A VERSATILIDADE DAS ARDÓSIAS EM REVESTIMENTOS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A VERSATILIDADE DAS ARDÓSIAS EM REVESTIMENTOS"

Transcrição

1 A VERSATILIDADE DAS ARDÓSIAS EM REVESTIMENTOS O que são Ardósias? Revestimento em ardósia cinza - Europa Ardósias são materiais rochosos naturais altamente duráveis, historicamente utilizados para revestimento de pisos, paredes, telhados e peças de mobiliário. Seu uso como telha, em vários países da Europa, é noticiado desde o século X. Mais recentemente, sua aplicação foi também muito disseminada para o revestimento de pisos, paredes e fachadas, bem como para elaboração de mobiliário. Do ponto de vista geológico, ardósias são classificadas como rochas metamórficas, de origem sedimentar e granulação muito fina. Sua principal característica é a presença de planos preferenciais de clivagem, que permitem a delaminação de placas notavelmente lisas e uniformes, até de grandes dimensões. Os principais constituintes das ardósias incluem minerais como a mica branca (sericita), quartzo, clorita, grafita e/ou material carbonoso, que são bastante estáveis e resistentes a agentes químicos agressivos, garantindo grande durabilidade aos revestimentos aplicados. A variação desses constituintes mineralógicos determina a existência de diferentes padrões cromáticos, destacando-se as ardósias cinzas, grafite, negras, verdes e vinho, além das

2 denominadas ardósias ferrugem ou multicolor. Quando são mais espaçados os planos de clivagem, define-se ardósia do tipo matacão. Todas as variedades cromáticas permitem ótimas combinações estéticas com madeira e metal, bem como com outras rochas mais claras (p.ex. mármores e quartzitos), pois as ardósias possuem superfícies não refletivas e homogêneas que valorizam os materiais a elas associados nos revestimentos. Os próprios rejuntamentos, quando mais espaçados e preenchidos com argamassas claras, valorizam o efeito estético do revestimento aplicado, simulando a composição de mosaicos e montagens do tipo palladianas. Sobre as Ardósias Brasileiras Piso combinado de seixos e lajões de ardósia cinza - Brasil As ardósias lavradas no estado de Minas Gerais representam cerca de 95% do total da produção brasileira, que em 2008 totalizou quase 1 milhão t. Também em 2008 foram exportadas 214 mil t de produtos de ardósia, para 75 países em todos os continentes, incluindo principalmente telhas e lajotas calibradas. De fato, o Brasil figura entre os maiores produtores e exportadores de ardósia. A denominada Província de Ardósia de Minas Gerais, que abrange km 2 e tem a cidade de Papagaios como referência mínero-industrial, representa um dos maiores jazimentos mundiais atualmente conhecidos, dispondo de reservas suficientes para 10 mil anos de exploração contínua. Reino Unido, Espanha, EUA, Holanda, Alemanha e Itália estão entre os principais destinos das exportações brasileiras de ardósia. Estes países são, eles próprios, produtores tradicionais e altamente exigentes com os materiais consumidos, o que atesta o alto padrão de qualidade das ardósias brasileiras. Destaca-se, a propósito, que as ardósias brasileiras são vocacionadas tanto para a elaboração de telhas quanto para lajotas e placas de revestimento. Tal característica transformou-as em um material de largo emprego e muito valorizado na construção civil, utilizado em obras importantes na Europa e nos

3 EUA. A possibilidade de elaboração de chapas com dimensões métricas tornou as ardósias brasileiras um material preferencial para tampos de sinuca. Índices Tecnológicos de Referência para as Ardósias de Minas Gerais Tipo de Ardósia Índices Físicos Densidad e Porosidade Aparente Absorção d Água Resistência à Flexão (ASTM C- 880) Desgaste Abrasivo Amsler (kg/m 3 ) (%) (%) MPa mm/1000 m Coeficiente de Atrito (ABNT NBR 13818/97) Superfície Seca Ardósia Verde ,12 0,41 46,11 5,17 0,88 0,85 Ardósia Roxa ,10 0,40 42,91 5,55 0,84 0,83 Ardósia Cinza ,52 0,19 47,61 4,20 0,84 0,82 Ardósias Grafite Negra e ,70 0,25 42,57 3,50 0,87 0,82 Ardósia Ferrugem ,43 0,53 24,47 3, Superfície Molhada Fonte: Ensaios realizados pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas IPT S/A para o Catálogo de Rochas Ornamentais do Brasil ABIROCHAS/CETEM, Ensaios de Determinação do Coeficiente de Atrito foram realizados pelo SENAI Mário Amato/SP para o APL de Ardósia, Aspectos Tecnológicos de Interesse As rochas ornamentais e de revestimento são basicamente subdivididas em granitos e mármores. Os granitos abrangem um grande conjunto de rochas silicáticas e os mármores englobam várias rochas carbonáticas metamorfizadas. Os outros materiais importantes do setor de rochas ornamentais incluem justamente as ardósias, além de quartzitos, serpentinitos, travertinos e calcários (limestones). Os mármores, travertinos, calcários e serpentinitos são em geral menos resistentes ao desgaste abrasivo e quimicamente mais reativos que os granitos e quartzitos, exigindo alguns cuidados de manutenção quando especificados para fachadas, pisos e áreas de serviço. Os granitos e quartzitos podem ser mais sensíveis à infiltração de líquidos e manchamentos, sobretudo pela percolação de umidade residual, excesso de água nas argamassas de fixação e rejuntamento e presença de oleosidade nestas argamassas. As ardósias têm um padrão de resistência intermediário entre granitos e mármores, quanto ao ataque químico e abrasão, superando-os no quesito de resistência à flexão. Quando posicionadas em uma tabela geral de qualificação tecnológica para rochas de revestimento, as ardósias são identificadas como materiais de baixa absorção d água, baixa porosidade, médio a alto coeficiente de dilatação térmica, média resistência ao desgaste abrasivo, alta resistência a impactos, média resistência à compressão e altíssima resistência à flexão. Pela granulação fina dos constituintes mineralógicos, as superfícies polidas das ardósias não desenvolvem refletividade e brilho intenso, o que constitui fator de valorização para grande parte dos revestimentos especificados em edificações. O denominado acabamento escovado, quando aplicado em ardósias, confere aspecto acetinado bastante peculiar às superfícies tratadas.

4 Proposta Geral de Qualificação Tecnológica das Rochas Ornamentais e de Revestimento Parâmetros Tecnológicos de Referência Sentido Crescente da Qualidade Absorção d Água (%) Muito > 3,0 1,0 3,0 0,4 1,0 0,1 0,4 < 0,1 Porosidade Aparente (%) Muito > 6,0 3,0 6,0 1,0 3,0 0,5 1,0 < 0,5 Coeficiente de Dilatação Térmica (mm x 10-3 ) Muito Alto > 12 Alto Médio 8 10 Baixo 6 8 Muito Baixo < 6 Resistência ao Desgaste Amsler (mm) > 6,0 3,0 6,0 1,5 3,0 0,7 1,5 Muito < 0,7 Resistência ao Impacto (m) < 0,30 0,30 0,50 0,50 0,70 0,70 0,95 Muito > 0,95 Resistência à Compressão (kg/cm 2 )* < Muito > 1800 Resistência à Flexão (kg/cm 2 )* 3 Pontos 4 Pontos < Muito > 200 < Muito > 150 (*) 10 kg/cm 2 1 MPa. Fonte: Chiodi Filho, C. & Rodrigues, E. de P. Guia de Aplicação de Rochas em Revestimentos (2009). Valores em verde ( ) referem-se ao posicionamento das ardósias. Telhado em ardósia ferrugem Brasil. Orientações de Assentamento Em função das características físico-mecânicas das ardósias, e tendo em vista sua utilização em revestimentos, deve-se observar algumas questões importantes, como as espessuras mínimas aceitáveis para pisos, o espaçamento das juntas em ambientes externos, a correta especificação das argamassas de assentamento e a aplicação de selantes e impermeabilizantes hidro-óleo-repelentes. Revestimento de Pisos (1) e Paredes (2) com Ardósia: Espessuras Mínimas Recomendadas (3) para Lajotas Padronizadas (4) COMPRIMENTO (cm) LARGURA (cm) ESPESSURAS (cm) Áreas Internas 30,0 30,0 0,8 1,0 40,0 20,0 0,8 1,0 40,0 40,0 0,8 1,0 50,0 50,0 1,0 1,2 60,0 30,0 1,0 1,2 Áreas Externas

5 60,0 40,0 1,2 1,5 60,0 60,0 1,2 1,5 70,0 70,0 1,5 1,8 80,0 80,0 1,8 2,2 100,0 100,0 2,0 2,5 (1) Assentados sobre base rígida de concreto, para tráfego de pedestres, em áreas residenciais. (2) Até 3 m de altura, a partir do solo, fixadas com argamassa colante. (3) Lajotas preferencialmente calibradas (verso/tardoz levigado ou fresado). (4) Sem reforço estrutural. Nota: a ASTM recomenda espessura mínima de 2 cm para pisos de ardósia em áreas comerciais com tráfego intenso de pedestres (commercial floors ou commercial foot traffic). No mesmo sentido, a ASTM recomenda que a resistência à abrasão das ardósias, pela norma ASTM C241/C1353, seja 8 para pisos sujeitos a tráfego normal de pedestres, e 10 para pisos sujeitos a tráfego intenso de pedestres (áreas públicas e comerciais). Fonte: Chiodi Filho, C. & Rodrigues, E. de P. Guia de Aplicação de Rochas em Revestimentos (2009). As espessuras mínimas das lajotas/placas recomendadas para pisos e paredes é de 0,8 cm em áreas internas e 1,0 cm em áreas externas. Estas espessuras podem variar até 2,0 cm e 2,5 cm com o aumento da dimensão individual das placas, tanto em pisos quanto em paredes. Revestimento externo com lajotas de ardósia multicolor e filetes de ardósia cinza. Em pisos convencionais, assentados sobre base rígida de concreto e submetidos ao tráfego de veículos, as espessuras exigidas chegam a 5,0 cm. Pela alta resistência à flexão, as ardósias podem ser inclusive consideradas como materiais bastante adequados para pisos flutuantes. Espessuras Mínimas Sugeridas para Pisos em Geral Granitos, Mármores, Quartzitos e Ardósias DIMENSÃO DAS PLACAS (1) COMPRIMENTO / LARGURA Tráfego de Pedestres e Bicicletas (3) ESPESSURAS Pisos Convencionais (2) Até 50 cm 1,0 cm 3,0 cm Entre cm 2,0 cm 4,0 cm Entre cm 3,0 cm - Pisos Elevados/Flutuantes

6 Tráfego Misto (4) - Pedestres até Veículos Leves (6) Até 50 cm 2,0 cm 4,0 cm Entre cm 3,0 cm 5,0 cm Entre cm 4,0 cm - Tráfego Misto (5) - Pedestres até Veículos de Passeio (7) Até 50 cm 3,0 cm 5,0 cm Entre cm 4,0 cm 6,0 cm Entre cm 5,0 cm - (1) Para placas rochosas sem reforço estrutural. (2) Para pisos assentados ou apoiados sobre base rígida (concreto). (3) Rochas com resistência à flexão* 70 kgf/cm 2 ou 7,0 MPa. (4) Rochas com resistência à flexão* 100 kgf/cm 2 ou 10,0 MPa. (5) Rochas com resistência à flexão* 120 kgf/cm 2 ou 12,0 MPa. (6) Até 600 kg/eixo, à velocidade reduzida. (7) Até 900 kg/eixo, à velocidade reduzida. * Valores relativos ao método de três pontos (ASTM C99 e ABNT NBR ). Nota: Degraus devem ter espessura mínima de 2 cm, assentados sobre base rígida (concreto), e de 4 cm quando flutuantes (vão livre entre apoios não superior a 50 cm), com profundidade não inferior a 20 cm. Fonte: Chiodi Filho, C. & Rodrigues, E. de P. Guia de Aplicação de Rochas em Revestimentos (2009). O espaçamento sugerido para as juntas dos revestimentos em ardósia é de 3 a 5 mm nos ambientes internos. Nos ambientes externos a espessura do rejuntamento pode variar de 6 a 8 mm, quando as placas têm individualmente até 0,5 m 2, e de 8 a 10 mm quando as placas têm de 0,5 a 1,0 m 2. As argamassas de assentamento e rejuntamento, indicáveis para revestimentos em ardósia, devem ser preferencialmente colantes e flexíveis. Isto permite melhorar a aderência das placas ao emboço ou contra-piso e prevenir o seu descolamento, acomodando os esforços diferenciais de dilatação do sistema rocha/argamassa/estrutura, bem como evitando a infiltração de líquidos pelas juntas e eliminando a possibilidade de manchamento ou delaminação na borda das placas. No teste de coeficiente de atrito (norma ABNT NBR /97) exige-se um valor mínimo de 0,4 para qualquer tipo de material utilizado em pavimentos horizontais onde se requer resistência ao escorregamento de pedestres. O valor mínimo sugerido para superfícies molhadas de pisos inclinados aumenta para 0,8. Os testes efetuados em faces naturais de ardósias de Minas Gerais revelaram resultados superiores a 0,8, atendendo, portanto, com folga às especificações da norma.

7 Telhados residenciais em ardósia multicolor Chile. Mesmo em pisos polidos, também para qualquer material com superfície lisa, o risco de escorregamento e queda de pedestres pode ser minimizado pela redução do tamanho individual das placas/lajotas e aumento da largura/espessura das juntas de colocação, bem como pela aplicação de produtos antiderrapantes já disponíveis no mercado. No caso das ardósias, pode-se ainda optar pelos acabamentos mais rugosos, como os escovados que, além disso, proporcionam um interessante efeito estético. Revestimentos Horizontais: Procedimentos Indicados para Assentamento e Rejuntamento de Ardósias PISOS CONVENCIONAIS (1) TIPOS DE ARGAMASSAS INTERNOS Eventual Frequente Umidade Ascendente EXTERNOS Frequente Umidade Ascendente ARGAMASSAS DE ASSENTAMENTO (2) Cimentícia Convencional Semiseca Colante (3) Preferível Preferível Preferível Preferível Adesiva (Supercola) ARGAMASSAS DE REJUNTAMENTO Calda Cimento + Pó Xadrez Cimentícias Industrializadas (3) Preferível Acrílicas Preferível Preferível Preferível Preferível Epóxi (4) (1) Assentados sobre base rígida de concreto. (2) Visando à otimização de desempenho, recomenda-se que as argamassas de assentamento sejam aditivadas com melhoradores de aderência e que o verso/tardoz das placas e lajotas tenha superfície áspera (calibradas e/ou fresadas). (3) Observar indicação de uso interno ou uso externo, grafada pelo fabricante da argamassa na embalagem do produto (as argamassas de uso externo devem ser flexíveis). (4) Segundo fabricantes, não utilizar em locais com temperatura ambiente inferior a 10 C. Fonte: Chiodi Filho, C. & Rodrigues, E. de P. Guia de Aplicação de Rochas em Revestimentos (2009). Revestimentos Verticais: Procedimentos Indicados para Assentamento e Rejuntamento de Ardósias TIPOS DE ARGAMASSA LOCAIS DE APLICAÇÃO

8 PAREDES INTERNAS Eventual ARGAMASSAS DE ASSENTAMENTO Freqüente Umidade Ascendente Cimentícia Convencional (1,2) FACHADAS CONVENCIONAIS Freqüente Umidade Ascendente Colante (2,3) Preferível Preferível Adesiva (Supercola) (2,3) Preferível Preferível ARGAMASSAS DE REJUNTAMENTO (4) Calda cimento + Pó Xadrez Cimentícias Industrializadas Acrílicas Preferível Preferível Preferível Preferível Preferível Epóxi (5) Silicone ou Poliuretano (1) Recomenda-se que as argamassas cimentícias convencionais sejam aditivadas com melhoradores de aderência. (2) Para revestimentos posicionados entre 3 m e 15 m de altura, recomenda-se reforço com o uso de grampos (de cobre ou arame galvanizado), fixados em telas metálicas, preferencialmente eletrossoldadas (conforme norma ABNT NBR 13707). (3) Observar indicação de uso interno ou uso externo, grafada pelo fabricante da argamassa na embalagem do produto (as argamassas de uso externo devem ser flexíveis). (4) Os espaçamentos s para juntas de colocação, que separam os ladrilhos entre si, em paredes e fachadas de ardósia, devem ser superiores aos das rochas mais claras, sugerindo-se 3 mm a 5 mm para interiores e, para fachadas convencionais, 4 mm a 6 mm (placas até 0,3 m 2 ), 6 mm a 8 mm (placas até 0,6 m 2 ), 8 mm a 10 mm (placas de 0,6 m 2 a 1,0 m 2 ) e 10 mm a 12 mm (placas individuais superiores a 1,0 m 2 ). O rejuntamento de fachadas convencionais deve ser sempre efetuado com argamassas elásticas / flexíveis e impermeabilizantes. (5) Segundo fabricantes, não utilizar em locais com temperatura ambiente inferior a 10 C. Fonte: Chiodi Filho, C. & Rodrigues, E. de P. Guia de Aplicação de Rochas em Revestimentos (2009). Piso interno em ardósia multicolor - Canadá Observa-se que a impermeabilização do tardoz (verso) das placas e da base dos revestimentos (emboço ou contra-piso), para prevenção de manchamentos

9 isolados e alterações cromáticas produzidas por umidade ascendente, é tão ou mais importante que a aplicação de selantes na face das placas. No caso das ardósias, a impermeabilização da borda das placas de revestimento também é mais importante que a impermeabilização da face. Deve-se, neste caso, recorrer a argamassas qualificadas de rejuntamento, que promovam a impermeabilização desejada, recomendando-se aquelas colantes e flexíveis de base acrílica ou epóxi. Piso e escadas em ardósia cinza Canadá. Limpeza e Manutenção dos Revestimentos em Ardósias Assim como para os demais materiais rochosos naturais, a manutenção dos revestimentos em ardósia recomenda trabalhos sistemáticos de limpeza, prevenindo-se assim a impregnação de sujeira, perda do lustro (no caso de superfícies polidas) e outras alterações estéticas nas peças aplicadas.

10 Piso em ardósia verde com aplicações de ardósia grafite - Chile. A limpeza precisa ser efetuada com a regularidade possível, utilizando-se esfregão de pano umedecido com água ou apenas com pequena diluição de detergentes de ph neutro ou sabões puros. É importante evitar o excesso de água, bem como os produtos abrasivos (tipo sapólio) ou quimicamente agressivos (ácidos, soda cáustica, querosene acetona, removedores e outros solventes). Piso em ardósia cinza e grafite com detalhe em ardósia vinho - Brasil Deve-se ainda evitar o contato do revestimento com óleos, graxas, tintas e materiais ferruginosos oxidáveis (pregos, palhas de aço e escovas metálicas, além de recipientes, suportes e peças de mobiliário elaboradas com ferro), bem

11 como com pós, fragmentos de madeira e outros materiais decomponíveis e pigmentantes. Qualquer substância potencialmente manchante, derramada sobre o revestimento, deve ser limpa com a rapidez possível. Os revestimentos também demandam proteção contra o desgaste abrasivo e riscamento por metais, vidros e outros materiais pontiagudos ou cortantes de dureza elevada. Os trabalhos de limpeza não devem ser efetuados com escovas de cerdas rígidas, palhas de aço e similares, pois tais utensílios podem riscar as superfícies lustradas e prejudicar as argamassas de rejuntamento. As ceras convencionalmente especificadas e utilizadas para ardósias alteram as características cromáticas e texturais dos materiais aplicados. Alguns exemplos de composições e mosaicos de ardósia.

Blocos de. Absorção de água. Está diretamente relacionada à impermeabilidade dos produtos, ao acréscimo imprevisto de peso à Tabela 1 Dimensões reais

Blocos de. Absorção de água. Está diretamente relacionada à impermeabilidade dos produtos, ao acréscimo imprevisto de peso à Tabela 1 Dimensões reais Blocos de CONCRETO DESCRIÇÃO: Elementos básicos para a composição de alvenaria (estruturais ou de vedação) BLOCOS VAZADOS DE CONCRETO SIMPLES COMPOSIÇÃO Cimento Portland, Agregados (areia, pedra, etc.)

Leia mais

MAXIJUNTA - PASTILHAS DE PORCELANA

MAXIJUNTA - PASTILHAS DE PORCELANA INDICAÇÕES: Argamassa colante de assentamento e rejuntamento simultâneo flexível, de alta adesividade, para áreas internas e externas. O Maxijunta Pastilhas de Porcelana é indicado principalmente para

Leia mais

MAXIJUNTA - 3 EM 1 PRODUTO:

MAXIJUNTA - 3 EM 1 PRODUTO: INDICAÇÕES: Argamassa colante de assentamento e rejuntamento simultâneo flexível de alta adesividade para áreas internas e externas. Assenta e rejunta pastilhas de porcelana e cerâmica até 7,5 x 7,5 cm,

Leia mais

MANUAL TÉCNICO. Instalação, Manutenção e Conservação de Basaltos e Granitos

MANUAL TÉCNICO. Instalação, Manutenção e Conservação de Basaltos e Granitos MANUAL TÉCNICO Instalação, Manutenção e Conservação de Basaltos e Granitos Com o propósito de criar uma série de ações que objetivam a instalação, preservação e manutenção do basalto e granito, a Basalto

Leia mais

SISTEMA DRY WALL E STEEL FRAME

SISTEMA DRY WALL E STEEL FRAME GESSO SISTEMA DRY WALL E STEEL FRAME Gesso O gesso é uma substância, normalmente vendida na forma de um pó branco, produzida a partir do mineral gipsita, composto basicamente de sulfato de cálcio hidratado.

Leia mais

GESTÃO DO CONTROLE TECNOLÓGICO DE REVESTIMENTOS. Comunidade da Construção de Vitória

GESTÃO DO CONTROLE TECNOLÓGICO DE REVESTIMENTOS. Comunidade da Construção de Vitória GESTÃO DO CONTROLE TECNOLÓGICO DE REVESTIMENTOS 1 Objetivo Utilizar o controle tecnológico como ferramenta imprescindível para execução do revestimento de argamassa e cerâmica em fachadas, aumentando a

Leia mais

Oferecemos também uma linha completa de acabamentos para pisos em madeira, como rodapés, cantoneiras e frontais para escadas.

Oferecemos também uma linha completa de acabamentos para pisos em madeira, como rodapés, cantoneiras e frontais para escadas. Ecopiso Ecopiso empresa com sede em Curitiba, produzindo pisos maciços pré acabados, com o que existe de melhor e mais moderno em padrões de cores e acabamentos de verniz. Oferecemos também uma linha completa

Leia mais

Excelente para o assentamento e rejuntamento simultâneo de pastilhas de porcelana e vidro;

Excelente para o assentamento e rejuntamento simultâneo de pastilhas de porcelana e vidro; 01 Descrição: NOVO PRODUTO votomassa é uma argamassa que proporciona alta aderência e trabalhabilidade no assentamento de de porcelana e vidro 02 Classificação: votomassa combina cimento Portland, agregados

Leia mais

G U I A T É C N I C O

G U I A T É C N I C O Os produtos da Brogliato passam por um processo de controle de qualidade em seu processo produtivo, assim qualquer dano e irregularidade são corrigidos imediatamente na empresa para que os revestimentos

Leia mais

ORIGAMI Manual de conservação

ORIGAMI Manual de conservação R e s p e i t a r o s l i m i t e s d e p e s o. T r a n s p o r t a r c o m c u i d a d o. TECIDO S LIMPE SEMANALMENTE A POEIRA DEPOSITADA SOBRE O TECIDO COM UM ASPIRADOR DE PÓ E REALIZE UMA ESCOVAÇÃO

Leia mais

pro-part Ficha técnica Aplicações recomendadas Materiais Suportes

pro-part Ficha técnica Aplicações recomendadas Materiais Suportes Ficha técnica pro-part Perfil decorativo para revestimentos cerâmicos; alternativa à tradicional faixa cerâmica decorativa. Adequados para o remate de esquinas e transições entre ladrilhos cerâmicos. pro-part

Leia mais

ARG. COLANTE REVESTIMENTO REJUNTE COMPONENTES DO REVESTIMENTO

ARG. COLANTE REVESTIMENTO REJUNTE COMPONENTES DO REVESTIMENTO TECNOLOGIA DE REVESTIMENTO Componentes do sistema BASE CHAPISCO Base Características importantes: Avidez por água - inicial e continuada Rugosidade EMBOÇO ARG. COLANTE REVESTIMENTO REJUNTE Chapisco Função:

Leia mais

porcelanato interno ficha técnica do produto

porcelanato interno ficha técnica do produto 01 DESCRIÇÃO: votomassa é uma argamassa leve de excelente trabalhabilidade e aderência, formulada especialmente para aplicação de revestimentos cerâmicos e s em áreas internas. 02 CLASSIFICAÇÃO TÉCNICA:

Leia mais

Obrigado por ter adquirido os nossos produtos.

Obrigado por ter adquirido os nossos produtos. Obrigado por ter adquirido os nossos produtos. A Lavore Móveis segue um rigoroso controle de qualidade com o objetivo de garantir a total satisfação dos nossos clientes. Para conservação do mobiliário

Leia mais

Manual de Rochas Ornamentais para Arquitetos 245 14. PATOLOGIAS

Manual de Rochas Ornamentais para Arquitetos 245 14. PATOLOGIAS Manual de Rochas Ornamentais para Arquitetos 245 14. PATOLOGIAS Mármore, granito, ardósia, gnaisse e outras rochas ornamentais são materiais de revestimento muito duráveis, além de conferirem solidez e

Leia mais

Anexo I-A: Serviços de reforma no alojamento de menores da P. J. de Samambaia

Anexo I-A: Serviços de reforma no alojamento de menores da P. J. de Samambaia Serviços de reforma no alojamento de menores da P. J. de Samambaia MEMORIAL DESCRITIVO Anexo I-A: Serviços de reforma no alojamento de menores da P. J. de Samambaia Sumário 1.Considerações gerais...1 2.Serviços

Leia mais

Revestimentos de Alto Desempenho - RAD

Revestimentos de Alto Desempenho - RAD Revestimentos de Alto Desempenho - RAD O mercado de revestimentos para pisos de concreto se desenvolveu mais expressivamente no Brasil na década de 1980. Foi nesse momento que os revestimentos autonivelantes

Leia mais

Manual de Instalação Project - PVC

Manual de Instalação Project - PVC Manual de Instalação Project - PVC Este manual tem como objetivo o auxiliar na maneira correta de armazenamento, instalação e manutenção para que possa garantir a qualidade máxima da aplicação e prolongar

Leia mais

Tipos de Acabamentos e Tecnologias Disponíveis

Tipos de Acabamentos e Tecnologias Disponíveis Tipos de Acabamentos e Tecnologias Disponíveis Maria Heloisa Barros de Oliveira Frascá, geóloga - mheloisa@ipt.br LMCC Laboratório de Materiais de Construção Civil CT-OBRAS Centro de Tecnologia de Obras

Leia mais

ÚNICA COMO SEU TALENTO. catálogo técnico

ÚNICA COMO SEU TALENTO. catálogo técnico ÚNICA COMO SEU TALENTO catálogo técnico ÚNICA COMO SEU TALENTO Para projetos únicos, conte sempre com a performance superior da Linha Gold. A Linha Gold é única, na versatilidade, variedade e qualidade

Leia mais

Revestimento de fachadas: aspectos executivos

Revestimento de fachadas: aspectos executivos UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA Setembro, 2009 Revestimento de fachadas: aspectos executivos Eng.º Antônio Freitas da Silva Filho Engenheiro Civil pela UFBA Julho de 1982; Engenheiro da Concreta Tecnologia

Leia mais

Elementos Táteis de Alerta Linha Dome - Mozaik

Elementos Táteis de Alerta Linha Dome - Mozaik Elementos Táteis de Alerta Linha Dome - Mozaik APRESENTAÇÃO Os elementos táteis Mozaik foram projetados para a sinalização tátil de pisos executados em praticamente quaisquer tipos de materiais de revestimento,

Leia mais

5. Limitações: A argamassa Matrix Assentamento Estrutural não deve ser utilizada para assentamento de blocos silicocalcário;

5. Limitações: A argamassa Matrix Assentamento Estrutural não deve ser utilizada para assentamento de blocos silicocalcário; A argamassa Matrix Assentamento Estrutural é uma mistura homogênea de cimento Portland, agregados minerais com granulometria controlada e aditivos químicos. 3. Indicação: Excelente para assentamento de

Leia mais

ESTUDO DA ADERÊNCIA DE PLACAS DE ROCHAS ORNAMENTAIS COM ARGAMASSA COLANTE

ESTUDO DA ADERÊNCIA DE PLACAS DE ROCHAS ORNAMENTAIS COM ARGAMASSA COLANTE ESTUDO DA ADERÊNCIA DE PLACAS DE ROCHAS ORNAMENTAIS... 45 ESTUDO DA ADERÊNCIA DE PLACAS DE ROCHAS ORNAMENTAIS COM ARGAMASSA COLANTE Lizandra Nogami Mestre do Programa de Pós-graduação em Geotecnia EESC/USP,

Leia mais

cerâmica externa ficha técnica do produto

cerâmica externa ficha técnica do produto 01 Descrição: Argamassa leve de excelente trabalhabilidade e aderência, formulada especialmente para aplicação de revestimentos cerâmicos em áreas internas e s. 02 Classificação técnica: ANTES Colante

Leia mais

Principais funções de um revestimento de fachada: Estanqueidade Estética

Principais funções de um revestimento de fachada: Estanqueidade Estética REVESTIMENTO DE FACHADA Principais funções de um revestimento de fachada: Estanqueidade Estética Documentos de referência para a execução do serviço: Projeto arquitetônico Projeto de esquadrias NR 18 20

Leia mais

DADOS TÉCNICOS PROCEDIMENTOS DE APLICAÇÃO LIMPEZA E MANUTENÇÃO

DADOS TÉCNICOS PROCEDIMENTOS DE APLICAÇÃO LIMPEZA E MANUTENÇÃO DADOS TÉCNICOS PROCEDIMENTOS DE APLICAÇÃO LIMPEZA E MANUTENÇÃO DADOS TÉCNICOS AZULEJOS 20 x 20 cm MATERIAIS: aço inox AISI 304, placa cimentícia sem amianto, com adesivo e filme protector. DIMENSÕES: 20

Leia mais

Construção de Edícula

Construção de Edícula Guia para Construção de Edícula Guia do montador Mais resistência e conforto para sua vida. As paredes com Placas Cimentícias Impermeabilizadas e Perfis Estruturais de Aço Galvanizado para steel framing

Leia mais

SUPORTE TÉCNICO SOBRE LIGHT STEEL FRAME

SUPORTE TÉCNICO SOBRE LIGHT STEEL FRAME Sistema de ds A SOLUÇÃO INTELIGENTE PARA A SUA OBRA SUPORTE TÉCNICO SOBRE LIGHT STEEL FRAME www.placlux.com.br VOCÊ CONHECE O SISTEMA CONSTRUTIVO LIGHT STEEL FRAME? VANTAGENS LIGHT STEEL FRAME MENOR CARGA

Leia mais

CONSTRUÇÕES II MADEIRA PISOS DE MADEIRA PISOS DE MADEIRA. São planos horizontais que suportam cargas. VARIÁVEIS e PERMANENTES.

CONSTRUÇÕES II MADEIRA PISOS DE MADEIRA PISOS DE MADEIRA. São planos horizontais que suportam cargas. VARIÁVEIS e PERMANENTES. CONSTRUÇÕES II MADEIRA PISOS DE MADEIRA PISOS DE MADEIRA São planos horizontais que suportam cargas VARIÁVEIS e PERMANENTES. 1 CARGAS NBR 6120 PERMANENTES (g) Peso próprio da estrutura Peso dos elementos

Leia mais

Manual Técnico Fibrapiso

Manual Técnico Fibrapiso Manual Técnico dos Pisos Laminados Fibrapiso O Fibrapiso possui um sistema de classificação, que estabelece requisitos práticos para áreas e níveis de utilização, indicando onde o piso laminado melamínico

Leia mais

Pedra Natural em Fachadas

Pedra Natural em Fachadas Pedra Natural em Fachadas SELEÇÃO, APLICAÇÃO, PATOLOGIAS E MANUTENÇÃO Real Granito, S.A. Índice Características típicas dos diferentes tipos de Rochas Ensaios para a caracterização de produtos em Pedra

Leia mais

COMO INSTALAR : MATERIAIS: IMPORTANTE. O contra piso deve estar:

COMO INSTALAR : MATERIAIS: IMPORTANTE. O contra piso deve estar: COMO INSTALAR : Importante para uma perfeita instalação, obter o resultado especificado pela Revitech Pisos e esperado pelo cliente, a utilização das ferramentas corretas. Ferramentas como a desempenadeira,

Leia mais

DIMENSÃO MÁXIMA PLACAS CERÂMICAS E PORCELANATOS. 45 x 45 cm. 45 x 45 cm. 60 x 60 cm. 60x 60 cm

DIMENSÃO MÁXIMA PLACAS CERÂMICAS E PORCELANATOS. 45 x 45 cm. 45 x 45 cm. 60 x 60 cm. 60x 60 cm 01 DESCRIÇÃO: Argamassa leve de excelente trabalhabilidade, ideal para assentamento de revestimentos cerâmicos, porcelanatos, pedras rústicas em áreas internas e externas em pisos e paredes; Aplicação

Leia mais

Gesso Acartonado CONCEITO

Gesso Acartonado CONCEITO CONCEITO As paredes de gesso acartonado ou Drywall, são destinados a dividir espaços internos de uma mesma unidade. O painel é composto por um miolo de gesso revestido por um cartão especial, usado na

Leia mais

Limpeza e Manutenção de Revestimentos Cerâmicos

Limpeza e Manutenção de Revestimentos Cerâmicos Manual Técnico Limpeza e Manutenção de Revestimentos Cerâmicos Manual Técnico Limpeza e Manutenção revisão julho/2015 1 Limpeza e Manutenção de Revestimentos Cerâmicos Revisão: Julho/2015 Este manual tem

Leia mais

Aplicações Xadrez Pigmento em Pó

Aplicações Xadrez Pigmento em Pó Dê asas à sua imaginação nas diversas aplicações do Pó Xadrez. Aplicações Xadrez Pigmento em Pó O PÓ XADREZ é um pigmento concentrado que proporciona efeitos decorativos em diversas aplicações. Mais econômico,

Leia mais

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DOS MATERIAIS SETOR DE MATERIAIS

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DOS MATERIAIS SETOR DE MATERIAIS UFBA-ESCOLA POLITÉCNICA-DCTM DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DOS MATERIAIS SETOR DE MATERIAIS ROTEIRO DE AULAS CONCRETO FRESCO Unidade III Prof. Adailton de O. Gomes CONCRETO FRESCO Conhecer o comportamento

Leia mais

PINTURA DE PISOS INDUSTRIAIS

PINTURA DE PISOS INDUSTRIAIS PINTURA DE PISOS INDUSTRIAIS MANUAL DE BOAS PRÁTICAS E DICAS PARA UMA PINTURA EFICIENTE DE PISO Sempre que desejamos fazer uma pintura de piso, Industrial ou não, devemos ter em mente quais são os objetivos

Leia mais

ABRALIMP Encontro de Associados. Alexis Joseph Steverlynck Fonteyne

ABRALIMP Encontro de Associados. Alexis Joseph Steverlynck Fonteyne ABRALIMP Encontro de Associados Alexis Joseph Steverlynck Fonteyne Projetistas de piso Executores de piso Fabricantes de revestimentos de alto desempenho (RAD) Fabricantes de insumos para pisos e revestimentos

Leia mais

Dicas Qualyvinil PROCESSOS DE PINTURA

Dicas Qualyvinil PROCESSOS DE PINTURA Processos de pintura Existem diferentes processos de pintura, mas o segredo para o sucesso e durabilidade do acabamento final, depende invariavelmente da habilidade do profissional e da preparação da superfície.

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE PINTURA

PROCEDIMENTOS DE PINTURA 1 PROCEDIMENTOS DE PINTURA 2 PROCEDIMENTOS DE PINTURA 01.00 SISTEMA DE PINTURA PARA ACABAMENTO FINAL EM LATEX PVA 01.01 - PREPARAÇÃO DA SUPERFÍCIE 1. GESSO (PLACA/PASTA) - Aplicar fundo preparador de parede

Leia mais

Coleção 2009 Tiragem: 2.000 Abril/2009 605 - Cabreúva Projeto: Rosenbaum Design RECOMENDAÇÕES PARA A INSTALAÇÃO O CONTRAPISO DEVE ESTAR: - Seco e isento de qualquer umidade: perfeitamente curado, impermeabilizado

Leia mais

DICAS ANTES DA COMPRA

DICAS ANTES DA COMPRA DICAS ANTES DA COMPRA Madeira: É um material natural e variações são consideradas normais, nuances e veios existentes nos pisos são próprios da madeira; imperfeições naturais, nós e variações nas tonalidades

Leia mais

BIANCO. Preparo do substrato As superfícies devem estar limpas, porosas, isentas de pó ou oleosidade e serem umedecidas antes da aplicação.

BIANCO. Preparo do substrato As superfícies devem estar limpas, porosas, isentas de pó ou oleosidade e serem umedecidas antes da aplicação. Produto é uma resina sintética, de alto desempenho, que proporciona excelente aderência das argamassas aos mais diversos substratos. Confere maior plasticidade e, assim, maior resistência ao desgaste e

Leia mais

MANUAL PASSO A PASSO DE APLICAÇÃO: GS-SUPER

MANUAL PASSO A PASSO DE APLICAÇÃO: GS-SUPER MANUAL PASSO A PASSO DE APLICAÇÃO: GS-SUPER 1. INTRODUÇÃO Este Manual de Aplicação do GS-Super demonstra passo a passo o procedimento correto para aplicação do material bem como os cuidados necessários

Leia mais

COMPONENTES. Chapa de gesso: 3 tipos

COMPONENTES. Chapa de gesso: 3 tipos Paredes internas Estrutura leve GESSO ACARTONADO Fixado em perfis de chapa de aço galvanizado (esqueleto de guias e montantes) Parede: chapas de gesso em uma ou mais camadas Superfície pronta para o acabamento

Leia mais

PLASTEEL MASSA 4:1 PLASTEEL MASSA

PLASTEEL MASSA 4:1 PLASTEEL MASSA PLASTEEL MASSA 4:1 PLASTEEL MASSA 4:1 é um composto epóxi bi-componente com carga metálica, característica de massa na cor preta, pode ser aplicado com espátula, cura a frio, substituindo de maneira muito

Leia mais

REVESTIMENTO DEFACHADA. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I

REVESTIMENTO DEFACHADA. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I REVESTIMENTO DEFACHADA Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I FUNÇÕES DO REVESTIMENTO DE FACHADA Estanqueida de Estética CONDIÇÕES DE INÍCIO

Leia mais

Basalto e Gabro. Prof. Roberto Monteiro de Barros Filho

Basalto e Gabro. Prof. Roberto Monteiro de Barros Filho ROCHAS Mármores e Granitos Basalto e Gabro Prof. Roberto Monteiro de Barros Filho Mineral x Rocha MINERAL ROCHA Corpo natural sólido e Agregado natural cristalino formado em composto de minerais, resultado

Leia mais

PEDRAS DE REVESTIMENTOS

PEDRAS DE REVESTIMENTOS PEDRAS DE REVESTIMENTOS Sem dúvida alguma, as pedras ornamentais constituem uma ótima opção para o revestimento de pisos e paredes, graças à reconhecida durabilidade e aos efeitos estéticos que proporcionam.

Leia mais

Situação errada: piso escorregadio

Situação errada: piso escorregadio A calçada deve ser construída a partir do meio-fio (guia) de concreto pré-moldado instalado pela Prefeitura ou pelo loteador, que faz parte do acabamento com 15cm de altura entre o passeio e a rua. Os

Leia mais

Preserva o piso, preserva o funcionário, preserva seu patrimônio!

Preserva o piso, preserva o funcionário, preserva seu patrimônio! Preserva o piso, preserva o funcionário, preserva seu patrimônio! A Karakorum é uma distribuidora de produtos, oriundos de diversos países, que representam o que há de melhor em termos de proteção e manutenção

Leia mais

MANUAL DO C L I E N T E

MANUAL DO C L I E N T E MANUAL DO C L I E N T E 1 Recebendo o revestimento na obra 1.1 Comparar a nota fiscal com o pedido SUMÁRIO 2 3 4 5 Manuseio e armazenamento 2.1 2.2 Ter cuidado no manuseio Empilhamento dos revestimentos

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO, ORÇAMENTO E PROJETO DO ACESSO PRINCIPAL E IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE FRONTEIRA

MEMORIAL DESCRITIVO, ORÇAMENTO E PROJETO DO ACESSO PRINCIPAL E IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE FRONTEIRA MEMORIAL DESCRITIVO, ORÇAMENTO E PROJETO DO ACESSO PRINCIPAL E IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE FRONTEIRA Orçamento Unidade Básica de Saúde - Fronteira Estrutura para o acesso e identificação do

Leia mais

Soluções de Alto Desempenho para Construção PRODUTO MULTIUSO PARA OBRAS ECONÔMICAS

Soluções de Alto Desempenho para Construção PRODUTO MULTIUSO PARA OBRAS ECONÔMICAS Soluções de Alto Desempenho para Construção PRODUTO MULTIUSO PARA OBRAS ECONÔMICAS + + desempenho por m² AMP ARGAMASSA MODIFICADA COM POLÍMERO ( + ) MEMBRANA POLIMÉRICA O BAUCRYL ECOVEDA é um polímero

Leia mais

ROCHAS INDUSTRIALIZADAS

ROCHAS INDUSTRIALIZADAS ROCHAS INDUSTRIALIZADAS Classificação PEDRAS ARTIFICIAIS Quartzo de base Poliestireno Mármore de base Poliéster SUPERFÍCIES SÓLIDAS MINERAIS Pedras de base Acrílica PEDRAS A BASE VÍTREA PEDRAS A BASE DE

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO 1 DESCRIÇÃO

MEMORIAL DESCRITIVO 1 DESCRIÇÃO Página 1 de 9 MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: Reforma na Unidade Sanitária Sede de Guarujá do Sul PROPRIETÁRIO: LOCAL: Rua Governador Jorge Lacerda, 448, Centro, Guarujá do Sul (SC) ÁREA TOTAL DA EDIFICAÇÃO:

Leia mais

SISTEMA CONSTRUTIVO EM PAREDES DE CONCRETO:

SISTEMA CONSTRUTIVO EM PAREDES DE CONCRETO: SISTEMA CONSTRUTIVO EM PAREDES DE CONCRETO: Adequações frente às s normas de desempenho. Marcelo Moacyr Diretor de Engenharia, Construção e Relacionamento 1 Escolha do Sistema Construtivo 2 Avaliações

Leia mais

Conceito AULA 4. Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil

Conceito AULA 4. Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil AULA 4 Gesso Acartonado Prof. Dr. Luiz Sergio Franco Escola Politécnica da USP Dep. de Engenharia de Construção Civil Construção

Leia mais

Conceito. Tem como compromisso criar vínculos fortes e duradouros com os clientes, oferecendo-lhes os melhores produtos e serviços.

Conceito. Tem como compromisso criar vínculos fortes e duradouros com os clientes, oferecendo-lhes os melhores produtos e serviços. Conceito A MAP é uma empresa que atua no mercado na avaliação do processo industrial de seus clientes, com a finalidade de conhecer suas necessidades e gerar soluções específicas para cada uma. Atua aliada

Leia mais

pro-telo inox Perfil metálico quinado em forma de U. Lateral de 8 mm de altura. Lado à vista liso de 10, 25 ou 40 mm.

pro-telo inox Perfil metálico quinado em forma de U. Lateral de 8 mm de altura. Lado à vista liso de 10, 25 ou 40 mm. Fica técnica pro-telo Perfil decorativo de metal para revestimentos cerâmicos. Lina metálica sem abas, para ladrilos de todas as espessuras. Disponível numa grande variedade de materiais, acabamentos e

Leia mais

Hotelaria SAÚDE NOVA COLEÇÃO 2013. A segurança de se sentir bem. Recomendado para os segmentos:

Hotelaria SAÚDE NOVA COLEÇÃO 2013. A segurança de se sentir bem. Recomendado para os segmentos: A segurança de se sentir bem. NOVA COLEÇÃO 2013 Crédito Equipotel 2010 - Arquiteta Jorgina Nello Optima Multisafe (cor 3240861), Aquarelle Wall HFS (cor 3942023) Recomendado para os segmentos: SAÚDE Hotelaria

Leia mais

SUPORTES DE SOLO SUPORTE DE SOLO PARA EXTINTOR EM ALUMINIO POLIDO MODELO AP E PQS

SUPORTES DE SOLO SUPORTE DE SOLO PARA EXTINTOR EM ALUMINIO POLIDO MODELO AP E PQS CATALO DE PRODUTOS SUPORTES DE SOLO SUPORTE DE SOLO PARA EXTINTOR EM ALUMINIO POLIDO MODELO AP E PQS SUPORTE DE SOLO PARA EXTINTOR EM ALUMINIO E PINTURA EPOXI VERMELHO MODELO AP E PQS Aba na base que impede

Leia mais

Índice. P r o j e t o Tratamento de piso

Índice. P r o j e t o Tratamento de piso TRATAMENTO DE PISOS Índice Porque fazer um tratamento de piso? Fases do tratamento de piso Tipos de pisos Vantagens do tratamento Conceitos técnicos Equipamentos e acessórios Etapas do tratamento Produtos

Leia mais

Florença Revestimentos Cimentícios Recomendações Técnicas

Florença Revestimentos Cimentícios Recomendações Técnicas Florença Revestimentos Cimentícios Recomendações Técnicas Produto/variações Devido ao processo de fabricação e aplicação de gel envelhecedor, os revestimentos cimentícios, podem apresentar pequenas variações

Leia mais

POLICARBONATO CHAPAS COMPACTAS. Estilo com Tecnologia. Alveolar - Compacto - Telhas - Acessórios de Instalação

POLICARBONATO CHAPAS COMPACTAS. Estilo com Tecnologia. Alveolar - Compacto - Telhas - Acessórios de Instalação POLICARBONATO CHAPAS COMPACTAS Estilo com Tecnologia Alveolar - Compacto - Telhas - Acessórios de Instalação CHAPAS COMPACTAS Chapa em policarbonato compacto, com tratamento em um dos lados contra o ataque

Leia mais

São assim denominados pois não utilizam o processo de queima cerâmica que levaria à derrubada de árvores para utilizar a madeira como combustível,

São assim denominados pois não utilizam o processo de queima cerâmica que levaria à derrubada de árvores para utilizar a madeira como combustível, TIJOLOS ECOLÓGICOS Casa construída com tijolos ecológicos Fonte: paoeecologia.wordpress.com TIJOLOS ECOLÓGICOS CARACTERÍSTICAS São assim denominados pois não utilizam o processo de queima cerâmica que

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO TELHAS DE POLICARBONATO

MANUAL DE INSTALAÇÃO TELHAS DE POLICARBONATO MANUAL DE INSTALAÇÃO TELHAS DE POLICARBONATO TELHAS DE POLICARBONATO As Telhas de Policarbonato proporcionam ótima transmissão de luz (praticamente idêntica ao vidro) favorecendo maior aproveitamento da

Leia mais

Argamassa TIPOS. AC-I: Uso interno, com exceção de saunas, churrasqueiras, estufas e outros revestimentos especiais. AC-II: Uso interno e externo.

Argamassa TIPOS. AC-I: Uso interno, com exceção de saunas, churrasqueiras, estufas e outros revestimentos especiais. AC-II: Uso interno e externo. Especificações Técnicas Argamassa INDUSTRIALIZADA : Produto industrializado, constituído de aglomerantes e agregados miúdos, podendo ainda ser adicionados produtos especiais (aditivos), pigmentos com a

Leia mais

Caixa Múltipla de Esgoto CAIXA DE GORDURA, CAIXA DE INSPEÇÃO E COMPLEMENTOS

Caixa Múltipla de Esgoto CAIXA DE GORDURA, CAIXA DE INSPEÇÃO E COMPLEMENTOS Caixa Múltipla de Esgoto CAIXA DE GORDURA, CAIXA DE INSPEÇÃO E COMPLEMENTOS Localização no Website Tigre: Obra Predial Esgoto CAIXA MÚLTIPLA ESGOTO Função: A linha Caixa Múltipla Esgoto completa a solução

Leia mais

POLICARBONATO COMPACTO

POLICARBONATO COMPACTO POLICARBONATO COMPACTO Chapa em policarbonato compacto, com tratamento em um dos lados contra o ataque dos raios ultravioleta (garantia de 10 anos contra amarelamento). Por sua alta transparência, a chapa

Leia mais

INDICE 1. CAPA 1. CAPA 2. PRODUTO 3. ARMAZENAMENTO 4. ASSENTAMENTO 5. REJUNTAMENTO 6. LIMPEZA

INDICE 1. CAPA 1. CAPA 2. PRODUTO 3. ARMAZENAMENTO 4. ASSENTAMENTO 5. REJUNTAMENTO 6. LIMPEZA INDICE 1. CAPA 2. PRODUTO 3. ARMAZENAMENTO 4. ASSENTAMENTO 5. REJUNTAMENTO 6. LIMPEZA 7. PROTEÇÃO 8. DECK 9. COTTO 10. EKKO 11. REVESTIMENTOS 12. ENTREGA E SAC 1. CAPA PARABÉNS! Você adquiriu um produto

Leia mais

CAPÍTULO XX APLICAÇÃO DE TINTAS E VERNIZES SOBRE MADEIRAS

CAPÍTULO XX APLICAÇÃO DE TINTAS E VERNIZES SOBRE MADEIRAS CAPÍTULO XX APLICAÇÃO DE TINTAS E VERNIZES SOBRE MADEIRAS 20.1 INTRODUÇÃO A madeira, devido à sua natureza, é um material muito sujeito a ataques de agentes exteriores, o que a torna pouco durável. Os

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO do piso maciço estruturado de madeira

MANUAL DE INSTALAÇÃO do piso maciço estruturado de madeira MANUAL DE INSTALAÇÃO do piso maciço estruturado de madeira Produto O piso maciço estruturado de madeira SCANDIAN WOOD FLOORS é produzido com a mais moderna tecnologia, fabricado para atender os mais altos

Leia mais

Cerâmica técnica extrudada. Linha KerArt

Cerâmica técnica extrudada. Linha KerArt Cerâmica técnica extrudada Linha KerArt Pisos extrudados NBK HunterDouglas : Tecnologia para máxima resistência e desempenho. A linha KerArt NBK HunterDouglas destaca-se no mercado de pisos cerâmicos extrudados

Leia mais

A cobertura pode ser feita com telhas que podem ser metálicas, de barro ou ainda telhas asfálticas tipo shingle.

A cobertura pode ser feita com telhas que podem ser metálicas, de barro ou ainda telhas asfálticas tipo shingle. CONCEITO Light (LSF estrutura em aço leve) é um sistema construtivo racional e industrial. Seus principais componentes são perfis de aço galvanizado dobrados a frio, utilizados para formar painéis estruturais

Leia mais

Telhas Térmicas Dânica

Telhas Térmicas Dânica Telhas Térmicas Dânica Sem dúvida, o melhor produto Dânica: sem dúvida, a melhor solução A telha térmica TermoRoof Dânica é o resultado da união entre resistência, versatilidade e conforto térmico. Leve

Leia mais

Fábricas de aço / alumínio; Tratamento de superfícies metálicas; Polimento de pedras; Peças aeronáuticas / automotivas; Acabamento em Madeira.

Fábricas de aço / alumínio; Tratamento de superfícies metálicas; Polimento de pedras; Peças aeronáuticas / automotivas; Acabamento em Madeira. ESCOVAS COM FILAMENTOS ABRASIVOS Principais Aplicações Fábricas de aço / alumínio; Tratamento de superfícies metálicas; Polimento de pedras; Peças aeronáuticas / automotivas; Acabamento em Madeira. Razões

Leia mais

Knauf Safeboard Sistemas de proteção radiológica 0% chumbo. 100% segurança.

Knauf Safeboard Sistemas de proteção radiológica 0% chumbo. 100% segurança. Knauf Safeboard Sistemas de proteção radiológica 0% chumbo. 100% segurança. Estabilidade, resistência a Raio X, facilidade de controle e manutenção, peso reduzido e características inovadoras. Descrição

Leia mais

O QUARTO ELEMENTO DA CONSTRUÇÃO

O QUARTO ELEMENTO DA CONSTRUÇÃO O QUARTO ELEMENTO DA CONSTRUÇÃO Porque Impermeabilizar? O que leva construtoras, construtores, proprietários de imóveis, etc... a procura de impermeabilizantes? De cada 10 pessoas que procuram produtos

Leia mais

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Tintas Soluções para Celulose & Papel

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Tintas Soluções para Celulose & Papel Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Tintas Soluções para Celulose & Papel Soluções para Celulose e Papel A WEG Tintas fornece tecnologia em tintas para diversos tipos de ambientes

Leia mais

CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES

CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES OBRA: ESTACIONAMENTOS DO COMPLEXO MULTIEVENTOS E CAMPUS DE JUAZEIRO CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES 1/5 PISOS EXTERNOS Pavimentação em Piso Intertravado de Concreto Conforme delimitado

Leia mais

MANUAL DE CONSERVAÇÃO DE MÓVEIS

MANUAL DE CONSERVAÇÃO DE MÓVEIS MANUAL DE CONSERVAÇÃO DE MÓVEIS CONSERVANDO SEU MÓVEL WORK SOLUTION Seguindo as recomendações abaixo você manterá a funcionalidade e beleza do seu produto Work Solution por muito mais tempo. Por favor

Leia mais

ADEQUAÇÃO DAS EDIFICAÇÕES E DO MOBILIÁRIO URBANO À PESSOA DEFICIENTE

ADEQUAÇÃO DAS EDIFICAÇÕES E DO MOBILIÁRIO URBANO À PESSOA DEFICIENTE Esta norma aplica-se atodas as edificações de uso público e/ou mobiliário urbano, tanto em condições temporárias como em condições permanentes. É sempre necessário consultar o REGULAMENTO DO CÓDIGO NACIONAL

Leia mais

Cerâmicas e porcelanatos

Cerâmicas e porcelanatos Aprenda a limpar cerâmica, porcelanato, laminado, vidro, madeira... De forma geral, pano umedecido e detergente neutro, aplicados depois de varrer a superfície, bastam à limpeza do chão. No caso de alérgicos,

Leia mais

Materiais de Construção AGREGADOS NA CONSTRUÇÃO CIVIL

Materiais de Construção AGREGADOS NA CONSTRUÇÃO CIVIL Materiais de Construção AGREGADOS NA CONSTRUÇÃO CIVIL Agregados para concreto Os agregados constituem um componente importante no concreto, contribuindo com cerca de 80% do peso e 20% do custo de concreto

Leia mais

Capa de uso de PVC pigmentado, cargas minerais, carbeto de silício e bacteriostático. Fibra de Vidro coberta com PVC pigmentado

Capa de uso de PVC pigmentado, cargas minerais, carbeto de silício e bacteriostático. Fibra de Vidro coberta com PVC pigmentado TOTALSAFE TOTALSAFE DEFINIÇÃO Totalsafe* é um revestimento vinílico para piso, em mantas, com propriedade antiderrapante, flexível, composto de resina de PVC, plastificante, estabilizante, bacteriostático,

Leia mais

Impermeabilizantes Sempre Novo+

Impermeabilizantes Sempre Novo+ Impermeabilizantes Sempre Novo+ Vidro Líquido. Nanotecnologia na palma da mão! Proteção, brilho, comodidade e beleza por muito mais tempo! Sempre Novo +metal Sem sujeiras. Sem manchas. Sem pés molhados.

Leia mais

MEMBRANAS DE POLIURETANO DE ALTO DESEMPENHO SISTEMA A BASE DE POLIURETANO PARA LAJES C/ TRANSITO DE PEDESTRE E TRANSITO DE VEÍCULOS

MEMBRANAS DE POLIURETANO DE ALTO DESEMPENHO SISTEMA A BASE DE POLIURETANO PARA LAJES C/ TRANSITO DE PEDESTRE E TRANSITO DE VEÍCULOS MEMBRANAS DE POLIURETANO DE ALTO DESEMPENHO SISTEMA A BASE DE POLIURETANO PARA LAJES C/ TRANSITO DE PEDESTRE E TRANSITO DE VEÍCULOS Angelo Derolle Filho SISTEMA VULKEM PRINCIPAIS VANTAGENS Sistema Impermeável

Leia mais

Revestimentos Especiais Tecnologia em revestimentos para a sua obra

Revestimentos Especiais Tecnologia em revestimentos para a sua obra Revestimentos Especiais Tecnologia em revestimentos para a sua obra Olá! É muito comum encontrar pessoas que pensem que a NS Brazil é apenas uma indústria de pisos monolíticos. Isso porque o termo revestimentos

Leia mais

CONSTRUÇÕES RURAIS: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO. Vandoir Holtz 1

CONSTRUÇÕES RURAIS: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO. Vandoir Holtz 1 Vandoir Holtz 1 ARGAMASSA Classificação das argamassas: Segundo o emprego: Argamassas para assentamento de alvenarias. Argamassas para revestimentos; Argamassas para pisos; Argamassas para injeções. DOSAGEM

Leia mais

Resistência à compressão Dureza Barcol 30 40

Resistência à compressão Dureza Barcol 30 40 PROTECTO GLASS 90 é uma série de revestimentos monolíticos termofixos, que têm sido utilizados intensamente nos Estados Unidos e Brasil como uma excelente alternativa técnica para recuperação de equipamentos

Leia mais

SOLUÇÕES FORTLEV PARA CUIDAR DA ÁGUA TANQUES

SOLUÇÕES FORTLEV PARA CUIDAR DA ÁGUA TANQUES SOLUÇÕES FORTLEV PARA CUIDAR DA ÁGUA TANQUES MUITO MAIS TECNOLOGIA E VERSATILIDADE PARA CUIDAR DA ÁGUA A FORTLEV é a maior empresa produtora de soluções para armazenamento de água do Brasil. Campeã em

Leia mais

KIT Nº 14 KIT Nº 2 0.905

KIT Nº 14 KIT Nº 2 0.905 KIT Nº 1 KIT Nº 2 01 Bandeja Grande Ref.0.2823 01 Rolo de Espuma Pop 23 cm Ref.0.13 com cabo Ref. 0.2072 01 Rolo de Espuma Pop 09 cm com cabo Ref. 0.1109. 01 Rolo de Espuma Pop 05 cm c/ cabo Ref. 0.1105

Leia mais

VERIFICAÇÃO DA RESISTÊNCIA DE UM CONCRETO DE CIMENTO PORTLAND DO TIPO CPII-Z-32 PREPARADO COM ADIÇÃO DE UM RESÍDUO CERÂMICO

VERIFICAÇÃO DA RESISTÊNCIA DE UM CONCRETO DE CIMENTO PORTLAND DO TIPO CPII-Z-32 PREPARADO COM ADIÇÃO DE UM RESÍDUO CERÂMICO VERIFICAÇÃO DA RESISTÊNCIA DE UM CONCRETO DE CIMENTO PORTLAND DO TIPO CPII-Z-32 PREPARADO COM ADIÇÃO DE UM RESÍDUO CERÂMICO Belarmino Barbosa Lira (1) Professor do Departamento de Engenharia Civil e Ambiental

Leia mais

FAQ - Frequently Asked Questions (Perguntas Frequentes)

FAQ - Frequently Asked Questions (Perguntas Frequentes) FAQ - Frequently Asked Questions (Perguntas Frequentes) 1- Qual tipo de aço da vigota e qual a sua norma? São produzidas com aço estrutura ZAR 345, com revestimento Z275, no qual segue as prescritivas

Leia mais

ALVENARIA: como reconhecer blocos de qualidade e ecoeficientes!

ALVENARIA: como reconhecer blocos de qualidade e ecoeficientes! ALVENARIA: como reconhecer blocos de qualidade e ecoeficientes! Bloco de concreto As paredes são montadas a partir de componentes de alvenaria - os blocos. Portanto, é imprescindível que eles obedeçam

Leia mais

Construção e montagem

Construção e montagem Construção e montagem Paredes com estrutura metálica W11 Construção A paredes consistem de uma estrutura metálica revestida com uma mais s de gesso, aparafusadas de ambos os lados. A estrutura metálica

Leia mais

CORROSÃO EM ESTRUTURAS DE CONCRETO. Prof. Ruy Alexandre Generoso

CORROSÃO EM ESTRUTURAS DE CONCRETO. Prof. Ruy Alexandre Generoso CORROSÃO EM ESTRUTURAS DE CONCRETO Prof. Ruy Alexandre Generoso É um dos materiais mais importantes de engenharia usado em construções. É usado nos mais variados tipos de construções tais como: barragens,

Leia mais