CURSO ADMINISTRAÇÃO DE CONDOMÍNIO ESTUDO DIRIGIDO DA LEGISLAÇÃO E QUESTÕES PRÁTICAS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CURSO ADMINISTRAÇÃO DE CONDOMÍNIO ESTUDO DIRIGIDO DA LEGISLAÇÃO E QUESTÕES PRÁTICAS"

Transcrição

1 CURSO ADMINISTRAÇÃO DE CONDOMÍNIO ESTUDO DIRIGIDO DA LEGISLAÇÃO E QUESTÕES PRÁTICAS Público alvo: síndicos, condôminos, administradores de condomínio, gerentes de condomínio, advogados e quaisquer pessoas que atuem ou se interessem pela área. Duração: 12 horas, em 2 encontros semanais, das 09h às 12h e das 14h às 17h. MÓDULO I I - DIREITO DAS COISAS 1. Posse 1.1. Classificação da posse Posse direta Posse indireta Detentor Posse Justa Posse de boa- fé Posse de má- fé 2. Aquisição da Posse 3. Efeitos da posse 3.1. Turbação possessória 3.2. Esbulho possessório 4. Perda da Posse II DIREITOS REAIS 1. Propriedade Condomínio III - Condomínio a) O que é? b) Edifício de um dono só c) Diferentes tipos de condomínio d) A convenção do condomínio 1. Convenção Quem deve elaborá- la 2. Convenção ainda inexistente 3. Convenção com Cláusulas Nulas 4. Convenção ainda não registrada IV - Da administração Do modo e do prazo da convenção das Assembleias Gerais dos condomínios e do quórum para diversos tipos de votação Da forma e do quórum para a aprovação do regimento interno Das obrigações condominiais

2 V - Condomínio Pessoa Jurídica ou não Pagamento a autônomos e avulsos a) Recolhimento de INSS b) Recolhimento de ISS c) Recolhimento de IRF VI - Síndico Competência do Síndico Mandato do Síndico Remuneração ou Isenção do Síndico Destituição do Síndico Síndico profissional Designação de Síndico provisório Síndico com mandato já vencido Renúncia do Síndico Vínculo empregatício do síndico com condomínio Síndico pode recolher para a previdência VII - Subsíndico MÓDULO II I - Conselho Fiscal ou Conselho Consultivo Conselheiro não- condômino Suplentes Impossibilidade de eleger o Conselho Consultivo ou Fiscal Destituição dos conselheiros ou suplentes Conselheiro eleito por procuração II - Assembleia Geral AGE e AGO realizados simultaneamente Assembleia em sessão permanente Assembleia de alteração de convenções Voto do presidente da mesa Lojas também votam nas Assembleias Regras práticas para se iniciar e dirigir uma Assembleia Votos dos devedores Assembleia não realizada Revogação de Deliberações Irregulares Ineficácia de Deliberações que afrontam direitos do condômino Local da realização das Assembleias Assembleia de Instalação do condomínio Os poderes de uma Assembleia Geral III - Ata das Assembleias Transcrição das Atas Registro da Ata em Cartório de Títulos e Documentos Registro das alterações de convenção

3 Prazo para distribuir a Ata IV - Procuração Modelo de procuração Reconhecimento de firma nas procurações Limite de procurações outorgadas ou recebidas Voto de inquilino V - Aquisição de nova área Construção em área comum Alteração da área comum VI - Condôminos menores Usufrutuário VII - Previsão Orçamentária a) Despesas fixas b) Despesas imprevistas c) Fundo de reserva d) Constituição do Fundo de Reserva e) Receitas VIII - Despesas Gerais Despesas ordinárias e extraordinárias Despesas com obras (benfeitorias voluptuárias) Participação das lojas nas despesas Despesas anteriores à instituição do condomínio Despesas especiais de alguns condomínios Compromissos assumidos pelo condomínio IX - Rateio das despesas/fração ideal Alteração da fração ideal X - Cobrança judicial Juizado Especial de Pequenas Causas Vara Cível Câmara de Conciliação e Arbitragem Unidades com dois ou mais proprietários Prazo prescricional da ação de cobrança Impossibilidade de suspender utilização das áreas do edifício MÓDULO III I - Seguro Coisas e objetos do condomínio O valor do prédio Danos elétricos Quebra de vidros

4 Responsabilidade Civil Responsabilidade Civil por guarda de veículos Assaltos e sequestros Roubo de bens dos moradores Responsabilidade Civil Síndico Vendaval Modelo de pesquisa/isenção II - Garagem Vagas indeterminadas Disposições gerais Roubo de veículos ou danos ocorridos na garagem Agregação de área comum para uso de garagem Estacionar mais de um veículo ou moto ou bicicleta Locação a não condôminos Alteração de sua distinção Alteração da demarcação III - Regimento Interno Quorum para sua aprovação Modelo de Regulamento Interno Disposições Gerais Dos Deveres e Direitos dos Condôminos Das proibições aos Condôminos Dos elevadores Dos interfones Do salão de festas Da utilização da piscina Da utilização da sauna Do uso da garagem Disposições Finais Aplicação de multas e advertências Advertência ao condômino Modelo de advertência Animais em apartamentos Alteração de fachadas a) Instalação de porta com padrão diverso dos demais b) Instalação de ar condicionado Ruídos/Barulhos Propaganda em área comum Propagandas em paredes externas Desobstrução de área comum IV - Defeitos de Construção Vazamentos hidráulicos/responsabilidades A. Infiltração de água proveniente de área comum B. Infiltração de água de apartamento superior C. Infiltração proveniente de laje de cobertura D. Danos decorrentes de infiltração de instalação comum E. Garantia de construção

5 V - A Administradora A contratação ou substituição da administradora Delegação de poderes 1. Administrativas 2. Pessoais 3. Contábeis 4. Jurídicas Indicação da administradora pela incorporadora Autogestão Documentação A. Legal, Fiscal e Pessoal B. Instalação do Condomínio (Edifícios Novos) Fiscalização permanente Itens sujeitos a fiscalização permanente VI - Segurança Sistema de segurança Segurança relativa a edificações (comerciais) Orientação de segurança (síndicos, moradores, funcionários) Aos funcionários Aos Síndicos Aos Moradores (condôminos) Sugestões aos condôminos MÓDULO IV I - Responsabilidade civil dos síndicos O síndico tem direito de arrombar um apartamento? O síndico pode permitir o uso de armas pelos funcionários? O síndico pode fazer- se substituir por preposto na Justiça do Trabalho? II - Funcionários Escala de horários Exemplo de escala Modelo de elaboração de escala de folgas Composição salarial Disposições gerais Admissão de empregados a) Documentos necessários b) Procedimentos Desligamento do empregado a) Rescisão contratual por justa causa Quadro de pagamento de verbas rescisórias Documentos necessários para a homologação Obrigações patronais do condomínio A) Programa de controle médico de saúde ocupacional PCMSO NR 7 (Norma Regulamentadora)

6 B) Programa de Prevenção de Riscos Ambientais PPRA NR9 C) GRPS Afixação no quadro de horário Vale transporte Modelo de Opção de Desistência do Vale- Transporte Modelo de Declaração para Vale- transporte Zelador residente a) Salário- habitação (salário- utilidade) b) Desocupação do imóvel Encargos Sociais e Trabalhistas incidentes sobre a contraprestação de Serviço Contrato de Experiência Modelo de Contrato de trabalho a título de experiência Aviso prévio do empregado Aviso prévio do empregador Ordem de serviço permanente aos funcionários Do zelador Dos faxineiro Dos porteiros da noite Dos ascensoristas Dos porteiros Dos manobristas Observações gerais Declaração do funcionário Terceirização de mão- de- obra

MANUAL DO CONDÔMINO. O edital de convocação deve indicar com clareza os assuntos a serem debatidos, a data, horário e local.

MANUAL DO CONDÔMINO. O edital de convocação deve indicar com clareza os assuntos a serem debatidos, a data, horário e local. MANUAL DO CONDÔMINO REGULAMENTO INTERNO Cada prédio possui as suas próprias necessidades e, por isso, tanto a convenção como o regulamento interno devem ser redigidos especialmente para a edificação em

Leia mais

Histórico de editais de Assembléias Ordinárias e Extraordinárias realizadas no Condomínio do Residencial Imprensa IV

Histórico de editais de Assembléias Ordinárias e Extraordinárias realizadas no Condomínio do Residencial Imprensa IV Histórico de editais de Assembléias Ordinárias e Extraordinárias realizadas no Condomínio do Residencial Imprensa IV AGE 30/6/2007 Eleição da Comissão de Recebimento das Áreas Comuns; Fixação do Pró-labore

Leia mais

CONDOMÍNIO. Msc. Diogo de Calasans www.diogocalasans.com

CONDOMÍNIO. Msc. Diogo de Calasans www.diogocalasans.com CONDOMÍNIO Msc. Diogo de Calasans www.diogocalasans.com CONDOMÍNIO Conceito: é a sujeição de uma coisa, divisível ou indivisível, à propriedade simultânea e concorrente de mais de uma pessoa. No condomínio

Leia mais

GESTÃO CONTÁBIL PARA CONDOMÍNIOS. FACILITADOR: José Martins Castelo Neto Contador CRC/CE nº. 19.235 Mestrando em Controladoria - UFC

GESTÃO CONTÁBIL PARA CONDOMÍNIOS. FACILITADOR: José Martins Castelo Neto Contador CRC/CE nº. 19.235 Mestrando em Controladoria - UFC CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO ESTADO DO CEARÁ CRC-CE CE GESTÃO CONTÁBIL PARA CONDOMÍNIOS FACILITADOR: José Martins Castelo Neto Contador CRC/CE nº. 19.235 Mestrando em Controladoria - UFC FORTALEZA-CE

Leia mais

DICAS PARA CONDÔMINOS

DICAS PARA CONDÔMINOS DICAS PARA CONDÔMINOS Área Privativa: É a unidade de cada proprietário incluindo a vaga de garagem. Áreas Comuns: São utilizadas por todos os moradores, como playground, jardins, elevadores, corredores,

Leia mais

ARTILHA DO SÍNDICO CARTILHA DO SÍNDICO

ARTILHA DO SÍNDICO CARTILHA DO SÍNDICO ARTILHA DO SÍNDICO CARTILHA DO SÍNDICO 1. Função do Síndico O síndico é aquele eleito pelos condôminos, por um período de até dois anos, para administrar e representar o condomínio, seja judicialmente

Leia mais

Sindicos DICAS PARA SÍNDICOS

Sindicos DICAS PARA SÍNDICOS Sindicos DICAS PARA SÍNDICOS Convenção: Conjunto de normas do condomínio que constituem a sua lei interna. Deve ser elaborada de acordo com as normas legais, por escrito e aprovada em assembléia por proprietários

Leia mais

c)praticar os atos que lhe atribuírem as leis, a convenção e o regimento interno;

c)praticar os atos que lhe atribuírem as leis, a convenção e o regimento interno; 3) CONTRATO: SÍNDICO PESSOA JURÍDICA Ser síndico de um condomínio requer compromisso, conhecimento das leis vigentes e disponibilidade de tempo, e é por isso, que nossa empresa é capacitada a assumir as

Leia mais

CONDOMÍNIO - DIREITOS E DEVERES DOS EMPREGADOS E DO SÍNDICO

CONDOMÍNIO - DIREITOS E DEVERES DOS EMPREGADOS E DO SÍNDICO CONDOMÍNIO - DIREITOS E DEVERES DOS EMPREGADOS E DO SÍNDICO Objetivo: Mostrar os direitos e os deveres de cada um: atribuições, responsabilidades, o que é permitido e o que é vedado, bem como expor aspectos

Leia mais

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 493, DE 2009

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 493, DE 2009 SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 493, DE 2009 Assegura aos empregados de condomínios, prestadores dos serviços de portaria, vigilância e segurança, o adicional de periculosidade previsto no artigo

Leia mais

Condomínio Via Bella Residence Service. Atribuições 1. CONSELHO FISCAL 2. SÍNDICO

Condomínio Via Bella Residence Service. Atribuições 1. CONSELHO FISCAL 2. SÍNDICO Atribuições 1. CONSELHO FISCAL Pode - Auditar e fiscalizar as contas do condomínio. - Alertar o síndico sobre eventuais irregularidades. - Dar pareceres, aprovando ou reprovando as contas do síndico. Esses

Leia mais

EVENTO. Centro de Educação Tecnológica

EVENTO. Centro de Educação Tecnológica EVENTO Centro de Educação Tecnológica Nossa Atuação Palestra: Os Direitos e os Deveres dos Locatários dentro da Sociedade Condominial Professor: Dr. Rudnei Maciel Conteúdo 1) Diferenças conceituais entre

Leia mais

A MANTOVANI tem investido constantemente em instalações e qualificação pessoal, visando sempre uma excelência no atendimento ao cliente.

A MANTOVANI tem investido constantemente em instalações e qualificação pessoal, visando sempre uma excelência no atendimento ao cliente. A MANTOVANI conta com instalações próprias e modernas, equipamentos de informática de última geração em todos os seus departamentos, desde o saguão de recepção até o auditório para treinamento e palestras.

Leia mais

Condomínios & Associações: principais diferenças

Condomínios & Associações: principais diferenças Condomínios & Associações: principais diferenças Por Mariangela Iamondi Machado CNPJ Despersonalizado Condomínio Associação de Proprietários em Loteamentos CNPJ idêntico a de empresas Não pode adquirir

Leia mais

Alexandre Pinto Surmonte

Alexandre Pinto Surmonte Dados Pessoais Nome: Idade: Situação Familiar: Alexandre Pinto Surmonte 46 anos Casado Sem filhos Formação Formado em Administração de Empresas com Pós Graduação em Análise de Sistemas e MBA em Gestão

Leia mais

MODELOS DE DOCUMENTOS CONDOMINIAIS

MODELOS DE DOCUMENTOS CONDOMINIAIS MODELOS DE DOCUMENTOS CONDOMINIAIS ATA DA ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DO CONDOMÍNIO EDIFÍCIO. Aos dias do mês de de, reuniram-se em Assembléia Geral (Ordinária ou Extraordinária) os Senhores Condôminos

Leia mais

MANUAL DAS LOCAÇÕES DE IMÓVEIS RESIDENCIAIS URBANOS

MANUAL DAS LOCAÇÕES DE IMÓVEIS RESIDENCIAIS URBANOS MANUAL DAS LOCAÇÕES DE IMÓVEIS RESIDENCIAIS URBANOS Por Paulo Caldas Paes* Manual Registrado na Fundação Biblioteca Nacional sob o nº 541.597, Livro 1030, Folha 315. 1.0- Apresentação do Manual: Tema de

Leia mais

Por isso a Estrela do Mar executa, com esmero, serviços contábeis, administrativos, consultoria jurídica, cobranças e contratação de pessoal.

Por isso a Estrela do Mar executa, com esmero, serviços contábeis, administrativos, consultoria jurídica, cobranças e contratação de pessoal. Nossa Empresa Criada em, a Estrela do Mar administra condomínios baseada em diretrizes humanas e modernas. Trata, de forma diferenciada, questões administrativas, contábeis e jurídicas, para maior tranqüilidade

Leia mais

ESCLARECIMENTO: O modelo de CARTA a seguir é uma SUGESTÃO, cuja aplicabilidade deverá ser avaliada pelo Internauta.

ESCLARECIMENTO: O modelo de CARTA a seguir é uma SUGESTÃO, cuja aplicabilidade deverá ser avaliada pelo Internauta. ESCLARECIMENTO: O modelo de CARTA a seguir é uma SUGESTÃO, cuja aplicabilidade deverá ser avaliada pelo Internauta. CARTA PROTOCOLADA - NOTIFICAÇÃO DE CONDÔMINOS REPRESENTADOS CT. Nº. 000/20XX Cidade,

Leia mais

TIRE SUAS DÚVIDAS AQUI:

TIRE SUAS DÚVIDAS AQUI: TIRE SUAS DÚVIDAS AQUI: 1. O que é Convenção de Condomínio? É o conjunto de normas que regem o condomínio. São elaboradas por escrito e registrada no cartório de registros de imóveis para que tenha validade

Leia mais

PARTE PRIMEIRA CONDOMÍNIO EDILÍCIO

PARTE PRIMEIRA CONDOMÍNIO EDILÍCIO Índice sistemático Obras do autor Nota de introdução PARTE PRIMEIRA CONDOMÍNIO EDILÍCIO 1. Do condomínio geral ao condomínio edilício ou em edificações 2. Condomínio voluntário, condomínio necessário e

Leia mais

MANUAL DO SÍNDICO. Todos os condôminos devem contribuir para suas despesas, além de acatar a Convenção, Regulamento Interno e decisões da Assembléia.

MANUAL DO SÍNDICO. Todos os condôminos devem contribuir para suas despesas, além de acatar a Convenção, Regulamento Interno e decisões da Assembléia. MANUAL DO SÍNDICO Noções Gerais 1. O Condomínio 2. Utilização 3. A Convenção do Condomínio 4. Regulamento 5. Corpo Diretivo 6. Assembléia Geral 7. Orçamento 8. Despesas 9. Fundo de Reserva 10. Documentos

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL DO FUNDO DE APOSENTADORIA E PENSÃO DO SERVIDOR- FAPS

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL DO FUNDO DE APOSENTADORIA E PENSÃO DO SERVIDOR- FAPS REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL DO FUNDO DE APOSENTADORIA E PENSÃO DO SERVIDOR- FAPS CAPÍTULO I DA NATUREZA Art. 1.º - O Conselho Fiscal do Fundo de Aposentadoria e Pensão do Servidor- FAPS, criado

Leia mais

REGIMENTO INTERNO. Artigo 8º - Fica estabelecido que os portões de entrada que dão acesso ao CONDOMÍNIO serão mantidos permanentemente fechados.

REGIMENTO INTERNO. Artigo 8º - Fica estabelecido que os portões de entrada que dão acesso ao CONDOMÍNIO serão mantidos permanentemente fechados. SEM MARCADOR TEXTO ORIGINAL GRIFADO EM VERDE ALTERAÇÕES A SEREM APROVADAS NA ASSEMBLÉIA REGIMENTO INTERNO Artigo 8º - Fica estabelecido que os portões de entrada que dão acesso ao CONDOMÍNIO serão mantidos

Leia mais

Art. 1.331. Pode haver, em edificações, partes que são propriedade exclusiva, e partes que são propriedade comum dos condôminos.

Art. 1.331. Pode haver, em edificações, partes que são propriedade exclusiva, e partes que são propriedade comum dos condôminos. Lei do Condomínio 10.406/2002 CAPÍTULO VII Do Condomínio Edilício Seção I Disposições Gerais Art. 1.331. Pode haver, em edificações, partes que são propriedade exclusiva, e partes que são propriedade comum

Leia mais

O que diz a lei sobre inadimplência em condomínios

O que diz a lei sobre inadimplência em condomínios O que diz a lei sobre inadimplência em condomínios Contribuir com as despesas do condomínio é dever dos condôminos Código Civil, Art. 1.336. São deveres do condômino: I - Contribuir para as despesas do

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO CONDOMÍNIO RESIDENCIAL MARIA MADALENA Rua Beija-flor, 103 Bombas Bombinhas/SC.

ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO CONDOMÍNIO RESIDENCIAL MARIA MADALENA Rua Beija-flor, 103 Bombas Bombinhas/SC. ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO CONDOMÍNIO CAPÍTULO I Do nome, da Sede, Duração e Objetivo. Art. 1º A Associação de Moradores do Condomínio Residencial Maria Madalena, é uma associação sem fins

Leia mais

SUGESTÕES IMPORTANTES PARA O NOVO SÍNDICO

SUGESTÕES IMPORTANTES PARA O NOVO SÍNDICO SUGESTÕES IMPORTANTES PARA O NOVO SÍNDICO 1 2 3 4 No dia seguinte à sua eleição, reúna os empregados do condomínio para informa-los que você é o novo síndico. Pergunte ao porteiro chefe se existe algum

Leia mais

O Condomínio caracteriza-se pela existência simultânea de áreas de uso comum (solo, estrutura do

O Condomínio caracteriza-se pela existência simultânea de áreas de uso comum (solo, estrutura do 1. CONDOMÍNIO O Condomínio caracteriza-se pela existência simultânea de áreas de uso comum (solo, estrutura do edifício, hall de entrada, corredores, playground, churrasqueiras, jardins, salão de festas,

Leia mais

CONDOMÍNIO EDIFÍCIO SAMIRA

CONDOMÍNIO EDIFÍCIO SAMIRA APRESENTAÇÃO PARA DECISÕES DA ASSEMBLÉIA DE 22/11/2014 EQUIPE: EDSON NEWTON PACHECO REGINA ZEZINHO VISÃO DO TRABALHO: 1 - ATENDER ÀS DIREÇÕES DO PERITO; 2 - ATENDER À LEGISLAÇÃO MUNICIPAL E ESTADUAL; 3

Leia mais

Soluções para condomínios, comércios, hospitais, escolas.

Soluções para condomínios, comércios, hospitais, escolas. Quem somos Soluções para condomínios, comércios, hospitais, escolas. O Grupo Cilcon atua na prestação de serviços de conservação patrimonial, oferecendo amplo e diferenciado suporte na terceirização de

Leia mais

5) COMPROMISSO PARTICULAR DE VENDA E COMPRA E OUTRAS COMPROMISSÁRIO VENDEDOR:..., brasileiro, solteiro, produtor rural, inscrito no CPF sob o

5) COMPROMISSO PARTICULAR DE VENDA E COMPRA E OUTRAS COMPROMISSÁRIO VENDEDOR:..., brasileiro, solteiro, produtor rural, inscrito no CPF sob o 5) COMPROMISSO PARTICULAR DE VENDA E COMPRA E OUTRAS AVENÇAS PARTES CONTRATANTES COMPROMISSÁRIO VENDEDOR:..., brasileiro, solteiro, produtor rural, inscrito no CPF sob o n.... e no RG sob o n...., residente

Leia mais

na Gestão de Condomínios

na Gestão de Condomínios na Gestão de Condomínios Rosely Benevides de Oliveira Schwartz São Paulo - 01/09/2015 Contexto O papel do síndico na gestão Os principais conflitos gerados pela falta de transparência A importância do

Leia mais

Duas questões me foram formuladas por V. Sa. para serem respondidas em consulta:

Duas questões me foram formuladas por V. Sa. para serem respondidas em consulta: Rio de Janeiro, 18 de julho de 2011. C O N S U L T A Ementa: Direito Civil - Condomínio de apartamentos. Sistema de ar condicionado central. Aumento da área construída. Fração ideal. Despesas comuns. Rateio.

Leia mais

CEMIG TRADING S.A. ESTATUTO SOCIAL. CAPÍTULO I Denominação, Sede, Objeto e Duração

CEMIG TRADING S.A. ESTATUTO SOCIAL. CAPÍTULO I Denominação, Sede, Objeto e Duração CEMIG TRADING S.A. O presente Estatuto é uma consolidação do aprovado pela Escritura Pública de Constituição, em 29-07-2002 - arquivada na JUCEMG em 12-08-2002, sob o nº 3130001701-0, e pelas Assembléias

Leia mais

Residencial Real Classic Resort

Residencial Real Classic Resort ATA DA ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DO DIA 18/6/2009 Aos 18 (dezoito) dias do mês de junho, do ano de 2009 (dois mil e nove), às 20:15h (vinte horas e quinze minutos), em segunda chamada, no salão de

Leia mais

DECRETO Nº 38.125 DE 29 DE NOVEMBRO DE 2013. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais e,

DECRETO Nº 38.125 DE 29 DE NOVEMBRO DE 2013. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais e, DECRETO Nº 38.125 DE 29 DE NOVEMBRO DE 2013 Cria a Empresa Pública de Saúde do Rio de Janeiro S/A RIOSAÚDE e aprova seu Estatuto. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais

Leia mais

1.Quem pode convocar assembléia?

1.Quem pode convocar assembléia? 1.Quem pode convocar assembléia? - Em geral é convocada pelo síndico, mas pode também ser convocada por 1/4 dos moradores, se a Convenção não dispuser de forma diferente. Existe também a possibilidade

Leia mais

05. Corpo Gestor 12. Prevenção de Acidentes e Incêndios 06. Assembleia Geral 13. Política de Pessoal 07. Orçamento 14.

05. Corpo Gestor 12. Prevenção de Acidentes e Incêndios 06. Assembleia Geral 13. Política de Pessoal 07. Orçamento 14. MANUAL DO SÍNDICO. O Manual do Síndico que a seguir é apresentado, é um trabalho elaborado para facilitar a vida do mandatário em um Condomínio. Tem por finalidade, de maneira muito rápida e breve, dar

Leia mais

ESTATUTO ELEITORAL INTERNO

ESTATUTO ELEITORAL INTERNO ESTATUTO ELEITORAL INTERNO Disciplina e regulamenta o processo eleitoral interno do Condomínio Parque Saint Germain para composição de sua administração composta pelo síndico e demais conselheiros e dá

Leia mais

INCORPORAÇÕES IMOBILIÁRIAS. Uma análise sob a ótica contratual

INCORPORAÇÕES IMOBILIÁRIAS. Uma análise sob a ótica contratual INCORPORAÇÕES IMOBILIÁRIAS Uma análise sob a ótica contratual LEI ESPECIAL LEI Nº. 4.591, de 16 de dezembro de 1964 (com alterações da Lei nº. 10.931/04) Dispõe sobre o condomínio em edificações e as incorporações

Leia mais

Objetivos do PROCONDO

Objetivos do PROCONDO PROCONDO Guia de Atendimento Objetivos do PROCONDO Fomentar o desenvolvimento e o aprimoramento do mercado de administração de condomínios. Promover a concorrência saudável entre as empresas do setor de

Leia mais

Treinamento Sistema Condominium Módulo I

Treinamento Sistema Condominium Módulo I CONDOMINIUM Módulo I CADASTROS Todas as telas de cadastro também são telas de consultas futuras, portanto sempre que alterar alguma informação clique em Gravar ou pressione F2. Teclas de atalho: Tecla

Leia mais

DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

DAS DISPOSIÇÕES GERAIS ANEXO À RESOLUÇÃO Nº 490, DE 24 DE JANEIRO DE 2008 REGULAMENTO DE CONSELHO DE USUÁRIOS DO STFC CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º Este Regulamento estabelece as regras básicas para implantação,

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES E ADQUIRENTES DO CONDOMÍNIO ALTO DA BOA VISTA CAPÍTULO I - FINALIDADES

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES E ADQUIRENTES DO CONDOMÍNIO ALTO DA BOA VISTA CAPÍTULO I - FINALIDADES ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES E ADQUIRENTES DO CONDOMÍNIO ALTO DA BOA VISTA CAPÍTULO I - FINALIDADES Art. 1º A Associação dos Moradores e Adquirentes do Condomínio Alto da Boa Vista é uma sociedade

Leia mais

Ed. COSMOPOLITAN CONVENÇÃO DE CONDOMÍNIO. LOTE 03 RUA DAS PAINEIRAS e LOTE 04 RUA 30 NORTE ÁGUAS CLARAS DF

Ed. COSMOPOLITAN CONVENÇÃO DE CONDOMÍNIO. LOTE 03 RUA DAS PAINEIRAS e LOTE 04 RUA 30 NORTE ÁGUAS CLARAS DF Ed. COSMOPOLITAN CONVENÇÃO DE CONDOMÍNIO LOTE 03 RUA DAS PAINEIRAS e LOTE 04 RUA 30 NORTE ÁGUAS CLARAS DF SUMÁRIO PREÂMBULO TÍTULO I - DISPOSIÇÕES GERAIS DO CONDOMÍNIO Capítulo Assunto I - Finalidade e

Leia mais

MODELO DE ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO

MODELO DE ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO MODELO DE ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Art.1 o - A (o) também designada (o) pela sigla, (se usar sigla), fundada (o) em de de é uma associação, sem

Leia mais

Perguntas mais freqüentes em administração de condomínios.

Perguntas mais freqüentes em administração de condomínios. Perguntas mais freqüentes em administração de condomínios. 1º Quem é o síndico? É o representante legal do condomínio auxiliado pelo subsíndico e pelos conselheiros. 2º Qual é o tempo de mandato? Por até

Leia mais

APRESENTAÇÃO QUEM É QUEM

APRESENTAÇÃO QUEM É QUEM APRESENTAÇÃO Este material foi elaborado para uma melhor compreensão sobre o assunto em face da legislação vigente e tem por objetivo informar, esclarecer e orientar você, consumidor, sobre questões relativas

Leia mais

Reforma e Manutenção de Edificações ou Condomínios. Marcos Velletri

Reforma e Manutenção de Edificações ou Condomínios. Marcos Velletri Reforma e Manutenção de Edificações ou Condomínios Marcos Velletri Reforma e Manutenção de Edificações ou Condomínios É de extrema importância a conscientização de proprietários e síndicos quanto à responsabilidade

Leia mais

Quais despesas são do inquilino?

Quais despesas são do inquilino? Quais despesas são do inquilino? Veja o que a Lei do Inquilinato diz O inquilino paga todas as despesas ordinárias do condomínio, ou seja, de manutenção. Não são de responsabilidade do inquilino as despesas

Leia mais

Aluguel O que é preciso saber sobre aluguel Residencial

Aluguel O que é preciso saber sobre aluguel Residencial Aluguel O que é preciso saber sobre aluguel Residencial Ao alugar um imóvel é necessário documentar a negociação por meio de um contrato, de preferência, escrito. O inquilino deve ler atentamente todas

Leia mais

GESTÃO CONTÁBIL PARA CONDOMÍNIOS. FACILITADOR: José Martins Castelo Neto Contador CRC/CE nº. 19.235 Mestrando em Controladoria - UFC

GESTÃO CONTÁBIL PARA CONDOMÍNIOS. FACILITADOR: José Martins Castelo Neto Contador CRC/CE nº. 19.235 Mestrando em Controladoria - UFC CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO ESTADO DO CEARÁ CRC-CE CE GESTÃO CONTÁBIL PARA CONDOMÍNIOS FACILITADOR: José Martins Castelo Neto Contador CRC/CE nº. 19.235 Mestrando em Controladoria - UFC FORTALEZA-CE

Leia mais

Sumário Introdução 1. Escorço histórico 2. Condomínio edilício 3. Direitos e deveres no condomínio edilício

Sumário Introdução 1. Escorço histórico 2. Condomínio edilício 3. Direitos e deveres no condomínio edilício Sumário Introdução 13 1. Escorço histórico 15 1.1. O surgimento da propriedade horizontal no mundo 16 1.2. Condomínio edilício no Brasil 17 2. Condomínio edilício 20 2.1. A questão do nome do instituto

Leia mais

Guia sobre uso de Garagens em Condomínios

Guia sobre uso de Garagens em Condomínios Guia sobre uso de Garagens em Condomínios A garagem é um dos pontos mais sensíveis do condomínio. Além de ser a porta de entrada de muita gente, é o principal ponto de atrito entre vizinhos. Além das tão

Leia mais

STJ00100519 NELSON KOJRANSKI CONDOMÍNIO EDILÍCIO. Aspectos Jurídicos Relevantes. 2 a edição - - MALHEIROS :;:EDITORES

STJ00100519 NELSON KOJRANSKI CONDOMÍNIO EDILÍCIO. Aspectos Jurídicos Relevantes. 2 a edição - - MALHEIROS :;:EDITORES f NELSON KOJRANSKI CONDOMÍNIO EDILÍCIO Aspectos Jurídicos Relevantes 2 a edição - - MALHEIROS :;:EDITORES Sumário Nota do Autor........................ Prefácio da 111. Edição (Walter Ceneviva)... Prefácio

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 12, de 06 de outubro de 2014.

PROJETO DE LEI Nº 12, de 06 de outubro de 2014. PROJETO DE LEI Nº 12, de 06 de outubro de 2014. PODER LEGISLATIVO Cria o Conselho e o Fundo Municipal de Proteção aos Animais edá outras providências. A Câmara Municipal decreta: Capítulo I Do Fundo Municipal

Leia mais

Modelo - Projeto de Lei Municipal de criação do Conselho Municipal do Idoso

Modelo - Projeto de Lei Municipal de criação do Conselho Municipal do Idoso Fonte: Ministério Público do Rio Grande do Norte Responsável: Dra. Janaína Gomes Claudino Criação do Conselho Municipal do Idoso Modelo - Projeto de Lei Municipal de criação do Conselho Municipal do Idoso

Leia mais

Lição 15. Locação Locação de coisas

Lição 15. Locação Locação de coisas Lição 15. Locação No direito romano, a locação se dividia em locação de coisas e locação de serviços (trabalho). O CC/16 apresentava o contrato de prestação de serviços como locação de serviços. O CC/02

Leia mais

Seguros. - Código Civil, Art. 1.346. "É obrigatório o seguro de toda a edificação contra o risco de incêndio ou destruição, total ou parcial.

Seguros. - Código Civil, Art. 1.346. É obrigatório o seguro de toda a edificação contra o risco de incêndio ou destruição, total ou parcial. Seguros Índice O que diz o Código Civil O que é obrigatório Quem deve fazer Tipos de cobertura Valor da cobertura Utilização - erros comuns Renovação - erros comuns O que diz o Código Civil - Código Civil,

Leia mais

Treinamento Sistema Condominium Módulo I

Treinamento Sistema Condominium Módulo I CONDOMINIUM Módulo I CADASTROS Todas as telas de cadastro também são telas de consultas futuras, portanto sempre que alterar alguma informação clique em Gravar ou pressione F2. Teclas de atalho: Tecla

Leia mais

O CONDOMÍNIO. Índice: 1. Fui eleito síndico, o que faço agora? 2. O CONDOMÍNIO 3. UTILIZAÇÃO 4. A CONVENÇÃO DO CONDOMÍNIO 5. O REGULAMENTO INTERNO

O CONDOMÍNIO. Índice: 1. Fui eleito síndico, o que faço agora? 2. O CONDOMÍNIO 3. UTILIZAÇÃO 4. A CONVENÇÃO DO CONDOMÍNIO 5. O REGULAMENTO INTERNO O CONDOMÍNIO. Índice: 1. Fui eleito síndico, o que faço agora? 2. O CONDOMÍNIO 3. UTILIZAÇÃO 4. A CONVENÇÃO DO CONDOMÍNIO 5. O REGULAMENTO INTERNO 6. CORPO DIRETIVO 7. AS ATRIBUIÇÕES DO SÍNDICO 8. O SUBSÍNDICO

Leia mais

CONDOMÍNIO EDIFÍCIO ATLÂNTICO SUL

CONDOMÍNIO EDIFÍCIO ATLÂNTICO SUL CONVENÇÃO CAPITULO I DA DENOMINAÇÃO, FINALIDADE E CONSTITUIÇÃO Art. 1º - O EDIFÍCIO ATLÂNTICO SUL, situado a Avenida Doutor Arthur Costa Filho, nº 735, Centro, na cidade de Caraguatatuba, Estado de São

Leia mais

Válida até 30/03/2011

Válida até 30/03/2011 Tabela de Emolumentos / 2011 (1) Válida até 30/03/2011 Anexo da Portaria nº 1448 /CGJ/2010 (a que se refere o 1º do artigo 2º da Lei n.º 15.424, de 30 de dezembro de 2004, atualizado nos termos do artigo

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DA MARINA PORTO BÚZIOS - "AMMAR" CAPÍTULO II

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DA MARINA PORTO BÚZIOS - AMMAR CAPÍTULO II ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DA MARINA PORTO BÚZIOS - "AMMAR" CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃQ, SEDE, OBJETIVOS E DURAÇÃO Art.1 - Sob a denominação de AMMAR - Associação dos Moradores da Marina Porto

Leia mais

O CONDOMÍNIO JÁ ANALISOU O PREÇO, NÃO ESQUEÇA DA QUALIDADE!!!

O CONDOMÍNIO JÁ ANALISOU O PREÇO, NÃO ESQUEÇA DA QUALIDADE!!! O CONDOMÍNIO JÁ ANALISOU O PREÇO, NÃO ESQUEÇA DA QUALIDADE!!! Como em qualquer segmento, quando fazemos uma licitação muitas vezes nos deparamos com propostas que aparentemente oferecem os mesmos serviços,

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE LEI N. 153, DE 1º DE DEZEMBRO DE 1967 Cria a Sociedade Beneficente da Assembléia Legislativa do Estado do Acre. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE FAÇO SABER que o Poder Legislativo decreta e eu sanciono a

Leia mais

Obras e Reformas em Condomínios

Obras e Reformas em Condomínios Obras e Reformas em Condomínios João Paulo Rossi Paschoal Assessor Jurídico do SECOVI-SP Instrutor da Universidade SECOVI-SP Especialista em Direito Civil pela ESA OAB-SP Mestre em Direito pela PUC-SP

Leia mais

REGIMENTO DO CENTRO DE GESTÃO E TRATAMENTO DE RESÍDUOS QUÍMICOS

REGIMENTO DO CENTRO DE GESTÃO E TRATAMENTO DE RESÍDUOS QUÍMICOS REGIMENTO DO CENTRO DE GESTÃO E TRATAMENTO DE RESÍDUOS QUÍMICOS TÍTULO I DO CENTRO E SEUS FINS Artigo 1 O Centro de Gestão e Tratamento de Resíduos Químicos é um órgão auxiliar, de natureza técnica e científica,

Leia mais

EMPRESA DE SERVIÇOS DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA S.A.

EMPRESA DE SERVIÇOS DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA S.A. EMPRESA DE SERVIÇOS DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA S.A. O presente Estatuto é uma consolidação do aprovado pela Escritura Pública de Constituição, em 25-07-2002 - arquivada na JUCEMG em 01-08-2002,

Leia mais

Sítio de Sons Associação Cultural

Sítio de Sons Associação Cultural Sítio de Sons Associação Cultural Estatutos * CAPÍTULO PRIMEIRO (Da denominação, sede, objecto e afins) Artigo primeiro (Da denominação, natureza jurídica, lei aplicável e duração) UM A Associação adopta

Leia mais

LEI Nº 2.998/2007 CAPÍTULO I DA COMPOSIÇÃO

LEI Nº 2.998/2007 CAPÍTULO I DA COMPOSIÇÃO LEI Nº 2.998/2007 REGULAMENTA O CONSELHO MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO URBANO - COPLAN, CRIADO NO ARTIGO 2º, DA LEI COMPLEMENTAR N.º 037/2006, DE 15 DE DEZEMBRO, QUE DISPOE SOBRE NORMAS DE

Leia mais

Estatuto da Associação de Pais e Professores do

Estatuto da Associação de Pais e Professores do CNPJ: 82.898.404/0001-09 Estatuto da Associação de Pais e Professores do CENTRO EDUCACIONAL MENINO JESUS Fundada em 1973, Florianópolis/SC C A P Í T U L O I Da Associação e seus fins Art. 1º. - A Associação

Leia mais

ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DO CONDOMINIO MAR DE ITAPUA REALIZADA EM 03 DE OUTUBRO DE 2015

ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DO CONDOMINIO MAR DE ITAPUA REALIZADA EM 03 DE OUTUBRO DE 2015 ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DO CONDOMINIO MAR DE ITAPUA REALIZADA EM 03 DE OUTUBRO DE 2015 Aos três dias do mês de outubro do ano de dois mil e quinze, às 14h30min, em segunda convocação, conforme

Leia mais

Índice. Noções gerais sobre a organização de condóminos 3. Assembleia de condomínios / inquilinos 5. O Administrador 7. Regulamento do Condomínio 9

Índice. Noções gerais sobre a organização de condóminos 3. Assembleia de condomínios / inquilinos 5. O Administrador 7. Regulamento do Condomínio 9 GUIA DE CONDOMÍNIO Índice Noções gerais sobre a organização de condóminos 3 Assembleia de condomínios / inquilinos 5 O Administrador 7 Regulamento do Condomínio 9 2 Noções gerais sobre a organização de

Leia mais

1 Ou de fins não econômicos, como prefere o Código Civil em vigor (art. 53, caput).

1 Ou de fins não econômicos, como prefere o Código Civil em vigor (art. 53, caput). MODELO DE ESTATUTO DE FUNDAÇÃO CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA, SEDE, FINS E DURAÇÃO Art. 1º. A Fundação... é uma pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos 1, com autonomia administrativa

Leia mais

REGULAMENTO DE OBRAS ANEXO I. Cuidados ao iniciar a obra: Horário de funcionamento do prédio:

REGULAMENTO DE OBRAS ANEXO I. Cuidados ao iniciar a obra: Horário de funcionamento do prédio: ANEXO I REGULAMENTO DE OBRAS Cuidados ao iniciar a obra: Toda obra ou reforma na unidade deve ser comunicada ao síndico, com antecedência mínima de 10 dias, através da apresentação de respectivo croqui

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO REGIMENTO INTERNO

CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO REGIMENTO INTERNO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DO CONSELHO, ATRIBUIÇÕES E SUA COMPOSIÇÃO Art. 1.º- O Conselho Municipal de Educação de Carlos Barbosa, criado pela Lei Municipal nº1.176 de

Leia mais

CARTA DE APRESENTAÇÃO

CARTA DE APRESENTAÇÃO CARTA DE APRESENTAÇÃO, de de (cidade/dia/mes/ano) Prezado (digite aqui o nome do novo morador e/ou família, quando necessário), É com muita satisfação que o recebemos em nosso condomínio. Seja bem-vindo!

Leia mais

Estatuto da Associação. de Assistência ao Adolescente CAPÍTULO I DA INSTITUIÇÃO E SEUS OBJETIVOS

Estatuto da Associação. de Assistência ao Adolescente CAPÍTULO I DA INSTITUIÇÃO E SEUS OBJETIVOS Estatuto da Associação de Assistência ao Adolescente CAPÍTULO I DA INSTITUIÇÃO E SEUS OBJETIVOS Art. 1º A Associação de Assistência ao Adolescente, associação civil sem fins lucrativos, fundada e instalada

Leia mais

ADMINISTRADORA DE CONDOMÍNIOS

ADMINISTRADORA DE CONDOMÍNIOS ADMINISTRADORA DE CONDOMÍNIOS A participação das administradoras e das fornecedoras de mão de obra e serviços especializados em condomínio é, hoje em dia, um elemento essencial na administração moderna,

Leia mais

ASSUNTO: Autorização de obras, benfeitorias, acessos, mudanças, uso de elevadores e áreas comuns

ASSUNTO: Autorização de obras, benfeitorias, acessos, mudanças, uso de elevadores e áreas comuns CIRCULAR 001/2014 DATA: 02 de Agosto de 2014 ASSUNTO: Autorização de obras, benfeitorias, acessos, mudanças, uso de elevadores e áreas comuns Senhores Condôminos, Como Síndica do Condomínio Le Jardin,

Leia mais

ESCOLA TÉCNICA DO VALE DO ITAJAI

ESCOLA TÉCNICA DO VALE DO ITAJAI ESCOLA TÉCNICA DO VALE DO ITAJAI Reconhecida pela SEC/SC - Portarias 0390/86 e 0424/92 ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO DE PAIS E PROFESSORES DA ESCOLA TÉCNICA DO VALE DO ITAJAI-ETEVI-FURB-BLUMENAU-SC CAPÍTULO I

Leia mais

CONVENÇÃO DO CONDOMÍNIO CEDROS CONDOHOTEL TATUÍ

CONVENÇÃO DO CONDOMÍNIO CEDROS CONDOHOTEL TATUÍ CONVENÇÃO DO CONDOMÍNIO CEDROS CONDOHOTEL TATUÍ (artigo 32, j, da Lei 4.591 de 16 de dezembro de 1964 e artigos 1.332 e seguintes da Lei 10.406 de 10 de janeiro 2002) Em obediência ao contido no artigo

Leia mais

I. ABC DO CONDOMÍNIO COMO VIVER EM CONDOMÍNIO

I. ABC DO CONDOMÍNIO COMO VIVER EM CONDOMÍNIO I. ABC DO CONDOMÍNIO COMO VIVER EM CONDOMÍNIO Fonte: Procon-SP APRESENTAÇÃO Este material foi elaborado para uma melhor compreensão sobre o assunto em face da legislação vigente e tem por objetivo informar,

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES. nortabita.pt

PERGUNTAS FREQUENTES. nortabita.pt 0 PERGUNTAS FREQUENTES nortabita.pt Para esclarecer questões frequentes relativas à legislação, regulamento do condomínio, despesas, seguros, animais, direitos e deveres dos condóminos 1 Índice de Conteúdos

Leia mais

REGIMENTO INTERNO ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE MANUTENÇÃO

REGIMENTO INTERNO ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE MANUTENÇÃO REGIMENTO INTERNO ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE MANUTENÇÃO Capítulo I da Finalidade Art. 1o. - Este Regimento Interno complementa e disciplina disposições do Estatuto da Associação Brasileira de Manutenção

Leia mais

SÍNDICO: TENDÊNCIAS, PERFIL E FORMAS DE GESTÃO

SÍNDICO: TENDÊNCIAS, PERFIL E FORMAS DE GESTÃO 06 SÍNDICO: TENDÊNCIAS, PERFIL E FORMAS DE GESTÃO NÚMERO 6 - ABRIL DE 2014 SÍNDICO: TENDÊNCIAS, PERFIL E FORMAS DE GESTÃO Quem é o Síndico? O síndico é o representante legal do condomínio e é responsável

Leia mais

Estado do Rio de Janeiro MUNICÍPIO DE ANGRA DOS REIS Fundação de Turismo de Angra dos Reis Conselho Municipal de Turismo

Estado do Rio de Janeiro MUNICÍPIO DE ANGRA DOS REIS Fundação de Turismo de Angra dos Reis Conselho Municipal de Turismo REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DE TURISMO Capítulo 1 Da Natureza e das Competências Art. 1. O CMT, órgão consultivo e deliberativo, instituído pela Lei nº 433/L.O., de 14 de junho de 1995, alterada

Leia mais

1- CONTRATO DE TRABALHO

1- CONTRATO DE TRABALHO 1- CONTRATO DE TRABALHO 1.1 - ANOTAÇÕES NA CARTEIRA DE TRABALHO Quando o empregado é admitido - mesmo em contrato de experiência -, a empresa tem obrigatoriamente que fazer as anotações na carteira de

Leia mais

CAPÍTULO V. Da Garagem e Estacionamento

CAPÍTULO V. Da Garagem e Estacionamento CAPÍTULO V Da Garagem e Estacionamento Art 37. Cada unidade autônoma tem direito a uma vaga de estacionamento, perfazendo um total de 967 (novecentos e sessenta e sete) vagas, distribuídas de acordo com

Leia mais

MERCANTIL DO BRASIL FINANCEIRA S.A. CRÉDITO, FINANCIAMENTO E INVESTIMENTOS Sede: Belo Horizonte Minas Gerais E S T A T U T O

MERCANTIL DO BRASIL FINANCEIRA S.A. CRÉDITO, FINANCIAMENTO E INVESTIMENTOS Sede: Belo Horizonte Minas Gerais E S T A T U T O MERCANTIL DO BRASIL FINANCEIRA S.A. CRÉDITO, FINANCIAMENTO E INVESTIMENTOS Sede: Belo Horizonte Minas Gerais CAPÍTULO I Denominação, Sede, Objeto e Prazo E S T A T U T O Art. 1º - A Mercantil do Brasil

Leia mais

Estatuto Social. Contribuir para a revitalização do Distrito Industrial, tanto na sua imagem quanto na sua infra-estrutura.

Estatuto Social. Contribuir para a revitalização do Distrito Industrial, tanto na sua imagem quanto na sua infra-estrutura. Estatuto Social Da Denominação, Sede e Fins Artigo 1º - A Associação Distrito Vivo (ADV) é uma associação civil, de pessoas jurídicas instaladas no Distrito Industrial de duração indeterminada, apartidária,

Leia mais

CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO BRASÍLIA RÁDIO CENTER NOTAS EXPLICATIVAS DA PREVISÃO ORÇAMENTÁRIA

CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO BRASÍLIA RÁDIO CENTER NOTAS EXPLICATIVAS DA PREVISÃO ORÇAMENTÁRIA CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO BRASÍLIA RÁDIO CENTER NOTAS EXPLICATIVAS DA PREVISÃO ORÇAMENTÁRIA PERÍODO: JANEIRO A DEZEMBRO DE 2013 Srs(as). Condôminos(as), A proposta orçamentária foi elaborada levando-se em

Leia mais

FORUM PERMANENTE DA AGENDA 21 LOCAL DE SAQUAREMA REGIMENTO INTERNO. CAPITULO 1-Da natureza, sede, finalidade, princípios e atribuições:

FORUM PERMANENTE DA AGENDA 21 LOCAL DE SAQUAREMA REGIMENTO INTERNO. CAPITULO 1-Da natureza, sede, finalidade, princípios e atribuições: FORUM PERMANENTE DA AGENDA 21 LOCAL DE SAQUAREMA REGIMENTO INTERNO CAPITULO 1-Da natureza, sede, finalidade, princípios e atribuições: Artigo I: O Fórum Permanente da Agenda 21 de Saquarema, criado pelo

Leia mais

FUNCASAL REGIMENTO INTERNO CONSELHO FISCAL

FUNCASAL REGIMENTO INTERNO CONSELHO FISCAL FUNCASAL REGIMENTO INTERNO CONSELHO FISCAL dezembro/2008 Capítulo I Da competência do Conselho Fiscal Art. 1º Como órgão de controle interno da EFPC, compete ao Conselho Fiscal, na forma estabelecida no

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DELIBERATIVO

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DELIBERATIVO REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DELIBERATIVO Art. 1º - O presente Regimento tem por finalidade estabelecer normas para o funcionamento do Conselho Deliberativo da Associação Atlética Banco do Brasil São

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº. 850 DE 06 DE NOVEMBRO DE 2014.

LEI MUNICIPAL Nº. 850 DE 06 DE NOVEMBRO DE 2014. LEI MUNICIPAL Nº. 850 DE 06 DE NOVEMBRO DE 2014. Dispõe sobre a implementação do Distrito Industrial na localidade denominada de Ouro Branco do Sul, no Município de Itiquira/MT e estabelece normas para

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DE ATUAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA DA FUNDAÇÃO UNIPLAC DA NATUREZA, FINALIDADE E COMPOSIÇÃO

REGIMENTO INTERNO DE ATUAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA DA FUNDAÇÃO UNIPLAC DA NATUREZA, FINALIDADE E COMPOSIÇÃO REGIMENTO INTERNO DE ATUAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA DA FUNDAÇÃO UNIPLAC DA NATUREZA, FINALIDADE E COMPOSIÇÃO Art. 1º A Diretoria Executiva, subordinada ao Presidente da Fundação, é responsável pelas atividades

Leia mais

REGULAMENTO CONSELHO CONSULTIVO DO CONDOMINIO ESTÂNCIA JARDIM BOTÂNICO

REGULAMENTO CONSELHO CONSULTIVO DO CONDOMINIO ESTÂNCIA JARDIM BOTÂNICO REGULAMENTO CONSELHO CONSULTIVO DO CONDOMINIO ESTÂNCIA JARDIM BOTÂNICO Capítulo I Eleição dos Membros Artigo lº - Com mandato de 02(dois) anos, será eleito o Conselho Consultivo, composto de 13 (treze)

Leia mais