Hardening de Servidores

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Hardening de Servidores"

Transcrição

1 Hardening de Servidores O que é Mitm? O man-in-the-middle (pt: Homem no meio, em referência ao atacante que intercepta os dados) é uma forma de ataque em que os dados trocados entre duas partes, por exemplo você e o seu banco, são de alguma forma interceptados, registados e possivelmente alterados pelo atacante sem que as vitimas se apercebam. Numa comunicação normal os dois elementos envolvidos comunicam entre si sem interferências através de um meio, aqui para o que nos interessa, uma rede local à Internet ou ambas. Durante o ataque man-in-the-middle, a comunicação é interceptada pelo atacante e retransmitida por este de uma forma discricionária. O atacante pode decidir retransmitir entre os legítimos participantes os dados inalterados, com alterações ou bloquear partes da informação. Como os participantes legítimos da comunicação não se apercebem que os dados estão a ser adulterados tomam-nos como válidos, fornecendo informações e executando instruções por ordem do atacante. Hardening ( Técnica de blindagem de sistema ) é um processo de mapeamento das ameaças, mitigação dos riscos e execução das atividades corretivas em um sistema. Seu foco é a infraestrutura e seu objetivo é tornar um sistema mais seguro para enfrentar tentativas de ataques e invasões. A técnica de Hardening pode ser utilizada em qualquer sistema operacional com o objetivo de fortalecer a segurança e proteger o sistema de possíveis invasores. A implementação das diretivas de segurança devem ser seguidas antes, durante e após a instalação e configuração do sistema operacional em uso. Item Técnicas de Hardening Mais Utilizadas 1 Acesso Remoto 2 Adoção de Sistemas de Detecção e Prevenção de Intrusão 3 Antivírus 4 Ativar a instalação da (DEP) 5 Atualizações e Patches 6 Criptografia

2 7 Fechar Portas da Rede 8 Firewall 9 NetBios 10 Particionamento de Discos 11 Remoção de Logins e Usuários desnecessários 12 Remoção de Programas e Serviços desnecessários 13 Segurança e Auditoria de Senhas 14 SMB (Bloco de Mensagem de Servidor) 15 Zona Desmilitarizada DMZ Existem 03 pontos que devem ser considerados e analisados antes a implantação da técnica de Hardening: 1. A segurança, 2. Os riscos 3. E a flexibilidade do sistema. Assim é possível definir e aplicar as boas práticas para cada item. Acesso Remoto Hardening Técnicas mais utilizadas Conexão remota que permite o acesso total a outro computador que esteja conectado à mesma rede ou à internet. Através da conexão remota é possível acessar os arquivos e usar todos os programas e recursos da rede do computador que permitiu o acesso remoto. Recomendação para melhoria da segurança: o acesso remoto deve se desabilitado dos computadores da rede, evitando que as informações sejam roubadas, eliminadas ou corrompidas por pessoas ou softwares mal intencionados. Adoção de Sistemas de Detecção e Prevenção de Intrusão Um sistema de detecção e prevenção de intrusão permite notificar, rastrear e identificar tentativas de ataques e invasões em um sistema. Baseado na detecção de uma tentativa de ataque ou invasão a ferramenta é acionada e toma um ação baseada na detecção do problema e conforme as configurações da ferramenta que está sendo utilizada.

3 Antivírus Antivírus é um software que detecta, evita, atua, remove e neutraliza programas mal intencionados (vírus). Os Vírus são programas desenvolvidos para interferir no comportamento do computador, gravando, corrompendo ou excluindo dados ou para se espalharem para outros computadores através da internet. Nenhum computador está livre de ataques de vírus, algumas medidas de segurança devem ser tomadas, com o objetivo de diminuir o risco desses ataques, tais como: Treinamento e conscientização dos usuários sobre as normas de segurança da informação, Não baixar arquivos de origem duvidosa na rede externa, Não inserir discos inseguros nos computadores, Não abrir s de pessoas desconhecidas ou que venham com anexos do qual não se sabe a origem, mesmo que venham de pessoas conhecidas, Não fazer downloads de programas de sites da internet, Não usar dispositivos que pertencem a empresa em computadores de segurança duvidosa. Ativar a Prevenção de Execução de Dados (DEP) A DEP é um recurso de segurança que ajuda a proteger, evitar a perda e roubo de dados sigilosos e danos ao computador causados por vírus e outras ameaças de segurança. Monitora automaticamente todos os programas e serviços essenciais que estão sendo executados no Windows para garantir que estão usando a memória do sistema operacional com segurança, caso algum programa tente executar código da memória de maneira incorreta, a DEP fecha o programa. Se houver necessidade é possível aumentar a proteção configurando para que a DEP monitore todos os programas que estão em uso no computador ou selecionar programas e serviços que não se deseja que a DEP monitore. Atualizações e Patches Os componentes, programas e serviços instalados no sistema operacional devem ser atualizados frequentemente. O sistema operacional Windows tem um sistema automático chamado Windows Update que verifica a versão do sistema operacional atual e faz a verificação de pacotes desatualizados, apontando possíveis falhas relacionadas aos pacotes instalados, auxiliando a manter o sistema sempre atualizado, mais seguro e liberando somente atualizações de programas que o usuário tem necessidade.

4 Criptografia A criptografia permite guardar e transmitir mensagens de forma segura, garantindo a privacidade da informação. Benefícios da criptografia para a segurança da informação: Integridade: É possível ao receptor de uma mensagem verificar se esta foi alterada durante o trânsito. Autenticação: É possível ao receptor de uma mensagem, verificar sua origem, um intruso não pode se fazer passar pelo remetente desta mensagem. Disponibilidade: O sistema deve estar sempre pronto a responder as requisições de usuários autenticados como legítimos pelo sistema, através de login e senha. No Windows existe um recurso chamado Sistema de Arquivos com Criptografia (EFS), que é usado para armazenar informações no disco rígido em um formato criptografado. Fechar Portas da Rede Quando um sistema operacional é instalado, alguns aplicativos (serviços) abrem portas introduzindo vulnerabilidades no sistema, facilitando uma invasão através da exploração dessas portas abertas. Existe um aplicativo chamado Nmap (Network Mapper é um aplicativo livre e de código aberto, utilizado para explorar uma rede para efetuar uma auditoria de segurança), que permite que se faça uma varredura por todas as portas abertas no sistema e se possa criar com essa lista de portas abertas, regras no firewall para bloquear as portas que não devem estar disponíveis. Depois que as regras forem configuradas no firewall é importante fazer uma nova varredura e analisar se as portas abertas que poderiam colocar o sistema em risco foram fechadas. Firewall Barreira de proteção que ajuda a controlar o tráfego de dados entre um computador ou rede onde o computador está instalado e a internet. Permite a transmissão e recepção de dados autorizados pelo administrador da rede. É considerado um ponto de conexão entre duas redes não confiáveis e permite que a comunicação entre elas seja segura e monitorada a todo momento. No Windows, quando alguém utiliza a internet ou uma rede e tenta se conectar ao computador, essa tentativa é chamada de pedido não solicitado, quando o firewall recebe um pedido não solicitado ele bloqueia a conexão. Quando houver necessidade do usuário executar programas de mensagens instantâneas ou utilizar a internet ou uma rede para receber informações o firewall sempre perguntará se o usuário deseja bloquear ou desbloquear esses tipos de conexão.

5 NetBios O protocolo NetBios é uma interface que fornece às aplicações de uma rede, um serviço de transmissão orientada à conexão, um serviço de nomes para identificar e localizar os usuários da rede e os computadores, um serviço opcional de transmissão de datagramas não confiável e outros recursos compartilhados necessários para registrar ou resolver nomes para serem utilizados na rede. O Windows disponibiliza todos os seus serviços através do protocolo NetBios. Nas redes onde o Netbios é disponibilizado pelo TCP/IP, um atacante consegue verificar quais os diretórios, impressoras e pastas compartilhadas em cada computador da rede. Quando os usuários disponibilizam pastas no acesso compartilhado é mais fácil para um hacker conseguir acesso aos arquivos das pastas compartilhadas. Nas aplicações onde o protocolo NetBios está ativado, algumas portas das máquinas de uma rede ficam abertas e através delas é possível invadir a rede e comprometer a segurança do sistema, as portas utilizadas pelo protocolo NetBios são as portas UDP/137, UDP/138, UDP/139. É possível desabilitar a interface NetBios porém sem esse protocolo, os serviços de nomes NetBios, O serviço transmissão de datagramas NetBios e o serviço de seção NetBios podem ser prejudicados ou até paralisados. Particionamento de Discos Em segurança da informação o particionamento de discos é muito importante. Quando se particiona um disco o nível de segurança aumenta no sistema, isso porque cada partição tem sua tabela de alocação de arquivos separada. Remoção de Logins e Usuários desnecessários Após a instalação do sistema e no dia a dia é importante que o administrador da rede faça a análise de todas as contas de usuários e remova as contas desnecessárias. Contas que não são mais utilizadas devem ser removidas para evitar que pessoas mal intencionadas utilizem essas contas para realizar atividades suspeitas ou indevidas, que comprometam a segurança da rede. A conta de usuário administrador é a conta mais visada por usuários mal intencionados e cracker, quando se consegue acesso a conta do administrador, se consegue acesso total ao sistema e rede de uma empresa. Essa conta deve conter uma senha considerada forte e só deve ser utilizada pelo administrador quando for necessário fazer configurações no sistema, em outros casos é recomendando que até mesmo o administrador use uma conta de usuário comum no sistema, para que a segurança seja garantida.

6 Remoção de Programas e Serviços desnecessários Desativar serviços desnecessários e inseguros é uma medida de segurança que deve ser tomada pelos administradores do sistema. Todos os serviços instalados devem ser verificados, quanto à necessidade de utilização, se não forem necessários ou considerados inseguros devem ser removidos. Segurança e Auditoria de Senhas A senha deve ser única, intransferível e de propriedade de um único usuário. As medidas de segurança que devem ser tomadas com as senhas, estão definidas na norma ISO nos itens e ( as senhas devem ser controladas por meio de um processo de gerenciamento formal e os usuários devem ser orientados a seguir boas práticas de segurança da informação na escolha, utilização e troca de suas senhas). Para maior segurança nas senhas de usuários o administrador do sistema deve possibilitar a alteração da senha no primeiro login que o usuário fizer no sistema, orientando o usuário a não escolher senha consideradas fracas, tais como: sequências simples (ex: 123), datas de aniversário e nomes próprios, não reaproveitar senhas quando as mesmas forem expiradas e não divulgar suas senhas a terceiros. Bloco de Mensagem de Servidor (SMB) É um protocolo padrão da Internet, usado pelo Windows para compartilhar arquivos, impressoras, portas seriais e para se comunicar entre os computadores. Em uma rede, os servidores tornam os sistemas de arquivos e recursos disponíveis para os clientes. Os clientes fazem solicitações SMB para recursos e os servidores fornecem respostas SMB caracterizando-o como um protocolo de solicitações e respostas cliente servidor. Existe uma falha na maneira como o servidor valida os parâmetros de um pacote SMB: 1) Quando um sistema cliente envia um pacote SMB para o sistema do servidor, ele inclui parâmetros específicos que fornecem o servidor com um conjunto de instruções, o servidor não valida adequadamente o tamanho do buffer estabelecido pelo pacote, se o cliente especifica um tamanho de buffer menor do que o necessário, isso pode fazer com que o buffer seja saturado, enviando uma solicitação de pacote SMB criada para uma finalidade específica, um invasor poderia fazer com que o buffer fosse saturado. Se essa falha for explorada pode levar à corrupção de dados, falha no sistema ou permitir que um invasor execute um código de sua escolha. Um invasor precisa de uma conta de usuário válida e precisa ser autenticado pelo servidor para explorar essa falha.

7 2) O SMB trabalha junto com o NetBios, opera na porta 445, essa porta é onde se localiza o tráfego mais intenso de vírus. Quando desabilitamos o NetBios todo o tráfego que passava por ele é direcionado para o SMB, em vista disso esse serviço deve ser desabilitado para garantir a segurança do sistema. O SMB é desabilitado quando se remove os itens: a. Compartilhamento de Arquivos; b. Impressoras para Rede Microsoft; c. Cliente para Redes Microsoft. Zona Desmilitarizada DMZ Uma rede nomeada DMZ é um segmento de uma rede separado de outras redes, parcialmente protegida; são sub-redes onde se hospedam os servidores / serviços de um provedor, protegendo contra ataques da Internet utilizando um firewall. É uma segunda rede criada no firewall para hospedar apenas os serviços que serão acessíveis pela Internet, evitando que usuários anônimos entrem na rede privativa (LAN), para acessar esses serviços e coloque em risco dados particulares; proporciona uma segurança adicional entre a rede corporativa e a internet pública. É possível criar dois tipos de DMZ s: DMZ Interna: Só pode ser acessada pelos usuários da rede interna. DMZ Externa: Pode ser acessada por qualquer usuário da internet. Métodos e Ferramentas para Proteção do servidor DNS Para usuários Linux existe uma ferramenta chamada Arpwatch que monitora a atividade em uma rede ethernet, mantendo atualizada uma tabela com endereços ethernet (MAC) e seus respectivos IPs. Essa ferramenta tem a capacidade de reportar via certas mudanças. É importante na detecção de ataques Arp poisoning, Man-in-the-Middle e DNS spoofing. A primeira barreira de defesa contra o DNS spoofing é usar sempre a versão mais recente do DNS disponível. Consultas recursivas devem ser limitadas ao servidor DNS Local. Isso irá evitar sistemas externos enviem consultas suspeitas.

8 Algumas observações de segurança sobre o servidor DNS: Servidores DNS local separado fisicamente do servidor externo; Desabilitar serviços desnecessários no servidor DNS; Utilizar um servidor dedicado específico para o DNS; Esconder a versão do BIND utilizada no servidor DNS; Restringir o processo de update dinâmico do DNS, quando possível; Uso do DNSSEG e TSIG(Funções de Segurança); Restringir zonas de transferências para servidores secundários; Configurar o servidor DNS de modo a permitir recursividade somente para as estações de seu domínio; Configurar o servidor DNS de modo a permitir recursividade somente para as estações de seu domínio; Configurar regras anti-spoofing no firewall e/ou no roteador de borda; Implementar uma topologia de redes que permita abrigar o servidor DNS em uma DMZ (Zona Desmilitarizada); Use softwares como Nagios, Zabbix e PRTG para monitorar o seu sistema como um todo, carga de disco, memória, tráfego de rede, internet e etc. Acontecendo algum problema você será avisado por e até SMS; SSH para acesso remoto, de forma segura já que o mesmo utiliza de criptografia; Nmap, Ettercap, wireshark, Tcpdump, são exemplos de softwares que permitem escutar e ver o que está trafegando na rede; Uso de Proxy como, Squid, Clear Os, Dns e outros: Gerenciamento de Acesso a web e rede local para tráfego geral de usuários, permitindo e bloqueando acessos de acordo com a política de sua empresa; Conclusão: Todo serviço tem seus riscos, nunca a segurança será de 100%, o nosso papel com futuros tecnólogos em segurança da informação é saber identificar estas vulnerabilidades e propor mecanismos e ações para mitigar os riscos. A prevenção, conscientização, redundância e o monitoramento são formas de garantir que a segurança seja eficaz e que a rede e/ou a internet funcionem corretamente.

Hardening de Servidores O que é Mitm? Hardening

Hardening de Servidores O que é Mitm? Hardening Hardening de Servidores O que é Mitm? O man-in-the-middle (pt: Homem no meio, em referência ao atacante que intercepta os dados) é uma forma de ataque em que os dados trocados entre duas partes, por exemplo

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS Usando um firewall para ajudar a proteger o computador A conexão à Internet pode representar um perigo para o usuário de computador desatento. Um firewall ajuda a proteger o computador impedindo que usuários

Leia mais

Planejando uma política de segurança da informação

Planejando uma política de segurança da informação Planejando uma política de segurança da informação Para que se possa planejar uma política de segurança da informação em uma empresa é necessário levantar os Riscos, as Ameaças e as Vulnerabilidades de

Leia mais

Processo de Hardening dos servidores contra ataques MITM

Processo de Hardening dos servidores contra ataques MITM Processo de Hardening dos servidores contra ataques MITM Em primeiro lugar o que é um ataque MITM? Essa sigla significa Man in the Middle, traduzindo para o português Homem do meio. Esse ataque em redes

Leia mais

Segurança de Redes & Internet

Segurança de Redes & Internet Boas Práticas Segurança de Redes & Internet 0800-644-0692 Video Institucional Boas Práticas Segurança de Redes & Internet 0800-644-0692 Agenda Cenário atual e demandas Boas práticas: Monitoramento Firewall

Leia mais

Segurança na Rede Local Redes de Computadores

Segurança na Rede Local Redes de Computadores Ciência da Computação Segurança na Rede Local Redes de Computadores Disciplina de Desenvolvimento de Sotware para Web Professor: Danilo Vido Leonardo Siqueira 20130474 São Paulo 2011 Sumário 1.Introdução...3

Leia mais

Gerência de Redes Segurança

Gerência de Redes Segurança Gerência de Redes Segurança Cássio D. B. Pinheiro cdbpinheiro@ufpa.br cassio.orgfree.com Objetivos Apresentar o conceito e a importância da Política de Segurança no ambiente informatizado, apresentando

Leia mais

O Firewall do Windows vem incorporado ao Windows e é ativado automaticamente.

O Firewall do Windows vem incorporado ao Windows e é ativado automaticamente. Noções básicas sobre segurança e computação segura Se você se conecta à Internet, permite que outras pessoas usem seu computador ou compartilha arquivos com outros, deve tomar algumas medidas para proteger

Leia mais

http://aurelio.net/vim/vim-basico.txt Entrar neste site/arquivo e estudar esse aplicativo Prof. Ricardo César de Carvalho

http://aurelio.net/vim/vim-basico.txt Entrar neste site/arquivo e estudar esse aplicativo Prof. Ricardo César de Carvalho vi http://aurelio.net/vim/vim-basico.txt Entrar neste site/arquivo e estudar esse aplicativo Administração de Redes de Computadores Resumo de Serviços em Rede Linux Controlador de Domínio Servidor DNS

Leia mais

3 SERVIÇOS IP. 3.1 Serviços IP e alguns aspectos de segurança

3 SERVIÇOS IP. 3.1 Serviços IP e alguns aspectos de segurança 3 SERVIÇOS IP 3.1 Serviços IP e alguns aspectos de segurança Os serviços IP's são suscetíveis a uma variedade de possíveis ataques, desde ataques passivos (como espionagem) até ataques ativos (como a impossibilidade

Leia mais

Firewall. Alunos: Hélio Cândido Andersson Sales

Firewall. Alunos: Hélio Cândido Andersson Sales Firewall Alunos: Hélio Cândido Andersson Sales O que é Firewall? Firewall pode ser definido como uma barreira de proteção, que controla o tráfego de dados entre seu computador e a Internet (ou entre a

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS NO WINDOWS. Professor Carlos Muniz

SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS NO WINDOWS. Professor Carlos Muniz SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS NO WINDOWS Se todos os computadores da sua rede doméstica estiverem executando o Windows 7, crie um grupo doméstico Definitivamente, a forma mais

Leia mais

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP HTTP (Hypertext Transfer Protocol ) Protocolo usado na Internet para transferir as páginas da WWW (WEB). HTTPS (HyperText Transfer

Leia mais

Políticas de Segurança de Sistemas

Políticas de Segurança de Sistemas Políticas de Segurança de Sistemas Profs. Hederson Velasco Ramos Henrique Jesus Quintino de Oliveira Estudo de Boletins de Segurança O que é um boletim de segurança? São notificações emitidas pelos fabricantes

Leia mais

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 04. Prof. André Lucio

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 04. Prof. André Lucio FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 04 Prof. André Lucio Competências da aula 3 Servidor de DHCP. Servidor de Arquivos. Servidor de Impressão. Aula 04 CONCEITOS

Leia mais

Lista de Erros Discador Dial-Up

Lista de Erros Discador Dial-Up Lista de Erros Discador Dial-Up Erro Código Descrição Ok 1 Usuário autenticado com sucesso e conexão encerrada pelo usuário OK 11 Usuário autenticado com sucesso e discador terminado pelo usuário OK 21

Leia mais

Aula 12 Lista de verificação de segurança para o Windows 7

Aula 12 Lista de verificação de segurança para o Windows 7 Aula 12 Lista de verificação de segurança para o Windows 7 Use esta lista de verificação para ter certeza de que você está aproveitando todas as formas oferecidas pelo Windows para ajudar a manter o seu

Leia mais

ALTERNATIVA PARA CONEXÃO VIA INTERNET DE IP MASCARADO A IP REAL

ALTERNATIVA PARA CONEXÃO VIA INTERNET DE IP MASCARADO A IP REAL Documento: Tutorial Autor: Iuri Sonego Cardoso Data: 27/05/2005 E-mail: iuri@scripthome.cjb.net Home Page: http://www.scripthome.cjb.net ALTERNATIVA PARA CONEXÃO VIA INTERNET DE IP MASCARADO A IP REAL

Leia mais

Auditoria e Segurança da Informação GSI536. Prof. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU

Auditoria e Segurança da Informação GSI536. Prof. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU Auditoria e Segurança da Informação GSI536 Prof. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU Tópicos Motivação Utilização cada vez maior da Internet e a criação de ambientes cooperativos, levam a uma crescente preocupação

Leia mais

OBJETIVO DA POLÍTICA DE SEGURANÇA

OBJETIVO DA POLÍTICA DE SEGURANÇA POLÍTICA DE SEGURANÇA DIGITAL Wagner de Oliveira OBJETIVO DA POLÍTICA DE SEGURANÇA Hoje em dia a informação é um item dos mais valiosos das grandes Empresas. Banco do Brasil Conscientizar da necessidade

Leia mais

Kaspersky Security Center 10 SP1 (KSC 10 SP1) Como criar Exclusões

Kaspersky Security Center 10 SP1 (KSC 10 SP1) Como criar Exclusões Kaspersky Security Center 10 SP1 (KSC 10 SP1) Como criar Exclusões Regras de exclusão são grupos de condições que o Kaspersky Endpoint Security utiliza para omitir um objeto durante uma varredura (scan)

Leia mais

para que quando a resposta que provenha da Internet pudesse ser permitida, ou seja, pudesse acessar o computador do usuário. Em outras palavras, o

para que quando a resposta que provenha da Internet pudesse ser permitida, ou seja, pudesse acessar o computador do usuário. Em outras palavras, o FIREWALL É utilizado para impedir que informações indesejadas entrem em uma rede ou em um computador doméstico. Em uma grande rede não é um método substituto à segurança de um servidor, mas complementar,

Leia mais

Gerência de Segurança

Gerência de Segurança Gerência de segurança envolve a proteção de dados sensíveis dos dispositivos de rede através do controle de acesso aos pontos onde tais informações se localizam Benefícios do processo de gerência de segurança

Leia mais

PROJETO INTEGRADOR LUIZ DAVI DOS SANTOS SOUZA

PROJETO INTEGRADOR LUIZ DAVI DOS SANTOS SOUZA PROJETO INTEGRADOR LUIZ DAVI DOS SANTOS SOUZA Os serviços IP's citados abaixo são suscetíveis de possíveis ataques, desde ataques passivos (como espionagem) até ataques ativos (como a impossibilidade de

Leia mais

SEGURANÇA EM PROFUNDIDADE EM AMBIENTES MICROSOFT

SEGURANÇA EM PROFUNDIDADE EM AMBIENTES MICROSOFT SEGURANÇA EM PROFUNDIDADE EM AMBIENTES MICROSOFT LUCIANO LIMA [CISSP]- [CEH]-[COMPTIA SECURITY+]-[MVP ENTERPRISE SECURITY]-[MCSA SECURITY]-[MCSE SECURITY]-[VMSP]-[VMTSP]-[SSE]-[SSE+] @lucianolima_mvp www.lucianolima.org

Leia mais

Via Prática Firewall Box Gateway O acesso à Internet

Via Prática Firewall Box Gateway O acesso à Internet FIREWALL BOX Via Prática Firewall Box Gateway O acesso à Internet Via Prática Firewall Box Gateway pode tornar sua rede mais confiável, otimizar sua largura de banda e ajudar você a controlar o que está

Leia mais

Professor(es): Fernando Pirkel. Descrição da(s) atividade(s):

Professor(es): Fernando Pirkel. Descrição da(s) atividade(s): Professor(es): Fernando Pirkel Descrição da(s) atividade(s): Definir as tecnologias de redes necessárias e adequadas para conexão e compartilhamento dos dados que fazem parte da automatização dos procedimentos

Leia mais

ESET CYBER SECURITY PRO para Mac Guia de Inicialização Rápida. Clique aqui para fazer o download da versão mais recente deste documento

ESET CYBER SECURITY PRO para Mac Guia de Inicialização Rápida. Clique aqui para fazer o download da versão mais recente deste documento ESET CYBER SECURITY PRO para Mac Guia de Inicialização Rápida Clique aqui para fazer o download da versão mais recente deste documento ESET Cyber Security Pro fornece proteção de última geração para seu

Leia mais

Guia de Prática. Windows 7 Ubuntu 12.04

Guia de Prática. Windows 7 Ubuntu 12.04 Guia de Prática Windows 7 Ubuntu 12.04 Virtual Box e suas interfaces de rede Temos 04 interfaces de rede Cada interface pode operar nos modos: NÃO CONECTADO, que representa o cabo de rede desconectado.

Leia mais

Organização de arquivos e pastas

Organização de arquivos e pastas Organização de arquivos e pastas Pasta compara-se a uma gaveta de arquivo. É um contêiner no qual é possível armazenar arquivos. As pastas podem conter diversas subpastas. Definir a melhor forma de armazenamento

Leia mais

Tema: Transbordamento da Tabela CAM ou em inglês CAM table overflow por meio da técnica de Arp Poisoning, Arp spoofing, MAC flooding.

Tema: Transbordamento da Tabela CAM ou em inglês CAM table overflow por meio da técnica de Arp Poisoning, Arp spoofing, MAC flooding. Tema: Transbordamento da Tabela CAM ou em inglês CAM table overflow por meio da técnica de Arp Poisoning, Arp spoofing, MAC flooding. 1. Introdução Devemos ressaltar que a propriedade de encaminhamento

Leia mais

Revisão 7 Junho de 2007

Revisão 7 Junho de 2007 Revisão 7 Junho de 2007 1/5 CONTEÚDO 1. Introdução 2. Configuração do Computador 3. Reativar a Conexão com a Internet 4. Configuração da Conta de Correio Eletrônico 5. Política Anti-Spam 6. Segurança do

Leia mais

F-Secure Anti-Virus for Mac 2015

F-Secure Anti-Virus for Mac 2015 F-Secure Anti-Virus for Mac 2015 2 Conteúdo F-Secure Anti-Virus for Mac 2015 Conteúdo Capítulo 1: Introdução...3 1.1 Gerenciar assinatura...4 1.2 Como me certificar de que o computador está protegido...4

Leia mais

CPE Soft Manual. 125/400mW 2.4GHz. CPE Soft

CPE Soft Manual. 125/400mW 2.4GHz. CPE Soft CPE Soft Manual 125/400mW 2.4GHz CPE Soft Campinas - SP 2010 Indice 1.1 Acessando as configurações. 2 1.2 Opções de configuração... 3 1.3 Wireless... 4 1.4 TCP/IP 5 1.5 Firewall 6 7 1.6 Sistema 8 1.7 Assistente...

Leia mais

Segurança na Web. André Tavares da Silva. andre.silva@udesc.br

Segurança na Web. André Tavares da Silva. andre.silva@udesc.br Segurança na Web André Tavares da Silva andre.silva@udesc.br Propósito da Segurança A segurança não é usada simplesmente para proteger contra ataques diretos mas é essencial para estabelecer credibilidade/confiança

Leia mais

Atualizaça o do Playlist Digital

Atualizaça o do Playlist Digital Atualizaça o do Playlist Digital Prezados Clientes, Nós da Playlist Software Solutions empresa líder de mercado no desenvolvimento de software para automação de rádios - primamos pela qualidade de nossos

Leia mais

FIREWALL. Prof. Fabio de Jesus Souza. fabiojsouza@gmail.com. Professor Fabio Souza

FIREWALL. Prof. Fabio de Jesus Souza. fabiojsouza@gmail.com. Professor Fabio Souza FIREWALL Prof. Fabio de Jesus Souza fabiojsouza@gmail.com Professor Fabio Souza O que são Firewalls? Os firewalls são sistemas de segurança que podem ser baseados em: um único elemento de hardware; um

Leia mais

www.projetoderedes.com.br Gestão da Segurança da Informação Professor: Maurício AULA 09 Firewall

www.projetoderedes.com.br Gestão da Segurança da Informação Professor: Maurício AULA 09 Firewall www.projetoderedes.com.br Gestão da Segurança da Informação Professor: Maurício O que é Firewall Um Firewall é um sistema para controlar o aceso às redes de computadores, desenvolvido para evitar acessos

Leia mais

Ameaças e Contramedidas de Host

Ameaças e Contramedidas de Host Prof. Hederson Velasco Ramos Prof. Henrique Jesus Quintino de Oliveira quintino@umc.br Fonte: http://www.antispam.br/ Monitoramento (PortScan) Exemplos de monitoramento são varreduras de porta, varredura

Leia mais

6 PLANEJAMENTO DE SI 6.1 Planejamento de Segurança da Informação O planejamento em S.I é algo crucial para que haja o bom funcionamento de uma

6 PLANEJAMENTO DE SI 6.1 Planejamento de Segurança da Informação O planejamento em S.I é algo crucial para que haja o bom funcionamento de uma 6 PLANEJAMENTO DE SI 6.1 Planejamento de Segurança da Informação O planejamento em S.I é algo crucial para que haja o bom funcionamento de uma empresa. Diferente do senso comum o planejamento não se limita

Leia mais

ETEC Campo Limpo AULA 07. 1. Interpretando informações do UTILITÁRIO DE CONFIGURAÇÃO DO SISTEMA

ETEC Campo Limpo AULA 07. 1. Interpretando informações do UTILITÁRIO DE CONFIGURAÇÃO DO SISTEMA AULA 07 1. Interpretando informações do UTILITÁRIO DE CONFIGURAÇÃO DO SISTEMA O Utilitário de configuração do sistema, o famoso "msconfig" está disponível nas versões recentes do Windows. Para abrir o

Leia mais

Segurança de Rede Prof. João Bosco M. Sobral 1

Segurança de Rede Prof. João Bosco M. Sobral 1 1 Sinopse do capítulo Problemas de segurança para o campus. Soluções de segurança. Protegendo os dispositivos físicos. Protegendo a interface administrativa. Protegendo a comunicação entre roteadores.

Leia mais

Grid e Gerenciamento Multi-Grid

Grid e Gerenciamento Multi-Grid Principais Benefícios Alta disponibilidade, Escalabilidade Massiva Infoblox Oferece serviços de rede sempre ligados através de uma arquitetura escalável, redundante, confiável e tolerante a falhas Garante

Leia mais

Auditoria e Segurança de Sistemas Segurança de Redes de Computadores Adriano J. Holanda

Auditoria e Segurança de Sistemas Segurança de Redes de Computadores Adriano J. Holanda Auditoria e Segurança de Sistemas Segurança de Redes de Computadores Adriano J. Holanda Segurança na rede Segurança na rede refere-se a qualquer atividade planejada para proteger sua rede. Especificamente

Leia mais

Compartilhamento de recursos de forma a racionar e otimizar o uso de equipamentos e softwares. Servidores e Workstations. Segurança é um desafio, por

Compartilhamento de recursos de forma a racionar e otimizar o uso de equipamentos e softwares. Servidores e Workstations. Segurança é um desafio, por $XWDUTXLD(GXFDFLRQDOGR9DOHGR6mR)UDQFLVFR± $(96) )DFXOGDGHGH&LrQFLDV6RFLDLVH$SOLFDGDVGH3HWUROLQD± )$&$3( &XUVRGH&LrQFLDVGD&RPSXWDomR $8',725,$'$7(&12/2*,$'$,1)250$d 2 &\QDUD&DUYDOKR F\QDUDFDUYDOKR#\DKRRFRPEU

Leia mais

Senha Admin. Nessa tela, você poderá trocar a senha do administrador para obter acesso ao NSControl. Inicialização

Senha Admin. Nessa tela, você poderá trocar a senha do administrador para obter acesso ao NSControl. Inicialização Manual do Nscontrol Principal Senha Admin Nessa tela, você poderá trocar a senha do administrador para obter acesso ao NSControl. Inicialização Aqui, você poderá selecionar quais programas você quer que

Leia mais

Introdução. Man in the middle. Faculdade de Tecnologias Senac Goiás. Professora: Marissol Relatório MITM

Introdução. Man in the middle. Faculdade de Tecnologias Senac Goiás. Professora: Marissol Relatório MITM Faculdade de Tecnologias Senac Goiás Projeto Integrador SI-2014/02 Tecnologia de Redes Professora: Marissol Paulo Henrique Rodrigo Brunet Cassio Alves Relatório MITM Introdução Apresentaremos um relatório

Leia mais

Novidades do AVG 2013

Novidades do AVG 2013 Novidades do AVG 2013 Conteúdo Licenciamento Instalação Verificação Componentes Outras características Treinamento AVG 2 Licenciamento Instalação Verificação Componentes do AVG Outras características Treinamento

Leia mais

Sistemas para Internet 06 Ataques na Internet

Sistemas para Internet 06 Ataques na Internet Sistemas para Internet 06 Ataques na Internet Uma visão geral dos ataques listados na Cartilha de Segurança para Internet do CGI Comitê Gestor da Internet Componente Curricular: Bases da Internet Professor:

Leia mais

2º PERÍODO TECNOLOGIA EM SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO RELATÓRIO ARQUITETURA E ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES

2º PERÍODO TECNOLOGIA EM SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO RELATÓRIO ARQUITETURA E ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC 2º PERÍODO TECNOLOGIA EM SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO GOIÂNIA 2015 PROJETO INTEGRADOR RELATÓRIO ARQUITETURA E ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES GRUPO: ALLAN BERG CARLOS SILVA JUAN CARLOS

Leia mais

PARA MAC. Guia de Inicialização Rápida. Clique aqui para fazer o download da versão mais recente deste documento

PARA MAC. Guia de Inicialização Rápida. Clique aqui para fazer o download da versão mais recente deste documento PARA MAC Guia de Inicialização Rápida Clique aqui para fazer o download da versão mais recente deste documento ESET Cyber Security fornece proteção de última geração para seu computador contra código mal-intencionado.

Leia mais

DTI DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

DTI DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DTI DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO POLÍTICA DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO ESPÍRITO SANTO 1 OBJETIVO: 1.1 A presente

Leia mais

Firewall. Professor: João Paulo de Brito Gonçalves Disciplina: Serviços de Redes. Campus Cachoeiro Curso Técnico em Informática

Firewall. Professor: João Paulo de Brito Gonçalves Disciplina: Serviços de Redes. Campus Cachoeiro Curso Técnico em Informática Firewall Professor: João Paulo de Brito Gonçalves Disciplina: Serviços de Redes Campus Cachoeiro Curso Técnico em Informática Firewall (definições) Por que do nome firewall? Antigamente, quando as casas

Leia mais

1 de 5 Firewall-Proxy-V4 :: MANTENDO O FOCO NO SEU NEGÓCIO ::

1 de 5 Firewall-Proxy-V4 :: MANTENDO O FOCO NO SEU NEGÓCIO :: 1 de 5 Firewall-Proxy-V4 D O C U M E N T A Ç Ã O C O M E R C I A L FIREWALL, PROXY, MSN :: MANTENDO O FOCO NO SEU NEGÓCIO :: Se o foco do seu negócio não é tecnologia, instalar e manter por conta própria

Leia mais

Programa de Nível de Serviço do Ariba Cloud Services. Garantia de Acesso ao Serviço Segurança Diversos

Programa de Nível de Serviço do Ariba Cloud Services. Garantia de Acesso ao Serviço Segurança Diversos Programa de Nível de Serviço do Ariba Cloud Services Garantia de Acesso ao Serviço Segurança Diversos 1. Garantia de Acesso ao Serviço a. Aplicabilidade. A Garantia de Acesso ao Serviço cobre a Solução

Leia mais

Net View & Panda ManagedOfficeProtection Mais que antivírus, solução em segurança.

Net View & Panda ManagedOfficeProtection Mais que antivírus, solução em segurança. Net View & Panda ManagedOfficeProtection Mais que antivírus, solução em segurança. Net View & Panda Managed Office Protection É fato, tanto pequenas e médias e grandes empresas enfrentam os mesmos riscos

Leia mais

Proteção no Ciberespaço da Rede UFBA. CPD - Divisão de Suporte Yuri Alexandro yuri.alexandro@ufba.br

Proteção no Ciberespaço da Rede UFBA. CPD - Divisão de Suporte Yuri Alexandro yuri.alexandro@ufba.br Proteção no Ciberespaço da Rede UFBA CPD - Divisão de Suporte Yuri Alexandro yuri.alexandro@ufba.br Agenda Segurança o que é? Informação o que é? E Segurança da Informação? Segurança da Informação na UFBA

Leia mais

Segurança da Informação

Segurança da Informação Segurança da Informação Professor: Cleber Schroeder Fonseca cleberfonseca@charqueadas.ifsul.edu.br 8 1 SEGURANÇA EM REDES DE COMPUTADORES 2 Segurança em redes de computadores Consiste na provisão de políticas

Leia mais

Privacidade.

Privacidade. <Nome> <Instituição> <e-mail> Privacidade Agenda Privacidade Riscos principais Cuidados a serem tomados Créditos Privacidade (1/3) Sua privacidade pode ser exposta na Internet: independentemente da sua

Leia mais

Atualizaça o do Maker

Atualizaça o do Maker Atualizaça o do Maker Prezados Clientes, Nós da Playlist Software Solutions empresa líder de mercado no desenvolvimento de software para automação de rádios - primamos pela qualidade de nossos produtos,

Leia mais

Campus Capivari Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) Prof. André Luís Belini E-mail: prof.andre.luis.belini@gmail.com /

Campus Capivari Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) Prof. André Luís Belini E-mail: prof.andre.luis.belini@gmail.com / Campus Capivari Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) Prof. André Luís Belini E-mail: prof.andre.luis.belini@gmail.com / andre.belini@ifsp.edu.br MATÉRIA: SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Aula N : 09 Tema:

Leia mais

TECNOLOGIA WEB INTERNET PROTOCOLOS

TECNOLOGIA WEB INTERNET PROTOCOLOS INTERNET PROTOCOLOS 1 INTERNET Rede mundial de computadores. Também conhecida por Nuvem ou Teia. Uma rede que permite a comunicação de redes distintas entre os computadores conectados. Rede WAN Sistema

Leia mais

Como conectar-se à rede Sem Fio (Wireless) da UNISC. Pré-Requisitos:

Como conectar-se à rede Sem Fio (Wireless) da UNISC. Pré-Requisitos: Setor de Informática UNISC Manual Prático: Como conectar-se à rede Sem Fio (Wireless) da UNISC Pré-Requisitos: O Notebook deve possuir adaptador Wireless instalado (drivers) e estar funcionando no seu

Leia mais

Segurança em Sistemas de Informação Tecnologias associadas a Firewall

Segurança em Sistemas de Informação Tecnologias associadas a Firewall Algumas definições Firewall Um componente ou conjunto de componentes que restringe acessos entre redes; Host Um computador ou um dispositivo conectado à rede; Bastion Host Um dispositivo que deve ser extremamente

Leia mais

Segurança. Guia do Usuário

Segurança. Guia do Usuário Segurança Guia do Usuário Copyright 2007 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Microsoft é uma marca registrada da Microsoft Corporation nos Estados Unidos. As informações contidas neste documento

Leia mais

Componentes de um sistema de firewall - I

Componentes de um sistema de firewall - I Componentes de um sistema de firewall - I O que são Firewalls? Os firewalls são sistemas de segurança que podem ser baseados em: um único elemento de hardware; um único elemento de software instalado num

Leia mais

3. ( ) Para evitar a contaminação de um arquivo por vírus, é suficiente salvá-lo com a opção de compactação.

3. ( ) Para evitar a contaminação de um arquivo por vírus, é suficiente salvá-lo com a opção de compactação. 1. Com relação a segurança da informação, assinale a opção correta. a) O princípio da privacidade diz respeito à garantia de que um agente não consiga negar falsamente um ato ou documento de sua autoria.

Leia mais

Para cada questão responda se a afirmativa está certa ou errada, JUSTIFICANDO:

Para cada questão responda se a afirmativa está certa ou errada, JUSTIFICANDO: Exercícios de Segurança de Informação Ameaças lógicas Para cada questão responda se a afirmativa está certa ou errada, JUSTIFICANDO: 1) Vírus de macro infectam arquivos criados por softwares que utilizam

Leia mais

http://cartilha.cert.br/

http://cartilha.cert.br/ http://cartilha.cert.br/ Equipamentos de rede também precisam de cuidados de segurança Independente do tipo de tecnologia usada, um equipamento conectado à rede, seja um computador, dispositivo móvel,

Leia mais

para Mac Guia de Inicialização Rápida

para Mac Guia de Inicialização Rápida para Mac Guia de Inicialização Rápida O ESET Cybersecurity fornece proteção de última geração para o seu computador contra código malicioso. Com base no ThreatSense, o primeiro mecanismo de verificação

Leia mais

ETI/Domo. Português. www.bpt.it. ETI-Domo Config 24810180 PT 29-07-14

ETI/Domo. Português. www.bpt.it. ETI-Domo Config 24810180 PT 29-07-14 ETI/Domo 24810180 www.bpt.it PT Português ETI-Domo Config 24810180 PT 29-07-14 Configuração do PC Antes de realizar a configuração de todo o sistema, é necessário configurar o PC para que esteja pronto

Leia mais

1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO

1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO 1 ÍNDICE 1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO... 3 1.1 REQUISITOS BASICOS DE SOFTWARE... 3 1.2 REQUISITOS BASICOS DE HARDWARE... 3 2 EXECUTANDO O INSTALADOR... 3 2.1 PASSO 01... 3 2.2 PASSO

Leia mais

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP HTTP (Hypertext Transfer Protocol ) Protocolo usado na Internet para transferir as páginas da WWW (WEB). HTTPS (HyperText Transfer

Leia mais

Gerenciamento de Redes de Computadores. Introdução ao Gerenciamento de Redes

Gerenciamento de Redes de Computadores. Introdução ao Gerenciamento de Redes Introdução ao Gerenciamento de Redes O que é Gerenciamento de Redes? O gerenciamento de rede inclui a disponibilização, a integração e a coordenação de elementos de hardware, software e humanos, para monitorar,

Leia mais

Configuração de Digitalizar para E-mail

Configuração de Digitalizar para E-mail Guia de Configuração de Funções de Digitalização de Rede Rápida XE3024PT0-2 Este guia inclui instruções para: Configuração de Digitalizar para E-mail na página 1 Configuração de Digitalizar para caixa

Leia mais

Curso Introdução à Educação Digital - Carga Horária: 40 horas (30 presenciais + 10 EaD)

Curso Introdução à Educação Digital - Carga Horária: 40 horas (30 presenciais + 10 EaD) ******* O que é Internet? Apesar de muitas vezes ser definida como a "grande rede mundial de computadores, na verdade compreende o conjunto de diversas redes de computadores que se comunicam e que permitem

Leia mais

FACSENAC. Versão:1.5. Identificador do documento: Projeto Lógico de Redes. Versão do Template Utilizada na Confecção: 1.0. Histórico de revisões

FACSENAC. Versão:1.5. Identificador do documento: Projeto Lógico de Redes. Versão do Template Utilizada na Confecção: 1.0. Histórico de revisões FACSENAC ECOFROTA Documento de Projeto Lógico de Rede Versão:1.5 Data: 21/11/2013 Identificador do documento: Projeto Lógico de Redes Versão do Template Utilizada na Confecção: 1.0 Localização: FacSenac

Leia mais

http://cartilha.cert.br/

http://cartilha.cert.br/ http://cartilha.cert.br/ Quanto mais informações você disponibiliza na Internet, mais difícil se torna preservar a sua privacidade Nada impede que você abra mão de sua privacidade e, de livre e espontânea

Leia mais

Segurança em Redes.

Segurança em Redes. <Nome> <Instituição> <e-mail> Segurança em Redes Agenda Riscos Cuidados gerais a serem tomados Configurando o acesso Internet da sua casa Configurando uma rede Wi-Fi doméstica Cuidados: ao se conectar

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO TIC

UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO TIC Código: NO01 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região Comissão de Segurança da Informação Núcleo de Governança Corporativa de TIC Setor de Segurança da Informação Revisão: 1.1 Vigência: 12/02/2016 Classificação:

Leia mais

Certificado Digital A1

Certificado Digital A1 Certificado Digital A1 Geração Todos os direitos reservados. Imprensa Oficial do Estado S.A. - 2012 Página 1 de 41 Pré-requisitos para a geração Dispositivos de Certificação Digital Para que o processo

Leia mais

FIREWALL, PROXY & VPN

FIREWALL, PROXY & VPN 1 de 5 Firewall-Proxy D O C U M E N T A Ç Ã O C O M E R C I A L FIREWALL, PROXY & VPN :: MANTENDO O FOCO NO SEU NEGÓCIO :: Se o foco do seu negócio não é tecnologia, instalar e manter por conta própria

Leia mais

REDES ESAF. leitejuniorbr@yahoo.com.br 1 Redes - ESAF

REDES ESAF. leitejuniorbr@yahoo.com.br 1 Redes - ESAF REDES ESAF 01 - (ESAF - Auditor-Fiscal da Previdência Social - AFPS - 2002) Um protocolo é um conjunto de regras e convenções precisamente definidas que possibilitam a comunicação através de uma rede.

Leia mais

PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE INTRANETS

PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE INTRANETS PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE INTRANETS Aulas : Terças e Quintas Horário: AB Noite [18:30 20:20hs] PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE INTRANETS 1 Conteúdo O que Rede? Conceito; Como Surgiu? Objetivo; Evolução Tipos de

Leia mais

http://cartilha.cert.br/

http://cartilha.cert.br/ http://cartilha.cert.br/ Manter seu computador seguro é essencial para se proteger dos riscos envolvidos no uso da Internet Um grande risco que você pode correr ao usar a Internet é o de achar que não

Leia mais

Capítulo 1: Introdução...3

Capítulo 1: Introdução...3 F-Secure Anti-Virus for Mac 2014 Conteúdo 2 Conteúdo Capítulo 1: Introdução...3 1.1 O que fazer após a instalação...4 1.1.1 Gerenciar assinatura...4 1.1.2 Abrir o produto...4 1.2 Como me certificar de

Leia mais

User Manual Version 3.6 Manual do Usuário Versão 2.0.0.0

User Manual Version 3.6 Manual do Usuário Versão 2.0.0.0 User Manual Version 3.6 Manual do Usuário Versão 2.0.0.0 User Manual Manual do Usuário I EasyLock Manual do Usuário Sumário 1. Introdução... 1 2. Requisitos do Sistema... 2 3. Instalação... 3 3.1. Configurar

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO - TIC

UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO - TIC Código: NO01 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região Comitê de Segurança da Informação Secretaria de Tecnologia da Informação Núcleo de Segurança da Informação Revisão: 00 Vigência:20/04/2012 Classificação:

Leia mais

BOAS PRÁTICAS DE SEGURANÇA EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI)

BOAS PRÁTICAS DE SEGURANÇA EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI) BOAS PRÁTICAS DE SEGURANÇA EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI) André Gustavo Assessor Técnico de Informática MARÇO/2012 Sumário Contextualização Definições Princípios Básicos de Segurança da Informação Ameaças

Leia mais

ESET SMART SECURITY 7

ESET SMART SECURITY 7 ESET SMART SECURITY 7 Microsoft Windows 8.1 / 8 / 7 / Vista / XP / Home Server 2003 / Home Server 2011 Guia de Inicialização Rápida Clique aqui para fazer download da versão mais recente deste documento

Leia mais

ESET NOD32 Antivirus 4 para Linux Desktop. Guia de Inicialização Rápida

ESET NOD32 Antivirus 4 para Linux Desktop. Guia de Inicialização Rápida ESET NOD32 Antivirus 4 para Linux Desktop Guia de Inicialização Rápida O ESET NOD32 Antivirus 4 fornece proteção de última geração para o seu computador contra código malicioso. Com base no mecanismo de

Leia mais

Guia de administração. BlackBerry Professional Software para Microsoft Exchange. Versão: 4.1 Service pack: 4B

Guia de administração. BlackBerry Professional Software para Microsoft Exchange. Versão: 4.1 Service pack: 4B BlackBerry Professional Software para Microsoft Exchange Versão: 4.1 Service pack: 4B SWD-313211-0911044452-012 Conteúdo 1 Gerenciando contas de usuários... 7 Adicionar uma conta de usuário... 7 Adicionar

Leia mais

A utilização das redes na disseminação das informações

A utilização das redes na disseminação das informações A utilização das redes na disseminação das informações Elementos de Rede de computadores: Denomina-se elementos de rede, um conjunto de hardware capaz de viabilizar e proporcionar a transferência da informação

Leia mais

Capítulo 5 Métodos de Defesa

Capítulo 5 Métodos de Defesa Capítulo 5 Métodos de Defesa Ricardo Antunes Vieira 29/05/2012 Neste trabalho serão apresentadas técnicas que podem proporcionar uma maior segurança em redes Wi-Fi. O concentrador se trata de um ponto

Leia mais

Descrição da atividade: elaborar um relatório sobre Prova de Conceito de ataque Man in the Middle (MITM) através do transbordamento da tabela MAC.

Descrição da atividade: elaborar um relatório sobre Prova de Conceito de ataque Man in the Middle (MITM) através do transbordamento da tabela MAC. Tecnologia de Redes - Marissol Descrição da atividade: elaborar um relatório sobre Prova de Conceito de ataque Man in the Middle (MITM) através do transbordamento da tabela MAC. Definições e Conceitos

Leia mais

III. Norma Geral de Segurança da Informação para Uso da Internet

III. Norma Geral de Segurança da Informação para Uso da Internet O B J E CT I V O Estabelecer critérios para acesso à Internet utilizando recursos do Projecto Portal do Governo de Angola. Orientar os Utilizadores sobre as competências, o uso e responsabilidades associadas

Leia mais

Curso de Tecnologia em Redes de Computadores

Curso de Tecnologia em Redes de Computadores Curso de Tecnologia em Redes de Computadores Disciplina: Auditoria e Análise de Segurança da Informação - 4º período Professor: José Maurício S. Pinheiro AULA 2: Segurança Física e Segurança Lógica Segurança

Leia mais

WebZine Manager. Documento de Projeto Lógico de Rede

WebZine Manager. Documento de Projeto Lógico de Rede WebZine Manager Documento de Projeto Lógico de Rede Versão:1.0 Data: 10 de Setembro de 2012 Identificador do documento: WebZine Manager Versão do Template Utilizada na Confecção: 1.0 Localização: SoftSolut,

Leia mais

MRS. Monitoramento de Redes e Sistemas

MRS. Monitoramento de Redes e Sistemas MRS Monitoramento de Redes e Sistemas Origem Crescimento rede REGIN de 16 para 293 municípios. Diversidade de tipos de erros. Minimizar esforço e tempo humano gastos na detecção e eliminação de problemas.

Leia mais

GUIA DE AUXÍLIO PARA UTILIZAÇÃO DA REDE DE DADOS DO IAU GUIA DE AUXÍLIO PARA UTILIZAÇÃO DA REDE DE DADOS DO INSTITUTO DE ARQUITETURA E URBANISMO (IAU)

GUIA DE AUXÍLIO PARA UTILIZAÇÃO DA REDE DE DADOS DO IAU GUIA DE AUXÍLIO PARA UTILIZAÇÃO DA REDE DE DADOS DO INSTITUTO DE ARQUITETURA E URBANISMO (IAU) GUIA DE AUXÍLIO PARA UTILIZAÇÃO DA REDE DE DADOS DO INSTITUTO DE ARQUITETURA E URBANISMO (IAU) O presente guia tem como objetivo auxiliar os usuários da rede de dados do Instituto de Arquitetura e Urbanismo

Leia mais