CONSULTA PÚBLICA até 28/08/2009. até a data acima mencionada

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CONSULTA PÚBLICA até 28/08/2009. até a data acima mencionada"

Transcrição

1 CONSULTA PÚBLICA O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social BNDES está preparando processo licitatório para contratação de serviços de consultoria técnica especializada, conforme detalhado neste documento, para estudo das viabilidades técnica, econômica e financeira como também a estruturação organizacional e administrativa em consequência da adesão do BNDES ao Sistema de Pagamentos Brasileiro SPB do Banco Central do Brasil - BACEN. Tendo em vista a necessidade de conhecer o mercado específico e verificar a adequação das especificações do objeto, o BNDES, por meio desta Consulta Pública, coloca à disposição dos interessados o escopo principal do Projeto Básico, para apresentação de questionamentos e comentários. Os anexos I, II e III a seguir apresentam, respectivamente, os produtos que se espera obter ao final do trabalho da consultoria, as características mínimas das equipes que deverão realizar o trabalho e o cronograma previsto para entrega dos produtos. As informações podem ser obtidas no Protocolo do BNDES no Rio de Janeiro, Av. República do Chile nº100, Térreo Rio de Janeiro RJ, e no portal institucional do BNDES na Internet (www.bndes.gov.br), até 28/08/2009. Só serão respondidos os questionamentos efetuados por escrito, encaminhados para o fax (21) e/ou para o endereço de correio eletrônico até a data acima mencionada. As respostas aos questionamentos serão publicadas na página correspondente a esta Consulta Pública no portal institucional do BNDES na Internet (www.bndes.gov.br). 1

2 CONSULTA PÚBLICA AA Nº 03/2009 BNDES ANEXO I - ESPECIFICAÇÃO DO OBJETO (PROJETO BÁSICO) 1. OBJETO 1.1 Contratação de prestação de serviços técnicos especializados de consultoria e assessoria para adesão do BNDES ao Sistema de Pagamentos Brasileiro SPB do Banco Central do Brasil BACEN. 1.2 A prestação dos serviços será efetuada em 2 (duas) FASES: FASE 1: consiste no diagnóstico e análise dos processos atuais de execução financeira adotados pelo BNDES, estudo de viabilidades técnica, econômica e financeira, vantagens e desvantagens da adesão ao SPB, avaliação das soluções de mercado, apresentação da solução a ser eventualmente adotada pelo BNDES, incluindo a proposta de arquitetura tecnológica, reestruturação organizacional e administrativa, bem como a definição do plano de implantação, nos termos do item 2 deste Anexo I FASE 2: consiste na assessoria técnica ao BNDES, para contratação / licitação e acompanhamento da implantação da solução apresentada na FASE 1, nos termos do item 3 deste Anexo I Consoante o disposto no inciso I do art. 9º da Lei nº 8.666/93, o Licitante vencedor do procedimento licitatório que vier a ser contratado para a prestação dos serviços não poderá participar, direta ou indiretamente, de eventual licitação que venha a ser realizada objetivando as futuras contratações relativas à solução recomendada. 2. FASE 1 DESCRIÇÃO DOS PRODUTOS P1 - APRESENTAÇÃO O QUE É O SPB Apresentação a ser realizada pela Contratada sobre O QUE É O SPB para o público selecionado do Banco A Apresentação [P1] deverá ser entregue em arquivo Powerpoint e realizada, conforme cronograma e condições a serem definidas pelo BNDES nos termos do item [vide Anexo III desta Consulta Pública]. 2

3 P2 RELATÓRIO DE MARCO INICIAL Relatório detalhando a estratégia, a metodologia de trabalho, os recursos envolvidos e o método de gerenciamento da execução do serviço licitado, bem como eventual adaptação do Cronograma do BNDES estabelecido no item [vide Anexo III desta Consulta Pública]. O Relatório de Marco Inicial [P2] deverá conter, no mínimo: a) Descrição da Metodologia de Trabalho, indicando: Descrição do método de análise Documentos a serem solicitados para avaliação Estratégia de avaliação do Estudo de Viabilidade Técnica e Econômica (EVTE) Estratégia de gerenciamento das equipes e da prestação de serviços b) Equipes: considerando os perfis profissionais definidos no item [vide Anexo II desta Consulta Pública], especificar: Composição das equipes para FASE 1 e FASE 2 Qualificação dos componentes das equipes em termos de formação acadêmica, tipo de experiência profissional e tempo de experiência profissional c) Segurança: apresentar detalhamento de estratégia de segurança da informação, de acordo com a Política de Segurança da Informação do BNDES e exigências legais cabíveis, inclusive Lei de Sigilo Bancário. d) Cronograma: solicitação de adaptação, se for o caso, com as devidas justificativas, do Cronograma de execução constante do item [vide Anexo III desta Consulta Pública] P3 - RELATÓRIO DA SITUAÇÃO ATUAL Relatório descrevendo a situação atual da execução financeira do BNDES, contendo o fluxo dos processos, com referência à visão atual e aos processos mapeados no Projeto AGIR 1, detalhando os diversos levantamentos realizados pela Contratada. 1 O Projeto AGIR foi criado para implantar no BNDES um modelo de gerenciamento novo, capaz de integrar as Áreas e atividades do Banco, dotando-o de uma nova infraestrutura de TI e de novos sistemas de informação incluindo a aquisição de solução SAP ERP 6.0 -, trazendo mais qualidade na informação, transparência e velocidade no fluxo das informações. O Projeto vai possibilitar a adoção de um modelo de negócios orientado por processos, aumentando a eficácia administrativa e operacional. Irá reduzir prazos, custos operacionais, melhorando a qualidade da informação, do processo de decisão, dos controles internos e do atendimento aos clientes. Obs: Para maiores informações sobre o Projeto AGIR recomendamos consultar a página da Internet: 3

4 O fluxo de cada processo deve abordar, no mínimo, os seguintes itens: a) Descrição do processo; b) Identificação dos gestores; c) Sistemas de informação e ferramentas envolvidas; d) Importância estratégica do SPB nos processos internos; e) Referência aos processos mapeados no Projeto AGIR; f) Relacionamento com entidades externas; g) Custos envolvidos; e h) Recursos envolvidos O Relatório da Situação Atual [P3] deve abordar, no mínimo: a) Entendimento da situação atual decorrente do convênio operacional com o Banco do Brasil S/A (BB) e o relacionamento existente; b) Mecanismos de controle e de troca de informações existentes; c) Requerimentos técnicos da tecnologia utilizada atualmente; e d) Estrutura Organizacional e Administrativa envolvida no processo atualmente P4 ESTUDO DE VIABILIDADE TÉCNICA, ECONÔMICA E FINANCEIRA (EVTE): O [P4] consiste de relatórios que contenham a avaliação dos impactos no BNDES decorrentes dos requerimentos de liquidação financeira exigidos pelo BACEN, abrangendo os seguintes SUBPRODUTOS: P4-A ESTUDO DE VIABILIDADE TÉCNICA - O Estudo de Viabilidade Técnica [P4-A] deve abordar, no mínimo: a) Diagnóstico das vantagens e desvantagens da adesão ao SPB face a situação atual descrita em [P3]; b) Alterações em produtos e serviços do BNDES decorrentes da adequação dos processos de produtos e serviços frente aos de liquidação financeira requeridas pelo SPB; c) Impacto da mudança no negócio em termos de processamento interno atual e decorrente da implantação das alterações previstas no Projeto AGIR, em especial, dos módulos Financeiro e Contábil do SAP ERP P4-B ESTUDO DE VIABILIDADE ECONÔMICA - O Estudo de Viabilidade Econômica [P4-B] deve avaliar o impacto econômico da migração do BNDES ao SPB, levando em consideração, no mínimo: 4

5 a) Impacto da migração do convênio operacional com o BB para o SPB; b) Alterações na atual estrutura organizacional, inclusive necessidade de treinamento para capacitação dos empregados do BNDES para enfrentar as transformações em produtos e serviços face ao processamento interno do SPB; c) Reflexos na Área Financeira em assumir as atividades de SPB, bem como nas demais Áreas do BNDES; d) Impactos na atual estrutura tecnológica para aderência ao SPB, inclusive indicando a necessidade de aquisição de tecnologia; e e) Os riscos envolvidos para o BNDES, em especial, o operacional e à imagem do Banco P4-C ESTUDO DE VIABILIDADE FINANCEIRA - O Estudo de Viabilidade Financeira [P4-C] deve informar o impacto financeiro nos processos operacionais a serem modificados pelo novo processamento interno determinado pelo SPB, frente aos requerimentos de liquidação financeira e administração dos fluxos de caixa atuais P5 PLANO DE IMPLANTAÇÃO DO SPB O [P5] consiste em relatórios que definam as características e os modelos de gestão operacional da implantação do SPB, alinhados com a visão futura dos processos provenientes do Projeto AGIR, a serem desenvolvidos na FASE 2, abrangendo os seguintes SUBPRODUTOS: P5-A RELATÓRIO DE FLUXOS DE PROCESSOS Relatório abordando a definição dos processos para a nova sistemática de execução financeira do BNDES, detalhando o fluxo dos processos e seus requisitos funcionais de acordo com as necessidades identificadas e as características peculiares ao SPB. 5

6 O Relatório de Fluxos de Processos [P5-A] deverá conter, no mínimo: a) Desenho dos macrofluxos de documentos; b) Detalhamento dos processos de execução financeira e administração de fluxo de caixa, referente aos modelos operacional e de gestão; c) Levantamento detalhado dos requisitos funcionais requeridos para implementação do novo modelo; e d) Definição dos perfis dos profissionais que atuarão na operação do SPB, bem como a descrição das atividades respectivas O fluxo dos processos de operação do SPB deve abordar, no mínimo, os seguintes itens: a) Descrição de cada processo; b) Definição institucional dos gestores; c) Sistemas de informação e ferramentas envolvidas; d) Importância estratégica; e) Melhorias a serem implementadas; f) Relacionamento com entidades e gestores externos do sistema SPB e sua normatização; g) Custos envolvidos; e h) Recursos necessários P5-B RELATÓRIO DE ARQUITETURA TECNOLÓGICA Relatório descrevendo a nova arquitetura tecnológica proposta, incluindo os requisitos de software e hardware necessários para a implementação do SPB e detalhamento das necessidades e infraestrutura do SPB, com a garantia de integração aos sistemas corporativos em alinhamento com o Projeto AGIR O Relatório de Arquitetura Tecnológica [P5-B] deverá conter, no mínimo: a) Requisitos da arquitetura tecnológica do SPB proposta; b) Requisitos de infraestrutura de informática; c) Requisitos para a integração dos sistemas; d) Requisitos para a integração dos canais de comunicação; e e) Análise comparativa dos softwares existentes no mercado (benchmarking), com apresentação de ranking e relação 6

7 custo/benefício entre eles ou eventual desenvolvimento de solução pelo BNDES P5-C RELATÓRIO DE ESTRUTURAÇÃO ORGANIZACIONAL Relatório descrevendo a estrutura ótima necessária para a implantação e operação do SPB pelo BNDES, abordando: a) Modificações na estrutura das Unidades Administrativas (UA) de forma a atender às necessidades do novo perfil de funcionamento decorrente do SPB, sugerindo organograma com possíveis mudanças de quantitativo de pessoal e criação de novas funções; b) Mudanças ou novos processos a serem criados em função do SPB, conforme a estrutura sugerida, harmonizando àquelas definidas no Projeto AGIR; c) Necessidade de novos pontos de controle; d) Adequação dos processos de produtos do Banco, frente aos de execução e liquidação financeira requeridos pelo SPB; e e) Revisão e adequação da documentação existente no Banco diante das mudanças operacionais sugeridas, em conformidade com o Projeto AGIR P5-D RELATÓRIO DE ESTRUTURAÇÃO ADMINISTRATIVA Relatório descrevendo a estruturação administrativa proposta, necessária para a implantação e operação do SPB pelo BNDES, avaliando o nível de preparação e treinamento necessários para capacitação dos funcionários em razão do processamento interno do SPB, considerando: a) Entendimento do SPB pelo corpo funcional envolvido; b) Estimativas de tempo de treinamento dos empregados do BNDES para os novos processos e novas tecnologias em razão das mudanças decorrentes do SPB; e c) Requisitos para alteração das instalações físicas, contemplando as especificações mínimas necessárias de layout, mobiliário, equipamentos e demais serviços para implantação do SPB (excluídos os softwares e equipamentos de informática, que deverão ser tratados no Relatório de Arquitetura Tecnológica [P5-B]) P5-E PLANO DE MIGRAÇÃO 7

8 Relatório descrevendo a estratégia de migração proposta, necessária para a implantação e operação do SPB pelo BNDES, contendo, no mínimo: a) Plano e cronograma de implantação e migração para o SPB, contemplando a necessidade de realização de procedimentos licitatórios para aquisição de software, hardware e outros equipamentos e contratação de demais serviços; b) Plano de contingência corporativo na implantação e continuidade operacional do SPB, incluindo previsão de contingências operacionais na implantação concomitante ao funcionamento normal das atividades do BNDES; e c) Plano de assessoria ao BNDES no processo de implantação do SPB, a ser desenvolvida na FASE 2, abrangendo critérios de avaliação de qualidade P5-F RELATÓRIO DE ESTIMATIVA DE CUSTOS OPERACIONAIS Relatório descrevendo a estimativa de custos de implantação do SPB. O relatório deve contemplar as seguintes estimativas como base comparativa aos processos atuais, levando em consideração os recursos preexistentes que venham a ser aproveitados, conforme abaixo: a) Estimativa dos custos da estrutura organizacional proposta; b) Estimativa dos custos da estrutura administrativa proposta, incluindo estrutura física e treinamento; c) Estimativa dos custos da arquitetura tecnológica proposta; e d) Estimativa dos demais custos operacionais envolvidos P6 RELATÓRIO FINAL Relatório [P6] contendo a consolidação da solução proposta nos demais relatórios, destacando as vantagens e desvantagens, custos e benefícios de adesão ao SPB, bem como cronograma geral para realização de ações a serem desenvolvidas até a ratificação pelo BACEN da entrada do BNDES no SPB, considerando a hipótese de decisão da Diretoria do BNDES pela implementação do projeto, abrangendo os seguintes SUBPRODUTOS: 8

9 P6-A Entrega e apresentação detalhada do Relatório Final, que deverá ser entregue em arquivos Word (doc), Acrobat (pdf) e Powerpoint (ppt) e realizada conforme agendamento pelo BNDES, dentro do prazo definido no Cronograma previsto no item [vide Anexo III desta Consulta Pública] P6-B Palestra sinóptica referente ao Relatório Final, utilizando-se de programa MS Powerpoint, dividida entre apresentação, com tempo de no máximo 15 minutos de duração, e debates, perfazendo uma duração máxima de 60 minutos, a ser proferida em no máximo sete (7) ocasiões distintas, conforme agendamento pelo BNDES, dentro do prazo definido no Cronograma previsto no item [vide Anexo III desta Consulta Pública]. 3. FASE 2 DESCRIÇÃO DOS PRODUTOS E SERVIÇOS 3.1. S1 - ASSESSORIA PARA CONTRATAÇÕES/LICITAÇÕES Assessoria técnica ao BNDES na realização dos procedimentos de contratação e licitação dos produtos e serviços necessários à implantação do SPB. A Assessoria para contratações/licitações [S1] abrange: a) Assessoria na elaboração de especificações técnicas dos objetos das contratações/licitações (Especificações Técnicas, Projetos Básicos, Termos de Referência); b) Assessoria na elaboração de notas técnicas para subsidiar o BNDES nas respostas aos possíveis questionamentos técnicos formulados por licitantes e interessados; c) Assessoria na elaboração de notas técnicas para subsidiar o BNDES no julgamento de impugnações ao Edital, documentos de habilitação, propostas técnicas e de preço, respectivos recursos e contrarrazões; e d) Assessoria na elaboração de notas técnicas para subsidiar o BNDES na apresentação de informações aos órgãos de controle interno e externo, bem como no caso de medidas judiciais O suporte jurídico necessário à execução desta atividade não está incluído na assessoria. 9

10 3.2. S2 ASSESSORIA PARA IMPLANTAÇÃO Assessoria técnica ao BNDES na gestão e acompanhamento da implantação do SPB. A Assessoria para implantação [S2] abrange, no mínimo: a) Assessoria à equipe de processos do BNDES nas mudanças de fluxos, produtos e serviços; b) Assessoria à equipe de TI do BNDES na gestão e acompanhamento da implantação da nova arquitetura tecnológica; c) Assessoria ao BNDES na gestão e acompanhamento da implantação da reestruturação organizacional e administrativa; e d) Assessoria ao BNDES na gestão da qualidade da implantação do SPB, incluindo assessoria à gestão da mudança Os Serviços de Assessoria [S1] e [S2] terão como característica atividades executadas nas dependências do BNDES bem como nas dependências da Contratada, sob controle do Gestor do Projeto pelo BNDES ou por pessoa afeta ao projeto, por ele designada. 4. FORMA DE PAGAMENTO 4.1. FASE 1: os PRODUTOS [P] serão pagos em valor fechado por PRODUTO após a entrega definitiva de cada um, nos termos do Cronograma previsto no item [vide Anexo III desta Consulta Pública] FASE 2: [S1] - ASSESSORIA PARA CONTRATAÇÕES/LICITAÇÕES e [S2] ASSESSORIA PARA IMPLANTAÇÃO: os serviços de assessoria serão pagos com periodicidade mensal, por homem/hora, de acordo com a estimativa de hora/profissional prevista no item 4.2.2, observados os perfis profissionais definidos no item [vide Anexo II desta Consulta Pública] As horas efetivamente utilizadas mensalmente nos Serviços de Assessoria [S1] e [S2] serão apontadas em controle do tipo time sheet mediante solicitação do Contratante por intermédio do Termo de Solicitação de Serviço, devendo, os controles, serem apresentados quinzenalmente ao Gestor do Projeto do BNDES ou à pessoa por ele 10

11 designada, que ratificará as informações nele(s) contidas através do Termo de Recebimento Os time-sheets apresentados somente poderão conter as horas aplicáveis aos perfis profissionais previamente definidos no item [vide Anexo II desta Consulta Pública] A estimativa de homem/hora para os perfis dos profissionais a serem designados pela Contratada para a da Fase 2 - [S1] e [S2], é a seguinte: Categoria Profissional Número estimado de Número estimado horas [S1] de horas [S2] Coordenador Geral Profissional técnico em tecnologia da informação ou telemática Profissional técnico em gestão de processos Total

12 CONSULTA PÚBLICA AA Nº 03/2009 BNDES ANEXO II - PERFIL PROFISSIONAL 1) A equipe designada para o projeto como um todo deve contar com, pelo menos, 3 (três) pessoas, cada qual com as seguintes características: Perfil Formação Experiência Coordenação Geral Profissional técnico em tecnologia da informação ou telemática Profissional técnico em gestão de processos Nível Superior Completo Sênior Nível Superior Completo Sênior Nível Superior Completo Sênior 5 (cinco) anos em coordenação de projetos ou análise de processos e experiência em implantação de SPB em Instituições Financeiras 3 (três) anos em auditoria de sistemas ou com vivência em tecnologia da informação e experiência em implantação de SPB em Instituições Financeiras 3 (três) anos em gestão de processos de bancos ou empresas do mercado financeiro e experiência em implantação de SPB em Instituições Financeiras. 2) Justifica-se a exigência de experiência em implantação de SPB em Instituições Financeiras pela especificidade técnica do processo de aderência ao SPB que fica condicionada à ulterior teste e referenda do BACEN. 3) O Coordenador Geral será responsável pela condução da avaliação e atuará como interlocutor entre o BNDES e a Contratada. 4) O Coordenador Geral responsável pela FASE 1 deverá ser o mesmo Coordenador Geral para a FASE 2. 5) Os perfis profissionais deverão ser observados para os todos serviços [FASE 1 e FASE 2]. 6) A substituição de qualquer profissional deverá ser solicitada previamente e por escrito ao BNDES, e estará sujeita a aprovação por este. A Contratada deverá indicar como substituto profissional com perfil igual ou superior ao profissional substituído, de acordo com o estabelecido no item [Obs: item do futuro Edital]. * * * 12

13 CONSULTA PÚBLICA AA Nº 03/2009 BNDES ANEXO III CRONOGRAMA I - FASE 1 1) Os PRODUTOS [P1] a [P6] deverão ser entregues pela Contratada e analisados pelo BNDES nos prazos a seguir estabelecidos, contados a partir da data de realização da Reunião Preliminar prevista no item [Obs: item do futuro Edital]: 2) Todos os PRODUTOS entregues provisoriamente serão analisados pelo BNDES. A Contratada receberá os comentários do BNDES em Reunião. Na entrega definitiva, os comentários da análise do BNDES deverão ter sido incorporados aos PRODUTOS. Código Produtos Subprodutos P1 Apresentação O que é SPB Prazo em dias corridos Entrega provisória Análise do BNDES Entrega definitiva P2 Relatório de Marco Inicial P3 Relatório da Situação Atual P4 P5 P6 Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Financeira Plano de Implantação Relatório Final P4-A Estudo de Viabilidade Técnica P4-B Estudo de Viabilidade Econômica P4-C Estudo de Viabilidade Financeira P5-A Relatório de Fluxos e Processos P5-B Relatório de Arquitetura Tecnológica P5-C Relatório de Estruturação Organizacional P5-D Relatório de Estruturação Administrativa P5-E Plano de Migração P5-F Relatório de Estimativa de Custos Operacionais P6-A Entrega e apresentação detalhada do Relatório Final P6-B Palestras sinópticas do Relatório Final conjunto de sete ) REUNIÃO PRELIMINAR: Em até 15 (quinze) dias antes da data marcada para o efetivo início dos trabalhos, será agendada pelo BNDES uma Reunião Preliminar, para: a) Esclarecimentos de dúvidas da Contratada; b) Entrega da comprovação de vínculo jurídico dos profissionais designados para a prestação de serviços objeto do Contrato (cópias das carteiras de trabalho e/ou dos contratos de prestação de serviços) com a Contratada; 13

14 c) Entrega dos Termos de Confidencialidade assinados pelo representante da Contratada e pelos profissionais designados para a prestação de serviços, conforme modelo do ANEXO V TERMO DE CONFIDENCIALIDADE [Obs: Anexo do futuro Edital]; e d) Entrega pelo BNDES, da Política de Segurança das Informações do BNDES e do Código de Ética do BNDES à Contratada. 4) ENTREGA DOS PRODUTOS a) Os PRODUTOS deverão ser entregues em versão escrita (impressa) e em meio magnético (gravado em CD), utilizando-se, para tanto, o Acrobat, MS Word, MS Powerpoint e o MS Excel. Deverão ser entregues 2 (duas) vias da versão escrita e 1 (uma) da versão magnética; b) Após a entrega de cada PRODUTO, o BNDES analisará o material entregue e agendará Reunião para comentários sobre o conteúdo recebido e acompanhamento do andamento dos trabalhos; c) As Reuniões serão realizadas na sede administrativa do BNDES, na Av. República do Chile, n 100 Centro Rio de Janeiro; d) Na Reunião Final deverá ser realizada apresentação do [P6-A] - Relatório Final com utilização de MS Powerpoint, a ser disponibilizada em meio eletrônico para os participantes; e) As Palestras sinópticas do Relatório Final [P6-B] serão agendadas pelo BNDES e deverão ser proferidas nas dependências deste, conforme disponibilidade do público participante, no prazo previsto no quadro de Produtos, terem duração total de até 60 minutos cada e serem realizadas com utilização de MS PowerPoint em no máximo 15 minutos, possibilitando que seu tempo restante seja utilizado para esclarecimento de possíveis dúvidas; e f) O recebimento dos PRODUTOS será realizado por Comissão de Recebimento composta por empregados do BNDES, e observará os seguintes procedimentos: RECEBIMENTO PROVISÓRIO DE PRODUTOS cada PRODUTO será considerado recebido provisoriamente através da emissão do Termo de Recebimento Provisório de Produtos, podendo o BNDES exigir, sem custos adicionais, os esclarecimentos e ajustes que se fizerem necessários. 14

15 RECEBIMENTO DEFINITIVO DE PRODUTOS cada PRODUTO será considerado aceito definitivamente após a verificação completa por parte do BNDES, e a aprovação dos eventuais esclarecimentos ou ajustes necessários, sendo então emitido o Termo de Recebimento Definitivo para o produto apresentado. II FASE 2 Código Serviço Tempo estimado Assessoria na elaboração de especificações técnicas dos objetos das contratações/licitações (Especificações Técnicas, Projetos Básicos, S1 Termos de Referência); Assessoria na elaboração de notas técnicas para subsidiar o BNDES nas respostas aos possíveis questionamentos técnicos formulados por licitantes e interessados; 9 meses Assessoria na elaboração de notas técnicas para subsidiar o BNDES no julgamento de impugnações ao Edital, documentos de habilitação, propostas técnicas e de preço, respectivos recursos e contrarrazões; e Assessoria na elaboração de notas técnicas para subsidiar o BNDES na apresentação de informações aos órgãos de controle interno e externo, bem como no caso de medidas judiciais. S2 Assessoria à equipe de processos do BNDES nas mudanças de fluxos, produtos e serviços; Assessoria à equipe de TI do BNDES na gestão e acompanhamento da implantação da nova arquitetura tecnológica; 7 meses Assessoria ao BNDES na gestão e acompanhamento da implantação da reestruturação organizacional e administrativa; e Assessoria ao BNDES na gestão da qualidade da implantação do SPB. OBS: i. A estimativa de S1 foi feita em meses diante da dificuldade de previsão de quais modalidades de licitação serão realizadas e seus respectivos tempos de conclusão. ii. O mesmo procedimento foi adotado para S2 pela dificuldade de estimativa de tempo de customização, implantação e testes de aceitação dos produtos adquiridos e a sujeição à aprovação pelo BACEN do início da operação. 15

TERMOS DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA

TERMOS DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA TERMOS DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA 1. PROJETO IDF SAÚDE Nº 07/2014 2. TÍTULO Consultoria individual especializada em Tecnologia da Informação - TI 3. ENQUADRAMENTO DOS TERMOS DE REFERÊNCIA

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TOR)

TERMO DE REFERÊNCIA (TOR) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA, ALFABETIZAÇÃO, DIVERSIDADE E INCLUSÃO DIRETORIA DE POLÍTICAS PARA EDUCAÇÃO DO CAMPO E DIVERSIDADE COORDENAÇÃO GERAL DE EDUCAÇÃO ESCOLAR INDÍGENA

Leia mais

Estabelecer os procedimentos para o gerenciamento dos sistemas e demais aplicações informatizadas do TJAC.

Estabelecer os procedimentos para o gerenciamento dos sistemas e demais aplicações informatizadas do TJAC. Código: MAP-DITEC-001 Versão: 00 Data de Emissão: 01/01/2013 Elaborado por: Gerência de Sistemas Aprovado por: Diretoria de Tecnologia da Informação 1 OBJETIVO Estabelecer os procedimentos para o gerenciamento

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO XVII MODELOS DE DECLARAÇÕES E ATESTADOS MODELO 01 DECLARAÇÃO DE DISPONIBILIDADE DE ESTRUTURA

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO XVII MODELOS DE DECLARAÇÕES E ATESTADOS MODELO 01 DECLARAÇÃO DE DISPONIBILIDADE DE ESTRUTURA CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO XVII MODELOS DE DECLARAÇÕES E ATESTADOS MODELO 01 DECLARAÇÃO DE DISPONIBILIDADE DE ESTRUTURA Referência: CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 - BNDES Data: / / Licitante: CNPJ:

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI 1. PI06 TI 1.1. Processos a serem Atendidos pelos APLICATIVOS DESENVOLVIDOS Os seguintes processos do MACROPROCESSO

Leia mais

Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília

Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília MGS Plano de execução de serviço Projeto de transformação de Processos Estrutura do Documento 1. Introdução

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA Consultor por Produto

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA Consultor por Produto MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE GESTÃO, ARTICULAÇÃO E PROJETOS EDUCACIONAIS TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA Consultor por Produto

Leia mais

Plano de Ação Política de Gestão de Pessoas

Plano de Ação Política de Gestão de Pessoas Plano de Ação Política de Gestão de Pessoas (Produto 1) TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DA BAHIA PROGRAMA DE MODERNIZAÇÃO DO SISTEMA DE CONTROLE EXTERNO DOS ESTADOS, DISTRITO FEDERAL E MUNICÍPIOS

Leia mais

Edital CESAR.EDU N 02/2011

Edital CESAR.EDU N 02/2011 C.E.S.A.R.EDU Unidade de Educação do Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife MESTRADO PROFISSIONAL EM ENGENHARIA DE SOFTWARE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU Recomendação MEC/CAPES N o. 234_6/2006/CTC/CAPES

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA No XXX Contrato por Produto - Nacional. Elaboração de Plano de Diretor de Tecnologia da Informação e Comunicação.

TERMO DE REFERÊNCIA No XXX Contrato por Produto - Nacional. Elaboração de Plano de Diretor de Tecnologia da Informação e Comunicação. TERMO DE REFERÊNCIA No XXX Contrato por Produto - Nacional 1. Função no Projeto: Elaboração de Plano de Diretor de Tecnologia da Informação e Comunicação. 2. Nosso Número BRA/12/010 3. Antecedentes A missão

Leia mais

Ricardo Scheurer Sonda Supermercado

Ricardo Scheurer Sonda Supermercado Tema: Apresentador: Plano Diretor de Tecnologia da Informação Ricardo Scheurer Sonda Supermercado Objetivo desta palestra será resolver as seguintes questões: Porque fazer um PDTI? Quais os benefícios

Leia mais

PLANEJAMENTO DO PROJETO

PLANEJAMENTO DO PROJETO PLANEJAMENTO DO PROJETO 1 APRESENTAÇÃO DO PROJETO O presente projeto foi aberto para realizar a gestão de todos os processos de prestação de serviços de informática, fornecimento de licença de uso perpétua,

Leia mais

SECRETARIA DA FAZENDA SUPERVISÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DIVISÃO DE SISTEMAS E TECNOLOGIA

SECRETARIA DA FAZENDA SUPERVISÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DIVISÃO DE SISTEMAS E TECNOLOGIA LICITAÇÃO PÚBLICA INTERNACIONAL - LPI N 0 001/CELIC/2014 PROCESSO ADMINISTRATIVO N 0 0122073-14.00/12-0 RESPOSTAS DO CONTRATANTE Respostas aos questionamentos enviados pela empresa STEFANINI ASSESSORIA

Leia mais

PODERJUD1CIÂRIO TRIBUNAL DEJUSTIÇA DO ESTADO DE PERNAMBUCO SECRETARIA DE GESTÃO DE PESSOAS TERMO DE REFERÊNCIA

PODERJUD1CIÂRIO TRIBUNAL DEJUSTIÇA DO ESTADO DE PERNAMBUCO SECRETARIA DE GESTÃO DE PESSOAS TERMO DE REFERÊNCIA PODERJUD1CIÂRIO TRIBUNAL DEJUSTIÇA DO ESTADO DE PERNAMBUCO TERMO DE REFERÊNCIA l. DO OBJETO CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA EM CLIMA ORGANIZACIONAL PARA ATUAR EM TODAS AS UNIDADES DO PODER JUDICIÁRIO

Leia mais

CAERN. Descrição de Perfis

CAERN. Descrição de Perfis Nível: Superior Reporte: Coordenador Sumário Participar do planejamento e desenvolvimento das políticas e práticas de Recursos Humanos da empresa. Desenvolver atividades técnicas de avaliação comportamental

Leia mais

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Art. 1º - A Diretoria de Tecnologia de Informação e Comunicação DTIC da Universidade FEDERAL DO ESTADO DO RIO

Leia mais

PORTARIA Nº 7.965, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2015.

PORTARIA Nº 7.965, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2015. PORTARIA Nº 7.965, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2015. Atualiza o macroprocesso da fase de Gestão de Contratos de Tecnologia da Informação e Comunicações, instituído no âmbito do Tribunal Regional do Trabalho da

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) nº 001/2009

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) nº 001/2009 TERMO DE REFERÊNCIA (TR) nº 001/2009 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Consultor (a) para desenvolver, treinar e implantar o Sistema de Gestão de Projetos do IBAMA. 2 JUSTIFICATIVA 2.1 Contextualização: O

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. 1. Objeto. 2. Antecedentes. 3. Objeto da Licitação

TERMO DE REFERÊNCIA. 1. Objeto. 2. Antecedentes. 3. Objeto da Licitação TERMO DE REFERÊNCIA 1. Objeto 1.1. Contratação de empresa especializada em auditoria de tecnologia da informação e comunicações, com foco em segurança da informação na análise de quatro domínios: Processos

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 2342 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 2342 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO Impresso por: RODRIGO DIAS Data da impressão: 15/05/2013-15:50:44 SIGOEI - Sistema de Informações Gerenciais da OEI TERMO DE REFERÊNCIA Nº 2342 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO 1.

Leia mais

Gestão da Tecnologia da Informação

Gestão da Tecnologia da Informação TLCne-051027-P0 Gestão da Tecnologia da Informação Disciplina: Governança de TI São Paulo, Outubro de 2012 0 Sumário TLCne-051027-P1 Conteúdo desta Aula Abordar o domínio Adquirir e Implementar e todos

Leia mais

Contrata Consultor na modalidade Produto

Contrata Consultor na modalidade Produto Contrata Consultor na modalidade Produto PROJETO 914BRZ4011 EDITAL Nº 005/2010 1. Perfil: Iphan Central 28 - Republicação 3. Qualificação educacional: Profissional com nível superior em Direito preferencialmente

Leia mais

CATÁLOGO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA DO SISP

CATÁLOGO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA DO SISP SERVIÇOS DE CONSULTORIA EIXO TEMÁCO: GOVERNANÇA DE Implantação de Metodologia de Elaborar e implantar uma metodologia de gerenciamento de projetos no órgão solicitante, com a finalidade de inserir as melhores

Leia mais

Objetivos. PDI - Plano Diretor de Informática. O que é? Como é feito? Quanto dura sua elaboração? Impactos da não execução do PDI

Objetivos. PDI - Plano Diretor de Informática. O que é? Como é feito? Quanto dura sua elaboração? Impactos da não execução do PDI Objetivos Assegurar que os esforços despendidos na área de informática sejam consistentes com as estratégias, políticas e objetivos da organização como um todo; Proporcionar uma estrutura de serviços na

Leia mais

1. Descrição dos Serviços de Implantação da SOLUÇÃO

1. Descrição dos Serviços de Implantação da SOLUÇÃO Este documento descreve os serviços que devem ser realizados para a Implantação da Solução de CRM (Customer Relationship Management), doravante chamada SOLUÇÃO, nos ambientes computacionais de testes,

Leia mais

Auditoria Ambiental. Auditoria Ambiental. Auditoria de SGA. Auditoria de SGA. Ciclo da Auditoria de SGA

Auditoria Ambiental. Auditoria Ambiental. Auditoria de SGA. Auditoria de SGA. Ciclo da Auditoria de SGA Auditoria Ambiental Auditoria Ambiental Universidade Federal do Espírito Santo UFES Centro Tecnológico Curso de Especialização em Gestão Ambiental Professora Flavia Nogueira Zanoni MSc em Controle de Poluição

Leia mais

Estudo de Caso. Projeto Correspondência Eletrônica nos Correios S.A.

Estudo de Caso. Projeto Correspondência Eletrônica nos Correios S.A. Estudo de Caso Projeto Correspondência Eletrônica nos Correios S.A. A Presidência dos Correios vislumbrou a possibilidade da Empresa apresentar aos seus clientes um novo serviço, que foi denominado de

Leia mais

ERRATA Nº. 01 CONVITE 18/2008. A Comissão Permanente de Licitação informa alteração no referente Convite:

ERRATA Nº. 01 CONVITE 18/2008. A Comissão Permanente de Licitação informa alteração no referente Convite: 01/07/2008 ERRATA Nº. 01 CONVITE 18/2008 A Comissão Permanente de Licitação informa alteração no referente Convite: A data de abertura foi transferida para o dia 18/07/2008, às 14 horas; o prazo para realização

Leia mais

Termo de Referência. Serviço de envio de mensagens SMS Short Message Service para dispositivos móveis, pelo período de 24 meses.

Termo de Referência. Serviço de envio de mensagens SMS Short Message Service para dispositivos móveis, pelo período de 24 meses. Termo de Referência Serviço de envio de mensagens SMS Short Message Service para dispositivos móveis, pelo período de 24 meses. Termo de Referência [OBJETO] 1 Termo de Referência Serviço de envio de mensagens

Leia mais

ERRATA II - CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

ERRATA II - CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO ERRATA II - CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1. INTRODUÇÃO Este documento contém a descrição dos procedimentos e critérios a serem adotados para avaliação, julgamento e classificação das propostas das licitantes

Leia mais

Edital 1/2014. Chamada contínua para incubação de empresas e projetos de base tecnológica

Edital 1/2014. Chamada contínua para incubação de empresas e projetos de base tecnológica Edital 1/2014 Chamada contínua para incubação de empresas e projetos de base tecnológica A (PoloSul.org) torna pública a presente chamada e convida os interessados para apresentar propostas de incubação

Leia mais

PROJETO SETORIAL DO POLO DE TI&C DE SÃO CAETANO DO SUL E REGIÃO TERMO DE REFERÊNCIA

PROJETO SETORIAL DO POLO DE TI&C DE SÃO CAETANO DO SUL E REGIÃO TERMO DE REFERÊNCIA PROJETO SETORIAL DO POLO DE TI&C DE SÃO CAETANO DO SUL E REGIÃO TERMO DE REFERÊNCIA Prestação de Serviços em Assessoria e Consultoria Tributária para as empresas do Arranjo Produtivo Local. 1. OBJETIVO

Leia mais

COTAÇÃO DE PREÇOS Termo de Referência nº01/2013/ahjpe

COTAÇÃO DE PREÇOS Termo de Referência nº01/2013/ahjpe COTAÇÃO DE PREÇOS Termo de Referência nº01/2013/ahjpe Seleção de Empresas para prestação de serviços /fornecimento de produtos relacionados às atividades específicas do plano de trabalho para Convênio

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ASSISTÊNCIA A PROGRAMAS ESPECIAIS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ASSISTÊNCIA A PROGRAMAS ESPECIAIS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ASSISTÊNCIA A PROGRAMAS ESPECIAIS TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA - CONSULTOR POR PRODUTO TOR/FNDE/DTI/MEC

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 080/2014, DE 25 DE JUNHO DE 2014 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG

RESOLUÇÃO Nº 080/2014, DE 25 DE JUNHO DE 2014 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG RESOLUÇÃO Nº 080/2014, DE 25 DE JUNHO DE 2014 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG O Conselho Universitário da UNIFAL-MG, no uso de suas atribuições regimentais e estatutárias,

Leia mais

Elaboração dos documentos

Elaboração dos documentos Estudo de Caso Área de conhecimento Gerência de Escopo Projeto Correspondência Eletrônica nos Correios S.A. A Presidência dos Correios vislumbrou a possibilidade da Empresa apresentar aos seus clientes

Leia mais

ambientais e sociedade em geral dos municípios, e entre estes e a realidade da gestão ambiental local e regional.

ambientais e sociedade em geral dos municípios, e entre estes e a realidade da gestão ambiental local e regional. TR Nº TERMO DE REFERÊNCIA PARA A CONTRATAÇÃO DE SERVIÇO DE PESSOA JURÍDICA PARA CRIAÇÃO E PRODUÇÃO DE VÍDEO INSTITUCIONAL EDUCATIVO SOBRE OS CONCEITOS, A LEGISLAÇÃO, OS PROCEDIMENTOS E AS METODOLOGIAS

Leia mais

1. Escopo ou finalidade da iniciativa

1. Escopo ou finalidade da iniciativa 1. Escopo ou finalidade da iniciativa Estruturar e implantar uma unidade administrativa para assessorar a alta administração do Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais em relação à elaboração e ao

Leia mais

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul Planejamento Estratégico de TIC da Justiça Militar do Estado do Rio Grande do Sul MAPA ESTRATÉGICO DE TIC DA JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO (RS) MISSÃO: Gerar, manter e atualizar soluções tecnológicas eficazes,

Leia mais

COTAÇÃO DE PREÇOS Termo de Referência nº05/2013/ahjpe

COTAÇÃO DE PREÇOS Termo de Referência nº05/2013/ahjpe COTAÇÃO DE PREÇOS Termo de Referência nº05/2013/ahjpe Seleção de Empresas para prestação de serviços /fornecimento de produtos relacionados às atividades específicas do plano de trabalho para Convênio

Leia mais

QUESTIONAMENTOS ACERCA DO EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 24/2015 - BNDES. Em resposta aos questionamentos formulados, o BNDES esclarece:

QUESTIONAMENTOS ACERCA DO EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 24/2015 - BNDES. Em resposta aos questionamentos formulados, o BNDES esclarece: QUESTIONAMENTOS ACERCA DO EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO AA Nº 24/2015 - BNDES Prezado Senhor, Em resposta aos questionamentos formulados, o BNDES esclarece: 1. Item 1.1.2 - Onde podemos encontrar os procedimentos,

Leia mais

PROJETO SETORIAL DO POLO DE TI&C DE SÃO CAETANO DO SUL E REGIÃO TERMO DE REFERÊNCIA

PROJETO SETORIAL DO POLO DE TI&C DE SÃO CAETANO DO SUL E REGIÃO TERMO DE REFERÊNCIA PROJETO SETORIAL DO POLO DE TI&C DE SÃO CAETANO DO SUL E REGIÃO TERMO DE REFERÊNCIA Prestação de Serviços em Assessoria, Consultoria e Treinamento na área de Recursos Humanos. 1. OBJETIVO Os objetivos

Leia mais

POA 2007 - TCE/MA De 01/01/2007 a 31/12/2007

POA 2007 - TCE/MA De 01/01/2007 a 31/12/2007 Extrato de Programação de POA Emitido Em 19/12/2007 13:15:45 POA 2007 - TCE/MA De 01/01/2007 a 31/12/2007 Identificação Tipo: Projeto Nº de revisão: 1 Última modificação em: 06/03/2007 Setor Responsável:

Leia mais

Minuta de Contrato Administrativo n. ***/2013 CLÁUSULA PRIMEIRA - DO OBJETO:

Minuta de Contrato Administrativo n. ***/2013 CLÁUSULA PRIMEIRA - DO OBJETO: Minuta de Contrato Administrativo n. ***/2013 Compromisso celebrado entre [nome da CONTRATANTE], localizada à [inserir endereço completo], inscrita no [caso Administração indireta inserir número do CNPJ],

Leia mais

Página 1 de 19 Data 04/03/2014 Hora 09:11:49 Modelo Cerne 1.1 Sensibilização e Prospecção Envolve a manutenção de um processo sistematizado e contínuo para a sensibilização da comunidade quanto ao empreendedorismo

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 2724 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA PROCESSO DE SELEÇÃO - EDITAL Nº

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 2724 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA PROCESSO DE SELEÇÃO - EDITAL Nº Impresso por: ANGELO LUIS MEDEIROS MORAIS Data da impressão: 11/10/2013-15:26:51 SIGOEI - Sistema de Informações Gerenciais da OEI TERMO DE REFERÊNCIA Nº 2724 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA PROCESSO

Leia mais

UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA (UAUDI) Conceitos & Normativos

UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA (UAUDI) Conceitos & Normativos UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA (UAUDI) Conceitos & Normativos Exercício 2015 Auditoria Interna Unidade de Auditoria Interna - CEFET/RJ Normativos: Portaria nº 07, de 15/01/2001: cria a Unidade de Auditoria

Leia mais

EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO N. 01/2014

EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO N. 01/2014 EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO N. 01/2014 Objeto: Convocação de empresas de ensino de idiomas com a finalidade de apresentar, sem ônus, um relatório contendo as principais condições para uma eventual e futura

Leia mais

PROPOSTA DE PROJETO DE PESQUISA APLICADA PARA AUXÍLIO FINANCEIRO A CURSOS PROJETO DE TELEFONIA IP

PROPOSTA DE PROJETO DE PESQUISA APLICADA PARA AUXÍLIO FINANCEIRO A CURSOS PROJETO DE TELEFONIA IP Ministério Público do Estado do Paraná PROPOSTA DE PROJETO DE PESQUISA APLICADA PARA AUXÍLIO FINANCEIRO A CURSOS PROJETO DE TELEFONIA IP ALEXANDRE GOMES DE LIMA SILVA CURITIBA - PR 2012-2013 Ministério

Leia mais

SETE BRASIL PARTICIPAÇÕES S.A.

SETE BRASIL PARTICIPAÇÕES S.A. SETE BRASIL PARTICIPAÇÕES S.A. CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REGIMENTO INTERNO DOS COMITÊS COMITÊ DE FINANÇAS E ORÇAMENTO APROVADO PELO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO EM 24 DE SETEMBRO DE 2014 SUMÁRIO I INTRODUÇÃO

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE INOVAÇÃO DE FIBRIA CELULOSE S.A. CAPÍTULO I DO COMITÊ DE INOVAÇÃO

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE INOVAÇÃO DE FIBRIA CELULOSE S.A. CAPÍTULO I DO COMITÊ DE INOVAÇÃO REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE INOVAÇÃO DE FIBRIA CELULOSE S.A. CAPÍTULO I DO COMITÊ DE INOVAÇÃO 1. O Comitê de Inovação (o "Comitê") é um órgão colegiado de assessoramento e instrução, instituído pelo

Leia mais

PORTARIA Nº 1.998, DE 22 DE ABRIL DE 2015.

PORTARIA Nº 1.998, DE 22 DE ABRIL DE 2015. PORTARIA Nº 1.998, DE 22 DE ABRIL DE 2015. Institui o macroprocesso da fase de Gestão de Contratos de Tecnologia da Informação e Comunicações no âmbito do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região. A

Leia mais

Política Organizacional para Desenvolvimento de Software no CTIC

Política Organizacional para Desenvolvimento de Software no CTIC Política Organizacional para Desenvolvimento de Software no CTIC O CTIC/UFPA Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação da Universidade Federal do Pará define neste documento sua Política Organizacional

Leia mais

Dell Infrastructure Consulting Services

Dell Infrastructure Consulting Services Proposta de Serviços Profissionais Implementação do Dell OpenManage 1. Apresentação da proposta Esta proposta foi elaborada pela Dell com o objetivo de fornecer os serviços profissionais de implementação

Leia mais

Pitrez Informática MANUAL DA QUALIDADE. Norma NBR ISO 9001:2008

Pitrez Informática MANUAL DA QUALIDADE. Norma NBR ISO 9001:2008 Título Manual da Qualidade Folha: 1 de 20 Pitrez Informática MANUAL DA QUALIDADE Norma NBR ISO 9001:2008 Título Manual da Qualidade Folha: 2 de 20 Título Manual da Qualidade Folha: 3 de 20 Índice 1. Apresentação...

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 06/2014

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 06/2014 abveap \,~ Prívate Equity & Venture Capital TERMO DE REFERÊNCIA Nº 06/2014 CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA PARA INTELIGÊNCIA COMERCIAL COM VISTAS À EXPANSÃO DA CAPACIDADE DE GERAÇÃO DE DADOS, ESTUDOS E PESQUISAS

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS PROGRAMA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O DESENVOLVIMENTO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS PROGRAMA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O DESENVOLVIMENTO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS PROGRAMA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O DESENVOLVIMENTO EDITAL 040/2010 - PROJETO BRA/06/032 CÓDIGO: ARRANJO INSTITUCIONAL O Projeto BRA/06/032 comunica

Leia mais

PROJETO IICA/BRA/09/005 TERMO DE REFERÊNCIA: MODALIDADE PRODUTO

PROJETO IICA/BRA/09/005 TERMO DE REFERÊNCIA: MODALIDADE PRODUTO INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA PROJETO IICA/BRA/09/005 TERMO DE REFERÊNCIA: MODALIDADE PRODUTO 1. IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Contratar consultoria por produto para formular

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PÚBLICA DE FORNECEDORES 007/2015 - ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

EDITAL DE SELEÇÃO PÚBLICA DE FORNECEDORES 007/2015 - ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA EDITAL DE SELEÇÃO PÚBLICA DE FORNECEDORES 007/2015 - ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA 1. IDENTIFICAÇÃO Coordenação: Profª. Ingrid Eleonora Schreiber Jansch Pôrto Centro de Empreendimentos em Informática da

Leia mais

PROJETO DE ORGANISMO INTERNACIONAL EDITAL Nº 1/2008 (BRA/03/032)

PROJETO DE ORGANISMO INTERNACIONAL EDITAL Nº 1/2008 (BRA/03/032) PROJETO DE ORGANISMO INTERNACIONAL EDITAL Nº 1/2008 (BRA/03/032) SELECIONA PROFISSIONAL, COM O SEGUINTE PERFIL: CONSULTOR (Consultor por Produto - Serviços Não Continuados) Consultor Especialista em Projetos

Leia mais

CASULO Incubadora de Empresas do UniCEUB

CASULO Incubadora de Empresas do UniCEUB CASULO Incubadora de Empresas do UniCEUB TERMO ADITIVO AO EDITAL nº 02/2013 PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS ALTERAÇÃO DE DATAS E FORMA DE APRESENTAÇÃO DE PROJETOS Apoio: Brasília, 28 de agosto de 2013.

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO Controle de Versões Autor da Solicitação: Subseção de Governança de TIC Email:dtic.governanca@trt3.jus.br Ramal: 7966 Versão Data Notas da Revisão 1 03.02.2015 Versão atualizada de acordo com os novos

Leia mais

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Outubro 2009 Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Sustentabilidade Articulação Ampliação dos limites Sistematização Elementos do Novo Modelo Incubação

Leia mais

técnica à Gerência de Unidades de Conservação de Proteção Integral

técnica à Gerência de Unidades de Conservação de Proteção Integral TERMO DE REFERÊNCIA Nº. 03 / 2012 Projeto: Assunto: Serviços Técnicos especializados de Engenharia consultiva de Gerenciamento de Obras e Assessoria técnica para elaboração de projetos de implantação das

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015 TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015 Reestrutura as unidades vinculadas à Secretaria de Tecnologia da Informação SETIN do Tribunal Superior do Trabalho.

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 506, DE 28 DE JUNHO DE 2013

RESOLUÇÃO Nº 506, DE 28 DE JUNHO DE 2013 Publicada no DJE/STF, n. 127, p. 1-3 em 3/7/2013. RESOLUÇÃO Nº 506, DE 28 DE JUNHO DE 2013 Dispõe sobre a Governança Corporativa de Tecnologia da Informação no âmbito do Supremo Tribunal Federal e dá outras

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA SIMPLIFICADA nº 050/2015. Convênio PMSP/TERMO DE CONVÊNIO nº 025/2014/SDTE

CHAMADA PÚBLICA SIMPLIFICADA nº 050/2015. Convênio PMSP/TERMO DE CONVÊNIO nº 025/2014/SDTE CHAMADA PÚBLICA SIMPLIFICADA nº 050/2015 Convênio PMSP/TERMO DE CONVÊNIO nº 025/2014/SDTE A Central de Cooperativas e Empreendimentos Solidários do Brasil UNISOL, entidade sem fins econômicos, com sede

Leia mais

CIGAM SOFTWARE CORPORATIVA LTDA.

CIGAM SOFTWARE CORPORATIVA LTDA. CIGAM SOFTWARE CORPORATIVA LTDA. Raquel Engeroff Neusa Cristina Schnorenberger Novo Hamburgo RS Vídeo Institucional Estratégia Visão Missão Ser uma das 5 maiores empresas de software de gestão empresarial

Leia mais

DIRETRIZES PARA AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA AUTORIDADE PÚBLICA OLÍMPICA

DIRETRIZES PARA AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA AUTORIDADE PÚBLICA OLÍMPICA DIRETRIZES PARA AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA AUTORIDADE PÚBLICA OLÍMPICA 1 APRESENTAÇÃO Este conjunto de diretrizes foi elaborado para orientar a aquisição de equipamentos

Leia mais

SÓLAZER CLUBE DOS EXECEPCIONAIS - ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE ESPORTE CNPJ 28.008.530/0001-03

SÓLAZER CLUBE DOS EXECEPCIONAIS - ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE ESPORTE CNPJ 28.008.530/0001-03 SÓLAZER CLUBE DOS EXECEPCIONAIS - ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE ESPORTE CNPJ 28.008.530/0001-03 Capítulo I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE COMPRAS E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS Art. 1º - O presente regulamento tem por finalidade

Leia mais

Ministério do Meio Ambiente MMA. Programa Nacional do Meio Ambiente PNMA (Fase 2)

Ministério do Meio Ambiente MMA. Programa Nacional do Meio Ambiente PNMA (Fase 2) Ministério do Meio Ambiente MMA Programa Nacional do Meio Ambiente PNMA (Fase 2) Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis - IBAMA Termo de Referência PNMA nº 02/2013 O presente

Leia mais

ANEXO I NÍVEIS MÍNIMOS DE SERVIÇO EXIGIDOS (NMSE) PARA CONTRATO DE APOIO

ANEXO I NÍVEIS MÍNIMOS DE SERVIÇO EXIGIDOS (NMSE) PARA CONTRATO DE APOIO ANEXO I NÍVEIS MÍNIMOS DE SERVIÇO EXIGIDOS (NMSE) PARA CONTRATO DE APOIO 1. Introdução 1.1. Descrição do serviço Este documento disciplina a cessão de uso permanente da solução de software para Gestão

Leia mais

CAPÍTULO I DA NATUREZA E FINALIDADES

CAPÍTULO I DA NATUREZA E FINALIDADES REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO (TCC) CAPÍTULO I DA NATUREZA E FINALIDADES Art. 1º O Trabalho de Conclusão de Curso - TCC é um componente obrigatório dos cursos de Graduação

Leia mais

PROJETO DE REABILITAÇÃO DA DISTRIBUIÇÃO ELETROBRAS BANCO MUNDIAL BANCO INTERNACIONAL PARA RECONSTRUÇÃO E DESENVOLVIMENTO - IBRD - Empréstimo: 7884 BR

PROJETO DE REABILITAÇÃO DA DISTRIBUIÇÃO ELETROBRAS BANCO MUNDIAL BANCO INTERNACIONAL PARA RECONSTRUÇÃO E DESENVOLVIMENTO - IBRD - Empréstimo: 7884 BR PROJETO DE REABILITAÇÃO DA DISTRIBUIÇÃO ELETROBRAS BANCO MUNDIAL BANCO INTERNACIONAL PARA RECONSTRUÇÃO E DESENVOLVIMENTO - IBRD - Empréstimo: 7884 BR TERMO DE REFERÊNCIA OBJETO: FORNECER ASSISTÊNCIA TÉCNICA

Leia mais

MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ

MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ 2009 Índice Introdução...3 O que é Base Tecnológica?...3 O que é o Programa de Incubação?...3 Para quem é o Programa de Incubação?...4 Para que serve o

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA (PESSOA FÍSICA) Contrato por Produto - Nacional Número e Título do Projeto: BRA/ 09/004 Fortalecimento da CAIXA no seu processo de internacionalização

Leia mais

Cód. Ref.: SOFT/EDL039/2012 2ª Chamada Consultoria Especializada PSVs. Campinas, 21 de dezembro de 2012.

Cód. Ref.: SOFT/EDL039/2012 2ª Chamada Consultoria Especializada PSVs. Campinas, 21 de dezembro de 2012. Cód. Ref.: SOFT/EDL039/2012 2ª Chamada Consultoria Especializada PSVs Campinas, 21 de dezembro de 2012. 2º CHAMADA EDITAL DE SELEÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA PARA APOIO À OPERAÇÃO DOS PORTFÓLIOS DE

Leia mais

MANUAL DE ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES

MANUAL DE ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS DO ESPÍRITO SANTO ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES DAS UNIDADES GESTORAS E OPERACIONAIS GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO MANUAL DE ATRIBUIÇÕES E

Leia mais

Impresso em 26/08/2015 10:52:49 (Sem título)

Impresso em 26/08/2015 10:52:49 (Sem título) Aprovado ' Elaborado por Cintia Kikuchi/BRA/VERITAS em 08/01/2015 Verificado por Neidiane Silva em 09/01/2015 Aprovado por Americo Venturini/BRA/VERITAS em 12/01/2015 ÁREA QHSE Tipo Procedimento Regional

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA TERMO DE REFERÊNCIA 1. INTRODUÇÃO 1.1. O objetivo deste Termo de Referência é disponibilizar aos interessados em atender a solicitação de propostas da PPP ESPLANADA SUSTENTÁVEL

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS PROGRAMA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O DESENVOLVIMENTO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS PROGRAMA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O DESENVOLVIMENTO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS PROGRAMA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O DESENVOLVIMENTO EDITAL 041/2010 - PROJETO BRA/06/032 CÓDIGO: CARTEIRA DE LONGO PRAZO O Projeto BRA/06/032

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Contratação de consultoria pessoa física para serviços de preparação

Leia mais

A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS. A decisão de automatizar

A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS. A decisão de automatizar A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS A decisão de automatizar 1 A decisão de automatizar Deve identificar os seguintes aspectos: Cultura, missão, objetivos da instituição; Características

Leia mais

PROJETO DE ORGANISMO INTERNACIONAL EDITAL Nº 3/2008 (BRA/03/032)

PROJETO DE ORGANISMO INTERNACIONAL EDITAL Nº 3/2008 (BRA/03/032) PROJETO DE ORGANISMO INTERNACIONAL EDITAL Nº 3/2008 (BRA/03/032) SELECIONA PROFISSIONAL, COM O SEGUINTE PERFIL: CONSULTOR (Consultor por Produto - Serviços Não Continuados) Consultor Especialista em Projetos

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PROJETO DE INSTITUCIONALIZAÇÃO E INTEGRAÇÃO DAS INICIATIVAS EDUCACIONAIS DA SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL

TERMO DE REFERÊNCIA PROJETO DE INSTITUCIONALIZAÇÃO E INTEGRAÇÃO DAS INICIATIVAS EDUCACIONAIS DA SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL TERMO DE REFERÊNCIA PROJETO DE INSTITUCIONALIZAÇÃO E INTEGRAÇÃO DAS INICIATIVAS EDUCACIONAIS DA SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL Projeto BRA 06/024 - PREMEF 1 I. INTRODUÇÃO A missão do Tesouro Nacional é

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA SIMPLIFICADA nº 088/2015. Convênio PMSP/TERMO DE CONVÊNIO nº 025/2014/SDTE

CHAMADA PÚBLICA SIMPLIFICADA nº 088/2015. Convênio PMSP/TERMO DE CONVÊNIO nº 025/2014/SDTE CHAMADA PÚBLICA SIMPLIFICADA nº 088/2015 Convênio PMSP/TERMO DE CONVÊNIO nº 025/2014/SDTE A Central de Cooperativas e Empreendimentos Solidários do Brasil UNISOL, entidade sem fins econômicos, com sede

Leia mais

RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011

RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011 RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011 Dispõe sobre a Política de Governança de Tecnologia da Informação do Tribunal de Contas da União (PGTI/TCU). O TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO, no uso de suas

Leia mais

Governança Corporativa

Governança Corporativa Governança Corporativa POLÍTICA DE INTEGRIDADE A política de integridade (conformidade), parte integrante do programa de governança corporativa. Mais do que nunca as empresas necessitam de estruturas consistentes

Leia mais

MBA EM CONSULTORIA E GESTÃO DE NEGÓCIOS 2014.1

MBA EM CONSULTORIA E GESTÃO DE NEGÓCIOS 2014.1 NÚMERO DE VAGAS: 45 (Quarenta e cinco) vagas. PREVISÃO DE INÍCIO DAS AULAS Abril de 2014 APRESENTAÇÃO / JUSTIFICATIVA MBA EM CONSULTORIA E GESTÃO DE NEGÓCIOS 2014.1 O MBA EM CONSULTORIA & GESTÃO DE NEGÓCIOS,

Leia mais

LMA, Solução em Sistemas

LMA, Solução em Sistemas LMA, Solução em Sistemas Ao longo dos anos os sistemas para gestão empresarial se tornaram fundamentais, e por meio dessa ferramenta as empresas aperfeiçoam os processos e os integram para uma gestão mais

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec: Professor Mário Antônio Verza Código: 164 Município: Palmital Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnico em Serviços Jurídicos

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO PROVA DE CONHECIMENTO SOBRE O MR-MPS-SV 10/12/2012 4 HORAS DE DURAÇÃO IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO

IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO PROVA DE CONHECIMENTO SOBRE O MR-MPS-SV 10/12/2012 4 HORAS DE DURAÇÃO IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO PROVA DE CONHECIMENTO SOBRE O MR-MPS-SV 10/12/2012 4 HORAS DE DURAÇÃO EMAIL: (DEIXAR EM BRANCO) RESULTADO Q1 (0,5) Q2 (0,5) Q3 (1,0) Q4 (1,0) Q5 (1,0) TOTAL (10,0) Q6 (1,0) Q7 (2,0) Q8 (1,0) Q9 (1,0) Q10

Leia mais

ANEXO X DIAGNÓSTICO GERAL

ANEXO X DIAGNÓSTICO GERAL ANEXO X DIAGNÓSTICO GERAL 1 SUMÁRIO DIAGNÓSTICO GERAL...3 1. PREMISSAS...3 2. CHECKLIST...4 3. ITENS NÃO PREVISTOS NO MODELO DE REFERÊNCIA...11 4. GLOSSÁRIO...13 2 DIAGNÓSTICO GERAL Este diagnóstico é

Leia mais

SIMPROS 2001. Experiência de implantação da norma ISO 9001:2000 a partir da utilização da ISO/IEC TR 15504 (SPICE) para Melhoria de Processos

SIMPROS 2001. Experiência de implantação da norma ISO 9001:2000 a partir da utilização da ISO/IEC TR 15504 (SPICE) para Melhoria de Processos Experiência de implantação da norma ISO 9001:2000 a partir da utilização da ISO/IEC TR 15504 (SPICE) para Melhoria de Processos Adilson Sérgio Nicoletti Blumenau, SC - setembro de 2001 Conteúdo Apresentação

Leia mais

Modelo de Parceria. GSAN Sistema Integrado de Gestão de Serviços de Saneamento

Modelo de Parceria. GSAN Sistema Integrado de Gestão de Serviços de Saneamento Modelo de Parceria GSAN Sistema Integrado de Gestão de Serviços de Saneamento Modelo Proposto Fábrica Código Fonte (correção / Evolução) Documentação, casos de uso e testes Treinamento / Capacitação ao

Leia mais

TRIBUNAL PLENO - SESSÃO: 05/11/2014 EXAME PRÉVIO DE EDITAL SEÇÃO MUNICIPAL

TRIBUNAL PLENO - SESSÃO: 05/11/2014 EXAME PRÉVIO DE EDITAL SEÇÃO MUNICIPAL TRIBUNAL PLENO - SESSÃO: 05/11/2014 EXAME PRÉVIO DE EDITAL SEÇÃO MUNICIPAL (M-003) EXPEDIENTE: TC - 005074.989.14-6. REPRESENTANTE: CONTE & CONTE COMÉRCIO E SERVIÇOS DE INFORMÁTICA. REPRESENTADA: PREFEITURA

Leia mais

MODELO TOR CONSULTOR PESSOA FÍSICA

MODELO TOR CONSULTOR PESSOA FÍSICA MODELO TOR CONSULTOR PESSOA FÍSICA PROGRAMA NACIONAL DE APOIO À MODERNIZAÇÃO DA GESTÃO E DO PLANEJAMENTO DOS ESTADOS BRASILEIROS E DO DISTRITO FEDERAL - PNAGE Subexecutor: Secretaria do Estado do... Componente:

Leia mais

REQUISIÇÃO DE PROPOSTA. 1.1 Desenvolver o Plano de Continuidade de Negócios - PCN com base na ISO 22301.

REQUISIÇÃO DE PROPOSTA. 1.1 Desenvolver o Plano de Continuidade de Negócios - PCN com base na ISO 22301. REQUISIÇÃO DE PROPOSTA Esta Requisição de Proposta foi elaborada pela Gerência de Segurança Empresarial - GESEM da Cartão BRB e tem como objetivo fornecer aos interessados as especificações do objeto abaixo,

Leia mais