PROJETO DE ESTÁGIO PROFISSIONAL SUPERVISIONADO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROJETO DE ESTÁGIO PROFISSIONAL SUPERVISIONADO"

Transcrição

1 PROJETO DE ESTÁGIO PROFISSIONAL SUPERVISIONADO O Estágio Curricular Supervisionado tem como objetivo desenvolver junto ao estudante a capacidade de desenvolver uma leitura problematizadora da realidade em busca do interesse de pesquisa-ação operacional. Seu desenvolvimento acontece a partir da disciplina de Diagnóstico Organizacional por meio da inserção em um contexto organizacional para observação sistêmica dos processos e pessoas, entendendo a organização com um sistema aberto, durante um semestre, realizando um recorte da realidade para estudo descritivo, mediante método e instrumentos abertos ou semiabertos de observação natural e/ou participante, bem delineados pelos orientadores e assimilados pelos estudantes, com resultados previstos em cada fase, a saber: 1. Descrever atividades de cada processo desejado na função organizacional (conforme modelo da disciplina); 2. Descrever relações interpessoais de reciprocidade, equilíbrio de poder nos processos decisórios e operativos, afetividade e fluxo de informações; 3. Descrever papeis em cada processo do sistema organizacional. A avaliação do Estágio Curricular Supervisionado compreende a elaboração de um relatório de análise institucional, contendo: Mapa descritivo da realidade, evidenciando as potencialidades e fragilidades do contexto observado; Delineamento do plano de estudos para os estágios subseqüentes, em forma de mapa conceitual. Análise crítica do processo a fim de estabelecer relações entre teoria e prática; Avaliação realizada pelo professor da disciplina acontece considerando os seguintes critérios: No primeiro momento, o professor avaliará o envolvimento dos alunos nas aulas presenciais e seu desempenho apresentado, seguindo as normas da instituição para formalização da nota de freqüência. Esta avaliação envolve os aspectos de assiduidade, PÁGINA 1

2 pontualidade, responsabilidade e interatividade (atitude, postura, participação e cooperação); No segundo momento, o professor estará avaliando o aluno em relação ao seu aproveitamento das aulas que não exigem freqüência obrigatória, mas que serão disponibilizadas para desenvolvimento da estrutura do relatório final ou para orientações específicas ao esclarecimento de dúvidas surgidas no decorrer da observação/relatório; Por fim, a avaliação final e mais relevante, a nota atribuída ao relatório final, fruto de todo o desenvolvimento da disciplina, a qual só será atribuída aos alunos que entregarem o respectivo relatório na data definida no cronograma de aulas publicado na plataforma, caso a entrega não ocorra na data determinada será atribuída nota zero ao mesmo. 1 REGULAMENTO PARA DISCIPLINAS DE PRÁTICA Capítulo I - Da Natureza Art. 1º. De acordo com a Resolução Nº 4 de julho de 2005 que institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Administração, Bacharelado, e dá outras providências, o Curso de Administração deve desenvolver nos alunos as questões científicas, técnicas, sociais e econômicas da produção e de seu gerenciamento observados os níveis graduais do processo de tomada de decisão, apresentando flexibilidade intelectual e adaptabilidade contextualizada no trato de situações diversas, presentes ou emergentes, nos vários segmentos do campo de atuação do administrador. Art. 2º. As disciplinas de prática são classificadas em duas categorias: a) estágio, que compreende a disciplina de Diagnóstico Organizacional; b) construção dos trabalhos de conclusão de curso, compreendendo as disciplinas de Projeto de Pesquisa e Trabalho de Conclusão de Curso. Art. 3º. O presente Regulamento tem por finalidade normatizar e orientar a realização das atividades de estágio, conforme estabelecido no Projeto Pedagógico do Curso de Administração da FSG, de acordo com a Resolução Nº 4 de julho de PÁGINA 2

3 Capítulo II - Dos Objetivos Art. 3º As disciplinas de Práticas do Curso de Administração tem como objetivos: (a) assegurar a consolidação e articulação das competências estabelecidas como aprendizagem profissional, social e cultural, que foram vivenciadas pelo estudante no curso; (b) propiciar a complementação das habilidades e competências dos alunos, possibilitando experiência profissional supervisionada; (c) oportunizar a aplicação na prática dos conhecimentos teóricos aprendidos no decorrer do curso; (d) integrar o processo de ensinoaprendizagem, além de (e) favorecer aos alunos no seu aprimoramento pessoal e profissional, incentivando-os a conhecer e utilizar novas tecnologias, manter a integração entre as empresas e a comunidade acadêmica, bem como estabelecer sua atuação como profissional da área de Administração. Capítulo III - Dos Aspectos Legais Art. 4º. As disciplinas de Práticas são obrigatórias para a integralização curricular do Curso de Administração da FSG, sendo serão 17 (dezessete) créditos, dispostos em três semestres, de acordo com a seguinte divisão: Diagnóstico Organizacional 6º semestre; Projeto de Pesquisa 7º semestre; Trabalho de Conclusão de Curso 8º semestre. Art. 5º. A disciplina de Prática, classificada como estágio deve seguir aspectos legais, conforme estabelecido nos seguintes parágrafos: 1º - deve estar vinculado a uma organização ou a grupos de empresas, por intermédio da assinatura de Acordo de Cooperação com a - FSG, desde que apresentem condições para: (a) planejamento, execução e avaliação conjuntas das atividades do Estágio Supervisionado; (b) aprofundamento que permitam e ofereçam condições para a realização do Estágio Supervisionado; 2º - formalização de termo de compromisso entre empresa e a Faculdade da Serra Gaúcha para o cumprimento da prática, desde que propicie aos alunos conhecimentos teórico-práticos, através de vivência efetiva de situações reais de trabalho profissional, numa área específica da Administração; 3º - poderá ser realizado na própria instituição de ensino, no caso de haver laboratórios que congreguem as diversas ordens práticas correspondentes aos diferentes pensamentos da Ciência Administrativa; PÁGINA 3

4 4º - deverá ser realizado de forma individual; 5º - os alunos que ingressarem no curso de Administração da FSG, por meio de transferência ou outro dispositivo legal, devem se sujeitar ao cumprimento da carga horária estabelecida pelo Projeto Pedagógico do Curso de Administração, não podendo solicitar aproveitamento de créditos para estas disciplinas; 6º - deve estar relacionado a uma das áreas abrangidas pelo campo profissional do administrador. Capítulo IV - Da Coordenação das Disciplinas de Práticas Art. 9º. A coordenação das disciplinas de práticas caberá ao Comitê de Práxis integrado pelo Coordenador do Curso de Administração e de 2 (dois) professores indicados pelo coordenador. Art. 10º. O Comitê de Práxis terá as seguintes atribuições: (a) convocar e presidir reuniões do Colegiado do Curso de Administração quando o assunto for às disciplinas de práticas; (b) elaborar e propor ao Colegiado do Curso de Administração normas para as disciplinas de prática de acordo com este regulamento; (c) elaborar e propor roteiro para a realização das Disciplinas de Práticas; (d) indicar e divulgar os professores orientadores para cada área de Prática; (e) informar aos professores orientadores e alunos sobre o processo de práticas, principalmente no que diz respeito as suas normas; (f) orientar os alunos para a efetivação de suas disciplinas de prática; (g) propor a composição das comissões de avaliação dos trabalhos; (h) fixar datas para apresentação e avaliação de Prática e; (i) substituir professores indicados em avaliação ou orientações, quando necessário. Capítulo V - Das Condições Art. 11º. Para o desenvolvimento das atividades da disciplina de Trabalho de Conclusão de Curso será designado pelo Comitê de Práxis o professor orientador de cada aluno, com formação compatível com a área de conhecimento do Curso de Administração. Art. 12º. Os professores orientadores devem ser lotados no Curso de Administração da FSG ou, excepcionalmente, podem ser indicados professores de outras instituições de ensino superior, desde que devidamente habilitados para a área de conhecimento das atividades de Prática e aprovados pelo Comitê de Práxis. PÁGINA 4

5 Art. 13º. O campo de estágio é o local de estágio, sendo formado por empresas e/ou organizações, de direito público ou privado, que se disponha a ser objeto de estudo. Art. 14º. A supervisão no campo de estágio deve ser exercida por uma pessoa do quadro de colaboradores da organização concedente do estágio, cabendo-lhe o acompanhamento do estagiário, com a finalidade de garantir que o estudo esteja de acordo com os interesses da organização, com a intencionalidade das disciplinas de práticas e com os objetivos do Curso de Administração da FSG. Capítulo VI - Das Atividades da Disciplina de Práticas Classificada Como Estágio Art. 15º. O Diagnóstico Organizacional tem como objetivo a análise dos modelos de gestão e orientação das empresas, fornecendo as ferramentas para a sua investigação podendo reconhecê-los e mensurar os resultados decorrentes. Será constituído das seguintes etapas: a) Caracterização da empresa através da apresentação do histórico, do ambiente externo, da estrutura organizacional, da definição de missão, visão, valores, objetivos, mercado(s) de atuação e produtos e/ou serviços desenvolvidos, das áreas organizacionais e suas relações sistêmicas; b) Descrição das atividades de cada processo desejado no sistema organizacional; c) Descrição das relações interpessoais de reciprocidade, equilíbrio de poder nos processos decisórios e operativos, afetividade e fluxo de informações; Art. 16º. Para a realização da matrícula no Diagnóstico Organizacional o aluno deverá ter sido aprovado em todas as disciplinas até o 5.º semestre do Curso de Administração da FSG, bem como, ter obtido aceite de uma organização para ser o objeto de estudo na disciplina, sendo responsável por providenciar e protocolar na FSG todos os documentos solicitados referidos acima. Capítulo VII - Das Atividades das Disciplinas de Práticas Classificada Como TCC Art. 17º. O Projeto de Pesquisa tem como objetivo a elaboração do projeto de pesquisa, com modelo padrão normatizado pelo o curso, relacionando teoria e prática e inserção no campo profissional, via linhas específicas de formação. PÁGINA 5

6 O Projeto de Pesquisa deverá ser constituído das seguintes etapas: a) O problema de pesquisa deve conter a identificação de um tema de interesse do aluno, sendo que este deve ser adequado aos assuntos pertinentes ao Curso de Administração, bem como a definição; b) A fundamentação teórica deve sustentar o problema de pesquisa, a definição do método de pesquisa e a elaboração da análise dos dados e conclusões; c) A metodologia deve identificar e determinar as técnicas mais adequadas à coleta, a análise e à interpretação dos dados para a realização da pesquisa; Art. 18º. O trabalho de Conclusão de Curso tem como objetivo a elaboração do relatório final da pesquisa, proposto na disciplina Projeto de Pesquisa. Art. 19º. As normas para elaboração e formatação dos trabalhos das Disciplinas de Práticas deverão seguir o padrão estabelecido pelo Manual de Normatização dos Trabalhos Acadêmicos do Curso de Administração, utilizado pela - FSG. Art. 20. Para a realização da matrícula no Projeto de Pesquisa o aluno deverá ter sido aprovado em todas as disciplinas até o 6º semestre do Curso de Administração da FSG. Art. 21º. Para a realização da matrícula no Trabalho de Conclusão de Curso o aluno deverá ter cursado a disciplina de Projeto de Pesquisa do Curso de Administração da FSG. Capítulo VIII - Da Avaliação das Disciplinas de Práticas Art. 22º. Na disciplina de Diagnóstico Organizacional, a avaliação estará centrada na realização das descrições e diagnósticos. 1º. O aluno deverá entregar as análises para o professor da disciplina que será o responsável pela avaliação e atribuição de nota. Art. 23º. Na disciplina de Projeto de Pesquisa, a avaliação será centrada na participação e na elaboração do projeto de pesquisa. 1º. O aluno deverá apresentar o projeto de pesquisa para o professor da disciplina que será responsável pela avaliação e atribuição de nota. Art. 24º. Na disciplina de Trabalho de Conclusão de Curso, a avaliação será centrada na elaboração e apresentação do Trabalho de Conclusão de Curso. A avaliação acontecerá em três momentos: PÁGINA 6

7 1º. Avaliação processual realizada pelo professor orientador: avalia o desempenho do aluno durante a elaboração do trabalho; 2º. Avaliação do Trabalho de Conclusão do Curso TCC será objeto de apresentação e defesa oral pelo estagiário em reunião aberta, conforme calendário a ser divulgado com antecedência e será avaliado por uma Banca Examinadora constituída pelo professor Orientador do aluno e por dois professores convidados pela coordenação de curso. Capítulo VIX - Da Orientação Art. 25º. O professor Orientador tem como atribuições: (a) acompanhar a aplicação do projeto e desenvolvimento o Trabalho de Conclusão de Curso das atividades propostas para a disciplina Trabalho de Conclusão de Curso; (b) auxiliar o aluno a superar as dificuldades técnicas e metodológicas de acordo com a finalidade deste Regulamento; (c) avaliar as atividades e os resultados obtidos pelo aluno, demonstrados pela aquisição de perfil profissional correspondente ao egresso do Curso de Administração; (d) participar das reuniões referentes às disciplinas de práticas; (e) acatar, fazer e executar as decisões do Comitê de Práxis; (g) responsabilizar-se pela qualidade do Trabalho de Conclusão de Curso desenvolvido na disciplina de Trabalho de Conclusão de Curso, avaliado pelos professores examinadores e, posteriormente, em versão definitiva que deve ser entregue ao Comitê de Práxis. Art. 26º. Cada professor orientador deverá atender no máximo 20 (vinte) alunos por semestre letivo, de acordo com a disponibilidade do professor orientador, devidamente matriculado na disciplina de Trabalho de Conclusão de Curso, em local e horário preestabelecidos para orientação ao aluno, com designação e/ou conhecimento prévio do Comitê de Práxis. 1º - O professor orientador deverá dedicar trinta minutos com atendimento semanal durante o semestre letivo, a cada aluno/orientando da disciplina de Trabalho de Conclusão de Curso. Art. 27º. Para exercer as funções de orientador o professor deverá ter formação e experiência nas áreas de estudo com conhecimento em metodologia científica e habilidades em orientação do trabalho científico. PÁGINA 7

8 Capítulo X - Dos Locais de Práticas Classificadas como Estágio Art. 28º. As empresas consideradas como locais para realização de estágio serão aquelas em que o aluno visitou durante a realização da disciplina de Diagnóstico Organizacional, sendo que essas empresas e/ou locais de estágio deverão preencher os seguintes requisitos: 1º - Oferecer condições de trabalho ao aluno para o pleno desenvolvimento das atividades previstas na disciplina de prática; 2º - Participar das reuniões do Comitê de Práxis, quando solicitado, através de representante indicado pela empresa e/ou local de estágio; 3º - Comunicar ao Comitê de Práxis qualquer irregularidade que venha a ocorrer durante a realização do estágio. Capítulo XI - Dos Alunos Art. 29º. Os alunos das disciplinas de práticas têm as seguintes atribuições: (a) encaminhar as tratativas junto ao campo de prática indicado, por meio de contatos com a equipe diretiva e supervisor de campo, definindo as necessidades administrativas para a realização do estágio, no que compete à responsabilidade enquanto aluno estagiário; (b) encaminhar ao Comitê de Práxis do Curso as informações relativas ao contexto onde vai realizar o estágio (pesquisa de campo), para facilitar o encaminhamento do seu projeto (planejamento e ação reflexiva a partir da realidade constatada); (c) planejar e desenvolver as atividades de práticas, a partir da proposta apresentada; (d) elaborar relatório de pesquisa que revele o conhecimento construído a partir de sua prática reflexiva; (e) apresentar sugestões ou solicitações que venham contribuir para o melhor desempenho de suas atividades durante o desenvolvimento das disciplinas de práticas; (f) observar os regulamentos e exigências das empresas e/ou locais de estágio; (g) participar de atividades afins, conforme solicitação de algum membro do Comitê de Práxis; (h) comunicar e justificar com antecedência ao professor orientador, e na ausência deste ao Comitê de Práxis, quaisquer alterações das atividades previstas; (i) receber orientação para realizar as atividades curriculares previstas, de acordo com o estabelecido neste regulamento. PÁGINA 8

9 Capítulo XII - Das Proibições Art. 30º. Aos professores orientadores, campos de atuação e alunos estagiários são proibições, de par com outras estabelecidas e sancionadas pelo Código de Ética do Administrador e demais normas vigentes, o seguinte: (a) proceder de forma desidiosa quanto à guarda e devolução de informações, documentos e papéis relacionados com o estágio; (b) solicitar ou receber, a qualquer título, quantia, valores ou bens, em razão de suas funções ou aceitar promessa de tais vantagens; (c) valer-se do estágio para captação de clientela em proveito próprio ou alheio; (d) assumir, sob qualquer argumento ou pretexto, o patrocínio particular do interesse de partes pretendentes ao serviço; (e) utilizar-se do documento comprobatório de sua condição de estagiário para fins diferentes do exercício do estágio; (f) proceder com improbidade mediante prática de atos incompatíveis com os princípios éticos que presidem ao desempenho profissional. Capítulo XIII - Das Penalidades Disciplinares Art. 31º. O não cumprimento de quaisquer disposições contidas neste Regulamento está sujeitas as seguintes penalidades disciplinares: (a) advertência; (b) subtração de carga horária; (c) suspensão; (d) exclusão. 1º. Na aplicação das penalidades serão consideradas a natureza da falta e a gravidade dos seus efeitos sobre a disciplina e funcionamento das disciplinas de prática; 2º. No exercício de atividades vinculadas direta ou indiretamente às disciplinas de práticas, aplicam-se aos alunos do Curso as normas do Código de Ética e disciplina dos profissionais de Administração; 3º. Quando infringida qualquer norma do Código de Ética, referido no parágrafo anterior por parte de aluno, deverá ser seguido o procedimento e as sanções previstas no Regimento dos Cursos de Graduação da FSG, quando trata do regime disciplinar do corpo discente. Capítulo XIV - Das Disposições Gerais Art. 32º. É vedada a realização em grupo das atividades das disciplinas de prática, em qualquer categoria, tanto nas atividades relativas ao Diagnóstico Organizacional, no projeto PÁGINA 9

10 da disciplina de Projeto de Pesquisa, e no desenvolvimento das atividades que envolvem o Trabalho de Conclusão de Curso. Art. 33º. Os casos omissos neste Regulamento serão analisados e julgados pelo Comitê de Práxis e encaminhados aos órgãos competentes para solução, quando exceder o poder de decisão dos mesmos. Art. 34º. Este Regulamento entra em vigor na data de sua aprovação pelo Colegiado do Curso de Administração. PÁGINA 10

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC CAPÍTULO I DA NATUREZA Art. 1º. De acordo com a Resolução CNE/CES nº 10 de 16 de dezembro de 2004 que institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do

Leia mais

FACULDADE DE EDUCAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E TECNOLOGIA DE IBAITI - FEATI

FACULDADE DE EDUCAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E TECNOLOGIA DE IBAITI - FEATI ASSOCIAÇÃO DE ENSINO SUPERIOR DE IBAITI FACULDADE DE EDUCAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E TECNOLOGIA DE IBAITI - FEATI REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS COORDENADORA

Leia mais

UNIESP - CASCAVEL FACULDADE DE TECNOLOGIA E GESTÃO FATEG REGULAMENTO TCC

UNIESP - CASCAVEL FACULDADE DE TECNOLOGIA E GESTÃO FATEG REGULAMENTO TCC UNIESP - CASCAVEL FACULDADE DE TECNOLOGIA E GESTÃO FATEG REGULAMENTO TCC REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS COORDENADORA DO CURSO Profa. Ms. Arlete Korovisk

Leia mais

CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS COLEGIADO DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS COLEGIADO DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Regulamento do Estágio Curricular Obrigatório do Bacharelado em Ciências Biológicas 1 CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS COLEGIADO DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 1 REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - Este regulamento normatiza as atividades relacionadas ao Estágio Curricular do Curso de Administração

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FACULDADE ANGLO-AMERICANO CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO Art. 1º Este Regulamento disciplina as atividades do Estágio Curricular Supervisionado,

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA Santa Maria, RS. 2012 SUMÁRIO CAPÍTULO I... 3 DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS... 3 CAPÍTULO II... 4 REGULARIZAÇÃO DO ESTÁGIO... 4 CAPÍTULO III... 5 DOS ASPECTOS LEGAIS... 5

Leia mais

Curso de Sistema de Informação

Curso de Sistema de Informação 1 Regulamento de Estágio Curricular Obrigatório Curso de Sistema de Informação Cascavel - PR CAPITULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º. Este regulamento tem por finalidade normatizar o Estágio Curricular

Leia mais

Resolução nº. 01/09. Título I Estágio Supervisionado. Capítulo I. Caracterização do Estágio:

Resolução nº. 01/09. Título I Estágio Supervisionado. Capítulo I. Caracterização do Estágio: 1 Resolução nº. 01/09 Aprovar o Regulamento do Estágio Curricular Supervisionado do Curso de Pedagogia - considerando o art.70, VII do Regimento desta Instituição; - considerando necessidade de normatizar

Leia mais

Curso de Engenharia de Elétrica

Curso de Engenharia de Elétrica Regulamento de Estágio Curricular Obrigatório Curso de Engenharia de Elétrica Cascavel-PR 2011 - 2 - CAPITULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º. Este regulamento tem por finalidade normatizar o Estágio

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL CAPÍTULO I DA NATUREZA Art. 1º Este Regulamento estabelece as políticas da disciplina de Trabalho

Leia mais

Bem vindo! Você, acadêmico de Psicologia, chegou ao meio do curso, e a partir de agora até a formatura, é também um estagiário.

Bem vindo! Você, acadêmico de Psicologia, chegou ao meio do curso, e a partir de agora até a formatura, é também um estagiário. FACULDADE DE PSICOLOGIA Bem vindo! Você, acadêmico de Psicologia, chegou ao meio do curso, e a partir de agora até a formatura, é também um estagiário. Estagiário é todo aluno, regularmente matriculado,

Leia mais

O Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, da Faculdade. de maio de 2007, publicada em DOU de 22 de maio de 2007, considerando:

O Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, da Faculdade. de maio de 2007, publicada em DOU de 22 de maio de 2007, considerando: Resolução Nº. 024/2010/CONSEPE/ Regulamento de Estágio Supervisionado O Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, da Faculdade de Educação e Meio Ambiente, credenciada pela Portaria MEC

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS REGULAMENTO

ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS REGULAMENTO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS REGULAMENTO Guarapuava 2013 1 CAPÍTULO I DAS CONSIDERAÇÕES INICIAIS Art. 1º As atividades de Estágio Curricular Supervisionado do Curso de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 03/2009, DE 5 DE JANEIRO DE 2009

RESOLUÇÃO Nº 03/2009, DE 5 DE JANEIRO DE 2009 RESOLUÇÃO Nº 03/2009, DE 5 DE JANEIRO DE 2009 Altera o Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso - TCC do Curso de Economia, na forma do Anexo. O Reitor da Universidade Regional de Blumenau, no uso

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DO ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO. Matriz 23

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DO ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO. Matriz 23 MANUAL DE PROCEDIMENTOS DO ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA LICENCIATURA Matriz 23 Junho de 2013 1 MANUAL DE PROCEDIMENTOS DO ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DO CURSO DE LICENCIATURA

Leia mais

Universidade Estadual de Maringá Centro de Tecnologia

Universidade Estadual de Maringá Centro de Tecnologia RESOLUÇÃO Nº 094/2010-CTC CERTIDÃO Certifico que a presente resolução foi afixada em local de costume, neste Centro, no dia 16/12/2010. Éder Rodrigo Gimenes Secretário Aprova Regulamento do componente

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE ENGENHARIA CIVIL REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE ENGENHARIA CIVIL REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE ENGENHARIA CIVIL REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente instrumento regulamenta as atividades do Estágio

Leia mais

CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS

CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO NÃO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA FACULDADE ARTHUR THOMAS CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS Art. 1º. O presente Regulamento estabelece as políticas

Leia mais

FACULDADE MORAES JÚNIOR MACKENZIE RIO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPITULO I DO OBJETIVO, DA NATUREZA E DA FINALIDADE

FACULDADE MORAES JÚNIOR MACKENZIE RIO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPITULO I DO OBJETIVO, DA NATUREZA E DA FINALIDADE FACULDADE MORAES JÚNIOR MACKENZIE RIO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPITULO I DO OBJETIVO, DA NATUREZA E DA FINALIDADE Art. 1º. O objetivo das Atividades Complementares é fomentar complementação

Leia mais

POLÍTICA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL

POLÍTICA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL POLÍTICA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL Abril / 2014 Apresentação O Estágio Supervisionado em Serviço Social é um ato educativo que acontece no ambiente de trabalho e

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIOS

REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIOS REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIOS Dispõe sobre os estágios realizados pelos discentes do Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais - IFMG, em cumprimento da Lei nº 11.788, de 25 de setembro

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSEPE Nº 88/2009

RESOLUÇÃO CONSEPE Nº 88/2009 RESOLUÇÃO CONSEPE Nº 88/2009 O Presidente do Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, no uso de suas atribuições, considerando o deliberado na 80ª. Reunião Ordinária do CONSEPE, realizada

Leia mais

Nome do curso: Pedagogia

Nome do curso: Pedagogia Nome do curso: Pedagogia MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Artigo 1º - O ESTÁGIO SUPERVISIONADO, previsto na Lei nº 9394/96 de Diretrizes e Bases da Educação Nacional de 20 de dezembro de 1996, visa a complementar

Leia mais

NORMAS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO PARA OS CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS DA PUCRS

NORMAS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO PARA OS CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS DA PUCRS NORMAS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO PARA OS CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS DA PUCRS CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS: Habilitações: Língua Portuguesa e respectivas Literaturas Língua Espanhola e respectivas

Leia mais

F A C U L D A D E N A Z A R E N A D O B R A S I L REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO B A C H A R E L A D O E M T E O L O G I A

F A C U L D A D E N A Z A R E N A D O B R A S I L REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO B A C H A R E L A D O E M T E O L O G I A F A C U L D A D E N A Z A R E N A D O B R A S I L REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO B A C H A R E L A D O E M T E O L O G I A 2 CAPÍTULO I DA NATUREZA Art. 1º O Trabalho de Conclusão de Curso

Leia mais

FACULDADE ADVENTISTA DA BAHIA REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA

FACULDADE ADVENTISTA DA BAHIA REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA FACULDADE ADVENTISTA DA BAHIA REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA SUMÁRIO Capítulo I 3 DAS DISPOSIÇÕES LEGAIS 3 Capítulo II 3 DA APRESENTAÇÃO 3 Capítulo III 4 DOS OBJETIVOS

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO FACULDADE SUMARÉ

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO FACULDADE SUMARÉ REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO FACULDADE SUMARÉ 2008 CAPÍTULO I DA CONCEPÇÃO E FINALIDADE Art. 1º. Respeitada a legislação vigente, as normas específicas aplicáveis a cada curso e, em

Leia mais

REGULAMENTO DE REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO Curso de Administração Faculdade São Camilo - RJ

REGULAMENTO DE REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO Curso de Administração Faculdade São Camilo - RJ REGULAMENTO DE REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO Curso de Administração Faculdade São Camilo - RJ 2013 2 TÍTULO I DAS CONSIDERAÇÕES GERAIS Artigo 1º - O Curso de Administração da Faculdade São Camilo, possui a exigência

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO MANTENEDORA: COMPLEXO DE ENSINO SUPERIOR DE CACHOEIRINHA MANTIDA: FACULDADE INEDI Cachoeirinha Rio Grande do Sul REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Art.1º. O Estágio Supervisionado é componente curricular obrigatório do Curso de Graduação em Administração da FASIP que visa a proporcionar

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL REGULAMENTO DO PROJETO INTEGRADO EM ENGENHARIA AMBIENTAL

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL REGULAMENTO DO PROJETO INTEGRADO EM ENGENHARIA AMBIENTAL UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL REGULAMENTO DO PROJETO INTEGRADO EM ENGENHARIA AMBIENTAL CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente instrumento regulamenta

Leia mais

Regulamento dos Estágios Supervisionados do Curso de Pedagogia CAPÍTULO I DA REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

Regulamento dos Estágios Supervisionados do Curso de Pedagogia CAPÍTULO I DA REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Regulamento dos Estágios Supervisionados do Curso de Pedagogia CAPÍTULO I DA REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Art. 1º Os Estágios Supervisionados na Gestão e Docência da Educação Infantil e na

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM LETRAS LÍNGUA PORTUGUÊSA INGLÊS E RESPECTIVAS LITERATURAS.

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM LETRAS LÍNGUA PORTUGUÊSA INGLÊS E RESPECTIVAS LITERATURAS. REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM LETRAS LÍNGUA PORTUGUÊSA INGLÊS E RESPECTIVAS LITERATURAS. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL O presente regulamento fundamenta-se nos termos

Leia mais

FACULDADE MORAES JÚNIOR MACKENZIE RIO REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TÍTULO I CAPÍTULO I DO OBJETIVO, DA NATUREZA E DA FINALIDADE

FACULDADE MORAES JÚNIOR MACKENZIE RIO REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TÍTULO I CAPÍTULO I DO OBJETIVO, DA NATUREZA E DA FINALIDADE FACULDADE MORAES JÚNIOR MACKENZIE RIO REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TÍTULO I CAPÍTULO I DO OBJETIVO, DA NATUREZA E DA FINALIDADE SEÇÃO I DO OBJETIVO Art. 1º O presente Regulamento tem por

Leia mais

ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO. A disciplina de Estágio Supervisionado ocorrerá, sempre que possível, da seguinte

ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO. A disciplina de Estágio Supervisionado ocorrerá, sempre que possível, da seguinte ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO forma: A disciplina de Estágio Supervisionado ocorrerá, sempre que possível, da seguinte 1. Primeiro contato com a administração e o serviço de supervisão

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE LETRAS REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DA ESTRUTURA

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE LETRAS REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DA ESTRUTURA UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE LETRAS REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DA ESTRUTURA Art. 1º O presente regulamento estabelece as orientações básicas

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 04, DE 09 DE JUNHO DE 2015

RESOLUÇÃO Nº 04, DE 09 DE JUNHO DE 2015 RESOLUÇÃO Nº 04, DE 09 DE JUNHO DE 2015 Institui regulamento referente ao Trabalho de Conclusão de Curso para o curso de Medicina do Instituto Metropolitano de Ensino Superior. O PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL Faculdade de Ciências Biomédicas de Cacoal CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL Cacoal RO REGULAMENTO DE ESTÁGIOS

Leia mais

Curso de Serviço social

Curso de Serviço social 3 1 TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC O objetivo geral do Trabalho de Conclusão de Curso - TCC é servir de instrumento estimulador à aplicação, no campo prático, de conhecimentos adquiridos no decorrer

Leia mais

FACULDADE DE FILOSOFIA, CIÊNCIAS E LETRAS DOM BOSCO CURSO DE PEDAGOGIA ATIVIDADES TEÓRICO-PRÁTICAS - NORMAS -

FACULDADE DE FILOSOFIA, CIÊNCIAS E LETRAS DOM BOSCO CURSO DE PEDAGOGIA ATIVIDADES TEÓRICO-PRÁTICAS - NORMAS - Direção da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras Dom Bosco / AEDB Prof. Ms. Antonio Carlos Simon Esteves Coordenação do Curso de Pedagogia Profa. Ms. Sueli Sardinha Guedes 2 MISSÃO DA FFCLDB/AEDB Promover

Leia mais

Adendos do Curso de Zootecnia aos Regulamentos de Estágios da UFPel

Adendos do Curso de Zootecnia aos Regulamentos de Estágios da UFPel Adendos do Curso de Zootecnia aos Regulamentos de Estágios da UFPel MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS COLEGIADO DO CURSO DE BACHARELADO EM ZOOTECNIA ADENDOS DO CURSO DE ZOOTECNIA AS

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO CAPÍTULO I DA NATUREZA

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO CAPÍTULO I DA NATUREZA UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO CAPÍTULO I DA NATUREZA Art. 1º Este Regulamento estabelece a normatização das disciplinas

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE BACHARELADO EM ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DA UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE PALMEIRAS DE GOIÁS

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DA UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE PALMEIRAS DE GOIÁS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS Unidade Universitária de Palmeiras de Goiás Rua S-7, s/ nº _ Setor Sul_ Palmeiras de Goiás-GO Fone/ Fax: (64) 3571-1198 (64) 3571-1173 REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO E PRÁTICA DE ENSINO DO CURSO DE FISIOTERAPIA DA FAP - FACULDADE DE APUCARANA

REGULAMENTO INTERNO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO E PRÁTICA DE ENSINO DO CURSO DE FISIOTERAPIA DA FAP - FACULDADE DE APUCARANA REGULAMENTO INTERNO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO E PRÁTICA DE ENSINO DO CURSO DE FISIOTERAPIA DA FAP - FACULDADE DE APUCARANA TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS CAPÍTULO I DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Artigo

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA. Capítulo I DAS DISPOSIÇÕES LEGAIS

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA. Capítulo I DAS DISPOSIÇÕES LEGAIS Resolução do colegiado de Pedagogia nº 03/2014 Regulamenta Estágio supervisionado do curso de Pedagogia, fixados no Projeto Pedagógico do Curso de Pedagogia, Licenciatura, do Centro de Ensino Superior

Leia mais

CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DA ESTRUTURA

CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DA ESTRUTURA UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE LETRAS REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS EM LÍNGUA PORTUGUESA E LITERATURA E LÍNGUAS ESTRANGEIRAS (INGLESA, ESPANHOLA E ALEMÃ) CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 06/2006, DE 17 DE FEVEREIRO DE 2006

RESOLUÇÃO Nº 06/2006, DE 17 DE FEVEREIRO DE 2006 RESOLUÇÃO Nº 06/2006, DE 17 DE FEVEREIRO DE 2006 Altera o Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso - TCC do Curso de Direito, na forma do Anexo. O VICE-REITOR, NO EXERCÍCIO DA REITORIA DA UNIVERSIDADE

Leia mais

REGULAMENTO DE REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO Curso de Administração Hospitalar Faculdade São Camilo - RJ

REGULAMENTO DE REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO Curso de Administração Hospitalar Faculdade São Camilo - RJ REGULAMENTO DE REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO Curso de Administração Hospitalar Faculdade São Camilo - RJ 2 TÍTULO I DAS CONSIDERAÇÕES GERAIS Artigo 1º - O Curso de Administração da Faculdade São Camilo mantém

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º. Este Regulamento estabelece as normas relativas às disciplinas Trabalho de Conclusão de Curso I (TCC

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º - Este Regulamento estabelece as normas relativas às disciplinas Trabalho

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O. Fica alterado o Regulamento de Estágio Supervisionado do Curso de Psicologia, do. São Paulo, 26 de abril de 2012.

R E S O L U Ç Ã O. Fica alterado o Regulamento de Estágio Supervisionado do Curso de Psicologia, do. São Paulo, 26 de abril de 2012. RESOLUÇÃO CONSEACC/SP 04/2012 ALTERA O REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PSICOLOGIA, DO CAMPUS SÃO PAULO DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO USF. A Presidente do Conselho Acadêmico de Campus

Leia mais

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO REGULAMENTO GERAL DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO REGULAMENTO GERAL DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO REGULAMENTO GERAL DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DA CONCEITUAÇÃO E OBJETIVOS Art. 1º - O Trabalho de Conclusão de Curso

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 74/2010

RESOLUÇÃO Nº 74/2010 RESOLUÇÃO Nº 74/2010 Institui e regulamenta o estágio supervisionado curricular nos cursos de graduação da UFES. O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO, no

Leia mais

DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 4 Regulamento de Estágio do Curso de Serviço Social DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O Estágio Supervisionado, previsto no Currículo do Curso de Serviço Social será desenvolvido de acordo com as normas

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 15/2010, DE 12 DE ABRIL DE 2010

RESOLUÇÃO Nº 15/2010, DE 12 DE ABRIL DE 2010 RESOLUÇÃO Nº 15/2010, DE 12 DE ABRIL DE 2010 Aprova o Regulamento de Estágio Supervisionado de Iniciação Profissional do Curso de Ciências Contábeis, na forma do Anexo. O Reitor da Universidade Regional

Leia mais

CAPÍTULO I DA IDENTIFICAÇÃO

CAPÍTULO I DA IDENTIFICAÇÃO CAPÍTULO I DA IDENTIFICAÇÃO Art. 1º O Laboratório de Línguas é um órgão complementar de fomento ao ensino, pesquisa, extensão, e prestação de serviços vinculado ao Centro de Letras e Ciências Humanas sob

Leia mais

CARGO: PROFESSOR Síntese de Deveres: Exemplo de Atribuições: Condições de Trabalho: Requisitos para preenchimento do cargo: b.1) -

CARGO: PROFESSOR Síntese de Deveres: Exemplo de Atribuições: Condições de Trabalho: Requisitos para preenchimento do cargo: b.1) - CARGO: PROFESSOR Síntese de Deveres: Participar do processo de planejamento e elaboração da proposta pedagógica da escola; orientar a aprendizagem dos alunos; organizar as atividades inerentes ao processo

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (PROJETO DE PESQUISA E RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA)

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (PROJETO DE PESQUISA E RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA) REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (PROJETO DE PESQUISA E RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA) ARARUAMA / RIO DE JANEIRO AGOSTO / 2013 Diretor Geral: Prof. Rogério Leopoldo Rocha Diretor Acadêmico:

Leia mais

Regulamento dos Estágios Supervisionados do Curso de Educação Física CAPÍTULO I DA REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CAPÍTULO II DA NATUREZA

Regulamento dos Estágios Supervisionados do Curso de Educação Física CAPÍTULO I DA REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CAPÍTULO II DA NATUREZA Regulamento dos Estágios Supervisionados do Curso de Educação Física CAPÍTULO I DA REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Art. 1º Os Estágios Supervisionados de formação no Curso de Educação Física/FAED/UFGD

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE ENSINO NORMATIVA INTERNA PARA O TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)

PRÓ-REITORIA DE ENSINO NORMATIVA INTERNA PARA O TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) PRÓ-REITORIA DE ENSINO NORMATIVA INTERNA PARA O TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) Aracaju/SE 2011 CAPÍTULO I Das finalidades e dos Objetivos Art. 1º - As Normas de Trabalho de Conclusão de Curso (TCC)

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 44, DE 20 DE MARÇO DE 2015.

RESOLUÇÃO Nº 44, DE 20 DE MARÇO DE 2015. RESOLUÇÃO Nº 44, DE 20 DE MARÇO DE 2015. O CONSELHO DE FACULDADE DA FACULDADE DE COMPUTAÇÃO da Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, no uso de suas atribuições legais e considerando a Resolução

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MONITORIA GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS BACHARELADO

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MONITORIA GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS BACHARELADO FASIPE CENTRO EDUCACIONAL LTDA. Mantenedora Faculdade Cenecista de Sinop Facenop/FASIPE Mantida REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MONITORIA GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS BACHARELADO SINOP / MATO GROSSO 2014

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul 1 NORMATIVA DE ESTÁGIOS Fixa normas para o funcionamento dos Estágios Supervisionados Específicos em Psicologia. (Aprovado pelo Colegiado da Faculdade de Psicologia em 04/06/2014). SEÇÃO I - DOS OBJETIVOS

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL I INTRODUÇÃO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL I INTRODUÇÃO O estágio curricular do curso de Serviço Social é uma atividade obrigatória, em consonância com as Diretrizes Curriculares Nacionais

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO. Curso de Teologia

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO. Curso de Teologia REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Curso de Teologia Associação Educacional Batista Pioneira 2010 CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO E DA FINALIDADE DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Art. 1º - Este instrumento regulamenta

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA, LICENCIATURA REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das Disposições Gerais O presente

Leia mais

FACULDADE DE ARACRUZ FAACZ CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

FACULDADE DE ARACRUZ FAACZ CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS FACULDADE DE ARACRUZ FAACZ CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURRICULAR DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS ARACRUZ 201 1. APRESENTAÇÃO A coordenação do Curso de Ciências Contábeis

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA Art. 1º - Este regulamento normatiza as atividades relacionadas ao Estágio Curricular Supervisionado do da

Leia mais

FACULDADE DE FILOSOFIA, CIÊNCIAS E LETRAS DOM BOSCO CURSO DE PEDAGOGIA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC

FACULDADE DE FILOSOFIA, CIÊNCIAS E LETRAS DOM BOSCO CURSO DE PEDAGOGIA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC Direção da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras Dom Bosco / AEDB Prof. Ms. Antonio Carlos Simon Esteves Coordenação do Curso de Pedagogia Profa. Ms. Sueli Sardinha Guedes 2 MISSÃO DA FFCLDB/AEDB Promover

Leia mais

Anexo Res. CONSU Nº 40/2011. REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE CIÊNCIAS MORFOLÓGICAS E MULTIDISCIPLINAR CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

Anexo Res. CONSU Nº 40/2011. REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE CIÊNCIAS MORFOLÓGICAS E MULTIDISCIPLINAR CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Anexo Res. CONSU Nº 40/2011. REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE CIÊNCIAS MORFOLÓGICAS E MULTIDISCIPLINAR CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º. Este Regulamento dispõe sobre a estruturação, utilização e

Leia mais

FACERB Faculdade Cenecista de Rio Bonito Credenciada pela Portaria Ministerial nº 57/09 de 13/01/2009.Publicada no D.O.U.

FACERB Faculdade Cenecista de Rio Bonito Credenciada pela Portaria Ministerial nº 57/09 de 13/01/2009.Publicada no D.O.U. REGULAMENTO DO NÚCLEO PROFISSIONAL PRÁTICO E ACADÊMICO NUPPAC CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O Núcleo Profissional Prático e Acadêmico - NUPPAC é um órgão executivo subordinado a Direção

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO COLEGIADO DE ARTES VISUAIS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO COLEGIADO DE ARTES VISUAIS ANEXO A SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO COLEGIADO DE ARTES VISUAIS REGULAMENTO ESPECÍFICO DOS COMPONENTES CURRICULARES PRÁTICAS DE ENSINO DO CURSO DE LICENCIATURA

Leia mais

REGULAMENTO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO

REGULAMENTO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO REGULAMENTO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO A pesquisa como princípio educativo é um dos eixos propostos e pelo Ensino Integrado, visando a formação de um profissional com perfil investigativo e inovador,

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO E DA FINALIDADE DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO (OBRIGATÓRIO) Art.

Leia mais

FACULDADE 7 DE SETEMBRO LABORATÓRIO DE PESQUISA DE OPINIÃO E MERCADO

FACULDADE 7 DE SETEMBRO LABORATÓRIO DE PESQUISA DE OPINIÃO E MERCADO FACULDADE 7 DE SETEMBRO LABORATÓRIO DE PESQUISA DE OPINIÃO E MERCADO CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO, FINS E OBJETIVOS Art. 1º As presentes normas visam regulamentar e disciplinar, em termos de sua administração,

Leia mais

Faculdades Integradas do Vale do Ivaí Instituto Superior de Educação - ISE

Faculdades Integradas do Vale do Ivaí Instituto Superior de Educação - ISE DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO 1 Do estágio curricular supervisionado A modalidade de Estágio Supervisionado é uma importante variável a ser considerada no contexto de perfil do egresso. A flexibilidade prevista

Leia mais

Regulamento Atividades Complementares. Faculdade da Cidade de Santa Luzia - FACSAL

Regulamento Atividades Complementares. Faculdade da Cidade de Santa Luzia - FACSAL Regulamento Atividades Complementares Faculdade da Cidade de Santa Luzia - 2014 Regulamento das Atividades Complementares CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Artigo 1º - As Atividades

Leia mais

Faculdades Integradas do Brasil MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

Faculdades Integradas do Brasil MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Faculdades Integradas do Brasil MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CURITIBA, 2014 CURSO DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLA DE NEGÓCIOS MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Ao fazer

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO DE ASSIS FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DE ASSIS

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO DE ASSIS FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DE ASSIS REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO DE ASSIS FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DE ASSIS 1 Capítulo I Da Natureza Artigo 1º - O presente Regulamento tem por finalidade

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE CRISTO REI

REGULAMENTO GERAL DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE CRISTO REI REGULAMENTO GERAL DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE CRISTO REI 1 APRESENTAÇÃO O Presente Regulamento visa esclarecer ao acadêmico, a estrutura e o funcionamento das Atividades

Leia mais

REGIMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR VALE DO IGUAÇU DO COLEGIADO DE CURSO

REGIMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR VALE DO IGUAÇU DO COLEGIADO DE CURSO REGIMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR VALE DO IGUAÇU DO COLEGIADO DE CURSO Art. 1º O colegiado de curso é órgão consultivo da Coordenação de Curso, destinado a subsidiar a

Leia mais

Regulamento de Estágio Curricular

Regulamento de Estágio Curricular Regulamento de Estágio Curricular REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR O presente regulamento normatiza o Estágio Curricular em acordo com a Lei nº 11.788, de 25/09/2008, componente do Projeto Pedagógico

Leia mais

CAPÍTULO I - DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS

CAPÍTULO I - DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE ARTHUR THOMAS CAPÍTULO I - DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS Art. 1º. O presente Regulamento estabelece as políticas básicas

Leia mais

Estágio Curricular Supervisionado

Estágio Curricular Supervisionado Estágio Curricular Supervisionado CURSO DE ENFERMAGEM O curso de bacharelado em Enfermagem do IPTAN apresenta duas disciplinas em seu plano curricular pleno relativas ao estágio: Estágio Supervisionado

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE ACOMPANHAMENTO E ORIENTAÇÃO DO ESTÁGIO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM REDES DE COMPUTADORES CAPÍTULO I

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE ACOMPANHAMENTO E ORIENTAÇÃO DO ESTÁGIO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM REDES DE COMPUTADORES CAPÍTULO I REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE ACOMPANHAMENTO E ORIENTAÇÃO DO ESTÁGIO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM REDES DE COMPUTADORES Dispõe sobre o Acompanhamento e Orientação do Estágio do Curso Superior de

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL, BACHARELADO REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das disposições gerais O estágio

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM GESTÃO EDUCACIONAL

MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM GESTÃO EDUCACIONAL CENTRO UNIVERSITÁRIO PAULISTANO UniPaulistana Departamento de Pedagogia MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM GESTÃO EDUCACIONAL PEDAGOGIA GESTÃO EDUCACIONAL São Paulo 2008 R. Madre Cabrini, 38 Vila Mariana

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA FACULDADES DEL REY

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA FACULDADES DEL REY REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA FACULDADES DEL REY Sumário Título I... 3 Das disposições Preliminares... 3 Título II... 4 Caracterização do Estágio... 4 Capítulo

Leia mais

Credenciada pela Portaria Ministerial nº 1734 de 06/08/2001, D.O.U. de 07/08/2001

Credenciada pela Portaria Ministerial nº 1734 de 06/08/2001, D.O.U. de 07/08/2001 ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE LICENCIATURA: EDUCAÇÃO FÍSICA (Portaria de Reconhecimento nº 428 de 28 de julho de 2014) E PEDAGOGIA (Portaria de Reconhecimento nº 286 de 21 de dezembro de 2012) ORIENTAÇÕES

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente regulamento normatiza as atividades do Estágio Supervisionado em Publicidade e Propaganda

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO SUPERIOR DE ENGENHARIA MECÂNICA I - INTRODUÇÃO

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO SUPERIOR DE ENGENHARIA MECÂNICA I - INTRODUÇÃO MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO SUPERIOR DE ENGENHARIA MECÂNICA I - INTRODUÇÃO O Curso Superior de Engenharia Mecânica prevê em sua grade curricular atividades práticas de suma

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS CAMPO GRANDENSES INSTRUÇÃO NORMATIVA 002/2010 17 05 2010

FACULDADES INTEGRADAS CAMPO GRANDENSES INSTRUÇÃO NORMATIVA 002/2010 17 05 2010 O Diretor das Faculdades Integradas Campo Grandenses, no uso de suas atribuições regimentais e por decisão dos Conselhos Superior, de Ensino, Pesquisa, Pós Graduação e Extensão e de Coordenadores, em reunião

Leia mais

Regulamento de Estágio Supervisionado do Curso de Engenharia Elétrica

Regulamento de Estágio Supervisionado do Curso de Engenharia Elétrica Regulamento de Estágio Supervisionado do Curso de Engenharia Elétrica 1. APRESENTAÇÃO O Estágio Curricular Supervisionado Obrigatório no curso de Engenharia Elétrica é uma atividade curricular obrigatória

Leia mais

Para efeitos desta regulamentação consideram-se as seguintes definições:

Para efeitos desta regulamentação consideram-se as seguintes definições: O Colegiado do Curso de Engenharia Civil com ênfase em estruturas metálicas da Universidade Federal de São João Del Rei (UFSJ) Campus Alto Paraopeba (CAP), no uso de suas atribuições e, tendo em vista

Leia mais

REGULAMENTAÇÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE ODONTOLOGIA DA FACULDADE ASCES

REGULAMENTAÇÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE ODONTOLOGIA DA FACULDADE ASCES REGULAMENTAÇÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE ODONTOLOGIA DA FACULDADE ASCES NATUREZA E FINALIDADES Art. 1º. O estágio curricular do Curso de Odontologia da Faculdade ASCES constitui um momento de aprendizagem

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS, BACHARELADO REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO NÃO OBRIGATÓRIO Das Disposições Gerais O

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS REGULAMENTO DAS DISCIPLINAS DE PESQUISA E ANÁLISE EM RELAÇÕES INTERNACIONAIS, PROJETO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO E TRABALHO

Leia mais

COLEGIADO DE ENFERMAGEM REGULAMENTO PARA PRÁTICAS DE CAMPO EM ENFERMAGEM TÍTULO ÚNICO DAS PRÁTICAS DE CAMPO CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO

COLEGIADO DE ENFERMAGEM REGULAMENTO PARA PRÁTICAS DE CAMPO EM ENFERMAGEM TÍTULO ÚNICO DAS PRÁTICAS DE CAMPO CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO COLEGIADO DE ENFERMAGEM REGULAMENTO PARA PRÁTICAS DE CAMPO EM ENFERMAGEM TÍTULO ÚNICO DAS PRÁTICAS DE CAMPO CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO Art. 1º. As Práticas de Campo do Curso de Enfermagem parte integrante

Leia mais