Sharon Hermes Giordano, MD MPH The University of Texas M.D. Anderson Cancer Center

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Sharon Hermes Giordano, MD MPH The University of Texas M.D. Anderson Cancer Center"

Transcrição

1 Guidelines Breast Índice das Diretrizes Guidelines do Robert W. Carlson, MD/Chair Stanford Comprehensive Sharon Hermes Giordano, MD MPH The of Texas M.D. Anderson Lori J. Pierce, MD Siteman at Barnes-Jewish Lori J. Goldstein, MD Elizabeth C. Reed, MD Hospital and Washington School of Fox Chase UNMC Eppley at The Medicine Nebraska Medical William J. Gradishar, MD Benjamin O. Anderson, MD Robert H. Lurie Comprehensive Jasgit Sachdev, MD Fred Hutchinson Research of Northwestern Clinical Practice Guidelines in Oncology St. Jude /Seattle Care Alliance Children's Research Hospital/ of Tennessee Daniel F. Hayes, MD Harold J. Burstein, MD, PhD GLICO - of Latin Michigan American Comprehensive Edition Dana-Farber/Brigham and Women's GLICO: Grupo Latino Clifford Americano A. Hudis, MD de Investigação Clinica em Oncologia W. Bradford Carter, MD Memorial Sloan-Kettering George Somlo, MD H. Lee Moffitt & Research City of Hope Britt-Marie Ljung, MD Câncer UCSF Helen Diller de Family Mama John H. Ward, MD Roswell Park Huntsman at the David A. Mankoff, MD, PhD John K. Erban, MD Fred Hutchinson Research Antonio C. Wolff, MD Massachusetts General Hospital /Seattle Care Alliance P. Kelly Marcom, Versão MD Arthur G. James Hospital & Richard J. Duke Comprehensive Solove Research at The Ohio State.org Vanderbilt-Ingram Andres Forero, MD As Diretrizes para Pacientes do disponível no of Alabama at Birmingham Beryl McCormick, MD Comprehensive Memorial Sloan-Kettering Continuar Continue Medical Oncology Hematology/Oncology Nuclear medicine Surgical Oncology, 03/25/11 National Comprehensive Network, Inc. 2011, All rights reserved. The Guidelines and this illustration may not be reproduced in any form without the express written permission of. Versão , 03/25/11 National Comprehensive Network, Inc. 2011,Todos os direitos reservados. As Diretrizes do e esta ilustração não podem ser reproduzidas de nenhum modo sem a expressa permissão por escrito do.

2 Membros das Diretrizes do TM ( Guidelines TM ) Versão GLICO Edição Latino Americana Breast Câncer de Mama Índice das Diretrizes Guidelines do Robert W. W. Carlson, MD/ MD/Chair Presidente Stanford Comprehensive D. D. Craig Allred, MD MD Siteman at Barnes-Jewish at Hospital and and Washington School School of of Medicine Benjamin O. O. Anderson, MD MD Fred Hutchinson Research Research /Seattle Care Care Alliance Alliance Harold J. J. Burstein, Burstein, MD, MD, PhD PhD Dana-Farber/Brigham and and Women s Women's W. Bradford Carter, MD H. W. Lee Bradford Moffitt Carter, MD & Research H. Lee Moffitt & Research Roswell Park John K. Erban, MD Roswell Park Massachusetts General Hospital John K. Erban, MD Arthur Massachusetts G. James General Hospital Hospital & Richard J. Solove Research at The Ohio State Andres Arthur Forero, G. James MD Hospital & Richard J. Solove Research of Alabama at Birmingham at The Ohio State Comprehensive Andres Forero, MD of Alabama at Birmingham Comprehensive Sharon Hermes Giordano, MD MD MPH MPH Lori J. J. Pierce, MD MD The of of Texas Texas M.D. M.D. Anderson Anderson of of Michigan Comprehensive Comprehensive Lori J. J. Goldstein, MD MD Elizabeth C. C. Reed, Reed, MD MD Fox Chase UNMC Eppley at The at The Nebraska Medical Medical William J. J. Gradishar, MD MD Robert H. H. Lurie Lurie Comprehensive Jasgit Sachdev, Sachdev, MD MD of of Northwestern St. St. Jude Jude Children s Children's Research Research Hospital/ Hospital/ of Tennessee of Tennessee Daniel F. F. Hayes, Hayes, MD MD of of Michigan Michigan Comprehensive Comprehensive Clifford A. Hudis, MD George Somlo, MD Clifford A. Hudis, MD Memorial Sloan-Kettering City of Hope Memorial Sloan-Kettering George Somlo, MD Britt-Marie Ljung, MD John City H. of Ward, HopeMD UCSF Britt-Marie Helen Diller Ljung, Family MD Huntsman at the Comprehensive UCSF Helen Diller Family John H. Ward, MD Comprehensive Antonio Huntsman C. Wolff, MD at the David A. Mankoff, MD, PhD φ The Sidney Kimmel Comprehensive Fred David Hutchinson A. Mankoff, MD, Research PhD /Seattle Fred Hutchinson Care Alliance Research Antonio C. Wolff, MD /Seattle Care Alliance Richard The Sidney Zellars, Kimmel MD Comprehensive P. Kelly Marcom, MD The Sidney at Johns Kimmel Hopkins Comprehensive Duke P. Kelly Comprehensive Marcom, MD Duke Comprehensive Vanderbilt-Ingram Ingrid A. Mayer, MD Vanderbilt-Ingram Beryl McCormick, MD Memorial Beryl McCormick, Sloan-Kettering MD Memorial Sloan-Kettering Continue Continuar Oncología Medical Oncology médica Radiation Radio-oncología Oncology Hematología Hematology/Oncology y Oncología Nuclear medicine Surgical Oncology < Medicina nuclear Oncología quirúrgica ξ Transplante de médula ósea :t Patología Patient Defensoría Advocacy del paciente Ÿ Ÿ Cirugía Reconstructive reconstructiva Surgery * * Writing Miembro Committee del comité Member redactor Version Versão , , 03/25/11 03/25/11 National National Comprehensive Comprehensive Network, Network, Inc. 2011, Inc. All rights 2011,Todos reserved. os The direitos reservados. Guidelines As and Diretrizes this illustration do may not e be esta reproduced ilustração in não any podem form without ser reproduzidas the express written de nenhum permission modo of sem. a expressa permissão por escrito do.

3 Membros das Diretrizes do TM ( Guidelines TM ) Versão GLICO Edição Latino Americana Breast Câncer de Mama Antonio Robert Buzaid W. Carlson, MD/Chair Guillermo Sharon Lerzo Hermes Giordano, MD MPH Hospital Stanford São Comprehensive José, São Paulo, Brasil IMCAB, The Instituto Medico of Texas de Buenos M.D. Aires, Anderson Argentina Antonio D. Craig Frasson Allred, MD Henry Gomez Faculdade de Medicina, PUCRS, Porto Alegre, INEN, Lima, Peru Siteman at Barnes-Jewish Lori J. Goldstein, MD Brasil Hospital and Washington School of Hernan Fox Lupera Chase Celia Medicine Viegas Hospital Metropolitano, Quito, Ecuador INCA, Rio de Janeiro, Brasil William J. Gradishar, MD Benjamin O. Anderson, MD João Robert Baptista H. Lurie Comprehensive Delma Fred Hutchinson Zea Research Hospital Cima, of Costa Northwestern Rica Centro /Seattle Javeriano de Oncologia, Care Colombia Alliance Joel Daniel Salazar F. Hayes, MD Filomena Harold J. Carvalho Burstein, MD, PhD Opcion Oncologia, Mexico Faculdade de Medicina, USP, São Paulo, Brasil Dana-Farber/Brigham and Women's Jorge Gutierrez Finlander Rosales Clinica las Condes, Santiago, Chile Universidad de El Salvador, El Salvador Clifford A. Hudis, MD W. Bradford Carter, MD Jose Memorial Bines Sloan-Kettering Gabriel H. Lee Krygier Moffitt & Research INCA, Rio de Janeiro, Brasil Hospital de Clinicas, Facultad de Medicina, Britt-Marie Ljung, MD Montevideo, Uruguay José UCSF F. Robledo Helen Diller Family Clinica del Country, Bogotá, Colombia Comprehensive Gabriela A.Costa Roswell Park San Isidro Patologia, Argentina Reinaldo Chacon Instituto David Alexander A. Mankoff, Fleming, MD, Buenos PhD Aires, Guadalupe John K. Erban, Cervantes MD Argentina Fred Hutchinson Research Hospital Massachusetts ISSSTE, Mexico General Hospital /Seattle Care Alliance P. Kelly Marcom, MD Arthur G. James Hospital & Richard J. Duke Comprehensive Solove Research at The Ohio State Vanderbilt-Ingram Andres Forero, MD of Alabama at Birmingham Beryl McCormick, MD Comprehensive Memorial Sloan-Kettering Continue Continuar Índice das Diretrizes Guidelines do Ricardo Lori J. Marques Pierce, MD Hospital Sirio Libanes, of Michigan São Paulo, Comprehensive Brasil Sandra Franco Clinica del Country, Bogotá, Colombia Elizabeth C. Reed, MD Silvia UNMC Falcon Eppley at The Hospital Nebraska Rebagliati, Medical Lima, Peru Sunil Jasgit Daryanani Sachdev, MD Hospital St. Jude Clinicas, Children's Caracas, Research Venezuela Hospital/ of Tennessee George Somlo, MD City of Hope John H. Ward, MD Huntsman at the Antonio C. Wolff, MD Medical Oncology Hematology/Oncology Nuclear medicine Surgical Oncology Version Versão , , 03/25/11 03/25/11 National National Comprehensive Comprehensive Network, Network, Inc. 2011, Inc. All rights 2011,Todos reserved. os The direitos reservados. Guidelines As and Diretrizes this illustration do may not e be esta reproduced ilustração in não any podem form without ser reproduzidas the express written de nenhum permission modo of sem. a expressa permissão por escrito do.

4 Diretrizes do TM Versão GLICO Guidelines Edição Latino Americana Câncer de Mama Breast Índice das Diretrizes Guidelines do Membros Robert W. do Carlson, Conselho MD/Chair de Câncer de Mama do Câncer Sharon de Mama Hermes Invasivo Giordano, (continuação) MD MPH Lori J. Pierce, MD Stanford Comprehensive Fertilidade The e Controle of Texas da Natalidade M.D. Anderson Após Resumo das Atualizações da Diretrizes tratamento Adjuvante para Câncer de Mama Estudos Clínicos: O acredita Câncer de Mama Não invasivo (BINV-C) Siteman at Barnes-Jewish que o melhor tratamento para qualquer Lori J. Goldstein, MD Carcinoma Lobular In Situ (CLIS-1) Estadiamento Axilar Cirúrgico Estágio l, lla, Elizabeth C. Reed, MD Hospital and Washington School of Fox Chase UNMC paciente Eppley com câncer está at em The um Medicine Carcinoma Ductal In Situ (CDIS-1) e llb (BINV-D) Nebraska estudo Medical clínico. A participação em Estadiamento William J. Gradishar, do Linfonodo MD Axilar (BINV-E) estudos clínicos é especialmente Invasive Benjamin Breast O. Anderson, MD Condição Robert H. da Lurie Margem Comprehensive no Carcinoma Jasgit estimulada. Sachdev, MD Fred Estágio Hutchinson Clínico, Investigação Research (BINV-1) Infiltrativo of (BINV-F) Northwestern St. Jude Children's Research /Seattle Care Alliance Para encontrar estudos clínicos online Tratamento Locorregional no Estadio Clínico Considerações Especiais à Terapia Hospital/ of Tennessee Daniel F. Hayes, MD nas instituições membros do, I, IIA,ou na Doença IIB ou T3, N1, M0 (BINV-2) Conservadora da Mama com Indicação de Harold J. Burstein, MD, PhD clique aqui: nccn.org /clinical_trials/ Tratamento Adjuvante Sistêmico (BINV-4) Radioterapia (BINV-G) Dana-Farber/Brigham and Women's Mary physician.html Diretriz de Quimioterapia Pré-operatória Princípios da Reconstrução Mamária Após Lou Smith, JD, MBA Estágio Clínico lla, llb, Investigação (BINV- Mastectomia Clifford A. Hudis, (BINV-H) MD Categorias de Evidência e Consenso W. Bradford 10) Carter, MD Princípios Memorial da Sloan-Kettering Radioterapia (BINV-I) do : Todas as recomendações George Somlo, MD H. Lee Tratamento Moffitt Primário, Tratamento & Research Terapia Endócrina Adjuvante (BINV-J) City são of Hope Categoria 2A a menos que Adjuvante (BINV-11) Quimioterapia Britt-Marie Ljung, Adjuvante MD (BINV-K) especificada de outra forma. Estágio Clínico llla, lllb, lllc, e Estágio IV, Definição UCSF Helen de Menopausa Diller Family (BINV-L) John H. Ward, MD Consulte Categorias de Investigação (BINV-13) Terapia Comprehensive Endócrina Subsequente (BINV-M) Huntsman at the Roswell Park Evidência e Consenso Quimioterapia Pré-operatória, Tratamento Regimes Quimioterápicos de Preferência para Locorregional, Tratamento Adjuvante (BINV-14) Câncer Davidde A. Mama Mankoff, Recorrente MD, PhDou Metastático John K. Erban, MD Fred Hutchinson Research Antonio C. Wolff, MD Massachusetts Monitoramento/Acompanhamento, General Hospital (BINV-N) /Seattle Care Alliance Investigação da Recorrência ou Investigação William Inicial para B. Farrar, Doença MD Estágio IV (BINV-15) Considerações P. Kelly Marcom, Especiais MD Diretriz do para Pacientes TM Arthur Tratamento G. James da Recorrência/Doença Hospital & Richard Estágio J. Tumor Duke Phyllodes Comprehensive (PHYLL-1) Richard disponível Zellars, MD no Solove VI (BINV-16) Research at The Ohio State Doença de Paget (PAGET-1) Princípios do Teste HER2 (BINV-A) Câncer Ingridde A. Mama Mayer, durante MD a Gravidez (PREG-1) Princípios do Exame de RM Mamária (BINV-B) Câncer Vanderbilt-Ingram Mama Inflamatório (IBC-1 Andres Forero, MD of Alabama at Birmingham Beryl McCormick, MD Essas Comprehensive diretrizes são uma declaração de evidência e consenso Memorial dos Sloan-Kettering autores com relação à impressão dos mesmos das abordagens atualmente aceitas para o tratamento. É esperado que qualquer médico que busque aplicar ou consultar essas diretrizes utilize o julgamento clínico independente, Medical Oncology no contexto das circunstancias clínicas individuais para determinar os cuidados ou tratamento de qualquer paciente. O National Comprehensive Continue Hematology/Oncology Nuclear medicine Network ( ) não delega ou dá garantias de qualquer tipo com relação ao seu conteúdo, Surgical uso Oncology ou aplicação e se exime de qualquer responsabilidade pela sua aplicação ou uso de qualquer forma. As Diretrizes são protegidas pelo Pathology direito de reprodução Patient do National Advocacy Comprehensive Network. Todos os direitos reservados. As Diretrizes e as ilustrações Ÿ Reconstructive contidas neste Surgery documento * Writing não Committee podem ser Member reproduzidas em qualquer forma sem a permissão expressa por escrito do National Comprehensive Network , 03/25/11 National Comprehensive Network, Inc. 2011, All rights reserved. The Guidelines and this illustration may not be reproduced in any form without the express written permission of. Versão , 03/25/11 National Comprehensive Network, Inc. 2011,Todos os direitos reservados. As Diretrizes do e esta ilustração não podem ser reproduzidas de nenhum modo sem a expressa permissão por escrito do.

5 Diretrizes do TM Versão Atualizações Guidelines no Câncer Version de Mama GLICO Edição Latino Americana Breast Câncer de Mama, 03/25/11 National Comprehensive Network, Inc. 2011, All rights reserved. The Guidelines and this illustration may not be reproduced in any form without the express written permission of. Versão , 03/25/11 National Comprehensive Network, Inc. 2011,Todos os direitos reservados. As Diretrizes do e esta ilustração não podem ser reproduzidas de nenhum modo sem a expressa permissão por escrito do. Índice das Diretrizes Guidelines do Resumo Robert W. das Carlson, alterações MD/Chair na versão de das diretrizes Sharon do Câncer Hermes de Mama Giordano, em relação MD MPH à versão Lori incluindo: J. Pierce, MD BINV-17 Stanford Comprehensive The of Texas M.D. Anderson Se doença óssea presente, excluído adicionar bifosfonato e substituído por adicionado denosumabe, ácido zolendronico, ou pamidronato. D. Nota Craig de Allred, rodapé MD ee modificada: denosumabe, ácido zolendronico ou pamidronato (todos com suplementação de cálcio e vitamina D) devem ser Siteman administrados (categoria at 1) Barnes-Jewish em adição à quimioterapia Lori ou terapia J. Goldstein, endócrina MD se houver metástase óssea, Elizabeth expectativa C. de Reed, vida MD 3 meses, e função renal Hospital adequada. and As Washington pacientes devem ser submetidas School ofa um exame Fox Chase odontológico preventivo antes de iniciar essa UNMC terapia. Eppley A posologia ideal e duração at The de Medicine denosumabe, ácido zolendrônico, ou pamidronato são desconhecidos. Nebraska Medical BINV-N William J. Gradishar, MD Benjamin Adicionado O. eribulin Anderson, à lista MD dos agentes isolados preferidos, Robert outros H. Lurie inibidores Comprehensive de microtúbulos. Eribulin 1,4 Jasgit mg/m2 Sachdev, IV dias 1 MD e 8, em ciclos a cada 21 dias. Fred Hutchinson Research of Northwestern DISCUSSÃO St. Jude Children's Research /Seattle Care Alliance Hospital/ of Tennessee A sessão de discussão foi atualizada para refletir as mudanças Daniel F. no Hayes, algoritmo. MD Harold J. Burstein, MD, PhD Resumo Dana-Farber/Brigham das alterações na versão and Women's das diretrizes de Câncer de Mama em relação à versão de , incluindo: LCIS-1 Excluído observação do tratamento primário, também retirado tamoxifeno Clifford para A. Hudis, redução MD de risco em mulheres na pré-menopausa, ou com tamixofeno ou raloxifeno para mulheres na W. pós-menopausa. Bradford Carter, MD Memorial Sloan-Kettering George Somlo, MD H. Excluído Lee Moffitt em circunstâncias especiais, & a Research mastectomia bilateral ± reconstrução pode ser considerada para redução do risco. City of Hope Adicionado uma via com base no tipo de biopsia, excisão central ou Britt-Marie cirúrgica. Se Ljung, a biopsia MD inicial for por agulha grossa, a recomendação é para excisão cirúrgica. Adicionada via para DCIS e câncer invasivo com base nos resultados UCSF da biopsia Helen cirúrgica. Diller A Family recomendação segue a diretriz apropriada. John H. Ward, MD Stephen Adicionada B. via Edge, para LCIS MD com base nos resultados da biopsia cirúrgica. Comprehensive Recomenda aconselhamento com relação à redução no risco e monitoramento de acordo com as Diretrizes para Huntsman at the Roswell Redução do Park Risco de Câncer de Mama do e Diretrizes de Rastreamento e Diagnóstico do Câncer de Mama do. DCIS-1 David A. Mankoff, MD, PhD John Nota de K. rodapé Erban, k modificada: MD radioterapia de mama total depois de lumpectomia reduz as taxas de recorrência do DCIS em cerca de 50%. Aproximadamente metade das recorrências é Fred Hutchinson Research Antonio C. Wolff, MD Massachusetts invasiva e metade DCIS. General Diversos Hospital fatores determinam o risco de recorrência local: massa palpável, tamanho maior, maior grau, margens exíguas ou envolvidas e idade inferior a 50 anos. Se a paciente e o médico avaliam o risco individual como baixo, algumas /Seattle pacientes podem ser Care tratadas Alliance apenas com excisão. Todos The Sidney os dados Kimmel que avaliaram Comprehensive os três tratamentos locais não mostram diferença na sobrevida da paciente. BINV-1 P. Kelly Marcom, MD Arthur G. James Hospital & Richard J. Adicionado um tópico FDG PET/TC opcional (para T3, N1, M0) (categoria Duke 2B). Comprehensive Solove Adicionada Research uma nova nota de rodapé at The O uso Ohio de PET State ou PET/TC não está indicado no estadiamento do estágio clínico I, II, ou câncer The de Sidney mama operável Kimmel de Comprehensive estagio III. FDG PET/TC é mais útil em situações onde os estudos de estadiamento padrão são Ingrid duvidosos A. Mayer, ou suspeitos, MD especialmente na condição de doença localmente at Johns avançada Hopkins ou metastática. FDG PET/TC também pode ser útil na identificação de doença com nódulo regional Vanderbilt-Ingram não suspeito e/ou metástases a distancia no LABC quando usado em adição aos estudos padrão de estadiamento. Andres Adicionado Forero, Considerar MDo aconselhamento para fertilidade se indicado. Adicionada uma ofnova Alabama nota de at rodapé Birmingham Ver Fertilidade e Controle da Natalidade Beryl McCormick, Após Tratamento MD Adjuvante do Câncer de Mama (BINV-C). BINV-2 Comprehensive Memorial Sloan-Kettering Adicionado região infraclavicular à região supraclavicular para recomendação de radiação (também se aplica a BINV-3) Seguindo a via para nódulos axilares negativos, adicionado ou consideração de irradiação parcial da mama (PBI) em pacientes Medical selecionadas. Oncology Adicionada nota de rodapé PBI pode ser administrada antes da quimioterapia. Continue Hematology/Oncology Nuclear medicine Surgical Oncology Continúa en la página siguiente Nota: Si no se indica lo contrario, todas las recomendaciones son de categoría 2A. Ensayos clínicos: La considera que los ensayos clínicos son la mejor forma de manejar un paciente con cáncer. Se hace especial hincapié en fomentar la participación en ensayos clínicos. ATUALIZAÇÕES

6 Diretrizes do TM Versão Atualizações Guidelines no Câncer Version de Mama GLICO Edição Latino Americana Breast Câncer de Mama, 03/25/11 National Comprehensive Network, Inc. 2011, All rights reserved. The Guidelines and this illustration may not be reproduced in any form without the express written permission of. Versión , 25-Marzo-2011 National Comprehensive Network, Inc Todos los derechos reservados. Se prohíbe toda reproducción de las Guías de la ( Guidelines ) y esta ilustración sin el permiso expreso por escrito de la. Índice das Diretrizes Guidelines do BINV-5 Robert W. Carlson, MD/Chair Stanford Removido grau Comprehensive 1. Removido grau 2 ou 3, características não favoráveis. Sharon Hermes Giordano, MD MPH The of Texas M.D. Anderson Lori J. Pierce, MD D. Removido Craig Allred, ±trastuzumabe MD (categoria 3). Siteman Excluída a nota de rodapé r: Se at ER Barnes-Jewish positivo considerar terapia endócrina Lori J. para Goldstein, redução do MD risco e diminuir o pequeno risco de recorrências Elizabeth da C. doença. Reed, MD Hospital Seguindo a and via para Washington pn0, adicionado considerar School terapia endócrina of Fox adjuvante. Chase UNMC Eppley at The Medicine Seguindo a via para pn1mi, adicionado terapia endócrina adjuvante ± quimioterapia adjuvante + trastuzumabe. Nebraska Medical BINV-6 William J. Gradishar, MD Benjamin Removido grau O. Anderson, 1, sem características MD desfavoráveis. Robert H. Lurie Comprehensive Jasgit Sachdev, MD BINV-7 Fred Hutchinson Research of Northwestern St. Jude Children's Research /Seattle Recomendação modificada para Care pn1mi Alliance e tumores 0,6-1,0 cm para Considerar quimioterapia adjuvante + trastuzumabe. Retirada Hospital/ a designação de categoria of Tennessee 3, agora é uma recomendação de categoria 2A. Daniel F. Hayes, MD BINV-10 Harold (também J. Burstein, se aplica MD, a BINV-14) PhD Dana-Farber/Brigham Adicionado um tópico FDG and PET/TC Women's (categoria 2B). Adicionada uma nova nota de rodapé O uso de PET ou PET/TC não está indicado no estadiamento do estágio clínico I, II ou câncer de mama estágio III operável. FDG PET/TC é mais útil em situações onde os estudos padrão de estadiamento são duvidosos Clifford ou suspeitos, A. Hudis, especialmente MD na condição de doença localmente avançada ou metastática. PDG PET/TC também W. pode Bradford ser útil na Carter, identificação MD de doença nodular regional não suspeita Memorial e/ou metástases Sloan-Kettering a distancia em LABC quando usado em adição George aos Somlo, estudos padrão MD de estadiamento. H. Adicionado Lee Moffitt Considerar aconselhamento & Research para fertilidade se indicado. City of Hope Adicionada uma nova nota de rodapé Ver Fertilidade e Controle da Britt-Marie Natalidade Após Ljung, Tratamento MD Adjuvante do Câncer de Mama (BINV-C). BINV-13 UCSF Helen Diller Family John H. Ward, MD Stephen Retirado Se B. capecitabina Edge, MD administrada como sensibilizador da radiação, Comprehensive trastuzumabe pode ser administrado simultaneamente Huntsman com a capecitabina at the Roswell Park BINV-15 Quimioterapia pré-operatória, excluído antraciclina ±taxano preferido. David A. Mankoff, MD, PhD John K. Erban, MD Fred Hutchinson Research Antonio C. Wolff, MD BINV-16 Massachusetts General Hospital /Seattle Care Alliance Mudado mamografia a cada 12 meses (e 6-12 meses pós-radioterapia se mama preservada [categoria 2B]) para mamografia anual. William Adicionado B. as Farrar, evidências MD sugerem que o estilo de vida ativo, alcançado e mantendo peso corporal ideal (IMC 21-25) pode levar a resultados ótimos no câncer de mama. P. Kelly Marcom, MD Arthur Adicionado G. a James primeira recorrência Hospital da doença & Richard deve ser biopsiada. J. Duke Comprehensive Solove Nota de rodapé Research bb modificada: o at uso The de estrógeno, Ohio State progesterona, ou moduladores seletivos do receptor do estrógeno para tratar a osteoporose ou osteopenia em mulheres com câncer de mama é desestimulado. O uso de bifosfonato é, de modo geral, a intervenção preferida para melhorar a densidade mineral óssea. A duração ótima da terapia com bifosfonato não foi estabelecida. Os fatores que devem ser considerados para a duração da terapia anti-osteoporose incluem a densidade mineral óssea, resposta à terapia, e fatores de risco para perda óssea contínua ou fratura. Mulheres tratadas com um bifosfonato devem Vanderbilt-Ingram ser submetidas a exame odontológico preventivo antes de iniciar a terapia, e devem tomar suplementos de Andres Forero, MD cálcio e vitamina D. of Alabama at Birmingham Beryl McCormick, MD BINV-20 Comprehensive Memorial Sloan-Kettering Retirado Quando a terapia prévia com antraciclina, taxano, e trastuzumabe: capecitabina + lapatinibe (preferido). Substituído por: continuar a terapia direcionada para HER2, tipicamente em combinação com outra quimioterapia ou trastuzumabe + lapatinibe. Medical Oncology Continue Hematology/Oncology Nuclear medicine Surgical Oncology Continua na próxima página Nota: todas as recomendações são categoria 2A, a menos que indicado de outra forma. Clique AQUI para ver a categorização da evidência do. Estudos Clínicos: O acredita que o melhor tratamento para qualquer pacientes com câncer está em um estudo clínico. A participação em estudos clínicos é especialmente estimulada. ATUALIZAÇÕES

7 Diretrizes do TM Versão Atualizações Guidelines no Câncer Version de Mama GLICO Edição Latino Americana Breast Câncer de Mama, 03/25/11 National Comprehensive Network, Inc. 2011, All rights reserved. The Guidelines and this illustration may not be reproduced in any form without the express written permission of. Versión , 25-Marzo-2011 National Comprehensive Network, Inc Todos los derechos reservados. Se prohíbe toda reproducción de las Guías de la ( Guidelines ) y esta ilustración sin el permiso expreso por escrito de la. Índice das Diretrizes Guidelines do BINV-B Robert W. Carlson, MD/Chair Sharon Hermes Giordano, MD MPH Lori J. Pierce, MD Stanford Adicionado Comprehensive o seguinte tópico: A utilidade da RM no rastreamento do The acompanhamento of de Texas mulheres M.D. com Anderson câncer mama prévio é indefinido. of Ela Michigan deve ser considerada, Comprehensive de modo geral, somente naquelas mulheres cujo risco ao longo da vida de um segundo câncer de mama primário é maior que 20% com base nos modelos em grande parte dependentes da história familiar, tais como naquelas com risco associado à suscetibilidade herdada para câncer de mama. BINV-C Siteman at Barnes-Jewish Lori J. Goldstein, MD Elizabeth C. Reed, MD É uma nova página: Fertilidade e Controle da Natalidade Após Tratamento Adjuvante do Câncer de Mama (BINV-C). Hospital and Washington School of Fox Chase UNMC Eppley at The BINV-D Medicine Adicionada uma nova nota de rodapé Dados de um estudo randomizado único, sugere que a dissecção completa dos linfonodos Nebraska axilares em Medical mulheres com tumores T1-T2, com axila clinicamente negativa e com até 3 linfonodos sentinelas positivos, e William que foram J. submetidas Gradishar, à cirurgia MD de preservação da mama e irradiação total da mama resulta em mais morbidade, Benjamin sem melhora O. das Anderson, taxas recorrência MD locorregionais, e sem diferença Robert na sobrevida H. Lurie global Comprehensive comparado à dissecção do sentinela isolada. Jasgit Sachdev, MD BINV-I Fred Hutchinson Research of Northwestern St. Jude Children's Research /Seattle Parágrafo modificado para discutir Care a Alliance radiação de mama inteira. Hospital/ of Tennessee Adicionado parágrafo para Irradiação Parcial Acelerada da Mama (APBI). Daniel Adicionado F. Hayes, também MD um parágrafo para Otimização da Administração e Terapia Individualizada. Harold J. Burstein, MD, PhD Dana-Farber/Brigham and Women's Clifford A. Hudis, MD W. Bradford Carter, MD Memorial Sloan-Kettering George Somlo, MD H. Lee Moffitt & Research City of Hope Britt-Marie Ljung, MD UCSF Helen Diller Family John H. Ward, MD Comprehensive Huntsman at the Roswell Park David A. Mankoff, MD, PhD John K. Erban, MD Fred Hutchinson Research Antonio C. Wolff, MD Massachusetts General Hospital /Seattle Care Alliance P. Kelly Marcom, MD Arthur G. James Hospital & Richard J. Duke Comprehensive Solove Research at The Ohio State Vanderbilt-Ingram Andres Forero, MD of Alabama at Birmingham Beryl McCormick, MD Comprehensive Memorial Sloan-Kettering Medical Oncology Continue Hematology/Oncology Nuclear medicine Surgical Oncology Nota: todas as recomendações são categoria 2A, a menos que indicado de outra forma. Clique AQUI para ver a categorização da evidência do. Estudos Clínicos: O acredita que o melhor tratamento para qualquer pacientes com câncer está em um estudo clínico. A participação em estudos clínicos é especialmente estimulada. ATUALIZAÇÕES

8 Diretrizes do TM Versão GLICO Guidelines Edição Latino Americana Breast Carcinoma Lobular In Situ, 03/25/11 National Comprehensive Network, Inc. 2011, All rights reserved. The Guidelines and this illustration may not be reproduced in any form without the express written permission of. Versión , 25-Marzo-2011 National Comprehensive Network, Inc Todos los derechos reservados. Se prohíbe toda reproducción de las Guías de la ( Guidelines ) y esta ilustración sin el permiso expreso por escrito de la. Índice das Diretrizes Guidelines do DIAGNÓSTICO Robert W. Carlson, INVESTIGAÇÃO MD/Chair Sharon Hermes Giordano, MD MPH REDUÇÃO Lori NO J. Pierce, RISCO MD MONITORAMENTO Stanford Comprehensive The of Texas M.D. Anderson Siteman at Barnes-Jewish Lori J. Goldstein, MD Elizabeth C. Reed, MD Hospital and Washington School of Fox Chase UNMC Eppley at The Medicine Nebraska Medical William J. Gradishar, MD Benjamin O. Anderson, MD Biópsia foi com Robert H. Realizar Lurie Comprehensive Carcioma ductal Jasgit Tratar Sachdev, acordo MD com a Fred Hutchinson Research agulha grossa of excisão Northwestern in situ (DCIS) ou St. Jude Diretriz Children's apropriada Research /Seattle Care Alliance (menor que biopsia Hospital/ of Tennessee cirúrgica) b,c cirúrgica câncer invasivo Daniel F. Hayes, MD Harold J. Burstein, MD, História PhD e Carcinoma Dana-Farber/Brigham and Women's exame físico lobular in Mamografia situ (CLIS) Clifford A. Hudis, MD W. Bradford Carter, diagnóstica identificado MD Memorial Sloan-Kettering George Somlo, MD H. Lee Moffitt bilateral na biópsia de & Research City of Hope Monitoramento de acordo Revisão da mama Britt-Marie Ljung, MD Aconselhamento em patologia Estágio 0, Tis, com: UCSF Helen Diller Family relação John à redução H. Ward, de MD Diretrizes para Redução Stephen B. Edge, MD RNM com Comprehensive Huntsman at the N0,M0 risco.ver Diretrizes Roswell Park de Risco no Câncer de contraste Biópsia inicial foi LCIS sem para of Redução Utah de Risco Mama do biopsia cirúrgica David A. Mankoff, MD, PhD outro câncer no Câncer de Mama do John K. Erban, MD Fred Hutchinson Research Antonio C. Wolff, MD Diretriz para Massachusetts General Hospital /Seattle Care Alliance The Sidney Kimmel Comprehensive Rastreamento e at Johns Hopkins Diagnóstico no Câncer P. Kelly Marcom, MD de Mama Arthur G. James Hospital & Richard J. Duke Comprehensive Solove Research at The Ohio State Vanderbilt-Ingram Andres Forero, MD a O conselho endossa of Alabama o Protocolo at Birmingham do Colégio Americano de Patologia Beryl para o relato McCormick, da patologia MD de todos os carcinomas de mama invasivos e não invasivos. Comprehensive Memorial Sloan-Kettering b LCIS está presente na biópsia inicial (agulha ou cirúrgica) ou na excisão final com ou sem outras alterações proliferativas (hiperplasia Medical Oncology ductal atípica ou lobular) c Algumas variantes do LCIS ( LCIS pleomórfica ) pode ter um comportamento biológico Continue similar ao do LCIS. Os clínicos podem Hematology/Oncology considerar a excisão completa Nuclear com medicine margens negativas para Surgical Oncology LCIS pleomórfico mas faltam dados dos resultados referentes à eficácia da excisão cirúrgica para margens negativas e/ou radioterapia Nota: todas as recomendações são categoria 2A, a menos que indicado de outra forma. Clique AQUI para ver a categorização da evidência do. Estudos Clínicos: O acredita que o melhor tratamento para qualquer pacientes com câncer está em um estudo clínico. A participação em estudos clínicos é especialmente estimulada. ATUALIZAÇÕES

9 Diretrizes do TM Versão GLICO Guidelines Edição Latino Americana Breast Carcinoma Ductal In Situ, 03/25/11 National Comprehensive Network, Inc. 2011, All rights reserved. The Guidelines and this illustration may not be reproduced in any form without the express written permission of. Versión , 25-Marzo-2011 National Comprehensive Network, Inc Todos los derechos reservados. Se prohíbe toda reproducción de las Guías de la ( Guidelines ) y esta ilustración sin el permiso expreso por escrito de la. Índice das Diretrizes Guidelines do DIAGNÓSTICO Robert W. Carlson, MD/Chair INVESTIGAÇÃO Sharon Hermes Giordano, MD TRATAMENTO MPH PRIMÁRIO Lori J. Pierce, MD Stanford Comprehensive The of Texas M.D. Anderson Lumpectomia sem ressecção linfonodal f + História e exame físico Siteman at Barnes-Jewish Lori J. Goldstein, MD radioterapia de mama Elizabeth total (categoria C. Reed, 1) Mamografia bilateral diagnóstica MD Carcinoma Hospital and ductal Washington School of Fox Chase Revisão da patologia Medicine b g,h,i,j,k UNMC Eppley at The in situ (CDIS) ou Nebraska Medical Ver Determinação da condição William do receptor J. Gradishar, MD identificado na Mastectomia total com ou sem biopsia de Tratamento Benjamin O. Anderson, MD de estrógeno do tumor Robert (ER) H. Lurie Comprehensive Jasgit Sachdev, MD biópsia Fred Hutchinson de mama nódulo sentinela f,i ± reconstruçãol Pós-cirúrgico Research Aconselhamento genético se pacientes of Northwestern St. Jude Children's Research Estágio /Seattle 0, Tis, N0, Ou (DCIS-2) Care Alliance é de alto risco para câncer de mama Hospital/ of Tennessee M0 a hereditário c Lumpectomiad sem ressecção linfonodal Daniel F. Hayes, MD f Harold J. Burstein, MD, PhD nem radioterapia (categoria 2B) h,j,k Dana-Farber/Brigham and Women's Clifford A. Hudis, MD W. Bradford Carter, MD Memorial Sloan-Kettering George Somlo, MD a H. Lee Moffitt & Research Ver Diretrizes para Rastreamento e Diagnóstico do Câncer de Mama do City of Hope b O conselho endossa o Protocolo do Colégio Americano de Patologia Britt-Marie para relato da Ljung, patologia MD de todos os carcinomas de mama invasivos e não -invasivos. c UCSF Helen Diller Family Stephen Ver Diretrizes John H. Ward, MD B. Edge, do MD de Avaliação do Alto Risco Genético/Familiar :Mama e Ovário d Comprehensive Huntsman at the Roswell Re-ressecção Park (ões) pode ser realizada no esforço de obter margens negativas em pacientes que desejam a terapia de preservação da mama. Pacientes nas quais não foi possível obter margens livres devem ser submetidas a mastectomia total. e David A. Mankoff, MD, PhD John Ver Status K. Erban, da Margem MD no DCIS (DCIS-A) f Fred Hutchinson Research Antonio C. Wolff, MD Massachusetts A dissecção completa General dos linfonodos Hospital axilares não deve ser realizada na falta de evidência câncer invasivo ou na presença de doença metastática em mulheres com DCIS aparentemente /Seattle Care Alliance puro. Entretanto, uma pequena proporção de pacientes com DCIS aparentemente puro apresentará câncer invasivo no momento do procedimento at Johns cirúrgico Hopkins definitivo. Assim, a pesquisa William do linfonodo B. Farrar, sentinela MD pode ser considerada se a paciente com DCIS P. aparentemente Kelly Marcom, puro MD for tratada com mastectomia ou com lumpectomia em uma localização que comprometa a Arthur realização G. de James uma nova pesquisa Hospital de linfonodo & Richard sentinela J. Duke Comprehensive g Solove Ver Princípios Research da Radioterapia (BINV-I). at The Ohio State h Ressecção completa deve ser documentada pela análise das margens Ingrid e radiografia A. Mayer, do espécime MD cirúrgico. A mamografia pós-excisão deve at ser Johns realizada Hopkins também sempre que permanecer a incerteza acerca da totalidade excisão. Vanderbilt-Ingram i Andres Pacientes Forero, que mostrarem MD doença invasiva na mastectomia total ou re-excisão devem ser tratadas como doença estágio I ou estágio II, incluindo o estadiamento do linfonodo. j Ver Considerações of Alabama Especiais at da Birmingham Terapia de Conservação da Mama Beryl (BIN-G) McCormick, após lumpectomia MD reduz as taxas de recorrência no DCIS em cerca de 50%. Aproximadamente metade das Comprehensive recorrências é invasiva e metade DCIS. Diversos fatores determinam Memorial qual o risco Sloan-Kettering de recorrência local: massa palpável, tamanho maior, maior grau, margens exíguas ou positivas k A radioterapia total da mama e idade abaixo de 50 anos. Se a paciente e o médico notarem o risco individual como baixo, Medical algumas Oncology pacientes podem ser Radiation tratadas Oncology apenas com excisão. Todos os dados que avaliam os três tratamentos locais não mostraram diferenças Continue na sobrevida da paciente. Hematology/Oncology Nuclear medicine l Ver Princípios da Reconstrução Mamária Após a Cirurgia (BINV-H). Surgical Oncology Nota: todas as recomendações são categoria 2A, a menos que indicado de outra forma. Clique AQUI para ver a categorização da evidência do. Estudos Clínicos: O acredita que o melhor tratamento para qualquer pacientes com câncer está em um estudo clínico. A participação em estudos clínicos é especialmente estimulada. DCIS-1

10 Diretrizes do TM Versão GLICO Guidelines Edição Latino Americana Breast Carcinoma Ductal In Situ, 03/25/11 National Comprehensive Network, Inc. 2011, All rights reserved. The Guidelines and this illustration may not be reproduced in any form without the express written permission of. Versión , 25-Marzo-2011 National Comprehensive Network, Inc Todos los derechos reservados. Se prohíbe toda reproducción de las Guías de la ( Guidelines ) y esta ilustración sin el permiso expreso por escrito de la. Índice das Diretrizes Guidelines do TRATAMENTO Robert W. Carlson, PÓS-CIRÚRGICO MD/Chair DO DCIS Sharon Hermes Giordano, MD MONITORAMENTO/ACOMPANHAMENTO MPH Lori J. Pierce, MD Stanford Comprehensive The of Texas M.D. Anderson Siteman at Barnes-Jewish Lori J. Goldstein, MD Elizabeth C. Reed, MD Hospital and Washington School of Fox Chase UNMC Eppley at The Medicine Nebraska Medical Terapia para redução no risco da mama ipsilateral após cirurgia William J. Gradishar, MD conservativa Benjamin O. da Anderson, mama: MD Robert H. Lurie Comprehensive Jasgit Sachdev, MD Considerar Fred Hutchinson tamoxifeno por 5 Research anos para: of Northwestern St. Jude Children's Research /Seattle Pacientes tratadas com terapia Care Alliance conservadora da mama (retirada Hospital/ of Tennessee do tumor) e radioterapia (categoria 1) n, especialmente naquelas Daniel F. Hayes, MD Intervalo da história e exame físico a cada 6 a 12 meses por 5 anos, Harold com DCIS J. Burstein, ER-positivo. MD, O benefício PhD do tamoxifeno para DCIS ER of Michigan Comprehensive e então anualmente Dana-Farber/Brigham negativo é incerto and Women's Mamografia a cada 12 meses (e 6-12 meses após radioterapia se Pacientes tratadas apenas com excisão n Clifford A. Hudis, MD mama preservada [categoria 2B]) W. Bradford Carter, MD Memorial Sloan-Kettering Se tratada com tamoxifeno, George Somlo, monitorar MD de acordo com as Diretrizes H. Terapia Lee Moffitt para redução do risco para & Research a mama contralateral: do para Redução City of do Hope Risco no Câncer de Mama Aconselhamento com relação à consideração de tamoxifeno Britt-Marie Ljung, MD para redução do risco (categoria 2B)m. Ver também Diretrizes UCSF do Helen Diller Family John H. Ward, MD Stephen para B. Redução Edge, MD do Risco no Câncer de Mama Comprehensive Huntsman at the Roswell Park David A. Mankoff, MD, PhD John K. Erban, MD Fred Hutchinson Research Antonio C. Wolff, MD Massachusetts General Hospital /Seattle Care Alliance P. Kelly Marcom, MD Arthur G. James Hospital & Richard J. Duke Comprehensive Solove Research at The Ohio State Vanderbilt-Ingram m Andres Alguns SSRI Forero, como fluoxetina MD e paroxetina diminuem a formação de endoxifeno, o metabólito ativo do tamoxifeno e podem ter impacto em sua eficácia. Deve-se ter cuidado com a co-administração of Alabama desses medicamentos at Birmingham com tamoxifeno. No entanto, Beryl citalopram McCormick, e venlafaxina MD parecem ter impacto mínimo sobre o metabolismo de tamoxifeno. Neste momento, com Comprehensive base nos dados atuais o conselho não endossa o teste de rotina da Memorial CYP2D6 para Sloan-Kettering mulheres que são consideradas par a terapia com tamoxifeno. Os dados disponíveis sugerem que tamoxifeno proporciona redução no risco de recorrência na mama ipsilateral tratada com cirurgia conservadora e na mama Medical Oncology contralateral nas pacientes com tumores primários RE-positivos. Considerando que não foi demonstrada Continue Hematology/Oncology vantagem na sobrevida, a análise individual dos riscos Nuclear medicine e benefícios é importante (Ver também Diretrizes do para Redução no Risco de Câncer de Mama). Surgical Oncology Nota: todas as recomendações são categoria 2A, a menos que indicado de outra forma. Clique AQUI para ver a categorização da evidência do. Estudos Clínicos: O acredita que o melhor tratamento para qualquer pacientes com câncer está em um estudo clínico. A participação em estudos clínicos é especialmente estimulada. DCIS-2

11 Diretrizes do TM Versão GLICO Guidelines Edição Latino Americana Breast Carcinoma Ductal In Situ, 03/25/11 National Comprehensive Network, Inc. 2011, All rights reserved. The Guidelines and this illustration may not be reproduced in any form without the express written permission of. Versión , 25-Marzo-2011 National Comprehensive Network, Inc Todos los derechos reservados. Se prohíbe toda reproducción de las Guías de la ( Guidelines ) y esta ilustración sin el permiso expreso por escrito de la. Índice das Diretrizes Guidelines do CONDIÇÃO Robert W. Carlson, DA MARGEM MD/Chair NO DCIS Sharon Hermes Giordano, MD MPH Lori J. Pierce, MD Stanford Comprehensive The of Texas M.D. Anderson Há uma importante controvérsia com relação à definição de uma margem patológica negativa no DCIS. A controvérsia surge da heterogeneidade da doença, dificuldades em distinguir o espectro das condições hiperplásicas, considerações anatômicas do local da margem e dados prospectivos inadequados sobre os Siteman at Barnes-Jewish Lori J. Goldstein, MD fatores prognósticos no DCIS. Elizabeth C. Reed, MD Hospital and Washington School of Fox Chase UNMC Eppley at The Medicine Nebraska Medical Margens maiores que 10 mm são amplamente aceitas como William negativas J. Gradishar, (mas pode ser MD excessivo e levar a um resultado não satisfatório) Benjamin O. Anderson, MD Robert H. Lurie Comprehensive Jasgit Sachdev, MD Margens Fred Hutchinson inferiores a 1 mm são Research consideradas inadequadas. of Northwestern St. Jude Children's Research /Seattle Care Alliance Hospital/ of Tennessee Com margens patológicas entre 1-10 mm, margens mais amplas Daniel estão F. Hayes, geralmente MD associadas com menores taxas de recorrência local. No entanto, margens cirúrgicas Harold J. próximas Burstein, (< MD, 1 mm), PhD na borda fibroglandular da mama (parede of torácica Michigan ou pele) Comprehensive não são obrigatórias de re-excisão cirúrgica, mas podem ser uma Dana-Farber/Brigham and Women's indicação para dose mais alta de radiação (boost) no local da retirada da massa tumoral envolvida (categoria 2B). Clifford A. Hudis, MD W. Bradford Carter, MD Memorial Sloan-Kettering George Somlo, MD H. Lee Moffitt & Research City of Hope Britt-Marie Ljung, MD UCSF Helen Diller Family John H. Ward, MD Comprehensive Huntsman at the Roswell Park David A. Mankoff, MD, PhD John K. Erban, MD Fred Hutchinson Research Antonio C. Wolff, MD Massachusetts General Hospital /Seattle Care Alliance P. Kelly Marcom, MD Arthur G. James Hospital & Richard J. Duke Comprehensive Solove Research at The Ohio State Vanderbilt-Ingram Andres Forero, MD of Alabama at Birmingham Beryl McCormick, MD Comprehensive Memorial Sloan-Kettering Medical Oncology Continue Hematology/Oncology Nuclear medicine Surgical Oncology Nota: todas as recomendações são categoria 2A, a menos que indicado de outra forma. Clique AQUI para ver a categorização da evidência do. Estudos Clínicos: O acredita que o melhor tratamento para qualquer pacientes com câncer está em um estudo clínico. A participação em estudos clínicos é especialmente estimulada. DCIS-A

12 Diretrizes do TM Versão GLICO Guidelines Edição Latino Americana Breast Câncer de Mama Invasivo, 03/25/11 National Comprehensive Network, Inc. 2011, All rights reserved. The Guidelines and this illustration may not be reproduced in any form without the express written permission of. Versión , 25-Marzo-2011 National Comprehensive Network, Inc Todos los derechos reservados. Se prohíbe toda reproducción de las Guías de la ( Guidelines ) y esta ilustración sin el permiso expreso por escrito de la. Índice das Diretrizes Guidelines do ESTÁGIO Robert W. CLÍNICO Carlson, MD/Chair INVESTIGAÇÃO Stanford Comprehensive Sharon Hermes Giordano, MD MPH The of Texas M.D. Anderson Lori J. Pierce, MD Investigação geral incluindo: Siteman at História Barnes-Jewish e exame físico Lori J. Goldstein, MD Elizabeth C. Reed, MD Hospital and Washington Hemograma, School plaquetas of Fox Chase UNMC Eppley at The Medicine Testes de função hepática e fosfatase alcalina Nebraska Medical Estagio I Mamografia diagnóstica bilateral, William ultrassom J. Gradishar, se necessário MD T1, Benjamin N0, M0 O. Anderson, MD Revisão da patologia a Robert H. Lurie Comprehensive Jasgit Sachdev, MD ou Fred Hutchinson Determinação Research do status do receptor de of estrógeno/progesterona Northwestern (ER/PR) do tumor e St. status Jude HER2 Children's Research Estagio /Seattle IIA Care Se Alliance os testes ER/PR e HER2 não estão disponíveis localmente, eles devem ser enviados a um laboratório Hospital/ of Tennessee de referência T0, N1, M0 Daniel F. Hayes, MD Harold J. Burstein, MD, PhD Aconselhamento genético se a paciente for of de Michigan alto risco Comprehensive para câncer de mama hereditário T1, N1, M0 Dana-Farber/Brigham and Women's Ver T2, N0, M0 Estudos de imagem opcionais para mama: Tratamento ou RM da mama d Clifford A. Hudis, MD Locorregional Estagio W. Bradford IIB Carter, MD Memorial Sloan-Kettering George Somlo, MD (BINV-2) H. T2, Lee N1, M0 Se estágio clínico IIIA (T3, N1, M0) considerar: Moffitt & Research City of Hope T3, N0, M0 Cintilografia óssea (categoria 2B) TC ou US ou RM abdominal ± pelve Britt-Marie Ljung, MD ou Imagem do tórax UCSF Helen Diller Family John H. Ward, MD Estagio Stephen IIIA B. Edge, MD Comprehensive Huntsman at the Roswell T3, N1, M0 Park Estudos adicionais quando orientado pelos sinais ou sintomas: Cintilografia óssea indicada se David dor óssea A. Mankoff, localizada MD, ou fosfatase PhD alcalina elevada John K. Erban, MD TC ou US ou RM abdominal ± pelve Fred Hutchinson se fosfatase alcalina elevada, Research testes anormais de Antonio função C. hepática, Wolff, MD Massachusetts General Hospital sintomas abdominais, exame físico /Seattle anormal de abdômen Care ou pelve Alliance Imagem do tórax (se presença de sintomas pulmonares) FDG PET/TC opcional (para T3, P. N1, Kelly M0) Marcom, (Categoria MD 2B) Arthur G. James Hospital Considerar & aconselhamento Richard J. sobre Duke fertilidade Comprehensive se indicado Solove Research at The Ohio State a Vanderbilt-Ingram Andres O conselho Forero, endossa MD o Protocolo do Colégio Americano de Patologia para o relato da patologia de todos os carcinomas invasivos e não invasivos de mama. b Ver Princípios of do Alabama Teste HER2 at (BINV-A). c Birmingham Ver Diretrizes do de Avaliação do Alto Risco Genético/Familiar Beryl :Mama McCormick, e Ovário MD d Comprehensive Ver Princípios do Teste de RM Reservado às Mamas (BINV-B) Memorial Sloan-Kettering e O uso do exame PET ou PET/TC não está indicado no estadiamento da doença clínica estadio I, II ou câncer de mama operável. FDG PET/TC é mais útil em situações nas quais os estudos de Medical Oncology estadiamento padrão são duvidosos ou suspeitos, especialmente na condição de doença localmente avançada ou metastática. FDG PET/TC também pode ser útil na identificação da doença Continue Hematology/Oncology em linfonodos regionais não suspeita e/ou metástases à distancia no LABC, quando usado em conjunto com os estudos de estadiamento padrão Nuclear medicine f Surgical Oncology Ver Fertilidade e Controle da Natalidade Após Tratamento Adjuvante do Câncer de Mama (BINV-C). Nota: todas as recomendações são categoria 2A, a menos que indicado de outra forma. Clique AQUI para ver a categorização da evidência do. Estudos Clínicos: O acredita que o melhor tratamento para qualquer pacientes com câncer está em um estudo clínico. A participação em estudos clínicos é especialmente estimulada. BINV-1

13 Diretrizes do TM Versão GLICO Guidelines Edição Latino Americana Breast Câncer de Mama Invasivo, 03/25/11 National Comprehensive Network, Inc. 2011, All rights reserved. The Guidelines and this illustration may not be reproduced in any form without the express written permission of. Versión , 25-Marzo-2011 National Comprehensive Network, Inc Todos los derechos reservados. Se prohíbe toda reproducción de las Guías de la ( Guidelines ) y esta ilustración sin el permiso expreso por escrito de la. Índice das Diretrizes Guidelines do TRATAMENTO Robert W. Carlson, LOCORREGIONAL MD/Chair DA DOENÇA ESTADIO Sharon CLÍNICO Hermes I, IIA, Giordano, OU IIB OU MD T3, MPH N1, M0 Lori J. Pierce, MD Stanford Comprehensive The ou sem boost of m Texas (por fótons, M.D. Anderson braquiterapia ou feixe de elétrons) of no Michigan leito tumoral Comprehensive (categoria 1), região infra-escapular e área supraclavicular. Considerar radioterapia 4 linfonodos na cadeia mamária interna (categoria 3). A radioterapia deve seguir a quimioterapia Siteman at Barnes-Jewish axilares positivos l Lori quando J. Goldstein, quimioterapia MD indicada Elizabeth C. Reed, MD Hospital and Washington 1 3 linfonodos School of Fox Chase UNMC Eppley at The Medicine Nebraska Medical William A radioterapia J. Gradishar, total da MD mama com ou sem boost m (por fótons, braquiterapia ou Benjamin O. Anderson, MD Robert H. Lurie Comprehensive Jasgit Sachdev, MD Lumpectomia Fred Hutchinson com feixe de elétrons) no leito tumoral (categoria 1) após quimioterapia quando esta for Ver Research axilares positivos indicada. of Northwestern Considerar fortemente a radioterapia para St. a região Jude Children's infraclavicular Research e área estadiamento /Seattle axilar BINV-4 Care Alliance Hospital/ of Tennessee cirúrgico (categoria 1) g,h,i linfonodos supraclavicular (categoria 2B). Considerar radioterapia na cadeia mamária interna Daniel (categoria F. Hayes, 3). A MD radioterapia deve seguir a quimioterapia quando a quimioterapia Harold J. Burstein, MD, PhD for indicada. of Michigan Comprehensive ou Dana-Farber/Brigham and Women's Radioterapia total da mama com ou sem boost m (por fótons, braquiterapia ou axilares negativos Clifford feixe de A. elétrons) Hudis, MD no leito tumoral ou considerar irradiação parcial da mama (PBI) W. Bradford Carter, MD Memorial Sloan-Kettering em pacientes selecionados, H. Lee Moffitt & Research o. Radioterapia deve seguir George a quimioterapia Somlo, MD quando Radioterapia total esta for indicada. City of Hope da mama com Britt-Marie Ljung, MD Mastectomia total com estadiamento axilar UCSF Helen Diller Family John H. Ward, MD cirúrgico, Stephen k,i B. (categoria Edge, MD 1) ± reconstrução Comprehensive Ver Tratamento locorregional (BINV-3) Huntsman at the ou Roswell Park David A. Mankoff, MD, PhD Se John T2 ou K. T3 Erban, e atende MDaos critérios para terapia Fred Considerar Hutchinson Diretriz de Quimioterapia Research Pré-operatória Antonio (BINV-10) C. Wolff, MD conservadora Massachusetts de mama General exceto Hospital para o tamanho i /Seattle Care Alliance g P. Kelly Marcom, MD k Ver Estadiamento Axilar Cirúrgico (BINV-D) Ver Princípios da Reconstrução após a Cirurgia (BINV-H). h Arthur G. James Hospital & Richard J. l Ver Estadiamento de Linfonodo Axilar (BINV-E ) e Condição da Margem Duke no Comprehensive Carcinoma Deve-se considerar o estadiamento Richard adicional incluindo Zellars, cintilografia MD óssea e TC/US/RM Solove Infiltrativo Research (BINV-F) at The Ohio State abdominal; TC tórax (categoria 2B). i m Ver Considerações Especiais à Terapia Conservadora da Mama (BINV-G) Ver Princípios da Radioterapia (BINV-I). j n Exceto como resumido nas Diretrizes do de Avaliação do Alto Risco Genético/ A radioterapia deve ser administrada aos linfonodos mamários internos se forem clinica ou Vanderbilt-Ingram Andres Familiar: Mama Forero, e Ovário MD e Diretrizes do para Redução do Risco de Câncer de Mama, a patologicamente positivos, de outra forma o tratamento para os linfonodos mamários internos mastectomia profilática de uma mama contralateral a um câncer de mama unilateral conhecido fica a critério do oncorradiologista que trata a paciente, O planejamento do tratamento com CT é desencorajada. of Alabama Quando considerada, at Birmingham os pequenos benefícios da mastectomia Beryl McCormick, profilática MD deve ser utilizado em todos os casos em que a radioterapia for administrada aos linfonodos Comprehensive contralateral para mulheres com câncer de mama unilateral devem ser Memorial pesados Sloan-Kettering relação mamários internos. o ao risco de recorrência da doença do câncer de mama ipsilateral conhecido, aos aspectos PBI pode ser administrado antes da quimioterapia p psicológicos e sociais da mastectomia bilateral e aos riscos da mastectomia contralateral. O A radiação da mama pode Medical ser omitida Oncology nas pacientes com idade Radiation de 70 anos Oncology ou mais com uso de mastectomia contralateral profilática a uma mama tratada com terapia conservadora Continue da tumores T1 receptor estrógeno Hematology/Oncology positivo, linfonodos axilares Nuclear clinicamente medicine negativos, que mama é fortemente desencorajada. recebem terapia endócrina Surgical adjuvante Oncology (categoria 1). Nota: todas as recomendações são categoria 2A, a menos que indicado de outra forma. Clique AQUI para ver a categorização da evidência do. Estudos Clínicos: O acredita que o melhor tratamento para qualquer pacientes com câncer está em um estudo clínico. A participação em estudos clínicos é especialmente estimulada. BINV-2

14 Diretrizes do TM Versão GLICO Guidelines Edição Latino Americana Breast Câncer de Mama Invasivo, 03/25/11 National Comprehensive Network, Inc. 2011, All rights reserved. The Guidelines and this illustration may not be reproduced in any form without the express written permission of. Versión , 25-Marzo-2011 National Comprehensive Network, Inc Todos los derechos reservados. Se prohíbe toda reproducción de las Guías de la ( Guidelines ) y esta ilustración sin el permiso expreso por escrito de la. Índice das Diretrizes Guidelines do TRATAMENTO Robert W. Carlson, LOCORREGIONAL MD/Chair DA DOENÇA ESTADIO Sharon CLÍNICO Hermes I, IIA, Giordano, OU IIB OU MD T3, MPH N1, M0 Lori J. Pierce, MD Stanford Comprehensive The of Texas M.D. Anderson Radioterapia pós-quimioterapia na parede torácica (categoria 1) + 4 linfonodos Siteman at Barnes-Jewish axilares positivos l áreas infraclavicular e supraclavicular m. Considerar radioterapia na Lori J. Goldstein, cadeia MD ganglionar mamária interna Elizabeth (categoria C. 3) m,n. Reed, MD Hospital and Washington School of Fox Chase UNMC Eppley at The Medicine Considerar fortemente a radioterapia Nebraska pós-quimioterapia Medical para a William J. Gradishar, parede MD torácica + áreas infraclavicular e supraclavicular Benjamin O. Anderson, MD 1 3 linfonodos m. Se Robert H. Lurie Comprehensive for administrada radioterapia, considerar Jasgit Sachdev, radioterapia MD na cadeia Fred Hutchinson Research axilares positivos of Northwestern St. Jude Children's Research /Seattle Care Alliance ganglionar mamária interna m,n (categoria 3). Hospital/ of Tennessee Daniel F. Hayes, MD Mastectomia Harold J. Burstein, total MD, PhD com Dana-Farber/Brigham estadiamento and Linfonodos Women's axilares Considerar radioterapia para a parede Mary torácica Lou Smith, ± nódulos Ver JD, MBA axilar cirúrgico h negativos e tumor > 5 cm infraclaviculares e supraclaviculares.considerar radioterapia na BINV-4 (categoria 1) ± ou margens positivas Clifford A. Hudis, cadeia MD ganglionar mamária interna (categoria 3) m. g reconstrução W. Bradford Carter, MD Memorial Sloan-Kettering George Somlo, MD Ver H. Lee Moffitt & Research City of Hope Nódulos axilares Britt-Marie Ljung, MD negativos e tumor 5 UCSF Helen Diller Family John H. Ward, MD cm e margens exíguas Comprehensive Radioterapia pós-quimioterapia Huntsman para a parede torácica m. at the Roswell Park (< 1 cm) David A. Mankoff, MD, PhD John K. Erban, MD Fred Hutchinson Research Antonio C. Wolff, MD Massachusetts General Hospital Nódulos axilares /Seattle Care Alliance negativos e tumor 5 cm e margens livres 1 cm P. Kelly Marcom, Sem MD radioterapia Arthur G. James Hospital & Richard J. Duke Comprehensive Solove Research at The Ohio State Estadiamento Axilar Cirúrgico (BINV-D) Vanderbilt-Ingram h Andres Ver Estadiamento Forero, de MD Linfonodo Axilar (BINV-E ) e Condição da Margem no Carcinoma Infiltrativo (BINV-F) k Ver Princípios of da Reconstrução Alabama at após Birmingham a Cirurgia (BINV-H). Beryl McCormick, MD l Comprehensive Deve-se considerar o estadiamento adicional incluindo cintilografia Memorial óssea e TC/US/RM Sloan-Kettering abdominal; TC tórax (categoria 2B). m Ver Princípios da Radioterapia (BINV-I). n Medical Oncology A radioterapia deve ser administrada aos linfonodos mamários internos se forem clinica Continue ou patologicamente positivos, de outra forma o tratamento para os nódulos mamários internos Hematology/Oncology fica a critério do oncorradiologista que trata a paciente. O planejamento do tratamento CT deve ser utilizado em todos os casos em que a radioterapia for Nuclear administrada medicine aos linfonodos Surgical Oncology mamários internos. Nota: todas as recomendações são categoria 2A, a menos que indicado de outra forma. Clique AQUI para ver a categorização da evidência do. Estudos Clínicos: O acredita que o melhor tratamento para qualquer pacientes com câncer está em um estudo clínico. A participação em estudos clínicos é especialmente estimulada. BINV-3

15 Diretrizes do TM Versão GLICO Guidelines Edição Latino Americana Breast Câncer de Mama Invasivo, 03/25/11 National Comprehensive Network, Inc. 2011, All rights reserved. The Guidelines and this illustration may not be reproduced in any form without the express written permission of. Versión , 25-Marzo-2011 National Comprehensive Network, Inc Todos los derechos reservados. Se prohíbe toda reproducción de las Guías de la ( Guidelines ) y esta ilustración sin el permiso expreso por escrito de la. Índice das Diretrizes Guidelines do HISTOLOGIA Robert W. Carlson, MD/Chair CONDIÇÃO DO Sharon STATUS Hermes HER2 Giordano, MD MPH TRATAMENTO Lori J. Pierce, ADJUVANTE MD SISTÊMICO Stanford Comprehensive RECEPTOR HORMONAL The of Texas M.D. Anderson Siteman at Barnes-Jewish Lori HER2 J. Goldstein, positivo b MD Ver Tratamento Elizabeth Adjuvante C. Reed, Sistêmico- MD Receptor Hospital and Washington School of Fox Chase UNMC Eppley at The Medicine ER-positivo Hormonal Positivo- Doença HER2 Positiva (BINV-5) Nebraska Medical e/ou William J. Gradishar, MD Benjamin O. Anderson, MD PR positivo Robert H. Lurie Comprehensive Jasgit Sachdev, MD Fred Hutchinson Research HER2 of Northwestern negativo /Seattle Care Alliance b Ver Tratamento St. Jude Adjuvante Children's Sistêmico- Research Receptor Ductal q Hormonal Hospital/ Positivo- Doença HER of Negativa Tennessee (BINV-6) Lobular Daniel F. Hayes, MD Harold J. Burstein, MD, PhD Misto Dana-Farber/Brigham and Women's Metaplásico HER2 positivo b Ver Tratamento Adjuvante Sistêmico- Receptor Hormonal Negativo- Doença HER2 Positiva (BINV-7) ER-negativo Clifford A. Hudis, MD W. Bradford Carter, MD Memorial Sloan-Kettering e George Somlo, MD H. Lee Moffitt & Research PR - negativo City of Hope Britt-Marie Ljung, MD UCSF HER2 Helen negativo Diller b Family Ver Tratamento John Adjuvante H. Ward, Sistêmico- MD Receptor Comprehensive Hormonal Huntsman Negativo- Doença HER2 Negativa the (BINV-8) Roswell Park ER-positivo David A. Mankoff, MD, PhD John K. Erban, MD e/ou Fred Hutchinson Research Antonio C. Wolff, MD Massachusetts General Hospital PR positivo /Seattle Care Alliance P. Kelly Marcom, MD Arthur Tubular Ver Tratamento Adjuvante Sistêmico- Histologias G. James Hospital & Richard J. Duke Comprehensive Solove Colóide Favoráveis (BINV-9) Research at The Ohio State ER-negativo Vanderbilt-Ingram Andres Forero, MD e of Alabama at PR Birmingham - negativo Beryl McCormick, MD Comprehensive Memorial Sloan-Kettering Medical Oncology b Ver Principios do Teste HER2 (BINV-A). Continue Hematology/Oncology q Nuclear medicine Este inclui os subtipos medular e micropapilar Surgical Oncology Nota: todas as recomendações são categoria 2A, a menos que indicado de outra forma. Clique AQUI para ver a categorização da evidência do. Estudos Clínicos: O acredita que o melhor tratamento para qualquer pacientes com câncer está em um estudo clínico. A participação em estudos clínicos é especialmente estimulada. BINV-4

16 Diretrizes do TM Versão GLICO Guidelines Edição Latino Americana Breast Câncer de Mama Invasivo, 03/25/11 National Comprehensive Network, Inc. 2011, All rights reserved. The Guidelines and this illustration may not be reproduced in any form without the express written permission of. Versión , 25-Marzo-2011 National Comprehensive Network, Inc Todos los derechos reservados. Se prohíbe toda reproducción de las Guías de la ( Guidelines ) y esta ilustración sin el permiso expreso por escrito de la. Índice das Diretrizes Guidelines do TRATAMENTO Robert W. Carlson, ADJUVANTE MD/Chair SISTÊMICO RECEPTOR Sharon HORMONAL Hermes POSITIVO Giordano, - DOENÇA MD MPH HER2 POSITIVA Lori b J. Pierce, MD Stanford Comprehensive The of pn0 Texas M.D. Anderson Considerar terapia endócrina adjuvante Tumor 0,5 cm ou Terapia endócrina adjuvante Microinvasivo Siteman at Barnes-Jewish pn1mi Lori J. Goldstein, MD Elizabeth ± quimioterapia C. Reed, adjuvantes, MD t,u Hospital and Washington pt1, pt2, ou pt3; e School of Fox Chase UNMC + trastuzumabe Eppley v at The Medicine N0 ou pn1mi Nebraska Terapia Medical endócrina adjuvante (metástase em Tumor 0,6 William a 1,0 cm J. Gradishar, MD Histologia Benjamin r ± quimioterapia adjuvantes, O. Anderson, MD Robert H. Lurie Comprehensive Jasgit Sachdev, MD t,u : linfonodo axilar Fred Hutchinson Research of Northwestern + trastuzumabe St. Jude Children's vv Ductal Research /Seattle 2mm) Care Alliance Hospital/ of Tennessee Lobular Terapia endócrina adjuvante Tumor > 1,0 Daniel cm F. Hayes, MD Harold Misto J. Burstein, MD, PhD + quimioterapia adjuvante Dana-Farber/Brigham Metaplásico and Women's Mary + trastuzumabe Lou Smith, JD, (categoria MBA 1) s,t,u Linfonodo axilar positivo (uma ou mais Clifford A. Hudis, MD Terapia endócrina adjuvante W. Bradford Carter, metástases MD > 2 mm para um ou mais Memorial Sloan-Kettering George + quimioterapia Somlo, MD adjuvante H. Lee Moffitt linfonodos axilares & Research ipsilaterais) City + of trastuzumabe Hope (categoria 1) s,t,u Britt-Marie Ljung, MD UCSF Helen Diller Family John H. Ward, MD Comprehensive Huntsman Ver Acompanhamento at the (BINV-16) Roswell Park Ver Terapia Adjuvante Endócrina (BIN-J) e Quimioterapia Adjuvante (BINV-K) b David A. Mankoff, MD, PhD John Ver Princípios K. Erban, do Teste MD HER2 (BINV-A). r Fred Hutchinson Research Antonio C. Wolff, MD Os carcinomas mistos ductal e lobular, assim como os carcinomas metaplásicos, devem ser classificados com base no componente ductal e tratados com base nessa classificação. Os Massachusetts General Hospital componentes metaplásico ou misto não alteram o prognóstico. /Seattle Care Alliance s Evidências sustentam que a magnitude do benefício da ablação cirúrgica ou irradiação ovariana em mulheres na pré-menopausa com câncer at de Johns mama Hopkins positivo para o receptor hormonal William é semelhante B. Farrar, ao alcançado MD com CMF isolado. Evidências iniciais sugerem P. Kelly benefícios Marcom, semelhantes MD entre supressão ovariana (i.é, agonista LHRH) e a ablação de ovário. A combinação de Arthur ablação G. ovariana/supressão James mais Hospital terapia endócrina & Richard pode J. ser superior Duke à supressão Comprehensive isolada. O benefício da ablação ovariana/supressão Richard em mulheres Zellars, na MD pré-menopausa que receberam Solove quimioterapia Research adjuvante é incerta. at The Ohio State t A quimioterapia e a terapia endócrina usadas como terapia adjuvante Ingrid devem A. ser Mayer, administradas MD de forma sequencial, com a terapia endócrina at Johns seguindo Hopkins a quimioterapia. Os benefícios da quimioterapia e da terapia endócrina são aditivos. No entanto, o benefício Vanderbilt-Ingram absoluto da quimioterapia pode ser pequeno. A decisão de adicionar a quimioterapia à terapia endócrina deve Andres ser individualizada, Forero, MD especialmente naqueles casos com prognostico favorável, nos quais o incremento do benefício da quimioterapia pode ser menor. Os dados disponíveis sugerem que a terapia endócrina of Alabama sequencial at ou Birmingham simultânea com a radioterapia é aceitável. u Beryl McCormick, MD Comprehensive Existem dados limitados para recomendar a quimioterapia para pacientes com idade acima de 70 anos. O tratamento deve ser individualizado com consideração das condições comórbidas Memorial Sloan-Kettering v O prognóstico das pacientes com tumores T1a e T1b com linfonodos axilares negativos é geralmente favorável, mesmo quando Medical HER2 Oncology é amplificado ou superexpresso. Radiation Oncology Essa é uma população de pacientes com câncer de mama que não foi estudada no ensaios clínicos Continue randomizados disponíveis. A decisão Hematology/Oncology para o uso de terapia adjuvante com trastuzumabe Nuclear medicine nessa coorte de pacientes deve considerar as toxicidades conhecidas do trastuzumabe, tais como cardiotoxicidade, e o incerto Surgical benefício Oncology absoluto que pode ser obtido com o uso do trastuzumabe Nota: todas as recomendações são categoria 2A, a menos que indicado de outra forma. Clique AQUI para ver a categorização da evidência do. Estudos Clínicos: O acredita que o melhor tratamento para qualquer pacientes com câncer está em um estudo clínico. A participação em estudos clínicos é especialmente estimulada. BINV-5

17 Diretrizes do TM Versão GLICO Guidelines Edição Latino Americana Breast Câncer de Mama Invasivo, 03/25/11 National Comprehensive Network, Inc. 2011, All rights reserved. The Guidelines and this illustration may not be reproduced in any form without the express written permission of. Versión , 25-Marzo-2011 National Comprehensive Network, Inc Todos los derechos reservados. Se prohíbe toda reproducción de las Guías de la ( Guidelines ) y esta ilustración sin el permiso expreso por escrito de la. Índice das Diretrizes Guidelines do TRATAMENTO Robert W. Carlson, ADJUVANTE MD/Chair SISTÊMICO RECEPTOR HORMONAL Sharon Hermes POSITIVO Giordano, - DOENÇA MD HER2 MPH NEGATIVA b Lori J. Pierce, MD Stanford Comprehensive The of Texas M.D. Anderson pn0 Considerar terapia endócrina adjuvante (Categoria 2B) Tumor 0,5 cm Siteman at Barnes-Jewish Microinvasivo Lori J. Goldstein, pn1mi Terapia endócrina adjuvante (Categoria 2B)s MD Elizabeth C. Reed, MD Hospital and Washington School of pt1, pt2, ou pt3; e Fox Chase UNMC Eppley at The Medicine N0 ou pn1mi Nebraska Medical Terapia endócrina adjuvante William J. Gradishar, MD Não realizado Benjamin O. Anderson, (metástase MD 2mm ± quimioterapia adjuvante Robert H. Lurie Comprehensive Jasgit Sachdev, MD Fred Hutchinson em linfonodo (categoria 1) s Research of Northwestern St. Jude Children's Research /Seattle axilar) Care Alliance Escore de baixa Hospital/ Terapia of Tennessee endócrina adjuvante Daniel F. Hayes, MD recorrência (< 18) (categoria 2B) s Harold J. Burstein, MD, PhD Histologia: Dana-Farber/Brigham r Considerar ensaio and Women's Tumor > 0,5 cm Ductal RT-PCR de 21 Terapia endócrina adjuvante Lobular genes Escore de recorrência Clifford A. Hudis, MD ± quimioterapia adjuvante intermediária (18-30) W. Misto Bradford Carter, MD Memorial Sloan-Kettering George Somlo, MD (categoria 2B) s,t,u H. Metaplásico Lee Moffitt & Research City of Hope Nódulo positivo (uma ou mais Britt-Marie Terapia Ljung, endócrina MD adjuvante Escore de alta Terapia endócrina adjuvante metástases > 2 mm para um ou mais UCSF Helen Diller Family + quimioterapia adjuvante recorrência John ( 31) H. Ward, MD + quimioterapia adjuvante Comprehensive Huntsman at the Roswell Park linfonodos axilares ipsilaterais) (categoria 1) (categoria 2B) s,t,u David A. Mankoff, MD, Ver PhD Terapia Endócrina Adjuvante (BIN-J) e Quimioterapia Adjuvante (BINV-K) b John Ver Princípios K. Erban, do Teste MDHER2 (BINV-A). Fred Hutchinson Research Antonio C. Wolff, MD r Massachusetts Os carcinomas mistos General ductal e Hospital lobular, assim como os carcinomas /Seattle metaplásicos, devem ser classificados Care Alliance com base no componente The ductal Sidney e tratados Kimmel com Comprehensive base nessa classificação. Os componentes metaplásico ou misto não alteram o prognóstico. s William Evidências B. sustentam Farrar, MD que a magnitude do benefício da ablação cirúrgica ou irradiação ovariana em mulheres na pré-menopausa com câncer de mama positivo para o receptor hormonal é semelhante ao alcançado com CMF isolado. Evidências iniciais sugerem P. Kelly benefícios Marcom, semelhantes MD entre supressão ovariana (i.é, agonista LHRH) e a ablação de ovário. A combinação de Arthur G. James Hospital & Richard J. ablação ovariana/supressão mais terapia endócrina pode ser superior Duke à supressão Comprehensive isolada. O benefício da ablação ovariana/supressão Richard em mulheres Zellars, na MD pré-menopausa que receberam Solove quimioterapia Research adjuvante é incerta. at The Ohio State t A quimioterapia e a terapia endócrina usadas como terapia adjuvante Ingrid devem A. ser Mayer, administradas MD de forma sequencial, com a terapia endócrina at Johns seguindo Hopkins a quimioterapia. Os benefícios da quimioterapia e da terapia endócrina são aditivos. No entanto, o benefício Vanderbilt-Ingram absoluto da quimioterapia pode ser pequeno. A decisão de adicionar a quimioterapia à terapia endócrina deve Andres ser individualizada, Forero, MD especialmente naqueles casos com prognostico favorável, nos quais o incremento do benefício da quimioterapia pode ser menor. Os dados disponíveis sugerem que a terapia endócrina of Alabama sequencial at ou Birmingham simultânea com a radioterapia é Beryl aceitável. McCormick, MD u Comprehensive Existem dados limitados para recomendar a quimioterapia para pacientes com idade acima de 70 anos. O tratamento deve ser individualizado com consideração das condições co- Memorial Sloan-Kettering mórbidas. v O prognóstico das pacientes com tumores T1a e T1b com linfonodos axilares negativos é geralmente favorável, mesmo quando Medical HER2 Oncology é amplificado ou superexpresso. Radiation Oncology Essa é uma população de pacientes com câncer de mama que não foi estudada nos ensaios clínicos Continue randomizados disponíveis. A decisão Hematology/Oncology para o uso de terapia adjuvante Nuclear com medicine trastuzumabe nessa coorte de pacientes deve considerar as toxicidades conhecidas do trastuzumabe, tais como cardiotoxicidade, e o incerto Surgical benefício Oncology absoluto que pode Bone ser Marrow obtido com Transplantation o uso do trastuzumabe Nota: todas as recomendações são categoria 2A, a menos que indicado de outra forma. Clique AQUI para ver a categorização da evidência do. Estudos Clínicos: O acredita que o melhor tratamento para qualquer pacientes com câncer está em um estudo clínico. A participação em estudos clínicos é especialmente estimulada. BINV-6

18 Diretrizes do TM Versão GLICO Guidelines Edição Latino Americana Breast Câncer de Mama Invasivo, 03/25/11 National Comprehensive Network, Inc. 2011, All rights reserved. The Guidelines and this illustration may not be reproduced in any form without the express written permission of. Versión , 25-Marzo-2011 National Comprehensive Network, Inc Todos los derechos reservados. Se prohíbe toda reproducción de las Guías de la ( Guidelines ) y esta ilustración sin el permiso expreso por escrito de la. Índice das Diretrizes Guidelines do TRATAMENTO Robert W. Carlson, ADJUVANTE MD/Chair SISTÊMICO RECEPTOR HORMONAL Sharon Hermes NEGATIVO Giordano, - DOENÇA MD MPH HER2 POSITIVA b Lori J. Pierce, MD Stanford Comprehensive The of Texas M.D. Anderson Siteman at Barnes-Jewish Lori J. Goldstein, MD pn0 Elizabeth Sem terapia C. adjuvante Reed, MD Hospital and Washington School of Fox Chase Tumor 0,5 cm ou UNMC Eppley at The Medicine Nebraska Medical William Microinvasivo J. Gradishar, MD pn1mi Considerar quimioterapia Benjamin O. Anderson, MD Robert H. Lurie Comprehensive Jasgit adjuvante Sachdev, + trastuzumabe MD Fred Hutchinson pt1, Research pt2, ou pt3; e N0 ou of Northwestern St. Jude Children's Research /Seattle Care pn1mi Alliance Hospital/ of Tennessee (metástase 2mm em Daniel Tumor F. Hayes, 0,6 a 1,0 MD cm Considerar quimioterapia adjuvante + trastuzumabe Harold J. Burstein, MD, PhD linfonodo axilar) Dana-Farber/Brigham and Women's Histologia r : Clifford Tumor A. Hudis, > 1,0 cm Quimioterapia adjuvante (categoria 1) u MD W. Ductal + trastuzumabe (categoria 1) Bradford Carter, MD Memorial Sloan-Kettering George Somlo, MD H. Lobular Lee Moffitt & Research City of Hope Misto Britt-Marie Ljung, MD Metaplásico UCSF Helen Diller Family John H. Ward, MD Comprehensive Roswell Park Nódulo positivo (uma ou mais metástases Huntsman at the of Quimioterapia Utah adjuvante u (categoria 1) > 2 mm para um ou mais linfonodos David A. Mankoff, MD, PhD + trastuzumabe (categoria 1) John K. Erban, MD axilares ipsilaterais) Fred Hutchinson Research Antonio C. Wolff, MD Massachusetts General Hospital /Seattle Care Alliance Ver Acompanhamento (BINV-16) P. Kelly Marcom, MD Arthur G. James Hospital & Richard J. Ver Quimioterapia Adjuvante (BINV-K) Duke Comprehensive Solove Research at The Ohio State b Ver Princípios do Teste HER2 (BINV-A). r Os carcinomas mistos ductal e lobular, assim como os carcinomas Vanderbilt-Ingram metaplásicos, devem ser classificados com base no componente ductal e tratados com base nessa classificação. Os Andres componentes Forero, metaplásico MD ou misto não alteram o prognóstico. u Existem dados of limitados Alabama para at recomendar Birmingham a quimioterapia para pacientes Beryl com McCormick, idade acima MD de 70 anos. O tratamento deve ser individualizado com consideração das condições co- Comprehensive mórbidas. v Memorial Sloan-Kettering O prognóstico das pacientes com tumores T1a e T1b com linfonodos axilares negativos é geralmente favorável, mesmo quando HER2 é amplificado ou superexpresso. Essa é uma população de pacientes com câncer de mama que não foi estudada nos ensaios clínicos randomizados disponíveis. A decisão Medical para Oncology o uso de terapia adjuvante Radiation com trastuzumabe Oncology nessa coorte de pacientes deve considerar as toxicidades conhecidas do trastuzumabe, Continue tais como cardiotoxicidade, e o incerto Hematology/Oncology benefício absoluto que pode Nuclear ser obtido medicine com o uso do trastuzumabe Surgical Oncology Nota: todas as recomendações são categoria 2A, a menos que indicado de outra forma. Clique AQUI para ver a categorização da evidência do. Estudos Clínicos: O acredita que o melhor tratamento para qualquer pacientes com câncer está em um estudo clínico. A participação em estudos clínicos é especialmente estimulada. BINV-7

19 Diretrizes do TM Versão GLICO Guidelines Edição Latino Americana Breast Câncer de Mama Invasivo, 03/25/11 National Comprehensive Network, Inc. 2011, All rights reserved. The Guidelines and this illustration may not be reproduced in any form without the express written permission of. Versión , 25-Marzo-2011 National Comprehensive Network, Inc Todos los derechos reservados. Se prohíbe toda reproducción de las Guías de la ( Guidelines ) y esta ilustración sin el permiso expreso por escrito de la. Índice das Diretrizes Guidelines do TRATAMENTO Robert W. Carlson, ADJUVANTE MD/Chair SISTÊMICO RECEPTOR HORMONAL Sharon Hermes NEGATIVO Giordano, - DOENÇA MD MPH HER2 NEGATIVA b Lori J. Pierce, MD Stanford Comprehensive The of Texas M.D. Anderson Siteman at Barnes-Jewish Lori J. Goldstein, MD Elizabeth C. Reed, MD Hospital and Washington School of Fox Chase pno Sem terapia adjuvante Tumor 0,5 cm o UNMC Eppley at The Medicine Nebraska Medical William Microinvasivo J. Gradishar, MD pn1mi Considerar quimioterapia adjuvante u Benjamin O. Anderson, MD Robert H. Lurie Comprehensive Jasgit Sachdev, MD Fred Hutchinson pt1, Research pt2, ou pt3; e N0 ou of Northwestern St. Jude Children's Research /Seattle Care Alliance pn1mi Hospital/ of Tennessee Daniel Tumor F. Hayes, 0,6-1,0 MD cm Considerar quimioterapia adjuvante u (metástase 2mm em Harold J. Burstein, MD, PhD Dana-Farber/Brigham and linfonodo Women's axilar) Histologia r : Tumor > 1,0 cm Clifford A. Hudis, MD Quimioterapia adjuvante (categoria 1) u W. Ductal Bradford Carter, MD Memorial Sloan-Kettering George Somlo, MD H. Lobular Lee Moffitt & Research City of Hope Misto Britt-Marie Ljung, MD Metaplásico UCSF Helen Diller Family John H. Ward, MD Comprehensive Huntsman at the Roswell Park Nódulo positivo (uma ou mais metástases David A. Mankoff, MD, PhD John K. Erban, MD > 2 mm para um ou mais linfonodos Quimioterapia adjuvante (categoria 1)u Fred Hutchinson Research Antonio C. Wolff, MD Massachusetts General axilares Hospital ipsilaterais) /Seattle Care Alliance P. Kelly Marcom, MD Arthur G. James Hospital & Richard J. Duke Comprehensive Richard Zellars, Ver MD Acompanhamento (BINV-16) Solove Research at The Ohio State The Sidney Ver Kimmel Quimioterapia Comprehensive Adjuvante (BINV-J) Vanderbilt-Ingram Andres Forero, MD of Alabama at Birmingham b Beryl McCormick, MD Comprehensive Ver Princípios do Teste HER2 (BINV-A). r Memorial Sloan-Kettering Os carcinomas mistos ductal e lobular, assim como os carcinomas metaplásicos, devem ser classificados com base no componente ductal e tratados com base nessa classificação. Os componentes metaplásico ou misto não alteram o prognóstico. Medical Oncology u Existem dados limitados para recomendar a quimioterapia para pacientes com idade Continue acima de 70 anos. O tratamento deve Hematology/Oncology ser individualizado com consideração Nuclear das medicine condições comórbidas Surgical Oncology Nota: todas as recomendações são categoria 2A, a menos que indicado de outra forma. Clique AQUI para ver a categorização da evidência do. Estudos Clínicos: O acredita que o melhor tratamento para qualquer pacientes com câncer está em um estudo clínico. A participação em estudos clínicos é especialmente estimulada. BINV-8

20 Diretrizes do TM Versão GLICO Guidelines Edição Latino Americana Breast Câncer de Mama Invasivo, 03/25/11 National Comprehensive Network, Inc. 2011, All rights reserved. The Guidelines and this illustration may not be reproduced in any form without the express written permission of. Versión , 25-Marzo-2011 National Comprehensive Network, Inc Todos los derechos reservados. Se prohíbe toda reproducción de las Guías de la ( Guidelines ) y esta ilustración sin el permiso expreso por escrito de la. Índice das Diretrizes Guidelines do TRATAMENTO Robert W. Carlson, ADJUVANTE MD/Chair SISTÊMICO HISTOLOGIA FAVORÁVEL Sharon Hermes Giordano, MD MPH Lori J. Pierce, MD Stanford Comprehensive The of Texas M.D. Anderson < 1 cm pt1, pt2, ou pt3; e Sem terapia adjuvante w Siteman at Barnes-Jewish Lori J. Goldstein, MD Elizabeth C. Reed, MD Hospital and Washington N0 School ou pn1mi of Fox Chase 1-2,9 cm UNMC Eppley Considerar terapia endócrina at The Medicine (metástase 2mm Nebraska Medical ER-positivo adjuvantes, u em linfonodo axilar) William J. Gradishar, MD Benjamin O. Anderson, e/ou MD 3 cm Robert H. Lurie Comprehensive Jasgit Sachdev, Terapia endócrina MD adjuvantes, u Fred Hutchinson PR positivo Research of Northwestern St. Jude Children's Research /Seattle Care AllianceNódulo positivo (uma ou mais Hospital/ Terapia endócrina of Tennessee adjuvante ± metástases > 2 mm Daniel para F. um Hayes, ou mais MD Histologia: quimioterapia adjuvantes, Harold J. Burstein, MD, PhD linfonodos axilares ipsilaterais) Dana-Farber/Brigham Tubular and Women's Colóide Clifford A. Hudis, MD ER-positivo W. Bradford Carter, MD Repetir determinação Memorial do Sloan-Kettering George Somlo, MD H. Lee Moffitt ER-negativo & Research e/ou Seguir via apropriada acima status tumoral em relação City of Hope e Britt-Marie Ljung, PR MDpositivo ao receptor de estrógeno/ PR - negativo UCSF Helen Diller Family John H. Ward, MD progesterona (ER / Comprehensive PR) ER-negativo Tratar de acordo com a histologia Huntsman at the Roswell Park e habitual do câncer de mama David A. Mankoff, PR MD, - negativo PhD (Ver BINV-7 e BINV-8) John K. Erban, MD Fred Hutchinson Research Antonio C. Wolff, MD Massachusetts General Hospital /Seattle Care Alliance Ver Terapia Endócrina Adjuvante (BINV-J) at Johns e Quimioterapia Hopkins Adjuvante (BINV-K) P. Kelly Marcom, MD Arthur G. James Hospital & Richard J. Duke Comprehensive Solove Research at The Ohio State s Vanderbilt-Ingram Andres Evidências Forero, sustentam MD que a magnitude do benefício da ablação cirúrgica ou irradiação ovariana em mulheres na pré-menopausa com câncer de mama positivo para o receptor hormonal é semelhante ao alcançado com CMF isolado. Evidencias iniciais sugerem benefícios semelhantes entre supressão ovariana (i.é, agonista LHRH) e a ablação de ovário. A combinação de of Alabama at Birmingham ablação ovariana/supressão mais terapia endócrina pode ser superior Beryl à supressão McCormick, isolada. MD O benefício da ablação ovariana/supressão em mulheres na pré-menopausa que receberam Comprehensive quimioterapia adjuvante é incerta. Memorial Sloan-Kettering u Existem dados limitados para recomendar a quimioterapia para pacientes com idade acima de 70 anos. O tratamento deve Medical ser individualizado Oncology com consideração Radiation das Oncology condições comórbidas. Continue Hematology/Oncology Nuclear medicine w Se ER positivo considerar terapia endócrina para redução do risco (de novo primário) e para diminuir o pequeno risco de reocorrência Surgical Oncology da doença. Nota: todas as recomendações são categoria 2A, a menos que indicado de outra forma. Clique AQUI para ver a categorização da evidência do. Estudos Clínicos: O acredita que o melhor tratamento para qualquer pacientes com câncer está em um estudo clínico. A participação em estudos clínicos é especialmente estimulada. BINV-9

CAPÍTULO 2 CÂNCER DE MAMA: AVALIAÇÃO INICIAL E ACOMPANHAMENTO. Ana Flavia Damasceno Luiz Gonzaga Porto. Introdução

CAPÍTULO 2 CÂNCER DE MAMA: AVALIAÇÃO INICIAL E ACOMPANHAMENTO. Ana Flavia Damasceno Luiz Gonzaga Porto. Introdução CAPÍTULO 2 CÂNCER DE MAMA: AVALIAÇÃO INICIAL E ACOMPANHAMENTO Ana Flavia Damasceno Luiz Gonzaga Porto Introdução É realizada a avaliação de um grupo de pacientes com relação a sua doença. E através dele

Leia mais

O sistema TNM para a classificação dos tumores malignos foi desenvolvido por Pierre Denoix, na França, entre 1943 e 1952.

O sistema TNM para a classificação dos tumores malignos foi desenvolvido por Pierre Denoix, na França, entre 1943 e 1952. 1 SPCC - Hospital São Marcos Clínica de Ginecologia e Mastologia UICC União Internacional Contra o Câncer - TNM 6ª edição ESTADIAMENTO DOS TUMORES DE MAMA HISTÓRIA DO TNM O sistema TNM para a classificação

Leia mais

Cancro da mama. Versão 2.2011. Disponível em NCCN.com

Cancro da mama. Versão 2.2011. Disponível em NCCN.com Cancro da mama Versão 2.2011 Disponível em NCCN.com Índice Parte 1 Acerca deste guia de orientação... 4 1.1 Linhas de Orientação NCCN para doentes 1.2 Linhas de orientação NCCN para a Prática Clínica em

Leia mais

O Que solicitar no estadiamento estádio por estádio. Maria de Fátima Dias Gaui CETHO

O Que solicitar no estadiamento estádio por estádio. Maria de Fátima Dias Gaui CETHO O Que solicitar no estadiamento estádio por estádio Maria de Fátima Dias Gaui CETHO Introdução Objetivo: Definir a extensão da doença: Estadiamento TNM (American Joint Committee on Cancer ). 1- Avaliação

Leia mais

CÂNCER DE MAMA. O controle das mamas de seis em seis meses, com exames clínicos, é também muito importante.

CÂNCER DE MAMA. O controle das mamas de seis em seis meses, com exames clínicos, é também muito importante. CÂNCER DE MAMA Dr. José Bél Mastologista/Ginecologista - CRM 1558 Associação Médico Espírita de Santa Catarina AME/SC QUANDO PEDIR EXAMES DE PREVENÇÃO Anualmente, a mulher, após ter atingindo os 35 ou

Leia mais

Diretrizes Assistenciais. Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar - Mama

Diretrizes Assistenciais. Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar - Mama Diretrizes Assistenciais Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar - Mama Versão eletrônica atualizada em Novembro 2008 Protocolo de Conduta da Assistência Médico-Hospitalar Objetivos: - manuseio

Leia mais

O que é o câncer de mama?

O que é o câncer de mama? O que é o câncer de mama? As células do corpo normalmente se dividem de forma controlada. Novas células são formadas para substituir células velhas ou que sofreram danos. No entanto, às vezes, quando células

Leia mais

Diretrizes Assistenciais

Diretrizes Assistenciais Diretrizes Assistenciais Protocolo de tratamento adjuvante e neoadjuvante do câncer de mama Versão eletrônica atualizada em Fevereiro 2009 Tratamento sistêmico adjuvante A seleção de tratamento sistêmico

Leia mais

ESTADIAMENTO. 1. Histórico

ESTADIAMENTO. 1. Histórico Curso de Especialização em Atenção Básica em Saúde da Família 68 ESTADIAMENTO O estadiamento tem como objetivo agrupar pacientes segundo a extensão anatômica da doença. Essa normatização tem grande valia

Leia mais

PELE - MELANOMA PREVENÇÃO

PELE - MELANOMA PREVENÇÃO PREVENÇÃO Use sempre um filtro solar com fator de proteção solar (FPS) igual ou superior a 15, aplicando-o generosamente pelo menos 20 minutos antes de se expor ao sol e sempre reaplicando-o após mergulhar

Leia mais

COMO SEGUIR AS PACIENTES COM CÂNCER DE MAMA? Dr. José Luiz B. Bevilacqua

COMO SEGUIR AS PACIENTES COM CÂNCER DE MAMA? Dr. José Luiz B. Bevilacqua COMO SEGUIR AS PACIENTES COM CÂNCER DE MAMA? Dr. José Luiz B. Bevilacqua DECLARAÇÃO DE CONFLITOS DE INTERESSE Nenhum conflito de interesse COMO SEGUIR AS PACIENTES COM CÂNCER DE MAMA? Como fazer o acompanhamento

Leia mais

Parecer do Grupo de Avaliação de Tecnologias em Saúde GATS 25/07

Parecer do Grupo de Avaliação de Tecnologias em Saúde GATS 25/07 Parecer do Grupo de Avaliação de Tecnologias em Saúde GATS 25/07 Tema: Linfonodo sentinela no câncer de mama I Data: 27/09/2007 II Grupo de Estudo: Izabel Cristina Alves Mendonça; Célia Maria da Silva;

Leia mais

Caso Clínico para Site SBM

Caso Clínico para Site SBM Caso Clínico para Site SBM 18/03/13 Primeira consulta Paciente 35 anos Feminino Parda Casada Brasileira Natural de Pacatuba-CE Queixa Principal: Nódulo doloroso em MAMA DIREITA há 2 meses. Refere Ultrasonografia

Leia mais

Cancro da Mama. Estrutura normal das mamas. O que é o Cancro da Mama

Cancro da Mama. Estrutura normal das mamas. O que é o Cancro da Mama Cancro da Mama O Cancro da Mama é um tumor maligno que se desenvolve nas células do tecido mamário. Um tumor maligno consiste num grupo de células alteradas (neoplásicas) que pode invadir os tecidos vizinhos

Leia mais

Casos Clínicos: câncer de mama

Casos Clínicos: câncer de mama Casos Clínicos: câncer de mama Coordenador: Eder Babygton Alves Clinirad Curitiba PR Comentários: Dr. Alvaro Martinez Oakland University William Beaumont School of Medicine Dr. Robert Kuske MD Scottsdale

Leia mais

Câncer de Mama COMO SÃO AS MAMAS:

Câncer de Mama COMO SÃO AS MAMAS: Câncer de Mama COMO SÃO AS MAMAS: As mamas (ou seios) são glândulas e sua função principal é a produção de leite. Elas são compostas de lobos que se dividem em porções menores, os lóbulos, e ductos, que

Leia mais

Numeração Única: 0112.14.001131-6 TEMA: TAMOXIFENO NO TRATAMENTO ADJUVANTE DO CANCER DE MAMA

Numeração Única: 0112.14.001131-6 TEMA: TAMOXIFENO NO TRATAMENTO ADJUVANTE DO CANCER DE MAMA NT 38/2013 Solicitante: Dra. Renata Abranches Perdigão do JESP da Fazenda Pública de Campo Belo Data: 22/02/2014 Medicamento X Material Procedimento Cobertura Numeração Única: 0112.14.001131-6 TEMA: TAMOXIFENO

Leia mais

Analisar a sobrevida em cinco anos de mulheres. que foram submetidas a tratamento cirúrgico, rgico, seguida de quimioterapia adjuvante.

Analisar a sobrevida em cinco anos de mulheres. que foram submetidas a tratamento cirúrgico, rgico, seguida de quimioterapia adjuvante. Estudo de sobrevida de mulheres com câncer de mama não metastático tico submetidas à quimioterapia adjuvante Maximiliano Ribeiro Guerra Jane Rocha Duarte Cintra Maria Teresa Bustamante Teixeira Vírgilio

Leia mais

Protocolo de Tratamento do Câncer de Mama Metastático. Versão eletrônica atualizada em Dezembro 2009

Protocolo de Tratamento do Câncer de Mama Metastático. Versão eletrônica atualizada em Dezembro 2009 Protocolo de Tratamento do Câncer de Mama Metastático Versão eletrônica atualizada em Dezembro 2009 Protocolo de Tratamento do Câncer de Mama Metastático O tratamento de pacientes com câncer de mama metastático

Leia mais

RM MAMÁRIA: quando indicar?

RM MAMÁRIA: quando indicar? RM MAMÁRIA: quando indicar? Lucio De Carli Serviço de Diagnóstico por Imagem da Mama Hospital Mãe de Deus SSMD Porto Alegre/RS e-mail: luciodc@terra.com.br RM MAMÁRIA - indicações - Incoerência EF x MG

Leia mais

Câncer de Pulmão Estadiamento: o que mudou?

Câncer de Pulmão Estadiamento: o que mudou? Câncer de Pulmão Estadiamento: o que mudou? Ilka Lopes Santoro EPM - Unifesp Conflito de Interesse Nada a declarar For myself I am an optimist it does not seem to be much use being anything else. Sir Winston

Leia mais

EMENTA: Câncer urológico - Critérios de alta para pacientes com câncer CONSULTA

EMENTA: Câncer urológico - Critérios de alta para pacientes com câncer CONSULTA PARECER Nº 2422/2013 CRM-PR PROCESSO CONSULTA N.º 11/2013 PROTOCOLO N. º 10115/2013 ASSUNTO: CRITÉRIOS DE ALTA DE SERVIÇOS DE CANCEROLOGIA PARECERISTA: CONS. JOSÉ CLEMENTE LINHARES EMENTA: Câncer urológico

Leia mais

Apresentação de Caso Clínico L.E.M.D.A.P.

Apresentação de Caso Clínico L.E.M.D.A.P. Apresentação de Caso Clínico L.E.M.D.A.P. De Oliveira,J.V.C¹; SILVA, M.T.B¹; NEGRETTI, Fábio². ¹Acadêmicas do curso de Medicina da UNIOESTE. ²Professor de Anatomia e Fisiologia Patológica da UNIOESTE.

Leia mais

Numeração Única: 112.13.008257-4 TEMA: TAMOXIFENO NO TRATAMENTO ADJUVANTE DO CANCER DE MAMA

Numeração Única: 112.13.008257-4 TEMA: TAMOXIFENO NO TRATAMENTO ADJUVANTE DO CANCER DE MAMA NT 209/2013 Solicitante: Dra. Renata Abranches Perdigão do JESP da Fazenda Pública de Campo Belo Data: 01/11/2013 Medicamento X Material Procedimento Cobertura Numeração Única: 112.13.008257-4 TEMA: TAMOXIFENO

Leia mais

vulva 0,9% ovário 5,1%

vulva 0,9% ovário 5,1% endométrio 12,3% ovário 5,1% vulva 0,9% colo uterino 13,3% câncer de mama 68,4% Maior incidência nas mulheres acima de 60 anos ( 75% ) Em 90% das mulheres o primeiro sintoma é o sangramento vaginal pós-menopausa

Leia mais

4 Encontro de Enfermagem Ginecológica do Estado do Rio de Janeiro

4 Encontro de Enfermagem Ginecológica do Estado do Rio de Janeiro 4 Encontro de Enfermagem Ginecológica do Estado do Rio de Janeiro Afecções Oncológicas nas Mamas Enfª Giselle G. Borges Epidemiologia (BRASIL, 2012) Anatomia da mama (estruturas) Linfonodos Fisiologia

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 69

PROVA ESPECÍFICA Cargo 69 11 PROVA ESPECÍFICA Cargo 69 QUESTÃO 26 As afirmativas abaixo estão corretas, a) Amastia é ausência congênita da mama. b) Amastiaéaausênciadetecidomamário,mascompreservaçãodocomplexo areolo-papilar. c)

Leia mais

Como tratar o câncer de mama na paciente com mutação genética? Prof. Dr. Giuliano Duarte

Como tratar o câncer de mama na paciente com mutação genética? Prof. Dr. Giuliano Duarte Como tratar o câncer de mama na paciente com mutação genética? Prof. Dr. Giuliano Duarte Quem é a paciente com mutação BRCA1/2? Ansiedade Penetrância dos genes BRCA1 e BRCA 2 até os 70 anos Meta-análise

Leia mais

CANCER DE MAMA FERNANDO CAMILO MAGIONI ENFERMEIRO DO TRABALHO

CANCER DE MAMA FERNANDO CAMILO MAGIONI ENFERMEIRO DO TRABALHO CANCER DE MAMA FERNANDO CAMILO MAGIONI ENFERMEIRO DO TRABALHO OS TIPOS DE CANCER DE MAMA O câncer de mama ocorre quando as células deste órgão passam a se dividir e se reproduzir muito rápido e de forma

Leia mais

CÂnCER DE EnDOMéTRIO. Estados anovulatórios (ex: Síndrome dos ovários policísticos) Hiperadrenocortisolismo

CÂnCER DE EnDOMéTRIO. Estados anovulatórios (ex: Síndrome dos ovários policísticos) Hiperadrenocortisolismo CAPÍTULO 3 CÂnCER DE EnDOMéTRIO O Câncer de endométrio, nos Estados Unidos, é o câncer pélvico feminino mais comum. No Brasil, o câncer de corpo de útero perde em número de casos apenas para o câncer de

Leia mais

O seu guia para entender o laudo médico de câncer de mama

O seu guia para entender o laudo médico de câncer de mama O seu guia para entender o laudo médico de câncer de mama Desenvolvido para você pela breastcancer.org, com traduções realizadas em colaboração com a Cancer Resource Foundation, Inc. www.cancer1source.org.

Leia mais

QUANDO PEDIR SEGUNDA OPINIÃO OU REPETIR IHQ? QUAL O MÍNIMO DE INFORMAÇÕES QUE O ONCOLOGISTA DEVE DEMANDAR? Dr. Carlos E. Bacchi Patologia 1

QUANDO PEDIR SEGUNDA OPINIÃO OU REPETIR IHQ? QUAL O MÍNIMO DE INFORMAÇÕES QUE O ONCOLOGISTA DEVE DEMANDAR? Dr. Carlos E. Bacchi Patologia 1 QUANDO PEDIR SEGUNDA OPINIÃO OU REPETIR IHQ? QUAL O MÍNIMO DE INFORMAÇÕES QUE O ONCOLOGISTA DEVE DEMANDAR? Dr. Carlos E. Bacchi Patologia 1 QUANDO PEDIR SEGUNDA Dr. Ira Bleiweiss of Mount Sinai OPINIÃO

Leia mais

BREAST IMAGING REPORTING AND DATA SYSTEM NOVO BI-RADS EM MAMOGRAFIA

BREAST IMAGING REPORTING AND DATA SYSTEM NOVO BI-RADS EM MAMOGRAFIA BREAST IMAGING REPORTING AND DATA SYSTEM NOVO BI-RADS EM MAMOGRAFIA Breast Imaging Reporting and Data System Dr Marconi Luna Doutor em Medicina UFRJ Ex-Presidente da SBM Breast Imaging Reporting and Data

Leia mais

CÂNCER DE MAMA: Paciente com Doença Hormônio Sensível

CÂNCER DE MAMA: Paciente com Doença Hormônio Sensível CÂNCER DE MAMA: Paciente com Doença Hormônio Sensível Anderson Arantes Silvestrini Oncologista Clínico - Diretor técnico Grupo Acreditar Novembro 2013 Declaração de Conflitos de Interesses da SBOC-SBC

Leia mais

CAMPANHA PELA INCLUSÃO DA ANÁLISE MOLECULAR DO GENE RET EM PACIENTES COM CARCINOMA MEDULAR E SEUS FAMILIARES PELO SUS.

CAMPANHA PELA INCLUSÃO DA ANÁLISE MOLECULAR DO GENE RET EM PACIENTES COM CARCINOMA MEDULAR E SEUS FAMILIARES PELO SUS. Laura S. W ard CAMPANHA PELA INCLUSÃO DA ANÁLISE MOLECULAR DO GENE RET EM PACIENTES COM CARCINOMA MEDULAR E SEUS FAMILIARES PELO SUS. Nódulos da Tiróide e o Carcinoma Medular Nódulos da tiróide são um

Leia mais

Conclusões científicas

Conclusões científicas Anexo II Conclusões científicas e fundamentos para a alteração do Resumo das Características do Medicamento, da Rotulagem e do Folheto Informativo apresentados pela Agência Europeia de Medicamentos 7 Conclusões

Leia mais

Os Trabalhos/Abstracts mais Relevantes em Avaliação genética e tratamentos preventivos

Os Trabalhos/Abstracts mais Relevantes em Avaliação genética e tratamentos preventivos Os Trabalhos/Abstracts mais Relevantes em Avaliação genética e tratamentos preventivos Simône Noronha Hospital São José São Paulo - Brasil Índice: Radioterapia no câncer de mama hereditário (Revisão) Perfil

Leia mais

Tratamento Conservador do Cancro da Mama

Tratamento Conservador do Cancro da Mama Hospital Prof. Doutor Fernando da Fonseca Sessão Clínica Serviço de Ginecologia Diretora de Departamento: Dra. Antónia Nazaré Diretor de Serviço: Dr. Silva Pereira Tratamento Conservador do Cancro da Mama

Leia mais

Diretrizes ANS para realização do PET Scan / PET CT. Segundo diretrizes ANS

Diretrizes ANS para realização do PET Scan / PET CT. Segundo diretrizes ANS Diretrizes ANS para realização do PET Scan / PET CT Segundo diretrizes ANS Referencia Bibliográfica: Site ANS: http://www.ans.gov.br/images/stories/a_ans/transparencia_institucional/consulta_despachos_poder_judiciari

Leia mais

Tumores mamários em cadelas

Tumores mamários em cadelas Novos Exames Estamos colocando a disposição de todos o Teste de Estimulação ao ACTH que é usado para identificar e acompanhar o tratamento do hipoadenocorticismo e hiperadrenocorticismo em cães e gatos.

Leia mais

Declaro não haver nenhum conflito de interesse.

Declaro não haver nenhum conflito de interesse. Declaro não haver nenhum conflito de interesse. Faculdade de Medicina do ABC Disciplina de Ginecologia Serviço do Prof. Dr. César Eduardo Fernandes Setor de Mastologia IVO CARELLI FILHO Maior dilema da

Leia mais

CÂNCER DE MAMA. Breast Cancer I. EXAMES DE AVALIAÇÃO 1. CONFIRMAÇÃO DIAGNÓSTICA

CÂNCER DE MAMA. Breast Cancer I. EXAMES DE AVALIAÇÃO 1. CONFIRMAÇÃO DIAGNÓSTICA CONDUTAS DO INCA/MS / INCA/MS PROCEDURES CÂNCER DE MAMA Breast Cancer O estado atual da Mastologia tem permitido detectar mais freqüentemente lesões neoplásicas iniciais, como o carcinoma ductal in situ.

Leia mais

O que é câncer de mama?

O que é câncer de mama? Câncer de Mama O que é câncer de mama? O câncer de mama é a doença em que as células normais da mama começam a se modificar, multiplicando-se sem controle e deixando de morrer, formando uma massa de células

Leia mais

Atuação da Acupuntura na dor articular decorrente do uso do inibidor de aromatase como parte do tratamento do câncer de mama

Atuação da Acupuntura na dor articular decorrente do uso do inibidor de aromatase como parte do tratamento do câncer de mama Atuação da Acupuntura na dor articular decorrente do uso do inibidor de aromatase como parte do tratamento do câncer de mama O câncer de mama - 2º tipo de câncer mais freqüente no mundo e o mais comum

Leia mais

DETECÇÃO, DIAGNÓSTICO E ESTADIAMENTO DO CÂNCER DE MAMA

DETECÇÃO, DIAGNÓSTICO E ESTADIAMENTO DO CÂNCER DE MAMA RESSONÂNCIA NUCLEAR MAGNÉTICA DAS MAMAS DETECÇÃO, DIAGNÓSTICO E ESTADIAMENTO DO CÂNCER DE MAMA A crescente experiência com a Ressonância Nuclear Magnética (RNM) vem trazendo dúvidas pertinentes quanto

Leia mais

T.M. Mabel Pinilla Fernández PhD (c) mabelpinilla@udec.cl

T.M. Mabel Pinilla Fernández PhD (c) mabelpinilla@udec.cl T.M. Mabel Pinilla Fernández PhD (c) mabelpinilla@udec.cl Epidemiologia En chile, 2 da causa de muerte en mujeres Clasificación Clínico- patológica y Sobrevida Tamanho Tumoral (T) T1: 2.0cm em sua maior

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DO ESTADO DO RS PORTARIA 13/2014

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DO ESTADO DO RS PORTARIA 13/2014 PORTARIA 13/2014 Dispõe sobre os parâmetros do exame PET-CT Dedicado Oncológico. O DIRETOR-PRESIDENTE DO INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL-IPERGS, no uso de suas atribuições conferidas

Leia mais

PORTARIA Nº 1.008, DE 30 DE SETEMBRO DE 2015

PORTARIA Nº 1.008, DE 30 DE SETEMBRO DE 2015 PORTARIA Nº 1.008, DE 30 DE SETEMBRO DE 2015 Aprova as Diretrizes Diagnósticas e Terapêuticas do Carcinoma de Mama. A Secretária de Atenção à Saúde, no uso das atribuições, Considerando a necessidade de

Leia mais

1ª Edição do curso de formação em patologia e cirurgia mamária. Programa detalhado

1ª Edição do curso de formação em patologia e cirurgia mamária. Programa detalhado 15.6.2012 MÓDULO 1 - Mama normal; Patologia benigna; Patologia prémaligna; Estratégias de diminuição do risco de Cancro da Mama. 1 1 Introdução ao Programa de Formação 9:00 9:15 1 2 Embriologia, Anatomia

Leia mais

Arimide. Informações para pacientes com câncer de mama. Anastrozol

Arimide. Informações para pacientes com câncer de mama. Anastrozol Informações para pacientes com câncer de mama. AstraZeneca do Brasil Ltda. Rod. Raposo Tavares, km 26,9 CEP 06707-000 Cotia SP ACCESS net/sac 0800 14 55 78 www.astrazeneca.com.br AXL.02.M.314(1612991)

Leia mais

13th StGallenInternationalBreast CancerConference2013 Aspectos Clínicos. Marcelo R. S. Cruz Oncologista Clínico

13th StGallenInternationalBreast CancerConference2013 Aspectos Clínicos. Marcelo R. S. Cruz Oncologista Clínico 13th StGallenInternationalBreast CancerConference2013 Aspectos Clínicos Marcelo R. S. Cruz Oncologista Clínico Declaraçãode Conflitosde Interesse Não tenho conflitos para esta apresentação 13th Consenso

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 23. Em relação aos carcinomas não infiltrantes de mama, podemos afirmar, EXCETO:

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 23. Em relação aos carcinomas não infiltrantes de mama, podemos afirmar, EXCETO: 8 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 23 QUESTÃO 17 Em relação aos carcinomas não infiltrantes de mama, podemos afirmar, EXCETO: a) A difusão pagetóide nos ductos interlobulares está muitas vezes presente

Leia mais

O Novo BI-RADS. Introdução. MARCONI LUNA Pres. Departamento de Mamografia da SBM.

O Novo BI-RADS. Introdução. MARCONI LUNA Pres. Departamento de Mamografia da SBM. 1 O Novo BI-RADS MARCONI LUNA Pres. Departamento de Mamografia da SBM. Introdução No Congresso Americano de Radiologia em dezembro de 2003 (RSNA) em Chicago foi divulgado a 4ª edição do BI-RADS (Breast

Leia mais

CASO CLÍNICO: CÂNCER DE MAMA METASTÁTICO EM PACIENTE GRÁVIDA. Dra. Maristela Miranda Médica Oncologista RESUMO

CASO CLÍNICO: CÂNCER DE MAMA METASTÁTICO EM PACIENTE GRÁVIDA. Dra. Maristela Miranda Médica Oncologista RESUMO CASO CLÍNICO: CÂNCER DE MAMA METASTÁTICO EM PACIENTE GRÁVIDA Dra. Maristela Miranda Médica Oncologista RESUMO Caso clínico de paciente feminina com 32 anos, apresentando gestação de 12 semanas com câncer

Leia mais

É possível omitir Radioterapia adjuvante em mulheres idosas com Receptor Hormonal positivo?

É possível omitir Radioterapia adjuvante em mulheres idosas com Receptor Hormonal positivo? É possível omitir Radioterapia adjuvante em mulheres idosas com Receptor Hormonal positivo? Rosangela Correa Villar Radioterapia Beneficência Portuguesa- Hospital São Jose FMUSP villardias@uol.com.br INTRODUÇÃO

Leia mais

ATUALIZAÇÕES EM CÂNCER: TRATAMENTO

ATUALIZAÇÕES EM CÂNCER: TRATAMENTO ATUALIZAÇÕES EM CÂNCER: TRATAMENTO Elaine Jacob da Silva Carmo 1 ; Cristiane Alves da Fonseca 2,3 Andréia Juliana Leite Rodrigues 2,3, 4. 1 Curso de Ciências Biológicas, Unidade Universitária de Ciências

Leia mais

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde PORTARIA Nº 1.008, DE 30 DE SETEMBRO DE 2015 Aprova as Diretrizes Diagnósticas e Terapêuticas do Carcinoma de Mama. A Secretária de Atenção à Saúde, no uso das atribuições, Considerando a necessidade de

Leia mais

Sexta-Feira (13.03.2015)

Sexta-Feira (13.03.2015) Sexta-Feira (13.03.2015) 8:00 - Abertura - Dr. Ércio Ferreira Gomes (Presidente do Congresso) 8:30 - Conferência - rastreamento do cancer de mama após 40 anos: devemos fazer? Presidente: Dr. Luis Porto

Leia mais

Exames que geram dúvidas - o que fazer? SELMA DE PACE BAUAB

Exames que geram dúvidas - o que fazer? SELMA DE PACE BAUAB Exames que geram dúvidas - o que fazer? SELMA DE PACE BAUAB Exames que geram dúvidas - o que fazer? Como ter certeza que é BI-RADS 3? Quando não confiar na biópsia percutânea? O que fazer com resultados

Leia mais

Câncer de próstata. O que você deve saber. Marco A. Fortes HNMD

Câncer de próstata. O que você deve saber. Marco A. Fortes HNMD Câncer de próstata O que você deve saber Marco A. Fortes HNMD Incidência do câncer em homens no Brasil em 1999 Localização Homens % Pele 19500 15,0 Pulmão 14800 11,6 Próstata 14500 11,4 Estômago 13600

Leia mais

Departamento de Cirurgia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo

Departamento de Cirurgia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo Departamento de Cirurgia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo TRATAMENTO CIRÚRGICO DAS METÁSTASES HEPÁTICAS Carcinoma Metastático do Fígado METÁSTASES HEPÁTICAS Neoplasia primeira

Leia mais

detectada por biópsia de linfonodo sentinela, mas não clinicamente

detectada por biópsia de linfonodo sentinela, mas não clinicamente ANEXO DIRETRIZES DIAGNÓSTICAS E TERAPÊUTICAS CARCINOMA DE MAMA 1 METODOLOGIA DE BUSCA E AVALIAÇÃO DA LI- T E R AT U R A Foi realizada busca de artigos nas bases de dados Medline/Pubmed e Cochrane para

Leia mais

PATOLOGIA DA MAMA. Ana Cristina Araújo Lemos

PATOLOGIA DA MAMA. Ana Cristina Araújo Lemos PATOLOGIA DA MAMA Ana Cristina Araújo Lemos Freqüência das alterações mamárias em material de biópsia Alteração fibrocística 40% Normal 30% Alterações benignas diversas 13% Câncer 10% Fibroadenoma

Leia mais

ATUALIZAÇÃO NO TRATAMENTO DO CARCINOMA INFLAMATÓRIO

ATUALIZAÇÃO NO TRATAMENTO DO CARCINOMA INFLAMATÓRIO São Paulo, 27-29 Novembro 2008. IV JORNADA PAULISTA DE MASTOLOGIA ATUALIZAÇÃO NO TRATAMENTO DO CARCINOMA INFLAMATÓRIO EDUARDO MILLEN HSPE-SP- IAMSPE/ EPM UNIFESP HOSPITAL VITA VOLTA REDONDA- RJ ATUALIZAÇÃO

Leia mais

Toxicidade tardia da terapia adjuvante: o que não posso esquecer. Maria de Fátima Dias Gaui CETHO

Toxicidade tardia da terapia adjuvante: o que não posso esquecer. Maria de Fátima Dias Gaui CETHO Toxicidade tardia da terapia adjuvante: o que não posso esquecer Maria de Fátima Dias Gaui CETHO Introdução Cerca de 11.7 milhões de sobreviventes de câncer nos EUA em 2007. Destes 2.6 milhões ou 22% são

Leia mais

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR Acerca dos possíveis achados ambulatoriais de doenças benignas e malignas da mama, julgue os itens a seguir. 41 A amastia é um processo de má formação caracterizado pela ausência de tecido glandular mamário,

Leia mais

Sumário. Prefácio... XXXI Apresentação...XXXIII

Sumário. Prefácio... XXXI Apresentação...XXXIII Sumário Prefácio... XXXI Apresentação...XXXIII Seção 1 Introdução 1 Epidemiologia 3 2 Diretrizes de rastreamento do câncer de mama na população geral e de alto risco 9 3 Mamografia 17 4 BI-RADS ACR (Breast

Leia mais

Atualidades na doença invasiva do colo uterino: Seguimento após tratamento. Fábio Russomano IFF/Fiocruz Trocando Idéias 29 a 31 de agosto de 2013

Atualidades na doença invasiva do colo uterino: Seguimento após tratamento. Fábio Russomano IFF/Fiocruz Trocando Idéias 29 a 31 de agosto de 2013 Atualidades na doença invasiva do colo uterino: Seguimento após tratamento Fábio Russomano IFF/Fiocruz Trocando Idéias 29 a 31 de agosto de 2013 Objetivos do seguimento após tratamento de Câncer Detecção

Leia mais

ADENDO MODIFICADOR DO EDITAL N.º 13/2015-IEP/HCB

ADENDO MODIFICADOR DO EDITAL N.º 13/2015-IEP/HCB ADENDO MODIFICADOR DO EDITAL N.º 13/2015-IEP/HCB Por este instrumento o Conselho de Pós-Graduação (CPG) do Programa de Pós-Graduação em Oncologia do Hospital de Câncer de Barretos Fundação Pio XII, torna

Leia mais

CÂNCER GÁSTRICO PRECOCE

CÂNCER GÁSTRICO PRECOCE CÂNCER GÁSTRICO PRECOCE Hospital Municipal Cardoso Fontes Serviço de Cirurgia Geral Chefe do serviço: Dr. Nelson Medina Coeli Expositor: Dra. Ana Carolina Assaf 16/09/04 René Lambert DEFINIÇÃO Carcinoma

Leia mais

Clube da Revista. www.cepem.med.br. Ano I - Número I - Julho 2010

Clube da Revista. www.cepem.med.br. Ano I - Número I - Julho 2010 Ano I - Número I - Julho 2010 Avaliação ultrassonográfica da recorrência ganglionar em pacientes operadas por câncer de mama. Prezado colega, Acompanhando o ritmo acelerado da produção científica em medicina

Leia mais

Diagnóstico do câncer

Diagnóstico do câncer UNESC FACULDADES ENFERMAGEM - ONCOLOGIA FLÁVIA NUNES Diagnóstico do câncer Evidenciado: Investigação diagnóstica por suspeita de câncer e as intervenções de enfermagem no cuidado ao cliente _ investigação

Leia mais

DR.PRIMO PICCOLI CANCEROLOGIA CIRÚRGICA.

DR.PRIMO PICCOLI CANCEROLOGIA CIRÚRGICA. Genetic Risk Assessments in Individuals at High Risk for Inherited Breast Cancer in the Breast Oncology Care Setting DR.PRIMO PICCOLI CANCEROLOGIA CIRÚRGICA. CÂNCER DE MAMA HEREDITÁRIO CONHECER O RISCO

Leia mais

MELANOMA EM CABEÇA E PESCOÇO

MELANOMA EM CABEÇA E PESCOÇO UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CIRURGIA DE CABEÇA E PESCOÇO MELANOMA EM CABEÇA E PESCOÇO COMPLICAÇÕES EM ESVAZIAMENTO CERVICAL UBIRANEI O. SILVA INTRODUÇÃO Incidência melanoma cutâneo: 10% a 25% Comportamento

Leia mais

TOMOSSÍNTESE MAMÁRIA CASOS CLÍNICOS

TOMOSSÍNTESE MAMÁRIA CASOS CLÍNICOS TOMOSSÍNTESE MAMÁRIA CASOS CLÍNICOS SELMA DI PACE BAUAB Radiologista da Mama Imagem São José do Rio Preto - SP CASO 1 55 anos. Assintomática TOMOSSÍNTESE LESÃO EPITELIAL ESCLEROSANTE (Cicatriz Radial)

Leia mais

CÂNCER DE MAMA PREVENÇÃO TRATAMENTO - CURA Novas estratégias. Rossano Araújo

CÂNCER DE MAMA PREVENÇÃO TRATAMENTO - CURA Novas estratégias. Rossano Araújo CÂNCER DE MAMA PREVENÇÃO TRATAMENTO - CURA Novas estratégias Rossano Araújo Papiro do Edwin Smith (Egito, 3.000-2.500 A.C.) Papiro Edwin Smith (Egito, 3000 2500 A.C.) Tumores Protuberantes da Mama Se você

Leia mais

Radiology: Volume 274: Number 2 February 2015. Amélia Estevão 10.05.2015

Radiology: Volume 274: Number 2 February 2015. Amélia Estevão 10.05.2015 Radiology: Volume 274: Number 2 February 2015 Amélia Estevão 10.05.2015 Objetivo: Investigar a vantagem da utilização da RM nos diferentes tipos de lesões diagnosticadas na mamografia e ecografia classificadas

Leia mais

É por isso que um exame clínico anual das mamas, através de um médico, é obrigatório.

É por isso que um exame clínico anual das mamas, através de um médico, é obrigatório. OUTUBRO ROSA 25 de outubro Mais detalhes sobre o câncer de mama no Brasil 1. Exames clínicos de mama são tão importantes quanto as mamografias. Mamografias a partir de 40 anos de idade são cruciais (Deve

Leia mais

Coordenadoria de Regiões de Saúde

Coordenadoria de Regiões de Saúde Coordenadoria de Regiões de Saúde Grupo Normativo de Auditoria e Controle de Saúde Quimioterapia e Hormonioterapia no CÂNCER DE MAMA Fevereiro /2011 Atualidades O Brasil deverá ter 520 mil novos casos

Leia mais

ABORDAGEM MULTIDISCIPLINAR PERSONALIZADA DO CÂNCER DE MAMA

ABORDAGEM MULTIDISCIPLINAR PERSONALIZADA DO CÂNCER DE MAMA ONCOCLÍNICAS DO BRASIL & DANA-FARBER/HARVARD CANCER CENTER ABORDAGEM MULTIDISCIPLINAR PERSONALIZADA DO CÂNCER DE MAMA TIVOLI SÃO PAULO MOFARREJ - BRASIL 07 e 08 de Fevereiro de 2014 COMISSÃO CIENTÍFICA

Leia mais

Apoio e realização: II Congresso Brasileiro de Ginecologia Oncológica AGINON 2015 I Jornada Latino-Americana de Ginecologia Oncológica - LASGO

Apoio e realização: II Congresso Brasileiro de Ginecologia Oncológica AGINON 2015 I Jornada Latino-Americana de Ginecologia Oncológica - LASGO Apoio e realização: II Congresso Brasileiro de Ginecologia Oncológica AGINON 2015 I Jornada Latino-Americana de Ginecologia Oncológica - LASGO Local: Minas Centro, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil

Leia mais

Qual é a função dos pulmões?

Qual é a função dos pulmões? Câncer de Pulmão Qual é a função dos pulmões? Os pulmões são constituídos por cinco lobos, três no pulmão direito e dois no esquerdo. Quando a pessoa inala o ar, os pulmões absorvem o oxigênio, que é levado

Leia mais

HISTÓRIA NATURAL DOS TIPOS RAROS DE CÂNCER DE MAMA

HISTÓRIA NATURAL DOS TIPOS RAROS DE CÂNCER DE MAMA HISTÓRIA NATURAL DOS TIPOS RAROS DE CÂNCER DE MAMA Carcinomas Profª. Dra. Maria do Carmo Assunção Carcinoma tipo basal Grau 3 CK14 & CK5 = Positivo P63 pode ser positivo (mioepitelial) Triplo negativo

Leia mais

Neoplasias dos epitélios glandulares II

Neoplasias dos epitélios glandulares II Neoplasias dos epitélios glandulares II PATOLOGIA II Aula Prática nº4 MAMA: Correlação estrutura/lesão Cél. Basais/mioepiteliais Cél. Basais/mioepiteliais (actina) Cél. luminais Cél. luminais MAMA: Estrutura

Leia mais

Marília Ávila Acioly 1 ; Maria do Carmo Carvalho de Abreu e Lima 2

Marília Ávila Acioly 1 ; Maria do Carmo Carvalho de Abreu e Lima 2 ESTUDO CLÍNICO-PATOLÓGICO E IMUNOHISTOQUÍMICO DO CÂNCER DE MAMA EM MULHERES JOVENS DIAGNOSTICADAS E TRATADAS NO HOSPITAL DE CÂNCER DE PERNAMBUCO NO PERÍODO DE 1996 A 2006. Marília Ávila Acioly 1 ; Maria

Leia mais

CIRURGIA CITORREDUTORA E NO TRATAMENTO DA CARCINOMATOSE PERITONEAL. Ademar Lopes

CIRURGIA CITORREDUTORA E NO TRATAMENTO DA CARCINOMATOSE PERITONEAL. Ademar Lopes CIRURGIA CITORREDUTORA E QUIMIOTERAPIA INTRAPERITONEAL HIPERTÉRMICA NO TRATAMENTO DA CARCINOMATOSE PERITONEAL Ademar Lopes CÂNCER COLORRETAL SOB mediana em doença avançada versus tratamento sistêmico Meyerhardt

Leia mais

UNIDADE DA MAMA DO HOSPITAL NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS EDITAL - CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MASTOLOGIA- 2016

UNIDADE DA MAMA DO HOSPITAL NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS EDITAL - CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MASTOLOGIA- 2016 UNIDADE DA MAMA DO HOSPITAL NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS EDITAL - CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MASTOLOGIA- 2016 O Serviço de Mastologia do Hospital Nossa Senhora das Graças, vem por meio deste edital, tornar

Leia mais

Universidade do Vale do Paraíba Faculdade de Educação e Artes Ciências Biológicas

Universidade do Vale do Paraíba Faculdade de Educação e Artes Ciências Biológicas Universidade do Vale do Paraíba Faculdade de Educação e Artes Ciências Biológicas Aluna: Carolina Genúncio da Cunha Menezes Costa Orientadora: Prof.ª Dr.ª Renata de Azevedo Canevari Co-orientador: Prof.

Leia mais

SEXTA FEIRA 04/03/2016. 8h30 - RECONSTRUÇÃO MAMÁRIA APÓS RECIDIVA LOCAL EM CIRURGIA CONSERVADORA. Fabrício Brenelli - SP

SEXTA FEIRA 04/03/2016. 8h30 - RECONSTRUÇÃO MAMÁRIA APÓS RECIDIVA LOCAL EM CIRURGIA CONSERVADORA. Fabrício Brenelli - SP Fortaleza - Ceará Sociedade Brasileira de Mastologia Sociedade Brasileira de Mastologia Regional Ceará 04 e 05 de Março de 2016 - Hotel Luzeiros Fortaleza Ceará ABERTURA Presidente do Congresso - Ércio

Leia mais

Módulo: Câncer de Rim Localizado

Módulo: Câncer de Rim Localizado Módulo: Câncer de Rim Localizado Caso 1 CAL, 56 anos, masculino Paciente médico, obeso (IMC = 41; peso 120 kg) Antecedentes clínicos: nefrolitíase Antecedentes cirúrgicos: Laparotomia mediana por divertículo

Leia mais

Pode ser difícil para si compreender o seu relatório patológico. Pergunte ao seu médico todas as questões que tenha e esclareça todas as dúvidas.

Pode ser difícil para si compreender o seu relatório patológico. Pergunte ao seu médico todas as questões que tenha e esclareça todas as dúvidas. Perguntas que pode querer fazer Pode ser difícil para si compreender o seu relatório patológico. Pergunte ao seu médico todas as questões que tenha e esclareça todas as dúvidas. Estas são algumas perguntas

Leia mais

CANCRO DA MAMA. Protocolo de diagnóstico, terapêutica e seguimento

CANCRO DA MAMA. Protocolo de diagnóstico, terapêutica e seguimento unidade funcional de patologia mamária grupo multidisciplinar de patologia mamária IPO - Coimbra CANCRO DA MAMA Protocolo de diagnóstico, terapêutica e seguimento IPOC FG - EPE -2012 Ficha Técnica Protocolo

Leia mais

Projeto AMAZONA Dados preliminares de câncer de mama no Brasil. Sergio D. Simon, pelo Grupo Brasileiro de Estudos em Câncer de Mama GBECAM

Projeto AMAZONA Dados preliminares de câncer de mama no Brasil. Sergio D. Simon, pelo Grupo Brasileiro de Estudos em Câncer de Mama GBECAM Projeto AMAZONA Dados preliminares de câncer de mama no Brasil Sergio D. Simon, pelo Grupo Brasileiro de Estudos em Câncer de Mama GBECAM 1 Introdução O câncer de mama atinge cerca de 50.000 novas pacientes/ano

Leia mais

Câncer de Mama. Estadiamento. Tratamento

Câncer de Mama. Estadiamento. Tratamento Câncer de Mama. Estadiamento. Tratamento INTRODUÇÃO Nas últimas décadas têm ocorrido em todo o mundo, significativo aumento da incidência do câncer de mama e conseqüentemente da mortalidade associada à

Leia mais

Parte II: Sumário narrativo das diretrizes práticas da NCCN PET e PET/CT

Parte II: Sumário narrativo das diretrizes práticas da NCCN PET e PET/CT Parte II: Sumário narrativo das diretrizes práticas da NCCN PET e PET/CT As diretrizes da NCCN foram revisadas em 03/02/2011 para utilização de PET e PET/CT (disponível em: http://www.nccn.org/professionals/physician_

Leia mais

Lapatinibe para câncer de mama

Lapatinibe para câncer de mama Data: 05/11/2013 NTRR 212/2013 Solicitante: Desembargador Geraldo Augusto de Almeida Mandado de Segurança: nº1.0000.13.083981-4/000 Impetrado: Secretário de Estado da Saúde de Minas Gerais. Medicamento

Leia mais

O que é câncer de estômago?

O que é câncer de estômago? Câncer de Estômago O que é câncer de estômago? O câncer de estômago, também denominado câncer gástrico, pode ter início em qualquer parte do estômago e se disseminar para os linfonodos da região e outras

Leia mais

Desigualdades no Acesso à Tecnologia: Relevância para Grupos de Pacientes

Desigualdades no Acesso à Tecnologia: Relevância para Grupos de Pacientes Desigualdades no Acesso à Tecnologia: Relevância para Grupos de Pacientes Capacitação ACS /FEMAMA 2012 Eduardo Cronemberger Oncologia em 120 anos Willian Halsted Aqui está minha sequencia! Mastectomia

Leia mais