O Lucro Líquido do 1T12 foi de R$2,5 MM, superior em R$10,7 MM ao prejuízo do 1T11, de R$8,2 MM negativos.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O Lucro Líquido do 1T12 foi de R$2,5 MM, superior em R$10,7 MM ao prejuízo do 1T11, de R$8,2 MM negativos."

Transcrição

1 São Paulo, 14 de maio de A Unidas S.A. anuncia os seus resultados do primeiro trimestre de 2012 (). As informações financeiras são apresentadas em milhões de Reais, exceto quando indicado o contrário. DESTAQUES FINANCEIROS E OPERACIONAIS - O Lucro Líquido do foi de R$2,5 MM, superior em R$10,7 MM ao prejuízo do 1T11, de R$8,2 MM negativos. O EBITDA dos negócios de locação (RAC + TF + Franquias) no foi de R$52,3 MM, superior em 18,9% aos R$44,0 MM do 1T11. A Margem EBITDA dos negócios de locação no foi de 54,8%, 3,6 p.p. acima da margem do 1T11. A Receita Líquida proveniente do negócio de Terceirização de Frota apresentou um aumento de 9,2%, passando de R$49,0 MM no primeiro trimestre de 2011 para R$53,5 MM no mesmo período de A Receita Líquida do segmento de Aluguel de Carros (RAC - excluindo Franquias) no atingiu R$35,4 MM, 16,8% superior à Receita Líquida do 1T11, de R$30,3 MM. A Taxa de Ocupação dos veículos no segmento de Aluguel de Carros (excluindo Franquias) foi de 65,5% no, 2,2 p.p. acima do 1T11. A Unidas celebrou contrato para se tornar a Franqueada Master exclusiva da empresa norte-americana Enterprise Holdings, a fim de operar com as marcas Alamo Rent a Car e National Car Rental no Brasil, pelo período de 15 anos, renovável por mais 5 anos. No a Unidas abriu mais uma loja de Venda de Veículos e seis novas lojas de Aluguel de Carros, sendo quatro lojas próprias e duas lojas franqueadas. DADOS ECONÔMICOS - FINANCEIROS (R$ MM) 1T 12 1T 11 Var. Receita Líquida de Locação (RAC + TF + Franquias) 95,4 86,0 10,9% Receita Líquida Venda Veículos 74,5 77,7 (4,1)% EBITDA consolidado 41,9 44,2 (5,2)% Margem EBITDA consolidado 24,6% 27,0% (2,4) p.p. EBITDA Negócios Locação (RAC + TF + Franquias) 52,3 44,0 18,9% Margem EBITDA Negócios Locação 54,8% 51,2% 3,6 p.p. Lucro (Prejuízo) Líquido 2,5 (8,2) 130,5% Dívida Líquida 291,2 522,3 44,2% Dívida Líquida / EBITDA (últ. 12 meses) 1,8x 3,8x (2,0)x DADOS OPERACIONAIS 1T 12 1T 11 Var. Frota no Final Período ,0% Nº Colaboradores Próprios Final Período ,4% 1

2 1- SEGMENTO DE ALUGUEL DE CARROS (RAC) Nº Diárias - Aluguel de Carros - mil 3,9% Receita Líquida - Aluguel de Carros - R$ MM 16,8% 35,4 30,3 As receitas líquidas relacionadas ao segmento de Aluguel de Carros, excluindo Franquias, apresentaram um aumento de 16,8%, passando de R$30,3 MM (1T11) para R$35,4 MM no primeiro trimestre de Este aumento de receita no período é decorrente principalmente de dois fatores: do aumento do número de diárias em 3,9% e do aumento da tarifa média em 12,3%. Tarifa Média - Aluguel de Carros - R$ Taxa de Ocupação - Aluguel de Carros - % 85,1 91,0 87,2 12,3% 88,8 91,6 92,8 97,9 62,5% 64,2% 63,3% 2,2 p.p. 63,7% 65,7% 66,7% 65,5% 76,5 77,6 61,6% 62,3% 1T 10 2T 10 3T 10 4T 10 1T 11 2T 11 3T 11 4T 11 1T 12 1T 10 2T 10 3T 10 4T 10 1T 11 2T 11 3T 11 4T 11 1T 12 A Taxa de Ocupação dos veículos no segmento de Aluguel de Carros foi de 65,5% no, aumentando 2,2 pontos percentuais com relação ao, que registrou uma taxa de 63,3%. Esse resultado reflete a melhora sistemática na eficiência da utilização da frota operacional da Companhia. A Taxa de Ocupação é calculada através da divisão do número de veículos alugados pelo número de veículos disponíveis para locação no período. Os dados do segmento de Aluguel de Carros reportados nesse item não levam em consideração a operação realizada através da rede de franquias, assim como não consideram os veículos de substituição, que são alocados na Terceirização de Frota quando necessário. 2

3 2- SEGMENTO DE TERCEIRIZAÇÃO DE FROTA (TF) Frota Média Operacional - Terceirização de Frota - Nº carros 4,6% Receita Líquida - Terceirização de Frota - R$ MM 9,2% 53,5 49,0 As receitas líquidas provenientes do negócio de Terceirização de Frota apresentaram um aumento de 9,2%, passando de R$49,0 MM no primeiro trimestre de 2011 para R$53,5 MM no mesmo período de 2012, crescimento este decorrente principalmente do aumento da frota média operacional, em 4,6%, que passou de carros no 1T11 para no. A carteira de carros alugados, em 31 de março de 2012, era de veículos, sendo esta 3,8% maior do que os veículos alugados em 31 de março de SEGMENTO DE VENDA DE VEÍCULOS (SMV) Receita Líquida - Venda de Veículos - R$ MM 77,7 (4,1)% 74,5 No segmento de venda de veículos semi-novos (SMV), houve uma redução da receita de 4,1%, passando de R$77,7 MM no primeiro trimestre de 2011, para R$74,5 MM no mesmo período em No, foram vendidos carros, volume 10,2% superior aos carros vendidos no 1T11. A redução na receita verificada no comparativo entre os períodos deveu-se, basicamente, à queda do preço médio de venda, passando de R$23,5 mil no 1T11 para R$20,8 mil no, em função do ambiente de concessão de crédito mais restritivo, levando a um percentual maior das vendas no atacado comparativamente ao que vinha sendo habitual. Nos próximos trimestres o mix de vendas entre varejo e atacado deverá voltar aos parâmetros normais. 3

4 O mercado de venda de carros usados continua sendo impactado negativamente pelas condições adversas de crédito direto ao consumidor, que ficaram mais rígidas a partir do último trimestre do ano de Neste contexto, para os contratos de financiamento com prazos de 48 e 60 meses, que são muito utilizados pelo perfil de cliente da Companhia, as financeiras passaram a exigir uma entrada de 20 a 30% do valor do veículo financiado, dificultando a obtenção de financiamento pelos mesmos. Além disso, os bancos aumentaram o rigor na análise e aprovação de crédito após terem observado um aumento da inadimplência em suas carteiras. 4- FROTA DE FINAL DE PERÍODO No primeiro trimestre de 2012, a frota total atingiu veículos, o que representa um crescimento de 4,0% quando comparado ao primeiro trimestre de O Gráfico abaixo reforça a estratégia da Companhia de elevar a rentabilidade dos seus ativos, adotada a partir do primeiro semestre de Essa estratégia levou a uma redução gradual do número de veículos em 2010, pela não renovação de contratos de terceirização de baixa rentabilidade. Contudo, a partir do segundo trimestre de 2011 a Companhia voltou a expandir as suas operações, aproveitando o crescimento do mercado de locação de veículos, porém com um foco maior na rentabilidade dos seus contratos. O Investimento Líquido em frota no primeiro trimestre de 2012 foi negativo em R$1 MM, sendo R$25 MM menor do que o realizado no primeiro trimestre de 2011 (R$24 MM positivo). Frota no Final do Período - Nº de Carros Investimento Líquido - R$mil carros (4,0%) (1) T 10 2T 10 3T 10 4T 10 1T 11 2T 11 3T 11 4T 11 1T 12 Compra de Veículos (Inclui acessórios) Receita Venda de Veículos No primeiro trimestre de 2012, houve uma redução na Idade Média da frota nos dois segmentos, quando comparamos com o mesmo período de 2011, passando de 15,1 para 12,9 meses na Terceirização de Frota, e de 11,6 para 10,6 meses no Aluguel de Carros (excluindo Franquias), refletindo os investimentos realizados na renovação e expansão da frota da Companhia e tendo como impacto positivo a redução dos gastos com manutenção. Idade Média da Frota - meses 15,5 15,7 14,0 14,0 15,0 14,8 15,1 14,8 14,4 13,5 12,9 11,5 11,9 11,6 10,6 9,7 7,8 8,5 1T 10 2T 10 3T 10 4T 10 1T 11 2T 11 3T 11 4T 11 1T 12 Terceirização de Frota Aluguel de Carros 4

5 A depreciação dos carros é calculada pela diferença entre o preço de compra e o valor estimado de venda, deduzido das despesas comerciais. No, a depreciação anual média por carro se manteve em linha, quando comparamos o 1T11 (R$4.012) com o (R$4.010). Depreciação por carro - R$ / ano (0,1)% RECEITA LÍQUIDA CONSOLIDADA No, a Receita Líquida Consolidada da Companhia apresentou um aumento de 3,8% com relação ao mesmo período de 2011, passando de R$163,7 MM para R$169,9 MM. Receita Líquida Consolidada - R$ MM 169,9 3,8% 163,7 Conforme mencionado no quadro de Dados Econômicos e Financeiros, a Receita Líquida dos negócios de locação (RAC + TF + Franquias) no foi de R$95,4 MM, sendo 10,9% superior a Receita Líquida do 1T11, que foi de R$86,0 MM. O crescimento da Receita Liquida Consolidada foi impactado negativamente pela redução da Receita Líquida de Venda de Veículos, que reduziu 4,1% no, no comparativo com o mesmo período de

6 O indicador da Receita Líquida Consolidada dos negócios de Locação sobre o Ativo Médio Total cresceu 5,3 pontos percentuais no comparativo entre o 1T11 e o, atingindo 51,4%. Essa melhora reflete uma maior eficiência da utilização da frota, em alinhamento com a estratégia de foco na rentabilidade que a Companhia vem adotando ao longo dos últimos dois anos. Receita Líquida / Ativo Médio Total - Consolidado - % 43,5% 46,1% 5,3 p.p. 47,5% 48,6% 50,1% 51,4% 36,8% 37,2% 41,0% 1T 10 2T 10 3T 10 4T 10 1T 11 2T 11 3T 11 4T 11 1T 12 Esse indicador utiliza a Receita Liquida dos negócios de locação (RAC + TF + Franquias) anualizada, dividida sobre o Ativo Médio Total do trimestre. 6- CUSTOS E DESPESAS Os custos operacionais apresentaram um aumento de R$8,0 MM (6,3%) no comparativo entre o com o mesmo período de Esse aumento foi essencialmente devido ao incremento de 23,4% nos custos de pessoal, devido aos seguintes fatores: aumento médio dos salários de 7,6% por força do dissídio coletivo (a partir de maio de 2011), aumento de quadro decorrente da abertura das novas lojas de Aluguel de Carros, e o alargamento do horário de atendimento em lojas já existentes. Para fins de análise comparativa do Custo Operacional entre o e o 1T11, vale ressaltar que no 1T11 foi feita uma reclassificação contábil referente a veículos roubados e sinistrados que impactou positivamente em R$11,8 MM a conta Outras, e teve a sua contrapartida em Custo dos veículos vendidos, resultando num impacto nulo no Custo Total Operacional. Custos Operacionais (R$ milhões) 1T 12 1T 11 Var. Custo de pessoal (9,5) (7,7) (23,4)% Despesas de manutenção de veículos (8,1) (9,0) 10,0 % Depreciação e amortização (18,9) (18,8) (0,5)% Outras (21,8) (9,1) (139,6)% Subtotal Custos (58,3) (44,6) (30,7)% Custo dos veículos vendidos (76,3) (82,0) 7,0 % Custo Operacional Total (134,6) (126,6) (6,3)% % da Receita Líquida (79,2)% (77,3)% (1,9) p.p. As despesas operacionais totais cresceram R$0,7 MM (3,8%) no comparativo entre o com o 1T11. Como percentual da Receita Líquida Consolidada da Companhia, estas despesas se mantiveram em linha no comparativo entre os dois períodos. As despesas comerciais no apresentaram uma redução de 17,2%, decorrente principalmente do menor valor da provisão para créditos de liquidação duvidosa realizada neste período, como resultado do aumento da eficiência no processo de cobrança de valores vencidos há mais de 360 dias, quando comparado com a performance do 1T11. 6

7 Despesas Operacionais (R$ milhões) 1T 12 1T 11 Var. Despesas Comerciais (4,8) (5,8) 17,2 % Despesas Gerais e Administrativas (13,0) (11,5) (13,0)% Honorários da Administração (0,6) (0,6) 0,0 % Outras Despesas Operacionais (0,9) (0,7) (28,6)% Despesa Operacional Total (19,3) (18,6) (3,8)% % da Receita Líquida (11,3)% (11,4)% 0,1 p.p. As despesas gerais e administrativas aumentaram R$1,5 MM (13,0%), devido essencialmente ao aumento do custo com pessoal, em função do aumento salarial provocado pelo dissídio coletivo e do aumento de quadro de colaboradores em algumas áreas de suporte as áreas operacionais. 7- EBITDA O EBITDA consolidado no foi de R$41,9 MM, 5,2% inferior aos R$44,2 MM obtidos no 1T11. A margem EBITDA no foi de 24,6%, 2,4 p.p. abaixo da margem do 1T11. Esse resultado reflete o impacto negativo do resultado das operações do segmento de Venda de Veículos, em função do ambiente de concessão de crédito mais restritivo, que levou a um percentual maior das vendas no atacado comparativamente ao que vinha sendo habitual. Nos próximos trimestres o mix de vendas entre varejo e atacado deverá voltar aos parâmetros normais. EBITDA e Margem EBITDA - R$ MM (5,2%) 44,2 41,9 27,0% 24,6% 17,0% Entretanto, no a variação do EBITDA dos negócios de locação (RAC + TF + Franquias) foi positiva no comparativo com o mesmo período do ano anterior. No o EBITDA foi de R$52,3 MM, 18,9% superior aos R$44,0 MM obtidos no 1T11. A margem EBITDA no foi de 54,8%, 3,6 p.p. acima da margem do 1T11. No, o EBITDA do segmento de Terceirização de Frota foi de R$38,6 MM, 16,3% maior que o EBITDA do 1T11, de R$33,2 MM. No segmento de Aluguel de Carros (incluindo Franquias), o EBITDA do foi 26,9% superior ao EBITDA do 1T11, passando de R$10,8 MM para R$13,7 MM nos respectivos períodos. 7

8 A margem EBITDA do segmento de Terceirização de Frota cresceu 4,3 p.p. no, passando de 67,8% no 1T11 para 72,1% no. No segmento de Aluguel de Carros, a margem EBITDA aumentou em 3,5 p.p., passando de 29,2% no 1T11 para 32,7% no mesmo período de EBITDA por Negócio- R$ MM 10,8 44,0 18,9% 13,7 52,3 33,2 38,6 Terceirização de Frotas Aluguel de Carros Margem EBITDA por Negócio Var. Terceirização de Frota 67,8% 72,1% (4,3) p.p. Aluguel de Carros 29,2% 32,7% (3,5) p.p. Total Locação 51,2% 54,8% (3,6) p.p. Convém ressaltar que a Receita Líquida da Unidas é composta pela Receita Bruta deduzida dos cancelamentos e impostos incidentes diretamente sobre a mesma, e que os créditos de PIS e COFINS provenientes dos custos são contabilizados nas mesmas contas que os originaram. 8- EBIT O EBIT consolidado no foi de R$16,0 MM, 14,0% inferior aos R$18,6 MM obtidos no 1T11, devido ao impacto negativo do resultado do segmento de Venda de Veículos, em função do ambiente de concessão de crédito mais restritivo, que levou a um percentual maior das vendas no atacado comparativamente ao que vinha sendo habitual. Nos próximos trimestres o mix de vendas entre varejo e atacado deverá voltar aos parâmetros normais. EBIT - R$ MM 18,6 (14,0%) 16,0 8

9 Quando comparamos o EBIT dos negócios de locação (RAC + TF + Franquias) entre os primeiros trimestres dos anos de 2012 e 2011, observamos um crescimento de 44,0%, passando de R$18,4 MM no 1T11 para R$26,5 MM no. A margem EBIT no foi de 27,8%, 6,4 p.p. acima da margem do 1T11, que foi de 21,4%. No, o EBIT do segmento de Terceirização de Frota foi de R$23,3 MM, 34,7% maior que o EBIT do 1T11, que foi de R$17,3 MM. No segmento de Aluguel de Carros (incluindo Franquias), o EBIT do foi de R$3,2 MM, superior em R$2,1 MM ao EBIT do 1T11. A margem EBIT do segmento de Terceirização de Frota cresceu 8,2 p.p. no, passando de 35,3% no 1T11 para 43,5% no. No segmento de Aluguel de Carros, a margem EBIT aumentou em 4,6 p.p., passando de 3,0% no 1T11 para 7,6% no mesmo período de EBIT por Negócio- R$ MM 44,0% 26,5 18,4 3,2 1,1 17,3 23,3 Terceirização de Frotas Aluguel de Carros Margem EBIT por Negócio Var. Terceirização de Frota 35,3% 43,5% 8,2 p.p. Aluguel de Carros 3,0% 7,6% 4,6 p.p. Total Locação 21,4% 27,8% 6,4 p.p. Convém ressaltar que a Receita Líquida da Unidas é composta pela Receita Bruta deduzida dos cancelamentos e impostos incidentes diretamente sobre a mesma, e que os créditos de PIS e COFINS provenientes dos custos são contabilizados nas mesmas contas que os originaram. 9- RESULTADO FINANCEIRO Devido à reestruturação do endividamento da Companhia, visando o alongamento do seu perfil, a redução do custo financeiro e a desoneração das garantias concedidas para a obtenção dos empréstimos, as despesas financeiras líquidas apresentaram uma redução de R$13,5 MM no, em relação ao mesmo período do ano anterior. Isso deveu-se basicamente aos seguintes fatores: 1. Aumento das receitas financeiras em R$7,0 MM, passando de R$1,6 MM no 1T11 para R$8,6 MM no mesmo período de 2012, decorrente do aumento das disponibilidades de caixa da Companhia; 2. Redução de 23,0% nas despesas financeiras, passando de R$28,2 MM no 1T11 para R$21,7 MM no. Esta variação decorreu da redução das taxas de juro médias da dívida, bem como pela redução das taxas de juros da economia. 9

10 Resultado Financeiro (R$ milhões) 1T 12 1T 11 Var. Receitas financeiras 8,6 1,6 437,5% Despesas financeiras (21,7) (28,2) 23,0% Resultado Financeiro (13,1) (26,6) 50,8% Resultado Financeiro- R$ MM -13,1-26,6 50,8% 10- RESULTADO LÍQUIDO - CONSOLIDADO A Companhia auferiu no primeiro trimestre de 2012 um lucro líquido de R$2,5 MM, resultado este melhor em R$10,7 MM ao resultado negativo de (R$8,2 MM) do mesmo período do ano anterior. Demonstração do Resultado (R$ milhões) 1T 12 1T 11 Var. Receita Líquida 169,9 163,7 3,8% Custos operacionais (134,6) (126,6) -6,3% Lucro bruto 35,3 37,1 (4,9)% Despesas operacionais (19,3) (18,5) -4,1% Despesas fnanceiras, líquidas (13,1) (26,6) 50,8% Imposto de renda e contribuição social (0,4) (0,1) 284,6% Lucro líquido (prejuízo) do período 2,5 (8,2) 130,5% Lucro (Prejuízo) Líquido - R$ MM 2,5 130,5% (8,2) 10

11 O resultado positivo obtido no foi devido a melhor performance dos negócios de locação de veículos, que atenuaram o resultado negativo do segmento de Venda de Veículos, e pelo Resultado Financeiro positivo decorrente da reestruturação da dívida da Companhia. 11- DÍVIDA No final do, o endividamento bruto da Unidas, incluindo os encargos, atingiu R$601,5 MM, que, descontando os recursos classificados como Caixa e Equivalentes de Caixa, resultaram numa dívida líquida de R$291,2MM. COMPOSIÇÃO DA DÍVIDA EM 31/03/12 Instrumento Custo Médio Saldo em 31/03/12 (R$ MM) % 2ª EMISSÃO DEBÊNTURES CDI + 3,15% 510,1 84,8% CONTRATOS CAPITAL DE GIRO CDI + 2,95% 91,4 15,2% TOTAL DÍVIDA BRUTA 601,5 100,0% CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA TOTAL DÍVIDA LÍQUIDA -310,3 291,2 O aporte de R$300 MM ocorrido em 13 de julho de 2011, referente ao aumento de capital da Companhia pelo ingresso dos novos sócios, permitiu a desalavancagem de sua estrutura de capital. A Dívida Líquida caiu de R$522 MM em Mar/11 para R$291,2 MM em Mar/12, melhorando de 3,8 para 1,8 o indicador Dívida Líquida / EBITDA, de 1,9 para 0,5 o indicador Dívida Líquida / Patrimônio Líquido e de 0,7 para 0,4 a Dívida Líquida / Frota Total, conforme demonstrado abaixo: 522 3,8x 291 1,8x mar/11 Dívida Líquida (R$MM) mar/12 Dívida Líquida / EBITDA 1,5 1,6 1,7 Dívida Líquida / Patrimônio Líquido 2,0 1,9 1,8 1,4 vez 0,6 0,6 0,7 Dívida Líquida / Frota Total 0,7 0,7 0,7 0,3 vez 0,5 0,6 0,5 0,4 0,4 0,4 1T 10 2T 10 3T 10 4T 10 1T 11 2T 11 3T 11 4T 11 1T 12 1T 10 2T 10 3T 10 4T 10 1T 11 2T 11 3T 11 4T 11 1T 12 11

12 Como resultado do processo de reestruturação do seu endividamento, no, o custo médio da dívida da Unidas obteve uma redução de 322 pontos base, saindo de CDI+6,34% a.a. em 30 de junho de 2011 para CDI+3,12% a.a. em 31 de março de Esta redução do spread da dívida resultou na redução do seu custo financeiro. Custo Médio Anual da Dívida (Spread CDI +) (322) bps 6,34% 3,12% Jun/11 Mar/12 Em 31/03/2012, a Unidas possuía apenas 3,2% do principal da sua dívida vencendo em 2012, enquanto 96,8% está distribuído no longo prazo, no período de 2013 a 2016, conforme gráfico abaixo: Escalonamento Pagto Principal Dívida (%) 31,0% 25,3% 25,3% 15,2% 3,2% Em 31/03/2012, a Companhia possuía apenas 5% da sua frota alienada como garantia de financiamentos e também apenas 5% da dívida bruta total tinha veículos em garantia. % da Frota Onerada / Frota Total (31/03/12) Frota Onerada; 5% % da Dívida Garantida pela Frota (31/03/12) Garantida; 5% Frota Liberada; 95% Não Garantida; 95% 12

13 12- REDE DE ATENDIMENTO UNIDAS No, a Unidas abriu mais sete pontos de atendimento, passando de 121 pontos em 31/12/2011 para 128 ao final do. Foram abertas uma loja de Venda de Veículos e seis novas lojas de Aluguel de Carros, sendo quatro lojas próprias e duas lojas franqueadas. Região Brasil Segmento Nº Pontos Aluguel de Carros - Rede Própria 22 Sudeste Aluguel de Carros - Franquias 27 Venda de Veículos 8 Atend. Corporativo 16 Aluguel de Carros - Rede Própria 5 Sul Aluguel de Carros - Franquias 15 Venda de Veículos 1 Atend. Corporativo Aluguel de Carros - Rede Própria 9 Nordeste Aluguel de Carros - Franquias 7 Venda de Veículos Atend. Corporativo Aluguel de Carros - Rede Própria 3 Centro-Oeste Aluguel de Carros - Franquias 4 Venda de Veículos Atend. Corporativo Aluguel de Carros - Rede Própria Norte Aluguel de Carros - Franquias 11 Venda de Veículos Atend. Corporativo Total

14 13- PARCERIA UNIDAS X ENTREPRISE HOLDINGS A Unidas celebrou em 16/04/2012 um Contrato de Master Franquia com a empresa norte-americana Enterprise Holdings, a fim de operar com as marcas Alamo Rent a Car e National Car Rental no Brasil, pelo período de 15 anos, renovável por mais 5 anos. Com este acordo operacional, os clientes da Enterprise Holdings que viajarem ao Brasil serão atendidos pela rede de lojas da Unidas, por meio das bandeiras Alamo e National, e da mesma forma, os Clientes da Unidas que viajarem ao exterior serão servidos pelas redes da Alamo e da National no mundo todo. A parceria marca a entrada da Enterprise Holdings no mercado brasileiro, com o acesso às mais de 100 lojas Unidas, permitindo a expansão de suas atividades na América Latina. Fundada em 1957, a Enterprise é hoje a maior empresa de locação de veículos do mundo, possuindo uma rede de lojas, localizadas em regiões como EUA, Canadá, México, Caribe, América Latina, Reino Unido, Alemanha e Ásia. Com uma receita de US$14,1 bilhões e mais de 70 mil colaboradores é a 15ª maior companhia de capital fechado dos EUA e possui uma frota de 1,2 milhão de veículos. As lojas da Unidas serão adaptadas com a inclusão das marcas Alamo e National, conforme ilustração ao lado. Com esta parceira a Unidas passará a ser a locadora oficial dos clientes Alamo e National no Brasil, o que representa a possibilidade de reconhecimento internacional, ampliando a capacidade de atração do turista estrangeiro em suas viagens a lazer ou negócios, bem como de empresas que se relacionam com tais marcas. Atualmente as duas empresas estão no processo de integração das suas operações contempladas pelo contrato de Master Franquia, representada por atividades tais como: integração dos sistemas de reservas (Unidas, Alamo e National), adequação dos padrões das lojas e treinamento operacional das equipes. Ilustração dos balcões da Unidas em Aeroportos 14

15 14- DADOS OPERACIONAIS Dados Operacionais (não revisados pelos auditores independentes) 1T 12 1T 11 Var. Frota Média Operacional Terceirização de Frota ,6% Aluguel de Carros ,6% Franquias ,5% Total ,3% Frota Média Alugada Terceirização de Frota ,7% Aluguel de Carros ,2% Franquias ,6% Total ,2% Frota no Final do Período Terceirização de Frota ,4% Aluguel de Carros ,4% Franquias ,3% Total ,0% Idade Média da Frota em Operação (meses) Terceirização de Frota 12,9 15,2-15,1% Aluguel de Carros 10,6 11,6-8,8% Franquias 9,9 11,0-9,4% Frota Total 12,0 13,7-12,8% Número de Carros Comprados ,7% Preço Médio Carros Comprados (R$ mil) 26,0 27,9-6,8% Número de Carros Vendidos ,2% Preço Médio Carros Vendidos (R$ mil) 20,8 23,5-11,6% Idade Média dos Carros Vendidos (meses) 28,7 29,1-1,5% 15

16 CONTATOS GISOMAR MARINHO Diretor Financeiro e de Relações com Investidores HUMBERTO SOARES Gerente de Tesouraria e de Relações com Investidores Telefones: (11) / Website: AVISOS Esse material possui informações resumidas, sem intenção de serem completas. Maiores informações sobre a Unidas, suas atividades, situação econômico-financeira e riscos inerentes a sua atividade podem ser encontradas nas suas demonstrações financeiras e informações públicas. As informações não financeiras, as expectativas da administração quanto ao futuro da Companhia, os dados relativos à frota, idade média da frota, número de carros comprados, número de carros vendidos, frota onerada, número de diárias, taxa de ocupação, carteira de veículos (TF),tarifa média, depreciação média, despesas de reestruturação, EBIT, EBIT por negócio, EBITDA consolidado, EBITDA por negócio, margem EBITDA ajustado, Resultado Financeiro ajustado, Lucro (prejuízo) liquido ajustado, custo de transação diferido (dívidas liquidadas), penalidade pré-pagamento da dívida, índice de inadimplência, custo médio anual da dívida, escalonamento pagto principal dívida, número de colaboradores, dissídio coletivo, rede de atendimento Unidas, ativo médio total e Rating Corporativo Fitch Ratings não foram revisados pelos auditores independentes. As declarações e informações sobre o futuro não são garantias de. Elas envolvem riscos, incertezas e suposições porque se referem a eventos futuros, dependendo, portanto, de circunstâncias que poderão ocorrer ou não. Muitos dos fatores que irão determinar os valores e resultados futuros estão além da capacidade de controle ou previsão da Companhia. 16

17 ANEXO 1 RESULTADO GERENCIAL POR NEGÓCIO Resultado Terceirização de Frota (R$MM) 1T11 Receita Bruta de Terceirização de Frota 58,9 54,0 Impostos sobre a Receita (5,4) (5,0) Receita Liquida de Terceirização de Frota 53,5 49,0 Provisão para créditos de liquidação duvidosa 0,2 (0,8) Receita Liquida de PCLD 53,7 48,2 Custos Operacionais (24,3) (25,4) Lucro Bruto 29,4 22,8 Despesas Operacionais (5,9) (5,1) Depreciação e Amortização de Outros Imobilizados (0,2) (0,4) Lucro Operacional antes dos efeitos financeiros 23,3 17,3 EBITDA 38,6 33,1 Margem EBITDA 72,1% 67,6% Resultado Aluguel de Carros (RAC + FRANQUIAS) (R$MM) 1T11 Receita Bruta de Aluguel de Carros 46,1 40,8 Impostos sobre a Receita (4,2) (3,8) Receita Liquida de Aluguel de Carros 41,9 37,0 Provisão para créditos de liquidação duvidosa (0,6) (0,7) Receita Liquida de PCLD 41,3 36,3 Custos Operacionais (21,1) (21,1) Lucro Bruto 20,2 15,2 Despesas Operacionais (16,4) (13,5) Depreciação e Amortização de Outros Imobilizados (0,6) (0,6) Lucro Operacional antes dos efeitos financeiros 3,2 1,1 EBITDA 13,7 10,8 Margem EBITDA 32,7% 29,2% Resultado Venda de Veículos (R$MM) 1T11 Receita Venda Seminovos 74,7 78,0 Impostos sobre a Receita (0,2) (0,3) Receita Liquida de Venda de Veículos 74,5 77,7 Provisão para créditos de liquidação duvidosa (0,4) - Receita Liquida de PCLD 74,1 77,7 Custos Operacionais (77,7) (72,3) Lucro Bruto (3,6) 5,4 Despesas Operacionais (6,5) (4,9) Depreciação e Amortização de Outros Imobilizados (0,4) (0,3) Lucro Operacional antes dos efeitos financeiros (10,5) 0,2 EBITDA (10,4) 0,3 Margem EBITDA -14,0% 0,4% Resultado Consolidado (R$MM) 1T11 Receita Bruta 179,7 172,8 Impostos sobre a Receita (9,8) (9,1) Receita Liquida 169,9 163,7 Provisão para créditos de liquidação duvidosa (0,8) (1,5) Receita Liquida de PCLD 169,1 162,2 Custos Operacionais (123,1) (118,8) Lucro Bruto 46,0 43,4 Despesas Operacionais (28,8) (23,5) Depreciação e Amortização de Outros Imobilizados (1,2) (1,3) Lucro Operacional antes dos efeitos financeiros 16,0 18,6 EBITDA 41,9 44,2 Margem EBITDA 24,7% 27,0% 17

18 ANEXO 2 DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO CONSOLIDADO DO PERÍODO Resultado Consolidado (R$mil) 1T11 Receita Liquida Total Custos Operacionais ( ) ( ) Lucro bruto Despesas Comerciais (4.766) (5.788) Despesas Gerais e Administrativas (12.990) (11.452) Honorários da Administração (585) (645) Outras Despesas Operacionais (920) (657) Total Despesas Operacionais (19.261) (18.542) Lucro (Prejuízo) Operacional Receitas Financeiras Despesas Financeiras (21.690) (28.212) Resultado Financeiro Líquido (13.138) (26.640) Lucro antes dos Impostos (8.057) Impostos de Renda e Contribuição social (378) (104) Lucro antes das Participaões Minoritárias (8.161) Participações minoritárias - 1 Lucro (Prejuízo) Líquido do período (8.160) Reconciliação do EBITDA (R$mil) 1T11 Lucro Líquido (8.160) Depreciação e Amortização Amortização de ágio, líquida da Reversão da provisão Despesas Financeiras Liquidas Impostos de Renda e Contribuição social EBITDA

19 ANEXO 3 BALANÇO PATRIMONIAL ATIVO (R$ MM) 12/ /2012 CORRENTE Caixa e equivalentes de caixa Contas a receber Impostos e contribuições sociais a compensar 8 6 Despesas antecipadas 6 20 Outros créditos 2 3 NÃO CIRCULANTE Depósitos judiciais Bens do imobilizado não destinados a uso PERMANENTE Imobilizado Intangivel 4 4 TOTAL DO ATIVO PASSIVO (R$ MM) 11/ /2012 CORRENTE Fornecedores Financiamentos e empréstimos Debêntures Tributos a recolher 2 2 Salários e encargos a pagar 5 5 Outras contas a pagar 5 10 NÃO CIRCULANTE Financiamentos e empréstimos Debêntures Provisão para contingências PATRIMÔNIO LÍQUIDO Capital social Reserva de capital Prejuízos acumulados (243) (241) TOTAL DO PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO

20 ANEXO 4 DEMONSTRATIVO DO FLUXO DE CAIXA FLUXO DE CAIXA CONSOLIDADO (R$ MM) Mar/2012 Mar/2011 Caixa e equivalentes de caixa - Inicial Fluxo de caixa das atividades operacionais Lucro Líquido 3 (9) (+) Despesas não caixa Variações nos ativos (25) (14) Variações nos passivos 1 17 (=) Fluxo de caixa das atividades operacionais Fluxo de caixa dos investimentos Imobilizado (1) (28) Intangivel - - (=) Fluxo de caixa dos investimentos (1) (28) Fluxo de caixa dos financiamentos Empréstimos e financiamentos (31) 28 Aumento de capital - - (=) Fluxo de caixa dos financiamentos (31) 28 (=) Fluxo de caixa do trimestre (3) 42 Caixa e equivalentes de caixa - Final

O Lucro Líquido do 1T12 foi de R$2,5 MM, superior em R$10,7 MM ao prejuízo do 1T11, de R$8,2 MM negativos.

O Lucro Líquido do 1T12 foi de R$2,5 MM, superior em R$10,7 MM ao prejuízo do 1T11, de R$8,2 MM negativos. São Paulo, 13 de maio de 2013 - A Unidas S.A. ( Companhia ou Unidas ) anuncia os seus resultados do primeiro trimestre de 2012 (). As informações financeiras são apresentadas em milhões de Reais, exceto

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2015 - UNIDAS S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2015 - UNIDAS S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

Relatório da Administração 2012

Relatório da Administração 2012 1 PERFIL DA COMPANHIA DESTAQUES FINANCEIROS E OPERACIONAIS 4T11 A Unidas é uma Companhia especializada em soluções de locação de veículos, atuando nos segmentos de Terceirização de Frotas (TF) e Aluguel

Leia mais

Divulgação de resultados 3T13

Divulgação de resultados 3T13 Brasil Brokers divulga seus resultados do 3º Trimestre do ano de 2013 Rio de Janeiro, 13 de novembro de 2013. A Brasil Brokers Participações S.A. (BM&FBovespa: BBRK3) uma empresa com foco e atuação no

Leia mais

Divulgação de Resultados do 4T13 e 2013

Divulgação de Resultados do 4T13 e 2013 R$ milhões R$ milhões R$ milhões R$ milhões Divulgação de Resultados do 4T13 e 2013 As informações financeiras são apresentadas em milhões de Reais, exceto quando indicado o contrário e, a partir de 2011,

Leia mais

Informações Trimestrais Unidas S.A. e Empresas Controladas. 31 de março de 2014 e 2013

Informações Trimestrais Unidas S.A. e Empresas Controladas. 31 de março de 2014 e 2013 Informações Trimestrais Unidas S.A. e Empresas Controladas 31 de março de 2014 e 2013 Unidas S.A. e Empresas Controladas InformaçõesTrimestrais 31 de março de 2014 e 2013 Índice Comentário de desempenho

Leia mais

Apresentação Institucional. Novembro 2015

Apresentação Institucional. Novembro 2015 Apresentação Institucional Novembro 2015 Seção 1 Visão Geral da Unidas Visão Geral da Unidas 3ª maior empresa brasileira de aluguel de carros em frota total, com cobertura nacional em soluções para terceirização

Leia mais

Demonstrações Financeiras

Demonstrações Financeiras Demonstrações Financeiras 2014 Unidas S.A. e Empresas Controladas Demonstrações Financeiras 31 de dezembro de 2014 e 2013 Índice Relatório da Administração Comentário de desempenho Balanços patrimoniais

Leia mais

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A.

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A. Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo Passivo e patrimônio líquido Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 17.488 25.888 Fornecedores e outras obrigações 17.561 5.153 Contas a receber

Leia mais

Lucro Líquido de R$ 239 milhões no 1T15, crescimento de 34%; Margem EBITDA de 9,6%, com aumento de 0,7 p.p.

Lucro Líquido de R$ 239 milhões no 1T15, crescimento de 34%; Margem EBITDA de 9,6%, com aumento de 0,7 p.p. Lucro Líquido de R$ 239 milhões no 1T15, crescimento de 34%; Margem EBITDA de 9,6%, com aumento de 0,7 p.p. No 1T15, a receita líquida totalizou R$ 5,388 bilhões, estável em relação ao 1T14 excluindo-se

Leia mais

Resultados 1T07 10 de maio de 2007

Resultados 1T07 10 de maio de 2007 PUBLICIDADE CAIXA CRESCEU 102% BASE DE ASSINANTES BANDA LARGA CRESCEU 32% São Paulo, O UOL (BOVESPA: UOLL4) anuncia hoje os resultados do 1T07. As demonstrações financeiras da Companhia são elaboradas

Leia mais

Magazine Luiza S.A. Divulgação de Resultados do 4 o Trimestre de 2011

Magazine Luiza S.A. Divulgação de Resultados do 4 o Trimestre de 2011 Magazine Luiza S.A. Divulgação de Resultados do 4 o Trimestre de 2011 São Paulo, 22 de março de 2012 - Magazine Luiza S.A. (BM&FBOVESPA: MGLU3), uma das maiores redes varejistas com foco em bens duráveis

Leia mais

Brasil Brokers divulga seus resultados do 2º Trimestre de 2010

Brasil Brokers divulga seus resultados do 2º Trimestre de 2010 Brasil Brokers divulga seus resultados do 2º Trimestre de 2010 Rio de Janeiro, 16 de agosto de 2010. A Brasil Brokers Participações S.A. (BM&FBovespa: BBRK3) uma empresa com foco e atuação no mercado de

Leia mais

EBITDA cresce 10,8% no 3T15 e Margem EBITDA atinge 57,9%

EBITDA cresce 10,8% no 3T15 e Margem EBITDA atinge 57,9% Resultados 3T15 EBITDA cresce 10,8% no 3T15 e Margem EBITDA atinge 57,9% Belo Horizonte, 10 de novembro de 2015 - A Companhia de Locação das Américas (Locamerica) (BM&FBOVESPA: LCAM3) divulga seus resultados

Leia mais

Teleconferência de Resultados. 4T12 e 2012

Teleconferência de Resultados. 4T12 e 2012 Teleconferência de Resultados e 2012 28 de fevereiro de 2013 Aviso Legal Algumas das informações aqui contidas se baseiam nas hipóteses e perspectivas atuais da administração da Companhia que poderiam

Leia mais

Divulgação de Resultados 3T05

Divulgação de Resultados 3T05 Localiza Anuncia EBITDA de R$70,8 milhões no 3T05 Receita Líquida cresce 49,1% e EBITDA cresce 31,1% Belo Horizonte, 8 de novembro de 2005 - A Localiza Rent A Car S.A. (Bovespa: RENT3), a maior rede de

Leia mais

Embratel Participações S.A. (Embratel Participações ou Embrapar ) detém 99,0 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. ( Embratel ).

Embratel Participações S.A. (Embratel Participações ou Embrapar ) detém 99,0 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. ( Embratel ). Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 25 de Outubro de 2005. Embratel Participações S.A. (Embratel Participações ou Embrapar ) detém 99,0 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. ( Embratel ). (Os

Leia mais

Apresentação de Resultados 1T15

Apresentação de Resultados 1T15 Apresentação de Resultados 1T15 1 Destaques do Período Início da operação comercial de quatro parques do LEN A-3 2011 Início da operação comercial: 04 de março de 2015 Os outros 5 parques serão conectados

Leia mais

ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS.

ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS. ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS. I. BALANÇO ATIVO 111 Clientes: duplicatas a receber provenientes das vendas a prazo da empresa no curso de suas operações

Leia mais

Apresentação Unidas. Maio 2014

Apresentação Unidas. Maio 2014 Apresentação Unidas Maio 2014 Seção 1 Visão Geral da Unidas Visão Geral da Unidas 2ª maior empresa brasileira de aluguel de carros em frota total, com cobertura nacional em soluções para terceirização

Leia mais

Magazine Luiza S.A. Divulgação de Resultados do 1º Trimestre de 2013

Magazine Luiza S.A. Divulgação de Resultados do 1º Trimestre de 2013 . São Paulo, 13 de maio de 2013 - Magazine Luiza S.A. (BM&FBOVESPA: MGLU3), uma das maiores redes varejistas com foco em bens duráveis e com grande presença nas classes populares do Brasil, divulga seus

Leia mais

Earnings Release 1s14

Earnings Release 1s14 Earnings Release 1s14 1 Belo Horizonte, 26 de agosto de 2014 O Banco Bonsucesso S.A. ( Banco Bonsucesso, Bonsucesso ou Banco ), Banco múltiplo, de capital privado, com atuação em todo o território brasileiro

Leia mais

Destaques do Período. Crescimento de dois dígitos em Reservas Confirmadas e Embarcadas, EBITDA e Lucro Líquido Ajustado no 2T15

Destaques do Período. Crescimento de dois dígitos em Reservas Confirmadas e Embarcadas, EBITDA e Lucro Líquido Ajustado no 2T15 Santo André, 05 de Agosto de 2015: CVC Brasil Operadora e Agência de Viagens S.A. (BM&FBOVESPA: CVCB3), maior operadora de turismo das Américas, informa aos seus acionistas e demais participantes do mercado

Leia mais

Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011

Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011 Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011 RESULTADOS PRO FORMA NÃO AUDITADOS CONSOLIDADOS DA ABRIL EDUCAÇÃO As informações financeiras consolidadas pro forma não auditadas para 30

Leia mais

Brasil Brokers divulga seus resultados do 4º Trimestre de 2009

Brasil Brokers divulga seus resultados do 4º Trimestre de 2009 Brasil Brokers divulga seus resultados do 4º Trimestre de 2009 Rio de Janeiro, 10 de março de 2010. A Brasil Brokers Participações S.A. (Bovespa: BBRK3) uma empresa com foco e atuação no mercado de intermediação

Leia mais

Earnings Release 1T15

Earnings Release 1T15 Santo André, 05 de maio de 2015: A CVC Brasil Operadora e Agência de Viagens S.A. (BM&FBOVESPA: CVCB3), maior operadora de turismo das Américas, informa aos seus acionistas e demais participantes do mercado

Leia mais

Banco Santander (Brasil) S.A.

Banco Santander (Brasil) S.A. Banco Santander (Brasil) S.A. Resultados em BR GAAP 4T14 3 de Fevereiro de 2015 INFORMAÇÃO 2 Esta apresentação pode conter certas declarações prospectivas e informações relativas ao Banco Santander (Brasil)

Leia mais

Resultados 2005 Resultados 2005

Resultados 2005 Resultados 2005 Resultados 2005 Resultados 2005 Resultados 1T06 Bovespa: RSID3 NYSE (ADR): RSR2Y Receita Líquida alcança R$ 85,2 milhões VGV totaliza R$ 94,3 milhões Vendas contratadas crescem 63% São Paulo, 11 de maio

Leia mais

DESTAQUES NO PERÍODO. Dados Financeiros (R$ x 1.000)

DESTAQUES NO PERÍODO. Dados Financeiros (R$ x 1.000) Blumenau SC, 27 de julho de 2007 A Cremer S.A. (Bovespa: CREM3), distribuidora de produtos para a saúde e também líder na fabricação de produtos têxteis e adesivos cirúrgicos, anuncia hoje seus resultados

Leia mais

Lucro líquido atinge R$6,4 milhões no 1T15, crescimento de 28,6%

Lucro líquido atinge R$6,4 milhões no 1T15, crescimento de 28,6% Resultados 1T15 Lucro líquido atinge R$6,4 milhões no 1T15, crescimento de 28,6% Belo Horizonte, 6 de maio de 2015 - A Companhia de Locação das Américas (Locamerica) (BM&FBOVESPA: LCAM3) divulga seus resultados

Leia mais

Magazine Luiza S.A. Divulgação de Resultados do 2º Trimestre de 2013

Magazine Luiza S.A. Divulgação de Resultados do 2º Trimestre de 2013 . São Paulo, 06 de agosto de 2013 - Magazine Luiza S.A. (BM&FBOVESPA: MGLU3), uma das maiores redes varejistas com foco em bens duráveis e com grande presença nas classes populares do Brasil, divulga seus

Leia mais

Teleconferência de Resultados 1T14 8 de maio de 2014

Teleconferência de Resultados 1T14 8 de maio de 2014 Teleconferência de Resultados 8 de maio de 2014 Destaques do Expressivo crescimento em vendas mesmas lojas (25,4%) com rentabilidade Crescimento da receita líquida total: 28,5% versus 1T13 R$2,3 bilhões

Leia mais

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas)

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas) TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas) Para maiores informações, contatar: Daniel de Andrade Gomes TELEFÔNICA

Leia mais

Desempenho Econômico- Financeiro 1T15

Desempenho Econômico- Financeiro 1T15 Desempenho Econômico- Financeiro 1T15 Mensagem da Administração Senhores (as) Acionistas: Conforme mencionado no final do exercício de 2014, concluímos com pleno sucesso o processo que converteu em capital

Leia mais

Magazine Luiza S.A. Divulgação de Resultados do 3º Trimestre de 2013

Magazine Luiza S.A. Divulgação de Resultados do 3º Trimestre de 2013 . São Paulo, 31 de outubro de 2013 - Magazine Luiza S.A. (BM&FBOVESPA: MGLU3), uma das maiores redes varejistas com foco em bens duráveis e com grande presença nas classes populares do Brasil, divulga

Leia mais

Lucro líquido atinge R$7,0 milhões, crescimento de 41,7% versus o 1T14, com consistente e importante melhora nas margens operacionais

Lucro líquido atinge R$7,0 milhões, crescimento de 41,7% versus o 1T14, com consistente e importante melhora nas margens operacionais Resultados 2T14 e 1S14 Lucro líquido atinge R$7,0 milhões, crescimento de 41,7% versus o 1T14, com consistente e importante melhora nas margens operacionais Belo Horizonte, 5 de agosto de 2014 - A Companhia

Leia mais

RESULTADOS 2T15 Teleconferência 10 de agosto de 2015

RESULTADOS 2T15 Teleconferência 10 de agosto de 2015 RESULTADOS 2T15 Teleconferência 10 de agosto de 2015 AVISO Nesta apresentação nós fazemos declarações prospectivas que estão sujeitas a riscos e incertezas. Tais declarações têm como base crenças e suposições

Leia mais

COMENTÁRIOS DO DESEMPENHO NO 3º TRIMESTRE E 9 MESES DE 2002

COMENTÁRIOS DO DESEMPENHO NO 3º TRIMESTRE E 9 MESES DE 2002 COMENTÁRIOS DO DESEMPENHO NO 3º TRIMESTRE E 9 MESES DE 2002 Desempenho Em ambiente de queda da atividade na indústria automobilística, a Iochpe-Maxion apresentou um crescimento de 8,4% nas vendas no terceiro

Leia mais

A BM&FBOVESPA S.A. anuncia os resultados do primeiro trimestre de 2009. O lucro líquido atingiu R$ 227 milhões com lucro por ação de R$ 0,11.

A BM&FBOVESPA S.A. anuncia os resultados do primeiro trimestre de 2009. O lucro líquido atingiu R$ 227 milhões com lucro por ação de R$ 0,11. A BM&FBOVESPA S.A. anuncia os resultados do primeiro trimestre de 2009. O lucro líquido atingiu R$ 227 milhões com lucro por ação de R$ 0,11. O Lucro Líquido do 1T09 (sem ajustes) apresentou queda de 1,4%

Leia mais

Apresentação dos Resultados 2T06

Apresentação dos Resultados 2T06 Apresentação dos Resultados 2T06 Aviso Legal Esta apresentação contém considerações futuras referentes às perspectivas do negócio, estimativas de resultados operacionais e financeiros, e às perspectivas

Leia mais

Destaques Financeiros e Operacionais Consolidados

Destaques Financeiros e Operacionais Consolidados nte São Paulo, 7 de maio de 2010 A General Shopping Brasil S/A [BM&FBovespa: GSHP3], empresa com expressiva participação no mercado de shoppings centers do Brasil, anuncia hoje seus resultados do primeiro

Leia mais

Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A. Em 31 de dezembro de 2011 e 2010

Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A. Em 31 de dezembro de 2011 e 2010 54 RELATÓRIO ANUAL GERDAU 2011 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS RESUMIDAS Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A. Em 31 de dezembro de 2011 e 2010 GERDAU S.A. e empresas controladas BALANÇOS PATRIMONIAIS CONSOLIDADOS

Leia mais

Teleconferência Resultados 3T10

Teleconferência Resultados 3T10 Teleconferência Resultados 3T10 Sexta-feira, 5 de Novembro de 2010 Horário: 14:00 (horário de Brasília) 12:00 (horário US EDT) Tel: + 55 (11) 4688-6361 Código: LASA Replay: + 55 (11) 4688-6312 Código:

Leia mais

Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006.

Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006. Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006. São Paulo, 28 de fevereiro de 2007 - A Porto Seguro S.A. (Bovespa: PSSA3) anuncia seu resultado

Leia mais

Teleconferência de Resultados 2T15. 31 de julho de 2015. Magazine Luiza

Teleconferência de Resultados 2T15. 31 de julho de 2015. Magazine Luiza Teleconferência de Resultados 2T15 31 de julho de 2015 Magazine Luiza Destaques do 2T15 Vendas E-commerce Ganho consistente de participação de mercado Redução na receita líquida de 10,1% para R$2,1 bilhões

Leia mais

Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico

Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Crise não afeta lucratividade dos principais bancos no Brasil 1 Lucro dos maiores bancos privados

Leia mais

Teleconferência de Resultados 1T15. 8 de maio de 2015. Magazine Luiza

Teleconferência de Resultados 1T15. 8 de maio de 2015. Magazine Luiza Teleconferência de Resultados 8 de maio de 2015 Magazine Luiza Destaques do Vendas E-commerce Despesas Operacionais EBITDA Luizacred Lucro Líquido Ganhos de market share, principalmente em tecnologia Receita

Leia mais

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2015 (1T15 ) Resultados 1T15. www.lojasrenner.com.br/ri Página 0 de 9

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2015 (1T15 ) Resultados 1T15. www.lojasrenner.com.br/ri Página 0 de 9 Resultados 1T15 www.lojasrenner.com.br/ri Página 0 de 9 LOJAS RENNER S.A. Companhia constituída em 1965 e de capital aberto desde 1967. Capital totalmente pulverizado desde 2005, com 100% de free float,

Leia mais

Le Lis Blanc inicia o ano com crescimento de 32% nas receitas brutas, 18,5% nas vendas de lojas comparáveis e 26% em EBITDA ajustado 1

Le Lis Blanc inicia o ano com crescimento de 32% nas receitas brutas, 18,5% nas vendas de lojas comparáveis e 26% em EBITDA ajustado 1 Le Lis Blanc inicia o ano com crescimento de 32% nas receitas brutas, 18,5% nas vendas de lojas comparáveis e 26% em EBITDA ajustado 1 São Paulo, Brasil, 15 de maio de 2008 - A Le Lis Blanc Deux Comércio

Leia mais

Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta. Novembro de 2014

Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta. Novembro de 2014 Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta Novembro de 2014 OFERTA VOLUNTÁRIA DE PERMUTA DE AÇÕES No dia 30 de outubro realizamos o leilão da oferta voluntária. A adesão dos minoritários do Santander

Leia mais

Teleconferência de Resultados 2014 e 4T14. 27 de fevereiro de 2015. Magazine Luiza

Teleconferência de Resultados 2014 e 4T14. 27 de fevereiro de 2015. Magazine Luiza Teleconferência de Resultados 2014 e 4T14 27 de fevereiro de 2015 Magazine Luiza Destaques 2014 Vendas E-commerce Despesas Operacionais EBITDA Ajustado Luizacred Lucro Líquido Ajustado Crescimento da receita

Leia mais

Apresentação dos Resultados 3T06

Apresentação dos Resultados 3T06 Apresentação dos Resultados 3T06 Aviso Legal Esta apresentação contém considerações futuras referentes às perspectivas do negócio, estimativas de resultados operacionais e financeiros, e às perspectivas

Leia mais

LOJAS RENNER DIVULGA R$ 511,4 MILHÕES DE RECEITA LÍQUIDA TOTAL NO 3T08

LOJAS RENNER DIVULGA R$ 511,4 MILHÕES DE RECEITA LÍQUIDA TOTAL NO 3T08 LOJAS RENNER DIVULGA R$ 511,4 MILHÕES DE RECEITA LÍQUIDA TOTAL NO 3T08 Porto Alegre, 30 de outubro de 2008 LOJAS RENNER S.A. (Bovespa: LREN3), segunda maior rede de lojas de departamentos de vestuário

Leia mais

Prática - desenvolvimento de sistemas Av. Assis Brasil 1800/302 - Porto Alegre - RS - CEP:91010-001. Empresa: Plano referencial 4 - Seguradoras

Prática - desenvolvimento de sistemas Av. Assis Brasil 1800/302 - Porto Alegre - RS - CEP:91010-001. Empresa: Plano referencial 4 - Seguradoras 1 ATIVO 1.01 CIRCULANTE 1.01.01 DISPONÍVEL 1.01.01.01 Caixa 1.01.01.02 Valores em Trânsito 1.01.01.03 Bancos Conta Depósitos 1.01.01.04 Aplicações no Mercado Aberto 1.01.02 APLICAÇÕES 1.01.02.01 Títulos

Leia mais

Relações com Investidores

Relações com Investidores São Paulo, 14 de novembro de 2011 A Inbrands anuncia hoje os resultados do terceiro trimestre de 2011 (3T11). Bruno Medeiros CEO Relações com Investidores Arnaldo Faissol Mendes CFO e Diretor de RI Clarice

Leia mais

Reestruturação operacional reduz os custos e as despesas operacionais, proporcionando Ebitda de R$ 2,4 milhões.

Reestruturação operacional reduz os custos e as despesas operacionais, proporcionando Ebitda de R$ 2,4 milhões. Última Cotação em 30/09/2013 FBMC4 - R$ 43,90 por ação Total de Ações: 726.514 FBMC3: 265.160 FBMC4: 461.354 Valor de Mercado (30/09/2013): R$ 31.893,9 milhões US$ 14.431,7 milhões São Bernardo do Campo,

Leia mais

Resultados 1º Trimestre 2015 13.05. Rio de Janeiro, 13 de maio de 2015

Resultados 1º Trimestre 2015 13.05. Rio de Janeiro, 13 de maio de 2015 Resultados 1º Trimestre 2015 13.05 Rio de Janeiro, 13 de maio de 2015 RECEITA LÍQUIDA ATINGE R$ 68,5 MILHÕES NO 1T15, CRESCIMENTO DE 7,1% EM RELAÇÃO AO 1T14. EBITDA CONSOLIDADO ATINGE R$ 7,8 MILHÕES, QUEDA

Leia mais

CONFERENCE CALL DE APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS DO 2T09 - GLOBEX. Rio de Janeiro, 11 de setembro de 2009.

CONFERENCE CALL DE APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS DO 2T09 - GLOBEX. Rio de Janeiro, 11 de setembro de 2009. CONFERENCE CALL DE APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS DO 2T09 - GLOBEX Rio de Janeiro, 11 de setembro de 2009. 1 DRE PRO-FORMA Com objetivo de haver comparabilidade na análise de resultados, os comentários de

Leia mais

Unidas S.A. e Empresas Controladas CNPJ/MF nº 04.437.534/0001-30 ERRATA A Unidas S.A e Empresas controladas comunicam que foi publicado,

Unidas S.A. e Empresas Controladas CNPJ/MF nº 04.437.534/0001-30 ERRATA A Unidas S.A e Empresas controladas comunicam que foi publicado, Unidas S.A. e Empresas Controladas CNPJ/MF nº 04.437.534/00030 ERRATA A Unidas S.A e Empresas controladas comunicam que foi publicado, equivocadamente, no dia de março de 204, a Declaração dos es sobre

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T15

Divulgação de Resultados 1T15 São Paulo - SP, 06 de Maio de 2015. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private equity

Leia mais

Release de Resultado 3T08

Release de Resultado 3T08 PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$75,0 MILHÕES OU R$0,33 POR AÇÃO NO E R$211,6 MILHÕES OU R$0,92 POR AÇÃO NO 9M08. São Paulo, 7 de Novembro de 2008 Porto Seguro S.A. (BOVESPA: PSSA3), anuncia os

Leia mais

1.1.2.07.001 Empréstimos a empregados 1.1.2.07.002 Empréstimos a terceiros 1.1.2.08 Tributos a Compensar 1.1.2.08.001 IR Retido na Fonte a Compensar

1.1.2.07.001 Empréstimos a empregados 1.1.2.07.002 Empréstimos a terceiros 1.1.2.08 Tributos a Compensar 1.1.2.08.001 IR Retido na Fonte a Compensar A seguir um modelo de Plano de Contas que poderá ser utilizado por empresas comerciais, industriais e prestadoras de serviços, com as devidas adaptações: 1 Ativo 1.1 Ativo Circulante 1.1.1 Disponível 1.1.1.01

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T14

Divulgação de Resultados 1T14 Divulgação de Resultados 1T14 A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private-equity ( Fundos

Leia mais

Magazine Luiza S.A. (BM&FBOVESPA: MGLU3) Divulgação de Resultados do 3º Trimestre de 2014 (em IFRS)

Magazine Luiza S.A. (BM&FBOVESPA: MGLU3) Divulgação de Resultados do 3º Trimestre de 2014 (em IFRS) São Paulo, 30 de outubro de 2014 Magazine Luiza S.A. (BM&FBOVESPA: MGLU3) (em IFRS) Lucro líquido cresce 66% no 3T14 e totaliza R$42 milhões Vendas líquidas crescem 18% no trimestre EBITDA cresce 44%,

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e Fundo de Investimento Imobiliário Península Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes 2 3 Balanços patrimoniais em 31 de dezembro Ativo 2009 2008

Leia mais

LOJAS AMERICANAS Comentário de Desempenho 2º Trimestre de 2005

LOJAS AMERICANAS Comentário de Desempenho 2º Trimestre de 2005 LOJAS AMERICANAS Comentário de Desempenho 2º Trimestre de 25 Rio de Janeiro, 15 de agosto de 25 Lojas Americanas S.A. (BOVESPA: LAME3-ON;LAME4-PN), apresenta os resultados consolidados do 2 º trimestre

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - VIX LOGÍSTICA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - VIX LOGÍSTICA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

EARNINGS RELEASE 2T12 e 1S12

EARNINGS RELEASE 2T12 e 1S12 São Paulo, 15 de agosto de 2012 - A Inbrands S.A. ( Inbrands ou Companhia ), uma empresa de consolidação e gestão de marcas de lifestyle e moda premium do Brasil, anuncia hoje os resultados do segundo

Leia mais

Apresentação de Resultados 1T14

Apresentação de Resultados 1T14 Apresentação de Resultados 1T14 15 de Maio de 2014 Destaques do 1T14 O aluguel nas mesmas lojas (SSR) continuou a reportar crescimento de dois dígitos no 1T14, aumento de 10,1% comparado ao 1T13 As vendas

Leia mais

(Os números financeiros estão em Reais e baseados nas demonstrações financeiras consolidadas da Embrapar) EBITDA 464,6 354,2 527,7 13,6% 49,0%

(Os números financeiros estão em Reais e baseados nas demonstrações financeiras consolidadas da Embrapar) EBITDA 464,6 354,2 527,7 13,6% 49,0% Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 26 de abril de 2006 Embratel Participações S.A. (Embratel Participações ou Embrapar ) (NYSE:EMT;BOVESPA:EBTP4, EBTP3) detém 99,0 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações

Leia mais

LOCALIZA RENT A CAR S.A.

LOCALIZA RENT A CAR S.A. Informações Trimestrais 30 de setembro de 2013 Localiza LOCALIZA RENT A CAR S.A. CNPJ/MF 16.670.085/0001-55 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço

Leia mais

Suzano Papel e Celulose anuncia os resultados consolidados do 2º trimestre de 2006

Suzano Papel e Celulose anuncia os resultados consolidados do 2º trimestre de 2006 Suzano Papel e Celulose anuncia os resultados consolidados do 2º trimestre de 2006 Ebitda consolidado pro-forma com Ripasa atinge US$125 milhões São Paulo, 19 de julho de 2006. Suzano Papel e Celulose

Leia mais

Earnings Release 4T14

Earnings Release 4T14 Santo André, 05 de fevereiro de 2015: A CVC Brasil Operadora e Agência de Viagens S.A. (BM&FBOVESPA: CVCB3), maior operadora de turismo da América Latina, informa aos seus acionistas e demais participantes

Leia mais

Receita bruta de Serviços Logísticos recorde de R$ 3.659,8 (+19,0%) e EBITDA da JSL Consolidada de R$ 713,6 (+16,9%), cumprimento do guidance 2013

Receita bruta de Serviços Logísticos recorde de R$ 3.659,8 (+19,0%) e EBITDA da JSL Consolidada de R$ 713,6 (+16,9%), cumprimento do guidance 2013 Mogi das Cruzes, 25 de fevereiro de 2014 A JSL (BM&FBOVESPA: JSLG3 e ADR Nível 1: JSLGY), empresa com o mais amplo portfólio de serviços logísticos do Brasil e líder em seu segmento em termos de receita

Leia mais

4 trimestre de 2010. Sumário Executivo. Itaú Unibanco Holding S.A.

4 trimestre de 2010. Sumário Executivo. Itaú Unibanco Holding S.A. 4 trimestre de 2010 Sumário Executivo Apresentamos, abaixo, informações e indicadores financeiros do (Itaú Unibanco) do quarto trimestre de 2010 e do exercício findo em 31 de dezembro de 2010. (exceto

Leia mais

Relatório de Resultados 2T 2015

Relatório de Resultados 2T 2015 MMX - Resultados Referentes ao 2º trimestre de 2015 Rio de Janeiro, 14 de agosto de 2015 A MMX Mineração e Metálicos S.A. ( Companhia ou MMX ) (Bovespa: MMXM3) anuncia seus resultados referentes ao 2º

Leia mais

Apresentação de Resultados

Apresentação de Resultados Apresentação 3T08 Apresentação de Resultados José Carlos Aguilera (Diretor Presidente e de RI) Eduardo de Come (Diretor Financeiro) Marcos Leite (Gerente de RI) Destaques do Período Contexto de crise no

Leia mais

1T05. Celesc apresenta lucro líquido de R$ 23 milhões no 1 o trimestre de 2005. Resultado do 1 o trimestre de 2005. Principais Destaques

1T05. Celesc apresenta lucro líquido de R$ 23 milhões no 1 o trimestre de 2005. Resultado do 1 o trimestre de 2005. Principais Destaques Celesc apresenta lucro líquido de R$ 23 milhões no 1 o trimestre de 2005 Divulgação Imediata Cot. da Ação PNB CLSC6) em 31/03/05: R$ 0,90/ação Valoriz. No 1T05: -16% Valor de Mercado R$ : 694 milhões US$

Leia mais

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO QUARTO TRIMESTRE DE 2013 (4T13 ) LOJAS RENNER S.A.

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO QUARTO TRIMESTRE DE 2013 (4T13 ) LOJAS RENNER S.A. LOJAS RENNER S.A. Companhia constituída em 1965 e de capital aberto desde 1967. Capital totalmente pulverizado desde 2005, com 100% de free float, sendo considerada a primeira corporação brasileira. Negociada

Leia mais

Abril Educação S.A. Informações Pro Forma em 31 de dezembro de 2011

Abril Educação S.A. Informações Pro Forma em 31 de dezembro de 2011 Informações Pro Forma em 31 de dezembro de 2011 RESULTADOS PRO FORMA NÃO AUDITADOS CONSOLIDADOS DA ABRIL EDUCAÇÃO As informações financeiras consolidadas pro forma não auditadas para 31 de dezembro de

Leia mais

GERDAU S.A. Informações consolidadas 1T09 07/05/09

GERDAU S.A. Informações consolidadas 1T09 07/05/09 Visão Ser uma empresa siderúrgica global, entre as mais rentáveis do setor. Missão A Gerdau é uma empresa com foco em siderurgia, que busca satisfazer as necessidades dos clientes e criar valor para os

Leia mais

Banrisul Armazéns Gerais S.A.

Banrisul Armazéns Gerais S.A. Balanços patrimoniais 1 de dezembro de 2012 e 2011 Nota Nota explicativa 1/12/12 1/12/11 explicativa 1/12/12 1/12/11 Ativo Passivo Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 4 17.891 18.884 Contas

Leia mais

Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$ 44,2 milhões no 4T04 Crescimento de 22% dos Prêmios Auferidos em 2004

Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$ 44,2 milhões no 4T04 Crescimento de 22% dos Prêmios Auferidos em 2004 Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$ 44,2 milhões no 4T04 Crescimento de 22% dos Prêmios Auferidos em 2004 São Paulo, 25 de fevereiro de 2005 - A Porto Seguro S.A. (Bovespa: PSSA3) anuncia hoje seus

Leia mais

RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2013(1T13)

RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2013(1T13) LOJAS RENNER S.A. Companhia constituída em 1965 e de capital aberto desde 1967. Capital totalmente pulverizado desde 2005, com 100% de free float, sendo considerada a primeira corporação brasileira. Negociada

Leia mais

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005 Americana SP, 23 de março de 2005 A VIVAX S.A. (Bovespa: VVAX11), ou Companhia, segunda maior operadora de TV a Cabo do Brasil, em número de assinantes, e uma das principais

Leia mais

2ª edição Ampliada e Revisada. Capítulo 10 Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos

2ª edição Ampliada e Revisada. Capítulo 10 Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos 2ª edição Ampliada e Revisada Capítulo Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos Tópicos do Estudo Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos (Doar). Uma primeira tentativa de estruturar

Leia mais

Teleconferência de Resultados 3T15. 10 de novembro de 2015. Magazine Luiza

Teleconferência de Resultados 3T15. 10 de novembro de 2015. Magazine Luiza Teleconferência de Resultados 3T15 10 de novembro de 2015 Magazine Luiza Destaques do 3T15 Vendas E-commerce Ganho de participação de mercado com aumento da margem bruta Receita bruta consolidada de R$2,4

Leia mais

COMENTÁRIO DE DESEMPENHO

COMENTÁRIO DE DESEMPENHO 1. DESTAQUES O ano de 2016 começou com o cenário macroeconômico muito parecido de 2015, uma vez que o mercado continua com tendências negativas em relação a PIB, inflação e taxa de juros. Novamente a Ouro

Leia mais

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 1º TRIMESTRE DE 2010

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 1º TRIMESTRE DE 2010 DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 1º TRIMESTRE DE 2010 1. Mercado de Capitais Cotações: (14/05/2010) ALPA3 R$ 6,10 ALPA4 R$ 5,95 Valore de Mercado: R$ 2,1 bilhões 2. Teleconferência Data: 18/05/2010 às 16h00

Leia mais

Índice. e. Fontes de financiamento para capital de giro e para investimentos em ativos nãocirculantes

Índice. e. Fontes de financiamento para capital de giro e para investimentos em ativos nãocirculantes Formulário de Referência Item 10 Comentário dos Diretores Índice 10.1 Comentários dos diretores 01 a. Condições financeiras e patrimoniais gerais 01 b. Estrutura de capital e possibilidade de resgate de

Leia mais

UNIDAS S.A 2ª Emissão de Debêntures Simples

UNIDAS S.A 2ª Emissão de Debêntures Simples UNIDAS S.A 2ª Emissão de Debêntures Simples ÍNDICE CARACTERIZAÇÃO DA EMISSORA... 3 CARACTERÍSTICAS DAS DEBÊNTURES... 3 DESTINAÇÃO DE RECURSOS... 5 ASSEMBLEIA DE DEBENTURISTAS... 6 POSIÇÃO DAS DEBÊNTURES...

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA CAPÍTULO 33 Este Capítulo é parte integrante do Livro Contabilidade Básica - Finalmente Você Vai Entender a Contabilidade. 33.1 CONCEITOS A demonstração dos fluxos de caixa evidencia as modificações ocorridas

Leia mais

Especial Lucro dos Bancos

Especial Lucro dos Bancos Boletim Econômico Edição nº 90 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Especial Lucro dos Bancos 1 Tabela dos Lucros em 2014 Ano Banco Período Lucro 2 0 1 4 Itaú Unibanco

Leia mais

DESTAQUES DO PERÍODO (2T11)

DESTAQUES DO PERÍODO (2T11) QUALICORP REGISTRA CRESCIMENTO DO TRIMESTRE NO NÚMERO DE BENEFICIÁRIOS DE 18,5%, RECEITA LÍQUIDA DE 43,9%, EBITDA AJUSTADO DE 36,6% EM RELAÇÃO AO 2T10 1 São Paulo, 12 de agosto de 2011. A QUALICORP S.A.

Leia mais

BERJ PUBLICA BALANÇO DE 2007 AUDITADO (25/08/2008)

BERJ PUBLICA BALANÇO DE 2007 AUDITADO (25/08/2008) BERJ PUBLICA BALANÇO DE 2007 AUDITADO (25/08/2008) As Demonstrações Financeiras de 2007 do Berj foram publicadas no dia 22 de agosto de 2008, após serem auditadas PricewatershouseCoopers Auditores Independentes.

Leia mais

Demonstrações Financeiras UPCON SPE 17 Empreendimentos Imobiliários S.A.

Demonstrações Financeiras UPCON SPE 17 Empreendimentos Imobiliários S.A. Demonstrações Financeiras UPCON SPE 17 Empreendimentos Imobiliários S.A. 31 de dezembro de 2014 com o relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras Índice Relatório dos auditores independentes

Leia mais

Vamos, então, à nossa aula de hoje! Demonstração de Fluxo de Caixa (2.ª parte) Método Indireto

Vamos, então, à nossa aula de hoje! Demonstração de Fluxo de Caixa (2.ª parte) Método Indireto Olá, pessoal! Aqui estou eu de novo, para continuar o assunto da aula passada: Fluxo de Caixa e Demonstração do Fluxo de Caixa. Assunto da maior importância, que está sendo cobrado nos atuais concursos

Leia mais

Divulgação de Resultados 2014

Divulgação de Resultados 2014 São Paulo - SP, 10 de Fevereiro de 2015. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private-equity

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - CIA CAT. DE ÁGUAS E SANEAMENTO - CASAN Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - CIA CAT. DE ÁGUAS E SANEAMENTO - CASAN Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Fluxo de Caixa 6 Demonstração das Mutações

Leia mais

Hering inicia o ano com crescimento de 41% do EBITDA e salto de 35% em vendas

Hering inicia o ano com crescimento de 41% do EBITDA e salto de 35% em vendas Blumenau, 07 de maio de 2008 Cia. Hering (Bovespa: HGTX3), uma das maiores empresas de varejo e design de vestuário do Brasil, divulga os resultados do 1º trimestre de 2008 (1T08). As informações operacionais

Leia mais