração de um Pré- Projeto de Pesquisa Etapas para a elaboração de um Pré- Projeto de Pesquisa Estrutura de um projeto de pesquisa: 1. TEMA E TÍTULO DO PROJETO 2. DELIMITAÇÃO DO PROBLEMA 3. INTRODUÇÃO 4. RELEVÂNCIA E JUSTIFICATIVA 5. OBJETIVOS

Leia mais

Universidade Estadual de Santa Cruz Licenciatura em Física UAB Prof. Geraldo Fernandes e Talita Duarte. Aula 04 Metodologia de um TCC

Universidade Estadual de Santa Cruz Licenciatura em Física UAB Prof. Geraldo Fernandes e Talita Duarte. Aula 04 Metodologia de um TCC Universidade Estadual de Santa Cruz Licenciatura em Física UAB Prof. Geraldo Fernandes e Talita Duarte Aula 04 Metodologia de um TCC Trabalho de Conclusão de Curso I Objetivos Ao final desta aula, você

Leia mais

Tendo o texto acima como referência inicial, julgue os itens a seguir.

Tendo o texto acima como referência inicial, julgue os itens a seguir. 1. A administração de recursos humanos, historicamente conhecida como administração de pessoal, lida com sistemas formais para administrar pessoas dentro da organização. A administração de recursos humanos

Leia mais

Metodologia do Trabalho Científico

Metodologia do Trabalho Científico Metodologia do Trabalho Científico Diretrizes para elaboração de projetos de pesquisa, monografias, dissertações, teses Cassandra Ribeiro O. Silva, Dr.Eng. METODOLOGIA DA PESQUISA CIENTÍFICA Porque escrever

Leia mais

Ana Claudia M. dos SANTOS 1 Edson Leite Lopes GIMENEZ 2

Ana Claudia M. dos SANTOS 1 Edson Leite Lopes GIMENEZ 2 O desempenho do processo de recrutamento e seleção e o papel da empresa neste acompanhamento: Um estudo de caso na Empresa Ober S/A Indústria E Comercio Ana Claudia M. dos SANTOS 1 Edson Leite Lopes GIMENEZ

Leia mais

REGULAMENTO EDITORIAL E NORMAS DE ESTILO DA REVISTA CIÊNCIA VETERINÁRIA NOS TRÓPICOS

REGULAMENTO EDITORIAL E NORMAS DE ESTILO DA REVISTA CIÊNCIA VETERINÁRIA NOS TRÓPICOS REGULAMENTO EDITORIAL E NORMAS DE ESTILO DA REVISTA CIÊNCIA VETERINÁRIA NOS TRÓPICOS REGULAMENTO EDITORIAL Uma das missões do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de Pernambuco (CRMV-PE)

Leia mais

Como desenvolver um projeto de pesquisa. Profa. Ana Maria Ferreira Barcelos anamfb@ufv.br

Como desenvolver um projeto de pesquisa. Profa. Ana Maria Ferreira Barcelos anamfb@ufv.br Como desenvolver um projeto de pesquisa Profa. Ana Maria Ferreira Barcelos anamfb@ufv.br Pesquisa é curiosidade formalizada. É cutucar e indagar com um propósito. (Zora Neale Hurston) A ciência, como um

Leia mais

Etapas da Introdução do Projeto de Pesquisa Científica. Maria da Conceição Muniz Ribeiro Mestre em Enfermagem pela UERJ

Etapas da Introdução do Projeto de Pesquisa Científica. Maria da Conceição Muniz Ribeiro Mestre em Enfermagem pela UERJ Etapas da Introdução do Projeto de Pesquisa Científica Maria da Conceição Muniz Ribeiro Mestre em Enfermagem pela UERJ A Pesquisa: Conceitos e Definições O que é pesquisa? Pesquisar, significa, de forma

Leia mais

www.fornaxrh.com.br Dicas para contratar funcionários de alta performance

www.fornaxrh.com.br Dicas para contratar funcionários de alta performance Dicas para contratar funcionários de alta performance Conteúdo 1. Introdução 2. Sete Características de um colaborador de alta performance 3. Dicas para contratar a) Definição do Perfil b) Análise do Currículo

Leia mais

Estrutura e organização de projeto científico

Estrutura e organização de projeto científico O PROCESSO DE PESQUISA BÁSICA EM ADMINISTRAÇÃO Estrutura e organização de projeto científico PROCESSO DE TOMADA DE DECISÃO Fase I: Formulação Desenvolver: -teoria; -Questões de pesquisa; -Hipóteses; -Plano

Leia mais

ENTREVISTAS NA PESQUISA SOCIAL: O RELATO DE UM GRUPO DE FOCO NAS LICENCIATURAS

ENTREVISTAS NA PESQUISA SOCIAL: O RELATO DE UM GRUPO DE FOCO NAS LICENCIATURAS ENTREVISTAS NA PESQUISA SOCIAL: O RELATO DE UM GRUPO DE FOCO NAS LICENCIATURAS Resumo AGUIAR, Victor Rafael Laurenciano UNIVILLE cdht@uol.com.br MEDEIROS, Claudio Melquiades UNIVILLE claudio.melquiades@univille.net

Leia mais

O Projeto de Pesquisa. Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior

O Projeto de Pesquisa. Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior O Projeto de Pesquisa Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior O Projeto de Pesquisa IDENTIFICAR OS ELEMENTOS DE UM PROJETO DE PESQUISA; ESCLARECER COMO ELABORAR UM PROJETO DE PESQUISA. INTRODUÇÃO O Projeto

Leia mais

Resenha sobre o capítulo II Concepção e Organização da pesquisa do livro Metodologia da Pesquisa-ação

Resenha sobre o capítulo II Concepção e Organização da pesquisa do livro Metodologia da Pesquisa-ação Resenha sobre o capítulo II Concepção e Organização da pesquisa do livro Metodologia da Pesquisa-ação Felipe Schadt 1 O presente capítulo 2 é parte integrante do livro Metodologia da Pesquisa-ação, do

Leia mais

União do Ensino Superior de Nova Mutum - UNINOVA Nome dos acadêmicos em ordem alfabética. Orientações Sobre a Elaboração de Projetos de Pesquisa

União do Ensino Superior de Nova Mutum - UNINOVA Nome dos acadêmicos em ordem alfabética. Orientações Sobre a Elaboração de Projetos de Pesquisa União do Ensino Superior de Nova Mutum - UNINOVA Nome dos acadêmicos em ordem alfabética Orientações Sobre a Elaboração de Projetos de Pesquisa Nova Mutum 2009 Nome dos acadêmicos em ordem alfabética Orientações

Leia mais

Metodologia do Trabalho Acadêmico MTA Professora: Jéssica Fagá Viégas

Metodologia do Trabalho Acadêmico MTA Professora: Jéssica Fagá Viégas ESTRUTURA QUE COMPÕE A ORGANIZAÇÃO DA PESQUISA Projeto de pesquisa: um conjunto de ações determinadas para o propósito de se investigar, analisar e CRITICAMENTE avaliar determinada questão ou problema

Leia mais

Fundamentos de Metodologia de Pesquisa Científica. Prof. Dayana Costa

Fundamentos de Metodologia de Pesquisa Científica. Prof. Dayana Costa Fundamentos de Metodologia de Pesquisa Científica Prof. Dayana Costa Conteúdo Conhecimento Científico O que é Pesquisa Científica? Por que se faz pesquisa? O que é necessário para fazer uma pesquisa? Por

Leia mais

DIMENSÕES DO TRABAHO INFANTIL NO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE: O ENVOLVIMENTO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES EM SITUAÇÕES DE TRABALHO PRECOCE

DIMENSÕES DO TRABAHO INFANTIL NO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE: O ENVOLVIMENTO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES EM SITUAÇÕES DE TRABALHO PRECOCE Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 18 a 22 de outubro, 2010 337 DIMENSÕES DO TRABAHO INFANTIL NO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE: O ENVOLVIMENTO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES EM

Leia mais

Metodologia Científica Aula 1. Prof.ª Ma. Ana Paula Diniz E-mail: anapauladinizb@hotmail.com

Metodologia Científica Aula 1. Prof.ª Ma. Ana Paula Diniz E-mail: anapauladinizb@hotmail.com Metodologia Científica Aula 1 Prof.ª Ma. Ana Paula Diniz E-mail: anapauladinizb@hotmail.com Bibliografia: http://pesquisaemeducacaoufrgs.pbworks. com/w/file/fetch/64878127/willian%20cost a%20rodrigues_metodologia_cientifica

Leia mais

Projeto de Pesquisa 7/21/2014. Prof. Ricardo Melo. Referências. Conceitos

Projeto de Pesquisa 7/21/2014. Prof. Ricardo Melo. Referências. Conceitos Universidade Federal da Paraíba Centro de Tecnologia Departamento de Engenharia Civil e Ambiental Laboratório de Geotecnia e Pavimentação Projeto de Pesquisa Prof. Ricardo Melo Referências Richardson,

Leia mais

Teoria Básica da Administração. Pesquisa Qualitativa. Professor: Roberto César

Teoria Básica da Administração. Pesquisa Qualitativa. Professor: Roberto César Teoria Básica da Administração Pesquisa Qualitativa Professor: Roberto César Pesquisa Qualitativa x Quantitativa Objetivo Amostra Pesquisa Qualitativa x Quantitativa Alcança uma compreensão qualitativa

Leia mais

14 --------- Como redigir o projeto de pesquisa? 14. 1.2 Identificação

14 --------- Como redigir o projeto de pesquisa? 14. 1.2 Identificação 14 --------- Como redigir o projeto de pesquisa? 14. 1.2 Identificação Nesta primeira parte são apresentados os dados essenciais à identificação do projeto, quais sejam: a) título e subtítulo (se houver);

Leia mais

MÉTODOS QUANTITATIVOS EM MARKETING. Prof.: Otávio Figueiredo e-mail: otavio@ufrj.br

MÉTODOS QUANTITATIVOS EM MARKETING. Prof.: Otávio Figueiredo e-mail: otavio@ufrj.br MÉTODOS QUANTITATIVOS EM MARKETING Prof.: Otávio Figueiredo e-mail: otavio@ufrj.br ESTATÍSTICA População e Amostra População Amostra Idéia Principal Resumir para entender!!! Algumas Técnicas Pesquisa de

Leia mais

União do Ensino Superior de Nova Mutum - UNINOVA Nome dos acadêmicos em ordem alfabética. Orientações Sobre a Elaboração de Projetos de Pesquisa

União do Ensino Superior de Nova Mutum - UNINOVA Nome dos acadêmicos em ordem alfabética. Orientações Sobre a Elaboração de Projetos de Pesquisa União do Ensino Superior de Nova Mutum - UNINOVA Nome dos acadêmicos em ordem alfabética Orientações Sobre a Elaboração de Projetos de Pesquisa Nova Mutum MT 2012 Nome dos acadêmicos em ordem alfabética

Leia mais

2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Tribunais Gestão de Pessoas Questões Giovanna Carranza

2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Tribunais Gestão de Pessoas Questões Giovanna Carranza 2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Tribunais Gestão de Pessoas Questões Giovanna Carranza 01. Conceitualmente, recrutamento é: (A) Um conjunto de técnicas e procedimentos

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software Roteiro Análise de requisitos Definição de requisitos do sistema Requisitos Funcionais Requisitos Não Funcionais Exercício Análise de Requisitos Análise de Requisitos É o 1º passo

Leia mais

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO GERENCIAL E DE LIDERANÇA. Estilos de comportamento no ambiente de trabalho Diagnóstico

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO GERENCIAL E DE LIDERANÇA. Estilos de comportamento no ambiente de trabalho Diagnóstico PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO GERENCIAL E DE LIDERANÇA Estilos de comportamento no ambiente de trabalho Foco do programa O desenvolvimento de habilidades gerenciais e capacidades de liderança passa pelo

Leia mais

O trabalho de pesquisa é a procura de respostas para algum problema pela aplicação de métodos científicos.

O trabalho de pesquisa é a procura de respostas para algum problema pela aplicação de métodos científicos. 1 Manual de TCC O Trabalho de Conclusão de Curso, como o próprio nome indica, deve ser apresentado pelos alunos no final do curso de graduação. Trata-se de um estudo sobre um tema específico ligado a área

Leia mais

Métodos e Técnicas de Pesquisas ARTIGO CIENTÍFICO. Professor Adm. Walter Martins Júnior CRA-PR 15.063

Métodos e Técnicas de Pesquisas ARTIGO CIENTÍFICO. Professor Adm. Walter Martins Júnior CRA-PR 15.063 Métodos e Técnicas de Pesquisas ARTIGO CIENTÍFICO Professor Adm. Walter Martins Júnior CRA-PR 15.063 ALGUMAS REGRAS 2 não deixe para a última hora escreva leia alguns relatórios ou resumos faça um esboço

Leia mais

CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO OSWALDO CRUZ

CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO OSWALDO CRUZ Introdução Quando se pretende elaborar um trabalho acadêmico e sua respectiva comunicação científica, é necessário que se faça inicialmente um planejamento, no qual devem constar os itens que permitirão

Leia mais

3 Metodologia e Objeto de estudo

3 Metodologia e Objeto de estudo Metodologia e Objeto de estudo 36 3 Metodologia e Objeto de estudo Neste capítulo, através da explanação da metodologia de pesquisa e do objeto de estudo, serão definidas as questões centrais de estudo,

Leia mais

! Tipos de Entrevistas e Tipos de Questões. ! Técnicas de Entrevista! Aspectos Práticos! Avaliações. ! Primeiro Trabalho!

! Tipos de Entrevistas e Tipos de Questões. ! Técnicas de Entrevista! Aspectos Práticos! Avaliações. ! Primeiro Trabalho! Agenda! Tipos de Entrevistas e Tipos de Questões Entrevistas Cleidson de Souza Departamento de Informática Universidade Federal do Pará! Técnicas de Entrevista! Aspectos Práticos! Avaliações! Primeiro

Leia mais

Orientações para a elaboração dos projetos de pesquisa (Iniciação científica)

Orientações para a elaboração dos projetos de pesquisa (Iniciação científica) GRUPO PAIDÉIA FE/UNICAMP Linha: Episteduc Coordenador: Prof. Dr. Silvio Sánchez Gamboa Orientações para a elaboração dos projetos de pesquisa (Iniciação científica) Os projetos de pesquisa se caracterizam

Leia mais

3 Metodologia. 3.1 Tipo de Pesquisa

3 Metodologia. 3.1 Tipo de Pesquisa 3 Metodologia Neste capítulo é descrita a metodologia da presente pesquisa, abordandose o tipo de pesquisa realizada, os critérios para a seleção dos sujeitos, os procedimentos para a coleta, o tratamento

Leia mais

NORMAS TÉCNICAS PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS CIENTÍFICOS FACULDADE LUTERANA SÃO MARCOS

NORMAS TÉCNICAS PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS CIENTÍFICOS FACULDADE LUTERANA SÃO MARCOS NORMAS TÉCNICAS PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS CIENTÍFICOS FACULDADE LUTERANA SÃO MARCOS Núcleo Docente Estruturante Prof. Álvaro Antônio Dal Molin Flores Prof. Carlos André Junqueira Prof. Cilane da Rosa

Leia mais

4 Metodologia da Pesquisa

4 Metodologia da Pesquisa 79 4 Metodologia da Pesquisa Este capítulo se preocupa em retratar como se enquadra a pesquisa de campo e como foram desenvolvidas as entrevistas incluindo o universo pesquisado e a forma de analisá-las

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO TERMO DE REFERÊNCIA PARA AVALIAÇÃO EXTERNA DO PROJETO EDUCANDO COM A HORTA ESCOLAR 1. Breve Histórico do Projeto de Cooperação Técnica

Leia mais

Guia de como elaborar um Projeto de Documentário

Guia de como elaborar um Projeto de Documentário Guia de como elaborar um Projeto de Documentário Prof. Dr. Cássio Tomaim Departamento de Ciências da Comunicação Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)/Cesnors Adaptação: Prof. Claudio Luiz Fernandes

Leia mais

PREVENÇÃO ÀS LER/DORT

PREVENÇÃO ÀS LER/DORT PREVENÇÃO ÀS LER/DORT Introdução Durante os dias 19, 20 e 23 de julho o Datafolha ouviu os trabalhadores paulistanos sobre sua vida no trabalho (atividades desempenhadas, carga horária, realização de horas

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS LICENCIATURA PLENA EM QUÍMICA. Nome do(s) autor(es)

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS LICENCIATURA PLENA EM QUÍMICA. Nome do(s) autor(es) 1 INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS LICENCIATURA PLENA EM QUÍMICA Nome do(s) autor(es) TÍTULO DO TRABALHO: SUBTÍTULO (SE HOUVE) LOCAL Ano 2 Nome do(s) autor(es) TÍTULO DO TRABALHO:

Leia mais

METODOLOGIA UTILIZADA PELOS PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA NO ENSINO MÉDIO DAS ESCOLAS DA REDE ESTADUAL DE JATAÍ-GO RESUMO

METODOLOGIA UTILIZADA PELOS PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA NO ENSINO MÉDIO DAS ESCOLAS DA REDE ESTADUAL DE JATAÍ-GO RESUMO METODOLOGIA UTILIZADA PELOS PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA NO ENSINO MÉDIO DAS ESCOLAS DA REDE ESTADUAL DE JATAÍ-GO LIMA, Raiane Ketully Vieira Acadêmica do curso de Educação Física licenciatura da Universidade

Leia mais

SOBRE UM PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA COM MODELAGEM MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA

SOBRE UM PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA COM MODELAGEM MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA SOBRE UM PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA COM MODELAGEM MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA Susana Lazzaretti Padilha Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE) Campus Cascavel susana.lap@hotmail.com

Leia mais