Motivação. O que é motivação?

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Motivação. O que é motivação?"

Transcrição

1 Motivação A motivação representa um fator de sobrevivência para as organizações, pois hoje é um dos meios mais eficazes para atingir objetivos e metas. Além de as pessoas possuírem conhecimento, habilidades e competências para o desenvolvimento de suas tarefas, precisam estar motivadas para seu trabalho. Esse tema é sem dúvida o maior desafio das organizações atualmente, ou seja, motivar pessoas e conseguir manter essa motivação. Várias razões contribuem para desempenhos diferentes das pessoas de uma mesma organização e a motivação é o grande diferencial. O que é motivação? A palavra motivação provém do latim movere que significa mover. Segundo Vergara (2006, p. 42), a palavra motivação refere-se a uma força, uma energia que nos impulsiona na direção de alguma coisa [...] está dentro de nós, nasce de nossas necessidades interiores. Outra definição de motivação afirma ser esta o processo que desperta, dirige e mantém um comportamento que se orienta para um determinado objetivo (GREENBERG apud BERGAMINI, 2005, p. 137). A natureza da motivação é intrínseca, o que significa dizer que ninguém motiva ninguém já que é algo que nasce do próprio indivíduo. Nós nos motivamos, respondendo a estímulos do meio, que podem aumentar ou reduzir nossa motivação. A motivação está dentro de nós e os estímulos, fora. Estímulos são todos os fatores que motivam pessoas a realizarem diferentes tarefas. Em uma organização, podem ser considerados estímulos os benefícios oferecidos aos funcionários de modo que se sintam motivados a produzir. Um comentário bastante comum que se ouve nas organizações é algo como fulano não se sente motivado com esta tarefa, enquanto eu me sinto. As pessoas percebem que os aspectos motivadores variam de pessoa para pessoa. Isso também é verificado na dedicação de algumas pessoas na realização de suas tarefas, enquanto outras apenas fazem o necessário. Por exemplo: quem gosta de leitura sempre vai achar um tempo para essa tarefa, por mais ocupado que esteja. No entanto, aquele que gosta de exercícios físicos sempre procurará um tempo em sua agenda para praticá-los. Como se vê, as pessoas possuem valores, interesses e necessidades diferentes uma das outras. Dentro das organizações, cabe aos gestores saber lidar com essas diferenças, compreendendo os processos motivacionais para a elevação do desempenho de sua equipe de trabalho.

2 32 Psicologia Organizacional Elementos do processo de motivação Existem três elementos que são integrantes do processo de motivação: Necessidade pode ser entendida como uma carência interna tal como fome, insegurança etc. Nosso organismo caracteriza-se por um estado de equilíbrio que pode ser interrompido por alguma falta, alguma carência que incorre no desequilíbrio. Para que essa situação se reverta, algumas medidas devem ser tomadas de forma a fazer voltar o estado de equilíbrio. Impulso conhecido também como motivo. Gera um comportamento para a satisfação das necessidades do indivíduo. É um instrumento para o alívio destas. Incentivo é originado do ambiente externo ao indivíduo. Pode reduzir ou eliminar o impulso. Por exemplo: o pensamento de que beber água ajudará a eliminar o impulso da sede. Esses conceitos necessidade, impulso e incentivo servem de base para as teorias motivacionais as quais entendem que as necessidades funcionam como um impulso para o alcance daquilo que é desejado. Principais teorias motivacionais Os estudiosos sempre demonstraram interesse pela conduta humana e investigaram o que leva o indivíduo a agir de uma determinada maneira. Essas investigações contribuíram para o surgimento de diferentes teorias. Vejamos algumas delas a seguir. Hierarquia das necessidades de Maslow Abraham Maslow desenvolveu, na década de 1950, uma teoria que tem como princípio fundamental as necessidades humanas. Elas podem ser distribuídas segundo seu grau de importância e influência dentro de uma hierarquia. Segundo Maslow, existem dois tipos de necessidades, quais sejam, as primárias e as secundárias. As primárias estão relacionadas às necessidades fisiológicas e de segurança. As secundárias são as afetivo-sociais, como a estima e a auto-realização. Na medida em que as necessidades mais baixas da hierarquia vão sendo satisfeitas, as mais altas vão ocupando lugar. Mas isso não significa que as necessidades estejam engessadas, pois podem subir ou descer na hierarquia, passando de secundárias para primárias, ou vice-versa. Compõem a hierarquia em questão: Necessidades fisiológicas são as condições para a existência do indivíduo, tais como alimentação, proteção, sono, sede e sexo. São também denominadas como necessidades biológicas. Necessidades de segurança estão relacionadas à sobrevivência do indivíduo. São necessidades de se estar livre de perigos e protegidos contra ameaças externas. Necessidades sociais estão associadas às necessidades de pertencer a um grupo, do desejo de amar e ser amado. Correspondem às necessidades de amizade, amor e afeto.

3 Motivação 33 Necessidade de estima está relacionada ao desejo de ser reconhecido, de ser apreciado e de ter autoconfiança. Por exemplo: status, prestígio e auto-respeito. Necessidades de auto-realização estão vinculadas à realização do nosso próprio potencial e se encontram no topo da hierarquia. Podem ser entendidas como: crescimento, desenvolvimento e sucesso pessoal. Teoria de Herzberg Buscando entender as motivações do indivíduo, Frederick Herzberg, na década de 1960, formulou uma teoria baseada em dois fatores: os higiênicos e os motivacionais. Percebe-se que, atualmente, muitas organizações utilizam-se dos fatores higiênicos numa tentativa de motivar seus funcionários, denotando desconhecimento do que vem a ser esses fatores. Fatores higiênicos envolvem as condições físicas e ambientais de trabalho. Correspondem ao salário recebido, benefícios sociais, condições físicas de trabalho, conforto, relações com a gerência, com colegas e com as políticas praticadas pela organização. Tais fatores possuem caráter estritamente preventivo e se apresentam como resursos muito limitados quanto à capacidade de motivar as pessoas. Se os fatores higiênicos estão presentes, deixam de causar insatisfação, mas não chegam a causar satisfação. Fatores motivacionais relacionam-se com as tarefas desenvolvidas pelo indivíduo em seu trabalho. Dizem respeito à auto-realização e ao reconhecimento. Esses fatores elevam a satisfação pessoal e, quando atendidos precariamente, provocam sentimentos de frustração. Como exemplo de fator motivacional, podemos citar o sentimento de realização pessoal, de arcar com responsabilidades, de crescimento pessoal e de avanço na carreira. Herzberg X Maslow Em uma breve comparação entre essa teoria e a de Maslow, pode-se afirmar que os fatores higiênicos são semelhantes às necessidades fisiológicas e de segurança apontadas por Maslow. Já os fatores motivacionais se aproximam das necessidades sociais, de estima e de auto-realização daquele mesmo autor. Teoria de McClelland David McClelland identificou três necessidades individuais importantes que o indivíduo adquire ao longo da vida. Portanto, não são inatas. São elas: Necessidade de realização essa necessidade está associada à realização pessoal. Muitas pessoas têm o desejo de fazer o melhor, buscar mais responsabilidades, êxito e sucesso. Necessidade de poder representa o desejo de influenciar e controlar outras pessoas e de estar no comando. É característica de pessoas que se preocupam muito com o prestígio. Necessidade de afiliação refere-se à necessidade de estabelecimento de relacionamento interpessoal, desejo de ser amado e aceito pelos outros. Pessoas que apresentam essa necessidade preferem situações de cooperação e buscam a compreensão mútua.

4 34 Psicologia Organizacional Se tomarmos como parâmetro a teoria de Maslow, podemos comparar, por exemplo, a necessidade de afiliação com as necessidades sociais; a necessidade de poder próxima às de estima; e, por sua vez, a necessidade de realização semelhante às necessidades de auto-realização apontadas por Maslow. Teoria da eqüidade Foi desenvolvida por J. S. Adams e diz respeito à comparação feita entre as pessoas, de suas contribuições e recompensas com relação a de seus pares. É comum, entre os empregados de uma empresa, a comparação de salários, aumentos de honorários e reconhecimentos. Quando se percebe que as relações são iguais, dizemos que houve uma eqüidade. Quando a percepção aponta para relações desiguais, ocorre uma tensão negativa que só poderá ser eliminada com a erradicação das injustiças. Essa teoria tem como foco a justiça distributiva que se refere à eqüidade na distribuição de recompensas entre as pessoas. Quando o ambiente organizacional é mais justo, as pessoas se mostram mais satisfeitas e mais dispostas a colaborar. Teoria da expectativa Foi desenvolvida por Victor Vroom, em 1964, e é uma das teorias mais aceitas atualmente. Baseiase numa preposição segundo a qual as pessoas se motivam quando acreditam que podem realizar suas tarefas e que as recompensas recebidas serão maiores que os esforços feitos. Segundo o criador dessa teoria, o que leva as pessoas a se motivarem e fazerem suas escolhas depende de três fatores como: Valência o valor que a pessoa atribui ao resultado advindo de suas alternativas. Instrumentalidade a percepção de que a obtenção de cada resultado está ligada a uma compensação. Expectativa a espera tensa da pessoa por alcançar cada resultado. Essa teoria reconhece a capacidade de planejamento do ser humano, por isso muitas organizações a levam em consideração com relação à valorização das pessoas no processo de gestão de carreiras. A teoria motivacional e sua aplicação no trabalho As organizações podem fazer uso das teorias motivacionais para elevação do moral e melhoria no clima de trabalho. O homem não pode mais ser visto simplesmente como a engrenagem de uma máquina, mas como alguém que possui necessidades próprias que devem ser respeitadas.

5 Motivação 35 A chave da solução para o problema motivacional na empresa reside no mais adequado diagnóstico e planejamento de recursos humanos, adaptado a medidas que possam buscar atender às necessidades de quem trabalha, sejam elas básicas, de ordem física ou advindas de aspirações psicológicas (BERGAMINI, 2005, p. 160). O ambiente de trabalho depende do modo de agir da organização para com seus empregados. Se eles estão envolvidos nas tomadas de decisões, trabalham em equipes e são consultados sobre os resultados, provavelmente, o clima de trabalho que os envolve seja altamente motivador. Por isso, a empresa pode representar um forte fator de satisfação para as pessoas que nela trabalham. Lewis e Pearson afirmam que O incentivo verdadeiramente eficaz é aquele que o trabalhador incorpora a si mesmo e a atitude que assume com relação ao trabalho. Um incentivo é uma meta objetiva capaz de satisfazer alguma necessidade do trabalhador, ou algum dos seus impulsos ou desejos (apud BERGAMINI, 2005, p. 159). Com isso, cada empresa precisa traçar seu diagnóstico e planejamento de modo que sejam adequados às pessoas que nela trabalham. Saber como utilizar o potencial e as habilidades de cada um vai além do simples ato de tratar bem o funcionário. O planejamento de carreira, a avaliação de desempenho, planos adequados de treinamento, política de comunicação e uma liderança eficaz podem atuar como grandes incentivos individuais. Texto complementar Todo o mundo quer um trabalho desafiador (ROBBINS, 2005, p. 169) Essa afirmação é falsa. Apesar de toda a atenção dada pela mídia, pelos acadêmicos e pelos cientistas sociais ao potencial humano e às necessidades dos indivíduos, não existem evidências que corroboram com a tese de que a vasta maioria dos trabalhadores prefere incumbências desafiadoras. Algumas pessoas preferem trabalhos altamente complexos e desafiadores; outras, no entanto, possuem melhor desempenho em serviços mais simples e rotineiros. A variável de diferenças individuais que parece dar melhor suporte para explicar esse fenômeno é a força das necessidades de nível alto. As pessoas com grande necessidade de crescimento respondem melhor ao trabalho desafiador. Qual porcentagem de trabalhadores de baixo escalão que realmente gostariam de satisfazer necessidades de nível alto e responderiam positivamente a incumbências mais desafiadoras? Não existem dados atuais disponíveis sobre isso, mas um estudo realizado na década de 1970 estima que esse número se dá em torno de 15%. [...] Nem todo funcionário está em busca de maiores desafios [...] Mesmo as pessoas com grande necessidade de crescimento, encontram satisfação das necessidades de nível alto fora do trabalho.

6 36 Psicologia Organizacional Atividades 1. Cite quais são as necessidades apontadas pela teoria de Maslow. 2. Na sua opinião, qual é a teoria que mais se confirma com a sua experiência cotidiana? 3. Compare as teorias apontadas nesta aula, relacionando as necessidades de Maslow na segunda coluna, com os fatores motivacionais e higiênicos que constam na primeira: ( ) necessidade de segurança (H) Fatores higiênicos ( ) necessidade de estima ( ) necessidade fisiológica (M) Fatores motivacionais ( ) necessidade de auto-realização ( ) necessidade social Ampliando conhecimentos BERGAMINI, Cecília Whitaker. Psicologia Aplicada à Administração de Empresas. 4. ed. São Paulo: Atlas, O capítulo seis que esclarece o tema da motivação no trabalho. ROBBINS, P. Stephen. Comportamento Organizacional. São Paulo: Prentice Hall Brasil, Ler o capítulo seis, por meio do qual poderão ser aprofundados os conceitos e teorias motivacionais.

11. Abordagem Comportamental

11. Abordagem Comportamental 11. Abordagem Comportamental Conteúdo 1. Behaviorismo 2. Novas Proposições sobre a Motivação Humana 3. Teoria da Hierarquia das de Maslow 4. Teoria dos dois fatores 5. Teoria X & Y de McGregor 6. Outros

Leia mais

AS TEORIAS MOTIVACIONAIS DE MASLOW E HERZBERG

AS TEORIAS MOTIVACIONAIS DE MASLOW E HERZBERG AS TEORIAS MOTIVACIONAIS DE MASLOW E HERZBERG 1. Introdução 2. Maslow e a Hierarquia das necessidades 3. Teoria dos dois Fatores de Herzberg 1. Introdução Sabemos que considerar as atitudes e valores dos

Leia mais

Unidade IV GESTÃO ESTRATÉGICA DE. Professora Ani Torres

Unidade IV GESTÃO ESTRATÉGICA DE. Professora Ani Torres Unidade IV GESTÃO ESTRATÉGICA DE RECURSOS HUMANOS Professora Ani Torres Visão estratégica Visão estratégica está relacionada com alcançar os objetivos empresariais. Considera: Tipos psicológicos, Motivação:

Leia mais

MOTIVAÇÃO UM NOVO COMBUSTÍVEL EMPRESARIAL

MOTIVAÇÃO UM NOVO COMBUSTÍVEL EMPRESARIAL MOTIVAÇÃO UM NOVO COMBUSTÍVEL EMPRESARIAL Daniele Cristine Viana da Silva 1 Maria José Vencerlau 2 Regiane da Silva Rodrigues 3 André Rodrigues da Silva 4 Fábio Fernandes 5 RESUMO O Artigo Científico tem

Leia mais

Psicologia Organizacional MOTIVAÇÃO HUMANA

Psicologia Organizacional MOTIVAÇÃO HUMANA Psicologia Organizacional MOTIVAÇÃO HUMANA Profa. Márcia R.Banov Teorias Motivacionais Teoria das Necessidades, A. Maslow Teoria dos dois Fatores, F. Herzberg Teoria da Eqüidade, J.S.Adams Teoria do Reforço,

Leia mais

A MOTIVAÇÃO DE PESSOAS NAS ORGANIZAÇÕES E SUAS APLICAÇÕES PARA OBTENÇÃO DE RESULTADOS

A MOTIVAÇÃO DE PESSOAS NAS ORGANIZAÇÕES E SUAS APLICAÇÕES PARA OBTENÇÃO DE RESULTADOS A MOTIVAÇÃO DE PESSOAS NAS ORGANIZAÇÕES E SUAS APLICAÇÕES PARA OBTENÇÃO DE RESULTADOS GOMES, Elaine Dias. Discente da Faculdade de Ciências Jurídicas e Gerenciais/ACEG. E-mail: elaineapoderosa@hotmail.com

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO GERAL MOTIVAÇÃO

ADMINISTRAÇÃO GERAL MOTIVAÇÃO ADMINISTRAÇÃO GERAL MOTIVAÇÃO Atualizado em 11/01/2016 MOTIVAÇÃO Estar motivado é visto como uma condição necessária para que um trabalhador entregue um desempenho superior. Naturalmente, como a motivação

Leia mais

Motivação para o Desempenho. Carlos Fracetti carlosfracetti@yahoo.com.br. Carlos Felipe carlito204@hotmail.com

Motivação para o Desempenho. Carlos Fracetti carlosfracetti@yahoo.com.br. Carlos Felipe carlito204@hotmail.com Motivação para o Desempenho Carlos Fracetti carlosfracetti@yahoo.com.br Carlos Felipe carlito204@hotmail.com Heitor Duarte asbornyduarte@hotmail.com Márcio Almeida marciobalmeid@yahoo.com.br Paulo F Mascarenhas

Leia mais

TURN OVER VOLUNTÁRIO UMA BREVE ANÁLISE DOS ESTÍMULOS www.factor9.com.br/educacional.php. Eduardo Varela

TURN OVER VOLUNTÁRIO UMA BREVE ANÁLISE DOS ESTÍMULOS www.factor9.com.br/educacional.php. Eduardo Varela TURN OVER VOLUNTÁRIO UMA BREVE ANÁLISE DOS ESTÍMULOS www.factor9.com.br/educacional.php Eduardo Varela 1 Turnover Voluntário Uma breve análise dos estímulos www.factor9.com.br/educacional.php Turnover

Leia mais

ORIENTADOR(ES): JANAÍNA CARLA LOPES, JOÃO ANGELO SEGANTIN, KEINA POLIANA PIVARRO DALMOLIN PAGLIARIN

ORIENTADOR(ES): JANAÍNA CARLA LOPES, JOÃO ANGELO SEGANTIN, KEINA POLIANA PIVARRO DALMOLIN PAGLIARIN Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: MOTIVAÇÃO HUMANA - UM ESTUDO NA EMPRESA MAHRRY CONFECÇÕES CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS

Leia mais

Administração e Gestão de Pessoas

Administração e Gestão de Pessoas Administração e Gestão de Pessoas Aula de Motivação Prof.ª Marcia Aires www.marcia aires.com.br mrbaires@gmail.com Teorias da Motivação? As teorias sobre a motivação, que explicam desempenho das pessoas

Leia mais

MOTIVAÇÃO COMO AÇÃO DO GESTOR Alessandra de Paula 1 - RGM Ana Carla Borasca¹ - RGM 085576 Juliana dos Santos¹ - RGM 088414 Tatiane Alencar¹ - RGM

MOTIVAÇÃO COMO AÇÃO DO GESTOR Alessandra de Paula 1 - RGM Ana Carla Borasca¹ - RGM 085576 Juliana dos Santos¹ - RGM 088414 Tatiane Alencar¹ - RGM MOTIVAÇÃO COMO AÇÃO DO GESTOR Alessandra de Paula 1 - RGM Ana Carla Borasca¹ - RGM 085576 Juliana dos Santos¹ - RGM 088414 Tatiane Alencar¹ - RGM Viviane Oliveira 2 Resumo A motivação é o impulso que leva

Leia mais

TEORIAS DE CONTÉUDO DA MOTIVAÇÃO:

TEORIAS DE CONTÉUDO DA MOTIVAÇÃO: Fichamento / /2011 MOTIVAÇÃO Carga horária 2 HORAS CONCEITO: É o desejo de exercer um alto nível de esforço direcionado a objetivos organizacionais, condicionados pela habilidade do esforço em satisfazer

Leia mais

A ESSENCIALIDADE DA MOTIVAÇÃO NOS PROCESSOS ORGANIZACIONAIS THE ESSENTIAL MOTIVATION IN THE ORGANIZATIONAL ENVIRONMENT

A ESSENCIALIDADE DA MOTIVAÇÃO NOS PROCESSOS ORGANIZACIONAIS THE ESSENTIAL MOTIVATION IN THE ORGANIZATIONAL ENVIRONMENT A ESSENCIALIDADE DA MOTIVAÇÃO NOS PROCESSOS ORGANIZACIONAIS THE ESSENTIAL MOTIVATION IN THE ORGANIZATIONAL ENVIRONMENT Andréia Lopes Graduanda em Administração UNISALESIANO Lins azdeia@yahoo.com.br Jessica

Leia mais

Noções de Liderança e Motivação

Noções de Liderança e Motivação Liderança A questão da liderança pode ser abordada de inúmeras formas: Liderança e Poder (recursos do poder) Liderança e Dominação (teorias da dominação legítima de Max Weber) Líder pela tradição Líder

Leia mais

Capítulo 16 - Motivação

Capítulo 16 - Motivação Capítulo 16 - Motivação Objetivos de aprendizagem Após estudar este capítulo, você deverá estar capacitado para: Definir o processo motivacional. Descrever a hierarquia das necessidades humanas. Diferenciar

Leia mais

FACULDADE ARQUIDIOCESANA DE CURVELO

FACULDADE ARQUIDIOCESANA DE CURVELO BEATRIZ APARECIDADE MOURA JOYCE SOARES RIBAS JUCIELE OTTONE MALAQUIAS MARTINS LUANA PÉRSIA DINIZ MÍRIAN DUARTE MACHADO GONZAGA DA SILVA O PAPEL DO GESTOR E A AUTO-ESTIMA DOS FUNCIONÁRIOS UMA ANÁLISE DA

Leia mais

... Em um empreendimento, se todos os envolvidos estiverem absolutamente seguros sobre as metas, objectivos e propósitos da organização, praticamente

... Em um empreendimento, se todos os envolvidos estiverem absolutamente seguros sobre as metas, objectivos e propósitos da organização, praticamente ... Em um empreendimento, se todos os envolvidos estiverem absolutamente seguros sobre as metas, objectivos e propósitos da organização, praticamente todos os demais temas se tornam então simples questões

Leia mais

FACULDADE DE EDUCACAO DE COSTA RICA

FACULDADE DE EDUCACAO DE COSTA RICA FACULDADE DE EDUCACAO DE COSTA RICA DISCIPLINA: MOTIVACAO E ETICA LIDERAR PESSOAS ATRAVÉS DA MOTIVAÇÃO Por que as pessoas se comportam de certos modos? Liderar - é o processo de dirigir e influenciar as

Leia mais

TÉCNICAS DE MOTIVAÇÃO APLICADAS A EMPRESAS

TÉCNICAS DE MOTIVAÇÃO APLICADAS A EMPRESAS TÉCNICAS DE MOTIVAÇÃO APLICADAS A EMPRESAS Rogéria Lopes Gularte 1 Resumo: No presente trabalho procuramos primeiramente definir o que é motivação, e como devemos nos comportar com as diferentes necessidades,

Leia mais

Teorias Contemporâneas

Teorias Contemporâneas Teorias Contemporâneas 1-Teoria ERG 2-Teoria das Necessidades, de McClelland 3-Teoria da Avaliação Cognitiva 4-Teoria da Fixação dos Objetivos 5-Teoria do Reforço 6-Teoria da Equidade 7-Teoria da Expectativa

Leia mais

Padrão Resposta às Questões Discursivas Psicologia do Trabalho

Padrão Resposta às Questões Discursivas Psicologia do Trabalho Concurso Público 2015 Padrão Resposta às Questões Discursivas Psicologia do Trabalho Questão 1 a) Para Walton, QVT refere-se a valores ambientais e humanos, negligenciados pelas sociedades industriais

Leia mais

O que uma empresa necessita para manter seus funcionários motivados?

O que uma empresa necessita para manter seus funcionários motivados? O que uma empresa necessita para manter seus funcionários motivados? A empresa deve ser pensada como organização social, humana. Além das relações decorrentes das tarefas, ocorrem outros relacionamentos

Leia mais

Organização da Aula. Motivação e Satisfação no Trabalho. Aula 1. Como adquirir motivação? Contextualização. Elementos Fundamentais. Instrumentalização

Organização da Aula. Motivação e Satisfação no Trabalho. Aula 1. Como adquirir motivação? Contextualização. Elementos Fundamentais. Instrumentalização Motivação e Satisfação no Trabalho Aula 1 Profa. Adriana Straube Organização da Aula Equívocos sobre Motivação e Recompensas Teorias da Motivação Técnicas de Motivação Papel da Gerência Como adquirir motivação?

Leia mais

MOTIVAÇÃO NO SERVIÇO PÚBLICO EDUCACIONAL DE RONDONÓPOLIS.

MOTIVAÇÃO NO SERVIÇO PÚBLICO EDUCACIONAL DE RONDONÓPOLIS. MOTIVAÇÃO NO SERVIÇO PÚBLICO EDUCACIONAL DE RONDONÓPOLIS. 1 SILVA, Benair Alves da 2 DA ROSA, Wanderlan Barreto RESUMO O artigo tem a intenção de saber se os servidores públicos educacionais de Rondonópolis

Leia mais

MOTIVAÇÃO: A MOLA PROPULSORA DA GESTÃO DE PESSOAS RESUMO

MOTIVAÇÃO: A MOLA PROPULSORA DA GESTÃO DE PESSOAS RESUMO MOTIVAÇÃO: A MOLA PROPULSORA DA GESTÃO DE PESSOAS RESUMO Considerando que o ser humano é formado por características de personalidade únicas e complexas, o seu comportamento no trabalho e em outros lugares,

Leia mais

5.2.2. TEORIAS MOTIVACIONAIS

5.2.2. TEORIAS MOTIVACIONAIS Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais Campus de Poços de Caldas 5.2.2. TEORIAS MOTIVACIONAIS 2º Per. Administração: 5.3. Alessandra Valim Ribeiro Cristiane Moreira de Oliveira Denise Helena

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA MOTIVAÇÃO NAS EMPRESAS

A IMPORTÂNCIA DA MOTIVAÇÃO NAS EMPRESAS A IMPORTÂNCIA DA MOTIVAÇÃO NAS EMPRESAS ALCIDES DE SOUZA JUNIOR, JÉSSICA AMARAL DOS SANTOS, LUIS EDUARDO SILVA OLIVEIRA, PRISCILA SPERIGONE DA SILVA, TAÍS SANTOS DOS ANJOS ACADÊMICOS DO PRIMEIRO ANO DE

Leia mais

Características da liderança. Estilos de liderança LIDERANÇA. Líder e liderança O LÍDER EFICAZ. Conceito de liderança

Características da liderança. Estilos de liderança LIDERANÇA. Líder e liderança O LÍDER EFICAZ. Conceito de liderança Uninove Sistemas de Informação Teoria Geral da Administração 3º Semestre Prof. Fábio Magalhães Blog da disciplina: http://fabiotga.blogspot.com Semana 04 e liderança Conceito de liderança Segundo Robbins,

Leia mais

Elétrica montagem e manutenção ltda. AVALIAÇÃO DE COLABORADORES

Elétrica montagem e manutenção ltda. AVALIAÇÃO DE COLABORADORES AVALIAÇÃO DE COLABORADORES RESUMO A preocupação com o desempenho dos colaboradores é um dos fatores que faz parte do dia-a-dia da nossa empresas. A avaliação de desempenho está se tornando parte atuante

Leia mais

Concurso: ATPS MPOG Aula 1. Turma 01 LEONARDO FERREIRA

Concurso: ATPS MPOG Aula 1. Turma 01 LEONARDO FERREIRA Concurso: ATPS MPOG Aula 1 Turma 01 LEONARDO FERREIRA Gestão de Pessoas CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 1. Teorias da motivação. Motivação e recompensas intrínsecas e extrínsecas. Motivação e contrato psicológico.

Leia mais

NOÇÕES DE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS

NOÇÕES DE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS NOÇÕES DE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS Concurso para agente administrativo da Polícia Federal Profa. Renata Ferretti Central de Concursos NOÇÕES DE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS 1. Organizações como

Leia mais

Motivação e a Atividade de Relações Públicas Ana Cristina Woicickoski

Motivação e a Atividade de Relações Públicas Ana Cristina Woicickoski 1 Motivação e a Atividade de Relações Públicas Ana Cristina Woicickoski Resumo O presente artigo pretende demonstrar que a motivação é complexa, mas ao mesmo tempo necessária em todos os momentos da vida

Leia mais

Gestão de Recursos Humanos

Gestão de Recursos Humanos Como Gerir Estrategicamente os RH? Gerir a Motivação 1 A Motivação (Modelo) Necessidade Impulso Acções Satisfação Diminuição do impulso e Satisfação da necessidade In: Ferreira, Neves e Abreu 1996 2 A

Leia mais

Desmotivação no Trabalho

Desmotivação no Trabalho Desmotivação no Trabalho Carolline de MORAIS¹ RGM 89552 Karen C. P. S. PENHAVEL¹ RGM 88579 Renata SORIO¹ RGM 88861 Romerianne BATISTA¹ RGM 088671 Orientadora² : Viviane Regina de Oliveira Silva Resumo

Leia mais

A MOTIVAÇÃO COMO FATOR DE SUCESSO NA ORGANIZAÇÃO UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA MARF

A MOTIVAÇÃO COMO FATOR DE SUCESSO NA ORGANIZAÇÃO UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA MARF A MOTIVAÇÃO COMO FATOR DE SUCESSO NA ORGANIZAÇÃO UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA MARF Danilo Domingos Gonzales Simão 1 Fábio Augusto Martins Pereira 2 Gisele Maciel de Lima 3 Jaqueline de Oliveira Rocha 4

Leia mais

Qual a Melhor Empresa para se Trabalhar?

Qual a Melhor Empresa para se Trabalhar? Qual a Melhor Empresa para se Trabalhar? Angélica Adriani Nunes de Moraes 1 Denise Aparecida Ferreira Patrícia Karla Barbosa Pereira Maria Eliza Zandarim 2 Palavras-chave: Empresa, motivação, equipe. Resumo

Leia mais

A MOTIVAÇÃO INFLUENCIA NO DESEMPENHO DAS PESSOAS NAS ORGANIZAÇÕES? INFLUENCE MOTIVATION PERFORMANCE OF PERSONS IN ORGANIZATIONS?

A MOTIVAÇÃO INFLUENCIA NO DESEMPENHO DAS PESSOAS NAS ORGANIZAÇÕES? INFLUENCE MOTIVATION PERFORMANCE OF PERSONS IN ORGANIZATIONS? A MOTIVAÇÃO INFLUENCIA NO DESEMPENHO DAS PESSOAS NAS ORGANIZAÇÕES? INFLUENCE MOTIVATION PERFORMANCE OF PERSONS IN ORGANIZATIONS? Ana Carolina Gimenes Figueiredo Graduanda em Administração - Universidade

Leia mais

Fundamentos do Comportamento de Grupo

Fundamentos do Comportamento de Grupo Fundamentos do Comportamento de Grupo 1: Motivação no trabalho e suas influências sobre o desempenho: Definir e classificar os grupos; Analisar as dinâmicas presentes nos grupos; Refletir sobre a influência

Leia mais

LÍDERES DO SECULO XXI RESUMO

LÍDERES DO SECULO XXI RESUMO 1 LÍDERES DO SECULO XXI André Oliveira Angela Brasil (Docente Esp. das Faculdades Integradas de Três Lagoas-AEMS) Flávio Lopes Halex Mercante Kleber Alcantara Thiago Souza RESUMO A liderança é um processo

Leia mais

MOTIVAÇÃO E LIDERANCA: UMA ANÁLISE DO PAPEL DO LÍDER NO PROCESSO DE MOTIVACAO

MOTIVAÇÃO E LIDERANCA: UMA ANÁLISE DO PAPEL DO LÍDER NO PROCESSO DE MOTIVACAO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS FINANCEIROS Fábio Lopes de Aguiar MOTIVAÇÃO E LIDERANCA: UMA ANÁLISE DO PAPEL DO LÍDER NO

Leia mais

TÍTULO: O PAPEL DA LIDERANÇA NA MOTIVAÇÃO DENTRO DO AMBIENTE ORGANIZACIONAL UM ESTUDO NA EMPRESA VISÃO DIGITAL 3D E-COMMERCE

TÍTULO: O PAPEL DA LIDERANÇA NA MOTIVAÇÃO DENTRO DO AMBIENTE ORGANIZACIONAL UM ESTUDO NA EMPRESA VISÃO DIGITAL 3D E-COMMERCE TÍTULO: O PAPEL DA LIDERANÇA NA MOTIVAÇÃO DENTRO DO AMBIENTE ORGANIZACIONAL UM ESTUDO NA EMPRESA VISÃO DIGITAL 3D E-COMMERCE CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

MOTIVAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES

MOTIVAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES MOTIVAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES 1 Paulo Sertek Mestre em Tecnologia e Desenvolvimento email: psertek@xmail.com.br www.ief.org.br Nas organizações mecanicistas, o homem é visto apenas por fora, em suas ações,

Leia mais

O DESENVOLVIMENTO INTERPESSOAL

O DESENVOLVIMENTO INTERPESSOAL O DESENVOLVIMENTO INTERPESSOAL A Motivação : a força geradora do comportamento Quando nos interrogamos sobre a razão pela qual o indivíduo age de determinada maneira, estamonos a interrogar pelos motivos,

Leia mais

Gestão de Pessoas. Capacidade de gerar resultados a partir das pessoas e dos processos inerentes ao negócio.

Gestão de Pessoas. Capacidade de gerar resultados a partir das pessoas e dos processos inerentes ao negócio. Gestão Corporativa Governança Corporativa é o conjunto de processos, costumes, políticas, leis que regulam a maneira como uma empresa é dirigida, administrada ou controlada. PROCESSOS PESSOAS TECNOLOGIA

Leia mais

Escola das relações humanas: Sociologia nas Organizações. Prof Rodrigo Legrazie

Escola das relações humanas: Sociologia nas Organizações. Prof Rodrigo Legrazie Escola das relações humanas: Sociologia nas Organizações Prof Rodrigo Legrazie Escola Neoclássica Conceitua o trabalho como atividade social. Os trabalhadores precisam muito mais de ambiente adequado e

Leia mais

CORREÇÃO DA PROVA DE GESTÃO DE PESSOAS STN 2013 Professor: Alyson Barros

CORREÇÃO DA PROVA DE GESTÃO DE PESSOAS STN 2013 Professor: Alyson Barros Caros colegas, como vão? No domingo passado muitos alunos fizeram a prova do STN e aproveito para colocar a parte de Gestão de Pessoas nas Organizações corrigida aqui. Alerto que as únicas que, na minha

Leia mais

Funções Administrativas. Planejamento. Organização. Liderança. Controle. Curso de Engenharia Elétrica. Planejamento. Organização. Liderança.

Funções Administrativas. Planejamento. Organização. Liderança. Controle. Curso de Engenharia Elétrica. Planejamento. Organização. Liderança. Curso de Engenharia Elétrica Funções Administrativas Administração e Organização de Empresas de Engenharia Planejamento Organização Prof. Msc. Cláudio Márcio cmarcio@gmail.com www2.unifap.br/claudiomarcio

Leia mais

FOZ$DO$IGUAÇU,$2015$!

FOZ$DO$IGUAÇU,$2015$! FOZDOIGUAÇU,2015 XXVIENANGRAD A CONTRIBUIÇÃO DOS FATORES MOTIVACIONAIS PARA O SUCESSO DAS ORGANIZAÇÕES ANDREA FERREIRA DA COSTA rafaela modolo de pinho EDINALVA DELL ARMI MAROTTO ACONTRIBUIÇÃODOSFATORESMOTIVACIONAISPARAOSUCESSODASORGANIZAÇÕES

Leia mais

MOTIVAÇÃO NO TRABALHO: FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

MOTIVAÇÃO NO TRABALHO: FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA MOTIVAÇÃO NO TRABALHO: FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA CONCEITO DE MOTIVAÇÃO Pode-se definir motivação como a disposição de um indivíduo para fazer alguma coisa que ao mesmo tempo seria condicionada pela capacidade

Leia mais

GESTÃO DE PESSOAS NAS ORGANIZAÇÕES MPU. Professor: Renato Lacerda QUESTÕES DO CESPE. Teorias Motivacionais

GESTÃO DE PESSOAS NAS ORGANIZAÇÕES MPU. Professor: Renato Lacerda QUESTÕES DO CESPE. Teorias Motivacionais GESTÃO DE PESSOAS NAS ORGANIZAÇÕES MPU Professor: Renato Lacerda QUESTÕES DO CESPE Teorias Motivacionais (Cespe / Detran 2009) Julgue os itens a seguir, acerca de motivação e satisfação no trabalho. 1)

Leia mais

A MOTIVAÇÃO NAS MÉDIAS EMPRESAS COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO

A MOTIVAÇÃO NAS MÉDIAS EMPRESAS COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO A MOTIVAÇÃO NAS MÉDIAS EMPRESAS COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO Elisângela de Aguiar Alcalde 1 Maria Luzia Lomba de Sousa 3 Fernando Pinto dos Santos 2 Kelly Dias da Silva 2 Mariza Teodoro da Silva 2 RESUMO

Leia mais

Unidade III GESTÃO ESTRATÉGICA DE RECURSOS HUMANOS. Profa. Ani Torres

Unidade III GESTÃO ESTRATÉGICA DE RECURSOS HUMANOS. Profa. Ani Torres Unidade III GESTÃO ESTRATÉGICA DE RECURSOS HUMANOS Profa. Ani Torres Desenvolvendo pessoas O desenvolvimento e a manutenção de pessoas estão relacionados com a evolução das equipes de trabalho e com a

Leia mais

25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1

25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 RECURSOS HUMANOS EM UMA ORGANIZAÇÃO HOSPITALAR COM PERSPECTIVA DE DESENVOLVIVENTO DO CLIMA ORGANIZACONAL: O CASO DO HOSPITAL WILSON ROSADO EM MOSSORÓ RN

Leia mais

Verônica A. Pereira Souto

Verônica A. Pereira Souto COMPORTAMENTO HUMANO NO TRABALHO Verônica A. Pereira Souto VITÓRIA-ES 11 de julho 2009 VERÔNICA APARECIDA PEREIRA SOUTO MINI-CURRÍCULO PSICÓLOGA GRADUADA EM LETRAS/INGLÊS PÓS-GRADUADA EM COMUNICAÇÃO SOCIAL

Leia mais

Marcelo Hauaji de Sá Pacheco Médico Veterinário Vice-Reitor Acadêmico da UCB 2010

Marcelo Hauaji de Sá Pacheco Médico Veterinário Vice-Reitor Acadêmico da UCB 2010 Marcelo Hauaji de Sá Pacheco Médico Veterinário Vice-Reitor Acadêmico da UCB 2010 Motivação Todo comportamento humano é gerado por algo que o motiva Análise em Perspectivas Teorias Hedonistas Hedonismo

Leia mais

RESUMO DE CONCLUSÃO DE CURSO

RESUMO DE CONCLUSÃO DE CURSO RESUMO DE CONCLUSÃO DE CURSO CONCEITO Empreendedorismo é o estudo voltado para o desenvolvimento de competências e habilidades relacionadas à criação de um projeto (técnico, científico, empresarial). Tem

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING CENÁRIO E TENDÊNCIAS DOS NEGÓCIOS 8 h As mudanças do mundo econômico e as tendências da sociedade contemporânea.

Leia mais

Abordagem Comportamental da Administração

Abordagem Comportamental da Administração Abordagem Comportamental da Administração A partir dos trabalhos de dinâmica de grupo desenvolvidos por Kurt Lewin, ainda na sua fase de impulsionador da Teoria das Relações Humanas, com a divulgação do

Leia mais

PESQUISA DO CLIMA ORGANIZACIONAL EM UMA EMPRESA DE MÁRMORES E GRANITOS DO MUNICÍPIO DE COLIDER - MT.

PESQUISA DO CLIMA ORGANIZACIONAL EM UMA EMPRESA DE MÁRMORES E GRANITOS DO MUNICÍPIO DE COLIDER - MT. PESQUISA DO CLIMA ORGANIZACIONAL EM UMA EMPRESA DE MÁRMORES E GRANITOS DO MUNICÍPIO DE COLIDER - MT. 1 NATÁLIA SALVADEGO, 2 FRANCIANNE BARONI ZANDONADI 1 Bacharel em Engenheira Florestal (UNEMAT) e Estudante

Leia mais

Organização da Aula. Motivação e Satisfação no Trabalho. Aula 2. Motivação Extrínseca. Contextualização. Motivação Intrínseca

Organização da Aula. Motivação e Satisfação no Trabalho. Aula 2. Motivação Extrínseca. Contextualização. Motivação Intrínseca Motivação e Satisfação no Trabalho Aula 2 Profa. Adriana Straube Organização da Aula Motivação Extrínseca X Motivação Intrínseca Necessidades Inatas Teoria do Reforço Teoria da Equidade Motivação Extrínseca

Leia mais

ESTUDO DE FATORES DE AUMENTO DA PRODUTIVIDADE E DIMINUIÇÃO DOS CUSTOS PELA MOTIVAÇÃO DOS COLABORADORES NAS ORGANIZAÇÕES 1

ESTUDO DE FATORES DE AUMENTO DA PRODUTIVIDADE E DIMINUIÇÃO DOS CUSTOS PELA MOTIVAÇÃO DOS COLABORADORES NAS ORGANIZAÇÕES 1 ESTUDO DE FATORES DE AUMENTO DA PRODUTIVIDADE E DIMINUIÇÃO DOS CUSTOS PELA MOTIVAÇÃO DOS COLABORADORES NAS ORGANIZAÇÕES 1 Luiz Alfredo Rodrigues Alves Marzochi Faculdade de Agudos - FAAG RESUMO Este trabalho

Leia mais

Pesquisa de Clima Organizacional Extended DISC

Pesquisa de Clima Organizacional Extended DISC Pesquisa de Clima Organizacional Extended DISC Pesquisas de Clima Organizacional fornecem subsídios para a melhoria das condições de trabalho e a satisfação dos colaboradores e, com isso, tornando esta

Leia mais

CURSO DE PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL

CURSO DE PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL CURSO DE PSICOLOGIA DATA: 24/05\2013 Professor: Ricardo Costa e Silva Graduado em Administração e Pequenas e Médias Empresas e Especialista em Gestão Escolar. PSICOLOGIA 2º ENCONTRO TEMAS QUE SERÃO ABORDADOS

Leia mais

OFICINA DA PESQUISA DISCIPLINA: COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL

OFICINA DA PESQUISA DISCIPLINA: COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL OFICINA DA PESQUISA DISCIPLINA: COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos carlos@oficinadapesquisa.com.br www.oficinadapesquisa.com.br Objetivo Geral da Disciplina: Apresentar

Leia mais

PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL

PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL Relatório e Análise 2005 Introdução: ``Para que a Construtora Mello Azevedo atinja seus objetivos é necessário que a equipe tenha uma atitude vencedora, busque sempre resultados

Leia mais

Qualidade de vida no Trabalho

Qualidade de vida no Trabalho Qualidade de Vida no Trabalho Introdução É quase consenso que as empresas estejam cada vez mais apostando em modelos de gestão voltados para as pessoas, tentando tornar-se as empresas mais humanizadas,

Leia mais

O PROCESSO NO GERENCIAMENTO DE EQUIPES NA EMPRESA RS CALDEIRARIA

O PROCESSO NO GERENCIAMENTO DE EQUIPES NA EMPRESA RS CALDEIRARIA O PROCESSO NO GERENCIAMENTO DE EQUIPES NA EMPRESA RS CALDEIRARIA Ana Priscila da Silva Vieira 1 Elizabete Rodrigues de Oliveira 2 Tatiana Nogueira Dias 3 Élcio Aloisio Fragoso 4 Edson Leite Gimenez 5 RESUMO

Leia mais

Questões de Concurso Público para estudar e se preparar... Prefeitura Olinda - Administrador. 1. Leia as afirmativas a seguir.

Questões de Concurso Público para estudar e se preparar... Prefeitura Olinda - Administrador. 1. Leia as afirmativas a seguir. Questões de Concurso Público para estudar e se preparar... Prefeitura Olinda - Administrador 1. Leia as afirmativas a seguir. I. O comportamento organizacional refere-se ao estudo de indivíduos e grupos

Leia mais

Roteiro VcPodMais#005

Roteiro VcPodMais#005 Roteiro VcPodMais#005 Conseguiram colocar a concentração total no momento presente, ou naquilo que estava fazendo no momento? Para quem não ouviu o programa anterior, sugiro que o faça. Hoje vamos continuar

Leia mais

TEORIA COMPORTAMENTAL. Surgiu no final da década de 40 e fundamenta-se no comportamento humano nas organizações.

TEORIA COMPORTAMENTAL. Surgiu no final da década de 40 e fundamenta-se no comportamento humano nas organizações. TEORIA COMPORTAMENTAL Surgiu no final da década de 40 e fundamenta-se no comportamento humano nas organizações. Teoria Comportamental Um dos temas fundamentais é a Motivação Humana, pois para explicar

Leia mais

MOTIVAÇÃO DO PROFESSOR

MOTIVAÇÃO DO PROFESSOR MOTIVAÇÃO DO PROFESSOR ALEIXO, Jorge Luis Zanatta¹; NASCIMENTO, Claudio Tarso de Jesus Santos²; GONÇALVES, Giselda²; MARTINS, Gustavo Celestino³ ¹ Licenciado em Educação Física ² Docente da Escola Superior

Leia mais

Motivação de Equipes de Projeto O papel do Gerente de Projetos

Motivação de Equipes de Projeto O papel do Gerente de Projetos Instituto de Educação Tecnológica Pós-graduação em Gestão de Projetos - Turma 150 Agosto/2015 Motivação de Equipes de Projeto O papel do Gerente de Projetos Lucas Rossi Analista de Negócios lucasrossi_@hotmail.com

Leia mais

PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL

PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL Qualidade de Vida no Trabalho O conceito de QVT é muito abrangente, e precisa ser definido com clareza, uma vez que as posições profissionais dos trabalhadores dentro de uma organização

Leia mais

EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO

EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO MÓDULO 17 - Teorias Contingenciais de Liderança Para STONER e FREEMAN (1985; 350) a abordagem contingencial é a visão de que a técnica de administração que melhor

Leia mais

RECONHECIMENTO, OPORTUNIDADES E AUTONOMIA COMO FATOR MOTIVACIONAL. UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA MARF.

RECONHECIMENTO, OPORTUNIDADES E AUTONOMIA COMO FATOR MOTIVACIONAL. UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA MARF. RECONHECIMENTO, OPORTUNIDADES E AUTONOMIA COMO FATOR MOTIVACIONAL. UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA MARF. Danilo Domingos Gonzales Simão 1 Fábio Augusto Martins Pereira 2 Gisele Maciel de Lima 3 Jaqueline

Leia mais

PROCESSOS MOTIVACIONAIS

PROCESSOS MOTIVACIONAIS PROCESSOS MOTIVACIONAIS 1. O que é motivação? 2. motivação, frustração e mecanismos de defesa. 3. As forças energéticas. 4. Motivação e função psíquica. 5. O significado do trabalho como fator motivacional.

Leia mais

Plano de Ensino Faculdade de Ciências Humanas e Sociais Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos

Plano de Ensino Faculdade de Ciências Humanas e Sociais Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos Faculdade Curso Disciplina Faculdade de Ciências Humanas e Sociais Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos PSICOR - Psicologia Organizacional Período Letivo 2013 - Anual Currículo 40032012

Leia mais

Motivação e Desempenho no Trabalho (Cap. 5)

Motivação e Desempenho no Trabalho (Cap. 5) UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL (UFMS) CAMPUS DE BONITO/MS, CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Motivação e Desempenho no Trabalho (Cap. 5) Prof. Ana Cristina Trevelin Motivação 1. Teoria da expectativa

Leia mais

Prof. Gustavo Nascimento. Unidade I MODELOS DE LIDERANÇA

Prof. Gustavo Nascimento. Unidade I MODELOS DE LIDERANÇA Prof. Gustavo Nascimento Unidade I MODELOS DE LIDERANÇA A liderança e seus conceitos Liderança é a capacidade de influenciar um grupo para que as metas sejam alcançadas Stephen Robbins A definição de liderança

Leia mais

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Avaliação de: Sr. Antônio Modelo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Especialistas The Inner

Leia mais

QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO COMO FATOR DE MOTIVAÇÃO NO AMBIENTE CORPORATIVO Jéssica da Silva¹ Paola Faustino da Silva Cavalheiro¹ Rosane Hepp Ma²

QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO COMO FATOR DE MOTIVAÇÃO NO AMBIENTE CORPORATIVO Jéssica da Silva¹ Paola Faustino da Silva Cavalheiro¹ Rosane Hepp Ma² QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO COMO FATOR DE MOTIVAÇÃO NO AMBIENTE CORPORATIVO Jéssica da Silva¹ Paola Faustino da Silva Cavalheiro¹ Rosane Hepp Ma² RESUMO A busca constante da produtividade, do foco e

Leia mais

Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs

Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs Ultrapassando barreiras e superando adversidades. Ser um gestor de pessoas não é tarefa fácil. Existem vários perfis de gestores espalhados pelas organizações,

Leia mais

www.ricardoalmeida.adm.br

www.ricardoalmeida.adm.br Teoria Comportamental da Administração www.ricardoalmeida.adm.br A Teoria Comportamental (ou Teoria Behaviorista) da Administração veio significar uma nova direção e um novo enfoque dentro da teoria administrativa:

Leia mais

Exce!!ence Gestão Empresarial. Todos os direitos reservados. 1. Exce!!ence Gestão Empresarial Todos os direitos reservados.

Exce!!ence Gestão Empresarial. Todos os direitos reservados. 1. Exce!!ence Gestão Empresarial Todos os direitos reservados. Exce!!ence Gestão Empresarial. Todos os direitos reservados. 1 Provocativo Ser um expert em modelos, frameworks, ferramentas e técnicas de gerenciamento de projetos é suficiente para garantir o sucesso

Leia mais

AULA I MOTIVAÇÃO E DESEMPENHO

AULA I MOTIVAÇÃO E DESEMPENHO Motivação: movere (ação, movimento) Motivação (do Latim movere, mover) designa em psicologia, em etologia e em outras ciências humanas a condição do organismo que influencia a direção (orientação para

Leia mais

ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS

ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS ÍNDICE em ordem alfabética: Artigo 1 - ENDOMARKETING: UMA FERRAMENTA ESTRATÉGICA PARA DESENVOLVER O COMPROMETIMENTO... pág. 2 Artigo 2 - MOTIVANDO-SE... pág. 4 Artigo 3 - RECURSOS

Leia mais

PATRICIA DO ROCIO NICHELE A INFLUÊNCIA DA LIDERANÇA NA MOTIVAÇÃO FUNCIONAL

PATRICIA DO ROCIO NICHELE A INFLUÊNCIA DA LIDERANÇA NA MOTIVAÇÃO FUNCIONAL PATRICIA DO ROCIO NICHELE A INFLUÊNCIA DA LIDERANÇA NA MOTIVAÇÃO FUNCIONAL Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao curso de Pós-Graduação em Gestão Estratégica de Pessoas da Universidade Tuiuti do

Leia mais

Motivação: uma viagem ao centro do conceito

Motivação: uma viagem ao centro do conceito FATOR HUMANO Motivação: uma viagem ao centro do conceito Muitos executivos ainda acreditam que é possível gerar motivação condicionando os comportamentos por meio de prêmios e punições. Mas a verdadeira

Leia mais

Incentivos Organizacionais Versus Satisfação dos Funcionários

Incentivos Organizacionais Versus Satisfação dos Funcionários 1 Incentivos Organizacionais Versus Satisfação dos Funcionários Tabatha Caroline Bonafin Discente da UNIOESTE. E-mail: caroline@harpa.com.br Telefone: 45-834169 Rua Carlos Chagas, 333 Pacaembu - Cascavel

Leia mais

A importância do RH na empresa

A importância do RH na empresa A importância do RH na empresa O modo pelo qual seus funcionários se sentem é o modo pelo qual os seus clientes irão se sentir." Karl Albrecht Infelizmente, muitas empresas ainda simplificam o RH à função

Leia mais

UMA REFLEXÃO SOBRE LIDERANÇA E MOTIVAÇÃO SOB ENFOQUE ORGANIZACIONAL

UMA REFLEXÃO SOBRE LIDERANÇA E MOTIVAÇÃO SOB ENFOQUE ORGANIZACIONAL UMA REFLEXÃO SOBRE LIDERANÇA E MOTIVAÇÃO SOB ENFOQUE ORGANIZACIONAL Natália Gomes Freitas Administradora de Empresas Manoel Gonçalves Rodrigues Pesquisador e Professor, PhD RESUMO A liderança é um processo

Leia mais

MATERIAL DE APOIO PARA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DO COLABORADOR www.simplessolucoes.com.br

MATERIAL DE APOIO PARA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DO COLABORADOR www.simplessolucoes.com.br Folha 1 de 6 O que é uma avaliação de desempenho? Avaliação de desempenho é um processo contínuo de análise da atuação do colaborador frente às tarefas, responsabilidades e comportamentos da função, contribuindo

Leia mais

Centro de Vivência PROJETO DE IMPLANTAÇÃO AUTOR: JOÃO LUÍS GOMES Março de 2013

Centro de Vivência PROJETO DE IMPLANTAÇÃO AUTOR: JOÃO LUÍS GOMES Março de 2013 Centro de Vivência PROJETO DE IMPLANTAÇÃO AUTOR: JOÃO LUÍS GOMES Março de 2013 INTRODUÇÃO: A educação, segundo estabelece a Constituição (arts. 205 e 227), é um direito público subjetivo que deve ser assegurada

Leia mais

O papel da remuneração no engajamento profissional

O papel da remuneração no engajamento profissional O papel da remuneração no engajamento profissional 15 de Maio de 2014 Agenda 1. Sobre o Hay Group 2. Contexto de mercado 3. Estudo global: O papel da remuneração no engajamento 4. Estudo Brasil: Melhores

Leia mais

Um breve histórico sobre a psicologia organizacional e as possíveis atuações do psicólogo nesta área.

Um breve histórico sobre a psicologia organizacional e as possíveis atuações do psicólogo nesta área. Um breve histórico sobre a psicologia organizacional e as possíveis atuações do psicólogo nesta área. A história da psicologia organizacional é uma criação do século XX, com seu inicio no final do século

Leia mais

Unidade I COMPORTAMENTO HUMANO. Profa. Leonor Cordeiro Brandão

Unidade I COMPORTAMENTO HUMANO. Profa. Leonor Cordeiro Brandão Unidade I COMPORTAMENTO HUMANO NAS ORGANIZAÇÕES Profa. Leonor Cordeiro Brandão Objetivos da disciplina Identificar e atuar sobre os aspectos que envolvem a relação do indivíduo com o trabalho; Discriminar

Leia mais

A MOTIVAÇÃO DOS COLABORADORES NAS ORGANIZAÇÕES

A MOTIVAÇÃO DOS COLABORADORES NAS ORGANIZAÇÕES 1 A MOTIVAÇÃO DOS COLABORADORES NAS ORGANIZAÇÕES Jorge Edísio de Castro Teixeira 1 RESUMO O presente artigo ressalta as mudanças que estão ocorrendo nas organizações, mostrando que a motivação dos colaboradores

Leia mais

GABARITO COMENTADO. A resposta correta é a opção 4, conforme consta na tabela das Necessidades Humanas Básicas, à página 65 da apostila.

GABARITO COMENTADO. A resposta correta é a opção 4, conforme consta na tabela das Necessidades Humanas Básicas, à página 65 da apostila. ADMINISTRAÇÃO SEMESTRE ESPECIAL MP2 (reposição) 18/11/2008 TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO 2008/2 GABARITO COMENTADO A. Sobre as conclusões e contribuições da experiência de Hawthorne, pode-se afirmar que:

Leia mais

Gestão de Pessoas e de Competências MOTIVAÇÃO.

Gestão de Pessoas e de Competências MOTIVAÇÃO. MOTIVAÇÃO. O FUNCIONAMENTO DAS ORGANIZAÇÕES E DE ATIVIDADES DE FORMA GERAL TEM COMO BASE O COMPROMISSO, A DEDICAÇÃO E O ESFORÇO DE SEUS INTEGRANTES. 1 MOTIVAÇÃO. PRIMEIRAS ABORDAGENS: Marcadas pela busca

Leia mais