11. Abordagem Comportamental

Save this PDF as:
Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "11. Abordagem Comportamental"

Transcrição

1 11. Abordagem Comportamental Conteúdo 1. Behaviorismo 2. Novas Proposições sobre a Motivação Humana 3. Teoria da Hierarquia das de Maslow 4. Teoria dos dois fatores 5. Teoria X & Y de McGregor 6. Outros Trabalhos 1

2 Bibliografia Recomenda Livro Texto: Administração - Teoria, Processo e Prática Chiavenato, Idalberto - Editora Campus Introdução à teoria Geral da Administração Chiavenato, Idalberto - Editora Campus Teoria da Administração - Curso Compacto Barris Neto, João Pinheiro de - Editora QualityMark Site para Consulta Serviço Brasileiro de apoio às Micro e Pequenas Empresas- Sebrae 1. Behaviorismo O Behaviorismo (behavior: comportamento) nasceu no início do século XX com os trabalhos de J.B. Watson, psicólogo americano. O movimento behaviorista surgiu a partir de um grupo dissidente da Escola das Relações Humanas, que não aceitava a satisfação do trabalhador gerava de forma intrínseca a eficiência do trabalho. Foi influenciado por estudos comportamentais em vários campos da ciência, como a antropologia, a psicologia e a sociologia. 2

3 1. Behaviorismo Continuação Os estudiosos de administração consideraram, além dos estudos de Watson, os trabalhos feitos a partir da década de 1930 por Hull e Skinner, que se utilizavam mais da experimentação e das pesquisas; trabalhos de Tolman, que admitiu a intervenção de variáveis mentais na determinação do comportamento. Depois foram incorporados os estudos de Maslow e Herzberg A Teoria Comportamental defendia a valorização do trabalhador em um empreendimento baseado na cooperação, buscando um novo padrão de teoria e pesquisa administrativas. Sua proposta era fornecer uma visão mais ampla do que motiva as pessoas para agirem ou se comportarem de certa maneira, considerando especialmente as situações do indivíduo no trabalho 2. Novas Proposições sobre a Motivação Humana Para compreender o comportamento organizacional, a Teoria Comportamental se baseia no comportamento individual das pessoas. Para se compreender como as pessoas se comportam, é necessário necessário o estudo da motivação humana. Os autores behavioristas acreditavam que que o administrador precisa conhecer as necessidades humanas para melhor compreender o comportamento humano. A motivação humana deve ser usada para melhorar a qualidade de vida dentro das organizações 3

4 3. Teoria da Hierarquia das de Maslow Abraham H. Maslow, psicólogo americano, acreditava que só uma necessidade não satisfeita podia motivar o ser humano a agir de certa maneira.. Ele desenvolveu uma teoria da motivação, segundo a qual as necessidades humanas estão organizadas e dispostas em níveis, numa hierarquia de importância. Para Maslow, uma pessoa só se preocupa com o atendimento de uma necessidade, caso as necessidades mais básicas ou mais importantes para sua sobrevivência, tiverem sido atendidas. 3. Teoria da Hierarquia das de Maslow Continuação de Auto-realização de Estima de Secundárias Sociais de Segurança de Primárias Fisiológicas 4

5 3. Teoria da Hierarquia das de Maslow Continuação fisiológicas: Constituem o nível mais baixo das necessidades humanas, mas de vital importância. Incluem aí as necessidades de alimentação, de sono, de repouso, de abrigo, ou desejo sexual de segurança: constituem o segundo nível de necessidades humanas. São as necessidades de segurança ou de estabilidade, a busca de proteção contra a ameaça ou privação, a fuga ao perigo Sociais: surgem quando as necessidades mais baixas (fisiológicas e de segurança) foram relativamente satisfeitas. São as necessidades de associação, de participação, de aceitação por parte dos companheiros, de troca de amizade, de afeto e amor de estima: são relacionadas com a maneira pela qual o indivíduo se vê e se avalia. Envolve a auto apreciação, autoconfiança, a necessidade de aprovação social e de respeito, de status e de prestígio, e de consideração. Necessidade de auto-realização: são as necessidades humanas mais elevadas e que estão no topo da hierarquia. São as necessidades de cada pessoa realizar o seu próprio potencial e de continuamente auto-desenvolver-se. Essa tendência geralmente se expressa através do impulso de a pessoa tornar-se sempre mais do que é e de vir a ser tudo o que pode ser. 4. Teoria dos dois Fatores A Teoria dos dois fatores foi desenvolvida e desenvolvida pelo americano de Massachussetts, Frederick Herzberg, a partir de entrevistas feitas com 200 engenheiros e contadores da indústria de Pittsburgh. Herzberg procurou identificar as conseqüências de alguns acontecimentos na vida profissional dos entrevistados, com o objetivo de determinar os fatores que os faziam se sentirem felizes e aqueles que os faziam sentir-se infelizes na situação de trabalho. Herzberg constatou que dois fatores influenciam na satisfação do cargo: os Fatores Higiênicos e os Fatores Motivacionais. 5

6 4. Teoria dos dois Fatores Continuação Fatores Higiênicos Esses fatores se referem às condições que rodeiam o funcionário no trabalho, como condições físicas e ambientais de trabalho, salário, benefícios sociais, políticas da empresa, tipo de supervisão recebido, clima de relações entre a direção e os funcionários, regulamentos, oportunidades etc. Como Herzberg acreditava que esses fatores eram limitados na sua capacidade de influenciar o comportamento dos empregados, ele os denominou de higiênicos para refletir seu caráter preventivo e profilático, indicando assim que, quando esses fatores são atendidos, eles apenas evitam fontes de insatisfação do meio ambiente ou ameaças ao seu equilíbrio. Sua influência sobre o comportamento, não consegue elevar substancial e duradouramente a satisfação. Porém, quando são precários, provocam insatisfação. 4. Teoria dos dois Fatores Continuação Fatores Motivacionais Esses fatores se referem ao conteúdo, tarefas e deveres relacionados com o cargo em si. São esses fatores que produzem efeito duradouro de satisfação e de aumento de produtividade acima dos níveis normais. Helzberg os denominou de motivacionais pois a motivação envolve sentimentos de realização, de crescimento e de reconhecimento profissional, através das tarefas e atividades que oferecem um suficiente desafio e significado para o trabalhador. Quando os fatores motivacionais são ótimos, elevam muito a satisfação; quando são precários, provocam ausência de satisfação. 6

7 5. Teoria X & Y de McGregor Douglas McGregor, em 1960, desenvolveu em "O lado humano das organizações" uma teoria qual ele afirma existires dois tipos de gerentes: gerentes X e gerentes Y. Os gerentes X são tradicionais, acreditam que o subordinados precisam de supervisão constante pois não gostam de trabalhar, são preguiçosos e são motivados só mesmo por interesses próprios. É uma visão do Homo economicus Os gerentes Y são modernos, com uma visão mais positiva dos subordinados, para quem eles são pessoas capazes, dispostas a colaborar, responsáveis, altruístas, enfim, são naturalmente dispostas a fazer um bom trabalho, desde que haja condições. 6. Outros trabalhos Vários trabalhos foram desenvolvidos, como exemplo: 1. William G. Ouchi, escreveu um livro Teoria Z: como as empresas podem enfrentar o desafio japonês. 2. Estudos de McClelland, depois ratificados por pesquisas feitas na AT&T 3. Chester Barnard definiu organizações como sistemas cooperativos onde há interação entre pessoas 4. Chris Argyris admitiu ser possível cojugar interesses pessoais com organizacioanis Etc. 7

AS TEORIAS MOTIVACIONAIS DE MASLOW E HERZBERG

AS TEORIAS MOTIVACIONAIS DE MASLOW E HERZBERG AS TEORIAS MOTIVACIONAIS DE MASLOW E HERZBERG 1. Introdução 2. Maslow e a Hierarquia das necessidades 3. Teoria dos dois Fatores de Herzberg 1. Introdução Sabemos que considerar as atitudes e valores dos

Leia mais

Unidade IV GESTÃO ESTRATÉGICA DE. Professora Ani Torres

Unidade IV GESTÃO ESTRATÉGICA DE. Professora Ani Torres Unidade IV GESTÃO ESTRATÉGICA DE RECURSOS HUMANOS Professora Ani Torres Visão estratégica Visão estratégica está relacionada com alcançar os objetivos empresariais. Considera: Tipos psicológicos, Motivação:

Leia mais

Administração e Gestão de Pessoas

Administração e Gestão de Pessoas Administração e Gestão de Pessoas Aula de Motivação Prof.ª Marcia Aires www.marcia aires.com.br mrbaires@gmail.com Teorias da Motivação? As teorias sobre a motivação, que explicam desempenho das pessoas

Leia mais

Abordagem Comportamental da Administração

Abordagem Comportamental da Administração Abordagem Comportamental da Administração A partir dos trabalhos de dinâmica de grupo desenvolvidos por Kurt Lewin, ainda na sua fase de impulsionador da Teoria das Relações Humanas, com a divulgação do

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA MOTIVAÇÃO NAS EMPRESAS

A IMPORTÂNCIA DA MOTIVAÇÃO NAS EMPRESAS A IMPORTÂNCIA DA MOTIVAÇÃO NAS EMPRESAS ALCIDES DE SOUZA JUNIOR, JÉSSICA AMARAL DOS SANTOS, LUIS EDUARDO SILVA OLIVEIRA, PRISCILA SPERIGONE DA SILVA, TAÍS SANTOS DOS ANJOS ACADÊMICOS DO PRIMEIRO ANO DE

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO GERAL MOTIVAÇÃO

ADMINISTRAÇÃO GERAL MOTIVAÇÃO ADMINISTRAÇÃO GERAL MOTIVAÇÃO Atualizado em 11/01/2016 MOTIVAÇÃO Estar motivado é visto como uma condição necessária para que um trabalhador entregue um desempenho superior. Naturalmente, como a motivação

Leia mais

A MOTIVAÇÃO DE PESSOAS NAS ORGANIZAÇÕES E SUAS APLICAÇÕES PARA OBTENÇÃO DE RESULTADOS

A MOTIVAÇÃO DE PESSOAS NAS ORGANIZAÇÕES E SUAS APLICAÇÕES PARA OBTENÇÃO DE RESULTADOS A MOTIVAÇÃO DE PESSOAS NAS ORGANIZAÇÕES E SUAS APLICAÇÕES PARA OBTENÇÃO DE RESULTADOS GOMES, Elaine Dias. Discente da Faculdade de Ciências Jurídicas e Gerenciais/ACEG. E-mail: elaineapoderosa@hotmail.com

Leia mais

TURN OVER VOLUNTÁRIO UMA BREVE ANÁLISE DOS ESTÍMULOS www.factor9.com.br/educacional.php. Eduardo Varela

TURN OVER VOLUNTÁRIO UMA BREVE ANÁLISE DOS ESTÍMULOS www.factor9.com.br/educacional.php. Eduardo Varela TURN OVER VOLUNTÁRIO UMA BREVE ANÁLISE DOS ESTÍMULOS www.factor9.com.br/educacional.php Eduardo Varela 1 Turnover Voluntário Uma breve análise dos estímulos www.factor9.com.br/educacional.php Turnover

Leia mais

EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO

EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO MÓDULO 17 - Teorias Contingenciais de Liderança Para STONER e FREEMAN (1985; 350) a abordagem contingencial é a visão de que a técnica de administração que melhor

Leia mais

Noções de Liderança e Motivação

Noções de Liderança e Motivação Liderança A questão da liderança pode ser abordada de inúmeras formas: Liderança e Poder (recursos do poder) Liderança e Dominação (teorias da dominação legítima de Max Weber) Líder pela tradição Líder

Leia mais

Psicologia Organizacional MOTIVAÇÃO HUMANA

Psicologia Organizacional MOTIVAÇÃO HUMANA Psicologia Organizacional MOTIVAÇÃO HUMANA Profa. Márcia R.Banov Teorias Motivacionais Teoria das Necessidades, A. Maslow Teoria dos dois Fatores, F. Herzberg Teoria da Eqüidade, J.S.Adams Teoria do Reforço,

Leia mais

TEORIA COMPORTAMENTAL. Surgiu no final da década de 40 e fundamenta-se no comportamento humano nas organizações.

TEORIA COMPORTAMENTAL. Surgiu no final da década de 40 e fundamenta-se no comportamento humano nas organizações. TEORIA COMPORTAMENTAL Surgiu no final da década de 40 e fundamenta-se no comportamento humano nas organizações. Teoria Comportamental Um dos temas fundamentais é a Motivação Humana, pois para explicar

Leia mais

Motivação. O que é motivação?

Motivação. O que é motivação? Motivação A motivação representa um fator de sobrevivência para as organizações, pois hoje é um dos meios mais eficazes para atingir objetivos e metas. Além de as pessoas possuírem conhecimento, habilidades

Leia mais

O DESENVOLVIMENTO INTERPESSOAL

O DESENVOLVIMENTO INTERPESSOAL O DESENVOLVIMENTO INTERPESSOAL A Motivação : a força geradora do comportamento Quando nos interrogamos sobre a razão pela qual o indivíduo age de determinada maneira, estamonos a interrogar pelos motivos,

Leia mais

Escola das relações humanas: Sociologia nas Organizações. Prof Rodrigo Legrazie

Escola das relações humanas: Sociologia nas Organizações. Prof Rodrigo Legrazie Escola das relações humanas: Sociologia nas Organizações Prof Rodrigo Legrazie Escola Neoclássica Conceitua o trabalho como atividade social. Os trabalhadores precisam muito mais de ambiente adequado e

Leia mais

ORIENTADOR(ES): JANAÍNA CARLA LOPES, JOÃO ANGELO SEGANTIN, KEINA POLIANA PIVARRO DALMOLIN PAGLIARIN

ORIENTADOR(ES): JANAÍNA CARLA LOPES, JOÃO ANGELO SEGANTIN, KEINA POLIANA PIVARRO DALMOLIN PAGLIARIN Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: MOTIVAÇÃO HUMANA - UM ESTUDO NA EMPRESA MAHRRY CONFECÇÕES CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS

Leia mais

FACULDADE ARQUIDIOCESANA DE CURVELO

FACULDADE ARQUIDIOCESANA DE CURVELO BEATRIZ APARECIDADE MOURA JOYCE SOARES RIBAS JUCIELE OTTONE MALAQUIAS MARTINS LUANA PÉRSIA DINIZ MÍRIAN DUARTE MACHADO GONZAGA DA SILVA O PAPEL DO GESTOR E A AUTO-ESTIMA DOS FUNCIONÁRIOS UMA ANÁLISE DA

Leia mais

Motivação para o Desempenho. Carlos Fracetti carlosfracetti@yahoo.com.br. Carlos Felipe carlito204@hotmail.com

Motivação para o Desempenho. Carlos Fracetti carlosfracetti@yahoo.com.br. Carlos Felipe carlito204@hotmail.com Motivação para o Desempenho Carlos Fracetti carlosfracetti@yahoo.com.br Carlos Felipe carlito204@hotmail.com Heitor Duarte asbornyduarte@hotmail.com Márcio Almeida marciobalmeid@yahoo.com.br Paulo F Mascarenhas

Leia mais

1. Função Recursos Humanos/Administração de Pessoas 2. Abordagem Sistêmica dos Recursos Humanos

1. Função Recursos Humanos/Administração de Pessoas 2. Abordagem Sistêmica dos Recursos Humanos 5. Função Recursos Humanos/Administração de Pessoas Conteúdo 1. Função Recursos Humanos/Administração de Pessoas 2. Abordagem Sistêmica dos Recursos Humanos 1 Bibliografia Recomenda Livro Texto: Introdução

Leia mais

www.ricardoalmeida.adm.br

www.ricardoalmeida.adm.br Teoria Comportamental da Administração www.ricardoalmeida.adm.br A Teoria Comportamental (ou Teoria Behaviorista) da Administração veio significar uma nova direção e um novo enfoque dentro da teoria administrativa:

Leia mais

O O MELHOR MINUTO É O QUE INVISTO NAS PESSOAS RÁPIDO, SIMPLES E RESULTA

O O MELHOR MINUTO É O QUE INVISTO NAS PESSOAS RÁPIDO, SIMPLES E RESULTA 1906-1964 O O MELHOR MINUTO É O QUE INVISTO NAS PESSOAS É UM MÉTODO M RÁPIDO, R SIMPLES E RESULTA Ken Blanchard e Spencer Johnson THE MANAGER S S JOB IS TO ENSURE THAT WORKERS PERFORM THEIR BORING, REPETITIVE

Leia mais

TEORIAS DE CONTÉUDO DA MOTIVAÇÃO:

TEORIAS DE CONTÉUDO DA MOTIVAÇÃO: Fichamento / /2011 MOTIVAÇÃO Carga horária 2 HORAS CONCEITO: É o desejo de exercer um alto nível de esforço direcionado a objetivos organizacionais, condicionados pela habilidade do esforço em satisfazer

Leia mais

... Em um empreendimento, se todos os envolvidos estiverem absolutamente seguros sobre as metas, objectivos e propósitos da organização, praticamente

... Em um empreendimento, se todos os envolvidos estiverem absolutamente seguros sobre as metas, objectivos e propósitos da organização, praticamente ... Em um empreendimento, se todos os envolvidos estiverem absolutamente seguros sobre as metas, objectivos e propósitos da organização, praticamente todos os demais temas se tornam então simples questões

Leia mais

1. As Áreas Funcionais e Ambiente Organizacional

1. As Áreas Funcionais e Ambiente Organizacional 1. As Áreas Funcionais e Ambiente Organizacional Conteúdo 1 Bibliografia Recomenda Livro Texto: Introdução à Administração Eunice Lacava Kwasnicka - Editora Atlas Administração - Teoria, Processo e Prática

Leia mais

3. Introdução à Teoria Geral da Administração (TGA)

3. Introdução à Teoria Geral da Administração (TGA) 3. Introdução à Teoria Geral da Administração (TGA) Conteúdo 1. Conceitos Básicos 2. Histórico da Teoria Geral da Administração (TGA) 3. Abordagem Clássica da Administração 1 Bibliografia Recomenda Livro

Leia mais

MOTIVAÇÃO UM NOVO COMBUSTÍVEL EMPRESARIAL

MOTIVAÇÃO UM NOVO COMBUSTÍVEL EMPRESARIAL MOTIVAÇÃO UM NOVO COMBUSTÍVEL EMPRESARIAL Daniele Cristine Viana da Silva 1 Maria José Vencerlau 2 Regiane da Silva Rodrigues 3 André Rodrigues da Silva 4 Fábio Fernandes 5 RESUMO O Artigo Científico tem

Leia mais

Introdução à Teoria Geral da Administração. Aula 5 Motivação e Liderança

Introdução à Teoria Geral da Administração. Aula 5 Motivação e Liderança Introdução à Teoria Geral da Administração Aula 5 Motivação e Liderança Taylor e Hawthorne Há relação entre o taylorismo e a experiência de Hawthorne? Há relação entre Taylor e a motivação? Homo Oeconomicus

Leia mais

MOTIVADO PARA EMPREENDER

MOTIVADO PARA EMPREENDER O O empreendedorismo e a superação de obstáculos culos MOTIVADO PARA EMPREENDER Sergio B. Kappel, Msc. Eng. BLOG do Kappel gestaoebt@gmail.com Empreendedorismo Alguns conceitos O dicionário Aurélio descreve

Leia mais

FACULDADE DE EDUCACAO DE COSTA RICA

FACULDADE DE EDUCACAO DE COSTA RICA FACULDADE DE EDUCACAO DE COSTA RICA DISCIPLINA: MOTIVACAO E ETICA LIDERAR PESSOAS ATRAVÉS DA MOTIVAÇÃO Por que as pessoas se comportam de certos modos? Liderar - é o processo de dirigir e influenciar as

Leia mais

O que uma empresa necessita para manter seus funcionários motivados?

O que uma empresa necessita para manter seus funcionários motivados? O que uma empresa necessita para manter seus funcionários motivados? A empresa deve ser pensada como organização social, humana. Além das relações decorrentes das tarefas, ocorrem outros relacionamentos

Leia mais

Teoria Geral da Administração II

Teoria Geral da Administração II Teoria Geral da Administração II Livro Básico: Idalberto Chiavenato. Introdução à Teoria Geral da Administração. 7a. Edição, Editora Campus. Material disponível no site: www..justocantins.com.br 1. EMENTA

Leia mais

8. Abordagem Sistêmica

8. Abordagem Sistêmica 8. Abordagem Sistêmica Conteúdo 1. Abordagem Sistêmica 2. Cibernética 3. Teria Geral dos sistemas 4. Sistema Empresa 1 Bibliografia Recomenda Livro Texto: Administração - Teoria, Processo e Prática Chiavenato,

Leia mais

7. Teoria Estruturalista

7. Teoria Estruturalista 7. Teoria Estruturalista Conteúdo 2. Organização Formal e Organização Informal 3. Tipologia das Organizações 1 Bibliografia Recomenda Livro Texto: Administração - Teoria, Processo e Prática Chiavenato,

Leia mais

1. Introdução à Administração

1. Introdução à Administração 1. Introdução à Administração Conteúdo 1. Conceito de Administração 2. Funções do Administrador 3. As Competências do Administrador 4. As Habilidades do Administrador 5. As Atividades do Administrador

Leia mais

CAPÍTULO 10. Enfoque Comportamental na Administração

CAPÍTULO 10. Enfoque Comportamental na Administração CAPÍTULO 10 Enfoque Comportamental na Administração MAXIMIANO /TGA Fig. 9.1 A produção robotizada, que ilustra o sistema técnico das organizações, contrasta com o sistema social, formado pelas pessoas

Leia mais

TEORIAS E MODELOS DE GESTÃO

TEORIAS E MODELOS DE GESTÃO TEORIAS E MODELOS DE GESTÃO Capítulo 02 1 EVOLUÇÃO DAS TEORIAS ORGANIZACIONAIS INICIADAS DE FATO POR FAYOL E TAYLOR NO INÍCIO DO SÉCULO XX PRODUZIDAS COM BASE EM UMA NECESSIDADE DE CADA MOMENTO DA GERAÇÃO

Leia mais

USP/EACH Gestão Ambiental ACH 113 Princípios de Administração. 2/2012. Profa. Dra. Sylmara Gonçalves Dias

USP/EACH Gestão Ambiental ACH 113 Princípios de Administração. 2/2012. Profa. Dra. Sylmara Gonçalves Dias USP/EACH Gestão Ambiental ACH 113 Princípios de Administração 2/2012. Profa. Dra. Sylmara Gonçalves Dias Evolução da Administração e as Escolas Clássicas Anteriormente XVIII XIX 1895-1911 1916 1930 Tempo

Leia mais

COMPORTAMENTO SEGURO

COMPORTAMENTO SEGURO COMPORTAMENTO SEGURO A experiência demonstra que não é suficiente trabalhar somente com estratégias para se conseguir um ambiente de trabalho seguro. O ideal é que se estabeleça a combinação de estratégias

Leia mais

GABARITO COMENTADO. A resposta correta é a opção 4, conforme consta na tabela das Necessidades Humanas Básicas, à página 65 da apostila.

GABARITO COMENTADO. A resposta correta é a opção 4, conforme consta na tabela das Necessidades Humanas Básicas, à página 65 da apostila. ADMINISTRAÇÃO SEMESTRE ESPECIAL MP2 (reposição) 18/11/2008 TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO 2008/2 GABARITO COMENTADO A. Sobre as conclusões e contribuições da experiência de Hawthorne, pode-se afirmar que:

Leia mais

Roteiro VcPodMais#005

Roteiro VcPodMais#005 Roteiro VcPodMais#005 Conseguiram colocar a concentração total no momento presente, ou naquilo que estava fazendo no momento? Para quem não ouviu o programa anterior, sugiro que o faça. Hoje vamos continuar

Leia mais

APOSTILA. Ninguém motiva ninguém. Cada pessoa se automotiva na busca da satisfação de suas necessidades pessoais

APOSTILA. Ninguém motiva ninguém. Cada pessoa se automotiva na busca da satisfação de suas necessidades pessoais APOSTILA I-Introdução Origem etimológica: derivada do latim motivus, que significa mover. Ação dirigida a objetivos, sendo auto-regulada, biológica ou cognitivamente, persistente no tempo e ativada por

Leia mais

17/5/2009. Esta área de conhecimento tem o objetivo de utilizar de forma mais efetiva as pessoas envolvidas no projeto (equipe e stakeholders)

17/5/2009. Esta área de conhecimento tem o objetivo de utilizar de forma mais efetiva as pessoas envolvidas no projeto (equipe e stakeholders) Gerenciamento de Recursos Humanos do Projeto FAE S. J. dos Pinhais Projeto e Desenvolvimento de Software Gerenciamento de Recursos Humanos Esta área de conhecimento tem o objetivo de utilizar de forma

Leia mais

LIDERANÇA SITUACIONAL E EMPREENDEDORA LIDERANÇA SITUACIONAL E EMPREENDEDORA LIDERANÇA SITUACIONAL E EMPREENDEDORA GESTÃO AMBIENTAL E DA QUALIDADE

LIDERANÇA SITUACIONAL E EMPREENDEDORA LIDERANÇA SITUACIONAL E EMPREENDEDORA LIDERANÇA SITUACIONAL E EMPREENDEDORA GESTÃO AMBIENTAL E DA QUALIDADE MUITOS DOS PROBLEMAS MAIS CRÍTICOS NÃO ESTÃO NO MUNDO DAS COISAS, MAS NO MUNDO DAS PESSOAS. DESENVOLVIMENTO: APTIDÕES TÉCNICAS >>> HABILIDADES SOCIAIS CIÊNCIAS BEM SUCEDIDAS X CIÊNCIAS MAL SUCEDIDAS. -

Leia mais

Centro de Vivência PROJETO DE IMPLANTAÇÃO AUTOR: JOÃO LUÍS GOMES Março de 2013

Centro de Vivência PROJETO DE IMPLANTAÇÃO AUTOR: JOÃO LUÍS GOMES Março de 2013 Centro de Vivência PROJETO DE IMPLANTAÇÃO AUTOR: JOÃO LUÍS GOMES Março de 2013 INTRODUÇÃO: A educação, segundo estabelece a Constituição (arts. 205 e 227), é um direito público subjetivo que deve ser assegurada

Leia mais

TÉCNICAS DE MOTIVAÇÃO APLICADAS A EMPRESAS

TÉCNICAS DE MOTIVAÇÃO APLICADAS A EMPRESAS TÉCNICAS DE MOTIVAÇÃO APLICADAS A EMPRESAS Rogéria Lopes Gularte 1 Resumo: No presente trabalho procuramos primeiramente definir o que é motivação, e como devemos nos comportar com as diferentes necessidades,

Leia mais

Capítulo II. Treinamento & Desenvolvimento

Capítulo II. Treinamento & Desenvolvimento Capítulo II Treinamento & Desenvolvimento QUESTÃO 01. (SERPRO/2005) A respeito do diagnóstico de necessidades de treinamento e desenvolvimento, julgue os itens seguintes. Avaliação de necessidades de treinamento

Leia mais

MOTIVAÇÃO COMO AÇÃO DO GESTOR Alessandra de Paula 1 - RGM Ana Carla Borasca¹ - RGM 085576 Juliana dos Santos¹ - RGM 088414 Tatiane Alencar¹ - RGM

MOTIVAÇÃO COMO AÇÃO DO GESTOR Alessandra de Paula 1 - RGM Ana Carla Borasca¹ - RGM 085576 Juliana dos Santos¹ - RGM 088414 Tatiane Alencar¹ - RGM MOTIVAÇÃO COMO AÇÃO DO GESTOR Alessandra de Paula 1 - RGM Ana Carla Borasca¹ - RGM 085576 Juliana dos Santos¹ - RGM 088414 Tatiane Alencar¹ - RGM Viviane Oliveira 2 Resumo A motivação é o impulso que leva

Leia mais

TÍTULO: O PAPEL DA LIDERANÇA NA MOTIVAÇÃO DENTRO DO AMBIENTE ORGANIZACIONAL UM ESTUDO NA EMPRESA VISÃO DIGITAL 3D E-COMMERCE

TÍTULO: O PAPEL DA LIDERANÇA NA MOTIVAÇÃO DENTRO DO AMBIENTE ORGANIZACIONAL UM ESTUDO NA EMPRESA VISÃO DIGITAL 3D E-COMMERCE TÍTULO: O PAPEL DA LIDERANÇA NA MOTIVAÇÃO DENTRO DO AMBIENTE ORGANIZACIONAL UM ESTUDO NA EMPRESA VISÃO DIGITAL 3D E-COMMERCE CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

1.-A Gestão e a evolução das teorias da Gestão

1.-A Gestão e a evolução das teorias da Gestão 1.-A Gestão e a evolução das teorias da Gestão 1.2- História do Pensamento sobre a Gestão 1 GESTÃO 1.-A Gestão e a evolução das teorias da Gestão 1.2- História do Pensamento sobre a Gestão 2 1.2-História

Leia mais

Elétrica montagem e manutenção ltda. AVALIAÇÃO DE COLABORADORES

Elétrica montagem e manutenção ltda. AVALIAÇÃO DE COLABORADORES AVALIAÇÃO DE COLABORADORES RESUMO A preocupação com o desempenho dos colaboradores é um dos fatores que faz parte do dia-a-dia da nossa empresas. A avaliação de desempenho está se tornando parte atuante

Leia mais

Rotinas de DP- Professor: Robson Soares

Rotinas de DP- Professor: Robson Soares Rotinas de DP- Professor: Robson Soares Capítulo 2 Conceitos de Gestão de Pessoas - Conceitos de Gestão de Pessoas e seus objetivos Neste capítulo serão apresentados os conceitos básicos sobre a Gestão

Leia mais

Organização da Aula. Motivação e Satisfação no Trabalho. Aula 1. Como adquirir motivação? Contextualização. Elementos Fundamentais. Instrumentalização

Organização da Aula. Motivação e Satisfação no Trabalho. Aula 1. Como adquirir motivação? Contextualização. Elementos Fundamentais. Instrumentalização Motivação e Satisfação no Trabalho Aula 1 Profa. Adriana Straube Organização da Aula Equívocos sobre Motivação e Recompensas Teorias da Motivação Técnicas de Motivação Papel da Gerência Como adquirir motivação?

Leia mais

Síntese de TGA. Teoria Comportamental da Administração

Síntese de TGA. Teoria Comportamental da Administração Síntese de TGA Teoria Comportamental da Administração A Teoria Comportamental surgiu nos Estados Unidos por volta de 1950, com uma redefinição dos conceitos antigos administrativos ao criticar as teorias

Leia mais

A ESSENCIALIDADE DA MOTIVAÇÃO NOS PROCESSOS ORGANIZACIONAIS THE ESSENTIAL MOTIVATION IN THE ORGANIZATIONAL ENVIRONMENT

A ESSENCIALIDADE DA MOTIVAÇÃO NOS PROCESSOS ORGANIZACIONAIS THE ESSENTIAL MOTIVATION IN THE ORGANIZATIONAL ENVIRONMENT A ESSENCIALIDADE DA MOTIVAÇÃO NOS PROCESSOS ORGANIZACIONAIS THE ESSENTIAL MOTIVATION IN THE ORGANIZATIONAL ENVIRONMENT Andréia Lopes Graduanda em Administração UNISALESIANO Lins azdeia@yahoo.com.br Jessica

Leia mais

NOÇÕES DE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS

NOÇÕES DE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS NOÇÕES DE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS Concurso para agente administrativo da Polícia Federal Profa. Renata Ferretti Central de Concursos NOÇÕES DE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS 1. Organizações como

Leia mais

Motivando sua Empresa para o Sucesso

Motivando sua Empresa para o Sucesso Motivando sua Empresa para o Sucesso rev. 06/06 Trabalhando com um time de sucesso Engº JULIO TADEU ALENCAR e-mail: jtalencar@sebraesp.com.br 1 O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO EVOLUÇÃO

Leia mais

Teoria Comportamental da Administração (Behaviorista)

Teoria Comportamental da Administração (Behaviorista) Génese da Teoria Comportamental Teoria Comportamental da Administração (Behaviorista) Surge na década de 40 (O Comportamento Administrativo; Simon, Herbert A.; E.U.A.; 1947); Redefinição total dos conceitos

Leia mais

Humanismo: Principais conceitos e relação com a Educação

Humanismo: Principais conceitos e relação com a Educação Humanismo: Principais conceitos e relação com a Educação Fundadores Embora não tivessem a pretensão de constituir uma escola, Carl Rogers e Abraham Maslow são considerados seus fundadores. Carl Ransom

Leia mais

10. Abordagem Neoclássica

10. Abordagem Neoclássica 10. Abordagem Neoclássica Conteúdo 1. Abordagem Neoclássica 2. Características da Abordagem Neoclássica 3. Administração como Técnica Social 4. Aspectos Administrativos Comuns às Organizações 5. Eficiência

Leia mais

Introdução à Administração. Prof. Adilson Mendes Ricardo Novembro de 2012

Introdução à Administração. Prof. Adilson Mendes Ricardo Novembro de 2012 Novembro de 2012 Aula baseada no livro Teoria Geral da Administração Idalberto Chiavenato 7ª edição Editora Campus - 2004 Nova ênfase Administração científica tarefas Teoria clássica estrutura organizacional

Leia mais

A motivação para o trabalho com enfoque no aspecto financeiro

A motivação para o trabalho com enfoque no aspecto financeiro XII I SIMPEP Bauru,SP, Brasil, 6 a 8 de novembro de 2006 A motivação para o trabalho com enfoque no aspecto financeiro Marco Antonio de Carvalho (UNESP) macarvalho@feb.unesp.br Bruno Vinicius Martini da

Leia mais

Gestão de Talentos. Reflexões e oportunidades

Gestão de Talentos. Reflexões e oportunidades Gestão de Talentos Reflexões e oportunidades Gestão de Pessoas : Abordagem Integrada Processos e Tecnologia Alinhamento Pessoas Estratégias Objetivo Gestão de Pessoas Alavancar os resultados da Empresa.

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO I Turma 1ADN -2010

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO I Turma 1ADN -2010 1ª PARTE TEORIA CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO Enquanto Taylor e outros engenheiros desenvolviam a Administração Científica nos Estados Unidos, em 1916 surgia na França, espraiando-se rapidamente pela Europa,

Leia mais

FACULDADE CENECISTA DE CAMPO LARGO GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO ROSANGELA APARECIDA PEREIRA

FACULDADE CENECISTA DE CAMPO LARGO GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO ROSANGELA APARECIDA PEREIRA FACULDADE CENECISTA DE CAMPO LARGO GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO ROSANGELA APARECIDA PEREIRA LIDERANÇA E MOTIVAÇÃO: ESTUDO SOBRE OS ESTILOS DE LIDERANÇA E O QUE ELES INFLUENCIAM A MOTIVAÇÃO DOS FUNCIONÁRIOS

Leia mais

Organização em Enfermagem

Organização em Enfermagem Universidade Federal de Juiz de Fora Faculdade de Enfermagem Departamento de Enfermagem Básica Disciplina Administração em Enfermagem I Organização em Enfermagem Prof. Thiago C. Nascimento Objetivos: Discorrer

Leia mais

ADM. GERAL E PÚBLICA Módulo Único

ADM. GERAL E PÚBLICA Módulo Único Rua Maria Tomásia, 22 Aldeota Fortaleza/CE Fone: (85) 3208.2222 www.masterconcurso.com.br 2 CONCURSO: TJ-Ce ASSUNTO: EXERCÍCIOS 01. O líder autocrático, na divisão de tarefas, determina quem vai executar

Leia mais

GESTÃO DE PESSOAS NAS ORGANIZAÇÕES MPU. Professor: Renato Lacerda QUESTÕES DO CESPE. Teorias Motivacionais

GESTÃO DE PESSOAS NAS ORGANIZAÇÕES MPU. Professor: Renato Lacerda QUESTÕES DO CESPE. Teorias Motivacionais GESTÃO DE PESSOAS NAS ORGANIZAÇÕES MPU Professor: Renato Lacerda QUESTÕES DO CESPE Teorias Motivacionais (Cespe / Detran 2009) Julgue os itens a seguir, acerca de motivação e satisfação no trabalho. 1)

Leia mais

Estratégias adotadas pelas empresas para motivar seus funcionários e suas conseqüências no ambiente produtivo

Estratégias adotadas pelas empresas para motivar seus funcionários e suas conseqüências no ambiente produtivo Estratégias adotadas pelas empresas para motivar seus funcionários e suas conseqüências no ambiente produtivo Camila Lopes Ferreir a (UTFPR) camila@pg.cefetpr.br Dr. Luiz Alberto Pilatti (UTFPR) lapilatti@pg.cefetpr.br

Leia mais

Veículo: Site Estilo Gestão RH Data: 03/09/2008

Veículo: Site Estilo Gestão RH Data: 03/09/2008 Veículo: Site Estilo Gestão RH Data: 03/09/2008 Seção: Entrevista Pág.: www.catho.com.br SABIN: A MELHOR EMPRESA DO BRASIL PARA MULHERES Viviane Macedo Uma empresa feita sob medida para mulheres. Assim

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO GERAL. Abordagem Comportamental Teoria Comportamental / Teoria do Desenvolvimento Organizacional DO Parte 2. Prof.

ADMINISTRAÇÃO GERAL. Abordagem Comportamental Teoria Comportamental / Teoria do Desenvolvimento Organizacional DO Parte 2. Prof. ADMINISTRAÇÃO GERAL Abordagem Comportamental Teoria Comportamental / Teoria do Desenvolvimento Organizacional DO Parte 2 Prof. Fábio Arruda 1- Hierarquia das necessidades de Maslow Abraham Maslow apresentou

Leia mais

Módulo 11 Socialização organizacional

Módulo 11 Socialização organizacional Módulo 11 Socialização organizacional O subsistema de aplicação de recursos humanos está relacionado ao desempenho eficaz das pessoas na execução de suas atividades e, por conseguinte, na contribuição

Leia mais

SISTEMAS ABERTOS. Nichollas Rennah

SISTEMAS ABERTOS. Nichollas Rennah SISTEMAS ABERTOS Nichollas Rennah Conceito O Sistema aberto caracteriza-se por um intercâmbio de transações com o ambiente e conserva-se constantemente no mesmo estado(auto-regulação) apesar de a matéria

Leia mais

Compreendendo o controle aversivo

Compreendendo o controle aversivo Compreendendo o controle aversivo setembro 2012 Maura Alves Nunes Gongora [Universidade Estadual de Londrina] Justificativa: Controle aversivo constitui um amplo domínio do corpo teórico-conceitual da

Leia mais

BRINCAR É UM DIREITO!!!! Juliana Moraes Almeida Terapeuta Ocupacional Especialista em Reabilitação neurológica

BRINCAR É UM DIREITO!!!! Juliana Moraes Almeida Terapeuta Ocupacional Especialista em Reabilitação neurológica BRINCAR É UM DIREITO!!!! Juliana Moraes Almeida Terapeuta Ocupacional Especialista em Reabilitação neurológica PORQUE AS CRIANÇAS ESTÃO PERDENDO TODOS OS REFERENCIAIS DE ANTIGAMENTE EM RELAÇÃO ÀS BRINCADEIRAS?

Leia mais

Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação. Profa. Lillian Alvares

Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação. Profa. Lillian Alvares Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Disciplina: Planejamento e Gestão de Instituições Arquivísticas Profa. Lillian Alvares Crenças e Valores Cultura Clima Componentes Estruturas

Leia mais

5.2.2. TEORIAS MOTIVACIONAIS

5.2.2. TEORIAS MOTIVACIONAIS Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais Campus de Poços de Caldas 5.2.2. TEORIAS MOTIVACIONAIS 2º Per. Administração: 5.3. Alessandra Valim Ribeiro Cristiane Moreira de Oliveira Denise Helena

Leia mais

Faculdade de Ciências Sociais e Aplicadas de Petrolina - FACAPE Curso: Ciência da Computação Disciplina: Ambiente de Negócios e Marketing

Faculdade de Ciências Sociais e Aplicadas de Petrolina - FACAPE Curso: Ciência da Computação Disciplina: Ambiente de Negócios e Marketing Faculdade de Ciências Sociais e Aplicadas de Petrolina - FACAPE Curso: Ciência da Computação Disciplina: Ambiente de Negócios e Marketing Recursos Humanos cynaracarvalho@yahoo.com.br Conceitos A gestão

Leia mais

Verônica A. Pereira Souto

Verônica A. Pereira Souto COMPORTAMENTO HUMANO NO TRABALHO Verônica A. Pereira Souto VITÓRIA-ES 11 de julho 2009 VERÔNICA APARECIDA PEREIRA SOUTO MINI-CURRÍCULO PSICÓLOGA GRADUADA EM LETRAS/INGLÊS PÓS-GRADUADA EM COMUNICAÇÃO SOCIAL

Leia mais

Capítulo 16 - Motivação

Capítulo 16 - Motivação Capítulo 16 - Motivação Objetivos de aprendizagem Após estudar este capítulo, você deverá estar capacitado para: Definir o processo motivacional. Descrever a hierarquia das necessidades humanas. Diferenciar

Leia mais

Administração de Pessoas

Administração de Pessoas Administração de Pessoas MÓDULO 5: ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS 5.1 Conceito de ARH Sem as pessoas e sem as organizações não haveria ARH (Administração de Recursos Humanos). A administração de pessoas

Leia mais

Funções Administrativas. Planejamento. Organização. Liderança. Controle. Curso de Engenharia Elétrica. Planejamento. Organização. Liderança.

Funções Administrativas. Planejamento. Organização. Liderança. Controle. Curso de Engenharia Elétrica. Planejamento. Organização. Liderança. Curso de Engenharia Elétrica Funções Administrativas Administração e Organização de Empresas de Engenharia Planejamento Organização Prof. Msc. Cláudio Márcio cmarcio@gmail.com www2.unifap.br/claudiomarcio

Leia mais

Hiperconexão. Micro-Revoluções. Não-dualismo

Hiperconexão. Micro-Revoluções. Não-dualismo ESTUDO SONHO BRASILEIRO APRESENTA 3 DRIVERS DE COMO JOVENS ESTÃO PENSANDO E AGINDO DE FORMA DIFERENTE E EMERGENTE: A HIPERCONEXÃO, O NÃO-DUALISMO E AS MICRO-REVOLUÇÕES. -- Hiperconexão 85% dos jovens brasileiros

Leia mais

Gestão Empresarial. Um Pouco de História... Administração Científica. Aula 2. Comércio Exterior. Frederick Taylor (1856-1915) Tarefa

Gestão Empresarial. Um Pouco de História... Administração Científica. Aula 2. Comércio Exterior. Frederick Taylor (1856-1915) Tarefa Gestão Empresarial Um Pouco de História... Aula 2 Prof. Elton Ivan Schneider tutoriacomercioexterior@grupouninter.com.br Comércio Exterior Administração Pré-Científica Administração Científica Maior interesse

Leia mais

Como funcionam as micro e pequenas empresas

Como funcionam as micro e pequenas empresas Como funcionam as micro e pequenas empresas Introdução Elas são 99,2% das empresas brasileiras. Empregam cerca de 60% das pessoas economicamente ativas do País, mas respondem por apenas 20% do Produto

Leia mais

Gestão de Recursos Humanos

Gestão de Recursos Humanos Como Gerir Estrategicamente os RH? Gerir a Motivação 1 A Motivação (Modelo) Necessidade Impulso Acções Satisfação Diminuição do impulso e Satisfação da necessidade In: Ferreira, Neves e Abreu 1996 2 A

Leia mais

SIMPÓSIO ENSINO MÉDIO INTEGRADO FOZ DO IGUAÇU

SIMPÓSIO ENSINO MÉDIO INTEGRADO FOZ DO IGUAÇU SIMPÓSIO ENSINO MÉDIO INTEGRADO FOZ DO IGUAÇU E I X O T E C N O L Ó G I C O : G E S T Ã O E N E G Ó C I O S O F I C I N A 2 : G E S T Ã O D E P E S S O A S E P R E S T A Ç Ã O D E S E R V I Ç O S Consultora

Leia mais

Curso de Engenharia de Produção. Organização do Trabalho na Produção

Curso de Engenharia de Produção. Organização do Trabalho na Produção Curso de Engenharia de Produção Organização do Trabalho na Produção Condicionantes da Estrutura Organizacional De acordo com Simeray ( 1970) é produto dos seguintes fatores: O valor do homem O conhecimento

Leia mais

CURSO DE FORMAÇÃO EM COACHING PESSOAL

CURSO DE FORMAÇÃO EM COACHING PESSOAL CURSO DE FORMAÇÃO EM COACHING PESSOAL FOCO 1 Formação para a área de RH CONSULTORES INTERNOS ESPECIALIZADOS em COACHING PESSOAL. FOCO 2 Formação DE CONSULTORES PROFISSIONAIS especializados em COACHING

Leia mais

FATORES DE MOTIVAÇÃO DOS SERVIDORES DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE MINAS GERAIS, LOTADOS NA SECRETARIA DA 2ª VARA DA COMARCA DE JANUÁRIA-MG

FATORES DE MOTIVAÇÃO DOS SERVIDORES DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE MINAS GERAIS, LOTADOS NA SECRETARIA DA 2ª VARA DA COMARCA DE JANUÁRIA-MG FATORES DE MOTIVAÇÃO DOS SERVIDORES DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE MINAS GERAIS, LOTADOS NA SECRETARIA DA 2ª VARA DA COMARCA DE JANUÁRIA-MG Jorge Magno F. Campos Junior 1 Eliane Gonçalves dos Santos 2 Sônia

Leia mais

O Conceito de Aptidão para o Trabalho, sob o Paradigma da Inclusão

O Conceito de Aptidão para o Trabalho, sob o Paradigma da Inclusão O Conceito de Aptidão para o Trabalho, sob o Paradigma da Inclusão 1º. Seminário de Saúde e Segurança do Trabalhador com Deficiência na Indústria da Construção Pesada SINICESP São Paulo, 24 de Setembro

Leia mais

ESTUDO DE FATORES DE AUMENTO DA PRODUTIVIDADE E DIMINUIÇÃO DOS CUSTOS PELA MOTIVAÇÃO DOS COLABORADORES NAS ORGANIZAÇÕES 1

ESTUDO DE FATORES DE AUMENTO DA PRODUTIVIDADE E DIMINUIÇÃO DOS CUSTOS PELA MOTIVAÇÃO DOS COLABORADORES NAS ORGANIZAÇÕES 1 ESTUDO DE FATORES DE AUMENTO DA PRODUTIVIDADE E DIMINUIÇÃO DOS CUSTOS PELA MOTIVAÇÃO DOS COLABORADORES NAS ORGANIZAÇÕES 1 Luiz Alfredo Rodrigues Alves Marzochi Faculdade de Agudos - FAAG RESUMO Este trabalho

Leia mais

GESTÃO DE PESSOAS CURSO DE APERFEIÇOAMENTO DE OFICIAIS DE SAÚDE-CAO/S 2011 GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS. Instrutor Cap OZEAS FERREIRA

GESTÃO DE PESSOAS CURSO DE APERFEIÇOAMENTO DE OFICIAIS DE SAÚDE-CAO/S 2011 GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS. Instrutor Cap OZEAS FERREIRA CURSO DE APERFEIÇOAMENTO DE OFICIAIS DE SAÚDE-CAO/S 2011 GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS Instrutor Cap OZEAS FERREIRA ABORDAGEM GERAL SOBRE GESTÃO DE PESSOAS OBJETIVO DA DISCIPLINA A DISCIPLINA BUSCA DEMONSTRAR

Leia mais

Estimativas Profissionais Plano de Carreira Empregabilidade Gestão de Pessoas

Estimativas Profissionais Plano de Carreira Empregabilidade Gestão de Pessoas By Marcos Garcia Como as redes sociais podem colaborar no planejamento e desenvolvimento de carreira (individual e corporativo) e na empregabilidade dos profissionais, analisando o conceito de Carreira

Leia mais

AFINAL, O QUE É ESSA TAL OUVIDORIA?

AFINAL, O QUE É ESSA TAL OUVIDORIA? AFINAL, O QUE É ESSA TAL OUVIDORIA? Hélio José Ferreira e Hilma Araújo dos Santos * O título provocativo dessa matéria reflete uma situação peculiar pela qual vem passando as ouvidorias no Brasil, que

Leia mais

GESTÃO, SINERGIA E ATUAÇÃO EM REDE. Prof. Peter Bent Hansen PPGAd / PUCRS

GESTÃO, SINERGIA E ATUAÇÃO EM REDE. Prof. Peter Bent Hansen PPGAd / PUCRS GESTÃO, SINERGIA E ATUAÇÃO EM REDE Prof. Peter Bent Hansen PPGAd / PUCRS Agenda da Conferência O que são redes? O que são redes interorganizacionais? Breve histórico das redes interorganizacionais Tipos

Leia mais

CLIMA ORGANIZACIONAL:

CLIMA ORGANIZACIONAL: FACULDADE DE PARÁ DE MINAS - FAPAM CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Letícia Karoline Pereira da Silva CLIMA ORGANIZACIONAL: ANÁLISE DOS PRINCIPAIS CONDICIONANTES RESPONSÁVEIS PELA GERAÇÃO DE UM AMBIENTE DE TRABALHO

Leia mais

Gestão de pessoas. Gestão de pessoas

Gestão de pessoas. Gestão de pessoas Gestão de pessoas Prof. Dr. Alexandre H. de Quadros Gestão de pessoas Gestão de pessoas ou administração de RH? Uma transformação das áreas e de seus escopos de atuação; Houve mudança ou é somente semântica;

Leia mais

GESTÃO. 1.-A Gestão e a evolução das teorias da Gestão. 1.2- (breve) História do Pensamento sobre a Gestão DEG/FHC DEG 1

GESTÃO. 1.-A Gestão e a evolução das teorias da Gestão. 1.2- (breve) História do Pensamento sobre a Gestão DEG/FHC DEG 1 GESTÃO 1.-A Gestão e a evolução das teorias da Gestão 1.2- (breve) História do Pensamento sobre a Gestão DEG/FHC DEG 1 1.2-História do Pensamento sobre a Gestão As organizações e a prática da Gestão foram,

Leia mais

Gestão de Pessoas e de Competências MOTIVAÇÃO.

Gestão de Pessoas e de Competências MOTIVAÇÃO. MOTIVAÇÃO. O FUNCIONAMENTO DAS ORGANIZAÇÕES E DE ATIVIDADES DE FORMA GERAL TEM COMO BASE O COMPROMISSO, A DEDICAÇÃO E O ESFORÇO DE SEUS INTEGRANTES. 1 MOTIVAÇÃO. PRIMEIRAS ABORDAGENS: Marcadas pela busca

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA QUALIDADE DE VIDA PARA O TRABALHADOR NA GRÁFICA E EDITORA BRASIL

A IMPORTÂNCIA DA QUALIDADE DE VIDA PARA O TRABALHADOR NA GRÁFICA E EDITORA BRASIL FACULDADES INTEGRADAS DO PLANALTO CENTRAL Aprovadas pela Portaria SESu/MEC Nº. 368/08 (DOU 20/05/2008) CURSO DE ADMINISTRAÇÃO A IMPORTÂNCIA DA QUALIDADE DE VIDA PARA O TRABALHADOR NA GRÁFICA E EDITORA

Leia mais