Probabilidade parte 2. Robério Satyro

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Probabilidade parte 2. Robério Satyro"

Transcrição

1 Probabilidade arte Robério Satyro

2 Definição de robabilidade Vamos analisar o fenômeno aleatório lançamento de uma moeda erfeita. Nesse caso, temos: = {C, C} () = Os subconjuntos de são, {C}, { C} e {C, C}. Assim: () = 0 (C) = ( C) = (C, C) = Vemos que (A) 0, ara todo A. UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS

3 Definição de robabilidade Considerando A = {C} e B = { C}, vemos que: A B = e (A B) = ({C} { C}) = (C, C) = () = = + = ({C}) + ({ C}) = (A) + (B). Assim, odemos teoricamente considerar robabilidade como uma função definida nas artes de um conjunto () com valores reais. UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS 3

4 Proriedades Podemos então definir as seguintes roriedades: P : (A) 0, ara qualquer A ; P : () = ; P 3 : (A B) = (A) + (B), quando A B =. UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS 4

5 Consequências Como consequências da definição de robabilidade, temos as seguintes roriedades: ª roriedade: Imossibilidade ou () = 0 Como um evento qualquer A (A ) ode ser escrito como A e como A =, odemos alicar a roriedade P 3 e temos: (A) = (A ) = (A) + () () = 0 () = 0 UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS 5

6 Consequências ª roriedade: Probabilidade do evento comlementar Observe que, sendo A a comlementar de A, temos: notação ara A A = e A A = Logo: () = (A A ) Alicando P e P 3, temos: = (A) + ( A) ( A) = - (A) ( A) = - (A) UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS 6

7 Consequências 3ª roriedade: Probabilidade da união de dois eventos Admitiremos sem justificativas que: (A B) = (A) + (B) (A B) - robabilidade da união de dois eventos quaisquer. (A B) = (A) + (B), quando A B = UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS 7

8 Vamos raticar... No lançamento simultâneo de dois dados erfeitos distinguíveis, qual é a robabilidade de não sair soma 5? Nesse caso, o esaço amostral tem 36 elementos: = {(, ), (, ), (, 3),...,(6, 5), (6, 6)} UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS 8

9 Vamos raticar... Seja A o evento sair soma 5 ; A = {(, 4), (4, ), (, 3), (3, )} n(a) = 4 (A) = n(a) n() ( A) = - (A) - 9 = 9 9 = 8 9 A robabilidade de não sair soma 5 é 8 9. UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS 9

10 Vamos raticar... Ao retirar uma carta de um baralho de 5 cartas, qual é a robabilidade de que essa carta seja vermelha ou um ás? Evento V: a carta é vermelha ; Evento A: a carta é ás Evento (V A): a carta é vermelha ou ás (V A) = (V) + (A) (V A) UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS 0

11 Vamos raticar... Num baralho de 5 cartas, há 6 cartas vermelhas e 6 cartas retas. Há também 4 ases, dos quais são vermelhos. Logo: (V) = 6 5 = (A) = 4 5 = 3 (V A) = 5 = 6 Assim: (V A) = = 4 6 = 7 3 A robabilidade de a carta ser vermelha ou ás é de 7 3. UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS

12 Vamos raticar... Uma máquina roduz 50 arafusos dos quais 5 eram defeituosos. Ao egar ao acaso 3 arafusos, qual é a robabilidade de que: a) Os três sejam erfeitos? n() = 50 = 50! ! = = !47! ! Evento A: os três arafusos são erfeitos, como são erfeitos retiramos os 5 defeituosos dos 50 e combinamos 3 a 3. n(a) = 45 = 45! ! = !4! 3.. 4! (A) = ,7398 7% UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS

13 Vamos raticar... b) Os três sejam defeituosos Evento B: os três arafusos são 5 defeituosos, que ode ocorrer de 3 maneiras. Logo: n(b) = 5 3 = 5! 3!! = ! 3!. = 0 (B) = 0 = ,0005 0,05% UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS 3

14 Vamos raticar... c) Pelo menos um seja defeituoso? Evento C: elo menos um é defeituoso, que é o comlementar do evento A: os três são erfeitos (que é o mesmo que nenhum é defeituoso ). Logo: (E) = ( A) = (A) 0,7398 0,760 8% UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS 4

15 Probabilidade Condicional Analisemos a seguinte situação: Uma moeda é lançada três vezes. Nesse caso o esaço amostral é: = {CCC, CC C, C CC, C C C, CCC, CC C, C CC, C C C} Consideramos o evento A: sair cara exatamente duas vezes. Então: A = {CC C, C CC, CCC} (A) = 3 8 UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS 5

16 Probabilidade Condicional Agora, consideremos que, ao ser lançada a moeda três vezes, o resultado do rimeiro lançamento foi cara. Qual é a robabilidade de sair cara exatamente duas vezes? O esaço amostral assa a ser B com: B = {CCC, CC C, C CC, C C C} e A = {CC C, C CC} em que A = A B e a robabilidade edida é: (A ) = n(a ) n(b) = 4 = UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS 6

17 Probabilidade Condicional Observe que a robabilidade do evento sair cara em ambos os lançamentos foi modificada ela resença do evento condicionante o resultado do rimeiro lançamento foi cara. Definimos: Evento A: exatamente lançamentos dão cara. dois dos três A = {CC C, C CC, CCC} Evento B: o rimeiro lançamento dá cara. B = {CCC, CC C, C CC, C C C} UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS 7

18 Probabilidade Condicional Denotamos or A/B o evento A condicionado ao fato de que o evento B já ocorreu e or (A/B) a robabilidade condicional de ocorrer A, tendo ocorrido B. (A/B) é a robabilidade de sair cara exatamente duas vezes, tendo saído cara no rimeiro lançamento. UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS 8

19 Probabilidade Condicional Vimos que: (A/B) = (A ) = Então: (A/B) = n(a ) n(a B) = n(b) n(b) Dividimos ambos os termos da fração or n() 0, temos: n(a B) n() (A B) (A B) (A/B) = = n(b) (B) (A/B) = (B) n() Logo: (A B) = (A/B). (B) UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS 9

20 Vamos raticar... Uma família lanejou ter 3 crianças. Qual é a robabilidade de que a família tenha 3 homens, já que a rimeira criança que nasceu é homem? Nesse caso, chamando M: mulher e H: homem, temos: = {HHH, HHM, HMM, MMM, MMH, MHH, HMH, MHM} n() = 8 UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS 0

21 Vamos raticar... Evento A: a família tem 3 homens A = (HHH) Evento B: a rimeira criança é homem B = {HHH, HHM, HMH, HMM} A B = {HHH}; (A B) = 8 ; (B) = 4 8 = (A/B) = (A B) (B) = 8 = 4 UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS

22 Vamos raticar... As esquisas de oinião aontam 0% da oulação é constituída de mulheres que votam no artido X. Sabendo que 56% da oulação são mulheres, qual a robabilidade de que uma mulher selecionada ao acaso da oulação toda vote no artido X? B: essoa escolhida mulher A: a essoa vota no artido X A B: mulher que vota no artido X UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS

23 Vamos raticar... Procuramos (A/B). (B) = 0,56, que é equivalente a dizer que 56% da oulação são mulheres. (A B) = 0,, que é equivalente a dizer que 0% da oulação são mulheres que votam no artido X. Portanto, (A/B) = 0, = 0,35, que é 0,56 equivalente a dizer que 35% das mulheres votam no artido X. UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS 3

24 Eventos Indeendentes A indeendência de eventos é muito imortante em robabilidade. Aós analisar um exemlo, definiremos o que são eventos indeendentes. Consideremos o exerimento lançar dois dados erfeitos de cores diferentes. Seja A o evento sair o 6 no º dado e B, sair o 3 no º dado. UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS 4

25 Eventos Indeendentes Observemos que: n() = 36 A = {(6, ), (6, ), (6, 3), (6, 4), (6, 5), (6, 6)} B = {(, 3), (, 3), (3, 3), (4, 3), (5, 3), (6, 3)} (A) = 6 36 = 6 (B) = 6 36 = 6 A B = (6, 3) = (A B) = 36 (B A) (B/A) = = = (A) UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS 5

26 Eventos Indeendentes Assim, (B) = (B/A) =, ou seja, a 6 robabilidade de sair 3 no º dado não foi afetada elo fato de sair 6 no º dado, ou, ainda a robabilidade de ocorrer B não deendeu da ocorrência de A. Nesse caso, dizemos que A e B são eventos indeendentes. A robabilidade de ocorrer um deles não deende do fato de ter ou não ocorrido o outro. UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS 6

27 Eventos Indeendentes Dessa forma, também é verdade que (A) = (A/B). (A B) Assim, como (A/B) =, temos: (B) (A B) = (A/B). (B) = (A). (B) Logo, o fato de A e B serem eventos indeendentes é equivalente a dizer que (A B) = (A). (B). UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS 7

28 Eventos Indeendentes Poderíamos, então, dar a definição: Dois eventos A e B de um esaço amostral (com (A) 0 e (B) 0) são indeendentes se, e somente se, (A/B) = (A), ou de modo equivalente: (A B) = (A). (B) Com isso, odemos afirmar que dois eventos A e B são deendentes quando (A B) (A). (B) UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS 8

29 Vamos raticar... Consideremos um cria de cachorros com 3 filhotes. Sejam os eventos A: obtenção de elo menos dois machos e B: obtenção de elo menos um de cada sexo. Os eventos A e B são indeendentes? UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS 9

30 Vamos raticar... m: macho; f: fêmea = {mmm, mmf, mfm, fmm, mff, fmf, ffm, fff} A = {mmm, mmf, mfm, fmm} (A) = B = {mmf, mfm, fmm, mff, fmf, ffm } (B) = 3 4 A B = {mmf, mfm, fmm} (A B ) = 3 8 Vemos que 3 = Como (A B) = (A). (B), temos que A e B são indeendentes. UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS 30

31 Método Binomial O método do roduto robabilidades é usado, or exemlo, quando se quer saber qual a robabilidade de, numa família, todas as crianças serem meninos ou todas serem meninas. Se uma casal lanejou ter 4 filhos, a robabilidade de que todos sejam meninos é: 6 UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS 3

32 Método Binomial Quando há mistura de sexos, or exemlo 3 meninos e menina, meninas, etc. e não se esecifica a ordem de ocorrência, odemos usar o método binomial. Vejamos agora or meio de exemlos, no que consiste o método binomial e quando odemos usa-los. UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS 3

33 Método Binomial º) Consideremos uma família com duas crianças. Se reresentarmos o nascimento de um menino or M e o nascimento de uma menina or F, temos: UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS 33

34 Método Binomial ( M ) ; ( F) q ; q { MM, MF, FM, FF} UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS 34

35 Método Binomial Como sabemos que cada nascimento é indeendente de nascimentos anteriores, temos: UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS 35

36 Método Binomial UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS 36 4 ) ( ) ( (MM) ² M M 4 ) ( ) ( (MF) q F M 4 ) ( ) ( (FF) ² q F F 4 ) ( ) ( (FM) q M F

37 Método Binomial Observe que a robabilidade total é igual a : UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS 37

38 Método Binomial Se não considerarmos a ordem em que ocorrem os nascimentos, odemos escrever: ² q q² Onde ² é a robabilidade de nascerem meninos, q é a robabilidade de nascerem menino e menina e q² é a robabilidade de nascerem meninas. UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS 38

39 Método Binomial ² é a robabilidade de nascerem meninos, ou seja: 4 UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS 39

40 Método Binomial A robabilidade de nascerem menino e menina( desconsiderando a ordem) é q, ou seja: UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS 40

41 Método Binomial A robabilidade de nascerem meninas é q², ou seja: 4 UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS 4

42 Método Binomial Observemos que: ² q q² ² q q² 0 ( q)² ² UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS 4

43 Método Binomial Em uma família, a robabilidade de nascerem n crianças, das quais k sejam meninos e n-k sejam meninas, é dada or: ( k meninos, n k meninas) n k k q n k UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS 43

44 Método Binomial Quando usamos essa fórmula, dizemos que estamos alicando o método binomial. Essa robabilidade é um termo da exansão binomial ( q) n ( k meninos, n k meninas) n k k q n k UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS 44

45 Método Binomial º) uma casal retende ter 5 filhos e deseja saber qual é a robabilidade de ter: a) 5 meninos; b) meninos e 3 meninas; c) menino e 4 meninas; d) 3 meninos e meninas UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS 45

46 Método Binomial a) qual é a robabilidade de ter 5 meninos? ( k meninos, n k meninas) n k k q n k UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS 46

47 Método Binomial q q 5 ² q q q q UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS 47

48 Método Binomial UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS ² )!!(5 5! )!!(5 5! 0)! 0!(5 5! q q q )! 5!(5 5! 4)! 4!(5 5! 3)! 3!(5 5! q q q

49 Método Binomial 0 5 q 5 q 0² q q 5 q q UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS 49

50 Método Binomial a) qual é a robabilidade de ter 5 meninos? ( k meninos, n k meninas) n k k q n k 5 ; 5 3 UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS 50

51 Método Binomial b) qual é a robabilidade de ter meninos e 3 meninas? 0 ² ( k 3 q ; meninos, n q k meninas) 0 n k k q n 3 k 5 6 UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS 5

52 Método Binomial c) qual é a robabilidade de ter menino e 4 meninas? 5 q 4 ( k ; meninos, n q k meninas) 5 n k k q n 4 k 5 3 UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS 5

53 Método Binomial d) qual é a robabilidade de ter 3 meninos e meninas? 0 ( k 3 q ; meninos, n q k meninas) 0 n k k q n 3 k 5 6 UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS 53

7- Probabilidade da união de dois eventos

7- Probabilidade da união de dois eventos . 7- Probabilidade da união de dois eventos Sejam A e B eventos de um mesmo espaço amostral Ω. Vamos encontrar uma expressão para a probabilidade de ocorrer o evento A ou o evento B, isto é, a probabilidade

Leia mais

Bom serviço dentro da garantia Serviço deficiente dentro da garantia Vendedores de determinada marca de pneus 64 16

Bom serviço dentro da garantia Serviço deficiente dentro da garantia Vendedores de determinada marca de pneus 64 16 Lista de Probabilidade Básica com gabarito 1. Considere a experiência que consiste em pesquisar famílias com três crianças, em relação ao sexo das mesmas, segundo a ordem de nascimento. (a)determine o

Leia mais

VARIÁVEL ALEATÓRIA e DISTRIBUIÇÃO BINOMIAL

VARIÁVEL ALEATÓRIA e DISTRIBUIÇÃO BINOMIAL VARIÁVEL ALEATÓRIA e DISTRIBUIÇÃO BINOMIAL 1 Variável Aleatória Uma função X que associa a cada elemento w do espaço amostral W um valor x R é denominada uma variável aleatória. Experimento: jogar 1 dado

Leia mais

Modelos Probabiĺısticos Discretos

Modelos Probabiĺısticos Discretos Discretos Prof. Gilberto Rodrigues Liska UNIPAMPA 19 de Setembro de 2017 Material de Apoio e-mail: gilbertoliska@unipampa.edu.br Gilberto R. Liska ( UNIPAMPA ) Notas de Aula 19 de Setembro de 2017 1 /

Leia mais

Teoria das Probabilidades I. Ana Maria Lima de Farias Universidade Federal Fluminense

Teoria das Probabilidades I. Ana Maria Lima de Farias Universidade Federal Fluminense Teoria das Probabilidades I Ana Maria Lima de Farias Universidade Federal Fluminense Conteúdo 1 Probabilidade - Conceitos Básicos 1 1.1 Introdução....................................... 1 1.2 Experimento

Leia mais

Noções de Probabilidade e Estatística CAPÍTULO 2

Noções de Probabilidade e Estatística CAPÍTULO 2 Noções de Probabilidade e Estatística Resolução dos Exercícios Ímpares CAPÍTULO 2 Felipe E. Barletta Mendes 8 de outubro de 2007 Exercícios da seção 2.1 1 Para cada um dos casos abaixo, escreva o espaço

Leia mais

A probabilidade representa o resultado obtido através do cálculo da intensidade de ocorrência de um determinado evento.

A probabilidade representa o resultado obtido através do cálculo da intensidade de ocorrência de um determinado evento. Probabilidade A probabilidade estuda o risco e a ocorrência de eventos futuros determinando se existe condição de acontecimento ou não. O olhar da probabilidade iniciou-se em jogos de azar (dados, moedas,

Leia mais

Introdução à Probabilidade e Estatística

Introdução à Probabilidade e Estatística Professor Cristian F. Coletti Introdução à Probabilidade e Estatística (1 Para cada um dos casos abaixo, escreva o espaço amostral correspondente e conte seus elementos. a Uma moeda é lançada duas vezes

Leia mais

Faculdade Tecnológica de Carapicuíba Tecnologia em Logística Ênfase em Transportes Notas da Disciplina de Estatística (versão 8.

Faculdade Tecnológica de Carapicuíba Tecnologia em Logística Ênfase em Transportes Notas da Disciplina de Estatística (versão 8. Faculdade Tecnológica de Carapicuíba Tecnologia em Logística Ênfase em Transportes Notas da Disciplina de Estatística (versão 8.) PROBABILIDADE Dizemos que a probabilidade é uma medida da quantidade de

Leia mais

PROBABILIDADE PROFESSOR: ANDRÉ LUIS

PROBABILIDADE PROFESSOR: ANDRÉ LUIS PROBABILIDADE PROFESSOR: ANDRÉ LUIS 1. Experimentos Experimento determinístico: são aqueles em que o resultados são os mesmos, qualquer que seja o número de ocorrência dos mesmos. Exemplo: Um determinado

Leia mais

UNITAU APOSTILA PROBABILIDADES PROF. CARLINHOS

UNITAU APOSTILA PROBABILIDADES PROF. CARLINHOS ESCOLA DE APLICAÇÃO DR. ALFREDO JOSÉ ALI UNITAU APOSTILA PROAILIDADES ibliografia: Curso de Matemática Volume Único Autores: ianchini&paccola Ed. Moderna Matemática Fundamental - Volume Único Autores:

Leia mais

Módulo VIII. Probabilidade: Espaço Amostral e Evento

Módulo VIII. Probabilidade: Espaço Amostral e Evento 1 Módulo VIII Probabilidade: Espaço Amostral e Evento Suponha que em uma urna existam cinco bolas vermelhas e uma branca. Extraindo-se, ao acaso, uma das bolas, é mais provável que esta seja vermelha.

Leia mais

Probabilidade. Multiplicação e Teorema de Bayes

Probabilidade. Multiplicação e Teorema de Bayes robabilidade Multiplicação e Teorema de ayes Regra da Multiplicação Num teste, são aplicadas 2 questões de múltipla escolha. Na primeira questão, as respostas possíveis são V ou F. Na segunda, a, b, c,

Leia mais

Cálculo das Probabilidades e Estatística I

Cálculo das Probabilidades e Estatística I Cálculo das Probabilidades e Estatística I Prof a. Juliana Freitas Pires Departamento de Estatística Universidade Federal da Paraíba - UFPB juliana@de.ufpb.br Introdução a Probabilidade Existem dois tipos

Leia mais

P(seleção de um elemento baixo) = p P(seleção de um elemento médio) = p. P(seleção de um elemento alto) = p

P(seleção de um elemento baixo) = p P(seleção de um elemento médio) = p. P(seleção de um elemento alto) = p . A Distribuição Multinomial - Teste Qui-Quadrado. Inferência Estatística Uma imortante generalização da rova de Bernoulli (), é a chamada rova multinomial. Uma rova de Bernoulli () ode roduzir dois resultados

Leia mais

Regra do Evento Raro p/ Inferência Estatística:

Regra do Evento Raro p/ Inferência Estatística: Probabilidade 3-1 Aspectos Gerais 3-2 Fundamentos 3-3 Regra da Adição 3-4 Regra da Multiplicação: 3-5 Probabilidades por Meio de Simulações 3-6 Contagem 1 3-1 Aspectos Gerais Objetivos firmar um conhecimento

Leia mais

Exercícios sobre probabilidades Matemática aula por aula Benigno Barreto Filho/Cláudio Xavier Toledo da Silva vol. 2 Ensino Médio.

Exercícios sobre probabilidades Matemática aula por aula Benigno Barreto Filho/Cláudio Xavier Toledo da Silva vol. 2 Ensino Médio. Atividade sobre Probabilidades 4 o bim. 2009 2 os anos 1) No lançamento simultâneo de 2 dados, considere as faces voltadas para cima e determine a) espaço amostral S. b) evento E 1 : números cuja soma

Leia mais

Universidade Federal de Goiás Instituto de Matemática e Estatística

Universidade Federal de Goiás Instituto de Matemática e Estatística Universidade Federal de Goiás Instituto de Matemática e Estatística Prova 1 de Probabilidade I Prof.: Fabiano F. T. dos Santos Goiânia, 15 de setembro de 2014 Aluno: Nota: Descreva seu raciocínio e desenvolva

Leia mais

Matemática. Resolução das atividades complementares. M6 Probabilidade

Matemática. Resolução das atividades complementares. M6 Probabilidade Resolução das atividades complementares Matemática M Probabilidade p. Numa urna há seis bolas numeradas de 0 a. a) Dê o espaço amostral nesta situação: retirar uma bola da urna. b) Descreva o evento A:

Leia mais

NOTAS DE AULA - ESTATÍSTICA PROBABILIDADE DISTRIBUIÇÃO DE PROBABILIDADE

NOTAS DE AULA - ESTATÍSTICA PROBABILIDADE DISTRIBUIÇÃO DE PROBABILIDADE NOTAS DE AULA - ESTATÍSTICA ROBABILIDADE DISTRIBUIÇÃO DE ROBABILIDADE ISABEL C. C. LEITE SALVADOR BA 007 Estatística rof.ª Isabel C. C. Leite 1 Introdução robabilidades De modo geral ao estudarmos qualquer

Leia mais

Unidade 11 - Probabilidade. Probabilidade Empírica Probabilidade Teórica

Unidade 11 - Probabilidade. Probabilidade Empírica Probabilidade Teórica Unidade 11 - Probabilidade Probabilidade Empírica Probabilidade Teórica Probabilidade Empírica Existem probabilidade que são baseadas apenas uma experiência de fatos, sem necessariamente apresentar uma

Leia mais

C Curso destinado à preparação para Concursos Públicos e Aprimoramento Profissional via INTERNET www.concursosecursos.com.br RACIOCÍNIO LÓGICO AULA 7

C Curso destinado à preparação para Concursos Públicos e Aprimoramento Profissional via INTERNET www.concursosecursos.com.br RACIOCÍNIO LÓGICO AULA 7 RACIOCÍNIO LÓGICO AULA 7 TEORIA DAS PROBABILIDADES Vamos considerar os seguintes experimentos: Um corpo de massa m, definida sendo arrastado horizontalmente por uma força qualquer, em um espaço definido.

Leia mais

Espaços Amostrais e Eventos. Probabilidade 2.1. Capítulo 2. Espaço Amostral. Espaço Amostral 02/04/2012. Ex. Jogue um dado

Espaços Amostrais e Eventos. Probabilidade 2.1. Capítulo 2. Espaço Amostral. Espaço Amostral 02/04/2012. Ex. Jogue um dado Capítulo 2 Probabilidade 2.1 Espaços Amostrais e Eventos Espaço Amostral Espaço Amostral O espaço amostral de um experimento, denotado S, é o conjunto de todos os possíveis resultados de um experimento.

Leia mais

Noções de Probabilidade

Noções de Probabilidade Noções de Probabilidade Bacharelado em Economia - FEA - Noturno 1 o Semestre 2015 Gilberto A. Paula G. A. Paula - MAE0219 (IME-USP) Noções de Probabilidade 1 o Semestre 2015 1 / 59 Objetivos da Aula Sumário

Leia mais

Modelagem Conceitual parte II

Modelagem Conceitual parte II Modelagem Conceitual arte II Vitor Valerio de Souza Camos Objetivos Aresentar o conceito de. Mostrar a cardinalidade de. Aresentar os tios de s. Aresentar o conceito de entidade fraca Aresentar o conceito

Leia mais

CAPÍTULO I - ELEMENTOS DE PROBABILIDADE

CAPÍTULO I - ELEMENTOS DE PROBABILIDADE CAPÍTULO I - ELEMENTOS DE PROBABILIDADE 1.1 INTRODUÇÃO Em geral, um experimento ao ser observado e repetido sob um mesmo conjunto especificado de condições, conduz invariavelmente ao mesmo resultado. São

Leia mais

Estatística e Probabilidade. Aula 4 Cap 03. Probabilidade

Estatística e Probabilidade. Aula 4 Cap 03. Probabilidade Estatística e Probabilidade Aula 4 Cap 03 Probabilidade Estatística e Probabilidade Método Estatístico Estatística Descritiva Estatística Inferencial Nesta aula... aprenderemos como usar informações para

Leia mais

Universidade Federal do Paraná Departamento de Informática. Reconhecimento de Padrões. Revisão de Probabilidade e Estatística

Universidade Federal do Paraná Departamento de Informática. Reconhecimento de Padrões. Revisão de Probabilidade e Estatística Universidade Federal do Paraná Departamento de Informática Reconhecimento de Padrões Revisão de Probabilidade e Estatística Luiz Eduardo S. Oliveira, Ph.D. http://lesoliveira.net Conceitos Básicos Estamos

Leia mais

I. Experimentos Aleatórios

I. Experimentos Aleatórios A teoria do azar consiste em reduzir todos os acontecimentos do mesmo gênero a um certo número de casos igualmente possíveis, ou seja, tais que estejamos igualmente inseguros sobre sua existência, e em

Leia mais

Unidade de Ensino Descentralizada de Colatina Coordenadoria de Informática Disciplina: Probabilidade e Estatística Prof. Leandro Melo de Sá

Unidade de Ensino Descentralizada de Colatina Coordenadoria de Informática Disciplina: Probabilidade e Estatística Prof. Leandro Melo de Sá Unidade de Ensino Descentralizada de Colatina Coordenadoria de Informática Disciplina: Probabilidade e Estatística Prof. Leandro Melo de Sá 2006/2 Unidade 2 - PROBABILIDADE Conceitos básicos * Probabilidade:

Leia mais

Estatística stica para Metrologia

Estatística stica para Metrologia Estatística stica para Metrologia Aula 2 Definições básicas Introdução à robabilidade Mônica Barros, D.Sc. Março o de 2008 1 2 robabilidades Introdução robabilidade faz parte do nosso dia a dia, por exemplo:

Leia mais

Raciocínio Lógico Exercícios. Prof. Pacher A B P(A B) P(A/B) = P(B) n(a) P(A) = n(s) PROBABILIDADE DECORRÊNCIA DA DEFINIÇÃO

Raciocínio Lógico Exercícios. Prof. Pacher A B P(A B) P(A/B) = P(B) n(a) P(A) = n(s) PROBABILIDADE DECORRÊNCIA DA DEFINIÇÃO PROBBILIDDE Introdução teoria da probabilidade é o ramo da matemática que cria, desenvolve e em geral pesquisa modelos que podem ser utilizados para estudar experimentos aleatórios ou não determinísticos.

Leia mais

Professor Mauricio Lutz PROBABILIDADE

Professor Mauricio Lutz PROBABILIDADE PROBABILIDADE Todas as vezes que se estudam fenômenos de observação, cumpre-se distinguir o próprio fenômeno e o modelo matemático (determinístico ou probabilístico) que melhor o explique. Os fenômenos

Leia mais

Lista 2 - Probabilidade. Probabilidade. 1. Uma letra é escolhida entre as letras da palavra PROBABILIDADE

Lista 2 - Probabilidade. Probabilidade. 1. Uma letra é escolhida entre as letras da palavra PROBABILIDADE Estatística 2 a LISTA DE EXERCÍCIOS Prof. Ânderson Vieira Probabilidade Espaço Amostral Em cada um dos exercícios a 0. Determine o espaço amostral.. Uma letra é escolhida entre as letras da palavra PROBABILIDADE

Leia mais

Probabilidade Condicional

Probabilidade Condicional PROBABILIDADES Probabilidade Condicional BERTOLO Exemplo Introdutório Vamos introduzir a noção de probabilidade condicional através de um exemplo. Consideremos 250 estudantes que cursam o 4º ano de Ciências

Leia mais

INSTITUTO DE APLICAÇÃO FERNANDO RODRIGUES DA SILVEIRA (CAp/UERJ) MATEMÁTICA ENSINO MÉDIO - PROF. ILYDIO SÁ CÁLCULO DE PROBABILIDADES PARTE 1

INSTITUTO DE APLICAÇÃO FERNANDO RODRIGUES DA SILVEIRA (CAp/UERJ) MATEMÁTICA ENSINO MÉDIO - PROF. ILYDIO SÁ CÁLCULO DE PROBABILIDADES PARTE 1 1 INSTITUTO DE APLICAÇÃO FERNANDO RODRIGUES DA SILVEIRA (CAp/UERJ) MATEMÁTICA ENSINO MÉDIO - PROF. ILYDIO SÁ CÁLCULO DE PROBABILIDADES PARTE 1 1. Origem histórica É possível quantificar o acaso? Para iniciar,

Leia mais

Fascículo 11 Unidades 34, 35 e 36. 2ª Edição

Fascículo 11 Unidades 34, 35 e 36. 2ª Edição 2ª Edição Fascículo 11 Unidades 34, 35 e 36 GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Governador Sergio Cabral Vice-Governador Luiz Fernando de Souza Pezão SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA Secretário

Leia mais

FCHS - FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS PRIAD PROGRAMA DE REVISÃO INTENSIVA EM ADMINISTRAÇÃO

FCHS - FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS PRIAD PROGRAMA DE REVISÃO INTENSIVA EM ADMINISTRAÇÃO FCHS - FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS PRIAD PROGRAMA DE REVISÃO INTENSIVA EM ADMINISTRAÇÃO TEMA PRIAD PROBABILIDADES E APLICAÇÕES PRÁTICAS DATA / / ALUNO RA TURMA 1) Num levantamento realizado

Leia mais

1 Probabilidade Condicional - continuação

1 Probabilidade Condicional - continuação 1 Probabilidade Condicional - continuação Exemplo: Sr. e Sra. Ferreira mudaram-se para Campinas e sabe-se que têm dois filhos sendo pelo menos um deles menino. Qual a probabilidade condicional que ambos

Leia mais

NOÇÕES DE PROBABILIDADE

NOÇÕES DE PROBABILIDADE NOÇÕES DE PROBABILIDADE Fenômeno Aleatório: situação ou acontecimento cujos resultados não podem ser determinados com certeza. Exemplos: 1. Resultado do lançamento de um dado;. Hábito de fumar de um estudante

Leia mais

Teoria das Probabilidades

Teoria das Probabilidades Teoria das Probabilidades Qual a probabilidade de eu passar no vestibular? Leandro Augusto Ferreira Centro de Divulgação Científica e Cultural Universidade de São Paulo São Carlos - Abril / 2009 Sumário

Leia mais

CONCEITOS. Evento: qualquer subconjunto do espaço amostral. Uma primeira idéia do cálculo de probabilidade. Eventos Teoria de conjuntos

CONCEITOS. Evento: qualquer subconjunto do espaço amostral. Uma primeira idéia do cálculo de probabilidade. Eventos Teoria de conjuntos INTRODUÇÃO À PROAILIDADE Exemplos: O problema da coincidência de datas de aniversário O problema da mega sena A teoria das probabilidade nada mais é do que o bom senso transformado em cálculo A probabilidade

Leia mais

Probabilidade - Conceitos Básicos. Anderson Castro Soares de Oliveira

Probabilidade - Conceitos Básicos. Anderson Castro Soares de Oliveira - Conceitos Básicos Castro Soares de Oliveira é o ramo da matemática que estuda fenômenos aleatórios. está associada a estatística, porque sua teoria constitui a base de estatística inferencial. Conceito

Leia mais

Distribuições de Probabilidade Distribuição Binomial

Distribuições de Probabilidade Distribuição Binomial PROBABILIDADES Distribuições de Probabilidade Distribuição Binomial BERTOLO PRELIMINARES Quando aplicamos a Estatística na resolução de situações-problema, verificamos que muitas delas apresentam as mesmas

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS VARIÁVEIS ALEATÓRIAS

LISTA DE EXERCÍCIOS VARIÁVEIS ALEATÓRIAS LISTA DE EXERCÍCIOS VARIÁVEIS ALEATÓRIAS 1. Construir um quadro e o gráfico de uma distribuição de probabilidade para a variável aleatória X: número de coroas obtidas no lançamento de duas moedas. 2. Fazer

Leia mais

11 - CASTELOS E ACESSÓRIOS LIGAÇÃO / CROMADOS. Tabela de Preços. www.fanusol.pt

11 - CASTELOS E ACESSÓRIOS LIGAÇÃO / CROMADOS. Tabela de Preços. www.fanusol.pt Tabela de Preços www.fanusol.pt 1219000016 CASTELO TORN.P.FIXO 21-32-1/2"-SF 1,95 1218000616 CASTELO PASSADOR S/MAN.1/2"x6 3,65 1219000016 CASTELO TORN.P.FIXO 21-32-1/2"-SG 1,95 1218000625 CASTELO PASSADOR

Leia mais

Atividade à Distância Avaliativa - Probabilidade. 1 Probabilidade - Operações e Propriedades

Atividade à Distância Avaliativa - Probabilidade. 1 Probabilidade - Operações e Propriedades Universidade Estadual de Santa Cruz UESC Professora: Camila M. L Nagamine Bioestatística Atividade à Distância Avaliativa - Probabilidade Se ouço, esqueço; se vejo, recordo; se faço, aprendo. (Provérbio

Leia mais

ESTATÍSTICA I LISTA DE EXERCÍCIOS 2 GABARITO

ESTATÍSTICA I LISTA DE EXERCÍCIOS 2 GABARITO ESTATÍSTICA I LISTA DE EXERCÍCIOS 2 GABARITO 1. (Magalhães e Lima, pg 40) Para cada um dos casos abaixo, escreva o espaço amostral correspondente e conte seus elementos: (a) Uma moeda é lançada duas vezes

Leia mais

1. Introdução 2. OMCC e a Pesquisa Perfil-Opinião

1. Introdução 2. OMCC e a Pesquisa Perfil-Opinião Perfil Socioeconômico e Cultural dos Visitantes dos Museus Fluminenses e Paulistas: Uma Análise Comarativa. Camila Pereira Koehler (ENCE); José Matias de Lima (ENCE); Leandro Lins Marino (Fundação Cesgranrio)

Leia mais

CAPÍTULO 04 NOÇÕES DE PROBABILIDADE

CAPÍTULO 04 NOÇÕES DE PROBABILIDADE CAPÍTULO 0 NOÇÕES DE PROBABILIDADE. ESPAÇO AMOSTRAL É o conjunto de todos os possíveis resultados de um experimento aleatório. No lançamento de uma moeda perfeita (não viciada) o espaço amostral é S =

Leia mais

1. ENTALPIA. (a) A definição de entalpia. A entalpia, H, é definida como:

1. ENTALPIA. (a) A definição de entalpia. A entalpia, H, é definida como: 1 Data: 31/05/2007 Curso de Processos Químicos Reerência: AKINS, Peter. Físico- Química. Sétima edição. Editora, LC, 2003. Resumo: Proas. Bárbara Winiarski Diesel Novaes 1. ENALPIA A variação da energia

Leia mais

Aula 11 Esperança e variância de variáveis aleatórias discretas

Aula 11 Esperança e variância de variáveis aleatórias discretas Aula 11 Esperança e variância de variáveis aleatórias discretas Nesta aula você estudará os conceitos de média e variância de variáveis aleatórias discretas, que são, respectivamente, medidas de posição

Leia mais

Distribuição de uma proporção amostral

Distribuição de uma proporção amostral Distribuição de uma roorção amostral Estatística II Antonio Roque Aula 4 Exemlo Ilustrativo: Suonha que se saiba que em uma certa oulação humana uma roorção de essoas igual a = 0, 08 (8%) seja cega ara

Leia mais

4. σ 2 Var X p x q e σ Dp X Podemos escrever o modelo do seguinte modo:

4. σ 2 Var X p x q e σ Dp X Podemos escrever o modelo do seguinte modo: Distribuições de Probabilidades Quando aplicamos a Estatística na resolução de problemas administrativos, verificamos que muitos problemas apresentam as mesmas características o que nos permite estabelecer

Leia mais

MAT 461 Tópicos de Matemática II Aula 3: Resumo de Probabilidade

MAT 461 Tópicos de Matemática II Aula 3: Resumo de Probabilidade MAT 461 Tópicos de Matemática II Aula 3: Resumo de Probabilidade Edson de Faria Departamento de Matemática IME-USP 19 de Agosto, 2013 Probabilidade: uma Introdução / Aula 3 1 Probabilidade Discreta: Exemplos

Leia mais

Probabilidade - aula I

Probabilidade - aula I e 27 de Fevereiro de 2015 e e Experimentos Aleatórios e Objetivos Ao final deste capítulo você deve ser capaz de: Entender e descrever espaços amostrais e eventos para experimentos aleatórios. Interpretar

Leia mais

Segunda aula de mecânica dos fluidos básica. Estática dos Fluidos capítulo 2 do livro do professor Franco Brunetti

Segunda aula de mecânica dos fluidos básica. Estática dos Fluidos capítulo 2 do livro do professor Franco Brunetti Segunda aula de mecânica dos fluidos básica Estática dos Fluidos caítulo 2 do livro do rofessor Franco Brunetti NO DESENVOLVIMENTO DESTA SEGUNDA AULA NÃO IREI ME REPORTAR DIRETAMENTE AO LIVRO MENCIONADO

Leia mais

Exercícios Resolvidos da Distribuição Binomial

Exercícios Resolvidos da Distribuição Binomial . a. Estabeleça as condições exigidas para se aplicar a distribuição binomial? b. Qual é a probabilidade de caras em lançamentos de uma moeda honesta? c. Qual é a probabilidade de menos que caras em lançamentos

Leia mais

Distribuição Uniforme Discreta. Modelos de distribuições discretas. Distribuição de Bernoulli. Distribuição Uniforme Discreta

Distribuição Uniforme Discreta. Modelos de distribuições discretas. Distribuição de Bernoulli. Distribuição Uniforme Discreta Distribuição Uniforme Discreta Modelos de distribuições discretas Notas de Aula da Profa. Verónica González-López e do Prof. Jesús Enrique García, digitadas por Beatriz Cuyabano. Acréscimos e modicações:

Leia mais

Cap. 4 - Probabilidade

Cap. 4 - Probabilidade statística para Cursos de ngenharia e Informática edro lberto Barbetta / Marcelo Menezes Reis / ntonio Cezar Bornia São aulo: tlas, 2004 Cap. 4 - robabilidade OIO: undação de Ciência e Tecnologia de Santa

Leia mais

Bioestatística Aula 3

Bioestatística Aula 3 Aula 3 Castro Soares de Oliveira Probabilidade Probabilidade é o ramo da matemática que estuda fenômenos aleatórios. Probabilidade é uma medida que quantifica a sua incerteza frente a um possível acontecimento

Leia mais

Espaço Amostral ( ): conjunto de todos os

Espaço Amostral ( ): conjunto de todos os PROBABILIDADE Espaço Amostral (): conjunto de todos os resultados possíveis de um experimento aleatório. Exemplos: 1. Lançamento de um dado. = {1,, 3, 4,, 6}. Doador de sangue (tipo sangüíneo). = {A, B,

Leia mais

Módulo X. Querido aluno(a)!!!

Módulo X. Querido aluno(a)!!! 1 Módulo X Querido aluno(a)!!! É o que deseja a equipe www.somaticaeducar.com.br 2 Exercícios 1) Um grupo de 15 elementos apresenta a seguinte composição: Um elemento é escolhido as acaso. Pergunta-se:

Leia mais

Exercícios resolvidos sobre Definição de Probabilidade

Exercícios resolvidos sobre Definição de Probabilidade Exercícios resolvidos sobre Definição de Probabilidade Nesta Unidade de estudo, até este ponto você aprendeu definições de probabilidade e viu como os conceitos se aplicam a várias situações. Observe agora

Leia mais

Probabilidades Duds. A probabilidade de que este último lápis retirado não tenha ponta é igual a: a) 0,64 b) 0,57 c) 0,52 d) 0,42

Probabilidades Duds. A probabilidade de que este último lápis retirado não tenha ponta é igual a: a) 0,64 b) 0,57 c) 0,52 d) 0,42 Probabilidades Duds 1. (Upe 2013) Em uma turma de um curso de espanhol, três pessoas pretendem fazer intercâmbio no Chile, e sete na Espanha. Dentre essas dez pessoas, foram escolhidas duas para uma entrevista

Leia mais

Teorema (Algoritmo da Divisão)

Teorema (Algoritmo da Divisão) Teorema (Algoritmo da Divisão) Sejam a e b números inteiros, com b > 0. Então existem números inteiros q e r, únicos e tais que a = bq + r, com 0 r < b. Demonstração. Existência: Consideremos S = {a bk

Leia mais

1. Cinco cartas são extraídas de um baralho comum (52 cartas, 13 de cada naipe) sem reposição. Defina a v.a. X = número de cartas vermelhas sorteadas.

1. Cinco cartas são extraídas de um baralho comum (52 cartas, 13 de cada naipe) sem reposição. Defina a v.a. X = número de cartas vermelhas sorteadas. GET007 Métodos Estatísticos Aplicados à Economia I Lista de Exercícios - variáveis Aleatórias Discretas Profa. Ana Maria Farias. Cinco cartas são extraídas de um baralho comum ( cartas, de cada naipe sem

Leia mais

Para cada um dos experimentos abaixo, descreva o espaço amostral e dê o número de seus elementos.

Para cada um dos experimentos abaixo, descreva o espaço amostral e dê o número de seus elementos. 1 Exercício 1 Para cada um dos experimentos abaixo, descreva o espaço amostral e dê o número de seus elementos. (a) Numa linha de produção conta-se o número de peças defeituosas num intervalo de uma hora.

Leia mais

MODELOS PROBABILÍSTICOS MAIS COMUNS VARIÁVEIS ALEATÓRIAS DISCRETAS

MODELOS PROBABILÍSTICOS MAIS COMUNS VARIÁVEIS ALEATÓRIAS DISCRETAS MODELOS PROBABILÍSTICOS MAIS COMUNS VARIÁVEIS ALEATÓRIAS DISCRETAS Definições Variáveis Aleatórias Uma variável aleatória representa um valor numérico possível de um evento incerto. Variáveis aleatórias

Leia mais

INE 5111 Gabarito da Lista de Exercícios de Probabilidade INE 5111 LISTA DE EXERCÍCIOS DE PROBABILIDADE

INE 5111 Gabarito da Lista de Exercícios de Probabilidade INE 5111 LISTA DE EXERCÍCIOS DE PROBABILIDADE INE 5 LISTA DE EERCÍCIOS DE PROBABILIDADE INE 5 Gabarito da Lista de Exercícios de Probabilidade ) Em um sistema de transmissão de dados existe uma probabilidade igual a 5 de um dado ser transmitido erroneamente.

Leia mais

PROBABILIDADE Prof. Adriano Mendonça Souza, Dr.

PROBABILIDADE Prof. Adriano Mendonça Souza, Dr. PROBABILIDADE Prof. Adriano Mendonça Souza, Dr. Departamento de Estatística - PPGEMQ / PPGEP - UFSM - O intelecto faz pouco na estrada que leva à descoberta, acontece um salto na consciência, chameo de

Leia mais

Dois eventos são disjuntos ou mutuamente exclusivos quando não tem elementos em comum. Isto é, A B = Φ

Dois eventos são disjuntos ou mutuamente exclusivos quando não tem elementos em comum. Isto é, A B = Φ Probabilidade Vimos anteriormente como caracterizar uma massa de dados, como o objetivo de organizar e resumir informações. Agora, apresentamos a teoria matemática que dá base teórica para o desenvolvimento

Leia mais

23/03/2014. Tratamento de Incertezas TIC-00.176. Aula 4. Conteúdo Espaços Amostrais e Probabilidade. O princípio da contagem Métodos de contagem

23/03/2014. Tratamento de Incertezas TIC-00.176. Aula 4. Conteúdo Espaços Amostrais e Probabilidade. O princípio da contagem Métodos de contagem Tratamento de Incertezas TIC-00.176 Aula 4 Conteúdo Espaços Amostrais e Probabilidade Professor Leandro Augusto Frata Fernandes laffernandes@ic.uff.br Material disponível em http://www.ic.uff.br/~laffernandes/teaching/2014.1/tic-00.176

Leia mais

3.1 Cálculo de Limites

3.1 Cálculo de Limites 3. Cálculo de Limites EXERCÍCIOS & COMPLEMENTOS 3. FORMAS INDETERMINADAS 0 0 0 0 OPERAÇÕES COM OS SÍMBOLOS + = = ( ) = k = ; se k > 0 k = ; se k < 0 ( ) ( ) = k = ; se k > 0 = ; se > 0 = 0; se < 0 k =

Leia mais

Probabilidade - aula III

Probabilidade - aula III 27 de Março de 2014 Regra da Probabilidade Total Objetivos Ao final deste capítulo você deve ser capaz de: Usar a regra da multiplicação para calcular probabilidade de eventos Usar a Regra da Probabilidade

Leia mais

Probabilidade. Definições, Notação, Regra da Adição

Probabilidade. Definições, Notação, Regra da Adição Probabilidade Definições, Notação, Regra da Adição Definições básicas de probabilidade Experimento Qualquer processo de observação ou medida que permita ao pesquisador fazer coleta de informações. Evento

Leia mais

Primeira Lista de Exercícios de Estatística

Primeira Lista de Exercícios de Estatística Primeira Lista de Exercícios de Estatística Professor Marcelo Fernandes Monitor: Márcio Salvato 1. Suponha que o universo seja formado pelos naturais de 1 a 10. Sejam A = {2, 3, 4}, B = {3, 4, 5}, C =

Leia mais

Aula 5 Probabilidade conceitos básicos

Aula 5 Probabilidade conceitos básicos AULA 5 Aula 5 Probabilidade conceitos básicos Nesta aula, você aprenderá os conceitos de: experimento aleatório; espaço amostral; evento aleatório e também as operações que podem ser feitas com os eventos

Leia mais

MATEMÁTICA IV PROBABILIDADE DISCURSIVAS SÉRIE AULA AULA 03

MATEMÁTICA IV PROBABILIDADE DISCURSIVAS SÉRIE AULA AULA 03 MATEMÁTICA IV PROBABILIDADE DISCURSIVAS SÉRIE AULA AULA 03 1 1) (FGV-SP 2008) Há apenas dois modos de Cláudia ir para o trabalho: de ônibus ou de moto. A probabilidade de ela ir de ônibus é 30% e, de moto,

Leia mais

O conceito de probabilidade

O conceito de probabilidade A UA UL LA O conceito de probabilidade Introdução Nesta aula daremos início ao estudo da probabilidades. Quando usamos probabilidades? Ouvimos falar desse assunto em situações como: a probabilidade de

Leia mais

Exercícios resolvidos sobre Função de probabilidade e densidade de probabilidade

Exercícios resolvidos sobre Função de probabilidade e densidade de probabilidade Exercícios resolvidos sobre Função de probabilidade e densidade de probabilidade Você aprendeu o que é função probabilidade e função densidade de probabilidade e viu como esses conceitos são importantes

Leia mais

É o conjunto de todos os resultados possíveis de um experimento aleatório. A notação que vamos usar é S.

É o conjunto de todos os resultados possíveis de um experimento aleatório. A notação que vamos usar é S. PROBABILIDADES Historicamente, a teoria da probabilidade começou com o estudo de jogos de azar, como a roleta e as cartas. O cálculo das probabilidades nos permite encontrar um número que mostra a chance

Leia mais

MICROECONOMIA II (2011-12) João Correia da Silva (joao@fep.up.pt) 29-03-2012

MICROECONOMIA II (2011-12) João Correia da Silva (joao@fep.up.pt) 29-03-2012 MICROECONOMIA II 1E108 (2011-12) 29-03-2012 João Correia da ilva (joao@fe.u.t) 2. Estruturas de Mercado 2.1. Concorrência Perfeita. 2.2. Monoólio. 2 CONCORRÊNCIA PERFEITA O modelo de concorrência erfeita

Leia mais

Escola Secundária/3 da Sé-Lamego Ficha de Trabalho de Matemática Ano Lectivo 2003/04 Probabilidade condicionada; acontecimentos independentes 12.

Escola Secundária/3 da Sé-Lamego Ficha de Trabalho de Matemática Ano Lectivo 2003/04 Probabilidade condicionada; acontecimentos independentes 12. Escola Secundária/ da Sé-Lamego Ficha de Trabalho de Matemática no Lectivo 00/0 Probabilidade condicionada; acontecimentos indeendentes º no Nome: Nº: Turma: Demonstre que se e são acontecimentos indeendentes,

Leia mais

MAE0219 Introdução à Probabilidade e Estatística I

MAE0219 Introdução à Probabilidade e Estatística I Exercício 1 Para cada um dos experimentos abaixo, descreva o espaço amostral e dê o número de seus elementos. (a) Numa linha de produção conta-se o número de peças defeituosas num intervalo de uma hora.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO DEPARTAMENTO DE FÍSICA E MATEMÁTICA

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO DEPARTAMENTO DE FÍSICA E MATEMÁTICA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO DEPARTAMENTO DE FÍSICA E MATEMÁTICA CURSO: LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO DISCIPLINA: PROGRAMAÇÃO PARALELA E DISTRIBUÍDA PROFESSOR: JONES OLIVEIRA ALUNO: JONAS FRANCISCO

Leia mais

Atmosfera Padrão. Atmosfera Padrão

Atmosfera Padrão. Atmosfera Padrão 7631 2º Ano da Licenciatura em Engenharia Aeronáutica 1. Introdução O desemenho de aviões e de motores atmosféricos deende da combinação de temeratura, ressão e densidade do ar circundandante. O movimento

Leia mais

ANÁLISE ESTATÍSTICA Uanderson Rebula de Oliveira

ANÁLISE ESTATÍSTICA Uanderson Rebula de Oliveira ANÁLISE ESTATÍSTICA de Oliveira uanderson@csn.com.br www.uandersonrebula.blogspot.com CADERNO DE EXERCÍCIOS Tabelas e Gráficos Estatísticos 1) Classifique as Séries abaixo: ) Construção de tabelas: a)

Leia mais

5) Qual a probabilidade de sair um ás de ouros quando retiramos uma carta de um baralho de 52 cartas?

5) Qual a probabilidade de sair um ás de ouros quando retiramos uma carta de um baralho de 52 cartas? TERCEIRA LISTA DE EXERCÍCIOS DE PROBABILIDADE CURSO: MATEMÁTICA PROF. LUIZ CELONI 1) Dê um espaço amostral para cada experimento abaixo. a) Uma urna contém bolas vermelhas (V), bolas brancas (B) e bolas

Leia mais

NOÇÕES DE PROBABILIDADE

NOÇÕES DE PROBABILIDADE NOÇÕES DE PROBABILIDADE ? CARA? OU? COROA? ? Qual será o rendimento da Caderneta de Poupança até o final deste ano??? E qual será a taxa de inflação acumulada em 011???? Quem será o próximo prefeito de

Leia mais

RESUMO TEÓRICO. n(a) P(A) = n(u) 0 P(A) 1

RESUMO TEÓRICO. n(a) P(A) = n(u) 0 P(A) 1 RESUMO TEÓRICO Experimentos aleatórios: são aqueles que, mesmo repetidos várias vezes sob condições semelhantes, apresentam resultados imprevisíveis. Exemplo: Lançar um dado e verificar qual é a face voltada

Leia mais

4) Quais dos seguintes pares de eventos são mutuamente exclusivos:

4) Quais dos seguintes pares de eventos são mutuamente exclusivos: INE 7002 LISTA DE EXERCÍCIOS PROBABILIDADE Lista de Exercícios - Probabilidade 1 1) Lâmpadas que se apresentam em perfeitas condições são ensaiadas quanto ao tempo de vida. Um instrumento é acionado no

Leia mais

Lista 5 - Introdução à Probabilidade e Estatística

Lista 5 - Introdução à Probabilidade e Estatística UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC Lista 5 - Introdução à Probabilidade e Estatística Variáveis Aleatórias 1 Duas bolas são escolhidas aleatoriamente de uma urna que contém 8 bolas brancas, 4 pretas e 2 laranjas.

Leia mais

Lista 05. Devemos calcular a probabilidade de ser homem dado que é loiro, sendo:

Lista 05. Devemos calcular a probabilidade de ser homem dado que é loiro, sendo: Lista 05 Questão 1: Em uma turma escolar 60% dos alunos são homens e 40% são mulheres. Dentre os homens, 25% são loiros, enquanto que 45% das mulheres são loiras. Um aluno desta turma foi sorteado de maneira

Leia mais

Por outras palavras, iremos desenvolver a operação inversa da derivação conhecida por primitivação.

Por outras palavras, iremos desenvolver a operação inversa da derivação conhecida por primitivação. RIMITIVS Definições No caítulo anterior, centramos a nossa atenção no seguinte roblema: dada uma função, determinar a sua função derivada Neste caítulo, vamos considerar o roblema inverso, ou seja, determinar

Leia mais

MÓDULO 6 INTRODUÇÃO À PROBABILIDADE

MÓDULO 6 INTRODUÇÃO À PROBABILIDADE MÓDULO 6 INTRODUÇÃO À PROBBILIDDE Quando estudamos algum fenômeno através do método estatístico, na maior parte das vezes é preciso estabelecer uma distinção entre o modelo matemático que construímos para

Leia mais

Avaliação e Desempenho Aula 4

Avaliação e Desempenho Aula 4 Avaliação e Desempenho Aula 4 Aulas passadas Motivação para avaliação e desempenho Aula de hoje Revisão de probabilidade Eventos e probabilidade Independência Prob. condicional Experimentos Aleatórios

Leia mais

CAPITULO VI. LIMITES E CONTINUIDADE DE FUNÇÕES EM R n

CAPITULO VI. LIMITES E CONTINUIDADE DE FUNÇÕES EM R n CAPITULO VI LIMITES E CONTINUIDADE DE FUNÇÕES EM R n. Generalidades O conceito geral de função e outros associados foram já estudados quando se tratou da teoria dos conjuntos. Foi igualmente estudado com

Leia mais

Capítulo 3 Modelos Estatísticos

Capítulo 3 Modelos Estatísticos Capítulo 3 Modelos Estatísticos Slide 1 Resenha Variáveis Aleatórias Distribuição Binomial Distribuição de Poisson Distribuição Normal Distribuição t de Student Distribuição Qui-quadrado Resenha Slide

Leia mais