ATA DA ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DA SOCIEDADE JARDINS PARIS. Apreciação e aprovação do Regimento Interno da Sociedade Jardins Paris.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ATA DA ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DA SOCIEDADE JARDINS PARIS. Apreciação e aprovação do Regimento Interno da Sociedade Jardins Paris."

Transcrição

1 ATA DA ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DA SOCIEDADE JARDINS PARIS I Ordem do dia: Apreciação e aprovação do Regimento Interno da Sociedade Jardins Paris. Aos nove dias do mês de maio de dois mil e sete, foi realizada a assembléia geral extraordinária para apreciação e aprovação do regimento Interno da Sociedade Jardins Paris, às dezenove horas e trinta e dois minutos em segunda convocação, na sede situada a Av. Diógenes Dolival Sampaio s/nº, Jardins Paris Goiânia GO. Foi aberta a sessão pelo Presidente do Conselho Deliberativo da sociedade, Sr. Manoel da Silva Alvares, que convidou dentre os presentes um membro para secretariar a presente assembléia geral extraordinária, sendo aclamada por todos a Srta. Magda de Oliveira, brasileira, assistente administrativa, solteira, Carteira de Identidade nº SSP- GO, com endereço à Rua Dom Pedro II, Qd. 03, Lt. 03 Parque Industrial João Braz Goiânia-GO. Nada mais sendo discutido, eu, Magda de Oliveira, brasileira, solteira, assistente administrativa, Carteira de Identidade nº SSP-GO, com endereço à Rua Dom Pedro II, Qd. 03, Lt. 03 Parque Industrial João Braz Goiânia-GO, na qualidade de secretária, lavrei a presente Ata que vai pôr mim assinada e pelos demais presentes. Nos termos do artigo 24 do Estatuto Social da Sociedade Jardi ns Paris, a Assembléia aprovou o Regimento Interno e autorizou a mesa a lavrar e assinar posteriormente a ata delegando poderes a 03 (três) associados presentes na Assembléia para conferi-la, aprová-la e assiná-la e entregar no prazo de 05 dias úteis à secretaria. Os associados são: Marcos Alberto da Silva Gomes, Juarez Patrício de Oliveira Junior e Geraldo Veloso da Cunha. Segue abaixo o inteiro teor do novo Regimento Interno da Sociedade Jardins Paris. 1

2 REGIMENTO INTERNO DA SOCIEDADE JARDINS PARIS I - DO OBJETO Art. 1º - O presente Regimento Interno tem por objetivo estabelecer normas de conduta e procedimentos internos, bem como assegurar a tranqüilidade no uso e gozo das instalações e dependências do Jardins Paris, visando principalmente a segurança e o bem estar de todos os associados. Art. 2º - As limitações e normatizações abaixo elencadas são supletivas, e prevalecerão após o cumprimento da legislação federal, estadual e municipal, especialmente as legislações de preservação ambiental. Art. 3 - As normas deste Regimento Interno devem ser observadas por todos os Sócios-Proprietários e moradores das residências, ainda que eventuais, e também pelos prepostos e empregados de organizações que a eles prestam serviços, bem como por empregados da Sociedade e administradores, convidados, visitantes, entregadores, ou quem por qualquer outra razão esteja dentro da Sociedade Jardins Paris (do Residencial) ou na sua portaria de acesso, assim como seus veículos, meios de locomoção e equipamentos que estiverem portando ou conduzindo. II - DOS DIREITOS E DOS DEVERES DOS ASSOCIADOS Art. 4º - São direitos dos Sócios-Proprietários e Moradores: a) Assegurar, gozar e dispor da respectiva unidade de acordo com o seu destino, desde que não prejudiquem a segurança e a solidez do Jardins Paris, não causem danos ou incômodos aos demais Associados ou moradores e não infrinjam as normas legais, as disposições da Convenção da Sociedade e deste Regimento; b) Usar e gozar das partes comuns do Jardins Paris, desde que não impeçam ou perturbem idêntico gozo pelos demais sócios, com as mesmas restrições da alínea anterior; c) Examinar, a qualquer tempo os livros, documentos e arquivos da Administração e pedir esclarecimentos. d) Utilizar os serviços da portaria, desde que não perturbem a sua ordem; e) Comparecer às Assembléias Gerais e, quando quites com suas contribuições, nelas discutir, votar e ser votado; 2

3 f) Comunicar a Administração qualquer irregularidade que observem, utilizando o livro de sugestões e reclamações. único - Os direitos enunciados nas letras c e e deste artigo são privativos dos proprietários de unidades, não podendo ser exercidos por inquilino ou outro morador. Art. 5º - O sócio interessado no exame da documentação da Administração da Sociedade deverá materializar sua pretensão por escrito a Administração, aduzindo as razões do pedido. Parágrafo Único - A Administração terá o prazo máximo de 10 (dez) dias úteis, contados da data do recebimento do pedido, para disponibilizar os documentos solicitados. Art. 6 - São deveres dos sócios, além de suas obrigações previstas em lei, no estatuto e neste Regimento Interno: a) Cumprir e fazer cumprir rigorosamente as regras deste Regimento Interno; b) Preservar e manter dentro da Sociedade a mais rigorosa moralidade, decência e respeito às regras e às pessoas do convívio interno; c) Os associados e a Administração não devem permitir que crianças façam agrupamentos, correrias ou algazarras nas dependências das portarias da Sociedade Jardins Paris, sejam com brincadeiras de patins, bicicletas, velocípedes, skates ou assemelhados. Também não serão permitidos agrupamentos de empregados e prestadores de serviços nas portarias. d) Providenciar conserto, reparo, ou a substituição de qualquer peça, aparelho ou objeto de uso comum que tenha sido danificado pelo morador, parente, visitante, empregados ou prepostos. O prazo para reparo ou substituição será definido pela administração e a multa arbitrada pelo Conselho Deliberativo. III - PORTARIA Art. 7º - A portaria terá funcionamento 24 (vinte e quatro) horas por dia, sendo responsável pela identificação e registro de todas as pessoas que adentrarem e saírem do Jardins Paris. 1 Não será autorizada a entrada de pessoas não cadastradas, ainda que seja proprietário. Nesta hipótese, caberá ao proprietário promover (ou providenciar) sua regularização junto a Administração. 2 - Os fiscais do poder público, no exercício de suas funções, poderão adentrar pela portaria social. 3

4 3 - Os Arquitetos ou Engenheiros, cadastrados como prepostos dos Condôminos para a execução de suas obras poderão acessar o condomínio por qualquer uma de suas portarias, de 2ª a 6ª feira. 4 - Para obter a autorização de mudança por parte da Administração é necessário já ter sido instalado o PABX virtual compatível com o do condomínio (desde que disponível pela operadora), instrumento de comunicação entre as portarias e a residência do Sócio-Proprietário. 5º - O Sócio-Proprietário que mudar de sistema de PABX Virtual, e cujo funcionamento não retornar após a notificação, será multado em 50% da taxa de condomínio, e as ligações da portaria para a sua residência serão feitas a cobrar. Art. 8º - Somente será permitida a entrada de moradores, proprietários de lotes, trabalhadores das obras em andamento e empregados domésticos, no interior do Jardins Paris, se os mesmos estiverem devidamente cadastrados junto à Administração e portando sua senha eletrônica (esta senha será adquirida junto a administração do condomínio e seu uso será de responsabilidade única e exclusiva do proprietário, que deverá arcar com toda e qualquer responsabilidade pelo uso indevido). Demais pessoas somente poderão adentrar ao Jardins Paris em companhia de morador ou Sócio- Proprietário de lote, ou quando previamente autorizadas pela Administração. 1 Na chegada e saída do condomínio, o associado/mor ador deverá parar o veículo próximo à cancela, abrir o vidro do automóvel, informar sua senha ao agente de segurança ou atendente. A cancela só será liberada após o procedimento de identificação executado. 2 A validade das senhas dos prestadores de serviços no sistema é de 60 (sessenta) dias. Após este período, a mesma será eliminada automaticamente,,, cabendo ao proprietário ou preposto renová-las tão logo receba o comunicado da Administração. 3 O proprietário, ao finalizar a obra, no ato da autorização da mudança, deverá solicitar à Administração a baixa das senhas dos prestadores de serviços que estão cadastrados em sua obra. 4º - Serão efetuadas revistas na entrada e saída de terceiros (prestadores de serviços). Obs.: A revista será pessoal e no veiculo. 5º - Todo proprietário que ainda não estiver residindo no Jardins Paris, só terá acesso a suas dependências das 07:00 às 22:00Hs. 6º - Empregados de obra, fornecedores e prestadores de serviço só terão acesso às obras de segunda à sexta-feira das 07:00 às 17:00Hs, sendo proibido o acesso aos sábados, domingos e feriados.. 4

5 Art. 9º - Qualquer visitante/prestador de serviços terá o seu acesso liberado ao interior do Jardins Paris somente após a autorização do morador (por telefone, pessoalmente ou através do documento de liberação de entrada). 1 Quando a entrada do veículo for autorizada, a segurança poderá verificar a veracidade do destino declarado e monitorar a saída do veículo na portaria. Não ocorrendo a saída do veículo, a segurança se informará junto ao morador quanto à permanência do prestador de serviço ou visitante. 2 Se o prestador de serviços ou fornecedor for visitar mais de uma residência ou obra, a segurança deverá anunciá-lo em todas as residências a serem visitadas. 3 A segurança terá plenos poderes para convidar a se retirar do condomínio qualquer prestador de serviço ou fornecedor que declarar um destino na portaria e seguir outro ao adentrar ao condomínio. Art. 10º - Não será permitida a permanência de prestadores de serviços e empregados de sócios-proprietários ou moradores na portaria.. IV- ÁREA DE LAZER Art. 11º - A área de lazer do Jardins Paris é constituída de: pista de Cooper, 05 Playgrounds, 03 quadras de Tênis, 02 quadras de Peteca, 01 quadra Poliesportiva, 03 campos de futebol Society, sala para fitness e bosque. 1 Os critérios para utilização das áreas de lazer serão regulamentadas pela Administração. As regras deverão ser afixadas em placas nas respectivas áreas esportivas, para que sejam do conhecimento de todos. 2 - Os proprietários, seus empregados, administradores e empregados do Jardins Paris ou das construções ficam terminantemente proibidos de: a) retirar qualquer tipo de madeira do bosque e de todas as áreas comuns para uso em obras, residências acabadas ou em áreas públicas do condomínio; b) acrescentar vegetações e animais de outras regiões no bosque e áreas de preservação ; c) depositar entulho, lixo, garrafa pet ou qualquer outro material que polua o bosque, áreas de preservação e/ou áreas comuns do condomínio; d) amarrar arames com placas de identificação que estrangulem as árvores; e) rastelar ou retirar folhagens secas que formam a camada úmida e nutritiva do solo, exceto nas trilhas; f) provocar qualquer tipo de queimada ou incêndio. g) retirar terra para jardins; retirar cascas das madeiras para uso fitoterápicos; 5

6 h) aprisionar qualquer tipo de animal residente no bosque, áreas de preservação ou áreas comuns; i) aplicar qualquer tipo de mata-mato, pesticidas e outros venenos no bosque, áreas de preservação e áreas comuns; j) promover eventos que comprometam o equilíbrio e o bom ambiente do bosque, tais como: piqueniques, churrascos, encontros amorosos e consumo de drogas; k) utilizar-se de quaisquer instrumentos que possam agredir as plantas e animais do bosque, áreas de preservação e áreas comuns, tais como: estilingues, espingarda de chumbinho, visgo, arapucas, etc. 3 As infrações das disposições constantes deste artigo acarretarão a aplicação de multa de 30% do valor da taxa de condomínio para cada uma das infrações. Art.12º - A área de lazer é de uso prioritário dos moradores e proprietários de lotes no Jardins Paris. 1 Os hóspedes e visitantes dos moradores poderão ter acesso à área de lazer e seus equipamentos, sujeitando-se às normas de sua utilização. 2 É proibida a utilização da academia por empregados. Art. 13º - O horário de uso das áreas de lazer é das 08:00 às 22:00 horas nos finais de semana e feriados, e das 07:00 às 22:00 horas nos dias de semana, exceto a pista de cooper e academia, que poderão ser usadas durante as 24 horas. A iluminação deverá ser ligada e desligada obrigatoriamente por funcionário da Administração. 1 - Ficam também proibidas disputas de jogos com equipes de fora, com exceção das equipes titulares do condomínio, com prévia autorização da Administração; ; Art. 14º - O usuário da área de lazer deverá obrigatoriamente mantê-la sempre limpa, da mesma forma que a encontrar. Multa de 20% do valor da taxa de condomínio. Art. 15º - Ë terminantemente proibida a utilização dos lagos para a prática de natação e outros esportes náuticos. Os critérios para pesca serão definidos pela Administração. Multa de 100% do valor da taxa de condomínio. Art. 16º - As quadras de esportes e campos de futebol serão utilizadas exclusivamente para prática de esportes a elas destinadas. Multa de 30% do valor da taxa de condomínio. Art. 17º - O número de convidados será definido pela Administração, de acordo com a demanda de uso pelos proprietários e moradores, ressaltando ser indispensável a presença destes junto aos convidados. 6

7 Art. 18º - O proprietário fica responsável pelos danos causados à estrutura física do condomínio, por atos de negligência, imprudência, imperícia desrespeito, uso de palavras de baixo calão e gestos obscenos, praticados por seus convidados, sob pena de multa, solicitação de retirada dos mesmos das dependências do condomínio e registro do impedimento de entrada. Multa de 100% do valor da taxa de condomínio. V MANUTENÇÃO, CONSERVAÇÃO E COLETA DE LIXO Art. 19 o - A contratação dos serviços de vigilância e portaria não implica- a assunção de qualquer responsabilidade por parte da SOCIEDADE JARDINS PARIS, quer sejam eles decorrentes de atos delituosos ou não, caso fortuito, acidentes etc. A Associação poderá através dos órgãos competentes consultar as fichas criminais de todos os funcionários das residências, da sociedade e dos prestadores de serviços em geral. Art. 20º - São proibidos letreiros e anúncios de qualquer natureza nos terrenos e nas edificações. Somente será permitido o anúncio de revenda de terrenos ou venda de casa em quadro apropriado colocado no escritório da Administração, ficando desde já autorizada a SOCIEDADE JARDINS PARIS a retirar qualquer placa de anúncio ou de venda nos respectivos terrenos e casas. Multa de 30% do valor da taxa de condomínio. Art. 21º - A coleta de lixo será feita em horários preestabelecidos pela Administração, pelo que não se recomenda a exposição do mesmo fora das residências em horários não estabelecidos. 1 A administração do condomínio fornecerá 02 cestos de lixo para cada residência com morador, um para depósito do lixo orgânico e o outro para o lixo reciclável (não orgânico). A coleta seletiva será implantada progressivamente. VI DO TRÂNSITO Art. 22º - As normas do Código de Trânsito Brasileiro CTB Lei Federal 9503/97 devem ser obedecidas por todos dentro do Condomínio Jardins Paris. Multa de 30% do valor da taxa de condomínio. 1 A velocidade máxima permitida nas vias internas do Jardins Paris é de 30 (trinta) quilômetros horários, conforme sinalizações estabelecidas nas placas e pinturas nas vias. Portanto, não será tolerado excesso de velocidade no interior do condomínio Jardins Paris. Multa de 100% do valor da taxa de condomínio. 2 É expressamente proibida a condução de veículos por menores, condutores sem habilitação, cabendo à segurança do condomínio fiscalizar, 7

8 coibir e tomar qualquer medida necessária, inclusive solicitar apoio dos órgãos públicos competentes. Multa de 100% do valor da taxa de condomínio. 3 Fica também expressamente proibida a condução de motocicletas sem o devido uso de capacete. Multa de 50% do valor da taxa de condomínio. 4 Não será permitida a promoção, incentivo de corridas, rachas, ou qualquer tipo de atividade que ponha em risco a integridade física da comunidade no interior do condomínio, tais como manobras perigosas, arrancadas bruscas, derrapagens ou frenagens com deslizamento ou arrastamento de pneus. Multa de 100% do valor da taxa de condomínio. 5 É proibido o estacionamento ou circulação irregular de veículos em desobediência à sinalização estabelecida. Multa de 30% do valor da taxa de condomínio. Art. 23º. Só serão permitidos brinquedos elétricos, sendo expressamente proibido qualquer tipo de brinquedo com motores a combustão. Multa de 50% do valor da taxa de condomínio. 1 Não será permitida a prática de aeromodelismo, seja elétrico ou a combustão. 2 Não será permitido empinar pipas utilizando linha com cerol. VII - DOS ANIMAIS DOMÉSTICOS Art.24 o Será permitida a criação de animais domésticos, respeitadas as condições de higiene, segurança e sonoridade. 1º - Quando do passeio em vias públicas, será obrigatório o uso de guias. No caso de animais de pequeno porte, será obrigatória a condução através de coleira; nos de médio e grande porte, através de enforcadeira, devendo os proprietários ou acompanhantes portarem uma sacolinha para fazer a higienização, recolhendo os excrementos. Multa de 30% do valor da taxa de condomínio, em caso de reincidência. 2º - É proibido o trânsito de animais nas áreas de lazer (parquinhos, quadras de esporte, academia). Multa de 30% do valor da taxa de condomínio em caso de reincidência. 3º - Caso o animal seja encontrado solto pelo condomínio, será apreendido, recolhido à administração e entregue ao proprietário, com notificação por escrito na primeira ocorrência e multa de 30% do valor da taxa de condomínio em caso de reincidência. 4º - Fica proibida a criação e circulação das seguintes raças de caninos dentro do Condomínio Jardins Paris, em face de sua agressividade: Cane 8

9 corso, Pit Bull, Fila Brasil, Rottweiller, Akita, Grande cão japonês, Bulldog americano, Bull terrier, Chow chow, Dogue alemão, Boston terrier, Sharpei, Mastiff, Dogo argentino, Dobermann, Mastin napolitano, Pastor alemão, Pastor belga, Pastor branco suíço, Dinamarquês, Bulmastife, Dálmata, Setter Inglês, Afganhound, Cão de castro laboreiro, Fila de são Miguel, Argentino de Bordeaux, American Pit Bull Terrier, Stafforshire Terrier Americano, bem como aquelas raças de reconhecida agressividade. Multa de 100% do valor da taxa de condomínio em caso de reincidência. 5º - Incide também a mesma proibição do parágrafo anterior sobre qualquer cão mestiço sem raça predominante, ou não, que apresentar agressividade, o qual será retirado do Condomínio pela Sociedade Jardins Paris. Multa 100% da taxa de condomínio. VIII - FESTAS, REUNIÕES E EVENTOS SOCIAIS NAS RESIDÊNCIAS Art Em caso de festas ou eventos sociais que demandem grande fluxo de visitantes no residencial, os moradores deverão observar as seguintes condições: 1 - Eventos superiores a 120 (cento e vinte) convidados externos devem ser comunicados à Administração com 07 (sete) dias de antecedência. Multa 75% da taxa de condomínio. Inciso I - Objetivando resguardar a tranqüilidade e segurança dos moradores do Residencial JARDINS PARIS, nos eventos superiores a 120 convidados, haverá reforço de um segurança extra do condomínio, no local do evento e um segurança a cada acréscimo de 50 convidados. Inciso II - Os seguranças extras serão contratados pela administração e o custo será cobrado na taxa de condomínio do proprietário que promoveu a festa. Estes seguranças deverão permanecer na área circunvizinha ao evento, inclusive na área de recuo lateral e fundo do lote, se necessário, auxiliando na circulação de pessoas e veículos e buscando preservar a tranqüilidade e segurança de vizinhos e da comunidade em geral; Inciso III - Ficará a critério do associado ou morador que estiver realizando o evento a contratação ou não de segurança própria para a parte interna da festa, uma vez que os profissionais do JARDINS PARIS estarão objetivando a coletividade e a área externa do evento; Parágrafo único: Os seguranças a que se referem os incisos I, II e III, obrigatoriamente serão agentes do condomínio contratados em seus dias de folga. 9

10 2 - O associado ou morador deverá apresentar à administração, com 08 horas de antecedência, a listagem dos convidados, contendo o nome completo dos mesmos em ordem alfabética; 3 - Sempre que necessário, a Administração determinará o aumento de efetivo dos profissionais de atendimento das portarias do JARDINS PARIS, para o atendimento dos convidados externos, e o custo proveniente deste aumento será rateado pelos moradores que estiverem promovendo os eventos; 4 - Todo condutor do veículo deverá ser identificado na portaria do condomínio, não sendo permitida sua entrada sem documento de identificação; 5 - Fica expressamente proibida a promoção de festas ou eventos com venda de ingressos. Multa 200% da taxa de condomínio. Inciso I No caso de descumprimento do parágrafo acima, a administração, através da segurança, poderá encerrar a festa e impedir a entrada de convidados. 6 - O proprietário deverá observar o disposto no artigo 49 e seus parágrafos, da Lei Municipal n 014/1992 e suas alt erações, no que se refere à intensidade do som ou ruído, estando sujeito a penalidades legais. Multa 150% da taxa de condomínio. 7 A intensidade da sonorização obedecerá ao prev isto no Artigo 49(,) da Lei Municipal 014/1992, que dispõe in verbis: Art. 49 A intensidade de som ou ruído, medida em decibéis, não poderá ser superior à estabelecida nas normas técnicas da ABNT 1 - Os níveis sonoros máximos permitidos em ambi entes externos são os fixados pela NBR Avaliação do ruído em áreas habitadas visando o conforto da comunidade ABNT. 2 O nível máximo de som ou ruído permitido para veículos é o estabelecido pelas resoluções n s 01 e 02/92 - CONA MA 3 - O nível máximo de som ou ruído permitido par a a produção por pessoas, atividades ou qualquer tipo de aparelho sonoro, orquestras, instrumentos, utensílios ou engenhos, máquinas, compressores, geradores estacionários ou equipamentos de qualquer natureza, terá os valores conforme citado abaixo: 10

11 Zona Residencial Urbana Diurno 55 Noturno 50 4 Os procedimentos de medição dos níveis sonoros máximos permitidos, de que se trata o presente artigo, obedecerão às disposições pertinentes constantes da NBR ABNT. 5 - Para efeitos do disposto no 3, o horário diurno é entre 7 (sete) horas e 22 (vinte e duas) horas e o horário noturno entre 22 (vinte e duas) horas e 7 (sete) horas, sendo que, aos domingos e feriados, o horário noturno será encerrado, excepcionalmente, às 9 (nove) horas. 7 - As penalidades previstas neste artigo soment e serão aplicadas em caso de reclamação feita formalmente por qualquer associado que se sentir prejudicado. Art. 26º - Além de cumprir e fazer cumprir as normas regulamentares da Sociedade Jardins Paris, tomar todas as providências para que seus convidados não perturbem o sossego dos demais moradores durante o desenrolar da reunião festiva, o morador se obriga a não exceder os limites da legislação em vigor, com relação ao som dos aparelhos ou de conjuntos musicais, especialmente de domingo a quinta-feira a partir da 00:00hs e nas sextas, sábados e vésperas de feriados a partir das 02:00 hs. Devem ainda ser observadas as normas de segurança definidas pela administração em caso de realização de festas. Em caso de descumprimento será feita uma advertência pela segurança do condomínio com tolerância de 30 minutos, após este prazo notifica-se e aplica-se a multa de 150% do valor da taxa de condomínio. IX - PENALIDADES Art. 27º - Todo e qualquer descumprimento das normas deste regulamento estarão sujeitos, dentre outras, às penalidades seguintes, com prescrição após um ano. a) Advertência na primeira infração, e multa nas infrações subseqüentes, tendo por base o valor vigente da taxa de contribuição de um lote padrão (648,00 m2), na data da infração. b) A partir da segunda reincidência, a multa será de valor dobrado. c) Toda e qualquer edificação divergente do projeto ou em desacordo com as normas da SOCIEDADE JARDINS PARIS estará sujeita à multa e demolição pelo proprietário da edificação em desconformidade com o projeto aprovado. 11

12 1º - A aplicação de qualquer penalidade pela Sociedade Jardins Paris não afasta nem impede que o agente infrator sofra as medidas judiciais cabíveis, quando o ato configurar ato ilícito ou penal, nem o isenta de reparar eventuais danos causados, custear as despesas que se fizerem necessárias e responder pelas multas que forem aplicadas à Associação pelo Poder Público em razão de seu ato. 2º - Caberá recurso no prazo de 5 dias úteis, a contar do recebimento da notificação, tendo efeito suspensivo até sua apreciação e final julgamento pelos membros do Conselho Deliberativo da Associação, em sessão pública, não cabendo qualquer novo recurso após decisão final. 3º - As multas não pagas administrativamente serão cobradas judicialmente dos responsáveis, com os acréscimos legais cabíveis. X - DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 28º- É expressamente proibido utilizar os empregados da Sociedade Jardins Paris para serviços particulares, independente de horário, durante o expediente ou fora dele, exceto para os serviços de jardinagem das residências, coordenados pela administração do condomínio. Multa de 30% do valor da taxa de condomínio. Art. 29º - É expressamente proibido ter ou usar nas respectivas residências, materiais, objetos, aparelhos e instalações suscetíveis de afetar, por qualquer forma, a saúde, segurança e a tranqüilidade dos moradores. Ex: explosivos, inflamáveis, produtos tóxicos e químicos. Multa de 100% do valor da taxa de condomínio. Art. 30º - É expressamente proibido remover ou adicionar plantas nas partes comuns, calçadas e passeios da Sociedade Jardins Paris, sem a prévia autorização da Administração da Sociedade Jardins Paris. Multa de 40% do valor da taxa de condomínio. Art. 31º - Qualquer reclamação ou sugestão deverá ser dirigida à Administração do Jardins Paris por escrito. Art. 32º - Os critérios para mudanças (de uma residência para outra) serão regulamentados pela Administração do Jardins Paris, através de normas de procedimentos, sendo que a intenção de mudança deverá ser comunicada com antecedência mínima de 05 (cinco) dias por escrito, em formulário próprio a ser retirado na Administração. Art. 33º - Em casos de obras concluídas, porém sem morador, as mesmas deverão ser fechadas (portão de acesso a área de fundo), até a altura do muro com tapume, conforme padrão definido pela Administração. 12

13 Art. 34 Os casos omissos serão analisados e soluci onados pelo Conselho Deliberativo e Diretoria Executiva. Art. 35º - Este Regimento Interno passa a vigorar a partir da data de sua aprovação pela Assembléia Geral Extraordinária, realizada em 09/05/2007, ficando expressamente revogado o Regimento Interno datado de 02/04/2004. BENEDITO GONÇALVES FILHO Diretor Presidente FRANCO CRAVEIRO DE SÁ NETO Diretor Tesoureiro RICHARD MACHADO COELHO MANOEL DA SILVA ALVARES Diretor Secretário Presidente do Conselho Administrativo JUAREZ PATRÍCIO DE O. JUNIOR Associado MARCOS ALBERTO DA SILVA GOMES Associado GERALDO VELOSO DA CUNHA Associado 13

REGULAMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO FAZENDA TAMBORÉ RESIDENCIAL

REGULAMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO FAZENDA TAMBORÉ RESIDENCIAL REGULAMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO FAZENDA TAMBORÉ RESIDENCIAL FINALIDADE 1. Este regulamento tem por finalidade definir direitos e deveres e orientar a conduta de todas as pessoas que se encontrarem, a

Leia mais

ASSOCIAÇÃO JARDINS SIENA MANUAL DE NORMAS ADMINISTRATIVAS

ASSOCIAÇÃO JARDINS SIENA MANUAL DE NORMAS ADMINISTRATIVAS ASSOCIAÇÃO JARDINS SIENA MANUAL DE NORMAS ADMINISTRATIVAS Nome do Arquivo: Normas de utilização de Áreas de Lazer Última alteração: 18/09/2015 1. OBJETIVOS Estabelecer normas para utilização das áreas

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DO LOTEAMENTO VILLAS DO JACUÍPE

ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DO LOTEAMENTO VILLAS DO JACUÍPE ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DO LOTEAMENTO VILLAS DO JACUÍPE Estrada do Coco, Km 31 Barra do Jacuípe CEP 42.833-000 Camaçari/Bahia CNPJ 03.380.253/0001-26 Telefones : (071) 3678-1690 e 3678-2356 E-mail : vjacuipe@oi.com.br

Leia mais

MANUAL DO CONSTRUTOR

MANUAL DO CONSTRUTOR 1. SOLICITAÇÕES PARA INÍCIO DA OBRA 01 jogo do projeto de arquitetura aprovado; Autorização para Construção emitida pela Associação Jardins Ibiza. 2. IMPLANTAÇÃO DO CANTEIRO DE OBRA 2.1 Fechamento do canteiro

Leia mais

MANUAL DO CONSTRUTOR

MANUAL DO CONSTRUTOR 1. SOLICITAÇÕES PARA INÍCIO DA OBRA 01 jogo do projeto de arquitetura aprovado; Autorização para Construção emitida pelo CONDOMÍNIO RESIDENCIAL JARDINS COIMBRA. 2. IMPLANTAÇÃO DO CANTEIRO DE OBRA 2.1 Fechamento

Leia mais

RECIBO DE LOCAÇÃO DO SALÃO DE FESTAS

RECIBO DE LOCAÇÃO DO SALÃO DE FESTAS RECIBO DE LOCAÇÃO DO SALÃO DE FESTAS ASSOCIADO: QUADRA: LOTE: FASE DATA DA RESERVA: / / VALOR DA DIÁRIA: R$ 151,50 (Cento E Cinquenta E Um Reais E Cinquenta Centavos) FORMA DE PAGAMENTO: À VISTA (EM DINHEIRO)

Leia mais

Condomínio Residencial SOLAR DA CHAPADA REGIMENTO INTERNO Aprovado em 06/11/13 e alterado em 13/01 e 31/03/2014

Condomínio Residencial SOLAR DA CHAPADA REGIMENTO INTERNO Aprovado em 06/11/13 e alterado em 13/01 e 31/03/2014 REGIMENTO INTERNO Introdução; Com o intuito de formalizar as ações coletivas e individuais, estabelecendo normas de conduta para a boa convivência e administração do Residencial Solar da Chapada, adotou-se

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO LOTEAMENTO FECHADO TERRA PARK CLUB RESIDENCE CAPÍTULO I DA DESTINAÇÃO DO LOTEAMENTO

REGIMENTO INTERNO DO LOTEAMENTO FECHADO TERRA PARK CLUB RESIDENCE CAPÍTULO I DA DESTINAÇÃO DO LOTEAMENTO REGIMENTO INTERNO DO LOTEAMENTO FECHADO TERRA PARK CLUB RESIDENCE CAPÍTULO I DA DESTINAÇÃO DO LOTEAMENTO Art. 1º - O TERRA PARK CLUB RESIDENCE é um loteamento dividido em partes de propriedade privativa,

Leia mais

Resolução Nº 003/2011/ASIBAMA-DF

Resolução Nº 003/2011/ASIBAMA-DF Resolução Nº 003/2011/ASIBAMA-DF Altera o Regimento Interno da Área de Lazer da ASIBAMA-DF A Presidente da ASIBAMA-DF, nos termos do art. 30, inciso I, do Estatuto da ASIBAMA-DF, e considerando o disposto

Leia mais

2.2 - A entrada ou saída de pedestres nas dependências da ULIVING BELA VISTA dar-se-á, pela recepção principal Rua Barata Ribeiro, 61

2.2 - A entrada ou saída de pedestres nas dependências da ULIVING BELA VISTA dar-se-á, pela recepção principal Rua Barata Ribeiro, 61 O Regulamento Interno da ULIVING BELA VISTA, localizado na cidade de SÃO PAULO CAPITAL, à Rua Barata Ribeiro nº 61 estabelece as regras de convivência e as relações entre os usuários do empreendimento.

Leia mais

ALPHAVILLE JACUHY REGULAMENTO INTERNO

ALPHAVILLE JACUHY REGULAMENTO INTERNO ALPHAVILLE JACUHY REGULAMENTO INTERNO 1. DISPOSIÇÕES GERAIS 1.1. O presente Regulamento tem por objetivo assegurar a tranquilidade no uso e gozo das instalações e dependências do Loteamento ALPHAVILLE

Leia mais

CONDOMÍNIO PANORÂMICO BOMBINHAS

CONDOMÍNIO PANORÂMICO BOMBINHAS CONDOMÍNIO PANORÂMICO BOMBINHAS REGIMENTO INTERNO APROVADO NA A.G.E. DE 01/03/2003 O presente regimento dispõe sobre a utilização das coisas de uso comum do Condomínio Panorâmico Bombinhas pelos respectivos

Leia mais

2.1 - Estabelecer normas de acesso de pessoas a ULIVING SOROCABA.

2.1 - Estabelecer normas de acesso de pessoas a ULIVING SOROCABA. O Regulamento Interno da ULIVING SOROCABA, localizado na cidade de SOROCABA à Rua Bernardo Ferraz nº 100 estabelece as regras de convivência e as relações entre os usuários do empreendimento. I - HORÁRIO

Leia mais

ASSUNTO: REGULAMENTA O USO DE ADESIVOS DE IDENTIFICAÇÃO DOS VEÍCULOS DE CONDÔMINOS

ASSUNTO: REGULAMENTA O USO DE ADESIVOS DE IDENTIFICAÇÃO DOS VEÍCULOS DE CONDÔMINOS CIRCULAR Nº 003/2015 Curitiba, 05/06/2015. ASSUNTO: REGULAMENTA O USO DE ADESIVOS DE IDENTIFICAÇÃO DOS VEÍCULOS DE CONDÔMINOS A Síndica do Condomínio Le Jardin Residencial, no uso de suas atribuições legais

Leia mais

REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DAS SEDES DE LAZER DA AMPB

REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DAS SEDES DE LAZER DA AMPB Art. 1º. O presente regulamento visa disciplinar o uso do Clube de Areia Dourada, assim como eventuais unidades de lazer a serem construídas ou adquiridas pela Associação dos Magistrados da Paraíba. DOS

Leia mais

Fundado em 20 de Setembro de 1915

Fundado em 20 de Setembro de 1915 REGULAMENTO INTERNO DEPARTAMENTO TÊNIS CER ATLÂNTICO CAPÍTULO I - DO DEPARTAMENTO DE TÉNIS E SUA FINALIDADE Art. r - O presente regulamento tem por objetivo disciplinar e promover a prática do tênis entre

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO SOCIEDADE RESIDENCIAL ECOVILLE

REGULAMENTO INTERNO SOCIEDADE RESIDENCIAL ECOVILLE Sociedade Residencial REGULAMENTO INTERNO SOCIEDADE RESIDENCIAL ECOVILLE Aqui a vida se renova. 1) APRESENTAÇÃO: 1.1 A filosofia deste Regulamento é apresentar limitações supletivas, ou seja, prevalecem

Leia mais

Regulamento Interno da Associação Alphaville Campo Grande.

Regulamento Interno da Associação Alphaville Campo Grande. Regulamento Interno da Associação Alphaville Campo Grande Capítulo I Da Segurança. 1.1 Cadastro de Associados. Artigo 1º. Todo associado, morador ou não, deverá atualizar anualmente o cadastro de associados

Leia mais

REGIMENTO INTERNO. Artigo 8º - Fica estabelecido que os portões de entrada que dão acesso ao CONDOMÍNIO serão mantidos permanentemente fechados.

REGIMENTO INTERNO. Artigo 8º - Fica estabelecido que os portões de entrada que dão acesso ao CONDOMÍNIO serão mantidos permanentemente fechados. SEM MARCADOR TEXTO ORIGINAL GRIFADO EM VERDE ALTERAÇÕES A SEREM APROVADAS NA ASSEMBLÉIA REGIMENTO INTERNO Artigo 8º - Fica estabelecido que os portões de entrada que dão acesso ao CONDOMÍNIO serão mantidos

Leia mais

CAPÍTULO V. Da Garagem e Estacionamento

CAPÍTULO V. Da Garagem e Estacionamento CAPÍTULO V Da Garagem e Estacionamento Art 37. Cada unidade autônoma tem direito a uma vaga de estacionamento, perfazendo um total de 967 (novecentos e sessenta e sete) vagas, distribuídas de acordo com

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SR. RONALDO JAIR DONIDA PRESIDENTE DA CÂMARA DE VEREADORES DE GUAPORÉ-RS.

EXCELENTÍSSIMO SR. RONALDO JAIR DONIDA PRESIDENTE DA CÂMARA DE VEREADORES DE GUAPORÉ-RS. EXCELENTÍSSIMO SR. RONALDO JAIR DONIDA PRESIDENTE DA CÂMARA DE VEREADORES DE GUAPORÉ-RS. RODRIGO DE MARCO, vereador com assento nesta Casa Legislativa, pela Bancada do PDT, vem respeitosamente perante

Leia mais

PREFEITURA DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSSUNTOS JURÍDICOS

PREFEITURA DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSSUNTOS JURÍDICOS DECRETO N o 525, DE 11 DE JULHO DE 2013. Regulamenta a utilização de veículos oficiais pela administração direta e indireta do Município de Palmas. O PREFEITO DE PALMAS, no uso de suas atribuições que

Leia mais

DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Ff 1 REGULAMENTO GERAL Nº. 001/2007 Regulamenta o funcionamento do clube social da Associação dos Servidores da Secretaria da Administração e Unidades Vinculadas - ASSECAD e dá outras providências. DAS

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO JARDIM FLORENÇA AMOJAF REGULAMENTO INTERNO

ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO JARDIM FLORENÇA AMOJAF REGULAMENTO INTERNO ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO JARDIM FLORENÇA AMOJAF REGULAMENTO INTERNO Os proprietários de imóveis da Célula Residencial do Jardim Florença, nesta cidade de Limeira (SP), abaixo assinados, aprovam o presente

Leia mais

Ordem dos Advogados do Brasil - Seção de Goiás Casa do Advogado Jorge Jungmann

Ordem dos Advogados do Brasil - Seção de Goiás Casa do Advogado Jorge Jungmann REGULAMENTO DO CEL DA OAB-GO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES SEÇÃO I Da Conceituação e da Freqüência Art. 1º. O Centro de Cultura, Esporte e Lazer da Advocacia de Goiás é um espaço reservado aos profissionais

Leia mais

REGULAMENTO PARA USO E FUNCIONAMENTO DO ESTACIONAMENTO DA FACULDADE GUANAMBI (FG)

REGULAMENTO PARA USO E FUNCIONAMENTO DO ESTACIONAMENTO DA FACULDADE GUANAMBI (FG) REGULAMENTO PARA USO E FUNCIONAMENTO DO ESTACIONAMENTO DA FACULDADE GUANAMBI (FG) O DIRETOR GERAL da Faculdade Guanambi (FG), no uso de suas atribuições, e considerando a necessidade de disciplinar o uso

Leia mais

RESOLUÇÃO CRP16 Nº 005/2014

RESOLUÇÃO CRP16 Nº 005/2014 RESOLUÇÃO CRP16 Nº 005/2014 Dispõe sobre registro, cadastro, cancelamento e responsabilidade técnica das Pessoas Jurídicas da jurisdição do CRP16 e revoga a Resolução CRP 16 nº 004/2007, de 10 de novembro

Leia mais

CARTILHA DO CLIENTE - SANTA BRANCA ECOTURISMO

CARTILHA DO CLIENTE - SANTA BRANCA ECOTURISMO CARTILHA DO CLIENTE - SANTA BRANCA ECOTURISMO A Cartilha do Cliente - Santa Branca Ecoturismo visa a especificar os parâmetros gerais de conduta necessários a boa convivência e utilização do local, bem

Leia mais

DAS RESTRIÇÕES AO DIREITO DE USO E GOZO DOS IMÓVEIS NO JARDINS MÔNACO

DAS RESTRIÇÕES AO DIREITO DE USO E GOZO DOS IMÓVEIS NO JARDINS MÔNACO DAS RESTRIÇÕES AO DIREITO DE USO E GOZO DOS IMÓVEIS NO JARDINS MÔNACO Art. 52 - É condição essencial e imperativa a observância dos termos deste Estatuto Social, Regimento Interno e das Normas para Construção

Leia mais

CONDOMÍNIO RESIDENCIAL AMORIM II

CONDOMÍNIO RESIDENCIAL AMORIM II DOS DIREITOS E DEVERES DOS CONDÔMINOS E LOCATÁRIOS CONDOMÍNIO RESIDENCIAL AMORIM II Rua: Manoel Libãnio Amorim nº 86 Massaguaçú Caraguatatuba- SP. 1 REGIMENTO INTERNO RESUMIDO DO ACESSO ÀS DEPENDÊNCIAS

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SR. RONALDO JAIR DONIDA PRESIDENTE DA CÂMARA DE VEREADORES DE GUAPORÉ-RS.

EXCELENTÍSSIMO SR. RONALDO JAIR DONIDA PRESIDENTE DA CÂMARA DE VEREADORES DE GUAPORÉ-RS. EXCELENTÍSSIMO SR. RONALDO JAIR DONIDA PRESIDENTE DA CÂMARA DE VEREADORES DE GUAPORÉ-RS. RODRIGO DE MARCO, vereador com assento nesta Casa Legislativa, pela Bancada do PDT, vem respeitosamente perante

Leia mais

PRESIDÊNCIA 19/06/2013 RESOLUÇÃO Nº 96/2013

PRESIDÊNCIA 19/06/2013 RESOLUÇÃO Nº 96/2013 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL PRESIDÊNCIA 19/06/2013 RESOLUÇÃO Nº 96/2013 EMENTA: Dispõe sobre o acesso,

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 333 DISPOSIÇÕES GERAIS

LEI COMPLEMENTAR Nº 333 DISPOSIÇÕES GERAIS DISPÕE SOBRE A INSTALAÇÃO, CONSERVAÇÃO E FUNCIONAMENTO DE ELEVADORES E APARELHOS DE TRANSPORTE AFINS, REGULAMENTA A HABITAÇÃO DAS EMPRESAS PRESTADORAS DESSES SERVIÇOS E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. LEI COMPLEMENTAR

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO DOS PROPRIETÁRIOS DO LOTEAMENTO CANTO DE AREMBEPE (APLCA) CAPÍTULO I DO OBJETO

REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO DOS PROPRIETÁRIOS DO LOTEAMENTO CANTO DE AREMBEPE (APLCA) CAPÍTULO I DO OBJETO REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO DOS PROPRIETÁRIOS DO LOTEAMENTO CANTO DE AREMBEPE (APLCA) CAPÍTULO I DO OBJETO Art. 1. Este Regimento Interno tem por objetivo primordial a regulamentação das relações entre

Leia mais

CENTRO DE CONVIVÊNCIA Associação Residencial Alphaville 9

CENTRO DE CONVIVÊNCIA Associação Residencial Alphaville 9 REGRAS ESPECÍFICAS ESTABELECIDAS PARA FREQUENCIA E USO A, disponibiliza aos seus Associados o Centro de Convivência e Academia, como espaço destinado à prática de atividades esportivas e sociais, fundamentais

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO BLOCOS

REGULAMENTO INTERNO DO BLOCOS 1 REGULAMENTO INTERNO DO BLOCOS 1. A Administração do Condomínio Condomínio Parque Residencial Vitória Régia II Blocos reger-se-á pela Lei 4.591, de 16/12/1964 e outras Leis que forem aplicáveis, a cujo

Leia mais

LEI Nº 6.126, DE 27 DE ABRIL DE 2006.

LEI Nº 6.126, DE 27 DE ABRIL DE 2006. LEI Nº 6.126, DE 27 DE ABRIL DE 2006. Autoria: Prefeito Municipal. INSTITUI O PLANO INTEGRADO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL E VOLUMOSOS E DÁ PROVIDÊNCIAS CORRELATAS. O Prefeito do Município

Leia mais

SEDEMA DIVISÃO DE CONTROLE E FISCALIZAÇÃO

SEDEMA DIVISÃO DE CONTROLE E FISCALIZAÇÃO SEDEMA DIVISÃO DE CONTROLE E FISCALIZAÇÃO Lei nº 6468/09 Disciplina a veiculação de anúncios no Município de Piracicaba Decreto nº 13.512/10 Licenciamento de anúncios Decreto nº 13.513/10 Engenhos Publicitários

Leia mais

CAPÍTULO I DAS FINALIDADES

CAPÍTULO I DAS FINALIDADES REGULAMENTO DA SEDE CAMPESTRE DO SINDICATO DOS SERVIDORES DAS JUSTIÇAS FEDERAIS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SISEJUFE. PREÂMBULO O presente regulamento, objetiva a fixação de normas e regras de utilização

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO. Norma de conduta, infrações e imposições de penalidades

REGULAMENTO INTERNO. Norma de conduta, infrações e imposições de penalidades REGULAMENTO INTERNO Norma de conduta, infrações e imposições de penalidades APRESENTAÇÃO O Regulamento Interno e Imposições de Penalidades da Associação dos Proprietários do Loteamento Residencial Athenas

Leia mais

ASSOCIAÇÃO JARDINS VIENA REGULAMENTO INTERNO DE OBRAS E REFORMAS

ASSOCIAÇÃO JARDINS VIENA REGULAMENTO INTERNO DE OBRAS E REFORMAS ASSOCIAÇÃO JARDINS VIENA REGULAMENTO INTERNO DE OBRAS E REFORMAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º - Estas limitações são supletivas e prevalecem após o cumprimento das legislações federais, estaduais e municipais,

Leia mais

PORTARIA Nº 15, DE 08 DE MARÇO DE 2007.

PORTARIA Nº 15, DE 08 DE MARÇO DE 2007. PORTARIA Nº 15, DE 08 DE MARÇO DE 2007. Regulamenta o uso dos veículos da frota oficial e estabelece normas gerais sobre as atividades de transporte de usuários da FHDSS-Unesp. O Diretor da Faculdade de

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO CONDOMINIO CAMÉLIAS APROVADO EM ASSEMBLÉIA DIA 27/052015

REGULAMENTO INTERNO CONDOMINIO CAMÉLIAS APROVADO EM ASSEMBLÉIA DIA 27/052015 O CONDOMÍNIO DAS CAMELIAS reger-se-á, para todos os efeitos de direito, pelo presente Regulamento Interno, Convenção condominial e pela Legislação federal, estadual e municipal em vigor, especialmente

Leia mais

ACESSO A SEDE CAMPESTRE DE RATONES REGULAMENTO Nº. 001/2014

ACESSO A SEDE CAMPESTRE DE RATONES REGULAMENTO Nº. 001/2014 ACESSO A SEDE CAMPESTRE DE RATONES REGULAMENTO Nº. 001/2014 Regulamenta o funcionamento da SEDE CAMPESTRE da Associação dos Servidores da UDESC - ASUDESC e dá outras providências. Das disposições preliminares

Leia mais

1. REGIMENTO INTERNO DO CONDOMÍNIO RESIDENCIAL MANSÕES ITAIPU CNPJ/MF N.º

1. REGIMENTO INTERNO DO CONDOMÍNIO RESIDENCIAL MANSÕES ITAIPU CNPJ/MF N.º 1. REGIMENTO INTERNO DO CONDOMÍNIO RESIDENCIAL MANSÕES ITAIPU CNPJ/MF N.º 2. DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º. Todos os ocupantes de unidades residenciais situadas no CONDOMÍNIO RESIDENCIAL MANSÕES ITAIPU

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO JARDINS VIENA

REGULAMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO JARDINS VIENA REGULAMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO JARDINS VIENA Art. 1º O presente Regulamento tem por objetivo assegurar a tranqüilidade no uso e gozo das instalações e dependências do JARDINS VIENA, coibindo os abusos

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MUNICÍPIO DE SÃO LOURENÇO DO SUL DECRETO Nº 3.903

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MUNICÍPIO DE SÃO LOURENÇO DO SUL DECRETO Nº 3.903 DECRETO Nº 3.903 Regulamenta a utilização do Camping Municipal, e revoga o Decreto Municipal de Nº 3.679/2012. O Senhor JOSE DANIEL RAUPP MARTINS, Prefeito Municipal de São Lourenço do Sul, no uso das

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DA FEIRA 1 a 99 29ª EDIÇÃO. Parte Integrante do Contrato de Participação 01) INFORMAÇÕES GERAIS:

REGULAMENTO GERAL DA FEIRA 1 a 99 29ª EDIÇÃO. Parte Integrante do Contrato de Participação 01) INFORMAÇÕES GERAIS: REGULAMENTO GERAL DA FEIRA 1 a 99 29ª EDIÇÃO Parte Integrante do Contrato de Participação 01) INFORMAÇÕES GERAIS: DATA: 20 a 23 de Outubro de 2014 LOCAL: EXPO CENTER NORTE PAVILHÃO AZUL HORÁRIO: 2ª, 3ª,

Leia mais

Estado do Mato Grosso Prefeitura Municipal de Colniza

Estado do Mato Grosso Prefeitura Municipal de Colniza Lei n.º 091-B/2002. Súmula: REGULAMENTA, DISCIPLINA O TRANSPORTE INDIVIDUAL DE PASSAGEIROS EM MOTOCICLETAS DE ALUGUEL MOTO-TÁXI E DETERMINA A LOCALIZAÇÃO DOS PONTOS, BEM COMO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS Eu,

Leia mais

Edifício Itower Manual do Credenciado

Edifício Itower Manual do Credenciado Edifício Itower Manual do Credenciado A BrasilPark quer prestar sempre o melhor serviço para seus clientes. Para que isso aconteça, é essencial que você fique atento aos nossos procedimentos de atendimento.

Leia mais

Clube de Campo de São Paulo

Clube de Campo de São Paulo REGULAMENTO DO USO DOS "CHALÉS DO C.C.S.P" 1 - DISPOSIÇÕES GERAIS 1.1 - O uso dos quatro chalés do C.C.S.P construídos na zona residencial "A", doravante denominados "Chalés do CCSP" ou simplesmente "Chalés",

Leia mais

REGULAMENTO DA HOTELARIA

REGULAMENTO DA HOTELARIA REGULAMENTO DA HOTELARIA I DISPOSIÇÕES GERAIS. Art. 1º. O presente Regulamento, aprovado pela Diretoria Executiva, rege o uso dos serviços de hotelaria disponibilizados pela AMAM aos Associados e seus

Leia mais

LEI N.º 10.348 DE 4 DE SETEMBRO DE 1987

LEI N.º 10.348 DE 4 DE SETEMBRO DE 1987 LEI N.º 10.348 DE 4 DE SETEMBRO DE 1987 Dispõe sobre instalação e funcionamento de elevadores e outros aparelhos de transporte, e dá outras providências. Jânio da Silva Quadros, Prefeito do Município de

Leia mais

REGIMENTO INTERNO ACECOVALE. Capítulo I Da Sede. Capítulo II Dos Objetivos

REGIMENTO INTERNO ACECOVALE. Capítulo I Da Sede. Capítulo II Dos Objetivos REGIMENTO INTERNO ACECOVALE Associação e Centro Cultural Morada do Vale Rua Aurélio Porto, 92 - Morada do Vale 1 Gravataí/RS - CEP: 94.110-120 CNPJ: 88.145.677/0001-69. REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO

Leia mais

Departamento de Água e Esgoto Sanitário de Juína

Departamento de Água e Esgoto Sanitário de Juína 1) DOS OBJETIVOS: 1.1) Disciplinar e normatizar os procedimentos do Setor de Frotas (Transportes); 1.2) Proteger o Patrimônio Público contra o uso indevido, bem como atender a legislação em vigor e evitar

Leia mais

LEI Nº 14.418 DE 05 DE OUTUBRO DE 2012

LEI Nº 14.418 DE 05 DE OUTUBRO DE 2012 LEI Nº 14.418 DE 05 DE OUTUBRO DE 2012 (Publicação DOM 08/10/2012: 03) INSTITUI O PLANO INTEGRADO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A Câmara Municipal aprovou e

Leia mais

LEI Nº 9.503, DE 23 DE SETEMBRO DE 1997.

LEI Nº 9.503, DE 23 DE SETEMBRO DE 1997. LEI Nº 9.503, DE 23 DE SETEMBRO DE 1997. CAPÍTULOXV DAS INFRAÇÕES Art. 161. Constitui infração de trânsito a inobservância de qualquer preceito deste Código, da legislação complementar ou das resoluções

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO SETOR NÁUTICO DO COTA MIL IATE CLUBE

REGIMENTO INTERNO DO SETOR NÁUTICO DO COTA MIL IATE CLUBE REGIMENTO INTERNO DO SETOR NÁUTICO DO COTA MIL IATE CLUBE Do Objetivo (Aprovado em 28/05/2009 pelo Conselho Deliberativo) Art. 1º Estabelecer norma reguladora para utilização das dependências, dos equipamentos,

Leia mais

DECRETO Nº 6.323 DE 27 DE AGOSTO DE 1.998.

DECRETO Nº 6.323 DE 27 DE AGOSTO DE 1.998. DECRETO Nº 6.323 DE 27 DE AGOSTO DE 1.998. Estabelece as penalidades aplicáveis aos infratores da Lei 3.491 de 19 de dezembro de 1.997, que dispõe sobre a consolidação das leis de propaganda no Município

Leia mais

Neste manual você também pode consultar todas as penalidades do Código de Trânsito Brasileiro, bem como seus direitos e deveres.

Neste manual você também pode consultar todas as penalidades do Código de Trânsito Brasileiro, bem como seus direitos e deveres. Controle de Multas O smartlist de Controle de Multas destina-se a controlar todas as multas do condutor de veículos. Valores, prazos de pagamento, pontos da Carteira de Habilitação e penalidades recebidas.

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO DE MONITORES, INSTRUTORES E GUIAS DE ESCALADA DA AGUIPERJ

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO DE MONITORES, INSTRUTORES E GUIAS DE ESCALADA DA AGUIPERJ REGULAMENTO DO PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO DE MONITORES, INSTRUTORES E GUIAS DE ESCALADA DA AGUIPERJ CAPÍTULO I DO OBJETIVO Art. 1. Este Regulamento de Comportamento Ético tem por objetivo estabelecer normas

Leia mais

Normas de Procedimentos de Segurança

Normas de Procedimentos de Segurança Normas de Procedimentos de Segurança A AANH (Associação de Amigos de Nova Higienópolis), possui 04 portarias, sendo assim descritas: a primeira a direita de quem de fora vê, é a entrada para moradores.

Leia mais

ARTILHA DO SÍNDICO CARTILHA DO SÍNDICO

ARTILHA DO SÍNDICO CARTILHA DO SÍNDICO ARTILHA DO SÍNDICO CARTILHA DO SÍNDICO 1. Função do Síndico O síndico é aquele eleito pelos condôminos, por um período de até dois anos, para administrar e representar o condomínio, seja judicialmente

Leia mais

Propostas de Alteração do Regimento Interno

Propostas de Alteração do Regimento Interno Propostas de Alteração do Regimento Interno 1- Proposta de Antônio de Jesus Ribeiro Q22 L17: Incluir Único no Artigo 1º Parágrafo único Caso o dano seja no meio, caberá ao proprietário da unidade danificada

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA INÍCIO DE OBRA

ORIENTAÇÕES PARA INÍCIO DE OBRA ORIENTAÇÕES PARA INÍCIO DE OBRA Associação Alphaville Salvador Residencial 1 PROCEDIMENTOS PARA INÍCIO DE OBRA 1. Entregar uma cópia do jogo de Plantas Aprovadas pela Prefeitura Municipal de Salvador e

Leia mais

REGIMENTO INTERNO JARDINS VALÊNCIA CAPÍTULO I DO OBJETO

REGIMENTO INTERNO JARDINS VALÊNCIA CAPÍTULO I DO OBJETO REGIMENTO INTERNO JARDINS VALÊNCIA CAPÍTULO I DO OBJETO Artigo 1º - O presente Regimento tem por objetivo estabelecer normas urbanísticas e normas de convivência, no intuito de assegurar o bom uso e gozo

Leia mais

Estado de Mato Grosso do Sul A Pequena Cativante LEIN 1.195/2001

Estado de Mato Grosso do Sul A Pequena Cativante LEIN 1.195/2001 LEIN 1.195/2001 Institui o Serviço de Transporte Individual de Passageiros em Motocicletas de aluguel (Mototáxi) O Prefeito Municipal de Rio Brilhante, Estado de Mato Grosso do Sul, faz saber que a Câmara

Leia mais

LEI Nº 723 DE 16 DE ABRIL DE 2002

LEI Nº 723 DE 16 DE ABRIL DE 2002 LEI Nº 723 DE 16 DE ABRIL DE 2002 Dispõe sobre a regulamentação do artigo 114 da Lei Municipal nº 500 de 17 de junho de 1.998, que trata do Código de Posturas do Município de Primavera do Leste - Mato

Leia mais

REGIMENTO INTERNO JARDINS GÊNOVA CAPÍTULO I DO OBJETO

REGIMENTO INTERNO JARDINS GÊNOVA CAPÍTULO I DO OBJETO REGIMENTO INTERNO JARDINS GÊNOVA CAPÍTULO I DO OBJETO Artigo 1º - O presente Regimento tem por objetivo estabelecer normas urbanísticas e normas de convivência, no intuito de assegurar o bom uso e gozo

Leia mais

M U N I C Í P I O D E V A L E N Ç A C ÂMARA MUNICIPAL

M U N I C Í P I O D E V A L E N Ç A C ÂMARA MUNICIPAL NORMAS DE FUNCIONAMENTO DAS ZONAS DE ESTACIONAMENTO DA COROADA As zonas de estacionamento da Coroada, adiante designadas por parques ou Parques da Coroada, são parte integrante das áreas de estacionamento

Leia mais

Regimento Interno - Empreendimento do PAR - Programa de Arrendamento Residencial

Regimento Interno - Empreendimento do PAR - Programa de Arrendamento Residencial Nome do empreendimento REGIMENTO INTERNO O presente regimento interno estabelece normas de disciplina, procedimento, conduta e comportamento às quais estão obrigados todos os moradores e toda e qualquer

Leia mais

MANUAL FEIRA DE PEÇAS E ANTIGUIDADES

MANUAL FEIRA DE PEÇAS E ANTIGUIDADES Águas de Lindóia SP De 21 a 24 de abril de 2016 MANUAL FEIRA DE PEÇAS E ANTIGUIDADES I. ÁREA FÍSICA 1. É o espaço contratado sem qualquer tipo de montagem ou carpete. O expositor receberá a área locada

Leia mais

ESTATUTO ELEITORAL INTERNO

ESTATUTO ELEITORAL INTERNO ESTATUTO ELEITORAL INTERNO Disciplina e regulamenta o processo eleitoral interno do Condomínio Parque Saint Germain para composição de sua administração composta pelo síndico e demais conselheiros e dá

Leia mais

Código de Trânsito Brasileiro

Código de Trânsito Brasileiro Código de Trânsito Brasileiro O Código de Trânsito Brasileiro estipula competência a setores federais, estaduais e municipais, para aplicar as penalidades de acordo com as infrações que o cidadão cometeu.

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS E DA SAÚDE DE JUIZ DE FORA. SUPREMA. Regimento Interno da Comissão de Ética no Uso de Animais CEUA CAPÍTULO I

FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS E DA SAÚDE DE JUIZ DE FORA. SUPREMA. Regimento Interno da Comissão de Ética no Uso de Animais CEUA CAPÍTULO I FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS E DA SAÚDE DE JUIZ DE FORA. SUPREMA Regimento Interno da Comissão de Ética no Uso de Animais CEUA CAPÍTULO I Da Natureza e Finalidade Art.1º A Comissão de Ética no Uso de

Leia mais

Lei complementar Nº122, de 14 de Março de 2005 Autoria vereadores Jair Gomes de Toledo e Marilda Prado Yamamoto

Lei complementar Nº122, de 14 de Março de 2005 Autoria vereadores Jair Gomes de Toledo e Marilda Prado Yamamoto Lei complementar Nº122, de 14 de Março de 2005 Autoria vereadores Jair Gomes de Toledo e Marilda Prado Yamamoto Dispõe sobre a regulamentação de posicionamento de caçambas usadas na remoção de entulhos,

Leia mais

ARTIGO 1º - Compete ao Síndico (Artigo 20 da Convenção) a administração geral do condomínio, fazendo cumprir o disposto neste Regimento Interno.

ARTIGO 1º - Compete ao Síndico (Artigo 20 da Convenção) a administração geral do condomínio, fazendo cumprir o disposto neste Regimento Interno. Nome do empreendimento Regimento Interno - Programa Minha Casa Minha Vida PMCMV Grau de sigilo #PÚBLICO REGIMENTO INTERNO O presente regimento interno estabelece normas de disciplina, procedimento, conduta

Leia mais

MINUTA DO REGIMENTO INTERNO RESIDENCIAL COSTÃO DA BARRA (PARA APROVAÇÃO) CAPÍTULO I FINALIDADE

MINUTA DO REGIMENTO INTERNO RESIDENCIAL COSTÃO DA BARRA (PARA APROVAÇÃO) CAPÍTULO I FINALIDADE MINUTA DO REGIMENTO INTERNO RESIDENCIAL COSTÃO DA BARRA (PARA APROVAÇÃO) CAPÍTULO I FINALIDADE Art. 1 A finalidade primordial deste Regimento Interno é consolidar conceitos, normas de procedimentos, horários

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO DO COMÉRCIO E TRABALHO DOS COMERCIÁRIOS -2015-

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO DO COMÉRCIO E TRABALHO DOS COMERCIÁRIOS -2015- , SINCCMEACIÃAICS SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMERCIO DE SIN OM CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO DO COMÉRCIO E TRABALHO DOS COMERCIÁRIOS -2015- Por este instrumento e na melhor

Leia mais

DECRETO Nº 50.446 DE 20 DE FEVEREIRO DE 2009

DECRETO Nº 50.446 DE 20 DE FEVEREIRO DE 2009 DECRETO Nº 50.446 DE 20 DE FEVEREIRO DE 2009 REGULAMENTA O TRANSPORTE DE PRODUTOS PERIGOSOS por veículos de carga nas vias públicas do Município de São Paulo, nos termos da legislação específica. GILBERTO

Leia mais

REGULAMENTO DA PORTARIA - DOS LOCAIS DE ACESSO AO CLUBE. - DOCUMENTOS A SEREM EXIGIDOS.

REGULAMENTO DA PORTARIA - DOS LOCAIS DE ACESSO AO CLUBE. - DOCUMENTOS A SEREM EXIGIDOS. REGULAMENTO DA PORTARIA INDICE CAPÍTULO I CAPÍTULO II CAPÍTULO III - DO OBJETIVO. - DOS LOCAIS DE ACESSO AO CLUBE. - DOCUMENTOS A SEREM EXIGIDOS. 1. Dos sócios titulares, seus dependentes e acompanhantes

Leia mais

Edifício Evolution Business Center Manual do Credenciado

Edifício Evolution Business Center Manual do Credenciado Edifício Evolution Business Center Manual do Credenciado A BrasilPark quer prestar sempre o melhor serviço para seus clientes. Para que isso aconteça, é essencial que você fique atento aos nossos procedimentos

Leia mais

Edifício Centro Empresarial Morumbi Manual do Credenciado

Edifício Centro Empresarial Morumbi Manual do Credenciado Edifício Centro Empresarial Morumbi Manual do Credenciado A BrasilPark quer prestar sempre o melhor serviço para seus clientes. Para que isso aconteça, é essencial que você fique atento aos nossos procedimentos

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA SOCIEDADE CIVIL RIO2

REGIMENTO INTERNO DA SOCIEDADE CIVIL RIO2 REGIMENTO INTERNO DA SOCIEDADE CIVIL RIO2 Capítulo I Definições Artigo 1º - São contribuíntes da Sociedade Civil RIO2 todos os 59 lotes que compõe os PALs Projetos Aprovados de Loteamento de nºs 39024

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO RESIDENCIAL THERMAS PARK

REGULAMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO RESIDENCIAL THERMAS PARK REGULAMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO RESIDENCIAL THERMAS PARK O presente Regulamento Interno estabelece no que lhe compete, as relações entre associados ou usuários dos lotes da Associação

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DE USO DO

REGIMENTO INTERNO DE USO DO REGIMENTO INTERNO DE USO DO ANHEMBI TÊNIS CLUBE CAPÍTULO I DA FREQUÊNCIA E DA PERMANÊNCIA NA SEDE Art. 1º. Este regulamento trata da frequência, permanência e desenvolvimento de atividades esportivas,

Leia mais

Regimento da Colônia de Férias em Garopaba/SC

Regimento da Colônia de Férias em Garopaba/SC Regimento da Colônia de Férias em Garopaba/SC CAPITULO I - DA UTILIZAÇÃO Artigo 1º - A Colônia de Férias da ASSUFRGS, localizada em Garopaba/SC, é de uso exclusivo dos seus filiados, servidores da UFRGS,

Leia mais

Edifício Crespi II Manual do Credenciado

Edifício Crespi II Manual do Credenciado Edifício Crespi II Manual do Credenciado A BrasilPark quer prestar sempre o melhor serviço para seus clientes. Para que isso aconteça, é essencial que você fique atento aos nossos procedimentos de atendimento.

Leia mais

REGULAMENTO DOS CLUBES SOCIAIS

REGULAMENTO DOS CLUBES SOCIAIS REGULAMENTO DOS CLUBES SOCIAIS DA ASFEB A Diretoria Executiva, no uso de suas atribuições, com fulcro no artigo 31, inciso VI do Estatuto Social, após a devida aprovação do Conselho Deliberativo, nos termos

Leia mais

DECRETO N.º 3.952, DE 02 DE OUTUBRO DE 2013.

DECRETO N.º 3.952, DE 02 DE OUTUBRO DE 2013. DECRETO N.º 3.952, DE 02 DE OUTUBRO DE 2013. Disciplina a liberação, o cancelamento e a baixa de Alvará de Localização e Funcionamento no município de Erechim. O Prefeito Municipal de Erechim, Estado do

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO PRÓ-MELHORAMENTOS DA PRAIA DOS CASTELHANOS - APPC

REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO PRÓ-MELHORAMENTOS DA PRAIA DOS CASTELHANOS - APPC REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO PRÓ-MELHORAMENTOS DA PRAIA DOS CASTELHANOS - APPC CAPÍTULO I Da Natureza, Denominação, Sede, Fins. Art. 1º - A Associação Pró-Melhoramentos da Praia dos Castelhanos, doravante

Leia mais

Regulamento de ocupação e utilização de vias públicas por motivo de obras. Artº 1º Do licenciamento

Regulamento de ocupação e utilização de vias públicas por motivo de obras. Artº 1º Do licenciamento Regulamento de ocupação e utilização de vias públicas por motivo de obras Artº 1º Do licenciamento 1. A ocupação ou utilização de vias ou locais públicos com quaisquer materiais, objectos, equipamentos

Leia mais

Proposta de REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO MELHORAMENTOS CHAMPS PRIVÉS

Proposta de REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO MELHORAMENTOS CHAMPS PRIVÉS Proposta de REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO MELHORAMENTOS CHAMPS PRIVÉS 1 Disposições Gerais. 2 Dos Bens e Empregados. 3 Da Portaria e Segurança. 4 Da Execução de Obras. 5 Das Penalidades e Defesas. 6

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 001/2014

RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 001/2014 RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 001/2014 Dispõe sobre o Registro de Entidades não Governamentais e Inscrição de Programas, Projetos e Serviços de Atendimento, governamentais e não governamentais, que tenham por

Leia mais

MANUAL DO EXPOSITOR REGULAMENTO GERAL

MANUAL DO EXPOSITOR REGULAMENTO GERAL MANUAL DO EXPOSITOR REGULAMENTO GERAL 1.OBJETIVO O objetivo básico da Exposição é promover, através da exposição de produtos/serviços as empresas ligadas ao segmento. 1.2. PROMOÇÃO E REALIZAÇÃO A realização

Leia mais

Edifício Joviano de Moraes Manual do Credenciado

Edifício Joviano de Moraes Manual do Credenciado Edifício Joviano de Moraes Manual do Credenciado A BrasilPark quer prestar sempre o melhor serviço para seus clientes. Para que isso aconteça, é essencial que você fique atento aos nossos procedimentos

Leia mais

REGULAMENTO E NORMAS PARA AS MONTADORAS DE ESTANDES ANEXO CONTRATUAL 55ª EXPOSIÇÃO AGROPECUÁRIA E INDUSTRIAL DE LONDRINA REALIZAÇÃO

REGULAMENTO E NORMAS PARA AS MONTADORAS DE ESTANDES ANEXO CONTRATUAL 55ª EXPOSIÇÃO AGROPECUÁRIA E INDUSTRIAL DE LONDRINA REALIZAÇÃO REGULAMENTO E NORMAS PARA AS MONTADORAS DE ESTANDES ANEXO CONTRATUAL 55ª EXPOSIÇÃO AGROPECUÁRIA E INDUSTRIAL DE LONDRINA REALIZAÇÃO A Exposição Agropecuária e Industrial de Londrina é uma promoção e realização

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DA SEDE SOCIAL DA ASSOCIAÇÃO RECREATIVA MERCÚRIO

REGULAMENTO INTERNO DA SEDE SOCIAL DA ASSOCIAÇÃO RECREATIVA MERCÚRIO REGULAMENTO INTERNO DA SEDE SOCIAL DA ASSOCIAÇÃO ASPECTOS LEGAIS RECREATIVA MERCÚRIO DA SEDE SOCIAL Artigo 1º. A Sede Social da Associação Recreativa Mercúrio é uma unidade de lazer, entretenimento, esporte

Leia mais

Edifício New England Manual do Credenciado

Edifício New England Manual do Credenciado Edifício New England Manual do Credenciado A BrasilPark quer prestar sempre o melhor serviço para seus clientes. Para que isso aconteça, é essencial que você fique atento aos nossos procedimentos de atendimento.

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE OURINHOS Estado de São Paulo Secretaria Municipal de Administração

PREFEITURA MUNICIPAL DE OURINHOS Estado de São Paulo Secretaria Municipal de Administração LEI Nº. 5.126 De 04 de janeiro de 2007. Dispõe sobre a colocação e a permanência de caçambas para a coleta de resíduos inorgânicos nas vias e logradouros públicos do município de Ourinhos. A Câmara Municipal

Leia mais