O seu guia para entender o laudo médico de câncer de mama

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O seu guia para entender o laudo médico de câncer de mama"

Transcrição

1 O seu guia para entender o laudo médico de câncer de mama Desenvolvido para você pela breastcancer.org, com traduções realizadas em colaboração com a Cancer Resource Foundation, Inc. Breastcancer.org é uma organização sem fins lucrativos dedicada a fornecer conhecimento e informações sobre a saúde das mamas e o câncer de mama.

2 O laudo é usado pelo seu médico para determinar quais são os tratamentos certos para você. O seu guia para entender o laudo médico de câncer de mama Um relatório é feito todas as vezes que um tecido é removido do corpo para verificar a presença de câncer. Ele é chamado de laudo médico. Cada laudo apresenta os resultados dos exames realizados no tecido que foi retirado. As informações nesses laudos serão úteis para que você e o seu médico escolham o melhor tratamento para você. A leitura de seu laudo médico pode ser confusa e assustadora. Laboratórios diferentes podem usar palavras distintas para descrever a mesma coisa. Na página 30, você encontra um glossário de fácil compreensão. Esperamos poder ajudá-la a entender essas informações para que você receba o melhor tratamento possível.

3 ÍNDICE Aguarde o Resultado Final A espera pelos resultados dos exames...2 Obtenha todas as informações necessárias.3 Componentes de seu laudo...4 A Leitura de seu Laudo Médico O laudo médico responde às perguntas sobre uma anormalidade nas mamas...6 A anormalidade nas mamas é um câncer?...6 O câncer de mama é invasivo?...7 Qual é a diferença entre as células cancerosas e as células normais?...9 Qual é o tamanho do câncer?...10 O câncer foi removido por inteiro? Existem células cancerosas nos vasos linfáticos ou sanguíneos?...13 As células cancerosas têm receptores hormonais?...14 O câncer tem genes que afetam como o câncer pode ser tratado?...16 Testes genéticos que não fazem parte de seu laudo médico...21 Existem células do câncer de mama em seus nódulos linfáticos?...22 Quantos nódulos linfáticos foram afetados?...23 Qual é a quantidade de câncer existente em cada nódulo linfático?...23 Qual é o estágio do câncer de mama?...24 Estágio Estágio I...25 Estágio II...26 Estágio III...27 Estágio IV...29 Glossário...30 Principais Perguntas...34 Controle do Laudo Médico...35 Anotações...36

4 AGUARDE O RESULTADO FINAL A espera pelos resultados dos exames Após receber todos os resultados dos exames, você e seu médico poderão tomar as decisões certas. A análise do tecido removido pode resultar em vários laudos médicos diferentes. Alguns exames são mais demorados do que outros e nem todos os exames são realizados pelo mesmo laboratório. A maioria das informações chega entre uma ou duas semanas depois da cirurgia e, geralmente, você terá todos os resultados dentro de algumas semanas. O seu médico pode informála quando os resultados chegarem. Caso não receba notícias de seu médico, entre em contato com ele. Obtenha todas as informações necessárias Quando tiver todas as informações dos exames que você precisa, você e seu médico poderão tomar a decisão final sobre o seu tratamento. Não se concentre muito em apenas uma parte da informação. Tente observar a situação como um todo quando pensar em suas opções. Laboratórios e hospitais diferentes podem usar palavras distintas para descrever a mesma coisa. Caso existam palavras em seu laudo médico que não estejam explicadas neste folheto, não tenha medo de perguntar o significado delas para o seu médico. 2 DICA DO ESPECIALISTA: Doutora Marisa Weiss, médica especializada em câncer de mama As informações em seu laudo médico geralmente chegam aos poucos. Logo após a cirurgia, as células cancerosas são inicialmente examinadas com auxílio de um microscópio. Os resultados de exames adicionais, que exigem técnicas especiais, podem levar mais tempo. Portanto, você pode receber um, dois ou três laudos de uma cirurgia. Juntos, os laudos dos laboratórios formam o seu laudo médico. Tente mantê-los todos juntos e mantenha-os em apenas um lugar para que os médicos tenham acesso a todas as informações necessárias para determinar o tratamento em suas consultas. 3

5 AGUARDE O RESULTADO FINAL (continuação) Componentes de seu laudo Informações pessoais. Confirme se a data da operação e o seu nome estão escritos corretamente no topo do laudo. Amostra. Esta seção descreve a região de onde as amostras de tecido foram retiradas. As amostras de tecido podem ter sido retiradas da mama, dos nódulos linfáticos debaixo do braço (axila), ou de ambos. Histórico médico. É uma pequena descrição sobre você e sobre como a anormalidade na mama foi descoberta. O tipo de cirurgia realizada também é descrito. Diagnóstico clínico. Este é o diagnóstico que os médicos previram antes do exame de tecido. Descrição macroscópica. Esta seção descreve a(s) amostra(s) de tecido removida(s). Ela descreve o tamanho, peso e coloração de cada amostra. Descrição microscópica. Esta seção descreve a aparência das células cancerosas no microscópio, a relação com o tecido normal ao redor e o tamanho do câncer. Exames ou marcadores especiais. Esta seção indica os resultados dos exames de proteínas, genes e a velocidade de crescimento das células. Resumo ou diagnóstico final. Esta seção é uma pequena descrição de todas as descobertas importantes em cada amostra de tecido examinada. 4 5

6 A LEITURA DE SEU LAUDO MÉDICO O laudo médico responde às perguntas sobre uma anormalidade nas mamas O tecido mamário pode desenvolver anormalidades que algumas vezes são cancerosas. Geralmente, o câncer de mama começa nas células dos lóbulos, que são glândulas produtoras de leite, ou nos ductos, as passagens que drenam o leite dos lóbulos até o mamilo. Os cânceres de mama têm muitas características que ajudam a determinar o melhor tratamento. A anormalidade nas mamas é um câncer? Um nódulo ou uma mancha na mama podem ser formados por células normais ou cancerosas. As células cancerosas são células que crescem de uma maneira descontrolada. Elas podem permanecer na região onde começaram a crescer, ou podem se espalhar para o tecido normal ao redor delas. As caixa torácica parede torácica músculo Esta é a aparência do interior de uma mama. gordura O tamanho real de um ducto ou lóbulo normal é menor do que este ponto. lóbulo ducto células cancerosas também podem se espalhar para fora da mama. O nódulo ou as manchas anormais podem ser encontradas por meio de mamografia ou outros métodos de exame. Um procedimento chamado biópsia remove uma parte do tecido do nódulo ou da mancha para descobrir se células cancerosas estão presentes. O laudo médico indicará os tipos de células que estão presentes. O câncer de mama é invasivo? Se o câncer de mama tiver sido encontrado, é importante saber se o câncer se espalhou para fora dos ductos lactíferos ou lóbulos da mama onde começou originalmente. Os cânceres não-invasivos permanecem nos ductos lactíferos ou nos lóbulos da mama. Eles não se espalham ou afetam tecidos normais dentro ou fora da mama. Algumas vezes, os cânceres não-invasivos são chamados de in situ ou pré-cânceres. Se o câncer se espalhou para tecidos normais, é chamado de invasivo. A maioria dos cânceres de mama é do tipo invasivo. Algumas vezes, as células cancerosas também se espalham para outras partes do corpo pelo sangue ou sistema linfático. Quando as células cancerosas se espalham para outras partes do corpo, é chamado de câncer de mama metastático. Em alguns casos, o câncer de mama pode ser invasivo e não-invasivo. mamilo Essa é a aparência de uma célula normal dentro de um ducto lactífero, vista com o auxílio do microscópio. células nãoinvasivas células invasivas 6 7

7 A LEITURA DE SEU LAUDO MÉDICO (continuação) Você pode encontrar essas descrições do tipo de células cancerosas em seu relatório: CDIS (Carcinoma Ductal In Situ). Este câncer não é invasivo. Ele permanece dentro dos ductos lactíferos. OBSERVAÇÃO: Existem subtipos de CDIS. Você encontrará o nome desses subtipos no glossário da página 30 deste folheto. CLIS (Carcinoma Lobular In Situ). Este tumor é um crescimento excessivo das células que ficam dentro da parte da mama que produz o leite (chamada de lóbulos). O CLIS não é um câncer de verdade. Ele é um sinal de alerta para um alto risco de desenvolver um câncer invasivo no futuro, em qualquer uma das mamas. CDI (Carcinoma Ductal Invasivo). Este é um câncer que se origina no ducto lactífero, mas se espalha para o tecido mamário normal ao redor dentro da mama. Este é o tipo mais comum de câncer de mama. CLI (Carcinoma Lobular Invasivo). Este é um câncer que se origina dentro das glândulas produtoras de leite (chamadas lóbulos), mas se espalha para o tecido normal ao redor dentro da mama. OBSERVAÇÃO: Existem outros tipos de câncer de mama invasivos e menos comuns. Você encontrará o nome deles no glossário da página 30 deste folheto. Qual é a diferença entre as células cancerosas e as células normais? O grau diferencia as células cancerosas das normais. Os especialistas comparam a aparência das células cancerosas com as células normais da mama. Com base nessas comparações, eles determinam o grau do câncer. Grau é diferente de estágio (consulte a página 24 para obter mais informações sobre estágio). Existem três graus de câncer: Grau 1 (baixo grau ou bem diferenciado): As células cancerosas de grau 1 são um pouco diferentes das células normais. Elas geralmente são de progressão lenta. Grau 2 (intermediário/grau moderado ou moderadamente diferenciado): As células cancerosas de grau 2 não se parecem com as células normais. Elas crescem um pouco mais rápido do que as células normais. Grau 3 (alto grau ou pouco diferenciado): As células cancerosas de grau 3 são muito diferentes das células normais. Elas são de progressão rápida. 8 MEU LAUDO INDICA: O tipo de câncer que tenho é. O câncer é: (circule uma opção) Grau 1 Grau 2 Grau 3 9

8 A LEITURA DE SEU LAUDO MÉDICO (continuação) Qual é o tamanho do câncer? Os médicos medem os cânceres em centímetros (cm). O tamanho do câncer é um dos fatores que determina o estágio do câncer de mama. No entanto, o tamanho não oferece todas as informações necessárias. Todas as características do câncer são importantes. Um câncer pequeno pode se espalhar com muita rapidez, ao passo que um câncer maior pode ter progressão lenta, ou o contrário pode acontecer. Tamanho 1 cm do tumor: O câncer foi removido por inteiro? Quando a cirurgia é realizada para remover todo o câncer, o cirurgião procura retirar o câncer inteiro com uma área extra, ou margem do tecido normal ao redor dele. Isso é feito para garantir a remoção completa do câncer. O tecido ao redor da borda do que foi removido é chamado de margem de ressecção. Ela é examinada atentamente para verificar se está livre de células cancerosas. O patologista também mede a distância entre as células cancerosas e a margem. 3 cm 5 cm = 2 polegadas MEU LAUDO INDICA: O câncer tem centímetros

9 A LEITURA DE SEU LAUDO MÉDICO (continuação) As margens ao redor do câncer são descritas de três maneiras: Negativas: Nenhuma célula cancerosa pode ser vista na borda externa. Geralmente, outras cirurgias não são necessárias. Positivas: As células cancerosas se espalham para a borda do tecido. Outras cirurgias geralmente são necessárias para remover as células cancerosas remanescentes. Próximas: As células cancerosas estão próximas da borda do tecido, mas não estão na borda. Outras cirurgias podem ser necessárias. Negativo tecido a borda normal células cancerosas tecido a borda normal células cancerosas OBSERVAÇÃO: O que é chamado de margens negativas (ou livres) pode mudar de um hospital para o outro. Em alguns hospitais, os médicos querem no mínimo dois milímetros (mm) de tecido normal entre a borda do câncer e a borda externa do tecido. Em outros lugares, apenas uma célula saudável é chamada de margem negativa. 1 cm 2 mm 1 polegada Positivo Existem células cancerosas nos vasos linfáticos ou sanguíneos? As mamas têm uma rede de vasos linfáticos e vasos sanguíneos que drenam fluido e sangue do tecido mamário de volta para o sistema circulatório do seu corpo. Essas vias eliminam sangue usado e resíduos. Existe um risco mais alto de reincidência de câncer quando células cancerosas são encontradas nos vasos linfáticos localizados nas mamas. Nesses casos, o seu médico pode personalizar o seu tratamento para reduzir esse risco. Se invasão linfática ou de vasos sanguíneos (vascular) for encontrada, seu laudo médico indicará presente. Se não houver invasão, o laudo indicará ausente. OBSERVAÇÃO: A invasão linfática ou vascular é diferente do comprometimento dos nódulos linfáticos. Essa é uma imagem de células cancerosas que se espalharam pela parede dos ductos lactíferos e invadiram os vasos linfáticos próximos. tecido mamário vaso sanguíneo vaso linfático células cancerosas células normais do ducto parede do ducto lactífero 12 MEU LAUDO INDICA: As margens são: (circule uma opção) Negativas Positivas Próximas Invasão linfática ou vascular está: (circule uma opção) Presente Ausente 13

10 A LEITURA DE SEU LAUDO MÉDICO (continuação) As células cancerosas têm receptores hormonais? Os receptores hormonais são como orelhas nas células das mamas que conseguem escutar os sinais dos hormônios. Esses sinais dizem que as células das mamas que têm receptores devem crescer. O câncer é chamado de ER-positivo quando tem receptores de hormônio estrogênio. É chamado de PR-positivo quando tem receptores de hormônio progesterona. As células mamárias que não têm receptores são negativas para esses hormônios. Os cânceres de mama que são ER-positivo, PR-positivo, ou ambos, costumam responder à terapia hormonal. A terapia hormonal consiste em medicamentos que reduzem a quantidade de estrogênio em seu corpo ou que bloqueiam o estrogênio dos receptores. Caso o câncer não tenha receptores hormonais, também existem tratamentos disponíveis. Os receptores hormonais são proteínas. Como todas as proteínas, a produção deles é controlada por genes. Para saber mais sobre exames para vários genes, consulte a página 16. Você verá os resultados de seu exame de receptores hormonais escrito em uma dessas três maneiras: 1. O número de células com receptores em cada 100 células examinadas. Você verá um número entre 0% (nenhuma tem receptores) e 100% (todas têm receptores). 2. Um número entre 0 e 3. 0 (sem receptores) 1+ (um pequeno número de células tem receptores) 2+ (um número médio de células tem receptores) 3+ (um número alto de células tem receptores) 3. A palavra positivo ou negativo. OBSERVAÇÃO: Mesmo que o seu laudo indique apenas positivo ou negativo, peça ao seu médico ou laboratório que informem o número de células (porcentagem ou nível) que tem receptores. Isso é importante porque algumas vezes um número baixo pode ser chamado de negativo. No entanto, até mesmo cânceres com um número baixo de receptores hormonais podem responder à terapia hormonal. E é importante conhecer um número alto positivo porque ele prediz uma resposta particularmente boa à terapia hormonal. 14 MEU LAUDO INDICA: Os receptores hormonais são: j ER-positivo % (0%-100%) j ER-negativo ou circule uma opção: j PR-positivo % (0%-100%) j PR-negativo ou circule uma opção:

11 A LEITURA DE SEU LAUDO MÉDICO (continuação) O câncer tem genes que afetam como o câncer pode ser tratado? Os genes contêm as receitas para as várias proteínas que uma célula precisa para permanecer saudável e funcionar normalmente. Alguns genes e as proteínas que eles produzem podem influenciar o modo como um câncer de mama se comporta e como ele pode responder a um tratamento específico. As células cancerosas de uma amostra de tecido podem ser examinadas para verificar quais genes são normais e anormais. As proteínas que eles produzem também podem ser examinadas. Se a receita genética contiver um erro, o laudo indicará mutação genética ou anormalidade genética. Um exemplo é uma das anormalidades genéticas hereditárias de câncer de mama, chamadas de BRCA1 ou BRCA2 (consulte a página 21 para obter mais informações sobre essas anormalidades). Se a receita genética repetir a mesma instrução várias vezes, o laudo indicará amplificação de genes. A amplificação de genes acontece quando a instrução repetida de uma receita genética motiva o gene a fazer muitas cópias de si mesmo. Se a instrução errada (anormalidade) ou repetida (amplificação) da receita genética fizer que muita proteína seja produzida, o laudo indicará que há superexpressão daquela proteína. StatusHER 2. O seu laudo médico geralmente inclui o status HER2 do câncer. O gene HER2 é responsável pela produção de proteínas HER2. Essas proteínas são receptores nas células das mamas. Em circunstâncias normais, os receptores HER2 ajudam a controlar a maneira como uma célula da mama cresce, se divide e se regenera. No entanto, em 25% dos cânceres de mama, o gene HER2 pode se tornar anormal e fazer muitas cópias de si mesmo (amplificação do gene HER2). Genes HER2 amplificados ordenam que as células das mamas produzam muitos receptores (superexpressão da proteína HER2). Quando isso acontece, os receptores HER2 superexpressos gritam (em vez de falar) com as células das mamas para que elas cresçam e se dividam de uma maneira descontrolada. Isso pode resultar no desenvolvimento do câncer de mama. Os cânceres de mama que têm genes HER2 amplificados ou que superexpressam a proteína HER2 são descritos no laudo médico como sendo HER2-positivos. Os cânceres de mama HER2-positivos costumam crescer mais rápido e apresentam um risco mais alto de se espalhar e reincidir quando comparados com os cânceres de mama HER2- negativos. Mas os cânceres de mama HER2-positivos podem responder aos tratamentos desenvolvidos contra as células cancerosas HER2-positivas

12 A LEITURA DE SEU LAUDO MÉDICO (continuação) Existem três exames para verificar o HER2: 1. Exame IHQ (ImunoHistoQuímica) O exame IHQ indica se existe uma quantidade excessiva da proteína receptora HER2 nas células cancerosas. Os resultados do exame IHQ podem ser 0 (negativo), 1+ (também negativo), 2+ (limítrofe), ou 3+ (positivo; a proteína HER2 está superexpressa). 2. Exame FISH (Fluorescence In Situ Hybridization - Hibridização In Situ com Fluorescência) O exame FISH indica se existe um número excessivo de cópias do gene HER2 nas células cancerosas. Os resultados do exame FISH podem ser positivo (cópias extras do gene HER2 amplificado) ou negativo (número normal de cópias de gene HER2 não amplificado). 3. Exame SPoT-Light HER2 CISH (Subtraction Probe Technology Chromogenic In Situ Hybridization - Hibridização Cromogênica In Situ com Tecnologia de Sonda por Subtração) O exame SPoT-Light indica se existe um número excessivo de cópias do gene HER2 nas células cancerosas. Os resultados do exame SPoT-Light podem ser positivo (cópias extras amplificado) ou negativo (número normal de cópias não amplificado). Descubra qual exame para verificar o HER2 você realizou. Isso é importante. Apenas cânceres com resultado 3+ no IHQ, positivo no FISH, ou positivo no SPoT-Light HER2 CISH respondem a tratamentos contra HER2. Um resultado 2+ no IHQ é chamado de limítrofe. Caso o resultado de seu exame seja 2+, você pode e deve pedir que o tecido seja examinado com o exame FISH. 18 MEU LAUDO INDICA: O status HER2 é: (circule uma opção) Positivo Negativo Limítrofe Exame usado: (circule uma opção) IHQ FISH SPoT-Light HER2 CISH 19

13 A LEITURA DE SEU LAUDO MÉDICO (continuação) Status EGFR. O gene EGFR, muito parecido com o gene HER2, pode ser superexpresso em algumas células de câncer de mama e influenciar a maneira como as células cancerosas se comportam. Seu laudo médico também pode conter informações sobre a superexpressão de EGFR. Análises genômicas. Diferente dos exames individuais de genes, como o exame para verificar o HER2, as análises genômicas observam a atividade de um grupo de genes normais e anormais que podem aumentar o risco de reincidência do câncer de mama após o tratamento. Essa análise pode ajudar a decidir se é provável que uma pessoa se beneficie de quimioterapia para reduzir o risco de reincidência do câncer. Dois tipos de análises genômicas para câncer de mama são usadas atualmente: Oncotype DX e MammaPrint. Se o câncer de mama estiver em estágio inicial e for positivo para receptor hormonal, você e seu médico podem decidir que uma análise genômica é apropriada para sua situação. Os resultados de sua análise genômica são informados fora de seu laudo médico. Os resultados do exame indicarão a probabilidade de reincidência do câncer com base no padrão geral da atividade do gene encontrado nas células do câncer de mama. Seu médico pode utilizar essas informações para ajudar a decidir se a quimioterapia para reduzir o risco de reincidência do câncer de mama faz sentido em seu plano de tratamento geral. Testes genéticos que não fazem parte de seu laudo médico A maioria dos casos hereditários de câncer de mama é associada com dois genes anormais: BRCA1 (BReast CAncer gene 1) e BRCA2 (BReast CAncer gene 2). De acordo com o Instituto Nacional do Câncer, mulheres com gene anormal BRCA1 ou BRCA2 têm cerca de 60% de risco de serem diagnosticadas com câncer de mama durante a vida (em comparação com em torno de 12% para mulheres em geral). O risco de desenvolver câncer de ovário também aumenta nessas mulheres. Genes anormais BRCA1 ou BRCA2 são encontrados em 5% a 10% de todos os casos de câncer de mama nos Estados Unidos. Outros tipos de anormalidades genéticas hereditárias são menos comuns. Para descobrir se você tem uma anormalidade genética hereditária, é necessário realizar um exame específico e os resultados são informados fora de seu laudo médico. Se o seu médico estiver preocupado que você e seus parentes próximos possam ter uma anormalidade genética hereditária, ele pode recomendar que você e outros membros de sua família sejam examinados. Os exames de BRCA1 e BRCA2 são realizados com uma amostra de sangue, e não com uma amostra de tecido

14 A LEITURA DE SEU LAUDO MÉDICO (continuação) Existem células do câncer de mama em seus nódulos linfáticos? O seu médico examinará os seus nódulos linfáticos para verificar se há câncer neles. A presença de células cancerosas nos nódulos linfáticos debaixo do braço está associada com um risco maior de que o câncer se espalhe. Os nódulos linfáticos são filtros localizados nos vasos linfáticos. A linfa sai das mamas e depois volta para a corrente sanguínea. Os nódulos linfáticos tentam capturar e aprisionar as células cancerosas antes que elas alcancem outras partes do corpo. Quando os nódulos linfáticos estão limpos ou livres de câncer, o resultado do exame é negativo. Se os nódulos linfáticos tiverem algumas células cancerosas dentro deles, o resultado é positivo. Quantos nódulos linfáticos foram afetados? Quanto mais nódulos linfáticos tiverem células cancerosas dentro deles, mais sério o câncer pode ser. Por essa razão, os médicos utilizam o número de nódulos linfáticos comprometidos para ajudar a tomar decisões sobre o tratamento. Os médicos também examinam a quantidade de câncer nos nódulos linfáticos. Qual é a quantidade de câncer existente em cada nódulo linfático? Você pode encontrar essas palavras na descrição da quantidade de câncer existente em cada nódulo linfático: Microscópico: Apenas algumas células cancerosas estão no nódulo. É necessário o auxílio de um microscópio para encontrá-las. Macroscópico: Existem muitas células cancerosas no nódulo. Você pode ver ou sentir o câncer sem o auxílio de um microscópio. Extensão extracapsular: O câncer se espalhou para fora da parede do nódulo. 22 MEU LAUDO INDICA: Os nódulos linfáticos são: (circule uma opção) Positivos Negativos Se forem positivos: O número de nódulos comprometidos é. 23

15 A LEITURA DE SEU LAUDO MÉDICO (continuação) Qual é o estágio do câncer de mama? O estágio é determinado com base no tamanho do câncer, e leva em conta se o câncer é invasivo ou não-invasivo, se os nódulos linfáticos estão comprometidos e se o câncer se espalhou para outras partes além da mama. Muitas das características do câncer que você revisou neste folheto não estão incluídas no processo de determinação do estágio. O objetivo do sistema de determinação do estágio é ajudar a organizar os diferentes fatores e alguns dos traços de identidade do câncer em categorias para: entender melhor o seu prognóstico (o resultado mais provável da doença) guiar as decisões sobre o tratamento (junto com outros componentes de seu laudo médico) fornecer uma maneira comum de descrever o câncer de mama para que os resultados de seu tratamento possam ser comparados e entendidos Estágio 0 Estágio 0 é usado para descrever cânceres de mama não-invasivos, tais como o carcinoma ductal in situ (CDIS). No estágio 0, não há evidência de que células cancerosas ou células anormais nãocancerosas saíram da parte da mama na qual elas se originaram, invadiram ou passaram para o tecido normal vizinho. Estágio I Estágio I descreve o câncer de mama invasivo (as células cancerosas avançaram ou invadiram o tecido mamário normal ao redor) no qual: o tumor mede até 2 centímetros E nenhum nódulo linfático foi afetado A invasão microscópica também é possível no câncer de mama estágio I. Na invasão microscópica, as células cancerosas apenas começaram a invadir o tecido fora do revestimento do ducto ou do lóbulo. Para se qualificar como invasão microscópica, as células que começaram a invadir o tecido não podem medir mais de 1 milímetro

16 A LEITURA DE SEU LAUDO MÉDICO (continuação) Estágio II O estágio II é dividido em subcategorias conhecidas como IIA e IIB. Estágio IIA descreve um câncer de mama invasivo no qual: nenhum tumor pode ser encontrado na mama, mas células cancerosas são encontradas nos nódulos linfáticos axilares (os nódulos linfáticos debaixo do braço) OU o tumor mede até 2 centímetros e se espalhou para os nódulos linfáticos axilares OU o tumor é maior que 2 centímetros, mas não passa de 5 centímetros e não se espalhou para os nódulos linfáticos axilares Estágio IIB descreve um câncer de mama invasivo no qual: o tumor é maior que 2 centímetros, mas não passa de 5 centímetros e se espalhou para os nódulos linfáticos axilares OU o tumor é maior que 5 centímetros, mas não se espalhou para os nódulos linfáticos axilares Estágio III O estágio III é dividido em subcategorias conhecidas como IIIA, IIIB e IIIC. Estágio IIIA descreve um câncer de mama invasivo no qual: nenhum tumor é encontrado, mas câncer é encontrado nos nódulos linfáticos axilares, que estão aderidos uns aos outros ou a outras estruturas, ou o câncer pode ter se espalhado para os nódulos linfáticos próximos do esterno OU o câncer tem qualquer tamanho e se espalhou para os nódulos linfáticos axilares, que estão aderidos uns aos outros ou a outras estruturas Estágio IIIB descreve um câncer de mama invasivo no qual: o câncer pode ter qualquer tamanho e se espalhou para a parede torácica e/ou pele da mama E o câncer pode ter se espalhado para os nódulos linfáticos axilares, que estão aderidos uns aos outros ou a outras estruturas, ou para os nódulos linfáticos próximos do esterno O câncer de mama inflamatório é considerado no mínimo estágio IIIB. As características típicas do câncer de mama inflamatório incluem: uma parte substancial da pele da mama está avermelhada a mama fica quente e pode estar inchada as células cancerosas se espalharam para os nódulos linfáticos e podem ser encontradas na pele 26 27

17 A LEITURA DE SEU LAUDO MÉDICO (continuação) Estágio III (continuação) Estágio IIIC descreve um câncer de mama invasivo no qual: pode não haver sinal de câncer na mama ou, se houver um tumor, ele pode ter qualquer tamanho e ter se espalhado para a parede torácica e/ou para a pele da mama, E o câncer se espalhou para os nódulos linfáticos acima ou abaixo da clavícula E o câncer pode ter se espalhado para os nódulos linfáticos axilares ou para os nódulos linfáticos próximos do esterno Estágio IV Estágio IV descreve um câncer de mama invasivo no qual: o câncer se espalhou além da mama e próximo dos nódulos linfáticos para outros órgãos do corpo, tais como pulmões, nódulos linfáticos distantes ou pele, osso, fígado ou cérebro. As palavras usadas para descrever o câncer de mama estágio IV são avançado e metastático. O câncer pode ser estágio IV no primeiro diagnóstico, ou pode ser uma reincidência de um câncer de mama anterior que se espalhou para outras partes do corpo. MEU LAUDO INDICA: 28 O estágio do câncer é: (circule uma opção) Estágio 0 Estágio I Estágio IIA Estágio IIB Estágio IIIA Estágio IIIB Estágio IIIC Estágio IV 29

18 GLOSSÁRIO Benigno: não canceroso. Biópsia: uma operação para extrair o tecido e verificar a presença de câncer. Carcinoma Ductal Invasivo (CDI): um câncer que se origina no ducto lactífero, mas invade o tecido mamário normal ao redor dele. Carcinoma Ductal In Situ (CDIS): um crescimento descontrolado de células das mamas dentro dos ductos lactíferos, sem invasão do tecido mamário normal ao redor. Carcinoma Lobular In Situ (CLIS): células que não são normais, mas permanecem dentro da parte das mamas onde o leite é produzido. O LCIS não é um câncer de verdade, mas um sinal de alerta para um alto risco de desenvolver um câncer invasivo no futuro, em qualquer uma das mamas. Carcinoma Lobular Invasivo (CLI): um câncer que se origina nos lóbulos onde o leite é produzido e invade o tecido mamário normal ao redor dele. Células anormais: células que não se parecem ou agem como células saudáveis do corpo. Células cancerosas agressivas: células que crescem rápido e têm a tendência de se espalhar além da área de origem. Células irregulares: células que não se parecem com células normais do corpo. Colóide: um tipo de câncer invasivo que invade o tecido normal ao redor dele; geralmente cresce devagar. Comedo: um tipo de câncer não-invasivo que costuma crescer rápido. Cribriforme: um tipo de câncer nãoinvasivo que costuma crescer devagar. Ductos lactíferos: pequenos tubos nas mamas que levam o leite dos lóbulos até o mamilo. ER-negativo: um câncer que não tem receptores de estrogênio. ER-positivo: um câncer que tem receptores de estrogênio. Exame de fração de fase S: um exame que indica a velocidade de crescimento do câncer. Exame FISH (Fluorescence In Situ Hybridization - Hibridização In Situ com Fluorescência): um exame para verificar vários genes, inclusive o gene HER2. Exame IHC (imuno-histoquímica): um exame para verificar as proteínas, inclusive a proteína HER2. Exame Ki-67: um exame que indica a velocidade de crescimento do câncer. Genes: pequenas estruturas dentro das células que são responsáveis pelo crescimento e regeneração das células. Grau: indica a diferença entre as células cancerosas e as células normais e a taxa de crescimento da célula. HER2: um gene que ajuda a controlar o crescimento e a regeneração das células. In situ: um câncer que permanece dentro da região da mama onde se originou, como por exemplo, nos ductos, sem sinais de disseminação

19 GLOSSÁRIO (continuação) Invasão linfática: células cancerosas foram encontradas nos vasos linfáticos. Invasão vascular: células cancerosas foram encontradas nos vasos sanguíneos. Invasivo: um câncer que se espalhou além do local onde se originou. Lóbulos de leite: glândulas mamárias que produzem o leite. Margem: a camada de tecido mamário saudável ao redor do câncer que foi removido durante a cirurgia. Margens livres: a borda externa do tecido mamário removido ao redor do tumor está livre de células cancerosas. Margens negativas: não há células cancerosas na borda externa do tecido mamário removido durante a cirurgia. Margens positivas: células cancerosas chegam à borda externa do tecido mamário removido durante a cirurgia. Margens próximas: as células cancerosas estão próximas da borda externa do tecido mamário removido. Medular: um câncer invasivo que geralmente apresenta um nódulo e costuma ser negativo para receptor hormonal. Mucinoso: um câncer invasivo que contém pequenos acúmulos de material mucoso. Não-invasivo: um câncer que permanece dentro da região das mamas onde se originou. Nódulos linfáticos: filtros localizados nos canais de linfa; eles podem capturar e aprisionar as células cancerosas antes que elas alcancem outras partes do corpo. Nódulos linfáticos axilares: os nódulos linfáticos localizados debaixo dos braços. Papilar: um tipo de câncer não-invasivo que não se espalha e costuma crescer devagar. Patologista: o médico que examina o tecido com o auxílio do microscópio para verificar se está normal ou foi afetado pela doença. Pré-canceroso: um crescimento exagerado de células anormais que não apresentam sinais de invasão. As células pré-cancerosas são um sinal de alerta para a probabilidade de desenvolver câncer no futuro. PR-negativo: um câncer que não tem receptores de progesterona. PR-positivo: um câncer que tem receptores de progesterona. Receptores hormonais: pequenas áreas sobre e dentro das células que respondem aos sinais dos hormônios. Reincidência: quando o câncer volta. Sólido: um tipo de câncer não-invasivo; ele costuma crescer devagar. Tubular: um tipo de câncer invasivo que é formado por células em forma de tubo

20 PRINCIPAIS PERGUNTAS CONTROLE DO LAUDO MÉDICO Com a ajuda de seu médico, é importante que você entenda as respostas das perguntas abaixo: 1. O câncer de mama é invasivo, não-invasivo ou ambos invasivo e não-invasivo? 2. Este é um câncer de mama de progressão rápida ou lenta? 3. As margens são negativas, próximas ou positivas? 4. Existem células cancerosas nos vasos linfáticos ou sanguíneos? 5. Qual é o resultado dos exames de receptores hormonais? Você pode tomar um medicamento para baixar ou bloquear os efeitos do estrogênio? 6. Quais desses exames para verificar o HER2 foram realizados no tecido? Exame IHC (imuno-histoquímica) Exame FISH (Fluorescence In Situ Hybridization - Hibridização In Situ com Fluorescência) Exame SPoT-Light HER2 CISH (Subtraction Probe Technology Chromogenic In Situ Hybridization - Hibridização Cromogênica In Situ com Tecnologia de Sonda por Subtração) 7. O resultado do exame para verificação do HER2 é positivo, negativo ou limítrofe? 8. Algum nódulo linfático foi afetado pelo câncer? Em caso positivo, quantos? 9. Quais outros testes de laboratório foram realizados no tecido do câncer? Quais foram os resultados desses testes? 10. Alguma outra cirurgia é recomendada com base nesses resultados? 11. Quais tratamentos têm mais probabilidade de sucesso para esse câncer específico? Este controle pode ajudá-la a manter os resultados importantes de todos os seus laudos médicos juntos em um só lugar. Com a ajuda de seu médico, responda às questões abaixo. Leve este controle preenchido com você quando for consultar outros médicos, para que eles tenham acesso às informações necessárias. De acordo com os meus laudos médicos, o câncer apresenta as seguintes características: 1. Invasivo ou não-invasivo: j invasivo j não-invasivo j invasivo e não-invasivo 2. Tamanho: centímetros (cm) 3. Grau: j grau1 j grau 2 j grau 3 4. Comprometimento linfático ou vascular: j presente j ausente 5. Margens de ressecção: j negativas j próximas j positivas 6. Receptores hormonais: receptores de estrogênio: j positivo % (0%-100%) ou circule uma opção: j negativo receptores de progesterona: j positivo % (0%-100%) ou circule uma opção: j negativo 7. Status do HER2 determinado por um ou todos os exames a seguir: Exame IHQ (imuno-histoquímica): j positivo j negativo j limítrofe Exame FISH (Fluorescence In Situ Hybridization - Hibridização In Situ com Fluorescência): j positivo (amplificado) j negativo (não amplificado) Exame SPoT-Light HER2 CISH (Subtraction Probe Technology Chromogenic In Situ Hybridization - Hibridização Cromogênica In Situ com Tecnologia de Sonda por Subtração): j positivo (amplificado) j negativo (não amplificado) 8. Status dos nódulos linfáticos: j positivo (o câncer é encontrado no[s] nódulo[s] linfático[s]) número de nódulos linfáticos afetados: j negativo (não há câncer nos nódulos linfáticos) 9. Resultados dos exames Oncotype DX ou MammaPrint: Pontuação de reincidência: Risco de reincidência em 10 anos: 34 35

Pode ser difícil para si compreender o seu relatório patológico. Pergunte ao seu médico todas as questões que tenha e esclareça todas as dúvidas.

Pode ser difícil para si compreender o seu relatório patológico. Pergunte ao seu médico todas as questões que tenha e esclareça todas as dúvidas. Perguntas que pode querer fazer Pode ser difícil para si compreender o seu relatório patológico. Pergunte ao seu médico todas as questões que tenha e esclareça todas as dúvidas. Estas são algumas perguntas

Leia mais

Cancro da Mama. Estrutura normal das mamas. O que é o Cancro da Mama

Cancro da Mama. Estrutura normal das mamas. O que é o Cancro da Mama Cancro da Mama O Cancro da Mama é um tumor maligno que se desenvolve nas células do tecido mamário. Um tumor maligno consiste num grupo de células alteradas (neoplásicas) que pode invadir os tecidos vizinhos

Leia mais

O que é o câncer de mama?

O que é o câncer de mama? O que é o câncer de mama? As células do corpo normalmente se dividem de forma controlada. Novas células são formadas para substituir células velhas ou que sofreram danos. No entanto, às vezes, quando células

Leia mais

Arimide. Informações para pacientes com câncer de mama. Anastrozol

Arimide. Informações para pacientes com câncer de mama. Anastrozol Informações para pacientes com câncer de mama. AstraZeneca do Brasil Ltda. Rod. Raposo Tavares, km 26,9 CEP 06707-000 Cotia SP ACCESS net/sac 0800 14 55 78 www.astrazeneca.com.br AXL.02.M.314(1612991)

Leia mais

Câncer de Mama COMO SÃO AS MAMAS:

Câncer de Mama COMO SÃO AS MAMAS: Câncer de Mama COMO SÃO AS MAMAS: As mamas (ou seios) são glândulas e sua função principal é a produção de leite. Elas são compostas de lobos que se dividem em porções menores, os lóbulos, e ductos, que

Leia mais

O que é câncer de mama?

O que é câncer de mama? Câncer de Mama O que é câncer de mama? O câncer de mama é a doença em que as células normais da mama começam a se modificar, multiplicando-se sem controle e deixando de morrer, formando uma massa de células

Leia mais

CAPÍTULO 2 CÂNCER DE MAMA: AVALIAÇÃO INICIAL E ACOMPANHAMENTO. Ana Flavia Damasceno Luiz Gonzaga Porto. Introdução

CAPÍTULO 2 CÂNCER DE MAMA: AVALIAÇÃO INICIAL E ACOMPANHAMENTO. Ana Flavia Damasceno Luiz Gonzaga Porto. Introdução CAPÍTULO 2 CÂNCER DE MAMA: AVALIAÇÃO INICIAL E ACOMPANHAMENTO Ana Flavia Damasceno Luiz Gonzaga Porto Introdução É realizada a avaliação de um grupo de pacientes com relação a sua doença. E através dele

Leia mais

Neoplasias dos epitélios glandulares II

Neoplasias dos epitélios glandulares II Neoplasias dos epitélios glandulares II PATOLOGIA II Aula Prática nº4 MAMA: Correlação estrutura/lesão Cél. Basais/mioepiteliais Cél. Basais/mioepiteliais (actina) Cél. luminais Cél. luminais MAMA: Estrutura

Leia mais

PATOLOGIA DA MAMA. Ana Cristina Araújo Lemos

PATOLOGIA DA MAMA. Ana Cristina Araújo Lemos PATOLOGIA DA MAMA Ana Cristina Araújo Lemos Freqüência das alterações mamárias em material de biópsia Alteração fibrocística 40% Normal 30% Alterações benignas diversas 13% Câncer 10% Fibroadenoma

Leia mais

CANCER DE MAMA FERNANDO CAMILO MAGIONI ENFERMEIRO DO TRABALHO

CANCER DE MAMA FERNANDO CAMILO MAGIONI ENFERMEIRO DO TRABALHO CANCER DE MAMA FERNANDO CAMILO MAGIONI ENFERMEIRO DO TRABALHO OS TIPOS DE CANCER DE MAMA O câncer de mama ocorre quando as células deste órgão passam a se dividir e se reproduzir muito rápido e de forma

Leia mais

É por isso que um exame clínico anual das mamas, através de um médico, é obrigatório.

É por isso que um exame clínico anual das mamas, através de um médico, é obrigatório. OUTUBRO ROSA 25 de outubro Mais detalhes sobre o câncer de mama no Brasil 1. Exames clínicos de mama são tão importantes quanto as mamografias. Mamografias a partir de 40 anos de idade são cruciais (Deve

Leia mais

CÂNCER DE MAMA. O controle das mamas de seis em seis meses, com exames clínicos, é também muito importante.

CÂNCER DE MAMA. O controle das mamas de seis em seis meses, com exames clínicos, é também muito importante. CÂNCER DE MAMA Dr. José Bél Mastologista/Ginecologista - CRM 1558 Associação Médico Espírita de Santa Catarina AME/SC QUANDO PEDIR EXAMES DE PREVENÇÃO Anualmente, a mulher, após ter atingindo os 35 ou

Leia mais

Câncer de Pulmão. Prof. Dr. Luis Carlos Losso Medicina Torácica Cremesp 18.186

Câncer de Pulmão. Prof. Dr. Luis Carlos Losso Medicina Torácica Cremesp 18.186 Câncer de Pulmão Todos os tipos de câncer podem se desenvolver em nossas células, as unidades básicas da vida. E para entender o câncer, precisamos saber como as células normais tornam-se cancerosas. O

Leia mais

QUANDO PEDIR SEGUNDA OPINIÃO OU REPETIR IHQ? QUAL O MÍNIMO DE INFORMAÇÕES QUE O ONCOLOGISTA DEVE DEMANDAR? Dr. Carlos E. Bacchi Patologia 1

QUANDO PEDIR SEGUNDA OPINIÃO OU REPETIR IHQ? QUAL O MÍNIMO DE INFORMAÇÕES QUE O ONCOLOGISTA DEVE DEMANDAR? Dr. Carlos E. Bacchi Patologia 1 QUANDO PEDIR SEGUNDA OPINIÃO OU REPETIR IHQ? QUAL O MÍNIMO DE INFORMAÇÕES QUE O ONCOLOGISTA DEVE DEMANDAR? Dr. Carlos E. Bacchi Patologia 1 QUANDO PEDIR SEGUNDA Dr. Ira Bleiweiss of Mount Sinai OPINIÃO

Leia mais

O sistema TNM para a classificação dos tumores malignos foi desenvolvido por Pierre Denoix, na França, entre 1943 e 1952.

O sistema TNM para a classificação dos tumores malignos foi desenvolvido por Pierre Denoix, na França, entre 1943 e 1952. 1 SPCC - Hospital São Marcos Clínica de Ginecologia e Mastologia UICC União Internacional Contra o Câncer - TNM 6ª edição ESTADIAMENTO DOS TUMORES DE MAMA HISTÓRIA DO TNM O sistema TNM para a classificação

Leia mais

ESTADIAMENTO. 1. Histórico

ESTADIAMENTO. 1. Histórico Curso de Especialização em Atenção Básica em Saúde da Família 68 ESTADIAMENTO O estadiamento tem como objetivo agrupar pacientes segundo a extensão anatômica da doença. Essa normatização tem grande valia

Leia mais

CÂNCER DE MAMA: é preciso falar disso. Ministério da Saúde Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva

CÂNCER DE MAMA: é preciso falar disso. Ministério da Saúde Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva CÂNCER DE MAMA: é preciso falar disso Ministério da Saúde Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva 2014 Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva/ Ministério da Saúde. Esta

Leia mais

CÂNCER DE MAMA: é preciso falar disso. Ministério da Saúde Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva

CÂNCER DE MAMA: é preciso falar disso. Ministério da Saúde Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva CÂNCER DE MAMA: é preciso falar disso Ministério da Saúde Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva 2014 Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva/ Ministério da Saúde. Esta

Leia mais

CÂNCER DE MAMA: é preciso falar disso. Ministério da Saúde Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva

CÂNCER DE MAMA: é preciso falar disso. Ministério da Saúde Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva CÂNCER DE MAMA: é preciso falar disso Ministério da Saúde Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva Cartilha_Outubro Rosa_Mitos_26-09-2014.indd 1 08/10/2014 14:24:37 2014 Instituto Nacional

Leia mais

HISTÓRIA NATURAL DOS TIPOS RAROS DE CÂNCER DE MAMA

HISTÓRIA NATURAL DOS TIPOS RAROS DE CÂNCER DE MAMA HISTÓRIA NATURAL DOS TIPOS RAROS DE CÂNCER DE MAMA Carcinomas Profª. Dra. Maria do Carmo Assunção Carcinoma tipo basal Grau 3 CK14 & CK5 = Positivo P63 pode ser positivo (mioepitelial) Triplo negativo

Leia mais

macroscopia clivagem processamento inclusão - parafina coloração desparafinização microtomia bloco

macroscopia clivagem processamento inclusão - parafina coloração desparafinização microtomia bloco Patologia Cirúrgica macroscopia clivagem processamento inclusão - parafina coloração desparafinização microtomia bloco Exame Histopatológico Exame anatomopatológico é ATO MÉDICO! lâminas microscopia laudo

Leia mais

O Câncer de Próstata. O que é a Próstata

O Câncer de Próstata. O que é a Próstata O Câncer de Próstata O câncer de próstata é o segundo tumor mais comum no sexo masculino, acometendo um em cada seis homens. Se descoberto no início, as chances de cura são de 95%. O que é a Próstata A

Leia mais

Rastreio do cancro da mama do Serviço Nacional de Saúde (NHS) Ajudá-la a decidir

Rastreio do cancro da mama do Serviço Nacional de Saúde (NHS) Ajudá-la a decidir Rastreio do cancro da mama do Serviço Nacional de Saúde (NHS) Ajudá-la a decidir O que é o cancro da mama? 2 O que é o rastreio do cancro da mama? 3 Resultados do rastreio do cancro da mama 6 A opção é

Leia mais

Câncer de Mama Avançado Guia para o Escritor Científico

Câncer de Mama Avançado Guia para o Escritor Científico Câncer de Mama Avançado Guia para o Escritor Científico Câncer de Mama Avançado Guia para o Escritor Cientifico 2 CJ (Dian) M. Corneliussen-James y su esposo Nos últimos 30 anos, uma quantidade significativa

Leia mais

Rastreio Mamário da Irlanda do Norte. Ajudamo-la a decidir

Rastreio Mamário da Irlanda do Norte. Ajudamo-la a decidir Rastreio Mamário da Irlanda do Norte Ajudamo-la a decidir O que é o cancro da mama? 4 O que é o rastreio mamário? 5 Resultados do rastreio ao cancro da mama 8 Fazer uma escolha: possíveis vantagens e riscos

Leia mais

Breast cancer: Portuguese. Cancro da mama

Breast cancer: Portuguese. Cancro da mama Breast cancer: Portuguese Cancro da mama Este folheto informativo explica como o cancro da mama é diagnosticado e tratado. A maioria das pessoas diagnosticadas com cancro da mama são mulheres. Os homens

Leia mais

Tumores mamários em cadelas

Tumores mamários em cadelas Novos Exames Estamos colocando a disposição de todos o Teste de Estimulação ao ACTH que é usado para identificar e acompanhar o tratamento do hipoadenocorticismo e hiperadrenocorticismo em cães e gatos.

Leia mais

Apresentação de Caso Clínico L.E.M.D.A.P.

Apresentação de Caso Clínico L.E.M.D.A.P. Apresentação de Caso Clínico L.E.M.D.A.P. De Oliveira,J.V.C¹; SILVA, M.T.B¹; NEGRETTI, Fábio². ¹Acadêmicas do curso de Medicina da UNIOESTE. ²Professor de Anatomia e Fisiologia Patológica da UNIOESTE.

Leia mais

ONCOGÊNESE UNESC FACULDADES ENFERMAGEM ONCOLOGIA PROFª FLÁVIA NUNES O QUE É O CÂNCER PROCESSO FISIOPATOLÓGICO 16/08/2015

ONCOGÊNESE UNESC FACULDADES ENFERMAGEM ONCOLOGIA PROFª FLÁVIA NUNES O QUE É O CÂNCER PROCESSO FISIOPATOLÓGICO 16/08/2015 UNESC FACULDADES ENFERMAGEM ONCOLOGIA PROFª FLÁVIA NUNES ONCOGÊNESE O QUE É O CÂNCER Câncer é o nome dado a um conjunto de mais de 100 doenças que têm em comum o crescimento desordenado (maligno) de células

Leia mais

4 Encontro de Enfermagem Ginecológica do Estado do Rio de Janeiro

4 Encontro de Enfermagem Ginecológica do Estado do Rio de Janeiro 4 Encontro de Enfermagem Ginecológica do Estado do Rio de Janeiro Afecções Oncológicas nas Mamas Enfª Giselle G. Borges Epidemiologia (BRASIL, 2012) Anatomia da mama (estruturas) Linfonodos Fisiologia

Leia mais

Qual é a função dos pulmões?

Qual é a função dos pulmões? Câncer de Pulmão Qual é a função dos pulmões? Os pulmões são constituídos por cinco lobos, três no pulmão direito e dois no esquerdo. Quando a pessoa inala o ar, os pulmões absorvem o oxigênio, que é levado

Leia mais

Tratamento Conservador do Cancro da Mama

Tratamento Conservador do Cancro da Mama Hospital Prof. Doutor Fernando da Fonseca Sessão Clínica Serviço de Ginecologia Diretora de Departamento: Dra. Antónia Nazaré Diretor de Serviço: Dr. Silva Pereira Tratamento Conservador do Cancro da Mama

Leia mais

Citopatologia mamária. Histologia da mama feminina

Citopatologia mamária. Histologia da mama feminina Citopatologia mamária Puberdade: crescimento das mamas em função do desenvolvimento glandular e da deposição aumentada de tecido adiposo. Mulheres durante o ciclo menstrual: aumento do volume mamário em

Leia mais

Câncer. Claudia witzel

Câncer. Claudia witzel Câncer Claudia witzel Célula Tecido O que é câncer? Agente cancerígeno Órgão Célula cancerosa Tecido infiltrado Ozana de Campos 3 ESTÁGIOS de evolução da célula até chegar ao tumor 1 Célula 2 Tecido alterado

Leia mais

Diagnóstico do câncer de mama Resumo de diretriz NHG M07 (segunda revisão, novembro 2008)

Diagnóstico do câncer de mama Resumo de diretriz NHG M07 (segunda revisão, novembro 2008) Diagnóstico do câncer de mama Resumo de diretriz NHG M07 (segunda revisão, novembro 2008) De Bock GH, Beusmans GHMI, Hinloopen RJ, Corsten MC, Salden NMA, Scheele ME, Wiersma Tj traduzido do original em

Leia mais

Câncer de Mama IZABELLA SERAPHIM PITANGA. Princípios Básicos História Natural Epidemiologia. Mastologista do Núcleo da Mama

Câncer de Mama IZABELLA SERAPHIM PITANGA. Princípios Básicos História Natural Epidemiologia. Mastologista do Núcleo da Mama Câncer de Mama Princípios Básicos História Natural Epidemiologia IZABELLA SERAPHIM PITANGA Mastologista do Núcleo da Mama O QUE É CÂNCER? Câncer é o nome dado a um conjunto de mais de 100 doenças que têm

Leia mais

Redações vencedoras I Concurso de Redação

Redações vencedoras I Concurso de Redação Redações vencedoras I Concurso de Redação 1 Lugar Aluno: Julia Stefani Moraes Professora: Regina M. Macedo de Melo Castro Informação: A melhor maneira de combater o câncer Penso que falar sobre este assunto

Leia mais

Descobrindo o valor da

Descobrindo o valor da Descobrindo o valor da Ocâncer de mama, segundo em maior ocorrência no mundo, é um tumor maligno que se desenvolve devido a alterações genéticas nas células mamárias, que sofrem um crescimento anormal.

Leia mais

CÂNCER DE MAMA NA SENILIDADE

CÂNCER DE MAMA NA SENILIDADE CÂNCER DE MAMA NA SENILIDADE ANTOMIA PATOLÓGICA SENILIDADE aos 65? Diminuição da filtração glomerular Aumento de sensibilidade a mielotoxicidade Mucosite Neurotoxicidade Toxicidade cardíaca IDADE COMO

Leia mais

Cancro da mama. Versão 2.2011. Disponível em NCCN.com

Cancro da mama. Versão 2.2011. Disponível em NCCN.com Cancro da mama Versão 2.2011 Disponível em NCCN.com Índice Parte 1 Acerca deste guia de orientação... 4 1.1 Linhas de Orientação NCCN para doentes 1.2 Linhas de orientação NCCN para a Prática Clínica em

Leia mais

INTRODUÇÃO À PATOLOGIA Profª. Thais de A. Almeida

INTRODUÇÃO À PATOLOGIA Profª. Thais de A. Almeida INTRODUÇÃO À PATOLOGIA Profª. Thais de A. Almeida DEFINIÇÃO: Pathos: doença Logos: estudo Estudo das alterações estruturais, bioquímicas e funcionais nas células, tecidos e órgãos visando explicar os mecanismos

Leia mais

TOMOSSÍNTESE MAMÁRIA CASOS CLÍNICOS

TOMOSSÍNTESE MAMÁRIA CASOS CLÍNICOS TOMOSSÍNTESE MAMÁRIA CASOS CLÍNICOS SELMA DI PACE BAUAB Radiologista da Mama Imagem São José do Rio Preto - SP CASO 1 55 anos. Assintomática TOMOSSÍNTESE LESÃO EPITELIAL ESCLEROSANTE (Cicatriz Radial)

Leia mais

CPMG- SGT NADER ALVES DOS SANTOS CÂNCER DE PRÓSTATA PROF.WEBER

CPMG- SGT NADER ALVES DOS SANTOS CÂNCER DE PRÓSTATA PROF.WEBER CPMG- SGT NADER ALVES DOS SANTOS CÂNCER DE PRÓSTATA PROF.WEBER Próstata Sobre o Câncer Sintomas Diagnóstico e exame Tratamento Recomendações O QUE É A PRÓSTATA? A próstata é uma glândula que tem o tamanho

Leia mais

O QUE É? O LINFOMA DE HODGKIN

O QUE É? O LINFOMA DE HODGKIN O QUE É? O LINFOMA DE HODGKIN Gânglio Linfático O LINFOMA DE HODGKIN O QUE É O LINFOMA DE HODGKIN? O linfoma de Hodgkin é um cancro do sistema linfático, que surge quando as células linfáticas se alteram

Leia mais

Componente Curricular: Patologia e Profilaxia Módulo I Profª Mônica I. Wingert Turma 101E TUMORES

Componente Curricular: Patologia e Profilaxia Módulo I Profª Mônica I. Wingert Turma 101E TUMORES TUMORES Tumores, também chamados de neoplasmas, ou neoplasias, são alterações celulares que provocam o aumento anormal dos tecidos corporais envolvidos. BENIGNO: são considerados benignos quando são bem

Leia mais

UNILAB no Outubro Rosa Essa luta também é nossa. CUIDAR DA SAÚDE É UM GESTO DE AMOR À VIDA. cosbem COORDENAÇÃO DE SAÚDE E BEM-ESTAR www.unilab.edu.

UNILAB no Outubro Rosa Essa luta também é nossa. CUIDAR DA SAÚDE É UM GESTO DE AMOR À VIDA. cosbem COORDENAÇÃO DE SAÚDE E BEM-ESTAR www.unilab.edu. UNILAB no Outubro Rosa Essa luta também é nossa. CUIDAR DA SAÚDE É UM GESTO DE AMOR À VIDA. cosbem COORDENAÇÃO DE SAÚDE E BEM-ESTAR www.unilab.edu.br CUIDAR DA SUA SAÚDE É UM GESTO DE AMOR À VIDA. As mamas

Leia mais

O QUE É? O HEPATOBLASTOMA

O QUE É? O HEPATOBLASTOMA O QUE É? O HEPATOBLASTOMA Fígado O HEPATOBLASTOMA O QUE SIGNIFICA ESTADIO? O QUE É O HEPATOBLASTOMA? O hepatoblastoma é o tipo de tumor maligno do fígado mais frequente na criança; na maioria dos casos

Leia mais

MALE BREAST DISEASE: PICTORIAL REVIEW

MALE BREAST DISEASE: PICTORIAL REVIEW MALE BREAST DISEASE: PICTORIAL REVIEW WITH RADIOLOGIC- PATHOLOGIC CORRELATION 1 CHERI NGUYEN, MD MARK D. KETTLER, MD MICHAEL E. SWIRSKY, MD VIVIAN I. MILLER, MD CALEB SCOTT, MD RHETT KRAUSE, MD JENNIFER

Leia mais

Oncologia. Aula 2: Conceitos gerais. Profa. Camila Barbosa de Carvalho 2012/1

Oncologia. Aula 2: Conceitos gerais. Profa. Camila Barbosa de Carvalho 2012/1 Oncologia Aula 2: Conceitos gerais Profa. Camila Barbosa de Carvalho 2012/1 Classificação da Quimioterapia Em relação ao número de medicamentos usados; Em relação ao objetivo; Em relação à via de administração;

Leia mais

Câncer de Tireóide. O segredo da cura é a eterna vigilância

Câncer de Tireóide. O segredo da cura é a eterna vigilância Câncer de Tireóide Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade física adaptada e saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira O câncer de tireóide é um tumor maligno de crescimento localizado dentro da glândula

Leia mais

E R R E C B N Â C SOR FALAS O VAM

E R R E C B N Â C SOR FALAS O VAM VAMOS FALAR SOBRE CÂNCER Câncer O que é? O câncer tem como principal característica o crescimento desordenado das células do corpo. O que diferencia os tipos de câncer, entre maligno e benigno, é a velocidade

Leia mais

III EGEPUB/COPPE/UFRJ

III EGEPUB/COPPE/UFRJ Luiz Otávio Zahar III EGEPUB/COPPE/UFRJ 27/11/2014 O que é a próstata? A próstata é uma glândula pequena que fica abaixo da bexiga e envolve o tubo (chamado uretra) pelo qual passam a urina e o sêmen.

Leia mais

Linfomas. Claudia witzel

Linfomas. Claudia witzel Linfomas Claudia witzel Pode ser definido como um grupo de diversas doenças neoplásicas : Do sistema linfático Sistema linfóide Que tem origem da proliferação de linfócitos B ou T em qualquer um de seus

Leia mais

TÉCNICAS DE ESTUDO EM PATOLOGIA

TÉCNICAS DE ESTUDO EM PATOLOGIA TÉCNICAS DE ESTUDO EM PATOLOGIA Augusto Schneider Carlos Castilho de Barros Faculdade de Nutrição Universidade Federal de Pelotas TÉCNICAS Citologia Histologia Imunohistoquímica Citometria Biologia molecular

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 69

PROVA ESPECÍFICA Cargo 69 11 PROVA ESPECÍFICA Cargo 69 QUESTÃO 26 As afirmativas abaixo estão corretas, a) Amastia é ausência congênita da mama. b) Amastiaéaausênciadetecidomamário,mascompreservaçãodocomplexo areolo-papilar. c)

Leia mais

Prótese de silicone tem prazo de validade; veja respostas sobre implante

Prótese de silicone tem prazo de validade; veja respostas sobre implante Página 1 de 6 22/10/2009-11h42 Prótese de silicone tem prazo de validade; veja respostas sobre implante GABRIELA CUPANI da Folha de S.Paulo Nenhuma prótese de mama dura para sempre. Embora os especialistas

Leia mais

O Cancro da Mama em Portugal. 1 em cada 11 mulheres em Portugal vai ter cancro da mama

O Cancro da Mama em Portugal. 1 em cada 11 mulheres em Portugal vai ter cancro da mama www.laco.pt O Cancro da Mama em Portugal 1 em cada 11 mulheres em Portugal vai ter cancro da mama Cancro em Portugal 2002 O Cancro da Mama em Portugal Surgem 5000 novos casos por ano Mas. Com a deteção

Leia mais

RM MAMÁRIA: quando indicar?

RM MAMÁRIA: quando indicar? RM MAMÁRIA: quando indicar? Lucio De Carli Serviço de Diagnóstico por Imagem da Mama Hospital Mãe de Deus SSMD Porto Alegre/RS e-mail: luciodc@terra.com.br RM MAMÁRIA - indicações - Incoerência EF x MG

Leia mais

MAMOGRAFIA: Importância e seus Métodos. Prof.ª Esp. Natália Ficagna

MAMOGRAFIA: Importância e seus Métodos. Prof.ª Esp. Natália Ficagna MAMOGRAFIA: Importância e seus Métodos Prof.ª Esp. Natália Ficagna ANATOMIA DA MAMA Tecido Glandular + Tecido Conjuntivo +Tecido Adiposo Alvéolo Lóbulo Lobo Ducto Lactífero Seio Lactífero - Mamilo As

Leia mais

Reabilitação Pós câncer de mama Assistência às mulheres mastectomizadas

Reabilitação Pós câncer de mama Assistência às mulheres mastectomizadas Reabilitação Pós câncer de mama Assistência às mulheres mastectomizadas Profª Drª Fabiana Flores Sperandio O que é câncer de mama? É uma doença que surge quando células da mama sofrem uma mutação e se

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA DOS GRAUS HISTOLÓGICOS ENTRE TUMOR PRIMÁRIO E METÁSTASE AXILAR EM CASOS DE CÂNCER DE MAMA

ANÁLISE COMPARATIVA DOS GRAUS HISTOLÓGICOS ENTRE TUMOR PRIMÁRIO E METÁSTASE AXILAR EM CASOS DE CÂNCER DE MAMA ANÁLISE COMPARATIVA DOS GRAUS HISTOLÓGICOS ENTRE TUMOR PRIMÁRIO E METÁSTASE AXILAR EM CASOS DE CÂNCER DE MAMA Pinheiro, A.C ¹, Aquino, R. G. F. ¹, Pinheiro, L.G.P. ¹, Oliveira, A. L. de S. ¹, Feitosa,

Leia mais

CÂnCER DE EnDOMéTRIO. Estados anovulatórios (ex: Síndrome dos ovários policísticos) Hiperadrenocortisolismo

CÂnCER DE EnDOMéTRIO. Estados anovulatórios (ex: Síndrome dos ovários policísticos) Hiperadrenocortisolismo CAPÍTULO 3 CÂnCER DE EnDOMéTRIO O Câncer de endométrio, nos Estados Unidos, é o câncer pélvico feminino mais comum. No Brasil, o câncer de corpo de útero perde em número de casos apenas para o câncer de

Leia mais

O QUE É? O NEUROBLASTOMA. Coluna Vertebral. Glândula supra-renal

O QUE É? O NEUROBLASTOMA. Coluna Vertebral. Glândula supra-renal O QUE É? O NEUROBLASTOMA Coluna Vertebral Glândula supra-renal O NEUROBLASTOMA O QUE SIGNIFICA ESTADIO? O QUE É O NEUROBLASTOMA? O neuroblastoma é um tumor sólido maligno, o mais frequente em Pediatria

Leia mais

Fundamentos de oncologia. Você sabe o que é o câncer e como ele se desenvolve em nosso corpo?

Fundamentos de oncologia. Você sabe o que é o câncer e como ele se desenvolve em nosso corpo? BIOLOGIA Cláudio Góes Fundamentos de oncologia 1. Introdução Você sabe o que é o câncer e como ele se desenvolve em nosso corpo? Nesta unidade, você verá que o termo câncer refere-se a uma variedade de

Leia mais

História natural de carcinoma lobular x ductal

História natural de carcinoma lobular x ductal Filomena Marino Carvalho filomena@usp.br História natural de carcinoma lobular x ductal 1 Classificaçãohistológicados tumores de mama Carcinoma invasivo de tipo não especial (ductal invasivo) Subtipos

Leia mais

Doe sua Nota Fiscal Paulista para a Pesquisa do Câncer

Doe sua Nota Fiscal Paulista para a Pesquisa do Câncer Doe sua Nota Fiscal Paulista para a Pesquisa do Câncer Hospital A.C.Camargo, um dos principais centros de diagnóstico, tratamento, ensino e pesquisa sobre o câncer da América Latina. Pesquisadores que

Leia mais

Exames que geram dúvidas - o que fazer? SELMA DE PACE BAUAB

Exames que geram dúvidas - o que fazer? SELMA DE PACE BAUAB Exames que geram dúvidas - o que fazer? SELMA DE PACE BAUAB Exames que geram dúvidas - o que fazer? Como ter certeza que é BI-RADS 3? Quando não confiar na biópsia percutânea? O que fazer com resultados

Leia mais

O QUE É? O TUMOR DE WILMS

O QUE É? O TUMOR DE WILMS O QUE É? O TUMOR DE WILMS Rim O TUMOR DE WILMS O QUE SIGNIFICA ESTADIO? O QUE É O TUMOR DE WILMS? O tumor de Wilms é o tipo de tumor renal mais frequente na criança. Desenvolve-se quando células imaturas

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 23. Em relação aos carcinomas não infiltrantes de mama, podemos afirmar, EXCETO:

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 23. Em relação aos carcinomas não infiltrantes de mama, podemos afirmar, EXCETO: 8 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 23 QUESTÃO 17 Em relação aos carcinomas não infiltrantes de mama, podemos afirmar, EXCETO: a) A difusão pagetóide nos ductos interlobulares está muitas vezes presente

Leia mais

Câncer de Pulmão Estadiamento: o que mudou?

Câncer de Pulmão Estadiamento: o que mudou? Câncer de Pulmão Estadiamento: o que mudou? Ilka Lopes Santoro EPM - Unifesp Conflito de Interesse Nada a declarar For myself I am an optimist it does not seem to be much use being anything else. Sir Winston

Leia mais

Qual é a função do Sistema Nervoso Central?

Qual é a função do Sistema Nervoso Central? Câncer de SNC Qual é a função do Sistema Nervoso Central? O Sistema Nervoso Central (SNC) é constituído pelo cérebro, cerebelo e tronco cerebral. O cérebro é dividido em quatro lobos que controlam funções

Leia mais

podem desenvolver-se até atingirem um tamanho considerável antes dos sintomas se manifestarem. Por outro lado, em outras partes do cérebro, mesmo um

podem desenvolver-se até atingirem um tamanho considerável antes dos sintomas se manifestarem. Por outro lado, em outras partes do cérebro, mesmo um Um tumor é uma massa anormal em qualquer parte do corpo. Ainda que tecnicamente ele possa ser um foco de infecção (um abcesso) ou de inflamação; o termo habitualmente significa um novo crescimento anormal

Leia mais

13. CONEX Pôster Resumo Expandido 1 O PROJETO DE EXTENSÃO CEDTEC COMO GERADOR DE FERRAMENTAS PARA A PESQUISA EM CÂNCER DE MAMA

13. CONEX Pôster Resumo Expandido 1 O PROJETO DE EXTENSÃO CEDTEC COMO GERADOR DE FERRAMENTAS PARA A PESQUISA EM CÂNCER DE MAMA 13. CONEX Pôster Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE (X ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

O que é câncer de estômago?

O que é câncer de estômago? Câncer de Estômago O que é câncer de estômago? O câncer de estômago, também denominado câncer gástrico, pode ter início em qualquer parte do estômago e se disseminar para os linfonodos da região e outras

Leia mais

TEMA: Abiraterona (Zytiga ) para tratamento de câncer de próstata avançado sem quimioterapia prévia.

TEMA: Abiraterona (Zytiga ) para tratamento de câncer de próstata avançado sem quimioterapia prévia. NTRR 158/2014 Solicitante: Juíz: Dra. Solange Maria de Lima Oliveira Juiza da 1ª Vara Cível de Itaúna. Data: 04/07/2014 Medicamento X Material Procedimento Cobertura Número do processo: 0338.14.006.873-9

Leia mais

Manual Educativo de PaciEntEs E FaMiliarEs

Manual Educativo de PaciEntEs E FaMiliarEs Manual Educativo de Pacientes e Familiares 1 ÍNDICE MANUAL EDUCATIVO DE PACIENTES E FAMILIARES O MANUAL... 04 1. O QUE É CÂNCER?... 05 2. SINAIS DE ALERTA PARA O CÂNCER... 10 3. RECOMENDAÇÕES PARA EVITAR

Leia mais

Numeração Única: 0112.14.001131-6 TEMA: TAMOXIFENO NO TRATAMENTO ADJUVANTE DO CANCER DE MAMA

Numeração Única: 0112.14.001131-6 TEMA: TAMOXIFENO NO TRATAMENTO ADJUVANTE DO CANCER DE MAMA NT 38/2013 Solicitante: Dra. Renata Abranches Perdigão do JESP da Fazenda Pública de Campo Belo Data: 22/02/2014 Medicamento X Material Procedimento Cobertura Numeração Única: 0112.14.001131-6 TEMA: TAMOXIFENO

Leia mais

Um novo tipo de câncer

Um novo tipo de câncer Um novo tipo de câncer Cirurgias menos invasivas e tratamentos personalizados são algumas das apostas da ciência para o câncer de cabeça e pescoço. Em visita ao Brasil, médico especialista na área apresenta

Leia mais

EXAMES MÉDICOS / ESPECIAL SAÚDE

EXAMES MÉDICOS / ESPECIAL SAÚDE EXAMES MÉDICOS / ESPECIAL SAÚDE Tomografia Axial Computorizada A Tomografia Axial Computorizada (TAC) define com nitidez os contornos dos órgãos, a sua densidade e a sua vascularização. Permite o diagnóstico

Leia mais

vulva 0,9% ovário 5,1%

vulva 0,9% ovário 5,1% endométrio 12,3% ovário 5,1% vulva 0,9% colo uterino 13,3% câncer de mama 68,4% Maior incidência nas mulheres acima de 60 anos ( 75% ) Em 90% das mulheres o primeiro sintoma é o sangramento vaginal pós-menopausa

Leia mais

Diagnóstico do câncer

Diagnóstico do câncer UNESC FACULDADES ENFERMAGEM - ONCOLOGIA FLÁVIA NUNES Diagnóstico do câncer Evidenciado: Investigação diagnóstica por suspeita de câncer e as intervenções de enfermagem no cuidado ao cliente _ investigação

Leia mais

OUTUBRO ROSA UMA CAMPANHA DE CONSCIENTIZAÇÃO DA SOFIS TECNOLOGIA

OUTUBRO ROSA UMA CAMPANHA DE CONSCIENTIZAÇÃO DA SOFIS TECNOLOGIA C A R T I L H A OUTUBRO ROSA UMA CAMPANHA DE CONSCIENTIZAÇÃO DA SOFIS TECNOLOGIA OOUTUBRO ROSA é um movimento mundial pela prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama. Com suas ações especialmente

Leia mais

Diretrizes Assistenciais

Diretrizes Assistenciais Diretrizes Assistenciais Protocolo de tratamento adjuvante e neoadjuvante do câncer de mama Versão eletrônica atualizada em Fevereiro 2009 Tratamento sistêmico adjuvante A seleção de tratamento sistêmico

Leia mais

De Olho Na Mama. Campanha de Prevenção ao Câncer de Mama CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRABALHADORES NA INDÚSTRIA CNTI

De Olho Na Mama. Campanha de Prevenção ao Câncer de Mama CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRABALHADORES NA INDÚSTRIA CNTI BRASIL CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRABALHADORES NA INDÚSTRIA CNTI De Olho Na Mama filiada à NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES Campanha de Prevenção ao Câncer de Mama Secretaria para Assuntos do Trabalho

Leia mais

Considerações sobre o medicamento Trastuzumabe

Considerações sobre o medicamento Trastuzumabe NOTA TÉCNICA 19 2013 Considerações sobre o medicamento Trastuzumabe Incorporado no SUS para tratamento de câncer de mama HER2 positivo, em fase inicial ou localmente avançado. CONASS, julho de 2013 1 Considerações

Leia mais

AUTO-EXAME DAS MAMAS CARINHO E AMOR POR VOCÊ!

AUTO-EXAME DAS MAMAS CARINHO E AMOR POR VOCÊ! AUTO-EXAME DAS MAMAS CARINHO E AMOR POR VOCÊ! COMO SÃO OS SEIOS? Lobos, lóbulos e bulbos Dutos Gordura costelas Os seios são formados por glândulas (lobos, lóbulos e bulbos) que produzem leite durante

Leia mais

De Olho Na Mama. Campanha de Prevenção ao Câncer de Mama CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRABALHADORES NA INDÚSTRIA CNTI

De Olho Na Mama. Campanha de Prevenção ao Câncer de Mama CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRABALHADORES NA INDÚSTRIA CNTI BRASIL CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRABALHADORES NA INDÚSTRIA CNTI De Olho Na Mama filiada à NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES Campanha de Prevenção ao Câncer de Mama Secretaria para Assuntos do Trabalho

Leia mais

PREVINA O CÂNCER DO COLO DO ÚTERO

PREVINA O CÂNCER DO COLO DO ÚTERO SENADO FEDERAL PREVINA O CÂNCER DO COLO DO ÚTERO SENADOR CLÉSIO ANDRADE 2 Previna o câncer do colo do útero apresentação O câncer do colo do útero continua matando muitas mulheres. Especialmente no Brasil,

Leia mais

GLOB Not for distribution in USA

GLOB Not for distribution in USA GLOBAL Índice 1 Introdução 2 Anatomia da Mama 3 Escolha da Incisão e da Colocação 5 Tipos de Implantes de Mama (com fotos antes e depois da cirurgia) 10 Sua Cirurgia 11 Sua Recuperação 11 Apólice da Mentor

Leia mais

Por outro lado, na avaliação citológica e tecidual, o câncer tem seis fases, conhecidas por fases biológicas do câncer, conforme se segue:

Por outro lado, na avaliação citológica e tecidual, o câncer tem seis fases, conhecidas por fases biológicas do câncer, conforme se segue: 8 - O câncer também tem fases de desenvolvimento? Sim, o câncer tem fases de desenvolvimento que podem ser avaliadas de diferentes formas. Na avaliação clínica feita por médicos é possível identificar

Leia mais

Informação. Uma em dez

Informação. Uma em dez Informação Uma em dez Informação sobre cancro da mama para todas as mulheres que pretendem compreender, estar esclarecidas e ter a sua própria opinião Intro Cara leitora, Está a ler esta brochura para

Leia mais

CÂNCER GÁSTRICO PRECOCE

CÂNCER GÁSTRICO PRECOCE CÂNCER GÁSTRICO PRECOCE Hospital Municipal Cardoso Fontes Serviço de Cirurgia Geral Chefe do serviço: Dr. Nelson Medina Coeli Expositor: Dra. Ana Carolina Assaf 16/09/04 René Lambert DEFINIÇÃO Carcinoma

Leia mais

c) Macrófagos e células B apresentam antígenos a células T helper. (Preencha as lacunas.). 2 pontos.

c) Macrófagos e células B apresentam antígenos a células T helper. (Preencha as lacunas.). 2 pontos. Questão 1 Você é um imunologista que quer ficar rico e decide deixar o mundo da ciência, conseguindo um emprego como consultor de roteiro em um novo seriado de drama médico. Você avalia o conhecimento

Leia mais

CAMPANHA PELA INCLUSÃO DA ANÁLISE MOLECULAR DO GENE RET EM PACIENTES COM CARCINOMA MEDULAR E SEUS FAMILIARES PELO SUS.

CAMPANHA PELA INCLUSÃO DA ANÁLISE MOLECULAR DO GENE RET EM PACIENTES COM CARCINOMA MEDULAR E SEUS FAMILIARES PELO SUS. Laura S. W ard CAMPANHA PELA INCLUSÃO DA ANÁLISE MOLECULAR DO GENE RET EM PACIENTES COM CARCINOMA MEDULAR E SEUS FAMILIARES PELO SUS. Nódulos da Tiróide e o Carcinoma Medular Nódulos da tiróide são um

Leia mais

Entenda o que é o câncer de mama e os métodos de prevenção. Fonte: Instituto Nacional de Câncer (Inca)

Entenda o que é o câncer de mama e os métodos de prevenção. Fonte: Instituto Nacional de Câncer (Inca) Entenda o que é o câncer de mama e os métodos de prevenção Fonte: Instituto Nacional de Câncer (Inca) O que é? É o tipo de câncer mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil, depois do de pele não

Leia mais

- Ambulatório: Termo usado geralmente em regime de tratamentos não obriga a estar acamado ou em observação;

- Ambulatório: Termo usado geralmente em regime de tratamentos não obriga a estar acamado ou em observação; A - Ambulatório: Termo usado geralmente em regime de tratamentos não obriga a estar acamado ou em observação; - Ajudas técnicas: segundo a ISO (Organização Internacional de Normalização entidade internacional

Leia mais

AMERICAN THORACIC SOCIETY(ATS)

AMERICAN THORACIC SOCIETY(ATS) LINFONODOS A capacidade de reconhecer linfonodos normais, assim como os anormais, na TC esta diretamente relacionada com a quantidade de tecido adiposo mediastinal presente. Os linfonodos aparecem com

Leia mais

Coordenadoria de Regiões de Saúde

Coordenadoria de Regiões de Saúde Coordenadoria de Regiões de Saúde Grupo Normativo de Auditoria e Controle de Saúde Quimioterapia e Hormonioterapia no CÂNCER DE MAMA Fevereiro /2011 Atualidades O Brasil deverá ter 520 mil novos casos

Leia mais

Tome uma injeção de informação. Diabetes

Tome uma injeção de informação. Diabetes Tome uma injeção de informação. Diabetes DIABETES O diabetes é uma doença crônica, em que o pâncreas não produz insulina em quantidade suficiente, ou o organismo não a utiliza da forma adequada. Tipos

Leia mais

Otto Feuerschuette. Declaração de conflito de interesse

Otto Feuerschuette. Declaração de conflito de interesse Otto Feuerschuette Declaração de conflito de interesse Não recebi qualquer forma de pagamento ou auxílio financeiro de entidade pública ou privada para pesquisa ou desenvolvimento de método diagnóstico

Leia mais