As Tendências Tecnológicas na Educação

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "As Tendências Tecnológicas na Educação"

Transcrição

1 As Tendências Tecnológicas na Educação Prof. Neri dos Santos, Dr. Ing. Nos últimos anos, em todos os setores da atividade humana, as tecnologias de informação e comunicação (TIC) têm tido uma influência significativa. Em particular, na educação, as TIC tem provocado uma verdadeira revolução no processo de ensino- aprendizagem. De fato, hoje, é fundamental compreender os fundamentos teórico metodológicos da mediação tecnológica no processo de ensino- aprendizagem. É necessário discutir o papel da mediação tecnológica como mediação pedagógica. Nesse sentido, apresento neste artigo uma visão geral das principais tendências tecnológicas na educação, segundo a UNESCO, New Media Consortium (NMC) e a EDUCAUSE Learning Initiative (ELI), que são importantes estrategicamente para o DOT Digital Group: 1) Massive Online Open Courses (ou MOOCs) : São cursos online, no formato de vídeos, oferecidos gratuitamente por instituições renomadas (MIT, Harvard, Stanford, etc.). Geralmente, os vídeos são aulas e palestras sobre temas específicos e oferecem a oportunidade para os estudantes debaterem entre si sobre o que foi aprendido. De fato, desde de 2012 os MOOCs vêm recebendo uma significativa publicidade e a tendência é que cresçam em número e em importância nos próximos anos. Grandes nomes de fornecedores incluindo Coursera, KHAN Academy, edx, Udacity e a star- up brasileira Veduca contam com centenas de milhares de alunos matriculados, totais que, quando somados, ilustram sua popularidade. Uma das promessas mais atraentes dos MOOCs é que eles oferecem a possibilidade de aprendizagem avançada continuada a custo zero, permitindo que os alunos, aprendizes ao longo da vida e profissionais adquiram novas habilidades e melhorem seus conhecimentos e empregabilidade. Os MOOCs têm desfrutado de uma das captações mais rápidas já vistas no ensino superior, com centenas de novos operadores nos dois últimos. Todavia, os críticos dos MOOCs advertem que há necessidade de se examinar essas novas abordagens através de uma lente crítica para garantir que elas sejam efetivas e evoluam do passado das pedagogias tradicionais do estilo palestra, para uma verdadeira pedagogia inovadora. 2) Blended learning (B- learning): Este conceito diz que a melhor maneira de dar aulas é utilizando os recursos tecnológicos dentro de uma sala de aula presencialmente. Os adeptos desta tendência acham que é necessário um contato próximo para que o aprendizado seja eficaz. De fato, os estudantes já passam muito do seu tempo livre na Internet, aprendendo e trocando novas informações frequentemente através de redes sociais. As instituições que adotam modelos de aprendizagem híbrida online/presencial (blended learning) têm o potencial para alavancar as habilidades online que os alunos já desenvolveram, independentemente da academia. Ambientes de aprendizagem online podem oferecer possibilidades diferentes do que os ambientes físicos no campus, incluindo oportunidades para uma maior colaboração, enquanto permite aos alunos adquirirem competências digitais mais eficazes. Modelos híbridos, quando planejados e implementados com sucesso, capacitam os alunos a irem ao campus para algumas atividades, enquanto utilizam a rede para outras, aproveitando o melhor de ambos os ambientes.

2 2 3) Salas virtuais: são espaços em que alunos de cursos online podem discutir e fazer exercícios juntos. Assim, como em um espaço físico de convivência, nas salas virtuais é possível fazer debates, tirar dúvidas e até mesmo criar amizades. Para participar de uma sala virtual, os alunos geralmente usam seu próprio espaço físico de trabalho e seu próprio computador. As aulas podem ser ministradas para grupos restritos como, por exemplo, para apenas três ou quatro participantes, ou para grandes grupos, desde que se disponibilize uma mensagem consistente a qualquer número de participantes. Seguramente, esta é uma das vantagens da sala virtual em relação a uma sala de aula tradicional, onde vários professores seriam necessários para capacitar dezenas ou centenas de alunos. De fato, com a tecnologia síncrona de salas virtuais, apenas um professor pode fazer todo o trabalho de coordenação de um grupo de alunos presentes na sala virtual, o que facilita a uniformização, tanto do conteúdo a ser debatido quanto da disponibilização das mensagens. Aprendizado em salas virtuais é altamente centrado nos participantes. Assim sendo, um curso online em salas virtuais precisam ser altamente envolventes, senão, corre- se o risco dos participantes perderem o interesse pelo mesmo. Em relação a autoaprendizagem em aulas virtuais, os alunos estão mais engajados com o professor e com outros participantes e, desta forma, é mais provável que terminem os cursos. Outro aspecto relevante desta tendência é que os módulos de aprendizagem são reutilizáveis: Cursos em salas virtuais permitem o seu desenvolvimento em módulos. Esta possibilidade permite que se utilizem partes de um determinado curso em um outro programa de capacitação. Por exemplo, um módulo com boas práticas de empreendedorismo de pequenos negócios no setor de serviços pode ser o mesmo para um curso de empreendedorismo de pequenos produtores rurais. Salienta- se, todavia, que a eficácia da capacitação de alunos através de uma sala virtual depende do design instrucional do curso, do perfil tecnológico de sua audiência e das ferramentas de colaboração disponíveis em sua plataforma de colaboração. Para maiores informações a respeito, os interessados devem ler o relatório How to Design for the Live Online Classroom: Creating Great Interactive and Collaborative Training Using Web Conferencing, o qual traz uma série de recomendações para que os professores possam criar cursos bem interessantes em salas virtuais (Fonte: Brandon Hall). 4) Flipped classroom (Sala de aula invertida): O conceito de sala de aula invertida parte do pressuposto que o ambiente ideal para o aprendizado é a distância. Entretanto, mesmo com aulas em salas virtuais, os exercícios e provas devem ser realizados presencialmente. Universidade renomadas, como MIT e Harvard, têm adotado a estratégia da Flipped classroom em algumas disciplinas. Essas universidades têm inovado seus métodos de ensino, procurando adequá- los para que se possa explorar os avanços das tecnologias educacionais, bem como minimizar a evasão e o nível de reprovação. Por exemplo, a universidade de Harvard introduziu o método Peer Instruction (PI), desenvolvido pelo Prof. Eric Mazur. Este método consiste em prover material de apoio de modo que o aluno possa estudar o conteúdo antes de frequentar a sala de aula. Com base no material estudado, o aluno responde um conjunto de questões, via um Learning Management System (LMS). O professor antes de ministrar a aula, verifica as questões mais problemáticas e que devem ser trabalhadas em sala de aula. Durante a aula, as discussões são intercaladas com testes de conceitos, destinados a expor as dificuldades que os alunos encontram. Estes testes são respondidos via sistema de resposta interativo, tipo clicker, de modo que a classe e o

3 3 professor possam acompanhar o nível de compreensão sobre os conceitos em discussão. Antes de responder o teste, os alunos têm um ou dois minutos para pensar sobre a questão e formular suas próprias respostas. Dependendo da resposta, eles passam dois ou três minutos discutindo suas respostas em grupos de 3-4 alunos, na tentativa de chegar a um consenso sobre a resposta correta. Este processo obriga os alunos a pensarem sobre os argumentos a serem desenvolvidos e permite que eles (assim como o professor) possam avaliar o nível de compreensão sobre os conceitos, antes mesmo de deixar a sala de aula. Utilizando esta estratégia, foi verificado que os estudantes apresentam ganhos significativos na compreensão conceitual, avaliados com testes padronizados, bem como ganham habilidades para resolver problemas comparáveis aos adquiridos nas aulas tradicionais (Crouch; Mazur, 2001) 1. Da mesma forma, o MIT desenvolveu o Projeto TEAL/Studio Physics, cujo responsável é o Prof. John Belcher (2001) 2. Classes de aulas tradicionais foram transformadas em Estúdio de Física e a metodologia de ensino é baseada no Technology Enabled Active Learning (TEAL). Esta abordagem está sendo utilizada nas disciplinas introdutórias de Física: Introductory Mechanics e Electricity and Magnetism, ministradas para todos os alunos em ingressam no MIT. Os grupos são formados por alunos com diferentes níveis de conhecimento. Antes da aula, o aluno deve estudar o material de apoio e responder, via LMS, um conjunto de questões (similar ao método PI de Harvard). Durante a aula, o professor apresenta o material em aproximadamente 20 minutos, intercalados com questões para discussão, visualizações e exercícios de lápis e papel. Os alunos usam simulações animadas, desenvolvidas para ajudá- los a visualizar conceitos e realizaram experimentos em grupos, com o auxílio do computador na aquisição e análise dos dados. O professor faz perguntas periodicamente sobre conceitos, e os alunos discutem e respondem através do sistema de resposta interativo. As técnicas mencionadas implicam na implantação do que tem sido denominado na literatura de a "sala de aula invertida" (Educause, 2012) 3. No ensino tradicional a sala de aula serve para o professor transmitir informação para o aluno que, após a aula, deve estudar e ser avaliado. Nesta nova abordagem, o aluno estuda antes da aula e a sala de aula se torna um lugar de aprendizagem ativa, onde há perguntas, discussões e atividades práticas. O professor trabalha as dificuldades dos alunos, ao invés de apresentações sobre o conteúdo da disciplina. A implantação desta estratégia exige a adequação ou reestruturação da sala de aula (como realizada por Harvard e MIT) por meio do uso de tecnologias educacionais para acesso à informação e resolução de problemas e a produção de material de apoio para que o aluno possa estudar antes da aula. 5) Self- direct learning: É um processo no qual o próprio aluno descobre as suas limitações e dificuldades no processo de aprendizagem. Além disso, por meio desse processo o estudante consegue criar estratégias que atendem às suas necessidades e expectativas. De fato, várias técnicas de aprendizagem são conhecidas como Self- direct learning: (a) alunos individualmente podem adquirir competências para assumir, cada vez mais, responsabilidades para realizar várias tarefas e tomar decisões, associadas ao 1 CROUCH, C. H.; MAZUR, E. Peer Instruction: Ten years of experience and results. American Journal of Physics, 69, p , BELCHER, J., Studio Physics at MIT. MIT Physics Annual, Disponível em: Acessado em: julho de EDUCAUSE, Things you should know about flipped classrooms Disponível em: Acessado em: julho 2014.

4 4 esforço de aprendizagem; (b) Self- direct learning é melhor entendida como um continuum ou característica que existe, em algum grau, em todas as pessoas e situações de aprendizagem; (c) Self- direct learning não significa necessariamente que toda a aprendizagem ocorre isolada dos outros; (d) os alunos no self- direct learning parecem ser capazes de transferir a aprendizagem, tanto em termos de conhecimentos e habilidades, de uma determinada situação para uma outra situação; (e) Self- direct learning pode envolver várias atividades e recursos, tais como a leitura de auto- guiada, a participação em grupos de estudo, estágios, diálogos virtuais e atividades de escrita reflexivas; (f) os papéis que os professores podem desenvolver na aprendizagem Self- direct learning são, basicamente, diálogos com os alunos, disponibilização de conteúdos pedagógicos, avaliação de resultados e promoção do pensamento crítico; (g) algumas instituições de ensino estão encontrando maneiras de apoiar o self- direct learning por meio de programas de ensino aberto (Open Educational Resources), opções de estudo individualizado, as ofertas não- tradicionais do curso e outros programas inovadores. 6) Mobile learning: O Mobile learning é uma das táticas do ensino virtual. Utilizando dispositivos móveis como tablets e smartphones, os alunos podem levar o conteúdo da sala de aula para qualquer lugar e estudar em diferentes locais. De fato, o mobile learning é uma tendência que está definindo o seu próprio nicho na educação como uma família portátil e sempre conectada de dispositivos que podem ser usados em praticamente qualquer configuração. Equipados com WiFi e conectividade de rede celular, telas de alta resolução e com uma grande variedade de aplicativos móveis disponíveis, os tablets e smartphones estão provando ser poderosas ferramentas para o aprendizado dentro e fora da sala de aula. Muitas universidades já projetaram softwares para esses dispositivos juntamente com as melhores instruções práticas para educadores e estudantes. Com uma produção de tablets e smartphones cada vez mais crescente e constante por grandes fabricantes, a competição no mercado da computação desses dispositivos é um controlador significativo de inovação. À medida que o mercado amadurece, os alunos e as instituições podem esperar uma rica e crescente variedade de recursos à partir desses pequenos dispositivos. 7) Course Management System (CMS) : Sistema de gerenciamento de cursos é uma estratégia para orientar e organizar os alunos durante os cursos online. Por meio do CMS é possível mediar debates, planejar aulas, propor exercícios e analisar o desempenho do estudante. De fato, um CMS é um conjunto de ferramentas de software integradas que fornecem um ambiente online para as interações do curso. Um CMS normalmente inclui uma variedade de ferramentas e ambientes online, tais como:! Uma área para a postagem de materiais de classe, tais como programa do curso e apostilas;! Uma área para os estudantes postarem artigos e outros documentos;! Um gradebook onde professores podem disponibilizar as notas e os alunos podem visualizá- las;! Uma ferramenta de e- mail integrada permitindo que os participantes enviem mensagens para toda a classe ou para determinados alunos da classe;! Uma ferramenta de chat que permite a comunicação síncrona entre os alunos da classe;

5 5! Um fórum de discussão encadeado permitindo a comunicação assíncrona entre os participantes. Além disso, um CMS é tipicamente integrado com outros bancos de dados da universidade, para que os alunos matriculados em um determinado curso são automaticamente registrados no CMS como participantes desse curso. A decisão de usar um CMS em um curso tradicional face- a- face tem implicações para o projeto do curso que, muitas vezes, passam despercebidos por professores em sua primeira utilização de tais sistemas. Este módulo relaciona dicas técnicas e pedagógicas que os professores devem considerar, como por exemplo disponibilizar materiais em um CMS. 8) E- learning: E- learning é o próprio conceito de aprender por meio de dispositivos eletrônicos conectados ou não à Internet. De fato, e- learning é uma indústria em rápido crescimento, cuja história remonta à década de 1980 e, mesmo antes disso, na forma de ensino à distância e cursos televisionados. Atualmente, existem soluções que são acessíveis, via computador e internet, que permitem ter uma boa ferramenta de e- learning para a educação, praticamente, em qualquer lugar. A tecnologia avançou tanto que as diferenças geográfica e temporal podem ser superadas com o uso de ferramentas que fazem os alunos se sentirem como se estivessem dentro da sala de aula. E- learning oferece a possibilidade de compartilhar material em todos os tipos de formatos como vídeos, apresentações, documentos em Word e PDFs. Da mesma forma, permitem a realização de webinars (aulas on- line ao vivo) e permitem aos alunos se comunicarem com os professores através de chats e fóruns de discussões. Existe uma infinidade de diferentes sistemas de e- learning (também conhecidos como Learning Management Systems ou LMS), que permitem diferentes métodos para os cursos serem entregues. Com a ferramenta certa, vários processos podem ser automatizados, como um curso com materiais definidos e testes automaticamente marcados. E- learning é uma solução acessível (e muitas vezes livre), que fornece aos alunos a capacidade de se ajustar ao processo de aprendizagem, dependendo de seus estilos de vida, permitindo efetivamente até mesmo uma pessoa muito ocupada de desenvolver uma carreira e ganhar novas qualificações. Alguns dos mais importantes desenvolvimentos na educação aconteceram após o lançamento da internet. Atualmente, os alunos já estão bem habituados no uso da internet, smartphones e de redes sociais, de maneira que participar de um curso on- line tornou- se uma coisa relativamente simples. Mensagens nos fóruns, mensagens de textos, mídias sociais e vários outros meios de comunicação on- line permitem que os alunos possam se manter em contato e discutir assuntos relacionados ao curso, criando um senso de comunidade. No mundo acelerado do e- learning, as tecnologias disponíveis para se fazer um novo curso estão sempre mudando, pois os conteúdos podem e devem ser atualizados rapidamente, para dar aos alunos as informações as mais recentes. Isto é especialmente importante se a formação via e- learning está sendo disponibilizada aos empregados em um determinado setor de atividade produtiva, no qual manter- se atualizado sobre os avanços deste setor é de extrema importância. Esta é uma das razões pelas quais muitas empresas estão oferecendo capacitação via e- learning outras razões inclui os baixos custos e a possibilidade dos colaboradores poderem estudar em seu próprio ritmo, em termos de tempo e lugar. Enfim, a aprendizagem tradicional é dispendiosa, demora muito tempo e os resultados podem variar. E- learning oferece uma alternativa que é mais rápida, mais barata e potencialmente melhor.

6 6 9) Tecnologia 1:1: O aprendizado individualizado, em que cada aluno utiliza um computador ou tablet, é chamado de tecnologia 1:1. Alguns especialistas acreditam que essa é a única maneira de se obter efeitos tão positivos com a tecnologia na educação, assim como se obtém com os livros. De fato, nas últimas décadas, as tecnologias digitais tiveram um aumento significativo em nossas práticas sociais como, por exemplo, a utilização de dispositivos móveis, possibilitando a comunicação, a interação e, consequentemente, novas abordagens de ensino e aprendizagem para a educação. Baseado nesta lógica, em janeiro de 2005, o professor e pesquisador do MIT, Nicholas Negroponte, apresentou ao governo brasileiro, o Projeto One Laptop per Child (OLPC) que tem como objetivo promover a inclusão digital de crianças por meio do uso de laptops nas escolas, tendência que passou a ser designada Tecnologia 1:1 (Brasil 2008) 4. 10) Gamification: Misturar lazer com o aprendizado é uma das maiores tendências na educação. É o chamado gamification ou ludificação. Por isso, muitos professores têm buscado uma solução para transformar as suas aulas tão interessantes quanto um jogo. De fato, são os dois lados da mesma abordagem, jogos educacionais mergulham o aluno no jogo, onde o conteúdo e o currículo estão disponibilizados ou justapostos. A gameficação visa incorporar elementos de jogos, tais como níveis e emblemas (mas também através de missões e outras estratégias) em outras atividades que não são as dos jogos. Nos currículos gameficados, os alunos podem acumular pontos e outras recompensas ao aceitar diferentes desafios e, muitas vezes, têm mais liberdade na escolha dos tipos de tarefas que devem realizar para ganhá- los. Emblemas ou sistemas de classificação servem para reconhecer as realizações dos alunos, e a transparência do progresso do aluno inspira competição que pode gerar mais interesse no material entre os alunos. 11) Open Educational Resources OER: Em sua forma mais simples, o conceito de Recursos Educacionais Abertos (OER) descreve quaisquer recursos educacionais (incluindo currículos, materiais de curso, livros, vídeos, aplicações multimídia, podcasts e quaisquer outros materiais que foram projetados para uso no processo de ensino- aprendizagem) que são disponíveis abertamente para uso por educadores e estudantes, sem a necessidade de pagar royalties ou taxas de licença de uso. O termo OER emergiu como um conceito com grande potencial para apoiar uma transformação educacional. Embora seu valor educativo reside na ideia de usar recursos, como um método integral de comunicação do currículo nos cursos (ou seja, aprendizagem baseada em recursos), o seu poder de transformação está na facilidade com que tais recursos, quando digitalizados, podem ser compartilhados através da Internet. Na realidade, existe apenas um diferencial importante entre um OER e qualquer outro recurso educacional: a licença. Assim, um OER é simplesmente um recurso educacional que incorpora uma licença que facilita a sua reutilização e, potencialmente, de adaptação, sem haver a necessidade de pedir permissão do detentor dos direitos autorais. De fato, o OER trata- se de um conteúdo intelectual que está livre para uso público. Na educação a difusão massiva do conceito aberto constitui- se hoje num verdadeiro chavão, sendo cada vez mais importante entender do que realmente se trata. Muitas vezes, erroneamente chamado apenas com livre, os defensores da educação baseada em recursos educacionais abertos estão trabalhando no sentido de 4 Brasil (2008). Um Computador por Aluno: a experiência brasileira. Brasília: Câmara dos Deputados, Coordenação de Publicações, Série Avaliação de Políticas Públicas, nº 1. Acessado em 26 de julho 2014.

7 7 uma visão comum que define aberta como livre, copiável, que pode ser remixada, e sem quaisquer barreiras ao acesso ou interação. Todavia, deve- se sempre considerar que um recurso educacional, para ser de domínio público, é fundamental que o mesmo tenha sido liberado sob a forma de uma licença de propriedade intelectual, que permita a sua utilização gratuita ou a sua mudança de formato. Recursos educacionais abertos incluem cursos completos, materiais do curso, módulos, livros didáticos, streaming de vídeos, testes, softwares e quaisquer outras ferramentas, materiais ou técnicas utilizadas para apoiar o processo de ensino- aprendizagem, de acesso ao conhecimento. 12) Digital Citizen ship: Esse conceito se refere à ética e atitudes apropriadas no meio digital. Ensinar a ser um cidadão, também, no mundo virtual é importante para todos os professores. De fato, na medida que mais e mais estudantes interagem digitalmente com conteúdos, um com outro e em várias comunidades o conceito de cidadania digital torna- se, cada vez, mais importante. Nesse sentido, cidadania digital pode ser formalmente definida como a qualidade da resposta de um indivíduo como membro de uma comunidade virtual. Isso faz com que a cidadania seja muito mais complexa do que uma simples questão jurídica, mas que consiste em autoconhecimento, interação e conhecimento profundo do lugar, das pessoas e de sua história cultural. Assim, a cidadania digital pode ser entendida inicialmente como a qualidade de uma resposta de um membro em uma comunidade virtual. De uma forma mais detalhada, pode- se articular mais claramente as diferenças entre comunidades físicas e comunidades virtuais e, de forma mais precisa, definir cidadania digital como sendo a participação auto- monitorada que reflete a interdependência consciente em todos os membros (visíveis e menos visíveis) de uma comunidade virtual. Todavia, esta definição deixa de fora a ideia dos conteúdos em si, o que nos leva a uma nova definição para os educadores: A qualidade de hábitos, ações e padrões de consumo que afetam a ecologia dos conteúdos em comunidades virtuais. Enfim, uma definição mais curta para os alunos com alguns imperativos morais e conselhos implícitos poderia ser: hábitos auto- monitorados que sustentam e melhoram as comunidades virtuais que você participa ou depende.

REFLEXÃO SOBRE 10 INOVAÇÕES NA EDUCAÇÃO SUPERIOR MUNDIAL E SUAS CONSEQUÊNCIAS PARA A GESTÃO UNIVERSITÁRIA NO BRASIL RYON BRAGA

REFLEXÃO SOBRE 10 INOVAÇÕES NA EDUCAÇÃO SUPERIOR MUNDIAL E SUAS CONSEQUÊNCIAS PARA A GESTÃO UNIVERSITÁRIA NO BRASIL RYON BRAGA REFLEXÃO SOBRE 10 INOVAÇÕES NA EDUCAÇÃO SUPERIOR MUNDIAL E SUAS CONSEQUÊNCIAS PARA A GESTÃO UNIVERSITÁRIA NO BRASIL RYON BRAGA 2 PREVISÕES ANTERIORES SEMINÁRIO ABMES DE 2005 1 CRESCIMENTO DAS CLASSES C

Leia mais

Modelos educacionais e comunidades de aprendizagem

Modelos educacionais e comunidades de aprendizagem Modelos educacionais e comunidades de aprendizagem Temos literatura abundante sobre comunidades de aprendizagem, sobre a aprendizagem em rede, principalmente na aprendizagem informal. A sociedade conectada

Leia mais

Papel Estratégico da Pós-graduação, Pesquisa e Extensão na Consolidação das Instituições de educação Superior RYON BRAGA

Papel Estratégico da Pós-graduação, Pesquisa e Extensão na Consolidação das Instituições de educação Superior RYON BRAGA Papel Estratégico da Pós-graduação, Pesquisa e Extensão na Consolidação das Instituições de educação Superior RYON BRAGA 2 A QUALIDADE MEDIDA PELO ENADE 1 ENADE SCORE DE DESEMPENHO FATORES DETERMINANTES

Leia mais

Tecnologias Digitais e Educação a Distância: letramento digital e formação de professores

Tecnologias Digitais e Educação a Distância: letramento digital e formação de professores Tecnologias Digitais e Educação a Distância: letramento digital e formação de professores Prof. Dr. Luís Paulo Leopoldo Mercado Universidade Federal de Alagoas Conteúdos Cenário das práticas pedagógicas

Leia mais

O MUNDO MUDOU. #fato

O MUNDO MUDOU. #fato DO GIZ AO BYTE O MUNDO MUDOU #fato Sociedade da Informação Informação como recurso estratégico Uso intensivo das TIC Interação digital Diversas formas de fazer as mesmas, ou novas coisas Qual é a sua?

Leia mais

SOLUÇÕES EM EDUCAÇÃO 3.0

SOLUÇÕES EM EDUCAÇÃO 3.0 SOLUÇÕES EM EDUCAÇÃO 3.0 www.cisco.com.br/educação 2011 Cisco and/or its affiliates. All rights reserved. 1 Educação 1.0 Educação 2.0 Educação 3.0 Tecnológica Rural Tradicional 2011 Cisco and/or its affiliates.

Leia mais

Panorama da Educação: Tendências e Inovações da Educação no Mundo EDUCAÇÃO

Panorama da Educação: Tendências e Inovações da Educação no Mundo EDUCAÇÃO Panorama da Educação: Tendências e Inovações da Educação no Mundo EDUCAÇÃO TEMAS E OBJETIVOS O QUE MUDOU? O perfil dos alunos; a tecnologia; o acesso à educação. O QUE ESTÁ MUDANDO? As ins@tuições de ensino;

Leia mais

Produção de REA apoiada por MOOC

Produção de REA apoiada por MOOC Produção de REA apoiada por MOOC Sobre o palestrante Marcelo Akira Inuzuka Prof. Assistente do Instituto de Informática da UFG Graduado em Ciências da Computação Mestrado em EaD Interesses: Tecnologias

Leia mais

Índice. Introdução... 3 Conhecendo Ambiente de estudo... 4

Índice. Introdução... 3 Conhecendo Ambiente de estudo... 4 Página 1 Índice Introdução... 3 Conhecendo Ambiente de estudo... 4 O QUE É EDUCAÇÃO A DISTANCIA (EAD)?... 4 O que é necessário para estudar em ead?... 4 Quais são as vantagens de estudar a distância?...

Leia mais

Educação a Distância: Limites e Possibilidades

Educação a Distância: Limites e Possibilidades Educação a Distância: Limites e Possibilidades Bernardo de Azevedo Ramos Brillian Aquino Fernandes Lucas Fernandes Barbosa Rafael Castro e Abrantes RESUMO: O trabalho tem como meta avaliar a Educação a

Leia mais

A que se propõe? Histórico e Evolução. Funcionalidades. Aplicações Comerciais. Tecnologias Envolvidas. Áreas Afetadas. Bibliografia. A que se propõe?

A que se propõe? Histórico e Evolução. Funcionalidades. Aplicações Comerciais. Tecnologias Envolvidas. Áreas Afetadas. Bibliografia. A que se propõe? O que é? Educação à Distância: [...]a modalidade de educação em que as atividades de ensino-aprendizagem são desenvolvidas majoritariamente (e em bom número de casos exclusivamente) sem que alunos e professores

Leia mais

Como adquirir os materiais didáticos do Moderna.Compartilha

Como adquirir os materiais didáticos do Moderna.Compartilha Como adquirir os materiais didáticos do Moderna.Compartilha MODERNA.COMPARTILHA: INTEGRAR TECNOLOGIA E CONTEÚDOS A FAVOR DO APRENDIZADO. Os alunos deste século estão conectados com novas ideias, novas

Leia mais

C.P.F. DOS ENVOLVIDOS: 105111179-06 085997089-29 093745209-23 KRIO. A integração entre a tecnologia e a comunicação para Jovens Aprendizes

C.P.F. DOS ENVOLVIDOS: 105111179-06 085997089-29 093745209-23 KRIO. A integração entre a tecnologia e a comunicação para Jovens Aprendizes C.P.F. DOS ENVOLVIDOS: 105111179-06 085997089-29 093745209-23 KRIO A integração entre a tecnologia e a comunicação para Jovens Aprendizes FLORIANÓPOLIS 2014 2 RESUMO: O projeto apresentado é resultado

Leia mais

Blended Learning. Crie, avalie e lecione usando as melhores práticas e tecnologias de ensino-aprendizagem

Blended Learning. Crie, avalie e lecione usando as melhores práticas e tecnologias de ensino-aprendizagem Blended Learning Crie, avalie e lecione usando as melhores práticas e tecnologias de ensino-aprendizagem Curso ministrado de Londres em Português de Portugal Blended Learning À distância, ao vivo R$580,00

Leia mais

NanowareCyber: Nosso negócio é sua formação.

NanowareCyber: Nosso negócio é sua formação. NanowareCyber: Nosso negócio é sua formação. PLATAFORMA AcademiaWeb Sistema de gerenciamento de escola virtual com gestão de conteúdo, transmissão de web-aula ao vivo e interação online com os participantes.

Leia mais

Formação de recursos humanos em saúde: tecnologias de informação e comunicação como recurso didático no Programa FAIMER Brasil

Formação de recursos humanos em saúde: tecnologias de informação e comunicação como recurso didático no Programa FAIMER Brasil ARTIGO Formação de recursos humanos em saúde: tecnologias de informação e comunicação como recurso didático no Programa FAIMER Brasil AUTORES Vera Lúcia Garcia Dra. em Distúrbios da Comunicação Humana

Leia mais

Como produzir um Curso on line

Como produzir um Curso on line Como produzir um Curso on line 1 - Introdução Este tutorial visa estimular a produção de cursos on line na forma mais profissional possível. O público alvo deste tutorial é qualquer indivíduo interessado

Leia mais

PROGRAMA DE APRENDIZAGEM MBA E PÓS-GRADUAÇÃO

PROGRAMA DE APRENDIZAGEM MBA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE APRENDIZAGEM MBA E PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL MBA e Pós-Graduação Cursos inovadores e alinhados às tendências globais Nossos cursos seguem modelos globais e inovadores de educação. Os professores

Leia mais

MBA em Gestão Estratégica e Marketing Digital Objetivo do curso:

MBA em Gestão Estratégica e Marketing Digital Objetivo do curso: Com carga horária de 420 horas o curso MBA em Gestão Estratégica e Marketing Digital é desenvolvido em sistema modular, com 01 encontro por bimestre (total de encontros no curso: 04) para avaliação nos

Leia mais

Oficina Recursos Educacionais Abertos REA. Débora Sebriam Centro Educacional Pioneiro Julho/2011

Oficina Recursos Educacionais Abertos REA. Débora Sebriam Centro Educacional Pioneiro Julho/2011 Oficina Recursos Educacionais Abertos REA Débora Sebriam Centro Educacional Pioneiro Julho/2011 Objetivos do Encontro Criar uma sólida compreensão dos REA, dos direitos de autor e das licenças abertas

Leia mais

Curso de Especialização em Saúde da Família

Curso de Especialização em Saúde da Família MÓDULO: FAMILIARIZAÇÃO TECNOLÓGICA COM EAD UNIDADE 03 DOCÊNCIA E TUTORIA NA EAD Prof. Msc Rômulo Martins 2.1 Introdução A Educação a Distância, por meio dos inúmeros recursos didáticos e tecnológicos,

Leia mais

Os MOOC no Desenvolvimento Profissional dos Professores O Estado de uma Nova Arte. António Moreira Teixeira UAb (PT), EDEN (UK), IBSTPI (USA)

Os MOOC no Desenvolvimento Profissional dos Professores O Estado de uma Nova Arte. António Moreira Teixeira UAb (PT), EDEN (UK), IBSTPI (USA) Os MOOC no Desenvolvimento Profissional dos Professores O Estado de uma Nova Arte UAb (PT), EDEN (UK), IBSTPI (USA) 2 A Abertura da Educação: OER/REA e MOOCs Desenvolvimento e impacto social da educação

Leia mais

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E O USO INTEGRADO DE TECNOLOGIAS DIGITAIS Sérgio Abranches

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E O USO INTEGRADO DE TECNOLOGIAS DIGITAIS Sérgio Abranches PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E O USO INTEGRADO DE TECNOLOGIAS DIGITAIS Sérgio Abranches A presença de tecnologias digitais no campo educacional já é facilmente percebida, seja pela introdução de equipamentos diversos,

Leia mais

ANA LÚCIA DE OLIVEIRA BARRETO

ANA LÚCIA DE OLIVEIRA BARRETO COLÉGIO MILITAR DO RIO DE JANEIRO GUIA BÁSICO DE UTILIZAÇÃO DA REDE COLABORATIVA Construçãoo de Saberes no Ensino Médio ANA LÚCIA DE OLIVEIRA BARRETO CMRJ - 2010 2 LISTA DE FIGURAS Figura 01: Exemplo de

Leia mais

Consultoria para desenvolvimento de estratégias de treinamento on-line

Consultoria para desenvolvimento de estratégias de treinamento on-line 1 2 A HIPOCAMPUS é uma empresa de consultoria em comunicação e ensino digital com foco nos profissionais de saúde. Estamos prontos a auxiliar empresas dos diferentes segmentos da área de saúde a estabelecer

Leia mais

Apoio tecnológico para treinamento vocacional. Projeto-piloto indica possibilidades de ampliação de acesso a cursos online. Artigo

Apoio tecnológico para treinamento vocacional. Projeto-piloto indica possibilidades de ampliação de acesso a cursos online. Artigo Artigo Apoio tecnológico para treinamento vocacional Projeto-piloto indica possibilidades de ampliação de acesso a cursos online Rodrigo Laiola Guimarães*, Andrea Britto Mattos**, Victor Martinêz***, Flávio

Leia mais

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade O caminho para o sucesso Promovendo o desenvolvimento para além da universidade Visão geral Há mais de 40 anos, a Unigranrio investe em ensino diferenciado no Brasil para cumprir com seu principal objetivo

Leia mais

Projeto de Design Instrucional

Projeto de Design Instrucional Projeto de Design Instrucional Curso: Educação Financeira Modalidade: EaD on-line o que é Design Instrucional? A ação institucional e sistemática de ensino, que envolve o planejamento, o desenvolvimento

Leia mais

Apresentação do MOODLE. Educação do século XXI

Apresentação do MOODLE. Educação do século XXI Apresentação do MOODLE Educação do século XXI Software social e e-learning Talvez seja o momento de fazer algo nas suas disciplinas! O que pretende do seu sistema de aprendizagem on-line? Fácil criação

Leia mais

Módulo 1. Introdução. 1.1 O que é EAD?

Módulo 1. Introdução. 1.1 O que é EAD? Módulo 1. Introdução Cada vez mais o mundo social e do trabalho necessitam de sujeitos capazes de fazer a diferença através de suas ações e atitudes. A utilização do ambiente virtual, como meio de interação

Leia mais

1. Apresentação. 1.1. Conexão Digital para o Desenvolvimento Social. 1.2. Engajamento na Iniciativa

1. Apresentação. 1.1. Conexão Digital para o Desenvolvimento Social. 1.2. Engajamento na Iniciativa 1. Apresentação 1.1. Conexão Digital para o Desenvolvimento Social A conexão Digital para o Desenvolvimento Social é uma iniciativa que abrange uma série de atividades desenvolvidas por ONGs em colaboração

Leia mais

Bem Vindo... 4. A Disciplina de Dependência Interativa... 5. A Organização da Disciplina... 7. O Processo de Ensino e Aprendizagem...

Bem Vindo... 4. A Disciplina de Dependência Interativa... 5. A Organização da Disciplina... 7. O Processo de Ensino e Aprendizagem... 1 2 Sumário Bem Vindo... 4 A Disciplina de Dependência Interativa... 5 A Organização da Disciplina... 7 O Processo de Ensino e Aprendizagem... 10 Sua Semana no Curso... 11 O apoio local ao Ensino Semipresencial...

Leia mais

Sistemas de gerenciamento de aprendizagem: uma metodologia de avaliação

Sistemas de gerenciamento de aprendizagem: uma metodologia de avaliação Sistemas de gerenciamento de aprendizagem: uma metodologia de avaliação Mário Vasconcelos Andrade Universidade Tiradentes, Brasil mario_andrade@yahoo.com Francisco Vilar Brasileiro Universidade Federal

Leia mais

Unidade I TECNOLOGIA. Material Instrucional. Profª Christiane Mazur

Unidade I TECNOLOGIA. Material Instrucional. Profª Christiane Mazur Unidade I TECNOLOGIA EDUCACIONAL EM EAD Material Instrucional Profª Christiane Mazur Ensinar Ensinar é, também, a arte de estimular o desejo de saber. EAD - Brasil 1904: Correspondência impressos; 1923:

Leia mais

Gestão e Formação Pedagógica em: Administração, Inspeção, Orientação e Supervisão Objetivo do curso:

Gestão e Formação Pedagógica em: Administração, Inspeção, Orientação e Supervisão Objetivo do curso: Com carga horária de 720 horas o curso Gestão e Formação Pedagógica em: Administração, Inspeção, Orientação e Supervisão é desenvolvido em sistema modular, com 01 encontro por bimestre (total de encontros

Leia mais

ANEXO 1 - QUESTIONÁRIO

ANEXO 1 - QUESTIONÁRIO ANEXO 1 - QUESTIONÁRIO 1. DIMENSÃO PEDAGÓGICA 1.a) ACESSIBILIDADE SEMPRE ÀS VEZES NUNCA Computadores, laptops e/ou tablets são recursos que estão inseridos na rotina de aprendizagem dos alunos, sendo possível

Leia mais

Sem medo do futuro Com os jovens liderando uma revolução tecnológica, instituições precisam se adaptar a um novo perfil de universitários.

Sem medo do futuro Com os jovens liderando uma revolução tecnológica, instituições precisam se adaptar a um novo perfil de universitários. Sem medo do futuro Com os jovens liderando uma revolução tecnológica, instituições precisam se adaptar a um novo perfil de universitários. Filipe Jahn A revolução das novas tecnologias nos dias de hoje

Leia mais

Trabalho sobre Social Media Como implementar Social Media na empresa

Trabalho sobre Social Media Como implementar Social Media na empresa Como implementar Social Media na empresa 1 As razões: Empresas ainda desconhecem benefícios do uso de redes sociais Das 2,1 mil empresas ouvidas em estudo do SAS Institute e da Harvard Business Review,

Leia mais

José Moran Orientador de Projetos Educacionais Inovadores com metodologias ativas

José Moran Orientador de Projetos Educacionais Inovadores com metodologias ativas Desafios que as tecnologias digitais nos trazem José Moran Orientador de Projetos Educacionais Inovadores com metodologias ativas nas modalidades presencial e a distância Do livro Novas Tecnologias e Mediação

Leia mais

CENTRO VIRTUAL DE MODELAGEM: A SINERGIA DA MODELAGEM MATEMÁTICA COM VÍDEOS DIGITAIS

CENTRO VIRTUAL DE MODELAGEM: A SINERGIA DA MODELAGEM MATEMÁTICA COM VÍDEOS DIGITAIS CENTRO VIRTUAL DE MODELAGEM: A SINERGIA DA MODELAGEM MATEMÁTICA COM VÍDEOS DIGITAIS Nilton Silveira Domingues Universidade Estadual Paulista (UNESP - Campus de Rio Claro) Instituto de Geociências e Ciências

Leia mais

Educação a Distância aplicada à disciplina de Cálculo Diferencial e Integral I na graduação de Ciência da Computação. 05/2005

Educação a Distância aplicada à disciplina de Cálculo Diferencial e Integral I na graduação de Ciência da Computação. 05/2005 1 Educação a Distância aplicada à disciplina de Cálculo Diferencial e Integral I na graduação de Ciência da Computação. 146-TC-C3 Resumo: 05/2005 Alexandre Campos Silva Pontifícia Universidade Católica

Leia mais

Utilização do Ambiente virtual de aprendizagem TelEduc para a aprendizagem de línguas estrangeiras Girlene Medeiros (2013)

Utilização do Ambiente virtual de aprendizagem TelEduc para a aprendizagem de línguas estrangeiras Girlene Medeiros (2013) Utilização do Ambiente virtual de aprendizagem TelEduc para a aprendizagem de línguas estrangeiras Girlene Medeiros (2013) Questionamentos que devem ser enfrentados 1. Como você descreveria esse ambiente

Leia mais

RESUMO. PALAVRAS-CHAVE: Educação à distância; Informática; Metodologia.

RESUMO. PALAVRAS-CHAVE: Educação à distância; Informática; Metodologia. 1 O PAPEL DA INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA: Um Estudo de Caso no pólo UNOPAR, Machadinho do Oeste - RO Izaqueu Chaves de Oliveira 1 RESUMO O presente artigo tem por objetivo compreender a importância

Leia mais

Introdução a EaD: Um guia de estudos

Introdução a EaD: Um guia de estudos MÓDULO BÁSICO PROFESSORES FERNANDO SPANHOL E MARCIO DE SOUZA Introdução a EaD: Um guia de estudos Realização: guia de estudo SUMÁRIO UNIDADE 1 ORGANIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 1.1 Entendendo a EaD 5

Leia mais

Introdução ao Moodle (1.6.5+)

Introdução ao Moodle (1.6.5+) Introdução ao Moodle (1.6.5+) 2 Athail Rangel Pulino Ficha Técnica Título Introdução ao Moodle Autor Athail Rangel Pulino Filho Copyright Creative Commons Edição Agosto 2007 Introdução ao Moodle 3 Índice

Leia mais

Ensino e aprendizagem na vida real

Ensino e aprendizagem na vida real Ensino e aprendizagem na vida real Uma parceria entre a USFQ e a Brightspace para aumentar a colaboração e difundir as melhores práticas entre os docentes Visão geral Líder em educação, pesquisa, criatividade,

Leia mais

Perspectivas das TDIC na Educação Superior Luis Paulo Leopoldo Mercado Universidade Federal de Alagoas - Brasil o

Perspectivas das TDIC na Educação Superior Luis Paulo Leopoldo Mercado Universidade Federal de Alagoas - Brasil o Perspectivas das TDIC na Educação Superior Luis Paulo Leopoldo Mercado Universidade Federal de Alagoas - Brasil o Sumário da Intervenção Formatos Digitais para a Educação Superior MOOCs na Educação Superior

Leia mais

Este é o NOSSO TEMPO. Desfrutar. Aprender. Criar. Compartilhar Novos relacionamentos

Este é o NOSSO TEMPO. Desfrutar. Aprender. Criar. Compartilhar Novos relacionamentos BEM-VINDOS Este é o NOSSO TEMPO Desfrutar Aprender Criar Compartilhar Novos relacionamentos vamos então começar Plataforma ArcGIS: transformando e inovando a tomada de decisão com o uso da Inteligência

Leia mais

Autoria Web Apresentação e Visão Geral sobre a Web

Autoria Web Apresentação e Visão Geral sobre a Web Apresentação e Visão Geral sobre a Web Apresentação Thiago Miranda Email: mirandathiago@gmail.com Site: www.thiagomiranda.net Objetivos da Disciplina Conhecer os limites de atuação profissional em Web

Leia mais

Questão em foco: Colaboração de produto 2.0. Uso de técnicas de computação social para criar redes sociais corporativas

Questão em foco: Colaboração de produto 2.0. Uso de técnicas de computação social para criar redes sociais corporativas Questão em foco: Colaboração de produto 2.0 Uso de técnicas de computação social para criar redes sociais corporativas Tech-Clarity, Inc. 2009 Sumário Sumário... 2 Introdução à questão... 3 O futuro da

Leia mais

Painel Educação financeira com novas soluções digitais Experiências da Bolsa Brasileira

Painel Educação financeira com novas soluções digitais Experiências da Bolsa Brasileira Conferência de Educação Financeira e Comportamento do Investidor IECBrazil 2015 Painel Educação financeira com novas soluções digitais Experiências da Bolsa Brasileira Daniel Pfannemüller 08/12/2015 Confidencial

Leia mais

A importância de videoaulas na educação

A importância de videoaulas na educação A importância de videoaulas na educação Leonardo Senna Zelinski Silvia Leticia Ludke Resumo: Este artigo apresentará análise da necessidade da produção de videoaulas para divulgação online, visando principalmente

Leia mais

As 5 grandes tendências em tecnologia para Educação. Compartilhe este guia:

As 5 grandes tendências em tecnologia para Educação. Compartilhe este guia: As 5 grandes tendências em tecnologia para Educação 1 Introdução: A educação iniciou o século XXI de maneira bastante disruptiva. Uma série de inovações por parte de educadores e alunos fez com que os

Leia mais

Negociação Estratégica e Gestão de Conflitos Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração Educação Executiva

Negociação Estratégica e Gestão de Conflitos Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração Educação Executiva 1 Porque Educação Executiva Insper A dinâmica do mundo corporativo exige profissionais multidisciplinares, capazes de interagir e formar conexões com diferentes áreas da empresa e entender e se adaptar

Leia mais

CONCEITO: Moodle Moodle Moodle Moodle

CONCEITO: Moodle Moodle Moodle Moodle NE@D - Moodle CONCEITO: O Moodle é uma plataforma de aprendizagem a distância baseada em software livre. É um acrônimo de Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment (ambiente modular de aprendizagem

Leia mais

Produção de Videoaulas de Física para a Internet Leonardo Senna Zelinski da Silva Silvia Leticia Ludke

Produção de Videoaulas de Física para a Internet Leonardo Senna Zelinski da Silva Silvia Leticia Ludke Instituto Federal do Paraná Licenciatura em Física Produção de Videoaulas de Física para a Internet Leonardo Senna Zelinski da Silva Silvia Leticia Ludke SUMÁRIO 1 Introdução... 2 2 Justificativa... 4

Leia mais

INCLUSÃO TECNOLÓGICA PARA O ENSINO PROFISSIONALIZANTE: UM ESTUDO DE CASO NO PROEJA

INCLUSÃO TECNOLÓGICA PARA O ENSINO PROFISSIONALIZANTE: UM ESTUDO DE CASO NO PROEJA Pró-Reitoria de Pesquisa Pós-Graduação e Inovação Coordenação Geral de Pesquisa e Pós-Graduação prppgi@iffarroupilha.edu.br Projeto de Pesquisa ( X ) TECNOLÓGICO ou ( ) CIENTÍFICO INCLUSÃO TECNOLÓGICA

Leia mais

EM BUSCA DA MELHORIA DA QUALIDADE DA INTERAÇÃO ASSÍNCRONA: SNAPP OS SEUS FÓRUNS

EM BUSCA DA MELHORIA DA QUALIDADE DA INTERAÇÃO ASSÍNCRONA: SNAPP OS SEUS FÓRUNS EM BUSCA DA MELHORIA DA QUALIDADE DA INTERAÇÃO ASSÍNCRONA: SNAPP OS SEUS FÓRUNS Brasília, maio de 2012 Iara Carneiro Tabosa Pena - Universidade de Brasília (iarapena@yahoo.com.br) Wilsa Maria Ramos Universidade

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL AMBIENTE VIRTUAL INSTITUCIONAL MOODLE/UFFS

UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL AMBIENTE VIRTUAL INSTITUCIONAL MOODLE/UFFS UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL AMBIENTE VIRTUAL INSTITUCIONAL MOODLE/UFFS Guia Inicial de Acesso e Utilização Para Docentes Versão 1.0b Outubro/2010 Acesso e utilização do Ambiente Virtual de Ensino

Leia mais

Questão em foco: Mobilidade no PLM. Reduzindo as barreiras à inovação e à tomada de decisões de engenharia

Questão em foco: Mobilidade no PLM. Reduzindo as barreiras à inovação e à tomada de decisões de engenharia Questão em foco: Mobilidade no PLM Reduzindo as barreiras à inovação e à tomada de decisões de engenharia Tech-Clarity, Inc. 2011 Índice Introdução da questão... 3 O valor da mobilidade para a engenharia...

Leia mais

MAGIZ, A PLATAFORMA EDUCACIONAL

MAGIZ, A PLATAFORMA EDUCACIONAL MAGIZ, A PLATAFORMA EDUCACIONAL PADRÃO INTERNACIONAL PARA O ESTUDANTE BRASILEIRO A plataforma magiz foi criada pela Sciere com a noção de que, com a aplicação intensa da tecnologia, a educação a distância

Leia mais

Os 3 erros mais comuns na adoção dos tablets na sala de aula - e como você pode evitá-los

Os 3 erros mais comuns na adoção dos tablets na sala de aula - e como você pode evitá-los Os 3 erros mais comuns na adoção dos tablets na sala de aula - e como você pode evitá-los Visite mosyle.com e blog.mosyle.com 2015 Mosyle. Todos os direitos reservados. Nos últimos anos, as escolas passaram

Leia mais

Inovações na sala de aula e as Redes Sociais

Inovações na sala de aula e as Redes Sociais Inovações na sala de aula e as Redes Sociais Painel: Inovando nas estruturas acadêmicas e administrativas Profa. Dra. Marta de Campos Maia Marta.maia@fgv.br Agenda As Tecnologias Educacionais e os Nativos

Leia mais

Crescendo e Inovando com um Parceiro Confiável de Suporte

Crescendo e Inovando com um Parceiro Confiável de Suporte IBM Global Technology Services Manutenção e suporte técnico Crescendo e Inovando com um Parceiro Confiável de Suporte Uma abordagem inovadora em suporte técnico 2 Crescendo e Inovando com um Parceiro Confiável

Leia mais

ÀGORA, Porto Alegre, Ano 3, jan/jun.2012. ISSN 2175-3792

ÀGORA, Porto Alegre, Ano 3, jan/jun.2012. ISSN 2175-3792 ÀGORA, Porto Alegre, Ano 3, jan/jun.2012. ISSN 2175-3792 70 A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E O USO DE AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA Rita de Cássia Viegas dos Santos

Leia mais

Andréa Gonçalves Gerente de Treinamento andrea.goncalves@proquest.com

Andréa Gonçalves Gerente de Treinamento andrea.goncalves@proquest.com Andréa Gonçalves Gerente de Treinamento andrea.goncalves@proquest.com O que sua equipe precisa saber para lidar com e-books Toda a equipe de atendimento da biblioteca deveria ter que usar os recursos da

Leia mais

GLOSSÁRIO. Ação educacional ação de ensino-aprendizagem (ex.: curso, seminário, palestra, treinamento, capacitação).

GLOSSÁRIO. Ação educacional ação de ensino-aprendizagem (ex.: curso, seminário, palestra, treinamento, capacitação). 137 GLOSSÁRIO Abordagem sistêmica método que integra diferentes ciências na investigação, pesquisa ou estudo de determinado tema, assunto, objeto ou fenômeno. Ação educacional ação de ensino-aprendizagem

Leia mais

exigentes On-line, mas

exigentes On-line, mas EAD On-line, mas exigentes Cursos de pós-graduação a distância aparecem como boas opções para quem busca uma formação de qualidade aliada a preços mais acessíveis e um formato flexível, mas exigem comprometimento

Leia mais

Educação a Distância Definições

Educação a Distância Definições Educação a Distância Definições Educação a distância é o processo de ensino-aprendizagem, mediado por tecnologias, onde professores e alunos estão separados espacial e/ou temporalmente; Visa a interação

Leia mais

NOVEMBRO 2014 NÚMERO: 03 TREINA+

NOVEMBRO 2014 NÚMERO: 03 TREINA+ NOVEMBRO 2014 NÚMERO: 03 TREINA+ 5DIRETRIZES PARA SEGUIR ANTES DE CONTRATAR UM LMS ESTRATÉGIAS PARA APROVEITAR MELHOR SEU LMS LMS, POR QUÊ? O QUE É LMS (LEARNING MANAGEMENT SYSTEM)? EDI ÇÃO EXCLU SIVA

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL JOAQUIM GONÇALVES LEDO PLANO DE AÇÃO 2015

ESCOLA ESTADUAL JOAQUIM GONÇALVES LEDO PLANO DE AÇÃO 2015 ESCOLA ESTADUAL JOAQUIM GONÇALVES LEDO PLANO DE AÇÃO IVINHEMA MS ESCOLA ESTADUAL JOAQUIM GONÇALVES LEDO PLANO DE AÇÃO Planejamento anual de atividades a serem desenvolvidas pelo Professor Gerenciador de

Leia mais

Público Alvo: Investimento: Disciplinas:

Público Alvo: Investimento: Disciplinas: A Universidade Católica Dom Bosco - UCDB com mais de 50 anos de existência, é uma referência em educação salesiana no país, sendo reconhecida como a melhor universidade particular do Centro-Oeste (IGC/MEC).

Leia mais

A PERCEPÇÃO DOS GESTORES EM RELAÇÃO À IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING: UM ESTUDO EM EMPRESAS EM DIFERENTES ESTÁGIOS DE IMPLANTAÇÃO

A PERCEPÇÃO DOS GESTORES EM RELAÇÃO À IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING: UM ESTUDO EM EMPRESAS EM DIFERENTES ESTÁGIOS DE IMPLANTAÇÃO 1 A PERCEPÇÃO DOS GESTORES EM RELAÇÃO À IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING: UM ESTUDO EM EMPRESAS EM DIFERENTES ESTÁGIOS DE IMPLANTAÇÃO Porto Alegre RS Abril 2010 Bianca Smith Pilla Instituto Federal de Educação,

Leia mais

LINHAS TEMÁTICAS. EDITAL MCT/CNPq 066/2010 ICT 2011 Chamada coordenada UE/ Brasil. Linha temática 1: Microeletrônica/ Microssistemas

LINHAS TEMÁTICAS. EDITAL MCT/CNPq 066/2010 ICT 2011 Chamada coordenada UE/ Brasil. Linha temática 1: Microeletrônica/ Microssistemas (Anexo IV) LINHAS TEMÁTICAS EDITAL MCT/CNPq 066/2010 ICT 2011 Chamada coordenada UE/ Brasil Linha temática 1: Microeletrônica/ Microssistemas Metodologia, blocos e ferramentas específicas de projeto que

Leia mais

Novas Tecnologias Aplicadas à Educação O Ensino e as Novas Tecnologias I. Prof. Hugo Souza

Novas Tecnologias Aplicadas à Educação O Ensino e as Novas Tecnologias I. Prof. Hugo Souza Novas Tecnologias Aplicadas à Educação O Ensino e as Novas Tecnologias I Prof. Hugo Souza Continuando nossas aulas, após verificarmos toda a integração histórica da informática para a educação, veremos

Leia mais

A atuação do TecSaúde e da Fundação do Desenvolvimento Administrativo para a formação em EAD de trabalhadores do SUS

A atuação do TecSaúde e da Fundação do Desenvolvimento Administrativo para a formação em EAD de trabalhadores do SUS A atuação do TecSaúde e da Fundação do Desenvolvimento Administrativo para a formação em EAD de trabalhadores do SUS São Paulo SP Maio 2012 Setor Educacional Educação Corporativa Classificação das Áreas

Leia mais

O planejamento de Disciplinas na Modalidade de Ensino Semi-Presencial

O planejamento de Disciplinas na Modalidade de Ensino Semi-Presencial O planejamento de Disciplinas na Modalidade de Ensino Semi-Presencial Curitiba, 05/2010. Elton Ivan Schneider 1 Mestrando EGC UFSC eschneider@facinter.br Henrique Castelo Branco Prof. Msc hcastelo@onda.com.br

Leia mais

O curso de italiano on-line: apresentação

O curso de italiano on-line: apresentação O curso de italiano on-line: apresentação Índice Porque um curso de língua on-line 1. Os cursos de língua italiana ICoNLingua 2. Como é organizado o curso 2.1. Estrutura geral do curso 2.2. Andamento e

Leia mais

Documento de Visão. O sistema atual se baseia no método padrão de ensino, onde a presença física dos alunos é essencial para um bom aprendizado.

Documento de Visão. O sistema atual se baseia no método padrão de ensino, onde a presença física dos alunos é essencial para um bom aprendizado. UFF Universidade Federal Fluminense Instituto de Computação Engenharia de Software II Professora: Bianca Zadrozny 1º Trabalho Prático: Documento de Visão Alunos: Diego Soares, Felipe Maia e Leandro Feijó.

Leia mais

Painel Setorial Inmetro Desafios Atuais da Educação a Distância Módulo VI Educação a Distância: com parcerias se faz mais

Painel Setorial Inmetro Desafios Atuais da Educação a Distância Módulo VI Educação a Distância: com parcerias se faz mais Painel Setorial Inmetro Desafios Atuais da Educação a Distância Módulo VI Educação a Distância: com parcerias se faz mais Centro Operacional do Inmetro Xerém/RJ, 31 de julho de 2009 SENAI Grandes Números

Leia mais

Plataforma. Portal Educacional

Plataforma. Portal Educacional Plataforma Portal Educacional O Grupo Actcon e a Rede Educar Brasil Especializado em soluções que incorporam Tecnologia da Informação à Educação e à Modernização da Administração Pública, o Grupo Actcon

Leia mais

MANUAL DO ALUNO 1. APRESENTAÇÃO 2. OBJETIVOS 3. ACESSO AO CURSO. Bem-vindo (a) ao curso de Capacitação para cursos em EAD!

MANUAL DO ALUNO 1. APRESENTAÇÃO 2. OBJETIVOS 3. ACESSO AO CURSO. Bem-vindo (a) ao curso de Capacitação para cursos em EAD! MANUAL DO ALUNO MANUAL DO ALUNO Bem-vindo (a) ao curso de Capacitação para cursos em EAD! 1. APRESENTAÇÃO Preparado pela equipe da Coordenadoria de Educação Aberta e a Distância (CEAD) da Universidade

Leia mais

3º ECOM.EDU Encontro de Comunicação e Educação de Ponta Grossa O TUTOR NA EAD: QUEM É E O QUE FAZ.

3º ECOM.EDU Encontro de Comunicação e Educação de Ponta Grossa O TUTOR NA EAD: QUEM É E O QUE FAZ. 223 3º ECOM.EDU Encontro de Comunicação e Educação de Ponta Grossa O TUTOR NA EAD: QUEM É E O QUE FAZ. Andréia Bulaty 70 GT2: Mídia e Educação à Distância Modalidade: Pôster Resumo: O presente trabalho

Leia mais

A utilização do LMS Chamilo na disciplina Laboratório de Ensino de Matemática: a experiência de professores em formação inicial

A utilização do LMS Chamilo na disciplina Laboratório de Ensino de Matemática: a experiência de professores em formação inicial A utilização do LMS Chamilo na disciplina Laboratório de Ensino de Matemática: a experiência de professores em formação inicial Luciane Mulazani dos Santos, UDESC, luciane.mulazani@udesc.br Ivanete Zuchi

Leia mais

Ambientação ao Moodle. João Vicente Cegato Bertomeu

Ambientação ao Moodle. João Vicente Cegato Bertomeu Ambientação ao Moodle João Vicente Cegato Bertomeu AMBIENTAÇÃO A O MOODLE E S P E C I A L I Z A Ç Ã O E M SAUDE da FAMILIA Sumário Ambientação ao Moodle 21 1. Introdução 25 2. Histórico da EaD 25 3. Utilizando

Leia mais

FMU - FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS E-COMMERCE, SOCIAL COMMERCE, MOBILE MARKETING E MARKETING DE PERMISSÃO.

FMU - FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS E-COMMERCE, SOCIAL COMMERCE, MOBILE MARKETING E MARKETING DE PERMISSÃO. FMU - FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS E-COMMERCE, SOCIAL COMMERCE, MOBILE MARKETING E MARKETING DE PERMISSÃO. São Paulo - SP 2016 RENAN ROCHA ALVES - RA: 6448758 E-COMMERCE, SOCIAL COMMERCE, MOBILE MARKETING

Leia mais

O conceito de colaboração

O conceito de colaboração O conceito de colaboração O conceito de colaboração está ligado às técnicas que possibilitam que pessoas dispersas geograficamente possam trabalhar de maneira integrada, como se estivessem fisicamente

Leia mais

Manual do Ambiente Moodle para Professores

Manual do Ambiente Moodle para Professores UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL Manual do Ambiente Moodle para Professores Fórum e Chat Versão 1.0b Setembro/2011 Direitos Autorais: Essa apostila está licenciada sob uma Licença Creative Commons

Leia mais

Caro(a) aluno(a), Estaremos juntos nesta caminhada. Coordenação NEO

Caro(a) aluno(a), Estaremos juntos nesta caminhada. Coordenação NEO Caro(a) aluno(a), seja bem-vindo às Disciplinas Online da Faculdade Presidente Antônio Carlos de Bom Despacho e Faculdade de Educação de Bom Despacho. Em pleno século 21, na era digital, não poderíamos

Leia mais

Disciplina Ofertadas na modalidade Avaliação da Aprendizagem Acesso ao Ambiente Virtual Dúvida e Suporte

Disciplina Ofertadas na modalidade Avaliação da Aprendizagem Acesso ao Ambiente Virtual Dúvida e Suporte Sumário Apresentação O papel do Aluno Ambiente Virtual de Aprendizagem Disciplina Ofertadas na modalidade Avaliação da Aprendizagem Acesso ao Ambiente Virtual Dúvida e Suporte Dúvidas 3 5 6 9 10 11 14

Leia mais

Índice. 1.Cenário Brasil. 2. Projeto PALMA. 3. Tecnologia Digital na Educação de Jovens e Adultos

Índice. 1.Cenário Brasil. 2. Projeto PALMA. 3. Tecnologia Digital na Educação de Jovens e Adultos 1 Índice 1.Cenário Brasil 2. Projeto PALMA 3. Tecnologia Digital na Educação de Jovens e Adultos 2 1. Cenário Brasil 3 Fonte: IBGE Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística 2013 Analfabetismo 41

Leia mais

ÍNDICE O QUE É... 2 COMO FUNCIONA... 3. Acervo... 3. Meus Livros... 4. Livros em destaque... 7. Fórum... 7. Notícias... 8. Ajuda... 9. Suporte...

ÍNDICE O QUE É... 2 COMO FUNCIONA... 3. Acervo... 3. Meus Livros... 4. Livros em destaque... 7. Fórum... 7. Notícias... 8. Ajuda... 9. Suporte... ÍNDICE O QUE É... 2 COMO FUNCIONA... 3 Acervo... 3 Meus Livros... 4 Livros em destaque... 7 Fórum... 7 Notícias... 8 Ajuda... 9 Suporte... 9 POR QUE USAR... 10 EQUIPE RESPONSÁVEL... 12 CONTATO... 13 O

Leia mais

Capítulo 3 Gerenciadores de EaD baseada na Internet

Capítulo 3 Gerenciadores de EaD baseada na Internet 57 Capítulo 3 Gerenciadores de EaD baseada na Internet Hoje em dia ter a Internet como aliada é um recurso indispensável para qualquer educador ou responsável por treinamento corporativo que atue em qualquer

Leia mais

MBA EM ARQUITETURA E GESTÃO DE INFRAESTRUTURA DE TI

MBA EM ARQUITETURA E GESTÃO DE INFRAESTRUTURA DE TI MBA EM ARQUITETURA E GESTÃO DE INFRAESTRUTURA DE TI Novas tecnologias e tendências surgem a cada dia, como Big Data, Cloud Computing, Internet of Things, entre outras. A curva de adoção dessas tecnologias

Leia mais

Autor Equipe do moodlebrasil.net Copyright Creative Commons Edição Setembro 2008. Guia do Aluno Online. Abril 2008 2

Autor Equipe do moodlebrasil.net Copyright Creative Commons Edição Setembro 2008. Guia do Aluno Online. Abril 2008 2 Guia do aluno Título Autor Equipe do moodlebrasil.net Copyright Creative Commons Edição Setembro 2008 Abril 2008 2 Índice 1. Introdução... 4 2. Metodologia... 4 3. Aulas online... 5 4. A avaliação... 5

Leia mais

Revistas digitais educativas para tablet: possibilidade de enriquecimento audiovisual da revista Nova Escola

Revistas digitais educativas para tablet: possibilidade de enriquecimento audiovisual da revista Nova Escola Revistas digitais educativas para tablet: possibilidade de enriquecimento audiovisual da revista Nova Escola Francisco Rolfsen Belda e-mail: belda@faac.unesp.br Danilo Leme Bressan e-mail: danilo.bressan@gmail.com.br

Leia mais

Educação a distância: desafios e descobertas

Educação a distância: desafios e descobertas Educação a distância: desafios e descobertas Educação a distância: Desafios e descobertas Conteudista: Equipe Multidisciplinar Campus Virtual Cruzeiro do Sul Você na EAD Educação a distância: desafios

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu Mídias Digitais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu Mídias Digitais Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu Mídias Digitais Apresentação A emergência de novas tecnologias de informação e comunicação e sua convergência exigem uma atuação de profissionais com visão

Leia mais

Gestão Eletrônica de Documentos

Gestão Eletrônica de Documentos Gestão Eletrônica de Documentos A Simpress Empresa especialista em outsourcing de impressão(laser e térmica) e gestão de documentos. Hoje éa empresa mais premiada do segmento, com mais de 18 títulos nos

Leia mais