ESTÁGIO CURRICULAR I e II DESENVOLVIMENTO E ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESTÁGIO CURRICULAR I e II DESENVOLVIMENTO E ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS"

Transcrição

1 THAYZE MAINKA NAIZER ESTÁGIO CURRICULAR I e II DESENVOLVIMENTO E ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS EMPRESA: Linx Sistemas e Consultoria Ltda (Unidade Microvix) SETOR: Banco de Dados SUPERVISOR: Dalton Dhiergo Fernandes ORIENTADOR: Edino Mariano Lopes Fernandes CURSO DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGIAS - CCT UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC JOINVILLE SANTA CATARINA - BRASIL OUTUBRO/2012

2 APROVADO EM.../.../... Professor: Edino Mariano Lopes Fernandes Titulação: Mestre Professor Orientador Professor Guilherme Koslovski Titulação Doutor Professor Cristiano Damiani Vasconcellos Titulação Doutor Dalton Dhiergo Fernandes Supervisor da CONCEDENTE

3 Carimbo da Empresa UNIDADE CONCEDENTE Razão Social: Linx Sistemas e Consultoria Ltda CGC/MF: Endereço: Rua Tenente Antônio João, 2858 Bairro: Zona Industrial CEP: Cidade: Joinville UF: SC Fone: (47) Supervisor: Dalton Dhiergo Fernandes Cargo: Diretor Operacional ESTAGIÁRIO Nome : Thayze Mainka Naizer Matrícula: Endereço: R. Nicolau José de Souza, 494 Bairro: Espinheiros CEP: Cidade: Joinville UF: SC Fone: (47) Curso de : Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Título do Estágio: Desenvolvimento e Administração de Banco de Dados Período: 06/08/2012/ a 30/10/2012 Carga horária: 240h AVALIAÇÃO FINAL DO ESTÁGIO THAYZE MAINKA NAIZER PELO CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS Representada pelo Professor da Disciplina: Omir Correa Alves Junior CONCEITO FINAL DO NOTA NOTA ETG ESTÁGIO Desenvolvimento ETG I e (Média II do (Média do Administração de Banco de Processo) Processo) Dados Excelente (9,1 a 10) Muito Bom (8,1 a 9,0) Bom (7,1 a 8,0) Regular (5,0 a 7,0) Reprovado (0,0 a 4,9) Rubrica do Professor da Disciplina Joinville / /

4 Nome do Estagiário : Thayze Mainka Naizer QUADRO I AVALIAÇÃO NOS ASPECTOS PROFISSIONAIS QUALIDADE DO TRABALHO: Considerando o possível. ENGENHOSIDADE: Capacidade de sugerir, projetar, executar modificações ou inovações. CONHECIMENTO: Demonstrado no desenvolvimento das atividades programadas. CUMPRIMENTO DAS TAREFAS: Considerar o volume de atividades dentro do padrão razoável. ESPÍRITO INQUISITIVO: Disposição demonstrada para aprender. INICIATIVA: No desenvolvimento das atividades. SOMA QUADRO II AVALIAÇÃO DOS ASPECTOS HUMANOS ASSIDUIDADE: Cumprimento do horário e ausência de faltas. DISCIPLINA: Observância das normas internas da Empresa. SOCIABILIDADE: Facilidade de se integrar com os outros no ambiente de trabalho. COOPERAÇÃO: Disposição para cooperar com os demais para atender as atividades. SENSO DE RESPONSABILIDADE: Zelo pelo material, equipamentos e bens da empresa. SOMA Pontos Pontos PONTUAÇÃO PARA O QUADRO I E II Sofrível - 1 ponto, Regular - 2 pontos, Bom - 3 pontos, Muito Bom - 4 pontos, Excelente - 5 pontos LIMITES PARA CONCEITUAÇÃO AVALIAÇÃO FINAL Pontos De 57 a SOFRÍVEL SOMA do Quadro I multiplicada por 7 De 102 a REGULAR SOMA do Quadro II multiplicada por 3 De 148 a BOM SOMA TOTAL De 195 a MUITO BOM De 241 a EXCELENTE Nome da Empresa: Linx Sistemas e Consultoria Ltda Representada pelo Supervisor: Dalton Dhiergo Fernandes CONCEITO CONFORME SOMA TOTAL Rubrica do Supervisor da Empresa Local: Data : Carimbo da Empresa

5 UDESC UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA - UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS - FEJ PLANO DE ESTÁGIO CURRICULAR I e II ESTAGIÁRIO Nome: Thayze Mainka Naizer Matrícula: Endereço (Em Jlle): R. Nicolau José de Souza, 494 Bairro: Espinheiros CEP: Cidade: Joinville UF: SC Fone: (47) Endereço (Local estágio): Rua Tenente Antônio João, 2858 Bairro: Zona Industrial CEP: Cidade: Joinville UF: SC Fone: (47) Regularmente matriculado no semestre: Sim Curso: TADS Formatura (prevista) Semestre/Ano: 01/2013 UNIDADE CONCEDENTE Razão Social: Linx Sistemas e Consultoria Ltda CGC/MF: Endereço: Rua Tenente Antônio João, 2858 Bairro: Zona Industrial CEP: Cidade: Joinville UF: SC Fone: (47) Atividade Principal : Desenvolvimento de Sistemas Supervisor: Dalton Dhiergo Fernandes Cargo: Diretor Operacional DADOS DO ESTÁGIO Área de atuação: Desenvolvimento Departamento de atuação: Banco de Dados Fone: (47) Ramal: Horário do estágio: 8:30 12:30 Total de horas: 240 Período: 06/08/ /10/2012 Nome do Professor Orientador: Edino Mariano Lopes Fernandes Disciplina(s) simultânea(s) com o estágio Quantas: Quais: GERENCIA DE PROJETOS (GPR) METODOLOGIA CIENTIFICA (MCI-SI ) PESQUISA OPERACIONAL (PES-SI) REDES DE COMPUTADORES (REC) JAVA AVANÇADO II (TES-09)

6 OBJETIVO GERAL Realizar tarefas de administração nos bancos de dados e desenvolvimento de procedimentos armazenados utilizando a linguagem SQL. ATIVIDADES OBJETIVO ESPECÍFICO HORAS Estudo do Banco de Dados SQL Server. Compreender e Estudar os conceitos básicos do Gerenciador de Banco de Dados SQL Server. 40 Criação de Estruturas. Criar, excluir e alterar objetos, bem como desenvolvimento de procedimentos armazenados. 60 Administração do Banco de dados. Integração e Importação de Dados. Realizar tarefas administrativas como: gerenciamento de usuários e agendamento de Jobs. Integrar e importar dados de clientes de outros sistemas para a base da empresa Rubrica do Professor Orientador Rubrica do Comitê de Estágios Rubrica do Coordenador de Estágios Rubrica do Supervisor da Empresa Data: Data: Data: Data: Carimbo da Empresa

7 CRONOGRAMA FÍSICO E REAL PERÍODO (20 horas) ATIVIDADES Estudo do Banco de Dados SQL Server. Criação de Estruturas. Administração do Banco de dados. Integração e Importação de Dados. P R P R P R P R P R

8 AGRADECIMENTOS Muitas pessoas e empresas tornaram-se merecedoras do nosso reconhecimento, pelo muito que colaboraram para a realização deste trabalho, dentre elas destacam-se: A minha família que sempre me incentivou para conclusão deste projeto. Os meus amigos que estiveram sempre do meu lado nos momentos bons e ruins. Os professores e profissionais da UDESC pelo seu apoio e disposição, sempre dispostos a ajudar no que fosse preciso. A empresa Linx Sistemas e Consultoria Ltda que permitiu que este projeto fosse realizado.

9 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO OBJETIVOS Geral Específicos Justificativa ORGANIZAÇÃO DO ESTUDO A EMPRESA HISTÓRICO PRINCIPAIS PRODUTOS PRINCIPAIS CLIENTES CONSIDERAÇÕES GERAIS DESENVOLVIMENTO ESTUDO DO BANCO DE DADOS SQL SERVER Sistema de Banco de Dados Structured Query Language (SQL) SQL Server Management Studio (SSMS) DTS (Data Transformation Services) Comandos básicos do SQL Avaliação do estudo ADMINISTRAÇÃO DO BANCO DE DADOS Criação de base Criação de tabela Stored Procedure (Procedimento Armazenado) Agendamento de Jobs (Trabalhos) IMPORTAÇÃO DE BASES Importação de Clientes, Fornecedores e Transportadores Importação de Cadastros Auxiliares Importação de produtos Importação de faturas a pagar e a receber Importação para o portal do cliente CONCLUSÃO DO CAPÍTULO CONSIDERAÇÕES FINAIS REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS... 22

10 LISTA DE FIGURAS Figura 1 - Principais clientes no ramo de acessórios... 4 Figura 2 - Principais clientes no ramo de calçados... 4 Figura 3 - Principais clientes no ramo de vestiário... 5 Figura 4 - Estrutura do SSMS... 7 Figura 5 - Tela inicial do DTS... 8 Figura 6 - Tabela de anotação de ordem de serviço Figura 7 - Localização da Job Figura 8 - Criação da Job Figura 9 - Selecionar arquivo de origem no DTS Figura 10 - Selecionar base de destino no DTS Figura 11 - Tabela de Clientes, Fornecedores e Transportadores Figura 12 - Tabela de Cadastro Auxiliar Figura 13 - Tabela de Produtos Figura 14 - Tabela de Faturas Figura 15 - Selecionar base de origem no DTS... 20

11 RESUMO O presente relatório tem o objetivo de documentar o estágio curricular do curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas da UDESC Joinville realizado na empresa Microvix Sistemas SA. A empresa Microvix situada em Joinville é uma unidade da empresa Linx situada em São Paulo. O relatório de estágio consiste em descrever as atividades realizadas dentro da área de banco de dados. Estas atividades foram divididas em três etapas: Estudo do banco de dados SQL Server, nesta etapa teve-se a oportunidade de complementar o que foi aprendido na Universidade sobre a linguagem SQL e aprender sobre as ferramentas utilizadas no projeto. Em administração do banco de dados foram desenvolvidas algumas tarefas administrativas que foram propostas no decorrer do estágio, estas tarefas auxiliaram para a execução da principal atividade do estágio que foi a Integração e Importação de Dados, onde se obteve maior experiência na área de banco de dados. Atualmente a importação de dados tornou-se de grande relevância para empresa, pois muitos clientes de outros sistemas estão migrando para o sistema Microvix ERP e não querem que as informações anteriores sejam perdidas.

12 1 INTRODUÇÃO Este trabalho tem como principal finalidade descrever as atividades realizadas durante o período de estágio na empresa Microvix Sistemas SA. As atividades desenvolvidas foram o desenvolvimento e a administração do banco de dados do sistema Microvix ERP, produto de software oferecido pela empresa. A principal atividade é a importação e integração de bases de dados. A empresa tem adquirido vários clientes oriundos de outros sistemas e consecutivamente de outras bases dados. O cliente não deseja que as informações de faturamento que constavam em outro sistema concorrente sejam perdidas. Sendo assim, torna-se necessário importar a base de dados para dentro do Microvix ERP. Dentro de tais importações, torna-se essencial entender o contexto e as regras de negócio da antiga base de dados utilizada pelo cliente. As informações ficam em lugares diferentes e consecutivamente são lidas de forma diferente por cada sistema. Para realização desta tarefa foi estudado o sistema da empresa e realizadas algumas tarefas administrativas para entender o funcionamento do Microvix ERP. 1.1 OBJETIVOS Geral Realizar tarefas de administração nos bancos de dados e desenvolvimento de procedimentos armazenados utilizando a linguagem SQL Específicos Compreender e estudar os conceitos básicos do gerenciador de banco de dados SQL Server. Criar, excluir e alterar objetos, bem como desenvolvimento de procedimentos armazenados.

13 Realizar tarefas administrativas como: gerenciamento de usuários e agendamento de Jobs. Integrar e importar dados de clientes de outros sistemas para a base da empresa Justificativa O estágio obrigatório consiste de uma atividade exercida para a conclusão do curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas. O cliente ao adquirir o sistema Microvix ERP necessita que todos os dados do sistema antigo estejam também no novo sistema. Torna-se inviável que o cadastro de clientes e produtos, por exemplo, seja feito manualmente por um usuário diretamente no Microvix ERP, devido à quantidade de clientes e produtos já cadastrados no antigo sistema. Sendo assim, tornou-se necessário viabilizar esse tipo de solicitação. Durante o estágio foi estudado e desenvolvido estas importações conforme solicitação do cliente. 1.2 ORGANIZAÇÃO DO ESTUDO A metodologia utilizada para o desenvolvimento do projeto foi primeiramente o estudo das tecnologias de banco de dados e as ferramentas utilizadas para o desenvolvimento do trabalho em questão. No Capítulo 2 é apresentado um histórico da empresa Microvix Sistemas S/A, a fim de conhecer sobre a empresa em que o estágio foi desenvolvido. Já o capítulo 3 apresenta o desenvolvimento do projeto. Neste capítulo serão informadas as ferramentas estudadas, os comandos básicos do SQL Server e algumas das atividades desenvolvidas durante o projeto. A principal atividade foi a importação de base que também está descrita neste capítulo.

14 2 A EMPRESA 2.1 HISTÓRICO (Site Microvix) A empresa foi criada em 1998 na cidade de Joinville (SC), com o nome de Microville, a Microvix é pioneira no desenvolvimento de sistemas no modelo SaaS (Software as a Service), este tipo de sistema é totalmente WEB e toda a infraestrutura é responsabilidade do fornecedor do software. A empresa tem foco no varejo e está presente nos maiores shoppings do Brasil. Em 2012, atendendo mais de seis mil lojas no Brasil e no exterior, a empresa passa a fazer parte da Linx, líder na América Latina em tecnologia de gestão empresarial para o Varejo, inaugurando um novo período em sua história localizado na Rua Tenente Antônio João, 2858, Zona Industrial. Durante o período de estágio foi possível ver como funciona um empresa de software e aprender um pouco mais sobre um ERP. Trabalhando com banco de dados além do conhecimento da linguagem de programação, deve-se conhecer também as regras de negócio, sendo assim, a empresa realizou um treinamento para apresentar seus principais produtos. 2.2 PRINCIPAIS PRODUTOS A empresa oferece, além do ERP, uma gama de produtos que vieram facilitar o dia-a-dia de lojistas e franqueadores, como: BI (Business Intelligence - Inteligência Empresarial): é uma combinação de diferentes dados do ERP para a construção de indicadores e acompanhamento de metas de forma simples e intuitiva, auxiliando na tomada de decisões da empresa. B2C (loja virtual): permite que o cliente venda seus produtos online, além disso, os dados do B2C podem ser integrados com o ERP.

15 TEF (Transferência Eletrônica de Fundos): são transações financeiras eletrônicas, ou seja, venda com cartão. NF-e (Nota Fiscal Eletrônica): É um documento emitido e armazenado eletronicamente, de existência apenas digital, com o intuito de documentar uma operação de circulação de mercadorias ou prestação de serviços ocorrida entre as partes, cuja validade jurídica é garantida pela assinatura digital do emitente e recepção, pelo fisco, antes da ocorrência do Fato Gerador. (https://www.notanet.com.br/nota-fiscaleletronica) SPED (Sistema Público de Escrituração Digital): consiste num banco de dados do Fisco que armazena informações de tudo o que as empresas compram, vendem e arrecadam de impostos. POS (frente de loja): é o caixa da loja, onde as vendas são realizadas. O POS da Microvix é um software encontrado na máquina que é sincronizado com o Microvix ERP quando solicitado. 2.3 PRINCIPAIS CLIENTES Por ser 100% WEB os clientes que utilizam o ERP Microvix tem mais segurança, pois a responsabilidade pela manutenção e customização do software é da Microvix. O sistema está sempre sendo atualizado para se enquadrar nas regras do governo. Nas Figuras 1, 2 e 3 estão os principais clientes da Microvix, por ramo de atuação. Acessórios Figura 1 - Principais clientes no ramo de acessórios Calçados Figura 2 - Principais clientes no ramo de calçados

16 Vestuário Figura 3 - Principais clientes no ramo de vestiário 2.4 CONSIDERAÇÕES GERAIS Durante a realização do estágio foi possível perceber uma falha no banco de dados da empresa em relação ao que foi aprendido na UDESC. As duas principais matérias para a realização do estágio foram banco de dados e SQL, em ambas foi aprendido a importância e facilidade da normalização em um banco de dados, porém foi percebido a falta dela nas tabelas do sistema. No início da empresa todos tinham acesso ao banco de dados e conforme novas customizações iam surgindo, novas tabelas eram criadas sem nenhuma padronização. Houve então a necessidade de criar uma equipe na área de tecnologia responsável apenas pelo banco de dados. Sendo assim, cada tabela é estuda antes de ser criada, para garantir a padronização e facilitar no acesso aos dados.

17 3 DESENVOLVIMENTO 3.1. ESTUDO DO BANCO DE DADOS SQL SERVER O gerenciador de banco de dados utilizado pela empresa é o SQL Server criado pela Microsoft (http://msdn.microsoft.com/pt-br/sqlserver/aa aspx). É utilizada por causa da parceria da empresa com a Microsoft. A primeira atividade do estágio foi à realização de um estudo autodirigido sobre a linguagem SQL Server a fim de realizar as tarefas propostas pela empresa. A empresa disponibilizou alguns livros para o estudo, que estão descritos nas referências deste relatório Sistema de Banco de Dados Segundo Date (1991), o sistema de banco de dados é basicamente um sistema de manutenção de registros por computador, ou seja, manter as informações e torná-las disponíveis quando solicitadas. A pessoa responsável pelo controle do sistema é o administrador de banco de dados (DBA), é ele que decide o conteúdo de informações do banco de dados, a estrutura de armazenamento, e também serve de elo com usuários. É no banco de dados que os dados do sistema são armazenados eletronicamente em um computador, possibilitando a manipulação destes dados de maneira mais prática, rápida e segura Structured Query Language (SQL) O SQL é uma Linguagem de Consulta Estruturada que é utilizada no banco de dados relacional.

18 Battisti (2005) definiu que toda a informação de um banco de dados relacional é armazenada em tabelas, as quais também são chamadas de Entidades. Cada linha da tabela é um registro e cada registro é formado por um conjunto de atributos. É através da linguagem SQL que o banco de dados é acessado e manipulado, é essencial que o administrador de banco de dados conheça as tabelas e relacionamentos do sistema para facilitar o acesso as dados SQL Server Management Studio (SSMS) É uma aplicação de software usado para configurar, gerenciar e administrar os componentes do Microsoft SQL Server. A Figura 4 foi criada para descrever o que representa cada área do SSMS conforme abaixo: área. 1. Object Explorer: As bases de dados e suas estruturas hierárquicas estão nesta 2. Query: É o editor de texto onde são executados os comandos SQL. 3. Messages: É apresentado o resultado da consulta. Figura 4 - Estrutura do SSMS

19 3.1.4 DTS (Data Transformation Services) O Data Transformation Services (em português Transformação de serviços de dados) permite importar ou exportar dados entre vários formatos de dados mais populares, incluindo banco de dados, planilhas e arquivos de texto, conforme descrição na própria ferramenta. Esta ferramenta foi utilizada na importação de dados de clientes de uma base para outra. A Figura 5 mostra a tela inicial do DTS. Figura 5 - Tela inicial do DTS

20 3.1.5 Comandos básicos do SQL Existem muitos comandos e funções que facilitam as consultas no banco de dados. Conforme descrito por Hursch (1990) os comandos básicos do SQL são: SELECT: Identifica as colunas ou campos que serão retornados na consulta, utilizando o comando DISTINCT são apresentados os dados duplicados apenas uma vez. FROM: Faz a especificação das tabelas que serão referenciadas para a busca dos dados. WHERE: É responsável por fazer restrições das linhas na saída de informações, exibindo apenas aquilo que está sendo requisitado, para inserir mais de uma restição é utilizado o comando AND e OR. INSERT: Comando para incluir dados. UPDATE: Comando para atualizar dados. DELETE: Comando para excluir dados. CREATE: É utilizado para criar objetos. Order by: Retorna a consulta em ordem crescente, para retornar de forma decrescente é utilizado o comando DESC Avaliação do estudo Após a realização desse estudo, foi realizada uma avaliação a fim de identificar se os objetivos de aprendizagem foram alcançados. Uma vez atendidos os requisitos de conhecimento, passou se para a realização das próximas atividades.

21 3.2 ADMINISTRAÇÃO DO BANCO DE DADOS No período do estágio teve-se a oportunidade de praticar os conceitos aprendidos na fase de estudo e aprimorar ainda mais o conhecimento. Nesta seção será descrita algumas atividades desenvolvidas no decorrer do estágio Criação de base No Microvix ERP cada loja possui uma base de dados individual dentro de um servidor. A empresa possui 17 servidores que estão fisicamente em São Paulo, e são acessados pelo administrador de banco de dados em Joinville. Cada nova loja implantada tem-se a necessidade de criar um novo portal, ou seja, uma nova base de dados. O padrão para criação destas bases é portal_ + numero sequencial, conforme exemplo abaixo. CREATE DATABASE portal_3000 A base de dados deve iniciar com todas as tabelas necessárias para o funcionamento do Microvix ERP, portanto existem alguns scripts padrões que são executados toda vez que um novo portal é criado Criação de tabela Além da criação das tabelas iniciais do sistema, com o decorrer do tempo novas funcionalidades surgem e consequentemente novas tabelas devem ser criadas. O analista de sistemas junto com o analista de banco de dados elaboram um documento para a criação das tabelas com algumas definições: Descrição da tabela: informa qual a funcionalidade da tabela no sistema.

22 Campos: definem quais atributos a tabela terá. Primary Key: qual será a chave primária. Para Date (1991) uma chave primária (Primary Key) é uma coluna ou combinação de colunas que sempre contém valores únicos, podendo assim localizar uma linha da tabela através desta combinação. Foreign key: Se a tabela possui alguma chave estrangeira. Segundo Date (1991) uma chave estrangeira (Foreign key) é um atributo ou combinação de atributos numa relação R2, cujos valores são necessários para equivaler à chave primária de uma relação R1. Campo Identity: Se a tabela terá um campo identidade. Segundo Dewson (2008) um campo identity tem como finalidade incrementar um valor a cada nova inserção. O padrão para a criação de uma tabela no Microvix ERP é que ela tenha uma coluna identidade que inicia com valor 1 e é incrementado 1 a cada nova inserção. Abaixo segue um exemplo de uma tabela criada no Microvix ERP, neste exemplo é uma tabela para armazenar as anotações das ordens de serviço, possui o campo id_anotacao como campo identidade e chave primária, o campo numero_os como chave estrangeira da tabela ordens_servico e o campo usuario como chave estrangeira da tabela usuarios. CREATE TABLE ordens_servico_anotacoes ( id_anotacao int IDENTITY(1,1) NOT NULL, numero_os int NOT NULL, anotacao text NOT NULL, data_hora smalldatetime NOT NULL, usuario int NOT NULL CONSTRAINT PK_id_anotacao PRIMARY KEY (id_anotacao), CONSTRAINT FK_ordens_servico_anotacoes_tbl_ordens_servico FOREIGN KEY (numero_os) REFERENCES ordens_servico(numero_os), CONSTRAINT FK_ordens_servico_anotacoes_tbl_usuarios FOREIGN KEY (usuario) REFERENCES usuarios(usuario) ); Estes comandos criará a tabela da Figura 6.

23 Figura 6 - Tabela de anotação de ordem de serviço Stored Procedure (Procedimento Armazenado) Segundo DEWSON (2008) um procedimento armazenado é uma coleção de comandos executados como uma única unidade, ou lote, de trabalho. Em outras palavras, quando se tem a necessidade de executar um conjunto de comandos repetidas vezes existe a opção de criar uma Stored Procedure. Estes são armazenados no banco de dados e toda vez que é alterada, isto será replicado em todos os lugares onde é chamada. Em uma Stored Procedure é possível passar parâmetros quando for necessário, alterando assim o retorno. Um exemplo de Stored Procedure muito utilizada durante o estágio para a importação de dados é a docs_repetidos. Considerando que não é permito ter mais de um CPF/CNPJ cadastrado no ERP é feita uma validação. No é informada o nome da tabela, por exemplo, clientes_fornec_import, e no é informada o nome da coluna que é doc_cliente. CREATE proc varchar(50) as exec('select * from WHERE in( select from group by HAVING count(*) >1 ) ORDER BY 1 ' ) Após a criação da Stored Procedure é executado o comando abaixo: docs_repetidos clientes_fornec_import, doc_cliente Através do retorno desta Stored Procedure é possível identificar os clientes que possuem o mesmo número de documento.

24 A Stored Procedure é muito utilizada no banco de dados principalmente, para a realização de cálculos que não são possíveis através da aplicação Agendamento de Jobs (Trabalhos) Segundo Battisti (2005), uma Job é uma tarefa administrativa, composta por um ou mais passos, a qual é agendada para executar automaticamente em datas e horários pré-determinados. Também existe a possibilidade da Job ser criada e não agendada, fazendo com que o administrador de banco de dados possa executá-la quando for necessário. Para agendar uma Job deve-se acessar o Object Explorer e abrir a aba SQL Server Agent e então Jobs, conforme Figura 7. Figura 7 - Localização da Job Então abrirá uma Janela onde se pode agendar a Job, conforme Figura 8. Figura 8 - Criação da Job

25 Na aba General é onde se define o nome da Job, em Steps ficam os comandos que serão executados e Schedules é quando e em que frequência ela será executada. No banco de dados da Microvix existem muitas Jobs de replicação de dados, por exemplo, existe uma base de dados que é a franqueadora, e existem outras bases de dados que são as franquias. Quando existe alguma alteração na base franqueadora como preço de produto, é necessário que estes dados também sejam replicados para as franquias, sendo assim é agendada um Job para que durante a noite execute um comando e faça a atualização do preço em todas as franquias. 3.3 IMPORTAÇÃO DE BASES Ao migrar para o Microvix ERP o cliente tem a opção de importar alguns dados da sua base antiga para a nova base de dados. Os dados que poderão ser importados são: Clientes, Fornecedores, Transportadores, Cadastros Auxiliares, Produtos, Faturas a pagar e Faturas a Receber. Existem planilhas padrões para estas importações, estas planilhas são encaminhadas para os clientes que devolve com todos os dados preenchidos. As planilhas que estão na extensão.xls ou.xlsx devem ser convertidas para.csv. Existe um servidor que é utilizado para fazer as importações, e a cada nova importação é criada uma base de dados. Para transferir os dados para a base de importação é utilizado a ferramenta DTS do SQL Server. Esta ferramenta converte cada arquivo.csv em uma tabela na base de dados, isto ocorre ao selecionar a opção de copiar de um Text File, conforme Figura 9.

26 Figura 9 - Selecionar arquivo de origem no DTS Após selecionar o arquivo de origem deve-se informar a base de destino, conforme Figura 10. Figura 10 - Selecionar base de destino no DTS

27 3.3.1 Importação de Clientes, Fornecedores e Transportadores Na base de dados do Microvix ERP os Clientes, Fornecedores e Transportadores estão na mesma tabela chamada clientes_fornec e a informação que os difere é o campo tipo_cliente onde C é cliente, F é fornecedor, A é ambos (cliente e fornecedor) e T é transportador. Sendo assim, além de nome e documento (CPF ou CNPJ) deve ser informado também o tipo de cliente. Outros dados também podem ser importados como endereço e telefone. É feita uma validação dos clientes/fornecedores/transportadores passados para a importação e os já cadastrados no ERP. Esta validação é feita através do documento (CPF ou CNPJ), ou seja, o número do documento deve ser único. A Chave primária da tabela é o cod_cliente e é gerado automaticamente, pois se trata de um campo identity. Figura 11. Exemplo: Executando o comando da consulta abaixo será criada a tabela da select nome_cliente, doc_cliente, tipo_cliente into clientes_fornec_import from clientes_fornec_planilha alter table clientes_fornec_import add cod_cliente int not null identity(1,1) Figura 11 - Tabela de Clientes, Fornecedores e Transportadores

28 3.3.2 Importação de Cadastros Auxiliares Os cadastros auxiliares são tabelas que completam os dados de produtos, como marca, linha, coleção, setor, cor e tamanho. identity. Figura 12. Estas tabelas possuem apenas código e nome. A chave primária de cada cadastro auxiliar é o seu código, que é um campo Exemplo: Executando o comando da consulta abaixo será criada a tabela da select nome_linha, into linhas_import from linhas_planilha alter table linhas_import add codigo_linha int not null identity(1,1) Figura 12 - Tabela de Cadastro Auxiliar Importação de produtos Para importar produtos é necessário informar o nome, código de barras, preço de custo e venda, e código dos cadastros auxiliares. Os produtos estão na tabela produtos e os códigos de barras estão na tabela produtos_codebar, pois existe a opção de ter mais de um código de barras por produto. O relacionamento de produtos com códigos de barras é feito através de uma chave estrangeira na tabela produtos_codebar onde é atribuído o codigoproduto da tabela produtos.

29 É feita uma validação dos produtos passados para a importação e os já cadastrados no ERP. Esta validação é feita através do código de barras, ou seja, o código de barras deve ser único. Na tabela de produtos possui uma chave estrangeira para cada cadastro auxiliar e também para fornecedor. A Chave primária da tabela é o codigoproduto e é gerado automaticamente, pois se trata de um campo identity. Figura 13. Exemplo: Executando o comando da consulta abaixo será criada a tabela da SELECT nome, codebar, setor, linha, marca, colecao, grade1, grade2, precocusto, precovenda, isnull(unidade,'un') AS unidade, fornecedor INTO produtos_import FROM produtos_planilha alter table produtos_import add codigo int not null identity(1,1) Figura 13 - Tabela de Produtos Após a importação os dados de código de barras são inseridos na tabela produtos_codebar, conforme o código do produto Importação de faturas a pagar e a receber As informações de faturas a pagar e a receber estão disponíveis na tabela faturas. O campo que os difere é a coluna receber, caso seja N é a pagar, se for S é a receber.

30 Na importação de faturas deve-se informar o código do cliente, data de vencimento, valor da fatura e se é a receber ou a pagar. A Chave primária da tabela é o codigo_fatura e é gerado automaticamente, pois se trata de um campo identity. Figura 14. Exemplo: Executando o comando da consulta abaixo será criada a tabela da select (case when tipo_fatura = 'R' then 'S' else 'N' end) as receber, cod_cliente, convert(smalldatetime, vencimento,103) as data_vencimento, convert(money, fatura) as valor_fatura into faturas_import from faturas_planilha alter table faturas_import add codigo_fatura int not null identity(1,1) Figura 14 - Tabela de Faturas Importação para o portal do cliente Quando todas as tabelas estão prontas na base de importação, os dados são transferidos para o portal do cliente, para que assim ele possa visualizar os seus dados no Microvix ERP. Esta transferência também é feita pela ferramenta DTS a diferença é que será selecionado a opção Microsoft OLE DB Provider for SQL Server que é a importação de tabelas entre duas bases do SQL, conforme Figura 15.

31 Figura 15 - Selecionar base de origem no DTS Após informar a base de origem deve-se informar a base de destino que é a base do cliente. Após finalizar esta etapa os dados dos clientes estarão disponíveis para serem visualizados no ERP Microvix. 3.4 CONCLUSÃO DO CAPÍTULO Com a realização dos trabalhos descritos neste capítulo, foi possível aprender na prática os conceitos estudados na UDESC. As ferramentas utilizadas nas atividades, como SQL Server Management Studio e DTS, tiveram grande importância, pois sem elas tudo seria mais complexo. Nas matérias de BAN e SQL foi utilizada a ferramenta PostgreSQL, já no estágio foi a ferramenta SQL Server Management Studio, sendo assim, foi necessário adequar-se as metodologias e softwares utilizados pela empresa.

ESTÁGIO CURRICULAR II DESENVOLVIMENTO E ADMINISTRAÇÃO DO BANCO DE DADOS

ESTÁGIO CURRICULAR II DESENVOLVIMENTO E ADMINISTRAÇÃO DO BANCO DE DADOS Bruno Luiz Corbani Garcia ESTÁGIO CURRICULAR II DESENVOLVIMENTO E ADMINISTRAÇÃO DO BANCO DE DADOS EMPRESA: Conceito W SETOR: Banco de Dados SUPERVISOR: Ademir da Cunha Junior ORIENTADOR: Edino Mariano

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR INTEGRAÇÃO DE BANCO DE DADOS MICROVIXERP

ESTÁGIO CURRICULAR INTEGRAÇÃO DE BANCO DE DADOS MICROVIXERP Bruno Luiz Corbani Garcia ESTÁGIO CURRICULAR INTEGRAÇÃO DE BANCO DE DADOS MICROVIXERP EMPRESA: Microvix SETOR: Banco de Dados SUPERVISOR: Dalton Dhiergo Fernandes ORIENTADOR: Alexandre Parra Silva Carneiro

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I e II SISTEMA DE MONITORAMENTO DE TI EM SOFTWARE LIVRE

ESTÁGIO CURRICULAR I e II SISTEMA DE MONITORAMENTO DE TI EM SOFTWARE LIVRE FERNANDO RODRIGO NASCIMENTO GUSE i ESTÁGIO CURRICULAR I e II SISTEMA DE MONITORAMENTO DE TI EM SOFTWARE LIVRE EMPRESA: Globalmind Serviços em Tecnologia da Informação LTDA. SETOR: Infra Estrutura SUPERVISOR:

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I E II INTEGRAÇÃO DE DADOS ENTRE SISTEMA ERP INFOSALFER E SAGA WMS

ESTÁGIO CURRICULAR I E II INTEGRAÇÃO DE DADOS ENTRE SISTEMA ERP INFOSALFER E SAGA WMS MURILO CARLOS CARDOSO ESTÁGIO CURRICULAR I E II INTEGRAÇÃO DE DADOS ENTRE SISTEMA ERP INFOSALFER E SAGA WMS EMPRESA: LOJAS SALFER S.A SETOR: TI SUPERVISOR: FABIO ADRIANO DACORREGIO MEIER. ORIENTADOR: VALMOR

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I e II DESENVOLVIMENTO, SUPORTE E ATENDIMENTO A PROGRAMAS ESPECÍFICOS PARA O ERP- DATASUL

ESTÁGIO CURRICULAR I e II DESENVOLVIMENTO, SUPORTE E ATENDIMENTO A PROGRAMAS ESPECÍFICOS PARA O ERP- DATASUL 1 NAJARA SILVANA MUCHON ESTÁGIO CURRICULAR I e II DESENVOLVIMENTO, SUPORTE E ATENDIMENTO A PROGRAMAS ESPECÍFICOS PARA O ERP- DATASUL EMPRESA: TNG SERVIÇOS DE INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO DE PROGRAMAS DE COMPUTADOR

Leia mais

Projeto de Banco de Dados: Empresa X

Projeto de Banco de Dados: Empresa X Projeto de Banco de Dados: Empresa X Modelo de negócio: Empresa X Competências: Analisar e aplicar o resultado da modelagem de dados; Habilidades: Implementar as estruturas modeladas usando banco de dados;

Leia mais

Faculdade Pitágoras 16/08/2011. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet

Faculdade Pitágoras 16/08/2011. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Faculdade Pitágoras Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL A linguagem SQL é responsável por garantir um bom nível

Leia mais

Faculdade Pitágoras. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL

Faculdade Pitágoras. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL Faculdade Pitágoras Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL A linguagem SQL é responsável por garantir um bom nível de independência do

Leia mais

AULA 2 INTERAÇÃO COM O BANCO DE DADOS

AULA 2 INTERAÇÃO COM O BANCO DE DADOS AULA 2 INTERAÇÃO COM O BANCO DE DADOS BANCO DE DADOS POSTGRESQL O PostgreSQL é um sistema gerenciador de banco de dados dos mais robustos e avançados do mundo. Seu código é aberto e é totalmente gratuito,

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR II SUPORTE TÉCNICO AOS CLIENTES DO SISTEMA DATASUL BUSINESS INTELLIGENCE

ESTÁGIO CURRICULAR II SUPORTE TÉCNICO AOS CLIENTES DO SISTEMA DATASUL BUSINESS INTELLIGENCE KÁTIA CRISTINA CARDOSO ESTÁGIO CURRICULAR II SUPORTE TÉCNICO AOS CLIENTES DO SISTEMA DATASUL BUSINESS INTELLIGENCE EMPRESA: Futura Soluções em Finanças Ltda. SETOR: Assistência Técnica - Suporte SUPERVISOR:

Leia mais

UNIVERSIDADE VEIGA DE ALMEIDA CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSAMENTO DE DADOS BANCO DE DADOS

UNIVERSIDADE VEIGA DE ALMEIDA CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSAMENTO DE DADOS BANCO DE DADOS CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSAMENTO DE DADOS CLAUDIO RIBEIRO DA SILVA MARÇO 1997 2 1 - CONCEITOS GERAIS DE 1.1 - Conceitos Banco de Dados - Representa

Leia mais

PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1

PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1 INTRODUÇÃO PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1 Leonardo Pereira leonardo@estudandoti.com.br Facebook: leongamerti http://www.estudandoti.com.br Informações que precisam ser manipuladas com mais segurança

Leia mais

Comandos de Manipulação

Comandos de Manipulação SQL - Avançado Inserção de dados; Atualização de dados; Remoção de dados; Projeção; Seleção; Junções; Operadores: aritméticos, de comparação,de agregação e lógicos; Outros comandos relacionados. SQL SQL

Leia mais

SQL Structured Query Language

SQL Structured Query Language Janai Maciel SQL Structured Query Language (Banco de Dados) Conceitos de Linguagens de Programação 2013.2 Structured Query Language ( Linguagem de Consulta Estruturada ) Conceito: É a linguagem de pesquisa

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I e II CUSTOMIZAÇÃO MNT FROTA

ESTÁGIO CURRICULAR I e II CUSTOMIZAÇÃO MNT FROTA RAFAEL REINERT ESTÁGIO CURRICULAR I e II CUSTOMIZAÇÃO DO MNT FROTA EMPRESA: NG Informática SETOR: Desenvolvimento SUPERVISOR: Rafael Diogo Richter ORIENTADOR: Carlos Norberto Vetorazzi Júnior CURSO DE

Leia mais

LINGUAGEM SQL. SQL Server 2008 Comandos iniciais

LINGUAGEM SQL. SQL Server 2008 Comandos iniciais 1 LINGUAGEM SQL SQL Server 2008 Comandos iniciais SQL - STRUCTURED QUERY LANGUAGE Quando os Bancos de Dados Relacionais estavam sendo desenvolvidos, foram criadas linguagens destinadas à sua manipulação.

Leia mais

2008.1. A linguagem SQL

2008.1. A linguagem SQL SQL 2008.1 A linguagem SQL SQL - Structured Query Language. Foi definida nos laboratórios de pesquisa da IBM em San Jose, California, em 1974. Teve seus fundamentos no modelo relacional Sua primeira versão

Leia mais

Linguagem SQL (Parte I)

Linguagem SQL (Parte I) Universidade Federal de Sergipe Departamento de Sistemas de Informação Itatech Group Jr Softwares Itabaiana Site: www.itatechjr.com.br E-mail: contato@itatechjr.com.br Linguagem SQL (Parte I) Introdução

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR II SUPORTE E MONITORAMENTO

ESTÁGIO CURRICULAR II SUPORTE E MONITORAMENTO THALLES GRESCHECHEN ESTÁGIO CURRICULAR II SUPORTE E MONITORAMENTO EMPRESA: NEOGRID INFORMÁTICA S/A SETOR: SUPORTE E MONITORAMENTO SUPERVISOR: FÁBIO ROBERTO MENDES ORIENTADOR: PROF. GERSON VOLNEY LAGEMANN

Leia mais

APOSTILA BANCO DE DADOS INTRODUÇÃO A LINGUAGEM SQL

APOSTILA BANCO DE DADOS INTRODUÇÃO A LINGUAGEM SQL 1. O que é Linguagem SQL 2. Instrução CREATE 3. CONSTRAINT 4. ALTER TABLE 5. RENAME TABLE 6. TRUCANTE TABLE 7. DROP TABLE 8. DROP DATABASE 1 1. O que é Linguagem SQL 2. O SQL (Structured Query Language)

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS

ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS ARTEFATO 02 AT02 Diversos I 1 Indice ESQUEMAS NO BANCO DE DADOS... 3 CRIANDO SCHEMA... 3 CRIANDO TABELA EM DETERMINADO ESQUEMA... 4 NOÇÕES BÁSICAS SOBRE CRIAÇÃO E MODIFICAÇÃO

Leia mais

2008.1 SQL. Autor: Renata Viegas

2008.1 SQL. Autor: Renata Viegas SQL Autor: Renata Viegas A linguagem SQL SQL - Structured Query Language. Foi definida nos laboratórios de pesquisa da IBM em San Jose, California, em 1974. Teve seus fundamentos no modelo relacional Sua

Leia mais

Introdução à Engenharia da Computação. Banco de Dados Professor Machado

Introdução à Engenharia da Computação. Banco de Dados Professor Machado Introdução à Engenharia da Computação Banco de Dados Professor Machado 1 Sistemas isolados Produção Vendas Compras Banco de Dados Produtos... Banco de Dados Produtos... Banco de Dados Produtos... Desvantagens:

Leia mais

Linguagem SQL Parte I

Linguagem SQL Parte I FIB - Centro Universitário da Bahia Banco de Dados Linguagem SQL Parte I Francisco Rodrigues Santos chicowebmail@yahoo.com.br Slides gentilmente cedidos por André Vinicius R. P. Nascimento Conteúdo A Linguagem

Leia mais

GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR I SUPORTE TI HOSPITALAR

GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR I SUPORTE TI HOSPITALAR GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR I SUPORTE TI HOSPITALAR EMPRESA: TRÍPLICE CONSULTORIA E SERVIÇOS LTDA. SETOR: INFORMÁTICA SUPERVISOR: RONALDO GUIZARDI ORIENTADOR: VILSON VIEIRA CURSO DE BACHARELADO EM

Leia mais

Gabarito - Banco de Dados SQL - 30/07/2013 AULA 01

Gabarito - Banco de Dados SQL - 30/07/2013 AULA 01 Gabarito - Banco de Dados SQL - 30/07/2013 AULA 01 1 1- Bancos de dados compreendem desde agendas telefônicas até sistemas computadorizados. (Sim) 2- Só podemos instalar o SQL Server Express se tivermos

Leia mais

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server Noções de 1 Considerações Iniciais Basicamente existem dois tipos de usuários do SQL Server: Implementadores Administradores 2 1 Implementadores Utilizam o SQL Server para criar e alterar base de dados

Leia mais

GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR II ANÁLISE E SUPORTE EM TI HOSPITALAR

GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR II ANÁLISE E SUPORTE EM TI HOSPITALAR GILMAR ARAUJO ESTÁGIO CURRICULAR II ANÁLISE E SUPORTE EM TI HOSPITALAR EMPRESA: TRÍPLICE CONSULTORIA E SERVIÇOS LTDA. SETOR: INFORMÁTICA SUPERVISOR: RONALDO GUIZARDI ORIENTADOR: VILSON VIEIRA CURSO DE

Leia mais

Persistência de Classe e Auto- Relacionamento em Tabelas de Banco de Dados

Persistência de Classe e Auto- Relacionamento em Tabelas de Banco de Dados UTFPR DAELN - Disciplina de Fundamentos de Programação II ( IF62C ). 1 Persistência de Classe e Auto- Relacionamento em Tabelas de Banco de Dados 1) Introdução! Em algumas situações, pode ser necessário

Leia mais

SQL - Structured Query Language, ou Linguagem de Consulta Estruturada ou SQL

SQL - Structured Query Language, ou Linguagem de Consulta Estruturada ou SQL SQL - Structured Query Language, ou Linguagem de Consulta Estruturada ou SQL Criar uma base de dados (criar um banco de dados) No mysql: create database locadora; No postgresql: createdb locadora Criar

Leia mais

UNISA Universidade de Santo Amaro. http://www.unisa.br. Material de Estudo. Módulo I: Básico Banco de dados SQL Server. http://www.unisa-sis.

UNISA Universidade de Santo Amaro. http://www.unisa.br. Material de Estudo. Módulo I: Básico Banco de dados SQL Server. http://www.unisa-sis. UNISA Universidade de Santo Amaro http://www.unisa.br Material de Estudo Módulo I: Básico Banco de dados SQL Server http://www.unisa-sis.info Junho/2010 Objetivo do Workshop Compartilhar e apresentar

Leia mais

Banco de Dados. Maurício Edgar Stivanello

Banco de Dados. Maurício Edgar Stivanello Banco de Dados Maurício Edgar Stivanello Agenda Conceitos Básicos SGBD Projeto de Banco de Dados SQL Ferramentas Exemplo Dado e Informação Dado Fato do mundo real que está registrado e possui um significado

Leia mais

Introdução à Banco de Dados. Nathalia Sautchuk Patrício

Introdução à Banco de Dados. Nathalia Sautchuk Patrício Introdução à Banco de Dados Nathalia Sautchuk Patrício Histórico Início da computação: dados guardados em arquivos de texto Problemas nesse modelo: redundância não-controlada de dados aplicações devem

Leia mais

Aula Extra Conexão ODBC para aplicações Delphi 7 que usam SQL Server 2005

Aula Extra Conexão ODBC para aplicações Delphi 7 que usam SQL Server 2005 Nome Número: Série Aula Extra Conexão ODBC para aplicações Delphi 7 que usam SQL Server 2005 Proposta do projeto: Competências: Compreender a orientação a objetos e arquitetura cliente-servidor, aplicando-as

Leia mais

Principais Comandos SQL Usados no MySql

Principais Comandos SQL Usados no MySql Principais Comandos SQL Usados no MySql O que é um SGBD? Um Sistema Gerenciador de Banco de Dados (como no Brasil) ou Sistema Gestor de Base de Dados (SGBD) é o conjunto de programas de computador (softwares)

Leia mais

AULA 2 INTERAÇÃO COM O BANCO DE DADOS

AULA 2 INTERAÇÃO COM O BANCO DE DADOS AULA 2 INTERAÇÃO COM O BANCO DE DADOS BANCO DE DADOS POSTGRESQL O PostgreSQL é um sistema gerenciador de banco de dados dos mais robustos e avançados do mundo. Seu código é aberto e é totalmente gratuito,

Leia mais

SQL comando SELECT. SELECT [DISTINCT] FROM [condição] [ ; ] Paulo Damico - MDK Informática Ltda.

SQL comando SELECT. SELECT [DISTINCT] <campos> FROM <tabela> [condição] [ ; ] Paulo Damico - MDK Informática Ltda. SQL comando SELECT Uma das tarefas mais requisitadas em qualquer banco de dados é obter uma listagem de registros armazenados. Estas tarefas são executadas pelo comando SELECT Sintaxe: SELECT [DISTINCT]

Leia mais

LINX GESTÃO DE LOJAS E FRANQUIAS

LINX GESTÃO DE LOJAS E FRANQUIAS LINX GESTÃO DE LOJAS E FRANQUIAS LINX GESTÃO DE LOJAS E FRANQUIAS Sistema completo de gestão, com a experiência de quem atende as maiores redes de franquias do país. Maior fornecedora de software de gestão

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR FABRA GUIA DE APRESENTAÇÃO DA MATÉRIA ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR FABRA GUIA DE APRESENTAÇÃO DA MATÉRIA ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CENTRO DE ENSINO SUPERIOR FABRA GUIA DE APRESENTAÇÃO DA MATÉRIA ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Serra 2013 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 OBJETIVOS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO.... 4 ACOMPANHAMENTO

Leia mais

Banco de Dados II. Introdução Revisão - normalização -modelagem - sql básico

Banco de Dados II. Introdução Revisão - normalização -modelagem - sql básico Banco de Dados II Introdução Revisão - normalização -modelagem - sql básico Prof. Rodrigo Rocha prof.rodrigorocha@yahoo.com http://www.bolinhabolinha.com Apresentação Prof. Rodrigo Rocha prof.rodrigorocha@yahoo.com

Leia mais

SQL Server 2008. Ferramenta de administração. SQL Server Management Studio. 1º passo conectar ao banco de dados 2ª Query (consulta) usando SQL

SQL Server 2008. Ferramenta de administração. SQL Server Management Studio. 1º passo conectar ao banco de dados 2ª Query (consulta) usando SQL SQL Server 2008 Ferramenta de administração SQL Server Management Studio Ferramenta de acesso e administração de dados em modo gráfico 1º passo conectar ao banco de dados 2ª Query (consulta) usando SQL

Leia mais

COORDENAÇÃO DE ESTÁGIO KIT ALUNO ESTÁGIO PASSO A PASSO

COORDENAÇÃO DE ESTÁGIO KIT ALUNO ESTÁGIO PASSO A PASSO COORDENAÇÃO DE ESTÁGIO KIT ALUNO ESTÁGIO PASSO A PASSO Maceió/2014 1º PASSO: PREENCHIMENTO DO CADASTRO DO ALUNO COORDENAÇÃO DE ESTÁGIOS CADASTRO DO ALUNO Curso: Período que Cursa: Matrícula: Nome Completo:

Leia mais

LINX POSTOS AUTOSYSTEM

LINX POSTOS AUTOSYSTEM LINX POSTOS AUTOSYSTEM Manual Notas Fiscais Sumário 1 CONCEITO... 3 2 REQUISITOS... 3 3 CONFIGURAÇÕES... 3 3.1 Permissões... 3 3.2 Configurar NF-e... 4 3.2.1 Aba Geral... 5 3.2.2 Opções... 6 3.3 Processador

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I e II PESQUISA E DESENVOLVIMENTO DE FERRAMENTA QUE PERMITE VERIFICAR A RELAÇÃO ENTRE PERFIL DE EMPRESA E

ESTÁGIO CURRICULAR I e II PESQUISA E DESENVOLVIMENTO DE FERRAMENTA QUE PERMITE VERIFICAR A RELAÇÃO ENTRE PERFIL DE EMPRESA E Guilherme Alexandre Sant'Ana ESTÁGIO CURRICULAR I e II PESQUISA E DESENVOLVIMENTO DE FERRAMENTA QUE PERMITE VERIFICAR A RELAÇÃO ENTRE PERFIL DE EMPRESA E MODELO DE PROCESSO DE SOFTWARE EMPRESA: UNIVERSIDADE

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR DESENVOLVIMENTO DE CONTROLE DE ESTOQUE

ESTÁGIO CURRICULAR DESENVOLVIMENTO DE CONTROLE DE ESTOQUE VALTER JOSÉ ZIMMERMANN JÚNIOR ESTÁGIO CURRICULAR DESENVOLVIMENTO DE CONTROLE DE ESTOQUE EMPRESA: MALVA CONFECÇÕES IND. E COM. LTDA. SETOR: INFORMÁTICA SUPERVISOR: MARLUCE ZIMMERMANN ORIENTADOR: JORGE FERNANDES

Leia mais

Banco de dados 1. Linguagem SQL DDL e DML. Professor: Victor Hugo L. Lopes

Banco de dados 1. Linguagem SQL DDL e DML. Professor: Victor Hugo L. Lopes Banco de dados 1 Linguagem SQL DDL e DML Professor: Victor Hugo L. Lopes Agenda: Introdução à linguagem de dados; DDL; DML; CRUD; Introdução à linguagem SQL. 2 Por que precisamos da linguagem SQL? A algebra

Leia mais

Gerenciamento de um Sistema de

Gerenciamento de um Sistema de SBD Gerenciamento de um Sistema de Banco de Dados Prof. Michel Nobre Muza ua michel.muza@ifsc.edu.br Prof. Marcos Antonio Viana Nascimento Por que é importante: Motivação Participar na organização e no

Leia mais

Prof. Omero, pág. 63. Banco de Dados InterBase.

Prof. Omero, pág. 63. Banco de Dados InterBase. Prof. Omero, pág. 63 O que é o InterBase? O InterBase é um SGBDR - Sistema Gerenciador de Banco de Dados Cliente/Servidor Relacional 1 que está baseado no padrão SQL ANSI-9, de alta performance, independente

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO ESCOLA DE FARMÁCIA E ODONTOLOGIA DE ALFENAS CENTRO UNIVERSITÁRIO FEDERAL

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO ESCOLA DE FARMÁCIA E ODONTOLOGIA DE ALFENAS CENTRO UNIVERSITÁRIO FEDERAL REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO DE INTERESSE CURRICULAR DO CURSO DE QUÍMICA DA Efoa/Ceufe Resolução Nº 007/2005 pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPE) O presente regulamento foi elaborado tendo

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I e II APRIMORAMENTO E MANUTENÇÃO DO SOFTWARE DE NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇO

ESTÁGIO CURRICULAR I e II APRIMORAMENTO E MANUTENÇÃO DO SOFTWARE DE NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇO EDUARDO KONESKI WESTPHAL ESTÁGIO CURRICULAR I e II APRIMORAMENTO E MANUTENÇÃO DO SOFTWARE DE NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇO EMPRESA: Conceito W SETOR: Desenvolvimento SUPERVISOR: José Alberto Nishi

Leia mais

SQL Linguagem de Definição de Dados. Laboratório de Bases de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri

SQL Linguagem de Definição de Dados. Laboratório de Bases de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri SQL Linguagem de Definição de Dados SQL Structured Query Language Uma das mais importantes linguagens relacionais (se não a mais importante) Exemplos de SGBD que utilizam SQL Oracle Informix Ingress SQL

Leia mais

Engenharia de Computação / Engenharia de Produção. Banco de Dados Prof. Maria das Graças da Silva Teixeira

Engenharia de Computação / Engenharia de Produção. Banco de Dados Prof. Maria das Graças da Silva Teixeira Unidade 3 SQL Engenharia de Computação / Engenharia de Produção Banco de Dados Prof. Maria das Graças da Silva Teixeira Material base: Banco de Dados, 2009.2, prof. Otacílio José Pereira Contexto na Disciplina

Leia mais

SQL SQL BANCO DE DADOS 2. Componentes do SQL (1) Componentes do SQL (2) DDL Criação de banco de dados. Padrões de SQL

SQL SQL BANCO DE DADOS 2. Componentes do SQL (1) Componentes do SQL (2) DDL Criação de banco de dados. Padrões de SQL BANCO DE DADOS 2 SQL (CREATE TABLE, CONSTRAINTS, DELETE, UPDATE e INSERT) Prof. Edson Thizon SQL SQL ( structured query language ) é uma linguagem comercial de definição e manipulação de banco de dados

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I E II ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA DE ESTOQUE E INTEGRAÇÃO ENTRE O SISTEMA DE ESTOQUE E HELPDESK

ESTÁGIO CURRICULAR I E II ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA DE ESTOQUE E INTEGRAÇÃO ENTRE O SISTEMA DE ESTOQUE E HELPDESK DOUGLAS PADILHA ESTÁGIO CURRICULAR I E II ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA DE ESTOQUE E INTEGRAÇÃO ENTRE O SISTEMA DE ESTOQUE E HELPDESK EMPRESA: UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA SETOR: COORDENADORIA

Leia mais

Structure Query Language SQL Guilherme Pontes lf.pontes.sites.uol.com.br

Structure Query Language SQL Guilherme Pontes lf.pontes.sites.uol.com.br 1. Abordagem geral Structure Query Language SQL Guilherme Pontes lf.pontes.sites.uol.com.br Em primeiro plano, deve-se escolher com qual banco de dados iremos trabalhar. Cada banco possui suas vantagens,

Leia mais

Programação WEB II. PHP e Banco de Dados. progweb2@thiagomiranda.net. Thiago Miranda dos Santos Souza

Programação WEB II. PHP e Banco de Dados. progweb2@thiagomiranda.net. Thiago Miranda dos Santos Souza PHP e Banco de Dados progweb2@thiagomiranda.net Conteúdos Os materiais de aula, apostilas e outras informações estarão disponíveis em: www.thiagomiranda.net PHP e Banco de Dados É praticamente impossível

Leia mais

ANDREY DE SANTANA SILVA ESTÁGIO CURRICULAR ARMAZENAGEM

ANDREY DE SANTANA SILVA ESTÁGIO CURRICULAR ARMAZENAGEM ANDREY DE SANTANA SILVA ESTÁGIO CURRICULAR ARMAZENAGEM EMPRESA: MTM Sistemas SETOR: Desenvolvimento SUPERVISOR: João Carlos Borges de Souza ORIENTADOR: Carlos Noberto Vetorazzi Junior CURSO DE BACHARELADO

Leia mais

MANUAL INSTALAÇÃO WEB SERVICE

MANUAL INSTALAÇÃO WEB SERVICE MANUAL INSTALAÇÃO WEB SERVICE Recebimento de dados pelo Hospital Versão 1.1 2/9/2014 Contato suporte@gtplan.com.br Índice Introdução... 2 Requerimentos para instalação do Web Service... 2 Instalação...

Leia mais

Esta aula tem o objetivo de nos orientar durante este período em nossas aulas de Banco de Dados, não tem a pretensão de ser a única fonte de

Esta aula tem o objetivo de nos orientar durante este período em nossas aulas de Banco de Dados, não tem a pretensão de ser a única fonte de BD Esta aula tem o objetivo de nos orientar durante este período em nossas aulas de Banco de Dados, não tem a pretensão de ser a única fonte de informação para nosso êxito no curso. A intenção de elaborar

Leia mais

Linguagem SQL (Parte II)

Linguagem SQL (Parte II) Universidade Federal de Sergipe Departamento de Sistemas de Informação Itatech Group Jr Softwares Itabaiana Site: www.itatechjr.com.br E-mail: contato@itatechjr.com.br Linguagem SQL (Parte II Introdução

Leia mais

SQL Linguagem de Definição de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri

SQL Linguagem de Definição de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri SQL Linguagem de Definição de Dados Banco de Dados SQL Structured Query Language Uma das mais importantes linguagens relacionais (se não a mais importante) Exemplos de SGBD que utilizam SQL Oracle Informix

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR II SUPORTE E ANÁLISE NOS SISTEMAS DE INFORMAÇÕES DA UNIMED FEDERAÇÃO

ESTÁGIO CURRICULAR II SUPORTE E ANÁLISE NOS SISTEMAS DE INFORMAÇÕES DA UNIMED FEDERAÇÃO LUIZ ANTONIO SILVA ESTÁGIO CURRICULAR II SUPORTE E ANÁLISE NOS SISTEMAS DE INFORMAÇÕES DA UNIMED FEDERAÇÃO EMPRESA: FEDERAÇÃO DAS UNIMEDS DO ESTADO DE SANTA CATARINA SETOR: GERÊNCIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I e II CUSTOMIZAÇÕES E ESPECÍFICOS NO EMS DATASUL

ESTÁGIO CURRICULAR I e II CUSTOMIZAÇÕES E ESPECÍFICOS NO EMS DATASUL 1 MATHEUS FRANCISCO JASCHKE ESTÁGIO CURRICULAR I e II CUSTOMIZAÇÕES E ESPECÍFICOS NO EMS DATASUL EMPRESA: TOTVS S/A SETOR:FÁBRICA DE SOFTWARE SUPERVISOR:MICHEL SCHROEDER ORIENTADOR: RUI JORGE TRAMONTIN

Leia mais

UFCD 787. Administração de base de dados. Elsa Marisa S. Almeida

UFCD 787. Administração de base de dados. Elsa Marisa S. Almeida UFCD 787 Administração de base de dados Elsa Marisa S. Almeida 1 Objectivos Replicação de base de dados Gestão de transacções Cópias de segurança Importação e exportação de dados Elsa Marisa S. Almeida

Leia mais

SQL (Structured Query Language)

SQL (Structured Query Language) SQL (Structured Query Language) Linguagem comercial para BD relacional padrão ISO desde a década de 80 SQL (86); SQL-2 (92); SQL-3 (99) e SQL:2003 não é apenas uma linguagem de consulta! como o nome sugere...

Leia mais

Escrito por Sex, 14 de Outubro de 2011 23:12 - Última atualização Seg, 26 de Março de 2012 03:33

Escrito por Sex, 14 de Outubro de 2011 23:12 - Última atualização Seg, 26 de Março de 2012 03:33 Preço R$ 129.00 Compre aqui SUPER PACOTÃO 3 EM 1: 186 Vídeoaulas - 3 dvd's - 10.5 Gybabyte. 1) SQL 2) Banco de Dados (Oracle 10g, SQL Server 2005, PostgreSQL 8.2, Firebird 2.0, MySQL5.0) 3) Análise e Modelagem

Leia mais

SQL (STRUCTUREDQUERY LANGUAGE)

SQL (STRUCTUREDQUERY LANGUAGE) BANCO DE DADOS Universidade do Estado de Santa Catarina Centro de Ciências Tecnológicas Departamento de Ciência da Computação Prof. Alexandre Veloso de Matos alexandre.matos@udesc.br SQL (STRUCTUREDQUERY

Leia mais

Structured Query Language (SQL) Ambiente Simplificado de um SGBD

Structured Query Language (SQL) Ambiente Simplificado de um SGBD Structured Query Language (SQL) Ambiente Simplificado de um SGBD 2 1 Características dos SGBDs Natureza auto-contida de um sistema de banco de dados: metadados armazenados num catálogo ou dicionário de

Leia mais

FELIPE NUNES ESTÁGIO CURRICULAR II DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA ERP VIA WEB

FELIPE NUNES ESTÁGIO CURRICULAR II DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA ERP VIA WEB i FELIPE NUNES ESTÁGIO CURRICULAR II DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA ERP VIA WEB EMPRESA: P&P INFORMÁTICA LTDA. SETOR: DESENVOLVIMENTO SUPERVISOR: MAURÍCIO PENSKY ORIENTADOR: FABIANO BALDO CURSO: BACHARELADO

Leia mais

SQL (Structured Query Language)

SQL (Structured Query Language) SQL (Structured Query Language) Linguagem comercial para BD relacional padrão ISO desde a década de 80 SQL- (86); SQL- (9); SQL- (99) não é apenas uma linguagem de consulta! como o nome sugere... Base

Leia mais

SUPORTE, MANUTENÇÕES E MELHORIAS NOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DA FEDERAÇÃO DAS UNIMEDS DO ESTADO DE SANTA CATARINA

SUPORTE, MANUTENÇÕES E MELHORIAS NOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DA FEDERAÇÃO DAS UNIMEDS DO ESTADO DE SANTA CATARINA CLAYTON IVAN MENDES ESTÁGIO CURRICULAR I e II SUPORTE, MANUTENÇÕES E MELHORIAS NOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DA FEDERAÇÃO DAS UNIMEDS DO ESTADO DE SANTA CATARINA EMPRESA: FEDERAÇÃO DAS UNIMEDS DO ESTADO DE

Leia mais

FAI CENTRO DE ENSINO SUPERIOR EM GESTÃO, TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Manual do Estágio Supervisionado

FAI CENTRO DE ENSINO SUPERIOR EM GESTÃO, TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Manual do Estágio Supervisionado FAI CENTRO DE ENSINO SUPERIOR EM GESTÃO, TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Manual do Estágio Supervisionado Santa Rita do Sapucaí-MG Janeiro/2011 Sumário 1. Introdução 3 2. O que é

Leia mais

SQL (Structured Query Language)

SQL (Structured Query Language) SQL (Structured Query Language) Linguagem comercial para BD relacional padrão ISO desde a década de 80 SQL-1 (86); SQL- (9); SQL- (99) não é apenas uma linguagem de consulta! como o nome sugere... Base

Leia mais

BANCO DE DADOS. info 3º ano. Prof. Diemesleno Souza Carvalho diemesleno@iftm.edu.br www.diemesleno.com.br

BANCO DE DADOS. info 3º ano. Prof. Diemesleno Souza Carvalho diemesleno@iftm.edu.br www.diemesleno.com.br BANCO DE DADOS info 3º ano Prof. Diemesleno Souza Carvalho diemesleno@iftm.edu.br www.diemesleno.com.br Na última aula estudamos Unidade 4 - Projeto Lógico Normalização; Dicionário de Dados. Arquitetura

Leia mais

4.6. SQL - Structured Query Language

4.6. SQL - Structured Query Language 4.6. SQL - Structured Query Language SQL é um conjunto de declarações que é utilizado para acessar os dados utilizando gerenciadores de banco de dados. Nem todos os gerenciadores utilizam SQL. SQL não

Leia mais

CAIO CÉSAR MAYER. ESTÁGIO CURRICULAR I e II DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES WEB EM C#.NET

CAIO CÉSAR MAYER. ESTÁGIO CURRICULAR I e II DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES WEB EM C#.NET CAIO CÉSAR MAYER ESTÁGIO CURRICULAR I e II DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES WEB EM C#.NET EMPRESA: SELBETTI GESTÃO DE DOCUMENTOS SETOR: DESENVOLVIMENTO SUPERVISOR: FABIANO PAUL ORIENTADOR: JORGE MANUEL LAGE

Leia mais

Banco de Dados. Marcio de Carvalho Victorino www.dominandoti.eng.br. Exercícios SQL

Banco de Dados. Marcio de Carvalho Victorino www.dominandoti.eng.br. Exercícios SQL Banco de Dados Exercícios SQL 1 TRF (ESAF 2006) 32. Analise as seguintes afirmações relacionadas a Bancos de Dados e à linguagem SQL: I. A cláusula GROUP BY do comando SELECT é utilizada para dividir colunas

Leia mais

Structured Query Language (SQL)

Structured Query Language (SQL) SQL Histórico Structured Query Language (SQL) Foi desenvolvido pela IBM em meados dos anos 70 como uma linguagem de manipulação de dados (DML - Data Manipulation Language) para suas primeiras tentativas

Leia mais

CONCORRÊNCIA. 1. Introdução. Recursos exclusivos. Não necessita controle. Abundância de recursos compartilhados. Controle necessário mas mínimo

CONCORRÊNCIA. 1. Introdução. Recursos exclusivos. Não necessita controle. Abundância de recursos compartilhados. Controle necessário mas mínimo CONCORRÊNCIA 1. Introdução Recursos exclusivos Não necessita controle Abundância de recursos compartilhados Controle necessário mas mínimo Harmonia, provavelmente não haverá conflito Recursos disputados

Leia mais

EXERCÍCIOS PRÁTICOS. Banco de Dados

EXERCÍCIOS PRÁTICOS. Banco de Dados EXERCÍCIOS PRÁTICOS Banco de Dados Introdução ao uso do SQL Structured Query Language, considerando tanto DDL Data Definition Language quanto DML Data Manipulation Language. Banco de Dados selecionado:

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I e II

ESTÁGIO CURRICULAR I e II Eduardo Lainetti e Silva ESTÁGIO CURRICULAR I e II Desenvolvimento web com foco em franquias de varejo EMPRESA: Linx SETOR: Desenvolvimento SUPERVISOR: Pedro Gabriel de Figueiredo Rosa ORIENTADOR: Edino

Leia mais

Conceito de NF-e. Conexão NF-e

Conceito de NF-e. Conexão NF-e WHITE PAPER Sumário Conceito de NF-e... 3 Conexão NF-e... 3 Validador de Arquivos da Nota de Entrada... 4 Importador da Nota de Entrada Para o ERP E M S... 5 Manifesto do Destinatário Eletrônico (MD-e)...

Leia mais

Exercícios de Lógica Exercícios de Fixação 08

Exercícios de Lógica Exercícios de Fixação 08 Exercícios Exercícios de Lógica Exercícios de Fixação 08 1. A linguagem SQL apresenta uma série de comandos que permitem a definição dos dados, chamada de DDL (Data Definition Language). Assinale a alternativa

Leia mais

NORMAS DE ESTÁGIO DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA

NORMAS DE ESTÁGIO DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA 2015 SUMÁRIO 1 - DISPOSIÇÕES PRELIMINARES... 3 2 - OBJETIVO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO... 3 3 - ACOMPANHAMENTO E ORGANIZAÇÃO DO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO... 4 4 - EXEMPLO DE ÁREAS PARA REALIZAÇÃO DO ESTÁGIO...

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR II ATIVIDADES DE ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS NA UNIMED FEDERAÇÃO DO ESTADO DE SANTA CATARINA

ESTÁGIO CURRICULAR II ATIVIDADES DE ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS NA UNIMED FEDERAÇÃO DO ESTADO DE SANTA CATARINA PEDRO DE SOUZA NANDI ESTÁGIO CURRICULAR II ATIVIDADES DE ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS NA UNIMED FEDERAÇÃO DO ESTADO DE SANTA CATARINA EMPRESA: UNIMED FEDERAÇÃO DO ESTADO DE SANTA CATARINA SETOR:

Leia mais

SQL. Histórico BANCO DE DADOS. Conceito. Padrões de SQL (1) Componentes do SQL (1) Padrões de SQL (2) (DDL: CREATE TABLE, CONSTRAINTS)

SQL. Histórico BANCO DE DADOS. Conceito. Padrões de SQL (1) Componentes do SQL (1) Padrões de SQL (2) (DDL: CREATE TABLE, CONSTRAINTS) BANCO DE DADOS SQL (DDL: CREATE TABLE, CONSTRAINTS) Prof. Edson Thizon Histórico Entre 1974 e 1979, o San José Research Laboratory da IBM desenvolveu um SGDB relacional que ficou conhecido como Sistema

Leia mais

O que são Bancos de Dados?

O que são Bancos de Dados? SQL Básico Liojes de Oliveira Carneiro professor.liojes@gmail.com www.professor-liojes.blogspot.com O que são Bancos de Dados? É o software que armazena, organiza, controla, trata e distribui os dados

Leia mais

SQL (STRUCTUREDQUERY LANGUAGE)

SQL (STRUCTUREDQUERY LANGUAGE) BANCO DE DADOS Universidade do Estado de Santa Catarina Centro de Ciências Tecnológicas Departamento de Ciência da Computação Prof. Alexandre Veloso de Matos alexandre.matos@udesc.br SQL (STRUCTUREDQUERY

Leia mais

JACIARA DA SILVA ESTÁGIO CURRICULAR I E II. Reestruturação do Portal Intranet da Integral Informática em SharePoint

JACIARA DA SILVA ESTÁGIO CURRICULAR I E II. Reestruturação do Portal Intranet da Integral Informática em SharePoint JACIARA DA SILVA ESTÁGIO CURRICULAR I E II Reestruturação do Portal Intranet da Integral Informática em SharePoint EMPRESA: INTEGRAL INFORMÁTICA SETOR: DESENVOLVIMENTO SUPERVISOR: LUIZ FERNANDO RAMOS ORIENTADOR:

Leia mais

Introdução em Banco de Dados

Introdução em Banco de Dados Introdução em Banco de Dados Aula08 ComandosSQL II comando ORDER BY Uma lista completa dos registros da tabela por ordem alfabética do campo NOME. comando ORDER BY... DESC Uma lista completa dos registros

Leia mais

SQL (Structured Query Language)

SQL (Structured Query Language) (Structured Query Language) I DDL (Definição de Esquemas Relacionais)... 2 I.2 Domínios... 2 I.3 Criação de Tabelas... 2 I.4 Triggers... 4 II DML Linguagem para manipulação de dados... 5 II.2 Comando SELECT...

Leia mais

Descrição Tinyint[(M)] Inteiro pequeno. Varia de 128 até +127

Descrição Tinyint[(M)] Inteiro pequeno. Varia de 128 até +127 Disciplina: Tópicos Especiais em TI PHP Este material foi produzido com base nos livros e documentos citados abaixo, que possuem direitos autorais sobre o conteúdo. Favor adquiri-los para dar continuidade

Leia mais

Criação de Consultas e Relatórios no Access CRIAÇÃO DE CONSULTAS E RELATÓRIOS NO ACCESS

Criação de Consultas e Relatórios no Access CRIAÇÃO DE CONSULTAS E RELATÓRIOS NO ACCESS Criação de Consultas e Relatórios no Access CRIAÇÃO DE CONSULTAS E RELATÓRIOS NO ACCESS Sumário Conceitos / Autores chave... 3 1. Introdução... 4 2. Consultas... 5 3. Relatórios... 8 4. Conclusões... 11

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR I DETALHAMENTO DAS ATIVIDADES REALIZADAS DURANTE O ESTÁGIO CURRICULAR NA OPENCORE TECNOLOGIA EM SOFTWARE

ESTÁGIO CURRICULAR I DETALHAMENTO DAS ATIVIDADES REALIZADAS DURANTE O ESTÁGIO CURRICULAR NA OPENCORE TECNOLOGIA EM SOFTWARE BRUNO PEREIRA DAMASCENO ESTÁGIO CURRICULAR I DETALHAMENTO DAS ATIVIDADES REALIZADAS DURANTE O ESTÁGIO CURRICULAR NA OPENCORE TECNOLOGIA EM SOFTWARE EMPRESA: OPENCORE TECNOLOGIA EM SOFTWARE SETOR: DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Structured Query Language (SQL) Aula Prática

Structured Query Language (SQL) Aula Prática Structured Query Language (SQL) Aula Prática Linguagens de SGBD Durante o desenvolvimento do sistema R, pesquisadores da IBM desenvolveram a linguagem SEQUEL, primeira linguagem de acesso para Sistemas

Leia mais

OPERANDO COM A NOTA FISCAL ELETRÔNICA

OPERANDO COM A NOTA FISCAL ELETRÔNICA OPERANDO COM A NOTA FISCAL ELETRÔNICA OPERANDO COM A NOTA FISCAL ELETRÔNICA Como já é de conhecimento de todos, iniciamos nossa operação de faturamento com o novo modelo exigido pelo Governo Federal, de

Leia mais

SUMÁRIO. 1 Cadastro Empresa / Estabelecimento ----------------------------------- Pág. 05

SUMÁRIO. 1 Cadastro Empresa / Estabelecimento ----------------------------------- Pág. 05 1 Apresentação O presente manual tem o objetivo de apresentar o sistema Fortes Compras e Estoque, instruindo o usuário sobre as funcionalidades do sistema, seus benefícios e especificidades. Nele pode

Leia mais

Introdução à linguagem SQL

Introdução à linguagem SQL Introdução à linguagem SQL 1 Histórico A linguagem de consulta estruturada (SQL - Structured Query Language) foi desenvolvida pela empresa IBM, no final dos anos 70. O primeiro banco de dados comercial

Leia mais

BANCO DE DADOS E BUSINESS INTELIGENCE. C/H: 20 horas (20/02, 25/02, 27/02, 04/03, 06/03)

BANCO DE DADOS E BUSINESS INTELIGENCE. C/H: 20 horas (20/02, 25/02, 27/02, 04/03, 06/03) MBA em Gestão de TI MÓDULO: BANCO DE DADOS E BUSINESS INTELIGENCE C/H: 20 horas (20/02, 25/02, 27/02, 04/03, 06/03) PROFESSOR: Edison Andrade Martins Morais prof@edison.eti.br http://www.edison.eti.br

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE ESCOLA AGRÍCOLA DE JUNDIAÍ EAJ - PRONATEC / REDE etec MÓDULO III DESENVOLVIMENTO PROFESSOR ADDSON COSTA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE ESCOLA AGRÍCOLA DE JUNDIAÍ EAJ - PRONATEC / REDE etec MÓDULO III DESENVOLVIMENTO PROFESSOR ADDSON COSTA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE ESCOLA AGRÍCOLA DE JUNDIAÍ EAJ - PRONATEC / REDE etec MÓDULO III DESENVOLVIMENTO PROFESSOR ADDSON COSTA RESUMO DE AULA CRIAÇÃO E MANIPULAÇÃO DO BANCO DE DADOS

Leia mais