José Carlos Roseiro. Medir para a segurança

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "José Carlos Roseiro. Medir para a segurança"

Transcrição

1 José Carlos Roseiro Medir para a segurança

2 "Metrology for Safety" - a wide-ranging topic but one which concerns everyone in a multitude of situations 2012 World Metrology Day web site

3 Segurança, percepção do público Segurança alimentar, Protecção ambiental, Prevenção das condições de trabalho, Segurança rodoviária, Cuidados de saúde.

4 Eficiência das políticas de segurança Politica de segurança Níveis de tolerância para substâncias tóxicas em alimentos; Especificação de materiais para o fabrico de tubagens para água de consumo; Limite da quantidade de radiação electromagnética emitida por electrodomésticos; Limite das emissões gasosas em veiculos motorizados. Sistema de medição Rastreabilidade metrológica (SI) Instrumentos de medição (calibração) Sistemas da Qualidade (acreditação, certificação, normalização)

5 Direcção-Geral do Consumidor / Comissão de Segurança de Serviços e Bens de Consumo Responsabilidade institucional de informar a população de riscos existentes na vida diária.

6 A segurança envolve a sociedade

7 12 kn é a força máxima absorvida por uma corpo humano sem causar danos Capacete Union Internationale des Associations d Alpinisme (UIAA) Arnês EN 12270:1998 "Mountaineering equipment. Chocks. Safety requirements and test methods." Corda EN 892:1997 "Mountaineering equipment. Dynamic Mountaineering ropes. Safety requirements and test methods"

8 Segurança exige organização Identificação da origem de acidentes Substâncias tóxicas Equipamento eléctrico Radioisótopos Gases comprimidos Agentes biológicos Avaliação dos riscos Atitude individual Legislação Normalização Organização do local de trabalho

9 Segurança exige equilíbrios Risco Funcionalidade

10 Informação de navegação Lockheed Martin (Denver) pound-seconds (lbf s) Mars Climate Orbiter 1999 NASAs Jet Propulsion Laboratory (Pasadena) Todos os parceiros usam as mesmas unidades? Transmissão de dados errados newton-seconds (N s) Desintegração Perda de 125 M$ Altitude errada e entrada na atmosfera de Marte

11 Medição para o progresso da ciência e tecnologia There is no doubt that metrology and science are interlinked and that the ability to make a better measurement opens up new opportunities. One only has to think of the invention of the laser: a dramatic advance in physics, but an equally dramatic innovation in metrology, so that it was possible to make accurate interferometric distance measurements of up to several kilometres, as well as giving us the ability, eventually, to redefine the metre. Prof. Andrew J. Wallard ex Director BIPM

12 Metrologia na sociedade moderna Sistema metrológicos nacionais compativeis e harmonizados Competitividade Qualidade Metrologia Inovação Confiança e reconhecimento mútuo

13 European Metrology Research Programme (EMRP) Cuidados de saúde Inovação Fortalecer a indústria Proteção do ambiente Suporte a politicas públicas Fortalecer a ciência Criar riqueza e bem-estar

14 SRT-h09 - Metrology for next-generation safety standards and equipment in Magnetic Resonance Imaging compliance with the EN/IEC standard governing patient safety

15 Qualidade do ar interior em escolas do 1º ciclo Laboratório de Combustíveis e Ambiente - LNEG A qualidade do ar interior nas escolas influencia a saúde e o desempenho educacional das crianças. A composição química do material particulado permite estabelecer a qualidade do ar respirável

16 Qualidade do ar interior em escolas do 1º ciclo As avaliações, conclusões e decisões dependem das qualidade metrológica dos resultados (rastreabilidade metrológica e incerteza da medição) Avaliação da adequalidade da fracção mássica de aniões e catiões na matéria particulada através do cumprimento de uma incerteza alvo para o balanço iónico Filtraçãodo aremfiltrosmillipore policarbonato(47 mm) em 14 escolas do 1º ciclo na cidade de Lisboa. A massa do particulado foi pesado em condições controladas camara de classe 100 localizada numa sala classe A massa foi sujeita a extracção e os sais solúveis em água foram analisados por cromatografia iónica e absorção atómica.

17 Qualidade do ar interior em escolas do 1º ciclo Mensuranda w I - fracção mássica de cada ião na matéria partículada (mg kg -1 ) V F = γ m I dil w I f extração Incerteza da Medição (Modelo das componentes individuais) ( γ ) u( F ) u( V ) u( m) c u I dil u w = w I I u I F γ dil V m 2 ( f ) 2 ext γ I - the concentração do ião na solução extratante (mg L -1 ); V volume da solução extratante (L) (neste trabalho= L); F dil fator de diluição; m massa do particulado (kg); f extration fator de extração

18 Relatório de validação Precisão Veracidade Exatidão Rastreabilidade metrológica CRM NIST 1643e SPS NUTR- WW2 Batch 107 Ion w CRM ±U CRM (mg L -1 ) RSD R m U rel Ca 32.3 ± K ± Mg ± Na ± Cl 50.0 ± NO ± PO ± SO ± Boa precisão do procedimeto analítico (recuperação) 1.00±0.10

19 Balanço iónico u ( RD) 2 2 A 2 u Diferença relativa (RD)= 2 C ( C + A) 2 = ( ) ( ) C u A C + A ( ) 2 catiões catiões+ aniões aniões Diferença relativa alvo RD <0.05 Método validado! Cumprimento do fim a que se destinam os resultados!

20 Obrigado pela atenção

21

Metrologia Química Importância, Escopo, Desafios, Impactos e Atividades no Inmetro

Metrologia Química Importância, Escopo, Desafios, Impactos e Atividades no Inmetro Metrologia Química Importância, Escopo, Desafios, Impactos e Atividades no Inmetro Dra. Vanderléa de Souza Chefe da Divisão de Metrologia Química Objetivo principal da Metrologia Química Prover confiança

Leia mais

METROLOGIA Infraestrutura para a competitividade nacional e do bem-estar dos cidadãos

METROLOGIA Infraestrutura para a competitividade nacional e do bem-estar dos cidadãos METROLOGIA Infraestrutura para a competitividade nacional e do bem-estar dos cidadãos Eduarda Filipe Directora do Departamento de Metrologia do IPQ Caparica, 30 de outubro de 2014 Sumário 1. Introdução

Leia mais

Metrologia na ciência e desenvolvimento

Metrologia na ciência e desenvolvimento Metrologia na ciência e desenvolvimento Carlos Oliveira CTN IST 1 Sumário - Metrologia, sua evolução - Temas actuais da metrologia - Projectos europeus em curso - Participação portuguesa na área da radiações

Leia mais

A Specanalítica organiza e desenvolve conteúdos programáticos ajustados às necessidades dos laboratórios e empresas, em áreas tão vastas como:

A Specanalítica organiza e desenvolve conteúdos programáticos ajustados às necessidades dos laboratórios e empresas, em áreas tão vastas como: PLANO DE FORMAÇÃO 2014 A Specanalítica, Equipamentos Científicos, Lda ter por objectivo oferecer condições que favoreçam a transmissão, o desenvolvimento e a aplicação de conhecimentos científicos e técnicos

Leia mais

SISTEMA DE CERTIFICADOS OIML PARA INSTRUMENTOS DE MEDIÇÃO

SISTEMA DE CERTIFICADOS OIML PARA INSTRUMENTOS DE MEDIÇÃO SISTEMA DE CERTIFICADOS OIML PARA INSTRUMENTOS DE MEDIÇÃO SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO José Blois Filho Maurício Martinelli Réche 2. CATEGORIAS DE INSTRUMENTOS DE MEDIÇÃO PERTECENTES AO SISTEMA 3. OBJETIVO DO

Leia mais

ANO LETIVO 2013/2014 PROVAS DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PARA CANDIDATOS MAIORES DE 23 ANOS EXAME DE QUÍMICA CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS

ANO LETIVO 2013/2014 PROVAS DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PARA CANDIDATOS MAIORES DE 23 ANOS EXAME DE QUÍMICA CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ANO LETIVO 2013/2014 PROVAS DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PARA CANDIDATOS MAIORES DE 23 ANOS EXAME DE QUÍMICA CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS 1. MATERIAIS: DIVERSIDADE E CONSTITUIÇÃO 1.1 Materiais 1.1.1 Materiais

Leia mais

Procedimentos de Gestão da Qualidade. NOME FUNÇÃO ASSINATURA DATA ELABORADO POR Dr. Ivo Fernandes Gerente da Qualidade 01/09/2010 DE ACORDO

Procedimentos de Gestão da Qualidade. NOME FUNÇÃO ASSINATURA DATA ELABORADO POR Dr. Ivo Fernandes Gerente da Qualidade 01/09/2010 DE ACORDO Versão: 2 Pág: 1/6 NOME FUNÇÃO ASSINATURA DATA ELABORADO POR Dr. Ivo Fernandes Gerente da Qualidade 01/09/2010 DE ACORDO Dr. Renato de Lacerda Diretor Técnico 02/09/2010 APROVADO POR Dr. Jose Carlos dos

Leia mais

O iluminamento ideal é de 1000 lux (lumens por metro quadrado).

O iluminamento ideal é de 1000 lux (lumens por metro quadrado). DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE MECÂNICA APOSTILA DE METROLOGIA CONDIÇÕES AMBIENTAIS SISTEMAS METROLÓGICOS PADRÕES Cid Vicentini Silveira 2005 1 CONDIÇÕES AMBIENTAIS 1.1 Objetivos deste capítulo Analisar a influência

Leia mais

Metrologia. Metrologia

Metrologia. Metrologia Metrologia Sumário da Aula JN3 1 1ª Parte: Categorias da Metrologia Metrologia Industrial e Científica Metrologia Legal Rastreabilidade e calibração 2ª Parte: Unidades Metrológicas Conceitos Básicos e

Leia mais

Acreditação Panorama Brasil

Acreditação Panorama Brasil Acreditação Panorama Brasil 28 de novembro de 2013 Victor Pavlov Miranda Gestor de Acreditação Divisão de Acreditação de Laboratórios - Coordenação Geral de Acreditação INMETRO INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA,

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA METROLOGIA NO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE

A IMPORTÂNCIA DA METROLOGIA NO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE A IMPORTÂNCIA DA METROLOGIA NO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ESTE MATERIAL É EXCLUSIVO PARA USO EM TREINAMENTOS / CURSOS DA ESTATICA. CÓPIAS SOMENTE COM AUTORIZAÇÃO DO AUTOR. METROLOGIA Ciência da medição

Leia mais

CREDENCIAMENTO DE LABORATÓRIOS

CREDENCIAMENTO DE LABORATÓRIOS 1 OBJETIVO Estabelecer as responsabilidades, os procedimentos e os critérios técnicos para o credenciamento de laboratórios. 2 CAMPO DE APLICAÇÃO Esta Norma é aplicada aos laboratórios públicos ou privados

Leia mais

Rastreabilidade metrológica: pontos relevantes para avaliação dos avaliadores

Rastreabilidade metrológica: pontos relevantes para avaliação dos avaliadores Rastreabilidade metrológica: pontos relevantes para avaliação dos avaliadores Vanderléa de Souza Diretoria de Metrologia Científica e Industrial Dimci/Inmetro 17/10/11 Conteúdo Conceitos de Medição Estrutura

Leia mais

Curso Calibração, Ajuste, Verificação e Certificação de Instrumentos de Medição

Curso Calibração, Ajuste, Verificação e Certificação de Instrumentos de Medição Curso Calibração, Ajuste, Verificação e Certificação de Instrumentos de Medição Instrutor Gilberto Carlos Fidélis Eng. Mecânico com Especialização em Metrologia pelo NIST - Estados Unidos e NAMAS/UKAS

Leia mais

Analisadores de Tamanho e Forma das Partículas

Analisadores de Tamanho e Forma das Partículas Experiência - Inovação - Soluções Experiência - Inovação - Soluções Analisadores de Tamanho e Forma das Partículas Fabricação Desenvolvimento e Pesquisa Controle de Qualidade Laboratório Seu sócio nas

Leia mais

PAINEL SETORIAL INMETRO/ANVISA/BNDES FÁRMACOS E MEDICAMENTOS: ASPECTOS METROLÓGICOS

PAINEL SETORIAL INMETRO/ANVISA/BNDES FÁRMACOS E MEDICAMENTOS: ASPECTOS METROLÓGICOS PAINEL SETORIAL INMETRO/ANVISA/BNDES FÁRMACOS E MEDICAMENTOS: ASPECTOS METROLÓGICOS Lauro D. Moretto 23 de agosto de 2004 2 INMETRO Situação atual As atividades estabelecidas e exercidas As necessidades

Leia mais

METROLOGIA / CONCEITOS BÁSICOS

METROLOGIA / CONCEITOS BÁSICOS METROLOGIA / CONCEITOS BÁSICOS ALGUNS CONCEITOS BÁSICOS DE METROLOGIA Nota prévia A selecção de alguns dos conceitos básicos de Metrologia foi orientada no sentido de esclarecer alguns dos conceitos metrológicos

Leia mais

ACREDITAÇÃO FLEXÍVEL - REQUISITOS E

ACREDITAÇÃO FLEXÍVEL - REQUISITOS E ACREDITAÇÃO FLEXÍVEL - REQUISITOS E MAIS VALIAS Lisboa, 21 de Maio de 2013 Experiência do Laboratório de Ensaios APEB Acreditação Flexível Intermédia João André jandre@apeb.pt 1 Outubro 2012 Entrega da

Leia mais

Título de Emissão de Gases com Efeito de Estufa

Título de Emissão de Gases com Efeito de Estufa Título de Emissão de Gases com Efeito de Estufa TE GEE.197.05 II Nos termos do Decreto-Lei n.º 233/2004, de 14 de Dezembro, com as alterações introduzidas pelos Decretos-Lei n.º 243-A/2004, de 31 de Dezembro,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE. Mônica Macedo de Jesus & Sidnei Cerqueira dos Santos RESÍDUOS & REJEITOS

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE. Mônica Macedo de Jesus & Sidnei Cerqueira dos Santos RESÍDUOS & REJEITOS UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE Mônica Macedo de Jesus & Sidnei Cerqueira dos Santos RESÍDUOS & REJEITOS Profa. Songeli Menezes Freire Salvador 2009 RESÍDUO Qualquer material,

Leia mais

COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL EM ENSAIOS MECÂNICOS: ÁREA DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS, PRESSOSTATO

COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL EM ENSAIOS MECÂNICOS: ÁREA DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS, PRESSOSTATO COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL EM ENSAIOS MECÂNICOS: ÁREA DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS, PRESSOSTATO Programa PEP REDE 1401 Rodada 021/2015 (Instruções aos Participantes, atualizado em 25/08/2015) F.PEP-4.6-003,

Leia mais

METROLOGIA SENAI / SP

METROLOGIA SENAI / SP METROLOGIA SENAI / SP Rede de Laboratórios de Serviços Senai / SP Eduardo Ferreira Garcia GIT Metrologia Definição : Metrologia : Ciência da medição e suas aplicações Nota : A metrologia engloba todos

Leia mais

Avaliação do Ciclo de Vida do Produto - ACV -

Avaliação do Ciclo de Vida do Produto - ACV - 1er. Taller Internacional de Gestión de Cadenas Productivas y de Suministros 1ra. Convención Internacional lde la Ciencia i y la Técnica de la Industria, CUBAINDUSTRIAS 2014 Avaliação do Ciclo de Vida

Leia mais

SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO E OBJETIVO... 3 2 COORDENAÇÃO DO PROGRAMA E POLÍTICA DE CONFIDENCIALIDADE... 4 3 ITEM DA COMPARAÇÃO, PARÂMETROS E RESULTADOS...

SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO E OBJETIVO... 3 2 COORDENAÇÃO DO PROGRAMA E POLÍTICA DE CONFIDENCIALIDADE... 4 3 ITEM DA COMPARAÇÃO, PARÂMETROS E RESULTADOS... COMPARAÇÃO ENTRE ORGANISMOS EM INSPEÇÃO: ENSAIOS NÃO DESTRUTIVOS, MEDIÇÕES DE ESPESSURA POR ULTRASSOM Programa PEP REDE 1406 Rodada 012/2015 (Instruções aos Participantes, atualizado em 30/03/2015) SUMÁRIO

Leia mais

ENSAIOS E MEDIÇÕES UMA CONTRIBUIÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE DAS EXPORTAÇÕES DO SECTOR METALOMECÂNICO

ENSAIOS E MEDIÇÕES UMA CONTRIBUIÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE DAS EXPORTAÇÕES DO SECTOR METALOMECÂNICO ENSAIOS E MEDIÇÕES UMA CONTRIBUIÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE DAS EXPORTAÇÕES DO SECTOR METALOMECÂNICO Ordem dos Engenheiros Junho de 2015 Pedro Castro 1 Índice 1. Apresentação 2. A nossa missão 3. Dados

Leia mais

Universidade Federal do Rio Grande Escola de Química e Alimentos Engenharia de Alimentos Análise Sensorial e Controle de Qualidade

Universidade Federal do Rio Grande Escola de Química e Alimentos Engenharia de Alimentos Análise Sensorial e Controle de Qualidade Universidade Federal do Rio Grande Escola de Química e Alimentos Engenharia de Alimentos Análise Sensorial e Controle de Qualidade Prof. Dra. Janaína Fernandes Medeiros Burkert Controle de Qualidade Histórico

Leia mais

PROTOCOLO DO 5º PROGRAMA DE ENSAIOS DE PROFICIÊNCIA COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL DE MASSA

PROTOCOLO DO 5º PROGRAMA DE ENSAIOS DE PROFICIÊNCIA COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL DE MASSA PROTOCOLO DO 5º PROGRAMA DE ENSAIOS DE PROFICIÊNCIA COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL DE MASSA Revisão 01-15 de abril de 2013 Fol. 1 de 8 INTRODUÇÃO A SETTING CALIBRATION LABORATORIES iniciou suas atividades

Leia mais

CONTEÚDOS OBJETIVOS PERÍODO

CONTEÚDOS OBJETIVOS PERÍODO ESCOLA BÁSICA2,3 EUGÉNIO DOS SANTOS 2013 2014 página 1 ESCOLA BÁSICA DO 2.º E 3.º CICLOS EUGÉNIO DOS SANTOS PLANIFICAÇÃO E METAS DE APRENDIZAGEM DA DISCIPLINA DE CIÊNCIAS FÍSICO-QUÍMICAS 8.º ANO DE ESCOLARIDADE

Leia mais

Controle de Qualidade e Diferenciais Analíticos em Análises Ambientais

Controle de Qualidade e Diferenciais Analíticos em Análises Ambientais Controle de Qualidade e Diferenciais Analíticos em Análises Ambientais Marcelo Takata Gerente Técnico Brasil ALS Life Sciences Division / Corplab RIGHT S O L U T I O N S RIGHT PARTNER Controle de Qualidade

Leia mais

MESTRADO PROFISSIONAL EM METROLOGIA E QUALIDADE BANCO DE SUGESTÕES DE TEMAS PARA DISSERTAÇÕES

MESTRADO PROFISSIONAL EM METROLOGIA E QUALIDADE BANCO DE SUGESTÕES DE TEMAS PARA DISSERTAÇÕES Folha: 01/06 Nº SUGESTÃO DE TEMAS 01 Tema: Incertezas nos jogos olímpicos. A ideia seria investigar algumas das modalidades olímpicas, com foco na estimativa da incerteza de medição e como ela poderia

Leia mais

Centro de Inovação e Tecnologia SENAI FIEMG - Campus CETEC

Centro de Inovação e Tecnologia SENAI FIEMG - Campus CETEC Centro de Inovação e Tecnologia SENAI FIEMG Campus CETEC O Centro de Inovação e Tecnologia SENAI FIEMG Campus CETEC, compõe-se por um conjunto de institutos de inovação e institutos de tecnologia capazes

Leia mais

(Publicação dos títulos e das referências das normas harmonizadas ao abrigo da legislação de harmonização da União)

(Publicação dos títulos e das referências das normas harmonizadas ao abrigo da legislação de harmonização da União) C 14/74 PT Jornal Oficial da União Europeia 16.1.2015 Comunicação da Comissão no âmbito da execução da Diretiva 98/79/CE do Parlamento Europeu e do Conselho, de 27 de outubro de 1998, relativa aos dispositivos

Leia mais

Utilização Racional de Biomassa Florestal Mitos e Realidades

Utilização Racional de Biomassa Florestal Mitos e Realidades Utilização Racional de Biomassa Florestal Mitos e Realidades Paulo Canaveira Seminário Tecnicelpa Bioenergias. Novas Tendências 30 Março 2007 CELPA, Associação da Indústria Papeleira Pomos o Futuro no

Leia mais

Helena Campos (Engenharia Química)

Helena Campos (Engenharia Química) Tipos de água Laboratorial e suas aplicações Helena Campos (Engenharia Química) 28 de Setembro de 2010 Principais contaminantes da água Particulas Suspensas: Sílica (SiO 2 ) Resíduos das tubagens Matéria

Leia mais

CONFIABILIDADE METROLÓGICA EM PESAGEM

CONFIABILIDADE METROLÓGICA EM PESAGEM CONFIABILIDADE METROLÓGICA EM PESAGEM VOCABULÁRIO UM POUCO DE HISTÓRIA GRANDEZA DA MASSA RASTREABILIDADE NA GRANDEZA DA MASSA CONCEITOS METROLÓGICOS E NORMATIVOS METROLOGIA: CIENTIFÍCA E LEGAL ESPECIFICAÇÃO

Leia mais

CALIBRAÇÃO 2 O QUE É CALIBRAÇÃO DE UM INSTRUMENTO DE MEDIÇÃO?

CALIBRAÇÃO 2 O QUE É CALIBRAÇÃO DE UM INSTRUMENTO DE MEDIÇÃO? DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE MECÂNICA APOSTILA DE METROLOGIA Cid Vicentini Silveira 2005 1 OBJETIVOS DESTE CAPÍTULO Determinar o que é calibração, por quê, o quê, quando, onde e como calibrar; Interpretar

Leia mais

Lab Management : a tool for competitiveness. Celso Romero Kloss

Lab Management : a tool for competitiveness. Celso Romero Kloss Lab Management : a tool for competitiveness Celso Romero Kloss METROLOGIA NO DIA A DIA A VELOCIDADE DAS MUDANÇAS A aceleração da história é também medido pelo tempo entre a descoberta de um processo tecnológico

Leia mais

Estudo da Emissão Veicular de Gases de Efeito Estufa (GEE) em Veículos Movidos à Gasolina

Estudo da Emissão Veicular de Gases de Efeito Estufa (GEE) em Veículos Movidos à Gasolina Estudo da Emissão Veicular de Gases de Efeito Estufa (GEE) em Veículos Movidos à Gasolina *MELO JÚNIOR, A. S a.; GATTI, L b.; SEVEGNANI, F c.; SATIE,I. d ; IZIDRO, J. e ; IANNUZZI, A. f a.universidade

Leia mais

III CNEG Niterói, RJ, Brasil, 17, 18 e 19 de agosto de 2006.

III CNEG Niterói, RJ, Brasil, 17, 18 e 19 de agosto de 2006. COMPARAÇÃO ENTRE OS RESULTADOS DECLARADOS POR FORNECEDORES DE MISTURAS PADRÕES DE GÁS NATURAL COM MEDIÇÕES REALIZADAS SEGUINDO PADRÕES METROLÓGICOS DO INMETRO Leandro Joaquim Rodrigues Pereira (UFF) -

Leia mais

Ensaios de Proficiência

Ensaios de Proficiência Ensaios de Proficiência Xerém, 01 de Junho de 2007 Thiago de Oliveira Araujo Pesquisador Labin - Dquim Introdução A ISO Guia 43 Preparo das amostras Análise dos dados Conclusões Sumário Introdução Conceitos

Leia mais

B2Q WEB TECNOLOGIA APLICADA

B2Q WEB TECNOLOGIA APLICADA B2Q WEB TECNOLOGIA APLICADA O DESAFIO: A qualidade dos produtos finais e serviços prestados, é requisito mínimo nos dias de hoje para as organizações que desejam estar à frente. O mercado encontra-se cada

Leia mais

PARÃO DE ESPECIALIZAÇÃO AMBIENTAL DAS EXPORTAÇÕES INDUSTRIAIS BRASILEIRAS: mundo e União Europeia

PARÃO DE ESPECIALIZAÇÃO AMBIENTAL DAS EXPORTAÇÕES INDUSTRIAIS BRASILEIRAS: mundo e União Europeia COMÉRCIO INTERNACIONAL E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: O COMÉRCIO BILATERAL BRASIL UNIÃO EUROPEIA EM FOCO PARÃO DE ESPECIALIZAÇÃO AMBIENTAL DAS EXPORTAÇÕES INDUSTRIAIS BRASILEIRAS: mundo e União Europeia

Leia mais

Missão Institucional da REMEQ-PB Promover a difusão de conhecimentos científicos e tecnológicos nas áreas de metrologia e qualidade, apoiando o desenvolvimento de pessoal e de infra-estrutura laboratorial,

Leia mais

METROLOGIA APLICADA AOS CENTROS DE INSPEÇÃO E CONCESSIONÁRIOS AUTOMÓVEL

METROLOGIA APLICADA AOS CENTROS DE INSPEÇÃO E CONCESSIONÁRIOS AUTOMÓVEL SEMINÁRIO: A ENGENHARIA MECÂNICA E OS DESAFIOS DA MEDIÇÃO METROLOGIA APLICADA AOS CENTROS DE INSPEÇÃO E CONCESSIONÁRIOS AUTOMÓVEL PEDRO GOMES RESPONSÁVEL DO DEPARTAMENTO DE METROLOGIA FÍSICA TECNOLÓGICA

Leia mais

a LRQA Desenvolvimento Sustentável

a LRQA Desenvolvimento Sustentável ISO 14001:2004 e Responsabilidade Ambiental Engº Vítor Gonçalves CONFERÊNCIA RESPONSABILIDADE AMBIENTAL Eficiência e Eficácia na redução de Riscos Ambientais Lisboa, 15 de Maio de 2007 ISO 14001:2004 e

Leia mais

DETECÇÃO DE AMÔNIA. Agosto / 2012

DETECÇÃO DE AMÔNIA. Agosto / 2012 DETECÇÃO DE AMÔNIA Agosto / 2012 Industrial Scientific OLDHAM 100 anos de existência Um dos maiores fabricantes de detecção de gases do mundo Um dos líderes em vendas na Europa, EUA e AL. Cerca de 70%

Leia mais

Abordagem da Indústria Automotiva para Sistemas de Medição

Abordagem da Indústria Automotiva para Sistemas de Medição Abordagem da Indústria Automotiva para Sistemas de Medição Joselino Lacerda - Gerente de Qualidade Acumuladores Moura PRESENÇA Marca líder na América do Sul 6 plantas industriais Mais de 70 centros de

Leia mais

Análise Crítica de Certificados de Calibração

Análise Crítica de Certificados de Calibração Análise Crítica de Certificados de Calibração João Carlos Antunes de Souza Ana Cristina D. M. Follador Chefe da Divisão Chefe do de Núcleo Acreditação de Avaliação de Laboratórios- de Laboratórios DICLA/CGCRE/INMETRO

Leia mais

Plano de aula incluindo recursos multimédia de Química

Plano de aula incluindo recursos multimédia de Química Grupo de Multimédia, Ensino e Fronteiras da Química Centro de Investigação em Química da Universidade do Porto CIQ (U.P.) Plano de aula incluindo recursos multimédia de Química Título: Camada de ozono

Leia mais

QUÍMICA Disciplina A Disciplina B Código Disciplina C/H Curso Disciplina C/H Código Curso Ano do Currículo 1ª período

QUÍMICA Disciplina A Disciplina B Código Disciplina C/H Curso Disciplina C/H Código Curso Ano do Currículo 1ª período QUÍMICA Código Disciplina C/H Curso Disciplina C/H Código Curso Ano do Conclusão 74471 Química Estrutural 34 Química Química Inorgânica para Ciências Farmacêuticas OU 68 68977 Ciências Farmacêuticas 2008

Leia mais

COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL EM ENSAIOS DE ELETRODOMÉSTICOS E SIMILARES: FERRO ELÉTRICO DE PASSAR ROUPA

COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL EM ENSAIOS DE ELETRODOMÉSTICOS E SIMILARES: FERRO ELÉTRICO DE PASSAR ROUPA COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL EM ENSAIOS DE ELETRODOMÉSTICOS E SIMILARES: FERRO ELÉTRICO DE PASSAR ROUPA Apoio: Programa PEP REDE 1505 Rodada 047/2015 (Instruções aos Participantes, atualizado em 31/08/2015)

Leia mais

Plano de Formação - 2011. Form + Lab. 2 Semestre

Plano de Formação - 2011. Form + Lab. 2 Semestre Plano de Formação - 2011 Form + Lab 2 Semestre Form + Lab O que é? O Form + Lab é um serviço de formação criado para apoiar os laboratórios na valorização e formação dos seus colaboradores dando resposta

Leia mais

Uso de Materiais de Referência

Uso de Materiais de Referência Uso de Materiais de Referência Ricardo Rezende Zucchini Célia Omine Iamashita IPT Divisão de Química Agrupamento de Materiais de Referência Introdução Série de guias ISO sobre Materiais de Referência ABNT

Leia mais

Introdução à Análise Química QUI 094 ERRO E TRATAMENTO DE DADOS ANALÍTICOS

Introdução à Análise Química QUI 094 ERRO E TRATAMENTO DE DADOS ANALÍTICOS Introdução a Analise Química - II sem/2012 Profa Ma Auxiliadora - 1 Introdução à Análise Química QUI 094 1 semestre 2012 Profa. Maria Auxiliadora Costa Matos ERRO E TRATAMENTO DE DADOS ANALÍTICOS Introdução

Leia mais

QUÍMICA TECNOLÓGICA I

QUÍMICA TECNOLÓGICA I Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri Bacharelado em Ciência e Tecnologia Diamantina - MG QUÍMICA TECNOLÓGICA I Prof a. Dr a. Flaviana Tavares Vieira flaviana.tavares@ufvjm.edu.br Alquimia

Leia mais

Estudo da emissão veicular de Gases de Efeito Estufa (GEE) em veículos movidos à DIESEL. Prof. Dr. Ariston da Silva Melo Júnior

Estudo da emissão veicular de Gases de Efeito Estufa (GEE) em veículos movidos à DIESEL. Prof. Dr. Ariston da Silva Melo Júnior Estudo da emissão veicular de Gases de Efeito Estufa (GEE) em veículos movidos à DIESEL Prof. Dr. Ariston da Silva Melo Júnior INTRODUÇÃO Durante milhões de anos a Terra passou por ciclos naturais de aquecimento

Leia mais

FR 19 CHECK-LIST PARA AVALIAÇÃO DOS REQUISITOS TÉCNICOS DA NBR ISO/IEC 17025. Laboratório(s) avaliado(s): Nº

FR 19 CHECK-LIST PARA AVALIAÇÃO DOS REQUISITOS TÉCNICOS DA NBR ISO/IEC 17025. Laboratório(s) avaliado(s): Nº FR 19 CHECK-LIST PARA AVALIAÇÃO DOS REQUISITOS TÉCNICOS DA NBR ISO/IEC 17025 FORMULÁRIO REVISÃO: 04 NOV/2008 Laboratório(s) avaliado(s): Nº Período de Avaliação: Data inicial da avaliação: / / Data término

Leia mais

Calibração. Soluções econômicas para calibração de medidores de vazão. 05/28/2009 André Nadais. Slide 1

Calibração. Soluções econômicas para calibração de medidores de vazão. 05/28/2009 André Nadais. Slide 1 Calibração Soluções econômicas para calibração de medidores de vazão Slide 1 Agenda 1. Endress+Hauser Medição de vazão e competência de calibração 2. Calibração on-site de medidores de vazão Reduzindo

Leia mais

Legislações para Solos

Legislações para Solos Legislações para Solos Biotecnologia Ambiental Prof. Denize Dias de Carvalho Solo e Água Subterrânea O solo pode atuar como um filtro (capacidade de autodepuração desse tipo de corpo receptor); Essa capacidade

Leia mais

Crescimento Econômico e Mudanças Climáticas. Eliezer M. Diniz FEARP-USP - Brasil

Crescimento Econômico e Mudanças Climáticas. Eliezer M. Diniz FEARP-USP - Brasil Crescimento Econômico e Mudanças Climáticas Eliezer M. Diniz FEARP-USP - Brasil Resumo Introdução Modelos de Crescimento Econômico Curva Ambiental de Kuznets (CAK) Modelos de Nordhaus Conclusões 2 Introdução

Leia mais

Experiência no controle da qualidade analítica

Experiência no controle da qualidade analítica Experiência no controle da qualidade analítica Mario Maroto abril/ 2006 A ECOLABOR A ECOLABOR Comercial Consultoria e Análises Ltda. é uma empresa privada brasileira, fundada em 1992. Análises MICROBIOLÓGICAS,

Leia mais

Relatório Técnico caracterização laboratorial de solos

Relatório Técnico caracterização laboratorial de solos Relatório Técnico caracterização laboratorial de solos Dados das amostras: Tipo: Solos de uso Agrícola; Proprietário: Sinergeo - Soluções Aplicadas Em Geologia, Hidrogeologia E Ambiente Lda Endereço: Edificio

Leia mais

Espectometriade Fluorescência de Raios-X

Espectometriade Fluorescência de Raios-X FRX Espectometriade Fluorescência de Raios-X Prof. Márcio Antônio Fiori Prof. Jacir Dal Magro FEG Conceito A espectrometria de fluorescência de raios-x é uma técnica não destrutiva que permite identificar

Leia mais

MF-0584.R-1 - MÉTODO DE MEDIÇÃO DOS GASES EMITIDOS PELO ESCAPAMENTO DOS VEÍCULOS AUTOMOTORES DO CICLO OTTO

MF-0584.R-1 - MÉTODO DE MEDIÇÃO DOS GASES EMITIDOS PELO ESCAPAMENTO DOS VEÍCULOS AUTOMOTORES DO CICLO OTTO MF-0584.R-1 - MÉTODO DE MEDIÇÃO DOS GASES EMITIDOS PELO ESCAPAMENTO DOS VEÍCULOS AUTOMOTORES DO CICLO OTTO Notas: Aprovado pela Deliberação CECA nº 4.816, de 17 de abril de 2007. Publicado no DOERJ de

Leia mais

Metrologia na medição de vazão e velocidade de fluidos

Metrologia na medição de vazão e velocidade de fluidos XI SEMETRA Seminário de Metrologia Aeroespacial CTA/IFI/DCTA de 30 junho a 02 de julho de 2015 Metrologia na medição de vazão e velocidade de fluidos Valter Yoshihiko Aibe, M.Sc. Núcleo Interdisciplinar

Leia mais

Procedimento Específico. Gestão dos Dispositivos de Monitorização e Medição. Validado: Jaime Quendera Data: 2006-01-11. Responsável da Qualidade

Procedimento Específico. Gestão dos Dispositivos de Monitorização e Medição. Validado: Jaime Quendera Data: 2006-01-11. Responsável da Qualidade Elaborado: 2006-01-11 Validado: 2006-01-11 Pág. 1 de 5 Aprovado: 2006-01-11 Documento: Título: Código: Produzido por: Aprovado por: Descrição Sumária: Gestão dos Dispositivos PE-QL-14 (Data de Aprovação)

Leia mais

Plásticos Biodegradáveis e Compostáveis. Foto: Augusto Bartolomei

Plásticos Biodegradáveis e Compostáveis. Foto: Augusto Bartolomei Plásticos Biodegradáveis e Compostáveis 1 Foto: Augusto Bartolomei Conteúdo O que são plásticos biodegradáveis e compostáveis Certificação Aplicações Descarte aterro, reciclagem, compostagem Alinhamento

Leia mais

Implantação e Implementação de um Sistema de Gestão da Qualidade no Processo de Produção de Materiais de Referência Certificados

Implantação e Implementação de um Sistema de Gestão da Qualidade no Processo de Produção de Materiais de Referência Certificados Implantação e Implementação de um Sistema de Gestão da Qualidade no Processo de Produção de Materiais de Referência Certificados Lívia Gebara Muraro Serrate Cordeiro Bolsista PCI/DTI, M.Sc. Maria Alice

Leia mais

Grupo de Trabalho de DNA Forense Na ABNT CEE-137

Grupo de Trabalho de DNA Forense Na ABNT CEE-137 Grupo de Trabalho de DNA Forense Na ABNT CEE-137 Rodrigo Moura Neto Inmetro Julho/2010 Cooperação entre o Ministério da Justiça-Inmetro O símbolo da Justiça é um instrumento metrológico... João Alziro

Leia mais

Emissões Gasosas 2014

Emissões Gasosas 2014 Ensaio de Aptidão Emissões Gasosas 2014 Misturas Gasosas de Propano em Nitrogénio Programa de Execução Índice 1. Introdução... 3 2. Objetivos... 3 3. Entidades Envolvidas e Funções... 3 4. Procedimento...

Leia mais

Submódulo 12.5. Certificação de padrões de trabalho

Submódulo 12.5. Certificação de padrões de trabalho Submódulo 12.5 Certificação de padrões de trabalho Rev. Nº. 0 1 Motivo da revisão Este documento foi motivado pela criação do Operador nacional do Sistema Elétrico Atendimento à Resolução Normativa ANEEL

Leia mais

Condições Gerais de Prestação de Serviços Analíticos 2013/14

Condições Gerais de Prestação de Serviços Analíticos 2013/14 Laboratório de Análises Um Laboratório ao serviço da Academia e da Indústria Condições Gerais de Prestação de Serviços Analíticos 2013/14 Laboratório de Análises Tel: +351 212947805 (ext: 10993) http://www.dq.fct.unl.pt/servicos-externos

Leia mais

Visão Geral da Certificação CERTICS

Visão Geral da Certificação CERTICS Projeto 0113009300 - Implementação da CERTICS - Certificação de Tecnologia Nacional de Software IX Workshop Anual do MPS WAMPS 2013 Visão Geral da Certificação CERTICS Palestrante: Adalberto Nobiato Crespo

Leia mais

Competências Farmacêuticas Indústria Farmacêutica Versão 23.xi.15

Competências Farmacêuticas Indústria Farmacêutica Versão 23.xi.15 Competências Farmacêuticas Indústria Farmacêutica Versão 23.xi.15 Competência* Conteúdos*1 *3 a que se candidata + E a que se candidata + E a que se candidata + E a que se candidata + E Tipo de Competência*2

Leia mais

MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA, DO COMÉRCIO E DO TURISMO

MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA, DO COMÉRCIO E DO TURISMO MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA, DO COMÉRCIO E DO TURISMO INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO Portaria n.º 114, de 29 de junho de 1998. O PRESIDENTE DO INSTITUTO NACIONAL

Leia mais

Título de Emissão de Gases com Efeito de Estufa

Título de Emissão de Gases com Efeito de Estufa Título de Emissão de Gases com Efeito de Estufa TE GEE.281.01 II Nos termos do Decreto-Lei n.º 233/2004, de 14 de Dezembro, com as alterações introduzidas pelos Decretos-Lei n.º 243-A/2004, de 31 de Dezembro,

Leia mais

Sustentabilidade Planetária: Mudanças Climáticas Globais. André Rocha Ferretti Fundação O Boticário de Proteção à Natureza

Sustentabilidade Planetária: Mudanças Climáticas Globais. André Rocha Ferretti Fundação O Boticário de Proteção à Natureza Sustentabilidade Planetária: Mudanças Climáticas Globais André Rocha Ferretti Fundação O Boticário de Proteção à Natureza Via Láctea Estamos aqui Sistema Solar Terra Estamos aqui Planeta Terra Estamos

Leia mais

Programa de Capacitação Interna - I Jornada PCI - CETEM

Programa de Capacitação Interna - I Jornada PCI - CETEM Programa de Capacitação Interna - I Jornada PCI - CETEM Marta Brandão Tozzi Bolsista, Química Industrial, M. Sc. Maria Alice Goes Orientadora, Engenheira Metalúrgica, D. Sc. Resumo O CETEM é acreditado

Leia mais

Não é um sector específico (Pequenas e médias empresas em geral) - Go to 3

Não é um sector específico (Pequenas e médias empresas em geral) - Go to 3 INQUÉRITO EUROPEU DAS PME E O MEIO-AMBIENTE Bem-vindo ao inquérito europeu sobre as PMEs e o meio-ambiente. O questionário deve demorar entre 5-10 minutos para ser concluído. Obrigado! Instituto Tecnológico

Leia mais

Análise de água. NANOCOLOR Verificação automática de turbidez para testes em tubo. Maior segurança para seus resultado MACHEREY-NAGEL. www.mn-net.

Análise de água. NANOCOLOR Verificação automática de turbidez para testes em tubo. Maior segurança para seus resultado MACHEREY-NAGEL. www.mn-net. Análise de água NANOCOLOR Verificação automática de turbidez para testes em tubo Maior segurança para seus resultado MACHEREY-NAGEL Medidas de turbidez de acordo com a ISO 7027 O que é turbidez? A turbidez

Leia mais

Acreditação de Provedores de Ensaios de Proficiência e de Produtores de

Acreditação de Provedores de Ensaios de Proficiência e de Produtores de Acreditação de Provedores de Ensaios de Proficiência e de Produtores de Materiais de Referência no Brasil Rio de Janeiro, 03 de setembro de 2008. Renata Martins Horta Borges. Divisão de Acreditação de

Leia mais

Plano de Formação. Condicionamento ambiental das explorações pecuárias. REAP

Plano de Formação. Condicionamento ambiental das explorações pecuárias. REAP Plano de Formação 1. Enquadramento A produção animal encontra-se perante um aumento das pressões a partir da sociedade para cumprir a legislação ambiental, para que os sistemas de produção sejam explorados

Leia mais

Sistema de Gestão de Medição: importante, mas nem sempre reconhecido

Sistema de Gestão de Medição: importante, mas nem sempre reconhecido Sistema de Gestão de Medição: importante, mas nem sempre reconhecido Nasario de S.F. Duarte Jr. (São Paulo, SP) Resumo: o objetivo deste artigo é ressaltar a importância de se estabelecer um sistema de

Leia mais

REQUISITOS GERAIS PARA COMPETÊNCIA DE LABORATORIOS DE ENSAIO E CALIBRAÇÃO NBR ISO/IEC 17025

REQUISITOS GERAIS PARA COMPETÊNCIA DE LABORATORIOS DE ENSAIO E CALIBRAÇÃO NBR ISO/IEC 17025 CURSO E-LEARNING REQUISITOS GERAIS PARA COMPETÊNCIA DE LABORATORIOS DE ENSAIO E CALIBRAÇÃO NBR ISO/IEC 17025 Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitido a distribuição física ou eletrônica deste

Leia mais

Aspectos metrológicos para eficiência energética de isolantes térmicos para linha branca

Aspectos metrológicos para eficiência energética de isolantes térmicos para linha branca Aspectos metrológicos para eficiência energética de isolantes térmicos para linha branca Carlos E. C. Galhardo Pesquisador Tecnologista em Metrologia dos Materiais (INMETRO/DIMCI/DIMAT) Sumário Isolamento

Leia mais

Correção da ficha de trabalho N.º3

Correção da ficha de trabalho N.º3 Correção da ficha de trabalho N.º3 1- Classifique as afirmações seguintes em verdadeiras ou falsas, corrigindo estas últimas: A. A passagem de um átomo de um estado excitado ao estado fundamental é acompanhada

Leia mais

FICHA DE DISCIPLINA UNIDADE ACADÊMICA: ICBIM CH TOTAL TEÓRICA: 45 OBJETIVOS

FICHA DE DISCIPLINA UNIDADE ACADÊMICA: ICBIM CH TOTAL TEÓRICA: 45 OBJETIVOS UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA VETERINÁRIA FICHA DE DISCIPLINA DISCIPLINA: Biofísica CÓDIGO: UNIDADE ACADÊMICA: ICBIM PERÍODO: 1º OBRIGATÓRIA:

Leia mais

RM 62 REQUISITOS SOBRE A PARTICIPAÇÃO DE LABORATÓRIOS EM ENSAIOS DE PROFICIÊNCIA SUMÁRIO

RM 62 REQUISITOS SOBRE A PARTICIPAÇÃO DE LABORATÓRIOS EM ENSAIOS DE PROFICIÊNCIA SUMÁRIO SUMÁRIO 1 OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO 2 REFERÊNCIAS 3 DEFINIÇÕES 4 METODOLOGIA 1 OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO O presente documento tem o objetivo definir os requisitos sobre a participação de laboratórios

Leia mais

Acreditação de Laboratórios. Acreditação de Laboratórios. Acreditação

Acreditação de Laboratórios. Acreditação de Laboratórios. Acreditação Acreditação de Laboratórios Acreditação Acreditação de Laboratórios Como Acreditar Laboratórios Vantagens da Acreditação Documentos Básicos para Acreditação Reconhecimento Internacional Acreditação A acreditação

Leia mais

At.: DEPARTAMENTO DE COMPRAS E LICITAÇÕES Ref. LICITAÇÃO TP N.º 09/2012 Item 01: Máquina Universal de Ensaios Mecânicos em Materiais

At.: DEPARTAMENTO DE COMPRAS E LICITAÇÕES Ref. LICITAÇÃO TP N.º 09/2012 Item 01: Máquina Universal de Ensaios Mecânicos em Materiais Cotia, 24 de agosto de 2012 À FUNDAÇÃO CEFETMINAS - FCM Rua Alpes, n.º 533 Nova Suíça CEP 30421-145 Belo Horizonte - MG Fone/Fax: (31) 3372-8958 At.: DEPARTAMENTO DE COMPRAS E LICITAÇÕES Ref. LICITAÇÃO

Leia mais

Certificação de Sistemas de Gestão

Certificação de Sistemas de Gestão Certificação de Sistemas de Gestão Reynaldo Galvão Antunes M.Sc. Prof. Universidade Federal Gestor Ambiental- Secretário Técnico ABNT CB 38 Comitê Brasileiro de Gestão Ambiental cb38@abnt.org.br Balneário

Leia mais

Cesar Lima - Gerdau Açominas.

Cesar Lima - Gerdau Açominas. Cesar Lima - Gerdau Açominas. A Gerdau Açominas. - Usina siderúrgica integrada. - Capacidade instalada de 3.000.000 t./ano de aço liquido. - Produz 2.750.000 t./ano de acabados em forma de blocos, placas,

Leia mais

SISTEMAS DE CALIBRAÇÃO PARA MONITORAMENTO DA QUALIDADE DO AR

SISTEMAS DE CALIBRAÇÃO PARA MONITORAMENTO DA QUALIDADE DO AR SISTEMAS DE CALIBRAÇÃO PARA MONITORAMENTO DA QUALIDADE DO AR Todo programa de monitoramento contínuo da qualidade do ar precisa de algum sistema que forneça uma garantia de que os valores medidos são válidos.

Leia mais

COMPETIR + Sistema de Incentivos para a Competitividade Empresarial

COMPETIR + Sistema de Incentivos para a Competitividade Empresarial Câmara do Comércio e Indústria de Ponta Delgada COMPETIR + Sistema de Incentivos para a Competitividade Empresarial Subsistemas Fomento da Base Económica de Exportação Desenvolvimento Local Empreendedorismo

Leia mais

ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA

ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA SUMÁRIO Apresentação ISO 14001 Sistema de Gestão Ambiental Nova ISO 14001 Principais alterações e mudanças na prática Estrutura de alto nível Contexto

Leia mais

Título de Emissão de Gases com Efeito de Estufa

Título de Emissão de Gases com Efeito de Estufa Título de Emissão de Gases com Efeito de Estufa TE GEE.045.03 II Nos termos do Decreto-Lei n.º 233/2004, de 14 de Dezembro, com as alterações introduzidas pelos Decretos-Lei n.º 243-A/2004, de 31 de Dezembro,

Leia mais

PRINCÍPIOS DO RIO. Princípio 1

PRINCÍPIOS DO RIO. Princípio 1 PRINCÍPIOS DO RIO António Gonçalves Henriques Princípio 1 Os seres humanos são o centro das preocupações para o desenvolvimento sustentável. Eles têm direito a uma vida saudável e produtiva em harmonia

Leia mais

Gnatus inova e simplifica gestão com SAP Business Suite powered by SAP HANA

Gnatus inova e simplifica gestão com SAP Business Suite powered by SAP HANA Gnatus inova e simplifica gestão com SAP Business Suite powered by SAP HANA A Gnatus é uma importante fabricante de equipamentos odontológicos e precisava sustentar seu crescimento em um ambiente de alta

Leia mais

O Superando Barreiras Técnicas às Exportações com a ajuda do Inmetro

O Superando Barreiras Técnicas às Exportações com a ajuda do Inmetro O Superando Barreiras Técnicas às Exportações com a ajuda do Inmetro O Inmetro como Ponto Focal de Barreiras Técnicas da OMC Flávia Alves Bento Gonçalves, 29 de Novembro de 2012 Metrologia Científica e

Leia mais

Introdução a Química Analítica. Professora Mirian Maya Sakuno

Introdução a Química Analítica. Professora Mirian Maya Sakuno Introdução a Química Analítica Professora Mirian Maya Sakuno Química Analítica ou Química Quantitativa QUÍMICA ANALÍTICA: É a parte da química que estuda os princípios teóricos e práticos das análises

Leia mais