Plano de negócios uma ferramenta para entender e planejar o empreendimento.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Plano de negócios uma ferramenta para entender e planejar o empreendimento."

Transcrição

1 Apostila 01/03 Plano de negócios uma ferramenta para entender e planejar o empreendimento.

2 PLANO DE NEGÓCIOS Uma ferramenta para entender e planejar o empreendimento Nesta apostila estão abordados os principais conceitos envolvidos na construção de um Plano de Negócios. A todos um BOM ESTUDO! Projeto CAPACITAÇÃO DE MICOREMPREENDEDORES EM PLANOS DE NEGÓCIOS 2011

3 Sumario Apresentação 1. Histórico e importância do Plano de Negócios 1.1 Como surgiu o Plano de Negócios 1.2 Por que fazer um Plano de Negócios 1.3 Para quem interessa o Plano de Negócios 1.4 Tipos de Planos de Negócios 2. Criando um Plano de Negócios 3. Resumo Executivo 3.1 Resumo dos principais pontos do plano de negócio 3.2 Situação Jurídica 4. O Produto/Serviço 4.1 Características 4.2 Diferencial tecnológico 4.3 Desenvolvimento e pesquisa do produto 4.4 Planejamento e Desenvolvimento do Produto 4.5 Estágio atual 5. Analise do Mercado 5.1 Clientes 5.2 Concorrentes 5.3 Fornecedores 5.4 Participação no Mercado 6. Plano de Marketing 6.1 Descrição dos principais produtos e serviços 6.2 Preço 6.3 Estratégias promocionais 6.4 Estrutura de comercialização 6.5 Localização do negócio 6.6 Estratégias de Vendas 6.7 Diferencial Competitivo do produto 6.8 Distribuição 6.9 Política de preços 6.10 Projeção de vendas 6.11 Serviços Pós-venda e Garantia 7. Capacidade Empresarial / Plano Operacional 7.1 Layout 7.2 Capacidade produtiva/comercial/serviços 7.3 Processos operacionais

4 7.4 Necessidade de pessoal 7.5 Estrutura Organizacional 7.6 Parceiros 7.7 Empreendedores/Perfil Individual dos Sócios (Formação/Qualificações) 8. Plano Financeiro 8.1 Investimento Inicial/total 8.2 Estimativa dos investimentos fixos 8.3 Capital de giro 8.4 Investimentos pré-operacionais 8.5 Investimento total (resumo) 8.6 Estimativa do faturamento mensal da empresa 8.7 Estimativa do custo unitário de matéria-prima, materiais diretos e terceirizações 8.8 Estimativa dos custos de comercialização 8.9 Apuração dos custos dos materiais diretos e/ou mercadorias vendidas 8.10 Estimativa dos custos com mão-de-obra 8.11 Estimativa do custo com depreciação 8.12 Estimativa dos custos fixos operacionais mensais 8.13 Demonstrativo de resultados 8.14 Indicadores de viabilidade Ponto de equilíbrio Lucratividade Rentabilidade Prazo de retorno do investimento 9. Estratégia de Negócio 9.1 Ameaças e Oportunidades 9.2 Pontos fortes e fracos 9.3 Definição do Negocio da empresa 9.4 Definição da missão da empresa 9.5 Estratégias gerais 9.6 Cronograma de atividades 9.7 Gestão das Contingências e construção de cenários 10. Analise Socioambiental 10.1 Imagem do empreendimento junto aos clientes 11. Anexos Considerações finais Bibliografia consultada

5 Apresentação Apresentação Quando um empreendimento estabelece que o planejamento será o direcionador do negócio, significa que ela está se preparando para a tomada de decisões a respeito de seu futuro. Planejar o futuro nos leva a antecipação, queremos que o futuro seja como sonhamos e não como uma imposição do meio ambiente onde estamos inseridos. Assim a presente cartilha é dirigida aos participantes das capacitações de micro empreendedores na elaboração de Planos de Negócios para projetos associativos como forma de agregar valor aos produtos e processos desenvolvidos. Abordando conteúdos e dinâmicas desenvolvidas nas atividades promovidas pelo Projeto de capacitação de micro-empreendedores em Planos de Negócios o qual é coordenado pela prefeitura municipal de Ijuí RS e implementado pela Unijui universidade do noroeste do Rio Grande do Sul em parceria com empreendimentos, organizações e instituições voltadas ao desenvolvimento econômico e social do município. Com a proposição de criarem-se metodologias voltadas para reflexão e alavancar os empreendimentos de pequeno porte, bem como valer-se de dinâmicas vivenciais, jogos empresariais, exercícios e simulações no processo de aprendizagem, se constrói aqui, uma versão voltada para utilização e aprimoramento dos empreendedores participantes do projeto. O projeto de capacitação de micro-empreendedores em Planos de Negócios é composto por 5 etapas, que se apresentam no projeto como metas a serem cumpridas: 1 elaboração do software de Plano de negócios; 2 - sensibilização dos grupos a serem qualificados; 3 - capacitação em metodologia de elaboração de planos de negócios; 4 - capacitação em utilização do software de elaboração de plano de negocio; 5 - sistematização dos trabalhos efetuados. Contudo para as metas de capacitação, são contemplados materiais como a presente cartilha que apresenta em seu conteúdo reflexões a cerca do planejamento e das bases conceituais para elaboração de Planos de Negócios, bem como um modelo orientador para elaboração de um Plano de Negócios, calcado em resolução de questões orientadoras. É importante salientar que no dia-a-dia a cada instante podemos estar nos deparando com verdadeiros empreendedores, pessoas que nas suas mais normais profissões, desempenham suas funções de forma a caracterizarem-se como empreendedores de sucesso. Contudo o que inicialmente deve ser levado em consideração é que esta cartilha é voltada às pessoas que de alguma maneira busca identificar oportunidades, conhecer as diferenças entre ter uma idéia e aproveitar uma oportunidade, ou seja, ser empreendedor.

6 1. Histórico e importância do Plano de Negócios 1. Histórico e importância do Plano de Negócios Afinal o que vem a ser um Plano de Negócios ou Business Plan? Dornelas (2008) descreve o Plano de Negócios como sendo um documento usado para descrever um empreendimento e o modelo de negócios que sustenta a empresa. Desta forma pode-se entender que o Plano de Negócios nada mais é do que uma forma de organizar e situar o negócio para que o empreendedor possa obter uma visão íntegra do seu empreendimento. Para Salim et al (2001), plano de negócios é um documento que contém a caracterização do negócio, sua forma de operar, suas estratégias, seu plano para conquistar uma fatia do mercado e as projeções de despesas, receitas e resultados. Brait (2001) corrobora a idéia enfatizando ser um checklist de ações a serem formadas pelo empreendedor, e que, quando aplicadas corretamente, no início de um novo negócio, forma um alicerce extremamente firme, com linhas bem definidas. Ainda podemos definir o Plano de negócios como sendo um documento para descrever seu negocio, ele serve de cartão de visitas do empreendimento a ser constituído, serve ainda como um instrumento de apresentação do negócio de forma concisa e que reúne as principais informações e características do empreendimento. Na dimensão do planejamento, pode-se dizer que o Plano de Negócios é uma ferramenta voltada para planejar negócios e empreendimentos de forma simples e prática, integrando as esferas estratégicas, táticas e operacionais do planejamento. De outra forma, pode-se dizer que o Plano de Negócios é uma ferramenta para planejar a execução de ações de um empreendimento e acompanhá-las em sua execução. 1.1 Como surgiu o Plano de Negócios Se começarmos a pensar acerca do tema, dificilmente nos recordaremos de termos visto um Plano de Negócios em uma empresa em que tenhamos atuado. Pois bem, será que as empresas sempre tiveram um Planejamento em seus negócios? Sabemos que muitos empreendimentos nunca sequer colocaram seus planos em um papel, mas sim comumente ouvimos dizer tenho tudo na cabeça. Essa frase muitas vezes é usada por empreendedores, principalmente nas empresas de pequeno porte. O gestor que sempre é o proprietário costumava ter tudo organizado, porém sempre em sua mente. A prática de se colocar no papel essas idéias não são antigas. No Brasil podemos dizer que a elaboração do Plano de Negócios começou a ser mais comumente utilizada com o processo de globalização da economia que ocorreu de forma mais perceptível

7 com a abertura da economia, fato esse sentido mais a partir da década de Desta forma, as empresas ficaram mais expostas à competitividade promovida pela internacionalização dos mercados e, foram tendo que adaptar-se e atualizar-se para se manterem no mercado. O Plano de Negócios que até então era uma prática mais popular entre as grandes corporações, começou a fazer parte do cotidiano das pequenas empresas que, agora necessitavam de ferramentas para mostrar seus empreendimentos, expandi-los ou então de criar novas empresas. As agências de fomento e as instituições financeiras começaram a exigir que as idéias, os cálculos, as previsões do negócio estivessem detalhadas para sentirem a firmeza do negócio. Desta forma iniciou-se o processo de desenvolver os Planos de Negócios. 1.2 Por que fazer um Plano de Negócios Através de informações disponibilizadas pelo SEBRAE podemos constatar um elevado índice de mortalidade das empresas no Brasil, o que em parte pode ser devido à falta de planejamento para implantação do negócio. Assim podemos dizer que a prática de elaboração do Plano de Negócio é recente no Brasil, ao contrário dos EUA que há muitos anos já utilizam-se desta ferramenta na implantação de negócios. empresas com até 2 anos de existência = 49,4% de mortalidade; empresas com até 3 anos de existência = 56,4% de mortalidade; empresas com até 5 anos de existência = 59,9% de mortalidade. Evidentemente que somente um PN não representa o sucesso do negócio, porém evita muitos problemas e, principalmente que caso seja inviável, a atividade não seja colocada em prática. Desta forma, o Plano de Negócios pode ser considerado como um agente transformador das causas mortes das empresas, pois, conforme descreve Dornelas (2008) ele possibilita um aumento de 60% na probabilidade de sucesso nos negócios, tendo em vista que a falta de planejamento leva à mortalidade dos negócios, por deixar de mostrar ao empreendedor as possíveis falhas. Contudo o autor nos apresenta algumas possibilidades com a elaboração de um Plano de Negócios, tais como: Entender e estabelecer diretrizes para o seu negócio; Gerenciar de forma mais eficaz a empresa e tomar decisões acertadas; Monitorar o dia-a-dia do empreendimento e tomar ações corretivas quando necessário;

8 Conseguir financiamentos e recursos junto a bancos, governo, Sebrae, investidores, capitalistas de risco, etc. Identificar oportunidades e transformá-las em diferencial competitivo para a empresa. Estabelecer uma comunicação interna eficaz na empresa e convencer o público externo fornecedores, parceiros, clientes, bancos, investidores, associações etc. Sendo assim, percebe-se a importância de se montar um plano de negócios, mesmo que muitos empreendedores achem desnecessários, pois não se trata de um adereço, mas sim de uma ferramenta útil para o sucesso do negócio. Muito comum ouvir dos empreendedores ou até mesmo dos empresários é que não necessitam de um ou então que as idéias estão todas alinhadas em sua mente ou pior ainda, que não tem tempo para desenvolver um Plano de Negócios. Na verdade muitas vezes, os mesmos não sabem como se faz para desenvolver um Plano de Negócios e acabam dando outras desculpas. Tal fato pode ser comprovado através de informações disponibilizadas pelo site Endeavor onde destacam que aproximadamente 9% dos planos que são recebidos pelas instituições financiadoras de capital de risco, são bons ou ótimos e 60% dos Planos de Negócios são rejeitados pelas instituições após breve análise. De 0 a 10, as notas médias dadas ficaram em torno de 3,75. Outra informação relevante é que apenas 1% dos que enviam os Planos de Negócios recebem investimentos diretos. Daí a importância de fomentar o potencial empreendedor de forma planejado e reforçada por Dornelas (2008) com sua descrição de alguns objetivos básicos pelos quais um Plano de Negócios pode ser justificado sua realização: 1. Testar a viabilidade de um conceito de negócio 2. Orientar o desenvolvimento das operações e estratégia 3. Atrair recursos financeiros 4. Transmitir credibilidade 5. Desenvolver a equipe de gestão. Contudo um Plano de Negócios de qualidade tem a responsabilidade de responder a algumas questões básicas como: Existe uma real oportunidade para o meu negócio? Eu ou a equipe que está desenvolvendo a idéia, entende do negócio? O negócio demonstra retorno desejado para o investimento realizado? O mercado aceitará as idéias que estão contidas no Plano de Negócios?

9 Existe diferenciação no meu negócio? O meu negócio tem chances de existir por alguns anos? Bangs Jr (2002) elenca três razões principais para se criar um Plano de Negócios: 1. O processo de organizar um plano de negócios, incluindo as reflexões que você faz antes de começar a registrá-lo por escrito, obriga-o a assumir um posicionamento não emocional, crítico e objetivo em relação ao seu projeto como um todo. 2. O produto acabado o seu plano de negócios é um instrumento operacional que, se usado de forma apropriada, irá auxiliá-lo a gerenciar o seu negócio e a trabalhar efetivamente para seu sucesso. 3. O plano de negócios concluído transmite suas idéias para outros e fornece a base para sua proposta de financiamento. Portanto no momento que se desenvolve o Plano de Negócios já se pode estar fazendo uma análise do negócio, realmente refletindo sobre as reais possibilidades de sucesso da atividade. Desta forma, não se caracteriza somente o Plano de Negócios, pela importância do documento em si, mas pelo processo de construção do mesmo que possibilita ao empreendedor, amadurecer e refletir mais profundamente sobre o negócio ao qual se está estudando. Outra possibilidade é depois de concluído o Plano de Negócios poder ser uma forma de consulta e direcionamento para o empreendedor no que tange à sua atividade, haja vista, ali estarem registradas informações relevantes acerca de vários pontos que devem estar sempre presentes na atividade a qual refere-se. Também, este servirá de referencial para todos os interessados e ou envolvidos no negócio, desde os funcionários até os possíveis investidores. Enfim, um Plano de Negócios,...poderá ajudá-lo a evitar o ingresso em um empreendimento que está fadado ao fracasso. Se seu empreendimento for marginal na melhor das hipóteses, o plano de negócios indicará por que, e poderá auxiliá-lo a evitar o pagamento de um preço alto para aprender sobre fracasso nos negócios. É muito mais barato não iniciar um negócio malfadado do que aprender por experiência o que um plano de negócios poderia ter ensinado ao custo de várias horas de trabalho de concentração (BANGS, JR, 2002). Além do que o Plano de Negócios, como já foi exposto anteriormente serve como fonte de informações para que outros possam avaliar o empreendimento, principalmente, se for o caso de necessidade de financiamento, haja vista o mesmo atender às exigências da maioria dos financiadores atualmente. Contudo o Plano de Negócios se faz importante, por dois grandes motivos, um pelo fato de ser a maneira que empreendedores tem de iniciar a materialização de sua idéia e mentalizar a operacionalização desta através da construção de cenários futuros que trazem a dimensão do planejamento para realidade do empreendedor. E outra que o Plano de Negócios pode vir a auxiliar na redução de riscos a serem corridos pelo empreendedor em relação aos seus recursos que muitas vezes são escassos e por tanto acabam por limitar a inovação sendo esta uma grande possibilidade de desenvolvimento de regiões e sociedades inteiras.

10 1.3 Para quem interessa o Plano de Negócios Faz-se importante abordar acerca do público a que se destina a elaboração de um Plano de Negócios, quem deve construir este tipo de documento que vem aos poucos se mostrado importante no universo do empreendedorismo. Engana-se quem acredita que um Plano de Negócios destina-se somente aqueles que buscam financiamentos ou à instituições de fomento, pois além destes, existem vários públicos a quem interessa o Plano de Negócios de um empreendimento a ser implantado ou de uma empresa já existente e que deseja expandir-se. Dornelas (2008) elenca vários públicos para os quais um Plano de Negócios pode interessar: Incubadoras de empresas Sebrae, Universidades e órgãos governamentais para outorgar financiamentos; Bancos para liberar financiamentos para aquisição de equipamentos ou para capital de giro ou expansão da empresa; Investidores; Fornecedores; Público Interno funcionários efetivos e em fase de contratação; Clientes; Sócios. Cabe destacar a importância do Plano de Negócios para o público interno de uma empresa, em caso de já estar funcionando. O gestor tem um documento que pode servir de estímulo para o bom desempenho das atividades, bem como para que no momento da contratação de novos funcionários se possa já demonstrar as intenções da empresa. Tal atitude possibilita uma forma de demonstração por parte do gestor, da importância de cada um no processo de expansão e uma atitude organizada de fazê-lo. Em ultima analise cabe apresentar-se o Plano de Negócios como uma ferramenta de planejar idéias alem de ser maneira de materialização da inovação como estratégia de competitividade para empreendimentos. 1.4 Tipos de Planos de Negócios Vale salientar que o Plano de Negócios não segue um modelo único e passível da afirmativa de ser correto e normatizado, pois existem tipos variados e tamanhos múltiplos alem de diversas formas de desenvolver o Plano de Negócios que iram variar de acordo com a necessidade de cada empreendedor. Assim é possível destacar três tipos básicos de Planos de Negócios visando uma melhor compreensão e maneira de operacionalizar as formas de planejamento, que são apresentados a seguir: Plano de Negócios Completo este tipo, se assim podemos apresentar, parte da medida que se apresenta a necessidade da busca de uma maior quantidade de dinheiro ou mesmo quando se quer apresentar uma visão mais detalhada do empreendimento a ser constituído. Ainda este varia na média de 20 a 40 páginas, dependendo da atividade e dos detalhamentos que são feitos, de outra forma, neste tipo de plano, apresentam-se dados mais complexos e representativos da realidade do negocio aproximado-se de uma finalização do planejamento, ou seja, ele busca um esgotamento da ferramenta Plano de Negócios como forma acabada e demonstração de cenários alternativos.

11 Plano de Negócios Resumido é utilizado em momentos em que se deseja apenas apresentar informações resumidas a um público alvo, por exemplo para investidores com o intuito de chamar a atenção. Normalmente estes, havendo interesse, irão solicitar um plano mais completo. Portanto, neste modelo a objetividade tem como foco no que se deseja chamar a atenção, principalmente nos tópicos, produto, mercado e retorno sobre os investimentos. Ele possui em média de 10 a 15 páginas. Plano de Negócios Operacional este é comumente utilizado internamente na empresa ou negocio pelos empreendedores, diretores, gerentes e funcionários para alinhar os esforços internos em direção aos objetivos estratégicos do empreendimento/organização. Quanto ao tamanho, depende da necessidade da empresa, em quais informações quer realmente passar para seus colaboradores. No que tange ao conteúdo de um Plano de Negócios este deve estar condizente com o que o empreendedor busca e para quem o mesmo será apresentado. Porém, algumas questões devem estar claramente evidenciadas no mesmo. Abaixo estão elencadas algumas perguntas que devem ser respondidas por quem deseja implantar um negócio. Qual é o meu negócio? Aonde quero chegar? O que vendo? Para quem vendo? Que estratégias utilizarei? Como conquistarei mercado? Quais são os fatores críticos de sucesso do meu negócio? Quanto vou gastar? Que retorno terei sobre meu investimento? O que se percebe através de uma análise bem superficial do esquema acima é que o empreendedor necessita saber muito a fundo do seu negócio, da atividade que pretende desenvolver, bem como de todos os aspectos que envolvem a atividade como, o produto, mercado, estratégias a serem colocadas em ação, conhecer profundamente seus pontos fortes e fracos (SWOT), e, principalmente a análise financeira detalhada de todos os investimentos, previsões de receitas e retorno de capita. Portanto, o esquema apresentado, após devidamente respondido é sinal de que seu empreendimento pode ter sucesso.

12 2. Como é a formação de um Plano de Negócios? 2. Como é a formação de um Plano de Negócios? O Plano de Negócios deve conter uma seqüência lógica que permita entender como a empresa é organizada, seus produtos e serviços, seu mercado, suas estratégias de marketing e sua situação financeira, alem de seus layouts produtivos e estruturais. Segundo Stone (2001) a preparação de um plano de negócios não é o resultado final do processo de planejamento. Seu maior objetivo é atingir as metas descritas no plano escrever é um importante estagio intermediário. Então visando colocar a idéia do Plano de Negócios no papel é importante detalhar cada um dos itens que compõem um Plano de Negócios. Assim a seguir apresenta-se um roteiro base para elaboração do Plano de Negócios lembrando que jamais dois planos de negócios serão idênticos pois devem ser moldados de acordo com a situação individual do empreendimento. Todavia, a maioria dos planos seguem uma estrutura usada, aprovada e validada, com subtítulos para os pontos relevantes. Quadro XX: Dicas para elaboração do Plano de Negócios Fontes:

13 3. Resumo Executivo 3. Resumo Executivo O Resumo Executivo ou sumario executivo como alguns autores preferem chamar, é comumente apontado como a principal seção do plano de negócios, pois através dele é que o leitor perceberá se o conteúdo a seguir o interessa ou não e, portanto, se continuará, ou não, a ler o documento. Portanto, é no resumo executivo que o empreendedor deve "conquistar" o leitor Resumo dos principais pontos do plano de negócio Nesta seção do plano o empreendedor apresenta um breve resumo da empresa ou negócio, sua história, área de atuação, foco principal e sua missão. É importante que esteja explícito ao leitor o objetivo do documento (ex.: requisição de financiamento junto a bancos, capital de risco, apresentação da empresa para potenciais parceiros ou clientes, apresentação de projeto para ingresso em uma incubadora etc.). Devem ser enfatizadas as características únicas do produto ou serviço em questão, seu mercado potencial, seu diferencial tecnológico e competitivo. Também devem ser apontadas perspectivas de futuro do negócio (oportunidades identificadas, o que se pretende fazer para abraçá-las, o que é preciso para tal, porque os empreendedores acreditam que terão sucesso, etc.). Tudo isso, de maneira sucinta, sem detalhes, mas em estilo claro. Recomenda-se que esta seção tenha cerca de 01 a 02 páginas, no máximo. É importante salientar que o empreendedor apenas terá condições de elaborar o sumário executivo ao final da elaboração do plano de negócios, pois ele depende de todas as outras informações do plano para ser feito.

14 Questões a serem respondidas no resumo executivo do Plano de Negócios: 1. Qual o Negócio do Empreendimento? 2. Por que a escolha deste Negócio? 3. Qual a Missão da Empreendimento? 4. Qual a área Geográfica de abrangência das atividades do empreendimento? 5. Qual a regulamentação ambiental e padrões de qualidade que afeta as atividades do Empreendimento? 6. Quais os efeitos do enquadramento tributário no seu empreendimento? 7. Como o ambiente micro e macroeconômico afetam as atividades da empresa?

15 3.2 - Situação Jurídica Também chamado de formatação jurídica do empreendimento, onde se devem descrever os aspectos tidos como jurídicos almejados pelo empreendimento, quais os enquadramentos fiscais em que o empreendimento pretende se alocar. Muitos são os modelos de planos que não consideram este tópico, porem ele é tão importante quanto as questões mais estratégicas pois a legislação que prevê os enquadramentos fiscais do empreendimento podem levá-lo a recolher mais ou menos impostos o que influenciará diretamente na formação de preços e elaboração dos custos de produtos ou serviços e assim determinar estratégias de competitividade no mercado como é o caso de preços e valores. A seguir apresenta-se um formulário base que pode orientar o preenchimento do Plano de Negócios podendo proporcionar ao empreendedor planejar e identificar quais as melhores opções a serem perseguidas na formação de seu negocio. Formulário de formatação jurídica do empreendimento Nome do empreendimento: Endereço: Fone/Fax: Pessoa de contato: Natureza Jurídica: Porte da Empresa: Estadual: Federal: Enquadramento Fiscal:

16 Ramo de Atividade: Data Da Constituição: Sócios: (%) Participação no Capital Social Numero de Empregados:

17 4. Produto/Serviço 4. O Produto/Serviço A apresentação do conjunto dos produtos a serem ofertados pelo empreendimento devem ser descritos levando em consideração o estagio aos quais estão, ou seja, em que etapa de desenvolvimento se encontra os produtos e serviços que o empreendedor deseja planejar. O produto esta pronto para ser comercializado? Ou já foi lançado no mercado? Ou ainda esta sendo construído? São questões que devem permear o empreendedor na hora que se esta elaborando o Plano de Negócios. 4.1 Características Identificar e relacionar as principais características dos produtos e serviços do empreendimento que se objetiva implantar deve ser elencado visando identificar aspectos com sua destinação, como serão produzidos, os recursos a serem utilizados, os fatores tecnológicos envolvidos alem de outros aspectos relevantes. Se o empreendimento estiver, através do plano de negócio, apresentando um produto ou serviço específico, deve centrar-se nele. A seguir são apresentadas questões que podem auxiliar a formatar o textual de descrição do produto, visando valorizar as idéias de construção do produto bem como sugerir aprimoramento e inovação. 8. O que é o produto ou serviço? 9. Que tipo de finalidade os produtos atendem e a quem é destinado? 10. Como o produto é elaborado, matéria-prima utilizada, maquinário, mão de obra, embalagem, etc? 11. Vida útil do produtos? 12. Quem detém a propriedade intelectual dos produtos?

18 13. As vezes o mesmo produto é oferecido em modelos diferentes ou características distintas. Citar esses atributos se for o caso? _ 4.2 Diferencial tecnológico Como estamos num mundo cada vez mais inovador e que assume a tecnologia como parte de sua sociedade, deve-se no Plano de Negócios relacionar-se itens como diferencial tecnológico dos produtos e serviços do empreendimento em relação à concorrência. Para manter-se competitivo é necessário manter-se atualizado quanto às tendências tecnológicas; e os empreendimento iniciantes e de pequeno porte devem intensificar suas estratégias a respeito da tecnologia, pois dependem especialmente, desenvolvimento continuo de produtos e serviços que promovam a inovação tecnológica como forma de agregar valores e manter sua sobrevivência. 4.3 Desenvolvimento e pesquisa do produto O empreendimento deve cultivar um plano de desenvolvimento de novos projetos, produtos e tecnologias, que atendam às demandas futuras do mercado e para isso deve expressar, quais suas perspectivas futuras de negócios. É importante que o empreendedor perceba que todo produto tem um ciclo de vida e que, para manter-se na vanguarda, precisa continuamente estar pesquisando e desenvolvendo novos projetos. Não é aconselhável no Plano de Negócios centrar-se apenas no projeto/produto atual. Como o empreendimento pretende cultivar um plano de desenvolvimento de novos produtos e tecnologias que atendam as demandas do mercado? Deve ser a pergunta que permeia todo o item de desenvolvimento e pesquisa do produto para concepção do Plano de Negócios. Alem disso segue as questões de deveram ser respondidas para elaboração do textual deste item parte do Plano de Negocios que se esta elaborando: 14. Quais os principais produtos da Empreendimento? 15. Descrição dos produtos e percentual no mercado. 16. Quais as similaridades e diferenças dos produtos do empreendimento em relação aos produtos da concorrência?

19 17. Quais as necessidades que os produtos buscam satisfazer? 18. Qual a capacidade produtiva do empreendimento? 19. Qual a capacidade financeira de desenvolvimento do Empreendimento? 20. Qual a produtividade do setor? 21. O espaço físico para utilização é suficientemente adequado para a execução dos trabalhos? 22. O número de pessoas para executarem as tarefas está adequado á necessidade inicial do empreendimento? 23. Descreva o Layot que será utilizado pelo empreendimento e identifique possíveis gargalos e possíveis soluções. 24. Quais as vantagens e desvantagens do processo produtivo a ser utilizado? 25. Descreva a Tecnologia a ser empregada, o nível de tecnologia de domínio do empreendimento, a atualização desta Tecnologia, e como o empreendedor visa monitora o aparecimento de novas tecnologias?

20 26. Quais os métodos de controle, avaliação e monitoramento que serão utilizados (qualidade, produtividade, produção)? 27. Há necessidade de contratar empresas ou consultores para desenvolver algumas atividades ou resolver problema nas etapas do processo de serviços? 4.4 Planejamento e Desenvolvimento do Produto O processo de planejamento de produto inicia-se com o projeto informacional, seguido dos projetos: conceitual, detalhado, de preparação da produção e, findando, com o de lançamento do produto. Figura XX: Processo de desenvolvimento de produto Fonte: Assim o empreendedor deve buscar estruturar de forma planejada o produto a ser oferecido pelo empreendimento, e que possibilite garantir o maior numero de informações sobre o produto, sua produção, bem como garantir uma imagem projetada de sua funcionalidade.

21 28. Você compraria este produto? 29. Quanto você está disposto a desembolsar para adquiri-lo? 30. O que acha do desenho? Ele é suficientemente vendedor? 31. Onde estaria disposto a comprá-lo? Através de quais canais de distribuição? 4.5 Estágio atual Um dos fatores bem conhecidos sobre o processo de desenvolvimento de produto é que o grau de incerteza no início deste processo é bem elevado, diminuindo com o tempo, mas é justamente no início que se seleciona a maior quantidade de soluções construtivas. As decisões entre alternativas no início do ciclo de desenvolvimento são responsáveis por 85% do custo do produto final. O custo de modificação aumenta ao longo do ciclo de desenvolvimento, pois a cada mudança, um número maior de decisões já tomadas podem ser invalidadas. Assim, é desafio gerenciar as incertezas envolvidas num processo de desenvolvimento de produto, onde as decisões de maior impacto têm que ser tomadas no momento em que existe um maior número de alternativas e grau de incerteza. Soma-se a isto: - o fato deste processo se basear num ciclo projetar, construir, testar que geram atividades necessariamente interativas; - de ser uma atividade essencialmente multidisciplinar (trazendo fortes barreiras culturais sobre a integração); - a existência de uma quantidade grande de ferramentas, sistemas, metodologias, soluções, etc.., desenvolvidas por profissionais/empresas de diferentes áreas, as quais não "conversam" entre si; - e a existência de diversas visões parciais sobre o processo de desenvolvimento de produtos. Contudo cabe o empreendedor apresentar aqui qual é o estagio que se encontra o produto ou serviço que se almeja disponibilizar aos mercados, suas principais características e como pretende inseri-lo e disponibilizá-lo ao consumo.

22 5. Analise de Mercado 5. Analise do Mercado Após a definição bem detalhada da idéia de empreendimento, convém ao empreendedor analisar bem o mercado em que pretende atuar. Não é conveniente desenvolver o projeto sem antes estudar seriamente a conjuntura do mercado. A maior parte das causas de fracassos em empreendimento é devido à ausência ou à insuficiência do mercado, à dificuldade de identificar e de responder às conseqüências de mudanças sócio-econômicas e conjunturais do mercado que se pretende atuar. 5.1 Clientes Então neste item do Plano de Negócios deve-se descrever quem são os clientes ou grupos de clientes que a empresa pretende atender, quais são as necessidades destes clientes potenciais e como o produto/serviço poderá atendê-los. É fundamental procurar conhecer o que influencia os futuros clientes na decisão de comprar produtos ou serviços: qualidade, preço, facilidade de acesso, garantia, forma de pagamento, moda, acabamento, forma de atendimento, embalagem, aparência, praticidade etc. É importante estar atento ao definir quem é o cliente. O cliente não é apenas quem vai tomar a decisão de compra. Cliente é quem vai usar diretamente o produto; é quem vai ser afetado pelo uso do produto; é quem vai tomar a decisão de compra e por aí afora. Por exemplo: Quem é o cliente de uma empresa que se propõe ao desenvolvimento de um software para automação de padarias? É o funcionário que deverá manusear o software (o usuário)? É o dono da padaria? É o padeiro? Quem é? O empreendedor deve perceber a complexidade da definição de quem é o seu cliente. No caso do software para padaria, identificar apenas o dono da padaria como cliente pode ser um grande problema, porque o software pode não contemplar as necessidades do usuário final e ser inviabilizado por uma questão operacional. Da mesma maneira, se apenas o usuário for foco de atenção, talvez o software deixe de agradar o dono da empresa que é quem vai tomar a decisão de compra. Também o cliente da padaria precisa sentir-se satisfeito pelo impacto que o software irá gerar sobre o atendimento que recebe. Ou seja, é importante que se faça uma boa reflexão acerca de quem é o cliente para o produto/serviço em questão. Partir de um pressuposto limitado pode comprometer a aceitação do produto/serviço final. Contudo é importante o empreendedor responder a questões relativas aos clientes para identificar melhor seu comportamento e relativizar o que importa em relação a seu empreendimento, segue as questões de analise:

Resumo Executivo. Modelo de Planejamento. Resumo Executivo. Resumo Executivo. O Produto ou Serviço. O Produto ou Serviço 28/04/2011

Resumo Executivo. Modelo de Planejamento. Resumo Executivo. Resumo Executivo. O Produto ou Serviço. O Produto ou Serviço 28/04/2011 Resumo Executivo Modelo de Planejamento O Resumo Executivo é comumente apontada como a principal seção do planejamento, pois através dele é que se perceberá o conteúdo a seguir o que interessa ou não e,

Leia mais

GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS

GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS Sumário 1. APRESENTAÇÃO... 2 2. PLANO DE NEGÓCIOS:... 2 2.1 RESUMO EXECUTIVO... 3 2.2 O PRODUTO/SERVIÇO... 3 2.3 O MERCADO... 3 2.4 CAPACIDADE EMPRESARIAL... 4 2.5

Leia mais

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS O plano de negócios deverá conter: 1. Resumo Executivo 2. O Produto/Serviço 3. O Mercado 4. Capacidade Empresarial 5. Estratégia de Negócio 6. Plano de marketing

Leia mais

Modelo de Plano de Negócios

Modelo de Plano de Negócios Modelo de Plano de Negócios 1. Resumo Executivo 2. O Produto/Serviço 2.1 Características 2.2 Diferencial tecnológico 2.3 Pesquisa e desenvolvimento 3. O Mercado 3.1 Clientes 3.2 Concorrentes 3.3 Fornecedores

Leia mais

Programa Incubadora de Empresas e Projetos

Programa Incubadora de Empresas e Projetos Programa Incubadora de Empresas e Projetos INCETEC - Incubadora de Empresas Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnológica do Sul de Minas Gerais Campus Inconfidentes Plano de Negócios Nome do Negócio

Leia mais

O Plano de Negócios Fabiano Marques

O Plano de Negócios Fabiano Marques O Plano de Negócios Fabiano Marques Um negócio bem planejado terá mais chances de sucesso que aquele sem planejamento, na mesma igualdade de condições. (Dornelas, 2005) O termo empreendedorismo está naturalmente

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS 1 Jane do Socorro do Rosário Ventura 2

PLANO DE NEGÓCIOS 1 Jane do Socorro do Rosário Ventura 2 1 PLANO DE NEGÓCIOS 1 Jane do Socorro do Rosário Ventura 2 RESUMO O Plano de Negócios é parte fundamental do processo empreendedor, visto que os empreendedores precisam saber planejar suas ações e delinear

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS Roteiro

PLANO DE NEGÓCIOS Roteiro Anexo 3 PLANO DE NEGÓCIOS Roteiro 1. Capa 2. Sumário 3. Sumário executivo 4. Descrição da empresa 5. Planejamento Estratégico do negócio 6. Produtos e Serviços 7. Análise de Mercado 8. Plano de Marketing

Leia mais

Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9

Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9 Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9 AULA 9 Assunto: Plano Financeiro (V parte) Prof Ms Keilla Lopes Mestre em Administração pela UFBA

Leia mais

Faculdade Pitágoras de Uberlândia. Administração

Faculdade Pitágoras de Uberlândia. Administração Faculdade Pitágoras de Uberlândia Apostila de Administração Prof. Walteno Martins Parreira Júnior www.waltenomartins.com.br waltenomartins@yahoo.com 2014 SUMÁRIO 1 O PLANO DE NEGÓCIOS...2 1.1 SUMÁRIO EXECUTIVO...5

Leia mais

Trabalho de Conclusão de Curso - TCC. Graduação em Administração

Trabalho de Conclusão de Curso - TCC. Graduação em Administração Trabalho de Conclusão de Curso - TCC Graduação em Administração Educação Presencial 2011 1 Trabalho de Conclusão de Curso - TCC O curso de Administração visa formar profissionais capacitados tanto para

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS. UM ESTUDO SOBRE SUA IMPORTÂNCIA E ESTRUTURA

PLANO DE NEGÓCIOS. UM ESTUDO SOBRE SUA IMPORTÂNCIA E ESTRUTURA PLANO DE NEGÓCIOS. UM ESTUDO SOBRE SUA IMPORTÂNCIA E ESTRUTURA FELIPE RABELO DE AGUIAR Graduando do Curso de Ciências Contábeis da UFPA feliperabelo11@yahoo.com.br Héber Lavor Moreira Professor Orientador

Leia mais

CEAP CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA COMÉRCIO ELETRÔNICO PROF. CÉLIO CONRADO

CEAP CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA COMÉRCIO ELETRÔNICO PROF. CÉLIO CONRADO Contexto e objetivos CEAP CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA COMÉRCIO ELETRÔNICO PROF. CÉLIO CONRADO O desenvolvimento do plano de negócios, como sistematização das idéias

Leia mais

PARTE VI O Plano de Negócios

PARTE VI O Plano de Negócios FATERN Faculdade de Excelência Educacional do RN Coordenação Tecnológica de Redes e Sistemas Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet Empreendedorismo: Uma Introdução Prof. Fabio Costa Ferrer,

Leia mais

1- O que é um Plano de Marketing?

1- O que é um Plano de Marketing? 1- O que é um Plano de Marketing? 2.1-1ª etapa: Planejamento Um Plano de Marketing é um documento que detalha as ações necessárias para atingir um ou mais objetivos de marketing, adaptando-se a mudanças

Leia mais

ANEXO 2 MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA O PARTICIPANTE

ANEXO 2 MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA O PARTICIPANTE ANEXO 2 MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA O PARTICIPANTE 1. APRESENTAÇÃO Abaixo estão as principais informações que você precisa saber sobre o 7º Concurso Estadual de Planos de Negócio para Universitários SEBRAE/SC.

Leia mais

Modelo de Plano de Negócios

Modelo de Plano de Negócios Modelo de Plano de Negócios COLEÇÃO DEBATES EM ADMINISTRAÇÃO Empreendedorismo Modelo de Plano de Negócios Elaboração Marcelo Marinho Aidar Escola de Administração de Empresas de São Paulo (EAESP) F U N

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS E PLANEJAMENTO: SUA IMPORTÂNCIA PARA O EMPREENDIMENTO

PLANO DE NEGÓCIOS E PLANEJAMENTO: SUA IMPORTÂNCIA PARA O EMPREENDIMENTO PLANO DE NEGÓCIOS E PLANEJAMENTO: SUA IMPORTÂNCIA PARA O EMPREENDIMENTO Bruna Carolina da Cruz Graduando em administração Unisalesiano Lins bruna-estella@hotmail.com Rafael Victor Ostetti da Silva Graduando

Leia mais

Modelo para elaboração do Plano de Negócios

Modelo para elaboração do Plano de Negócios Modelo para elaboração do Plano de Negócios 1- SUMÁRIO EXECUTIVO -Apesar de este tópico aparecer em primeiro lugar no Plano de Negócio, deverá ser escrito por último, pois constitui um resumo geral do

Leia mais

ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS. 1. Sumário Executivo. Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso. 2. Sumário da Empresa. 2.1 Composição da Sociedade

ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS. 1. Sumário Executivo. Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso. 2. Sumário da Empresa. 2.1 Composição da Sociedade ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS 1. Sumário Executivo Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso 2. Sumário da Empresa 2.1 Composição da Sociedade Perfil Individual dos sócios, experiência, formação, responsabilidades

Leia mais

Plataforma da Informação. Finanças

Plataforma da Informação. Finanças Plataforma da Informação Finanças O que é gestão financeira? A área financeira trata dos assuntos relacionados à administração das finanças das organizações. As finanças correspondem ao conjunto de recursos

Leia mais

ANEXO I FICHA DE INSCRIÇÃO

ANEXO I FICHA DE INSCRIÇÃO ANEXO I FICHA DE INSCRIÇÃO CATEGORIAS TÉCNICO TECNÓLOGO TEMAS LIVRE INCLUSÃO SOCIAL COOPERATIVISMO 1. DADOS DA INSTITUIÇÃO 1.1 Nome da Instituição 1.2 Nome do Reitor(a)/Diretor(a)-Geral/Diretor(a) 1.3

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS Faça você mesmo

PLANO DE NEGÓCIOS Faça você mesmo PLANO DE NEGÓCIOS Faça você mesmo INTRODUÇÃO É um instrumento que visa estruturar as principais concepções e alternativas para uma análise correta de viabilidade do negócio pretendido, proporcionando uma

Leia mais

CompuStream Plano de Negócios COMPUSTREAM CONSULTORIA LTDA.

CompuStream Plano de Negócios COMPUSTREAM CONSULTORIA LTDA. CompuStream Plano de Negócios COMPUSTREAM CONSULTORIA LTDA. A CompuStream, empresa especializada em desenvolvimento de negócios, atua em projetos de investimento em empresas brasileiras que tenham um alto

Leia mais

EMPREENDEDORISMO PASSOS PARA ABRIR UM NEGÓCIO

EMPREENDEDORISMO PASSOS PARA ABRIR UM NEGÓCIO EMPREENDEDORISMO PASSOS PARA ABRIR UM NEGÓCIO Odilio Sepulcri odilio@emater.pr.gov.br www.odiliosepulcri.com.br www.emater.pr.gov.br Telefone: (41) 3250-2252 ROTEIRO DA APRESENTAÇÃO 1. Perfil para empreender

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO SIMONSEN PLANO DE NEGÓCIO

PÓS-GRADUAÇÃO SIMONSEN PLANO DE NEGÓCIO PÓS-GRADUAÇÃO SIMONSEN PLANO DE NEGÓCIO RESUMO DO EMPREENDIMENTO 01 EMPREENDIMENTO 02 NEGÓCIO E MERCADO: DESCRIÇÃO 2.1 ANÁLISE MERCADOLÓGICA 2.2 MISSÃO DA EMPRESA 03 CONCORRÊNCIA 04 FORNECEDORES 05 PLANO

Leia mais

FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas Módulo de Planejamento Prof.º Fábio Diniz

FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas Módulo de Planejamento Prof.º Fábio Diniz FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas Módulo de Planejamento Prof.º Fábio Diniz COMPETÊNCIAS A SEREM DESENVOLVIDAS CONHECER A ELABORAÇÃO, CARACTERÍSTICAS E FUNCIONALIDADES UM PLANO DE NEGÓCIOS.

Leia mais

Com bom planejamento, empresário começa negócio sem dinheiro próprio.

Com bom planejamento, empresário começa negócio sem dinheiro próprio. Com bom planejamento, empresário começa negócio sem dinheiro próprio. Plano de negócios estruturado ajuda na hora de conseguir financiamento. Veja dicas de especialistas e saiba itens que precisam constar

Leia mais

UNIDADE 5 A estrutura de um Plano de Negócios

UNIDADE 5 A estrutura de um Plano de Negócios UNIDADE 5 A estrutura de um Plano de Negócios É evidente a importância de um bom plano de negócios para o empreendedor, mas ainda existem algumas questões a serem respondidas, por exemplo: Como desenvolver

Leia mais

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro.

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. PLANO DE MARKETING Andréa Monticelli Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. 1. CONCEITO Marketing é

Leia mais

PN PLANO DE NEGÓCIOS. Gestão e Empreendedorismo

PN PLANO DE NEGÓCIOS. Gestão e Empreendedorismo PN PLANO DE NEGÓCIOS Conceito PLANO DE NEGÓCIO É um documento que contempla a descrição do empreendimento e o modelo de gestão que sustentará a empresa É O CARTÃO DE VISITA DA EMPRESA Plano de Negócio

Leia mais

PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO. Modalidade Associada

PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO. Modalidade Associada Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO Modalidade Associada Incubadora Multissetorial de Empresas de Base Tecnológica e Inovação da PUCRS RAIAR

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS. Planejando o seu negócio

PLANO DE NEGÓCIOS. Planejando o seu negócio PLANO DE NEGÓCIOS Planejando o seu negócio Projeto Gerart 2009 Plano de Negócios / Ivanete Daga Cielo, Ricardo Mercadante, Fabiana Severo da Silva, Katia Fabiane Rodrigues, Ana Caroline Franz, Patricia

Leia mais

MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO: QUANTO SOBRA PARA SUA EMPRESA?

MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO: QUANTO SOBRA PARA SUA EMPRESA? MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO: QUANTO SOBRA PARA SUA EMPRESA? Que nome estranho! O que é isso? Essa expressão, Margem de Contribuição, pode soar estranha aos ouvidos, mas entender o que significa ajudará muito

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS INTRODUÇÃO

PLANO DE NEGÓCIOS INTRODUÇÃO PLANO DE NEGÓCIOS INTRODUÇÃO É um instrumento que visa estruturar as principais concepções e alternativas para uma análise correta de viabilidade do negócio pretendido, proporcionando uma avaliação antes

Leia mais

BENEFÍCIOS COM A SMALL

BENEFÍCIOS COM A SMALL BENEFÍCIOS COM A SMALL 2012. Small Consultoria Avenida Engenheiro Caetano Álvares, 530 Casa Verde, São Paulo S.P. Tel. 11 2869.9699 / 11 2638.5372 Todos os direitos reservados. A IDEIA Dentre os exemplos

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO FACILIDADES EMPRESARIAIS - ESCRITÓRIO VIRTUAL

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO FACILIDADES EMPRESARIAIS - ESCRITÓRIO VIRTUAL OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO FACILIDADES EMPRESARIAIS - ESCRITÓRIO VIRTUAL 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta

Leia mais

Gestão de Negócios. Unidade III FUNDAMENTOS DE MARKETING

Gestão de Negócios. Unidade III FUNDAMENTOS DE MARKETING Gestão de Negócios Unidade III FUNDAMENTOS DE MARKETING 3.1- CONCEITOS DE MARKETING Para a American Marketing Association: Marketing é uma função organizacional e um Marketing é uma função organizacional

Leia mais

Unidade II. Unidade II

Unidade II. Unidade II Unidade II 6 PLANO DE NEGÓCIOS (PN): UMA VISÃO GERAL - O QUE É E PARA QUE SERVE? Plano de negócios (do inglês business plan), também chamado plano empresarial, é um documento que especifica, em linguagem

Leia mais

MODELO PLANO DE NEGÓCIO

MODELO PLANO DE NEGÓCIO MODELO PLANO DE NEGÓCIO Resumo dos Tópicos 1 EMPREENDEDOR... 3 1.1. O EMPREENDIMENTO... 3 1.2. OS EMPREENDEDORES... 3 2 GESTÃO... 4 2.1. DESCRIÇÃO DO NEGÓCIO... 4 2.3. PLANO DE OPERAÇÕES... 4 2.4. NECESSIDADE

Leia mais

CONSULTOR CARLOS MARTINS AÇAO EM MARKETING

CONSULTOR CARLOS MARTINS AÇAO EM MARKETING CONSULTOR CARLOS MARTINS CRIA - AÇAO EM MARKETING SUA EMPRESA Copyright Consultor Carlos Martins - Todos os direitos reservados wwwcarlosmartinscombr - consultor@carlosmartinscombr Como conquistar Clientes

Leia mais

ANEXO 1: Formato Recomendado de Planos de Negócios - Deve ter entre 30 e 50 páginas

ANEXO 1: Formato Recomendado de Planos de Negócios - Deve ter entre 30 e 50 páginas ANEXO 1: Formato Recomendado de Planos de Negócios - Deve ter entre 30 e 50 páginas 1) Resumo Executivo Descrição dos negócios e da empresa Qual é a ideia de negócio e como a empresa se chamará? Segmento

Leia mais

Plano de Marketing e Vendas e a Análise Estratégica do Negócio Fabiano Marques

Plano de Marketing e Vendas e a Análise Estratégica do Negócio Fabiano Marques Plano de Marketing e Vendas e a Análise Estratégica do Negócio Fabiano Marques Nada é mais perigoso do que uma idéia, quando ela é a única que temos. (Alain Emile Chartier) Neste módulo, faremos, a partir

Leia mais

Aula 2 Assunto: Modelos para Plano de Negócios

Aula 2 Assunto: Modelos para Plano de Negócios DISCIPLINA: Gestão Empresarial Aula 2 Assunto: Modelos para Plano de Negócios Prof Ms Keilla Lopes Mestre em Administração pela UFBA Especialista em Gestão Empresarial pela UEFS Graduada em Administração

Leia mais

Entendendo custos, despesas e preço de venda

Entendendo custos, despesas e preço de venda Demonstrativo de Resultados O empresário e gestor da pequena empresa, mais do que nunca, precisa dedicar-se ao uso de técnicas e instrumentos adequados de gestão financeira, para mapear a situação do empreendimento

Leia mais

FTAD -Formação técnica em Administração de Empresas Módulo de Planejamento Empreendedorismo Prof. Carolina Lindbergh Competências a serem Trabalhadas CONHECER O SUMÁRIO EXECUTIVO DE UM PLANO DE NEGÓCIOS

Leia mais

nacional; Comissionamento diferenciado na venda e pós-venda em todos os produtos e

nacional; Comissionamento diferenciado na venda e pós-venda em todos os produtos e PROGRAMA DE PARCERIA Objetivo do Programa de Parceria Atuando no mercado de CRM (Customer Relationship Manager) desde 1994, a KANKEI é uma empresa de capital Nacional que oferece soluções de marketing

Leia mais

Estudo de Viabilidade e Pesquisa de Campo

Estudo de Viabilidade e Pesquisa de Campo Estudo de Viabilidade e Pesquisa de Campo Estudo de viabilidade As perguntas seguintes terão que ser respondidas durante a apresentação dos resultados do estudo de viabilidade e da pesquisa de campo FOFA.

Leia mais

Empreendedorismo. Tópico 4 Plano de Negócios: Visão Geral

Empreendedorismo. Tópico 4 Plano de Negócios: Visão Geral Empreendedorismo Tópico 4 Plano de Negócios: Visão Geral Conteúdo 1. Objetivos do Encontro... 3 2. Introdução... 3 3. Planejar. Por quê?... 3 4. O Plano é produto do empreendedor... 4 5. Estrutura do Plano

Leia mais

Marketing Empresarial MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE

Marketing Empresarial MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE Marketing Empresarial Capítulo 1 Marketing: uma introdução Introdução ao Marketing O que é Marketing Marketing é a área do conhecimento que engloba todas as atividades concernentes às relações de troca,

Leia mais

Plano de Negócios. Passo a passo sobre como iniciar um Plano de Negócios para sua empresa. Modelo de Planejamento prévio

Plano de Negócios. Passo a passo sobre como iniciar um Plano de Negócios para sua empresa. Modelo de Planejamento prévio Plano de Negócios Passo a passo sobre como iniciar um Plano de Negócios para sua empresa Modelo de Planejamento prévio Fraiburgo, 2015 Plano de Negócios Um plano de negócios é uma descrição do negócio

Leia mais

PRÊMIO SANTANDER EMPREENDEDORISMO EDIÇÃO 2013 PROJETO DA OPORTUNIDADE EMPREENDEDORA ROTEIRO E CHECK-LIST FINAL

PRÊMIO SANTANDER EMPREENDEDORISMO EDIÇÃO 2013 PROJETO DA OPORTUNIDADE EMPREENDEDORA ROTEIRO E CHECK-LIST FINAL PRÊMIO SANTANDER EMPREENDEDORISMO EDIÇÃO 2013 PROJETO DA OPORTUNIDADE EMPREENDEDORA ROTEIRO E CHECK-LIST FINAL (extraído do livro do empreendedor do programa Bota pra Fazer Crie seu negócio de alto impacto,

Leia mais

MODELO DE PLANO DE NEGÓCIO

MODELO DE PLANO DE NEGÓCIO Fones: (83) 2-92 / 2-925 MODELO DE PLANO DE NEGÓCIO Marcelo Alves de Barros, Dr. mbarros@computacao.ufcg.edu.br Este documento em forma de roteiro apresenta o conteúdo de referência para a elaboração do

Leia mais

17/10/2011. Construindo Planos de Negócios. Capítulo 1: Aspectos gerais do plano de negócios

17/10/2011. Construindo Planos de Negócios. Capítulo 1: Aspectos gerais do plano de negócios do plano Construindo Planos de Negócios 2011.2 Tipos Empresa de prestação de serviços Empresa de venda a varejo Empresa de vendas por atacado Distribuidora Empresa Industrial Empresa Mista do plano do

Leia mais

Unidade I FUNDAMENTOS DA GESTÃO. Prof. Jean Cavaleiro

Unidade I FUNDAMENTOS DA GESTÃO. Prof. Jean Cavaleiro Unidade I FUNDAMENTOS DA GESTÃO FINANCEIRA Prof. Jean Cavaleiro Introdução Definir o papel da gestão financeira; Conceitos de Gestão Financeira; Assim como sua importância na gestão de uma organização;

Leia mais

SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL

SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL 1 SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL 1. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL (SIG) Conjunto integrado de pessoas, procedimentos, banco de dados e dispositivos que suprem os gerentes e os tomadores

Leia mais

Grupo Educacional UNIS - MG

Grupo Educacional UNIS - MG 1º CONCURSO NEUNIS DE PLANOS DE NEGÓCIO PARA UNIVERSITÁRIOS 2014 1 REALIZAÇÃO: UNIS/MG REGULAMENTO CAPÍTULO 1 DOS OBJETIVOS Art. 1º O Concurso NEUNIS de Planos de Negócio para Universitários é uma iniciativa

Leia mais

ORIENTAÇÕES GERAIS ...

ORIENTAÇÕES GERAIS ... ORIENTAÇÕES GERAIS O Projeto de viabilidade econômico-financeira será solicitado, a critério do Banco, de acordo com as características do investimento, finalidade do projeto, tipo de segmento de mercado,

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO E-COMMERCE - FLORICULTURA VIRTUAL

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO E-COMMERCE - FLORICULTURA VIRTUAL OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO E-COMMERCE - FLORICULTURA VIRTUAL 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação

Leia mais

ELABORACAO DE PLANO DE NEGÓCIOS.

ELABORACAO DE PLANO DE NEGÓCIOS. ELABORACAO DE PLANO DE NEGÓCIOS. Resumo efetuado a partir do Manual Como Elaborar um plano de negócios SEBRAE/ 2013 Profa. Célia Regina Beiro da Silveira ESTRUTURA DO PLANO DE NEGÓCIOS PARA O 1º CONCURSO

Leia mais

SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO NA MODALIDADE ASSOCIADA

SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO NA MODALIDADE ASSOCIADA SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO NA MODALIDADE ASSOCIADA EDITAL 04/2009 IDÉIA FLUXO CONTÍNUO INCUBADORA MULTI-SETORIAL DE BASE TECNOLÓGICA E INOVAÇÃO Novembro de 2009. PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS

Leia mais

Página 1 de 19 Data 04/03/2014 Hora 09:11:49 Modelo Cerne 1.1 Sensibilização e Prospecção Envolve a manutenção de um processo sistematizado e contínuo para a sensibilização da comunidade quanto ao empreendedorismo

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO ASSISTÊNCIA TÉCNICA - HARDWARE E SOFTWARE

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO ASSISTÊNCIA TÉCNICA - HARDWARE E SOFTWARE OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO ASSISTÊNCIA TÉCNICA - HARDWARE E SOFTWARE 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação

Leia mais

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes Unidade IV Marketing Profª. Daniela Menezes Comunicação (Promoção) Mais do que ter uma ideia e desenvolver um produto com qualidade superior é preciso comunicar a seus clientes que o produto e/ ou serviço

Leia mais

Fig. A: A imagem da rede total e da rede imediata de suprimentos Fonte: Slack, Nigel e outros. Administração da Produção

Fig. A: A imagem da rede total e da rede imediata de suprimentos Fonte: Slack, Nigel e outros. Administração da Produção Fascículo 5 Projeto da rede de operações produtivas Se pensarmos em uma organização que produza algo, é impossível imaginar que essa organização seja auto-suficiente, isto é, que produza tudo o que irá

Leia mais

MARKETING EMPRESARIAL MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE

MARKETING EMPRESARIAL MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO E SUSTENTABILIDADE Marketing: uma introdução Introdução ao Marketing O que é Marketing Marketing é a área do conhecimento que engloba todas as atividades concernentes às relações

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS. Causas de Fracasso:

PLANO DE NEGÓCIOS. Causas de Fracasso: PLANO DE NEGÓCIOS Causas de Fracasso: Falta de experiência profissional Falta de competência gerencial Desconhecimento do mercado Falta de qualidade dos produtos/serviços Localização errada Dificuldades

Leia mais

Plano de Negócios Faculdade Castro Alves Cursos de Administração.

Plano de Negócios Faculdade Castro Alves Cursos de Administração. TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO PLANO DE NEGÓCIIOS Prroff.. Carrllos Mellllo Saal lvvaaddoorr JJANEI IRO/ /22000066 Introdução Preparar um Plano de Negócios é uma das coisas mais úteis que um empresário

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIO. EMPRESA (inserir logo) SET/14

PLANO DE NEGÓCIO. EMPRESA (inserir logo) SET/14 PLANO DE NEGÓCIO EMPRESA (inserir logo) SET/14 Índice 1 INTRODUÇÃO-Sumário Executivo 04 1.1 Identificação da Empresa 04 1.1.1 Histórico da empresa 04 1.1.2 Definição do modelo de negócio 05 1.1.3 Constituição

Leia mais

Líder em consultoria no agronegócio

Líder em consultoria no agronegócio MPRADO COOPERATIVAS mprado.com.br COOPERATIVAS 15 ANOS 70 Consultores 25 Estados 300 cidade s 500 clientes Líder em consultoria no agronegócio 1. Comercial e Marketing 1.1 Neurovendas Objetivo: Entender

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIO: UMA FERRAMENTA COM MULTIPLAS APLICAÇÕES

PLANO DE NEGÓCIO: UMA FERRAMENTA COM MULTIPLAS APLICAÇÕES 1 PLANO DE NEGÓCIO: UMA FERRAMENTA COM MULTIPLAS APLICAÇÕES Angela Brasil (Docente das Faculdades Integradas de Três Lagoas -AEMS) E-mail:angelabrasil@ibest.com.br Cleucimar Aparecida Pereira Prudente

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO SAÚDE LABORAL

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO SAÚDE LABORAL OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO SAÚDE LABORAL 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser fotocopiada,

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS INTRODUÇÃO

PLANO DE NEGÓCIOS INTRODUÇÃO PLANO DE NEGÓCIOS INTRODUÇÃO É um instrumento que visa estruturar as principais concepções e alternativas para uma análise correta de viabilidade do negócio pretendido, proporcionando uma avaliação antes

Leia mais

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional.

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Empresa MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Nossa filosofia e oferecer ferramentas de gestão focadas na

Leia mais

Escritório Modelo da Faculdade de Diadema

Escritório Modelo da Faculdade de Diadema Escritório Modelo da Faculdade de Diadema Profª. Vânia Amaro Gomes Coordenação de Curso DIADEMA, 2015 Introdução Atualmente há uma grande dificuldade dos alunos egressos das Faculdades em obter emprego

Leia mais

Plano de Negócios. Curso: Gestão Financeira 14/8/2012. Prof. Vitor Gustavo. Objetivos da aula

Plano de Negócios. Curso: Gestão Financeira 14/8/2012. Prof. Vitor Gustavo. Objetivos da aula Curso: Gestão Financeira Plano de Negócios Prof. Vitor Gustavo Objetivos da aula Conceituar EMPREENDEDORISMO na atual conjuntura nacional; Conhecer e Compreender a importância do PLANO DE NEGÓCIOS na gestão

Leia mais

EMPREENDEDORISMO Marketing

EMPREENDEDORISMO Marketing Gerenciando o Marketing EMPREENDEDORISMO Marketing De nada adianta fabricar um bom produto ou prestar um bom serviço. É preciso saber colocálo no mercado e conseguir convencer as pessoas a comprá-lo. O

Leia mais

Conceitos e tarefas da administração de marketing DESENVOLVIMENTO DE ESTRATEGIAS E PLANOS DE MARKETING

Conceitos e tarefas da administração de marketing DESENVOLVIMENTO DE ESTRATEGIAS E PLANOS DE MARKETING Sumário Parte um Conceitos e tarefas da administração de marketing CAPITULO I MARKETING PARA 0 SÉCULO XXI A importância do marketing O escopo do marketing 0 que é marketing? Troca e transações A que se

Leia mais

Eline Cristina Miranda 0501006001. Administração Financeira e Orçamentária

Eline Cristina Miranda 0501006001. Administração Financeira e Orçamentária UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS BACHARELADO EM CIENCIAS CONTÁBEIS PROF: HÉBER LAVOR MOREIRA Eline Cristina Miranda 0501006001 Administração

Leia mais

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO ANEXO

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO ANEXO PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO ANEXO Plano de Ação Estratégico Estratégias empresariais Anexo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas SEBRAE Unidade de Capacitação Empresarial Estratégias

Leia mais

Plano de Negócios. Nívea Cordeiro 2011

Plano de Negócios. Nívea Cordeiro 2011 Plano de Negócios Nívea Cordeiro 2011 www.cordeiroeaureliano.com.br nivea@cordeiroeaureliano.com.br 2011 2 O Doidinho da Aldéia Vamos exercitar nossas habilidades empreendedoras; O que significou: O vendedor

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO MELHOR IDADE - SERVIÇOS DE CUIDADOR

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO MELHOR IDADE - SERVIÇOS DE CUIDADOR OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO MELHOR IDADE - SERVIÇOS DE CUIDADOR 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação

Leia mais

MBA Gestão Estratégica de Marketing e Vendas

MBA Gestão Estratégica de Marketing e Vendas Página 1 de 6 MBA Gestão Estratégica de Marketing e Vendas Carga Horária: 360 horas/ aulas presenciais + monografia orientada. Aulas: sábados: 8h30 às 18h, com intervalo para almoço. Valor: 16 parcelas

Leia mais

Unidade IV. Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas. Prof a. Daniela Menezes

Unidade IV. Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas. Prof a. Daniela Menezes Unidade IV Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas Prof a. Daniela Menezes Tipos de Mercado Os mercados podem ser divididos em mercado de consumo e mercado organizacional. Mercado de consumo: o consumidor

Leia mais

Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO

Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO Prêmio de Empreendedorismo James McGuire 2013 REGULAMENTO Prêmio de Empreendedorismo James McGuire 2013 é uma competição interna da Laureate International

Leia mais

Roteiro para apresentação do Plano de Negócio. Preparamos este roteiro para ajudá-lo(a) a preparar seu Plano de Negócio.

Roteiro para apresentação do Plano de Negócio. Preparamos este roteiro para ajudá-lo(a) a preparar seu Plano de Negócio. Roteiro para apresentação do Plano de Negócio Preparamos este roteiro para ajudá-lo(a) a preparar seu Plano de Negócio. Abaixo encontra-se a estrutura recomendada no Empreenda! O Plano de Negócio deverá

Leia mais

Formulário de Apresentação da Proposta Simplificada

Formulário de Apresentação da Proposta Simplificada Formulário de Apresentação da Proposta Simplificada A. Dados Cadastrais A.1. Informações para contato Endereço Completo: Bairro: Cidade: UF: CEP: Telefone: e-mail: Página na Internet: A.2. Caracterização

Leia mais

PLANO DE AÇÃO . TREINAMENTOS . PROGRAMAS . PALESTRAS PARANAÍBA MS

PLANO DE AÇÃO . TREINAMENTOS . PROGRAMAS . PALESTRAS PARANAÍBA MS PLANO DE AÇÃO. TREINAMENTOS. PROGRAMAS. PALESTRAS PARANAÍBA MS 2015 TREINAMENTO - Ciclo de Palestras - Auxiliar o empresário, ou potencial empreendedor, desde a tomada de decisão de abrir um novo negócio

Leia mais

6. Planejamento do Negócio

6. Planejamento do Negócio 6. Planejamento do Negócio Conteúdo 1. O que é um Plano de Negócios 2. Elaboração de um Plano de Negócios 3. Sessões Propostas para um Plano de Negócios 4. Idéias para um Plano de Negócios 5. Sites para

Leia mais

Considerando que a pesquisa mercadológica é uma ferramenta de orientação para as decisões das empresas, assinale a opção correta.

Considerando que a pesquisa mercadológica é uma ferramenta de orientação para as decisões das empresas, assinale a opção correta. ESPE/Un SERE plicação: 2014 Nas questões a seguir, marque, para cada uma, a única opção correta, de acordo com o respectivo comando. Para as devidas marcações, use a Folha de Respostas, único documento

Leia mais

AULA 4 SOLUÇÕES EM NEGÓCIO ELETRÔNICOS. Prof. Adm. Paulo Adriano da Silva Carvalho

AULA 4 SOLUÇÕES EM NEGÓCIO ELETRÔNICOS. Prof. Adm. Paulo Adriano da Silva Carvalho AULA 4 SOLUÇÕES EM NEGÓCIO ELETRÔNICOS Prof. Adm. Paulo Adriano da Silva Carvalho AVALIAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIO AVALIAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIO VÍDEO: VENDER NA INTERNET - POR QUE MINHA LOJA NÃO VENDE? Caso

Leia mais

MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA

MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA Há muito se discute que o mercado de farmácias é ambiente competitivo e que a atividade vem exigindo profissionalismo para a administração de seus processos, recursos e pessoal.

Leia mais

CHAMADA PARA PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO

CHAMADA PARA PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO CHAMADA PARA PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO RAIAR Incubadora Multissetorial de Empresas de Base Tecnológica e Inovação da PUCRS TECNOPUC Parque Científico e Tecnológico da PUCRS Porto Alegre,

Leia mais

- Como utilizar essas medidas para analisar, melhorar e controlar o desempenho da cadeia de suprimentos?

- Como utilizar essas medidas para analisar, melhorar e controlar o desempenho da cadeia de suprimentos? Fascículo 5 A medição do desempenho na cadeia de suprimentos Com o surgimento das cadeias de suprimento (Supply Chain), a competição no mercado tende a ocorrer cada vez mais entre cadeias produtivas e

Leia mais

Documento que sistematiza informação sobre a ideia de negócio, como pretende implementá-la, e que resultados espera obter no futuro.

Documento que sistematiza informação sobre a ideia de negócio, como pretende implementá-la, e que resultados espera obter no futuro. Feira do Empreendedor 2014 Documento que sistematiza informação sobre a ideia de negócio, como pretende implementá-la, e que resultados espera obter no futuro. É essencial para a estruturação e defesa

Leia mais

Prof. Dr. José Dornelas www.josedornelas.com. Manual do Professor

Prof. Dr. José Dornelas www.josedornelas.com. Manual do Professor Prof. Dr. José Dornelas www.josedornelas.com Manual do Professor Manual do professor Este manual deve ser usado em conjunto com o vídeo do autor disponível no site da editora: www.campus.com.br Maiores

Leia mais

Margem esquerda 3 cm, direita 2,5 cm, superior 2,5 cm, inferior 2,5 cm Fonte do texto: Times 12 ou Arial 11

Margem esquerda 3 cm, direita 2,5 cm, superior 2,5 cm, inferior 2,5 cm Fonte do texto: Times 12 ou Arial 11 IDEIA Manual para elaboração de projeto Curso de ADMINISTRAÇÂO/HOTELARIA (baseado na ABNT) O projeto deve ser escrito sempre de forma impessoal, ou seja, nunca nosso projeto, nossa empresa, faremos etc

Leia mais