Atendimento CREA-RO. Plano de Desenvolvimento de Software. Histórico das Reuniões do Grupo

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Atendimento CREA-RO. Plano de Desenvolvimento de Software. Histórico das Reuniões do Grupo"

Transcrição

1 Plano de Desenvolvimento de Software Histórico das Reuniões do Grupo Data Descrição Integrantes O que foi deliberado. 1

2 Índice Analítico 1. Introdução Finalidade Escopo Visão geral 3 2. Visão Geral do Projeto Finalidade, Escopo e Objetivos do Projeto Restrições Produtos Liberados do Projeto Evolução do Plano de Desenvolvimento de Software 4 3. Organização do Projeto Estrutura Organizacional Papéis e Responsabilidades 5 4. Processo de Gerenciamento Estimativas do Projeto Plano de Projeto Recursos do projeto Programação do projeto Erro! Indicador não definido. 4.5 Monitoramento e controle do projetoerro! Indicador não definido. 5. Referências e Dúvidas 12 2

3 1. Introdução No plano de projeto, apresentamos a descrição do SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE FILAS E ATENDIMENTO DO CREA-RO que visa informatizar ao máximo as operações que ocorrem diariamente na organização da ordem de atendimento conforme os termos da Lei Federal de 2000 e Lei Municipal de 2005, e computo das atividades produção da Seção de Atendimento ao Público que ainda são controladas manualmente. 1.1 Propósito O Plano do Projeto tem como objetivo explicitar a maneira de como será dada a condução do desenvolvimento do software. Nesse documento, serão expostos fatores levados em conta no planejamento, como recursos de hardware e software, gerenciamento do pessoal da equipe, divisão de horário de trabalho, assim também como vamos modular o desenvolvimento das aplicações que juntas comporão o sistema como um todo e uma estimativa do nosso cronograma, podendo este ser alterado. Enfim, o Plano de Desenvolvimento de Software é utilizado para controlar o projeto. O Plano de Desenvolvimento de Software é usado por: 1.2 Escopo O gerente de projeto utiliza-o para acompanhar o andamento do projeto em relação ao cronograma. O analista de projeto é o responsável por fazer os casos de uso e de teste. Além disso, após a implementação do código o analista deverá executar os testes. Os desenvolvedores são responsáveis pela implementação dos casos de uso e otimização das funcionalidades. Este Plano de Desenvolvimento de Software descreve o plano geral a ser usado pelo projeto, incluindo a implantação do produto. A equipe usará o conteúdo deste documento ao máximo para elaborar um projeto fiel às descrições que serão listadas no decorrer, pois, mantendo essa fidelidade, as chances de sucesso do desenvolvimento aumentarão. 1.5 Visão Geral Este Plano de Desenvolvimento de Software contém as seguintes informações: Visão Geral do Projeto apresenta uma descrição da finalidade, do escopo e dos objetivos do projeto. Também define os produtos que se espera que o projeto libere. Organização do Projeto e definição de recursos descreve a estrutura organizacional da equipe do projeto, definido o recurso pessoal e recursos de hardware e software utilizados no desenvolvimento. Processo de Gerenciamento explica o custo estimado e o cronograma, define os principais marcos e fases do projeto e descreve como o projeto será monitorado. Listas de Riscos descreve alguns riscos que estão na previsão do projeto e algumas alternativas a minimizar esses riscos. Planos e Diretrizes Aplicáveis apresentam uma visão geral do processo de desenvolvimento do software, abrangendo métodos, ferramentas e técnicas a serem seguidos. 3

4 2. Visão Geral do Projeto 2.1 Finalidade, Escopo e Objetivos do Projeto O projeto do Sistema de Gerenciamento de Filas e Atendimento do Crea-Ro tem a finalidade de estudar estatisticamente tempos, movimentos e produção do Atendimento do Crea-Ro. Para isso necessita-se informatizar a emissão de tickets, a chamada do cliente e o computo de atividades de interesse de estudo. Espera-se que o projeto resulte em um aplicativo em 2 níveis: Atendente, Gerente dos Atendentes. Cada aplicativo satisfaz as operações exclusivamente no seu nível. O Gerente de Atendimento deve ter as mesmas operações dos Atendentes, além de algumas funcionalidades adicionais. Cada um desses personagens tem acesso às informações que lhes são relevantes. Para conseguir essa independência, mas com coesão de informação, os aplicativos desfrutarão de uma mesma base de dados. 2.2 Restrições O projeto tem as seguintes restrições: Há integrantes na equipe que possuem pouca experiência em gerenciamento de banco de dados; Prazo: O programa deverá ser entregue até o dia XX/XX/2010, impreterivelmente, sem a possibilidade de negociação de prazo com o cliente; A equipe terá 3 membros. Ainda há a possibilidade de entrada de mais um integrante. Contudo, de forma a minimizar os custos de uma entrada de mais uma pessoa, ela deverá juntar-se ao grupo no máximo até o dia XX/XX/200X, quando começaremos a implementação do projeto. 2.3 Produtos Liberados do Projeto Os produtos liberados em cada fase do projeto estão identificados no Caso de Desenvolvimento. Numa determinada fase, o artefato criado (com sua devida documentação) será disponibilizado no site do projeto. 2.4 Evolução do Plano de Desenvolvimento de Software O Plano de Desenvolvimento de Software será revisado antes do início de cada fase do projeto com o intuito de garantir com rigor a fidelidade do projeto ao plano. Além disso, o plano poderá sofrer atualizações com a finalidade de assegurar que as fases seguintes mantenham a coesão desejada. 4

5 3. Organização do Projeto 3.1 Estrutura Organizacional A equipe de desenvolvimento é composta por cinco componentes que está dividida em: Um gerente de projeto Um analista Um desenvolvedor Essa divisão na estrutura da equipe é flexível, uma vez que 2 dos integrantes têm praticamente a mesma experiência e capacidade de desenvolver as soluções propostas. O gerente do projeto será o responsável pela representação da equipe, monitoramento dos prazos, atribuição das tarefas definidas pelo analista, controle de riscos e solução dos problemas que venham a ocorrer durante o projeto. O analista será responsável por toda a arquitetura e documentação do sistema. Além disso, poderá assumir as responsabilidades do gerente em caso de falta ou afastamento temporário. Os dois desenvolvedores serão responsáveis por toda a codificação do sistema, além da construção e manutenção do website do projeto. 3.2 Papéis e Responsabilidades Componente da equipe Ricardo Jacarandá Função Gerente do projeto Responsável pela elaboração e cumprimento do Cronograma Responsável pelo estudo da viabilidade Responsável pelo levantamento e gerenciamento de riscos Responsável pela atribuição de tarefas Responsável pelas reuniões Representante do grupo para quaisquer questões externas Álvaro Magalhães Analista do projeto Responsável pela elaboração e revisão da documentação Responsável pela modelagem Responsável pela execução dos testes dos requisitos George Marcio Tico Silva Responsável pela elaboração/manutenção do website Responsável pela codificação Responsável pelos testes dos códigos desenvolvidos 5

6 4. Processo de Gerenciamento Estimativas do Projeto quanto ao tempo e custo Até o dia XX/XX/200X será feito o estudo de viabilidade de projeto, a home page e o início da elicitação de requisitos. Dessa forma, estima-se que o projeto comece a ser desenvolvido em XX/XX/200X e termine em XX/XX/200X, não podendo ser alterada a data de término. Plano de Projeto Na reunião feita em XX/XX/200X, ficou decidido que cada integrante alocará 08 horas semanais para o projeto. Essa quantidade de horas semanais poderá ser alterada a qualquer momento, desde que haja solicitação do gerente em exercício. As reuniões serão feitas sempre nas terças-feiras às 18h. Para desenvolver o sistema, usaremos prioritariamente os computadores Departamento de Informática do CREA-RO, pois possuem todos os recursos de software necessários com suas devidas licenças e a estrutura permite com que trabalhemos todos juntos, facilitando a comunicação. Recursos do Projeto Abaixo estão listados os recursos de hardware e software a serem utilizados no projeto. Recursos de Hardware: Computadores do Departamento de Informática. Computadores pessoais de cada integrante. Recursos de Software: Zend Studio Utilizado para programar o projeto em Flex e PHP Microsoft Word 2003: elaboração e melhor leitura dos relatórios EZEstimate programa utilizado para o cálculo de estimativa de horas utilizadas para o projeto Adobe Flex Builder utilizado para programar os aplicativos de interação com o cliente MySQL gerenciamento do banco de dados Descrição da Necessidade Terminologia: Cliente: Profissional, Empresa ou Leigo que necessita dos serviços prestados pelo CREA-RO Atendente: Servidor do CREA-RO responsável pela prestação dos serviços de atendimento ao cliente 6

7 Gerente: Servidor responsável pelo monitoramento das atividades relacionadas com o Atendimento tendo os atendentes como subordinados. Rotina e interface com os usuários: 1) O cliente chega ao CREA-RO: informa se é Profissional, Empresa ou Leigo; informa se necessita atendimento prioritário; retira um ticket numerado, com data e hora, que indica a ordem do atendimento e aguarda a chamada no painel. Painel de chamada contém o ultimo ticket chamado. 2) Os atendentes contam com um botão no sistema que aciona a chamada do cliente no painel. Ao clicar no botão CHAMAR, o painel mostra o ticket que está sendo chamado e a qual mesa o cliente deve se dirigir. 3) Após a terceira chamada do mesmo ticket, o sistema entende que o cliente não compareceu e chama o próximo ticket. 4) Quando o cliente comparece, o atendente deve clicar em INICIAR o atendimento. A partir dessa ação, o sistema começa a registrar as atividades de interesse, até que o atendente clique em ENCAMINHAR ou CONCLUIR o atendimento. 5) Quando um atendimento é encaminhado, o atendente indica a quem o cliente deve se dirigir e aguardar chamada novamente no painel. 6) Ao clicar em CONCLUIR, o atendimento é encerrado e as atividades são salvas. A partir de então o atendente poderá chamar novo ticket. Os relatórios que deverão ser emitidos devem contemplar quantidades de atividades de interesse registradas por cada um dos atendentes. Para um estudo de tempos e movimentos, deverá disponibilizado, o tempo médio de cada atendimento, o tempo médio de espera dos clientes, o índice de agilidade de atendimento, a demanda de atendimento. Regra de negócio Atendendo à necessidade do item 1 da rotina acima descrita, é proposto que haja no inicio do processo um Toten (um computador de auto atendimento), com um software que interaja com o cliente. Na tela de boas vindas (inicial) o cliente deve informar com um click. Usuário: clica Profissional; digita carteira; marca a caixa de texto de atendimento prioritário (Lei Federal de 2000); clica em gerar ticket. Ação do software: preenche a tabela ticket com os registros: Número (autoincremento) Prioritário: S ou N, Identificação: Profissional, Empresa, Leigo; Carteira: 3392DRO; Hora em que o ticket foi gerado; cha_ticket: 0 indicando que o tícket ainda não foi atendido; imprime o ticket com os dados Bom dia SR. Alvaro Magalhães, O protocolo de seu atendimento é: hora: 15:32 Aguarde ser chamado no painel. Usuário: clica Empresa; digita carteira; marca a caixa de texto de atendimento prioritário (Lei Federal de 2000); clica em gerar ticket. Ação do software: preenche a tabela ticket com os registros: Número (autoincremento) Prioritário: S ou N, Identificação: Empresa: 99585EMRO; Hora em que o ticket foi gerado; cha_ticket: 0 indicando que o tícket ainda não foi atendido; imprime o ticket com os dados Bom dia, O protocolo de seu atendimento é: hora: 15:39 Aguarde ser chamado no painel. Usuário: clica Leigo; marca a caixa de texto de atendimento prioritário (Lei Federal de 2000); clica em gerar ticket. Ação do software: preenche a tabela ticket com os registros: Número (auto-incremento) Prioritário: S ou N, Identificação: Leigo; Hora em que o ticket foi gerado; cha_ticket: 0 indicando que o tícket ainda não foi atendido; imprime o ticket com os dados Bom dia, O protocolo de seu atendimento é: hora: 18:39 Aguarde ser chamado no painel. 7

8 Atendendo ao item 2 da rotina, há um software implementado nos microcomputadores de cada atendente. Usuário: clica em CHAMAR; Ação do software: Captura o Código do digitador, e qual guichê ele está atendendo; A proposta de fluxo e de tabelas se encontram nos anexos 1 e 2 Programação do Projeto Abaixo, a tabela de tarefas a serem realizadas de acordo com o cronograma. Vale salientar que devido a contratempos do curso, as datas dispostas podem ser alteradas. DATA ATÉ 31/05/2007 ATÉ 31/05/2007 ATÉ 14/06/2007 ATÉ 03/07/2007 ATÉ 19/07/2007 DE 19/07/2007 A 06/08/2007 ATIVIDADE CONSTRUÇÃO HOME PAGE PLANO DE PROJETO DOCUMENTO DE REQUISITOS DOCUMENTO DE ANÁLISE E PROJETO DOCUMENTO DE TESTES MODELAGEM E IMPLEMENTAÇÃO 8

ARCO - Associação Recreativa dos Correios. Sistema para Gerenciamento de Associações Recreativas Plano de Desenvolvimento de Software Versão <1.

ARCO - Associação Recreativa dos Correios. Sistema para Gerenciamento de Associações Recreativas Plano de Desenvolvimento de Software Versão <1. ARCO - Associação Recreativa dos Correios Sistema para Gerenciamento de Associações Recreativas Versão Histórico da Revisão Data Versão Descrição Autor Página

Leia mais

Estabelecer os procedimentos para o gerenciamento dos sistemas e demais aplicações informatizadas do TJAC.

Estabelecer os procedimentos para o gerenciamento dos sistemas e demais aplicações informatizadas do TJAC. Código: MAP-DITEC-001 Versão: 00 Data de Emissão: 01/01/2013 Elaborado por: Gerência de Sistemas Aprovado por: Diretoria de Tecnologia da Informação 1 OBJETIVO Estabelecer os procedimentos para o gerenciamento

Leia mais

Política Organizacional para Desenvolvimento de Software no CTIC

Política Organizacional para Desenvolvimento de Software no CTIC Política Organizacional para Desenvolvimento de Software no CTIC O CTIC/UFPA Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação da Universidade Federal do Pará define neste documento sua Política Organizacional

Leia mais

Princípios da Engenharia de Software aula 05 Gerenciamento de planejamento de projetos. Prof.: Franklin M. Correia

Princípios da Engenharia de Software aula 05 Gerenciamento de planejamento de projetos. Prof.: Franklin M. Correia 1 Princípios da Engenharia de Software aula 05 Gerenciamento de planejamento de projetos Prof.: Franklin M. Correia Na aula anterior... Metodologias ágeis Princípios do Manifesto ágil 12 itens do manifesto

Leia mais

SISTEMA PARA ABERTURA DE CHAMADOS TÉCNICOS GLPI ( GESTÃO LIVRE DE PARQUE DE INFORMÁTICA ) Manual do Usuário

SISTEMA PARA ABERTURA DE CHAMADOS TÉCNICOS GLPI ( GESTÃO LIVRE DE PARQUE DE INFORMÁTICA ) Manual do Usuário SISTEMA PARA ABERTURA DE CHAMADOS TÉCNICOS GLPI ( GESTÃO LIVRE DE PARQUE DE INFORMÁTICA ) Manual do Usuário 1 Apresentação... 3 1- Introdução... 4 2- Acessando GLPI:... 5 3- Abrindo chamado:... 6 3.1-

Leia mais

Processos de Desenvolvimento de Software

Processos de Desenvolvimento de Software Processos de Desenvolvimento de Software Gerenciamento de Projetos Mauro Lopes Carvalho Silva Professor EBTT DAI Departamento de Informática Campus Monte Castelo Instituto Federal de Educação Ciência e

Leia mais

Introdução a Computação

Introdução a Computação Introdução a Computação Aula 03 Profissões de TI Prof. MSc. Edilberto Silva edilms@yahoo.com http:// Papéis... Um papel é uma definição abstrata de um conjunto de atividades executadas e dos respectivos

Leia mais

PROJETO INVENTÁRIO DO PARQUE TECNOLÓGICO PMT (Outubro 2015)

PROJETO INVENTÁRIO DO PARQUE TECNOLÓGICO PMT (Outubro 2015) PROJETO INVENTÁRIO DO PARQUE TECNOLÓGICO PMT (Outubro 2015) PROJETO DE INVENTÁRIO TECNOLÓGICO (O QUE É?) Ao longo de anos de funcionamento, a PRODATER (como toda a PMT) adquiriu diversos equipamentos de

Leia mais

Plano de Projeto G Stock. G Stock. Plano de Projeto. Versão 1.0

Plano de Projeto G Stock. G Stock. Plano de Projeto. Versão 1.0 Plano de Projeto G Stock Plano de Projeto G Stock Versão 1.0 Histórico das Revisões Data Versão Descrição Autores 10/09/2010 1.0 Descrição inicial do plano de projeto Denyson José Ellís Carvalho Isadora

Leia mais

Processo de Abertura de Projetosescritorio. Bizagi Process Modeler

Processo de Abertura de Projetosescritorio. Bizagi Process Modeler Processo de Abertura de Projetosescritorio Bizagi Process Modeler Índice PROCESSO DE ABERTURA DE PROJETOS-ESCRITORIO...1 BIZAGI PROCESS MODELER...1 1 PROCESSO DE ABERTURA DE PROJETOS...5 1.1 PROCESSO

Leia mais

Gerenciamento de Projeto

Gerenciamento de Projeto UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS, LETRAS E CIÊNCIAS EXATAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DE COMPUTAÇÃO E ESTATÍSTICA Gerenciamento de Projeto Engenharia de Software 2o. Semestre/ 2005

Leia mais

TI Aplicada. Aula 02 Áreas e Profissionais de TI. Prof. MSc. Edilberto Silva prof.edilberto.silva@gmail.com http://www.edilms.eti.

TI Aplicada. Aula 02 Áreas e Profissionais de TI. Prof. MSc. Edilberto Silva prof.edilberto.silva@gmail.com http://www.edilms.eti. TI Aplicada Aula 02 Áreas e Profissionais de TI Prof. MSc. Edilberto Silva prof.edilberto.silva@gmail.com http:// Papéis... Um papel é uma definição abstrata de um conjunto de atividades executadas e dos

Leia mais

Guia de Referência 0800net

Guia de Referência 0800net Guia de Referência 0800net 1. Apresentação: Com o intuito de melhorar cada vez mais os serviços de atendimento, o Grupo GCI, disponibiliza a Central de Atendimento, através do endereço http://0800net.gci.com.br/.

Leia mais

Manual de acesso à área de cliente MEU SITE EXPRESSO

Manual de acesso à área de cliente MEU SITE EXPRESSO 1 Manual de acesso à área de cliente MEU SITE EXPRESSO Para a comodidade dos nossos clientes, criamos uma área exclusiva onde cada cliente com seu usuário e senha, pode efetuar o pagamento de sua mensalidade,

Leia mais

PROJETO DE FÁBRICA DE SOFTWARE

PROJETO DE FÁBRICA DE SOFTWARE FACULDADE SETE DE SETEMBRO FASETE Departamento de Sistemas de Informação PROJETO DE FÁBRICA DE SOFTWARE Denise Xavier Fortes Paulo Afonso BA Agosto/2015 Sumário 1. INTRODUÇÃO... 3 2. PERFIS FUNCIONAIS...

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO RM Agilis Manual do Usuário Ouvidoria, Correspondência Interna, Controle de Processos, Protocolo Eletrônico, Solicitação de Manutenção Interna, Solicitação de Obras em Lojas,

Leia mais

GUIA RÁPIDO Sistema de Gestão da Faixa de Domínio GFD.Net Módulo de Fiscalização Departamento de Estradas de Rodagem do Estado do Paraná DERPR

GUIA RÁPIDO Sistema de Gestão da Faixa de Domínio GFD.Net Módulo de Fiscalização Departamento de Estradas de Rodagem do Estado do Paraná DERPR GUIA RÁPIDO Sistema de Gestão da Faixa de Domínio GFD.Net Módulo de Fiscalização Departamento de Estradas de Rodagem do Estado do Paraná DERPR SUMÁRIO OCUPAÇÃO... 4 1. CADASTRAR A FISCALIZAÇÃO REALIZADA...

Leia mais

Documento de Requisitos

Documento de Requisitos UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE INFORMÁTICA GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO Documento de Requisitos Sistema Gerenciador de Atendimento de Chamados Técnicos Grupo: Luiz Augusto Zelaquett

Leia mais

GUIA DE CURSO. Tecnologia em Sistemas de Informação. Tecnologia em Desenvolvimento Web. Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

GUIA DE CURSO. Tecnologia em Sistemas de Informação. Tecnologia em Desenvolvimento Web. Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas PIM PROGRAMA DE INTEGRAÇÃO COM O MERCADO GUIA DE CURSO Tecnologia em Sistemas de Informação Tecnologia em Desenvolvimento Web Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Tecnologia em Sistemas

Leia mais

VANT-EC-SAME. Software de Suporte do VANT V-SUP Caso de Desenvolvimento Versão 1.0

VANT-EC-SAME. Software de Suporte do VANT V-SUP Caso de Desenvolvimento Versão 1.0 VANT-EC-SAME Software de Suporte do VANT V-SUP Caso de Desenvolvimento Versão 1.0 Histórico da Revisão Data Versão Descrição Autor 17/0/07 1.0 Versão Inicial Douglas Moura Confidencial VANT-EC-SAME, 2007

Leia mais

Palavras-Chaves: engenharia de requisitos, modelagem, UML.

Palavras-Chaves: engenharia de requisitos, modelagem, UML. APLICAÇÃO DA ENGENHARIA DE REQUISITOS PARA COMPREENSÃO DE DOMÍNIO DO PROBLEMA PARA SISTEMA DE CONTROLE COMERCIAL LEONARDO DE PAULA SANCHES Discente da AEMS Faculdades Integradas de Três Lagoas RENAN HENRIQUE

Leia mais

METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE PROJETO DE SOFTWARE ORIENTADO A OBJETO COM PMBOK

METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE PROJETO DE SOFTWARE ORIENTADO A OBJETO COM PMBOK V EPCC Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 23 a 26 de outubro de 2007 METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE PROJETO DE SOFTWARE ORIENTADO A OBJETO COM PMBOK Cleber Lecheta Franchini 1 Resumo:

Leia mais

Cargo Função Superior CBO. Tarefas / Responsabilidades T/R Como Faz

Cargo Função Superior CBO. Tarefas / Responsabilidades T/R Como Faz Especificação de FUNÇÃO Função: Analista Desenvolvedor Código: Cargo Função Superior CBO Analista de Informática Gerente de Projeto Missão da Função - Levantar e prover soluções para atender as necessidades

Leia mais

Sistema de Automação Comercial de Pedidos

Sistema de Automação Comercial de Pedidos Termo de Abertura Sistema de Automação Comercial de Pedidos Cabana - Versão 1.0 Iteração 1.0- Release 1.0 Versão do Documento: 1.5 Histórico de Revisão Data Versão do Documento Descrição Autor 18/03/2011

Leia mais

SISTEMA DE ABERTURA DE CHAMADOS TÉCNICOS DE INFORMÁTICA GLPI ( GESTÃO LIVRE DE PARQUE DE INFORMÁTICA ) Manual do Usuário

SISTEMA DE ABERTURA DE CHAMADOS TÉCNICOS DE INFORMÁTICA GLPI ( GESTÃO LIVRE DE PARQUE DE INFORMÁTICA ) Manual do Usuário SISTEMA DE ABERTURA DE CHAMADOS TÉCNICOS DE INFORMÁTICA GLPI ( GESTÃO LIVRE DE PARQUE DE INFORMÁTICA ) Manual do Usuário Setor de Tecnologia da Informação 2012 AUTORES Aurélio Ricardo Batú Maicá Laura

Leia mais

AUTOR: DAVID DE MIRANDA RODRIGUES CONTATO: davidmr@ifce.edu.br CURSO FIC DE PROGRAMADOR WEB VERSÃO: 1.0

AUTOR: DAVID DE MIRANDA RODRIGUES CONTATO: davidmr@ifce.edu.br CURSO FIC DE PROGRAMADOR WEB VERSÃO: 1.0 AUTOR: DAVID DE MIRANDA RODRIGUES CONTATO: davidmr@ifce.edu.br CURSO FIC DE PROGRAMADOR WEB VERSÃO: 1.0 SUMÁRIO 1 Conceitos Básicos... 3 1.1 O que é Software?... 3 1.2 Situações Críticas no desenvolvimento

Leia mais

Feature-Driven Development

Feature-Driven Development FDD Feature-Driven Development Descrição dos Processos Requisitos Concepção e Planejamento Mais forma que conteúdo Desenvolver um Modelo Abrangente Construir a Lista de Features Planejar por

Leia mais

POLÍTICA ORGANIZACIONAL

POLÍTICA ORGANIZACIONAL POLÍTICA ORGANIZACIONAL PARA DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE NA DR TECH Data 01/03/2010 Responsável Doc ID Danielle Noronha PoliticaOrg_DR_V003 \\Naja\D\Gerenciamento\Política Localização Organizacional Versão

Leia mais

1 Sumário... 2. 2 O Easy Chat... 3. 3 Conceitos... 3. 3.1 Perfil... 3. 3.2 Categoria... 3. 4 Instalação... 5. 5 O Aplicativo... 7 5.1 HTML...

1 Sumário... 2. 2 O Easy Chat... 3. 3 Conceitos... 3. 3.1 Perfil... 3. 3.2 Categoria... 3. 4 Instalação... 5. 5 O Aplicativo... 7 5.1 HTML... 1 Sumário 1 Sumário... 2 2 O Easy Chat... 3 3 Conceitos... 3 3.1 Perfil... 3 3.2 Categoria... 3 3.3 Ícone Específico... 4 3.4 Janela Específica... 4 3.5 Ícone Geral... 4 3.6 Janela Geral... 4 4 Instalação...

Leia mais

Sistema Integrado de Atendimento

Sistema Integrado de Atendimento Sistema Integrado de Atendimento Sistema Integrado de Atendimento. Um sistema moderno, completo e abrangente que modifica a realidade do atendimento de sua empresa, proporcionando maior segurança na tomada

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI 1. PI06 TI 1.1. Processos a serem Atendidos pelos APLICATIVOS DESENVOLVIDOS Os seguintes processos do MACROPROCESSO

Leia mais

Metodologia de Gerenciamento de Projetos da Justiça Federal

Metodologia de Gerenciamento de Projetos da Justiça Federal Metodologia de Gerenciamento de Projetos da Justiça Federal Histórico de Revisões Data Versão Descrição 30/04/2010 1.0 Versão Inicial 2 Sumário 1. Introdução... 5 2. Público-alvo... 5 3. Conceitos básicos...

Leia mais

MANUAL DO SERVICE DESK SYSTEM

MANUAL DO SERVICE DESK SYSTEM Manual do Sumário Conhecendo o SERVICE DESK SYSTEM... 3 - A tela de Acesso ao sistema:... 3 - A tela do sistema após o acesso(exemplo):... 3 OCORRÊNCIAS... 4 - Abertura de chamados:... 4 - Atendendo um

Leia mais

Política de Atendimento Técnico, Suporte e Assistência aos softwares SiplanControl-M

Política de Atendimento Técnico, Suporte e Assistência aos softwares SiplanControl-M Política de Atendimento Técnico, Suporte e Assistência aos softwares SiplanControl-M 1. Introdução a política 2. Quem está elegível para solicitar suporte? 3. Horário de atendimento 4. Que tempo de resposta

Leia mais

Estudo de Caso. Projeto Correspondência Eletrônica nos Correios S.A.

Estudo de Caso. Projeto Correspondência Eletrônica nos Correios S.A. Estudo de Caso Projeto Correspondência Eletrônica nos Correios S.A. A Presidência dos Correios vislumbrou a possibilidade da Empresa apresentar aos seus clientes um novo serviço, que foi denominado de

Leia mais

Termo de Abertura Sistema de Vendas de Pizzas Online (PizzaWeb) - Versão 1.0

Termo de Abertura Sistema de Vendas de Pizzas Online (PizzaWeb) - Versão 1.0 Termo de Abertura Sistema de Vendas de Pizzas Online (PizzaWeb) - Versão 1.0 Versão do Documento: 1.1 Histórico de Revisão Data Versão do Documento Descrição Autor 18/03/2011 1.0 Montar o Termo de Abertura.

Leia mais

Dicionário da EAP - Software FarmaInfor

Dicionário da EAP - Software FarmaInfor Software FarmaInfor 1.Gerenciamento 2.Iniciação 3.Elaboração 4. Desenvolvimento 5.Trenferência 6. Finalização 6.1 Assinatura 1.1 Montar Equipe 2.1 Levantar Requisitos 3.1 Definir Módulos 4.1 Codificar

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO SETIC CAPÍTULO I CATEGORIA

REGIMENTO INTERNO DA SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO SETIC CAPÍTULO I CATEGORIA REGIMENTO INTERNO DA SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO SETIC CAPÍTULO I CATEGORIA Art. 1º. A Secretaria de Tecnologia de Informação e Comunicação SETIC é um Órgão Suplementar Superior

Leia mais

Sistema de Automação Comercial de Pedidos- Versão 1.1

Sistema de Automação Comercial de Pedidos- Versão 1.1 Termo de Abertura Sistema de Automação Comercial de Pedidos- Versão 1.1 Iteração 1.0- Release 1.0 Versão do Documento: 1.1 Histórico de Revisão Data Versão do Documento Descrição Autor 18/03/2011 1.0 Versão

Leia mais

Rede de Laboratórios de Produtividade de Software

Rede de Laboratórios de Produtividade de Software Rede de Laboratórios de Produtividade de Software Gerenciamento de projetos com dotproject Programa de Capacitação em Testes de Software Roteiro Introdução a gerência de projetos (slides baseados na aula

Leia mais

ATO Nº 233/2013. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

ATO Nº 233/2013. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, ATO Nº 233/2013 Institui a Política de Gerenciamento de Serviços de Tecnologia da Informação (TI) no âmbito do Tribunal Regional do Trabalho da 7ª Região. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO

Leia mais

A Disciplina Gerência de Projetos

A Disciplina Gerência de Projetos A Disciplina Gerência de Projetos Atividades, Artefatos e Responsabilidades hermano@cin.ufpe.br Objetivos Apresentar atividades da disciplina Gerência de Projetos Discutir os artefatos e responsáveis envolvidos

Leia mais

O Oficina Integrada é um sistema completo para o controle e gerenciamento de oficinas mecânicas. É o primeiro e único software que controla o fluxo

O Oficina Integrada é um sistema completo para o controle e gerenciamento de oficinas mecânicas. É o primeiro e único software que controla o fluxo O Oficina Integrada é um sistema completo para o controle e gerenciamento de oficinas mecânicas. É o primeiro e único software que controla o fluxo em sua oficina. O sistema foi desenvolvido para ser utilizado

Leia mais

Estrutura de Relacionamento:

Estrutura de Relacionamento: 1 Índice Por que ter Guia de Relacionamento e Suporte?... 3 Qual a Estrutura de Relacionamento com o Cliente?... 3 Agente de Atendimento (CAT):... 3 Gerente de Contas (GC):... 3 Gerente de Serviço (GS):...

Leia mais

Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC

Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC 1. Diretor da Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação Coordenar

Leia mais

ADAPTAÇÃO: Diogo Victor Gonçalves Mancini Robert Bonifácio da Rocha

ADAPTAÇÃO: Diogo Victor Gonçalves Mancini Robert Bonifácio da Rocha ADAPTAÇÃO: Diogo Victor Gonçalves Mancini Robert Bonifácio da Rocha 1 SUMÁRIO: Apresentação...3 Introdução...5 Acessando GLPI...6 Abrindo chamado...8 Anexando arquivo a um chamado...9 Acompanhamento de

Leia mais

Orientações Gerais para as Disciplinas de Trabalho de Conclusão do Cursos de Sistemas para Internet IFRS - Câmpus Porto Alegre

Orientações Gerais para as Disciplinas de Trabalho de Conclusão do Cursos de Sistemas para Internet IFRS - Câmpus Porto Alegre Orientações Gerais para as Disciplinas de Trabalho de Conclusão do Cursos de Sistemas para Internet IFRS - Câmpus Porto Alegre Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul -

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/SIA-012-R00 GESTÃO DE SISTEMAS DA SIA

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/SIA-012-R00 GESTÃO DE SISTEMAS DA SIA MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/SIA-012-R00 GESTÃO DE SISTEMAS DA SIA 10/2015 PÁGINA INTENCIONALMENTE EM BRANCO 2 09 de outubro de 2015. Aprovado, Leandro Costa Pereira Crispim de Sousa Fabio Faizi Rahnemay

Leia mais

Declaração de Escopo

Declaração de Escopo 1/9 Elaborado por: Adriano Marra, Bruno Mota, Bruno Leite, Janaina Versão: 1.4 Lima, Joao Augusto, Paulo Takagi, Ricardo Reis. Aprovado por: Porfírio Carlos Roberto Junior 24/08/2010 Time da Equipe de

Leia mais

Índice Apresentação... 3 Mensagens... 4 Tickets... 6 Cadastro de Tickets... 6 Acompanhamento de Tickets:...9 Entregas... 11 Storage...

Índice Apresentação... 3 Mensagens... 4 Tickets... 6 Cadastro de Tickets... 6 Acompanhamento de Tickets:...9 Entregas... 11 Storage... Índice Apresentação... 3 Mensagens... 4 Tickets... 6 Cadastro de Tickets... 6 Acompanhamento de Tickets:...9 Entregas... 11 Storage... 12 Apresentação O Pitstop foi desenvolvido pela Interact com o objetivo

Leia mais

IV PLANO DE GERENCIAMENTO DE TEMPO

IV PLANO DE GERENCIAMENTO DE TEMPO IV PLANO DE GERENCIAMENTO DE TEMPO 1 - Descrição do Plano de Gerenciamento detempo (PMBOK) O gerenciamento de tempo do projeto inclui os processos necessários para realizar o término do projeto no prazo.

Leia mais

Elaboração dos documentos

Elaboração dos documentos Estudo de Caso Área de conhecimento Gerência de Escopo Projeto Correspondência Eletrônica nos Correios S.A. A Presidência dos Correios vislumbrou a possibilidade da Empresa apresentar aos seus clientes

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE TECNOLOGIA EM ANALISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE TECNOLOGIA EM ANALISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE TECNOLOGIA EM ANALISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS Professor: Adriel Ziesemer Disciplina: Engenharia de Software TRABALHO ACADÊMICO Cristian Santos - nº 45671 Guilherme

Leia mais

Aluna: Vanessa de Mello Orientador: Everaldo Artur Grahl

Aluna: Vanessa de Mello Orientador: Everaldo Artur Grahl Ferramenta web para gerenciamento de projetos de software baseado no Scrum Aluna: Vanessa de Mello Orientador: Everaldo Artur Grahl Introdução Roteiro da apresentação Objetivos do trabalho Fundamentação

Leia mais

Gerenciamento de Mudanças. Treinamento OTRS

Gerenciamento de Mudanças. Treinamento OTRS Gerenciamento de Mudanças Treinamento OTRS Sumário Exemplo prático...4 Preparação do Sistema...4 Criando os Papéis necessários...4 Criando usuários de teste...5 Atribua os papeis aos atendentes...5 Vamos

Leia mais

Manual Wincall Atualizado em 19/09/2007 Pág. 1

Manual Wincall Atualizado em 19/09/2007 Pág. 1 MANUAL CALL CENTER Pág. 1 INTRODUÇÃO AO MODULO CALL CENTER Esse módulo do Sistema gerencia todo relacionamento da empresa com seus clientes, registrando todos os contatos realizados, controlando todo o

Leia mais

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT MASTER IN PROJECT MANAGEMENT PROJETOS E COMUNICAÇÃO PROF. RICARDO SCHWACH MBA, PMP, COBIT, ITIL Atividade 1 Que modelos em gestão de projetos estão sendo adotados como referência nas organizações? Como

Leia mais

Manual de Usuário. Gestion Libre de Parc Informatique (Gestão Livre de Parque de Informática) Versão 1.1 NRC

Manual de Usuário. Gestion Libre de Parc Informatique (Gestão Livre de Parque de Informática) Versão 1.1 NRC Manual de Usuário Gestion Libre de Parc Informatique (Gestão Livre de Parque de Informática) Versão 1.1 NRC Manual do Usuário GLPI 1. Introdução 3 2. Acessando o GLPI 4 3. Entendendo o processo de atendimento

Leia mais

ÁREAS DE CONHECIMENTO DO PMBOK. Faculdade PITÁGORAS Unidade Raja Prof. Valéria E-mail: valeriapitagoras@gmail.com

ÁREAS DE CONHECIMENTO DO PMBOK. Faculdade PITÁGORAS Unidade Raja Prof. Valéria E-mail: valeriapitagoras@gmail.com ÁREAS DE CONHECIMENTO DO PMBOK Faculdade PITÁGORAS Unidade Raja Prof. Valéria E-mail: valeriapitagoras@gmail.com 1 As 10 áreas de Conhecimento 2 INTEGRAÇÃO 3 Gerência da Integração Processos necessários

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DE SISTEMA HELP-DESK

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DE SISTEMA HELP-DESK MANUAL DE UTILIZAÇÃO DE SISTEMA HELP-DESK RT - Request Tracker para suporte CidadesWeb Vitória, Agosto de 2013 Equipe Responsável: Secretaria de Tecnologia da Informação TCEES Rua José de Alexandre Buaiz,

Leia mais

M A N U A L D O U S U Á R I O

M A N U A L D O U S U Á R I O M A N U A L D O U S U Á R I O S I S T E M A D E A B E R T U R A D E C H A M A D O S D E S E R V I Ç O S Sumário 1. Apresentação... 3 2. Introdução do GLPI... 4 3. Acessando o GLPI... 5 4. Abertura e Registro

Leia mais

ATO Nº 91/2015/GP/TRT 19ª, DE 1º DE JUNHO DE 2015

ATO Nº 91/2015/GP/TRT 19ª, DE 1º DE JUNHO DE 2015 PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA DÉCIMA NONA REGIÃO ATO Nº 91/2015/GP/TRT 19ª, DE 1º DE JUNHO DE 2015 O DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA EMPRESA

APRESENTAÇÃO DA EMPRESA APRESENTAÇÃO DA EMPRESA Sumário 1. Quem somos 2. Nossa missão 3. O que fazemos 4. Internet 5. Service-Desk 6. Outsourcing de Impressão 7. Nossos principais Clientes 1. Quem somos Atuando a mais de 8 anos

Leia mais

COORDENADORIA DO TESOURO ESTADUAL COTES COORDENADORIA DE GESTÃO FINANCEIRA COGEF

COORDENADORIA DO TESOURO ESTADUAL COTES COORDENADORIA DE GESTÃO FINANCEIRA COGEF COORDENADORIA DO TESOURO ESTADUAL COTES COORDENADORIA DE GESTÃO FINANCEIRA COGEF TERMO DE REFERÊNCIA: Contratação de Serviço de Levantamento de Requisitos, Análise e Prototipação do Sistema de Gestão de

Leia mais

Módulo SAC Atendimento ao Cliente

Módulo SAC Atendimento ao Cliente Módulo SAC Atendimento ao Cliente Objetivo O Módulo SAC ou Serviço de Atendimento ao Cliente é uma ferramenta que gerencia, cria e administra informações num canal de comunicação informatizado entre a

Leia mais

Manual de Instalação ( Client / Server ) Versão 1.0

Manual de Instalação ( Client / Server ) Versão 1.0 1 pág. PROCEDIMENTO DE INSTALAÇÃO DO SGCOM ATENÇÃO: É OBRIGATÓRIO UMA CONEXÃO COM A INTERNET PARA EXECUTAR A INSTALAÇÃO DO SGCOM. Após o Download do instalador do SGCOM versão Server e Client no site www.sgcom.inf.br

Leia mais

Manual do Usuário. Sistema de Gerenciamento de Projetos de Pesquisa

Manual do Usuário. Sistema de Gerenciamento de Projetos de Pesquisa Manual do Usuário Sistema de Gerenciamento de Projetos de Pesquisa Ministério da Educação Fundação Universidade Federal de Mato Grosso Secretaria de Tecnologias da Informação e da Comunicação Aplicadas

Leia mais

Personata Recorder. Manual de Instalação e Configuração

Personata Recorder. Manual de Instalação e Configuração Personata Recorder Manual de Instalação e Configuração Julho / 2013 1 Índice 1- Pré-requisitos......3 2 Verificação do Hardware......3 3 Instalação......5 4 Configuração Inicial......8 4.1 Localização......8

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO TRIBUNAL DE JUSTIÇÃO DO ESTADO DE MATO GROSSO. Unidade Responsável: Coordenadoria de Tecnologia da Informação - CTI

ESTADO DE MATO GROSSO TRIBUNAL DE JUSTIÇÃO DO ESTADO DE MATO GROSSO. Unidade Responsável: Coordenadoria de Tecnologia da Informação - CTI ESTADO DE MATO GROSSO TRIBUNAL DE JUSTIÇÃO DO ESTADO DE MATO GROSSO INSTRUÇÃO NORMATIVA STI Nº 02/2011 Versão: 01 Publicação: DJE nº xxxx em / / Unidade Responsável: Coordenadoria de Tecnologia da Informação

Leia mais

Termo de Abertura. Projeto: SysTrack. Documento: 1.0

Termo de Abertura. Projeto: SysTrack. Documento: 1.0 Termo de Abertura Projeto: SysTrack Documento: 1.0 1 Nome do Projeto: SysTrack Centro de Custo: XXXX Gerente do Projeto: Renato Santos Empresa contratante: Hórus Empresa contratada: TechHouse Método de

Leia mais

Declaração do Escopo do Projeto. SysTrack

Declaração do Escopo do Projeto. SysTrack Declaração do Escopo do Projeto SysTrack Nome do Projeto: SysTrack Versão do Documento: 1.0 Elaborado por: André Ricardo, André Luiz, Daniel Augusto, Diogo Henrique, João Ricardo e Roberto Depollo. Revisado

Leia mais

MANUAL SUPERPRO WEB PONTO DE ACESSO REMOTO (PAR)

MANUAL SUPERPRO WEB PONTO DE ACESSO REMOTO (PAR) MANUAL SUPERPRO WEB PONTO DE ACESSO REMOTO (PAR) 1 ÍNDICE O que é o SuperPro Web PAR Instalando o SuperPro Web PAR 3 Conexão 5 Configurando o SuperPro Web PAR 5 1. Autorizando ponto de acesso 5 2. Limite

Leia mais

Programa do Módulo 2. Processo Unificado: Visão Geral

Programa do Módulo 2. Processo Unificado: Visão Geral 9.1 Programa do Módulo 2 Orientação a Objetos Conceitos Básicos Análise Orientada a Objetos (UML) O Processo Unificado (RUP) Processo Unificado: Visão Geral 9.2 Encaixa-se na definição geral de processo:

Leia mais

Grupo 05 EAP e Dicionário Versão 3.0 2º Semestre Gestão de TI Unidade 903 Sul

Grupo 05 EAP e Dicionário Versão 3.0 2º Semestre Gestão de TI Unidade 903 Sul 1.1 Definir Termo de Abertura do Projeto 1.2 Definir Documento de Visão 1.0 Início 1.3 Levantar Requisitos 1.4 Validar Requisitos 1.5 Definir Escopo 1.6 Definir Regra de Negócio 2.0 Elaboração 2.1 Definir

Leia mais

Manual do MySuite. O MySuite é a solução adotada pela MKData para gerenciar o atendimento aos clientes.

Manual do MySuite. O MySuite é a solução adotada pela MKData para gerenciar o atendimento aos clientes. Manual do MySuite O MySuite é a solução adotada pela MKData para gerenciar o atendimento aos clientes. Esta ferramenta visa agilizar e priorizar o suporte técnico, criando um canal de interatividade no

Leia mais

Manual do usuário - Service Desk SDM - COPASA. Service Desk

Manual do usuário - Service Desk SDM - COPASA. Service Desk Manual do usuário - Service Desk SDM - COPASA Service Desk Sumário Apresentação O que é o Service Desk? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web Fazendo Login no Sistema Tela inicial

Leia mais

INSTRUÇÃO DE SERVIÇO PARA ELABORAÇÃO DE PLANOS GERAIS DE PROJETOS DE SISTEMAS OU APLICATIVOS

INSTRUÇÃO DE SERVIÇO PARA ELABORAÇÃO DE PLANOS GERAIS DE PROJETOS DE SISTEMAS OU APLICATIVOS INSTRUÇÃO DE SERVIÇO PARA ELABORAÇÃO DE PLANOS GERAIS DE PROJETOS DE SISTEMAS OU APLICATIVOS IS-CGMI-02/2005 Aprovada pela Portaria nº 1494 de 22/11/2005 Histórico de Versões Data Versão Descrição Autor

Leia mais

DESENVOLVER SISTEMAS 1 OBJETIVO

DESENVOLVER SISTEMAS 1 OBJETIVO Proposto por: Equipe Departamento de s de Informação (DESIS) DESENVOLVER SISTEMAS Analisado por: Departamento de s de Informação (DESIS) Aprovado por: Diretor-Geral de Tecnologia da Informação (DGTEC)

Leia mais

SERVICE DESK MANAGER SDM. Manual do Sistema - DPOI

SERVICE DESK MANAGER SDM. Manual do Sistema - DPOI SERVICE DESK MANAGER SDM Manual do Sistema - DPOI Conteúdo SERVICE DESK MANAGER SDM... 1 Manual do Sistema - DPOI... 1 INTRODUÇÃO... 4 ACESSO AO SISTEMA... 5 OPÇÕES DO SISTEMA... 6 SISTEMA... 7 Pesquisar

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ MINISTÉRIO PÚBLICO DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DO PARÁ MPCM CONCURSO PÚBLICO N.º 01/2015

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ MINISTÉRIO PÚBLICO DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DO PARÁ MPCM CONCURSO PÚBLICO N.º 01/2015 DO MINISTÉRIO PÚBLICO DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO 1 / 5 ANEXO 03 INFORMAÇÕES DOS CARGOS 1. CARGOS DE NÍVEL MÉDIO Cargo 01 Técnico em Administração Realizar atividades que envolvam a aplicação das

Leia mais

Engenharia de Software Questionário sobre Engenharia de Requisitos Resolvido Prof. MSc Wagner Siqueira Cavalcante

Engenharia de Software Questionário sobre Engenharia de Requisitos Resolvido Prof. MSc Wagner Siqueira Cavalcante 1 - Q193183 ( Prova: FCC - 2011 - TRT - 19ª Região (AL) - Analista Judiciário - Tecnologia da Informação / Engenharia de Software / Análise de Requisitos; Engenharia de Requisitos; ) De acordo com Sommerville,

Leia mais

METODOLOGIA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

METODOLOGIA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 11ª REGIÃO SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO - SETI Versão 1.0 MANAUS-AM (2010) MDS Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas

Leia mais

1.INDÍCE... ERROR! BOOKMARK NOT DEFINED. 3.CONSULTA CIRCULARES... 6 5.PROMOÇÕES E EVENTOS... 8. Consultando Promoções e Eventos 8.

1.INDÍCE... ERROR! BOOKMARK NOT DEFINED. 3.CONSULTA CIRCULARES... 6 5.PROMOÇÕES E EVENTOS... 8. Consultando Promoções e Eventos 8. Indíce 1.INDÍCE... ERROR! BOOKMARK NOT DEFINED. 2.QUADRO DE AVISOS... 4 3.CONSULTA CIRCULARES... 6 4.CONSULTA NOTÍCIAS... 7 5.PROMOÇÕES E EVENTOS... 8 Consultando Promoções e Eventos 8 6.CONSULTAS GERAIS...

Leia mais

Levantamento de Requisitos de Software. Sistema Integrado de ATendimento (SIAT)

Levantamento de Requisitos de Software. Sistema Integrado de ATendimento (SIAT) Levantamento de Requisitos de Software Sistema Integrado de ATendimento (SIAT) o 1. Técnicas Levantamento de Requisitos 3 1.1 Levantamento Orientado a Ponto de Vista-----------------------------------------------

Leia mais

ÍNDICE. 1. SAM Sistema de Auto Atendimento Millennium. 2. Apresentação. 3. Acessos 3.1. Via Internet 3.2. Via link direto

ÍNDICE. 1. SAM Sistema de Auto Atendimento Millennium. 2. Apresentação. 3. Acessos 3.1. Via Internet 3.2. Via link direto ÍNDICE 1. SAM Sistema de Auto Atendimento Millennium 2. Apresentação 3. Acessos 3.1. Via Internet 3.2. Via link direto 4. Inclusão de chamados 4.1. Incluindo um novo chamado 5. Analisando chamados em aberto

Leia mais

ENGENHARIA DE SOFTWARE

ENGENHARIA DE SOFTWARE Pág. 1 0. ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...2 2. OBJETIVOS....2 3. ESTIMATIVAS DO PROJETO....4 4. RISCOS DO PROJETO....5 4.1. Identificação e Análise dos Riscos....5 4.1.1. Riscos de Projeto...6 4.1.2. Riscos Técnicos....6

Leia mais

Plano de Comunicação

Plano de Comunicação PLANO DE COMUNICAÇÃO DO ESCRITÓRIO DE PROJETOS PMIMF Plano de Comunicação É o artefato que visa planejar e documentar a comunicação existente entre os projetos, o escritório de projetos, o Ministério da

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. 1. Objeto. 2. Antecedentes. 3. Objeto da Licitação

TERMO DE REFERÊNCIA. 1. Objeto. 2. Antecedentes. 3. Objeto da Licitação TERMO DE REFERÊNCIA 1. Objeto 1.1. Contratação de empresa especializada em auditoria de tecnologia da informação e comunicações, com foco em segurança da informação na análise de quatro domínios: Processos

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI DIREÇÃO DE ENSINO DEN PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI DIREÇÃO DE ENSINO DEN PLANO DE ENSINO Departamento: Disciplina: Pré-Requisitos: - I D E N T I F I C A Ç Ã O Sistemas de Informação Gerência de Projetos (GEP) CH: 72 h/a Curso: Bacharelado em Sistemas de Informação Semestre: 2011/1 Fase: 8ª

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAC Goiás. Disciplina: Gerenciamento de Rede de Computadores. Goiânia, 16 de novembro de 2014.

Faculdade de Tecnologia SENAC Goiás. Disciplina: Gerenciamento de Rede de Computadores. Goiânia, 16 de novembro de 2014. Faculdade de Tecnologia SENAC Goiás Disciplina: Gerenciamento de Rede de Computadores : Goiânia, 16 de novembro de 2014. Faculdade de Tecnologia SENAC Goiás Professor: Marissol Martins Alunos: Edy Laus,

Leia mais

Módulo Imobiliária. Proposta comercial

Módulo Imobiliária. Proposta comercial Módulo Imobiliária Proposta comercial Data: 24/10/2012 Página 1/6 Índice 1 Apresentação... 3 2 O Projeto... 3 3 Desenvolvimento do projeto... 4 4 Âmbito de intervenção do cliente... 4 5 Compromissos da

Leia mais

2. Principais documentos relativos ao levantamento de dados do sistema

2. Principais documentos relativos ao levantamento de dados do sistema 1. Prefácio O sistema informatizado Folha de Pagamento Doméstica (GFD), vem sendo desenvolvido visando atender inicialmente a Organização Contábil Santa Rita Ltda., mas posteriormente, poderá favorecer

Leia mais

Gerenciamento de Serviços de TI com base na ITIL

Gerenciamento de Serviços de TI com base na ITIL Gerenciamento de Serviços de TI com base na ITIL Information Technology Infrastructure Library ou Biblioteca de Infraestrutura da Tecnologia da Informação A TI de antes (ou simplesmente informática ),

Leia mais

Floricultura Beija-Flor

Floricultura Beija-Flor Floricultura Beija-Flor PLANO DE GERENCIAMENTO DE RECURSOS HUMANOS Preparado Samily Rocha Gois e Francisco Luiz Sobrinho Versão: 101.1 por Aprovado por Samily Rocha Gois Data: 27/11/2012 1.

Leia mais

ATOS JUDICIAIS COLEGIADOS Módulo integrante do Sistema RUPE

ATOS JUDICIAIS COLEGIADOS Módulo integrante do Sistema RUPE 1 ATOS JUDICIAIS COLEGIADOS Módulo integrante do Sistema RUPE CARTILHA SOBRE O FUNCIONAMENTO DO SISTEMA Elaborado por: Gerência de Sistemas Judiciais Informatizados (GEJUD). Atualizada em: 23/03/2015.

Leia mais

WebEDI - Tumelero Manual de Utilização

WebEDI - Tumelero Manual de Utilização WebEDI - Tumelero Manual de Utilização Pedidos de Compra Notas Fiscais Relação de Produtos 1. INTRODUÇÃO Esse documento descreve o novo processo de comunicação e troca de arquivos entre a TUMELERO e seus

Leia mais

Palavras-Chaves: Arquitetura, Modelagem Orientada a Objetos, UML.

Palavras-Chaves: Arquitetura, Modelagem Orientada a Objetos, UML. MODELAGEM ORIENTADA A OBJETOS APLICADA À ANÁLISE E AO PROJETO DE SISTEMA DE VENDAS ALTEMIR FERNANDES DE ARAÚJO Discente da AEMS Faculdades Integradas de Três Lagoas ANDRE LUIZ DA CUNHA DIAS Discente da

Leia mais

PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE. Modelos de Processo de Desenvolvimento de Software

PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE. Modelos de Processo de Desenvolvimento de Software PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE Introdução Modelos de Processo de Desenvolvimento de Software Os modelos de processos de desenvolvimento de software surgiram pela necessidade de dar resposta às

Leia mais

PDS - DATASUS. Processo de Desenvolvimento de Software do DATASUS

PDS - DATASUS. Processo de Desenvolvimento de Software do DATASUS PDS - DATASUS Processo de Desenvolvimento de Software do DATASUS Coordenação Geral de Arquitetura e Engenharia Tecnológica Coordenação de Padronização e Qualidade de Software Gerência de Padrões e Software

Leia mais

Documentação do Sistema de Reserva de Salas da Intranet do ICMC-USP

Documentação do Sistema de Reserva de Salas da Intranet do ICMC-USP UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação Departamento de Ciências da Computação e Estatística Documentação do Sistema de Reserva de Salas da Intranet do ICMC-USP André

Leia mais