PATOLOGIAS EM ALVENARIA DE BLOCOS CERÂMICOS (2011) 1

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PATOLOGIAS EM ALVENARIA DE BLOCOS CERÂMICOS (2011) 1"

Transcrição

1 PATOLOGIAS EM ALVENARIA DE BLOCOS CERÂMICOS (2011) 1 RUBIN, Ariane P. 2 ; CERVO, Fernanda 3 ; PALMA, Cleomar 4 ; ALMEIDA, Leonardo 5 ; QUERUZ, Francisco 6 1 Trabalho de Pesquisa _UNIFRA 2 Curso de Arquitetura e Urbanismo do Centro Universitário Franciscano (UNIFRA), Santa Maria, RS, Brasil 3 Curso de Arquitetura e Urbanismo do Centro Universitário Franciscano (UNIFRA), Santa Maria, RS, Brasil 4 Curso de Arquitetura e Urbanismo do Centro Universitário Franciscano (UNIFRA), Santa Maria, RS, Brasil 5 Curso de Arquitetura e Urbanismo do Centro Universitário Franciscano (UNIFRA), Santa Maria, RS, Brasil 6 Curso de Arquitetura e Urbanismo do Centro Universitário Franciscano (UNIFRA), Santa Maria, RS, Brasil RESUMO Este estudo tem por objetivo identificar as patologias mais recorrentes nas edificações, que são construídas com alvenaria de blocos cerâmicos, apontando suas prováveis causas. O que se observa, é que muitas vezes, a competitividade do mercado imobiliário, que exigem um curto prazo para entrega das obras, bem como a escassez de mão-de-obra qualificada, tem ocasionado o aparecimento precoce de patologias nas edificações. Se conhecida suas causas é possível ser adotadas medidas preventivas ainda na fase de projeto, bem como cuidados na fase de execução da obra para se evitar o aparecimento de patologias e gastos posteriores desnecessários. Palavras-Chave: Patologias em alvenaria; Blocos cerâmicos; Percepção ambiental. 1. INTRODUÇÃO A alvenaria é um sistema construtivo feito com pedras, tijolos cerâmicos, blocos de concreto e cerâmico assentados, com ou sem argamassa de ligação, em fiadas horizontais ou ainda em camadas parecidas, que se repetem sobrepondo-se umas sobre as outras. 1

2 A mais utilizada na construção civil, atualmente, são as chamadas alvenarias de blocos cerâmicos (tijolos) que compreendem todos os materiais inorgânicos, não metálicos, obtidos após um tratamento térmico em temperaturas muito elevadas. A cerâmica vermelha, da qual foca este trabalho, apresenta entretanto algumas distinções e propriedades físico-mecânicas que devem ser levada em conta na hora da execução, para evitar aparecimentos de patologias e a necessidade de técnicas de reabilitação com o passar do tempo. 2. PATOLOGIAS A degradação das peças cerâmicas pode acontecer basicamente por agentes físicos externos (vegetação, chuvas, e a temperatura); agentes químicos internos (umidade) e agentes mecânicos (esforços de compressão, flexão e outros.) ou ainda por deficiência no próprio material e erros na fase de projeto e execução (SILVA, 2002). 2.1 Agentes físicos Vegetação: agem através dos poros do elemento cerâmico, afetando na estrutura estética do tijolo. Dependendo de sua intensidade pode ainda comprometer a estrutura física e mecânica do bloco, como na figura abaixo, onde foi removida a vegetação que revestia a parede. Figura 1: Parede onde foi retirada a trepadeira. Fonte: SILVA (2002, p. 10) Umidade/temperatura a) Erros na utilização de barreiras pára-vapor e de pinturas impermeáveis: como ocorre um variação de temperatura e pressão entre ambientes externos x internos se faz necessário a utilização de barreiras pára-vapor, para impedir as condensações entre a parede. Se má aplicada ou inexistente, pode ocorrer infiltrações e aparecimento de bolsas 2

3 de água na parede. O mesmo acontece em casos de platibandas, sem capeamento (SILVA, 2002). ( 2) (3) (4) Figura 2- Bolsas de água sob pintura ; Figura 3 - Platibanda sem capeamento; Figura 4 - Bolsa de água junto à platibandafonte: SILVA (2002, p. 76) b) Proteção inadequada contra a umidade ascensional: Silva e Abrantes (2007) asseveram que, quando má executada a impermeabilização na hora da construção das primeiras fiadas da parede, poderá ocorrer uma ascensão capilar da água do solo pela mesma, resultando degradação e deslocamento da tinta e manchas nos revestimentos, conforme observa-se nas figuras abaixo. (5) (6) (7) Figura 5- Parede exterior; Figura 6- Parede em contacto com varanda; Figura 7- Parede sobre pavimento térreo. Fonte: SILVA, J. M. da; ABRANTES, V. (2007, p.13) c) Preparação e aplicação inadequadas de rebocos hidráulicos tradicionais: o reboco hidráulico tem como função impedir infiltrações e controlar o teor de umidade para o interior do edifício. Sua incorreta aplicação pode ocasionar aparecimento de fissurações, ou comprometer com a estética e com a função do reboco hidráulico (SILVA, ABRANTES, 2007). Essas patologias podem ser observadas nas figuras abaixo. (8) (9) (10) 3

4 Figura 8- Fissuração sobre suporte antigo, Figura 9- Fissuração reticulada; Figura 10- Destacamento de reboco rígido. Fonte: SILVA, J. M. da; ABRANTES, V. (2007, p.14). d) Execução de peitoris com geometria e materiais inadequados: peitoris que apresentam uma superfície horizontal exposta, sem caixilho, vulnerável a ação e acumulo da chuva, possibilitam a infiltração da água. Essas patologia podem ser visualizadas a seguir: (11) (12) (13) Figura 11- Peitoril plano e frágil; Figura 12 - Peitoril com projeção reduzida; Figura 13- Escorrências laterais. Fonte: SILVA, J. M. da; ABRANTES, V. p. (2007, p. 16). e) Aplicação inadequada de revestimentos cerâmicos: Silva (2002), alerta que paredes muito esbeltas que estão sujeitas a variação térmicas, sem planejamento de juntas de dilatação, ou mal apoiadas podem sofrer fissuração e destacamento dos revestimentos, conforme demonstrado nas figuras a seguir: (14) (15) (16) Figura 7- Patologias identificadas no prédio D - (1) Descolamento generalizado; (2) Defeito localizado; (3) Defeito de execução (arremate). Fonte: SILVA (2002, p.204). 2.2 Agentes químicos Eflorescências : são manchas esbranquiçadas, conforme podem ser visualizadas, na figura 17, e surgem devido a uma reação química entre o cimento da argamassa e a água. O cimento entra em contato com o ar e reage formando uma 4

5 substância chamada carbonato de cálcio, que é um sal insolúvel de cor branca (SILVA, 2002). Figura 17- Eflorescência. Fonte: SILVA (2002, p.195). 2.3 Agentes Mecânicos Trincas ou fissuras: Thomaz (1989) alerta que os elementos e componentes construtivos se sujeitam a variações térmicas relacionadas às suas propriedades físicas diariamente, o que varia as suas dimensões por meio da dilatação e contração. A amplitude e a velocidade de tais movimentações térmicas devem ser consideradas para a análise das fissuras. As fissuras também podem surgir em conseqüência de alternância de ciclos de carregamento e descarregamento ou por solicitações alternadas de tração e compressão. Fissuras providas de: Sobrecarga: segundo Thomaz, (1989) nas alvenarias que recebem cargas uniformemente distribuídas podem surgir dois tipos característicos de trincas: verticais ou horizontais que provem da ruptura por compressão ou flexão da alvenaria ou da argamassa de assentamento. A deformação transversal da argamassa também pode provocar a ruptura por tração de nervuras internas dos blocos (figuras 18 e 19), o que geram, fissuras verticais e destacamentos do revestimento, como observa-se na figura 20. (18) (19) (20) Figura 18- Esmagamento da alvenaria; Figura 19- Esmagamento da vedação; Figura 20- Ruptura do revestimento. Fonte: SILVA, J. M. da; ABRANTES, V. (2007, p.17). 5

6 Deve-se evitar também as cargas excêntricas que podem romper com os componentes da alvenaria, surgindo fissuras a partir de tal ponto bem como em vértices de esquadrias. (21) (22) (23) Figura 21- Carga concentrada; Figura 22- Fissuração teórica; Figura 23- Fissuração real. Fonte: THOMAZ, (1989, p. 46) Flexão de vigas e lajes: a alvenaria é o ponto mais suscetível à flexão de vigas e lajes. Em paredes de vedação sem aberturas. Thomaz (1989) apresenta três configurações onde o componente de apoio pode sofre maior, menos ou igual deformação em relação ao superior.vejamos: (24) (25) (26) Figura 24- Apoio com deformação maior que o superior; Figura 25- Apoio com deformação menor que o superior Figura 26- Apoio com deformação igual ao superior. Fonte: THOMAZ, (1989, p. 46) Além disso, a viga em balanço pode sofrer flexão e pressionar a parede, apresentando esmagamentos no encontro com a viga, como demonstrado na figura abaixo. Figura 27 - Esmagamento. Fonte: SILVA, J. M. da; ABRANTES, V. (2007, p.20) Recalques de Fundação: Geralmente são trincas inclinadas que se confundem com as causadas por deflexão de componentes estruturais, porém possuem 6

7 aberturas maiores e de tamanhos variáveis que se direcionam ao ponto de maior recalque (THOMAZ, 1989). a) Recalques diferenciados oriundos de carregamentos desbalanceados: o trecho mais carregado demonstra maior recalque, formando trincas de cisalhamento. Figura 28 Recalque diferenciado. Fonte: THOMAZ, (1989, p. 48) aterro carregado: b) Recalques em edifícios de carga uniforme: por consolidações distintas do Figuras 29 e 30- Recalques por consolidações distintas do atero. Fonte: THOMAZ, (1989, p.50) Por interferência de uma construção de maior porte em uma menor: Figura 31- Recalques por interferência de uma construção. Fonte: THOMAZ, (1989, p. 50) Em decorrência do solo heterogêneo, uso fundações distintas e/ou rebaixamento do lençol freático, conforme visível nas figuras abaixo: 7

8 (32) (33) (34) Figura 32- solo heterogêneo; Figura 33- fundações distintas; Figura 34- rebaixamento do lençol freático. Fonte: THOMAZ, (1989, p. 51) c) Recalques diferenciados entre pilares: Figura 35- Recalques entre pilares. Fonte: THOMAZ, (1989, p. 52) Retração de produtos à base de cimento a) Retração de paredes e muros: diferentes retrações entre os componentes de alvenaria e argamassa de assentamento podem originar trincas e destacamentos com formação idêntica aquelas oriundas por variação de temperatura e umidades, as fissurações. Nas figuras abaixo, podem ser observadas tais patologias. (36) (37) Figura 36- Fissuração sobre consola; Figura 37- Fissuração em parede interior. Fonte: SILVA, 2002, p.81. 8

9 c) Recalque plástico da argamassa provoca abatimento da alvenaria recente: quando o encunhamento da parede com o componente estrutural superior é precoce, ocorre o destacamento (figura 38), entre a alvenaria e a estrutura. Figura 38 Destacamento entre alvenaria e a estrutura. Fonte: THOMAZ, (1989, p. 53) 3. PREVENÇÃO PARA AS POSSÍVEIS PATOLOGIAS Para se evitar o aparecimento de algumas das patologias mencionas, é valido lembrar que se faz necessário antes de tudo um cuidado a mais na hora da execução da edificação. Para encontrar a prevenção adequada para cada caso, é preciso então identificar a causa da patologia. De um modo geral, nas patologias causadas por infiltração e umidade é recomendado drenar a água junto a parede e impregná-la com produtos impermeabilizantes; reparar as rupturas, desobstruindo entupimentos ou ainda executar paredes duplas; bem como, permitir uma boa ventilação e isolamento térmico dos compartimentos (NAKAMURA, 2011). Nos casos mais simples de fissuras, onde não há necessidade de reforço de armadura, recomenda-se a limpeza do local e aplicação de produtos adequados e disponíveis no mercado para cada caso, bem como a utilização da chamada argamassa "podre", com traço 1:3:12 (cimento, cal e areia) para evitar novas patologias. Se tratando do destacamento do material ou ainda entre paredes e pilares, recomenda-se a inserção de material flexível ou com boa elasticidade no encontro dos mesmos, bem como, dependendo do grau de patologia, possíveis juntas de movimentação nos locais das trincas. 9

10 4. CONCLUSÃO Analisando através deste trabalho percebemos a significativa importância na construção civil das paredes de alvenaria, porém erros de projeto, mão-de-obra, fiscalização, uso de materiais de baixa qualidade ou inadequados, e ainda falta de manutenção da própria edificação pode comprometer com toda a estrutura de uma edificação. As mais diversas patologias geradas por essa falta de cuidado na construção só poderão ser corrigidas através de técnicas de reabilitação adequadas e especificas, e que forem realizadas de forma correta. Somente assim, com cuidados e fiscalização na hora de execução da construção é que a alvenaria cerâmica poderá desempenhar sua máxima função, sem causar riscos aos moradores e/ou usuários de uma determinada edificação, proporcionando maior durabilidade e menores custo, futuramente, com técnicas de reabilitação. REFERENCIAS NAKAMURA, JULIANA. Paredes de blocos cerâmicos Disponível em: <http://www.equipedeobra.com.br/construcao-reforma/18/imprime97056.asp.> 13 mar Acesso em: SILVA, J. M. da; ABRANTES, V. Patologia em paredes de alvenaria: causas e soluções. In: Seminário sobre Paredes de Alvenaria, P.B. Lourenço et al. (eds.), SILVA, J. M. Alvenarias não estruturais. Patologias e estratégias de reabilitação. In: Seminário sobre Paredes de Alvenaria, P.B. Lourenço & H. Sousa (Eds.), Porto, Técnicas de construção civil e construção de edifícios. Disponível em: Acesso em: 15 mar THOMAZ, E. Trincas em Edifícios: causas, prevenção e recuperação. São Paulo: Pini, EPUSP, IPT,

INCIDÊNCIAS PATOLÓGICAS EM FACHADAS E ÁREAS COMUNS DE EDIFICAÇÕES PARA ENSINO CASO DO CAMPUS DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

INCIDÊNCIAS PATOLÓGICAS EM FACHADAS E ÁREAS COMUNS DE EDIFICAÇÕES PARA ENSINO CASO DO CAMPUS DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ INCIDÊNCIAS PATOLÓGICAS EM FACHADAS E ÁREAS COMUNS DE EDIFICAÇÕES PARA ENSINO CASO DO CAMPUS DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ RESUMO PADARATZ, Ivo J. (1); CANOVA, José A. (2); DE MORI, Luci M. (3);

Leia mais

Patologia em Revestimentos de Fachada

Patologia em Revestimentos de Fachada PATOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES Revestimentos de 1 Nome:Fernando Marques Ribeiro Matricula: 27667 Docente: Orlando Carlos B. Damin Artigo: Fonte: Editora: Ordem dos Engenheiros Região Norte / 2011 Autores: Ana

Leia mais

PATOLOGIAS NOS SISTEMAS DE REVESTIMENTOS DE FACHADAS

PATOLOGIAS NOS SISTEMAS DE REVESTIMENTOS DE FACHADAS Setembro, 2009 PATOLOGIAS NOS SISTEMAS DE REVESTIMENTOS DE FACHADAS 1 O QUE NÃO QUEREMOS: O QUE NÃO QUEREMOS, MESMO!! 2 NUNCA!!!! JAMAIS! 3 NA MINHA OBRA NÃO! Fonte:FUMEC É CADA UMA... 4 JÁ? TÃO CEDO...

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Escola de Minas DECIV Patologia das Construções. Patologia das Fundações

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Escola de Minas DECIV Patologia das Construções. Patologia das Fundações UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Escola de Minas DECIV Patologia das Construções Patologia das Fundações ETAPAS IMPORTANTES: Determinar o número de furos de sondagem, bem como a sua localização; Analisar

Leia mais

UMIDADES E IMPERMEABILIZAÇÕES

UMIDADES E IMPERMEABILIZAÇÕES 200888 Técnicas das Construções I UMIDADES E IMPERMEABILIZAÇÕES Prof. Carlos Eduardo Troccoli Pastana pastana@projeta.com.br (14) 3422-4244 AULA 5 o Impermeabilização é a proteção das construções contra

Leia mais

Principais funções de um revestimento de fachada: Estanqueidade Estética

Principais funções de um revestimento de fachada: Estanqueidade Estética REVESTIMENTO DE FACHADA Principais funções de um revestimento de fachada: Estanqueidade Estética Documentos de referência para a execução do serviço: Projeto arquitetônico Projeto de esquadrias NR 18 20

Leia mais

ENGº DANIEL GARCIA DE GARCIA LAUDO DE VISTORIA TÉCNICA - FORO DA COMARCA PELOTAS

ENGº DANIEL GARCIA DE GARCIA LAUDO DE VISTORIA TÉCNICA - FORO DA COMARCA PELOTAS ENGº DANIEL GARCIA DE GARCIA LAUDO DE VISTORIA TÉCNICA - FORO DA COMARCA PELOTAS PORTO ALEGRE MARÇO DE 2013 DADOS DO SERVIÇO: Cliente: DEAM - TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL FORO DA

Leia mais

RELATÓRIO DE VISTORIA DE REFORMA Programa de Ação Cooperativa - Estado Município

RELATÓRIO DE VISTORIA DE REFORMA Programa de Ação Cooperativa - Estado Município RELATÓRIO DE VISTORIA DE REFORMA Programa de Ação Cooperativa - Estado Município EE JARDIM XXXXX XXXXXXXXXXX - XXXXXXX MUNICÍPIO CÓDIGO 00.00.000 OBJETO DO CONVÊNIO: Xxxxxxx DATA: 00.00.2008 Profissional

Leia mais

Tecnologia da Construção IMPERMEABILIZAÇÃO. Profº Joel Filho

Tecnologia da Construção IMPERMEABILIZAÇÃO. Profº Joel Filho Tecnologia da Construção IMPERMEABILIZAÇÃO Profº Joel Filho Introdução: Impermeabilização NBR 9575/2003 - Elaboração de Projetos de Impermeabilização Item 6 Projeto 6.1. Elaboração e responsabilidade técnica

Leia mais

MANUAL DO FABRICANTE:

MANUAL DO FABRICANTE: MANUAL DO FABRICANTE: ALVENARIA ESTRUTURAL Características e especificações, instruções de transporte, estocagem e utilização. GESTOR: Engenheiro civil EVERTON ROBSON DOS SANTOS LISTA DE TABELAS Tabela

Leia mais

PLANO DE DIVULGAÇÃO DO CONHECIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO LABORATÓRIO REGIONAL DE ENGENHARIA CIVIL 2014 MARÇO ABRIL MAIO JUNHO

PLANO DE DIVULGAÇÃO DO CONHECIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO LABORATÓRIO REGIONAL DE ENGENHARIA CIVIL 2014 MARÇO ABRIL MAIO JUNHO MARÇO Curso: Projeto Geotécnico de Acordo com os Euro códigos Data: 10 a 14 de Março de 2014 Presencial: 250 Via internet: 200 ABRIL Curso: Reabilitação Não-Estrutural de Edifícios Data: 29 a 30 de Abril

Leia mais

Fabricação de blocos cerâmicos. Classificação dos materiais pétreos. Fabricação de blocos cerâmicos. Classificação dos produtos cerâmicos

Fabricação de blocos cerâmicos. Classificação dos materiais pétreos. Fabricação de blocos cerâmicos. Classificação dos produtos cerâmicos Classificação dos materiais pétreos Fabricação de blocos cerâmicos Pedras naturais: encontradas in natura, usadas normalmente após beneficiamento. Ex.: agregados, placas de rocha para revestimento. Pedras

Leia mais

Soluções para Alvenaria

Soluções para Alvenaria Aços Longos Soluções para Alvenaria BelgoFix Tela BelgoRevest Murfor BelgoFix Telas Soldadas Galvanizadas para Alvenaria BelgoFix : marca registrada da Belgo Bekaert Arames BelgoFix são telas soldadas

Leia mais

a) 0:1:3; b) 1:0:4; c) 1:0,5:5; d) 1:1,5:7; e) 1:2:9; f) 1:2,5:10

a) 0:1:3; b) 1:0:4; c) 1:0,5:5; d) 1:1,5:7; e) 1:2:9; f) 1:2,5:10 ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE CONSTRUÇÃO CIVIL PCC 2435 - TECNOLOGIA DE CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS I DEFINIÇÃO E DOSAGEM DE ARGAMASSAS PARA ASSENTAMENTO DE

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Escola de Minas DECIV Patologia das Construções. Patologia: Impermeabilização X Umidade

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Escola de Minas DECIV Patologia das Construções. Patologia: Impermeabilização X Umidade UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Escola de Minas DECIV Patologia das Construções Patologia: Impermeabilização X Umidade Impermeabilidade das construções Impedir a passagem indesejável água, fluído e

Leia mais

REVESTIMENTO CERÂMICOS

REVESTIMENTO CERÂMICOS SEMINÁRIOS DE AVALIAÇÕES E PERÍCIAS DE ENGENHARIA REALIZAÇÃO: IBAPE NACIONAL E IBAPE PR Dias 18 e 19 de setembro de 2014 Foz do Iguaçu-PR II Seminário Nacional de Perícias de Engenharia PERÍCIAS EM FACHADAS

Leia mais

IMPERMEABILIZAÇÃO EM EDIFICAÇÕES

IMPERMEABILIZAÇÃO EM EDIFICAÇÕES IMPERMEABILIZAÇÃO EM EDIFICAÇÕES Necessidade da impermeabilização Introdução a Impermeabilização Projeto de impermeabilização Execução de impermeabilização 1 - A NECESSIDADE DA IMPERMEABILIZAÇÃO Problemas

Leia mais

Seminário Integrado sobre Direito do Urbanismo Centro de Estudos Judiciários 26-01-2012

Seminário Integrado sobre Direito do Urbanismo Centro de Estudos Judiciários 26-01-2012 Seminário Integrado sobre Direito do Urbanismo Centro de Estudos Judiciários 26-01-2012 Construção civil Execução de obras, tais como moradias, edifícios, pontes, barragens, estradas, aeroportos e outras

Leia mais

Blocos e Alicerces CONCEITO

Blocos e Alicerces CONCEITO CONCEITO Os blocos são elementos estruturais de grande rigidez que são ligados pelas vigas baldrame. Sua profundidade varia de 0,5 a 1 metro. São utilizados quando há atuação de pequenas cargas, como em

Leia mais

AVALIAÇÃO DAS MANIFESTAÇÕES PATOLÓGICAS DA UMIDADE DE EDIFICAÇÕES EM CIDADES DO VALE DO JEQUITINHONHA E MUCURI MG

AVALIAÇÃO DAS MANIFESTAÇÕES PATOLÓGICAS DA UMIDADE DE EDIFICAÇÕES EM CIDADES DO VALE DO JEQUITINHONHA E MUCURI MG AVALIAÇÃO DAS MANIFESTAÇÕES PATOLÓGICAS DA UMIDADE DE EDIFICAÇÕES EM CIDADES DO VALE DO JEQUITINHONHA E MUCURI MG Michele Batista Ramalho michelebatram@hotmail.com Rede de Ensino Doctum R. Gustavo Leonardo,

Leia mais

DICAS PARA PREVENIR PROBLEMAS

DICAS PARA PREVENIR PROBLEMAS DICAS PARA PREVENIR PROBLEMAS Impermeabilização adequada das fundações de estruturas da obra. Todas as fundações e estruturas da obra com infiltração ou impermeabilização inadequada, principalmente no

Leia mais

VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DA ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO

VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DA ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DA ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO 1a. parte: TÉCNICA Engenheiro Civil - Ph.D. 85-3244-3939 9982-4969 la99824969@yahoo.com.br skipe: la99824969 de que alvenaria

Leia mais

Impermeabilização de edificações residenciais urbanas

Impermeabilização de edificações residenciais urbanas Impermeabilização de edificações residenciais urbanas Serviços Reparo - Proteção Impermeabilização - Graute Atuação em todo território nacional em obras de infraestrutura www.rossetiimper.com.br Aplicador

Leia mais

MANIFESTAÇÕES PATOLÓGICAS DE ALVENARIA: UMA ANÁLISE DE CAUSA E EFEITO

MANIFESTAÇÕES PATOLÓGICAS DE ALVENARIA: UMA ANÁLISE DE CAUSA E EFEITO TEMA I Patologías de las construcciones MANIFESTAÇÕES PATOLÓGICAS DE ALVENARIA: UMA ANÁLISE DE CAUSA E EFEITO Cristiano Richter 1,a, Ângela Borges Masuero 2,b e Carlos Torres Formoso 3,c 1 NORIE/UFRGS,

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. 2.0 - Calçadas Externas/rampa/escada:

MEMORIAL DESCRITIVO. 2.0 - Calçadas Externas/rampa/escada: PROJETO Nº 051/2013 Solicitação: Memorial Descritivo Tipo da Obra: Reforma, ampliação e adequação acesso Posto de Saúde Santa Rita Área existente: 146,95 m² Área ampliar: 7,00 m² Área calçadas e passeio:

Leia mais

A importância dos projetos no processo (executivo de paredes de concreto)

A importância dos projetos no processo (executivo de paredes de concreto) A importância dos projetos no processo (executivo de paredes de concreto) - Fatores Críticos de Sucesso Francisco Paulo Graziano Características necessárias das estruturas dos em parede estrutural Facilidade

Leia mais

ALVENARIA ESTRUTURAL: DISCIPLINA: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II PROF.: JAQUELINE PÉRTILE

ALVENARIA ESTRUTURAL: DISCIPLINA: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II PROF.: JAQUELINE PÉRTILE ALVENARIA ESTRUTURAL: BLOCOS DE CONCRETO DISCIPLINA: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II PROF.: JAQUELINE PÉRTILE O uso de alvenaria como sistema estrutural já vem sendo usado a centenas de anos, desde as grandes

Leia mais

ANÁLISE DAS PATOLOGIAS EXISTENTES NO CONJUNTO HABITACIONAL MONTE CARLO PRESIDENTE PRUDENTE

ANÁLISE DAS PATOLOGIAS EXISTENTES NO CONJUNTO HABITACIONAL MONTE CARLO PRESIDENTE PRUDENTE Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 187 ANÁLISE DAS PATOLOGIAS EXISTENTES NO CONJUNTO HABITACIONAL MONTE CARLO PRESIDENTE PRUDENTE Gabriella Fernandes

Leia mais

concreto É unir economia e sustentabilidade.

concreto É unir economia e sustentabilidade. concreto É unir economia e sustentabilidade. A INTERBLOCK Blocos e pisos de concreto: Garantia e confiabilidade na hora de construir. Indústria de artefatos de cimento, que já chega ao mercado trazendo

Leia mais

E S T A D O D O M A T O G R O S S O. Prefeitura Municipal de Jaciara

E S T A D O D O M A T O G R O S S O. Prefeitura Municipal de Jaciara MEMORIAL DESCRITIVO REDE CEGONHA - HOSPITAL MUNICIPAL JACIARA/MT O presente memorial descritivo define diretrizes referentes à reforma do espaço destinado a Programa REDE CEGONHA no Hospital Municipal

Leia mais

CAPÍTULO IV - ALVENARIA

CAPÍTULO IV - ALVENARIA CAPÍTULO IV - ALVENARIA Alvenaria é a arte ou ofício de pedreiro ou alvanel, ou ainda, obra composta de pedras naturais ou artificiais, ligadas ou não por argamassa. Segundo ZULIAN et al. (2002) também

Leia mais

TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL E CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS

TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL E CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL E CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS 4 - ALVENARIA APÓS ESTUDAR ESTE CAPÍTULO; VOCÊ DEVERÁ SER CAPAZ DE: Escolher a alvenaria adequada; Orientar a elevação das paredes (primeira fiada,

Leia mais

PRÉ-DIMENSIONAMENTO DA ESTRUTURA

PRÉ-DIMENSIONAMENTO DA ESTRUTURA ECC 1008 ESTRUTURAS DE CONCRETO PRÉ-DIMENSIONAMENTO DA ESTRUTURA (Aulas 9-12) Prof. Gerson Moacyr Sisniegas Alva Algumas perguntas para reflexão... É possível obter esforços (dimensionamento) sem conhecer

Leia mais

ESQUADRIAS MÉTODO EXECUTIVO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 8º Período Turmas C01, C02 e C03 Disc. Construção Civil II

ESQUADRIAS MÉTODO EXECUTIVO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 8º Período Turmas C01, C02 e C03 Disc. Construção Civil II E ESQUADRIAS MÉTODO EXECUTIVO Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 8º Período Turmas C01, C02 e C03 Disc. Construção Civil II MÉTODO EXECUTIVO Cuidados no Recebimento Formas de Instalação

Leia mais

PATOLOGIAS DOS SISTEMAS DE ISOLAMENTO TÉRMICO DE FACHADAS PELO EXTERIOR DO TIPO ETICS

PATOLOGIAS DOS SISTEMAS DE ISOLAMENTO TÉRMICO DE FACHADAS PELO EXTERIOR DO TIPO ETICS PATOLOGIAS DOS SISTEMAS DE ISOLAMENTO TÉRMICO DE FACHADAS PELO EXTERIOR DO TIPO ETICS Vasco Peixoto de Freitas Vasco Peixoto de Freitas FEUP/APFAC Porto 2015-1 ESTRUTURAÇÃO 1. Introdução Eficiência energética

Leia mais

Soluções para Alvenaria

Soluções para Alvenaria Aços Longos Soluções para Alvenaria BelgoFix Tela BelgoRevest Produtos Murfor BelgoFix Telas Soldadas Galvanizadas para Alvenaria BelgoFix são telas soldadas produzidas com fio de 1,65 mm de diâmetro e

Leia mais

PATOLOGIA DAS ALVENARIAS

PATOLOGIA DAS ALVENARIAS UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE MATERIAIS E CONSTRUÇÃO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM CONSTRUÇÃO CIVIL PATOLOGIA DAS ALVENARIAS Causa / Diagnóstico /

Leia mais

PROVA DE ENGENHARIA CIVIL. Para uma viga bi-apoiada, com carga concentrada, se desprezarmos o efeito do peso próprio, é CORRETO afirmar:

PROVA DE ENGENHARIA CIVIL. Para uma viga bi-apoiada, com carga concentrada, se desprezarmos o efeito do peso próprio, é CORRETO afirmar: 18 PROVA DE ENGENHARIA CIVIL QUESTÃO 41 Para uma viga bi-apoiada, com carga concentrada, se desprezarmos o efeito do peso próprio, é CORRETO afirmar: a) o diagrama do esforço cortante (DEC) é composto

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Escola de Minas DECIV Técnicas Construtivas. Prof. Guilherme Brigolini

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Escola de Minas DECIV Técnicas Construtivas. Prof. Guilherme Brigolini UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Escola de Minas DECIV Técnicas Construtivas Prof. Guilherme Brigolini Impermeabilidade das construções Impedir a passagem indesejável água, fluído e vapores Pode conter

Leia mais

Patologias em Prédio de Alvenaria Estrutural Inspeção de Curta Duração

Patologias em Prédio de Alvenaria Estrutural Inspeção de Curta Duração Patologias em Prédio de Alvenaria Estrutural Inspeção de Curta Duração Adilson Rabello Dalbone 1 Resumo O sistema de construção em alvenaria estrutural vem sendo empregado há muitos anos em todo o mundo,

Leia mais

CAPÍTULO III SISTEMAS ESTRUTURAIS CONSTRUÇÕES EM ALVENARIA

CAPÍTULO III SISTEMAS ESTRUTURAIS CONSTRUÇÕES EM ALVENARIA 1 CAPÍTULO III SISTEMAS ESTRUTURAIS CONSTRUÇÕES EM ALVENARIA I. SISTEMAS ESTRUTURAIS Podemos citar diferentes sistemas estruturais a serem adotados durante a concepção do projeto de uma edificação. A escolha

Leia mais

Sistema Construtivo em PAREDES DE CONCRETO PROJETO

Sistema Construtivo em PAREDES DE CONCRETO PROJETO Sistema Construtivo em PAREDES DE CONCRETO PROJETO Arnoldo Wendler Sistema Construtivo 1 Sistema Construtivo 2 Sistema Construtivo Sistema Construtivo 3 Sistema Construtivo Comunidade da Construção DIRETRIZES

Leia mais

Gesso Acartonado CONCEITO

Gesso Acartonado CONCEITO CONCEITO As paredes de gesso acartonado ou Drywall, são destinados a dividir espaços internos de uma mesma unidade. O painel é composto por um miolo de gesso revestido por um cartão especial, usado na

Leia mais

Aula 23: IMPERMEABILIZAÇÃO

Aula 23: IMPERMEABILIZAÇÃO PCC-2436 ecnologia da Construção de Edifícios II Escola Politécnica da Universidade de São Paulo Departamento de Engenharia de Construção Civil PCC-2436 ecnologia da Construção de Edifícios II Aula 23:

Leia mais

SISTEMAS CONSTRUTIVOS Professor:Regialdo BLOCOS DE CONCRETO

SISTEMAS CONSTRUTIVOS Professor:Regialdo BLOCOS DE CONCRETO SISTEMAS CONSTRUTIVOS Professor:Regialdo BLOCOS DE CONCRETO CONCEITO A tipologia estrutural composta por bloco, argamassa, graute e eventualmente armações é responsável por um dos sistemas construtivos

Leia mais

Reforço de fundação do Tipo Tubulão em Torres de Telecomunicacões Anderson Alvarenga Ferreira 1, Tulio Acerbi 2

Reforço de fundação do Tipo Tubulão em Torres de Telecomunicacões Anderson Alvarenga Ferreira 1, Tulio Acerbi 2 Reforço de fundação do Tipo Tubulão em Torres de Telecomunicacões Anderson Alvarenga Ferreira 1, Tulio Acerbi 2 1 Universidade de Uberaba / andersonaf@outlook.com 2 Universidade de Uberaba / tulio.acerbi@gmail.com

Leia mais

CAUSAS E RECUPERAÇÃO DE FISSURAS EM ALVENARIA

CAUSAS E RECUPERAÇÃO DE FISSURAS EM ALVENARIA Denis Eduardo Casotti R.A. 002200500238, 10º Semestre CAUSAS E RECUPERAÇÃO DE FISSURAS EM ALVENARIA Itatiba 2007 Denis Eduardo Casotti R.A. 002200500238, 10º Semestre CAUSAS E RECUPERAÇÃO DE FISSURAS EM

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA COORDENADORIA DE MANUTENÇÃO LISTA DE VERIFICAÇÕES SERVIÇOS PREVENTIVOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA COORDENADORIA DE MANUTENÇÃO LISTA DE VERIFICAÇÕES SERVIÇOS PREVENTIVOS LOCAL: SETOR/ENDEREÇO: PERÍODO: RESPONSÁVEL PELAS INFORMAÇÕES: LISTA DE VERIFICAÇÕES SERVIÇOS PREVENTIVOS SISTEMAS HIDROSSANITÁRIOS PERÍODICIDADE SERVIÇOS PREVENTIVOS STATUS SEMANA 01 DIÁRIO Verificação

Leia mais

Aula 4 : Desenho de Estruturas

Aula 4 : Desenho de Estruturas Aula 4 : Desenho de Estruturas Índice: UNIDADE 4 DESENHO DE ESTRUTURAS 4.1 Introdução; Fundações: - São elementos estruturais cuja função é a transferência de cargas da estrutura para a camada resistente

Leia mais

MACO II PUC GO Professora Mayara Moraes

MACO II PUC GO Professora Mayara Moraes MACO II PUC GO Professora Mayara Moraes Argamassas NBR13281 Histórico 1º. registro de emprego na construção: Pré-História Piso polido de 180 m² feito com pedras e argamassa cal e areia: ~ 7000 a 9000

Leia mais

LEVANTAMENTO DAS PRINCIPAIS MANIFESTAÇÕES PATOLÓGICAS EM EDIFICAÇÕES RESIDENCIAIS DE UMA CONSTRUTORA DE PORTO ALEGRE

LEVANTAMENTO DAS PRINCIPAIS MANIFESTAÇÕES PATOLÓGICAS EM EDIFICAÇÕES RESIDENCIAIS DE UMA CONSTRUTORA DE PORTO ALEGRE UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL Aretusa Carvalho Rodrigues LEVANTAMENTO DAS PRINCIPAIS MANIFESTAÇÕES PATOLÓGICAS EM EDIFICAÇÕES RESIDENCIAIS

Leia mais

REVESTIMENTO DEFACHADA. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I

REVESTIMENTO DEFACHADA. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I REVESTIMENTO DEFACHADA Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I FUNÇÕES DO REVESTIMENTO DE FACHADA Estanqueida de Estética CONDIÇÕES DE INÍCIO

Leia mais

LINHA de Argamassas. Uma mistura de qualidade com alta produtividade.

LINHA de Argamassas. Uma mistura de qualidade com alta produtividade. Concreto LINHA de Argamassas Uma mistura de qualidade com alta produtividade. Estabilizada 01Argamassa Projetada A evolução chegou ao canteiro de obras. Elimine etapas, corte custos e aumente o controle

Leia mais

Análise das Manifestações Patológicas da Ponte-Viaduto Torre-Parnamirim

Análise das Manifestações Patológicas da Ponte-Viaduto Torre-Parnamirim Análise das Manifestações Patológicas da Ponte-Viaduto Torre-Parnamirim Nina Celeste Macario Simões da Silva (1), José Afonso P. Vitório (2) Romilde Almeida de Oliveira (3) (1)Mestranda, Programa de Pós-graduação

Leia mais

Propriedades do Concreto

Propriedades do Concreto Universidade Federal de Itajubá Instituto de Recursos Naturais Propriedades do Concreto EHD 804 MÉTODOS DE CONSTRUÇÃO Profa. Nívea Pons PROPRIEDADES DO CONCRETO O concreto fresco é assim considerado até

Leia mais

Impermeável Protector Resistente impermeabilizações objectivo - problema - solução objectivo 1 Prevenir a infiltração de água para os pavimentos e paredes das cozinhas, casas de banho, balneários e outros

Leia mais

Delmiro Gouveia e Região Causas e Soluções

Delmiro Gouveia e Região Causas e Soluções Universidade Federal de Alagoas Campus do Sertão Eixo das Tecnologias Levantamento das Patologias em Residências de Delmiro Gouveia e Região Causas e Soluções LAJE PAREDES REVESTIMENTO FUNDAÇÃO Delmiro

Leia mais

ALVENARIA E OUTROS SISTEMAS DE VEDAÇÃO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I

ALVENARIA E OUTROS SISTEMAS DE VEDAÇÃO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I ALVENARIA E OUTROS SISTEMAS DE VEDAÇÃO Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I SISTEMAS DE VEDAÇÃO VERTICAL SISTEMA DE VEDAÇÃO Um subsistema

Leia mais

CASAS TERREAS EM PAREDES DE ALVANARIA EM BLOCOS DE GESSO

CASAS TERREAS EM PAREDES DE ALVANARIA EM BLOCOS DE GESSO CASAS TERREAS EM PAREDES DE ALVANARIA EM BLOCOS DE GESSO MANUAL CONSTRUTIVO Recomendações Técnicas 1/6 1.CARACTERIZAÇÃO E RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS O sistema construtivo utilizado para construção de casas

Leia mais

CONSERVAÇÃO DE REVESTIMENTOS HISTÓRICOS

CONSERVAÇÃO DE REVESTIMENTOS HISTÓRICOS PONTA DELGADA, 15 NOVEMBRO CONSERVAÇÃO DE REVESTIMENTOS HISTÓRICOS 3 Maria do Rosário Veiga rveiga@lnec.pt novembro 2013 PONTA DELGADA, 15 NOVEMBRO ESTRATÉGIAS DE CONSERVAÇÃO Critérios de decisão, técnicas

Leia mais

ESTUDO PARA IMPERMEABILIZAÇÃO NA INTERFACE ESTRUTURA METÁLICA E ALVENARIA

ESTUDO PARA IMPERMEABILIZAÇÃO NA INTERFACE ESTRUTURA METÁLICA E ALVENARIA ESTUDO PARA IMPERMEABILIZAÇÃO NA INTERFACE ESTRUTURA METÁLICA E ALVENARIA Joel Henrique Rohr 1 Resumo: Uma das patologias existentes na construção civil são as infiltrações. Um dos pontos críticos das

Leia mais

Pedra Natural em Fachadas

Pedra Natural em Fachadas Pedra Natural em Fachadas SELEÇÃO, APLICAÇÃO, PATOLOGIAS E MANUTENÇÃO Real Granito, S.A. Índice Características típicas dos diferentes tipos de Rochas Ensaios para a caracterização de produtos em Pedra

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ÂNGELO MEMORIAL DESCRITIVO

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ÂNGELO MEMORIAL DESCRITIVO PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ÂNGELO MEMORIAL DESCRITIVO Obra: Reforma muro lateral, calçadas e cercas E. M. E. F. Marcelino José Bento Champagnat GENERALIDADES Execução por empreitada global O presente

Leia mais

MOGIBASE IMPERMEABILIZANTE DE CONCRETO E ARGAMASSAS

MOGIBASE IMPERMEABILIZANTE DE CONCRETO E ARGAMASSAS MOGIBASE IMPERMEABILIZANTE DE CONCRETO E ARGAMASSAS COMPOSIÇÃO: Sais inorgânicos e estabilizantes. PROPRIEDADES: Impermeabilizante de concreto e argamassas. MOGIBASE é de fácil aplicação e não altera os

Leia mais

COBERTURAS. Treliças Estruturas: Metálica Telha Auto Portante Espacial. Concreto

COBERTURAS. Treliças Estruturas: Metálica Telha Auto Portante Espacial. Concreto COBERTURAS Madeira Tirantes Treliças Estruturas: Metálica Telha Auto Portante Espacial Concreto Em telhas de barro/metálicas/fibrocimento Proteções: Em lajes Concreto Tijolos Domos, etc. Shed Terça Pestana

Leia mais

OBRAS DE TERRA MUROS DE ARRIMO OU DE CONTENÇÃO

OBRAS DE TERRA MUROS DE ARRIMO OU DE CONTENÇÃO OBRAS DE TERRA MUROS DE ARRIMO OU DE CONTENÇÃO CURSO: Engenharia Civil SÉRIE: 10º Semestre DISCIPLINA: Obras de Terra CARGA HORÁRIA SEMANAL: 02 aulas-hora CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 40 aulas-hora 1.DEFINIÇÕES

Leia mais

GENERALIDADES SOBRE PAVIMENTOS

GENERALIDADES SOBRE PAVIMENTOS GENERALIDADES SOBRE PAVIMENTOS Pavimento x outras obras civis Edifícios: Área de terreno pequena, investimento por m 2 grande FS à ruptura grande Clima interfere muito pouco no comportamento estrutural

Leia mais

Profª. Angela A. de Souza DESENHO DE ESTRUTURAS

Profª. Angela A. de Souza DESENHO DE ESTRUTURAS DESENHO DE ESTRUTURAS INTRODUÇÃO A estrutura de concreto armado é resultado da combinação entre o concreto e o aço. Porém, para a sua execução, não é suficiente apenas a presença desses dois materiais;

Leia mais

CONDOMÍNIO CASAS DA BAFUREIRA

CONDOMÍNIO CASAS DA BAFUREIRA CONDOMÍNIO CASAS DA BAFUREIRA 26.FEV.2011 05.MAR.2011 12.MAR.2011 VISTORIAS ÀS ZONAS DE USO COMUM DO CONDOMÍNIO PARA REGISTO DE ANOMALIAS ENCONTRADOS NA CONSTRUÇÃO: 1. INTERIOR DOS BLOCOS 1.1. BLOCO A:

Leia mais

O concreto armado tem inúmeras aplicações: estruturas, pavimentos, paredes, fundações, barragens, reservatórios.

O concreto armado tem inúmeras aplicações: estruturas, pavimentos, paredes, fundações, barragens, reservatórios. AS ESTRUTURAS DE CONCRETO ARMADO. Concreto armado - é um material da construção civil que se tornou um dos mais importantes elementos da arquitetura do século XX. É usado nas estruturas dos edifícios.

Leia mais

GECoRPA CLASSIFICAÇÃO DAS EMPRESAS DA ÁREA DA CONSERVAÇÃO DO PATRIMÓNIO ARQUITETÓNICO E DA REABILITAÇÃO DE CONSTRUÇÕES ANTIGAS

GECoRPA CLASSIFICAÇÃO DAS EMPRESAS DA ÁREA DA CONSERVAÇÃO DO PATRIMÓNIO ARQUITETÓNICO E DA REABILITAÇÃO DE CONSTRUÇÕES ANTIGAS GECoRPA CLASSIFICAÇÃO DAS EMPRESAS DA ÁREA DA CONSERVAÇÃO DO PATRIMÓNIO ARQUITETÓNICO E DA REABILITAÇÃO DE CONSTRUÇÕES ANTIGAS Grupo I PROJETO, FISCALIZAÇÃO E CONSULTORIA Categoria I.1. Conservação e Restauro

Leia mais

CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S. A. CERON DIRETORIA DE GESTÃO ADMINISTRATIVA DA GERÊNCIA DE ADMINISTRAÇÃO GERAL AGG MEMORIAL DESCRITIVO

CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S. A. CERON DIRETORIA DE GESTÃO ADMINISTRATIVA DA GERÊNCIA DE ADMINISTRAÇÃO GERAL AGG MEMORIAL DESCRITIVO MEMORIAL DESCRITIVO PROPRIETÁRIO: CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S. A. CERON OBRA: ENDEREÇO: REFORMA E ADEQUAÇÃO DE SALAS NO PRÉDIO DA UNIDADE DE NEGÓCIOS NORTE UNN, VISANDO A INSTALAÇÃO DO POSTO DE ENSAIO

Leia mais

ALVENARIA DE BLOCOS DE CONCRETO Recomendações gerais

ALVENARIA DE BLOCOS DE CONCRETO Recomendações gerais ALVENARIA DE BLOCOS DE CONCRETO Recomendações gerais LA-J ARTEFATOS DE CIMENTO LUCAS LTDA Av. Cônsul Assaf Trad 6977 Em frente ao Shopping Bosque dos Ipês / Campo Grande MS 0800 647 1121 www.lajlucas.com.br

Leia mais

-24-03-2009. Reabilitação do Prédio Situado na Rua do Conde do Redondo. Reabilitação arquitectónica II_docente_José Aguiar

-24-03-2009. Reabilitação do Prédio Situado na Rua do Conde do Redondo. Reabilitação arquitectónica II_docente_José Aguiar Reabilitação do Prédio Situado na Rua do Conde do Redondo -1 Persianas e Ar Condicionado Pedras Pinturas Portas e Janelas Azulejos Embasamento (restaurante) Porta de acesso ao edifício -2 -Pintura _ Limpeza

Leia mais

CURSO DE ENGENHARIA CIVIL. Zuleica Margô Ripplinger PATOLOGIAS EM OBRAS DE ALVENARIA ESTRUTURAL: SOLUÇÕES PARA EVITÁ-LAS

CURSO DE ENGENHARIA CIVIL. Zuleica Margô Ripplinger PATOLOGIAS EM OBRAS DE ALVENARIA ESTRUTURAL: SOLUÇÕES PARA EVITÁ-LAS 1 CURSO DE ENGENHARIA CIVIL Zuleica Margô Ripplinger PATOLOGIAS EM OBRAS DE ALVENARIA ESTRUTURAL: SOLUÇÕES PARA EVITÁ-LAS Santa Cruz do Sul, novembro de 2011 2 Zuleica Margô Ripplinger PATOLOGIAS EM OBRAS

Leia mais

Blocos de. Absorção de água. Está diretamente relacionada à impermeabilidade dos produtos, ao acréscimo imprevisto de peso à Tabela 1 Dimensões reais

Blocos de. Absorção de água. Está diretamente relacionada à impermeabilidade dos produtos, ao acréscimo imprevisto de peso à Tabela 1 Dimensões reais Blocos de CONCRETO DESCRIÇÃO: Elementos básicos para a composição de alvenaria (estruturais ou de vedação) BLOCOS VAZADOS DE CONCRETO SIMPLES COMPOSIÇÃO Cimento Portland, Agregados (areia, pedra, etc.)

Leia mais

SAPATAS ARMADAS Fundações rasas Solos arenosos

SAPATAS ARMADAS Fundações rasas Solos arenosos SAPATAS ARMADAS Fundações rasas Solos arenosos Prof. Marco Pádua Se a superestrutura do edifício for definida por um conjunto de elementos estruturais formados por lajes, vigas e pilares caracterizando

Leia mais

O QUARTO ELEMENTO DA CONSTRUÇÃO

O QUARTO ELEMENTO DA CONSTRUÇÃO O QUARTO ELEMENTO DA CONSTRUÇÃO Porque Impermeabilizar? O que leva construtoras, construtores, proprietários de imóveis, etc... a procura de impermeabilizantes? De cada 10 pessoas que procuram produtos

Leia mais

ÍNDICE DO LIVRO CÁLCULO E DESENHO DE CONCRETO ARMADO autoria de Roberto Magnani SUMÁRIO LAJES

ÍNDICE DO LIVRO CÁLCULO E DESENHO DE CONCRETO ARMADO autoria de Roberto Magnani SUMÁRIO LAJES ÍNDICE DO LIVRO CÁLCULO E DESENHO DE CONCRETO ARMADO autoria de Roberto Magnani SUMÁRIO LAJES 2. VINCULAÇÕES DAS LAJES 3. CARREGAMENTOS DAS LAJES 3.1- Classificação das lajes retangulares 3.2- Cargas acidentais

Leia mais

IMPERMEABILIZAÇÕES REVESTIMENTO DE CALHAS E LAJES

IMPERMEABILIZAÇÕES REVESTIMENTO DE CALHAS E LAJES IMPERMEABILIZAÇÕES REVESTIMENTO DE CALHAS E LAJES Prof. Marco Pádua A cobertura é uma fase importante da edificação. Não só a questão estética deve ser considerada, como a escolha dos elementos, a posição

Leia mais

ÁREA DO CONCURSO: TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL

ÁREA DO CONCURSO: TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL PONTUAÇÃO-LIMITE DOS QUESITOS DA PROVA DE TÍTULOS DO CONCURSO PARA PROVIMENTO DE VAGA DE PROFESSOR ASSISTENTE EM REGIME DE 20 HORAS SEMANAIS PARA O DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE MATERIAIS E CONSTRUÇÃO

Leia mais

Alguns casos reais de fissuração em paredes de edifícios de concreto armado

Alguns casos reais de fissuração em paredes de edifícios de concreto armado Manifestações patológicas na construção Alguns casos reais de fissuração em paredes de edifícios de concreto armado Resumo Some real cases of cracking in walls of reinforced concrete buildings Eduardo

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE VENÂNCIO AIRES

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE VENÂNCIO AIRES PROJETO ARQUITETÔNICO ADEQUAÇÕES NA USINA DE TRIAGEM DE LIXO LINHA ESTRELA MEMORIAL DESCRITIVO 1 MEMORIAL DESCRITIVO 1. OBJETIVO: USINA DE TRIAGEM DE LIXO A presente especificação tem por objetivo estabelecer

Leia mais

13 o Encontro Técnico DER-PR

13 o Encontro Técnico DER-PR 13 o Encontro Técnico DER-PR Imprimaduras Impermeabilizante e Ligante Osvaldo Tuchumantel Jr. Imprimadura ato ou efe ito de imprima r Impermeabilizante - Aplicação uniforme de material betuminoso sobre

Leia mais

FACULDADE BARÃO DE RIO BRANCO UNINORTE CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINA - TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO 1 (AULA 07) WILLIAN ABREU

FACULDADE BARÃO DE RIO BRANCO UNINORTE CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINA - TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO 1 (AULA 07) WILLIAN ABREU FACULDADE BARÃO DE RIO BRANCO UNINORTE CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINA - TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO 1 (AULA 07) ESTRUTURAS EM CONCRETO ARMADO VANTAGENS E DESVANTAGENS DO CONCRETO ARMADO: Apenas

Leia mais

Recomendações para Elaboração de Projetos Estruturais de Edifícios de Concreto

Recomendações para Elaboração de Projetos Estruturais de Edifícios de Concreto Recomendações para Elaboração de Projetos Estruturais de Edifícios de Concreto INTRODUÇÃO O presente trabalho tem como objetivo fornecer aos projetistas e contratantes, recomendações básicas e orientações

Leia mais

Reforço Estrutural de Lajes de Concreto Armado com Fibra de Carbono

Reforço Estrutural de Lajes de Concreto Armado com Fibra de Carbono Reforço Estrutural de Lajes de Concreto Armado com Fibra de Carbono Roberta Aparecida Tomaz, Flavia Lopes Soares, Paulo Henrique Maciel Barbosa Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix / roberta.tomaz2013@gmail.com

Leia mais

O QUE SIGNIFICA RACIONALIZAR?

O QUE SIGNIFICA RACIONALIZAR? Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil AULA 3 ALVENARIAS: EXECUÇÃO, Prof. Dr. Luiz Sergio Franco Escola Politécnica da USP Dep. de Engenharia de Construção Civil

Leia mais

- Pisos e revestimentos Industriais (pinturas especiais, autonivelantes, uretânicas, vernizes...);

- Pisos e revestimentos Industriais (pinturas especiais, autonivelantes, uretânicas, vernizes...); A TECNIKA iniciou suas atividades em meados de 2003, impulsionada pela demanda do mercado, sempre preocupada em buscar e oferecer soluções técnicas inovadoras, tendo como focos principais as áreas de impermeabilização

Leia mais

Má execução de obras de Engenharia com estudo de casos

Má execução de obras de Engenharia com estudo de casos Má execução de obras de Engenharia com estudo de casos Engª MsC Silvania Miranda do Amaral Engenheira Civil e de Segurança do Trabalho Especialista em Georreferenciamento Mestre em Engenharia Civil Má

Leia mais

Sistemas de Impermeabilização

Sistemas de Impermeabilização Sistemas de Impermeabilização Projecto de Construção CET Seia Eng. Sá Neves Eng. Sá Neve Sistema invertido ou tradicional : Os sistemas em cobertura invertida são os mais aconselháveis devido a maior durabilidade

Leia mais

Alvenaria racionalizada

Alvenaria racionalizada Como construir Alvenaria racionalizada A alvenaria de vedação pode ser definida como a alvenaria que não é dimensionada para resistir a ações além de seu próprio peso. O subsistema vedação vertical é responsável

Leia mais

Vistoria e Levantamento de Patologias Prediais

Vistoria e Levantamento de Patologias Prediais Campus Prof. João David Ferreira Lima CEP 88040-900 Trindade Florianópolis Santa Catarina Brasil 55 (048) 3721-5100 Vistoria e Levantamento de Patologias Prediais Centro de Ciências da Saúde Bloco K Florianópolis

Leia mais

DESENHO E ARQUITETURA COBERTURA E NOÇÕES DE ESTRUTURA

DESENHO E ARQUITETURA COBERTURA E NOÇÕES DE ESTRUTURA CURSO TÉCNICO EM TRANSAÇÕES IMOBILIÁRIAS DESENHO E ARQUITETURA COBERTURA E NOÇÕES DE ESTRUTURA Elisa Furian elisafurian@outlook.com COBERTURAS Constituem estruturas de múltipla função que tem por objetivo:

Leia mais

Facear Concreto Estrutural I

Facear Concreto Estrutural I 1. ASSUNTOS DA AULA Durabilidade das estruturas, estádios e domínios. 2. CONCEITOS As estruturas de concreto devem ser projetadas e construídas de modo que, quando utilizadas conforme as condições ambientais

Leia mais

PONDERAÇÕES PARA PROJETOS E INSTALAÇÕES. IMPERMEABILIZAÇÃO E REVESTIMENTOS NAS EDIFICAÇÕES

PONDERAÇÕES PARA PROJETOS E INSTALAÇÕES. IMPERMEABILIZAÇÃO E REVESTIMENTOS NAS EDIFICAÇÕES PONDERAÇÕES PARA PROJETOS E INSTALAÇÕES. IMPERMEABILIZAÇÃO E REVESTIMENTOS NAS EDIFICAÇÕES EXPLICAÇÕES A MEDITAR DE MODO GERAL. -Objetivando um bom desempenho e perfeito trabalho de execução das obras

Leia mais

Recomendações para elaboração de projetos estruturais de edifícios em aço

Recomendações para elaboração de projetos estruturais de edifícios em aço 1 Av. Brigadeiro Faria Lima, 1685, 2º andar, conj. 2d - 01451-908 - São Paulo Fone: (11) 3097-8591 - Fax: (11) 3813-5719 - Site: www.abece.com.br E-mail: abece@abece.com.br Av. Rio Branco, 181 28º Andar

Leia mais

Feita de isopor Construir 370 m2 em seis meses sem estourar o orçamento nem gerar entulho: valeu investir na casa

Feita de isopor Construir 370 m2 em seis meses sem estourar o orçamento nem gerar entulho: valeu investir na casa Feita de isopor Construir 370 m2 em seis meses sem estourar o orçamento nem gerar entulho: valeu investir na casa Será que é resistente? Aceita qualquer revestimento? E se molhar? Esse mar de dúvidas invade

Leia mais

ALVENARIA EXECUÇÃO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I

ALVENARIA EXECUÇÃO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I ALVENARIA EXECUÇÃO Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I ALVENARIA CONDIÇÕES DE INÍCIO Vigas baldrames impermeabilizadas e niveladas,

Leia mais

A importância do projeto de paredes de concreto para os projetistas estruturais Arnoldo Augusto Wendler Filho

A importância do projeto de paredes de concreto para os projetistas estruturais Arnoldo Augusto Wendler Filho Paredes de Concreto: Cálculo para Construções Econômicas A importância do projeto de paredes de concreto para os projetistas estruturais Arnoldo Augusto Wendler Filho Sistema Construtivo Sistema Construtivo

Leia mais