Este Protocolo Clínico deve ser revisado sistematicamente a cada 2 (dois) anos e todas as vezes que o serviço médico julgar necessário fazê-lo.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Este Protocolo Clínico deve ser revisado sistematicamente a cada 2 (dois) anos e todas as vezes que o serviço médico julgar necessário fazê-lo."

Transcrição

1 PROTOCOLOS CLÍNICOS Nº. 07/ Serviço de Psiquiatria do Hospital de Clínicas da UFPR Folha 01/11 : SERVIÇO DE: Psiquiatria do Hospital de Clínicas da UFPR ELABORADO POR (Membro do Serviço) Prof. Dr. Dirceu Zorzetto Filho APROVADO POR (Chefe do Serviço) Prof. Francisco Jaime Lopes Barbosa HOMOLOGADO POR (Diretor de Corpo Clínico) DATA: 27/10/2011 DATA: 27/10/2011 DATA: REVISÕES DATA RESPONSÁVEL 1ª REVISÃO 2ª REVISÃO 3ª REVISÃO 4ª REVISÃO REGISTRO DE PÁGINAS QUE FORAM ALTERADAS E SUBSTITUÍDAS 1ª REVISÃO 2ª REVISÃO 3ª REVISÃO 4ª REVISÃO Este Protocolo Clínico deve ser revisado sistematicamente a cada 2 (dois) anos e todas as vezes que o serviço médico julgar necessário fazê-lo.

2 PROTOCOLO CLÍNICO Nº. 07 Folha 02/11 I - EPISÓDIO MANÍACO A) MANIA CLÁSSICA: a. Inicia-se, em geral com o uso do lítio, associado ou não a benzodiazepínicos ou antipsicóticos, por 2 a 4 semanas. Na mania aguda a litemia, idealmente, deve se situar entre 1,0 e 1,2 meq/l. b. Caso o episódio maníaco apresente-se com ansiedade intensa, agitação psicomotora, agressividade ou sintomas psicóticos, associa-se um antipsicótico. São utilizados os antipsicóticos tanto os típicos (clorpromazina, levomepromazina ou haloperidol), como os atípicos mais recentes (olanzapina, risperidona). c. Em quadros de mania que não apresentam sintomas psicóticos, mas com inquietude ou insônia intensas pode-se se associar, já de início, benzodiazepínicos potentes. O clonazepam tem se mostrado eficaz nestes casos. d. Se após dose e tempo adequados de uso não houver resposta ou esta for parcial, adiciona-se o (di)valproato de sódio/ac. valpróico. e. Caso não ocorra resposta entre 2 a 4 semanas, substitui-se o (di)valproato de sódio/ac. valpróico. pela carbamazepina; f. Se não houver resposta ou esta for parcial, substitui-se o lítio pelo (di)valproato de sódio/ac. valpróico.. g. Em caso de refratariedade, adiciona-se um antipsicótico atípico (olanzapina ou risperidona). Problemas físicos pacientes com doença hepática importante: uso preferencial de lítio ao invés dos anticonvulsivantes, pacientes com doença renal e da tireóide, psoríase: uso de anticonvulsivantes ao invés do lítio. O acido valpróico tem se mostrado uma alternativa interessante naqueles

3 PROTOCOLO CLÍNICO Nº. 07 Folha 03/11 pacientes que apresentam quadros maníacos secundários a doenças físicas. Caso em tratamentos anteriores tenha havido ausência de resposta ou resposta pobre ao lítio, a preferência será pelos anticonvulsivantes e vice-versa. Idosos lítio pode ser utilizado em pacientes idosos desde que sejam adotados alguns cuidados especiais. Seu uso nesta faixa etária é complicado por fatores como doenças clínicas, medicações usadas concomitantemente, dietas especiais, diminuição da taxa de filtração glomerular e sensibilidade aumentada aos paraefeitos, podendo ainda, com mais facilidade, ocorrer intoxicações, mesmo com níveis séricos considerados terapêuticos. As doses sempre devem ser as menores possíveis e dosagens séricas da medicação e exames laboratoriais freqüentes da função renal, hepática e tireóidea devem ser realizadas, assim como monitoração de quaisquer sinais de intoxicação. Com uma monitoração cuidadosa e um uso apropriado, o lítio é uma droga segura e efetiva em idosos. O ácido valpróico tem sido utilizado associado ao lítio em idosos com transtorno bipolar e agitados, pelo seu efeito sedativo. Pode, no entanto, exacerbar o tremor causado por esta última droga. Carbamazepina: As doses devem ser menores devido ao seu menor metabolismo hepático (função hepática diminuída). O aumento das doses deve ser bastante lento e os níveis séricos, bem como a função hepática, devem ser monitoradas com maior freqüência. B) QUADROS MISTOS OU MANIA DISFÓRICA a) A primeira escolha recai entre (di)valproato de sódio/ac. valpróico. ou carbamazepina; b) Caso não houver resposta satisfatória com um deles, deve-se substituí-lo pelo outro (CBZ DVA ou DVA CBZ). c) Se persistir a resposta parcial adiciona-se lítio ao anticonvulsivante que estiver sendo utilizado; d) Na ausência de melhora clínica significativa, associa-se carbamazepina + (di)valproato de sódio/ac. valpróico.; e) O próximo passo é a adição de um antipsicótico atípico (olanzapina ou risperidona)

4 PROTOCOLO CLÍNICO Nº. 07 Folha 04/11 C) CICLAGEM RÁPIDA Os cicladores rápidos (4 ou + episódios/ano) respondem pobremente aos sais de lítio, mas apresentam uma resposta bastante boa aos anticonvulsivantes utilizados como estabilizadores do humor. Dentre estes, o (di)valproato de sódio/ac. valpróico tem se mostrado bastante efetivo nestes quadros. A carbamazepina também é eficaz neste quadro, especialmente naqueles com início precoce e com um curso da doença dominado por episódios maníacos. TRATAMENTO DE ESCOLHA 1ª LINHA MANIA CLÁSSICA / EUFÓRICA LÍTIO (DI)VALPROATO DE SÓDIO/ÁC. VALPRÓICO QUADROS MISTOS / DISFÓRICOS CICLAGEM RÁPIDA (DI)VALPROATO DE SÓDIO/ÁC. VALPRÓICO OU CARBAMAZEPINA (DI)VALPROATO DE SÓDIO/ÁC. VALPRÓICO LÍTIO CARBAMAZEPINA II - EPISÓDIO DEPRESSIVO Regra Básica: nenhum antidepressivo deveria ser usado na ausência de um estabilizador do humor. O lítio parece ser a droga de escolha, sempre que possível, na depressão bipolar, mas nem sempre é tão eficaz como gostaríamos (litemia mínima de 0,8mEq/l). Se o paciente já vinha em uso desse medicamento, a conduta inicial seria aumentar a dose e manter a litemia em torno de 1,2mEq/l. Entretanto, se não houver resposta a essa estratégia, deve-se seguir a cronologia exposta abaixo.

5 PROTOCOLO CLÍNICO Nº. 07 Folha 05/11 DEPRESSÃO BIPOLAR TRATAMENTO DE ESCOLHA 1ª LINHA ESTÁGIO 1 EH + BUPROPIONA OU ISRS EH + TRICÍCLICOS (AMITRIPTILINA, CLOMIPRAMINA OU IMIPRAMINA) ESTÁGIO 2 EH + ISRS OU BUPROPIONA OU VENLAFAXINA EH + OUTRO ANTIDEPRESSIVO ESTÁGIO 3 EH + 2 ANTIDEPRESSIVOS EH + VENLAFAXINA ESTÁGIO 4 EH + TRANILCIPROMINA TRATAMENTO DE ESCOLHA Estágio 1: adicionar um antidepressivo de primeira escolha (bupropiona ou ISRS) ao lítio. 1ª LINHA Estágio 1: adicionar um antidepressivo tricíclico (amitriptilina, clomipramina ou imipramina) lítio Estágio 2: manter o lítio e trocar o antidepressivo para um outro de primeira linha ou, para um dos seguintes: venlafaxina ou nefazodona. Estágio 2: manter o lítio e trocar o antidepressivo para um dos outros tricíclico. Estágio 3: lítio + venlafaxina Estágio 3: estabilizador do humor + 2 antidepressivos Estágio 4: estabilizador de humor + tranilcipromina Estágio 4: estabilizador de humor + tranilcipromina III - TRATAMENTO DE MANUTENÇÃO / PROFILAXIA O lítio é o tratamento de manutenção de primeira escolha nos pacientes com transtorno bipolar de humor. Aceitam-se em geral os índices de 0,6-0,8mEq/l como as concentrações mínimas necessárias para a manutenção. 1 episódio maníaco: manter o lítio por 6 meses após a remissão dos sintomas, suspendêlo e passar a observar o paciente por mais um ano. No caso do paciente apresentar dois ou mais episódios de mania, os benefícios de um tratamento de manutenção longo deve ser considerado.

6 PROTOCOLO CLÍNICO Nº. 07 Folha 06/11 Cicladores rápidos: mantém-se a terapêutica com (di)valproato de sódio/ac. valpróico. ou carbamazepina. O uso de medicamentos antidepressivos em pacientes bipolares, particularmente os tricíclicos, está relacionado à indução de mania e/ou aceleração dos ciclos e, por isso, deve ser limitado. Pode ser necessário o uso de antidepressivos, mesmo na fase de manutenção, mas essa conduta deve ser a exceção e não a regra. IV UTILIZAÇÃO DOS ESTABILIZADORES DO HUMOR LÍTIO 1) Rever histórico médico do paciente, com ênfase nos sistemas que podem ser afetados pela terapia com lítio (função renal, tireóidea e cardíaca); 2) Afastar hipótese de gravidez; 3) Educação do paciente: a) Efeitos colaterais; b) Evitar dietas com restrição de sal; c) Advertir sobre medicamentos que possam elevar o nível de lítio (diuréticos, inibidores da ECA, antiinflamatórios não-esteroidais, inibidores da COX-2); d) Avisar que a intoxicação pelo lítio pode ocorrer na desidratação, diarréia ou quando se bebe muito pouco líquido. 4) Exames antes do início da terapia: a) Uréia e creatinina; b) Teste de gravidez; c) Avaliação da função tireóidea; d) ECG para pacientes acima de 40 anos e; e) Hemograma. 5) O lítio deve ser iniciado em doses baixas (usualmente 450mg/dia, divididos em duas tomadas), até a primeira dosagem (5 dias após o início da medicação). Aplica-se uma 6) regra de três simples e estima-se a posologia para se atingir o nível sérico de 0,8-1,0 meq/l;

7 PROTOCOLO CLÍNICO Nº. 07 Folha 07/11 7) A concentração clinicamente estável (steady state) do lítio é alcançada 5 dias após o ajuste da dose; 8) A concentração sérica necessária para a profilaxia pode ser tão alta quanto à da fase aguda. Entretanto, níveis séricos de lítio entre 0.6 e 0.8 meq/l são aceitos como eficientes na profilaxia de novos episódios; 9) Uma dose única diária facilita a adesão e não aumenta os efeitos colaterais; 10) No paciente estabilizado o espaço entre as consultas de monitoramento clínico não deve exceder a 6 meses; 11) Em geral, a função renal deverá ser avaliada a cada 2-3 meses nos primeiros 6 meses de tratamento e a função tireoideana deveria ser avaliada 1 ou 2 vezes durante esse mesmo período. Subseqüentemente, a função renal e tireoideana deverão ser avaliadas semestralmente ou anualmente nos pacientes estáveis. VALPROATO DE SÓDIO ou DIVALPROATO 1) Antes do início do tratamento com (di)valproato de sódio/ac. valpróico. deve-se pesquisar na história médica do paciente anormalidades hepáticas, hematológicas e de coagulação. São necessárias exames de função hepática e hemograma. 2) O (di)valproato de sódio/ac. valpróico. pode ser administrado na dose inicial de mg/kg por dia em pacientes graves com mania aguda. Depois que o nível sérico de (di)valproato de sódio/ac. valpróico. é obtido, a dose deve ser ajustada para atingir um nível entre 50 e 125 µg/ml. 3) Pacientes menos graves, idosos, hipomaníacos ou eutímicos, o (di)valproato de sódio/ac. valpróico. pode ser iniciado em doses baixas de 250mg, duas vezes ao dia. Dependendo da resposta clínica e dos efeitos colaterais, a dose deve ser aumentada em mg/dia, a cada cinco dias até atingir a concentração sérica de µg/ml. A dose máxima permitida é de 60mg/kg por dia, para pacientes adultos. 4) Avaliações clínicas, incluindo exames de função hepática e hematológica devem ser realizados no mínimo a cada seis meses, para pacientes estáveis.

8 PROTOCOLO CLÍNICO Nº. 07 Folha 08/11 CARBAMAZEPINA. 1) Uma avaliação pré-tratamento com carbamazepina (CBZ) deveria conter uma ênfase especial na história prévia de discrasias sanguíneas ou doenças hepáticas. 2) Exames laboratoriais antes de iniciar o tratamento: a) Hemograma com contagem de plaquetas b) Função hepática: LDH, SGOT, SGPT, bilirrubina, e fosfatase alcalina; c) Função renal; d) Em idosos, dosar Na. 3) A dosagem pode variar de 200mg-1800mg/dia. Dependendo da gravidade do caso, inicia-se com 200mg-600mg, divididos em 3 tomadas diárias. Em pacientes com menor gravidade do quadro, o ajuste da dose deve ser lento, para se evitar náuseas, vômitos, sonolência, tontura, ataxia ou diplopia. Caso esses efeitos ocorram, a dose pode ser diminuída temporariamente e então, aumentada novamente quando esses efeitos colaterais passarem. 4) Nos quadros de mania aguda, a dose deve ser aumentada em 200mg/dia até se atingir 800mg-1800mg/dia. 5) Embora os níveis séricos de CBZ não tenham sido estabelecidos para pacientes com transtorno bipolar, aplica-se as concentrações séricas estabelecidas para o tratamento das crises epilépticas: 4-12 µg/ml. Os níveis séricos devem ser determinados 5 dias após uma mudança da dose. 6) A dose de manutenção gira em torno de 1000mg/dia, mas pode variar de 200mg a 1600mg/dia. Não se recomenda dose maior que 1600mg/dia. 7) Durante os primeiros 2 meses de tratamento, devem ser solicitados a cada 2 semanas o hemograma com contagem de plaquetas e testes de função hepática. Após esse período, essas avaliações devem ser realizadas no mínimo a cada 3 meses. 8) Deve-se informar o paciente sobre sinais e sintomas de reações hepáticas, hematológicas e dermatológicas, e instruí-lo a relatar esses sintomas se eles ocorrerem. 9) A carbamazepina é capaz de produzir indução enzimática e diminuir a concentração

9 PROTOCOLO CLÍNICO Nº. 07 Folha 09/11 do (di)valproato de sódio/ac. valpróico., lamotrigina, anticoncepcionais orais, inibidores da protease, benzodiazepínicos e muitas medicações antipsicóticas e antidepressivas. Os níveis de CBZ podem ser aumentados por medicações como fluoxetina, fluvoxamina, alguns antibióticos e bloqueadores do canal de cálcio. ALGORITMO MANIA CLASSICA MANIA Sintomas psicóticos Sem sintomas Lítio + antipsicótico Lítio Li + Divalproato + Antipsicótico Li + Divalproato Li + Carbamazepina Antipsicóticos Típicos Haloperidol Clorpromazina Levomepromazina Antipsicóticos Atípicos Olanzapina Risperidal Divalproato + Carbamazepina Divalproato + Carbamazepina + Antipsicótico atípico

10 PROTOCOLO CLÍNICO Nº. 07 Folha 010/11 ALGORITMO TRATAMENTO QUADROS MISTOS QUADROS MISTOS MANIA DISFÓRICA Divalproato Carbamazepina Carbamazepina Divalproato Li + Carbamazepina Li + Divalproato Divalproato + Carbamazepina Divalproato + Carbamazepina + Antipsicótico atípico

11 PROTOCOLO CLÍNICO Nº. 07 Folha 011/11 ALGORITMO TRATAMENTO DEPRESSÃO BIPOLAR DEPRESSÃO BIPOLAR LÍTIO LÍTIO até 1,2mEq/l Tratamento de escolha Tratamento de 1ª linha Lítio + bupropiona ou ISRS Lítio + Amitriptilina ou clomipramina ou imipramina EH + ISRS ou bupropioa ou venlafaxina Lítio + outro antidepressivo EH + 2 antidepressivos Lítio + venlafaxina EH + tranilcipromina

12 PROTOCOLO CLÍNICO Nº. 07 Folha 012/11 Referências: American Psychiatric Association. Practice Guidelines for the Treatment of Psychiatric Disorders. Washington: American Psychiatry Press, Hirschfeld RMA. Guideline Watch: Practice Guideline for the Treatment of Patients With Bipolar Disorder, 2nd Edition. Disponivel em: DOI: /appi.books Kapczinski et al. Tratamento farmacológico do transtorno bipolar: as evidencias de ensaios clinicos randomizados. Rev. Psiq. ClÃn. 32, supl 1; 34-38, 2005 Shansis FM et al. Diretrizes e Algoritmos: Transtornos do Humor Bipolar. In: Psicofarmacos: Consulta Rapida (3 a. ed.). Porto Alegre: Artmed, 2011, p Yatham et al. Canadian Network for Mood and Anxiety Treatments (CANMAT) and International Society for Bipolar Disorders (ISBD) collaborative update of CANMAT guidelines for the management of patients with bipolar disorder: update Bipolar Disorders 2009: 11: 225â 255

Folha 01/07 DATA: 27/10/2011 DATA:27/10/2011 REVISÕES DATA RESPONSÁVEL 1ª REVISÃO 2ª REVISÃO 3ª REVISÃO 3ª REVISÃO 5ª REVISÃO

Folha 01/07 DATA: 27/10/2011 DATA:27/10/2011 REVISÕES DATA RESPONSÁVEL 1ª REVISÃO 2ª REVISÃO 3ª REVISÃO 3ª REVISÃO 5ª REVISÃO PROTOCOLO CLÍNICO Nº. 06 Folha 01/08 PROTOCOLOS CLÍNICOS Nº. 01/ Serviço de Psiquiatria do Hospital de Clínicas da UFPR. Folha 01/07 : PROTOCOLO CLÍNICO DE TRATAMENTO DO TRANSTORNO DEPRESSIVO SERVIÇO DE:

Leia mais

(inicia no slide 17) Bipolaridade

(inicia no slide 17) Bipolaridade (inicia no slide 17) Bipolaridade Os Transtornos do Humor Bipolar são transtornos crônicos, recorrentes e, muitas vezes, com remissão incompleta e potencialmente letais. Os pólos de apresentação são: *

Leia mais

Transtorno Bipolar Aspectos do Diagnóstico e Tratamento. Alexandre Pereira

Transtorno Bipolar Aspectos do Diagnóstico e Tratamento. Alexandre Pereira Transtorno Bipolar Aspectos do Diagnóstico e Tratamento Alexandre Pereira Esquizofrenia x T. Bipolar Delírios, Alucinações, Alterações da consciência do eu,alterações do afeto e da percepção corporal Evolução

Leia mais

CONCEITO EPISÓDIO MANÍACO 03/02/2014. Episódios depressivos e maníacos. Evolução recorrente. Plena recuperação nas intercrises

CONCEITO EPISÓDIO MANÍACO 03/02/2014. Episódios depressivos e maníacos. Evolução recorrente. Plena recuperação nas intercrises Prof. José Reinaldo do Amaral CONCEITO Episódios depressivos e maníacos Evolução recorrente Plena recuperação nas intercrises 1. Auto-estima inflada ou grandiosidade 2. Insônia 3. Mais falador que o habitual

Leia mais

A depressão e a mania são vistas frequentemente como extremos opostos de um espectro afetivo ou do humor;

A depressão e a mania são vistas frequentemente como extremos opostos de um espectro afetivo ou do humor; Curso - Psicologia Disciplina: Psicofarmacologia Resumo Aula 6- Psicofármacos: Transtorno Bipolar e Manias Descrição dos Transtornos do Humor Conhecidos como transtorno afetivos (afeto é a expressão externa

Leia mais

Tratamento Farmacológico do Transtorno de Humor Bipolar: algoritmo

Tratamento Farmacológico do Transtorno de Humor Bipolar: algoritmo Tratamento Farmacológico do Transtorno de Humor Bipolar: algoritmo Introdução Flávio M. Shansis Aristides V. Cordioli O Transtorno de Humor Bipolar (THB) possui uma prevalência estimada em torno de 1,5%

Leia mais

TEMA: Quetiapina e Lamotrigina no tratamento do Transtorno Afetivo Bipolar e do Transtorno Obsessivo Compulsivo SUMÁRIO 1. RESUMO EXECUTIVO...

TEMA: Quetiapina e Lamotrigina no tratamento do Transtorno Afetivo Bipolar e do Transtorno Obsessivo Compulsivo SUMÁRIO 1. RESUMO EXECUTIVO... NT 95/2013 Solicitante: Ilma Dra Regina Célia Silva Neves Juiza de Direito Juizado Fazenda Pública de Itaúna (MG) Data: 14/06/2013 Medicamento X Material Procedimento Cobertura Nº do processo: 0338.13.002.048-4

Leia mais

Clozapina, Lamotrigina, Olanzapina, Quetiapina e Risperidona para o tratamento do Transtorno Afetivo Bipolar

Clozapina, Lamotrigina, Olanzapina, Quetiapina e Risperidona para o tratamento do Transtorno Afetivo Bipolar Ministério da Saúde Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos Departamento de Gestão e Incorporação de Tecnologias em Saúde Clozapina, Lamotrigina, Olanzapina, Quetiapina e Risperidona para

Leia mais

Tratamento do Transtorno Bipolar do Humor

Tratamento do Transtorno Bipolar do Humor Tratamento do Transtorno Bipolar do Humor Geraldo J. Ballone - ú ltima revisão 2001 Os avanç os na pesquisa clínica, biológica e neurofisiológica conduziram às melhorias muito significativas no diagnóstico

Leia mais

Clozapina, Lamotrigina, Olanzapina, Quetiapina e Risperidona para o Tratamento do Transtorno Afetivo Bipolar

Clozapina, Lamotrigina, Olanzapina, Quetiapina e Risperidona para o Tratamento do Transtorno Afetivo Bipolar Clozapina, Lamotrigina, Olanzapina, Quetiapina e Risperidona para o Tratamento do Transtorno Afetivo Bipolar Nº 140 Março/2015 1 2015 Ministério da Saúde. É permitida a reprodução parcial ou total desta

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 54/2014 Informações sobre Carbolitium, Olanzapina e Escitalopran

RESPOSTA RÁPIDA 54/2014 Informações sobre Carbolitium, Olanzapina e Escitalopran RESPOSTA RÁPIDA 54/2014 Informações sobre Carbolitium, Olanzapina e Escitalopran SOLICITANTE Dra. Renata Perdigão Juíza de Direito Comarca de Cristais NÚMERO DO PROCESSO Nº 112.13.002863-7 DATA 07/02/2014

Leia mais

Medicamentos psicotrópicos e efeitos colaterais/adversos impactantes para atividades laborais.

Medicamentos psicotrópicos e efeitos colaterais/adversos impactantes para atividades laborais. Medicamentos psicotrópicos e efeitos colaterais/adversos impactantes para atividades laborais. Alternativas terapêuticas farmacológicas. Dr. João Luiz da Fonseca Martins Médico Psiquiatra Uniica . Principais

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 313/2014 Informações sobre Depressão: Venlafaxina

RESPOSTA RÁPIDA 313/2014 Informações sobre Depressão: Venlafaxina RESPOSTA RÁPIDA 313/2014 Informações sobre Depressão: Venlafaxina SOLICITANTE Drª Kellen Cristini de Sales e Souza Juíza de Direito da Comarca de Paraopeba NÚMERO DO PROCESSO Autos nº 0474.14.001582-4

Leia mais

TEMA: Topiramato, Olanzapina, Daforin, Rivotril em paciente com depressão grave.

TEMA: Topiramato, Olanzapina, Daforin, Rivotril em paciente com depressão grave. NOTA TÉCNICA 65/2013 Solicitante Alyrio Ramos Desembargador da 8ª Câmara Cível TJMG RÉU: ESTADO DE MINAS GERAIS E MUNICÍPIO DE ITAPECERICA Data: 05/05/2013 Medicamento x Material Procedimento Cobertura

Leia mais

23/07/2013. É um sintoma fundamental de muitos distúrbios psiquiátricos e um componente de muitas condições clínicas e cirúrgicas.

23/07/2013. É um sintoma fundamental de muitos distúrbios psiquiátricos e um componente de muitas condições clínicas e cirúrgicas. Psicofarmacologia Prof. Herval de Lacerda Bonfante Departamento de Farmacologia PSICOFARMACOLOGIA Distúrbios Psiquiátricos - Tratamento : 1950 10 a 15% de prescrições - EUA Brasil prevalência de transtornos

Leia mais

Psicoterapia e Psicofarmacologia. Como optar ou associá-las? Hewdy Lobo Ribeiro Psiquiatra Forense e Psicogeriatra AMBULIM e ProMulher IPq - USP

Psicoterapia e Psicofarmacologia. Como optar ou associá-las? Hewdy Lobo Ribeiro Psiquiatra Forense e Psicogeriatra AMBULIM e ProMulher IPq - USP e Psicofarmacologia. Como optar ou associá-las? Hewdy Lobo Ribeiro Psiquiatra Forense e Psicogeriatra AMBULIM e ProMulher IPq - USP Estudo da forma e função dos Psicofármacos Psicofármacos / Psicotrópicos

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 100/2014

RESPOSTA RÁPIDA 100/2014 RESPOSTA RÁPIDA 100/2014 SOLICITANTE Dra. Juliana Mendes Pedrosa Juíza de Direito da Comarca de Itambacuri - MG NÚMERO DO PROCESSO 0327.14.000056-0 DATA 06/03/2014 Pois bem, versam os autos sobre o pedido

Leia mais

Assistência Farmacêutica na Depressão

Assistência Farmacêutica na Depressão Definição Assistência Farmacêutica na Depressão Grupo de atividades relacionadas com o medicamento, destinadas a apoiar as ações de saúde demandadas por uma comunidade, envolvendo o abastecimento de medicamentos

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 363/2014 Informações sobre Depressão: Venlaxim

RESPOSTA RÁPIDA 363/2014 Informações sobre Depressão: Venlaxim RESPOSTA RÁPIDA 363/2014 Informações sobre Depressão: Venlaxim SOLICITANTE Drª Herilene de Oliveira Andrade Juíza de Direito Comarca de Itapecerica NÚMERO DO PROCESSO Autos nº 0335.14.1408-5 DATA 21/02/2014

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 315/2014 Informações sobre Mirtazapina e Quetiapina no tratamento da depressão

RESPOSTA RÁPIDA 315/2014 Informações sobre Mirtazapina e Quetiapina no tratamento da depressão RESPOSTA RÁPIDA 315/2014 Informações sobre Mirtazapina e Quetiapina no tratamento da depressão SOLICITANTE NÚMERO DO PROCESSO Dra. Célia Maria Andrade Freitas Corrêa, juíza titular da 4ª vara cível da

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 122/2014 Informações sobre transtorno de ansiedade generalizada e distúrbio de déficit de atenção e hiperatividade

RESPOSTA RÁPIDA 122/2014 Informações sobre transtorno de ansiedade generalizada e distúrbio de déficit de atenção e hiperatividade RESPOSTA RÁPIDA 122/2014 Informações sobre transtorno de ansiedade generalizada e distúrbio de déficit de atenção e hiperatividade SOLICITANTE Dra. Renata Abranches Perdigão Juíza de Direito do JESP da

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 85/2013 Informações sobre Fluvoxamina e Alprazolan

RESPOSTA RÁPIDA 85/2013 Informações sobre Fluvoxamina e Alprazolan RESPOSTA RÁPIDA 85/2013 Informações sobre Fluvoxamina e Alprazolan SOLICITANTE Dra Maria Augusta Balbinot Juíza do JESP de São João Del Rei - MG NÚMERO DO PROCESSO nº 0625.13.004802-2 (numeração única

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 448/2014

RESPOSTA RÁPIDA 448/2014 RESPOSTA RÁPIDA 448/2014 SOLICITANTE NÚMERO DO PROCESSO Dr. Eduardo Tavares Vianna Juiz de Direito de Coronel Fabriciano 0060337-30.2014.8.13.0194 DATA 04 de agosto de 2014 SOLICITAÇÃO Senhor (a) Diretor

Leia mais

TRANSTORNOS DE HUMOR NA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA PELA PERSPECTIVA DA NEUROBIOLOGIA E AÇÕES MEDICAMENTOSAS

TRANSTORNOS DE HUMOR NA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA PELA PERSPECTIVA DA NEUROBIOLOGIA E AÇÕES MEDICAMENTOSAS TRANSTORNOS DE HUMOR NA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA PELA PERSPECTIVA DA NEUROBIOLOGIA E AÇÕES MEDICAMENTOSAS Marina Aparecida Luiz de Freitas 1 ; Sandra Cristina Catelan-Mainardes 2 RESUMO: O presente estudo

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DO LÍTIO NO TRANSTORNO AFETIVO BIPOLAR E SEUS EFEITOS ADVERSOS, EVIDENCIANDO A ATAXIA CEREBELAR

A UTILIZAÇÃO DO LÍTIO NO TRANSTORNO AFETIVO BIPOLAR E SEUS EFEITOS ADVERSOS, EVIDENCIANDO A ATAXIA CEREBELAR ISSN 1809-0362 A UTILIZAÇÃO DO LÍTIO NO TRANSTORNO AFETIVO BIPOLAR E SEUS EFEITOS ADVERSOS, EVIDENCIANDO A ATAXIA CEREBELAR Rejane Conceição Santana* Loane Viana Marques Neves** Robson Paixão Souza***

Leia mais

Doença Bipolar e Gravidez. Índice

Doença Bipolar e Gravidez. Índice Doença Bipolar e Gravidez Índice Introdução... 3 Questões prévias à Gravidez... 4 Aspectos Gerais... 4 Planeamento Familiar... 4 Medicação... 5 Estabilizadores do Humor... 5 Outros medicamentos Psiquiátricos...

Leia mais

CARBAMAZEPINA INPHARMA

CARBAMAZEPINA INPHARMA FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR CARBAMAZEPINA INPHARMA Comprimidos Composição: Cada comprimido contém 200 mg de Carbamazepina. Excipientes: Celulose microcristalina, amido glicolato de

Leia mais

ESTUDO FÁRMACO-ECONÔMICO DO PERFIL DE CONSUMO DE MEDICAMENTOS OFERTADOS PELO CAPS AD WALTER SARMENTO DA CIDADE DE SOUSA-PB

ESTUDO FÁRMACO-ECONÔMICO DO PERFIL DE CONSUMO DE MEDICAMENTOS OFERTADOS PELO CAPS AD WALTER SARMENTO DA CIDADE DE SOUSA-PB ESTUDO FÁRMACO-ECONÔMICO DO PERFIL DE CONSUMO DE MEDICAMENTOS OFERTADOS PELO CAPS AD WALTER SARMENTO DA CIDADE DE SOUSA-PB 1 Roosevelt Albuquerque Gomes, Faculdade Santa Maria, roosevelt.ag@gmail.com 2

Leia mais

DEPRESSÃO - Segundo a Classificação Internacional das Doenças (CID) 10ª revisão

DEPRESSÃO - Segundo a Classificação Internacional das Doenças (CID) 10ª revisão DEPRESSÃO - Segundo a Classificação Internacional das Doenças (CID) 10ª revisão - F32 Episódios depressivos Nos episódios típicos de cada um dos três graus de depressão: leve, moderado ou grave, o paciente

Leia mais

LÍTIO, ANTICONVULSIVANTES E ANTIPSICÓTICOS ASSOCIADOS À PSICOEDUCAÇÃO NO ESPECTRO BIPOLAR

LÍTIO, ANTICONVULSIVANTES E ANTIPSICÓTICOS ASSOCIADOS À PSICOEDUCAÇÃO NO ESPECTRO BIPOLAR LÍTIO, ANTICONVULSIVANTES E ANTIPSICÓTICOS ASSOCIADOS À PSICOEDUCAÇÃO NO ESPECTRO BIPOLAR Francisco Guarniero Médico Psiquiatra Colaborador do AMBULIM PONTOS-CHAVE Espectro bipolar nem sempre é reconhecido

Leia mais

Psicofarmacologia. Transtornos de Ansiedade. Transtornos de Ansiedade PSICOFARMACOLOGIA 15/05/2015

Psicofarmacologia. Transtornos de Ansiedade. Transtornos de Ansiedade PSICOFARMACOLOGIA 15/05/2015 Psicofarmacologia Prof. Herval de Lacerda Bonfante Departamento de Farmacologia PSICOFARMACOLOGIA Distúrbios Psiquiátricos - Tratamento : 1950 10 a 15% de prescrições - EUA Brasil prevalência de transtornos

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 223/2014 Informações sobre Cymbalta,Donaren, Lamotrigina e Olanzapina no tratamento da depressão

RESPOSTA RÁPIDA 223/2014 Informações sobre Cymbalta,Donaren, Lamotrigina e Olanzapina no tratamento da depressão RESPOSTA RÁPIDA 223/2014 Informações sobre Cymbalta,Donaren, Lamotrigina e Olanzapina no tratamento da depressão SOLICITANTE Dra Herilene de Oliveira Andrade Juíza de Direito Comarca de Itapecerica NÚMERO

Leia mais

Doença de Parkinson Resumo de diretriz NHG M98 (julho 2011)

Doença de Parkinson Resumo de diretriz NHG M98 (julho 2011) Doença de Parkinson Resumo de diretriz NHG M98 (julho 2011) Draijer LW, Eizenga WH, Sluiter A traduzido do original em holandês por Luiz F.G. Comazzetto 2014 autorização para uso e divulgação sem fins

Leia mais

TEMA: Trazodona e Cloridrato de Memantina no tratamento de Demência Vascular com sintomas neuropsiquiátricos SUMÁRIO 1. RESUMO EXECUTIVO...

TEMA: Trazodona e Cloridrato de Memantina no tratamento de Demência Vascular com sintomas neuropsiquiátricos SUMÁRIO 1. RESUMO EXECUTIVO... NT 102/2013 Solicitante: Dr Alyrio Ramos Desembargador da 8ª Câm. Cível - TJMG Data: 21/06/2013 Medicamento X Material Procedimento Cobertura Nº do processo: 1.0433.13.014383-0/001 TEMA: Trazodona e Cloridrato

Leia mais

lamotrigina Comprimido 100mg

lamotrigina Comprimido 100mg lamotrigina Comprimido 100mg MODELO DE BULA COM INFORMAÇÕES AO PACIENTE lamotrigina Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999. APRESENTAÇÕES Comprimido 100mg Embalagens contendo 30 e 60 comprimidos. USO

Leia mais

Ministério da Saúde Consultoria Jurídica/Advocacia Geral da União

Ministério da Saúde Consultoria Jurídica/Advocacia Geral da União Nota Brasília, Técnica maio N de 38 2012. /2012 Princípio Nomes Comerciais1 Ativo: metilfenidato. Sumário e de Referência: Ritalina, Ritalina LA e Concerta 1. 2. que é o metilfenidato? 3. ANVISA? Para

Leia mais

RESPOSTA RÁPID 316/2014 Informações sobre Topiramato e Risperidona na Deficiencia mental e Transtorno hipercinético

RESPOSTA RÁPID 316/2014 Informações sobre Topiramato e Risperidona na Deficiencia mental e Transtorno hipercinético RESPOSTA RÁPID 316/2014 Informações sobre Topiramato e Risperidona na Deficiencia mental e Transtorno hipercinético SOLICITANTE. Dra Sabrina Cunha Peixoto Ladeira Juíza de Direito Juizado Especial de Pirapora

Leia mais

COMPOSIÇÃO: COMPRIMIDOS 200 mg 400 mg Carbamazepina DCB 0187.01-1... 200 mg... 400 mg Excipiente q.s.p... 1 comp... 1 comp.

COMPOSIÇÃO: COMPRIMIDOS 200 mg 400 mg Carbamazepina DCB 0187.01-1... 200 mg... 400 mg Excipiente q.s.p... 1 comp... 1 comp. Tegretard Carbamazepina Comprimidos de 200 mg e 400 mg FORMA FARMACÊUTICA E DE APRESENTAÇÃO: Comprimidos: 200 mg e 400 mg Embalagem com 2 e 20 blisteres com 10 comprimidos COMPOSIÇÃO: COMPRIMIDOS 200 mg

Leia mais

Ministério da Saúde Consultoria Jurídica/Advocacia Geral da União

Ministério da Saúde Consultoria Jurídica/Advocacia Geral da União Nota Brasília, Técnica maio N de 13 2012. /2012 Nomes Princípio Comerciais1 Ativo: Maxapran, citalopram. : Alcytam, Procimax, Celapram, Tensiopax, Cipramil, Zoxipan, Citaforin, Zycitapram. Citagran, Città,

Leia mais

Antipsicóticos e Estabilizadores do Humor

Antipsicóticos e Estabilizadores do Humor Antipsicóticos e Estabilizadores do Humor Dr. Gilda Ângela Neves Rio de Janeiro, 2015. Psicose Estado no qual o indivíduo perde ou distorce seu senso de realidade alucinações ilusões delírios transtornos

Leia mais

Psiquiatria para o clínico Dr. André I. Petroucic Filho 07 maio 2014 Introdução Psiquiatria do dia a dia do clínico Pontos importantes sobre as principais doenças psiquiátricas Depressão, Ansiedade, Doença

Leia mais

Dra. Aline Valente Chaves

Dra. Aline Valente Chaves Material de distribuição exclusiva à classe médica CASOS CLÍNICOS COM O USO DE LAMOTRIGINA E COMBINAÇÃO ESTÁVEL DE VALPROATO DE SÓDIO E ÁCIDO VALPRÓICO NO TRANSTORNO BIPOLAR AVANÇOS CLÍNICOS E TERAPÊUTICOS

Leia mais

CARGO DE MÉDICO COM ESPECIALIDADE EM SAÚDE MENTAL

CARGO DE MÉDICO COM ESPECIALIDADE EM SAÚDE MENTAL Assinale a alternativa correta: Questão 01 A) A presença de interesses estereotipados e de empatia afetiva é característico do transtorno de personalidade esquizóide. B) Raramente o transtorno de personalidade

Leia mais

PRIMID. primidona APSEN

PRIMID. primidona APSEN PRIMID primidona APSEN FORMA FARMACÊUTICA Comprimidos APRESENTAÇÕES Comprimidos de 100 mg: Caixa com 100 comprimidos. Comprimidos de 250 mg: Caixa com 20 comprimidos. USO ORAL USO ADULTO E PEDIÁTRICO ACIMA

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM

UNIVERSIDADE PAULISTA INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM UNIVERSIDADE PAULISTA INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM ANA KARINA FRANZÉ DE OLIVEIRA EDNA CAMPOS BERNARDES LUCIANO BERTOLACCINI MARIA CLAUDIA TAMBELLINI REGINA FERREIRA DO

Leia mais

Resumo Aula 9- Psicofármacos e Transtornos de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) na infância, na adolescência e na idade adulta

Resumo Aula 9- Psicofármacos e Transtornos de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) na infância, na adolescência e na idade adulta Curso - Psicologia Disciplina: Psicofarmacologia Resumo Aula 9- Psicofármacos e Transtornos de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) na infância, na adolescência e na idade adulta Psicofármacos:Transtorno

Leia mais

Rivastigmina (Port.344/98 -C1)

Rivastigmina (Port.344/98 -C1) Rivastigmina (Port.344/98 -C1) Alzheimer DCB: 09456 CAS: 129101-54-8 Fórmula molecular: C 14 H 22 N 2 O 2.C 4 H 6 O 6 Nome químico: (S)-N-Ethyl-3-[(1-dimethylamino)ethyl]-N-methylphenylcarbamate hydrogen

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 159/2014. Doxepina, cetirizina, duloxetina, tramadol, sulfato de glucosamina e condroitina

RESPOSTA RÁPIDA 159/2014. Doxepina, cetirizina, duloxetina, tramadol, sulfato de glucosamina e condroitina RESPOSTA RÁPIDA 159/2014 Doxepina, cetirizina, duloxetina, tramadol, sulfato de glucosamina e condroitina NAPOLEÃO DA SILVA CHAVES SOLICITANTE Juiz de Direito do 3º JESP da Unidade Jurisdicional do Juizado

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 2014 Informações sobre Depressão: Sertralina

RESPOSTA RÁPIDA 2014 Informações sobre Depressão: Sertralina RESPOSTA RÁPIDA 2014 Informações sobre Depressão: Sertralina SOLICITANTE Drª Herilene de Oliveira Andrade Juíza de Direito da Comarca de Itapecerica NÚMERO DO PROCESSO Autos nº 0335.14.579-4 DATA 07/03/2014

Leia mais

O uso de benzodiazepínicos em idosos

O uso de benzodiazepínicos em idosos O uso de benzodiazepínicos em idosos Rafael C Freire Doutor em psiquiatria Laboratório do Pânico e Respiração IPUB UFRJ INCT Translacional em Medicina Declaração de conflito de interesse Emprego Financiamento

Leia mais

Sumário. 1 O início do enigma: o diagnóstico e suas angústias... 13. 2 Transtorno bipolar: a doença da instabilidade... 16

Sumário. 1 O início do enigma: o diagnóstico e suas angústias... 13. 2 Transtorno bipolar: a doença da instabilidade... 16 Sumário Prefácio... 9 1 O início do enigma: o diagnóstico e suas angústias... 13 2 Transtorno bipolar: a doença da instabilidade... 16 As faces do transtorno bipolar... 20 Depressão... 22 Sintomas da depressão...

Leia mais

cloxazolam Eurofarma Laboratórios S.A. Comprimido 1 mg e 2 mg

cloxazolam Eurofarma Laboratórios S.A. Comprimido 1 mg e 2 mg cloxazolam Eurofarma Laboratórios S.A. Comprimido 1 mg e 2 mg cloxazolam Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999 Comprimido FORMAS FARMACÊUTICAS E APRESENTAÇÕES: Embalagens com 20 e 30 comprimidos contendo

Leia mais

Modelo de bula Paciente Bipogine 25mg, 50mg e 100mg. Bipogine lamotrigina. Comprimidos 25 mg, 50 mg & 100 mg

Modelo de bula Paciente Bipogine 25mg, 50mg e 100mg. Bipogine lamotrigina. Comprimidos 25 mg, 50 mg & 100 mg Bipogine lamotrigina Comprimidos 25 mg, 50 mg & 100 mg LEIA ESTA BULA ATENTAMENTE ANTES DE INICIAR O TRATAMENTO. I) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO COMPOSIÇÃO Bipogine lamotrigina FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÕES

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 57/2014 Informações sobre Depressão: Pondera e Amytril

RESPOSTA RÁPIDA 57/2014 Informações sobre Depressão: Pondera e Amytril RESPOSTA RÁPIDA 57/2014 Informações sobre Depressão: Pondera e Amytril SOLICITANTE NÚMERO DO PROCESSO Drª Renata Perdigão, Juiza do MUNICÍPIO DE CRISTAIS/MG Autos nº 112.14.000762-9 DATA 07/02/2014 SOLICITAÇÃO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO RESIDÊNCIA MÉDICA 2013 Áreas de Atuação em Psiquiatria Psiquiatria da Infância e da Adolescência

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO RESIDÊNCIA MÉDICA 2013 Áreas de Atuação em Psiquiatria Psiquiatria da Infância e da Adolescência UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO RESIDÊNCIA MÉDICA 2013 Áreas de Atuação em Psiquiatria Psiquiatria da Infância e da Adolescência Gabarito da Prova realizada em 2/nov/2012 QUESTÃO 1 - Transtorno depressivo

Leia mais

O USO DO LÍTIO NO TRANSTORNO BIPOLAR DO HUMOR. Programa de prevenção de recaídas do transtorno bipolar do humor

O USO DO LÍTIO NO TRANSTORNO BIPOLAR DO HUMOR. Programa de prevenção de recaídas do transtorno bipolar do humor O USO DO LÍTIO NO TRANSTORNO BIPOLAR DO HUMOR Programa de prevenção de recaídas do transtorno bipolar do humor Autores: Ricardo A. Moreno Ana Taveira Frederico Navas Demetrio Colaboradores: Doris Hupfeld

Leia mais

LUCIENE ALVES MOREIRA MARQUES

LUCIENE ALVES MOREIRA MARQUES 22 a 25 de maio de 2013 Sobre o Docente LUCIENE ALVES MOREIRA MARQUES Possui graduação em Farmácia pela Universidade Federal de Alfenas (1996) e mestrado em Farmacologia pela Universidade Estadual de Campinas

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 325/2014 Síndrome de La Tourette

RESPOSTA RÁPIDA 325/2014 Síndrome de La Tourette RESPOSTA RÁPIDA 325/2014 Síndrome de La Tourette SOLICITANTE Drª Herilene de Oliveira Andrade Juíza de Direito Comarca de Itapecerica NÚMERO DO PROCESSO 0335.14.1280-8 DATA 18/06/2014 SOLICITAÇÃO Solicito

Leia mais

Farmacologia clínica do Sistema Nervoso central: Antipsicóticos e Lítio

Farmacologia clínica do Sistema Nervoso central: Antipsicóticos e Lítio Farmacologia clínica do Sistema Nervoso central: Antipsicóticos e Lítio Prof. Dr. Gildomar Lima Valasques Junior Farmacêutico Clínico-Industrial Doutor em Biotecnologia Jequié 2015 Antipsicótico ou neuroléptico

Leia mais

INTERCONSULTA PSIQUIÁTRICA

INTERCONSULTA PSIQUIÁTRICA INTERCONSULTA PSIQUIÁTRICA DR. EUCLIDES GOMES DIRETOR TÉCNICO DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM PSIQUIATRIA DO CENTRO DE ESTUDOS CYRO MARTINS CONCEITO SUBESPECIALIDADE DA PSIQUIATRIA QUE SE OCUPA DA ASSISTÊNCIA-ENSINO-

Leia mais

APRESENTAÇÕES Solução e pó para preparação de uso oral. Embalagem com 10 e 20 frascos de 10 ml para preparação antes do uso.

APRESENTAÇÕES Solução e pó para preparação de uso oral. Embalagem com 10 e 20 frascos de 10 ml para preparação antes do uso. IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Forten poliaminoácidos APRESENTAÇÕES Solução e pó para preparação de uso oral. Embalagem com 10 e 20 frascos de 10 ml para preparação antes do uso. USO ORAL USO ADULTO E PEDIÁTRICO

Leia mais

PSICOFARMACOLOGIA ANTIDEPRESSIVOS ANTIPSICÓTICOS ESTABILIZADORES DO HUMOR ANSIOLÍTICOS

PSICOFARMACOLOGIA ANTIDEPRESSIVOS ANTIPSICÓTICOS ESTABILIZADORES DO HUMOR ANSIOLÍTICOS PSICOFARMACOLOGIA ANTIDEPRESSIVOS ANTIPSICÓTICOS ESTABILIZADORES DO HUMOR ANSIOLÍTICOS BLOQUEIO DO SISTEMA COLINÉRGICO PSICOFARMACOLOGIA INIBIDORES DA RECAPTAÇÃO DE NA, DA & 5HT ANTIDEPRESSIVOS TRICÍCLICOS

Leia mais

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde CONSULTA PÚBLICA N 24, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2014 O Secretário de Atenção À Saúde torna pública, nos termos do art. 34, inciso II, c/c art. 59 do Decreto nº 4.176, de 28 de março de 2002, minuta de Portaria

Leia mais

Depressão diagnóstico e tratamento. Autor: Dr Adriano Simões Coelho Adaptação: Dr Alexandre de Araújo Pereira

Depressão diagnóstico e tratamento. Autor: Dr Adriano Simões Coelho Adaptação: Dr Alexandre de Araújo Pereira Depressão diagnóstico e tratamento Autor: Dr Adriano Simões Coelho Adaptação: Dr Alexandre de Araújo Pereira Depressão maior 1 Sintomas principais: - Humor deprimido + Anedonia + Fadiga ou perda de energia;

Leia mais

Fle. ibilidade 1-3. apidez 1-3. ntrole 1-3. No tratamento da depressão, novas possibilidades. 1,2

Fle. ibilidade 1-3. apidez 1-3. ntrole 1-3. No tratamento da depressão, novas possibilidades. 1,2 Fle ibilidade -3 apidez -3 C ntrole -3 No tratamento da depressão, novas possibilidades.,2 Rapidez -3 Depressão Unipolar No tratamento da Depressão unipolar: O tratamento apenas com antidepressivos não

Leia mais

TEMA: Quetiapina e citalopram para tratamento misto ansioso e depressivo

TEMA: Quetiapina e citalopram para tratamento misto ansioso e depressivo NTRR 41/2013 Solicitante: Juiza Dra.Sabrina da Cunha Peixoto Ladeira Número do processo: 051213001877-7 Réu: Estado de Minas e Município de Pirapora Data: 11/04/2013 Medicamento X Material Procedimento

Leia mais

Terapêutica Medicamentosa na Saúde Mental RESUMO

Terapêutica Medicamentosa na Saúde Mental RESUMO CPFT-MT Terapêutica Medicamentosa na Saúde Mental Parecer técnico N 12 Maio 2015 RESUMO A via judicial e a Portaria n 172/2010/GBSES têm impelido a Secretaria de Saúde do Estado de Mato Grosso a fornecer

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 330/2014. Beum (tiamina), Tegretol (carbamazepina), Prebictal (pregabalina)

RESPOSTA RÁPIDA 330/2014. Beum (tiamina), Tegretol (carbamazepina), Prebictal (pregabalina) 22/06/2014 RESPOSTA RÁPIDA 330/2014 Beum (tiamina), Tegretol (carbamazepina), Prebictal (pregabalina) SOLICITANTE :Dra. Herilene de Oliveira Andrade Juíza de Direito de Itapecerica - MG NÚMERO DO PROCESSO:

Leia mais

A seguir enumeramos algumas caracteristicas do TBH:

A seguir enumeramos algumas caracteristicas do TBH: OQUEÉOTRANSTORNOBIPOLARDO HUMOR(TBH)? O transtorno bipolar do humor (também conhecido como psicose ou doença maníaco-depressiva) é uma doença psiquiátrica caracterizada por oscilações ou mudanças de humor

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE CONSULTA PÚBLICA N 24, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2014

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE CONSULTA PÚBLICA N 24, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2014 MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE CONSULTA PÚBLICA N 24, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2014 O Secretário de Atenção À Saúde torna pública, nos termos do art. 34, inciso II, c/c art. 59 do Decreto

Leia mais

FLUOX Fluxetina 20mg PARA EVITAR USO IMPRÓPRIO DO MEDICAMENTO, LEIA ESTA BULA COM ATENÇÃO

FLUOX Fluxetina 20mg PARA EVITAR USO IMPRÓPRIO DO MEDICAMENTO, LEIA ESTA BULA COM ATENÇÃO FLUOX Fluxetina 20mg PARA EVITAR USO IMPRÓPRIO DO MEDICAMENTO, LEIA ESTA BULA COM ATENÇÃO Uso adulto Uso oral Apresentação: Caixa com 28 comprimidos sulcados Composição: Cada comprimido de FLUOX contém:

Leia mais

Nausedron (cloridrato de ondansetrona)

Nausedron (cloridrato de ondansetrona) Nausedron (cloridrato de ondansetrona) Cristália Produtos Químicos Farmacêuticos Ltda. Comprimidos Revestidos 8 mg Modelo de Bula para Paciente I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Nausedron cloridrato de

Leia mais

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde PORTARIA nº 315, DE 30 DE MARÇO DE 2016. Aprova o Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas do Transtorno Afetivo Bipolar do tipo I. O SECRETÁRIO DE ATENÇÃO À SAÚDE, no uso de suas atribuições, Considerando

Leia mais

Fonte: Jornal Carreira & Sucesso - 151ª Edição

Fonte: Jornal Carreira & Sucesso - 151ª Edição IDENTIFICANDO A DEPRESSÃO Querida Internauta, Lendo o que você nos escreveu, mesmo não sendo uma profissional da área de saúde, é possível identificar alguns sintomas de uma doença silenciosa - a Depressão.

Leia mais

Sensações intensas de melancolia, desesperança, desespero; Incapacidade de sentir prazer em atividades usuais;

Sensações intensas de melancolia, desesperança, desespero; Incapacidade de sentir prazer em atividades usuais; Curso - Psicologia Disciplina: Psicofarmacologia Resumo Aula 4- Depressão Maior e Distimia Sintomas da Depressão Sensações intensas de melancolia, desesperança, desespero; Incapacidade de sentir prazer

Leia mais

O uso de psicofármacos no tratamento dos transtornos mentais, a partir. dos anos 50, mudou radicalmente a falta de perspectivas

O uso de psicofármacos no tratamento dos transtornos mentais, a partir. dos anos 50, mudou radicalmente a falta de perspectivas PSICOFÁRMACOS NOS TRANSTORNOS MENTAIS Aristides Volpato Cordioli 1 INTRODUÇÃO O uso de psicofármacos no tratamento dos transtornos mentais, a partir dos anos 50, mudou radicalmente a falta de perspectivas

Leia mais

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR. Esmeron 10 mg/ml solução injetável Brometo de rocurónio

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR. Esmeron 10 mg/ml solução injetável Brometo de rocurónio FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR Esmeron 10 mg/ml solução injetável Brometo de rocurónio Leia atentamente este folheto antes de utilizar este medicamento. Conserve este folheto. Pode ter

Leia mais

NÃO TOME MEDICAMENTO SEM O CONHECIMENTO DE SEU MÉDICO. PODE SER PERIGOSO PARA A SAÚDE.

NÃO TOME MEDICAMENTO SEM O CONHECIMENTO DE SEU MÉDICO. PODE SER PERIGOSO PARA A SAÚDE. Aurorix moclobemida Roche Antidepressivo IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Nome do produto: Aurorix Nome genérico: moclobemida Forma(s) farmacêutica(s), via(s) de administração e apresentação(ões) Comprimidos

Leia mais

Estados mistos e quadros de ciclagem rápida no transtorno bipolar Mixed States and Rapid Cycling in Bipolar Disorder

Estados mistos e quadros de ciclagem rápida no transtorno bipolar Mixed States and Rapid Cycling in Bipolar Disorder Artigo Original Estados mistos e quadros de ciclagem rápida no transtorno bipolar Mixed States and Rapid Cycling in Bipolar Disorder DORIS HUPFELD MORENO 1 RICARDO ALBERTO MORENO 2 Resumo Estados mistos

Leia mais

predisposição a diabetes, pois Ablok Plus pode mascarar os sinais e sintomas da hipoglicemia ou causar um aumento na concentração da glicose

predisposição a diabetes, pois Ablok Plus pode mascarar os sinais e sintomas da hipoglicemia ou causar um aumento na concentração da glicose ABLOK PLUS Ablok Plus Atenolol Clortalidona Indicações - ABLOK PLUS No tratamento da hipertensão arterial. A combinação de baixas doses eficazes de um betabloqueador e umdiurético nos comprimidos de 50

Leia mais

Nome Dosagem Forma farmacêutica Via de administração. de Introdução no Mercado. Via oral. 300 mg Comprimido de libertação prolongada

Nome Dosagem Forma farmacêutica Via de administração. de Introdução no Mercado. Via oral. 300 mg Comprimido de libertação prolongada ANEXO I LISTA DAS DENOMINAÇÕES FORMAS FARMACÊUTICAS, DOSAGENS, VIA DE ADMINISTRAÇÃO DOS MEDICAMENTOS, DOS TITULARES DAS AUTORIZAÇÕES DE INTRODUÇÃO NO MERCADO NOS ESTADOS-MEMBROS 1 Estado-Membro Républica

Leia mais

Ansiedade Resumo de diretriz NHG M62 (fevereiro 2012)

Ansiedade Resumo de diretriz NHG M62 (fevereiro 2012) Ansiedade Resumo de diretriz NHG M62 (fevereiro 2012) Lieke Hassink-Franke, Berend Terluin, Florien van Heest, Jan Hekman, Harm van Marwijk, Mariëlle van Avendonk traduzido do original em holandês por

Leia mais

BULA DE NALDECON PACK - Comprimidos

BULA DE NALDECON PACK - Comprimidos BULA DE NALDECON PACK - Comprimidos NALDECON PACK paracetamol, cloridrato de fenilefrina, maleato de carbinoxamina NALDECON PACK é composto por NALDECON Dia (paracetamol e cloridrato de fenilefrina- Sem

Leia mais

Tratamento Farmacológico. das Dependências

Tratamento Farmacológico. das Dependências Tratamento Farmacológico das Dependências Clique para editar o estilo do subtítulo mestre CURSO DE CAPACITAÇÃO AO TRATAMENTO DE USUÁRIOS DE SUBSTÂNCIAS PSICOATIVAS 2006 CID 10 Substâncias Psicoativas F10

Leia mais

BULA PARA O PACIENTE BUSPAR (cloridrato de buspirona) 5mg/10mg COMPRIMIDOS

BULA PARA O PACIENTE BUSPAR (cloridrato de buspirona) 5mg/10mg COMPRIMIDOS BULA PARA O PACIENTE BUSPAR (cloridrato de buspirona) 5mg/10mg COMPRIMIDOS BRISTOL-MYERS SQUIBB BUSPAR cloridrato de buspirona Uso oral APRESENTAÇÃO BUSPAR 5 mg é apresentado em cartuchos com 2 blisters

Leia mais

Prevenção do Suicídio

Prevenção do Suicídio Prevenção do Suicídio Manual dirigido a profissionais das equipes de saúde mental Ministério da Saúde Brasil Estratégia Nacional de Prevenção do Suicídio Organização Pan-Americana da Saúde Universidade

Leia mais

TEMA: QUETIAPINA NO TRATAMENTO DA AGITAÇÃO PSICOMOTORA DE PACEINTE PORTADOR DE DOENÇA DE ALZHEIMER

TEMA: QUETIAPINA NO TRATAMENTO DA AGITAÇÃO PSICOMOTORA DE PACEINTE PORTADOR DE DOENÇA DE ALZHEIMER NTRR63/2013 Solicitante: Des. Alyrio Ramos Desembargador da 8ª Câm. Cível - TJMG Número do processo:1.0145.12.066387-0/001 Réu: Estado de Minas e Município de Pirapora Data: 03/05/2013 Medicamento X Material

Leia mais

Anexo I. Conclusões científicas e fundamentos para a alteração dos termos das Autorizações de Introdução no Mercado

Anexo I. Conclusões científicas e fundamentos para a alteração dos termos das Autorizações de Introdução no Mercado Anexo I Conclusões científicas e fundamentos para a alteração dos termos das Autorizações de Introdução no Mercado Conclusões científicas Tendo em conta o relatório de avaliação do PRAC sobre os RPS para

Leia mais

ROTEIRO DA PALESTRA DO Dr. Wanderley Guedes

ROTEIRO DA PALESTRA DO Dr. Wanderley Guedes ROTEIRO DA PALESTRA DO Dr. Wanderley Guedes Saúde mental 1. Histórico 2. A psiquiatria no passado 3. A psiquiatria hoje DOENÇAS PSIQUIÁTRICAS NEUROSES: Doenças que afetam a personalidade de forma superficial,

Leia mais

Pós operatório em Transplantes

Pós operatório em Transplantes Pós operatório em Transplantes Resumo Histórico Inicio dos programas de transplante Dec. 60 Retorno dos programas Déc 80 Receptor: Rapaz de 18 anos Doador: criança de 9 meses * Não se tem informações

Leia mais

Cloridrato de Ondansetrona

Cloridrato de Ondansetrona BULA DO PACIENTE Cloridrato de Ondansetrona HALEX ISTAR SOLUÇÃO INJETÁVEL 2mg/mL 2mL 2mg/mL 4mL cloridrato de ondansetrona Medicamento genérico - Lei nº 9.787 de 1.999 APRESENTAÇÕES Solução injetável -

Leia mais

Emergências Psiquiátricas no Primeiro Episódio Psicótico

Emergências Psiquiátricas no Primeiro Episódio Psicótico Emergências Psiquiátricas no Primeiro Episódio Psicótico Quirino Cordeiro Professor Adjunto e Chefe do Departamento de Psiquiatria da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo Professor

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE CONSULTA PÚBLICA N 24, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2014

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE CONSULTA PÚBLICA N 24, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2014 MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE CONSULTA PÚBLICA N 24, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2014 O Secretário de Atenção À Saúde torna pública, nos termos do art. 34, inciso II, c/c art. 59 do Decreto

Leia mais

Consultoria Jurídica/Advocacia Ministério da Saúde Geral da União

Consultoria Jurídica/Advocacia Ministério da Saúde Geral da União Nota Brasília, Técnica Dezembro N 65 de /2012 2011. Princípio Nomes Ativo: Comerciais1: bromazepam Neurilan, Bromalex, Uni Bromazepam. Bromazepax, Lexotan, LFM-Bromazepam, Bromopirin, Bromazepam, Somalium,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO RESIDÊNCIA MÉDICA 2013 Áreas de Atuação em Psiquiatria Psicogeriatria. Gabarito da Prova realizada em 2/nov/2012

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO RESIDÊNCIA MÉDICA 2013 Áreas de Atuação em Psiquiatria Psicogeriatria. Gabarito da Prova realizada em 2/nov/2012 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO RESIDÊNCIA MÉDICA 2013 Áreas de Atuação em Psiquiatria Psicogeriatria Gabarito da Prova realizada em 2/nov/2012 QUESTÃO 1 Os diagnósticos mais prováveis são demência de

Leia mais

bromazepam Comprimido 3mg e 6mg

bromazepam Comprimido 3mg e 6mg bromazepam Comprimido 3mg e 6mg MODELO DE BULA COM INFORMAÇÕES AO PACIENTE bromazepam Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999. APRESENTAÇÕES Comprimido 3mg Embalagens contendo 20, 30 e 100 comprimidos.

Leia mais

HUMALOG KWIKPEN insulina lispro (derivada de ADN* recombinante)

HUMALOG KWIKPEN insulina lispro (derivada de ADN* recombinante) 1 CDS12JUL06 HUMALOG KWIKPEN insulina lispro (derivada de ADN* recombinante) FORMAS FARMACÊUTICAS, APRESENTAÇÕES E COMPOSIÇÃO HUMALOG KWIKPEN é uma solução aquosa clara, incolor, para administração subcutânea

Leia mais

MODELO DE BULA PARA O PACIENTE I) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Nº 6214/6215 DEPAKOTE divalproato de sódio

MODELO DE BULA PARA O PACIENTE I) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Nº 6214/6215 DEPAKOTE divalproato de sódio MODELO DE BULA PARA O PACIENTE I) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Nº 6214/6215 DEPAKOTE divalproato de sódio APRESENTAÇÕES Comprimido revestido de: 250 mg: embalagem com 30 comprimidos revestidos. 500 mg:

Leia mais

José Roberto Mergel Manechini Médico Psiquiatra

José Roberto Mergel Manechini Médico Psiquiatra José Roberto Mergel Manechini Médico Psiquiatra Igarapava-SP, 04 de junho de 2014 PSIQUIATRIA PARA O CLÍNICO (Psiquiatria para o Não-Psiquiatra) José Roberto Mergel Manechini Médico Psiquiatra CRM SP 121.738

Leia mais

Irritabilidade na Infância e Adolescência

Irritabilidade na Infância e Adolescência Irritabilidade na Infância e Adolescência Dra Gledis Lisiane Motta Psiquiatra da Infância e Adolescência Precetora do PRM em Psiquiatria do HMIPV IRRITABILIDADE IRRITABILIDADE IRRITABILIDADE IRRITABILIDADE

Leia mais