Pedro Castro Henriques - DID. As áreas protegidas a seguir apresentados dividem-se entre:

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Pedro Castro Henriques - DID. As áreas protegidas a seguir apresentados dividem-se entre:"

Transcrição

1 áreas protegidas de portugal continental estatutos de conservação (áreas protegidas citadas de norte para sul; legislação essencial por ordem cronológica; dados referentes a março 2006) Pedro Castro Henriques - DID As áreas protegidas a seguir apresentados dividem-se entre: áreas de interesse nacional parque nacional, parque natural, reserva natural, área de paisagem protegida, sítio classificado e monumento natural; áreas de interesse regional paisagem protegida; áreas privadas refúgio ornitológico. Sobre estes espaços, para além dos estatutos nacionais acima indicados, incidem também: estatutos de natureza comunitária Zona de Protecção Especial para as Aves Selvagens (primitivamente associado à Directiva Aves e integrando, directamente, a Rede Sítio de Importância Comunitária (associado à Directiva Habitats - rede Natura 2000 e já aprovado, por região biogeográfica, pela Comissão) Sítio proposto para Sítio de Importância Comunitária (associado à Directiva Habitats - rede Natura 2000 e proposto à Comissão para aprovação) estatutos de natureza internacional Reserva Biogenética - rede de reservas constituída pelo Conselho da Europa com base na Convenção de Berna e que, hoje em dia, no caso dos países da União Europeia, se encontra integrada nas listas de sítios propostos para Sítios de Interesse Comunitário - rede Natura Reserva da Biosfera - distinção conferida pela UNESCO no âmbito do programa O Homem e a Biosfera em cujos objectivos figura a criação de uma rede mundial de reservas destinadas a conservar os recursos da biosfera. Sítio da Lista Ramsar - a Convenção relativa às Zonas Húmidas de Importância Internacional particularmente como habitat de aves aquáticas (Convenção de Ramsar) tem, entre outros objectivos, a constituição de uma Lista de Sítios à escala mundial destinados a proteger e valorizar as zonas húmidas. Sítio do Património Mundial - distinção conferida pela UNESCO no âmbito da Convenção do Património Mundial e cujo objectivo é a protecção do património natural e cultural mais prestigioso a nível planetário.

2 áreas protegidas e estatutos de conservação correntes parque nacional de peneda-gerês - Decreto-Lei nº 187/71, de 8 de Maio: cria o Parque Nacional da Peneda-Gerês Serras da Peneda-Gerês (Sítio de Importância Comunitária - SIC - Jornal Oficial das Comunidades Europeias, 29 DEZ 2004 em que se integra o Parque Nacional da Peneda-Gerês) para Aves Selvagens da Serra do Gerês (esta ZPE integra directamente a rede - Rede de Reservas Biogenéticas do Conselho da Europa: Matas de Palheiros - Albergaria (área actualmente integrada no SIC Peneda-Gerês - rede Natura parque natural de montesinho - Decreto-Lei nº 355/79, de 30 de Agosto: cria o Parque Natural de Montesinho Montesinho - Nogueira (proposto para Sítio de Importância Comunitária - SIC - Rede para Aves Selvagens das Serras de Montesinho - Nogueira (esta ZPE integra directamente a rede - Decreto Regulamentar nº 5-A/97, de 4 de Abril: reclassifica a Área Protegida mantendo o estatuto anterior paisagem protegida do corno do bico Corno do Bico (Sítio de Importância Comunitária - SIC - Jornal Oficial das Comunidades Europeias, 29 DEZ 2004 em que se integra a Paisagem Protegida do Corno do Bico) - Decreto Regulamentar nº 21/99, de 20 de Setembro: cria a Paisagem Protegida do Corno do Bico paisagem protegida das lagoas de bertiandos e são pedro dos arcos - Decreto Regulamentar nº 19/00, de 11 de Dezembro: cria a Paisagem Protegida das Lagoas de Bertiandos e São Pedro dos Arcos Rio Lima (Sítio de Importância Comunitária - SIC Jornal Oficial das

3 Comunidades Europeias, 29 DEZ 2004 em que se integra a Paisagem Protegida das Lagoas de Bertiandos e São Pedro dos Arcos) parque natural do litoral norte - Decreto-Lei nº 357/87, de 17 de Novembro: cria a Área de Paisagem Protegida do Litoral de Esposende - Resolução do Conselho de Ministros nº 76/00, de 5 de Julho: cria o Sítio Litoral Norte (Sítio de Importância Comunitária - SIC Jornal Oficial das Comunidades Europeias, 29 DEZ 2004) - Decreto Regulamentar nº 6/2005, de 21 de Junho: reclassifica a Área Protegida como Parque Natural do Litoral Norte e altera os seus limites passando também a incluir uma área marinha adjacente paisagem protegida da albufeira do azibo - Decreto Regulamentar nº 13/99, de 3 de Agosto: cria a Paisagem Protegida da Albufeira do Azibo parque natural do douro internacional - Resolução do Conselho de Ministros nº 142/97,de 28 de Agosto: cria o Sítio Douro Internacional a incluir na rede Natura 2000 (proposto para Sítio de Importância Comunitária - SIC - rede - Decreto-Lei nº 8/98, de 11 de Maio - cria o Parque Natural do Douro Internacional - Decreto-Lei nº 384-B/99, de 23 de Setembro - cria a Zona de Protecção Especial para Aves Selvagens do Douro Internacional e Vale do Rio Águeda (esta ZPE integra directamente a rede parque natural do alvão - Decreto Lei nº 237/83, de 8 de Junho: cria o Parque Natural do Alvão Alvão - Marão (proposto para Sítio de Importância Comunitária - SIC - rede reserva natural das dunas de são jacinto - Decreto-Lei nº 41/79, de 6 de Março: cria a Reserva Natural das Dunas de São Jacinto - Decreto Regulamentar nº 46/97, de 17 de Novembro: reclassificação da Área Protegida mantendo o estatuto anterior para Aves Selvagens da Ria de Aveiro (esta ZPE integra directamente a rede - Decreto Regulamentar nº 24/04, de 12 de Julho: reclassificação da Área Protegida mantendo o estatuto anterior mas alterando os limites

4 parque natural da serra da estrela - Decreto-Lei nº 557/76, de 16 de Julho: cria o Parque Natural da Serra da Estrela - Decreto Regulamentar nº 50/97, de 20 de Novembro: reclassifica a Área Protegida mantendo o estatuto anterior mas redefenindo os seus limites - Resolução do Conselho de Ministros nº 76/00, de 5 de Julho: cria o Sítio Serra da Estrela (proposto para Sítio de Importância Comunitária - SIC - rede Natura - Rede de Reservas Biogenéticas do Conselho da Europa: Planalto Central da Serra da Estrela (área actualmente integrada no Sítio Serra da Estrela - rede reserva natural da serra da malcata - Decreto-Lei nº 294/81, de 16 de Outubro: cria a Reserva Natural Parcial da Serra da Malcata - Decreto-Lei nº 384-B/98, de 23 de Setembro: cria a Zona de Protecção Especial para Aves Selvagens da Serra da Malcata (esta ZPE integra directamente a rede - Decreto Regulamentar nº 28/99, de 30 de Novembro: reclassifica a Área Protegida como Reserva Natural da Serra da Malcata e redefine os seus limites - Rede de Reservas Biogenéticas do Conselho da Europa: Serra da Malcata (área actualmente integrada na ZPE Serra da Malcata - rede paisagem protegida da serra do açor - Decreto-Lei nº 67/82, de 3 de Março: cria a Área de Paisagem Protegida da Serra do Açor - Resolução do Conselho de Ministros nº 76/00, de 5 de Julho: cria o Sítio Complexo do Açor (proposto para Sítio de Importância Comunitária - SIC - rede - Rede de Reservas Biogenéticas do Conselho da Europa: Mata da Margaraça (área actualmente integrada no Sítio Complexo do Açor - rede reserva natural do paul de arzila - Decreto-Lei nº 219/88, de 27 de Junho: cria a Reserva Natural do Paul de Arzila Paul de Arzila (proposto para Sítio de Importância Comunitária - SIC - rede - Decreto Regulamentar nº 45/97, de 17 de Novembro: reclassifica a Área Protegida mantendo o estatuto anterior

5 para Aves Selvagens do Paul de Arzila (esta ZPE integra directamente a rede - Rede de Reservas Biogenéticas do Conselho da Europa: Paul de Arzila (área actualmente integrada no Sítio e na ZPE Paul de Arzila - rede internacional): Paul de Arzila (7 MAI 96) sítio classificado dos montes de santa olaia e ferrestelo - Decreto-Lei nº 394/91, de 11 de Outubro: cria o Sítio Classificado dos Montes de Santa Olaia e Ferrestelo parque natural do tejo internacional - Decreto-Lei nº 284-B/99, de 23 de Setembro: cria a Zona de Protecção Especial para Aves Selvagens Tejo Internacional, Erges e Pônsul (esta ZPE integra directamente a rede - Decreto-Regulamentar nº 9/00, de 18 de Agosto: cria o Parque Natural do Tejo Internacional; o Decreto Regulamentar nº 3/2004, de 12 de Fevereiro altera os limites da Área Protegida sítio classificado do monte de são bartolomeu - Decreto-Lei nº 108/79, de 2 de Maio: cria o Sítio Classificado do Monte de São Bartolomeu parque natural das serras d aire e candeeiros - Decreto-Lei nº 118/79,de 4 de Maio: cria o Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros - Resolução do Conselho de Ministros nº 76/00, de 5 de Julho: cria o Sítio Serras de Aire e Candeeiros (proposto para Sítio de Interesse Comunitário - SIC - rede monumento natural das pegadas de dinossáurio de ourém - torres novas - Decreto Regulamentar nº 12/96, de 22 de Outubro: cria o Monumento Natural das Pegadas de Dinossáurio de Ourém.- Torres Novas reserva natural das berlengas - Decreto-Lei nº 264/81, de 3 de Setembro: cria a Reserva Natural da Berlenga

6 Arquipélago da Berlenga (proposto para Sítio de Interesse Comunitário - SIC - rede - Decreto-Lei 284-B/99, de 23 de Setembro: cria a Zona de Protecção Especial para Aves Selvagens Ilhas Berlengas (esta ZPE integra directamente a rede - Decreto Regulamentar nº 30/98, de 23 de Dezembro com nova redacção dada pelo Decreto Regulamentar nº 32/99, de 20 de Dezembro: mantém o estatuto anterior da Área Protegida, altera os seus limites bem como a designação (Reserva Natural das Berlengas em vez de Reserva Natural da Berlenga) passando a incluir uma área de Reserva Marinha - Rede de Reservas Biogenéticas do Conselho da Europa: Berlenga (área actualmente integrada no Sítio Arquipélago da Berlenga e na ZPE Ilhas Berlengas - rede parque natural da serra de são mamede - Decreto-Lei nº 121/89, de 14 de Abril: cria o Parque Natural da Serra de São Mamede - Resolução do Conselho de Ministros nº 142/97, 28 de Agosto: cria o Sítio São Mamede (proposto para Sítio de Interesse Comunitário - SIC - rede - Decreto Regulamentar nº 20/2004, de 20 de Maio: reclassifica a Área Protegida mantendo o estatuto anterior mas redefinindo os seus limites reserva natural do paul do boquilobo - Decreto-Lei nº 198/80, de 24 de Junho: cria a Reserva Natural Parcial do Paul do Boquilobo - Decreto-Lei nº49/97, de 20 de Novembro: reclassifica a Área Protegida como Reserva Natural do Paul do Boquilobo para Aves Selvagens Paul do Boquilobo (esta ZPE integra directamente a rede - Decreto Regulamentar nº2/2005, de 23 de Março: altera os limites da Área Protegida - Reservas da Biosfera do Programa MAB - UNESCO: Reserva Natural do Paul do Boquilobo (15 DEZ 81) internacional): Paul do Boquilobo (7 MAI 96) paisagem protegida da serra de montejunto - Decreto Regulamentar nº 11/99, de 22 de Julho: cria a Paisagem Protegida da Serra de Montejunto - Resolução do Conselho de Ministros nº 76/00, de 5 de Julho: cria o Sítio Serra de Montejunto (proposto para Sítio de Interesse Comunitário - SIC - rede Natura

7 sítio classificado dos açudes de monte da barca e agolada - Decreto-Lei nº 197/80, de 24 de Junho: cria o Sítio Classificado dos Açudes de Monte da Barca e Agolada sítio classificado do centro histórico de coruche - Decreto-Lei nº 28/79, de 10 de Abril: cria o Sítio Classificado do Centro Histórico de Coruche reserva natural do estuário do tejo - Decreto-Lei nº 565/76, de 19 de Julho: cria a Reserva Natural do Estuário do Tejo - Decreto-Lei nº 280/94, de 5 de Novembro: cria a Zona de Protecção Especial para Aves Selvagens Estuário do Tejo (esta ZPE integra directamente a rede Estuário do Tejo (proposto para Sítio de Interesse Comunitário - SIC - rede - Rede de Reservas Biogenéticas do Conselho da Europa: Estuário do Tejo (área actualmente integrada na ZPE e Sítio Estuário do Tejo - rede internacional): Estuário do Tejo (24 NOV 80) parque natural de sintra-cascais - Decreto-Lei nº 292/81, de 15 de Outubro: cria a Área de Paisagem Protegida de Sintra - Cascais - Decreto-Lei nº 8/94, de 11 de Março: cria o Parque Natural de Sintra - Cascais Sintra-Cascais (proposto para Sítio de Interesse Comunitário - SIC - rede Natura - Lista de Sítios do Património Mundial (Convenção do Património Mundial UNESCO): Paisagem Cultural de Sintra - 19ª sessão do Comité do Património Mundial da UNESCO Paris, 6 DEZ 95 sítio classificado campo de lapiás da granja dos serrões e negrais - Decreto-Lei nº 393/91, de 11 de Outubro: cria o Sítio Classificado da Granja dos Serrões e Negrais

8 monumento natural de carenque - Decreto-Lei nº 19/97, de 5 de Maio: cria o Monumento Natural de Carenque paisagem protegida da arriba fóssil da costa da caparica - Decreto-Lei nº 164/84, de 22 de Maio: cria a Área de Paisagem Protegida da Arriba Fóssil da Costa da Caparica que inclui a Reserva Botânica da Mata Nacional dos Medos ou Pinhal do Rei classificada como Reserva Botânica através do Decreto nº 444/71, de 23 de Outubro reserva natural do estuário do sado - Decreto-Lei nº 430/80, de 1 de Outubro: cria a Reserva Natural do Estuário do Sado Estuário do Sado (proposto para Sítio de Importância Comunitária - SIC - rede para Aves Selvagens Estuário do Sado (esta ZPE integra directamente a rede internacional): Estuário do Sado (7 MAI 96) parque natural da arrábida - Decreto-Lei nº 622/76, de 28 de Julho: cria o Parque Natural da Arrábida. Através do Decreto nº 55/71, de 16 de Agosto, já tinha sido criada a Reserva da Serra da Arrábida Arrábida - Espichel (proposto para Sítio de Importância Comunitária - SIC - rede para Aves Selvagens Cabo Espichel (esta ZPE integra directamente a rede - Decreto Regulamentar nº 23/98, de 14 de Outubro: reclassifica a Área Protegida mantendo o estatuto mas alterando os limites e incluindo uma área de Reserva Marinha - Resolução do Conselho de Ministros nº 141/2005, de 23 de Agosto: alarga os limites da Área Protegida, incluindo uma área mais extensa de Reserva Marinha - Rede de Reservas Biogenéticas do Conselho da Europa: Serra da Arrábida (área actualmente integrada no Sítio Arrábida - Espichel - rede sítio classificado da gruta do zambujal - Decreto-Lei nº140/79, de 21 de Maio: cria o Sítio Classificado da Gruta do Zambujal

9 monumentos naturais dos lagosteiros, da pedra da mua e da pedreira do avelino - Decreto nº 20/97, de 7 de Maio: cria o Monumento Natural da Pedra da Mua, o Monumento Natural dos Lagosteiros e o Monumento Natural da Pedreira do Avelino refúgio ornitológico do monte novo do roncão - Resolução do Conselho de Ministros nº 7/91, de 21 de Fevereiro: cria o Refúgio Ornitológico do Monte Novo do Roncão reserva natural das lagoas de santo andré e da sancha Comporta - Galé (proposto para Sítio de Interesse Comunitário - SIC - rede - Decreto-Lei nº 384-B/99, de 23 de Setembro: cria as Zonas de Protecção Especial para Aves Selvagens Lagoa de Santo André e Lagoa da Sancha (estas ZPE integram directamente a rede - Decreto Regulamentar nº 10/00, de 22 de Agosto: cria a Reserva Natural das Lagoas de Santo André e da Sancha que inclui uma área marinha adjacente - Decreto Regulamentar nº 4/2004, de 29 de Março: altera os limites da Área Protegida internacional): Lagoa de Santo André / Lagoa da Sancha (7 MAI 96) parque natural do sudoeste alentejano e costa vicentina - Decreto-Lei nº 241/88, de 7 de Julho: cria a Área de Paisagem Protegida do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina - Decreto Regulamentar nº 26/95, de 21 de Setembro: cria o Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina que inclui uma área marinha adjacente Costa Sudoeste (proposto para Sítio de Interesse Comunitário - SIC - rede - Decreto-Lei nº 384-B/99, de 22 de Julho: cria a Zona de Protecção Especial para Aves Selvagens Costa Sudoeste (esta ZPE integra directamente a rede Natura - Rede de Reservas Biogenéticas do Conselho da Europa: Ponta de Sagres (área actualmente integrada no Sítio e na ZPE Costa Sudoeste - rede Natura

10 parque natural do vale do guadiana - Decreto Regulamentar nº 28/95, de 18 de Novembro: cria o Parque Natural do Vale do Guadiana Guadiana (proposto para Sítio de Interesse Comunitário - SIC - rede Natura - Decreto-lei nº 384-B/99, de 23 de Setembro: cria a Zona de Protecção Especial para Aves Selvagens Vale do Guadiana (esta ZPE integra directamente a rede sítio classificado da rocha da pena e fonte benémola - Decreto-Lei nº 392/91, de 10 de Outubro: cria o Sítio Classificado da Rocha da Pena e Fonte Benémola reserva natural do sapal de castro marim e vila real de santo antónio - Decreto-Lei nº 162/75, de 27 de Março: cria a Reserva Natural do Sapal de Castro Marim e Vila Real de Santo António (limites da Área Protegida publicados, como rectificação, no Diário da República, I, de 6 de Maio de 1975) para Aves Selvagens Sapais de Castro Marim (esta ZPE integra directamente a rede internacional): Sapais de Castro Marim (7 MAI 96) parque natural da ria formosa - Decreto-Lei nº 45/78, de 2 de Maio: cria a Reserva Natural da Ria Formosa - Decreto-Lei nº 373/87, de 9 de Dezembro: cria o Parque Natural da Ria Formosa Ria Formosa - Castro Marim (proposto para Sítio de Interesse Comunitário - SIC - rede para Aves Selvagens Ria Formosa (esta ZPE integra directamente a rede Natura internacional): Ria Formosa (24 NOV 80).. reserva botânica do cambarinho* - Decreto nº 364/71, de 25 de Agosto: classifica a Reserva Botânica do Cambarinho como Reserva Botânica Integral.

REDE NACIONAL DE ÁREAS PROTEGIDAS - RNAP

REDE NACIONAL DE ÁREAS PROTEGIDAS - RNAP » ÂMBITO NACIONAL» ÂMBITO REGIONAL/LOCAL» ÂMBITO PRIVADO ÂMBITO NACIONAL 1. PARQUE NACIONAL DA PENEDA- GERÊS 2. PARQUE NATURAL DE MONTESINHO 3. PARQUE NATURAL DO LITORAL NORTE 4. PARQUE NATURAL DO ALVÃO

Leia mais

REDE NACIONAL DE ÁREAS PROTEGIDAS RNAP

REDE NACIONAL DE ÁREAS PROTEGIDAS RNAP » ÂMBITO NACIONAL» ÂMBITO REGIONAL/LOCAL» ÂMBITO PRIVADO ÂMBITO NACIONAL 1. PARQUE NACIONAL DA PENEDA- GERÊS Decreto nº 187/71, de 8 de maio. 69 592,00 ha 2. PARQUE NATURAL DE MONTESINHO Decreto-Lei nº

Leia mais

Painel II As Portas e a evolução do seus modelos de organização

Painel II As Portas e a evolução do seus modelos de organização Painel II As Portas e a evolução do seus modelos de organização João Carlos Farinha Chefe de Divisão de Valorização de Áreas Classificadas do ICNF, I.P 25 áreas protegidas de âmbito nacional 7,6% de Portugal

Leia mais

Colóquio Turismo Natureza Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa 28 DE OUTUBRO Rogério Rodrigues Presidente do Conselho Diretivo do ICNF

Colóquio Turismo Natureza Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa 28 DE OUTUBRO Rogério Rodrigues Presidente do Conselho Diretivo do ICNF Colóquio Turismo Natureza Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa 28 DE OUTUBRO 2016 Rogério Rodrigues Presidente do Conselho Diretivo do ICNF Áreas Protegidas no mundo Hoje, perto de 15% da superfície

Leia mais

Unidade 0 Diversidade na biosfera I DIVERSIDADE NA BIOSFERA

Unidade 0 Diversidade na biosfera I DIVERSIDADE NA BIOSFERA 1 Unidade 0 Diversidade na biosfera I DIVERSIDADE NA BIOSFERA Objectivos 2 Compreender a importância da diversidade biológica na manutenção da vida; Identificar diferentes tipos de interacção entre seres

Leia mais

2856 Diário da República, 1. a série N. o 83 30 de Abril de 2007

2856 Diário da República, 1. a série N. o 83 30 de Abril de 2007 2856 Diário da República, 1. a série N. o 83 30 de Abril de 2007 Portaria n. o 530/2007 de 30 de Abril O Decreto-Lei n. o 136/2007, de 27 de Abril, definiu a missão e as atribuições do Instituto da Conservação

Leia mais

Seminário TERRITÓRIO E ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS. Painel ABANDONO DO TERRITÓRIO CAMINHOS? Rogério Rodrigues. Presidente do Conselho Diretivo do ICNF

Seminário TERRITÓRIO E ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS. Painel ABANDONO DO TERRITÓRIO CAMINHOS? Rogério Rodrigues. Presidente do Conselho Diretivo do ICNF Seminário TERRITÓRIO E ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS Painel ABANDONO DO TERRITÓRIO CAMINHOS? Rogério Rodrigues Presidente do Conselho Diretivo do ICNF 7 de dezembro 2016 Centro de Congressos da Alfândega do Porto

Leia mais

Concelhos abrangidos. Melgaço, Arcos de Valdevez, Ponte da Barca, Terras de Bouro, Montalegre. Bragança, Vinhais. Macedo de Cavaleiros, Bragança

Concelhos abrangidos. Melgaço, Arcos de Valdevez, Ponte da Barca, Terras de Bouro, Montalegre. Bragança, Vinhais. Macedo de Cavaleiros, Bragança LISTA DOS MEMBROS DAS 02/07/2015 1 2 3 4 Parque Nacional da Peneda-Gerês Melgaço, Arcos de Valdevez, Ponte da Barca, Terras de Bouro, Montalegre Parque Natural de Montesinho Bragança, Vinhais Paisagem

Leia mais

NOTAS DE PREENCHIMENTO DE APOIO AO QUESTIONÁRIO COASTWATCH

NOTAS DE PREENCHIMENTO DE APOIO AO QUESTIONÁRIO COASTWATCH NOTAS DE PREENCHIMENTO DE APOIO AO QUESTIONÁRIO COASTWATCH A INFORMAÇÃO SOBRE LOCAL E SOBRE QUEM PREENCHE O QUESTIONÁRIO 1 Informação sobre o local O código do país é o 12 e já está assinalado no questionário

Leia mais

REGIÃO DISTRITO MUNICIPIO NOME AÇORES CORVO Vila do Corvo Caldeirão do Corvo AÇORES CORVO Vila do Corvo Costa NW do Corvo AÇORES FAIAL Horta Caldeira

REGIÃO DISTRITO MUNICIPIO NOME AÇORES CORVO Vila do Corvo Caldeirão do Corvo AÇORES CORVO Vila do Corvo Costa NW do Corvo AÇORES FAIAL Horta Caldeira REGIÃO DISTRITO MUNICIPIO NOME AÇORES CORVO Vila do Corvo Caldeirão do Corvo AÇORES CORVO Vila do Corvo Costa NW do Corvo AÇORES FAIAL Horta Caldeira do Faial AÇORES FAIAL Horta Vulcão dos Capelinhos AÇORES

Leia mais

GEOGRAFIA DA CONSERVAÇÃO DA NATUREZA E PROPOSTA DE CORREDORES AMBIENTAIS NO MINHO-LIMA.

GEOGRAFIA DA CONSERVAÇÃO DA NATUREZA E PROPOSTA DE CORREDORES AMBIENTAIS NO MINHO-LIMA. GEOGRAFIA DA CONSERVAÇÃO DA NATUREZA E PROPOSTA DE CORREDORES AMBIENTAIS NO MINHO-LIMA. J. da Cruz Lopes Instituto Politécnico de Viana do Castelo (ESTG) Av. do Atlântico, 4900-348 Viana do Castelo tel.

Leia mais

Versão Consolidada. Portaria n.º 1245/2010, de 14 de Dezembro

Versão Consolidada. Portaria n.º 1245/2010, de 14 de Dezembro Portaria n.º 1245/2010, de 14 de Dezembro O Regulamento (CE) n.º 1698/2005, do Conselho, de 20 de Setembro, relativo ao apoio ao desenvolvimento rural pelo Fundo Europeu Agrícola de Desenvolvimento Rural

Leia mais

O Planeamento das Áreas Protegidas em Portugal

O Planeamento das Áreas Protegidas em Portugal O Planeamento das Áreas Protegidas em Portugal Gestão e ordenamento do território Henrique Miguel Pereira Rede Fundamental da Conservação da Natureza Sistema Nacional de Áreas Classificadas Rede Nacional

Leia mais

A. M. Galopim de Carvalho GEODIVERSIDADE E GEOCONSERVAÇÃO 2010. GEODIVERSIDADE e GEOCONSERVAÇÃO

A. M. Galopim de Carvalho GEODIVERSIDADE E GEOCONSERVAÇÃO 2010. GEODIVERSIDADE e GEOCONSERVAÇÃO GEODIVERSIDADE e GEOCONSERVAÇÃO O mundo vivo e entre ele, nós, humanos, temos as nossas raízes no chão que pisamos, isto é, nas rochas. A paisagem física não é apenas a da flora e da fauna. É também e

Leia mais

M O O MA M R AUTORES:

M O O MA M R AUTORES: CONTATO DA TERRA COM O MAR AUTORES: Tiago e Francisco 2010 Índice O QUE É A COSTA? FORMAS DE RELEVO DO LITORAL PRAIA DUNAS BAÍA ESTUÁRIO CABO ARRIBA OUTROS A COSTA PORTUGESA BIBLIOGRAFIA E NETGRAFIA O

Leia mais

Fotografias PauloHSilva//siaram. Saber Mais... Ambiente Açores

Fotografias PauloHSilva//siaram. Saber Mais... Ambiente Açores Fotografias PauloHSilva//siaram Saber Mais... Ambiente Açores Convenção Diversidade Biológica O que é a Convenção da Diversidade Biológica? A Convenção da Diversidade Biológica é um acordo assinado entre

Leia mais

Situação actual na protecção do património geológico. Paulo Pereira

Situação actual na protecção do património geológico. Paulo Pereira Situação actual na protecção do património geológico Paulo Pereira o que é o património geológico? Elementos da geodiversidade Parte do património natural Ameaçado e não renovável Primeiras iniciativas

Leia mais

Francisco Nunes Correia

Francisco Nunes Correia Polí%cas de Ambiente Polí%cas de Ambiente em Portugal Polí%ca Nacional para a Conservação da Natureza e Biodiversidade Francisco Nunes Correia IST, Ano Lec%vo 00/0 Constituição da República Portuguesa

Leia mais

Planos especiais de ordenamento do território: tipicidade e estado da arte: em especial os planos de ordenamento de áreas protegidas

Planos especiais de ordenamento do território: tipicidade e estado da arte: em especial os planos de ordenamento de áreas protegidas Planos especiais de ordenamento do território: tipicidade e estado da arte: em especial os planos de ordenamento de áreas protegidas Autor(es): Publicado por: URL persistente: Oliveira, Fernanda Paula

Leia mais

ANO INTERNACIONAL DO PLANETA TERRA - AIPT (2007-2009)

ANO INTERNACIONAL DO PLANETA TERRA - AIPT (2007-2009) ANO INTERNACIONAL DO PLANETA TERRA - AIPT (2007-2009) O AIPT tem o Alto Patrocínio de Sua Excelência o Presidente da República Portuguesa ESTRUTURA DO COMITÉ PORTUGUÊS PARA O AIPT O Comité Português para

Leia mais

José Manuel Pereira Alho RESUMO CURRICULAR

José Manuel Pereira Alho RESUMO CURRICULAR José Manuel Pereira Alho RESUMO CURRICULAR 2013 NOME: MORADA: CONTATOS: IDENTIFICAÇÃO: José Manuel Pereira Alho Estrada de Fátima,1150A, Atouguia 2490-053 OURÉM josemalho@gmail.com +351966021635 Bilhete

Leia mais

Hidrografia e Litoral

Hidrografia e Litoral Conferência Internacional ESTRUTURA ECOLÓGICA NACIONAL CONCEITOS E DELIMITAÇÃO Auditório da Torre do Tombo, 22 de Novembro de 2013 Hidrografia e Litoral João Silva Natália Cunha Ana Müller Lopes Manuela

Leia mais

Abrigos de Importância Nacional: épocas de hibernação e de criação

Abrigos de Importância Nacional: épocas de hibernação e de criação Abrigos de Importância Nacional: épocas de hibernação e de criação Enviado por Vítor Gandra As épocas de hibernação e de criação dos morcegos afiguram-se como os períodos mais sensíveis para estes mamíferos.

Leia mais

9 o 25b 00n 39 o 41b 10n 9 o 25b 00n 38 o 40b 40n 9 o 16b 50n 38 o 34b 50n. 9 o 12b 00n 38 o 24b 30n

9 o 25b 00n 39 o 41b 10n 9 o 25b 00n 38 o 40b 40n 9 o 16b 50n 38 o 34b 50n. 9 o 12b 00n 38 o 24b 30n N. o 213 14 de Setembro de 2002 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B 6441 3. o A eficácia da concessão está dependente de prévia sinalização, de acordo com as condições definidas nas Portarias n. os 1103/2000

Leia mais

Lagoa de Óbidos. Bases para a classificação da Lagoa de Óbidos como Área de Paisagem Protegida de Âmbito Regional. -Componente Vertebrados Terrestres

Lagoa de Óbidos. Bases para a classificação da Lagoa de Óbidos como Área de Paisagem Protegida de Âmbito Regional. -Componente Vertebrados Terrestres Lagoa de Óbidos Bases para a classificação da Lagoa de Óbidos como Área de Paisagem Protegida de Âmbito Regional -Componente Vertebrados Terrestres Trabalho realizado em 2005 por Raquel Ribeiro Orientadores

Leia mais

1. Acções de sensibilização

1. Acções de sensibilização PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL / 2013-2014 As atividades propostas compreendem diferentes momentos de reflexão, discussão e ação, dirigindo-se a toda a comunidade educativa que contempla diferentes níveis

Leia mais

CAAAP- Certificação Ambiental de Arquitectura em Áreas Protegidas

CAAAP- Certificação Ambiental de Arquitectura em Áreas Protegidas CAAAP- Certificação Ambiental de Arquitectura em Áreas Protegidas Maria Inês Cabral. 1 1 FAUTL, Polo Universitário da Ajuda, Lisboa, Portugal, inescabral@hotmail.com RESUMO À semelhança da Europa, a regulamentação

Leia mais

N. o 153 1 de Julho de 2004 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B 4033

N. o 153 1 de Julho de 2004 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B 4033 N. o 153 1 de Julho de 2004 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B 4033 Foi ouvida a Associação de Municípios da Região Autónoma dos Açores. Assim, considerando o disposto no artigo 6. o eno n. o 2 do artigo 26.

Leia mais

ESTUDO DO MEIO abril de 2015. Prova 22 2015...

ESTUDO DO MEIO abril de 2015. Prova 22 2015... INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA ESTUDO DO MEIO abril de 2015... 1.º Ciclo do Ensino Básico (Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) O presente documento divulga informação relativa à prova

Leia mais

Património Geológico Português importância científica, pedagógica e sócio-económica

Património Geológico Português importância científica, pedagógica e sócio-económica Associação portuguesa de geólogos Geonovas nº 18, pp. 5 a 12, 2004 Património Geológico Português importância científica, pedagógica e sócio-económica Investigador Coordenador do ex-instituto Geológico

Leia mais

Figura 1 O relevo. [Fonte: Adaptado de Tomaz, P., 2010]

Figura 1 O relevo. [Fonte: Adaptado de Tomaz, P., 2010] 1. O relevo O relevo corresponde ao conjunto das irregularidades existentes na superfície terrestre, e varia de acordo com a altitude, forma e inclinação das vertentes (Figura 1). Figura 1 O relevo. [Fonte:

Leia mais

Exame de Equivalência à Frequência 1.º Ciclo Matriz da Prova de Exame 1.ª Fase Estudo do Meio

Exame de Equivalência à Frequência 1.º Ciclo Matriz da Prova de Exame 1.ª Fase Estudo do Meio Direção de Serviços Região Algarve Agrupamento de Escolas Silves Sul Exame de Equivalência à Frequência 1.º Ciclo Matriz da Prova de Exame 1.ª Fase Estudo do Meio Tipo de prova: Escrita Duração: 90 minutos

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS 4536-(2) Diário da República, 1.ª série N.º 139 21 de Julho de 2008 PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS Resolução do Conselho de Ministros n.º 115-A/2008 A Rede Natura 2000 é uma rede ecológica que tem

Leia mais

Análise das características gerais e do valor intrínseco da geomorfologia das áreas protegidas de Portugal Continental.

Análise das características gerais e do valor intrínseco da geomorfologia das áreas protegidas de Portugal Continental. Publicações da Associação Portuguesa de Geomorfólogos, Volume V, APGeom, Lisboa, 2007, p. 221-233. Análise das características gerais e do valor intrínseco da geomorfologia das áreas protegidas de Portugal

Leia mais

SESSÃO SOBRE O NOVO AEROPORTO DE LISBOA LISBOA 2017 : UM AEROPORTO COM FUTURO

SESSÃO SOBRE O NOVO AEROPORTO DE LISBOA LISBOA 2017 : UM AEROPORTO COM FUTURO SESSÃO SOBRE O NOVO AEROPORTO DE LISBOA LISBOA 2017 : UM AEROPORTO COM FUTURO Estudos Preliminares de Impacte Ambiental Avaliação de Impacte Ambiental Fernando Santana Departamento de Ciências e Engenharia

Leia mais

ÉPOCA BALNEAR 2012 ACESSIBILIDADE NAS ZONAS BALNEARES PORTUGUESAS REGIÃO HIDROGRÁFICA DO NORTE

ÉPOCA BALNEAR 2012 ACESSIBILIDADE NAS ZONAS BALNEARES PORTUGUESAS REGIÃO HIDROGRÁFICA DO NORTE ÉPOCA BALNEAR 2012 ACESSIBILIDADE NAS ZONAS BALNEARES PORTUGUESAS NO ÂMBITO DO PROJECTO PRAIA ACESSÍVEL, PRAIA PARA TODOS REGIÃO HIDROGRÁFICA DO NORTE Caminha V. Praia de Âncora costeira C/ cadeira anfíbia

Leia mais

PROJETO DE RESOLUÇÃO N.º 1292/XII/4.ª. Valorizar a Ria Formosa e clarificar o estatuto jurídico do núcleo da Culatra. Exposição de Motivos

PROJETO DE RESOLUÇÃO N.º 1292/XII/4.ª. Valorizar a Ria Formosa e clarificar o estatuto jurídico do núcleo da Culatra. Exposição de Motivos PROJETO DE RESOLUÇÃO N.º 1292/XII/4.ª Valorizar a Ria Formosa e clarificar o estatuto jurídico do núcleo da Culatra Exposição de Motivos A Ria Formosa constitui indiscutivelmente uma das mais importantes

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DOS RECURSOS DA OFERTA DE LAZER E CULTURA

CARACTERIZAÇÃO DOS RECURSOS DA OFERTA DE LAZER E CULTURA CARACTERIZAÇÃO DOS RECURSOS DA OFERTA DE LAZER E CULTURA LOCALIZAÇÃO Aeroportos / Aeródromos / Pistas Aeródromo da Tojeira Bibliotecas / Arquivos Históricos Biblioteca Casa Mantero Biblioteca Municipal

Leia mais

ÉPOCA BALNEAR 2011 ACESSIBILIDADE NAS ZONAS BALNEARES PORTUGUESAS NO ÂMBITO DO PROJECTO PRAIA ACESSÍVEL, PRAIA PARA TODOS REGIÃO HIDROGRÁFICA DO NORTE

ÉPOCA BALNEAR 2011 ACESSIBILIDADE NAS ZONAS BALNEARES PORTUGUESAS NO ÂMBITO DO PROJECTO PRAIA ACESSÍVEL, PRAIA PARA TODOS REGIÃO HIDROGRÁFICA DO NORTE ÉPOCA BALNEAR 2011 ACESSIBILIDADE NAS ZONAS BALNEARES PORTUGUESAS NO ÂMBITO DO PROJECTO PRAIA ACESSÍVEL, PRAIA PARA TODOS REGIÃO HIDROGRÁFICA DO NORTE Caminha V. Praia de Âncora costeira C/ cadeira anfíbia

Leia mais

A LPN face à conservação da Biodiversidade em Portugal

A LPN face à conservação da Biodiversidade em Portugal A LPN face à conservação da Biodiversidade em Portugal 26 de Setembro, 2007 Seminário Sociedade civil, Empresas e Biodiversidade Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa Índice 1) A LPN 2) Programas e Projectos

Leia mais

REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES

REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES RELATÓRIO E PARECER SOBRE A PROPOSTA DE DECRETO LEGISLATIVO REGIONAL CLASSIFICAÇÃO DA PAISAGEM PROTEGIDA DE INTERESSE REGIONAL DA CULTURA DA VINHA DA ILHA DO PICO HORTA, 18 DE NOVEMBRO DE 2003 1 CAPÍTULO

Leia mais

PROCONVERGENCIA ORIENTAÇÃO N.º 1/2011 ORIENTAÇÃO DE GESTÃO PROGRAMA OPERACIONAL DOS AÇORES PARA A CONVERGÊNCIA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES

PROCONVERGENCIA ORIENTAÇÃO N.º 1/2011 ORIENTAÇÃO DE GESTÃO PROGRAMA OPERACIONAL DOS AÇORES PARA A CONVERGÊNCIA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES PROCONVERGENCIA PROGRAMA OPERACIONAL DOS AÇORES PARA A CONVERGÊNCIA ORIENTAÇÃO N.º 1/2011 ORIENTAÇÃO DE GESTÃO FEDER Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional Abril de 2011 PROCONVERGENCIA

Leia mais

7. Condicionantes. : Reserva Ecológica Nacional; : Reserva Agrícola Nacional; : Domínio Público Hídrico; : Património Classificado;

7. Condicionantes. : Reserva Ecológica Nacional; : Reserva Agrícola Nacional; : Domínio Público Hídrico; : Património Classificado; 7. Condicionantes De acordo com a legislação em vigor existe um conjunto de figuras legais que de algum modo, condicionam o território ou constituem servidões administrativas e outras restrições de utilidade

Leia mais

Os problemas ambientais. Políticas globais. Environmental Politics and Economics. Perda da biodiversidade

Os problemas ambientais. Políticas globais. Environmental Politics and Economics. Perda da biodiversidade Perda da biodiversidade Os problemas ambientais Fragmentação e destruição de habitats Sobre exploração de recursos naturais Agricultura intensiva eutrofização, salinização dos solos, bioacumulação Poluição

Leia mais

Campeonato do Mundo de Corridas de Aventura, programa oficial, locais de interesse e horários previsto

Campeonato do Mundo de Corridas de Aventura, programa oficial, locais de interesse e horários previsto Campeonato do Mundo de Corridas de Aventura, programa oficial, locais de interesse e horários previstos. Com passagens pelos concelhos da Lousã e Pampilhosa da Serra no dia 9, naquela que será a "etapa

Leia mais

Listagem das Espécies Faunísticas ocorrentes nos Sítios de S. Mamede e Nisa/Lage da Prata

Listagem das Espécies Faunísticas ocorrentes nos Sítios de S. Mamede e Nisa/Lage da Prata Listagem das Espécies Faunísticas ocorrentes nos Sítios de S. Mamede e Nisa/Lage da Prata Listagem das Espécies Faunísticas ocorrentes nos Sítios de S. Mamede e Nisa/Lage da Prata Redigido por: Alexandra

Leia mais

Projectos de Educação Ambiental para a Sustentabilidade. 2010/11 Hélia Jacob Associação PATO

Projectos de Educação Ambiental para a Sustentabilidade. 2010/11 Hélia Jacob Associação PATO Projectos de Educação Ambiental para a Sustentabilidade 2010/11 Hélia Jacob Associação PATO Associação de Defesa do Paul de Tornada PATO Foi fundada, legalmente, em Outubro de 1988 A sua sede é em Tornada,

Leia mais

Decreto-Lei n.º 142/2008, de 24 de Julho, rectificado pela Declaração de Rectificação n.º 53-A/2008, de 22 de Setembro (DR 22 Setembro).

Decreto-Lei n.º 142/2008, de 24 de Julho, rectificado pela Declaração de Rectificação n.º 53-A/2008, de 22 de Setembro (DR 22 Setembro). 1/34 Decreto-Lei n.º 142/2008, de 24 de Julho, Estabelece o regime jurídico da conservação da natureza e da biodiversidade e revoga os Decretos-Leis n.os 264/79, de 1 de Agosto, e 19/93, de 23 de Janeiro

Leia mais

PLANOS DE ORDENAMENTO DA ORLA COSTEIRA. POOC SintraSado no. Concelho de Sesimbra

PLANOS DE ORDENAMENTO DA ORLA COSTEIRA. POOC SintraSado no. Concelho de Sesimbra PLANOS DE ORDENAMENTO DA ORLA COSTEIRA POOC SintraSado no Concelho de Sesimbra POOC Sintra / Sado no Concelho de Sesimbra 1 - O litoral de Sesimbra 2 - A elaboração do Plano 3 - A publicação e o Plano

Leia mais

Chamamos ainda a atenção para as pesadas coimas aplicadas a quem não levar em consideração estas recomendações e violar a legislação em vigor!

Chamamos ainda a atenção para as pesadas coimas aplicadas a quem não levar em consideração estas recomendações e violar a legislação em vigor! De: Para: Assunto: Circular: Data: Secretaria Nacional para o Ambiente e Prevenção Departamento Nacional de Ambiente Juntas Regionais, Juntas de Núcleo e Agrupamentos Atividades Escutistas nas Áreas Protegidas

Leia mais

sobre o Número de Utentes Inscritos nos de Saúde Primários

sobre o Número de Utentes Inscritos nos de Saúde Primários Título da Apresentação Publicação Periódica Dados Editoriais sobre o Número de Utentes Inscritos nos Dados Editoriais Dados Cuidados Editoriais de Saúde Primários 16 de fevereiro de 2015 Nota introdutória

Leia mais

As Cartas de Zonas Inundáveis de Risco de Inundação, respectivos Metadados e Plataforma de Acesso Manuela Saramago, Sofia Cunha e Teresa Ferreira

As Cartas de Zonas Inundáveis de Risco de Inundação, respectivos Metadados e Plataforma de Acesso Manuela Saramago, Sofia Cunha e Teresa Ferreira Cheias em Loures - Ponte de Frielas (Foto Miguel Morais) Tavira Chaves As Cartas de Zonas Inundáveis de Risco de Inundação, respectivos Metadados e Plataforma de Acesso Manuela Saramago, Sofia Cunha e

Leia mais

PARQUE NATURAL DAS SERRAS DE AIRE E CANDEEIROS 2014-2020

PARQUE NATURAL DAS SERRAS DE AIRE E CANDEEIROS 2014-2020 PARQUE NATURAL DAS SERRAS DE AIRE E CANDEEIROS 2014-2020 PLANO DE MARKETING Sistema de Apoio à Ação Coletiva Cluster da Pedra Natural Sustentabilidade ambiental Projeto compete nº. 18640 01/SIAC/2010 Leiria,

Leia mais

ECOTURISMO NO ALGARVE

ECOTURISMO NO ALGARVE POTENCIALIDADES DO ALGARVE - TURISMO DE NATUREZA ECOTURISMO NO ALGARVE PLANO ESTRATÉGICO NACIONAL DO TURISMO CONTRIBUIÇÃO DOS PRODUTOS POR REGIÃO PLANO ESTRATÉGICO NACIONAL DO TURISMO PRODUTOS VS SAZONALIDADE

Leia mais

RELATÓRIO. (Volume I)

RELATÓRIO. (Volume I) RELATÓRIO (Volume I) JANEIRO 2006 Elementos do Plano: VOLUME I - Relatório VOLUME II - Valores Naturais Peças escritas - Fichas de caracterização ecológica e de gestão: Habitats Naturais e Espécies da

Leia mais

MODELOS DE GESTÃO EM ÁREAS PROTEGIDAS: Susana CLEMENTE 1, Email: clemente.susana@gmail.com

MODELOS DE GESTÃO EM ÁREAS PROTEGIDAS: Susana CLEMENTE 1, Email: clemente.susana@gmail.com MODELOS DE GESTÃO EM ÁREAS PROTEGIDAS: ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE PORTUGAL E ALEMANHA Susana CLEMENTE 1, 1 Instituto de Geografia e Ordenamento do Território, Universidade de Lisboa, Email: clemente.susana@gmail.com

Leia mais

Amares Caniçada Júnias - Régua Pinhão Foz Côa - Amarante

Amares Caniçada Júnias - Régua Pinhão Foz Côa - Amarante Amares Caniçada Júnias - Régua Pinhão Foz Côa - Amarante INTRODUÇÃO Algumas maravilhas de Portugal! Uma viagem ao interior de Portugal. A sua genuinidade, as suas tradições. Uma viagem por duas regiões

Leia mais

Departamento de Conservação da Natureza e Florestas de Lisboa e Vale do Tejo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF,IP)

Departamento de Conservação da Natureza e Florestas de Lisboa e Vale do Tejo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF,IP) Departamento de Conservação da Natureza e Florestas de Lisboa e Vale do Tejo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF,IP) Planeamento e Defesa do Território Setúbal, 28.02.2014 Sumário

Leia mais

Percursos Verdes e Ecoturismo

Percursos Verdes e Ecoturismo Percursos Verdes e Ecoturismo Sustentabilidade e Potencialidades A CARTA EUROPEIA DE TURISMO SUSTENTÁVEL E O ALTO MINHO NATURAL O QUE É O EUROPARC 425 membros em 35 países A CARTA NÃO É um mecanismo de

Leia mais

Condições Especiais 2013. ALD Automotive

Condições Especiais 2013. ALD Automotive Condições Especiais 2013 ALD Automotive Benefícios e vantagens para aderentes e colaboradores do Cartão Fleet Card: 10% Desconto sobre a melhor tarifa disponível no site das Pousadas de Portugal www.pousadas.pt

Leia mais

BIOLOGIA E GEOLOGIA ANO I Tema I A Geologia, os geólogos e os seus métodos (Módulo inicial)

BIOLOGIA E GEOLOGIA ANO I Tema I A Geologia, os geólogos e os seus métodos (Módulo inicial) Tema I A Geologia, os geólogos e os seus métodos (Módulo inicial) 1. A Terra e os seus subsistemas em interacção. 1.1Subsistemas terrestres (geosfera, atmosfera, hidrosfera e biosfera). 1.2 Interacção

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO - SNUC

SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO - SNUC - SNUC PREVISÃO LEGAL Art. 225. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e àcoletividade

Leia mais

II Bienal de Turismo dos Açores

II Bienal de Turismo dos Açores II Bienal de Turismo dos Açores Graciosa 29 de Outubro a 1 de Novembro 2009 Instrutor de Mergulho Cumprimentos: Organização da I e II Bienal da Graciosa Agroprome ART CM Graciosa - Entidades A todos que

Leia mais

Atlas ambiental do município de Itanhaém 2012. Capítulo 6 - Conservação ambiental

Atlas ambiental do município de Itanhaém 2012. Capítulo 6 - Conservação ambiental Capítulo 6 - Conservação ambiental 71 72 6.1 Unidades de Conservação As Unidades de Conservação da Natureza (UCs) constituem espaços territoriais e mari- 46 55' 46 50' 46 45' nhos detentores de atributos

Leia mais

Plano Plurianual de Investimentos

Plano Plurianual de Investimentos O Orçamento da (Vale do Minho-CI), irá concentrar os seus recursos para o ano 2009 na implementação dos projectos aprovados no QCAIII que se encontram em fase de conclusão, bem como nos projectos já aprovados

Leia mais

Experiências Algarve Nature Week

Experiências Algarve Nature Week Experiências Algarve Nature Week Passeios de barco Luís Filipe Brás de Almeida Passeio no Rio Odelouca e Sitio das Fones Natureza Pura - Venha connosco numa viagem relaxante. Além das praias e cidades,

Leia mais

Áreas Protegidas em Portugal: Que papel? Conservação versus desenvolvimento.

Áreas Protegidas em Portugal: Que papel? Conservação versus desenvolvimento. Áreas Protegidas em Portugal: Que papel? Conservação versus desenvolvimento. Carlos Pereira da Silva Departamento de Geografia e Planeamento Regional Faculdade de Ciências Sociais e Humanas - V.N.L. Av.de

Leia mais

MAR Alentejano. Um Oceano de Oportunidades. Roberto Grilo Vice-Presidente da CCDR Alentejo. Porto, 30 de maio de 2014

MAR Alentejano. Um Oceano de Oportunidades. Roberto Grilo Vice-Presidente da CCDR Alentejo. Porto, 30 de maio de 2014 MAR Alentejano Um Oceano de Oportunidades Roberto Grilo Vice-Presidente da CCDR Alentejo Porto, 30 de maio de 2014 1 MAR Alentejano, um Oceano de Oportunidades Roteiro: - Crescimento Inteligente/Crescimento

Leia mais

Geografia e Ecologia das salinas

Geografia e Ecologia das salinas Geografia e Ecologia das salinas Salinas litorais e salinas interiores; outras formas de obter o sal Distribuição das salinas na Europa Distribuição das salinas em Portugal Aqui houve sal salinas desaparecidas,

Leia mais

Legislação Farmacêutica Compilada. Portaria n.º 377/2005, de 4 de Abril. B, de 20 de Maio de 2005. INFARMED - Gabinete Jurídico e Contencioso 59-C

Legislação Farmacêutica Compilada. Portaria n.º 377/2005, de 4 de Abril. B, de 20 de Maio de 2005. INFARMED - Gabinete Jurídico e Contencioso 59-C 1 Estabelece que o custo dos actos relativos aos pedidos previstos no Decreto- Lei n.º 72/91, de 8 de Fevereiro, bem como dos exames laboratoriais e dos demais actos e serviços prestados pelo INFARMED,

Leia mais

Aquicultura. Breves Notas e uma Sugestão

Aquicultura. Breves Notas e uma Sugestão Aquicultura Breves Notas e uma Sugestão Âmbito da Apresentação Aquicultura em Portugal Moluscicultura (Cultivo Ameijoas e Ostras) Piscicultura Marinha (Cultivo Peixes - Robalo, Dourada, Rodovalho) Piscicultura

Leia mais

Determinação da Aptidão para a Prática de Desportos de Natureza em Áreas Protegidas. Luís Quinta-Nova lnova@ipcb.pt

Determinação da Aptidão para a Prática de Desportos de Natureza em Áreas Protegidas. Luís Quinta-Nova lnova@ipcb.pt Determinação da Aptidão para a Prática de Desportos de Natureza em Áreas Protegidas Luís Quinta-Nova lnova@ipcb.pt Enquadramento Decreto-Lei n.º 108/2009, de 15 de Maio - Enquadramento legal das atividades

Leia mais

D2. ESTRATÉGIA DA MARCA

D2. ESTRATÉGIA DA MARCA D2. ESTRATÉGIA DA MARCA ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 2 1.1. Objetivos 2 1.2. Metodologia de trabalho 2 1.2.1. Trabalho desenvolvido no âmbito da Etapa 2 3 2. ENQUADRAMENTO ESTRATÉGICO 7 2.1. Rede Nacional de Áreas

Leia mais

As cidades, o ambiente e a alta velocidade ferroviária

As cidades, o ambiente e a alta velocidade ferroviária As cidades, o ambiente e a alta velocidade ferroviária Helena Freitas Universidade de Coimbra O Projecto de Alta Velocidade em Portugal - Porto, 30 de Junho de 2008 OBJECTIVO PNPOT Melhorar os sistemas

Leia mais

O papel das ONGA na. Acção de Formação: Voluntariado - Afirmação de uma Cidadania Plena.

O papel das ONGA na. Acção de Formação: Voluntariado - Afirmação de uma Cidadania Plena. O papel das ONGA na Educação Ambiental Acção de Formação: Voluntariado - Afirmação de uma Cidadania Plena. Auditório da Escola Superior Gallaecia, 07 de Dezembro de 2011, Associação Nacional de Conservação

Leia mais

Os Percursos Pedestres nos AçoresA

Os Percursos Pedestres nos AçoresA Os Percursos Pedestres nos AçoresA Importância para a Monitorização e Valorização das Áreas Ambientais S. Diogo Caetano,, Eva A. Lima, Rita Melo, Teófilo Braga e Luís s N. Botelho Subida ao Pico da Vara,

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO

SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO Previsão Legal Objetivos Categorias Finalidades Gestão do Sistema Quantitativos Outros Espaços Protegidos Distribuição Espacial Relevância O Brasil possui alguns

Leia mais

Avaliação Ambiental Estratégica nas zonas costeiras e a subida do nível médio do mar

Avaliação Ambiental Estratégica nas zonas costeiras e a subida do nível médio do mar Avaliação Ambiental Estratégica nas zonas costeiras e a subida do nível médio do mar Pedro Bettencourt Coutinho, Sónia Alcobia, Carlos César Jesus, Pedro Fernandes, Cláudia Fulgêncio nemus@nemus.pt ÍNDICE

Leia mais

CURRICULUM VITAE. Artur Manuel Chambel Silvério MORADA :

CURRICULUM VITAE. Artur Manuel Chambel Silvério MORADA : CURRICULUM VITAE A. DADOS PESSOAIS NOME : Artur Manuel Chambel Silvério MORADA : Rua Manuel Almeida Vasconcelos. Lt. 34 Sb/Cv. Esq. 2775-713 Carcavelos TELEF. 918113117 ou 214549050 E-MAIL: artursilverio@naturiberica.pt

Leia mais

Sabia que? Sabia que nos mares portugueses há peixes que têm como nome comum aparalápis (Macroramphosus sp.)?

Sabia que? Sabia que nos mares portugueses há peixes que têm como nome comum aparalápis (Macroramphosus sp.)? Sabia que? Sabia que nos mares portugueses há peixes que têm como nome comum aparalápis (Macroramphosus sp.)? Sabia que no mar português há um peixe conhecido como minissaia (Capros aper)? Sabia que o

Leia mais

SI INOVAÇÃO INOVAÇÃO PRODUTIVA E EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO

SI INOVAÇÃO INOVAÇÃO PRODUTIVA E EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO SI INOVAÇÃO INOVAÇÃO PRODUTIVA E EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO CRITÉRIOS DE INSERÇÃO DE PROJECTOS NO PÓLO DE COMPETITIVIDADE E TECNOLOGIA TURISMO 2015 TIPOLOGIAS DE INVESTIMENTO ELEGÍVEIS 1. No âmbito dos

Leia mais

Projecto de Resolução n.º 92/XII/1.ª

Projecto de Resolução n.º 92/XII/1.ª PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS Grupo Parlamentar Projecto de Resolução n.º 92/XII/1.ª Recomenda ao Governo a revisão, com carácter de urgência, do Plano de Ordenamento do Parque Natural do Sudoeste Alentejano

Leia mais

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DA REGIAO AUT0NOMA DOS ACORES SUBCOMISSAO DA COMISSAO PERMANENTE DE ECONOMIA

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DA REGIAO AUT0NOMA DOS ACORES SUBCOMISSAO DA COMISSAO PERMANENTE DE ECONOMIA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DA REGIAO AUT0NOMA DOS ACORES SUBCOMISSAO DA COMISSAO PERMANENTE DE ECONOMIA RELATORIO E PARECER SOBRE 0 PROJECTO DE DECRETO - REGULAMENTAR QUE "QUE DEFINE AS TAXAS DEVIDAS PELA

Leia mais

Regulamento ARTIGO 1º INTRODUÇÃO

Regulamento ARTIGO 1º INTRODUÇÃO Concurso de Multimédia Visite as Nossas Áreas Protegidas Regulamento ARTIGO 1º INTRODUÇÃO O Concurso de Multimédia Visite as Nossas Áreas Protegidas (doravante designado Concurso) inicia-se no dia 7 de

Leia mais

SI INOVAÇÃO INOVAÇÃO PRODUTIVA E EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO (RETIFICADA)

SI INOVAÇÃO INOVAÇÃO PRODUTIVA E EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO (RETIFICADA) SI INOVAÇÃO INOVAÇÃO PRODUTIVA E EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO CRITÉRIOS DE INSERÇÃO DE PROJETOS NO PÓLO DE COMPETITIVIDADE E TECNOLOGIA TURISMO 2015 TIPOLOGIAS DE INVESTIMENTO ELEGÍVEIS (RETIFICADA) 1.

Leia mais

Decreto n.º 19/95 Protocolo sobre o Programa INTERREG II - Portugal e Espanha, entre a República Portuguesa e o Reino de Espanha

Decreto n.º 19/95 Protocolo sobre o Programa INTERREG II - Portugal e Espanha, entre a República Portuguesa e o Reino de Espanha Decreto n.º 19/95 Protocolo sobre o Programa INTERREG II - Portugal e Espanha, entre a República Portuguesa e o Reino de Espanha Nos termos da alínea c) do n.º 1 do artigo 200.º da Constituição, o Governo

Leia mais

MINISTÉRIO DO AMBIENTE, DO ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E DO DESENVOLVIMENTO REGIONAL

MINISTÉRIO DO AMBIENTE, DO ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E DO DESENVOLVIMENTO REGIONAL 7670 Diário da República, 1.ª série N.º 202 19 de Outubro de 2007 h) Garantir a gestão de serviços comuns no âmbito das aplicações cuja concretização esteja a cargo do II e promover a sua partilha e reutilização;

Leia mais

Projecto: Construção de um Teleférico e Recuperação do Património Cultural no Ilhéu da Cal Porto Santo.

Projecto: Construção de um Teleférico e Recuperação do Património Cultural no Ilhéu da Cal Porto Santo. Caso de Sucesso em AIA 1. Identificação do caso Projecto: Construção de um Teleférico e Recuperação do Património Cultural no Ilhéu da Cal Porto Santo. Promotor: Sociedade de Desenvolvimento do Porto Santo

Leia mais

ALGARVE, 7 DIAS. A FAMOSA COSTA ALGARVIA EM BICICLETA HÍBRIDA 7 Dias / 6 Noites / 5 Dias a Pedalar

ALGARVE, 7 DIAS. A FAMOSA COSTA ALGARVIA EM BICICLETA HÍBRIDA 7 Dias / 6 Noites / 5 Dias a Pedalar ALGARVE, 7 DIAS A FAMOSA COSTA ALGARVIA EM BICICLETA HÍBRIDA 7 Dias / 6 Noites / 5 Dias a Pedalar Desde 1.710 euros O programa inclui - 7 dias de Passeio de Bicicleta Híbrida c/ Guia - Transferes de e

Leia mais

Observações recentes recebidas pelo Noticiário SPEA. Tadorna (Tadorna tadorna) Negrola (Melanitta nigra) Águia-imperial-ibérica (Aquila adalberti)

Observações recentes recebidas pelo Noticiário SPEA. Tadorna (Tadorna tadorna) Negrola (Melanitta nigra) Águia-imperial-ibérica (Aquila adalberti) 1 de 8 28-03-2014 10:26 Observações recentes recebidas pelo Noticiário SPEA. Tadorna (Tadorna tadorna) 12-02-2014 Portimão - 5 inds. na ria do Alvor Guillaume Réthoré 21-02-2014 Loulé - 30 inds. no Ludo,

Leia mais

Plano Curricular de Estudo do Meio 4.º Ano - Ano Letivo 2015/2016

Plano Curricular de Estudo do Meio 4.º Ano - Ano Letivo 2015/2016 Plano Curricular de Estudo do Meio 4.º Ano - Ano Letivo 2015/2016 1.º Período Conteúdos Programados À Descoberta de Si Mesmo Os ossos Função dos ossos Saúde e segurança dos ossos O Esqueleto Ossos da cabeça,

Leia mais

Em 1951 foi fixada a respectiva ZEP, publicada no Diário do Governo (II Série) n.º 189 de 16/08/1951, que inclui uma zona non aedificandi.

Em 1951 foi fixada a respectiva ZEP, publicada no Diário do Governo (II Série) n.º 189 de 16/08/1951, que inclui uma zona non aedificandi. INFORMAÇÃO DSBC/DRCN/09 data: 14.01.2009 cs: 597682 Processo nº: DRP/CLS - 2398 Assunto: Revisão da Zona Especial de Protecção do Santuário de Panóias, freguesia de Panóias, concelho e distrito de Vila

Leia mais

MESTRADO EM COMUNICAÇÃO, MEDIA E JUSTIÇA FACULDADE DE DIREITO DA UNIVERSIDADE DE LISBOA/FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAS E HUMANAS DA UNL SEMINÁRIO

MESTRADO EM COMUNICAÇÃO, MEDIA E JUSTIÇA FACULDADE DE DIREITO DA UNIVERSIDADE DE LISBOA/FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAS E HUMANAS DA UNL SEMINÁRIO MESTRADO EM COMUNICAÇÃO, MEDIA E JUSTIÇA FACULDADE DE DIREITO DA UNIVERSIDADE DE LISBOA/FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAS E HUMANAS DA UNL SEMINÁRIO DIREITO DA COMUNICAÇÃO Tema: A Protecção de dados pessoais

Leia mais

Para este comentário foi analisado o EIA disponível no site da APA: http://siaia.apambiente.pt/aia1.aspx?id=2825

Para este comentário foi analisado o EIA disponível no site da APA: http://siaia.apambiente.pt/aia1.aspx?id=2825 Ex.mo Sr. Diretor-Geral, Agência Portuguesa do Ambiente Rua da Murgueira 9/9A Zambujal Apartado 7585- Alfragide 2721-865 Amadora Lisboa, 03 de Agosto de 2015 Assunto: Estudo de Impacte Ambiental (EIA)

Leia mais

Programa Diz não a uma seringa em 2ª mão Carla Caldeira PTS/Programa Nacional para a Infeção VIH/sida Serviços Partilhados do Ministério da Saúde

Programa Diz não a uma seringa em 2ª mão Carla Caldeira PTS/Programa Nacional para a Infeção VIH/sida Serviços Partilhados do Ministério da Saúde Programa Diz não a uma seringa em 2ª mão Carla Caldeira PTS/Programa Nacional para a Infeção VIH/sida Serviços Partilhados do Ministério da Saúde 21 novembro 2013 INTRODUÇÃO A Direção-Geral da Saúde/Programa

Leia mais

A POSIÇÃO DE PORTUGAL NA EUROPA E NO MUNDO

A POSIÇÃO DE PORTUGAL NA EUROPA E NO MUNDO A POSIÇÃO DE PORTUGAL NA EUROPA E NO MUNDO Portugal situa-se no extremo sudoeste da Europa e é constituído por: Portugal Continental ou Peninsular (Faixa Ocidental da Península Ibérica) Parte do território

Leia mais

Ciência e Tecnologia de Defesa no 3.º Quartel do Séc. XX A cartografia Militar em PORTUGAL (1950-1975)

Ciência e Tecnologia de Defesa no 3.º Quartel do Séc. XX A cartografia Militar em PORTUGAL (1950-1975) Ciência e Tecnologia de Defesa no 3.º Quartel do Séc. XX A cartografia Militar em PORTUGAL (1950-1975) 1975) A cartografia Militar Resumo histórico do IGeoE Evolução das instalações Produção cartográfica

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MARTIM DE FREITAS

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MARTIM DE FREITAS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MARTIM DE FREITAS 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO PLANO DE TRABALHO ANUAL ESTUDO DO MEIO * 4º Ano de escolaridade Blocos de aprendizagens Objetivos de ação/conteúdos S Meses O N D J F

Leia mais

Nuno José da Silva Grade

Nuno José da Silva Grade INFORMAÇÃO PESSOAL Nuno José da Silva Grade Morada: Urb. das Gambelas, Rua Sidónio d'almeida Lt. 75, 8005-294 Faro (Portugal) 00351 963 002 360 nuno.grade@icnf.pt EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO 01/10/2005 30/09/2006

Leia mais

Mineração e Áreas Protegidas

Mineração e Áreas Protegidas Márcio Silva Pereira Salvador, 08.06.2010 Rua da Assembléia, 66-17 Andar - Centro - Rio de Janeiro / RJ - CEP: 20011-000 tel: (55 21) 2114-1700 - fax: (55 21) 2114-1717 - http://www.svmfa.com.br I. Recursos

Leia mais