Documento de Requisitos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Documento de Requisitos"

Transcrição

1 Documento de Requisitos Agentes Micromundo e Análise do Desenvolvimento no Uso de Instrumentos MultiMídia (AMADeUs-MM) Cliente: CNPq - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico Versão /03/2006 Responsável: Almir Moura

2 Agentes Micromundo e Análise do Desenvolvimento no Uso de Instrumentos MultiMídia AMADeUs-MM Pág 2/34

3 O projeto Agentes Micromundo e Análise do Desenvolvimento no Uso de Instrumentos MultiMídia (AMADeUs-MM) é resultado de uma parceria entre a Jynx playware, a Facape e a UFPE/CIn e conta com o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico CNPq. Agentes Micromundo e Análise do Desenvolvimento no Uso de Instrumentos MultiMídia AMADeUs-MM Pág 3/34

4 Histórico de Alterações Agentes Micromundo e Análise do Desenvolvimento no Uso de Instrumentos MultiMídia AMADeUs-MM Pág 4/34

5 Data Versão Descrição Último RF Último RNF Autor 21/03/ D1 Elaboração do documento. Almir Moura 23/03/ D2 Inserção de requisitos. Almir Moura 24/03/ D3 Alteração após a revisão com Fernando Trinta. 27/03/ D4 Inserção da visão geral do sistema. 28/03/ D5 Inserção de termos, abreviações e convenções. 29/03/ D6 Inserção de termos, abreviações e convenções. Almir Moura Almir Moura Almir Moura Almir Moura 30/03/ D7 Inserção de RNF Almir Moura 30/03/ D8 Revisão do documento Fernando Trinta 31/03/ D9 Revisão do documento. Modificação Introdução. Inserção dos Atores 31/03/ D10 Inserção de novos RNF. Alteração após a revisão de Fernando Trinta. Fernando Trinta RF24 RNF31 Almir Moura Modificação seção Agentes Micromundo e Análise do Desenvolvimento no Uso de Instrumentos MultiMídia AMADeUs-MM Pág 5/34

6 03/04/ D11 Modificação na seção de Atores. Inclusão de referencias. RF25 NF31 Fernando Trinta Almir Moura e Agentes Micromundo e Análise do Desenvolvimento no Uso de Instrumentos MultiMídia AMADeUs-MM Pág 6/34

7 Lista de Aprovadores Nome Cargo Leonardo Medeiros Gerente de projetos AMADeUs-MM Fernando Trinta Arquiteto de software AMADeUs-MM Fernando Fonseca Coordenador AMADeUs-MM Alex Sandro Gomes Colaborador AMADeUs-MM Agentes Micromundo e Análise do Desenvolvimento no Uso de Instrumentos MultiMídia AMADeUs-MM Pág 7/34

8 1. Introdução Este documento especifica os requisitos necessários para o desenvolvimento do Agentes Micromundo e Análise do Desenvolvimento no Uso de Instrumentos MultiMídia, abreviadamente AMADeUs-MM a ser desenvolvido com o apoio do CNPq, através de um consórcio que envolve a Jynx playware, o CIn/UFPE e a Facape. Cada organização envolvida tem objetivos complementares e bem definidos, desempenhando um papel importante para o alcance do objetivo final do projeto. Este documento visa estabelecer um entendimento comum entre os envolvidos no projeto a respeito das funcionalidades a serem contempladas no ambiente, porém sem determinar como as mesmas serão implementadas. 1.1 Visão Geral Deste Documento Esta introdução fornece as informações necessárias para fazer um bom uso deste documento, explicitando seus objetivos e as convenções que foram adotadas no texto. As demais seções apresentam a especificação do sistema e estão organizadas como descrito abaixo. Seção 2 Visão geral do sistema: descreve o que vem a ser o ambiente AMADeUs-MM, além de apresentar as suas principais características e objetivos. Seção 3 Requisitos funcionais: lista os requisitos funcionais do sistema, especificando seus objetivos e prioridades. Seção 4 Requisitos não funcionais: especifica todos os requisitos não funcionais do sistema, divididos em requisitos de usabilidade, confiabilidade, desempenho, segurança, distribuição, adequação a padrões e requisitos de hardware e software. Seção 5 Escopo negativo: especifica as funcionalidades que estão relacionadas com o sistema, mas que não fazem parte do escopo do projeto e, portanto, não serão implementadas. Agentes Micromundo e Análise do Desenvolvimento no Uso de Instrumentos MultiMídia AMADeUs-MM Pág 8/34

9 Seção 6 Referências: contém uma lista de referências para outros documentos relacionados. 1.2 Convenções, Termos e Abreviações Esta seção explica o conceito de alguns termos importantes que serão mencionados no decorrer deste documento. Estes termos são descritos na tabela a seguir, estando apresentados por ordem alfabética. Termo API Atividade AVE CIn-UFPE Descrição Interface Programática da Aplicação Atividades a serem realizadas nos cursos disponibilizadas no AMADEUS. Exemplo: fórum, SCORM, chat, enquête, homework. Ambiente Virtual de Ensino. Centro de Informática da Universidade Federal de Pernambuco. CNPq Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. CSCL Facape LMS Homework Material Micro-mundos Computer Supported Colaborative Learning. Faculdade de Ciências Aplicadas e Sociais de Petrolina. Learning Management System. Trabalho entregue pelos alunos. Arquivos disponibilizados pelos professores e/ou monitores nos módulos de um curso. São aplicações síncronas do tipo desktop que permitem que aplicações educativas sejam usadas por pequenos grupos de usuários - limite de quatro pessoas - para resolverem problemas de forma colaborativa, expandindo a interação que os usuários têm com o conteúdo. Agentes Micromundo e Análise do Desenvolvimento no Uso de Instrumentos MultiMídia AMADeUs-MM Pág 9/34

10 Middleware RF - Requisitos funcionais RNF - Requisitos não funcionais SCORM SGBD Camada de software situada entre o sistema operacional e a aplicação, que provê uma abstração comum de programação para sistemas distribuídos. Também pode ser visto como um conjunto de serviços, protocolos e utilidades que fazem com que seja possível o desenvolvimento de sistemas distribuídos modernos. Requisitos técnicos do software que compõem o sistema, descrevendo ações que o sistema deve estar apto a executar. Requisitos técnicos do software que compõem o sistema, descrevendo atributos que o sistema deve possuir ou restrições sob as quais ele deve operar. Sharable Content Object Reference Model Initiative - criado para unificar a linguagem de padrões e certificações em e-learning. Sistema de Gerenciamento de Banco de Dados. Tabela 1 Termos e convenções Prioridades dos requisitos Para estabelecer a prioridade dos requisitos foram adotadas as denominações: essencial, importante e desejável. A prioridade dos requisitos é utilizada no gerenciamento do escopo das etapas do projeto e na definição das prioridades durante o desenvolvimento do sistema. Essencial: requisito sem o qual o sistema não entra em funcionamento. Requisitos essenciais são requisitos imprescindíveis, devem ser implementados desde as primeiras versões do sistema. Importante: requisito sem o qual o sistema entra em funcionamento, mas de forma não satisfatória. Requisitos importantes devem ser implementados o mais rápido possível; se não o forem, parte do sistema poderá ser implantada mesmo assim. Agentes Micromundo e Análise do Desenvolvimento no Uso de Instrumentos MultiMídia AMADeUs-MM Pág 10/34

11 Desejável: requisito que não compromete as funcionalidades básicas do sistema, isto é, o sistema pode funcionar de forma satisfatória sem ele. Requisitos desejáveis são requisitos que podem ser implantados por último, sem comprometer o funcionamento do sistema. Agentes Micromundo e Análise do Desenvolvimento no Uso de Instrumentos MultiMídia AMADeUs-MM Pág 11/34

12 2. Visão geral do sistema 2.1 Descrição do ambiente O AMADeUs-MM é um ambiente virtual de aprendizagem baseado na integração de mídias digitais diversas que visam aproveitar as propriedades destas do ponto de vista da aprendizagem. O AMADeUs-MM prevê a disponibilização de cursos a um conjunto de usuários, que podem assumir diferentes papéis dentro do ambiente, tais como aluno, professor, monitor, dentre outros. (Vide Seção 3). Cursos são oferecidos por professores aos alunos, sendo disponibilizados através de materiais confeccionados para divulgação da ementa do curso. Materiais seriam arquivos disponibilizados pelos professores e/ou monitores nos módulos de um curso, como por exemplo: documentos em diversos formatos (PDF, WORD), apresentações (Macromedia Flash, Microsoft Power Point, SCORM, Áudio e vídeo), dentre outros. Cursos são ainda marcados por interações entre os envolvidos, além da realização de avaliações dos alunos através de testes. As formas de interação entre os usuários do AMADeUs-MM ocorre através da interface web da aplicação, de seus componentes chat, mural, fórum e , e ainda através de extensões da interface web (CD ROM, micromundos, aplicações desktop de uma forma geral que podem ser usadas como ferramentas colaborativas síncronas). Como boa parte dos atuais ambientes de ensino, AMADeUs-MM utiliza a plataforma WEB como base infra-estrutural. Entretanto, o AMADeUs-MM não se restringe apenas às possibilidades de interação comuns a estes tipos de ambiente (chat, mural, fórum e ). Como um diferencial, o projeto propõe a possibilidade de estender a interface web da mesma com aplicações desktop. Essas aplicações podem ser tão variadas como CD ROM ou programas colaborativos síncronos que utilizam os serviços de comunicação do AMADeUs_MM. Essas integram-se ao AMADeUs-MM mediante utilização de um conjunto de funcionalidades presentes em uma API; disponibilizada Agentes Micromundo e Análise do Desenvolvimento no Uso de Instrumentos MultiMídia AMADeUs-MM Pág 12/34

13 através de um middleware para desenvolvedores dessas aplicações. Essas aplicações podem ser jogos educativos, leitores de áudio e vídeo, simuladores, e outros tipos de aplicações. Como exemplos de micromundos temos as aplicações de CSCL Física e o Gérard. Os materiais criados pelos usuários da aplicação serão compartilhados em uma base de dados que gerencie este conteúdo multimídia. Dada a envergadura dos objetivos e as dificuldades técnicas a serem suplantadas, este projeto tem uma duração prevista de dois anos. 2.2 Características Gestão de Conteúdos (Learning Management System) Esse módulo visa permitir a gestão de componentes de aprendizagem (módulos de conteúdos) e sua integração com as funcionalidades de avaliação, permitindo assim, o acompanhamento dos alunos, dentro de uma perspectiva formativa e construtivista. O gerenciamento de conteúdos favorecerá: (i) a edição de um formato padrão (por exemplo, SCORM, definido pela ADL Inc.) de apresentação dos conteúdos de um curso (existem ferramentas de autoria para criação dos mesmos), (ii) a reutilização dos módulos em vários ambientes e plataformas, e, (iii) a flexibilização no manuseio Servidor de jogos multi-usuários Os jogos serão desenvolvidos em dois módulos: o servidor e o cliente. O servidor cuida das conexões, das regras dos jogos e da comunicação entre alunos e professores. O cliente, desenvolvido em linguagem que possa ser utilizada com o navegador, é o responsável pela interface entre os usuários e o servidor. Inicialmente, está previsto o desenvolvimento de seis jogos, todos inéditos, cada um cobrindo um assunto diferente da Matemática. Todos contarão com uma interface rica em gráficos Componentes síncronos de aprendizagem Muitos dos problemas da utilização de recursos de educação a distância vêm da desmotivação dos alunos no uso do ambiente, causada pela falta de integração com instrutores/monitores, o que leva ao sentimento de estarem abandonados à própria sorte. Agentes Micromundo e Análise do Desenvolvimento no Uso de Instrumentos MultiMídia AMADeUs-MM Pág 13/34

14 A vantagem de se trabalhar com aplicações síncronas é a possibilidade de a interação com os instrutores ocorrer de forma síncrona, utilizando-se para tal, formas de interação via texto, diagramas interativos e mesmo vídeo (webcam) Arquitetura de software de ambientes micromundo de interação síncrona Na proposta original do projeto AMADeUs foi proposta a construção de agentes micromundo. A sua construção e sua integração com o ambientes AMADeUs depende da definição de uma arquitetura de software que permita o acoplamento com aplicações educativas diversas, sendo ativadas a partir do ambiente virtual de ensino. O desenvolvimento desse módulo inicia-se com a análise de competidores, pesquisa bibliográfica sobre requisitos de CSCL, e metodologia de cenários Transparência social aplicada em Ambiente Virtual de Ensino Transparência social, ou percepção social, é a possibilidade de representar aspectos da interação social na interface do usuário. Estes aspectos cobrem a possibilidade de os usuários perceberem a atividade social em cinco dimensões: social, espaço de trabalho, conceito, objeto e tarefa. A percepção social é a representação de aspectos dos comportamentos e atividades passadas, presentes e futuras da turma e do grupo de usuários. A percepção de espaço de trabalho deve favorecer aos usuários a visualização da distribuição de recursos (funcionalidades) do espaço distribuído de trabalho. A percepção de conceito são técnicas de representar e manipular o conteúdo utilizado no ensino. A percepção de objeto facilita a visualização e manipulação dos mesmos relevantes à realização das atividades (materiais, lembretes, avisos, mensagens internas). A percepção de tarefa favorece a visualização de ações realizadas, em realização e a serem realizados pelos usuários do grupo. Agentes Micromundo e Análise do Desenvolvimento no Uso de Instrumentos MultiMídia AMADeUs-MM Pág 14/34

15 2.2.6 Módulo de avaliação de ambiente virtual de ensino Os modelos e perspectivas de avaliação implementados em AVE atuais reproduzem propostas somativas e formativas de avaliação. A primeira diz respeito a uma avaliação de medida quantitativa realizada ao final do curso. Esta é uma forma de produzir retorno sobre o desempenho dos participantes ao final do curso. Por tal razão, seus resultados não influenciam o andamento do curso atual, podendo melhorar o planejamento e a forma de intervenção nos cursos futuros. No segundo caso, a avaliação é feita a qualquer momento do curso, permitindo a adaptação do mesmo - forma de intervenção e de retorno para os alunos - durante o curso. Essa modalidade de avaliação tem o caráter de contribuir com a formação dos alunos. Esse módulo gerará especificação e o suporte à atividade de avaliação do ambiente AMADeUs-MM. A avaliação dos alunos será realizada através de provas, trabalhos e nível de participação nas atividades (chat, fórum, SCORM); poderá ser feita tanto pelo professor como pelos alunos monitores dos cursos Desenvolver formas e integrar CDROM, rádio e TV com o AVE Com a participação da AESO, com seus laboratórios de fotografia, rádio e televisão, serão desenvolvidas formas de disponibilizar aulas ministradas por meio do AVE, ampliando o sentido de módulo e incorporando alternativas à realização de encontros presenciais. Os conteúdos serão organizados dentro do ambientes e utilizados de forma complementar, com emissão direta para refinamento de modelos de ensino a distância com integração de mídias, resgatando as vantagens e resolvendo as limitações de cada uma das mídias por meio de complementaridades de aplicação Ambientes de suporte a atividade docente Visa à identificação de requisitos para os módulos básicos de suporte à atividade docente. Os requisitos foram identificados por meio de dois tipos principais de técnicas: análise de competidores e análise qualitativa de entrevistas com usuários atuando como 1 Cavalcanti, J., Dissertação de mestrado UFPE, 2006; Agentes Micromundo e Análise do Desenvolvimento no Uso de Instrumentos MultiMídia AMADeUs-MM Pág 15/34

16 docentes em ambientes virtuais de ensino. Os resultados desse trabalho geraram módulos de coordenação e gestão dos cursos do ambientes. Serão tratados problemas relacionados com planejamento, gestão dos materiais, acompanhamento e a integração com o módulo de avaliação. 2.3 Objetivos do projeto O presente projeto tem por objetivo geral implementar um ambiente virtual de aprendizagem baseado na integração de mídias digitais diversas que visam aproveitar as propriedades destas do ponto de vista da aprendizagem. Os objetivos específicos são: (1) Resolver problemas de isolamento e motivação observados regularmente nas análises de desempenho e participação de alunos em educação a distância; (2) Integrar diversas mídias (áudio, vídeo, CDROM e jogos multi-usuários) a um ambiente virtual de ensino de modo a permitir uma expansão da experiência dos usuários de ensino a distância quanto ao uso de um numero maior de canais de comunicação e interação. (3) Implementar um servidor de jogos e uma metodologia 2 de desenvolvimento de aplicações educativas para áreas específicas do ensino fundamental para uso integrado com o ambiente AMADeUs-MM. (4) Definir um modelo de middleware customizável para ambientes colaborativos de ensino que viabilize a interação de diferentes modalidades (assíncrona e síncrona) através de diferentes mídias. A customização neste caso refere-se à forma de composição dos serviços fornecidos pelo middleware visando atender os requisitos não-funcionais: Definir um conjunto básico de serviços necessários às aplicações distribuídas que possam ser combinados em serviços mais avançados; 2 Braga, M. M., Dissertação de mestrado, CIn/UFPE, Agentes Micromundo e Análise do Desenvolvimento no Uso de Instrumentos MultiMídia AMADeUs-MM Pág 16/34

17 Implementar o modelo proposto e analisar o uso de arquitetura de software dinâmica distribuídas que podem ser implementadas em middleware customizado para área de educação a distância. (5) Criar uma camada de persistência para uso do amadeus independente de um SGBD específico, permitindo: Inclusão de novos tipos de dados e novos dispositivos de armazenamento e edição; Flexibilidade no armazenamento, transferência e edição das informações multimídia; Modelo de dados adequado; A realização de tarefas complexas de manipulação cooperativa de diferentes mídias; A modelagem de objetos complexos. Agentes Micromundo e Análise do Desenvolvimento no Uso de Instrumentos MultiMídia AMADeUs-MM Pág 17/34

18 3. Atores Um usuário do ambiente AMADEUS-MM possui diferentes perfis e papéis, de acordo com as funcionalidades disponíveis a este usuário. Os perfis possíveis são visitante, usuário ou administrador. Estes perfis designam as permissões sobre funcionalidades dentro do sistema. Em relação aos papéis são identificados três possibilidades: Aluno, Monitor e Professor. A tabela abaixo explana sobre as características destes perfis e papéis no ambiente AMADEUS-MM. Ator Visitante Usuário Aluno Professor Monitor Descrição Perfil que representa um usuário do sistema, porém sem cadastro no ambiente ou não logado no ambiente. Suas ações são limitadas à busca de conteúdo público. Representa qualquer usuário do sistema, com cadastro no ambiente. Usuário com cadastro no sistema e apto para ingressar em cursos oferecidos. Esse é o perfil padrão após o primeiro cadastramento. É o papel de todo usuário que se cadastre no sistema. A partir deste papel, o aluno pode solicitar a inclusão de outros papéis a seu usuário, como Professor ou Monitor de um curso. Usuário do ambiente, apto a criar cursos, bem como nomear monitores para os mesmos. Usuário do ambiente, que pode realizar certas operações em nome do professor da disciplina do qual responde pela monitoria. Administrador Usuário do ambiente com direitos de realização de qualquer ação, como exclusão de usuários, nomeação de professores, dentre outras. Equivale a idéia de um administrador (usuário root) em sistema convencional de suporte. Agentes Micromundo e Análise do Desenvolvimento no Uso de Instrumentos MultiMídia AMADeUs-MM Pág 18/34

19 4. Requisitos Funcionais [RF001] Fazer Logon O ambiente disponibiliza uma operação que autentica um usuário e verifica as funcionalidades do ambiente que estão disponíveis ao mesmo de acordo com a política de autenticação e autorização. [RF002] Fazer Logoff O ambiente disponibiliza uma funcionalidade de encerrar a sessão do usuário com o ambiente. [RF003] Buscar curso O ambiente deve permitir que usuários e visitantes possam buscar cursos de acordo com critérios como: nome do curso, nome do professor e keywords. [RF004] Editar dados pessoais O ambiente deve permitir que usuários cadastrados possam modificar seus dados pessoais. Agentes Micromundo e Análise do Desenvolvimento no Uso de Instrumentos MultiMídia AMADeUs-MM Pág 19/34

20 [RF005] Alterar dados cadastrais de um usuário O ambiente deve disponibilizar um mecanismo para que os administradores possam modificar os dados de um usuário cadastrado. Prioridade: Essencial Importante Desejável [RF006] Desativar conta de usuário O ambiente deve disponibilizar um mecanismo para que os administradores possam desativar a conta de usuários existentes. [RF008] Visualizar dados gerais do curso O ambiente deve permitir que qualquer usuário possa visualizar dados gerais do curso tais como nome do curso, nome do professor, nome do monitor, objetivos do curso e cronograma. [RF009] Enviar mensagem O ambiente deve permitir que usuários e visitantes possam enviar mensagens para usuários do sistema. Prioridade: Essencial Importante Desejável [RF010] Solicitar docência O ambiente deve permitir que um usuário possa solicitar docência sujeita a aprovação pelo administrador (tornar-se um professor). Agentes Micromundo e Análise do Desenvolvimento no Uso de Instrumentos MultiMídia AMADeUs-MM Pág 20/34

21 [RF011] Lembrar senha O ambiente deve disponibilizar um mecanismo que possibilite a um usuário lembrar sua senha. [RF012] Atribuir papel de professor O ambiente deve disponibilizar um mecanismo para que os administradores possam atribuir o papel de professor a um usuário cadastrado. [RF013] Desativar papel de professor Ao administrador deve ser disponibilizada uma função para desativar o papel de professor de um usuário. Neste caso, os dados referentes ao docente devem ser salvos para posteriormente o papel de professor ser reativado. Prioridade: Essencial Importante Desejável [RF014] Remover papel de professor Deve ser disponibilizado ao administrador um modo de remover o papel de professor de um usuário. As informações relativas ao papel professor para este usuário não serão salvas. Prioridade: Essencial Importante Desejável Agentes Micromundo e Análise do Desenvolvimento no Uso de Instrumentos MultiMídia AMADeUs-MM Pág 21/34

22 [RF015] Desativar conta de usuário O ambiente deve disponibilizar um mecanismo que permita aos administradores desativar a conta de um usuário. Os dados relativos a este usuário serão salvos. Prioridade: Essencial Importante Desejável [RF016] Atribuir papel de monitor O ambiente deve disponibilizar um mecanismo para que os professores possam atribuir o papel de monitor a um aluno. [RF017] Criar curso O ambiente deve permitir que o professor ou administrador possam criar um curso. [RF018] Inserir atividade O ambiente deve permitir que o professor possa inserir uma atividade no curso que ele tenha criado. [RF019] Inserir material O ambiente deve permitir que o professor ou monitor possam inserir um material a um curso que ele tenha criado. Agentes Micromundo e Análise do Desenvolvimento no Uso de Instrumentos MultiMídia AMADeUs-MM Pág 22/34

23 [RF020] Visualizar dados completos de um aluno O ambiente deve permitir que administradores (de todos os cursos), professores e monitores (ambos apenas nos cursos dos quais atuam) possam visualizar todos os dados dos alunos. Esses dados também podem ser visualizados pelo próprio aluno. [RF021] Matricular-se em curso O ambiente deve permitir que um usuário cadastrado no sistema possa se matricular em um curso. [RF022] Visualizar dados públicos de outro aluno O ambiente deve permitir a visualização dos dados públicos do aluno por qualquer usuário cadastrado do sistema. Prioridade: Essencial Importante Desejável [RF023] Solicitar monitoria O ambiente deve permitir que um usuário cadastrado possa solicitar ao professor monitoria em um curso. [RF024] Editar dados gerais do curso O ambiente deve permitir que o professor possa editar os dados gerais de um curso. Agentes Micromundo e Análise do Desenvolvimento no Uso de Instrumentos MultiMídia AMADeUs-MM Pág 23/34

24 [RF025] Bloquear recebimento de mensagens O ambiente deve permitir que um usuário cadastrado possa bloquear o recebimento de mensagens por critérios como exemplo, emissor da mensagem. Prioridade: Essencial Importante Desejável Agentes Micromundo e Análise do Desenvolvimento no Uso de Instrumentos MultiMídia AMADeUs-MM Pág 24/34

25 5. Requisitos Não-Funcionais 5.1 Flexibilidade Com o objetivo de tornar o ambiente mais flexível, os requisitos não funcionais citados nesta subseção devem ser atendidos. [NF001] Política de criação de contas de usuários Obrigatoriamente, dois dados devem ser fornecidos: um login e uma senha. [NF002] Uso de software e padrões abertos, de código não proprietário O ambiente deve utilizar software e padrões abertos de forma a não onerar custos aos desenvolvedores do AMADeUs-MM e permitir sua adequação a esforços existentes nas comunidades industrial e acadêmica. [NF003] Tecnologias a serem utilizadas O ambiente a ser desenvolvido será em plataforma WEB, sendo implementado em linguagem Java. A aplicação será dividida em camadas ficando de responsabilidade do framework Struts[2] para a camada de visão e o Hibernate[1] para a camada de persistência. No cliente WEB serão realizadas validação usando javascript[4] e AJAX[3]. Agentes Micromundo e Análise do Desenvolvimento no Uso de Instrumentos MultiMídia AMADeUs-MM Pág 25/34

26 [NF004] Sistema Operacional do ambiente Os servidores do ambiente utilizarão um sistema operacional open source. Na implantação serão utilizados servidores Linux. [NF005] Uso de softwares de terceiros O uso de software de terceiros deve ser restrito aos softwares livres utilizando licença LGPL ou semelhante. Não irão ser utilizados softwares que possuem licenças GPL. 5.2 Confiabilidade O sistema AMADeUs-MM deve funcionar como serviços 24x7, onde a confiabilidade do mesmo deve ser prioritária. Desta forma, os requisitos não funcionais citados nesta subseção devem ser atendidos. [NF006] Disponibilidade do Serviço O ambiente deve estar sempre disponível na web aos usuários que o utilizam, 24 horas por dia, 7 dias por semana, podendo haver paradas estratégicas para manutenção. Estas paradas devem ser programadas, e avisadas aos usuários do ambiente. [NF007] Facilidade para recuperação de falhas No caso de falhas, como queda de um servidor, o processo de recuperação do ambiente deve ser simples e rápido, se possível, realizado de forma automática. Prioridade: Essencial Importante Desejável Agentes Micromundo e Análise do Desenvolvimento no Uso de Instrumentos MultiMídia AMADeUs-MM Pág 26/34

27 5.3 Segurança O ambiente permitirá o acesso a um grande número de usuários, guardando informações de cada um destes. Estas informações devem estar protegidas contra ataques que comprometam a segurança das informações. [NF009] Política de criação de senhas Deve haver regras para a criação de senhas do usuário, que devem ser seguidas no procedimento de criação das senhas. Prioridade: Essencial Importante Desejável [NF010] Política de criptografia de dados Dados sensíveis, como por exemplo, a senha do usuário, devem ser criptografados. Prioridade: Essencial Importante Desejável [NF011] Obrigatoriedade do Logon Todo usuário autorizado deverá efetuar logon no sistema para realizar quaisquer operações. Prioridade: Essencial Importante Desejável [NF012] Finalizar sessão Ao fechamento do Browser a sessão deverá ser finalizada. Prioridade: Essencial Importante Desejável [NF013] Sigilo das informações O sistema deve garantir o sigilo das informações cadastradas, de modo que apenas usuários com permissão possam acessar os dados do ambiente. Agentes Micromundo e Análise do Desenvolvimento no Uso de Instrumentos MultiMídia AMADeUs-MM Pág 27/34

28 [NF014] Integridade dos dados O sistema deve preservar a integridade dos dados cadastros, de maneira que apenas usuários com permissão possam modificar as informações cadastradas. [NF015] Disponibilidade O sistema deve garantir a disponibilidade das informações de cadastro, de forma que os usuários possam acessar e modificar dados aos quais tenham permissão. 5.4 Usabilidade [NF016] Mensagens de erros precisas É essencial que o sistema exiba mensagens de erros explicativas que auxiliem os desenvolvedores na utilização da API, e os usuários na utilização dos serviços do ambiente. Prioridade: Essencial Importante Desejável [NF017] Adequação com Navegadores O sistema deve ter uma interface compatível com o Internet Explorer, Netscape e Mozilla Firefox. Agentes Micromundo e Análise do Desenvolvimento no Uso de Instrumentos MultiMídia AMADeUs-MM Pág 28/34

29 [NF018] Interface de fácil utilização O sistema deve ter uma interface de fácil utilização. Os critérios sobre o grau de facilidade do sistema deverão ser definidos pela equipe de usabilidade, em acordo com as possibilidades técnicas do sistema. [NF019] Mensagens de erro O sistema deve apresentar mensagens de erro e mensagens de advertência apropriadas e inteligíveis. [NF020] Distinção entre campos obrigatórios É importante que o sistema faça distinção entre os campos obrigatórios e facultativos no preenchimento dos formulários de cadastro provendo, desta forma, a opção do usuário só preencher o que ele achar necessário. [NF021] Campos de formulário intuitivos e auto-explicativos É essencial que os campos do formulário de cadastro do Sistema sejam intuitivos e auto-explicativos o suficiente, de modo a impedir que o usuário não preencha os mesmos por não saber do que se tratam. [NF022] Tamanha máximo de Upload As áreas do sistema que apresentem upload de arquivos como central de documentos, cadastro de foto, entre outras, devem informar o tamanho máximo do arquivo e os seus formatos possíveis. Agentes Micromundo e Análise do Desenvolvimento no Uso de Instrumentos MultiMídia AMADeUs-MM Pág 29/34

30 [NF023] Permitir entrada via teclado e mouse O sistema deve aceitar entradas do usuário via teclado e mouse. [NF024] Uso da ferramenta de Campos de preenchimento de mensagens de devem ser expostas na própria interface do sistema. Deve-se evitar uso de aplicativos externos como o Outlook para este tipo de operação. [NF025] Favorecer a orientação do usuário O sistema deve ter uma interface de fácil utilização que favoreça a orientação do usuário. As opções voltar e sair devem estar presentes, de modo que o usuário não precise utilizar o navegador quando desejar retornar a uma tela ou sair do sistema. Não deve haver links quebrados e eles devem apontar exatamente para onde indicam. 5.5 Desempenho [NF026] Espaço em disco suficiente O sistema deve ser implantado em um ambiente que ofereça espaço em disco suficiente para a armazenagem das informações. Em caso da necessidade de aumento da área do banco, o sistema deve alertar aos administradores desta necessidade. Agentes Micromundo e Análise do Desenvolvimento no Uso de Instrumentos MultiMídia AMADeUs-MM Pág 30/34

Documento de Requisitos

Documento de Requisitos UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE INFORMÁTICA GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO Documento de Requisitos Sistema Gerenciador de Atendimento de Chamados Técnicos Grupo: Luiz Augusto Zelaquett

Leia mais

Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor

Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor H6Projetos Documento de Requisitos Versão 1.3 Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 05/09/2013 1.0 Preenchimento do Capítulo 2 Requisitos Funcionais Evilson Montenegro 26/09/2013 1.1 Preenchimento

Leia mais

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider Ferramenta: Spider-CL Manual do Usuário Versão da Ferramenta: 1.1 www.ufpa.br/spider Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 14/07/2009 1.0 15/07/2009 1.1 16/07/2009 1.2 20/05/2010 1.3 Preenchimento

Leia mais

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1 DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1 SUMÁRIO DEFINIÇÃO DE REQUISITOS 4 1. INTRODUÇÃO 4 1.1 FINALIDADE 4 1.2 ESCOPO 4 1.3 DEFINIÇÕES, ACRÔNIMOS

Leia mais

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1 DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1 SUMÁRIO DEFINIÇÃO DE REQUISITOS 4 1. INTRODUÇÃO 4 1.1 FINALIDADE 4 1.2 ESCOPO 4 1.3 DEFINIÇÕES, ACRÔNIMOS

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NTIC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 PERFIL ALUNO Versão 1.0 2014 NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NTIC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE

Leia mais

Anexo I Formulário para Proposta

Anexo I Formulário para Proposta PLATAFORMA CGI.br Solicitação de Propostas SP Anexo I Formulário para Proposta Data: 05/07/2013 Versão: 1.1 Plataforma CGI.br Solicitação de Propostas - SP Anexo I Formulário para Proposta 1. Estrutura

Leia mais

Dicas básicas para disciplinas/atividades na modalidade de educação a distância Mediação Digital Virtual

Dicas básicas para disciplinas/atividades na modalidade de educação a distância Mediação Digital Virtual Dicas básicas para disciplinas/atividades na modalidade de educação a distância Mediação Digital Virtual Escritório de Gestão de Projetos em EAD Unisinos http://www.unisinos.br/ead 2 A partir de agora,

Leia mais

Documento de Requisitos Sistema WEB GEDAI

Documento de Requisitos Sistema WEB GEDAI Universidade Federal de São Carlos Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia Departamento de Computação GEDAI-Grupo de Estudo e Desenvolvimento em Automação Industrial Documento de Requisitos Sistema WEB

Leia mais

Maximus Software Soluções Tecnológicas Ltda. A empresa que desenvolve o seu Produto ao Máximo

Maximus Software Soluções Tecnológicas Ltda. A empresa que desenvolve o seu Produto ao Máximo Maximus Software Soluções Tecnológicas Ltda. A empresa que desenvolve o seu Produto ao Máximo FARMAINFOR Modernização da Farmácia do Hospital Mater Day Documento de Requisitos Versão 2.0 Histórico de Revisão

Leia mais

DMS Documento de Modelagem de Sistema. Versão: 1.4

DMS Documento de Modelagem de Sistema. Versão: 1.4 DMS Documento de Modelagem de Sistema Versão: 1.4 VERANEIO Gibson Macedo Denis Carvalho Matheus Pedro Ingrid Cavalcanti Rafael Ribeiro Tabela de Revisões Versão Principais Autores da Versão Data de Término

Leia mais

O que é o Virto ERP? Onde sua empresa quer chegar? Apresentação. Modelo de funcionamento

O que é o Virto ERP? Onde sua empresa quer chegar? Apresentação. Modelo de funcionamento HOME O QUE É TOUR MÓDULOS POR QUE SOMOS DIFERENTES METODOLOGIA CLIENTES DÚVIDAS PREÇOS FALE CONOSCO Suporte Sou Cliente Onde sua empresa quer chegar? Sistemas de gestão precisam ajudar sua empresa a atingir

Leia mais

MANUAL DO ALUNO. Ambiente Virtual TelEduc FACULDADE INTEGRADA DA GRANDE FORTALEZA. http://www.fgf.edu.br

MANUAL DO ALUNO. Ambiente Virtual TelEduc FACULDADE INTEGRADA DA GRANDE FORTALEZA. http://www.fgf.edu.br MANUAL DO ALUNO Ambiente Virtual TelEduc FACULDADE INTEGRADA DA GRANDE FORTALEZA http://www.fgf.edu.br Sala Virtual TelEduc O TelEduc é um ambiente virtual desenvolvido Unicamp para apoiar professores

Leia mais

SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE. Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl

SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE. Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl Roteiro de apresentação Introdução Objetivos Fundamentação Teórica Workflow Processo

Leia mais

Aplicação Prática de Lua para Web

Aplicação Prática de Lua para Web Aplicação Prática de Lua para Web Aluno: Diego Malone Orientador: Sérgio Lifschitz Introdução A linguagem Lua vem sendo desenvolvida desde 1993 por pesquisadores do Departamento de Informática da PUC-Rio

Leia mais

DOCUMENTO DE REGRAS DE NEGÓCIO

DOCUMENTO DE REGRAS DE NEGÓCIO SISGED - SISTEMA DE GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE DOCUMENTOS DOCUMENTO DE REGRAS DE NEGÓCIO VERSÃO 1.0 HISTÓRICO DE REVISÃO Data Versão Descrição Autor 04/2011 1.0 Primeira versão. Priscila Drielle Sumário

Leia mais

SAV Sistema de Aluguel de Veículos I - DOCUMENTO DE REQUISITOS Versão 1.00

SAV Sistema de Aluguel de Veículos I - DOCUMENTO DE REQUISITOS Versão 1.00 SAV Sistema de Aluguel de Veículos I - DOCUMENTO DE REQUISITOS Versão 1.00 Conteúdo 1. INTRODUÇÃO...3 1.1 CONVENÇÕES, TERMOS E ABREVIAÇÕES... 3 1.1.1 Identificação dos Requisitos... 3 1.1.2 Prioridades

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL AMBIENTE VIRTUAL INSTITUCIONAL MOODLE/UFFS

UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL AMBIENTE VIRTUAL INSTITUCIONAL MOODLE/UFFS UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL AMBIENTE VIRTUAL INSTITUCIONAL MOODLE/UFFS Guia Inicial de Acesso e Utilização Para Docentes Versão 1.0b Outubro/2010 Acesso e utilização do Ambiente Virtual de Ensino

Leia mais

Versão <1.0> Documento de Requisitos. Documento de Requisitos. Equipe:

Versão <1.0> Documento de Requisitos. Documento de Requisitos. Equipe: Versão Documento de Requisitos Documento de Requisitos Equipe: Bruno Harada (bhhc) Edilson Augusto Junior (easj) José Ivson Soares da Silva (jiss) Pedro Rodolfo da Silva Gonçalves (prsg) Raphael

Leia mais

Especialização em Engenharia de Software com Ênfase em Software Livre ESL2/2008. Projeto Agenda Saúde Requisitos e Modelagem UML

Especialização em Engenharia de Software com Ênfase em Software Livre ESL2/2008. Projeto Agenda Saúde Requisitos e Modelagem UML Projeto Agenda Saúde Requisitos e Modelagem UML Histórico de Revisão Versão 0.1 Data 01/06/09 Revisor Descrição Versão inicial Sumário 1. Introdução...4 1.1 Visão geral deste documento...4 1.2 Módulos

Leia mais

Maximus Software Soluções Tecnológicas Ltda. A empresa que desenvolve o seu Produto ao Máximo

Maximus Software Soluções Tecnológicas Ltda. A empresa que desenvolve o seu Produto ao Máximo Maximus Software Soluções Tecnológicas Ltda. A empresa que desenvolve o seu Produto ao Máximo FARMAINFOR Modernização da Farmácia do Hospital Mater Day Documento de Requisitos Versão 1.1 Histórico de Revisão

Leia mais

CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3

CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3 CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3 Este tutorial não tem como finalidade esgotar todas as funcionalidades do Ambiente, ele aborda de forma prática

Leia mais

DOCUMENTO DE REQUISITOS

DOCUMENTO DE REQUISITOS 1/38 DOCUMENTO DE REQUISITOS GED Gerenciamento Eletrônico de Documentos Versão 1.1 Identificação do Projeto CLIENTE: NOME DO CLIENTE TIPO DO SISTEMA OU PROJETO Participantes Função Email Abilio Patrocinador

Leia mais

Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais - Prodemge. Manual do Usuário. Versão 1.2. ExpressoMG

Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais - Prodemge. Manual do Usuário. Versão 1.2. ExpressoMG Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais - Prodemge Manual do Usuário Versão 1.2 ExpressoMG 16/12/2015 Sumário 1. Apresentação... 4 1.1 Objetivos do Manual... 4 1.2 Público Alvo...

Leia mais

ARQUITETURA DE SISTEMAS. Cleviton Monteiro (cleviton@gmail.com)

ARQUITETURA DE SISTEMAS. Cleviton Monteiro (cleviton@gmail.com) ARQUITETURA DE SISTEMAS Cleviton Monteiro (cleviton@gmail.com) Roteiro Definição Documento de arquitetura Modelos de representação da arquitetura Estilos arquiteturais Arquitetura de sistemas web Arquitetura

Leia mais

SLA - Service Level Agreement (Acordo de Nível de Serviço) Gerenciamento de Estoque

SLA - Service Level Agreement (Acordo de Nível de Serviço) Gerenciamento de Estoque 1 / 7 SLA - Service Level Agreement (Acordo de Nível de Serviço) Gerenciamento de Estoque Código: : Data de Publicação: Cliente: Faculdade de Tecnologia SENAC-GO 2 / 7 Identificação e Histórico do Documento

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta

Aprovação do curso e Autorização da oferta MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

Sistema Gerenciador de Conteúdo OpenCms: um caso de sucesso no CEFET-MG

Sistema Gerenciador de Conteúdo OpenCms: um caso de sucesso no CEFET-MG Sistema Gerenciador de Conteúdo OpenCms: um caso de sucesso no CEFET-MG Marco T. A. Rodrigues*, Paulo E. M. de Almeida* *Departamento de Recursos em Informática Centro Federal de Educação Tecnológica de

Leia mais

Informática para Concursos 1 leitejuniorbr@yahoo.com.br

Informática para Concursos 1 leitejuniorbr@yahoo.com.br QUESTÕES TRE / TJ FCC 2007 CARGO: TÉCNICO JUDICIÁRIO ÁREA QUESTÃO 11 -. Com relação a hardware, é correto afirmar que: (A) Computadores com placas-mãe alimentadas por fontes ATX suportam o uso do comando

Leia mais

Guia de Inicialização para o Windows

Guia de Inicialização para o Windows Intralinks VIA Versão 2.0 Guia de Inicialização para o Windows Suporte 24/7/365 da Intralinks EUA: +1 212 543 7800 Reino Unido: +44 (0) 20 7623 8500 Consulte a página de logon da Intralinks para obter

Leia mais

Documento de Requisitos Projeto SisVendas Sistema de Controle de Vendas para Loja de Informática.

Documento de Requisitos Projeto SisVendas Sistema de Controle de Vendas para Loja de Informática. Documento de Requisitos Projeto SisVendas Sistema de Controle de Vendas para Loja de Informática. 1 Introdução 1.1 Propósito O propósito deste documento de especificação de requisitos é definir os requisitos

Leia mais

1 ACESSO AO PORTAL UNIVERSITÁRIO 3 3 PLANO DE ENSINO 6 4 AULAS 7 5 AVALIAÇÃO E EXERCÍCIO 9 6 ENQUETES 12 7 QUADRO DE AVISOS 14

1 ACESSO AO PORTAL UNIVERSITÁRIO 3 3 PLANO DE ENSINO 6 4 AULAS 7 5 AVALIAÇÃO E EXERCÍCIO 9 6 ENQUETES 12 7 QUADRO DE AVISOS 14 portal@up.com.br Apresentação Este manual contém informações básicas, e tem como objetivo mostrar a você, aluno, como utilizar as ferramentas do Portal Universitário e, portanto, não trata de todos os

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ELETRÔNICA. Sistema de Gerenciamento Eletrônico de Documentos

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ELETRÔNICA. Sistema de Gerenciamento Eletrônico de Documentos UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ELETRÔNICA Sistema de Gerenciamento Eletrônico de Documentos Autor: Evandro Bastos Tavares Orientador: Antônio Claudio Gomez

Leia mais

MANUAL DO SERVICE DESK SYSTEM

MANUAL DO SERVICE DESK SYSTEM Manual do Sumário Conhecendo o SERVICE DESK SYSTEM... 3 - A tela de Acesso ao sistema:... 3 - A tela do sistema após o acesso(exemplo):... 3 OCORRÊNCIAS... 4 - Abertura de chamados:... 4 - Atendendo um

Leia mais

ADOBE FLASH PLAYER 10.3 Gerenciador de configurações locais

ADOBE FLASH PLAYER 10.3 Gerenciador de configurações locais ADOBE FLASH PLAYER 10.3 Gerenciador de configurações locais PRERELEASE 03/07/2011 Avisos legais Avisos legais Para consultar avisos legais, acesse o site http://help.adobe.com/pt_br/legalnotices/index.html.

Leia mais

Essencial ao Desenvolvimento de Software

Essencial ao Desenvolvimento de Software Documento de Requisitos Essencial ao Desenvolvimento de Software De que se trata o artigo? Apresenta o documento de requisitos de software, destacando-o como um dos principais documentos pertinentes ao

Leia mais

Banco de Dados de Músicas. Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho

Banco de Dados de Músicas. Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho Banco de Dados de Músicas Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho Definição Aplicação Web que oferece ao usuário um serviço de busca de músicas e informações relacionadas, como compositor, interprete,

Leia mais

Especificação dos Requisitos do Software. White Label

Especificação dos Requisitos do Software. White Label Ubee Especificação dos Requisitos do Software White Label Review 0.3 Autores: Airton Sampaio de Sobral (asds@cin.ufpe.br) Alan Gomes Alvino (aga@cin.ufpe.br) Glauco Roberto Pires dos Santos (grps@cin.ufpe.br)

Leia mais

Declaração do Escopo do Projeto. SysTrack

Declaração do Escopo do Projeto. SysTrack Declaração do Escopo do Projeto SysTrack Nome do Projeto: SysTrack Versão do Documento: 1.0 Elaborado por: André Ricardo, André Luiz, Daniel Augusto, Diogo Henrique, João Ricardo e Roberto Depollo. Revisado

Leia mais

Capítulo 3 Gerenciadores de EaD baseada na Internet

Capítulo 3 Gerenciadores de EaD baseada na Internet 57 Capítulo 3 Gerenciadores de EaD baseada na Internet Hoje em dia ter a Internet como aliada é um recurso indispensável para qualquer educador ou responsável por treinamento corporativo que atue em qualquer

Leia mais

Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 19/09/2014 1.0 Implementação de itens essenciais para futuro aprimoramento.

Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 19/09/2014 1.0 Implementação de itens essenciais para futuro aprimoramento. Documento de Requisitos 1 Documento de Requisitos Versão 1.2 Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 19/09/2014 1.0 Implementação de itens essenciais para futuro aprimoramento. Camilo Fernandes

Leia mais

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO DESCRIÇÃO DO SIGAI O SIGAI (Sistema Integrado de Gestão do Acesso à Informação) é uma solução de software que foi desenvolvida para automatizar os processos administrativos e operacionais visando a atender

Leia mais

Sistema de Automação Comercial de Pedidos- Versão 1.1

Sistema de Automação Comercial de Pedidos- Versão 1.1 Termo de Abertura Sistema de Automação Comercial de Pedidos- Versão 1.1 Iteração 1.0- Release 1.0 Versão do Documento: 1.1 Histórico de Revisão Data Versão do Documento Descrição Autor 18/03/2011 1.0 Versão

Leia mais

Processo de garantia da qualidade baseado no modelo MPS.BR. Acadêmico: Anildo Loos Orientador: Everaldo Artur Grahl

Processo de garantia da qualidade baseado no modelo MPS.BR. Acadêmico: Anildo Loos Orientador: Everaldo Artur Grahl Processo de garantia da qualidade baseado no modelo MPS.BR Acadêmico: Anildo Loos Orientador: Everaldo Artur Grahl Roteiro introdução objetivos do trabalho fundamentação teórica desenvolvimento da ferramenta

Leia mais

2 ALGUMAS PLATAFORMAS DE ENSINO A DISTÂNCIA

2 ALGUMAS PLATAFORMAS DE ENSINO A DISTÂNCIA 2 ALGUMAS PLATAFORMAS DE ENSINO A DISTÂNCIA Neste capítulo faremos uma breve descrição de algumas plataformas para ensino a distância e as vantagens e desvantagens de cada uma. No final do capítulo apresentamos

Leia mais

Plano de Gerência de Configuração

Plano de Gerência de Configuração Plano de Gerência de Configuração Objetivo do Documento Introdução A aplicação deste plano garante a integridade de códigos-fonte e demais produtos dos sistemas do, permitindo o acompanhamento destes itens

Leia mais

SISTEMA VIRTUAL PARA GERENCIAMENTO DE OBJETOS DIDÁTICOS

SISTEMA VIRTUAL PARA GERENCIAMENTO DE OBJETOS DIDÁTICOS 769 SISTEMA VIRTUAL PARA GERENCIAMENTO DE OBJETOS DIDÁTICOS Mateus Neves de Matos 1 ; João Carlos Nunes Bittencourt 2 ; DelmarBroglio Carvalho 3 1. Bolsista PIBIC FAPESB-UEFS, Graduando em Engenharia de

Leia mais

Curso Básico Sistema EMBI

Curso Básico Sistema EMBI Curso Básico Sistema EMBI Módulo Atendentes e Administradores Todos os direitos reservados. Nenhuma parte deste trabalho pode ser reproduzida em qualquer forma por qualquer meio gráfico, eletrônico ou

Leia mais

Sumário. Capítulo 2 Iniciando o TR4... 8 2.1 Como efetuar o login... 8

Sumário. Capítulo 2 Iniciando o TR4... 8 2.1 Como efetuar o login... 8 1 Sumário Capítulo 1 Introdução ao TR4... 4 1.1 Requisitos Mínimos... 4 1.2 Layout do Sistema... 5 1.3 Legenda... 5 1.4 Visão geral das funcionalidades... 6 1.4.1 O Menu Administração... 6 1.4.2 O Menu

Leia mais

INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8

INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8 ÍNDICE INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8 ACESSO ÀS FERRAMENTAS 9 FUNÇÕES 12 MENSAGENS 14 CAMPOS OBRIGATÓRIOS

Leia mais

Produto IV: ATU SAAP. Manual de Referência

Produto IV: ATU SAAP. Manual de Referência Produto IV: ATU SAAP Manual de Referência Pablo Nogueira Oliveira Termo de Referência nº 129275 Contrato Número 2008/000988 Brasília, 30 de outubro de 2008 1 Sistema de Apoio à Ativideade Parlamentar SAAP

Leia mais

CONTRA CONTROLE DE ACESSOS E MODULARIZADOR DE SISTEMAS

CONTRA CONTROLE DE ACESSOS E MODULARIZADOR DE SISTEMAS MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE MODERNIZAÇÃO E INFORMÁTICA CONTRA CONTROLE DE ACESSOS E MODULARIZADOR DE SISTEMAS MANUAL

Leia mais

SGCD 2.0 Sistema Gerenciador de Conteúdo Dinâmico

SGCD 2.0 Sistema Gerenciador de Conteúdo Dinâmico Sistema Gerenciador de Conteúdo Dinâmico Atualizado em 24/08/2011 No final de 2007, o Serviço Técnico de Informática da UNESP Marília, disponibilizou para a comunidade acadêmica e administrativa o Sistema

Leia mais

04/08/2012 MODELAGEM DE DADOS. PROF. RAFAEL DIAS RIBEIRO, M.Sc. @ribeirord MODELAGEM DE DADOS. Aula 2. Prof. Rafael Dias Ribeiro. M.Sc.

04/08/2012 MODELAGEM DE DADOS. PROF. RAFAEL DIAS RIBEIRO, M.Sc. @ribeirord MODELAGEM DE DADOS. Aula 2. Prof. Rafael Dias Ribeiro. M.Sc. MODELAGEM DE DADOS PROF. RAFAEL DIAS RIBEIRO, M.Sc. @ribeirord MODELAGEM DE DADOS Aula 2 Prof. Rafael Dias Ribeiro. M.Sc. @ribeirord 1 Objetivos: Revisão sobre Banco de Dados e SGBDs Aprender as principais

Leia mais

Documentação do Sistema de Reserva de Salas da Intranet do ICMC-USP

Documentação do Sistema de Reserva de Salas da Intranet do ICMC-USP UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação Departamento de Ciências da Computação e Estatística Documentação do Sistema de Reserva de Salas da Intranet do ICMC-USP André

Leia mais

INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA. Guia rápido

INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA. Guia rápido INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA Guia rápido A PLATAFORMA MOODLE Moodle (Modular Object Oriented Distance LEarning) é um Sistema para Gerenciamento de Cursos (SGC). Trata-se de um programa para computador

Leia mais

Manual Easy Chat Data de atualização: 20/12/2010 16:09 Versão atualizada do manual disponível na área de download do software.

Manual Easy Chat Data de atualização: 20/12/2010 16:09 Versão atualizada do manual disponível na área de download do software. 1 - Sumário 1 - Sumário... 2 2 O Easy Chat... 3 3 Conceitos... 3 3.1 Perfil... 3 3.2 Categoria... 4 3.3 Ícone Específico... 4 3.4 Janela Específica... 4 3.5 Ícone Geral... 4 3.6 Janela Geral... 4 4 Instalação...

Leia mais

Janine Garcia 1 ; Adamo Dal Berto 2 ; Marli Fátima Vick Vieira 3

Janine Garcia 1 ; Adamo Dal Berto 2 ; Marli Fátima Vick Vieira 3 ENSINO A DISTÂNCIA: UMA ANÁLISE DO MOODLE COMO INSTRUMENTO NO PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM DO ENSINO MÉDIO E SUPERIOR DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CATARINENSE (IFC) - CÂMPUS ARAQUARI

Leia mais

Ambiente Virtual de Aprendizagem C.S.G. M anual do Professor

Ambiente Virtual de Aprendizagem C.S.G. M anual do Professor Ambiente Virtual de Aprendizagem C.S.G. M anual do Professor Sumário Pré-requisitos para o Moodle... Entrar no Ambiente... Usuário ou senha esquecidos?... Meus cursos... Calendário... Atividades recentes...

Leia mais

Guia Rápido de Utilização. Ambiente Virtual de Aprendizagem. Perfil Aluno

Guia Rápido de Utilização. Ambiente Virtual de Aprendizagem. Perfil Aluno Guia Rápido de Utilização Ambiente Virtual de Aprendizagem Perfil Aluno 2015 APRESENTAÇÃO O Moodle é um Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) open source¹. Esta Plataforma tornouse popular e hoje é utilizada

Leia mais

DOMÍNIO PRODUTIVO DA INFORMÁTICA - CONCURSO BB 2015 -

DOMÍNIO PRODUTIVO DA INFORMÁTICA - CONCURSO BB 2015 - DOMÍNIO PRODUTIVO DA INFORMÁTICA - CONCURSO - Professor Esp. Wellington de Oliveira Graduação em Ciência da Computação Pós-Graduação em Docência do Ensino Superior Pós-Graduação MBA em Gerenciamento de

Leia mais

Manual do Ambiente Virtual Moodle

Manual do Ambiente Virtual Moodle Manual do Ambiente Virtual Moodle versão 0.3 Prof. Cristiano Costa Argemon Vieira Prof. Hercules da Costa Sandim Outubro de 2010 Capítulo 1 Primeiros Passos 1.1 Acessando o Ambiente Acesse o Ambiente Virtual

Leia mais

FACSENAC. SISGEP SISTEMA GERENCIADOR PEDAGÓGICO DRP (Documento de Requisitos do Projeto de Rede)

FACSENAC. SISGEP SISTEMA GERENCIADOR PEDAGÓGICO DRP (Documento de Requisitos do Projeto de Rede) FACSENAC SISTEMA GERENCIADOR PEDAGÓGICO Versão: 1.2 Data: 25/11/2011 Identificador do documento: Documento de Visão V. 1.7 Histórico de revisões Versão Data Descrição Autor 1.0 03/10/2011 Primeira Edição

Leia mais

ÁREA DO PROFESSOR (TUTOR)

ÁREA DO PROFESSOR (TUTOR) ÁREA DO PROFESSOR (TUTOR) 2- FÓRUM O fórum serve para avaliar os alunos através da participação na discussão sobre um ou mais assuntos, inserção de textos ou arquivos. Os fóruns de discussão compõem uma

Leia mais

FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO DE SANTOS

FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO DE SANTOS Anexo I Modelo para inscrição e apresentação dos projetos EDITAL DE CONVOCAÇÃO PÚBLICA nº 01/2016 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Nome ou Razão Social 1.2 Ramo de atividade (se empresa) 1.3 Endereço completo 1.4

Leia mais

Índice. Enquadramento do curso 3 Estrutura Programática 4. Primeiros passos com o e-best Learning 6. Actividades e Recursos 11

Índice. Enquadramento do curso 3 Estrutura Programática 4. Primeiros passos com o e-best Learning 6. Actividades e Recursos 11 Índice Parte 1 - Introdução 2 Enquadramento do curso 3 Estrutura Programática 4 Parte 2 Desenvolvimento 5 Primeiros passos com o e-best Learning 6 Como aceder à plataforma e-best Learning?... 6 Depois

Leia mais

Usuários. Manual. Pergamum

Usuários. Manual. Pergamum Usuários Manual Pergamum Sumário 1 APRESENTAÇÃO... 1-2 2 CADASTRANDO UM NOVO USUÁRIO/OPERADOR... 2-1 3 UTILIZANDO O MÓDULO DE USUÁRIOS... 3-2 3.1 CONFIGURAÇÃO DE GUIAS NO EXPLORER... 3-3 4 CADASTRO...

Leia mais

Política de uso de dados

Política de uso de dados Política de uso de dados A política de dados ajudará você a entender como funciona as informações completadas na sua área Minhas Festas. I. Informações que recebemos e como são usadas Suas informações

Leia mais

XDR. Solução para Big Data.

XDR. Solução para Big Data. XDR Solução para Big Data. ObJetivo Principal O volume de informações com os quais as empresas de telecomunicações/internet têm que lidar é muito grande, e está em constante crescimento devido à franca

Leia mais

MANUAL PARA UTILIZAÇÃO DO MOODLE FACULDADE INTERAÇÃO AMERICANA VIRTUAL - Versão: Aluno

MANUAL PARA UTILIZAÇÃO DO MOODLE FACULDADE INTERAÇÃO AMERICANA VIRTUAL - Versão: Aluno 1 MANUAL PARA UTILIZAÇÃO DO MOODLE FACULDADE INTERAÇÃO AMERICANA VIRTUAL - Versão: Aluno Acessando o sistema 1- Para acessar a Faculdade Interação Americana Virtual digite o seguinte endereço: http://ead.fia.edu.br/

Leia mais

DISCIPLINAS CURRICULARES (PCN) INFORMÁTICA PRODUÇÃO DE MATERIAL

DISCIPLINAS CURRICULARES (PCN) INFORMÁTICA PRODUÇÃO DE MATERIAL A nossa meta é envolver alunos e professores num processo de capacitação no uso de ferramentas tecnológicas. Para isto, mostraremos ao professor como trabalhar as suas disciplinas (matemática, português,

Leia mais

Aula 2: RIA - Aplicações Ricas para Internet Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina

Aula 2: RIA - Aplicações Ricas para Internet Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina Programação para Internet Rica 1 Aula 2: RIA - Aplicações Ricas para Internet Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina Objetivo: Identificar as principais características de uma Aplicação Internet Rica.

Leia mais

Guia de Ambientação Março/2011

Guia de Ambientação Março/2011 Guia de Ambientação Março/2011 APRESENTAÇÃO Caro cursista, Bem vindo ao Guia de Ambientação. Este documento é dirigido a você, participante. Com ele, você conhecerá como está estruturada a interface de

Leia mais

UNIDADE II Conhecendo o Ambiente Virtual de Aprendizagem

UNIDADE II Conhecendo o Ambiente Virtual de Aprendizagem UNIDADE II Conhecendo o Ambiente Virtual de Aprendizagem 2.1 Introdução Caro Pós-Graduando, Nesta unidade, abordaremos o Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) que será utilizado no curso: o Moodle. Serão

Leia mais

Segurança Internet. Fernando Albuquerque. fernando@cic.unb.br www.cic.unb.br/docentes/fernando (061) 273-3589

Segurança Internet. Fernando Albuquerque. fernando@cic.unb.br www.cic.unb.br/docentes/fernando (061) 273-3589 Segurança Internet Fernando Albuquerque fernando@cic.unb.br www.cic.unb.br/docentes/fernando (061) 273-3589 Tópicos Introdução Autenticação Controle da configuração Registro dos acessos Firewalls Backups

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA GLPI

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA GLPI MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA GLPI PERFIL TÉCNICO Versão 2.0 DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA E TELECOMUNICAÇÕES PREFEITURA DE GUARULHOS SP 1 Objetivo: Esse manual tem como objetivo principal instruir os

Leia mais

Portal do Servidor Publico. Cartilha de Orientação Acesso ao PORTAL

Portal do Servidor Publico. Cartilha de Orientação Acesso ao PORTAL Portal do Servidor Publico Cartilha de Orientação Acesso ao PORTAL 1 Indice Apresentação do Portal... 03 Acesso ao Portal do Servidor Publico... 04 Solicitar Senha... 04 Disponibilidade do Portal... 06

Leia mais

INTRODUÇÃO. A Claireconference agradece pela escolha!

INTRODUÇÃO. A Claireconference agradece pela escolha! 1 ÍNDICE 1. IMPLEMENTAÇÃO 4 1.1 PAINEL DE CONTROLE 4 1.1.1 SENHA 4 1.1.2 CRIAÇÃO DE USUÁRIOS DO LYNC 5 1.1.3 REDEFINIR SENHA 7 1.1.4 COMPRAR COMPLEMENTOS 9 1.1.5 UPGRADE E DOWNGRADE 10 1.1.5.1 UPGRADE

Leia mais

Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais - Prodemge. Manual do Usuário. Versão 1.1. ExpressoMG

Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais - Prodemge. Manual do Usuário. Versão 1.1. ExpressoMG Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais - Prodemge Manual do Usuário Versão 1.1 ExpressoMG 14/10/2015 Sumário 1. Apresentação... 4 1.1 Objetivos do Manual... 4 1.2 Público Alvo...

Leia mais

1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO

1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO 1 ÍNDICE 1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO... 3 1.1 REQUISITOS BASICOS DE SOFTWARE... 3 1.2 REQUISITOS BASICOS DE HARDWARE... 3 2 EXECUTANDO O INSTALADOR... 3 2.1 PASSO 01... 3 2.2 PASSO

Leia mais

Introdução ao. Linux do MEC

Introdução ao. Linux do MEC Introdução ao Linux do MEC Abril/2006 ÍNDICE Software Livre 3 Linux do MEC 4 Inicializando e finalizando o sistema 5 Área de trabalho 6 Operações com arquivos 7 Administração do ambiente 9 Navegador Internet

Leia mais

Manual de Utilização Chat Intercâmbio

Manual de Utilização Chat Intercâmbio Manual de Utilização Chat Intercâmbio 1 INDICE 1 Chat Intercâmbio... 6 1.1 Glossário de Termos Utilizados.... 6 1.2 Definições de uma Sala de Chat... 7 1.3 Como Acessar o Chat Intercâmbio... 8 1.4 Pré-requisitos

Leia mais

Manual de Instalação. SafeNet Authentication Client 8.2 SP1. (Para MAC OS 10.7)

Manual de Instalação. SafeNet Authentication Client 8.2 SP1. (Para MAC OS 10.7) SafeNet Authentication Client 8.2 SP1 (Para MAC OS 10.7) 2/28 Sumário 1 Introdução... 3 2 Pré-Requisitos Para Instalação... 3 3 Ambientes Homologados... 4 4 Tokens Homologados... 4 5 Instruções de Instalação...

Leia mais

Codificar Sistemas Tecnológicos

Codificar Sistemas Tecnológicos Codificar Sistemas Tecnológicos Especificação dos Requisitos do Software Sistema de gestão para a Empresa Cliente SlimSys Autor: Equipe Codificar Belo Horizonte MG Especificação dos Requisitos do Software

Leia mais

ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA NÚCLEO DE EMPREENDIMENTOS EM CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ARTES NECTAR.

ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA NÚCLEO DE EMPREENDIMENTOS EM CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ARTES NECTAR. ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA NÚCLEO DE EMPREENDIMENTOS EM CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ARTES NECTAR. OBJETO: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA CONSTRUÇÃO DO PORTAL E AQUISIÇÃO DE SOFTWARE DE GESTÃO DE

Leia mais

1 INTRODUÇÃO. 1.2 Novo modelo operacional do Sistema do Cadastro Único

1 INTRODUÇÃO. 1.2 Novo modelo operacional do Sistema do Cadastro Único Instrução Operacional nº 35 SENARC/MDS Brasília, 15 de abril de 2010. Assunto: Divulga as orientações necessárias para a solicitação de cadastramento de usuários municipais no novo sistema de Cadastro

Leia mais

Sistema BuildParty para montagem e gerenciamento de eventos. Plano de Testes. Versão <1.1> DeltaInfo. Soluções para web Soluções para o mundo

Sistema BuildParty para montagem e gerenciamento de eventos. Plano de Testes. Versão <1.1> DeltaInfo. Soluções para web Soluções para o mundo Sistema BuildParty para montagem e gerenciamento de eventos Plano de Testes Versão DeltaInfo Soluções para web Soluções para o mundo DeltaInfo 2 Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autores

Leia mais

SOLUÇÕES INTERATIVAS DE VÍDEO E VIDEOCONFERÊNCIA INTEGRADOS AO MOODLE. Abril 2007

SOLUÇÕES INTERATIVAS DE VÍDEO E VIDEOCONFERÊNCIA INTEGRADOS AO MOODLE. Abril 2007 SOLUÇÕES INTERATIVAS DE VÍDEO E VIDEOCONFERÊNCIA INTEGRADOS AO MOODLE Abril 2007 Vítor O. Villas Bôas Secretaria da Educação do Estado da Bahia- voboas@sec.ba.gov.br Bruno Reis Portela Secretaria da Educação

Leia mais

BANCO DE AULAS E PROJETOS MANUAL DO APLICATIVO

BANCO DE AULAS E PROJETOS MANUAL DO APLICATIVO BANCO DE AULAS E PROJETOS MANUAL DO APLICATIVO APRESENTAÇÃO Este aplicativo possibilita o compartilhamento de planos de aulas e projetos desenvolvidos e/ou aplicados nas unidades educacionais, entre os

Leia mais

Sumário. Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web

Sumário. Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web Sumário Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web Fazendo Login no Sistema Tela inicial do Portal WEB Criando um

Leia mais

SISTEMA DE GERÊNCIA - DmView

SISTEMA DE GERÊNCIA - DmView Sistema de Gerenciamento DmView O DmView é o Sistema de Gerência desenvolvido para supervisionar e configurar os equipamentos DATACOM, disponibilizando funções para gerência de supervisão, falhas, configuração,

Leia mais

ESTADO DE RONDÔNIA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DOCUMENTAÇÃO: JULGAMENTO VIRTUAL

ESTADO DE RONDÔNIA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DOCUMENTAÇÃO: JULGAMENTO VIRTUAL ESTADO DE RONDÔNIA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DOCUMENTAÇÃO: JULGAMENTO VIRTUAL 1. Visão Geral do Projeto Visando dinamizar ainda mais o julgamento dos processos de competência do Tribunal de

Leia mais

EIMOBILE INSTITUIÇÕES DE ENSINO MOBILE

EIMOBILE INSTITUIÇÕES DE ENSINO MOBILE UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS CENTRO POLITÉCNICO TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS EIMOBILE INSTITUIÇÕES DE ENSINO MOBILE por Miguel Aguiar Barbosa Trabalho de curso II submetido como

Leia mais

Tutorial para acesso ao Peticionamento Eletrônico e Visualização de Processos Eletrônicos

Tutorial para acesso ao Peticionamento Eletrônico e Visualização de Processos Eletrônicos Tutorial para acesso ao Peticionamento Eletrônico e Visualização de Processos Eletrônicos Este tutorial visa preparar o computador com os softwares necessários para a utilização dos sistemas de visualização

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA SIGPLAN - ELABORAÇÃO DA FASE QUALITATIVA DO PPA 2008-2011

MANUAL DO SISTEMA SIGPLAN - ELABORAÇÃO DA FASE QUALITATIVA DO PPA 2008-2011 MANUAL DO SISTEMA SIGPLAN - ELABORAÇÃO DA FASE QUALITATIVA DO PPA 2008-2011 O trabalho faz a diferença. Manaus, maio de 2007. Manual de Operação do Sistema de Informações Gerenciais e de Planejamento -

Leia mais

Projeto Arquitetural do IEmbedded

Projeto Arquitetural do IEmbedded Universidade Federal de Campina Grande Centro de Engenharia Elétrica e Informática Departamento de Sistemas e Computação Disciplina: Projeto I Professora: Francilene Garcia Equipe: Carolina Nogueira de

Leia mais

FUNCIONAMENTO DOS CURSOS

FUNCIONAMENTO DOS CURSOS 1 SUMÁRIO Funcionamento dos Cursos... 03 Guia de Percurso... 05 Manual Acadêmico... 07 Ambiente Virtual de Aprendizagem... 09 Edição do Perfil... 12 Acessando as Atividades... 14 Iniciando o Semestre...

Leia mais

Versão Liberada. www.gerpos.com.br. Gerpos Sistemas Ltda. info@gerpos.com.br. Av. Jones dos Santos Neves, nº 160/174

Versão Liberada. www.gerpos.com.br. Gerpos Sistemas Ltda. info@gerpos.com.br. Av. Jones dos Santos Neves, nº 160/174 Versão Liberada A Gerpos comunica a seus clientes que nova versão do aplicativo Gerpos Retaguarda, contendo as rotinas para emissão da Nota Fiscal Eletrônica, já está disponível. A atualização da versão

Leia mais

Manual do Usuário. SCA - Sistema de Controle de Acesso

Manual do Usuário. SCA - Sistema de Controle de Acesso Manual do Usuário SCA - Sistema de Controle de Acesso Equipe-documentacao@procergs.rs.gov.br Data: Julho/2012 Este documento foi produzido por Praça dos Açorianos, s/n CEP 90010-340 Porto Alegre, RS (51)

Leia mais

BVS Site. Aplicativo para geração de portais BVS. Cláudia Guzzo Patrícia Gaião

BVS Site. Aplicativo para geração de portais BVS. Cláudia Guzzo Patrícia Gaião BVS Site Aplicativo para geração de portais BVS Cláudia Guzzo Patrícia Gaião Gerência de Produção de Fontes de Informação / Projetos e Instâncias da BVS BIREME/OPAS/OMS Biblioteca Virtual em Saúde (BVS)

Leia mais