TRABALHO DE FINAL DE CURSO E-LEARNING: UM ESTUDO COMPARATIVO SOBRE AS FERRAMENTAS LECTORA 2004 E READYGO WEB COURSE BUILDER

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TRABALHO DE FINAL DE CURSO E-LEARNING: UM ESTUDO COMPARATIVO SOBRE AS FERRAMENTAS LECTORA 2004 E READYGO WEB COURSE BUILDER"

Transcrição

1 UNIÃO EDUCACIONAL MINAS GERAIS S/C LTDA FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS DE MINAS Autorizada pela Portaria nº 577/2000 MEC, de 03/05/2000. BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO TRABALHO DE FINAL DE CURSO E-LEARNING: UM ESTUDO COMPARATIVO SOBRE AS FERRAMENTAS LECTORA 2004 E READYGO WEB COURSE BUILDER LUIZ ALBERTO GOMES UBERLÂNDIA, 2004

2 i LUIZ ALBERTO GOMES E-LEARNING: UM ESTUDO COMPARATIVO SOBRE AS FERRAMENTAS LECTORA 2004 E READYGO WEB COURSE BUILDER Trabalho de Fim de Curso apresentado à UNIMINAS, como requisito parcial à obtenção do título de Bacharel em Sistemas de Informação Orientador: Prof. Esp. Alexandre Campos Uberlândia 2004

3 ii LUIZ ALBERTO GOMES E-LEARNING: UM ESTUDO COMPARATIVO SOBRE AS FERRAMENTAS LECTORA 2004 E READYGO WEB COURSE BUILDER Trabalho de Fim de Curso apresentado à UNIMINAS, para obtenção do título de Bacharel em Sistemas de Informação Banca Examinadora: Uberlândia, 26 de Junho de 2004 Prof. Esp. Alexandre Campos Prof. D.Sc. Kátia Lopes Silva Prof. Esp. Alexandre Santos Rangel Prof. Esp. Walteno Martins Parreira Jr

4 A Deus, em primeiro lugar, AGRADECIMENTOS À minha esposa Cristina que não mediu esforços para suprir minhas ausências no dia a dia e deu-me força para seguir em frente, Aos meus filhos, Júnior, Isabella e Aline, que conviveram nesses quatro anos, com a falta de tempo e o orçamento apertado, ausências, trabalho, Aos meus pais que aceitaram todas as minhas justificativas das minhas Ao Prof. Hélio Oliveira Gandhi Ferrari, pela ajuda no momento crítico do Enfim, a todos os meus familiares e amigos que com o carinho, o amor e a presença, me apoiaram de uma forma ou de outra para que eu conseguisse superar mais esta etapa. iii

5 iv RESUMO A Internet é uma revolução. Alguns podem achar exagerada esta afirmação, ou mesmo discordar dela. Mas, se refletirem um pouco, concluirão que toda a sociedade mundial está sofrendo e sofrerá mudanças sociais e culturais radicais nos próximos anos. Na educação, o emprego da Internet pode servir como porta de entrada para a tão desejada revolução educacional, tornando-se ferramenta para uma prática pedagógica democrática, construída em conjunto por professores, alunos e toda a comunidade escolar. Quando se fala de e-learning, diz-se, fundamentalmente, de educação on-line. E por educação entende-se o processo de ensino-aprendizagem, que precisa ser visto como um processo de mão-dupla. A especificidade da educação on-line está precisamente no fato de utilizar tecnologias que permitem novas formas de interação primeiramente com conteúdos informativos. Esse é um dos aspectos que chama a atenção quando se trava contato com essas novas tecnologias. O outro aspecto é que são novas tecnologias também da comunicação, que permitem novas formas de interação entre pessoas. E essa é uma descoberta que se faz aos poucos. À medida que se vai entrando em ambientes on-line, percebe-se que, além da informação, estão disponíveis recursos de comunicação interpessoal com o uso dessas novas tecnologias. Esse aspecto da comunicação é que interessa especificamente quando se pensa em e-learning e em aprendizagem colaborativa. O e-learning vem demonstrando ser uma alternativa capaz de atender às exigências de rapidez, simultaneidade e custos compatíveis com o retorno desejado. Por tais motivos, vem sendo considerado por muitas organizações como um instrumento adequado para atender às suas necessidades na área de desenvolvimento organizacional. Este trabalho tem como objetivos: A partir de pesquisas sobre o e-learning, mostrar suas vantagens, destacando a utilização da Internet como plataforma de suporte para o

6 v desenvolvimento e emprego de ferramentas capazes de proporcionar ambientes de ensino a distância; Identificar as ferramentas para geração de cursos a distância disponíveis no mercado, bem como as desenvolvidas no ambiente acadêmico, apresentando as suas principais características; Realizar análise comparativa entre os softwares Lectora 2004 e ReadyGo Web Course Builder. PALAVRAS-CHAVE: E-LEARNING, FERRAMENTAS, LECTORA, READYGO

7 vi ABSTRACT The Internet is a revolution. Some people can think exaggerated this affirmation, or disagree with it. But, reflecting a little, they will conclude that all the society is suffering and will suffer social and cultural changes in the next years. In education, the use of Internet can serve as a portal for the educational revolution, becoming a tool for pedagogical practices, made by professors, pupils and the school community. When it is talking about e-learning, it is talking, basically, of on-line education. And per education comprehends the teach-learning process, which it needs to be seen as two-way process. The specificity of the on-line education is necessarily in the fact to use technologies that allow new forms of interaction with informative contents. This is one of the aspects that the attention calls when contacts with these new technologies. The other aspect is that they are new technologies also of the communication, which allow new forms of interaction between people. And this is a discovery that if makes to the few. To the measure that if goes entering in on-line environments, perceives that, beyond the information, resources of interpersonal communication are available with the use of these new technologies. This aspect of the communication is that it interests specifically when is thought about e-learning and in collaborative learning. e-learning comes demonstrating to be a capable alternative to attend the requirements of rapidity, simultaneity and compatible costs with the desired return. Because these reason, e-learning is being considered for many organizations as an appropriate instrument to serve its necessities in the organizational development area. The aim of this monograph is: From research about e-learning, to show its advantages, detaching the use of Internet as a platform of support for the development and application of tools to provide on-line education environments;

8 vii To identify the software for publishing e-learning content available in the market, as well as the developed ones in the academic environment, presenting its main characteristics; To carry through comparative analysis between software Lectora 2004 and ReadyGo Web Course Builder. KEY WORDS: E-LEARNING, TOOLS, LECTORA, READYGO

9 viii SUMÁRIO p. 1 INTRODUÇÃO Objetivos específicos Justificativa para a escolha do tema Estrutura da monografia CONCEITO DE E-LEARNING Conceitos de ensino a distância Outros termos usados em e-learning A importância da multimídia no aprendizado via e-learning Benefícios do e-learning Quebra da barreira geográfica Disponibilidade 24 horas por dia Redução dos custos Atualização fácil e imediata do conteúdo Melhor aproveitamento do tempo do aluno Foco individual em cada aluno Conteúdo do curso pode ser altamente especializado Formas de avaliação também podem ser altamente especializadas FERRAMENTAS PARA E-LEARNING Padrões Learning management system (LMS) Padrão AICC (Aviation Industry CBT Committee) Padrão SCORM (Shareable Content Object Reference Model) Padrão LRN (Learning Resource interchange) Lectora Principais características Versões disponíveis do software Requisitos mínimos do sistema...39

10 ix Centra Descrição das principais funcionalidades do Centra MicroPower Learning Suite (MPLS) Descrição dos Módulos Funcionais do MPLS Portal & Collaboration System Learning Management System Content Delivery System Content Assembly & Publishing System Question Mark Perception Aplicações da ferramenta Principais recursos ReadyGo Web Course Builder Características Recursos do Web Course Builder Requisitos para o autor Requisitos para o aluno Ambiente de desenvolvimento Elementos gerados pelo Web Course Builder Integração com o Learning Management System (LMS) Licença Web Course Builder Teleduc Requisitos para o servidor Requisitos para o usuário Ambiente VIAS-K (Virtual Institute Advanced System Knowledge) ANÁLISE COMPARATIVA Critérios para avaliação de softwares Indicadores Gerais Relativos a Qualquer Software Critérios de Desempenho Critérios de Interface com os Usuários Critérios Relativos ao Hardware e Outros Softwares Indicadores Específicos de Software de e-learning Do ponto de vista do desenvolvedor...64

11 x Do ponto de vista do orientador Do ponto de vista do aluno Do ponto de vista do administrador Lectora 2004 versus ReadyGo Web Course Builder CONCLUSÃO REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS...78

12 11 1 INTRODUÇÃO A Internet nasceu em 1969, nos Estados Unidos. Ela interligava originalmente laboratórios de pesquisa e se chamava ARPAnet (ARPA: Advanced Research Projects Agency), que era uma rede do Departamento de Defesa norte-americano. Era o auge da guerra fria, e os cientistas queriam uma rede que continuasse a transitar dados em caso de um bombardeio. Surgiu, então, o conceito básico da Internet: uma rede em que todos os pontos se equivalem e não há um comando central. Assim, se B deixa de funcionar, A e C continuam podendo se comunicar. O nome Internet propriamente dito surgiu bem mais tarde, quando a tecnologia da ARPAnet passou a ser usada para conectar universidades e laboratórios, primeiro nos EUA e depois em outros países. Por isso que não há um único lugar ou uma única instituição que "governa" a Internet. Hoje ela é um conjunto de mais de 40 mil redes no mundo inteiro. O que essas redes têm em comum é o protocolo TCP/IP (Transfer Control Protocol / Internet Protocol ), que permite que elas se comuniquem umas com as outras. O protocolo é a língua comum dos computadores que integram a Internet. Dessa forma, a Internet pode ser definida como uma rede de redes baseadas no protocolo TCP/IP ou como uma comunidade de pessoas que usam e desenvolvem essas redes ou ainda como uma coleção de recursos dos mais variados que podem ser compartilhados através destas redes. Durante cerca de duas décadas a Internet ficou restrita ao ambiente acadêmico e científico. Em 1987 pela primeira vez foi liberado seu uso comercial nos EUA. Mas foi em 1992 que a rede virou moda. Começaram a aparecer nos EUA várias empresas provedoras de acesso. Centenas de milhares de pessoas começaram a pôr informações na Internet, que se tornou uma mania mundial. No Brasil a sua exploração comercial foi liberada em 1995 (HISTÓRIA, 2003). A Internet é uma revolução. Alguns podem achar exagerada esta afirmação, ou mesmo discordar dela. Mas, se refletirem um pouco, concluirão

13 12 que toda a sociedade mundial está sofrendo e sofrerá mudanças sociais e culturais radicais nos próximos anos. Pela primeira vez um cidadão comum, a um custo baixo, pode ter acesso a informações localizadas nos mais distantes pontos do planeta e também gerar e distribuir informações em larga escala, em âmbito mundial. Isto até poucos anos atrás só era possível para grandes organizações através dos meios de comunicação convencionais. Esta revolução está afetando de forma substancial toda a estrutura de divulgação de informações existente no mundo, até então controlada exclusivamente por grandes empresas. Através da Internet qualquer pessoa poderá, de sua própria casa, oferecer os mais diversos tipos de serviço, a partir de um microcomputador, sem precisar da estrutura que uma empresa de grande porte poderia manter (PEREIRA, 1996). Na educação, o emprego da Internet pode servir como porta de entrada para a tão desejada revolução educacional, tornando-se ferramenta para uma prática pedagógica democrática, construída em conjunto por professores, alunos e toda a comunidade escolar. Os usuários da Internet têm à sua disposição a mais rápida e atualizada biblioteca do mundo. Se todo o seu potencial for explorado e revertido em favor da educação, seja através de pesquisas, visitas virtuais a museus, passeios virtuais pela Casa Branca, cidades distantes ou à Antarctica, etc, ela se tornará uma grande aliada do professor na tarefa de revolucionar nossa maneira de educar, mas, para que isso ocorra é preciso que os profissionais de educação estejam preparados para utilizá-la de modo benéfico. É importante despertar o interesse de professores e alunos para a Internet, investir na capacitação dos docentes, conscientizando-os de que usála não é apenas abrir páginas, copiando-as de forma automática, mas que ela seja utilizada para desenvolver a criatividade, o interesse pela leitura, escrita, contribuindo para a melhoria de todo o processo ensino-aprendizagem (BRITO, 1999). Não há dúvidas de que a Internet, como um instrumento de educação, ainda tem muito a ser explorado. Nos últimos tempos, houve um grande avanço nesse mercado, desde o investimento, por parte das empresas, em

14 13 cursos que capacitem melhor sua força de trabalho, até a criação de cursos universitários quase totalmente realizados via web. Na ânsia de multiplicar produtos e serviços, os cursos à distância vêm sendo desenvolvidos por empresas dos mais diversos segmentos, de agências de emprego a desenvolvedores de plataformas. Muitos, no entanto, oferecem conteúdos de baixa qualidade e geram ainda mais dúvida nos consumidores dessas soluções. Nos Estados Unidos, por exemplo, a preocupação com a qualidade do conteúdo dos cursos de e-learning é tanta que a ASTD (American Society for Training and Development) iniciou um programa de certificação. O objetivo é enfocar claramente fatores primordiais que devem ser considerados em um bom curso: desenho pedagógico-instrucional, facilidade e objetividade em seu uso, interface e utilização de recursos tecnológicos (CRESCIMENTO, 2003). Quando se fala de e-learning, diz-se, fundamentalmente, de educação on-line. E por educação entende-se o processo de ensino-aprendizagem, que precisa ser visto como um processo de mão-dupla. Um processo de construção de conhecimento, que é coletivo e acontece em todos os ângulos dessa relação. Não apenas o aprendiz, o educando, aprende, mas o educador também aprende. Ao se relacionar com aqueles que eram vistos como aprendizes, se coloca também como aprendiz. De outra parte, aqueles cuja tarefa principal era apenas aprender também se colocam ensinando, não só ao professor, mas também aos seus colegas de aprendizagem. De forma que o processo de ensino e aprendizagem se torna cada vez mais complexo e baseado em múltipla interação. A especificidade da educação on-line está precisamente no fato de utilizar tecnologias que permitem novas formas de interação primeiramente com conteúdos informativos. Esse é um dos aspectos que chama a atenção quando se trava contato com essas novas tecnologias. O outro aspecto é que são novas tecnologias também da comunicação, que permitem novas formas de interação entre pessoas. E essa é uma descoberta que se faz aos poucos. À medida que se vai entrando em ambientes on-line, percebe-se que, além da informação, estão disponíveis recursos de comunicação interpessoal com o uso dessas novas tecnologias. Esse aspecto

15 14 da comunicação é que interessa especificamente quando se pensa em e- Learning e em aprendizagem colaborativa. O rádio e a televisão permitem, a partir de um foco emissor, distribuir a informação para múltiplos receptores, característica básica dos veículos de comunicação de massa, a chamada comunicação de "um para muitos". Já o telefone é a tecnologia mais típica do "um a um", embora hoje ele permita que, utilizando o recurso viva-voz, comuniquem-se "muitos com muitos". O correio é outra tecnologia de comunicação "um a um" que, às vezes, é comunicação "um para muitos" também. Um grande avanço oferecido pelas novas tecnologias das redes informatizadas é que se pode combinar as diversas formas de comunicação, a de "um para muitos", e a web é o principal meio para se perceber isso, a comunicação "um a um", e o correio eletrônico é a mais conhecida ferramenta usada nesse tipo de comunicação. Mas é a comunicação de muitos para muitos, a ampla interação entre pessoas, interação coletiva em ambientes virtuais projetados para isso que é a grande novidade introduzida pelas novas tecnologias de informação e, especialmente, de comunicação. As novas tecnologias colaborativas, como as redes eletrônicas, configuram um novo patamar nas referências educacionais das empresas, podendo ser usadas para a construção coletiva do conhecimento e para a edificação de um ambiente virtual de compartilhamento de saberes. Portanto, diante das novas necessidades empresariais, decorrentes principalmente das freqüentes e rápidas mudanças no ambiente negocial, a educação corporativa teve que encontrar formas mais ágeis de levar aos funcionários esses novos conhecimentos. O e-learning vem demonstrando ser uma alternativa capaz de atender às exigências de rapidez, simultaneidade e custos compatíveis com o retorno desejado. Por tais motivos, vem sendo considerado por muitas organizações como um instrumento adequado para atender às suas necessidades na área de desenvolvimento organizacional. Para MEISTER (apud SOUZA, 2002), o apelo da rede mundial de computadores para a educação da força de trabalho é sua capacidade de

16 15 personalizar experiências de aprendizagem de acordo com as necessidades e preferências de cada indivíduo. Além disso, o treinamento permite, ainda, que seja feito o acompanhamento estatístico de cada experiência de aprendizagem, através de sistemas desenvolvidos com o objetivo de realizarem essa tarefa. Há que se ressaltar, no entanto, os pressupostos culturais que perpassam todo o processo de aprendizagem, independentemente da forma como este venha a ser instrumentalizado e operacionalizado pelas organizações. Para SCHEIN (apud SOUZA, 2002), a dinâmica da aprendizagem precisa estar fundamentada sobre valores básicos consistentes, propiciando sustentação a uma cultura para o aprendizado. GADOTTI (apud SOUZA, 2002) afirma que os sistemas educacionais vigentes ainda não conseguiram desenvolver metodologias e linguagens que possibilitem o uso consistente e sistematizado dos recursos da informática como meio de ensino, ressaltando que o maior obstáculo para o uso das novas tecnologias é a mudança da cultura do papel para a cultura digital. Esta transformação requer, portanto, muita atenção por parte das organizações que adotam o e- Learning nos processos de desenvolvimento de pessoal, pois a implantação desses elementos pode determinar mudanças culturais, cujo êxito depende, em grande parte, da estratégia a ser utilizada para sensibilizar seu pessoal, atentando para suas crenças e valores (AZEVEDO, 2004). 1.1 Objetivos específicos Este trabalho tem como objetivos: A partir de pesquisas sobre o e-learning, mostrar suas vantagens, destacando a utilização da Internet como plataforma de suporte para o desenvolvimento e emprego de ferramentas capazes de proporcionar ambientes de ensino a distância; Identificar as ferramentas para geração de cursos a distância disponíveis no mercado, bem como as desenvolvidas no ambiente acadêmico, apresentando as suas principais características; Realizar análise comparativa entre alguns softwares para e-learning e entre ambientes para criação de cursos na Web.

17 Justificativa para a escolha do tema O e-learning é uma modalidade de ensino que acontece através de uma rede, usualmente via Internet ou em uma intranet de uma instituição. Tem suas raízes no velho mundo do treinamento baseado em computadores, que surgiu no início dos anos 80 e utilizava CD-ROM para ensinar os profissionais técnicos. Atualmente, esse tipo de ensino é adotado nas empresas e em instituições acadêmicas (ROSSET apud BOGO, 2003). Essa modalidade de ensino desponta, rapidamente como a principal opção de ensino-aprendizagem para uma grande porcentagem das pessoas de todo o mundo. Com a agilidade que a sociedade moderna caminha, seus indivíduos necessitam de uma forma de atualização diferente dos moldes tradicionais. Problemas de tempo e espaço, formatos de apresentação de conteúdos, colaboração com outros indivíduos, entre outros, são devidamente supridos por essa modalidade de ensino (COSTA apud BOGO, 2003). O desenvolvimento das novas tecnologias tem promovido, no panorama mundial, um significativo incremento do ensino a distância, quer em termos do número de alunos envolvidos, quer em termos do número de universidades que passaram a incluir essa modalidade de ensino na sua oferta curricular (COSTA apud BOGO, 2003). Mais do que uma alternativa ao ensino que obriga professores e alunos a encontrarem-se no interior das quatro paredes da sala de aula (no mesmo espaço e no mesmo tempo), o ensino a distância parece apresentar-se hoje como resposta às necessidades emergentes de uma sociedade caracterizada por elevados níveis de competitividade, em que o "tempo" é um fator crítico no desenvolvimento dos indivíduos e das instituições: o acesso ao conhecimento deve ser possível a qualquer momento e em qualquer lugar e, acima de tudo, quando é considerado necessário e oportuno (BOGO, 2003). Estima-se que o setor, em todos os níveis, represente um mercado de US$ 2 trilhões. Nos Estados Unidos, responde por 8% do Produto Interno Bruto (PIB), atrás apenas dos planos de saúde. A título de exemplo, a Cisco Systems

18 17 investiu US$ 20 milhões em publicidade na televisão para mostrar como funciona o e-learning (BOGO, 2003). Segundo SOUZA (2002), grandes companhias mundiais, como a General Electric, a Motorola, a Xerox, a Chrysler e o Chase Manhattan Bank vêm realizando intensas buscas de novos caminhos que possibilitem a sua manutenção na vanguarda de suas respectivas áreas de atuação. De novas formas de relacionamentos com seus clientes a métodos inovadores de trabalho em todos os segmentos, as empresas não deixam também de inovar em suas áreas de desenvolvimento profissional, incluindo instrumentos como a intranet, a Internet, a programação baseada em satélite e a videoconferência interativa, mediante computador de mesa ou laptop. Acrescenta-se, ainda, de acordo com o Annual Survey of Corporate University Future Directions, que as universidades corporativas já estão oferecendo um quarto de todo o seu programa (24,2%) online via Internet ou uma intranet própria, sendo que, quando perguntadas sobre seus planos futuros, 89% delas responderam que tinham intenção de usar a aprendizagem on-line (MEISTER apud SOUZA, 2002). Nesse contexto, portanto, destaca-se o ensino a distância, que parece exercer um papel relevante nas estratégias de desenvolvimento de pessoal das organizações, em busca por maiores espaços no mercado e por ampliação de suas receitas operacionais. Convém lembrar que a educação permanente no contexto organizacional desponta como uma das condições para a sobrevivência das empresas em um mercado altamente competitivo. Esse constante aprimoramento parece desafiar e estimular os seus empregados na aquisição de novos conhecimentos, juntamente com a possibilidade de manter seu trabalho e de ter sua empregabilidade assegurada (SOUZA, 2002). No Brasil, em se tratando de estudos sobre as práticas da educação a distância, parecem escassas tais experiências, uma vez que se trata de um fenômeno recente. No entanto, registram-se significativas contribuições realizadas em ambientes para aprendizagem, tais como os desenvolvidos pelo Laboratório de Ensino a Distância da Universidade Federal de Santa Catarina

19 18 (Vias-K) e pelo Núcleo de Informática Aplicada à Educação da Unicamp (Teleduc). No Banco do Brasil, segundo documento elaborado pela sua área de recursos humanos, as premissas para um modelo de educação a distância, visando não só o acesso à informação, mas sua transformação em conhecimento aponta para um processo de ensino-aprendizagem sistemático e organizado, tendo como seu centro o aluno, não se resumindo apenas em disponibilizar informações. Com o objetivo de garantir a efetividade da aprendizagem, o modelo propõe a co-responsabilidade do gestor no estímulo à educação a distância e à utilização de diversas mídias. A escolha por uma delas será determinada pela sua adequabilidade e pelo nível de aprendizagem desejado para cada programa, tendo em vista os limites inerentes a cada mídia (SOUZA, 2002). Assim, para uma pesquisa de graduação que tem incentivos do Banco do Brasil, um estudo sobre ferramentas para e-learning, disponíveis no mercado ou desenvolvidas no ambiente acadêmico, mostra-se oportuno e adequado, já que os especialistas apontam para a utilização crescente do ensino a distância nas empresas que buscam o aperfeiçoamento profissional de seus empregados e, conseqüentemente, das próprias organizações como um todo articulado. Diante do exposto, espera-se que este trabalho venha contribuir, de forma consistente, para ampliação dos conhecimentos sobre o e-learning e para a escolha de ferramentas adequadas para o desenvolvimento de aplicações para educação a distância Estrutura da monografia Esta monografia está estruturada em 5 capítulos. No capítulo 1 é feita a introdução da dissertação, são apresentados os objetivos da pesquisa e a justificativa para a escolha do tema. No capítulo 2, é apresentada a fundamentação teórica da pesquisa, onde são feitas revisões bibliográficas sobre os conceitos, características e benefícios do e-learning, bem como da importância da multimídia no ensino a distância. No capítulo 3 são apresentadas algumas ferramentas para e-learning, disponíveis no mercado, como o Lectora 2004, Micro Power Learning Suite,

20 19 Centra, Question Mark Perception, ReadyGo Web Course Builder e outras desenvolvidas no meio acadêmico, como o Teleduc e o ViasK. Os padrões emergentes no mercado, como o AICC, SCORM, LRN, são abordados neste trabalho e suas principais características são apresentadas. No capítulo 4 são apresentados os critérios para avaliação de um software e resultados de análise comparativa entre os softwares Lectora 2004 e ReadyGo Web Course Builder. As conclusões e recomendações são apresentadas no capítulo 5 e, após, são listadas as referências bibliográficas.

21 20 2 CONCEITO DE E-LEARNING e-learning é uma modalidade de ensino a distância que possibilita a auto-aprendizagem, com a mediação de recursos didáticos sistematicamente organizados, apresentados em diferentes suportes tecnológicos de informação, utilizados isoladamente ou combinados, e veiculado através da Internet (REVOLUÇÃO, 2003) Conceitos de ensino a distância PERRY e RUMBLE (apud NUNES, 1993) afirmam que a característica básica da educação a distância é o estabelecimento de uma comunicação de dupla via, na medida em que professor e aluno não se encontram juntos na mesma sala requisitando, assim, meios que possibilitem a comunicação entre ambos como correspondência postal, correspondência eletrônica, telefone ou telex, rádio, "modem", videodisco controlado por computador, televisão apoiada em meios abertos de dupla comunicação, etc. Afirmam, também, que há muitas denominações utilizadas correntemente para descrever a educação à distância, como: estudo aberto, educação não-tradicional, estudo externo, extensão, estudo por contrato, estudo experimental. Contudo, nenhuma dessas denominações serve para descrever com exatidão educação à distância; são termos genéricos que, em certas ocasiões, incluem-na, mas não representam somente a modalidade à distância. Para exemplificar: um livro ou fascículo, desses que se intitulam "faça você mesmo"; um texto isolado de instrução programada; uma programação insulada de rádio ou um programa assistemático de televisão; não são formas de ensino a distância. Este pressupõe um processo educativo sistemático e organizado que exige não somente a dupla via de comunicação, como também a instauração de um processo continuado, onde os meios ou os multimeios devem estar presentes na estratégia de comunicação. A escolha de determinado meio ou

22 21 multimeios vem em razão do tipo de público, custos operacionais e, principalmente, eficácia para a transmissão, recepção, transformação e criação do processo educativo. KEEGAN (apud NUNES, 1993) afirma que o termo genérico de educação a distância inclui um conjunto de estratégias educativas referenciadas por: educação por correspondência, utilizado no Reino Unido; estudo em casa (home study), nos Estados Unidos; estudos externos (external studies), na Austrália; ensino a distância, na Open University do Reino Unido. E, também, téléenseignement, em francês; fernstudium/fernunterricht, em alemão; educación à distância, em espanhol; e Teleducação, em português. Em português, é bom lembrar, educação a distância, ensino a distância e Teleducação são termos utilizados para expressar o mesmo processo real. Contudo, algumas pessoas ainda confundem Teleducação como sendo somente educação por televisão, esquecendo que tele vem do grego, que significa ao longe ou, no nosso caso, à distância. Há diferenças entre educação à distância e educação aberta, porém ainda prevalece, principalmente nos projetos universitários fortes ilusão de semelhança entre ambos os conceitos. No caso da educação aberta, esta pode ser à distância ou presencial, o que a diferencia da educação tradicional, é que todos podem nela ingressar, independentemente de escolaridade anterior. O aluno pode organizar seu próprio currículo e ir vencendo-o por seu próprio ritmo. Além disso, na expressão educação à distância, pode-se ou não usar a crase, pois ela é facultativa neste caso, sendo obrigatória somente quando se define à distância, por exemplo: à distância de três metros. O termo "educação à distância" esconde-se sob várias formas de estudo, nos vários níveis que não estão sob a contínua e imediata supervisão de tutores presentes com seus alunos nas salas de leitura ou no mesmo local. A educação a distância se beneficia do planejamento, direção e instrução da organização do ensino. KEEGAN (apud NUNES, 1993) sumariza os elementos que considera centrais:

A que se propõe? Histórico e Evolução. Funcionalidades. Aplicações Comerciais. Tecnologias Envolvidas. Áreas Afetadas. Bibliografia. A que se propõe?

A que se propõe? Histórico e Evolução. Funcionalidades. Aplicações Comerciais. Tecnologias Envolvidas. Áreas Afetadas. Bibliografia. A que se propõe? O que é? Educação à Distância: [...]a modalidade de educação em que as atividades de ensino-aprendizagem são desenvolvidas majoritariamente (e em bom número de casos exclusivamente) sem que alunos e professores

Leia mais

Elaboração de videoaulas seguindo padrões de objetos de aprendizagem para disponibilização no serviço de educação a distância (EDAD) da RNP

Elaboração de videoaulas seguindo padrões de objetos de aprendizagem para disponibilização no serviço de educação a distância (EDAD) da RNP Elaboração de videoaulas seguindo padrões de objetos de aprendizagem para disponibilização no serviço de educação a distância (EDAD) da RNP Eduardo Barrére Liamara Scortegagna Atualizando o título: Elaboração

Leia mais

Capítulo 3 Gerenciadores de EaD baseada na Internet

Capítulo 3 Gerenciadores de EaD baseada na Internet 57 Capítulo 3 Gerenciadores de EaD baseada na Internet Hoje em dia ter a Internet como aliada é um recurso indispensável para qualquer educador ou responsável por treinamento corporativo que atue em qualquer

Leia mais

Sistemas de gerenciamento de aprendizagem: uma metodologia de avaliação

Sistemas de gerenciamento de aprendizagem: uma metodologia de avaliação Sistemas de gerenciamento de aprendizagem: uma metodologia de avaliação Mário Vasconcelos Andrade Universidade Tiradentes, Brasil mario_andrade@yahoo.com Francisco Vilar Brasileiro Universidade Federal

Leia mais

Experiência: E@D - PROJETO SERPRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

Experiência: E@D - PROJETO SERPRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Experiência: E@D - PROJETO SERPRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Serviço Federal de Processamento de Dados SERPRO Universidade Corporativa Ministério da Fazenda Responsável: Margareth Alves de Almeida - Chefe

Leia mais

FACULDADE ZACARIAS DE GÓES

FACULDADE ZACARIAS DE GÓES FACULDADE ZACARIAS DE GÓES DIEGO DE JESUS BONFIM EDUCAÇÃO ONLINE Valença Bahia Dezembro 2011 DIEGO DE JESUS BONFIM EDUCAÇÃO ONLINE Resenha a ser apresentada como avaliação da disciplina EAD em Ambiente

Leia mais

Catálogo de Cursos. Knowledge for excellence management

Catálogo de Cursos. Knowledge for excellence management Knowledge for excellence management Atenção: as informações deste catálogo estão sujeitas à alteração sem prévio aviso. Assegure-se de consultar sempre a revisão vigente deste documento. www.softexpert.com.br

Leia mais

Modelos educacionais e comunidades de aprendizagem

Modelos educacionais e comunidades de aprendizagem Modelos educacionais e comunidades de aprendizagem Temos literatura abundante sobre comunidades de aprendizagem, sobre a aprendizagem em rede, principalmente na aprendizagem informal. A sociedade conectada

Leia mais

NanowareCyber: Nosso negócio é sua formação.

NanowareCyber: Nosso negócio é sua formação. NanowareCyber: Nosso negócio é sua formação. PLATAFORMA AcademiaWeb Sistema de gerenciamento de escola virtual com gestão de conteúdo, transmissão de web-aula ao vivo e interação online com os participantes.

Leia mais

BLACKBOARD LEARNING SYSTEM ML

BLACKBOARD LEARNING SYSTEM ML BLACKBOARD LEARNING SYSTEM ML DA INFORMAÇÃO À EDUCAÇÃO Facilidade de uso e facilidade de integração têm sido as características de nossa implantação do Blackboard. Com 75.000 usuários e aproximadamente

Leia mais

webaula S/A 1 de 15 Grupo webaula Educação sem fronteiras

webaula S/A 1 de 15 Grupo webaula Educação sem fronteiras webaula S/A 1 de 15 Grupo webaula 1. LMS webaula O LMS WEBAULA (Learning Management System) foi desenvolvido especialmente para promover a capacitação e reciclagem teórica e prática dos colaboradores de

Leia mais

Profa Alessandra Regina Brito Mestre em Ciências Ambientais e Saúde Docente EAD Pós-graduações: Epidemiologia e Saúde Trabalhador Coordenação

Profa Alessandra Regina Brito Mestre em Ciências Ambientais e Saúde Docente EAD Pós-graduações: Epidemiologia e Saúde Trabalhador Coordenação Profa Alessandra Regina Brito Mestre em Ciências Ambientais e Saúde Docente EAD Pós-graduações: Epidemiologia e Saúde Trabalhador Coordenação Pedagógica Pós-graduação Epidemiologia Como surgiu a EAD O

Leia mais

Panorama da educação a distância na formação dos magistrados brasileiros

Panorama da educação a distância na formação dos magistrados brasileiros Panorama da educação a distância na formação dos magistrados brasileiros 7 e 8 de maio de 2015 Encontro de integração das Escolas da Magistratura Tema: Potencialidades e Desafios do Moodle um ambiente

Leia mais

O desenvolvimento da EaD pode ser descrito basicamente em três gerações, conforme os avanços e recursos tecnológicos e de comunicação de cada época.

O desenvolvimento da EaD pode ser descrito basicamente em três gerações, conforme os avanços e recursos tecnológicos e de comunicação de cada época. Educação a distância (EaD, também chamada de teleducação), por vezes designada erradamente por ensino à distância, é a modalidade de ensino que permite que o aprendiz não esteja fisicamente presente em

Leia mais

Manual do sistema. My e-learning objects. Laboratório de Engenharia de Software e Tecnologias de Informação e Comunicação

Manual do sistema. My e-learning objects. Laboratório de Engenharia de Software e Tecnologias de Informação e Comunicação Manual do sistema My e-learning objects Laboratório de Engenharia de Software e Tecnologias de Informação e Comunicação Manual do sistema - Meelo Autor: Alexandre Yukio Yamashita Laboratório de Engenharia

Leia mais

Projeto de Design Instrucional

Projeto de Design Instrucional Projeto de Design Instrucional Curso: Educação Financeira Modalidade: EaD on-line o que é Design Instrucional? A ação institucional e sistemática de ensino, que envolve o planejamento, o desenvolvimento

Leia mais

Curso de Especialização em Saúde da Família

Curso de Especialização em Saúde da Família MÓDULO: FAMILIARIZAÇÃO TECNOLÓGICA COM EAD UNIDADE 02 PROCESSO DE INTERAÇÃO EM EAD Prof. Msc Rômulo Martins 2.1 Interação em EAD A partir das novas mídias e tecnologias, tais como a televisão, o telefone

Leia mais

A PERCEPÇÃO DOS GESTORES EM RELAÇÃO À IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING: UM ESTUDO EM EMPRESAS EM DIFERENTES ESTÁGIOS DE IMPLANTAÇÃO

A PERCEPÇÃO DOS GESTORES EM RELAÇÃO À IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING: UM ESTUDO EM EMPRESAS EM DIFERENTES ESTÁGIOS DE IMPLANTAÇÃO 1 A PERCEPÇÃO DOS GESTORES EM RELAÇÃO À IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING: UM ESTUDO EM EMPRESAS EM DIFERENTES ESTÁGIOS DE IMPLANTAÇÃO Porto Alegre RS Abril 2010 Bianca Smith Pilla Instituto Federal de Educação,

Leia mais

Ferramentas Web para controle e supervisão: o que está por vir

Ferramentas Web para controle e supervisão: o que está por vir Artigos Técnicos Ferramentas Web para controle e supervisão: o que está por vir Marcelo Salvador, Diretor de Negócios da Elipse Software Ltda. Já faz algum tempo que ouvimos falar do controle e supervisão

Leia mais

A Educação a Distância no Brasil (2001 a 2006) Álvaro Augusto Araújo Mello 1

A Educação a Distância no Brasil (2001 a 2006) Álvaro Augusto Araújo Mello 1 A Educação a Distância no Brasil (2001 a 2006) Álvaro Augusto Araújo Mello 1 Partindo-se do pressuposto de que a educação a distância é entendida como a utilização de tecnologias que apóiam os vários processos

Leia mais

2 Objetos de Aprendizagem 2.1. Visão Geral do e-learning

2 Objetos de Aprendizagem 2.1. Visão Geral do e-learning 2 Objetos de Aprendizagem 2.1. Visão Geral do e-learning Nas últimas quatro décadas, mudanças econômicas e inovações tecnológicas transformaram nossa economia de um sistema baseado em produto para uma

Leia mais

Pequena história da Internet

Pequena história da Internet Pequena história da Internet A Internet nasceu em 1969, nos Estados Unidos. Interligava originalmente laboratórios de pesquisa e se chamava ARPAnet (ARPA: Advanced Research Projects Agency). Era uma rede

Leia mais

Objetos de aprendizagem como ambientes interativos de aprendizagem

Objetos de aprendizagem como ambientes interativos de aprendizagem Objetos de aprendizagem como ambientes interativos de aprendizagem Prof. Me. Wagner Antonio Junior Secretaria Municipal da Educação de Bauru e-mail: wag.antonio@gmail.com Pôster Pesquisa em andamento A

Leia mais

ESTUDO SOBRE A APRENDIZAGEM DA DOCÊNCIA NA ATUAÇÃO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: UMA ANÁLISE DA PERCEPÇÃO DOS PROFESSORES

ESTUDO SOBRE A APRENDIZAGEM DA DOCÊNCIA NA ATUAÇÃO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: UMA ANÁLISE DA PERCEPÇÃO DOS PROFESSORES ESTUDO SOBRE A APRENDIZAGEM DA DOCÊNCIA NA ATUAÇÃO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: UMA ANÁLISE DA PERCEPÇÃO DOS PROFESSORES Nara Dias Brito 1 ; Daniel Mill 2 Grupo 2.1. Docência na educação a distância: Formação

Leia mais

REVISÃO BIBLIOGRÁFICA: Educação à Distância

REVISÃO BIBLIOGRÁFICA: Educação à Distância REVISÃO BIBLIOGRÁFICA: Educação à Distância HERMOSILLA, Lígia Docente da Faculdade de Ciências Jurídicas e Gerenciais de Garça FAEG - Labienópolis - CEP 17400-000 Garça (SP) Brasil Telefone (14) 3407-8000

Leia mais

UM AMBIENTE ABERTO DE ENSINO À DISTÂNCIA PELA INTERNET

UM AMBIENTE ABERTO DE ENSINO À DISTÂNCIA PELA INTERNET RESUMO UM AMBIENTE ABERTO DE ENSINO À DISTÂNCIA PELA INTERNET Paulo Roberto de Castro Villela Agrosoft - Softex / Universidade Federal de Juiz de Fora Caixa Postal 20.037, Juiz de Fora MG, 36.016-970 Telefone:

Leia mais

UNIDADE II Conhecendo o Ambiente Virtual de Aprendizagem

UNIDADE II Conhecendo o Ambiente Virtual de Aprendizagem UNIDADE II Conhecendo o Ambiente Virtual de Aprendizagem 2.1 Introdução Caro Pós-Graduando, Nesta unidade, abordaremos o Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) que será utilizado no curso: o Moodle. Serão

Leia mais

Autor(es) BRUNO TEODOSIO GONÇALVES. Orientador(es) CECÍLIA SOSA ARIAS PEIXOTO, FLÁVIA LINHALIS. Apoio Financeiro FAPIC/UNIMEP. 1.

Autor(es) BRUNO TEODOSIO GONÇALVES. Orientador(es) CECÍLIA SOSA ARIAS PEIXOTO, FLÁVIA LINHALIS. Apoio Financeiro FAPIC/UNIMEP. 1. 19 Congresso de Iniciação Científica ESTUDO EXPLORATÓRIO SOBRE PADRÕES DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM PARA AMBIENTES COLABORATIVOS DE APRENDIZADO ELETRÔNICO Autor(es) BRUNO TEODOSIO GONÇALVES Orientador(es)

Leia mais

TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF)

TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF) TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF) Maio de 2007 Maria Rachel Barbosa Fundação Trompovsky (Apoio ao NEAD CENTRAN) rachel@centran.eb.br Vanessa Maria

Leia mais

Disciplina Ofertadas na modalidade Avaliação da Aprendizagem Acesso ao Ambiente Virtual Dúvida e Suporte

Disciplina Ofertadas na modalidade Avaliação da Aprendizagem Acesso ao Ambiente Virtual Dúvida e Suporte Sumário Apresentação O papel do Aluno Ambiente Virtual de Aprendizagem Disciplina Ofertadas na modalidade Avaliação da Aprendizagem Acesso ao Ambiente Virtual Dúvida e Suporte Dúvidas 3 5 6 9 10 11 14

Leia mais

PERCEPÇÃO DOS GESTORES SOBRE A IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING NA EMPRESA: ESTUDO DE CASO NA PORTO ALEGRE CLÍNICAS

PERCEPÇÃO DOS GESTORES SOBRE A IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING NA EMPRESA: ESTUDO DE CASO NA PORTO ALEGRE CLÍNICAS 1 PERCEPÇÃO DOS GESTORES SOBRE A IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING NA EMPRESA: ESTUDO DE CASO NA PORTO ALEGRE CLÍNICAS Porto Alegre RS Março 2010 Bianca Smith Pilla Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia

Leia mais

XIV SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA INFORMATIZAÇÃO DAS NORMAS E PROCEDIMENTOS DE MEDIÇÃO VIA INTRANET E INTERNET

XIV SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA INFORMATIZAÇÃO DAS NORMAS E PROCEDIMENTOS DE MEDIÇÃO VIA INTRANET E INTERNET XIV SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA INFORMATIZAÇÃO DAS NORMAS E PROCEDIMENTOS DE MEDIÇÃO VIA INTRANET E INTERNET Autores: OROMAR CÓRDOVA GILBERTO ALVES LOBATO COPEL Companhia Paranaense

Leia mais

Consultoria para desenvolvimento de estratégias de treinamento on-line

Consultoria para desenvolvimento de estratégias de treinamento on-line 1 2 A HIPOCAMPUS é uma empresa de consultoria em comunicação e ensino digital com foco nos profissionais de saúde. Estamos prontos a auxiliar empresas dos diferentes segmentos da área de saúde a estabelecer

Leia mais

Soluções em Software para Medicina Diagnóstica. www.digitalmed.com.br

Soluções em Software para Medicina Diagnóstica. www.digitalmed.com.br Soluções em Software para Medicina Diagnóstica www.digitalmed.com.br NOTA DE AGRADECIMENTO Primeiramente, agradecemos pela sua receptividade em conhecer as nossas soluções, afinal, é sempre uma imensa

Leia mais

PERSPECTIVAS DO PROJETO DE ENSINO FÁBRICA DE SOFTWARE *

PERSPECTIVAS DO PROJETO DE ENSINO FÁBRICA DE SOFTWARE * PERSPECTIVAS DO PROJETO DE ENSINO FÁBRICA DE SOFTWARE * Hudson Henrique de Souza LOPES 1 ; Wellington Garcia PEREIRA 2 ; Getúlio Antero de DEUS JÚNIOR 3. 1 Bolsista do PET EEEC/UFG hudsonhsl@hotmail.com.

Leia mais

EDUCAÇÃO EXECUTIVA PARA O MERCADO FINANCEIRO MAIO / 2005 108-TC-B4

EDUCAÇÃO EXECUTIVA PARA O MERCADO FINANCEIRO MAIO / 2005 108-TC-B4 1 EDUCAÇÃO EXECUTIVA PARA O MERCADO FINANCEIRO MAIO / 2005 108-TC-B4 NADINE WASSMER TREINA E-LEARNING treina@treina.com.br ROSANA GOMES CONTEÚDOS E HABILIDADES EDUCAÇÃO CORPORATIVA DESCRIÇÃO DE PROJETO

Leia mais

a) As características sob a forma de Ensino à Distância:

a) As características sob a forma de Ensino à Distância: Guia do curso EaD O parecer do Conselho Nacional de Educação, homologado pelo Ministro da Educação por meio de Portaria publicada no Diário Oficial, pode ser encontrado nos termos da Lei 9.394/96 (LDB),

Leia mais

O AMBIENTE DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA SOB A ÓTICA DE SISTEMAS DE PRODUÇÃO

O AMBIENTE DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA SOB A ÓTICA DE SISTEMAS DE PRODUÇÃO O AMBIENTE DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA SOB A ÓTICA DE SISTEMAS DE PRODUÇÃO Prof. Marcus Salerno de Aquino Universidade Federal da Paraíba/Centro de Ciências e Tecnologia CCT/UFPB salerno@dsc.ufpb.br Prof.

Leia mais

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade O caminho para o sucesso Promovendo o desenvolvimento para além da universidade Visão geral Há mais de 40 anos, a Unigranrio investe em ensino diferenciado no Brasil para cumprir com seu principal objetivo

Leia mais

Symantec University para Parceiros Perguntas freqüentes

Symantec University para Parceiros Perguntas freqüentes Symantec University para Parceiros Perguntas freqüentes Sumário INFORMAÇÕES GERAIS... 1 SYMANTEC UNIVERSITY PARA PARCEIROS... 1 TREINAMENTO... 2 SERVIÇO DE INFORMAÇÕES... 4 COLABORAÇÃO... 5 Informações

Leia mais

Gestão de Contextos Visão Calandra Soluções sobre Gestão da Informação em Contextos White Paper

Gestão de Contextos Visão Calandra Soluções sobre Gestão da Informação em Contextos White Paper Gestão de Contextos Visão Calandra Soluções sobre Gestão da Informação em Contextos White Paper ÍNDICE ÍNDICE...2 RESUMO EXECUTIVO...3 O PROBLEMA...4 ILHAS DE INFORMAÇÃO...4 ESTRUTURA FRAGMENTADA VS. ESTRUTURA

Leia mais

Resumo de TCC Desenvolvimento de um sistema ERP com foco nas tecnologias de software livre / código aberto

Resumo de TCC Desenvolvimento de um sistema ERP com foco nas tecnologias de software livre / código aberto UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina CTC Centro Tecnológico INE Departamento de Informática e Estatística INE5631 Projetos I Prof. Renato Cislaghi Resumo de TCC Desenvolvimento de um sistema ERP

Leia mais

Objetos de Aprendizagem para Educação a Distância Robson Santos da Silva

Objetos de Aprendizagem para Educação a Distância Robson Santos da Silva Objetos de Aprendizagem para Educação a Distância Robson Santos da Silva Novatec Copyright 2011 da Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998. É proibida

Leia mais

Áreas de utilização do GED e o que levar em consideração no Projeto de Implantação de GED em uma empresa Simone de Abreu

Áreas de utilização do GED e o que levar em consideração no Projeto de Implantação de GED em uma empresa Simone de Abreu Áreas de utilização do GED e o que levar em consideração no Projeto de Implantação de GED em uma empresa Simone de Abreu Cerca de dois milhões de pessoas estão trabalhando em aproximadamente 300 mil projetos

Leia mais

Ambientação ao Moodle. João Vicente Cegato Bertomeu

Ambientação ao Moodle. João Vicente Cegato Bertomeu Ambientação ao Moodle João Vicente Cegato Bertomeu AMBIENTAÇÃO A O MOODLE E S P E C I A L I Z A Ç Ã O E M SAUDE da FAMILIA Sumário Ambientação ao Moodle 21 1. Introdução 25 2. Histórico da EaD 25 3. Utilizando

Leia mais

INFLUÊNCIAS E POSSIBILIDADES DO USO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NA EDUCAÇÃO

INFLUÊNCIAS E POSSIBILIDADES DO USO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFLUÊNCIAS E POSSIBILIDADES DO USO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NA EDUCAÇÃO Gustavo Cançado de Azevedo O autor relaciona educação e tecnologia, tomando como ponto de partida a maneira com que os avanços

Leia mais

PROPOSTA DE UMA FERRAMENTA DE AUTORIA PARA A GERAÇÃO DE CONTEÚDOS ON-LINE. Maio/2005 023-TC-C5

PROPOSTA DE UMA FERRAMENTA DE AUTORIA PARA A GERAÇÃO DE CONTEÚDOS ON-LINE. Maio/2005 023-TC-C5 1 PROPOSTA DE UMA FERRAMENTA DE AUTORIA PARA A GERAÇÃO DE CONTEÚDOS ON-LINE Maio/2005 023-TC-C5 Viviane Guimarães Ribeiro Universidade de Mogi das Cruzes vivianegr@yahoo.com.br Saulo Faria Almeida Barretto

Leia mais

Referenciais de Qualidade adotados na Adaptação de um Curso a Distância

Referenciais de Qualidade adotados na Adaptação de um Curso a Distância 1 Referenciais de Qualidade adotados na Adaptação de um Curso a Distância Data de envio do trabalho: 06/11/2006 Ludmyla Rodrigues Gomes Escola Nacional de Administração Pública (ENAP) ludmyla.gomes@enap.gov.br

Leia mais

Sistemas de Informação

Sistemas de Informação Sistemas de Informação Informação no contexto administrativo Graduação em Redes de Computadores Prof. Rodrigo W. Fonseca SENAC FACULDADEDETECNOLOGIA PELOTAS >SistemasdeInformação SENAC FACULDADEDETECNOLOGIA

Leia mais

COMPUTAÇÃO EM NUVEM: TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS RELATÓRIO EXECUTIVO DE NEGÓCIOS

COMPUTAÇÃO EM NUVEM: TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS RELATÓRIO EXECUTIVO DE NEGÓCIOS COMPUTAÇÃO EM NUVEM: TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS TM RELATÓRIO EXECUTIVO DE NEGÓCIOS A visão da computação em nuvem por Aad van Schetsen, vicepresidente da Compuware Uniface, que mostra por que

Leia mais

Utilização do Ambiente virtual de aprendizagem TelEduc para a aprendizagem de línguas estrangeiras Girlene Medeiros (2013)

Utilização do Ambiente virtual de aprendizagem TelEduc para a aprendizagem de línguas estrangeiras Girlene Medeiros (2013) Utilização do Ambiente virtual de aprendizagem TelEduc para a aprendizagem de línguas estrangeiras Girlene Medeiros (2013) Questionamentos que devem ser enfrentados 1. Como você descreveria esse ambiente

Leia mais

2012 State of the Industry Survey

2012 State of the Industry Survey 2012 State of the Industry Survey Contact Information Por favor, preencha suas informações de contato (* indicates required information) Nome * Título * Title Razão Social completa da Empresa/Organização

Leia mais

e-uea - Um Ambiente de Suporte ao Ensino Presencial e Educação a Distância

e-uea - Um Ambiente de Suporte ao Ensino Presencial e Educação a Distância e-uea - Um Ambiente de Suporte ao Ensino Presencial e Educação a Distância Marly G. F. Costa 1, Ada Carvalho 2, Jorge Smorigo 2, Waldir Nonato 2 1 Universidade do Amazonas Núcleo de Tecnologia Eletrônica

Leia mais

Unidade I TECNOLOGIA. Material Instrucional. Profª Christiane Mazur

Unidade I TECNOLOGIA. Material Instrucional. Profª Christiane Mazur Unidade I TECNOLOGIA EDUCACIONAL EM EAD Material Instrucional Profª Christiane Mazur Ensinar Ensinar é, também, a arte de estimular o desejo de saber. EAD - Brasil 1904: Correspondência impressos; 1923:

Leia mais

GESTÃO E USO DAS MÍDIAS EM PROJETOS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

GESTÃO E USO DAS MÍDIAS EM PROJETOS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA GESTÃO E USO DAS MÍDIAS EM PROJETOS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 10 de maio de 2005 115-TC-E5 Categoria E - Gerenciamento e Logística Setor Educacional 5 - Educação Continuada em Geral Natureza do Trabalho

Leia mais

1. Apresentação. 1.1. Conexão Digital para o Desenvolvimento Social. 1.2. Engajamento na Iniciativa

1. Apresentação. 1.1. Conexão Digital para o Desenvolvimento Social. 1.2. Engajamento na Iniciativa 1. Apresentação 1.1. Conexão Digital para o Desenvolvimento Social A conexão Digital para o Desenvolvimento Social é uma iniciativa que abrange uma série de atividades desenvolvidas por ONGs em colaboração

Leia mais

INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA. Guia rápido

INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA. Guia rápido INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA Guia rápido A PLATAFORMA MOODLE Moodle (Modular Object Oriented Distance LEarning) é um Sistema para Gerenciamento de Cursos (SGC). Trata-se de um programa para computador

Leia mais

Tecnologia da Informação. Prof Odilon Zappe Jr

Tecnologia da Informação. Prof Odilon Zappe Jr Tecnologia da Informação Prof Odilon Zappe Jr Internet Internet Internet é o conglomerado de redes, em escala mundial de milhões de computadores interligados, que permite o acesso a informações e todo

Leia mais

Como produzir um Curso on line

Como produzir um Curso on line Como produzir um Curso on line 1 - Introdução Este tutorial visa estimular a produção de cursos on line na forma mais profissional possível. O público alvo deste tutorial é qualquer indivíduo interessado

Leia mais

softwares que cumprem a função de mediar o ensino a distância veiculado através da internet ou espaço virtual. PEREIRA (2007)

softwares que cumprem a função de mediar o ensino a distância veiculado através da internet ou espaço virtual. PEREIRA (2007) 1 Introdução Em todo mundo, a Educação a Distância (EAD) passa por um processo evolutivo principalmente após a criação da internet. Os recursos tecnológicos oferecidos pela web permitem a EAD ferramentas

Leia mais

INVGATE IT MANAGEMENT

INVGATE IT MANAGEMENT INVGATE IT MANAGEMENT Liderando la vanguardia IT Falar da origem da InvGate é falar das necessidades do mercado IT. Porque uma organização especializada em desenvolver IT Management Software é uma organização

Leia mais

DEFINIÇÃO DE METADADOS PARA O REPOSITÓRIO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM DA EAD - UFSC

DEFINIÇÃO DE METADADOS PARA O REPOSITÓRIO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM DA EAD - UFSC DEFINIÇÃO DE METADADOS PARA O REPOSITÓRIO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM DA EAD - UFSC Projeto desenvolvido junto ao Departamento de EAD/UFSC 2007-2008. Equipe: Profª. Edna Lucia da Silva e Profª. Ligia Café

Leia mais

PRIMAVERA PORTFOLIO MANAGEMENT DA ORACLE

PRIMAVERA PORTFOLIO MANAGEMENT DA ORACLE PRIMAVERA PORTFOLIO MANAGEMENT DA ORACLE RECURSOS GERENCIAMENTO DE PORTFÓLIO Entrega valor por meio de uma abordagem de estratégia em primeiro lugar para selecionar o conjunto ideal de investimentos Aproveita

Leia mais

Christiane dos Santos PEREIRA*, Samuel Pereira DIAS, Gabriel da SILVA Centro Federal de Educação Tecnológica de Bambuí-MG

Christiane dos Santos PEREIRA*, Samuel Pereira DIAS, Gabriel da SILVA Centro Federal de Educação Tecnológica de Bambuí-MG A UTILIZAÇÃO DE AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM COMO FERRAMENTA DE APOIO AO ENSINO PRESENCIAL: estudos preliminares e proposta de uma metodologia de implantação no CEFET-Bambuí Christiane dos Santos

Leia mais

CURSOS A DISTÂNCIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO

CURSOS A DISTÂNCIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO CURSOS A DISTÂNCIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO TUTORIAL PARA TUTORES PLATAFORMA MOODLE OURO PRETO 2014 1 SUMÁRIO 1. PRIMEIRO ACESSO À PLATAFORMA... 03 2. PLATAFORMA DO CURSO... 07 2.1 Barra de Navegação...

Leia mais

INTEGRAÇÃO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM NO AMBIENTE EUREKA

INTEGRAÇÃO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM NO AMBIENTE EUREKA INTEGRAÇÃO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM NO AMBIENTE EUREKA MARTINS, Silvio Antonio Rodrigues Junior - PUCPR silvio.martinsjr@uol.com.br BORTOLOZZI, Flávio - PUCPR fborto@ppgia.pucpr.br ELEUTÉRIO, Marco Antonio

Leia mais

Público Alvo: Investimento. Disciplinas: Profissionais graduados, que lidam ou estejam interessados em atuar com gestão e marketing de serviços.

Público Alvo: Investimento. Disciplinas: Profissionais graduados, que lidam ou estejam interessados em atuar com gestão e marketing de serviços. A Universidade Católica Dom Bosco - UCDB com mais de 50 anos de existência, é uma referência em educação salesiana no país, sendo reconhecida como a melhor universidade particular do Centro-Oeste (IGC/MEC).

Leia mais

Sistemas de Produtividade

Sistemas de Produtividade Sistemas de Produtividade Os Sistemas de Produtividade que apresentaremos em seguida são soluções completas e podem funcionar interligadas ou não no. Elas recebem dados dos aplicativos de produtividade,

Leia mais

COORDENAÇÃO DE ENSINO A DISTÂNCIA - EaD

COORDENAÇÃO DE ENSINO A DISTÂNCIA - EaD COORDENAÇÃO DE ENSINO A DISTÂNCIA - EaD TUTORIAL MOODLE VERSÃO ALUNO Machado/MG 2013 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 4 2. EDITANDO O PERFIL... 5 2.1 Como editar o perfil?... 5 2.2 Como mudar a senha?... 5 2.3

Leia mais

O MOODLE E O ENSINO À DISTÂNCIA: RESISTÊNCIA AO USO DA FERRAMENTA

O MOODLE E O ENSINO À DISTÂNCIA: RESISTÊNCIA AO USO DA FERRAMENTA 1 O MOODLE E O ENSINO À DISTÂNCIA: RESISTÊNCIA AO USO DA FERRAMENTA Brenno Marcus Pereira do Prado Engenharia Elétrica UFMG brennoprado@gmail.com Filipe Santana de Freitas Engenharia Elétrica UFMG bxcfilipe@gmail.com

Leia mais

O conceito de colaboração

O conceito de colaboração O conceito de colaboração O conceito de colaboração está ligado às técnicas que possibilitam que pessoas dispersas geograficamente possam trabalhar de maneira integrada, como se estivessem fisicamente

Leia mais

Módulo 1. Introdução. 1.1 O que é EAD?

Módulo 1. Introdução. 1.1 O que é EAD? Módulo 1. Introdução Cada vez mais o mundo social e do trabalho necessitam de sujeitos capazes de fazer a diferença através de suas ações e atitudes. A utilização do ambiente virtual, como meio de interação

Leia mais

Metodologias Utilizadas na Educação a Distância no Brasil

Metodologias Utilizadas na Educação a Distância no Brasil Metodologias Utilizadas na Educação a Distância no Brasil Resumo Autores: Bruno Antônio de Oliveira Yuri Cravo Fernandes Rodrigues de Oliveira O recente avanço das tecnologias de informação e comunicação

Leia mais

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras Núcleo de Pós Graduação Pitágoras MBA Gestão em TI Tópicos Especiais Informática Educativa no Brasil Professor: Fernando Zaidan 1 Referências: SANTINELLO, J. Informática educativa no Brasil e ambientes

Leia mais

Noções de redes de computadores e Internet

Noções de redes de computadores e Internet Noções de redes de computadores e Internet Evolução Redes de Comunicações de Dados Sistemas Centralizados Características: Grandes Centros de Processamentos de Dados (CPD); Tarefas Científicas; Grandes

Leia mais

Recurso E-Meeting para o Moodle: um relato do desenvolvimento de uma solução livre de webconferência otimizada para redes de baixo desempenho.

Recurso E-Meeting para o Moodle: um relato do desenvolvimento de uma solução livre de webconferência otimizada para redes de baixo desempenho. Recurso E-Meeting para o Moodle: um relato do desenvolvimento de uma solução livre de webconferência otimizada para redes de baixo desempenho. Resumo Este artigo apresenta uma solução de webconferência

Leia mais

TUTORIAL DE AMBIENTAÇÃO AO SGUS

TUTORIAL DE AMBIENTAÇÃO AO SGUS TUTORIAL DE TUTORIAL DE Sumário APRESENTAÇÃO 6 OBJETIVOS 8 CAPÍTULO 1 CONHECENDO OS MENUS DE NAVEGAÇÃO 10 CAPÍTULO 2 O SGUS NA PRÁTICA DOS GESTORES 22 CONCLUSÃO 28 REFERÊNCIAS 30 TUTORIAL DE Apresentação

Leia mais

A Influência da Plataforma de Gerenciamento de EAD no Desenvolvimento de Programas de Ensino via Web: uma experiência do LATEC/UFRJ

A Influência da Plataforma de Gerenciamento de EAD no Desenvolvimento de Programas de Ensino via Web: uma experiência do LATEC/UFRJ A Influência da Plataforma de Gerenciamento de EAD no Desenvolvimento de Programas de Ensino via Web: uma experiência do LATEC/UFRJ Telma Pará LATEC/UFRJ telma@coep.ufrj.br Cristina Haguenauer LATEC/UFRJ

Leia mais

EIMOBILE INSTITUIÇÕES DE ENSINO MOBILE

EIMOBILE INSTITUIÇÕES DE ENSINO MOBILE UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS CENTRO POLITÉCNICO TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS EIMOBILE INSTITUIÇÕES DE ENSINO MOBILE por Miguel Aguiar Barbosa Trabalho de curso II submetido como

Leia mais

Sincronização do Catálogo de Endereços no MDaemon 6.x com o uso do ComAgent, LDAP, MAPI e WAB

Sincronização do Catálogo de Endereços no MDaemon 6.x com o uso do ComAgent, LDAP, MAPI e WAB Sincronização do Catálogo de Endereços no MDaemon 6.x com o uso do ComAgent, LDAP, MAPI e WAB Alt-N Technologies, Ltd 1179 Corporate Drive West, #103 Arlington, TX 76006 Tel: (817) 652-0204 2002 Alt-N

Leia mais

Gestão de tecnologias na escola

Gestão de tecnologias na escola Gestão de tecnologias na escola Maria Elizabeth Bianconcini de Almeida 1 As tecnologias de informação e comunicação foram inicialmente introduzidas na educação para informatizar as atividades administrativas,

Leia mais

A importância da Informática na Educação

A importância da Informática na Educação A importância da Informática na Educação AGUIAR, Juliana Discente da Faculdade de Ciências Jurídicas e Gerenciais FAEG - Rua das Flores, 740 Bairro Labienópolis - CEP 17400-000 Garça (SP) Brasil Telefone

Leia mais

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E OS AMBIENTES VIRTUAIS DE APREDIZAGEM

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E OS AMBIENTES VIRTUAIS DE APREDIZAGEM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E OS AMBIENTES VIRTUAIS DE APREDIZAGEM Edivan Claudino Soares da Silva RESUMO O presente trabalho é fruto de uma adaptação do seminário de uma disciplina do Mestrado em Educação Brasileira

Leia mais

A atuação do TecSaúde e da Fundação do Desenvolvimento Administrativo para a formação em EAD de trabalhadores do SUS

A atuação do TecSaúde e da Fundação do Desenvolvimento Administrativo para a formação em EAD de trabalhadores do SUS A atuação do TecSaúde e da Fundação do Desenvolvimento Administrativo para a formação em EAD de trabalhadores do SUS São Paulo SP Maio 2012 Setor Educacional Educação Corporativa Classificação das Áreas

Leia mais

SOFTWARE PARA PROCESSO DE GERENCIAMENTO DE MATERIAIS DIDÁTICOS PARA EAD

SOFTWARE PARA PROCESSO DE GERENCIAMENTO DE MATERIAIS DIDÁTICOS PARA EAD 1 SOFTWARE PARA PROCESSO DE GERENCIAMENTO DE MATERIAIS DIDÁTICOS PARA EAD Pelotas, maio/2010 Luis Otoni Meireles Ribeiro Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense IFSul luis.otoni@gmail.com

Leia mais

TREINAMENTO CONTACTCENTER

TREINAMENTO CONTACTCENTER TREINAMENTO CONTACTCENTER CENTER CONTACT Os Contact Centers atuais têm um grande impacto nas empresas em diversos aspectos referentes a lucro, custos, inteligência de mercado e fidelização do cliente. Para

Leia mais

Potencialidades Tecnológicas e Educacionais - Parte II

Potencialidades Tecnológicas e Educacionais - Parte II UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA V SEMINÁRIO DE DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DOCENTE Patric da Silva Ribeiro patricribeiro@unipampa.edu.br Maicon Isoton maiconisoton@gmail.com Potencialidades Tecnológicas

Leia mais

Soluções em Software para Medicina Diagnóstica. www.digitalmed.com.br

Soluções em Software para Medicina Diagnóstica. www.digitalmed.com.br Soluções em Software para Medicina Diagnóstica www.digitalmed.com.br NOTA DE AGRADECIMENTO Primeiramente, agradecemos pela sua receptividade em conhecer as nossas soluções, afinal, é sempre uma imensa

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS COM ANDROID. Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS COM ANDROID. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

Considerações sobre uso de ambientes para ensino a distância

Considerações sobre uso de ambientes para ensino a distância Tânia Martins Preto 85 Considerações sobre uso de ambientes para ensino a distância Tânia Martins Preto (Mestre) Curso de Tecnologia em Processamento de Dados - Universidade Tuiuti do Paraná 86 Considerações

Leia mais

Sistema de Gestão de Aulas

Sistema de Gestão de Aulas Sistema de Gestão de Aulas criando cultura para o Ensino a Distância e melhorando o processo ensino-aprendizagem pela internet RICARDO CREPALDE* RESUMO O objetivo deste artigo é apresentar a experiência

Leia mais

ANÁLISE DE AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM PARA A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

ANÁLISE DE AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM PARA A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA ANÁLISE DE AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM PARA A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Isabelle Maria Lima de Souza 1, Maria Lúcia Serafim 2 1 Departamento de Educação a Distância, Instituto Brasileiro de Desenho Instrucional,

Leia mais

MBA em Gestão Estratégica e Marketing Digital Objetivo do curso:

MBA em Gestão Estratégica e Marketing Digital Objetivo do curso: Com carga horária de 420 horas o curso MBA em Gestão Estratégica e Marketing Digital é desenvolvido em sistema modular, com 01 encontro por bimestre (total de encontros no curso: 04) para avaliação nos

Leia mais

Teorias de e-learning Fábio Fernandes

Teorias de e-learning Fábio Fernandes Teorias de e-learning Fábio Fernandes O que é uma teoria? Uma teoria, nesse contexto, pode ser descrita como uma série de hipóteses que aplicam-se a todas as instâncias de um acontecimento ou assunto e

Leia mais

Sistema de Gestão dos Documentos da Engenharia [EDMS] O caminho para a Colaboração da Engenharia e Melhoria de Processos

Sistema de Gestão dos Documentos da Engenharia [EDMS] O caminho para a Colaboração da Engenharia e Melhoria de Processos Sistema de Gestão dos Documentos da Engenharia [EDMS] O caminho para a Colaboração da Engenharia e Melhoria de Processos O gerenciamento de informações é crucial para o sucesso de qualquer organização.

Leia mais

Automatizando o Data Center

Automatizando o Data Center Este artigo examina uma arquitetura alternativa que suporte a automação do data center e o provisionamento dinâmico sem a virtualização do sistema operacional. por Lori MacVittie Gerente Técnico de Marketing,

Leia mais

Editor de Questões E24H

Editor de Questões E24H Editor de Questões E24H Conteúdo: Apresentação O que é o Editor de Questões Objetivos Potencialidades Vantagens adicionais Visualização no site (Quem acessa o Editor de Questões) (não Para quem o Editor

Leia mais

Aula 15. Tópicos Especiais I Sistemas de Informação. Prof. Dr. Dilermando Piva Jr.

Aula 15. Tópicos Especiais I Sistemas de Informação. Prof. Dr. Dilermando Piva Jr. 15 Aula 15 Tópicos Especiais I Sistemas de Informação Prof. Dr. Dilermando Piva Jr. Site Disciplina: http://fundti.blogspot.com.br/ Conceitos básicos sobre Sistemas de Informação Conceitos sobre Sistemas

Leia mais

Ensinando Colaboração aos Estudantes

Ensinando Colaboração aos Estudantes Arq. Fernando Lima Autodesk Education ED4900_V Essa aula vai demonstrar o processo básico de colaboração usando o Autodesk Revit 2013, depois de preparar o projeto básico de arquitetura vamos simular um

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NTIC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 PERFIL ALUNO Versão 1.0 2014 NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NTIC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE

Leia mais