Viabilidade de Negócios. Indústria

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Viabilidade de Negócios. Indústria"

Transcrição

1 Viabilidade de Negócios Indústria

2 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO ANALISANDO A VIABILIDADE DO NEGÓCIO INVESTIMENTOS FIXOS GASTOS FIXOS MENSAIS CAPITAL DE GIRO INICIAL INVESTIMENTO INICIAL TOTAL METAS DE VENDAS GASTOS VARIÁVEIS PONTO DE EQUILÍBRIO DEMONSTRATIVO DE RESULTADOS RETORNO DO INVESTIMENTO ENCERRAMENTO GABARITO DAS ATIVIDADES

3 1. INTRODUÇÃO Seu negócio é viável? Descubra aqui, neste material, a viabilidade de negócios! Imagem de três empresários O objetivo deste material é proporcionar a você, que está perto de abrir, melhorar ou ampliar a sua empresa, a oportunidade de analisar se o seu negócio será viável ou não. Imagem de um homem com fisionomia positiva, próximo de algumas cédulas 3

4 Neste material, você seguirá um passo a passo que aborda diversos aspectos da viabilidade econômica de sua empresa. Em cada um dos passos, você irá realizar atividades com os dados do seu empreendimento. Essas atividades irão te ajudar a analisar se sua ideia de negócio é viável. Imagem de uma empresa quebrada Você sabia que a maioria dos empresários abre uma empresa sem conseguir prever os riscos ou qual o retorno que o seu negócio dará e, ainda, em quanto tempo terá de volta o investimento? Saiba que é comum as empresas correrem certos riscos, como os exemplos a seguir: Endividamento; Vendas insuficientes; Perda do capital investido; Estimativa incorreta de investimento; Falta de capital e faturamento insuficiente; Quebra (27% quebraram no primeiro ano). 4

5 Por isso é tão importante analisar a viabilidade econômica de um negócio! Assim, você terá uma ideia antecipada dos problemas que poderão surgir em sua empresa, podendo realizar mudanças no seu negócio para minimizar os possíveis riscos. Fique atento a algumas reflexões que serão propostas a seguir, durante a leitura deste material. Elas serão de extrema importância para que você possa tomar decisões para minimizar os riscos de seu negócio. Imagem de uma mulher olhando pela janela um painel com as questões a seguir Quanto você gastará para abrir, ampliar ou estruturar sua empresa? Você vai ganhar dinheiro com sua empresa? Quanto dinheiro você pretende ganhar com sua empresa? Quais são os investimentos necessários para abrir ou ampliar o negócio? Em quanto tempo você terá esse dinheiro de volta? O seu preço está compatível com o mercado? Você conseguirá pagar todos os gastos? Qual a sua retirada mensal? A sua empresa pode pagar esse valor? 5

6 Todas essas perguntas estão relacionadas à análise que você fará da viabilidade de abrir ou ampliar a sua empresa. E se você conseguir responder a todas elas, já é um sinal de que você conhece bem o seu negócio. Você pode estar se perguntando: qual a importância da viabilidade econômica para o meu negócio? Com este material, você aprenderá a: Imagem de um cofre com dinheiro 6

7 Estimar quais são os investimentos necessários para abrir ou ampliar o negócio. Imagem de um envelope com três gastos (água, energia elétrica e telefone) Levantar todos os gastos necessários para manter o seu negócio funcionando, gastos com ampliação ou melhoria de sua empresa. Imagem de um relógio 7

8 Descobrir em quanto tempo o seu negócio terá o retorno equivalente ao valor do investimento inicial total. Imagem de uma máquina registradora Definir se o capital disponível é suficiente. Imagem de uma empresa recebendo dinheiro 8

9 Definir se é mais viável investir o dinheiro na empresa ou em uma aplicação financeira. Imagem de uma mulher no computador O SEBRAE-SP já está integrado às redes sociais da Internet. Estamos no Twitter, Facebook e Youtube. Se você já faz parte ou quer iniciar sua participação nas redes, durante este material, terá uma ótima oportunidade!

10 Em algumas frases, você encontrará esta logo do Twitter. Imagem da logo do Twitter. Acesse: Você poderá fazer o seu cadastro no site do Twitter ou entrar com seu usuário já cadastrado. Depois, basta você tuitar a frase ou a ideia que está sendo passada naquele momento do material. Assim, você poderá compartilhar imediatamente as informações com outros empresários e amigos. Use os contatos obtidos nas redes sociais para melhorar o seu negócio. Siga-nos! Imagem de uma mulher pensando 10

11 É ou não é viável abrir uma empresa? É viável ampliar minha empresa? Devo manter minha empresa funcionando? Imagem da logo do Twitter. Acesse: #EADSebraesp Analisando a viabilidade de um negócio, o empreendedor tem uma visão antecipada dos riscos que poderão surgir. 11

12 2. ANALISANDO A VIABILIDADE DO NEGÓCIO Imagem de uma mesa com um boleto bancário, calculadora e moedas Agora, você conhecerá de forma organizada e sistemática todos os dados e informações necessários para avaliar a viabilidade de sua empresa. Você terá contato com informações de um setor econômico de indústria e, em seguida, fará a análise com os dados do seu próprio negócio. 12

13 Imagem de uma fábrica de roupas A partir das informações coletadas sobre este empreendimento, você aprenderá a fazer o cálculo e a análise da viabilidade com os dados da sua empresa. Conheça agora a história do empresário Arlindo, dono da indústria de confecções Bela Costura. Saiba como ele fez para chegar até aqui. Imagem de Arlindo em seu quarto, lendo uma revista e pensando 13

14 Arlindo tinha um grande sonho... ele queria muito abrir um novo negócio. Uma confecção de roupas... pensa Arlindo. Um dia, ele começou a pensar se esse negócio poderia dar certo... e teve uma ideia. Imagem de Arlindo no computador Acessou o portal SEBRAE-SP e verificou que ele oferecia um curso sobre Viabilidade de Negócios. Arlindo resolveu fazê-lo! Aprendeu todas as etapas de análise da viabilidade econômica. Imagem de Arlindo sorridente fazendo uma pesquisa no portal SEBRAE-SP 14

15 Fez simulações com os dados da sua empresa e chegou à conclusão de que o negócio daria certo. Imagem de Arlindo em sua fábrica com um calendário e um gráfico apontando lucro Após seis meses de uso da sua reserva para cobrir os gastos no seu novo negócio... comprovou: sua empresa passou a ter o retorno do investimento feito e já está gerando lucro. Quer alcançar o sucesso como ele? Então, siga os passos! Imagem de Arlindo em sua fábrica 15

16 Arlindo será uma referência para te auxiliar na análise da viabilidade da sua empresa. Junto a ele, você vai aprender e praticar. Conheça os dados que você precisará lançar no decorrer deste material. Investimentos fixos; Gastos fixos mensais; Capital de giro inicial; Investimento inicial total; Meta de vendas; Gastos variáveis; Ponto de equilíbrio; Demonstrativo de resultado; Retorno do investimento. 16

17 3. INVESTIMENTOS FIXOS Antes de qualquer coisa, Arlindo precisou investir em bens para o funcionamento da empresa. Este é o primeiro passo da análise de viabilidade. Confira! Imagem de Arlindo pensativo na mesa de sua fábrica Você sabe exatamente o que quer dizer Investimento Fixo Necessário? Imagem de uma fábrica de roupas com máquinas e equipamentos, móveis, computadores e um homem fazendo reforma 17

18 Os investimentos fixos necessários são os bens essenciais para o funcionamento de uma empresa, como por exemplo: Reformas; Máquinas e equipamentos; Móveis e utensílios; Computadores; Programas de computador. Verifique! Na mesa do Arlindo, há um recado para você. Imagem da mesa da fábrica com o recado a seguir 18

19 É importante que o investimento fixo seja previamente calculado e analisado, pois ele compõe os gastos iniciais do seu negócio. Suponha-se que você não considerou uma reforma, por exemplo, nos seus cálculos. Isso significa que você terá um retorno financeiro menor que o previsto ou não terá retorno algum. Confira o caso de uma escola em que os donos não fizeram a estimativa adequada do investimento fixo. Imagem dos alunos da escola Criança Feliz estudando Os donos da escola Criança Feliz, Isabel e Joaquim, ao decidirem investir para ampliar o negócio, não fizeram a estimativa adequada do retorno do investimento fixo. Desse modo, acabaram não percebendo o quanto essa ampliação influenciaria no volume deste investimento fixo. Isabel e Joaquim não calcularam se o aumento no número de alunos traria o retorno do investimento a ser realizado em reforma. 19

20 Imagem dos proprietários da escola, Isabel e Joaquim Calculando e analisando de forma adequada o investimento, eles compreenderam que, embora tenham oportunidade de ampliar, não poderiam aproveitá-la como pensaram, porque isso implicaria em um aumento significativo no investimento fixo. Depois da análise do investimento, eles puderam tomar a decisão estratégica de, ao invés de ampliar as instalações, criar um turno de aulas a mais. A coleta, a análise e a comparação entre os dados favorecem a tomada de decisão! Imagem de Arlindo segurando um papel em sua fábrica 20

21 Percebeu como coletar, calcular e analisar dados é necessário para minimizar o risco de se investir mais do que o retorno previsto? Por isso, é bom que você faça uma análise minuciosa de todos os dados da sua empresa. Ainda bem que Arlindo não correu esse risco. Verifique como ficou sua planilha de investimentos fixos. Investimentos Fixos da fábrica Bela Costura Reformas prediais Valores R$8.000,00 Máquinas e equipamentos (inclusive instalação) R$12.000,00 Computadores R$5.000,00 Programas de computador R$2.500,00 Móveis e utensílios R$4.000,00 Total de investimentos fixos R$31.500,00 Como você pode verificar, Arlindo gastou R$31.500,00. E você, quanto acha que precisará investir para iniciar suas atividades? Agora, monte sua planilha com os dados da sua empresa. 21

22 ATIVIDADE 01 Para realizar esta atividade, utilize uma folha à parte. A partir da planilha a seguir, calcule os investimentos fixos da sua empresa. Se no seu negócio, algum dos itens não se enquadrar, você poderá inserir outros, conforme a sua necessidade. Investimentos Fixos de minha empresa Valores (R$) Reformas prediais Máquinas e equipamentos (inclusive instalação) Móveis e utensílios Computadores Programas de computador Total de investimentos fixos Não se esqueça de ir ao gabarito para conferir a sua resposta. 22

23 4. GASTOS FIXOS MENSAIS Imagem de Arlindo na mesa de sua fábrica Definido o valor do investimento, Arlindo começou a analisar os seus gastos fixos mensais. Ele adquiriu muita experiência com eles, fazendo o curso Gastos na Indústria do SEBRAE-SP. Preste atenção no que ele tem para te mostrar! Huum... Vou dar uma conferida nos meus gastos fixos mensais. É sempre bom verificá-los para a manutenção do negócio pensa Arlindo. Imagem de uma mão segurando uma carteira de trabalho 23

24 Gastos Fixos Mensais São gastos que não variam de acordo com o volume de vendas e produção. Mesmo que Arlindo não venda nenhum produto, ele terá que pagar, por exemplo, os salários fixos dos seus colaboradores. Imagem de um gráfico apresentando lucro A definição desses gastos é um passo importante para avaliação da viabilidade do seu negócio, pois podem impactar diretamente no resultado lucro/prejuízo, já que eles independem do volume de vendas. Caso seja estimado um volume de vendas insuficiente para cobrir os gastos fixos mensais, certamente o seu negócio não será viável. Por isso, fique atento às suas metas de vendas e gastos! Mas o que compõem os gastos fixos mensais? Pessoal e Encargos O gasto com Pessoal e Encargos é composto por: pró-labore, salários, encargos trabalhistas e benefícios. Verifique o conceito dos itens acima para te auxiliar quando for montar sua planilha. Além de conhecer esses conceitos, você pode fazer o curso Gastos na Indústria disponível no portal SEBRAE-SP. 24

25 Conceitos: O salário é a remuneração básica do colaborador pela prestação dos seus serviços. É necessário que você defina a quantidade a ser gasta com a remuneração de seus futuros colaboradores. O pró-labore é a remuneração do proprietário e/ou sócios que irão trabalhar na empresa. Por isso, é importante definir um valor fixo a ser pago aos proprietários para que as retiradas financeiras sejam mais organizadas. Os encargos trabalhistas são compostos por: ¾FGTS, que equivale a 8% do valor dos salários; ¾O 13º salário e as férias, que são valores pagos uma vez por ano aos colaboradores. Mesmo assim, é necessário que você trate esses gastos como mensais, calculando o valor proporcional do 13º e das férias todos os meses. Agindo assim, você impedirá prejuízos para sua empresa. OBSERVAÇÃO No caso de empresas não optantes do Simples, há cobrança de outros encargos trabalhistas. Consulte seu contador ou faça o curso Departamento Pessoal na Prática, disponível no portal Sebrae-SP. Os benefícios também são gastos fixos mensais que você precisa calcular e considerar ao realizar a análise da viabilidade de sua empresa. Verifique alguns exemplos: ¾Vale-transporte; ¾Vale-refeição; ¾Cesta básica; ¾Assistência médica. 25

26 IMPORTANTE Para conhecer mais os gastos de Pessoal e Encargos, faça o curso Departamento Pessoal na Prática, disponível no portal SEBRAE-SP. Este curso irá te ajudar muito para definir quais são estes gastos com pessoal e como você deve calcular cada um. Ocupação Gastos com o local onde ficará seu imóvel. Por exemplo: aluguel, IPTU, energia elétrica e água. Comunicação Gastos que você utilizará para entrar em contato com seus clientes, fornecedores e outros, como por exemplo: telefone fixo e móvel, Internet e correios. Serviços de terceiros Gastos relacionados a seu contador, a manutenção de programas do computador da sua empresa, vigilância, manutenção do estabelecimento e limpeza. Marketing e divulgação Gastos fundamentais para a apresentação da sua empresa e produtos. Nesses gastos, estão inclusos hospedagem e manutenção de site da sua empresa, impressos e propagandas. Despesas gerais Estão inclusos o material de escritório, material de limpeza, cartório e mantimentos. 26

27 ATENÇÃO Todos esses gastos são fixos, por isso devem ser pagos mensalmente, mesmo que não seja vendido nenhum produto, pois são independentes do volume de vendas. Imagem de Arlindo em sua fábrica segurando uma pasta Agora que você conheceu o que é gasto fixo, o que acha de verificar a tabela de gastos da fábrica do Arlindo? Ele está bem preparado para definir os da sua empresa, pois o curso Gastos na Indústria e o seu contador o ajudaram muito. Verifique a seguir os valores de todos os gastos fixos mensais da indústria Bela Costura. 27

28 Pessoal e encargos Pessoal e encargos Pró-labore Salários FGTS Vale-transporte Cesta básica Assistência médica Provisão de 13º e férias Total R$2.000,00 R$5.000,00 R$400,00 R$500,00 R$480,00 R$650,00 R$600,00 R$9.630,00 Ocupação Ocupação Aluguel IPTU Energia elétrica Água Total R$1.500,00 R$100,00 R$350,00 R$50,00 R$1.175,00 Comunicação Comunicação Telefone fixo e Internet Telefone celular Correios Total R$300,00 R$120,00 R$100,00 R$520,00 28

29 Serviços de terceiros Serviços de Terceiros Contador Manutenção de programas de computador Monitoramento e vigilância Manutenção Limpeza Total R$280,00 R$120,00 R$180,00 R$200,00 R$400,00 R$1180,00 Marketing e divulgação Marketing e divulgação Hospedagem e manutenção de site Impressos Propaganda Total R$180,00 R$200,00 R$390,00 R$770,00 Despesas gerais Despesas Gerais Material de escritório Material de limpeza Cartório Mantimentos (café, água etc.) Total R$100,00 R$100,00 R$30,00 R$150,00 R$380,00 29

30 Total de gastos fixos mensais Gastos Fixos Mensais da Indústria Bela Costura Pessoal e encargos Ocupação Comunicação Serviços de terceiros Marketing e divulgação Despesas gerais Total R$9.630,00 R$2.050,00 R$520,00 R$1180,00 R$770,00 R$380,00 R$14.530,00 Os gastos fixos mensais da empresa do Arlindo totalizam R$14.530,00. E ele nunca deixa de analisá-los para minimizar os riscos. Faça como Arlindo! Analise sempre os gastos da sua empresa. Verifique! Na mesa do Arlindo, há um recado para você. Imagem da mesa da fábrica com o recado a seguir 30

31 Para definir os seus gastos fixos mensais, você deve: Analisar a estrutura dos concorrentes; Verificar o piso salarial e benefícios referentes à categoria de seus futuros colaboradores; Pensar nas taxas de sindicatos patronais, prefeitura, vigilância sanitária que possivelmente deverão ser pagos; Pesquisar fornecedores. Conheça um caso de uma lavanderia sobre os gastos fixos mensais: Imagem de Beatriz, dona da lavanderia Clean Beatriz é dona da lavanderia Clean. Durante sua análise de viabilidade para sua empresa, ela se esqueceu de fazer a provisão correta do 13º e férias dos seus colaboradores. 31

32 Sua sócia, ao verificar que ela se esqueceu de inserir esses dados, informou que isso poderia acarretar em um prejuízo para a empresa, pois apesar de serem pagos uma vez por ano aos colaboradores, esses gastos devem ser tratados como mensais. Imagem de Arlindo na mesa de sua fábrica Para que esse problema da Beatriz não ocorra com você, é fundamental fazer uma análise criteriosa de todos os itens que irão compor os gastos fixos mensais da sua empresa. Arlindo controla muito bem os dele. E você também pode fazer isso. Comece a pensar em sua planilha de gastos fixos mensais! 32

33 ATIVIDADE 02 Para realizar esta atividade, utilize uma folha à parte. A partir das planilhas a seguir, calcule todos os gastos fixos mensais de sua empresa. Se no seu negócio, algum dos itens não se enquadrar, você poderá inserir outros, conforme a sua necessidade. Pessoal e encargos Pró-labore Salários FGTS Vale-transporte Cesta básica Assistência médica Provisão de 13º e férias Total Pessoal e encargos Ocupação Ocupação Aluguel IPTU Energia elétrica Água Total 33

34 Comunicação Comunicação Telefone fixo e Internet Telefone celular Correios Total Serviços de terceiros Serviços de Terceiros Contador Manutenção de programas de computador Monitoramento e vigilância Manutenção Limpeza Total Marketing e divulgação Marketing e divulgação Hospedagem e manutenção de site Impressos Propaganda Total 34

35 Despesas gerais Despesas Gerais Material de escritório Material de limpeza Cartório Mantimentos (café, água etc.) Total Total de gastos fixos mensais Gastos Fixos Mensais da minha empresa Pessoal e encargos Ocupação Comunicação Serviços de terceiros Marketing e divulgação Despesas Gerais Total Não se esqueça de ir ao gabarito para conferir a sua resposta. 35

36 5. CAPITAL DE GIRO INICIAL Imagem de Arlindo na mesa de sua fábrica Através de Arlindo, você pode perceber o modelo de planilha para os gastos fixos mensais. Agora, você está pronto para calcular as necessidades financeiras da próxima etapa Capital de Giro Inicial. Para fazer a análise da viabilidade da sua empresa, é necessário que você estime outros valores que também irão compor o seu investimento inicial. Além do investimento fixo (máquinas, equipamentos, dentre outros), que é mais visível, você também precisará ter recursos financeiros para cobrir o giro, ou seja, o funcionamento da empresa nos primeiros meses de atividade, o que é chamado de Capital de Giro Inicial. O Capital de Giro Inicial, para os primeiros meses, deve ser muito bem dimensionado, já que neles a sua empresa poderá apresentar prejuízo, pois normalmente o volume de vendas é menor do que o previsto quando a empresa estiver em pleno funcionamento. 36

37 Por isso, é fundamental que você preveja um valor que servirá para cobrir a necessidade de capital de giro no início de suas operações. Imagem de um boneco efetuando cálculos através de um ábaco Mas o que é Capital de Giro Inicial? É o valor necessário para que sua empresa possa sustentar as operações do dia a dia e funcionar nos primeiros meses sem depender das vendas para sobreviver. Imagem de Arlindo pensativo na mesa de sua fábrica 37

38 Vou consultar na minha planilha os itens que compõem o capital de giro inicial da minha indústria. Quero ver se está tudo em ordem pensa Arlindo. Antes de verificar os cálculos de capital de giro inicial da indústria Bela Costura, o que acha de conhecer os itens que os compõem? O capital de giro inicial da indústria Bela Costura é composto por: Imagem de um calendário e de um cofre Reserva para cobertura de gastos fixos mensais nos primeiros meses de funcionamento Ao determinar o valor da cobertura de seus gastos fixos mensais para os primeiros meses, você primeiro deve definir a quantidade de meses que sua empresa funcionará sem depender das vendas do seu empreendimento, ou seja, o período de tempo em que sua empresa provavelmente apresentará prejuízo. 38

39 ATENÇÃO! Ao simular a viabilidade da empresa, o valor da reserva poderá variar de acordo com a expectativa de evolução das vendas nos primeiros meses. Imagem de uma empresa e de dinheiro Constituição da Empresa É o valor necessário para arcar com os gastos para a constituição da empresa e sua abertura. Por exemplo: os gastos com honorários de contabilistas e pagamento de taxas junto aos órgãos competentes. Por isso, neste momento é necessário que você apure quanto acha que terá de gastos para abrir a sua empresa. Lembre-se! Esses gastos podem variar de acordo com o ramo de sua atividade. No caso de empresas de indústria e de comércio, é feito o registro na Fazenda Estadual. E, na empresa de serviço, o registro é na prefeitura para recolhimento de impostos. 39

40 Imagem de um alvo Marketing São os primeiros gastos para sua empresa avaliar o mercado e, em seguida, tornar-se conhecida. Você precisará arcar com gastos de pesquisa de mercado, criação da marca, logotipo, página na Internet e divulgação inicial. Esta será a sua primeira ação de marketing planejada. Reflita sobre a questão a seguir: quanto você pretende investir em sua primeira ação de marketing? Imagem de um diploma 40

41 Treinamentos e Certificações São os gastos iniciais que você terá com cursos, capacitações e certificações necessários para sua preparação e dos seus colaboradores para o início das atividades. Você já parou para pensar se será necessário procurar alguma capacitação para você e seus colaboradores? Imagem de um estoque Estoque Inicial São gastos com matérias-primas, embalagens e outros materiais diretos que sejam necessários manter em seu estoque no início das atividades, valorizados a custo de aquisição. Você não pode considerar o preço final do estoque, porque nesse valor final estão incluídos outros itens como impostos, lucro, dentre outros. DICA Ao dimensionar o estoque inicial, procure garantir que terá condições de atender bem os seus clientes, mas sem exagerar, pois o estoque parado pode gerar perdas financeiras para sua empresa. IMPORTANTE! Verifique se no seu negócio há outros itens, além desses que foram exibidos aqui, pois eles podem variar de negócio para negócio. 41

42 Imagem de Arlindo segurando um papel em sua fábrica Arlindo, no início de sua análise, definiu que precisaria manter em caixa o valor equivalente a seis meses de gastos fixos, período suficiente para assegurar as despesas fixas em caixa. A partir desse tempo estipulado, ele criou sua planilha de capital de giro inicial. Verifique! Planilha de capital de giro inicial da indústria Bela Costura: Meses de reserva para cobertura de gastos fixos mensais Reserva para cobertura de gastos fixos mensais Constituição da empresa Marketing e divulgação Treinamentos e certificações Estoque inicial Capital de giro necessário no início das atividades Valores R$87.180,00 R$1.000,00 R$770,00 R$1.000,00 R$25.000,00 R$ ,00 42

43 Para calcular a reserva para cobertura das suas despesas fixas, Arlindo pegou a quantidade de meses que gostaria de ter como garantia para cobertura dos seus gastos fixos mensais e multiplicou pelo valor dos gastos fixos mensais da sua indústria. Verifique o cálculo: meses para cobertura x gastos fixos mensais Reserva para cobertura = 6x R$14.530,00 R$87.180,00 Arlindo definiu um valor para o seu estoque inicial. Geralmente, no início das atividades, as empresas têm mais dificuldade para comprar a prazo. Por isso, fique atento! É importante que você preveja um valor para compras à vista para o seu estoque inicial. Agora, verifique o valor previsto por Arlindo para o seu estoque inicial. Nos cálculos do Arlindo, foi preciso R$ ,00 para que a indústria exercesse suas atividades nos primeiros meses, sem depender das vendas para sobreviver. Agora é a vez de elaborar a planilha de capital de giro para sua futura empresa. 43

44 ATIVIDADE 03 Para realizar esta atividade, utilize uma folha à parte. A partir da planilha a seguir, calcule o capital de giro inicial de sua empresa. Utilize a fórmula para calcular a reserva para cobertura de despesas fixas. Se no seu negócio, algum dos itens não se enquadrar, você poderá inserir outros, conforme a sua necessidade. Planilha de Capital de Giro Inicial da Minha Empresa Meses de reserva para cobertura de gastos fixos mensais Reserva para cobertura de despesas fixas Constituição da empresa Marketing e divulgação Treinamentos e certificações Estoque inicial Capital de giro necessário no início das atividades Fórmula de cálculo: Quantidade de meses x total dos gastos fixos mensais DICA No futuro, o item marketing e divulgação, que está no capital de giro inicial, fará parte dos gastos fixos mensais da sua empresa. Não se esqueça de ir ao gabarito para conferir a sua resposta. 44

45 6. INVESTIMENTO INICIAL TOTAL Imagem de Arlindo na fábrica Conheça algumas informações sobre o Investimento Inicial Total: Imagem de um homem efetuando cálculos A definição do Investimento Inicial Total é necessária porque, ao dimensionar o seu valor, você deve levar em consideração todo tipo de gasto da empresa. Lembre-se de que serão considerados todos os seus investimentos no cálculo do prazo de retorno financeiro. 45

46 Imagem de um empreendedor fazendo anotações em sua agenda Alguns empreendedores costumam considerar apenas os gastos que são visíveis na empresa, como um equipamento que ele compra e que ele vê no empreendimento, por exemplo, e acabam se esquecendo de considerar o dinheiro que eles desembolsam nos primeiros meses de atividade para garantir o funcionamento da empresa. Imagem de um relógio Isso é um risco muito grande para o negócio, pois se o empreendedor considerar apenas o valor percebível, terá um prazo ilusório de retorno do capital. Verifique agora o caso de uma empresa que não estimou corretamente o Investimento Inicial Total: 46

47 Imagem de Renato, dono da fábrica Ideal Garrafas Renato, dono da fábrica Ideal Garrafas, não considerou os desembolsos que precisou fazer durante os primeiros meses para garantir o funcionamento da empresa. Por isso, o seu investimento total não foi estimado corretamente. Ele acabou utilizando todo o dinheiro que tinha reservado, ficando descapitalizado para manter a empresa nos primeiros meses, justamente no período em que a fábrica ainda não conseguia se sustentar. Renato teve que fazer um empréstimo para cobrir os gastos do funcionamento da empresa. Com isso, os juros consumiram todo o resultado gerado pela empresa e o prazo para retorno do capital inicial investido foi ampliado. Calcular e analisar os valores necessários para início ou ampliação do negócio é uma decisão estratégica e fundamental para minimizar os riscos. Pense nisso! 47

48 Imagem de Arlindo na mesa de sua fábrica Arlindo tem algo para te mostrar! Verifique o cálculo do Investimento Inicial Total da indústria. Preste atenção neste cálculo para que depois você possa fazer o seu. Definição do Investimento Inicial Total da indústria Bela Costura Capital de giro necessário no início das atividades valor necessário para cobrir os gastos do dia a dia no início das atividades. Investimento fixo formado pelo conjunto de bens necessários à manutenção das atividades da empresa. Valor Total do Investimento Inicial capital de giro inicial + investimento fixo. R$ ,00 R$31.500,00 R$ ,00 Arlindo precisou investir o total de R$ ,00 para iniciar suas atividades em seu novo negócio. Você deve estar curioso para conhecer os seus valores. 48

49 ATIVIDADE 04 Para realizar esta atividade, utilize uma folha à parte. A partir da planilha a seguir, calcule o Investimento Inicial Total da sua empresa. Definição do Investimento Inicial Total da minha empresa Capital de giro necessário no início das atividades valor necessário para cobrir os gastos do dia a dia no início das atividades. Investimento fixo formado pelo conjunto de bens necessários à manutenção das atividades da empresa. Valor Total do Investimento Inicial capital de giro inicial + investimento fixo. Não se esqueça de ir ao gabarito para conferir a sua resposta. E então? O que achou do valor referente ao seu investimento total inicial? Arlindo investiu somente o necessário para a sua fábrica. Como você já definiu o seu investimento inicial total, já pode pensar em suas metas de vendas. Esta é a próxima etapa a ser analisada. 49

50 7. METAS DE VENDAS Imagem de Arlindo na fábrica As metas de vendas são fundamentais na análise da viabilidade. A partir delas, você terá um valor estimado de faturamento que permitirá calcular o retorno do seu investimento. Arlindo estipulou uma meta bem ousada, porém alcançável! O que você acha de fazer como ele? É fundamental que você faça uma previsão de vendas para a sua empresa. As metas de vendas são justamente o quanto você deseja faturar com suas vendas, ou seja, é o valor de faturamento mensal desejado. O empresário deve definir quantos produtos ele quer vender no mês e o preço de cada um deles. A multiplicação dessa quantidade de produtos e seus preços são a sua previsão de vendas. 50

51 Para definir metas de vendas, você precisa considerar: Clientes; Concorrentes; Expectativa de retorno do capital investido; Estrutura de vendas; Tamanho do mercado em que sua empresa estará inserida; Volumes menores de vendas nos primeiros meses aumentando gradativamente; Capacidade de atendimento; Posicionamento no mercado. Na definição das metas, você sabe quais itens deve dimensionar? Confira! Imagem de uma pessoa utilizando calculadora 51

52 Faturamento mensal esperado A meta de faturamento é o quanto você deseja faturar mensalmente com as vendas. Você deve definir quantos produtos pretende vender por mês e o preço de venda de cada um deles. É o valor mensal das vendas quando sua empresa conseguir manter uma regularidade no volume de vendas. O faturamento mensal nos primeiros meses é mais baixo e, por isso, é importante ter inicialmente uma reserva de segurança para cobrir esse provável prejuízo. Custo dos materiais É o custo de produção, incluindo matéria-prima e outros materiais utilizados no processo produtivo para fazer frente ao volume de vendas. Você conhecerá detalhes sobre esse custo mais à frente, nos Gastos Variáveis. Imagem de Arlindo na fábrica 52

53 Arlindo tinha uma meta de faturamento para sua fábrica. Para isso, ele precisou definir quantos produtos pretendia vender por mês e o preço de venda de cada um deles. Assim, ele chegou a um valor mensal para quando sua fábrica conseguir manter uma regularidade no seu volume de vendas. Verifique o valor das metas de faturamento mensal da fábrica dele: Metas de Vendas Mensal da Bela Costura: Faturamento mensal esperado Este é o valor do faturamento mensal esperado por Arlindo R$40.000,00 As metas de faturamento mensal do Arlindo foram bem definidas. Agora chegou a sua vez! De acordo com sua previsão de vendas, defina as metas de faturamento mensal do seu negócio. 53

54 ATIVIDADE 05 Para realizar esta atividade, utilize uma folha à parte. A partir da planilha a seguir, defina as metas de faturamento mensal da sua empresa. Metas de Vendas Mensal da Minha Empresa: Faturamento mensal esperado Valor das vendas mensais quando minha empresa conseguir manter uma regularidade no volume negociado mensalmente. Não se esqueça de ir ao gabarito para conferir a sua resposta. Imagem de Arlindo na fábrica Metas de vendas definidas! Você está quase chegando lá. Em breve, terá a resposta se sua ideia de negócio será viável. Continue com Arlindo nesta análise, ele ainda tem muita novidade para você! 54

55 8. GASTOS VARIÁVEIS Também devem ser calculados os gastos variáveis na análise de viabilidade. Esses gastos são gerados em função do volume de vendas e influenciam o lucro e o retorno do investimento. Lembre-se: quanto maior a venda, maiores serão os seus gastos variáveis! Sua variação é diretamente proporcional ao volume de vendas, ou seja, sua previsão de vendas deve considerar todos esses gastos. Imagem de Arlindo e sua colaboradora Cristina na fábrica Arlindo precisou definir em sua análise os seus gastos variáveis que, são compostos pelo custo dos materiais, os impostos e as comissões dos seus colaboradores. 55

56 Conheça mais detalhes sobre cada um deles: Imagem de Cristina, colaboradora da fábrica Cristina é vendedora externa da Bela Costura. Arlindo decidiu pagar comissão de 5% para sua colaboradora. Para calcular esta comissão, ele multiplicou 5% sobre o valor do faturamento esperado. Verifique o cálculo a seguir: Valor da comissão = R$2.000,00 R$40.000,00 x 5% Imagem da placa do Simples Nacional 56

57 A fábrica do Arlindo é optante pelo Simples Nacional. Pelo faturamento esperado, a sua alíquota do Simples é de 8,04%. Para calcular esse imposto, ele multiplicou 8,04% sobre o valor do faturamento esperado. Verifique o cálculo a seguir: Valor do imposto = R$3.216,00 R$40.000,00 x 8,04% Imagem de Arlindo e sua colaboradora Cristina na fábrica Antes de abrir esta fábrica, Arlindo trabalhou há muitos anos em uma confecção de roupas e, por isso, ele já tinha experiência em calcular o custo dos materiais necessários para fazer frente ao volume de vendas. Conheça mais detalhes sobre esse custo. 57

58 Imagem de um rolo de tecido O custo do material é o custo de produção, incluindo matéria-prima e outros materiais utilizados no processo produtivo para fazer frente ao volume de vendas de acordo com a previsão do empresário. Quanto maior a previsão de vendas, maior a quantidade de materiais. O valor que Arlindo definiu para este custo foi de R$16.000,00. Acesse o portal SEBRAE-SP, faça o curso Preço de Venda na Indústria e aprenda a calcular o seu preço. Imagem de Arlindo segurando um papel em sua fábrica 58

59 Agora que você verificou como são calculados os gastos variáveis da fábrica Bela Costura, o que acha de verificar a tabela desses gastos? Planilha de gastos variáveis da fábrica Bela Costura Gasto Percentual Cálculo Valor Comissão 5% faturamento x 5% de comissão R$2.000,00 Impostos 8,04% Custo dos materiais faturamento x 8,04% de impostos Este valor foi definido pelo empresário Arlindo de acordo com sua previsão de vendas R$3.216,00 R$16.000,00 Total de gastos variáveis R$21.216,00 Os gastos variáveis da fábrica do Arlindo totalizam R$21.216,00. Ele nunca deixa de analisá-los para minimizar os riscos. Para conhecer os cálculos da sua empresa, não deixe de fazer o curso Gastos na Indústria, disponível no portal SEBRAE-SP. 59

60 ATIVIDADE 06 Para realizar esta atividade, utilize uma folha à parte. A partir da planilha a seguir, calcule os gastos variáveis da sua empresa. Planilha de gastos variáveis da minha empresa Gasto Percentual Cálculo Valor Comissão % faturamento x comissão Impostos % faturamento x impostos Custo dos materiais Valor definido por você de acordo com sua previsão de vendas Total de gastos variáveis Não se esqueça de ir ao gabarito para conferir a sua resposta. Verifique, agora, o caso de uma empresa que não considerou os impostos na sua análise: 60

61 Imagem de Jerônimo, dono da fábrica In Lata Jerônimo é dono da fábrica de enlatados In Lata e, ao realizar a análise da viabilidade da empresa, não considerou os impostos gerados sobre o volume de produtos vendidos. Após o 6º mês da abertura da empresa, percebeu que teria que rever o preço de seus produtos para conseguir arcar com o custo. É importante estar atento ao valor dos impostos para não ter prejuízo. 61

62 9. PONTO DE EQUILÍBRIO Imagem de Arlindo na fábrica Arlindo definiu quanto pretendia vender e estimou o seu faturamento mensal. Depois de definido este valor, ele teve que calcular o ponto de equilíbrio da sua fábrica. Verifique! Mas, o que é ponto de equilíbrio? É o valor que sua empresa precisa vender para cobrir todos os seus gastos fixos mensais e variáveis, sem ter lucro nem prejuízo. Se sua empresa conseguir atingir ou superar o ponto de equilíbrio em um determinado mês, significa que você teve lucro. Como já foi dito, o ponto de equilíbrio é o faturamento necessário para pagar os gastos totais da sua empresa. 62

63 Verifique um exemplo do ponto de equilíbrio: Imagem de um gráfico comparando o faturamento e o gasto total, ambos no mesmo nível Ambos são idênticos! Isso significa que, quando há empate, você não terá lucro e nem prejuízo. O próximo produto vendido começará a dar lucro para sua empresa. Por isso, a previsão de vendas que vai gerar o faturamento da sua empresa nunca pode ser menor que o ponto de equilíbrio. 63

64 Imagem de Arlindo na mesa de sua fábrica É muito importante que você faça esta análise do ponto de equilíbrio previamente, pois, dessa forma, poderá conduzir melhor seus esforços de vendas e definir as metas adequadamente. Verifique como ficou o cálculo da fábrica Bela Costura. Análise do Ponto de Equilíbrio a Partir da Simulação da Fábrica Bela Costura Valor dos gastos fixos mensais R$14.530,00 Margem de contribuição em % 46,96% Ponto de equilíbrio R$30.941,23 Para calcular o Ponto de Equilíbrio, Arlindo utilizou a seguinte fórmula: Ponto de equilíbrio = valor dos gastos fixos mensais = $14.530,00 = Margem de contribuição (%) 46,96% R$30.941,23 64

65 Gasto Percentual Cálculo Valor Margem de contribuição em % 46,96% Para calcular o valor em R$ da margem de contribuição, Arlindo utilizou a seguinte fórmula: Margem de contribuição = Faturamento da empresa gastos variáveis da empresa Margem de contribuição = R$40.000,00 R$21.216,00 R$18.784,00 Cálculo utilizado para encontrar o percentual da margem de contribuição: Margem de contribuição em reais Faturamento Mensal x 100 O valor do ponto de equilíbrio da fábrica Bela Costura é de R$30.941,23. Se a fábrica conseguir atingir esse valor no mês, ela não terá prejuízo. Analise agora o ponto de equilíbrio do seu negócio. 65

66 ATIVIDADE 07 Para realizar esta atividade, utilize uma folha à parte. A partir da planilha a seguir, calcule o ponto de equilíbrio da sua empresa. Use a fórmula a seguir para fazer o cálculo. Análise do Ponto de Equilíbrio a Partir da Simulação da Minha Empresa Valor dos gastos fixos mensais Margem de contribuição em % Ponto de equilíbrio Fórmula de cálculo do ponto de equilíbrio: PE = valor dos gastos fixos mensais Margem de contribuição (%) Não se esqueça de ir ao gabarito para conferir a sua resposta. 66

67 10. DEMONSTRATIVO DE RESULTADOS Imagem de Arlindo na fábrica Pronto! O seu ponto de equilíbrio está definido. Agora você já pode montar um demonstrativo de resultados para a sua empresa. Arlindo já tem esse demonstrativo e irá te mostrar em breve. Primeiro, conheça um pouco sobre este relatório. Demonstrativo de Resultados: Relatório que permite saber se a empresa apresentou lucro ou prejuízo. Nesse relatório, você encontra todas as informações sobre receitas e gastos da empresa no mês, trimestre, semestre ou ano. É recomendável que você elabore o seu demonstrativo todo mês, pois é através dele que você identifica se seu negócio: é viável, dá lucro, está tendo sucesso. Arlindo está sempre analisando o seu demonstrativo de resultados. Com a análise mensal feita por ele, é possível avaliar se o resultado financeiro da sua fábrica melhorou em relação aos meses anteriores ou se houve uma queda nos lucros da empresa. Agindo assim, Arlindo tem mais controle e visão analítica para solucionar algum risco que possa ocorrer. 67

68 Imagem de Arlindo na fábrica Arlindo projetou a partir de qual mês sua fábrica começaria a apresentar lucro. Ele acreditou que passaria a ter esse ganho a partir do sétimo mês de funcionamento da empresa, já que ele definiu que, por 6 meses, sua reserva cobriria todos os gastos fixos mensais. E isso aconteceu! Exatamente no sétimo mês, a fábrica de Arlindo começou a ter lucros com suas vendas! Imagem de Arlindo segurando um papel em sua fábrica 68

69 Chegou o momento de conhecer o demonstrativo de resultados para um determinado mês em que as contas se equilibram na Bela Costura. Hoje é dia de analisar o demonstrativo de resultados da minha fábrica. Preciso comparar minhas receitas e despesas com o mês anterior para verificar se continuo tendo lucro pensa Arlindo. Demonstrativo de Resultado para um Mês Regular da fábrica Bela Costura Faturamento mensal R$40.000,00 100,0% (-) Gastos variáveis R$21.216,00 Custo dos materiais aplicados na produção R$16.000,00 40,00% Impostos (Simples Nacional) R$3.216,00 8,04% Comissões R$2.000,00 5,00% Total dos gastos variáveis R$21.216,00 53,04% (=) Margem de contribuição R$18.784,00 46,96% (-) Gastos fixos mensais Pessoal e encargos R$9.630,00 24,08% Ocupação R$2.050,00 5,13% Comunicação R$520,00 1,30% Serviços de terceiros R$1.180,00 2,95% Marketing e divulgação R$770,00 1,93% Despesas gerais R$380,00 0,95% Total dos gastos fixos mensais R$14.530,00 36,33% (=) Lucro operacional R$4.254,00 10,64% 69

70 É importante que você calcule quanto cada item de gasto representará em relação ao valor do faturamento mensal, para que possa saber quais gastos exercem impacto maior nos resultados da sua empresa. Esse percentual é calculado da seguinte forma: Valor do gasto Valor do faturamento mensal x 100 Exemplo do cálculo com os Gastos Variáveis: ,00 x 100 0,5304 x ,04% ,00 Quer dizer que os gastos variáveis representam 53,04% do faturamento mensal da fábrica de Arlindo. Verifique também um exemplo do cálculo com os gastos fixos mensais: ,00 x 100 0,3633 x ,33% ,00 Quer dizer que os gastos fixos mensais representam 36,33% do faturamento mensal da fábrica do Arlindo. Nos cálculos de Arlindo, seu lucro operacional seria de R$4.254,00 e representaria 10,64% do faturamento mensal. O que acha de verificar o seu lucro operacional? 70

71 ATIVIDADE 08 Para realizar esta atividade, utilize uma folha à parte. A partir da planilha a seguir, calcule o demonstrativo de resultados da sua empresa. Utilize a fórmula a seguir para fazer o cálculo. Fórmula: Valor do gasto Valor do faturamento mensal x 100 Demonstrativo de Resultado para um Mês Regular da Bela Costura (=) Faturamento mensal 100,0% (-) Gastos variáveis Custo dos materiais aplicados na produção Impostos Comissões Total de gastos variáveis (=) Margem de contribuição (-) Gastos fixos mensais Pessoal e encargos Ocupação Comunicação Serviços de terceiros Marketing e divulgação Despesas gerais Total de gastos fixos mensais (=) Lucro operacional Não se esqueça de ir ao gabarito para conferir a sua resposta. 71

72 Verifique, agora, o caso de uma empresa que não formou o preço corretamente: Imagem de Luís, dono da fábrica Salgados e Sabores Luís, dono da fábrica de salgados congelados Salgados e Sabores, ao formar o seu preço de venda, acrescentou um percentual de 30% em cima do custo dos produtos, acreditando estar definindo 30% de lucro. Ao fazer o demonstrativo de resultados, ele percebeu que, na verdade, os 30% lançados em cima dos produtos não pagaram os custos e, por isso, a empresa fechou o mês no prejuízo. Com isso, ele observou que o preço não estava sendo formado corretamente. Então, para resolver o problema da empresa, consertou o seu erro. Se você também deseja aprender como formar o seu preço de venda corretamente, acesse o portal SEBRAE-SP e faça o curso Como Definir Preço de Venda na Indústria. 72

73 Imagem de Arlindo na fábrica Pronto! O seu demonstrativo de resultados já está definido! Faça como Arlindo... Elabore esse relatório todo mês para conhecer os resultados do seu negócio. 73

74 11. RETORNO DO INVESTIMENTO Você chegou à etapa de análise da viabilidade da sua empresa! Agora, você deve analisar o prazo de retorno do seu investimento. Com a análise de viabilidade, você descobrirá em quanto tempo o seu negócio terá o retorno equivalente ao valor do investimento inicial total. Imagem de um relógio Esse retorno não é uma transferência do dinheiro investido para sua conta pessoal. Imagem de uma transferência de dinheiro da empresa para a conta pessoal de um empresário 74

75 Esse retorno é uma afirmação de que sua empresa gerou lucro suficiente para recuperar tudo o que você investiu nela. Você deve ter em mente o tempo mínimo de retorno do investimento desejado. Para realizar a análise da viabilidade da sua empresa, você precisa definir em quanto tempo terá o seu investimento de volta. Lembre-se de que o retorno do investimento não vem do dia para a noite! Em geral, esse retorno acontece pelo menos no médio prazo, no caso de pequenas empresas. Imagem de Arlindo na fábrica Com a análise do retorno, Arlindo não criou expectativas irreais sobre o tempo de retorno do seu capital. Além disso, ele pôde comparar, com o tempo, o valor do retorno de outros tipos de investimentos, como as aplicações, por exemplo, para saber que investimento é mais vantajoso: a fábrica ou a aplicação. 75

76 Verifique! Na mesa de Arlindo, há um recado para você. Imagem da mesa da fábrica com o recado a seguir Durante a simulação do retorno do seu investimento, caso seja necessário, você poderá tomar decisões, como: Reduzir o tempo de retorno do capital investido; Ampliar ou reduzir o investimento inicial; Mudar as características que havia definido para seu negócio; Comparar com outras possibilidades de empreendimento ou de investimento; 76

77 A principal decisão que você irá tomar é se deve mesmo fazer esse investimento, seja na abertura ou na ampliação do seu negócio! Imagem de Arlindo pensando e segurando um papel em sua fábrica Pela minha análise do tempo de retorno, vou ter o meu investimento de volta em 40 meses pensa Arlindo. Você sabe como Arlindo fez para chegar a esse número? Verifique. Planilha de análise de retorno do investimento da fábrica Bela Costura Análise do Retorno de Investimento O investimento inicial previsto por Arlindo é: O lucro mensal estimado é: Tempo estimado de retorno do investimento R$ ,00 R$4.254,00 40 meses 77

78 Você se lembra de onde surgiu o valor do investimento inicial total? Verifique a tabela a seguir para relembrar: Definição do Investimento Inicial Total da Fábrica Bela Costura Capital de giro necessário no início das atividades Valor necessário para cobrir os gastos do dia a dia no início das atividades. R$ ,00 Investimento fixo Formado pelo conjunto de bens necessários à manutenção das atividades da empresa. R$31.500,00 Valor total do investimento inicial Capital de giro inicial + investimento fixo. R$ ,00 O lucro mensal estimado se refere ao lucro que foi encontrado no demonstrativo de resultados. Verifique um resumo deste demonstrativo: Demonstrativo de Resultados da Minha Empresa Faturamento mensal Gastos totais (fixos e variáveis) Lucro mensal estimado R$40.000,00 R$35.746,00 R$4.254,00 O valor de R$4.254,00 de lucro corresponde a uma taxa de 10,64% ao mês sobre o faturamento mensal. 78

79 Para calcular o tempo de retorno do investimento, Arlindo utilizou a fórmula a seguir: Valor do investimento Lucro mensal esperado + quantidade de meses que a empresa terá prejuízo R$ , = 40 meses R$4.254,00 Arlindo estimou uma reserva para cobrir os prejuízos que ele previu que poderá ter nos seis primeiros meses. Logo, o lucro esperado acima se refere ao resultado que provavelmente será obtido a partir do sétimo mês, por isso, no cálculo do tempo retorno do investimento, foi necessário somar o período em que a fábrica ficaria no vermelho (os seis primeiros meses). O tempo estimado para que a fábrica de Arlindo tenha o retorno do investimento é de 40 meses. Quando será o seu retorno? Deve estar curioso para descobrir, não é mesmo?! 79

80 ATIVIDADE 09 Para realizar esta atividade, utilize uma folha à parte. A partir da planilha a seguir, faça o cálculo da análise do retorno de investimentos da sua empresa. Use a fórmula adiante para fazer o cálculo. Fórmula de cálculo do retorno de investimento: Valor do investimento + quantidade de meses que a empresa terá prejuízo Lucro mensal esperado Análise do Retorno de Investimento da Minha Empresa O investimento inicial previsto: O lucro mensal estimado é: Tempo estimado de retorno do investimento Não se esqueça de ir ao gabarito para conferir a sua resposta. Agora, responda: Seu negócio é viável? Reflita sobre esta questão e, se necessário, analise os riscos da decisão de fazer o investimento. 80

81 Imagem de uma mulher pensando Você terá um prazo para recuperar todo o capital investido. Com ele, você poderá avaliar se o seu negócio será viável e, nessa avaliação, poderá tomar algumas decisões, como: Se eu investir esse dinheiro em uma aplicação financeira, eu terei o retorno do valor investido em menos tempo? Seria melhor eu aguardar um prazo maior de retorno para ter de volta o capital que investi? Seria melhor fazer mudanças no modelo de negócio para garantir que o retorno aconteça antes? IImagem da logo do Twitter. Acesse: #EADSebraesp A viabilidade do negócio baseia-se nas metas definidas, que quando alcançadas, proporcionam o sucesso. 81

82 12. ENCERRAMENTO A leitura do material finaliza por aqui! Aproveite todo o conhecimento obtido e não deixe de praticá-lo em seus negócios! IImagem da logo do Twitter. Acesse: #EADSebraesp Analise a viabilidade para tomar decisões estratégicas a fim de minimizar alguns riscos na empresa. Não deixe de acessar os outros cursos que o Sebrae-SP preparou para empresários como você! Você que já está familiarizado com os produtos e serviços do Sebrae-SP, saiba que esse relacionamento pode ser permanente! Receba informações e dicas bem objetivas para melhorar a sua empresa! Faça parte das redes sociais virtuais nas quais o Sebrae-SP participa. Assim, você fica conectado a tudo o que existe de melhor para o seu negócio

Etapas do Plano de Negócios

Etapas do Plano de Negócios Etapas do Plano de Negócios Etapa 7. Plano financeiro Detalhes Investimentos Projeção de resultados Ponto de equilíbrio Projeção fluxo de caixa Vendas Despesas Mão de obra Etapa 7 Plano Financeiro Investimento

Leia mais

Etapa 7 Plano Financeiro

Etapa 7 Plano Financeiro 17/10/12 Etapas do Plano de Negócios Etapa Detalhes 7. Plano financeiro Investimentos Projeção de resultados Ponto de equilíbrio Projeção fluxo de caixa Vendas Despesas Mão de obra Investimento é tudo

Leia mais

Balanço Patrimonial - Exercicios Resolvidos

Balanço Patrimonial - Exercicios Resolvidos Balanço Patrimonial - Exercicios Resolvidos ::: Fonte Do Saber - Mania de Conhecimento ::: adsense1 AS RESPOSTAS ESTÃO DE VERMELHO. O BALANÇO PATRIMONIAL - EXERCÍCIOS 1) Aponte a alternativa em que não

Leia mais

SSC570 - Empreendedorismo Profa. Ellen Francine ICMC/USP

SSC570 - Empreendedorismo Profa. Ellen Francine ICMC/USP SSC570 - Empreendedorismo Profa. Ellen Francine ICMC/USP 1 O sucesso de um empreendimento depende muito da capacidade de se administrar financeiramente o negócio. O acompanhamento sistemático das finanças

Leia mais

GESTÃO DE FLUXO DE CAIXA E AVALIAÇÃO DE RESULTADOS E INDICADORES FINANCEIROS

GESTÃO DE FLUXO DE CAIXA E AVALIAÇÃO DE RESULTADOS E INDICADORES FINANCEIROS GESTÃO DE FLUXO DE CAIXA E AVALIAÇÃO DE RESULTADOS E INDICADORES FINANCEIROS Wagner Viana SL 01 SL 02 SL 03 Oficina Objetivos Distinguir gestão do Fluxo de Caixa da apuração e análise de resultados; Apresentar

Leia mais

Plano Financeiro. Projeto Empreendedor Redes de Computadores

Plano Financeiro. Projeto Empreendedor Redes de Computadores Plano Operacional e Plano Financeiro Projeto Empreendedor Redes de Computadores Plano Operacional 1.Layout Por meio do layout ou arranjo físico, você irá definir como será a distribuição dos diversos setores

Leia mais

MODELO DE PLANO DE NEGÓCIO

MODELO DE PLANO DE NEGÓCIO MODELO DE PLANO DE NEGÓCIO 1 Informações sobre os sócios, pois são responsáveis pela proposta do negócio. Caso ocorra necessidade, inserir mais campos, linhas ou colunas. Sócio 1 - Nome: Sócio 2 - Nome:

Leia mais

Prof Flávio S. Ferreira

Prof Flávio S. Ferreira Prof Flávio S. Ferreira flavioferreira@live.estacio.br http://flaviosferreira.wordpress.com 1 Conceitos Introdutórios Receita produto da venda Gasto sacrifício financeiro Investimento gasto ativado em

Leia mais

1 BALANÇO PATRIMONIAL BP Atividades Práticas

1 BALANÇO PATRIMONIAL BP Atividades Práticas 1 BALANÇO PATRIMONIAL BP Atividades Práticas 1. Questões: 1 - Comente os principais grupos de contas do Balanço, com exemplos. 2 - Explique o que são curto e longo prazo para a contabilidade. 3 - Quais

Leia mais

III - MÓDULO MÉTODO DE CUSTEIO / FORMAÇÃO DE PREÇOS.

III - MÓDULO MÉTODO DE CUSTEIO / FORMAÇÃO DE PREÇOS. III - MÓDULO MÉTODO DE CUSTEIO / FORMAÇÃO DE PREÇOS. Método de custeio direto ou variável e margem de contribuição. A pousada Lagoa Azul possui 90 quartos para alugar, praticando um preço médio de R$ 56,00

Leia mais

Contabilidade. Objeto, objetivo e finalidade. Bens. Conceito de Contabilidade. Conceitos iniciais - Ativo. Contabilidades específicas:

Contabilidade. Objeto, objetivo e finalidade. Bens. Conceito de Contabilidade. Conceitos iniciais - Ativo. Contabilidades específicas: Objeto, objetivo e finalidade Contabilidade Conceitos iniciais - Ativo Objeto: o patrimônio Objetivo: estudo, controle e apuração do resultado Finalidade: Fornecer informações econômicas e financeira sobre

Leia mais

PESQUISA DE UTILIZAÇÃO DO 13º SALÁRIO

PESQUISA DE UTILIZAÇÃO DO 13º SALÁRIO PESQUISA DE UTILIZAÇÃO DO 13º SALÁRIO A ANEFAC Associação Nacional dos Executivos de Finanças Administração realizou durante o mês de outubro de, pesquisa junto a 1.037 consumidores de todas as classes

Leia mais

Unidade IV. xxxx. Unidade IV. yyyy. Método das partidas dobradas

Unidade IV. xxxx. Unidade IV. yyyy. Método das partidas dobradas Unidade IV Unidade IV 4 PARTIDAS DOBRADAS DÉBITO E CRÉDITO Método das partidas dobradas Em qualquer operação há um débito e um crédito de igual valor ou um débito (ou mais débitos) de valor idêntico a

Leia mais

Quarta-feira, 13 de março de nº Ano XVI - Caderno B esta edição tem 22 páginas. BALANÇO PATRIMONIAL (em reais)

Quarta-feira, 13 de março de nº Ano XVI - Caderno B esta edição tem 22 páginas. BALANÇO PATRIMONIAL (em reais) Imprensa Oficial da Estância de Atibaia esta edição tem 22 páginas BALANÇO PATRIMONIAL (em reais) ASSOCIAÇÃO MISSIONÁRIA DE AJUDA CRISTÃ - AMAC Ativo 2012 2011 Passivo 2012 2011 Ativo Circulante Passivo

Leia mais

4. Apure o valor da depreciação acumulada em 31/12/20015, sendo dados:

4. Apure o valor da depreciação acumulada em 31/12/20015, sendo dados: 1. Classifique os itens abaixo em: bens, direitos ou obrigações item bens direito obrigação Empréstimos a receber Dinheiro em caixa Dinheiro depositado no banco veículos biblioteca Salários a pagar estoques

Leia mais

1 D: Compra de Mercadorias ,00 D: ICMS a recuperar 6.300,00 C: Banco S/A ,00. 2 D: Salários a pagar 9.000,00 C: Caixa 9.

1 D: Compra de Mercadorias ,00 D: ICMS a recuperar 6.300,00 C: Banco S/A ,00. 2 D: Salários a pagar 9.000,00 C: Caixa 9. Curso de Ciências Contábeis Disciplina: Contabilidade Comercial I 3ª Fase Professora: Lyss Paula de Oliveira ESTADO DE MATO GROSSO Resolução de Atividades Extra: Lançamentos no Diário: 1 D: Compra de Mercadorias

Leia mais

EXERCÍCIOS TEORIA DA CONTABILIDADE Prof. Valbertone Fonte CFC. RESPONDA AS QUESTÕES ABAIXO: 1 - Podemos considerar como fato permutativo a transação:

EXERCÍCIOS TEORIA DA CONTABILIDADE Prof. Valbertone Fonte CFC. RESPONDA AS QUESTÕES ABAIXO: 1 - Podemos considerar como fato permutativo a transação: RESPONDA AS QUESTÕES ABAIXO: 1 - Podemos considerar como fato permutativo a transação: a) compra de galpão para a fábrica. b) venda de mercadoria a prazo. c) pagamento de salários administrativos. d) pagamento

Leia mais

O que é controle de contas a pagar

O que é controle de contas a pagar O que é controle de contas a pagar Um controle de contas a pagar serve para anotar e projetar todas as despesas de uma empresa, desde pagamentos futuros, contas parceladas e valores que apesar de não estarem

Leia mais

FAPAN Faculdade de Agronegócio de Paraíso do Norte DRE DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO

FAPAN Faculdade de Agronegócio de Paraíso do Norte DRE DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO DRE DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO A DRE é a apresentação, em forma resumida, das operações realizadas pela empresa, durante o exercício social, demonstradas de forma a destacar o resultado líquido

Leia mais

CONTABILIDADE DE CUSTOS. Aula 1- Contextualização. Prof.: Marcelo Valverde

CONTABILIDADE DE CUSTOS. Aula 1- Contextualização. Prof.: Marcelo Valverde Aula 1- Contextualização Prof.: Marcelo Valverde Plano de ensino: Contabilidade de Custo e Gerencial UNIDADE 1 CONTEXTUALIZAÇÃO DA CONTABILIDADE DE CUSTOS À CONTABILIDADE GERENCIAL 1.1 Contabilidade de

Leia mais

BALANCETE MENSAL Janeiro/ SALDO INICIAL ,74 1. Caixa 18,07 2. Bancos ,67 3. Aplicações Financeiras ,00

BALANCETE MENSAL Janeiro/ SALDO INICIAL ,74 1. Caixa 18,07 2. Bancos ,67 3. Aplicações Financeiras ,00 Janeiro/2013 0. SALDO INICIAL 111.827,74 2. Bancos 36.809,67 3. Aplicações Financeiras 75.000,00 1. RECEITAS 11.725,10 01. Receitas de Associados 10.475,10 01. Mensalidades de Associados 10.088,64 02.

Leia mais

CONTABILIDADE BÁSICA I 1ª LISTA DE EXERCÍCIOS

CONTABILIDADE BÁSICA I 1ª LISTA DE EXERCÍCIOS CONTABILIDADE BÁSICA I 1ª LISTA DE EXERCÍCIOS UNIDADE I PANORAMA GERAL DA CONTABILIDADE 1) O que é contabilidade e qual o seu objetivo? 2) Onde a contabilidade pode ser aplicada? 3) Quais são os usuários

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE E ATUÁRIA

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE E ATUÁRIA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE E ATUÁRIA CURSO: ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS DISCIPLINA: EAC0111 NOÇÕES DE CONTABILIDADE PARA

Leia mais

Contas Patrimoniais (Ativo, Passivo, PL) = , , , ,00

Contas Patrimoniais (Ativo, Passivo, PL) = , , , ,00 p. 86 Teoria Patrimonialista: Contas Patrimoniais (Ativo, Passivo, PL) = 13.400,00 + 2.400,00 + 10.500,00 + 5.300,00 = = 31.600,00 Gabarito: B Teoria Patrimonialista: Contas Patrimoniais (Ativo, Passivo,

Leia mais

Escolha ser Feliz. Enxergue seu negócio independente como uma atividade rentável. Pense como uma empresária!

Escolha ser Feliz. Enxergue seu negócio independente como uma atividade rentável. Pense como uma empresária! Escolha ser Feliz Enxergue seu negócio independente como uma atividade rentável. Pense como uma empresária! A felicidade não cai do céu Suas atitudes, seus valores e suas escolhas irão aumentar ou diminuir

Leia mais

QUAL O RESULTADO DO MEU NEGÓCIO?

QUAL O RESULTADO DO MEU NEGÓCIO? QUAL O RESULTADO DO MEU NEGÓCIO? RESULTADO OU LUCRO? O NEGÓCIO Missão É a razão de ser da empresa; Deve orientar os objetivos financeiros, humanos e sociais. Gerar valor para nossos clientes, acionistas,

Leia mais

Douglas Fabian. Bacharel em Administração. MBA Gestão Estratégica de Pessoas

Douglas Fabian. Bacharel em Administração. MBA Gestão Estratégica de Pessoas Douglas Fabian Bacharel em Administração MBA Gestão Estratégica de Pessoas PLANO DE NEGÓCIOS PLANO DE NEGÓCIOS O que é um plano de negócios? INSTRUMENTO DE PLANEJAMENTO É um documento que especifica, em

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Quem não sabe administrar tostões, não sabe administrar milhões. Atenção para estas perguntas: Você possui uma conta corrente ou poupança separada para o seu negócio? O que você

Leia mais

1 BALANÇO PATRIMONIAL BP Atividades Práticas

1 BALANÇO PATRIMONIAL BP Atividades Práticas 1 BALANÇO PATRIMONIAL BP Atividades Práticas 1. Questões: 1 - Comente os principais grupos de contas do Balanço, com exemplos. 2 - Explique o que são curto e longo prazo para a contabilidade. 3 - Quais

Leia mais

Ponto de Equilíbrio com vários produtos: saiba como descobrir

Ponto de Equilíbrio com vários produtos: saiba como descobrir Este conteúdo faz parte da série: Cálculo de Ponto de Equilíbrio Ver 3 posts dessa série O que é: O ponto de equilíbrio de um produto é o valor específico que deve ser cobrado para vendê-lo e cobrir todos

Leia mais

Seja Bem Vinda a 1º treinamento online de % do sucesso se baseia simplesmente em insistir.

Seja Bem Vinda a 1º treinamento online de % do sucesso se baseia simplesmente em insistir. Seja Bem Vinda a 1º treinamento online de 2016 90% do sucesso se baseia simplesmente em insistir. Lançamentos! Planeje seu Trabalho e Trabalhe o seu Plano! Cada Kit: (Creme Gel de Celulite + Massageador)

Leia mais

1. Planilhas de Gastos Pessoais

1. Planilhas de Gastos Pessoais Este conteúdo faz parte da série: Finanças Pessoais Ver 8 posts dessa série Para começar, quando você está buscando uma planilha de gastos no Google (ou no Bing), não fica claro (para as ferramentas de

Leia mais

FÓMULAS DE LANÇAMENTOS

FÓMULAS DE LANÇAMENTOS LANÇAMENTO CONTÁBIL Denominação que se dá ao registro de um fato contábil. Para o lançamento utilizaremos o método das partidas dobradas. O princípio fundamental desse método é o de que não há devedor

Leia mais

Vida Financeira saudável. Manuela Carneiro Diretora Executiva de Vendas Independente Mary kay

Vida Financeira saudável. Manuela Carneiro Diretora Executiva de Vendas Independente Mary kay Vida Financeira saudável Manuela Carneiro Diretora Executiva de Vendas Independente Mary kay CONTROLE FINANCEIRO Como você controla as finanças do seu negócio e as mantém separadas das suas finanças pessoais?

Leia mais

c) Pressupõe-se que a empresa esteja atrasando um tipo de obrigação. Qual seria, mais provavelmente?

c) Pressupõe-se que a empresa esteja atrasando um tipo de obrigação. Qual seria, mais provavelmente? 1-Estruture o Balanço Patrimonial da Cia Alfa com os dados a seguir (em $ milhões - empresa comercial): (não há problema se sobrarem linhas...) Caixa 100; Ações de Outras Companhias 1.000; Fornecedores

Leia mais

CONSOLIDADO DO ORÇAMENTO DE CUSTEIO DA DIRETORIA ADM FINANCEIRA 2014

CONSOLIDADO DO ORÇAMENTO DE CUSTEIO DA DIRETORIA ADM FINANCEIRA 2014 DESPESAS 4.860.150 396.435 399.638-3.203 100,81% 1.912.665 60,65% DESPESAS COM PESSOAL 2.623.125 212.250 204.271 7.979 96,24% 1.135.968 56,69% REMUNERAÇÃO 1.446.750 123.000 180.606-57.606 146,83% 240.232

Leia mais

Unidade III. Unidade III

Unidade III. Unidade III Unidade III Unidade III 3 DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO DO EXERCÍCIO () UMA PEQUENA INTRODUÇÃO Enquanto o balanço patrimonial nos apresenta a situação econômica e financeira da empresa, demonstrando os saldos

Leia mais

Profa. Ma. Divane A. Silva. Unidade III CONTABILIDADE

Profa. Ma. Divane A. Silva. Unidade III CONTABILIDADE Profa. Ma. Divane A. Silva Unidade III CONTABILIDADE Contabilidade A disciplina está dividida em quatro unidades: Unidade I 1. Contabilidade Unidade II 2. Balanços sucessivos com operações que envolvem

Leia mais

b) Determinar as raízes de f(x) = g(x) quando m = 1/2. c) Determinar, em função de m, o número de raízes da equação f(x) = g(x).

b) Determinar as raízes de f(x) = g(x) quando m = 1/2. c) Determinar, em função de m, o número de raízes da equação f(x) = g(x). 1. (Fuvest 2004) Seja m µ 0 um número real e sejam f e g funções reais definidas por f(x) = x - 2 x + 1 e g(x) = mx + 2m. a) Esboçar, no plano cartesiano representado a seguir, os gráficos de f e de g

Leia mais

CONTABILIDADE DE CUSTOS E GERENCIAL. Aula 2- Unidade 01. Prof.: Marcelo Valverde

CONTABILIDADE DE CUSTOS E GERENCIAL. Aula 2- Unidade 01. Prof.: Marcelo Valverde E GERENCIAL Aula 2- Unidade 01 Prof.: Marcelo Valverde Plano de Ensino UNIDADE 1 CONTEXTUALIZAÇÃO DA CONTABILIDADE DE CUSTOS À CONTABILIDADE GERENCIAL 1.1 Contabilidade de Custos x Contabilidade Gerencial

Leia mais

Contabilidade ESTRUTURA PATRIMONIAL SITUAÇÃO LÍQUIDA (PATRIMÔNIO LÍQUIDO) FLUXO DE RECURSOS. Fluxo dos recursos SÍNTESE DO FUNCIONAMENTO DAS CONTAS

Contabilidade ESTRUTURA PATRIMONIAL SITUAÇÃO LÍQUIDA (PATRIMÔNIO LÍQUIDO) FLUXO DE RECURSOS. Fluxo dos recursos SÍNTESE DO FUNCIONAMENTO DAS CONTAS ESTRUTURA PATRIMONIAL Patrimônio = Bens + Direitos ( ) Obrigações SITUAÇÃO LÍQUIDA (PATRIMÔNIO LÍQUIDO) Ativo ( ) Passivo = Situação Líquida (Patrimônio Líquido) FLUXO DE RECURSOS ATIVO Aplicação dos Recursos

Leia mais

SEM0530 Problemas de Engenharia Mecatrônica II

SEM0530 Problemas de Engenharia Mecatrônica II SEM0530 Problemas de Engenharia Mecatrônica II Prof. Marcelo A. Trindade Departamento de Engenharia Mecânica Escola de Engenharia de São Carlos - USP Sala 2º andar Prédio Engenharia Mecatrônica (ramal

Leia mais

Fundo de Pensão Multipatroc. da Ordem dos Advogados do Brasil - Seção Rio de Janeiro Balancete de Verificação

Fundo de Pensão Multipatroc. da Ordem dos Advogados do Brasil - Seção Rio de Janeiro Balancete de Verificação Folha: 1 17 1 ATIVO 143.343.945,38 7.564.249,57 7.021.278,73 143.886.916,22 23 1.1 DISPONÍVEL 345.554,59 4.311.530,78 4.464.568,21 192.517,16 30 1.1.1 IMEDIATO 327.333,19 2.971.530,78 3.119.276,04 179.587,93

Leia mais

PLANEJAMENTO E CONTROLE FINANCEIRO

PLANEJAMENTO E CONTROLE FINANCEIRO PLANEJAMENTO E CONTROLE FINANCEIRO Como está sua vida financeira hoje??? ou? TRACE UM PLANO DE GANHOS Quanto QUERO Ganhar? Quanto estou disposta a TRABALHAR? ACREDITO NA COMPANHIA, NOS PRODUTOS, NA OPORTUNIDADE?

Leia mais

artesanato Cartilha do Empreendedor Individual

artesanato Cartilha do Empreendedor Individual artesanato Cartilha do Empreendedor Individual 1 1. 5. Bom dia, Luiza! você que é artesã já pensou em ser uma empresária? Ser empresária para quê? E, como artesã, posso me registrar? Claro, existe uma

Leia mais

ÍNDICE. 2 consultoria de marketinge gestão CUSTO FIXO... 5 INTRODUÇÃO... 3 CUSTO VARIÁVEL... 6 LIVRO CAIXA... 3

ÍNDICE. 2 consultoria de marketinge gestão CUSTO FIXO... 5 INTRODUÇÃO... 3 CUSTO VARIÁVEL... 6 LIVRO CAIXA... 3 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 CUSTO FIXO... 5 LIVRO CAIXA... 3 CUSTO VARIÁVEL... 6 CUSTO DO PROCEDIMENTO... 6 DESPESAS... 4 RECEITAS... 4 PREÇO DE VENDA... 7 CONCLUSÃO... 7 CAPITAL DE GIRO... 5 CONSULTÓRIO LEGAL...

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL GRUPO E SUBGRUPOS

BALANÇO PATRIMONIAL GRUPO E SUBGRUPOS U N I V E R S I D A D E E S T A D U A L D E G O I Á S (Criada pela Lei n.º 13.456 de 16 de abril de 1999, publicada no DOE - GO de 20 de abril de 1999) UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO-ECONÔMICAS

Leia mais

Proposta Orçamentária - Exercício EXECUÇÃO DA RECEITA RECEITA A REALIZAR RECEITA CORRENTE

Proposta Orçamentária - Exercício EXECUÇÃO DA RECEITA RECEITA A REALIZAR RECEITA CORRENTE Conselho Regional dos Representantes Comerciais no Estado de Pernambuco CNPJ: 09.852.690/0001-81 Proposta Orçamentária - Exercício 2016 6.2.1 - EXECUÇÃO DA RECEITA 6.2.1.1 - RECEITA A REALIZAR 6.2.1.1.1

Leia mais

Prestação de Contas. Exercício 2015 FUNDAÇÃO PRÓ-TOCANTINS

Prestação de Contas. Exercício 2015 FUNDAÇÃO PRÓ-TOCANTINS Prestação de Contas Exercício 2015 FUNDAÇÃO PRÓ-TOCANTINS QUARTEL DA 4ª CIPM - ARAGUATINS R$ 191.124,20 13º SALÁRIO - 4ª CIPM R$ 1.394,91 AUXÍLIO CRECHE - 4ª CIPM R$ 1.024,40 COMBUSTIVEIS E LUBRIFICANTES

Leia mais

SINDICATO DOS DESPACHANTES ADUANEIROS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Demonstrativo de Resultado do Mês Março/2008

SINDICATO DOS DESPACHANTES ADUANEIROS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Demonstrativo de Resultado do Mês Março/2008 Demonstrativo de Resultado do Mês Março/2008 RECEITAS Valor - R$ Valor - R$ Acumulado DISCRIMINAÇÃO 164.227,65 511.142,77 1 Rendas Ordinárias 143.867,46 452.029,91 1.1 Contribuição Sindical 0,00 89,60

Leia mais

Grau de Alavancagem Operacional por Renan Kaminski

Grau de Alavancagem Operacional por Renan Kaminski Grau de Alavancagem Operacional por Renan Kaminski O Dicas 4blue são vídeos e mini e-books com dicas rápidas e práticas para que você e sua equipe possam aplicar no seu dia a dia. Para ter acesso a todas

Leia mais

CADÊ MEU LUCRO? Controle Financeiro! Como administrar seu próprio negócio Mary Kay

CADÊ MEU LUCRO? Controle Financeiro! Como administrar seu próprio negócio Mary Kay CADÊ MEU LUCRO? Controle Financeiro! Como administrar seu próprio negócio Mary Kay Muitas consultoras não conseguem contabilizar o seu lucro em Mary Kay Motivos mais frequentes: 1- Misturam conta pessoal

Leia mais

7. Análise da Viabilidade Econômica de. Projetos

7. Análise da Viabilidade Econômica de. Projetos 7. Análise da Viabilidade Econômica de Projetos 7. Análise da Viabilidade Econômica de Terminologia em Custos: Gasto Investimento Custo Despesa Perda Desembolso 1 7. Análise da Viabilidade Econômica de

Leia mais

A história de um cliente da LUZ que queria empreender

A história de um cliente da LUZ que queria empreender Este conteúdo faz parte da série: Estudo de Viabilidade Econômica Ver 8 posts dessa série Nesse artigo falaremos sobre: Para que serve um estudo de viabilidade A história de um cliente da LUZ que queria

Leia mais

A empresa produz camisas sociais e camisas esportivas. Iniciou suas atividades em 1º de julho de 20X0

A empresa produz camisas sociais e camisas esportivas. Iniciou suas atividades em 1º de julho de 20X0 Cenário: A empresa produz camisas sociais e camisas esportivas. Iniciou suas atividades em 1º de julho de 20X0 O processo produtivo é formado por 3 departamentos produtivos: corte, costura e acabamento.

Leia mais

TEMA 3 ETAPAS DA MONTAGEM DO ORÇAMENTO: CONTEÚDOS, CONCEITOS E ASPECTOS RELEVANTES

TEMA 3 ETAPAS DA MONTAGEM DO ORÇAMENTO: CONTEÚDOS, CONCEITOS E ASPECTOS RELEVANTES TEMA 3 ETAPAS DA MONTAGEM DO ORÇAMENTO: CONTEÚDOS, CONCEITOS E ASPECTOS RELEVANTES 1 PLANO FINANCEIRO 2 PRINCÍPIOS GERAIS DE PLANEJAMENTO DIRETRIZES CENÁRIOS PREMISSAS PRÉ-PLANEJAMENTO PLANO DE MARKETING

Leia mais

Questões para Prova Integrada Institucional Curso: Administração de Empresas Semestre: 2osem/3osem Disciplina: Matemática Aplicada à Administração

Questões para Prova Integrada Institucional Curso: Administração de Empresas Semestre: 2osem/3osem Disciplina: Matemática Aplicada à Administração Questões para Prova Integrada Institucional Curso: Administração de Empresas Semestre: 2osem/3osem Disciplina: Matemática Aplicada à Administração FÓRMULAS: q = a.p + b (oferta e demanda) R T = p v.q (p

Leia mais

PARECER TÉCNICO N.º 01/2017 DO CONSELHO FISCAL DO SINDIFISCAL- TO SOBRE A PRESTAÇÃO DE CONTAS DE 2016

PARECER TÉCNICO N.º 01/2017 DO CONSELHO FISCAL DO SINDIFISCAL- TO SOBRE A PRESTAÇÃO DE CONTAS DE 2016 PARECER TÉCNICO N.º 01/2017 DO CONSELHO FISCAL DO SINDIFISCAL- TO SOBRE A PRESTAÇÃO DE CONTAS DE 2016 Certificamos, como membros do conselho fiscal do SINDIFISCAL- TO (Sindicato dos Auditores Fiscais da

Leia mais

calculando Renan Kaminski o preço de seus produtos

calculando Renan Kaminski o preço de seus produtos calculando Renan Kaminski o preço de seus produtos $ O Dicas 4blue são vídeos e mini e-books com dicas rápidas e práticas para que você e sua equipe possam aplicar no seu dia a dia. Para ter acesso a todas

Leia mais

Fundo de Pensão Multipatrocinado da OAB-PR e da CAA-PR Balancete de Verificação / Período: 01/02/16 a 29/02/16

Fundo de Pensão Multipatrocinado da OAB-PR e da CAA-PR Balancete de Verificação / Período: 01/02/16 a 29/02/16 Folha: 372 17 1 ATIVO 196.642.987,11 10.186.304,87 6.573.216,71 200.256.075,27 23 1.1 DISPONÍVEL 167.727,84 4.057.816,43 3.215.712,85 1.009.831,42 30 1.1.1 IMEDIATO 167.727,84 3.557.816,43 3.215.712,85

Leia mais

Fundo de Pensão Multipatrocinado da OAB-PR e da CAA-PR Balancete de Verificação / Período: 01/03/16 a 31/03/16

Fundo de Pensão Multipatrocinado da OAB-PR e da CAA-PR Balancete de Verificação / Período: 01/03/16 a 31/03/16 Folha: 433 17 1 ATIVO 200.256.075,27 11.292.270,45 8.179.363,73 203.368.981,99 23 1.1 DISPONÍVEL 1.009.831,42 4.132.429,08 4.583.939,25 558.321,25 30 1.1.1 IMEDIATO 509.831,42 4.132.429,08 4.083.939,25

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO (DRE)

DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO (DRE) 1 de 5 31/01/2015 14:52 DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO (DRE) O artigo 187 da Lei nº 6.404, de 15 de dezembro de 1976 (Lei das Sociedades por Ações) estipula a Demonstração do Resultado do Exercício.

Leia mais

CONTABILIDADE. O OBJETO da Contabilidade é o patrimônio das entidades. Patrimônio administrável e em constante alteração.

CONTABILIDADE. O OBJETO da Contabilidade é o patrimônio das entidades. Patrimônio administrável e em constante alteração. 1 CONTABILIDADE 1.1 CONCEITO É a ciência que tem como objetivo observar, registrar e informar os fatos econômico-financeiros acontecidos dentro de um patrimônio pertencente a uma entidade; mediante a aplicação

Leia mais

DIREITO EMPRESARIAL. Profa. Dra. Silvia Bertani. Profa. Dra. Silvia Bertani -

DIREITO EMPRESARIAL. Profa. Dra. Silvia Bertani. Profa. Dra. Silvia Bertani - DIREITO EMPRESARIAL Profa. Dra. Silvia Bertani A empresa Empresário (Individual) trabalha no comércio ou com serviços não intelectuais, ou seja, que não dependam de graduação superior para seu desempenho.

Leia mais

BALANCETE BANESE C/C ADOTE UM MANANCIAL 521,12D BANESE C/C PROJ TA NA MEDIDA 67,27D

BALANCETE BANESE C/C ADOTE UM MANANCIAL 521,12D BANESE C/C PROJ TA NA MEDIDA 67,27D 0001 1 1 ATIVO 4.550.584,91D 25.270.462,18 28.009.046,39 1.812.000,70D 2 1.1 ATIVO CIRCULANTE 4.307.914,86D 25.260.680,50 27.949.174,26 1.619.421,10D 3 1.1.1 DISPONIBILIDADE 4.133.051,37D 25.080.245,06

Leia mais

Folha: 0001 Número livro: SOC. DE EST. MULT., ECO. E DE ARTES / Balanço encerrado em: 31/12/2010 BALANÇO PATRIMONIAL

Folha: 0001 Número livro: SOC. DE EST. MULT., ECO. E DE ARTES / Balanço encerrado em: 31/12/2010 BALANÇO PATRIMONIAL Folha: 0001 1 1 ATIVO 4.550.584,91D 5.497.874,02D 2 1.1 ATIVO CIRCULANTE 4.307.914,86D 5.263.617,35D 3 1.1.1 DISPONIBILIDADE 4.133.051,37D 5.201.371,37D 4 1.1.1.01 CAIXAS 5.949,26D 6.007,31D 5 1.1.1.01.001

Leia mais

COBRANÇA PELO USO DA ÁGUA Aplicação dos recursos arrecadados e sustentabilidade financeira da entidade delegatária CBH- PARANAIBA

COBRANÇA PELO USO DA ÁGUA Aplicação dos recursos arrecadados e sustentabilidade financeira da entidade delegatária CBH- PARANAIBA COBRANÇA PELO USO DA ÁGUA Aplicação dos recursos arrecadados e sustentabilidade financeira da entidade delegatária CBH- PARANAIBA 31/07/2014 - Brasília DF SERGIO RAZERA Diretor-Presidente Fundação Agência

Leia mais

CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA Profª Dilci Oliveira

CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA Profª Dilci Oliveira CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA Profª Dilci Oliveira Contabilidade é a ciência que estuda, registra, controla e interpreta os fatos ocorridos no patrimônio das entidades com fins lucrativos ou não. Objetivos

Leia mais

Contabilidade de Custos Aula 1: Terminologias e Classificações. Professora: Caroline Camera

Contabilidade de Custos Aula 1: Terminologias e Classificações. Professora: Caroline Camera Contabilidade de Custos Aula 1: Terminologias e Classificações Professora: Caroline Camera Origens da Contabilidade de Custos A preocupação com a Contabilidade nasceu desde que o homem passou a possuir

Leia mais

Seu Negócio de $ucesso

Seu Negócio de $ucesso Seu Negócio de $ucesso 7 Dicas Matadoras Para Lucrar Mais Com Seu Negócio Próprio. Por Vinícius Gonçalves CEO novonegocio.com.br Índice Introdução Dica 1: Se Fosse Impossível Falhar... Dica 2: Seu Negócio

Leia mais

CADERNO DE QUESTÕES Contas.cnt

CADERNO DE QUESTÕES Contas.cnt Contas.cnt 01. Com relação à situação patrimonial, assinale a opção INCORRETA. a) A compra de matéria-prima a prazo provoca aumento no Ativo e no Passivo. b) A integralização de capital em dinheiro provoca

Leia mais

MUTUA DE ASSISTENCIA DOS PROFISSIONAIS DA ENG ARQ AGRONOMIA - MUTUA - SEDE - BALANCETE Ref. junho/2016 9/9/2016 3:05 PM - Pg.: 1

MUTUA DE ASSISTENCIA DOS PROFISSIONAIS DA ENG ARQ AGRONOMIA - MUTUA - SEDE - BALANCETE Ref. junho/2016 9/9/2016 3:05 PM - Pg.: 1 MUTUA DE ASSISTENCIA DOS PROFISSIONAIS DA ENG ARQ AGRONOMIA - MUTUA - SEDE - BALANCETE Ref. junho/2016 9/9/2016 3:05 PM - Pg.: 1 1 1 ATIVO 13.063.657,61 851.118,06 718.565,98 13.196.209,69 1.1 2158 ATIVO

Leia mais

Avaliação de Projetos e

Avaliação de Projetos e www.iem.efei.br/edson Avaliação de Projetos e Negócios Prof. Edson de Oliveira Pamplona http://www.iem.efei.br/edson 26 Introdução Para avaliação de Projetos e Negócios é necessário: Projetar Demonstração

Leia mais

FUNDAMENTOS DE CUSTOS CÁLCULO DA MARGEM E PONTO DE EQUILÍBRIO

FUNDAMENTOS DE CUSTOS CÁLCULO DA MARGEM E PONTO DE EQUILÍBRIO FUNDAMENTOS DE CUSTOS CÁLCULO DA MARGEM E PONTO DE EQUILÍBRIO Conceitos Lucratividade e Rentabilidade aplicações distintas Permite avaliar a empresa Para obter os índices de lucratividade e rentabilidade

Leia mais

Custos de Produção. Introdução Custos de Curto Prazo Custos de Longo Prazo Maximização do Lucro Total

Custos de Produção. Introdução Custos de Curto Prazo Custos de Longo Prazo Maximização do Lucro Total Custos de Produção Introdução Custos de Curto Prazo Custos de Longo Prazo Maximização do Lucro Total 1 Introdução Oferta Teoria da Firma Teoria da Produção (relações entre a quantidade produzida e as quantidades

Leia mais

FUNDAMENTOS DE CUSTOS CÁLCULO DA MARGEM E PONTO DE EQUILÍBRIO

FUNDAMENTOS DE CUSTOS CÁLCULO DA MARGEM E PONTO DE EQUILÍBRIO FUNDAMENTOS DE CUSTOS CÁLCULO DA MARGEM E PONTO DE EQUILÍBRIO Ponto de Equilíbrio Ponto de equilíbrio: - Quanto eu tenho que vender para obter lucro? - Por quanto eu vou vender os serviços? Calculo da

Leia mais

Manual. Sistema Venus 2.0. (Módulo Financeiro)

Manual. Sistema Venus 2.0. (Módulo Financeiro) Manual Do Sistema Venus 2.0 (Módulo Financeiro) 1 Tela Principal: Esta é a tela principal do módulo financeiro, aqui trabalhamos com: Contas a Receber, Contas a Pagar, Controle de cheques recebidos, vendas

Leia mais

O que é o business plan

O que é o business plan O que é o business plan O business plan nada mais é do que o termo em inglês referente ao nosso tão famoso plano de. Essa é uma das melhores ferramentas para te ajudar a ter uma visão completa do seu negócio.

Leia mais

Contabilidade e Análise de Custos II 2016

Contabilidade e Análise de Custos II 2016 I. EXERCÍCIOS CUSTO FIXO, LUCRO E MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO EXERCÍCIO 1 A empresa Arte em Estilo produz móveis de luxo por encomendas. Seus custos fixos totalizam R$ 9.600,00 por semana e suas despesas fixas

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA DO SEU NEGÓCIO MARY KAY!!!

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA DO SEU NEGÓCIO MARY KAY!!! ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA DO SEU NEGÓCIO MARY KAY!!! Você sabe o que é um negócio? De acordo com o Dicionário Aurélio Negócio = Empresa Empresa = Organização econômica destinada a produção ou venda de mercadorias

Leia mais

CDD: 657 AC:

CDD: 657 AC: Fonseca, Alan Sales da. F676c Contabilidade : revisão balanço patrimonial e DRE / Alan Sales da Fonseca. Varginha, 2015. 17 slides; il. Sistema requerido: Adobe Acrobat Reader Modo de Acesso: World Wide

Leia mais

Administração Financeira

Administração Financeira Administração Financeira Vale a pena ser consultora? Qual meu retorno financeiro? O que é Administração financeira? É uma ferramenta ou técnica utilizada para identificar a realidade da empresa, contas

Leia mais

FORMAÇÃO: CIÊNCIAS CONTÁBEIS PADRÃO DE RESPOSTA (2 a FASE)

FORMAÇÃO: CIÊNCIAS CONTÁBEIS PADRÃO DE RESPOSTA (2 a FASE) Questão n o 1 a) Pontos de equilíbrio contábil, econômico e financeiro: PEC = CDF 8.000.000 = 400.000 U MCU 20 PEE = CDF + LD 8.000.000 + 200.000 410.000 U MCU 20 PEF = CDF DND 8.000.000 800.000 = 360.000

Leia mais

agosto setembro outubro novembro

agosto setembro outubro novembro agosto setembro outubro novembro 2 apresentação da disciplina 9 Gestão da Inovação 16 Gestão da Tecnologia 23 Aplicação 30 Auto conhecimento 6 Descoberta - Canvas 13 Prova / Apresentação do Canvas 20 Plano

Leia mais

PLANO DE RECUPERAÇÃO JUDICIAL I - Fluxo de Caixa

PLANO DE RECUPERAÇÃO JUDICIAL I - Fluxo de Caixa I - Fluxo de Caixa Descrição 1 Ano 2 Ano 3 Ano 4 Ano 5 Ano 6 Ano 7 Ano TOTAL GERAL RECEITA BRUTA 2.764.557 7.429.547 4.096.640 4.758.681 6.845.260 3.696.573 3.225.966 32.817.224 RECEITA BRUTA DE VENDAS

Leia mais

Balancete Consolidado - De Janeiro 2014 até Dezembro 2014

Balancete Consolidado - De Janeiro 2014 até Dezembro 2014 Página: 1 1 Ativo 416.718,52D 1.369.991,42 1.274.348,95 512.360,99D 1.1 Ativo Circulante 34.417,55D 1.315.467,41 1.237.378,87 112.506,09D 1.1.1 Disponibilidades 27.213,00D 1.263.321,71 1.192.261,80 98.272,91D

Leia mais

MANUAL DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA

MANUAL DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA MANUAL DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA 2 EDUCAÇÃO FINANCEIRA A educação financeira tem como objetivo ensinar as pessoas a tomarem consciência dos seus gastos e das suas rendas. As rendas são limitadas, e é preciso

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DO VALOR ADICIONADO- DVA FLUXOGRAMA 1 3 (1 2) 5 (3 4) 7 (5+6)

DEMONSTRAÇÃO DO VALOR ADICIONADO- DVA FLUXOGRAMA 1 3 (1 2) 5 (3 4) 7 (5+6) DEMONSTRAÇÃO DO VALOR - DVA FLUXOGRAMA 1 3 (1 2) 5 (3 4) 7 (5+6) VENDAS Vendas Operacionais Vendas não Operacionais PDD- Constituição/Reversão VALOR BRUTO VALOR LIQUIDO VALOR TOTAL A DISTRIBUIR 2 4 6 INSUMOS

Leia mais

Balanço Patrimonial. Circulante Compreende obrigações exigíveis que serão liquidadas até o final do próximo exercício social.

Balanço Patrimonial. Circulante Compreende obrigações exigíveis que serão liquidadas até o final do próximo exercício social. Demonstrações Financeiras Demonstrações Financeiras Professor: Roberto César Balanço Patrimonial ATIVO Circulante Compreende contas que estão constantemente em giro - em movimento, sua conversão em dinheiro

Leia mais

Dicas 02. Contabilidade Geral. Professores: Gustavo Jubé e Vicente Chagas. Profs. Gustavo e Vicente 1

Dicas 02. Contabilidade Geral. Professores: Gustavo Jubé e Vicente Chagas.  Profs. Gustavo e Vicente 1 Contabilidade Geral Professores: Gustavo Jubé e Vicente Chagas www.pontodosconcursos.com.br Profs. Gustavo e Vicente 1 Classificações do ativo Além de classificar a conta como ativo, precisamos ser proficientes

Leia mais

iob. com.br folhamatic.com.br Índice

iob. com.br folhamatic.com.br Índice Índice iob. com.br folhamatic.com.br BÁSICO... 04 Menu Arquivos... 04 Dados do Escritório... 04 Cadastro de Empresas... 05 Sindicato Patronal... 08 Ativa mês... 09 Cadastro de Filas... 09 Cadastro de Fornecedores...

Leia mais

Como fazer um Planejamento Financeiro Pessoal. Este conteúdo faz parte da série: Finanças Pessoais Ver 8 posts dessa série

Como fazer um Planejamento Financeiro Pessoal. Este conteúdo faz parte da série: Finanças Pessoais Ver 8 posts dessa série Este conteúdo faz parte da série: Finanças Pessoais Ver 8 posts dessa série O que é: O planejamento financeiro pessoal é uma ferramenta de gestão aplicada aos seus recebimentos e gastos. Como o próprio

Leia mais

Balancete Analítico (Valores em Reais)

Balancete Analítico (Valores em Reais) 00002 10000 1000000000 ATIVO 2.369.425,61 251.959,03 229.277,60 2.392.107,04 11000 1100000000 ATIVO CIRCULANTE 175.752,65 238.299,80 228.541,58 185.510,87 11100 1101000000 DISPONIVEL 4.205,95 13.038,51

Leia mais

Balancete de Verificação Folha: 1

Balancete de Verificação Folha: 1 Balancete de Verificação Folha: 1 Período : 01/01/2014 a 31/12/2014 1 ATIVO 574.462,15D 5.084.367,48 4.857.447,83 801.381,800 i.i ATTVO CIRCULANTE 283.088,210 5.024.945,04 4.783.385,90 524.647,350 1.1.1

Leia mais

Introdução. à Macroeconomia. Mensuração do PIB

Introdução. à Macroeconomia. Mensuração do PIB Introdução à Macroeconomia Mensuração do PIB Microeconomia vs. Macroeconomia Microeconomia: O estudo de como famílias e empresas tomam decisões e de como interagem nos mercados. Macroeconomia: O estudo

Leia mais

O BÁSICO QUE TE LEVA AO TOPO

O BÁSICO QUE TE LEVA AO TOPO O BÁSICO QUE TE LEVA AO TOPO Procrastinação Hábito de adiar, ou fazer coisas de baixa prioridade, em vez de fazer coisas de alta prioridade é a prática generalizada da perda de tempo (Lyndon Jones e Paul

Leia mais

TCU - Aula 03 C. Geral III

TCU - Aula 03 C. Geral III Sumário 1 TC RO Contador CESPE 2013 - Questão 051 Critérios de avaliação de ativos... 2 2 TC RO Contador CESPE 2013 - Questão 052 Critérios de Avaliação de Ativos... 2 3 TC RO Contador CESPE 2013 - Questão

Leia mais

Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto FEA.RP Universidade de São Paulo. Análise de Custos

Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto FEA.RP Universidade de São Paulo. Análise de Custos Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto FEA.RP Universidade de São Paulo Análise de Custos Capítulo 5: Esquema Básico da Contabilidade de Custos Profa. Luciana C. Siqueira

Leia mais

Porque preciso ter planejamento?

Porque preciso ter planejamento? Porque preciso ter planejamento? 92% das famílias Brasileiras que não têm planejamento estão no vermelho. Você pode mudar esta realidade em sua casa Vamos começar! Você precisa agora de papel e lápis!

Leia mais

PÁG. 1 SECRETARIA EXECUTIVA - DEPTO. DE COORD. E GOVERNANÇA DAS EMPRESAS ESTATAIS CÓDIGO DA EMPRESA: Programado NOV (B) Programado DEZ (C)

PÁG. 1 SECRETARIA EXECUTIVA - DEPTO. DE COORD. E GOVERNANÇA DAS EMPRESAS ESTATAIS CÓDIGO DA EMPRESA: Programado NOV (B) Programado DEZ (C) PÁG. 1 Descrição Rubr. Último Aprovado Programado NOV (B) Programado DEZ (C) NOV (D) DEZ (E) (D/A) (E/A) DICOR RECEITAS 110000 24.408.579 44.651.537 24.408.579 20.469.007 21.799.516 0,84 0,89 SUBSIDIO

Leia mais