INFORMÁTICA JURÍDICA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INFORMÁTICA JURÍDICA"

Transcrição

1 INFORMÁTICA JURÍDICA PROPRIEDADE INDUSTRIAL ON-LINE 5ª Sessão Carla de Sousa Advogada 1º Curso de Estágio

2 Código da Propriedade Industrial Enquadramento Legal - Decreto-Lei nº 318/2007 de 26/09: Alterações Legislativas ao CPI: - Decreto-Lei nº 360/2007 de 2/11, - Lei nº 16/2008 de 1/04 e, - Decreto-Lei nº 143/2008 de 25/07. Carla de Sousa Advogada 1º Curso de Estágio

3 Alterações CPI 2008 Objectivos: Facilitar e simplificar o acesso ao sistema de P.I.: Supressão de exigências Adequação das modalidades às exigências do mercado Clarificação de regimes Consagração da via electrónica Redução das taxas a ½ quando utilizada via electrónica > rapidez e > eficiência na protecção: Redução de prazos Carla de Sousa Advogada 1º Curso de Estágio

4 Suprimento de Formalidades Artigo 15º, CPI Suprime a necessidade de reconhecimento de assinaturas Artigo 18º, CPI Suprime a exigência de duplicados de documentos Artigo 16º, CPI Notificações simples de concessão publicação no BPI e envio de sms/correio electrónico informando da concessão. Carla de Sousa Advogada 1º Curso de Estágio

5 Legitimidade Artigo 10º, CPI Interessado/Titular do direito/representante do Interessado (munido de procuração para o efeito) Advogado; Solicitador; Agente oficial de propriedade industrial. Carla de Sousa Advogada 1º Curso de Estágio

6 Forma Artigo 10º-A, CPI Via electrónica A assinatura electrónica substitui e dispensa a assinatura autografa em papel; Os interessados têm que indicar correio electrónico e NIF/NIPC Carla de Sousa Advogada 1º Curso de Estágio

7 Forma Artigos 35º, 43º e 353º, CPI Via electrónica Comunicação com os tribunais: Comunicação de sentença pelo Tribunal ao INPI (acções/recursos) Envio de resposta/remessa ao Tribunal pelo INPI (processo administrativo/resposta) Comunicação oficiosa dos tribunais: Pendência das acções para averbamento nos processos; Fim das acções ou levantamento da penhora, arresto ou outras apreensões. Carla de Sousa Advogada 1º Curso de Estágio

8 Via electrónica Sítio do INPI Formatos dos Ficheiros Documentos cuja apresentação seja obrigatória - *.PDF, *.JPEG, *.JPG, *.TIFF, *.TIF CONTUDO: A apresentação de documentos autenticados só é admissível no formato *.PDF Figuras para publicação - *.JPEG, *.JPG, sob pena de não serem considerados apresentados Carla de Sousa Advogada 1º Curso de Estágio

9 Via electrónica Sítio do INPI Prioridade (11º, CPI) Se o pagamento da taxa for efectuado nos 3 dias de calendário subsequentes à data do pedido, a prioridade retroage a essa data. Carla de Sousa Advogada 1º Curso de Estágio

10 Via electrónica Sítio do INPI PAGAMENTO: Multibanco / Homebanking 3 dias de calendário sob pena de se não considerar apresentado o pedido. (Artº 347º, 2) Carla de Sousa Advogada 1º Curso de Estágio

11 MAS AFINAL O QUE É A PROPRIEDADE INDUSTRIAL? Carla de Sousa Advogada 1º Curso de Estágio

12 PROPRIEDADE INDUSTRIAL Conjunto de direitos que protegem: as criações intelectuais e, que conferem um monopólio ou uso exclusivo sobre uma invenção, uma criação estética (design) ou um sinal usado para distinguir produtos e empresas no mercado. Carla de Sousa Advogada 1º Curso de Estágio

13 PROPRIEDADE INDUSTRIAL REGISTO FACULTATIVO (aconselhável): Assegura um monopólio legal; Concede o direito de usar simbolos dissuasórios da violação (, Pat. nº...); Atribui um direito de propriedade. Carla de Sousa Advogada 1º Curso de Estágio

14 O QUE PODE SER PROTEGIDO? SINAIS (MARCAS, LOGÓTIPOS) INVENÇÕES (PATENTES, MODELOS DE UTILIDADE) DESIGN (DESENHOS OU MODELOS) Carla de Sousa Advogada 1º Curso de Estágio

15 MARCAS Carla de Sousa Advogada 1º Curso de Estágio

16 MARCA? A marca é um sinal que identifica no mercado os produtos ou serviços de uma empresa, distinguindo-os dos de outras empresas. - o registo apenas protege a marca relativamente aos produtos e aos serviços especificados no pedido de registo (ou a produtos ou serviços afins). Classificação de Nice (Baseia-se no Acordo de Nice de 1957, um tratado multilateral administrado pela OMPI, e estabelece uma classificação internacional dos produtos e serviços para o registo de marcas.) Classificação de Viena (Baseia-se no Acordo de Viena, um tratado multilateral administrado pela OMPI que entrou em vigor em 1985, e estabelece uma classificação internacional para os elementos figurativos das marcas) Carla de Sousa Advogada 1º Curso de Estágio

17 PEDIDO DE MARCA Arts 233 e 234º, CPI Se se reivindicam cores obrigatoriedade de representação gráfica a cores Obrigatoriedade de apresentação de autorização para utilização de sinal de elevado valor simbólico Obrigatoriedade de o requerente discriminar os elementos verbais contidos no sinal Carla de Sousa Advogada 1º Curso de Estágio

18 FUNDAMENTOS DE RECUSA Arts. 238º e 239º, CPI Conduz-nos às questões: O que pode ser protegido como marca? O que não pode ser protegido como marca? Carla de Sousa Advogada 1º Curso de Estágio

19 TIPOS DE MARCA? NOMINATIVAS FIGURATIVAS MISTAS SONORAS TRIDIMENSIONAIS SLOGANS COLECTIVAS Carla de Sousa Advogada 1º Curso de Estágio

20 O QUE NÃO PODE SER PROTEGIDO? - Marcas compostas exclusiva ou essencialmente: por elementos que descrevam o produto/serviços (as suas características, qualidades, proveniência geográfica, entre outros aspectos), por elementos usuais na linguagem do comércio, por determinadas formas (forma imposta pela própria natureza do produto, forma do produto necessária à obtenção de um resultado técnico ou forma que lhe confira um valor substancial) ou, por uma única cor. - Marcas que induzam em erro o consumidor; - Marcas contrárias à lei, ordem pública, moral e bons costumes; - Marcas que infrinjam direitos alheios. Carla de Sousa Advogada 1º Curso de Estágio

21 INVENÇÕES Carla de Sousa Advogada 1º Curso de Estágio

22 INVENÇÕES? Modalidades de protecção: PATENTE (PAT. Nº...) MODELO DE UTILIDADE (MUT Nº...) Carla de Sousa Advogada 1º Curso de Estágio

23 INVENÇÕES? Uma patente ou um modelo de utilidade conferem direitos exclusivos de comercialização e produção sobre determinada invenção(soluções novas para problemas técnicos específicos) Quaisquer invenções em todos os domínios da tecnologia (produtos ou processos, processos novos de obtenção de produtos, substâncias ou composições já conhecidos); MUT - não é possível proteger invenções que incidam sobre matéria biológica ou sobre substâncias ou processos químicos ou farmacêuticos Carla de Sousa Advogada 1º Curso de Estágio

24 Classificação Classificação Internacional de Patentes: Acordo de Estrasburgo de 1971 Tratado multilateral administrado pela OMPI Sistema hierárquico de classificação das patentes ou modelos de utilidade, segundo o sector tecnológico a que respeitam, dividindo-as por uma série de secções, classes e grupos. Carla de Sousa Advogada 1º Curso de Estágio

25 PEDIDO DE PAT/MUT Arts. 51º, 61º e 124º, CPI O pedido é instruído com um documento que descreve o objecto do pedido de modo a permitir a execução da invenção por qualquer pessoa competente na matéria. Este documento pode ser entregue em inglês, mas será notificado para apresentar tradução em português; Nas patentes apresenta-se logo no pedido provisório. O requerente pode pedir sucessiva ou simultaneamente a protecção da sua invenção como Patente e Modelo de Utilidade a concessão de Patente determina a caducidade do Modelo de Utilidade Carla de Sousa Advogada 1º Curso de Estágio

26 REQUISITOS DE CONCESSÃO? Art. 120º, CPI NOVIDADE ACTIVIDADE INVENTIVA SUSCEPTIBILIDADE DE APLICAÇÃO INDUSTRIAL Carla de Sousa Advogada 1º Curso de Estágio

27 REQUISITOS DE CONCESSÃO? Art. 120º, CPI Carla de Sousa Advogada 1º Curso de Estágio

28 PEDIDO PROVISÓRIO DE PATENTE? Arts 62º-A e 62º-B, CPI Nova forma de apresentar pedidos de patente + rápido, + simples e + acessível Válido por 12 meses Convertível em pedido definitivo Carla de Sousa Advogada 1º Curso de Estágio

29 PEDIDO PROVISÓRIO DE PATENTE? Arts 62º-A e 62º-B, CPI Vantagens? Fixa prioridade de forma imediata/sem exigências formais Até 12 meses para formalizar um pedido definitivo Confidencialidade da invenção (o pedido não é publicado) Permite averiguar estado da técnica Reduz investimento inicial Carla de Sousa Advogada 1º Curso de Estágio

30 PEDIDO PROVISÓRIO DE PATENTE? Arts 62º-A e 62º-B, CPI Conversão? Antes de esgotar os 12 meses, o requerente formaliza pedido definitivo Paga taxa, deduzindo a taxa já paga Segue os trâmites para concessão de patente E se não converter pedido? Perde benefícios = desistência do pedido Carla de Sousa Advogada 1º Curso de Estágio

31 Carla de Sousa Advogada 1º Curso de Estágio

32 PEDIDO PROVISÓRIO DE PATENTE? Arts 62º-A e 62º-B, CPI Riscos? Nalguns países não é reivindicável a prioridade através de um pedido provisório O prazo de 20 anos da eventual concessão de patente inicia-se com o pedido provisório Não produz efeito útil se o pedido for demasiado simplificado Se for restrito limita a própria patente (o pedido definitivo não deve conter elementos que não constem do pedido provisório) Carla de Sousa Advogada 1º Curso de Estágio

33 O QUE NÃO PODE SER PROTEGIDO COMO PAT/MUT? - Descobertas, teorias científicas, cálculos matemáticos; - Materiais/substâncias já existentes na natureza e matérias nucleares; - Criações estéticas; - Programas de computador, sem qualquer contributo - Invenções cuja exploração comercial seja contrária à lei, ordem pública, moral e bons costumes... Carla de Sousa Advogada 1º Curso de Estágio

34 DESENHO / MODELO Carla de Sousa Advogada 1º Curso de Estágio

35 PEDIDO Art. 185º, CPI Descrição na sequência de notificação do INPI ou voluntariamente pelo requerente não deve exceder 50 palavras por produto Publicação a cores Carla de Sousa Advogada 1º Curso de Estágio

36 CLASSIFICAÇÃO CLASSIFICAÇÃO DE LOCARNO Acordo de Locarno de 1968 Tratado multilateral administrado pela OMPI Estabelece uma classificação internacional dos desenhos ou modelos Carla de Sousa Advogada 1º Curso de Estágio

37 O QUE PODE SER PROTEGIDO COMO DESENHO/MODELO? Requisitos: Novidade O desenho/modelo é novo quando antes do pedido nenhum desenho/modelo idêntico foi divulgado ao público. Carácter Singular Não pode ser confundível Carla de Sousa Advogada 1º Curso de Estágio

38 EXAME FORMAL Art. 188º, CPI Requisitos Formais: Arts. 173º, 174º, 180º, nº 3 e 5, 184º a 187º, CPI Oficioso: Proibições - artº 197º, nº 1 a 3 O exame dos requisitos novidade e carácter singular só é realizado se houver oposição de outro interessado Carla de Sousa Advogada 1º Curso de Estágio

39 FUNDAMENTOS DE RECUSA Art. 197º, CPI Nºs 1 a 3 de conhecimento oficioso aquando do exame formal Nºs 2 e 4 só são apreciados se invocados em sede de oposição Carla de Sousa Advogada 1º Curso de Estágio

40 O QUE NÃO PODE SER PROTEGIDO COMO DESENHO/MODELO? Programas de computador; Produtos ditados exclusivamente pela sua função técnica; Produtos de interconexões; Produtos com um design contrário à ordem pública ou aos bons costumes; Design que não respeite as condições de protecção, que são a novidade e o carácter singular. Carla de Sousa Advogada 1º Curso de Estágio

41 ONDE PROTEGER? Carla de Sousa Advogada 1º Curso de Estágio

42 ONDE PODE SER PROTEGIDO? Os direitos de propriedade industrial (as marcas, as patentes, os desenhos ou modelos, entre outros) são direitos territoriais, sendo o exclusivo apenas garantido no país que lhes conferiu protecção; Contudo, existem vias de protecção extra fronteiras, caso o interesse estratégico do interessado seja, por exemplo, a exportação. Carla de Sousa Advogada 1º Curso de Estágio

43 ONDE PODE SER PROTEGIDO? Registos INPI: Nacional Via Comunitária (IHMI, OAMI - 27 países UE) Via Internacional (OMPI, IEP países membros da União de Madrid) Registo directo no(s) país(es) pretendido Carla de Sousa Advogada 1º Curso de Estágio

44 Serviços Disponíveis on-line Pesquisa on-line de direitos de propriedade industrial Registos on-line: Marcas/Logótipos Patentes/Modelos de Utilidade Desenhos/Modelos Carla de Sousa Advogada 1º Curso de Estágio

ões Instituto Nacional da Propriedade Industrial Departamento de Patentes e Modelos de Utilidade

ões Instituto Nacional da Propriedade Industrial Departamento de Patentes e Modelos de Utilidade A A protecção das invenções ões Instituto Nacional da Propriedade Industrial Departamento de Patentes e Modelos de Utilidade 1 A protecção das invenções Sumário rio: 1. Modalidades de protecção 2. O que

Leia mais

Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI)

Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) Apresentado por: Ana Bandeira Chefe Departamento Patentes e Modelos Utilidade Alterações nos Direitos de Incidência Tecnológica Decreto-Lei n.º 143/2008,

Leia mais

Protecção das Invenções: Patentes e Modelos de Utilidade

Protecção das Invenções: Patentes e Modelos de Utilidade Protecção das Invenções: Patentes e Modelos de Utilidade As invenções são soluções novas para problemas técnicos específicos que, se cumprirem os requisitos de concessão, podem ser protegidos direitos

Leia mais

Este guia é dirigido a todos os que pretendem internacionalizar a sua actividade e exportar os seus produtos ou serviços.

Este guia é dirigido a todos os que pretendem internacionalizar a sua actividade e exportar os seus produtos ou serviços. Este guia é dirigido a todos os que pretendem internacionalizar a sua actividade e exportar os seus produtos ou serviços. Se está nestas condições, leia atentamente este guia. Através deste guia ficará

Leia mais

Bolsa do Empreendedorismo Dia da Europa. PROPRIEDADE INDUSTRIAL O que é? Para que serve? Teresa Colaço

Bolsa do Empreendedorismo Dia da Europa. PROPRIEDADE INDUSTRIAL O que é? Para que serve? Teresa Colaço Bolsa do Empreendedorismo Dia da Europa PROPRIEDADE INDUSTRIAL O que é? Para que serve? Teresa Colaço Departamento de Informação e Promoção da Inovação Lisboa 9 Maio 2012 O que é a Propriedade Industrial?

Leia mais

PPP. Curso Geral de PI. PEDIDO PROVISÓRIO DE PATENTE Vanessa Fatal Examinadora patentes. Universidade de Évora 12.10.2010

PPP. Curso Geral de PI. PEDIDO PROVISÓRIO DE PATENTE Vanessa Fatal Examinadora patentes. Universidade de Évora 12.10.2010 Curso Geral de PI PPP PEDIDO PROVISÓRIO DE PATENTE Vanessa Fatal Examinadora patentes Universidade de Évora 12.10.2010 AGENDA I. Definição de PPP II. Necessidades a que o PPP responde III. Vantagens dos

Leia mais

Os direitos da propriedade industrial adquirem-se mediante o seu registo.

Os direitos da propriedade industrial adquirem-se mediante o seu registo. 1. Registo Os direitos da propriedade industrial adquirem-se mediante o seu registo. O registo das modalidades da Propriedade Industrial, compete a todos operadores das actividades económicas que nisso

Leia mais

DIREITOS DE PROPRIEDADE INDUSTRIAL

DIREITOS DE PROPRIEDADE INDUSTRIAL DIREITOS DE PROPRIEDADE INDUSTRIAL Noções e Procedimentos Natércia Pereira GAPI -UALG 2011 1 O que éo GAPI? É uma pequena unidade operacional, vocacionada para prestar esclarecimentos e auxiliar na instrução

Leia mais

PROPRIEDADE INTELECTUAL

PROPRIEDADE INTELECTUAL PROPRIEDADE INTELECTUAL Importância e Modos de Proteção Vasco Dias, Consultor e Advogado Contexto Empreendedorismo de Base Tecnológica Análise e gestão do risco Actividades de Vigilância Tecnológica Business

Leia mais

CURSO DE EMPREENDEDORISMO E VALORIZAÇÃO DA INVESTIGAÇÃO

CURSO DE EMPREENDEDORISMO E VALORIZAÇÃO DA INVESTIGAÇÃO c E v I CURSO DE EMPREENDEDORISMO E VALORIZAÇÃO DA INVESTIGAÇÃO MÓDULO: Ideia Empresarial/Protecção da Ideia José Paulo Rainho Coordenador do UAtec Universidade de Aveiro Curso de Empreendedorismo e Valorização

Leia mais

Seminário OEP/INPI. Marcas Suas características e importância para o comércio

Seminário OEP/INPI. Marcas Suas características e importância para o comércio Seminário OEP/INPI Apresentado por José Maria Maurício Director de Marcas e Patentes Marcas Suas características e importância para o comércio Em cooperação com: Bissau, 22 de Dezembro de 2006 1 Marca

Leia mais

Innovation at your service

Innovation at your service Innovation at your service TecMinho Interface da Universidade do Minho Azurém Campus - Guimarães Gualtar Campus - Braga A rede GAPI: Gabinetes de Apoio à Promoção da Propriedade Industrial O que são os

Leia mais

PATENTES E MODELOS DE UTILIDADE

PATENTES E MODELOS DE UTILIDADE PATENTES E MODELOS DE UTILIDADE Existem mentes privilegiadas, capazes de inventar produtos ou processos que em muito têm contribuído para o progresso da humanidade. Falamos, por exemplo de um medicamento,

Leia mais

Figurativa: aquela constituída por desenho, figura ou qualquer forma estilizada de letra e número, isoladamente.

Figurativa: aquela constituída por desenho, figura ou qualquer forma estilizada de letra e número, isoladamente. MARCA O que é marca? É um sinal visualmente perceptível, usado para identificar e distinguir certos bens e serviços produzidos ou procedentes de uma específica pessoa ou empresa. As marcas podem ser: Nominativa:

Leia mais

PROCEDIMENTOS DO REGISTO DA MARCA EM MOÇAMBIQUE.

PROCEDIMENTOS DO REGISTO DA MARCA EM MOÇAMBIQUE. PROCEDIMENTOS DO REGISTO DA MARCA EM MOÇAMBIQUE. Os procedimentos do registo da marca encontram-se dispostos no Código da Propriedade Industrial adiante (CPI), artigos 110 à 135; o registo é igualmente

Leia mais

Este guia é dirigido a todos os que pretendem internacionalizar a sua actividade e exportar os seus produtos ou serviços.

Este guia é dirigido a todos os que pretendem internacionalizar a sua actividade e exportar os seus produtos ou serviços. Este guia é dirigido a todos os que pretendem internacionalizar a sua actividade e exportar os seus produtos ou serviços. Se está nestas condições, leia atentamente este guia. Através deste guia ficará

Leia mais

Patentes Conceitos Básicos

Patentes Conceitos Básicos Patentes Conceitos Básicos O que é patente O que é patenteável O que não é patenteável Como é um documento de patente Como definir o escopo de proteção Como é o processo de patenteamento 2014 www.axonal.com.br

Leia mais

PATENTES E SUAS ETAPAS. Antes de efetuado um depósito, recomendamos exame E BUSCA preliminar, para verificar se o pedido está de acordo com as normas.

PATENTES E SUAS ETAPAS. Antes de efetuado um depósito, recomendamos exame E BUSCA preliminar, para verificar se o pedido está de acordo com as normas. PATENTES E SUAS ETAPAS Antes de efetuado um depósito, recomendamos exame E BUSCA preliminar, para verificar se o pedido está de acordo com as normas. A busca de anterioridade não é obrigatória, mas é altamente

Leia mais

Câmara Portuguesa de Comércio no Brasil - São Paulo

Câmara Portuguesa de Comércio no Brasil - São Paulo PROCEDIMENTOS GERAIS PARA O REGISTO DE EMPRESAS EM PORTUGAL As sociedades estrangeiras podem praticar as suas actividades em Portugal através da constituição de uma representação permanente no território

Leia mais

NovasRegras de Registo de Nomes de Domínio.PT principais alterações

NovasRegras de Registo de Nomes de Domínio.PT principais alterações AGENDA: Novas Regras de registo de nomes de domínio.pt, principais alterações; Nova tabela de preços e novas condições comerciais para os Registrars; Campanha de divulgação; Questões Flexibilização no

Leia mais

Notas sobre o formulário de pedido de inspecção de processo 1

Notas sobre o formulário de pedido de inspecção de processo 1 INSTITUTO DE HARMONIZAÇÃO NO MERCADO INTERNO (IHMI) Marcas, Desenhos e Modelos Notas sobre o formulário de pedido de inspecção de processo 1 1. Observações gerais 1.1 Utilização do formulário O formulário

Leia mais

directamente o estabelecimento e o funcionamento do mercado interno; Considerando que é pois necessário criar um certificado complementar de

directamente o estabelecimento e o funcionamento do mercado interno; Considerando que é pois necessário criar um certificado complementar de Regulamento (CEE) nº 1768/92 do Conselho, de 18 de Junho de 1992, relativo à criação de um certificado complementar de protecção para os medicamentos Jornal Oficial nº L 182 de 02/07/1992 p. 0001-0005

Leia mais

A protecção do Capital Intelectual

A protecção do Capital Intelectual Caso específico de Patentes A protecção do Capital Intelectual 7 Concurso poliempreende projectos de vocação empresarial Formação AUDAX/Poliempreende ed. 2009 Lisboa, 7 de Novembro de 2009 goncalo.amorim@iscte.pt

Leia mais

PROTECÇÃO DAS MARCAS, PARA DEFESA DAS EMPRESAS ÍNDICE. Introdução. Terminologia e informações úteis

PROTECÇÃO DAS MARCAS, PARA DEFESA DAS EMPRESAS ÍNDICE. Introdução. Terminologia e informações úteis ÍNDICE Introdução Terminologia e informações úteis Recomendações para ajudar a prevenir a prática de actos ilegais Contactos úteis Diplomas legais mais relevantes 1/7 Introdução A protecção da propriedade

Leia mais

Código da Propriedade Industrial

Código da Propriedade Industrial Código da Propriedade Industrial 2008 INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL Edição: Instituto Nacional da Propriedade Industrial Abril 2009 2.ª Edição Tiragem: 1000 exemplares ISBN: 978-989-8084-01-9

Leia mais

POUPAR NOS REGISTOS DO AUTOMÓVEL DA EMPRESA

POUPAR NOS REGISTOS DO AUTOMÓVEL DA EMPRESA POUPAR NOS REGISTOS DO AUTOMÓVEL DA EMPRESA 1) Registar o novo proprietário de um automóvel através da Internet, em www.automovelonline.mj.pt, com 50% de desconto O Automóvel On-Line permite solicitar

Leia mais

Novas medidas de simplificação na Propriedade Industrial

Novas medidas de simplificação na Propriedade Industrial José Maria Maurício Director de Marcas e Patentes Novas medidas de simplificação na Propriedade Industrial Lisboa, 19 de Novembro de 2008 Novas medidas de simplificação na Propriedade Industrial A partir

Leia mais

Por outro lado, estabelece ainda o referido preceito a susceptibilidade da Norma Regulamentar emitida se aplicar igualmente aos mediadores de seguros.

Por outro lado, estabelece ainda o referido preceito a susceptibilidade da Norma Regulamentar emitida se aplicar igualmente aos mediadores de seguros. Não dispensa a consulta da Norma Regulamentar publicada em Diário da República NORMA REGULAMENTAR N.º 03/2010-R, DE 18 DE MARÇO DE 2010 Publicidade Pelo Decreto-Lei n.º 8-A/2002, de 11 de Janeiro, foram

Leia mais

Semana Aberta da Propriedade Industrial na Universidade de Aveiro

Semana Aberta da Propriedade Industrial na Universidade de Aveiro A UATEC Unidade de Transferência de Tecnologia da, através do GAPI Gabinete de Apoio à Promoção da Propriedade Industrial, e em parceria com o INPI Instituto Nacional da Propriedade Industrial promovem

Leia mais

INFORMÁTICA JURÍDICA

INFORMÁTICA JURÍDICA INFORMÁTICA JURÍDICA REGISTO AUTOMÓVEL ON-LINE 6ª Sessão Carla de Sousa Advogada 1º Curso de Estágio 2011 1 Enquadramento Legal Código de Registo Automóvel, alterado pelos: Regulamento do Registo Automóvel

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DO CURSO BÁSICO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL PARA GESTORES DE TECNOLOGIA 13 a 17 de abril de 2009 São João Del-Rei- MG

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DO CURSO BÁSICO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL PARA GESTORES DE TECNOLOGIA 13 a 17 de abril de 2009 São João Del-Rei- MG CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DO CURSO BÁSICO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL PARA GESTORES DE TECNOLOGIA 13 a 17 de abril de 2009 São João Del-Rei- MG OBJETIVO: Apresentar uma visão atualizada dos mecanismos de proteção

Leia mais

Reforma do Registo Predial Decreto-Lei n.º 116/2008, de 4 de Julho

Reforma do Registo Predial Decreto-Lei n.º 116/2008, de 4 de Julho Reforma do Decreto-Lei n.º 116/2008, de 4 de Julho Paula Isabel Galhardas Reforma do Abolição da competência territorial Registo predial obrigatório Eliminação da necessidade de apresentação junto dos

Leia mais

QUINTO PROTOCOLO AO ACORDO GERAL SOBRE O COMÉRCIO DE SERVIÇOS

QUINTO PROTOCOLO AO ACORDO GERAL SOBRE O COMÉRCIO DE SERVIÇOS Decreto n.º 4/99 Quinto Protocolo ao Acordo Geral sobre o Comércio de Serviços e as alterações à Lista de Compromissos Específicos das Comunidades Europeias e seus Estados membros em matéria de serviços,

Leia mais

CARGA HORÁRIA: 40 horas QUADRO DE HORÁRIOS. Segunda 05/04. Terça 06/04. Quarta 07/04. Quinta 08/04. Sexta 09/04. Horário.

CARGA HORÁRIA: 40 horas QUADRO DE HORÁRIOS. Segunda 05/04. Terça 06/04. Quarta 07/04. Quinta 08/04. Sexta 09/04. Horário. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DO CURSO BÁSICO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL PARA GESTORES DE TECNOLOGIA 05 a 09 de abril de 2010 Centro de Treinamento do INPI- Praça Mauá, 07/ 10 o andar, RJ Informações: cursos@inpi.gov.br

Leia mais

O PROGRAMA QUALIFICAÇÃO EMPREGO (Portaria Nº 126/2009, de 30 de Janeiro)

O PROGRAMA QUALIFICAÇÃO EMPREGO (Portaria Nº 126/2009, de 30 de Janeiro) 17/02/2009 LABORAL FLASH N.º 2/2009 O PROGRAMA QUALIFICAÇÃO EMPREGO (Portaria Nº 126/2009, de 30 de Janeiro) A Portaria nº 126/2009, de 30 de Janeiro cria o Programa Qualificação Emprego (adiante só Programa)

Leia mais

DECRETO-LEI Nº 122/2000, DE 4 DE JULHO

DECRETO-LEI Nº 122/2000, DE 4 DE JULHO DECRETO-LEI Nº 122/2000, DE 4 DE JULHO O presente diploma transpõe para a ordem jurídica interna a directiva do Parlamento Europeu e do Conselho nº 96/9/CE, de 11 de Março, relativa à protecção jurídica

Leia mais

Empreendedorismo de Base Tecnológica

Empreendedorismo de Base Tecnológica Instituto Superior Técnico Licenciatura em Engenharia Informática e de Computadores (LEIC) Alameda 2005-2006 1º Semestre Empreendedorismo de Base Tecnológica Rui Baptista http://in3.dem.ist.utl.pt/pp/rbaptista/0506ebt/

Leia mais

Patentes na Indústria Farmacêutica

Patentes na Indústria Farmacêutica Patentes na Indústria Farmacêutica 1. PATENTES 2. O MERCADO FARMACÊUTICO 3. COMPETIVIDADE DO SETOR 4. A IMPORTÂNCIA DAS PATENTES NO MERCADO FARMACÊUTICO PATENTES PATENTES Definiçã ção o ( LEI 9.279 DE

Leia mais

1. Inovação; 2. A Inovação como factor crítico de sucesso; 3. Criatividade vs. Inovação vs. Invenção; 4. Propriedade Industrial;

1. Inovação; 2. A Inovação como factor crítico de sucesso; 3. Criatividade vs. Inovação vs. Invenção; 4. Propriedade Industrial; A proteção dos direitos de Propriedade Industrial Tiago Leitão Examinador de Patentes Proteção de Invenções por Patente e Modelo de Utilidade INPI 10.Abril.2014 AGENDA 1. Inovação; 2. A Inovação como factor

Leia mais

COMO PROTEGER SUA INVENÇÃO NO BRASIL UTILIZANDO AS PATENTES

COMO PROTEGER SUA INVENÇÃO NO BRASIL UTILIZANDO AS PATENTES COMO PROTEGER SUA INVENÇÃO NO BRASIL UTILIZANDO AS PATENTES Dr Rockfeller Maciel Peçanha Conselheiro e Diretor do CREA-RJ Esta apresentação é de responsabilidade do autor não refletindo necessariamente

Leia mais

Propriedade Intelectual e Patentes

Propriedade Intelectual e Patentes Propriedade Intelectual e Patentes Ernani Souza Jr. Redator de Patentes NUPITEC - CDT/UnB Patentes http://www.forbes.com/sites/timworstall/2013/02/10/apples-winning-the-samsung-patent-battles-and-losing-the-war/

Leia mais

INPI - Instituto Nacional da Propriedade Industrial

INPI - Instituto Nacional da Propriedade Industrial INPI - Instituto Nacional da Propriedade Industrial Apresentado por 1. Direitos de Propriedade Industrial - Modalidades João Amaral Examinador de Marcas Marcas Como consegui-las? Estrutura da Apresentação

Leia mais

Notas sobre o formulário de pedido de registo de marca comunitária

Notas sobre o formulário de pedido de registo de marca comunitária INSTITUTO DE HARMONIZAÇÃO NO MERCADO INTERNO (IHMI) Marcas, desenhos e modelos Notas sobre o formulário de pedido de registo de marca comunitária Observações gerais 1.1 Utilização do formulário Este formulário

Leia mais

Este guia é dirigido a todos os que pretendem internacionalizar a sua actividade e exportar os seus produtos ou serviços.

Este guia é dirigido a todos os que pretendem internacionalizar a sua actividade e exportar os seus produtos ou serviços. Este guia é dirigido a todos os que pretendem internacionalizar a sua actividade e exportar os seus produtos ou serviços. Se está nestas condições, leia atentamente este guia. Através deste guia ficará

Leia mais

Aplicação em concurso

Aplicação em concurso Marcelle Franco Espíndola Barros (TRF-3 2011 CESPE objetiva) André, Bruno e César realizaram uma mesma invenção, respectivamente, nos meses de janeiro, fevereiro e março de 2011. As invenções foram depositadas

Leia mais

Associação na Hora. Empresa na Hora. Empresa Online. Registos Online

Associação na Hora. Empresa na Hora. Empresa Online. Registos Online Empresa na Hora Associação na Hora Empresa Online Registos Online Desde 14 de Julho de 2005 que é possível a constituição de sociedades por quotas, unipessoais por quotas e anónimas num único balcão e

Leia mais

PROPRIEDADE INDUSTRIAL. Investigue, invente, inove, mas proteja! Investigue, invente, inove, mas proteja!

PROPRIEDADE INDUSTRIAL. Investigue, invente, inove, mas proteja! Investigue, invente, inove, mas proteja! PROPRIEDADE INDUSTRIAL Investigue, invente, inove, mas proteja! Apresentado por: Dina Pereira PROPRIEDADE INDUSTRIAL Investigue, invente, inove, mas proteja! Estrutura da Apresentação Direito de Autor

Leia mais

internacionalizar temáticas de comércio internacional Protecção de Marcas e Desenhos ou Modelos

internacionalizar temáticas de comércio internacional Protecção de Marcas e Desenhos ou Modelos internacionalizar temáticas de comércio internacional Protecção de Marcas e Desenhos ou Modelos Abril de 2012 Índice 1. Propriedade Industrial 3 2. A Marca 4 Conceito de Marca 4 Protecção da Marca 5 Registo

Leia mais

Inovação da Ideia ao Mercado

Inovação da Ideia ao Mercado Inovação da Ideia ao Mercado Como proteger minha Inovação 26.05.2015 AHK-SP Henrique Steuer I. de Mello henrique@dannemann.com.br dannemann.com.br 2013 2013 Dannemann Dannemann Siemsen. Siemsen. Todos

Leia mais

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DE CORREIO ELECTRÓNICO DOS SOLICITADORES

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DE CORREIO ELECTRÓNICO DOS SOLICITADORES REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DE CORREIO ELECTRÓNICO DOS SOLICITADORES * Aprovado em assembleia-geral de 1/7/2003 Nos termos do al f) do n.º 1 do art.º 30.º, do n.º 6 do art.º 33.º e da alínea j) do art.º

Leia mais

Gestão da Empresa Online

Gestão da Empresa Online Gestão da Empresa Online 1. O que é uma Certidão Permanente? É o acesso, através da Internet, em tempo real e em qualquer momento, a todos os registos de uma entidade registada em conservatória do registo

Leia mais

SISTEMA DE CERTIFICAÇÃO DE ENTIDADES FORMADORAS ASPECTOS PRINCIPAIS DA MUDANÇA

SISTEMA DE CERTIFICAÇÃO DE ENTIDADES FORMADORAS ASPECTOS PRINCIPAIS DA MUDANÇA SISTEMA DE CERTIFICAÇÃO DE ENTIDADES FORMADORAS ASPECTOS PRINCIPAIS DA MUDANÇA O Sistema de Certificação de Entidades Formadoras, consagrado na Resolução do Conselho de Ministros nº 173/2007, que aprova

Leia mais

Disponibiliza em suporte electrónico actualizado e em tempo real

Disponibiliza em suporte electrónico actualizado e em tempo real Artº.75, nº5 do DL nº76a/2006, de 29/03 e Portaria nº.1416a/2006, de 19/12 Disponibiliza em suporte electrónico actualizado e em tempo real Os registos em vigor respeitantes a qualquer entidade sujeita

Leia mais

O Acordo de Madrid relativo ao Registro. Internacional de Marcas e o Protocolo. referente a este Acordo: Objetivos,

O Acordo de Madrid relativo ao Registro. Internacional de Marcas e o Protocolo. referente a este Acordo: Objetivos, O Acordo de Madrid relativo ao Registro Internacional de Marcas e o Protocolo referente a este Acordo: Objetivos, Principais Características, Vantagens Publicação OMPI N 418 (P) ISBN 92-805-1313-7 2 Índice

Leia mais

PROJECTO DE RESOLUÇÃO N.º 254/IX CONTRA AS PATENTES DE SOFTWARE NA UNIÃO EUROPEIA EM DEFESA DO DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO

PROJECTO DE RESOLUÇÃO N.º 254/IX CONTRA AS PATENTES DE SOFTWARE NA UNIÃO EUROPEIA EM DEFESA DO DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO PROJECTO DE RESOLUÇÃO N.º 254/IX CONTRA AS PATENTES DE SOFTWARE NA UNIÃO EUROPEIA EM DEFESA DO DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO 1 Está actualmente em curso na União Europeia o procedimento de co-decisão

Leia mais

It is better to fail in originality than to succeed in imitation. Herman Melville (1819-1891)

It is better to fail in originality than to succeed in imitation. Herman Melville (1819-1891) It is better to fail in originality than to succeed in imitation. Herman Melville (1819-1891) Imaginação Imagine uma equipa de especialistas que partilha a sua paixão por aquilo que faz, que compreende

Leia mais

M1 DIRECTIVA DO CONSELHO de 10 de Setembro de 1984 relativa à publicidade enganosa e comparativa. (JO L 250 de 19.9.1984, p. 17)

M1 DIRECTIVA DO CONSELHO de 10 de Setembro de 1984 relativa à publicidade enganosa e comparativa. (JO L 250 de 19.9.1984, p. 17) 1984L0450 PT 12.06.2005 002.001 1 Este documento constitui um instrumento de documentação e não vincula as instituições B M1 DIRECTIVA DO CONSELHO de 10 de Setembro de 1984 relativa à publicidade enganosa

Leia mais

17. Quais os documentos que devem ser submetidos com o pedido de registo de compra e. Venda com reserva de propriedade?...8

17. Quais os documentos que devem ser submetidos com o pedido de registo de compra e. Venda com reserva de propriedade?...8 Perguntas Frequentes Advertência: O IRN disponibiliza conteúdos com carácter informativo e geral, sobre o pedido de registo Automóvel Online. Esta informação não substitui o atendimento técnico e qualificado

Leia mais

Nomes de domínio: conceito

Nomes de domínio: conceito Nomes de domínio: conceito! nome indicativo de um sítio na Internet onde um website pode ser acedido! combinação única de letras ou nomes perceptíveis à linguagem humana 1 Nomes de domínio: a base técnica!

Leia mais

Área Temática Unidades de Micro-Produção de Electricidade. A) Constituição Formal da Empresa. 1.Empresário em Nome Individual.

Área Temática Unidades de Micro-Produção de Electricidade. A) Constituição Formal da Empresa. 1.Empresário em Nome Individual. Área Temática Unidades de Micro-Produção de Electricidade A) Constituição Formal da Empresa 1.Empresário em Nome Individual Procedimentos: 1.º Passo Pedido de Certificado de Admissibilidade de Firma ou

Leia mais

Este guia é dirigido a todos os que pretendem internacionalizar a sua actividade e exportar os seus produtos ou serviços.

Este guia é dirigido a todos os que pretendem internacionalizar a sua actividade e exportar os seus produtos ou serviços. Este guia é dirigido a todos os que pretendem internacionalizar a sua actividade e exportar os seus produtos ou serviços. Se está nestas condições, leia atentamente este guia. Através deste guia ficará

Leia mais

ACORDO ENTRE A REPÚBLICA PORTUGUESA E BELIZE SOBRE TROCA DE INFORMAÇÕES EM MATÉRIA FISCAL

ACORDO ENTRE A REPÚBLICA PORTUGUESA E BELIZE SOBRE TROCA DE INFORMAÇÕES EM MATÉRIA FISCAL ACORDO ENTRE A REPÚBLICA PORTUGUESA E BELIZE SOBRE TROCA DE INFORMAÇÕES EM MATÉRIA FISCAL A República Portuguesa e Belize a seguir designadas por as Partes, Desejando facilitar a troca de informações em

Leia mais

StartMeUp - Powered by U.S. Embassy Portugal Prémio Nacional de Empreendedorismo 2012 (STARTMEUP) Regulamento do Prémio

StartMeUp - Powered by U.S. Embassy Portugal Prémio Nacional de Empreendedorismo 2012 (STARTMEUP) Regulamento do Prémio StartMeUp - Powered by U.S. Embassy Portugal Prémio Nacional de Empreendedorismo 2012 (STARTMEUP) Regulamento do Prémio Artigo 1.º Organização e objectivos 1. O Prémio STARTMEUP é uma iniciativa organizada

Leia mais

Ficha Técnica. Título Autor/Editor. Local e Data de Edição Design Gráfico Tiragem ISBN Depósito Legal

Ficha Técnica. Título Autor/Editor. Local e Data de Edição Design Gráfico Tiragem ISBN Depósito Legal Ficha Técnica Título Autor/Editor Local e Data de Edição Design Gráfico Tiragem ISBN Depósito Legal Proteger as Invenções PATENTES E MODELOS DE UTILIDADE: Guia do Requerente Instituto Nacional da Propriedade

Leia mais

REGISTO DE MARCA NA CHINA CONTINENTAL

REGISTO DE MARCA NA CHINA CONTINENTAL TMT N.º 4/2009 MAIO/JUNHO 2009 REGISTO DE MARCA NA CHINA CONTINENTAL A proteção de propriedade industrial foi caracterizada como a maior preocupação dos investidores estrangeiros no mercado chinês, sendo

Leia mais

ORIENTAÇÃO DE GESTÃO N.º 1/2010

ORIENTAÇÃO DE GESTÃO N.º 1/2010 ORIENTAÇÃO DE GESTÃO N.º 1/2010 APROVADA POR DELIBERAÇÃO DA COMISSÃO DIRECTIVA DE 19-03-2010 Altera o nº 4 da Orientação de Gestão nº 7/2008 e cria o ANEXO III a preencher pelos Beneficiários para registo

Leia mais

CÓDIGO PROPRIEDADE INDUSTRIAL. Instituto Nacional da Propriedade Industrial

CÓDIGO PROPRIEDADE INDUSTRIAL. Instituto Nacional da Propriedade Industrial CÓDIGO DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL Instituto Nacional da Propriedade Industrial 4 ÍNDICE 5 ÍNDICE Decreto-Lei n.º36/2003, de 5 de Março Artigo 1.º Aprovação... 29 Artigo 2.º Âmbito de aplicação... 29 Artigo

Leia mais

REGULAMENTO DO CURSO DE PREPARAÇÃO PARA REVISORES OFICIAIS DE CONTAS

REGULAMENTO DO CURSO DE PREPARAÇÃO PARA REVISORES OFICIAIS DE CONTAS REGULAMENTO DO CURSO DE PREPARAÇÃO PARA REVISORES OFICIAIS DE CONTAS PREÂMBULO Na sequência da transposição para o ordenamento jurídico nacional da Directiva n.º 2006/43/CE, do Parlamento Europeu e do

Leia mais

PROPOSTA DE LEI N.º 101/VIII AUTORIZA O GOVERNO A LEGISLAR EM MATÉRIA DE PROPRIEDADE INDUSTRIAL. Exposição de motivos

PROPOSTA DE LEI N.º 101/VIII AUTORIZA O GOVERNO A LEGISLAR EM MATÉRIA DE PROPRIEDADE INDUSTRIAL. Exposição de motivos PROPOSTA DE LEI N.º 101/VIII AUTORIZA O GOVERNO A LEGISLAR EM MATÉRIA DE PROPRIEDADE INDUSTRIAL Exposição de motivos Os sinais de uma nova economia, assentes em processos de globalização e de virtualização

Leia mais

PROPRIEDADE INDUSTRIAL - IV. 1. História e conceito do Direito Industrial:

PROPRIEDADE INDUSTRIAL - IV. 1. História e conceito do Direito Industrial: PROPRIEDADE INDUSTRIAL - IV 1. História e conceito do Direito Industrial: - Como referência ao direito industrial encontramos o uso da expressão marca e patente. Este ramo do direito teve início na Inglaterra

Leia mais

O CITIUS é uma ferramenta mais avançada do que a antiga aplicação Habilus.net, permitindo um conjunto de novas funcionalidades.

O CITIUS é uma ferramenta mais avançada do que a antiga aplicação Habilus.net, permitindo um conjunto de novas funcionalidades. Projecto CITIUS CITIUS (do latim mais rápido, mais célere) é o projecto de desmaterialização dos processos nos tribunais judiciais desenvolvido pelo Ministério da Justiça. Englobando aplicações informáticas

Leia mais

REGULAMENTO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL DA UNIVERSIDADE FERNANDO PESSOA. Preâmbulo

REGULAMENTO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL DA UNIVERSIDADE FERNANDO PESSOA. Preâmbulo REGULAMENTO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL DA UNIVERSIDADE FERNANDO PESSOA Preâmbulo Tendo em conta que a UFP: É titulada pela Fundação Ensino e Cultura Fernando Pessoa, sua entidade Instituidora e a quem

Leia mais

AVISO LEGAL CONDIÇÕES DE ACESSO AO PORTAL

AVISO LEGAL CONDIÇÕES DE ACESSO AO PORTAL AVISO LEGAL Tendo por objetivo cumprir o que está disposto na Lei 34/2002, de 11 de julho, sobre os serviços da sociedade de informação e de comércio eletrónico, a SAN PATRICK, S.L.U. coloca à sua disposição

Leia mais

ANEXO. TABELA DE RETRIBUIÇÕES DOS SERVIÇOS PRESTADOS PELO INPI (valores em Reais)

ANEXO. TABELA DE RETRIBUIÇÕES DOS SERVIÇOS PRESTADOS PELO INPI (valores em Reais) ANEXO TABELA DE RETRIBUIÇÕES DOS SERVIÇOS PRESTADOS PELO INPI (valores em Reais) Código 200 201 Descrição do serviço Pedido nacional de invenção; Pedido nacional de modelo de utilidade; Pedido nacional

Leia mais

PROPRIEDADE INTELECTUAL O Que é? Para Que Serve? Eduardo Winter Coordenador de Programas de Pós- Graduação e Pesquisa INPI

PROPRIEDADE INTELECTUAL O Que é? Para Que Serve? Eduardo Winter Coordenador de Programas de Pós- Graduação e Pesquisa INPI PROPRIEDADE INTELECTUAL O Que é? Para Que Serve? Eduardo Winter Coordenador de Programas de Pós- Graduação e Pesquisa INPI Abril / 2011 Propriedade Intelectual É o conjunto de direitos que incidem sobre

Leia mais

REGISTO COMERCIAL. Isabel Quinteiro. Adjunta da Conservadora na Conservatória do Registo Predial e Comercial de Montemor-o-Velho

REGISTO COMERCIAL. Isabel Quinteiro. Adjunta da Conservadora na Conservatória do Registo Predial e Comercial de Montemor-o-Velho REGISTO COMERCIAL Isabel Quinteiro Adjunta da Conservadora na Conservatória do Registo Predial e Comercial de Montemor-o-Velho Outubro de 2010 Introdução IRN, IP É um instituto público integrado na administração

Leia mais

AVISO N.º 10/2013 de 9 de Julho

AVISO N.º 10/2013 de 9 de Julho Publicado em DR I.ª Série n.º 129 de 9 de Julho AVISO N.º 10/2013 de 9 de Julho ASSUNTO: AQUISIÇÃO OU AUMENTO DE PARTICIPAÇÕES QUALIFICADAS DAS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS Havendo a necessidade de se adequar

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA Diário da República, 1.ª série N.º 143 25 de Julho de 2008 4651 Artigo 18.º Integração de lacunas Em caso de dúvida, a interpretação do disposto no presente Regulamento, bem como a integração de eventuais

Leia mais

Preparação de pedidos de patente e modelo de utilidade. Instituto Nacional da Propriedade Industrial Departamento de Patentes e Modelos de Utilidade

Preparação de pedidos de patente e modelo de utilidade. Instituto Nacional da Propriedade Industrial Departamento de Patentes e Modelos de Utilidade Preparação de pedidos de patente e modelo de utilidade Instituto Nacional da Propriedade Industrial Departamento de Patentes e Modelos de Utilidade 1 Sumário 1. Documentos a apresentar 2. Enquadramento

Leia mais

Meritíssimo Conselheiro Presidente do Tribunal Constitucional R-1870/11 (A6)

Meritíssimo Conselheiro Presidente do Tribunal Constitucional R-1870/11 (A6) Meritíssimo Conselheiro Presidente do Tribunal Constitucional R-1870/11 (A6) O Provedor de Justiça, no uso da competência prevista no artigo 281.º, n.º 2, alínea d), da Constituição da República Portuguesa,

Leia mais

Autorização para o exercício da actividade de seguros

Autorização para o exercício da actividade de seguros Autorização para o exercício da actividade de seguros Entidade competente: Seguros (AMCM DSG) Autoridade Monetária de Macau Departamento de Supervisão de Endereço :Calçada do Gaio, N 24 e 26, Macau Telefone

Leia mais

7. Como proteger a inovação e os activos intangíveis

7. Como proteger a inovação e os activos intangíveis Palavras-chave Propriedade intelectual, inovação, direito, classificação, protecção internacional Objectivos de aprendizagem Após a leitura deste componente, você deverá ser capaz de explicar porque é

Leia mais

III CURSO DE TREINAMENTO PROFISSIONAL NÍVEL BÁSICO 1º SEMESTRE DE 2010 PARANÁ EM PROPRIEDADE INDUSTRIAL APOIO

III CURSO DE TREINAMENTO PROFISSIONAL NÍVEL BÁSICO 1º SEMESTRE DE 2010 PARANÁ EM PROPRIEDADE INDUSTRIAL APOIO III CURSO DE TREINAMENTO PROFISSIONAL EM PROPRIEDADE INDUSTRIAL NÍVEL BÁSICO 1º SEMESTRE DE 2010 PARANÁ APOIO 1 III CURSO DE TREINAMENTO PROFISSIONAL EM PROPRIEDADE INDUSTRIAL NÍVEL BÁSICO - 1º SEMESTRE

Leia mais

SERVIÇ OS DO PEDIDO ONLINE DA PROPRIEDADE INTELECTUAL

SERVIÇ OS DO PEDIDO ONLINE DA PROPRIEDADE INTELECTUAL SERVIÇ OS DO PEDIDO ONLINE DA PROPRIEDADE INTELECTUAL Manual de Utilização Direcção dos Serviços de Economia do Governo da RAEM Novembro de 2014 SERVIÇ OS DO PEDIDO ONLINE DA PROPRIEDADE INTELECTUAL Manual

Leia mais

REGULAMENTO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DOS REVISORES OFICIAIS DE CONTAS

REGULAMENTO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DOS REVISORES OFICIAIS DE CONTAS REGULAMENTO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DOS REVISORES OFICIAIS DE CONTAS N.º 2 do art.º 62.º do Decreto-Lei n.º 487/99, de 16 de Novembro, alterado pelo Decreto-Lei n.º 224/2008, de 20 de Novembro PREÂMBULO

Leia mais

O MARKETING DIRECTO POR EMAIL

O MARKETING DIRECTO POR EMAIL O MARKETING DIRECTO POR EMAIL 1 AS IMPLICAÇÕES LEGAIS DO EMAIL MARKETING Enquadramento da questão Equilíbrio entre o poder e a eficácia do marketing directo por e-mail no contacto com os consumidores e

Leia mais

Registo de marcas online. 22 de Dezembro de 2006

Registo de marcas online. 22 de Dezembro de 2006 Registo de marcas online 22 de Dezembro de 2006 Pedidos online de registos de marcas A partir de hoje, passa a ser possível pedir online, através da Internet, todos os pedidos relacionados com marcas nacionais.

Leia mais

PROJETO DE REGULAMENTO N.º ---/SRIJ/2015 REGRAS DE EXPLORAÇÃO DE APOSTAS HÍPICAS MÚTUAS ONLINE

PROJETO DE REGULAMENTO N.º ---/SRIJ/2015 REGRAS DE EXPLORAÇÃO DE APOSTAS HÍPICAS MÚTUAS ONLINE PROJETO DE REGULAMENTO N.º ---/SRIJ/2015 REGRAS DE EXPLORAÇÃO DE APOSTAS HÍPICAS MÚTUAS ONLINE O Regime Jurídico dos Jogos e Apostas online (RJO), aprovado pelo Decreto-Lei n.º 66/2015, de 29 de abril,

Leia mais

Artigo 1.º Imunidade de jurisdição e insusceptibilidade de busca, apreensão, requisição, perda ou qualquer outra forma de ingerência

Artigo 1.º Imunidade de jurisdição e insusceptibilidade de busca, apreensão, requisição, perda ou qualquer outra forma de ingerência Resolução da Assembleia da República n.º 21/2002 Decisão dos Representantes dos Governos dos Estados- Membros da União Europeia, reunidos no Conselho, de 15 de Outubro de 2001, Relativa aos Privilégios

Leia mais

PRÁTICA PROCESSUAL CIVIL

PRÁTICA PROCESSUAL CIVIL PRÁTICA PROCESSUAL CIVIL 17ª Sessão DOS PRINCÍPIOS DA PROVA EM PROCESSO CIVIL Carla de Sousa Advogada 1º Curso de Estágio 2011 1 PROVA? FUNÇÃO DA PROVA: Demonstrar a realidade dos factos (artigo 341.º

Leia mais

14. Convenção Relativa à Citação e à Notificação no Estrangeiro dos Actos Judiciais e Extrajudiciais em Matéria Civil e Comercial

14. Convenção Relativa à Citação e à Notificação no Estrangeiro dos Actos Judiciais e Extrajudiciais em Matéria Civil e Comercial 14. Convenção Relativa à Citação e à Notificação no Estrangeiro dos Actos Judiciais e Extrajudiciais em Matéria Civil e Comercial Os Estados signatários da presente Convenção, desejando criar os meios

Leia mais

Regras gerais. Entidades Utilizadoras de produto de software de prescrição electrónica de medicamentos no Sistema de Saúde

Regras gerais. Entidades Utilizadoras de produto de software de prescrição electrónica de medicamentos no Sistema de Saúde Entidades Utilizadoras de produto de software de prescrição electrónica de medicamentos no Sistema de Saúde Unidade Operacional de Normalização e Certificação de Sistemas e Tecnologias da Informação Os

Leia mais

Luxemburgo-Luxemburgo: Serviços de medicina geral a prestar a favor do gabinete médico do Parlamento Europeu em Estrasburgo 2014/S 114-199811

Luxemburgo-Luxemburgo: Serviços de medicina geral a prestar a favor do gabinete médico do Parlamento Europeu em Estrasburgo 2014/S 114-199811 1/5 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:199811-2014:text:pt:html Luxemburgo-Luxemburgo: Serviços de medicina geral a prestar a favor do gabinete médico do Parlamento

Leia mais

(a) Retribuição por meio eletrônico (*) Retribuição

(a) Retribuição por meio eletrônico (*) Retribuição TABELA DE RETRIBUIÇÕES PELOS SERVIÇOS DO INPI (valores em Reais) Anexo da Resolução INPI/PR Nº 280, de 30 de dezembro de 2011 Código SERVIÇOS DA DIRETORIA DE PATENTES DIRPA INVENÇÃO, CERTIFICADO DE ADIÇÃO

Leia mais

PRÉMIOS CONSUMUS DIXIT FÓRUM DO CONSUMO

PRÉMIOS CONSUMUS DIXIT FÓRUM DO CONSUMO PRÉMIOS CONSUMUS DIXIT FÓRUM DO CONSUMO ETAPAS DO PROCESSO DE CANDIDATURA 1ª Etapa Candidaturas: 1 Out 2014 28 Fev 2015. O prémio Consumus Dixit é aberto a todos trabalhos profissionais, académicos, personalidades

Leia mais

Regulamento do Concurso

Regulamento do Concurso Regulamento do Concurso Preâmbulo Considerando que, constituem objectivos do CRÉDITO AGRÍCOLA, enquanto Entidade Promotora: - Promover iniciativas empresariais inovadoras e conciliadoras com sinergias

Leia mais

Artigo 3º. Artigo 4º. Artigo 5º. Efeitos do certificado Sob reserva do artigo 4º, o certificado confere os mesmos direitos que os conferidos pela

Artigo 3º. Artigo 4º. Artigo 5º. Efeitos do certificado Sob reserva do artigo 4º, o certificado confere os mesmos direitos que os conferidos pela Regulamento (CE) nº 1610/96 do Parlamento Europeu e do Conselho de 23 de Julho de 1996 relativo à criação de um certificado complementar de protecção para os produtos fitofarmacêuticos Jornal Oficial nº

Leia mais

Os serviços Online do INPI Pesquisas e Registos

Os serviços Online do INPI Pesquisas e Registos Os serviços Online do INPI Pesquisas e Registos Dina Pereira Responsável do Gabinete de Apoio a Projectos e Investigação Universidade da Beira Interior Agenda Adesão aos serviços on-line Vantagens Pesquisas

Leia mais

Aula de 09/03/15. Tanto a patente quanto o registro podem ser comercializados/transmitidos.

Aula de 09/03/15. Tanto a patente quanto o registro podem ser comercializados/transmitidos. Aula de 09/03/15 7. Propriedade Industrial Bens imateriais protegidos pelo direito industrial: patente de invenção, patente de modelo de utilidade, registro de desenho industrial e registro de marca. Tanto

Leia mais

03 de Dezembro 2013 Direito do Trabalho

03 de Dezembro 2013 Direito do Trabalho DADOS DOS TRABALHADORES A agilização do direito à privacidade dos trabalhadores com a crescente e hegemónica utilização das denominadas tecnologias de informação, levaram a Comissão Nacional de Protecção

Leia mais