JORNAL DO HOSPITAL EVANGÉLICO ANO 02 Nº 07 NOVEMBRO/DEZEMBRO 2013

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "JORNAL DO HOSPITAL EVANGÉLICO ANO 02 Nº 07 NOVEMBRO/DEZEMBRO 2013"

Transcrição

1 JORNAL DO ANOS Associação Evangélica Beneficente de Minas Gerais Dr. João Wagner, Dr. Cristiano Rajão e Dr. Glauco Almeida Passos Ortopedistas do Corpo Clínico do HE pág.03 pág.04 MINAS GERAIS SEM FILA PARA BIÓPSIA RENAL ORTOPEDIA NO HE Uma publicação da Associação Evangélica Beneficente de Minas Gerais

2 Editorial De olho na qualidade Minas Gerais sem fila para Biópsia Renal Uma parceria entre a AEBMG e a Secretaria Municipal de Saúde 2 AEBMG sempre lembrada Entidade sem fins lucrativos, a Associação Evangélica Beneficente de Minas Gerais, em consonância com os preceitos éticos da profissão médica, tem como principais objetivos lutar pelo constante aprimoramento técnico, bem como participar ativamente em uma relação de parceria e de saúde com o Hospital Evangélico, com as duas unidades de Terapias Renais e com a Escola de Enfermagem do HE. Nesta busca, a AEBMG permanece fiel aos preceitos cristãos iniciais de seus fundadores. Nosso respeito ao corpo clínico tem garantido não só a credibilidade dos profissionais que por aqui fazem sua residência em busca de aperfeiçoamento de sua carreira, mas também milhares de médicos que passaram por essa instituição em seu início de carreira e ainda se lembram deste hospital com carinho. O papel da AEBMG é perseverar esse compromisso de ética, qualidade e humanismo. A nova Comissão de Ética Médica do Hospital Evangélico foi eleita em agosto, nos termos da resolução 1.657/2002 do Conselho Federal de Medicina. Formada por quatro titulares e quatro suplentes, a saber: Efetivos: Dr. Aurélio Magalhães Neto, Dr. Evilázio Teubner Ferreira, Dr. Glauco Almeida Passos e Dra. Lílian Carmo. Suplentes: Dr. Carlos Fernando H. Nascimento, Dr. Julio S. Lara Resende, Dr. Murilo Rezende Pereira e Dr. Sérgio Libânio Esmeraldo Pereira. Nesta ocasião, o corpo clínico da AEBMG elegeu também o diretor clínico do Hospital Evangélico, Dr. Antônio Claret de Morais, que tem se mostrado comprometido com nossa causa e com a vivência hospitalar. Nossa expectativa é que o fortalecimento entre as relações dos médicos e pacientes, do corpo clínico e administrativo seja apenas a celebração de parcerias duradouras em prol do ser humano, criado a imagem de Deus. Ao Senhor Jesus Cristo rendemos Glória pelas decisões de cada dia e a Graça que nos acompanha de maneira constrangedora. Euler Borja A AEBMG sempre busca a excelência e a qualidade dos serviços prestados. Para isso, conta com uma grande equipe que abrange os mais diversos setores, do administrativo ao corpo clínico. Para garantir o desempenho nas atividades diárias, atendendo aos requisitos e superando as expectativas dos pacientes e familiares, a AEBMG possui uma área de Qualidade, que acompanha os processos, a rotina de trabalho e a prestação de serviços da instituição, buscando maior produtividade e satisfação dos pacientes e clientes. Quando há um Sistema de Gestão da Qualidade significa que a existência da empresa está alicerçada em requisitos que serão aceitos pelo seu público. A aplicação dos conceitos da qualidade deve ser adotada por todos os setores, fazendo parte de um sistema que crie condições favoráveis ao seu aperfeiçoamento constante, explica Angélica Assunção, Gerente da Qualidade da AEBMG. A área da saúde é muito complexa e envolve processos que necessitam ser monitorados com frequência. Os pacientes podem se beneficiar quando as instituições comprometidas e preocupadas com a qualidade e segurança da assistência monitoram os processos por meio de indicadores, realizam as devidas análises críticas e adotam ações preventivas e, se necessário, corretivas. Não basta coletar os dados, devemos transformá-los em informação para serem utilizados na tomada de decisão, completa Angélica. Desde novembro de 2012, por meio da parceria firmada entre o Serviço de Terapia Renal do Hospital Evangélico e a Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte, através da Comissão Municipal de Nefrologia, a AEBMG tem realizado biópsias renais encaminhadas por nefrologistas de diversos municípios de Minas Gerais. Atualmente, somos o serviço de referência para a realização deste procedimento pelo SUS. Desde 2012, foram realizadas 137 biópsias renais, entre biópsias de rim nativo e de enxerto renal, beneficiando pacientes que aguardavam há meses pelo procedimento. Como precursoras do programa, destacam-se Dra. Jenaine Oliveira e Dra. Lilian Carmo, nefrologistas e responsáveis técnicas pela Terapia Renal do Hospital Evangélico HE. Importância da prevenção Atualmente no Brasil, 12,5% dos pacientes em hemodiálise perderam a função renal por Glomerulonefrite Crônica e 22% perderam a função renal sem um diagnóstico definido. A maioria destes pacientes poderia ter sido beneficiada por uma biópsia renal precoce, que possibilitaria o diagnóstico e o tratamento específico. Portanto, é imprescindível que, quando solicitada, a biópsia renal seja realizada o mais precocemente possível. Segundo Dra. Jenaine, não há mais fila de espera para a realização do procedimento nos municípios referenciados a Belo Horizonte. Graças à esta parceria, os pacientes que necessitam de diagnóstico de uma patologia renal são biopsiados rapidamente, aumentando as chances de um diagnóstico preciso e de um tratamento precoce, o que aumenta a probabilidade de preservação da função renal. O que é Biópsia Renal? É um procedimento realizado para obtenção de pequenos fragmentos renais que serão avaliados sob visualização através de um microscópio. Pode ser indicada para determinar a causa, a severidade do acometimento renal e a possibilidade de tratamento de uma doença que esteja acometendo os rins. É indicada também para avaliar o grau de cronicidade e determinar o prognóstico renal. Nos pacientes que foram submetidos a Transplante Renal, é importante para diagnosticar quadros de rejeição, recidiva da doença que determinou a perda dos rins nativos ou outras alterações que podem ocorrer nestes pacientes. Muitas das patologias que acometem os rins necessitam da biópsia renal para elucidação diagnóstica, sendo necessário realizar o procedimento rapidamente, possibilitando o tratamento e evitando a evolução do quadro para Doença Renal Crônica com necessidade de terapia renal substitutiva. 3

3 Ortopedia no HE 4 Dentro das especialidades médicas, a Ortopedia tem sido uma das que mais agregaram as novas tecnologias, tanto em termos de técnica operatória, quanto de aparelhos para a realização de exames de imagem e de procedimentos cirúrgicos. As cirurgias, que antes eram realizadas com cortes amplos e grandes exposições, estão sendo executadas com mais eficiência e menor agressão ao paciente, por meio de pequenas aberturas procedimentos por meio da Artroscopia, que se desenvolveu primeiramente na articulação do joelho e hoje alcança várias outras articulações. Para o Dr. Glauco Almeida Passos, ortopedista do HE, há um grande crescimento na área, e a forte demanda vem desde a prótese de coluna, videoartroscopia, até as demais complexidades. A equipe de ortopedia do HE possui avançados aparelhos e conta com a mais alta tecnologia de suporte ao paciente e ao corpo clínico. Hoje possuímos aparelhagem para realizar qualquer cirurgia na área de alta complexidade da ortopedia comparado a grandes hospitais do estado, afirma Dr. Glauco. Opinião de especialista A tendência da Ortopedia no HE, segundo Dr. Glauco, é demonstrada nos números. Em 2012 alcançamos o número de 1300 cirurgias realizadas. Estes são dados de grandes hospitais e, muitas vezes, a população não tem informação sobre a qualidade dos equipamentos de última geração e sobre a excelência do corpo clínico, que hoje está entre os melhores da capital mineira. Hoje, a equipe do HE é composta por 16 médicos titulares e 6 residentes. História Já foram encontrados em fósseis de homens primitivos ossos fraturados que se consolidaram, provavelmente devido ao processo fisiológico da consolidação. Por outro lado, é possível que isso tenha ocorrido devido a alguma imobilização rudimentar. No Egito, múmias egípcias foram encontradas com imobilizações que lembram uma tala. Em 2830 A.C., na tumba de Hirkouf, foi feita uma escultura que usava muletas. Estes são os primeiros relatos de como surgiu essa técnica, hoje tão importante na vida das pessoas. Fonte: Nicholas Andry / publicou um livro chamado Orthopaedia: The Art of Correcting and Preventing Deformities in Children. Neste caso, Andry foi o primeiro a usar o termo ortopedia para correção de deformidades ósseas. 5

4 TI eficaz é imprescindível! AEBMG: Capelania em ação 6 Diretor Financeiro Giovan Casteluber e o Gerente de TI Glauber Scherer Cada vez mais, as instituições de saúde percebem que por trás do processo de gestão da Tecnologia de Informação (TI) existe muito mais do que apenas cabeamento e suítes: há também alinhamento da cultura organizacional algo considerado estratégico. No segmento da Tecnologia da Informação tudo acontece rapidamente e para incluir esse segmento na área da saúde, o gestor e a equipe de TI não podem ficar apenas entre quatro paredes, é necessária uma gestão colaborativa. Segundo Giovan Casteluber, Diretor Financeiro responsável pela área de TI da AEBMG, o setor está em crescimento, se tornando cada vez mais estratégico. Aquilo que não se mede, não se gerencia. Então, sem uma TI que supra as necessidades da empresa, com sistemas que permitam registrar, avaliar e comparar, é impossível sobreviver. Ou seja, TI eficaz é imprescindível!. Hoje podemos falar em uma arquitetura sólida como algo essencial para a entrega de resultados. Os diferentes modelos de negócios na área da saúde estão gerando obsolescência de procedimentos consolidados no setor. Para Casteluber, as novas tendências de TI emergentes estão trazendo benefícios diretos e indiretos para a gestão da saúde. Atualmente, a AEBMG tem investido na implantação das diversas ferramentas do sistema SMART, ERP - reconhecidamente eficiente e que nos permite a implantação da prescrição eletrônica pelo corpo clínico e pela enfermagem -, do CAPTA para as internações, e da visualização remota do quadro de agendas de cirurgia dos dois blocos do HE. Não podemos esquecer também a interligação efetivada de todas as Unidades de Negócio da AEBMG por meio da fibra ótica canal dedicado de dados da Telbrax que, dentre outros, nos permite muito mais rapidez na comunicação, e, consequentemente, acompanhamento para a gestão de resultados on-line e em tempo real. Além disso, os PCs estão sendo substituídos por novas máquinas, de alta performance e devidamente customizadas. Onde antes essas máquinas ocupariam muito espaço, agora contamos com os Eco-PCs, que atendem fielmente o serviço prestado. Segundo o Diretor Financeiro, os desafios da escolha de uma ferramenta de Tecnologia de Informação são grandes. Todas as escolhas têm em vista a otimização dos processos, com segurança, agilidade e modernidade para quem quer ser reconhecido por qualidade na prestação de seus serviços. Em relação à segurança virtual, Casteluber afirma que a AEBMG investiu na aquisição de 300 licenças do antivírus da SYMANTEC, o que significa que a instituição está resguardada pelos próximos anos. E diante da era da tecnologia, para Casteluber algumas questões estão em pauta para discussão relevante. Em um futuro bem próximo, a marcação de consultas será pela internet? Poderemos usar tablets no bloco? Podemos nos furtar de Bluetooth? Poderá haver gerenciamento de frota por satélite e com a gestão inteligente de recursos? Poderemos gerenciar estoque sem a logística inteligente? Há muitos pontos para discutirmos., finaliza. A equipe de Capelania da AEBMG procura dar apoio aos pacientes internados e acompanhantes, visitando-os nos leitos, oferecendo-lhes Bíblias, novos testamentos, porções bíblicas, folhetos de consolo, orando com eles e por eles, atendendo-os em aconselhamento quando solicitado. Para o público interno, a equipe da Capelania tem como objetivo visitá-los em seus ambientes diários, aconselhando-os quando procuram ajuda, participando de festividades como aniversariantes do mês, distribuindo também material bíblico e, sobretudo, apoiando-os em momento de adversidades. A Capelania conta com a abençoada ajuda de voluntários. A maioria possui cursos voltados para essa área, no entanto, a AEBMG, em parceria com a Capelania Voluntária Internacional (International Volunteer Chaplaincy), promove cursos de Capelania Hospitalar. Uma ação de formação contínua que além de trazer para os atuais profissionais mais conhecimento, tem aberto portas para que jovens conheçam novos ministérios. Como foi o caso de Eder, 32 anos, presidente da UMP- União de Mocidade Presbiteriana, que participou do último curso: Foi um marco na minha vida. Já participei de várias Grandes Temas em Nefrologia Dias 29 e 30 de novembro Realização: TERAPIA RENAL DO DE BELO HORIZONTE Inscrição: 1kg de alimento não perecível a ser entregue nos dias do evento. As doações serão destinadas aos pacientes da Terapia Renal através de cestas de Natal. Associação Médica de Minas Gerais Avenida João Pinheiro, Centro. Inscrições: Informações e programação completa: VAGAS LIMITADAS! PATROCÍNIO: atividades dentro de ambientes hospitalares com igrejas e jovens, mas depois deste curso minha visão mudou completamente. Para os interessados, o curso de Capelania Hospitalar terá novo módulo a partir de 22 de novembro, no Hospital Evangélico*. O campo de aconselhamento em ambiente hospitalar é fecundo e carente. É preciso preparação e muito amor. Amamos porque Ele nos amou primeiro, conclui Reverendo Rogério, citando as escrituras. *Interessados em fazer o curso de Capelania Hospitalar podem entrar em contato através do APOIO: 7

5 8 Notas Entrevista ao SBN INFORMA Em entrevista ao informativo SBN INFORMA, jornal da Sociedade Brasileira de Nefrologia, a Dra. Lilian Campos, secretária da Sociedade Mineira de Nefrologia e Coordenadora da Clínica de Nefrologia do HE, comenta sobre a participação na comissão organizadora do Congresso Brasileiro de Nefrologia de Tem sido uma ótima experiência, especialmente pelo convívio com grandes nefrologistas brasileiros. É importante participar das atividades para aprender, ampliar e aperfeiçoar o trabalho que vem sendo feito. Dra. Lilian ainda comenta sobre as especialidades da Nefrologia e sobre as dificuldades que os pacientes renais enfrentam. A Nefrologia é uma especialidade fascinante, dinâmica e com boas oportunidades no mercado de trabalho. Temos um grande volume de trabalho, mas o nosso desafio está na convivência frequente com os pacientes. Acabamos assumindo os aspectos clínicos e também os problemas sociais que afetam diretamente o tratamento, como falta de estrutura familiar, de alimentação e de transporte. Apesar das dificuldades, todo o seu esforço já resultou em benefícios para pacientes e médicos. Com o apoio de toda a equipe da AEBMG, ela reestruturou o serviço de Nefrologia, melhorando o atendimento e a qualidade do exercício profissional. Firmou também uma parceria com a diretoria administrativa para o desenvolvimento de vários projetos de educação continuada até a expansão de atividades assistenciais, que garantem benefícios para a população da região. A quem honra, honra O Diretor Financeiro da AEBMG, Rev. Giovan Casteluber, recebeu a Medalha Ordem do Mérito Imperador Dom Pedro II, concedida pelo Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais. A Medalha é um agradecimento àqueles militares ou civis que contribuem para a história, para o desenvolvimento e para a expansão do Corpo de Bombeiros. A solenidade aconteceu dia 30 de agosto, no Auditório JK localizado na Cidade Administrativa de Minas Gerais. Nova parceria no HE O Hospital Evangélico de Belo Horizonte (HE) acaba de disponibilizar dentro de suas edificações, instalações para funcionamento de um Posto Policial. Visando segurança e acesso fácil para chamados de urgência, o novo Posto atenderá à população da região e também ao público do Hospital, quando necessário. O Posto Policial fica à Rua Sacramento, 225, onde estão também o ambulatório do SUS e o Centro Administrativo da AEBMG (Associação Evangélica Beneficente de Minas Gerais), mantenedora do Hospital Evangélico. Residência Médica no HE No dia 28/10/2013, recebemos no Hospital Evangélico e Unidades de Terapia Renal, a visita dos avaliadores da Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM), Prof. Paulo Souza e Prof. Irami Filho, com o objetivo de atender à nossa solicitação de aprovação do Credenciamento Provisório dos Programas de Residência Médica (PRM) de Nefrologia, Cardiologia, Medicina Intensiva e Anestesiologia. Foi cumprida uma agenda intensa e tivemos a participação nas reuniões, de todos as diretorias e gestores diretamente ligados às áreas envolvidas. A AEBMG aguarda, com grande expectativa, o resultado que será dado após a reunião plenária da CNRM no MEC, no final de novembro. Expediente A Associação Evangélica Beneficente de Minas Gerais é uma instituição sem fins lucrativos que atua na área da saúde, através das suas unidades de Terapia Renal em Belo Horizonte e Contagem, a Escola de Enfermagem e o Hospital Evangélico. CONSELHO EDITORIAL Ceci Gibram Dália Moraes Euler Borja Lilian P. de Freitas do Carmo Luciana Flôr Luciana Soares Mara Christina Pimentel Neander Teixeira Mendonça Regina Helena S. de S. Morais Coordenação: Gerência de Marketing AEBMG Jornalista responsável: Fernanda Cremonezi Projeto Gráfico: Push - pushpublicidade.com Impressão gráfica: Gráfica Rede Tiragem: exemplares Contato: Capelania:

JORNAL DO HOSPITAL EVANGÉLICO ANO 02 Nº 06 JUNHO/JULHO 2013

JORNAL DO HOSPITAL EVANGÉLICO ANO 02 Nº 06 JUNHO/JULHO 2013 JORNAL DO EVANGÉLICO ANO 02 Nº 06 JUNHO/JULHO 2013 ANOS Associação Evangélica Beneficente de Minas Gerais pág.03 Entrevista: DR. CLÁUDIO GELAPE Dra. Lilian Carmo Diretora Técnica da Terapia Renal (TR)

Leia mais

JORNAL DO HOSPITAL EVANGÉLICO ANO 02 Nº 05 MARÇO/ABRIL/MAIO 2013

JORNAL DO HOSPITAL EVANGÉLICO ANO 02 Nº 05 MARÇO/ABRIL/MAIO 2013 JORNAL DO EVANGÉLICO ANO 02 Nº 05 MARÇO/ABRIL/MAIO 2013 ANOS Associação Evangélica Beneficente de Minas Gerais pág.03 UMA HISTÓRIA DE SUPERAÇÃO E CONQUISTA: EVILÁZIO TEUBNER pág.04 PROJETO RIM SEM FIM:

Leia mais

JORNAL DO HOSPITAL EVANGÉLICO ANO 03 Nº 09 SETEMBRO/OUTUBRO 2014

JORNAL DO HOSPITAL EVANGÉLICO ANO 03 Nº 09 SETEMBRO/OUTUBRO 2014 EVANGÉLICO ANO 03 Nº 09 SETEMBRO/OUTUBRO 2014 Biópsia Óssea no Centro de Nefrologia do Hospital Evangélico pág.04 OFTALMOLOGIA - NOVO SERVIÇO NO HE pág.06 MUNICÍPIO DE CONTAGEM OUTORGA TÍTULO DE CIDADÃO

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico Planejamento Estratégico A decisão pela realização do Planejamento Estratégico no HC surgiu da Administração, que entendeu como urgente formalizar o planejamento institucional. Coordenado pela Superintendência

Leia mais

Uma área em expansão. Radiologia

Uma área em expansão. Radiologia Uma área em expansão Conhecimento especializado e treinamento em novas tecnologias abrem caminho para equipes de Enfermagem nos serviços de diagnóstico por imagem e radiologia A atuação da Enfermagem em

Leia mais

Projeto Amplitude. Plano de Ação 2015. Conteúdo

Projeto Amplitude. Plano de Ação 2015. Conteúdo Projeto Amplitude Plano de Ação 2015 P r o j e t o A m p l i t u d e R u a C a p i t ã o C a v a l c a n t i, 1 4 7 V i l a M a r i a n a S ã o P a u l o 11 4304-9906 w w w. p r o j e t o a m p l i t u

Leia mais

Tudo sobre TELEMEDICINA O GUIA COMPLETO

Tudo sobre TELEMEDICINA O GUIA COMPLETO Tudo sobre TELEMEDICINA O GUIA COMPLETO O QUE É TELEMEDICINA? Os recursos relacionados à Telemedicina são cada vez mais utilizados por hospitais e clínicas médicas. Afinal, quem não quer ter acesso a diversos

Leia mais

Profa. Dra. Sheila Rodrigues de Sousa Porta PLANO DE AÇÃO 2013-2017

Profa. Dra. Sheila Rodrigues de Sousa Porta PLANO DE AÇÃO 2013-2017 UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Escola Técnica de Saúde Profa. Dra. Sheila Rodrigues de Sousa Porta PLANO DE AÇÃO 2013-2017 Proposta de trabalho apresentada como pré-requisito para inscrição no processo

Leia mais

CURSO FERRAMENTAS DE GESTÃO IN COMPANY

CURSO FERRAMENTAS DE GESTÃO IN COMPANY CURSO FERRAMENTAS DE GESTÃO IN COMPANY Instrumental e modular, o Ferramentas de Gestão é uma oportunidade de aperfeiçoamento para quem busca conteúdo de qualidade ao gerenciar ações sociais de empresas

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 8. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 8. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 3 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula 7 Cronograma de Aulas Pág. 8 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM DOR Unidade Dias e Horários

Leia mais

Equipe da GCO: 1. Carlos Campana Gerente 2. Maria Helena 3. Sandro 4. Mariana

Equipe da GCO: 1. Carlos Campana Gerente 2. Maria Helena 3. Sandro 4. Mariana Gerência de Comunicação GCO tem por finalidade planejar, organizar, coordenar e controlar as atividades de comunicação e editoriais do Confea. Competências da GCO 1. Organizar e executar projetos editoriais:

Leia mais

3 - Introdução. gestão hospitalar? 8 - Indicadores clínicos. 11 - Indicadores operacionais. 14 - Indicadores financeiros.

3 - Introdução. gestão hospitalar? 8 - Indicadores clínicos. 11 - Indicadores operacionais. 14 - Indicadores financeiros. 3 - Introdução 4 - Quais são as métricas para alcançar uma boa ÍNDICE As Métricas Fundamentais da Gestão Hospitalar gestão hospitalar? 8 - Indicadores clínicos 11 - Indicadores operacionais 14 - Indicadores

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO

MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO AGENDA ESTRATÉGICA DA GESTÃO (2012-2015) AGENDA ESTRATÉGICA DA GESTÃO (2012-2015) Este documento tem o propósito de promover o alinhamento da atual gestão

Leia mais

LMA, Solução em Sistemas

LMA, Solução em Sistemas LMA, Solução em Sistemas Ao longo dos anos os sistemas para gestão empresarial se tornaram fundamentais, e por meio dessa ferramenta as empresas aperfeiçoam os processos e os integram para uma gestão mais

Leia mais

ESCOLA TÉCNICA SANTA CASA BH CONHECIMENTO NA DOSE CERTA PARA O SEU SUCESSO PROFISSIONAL

ESCOLA TÉCNICA SANTA CASA BH CONHECIMENTO NA DOSE CERTA PARA O SEU SUCESSO PROFISSIONAL ESCOLA TÉCNICA SANTA CASA BH CONHECIMENTO NA DOSE CERTA PARA O SEU SUCESSO PROFISSIONAL A SANTA CASA BH TEM TODOS OS CUIDADOS PARA VOCÊ CONQUISTAR UMA CARREIRA SAUDÁVEL. Missão Humanizar a assistência

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 3 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 6 Matrícula 8 Cronograma de Aulas Pág. 9 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM EXCELÊNCIA OPERACIONAL

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM AUDITORIA EM SERVIÇOS DE SAÚDE Unidade

Leia mais

Novos negócios no Ceará

Novos negócios no Ceará ---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- Novos negócios no Ceará No DR Ceará, as oficinas de Estratégia de

Leia mais

Discurso do ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, na cerimônia de transmissão de cargo

Discurso do ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, na cerimônia de transmissão de cargo Discurso do ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, na cerimônia de transmissão de cargo Brasília, 02 de janeiro de 2015. Ministra Miriam Belchior, demais autoridades, parentes e amigos aqui presentes.

Leia mais

VERTICALIZAÇÃO OU UNIÃO ESTRATÉGICA

VERTICALIZAÇÃO OU UNIÃO ESTRATÉGICA VERTICALIZAÇÃO OU UNIÃO ESTRATÉGICA ABRAMGE-RS Dr. Francisco Santa Helena Presidente da ABRAMGE-RS Sistema ABRAMGE 3.36 milhões de internações; 281.1 milhões de exames e procedimentos ambulatoriais; 16.8

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Contratação de consultoria pessoa física para serviços de preparação

Leia mais

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004 RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004 1. Palestras informativas O que é ser voluntário Objetivo: O voluntariado hoje, mais do que nunca, pressupõe responsabilidade e comprometimento e para que se alcancem os resultados

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA EM ENFERMAGEM

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA EM ENFERMAGEM REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA EM ENFERMAGEM CAPÍTULO I Natureza, Finalidade, Sede e Foro Art. 1º - A Comissão Nacional de Residência em Enfermagem - CONARENF, criada pela Portaria

Leia mais

CONCEITO. Despertar a potencialidade de indivíduos

CONCEITO. Despertar a potencialidade de indivíduos CONCEITO Despertar a potencialidade de indivíduos Utilizar a Arte como meio de comunicação e expressão e a Cultura no resgate de histórias de vida e valores 17 anos de atuação 231 mil atendimentos ARTE

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2003

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2003 RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2003 1. Palestras informativas O que é ser voluntário Objetivo: O voluntariado hoje, mais do que nunca, pressupõe responsabilidade e comprometimento e para que se alcancem os resultados

Leia mais

Projetos de apoio ao SUS

Projetos de apoio ao SUS Carta Convite: Facilitação dos Cursos de Especialização em Gestão da Vigilância em Saúde, Gestão da Clínica nas Redes de Atenção à Saúde, Regulação em Saúde no SUS e Gestão do Risco e Segurança do Paciente

Leia mais

Atenção de Média e Alta Complexidade Hospitalar: Financiamento, Informação e Qualidade. Experiência da Contratualização no Município de Curitiba

Atenção de Média e Alta Complexidade Hospitalar: Financiamento, Informação e Qualidade. Experiência da Contratualização no Município de Curitiba Atenção de Média e Alta Complexidade Hospitalar: Financiamento, Informação e Qualidade Experiência da Contratualização no Município de Curitiba 9º - AUDHOSP Águas de Lindóia Setembro/2010 Curitiba População:1.818.948

Leia mais

Ensino. Principais realizações

Ensino. Principais realizações Principais realizações Reestruturação dos Programas de ; Início do Projeto de Educação à Distância/EAD do INCA, por meio da parceria com a Escola Nacional de Saúde Pública ENSP/FIOCRUZ; Três novos Programas

Leia mais

MANUAL DO FORNECEDOR

MANUAL DO FORNECEDOR MANUAL DO FORNECEDOR 2 ÍNDICE 1.APRESENTAÇÃO:...3 1.1 Introdução...3 1.2 Missão...3 1.3 Negócio...3 1.4 Visão...3 1.5 Princípios...3 1.6 Objetivos...3 1.7 Compromissos Éticos do P.S.D.C. de Caxias do Sul...4

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO LATU SENSU EM NÍVEL DE ESPECIALIZAÇÃO EM NEFROLOGIA

PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO LATU SENSU EM NÍVEL DE ESPECIALIZAÇÃO EM NEFROLOGIA PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO LATU SENSU EM NÍVEL DE ESPECIALIZAÇÃO EM NEFROLOGIA 2) Objetivo Geral Capacitar o profissional médico durante os dois anos de treinamento de conteúdo programático teórico e prático

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA CLÍNICA Unidade Dias e Horários

Leia mais

ACS Assessoria de Comunicação Social

ACS Assessoria de Comunicação Social DISCURSO DO MINISTRO DA EDUCAÇÃO, HENRIQUE PAIM Brasília, 3 de fevereiro de 2014 Hoje é um dia muito especial para mim. É um dia marcante em uma trajetória dedicada à gestão pública ao longo de vários

Leia mais

Instituto Sócrates Guanaes

Instituto Sócrates Guanaes Instituto Sócrates Guanaes Instituição de direito privado sem fins lucrativos; Fundado em 13 de julho de 2000; Qualificado como Organização Social; Reconhecido como instituição de utilidade pública municipal

Leia mais

Faculdade de Direito Promove Comissão Própria de Avaliação PROJETO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

Faculdade de Direito Promove Comissão Própria de Avaliação PROJETO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Faculdade de Direito Promove Comissão Própria de Avaliação PROJETO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Abril de 2012 Página 1 de 11 Sumário Introdução 3 Justificativa 5 Objetivos 6 Metodologia 7 Dimensões de

Leia mais

CICLO DE INOVAÇÃO NA GESTÃO PÚBLICA 14/07/2014. Infrahosp

CICLO DE INOVAÇÃO NA GESTÃO PÚBLICA 14/07/2014. Infrahosp Infrahosp Julho 2014 1 Sumário Categoria:... 3 Temática... 3 Ementa... 3 Ideia... 4 Infrahosp... 4 Nome do Pré-Projeto:... 4 Órgão executor:... 4 Início / Término da implementação:... 4 Público-alvo:...

Leia mais

Atividade I Como podemos fortalecer o Núcleo na Região para garantir a continuidade dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio - ODMs?

Atividade I Como podemos fortalecer o Núcleo na Região para garantir a continuidade dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio - ODMs? QUATRO BARRAS 09/07/2007 Horário: das 13h às 17h30 Local: Atividade I Como podemos fortalecer o Núcleo na Região para garantir a continuidade dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio - ODMs? Grupo 01:

Leia mais

Considerando a Portaria nº 1.168/GM, de 15 de junho de 2004, que institui a Política Nacional de Atenção ao Portador de Doença Renal;

Considerando a Portaria nº 1.168/GM, de 15 de junho de 2004, que institui a Política Nacional de Atenção ao Portador de Doença Renal; SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE PORTARIA Nº 211, DE 15 DE JUNHO DE 2004 O Secretário de Atenção à Saúde, no uso de suas atribuições; Considerando a Portaria nº 1.168/GM, de 15 de junho de 2004, que institui

Leia mais

I SEMINÁRIO NACIONAL DO PROGRAMA NACIONAL DE REORIENTAÇÃO DA FORMAÇÃO PROFISIONAL EM SAÚDE PRÓ-SAÚDE II

I SEMINÁRIO NACIONAL DO PROGRAMA NACIONAL DE REORIENTAÇÃO DA FORMAÇÃO PROFISIONAL EM SAÚDE PRÓ-SAÚDE II Ministério da Educação Secretaria de Ensino Superior Diretoria de Hospitais Univ ersitários e Residências em Saúde A articulação da Graduação em Saúde, dos Hospitais de Ensino e das Residências em Saúde

Leia mais

Portaria nº 339 de 08 de Maio de 2002.

Portaria nº 339 de 08 de Maio de 2002. Portaria nº 339 de 08 de Maio de 2002. O Secretário de Assistência à Saúde, no uso de suas atribuições legais, Considerando a Portaria GM/MS nº 866, de 09 de maio de 2002, que cria os mecanismos para organização

Leia mais

O SECRETÁRIO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE. no uso de suas atribuições, RESOLVE:

O SECRETÁRIO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE. no uso de suas atribuições, RESOLVE: PORTARIA N 42/MS/SAS DE 17 DE MARÇO DE 1994 O SECRETÁRIO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE. no uso de suas atribuições, RESOLVE: 1. Estabelecer os procedimentos de Alta Complexidade da área de Ortopedia. constantes

Leia mais

EFICAZ. Conduzindo Soluções

EFICAZ. Conduzindo Soluções MISSÃO Comprometimento com os objetivos de nossos clientes, oferecer-lhes soluções logísticas inovadoras com a percepção de agilidade, qualidade e segurança. VISÃO Investir em tecnologia e aprimoramento

Leia mais

Boletim Informativo SIERJ. Continuação da Programação do I Congresso. de Infectologia do Estado do Rio de Janeiro

Boletim Informativo SIERJ. Continuação da Programação do I Congresso. de Infectologia do Estado do Rio de Janeiro Ano 07 Nº 20 Out/Nov/Dez de 2006 Boletim Informativo SIERJ Continuação da Programação do I Congresso de Infectologia do Estado do Rio de Janeiro 04 Congresso promove atualização e troca de experiência

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS / 2014. Convênio Municipal Secretaria de Desenvolvimento Social

RELATÓRIO ANUAL DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS / 2014. Convênio Municipal Secretaria de Desenvolvimento Social RELATÓRIO ANUAL DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS / 2014 Convênio Municipal Secretaria de Desenvolvimento Social Entidade: Grupo de Pesquisa e Assistência ao Câncer Infantil Endereço: Rua Antônio Miguel Pereira

Leia mais

Política do Programa de Voluntariado do Grupo Telefônica

Política do Programa de Voluntariado do Grupo Telefônica Política do Programa de Voluntariado do Grupo Telefônica INTRODUÇÃO O Grupo Telefônica, consciente de seu importante papel na construção de sociedades mais justas e igualitárias, possui um Programa de

Leia mais

SAÚDE MENTAL NA RODA :A SENSIBILIZAÇÃO DOS TRABALHADORES DA REDE DE ATENÇÃO BÁSICA

SAÚDE MENTAL NA RODA :A SENSIBILIZAÇÃO DOS TRABALHADORES DA REDE DE ATENÇÃO BÁSICA SAÚDE MENTAL NA RODA :A SENSIBILIZAÇÃO DOS TRABALHADORES DA REDE DE ATENÇÃO BÁSICA Romaldo Bomfim Medina Jr 1 Luciane Silva Ramos 2 Fernanda Franceschi de Freitas 3 Carmem Lúcia Colomé Beck 4 O movimento

Leia mais

IV WORKSHOP GESTÃO DA QUALIDADE COM FOCO EM CLÍNICA DE DIÁLISE

IV WORKSHOP GESTÃO DA QUALIDADE COM FOCO EM CLÍNICA DE DIÁLISE IV WORKSHOP GESTÃO DA QUALIDADE COM FOCO EM CLÍNICA DE DIÁLISE 18 e 19 de marco de 2011 Recife/PE Case da Unidade de Diálise da Santa Casa de Belo Horizonte NEFROMG Raquel Mendes Administradora Marco /

Leia mais

Estado de Mato Grosso Município de Tangará da Serra Assessoria Jurídica www.tangaradaserra.mt.gov.br. - Fone (0xx65) 3311 4801

Estado de Mato Grosso Município de Tangará da Serra Assessoria Jurídica www.tangaradaserra.mt.gov.br. - Fone (0xx65) 3311 4801 LEI N.º 3808, DE 04 DE MAIO DE 2012. DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO DE CARGOS DE PROVIMENTO EFETIVO, ABERTURA DE VAGAS E ALTERAÇÃO NO ANEXO I D, DAS LEIS MUNICIPAIS Nº 2.099/2003 DE 29 DE DEZEMBRO DE 2003 E 2875,

Leia mais

Vídeo Institucional Casa da Esperança

Vídeo Institucional Casa da Esperança Vídeo Institucional Casa da Esperança JOSGRILBERG, Clarissa 1 CARDINAL, Milena de Jesus 2 CARBONARI, Will 3 OTRE, Maria Alice Campagnoli 4 MEDEIROS, Cristine 5 Centro Universitário da Grande Dourados UNIGRAN

Leia mais

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Planejamento do Gerenciamento das Comunicações (10) e das Partes Interessadas (13) PLANEJAMENTO 2 PLANEJAMENTO Sem 1 Sem 2 Sem 3 Sem 4 Sem 5 ABRIL

Leia mais

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DOS ITENS DE VERIFICAÇÃO - UPA

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DOS ITENS DE VERIFICAÇÃO - UPA RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DOS ITENS DE VERIFICAÇÃO - UPA Quando da apresentação de protocolos, manual de normas e rotinas, procedimento operacional padrão (POP) e/ou outros documentos,

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS FREQUENTES

PERGUNTAS E RESPOSTAS FREQUENTES PERGUNTAS E RESPOSTAS FREQUENTES EDITAL Nº 1/GM/MS, DE 4 DE AGOSTO DE 2015. ADESÃO DE ENTES FEDERADOS E INSTITUIÇÕES À CONCESSÃO DE BOLSAS DO MINISTÉRIO DA SAÚDE PARA PROGRAMAS DE RESIDÊNCIA MÉDICA 1.

Leia mais

EDITAL PARA SELEÇÃO DE ACADÊMICOS PARA A LIGA ACADÊMICA ACRIANA DE ENFERMAGEM EM TRANSPLANTES

EDITAL PARA SELEÇÃO DE ACADÊMICOS PARA A LIGA ACADÊMICA ACRIANA DE ENFERMAGEM EM TRANSPLANTES EDITAL PARA SELEÇÃO DE ACADÊMICOS PARA A LIGA ACADÊMICA ACRIANA DE ENFERMAGEM EM TRANSPLANTES A (LAAET), fundada em 23 de Setembro de 2011, afiliada à Universidade Federal do Acre, Grupo HEPATO, Central

Leia mais

SAÚDE. Coordenador: Liliane Espinosa de Mello

SAÚDE. Coordenador: Liliane Espinosa de Mello Coordenador: Liliane Espinosa de Mello SAÚDE Visão: Que Santa Maria seja o principal Polo na Área de Saúde do interior do Rio Grande do Sul, contribuindo para a melhor qualidade de vida da população da

Leia mais

Pessoas e Negócios em Evolução

Pessoas e Negócios em Evolução Empresa: Atuamos desde 2001 nos diversos segmentos de Gestão de Pessoas, desenvolvendo serviços diferenciados para empresas privadas, associações e cooperativas. Prestamos serviços em mais de 40 cidades

Leia mais

1. Quem somos nós? A AGI Soluções nasceu em Belo Horizonte (BH), com a simples missão de entregar serviços de TI de forma rápida e com alta qualidade.

1. Quem somos nós? A AGI Soluções nasceu em Belo Horizonte (BH), com a simples missão de entregar serviços de TI de forma rápida e com alta qualidade. 1. Quem somos nós? A AGI Soluções nasceu em Belo Horizonte (BH), com a simples missão de entregar serviços de TI de forma rápida e com alta qualidade. Todos nós da AGI Soluções trabalhamos durante anos

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 10. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 10. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 3 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula 7 Cronograma de Aulas Pág. 10 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM FISIOTERAPIA EM REABILITAÇÃO

Leia mais

Instituto Avon investe R$ 2,1 milhões em Minas Gerais para combate ao Câncer de Mama

Instituto Avon investe R$ 2,1 milhões em Minas Gerais para combate ao Câncer de Mama Instituto Avon investe R$ 2,1 milhões em Minas Gerais para combate ao Câncer de Mama São Paulo, 25 de julho de 2014 Minas Gerais recebeu um reforço de R$ 2,1 milhões na luta contra o câncer de mama. O

Leia mais

INTRODUÇÃO AO CURSO DE MARKETING ELEITORAL

INTRODUÇÃO AO CURSO DE MARKETING ELEITORAL INTRODUÇÃO AO CURSO DE MARKETING ELEITORAL FAÇA SUA CAMPANHA PARA PROJETO PODER P - Planejamento O - Organização D - Delegação E - Execução R - Realização Lance sua campanha para Vereador com o Projeto

Leia mais

BIÊNIO 2012-2013. Tema Geral da Igreja Metodista "IGREJA: COMUNIDADE MISSIONÁRIA A SERVIÇO DO POVO ESPALHANDO A SANTIDADE BÍBLICA. Tema para o Biênio

BIÊNIO 2012-2013. Tema Geral da Igreja Metodista IGREJA: COMUNIDADE MISSIONÁRIA A SERVIÇO DO POVO ESPALHANDO A SANTIDADE BÍBLICA. Tema para o Biênio 1 IGREJA METODISTA PASTORAL IMED PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO E PLANO DE AÇÃO BIÊNIO 2012-2013 Tema Geral da Igreja Metodista "IGREJA: COMUNIDADE MISSIONÁRIA A SERVIÇO DO POVO ESPALHANDO A SANTIDADE BÍBLICA

Leia mais

Gestão do relacionamento com o Corpo Clínico Nossa Experiência. Irmã Marinete Tibério Presidente do HSVP e Consultora da ASVP

Gestão do relacionamento com o Corpo Clínico Nossa Experiência. Irmã Marinete Tibério Presidente do HSVP e Consultora da ASVP Gestão do relacionamento com o Corpo Clínico Nossa Experiência Irmã Marinete Tibério Presidente do HSVP e Consultora da ASVP 0 Quem somos Quem somos 1617 Fundação da Companhia das Filhas da Caridade 1930

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM FISIOTERAPIA EM REABILITAÇÃO AQUÁTICA

Leia mais

A Importância de Parcerias Estratégicas para a Transformação Social. Ilda Ribeiro Peliz Setembro 2008

A Importância de Parcerias Estratégicas para a Transformação Social. Ilda Ribeiro Peliz Setembro 2008 A Importância de Parcerias Estratégicas para a Transformação Social Ilda Ribeiro Peliz Setembro 2008 Responsabilidade Social O conceito da RSA não está mais entre as quatro paredes dos escritórios. A sociedade

Leia mais

Esporte como fator de inclusão de jovens na sociedade FGR: Gustavo:

Esporte como fator de inclusão de jovens na sociedade FGR: Gustavo: Esporte como fator de inclusão de jovens na sociedade Entrevista cedida à FGR em Revista por Gustavo de Faria Dias Corrêa, Secretário de Estado de Esportes e da Juventude de Minas Gerais. FGR: A Secretaria

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2013

RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2013 RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2013 Even e Junior Achievement de Minas Gerais UMA PARCERIA DE SUCESSO 1 SUMÁRIO Resultados Conquistados... 3 Resultados do Projeto... 4 Programa Finanças Pessoais... 5 Conceitos

Leia mais

DIFICULDADES ATUAIS PARA ATENDER DEMANDAS DE COLETA E DESTINAÇÃO FINAL DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE

DIFICULDADES ATUAIS PARA ATENDER DEMANDAS DE COLETA E DESTINAÇÃO FINAL DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE DIFICULDADES ATUAIS PARA ATENDER DEMANDAS DE COLETA E DESTINAÇÃO FINAL DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE Elci de Souza Santos Psicóloga Especialista Ambiental e em Gestão da Qualidade Hospitalar Belo Horizonte,

Leia mais

Tecnologia gerando valor para a sua clínica.

Tecnologia gerando valor para a sua clínica. Aumente a eficiência de seu negócio O sclínica é a ferramenta ideal para a gestão de clínicas de diagnóstico. Desenvolvido a partir das necessidades específicas deste mercado, oferece uma interface inteligente,

Leia mais

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS. Junho, 2006 Anglo American Brasil

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS. Junho, 2006 Anglo American Brasil MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS Junho, 2006 Anglo American Brasil 1. Responsabilidade Social na Anglo American Brasil e objetivos deste Manual Já em 1917, o Sr. Ernest Oppenheimer, fundador

Leia mais

Web2Doctors: Saúde Fora da Caixa

Web2Doctors: Saúde Fora da Caixa Com uma interface intuitiva feita com recursos da Web 2.0, pela qual se acessa um Prontuário Eletrônico do Paciente configurável com um workflow para todos os departamentos de uma clínica ou hospital,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM. Adelita Eneide Fiuza. Gustavo Costa de Oliveira

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM. Adelita Eneide Fiuza. Gustavo Costa de Oliveira UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM Adelita Eneide Fiuza Gustavo Costa de Oliveira RELATÓRIO FINAL DO ESTÁGIO CURRICULAR II NA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE VILA GAÚCHA Porto Alegre

Leia mais

INTEGRAÇÃO DOS HOSPITAIS, AMBULATÓRIOS E CENTROS PÚBLICOS DE SAÚDE DO ESTADO COM SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE IMAGENS MÉDICAS

INTEGRAÇÃO DOS HOSPITAIS, AMBULATÓRIOS E CENTROS PÚBLICOS DE SAÚDE DO ESTADO COM SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE IMAGENS MÉDICAS INTEGRAÇÃO DOS HOSPITAIS, AMBULATÓRIOS E CENTROS PÚBLICOS DE SAÚDE DO ESTADO COM SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE IMAGENS MÉDICAS Introdução O objetivo deste trabalho é apresentar um modelo de central de laudos

Leia mais

II Seminário de Gestão do Corpo Clínico Experiências e modelos para gestão do corpo clínico

II Seminário de Gestão do Corpo Clínico Experiências e modelos para gestão do corpo clínico II Seminário de Gestão do Corpo Clínico Experiências e modelos para gestão do corpo clínico Fundação São Francisco Xavier Instituída em 1969 pela Usiminas Fundação de Direito Privado, sem fins lucrativos

Leia mais

COMO FORMAR MÉDICOS NO BRASIL FRENTE AOS ATUAIS DESAFIOS DA SAÚDE?

COMO FORMAR MÉDICOS NO BRASIL FRENTE AOS ATUAIS DESAFIOS DA SAÚDE? COMO FORMAR MÉDICOS NO BRASIL FRENTE AOS ATUAIS DESAFIOS DA SAÚDE? Vinícius Ximenes M. da Rocha Médico Sanitarista Diretor de Desenvolvimento da Educação em Saúde SESu/MEC Dificuldades para Implementação

Leia mais

Unidades de Negócios

Unidades de Negócios Grupo Clivale Como surgiu? História Tudo começou com a iniciativa de Raphael Serravalle ao perceber a carência de um serviço médico especializado na cidade do Salvador, calçada, induziu dois de seus filhos:

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL RESOLUÇÃO CUNI Nº 085, DE 6 DE DEZEMBRO DE 2011. O Conselho Universitário da Universidade Federal de Lavras, no uso de suas atribuições regimentais, e tendo em vista o que foi deliberado

Leia mais

JORNAL DO HOSPITAL EVANGÉLICO

JORNAL DO HOSPITAL EVANGÉLICO ANO 04 NÚMERO: 10 MAR/JUN 2015 JORNAL DO HOSPITAL EVANGÉLICO Inauguração de novo salão com capacidade para 250 pacientes. UNIDADE DE VENDA NOVA INICIA ATENDIMENTO COM CAPACIDADE PARA 250 PACIENTES PÁG.

Leia mais

MINUTA DE RESOLUÇÃO CFM

MINUTA DE RESOLUÇÃO CFM MINUTA DE RESOLUÇÃO CFM Dispõe sobre a normatização do funcionamento dos prontos-socorros hospitalares, assim como do dimensionamento da equipe médica e do sistema de trabalho. O Conselho Federal de Medicina,

Leia mais

O maior desafio do Sistema Único de Saúde hoje, no Brasil, é político

O maior desafio do Sistema Único de Saúde hoje, no Brasil, é político O maior desafio do Sistema Único de Saúde hoje, no Brasil, é político Jairnilson Paim - define o SUS como um sistema que tem como característica básica o fato de ter sido criado a partir de um movimento

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 10. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 10. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 4 6 Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula 9 Cronograma de Aulas Pág. 10 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM AUDITORIA EM SERVIÇOS

Leia mais

Manutenção de Ambientes de Saúde

Manutenção de Ambientes de Saúde Manutenção de Ambientes de Saúde Investir para gastar menos no ambiente de saúde Remendar, improvisar, dar um jeitinho, deixar para o último minuto. Nada disso funciona em ambientes de saúde. Essas soluções

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 4 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 6 Matrícula 8 Cronograma de Aulas Pág. 9 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DA QUALIDADE EM

Leia mais

XVIII JORNADA DE ENFERMAGEM EM HEMODINÂMICA.

XVIII JORNADA DE ENFERMAGEM EM HEMODINÂMICA. . Qualificando o desempenho operacional utilizando ferramentas de Tecnologia de Informação. sfl.almada@gmail.com Enfª Sueli de Fátima da Luz Formação: Bacharel em Enfermagem e Obstetrícia Universidade

Leia mais

Discurso 04/12/2003. Dr. Alfredo Setubal

Discurso 04/12/2003. Dr. Alfredo Setubal Discurso 04/12/2003 Dr. Alfredo Setubal Presidente do Conselho de Administração do IBRI - Instituto Brasileiro de Relações com Investidores Boa Noite! Esta cerimônia de final de ano é a minha última à

Leia mais

Auditoria do Processo de Contas Hospitalares. Enfª Ms Cristiane Azevedo Supervisora da Auditoria Administrativa e de Enfermagem RAUF

Auditoria do Processo de Contas Hospitalares. Enfª Ms Cristiane Azevedo Supervisora da Auditoria Administrativa e de Enfermagem RAUF Auditoria do Processo de Contas Hospitalares Enfª Ms Cristiane Azevedo Supervisora da Auditoria Administrativa e de Enfermagem RAUF Declaração de potencial conflito de interesses Não possuo vínculo ou

Leia mais

Desenvolvendo Pessoas para Servirem com Excelência. Instituto Crer & Ser. A excelência honra a Deus!

Desenvolvendo Pessoas para Servirem com Excelência. Instituto Crer & Ser. A excelência honra a Deus! Palestras, Treinamentos e Consultoria para Gestão Ministerial Desenvolvendo Pessoas para Servirem com Excelência Instituto Crer & Ser A excelência honra a Deus! Quem somos O Instituto Crer & Ser nasceu

Leia mais

A Importância da Gestão Técnica e do Corpo Clínico no Processo de Certificação ONA

A Importância da Gestão Técnica e do Corpo Clínico no Processo de Certificação ONA A Importância da Gestão Técnica e do Corpo Clínico no Processo de Certificação ONA Eudes Arantes Magalhães eudes@lifec.com.br (31) 9948-8537 1 HISTORIA Com 16,5 mil metros quadrados, o Hospital Lifecenter

Leia mais

PROGRAMA JOVEM APRENDIZ

PROGRAMA JOVEM APRENDIZ JOVEM APRENDIZ Eu não conhecia nada dessa parte administrativa de uma empresa. Descobri que é isso que eu quero fazer da minha vida! Douglas da Silva Serra, 19 anos - aprendiz Empresa: Sinal Quando Douglas

Leia mais

A GESTÃO HOSPITALAR E A NOVA REALIDADE DO FINANCIAMENTO DA ASSISTÊNCIA RENILSON REHEM SALVADOR JULHO DE 2006

A GESTÃO HOSPITALAR E A NOVA REALIDADE DO FINANCIAMENTO DA ASSISTÊNCIA RENILSON REHEM SALVADOR JULHO DE 2006 A GESTÃO HOSPITALAR E A NOVA REALIDADE DO FINANCIAMENTO DA ASSISTÊNCIA RENILSON REHEM SALVADOR JULHO DE 2006 No passado, até porque os custos eram muito baixos, o financiamento da assistência hospitalar

Leia mais

O trabalho do CFN amplia o campo de atuação dos nutricionistas.

O trabalho do CFN amplia o campo de atuação dos nutricionistas. O trabalho do CFN amplia o campo de atuação dos nutricionistas. Quando o campo se expande, mais profissionais chegam ao mercado, mais áreas de atuação se formam e a categoria conquista mais visibilidade.

Leia mais

Você conhece a Medicina de Família e Comunidade?

Você conhece a Medicina de Família e Comunidade? Texto divulgado na forma de um caderno, editorado, para a comunidade, profissionais de saúde e mídia SBMFC - 2006 Você conhece a Medicina de Família e Comunidade? Não? Então, convidamos você a conhecer

Leia mais

Selecionando e Desenvolvendo Líderes

Selecionando e Desenvolvendo Líderes DISCIPULADO PARTE III Pr. Mano Selecionando e Desenvolvendo Líderes A seleção de líderes é essencial. Uma boa seleção de pessoas para a organização da célula matriz facilitará em 60% o processo de implantação

Leia mais

CARGOS E FUNÇÕES APEAM

CARGOS E FUNÇÕES APEAM CARGOS E FUNÇÕES APEAM 1. PRESIDÊNCIA A Presidência possui por finalidades a representação oficial e legal da associação, coordenação e integração da Diretoria Executiva, e o acompanhamento, avaliação,

Leia mais

PATROCÍNIO. 21 de setembro de 2015. Hard skills impulsionando seus projetos OPORTUNIDADES EM TEMPOS DE CRISE: OURO MINAS PALACE HOTEL PROPOSTA DE

PATROCÍNIO. 21 de setembro de 2015. Hard skills impulsionando seus projetos OPORTUNIDADES EM TEMPOS DE CRISE: OURO MINAS PALACE HOTEL PROPOSTA DE OPORTUNIDADES EM TEMPOS DE CRISE: Hard skills impulsionando seus projetos PROPOSTA DE PATROCÍNIO 21 de setembro de 2015 OURO MINAS PALACE HOTEL BELO HORIZONTE MG REALIZAÇÃO Rua Tomé de Souza, 67, 3º andar,

Leia mais

FACULDADE MONTES BELOS FISIOTERAPIA

FACULDADE MONTES BELOS FISIOTERAPIA FACULDADE MONTES BELOS FISIOTERAPIA PROJETO DE IMPLANTAÇÃO DA LIGA ACADÊMICA DE REABILITAÇÃO EM ORTOPEDIA DA FACULDADE MONTES BELOS Francisco Dimitre Rodrigo Pereira Santos Marillia Pereira Cintra Sintia

Leia mais

Apresentação Institucional. Metodologia com alta tecnologia para soluções sob medida

Apresentação Institucional. Metodologia com alta tecnologia para soluções sob medida Apresentação Institucional Metodologia com alta tecnologia para soluções sob medida A empresa que evolui para o seu crescimento A VCN Virtual Communication Network, é uma integradora de Soluções Convergentes

Leia mais

Como a Tecnologia pode democratizar o acesso à saúde

Como a Tecnologia pode democratizar o acesso à saúde Como a Tecnologia pode democratizar o acesso à saúde Smartcity Business América 2015 Curitiba PR Brazil Maio de 2015 Sociedades Inteligentes e Governaça Airton Coelho, MsC, PMP Secretário de Ciência e

Leia mais

PRESTAÇÃO DE CONTAS OUT/2013

PRESTAÇÃO DE CONTAS OUT/2013 PRESTAÇÃO DE CONTAS OUT/2013 31/10/2013 COMPLEXO ESTADUAL DE SAÚDE V Relatório de gestão dos serviços assistenciais do Complexo Estadual de Saúde - CES, no Estado do Rio de Janeiro, pela entidade de direito

Leia mais

Confederação das Santas Casas de Misericórdia, Hospitais e Entidades Filantrópicas - CMB FGV. Debates. As tendências do Sistema Único de Saúde

Confederação das Santas Casas de Misericórdia, Hospitais e Entidades Filantrópicas - CMB FGV. Debates. As tendências do Sistema Único de Saúde Confederação das Santas Casas de Misericórdia, Hospitais e Entidades Filantrópicas - CMB Debates FGV As tendências do Sistema Único de Saúde Hospitais sem fins lucrativos Estabelecimentos de saúde que

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA GESTÃO HOSPITALAR: ESTUDO DE CASO NO HOSPITAL SÃO LUCAS

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA GESTÃO HOSPITALAR: ESTUDO DE CASO NO HOSPITAL SÃO LUCAS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA GESTÃO HOSPITALAR: ESTUDO DE CASO NO HOSPITAL SÃO LUCAS Renata Pinto Dutra Ferreira Especialista Administração de Sistemas de Informação Instituto Presidente Tancredo de Almeida

Leia mais

Apresenta: O que pensam os pacientes como clientes. 1 Edição

Apresenta: O que pensam os pacientes como clientes. 1 Edição Apresenta: O que pensam os pacientes como clientes O que pensam os pacientes como clientes 1 Edição AGENDA Metodologia Sinopse A Pesquisa METODOLOGIA TÉCNICA Pesquisa quantitativa, com abordagem pessoal

Leia mais