Missão empresarial ao Brasil Fortaleza - Ceará

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Missão empresarial ao Brasil Fortaleza - Ceará"

Transcrição

1 Missão empresarial ao Brasil Fortaleza - Ceará 2 a 5 de novembro de 2014 Multissectorial _ Construção Civil, Logística, Industria Metalomecânica e Minerais não Metálicos _ Energia, Meio Ambiente, Água e Economia do Mar _ Tecnologias da Informação e Comunicação _ Calçados, Couro, Vestuário e Têxtil _ Saúde e Biotecnologia _ Indústria Agroalimentar

2 Enquadramento: Missão empresarial Fortaleza-Ceará multissectorial O Estado do Ceará, localizado na região Nordeste do Brasil - num dos pontos mais próximos da Europa, dos Estados Unidos e da África - é mais conhecido pelos portugueses como um destino turístico privilegiado, com belas praias, clima ameno e natureza exuberante. Contudo, nas últimas décadas, o Ceará tem-se notabilizado como um dos Estados que mais cresce no Brasil sendo hoje a 3ª Economia do Nordeste, com um PIB de 105,7 biliões de Reais (ano 2013). Os recentes eventos realizados na Capital do Estado, Fortaleza, como a Copa do Mundo e a IV Cúpula dos BRICS projetaram a visibilidade do Ceará ao nível internacional. O Estado possui uma população residente de mais de oito milhões e meio de habitantes em franco crescimento, o que pressiona continuamente a procura local por diversos produtos e serviços, num mercado consumidor em crescimento. Para além disso, o Ceará consolidou-se como uma potência regional no âmbito do Nordeste, com influência decisiva sobre Estados vizinhos, sobretudo no Norte-Nordeste do Brasil. Neste contexto, os indicadores socioeconômicos do Estado têm possibilitado uma trajetória de crescimento económico sem precedentes na história em todos os setores: indústria, comércio e serviços. Isto deve-se, em boa parte, a investimentos estruturantes realizados pelos governos federal, estadual e municipal ao longo das últimas décadas, para além do impacto de programas de inclusão social que elevaram os níveis de rendimento e o poder de compra das populações locais. 2/9

3 Economia do Ceará - Destaques De acordo dados do Governo do Estado do Ceará e da Federação de Indústrias do Estado do Ceará (FIEC), alguns setores da economia local têm-se destacado com maior ênfase: Construção Civil, Logística, Metalomecânico e Minerais não Metálicos O setor da construção registou, nos últimos quatro anos, um crescimento de 84,9%, emprega cerca de 88 mil pessoas e representa hoje, aproximadamente, 27,4% do PIB do Estado. Existem oportunidades para parcerias no aproveitamento de segmentos de nicho tais como a automatização de estaleiros de obras, construções inteligentes e soluções de planeamento e gestão integrada. Nos segmentos ligados à logística tem-se vindo a registar um aumento dos investimentos públicos particularmente na gestão de aeroportos, implantação de tecnologias de informação de otimização logística e de logística verde. O setor metalomecânico apresenta boas perspetivas de crescimento face às operações realizadas no Complexo do Pecém e aos investimentos privados anunciados para o Estado do Ceará - setores de veículos motorizados e aeronáutico. Por último, a vocação natural do Ceará para a produção de rochas ornamentais coloca o estado em terceiro lugar nacional na exportação deste tipo de produtos, com US$ 16 milhões exportados, para 16 países. O Ceará destacase ainda pela produção de cimento e produtos cerâmicos, o que amplia as oportunidades para desenvolver parcerias nos segmentos ligados à ecoeficiência e à introdução de tecnologias transformação inovadoras nos processos industriais. O Ceará possui ainda um grande potencial para extração e transformação de quartzo e calcário. Calçados, Couro, Vestuário e Têxtil O Ceará é o maior exportador de calçados do Brasil, em número de pares, e o segundo maior em valor, com US$ 325 milhões exportados em 2013, para 112 países. Isso faz com que o Estado seja responsável por 18,4% da produção brasileira, gerando mais de 66 mil empregos na área em todo o estado. O polo têxtil e de confeções local é um dos cinco principais do Brasil sendo responsável por mais de setenta mil empregos. O estado tem o terceiro maior polo de confeção de roupa interior no Brasil. Energia, Meio Ambiente, Água e Economia do Mar O Ceará possui o maior potencial de geração de energia eólica do Brasil. As condições geográficas e climáticas são altamente favoráveis à geração de energia fotovoltaica, e incentivam a instalação de centrais para produção de energia solar e de fabricantes de painéis e outros equipamentos solares. 3/9

4 Para além de ter acolhido o primeiro parque eólico do País, o Ceará é responsável, na atualidade, por 31% da geração a partir deste tipo de fonte no Brasil (953 MW de potência nos 42 parques eólicos instalados). Por outro lado, os 59 parques eólicos contratados ou em fase de concurso deverão ampliar em 141% o total gerado pelo estado nos próximos anos. No Brasil, a energia gerada a partir de fonte eólica já é responsável por 2,4% do total e as perspetivas para o futuro são extremamente favoráveis, pois esta representa 16,5% dos projetos de geração em construção e 35,8% dos empreendimentos em concurso. Com a entrada em funcionamento dessas unidades, a energia de fonte eólica triplicará sua participação na matriz energética brasileira, com 12,3 GW de potência. As oportunidades de negócio nessas áreas passam pela expansão da micro-geração, com legislação recentemente aprovada, e participação em concursos específicos para o segmento da energia solar e da infraestrutura para extração de petróleo em águas profundas. No que diz respeito ao meio ambiente e água destacam-se as oportunidades no âmbito da economia verde, na introdução de tecnologias de produção mais ecológicas, na implementação de tecnologias de dessalinização, irrigação e na introdução de tecnologias dedicadas a otimizar o consumo de água. Os 573 km do litoral cearense apresentam um imenso potencial para investimentos e negócios, com a construção de dois novos estaleiros, uma escola de pesca, com o lançamento do PROMEF 3 (terceira fase do Programa de Modernização da Frota de Petroleiros) e aquisição de navios de apoio e de transporte de petróleo e plataformas. De forma complementar existem oportunidades nos setores da biotecnologia marinha, alimentos do mar e robótica submarina. Tecnologia da Informação e Comunicação Destaque para oportunidades no âmbito do polo tecnológico de Fortaleza, na instalação de cabos submarinos de fibra ótica e implantação de redes de telecomunicações. Saúde e Biotecnologia O lançamento do Biopark de Acarape criou importantes oportunidades para instalação de empresas destes setores, de grande dinamismo a nível global. O Ceará conta atualmente com um número importante de centros de investigação - 53 grupos - dedicados à investigação e desenvolvimento em projetos com aplicações da biotecnologia na indústria agroalimentar, meio-ambiente e saúde. A implantação do Polo Industrial e Tecnológico da Saúde (PITS) e do Condomínio Químico Guaiúba trouxe um importante dinamismo ao setor da saúde no Estado, registando-se igualmente uma forte aposta na I&D - com 137 grupos de investigação distribuídos por quatro regiões do estado o que amplia as oportunidades de negócio e investimento no estado. 4/9

5 Indústria Agroalimentar A indústria agroalimentar cearense destaca-se, a nível nacional, na produção de biscoitos, moagem de trigo, águas engarrafadas, conservas de frutas, aguardentes e café, sendo responsável por 1/4 da produção da indústria de transformadora do estado. A Missão A AICEP, Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal e a Câmara Brasil Portugal no Ceará organizam uma missão de empresas portuguesas a Fortaleza (Ceará) nos dias 2, 3, 4 e 5 de novembro, no âmbito do programa de ações dirigidas a apoiar a internacionalização das empresas portuguesas. O objetivo da missão é promover o encontro de empresários portugueses com autoridades locais, entidades empresariais e empresas daquele Estado, além de visitas técnicas. Estes encontros e visitas visam a promoção de novos negócios e parcerias entre empresários luso-brasileiros, tendo em vista as oportunidades e vantagens comparativas entre as duas economias. Apresentação da missão A missão deverá ter lugar entre 2 e 5 de novembro de 2014 com partida de Portugal (Lisboa/Porto) a 1 de novembro e chegada a Fortaleza no mesmo dia, regresso a partir de Fortaleza (Ceará) no dia 5 de novembro (ao final do dia) com chegada a Portugal no dia 6 de novembro. (Esta viagem fica sujeita a confirmação e disponibilidade). A missão terá portanto a duração de 4 dias (sem contar com os dias de viagem, de chegada e partida) e decorrerá nos dias 2, 3, 4 e 5 em Fortaleza, Estado do Ceará. Durante a missão está previsto o contacto direto com empresários locais interessados no estabelecimento de parcerias estratégicas e a realização de encontros com as autoridades brasileiras, que permitirão aos empresários portugueses obter um enquadramento preciso e atual do ambiente regulatório do investimento estrangeiro no Brasil e, em particular, no Estado do Ceará, bem como, a deteção de oportunidade de negócio. Nesta missão contamos com o apoio da Câmara Brasil Portugal no Ceará. 5/9

6 Condições de Participação: As condições financeiras de participação das empresas são as seguintes: Valor de inscrição por empresa considerando o universo de 10 empresas Valor IVA (23%) Total 1.650,00 379, ,50 A participação das empresas implica o pagamento à aicep Portugal Global do valor total previsto no quadro acima e que inclui a preparação da ação, desenvolvimento e elaboração do programa, produção de fichas individuais das empresas em formato digital, viagem Portugal Fortaleza-Ceará Portugal (em classe turística), transferes aeroporto/hotel/aeroporto, alojamento de 4 noites em regime APA, de um representante por empresa, bem como, acompanhamento técnico por parte da AICEP. De referir que poderá haver a necessidade de se proceder a ajustes financeiros dependendo dos custos finais que vierem a ser apurados e do universo final das empresas participantes. Será da responsabilidade das empresas participantes: - Cumprir o programa que for elaborado, comprometendo-se a estar presente em todas as reuniões que a aicep Portugal Global agendar e em todos os encontros/ visitas previstas. - Suportar qualquer despesa própria que não esteja considerada no valor da inscrição, como por exemplo as deslocações locais e refeições. - Proceder ao envio da informação solicitada pela aicep para preparar a missão com entidades e empresas locais nos prazos definidos. Esta ação vai realizar-se no âmbito de uma candidatura a apresentada pela AICEP ao QREN, Programa Compete 2013/2015 (1º semestre) Programa Operacional Fatores de Competitividade. Com a aprovação do financiamento QREN, a aicep Portugal Global procederá ao reembolso até ao máximo de 45% do valor de inscrição para as PME s e de 40% para as GE s às empresas que cumpram todos os requisitos exigidos pelo Programa. De referir que algumas despesas poderão não ser elegíveis e como tal não serão comparticipáveis. 6/9

7 A candidatura da aicep encontra-se sujeita às condições previstas, designadamente no que se refere ao Âmbito Territorial de aplicação (Regiões de Convergência Norte, Centro e Alentejo). Nestas circunstâncias, os investimentos imputáveis às Regiões NUTII Lisboa e Algarve não serão objeto de comparticipação no âmbito do projeto e, como tal, as empresas sedeadas nessas Regiões não poderão ser beneficiárias de cofinanciamento QREN. Alerta-se também para o facto de não poderem ser beneficiárias de cofinanciamento QREN, as empresas que não obedeçam às condições listadas no Anexo 1. 7/9

8 Processo de Inscrição Esta missão destina-se a empresas portuguesas produtoras e comercializadoras de bens e serviços nacionais Em função do enquadramento macro económico descrito e dos destaques acima mencionados, as inscrições das empresas Portuguesas serão selecionadas pela Câmara de Comércio do Ceará e AICEP São Paulo, para efeitos de participação na Bolsa de Contactos da referida Missão. As empresas interessadas em integrar esta missão deverão proceder ao preenchimento do Formulário de Inscrição que se encontra no site da AICEP junto à divulgação desta missão e desta ficha de lançamento da ação até ao dia 7 de outubro de Até ao dia 8 de outubro, a AICEP comunicará em função do perfil da empresa a sua integração na Missão, devendo esta proceder ao respetivo pagamento, até ao dia 10 de outubro de 2014, procedendo à transferência bancária utilizando o NIB Chamamos a atenção para que, com a transferência bancária seja dada a indicação do NIF e Nome da Empresa e Designação da Missão, de modo a que possa ser emitida a fatura/recibo corretamente. Alerta-se para o facto de não poderem participar nesta ação, as empresas que não demonstrarem ter a sua situação regularizada para com o Estado e a Segurança Social, pelo que deverão ser apresentadas preferencialmente no ato de inscrição, as certidões atualizadas ou cópias autenticadas pelos serviços competentes, válidas à data de realização da missão ou autorizar a consulta por parte da aicep Portugal Global nos sítios da Internet da Segurança Social e das Finanças. É, igualmente, condição de participação que as empresas tenham a sua situação regularizada para com a aicep Portugal Global, não podendo ter dívidas em atraso. Nota: A AICEP reserva-se o direito de proceder à seleção final dos participantes ou cancelar a ação, em função de fatores que considere relevantes e do número de participantes. 8/9

9 ANEXO 1 QREN / Sistema de Incentivos às Ações Coletivas Condições de Participação e Cofinanciamento QREN Com vista à participação nas ações coletivas dinamizadas pela Aicep no âmbito do QREN, a empresa cumpre, ou encontra-se em situação de cumprir, as condições de elegibilidade constantes do Enquadramento Nacional (Decreto-Lei n.º 65/2009, de 20 de março) e do Regulamento do Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME (Anexo à Portaria nº 47-A/2012, 24 de fevereiro, alterado pelas Portarias nº 233- A/2012, de 6 de agosto, e 369/2012, de 6 de novembro), designadamente: i) Encontrar-se legalmente constituído ii) Cumprir as condições legais necessárias ao exercício da respetiva atividade iii) Possuir a situação regularizada face à administração fiscal, à segurança social e às entidades pagadoras de incentivos iv) Possuir ou assegurar os recursos humanos e físicos necessários ao desenvolvimento do projeto v) Dispor de contabilidade organizada nos termos da legislação aplicável vi) Cumprir o rácio de autonomia financeira definido no anexo B do Regulamento do Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME vii) Cumprir (quando aplicável) os critérios de PME para efeitos de comprovação do estatuto de PME as empresas deverão registar-se no site do IAPMEI para obtenção da Certificação Eletrónica prevista no Decreto-Lei nº 372/2007, de 6 de novembro, alterado pelo Decreto-Lei nº 143/2009, de 16 de junho. 9/9

Missão empresarial ao Brasil Rio de Janeiro e São Paulo

Missão empresarial ao Brasil Rio de Janeiro e São Paulo Missão empresarial ao Brasil Rio de Janeiro e São Paulo Multisectorial Petróleo e Gás, Energias Renováveis e Eficiencia Energética; Infraestruturas (Ferroviárias, Aeroportuárias, Rodoviárias e Portuárias);

Leia mais

Missão empresarial a Santiago do Chile. Multisetorial

Missão empresarial a Santiago do Chile. Multisetorial Missão empresarial a Santiago do Chile Multisetorial 25 a 29 de Novembro de 2013 Enquadramento: Missão empresarial Chile multisetorial O Chile constitui uma das economias mais desenvolvidas, estáveis e

Leia mais

Missão Empresarial Banco Asiático de Desenvolvimento (BAsD) Sector: Energia

Missão Empresarial Banco Asiático de Desenvolvimento (BAsD) Sector: Energia Missão Empresarial Banco Asiático de Desenvolvimento (BAsD) Sector: Energia Manila, 18 a 22 de Março de 2013 1 Enquadramento: No âmbito do Acordo de Parceiros celebrado entre a AICEP e o GPEARI (Ministério

Leia mais

Visita a Portugal do Importador C & C Casa & Construção

Visita a Portugal do Importador C & C Casa & Construção Visita a Portugal do Importador C & C Casa & Construção Sector da Construção Brasil 21 a 25 de Outubro de 2013 Enquadramento Com uma extensão territorial de aproximadamente 8,5 milhões km 2, vastos recursos

Leia mais

Missão Empresarial à China

Missão Empresarial à China Missão Empresarial à China Fornecedores do setor automóvel Xangai e Pequim 9 a 14 de setembro de 2013 Atualização Enquadramento A previsão do Governo Chinês emitida em Janeiro deste ano estima que em 2013

Leia mais

50 the International Paris Air Show

50 the International Paris Air Show Cluster Aeroespacial Nacional Pavilhão de Portugal 50 the International Paris Air Show Paris - Le Bourget 17 a 23 de Junho de 2013 www.salon-du-bourget.fr ENQUADRAMENTO e OBJECTIVO Na continuidade das

Leia mais

FILDA Feira Internacional de Luanda. Angola

FILDA Feira Internacional de Luanda. Angola FILDA Feira Internacional de Luanda Angola 14 a 19 de Julho de 2009 Enquadramento: A aicep Portugal Global, no âmbito do Quadro de Referência Estratégica Nacional, propõe-se dinamizar a presença nacional

Leia mais

Visita a Portugal do importador. Exclusivos Camacho

Visita a Portugal do importador. Exclusivos Camacho Visita a Portugal do importador Exclusivos Camacho Sector Cerâmica e Faiança Decorativas Espanha 14 a 16 de Janeiro de 2014 Enquadramento : Como consequência da nova situação económica em Espanha, os últimos

Leia mais

Maputo, a sua capital, é o seu porto de mercadorias por excelência e principal centro de comércio.

Maputo, a sua capital, é o seu porto de mercadorias por excelência e principal centro de comércio. Missão Empresarial Moçambique 28 agosto 3 setembro 2014 Moçambique: porta de entrada na África Austral Moçambique é hoje um mercado em expansão com mais de 24 milhões de consumidores, que tem vindo a registar

Leia mais

MARÇO EXPORTAR A 1ª VEZ MISSÕES EMPRESARIAIS NORTE DE ÁFRICA MARROCOS ARGÉLIA AMÉRICA DO SUL CHILE & COLÔMBIA. Condições de participação

MARÇO EXPORTAR A 1ª VEZ MISSÕES EMPRESARIAIS NORTE DE ÁFRICA MARROCOS ARGÉLIA AMÉRICA DO SUL CHILE & COLÔMBIA. Condições de participação EXPORTAR NORTE DE ÁFRICA AMÉRICA DO SUL MARROCOS ARGÉLIA CHILE & COLÔMBIA Condições de participação CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO MERCADOS PARTIDA CHEGADA 1 Marrocos 23-03- 26-03- 2 Argélia 23-03- 26-03- 3

Leia mais

MISSÕES EMPRESARIAIS

MISSÕES EMPRESARIAIS EXPORT 2º SEMESTRE 2014 1º SEMESTRE 2015 MISSÕES EMPRESARIAIS ÁFRICA MOÇAMBIQUE ARGÉLIA TUNÍSIA ÁSIA AMÉRICA CHINA PERU EQUADOR CUBA ESTADOS UNIDOS EUROPA POLÓNIA CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO 3 CUSTOS: MOÇAMBIQUE

Leia mais

MISSÕES EMPRESARIAIS

MISSÕES EMPRESARIAIS EXPORT 2º SEMESTRE 2014 1º SEMESTRE 2015 MISSÕES EMPRESARIAIS ÁFRICA ARGÉLIA TUNÍSIA MOÇAMBIQUE ÁSIA AMÉRICA CHINA CUBA PERU EQUADOR ESTADOS UNIDOS EUROPA POLÓNIA CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO 1 DESCRIÇÃO

Leia mais

FIC - Feira Internacional de Cabo Verde. Cabo Verde

FIC - Feira Internacional de Cabo Verde. Cabo Verde FIC - Feira Internacional de Cabo Verde Cabo Verde 19 a 22 de Novembro de 2009 Enquadramento A aicep Portugal Global, no âmbito do Quadro de Referência Estratégica Nacional, propõe-se dinamizar a presença

Leia mais

Apoio. Programa NOVOS EXPORTADORES

Apoio. Programa NOVOS EXPORTADORES Programa NOVOS EXPORTADORES Artº 1º Definição e Âmbito 1. A Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal, E.P.E., adiante designada por AICEP, está a promover o Programa NOVOS EXPORTADORES.

Leia mais

1º TRIMESTRE EXPORTAR A 1ª VEZ MISSÕES EMPRESARIAIS. Condições de participação ARGÉLIA CHINA E MACAU MARROCOS TURQUIA FEVEREIRO MARÇO

1º TRIMESTRE EXPORTAR A 1ª VEZ MISSÕES EMPRESARIAIS. Condições de participação ARGÉLIA CHINA E MACAU MARROCOS TURQUIA FEVEREIRO MARÇO FEVEREIRO MARÇO ARGÉLIA CHINA E MACAU MARROCOS TURQUIA ÁFRICA DO SUL E MOÇAMBIQUE COLÔMBIA E CHILE ÍNDIA ISRAEL Condições de participação CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO 1 AS são uma ação financiada pelo FEDER,

Leia mais

FIA Feira Internacional de Argel. Argélia

FIA Feira Internacional de Argel. Argélia FIA Feira Internacional de Argel Argélia 28 de maio a 2 de junho de 2014 Enquadramento de Mercado Fator Geográfico A Argélia é um dos Estados que compõe a região do Magreb, e em termos de dimensões é o

Leia mais

FILDA Feira Internacional de Luanda. Luanda, 22 a 27 de julho de 2014. 31ª Edição

FILDA Feira Internacional de Luanda. Luanda, 22 a 27 de julho de 2014. 31ª Edição FILDA Feira Internacional de Luanda Luanda, 22 a 27 de julho de 2014 31ª Edição Enquadramento Nos últimos dez anos, Angola evoluiu de uma economia de guerra para uma economia de mercado dependente do sector

Leia mais

FIA Feira Internacional de Argel. Argélia

FIA Feira Internacional de Argel. Argélia FIA Feira Internacional de Argel Argélia 27 de maio a 1 de junho de 2015 Enquadramento de Mercado Fator Geográfico A Argélia é um dos Estados que compõe a região do Magrebe, e em termos de dimensões é

Leia mais

SI QUALIFICAÇÃO PME (Aviso n.º 05/SI/2012) PROJETOS CONJUNTOS INTERNACIONALIZAÇÃO GET OUT 2014

SI QUALIFICAÇÃO PME (Aviso n.º 05/SI/2012) PROJETOS CONJUNTOS INTERNACIONALIZAÇÃO GET OUT 2014 ACORDO PRÉ-ADESÃO O presente acordo visa definir os termos de participação na Participação na Feira BIJORHCA em França (Paris) que se realizará de 22 a 27 de janeiro de 2015, promovida pela ANJE Associação

Leia mais

Sistema de Incentivos

Sistema de Incentivos Sistema de Incentivos Qualificação e Internacionalização de PME amrconsult 13 de Maio de 2010 1 Agenda 1 Enquadramento 2 Condições de elegibilidade 3 Despesas elegíveis 4 Incentivo 2 1 Enquadramento 3

Leia mais

FILDA Feira Internacional de Luanda. Luanda, 21 a 26 de julho de 2015. 32ª Edição

FILDA Feira Internacional de Luanda. Luanda, 21 a 26 de julho de 2015. 32ª Edição FILDA Feira Internacional de Luanda Luanda, 21 a 26 de julho de 2015 32ª Edição Enquadramento Nos últimos treze anos, Angola evoluiu de uma economia de guerra para uma economia de mercado muito dependente

Leia mais

MISSÃO EMPRESARIAL AO CHILE SANTIAGO DO CHILE 01 a 06 de OUTUBRO 2016 2 DESCRIÇÃO:

MISSÃO EMPRESARIAL AO CHILE SANTIAGO DO CHILE 01 a 06 de OUTUBRO 2016 2 DESCRIÇÃO: 23 MISSÃO EMPRESARIAL AO CHILE SANTIAGO DO CHILE 01 a 06 de OUTUBRO 2016 2 DESCRIÇÃO: A Missão encontra-se integrada no Projeto Conjunto da AIDA, INOV_MARKET, que tem como principais objetivos promover

Leia mais

POCI Aviso n.º3/si/2015 Programa Operacional Fatores de Competitividade INOVAÇÃO PRODUTIVA ENQUADRAMENTO E OBJETIVOS BENEFICIÁRIOS

POCI Aviso n.º3/si/2015 Programa Operacional Fatores de Competitividade INOVAÇÃO PRODUTIVA ENQUADRAMENTO E OBJETIVOS BENEFICIÁRIOS ENQUADRAMENTO E OBJETIVOS POCI Aviso n.º3/si/2015 Programa Operacional Fatores de Competitividade INOVAÇÃO PRODUTIVA O objetivo específico deste concurso consiste em conceder apoios financeiros a projetos

Leia mais

GUIA PORTUGAL 2020 QUEM? COMO? QUANDO? PORQUÊ? NOVOS FUNDOS COMUNITÁRIOS 2014-2020 SPAIN - FRANCE - PORTUGAL - BELGIUM - BRAZIL - CHILE - CANADA

GUIA PORTUGAL 2020 QUEM? COMO? QUANDO? PORQUÊ? NOVOS FUNDOS COMUNITÁRIOS 2014-2020 SPAIN - FRANCE - PORTUGAL - BELGIUM - BRAZIL - CHILE - CANADA GUIA PORTUGAL 2020 NOVOS FUNDOS COMUNITÁRIOS 2014-2020 QUEM? COMO? QUANDO? PORQUÊ? www.f-iniciativas.com GUIA PORTUGAL 2020 QUEM? COMO? QUANDO? PORQUÊ? 1. O que é Portugal 2020 2. Metas para o Portugal

Leia mais

.: Instrumentos de financiamento de apoio à competitividade no âmbito do Portugal 2020. 14 de Janeiro de 2015

.: Instrumentos de financiamento de apoio à competitividade no âmbito do Portugal 2020. 14 de Janeiro de 2015 14 de Janeiro de 2015 O que é o Portugal 2020? O Portugal 2020 é um Acordo de Parceria assinado entre Portugal e a Comissão Europeia, que reúne a atuação dos 5 fundos estruturais e de investimento europeus

Leia mais

CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO. capacitação e missões empresariais INTERNACIONALIZAÇÃO ESPANHA + FRANÇA COLÔMBIA GUINÉ EQUATORIAL EUA MOÇAMBIQUE CABO VERDE

CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO. capacitação e missões empresariais INTERNACIONALIZAÇÃO ESPANHA + FRANÇA COLÔMBIA GUINÉ EQUATORIAL EUA MOÇAMBIQUE CABO VERDE INTERNACIONALIZAÇÃO capacitação e missões empresariais 2015 2016 ESPANHA + FRANÇA COLÔMBIA GUINÉ EQUATORIAL EUA MOÇAMBIQUE CABO VERDE CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO ALEMANHA Promotor CHINA 1 EUA mar.2016 Nova

Leia mais

Contribuir para o desenvolvimento da região em que se inserem;

Contribuir para o desenvolvimento da região em que se inserem; SIPIE SISTEMA DE INCENTIVOS A PEQUENAS INICIATIVAS EMPRESARIAIS FICHA DE MEDIDA Apoia projectos com investimento mínimo elegível de 15.000 e a um máximo elegível de 150.000, que visem a criação ou desenvolvimento

Leia mais

SIALM Sistema de Incentivos de Apoio Local a Micro empresas. CCDRC, 14 fevereiro 2013

SIALM Sistema de Incentivos de Apoio Local a Micro empresas. CCDRC, 14 fevereiro 2013 SIALM Sistema de Incentivos de Apoio Local a Micro empresas CCDRC, 14 fevereiro 2013 PROGRAMA VALORIZAR RCM n.º 7/2013, de 9/01 Valorização do território do interior e de baixa densidade demográfica e

Leia mais

FACIM Feira Internacional de Maputo

FACIM Feira Internacional de Maputo FACIM Feira Internacional de Maputo Moçambique 26 de agosto a 1 de setembro de 2013 Enquadramento de mercado Quadro macroeconómico favorável Moçambique obteve nos últimos 10 anos um dos melhores resultados

Leia mais

COMPETIR + Sistema de Incentivos para a Competitividade Empresarial

COMPETIR + Sistema de Incentivos para a Competitividade Empresarial Câmara do Comércio e Indústria de Ponta Delgada COMPETIR + Sistema de Incentivos para a Competitividade Empresarial Subsistemas Fomento da Base Económica de Exportação Desenvolvimento Local Empreendedorismo

Leia mais

Portugal 2020. CCILC, Junho 2014

Portugal 2020. CCILC, Junho 2014 Portugal 2020 CCILC, Junho 2014 Internacionalização: Quando? Para Quem? PME Organizações Onde? Regiões Como valorizar? + RH +Inovação O Quê? Que Investimentos? Quais? Temas Prioridades Objetivos Internacionalização:

Leia mais

Portugal 2020. 03-11-2014 Areagest Serviços de Gestão S.A.

Portugal 2020. 03-11-2014 Areagest Serviços de Gestão S.A. Portugal 2020 Os Nossos Serviços Onde pode contar connosco? Lisboa Leiria Braga Madrid As Nossas Parcerias Institucionais Alguns dos Nossos Clientes de Referência Bem Vindos à Areagest Índice O QREN;

Leia mais

COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO

COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO 21-4-2015 UNIÃO EUROPEIA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA Fundos Europeus Estruturais e de Investimento Índice A. Madeira 14-20 Instrumentos de Apoio ao tecido empresarial.

Leia mais

A VISÃO do ENERGYIN Motivos da sua criação & Objectivos

A VISÃO do ENERGYIN Motivos da sua criação & Objectivos Pólo da Competitividade e Tecnologia da Energia (PCTE) O papel do PCTE na energia solar em Portugal 8 e 9 de Fevereiro de 2010 António Mano - EDP Antonio.ermidamano@edp.pt A VISÃO do ENERGYIN Motivos da

Leia mais

Eixo Prioritário V Assistência Técnica

Eixo Prioritário V Assistência Técnica Eixo Prioritário V Assistência Técnica Convite Público à Apresentação de Candidatura no Domínio da Assistência Técnica no Âmbito da Delegação de Competências com os Organismos Intermédios na gestão dos

Leia mais

Investir no Atlântico

Investir no Atlântico Investir no Atlântico Domínio Competitividade e Internacionalização Região Competitiva, Resiliente, Empreendedora e Sustentável com base na valorização do Conhecimento UALG 17 novembro de 2015 Sistemas

Leia mais

MISSÃO EMPRESARIAL AO MÉXICO 19-27 Fev. 2016

MISSÃO EMPRESARIAL AO MÉXICO 19-27 Fev. 2016 PROJECTO CONJUNTO DE INTERNACIONALIZAÇÃO MÉXICO 2015-2016 MISSÃO EMPRESARIAL AO MÉXICO 19-27 Fev. 2016 INSCRIÇÕES ATÉ 15 DE JANEIRO 2016 Promotor: Co-financiamento: Monitorização: Foto: Miguel Moreira

Leia mais

17ª Edição da FIC Feira Internacional de Cabo Verde Cidade do Mindelo ilha de S. Vicente

17ª Edição da FIC Feira Internacional de Cabo Verde Cidade do Mindelo ilha de S. Vicente 17ª Edição da FIC Feira Internacional de Cabo Verde Cidade do Mindelo ilha de S. Vicente 20 a 24 de Novembro 2013 1. PREÇOS DE PARTICIPAÇÃO (VALOR BASE, SEM CO-FINANCIAMENTO) Com Viagem e Alojamento Espaço

Leia mais

Inovação Produtiva PME

Inovação Produtiva PME Inovação Produtiva PME Objetivos Promover a inovação no tecido empresarial, traduzida na produção de novos, ou significativamente melhorados, bens e serviços transacionáveis e internacionalizáveis diferenciadores

Leia mais

Apoio à Internacionalização. CENA 3 de Julho de 2012

Apoio à Internacionalização. CENA 3 de Julho de 2012 Apoio à Internacionalização CENA 3 de Julho de 2012 Enquadramento Enquadramento Comércio Internacional Português de Bens e Serviços Var. 13,3% 55,5 68,2 57,1 73,4 48,3 60,1 54,5 66,0 67,2 61,7 Exportação

Leia mais

Inovação Empreendedorismo Qualificado e Criativo

Inovação Empreendedorismo Qualificado e Criativo Inovação Empreendedorismo Qualificado e Criativo Objetivos Promover o empreendedorismo qualificado e criativo Tipologias de Projetos 1. São suscetíveis de financiamento os projetos das PME, com menos de

Leia mais

QREN Inovação Empreendedorismo Qualificado. Projectos Individuais N.º 06/SI/2011

QREN Inovação Empreendedorismo Qualificado. Projectos Individuais N.º 06/SI/2011 1 QREN Inovação Empreendedorismo Qualificado Projectos Individuais N.º 06/SI/2011 2 Índice 1. Objectivos e Prioridades 2. Condições de Acesso a. Promotor b. Projecto c. Aviso de Abertura 3. Modalidades

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO DO MADEIRA 14-20

REGULAMENTO ESPECÍFICO DO MADEIRA 14-20 AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS PROGRAMA OPERACIONAL DA 2014-2020 (MADEIRA 14-20) EIXO PRIORITÁRIO 3 Reforçar a Competitividade das Empresas PRIORIDADE DE INVESTIMENTO (PI) 3.b Desenvolvimento

Leia mais

O presente documento suporta a apreciação do ponto 3 da Agenda da reunião da Comissão de Acompanhamento de 13/11/07, sendo composto por duas partes:

O presente documento suporta a apreciação do ponto 3 da Agenda da reunião da Comissão de Acompanhamento de 13/11/07, sendo composto por duas partes: EIXO I COMPETITIVIDADE, INOVAÇÃO E CONHECIMENTO INSTRUMENTO: SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME (SI QUALIFICAÇÃO PME) O presente documento suporta a apreciação do ponto 3

Leia mais

NOVO PERIODO DE PROGRAMAÇÃO INCENTIVOS DO QREN CERTIFICAÇÃO DE EMPRESAS

NOVO PERIODO DE PROGRAMAÇÃO INCENTIVOS DO QREN CERTIFICAÇÃO DE EMPRESAS NOVO PERIODO DE PROGRAMAÇÃO INCENTIVOS DO QREN CERTIFICAÇÃO DE EMPRESAS 04-06-2008 Índice A. NOVO PERÍODO DE PROGRAMAÇÃO 2007-2013. B. ACÇÃO INTEGRADA DO IDE-RAM NO PERÍODO 2007-2013. C. APOIOS À ACTIVIDADE

Leia mais

FILDA Feira Internacional de Luanda

FILDA Feira Internacional de Luanda FILDA Feira Internacional de Luanda Luanda, 16 a 21 de julho de 2013 30ª Edição Enquadramento Passada uma década sobre o fim do conflito militar, em que Angola se assumiu como uma potência regional no

Leia mais

EIXO PRIORITÁRIO VI ASSISTÊNCIA TÉCNICA

EIXO PRIORITÁRIO VI ASSISTÊNCIA TÉCNICA EIXO PRIORITÁRIO VI ASSISTÊNCIA TÉCNICA Convite Público à Apresentação de Candidatura no Domínio da Assistência Técnica aos Organismos Intermédios Eixo Prioritário VI - Assistência Técnica Convite para

Leia mais

AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS N.º 01 / SAESCTN / 2012

AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS N.º 01 / SAESCTN / 2012 AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS N.º 01 / SAESCTN / 2012 SISTEMA DE APOIO A ENTIDADES DO SISTEMA CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO NACIONAL (SAESCTN) PROJETOS DE INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA E DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Adenda aos Critérios de Selecção

Adenda aos Critérios de Selecção Adenda aos Critérios de Selecção... Critérios de Selecção SI Qualificação PME EIXO I COMPETITIVIDADE, INOVAÇÃO E CONHECIMENTO INSTRUMENTO: SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DE

Leia mais

Programas Operacionais e Sistemas de Incentivos às Empresas

Programas Operacionais e Sistemas de Incentivos às Empresas Programas Operacionais e Sistemas de Incentivos às Empresas Da União Europeia vão chegar até 2020 mais de 20 mil milhões de euros a Portugal. Uma pipa de massa, nas palavras do ex-presidente da Comissão

Leia mais

INTERFURNITURE 2012. Acção Avignon 12 a 14 de Fevereiro de 2012. Formulário de Inscrição. Nome da empresa: Marca Pessoa de Contacto

INTERFURNITURE 2012. Acção Avignon 12 a 14 de Fevereiro de 2012. Formulário de Inscrição. Nome da empresa: Marca Pessoa de Contacto INTERFURNITURE 2012 Acção Avignon 12 a 14 de Fevereiro de 2012 Formulário de Inscrição DADOS EMPRESA Nome da empresa: Marca Pessoa de Contacto CAE (Ver. 3): NIF: Postos de trabalho: Freguesia: Concelho:

Leia mais

A. Novo Paradigma de Desenvolvimento

A. Novo Paradigma de Desenvolvimento S E M I N Á R I O AUDITORIAS DE VALOR 11 de Outubro de 2010 A. Novo Paradigma de Desenvolvimento 2007/2013 Passagem do Objectivo 1 (Convergência) para o Objectivo 2 (Competitividade e Emprego). Alteração

Leia mais

Oportunidades a explorar

Oportunidades a explorar Oportunidades a explorar 1. Candidatura ao reconhecimento da Dieta Mediterrânica de PORTUGAL (liderada por Tavira) 2. Notoriedade do ALGARVE nos principais mercados turísticos europeus [Reino Unido, Alemanha,

Leia mais

CANDIDATURAS À MEDIDA FORMAÇÃO-AÇÃO PARA PME

CANDIDATURAS À MEDIDA FORMAÇÃO-AÇÃO PARA PME CANDIDATURAS À MEDIDA FORMAÇÃO-AÇÃO PARA PME Destinatários do projeto Micro, Pequenas e Médias empresas com: Dimensão até 250 trabalhadores Localizadas nas regiões Norte, Centro e Alentejo Estatuto PME

Leia mais

Vale Projecto - Simplificado

Vale Projecto - Simplificado IDIT Instituto de Desenvolvimento e Inovação Tecnológica Vale Projecto - Simplificado VALES Empreendedorismo e Inovação Associados Parceiros / Protocolos IDIT Enquadramento Vale Projecto - Simplificado

Leia mais

Estratégia de Especialização Inteligente para a Região de Lisboa

Estratégia de Especialização Inteligente para a Região de Lisboa Diagnóstico do Sistema de Investigação e Inovação: Desafios, forças e fraquezas rumo a 2020 FCT - A articulação das estratégias regionais e nacional - Estratégia de Especialização Inteligente para a Região

Leia mais

Portugal 2020 e outros instrumentos financeiros. Dinis Rodrigues, Direção-Geral de Energia e Geologia Matosinhos, 27 de fevereiro de 2014

Portugal 2020 e outros instrumentos financeiros. Dinis Rodrigues, Direção-Geral de Energia e Geologia Matosinhos, 27 de fevereiro de 2014 Portugal 2020 e outros instrumentos financeiros Dinis Rodrigues, Direção-Geral de Energia e Geologia Matosinhos, 27 de fevereiro de 2014 O desafio Horizonte 2020 Compromissos Nacionais Metas UE-27 20%

Leia mais

INTERFURNITURE 2012. Acção Maison & Objet 20 a 24 de Janeiro de 2012. Formulário de Inscrição. Nome da empresa: Marca Pessoa de Contacto

INTERFURNITURE 2012. Acção Maison & Objet 20 a 24 de Janeiro de 2012. Formulário de Inscrição. Nome da empresa: Marca Pessoa de Contacto INTERFURNITURE 2012 Acção Maison & Objet 20 a 24 de Janeiro de 2012 Formulário de Inscrição DADOS EMPRESA Nome da empresa: Marca Pessoa de Contacto CAE (Ver. 3): NIF: Postos de trabalho: Freguesia: Concelho:

Leia mais

CTCV. seminários. Programas de apoio no novo Quadro Portugal 2020. Seminário ISO 9001 e ISO 14001 Enquadramento e alterações nos referenciais de 2015

CTCV. seminários. Programas de apoio no novo Quadro Portugal 2020. Seminário ISO 9001 e ISO 14001 Enquadramento e alterações nos referenciais de 2015 23 10 2014 Programas de apoio no novo Quadro Portugal 2020 Seminário ISO 9001 e ISO 14001 Enquadramento e alterações nos referenciais de 2015 Victor Francisco Gestão e Promoção da Inovação 21 de outubro

Leia mais

QREN Inovação Inovação Produtiva. Projectos Individuais N.º 05/SI/2011

QREN Inovação Inovação Produtiva. Projectos Individuais N.º 05/SI/2011 1 QREN Inovação Inovação Produtiva Projectos Individuais N.º 05/SI/2011 2 Índice 1. Objectivos e Prioridades 2. Condições de Acesso a. Promotor b. Projecto c. Aviso de Abertura 3. Modalidades de Projectos

Leia mais

CANDIDATURAS ABERTAS:

CANDIDATURAS ABERTAS: Resumo das candidaturas aos Sistemas de Incentivos QREN CANDIDATURAS ABERTAS: Sistema de Incentivos à Investigação e Desenvolvimento Tecnológico Tipologia de Projectos Abertura Encerramento Individuais

Leia mais

O SEU PROJECTO É ELEGÍVEL PARA ESTES INCENTIVOS?

O SEU PROJECTO É ELEGÍVEL PARA ESTES INCENTIVOS? O SEU PROJECTO É ELEGÍVEL PARA ESTES INCENTIVOS? O ISQ e a ASK querem ajudar empreendedores e empresários à procura de financiamento a obterem o apoio de que necessitam para lançar ou desenvolver os seus

Leia mais

19ª Edição FIC Feira Internacional de Cabo Verde Ilha de S. Vicente Cidade do Mindelo Laginha 18-22 de Nov.

19ª Edição FIC Feira Internacional de Cabo Verde Ilha de S. Vicente Cidade do Mindelo Laginha 18-22 de Nov. 19ª Edição FIC Feira Internacional de Cabo Verde Ilha de S. Vicente Cidade do Mindelo Laginha 18-22 de Nov. Stopover Ilha de Santiago Cidade da Praia 16-17 de Nov. Proj. Conjunto Internacionalização PT2020

Leia mais

PROGRAMA OPERACIONAL COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO

PROGRAMA OPERACIONAL COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO PROGRAMA OPERACIONAL COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO Jorge Abegão Secretário-Técnico do COMPETE Coimbra, 28 de janeiro de 2015 Estratégia Europa 2020 ESTRATÉGIA EUROPA 2020 CRESCIMENTO INTELIGENTE

Leia mais

POLÍTICA DE PME's Debate promovido pela AIP. 11 Setembro 2007

POLÍTICA DE PME's Debate promovido pela AIP. 11 Setembro 2007 POLÍTICA DE PME's Debate promovido pela AIP 11 Setembro 2007 Durante o 1º trimestre de 2007, o PIB cresceu 2,0% Crescimento do PIB 2,5% 2,0% 1,5% 1,5% 1,7% 2,0% 1,0% 1,1% 1,0% 0,9% 0,5% 0,5% 0,5% 0,0%

Leia mais

FACIM Feira Internacional de Maputo. Moçambique

FACIM Feira Internacional de Maputo. Moçambique FACIM Feira Internacional de Maputo Moçambique De 25 a 31 de agosto de 2014 Enquadramento de mercado Moçambique é um país com cerca de 24 milhões de habitantes e com um território que é aproximadamente

Leia mais

ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL

ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL Diretor Geral O Diretor Geral supervisiona e coordena o funcionamento das unidades orgânicas do Comité Olímpico de Portugal, assegurando o regular desenvolvimento das suas

Leia mais

Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME CONDIÇÕES DE ENQUADRAMENTO

Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME CONDIÇÕES DE ENQUADRAMENTO Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME CONDIÇÕES DE ENQUADRAMENTO Aviso para apresentação de candidaturas Nº 04/SI/2012 Índice Condições de Elegibilidade do Promotor... 3 Condições

Leia mais

PORTUGAL 2020. Quadro Comunitário de Apoio 2014-2020

PORTUGAL 2020. Quadro Comunitário de Apoio 2014-2020 Quadro Comunitário de Apoio 2014-2020 ÌNDICE Principais orientações e dotação orçamental Programas Operacionais e dotação orçamental específica Órgãos de Governação (Decreto-Lei n.º 137/2014 de 12 de setembro)

Leia mais

Diário da República, 1.ª série N.º 118 19 de junho de 2015 4292-(7)

Diário da República, 1.ª série N.º 118 19 de junho de 2015 4292-(7) Diário da República, 1.ª série N.º 118 19 de junho de 2015 4292-(7) 3 As operações previstas nas alíneas c), d), e), h) e k) do n.º 1 do artigo 30.º são elegíveis na região de Lisboa no âmbito dos apoios

Leia mais

AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Nº 06 / SI / 2012

AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Nº 06 / SI / 2012 AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Nº 06 / SI / 2012 SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME (SI QUALIFICAÇÃO DE PME) PROGRAMA ESTRATÉGICO +E+I VALE PROJETO SIMPLIFICADO

Leia mais

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Universidade de Évora, 10 de março de 2015 Identidade, Competitividade, Responsabilidade Lezíria do Tejo Alto Alentejo Alentejo Central Alentejo Litoral

Leia mais

PORTUGAL 2020. Quadro Comunitário de Apoio 2014-2020

PORTUGAL 2020. Quadro Comunitário de Apoio 2014-2020 PORTUGAL 2020 Quadro Comunitário de Apoio 2014-2020 ÍNDICE PORTUGAL 2020 A. Principais orientações e dotação orçamental B. Programas Operacionais e dotação orçamental específica C. Regras gerais de aplicação

Leia mais

Condições de participação Speciality & Fine Food Fair Reino Unido 07 a 09 de Setembro (Valor estimado para a participação de 9 empresas)

Condições de participação Speciality & Fine Food Fair Reino Unido 07 a 09 de Setembro (Valor estimado para a participação de 9 empresas) 1 Condições de participação Speciality & Fine Food Fair Reino Unido 07 a 09 de Setembro (Valor estimado para a participação de 9 empresas) Esta proposta de participação é válida para um elemento por empresa,

Leia mais

INTERFURNITURE 2012. Acção Intergift 12 a 16 de Setembro de 2012. Formulário de Inscrição. Nome da empresa: Marca Pessoa de Contacto

INTERFURNITURE 2012. Acção Intergift 12 a 16 de Setembro de 2012. Formulário de Inscrição. Nome da empresa: Marca Pessoa de Contacto INTERFURNITURE 2012 Acção Intergift 12 a 16 de Setembro de 2012 Formulário de Inscrição DADOS EMPRESA Nome da empresa: Marca Pessoa de Contacto CAE (Rev. 3): NIF: Postos de trabalho: Freguesia: Concelho:

Leia mais

AVISO Nº 01/SI/2014 - INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DAS PME PROJETOS CONJUNTOS INTERNACIONALIZAÇÃO

AVISO Nº 01/SI/2014 - INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DAS PME PROJETOS CONJUNTOS INTERNACIONALIZAÇÃO AVISO Nº 01/SI/2014 - Janeiro de 2015 Objetivo Estratégico Beneficiários Ações globais do Programa Abrir novos horizontes às PME nacionais, fomentando a sua entrada no mercado-alvo de África do Sul e impulsionado

Leia mais

INCENTIVOS ÀS EMPRESAS

INCENTIVOS ÀS EMPRESAS INCENTIVOS ÀS EMPRESAS Gestão de Projectos info@ipn-incubadora.pt +351 239 700 300 BEST SCIENCE BASED INCUBATOR AWARD Incentivos às Empresas Objectivos: - Promoção do up-grade das empresas de PME; - Apoiar

Leia mais

QREN Sistemas de Incentivos T u r is m o

QREN Sistemas de Incentivos T u r is m o SOLUÇÕES DE FINANCIAMENTO ÀS EMPRESAS QREN Sistemas de Incentivos T u r is m o Ponte de Lima, 4 de Dezembro de 2012 AGOSTINHO PEIXOTO Programa COMPETE 2007-2013 QREN Quadro de Referência Estratégico Nacional

Leia mais

Sistema de Incentivos à Inovação. Inovação Produtiva CONDIÇÕES DE ENQUADRAMENTO

Sistema de Incentivos à Inovação. Inovação Produtiva CONDIÇÕES DE ENQUADRAMENTO Sistema de Incentivos à Inovação Inovação Produtiva CONDIÇÕES DE ENQUADRAMENTO Aviso para apresentação de candidaturas Nº 02/SI/2012 1 Índice Tipologias de Investimento... 3 Condições de Elegibilidade

Leia mais

Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME Projetos Individuais

Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME Projetos Individuais Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME Projetos Individuais até concursos abertos 16 de abril de 2012 Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME Projetos

Leia mais

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Identidade, Competitividade, Responsabilidade Acordo de Parceria Consagra a política de desenvolvimento económico, social, ambiental e territorial Define

Leia mais

Portugal 2020: Investigação e Inovação no domínio da Competitividade e Internacionalização

Portugal 2020: Investigação e Inovação no domínio da Competitividade e Internacionalização Portugal 2020: Investigação e Inovação no domínio da Competitividade e Internacionalização Duarte Rodrigues Vogal da Agência para o Desenvolvimento e Coesão Lisboa, 17 de dezembro de 2014 Tópicos: 1. Portugal

Leia mais

Portugal 2020 Candidaturas Incentivos à Qualificação e Internacionalização das PME

Portugal 2020 Candidaturas Incentivos à Qualificação e Internacionalização das PME Portugal 2020 Candidaturas Incentivos à Qualificação e Internacionalização das PME Projetos Conjuntos de Internacionalização: Natureza dos beneficiários Os beneficiários são empresas PME de qualquer natureza

Leia mais

Fundo Modernização Comércio

Fundo Modernização Comércio 1 Fundo Modernização Comércio IAPMEI Portaria 236/2013 2 Índice 1. Objectivos e Prioridades 2. Condições de Acesso a. Promotor b. Projecto c. Aviso de Abertura 3. Modalidades de Projectos a Apoiar 4. Elegibilidade

Leia mais

Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME CONDIÇÕES DE ENQUADRAMENTO

Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME CONDIÇÕES DE ENQUADRAMENTO Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME CONDIÇÕES DE ENQUADRAMENTO Aviso para apresentação de candidaturas Nº 07/SI/2010 1 Índice Condições de Elegibilidade do Promotor... 3 Condições

Leia mais

Global Incentives Solutions*

Global Incentives Solutions* Incentives Solutions Global Incentives Solutions* Informação sobre incentivos ao investimento Número 6, Outubro de 2007 *connectedthinking What s hot Assinatura dos Programas Operacionais (PO) No passado

Leia mais

Fundos para a Internacionalização

Fundos para a Internacionalização Fundos para a Internacionalização Fundos de apoio às empresas O que são? São sistemas de incentivos vocacionados para o apoio às empresas, financiados por fundos comunitários e/ou nacionais. 2 Fundos de

Leia mais

COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO DAS EMPRESAS DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA 2014-2020

COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO DAS EMPRESAS DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA 2014-2020 COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO DAS EMPRESAS DA 2014-2020 18-11-2015 INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL, IP-RAM MISSÃO Promover o desenvolvimento, a competitividade e a modernização das empresas

Leia mais

Sistemas de Incentivos Q R E N

Sistemas de Incentivos Q R E N SOLUÇÕES DE FINANCIAMENTO ÀS EMPRESAS Sistemas de Incentivos Q R E N TURISMO [Região NUT II Lisboa] Lisboa 30 outubro 2012 Miguel Mendes Programa COMPETE 2007-2013 QREN Quadro de Referência Estratégico

Leia mais

Sistemas de Incentivos Q R E N

Sistemas de Incentivos Q R E N SOLUÇÕES DE FINANCIAMENTO ÀS EMPRESAS Sistemas de Incentivos Q R E N TURISMO [Regiões NUT II Continente] Funchal 13 novembro 2012 Miguel Mendes SOLUÇÕES DE FINANCIAMENTO ÀS EMPRESAS 1 QREN - SISTEMA DE

Leia mais

Sistemas de Incentivos Q R E N

Sistemas de Incentivos Q R E N SOLUÇÕES DE FINANCIAMENTO ÀS EMPRESAS Sistemas de Incentivos Q R E N TURISMO [Região NUT II Algarve] Faro 10 outubro 2012 Miguel Mendes Programa COMPETE 2007-2013 QREN Quadro de Referência Estratégico

Leia mais

AGENDA. Portugal 2020 Enquadramento Geral. Sistema de Incentivos às Empresas. Concursos

AGENDA. Portugal 2020 Enquadramento Geral. Sistema de Incentivos às Empresas. Concursos Luís Coito Turismo de Portugal, I.P. Guimarães, 10 de abril de 2015 AGENDA 1 Portugal 2020 Enquadramento Geral 2 Sistema de Incentivos às Empresas 3 Concursos 1 2020 Enquadramento Geral PORTUGAL 2020 ESTRATÉGIA

Leia mais

17 a 24 JANEIRO DE 2016 SECTOR TICE DO SECTOR TICE A Missão Empresarial ao Vietname, tem por objetivo possibilitar às empresas portuguesas do Sector TICE, o estabelecimento de contactos com empresas locais,

Leia mais

SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME (SI QUALIFICAÇÃO DE PME) VALE INOVAÇÃO

SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME (SI QUALIFICAÇÃO DE PME) VALE INOVAÇÃO AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Nº 07 / SI / 2009 SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME (SI QUALIFICAÇÃO DE PME) VALE INOVAÇÃO Nos termos do Regulamento do SI Qualificação

Leia mais

AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Nº 01 / SIALM / 2013

AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Nº 01 / SIALM / 2013 AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Nº 01 / SIALM / 2013 SISTEMA DE INCENTIVOS DE APOIO LOCAL A MICROEMPRESAS (SIALM) Nos termos do Regulamento do Sistema de Incentivos de Apoio Local a Microempresas

Leia mais

Programa Operacional de Potencial Humano EIXO PRIORITÁRIO 3 GESTÃO E APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL

Programa Operacional de Potencial Humano EIXO PRIORITÁRIO 3 GESTÃO E APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL Programa Operacional de Potencial Humano EIXO PRIORITÁRIO 3 GESTÃO E APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL TIPOLOGIA DE INTERVENÇÃO 3.1.1 PROGRAMA DE FORMAÇÃO-AÇÃO PARA PME REGULAMENTO DE CANDIDATURA PARA ENTIDADES

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 88/2013 de 29 de Julho de 2013

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 88/2013 de 29 de Julho de 2013 PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 88/2013 de 29 de Julho de 2013 O Governo dos Açores pretende implementar uma nova estratégia de desenvolvimento, tendo em vista a dinamização

Leia mais

PROCESSO DE ACREDITAÇÃO DE ENTIDADES PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PROJETO SIMPLIFICADO VALE

PROCESSO DE ACREDITAÇÃO DE ENTIDADES PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PROJETO SIMPLIFICADO VALE PROCESSO DE ACREDITAÇÃO DE ENTIDADES PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PROJETO SIMPLIFICADO VALE [As alterações agora introduzidas a este Processo de Acreditação aplicam-se aos pedidos de registo (ou de alteração)

Leia mais

Inovação empresarial e empreendedorismo. Qualificação e internacionalização das PME. Investigação e desenvolvimento tecnológico

Inovação empresarial e empreendedorismo. Qualificação e internacionalização das PME. Investigação e desenvolvimento tecnológico Mostra das empresas + Iniciativa Domínio Competitividade e Internacionalização Região Competitiva, Resiliente, Empreendedora e Sustentável com base na valorização do Conhecimento Loulé 8 Maio de 2015 Sistemas

Leia mais

Linha de Financiamento a Operações desenvolvidas por Business Angels

Linha de Financiamento a Operações desenvolvidas por Business Angels Linha de Financiamento a Operações desenvolvidas por Business Angels 18 fevereiro 2014 2 AGENDA A PME Investimentos e o FINOVA Enquadramento das Linhas de Financiamento a BA por BA Iniciativas de Promoção

Leia mais