Sistemas Colaborativos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Sistemas Colaborativos"

Transcrição

1 glb Sistemas Colaborativos Sistemas Colaborativos 1

2 Surgimento dos Sistemas Colaborativos e o gerenciamento de equipes distribuídas. Taxonomia, classificação dos SC de acordo com o local das interações e o tempo (Síncronos e Assíncronos). Áreas envolvidas de acordo com fonte do SBSC. Atividades em sala de aula - discussões. Objetivos dos SC Vantagens e Desvantagens dos SC O modelo 3C (Surgimento / O Processo / Exemplos ) A Ontologia da Colaboração (Comunicação / Coordenação e Cooperação) Atividades em sala de aula - discussões. Palestra Sobre Google Docs e o processo de colaboração. Avaliação Individual 1 Redes sociais e os Sistemas Colaborativos Seminário (plenárias): discussão de artigos sobre SC. Avaliação Individual 2 Classificação: Gerenciadores de Conteúdo (CMS) Gestão do Conhecimento (GC) Real TimeE Collaboration Tools (RTC) Virtual Team Tools (tipos de sistemas colaborativos: Google Docs; Moodle; Wordpress; Sistemas ERP que atendem os quesitos dos sistemas Colaborativos; Controle de versão) CRM Colaborativo (Customer Resource Management) Seminário (em forma de apresentação) sobre aplicações que usam os SC. Avaliação Individual 3 Sistemas de Gestão _ ERPs 2

3 Bibliografia 3

4 - Atividades em sala de aula. - Seminários, Plenárias, Apresentações (discussões) - Palestra - Prova individual (sem consulta). 4

5 - Atividades em sala de aula. - Seminários, Plenárias, Apresentações (discussões) - Palestra - Prova individual (sem consulta). 5

6 Artigos O uso de sistemas colaborativos na gestão de projetos: fatores relevantes para o sucesso. Camargo et al. (ARTIGO_SC_GEST_PROJETOS.PDF) Uma Arquitetura para o Desenvolvimento de Ferramentas Colaborativas para o Ambiente de Aprendizagem AulaNet. Gerosa, Marco Aurélio et al. (ARTIGO_ARQ_FERRAMENTAS.PDF) RUP-3C-Groupware: um processo de desenvolvimento de groupware baseado no Modelo 3C de Colaboração. Mariano Pimentel. (ARTIGO_RUP3C_GROUPWARE.PDF) Mo Porã Um sistema gerenciador de repositórios distribuídos e colaborativos no ambiente cientifico da Amazônia. Serique et al. (ARTIGO_SISTEMA_MOPORA.PDF) Uma ferramenta de apoio ao desenvolvimento de software baseado em componentes. PFAFFENSELLER, Moisés et al. (SC_COMPONENTES.PDF) Uma arquitetura para distribuição de componentes tecnológicos de sistemas de informações baseados em data warehouse. SELL, Denilson. (08_DATAWAREHOUSE.DPF) Elicitação de Requisitos de Sistemas Colaborativos de Aprendizagem Centrada na Atividade de Grupo. NETO, Genésio Gomes da Cruz et al. (ARTIGO_SC_ELICITAC_REQUISITOS.PDF) 6

7 QUESTÕES 1 Quais foram as principais revoluções tecnológicas ocorridas ao longo da história da humanidade? 2 O que você entende por Sistema Colaborativo? 3 Quais são os principais objetivos de um Sistema Colaborativo? 4 Como surgiram os Sistemas Colaborativos? 5 Forneça alguns exemplos de Sistemas Colaborativos. 7

8 Introdução Evolução (Pimentel et al, 2011, pág. 9) 8

9 Introdução Revoluções (Pimentel et al, 2011, pág. 4) 9

10 Introdução Revolução Industrial X Revolução da Informação A Revolução Industrial foi dividida em dois períodos. O primeiro ocorreu aproximadamente nos últimos trinta anos do século XVIII, envolvendo vários países da Europa, e teve como motor principal a máquina a vapor, a fiação e o processo de corte da metalurgia. [...] limitando-se principalmente à Inglaterra e a alguns países da Europa ocidental (Borba, 2010, pág. 21) 10

11 Introdução Revolução Industrial X Revolução da Informação [...] a segunda Revolução Industrial, essa, por sua vez, protagonizada principalmente pela eletricidade, pelo motor à combustão, pelo telégrafo e pelo telefone. Esse período, pelo seu caráter mais dependente de conhecimentos científicos, atingiu não só os países da Europa, principalmente a Alemanha, mas também os Estados Unidos. Castells (1999, p. 72) nos fornece uma descrição apropriada sobre o foco geográfico e tecnológico dessa segunda revolução: Porém, a segunda Revolução Industrial, mais dependente de conhecimentos científicos, mudou seu centro de gravidade para os EUA e a Alemanha, onde ocorreu a maior parte dos desenvolvimentos em produtos químicos, eletricidade e telefonia. (Borba, 2010, pág. 21) 11

12 Introdução Revolução Industrial X Revolução da Informação [...] a segunda Revolução Industrial, essa, por sua vez, protagonizada principalmente pela eletricidade, pelo motor à combustão, pelo telégrafo e pelo telefone. Esse período, pelo seu caráter mais dependente de conhecimentos científicos, atingiu não só os países da Europa, principalmente a Alemanha, mas também os Estados Unidos. Castells (1999, p. 72) nos fornece uma descrição apropriada sobre o foco geográfico e tecnológico dessa segunda revolução: Porém, a segunda Revolução Industrial, mais dependente de conhecimentos científicos, mudou seu centro de gravidade para os EUA e a Alemanha, onde ocorreu a maior parte dos desenvolvimentos em produtos químicos, eletricidade e telefonia. (Borba, 2010, pág. 21) 12

13 Introdução Revolução Industrial X Revolução da Informação [...] As mudanças ocorridas nas três últimas décadas do século XX ficaram conhecidas como Revolução da Informação e tiveram como motor a Tecnologia da Informação. Como na Revolução Industrial, a Revolução da Informação foi baseada inicialmente em macro-invenções construídas após o período da Segunda Guerra Mundial e culminou com avanços em escala geométrica da Microeletrônica e das Telecomunicações. (Borba, 2010, pág ) 13

14 Introdução Revoluções - impactos 14

15 Introdução Surgimento: Início da década de 1980 com o objetivo de apreender o conhecimento de outras áreas, ao contexto dos sistemas de computação. 15

16 Introdução Principais disciplinas envolvidas: 16

17 Introdução Exemplos: 17

18 Conceitos 18

19 Colaboração Segundo dicionário Houaiss da língua portuguesa a colaboração é o ato ou efeito de colaborar; trabalho feito em comum com uma ou mais pessoas; cooperação, ajuda, auxílio; trabalho, idéia, doação; que contribui para a realização de algo ou para ajudar alguém [...]. 19

20 Colaboração Segundo dicionário Houaiss da língua portuguesa a colaboração é o ato ou efeito de colaborar; trabalho feito em comum com uma ou mais pessoas; cooperação, ajuda, auxílio; trabalho, idéia, doação; que contribui para a realização de algo ou para ajudar alguém [...]. "A colaboração é um princípio de trabalho em conjunto que produz confiança, integridade e resultados através de verdadeiro consenso, propriedade e alinhamento de todos os aspectos da organização. (Anabela Sarmento, s. nt). 20

21 glb Sistemas Colaborativos O processo de colaboração Com objetivo de concluir uma tarefa, esse processo é iniciado por uma comunicação, que é seguido por embates, negociações e ajustes. A gestão, controle das tarefas e o cumprimento das mesmas são realizados pela coordenação. As tarefas são compartilhadas entre os membros e estes se comunicam e cooperam entre si, negociam e tomam decisões referentes as tarefas. 21

22 Sistemas Colaborativos [...] Sistemas Colaborativos são ferramentas de software utilizadas em redes de computadores para facilitar a execução de trabalhos em grupos. Essas ferramentas devem ser especializadas o bastante, a fim de oferecer aos seus usuários formas de interação, facilitando o controle, a coordenação, a colaboração e a comunicação entre as partes envolvidas que compõem o grupo, tanto no mesmo local, como em locais geograficamente diferentes e que as formas de interação aconteçam tanto ao mesmo tempo ou em tempos diferentes. (CAMARGO, KHOURI, GIAROLA, 2005). 22

23 Sistemas Colaborativos 23

24 CSCW Sistemas Colaborativos CSCW Significa Computer Supported Cooperative Work, ou seja, trabalho cooperativo suportado por computador, são ferramentas de software desenvolvidas para permitir os trabalhos em grupo (ferramentas denominadas groupware), estas por sua vez aplicam os conceitos de ciência da informação, sistemas distribuídos, comunicação multimídia e organização de empresas (sistemas de workflow), entre outros. 24

25 SBSC Trata-se de um evento brasileiro com vistas a discutir sobre as diferentes faces que envolvem os Sistemas Colaborativos, como por exemplo o desenvolvimento, a utilização e os impactos destes na sociedade. Procura articular as diversas áreas do conhecimento humano envolvidas no conceito de colaboração. De 2003 a 2005 foi denominado WCSCW (Workshop Brasileiro de Tecnologias para Colaboração) a partir de 2006 com a aprovação da CESC (Comissão Especial de Sistemas Colaborativos) o evento passou a ser denominado SBSC (Simpósio Brasileiro de Sistemas Colaborativos). 25

26 SBSC As últimas edições do evento foram publicados pela IEEE. SBSC São Paulo, SP SBSC Paraty, RJ SBSC Belo Horizonte, MG SBSC Fortaleza, CE SBSC Vila Velha, ES SBSC Rio de Janeiro, RJ SBSC Natal, RN WCSCW Juiz de Fora, MG WCSCW Ribeirão Preto, SP Trilha de CSCW no WebMídia Salvador, BA. Para mais informações sobre o simpósio, consulte o site da SBC (Sociedade Brasileira de Computação), ou diretamente no link: 26

27 Surgimento 27

28 Surgimento Processo de globalização (principalmente últimas três décadas do século passado), revolução tecnológica (computadores e telecomunicações), negócios em escala mundial, projetos desenvolvidos por equipes geograficamente dispersas... 28

29 Introdução Processo de globalização (principalmente últimas três décadas do século passado), revolução tecnológica (computadores e telecomunicações), negócios em escala mundial, projetos desenvolvidos por equipes geograficamente dispersas... Surgiram então as perguntas: Como gerenciar equipes distribuídas? Como tornar eficaz a comunicação entre os integrantes dessas equipes? 29

30 glb Sistemas Colaborativos Taxonomia (geral) 30

31 glb Sistemas Colaborativos De acordo com "Usability First, disponível em os sistemas colaborativos são classificadas de acordo com o local das interações e o tempo. A figura a seguir mostra esta classificação: 31

32 Classificação Sistemas Síncronas (Colaborações Síncronas) São aquelas que requerem tempo de resposta imediato. Por exemplo, mensagens instantâneas, por exemplo: ICQ, Messenger, Skype, conferências e videoconferências. 32

33 Classificação Sistemas Assíncronas (Colaborações Assíncronas) São aqueles que não requerem tempo de resposta imediato, como por exemplo os s, fóruns etc. 33

34 Questões (01) O que é colaboração? Quais são as principais características do conceito de colaboração? (02) Explique o funcionamento básico do processo de colaboração. (03) Explique porque os Sistemas Colaborativos (SC) são normalmente apresentados para o uso de equipes de trabalho. (04) Definir Sistemas Colaborativos. (05) Quais são as outras denominações para Sistemas Colaborativos? (06) Na área de TI quais são as disciplinas que mais se aproximam dos SCs. 34

35 Questões (07) O que é o modelo 3C? (08) Como funciona a COMUNICAÇÃO no modelo 3C? (09) Como funciona a COOPERAÇÃO no modelo 3C? (10) Como funciona a COORDENAÇÃO no modelo 3C? (11) Fornecer quatro aplicativos que se enquadram parcialmente no conceito de SC. (12) Fornecer quatro aplicativos que se enquadram totalmente no conceito de SC. (13) Desenhe uma IHM (Interface Homem Máquina) para exemplificar um processo Colaborativo. 35

36 Áreas envolvidas 36

37 Principais áreas envolvidas De acordo com fontes do SBSC, há várias áreas relacionadas aos sistemas colaborativos, dentre estas destacam-se: 37

38 Objetivos dos Sistemas Colaborativos 38

39 Objetivos dos Sistemas Colaborativos Gerenciar e coordenar trabalho em equipe. Integrar os diversos aspectos do trabalho em equipe. Promover a integração da organização com o meio externo. Gerenciar documentos. Facilitar a comunicação entre as pessoas e equipes. 39

40 Objetivos dos Sistemas Colaborativos Para todos os manipuladores dos dados e nos diversos níveis de decisão. Gerenciar e coordenar trabalho em equipe. Integrar os diversos aspectos do trabalho em equipe. Promover a integração da organização com o meio externo. Gerenciar documentos. Facilitar a comunicação entre as pessoas e equipes. 40

41 Objetivos dos Sistemas Colaborativos Para todos os manipuladores dos dados e nos diversos níveis de decisão. Gerenciar e coordenar trabalho em equipe. Integrar os diversos aspectos do trabalho em equipe. De acordo com os níveis de decisão e funções organizacionais a partir de definições de cada usuário. Promover a integração da organização com o meio externo. Gerenciar documentos. Facilitar a comunicação entre as pessoas e equipes. 41

42 Objetivos dos Sistemas Colaborativos Para todos os manipuladores dos dados e nos diversos níveis de decisão. Gerenciar e coordenar trabalho em equipe. Integrar os diversos aspectos do trabalho em equipe. De acordo com os níveis de decisão e funções organizacionais a partir de definições de cada usuário. Promover a integração da organização com o meio externo. Gerenciar documentos. Clientes, fornecedores, órgãos governamentais públicos e regulamentadores, etc. Facilitar a comunicação entre as pessoas e equipes. 42

43 Objetivos dos Sistemas Colaborativos Para todos os manipuladores dos dados e nos diversos níveis de decisão. Gerenciar e coordenar trabalho em equipe. Integrar os diversos aspectos do trabalho em equipe. De acordo com os níveis de decisão e funções organizacionais a partir de definições de cada usuário. Promover a integração da organização com o meio externo. Gerenciar documentos. criação, armazenamento, recuperação e disseminação de documentos. Clientes, fornecedores, órgãos governamentais públicos e regulamentadores, etc. Facilitar a comunicação entre as pessoas e equipes. 43

44 Objetivos dos Sistemas Colaborativos Para todos os manipuladores dos dados e nos diversos níveis de decisão. Gerenciar e coordenar trabalho em equipe. Integrar os diversos aspectos do trabalho em equipe. De acordo com os níveis de decisão e funções organizacionais a partir de definições de cada usuário. Promover a integração da organização com o meio externo. Gerenciar documentos. Facilitar a comunicação entre as pessoas e equipes. 44 criação, armazenamento, recuperação e disseminação de documentos. Clientes, fornecedores, órgãos governamentais públicos e regulamentadores, etc. Comunicação de dados e voz, internamente e externamente à organização.

45 glb Sistemas Colaborativos Vantagens e desvantagens 45

46 glb Sistemas Colaborativos Vantagens dos Sistemas Colaborativos O trabalho em grupo estimula os participantes. O grupo entende melhor os desafios (do que um indivíduo). O grupo consegue descobrir erros no projeto de maneira mais rápida. A responsabilidades pelas decisões são distribuídas. O conhecimento compartilhado pelo grupo é maior. Mais alternativas são apresentadas para a solução dos problemas. A eficiência das atividades do grupo é maior que a soma das partes dos indivíduos. 46

47 Desvantagens dos Sistemas Colaborativos Necessidade de coordenação efetiva para gerenciamento. As atividades em grupo requerem mais tempo. As atividade em grupo são mais lentas e onerosas. O grupo pode sobrepor os talentos individuais. Dispersão, causadas por bate-papos, repetição de atividades etc. Perda de privacidade e sentimento de invasão e monitoramento. 47

48 Implantação de Groupware na empresa 48

49 Segundo Gerosa (2004), a implantação de um sistema colaborativo requer alguns cuidados: Definição do projeto piloto a ser trabalhado. Definições dos processos e do grupo que participará deste. Mensurar os fatores de produtividade antes e depois da implantação do projeto. Ter cuidado com as mudanças da cultura organizacional (organizações levam mais tempo para se adaptar às mudanças do que as pessoas). 49

50 Questões (14) O que significa SBSC? Qual é o objetivo do SBSC? (15) O que significa Colaboração Síncrona? Forneça um exemplo. (16) O que significa Colaboração Assíncrona? Forneça um exemplo. (17) Quais são os principais objetivos dos SC? (18) Citar as principais vantagens dos SC. (19) Citar as principais desvantagens dos SCs. 50

51 Questões (20) Quais são os principais cuidados para a implantação de um SC? (21) "Gerenciar e coordenar trabalho em equipe", trata-se de um objetivo dos SCs, explique esse conceito. (22) Integrar os diversos aspectos do trabalho em equipe.", trata-se de um objetivo dos SCs, explique esse conceito. (23) "Promover a integração da organização com o meio externo", trata-se de um objetivo dos SCs, explique esse conceito. (24) "Gerenciar documentos", trata-se de um objetivo dos SCs, explique esse conceito. (25) "Facilitar a comunicação entre as pessoas e equipes", trata-se de um objetivo dos SCs, explique esse conceito. 51

52 O modelo 3C 52

53 Introdução Foi destacado inicialmente a partir de artigo seminal de Ellis et al [1991]. É usado para classificar o processo de colaboração computacional. Se baseia na premissa de que para colaborar, os indivíduos de um grupo comunicam, coordenam e cooperam. 53

54 O processo Com objetivo de se concluir uma determinada atividade ou tarefa, o processo de colaboração inicia-se em uma comunicação, seguida de negociações. A coordenação fica responsável pela gestão das tarefas, verificando o cumprimento das mesmas. As tarefas são compartilhadas entre os membros e estes se comunicam e cooperam entre si, negociam e tomam decisões referentes as tarefas. A colaboração somente é realizada com a presença de no mínimo dois membros. 54

55 Segundo Gerosa (2004), a comunicação, em um grupo de trabalho, envolve a negociação de compromissos e conhecimento. Através da coordenação, o grupo lida com conflitos e se organiza de maneira a evitar que os esforços de comunicação e de cooperação sejam perdidos. A cooperação é a operação conjunta dos membros do grupo em um espaço compartilhado. 55

56 Interfaces - Exemplos 56

57 Interfaces - Exemplos 57

58 Interfaces - Exemplos 58

59 Interfaces - Exemplos 59

60 Interfaces - Exemplos 60

61 Interfaces - Exemplos 61

62 Interfaces - Exemplos 62

63 Interfaces - Exemplos 63

64 Interfaces - Exemplos 64

65 Classificação 65

66 glb Sistemas Colaborativos Segundo Coleman, David (1997) apud Imasters (s.nt), há alguns tipos de Sistemas Colaborativos: Gerenciadores de Conteúdo (CMS) São ferramentas para publicação automatizada de conteúdo através da WEB que permite a participação de diversas pessoas e grupos, CMS significa Content Management Systems. Esse tipo de aplicação colaborativa possui dois lados: um frontend, o lado de acesso público e o backend, usado por usuários com direitos de alimentar o conteúdo. 66

67 Gestão do Conhecimento (GC) São ferramentas de armazenamento, avaliação e distribuição de conhecimento. São ferramentas que possibilitam, por exemplo: vantagem competitiva em relação à concorrência e melhoria dos processos de tomada de decisões mais eficientes. Para mais informações consulte: o site da sociedade brasileira de gestão do conhecimento, disponível em Arquitetura básica de um Data warehouse 67

68 Outros exemplos Real TimeE Collaboration Tools (RTC) São ferramentas de colaboração síncronas que usam áudio, vídeo e dados, normalmente usado para fins de conferência. Virtual Team Tools São ferramentas para grupos de trabalho, podem, por exemplo ser: local de trabalho virtual e processos e workflow. CRM Colaborativo (Customer Resource Management) São ferramentas usados para acompanhamento de relacionamento com os clientes, exemplo: portais e comunidades On-line. 68

69 (26) Como e porque surgiu o modelo 3C? Questões (27) Um sistema concebido para ser utilizado por um único usuário pode ser considerado Colaborativo? (28) O que significa a sigla CMS? Explique o seu funcionamento básico no contexto dos SCs. Exemplifique. (29) O que são ferramentas de Gestão de Conhecimento? Essas ferramentas podem ser consideradas colaborativas? (30) O que são ferramentas do tipo RTC? (31) Qual é o significado da sigla CRM. Como um CRM pode ser considerado colaborativo? Justifique. (32) Um Blog, pode ser considerado uma ferramenta colaborativa? Justifique. 69

70 Questões (33) O que são Mapas Conceituais (MC)? (34) Elabore um mapa conceitual para explicar o processo de Colaboração, tendo como foco os "Sistemas Colaborativos" e os conceitos: trabalho em equipe, compartilhar recursos, comunicar idéias, coordenar esforços e comunicar, coordenar e cooperar. (35) Elabore um MC para explicar o processo de comunicação tendo como foco principal a "Mensagem". Os seguintes conceitos relevantes deverão ser destacados no MC: protocolo de comunicação, emissor, receptor, informação gerada, síncrona, assíncrona e Sistema Colaborativo. 70

71 Questões (36) Elabore um MC para explicar o processo de coordenação tendo como foco principal o Plano de trabalho". Os seguintes conceitos relevantes deverão ser destacados no MC: coordenador, atividades, papéis, recursos, política da empresa e Sistema Colaborativo. (37) Elabore um MC para explicar o processo de cooperação tendo como foco principal a "Atividade". Os seguintes conceitos relevantes deverão ser destacados no MC: distribuição geográfica, espaço compartilhado, participante, artefato, produto, prazo, recursos e Sistema Colaborativo. 71

72 Seminário I 72

73 Artigos O uso de sistemas colaborativos na gestão de projetos: fatores relevantes para o sucesso. Camargo et al. (ARTIGO_SC_GEST_PROJETOS.PDF) Uma Arquitetura para o Desenvolvimento de Ferramentas Colaborativas para o Ambiente de Aprendizagem AulaNet. Gerosa, Marco Aurélio et al. (ARTIGO_ARQ_FERRAMENTAS.PDF) RUP-3C-Groupware: um processo de desenvolvimento de groupware baseado no Modelo 3C de Colaboração. Mariano Pimentel. (ARTIGO_RUP3C_GROUPWARE.PDF) Mo Porã Um sistema gerenciador de repositórios distribuídos e colaborativos no ambiente cientifico da Amazônia. Serique et al. (ARTIGO_SISTEMA_MOPORA.PDF) Uma ferramenta de apoio ao desenvolvimento de software baseado em componentes. PFAFFENSELLER, Moisés et al. (SC_COMPONENTES.PDF) Uma arquitetura para distribuição de componentes tecnológicos de sistemas de informações baseados em data warehouse. SELL, Denilson. (08_DATAWAREHOUSE.DPF) Elicitação de Requisitos de Sistemas Colaborativos de Aprendizagem Centrada na Atividade de Grupo. NETO, Genésio Gomes da Cruz et al. (ARTIGO_SC_ELICITAC_REQUISITOS.PDF) 73

74 Seminário II 74

75 Propostas (ou um software colaborativo usado em sua empresa) 75

76 Referências Bibliográficas CAMARGO, Álvaro Antônio Bueno De. KHOURI, Lourdes Halim El e GIAROLA, Paulo César. O Uso de Sistemas Colaborativos na Gestão de Projetos: Fatores Relevantes para o Sucesso. Trabalho de Conclusão de Curso. Fundação Instituto de Administração FIA Disponível em: Acesso em: 16 de janeiro de GEROSA, M.A., Raposo, A.B., Fuks, H. & Lucena, C.J.P. Uma Arquitetura para o Desenvolvimento de Ferramentas Colaborativas para o Ambiente de Aprendizagem AulaNet, Anais do Simpósio Brasileiro de Informática na Educação SBIE 2004, de Novembro, Manaus- AM, Disponível em Acesso em: 20 de janeiro de BORBA, Gilmar Luiz de. TIC, educação e projeto aplicado:uma experiência de intervenção no terceiro setor. Dissertação de mestrado. Belo Horizonte. - Centro Universitário UNA Disponível em: Acesso em agosto de Imasters. Sistemas Colaborativos: Conceito, Característicasdes e Funcionalidades. Disponível em: Acessado em: 20 de janeiro de PIMENTEL, Mariano; Fucks, Hugo (organizadores). Sistemas Colaborativos. Rio de Janeiro. Elsevier, 2011, 375 páginas. 76

Sistemas Cooperativos

Sistemas Cooperativos Comércio Eletrônico e Sistemas Cooperativos Sistemas Cooperativos Prof. Hélio de Sousa Lima Filho helio.slfilho@hotmail.com 1. Definição Sistemas mais dinâmicos Exige maior interação entre os usuários

Leia mais

Sistemas Colaborativos: Conceito, Característicasdes e Funcionalidades

Sistemas Colaborativos: Conceito, Característicasdes e Funcionalidades Sistemas Colaborativos: Conceito, Característicasdes e Funcionalidades Carla Oliveira (e-mail) é formada pela FATEC - Faculdade de Tecnologia de São Paulo, no curso de Automação de Escritórios e Secretariado.

Leia mais

Sistemas Cooperativos. Professor Alan Alves Oliveira

Sistemas Cooperativos. Professor Alan Alves Oliveira Sistemas Cooperativos Professor Alan Alves Oliveira 1. Sistemas de Informação e Sistemas Cooperativos 2 Sistemas de Informação 3 Sistemas de Informação Sistemas ampamente utilizados em organizações para

Leia mais

I Workhop Brasileiro de Tecnologias para Colaboração WCSCW

I Workhop Brasileiro de Tecnologias para Colaboração WCSCW I Workhop Brasileiro de Tecnologias para Colaboração WCSCW Realização: 13 e 14 de outubro em conjunto com o WebMídia-LA Web 2004 Ribeirão Preto - SP Organização do Workshop: Alberto Raposo PUC-Rio Flávia

Leia mais

Computer Supported Cooperative Work - CSCW

Computer Supported Cooperative Work - CSCW Computer Supported Cooperative Work - CSCW trabalho cooperativo auxiliado por computador http://www.professores.uff.br/screspo/ CSCW O termo CSCW - Computer Supported Cooperative Work, foi criado oficialmente

Leia mais

Módulo II - Aula 3 Comunicação

Módulo II - Aula 3 Comunicação Módulo II - Aula 3 Comunicação O surgimento da comunicação entre as pessoas por meio de computadores só foi possível após o surgimento das Redes de Computadores. Na aula anterior você aprendeu sobre a

Leia mais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Capítulo 3: Sistemas de Apoio Gerenciais Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos,

Leia mais

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG Capítulo 3: Sistemas de Negócios Colaboração SPT SIG Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos, gerentes e profissionais de empresas.

Leia mais

Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Profa.:Lillian Alvares

Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Profa.:Lillian Alvares Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Profa.:Lillian Alvares Comunidades de Prática Grupos informais e interdisciplinares de pessoas unidas em torno de um interesse

Leia mais

CSCW - Trabalho Cooperativo Suportado por Computador

CSCW - Trabalho Cooperativo Suportado por Computador CSCW - Trabalho Cooperativo Suportado por Computador Luís Manuel Borges Gouveia Aveiro, Janeiro de 2002 evolução dos sistemas de interacção o impacto dos computadores e a preocupação das TI foi-se desenvolvendo

Leia mais

Relatório sobre a Trilha de CSCW WebMídia 2003 Salvador BA

Relatório sobre a Trilha de CSCW WebMídia 2003 Salvador BA Organização da Trilha: Renata Mendes de Araujo UNIRIO Flávia Maria Santoro UNIRIO Comitê de Avaliação da Trilha: Ana Carolina Salgado UFPE Hugo Fuks PUC-Rio José Valdeni UFRGS - UFRJ Organização Geral

Leia mais

Introdução ao Groupware e ao CSCW

Introdução ao Groupware e ao CSCW MAC0434 e MAC5798 Desenvolvimento de Sistemas Colaborativos Introdução ao Groupware e ao CSCW Marco A. Gerosa gerosa@ime.usp.br Marco A. Gerosa 1 IME / USP O que é colaboração? Classifique as seguintes

Leia mais

Nome: Login: CA: Cidade: UF CARTÃO RESPOSTA QUESTÃO RESPOSTA QUESTÃO RESPOSTA

Nome: Login: CA: Cidade: UF CARTÃO RESPOSTA QUESTÃO RESPOSTA QUESTÃO RESPOSTA ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS TURMA 2008 3º PERÍODO - 6º MÓDULO AVALIAÇÃO A3 DATA 09/07/2009 SISTEMAS EMPRESARIAIS Dados de identificação do Acadêmico: Nome: Login: CA: Cidade: UF CARTÃO RESPOSTA

Leia mais

Sistemas Colaborativos: uma aplicação no contexto de gestão de risco de inundação

Sistemas Colaborativos: uma aplicação no contexto de gestão de risco de inundação Sistemas Colaborativos: uma aplicação no contexto de gestão de risco de inundação Lívia Castro Degrossi degrossi@icmc.usp.br Abril/2014 1 Contextualização 07/04/2014 Lívia Castro Degrossi 2 2 Contextualização

Leia mais

Visão Geral dos Sistemas de Informação

Visão Geral dos Sistemas de Informação Visão Geral dos Sistemas de Informação Existem muitos tipos de sistemas de informação no mundo real. Todos eles utilizam recursos de hardware, software, rede e pessoas para transformar os recursos de dados

Leia mais

SISTEMAS DE NEGÓCIOS. a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS

SISTEMAS DE NEGÓCIOS. a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS 1 SISTEMAS DE NEGÓCIOS a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS 1. COLABORAÇÃO NAS EMPRESAS Os sistemas colaborativos nas empresas nos oferecem ferramentas para nos ajudar a colaborar, comunicando idéias, compartilhando

Leia mais

Nome: Login: CA: Cidade: UF CARTÃO RESPOSTA QUESTÃO RESPOSTA QUESTÃO RESPOSTA

Nome: Login: CA: Cidade: UF CARTÃO RESPOSTA QUESTÃO RESPOSTA QUESTÃO RESPOSTA ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS TURMA 2008 3º PERÍODO - 6º MÓDULO AVALIAÇÃO A4 DATA 16/07/2009 SISTEMAS EMPRESARIAIS Dados de identificação do Acadêmico: Nome: Login: CA: Cidade: UF CARTÃO RESPOSTA

Leia mais

SISTEMA VIRTUAL PARA GERENCIAMENTO DE OBJETOS DIDÁTICOS

SISTEMA VIRTUAL PARA GERENCIAMENTO DE OBJETOS DIDÁTICOS 769 SISTEMA VIRTUAL PARA GERENCIAMENTO DE OBJETOS DIDÁTICOS Mateus Neves de Matos 1 ; João Carlos Nunes Bittencourt 2 ; DelmarBroglio Carvalho 3 1. Bolsista PIBIC FAPESB-UEFS, Graduando em Engenharia de

Leia mais

Sistemas Colaborativos Fundamentos e Aplicações

Sistemas Colaborativos Fundamentos e Aplicações Laboratório de Engenharia de Software Departamento de Sistemas de Computação Universidade de São Paulo Sistemas Colaborativos Fundamentos e Aplicações Seiji Isotani sisotani@icmc.usp.br Contextualização

Leia mais

Universidade de Brasília. Departamento de Ciência da Informação e Documentação. Prof a.:lillian Alvares

Universidade de Brasília. Departamento de Ciência da Informação e Documentação. Prof a.:lillian Alvares Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Prof a.:lillian Alvares Fóruns óu s/ Listas de discussão Espaços para discutir, homogeneizar e compartilhar informações, idéias

Leia mais

CAPITULO 4 A ARQUITETURA LÓGICA PARA O AMBIENTE

CAPITULO 4 A ARQUITETURA LÓGICA PARA O AMBIENTE CAPITULO 4 A ARQUITETURA LÓGICA PARA O AMBIENTE A proposta para o ambiente apresentada neste trabalho é baseada no conjunto de requisitos levantados no capítulo anterior. Este levantamento, sugere uma

Leia mais

Universidade de Brasília. Faculdade de Ciência da Informação. Prof a Lillian Alvares

Universidade de Brasília. Faculdade de Ciência da Informação. Prof a Lillian Alvares Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Prof a Lillian Alvares Fóruns Comunidades de Prática Mapeamento do Conhecimento Portal Intranet Extranet Banco de Competências Memória Organizacional

Leia mais

Desenvolvimento de um software de gerenciamento de projetos para utilização na Web

Desenvolvimento de um software de gerenciamento de projetos para utilização na Web Resumo. Desenvolvimento de um software de gerenciamento de projetos para utilização na Web Autor: Danilo Humberto Dias Santos Orientador: Walteno Martins Parreira Júnior Bacharelado em Engenharia da Computação

Leia mais

UMA PROSTA DE ADEQUAÇÃO DO MS VISUAL STUDIO TEAM SYSTEM (VSTS) PARA O MPS.BR NÍVEIS F e G

UMA PROSTA DE ADEQUAÇÃO DO MS VISUAL STUDIO TEAM SYSTEM (VSTS) PARA O MPS.BR NÍVEIS F e G 1082 X Salão de Iniciação Científica PUCRS UMA PROSTA DE ADEQUAÇÃO DO MS VISUAL STUDIO TEAM SYSTEM (VSTS) PARA O MPS.BR NÍVEIS F e G Agner Macedo Paiva, Bernardo Copstein (orientador) FACIN, PUCRS, Centro

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação I

Administração de Sistemas de Informação I Administração de Sistemas de Informação I Prof. Farinha Aula 04 Conceito Sistema de Informação é uma série de elementos ou componentes inter-relacionados que coletam (entrada), manipulam e armazenam (processo),

Leia mais

Nome: Login: CA: Cidade: UF CARTÃO RESPOSTA QUESTÃO RESPOSTA QUESTÃO RESPOSTA

Nome: Login: CA: Cidade: UF CARTÃO RESPOSTA QUESTÃO RESPOSTA QUESTÃO RESPOSTA ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS TURMA 2008 3º PERÍODO - 6º MÓDULO AVALIAÇÃO A2 DATA 02/07/2009 SISTEMAS EMPRESARIAIS Dados de identificação do Acadêmico: Nome: Login: CA: Cidade: UF CARTÃO RESPOSTA

Leia mais

Thalita Moraes PPGI Novembro 2007

Thalita Moraes PPGI Novembro 2007 Thalita Moraes PPGI Novembro 2007 A capacidade dos portais corporativos em capturar, organizar e compartilhar informação e conhecimento explícito é interessante especialmente para empresas intensivas

Leia mais

Uma Experiência Prática da Utilização da Ferramenta Moodle para Comunidades Virtuais na ENSP - Fiocruz

Uma Experiência Prática da Utilização da Ferramenta Moodle para Comunidades Virtuais na ENSP - Fiocruz Uma Experiência Prática da Utilização da Ferramenta Moodle para Comunidades Virtuais na ENSP - Fiocruz Autores: Ana Paula Bernardo Mendonça Ana Cristina da Matta Furniel Rosane Mendes da Silva Máximo Introdução

Leia mais

2.3. ORGANIZAÇÕES E GESTÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

2.3. ORGANIZAÇÕES E GESTÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 2.3. ORGANIZAÇÕES E GESTÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO As Empresas e os Sistemas Problemas locais - impacto no sistema total. Empresas como subsistemas de um sistema maior. Uma empresa excede a soma de

Leia mais

Introdução aos Sistemas de Informação. Departamento de Engenharia Rural Centro de Ciências Agrárias - UFES Bruno Vilela Oliveira bruno@cca.ufes.

Introdução aos Sistemas de Informação. Departamento de Engenharia Rural Centro de Ciências Agrárias - UFES Bruno Vilela Oliveira bruno@cca.ufes. Introdução aos Sistemas de Informação Departamento de Engenharia Rural Centro de Ciências Agrárias - UFES Bruno Vilela Oliveira bruno@cca.ufes.br Nesta aula Apresentação da disciplina Avaliação Recursos

Leia mais

Sistemas Colaborativos Simulado

Sistemas Colaborativos Simulado Verdadeiro ou Falso Sistemas Colaborativos Simulado 1. Todos os tipos de organizações estão se unindo a empresas de tecnologia na implementação de uma ampla classe de usos de redes intranet. Algumas das

Leia mais

1. Introdução. 2. Conceitos. 3. Metodologia. 4. Resultados. 5. Considerações

1. Introdução. 2. Conceitos. 3. Metodologia. 4. Resultados. 5. Considerações Comunidades de Prática Experiências e Contribuições da Tecnologia para a Educação Profissional Lane Primo Senac Ceará 2012 Sumário 1. Introdução 2. Conceitos 3. Metodologia 4. Resultados 5. Considerações

Leia mais

ERP. Planejamento de recursos empresariais

ERP. Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning -Sistema de Gestão Empresarial -Surgimento por volta dos anos 90 -Existência de uma base de dados

Leia mais

E-business: Como as Empresas Usam os Sistemas de Informação

E-business: Como as Empresas Usam os Sistemas de Informação Capítulo 2 E-business: Como as Empresas Usam os Sistemas de Informação 2.1 2007 by Prentice Hall OBJETIVOS DE ESTUDO Identificar e descrever as principais características das empresas que são importantes

Leia mais

ERP é um sistema de gestão empresarial que gerencia as informações relativas aos processos operacionais, administrativos e gerenciais das empresas.

ERP é um sistema de gestão empresarial que gerencia as informações relativas aos processos operacionais, administrativos e gerenciais das empresas. Introdução Sistemas de Informação é a expressão utilizada para descrever um Sistema seja ele automatizado (que pode ser denominado como Sistema Informacional Computadorizado), ou seja manual, que abrange

Leia mais

O PROFISSIONAL DE SI. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc.

O PROFISSIONAL DE SI. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. O PROFISSIONAL DE SI Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. FORMAÇÃO EM COMPUTADORES Corresponde ao conhecimento dos sistemas do computador, dos equipamentos e de como eles funcionam. Este tipo de formação

Leia mais

SISTEMA DE INFORMAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO CORPORATIVA

SISTEMA DE INFORMAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO CORPORATIVA SISTEMA DE INFORMAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO SISTEMA DE INFORMAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO CORPORATIVA SISTEMA DE INFORMAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO SISTEMA DE INFORMAÇÕES Um Sistema de Informação não precisa ter essencialmente

Leia mais

DIRETRIZES DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NO SISTEMA INTEGRADO DE FORMAÇÃO DA MAGISTRATURA DO TRABALHO - SIFMT

DIRETRIZES DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NO SISTEMA INTEGRADO DE FORMAÇÃO DA MAGISTRATURA DO TRABALHO - SIFMT DIRETRIZES DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NO SISTEMA INTEGRADO DE FORMAÇÃO DA MAGISTRATURA DO TRABALHO - SIFMT 1 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO 2. CENÁRIO PROFISSIONAL 3. CONCEPÇÃO DA APRENDIZAGEM E METODOLOGIA 4. ESTRATÉGIAS

Leia mais

15 Computador, projeto e manufatura

15 Computador, projeto e manufatura A U A UL LA Computador, projeto e manufatura Um problema Depois de pronto o desenho de uma peça ou objeto, de que maneira ele é utilizado na fabricação? Parte da resposta está na Aula 2, que aborda as

Leia mais

Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software

Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software. Requisitos de Software INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE Curso Técnico em Informática ENGENHARIA DE SOFTWARE Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br Clayton Maciel Costa

Leia mais

Módulo 4: Gerenciamento de Dados

Módulo 4: Gerenciamento de Dados Módulo 4: Gerenciamento de Dados 1 1. CONCEITOS Os dados são um recurso organizacional decisivo que precisa ser administrado como outros importantes ativos das empresas. A maioria das organizações não

Leia mais

2 Trabalho e Aprendizado em Grupo

2 Trabalho e Aprendizado em Grupo 2 Trabalho e Aprendizado em Grupo Uma crescente parte do trabalho das empresas e instituições não é mais realizada individualmente, com uma pessoa trabalhando sozinha até completar as tarefas. O trabalho

Leia mais

Áreas de utilização do GED e o que levar em consideração no Projeto de Implantação de GED em uma empresa Simone de Abreu

Áreas de utilização do GED e o que levar em consideração no Projeto de Implantação de GED em uma empresa Simone de Abreu Áreas de utilização do GED e o que levar em consideração no Projeto de Implantação de GED em uma empresa Simone de Abreu Cerca de dois milhões de pessoas estão trabalhando em aproximadamente 300 mil projetos

Leia mais

Fundamentos de Sistemas de Informação Sistemas de Informação

Fundamentos de Sistemas de Informação Sistemas de Informação Objetivo da Aula Tecnologia e as Organizações, importância dos sistemas de informação e níveis de atuação dos sistemas de informação Organizações & Tecnologia TECNOLOGIA A razão e a capacidade do homem

Leia mais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de recursos empresariais O que é ERP Os ERPs em termos gerais, são uma plataforma de software desenvolvida para integrar os diversos departamentos de uma empresa,

Leia mais

Sistemas de Informação I

Sistemas de Informação I + Sistemas de Informação I Dimensões de análise dos SI Ricardo de Sousa Britto rbritto@ufpi.edu.br + Introdução n Os sistemas de informação são combinações das formas de trabalho, informações, pessoas

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE DADOS

ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE DADOS Capítulo 7 ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE DADOS 7.1 2003 by Prentice Hall OBJETIVOS Por que as empresas sentem dificuldades para descobrir que tipo de informação precisam ter em seus sistemas de informação?

Leia mais

Lucas Nascimento Santos

Lucas Nascimento Santos Lucas Nascimento Santos Mobile Application Developer lucassantoos56@gmail.com Resumo Lucas Nascimento Santos (@ll_ucasn), engenheiro de software. Estudante de Ciência da Computação na Universidade Salvador

Leia mais

UNIMINAS União Educacional Minas Gerais Curso de Especialização em Tecnologias Digitais Aplicadas à Educação Módulo I Ética e Cibercultura

UNIMINAS União Educacional Minas Gerais Curso de Especialização em Tecnologias Digitais Aplicadas à Educação Módulo I Ética e Cibercultura UNIMINAS União Educacional Minas Gerais Curso de Especialização em Tecnologias Digitais Aplicadas à Educação Módulo I Ética e Cibercultura Alunas: Ketiuce Ferreira Silva Maria Helena Cicci Romero Objetivo:

Leia mais

Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 1.1

Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 1.1 Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 1.1 SISTEMA DE APOIO À DECISÃO Grupo: Denilson Neves Diego Antônio Nelson Santiago Sabrina Dantas CONCEITO É UM SISTEMA QUE AUXILIA O PROCESSO DE DECISÃO

Leia mais

Tipos de Sistemas Distribuídos (Cluster e Grid)

Tipos de Sistemas Distribuídos (Cluster e Grid) Tipos de Sistemas Distribuídos (Cluster e Grid) Sistemas Distribuídos Mauro Lopes Carvalho Silva Professor EBTT DAI Departamento de Informática Campus Monte Castelo Instituto Federal de Educação Ciência

Leia mais

gestão de conteúdo empresarial

gestão de conteúdo empresarial Nuvem & Etc. B.M.I. W.C.M. A.V.A. WEB 2.0 BPMview gestão de conteúdo empresarial G.e.N.T.e.* B.P.M. EDIÇÃO transmídia DOC.DIG. GESTÃO DO CONTEÚDO EMPRESARIAL Transformar o conhecimento de nossos clientes

Leia mais

WORKFLOW. Mapeamento de Processos de Negócio 26/11/2009. Tadeu Cruz, Prof. M.Sc. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

WORKFLOW. Mapeamento de Processos de Negócio 26/11/2009. Tadeu Cruz, Prof. M.Sc. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS WORKFLOW Mapeamento de Processos de Negócio Tadeu Cruz, Prof. M.Sc. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS É proibido a reprodução total ou parcial de qualquer forma ou por qualquer meio sem a expressa autorização

Leia mais

5.7.6 Internet/Intranet 176 5.7.7 Gestão logística 177 CAPÍTULO 6. DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE WORKFLOW 181 6.1 Métodos de Desenvolvimento 181

5.7.6 Internet/Intranet 176 5.7.7 Gestão logística 177 CAPÍTULO 6. DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE WORKFLOW 181 6.1 Métodos de Desenvolvimento 181 SUMÁRIO SUMÁRIO PREFÁCIO AGRADECIMENTOS VII XI XIII INTRODUÇÃO CAPÍTULO 1. ORGANIZAR WORKFLOWS 1 1.1 Ontologia da gestão de workflows 1.2 Trabalho 1 1 1.3 Processos de Negócio 3 1.4 Distribuir e Aceitar

Leia mais

157.78 9.467.2 568.036.8

157.78 9.467.2 568.036.8 class Sisloc { class Sisloc { Nos últimos anos, o mundo tem passado por profundas e aceleradas transformações sociais, econômicas e culturais influenciadas, principalmente, pelas conseqüências da globalização

Leia mais

CIGAM SOFTWARE CORPORATIVA LTDA.

CIGAM SOFTWARE CORPORATIVA LTDA. CIGAM SOFTWARE CORPORATIVA LTDA. Raquel Engeroff Neusa Cristina Schnorenberger Novo Hamburgo RS Vídeo Institucional Estratégia Visão Missão Ser uma das 5 maiores empresas de software de gestão empresarial

Leia mais

Introdução. Gestão do Conhecimento GC

Introdução. Gestão do Conhecimento GC Introdução A tecnologia da informação tem um aspecto muito peculiar quanto aos seus resultados, uma vez que a simples disponibilização dos recursos computacionais (banco de dados, sistemas de ERP, CRM,

Leia mais

Situação mercadológica hoje: Era de concorrência e competição dentro de ambiente globalizado.

Situação mercadológica hoje: Era de concorrência e competição dentro de ambiente globalizado. TECNICAS E TECNOLOGIAS DE APOIO CRM Situação mercadológica hoje: Era de concorrência e competição dentro de ambiente globalizado. Empresas já não podem confiar em mercados já conquistados. Fusões e aquisições

Leia mais

Apresentação, xix Prefácio à 8a edição, xxi Prefácio à 1a edição, xxiii. Parte I - Empresa e Sistemas, 1

Apresentação, xix Prefácio à 8a edição, xxi Prefácio à 1a edição, xxiii. Parte I - Empresa e Sistemas, 1 Apresentação, xix Prefácio à 8a edição, xxi Prefácio à 1a edição, xxiii Parte I - Empresa e Sistemas, 1 1 SISTEMA EMPRESA, 3 1.1 Teoria geral de sistemas, 3 1.1.1 Introdução e pressupostos, 3 1.1.2 Premissas

Leia mais

TÉCNICAS DE INFORMÁTICA WILLIAN FERREIRA DOS SANTOS

TÉCNICAS DE INFORMÁTICA WILLIAN FERREIRA DOS SANTOS TÉCNICAS DE INFORMÁTICA WILLIAN FERREIRA DOS SANTOS Vimos em nossas aulas anteriores: COMPUTADOR Tipos de computadores Hardware Hardware Processadores (CPU) Memória e armazenamento Dispositivos de E/S

Leia mais

Módulo 15 Resumo. Módulo I Cultura da Informação

Módulo 15 Resumo. Módulo I Cultura da Informação Módulo 15 Resumo Neste módulo vamos dar uma explanação geral sobre os pontos que foram trabalhados ao longo desta disciplina. Os pontos abordados nesta disciplina foram: Fundamentos teóricos de sistemas

Leia mais

3. Processos, o que é isto? Encontramos vários conceitos de processos, conforme observarmos abaixo:

3. Processos, o que é isto? Encontramos vários conceitos de processos, conforme observarmos abaixo: Perguntas e respostas sobre gestão por processos 1. Gestão por processos, por que usar? Num mundo globalizado com mercado extremamente competitivo, onde o cliente se encontra cada vez mais exigente e conhecedor

Leia mais

Módulo 07 Gestão de Conhecimento

Módulo 07 Gestão de Conhecimento Módulo 07 Gestão de Conhecimento Por ser uma disciplina considerada nova dentro do campo da administração, a gestão de conhecimento ainda hoje tem várias definições e percepções, como mostro a seguir:

Leia mais

Service Oriented Architecture (SOA)

Service Oriented Architecture (SOA) São Paulo, 2011 Universidade Paulista (UNIP) Service Oriented Architecture (SOA) Prof. MSc. Vladimir Camelo vladimir.professor@gmail.com 04/09/11 vladimir.professor@gmail.com 1 04/09/11 vladimir.professor@gmail.com

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação. Posição e Vantagem Competitiva Aplicações integradas Aplicações Web

Estratégias em Tecnologia da Informação. Posição e Vantagem Competitiva Aplicações integradas Aplicações Web Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 09 Posição e Vantagem Competitiva Aplicações integradas Aplicações Web Material de apoio 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO. MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO. MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias Coordenação Acadêmica: Maria Elizabeth Pupe Johann 1 OBJETIVOS: Objetivo Geral: - Promover o desenvolvimento

Leia mais

ü Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação

ü Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação Nome e titulação do Coordenador: Coordenador: Prof. Wender A. Silva - Mestrado em Engenharia Elétrica (Ênfase em Processamento da Informação). Universidade

Leia mais

Sistema Gerenciador de Conteúdo OpenCms: um caso de sucesso no CEFET-MG

Sistema Gerenciador de Conteúdo OpenCms: um caso de sucesso no CEFET-MG Sistema Gerenciador de Conteúdo OpenCms: um caso de sucesso no CEFET-MG Marco T. A. Rodrigues*, Paulo E. M. de Almeida* *Departamento de Recursos em Informática Centro Federal de Educação Tecnológica de

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - SI

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - SI SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - SI Elaborado e adaptado por: Prof.Mestra Rosimeire Ayres Sistemas Colaborativos Empresariais (ECS) Os sistemas colaborativos nas empresas nos oferecem ferramentas para nos ajudar

Leia mais

3 a Lista de Exercícios

3 a Lista de Exercícios Engenharia de Requisitos 3 a Lista de Exercícios (1) Em relação ao levantamento e análise de requisitos, faz-se a seguinte afirmação: Os requisitos de sistema devem ser capturados, documentados e acordados

Leia mais

Conceitos. - Sistema de Informação, Estruturas e Classificação. - Dados x Informações. Edson Almeida Junior www.edsonalmeidajunior.com.

Conceitos. - Sistema de Informação, Estruturas e Classificação. - Dados x Informações. Edson Almeida Junior www.edsonalmeidajunior.com. Conceitos - Sistema de Informação, Estruturas e Classificação - Dados x Informações Edson Almeida Junior www.edsonalmeidajunior.com.br Definição de Sistema Uma coleção de objetos unidos por alguma forma

Leia mais

DCC133 Introdução à Sistemas de Informação. E-business global e colaboração

DCC133 Introdução à Sistemas de Informação. E-business global e colaboração Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação DCC133 Introdução à Sistemas de Informação TÓPICO 2 E-business global e colaboração Prof. Tarcísio de Souza Lima OBJETIVOS DE ESTUDO Identificar e descrever

Leia mais

Universidade de Brasília. Faculdade de Ciência da Informação. Profa. Lillian Alvares

Universidade de Brasília. Faculdade de Ciência da Informação. Profa. Lillian Alvares Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Profa. Lillian Alvares Fóruns / Listas de discussão Espaços para discutir, homogeneizar e compartilhar informações, idéias e experiências que

Leia mais

Serviço Público. Manutenção e Suporte em Informática

Serviço Público. Manutenção e Suporte em Informática Serviço Público Manutenção e Suporte em Informática Wilson Pedro Coordenador do Curso de Serviço Público etec_sp@ifma.edu.br Carla Gomes de Faria Coordenadora do Curso de Manutenção e Suporte em Informática

Leia mais

Trilhas de aprendizagem UCSebrae um caminho em construção

Trilhas de aprendizagem UCSebrae um caminho em construção Trilhas de aprendizagem UCSebrae um caminho em construção Trilhas de aprendizagem Trilhas de desenvolvimento Foco no desenvolvimento de competências Foco no desenvolvimento de carreiras O Sebrae O Serviço

Leia mais

O uso do gestor de conteúdos plone no suporte a processos de software

O uso do gestor de conteúdos plone no suporte a processos de software O uso do gestor de conteúdos plone no suporte a processos de software Fernando Silva Parreiras Objetivo Demonstrar a aplicação de ferramentas de gestão de conteúdo, especificamente o plone, no apoio a

Leia mais

NanowareCyber: Nosso negócio é sua formação.

NanowareCyber: Nosso negócio é sua formação. NanowareCyber: Nosso negócio é sua formação. PLATAFORMA AcademiaWeb Sistema de gerenciamento de escola virtual com gestão de conteúdo, transmissão de web-aula ao vivo e interação online com os participantes.

Leia mais

Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informações gerencias, editora Pearson, 2010. Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informação, editora LTC, 1999

Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informações gerencias, editora Pearson, 2010. Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informação, editora LTC, 1999 FSI capítulo 2 Referências bibliográficas: Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informações gerencias, editora Pearson, 2010 Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informação, editora LTC, 1999 Porter M., Competitive

Leia mais

MAPA DE PROBLEMAS Administração de Sistemas de Informações Profa.MS.c. Cláudia Brazil Marques

MAPA DE PROBLEMAS Administração de Sistemas de Informações Profa.MS.c. Cláudia Brazil Marques MAPA DE PROBLEMAS Administração de Sistemas de Informações Profa.MS.c. Cláudia Brazil Marques Nr. DESCRIÇÃO DO PROBLEMA CONHECIMENTOS COMPE TÊNCIAS PERFIS AULA 1 Qual o comportamento da organização como

Leia mais

MPA 015 Fundamentos de Sistemas de Informação

MPA 015 Fundamentos de Sistemas de Informação MPA 015 Fundamentos de Sistemas de Informação UNIFEI Universidade Federal de Itajubá Mestrado Profissional em Administração Prof. Dr. Alexandre Ferreira de Pinho Prof. Dr. Fábio Favaretto 1 Informações

Leia mais

2 ALGUMAS PLATAFORMAS DE ENSINO A DISTÂNCIA

2 ALGUMAS PLATAFORMAS DE ENSINO A DISTÂNCIA 2 ALGUMAS PLATAFORMAS DE ENSINO A DISTÂNCIA Neste capítulo faremos uma breve descrição de algumas plataformas para ensino a distância e as vantagens e desvantagens de cada uma. No final do capítulo apresentamos

Leia mais

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO @ribeirord FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Rafael D. Ribeiro, M.Sc,PMP. rafaeldiasribeiro@gmail.com http://www.rafaeldiasribeiro.com.br Sistemas de Informação Sistemas de Apoio às Operações Sistemas

Leia mais

Principais diferenciais do Office 365

Principais diferenciais do Office 365 Guia de compras O que é? é um pacote de soluções composto por software e serviços, conectados à nuvem, que fornece total mobilidade e flexibilidade para o negócio. Acessível de qualquer dispositivo e qualquer

Leia mais

PROCESSOS DE NEGÓCIOS: UMA VISÃO GERAL

PROCESSOS DE NEGÓCIOS: UMA VISÃO GERAL Universidade Federal de Santa Maria Sistemas de Informação ELC1093 Modelagem de Processos de Negócio PROCESSOS DE NEGÓCIOS: UMA VISÃO GERAL Profa. Lisandra Manzoni Fontoura Objetivos da Aula: Processos

Leia mais

Sistemas e Sistemas de Informação

Sistemas e Sistemas de Informação Sistemas e Sistemas de Informação 1) Defina pensamento sistêmico. É pensar na empresa como um sistema. A empresa não é vista como um conjunto de partes independentes, buscando alcançar objetivos isolados,

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DA EMPRESA DIGITAL

ADMINISTRAÇÃO DA EMPRESA DIGITAL Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 1.1 Capítulo 1 ADMINISTRAÇÃO DA EMPRESA DIGITAL 1.1 2003 by Prentice Hall Sistemas de Informação Gerencial Capítulo 1 Administra,cão da Empresa Digital

Leia mais

GROUPWARE & CSCW: Conceitos Básicos

GROUPWARE & CSCW: Conceitos Básicos GROUPWARE & CSCW: Conceitos Básicos Cleidson R. B. Souza cdesouza@ufpa.br Dep. Informática Universidade Federal do Pará Roteiro Introdução Motivação Consequências Definição Outras Definições Porque Groupware

Leia mais

Curso de Especialização em Saúde da Família

Curso de Especialização em Saúde da Família MÓDULO: FAMILIARIZAÇÃO TECNOLÓGICA COM EAD UNIDADE 03 DOCÊNCIA E TUTORIA NA EAD Prof. Msc Rômulo Martins 2.1 Introdução A Educação a Distância, por meio dos inúmeros recursos didáticos e tecnológicos,

Leia mais

CRM. Customer Relationship Management

CRM. Customer Relationship Management CRM Customer Relationship Management CRM Uma estratégia de negócio para gerenciar e otimizar o relacionamento com o cliente a longo prazo Mercado CRM Uma ferramenta de CRM é um conjunto de processos e

Leia mais

Modelagem do Conhecimento para a Gestão de Processos e Projetos. Modelagem do Conhecimento para a Gestão de Processos e Projetos Prof.

Modelagem do Conhecimento para a Gestão de Processos e Projetos. Modelagem do Conhecimento para a Gestão de Processos e Projetos Prof. Modelagem do Conhecimento para a Gestão de Processos e Projetos 1 Objetivo Apresentação de modelo conceitual para a integração e recuperação de informações, disponíveis em ambientes internos ou externos,

Leia mais

Unidade IV SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Prof. Daniel Arthur Gennari Junior

Unidade IV SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Prof. Daniel Arthur Gennari Junior Unidade IV SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Daniel Arthur Gennari Junior Sobre esta aula Sistema de informação nos negócios Sistemas de informação no apoio ao processo de tomada de decisão Sistemas colaborativos

Leia mais

Groupware. Protocolos e Artefatos de Coordenação em CSCW Cleidson de Souza cdesouza@ufpa.br. Exemplos. Protocolos e Artefatos de Coordenação

Groupware. Protocolos e Artefatos de Coordenação em CSCW Cleidson de Souza cdesouza@ufpa.br. Exemplos. Protocolos e Artefatos de Coordenação Groupware Protocolos e Artefatos de Coordenação em CSCW Cleidson de Souza cdesouza@ufpa.br Tecnologia computacional para auxiliar o trabalho cooperativo Mas Como o trabalho cooperativo é executado? Como

Leia mais

Tipos de Sistemas de Informação

Tipos de Sistemas de Informação Tipos de Sistemas de Informação Parte 2 Aula 5 Fundamentos de SI Prof. Walteno Martins Parreira Jr Classificação dos sistemas de informação? Cada sistema de informação é específico para desempenhar uma

Leia mais

Bancos de dados distribuídos Prof. Tiago Eugenio de Melo tiagodemelo@gmail.com. http://www.tiagodemelo.info

Bancos de dados distribuídos Prof. Tiago Eugenio de Melo tiagodemelo@gmail.com. http://www.tiagodemelo.info Bancos de dados distribuídos Prof. Tiago Eugenio de Melo tiagodemelo@gmail.com Última atualização: 20.03.2013 Conceitos Banco de dados distribuídos pode ser entendido como uma coleção de múltiplos bds

Leia mais

Interatividade aliada a Análise de Negócios

Interatividade aliada a Análise de Negócios Interatividade aliada a Análise de Negócios Na era digital, a quase totalidade das organizações necessita da análise de seus negócios de forma ágil e segura - relatórios interativos, análise de gráficos,

Leia mais

TELECOMUNICAÇÕES E REDES

TELECOMUNICAÇÕES E REDES Capítulo 8 TELECOMUNICAÇÕES E REDES 8.1 2003 by Prentice Hall OBJETIVOS Quais são as tecnologias utilizadas nos sistemas de telecomunicações? Que meios de transmissão de telecomunicações sua organização

Leia mais

Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas

Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas Aula 1 Ementa Fases do Ciclo de Vida do Desenvolvimento de Software, apresentando como os métodos, ferramentas e procedimentos da engenharia de software, podem

Leia mais

OBSERVATÓRIO DE GESTÃO DA INFORMAÇÃO. Palavras-chave: Gestão da Informação. Gestão do conhecimento. OGI. Google alertas. Biblioteconomia.

OBSERVATÓRIO DE GESTÃO DA INFORMAÇÃO. Palavras-chave: Gestão da Informação. Gestão do conhecimento. OGI. Google alertas. Biblioteconomia. XIV Encontro Regional dos Estudantes de Biblioteconomia, Documentação, Ciência da Informação e Gestão da Informação - Região Sul - Florianópolis - 28 de abril a 01 de maio de 2012 RESUMO OBSERVATÓRIO DE

Leia mais