MÓDULO Programação para Web 2

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MÓDULO Programação para Web 2"

Transcrição

1 MÓDULO Programação para Web 2 USANDO O JSF Continuação

2 Interdependência e Injeção Instâncias de Managed Beans podem conversar entre si para dividir o processamento das requisições dos usuários de acordo a especialidade de cada uma delas. Para que duas instâncias conversem, uma deve possuir a referência da outra. Como a criação e eliminação das instâncias dos Managed Beans são responsabilidade do JSF, ele é o mais indicado para administrar as referências entre as instâncias do Managed Beans. 2

3 Interdependência e Injeção O que o desenvolvedor deve fazer é indicar ao JSF quais instâncias devem ser conectadas através de referências class PrimeiroManagedBean private SegundoManagedBean segundomanagedbean; } 3

4 Conversão Quando um usuário preenche um formulário, os valores escolhidos são enviados para uma aplicação. De acordo com o HTTP esses dados não possuem tipagem. São tratados como texto puro. Assim, quando uma aplicação recebe valores preenchidos em formulários HTML, precisa realizar a conversão dos dados que deseja tratar de forma específica. Eventualmente, os dados que chegam para as aplicações não podem ser convertidos pois não estão no formato esperado. Por exemplo, se o texto preenchido em um campo numérico possui caracteres não numéricos a conversão falhará. Ou então, nem sempre o formato das informações que estão em uma aplicação web Java corresponde ao formato que desejamos que seja apresentado para os usuários. Novamente, os dados devem ser convertidos antes de enviados para os navegadores. 4

5 Conversão Padrão Implícita Para os tipos fundamentais da linguagem Java, o JSF define conversores padrões e os aplica de maneira implícita, ou seja, não precisamos fazer nada para o processo de conversão acontecer. Os tipos fundamentais do Java são: BigDecimal, BigInteger, Boolean, Byte, Character, Conversão e Validação, Double, Float, Integer, Long, Short 5

6 Conversão Padrão Explícita Os conversores padrões aplicados implicitamente nos tipos fundamentais do Java não são suficientes. Por exemplo, para trabalhar com valores monetários precisamos de outros conversores. Por isso, o JSF define dois outros conversores padrões para serem aplicados de maneira explícita. 6

7 Conversão Padrão Explícita f:convertnumber: permite que conversões mais sofisticadas sejam feitas em valores numéricos. Estipulando duas casas decimais no mínimo: <h:outputtext value="#{managedbean.valor}" > <f:convertnumber minfractiondigits="2" /> </h:outputtext> Definindo a formatação através de expressão regular: <h:outputtext value="#{managedbean.valor}" > <f:convertnumber pattern="#0.000" /> </h:outputtext> 7

8 Conversão Padrão Explícita Apresentando os dados em porcentagem: <h:outputtext value="#{managedbean.valor}" > <f:convertnumber type="percent" /> </h:outputtext> Utilizando o símbolo do Real para valores monetários: <h:outputtext value="#{managedbean.valor}" > <f:convertnumber currencysymbol="r$" type="currency" /> </h:outputtext> 8

9 Conversão Padrão Explícita f:convertdatetime: permite que conversões de datas sejam realizadas. Esse conversor pode ser aplicado em dados do tipo java.util.date. <h:outputtext value="#{managedbean.data}" > <f:convertdatetime pattern="dd/mm/yyyy" /> </h:outputtext> 9

10 Fazendo seu conversor ( Classe Converter ) public class CpfConverter implements Converter { public Object getasobject(facescontext context, UIComponent component, String value) throws ConverterException { /* * Irá converter CPF formatado para um sem pontos e traço. * Ex.: torna-se */ String cpf = value; if (value!= null &&!value.equals("")) cpf = value.replaceall("\\.", "").replaceall("\\-", ""); return cpf; } } public String getasstring(facescontext context, UIComponent component, Object value) throws ConverterException { /* * Irá converter CPF não formatado para um com pontos e traço. * Ex.: torna-se */ String cpf= value; if (cpf!= null && cpf.length() == 11) cpf = cpf.substring(0, 3) + "." + cpf.substring(3, 6) + "." + cpf.substring(6, 9) + "-" + cpf.substring(9, 11); return cpf; } 10

11 Fazendo seu conversor ( Classe Converter ) Declarando no faces-config <converter> <converter-id>converter.cpfconverter</converter-id> <converter-class>br.com.converter.cpfconverter</converter-class> </converter> Para fazer a chamada do converter de CPF em um campo texto <h:outputtext value="cpf: " /> <h:outputtext value="#{cliente.cpf}"> <f:converter converterid="converter.cpfconverter" /> </h:outputtext> 11

12 Mensagens de Erro Eventualmente, as informações preenchidas pelos usuários em formulários não são adequadas impedindo a conversão dos dados. Nesses casos, geralmente, desejamos apresentar para os usuários mensagens relacionadas aos erros no preenchimento das informações. 12

13 Mensagens de Erro h:message: Para adicionar nas telas erros relacionados a um determinado campo, devemos utilizar a componente h:message. Primeiro, temos que definir um id para o campo desejado. Depois, associar o h:message a esse id. <h:inputtext value="#{meumanagedbean.numero}" id="campo-numero"/> <h:message for="campo-numero"/> 13

14 Mensagens de Erro h:messages: A tag h:message permite que os erros dos diversos campos de um formulário sejam colocados um a um na tela. Inclusive, podemos colocar as mensagens de erro de campo em lugares diferentes na página que será apresentada ao usuário. Em alguns casos queremos colocar todos os erros de todos os campos de um formulário juntos na tela. Para isso, devemos aplicar a tag h:messages. <h:messages/> 14

15 Alterando as Mensagens de Erro O texto de cada mensagem de erro de conversão ou validação está definido na especificação do JSF 2 que pode ser obtida através da url: Essas mensagens estão definidas em inglês. Para personalizar essas mensagens, devemos seguir dois passos: 1. Criar um arquivo de mensagens. 2. Registrar o arquivo de mensagens. 15

16 Criando um Arquivo de Mensagens Um arquivo de mensagens é um conjunto de chaves e valores. Cada chave se refere a um tipo de erro e está associada a um valor que é o texto que será apresentado nas telas através das tags h:message ou h:messages. O maior problema para definir um arquivo de mensagens no JSF é saber quais são as chaves que podemos utilizar. Veja um exemplo de arquivo de mensagens: Os arquivos de mensagens devem possuir o sufixo properties. javax.faces.converter.booleanconverter.boolean={1}: {0} must be true or false. 16

17 Registrando um Arquivo de Mensagens Suponha que tenha sido criado um arquivo de mensagem chamado Messages.properties num pacote chamado resources. Para registrá-lo, basta acrescentar uma configuração no arquivo faces-config.xml. <application> <message-bundle>resources.messages</message-bundle> </application> 17

18 Exemplo de Arquivo de Mensagens javax.faces.converter.numberconverter.number=o valor {0} não é adequado. javax.faces.converter.numberconverter.number_detail={0} não é número ou é inadequado. javax.faces.converter.integerconverter.integer=o valor {0} não é adequado. javax.faces.converter.integerconverter.integer_detail={0} não é um número inteiro. javax.faces.converter.datetimeconverter.date=a data {0} não está correta. javax.faces.converter.datetimeconverter.date_detail= {0} não parece uma data. 18

19 Exercício Crie um projeto ConversaoValidador Acrescente um managed bean FuncionarioBean com os atributos salario (double), codigo (int) e aniversario (Date) nas pasta src/managedbeans Crie a página cadastro.xhtml mostrado a frente Crie o arquivo Messages.properties mostrado mais a frente na pasta src/resources Configure o faces-config.xml colocando no facesconfig o comando abaixo: <application> <message-bundle>resources.messages</message-bundle> </application> 19

20 Cadastro.xhtml <h:body> <h1>cadastro de Funcionário</h1> <h:form> <h:panelgrid columns="3"> <h:outputlabel value="salário: R$ " for="campo-salario"/> <h:inputtext id="campo-salario" value="#{funcionariobean.salario}"> <!-- Sistema numérico do Brasil --> <f:convertnumber locale="pt_br"/> </h:inputtext> <h:message for="campo-salario"/> <h:outputlabel value="código: " for="campo-codigo"/> <h:inputtext id="campo-codigo" value="#{funcionariobean.codigo}"/> <h:message for="campo-codigo"/> <h:outputlabel value="data: (dd/mm/yyyy)" for="campo-aniversario"/> <h:inputtext id="campo-aniversario" value="#{funcionariobean.aniversario}"> <f:convertdatetime pattern="dd/mm/yyyy"/> </h:inputtext> <h:message for="campo-aniversario"/> <h:commandbutton value="cadastrar"/> </h:panelgrid> <h:messages/> </h:form> </h:body> 20

21 Messages.properties javax.faces.converter.numberconverter.number=o valor {0} não é adequado. javax.faces.converter.numberconverter.number_detail={0} não é número ou é inadequado. javax.faces.converter.integerconverter.integer=o valor {0} não é adequado. javax.faces.converter.integerconverter.integer_detail={0} não é um número inteiro. javax.faces.converter.datetimeconverter.date=a data {0} não está correta. javax.faces.converter.datetimeconverter.date_detail= {0} não parece uma data. 21

22 Validator Pode ser utadoma classe java que implementa javax.faces.validator.validator ou pode-se utilizar tags do próprio JSF. Valida valores fornecidos pelo usuário nos formulários, assegurando que o campo foi preenchido com o valor esperado. Exemplo: validar o CEP que o usuário forneceu, se foi digitado apenas números. 22

23 Validação e Conversão No ciclo do JSF, caso o input tenha o immediate setado como false, a validação e a conversão acontecem em fases diferentes 23

24 Validação e Conversão Se o atributo immediate estiver como true, a validação e a conversão acontecem na fase Apply Request Values (Aplicar Valores de Requisição) 24

25 Validação Padrão Muitas vezes, apenas a conversão de dados não é suficiente para verificar se uma informação preenchida em um formulário por um usuário está correta. Exemplo: campo para digitar uma idade. O valor digitado será tratado como texto até chegar na aplicação e lá poderá ser convertido para INT. Essa conversão não verifica se o número obtido é negativo. Porém, nesse caso, não seria correto obter números negativos pois a idade de uma pessoa é sempre positiva. Assim, depois da conversão dos dados, mais uma etapa deve ser realizada para validar as informações. 25

26 Validação Padrão: Campo Obrigatório (Required) A validação mais comum de todas é verificar se um determinado campo não deixou de ser preenchido. Podemos aplicar essa validação utilizando o atributo required dos inputs. 26

27 Validação Padrão f:validatelongrange verifica se um valor numérico inteiro pertence a um determinado intervalo de números. f:validatedoublerange verifica se um valor numérico real pertence a um determinado intervalo de números. 27

28 Validação Padrão f:validatelength verifica se uma string possui uma quantidade mínima ou máxima de letras. f:validateregex verifica se um texto respeita uma determinada expressão regular. 28

29 Bean Validation Uma nova abordagem para definir as validações: Declarar as regras de validação nas classes de modelo ao invés de inserí-las nas telas. Vantagem: podem ser utilizadas em diversas partes da aplicação. Definido pela especificação JSR 303 Para definir as validações com Bean Validation, basta adicionar anotações nas classes de modelo. 29

30 Bean o valor não pode ser define um valor define um valor define um valor mínimo e aplica uma expressão regular na validação. 30

31 Bean Validation Mensagens de erro podem ser acrescentadas por meio de anotações 31

32 Fazendo seu Validador ( Classe Validator) public class CpfValidator implements Validator public void validate(facescontext arg0, UIComponent arg1, Object valortela) throws ValidatorException { if (!validacpf(string.valueof(valortela))) { FacesMessage message = new FacesMessage(); message.setseverity(facesmessage.severity_error); message.setsummary(resourcebundle.getbundle( FacesContext.getCurrentInstance(). getapplication().getmessagebundle()). getstring("erro.validacao.cpf")); throw new ValidatorException(message); } } 32

33 Fazendo seu Validador ( Classe Validator) /** * Valida CPF do usuário. Não aceita CPF's padrões como * cpf String valor com 11 dígitos */ private static boolean validacpf(string cpf) { if (cpf == null cpf.length()!= 11 iscpfpadrao(cpf)) return false; try { Long.parseLong(cpf); } catch (NumberFormatException e) { // CPF não possui somente números return false; } return calcdigverif(cpf.substring(0, 9)).equals(cpf.substring(9, 11)); } 33

34 Fazendo seu Validador ( Classe Validator) private static String calcdigverif(string num) { Integer primdig, segdig; int soma = 0, peso = 10; for (int i = 0; i < num.length(); i++) soma += Integer.parseInt(num.substring(i, i + 1)) * peso--; if (soma % 11 == 0 soma % 11 == 1) primdig = new Integer(0); else primdig = new Integer(11 - (soma % 11)); soma = 0; peso = 11; for (int i = 0; i < num.length(); i++) soma += Integer.parseInt(num.substring(i, i + 1)) * peso--; soma += primdig.intvalue() * 2; if (soma % 11 == 0 soma % 11 == 1) segdig = new Integer(0); else segdig = new Integer(11 - (soma % 11)); } } return primdig.tostring() + segdig.tostring(); 34

35 Fazendo seu Validador ( Classe Validator) Declarando o validator de CPF no faces-config validator> <validator-id>converter.cpfvalidator</validator-id> <validator-class>br.com.validator.cpfvalidator</validator-class> </validator> Invocando o validator em um campo do formulário <h:inputtext value="#{cliente.cpf}" required="true" maxlength="11"> <f:validator validatorid="validator.cpfvalidator" /> </h:inputtext> Colocar no bundle a mensagem de erro de validação erro.validacao.cpf=cpf inválido. 35

36 Fazendo seu Validador ( Classe Validator) 36

37 Exercício No projeto ConversaoValidacao, crie uma tela para cadastrar produtos de uma loja virtual cadastraproduto.xhtml. 37

38 Exercício Crie a classe de modelo para definir os produtos. Adicione essa classe dentro de um pacote chamado model. Implemente o Managed Bean que dará suporte à tela de cadastro de produtos ProdutoBean dentro do pacote managedbeans 38

39 Exercício Retire a validação realizada com a tag f:validatedoublerange. Acrescente uma validação com as anotações da especificação de Bean Validation na classe PRODUTO. 39

40 Eventos A interatividade de uma aplicação está diretamente relacionada a sua capacidade de percepção e reação. O nível mais alto de interatividade aconteceria se uma aplicação pudesse perceber e reagir aos pensamentos dos usuários. O JSF oferece um mecanismo bem sofisticado para aumentar a interatividade com os usuários: baseado na ideia de eventos. Há duas categorias fundamentais de eventos: eventos de aplicação e eventos de ciclo de vida. 40

41 Eventos Eventos de aplicação (Application Events) ações dos usuários pertinentes às aplicações. Por exemplo, um usuário pressiona um botão ou altera o valor de preenchido em um campo de um formulário. Dois tipos: ActionEvent e ValueChangeEvent. Eventos de ciclo de vida (Lifecycle Events) transições entre as diversas etapas do processamento de uma requisição ou transições entre os estados dos componentes do JSF ou da própria aplicação. 41

42 Eventos de Aplicação: ActionEvent gerados por botões ou links quando esses são pressionados pelos usuários. Tratamento definido por métodos dentro dos Managed Beans. Dois tipos Action Method: utilizado para efetuar uma navegação (mudar de tela) após o tratamento do evento ou Action Listener Method: demais casos 42

43 Action Method Deve devolver uma String que será utilizada como outcome para processar uma navegação. No h:commandbutton definimos qual é o Action Method que queremos associar ao botão através do atributo action. 43

44 Action Listener Method precisa ser void e aceita um ActionEvent como argumento. Um ActionEvent contem informações sobre o evento disparado. No h:commandbutton definimos qual é o Action Listener Method que queremos associar ao botão através do atributo actionlistener. 44

45 Eventos de Aplicação: ValueChangeEvent Gerados quando os usuários modificam o valor preenchido em um campo de um formulário. O tratamento desse tipo de evento pode ser realizado por métodos de um Managed Bean. Esses métodos são chamados de Value Change Listeners. Value Change Listener precisa ser void e aceita um ValueChangeEvent como argumento. ValueChangeEvent contem informações sobre o evento disparado. 45

46 Eventos de Aplicação: ValueChangeEvent No h:inputtext definimos qual é o Value Change Listener queremos associar ao campo através do atributo valuechangelistener. 46

47 Eventos de Ciclo de Vida (Lifecycle Events) Utilizados para executar procedimentos antes ou depois de uma determinada etapa do processamento de uma requisição ou a cada mudança de estado de um componente do JSF e da própria aplicação. Phase Events correspondem às transições entre as etapas do processamento das requisições tratado por um Phase Listener. Como o próprio JSF dispara automaticamente os Phase Events, devemos apenas criar um Phase Listener e registrá-lo. Para criar um Phase Listener, devemos escrever uma classe que implemente a interface PhaseListener. 47

48 Eventos de Ciclo de Vida (Lifecycle Events) O método getphaseid() associa o listener a determinadas fases do processamento de uma requisição. Os métodos beforephase() e afterphase() são executados respectivamente antes e depois das fases associadas ao listener. Para registrar o nosso Phase Listener devemos acrescentar algumas configurações no facesconfig.xml. 48

49 Exercícios Montemos um formulário de Cidades e Estados. No pacote model adicione a classe que representa os estados: 49

50 Exercícios No pacote managedbeans adicione um Managed Bean para manipular os estados. 50

51 Exercícios Faça a tela de busca de estados e cidade busca-localidade.xhtml 51

52 AJAX Para melhorar a interatividade entre as aplicações e os usuários, podemos aplicar o conceito do AJAX (Asynchronous Javascript And XML). Obtemos duas capacidades muito uteis: 1. fazer requisições sem recarregar as páginas completamente, apenas a parte delas que nos interessa; 2. realizar requisições sem pausar a navegação dos usuários. JSF2 oferece suporte nativo a AJAX. 52

53 Fazendo requisições AJAX As requisições AJAX são realizadas quando determinados eventos definidos pela linguagem Javascript ocorrem. Esses eventos estão fortemente relacionados aos componentes visuais colocados nas telas. Basta indicar para o JSF quais componentes e eventos devem disparar requisições para o servidor utilizando a tag f:ajax. tag f:ajax assume o evento padrão do componente associado a ela. O componente h:inputtext utiliza por padrão o evento onchange. 53

54 Fazendo requisições AJAX Pode-se explicitar o evento que deve disparar as requisições AJAX deixando o código mais claro através do atributo event. Cuidado pois nem todos os eventos são aceitos por todos os componentes. 54

55 Fazendo requisições AJAX Vários componentes para os quais desejamos oferecer o suporte do AJAX, podem ser agrupados por meio da tag f:ajax. Se não for escolhido explicitamente o evento que vai disparar as requisições, o JSF assumirá o padrão de cada componente. O padrão dos componentes h:inputtext e h:inputsecret é onchange. O padrão do componente h:commandbutton é onclick. 55

56 Fazendo requisições AJAX Pode-se explicitar o evento que deve disparar as requisições AJAX para um determinado grupo de componentes. 56

57 Recarregando alguns pedaços das telas Após realizar uma requisição AJAX, é possível pedir para o JSF redesenhar alguns pedaços da tela sendo mostrada para o usuário. Por exemplo, suponha uma listagem paginada de produtos, quando o usuário clica no botão que requisita através de AJAX a próxima página e a resposta chega, podemos mandar o JSF redesenhar a listagem e apenas a listagem com os dados que acabaram de chegar. A tag f:ajax através do atributo render permite escolher os ids dos componentes que devem ser recarregados após uma requisição AJAX. 57

58 Recarregando alguns pedaços das telas É possível redesenhar vários componentes, passando uma listagem de ids no valor do atributo render. 58

59 Processando alguns pedaços das telas Quando uma requisição AJAX é feita, é possível determinar quais componentes da tela devem ser avaliados pelo JSF. Por exemplo, quando enviamos um formulário, provavelmente, só é necessário avaliar os componentes que estão no próprio formulário. Podemos definir quais componentes devem ser avaliados pelo JSF através do atributo execute passando uma lista de ids. Quando selecionamos um componente para ser avaliados os componentes dentro dele também serão. 59

60 Palavras especiais Como é possível passar uma lista de componentes para os atributos render e execute, o JSF criou palavras chaves associadas a grupos especiais de componente. Assim, é possível trabalhar sem a necessidade de definir ids em alguns : refere-se a todos os componentes da : refere-se a nenhum : refere-se ao componente que disparou a requisição : refere-se aos componentes do formulário que contém o componente que disparou a requisição AJAX. 60

61 Palavras especiais Podemos alterar o código do formulário do exemplo anterior para utilizar a palavra no lugar do id do formulário. 61

62 Exercício Crie um projeto Ajax. Vamos montar um formulário de cadastro de automóveis. No pacote model e adicione a classe para representar os automóveis. 62

63 Exercício Crie no pacote managedbeans um Managed Bean para manipular os automóveis. 63

64 Exercícios Faça a tela de listagem e cadastro de automóveis listacadastro-automovel.xhtml. 64

Centro Universitário de Formiga UNIFOR-MG Ciência da Computação Disciplina: Professor: Alunos: Hibernate V alidator Formiga, Outubro 2011.

Centro Universitário de Formiga UNIFOR-MG Ciência da Computação Disciplina: Professor: Alunos: Hibernate V alidator Formiga, Outubro 2011. Centro Universitário de Formiga UNIFOR-MG Ciência da Computação 8º período Disciplina: Laboratório de Programação IV Professor: Michel Pires Silva Alunos: Valter Ribeiro Lima Júnior Hibernate Validator

Leia mais

JSF2 e AJAX. Desenvolvimento Web com. Construa aplicações Web mais interativas e elegantes

JSF2 e AJAX. Desenvolvimento Web com. Construa aplicações Web mais interativas e elegantes Desenvolvimento Web com JSF2 e AJAX Construa aplicações Web mais interativas e elegantes Wagner Borges (wagner@quebrandoparadigmas.com): é formado em Sistemas de Informação pela FACID e especializado em

Leia mais

JavaServer Faces (JSF) Leonardo Murta (leomurta@ic.uff.br)

JavaServer Faces (JSF) Leonardo Murta (leomurta@ic.uff.br) JavaServer Faces (JSF) Leonardo Murta (leomurta@ic.uff.br) Especificação/IDE/Implementação Esse curso foi preparado em 03/2015 usando a seguinte especificação, IDE e implementação Especificação JavaServer

Leia mais

Aula 2. Objetivos. Encapsulamento na linguagem Java; Utilizando a referência this.

Aula 2. Objetivos. Encapsulamento na linguagem Java; Utilizando a referência this. Aula 2 Objetivos Encapsulamento na linguagem Java; Utilizando a referência this. Encapsulamento, data hiding é um conceito bastante importante em orientação a objetos. É utilizado para restringir o acesso

Leia mais

JSF - Controle de Acesso FERNANDO FREITAS COSTA

JSF - Controle de Acesso FERNANDO FREITAS COSTA JSF - Controle de Acesso FERNANDO FREITAS COSTA ESPECIALISTA EM GESTÃO E DOCÊNCIA UNIVERSITÁRIA JSF Controle de Acesso Antes de iniciarmos este assunto, é importante conhecermos a definição de autenticação

Leia mais

Melhorando o desempenho de aplicações em JSF

Melhorando o desempenho de aplicações em JSF capa_ Melhorando o desempenho de aplicações em JSF Aumente a escalabilidade através de configurações e refatorações efetivas Adriano Castro adrianocastro189@gmail.com é formado em Ciência da Computação

Leia mais

Linguagem de Programação JAVA. Técnico em Informática Professora Michelle Nery

Linguagem de Programação JAVA. Técnico em Informática Professora Michelle Nery Linguagem de Programação JAVA Técnico em Informática Professora Michelle Nery Agenda Regras paravariáveis Identificadores Válidos Convenção de Nomenclatura Palavras-chaves em Java Tipos de Variáveis em

Leia mais

Java Server Faces 2.0 Rich Faces 4.0

Java Server Faces 2.0 Rich Faces 4.0 DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA - DI Java Server Faces 2.0 Rich Faces 4.0 Quais as novidades e alterações nas novas versões das tecnologias? Pablo Bruno de Moura Nóbrega Analista de Sistemas pablo.nobrega@uece.br

Leia mais

Memória Flash. PdP. Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 11/12/2005 Última versão: 18/12/2006. Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos

Memória Flash. PdP. Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 11/12/2005 Última versão: 18/12/2006. Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos TUTORIAL Memória Flash Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 11/12/2005 Última versão: 18/12/2006 PdP Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos http://www.maxwellbohr.com.br contato@maxwellbohr.com.br

Leia mais

Programação de Computadores - I. Profª Beatriz Profº Israel

Programação de Computadores - I. Profª Beatriz Profº Israel Programação de Computadores - I Profª Beatriz Profº Israel As 52 Palavras Reservadas O que são palavras reservadas São palavras que já existem na linguagem Java, e tem sua função já definida. NÃO podem

Leia mais

Anotações e Navegação no JSF 2.0

Anotações e Navegação no JSF 2.0 1/16 Anotações e Navegação no JSF 2.0 Simplifique a navegação e a configuração XML com o JSF 2.0 Aprenda a utilizar anotações e navegações implícita e condicional em suas aplicações JSF 2.0 MARCEL TOKARSKI

Leia mais

Experiência em missão crítica de missão crítica

Experiência em missão crítica de missão crítica 2 / 49 Experiência em missão crítica de missão crítica Pioneira no ensino de Linux à distância Parceira de treinamento IBM Primeira com LPI no Brasil + de 30.000 alunos satisfeitos Reconhecimento internacional

Leia mais

Java II. Sérgio Luiz Ruivace Cerqueira sergioruivace@gmail.com

Java II. Sérgio Luiz Ruivace Cerqueira sergioruivace@gmail.com Java II Sérgio Luiz Ruivace Cerqueira sergioruivace@gmail.com Por quê JSP? Com Servlets é fácil Ler dados de um formulário Recuperar dados de uma requisição Gerar informação de resposta Fazer gerenciamento

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Curso: Engenharia de Software Arquitetura de Software Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 9 Mapeamento em JPA Introdução O mapeamento objeto-relacional

Leia mais

Lidando de Forma Eficiente com Validações Locais de Objetos

Lidando de Forma Eficiente com Validações Locais de Objetos Lidando de Forma Eficiente com Validações Locais de Objetos Aprenda a construir um mini-framework para validar objetos locais sem afetar a complexidade do código. Autor Paulo César M. N. A. Coutinho (pcmnac@gmail.com):

Leia mais

INTRODUÇÃO À TECNOLOGIA SERVLETS

INTRODUÇÃO À TECNOLOGIA SERVLETS PROGRAMAÇÃO SERVIDOR EM SISTEMAS WEB INTRODUÇÃO À TECNOLOGIA SERVLETS Prof. Dr. Daniel Caetano 2012-1 Objetivos Apresentar o conceito aplicações orientada a serviços via web Apresentar o papel dos contentores

Leia mais

Lista de Revisão. 3. Analise a afirmativa a seguir como verdadeira ou falsa e justifique.

Lista de Revisão. 3. Analise a afirmativa a seguir como verdadeira ou falsa e justifique. Lista de Revisão 1. Nos sistemas web, geralmente os usuários apresentam dois problemas típicos, a desorientação e a sobrecarga cognitiva. Discorra sobre esses problemas. 2. Apresente as principais diferenças

Leia mais

3 Classes e instanciação de objectos (em Java)

3 Classes e instanciação de objectos (em Java) 3 Classes e instanciação de objectos (em Java) Suponhamos que queremos criar uma classe que especifique a estrutura e o comportamento de objectos do tipo Contador. As instâncias da classe Contador devem

Leia mais

JSP - ORIENTADO A OBJETOS

JSP - ORIENTADO A OBJETOS JSP Orientação a Objetos... 2 CLASSE:... 2 MÉTODOS:... 2 Método de Retorno... 2 Método de Execução... 2 Tipos de Dados... 3 Boolean... 3 Float... 3 Integer... 4 String... 4 Array... 4 Primeira:... 4 Segunda:...

Leia mais

Programação por Objectos. Java

Programação por Objectos. Java Programação por Objectos Java Parte 2: Classes e objectos LEEC@IST Java 1/24 Classes (1) Sintaxe Qualif* class Ident [ extends IdentC] [ implements IdentI [,IdentI]* ] { [ Atributos Métodos ]* Qualif:

Leia mais

Tecnologias para apresentação de dados - Java Script. Aécio Costa

Tecnologias para apresentação de dados - Java Script. Aécio Costa Tecnologias para apresentação de dados - Java Script Aécio Costa Foi originalmente implementada como parte dos navegadores web para que scripts pudessem ser executados do lado do cliente e interagissem

Leia mais

Além do JSF: Matriz de Campos com Recursos e Práticas Incomuns

Além do JSF: Matriz de Campos com Recursos e Práticas Incomuns Décio Heinzelmann Luckow (decioluckow@gmail.com): é bacharel em Sistemas de Informação pela Univille e pósgraduando em Gestão de Projetos pela Sustentare Escola de Negócios. Já trabalhou com as linguagens

Leia mais

Scriptlets e Formulários

Scriptlets e Formulários 2 Scriptlets e Formulários Prof. Autor: Daniel Morais dos Reis e-tec Brasil Programação Avançada Para Web Página1 Meta Permitir ao aluno aprender a criar um novo projeto Java para web no Netbeans IDE,

Leia mais

JavaScript 2.0X 1.0 3.0X 1.1 4.0 4.05 1.2 4.06 4.61 1.3 5.0 1.4 6.0 1.5

JavaScript 2.0X 1.0 3.0X 1.1 4.0 4.05 1.2 4.06 4.61 1.3 5.0 1.4 6.0 1.5 JavaScript Diego R. Frank, Leonardo Seibt FIT Faculdades de Informática de Taquara Fundação Educacional Encosta Inferior do Nordeste Av. Oscar Martins Rangel, 4500 Taquara RS Brasil difrank@terra.com.br,

Leia mais

Sintaxe Geral Tipos de Dados. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc.

Sintaxe Geral Tipos de Dados. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. Sintaxe Geral Tipos de Dados Comentários Comentários: De linha: // comentário 1 // comentário 2 De bloco: /* linha 1 linha 2 linha n */ De documentação: /** linha1 * linha2 */ Programa Exemplo: ExemploComentario.java

Leia mais

Desenvolvimento de aplicações Web. Java Server Pages

Desenvolvimento de aplicações Web. Java Server Pages Desenvolvimento de aplicações Web Java Server Pages Hamilton Lima - athanazio@pobox.com 2003 Como funciona? Servidor web 2 Internet 1 Browser 3 Arquivo jsp 4 JSP Compilado 2 Passo a passo 1 browser envia

Leia mais

Acessando um Banco de Dados

Acessando um Banco de Dados Acessando um Banco de Dados Introdução Agora que você já está craque em JSP e já instalou seu servidor, vamos direto para a parte prática! Neste tutorial vamos aprender a acessar um banco de dados. Para

Leia mais

WebWork 2. João Carlos Pinheiro. jcpinheiro@cefet-ma.br

WebWork 2. João Carlos Pinheiro. jcpinheiro@cefet-ma.br WebWork 2 João Carlos Pinheiro jcpinheiro@cefet-ma.br Versão: 0.5 Última Atualização: Agosto/2005 1 Agenda Introdução WebWork 2 & XWork Actions Views Interceptadores Validação Inversão de Controle (IoC)

Leia mais

AJAX no GASweb. Mas e afinal, para que usamos o AJAX?

AJAX no GASweb. Mas e afinal, para que usamos o AJAX? Nível - Avançado AJAX no GASweb Por: Pablo Hadler AJAX (Asynchronous Javascript and XML) foi criado com o princípio de ser uma maneira rápida e otimizada de podermos fazer requisições Web, sendo esta totalmente

Leia mais

Associação Carioca de Ensino Superior Centro Universitário Carioca

Associação Carioca de Ensino Superior Centro Universitário Carioca Desenvolvimento de Aplicações Web Lista de Exercícios Métodos HTTP 1. No tocante ao protocolo de transferência de hipertexto (HTTP), esse protocolo da categoria "solicitação e resposta" possui três métodos

Leia mais

JSF. Componentes. Face Bean. Navegação. JavaServer Faces. Validação. Ciclo JSF. Prof. Enzo Seraphim. Exemplo

JSF. Componentes. Face Bean. Navegação. JavaServer Faces. Validação. Ciclo JSF. Prof. Enzo Seraphim. Exemplo JSF Componentes Face Bean Navegação Validação Ciclo JSF Exemplo JavaServer Faces Prof. Enzo Seraphim JSF (JavaServer Faces) É uma especificação Java e não um produto proprietário Especificado pelo JCP

Leia mais

ÇÃO COM OBJECTOS PROGRAMAÇÃ. Programação com Objectos. Programação com Objectos TUDO É UM OBJECTO TUDO É UM OBJECTO ÍNDICE.

ÇÃO COM OBJECTOS PROGRAMAÇÃ. Programação com Objectos. Programação com Objectos TUDO É UM OBJECTO TUDO É UM OBJECTO ÍNDICE. PROGRAMAÇÃ ÇÃO COM OBJECTOS TUDO É UM OBJECTO Programação com Objectos ÍNDICE Introdução aos objectos Polimorfismo TUDO É UM OBJECTO Interface e classes internas Instruções de controlo Guardar os objectos

Leia mais

Introdução à Tecnologia Web

Introdução à Tecnologia Web Introdução à Tecnologia Web JavaScript Sintaxe da Linguagem: Delimitadores e etc Profª MSc. Elizabete Munzlinger JavaScript Sintaxe da Linguagem Índice 1 SINTAXE DA LINGUAGEM... 2 1.1 Delimitadores de

Leia mais

Criando documentação com javadoc

Criando documentação com javadoc H Criando documentação com javadoc H.1 Introdução Neste apêndice, fornecemos uma introdução a javadoc ferramenta utilizada para criar arquivos HTML que documentam o código Java. Essa ferramenta é usada

Leia mais

J820. Testes de interface Web com. HttpUnit. argonavis.com.br. Helder da Rocha (helder@acm.org)

J820. Testes de interface Web com. HttpUnit. argonavis.com.br. Helder da Rocha (helder@acm.org) J820 Testes de interface Web com HttpUnit Helder da Rocha (helder@acm.org) O que é HttpUnit API Java para comunicação com servidores HTTP Permite que programas construam e enviem requisições, e depois

Leia mais

J550. Model View Controller

J550. Model View Controller J550 Model View Controller 1 Design de aplicações JSP Design centrado em páginas Aplicação JSP consiste de seqüência de páginas (com ou sem beans de dados) que contém código ou links para chamar outras

Leia mais

WEBDESIGN. Professor: Paulo Marcos Trentin - paulo@paulotrentin.com.br http://www.paulotrentin.com.br Escola CDI de Videira

WEBDESIGN. Professor: Paulo Marcos Trentin - paulo@paulotrentin.com.br http://www.paulotrentin.com.br Escola CDI de Videira WEBDESIGN Professor: Paulo Marcos Trentin - paulo@paulotrentin.com.br http://www.paulotrentin.com.br Escola CDI de Videira Formulários e JavaScript Como visto anteriormente, JavaScript pode ser usada para

Leia mais

Parte I. Demoiselle Vaadin

Parte I. Demoiselle Vaadin Parte I. Demoiselle Vaadin O Vaadin é um framework para construção de interfaces web que aplica ideias inovadoras. Apesar de usar o GWT como mecanismo para a exibição de seus componentes, eles tem características

Leia mais

ARQUITETURA SISGRAD. Manual de Utilização. Versão: 2.0. Criação: 05 de julho de 2007 Autor: André Penteado

ARQUITETURA SISGRAD. Manual de Utilização. Versão: 2.0. Criação: 05 de julho de 2007 Autor: André Penteado ARQUITETURA SISGRAD Manual de Utilização Versão: 2.0 Criação: 05 de julho de 2007 Autor: André Penteado Última Revisão: 09 de outubro de 2009 Autor: Alessandro Moraes Controle Acadêmico - Arquitetura SISGRAD

Leia mais

Arquivos de Textos no C - Básico

Arquivos de Textos no C - Básico OpenStax-CNX module: m47676 1 Arquivos de Textos no C - Básico Joao Carlos Ferreira dos Santos This work is produced by OpenStax-CNX and licensed under the Creative Commons Attribution License 3.0 TRABALHANDO

Leia mais

Boas Práticas de Desenvolvimento Seguro

Boas Práticas de Desenvolvimento Seguro Boas Práticas de Desenvolvimento Seguro Julho / 2.012 Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 29/07/2012 1.0 Versão inicial Ricardo Kiyoshi Página 2 de 11 Conteúdo 1. SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

Leia mais

Projetos do MyFaces 1/12

Projetos do MyFaces 1/12 1/12 JSF com MyFaces e Tomahawk Aprenda a utilizar os recursos do MyFaces FRANCISCO CALAÇA XAVIER Uma das implementações do JavaServer Faces mais utilizada atualmente é o MyFaces, um projeto da Apache

Leia mais

Os objetivos indicados aplicam-se a duas linguagens de programação: C e PHP

Os objetivos indicados aplicam-se a duas linguagens de programação: C e PHP AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SANTA COMBA DÃO CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE GESTÃO E PROGRAMAÇÃO DE SISTEMAS INFORMÁTICOS 2012-2015 PROGRAMAÇÃO E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO MÓDULO 2 Mecanismos de Controlo de

Leia mais

Programando em PHP. Conceitos Básicos

Programando em PHP. Conceitos Básicos Programando em PHP www.guilhermepontes.eti.br lgapontes@gmail.com Conceitos Básicos Todo o escopo deste estudo estará voltado para a criação de sites com o uso dos diversos recursos de programação web

Leia mais

8VDQGR5HSRUW0DQDJHUFRP&ODULRQH3RVWJUH64/ -XOLR&HVDU3HGURVR 8VDQGRSDUkPHWURV

8VDQGR5HSRUW0DQDJHUFRP&ODULRQH3RVWJUH64/ -XOLR&HVDU3HGURVR 8VDQGRSDUkPHWURV 8VDQGRSDUkPHWURV O envio de parâmetros para um relatório é uma das funções mais úteis do Report Manager, com eles você pode: Permitir que o usuário final altere palavras ou sentenças de um relatório; Atribuir

Leia mais

JavaScript (Funções, Eventos e Manipulação de Formulários)

JavaScript (Funções, Eventos e Manipulação de Formulários) Linguagem de Programação para Web JavaScript (Funções, Eventos e Manipulação de Formulários) Prof. Mauro Lopes 1-31 23 Objetivos Iremos avançar um pouco mais em nosso estudo sobre o JavaScript. Iremos

Leia mais

Introdução ao Javascript

Introdução ao Javascript Programação WEB I Introdução ao Javascript Apresentação da Disciplina,Introdução a linguagem Javascript Objetivos da Disciplina Apresentar os principais conceitos da linguagem Javascript referente à programação

Leia mais

Sintaxe Básica de Java Parte 1

Sintaxe Básica de Java Parte 1 Sintaxe Básica de Java Parte 1 Universidade Católica de Pernambuco Ciência da Computação Prof. Márcio Bueno poonoite@marcioubeno.com Fonte: Material da Profª Karina Oliveira Estrutura de Programa Um programa

Leia mais

Aula 03 - Projeto Java Web

Aula 03 - Projeto Java Web Aula 03 - Projeto Java Web Para criação de um projeto java web, vá em File/New. Escolha o projeto: Em seguida, na caixa Categorias selecione Java Web. Feito isso, na caixa à direita selecione Aplicação

Leia mais

Unidade 9: Middleware JDBC para Criação de Beans

Unidade 9: Middleware JDBC para Criação de Beans Programação Servidor para Sistemas Web 1 Unidade 9: Middleware JDBC para Criação de Beans Implementando MVC Nível 1 Prof. Daniel Caetano Objetivo: Preparar o aluno para construir classes de entidade com

Leia mais

Mais sobre uso de formulários Site sem Ajax

Mais sobre uso de formulários Site sem Ajax Mais sobre uso de formulários Site sem Ajax Página com busca padrão 1 Página com o resultado da busca carregada no local da anterior (o formulário está vazio) Site com Ajax 2 Site usando Ajax para preencher

Leia mais

Exercício 1 : As classes abaixo serão utilizadas neste exercício: public class Ponto { int x; int y; public Ponto(int x, int y){ this.

Exercício 1 : As classes abaixo serão utilizadas neste exercício: public class Ponto { int x; int y; public Ponto(int x, int y){ this. Exercício 1 : As classes abaixo serão utilizadas neste exercício: public class Ponto { int x; int y; public Ponto(int x, int y){ this.x = x; this.y = y; public String tostring(){ return "(" + x + "," +

Leia mais

INTRODUÇÃO 12. DOCUMENTAÇÃO INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO

INTRODUÇÃO 12. DOCUMENTAÇÃO INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO 12. DOCUMENTAÇÃO Na plataforma Java SE 7, há cerca de 4000 classes e interfaces disponíveis para utilizarmos em nossas aplicações Podemos visualizar a documentação dessas classes e interfaces

Leia mais

Linguagem de. Aula 06. Profa Cristiane Koehler cristiane.koehler@canoas.ifrs.edu.br

Linguagem de. Aula 06. Profa Cristiane Koehler cristiane.koehler@canoas.ifrs.edu.br Linguagem de Programação IV -PHP Aula 06 Profa Cristiane Koehler cristiane.koehler@canoas.ifrs.edu.br Criação de Formulários o Um formulário consiste em uma série de campos que são preenchidos pelo usuário

Leia mais

JavaScript: Validação de Formulários. Prof. Ivanilton Polato ipolato@utfpr.edu.br ipolato@gmail.com

JavaScript: Validação de Formulários. Prof. Ivanilton Polato ipolato@utfpr.edu.br ipolato@gmail.com JavaScript: Validação de Formulários Prof. Ivanilton Polato ipolato@utfpr.edu.br ipolato@gmail.com Validação de Formulários Um dos usos mais frequentes do JS é a validação de formulários. Além de garantir

Leia mais

Módulo 06 Desenho de Classes

Módulo 06 Desenho de Classes Módulo 06 Desenho de Classes Última Atualização: 13/06/2010 1 Objetivos Definir os conceitos de herança, polimorfismo, sobrecarga (overloading), sobreescrita(overriding) e invocação virtual de métodos.

Leia mais

JSF Facelets. Como Facelets muda a forma de desenvolver com JSF

JSF Facelets. Como Facelets muda a forma de desenvolver com JSF JSF Facelets Como Facelets muda a forma de desenvolver com JSF Agenda JSF 1.x JSF e JSP Facelets JSF 2.0 JSF Framework MVC Eventos (Observadores) Manter o estado da View Uma árvore de componete JSF JSF

Leia mais

Java na WEB Componentes Bean

Java na WEB Componentes Bean 1 Java na WEB Componentes Bean Objetivo: Ao final da aula o aluno será capaz de: Criar site dinâmico utilizando componentes Bean Utilizar Tags de ação Empregar Coleções de Bean. Sumário 5. Definição de

Leia mais

2 Orientação a objetos na prática

2 Orientação a objetos na prática 2 Orientação a objetos na prática Aula 04 Sumário Capítulo 1 Introdução e conceitos básicos 1.4 Orientação a Objetos 1.4.1 Classe 1.4.2 Objetos 1.4.3 Métodos e atributos 1.4.4 Encapsulamento 1.4.5 Métodos

Leia mais

public Agenda() { compromissos = null; } public int getnumerodecompromissos() { if (compromissos==null) return 0; else return compromissos.

public Agenda() { compromissos = null; } public int getnumerodecompromissos() { if (compromissos==null) return 0; else return compromissos. import java.util.scanner; class Data... class Compromisso... public class Agenda private Compromisso[] compromissos; private Compromisso[] realoquecompromissos (Compromisso[] vetor, int tamanhodesejado)

Leia mais

1- ASP.NET - HTML Server Controls

1- ASP.NET - HTML Server Controls 1- ASP.NET - HTML Server Controls Os controles de servidor - Server Controls - HTML são tags HTML padrão, com exceção de possuirem o atributo : runat="server". Vejamos um código que ilustra isto: O atributo

Leia mais

insfcanceof new public switch transient while byte continue extends for int null

insfcanceof new public switch transient while byte continue extends for int null Palavras -chave de JAV A abstract catch do final implements long private static throw void boolean char double finally import native protected super throws volatile break class float insfcanceof new public

Leia mais

Desenvolvimento Web com Framework Demoiselle versão 1.0

Desenvolvimento Web com Framework Demoiselle versão 1.0 Desenvolvimento Web com Framework Demoiselle versão 1.0 Módulo 07: Outros Componentes Autor: Rodrigo Hjort Serpro / Coordenação Estratégica de Tecnologia / Curitiba www.frameworkdemoiselle.org.br Modificado

Leia mais

NOVIDADES DO JAVA PARA PROGRAMADORES C

NOVIDADES DO JAVA PARA PROGRAMADORES C PROGRAMAÇÃO SERVIDOR EM SISTEMAS WEB NOVIDADES DO JAVA PARA PROGRAMADORES C Prof. Dr. Daniel Caetano 2012-1 Objetivos Apresentar o Conceito de Classes e Objetos Capacitar para a criação de objetos simples

Leia mais

Dando um passeio no ASP.NET

Dando um passeio no ASP.NET Dando um passeio no ASP.NET Por Mauro Sant Anna (mas_mauro@hotmail.com). Mauro é um MSDN Regional Director, consultor e instrutor. O principal objetivo da arquitetura.net é permitir ao usuário o fácil

Leia mais

Disciplina-POO-III- 3º Anos(Inf) (Lista de Exercícios III - Bimestre) 19/08/2015

Disciplina-POO-III- 3º Anos(Inf) (Lista de Exercícios III - Bimestre) 19/08/2015 Disciplina-POO-III- 3º Anos(Inf) (Lista de Exercícios III - Bimestre) 19/08/2015 1) Escrever um programa usando o pacote (awt). Que mostre no video um formulário com um botão de comandos ao sul uma caixa

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Prof. Felippe Scheidt IFPR Campus Foz do Iguaçu 2014/2.

Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Prof. Felippe Scheidt IFPR Campus Foz do Iguaçu 2014/2. Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Prof. Felippe Scheidt IFPR Campus Foz do Iguaçu 2014/2 Formulários Durante a navegação em websites é comum que sejam solicitadas informações

Leia mais

BCValidador VALIDAÇÃO DE ARQUIVOS XML RECEBIDOS PELO BANCO CENTRAL DO BRASIL

BCValidador VALIDAÇÃO DE ARQUIVOS XML RECEBIDOS PELO BANCO CENTRAL DO BRASIL BCValidador VALIDAÇÃO DE ARQUIVOS XML RECEBIDOS PELO BANCO CENTRAL DO BRASIL Deinf/Dine4 Versão 1.3 20/05/2013 Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 06/11/2007 1.0 Elaboração da primeira versão

Leia mais

LINGUAGEM ORIENTADA A OBJETOS

LINGUAGEM ORIENTADA A OBJETOS LINGUAGEM ORIENTADA A OBJETOS TI MÓDULO II O ECLIPSE O eclipse é uma IDE Open Source (código fonte aberto) que serve para o desenvolvimento em muitas linguagens: PHP Java Python HTML C/C++ A IDE Eclipse

Leia mais

Minha primeira aplicação utilizando Java Server Faces + Glassfish

Minha primeira aplicação utilizando Java Server Faces + Glassfish Minha primeira aplicação utilizando Java Server Faces + Glassfish Este tutorial apresenta de forma simples, como iniciar no desenvolvimento com o framework Java Server faces 1.2, utilizando-se o servidor

Leia mais

Validando dados de páginas WEB

Validando dados de páginas WEB Validando dados de páginas WEB Para que validar os dados? Validar os dados informados pelo usuário garante que sua aplicação funcione corretamente e as informações contidas nela tenha algum sentido. Outro

Leia mais

Guia de Fatores de Qualidade de OO e Java

Guia de Fatores de Qualidade de OO e Java Qualiti Software Processes Guia de Fatores de Qualidade de OO e Java Versã o 1.0 Este documento só pode ser utilizado para fins educacionais, no Centro de Informática da Universidade Federal de Pernambuco.

Leia mais

Manual 2010 Webmaster

Manual 2010 Webmaster Manual 2010 Webmaster Menu 1. Acesso ao sistema 2. Campanhas 2.1 Ver Campanhas Disponíveis 2.2 Minhas Campanhas 3. Formatos 3.1 Banners Automáticos 3.2 Banners Manuais 3.3 E-mail Marketing 3.4 Vitrines

Leia mais

Facebook. Java com o. Integrando Aplicações. Descubra como é fácil criar uma aplicação para rodar no Facebook. _capa

Facebook. Java com o. Integrando Aplicações. Descubra como é fácil criar uma aplicação para rodar no Facebook. _capa _capa Integrando Aplicações Java com o Facebook Descubra como é fácil criar uma aplicação para rodar no Facebook Desde o lançamento oficial do Facebook, em 2004, o número de usuários vem aumentando a cada

Leia mais

2ª LISTA DE EXERCÍCIOS CLASSES E JAVA Disciplina: PC-II. public double getgeracaoatual() {return geracaoatual;}

2ª LISTA DE EXERCÍCIOS CLASSES E JAVA Disciplina: PC-II. public double getgeracaoatual() {return geracaoatual;} 2ª LISTA DE EXERCÍCIOS CLASSES E JAVA Disciplina: PC-II Exercício : Construtores são métodos especiais sem tipo de retorno (nem mesmo void) e de mesmo nome que a classe que são invocados quando da criação

Leia mais

A Linguagem Java. Alberto Costa Neto DComp - UFS

A Linguagem Java. Alberto Costa Neto DComp - UFS A Linguagem Java Alberto Costa Neto DComp - UFS 1 Roteiro Comentários Variáveis Tipos Primitivos de Dados Casting Comandos de Entrada e Saída Operadores Constantes 2 Comentários /** Classe para impressão

Leia mais

Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Cookies e Sessões. Prof. MSc. Hugo Souza

Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Cookies e Sessões. Prof. MSc. Hugo Souza Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL Cookies e Sessões Prof. MSc. Hugo Souza Se você precisar manter informações sobre seus usuários enquanto eles navegam pelo seu site, ou até quando eles saem

Leia mais

Use a Cabeça! FREEMAN, Eric e Elisabeth. HTML com CSS e XHTML BASHMAN, Brian / SIERRA Kathy / BATES, Bert. Servlets & JSP

Use a Cabeça! FREEMAN, Eric e Elisabeth. HTML com CSS e XHTML BASHMAN, Brian / SIERRA Kathy / BATES, Bert. Servlets & JSP Use a Cabeça! FREEMAN, Eric e Elisabeth. HTML com CSS e XHTML BASHMAN, Brian / SIERRA Kathy / BATES, Bert. Servlets & JSP Software cliente: browser e outros Protocolo HTTP Infraestrutura de transporte

Leia mais

Figura C13.1. Diagrama de Casos de Uso para UC004 Registrar Proventos e Descontos!.

Figura C13.1. Diagrama de Casos de Uso para UC004 Registrar Proventos e Descontos!. A6Implementando o Padrão "Manter Coleção" Capítulo 13 Implementação o Caso de Uso UC004 Registrar Proventos e Descontos! - Analisando a Especificação Analisando o estereótipo do Caso de Uso da especificação

Leia mais

Aplicações, durante a execução, podem incorrer em muitas espécies de erros de vários graus de severidade Quando métodos são invocados sobre um objeto:

Aplicações, durante a execução, podem incorrer em muitas espécies de erros de vários graus de severidade Quando métodos são invocados sobre um objeto: Tratamento de Exceções Prof. Bruno Gomes bruno.gomes@ifrn.edu.br Programação Orientada a Objetos Exceções Aplicações, durante a execução, podem incorrer em muitas espécies de erros de vários graus de severidade

Leia mais

As Novidades do JSF 2.0

As Novidades do JSF 2.0 artigo As Novidades do JSF 2.0 Conheça a nova versão do JSF que traz inúmeras vantagens em relação ao seu antecessor. O JSF é hoje a principal ferramenta no mundoj para desenvolvimento Web, principalmente

Leia mais

indica o nome do campo pelo qual podemos acessar.

indica o nome do campo pelo qual podemos acessar. Formulários Em geral Com o Javascript, os formulários Html tomam outra dimensão. Não esqueça que em Javascript, podemos acessar cada elemento de um formulário para, por exemplo, ler ou escrever um valor,

Leia mais

Manual do Instar Mail Sumário

Manual do Instar Mail Sumário Manual do Instar Mail Sumário 1 - Apresentação do sistema... 2 2 - Menu cliente... 2 3 - Menu Importação... 5 4 - Menu Campanhas... 9 5 - Menu banco de arquivos... 16 6 - Menu agendamento... 16 7 - Menu

Leia mais

JSF e PrimeFaces. Professor: Ricardo Luis dos Santos IFSUL Campus Sapucaia do Sul

JSF e PrimeFaces. Professor: Ricardo Luis dos Santos IFSUL Campus Sapucaia do Sul JSF e PrimeFaces Professor: Ricardo Luis dos Santos IFSUL 2015 Agenda Introdução Desenvolvimento Web Java Server Faces Exercício 2 Introdução Ao longo dos anos diversas linguagens de programação foram

Leia mais

Desenvolvendo para WEB

Desenvolvendo para WEB Nível - Básico Desenvolvendo para WEB Por: Evandro Silva Neste nosso primeiro artigo vamos revisar alguns conceitos que envolvem a programação de aplicativos WEB. A ideia aqui é explicarmos a arquitetura

Leia mais

Arquitetura de Aplicações JSP/Web. Padrão Arquitetural MVC

Arquitetura de Aplicações JSP/Web. Padrão Arquitetural MVC Arquitetura de Aplicações JSP/Web Padrão Arquitetural MVC Arquitetura de Aplicações JSP/Web Ao projetar uma aplicação Web, é importante considerála como sendo formada por três componentes lógicos: camada

Leia mais

0,5 pelo negrito das palavras ID, Nome, E-mail e Analisar em outro momento.

0,5 pelo negrito das palavras ID, Nome, E-mail e Analisar em outro momento. IFES - Campus Cachoeiro de Itapemirim-ES Curso Técnico em Informática Disciplina: Programação Web Professor: Flávio Izo e Rafael Vargas Data: 07/04/2015 Aluno: GABARITO Valor: 12,5 Conteúdo: HTML + Formulários

Leia mais

Grupo de Usuários Java http://www.guj.com.br JavaServer Faces: A mais nova tecnologia Java para desenvolvimento WEB

Grupo de Usuários Java http://www.guj.com.br JavaServer Faces: A mais nova tecnologia Java para desenvolvimento WEB JavaServer Faces: A mais nova tecnologia Java para desenvolvimento WEB Talita Pitanga Conheça um pouco sobre a mais nova tecnologia para desenvolvimento de aplicações WEB: JavaServer Faces. Introdução

Leia mais

Java Básico. Classes Abstratas, Exceções e Interfaces Prof. Fernando Vanini Ic-Unicamp

Java Básico. Classes Abstratas, Exceções e Interfaces Prof. Fernando Vanini Ic-Unicamp Java Básico Classes Abstratas, Exceções e Interfaces Prof. Fernando Vanini Ic-Unicamp Classes Abstratas construção de uma classe abstrata construção de classes derivadas Classes e Herança Uma classe define

Leia mais

Manual de Utilização Moodle

Manual de Utilização Moodle Manual de Utilização Moodle Perfil Professor Apresentação Esse manual, baseado na documentação oficial do Moodle foi elaborado pela Coordenação de Tecnologia de Informação CTI do câmpus e tem como objetivo

Leia mais

JavaScript (ou JScript)

JavaScript (ou JScript) 1. Introdução JavaScript (ou JScript) Uma linguagem como o JavaScript permite criar interfaces interativas na web (permite a interação do usuário). Para desenvolver web sites interativos precisamos de

Leia mais

[MANUAL DE INTEGRAÇÃO PARA SITES DE MEMBROS]

[MANUAL DE INTEGRAÇÃO PARA SITES DE MEMBROS] 2011 [MANUAL DE INTEGRAÇÃO PARA SITES DE MEMBROS] Destinado a usuários que desejam vender conteúdo premium, disponível em sites de membros, através da plataforma Hotmart. Versão do documento: 1.0, 11/04/2011.

Leia mais

DESENVOLVENDO APLICAÇÃO UTILIZANDO JAVA SERVER FACES

DESENVOLVENDO APLICAÇÃO UTILIZANDO JAVA SERVER FACES DESENVOLVENDO APLICAÇÃO UTILIZANDO JAVA SERVER FACES Alexandre Egleilton Araújo, Jaime Willian Dias Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil araujo.ale01@gmail.com, jaime@unipar.br Resumo.

Leia mais

Especialização em Engenharia de Software - CEUT

Especialização em Engenharia de Software - CEUT Até aqui Programação com interfaces gráficas Sérgio Soares scbs@cin.ufpe.br Criamos a infra-estrutura para a aplicação bancária classes que representam os tipos de conta classe que implementa regras de

Leia mais

Orientação a Objetos

Orientação a Objetos 1. Domínio e Aplicação Orientação a Objetos Um domínio é composto pelas entidades, informações e processos relacionados a um determinado contexto. Uma aplicação pode ser desenvolvida para automatizar ou

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM MATEMÁTICA COMPUTACIONAL INFORMÁTICA INSTRUMENTAL

PÓS-GRADUAÇÃO EM MATEMÁTICA COMPUTACIONAL INFORMÁTICA INSTRUMENTAL PÓS-GRADUAÇÃO EM MATEMÁTICA COMPUTACIONAL INFORMÁTICA INSTRUMENTAL Formulários HTML Aula 07: Formulários e Frames HTML Os formulários HTML são utilizados, geralmente, como entradas de dados prépreenchimento,

Leia mais

Java para WEB. Servlets

Java para WEB. Servlets Servlets Servlets são classes Java que são instanciadas e executadas em associação com servidores Web, atendendo requisições realizadas por meio do protocolo HTTP. Servlets é a segunda forma que veremos

Leia mais

Documentação SEO EXPERT

Documentação SEO EXPERT Documentação SEO EXPERT O módulo SEO Expert ajuda você a rapidamente: Criar e personalizar URLs amigáveis Inserir metatags para páginas de produtos, posts do Facebook e cartões de Twitter em sua loja Este

Leia mais