Experiencia de Brasil sobre prevención y control de la deforestación y la tala ilegal con uso de tecnología satelital.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Experiencia de Brasil sobre prevención y control de la deforestación y la tala ilegal con uso de tecnología satelital."

Transcrição

1 Experiencia de Brasil sobre prevención y control de la deforestación y la tala ilegal con uso de tecnología satelital Marcos Adami Lima, 20 de agosto de 2015

2 Monitoramento da floresta amazônica por satélite(prodes)

3 Monitoramento da floresta amazônica por satélite(prodes)

4 PRODES Estimar a extensião do desflorestamento. Estimar a taxa anual de desflorestamento. Atualização da base de dados digital. Identificação do incremento de desflorestamento. Não tem informação sobre a legalidade do desflorestamento.

5 Até 2020, o Brasil irá reduzir 80% do desflorestamento de (pres. Lula in Copenhagen COP-15)

6 Plano de Prevenção e Controle do Desmatamento na Amazônia Legal (PPCDAm)

7 PROGRAMA AMAZÔNIA 4176 MCT/INPE Objetivo: Monitoramento da Amazônia Brasileira por satélite. Projetos: PRODES DETER DETEX/DEGRAD TERRACLASS

8 DETER Detecção em tempo real do desflorestamento na Amazônia Brasileira; Produzir informação sobre as novas áreas de desflorestamento que estão ocorrendo. Publicar mensalmente na Web, uma base de dados digital: imagens e mapas temáticos; Informações em

9 DETER Fuente: DETER/INPE Corte Raso + Degradação de Florestas

10 DETER: Degradação Progressiva Exploração Intensiva Perda de dossel >50% Perda de dossel >90% Corte raso Source: Barlow et al 2008

11 Fuente: DETER/INPE DETER: WEB

12 DETER: WEB Fuente: DETER/INPE

13 DETER: hotspots para fiscalização

14 DETER: CONCLUSÃO DETER é eficiente para indicar a ocorrência de desflorestamento por corte raso SISTEMA DE ALERTAé importante, norteador de áreas a serem fiscalizadas PERIODICIDADE E AGILIDADE na toma de decisões para fiscalização. Permite o planejamento para redução das taxas de desflorestamento por municípios FUENTE: FOTOTECA/INPE

15 Aumento da importânciados polígonos pequenos

16 Comparação DETER x DETER-B Imagem MODIS Resolução 250 metros Imagem AWiFS Resolução 56 metros

17 Comparação DETER x DETER-B DETER-A DETER-B Área mínima mapeada(ha) > 25 ha > 3 ha Número de classes mapeadas 3 8 Resolução temporal (dias) 1 a 2 5

18 DETER-B

19 Validação da classe CORTE RASO

20 Validação da classe CORTE SELETIVO

21 Detecção de degradação Florestal

22 PROJETO DEGRAD Sistema desenvolvido a partir de los dados de degradação DETER; Utilização de imagens LANDSAT e CBERS; A área mínima mapeada no DEGRAD é de 6,25 hectares, similar ao sistema PRODES. O objetivo é realizar anualmente um mapa das áreas de degradação florestal convertidos a partir do corte raso.

23 Fuente: DEGRAD/INPE A) Intensidad Moderada de degradación; B) Alta Intensidad de degradación; C) Baja intensidad de degradación.

24 SISTEMA DE DETECÇÃO DE EXPLORAÇÃO SELETIVA DE MADEIRA

25 DETEX/ As atividades do DETEX realizadas no contemplam: i) Aplicação do método em áreas de manejo florestal; ii) Transferência técnico e científica em oficinas, eventos e cursos de capacitação; iii) Produção cientifica para simpósios, congressos e revistas; iv) Testes experimentais para aplicação do método em novos sistemas sensores de média a alta resolução e alta periodicidade. A partir de 2010, o firmou parcerias institucionais com a World WildlifeFund-Brasil, Serviço Florestal Brasileiro e EMBRAPA Amazônia Oriental

26 Trabalho de Campo: DETEX/ SFB

27 RESULTADOS

28 Projeto TERRACLASS Mapeamento de Uso e Cobertura da Terra na Amazônia Legal Brasileira

29 O que aconteceu com a área desflorestada da Amazônia?

30 TerraClass 2012 Classes de Uso e Cobertura da terra em áreas desflorestadas da Amazônia Classes 2008 (km²) 2010 (km²) 2012 (km²) Agricultura Anual , , ,40 4,92 5,39 5,64 Área não observada , , ,49 6,40 6,18 9,20 Área Urbana 3.818, , ,76 0,54 0,60 0,71 Mineração 730,68 966, ,96 0,10 0,13 0,14 Mosaico de ocupações , , ,23 3,44 2,42 1,28 Outros 477, , ,77 0,07 0,37 0,81 Pasto com solo exposto 594,19 373,16 42,65 0,08 0,05 0,01 Pasto limpo , , ,85 47,32 45,82 45,97 Pasto sujo , , ,11 8,85 7,56 6,72 Regeneração com pasto , , ,12 6,77 8,52 6,18 Reflorestamento , ,33-0,41 0,42 Vegetação secundária , , ,78 21,26 22,27 22,92 Total , , , (%) 2010 (%) 2012 (%)

31 TerraClass 2012 Classes de Uso e Cobertura da terra em áreas desflorestadas da Amazônia Classes 2008 (km²) 2010 (km²) 2012 (km²) Agricultura Anual , , ,40 4,92 5,39 5,64 Área não observada , , ,49 6,40 6,18 9,20 Área Urbana 3.818, , ,76 0,54 0,60 0,71 Mineração 730,68 966, ,96 0,10 0,13 0,14 Mosaico de ocupações , , ,23 3,44 2,42 1,28 Outros 477, , ,77 0,07 0,37 0,81 Pasto com solo exposto 594,19 373,16 42,65 0,08 0,05 0,01 Pasto limpo , , ,85 47,32 45,82 45,97 Pasto sujo , , ,11 8,85 7,56 6,72 Regeneração com pasto , , ,12 6,77 8,52 6,18 Reflorestamento , ,33-0,41 0,42 Vegetação secundária , , ,78 21,26 22,27 22,92 Total , , , (%) 2010 (%) 2012 (%)

32 Pastagem 2010/2012 Pastagem km 2 (2012) Pastagem km 2 (4%) Agricultura Anual Mosaico de Ocupações Demais Classes Vegetação Secundária

33 Vegetação Secundária /2012 Veg. Secundária km 2 (2012) Pastagem km 2 (78%) Agricultura Anual Mosaico de Ocupações Demais Classes Vegetação Secundária

34 Agricultura 2010/2012 Agr. Anual km 2 (2012) Pastagem 580 km 2 (1%) Agricultura Anual Mosaico de Ocupações Demais Classes Vegetação Secundária

35 Projeto de capacitação

36 Projeto de capacitação TerraAmazon System Conceitos básicos de sensoriamento remoto, geoprocessamento, cartografia, PDI, SGBDgeo e Florestas tropicais. Objetivo: Treinar os técnicos para que ao voltarem aos seus países possam iniciar o monitoramento da floresta tropical com Sistema TerraAmazon

37 Moratória da soja

38 Assinatura do acordo 24/06/2006

39 Área monitorada

40 Monitoramento dos Polígonos via Imagens de Satélite Imagem de Mínimo EVI EVI 1 0,8 0,6 0,4 Perfil Espectro-Temporal MODIS 0,2 0 MIN. EVI Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Jan 1 Perfil Espectro-Temporal MODIS 0,8 EVI 0,6 0,4 0,2 0 MIN. EVI Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Jan

41 Monitoramento dos Polígonos via Imagens de Satélite Imagem de Máximo EVI EVI 1 0,8 0,6 0,4 Perfil Espectro-Temporal MODIS 0,2 0 MAX. EVI Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Jan 1 Perfil Espectro-Temporal MODIS 0,8 EVI 0,6 0,4 0,2 0 MAX. EVI Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Jan

42 Monitoramento dos Polígonos via Imagens de Satélite MT PA CEI ( MaxEVI) ( MinEVI) = 100* ( MaxEVI + 100) + ( MinEVI + 100) RO Imagem CEI Polígono sem cultura anual Polígono com cultura anual

43 Monitoramento dos Polígonos via Imagens de Satélite MODIS/CEI 250 x 250 m IRS/AWIFS 56 x 56 m Polígono não selecionadopara o sobrevôo Soja Polígono selecionadopara o sobrevôo

44 Plantio de Soja 2014 Classes MT PA RO Total (ha) n (ha) n (ha) N (ha) n (ha) 25 a a > (50%) (86%) 51 (48%) (85%) 5 (71%) (96%) 183 (50%) (86%) Total

45 Área de Soja Municípios

46 Comparativo do 3º ao 6º Ano Monitoramento 3º Ano 4º Ano 5º Ano 6º Ano Área total Desflorestada (ha) >25 ha Variação relativa ao ano anterior (+24%) (+28%) (+19%) Número de Polígonos sobrevoados Variação relativa ao ano anterior (51%) 265 (-10%) 356 (+34%) Número de Polígonos com Plantio de Soja Variação relativa ao ano anterior (+92%) 164 (+12%) 253 (+54%) Área do Plantio de Soja (ha) Variação relativa ao ano anterior (+85%) (+57%) (+62%)

47 Soja por ano do desflorestamento Ano do Desflorestamento ,728 4,432 4,611 8,087 62% , ,000 4,000 6,000 8,000 10,000 12,000 Área de Soja (ha)

48 Moratória da Soja Monitoramento 18/06/2000 Moratória da soja

49 Moratória da Soja Monitoramento 26/04/2001 Moratória da soja

50 Moratória da Soja Monitoramento 08/06/2002 Moratória da soja

51 Moratória da Soja Monitoramento 21/07/2003 Moratória da soja

52 Moratória da Soja Monitoramento 07/07/2004 Moratória da soja

53 Moratória da Soja Monitoramento 10/07/2005 Moratória da soja Evidência Corte raso entre dezembro de 2004 e março de 2005

54 Moratória da Soja Monitoramento 19/06/2006 Moratória da soja

55 Moratória da Soja Monitoramento 01/08/2007 Moratória da soja

56 Moratória da Soja Monitoramento 18/07/2008 Moratória da soja

57 Moratória da Soja Monitoramento 08/08/2001 Moratória da soja

58 Moratória da Soja Monitoramento 21/07/2003 Moratória da soja

59 Moratória da Soja Monitoramento 10/07/2005 Moratória da soja

60 Moratória da Soja Monitoramento 21/07/2006 Moratória da soja

61 Moratória da Soja Monitoramento 08/07/2007 Moratória da soja

62 Gracias! Más informaciones:

Programa do INPE de Monitoramento da Amazônia

Programa do INPE de Monitoramento da Amazônia Programa do INPE de Monitoramento da Amazônia Audiência Pública - Câmara dos Deputados Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável Brasília, 7 de maio de 2013 Projetos do Programa Amazônia

Leia mais

Monitoramento e Identificação de Desmatamento

Monitoramento e Identificação de Desmatamento 1º Curso para Jornalistas: Como o Agronegócio está se preparando para a Rio+20? Monitoramento e dentificação de Desmatamento São Paulo, 08 de novembro de 2011 Bernardo Rudorff Pesquisador da Divisão de

Leia mais

Programa Amazônia: Monitoramento do Desmatamento e da Degradação Florestal na Amazônia

Programa Amazônia: Monitoramento do Desmatamento e da Degradação Florestal na Amazônia Programa Amazônia: Monitoramento do Desmatamento e da Degradação Florestal na Amazônia Dalton de Morisson Valeriano Escada, M. I. S.; Rennó, C. D.; Amaral, S.; Maurano, L. E. P.; Almeida, C A.; Pinheiro,

Leia mais

Observação da Terra no INPE: Fonte de Informação para Monitoramento Ambiental

Observação da Terra no INPE: Fonte de Informação para Monitoramento Ambiental Observação da Terra no INPE: Fonte de Informação para Monitoramento Ambiental Leila Fonseca Chefe da Coordenação-Geral de Observação da Terra (OBT) Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais leila.fonseca@inpe.br

Leia mais

Detecção do Desmatamento em Tempo Quase Real DETER-B Teste Utilizando Imagens AWiFS

Detecção do Desmatamento em Tempo Quase Real DETER-B Teste Utilizando Imagens AWiFS Detecção do Desmatamento em Tempo Quase Real DETER-B Teste Utilizando Imagens AWiFS Mírian Corrêa Dias Orientadora: Dra. Alessandra Rodrigues Gomes São José dos Campos, 03 a 06 de dezembro Informações

Leia mais

Programa Amazônia do INPE: Monitoramento do desmatamento e da degradação florestal na Amazônia Brasileira

Programa Amazônia do INPE: Monitoramento do desmatamento e da degradação florestal na Amazônia Brasileira Programa Amazônia do INPE: Monitoramento do desmatamento e da degradação florestal na Amazônia Brasileira III Workshop do IBIS-INLAND Viçosa, 23 a 25 de fevereiro de 2010 Dalton de Morisson Valeriano (dalton@dsr.inpe.br)

Leia mais

Mapeamento de Agricultura em Larga Escala

Mapeamento de Agricultura em Larga Escala MundoGEO#ConnectLatinAmerica2014 07 a 09 de maio, São Paulo-SP, Brasil WorkshopsobreGeointeligênciaem Agricultura e Meio Ambiente 08 de maio de 2014 Organização Mapeamento de Agricultura em Larga Escala

Leia mais

Ações Estratégicas do Agronegócio Soja Responsabilidade Ambiental do Setor

Ações Estratégicas do Agronegócio Soja Responsabilidade Ambiental do Setor Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais Ações Estratégicas do Agronegócio Soja Responsabilidade Ambiental do Setor Carlo Lovatelli Presidente da São Paulo - SP 8 de novembro de 2011 1 A

Leia mais

Plano de Prevenção e Controle do Desmatamento na Amazônia (PPCDAM 2007)

Plano de Prevenção e Controle do Desmatamento na Amazônia (PPCDAM 2007) Plano de Prevenção e Controle do Desmatamento na Amazônia (PPCDAM 2007) DIRETORIA DE PROTEÇÃO AMBIENTAL BRASÍLIA - DF MAIO/2007 Roteiro PPCDAM Planejamento 2007 Monitoramento Análise das tendências para

Leia mais

Grupo de Trabalho da Soja Moratória da Soja no Bioma Amazônia Brasileiro

Grupo de Trabalho da Soja Moratória da Soja no Bioma Amazônia Brasileiro Grupo de Trabalho da Soja Moratória da Soja no Bioma Amazônia Brasileiro Um iniciativa multistakeholder de sucesso no combate ao desflorestamento Carlo Lovatelli Presidente - ABIOVE Copenhagen, Denmark

Leia mais

ANÁLISE MULTITEMPORAL DA COBERTURA VEGETAL DA ÁREA DE PROTEÇÃO AMBIENTAL DO TARUMÃ AÇU/MIRIM, MANAUS, AMAZONAS, BRASIL

ANÁLISE MULTITEMPORAL DA COBERTURA VEGETAL DA ÁREA DE PROTEÇÃO AMBIENTAL DO TARUMÃ AÇU/MIRIM, MANAUS, AMAZONAS, BRASIL UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS ANÁLISE MULTITEMPORAL DA COBERTURA VEGETAL DA ÁREA DE PROTEÇÃO AMBIENTAL DO TARUMÃ AÇU/MIRIM, MANAUS, AMAZONAS, BRASIL OLIVEIRA, Maria Antônia Falcão de; VASCONCELOS, Mônica

Leia mais

DETER 07/2015 RESUMO

DETER 07/2015 RESUMO DETER 07/2015 RESUMO Sobre o DETER: O DETER é um levantamento de Alertas de Alteração na Cobertura Florestal feito mensalmente pelo INPE desde maio de 2004, com dados do sensor MODIS do satélite Terra/Aqua

Leia mais

Sumário Executivo. Levantamento de informações de uso e cobertura da terra na Amazônia

Sumário Executivo. Levantamento de informações de uso e cobertura da terra na Amazônia Levantamento de informações de uso e cobertura da terra na Amazônia Sumário Executivo EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA - EMBRAPA INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS - INPE Setembro 2011

Leia mais

Padrões e Processos em Dinâmica de Uso e Cobertura da Terra

Padrões e Processos em Dinâmica de Uso e Cobertura da Terra Padrões e Processos em Dinâmica de Uso e Cobertura da Terra Conceitos de Uso e Cobertura da Terra CST-312 Bases Conceituais e Teóricas 1. Conceitos básicos Cobertura da Terra Uso da terra Uso X Cobertura

Leia mais

MONITORAMENTO DA COBERTURA FLORESTAL DA AMAZÔNIA POR SATÉLITES

MONITORAMENTO DA COBERTURA FLORESTAL DA AMAZÔNIA POR SATÉLITES MONITORAMENTO DA COBERTURA FLORESTAL DA AMAZÔNIA POR SATÉLITES INPE COORDENAÇÃO GERAL DE OBSERVAÇÃO DA TERRA SÃO JOSÉ DOS CAMPOS, 20 DE JUNHO DE 2008 SISTEMA DE DETECÇÃO D0 DESMATAMENTO EM TEMPO REAL NA

Leia mais

MAPEAMENTO FLORESTAL

MAPEAMENTO FLORESTAL MAPEAMENTO FLORESTAL ELISEU ROSSATO TONIOLO Eng. Florestal Especialista em Geoprocessamento OBJETIVO Mapear e caracterizar a vegetação visando subsidiar o diagnóstico florestal FUNDAMENTOS É uma ferramenta

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2007 (Da Sra. Thelma de Oliveira) Art. 1º Ficam suspensas, pelo período de três anos, as autorizações para

PROJETO DE LEI Nº, DE 2007 (Da Sra. Thelma de Oliveira) Art. 1º Ficam suspensas, pelo período de três anos, as autorizações para PROJETO DE LEI Nº, DE 2007 (Da Sra. Thelma de Oliveira) Suspende as autorizações para queimadas e desmatamentos ou, supressão de vegetação na Amazônia Legal. O Congresso Nacional decreta: Art. 1º Ficam

Leia mais

Utilização de Geotecnologiaspara Apoio às Ações de Combate ao Desmatamento na Amazônia. Uma contribuição da sociedade civil

Utilização de Geotecnologiaspara Apoio às Ações de Combate ao Desmatamento na Amazônia. Uma contribuição da sociedade civil Utilização de Geotecnologiaspara Apoio às Ações de Combate ao Desmatamento na Amazônia. Uma contribuição da sociedade civil Paulo Adario e Tahisa Kuck Greenpeace, Campanha Amazônia www. greenpeace.org

Leia mais

Integridade territorial e vetores de degradação na Terra do Meio. Resultados provisórios do diagnóstico 2011 Altamira Maio 2012

Integridade territorial e vetores de degradação na Terra do Meio. Resultados provisórios do diagnóstico 2011 Altamira Maio 2012 Integridade territorial e vetores de degradação na Terra do Meio Resultados provisórios do diagnóstico 2011 Altamira Maio 2012 Diagnóstico TM-2011 Objetivo: estabelecer uma linha de base 2011 para subsidiar

Leia mais

MORATÓRIA DA SOJA 5 ANO DO MAPEAMENTO E MONITORAMENTO DO PLANTIO DE SOJA NO BIOMA AMAZÔNIA

MORATÓRIA DA SOJA 5 ANO DO MAPEAMENTO E MONITORAMENTO DO PLANTIO DE SOJA NO BIOMA AMAZÔNIA MORATÓRIA DA SOJA 5 ANO DO MAPEAMENTO E MONITORAMENTO DO PLANTIO DE SOJA NO BIOMA AMAZÔNIA 2012 2 SUMÁRIO EXECUTIVO A Moratória da no bioma Amazônia foi renovada pela quinta vez em outubro de 2011 e manteve

Leia mais

Diagnóstico Ambiental do Município de Alta Floresta - MT

Diagnóstico Ambiental do Município de Alta Floresta - MT Diagnóstico Ambiental do Município de Alta Floresta - MT Paula Bernasconi Ricardo Abad Laurent Micol Maio de 2008 Introdução O município de Alta Floresta está localizado na região norte do estado de Mato

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE - MMA Secretaria Executiva - SECEX Departamento de Políticas para o Combate ao Desmatamento - DPCD COFA, RJ 04/04/2014

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE - MMA Secretaria Executiva - SECEX Departamento de Políticas para o Combate ao Desmatamento - DPCD COFA, RJ 04/04/2014 MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE - MMA Secretaria Executiva - SECEX Departamento de Políticas para o Combate ao Desmatamento - DPCD COFA, RJ 04/04/2014 1 Desmatamento na Amazônia 1988-2013 Desmatamento (km

Leia mais

EXPANSÃO DA SOJA PARA A PORÇÃO NORTE DO BIOMA CERRADO NO ESTADO DO PIAUÍ

EXPANSÃO DA SOJA PARA A PORÇÃO NORTE DO BIOMA CERRADO NO ESTADO DO PIAUÍ EXPANSÃO DA SOJA PARA A PORÇÃO NORTE DO BIOMA CERRADO NO ESTADO DO PIAUÍ Resumo Patrícia Ladeira Pinheiro¹ Gabriel Pereira² (patricia.ladeira@gmail.com; pereira@ufsj.edu.br) Graduanda em Geografia - UFSJ

Leia mais

Sistema de Avaliação dos Dados do Monitoramento da Cobertura Florestal da Amazônia por Satélite DETER

Sistema de Avaliação dos Dados do Monitoramento da Cobertura Florestal da Amazônia por Satélite DETER Sistema de Avaliação dos Dados do Monitoramento da Cobertura Florestal da Amazônia por Satélite DETER Maria Isabel Sobral Escada 1 Taise de Farias Pinheiro 1 Camilo Daleles Rennó 1 Silvana Amaral 1 Luis

Leia mais

Estratégias para evitar o desmatamento na Amazônia brasileira. Antônio Carlos Hummel Diretor Geral Serviço Florestal Brasileiro

Estratégias para evitar o desmatamento na Amazônia brasileira. Antônio Carlos Hummel Diretor Geral Serviço Florestal Brasileiro Estratégias para evitar o desmatamento na Amazônia brasileira Antônio Carlos Hummel Diretor Geral Serviço Florestal Brasileiro Perfil - 2-1. Fatos sobre Brasil 2. Contexto Florestal 3. Estratégias para

Leia mais

CPRM DNPM. Ministérios INCRA IBAMA OEMAS OUTROS CTF SIFISC SISCOM CEMAM SISBIO DOF ANA ANEEL ANP SISLIC SISPROF SIUC OUTROS. Universidades PETROBRAS

CPRM DNPM. Ministérios INCRA IBAMA OEMAS OUTROS CTF SIFISC SISCOM CEMAM SISBIO DOF ANA ANEEL ANP SISLIC SISPROF SIUC OUTROS. Universidades PETROBRAS Como surgiu o Siscom 1998 criação do SISPROF; 1998 utilização de Sensoriamento Remoto para fins de fiscalização planejada; 1999 implantação do SLAPR no Mato Grosso; 2002 implantação do SLAPR em outros

Leia mais

Programa Amazônia do INPE: Monitoramento de desmatamento e outros impactos na Floresta Amazônica

Programa Amazônia do INPE: Monitoramento de desmatamento e outros impactos na Floresta Amazônica Programa Amazônia do INPE: Monitoramento de desmatamento e outros impactos na Floresta Amazônica Dalton de Morisson Valeriano Coordenador do Programa Amazônia INPE Projetos do Programa Amazônia do INPE:

Leia mais

Monitoramento do Bioma Cerrado

Monitoramento do Bioma Cerrado Monitoramento do Bioma Cerrado Prof. Dr. Nilson C. Ferreira Monitoramento do Bioma Cerrado Biomas Brasileiros, destaque mapa antrópico do bioma Cerrado. Fonte: Sano et al. 2007(PROBIO-MMA). Monitoramento

Leia mais

Manejo Sustentável da Floresta

Manejo Sustentável da Floresta Manejo Sustentável da Floresta 1) Objetivo Geral Mudança de paradigmas quanto ao uso da madeira da floresta, assim como a percepção dos prejuízos advindos das queimadas e do extrativismo vegetal. 2) Objetivo

Leia mais

Município de Colíder MT

Município de Colíder MT Diagnóstico da Cobertura e Uso do Solo e das Áreas de Preservação Permanente Município de Colíder MT Paula Bernasconi Ricardo Abad Laurent Micol Julho de 2008 Introdução O município de Colíder está localizado

Leia mais

Avaliação de dados dos Sistemas de Alerta da Amazônia: DETER e SAD

Avaliação de dados dos Sistemas de Alerta da Amazônia: DETER e SAD Anais XV Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto - SBSR, Curitiba, PR, Brasil, 30 de abril a 05 de maio de 2011, INPE p.2934 Avaliação de dados dos Sistemas de Alerta da Amazônia: DETER e SAD Maria

Leia mais

Subgrupo de Mapeamento & Monitoramento. 24 de julho de 2007

Subgrupo de Mapeamento & Monitoramento. 24 de julho de 2007 Subgrupo de Mapeamento & Monitoramento 24 de julho de 2007 1 Modelo operacional Mapeamento da situação em agosto de 2006, primeira informação oficial após a declaração da Moratória Identificação das áreas

Leia mais

Monitoramento dos Remanescentes Florestais da Mata Atlântica

Monitoramento dos Remanescentes Florestais da Mata Atlântica Monitoramento dos Remanescentes Florestais da Mata Atlântica Realização: Patrocínio: Execução Técnica: PRIMEIRO MAPEAMENTO DA MATA ATLÂNTICA SOS Mata Atlântica INPE e IBAMA Escala: 1:1.000.000 CONCLUÍDO:

Leia mais

O Mercado Geoespacial e a Atuação da Santiago & Cintra Consultoria: Entendimento das Necessidades, Aplicações e Soluções Integradas

O Mercado Geoespacial e a Atuação da Santiago & Cintra Consultoria: Entendimento das Necessidades, Aplicações e Soluções Integradas O Mercado Geoespacial e a Atuação da Santiago & Cintra Consultoria: Entendimento das Necessidades, Aplicações e Soluções Integradas Iara Musse Felix Diretora de Desenvolvimento de Negócios da Salvador

Leia mais

MORATÓRIA DA SOJA: Avanços e Próximos Passos

MORATÓRIA DA SOJA: Avanços e Próximos Passos MORATÓRIA DA SOJA: Avanços e Próximos Passos - Criação e Estruturação da Moratória da Soja - Realizações da Moratória da Soja - A Prorrogação da Moratória - Ações Prioritárias Relatório Apresentado pelo

Leia mais

Moratória da Soja no Bioma Amazônia Brasileiro

Moratória da Soja no Bioma Amazônia Brasileiro Moratória da Soja no Bioma Amazônia Brasileiro Uma iniciativa multistakeholder de sucesso no combate ao desflorestamento Conferência da Convenção-Quadro sobre Mudança do Clima Copenhague, Dinamarca Dezembro

Leia mais

USO DO GEOPROCESSAMENTO NO MONITORAMENTO DO SETOR AGRÍCOLA PARA FINS TRIBUTÁRIOS NA SEFAZ-GO. Geoprocessamento

USO DO GEOPROCESSAMENTO NO MONITORAMENTO DO SETOR AGRÍCOLA PARA FINS TRIBUTÁRIOS NA SEFAZ-GO. Geoprocessamento USO DO GEOPROCESSAMENTO NO MONITORAMENTO DO SETOR AGRÍCOLA PARA FINS TRIBUTÁRIOS NA SEFAZ-GO Geog.Ms. Maria G. da Silva Barbalho maria-gsb@sefaz.go.gov.br Conceito Disciplina do conhecimento que utiliza

Leia mais

LEVANTAMENTO E MONITORAMENTO DOS RECURSOS FLORESTAIS DOS TABULEIROS COSTEIROS DO NORDESTE DO BRASIL*

LEVANTAMENTO E MONITORAMENTO DOS RECURSOS FLORESTAIS DOS TABULEIROS COSTEIROS DO NORDESTE DO BRASIL* LEVANTAMENTO E MONITORAMENTO DOS RECURSOS FLORESTAIS DOS TABULEIROS COSTEIROS DO NORDESTE DO BRASIL* BOLFE, É. L. 1 I. INTRODUÇÃO A necessidade de conhecer os modelos atuais de uso da terra e as modificações

Leia mais

Moratória da Soja no. Bioma Amazônia. RELATÓRIO - 1º ANO 24 de julho de 2007. GTS - Grupo de Trabalho da Soja

Moratória da Soja no. Bioma Amazônia. RELATÓRIO - 1º ANO 24 de julho de 2007. GTS - Grupo de Trabalho da Soja Moratória da Soja no Bioma Amazônia RELATÓRIO - 1º ANO 24 de julho de 2007 GTS - Grupo de Trabalho da Soja 02 Moratória da Soja no PRODUÇÃO RESPONSÁVEL: MORATÓRIA DA SOJA NO ABIOVE (Associação Brasileira

Leia mais

SISTEMA DE DETECÇÃO DE DESMATAMENTO E ALTERAÇÕES TEMPO QUASE REAL

SISTEMA DE DETECÇÃO DE DESMATAMENTO E ALTERAÇÕES TEMPO QUASE REAL SISTEMA DE DETECÇÃO DE DESMATAMENTO E ALTERAÇÕES NA COBERTURA VEGETAL EM TEMPO QUASE REAL Brasília, 5 de maio de 2016 DETER-B Motivação 2ª Revisão do PPCDAm: É necessário melhorar a resolução do sistema

Leia mais

MORATÓRIA DA SOJA MAPEAMENTO E MONITORAMENTO DO PLANTIO DE SOJA NO BIOMA AMAZÔNIA - 6 ANO

MORATÓRIA DA SOJA MAPEAMENTO E MONITORAMENTO DO PLANTIO DE SOJA NO BIOMA AMAZÔNIA - 6 ANO MORATÓRIA DA SOJA MAPEAMENTO E MONITORAMENTO DO PLANTIO DE SOJA NO BIOMA AMAZÔNIA 6 ANO 2013 2 SUMÁRIO EXECUTIVO A Moratória da no bioma Amazônia foi renovada pela sexta vez em outubro de 2012 e manteve

Leia mais

Módulo 3: Serviços ambientais no Acre

Módulo 3: Serviços ambientais no Acre Módulo 3: Serviços ambientais no Acre Foster Brown Curso para Lideranças Comunitárias Pagamentos para Serviços Ambientais CPI- RIO BRNCO, AC WHRC fbrown@uol.com.br 17 de agosto de 2009 Contextualização

Leia mais

O QUE É O CAR? Lei 12.651/2012 Novo Código Florestal

O QUE É O CAR? Lei 12.651/2012 Novo Código Florestal 1 MARCO LEGAL MARCO LEGAL O QUE É O CAR? Lei 12.651/2012 Novo Código Florestal Cadastro Ambiental Rural CAR: Âmbito Nacional Natureza declaratória Obrigatório para todas as propriedades e posses Base de

Leia mais

ESTUDO DA EXPANSÃO DO DESMATAMENTO DO BIOMA CERRADO A PARTIR DE CENAS AMOSTRAIS DOS SATÉLITES LANDSAT

ESTUDO DA EXPANSÃO DO DESMATAMENTO DO BIOMA CERRADO A PARTIR DE CENAS AMOSTRAIS DOS SATÉLITES LANDSAT ESTUDO DA EXPANSÃO DO DESMATAMENTO DO BIOMA CERRADO A PARTIR DE CENAS AMOSTRAIS DOS SATÉLITES LANDSAT Elaine Barbosa da SILVA¹ Laerte Guimarães FERREIRA JÚNIOR¹ Antonio Fernandes dos ANJOS¹ Genival Fernandes

Leia mais

AS IMAGENS CBERS NO IBAMA. Brasília - Outubro/2005

AS IMAGENS CBERS NO IBAMA. Brasília - Outubro/2005 AS IMAGENS CBERS NO IBAMA Brasília - Outubro/2005 O CENÁRIO PASSADO AS IMAGENS LANDSAT Imagens LandSat 1995 O Início Concentração Amazônica Programa Desmatamento Imagens LandSat 1996 Imagens LandSat 1997

Leia mais

Heron Martins, Antônio Victor; Carlos Souza Jr.;Márcio Sales & Adalberto Veríssimo (Imazon) RESUMO

Heron Martins, Antônio Victor; Carlos Souza Jr.;Márcio Sales & Adalberto Veríssimo (Imazon) RESUMO Heron Martins, Antônio Victor; Carlos Souza Jr.;Márcio Sales & Adalberto Veríssimo (Imazon) RESUMO Em junho de 212, o Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD) detectou 34,5 quilômetros quadrados de desmatamento

Leia mais

Modelo de Formulário

Modelo de Formulário Formulário Pessoa Jurídica: Organização / Empresa 1. Identificação da Organização CNPJ.. / - Razão Social Nome Fantasia Endereço Número Complemento Bairro Cidade UF CEP País Telefones ou Fax E-mail Página

Leia mais

I ENCONTRO PAULISTA DE BIODIVERSIDADE

I ENCONTRO PAULISTA DE BIODIVERSIDADE I ENCONTRO PAULISTA DE BIODIVERSIDADE 16 a 18 de novembro de 2009 Fundação Mokiti Okada Palestrante: Mônica Pavão Pesquisadora do Instituto Florestal INVENTÁRIO FLORESTAL DO ESTADO DE SÃO PAULO INVENTÁRIO

Leia mais

P R E S I D Ê N C I A D A R E P Ú B L I C A C A S A C I V I L

P R E S I D Ê N C I A D A R E P Ú B L I C A C A S A C I V I L P R E S I D Ê N C I A D A R E P Ú B L I C A C A S A C I V I L O Sistema de Proteção da Amazônia Palestra apresentada dia 4 de outubro de 2006 no SERFA 06 Roberto Ventura Santos Diretor Técnico T e Operacional

Leia mais

ANÁLISE DA TRANSFORMAÇÃO DA PAISAGEM NA REGIÃO DE MACHADO (MG) POR MEIO DE COMPOSIÇÕES COLORIDAS MULTITEMPORAIS

ANÁLISE DA TRANSFORMAÇÃO DA PAISAGEM NA REGIÃO DE MACHADO (MG) POR MEIO DE COMPOSIÇÕES COLORIDAS MULTITEMPORAIS ANÁLISE DA TRANSFORMAÇÃO DA PAISAGEM NA REGIÃO DE MACHADO (MG) POR MEIO DE COMPOSIÇÕES COLORIDAS MULTITEMPORAIS ALENCAR SANTOS PAIXÃO 1 ; ÉLIDA LOPES SOUZA ROCHA2 e FERNANDO SHINJI KAWAKUBO 3 alencarspgeo@gmail.com,

Leia mais

Monitoramento das pastagens cultivadas no cerrado goiano a partir de imagens MODIS índices de vegetação e dados censitários

Monitoramento das pastagens cultivadas no cerrado goiano a partir de imagens MODIS índices de vegetação e dados censitários Monitoramento das pastagens cultivadas no cerrado goiano a partir de imagens MODIS índices de vegetação e dados censitários Fanuel Nogueira GARCIA, Laerte Guimarães FERREIRA Universidade Federal de Goiás

Leia mais

Documento de Projeto. Monitoramento do Desmatamento nos Biomas Brasileiros por Satélite

Documento de Projeto. Monitoramento do Desmatamento nos Biomas Brasileiros por Satélite Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento Documento de Projeto Projeto Número: 00061740 BRA/08/011 Monitoramento do Desmatamento nos Biomas Brasileiros por Satélite Este projeto tem como objetivo

Leia mais

Tecnologias geoespaciais como provedoras de insumos para conhecer, planejar e monitorar a Amazônia

Tecnologias geoespaciais como provedoras de insumos para conhecer, planejar e monitorar a Amazônia Tecnologias geoespaciais como provedoras de insumos para conhecer, planejar e monitorar a Amazônia Quem é a OrbiSat? A OrbiSat é uma companha brasileira privada especializada no desenvolvimento e operação

Leia mais

20V9 - Monitoramento da Cobertura da Terra e do Risco de Queimadas e Incêndios Florestais (INPE)

20V9 - Monitoramento da Cobertura da Terra e do Risco de Queimadas e Incêndios Florestais (INPE) Programa 2036 - Florestas, Prevenção e Controle do Desmatamento e dos Incêndios 20M4 - Promoção de Modelos Produtivos Rurais Sustentáveis Número de Ações 18 UO: 44101 - Ministério do Meio Ambiente Unidade

Leia mais

É uma das principais iniciativas de REDD+ do mundo

É uma das principais iniciativas de REDD+ do mundo Fundo Amazônia É uma das principais iniciativas de REDD+ do mundo Apoio financeiro não-reembolsável para: - prevenção, monitoramento e combate ao desmatamento, e - conservação e uso sustentável das florestas

Leia mais

ArcPlan S/S Ltda. Fone: 3262-3055 Al. Joaquim Eugênio de Lima, 696 cj 73.

ArcPlan S/S Ltda. Fone: 3262-3055 Al. Joaquim Eugênio de Lima, 696 cj 73. 1 de 27 GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DA AGRICULTURA PROJETO: GERENCIAMENTO INTEGRADO DE AGROECOSSISTEMAS EM MICROBACIAS HIDROGRÁFICAS DO NORTE-NOROESTE FLUMINENSE - RIO RURAL/GEF

Leia mais

METODOLOGIA PARA MAPEAMENTO DE

METODOLOGIA PARA MAPEAMENTO DE INPE-16621-RPQ/839 METODOLOGIA PARA MAPEAMENTO DE VEGETAÇÃO SECUNDÁRIA NA AMAZÔNIA LEGAL Cláudio Aparecido de Almeida Taíse Farias Pinheiro Alda Monteiro Barbosa Maria Rafaela Braga Salum de Abreu Felipe

Leia mais

BNDES. Fundo Amazônia. Documento do Projeto

BNDES. Fundo Amazônia. Documento do Projeto BNDES Fundo Amazônia Documento do Projeto Revisado em 28 de fevereiro de 2013 Sumário 1. Descrição do Fundo Amazônia... 4 1.1 Histórico... 4 1.2 Finalidade... 4 1.3 Gestão do Fundo Amazônia... 5 2. Dinâmica

Leia mais

ASPECTOS DA LEGALIDADE NA GESTÃO FLORESTAL

ASPECTOS DA LEGALIDADE NA GESTÃO FLORESTAL ASPECTOS DA LEGALIDADE NA GESTÃO FLORESTAL Dezembro, 2011 O Serviço Florestal Brasileiro Lei de Gestão de Florestas Públicas Lei 11.284/2006 Estabelece a forma de gestão de florestas públicas para o uso

Leia mais

Corte seletivo e fogo fazem Floresta Amazônica perder 54 milhões de toneladas de carbono por ano

Corte seletivo e fogo fazem Floresta Amazônica perder 54 milhões de toneladas de carbono por ano Corte seletivo e fogo fazem Floresta Amazônica perder 54 milhões de toneladas de carbono por ano Perda equivale a 40% da produzida pelo desmatamento total. Pesquisa cruzou dados de satélites e de pesquisas

Leia mais

ANÁLISE MULTITEMPORAL DA COBERTURA VEGETAL DA ÁREA DE PROTEÇÃO AMBIENTAL DO TARUMÃ AÇU/MIRIM, MANAUS, AMAZONAS, BRASIL

ANÁLISE MULTITEMPORAL DA COBERTURA VEGETAL DA ÁREA DE PROTEÇÃO AMBIENTAL DO TARUMÃ AÇU/MIRIM, MANAUS, AMAZONAS, BRASIL ANÁLISE MULTITEMPORAL DA COBERTURA VEGETAL DA ÁREA DE PROTEÇÃO AMBIENTAL DO TARUMÃ AÇU/MIRIM, MANAUS, AMAZONAS, BRASIL Maria Antônia Falcão de Oliveira, Engenheira Florestal 1 ; Mônica Alves de Vasconcelos,

Leia mais

O QUE É O CAR? Lei 12.651/2012 Novo Código Florestal

O QUE É O CAR? Lei 12.651/2012 Novo Código Florestal 1 MARCO LEGAL MARCO LEGAL O QUE É O CAR? Lei 12.651/2012 Novo Código Florestal Cadastro Ambiental Rural CAR: Âmbito Nacional Natureza declaratória Obrigatório para todas as propriedades e posses Base de

Leia mais

USO E COBERTURA DAS TERRAS NA ÁREA DE ENTORNO DO RESERVATÓRIO DA USINA HIDRELÉTRICA DE TOMBOS (MG)

USO E COBERTURA DAS TERRAS NA ÁREA DE ENTORNO DO RESERVATÓRIO DA USINA HIDRELÉTRICA DE TOMBOS (MG) USO E COBERTURA DAS TERRAS NA ÁREA DE ENTORNO DO Calderano Filho, B. 1 ; Carvalho Junior, W. 2 ; Prado, R.B. 3 ; Calderano, S.B. 4 ; 1 EMBRAPA - CNPS Email:braz.calderano@embrapa.br; 2 EMBRAPA- CNPS Email:waldir.carvalho@embrapa.br;

Leia mais

Belém, 13 de maio de 2014.

Belém, 13 de maio de 2014. Belém, 13 de maio de 2014. Ao Ministério Público Federal Procuradoria da República no Estado do Pará À Secretaria de Meio Ambiente do Estado do Pará Ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos

Leia mais

ANAIS. Artigos Aprovados 2013. Volume I ISSN: 2316-7637

ANAIS. Artigos Aprovados 2013. Volume I ISSN: 2316-7637 ANAIS Artigos Aprovados 2013 Volume I ISSN: 2316-7637 Universidade do Estado do Pará, Centro de Ciências Naturais e Tecnologia 19, 20 e 21 de novembro de 2013 Belém - Pará 1 GEOTECNOLOGIA NA CONSTRUÇÃO

Leia mais

Oportunidades da Agropecuária Brasileira

Oportunidades da Agropecuária Brasileira Oportunidades da Agropecuária Brasileira Carne sustentável para o mundo Buenos Aires, 28 de setembro de 2010 SANIDADE ANIMAL BEM ESTAR ANIMAL PRESERVAÇÃO AMBIENTAL RASTREABILIDADE 1 O governo brasileiro

Leia mais

Sanae Hayashi; Carlos Souza Jr.; Márcio Sales & Adalberto Veríssimo (Imazon) RESUMO

Sanae Hayashi; Carlos Souza Jr.; Márcio Sales & Adalberto Veríssimo (Imazon) RESUMO Agosto de 2011 Amazônia Legal Sanae Hayashi; Carlos Souza Jr.; Márcio Sales & Adalberto Veríssimo (Imazon) RESUMO O SAD detectou 240 quilômetros quadrados de desmatamento na Amazônia Legal em agosto de

Leia mais

Porto Alegre é a capital brasileira com maior área proporcional de Mata Atlântica preservada

Porto Alegre é a capital brasileira com maior área proporcional de Mata Atlântica preservada Porto Alegre é a capital brasileira com maior área proporcional de Mata Atlântica preservada Fundação SOS Mata Atlântica lança nesta semana hotsite Aqui Tem Mata, que mostra de forma interativa índices

Leia mais

Izabel Cecarelli. GEOAMBIENTE Sensoriamento Remoto

Izabel Cecarelli. GEOAMBIENTE Sensoriamento Remoto Izabel Cecarelli GEOAMBIENTE Sensoriamento Remoto A GEOAMBIENTE, atuante no mercado há 10 anos, presta serviços em aplicações de sensoriamento remoto e desenvolvimento / integração de sistemas de informações

Leia mais

MODELAGEM DA PRODUÇÃO DE SEDIMENTOS USANDO CENÁRIO AMBIENTAL ALTERNATIVO NA REGIÃO NO NOROESTE DO RIO DE JANEIRO - BRAZIL

MODELAGEM DA PRODUÇÃO DE SEDIMENTOS USANDO CENÁRIO AMBIENTAL ALTERNATIVO NA REGIÃO NO NOROESTE DO RIO DE JANEIRO - BRAZIL MODELAGEM DA PRODUÇÃO DE SEDIMENTOS USANDO CENÁRIO AMBIENTAL ALTERNATIVO NA REGIÃO NO NOROESTE DO RIO DE JANEIRO - BRAZIL SEDIMENT YIELD MODELING USING AN ALTERNATIVE ENVIRONMENTAL SCENARIO IN NORTHWESTERN

Leia mais

Dinâmica do uso e cobertura da terra no estado do Pará entre os anos de 2008 a 2012

Dinâmica do uso e cobertura da terra no estado do Pará entre os anos de 2008 a 2012 Dinâmica do uso e cobertura da terra no estado do Pará entre os anos de 2008 a 2012 Marcos Adami 1 Alessandra Rodrigues Gomes 1 Alexandre Camargo Coutinho 2 Júlio César Dalla Mora Esquerdo 2 Adriano Venturieri

Leia mais

ANEXO B TERMO DE REFERÊNCIA. Declaração de trabalho, serviços e especificações

ANEXO B TERMO DE REFERÊNCIA. Declaração de trabalho, serviços e especificações ANEXO B TERMO DE REFERÊNCIA Declaração de trabalho, serviços e especificações A Contratada deverá executar o trabalho e realizar os serviços a seguir, indicados de acordo com as especificações e normas

Leia mais

Aplicações de Dados de Satélites com Ênfase em Imagens CBERS-1.

Aplicações de Dados de Satélites com Ênfase em Imagens CBERS-1. Aplicações de Dados de Satélites com Ênfase em Imagens CBERS-1. Paulo Roberto Martin ATUS-Atendimento a Usuários de Imagens Divisão de Sensoriamento Remoto-DSR/OBT III Encontro com

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS CENTRO DE CIÊNCIAS DO AMBIENTE PPG - CASA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS CENTRO DE CIÊNCIAS DO AMBIENTE PPG - CASA UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS CENTRO DE CIÊNCIAS DO AMBIENTE PPG - CASA SENSORIAMENTO REMOTO E SIG NA ANÁLISE AMBIENTAL DA MICROBACIA DO RIO PURAQUEQUARA MANAUS, AM BRASIL Antonio da Mata Pequeno Filho

Leia mais

Mapeamento da cobertura do solo de irituia pa com auxilio das informações orbitais dos projetos prodes e terraclass.

Mapeamento da cobertura do solo de irituia pa com auxilio das informações orbitais dos projetos prodes e terraclass. Mapeamento da cobertura do solo de irituia pa com auxilio das informações orbitais dos projetos prodes e terraclass. Brian Jones Xavier de Almeida 1 Cícero Paulo Ferreira 1 1 Instituto Federal de Educação

Leia mais

Figura 1: Localização geográfica da área de estudo com a composição colorida do sensor TM (R3, G2 e B1).

Figura 1: Localização geográfica da área de estudo com a composição colorida do sensor TM (R3, G2 e B1). MUDANÇA DA PAISAGEM AMAZÔNICA NA ÁREA DO PROJETO DE ASSENTAMENTO DIRIGIDO SANTA LUZIA, EM CRUZEIRO DO SUL, AC Rafael C. DELGADO 1, Leonardo P. de SOUZA 1, Ian W. R. da SILVA 1, Evaldo de P. LIMA 2, Ricardo

Leia mais

Inventário Florestal Nacional IFN-BR

Inventário Florestal Nacional IFN-BR Seminário de Informação em Biodiversidade no Âmbito do MMA Inventário Florestal Nacional IFN-BR Dr. Joberto Veloso de Freitas SERVIÇO FLORESTAL BRASILEIRO Gerente Executivo Informações Florestais Brasília,

Leia mais

DEMONSTRATIVO DE CÁLCULO DE APOSENTADORIA - FORMAÇÃO DE CAPITAL E ESGOTAMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES

DEMONSTRATIVO DE CÁLCULO DE APOSENTADORIA - FORMAÇÃO DE CAPITAL E ESGOTAMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES Página 1 de 28 Atualização: da poupança jun/81 1 133.540,00 15,78 10,00% 13.354,00 10,00% 13.354,00 26.708,00-0,000% - 26.708,00 26.708,00 26.708,00 jul/81 2 133.540,00 15,78 10,00% 13.354,00 10,00% 13.354,00

Leia mais

Modelagem ambiental do uso e cobertura da terra da savana tropical da Amazônia Legal, para utilização em modelos meteorológicos e hidrológicos

Modelagem ambiental do uso e cobertura da terra da savana tropical da Amazônia Legal, para utilização em modelos meteorológicos e hidrológicos Modelagem ambiental do uso e cobertura da terra da savana tropical da Amazônia Legal, para utilização em modelos meteorológicos e hidrológicos Jorge A. Bustamante Becerra & Regina C. dos Santos Alvalá

Leia mais

Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Instituto Nacional Pesquisas Espaciais

Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Instituto Nacional Pesquisas Espaciais Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação Instituto Nacional Pesquisas Espaciais Coordenadoria Geral de Observação da Terra Programa Amazônia Monitoramento do Desmatamento da Amazônia por Satélites

Leia mais

USO DA TÉCNICA DE ANALISE POR COMPONENTE PRINCIPAL NA DETECÇÃO DE MUDANÇAS NA COBERTURA DO SOLO

USO DA TÉCNICA DE ANALISE POR COMPONENTE PRINCIPAL NA DETECÇÃO DE MUDANÇAS NA COBERTURA DO SOLO Samuel da Silva Farias, Graduando do curso de geografia da UFPE samuel.farias763@gmail.com Rafhael Fhelipe de Lima Farias, Mestrando do PPGEO/UFPE, rafhaelfarias@hotmail.com USO DA TÉCNICA DE ANALISE POR

Leia mais

Monitoramento Espacial e Inteligência na Agricultura

Monitoramento Espacial e Inteligência na Agricultura Monitoramento Espacial e Inteligência na Agricultura Seminário: Imagens de Satélites e Aéreas na Agricultura e Gestão Territorial Édson Bolfe Pesquisador, Chefe-Adj. P&D Embrapa Monitoramento por Satélite

Leia mais

Brasília, 5 de maio de 2016 SISTEMA DE DETECÇÃO DE DESMATAMENTO E ALTERAÇÕES NA COBERTURA FLORESTAL EM TEMPO QUASE REAL

Brasília, 5 de maio de 2016 SISTEMA DE DETECÇÃO DE DESMATAMENTO E ALTERAÇÕES NA COBERTURA FLORESTAL EM TEMPO QUASE REAL Brasília, 5 de maio de 2016 SISTEMA DE DETECÇÃO DE DESMATAMENTO E ALTERAÇÕES NA COBERTURA FLORESTAL EM TEMPO QUASE REAL DETER-B Motivação 2ª Revisão do PPCDAm: É necessário melhorar a resolução do sistema

Leia mais

Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais

Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais Coordenadoria Geral de Observação da Terra Programa Amazônia Projeto PRODES Metodologia para o Cálculo da Taxa Anual de Desmatamento na Amazônia Legal São Jose

Leia mais

DE CARVÃO VEGETAL EM MS. Pedro Mendes Neto Ass. Jurídico Diretoria de Desenvolvimento Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul - IMASUL

DE CARVÃO VEGETAL EM MS. Pedro Mendes Neto Ass. Jurídico Diretoria de Desenvolvimento Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul - IMASUL POLÍTICA E LEGISLAÇÃO DA PRODUÇÃO DE CARVÃO VEGETAL EM MS Pedro Mendes Neto Ass. Jurídico Diretoria de Desenvolvimento Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul - IMASUL Política e Legislação até

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 1.72.380,00 0,00 0,00 0,00 361.00,00 22,96 22,96 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl

Leia mais

Modelo de Formulário

Modelo de Formulário Formulário Pessoa Física ou Autônomo / Profissional Liberal 1. Identificação Pessoal CPF.. -- Nome Completo Sexo Masculino Feminino Data de Nascimento / / Endereço Número Complemento Bairro Cidade UF CEP

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl Acum 14 set/11 15

Leia mais

1. Identificação da Organização

1. Identificação da Organização Formulário Pessoa Jurídica: Organização / Empresa Este formulário é idêntico ao eletrônico! Se sua opção for pelo preenchimento manual desta pesquisa, sugerimos que imprima este formulário e envie-o para

Leia mais

Políticas Públicas para Operacionalizar o CAR Câmara temática de Insumos Agropecuários Brasília, 27 de maio de 2014

Políticas Públicas para Operacionalizar o CAR Câmara temática de Insumos Agropecuários Brasília, 27 de maio de 2014 Políticas Públicas para Operacionalizar o CAR Câmara temática de Insumos Agropecuários Brasília, 27 de maio de 2014 O QUE É O CAR O Cadastro Ambiental Rural - CAR, é o registro público eletrônico de âmbito

Leia mais

Mosaico do desmatamento no Estado do Acre em 1985.

Mosaico do desmatamento no Estado do Acre em 1985. Mosaico do desmatamento no Estado do Acre em 1985. Tatiana Mora Kuplich Letícia Palazzi Perez Dalton de Morisson Valeriano Rita de Cassya Almeida Sousa Cristhiane dos Santos Xavier Marisa da Motta Denise

Leia mais

ZONCACAU: COMO SUGESTÃO PARA A CAMARA SETORIAL DO CACAU. Alfredo Homma - Embrapa Amazônia Oriental. Brasília, 12 novembro de 2013

ZONCACAU: COMO SUGESTÃO PARA A CAMARA SETORIAL DO CACAU. Alfredo Homma - Embrapa Amazônia Oriental. Brasília, 12 novembro de 2013 ZONCACAU: COMO SUGESTÃO PARA A CAMARA SETORIAL DO CACAU Alfredo Homma - Embrapa Amazônia Oriental. Brasília, 12 novembro de 2013 Disciplinar a expansão da produção de cacau no Brasil e ofertar instrumentos

Leia mais

Metodologia para o Cálculo da Taxa Anual de Desmatamento na Amazônia Legal

Metodologia para o Cálculo da Taxa Anual de Desmatamento na Amazônia Legal Metodologia para o Cálculo da Taxa Anual de Desmatamento na Amazônia Legal Gilberto Câmara Dalton de Morisson Valeriano João Vianei Soares São José dos Campos, INPE, set/2006. Atualizado por Marisa da

Leia mais

04 a 06 de Novembro de 2015 Cuiabá - MT

04 a 06 de Novembro de 2015 Cuiabá - MT 04 a 06 de Novembro de 2015 Cuiabá - MT Padrões de evolução de atividades agropecuárias em regiões adjacentes ao Pantanal: o caso da série histórica da agricultura e da produção animal na bacia do Rio

Leia mais

"Protegendo as nascentes do Pantanal"

Protegendo as nascentes do Pantanal "Protegendo as nascentes do Pantanal" Diagnóstico da Paisagem: Região das Cabeceiras do Rio Paraguai Apresentação O ciclo de garimpo mecanizado (ocorrido nas décadas de 80 e 90), sucedido pelo avanço das

Leia mais

Setor Sucroenergético: GIS Corporativo e Inovações no Grupo Noble CASE NOBLE GROUP. Herbert Del Petri Gerente Técnico Agrícola

Setor Sucroenergético: GIS Corporativo e Inovações no Grupo Noble CASE NOBLE GROUP. Herbert Del Petri Gerente Técnico Agrícola Gerente Técnico Agrícola Introdução O Noble Bioenergia ao longo da sua história no Brasil vem desenvolvendo o uso das informações espacializadas no dia-a-dia das operações e planejamento agrícola através

Leia mais

Mineração e Biodiversidade: lições aprendidas por uma mineradora global

Mineração e Biodiversidade: lições aprendidas por uma mineradora global II Congresso de Mineração da Amazônia Mineração e Biodiversidade: lições aprendidas por uma mineradora global Vânia Somavilla Vale - Diretora de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável Novembro de

Leia mais

Unidade de Medida: % de execução física Especificação do Produto

Unidade de Medida: % de execução física Especificação do Produto Programa 2036 - Florestas, Prevenção e Controle do Desmatamento e dos Incêndios 10TC - Elaboração e Implantação do Inventário Florestal Nacional Tipo: Projeto Número de Ações 32 Inventário realizado %

Leia mais

FOTOINTERPRETAÇÃO. Interpretação e medidas. Dado qualitativo: lago

FOTOINTERPRETAÇÃO. Interpretação e medidas. Dado qualitativo: lago FOTOINTERPRETAÇÃO a) conceito A fotointerpretação é a técnica de examinar as imagens dos objetos na fotografia e deduzir sua significação. A fotointerpretação é bastante importante à elaboração de mapas

Leia mais

Ações da UNEMAT no município de Alta Floresta. Prof. Dr. Luiz Fernando Caldeira Ribeiro Departamento de Agronomia

Ações da UNEMAT no município de Alta Floresta. Prof. Dr. Luiz Fernando Caldeira Ribeiro Departamento de Agronomia Ações da UNEMAT no município de Alta Floresta Prof. Dr. Luiz Fernando Caldeira Ribeiro Departamento de Agronomia INTRODUÇÃO Laboratório de Fitopatologia e a Clínica de Doenças de Plantas atuam em 4 áreas:

Leia mais