Redação Matemática como Estratégia de Ensino na Prática Pedagógica

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Redação Matemática como Estratégia de Ensino na Prática Pedagógica"

Transcrição

1 Redação Matemática como Estratégia de Ensino na Prática Pedagógica Stelamara Souza Pereira (aluna) 1 GD7 Formação de Professores que Ensinam Matemática Resumo: Esta pesquisa, em andamento, está sendo desenvolvida com professores de Matemática da rede pública do município de Doverlândia-GO. O projeto destaca a importância de uma conexão entre a informática e a Matemática, traçar caminhos para construção do conhecimento, buscar alternativas para que o docente ultrapasse as barreiras da sala de aula ampliando seus conhecimentos e refletindo sobre sua prática pedagógica. Por meio deste trabalho, busca-se responder de que forma o docente pode levar o aluno a expor suas ideias, a explorar conteúdos, a compreender conceitos por meio da escrita Matemática? Como as Tecnologias de Informação e de Comunicação podem contribuir com o ensino-aprendizagem da Matemática? Nesse novo cenário de comunicação, o professor poderá expor conteúdos utilizando instrumentos como: elaboração de cartas, de registro de diários e de Histórias em Quadrinhos (HQ) aliando a Matemática com a escrita, envolvendo seus alunos no mundo da leitura, manifestando sua aprendizagem, criatividade e despertando o senso crítico. É uma pesquisa de abordagem qualitativa, tem como procedimentos de coleta de dados, questionários e entrevistas. Assim, por meio dos resultados parciais, observa-se que os professores têm novas perspectivas com relação ao ensino de Matemática e espera que eles percebam a importância da escrita e da tecnologia integrada às práticas pedagógicas. Palavras-Chave: Redação Matemática. Ensino-aprendizagem. Prática Pedagógica. Introdução A evolução das tecnologias tem influenciado a vida das pessoas, até mesmo daquelas que não têm acesso aos aparatos tecnológicos. A velocidade da informação envolve as pessoas como uma epidemia na era digital, principalmente os jovens. Todo este contexto estabelece um novo paradigma para o desenvolvimento do conhecimento e, um desafio para a educação. Dessa forma, as Tecnologias da Informação e da Comunicação/TIC e a utilização de softwares é uma possibilidade de ferramenta educacional. A proposta pedagógica visa a levar o professor do Ensino Fundamental a envolver com novos instrumentos para sua prática pedagógica, difundindo os conteúdos de Matemática de maneira diferenciada, utilizando como estratégia de ensino a criação de Redações Matemáticas, nas modalidades: História em Quadrinhos (HQ), por meio do software HagáQuê, de carta e de diário utilizando editores de textos computacionais. Na 1 Instituto Federal de Goiás-Câmpus Jataí-GO, orientadora: Flomar Ambrosina Oliveira Chagas

2 aplicação da pesquisa, está sendo utilizada também a plataforma Moodle como instrumento de comunicação com a turma, quando está sendo realizado um curso de formação de professores de caráter semipresencial. Nesse sentido, pode-se questionar: como o docente levará o seu aluno a expor suas ideias, explorar a Matemática, compreender conceitos por meio da escrita Matemática? Como as TIC podem contribuir com o ensino-aprendizagem da Matemática? As Histórias em Quadrinhos é uma possibilidade em que o aluno tem de expor seus conhecimentos matemáticos pela escrita, de maneira lúdica. Como afirma Vergueiro (2009, p. 23) a inclusão dos quadrinhos na sala de aula possibilita ao estudante ampliar seu leque de meios de comunicação, incorporando a linguagem gráfica às linguagens oral e a escrita, que normalmente utiliza. Assim, o aluno passa expressar o que aprendeu em sala de aula e utilizar da criatividade para compor sua história. D Ambrósio (2012, p.74) faz uma relação da sociedade do conhecimento com a Educação Matemática mencionando que será essencial para a escola estimular a aquisição, a organização, a geração e a difusão do conhecimento vivo integrado nos valores e nas expectativas da sociedade. Isso será impossível de atingir sem a ampla utilização da tecnologia na educação. O autor aponta ainda, para um novo papel do professor de Matemática, que é inserir o conteúdo de modo que gerencie, motive o processo de aprendizagem. Assim, o elo entre a matemática e as TIC pode tornar um instrumento que auxilie o aluno diante das dificuldades vivenciadas em sala de aula. No entanto, destaca-se que muitos educadores são resistentes às tecnologias. De acordo com Borba e Penteado (2012), pesquisas e debates sobre o papel da tecnologia em sala de aula apontam que desde quando os computadores começaram a ganhar destaque no ambiente escolar, muitos educadores manifestavam contra o uso das tecnologias, questionando, por exemplo, como o aluno aprenderia um conteúdo de função ao apertar uma tecla do computador e o gráfico esboçado apareceria. Os professores se esquecem, porém de que o lápis, a caneta e o papel também são tecnologias. E mesmo sendo desafio para os docentes, é importante que as TIC sejam inseridas na educação. Explorar novas possibilidades educacionais auxilia o professor e aguça a criatividade dos alunos. Justificativa Diante das dificuldades que muitos alunos do Ensino Fundamental apresentam no processo de ensino aprendizagem da Matemática em relação à compreensão dos conteúdos

3 por, muitas vezes, serem apresentadas de maneira formalizada, sem contextualização, destaca-se nesse espaço os motivos que justificam o porquê de trabalhar com a escrita matemática na formação de professores. Para D Ambrósio (2012) a educação formal é baseada na mera transmissão de explicações e teorias ou, na prática, de exercícios repetitivos que acabam tornando equivocadas em vista dos avanços mais recentes do nosso entendimento dos processos cognitivos, há estilos cognitivos que devem ser reconhecidos em diferentes contextos. O autor destaca ainda que o grande desafio que se encontra na educação é justamente sermos capazes de interpretar as capacidades e a própria ação cognitiva não da forma linear, estável e contínua que caracteriza as práticas educacionais mais correntes, (D AMBROSIO, 2012, p. 109). Desse modo, é necessário que se tenha um novo cenário na sala de aula, em que o professor seja capaz de inserir novos instrumentos pedagógicos que permitam seus alunos a envolver com a Matemática, dando significado aos conteúdos estudados, como afirma Pais (2013, p. 75) é preciso valorizar estratégias de ensino que envolvam diferentes linguagens e não priorizar a dimensão abstrata dos conceitos, esperando que a aprendizagem da linguagem se efetue num segundo momento. Essa realidade chama atenção para desenvolver atividades que ultrapassem os limites do conteúdo aprendido em sala de aula, desenvolvendo um trabalho com professores da rede pública de ensino de Doverlândia GO na perspectiva de aliar a Redação Matemática com a tecnologia, para discutir o conteúdo matemático, de tal forma que possa contribuir com a aprendizagem desses alunos. Nessa perspectiva, essa pesquisa almeja desenvolver um trabalho com professores sobre novas possibilidades de comunicação, destacando a redação Matemática como estratégias de ensino na prática pedagógica, permitindo que os alunos explorem os conteúdos, que tenham a capacidade de se expressar, que se auto avaliem e que compreendam os significados dos conceitos estudados nas aulas de Matemática, como afirma os Parâmetros Curriculares Nacionais - PCN, Falar sobre Matemática, escrever textos sobre conclusões, comunicar resultados, usando ao mesmo tempo elementos da língua materna e alguns símbolos matemáticos, são atividades importantes para que a linguagem matemática não funcione como um código indecifrável para os alunos. (BRASIL, 1997b, p. 46) Com isso, envolver essa pesquisa na formação de professores tem a perspectiva de levar o docente a novas concepções de ensinar Matemática, de aliar teoria e prática na

4 construção do conhecimento e de integrar as TIC como ferramentas de apoio pedagógico, proporcionando um trabalho de interação com os sujeitos envolvidos. Percebe-se que os limites físicos da sala de aula já estão superados pelo advento dos mecanismos tecnológicos, dado que é necessário que o aluno esteja apto a construir seu conhecimento fora da sala de aula, como bem menciona Valente (1999, p. 36) que o aluno deve sair da passividade de quem só recebe, para se tornar ativo caçador da informação, de problemas para resolver e de assuntos para pesquisar, Assim, surge o desafio de o professor ultrapassar os limites da sala de aula para desenvolver uma atividade que desponte alternativas de aprendizagem ao aluno. Desta forma, a produção de redações matemáticas por meio da informática, permite ao docente criar um espaço de comunicação estabelecendo uma relação mais prazerosa com os alunos, já que é um espaço já dominado e frequentado por eles ao, mesmo tempo, para uma diferente percepção da Matemática. Referencial Teórico A tecnologia e o ensino da Matemática na formação de professores Com base em situações reais e muitos problemas com os cálculos nas aulas de Matemática, professores têm procurado alternativas para aproximar o aluno dessa disciplina temida por muitos. É preciso saber como inovar, provocando os alunos a não somente resolver exercícios repetitivos e a decorar fórmulas matemáticas para resolver determinado problema, promovendo conhecimentos isolados. É essencial estar atento que esse aluno participe das discussões, desenvolva o seu cognitivo para discutir ideias e desafios. A Matemática passa por grande transformação, em que o educador, nesse mundo contemporâneo, deve repensar a sua prática pedagógica. De acordo com D Ambrósio (2012), a Matemática que se vê permite que o jovem visualize múltiplas possibilidades de representações de problemas no estilo moderno. Destaca ainda que é possível organizar um currículo baseada na modernidade. Os alunos não podem aguentar coisas obsoletas e inúteis, precisa ser interessante. O autor enfatiza que essa evolução das tecnologias contribuiu muito para o ensino da Matemática. Na década de 1970 surgiram as calculadoras, representando uma enorme evolução naquela época, sendo um instrumento que demorou ser inserido na sociedade e, mesmo assim, não é de estranhar que ainda há pessoas nas escolas resistentes ao uso de

5 calculadoras, assim como, quando inventaram a imprensa. Estamos vivendo a era dos computadores, da televisão, da internet, do celular, os quais afetam todos os setores da sociedade. Os educadores devem adotar a informática, do contrário se distanciarão da realidade vivida pelos alunos. Desse modo, inserindo a tecnologia nas aulas de Matemática pode contribuir para o desenvolvimento do aprendizado dos alunos. O grande desafio para o professor de Matemática é apresentar o conteúdo ao aluno e este apresentar as habilidades necessárias para desenvolver um raciocínio diante de uma situação problema. A inserção das TIC no contexto escolar pode contribuir para uma realidade diferenciada, na qual poderá haver uma aproximação maior entre aluno-professor e viceversa, abrindo caminhos para a construção do conhecimento e fazendo com que o aluno compreenda a Matemática. E para que haja essa aproximação é necessário mobilizar o aluno para o conhecimento, nesse contexto a autora Pimenta (2010) expõe algumas categorias nas atividades que os alunos podem desempenhar: significação, problematização, práxis, criticidade, historicidade e totalidade. Assim, o docente sistematiza os conteúdos dando significados e consolida os conceitos aprendidos. Leitura e Escrita: a Redação Matemática como instrumento de aprendizagem O ensino de Matemática no contexto escolar é muitas vezes visto como aquela disciplina abstrata em que se estudam determinados conteúdos sem reconhecer a sua utilidade, resolvendo exercícios utilizando regras e fórmulas, sem compreender seus significados. E por meio da leitura, da decodificação desses signos e da escrita o aluno pode expressar a Matemática com um novo olhar. Assim, na ação pedagógica é que se estrutura novas possibilidades de compreensão dos conteúdos e, nesse sentido, a Redação Matemática pode ser um meio de estabelecer essa conexão entre professor-aluno-conhecimento. Que de acordo com Faria (1998) redação Matemática é o ato de escrever o que se aprendeu, além disso, o ato de falar, ouvir, escrever e ler Matemática. Nesse contexto, a interação entre a fala e o pensamento do aluno se articulam por meio da escrita, como afirma Vygotsky (1998, p. 107) A relação entre o pensamento e a palavra é um processo vivo; o pensamento nasce por meio das palavras. Uma palavra vazia de pensamento é uma coisa morta, e um pensamento despido de palavras permanece uma

6 sombra. Assim, o discente pode transmitir o que compreendeu, discorrer sobre suas dúvidas e anseios, expressando os conceitos estudados associando a um novo sentido. E isso vai ao encontro as reflexões de Souza e Oliveira quando discorre que A partir de um ensino que conecte matemática e práticas de leitura e escrita, o aluno poderá ter outra visão do conhecimento, além da tradicional separação das disciplinas, pois essa conexão permite a reflexão e/ou diálogo sobre os elementos, os aspectos, as ideias, os conceitos matemáticos e outras áreas do conhecimento, bem como sobre as diferentes visões de mundo presentes nos diversos gêneros textuais. Ler é uma atividade que possibilita ao leitor entrar em contato com a realidade, relacionar-se com o mundo, encontrar informações e aumentar os seus conhecimentos. (SOUZA; OLIVEIRA, 2010, p. 184) Diante dessa realidade, é que se deve pensar que a escrita não é uma obrigação somente da disciplina de Língua Portuguesa, é necessário que os docentes de Matemática mostrem aos seus alunos a importância de escrever matematicamente, de expor o que compreendeu ou não, de comunicar suas dificuldades e de mostrar sua criatividade e criticidade. Faria (1998) aponta diversas atividades envolvendo redação Matemática, entre elas estão a elaboração de cartas, a criação de gibis e o registro de diários, os quais serão abordados nessa pesquisa. De acordo com Gonçalves (1995) apud Faria (1998) a carta pode ser um instrumento atrativo, pois na escrita os motivos são abstratos, intelectualizados e distantes de necessidades e interesses imediatos, tornando-se necessário criar uma situação e representála. E para Teixeira (2011, p. 2151) escrever uma carta é produzir um texto que é elaborado de acordo com as relações existentes entre os sujeitos e o seu propósito de comunicação. Sobre os registros de diários Pontes (2007, p. 9) considera o diário importante ferramenta para o registro dos momentos vivenciados durante as aulas, para observar as diferentes interpretações dos alunos, para compartilhar ideias, dúvidas, hipóteses. Faria (1998) argumenta que é uma atividade que possibilita a reflexão diária do próprio aprendizado, em que os alunos podem expor o que aprendeu, assinalar suas dificuldades, em que o professor terá a capacidade de identificar a aprendizagem do aluno acerca do conteúdo. Nesse sentido, o professor pode ainda verificar sua própria prática pedagógica, além de permitir que os discentes expressem suas ideias, conceitos e opiniões. Outra possibilidade de comunicação é uso da Histórias em Quadrinhos (HQ), instrumento que permite o professor inserir seus conteúdos, contextualizando por meio da arte e criatividade dos alunos na criação dos personagens e cenários. De acordo com Silva et al. (2013)

7 As Histórias em Quadrinhos são um gênero textual comumente utilizado em salas de aula com objetivos diversos: incentivo à leitura, contato diversificado de textos e a alfabetização. As HQ podem oferecer múltiplas e variadas formas de aprender desde que a poli competência seja colocada em prática para articular os conteúdos de Matemática ao enredo de uma História em Quadrinhos. (SILVA et al., 2013, p.6) Nesse contexto, a autora Luyten (2011) No plano pedagógico, os quadrinhos proporcionam experiências narrativas desde o início do aprendizado, fazendo os alunos adquirirem uma nova linguagem. As HQ permitem que o professor contextualize o conteúdo matemático, proporcionando ao aluno utilizar sua imaginação, interagir com a leitura e a desenvolver sua aprendizagem. Assim sendo, a redação Matemática pode ser uma estratégia da aprendizagem, desde que o professor seja o mediador do processo, fazendo com que os seus alunos percebam que a Matemática é uma disciplina que necessita de leitura e de reflexão, conforme afirma Powell e Bairral (2006, p. 50), Os indivíduos devem ter oportunidades para analisar seu processo de pensamento, os significados construídos e as formas de raciocínio matemáticos presentes. O desenvolvimento individual e do pensamento matemático, mediante a escrita, é o que devemos objetivar. Desse modo, podem-se oportunizar aos sujeitos envolvidos, serem reflexivos, críticos e compreender os significados dos conteúdos estudados na disciplina de Matemática. Objetivos Objetivo Geral Envolver os docentes no mundo da leitura e da escrita da Matemática para discutir a importância do uso da redação Matemática na prática pedagógica, ressaltando sua aplicabilidade e potencialidade, utilizando a Informática como uma ferramenta para o aprendizado. Objetivos Específicos Analisar o uso do software HagáQuê, na construção das Histórias em Quadrinhos, como ferramenta de ensino de Matemática; Averiguar a importância e os benefícios que esse software pode trazer para a prática pedagógica do professor; Analisar o uso de ferramentas de editores de textos computacionais na construção de cartas e diários, como ferramenta de ensino de Matemática;

8 Diagnosticar o envolvimento dos docentes quanto ao desenvolvimento da História em Quadrinhos, da carta e do diário relacionados com os conceitos matemáticos; Avaliar a aplicação das sequências didáticas desenvolvidas pelo grupo de docentes por meio das linguagens oral e escrita; Incentivar o professor a desenvolver habilidades de leitura e de escrita em Matemática; Identificar os efeitos das produções das redações matemáticas como instrumento avaliativo na prática pedagógica do professor. Metodologia A pesquisa está sendo aplicada com um grupo de professores do Ensino Fundamental da rede pública de Doverlândia-GO, iniciou no segundo semestre do ano de 2014 dedicandose a leituras de pesquisas sobre as possibilidades de uso da Informática como ferramenta para o desenvolvimento do ensino aprendizado. Houve elaboração do questionário e da entrevista que estão sendo aplicados neste ano de O trabalho está em desenvolvimento, pretendendo buscar respostas em um estudo sobre como os professores do ensino fundamental irão interagir os conteúdos que trabalham em suas aulas, por meio da produção da Redação Matemática, utilizando o software HagáQuê 2 na construção de HQ e ainda utilizando ferramentas de editores de textos computacionais para produção das cartas e diários, desenvolvendo o aprendizado matemático. Para analisar o processo na qual se dará a pesquisa, é necessário que a pesquisadora proponha um curso de extensão aos professores regentes. O curso 3 é oferecido aos docentes de 1º ao 9º ano do Ensino Fundamental no Tele Centro da Secretaria Municipal de Educação de Doverlândia- GO, de caráter semipresencial, utilizando a plataforma de aprendizagem Moodle. Num primeiro momento, foi aplicado questionários aos professores a fim de verificar os aspectos sócio-econômico-cultural e obter dados aos aspectos pedagógicos. 2 É um software gratuito educativo com editor de histórias em quadrinhos, contendo diversos personagens, cenários e ainda com possibilidades de importar imagens. Disponível no site 3 Ao final do curso os professores receberão um certificado emitido pelo Instituto Federal de Goiás (IFG Campus Jataí-GO), totalizando uma carga horária de 120 horas.

9 Posteriormente, apresentou-se a finalidade da proposta pedagógica, as ferramentas tecnológicas utilizadas, os teóricos que serão abordados e os métodos de avaliação. E seguirá com uma oficina sobre a utilização da plataforma Moodle. O curso de extensão iniciou no mês de agosto de 2014, e os encontros presenciais estão sendo ministrados uma vez por semana, durante três meses, nesses encontros há uma abordagem teórica e prática em relação à Redação Matemática, discorrendo inicialmente sobre as diversas possibilidades de envolver os alunos na escrita matemática, mostrandolhes a importância de compreender os signos e significados do que se estuda. Dessa forma, apresenta-se no curso, três modalidades para trabalhar a Redação Matemática: Histórias em Quadrinhos (HQ), Carta e Diário. Essas atividades estão sendo abordadas utilizando as Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC). Nesse sentido, já foi ministrado a modalidade HQ por meio do software HagáQuê, apresentado as ferramentas que o software oferece, em seguida será apresentada a modalidade carta e diário utilizando o computador para redigir os textos. Nas atividades, os professores são orientados a desenvolver uma sequência didática em sua turma, discutir nos encontros presenciais, em seguida, aplicá-la com seus alunos, envolvendo as ferramentas tecnológicas como apoio pedagógico, e no caso da HQ, o software HagáQuê, e após a aplicação da sequência, os professores retornarão aos encontros com os resultados obtidos para discussão e para troca de experiências. Os professores irão conhecer essas modalidades de Redação Matemática por meio das oficinas oferecidas no curso; em seguida, postarão na plataforma Moodle. Além disso, é necessário a interação de todos os participantes, tanto nos fóruns, chats, quanto a sua participação na realização das tarefas na plataforma, proporcionando um novo espaço de comunicação, interação, debate, partilha de ideias, opiniões e dúvidas sobre assuntos propostos. Além disso, foi informado que a pesquisadora será a mediadora do processo. Assim, os professores terão a oportunidade de produzir suas próprias sequências didáticas utilizando a Redação Matemática, como Histórias em Quadrinhos (HQ), como cartas e como diários, verificando a possibilidade desses recursos serem inseridos nos conteúdos que estão desenvolvendo em suas salas de aula. Dessa forma, os alunos serão motivados a discutirem problemas matemáticos tratados em sala de aula e a interligar seus conhecimentos matemáticos com o cotidiano nas produções. Segundo Faria (1998, p. 17) quando o aluno faz uma redação em Matemática, ele demonstra o que aprendeu e permite

10 ao professor avaliar as ideias apresentadas, dando a eles a importante oportunidade de avaliar a aprendizagem e o seu ensino, respectivamente. Assim, o professor poderá avaliar e acompanhar o desenvolvimento do aluno em relação ao que acabou de estudar. Essa proposta de trabalhar com a formação de professores será analisada por meio da participação dos professores durante todo o processo, tanto presencial quanto à distância, as produções de HQ, das cartas e dos diários dos professores postadas na plataforma Moodle. Além disso, todos os encontros estão sendo filmados e gravados a áudio. Para finalizar a pesquisa, será realizada uma entrevista com cada participante do curso, os quais serão entrevistados pela pesquisadora, para analisar sobre as principais dificuldades apresentadas, se a Redação Matemática possibilitou a compreensão de conceitos matemáticos, verificar, ainda, se o professor compreendeu que a Matemática vai além de números e de fórmulas, mostrando-lhes que é fundamental a escrita Matemática. Produto a ser desenvolvido O produto será a sequência de atividades apresentadas no curso e ainda a criação de um site na plataforma Webnode, disponibilizando todo o material utilizado no curso, a fim de ampliar conhecimentos a outros professores que tenham interesse pela Redação Matemática na prática pedagógica. Desenvolvendo assim, uma dissertação sobre a possibilidade da utilização de Redação Matemática. Considerações Finais A pesquisa se encontra em andamento e como resultados parciais que se tem até o momento são as leituras referente às tecnologias na Educação, o uso do software Hagáquê como incentivo aos cursistas para desenvolver em sua prática docente o uso da leitura e escrita na disciplina de Matemática, o contato com os cursistas no ambiente de aprendizagem Moodle e nos encontros presenciais. Em relação ao curso proposto, por meio da entrevista com a secretária de educação, a principal meta para 2014 é a formação de professores na disciplina de Matemática, e ao apresentar essa proposta, a secretaria de educação do município de Doverlândia-GO, se mostrou disponível para apoiar o curso no que for necessário. Além disso, foi realizado uma entrevista aos professores inscritos, os quais mostraram ansiosos em compreender como trabalhar leitura e escrita na Matemática, já que segundo eles desconhecem o software Hagáquê. Atualmente há quinze cursistas participantes.

11 O curso iniciou-se em agosto de 2014, sendo que no primeiro encontro foi aplicado um questionário, apresentado quais modalidades de redação Matemática que o curso irá abordar, foi orientado como acessar a plataforma Moodle, e demais informações nesses três meses de curso. Nos demais encontros presenciais, aconteceu discussões acerca de textos referente às Tecnologias na Educação e da importância de trabalhar a leitura e a escrita nas aulas de Matemática, oficina do software Hagáquê, produções de histórias em quadrinhos, e atualmente está em desenvolvimento a elaboração das sequências didáticas pelos professores, para suas salas de aula. Além disso, no ambiente Moodle são direcionadas atividades, leituras e discussões referente o que é abordado nos encontros presenciais. O trabalho está permitindo aos cursistas novas possibilidades em criar, desafiar e inovar as aulas ministradas, em que por meio das histórias em quadrinhos, o docente tem a oportunidade de mostrar seu conteúdo de maneira lúdica, provocando o discente a estudar Matemática. Com isso, espera-se que seja um trabalho em que mostre as potencialidades da redação Matemática, ampliando assim o conhecimento sobre leitura e escrita na disciplina de Matemática. Diante das informações descritas, os dados ainda estão em fase de análise, em que não houve tempo suficiente para realizar, pois está sendo aplicado no presente momento, para tanto ainda não foi possível ser apresentados. Referências BORBA, Marcelo de Carvalho; PENTEADO, Miriam Godoy. Informática e Educação Matemática. 5. ed. Belo Horizonte: Autêntica, BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Matemática. Brasília: A Secretaria, 1997a. Disponível em: < >. Acesso em: 25 de Mar D AMBRÓSIO, Ubiratan. Educação Matemática: Da teoria à prática. 23. ed. Campinas, SP: Papirus, FARIA, Celso de Oliveira. Redação Matemática: A comunicação como mediadora na formação de conceitos matemáticos. Interação. Revista da Faculdade de Educação, Goiânia, v.22. n.1/2, Editora UFG. LUYTEN, Sônia M. Bibe. TV Escola. Introdução. História em Quadrinhos: um recurso de aprendizagem, São Paulo, v. 1, n. 11, p.1-30, abr Salto para o Futuro. Disponível em: <http://www.tvbrasil.org.br/fotos/salto/series/181213historiaemquadrinhos.pdf>. Acesso em: 02 dez PAIS, Luis Carlos. Ensinar e aprender Matemática. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2013.

12 POWELL, A. e BAIRRAL, M. A escrita e o pensamento matemático: interações e potencialidades. Coleção Perspectivas em Educação matemática. Campinas, SP: Papirus, PIMENTA, Selma Garrido. Docência no ensino superior. 4. ed. São Paulo: Cortez, SILVA, Anderson Aparecido da et al. Música, leitura de imagens e história em quadrinhos como ferramentas facilitadoras da alfabetização matemática. In: ENCONTRO NACIONAL DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA, 11., 2013, Curitiba Pr. Anais.... Curitiba Pr: Sbem, p Disponível em: <http://sbem.esquiro.kinghost.net/anais/xienem/pdf/1633_1787_id.pdf>. Acesso em: 22 mar SOUZA, A. P. G., OLIVEIRA, R. M. M. Leitura, escrita e matemática: a apropriação de conhecimentos e a receptividade de alunos da 4ª série do ensino fundamental. Zetetiké Fe Unicamp, v. 18, n. 33, p , jan/jun TEIXEIRA, Cássia Regina. O ensino do gênero textual carta nas aulas de língua materna. In: CONGRASSO NACIONAL DE LINGUÍSTICA E FILOLOGIA, 15., 2011, Rio de Janeiro. Cadernos do CNLF. Rio de Janeiro: Ufrj, v. 15, p Disponível em: <http://www.filologia.org.br/xv_cnlf/tomo_3/180.pdf>. Acesso em: 02 abr VALENTE, José Armando. Mudança na Sociedade, Mudança na Educação. In: VALENTE, José Armando (Org.). O computador na sociedade do conhecimento. Campinas, Sp: Nied, Cap. 2, p VERGUEIRO, Waldomiro. Uso das HQs no ensino. In: RAMA, Ângela; VERGUEIRO, Waldomiro (orgs.). Como usar as histórias em quadrinhos na sala de aula. 3. ed. 3ª reimpressão. São Paulo: Contexto, 2009a, p VYGOTSKY, L. S. Pensamento e linguagem. Tradução de Jefferson Luiz Camargo 2.ed. São Paulo: Martins Fontes, 1998a.

ALFABETIZAÇÃO INTERDISCIPLINAR COM A LENDA DO BOTO RESUMO

ALFABETIZAÇÃO INTERDISCIPLINAR COM A LENDA DO BOTO RESUMO ALFABETIZAÇÃO INTERDISCIPLINAR COM A LENDA DO BOTO RESUMO Cristina Maria da Silva Lima cris86lima@yahoo.com.br Diana Gonçalves dos Santos dianasantos07@gmail.com (IEMCI/UFPA) Este estudo apresenta um relato

Leia mais

Palavras-chave: Didática; Estágio; Formação; Teoria; Prática.

Palavras-chave: Didática; Estágio; Formação; Teoria; Prática. ESTÁGIO E DIDÁTICA: DESAFIOS E PERSPECTIVAS Maria do Socorro Sousa e Silva Universidade Estadual Vale do Acaraú UVA Resumo O presente artigo objetiva registrar e refletir sobre a disciplina de Estágio

Leia mais

SOFTWARE HAGÁQUÊ: FERRAMENTA PEDAGÓGICA DE AUXÍLIO AO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM COMO PRÁTICA INOVADORA

SOFTWARE HAGÁQUÊ: FERRAMENTA PEDAGÓGICA DE AUXÍLIO AO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM COMO PRÁTICA INOVADORA SOFTWARE HAGÁQUÊ: FERRAMENTA PEDAGÓGICA DE AUXÍLIO AO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM COMO PRÁTICA INOVADORA Marília Gerlane Guimarães da Silva graduanda UEPB mariliagerlany@hotmail.com Jocélia Germano

Leia mais

DIFICULDADES DE LEITURA E ESCRITA: REFLEXÕES A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DO PIBID

DIFICULDADES DE LEITURA E ESCRITA: REFLEXÕES A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DO PIBID DIFICULDADES DE LEITURA E ESCRITA: REFLEXÕES A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DO PIBID BARROS, Raquel Pirangi. SANTOS, Ana Maria Felipe. SOUZA, Edilene Marinho de. MATA, Luana da Mata.. VALE, Elisabete Carlos do.

Leia mais

LEITURA EM LÍNGUA ESPANHOLA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: COMPREENSÃO E EXPRESSÃO CRIATIVA

LEITURA EM LÍNGUA ESPANHOLA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: COMPREENSÃO E EXPRESSÃO CRIATIVA LEITURA EM LÍNGUA ESPANHOLA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: COMPREENSÃO E EXPRESSÃO Instituto Federal Farroupilha Câmpus Santa Rosa ledomanski@gmail.com Introdução Ler no contexto mundial globalizado

Leia mais

As Novas Tecnologias de Informação e Comunicação na Formação Inicial do Professor de Matemática

As Novas Tecnologias de Informação e Comunicação na Formação Inicial do Professor de Matemática As Novas Tecnologias de Informação e Comunicação na Formação Inicial do Professor de Matemática Rosangela Ferreira Prestes Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões DECET 1 / GEMEP

Leia mais

A CONTRIBUIÇÃO DO PIBID PARA INOVAR AS PRÁTICAS DE LEITURA E ESCRITA NO ENSINO MÉDIO. PALAVRAS CHAVE: PIBID, Interação, Construção, Leitura, Projeto.

A CONTRIBUIÇÃO DO PIBID PARA INOVAR AS PRÁTICAS DE LEITURA E ESCRITA NO ENSINO MÉDIO. PALAVRAS CHAVE: PIBID, Interação, Construção, Leitura, Projeto. A CONTRIBUIÇÃO DO PIBID PARA INOVAR AS PRÁTICAS DE LEITURA E ESCRITA NO ENSINO MÉDIO Fabiana Maria da Silva Nascimento 1 Fabiana Pereira de Oliveira 2 Prof.Esp.Gleison Carlos Souza de Morais 3 Prof. Ma.

Leia mais

A EXPLORAÇÃO DE SITUAÇÕES -PROBLEMA NA INTRODUÇÃO DO ESTUDO DE FRAÇÕES. GT 01 - Educação Matemática nos Anos Iniciais e Ensino Fundamental

A EXPLORAÇÃO DE SITUAÇÕES -PROBLEMA NA INTRODUÇÃO DO ESTUDO DE FRAÇÕES. GT 01 - Educação Matemática nos Anos Iniciais e Ensino Fundamental A EXPLORAÇÃO DE SITUAÇÕES -PROBLEMA NA INTRODUÇÃO DO ESTUDO DE FRAÇÕES GT 01 - Educação Matemática nos Anos Iniciais e Ensino Fundamental Adriele Monteiro Ravalha, URI/Santiago-RS, adrieleravalha@yahoo.com.br

Leia mais

O USO DO SOFTWARE GEOGEBRA COMO METODOLOGIA DE ENSINO DE MATEMÁTICA NO 9º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL DO COLÉGIO SÃO JOÃO BATISTA, CEDRO-CE

O USO DO SOFTWARE GEOGEBRA COMO METODOLOGIA DE ENSINO DE MATEMÁTICA NO 9º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL DO COLÉGIO SÃO JOÃO BATISTA, CEDRO-CE O USO DO SOFTWARE GEOGEBRA COMO METODOLOGIA DE ENSINO DE MATEMÁTICA NO 9º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL DO COLÉGIO SÃO JOÃO BATISTA, CEDRO-CE ¹C. J. F. Souza (ID); ¹M. Y. S. Costa (ID); ²A. M. Macêdo (CA)

Leia mais

O olhar do professor das séries iniciais sobre o trabalho com situações problemas em sala de aula

O olhar do professor das séries iniciais sobre o trabalho com situações problemas em sala de aula O olhar do professor das séries iniciais sobre o trabalho com situações problemas em sala de aula INTRODUÇÃO Josiane Faxina Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho Câmpus Bauru e-mail: josi_unesp@hotmail.com

Leia mais

Novas tecnologias no ensino de matemática: possibilidades e desafios

Novas tecnologias no ensino de matemática: possibilidades e desafios Novas tecnologias no ensino de matemática: possibilidades e desafios Marcelo Antonio dos Santos Mestre em Matemática Aplicada UFRGS, Professor na Faculdade Cenecista de Osório (FACOS) e professor da rede

Leia mais

PRÁTICAS DE LEITURA E ESCRITA NA INTERNET: UMA ANÁLISE DAS ATIVIDADES DO LIVRO DIDÁTICO DO ENSINO MÉDIO

PRÁTICAS DE LEITURA E ESCRITA NA INTERNET: UMA ANÁLISE DAS ATIVIDADES DO LIVRO DIDÁTICO DO ENSINO MÉDIO PRÁTICAS DE LEITURA E ESCRITA NA INTERNET: UMA ANÁLISE DAS ATIVIDADES DO LIVRO DIDÁTICO DO ENSINO MÉDIO Elaine Vasquez Ferreira de Araujo (UNIGRANRIO) elainevasquez@ig.com.br RESUMO Este artigo discute

Leia mais

Claudimary Moreira Silva Oliveira 1. GD7 Formação de Professores que Ensinam Matemática

Claudimary Moreira Silva Oliveira 1. GD7 Formação de Professores que Ensinam Matemática As Percepções dos Acadêmicos do Curso de Licenciatura em Matemática da UEG/Iporá em relação a Investigação Matemática com o Software Geogebra, desenvolvidas no Estágio Supervisionado no ano de 2014 Claudimary

Leia mais

AS HISTÓRIAS EM QUADRINHOS E O INCENTIVO À LEITURA E CRIAÇÃO TEXTUAL

AS HISTÓRIAS EM QUADRINHOS E O INCENTIVO À LEITURA E CRIAÇÃO TEXTUAL 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( x ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA AS HISTÓRIAS EM QUADRINHOS E O INCENTIVO À LEITURA E CRIAÇÃO

Leia mais

Justificativa: Cláudia Queiroz Miranda (SEEDF 1 ) webclaudia33@gmail.com Raimunda de Oliveira (SEEDF) deoliveirarai@hotmail.com

Justificativa: Cláudia Queiroz Miranda (SEEDF 1 ) webclaudia33@gmail.com Raimunda de Oliveira (SEEDF) deoliveirarai@hotmail.com 1 COMO COLOCAR AS TEORIAS ESTUDADAS NA FORMAÇÃO DO PNAIC EM PRÁTICA NA SALA DE AULA? REFLEXÕES DE PROFESSORES ALFABETIZADORES SOBRE O TRABALHO COM O SISTEMA DE NUMERAÇÃO DECIMAL Cláudia Queiroz Miranda

Leia mais

Ensino de redação na escola - a prática de ensino de português no Brasil

Ensino de redação na escola - a prática de ensino de português no Brasil Mesa-redonda: Ensino de redação na escola - a prática de ensino de português no Brasil Debatedores: Profª, mestranda em Letras (UFSM) e professora de ensino médio público estadual; e Profª Me. Tânia Maria

Leia mais

PRÁTICAS DE LEITURAS SIGNIFICATIVAS NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

PRÁTICAS DE LEITURAS SIGNIFICATIVAS NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL PRÁTICAS DE LEITURAS SIGNIFICATIVAS NOS ANOS INICIAIS Resumo DO ENSINO FUNDAMENTAL MARTINS, Esilda Cruz UEPG maria.esilda@hotmail.com Eixo Temático: Práticas e Estágios nas Licenciaturas. Agência Financiadora:

Leia mais

JOGOS ONLINE NA CONSTRUÇÃO DE CONCEITOS MATEMÁTICOS

JOGOS ONLINE NA CONSTRUÇÃO DE CONCEITOS MATEMÁTICOS JOGOS ONLINE NA CONSTRUÇÃO DE CONCEITOS MATEMÁTICOS Lucas Gabriel Seibert Universidade Luterana do Brasil lucasseibert@hotmail.com Roberto Luis Tavares Bittencourt Universidade Luterana do Brasil rbittencourt@pop.com.br

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL JOAQUIM GONÇALVES LEDO PLANO DE AÇÃO 2015

ESCOLA ESTADUAL JOAQUIM GONÇALVES LEDO PLANO DE AÇÃO 2015 ESCOLA ESTADUAL JOAQUIM GONÇALVES LEDO PLANO DE AÇÃO IVINHEMA MS ESCOLA ESTADUAL JOAQUIM GONÇALVES LEDO PLANO DE AÇÃO Planejamento anual de atividades a serem desenvolvidas pelo Professor Gerenciador de

Leia mais

Uma Análise da História da Matemática Apresentada nos Planos de Aulas para o Ensino Fundamental no Espaço da Aula do Portal do Professor (MEC)

Uma Análise da História da Matemática Apresentada nos Planos de Aulas para o Ensino Fundamental no Espaço da Aula do Portal do Professor (MEC) Uma Análise da História da Matemática Apresentada nos Planos de Aulas para o Ensino Fundamental no Espaço da Aula do Portal do Professor (MEC) Rosana Rodrigues da Silva 1 GD5 História da Matemática e Cultura

Leia mais

GEOMETRIA ANALÍTICA COM USO DO SOFTWARE GEOGEBRA: EXPERIÊNCIAS VIVENCIADAS NO CONTEXTO ESCOLAR*

GEOMETRIA ANALÍTICA COM USO DO SOFTWARE GEOGEBRA: EXPERIÊNCIAS VIVENCIADAS NO CONTEXTO ESCOLAR* GEOMETRIA ANALÍTICA COM USO DO SOFTWARE GEOGEBRA: EXPERIÊNCIAS VIVENCIADAS NO CONTEXTO ESCOLAR* Francisco Jeovane do Nascimento Universidade Estadual do Ceará - UECE jeonasc@hotmail.com Neiva Daiane Cordeiro

Leia mais

EXPERIÊNCIAS DE LEITURA, ESCRITA E MÚSICA

EXPERIÊNCIAS DE LEITURA, ESCRITA E MÚSICA EXPERIÊNCIAS DE LEITURA, ESCRITA E MÚSICA Aline Mendes da SILVA, Marcilene Cardoso da SILVA, Reila Terezinha da Silva LUZ, Dulcéria TARTUCI, Maria Marta Lopes FLORES, Departamento de Educação UFG - Campus

Leia mais

USO DO COMPUTADOR NA CONSTRUÇÃO E INTERPRETAÇÃO DE GRÁFICOS NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

USO DO COMPUTADOR NA CONSTRUÇÃO E INTERPRETAÇÃO DE GRÁFICOS NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL USO DO COMPUTADOR NA CONSTRUÇÃO E INTERPRETAÇÃO DE GRÁFICOS NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL Olga Cristina Teixeira Lira Carlos Eduardo Monteiro Universidade Federal de Pernambuco olgactlira@hotmail.com;

Leia mais

CRISTIANE MANDARINO BISSOQUI HISTÓRIAS EM QUADRINHOS INTERAÇÃO E PRODUÇÃO

CRISTIANE MANDARINO BISSOQUI HISTÓRIAS EM QUADRINHOS INTERAÇÃO E PRODUÇÃO CRISTIANE MANDARINO BISSOQUI HISTÓRIAS EM QUADRINHOS INTERAÇÃO E PRODUÇÃO Londrina 2013 CRISTIANE MANDARINO BISSOQUI HISTÓRIAS EM QUADRINHOS INTERAÇÃO E PRODUÇÃO Trabalho apresentado ao Curso de Especialização

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES AUDIOVISUAIS NA PRODUÇÃO TEXTUAL DE ALUNOS DO ENSINO MÉDIO: UMA ANÁLISE INTERDISCIPLINAR

CONTRIBUIÇÕES AUDIOVISUAIS NA PRODUÇÃO TEXTUAL DE ALUNOS DO ENSINO MÉDIO: UMA ANÁLISE INTERDISCIPLINAR 1 CONTRIBUIÇÕES AUDIOVISUAIS NA PRODUÇÃO TEXTUAL DE ALUNOS DO ENSINO MÉDIO: UMA ANÁLISE INTERDISCIPLINAR Loraine Vidigal LISBOA Universidade Gama Filho loraine_vidigal@yahoo.com.br Resumo: O artigo apresenta

Leia mais

AS NOVAS TECNOLOGIAS NAS ATIVIDADES EDUCACIONAIS

AS NOVAS TECNOLOGIAS NAS ATIVIDADES EDUCACIONAIS AS NOVAS TECNOLOGIAS NAS ATIVIDADES EDUCACIONAIS E A FORMAÇÃO DOCENTE Eliani Retzlaff, URI, elianir@urisan.tche.br Rozelaine de Fátima Franzin Contri, URI, rozelaine@urisan.tche.br Rosangela Ferreira Prestes,

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DAS ATIVIDADES LÚDICAS NO PPROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

A IMPORTÂNCIA DAS ATIVIDADES LÚDICAS NO PPROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL A IMPORTÂNCIA DAS ATIVIDADES LÚDICAS NO PPROCESSO DE Resumo ALFABETIZAÇÃO NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL NICOLITTO, Mayara Cristina UEPG maycris_nic@hotmail.com CAMPOS, Graziela Vaneza de UEPG

Leia mais

PAINEL OFICINA DE HISTÓRIAS EM QUADINHOS NO PROJETO NOVA VIDA

PAINEL OFICINA DE HISTÓRIAS EM QUADINHOS NO PROJETO NOVA VIDA PAINEL OFICINA DE HISTÓRIAS EM QUADINHOS NO PROJETO NOVA VIDA Fábio Tavares da Silva, Graduando Centro de Artes da Universidade Regional do Cariri - URCA Fábio José Rodrigues da Costa, Doutor Centro de

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA PELOS DOCENTES COMO UMA FERRAMENTA DE ENSINO

A UTILIZAÇÃO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA PELOS DOCENTES COMO UMA FERRAMENTA DE ENSINO A UTILIZAÇÃO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA PELOS DOCENTES COMO UMA FERRAMENTA DE ENSINO Maria Dasdores Vieira de França marri_ce@hotmail.com Programa de Pós-Graduação em Educação Universidade Federal de

Leia mais

O USO DA INTERNET E SUA INFLUÊNCIA NA APRENDIZAGEM COLABORATIVA DE ALUNOS E PROFESSORES NUMA ESCOLA PÚBLICA DE MACEIÓ

O USO DA INTERNET E SUA INFLUÊNCIA NA APRENDIZAGEM COLABORATIVA DE ALUNOS E PROFESSORES NUMA ESCOLA PÚBLICA DE MACEIÓ O USO DA INTERNET E SUA INFLUÊNCIA NA APRENDIZAGEM COLABORATIVA DE ALUNOS E PROFESSORES NUMA ESCOLA PÚBLICA DE MACEIÓ Rose Maria Bastos Farias (UFAL) rmbfarias@hotmail.com RESUMO: Trata-se de uma pesquisa

Leia mais

Uma Introdução à Estatística através do Excel e da Pesquisa de Campo

Uma Introdução à Estatística através do Excel e da Pesquisa de Campo Uma Introdução à Estatística através do Excel e da Pesquisa de Campo Caroline Spohr Universidade Federal de Santa Maria Brasil caroline.spohr@yahoo.com.br Sirlene Raquel Lenz Universidade Federal de Santa

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: PNLD, livro didático, língua estrangeira, gênero.

PALAVRAS-CHAVE: PNLD, livro didático, língua estrangeira, gênero. PNLD 2011: ANÁLISE DE UMA COLEÇÃO DE LIVRO DIDÁTICO DE INGLÊS Universidade Federal de Goiás Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística Mestranda: Maria Letícia Martins Campos FERREIRA mleticiaf@hotmail.com

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Como ensinar os porquês dos conceitos básicos da Matemática, visando a melhora do processo ensino e aprendizado

Mostra de Projetos 2011. Como ensinar os porquês dos conceitos básicos da Matemática, visando a melhora do processo ensino e aprendizado Mostra de Projetos 2011 Como ensinar os porquês dos conceitos básicos da Matemática, visando a melhora do processo ensino e aprendizado Mostra Local de: Paranavaí Categoria do projeto: II - Projetos finalizados

Leia mais

O USO DE TECNOLOGIAS NAS AULAS DE MATEMÁTICA E CRENÇAS SOBRE A SUA APRENDIZAGEM

O USO DE TECNOLOGIAS NAS AULAS DE MATEMÁTICA E CRENÇAS SOBRE A SUA APRENDIZAGEM O USO DE TECNOLOGIAS NAS AULAS DE MATEMÁTICA E CRENÇAS SOBRE A SUA APRENDIZAGEM Justificativa ABREU,Tamires de Sá 1 BARRETO, Maria de Fátima Teixeira² Palavras chave: crenças, matemática, softwares, vídeos.

Leia mais

A INFORMÁTICA E O ENSINO DE MATEMÁTICA: ALGUNS ESTUDOS RECENTES

A INFORMÁTICA E O ENSINO DE MATEMÁTICA: ALGUNS ESTUDOS RECENTES A INFORMÁTICA E O ENSINO DE MATEMÁTICA: ALGUNS ESTUDOS RECENTES Silvia Regina Viel Rodrigues - Uni-FACEF Introdução Localizado no Departamento de Matemática, Unesp, Rio Claro, sob a coordenação do professor

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE MIDIAS NA EDUCAÇÃO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE MIDIAS NA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE MIDIAS NA EDUCAÇÃO ANGELA CRISTINA NUNES GUEDES HUERTAS ORIENTADOR: PROFESSOR: PAULO GUILHERMETI O ENSINO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL:

Leia mais

UM ESTUDO SOBRE A LOUSA DIGITAL 1

UM ESTUDO SOBRE A LOUSA DIGITAL 1 UM ESTUDO SOBRE A LOUSA DIGITAL 1 MARTINS, Sandro Luís Moresco 2 ; VARASCHINI, Patricia 3 ; SANTOS, Leila Maria Araújo 4 1 Trabalho de Pesquisa _ UFSM 2 Programa Especial de Formação de Professores (UFSM),

Leia mais

Mídia e educação: O uso das novas tecnologias em sala de aula.

Mídia e educação: O uso das novas tecnologias em sala de aula. Mídia e educação: O uso das novas tecnologias em sala de aula. Sabrine Denardi de Menezes da Silva Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Farroupilha - Campus São Vicente do Sul RESUMO: A

Leia mais

VENCENDO DESAFIOS NA ESCOLA BÁSICA... O PROJETO DE OFICINAS DE MATEMATICA

VENCENDO DESAFIOS NA ESCOLA BÁSICA... O PROJETO DE OFICINAS DE MATEMATICA VENCENDO DESAFIOS NA ESCOLA BÁSICA... O PROJETO DE OFICINAS DE MATEMATICA Thayza Ferreira Cabral MATOS; Elinéia Pereira VAILANT; Carla Michelle de Lima SOUZA; Weslley de Castro ALVES; Adriana Aparecida

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA: UMA PROPOSTA UTILIZANDO TECNOLOGIAS

FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA: UMA PROPOSTA UTILIZANDO TECNOLOGIAS I Mostra de Iniciação Científica I MIC 23 e 24 de setembro de 2011 Instituto Federal Catarinense Campus Concórdia Concórdia SC INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CAMPUS CONCÓRDIA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES

Leia mais

FORMAÇÃO DE PROFESSORES EM LOGO: APRENDIZAGEM DE PROGRAMAÇÃO E GEOMETRIA * 1. COSTA, Igor de Oliveira 1, TEIXEIRA JÚNIOR, Waine 2

FORMAÇÃO DE PROFESSORES EM LOGO: APRENDIZAGEM DE PROGRAMAÇÃO E GEOMETRIA * 1. COSTA, Igor de Oliveira 1, TEIXEIRA JÚNIOR, Waine 2 FORMAÇÃO DE PROFESSORES EM LOGO: APRENDIZAGEM DE PROGRAMAÇÃO E GEOMETRIA * 1 COSTA, Igor de Oliveira 1, TEIXEIRA JÚNIOR, Waine 2 Palavras-CHAVE: formação de professores, programação, Logo Introdução As

Leia mais

Palavras-chave: Formação de professores, software livre e TIC s.

Palavras-chave: Formação de professores, software livre e TIC s. INFORMÁTICA EDUCATIVA NA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES EM UMA ESCOLA PÚBLICA: PROCESSOS DE POTENCIALIZAÇÃO DOS SABERES E PRÁTICAS Jardel Silva 1 Alex Sandro C. Sant Ana 2 RESUMO Aliada às discussões

Leia mais

XIII Encontro de Iniciação Científica IX Mostra de Pós-graduação 06 a 11 de outubro de 2008 BIODIVERSIDADE TECNOLOGIA DESENVOLVIMENTO

XIII Encontro de Iniciação Científica IX Mostra de Pós-graduação 06 a 11 de outubro de 2008 BIODIVERSIDADE TECNOLOGIA DESENVOLVIMENTO XIII Encontro de Iniciação Científica IX Mostra de Pós-graduação 06 a 11 de outubro de 2008 BIODIVERSIDADE TECNOLOGIA DESENVOLVIMENTO MCH0181 HISTÓRIAS EM QUADRINHOS SOB A PERSPECTIVA DA TEORIA BAKHTINIANA

Leia mais

COLABORAÇÃO NA DOCÊNCIA EM UMA TURMA DE ALFABETIZAÇÃO.

COLABORAÇÃO NA DOCÊNCIA EM UMA TURMA DE ALFABETIZAÇÃO. COLABORAÇÃO NA DOCÊNCIA EM UMA TURMA DE ALFABETIZAÇÃO. LUCION, Jucélia Demezuk G (UNIOESTE/PIBID/CAPES/MEC), ARANHART, Leonice Tocheto G (UNIOESTE/PIBIDI/CAPES/MEC) SILVEIRA, Luciana G (UNIOESTE/PIBID/CAPES/MEC)

Leia mais

A REFLEXÃO CRÍTICA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES: Entre Práticas e Saberes. Alciane Gonçalves Barbosa - Graduanda em Pedagogia/UFPI

A REFLEXÃO CRÍTICA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES: Entre Práticas e Saberes. Alciane Gonçalves Barbosa - Graduanda em Pedagogia/UFPI A REFLEXÃO CRÍTICA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES: Entre Práticas e Saberes Alciane Gonçalves Barbosa - Graduanda em Pedagogia/UFPI Maria Antonia Alves Lima Graduanda em Pedagogia /UFPI Bárbara Maria Macedo

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Alfabetização e Letramento. Formação do Leitor. Leitura.

PALAVRAS-CHAVE Alfabetização e Letramento. Formação do Leitor. Leitura. 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

MAQUETE: RECURSO DIDÁTICO NAS AULAS DE GEOGRAFIA

MAQUETE: RECURSO DIDÁTICO NAS AULAS DE GEOGRAFIA MAQUETE: RECURSO DIDÁTICO NAS AULAS DE GEOGRAFIA SANTOS, Jéssica Paula. UFG/REGIONAL/CATALÃO jessica-g-ts@hotmail.com SANTOS, Marina da Silva. UFG/REGIONAL/CATALÃO marinaavlis@hotmail.com Orientador: Dr.ª

Leia mais

Título: A formação do professor para o uso do jornal na sala de aula no ensino

Título: A formação do professor para o uso do jornal na sala de aula no ensino Título: A formação do professor para o uso do jornal na sala de aula no ensino fundamental Resumo O projeto de iniciação científica está vinculado à pesquisa Uso do jornal em sala de aula e compreensão

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO OESTE UNICENTRO CURSO DE MÍDIAS NA EDUCAÇÃO KARINA DE NAZARÉ DA COSTA MARTINS PROFESSOR: PAULO GUILHERMITE

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO OESTE UNICENTRO CURSO DE MÍDIAS NA EDUCAÇÃO KARINA DE NAZARÉ DA COSTA MARTINS PROFESSOR: PAULO GUILHERMITE UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO OESTE UNICENTRO CURSO DE MÍDIAS NA EDUCAÇÃO KARINA DE NAZARÉ DA COSTA MARTINS PROFESSOR: PAULO GUILHERMITE O USO DA INTERNET NO PROCESSO EDUCACIONAL: O DESAFIO PARA OS PROFESSORES

Leia mais

Tecnologias nas Aulas de Matemática: da formação do professor à prática pedagógica

Tecnologias nas Aulas de Matemática: da formação do professor à prática pedagógica Tecnologias nas Aulas de Matemática: da formação do professor à prática pedagógica Cristiane Rodrigues de Jesus 1 Emerson Rolkouski 2 Resumo Em 2008 ocorreu a universalização das Tecnologias de Informação

Leia mais

PROJETO KIDSMART PROMOVENDO A INCLUSÃO DIGITAL NA EDUCAÇÃO

PROJETO KIDSMART PROMOVENDO A INCLUSÃO DIGITAL NA EDUCAÇÃO PROJETO KIDSMART PROMOVENDO A INCLUSÃO DIGITAL NA EDUCAÇÃO Resumo MUNIZ, Cláudia Pereira - SME cmuniz@sme.curitiba.pr.gov.br SANTOS, Taís Wojciechowski SME taissantos@sme.curitiba.pr.gov.br Eixo Temático:

Leia mais

A FORMAÇÃO CONTINUADA DOS PROFESSORES E A EDUCAÇÃO INCLUSIVA NO MUNICIPIO DE MOSSORÓ

A FORMAÇÃO CONTINUADA DOS PROFESSORES E A EDUCAÇÃO INCLUSIVA NO MUNICIPIO DE MOSSORÓ A FORMAÇÃO CONTINUADA DOS PROFESSORES E A EDUCAÇÃO INCLUSIVA NO MUNICIPIO DE MOSSORÓ Selma Andrade de Paula Bedaque 1 - UFRN RESUMO Este artigo relata o desenvolvimento do trabalho de formação de educadores

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO FERNANDA SERRER ORIENTADOR(A): PROFESSOR(A) STOP MOTION RECURSO MIDIÁTICO NO PROCESSO DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM

Leia mais

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores A FORMAÇÃO DOS PROFESSORES DE MATEMÁTICA PARA O USO DE TECNOLOGIAS DIGITAIS NA CIDADE DE LIMEIRA/SP

Leia mais

Articulando saberes e transformando a prática

Articulando saberes e transformando a prática Articulando saberes e transformando a prática Maria Elisabette Brisola Brito Prado Na sociedade do conhecimento e da tecnologia torna-se necessário repensar o papel da escola, mais especificamente as questões

Leia mais

O USO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA NOS ANOS INICIAIS EM ESCOLAS MUNICIPAIS DE CURITIBA PR

O USO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA NOS ANOS INICIAIS EM ESCOLAS MUNICIPAIS DE CURITIBA PR O USO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA NOS ANOS INICIAIS EM ESCOLAS MUNICIPAIS DE CURITIBA PR Resumo BINOTTO, Claudia 1 - UFPR SÁ, Ricardo Antunes de 2 - UFPR Grupo de Trabalho - Comunicação e Tecnologia

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 6º

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 6º PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Conteúdos e Metodologia de Língua Portuguesa Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 6º 1 - Ementa (sumário, resumo) Fundamentos

Leia mais

As tecnologias Informacionais e Comunicacionais (TIC) como instrumento de experimentação e investigação matemática¹

As tecnologias Informacionais e Comunicacionais (TIC) como instrumento de experimentação e investigação matemática¹ As tecnologias Informacionais e Comunicacionais (TIC) como instrumento de experimentação e investigação matemática¹ Ana Caroline Lazaro Stoppa², Idalci Cruvinel dos Reis³ ¹Pesquisa realizada por acadêmica

Leia mais

Palavras-chave: Leitura. Oralidade. (Re)escrita. Introdução

Palavras-chave: Leitura. Oralidade. (Re)escrita. Introdução 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA (X ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA OS TEXTOS

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL: ELEMENTO FUNDAMENTAL NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM 1

EDUCAÇÃO AMBIENTAL: ELEMENTO FUNDAMENTAL NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM 1 EDUCAÇÃO AMBIENTAL: ELEMENTO FUNDAMENTAL NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM 1 Autora: Maria Thaís de Oliveira Batista Graduanda do Curso de Pedagogia Unidade Acadêmica de Educação/CFP/UFCG Email: taholiveira.thais@gmail.com

Leia mais

Abordagem de Licenciandos sobre softwares educacionais de Química

Abordagem de Licenciandos sobre softwares educacionais de Química Abordagem de Licenciandos sobre softwares educacionais de Química Autor(a): Joycyely Marytza 1 INTRODUÇÃO As atuais concepções pedagógicas exigem do professor a inclusão das novas tecnologias para um melhor

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO ANEXO I. PROJETO DE CURTA DURAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Título do

Leia mais

Métodos e Práticas na Formação Inicial e Desenvolvimento Profissional do Professor de Matemática em uma Plataforma Digital

Métodos e Práticas na Formação Inicial e Desenvolvimento Profissional do Professor de Matemática em uma Plataforma Digital Métodos e Práticas na Formação Inicial e Desenvolvimento Profissional do Professor de Matemática em uma Plataforma Digital Carla de Araújo 1 GD13 Educação Matemática e Inclusão Resumo: Tendo em vista as

Leia mais

ESTRATÉGIAS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA PERSPECTIVA DAS NOVAS TECNOLOGIAS

ESTRATÉGIAS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA PERSPECTIVA DAS NOVAS TECNOLOGIAS 1 ESTRATÉGIAS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA PERSPECTIVA DAS NOVAS TECNOLOGIAS INTRODUÇÃO Marilda Coelho da Silva marildagabriela@yahoo.com.br Mestrado Profissional Formação de Professores UEPB As

Leia mais

O USO DAS TIC S COMO FERRAMENTA METODOLÓGICA NO ENSINO DA MATEMÁTICA

O USO DAS TIC S COMO FERRAMENTA METODOLÓGICA NO ENSINO DA MATEMÁTICA O USO DAS TIC S COMO FERRAMENTA METODOLÓGICA NO ENSINO DA MATEMÁTICA POR: Edluzia da Silva Batista Maria da Gloria Ribeiro da Silva Bastos RESUMO Em meio a tantas transformações do século XXI, encontra-se,

Leia mais

1 O USO DA INTERNET NA PRÁTICA PEDAGÓGICA DO PROFESSOR DE LÍNGUA INGLESA BALADELI, Ana Paula Domingos 1 ALTOÉ, Anair 2

1 O USO DA INTERNET NA PRÁTICA PEDAGÓGICA DO PROFESSOR DE LÍNGUA INGLESA BALADELI, Ana Paula Domingos 1 ALTOÉ, Anair 2 1 O USO DA INTERNET NA PRÁTICA PEDAGÓGICA DO PROFESSOR DE LÍNGUA INGLESA BALADELI, Ana Paula Domingos 1 ALTOÉ, Anair 2 INTRODUÇÃO O presente trabalho tem o objetivo de apresentar os resultados preliminares

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE PEDAGOGIA Disciplina: Comunicação e Expressão Ementa: A leitura como vínculo leitor/texto através do conhecimento veiculado pelo texto escrito. Interpretação:

Leia mais

INTERDISCIPLINARIDADE E LETRAMENTO, O LÚDICO, COMO INSTRUMENTO DE APRENDIZAGEM NO PROCESSO PEDAGÓGICO

INTERDISCIPLINARIDADE E LETRAMENTO, O LÚDICO, COMO INSTRUMENTO DE APRENDIZAGEM NO PROCESSO PEDAGÓGICO INTERDISCIPLINARIDADE E LETRAMENTO, O LÚDICO, COMO INSTRUMENTO DE APRENDIZAGEM NO PROCESSO PEDAGÓGICO Ana Patrícia da Silva Xavier¹ E-mail: anapx@gmail.com Emanuelle Almeida da Costa² E-mail: manu.biologia@live.com

Leia mais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM EDUCAÇÃO INFANTIL: RELATOS DE EXPERIÊNCIAS DA PRÁTICA DOCENTE

ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM EDUCAÇÃO INFANTIL: RELATOS DE EXPERIÊNCIAS DA PRÁTICA DOCENTE 1 ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM EDUCAÇÃO INFANTIL: RELATOS DE EXPERIÊNCIAS DA PRÁTICA DOCENTE Natália Maria G. Dantas de Santana- UAE/CFP/UFCG Mayrla Marla Lima Sarmento-UAE/CFP/UFCG Maria Thaís de Oliveira

Leia mais

Palavras-chaves: Ensino de Química, Educação, Softwares Educativos.

Palavras-chaves: Ensino de Química, Educação, Softwares Educativos. SOFTWARES EDUCACIONAIS PARA FUTUROS PROFESSORES DE QUÍMICA Joycyely Marytza de Araujo Souza Freitas 1 Reneid Emanuele Simplicio Dudu 2 Gilberlândio Nunes da Silva 3 RESUMO Atualmente a informática e a

Leia mais

48 Os professores optaram por estudar a urbanização, partindo dos espaços conhecidos pelos alunos no entorno da escola. Buscavam, nesse projeto, refletir sobre as características das moradias existentes,

Leia mais

XIX CONGRESSO NACIONAL DE LINGUÍSTICA E FILOLOGIA

XIX CONGRESSO NACIONAL DE LINGUÍSTICA E FILOLOGIA XIX CONGRESSO NACIONAL DE LINGUÍSTICA E FILOLOGIA IMPACTOS DO PIBID/INGLÊS SUSTENTABILIDADE NOS ALUNOS André Henrique Gonçalves (UESC) henriqueios@live.com Laura de Almeida (UESC) prismaxe@gmail.com RESUMO

Leia mais

PROPOSTA DE UMA METODOLOGIA PARA ELABORAR PROJETO DE ENSINO INTEGRANDO RECURSOS TECNOLÓGICOS

PROPOSTA DE UMA METODOLOGIA PARA ELABORAR PROJETO DE ENSINO INTEGRANDO RECURSOS TECNOLÓGICOS PROPOSTA DE UMA METODOLOGIA PARA ELABORAR PROJETO DE ENSINO INTEGRANDO RECURSOS TECNOLÓGICOS Fortaleza Ce Agosto 2009 Liádina Camargo Lima Universidade de Fortaleza liadina@unifor.br Categoria C Métodos

Leia mais

Universidade Estadual de Goiás Unidade Universitária de Itaberaí. Projeto de Estágio Supervisionado Obrigatório: Práxis pedagógica e formação docente

Universidade Estadual de Goiás Unidade Universitária de Itaberaí. Projeto de Estágio Supervisionado Obrigatório: Práxis pedagógica e formação docente Universidade Estadual de Goiás Unidade Universitária de Itaberaí Projeto de Estágio Supervisionado Obrigatório: Práxis pedagógica e formação docente Itaberaí 2012 Sebastião Alonso Júnior Diretor da Unidade

Leia mais

VIVENCIANDO MÚLTIPLAS LINGUAGENS NA BIBLIOTECA ESCOLAR: EXPERIÊNCIA DO PIBID/UEMS/PEDAGOGIA

VIVENCIANDO MÚLTIPLAS LINGUAGENS NA BIBLIOTECA ESCOLAR: EXPERIÊNCIA DO PIBID/UEMS/PEDAGOGIA VIVENCIANDO MÚLTIPLAS LINGUAGENS NA BIBLIOTECA ESCOLAR: EXPERIÊNCIA DO PIBID/UEMS/PEDAGOGIA Gabriela Arcas de Oliveira¹; Joice Gomes de Souza²; Giana Amaral Yamin³. UEMS- CEP, 79804970- Dourados-MS, ¹Bolsista

Leia mais

A Inclusão escolar do aluno com deficiência intelectual e a mediação pedagógica articulada com integração das TIC

A Inclusão escolar do aluno com deficiência intelectual e a mediação pedagógica articulada com integração das TIC A Inclusão escolar do aluno com deficiência intelectual e a mediação pedagógica articulada com integração das TIC ALVES,S.S.S 1 A Inclusão escolar do aluno com deficiência intelectual e a mediação pedagógica

Leia mais

OBJETOS DE APRENDIZAGEM NO ESTUDO DE TÓPICOS DE MATEMÁTICA

OBJETOS DE APRENDIZAGEM NO ESTUDO DE TÓPICOS DE MATEMÁTICA 1 OBJETOS DE APRENDIZAGEM NO ESTUDO DE TÓPICOS DE MATEMÁTICA Josué Antunes de Macêdo 1 Taise Costa de Souza Nunes 2 Marcos Rincon Voelzke 3 Resumo O presente trabalho é resultado de uma pesquisa que teve

Leia mais

INVESTIGAÇÕES MATEMÁTICAS SOBRE FUNÇÕES UTILIZANDO O WINPLOT

INVESTIGAÇÕES MATEMÁTICAS SOBRE FUNÇÕES UTILIZANDO O WINPLOT INVESTIGAÇÕES MATEMÁTICAS SOBRE FUNÇÕES UTILIZANDO O WINPLOT Luciano Feliciano de Lima Universidade Estadual de Goiás lucianoebenezer@yahoo.com.br Resumo: Esse minicurso tem por objetivo evidenciar possibilidades

Leia mais

FACULDADE DE CUIABÁ FAUC CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU PSICOPEDAGOGIA CLÍNICA E INSTITUCIONAL. João Rodrigues de Souza

FACULDADE DE CUIABÁ FAUC CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU PSICOPEDAGOGIA CLÍNICA E INSTITUCIONAL. João Rodrigues de Souza FACULDADE DE CUIABÁ FAUC CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU PSICOPEDAGOGIA CLÍNICA E INSTITUCIONAL João Rodrigues de Souza A PSICOPEDAGOGIA E A INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL CUIABÁ- MT JULHO 2015 2 RESUMO

Leia mais

Fundação Carmelitana Mário Palmério - FUCAMP Faculdade de Ciências Humanas e Sociais - FACIHUS Educação de qualidade ao seu alcance

Fundação Carmelitana Mário Palmério - FUCAMP Faculdade de Ciências Humanas e Sociais - FACIHUS Educação de qualidade ao seu alcance SUBPROJETO DE LETRAS PORTUGUÊS/ESPANHOL O ensino da língua espanhola no contexto da escola pública INTRODUÇÃO Este plano procura articular-se de forma integrada com o plano de trabalho institucional, que

Leia mais

AS PRÁTICAS DE DOCÊNCIA ORIENTADA NOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO: UM CAMINHO POSSÍVEL NA TRAJETÓRIA FORMATIVA DOS DOCENTES UNIVERSITÁRIOS

AS PRÁTICAS DE DOCÊNCIA ORIENTADA NOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO: UM CAMINHO POSSÍVEL NA TRAJETÓRIA FORMATIVA DOS DOCENTES UNIVERSITÁRIOS AS PRÁTICAS DE DOCÊNCIA ORIENTADA NOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO: UM CAMINHO POSSÍVEL NA TRAJETÓRIA FORMATIVA DOS DOCENTES UNIVERSITÁRIOS Resumo Manuelli Cerolini Neuenfeldt 1 Silvia Maria de

Leia mais

Possibilidades de Interação e Aprendizagem em AVA na Formação Continuada de Professores de Matemática de Salas de Tecnologia

Possibilidades de Interação e Aprendizagem em AVA na Formação Continuada de Professores de Matemática de Salas de Tecnologia Possibilidades de Interação e Aprendizagem em AVA na Formação Continuada de Professores de Matemática de Salas de Tecnologia Agnaldo de Oliveira 1 Suely Scherer 2 Resumo Este artigo apresenta alguns aspectos

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS JAGUARÃO CURSO DE PEDAGOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS JAGUARÃO CURSO DE PEDAGOGIA PLANO DE ENSINO 2011-1 DISCIPLINA: Teorias e Práticas Alfabetizadoras II - JP0027 PROFESSORA: Ms. Patrícia Moura Pinho I DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Carga Horária Teórica: 60h Carga Horária Prática: 15h II

Leia mais

WEB SITE COMO MEDIADOR DE LEITURA E LETRAMENTO

WEB SITE COMO MEDIADOR DE LEITURA E LETRAMENTO WEB SITE COMO MEDIADOR DE LEITURA E LETRAMENTO Juliana da Silva Cabral PIBID Universidade Estadual da Paraíba/ julianacabralletras2@gmail.com Janaína da Costa Barbosa PIBID Universidade Estadual da Paraíba/

Leia mais

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2004.1. Disciplinas do Núcleo Comum 01 ANTROPOLOGIA CULTURAL

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2004.1. Disciplinas do Núcleo Comum 01 ANTROPOLOGIA CULTURAL Disciplinas do Núcleo Comum 01 ANTROPOLOGIA CULTURAL Fase: 1ª Carga Horária: 30 h/a Prática: 10 h/a Créditos: 2 : A Antropologia enquanto ciência e seus principais ramos. Metodologia da pesquisa em Antropologia

Leia mais

DESCOBRINDO O SEGREDO DAS FÓRMULAS DE ÁREA

DESCOBRINDO O SEGREDO DAS FÓRMULAS DE ÁREA DESCOBRINDO O SEGREDO DAS FÓRMULAS DE ÁREA Antonia Natanayana Lima Mesquita Universidade do Estado da Bahia - UNEB natanayana@hotmail.com Daniela Batista Santos Universidade do Estado da Bahia - UNEB dansantosd@yahoo.com.br

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE REDAÇÕES COMO METODOLOGIA AVALIATIVA DE ESTUDANTES BRASILEIROS DO ENSINO MÉDIO DE QUÍMICA

UTILIZAÇÃO DE REDAÇÕES COMO METODOLOGIA AVALIATIVA DE ESTUDANTES BRASILEIROS DO ENSINO MÉDIO DE QUÍMICA IX CONGRESO INTERNACIONAL SOBRE INVESTIGACIÓN EN DIDÁCTICA DE LAS CIENCIAS Girona, 9-12 de septiembre de 2013 COMUNICACIÓN UTILIZAÇÃO DE REDAÇÕES COMO METODOLOGIA AVALIATIVA DE ESTUDANTES BRASILEIROS DO

Leia mais

LER E ESCREVER: APRENDER COM O LÚDICO

LER E ESCREVER: APRENDER COM O LÚDICO LER E ESCREVER: APRENDER COM O LÚDICO Inês Aparecida Costa QUINTANILHA; Lívia Matos FOLHA; Dulcéria. TARTUCI; Maria Marta Lopes FLORES. Reila Terezinha da Silva LUZ; Departamento de Educação, UFG-Campus

Leia mais

AS TECNOLOGIAS, A CIÊNCIA E A PESQUISA NA ESCOLA DE EDUCAÇÃO INFANTIL

AS TECNOLOGIAS, A CIÊNCIA E A PESQUISA NA ESCOLA DE EDUCAÇÃO INFANTIL AS TECNOLOGIAS, A CIÊNCIA E A PESQUISA NA ESCOLA DE EDUCAÇÃO INFANTIL Márcia Adriana Rosmann 1 Francieli da Veiga dos Santos 2 Palavras-chaves: Formação. Informação. Comunicação. Escola. A escola de Educação

Leia mais

ANAIS DA VII JORNADA CIENTÍFICA DA FAZU 20 a 24 de outubro de 2008 ARTIGOS CIENTÍFICOS COMPUTAÇÃO SUMÁRIO

ANAIS DA VII JORNADA CIENTÍFICA DA FAZU 20 a 24 de outubro de 2008 ARTIGOS CIENTÍFICOS COMPUTAÇÃO SUMÁRIO ARTIGOS CIENTÍFICOS COMPUTAÇÃO SUMÁRIO AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES PESQUISADORES... 2 AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES PESQUISADORES SILVA, M.M Margareth Maciel Silva

Leia mais

ESCOLA, LEITURA E A INTERPRETAÇÃO TEXTUAL- PIBID: LETRAS - PORTUGUÊS

ESCOLA, LEITURA E A INTERPRETAÇÃO TEXTUAL- PIBID: LETRAS - PORTUGUÊS ESCOLA, LEITURA E A INTERPRETAÇÃO TEXTUAL- PIBID: LETRAS - PORTUGUÊS RESUMO Juliana Candido QUEROZ (Bolsista) 1 ; Natália SILVA (Bolsista) 2, Leila BRUNO (Supervisora) 3 ; Sinval Martins S. FILHO (Coordenador)

Leia mais

Currículo e tecnologias digitais da informação e comunicação: um diálogo necessário para a escola atual

Currículo e tecnologias digitais da informação e comunicação: um diálogo necessário para a escola atual Currículo e tecnologias digitais da informação e comunicação: um diálogo necessário para a escola atual Adriana Cristina Lázaro e-mail: adrianaclazaro@gmail.com Milena Aparecida Vendramini Sato e-mail:

Leia mais

LETRAMENTO DIGITAL: CONCEPÇÕES, DESAFIOS E PRÁTICAS

LETRAMENTO DIGITAL: CONCEPÇÕES, DESAFIOS E PRÁTICAS 1 LETRAMENTO DIGITAL: CONCEPÇÕES, DESAFIOS E PRÁTICAS Autora Prof.ª Ms.Maria do Socorro de Lucena Silva Faculdades Integradas de Patos maryhelpbrim@bol.com.br Coautor Júnior Alves Feitosa Faculdades Integradas

Leia mais

O PROJETO PIBID: PRÁTICA PEDAGÓGICA INOVADORA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE.

O PROJETO PIBID: PRÁTICA PEDAGÓGICA INOVADORA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE. O PROJETO PIBID: PRÁTICA PEDAGÓGICA INOVADORA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE. Joelma Carvalho Vilar(UFS) 1 Cleverton dos Santos(UFS) 2 Érica Santos de Jesus(UFS) 3 Vera Lúcia Mendes de Farias(UFS)

Leia mais

INTERNET, HIPERTEXTO E GÊNEROS DIGITAIS: NOVAS POSSIBILIDADES DE INTERAÇÃO Elaine Vasquez Ferreira de Araujo (UNIGRANRIO) elainevasquez@ig.com.

INTERNET, HIPERTEXTO E GÊNEROS DIGITAIS: NOVAS POSSIBILIDADES DE INTERAÇÃO Elaine Vasquez Ferreira de Araujo (UNIGRANRIO) elainevasquez@ig.com. INTERNET, HIPERTEXTO E GÊNEROS DIGITAIS: NOVAS POSSIBILIDADES DE INTERAÇÃO Elaine Vasquez Ferreira de Araujo (UNIGRANRIO) elainevasquez@ig.com.br 1. Introdução A rede mundial tem permitido novas práticas

Leia mais

Formação continuada e Prática Profissional: Um olhar sobre o curso de formação de Ingressantes do Estado de São Paulo

Formação continuada e Prática Profissional: Um olhar sobre o curso de formação de Ingressantes do Estado de São Paulo Formação continuada e Prática Profissional: Um olhar sobre o curso de formação de Ingressantes do Estado de São Paulo Idalise Bernardo Bagé 1 GD6- Educação Matemática, Tecnologias Informáticas e Educação

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Formação de professor/pedagogo. Didática. Mediação. Práxis. Introdução

PALAVRAS-CHAVE Formação de professor/pedagogo. Didática. Mediação. Práxis. Introdução 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

DOCUMENTO ORIENTADOR DE INTERVENÇÃO NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM DOS ANOS INICIAIS - 2009

DOCUMENTO ORIENTADOR DE INTERVENÇÃO NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM DOS ANOS INICIAIS - 2009 DOCUMENTO ORIENTADOR DE INTERVENÇÃO NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM DOS ANOS INICIAIS - 2009 No ano de 2009 o Departamento de Educação Fundamental, tem como meta alfabetizar 100% das crianças dos anos iniciais

Leia mais