Resumo. 1. Helicobacter pylori; 2. Diagnóstico; 3. Pesquisa. Descritores: Abstract

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Resumo. 1. Helicobacter pylori; 2. Diagnóstico; 3. Pesquisa. Descritores: Abstract"

Transcrição

1 10 Arquivos Catarinenses de Medicina Vol. 39, n o. 3, de /10/39-03/10 Arquivos Catarinenses de Medicina Avaliação das indicações para pesquisa diagnóstica do Helicobacter pylori em serviço ambulatorial de Endoscopia Digestiva evaluation of Helicobacter pylori search in an ambulatory Marco Rodrigo Zambrano Nuñez 1, Marcos de Sousa Medeiros 2, Mario Antônio Durli 2, Juliana dos Reis Guaresi 3, Vitor de Sousa Medeiros 2, Thiago Mamôru Sakae 4 Resumo Introdução - Testes para a pesquisa do Helicobacter pylori, como é o caso do teste da urease e da histologia, são bastante utilizados em nosso meio. Porém sua realização deve seguir diretrizes já estabelecidas, evitando ocasiões desnecessárias. Objetivo - Relacionar o quadro sintomatológico ou a indicação que gerou a solicitação da Endoscopia Digestiva Alta (EDA) com a prevalência do pedido de pesquisa diagnóstica para o Helicobacter pylori, em clínica de Gastroenterologia e Endoscopia em Florianópolis SC (Clínica Médica Menino Deus), de janeiro a julho de Metodologia - Estudo observacional, com delineamento transversal, constituído por prontuários de pacientes com idade superior a 18 anos, que apresentaram sintomas digestivos ou indicação para a realização do exame de EDA na Clínica Médica Menino Deus, no período de janeiro a julho de Resultados prontuários de pacientes foram incluídos no estudo. Houve predominância do sexo feminino, 61,4%. A média de idade foi de 44,3 anos. A prevalência para pesquisa do Helicobacter pylori foi de 32,5%. Dor abdominal foi o sintoma mais relacionado com a solicitação médica para pesquisa do Helicobacter pylori, em 54,0%. Dentre os achados endoscópicos, a gastrite endoscópica leve ou moderada, representando 46,8%, foi o diagnóstico 1 - Doutor em Medicina pela USP. Professor da Universidade do Sul de Santa Catarina - UNISUL. 2 - Estudante do Curso de Medicina - Universidade do Sul de Santa Catarina - UNISUL. 3 - Enfermeira formada pela Universidade do Sul de Santa Catarina - UNISUL. 4 - Médico. Doutorando em Ciências Médicas - Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Mestre em Saúde Pública - UFSC. Professor da Universidade do Sul de Santa Catarina - UNISUL. mais estabelecido no grupo de pacientes em que foi feita a solicitação médica para pesquisa da bactéria. Conclusão - Neste estudo, observamos que, quanto à indicação do exame de EDA, a solicitação médica está dentro dos critérios preconizados. Porém, quanto à indicação para a pesquisa do Helicobacter pylori, visualiza- -se falta de critérios clínicos, se comparado com as diretrizes que abordam este assunto. Descritores: Abstract 1. Helicobacter pylori; 2. Diagnóstico; 3. Pesquisa. Introduction Tests for the diagnosis of Helicobecter pylori, like urease test and histology, have a large use in Gastroenterology. However the indications for the realization of the tests must be based in current concepts contents, instead of realizing tests in unnecessary situations. Goal - To establish the relationship between symptoms or indication that create upper digestive endoscopy solicitation with the prevalence of the tests for the diagnosis of Helicobecter pylori solicitation, in a Gastroenterology and Endoscopy clinic (Clínica Médica Menino Deus), in Florianópolis city, Santa Catarina, from January to July of Methodology - Observational study, with cross design, constituted by medicals handbooks of patients older than 18 years old, that referred gastrointestinal symptoms or any other upper digestive endoscopy indication, in the Clínica Médica Menino Deus, from January to July of

2 Avaliação das indicações para pesquisa diagnóstica do Helicobacter Results 415 medicals handbooks were included. There was a female predominance, 61,4%. The age average was 44,3 years old. Abdominal pain was the most important symptom that had relationship with medical solicitation for tests for the diagnosis of Helicobacter pylori, 54,0%. About endoscopy diagnosis, the mild or moderate gastritis, represented 46,8%, was the most important diagnosis in the group of medical solicitation for tests for the bacteria diagnosis. Conclusion Based in this data, the medicals indications for upper digestive endoscopy solicitation are correct according to current concepts. However, the medicals indications for tests for diagnosis of Helicobecter pylori solicitation present criterions failure according to current concepts. Keywords: Introdução 1. Helicobacter pylori; 2. Diagnosis; 3. Search. Há aproximadamente 25 anos, acreditava-se ser impossível algum microrganismo colonizar a mucosa do estômago humano, devido à grande quantidade de ácido produzido nesse órgão. Foi então que, no início da década de 1980, B. J. Marshall e J. R. Warren, ao observarem cultivo de muco gástrico de pacientes com gastrite crônica, descreveram a presença de uma determinada bactéria. Era a descoberta do Helicobacter pylori (H. pylori) 1,2. O H. pylori é uma bactéria gram-negativa, não-invasiva e microaerófila. Além de sua forma espiralada, é dotado de quatro a seis flagelos que lhe concede mobilidade 3,4,5. Também é servido de grande capacidade de adesão 3. O homem é o hospedeiro natural do H. pylori. O H. pylori tem como localização predileta o antro gástrico e por ser uma bactéria adaptada para colonizar somente a mucosa gástrica, só é encontrado no estômago e em locais de metaplasia gástrica 3,4. O H. pylori produz certas enzimas (catalase, oxidase e urease) que viabilizam a penetração no muco, concedem resistência ao meio ácido e por fim agridem o epitélio gástrico, ocasionando inflamação 1,2,4. O H. pylori apresenta distribuição cosmopolita, acometendo mais de 50% da população mundial, sendo a maioria assintomática 3,4,5. A prevalência da infecção é maior à Arquivos Catarinenses de Medicina Vol. 39, n o. 3, de medida que aumenta a idade e em regiões de baixo nível socioeconômico. As principais vias de transmissão do H. pylori seriam as vias oral-oral e fecal-oral 3,4. Já foi estabelecida a participação do H. pylori na patogênese da gastrite crônica, úlcera péptica (UP), adenocarcinoma gástrico e linfoma MALT de baixo grau 4. No último Consenso Europeu sobre o H. pylori, a bactéria também foi relacionada como causa de anemia ferropriva e púrpura trombocitopênica idiopática. Por esse motivo, pacientes com anemia ferropriva sem causa aparente e púrpura trombocitopênica idiopática crônica, são indicações para a erradicação da infecção 6. Outras situações em que é considerada a erradicação do H. pylori são: úlcera gastroduodenal; linfoma MALT de baixo grau; ressecção de câncer gástrico precoce; gastrectomia parcial devido a câncer gástrico avançado; gastrite atrófica; pacientes que irão iniciar tratamento contínuo com antiinflamatório não esteroidal (AINE) e pacientes considerados de risco para o desenvolvimento de lesões do trato digestivo superior, independente da fase ou período de tratamento, do tipo, dose ou indicação terapêutica para a utilização de AINE e/ou ácido acetilsalicílico (AAS) 7. Atualmente, no pré-operatório para cirurgia bariátrica, a pesquisa e erradicação do H. pylori também é indicada 8. A bactéria pode ser detectada por métodos invasivos e não-invasivos. Os primeiros consistem em histologia, cultura, teste da urease e PCR. Já o teste respiratório, sorologia e pesquisa de antígeno fecal constituem os métodos não-invasivos 5. H. pylori e AINE aumentam o risco de ocorrer úlcera péptica. Esse risco aumenta quando os dois fatores se associam 6,9. Por isso a erradicação do H. pylori, associado ao uso de inibidores de bomba de prótons (IBP), mostra- -se melhor que o placebo para a prevenção de úlceras gastroduodenais em pacientes que receberão tratamento com AINE 9. Mas em usuários crônicos de AINE com úlcera péptica, a erradicação do H. pylori não se mostra melhor que o placebo para ser associado ao IBP, no tratamento de remissão da úlcera péptica 6. Por outro lado, o H. pylori é um fator de risco para úlceras gastroduodenais e sangramento digestivo alto em pacientes usuários de baixas doses de AAS para proteção cardiovascular. Nesses casos a infecção deve ser erradicada 6,10,11. A infecção crônica pelo H. pylori é o mais importante fator de risco para o desenvolvimento do adenocarcinoma gástrico 12. Sugere-se, de acordo com a prevalência da infecção pelo H. pylori que, 65% dos cânceres gástricos em países desenvolvidos e 80% em países em desenvol- 11

3 12 Arquivos Catarinenses de Medicina Vol. 39, n o. 3, de 2010 vimento são atribuídos ao H. pylori 13. A erradicação da infecção pelo H. pylori seria um modo de prevenir grande parte dos adenocarcinomas gástricos, mas ainda não está claro em qual estágio a infecção deve ser erradicada 12, ou até mesmo, se existiria beneficio com a erradicação 14. O H. pylori também tem grande importância como fator etiológico do linfoma MALT. De modo que 62% dos pacientes com linfoma MALT de baixo grau têm sua completa remissão com a erradicação do H. pylori. Por esse motivo a erradicação da infecção está indicada 6. A partir do momento em que está indicada a erradicação do H. pylori, o tratamento deve ser iniciado. Basicamente o esquema terapêutico utilizado consiste na associação de dois antimicrobianos (claritromicina e amoxicilina) e um IBP por sete dias 7. Esquemas alternativos são propostos em virtude do aumento das taxas de falha terapêutica em todo o mundo 15. O H. pylori não é causa de doença do refluxo gastresofágico (DRGE), nem influencia em sua evolução 7. Do mesmo modo, a erradicação do H. pylori não causa DRGE, nem exacerba seus sintomas 6. Dessa maneira, a pesquisa diagnóstica de H. pylori não é recomendação corriqueira na DRGE 7. Sintomas dispépticos são encontrados em aproximadamente 40% da população 16,17. Desses indivíduos, pouco mais de 50% apresentam dispepsia funciona l5. De acordo com o Consenso Roma II, dispepsia funcional se caracteriza por sintomas dispépticos persistentes ou recorrentes, com duração superior a 12 semanas, não necessariamente consecutivas nos últimos 12 meses, sem evidências à Endoscopia Digestiva Alta (EDA), de doença orgânica que justifique tais sintomas e sem evidências de alívio exclusivamente pela defecação ou associada com alterações de forma e frequência das fezes, excluindo parasitoses intestinais ao exame coprológico 18. Estudos são conflitantes ao considerarem que a erradicação do H. pylori tem associação com a melhora dos sintomas da dispepsia funcional. Por hora, o H. pylori não tem papel estabelecido com essa patologia 17. Desse modo, não há consenso quanto à indicação de pesquisa diagnóstica e erradicação do H. pylori na dispepsia funciona l7. Dor abdominal, sintomas dispépticos são prevalentes na população. Podem ser causados por patologias que tenham relação etiológica estabelecida com o H. pylori, como por exemplo, o câncer gástrico. Pesquisa diagnóstica e a erradicação da bactéria são medidas imperativas nesses casos. Porém, os sintomas supracitados não têm relação definida com o H. pylori. Realização de pesquisa diagnóstica e erradicação da infecção em Avaliação das indicações para pesquisa diagnóstica do Helicobacter situações não bem estabelecidas, só fazem onerar custos. Além disso, o uso indiscriminado de antimicrobianos favorece o aparecimento de resistência bacteriana ao tratamento 19. Devido a esses aspectos, justifica-se o presente estudo, o qual verificará se as solicitações médicas para a pesquisa diagnóstica do H. pylori estão seguindo as diretrizes atuais. O presente estudo teve por objetivo relacionar o quadro sintomatológico ou a indicação que gerou a solicitação da Endoscopia Digestiva Alta (EDA) com a prevalência do pedido de pesquisa diagnóstica para o Helicobacter pylori, em clínica de Gastroenterologia e Endoscopia em Florianópolis SC (Clínica Médica Menino Deus), de janeiro a julho de Métodos Foi realizado um estudo observacional, com delineamento tipo transversal. A amostra foi constituída por 415 prontuários de pacientes acima de 18 anos de idade, com sintomas digestivos ou com indicação para realização do exame de EDA na Clínica Médica Menino Deus, abrangendo indivíduos de Florianópolis e Grande Florianópolis, no período de janeiro a julho de No estudo foram incluídos os prontuários de pacientes acima de 18 anos de idade, com sintomas digestivos ou com indicação para a realização de EDA na clínica de Gastroenterologia e período em questão. Cada prontuário representa um paciente. Foram excluídos os prontuários de pacientes menores de 18 anos de idade e prontuários com dados incompletos. Foram coletados os dados necessários para preencher o protocolo de pesquisa padronizado, a partir do qual foram coletados os dados referentes aos pacientes (gênero, idade e sintomas ou indicações para a realização da EDA) e ao exame de EDA (diagnóstico endoscópico, teste da urease e anatomopatológico). Foi utilizado para realização da pesquisa diagnóstica para o Helicobacter pylori o método de EDA (aparelho fibrogastroscópio Olympus GIFP20), biópsia para exame anatomopatológico (coloração hematoxilina-eosina) e teste da urease. As variáveis analisadas foram gênero, idade, sintomas digestivos (dor abdominal, dispepsia, hemorragia digestiva, emagrecimento, sintomas de DRGE, entre outros), indicações para realização de EDA (controle de tratamento para UP, antecedente familiar de câncer digestivo, uso de AINE, gastrectomia prévia, entre outras), teste da urease, histologia (anatomopatológico) e diagnóstico 12

4 Avaliação das indicações para pesquisa diagnóstica do Helicobacter endoscópico (normal, gastrite endoscópica, UP, câncer digestivo, entre outros). Dados foram inseridos no programa EpiData 3.1 e analisados no programa EpiInfo Foram analisadas as variáveis de forma descritiva, sendo as categóricas por meio de taxas e proporções, e as numéricas por medida de tendência central e de dispersão. O protocolo de pesquisa foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade do Sul de Santa Catarina, em 7 de agosto de Resultados No período de estudo, foram analisados 426 prontuários de pacientes que realizaram Endoscopia Digestiva Alta (EDA). Destes, 11 prontuários foram descartados por não preencherem os critérios de inclusão ou por apresentarem dados incompletos. A amostra final constou de 415 prontuários, 160 (38,6%) do gênero masculino e 255 (61,4%) do gênero feminino. Na população avaliada, a média de idade foi de 44,3 anos, sendo a idade mínima 18 anos e a máxima 89 anos. Verificou-se que foram vários os sintomas ou indicações para a realização da EDA, situação pela qual os estratificamos. Salientamos que a grande maioria dos sintomas ou indicações apresentaram-se associadas. Foram atribuídos à dor abdominal 240 (57,8%) casos, seguido por sintomas de DRGE em 80 (19,3%), dispepsia em 49 (11,8%). Controle para tratamento de UP e gastrite prévia apresentaram 20 (4,8%) casos cada. Os outros sintomas ou indicações para a realização da EDA que foram menos prevalentes são visualizados na Tabela 1. A respeito do diagnóstico endoscópico, observamos que a maioria está associada a outro diagnóstico e estão descritos isoladamente. Foram diagnosticados endoscopia normal em 84 (20,2%) casos; gastrite endoscópica foi encontrada em 240 (57,8%) casos, sendo 219 (52,8%) classificada como leve ou moderada intensidade, e 21 (5%) como gastrite endoscópica intensa. Presença de hérnia hiatal somou 119 (28,6%) casos e esofagite erosiva 57 (13,7%). Outros diagnósticos endoscópicos foram encontrados, porém menos prevalentes, sendo representados na Tabela 2. Em relação aos testes para pesquisa do H. pylori (teste da urease e anatomopatológico), verificou-se que em alguns casos ocorreu a solicitação dos dois testes simultaneamente. O teste da urease foi realizado em 122 (29,4%) dos 415 casos, sendo que em 27 (22,1%) casos o resultado foi positivo para H. pylori. O anatomopatológico Arquivos Catarinenses de Medicina Vol. 39, n o. 3, de foi realizado em 22 (5,3%) do total de casos, sendo que destes 13 (59%) foram positivos para H. pylori (Tabela 3). Ao final totalizaram-se 135 (32,5%) pacientes em que a bactéria foi pesquisada, em relação ao total da amostra. Do total de pesquisados, 36 (26,6%) indivíduos apresentaram pesquisa positiva para o H. pylori. Foi visto que do total de indivíduos estudados, em 111 (26,7%) foi realizada a pesquisa para o H. pylori de acordo com a solicitação médica. Dentre os sintomas ou indicações que culminaram com a pesquisa para a bactéria, ocorreram várias associações que estratificamos. Dor abdominal foi motivo de solicitação médica em 60 (54%) casos. Sintomas de DRGE e controle para tratamento de UP somaram 15 (13,5%) casos cada. Outros sintomas ou indicações para a pesquisa de H. pylori de acordo com a requisição médica foram menos prevalentes, sendo encontrados na Tabela 4. De acordo com os diagnósticos endoscópicos encontrados nos 111 indivíduos deste grupo, devemos salientar que em muitos casos ocorreu associação de diagnósticos, mas os apresentamos isoladamente. A endoscopia foi dada como normal em 24 (21,6%) casos; gastrite endoscópica leve e moderada foi visualizada em 52 (46,8%) casos; hérnia hiatal em 28 (25,2%) e esofagite erosiva em 12 (10,8%). Outros diagnósticos endoscópicos podem ser encontrados na Tabela 4. Deste grupo de 111 indivíduos, em 105 (94,6%) o teste da urease foi realizado, sendo que em 17 (16,2%) testes o resultado foi positivo. O anatomopatológico foi feito em 10 (9%) dos indivíduos, com 4 (40%) histologias positivas para H. pylori (tabela 4). Salientamos a ocorrência de casos em que foi feito teste da urease e anatomopatológico conjuntamente. Dentre o total de 415 pacientes presentes no estudo, 49 (11,8%) apresentaram indicações formais para a pesquisa do H. pylori. Foram atribuídos 20 (40,8%) casos para o controle do tratamento de UP, 10 (20,4%) por gastrectomia prévia, 7 (14,2%) por história pregressa de UP. Uso crônico de AINE, neoplasia gástrica prévia e pré- -operatório de cirurgia bariátrica representaram 4 (8,1%) casos cada. Por fim história familiar de câncer digestivo foi visto em 3 (6,1%) casos (Tabela 5). Salientamos que houve uma associação entre as indicações. Em 17 (34,6%) indivíduos deste grupo de 49, não foram realizados testes para pesquisa de H. pylori. No restante, 32 (62,4%) pacientes, o teste da urease foi feito em 26 (81,2%) casos, sendo em 7 (26,9%) positivo para infecção. O anatomopatológico foi realizado em 9 (28,1%) casos, com um (11,1%) resultado positivo 13

5 14 Arquivos Catarinenses de Medicina Vol. 39, n o. 3, de 2010 (Tabela 5). Salientamos que ocorreram casos em que o teste da urease e o anatomopatológico foram feitos concomitantemente. A respeito dos diagnósticos endoscópicos realizados neste grupo de 49 indivíduos, em 10 (20,4%) casos o resultado foi normal. Mostraram-se mais prevalentes entre as patologias: gastrite endoscópica leve e moderada com 14 (28,5%) casos, cicatriz de UP e hérnia hiatal com 12 (24,4%) casos cada. O restante dos diagnósticos endoscópicos é encontrado na Tabela 5. Observamos que muitos diagnósticos endoscópicos foram encontrados associados. Registramos que, em 24 (5,8%) indivíduos do total estudado, a pesquisa para o H. pylori foi realizada após o laudo endoscópico, pelo médico endoscopista. Dentre os diagnósticos endoscópicos vistos neste grupo, gastrite endoscópica intensa e cicatriz de UP apresentaram-se com 11 (45,8%) casos, sendo as mais prevalentes. Outros diagnósticos são visualizados na Tabela 6. Salientamos a ocorrência de associação entre os diagnósticos endoscópicos. Deste grupo, o teste da urease foi realizado em 17 (70,8%) indivíduos, com 10 (58,8%) casos positivos para a infecção. O anatomopatológico foi feito em 12 (50%) indivíduos, sendo 8 (66,6%) positivos (Tabela 6). Foi visto que o teste da urease e o anatomopatológico em alguns casos foram realizados simultaneamente. Dentre os sintomas ou indicações relacionadas com o diagnóstico endoscópico deste grupo, destacamos que a grande maioria apresentava dor abdominal (58,3%). Outros sintomas ou indicações relacionados encontram-se na Tabela 6. Também fazemos a observação de que existiram associações entre alguns sintomas ou indicações. Discussão Do número total de indivíduos estudados, verificou- -se que na população avaliada e submetida ao exame de EDA, a média de idade foi de 44,3 anos. A indicação deste tipo de exame em pacientes com essa faixa de idade, apresentando variados sintomas gastro-intestinais como dor abdominal, sintomas dispépticos e sintomas de DRGE entre outros, torna-se necessária. Isto porque, neste grupo populacional, patologias com grande morbidade e mortalidade, como, por exemplo, neoplasia gástrica e UP, podem apresentar os sintomas supracitados. Neste caso, patologias como estas devem ter sempre seu diagnóstico descartado ou feito precocemente 1,8. Avaliação das indicações para pesquisa diagnóstica do Helicobacter Quanto aos sintomas ou indicações para a realização da EDA, dor abdominal, dispepsia e sintomas de DRGE foram os mais prevalentes. Principalmente os dois primeiros sintomas encontrados na população estudada podem estar associados a várias patologias, entre elas UP, gastrites e câncer gástrico em fase inicial 4. Mas, torna-se difícil, apenas com a história clínica, distinguir entre patologias gástricas orgânicas ou funcionais 16,20. Quando foram avaliados os pacientes que apresentavam sintomas digestivos altos ou patologias prévias, 111 (26,7%) tinham solicitação médica de exame endoscópico com pesquisa de H. pylori. Do total de 135 sintomas ou indicações analisados deste grupo, a realização da pesquisa do H. pylori estaria formalmente indicada em apenas 33 (24,4%) casos. Assim, evidencia-se falta de critérios para a solicitação deste tipo de pesquisa, deste modo onerando custos ao paciente e ao sistema público de saúde. Outro ponto a ser analisado é que o diagnóstico da infecção pelo H. pylori em patologias não relacionadas com esta bactéria, não acrescenta nada, a não ser mais preocupação para o paciente 6,7. Neste grupo de 111 pacientes, verificou-se que apenas 31 (20,6%) achados endoscópicos, de um total de 150, apresentaram patologias que justificariam a erradicação da bactéria. Quando avaliadas as indicações para a pesquisa do H. pylori segundo diretrizes contidas no The Maastricht III Consensus Report 6 e no II Consenso Brasileiro sobre Helicobacter pylori 7, em 415 pacientes, número total da amostra, verifica-se que apenas 49 (11,8%) apresentariam critérios para a pesquisa do H. pylori. O controle de tratamento para UP e gastrectomia prévia foram as indicações mais prevalentes. Dentre este grupo de 49 pacientes, o diagnóstico endoscópico evidenciou 23 (31,5%) patologias relacionadas com H. pylori, de um total de 73 diagnósticos. Quando a pesquisa do H. pylori foi realizada após o diagnóstico endoscópico, pelo médico endoscopista, isto é, sem solicitação médica, encontramos 24 (5,7%) casos em relação à amostra total. Os diagnósticos endoscópicos encontrados foram gastrite endoscópica intensa, UP gástrica, UP duodenal, cicatriz de UP e câncer gástrico. Tais achados tinham como sintomas mais prevalentes dor abdominal e dispepsia. Ao analisarmos os dados de nosso trabalho, também ficou evidente que não há uma relação clínico-endoscópica estabelecida. Os estudos de metanálises realizados por Moayyedi e cols. 16 e por Deltenre e cols. 20 corroboram este achado. 14

6 Avaliação das indicações para pesquisa diagnóstica do Helicobacter Considerações Finais Ao final do estudo, podemos verificar que os principais sintomas ou indicações que geraram a solicitação da EDA foram dor abdominal e sintomas de DRGE. As patologias mais diagnosticadas foram gastrite endoscópica e presença de hérnia hiatal. Também foi visto que a prevalência de solicitação médica para a pesquisa do H. pylori foi de 26,7% do total da amostra. Dos indivíduos em que o H. pylori foi pesquisado, foi encontrado em 26,6%. Neste estudo, observamos que, quanto à indicação do exame de EDA, a solicitação médica está dentro dos critérios preconizados. Porém, quanto à indicação para a pesquisa do H. pylori, visualiza-se falta de critérios clínicos, se comparado com as diretrizes que abordam este assunto. Uma breve anamnese realizada pelo médico endoscopista antes da realização do exame de EDA contribuiria significativamente para redução do número de pesquisas do H. pylori sem critérios clínicos estabelecidos. Referências Arquivos Catarinenses de Medicina Vol. 39, n o. 3, de Dani R. Gastroenterologia essencial. 2. ed. Rio de Janeiro (RJ): Guanabara Koogan; López BA. Helicobacter pylori. Revista Medica del Hospital General de Mexico 2001 Oct.-Dic.; 64(4): Ladeira MSP, Salvadori DMF, Rodrigues MAM. Biopatologia do Helicobacter pylori. J Bras Patol Med Lab 2003; 39(4): Chehter L, Faria CM, Rodrigues-Jr L. Helicobacter pylori: diagnóstico, doenças associadas e erradicação. Revista Compacta Gastroenterologia 2004 Fev.; 4(1): Eisig JN, Silva FM. Helicobacter pylori. Rev Bras Med 2002 Jun.; 59(6): Malfertheiner P, Megraud F, O Morain C, Bazzoli F, El-Omar E, Graham D, et al. Current concepts in the management of Helicobacter pylori infection: the Maastricht III Consensus Report. Gut published online 2007 Jan. 7. Coelho LGV, Zaterka S. II Consenso Brasileiro sobre Helicobacter pylori. Arq Gastroenterol 2005; Abr.- Jun.; 42(2): Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva (SOBED). Endoscopia Gastrointestinal Terapêutica. 1. ed. São Paulo (SP): Tecmedd; Labenz J, Blum AL, Bolten WW, et al. Primary prevention of diclofenac associated ulcers and dyspepsia by omeprazole or triple therapy in Helicobacter pylori positive patients: a randomized, double blind, placebo controlled. Clinical Trial Gut 2002; 51: Yeomans ND, Lanas AI, Talley NJ, et al. Prevalence and incidence of gastroduodenal ulcers during treatment with vascular protective doses of aspirin. Aliment Pharmacol Ther 2005; 22: Lanas A, Fuentes J, Benito R, Serrano P, Bajador E, Sáinz R. Helicobacter pylori increases the risk of upper gastrointestinal bleeding in patients taking low-dose aspirin. Aliment Pharmacol Ther 2002; 16: Pritchard DM, Crabtree JE. Helicobacter pylori and gastric cancer. Curr Opin Gastroenterol 2006; 22: Helicobacter and Cancer Collaborative Group. Gastric cancer and Helicobacter pylori: a combined analysis of 12 case control studies nested within prospective cohorts. Gut 2001; 49: Yanaoka K, et al. Observation based on a 10-year follow-up for the development of gastric cancer in subjects with Helicobacter pylori infection Abstract. DDW; 2007 May Vakil N. Helicobacter pylori treatment: a pratical approach. Am J Gastroenterol 2006; 101: Moayyedi P, Talley NJ, Fennerty MB, Vakil N. Can the clinical history distinguish between functional and organic dyspepsia? JAMA 2006; 295: Bazzoli F, De Luca L, Pozzato P, Zagari RM, Fossi S, Ricciardiello L, et al. Helicobacter pylori and functional dyspepsia: review of previous studies and commentary on new data. Gut 2002; 50: Talley NJ, Stanghellini V, Heading RC, Koch KL, Malagelada JR, Tytgat GNJ. Functional gastroduodenal disorders. In: Drossman DA, Corazziari E, Talley NJ, Thompson G, Whitehead WE, editors. Rome II: the functional gastrointestinal disorders: diagnosis, pathophysiology, and treatment: a multinational consensus. 2nd ed. McLean, Virginia. Degnon Associates; p Louw JA. Peptic ulcer disease. Curr Opin Gastroenterol 2006; 22: Deltenre M, Nyst JF, Jonas C, Glupczynski Y, Deprez C, Burette A. Données cliniques, endoscopiques et histologiques chez 1100 patients dont 574 colonisés par Campylobacter pylori. Gastroenterol Clin Biol 1989; 13: 89 B-95 B. 15

7 16 Arquivos Catarinenses de Medicina Vol. 39, n o. 3, de 2010 Apêndices Tabelas Tabela 1 - Sintomas ou indicações para a realização da EDA na amostra total do estudo*. Florianópolis SC, janeiro a julho de Avaliação das indicações para pesquisa diagnóstica do Helicobacter Tabela 3 - Realização do teste da urease e do anatomopatológico na amostra total do estudo*. Florianópolis SC, janeiro a julho de Tabela 4 - Relação entre os sintomas ou indicações para pesquisa do H. pylori segundo solicitação médica (111 pacientes)***, com o diagnóstico endoscópico e os resultados do teste da urease e anatomopatológico. Florianópolis SC, janeiro a julho de Tabela 2 - Diagnósticos endoscópicos na amostra total do estudo*. Florianópolis SC, janeiro a julho de

8 Avaliação das indicações para pesquisa diagnóstica do Helicobacter Arquivos Catarinenses de Medicina Vol. 39, n o. 3, de Tabela 5 - Relação entre as indicações formais para pesquisa do H. pylori (II Consenso Brasileiro sobre H. pylori 7 ) na amostra estudada*, com o diagnóstico endoscópico e os resultados do teste da urease e anatomopatológico. Florianópolis SC, janeiro a julho de Tabela 6 - Relação entre a pesquisa para o H. pylori através do laudo endoscópico (24 pacientes)*, com os sintomas ou indicações encontradas; e os resultados do teste da urease e anatomopatológico. Florianópolis SC, janeiro a julho de Endereço para correspondência: Universidade do Sul de Santa Catarina Av José Acácio Moreira, 787, Tubarão - SC. Curso de Medicina. 17

AULA DO PRODUTO. Curso inicial & Integração Novos Representantes

AULA DO PRODUTO. Curso inicial & Integração Novos Representantes AULA DO PRODUTO Curso inicial & Integração Novos Representantes 1 HELICOBACTER PYLORI A bactéria Helicobacter pylori foi descoberta em 1982 pelos australianos Barry J. Marshall e J. Robin Warren. Até então,

Leia mais

como intervir Héber Salvador de Castro Ribeiro Departamento de Cirurgia Abdominal A.C. Camargo Cancer Center

como intervir Héber Salvador de Castro Ribeiro Departamento de Cirurgia Abdominal A.C. Camargo Cancer Center Esôfago de Barrett: quando acompanhar e como intervir Héber Salvador de Castro Ribeiro Departamento de Cirurgia Abdominal A.C. Camargo Cancer Center Não possuo conflitos de interesse; Esôfago de Barrett

Leia mais

Especialização em SAÚDE DA FAMÍLIA. Caso complexo Natasha. Fundamentação teórica Dispepsia

Especialização em SAÚDE DA FAMÍLIA. Caso complexo Natasha. Fundamentação teórica Dispepsia Caso complexo Natasha Especialização em Fundamentação teórica DISPEPSIA Vinícius Fontanesi Blum Os sintomas relacionados ao trato digestivo representam uma das queixas mais comuns na prática clínica diária.

Leia mais

Identificação: L. R. Data Nascimento: 23/11/1981 Idade: 28 anos Sexo: feminino Profissão: Agente de Turismo

Identificação: L. R. Data Nascimento: 23/11/1981 Idade: 28 anos Sexo: feminino Profissão: Agente de Turismo VÍDEO 01 Identificação: L. R. Data Nascimento: 23/11/1981 Idade: 28 anos Sexo: feminino Profissão: Agente de Turismo História Clínica: Desde os 19 anos apresenta quadro dispéptico. Em 2001 foi medicada

Leia mais

Luiz Gonzaga COELHO1, Ismael MAGUINILK2, Schlioma ZATERKA3, José Miguel PARENTE4, Maria do Carmo Friche PASSOS1 e

Luiz Gonzaga COELHO1, Ismael MAGUINILK2, Schlioma ZATERKA3, José Miguel PARENTE4, Maria do Carmo Friche PASSOS1 e Consenso / CONSENSO ARQGA / 3 º Consenso Brasileiro de Helicobacter pylori Luiz Gonzaga COELHO1, Ismael MAGUINILK2, Schlioma ZATERKA3, José Miguel PARENTE4, Maria do Carmo Friche PASSOS1 e Joaquim Prado

Leia mais

São Paulo, 12 e 13-11-2008

São Paulo, 12 e 13-11-2008 São Paulo, 12 e 13-11-2008 Pesquisa de fitomedicamento Dificuldades e perspectivas - Um caso - Perspectiva para o setor nacional Genéricos - com suas limitações Similares inovadores Fitomedicamentos Biológicos

Leia mais

Artigo Original EDSON SOUZA MACHADO DURÃES 1 ; MARIANA ROCHA FABRIS 1 ; ALEXANDRE JOSÉ FARACO 2 ; KRISTIAN MADEIRA 3 ; LÍGIA ROCHA DE LUCA 2

Artigo Original EDSON SOUZA MACHADO DURÃES 1 ; MARIANA ROCHA FABRIS 1 ; ALEXANDRE JOSÉ FARACO 2 ; KRISTIAN MADEIRA 3 ; LÍGIA ROCHA DE LUCA 2 Artigo Original Análise dos achados endoscópicos em pacientes com dispepsia atendidos no Serviço de Endoscopia do Hospital São João Batista, Criciúma SC, no período de outubro de 2008 a março de 2009 Analysis

Leia mais

RESUMO. Sandra Silva 1 Marcos Pelegrini 2 Leonardo Gabiati 3 Giseli Rodhen 4 Guilherme Cerutti Muller 5

RESUMO. Sandra Silva 1 Marcos Pelegrini 2 Leonardo Gabiati 3 Giseli Rodhen 4 Guilherme Cerutti Muller 5 60 PREVALÊNCIA DE HELICOBACTER PYLORI EM PACIENTES QUE REALIZARAM ENDOSCOPIA GÁSTRICA DE NOVEMBRO A DEZEMBRO DE 2008 EM UM HOSPITAL DE SÃO MIGUEL DO OESTE SC Sandra Silva 1 Marcos Pelegrini 2 Leonardo

Leia mais

Será que égastrite? Luciana Dias Moretzsohn Faculdade de Medicina da UFMG

Será que égastrite? Luciana Dias Moretzsohn Faculdade de Medicina da UFMG Será que égastrite? Luciana Dias Moretzsohn Faculdade de Medicina da UFMG Sintomas Dor na região do estômago Estômago estufado Empanzinamento Azia Arrotos frequentes Cólica na barriga Vômitos e náusea

Leia mais

Jairo Silva Alves ANÁLISE DOS ACHADOS ENDOSCÓPICOS EM CLÍNICA DE ENDOSCOPIA NO PERÍODO DE 1991 A 2001:

Jairo Silva Alves ANÁLISE DOS ACHADOS ENDOSCÓPICOS EM CLÍNICA DE ENDOSCOPIA NO PERÍODO DE 1991 A 2001: Jairo Silva Alves ANÁLISE DOS ACHADOS ENDOSCÓPICOS EM CLÍNICA DE ENDOSCOPIA NO PERÍODO DE 1991 A 2001: AVALIAÇÃO CRÍTICA DA CONTRIBUIÇÃO DA ENDOSCOPIA PARA DIAGNÓSTICO DO PACIENTE DISPÉPTICO; ESTUDO RETROSPECTIVO

Leia mais

Adenocarcinoma de Esôfago como conseqüência de Esôfago de Barret

Adenocarcinoma de Esôfago como conseqüência de Esôfago de Barret Adenocarcinoma de Esôfago como conseqüência de Esôfago de Barret Serviço de Cirurgia Geral III Dr Antônio Borges Campos Denissa F. G. Mesquita Extensionista da Cir. do Ap. Digestório Samuel Luz Moreno

Leia mais

Doença do Refluxo Gastroesofágico

Doença do Refluxo Gastroesofágico Doença do Refluxo Gastroesofágico Gustavo Rigon Narciso Agosto 2014 Definições Inicialmente era sinônimo de esofagite e hérnia de hiato. Posteriormente foi definida como uma desordem de motilidade associada

Leia mais

São Paulo, 12 e 13 de 2008

São Paulo, 12 e 13 de 2008 São Paulo, 12 e 13 de 2008 Uma realidade do Mercado Os 10 (dez) primeiros produtos com patentes vendem, mundialmente, 37 bilhões de dólares * O Brasil vende, de todos os produtos, 6 bilhões de dólares

Leia mais

CONSULTA EM GASTROENTEROLOGIA CÓDIGO SIA/SUS: 03.01.01.007-2

CONSULTA EM GASTROENTEROLOGIA CÓDIGO SIA/SUS: 03.01.01.007-2 CONSULTA EM GASTROENTEROLOGIA CÓDIGO SIA/SUS: 03.01.01.007-2 INDICAÇÕES: 1. DISPEPSIA OU DOENÇA DO REFLUXO 2. DIARRÉIA CRÔNICA 3. PANCREATITE CRÔNICA 4. NÓDULOS SÓLIDOS OU CÍSTICOS NO PÂNCREAS 5. FALHA

Leia mais

EDITAL DO CONCURSO PARA CURSO DE CAPACITAÇÃO PLENA E COMPLEMENTAR EM ENDOSCOPIA DIGETIVA

EDITAL DO CONCURSO PARA CURSO DE CAPACITAÇÃO PLENA E COMPLEMENTAR EM ENDOSCOPIA DIGETIVA CONCURSO SELEÇÃO DE MÉDICOS CANDIDATOS AO ESTÁGIO EM ENDOSCOPIA DIGESTIVA /2014 SED-CHD-IBP-HGRS SERVIÇO DE ENDOSCOPIA DIGESTIVA E CENTRO DE HEMORRAGIA DIGESTIVA PROF. DR. IGELMAR BARRETO PAES DO HOSPITAL

Leia mais

CÂNCER GÁSTRICO PRECOCE

CÂNCER GÁSTRICO PRECOCE CÂNCER GÁSTRICO PRECOCE Hospital Municipal Cardoso Fontes Serviço de Cirurgia Geral Chefe do serviço: Dr. Nelson Medina Coeli Expositor: Dra. Ana Carolina Assaf 16/09/04 René Lambert DEFINIÇÃO Carcinoma

Leia mais

DIAGNÓSTICO E AVALIAÇÃO DAS ALTERAÇÕES GÁSTRICAS CAUSADAS PELO HELICOBACTER SPP. EM CÃES NATURALMENTE INFECTADOS

DIAGNÓSTICO E AVALIAÇÃO DAS ALTERAÇÕES GÁSTRICAS CAUSADAS PELO HELICOBACTER SPP. EM CÃES NATURALMENTE INFECTADOS DIAGNÓSTICO E AVALIAÇÃO DAS ALTERAÇÕES GÁSTRICAS CAUSADAS PELO HELICOBACTER SPP. EM CÃES NATURALMENTE INFECTADOS Caique Augusto Ribeiro Gomes 1 ; Thiago Pires Anacleto 2 ; Luan Gavião Prado 3 ; Rodolfo

Leia mais

CONSENSO / CONSENSUS II CONSENSO BRASILEIRO SOBRE Helicobacter pylori

CONSENSO / CONSENSUS II CONSENSO BRASILEIRO SOBRE Helicobacter pylori ARQGA/1173 CONSENSO / CONSENSUS II CONSENSO BRASILEIRO SOBRE Helicobacter pylori Luiz Gonzaga Vaz COELHO 1, Schlioma ZATERKA 2 e Representantes indicados pela Federação Brasileira de Gastroenterologia

Leia mais

Cancro Gástrico. Prevenção, Diagnóstico e Tratamento. Cancro Digestivo. 30 de Setembro 2006. Organização. Sponsor. Apoio.

Cancro Gástrico. Prevenção, Diagnóstico e Tratamento. Cancro Digestivo. 30 de Setembro 2006. Organização. Sponsor. Apoio. Organização Sponsor Cancro Gástrico Prevenção, Diagnóstico e Tratamento Apoio Secretariado Central Park R. Alexandre Herculano, Edf. 1-4º C 2795-240 Linda-a-Velha Telefones: 21 430 77 40/1/2/3/4 Fax: 21

Leia mais

LINFOMAS. Maria Otávia da Costa Negro Xavier. Maio -2013

LINFOMAS. Maria Otávia da Costa Negro Xavier. Maio -2013 LINFOMAS GASTROINTESTINAIS Maria Otávia da Costa Negro Xavier Maio -2013 1 INTRODUÇÃO Cerca de 1 a 4% de todas as malignidades gastrointestinais são linfomas. Por definição os linfomas gastrointestinais

Leia mais

Tabagismo e Câncer de Pulmão

Tabagismo e Câncer de Pulmão F A C U L D A D E D E S A Ú D E P Ú B L I C A D E P A R TA M E N T O D E E P I D E M I O L O G I A U N I V E R S I D A D E D E S Ã O P A U L O Série Vigilância em Saúde Pública E X E R C Í C I O N º 3

Leia mais

8:00 Horas Sessão de Temas Livres concorrendo a Premiação. 8:30 8:45 INTERVALO VISITA AOS EXPOSITORES E PATROCINADORES.

8:00 Horas Sessão de Temas Livres concorrendo a Premiação. 8:30 8:45 INTERVALO VISITA AOS EXPOSITORES E PATROCINADORES. MAPA AUDITÓRIO ÓPERA DE ARAME (200 LUGARES) DOMINGO 02 DE AGOSTO DE 2015. 8:00 Horas Sessão de Temas Livres concorrendo a Premiação. 8:00 8:15 TEMA LIVRE SELECIONADO. 8:15 8:30 TEMA LIVRE SELECIONADO.

Leia mais

Caracterização dos doentes toxicodependentes observados pela equipa de Psiquiatria de Ligação - análise comparativa dos anos de 1997 e 2004

Caracterização dos doentes toxicodependentes observados pela equipa de Psiquiatria de Ligação - análise comparativa dos anos de 1997 e 2004 Caracterização dos doentes toxicodependentes observados pela equipa de Psiquiatria de Ligação - análise comparativa dos anos de 1997 e 2004 Joana Alexandre *, Alice Luís ** Resumo Analisaram-se as características

Leia mais

PATOLOGIAS DO SISTEMA DIGESTIVO, ÚLCERA PÉPTICA E GASTRITE

PATOLOGIAS DO SISTEMA DIGESTIVO, ÚLCERA PÉPTICA E GASTRITE PATOLOGIAS DO SISTEMA DIGESTIVO, ÚLCERA PÉPTICA E GASTRITE Como prevenir? Como diagnosticar? Como tratar? SISTEMA DIGESTIVO O sistema digestivo se estende da boca até o ânus. É responsável pela recepção

Leia mais

Tumor carcinoide de duodeno: um tumor raro em local incomum. Série de casos de uma única instituição

Tumor carcinoide de duodeno: um tumor raro em local incomum. Série de casos de uma única instituição Tumor carcinoide de duodeno: um tumor raro em local incomum. Série de casos de uma única instituição Jaques Waisberg- Orientador do Programa de Pós Graduação do Instituto de Assistência Médica ao Servidor

Leia mais

Faculdade de Medicina da Universidade do Porto Biopatologia 2006/2007 16º Seminário: 14/02/07. Cancro e lesões pré-cancerosas do esófago e do estômago

Faculdade de Medicina da Universidade do Porto Biopatologia 2006/2007 16º Seminário: 14/02/07. Cancro e lesões pré-cancerosas do esófago e do estômago Faculdade de Medicina da Universidade do Porto Biopatologia 2006/2007 16º Seminário: 14/02/07 Cancro e lesões pré-cancerosas do esófago e do estômago O esófago junta-se ao estômago no cárdia, constituindo

Leia mais

O que é câncer de estômago?

O que é câncer de estômago? Câncer de Estômago O que é câncer de estômago? O câncer de estômago, também denominado câncer gástrico, pode ter início em qualquer parte do estômago e se disseminar para os linfonodos da região e outras

Leia mais

Dispepsia Resumo de diretriz NHG M36 (terceira revisão, janeiro 2013)

Dispepsia Resumo de diretriz NHG M36 (terceira revisão, janeiro 2013) Dispepsia Resumo de diretriz NHG M36 (terceira revisão, janeiro 2013) Mattijs Numans, Niek de Wit, Jos Dirven, Corien Heemstra-Borst, Gerard Hurenkamp, Mieke Scheele, Jako Burgers, Roeland Geijer, Egbert

Leia mais

TÍTULO: UTILIZAÇÃO DA MAMOGRAFIA PARA O DIAGNÓSTICO DO CÂNCER DE MAMA MASCULINO

TÍTULO: UTILIZAÇÃO DA MAMOGRAFIA PARA O DIAGNÓSTICO DO CÂNCER DE MAMA MASCULINO TÍTULO: UTILIZAÇÃO DA MAMOGRAFIA PARA O DIAGNÓSTICO DO CÂNCER DE MAMA MASCULINO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: MEDICINA INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO ANHANGUERA DE

Leia mais

Universidade Federal de Pernambuco Processos Patológicos Gerais PPG Centro de Ciências Sociais - CCS

Universidade Federal de Pernambuco Processos Patológicos Gerais PPG Centro de Ciências Sociais - CCS Universidade Federal de Pernambuco Processos Patológicos Gerais PPG Centro de Ciências Sociais - CCS É um processo inflamatório agudo da mucosa, geralmente de natureza transitória. A inflamação pode ser

Leia mais

Dra Adriana de Freitas Torres

Dra Adriana de Freitas Torres Dra Adriana de Freitas Torres 2020 15 milhões de novos casos 12 milhões de mortes 2002 10 milhões de casos novos 6 milhões de mortes Mundo cerca 1 milhão de novos casos de CM Fonte: União Internacional

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Projetos de pesquisa. Patologia. Epidemiologia. Trato gastrointestinal.

PALAVRAS-CHAVE Projetos de pesquisa. Patologia. Epidemiologia. Trato gastrointestinal. 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X) SAÚDE

Leia mais

Distúrbios Gastrointetinais

Distúrbios Gastrointetinais Distúrbios Gastrointetinais Anatomia Gastrointestinal Doenças do tubo digestivo Patologias do Esôfago Classificação segundo o mecanismo da doença Anomalias do desenvolvimento (exs: Atresias; hérnias;estenoses)

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO DOS DISTÚRBIOS TIREOIDIANOS EM USUÁRIOS DE UM LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS

CLASSIFICAÇÃO DOS DISTÚRBIOS TIREOIDIANOS EM USUÁRIOS DE UM LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS CLASSIFICAÇÃO DOS DISTÚRBIOS TIREOIDIANOS EM USUÁRIOS DE UM LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS Kamila Karoliny Ramos de Lima 1, Josimar dos Santos Medeiros 2. Resumo Entre as principais doenças de evolução

Leia mais

GASTRITE EM CÃES INDUZIDA POR Helicobacter spp.

GASTRITE EM CÃES INDUZIDA POR Helicobacter spp. GASTRITE EM CÃES INDUZIDA POR Helicobacter spp. LEOPOLDINO, Danielly Cristina de Castro MELLO, Érica Paulini de Almeida ABDO, Heitor Destro Alunos de graduação da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia

Leia mais

Relação entre Infecção pelo Helicobacter pylori Linhagem caga-positiva e Risco de Câncer Gástrico

Relação entre Infecção pelo Helicobacter pylori Linhagem caga-positiva e Risco de Câncer Gástrico Universidade Federal do Rio Grande do Sul Faculdade de Medicina Programa de Pós-graduação: Ciências em Gastroenterologia Dissertação de Mestrado Relação entre Infecção pelo Helicobacter pylori Linhagem

Leia mais

Autores: Cristina Somariva Leandro Jacson Schacht. SESI Serviço Social da Indústria Cidade: Concórdia Estado: Santa Catarina 27/10/2015

Autores: Cristina Somariva Leandro Jacson Schacht. SESI Serviço Social da Indústria Cidade: Concórdia Estado: Santa Catarina 27/10/2015 Autores: Cristina Somariva Leandro Jacson Schacht SESI Serviço Social da Indústria Cidade: Concórdia Estado: Santa Catarina 27/10/2015 REDUÇÃO DE PESO E CIRCUNFERÊNCIA ABDOMINAL EM TRABALHADORES DA INDÚSTRIA

Leia mais

FÁRMACOS USADOS EM ÚLCERA PÉPTICA E DOENÇA DO REFLUXO GASTRESOFÁGICO

FÁRMACOS USADOS EM ÚLCERA PÉPTICA E DOENÇA DO REFLUXO GASTRESOFÁGICO FÁRMACOS USADOS EM ÚLCERA PÉPTICA E DOENÇA DO REFLUXO GASTRESOFÁGICO FUCHS; WANNMACHER; FERREIRA, 2004 1 - RANG et al, 2007 2 ; GOODMAN, 2006 3. Secreção de ácido gástrico (2,5 L /dia), muco e bicarbonato.

Leia mais

05/05/2014 NOTA TÉCNICA

05/05/2014 NOTA TÉCNICA Data: 05/05/2014 NOTA TÉCNICA 82/2014 Medicamento Material Solicitante Juiz Renato Luís Dresch Procedimento 4ª Vara da Fazenda Pública Municipal Cobertura Processo número: 0847203-25.2014 TEMA: Cirurgia

Leia mais

PROVA TEÓRICO-PRÁTICA

PROVA TEÓRICO-PRÁTICA PROVA TEÓRICO-PRÁTICA 1. Na atresia de esôfago pode ocorrer fistula traqueoesofágica. No esquema abaixo estão várias opções possíveis. A alternativa indica a forma mais freqüente é: Resposta B 2. Criança

Leia mais

Gastrite e Dispepsia Funcional

Gastrite e Dispepsia Funcional Gastrite e Dispepsia Funcional Este assunto caiu de bandeja pra você! Comer é uma coisa gostosa, e ninguém precisa sofrer com disgestão difícil, náuseas, saciedade precoce, desconforto ou dor de estômago.

Leia mais

Registro Hospitalar de Câncer de São Paulo:

Registro Hospitalar de Câncer de São Paulo: Registro Hospitalar de Câncer de São Paulo: Análise dos dados e indicadores de qualidade 1. Análise dos dados (jan ( janeiro eiro/2000 a setembro/201 /2015) Apresenta-se aqui uma visão global sobre a base

Leia mais

DIABETES MELLITUS: ADESÃO E CONHECIMENTO DE IDOSOS AO TRATAMENTO

DIABETES MELLITUS: ADESÃO E CONHECIMENTO DE IDOSOS AO TRATAMENTO DIABETES MELLITUS: ADESÃO E CONHECIMENTO DE IDOSOS AO TRATAMENTO Roberta Kelle de Araújo Melo (FACENE) - robertakamelo@hotmail.com Morganna Guedes Batista (FACENE) - morganna_guedes@hotmail.com Rayra Maxiana

Leia mais

VaIN II II e III há indicação para tratamentos não- excisionais?

VaIN II II e III há indicação para tratamentos não- excisionais? Trocando Idéias XIV - 2009 VaIN II II e III há indicação para tratamentos não- excisionais? Walquíria Quida Salles Pereira Primo Doutorado e Mestrado UnB Professora da Pós-graduação UnB Unidade de Ginecologia

Leia mais

Gaudencio Barbosa R3 CCP Hospital Universitário Walter Cantídio UFC Serviço de Cirurgia de Cabeça e Pescoço

Gaudencio Barbosa R3 CCP Hospital Universitário Walter Cantídio UFC Serviço de Cirurgia de Cabeça e Pescoço Gaudencio Barbosa R3 CCP Hospital Universitário Walter Cantídio UFC Serviço de Cirurgia de Cabeça e Pescoço Nódulos tiroideanos são comuns afetam 4- a 10% da população (EUA) Pesquisas de autópsias: 37

Leia mais

EXAME CITOPATOLÓGICO: A NÃO ADESÃO E A OCORRÊNCIA DE CÂNCER DE COLO UTERINO ENTRE AS MULHERES PERTENCENTES À TERCEIRA IDADE

EXAME CITOPATOLÓGICO: A NÃO ADESÃO E A OCORRÊNCIA DE CÂNCER DE COLO UTERINO ENTRE AS MULHERES PERTENCENTES À TERCEIRA IDADE EXAME CITOPATOLÓGICO: A NÃO ADESÃO E A OCORRÊNCIA DE CÂNCER DE COLO UTERINO ENTRE AS MULHERES PERTENCENTES À TERCEIRA IDADE Lizandra de Farias Rodrigues Queiroz; Juliana Meira de Vasconcelos Xavier Universidade

Leia mais

CAMPANHA PELA INCLUSÃO DA ANÁLISE MOLECULAR DO GENE RET EM PACIENTES COM CARCINOMA MEDULAR E SEUS FAMILIARES PELO SUS.

CAMPANHA PELA INCLUSÃO DA ANÁLISE MOLECULAR DO GENE RET EM PACIENTES COM CARCINOMA MEDULAR E SEUS FAMILIARES PELO SUS. Laura S. W ard CAMPANHA PELA INCLUSÃO DA ANÁLISE MOLECULAR DO GENE RET EM PACIENTES COM CARCINOMA MEDULAR E SEUS FAMILIARES PELO SUS. Nódulos da Tiróide e o Carcinoma Medular Nódulos da tiróide são um

Leia mais

II Curso de Atualização em Coloproctologia

II Curso de Atualização em Coloproctologia II Curso de Atualização em Coloproctologia Estratégias de Prevenção de Câncer nas Doenças Inflamatórias Intestinais Dr. Marco Zerôncio LIGA NRCC Considerações Iniciais As DII (RCUI e colite por Crohn)

Leia mais

02 DE AGOSTO DE 2015 (DOMINGO)

02 DE AGOSTO DE 2015 (DOMINGO) 02 DE AGOSTO DE 2015 (DOMINGO) Horário Programação 8:00: 08:30 Sessão de Temas Livres concorrendo a Premiação. Procedimentos Robóticos em Cirurgia abdominal 8:45-9:00 Cirurgia Robótica das afecções do

Leia mais

A Evolução da Morbidade e Mortalidade por Câncer de Mama entre a População Feminina de Minas Gerais 1995 a 2001 *

A Evolução da Morbidade e Mortalidade por Câncer de Mama entre a População Feminina de Minas Gerais 1995 a 2001 * A Evolução da Morbidade e Mortalidade por Câncer de Mama entre a População Feminina de Minas Gerais 1995 a 2001 * Andréa Branco Simão UFMG/Cedeplar Luiza de Marilac de Souza UFMG/Cedeplar Palavras Chave:

Leia mais

TEMA: Octreotida LAR no tratamento de tumor neuroendócrino

TEMA: Octreotida LAR no tratamento de tumor neuroendócrino NTRR 31/2013 Solicitante: Juiz Juarez Raniero Número do processo:0479.13.003726-6 Reu: Secretaria de Saúde de Passos Data: 25/03/2013 Medicamento x Material Procedimento Cobertura TEMA: Octreotida LAR

Leia mais

SISTEMATIZAÇÃO DA ANÁLISE ANÁTOMO-PATOLÓGICA NO CÂNCER GÁSTRICO. Luíse Meurer

SISTEMATIZAÇÃO DA ANÁLISE ANÁTOMO-PATOLÓGICA NO CÂNCER GÁSTRICO. Luíse Meurer SISTEMATIZAÇÃO DA ANÁLISE ANÁTOMO-PATOLÓGICA NO CÂNCER GÁSTRICO Luíse Meurer MANEJO DO CÂNCER GÁSTRICO: PAPEL DO PATOLOGISTA prognóstico Avaliação adequada necessidade de tratamentos adicionais MANEJO

Leia mais

Helicobacter pylori nos países em desenvolvimento

Helicobacter pylori nos países em desenvolvimento WGO Practice Guidelines : Helicobacter pylori nos países em desenvolvimento World Gastroenterology Organisation Practice Guidelines Helicobacter pylori nos países em desenvolvimento Agosto de 2010 Equipe

Leia mais

Otto Feuerschuette. Declaração de conflito de interesse

Otto Feuerschuette. Declaração de conflito de interesse Otto Feuerschuette Declaração de conflito de interesse Não recebi qualquer forma de pagamento ou auxílio financeiro de entidade pública ou privada para pesquisa ou desenvolvimento de método diagnóstico

Leia mais

TABAGISMO E CÂNCER DE PULMÃO *

TABAGISMO E CÂNCER DE PULMÃO * 1 05/06 TABAGISMO E CÂNCER DE PULMÃO * OBJETIVOS Este exercício utiliza o estudo clássico de Doll e Hill que demonstrou a relação entre tabagismo e câncer de pulmão. Depois de completar este exercício,

Leia mais

Numeração Única: 0112.14.001131-6 TEMA: TAMOXIFENO NO TRATAMENTO ADJUVANTE DO CANCER DE MAMA

Numeração Única: 0112.14.001131-6 TEMA: TAMOXIFENO NO TRATAMENTO ADJUVANTE DO CANCER DE MAMA NT 38/2013 Solicitante: Dra. Renata Abranches Perdigão do JESP da Fazenda Pública de Campo Belo Data: 22/02/2014 Medicamento X Material Procedimento Cobertura Numeração Única: 0112.14.001131-6 TEMA: TAMOXIFENO

Leia mais

13. CONEX Pôster Resumo Expandido 1 O PROJETO DE EXTENSÃO CEDTEC COMO GERADOR DE FERRAMENTAS PARA A PESQUISA EM CÂNCER DE MAMA

13. CONEX Pôster Resumo Expandido 1 O PROJETO DE EXTENSÃO CEDTEC COMO GERADOR DE FERRAMENTAS PARA A PESQUISA EM CÂNCER DE MAMA 13. CONEX Pôster Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE (X ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

HELMA PINCHEMEL COTRIM FACULDADE DE MEDICINA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA

HELMA PINCHEMEL COTRIM FACULDADE DE MEDICINA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA Doença Hepática Gordurosa Não-Alcoólica, Obesos Graves & Cirurgia Bariátrica HELMA PINCHEMEL COTRIM FACULDADE DE MEDICINA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA A prevalência de obesidade é crescente nos últimos

Leia mais

Copyright Medical Port 2015 PROGRAMA DE PERDA DE PESO!

Copyright Medical Port 2015 PROGRAMA DE PERDA DE PESO! PROGRAMA DE PERDA DE PESO Agenda O método holístico de Perda de Peso Apresentação do corpo clínico Diferentes programas de perda de peso Unidades de saúde O Método holístico de Perda de Peso The importance

Leia mais

NOVO CONSENSO BRASILEIRO DE RASTREAMENTO DO CÂNCER DE MAMA POR MÉTODOS DE IMAGEM DR. HEVERTON AMORIM

NOVO CONSENSO BRASILEIRO DE RASTREAMENTO DO CÂNCER DE MAMA POR MÉTODOS DE IMAGEM DR. HEVERTON AMORIM NOVO CONSENSO BRASILEIRO DE RASTREAMENTO DO CÂNCER DE MAMA POR MÉTODOS DE IMAGEM DR. HEVERTON AMORIM Qual é a situação do câncer de mama? Pode ser prevenido? Como prevenir? Qual o papel da mamografia?

Leia mais

FORMULÁRIO PARA SUBMISSÃO DE PROJETO DE PESQUISA ENVOLVENDO SERES HUMANOS

FORMULÁRIO PARA SUBMISSÃO DE PROJETO DE PESQUISA ENVOLVENDO SERES HUMANOS Universidade Bandeirante de São Paulo Comitê de Pós-Graduação e Pesquisa COMISSÃO DE ÉTICA (Resolução CONSEPE-UNIBAN nº 17/06 de 11/02/2006) FORMULÁRIO PARA SUBMISSÃO DE PROJETO DE PESQUISA ENVOLVENDO

Leia mais

PERFIL BRASILEIRO DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA DA FISIOTERAPIA EM ACIDENTE VASCULAR ENCEFÁLICO: REVISÃO SISTEMÁTICA

PERFIL BRASILEIRO DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA DA FISIOTERAPIA EM ACIDENTE VASCULAR ENCEFÁLICO: REVISÃO SISTEMÁTICA PERFIL BRASILEIRO DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA DA FISIOTERAPIA EM ACIDENTE VASCULAR ENCEFÁLICO: REVISÃO SISTEMÁTICA DE CARVALHO, P. E.; SALVADOR, C. A.; MIRANDA, T. T.; LOPES, J. Resumo: O acidente vascular

Leia mais

Prevalência, Conhecimento, Tratamento e Controle da Hipertensão em Adultos dos Estados Unidos, 1999 a 2004.

Prevalência, Conhecimento, Tratamento e Controle da Hipertensão em Adultos dos Estados Unidos, 1999 a 2004. Artigo comentado por: Dr. Carlos Alberto Machado Prevalência, Conhecimento, Tratamento e Controle da Hipertensão em Adultos dos Estados Unidos, 1999 a 2004. Kwok Leung Ong, Bernard M. Y. Cheung, Yu Bun

Leia mais

brasileiros com úlcera péptica, em seguimento de 5 anos

brasileiros com úlcera péptica, em seguimento de 5 anos Fernando Marcuz Silva Reinfecção pelo Helicobacter pylori em pacientes brasileiros com úlcera péptica, em seguimento de 5 anos Tese apresentada à Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo para

Leia mais

Estudo da prevalência de cárie dentária na dentição permanente em crianças de 6 a 12 anos da rede pública de ensino no município de Joinville (SC)

Estudo da prevalência de cárie dentária na dentição permanente em crianças de 6 a 12 anos da rede pública de ensino no município de Joinville (SC) ISSN 1806-7727 Estudo da prevalência de cárie dentária na dentição permanente em crianças de 6 a 12 anos da rede pública de ensino no município de Joinville (SC) Evaluated the prevalence of dental caries

Leia mais

HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA: HÁ DIFERENÇA NA DISTRIBUIÇÃO ENTRE IDOSOS POR SEXO?

HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA: HÁ DIFERENÇA NA DISTRIBUIÇÃO ENTRE IDOSOS POR SEXO? HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA: HÁ DIFERENÇA NA DISTRIBUIÇÃO ENTRE IDOSOS POR SEXO? Enelúzia Lavynnya Corsino de Paiva China (1); Lucila Corsino de Paiva (2); Karolina de Moura Manso da Rocha (3); Francisco

Leia mais

Dispepsia: caracterização e abordagem. Dyspepsia: clinical aspects and current approach

Dispepsia: caracterização e abordagem. Dyspepsia: clinical aspects and current approach Seção Aprendendo Rev Med (São Paulo). 2008 out.-dez.;87(4):213-23. Dispepsia: caracterização e abordagem Dyspepsia: clinical aspects and current approach Fernando Marcuz Silva 1 Silva FM. Dispepsia: caracterização

Leia mais

da Junção Esofagogástrica

da Junção Esofagogástrica HM Cardoso Fontes Serviço o de Cirurgia Geral Sessão Clínica 15/04/04 Carcinoma da Junção Esofagogástrica strica Diego Teixeira Alves Rangel Casos do Serviço (2001 2004) Nome Idade Diagnóstico Acesso Cirurgia

Leia mais

Especialização em SAÚDE DA FAMÍLIA. Caso complexo Sandra e Sofia. Fundamentação teórica Dor abdominal crônica na criança e no adolescente

Especialização em SAÚDE DA FAMÍLIA. Caso complexo Sandra e Sofia. Fundamentação teórica Dor abdominal crônica na criança e no adolescente Caso complexo Sandra e Sofia Especialização em Fundamentação teórica DOR ABDOMINAL CRÔNICA NA CRIANÇA E NO ADOLESCENTE Soraia Tahan É comum nos atendimentos pediátricos a associação da queixa de dor abdominal

Leia mais

Saúde Bucal no Programa de Saúde da Família De Nova Olímpia - MT. Importância da Campanha de. Nova Olímpia MT.

Saúde Bucal no Programa de Saúde da Família De Nova Olímpia - MT. Importância da Campanha de. Nova Olímpia MT. Saúde Bucal no Programa de Saúde da Família De Nova Olímpia - MT Importância da Campanha de câncer bucal no Município de Nova Olímpia MT. Autores: - CD Fabrício Galli e - CD Michelle Feitosa Costa. Com

Leia mais

Consenso Nacional e Latino-Americano sobre Helicobacter pylori

Consenso Nacional e Latino-Americano sobre Helicobacter pylori Consenso Nacional e Latino-Americano sobre Helicobacter pylori Luiz Gonzaga Vaz Coelho 6 A identificação do Helicobacter pylori, em 1983, por Marshall & Warren 1 e a rápida comprovação de sua participação

Leia mais

Sessão Televoter Urologia

Sessão Televoter Urologia 2012 Norte 17 de Novembro Sábado Sessão Televoter Urologia Tomé Lopes Palma dos Reis LUTS (Lower Urinary Tract Symptoms) Obstructivos (Esvaziamento) Irritativos (Armazenamento) Hesitação inicial Jacto

Leia mais

Portuguese Summary. Resumo

Portuguese Summary. Resumo Portuguese Summary Resumo 176 Resumo Cerca de 1 em 100 indivíduos não podem comer pão, macarrão ou biscoitos, pois eles têm uma condição chamada de doença celíaca (DC). DC é causada por uma das intolerâncias

Leia mais

Capítulo 7 Estudos sobre Causalidade e Etiologia

Capítulo 7 Estudos sobre Causalidade e Etiologia L E I T u R A C R í T I C A D E A R T I G O S C I E N T í F I CO S 105 Capítulo 7 Estudos sobre Causalidade e Etiologia 7.1 Introdução Relembrando o que foi dito no capítulo 1 os estudos randomizados,

Leia mais

COBERTURA DE MAMOGRAFIAS REALIZADAS NO MUNICÍPIO DE SOUSA PARAÍBA COM REGISTRO NO SISMAMA

COBERTURA DE MAMOGRAFIAS REALIZADAS NO MUNICÍPIO DE SOUSA PARAÍBA COM REGISTRO NO SISMAMA COBERTURA DE MAMOGRAFIAS REALIZADAS NO MUNICÍPIO DE SOUSA PARAÍBA COM REGISTRO NO SISMAMA 1 Introdução/ Desenvolvimento Alinne Vieira Alves 1 Ana Claudia Moreira Santaba 2 Ana Janielli de Souza 3 Juliana

Leia mais

ANÁLISE DA PRÁTICA CLÍNICA NA ABORDAGEM DA INFECÇÃO PELO H. PYLORI

ANÁLISE DA PRÁTICA CLÍNICA NA ABORDAGEM DA INFECÇÃO PELO H. PYLORI ANÁLISE DA PRÁTICA CLÍNICA NA ABORDAGEM DA INFECÇÃO PELO H. PYLORI - Estudo Pylori HEBDO - Martins, C. (1); Ribeiro, S. (1); Teixeira, C. (1); Cremers, I. (1); Medeiros, I. (2); Glória, L. (3); Vicente,

Leia mais

Linfomas gastrointestinais

Linfomas gastrointestinais Linfomas gastrointestinais Louise Gracielle de Melo e Costa R3 do Serviço de Patologia SAPC/HU-UFJF Introdução Linfomas extranodais: a maioria é de TGI. Ainda assim, linfomas primários gastrointestinais

Leia mais

Neoplasias Gástricas. Pedro Vale Bedê

Neoplasias Gástricas. Pedro Vale Bedê Neoplasias Gástricas Pedro Vale Bedê Introdução 95% dos tumores gástricos são malignos 95% dos tumores malignos são adenocarcinomas Em segundo lugar ficam os linfomas e em terceiro os leiomiosarcomas Ate

Leia mais

BENDAMUSTINA PARA LEUCEMIA LINFOCÍTICA CRÔNICA. Data: 31/01/2013. Medicamento. Nota Técnica 07/ 2013. Material

BENDAMUSTINA PARA LEUCEMIA LINFOCÍTICA CRÔNICA. Data: 31/01/2013. Medicamento. Nota Técnica 07/ 2013. Material Data: 31/01/2013 Nota Técnica 07/ 2013 Número do processo: MANDADO DE SEGURANÇA nº 145120844231, impetrado por Luiz Ernesto Bernardino Alves Filho contra ato do Secretário de Saúde de Juiz de Fora Medicamento

Leia mais

Câncer de Próstata. Fernando Magioni Enfermeiro do Trabalho

Câncer de Próstata. Fernando Magioni Enfermeiro do Trabalho Câncer de Próstata Fernando Magioni Enfermeiro do Trabalho O que é próstata? A próstata é uma glândula que só o homem possui e que se localiza na parte baixa do abdômen. Ela é um órgão muito pequeno, tem

Leia mais

Clostridium difficile: quando valorizar?

Clostridium difficile: quando valorizar? Clostridium difficile: quando valorizar? Sofia Bota, Luís Varandas, Maria João Brito, Catarina Gouveia Unidade de Infecciologia do Hospital D. Estefânia, CHLC - EPE Infeção a Clostridium difficile Diarreia

Leia mais

18/9/2014 DISTÚRBIOS GÁSTRICOS, ESOFÁGICOS E INTESTINAIS GASTRITE AGUDA GASTRITE CRÔNICA - TIPO A - TIPO B GASTRITE AGUDA

18/9/2014 DISTÚRBIOS GÁSTRICOS, ESOFÁGICOS E INTESTINAIS GASTRITE AGUDA GASTRITE CRÔNICA - TIPO A - TIPO B GASTRITE AGUDA UNESC ENFERMAGEM SAÚDE DO ADULTO PROFª: FLÁVIA NUNES DISTÚRBIOS GÁSTRICOS, ESOFÁGICOS E INTESTINAIS TIPOS DE GASTRITE GASTRITE AGUDA GASTRITE AGUDA GASTRITE CRÔNICA - TIPO A - TIPO B É uma inflamação da

Leia mais

CUIDADOS PALIATIVOS DIRECIONADOS A PACIENTES ONCOLÓGICOS EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA

CUIDADOS PALIATIVOS DIRECIONADOS A PACIENTES ONCOLÓGICOS EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA CUIDADOS PALIATIVOS DIRECIONADOS A PACIENTES ONCOLÓGICOS EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA Júlio César Coelho do Nascimento (Enfermeiro Pós-graduando em Oncologia Clínica- Centro de Especialização em Enfermagem

Leia mais

1. RESUMO EXECUTIVO. Data: 19/03/2014 NOTA TÉCNICA 48/2014. Medicamento Material Procedimento Cobertura

1. RESUMO EXECUTIVO. Data: 19/03/2014 NOTA TÉCNICA 48/2014. Medicamento Material Procedimento Cobertura NOTA TÉCNICA 48/2014 Solicitante Des. Vanessa Verdolim Hudson Andrade Processo número: 1.0421.14.000078-5/001 TEMA: Cirurgia bariátrica em paciente com obesidade mórbida Data: 19/03/2014 Medicamento Material

Leia mais

Doença do Refluxo Gastroesofágico o que significa?

Doença do Refluxo Gastroesofágico o que significa? Hérnia de Hiato e Refluxo Gastroesofágico. Atualmente cresce o número de pessoas que estão apresentando sintomas relativas ao aparelho digestivo, como má digestão ou sensação de queimação no estômago entre

Leia mais

Tema: Uso do pet scan em pacientes portadores de câncer

Tema: Uso do pet scan em pacientes portadores de câncer Data: 27/11/2012 Nota Técnica 23/2012 Medicamento Material Procedimento X Cobertura Solicitante: Bruna Luísa Costa de Mendonça Assessora do Juiz da 2ª Vara Cível Numeração Única: 052512020931-3 Tema: Uso

Leia mais

INTERNAÇÕES POR CONDIÇÕES SENSÍVEIS A ATENÇÃO PRIMÁRIA EM DOIS SERVIÇOS DE SAÚDE PÚBLICA DE MARINGÁ-PR

INTERNAÇÕES POR CONDIÇÕES SENSÍVEIS A ATENÇÃO PRIMÁRIA EM DOIS SERVIÇOS DE SAÚDE PÚBLICA DE MARINGÁ-PR INTERNAÇÕES POR CONDIÇÕES SENSÍVEIS A ATENÇÃO PRIMÁRIA EM DOIS SERVIÇOS DE SAÚDE PÚBLICA DE MARINGÁ-PR Vitor Key Assada 1 ; Kristoffer Andreas Wendel Ribas 2 ; Willian Augusto de Melo 3 RESUMO: Condições

Leia mais

Tumor Desmoplásico de Pequenas Células Redondas: Relato de um caso.

Tumor Desmoplásico de Pequenas Células Redondas: Relato de um caso. Everton Pereira D. Lopes² Eduardo M Pracucho¹ Ricardo de Almeida Campos² Karla Thaiza Thomal¹ Celso Roberto Passeri¹ Renato Morato Zanatto¹ 1-Departamento de Cirurgia Oncológica Aparelho Digestivo Alto

Leia mais

NEOPLASIA DE CÓLON: UMA ANÁLISE DA PREVALÊNCIA E TAXA DE MORTALIDADE NO PERÍODO DE 1998 A 2010 NO BRASIL

NEOPLASIA DE CÓLON: UMA ANÁLISE DA PREVALÊNCIA E TAXA DE MORTALIDADE NO PERÍODO DE 1998 A 2010 NO BRASIL 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 NEOPLASIA DE CÓLON: UMA ANÁLISE DA PREVALÊNCIA E TAXA DE MORTALIDADE NO PERÍODO DE 1998 A 2010 NO BRASIL Camila Forestiero 1 ;Jaqueline Tanaka 2 ; Ivan

Leia mais

INSTITUTO DE DOENÇAS CARDIOLÓGICAS

INSTITUTO DE DOENÇAS CARDIOLÓGICAS Página: 1/7 1- CONSIDERAÇÕES GERAIS 1.1- As doenças cardiovasculares são, ainda hoje, as principais responsáveis pela mortalidade na população geral, no mundo ocidental. Dentre as inúmeras patologias que

Leia mais

Os efeitos do controle farmacológico no comportamento futuro de pacientes menores de três anos no consultório odontológico

Os efeitos do controle farmacológico no comportamento futuro de pacientes menores de três anos no consultório odontológico Os efeitos do controle farmacológico no comportamento futuro de pacientes menores de três anos no consultório odontológico Denise Espíndola ANTUNES; Luciane Ribeiro de Rezende Sucasas da COSTA; Cristiana

Leia mais

O que é câncer de mama?

O que é câncer de mama? Câncer de Mama O que é câncer de mama? O câncer de mama é a doença em que as células normais da mama começam a se modificar, multiplicando-se sem controle e deixando de morrer, formando uma massa de células

Leia mais

AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007

AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007 AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007 Notas importantes: O Banco de dados (BD) do Sistema de Informação Nacional de Agravos de Notificação (SINAN) vem sofrendo nos últimos

Leia mais

CANCER DE COLO DE UTERO FERNANDO CAMILO MAGIONI ENFERMEIRO DO TRABALHO

CANCER DE COLO DE UTERO FERNANDO CAMILO MAGIONI ENFERMEIRO DO TRABALHO CANCER DE COLO DE UTERO FERNANDO CAMILO MAGIONI ENFERMEIRO DO TRABALHO CANCER DE COLO DE UTERO O câncer de colo uterino é o câncer mais comum entre as mulheres no Brasil, correspondendo a, aproximadamente,

Leia mais

Relatos de casos de Strongyloides stercoralis. Isabelle Assunção Nutrição

Relatos de casos de Strongyloides stercoralis. Isabelle Assunção Nutrição Relatos de casos de Strongyloides stercoralis Isabelle Assunção Nutrição RECIFE/2011 INTRODUÇÃO A estrongiloidíase é uma helmintíase predominantemente intestinal causada pelo Strongyloides stercoralis,

Leia mais

ESTUDO DA PREVALÊNCIA DO CÂNCER BUCAL NO HC DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA, ATRAVÉS DO CID 10

ESTUDO DA PREVALÊNCIA DO CÂNCER BUCAL NO HC DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA, ATRAVÉS DO CID 10 UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA 4ª Semana do Servidor e 5ª Semana Acadêmica 2008 UFU 30 anos ESTUDO DA PREVALÊNCIA DO CÂNCER BUCAL NO HC DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA, ATRAVÉS DO CID 10 Leana

Leia mais

O CONHECIMENTO DOS ENFERMEIROS DAS EQUIPES DE SAÚDE DA FAMÍLIA NA REALIZAÇÃO DO EXAME CLÍNICO DAS MAMAS

O CONHECIMENTO DOS ENFERMEIROS DAS EQUIPES DE SAÚDE DA FAMÍLIA NA REALIZAÇÃO DO EXAME CLÍNICO DAS MAMAS 1 O CONHECIMENTO DOS ENFERMEIROS DAS EQUIPES DE SAÚDE DA FAMÍLIA NA REALIZAÇÃO DO EXAME CLÍNICO DAS MAMAS THE KNOWLEDGE OF FAMILY HEALTH PROGRAM NURSES ABOUT PERFORMING CLINICAL BREAST EXAMINATIONS KÊNIA

Leia mais

Radiology: Volume 274: Number 2 February 2015. Amélia Estevão 10.05.2015

Radiology: Volume 274: Number 2 February 2015. Amélia Estevão 10.05.2015 Radiology: Volume 274: Number 2 February 2015 Amélia Estevão 10.05.2015 Objetivo: Investigar a vantagem da utilização da RM nos diferentes tipos de lesões diagnosticadas na mamografia e ecografia classificadas

Leia mais

Lesões císticas do pâncreas: abordagem diagnóstica e terapêutica

Lesões císticas do pâncreas: abordagem diagnóstica e terapêutica Lesões císticas do pâncreas: abordagem diagnóstica e terapêutica Gustavo Rêgo Coêlho (TCBC) Serviço de Cirurgia e Transplante de Fígado Hospital das Clínicas - UFC Tumores Cís+cos do Pâncreas Poucos tópicos

Leia mais