UNIVERSIDADE DO PORTO FACULDADE DE CIÊNCIAS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE DO PORTO FACULDADE DE CIÊNCIAS"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE DO PORTO FACULDADE DE CIÊNCIAS PROGRAMA E CARGA HORÁRIA Disciplina: 3287 Bioquímica Industrial Curso: Mestrado em Bioquímica Ramo: 10 TRONCO COMUM / SEM RAMO Carga Horária: 28.0H TEÓRICAS 28.0H PRÁTICAS Plano de Estudos: /2008 1º Ano 1º Semestre Área Q 5.0ECTS Docente(s): Teóricas: Nuno Filipe da Cruz Batista Mateus Práticas: Nuno Filipe da Cruz Batista Mateus Língua de Ensino: Português Objectivos Pretende-se com esta disciplina abordar várias aplicações das áreas da Bioquímica, Biotecnologia, Biologia molecular e celular, Biofísica, Biologia, Química e mesmo Engenharia Biológica, a nível industrial. Serão discutidos e analisados vários processos utilizados na Indústria (bioprocessos e bioreactores) e ainda o papel da Biotecnologia no ambiente e na saúde. Programa Aulas teóricas (22 aulas): Cap. 1 - Introdução à Enzimologia Histórico Definição Propriedades gerais Classificação e nomenclatura das enzimas Cap. 2 - Engenharia Enzimática e de Proteínas Engenharia enzimática Perspectivas futuras em engenharia enzimática Estabilidade de proteínas Engenharia de proteínas Aplicações de enzimas na Indústria Cap. 3 - Biossensores Características gerais de um biossensor ideal Tipos de transdutor Bioquímica Industrial Página 1

2 Enzimas utilizadas em biossensores Áreas de aplicação Biossensores ópticos Biossensores electroquímicos Biossensores potenciométricos Biossensores condutimétricos Biossensores termométricos Biossensores enzimáticos para imunodetecção Cap. 4 - Bioprocessos Imobilização de Biocatalisadores Vantagens e limitações Métodos de imobilização de biocatalisadores Factores que afectam a cinética enzimática em sistemas multifásicos Aplicações de sistemas de células e enzimas imobilizadas Biocatálise em meios não-convencionais Objectivos do uso de meios não-convencionais Biocatálise em solventes orgânicos: vantagens e desvantagens Meios não convencionais usados em Biocatálise Bioreactores Classificação dos reactores em função do regime de operação Classificação dos reactores em função das características hidrodinâmicas Reactores para biocatalisadores imobilizados Cap. 5 Biotecnologia microbiana Histórico Objectivos da utilização industrial de microrganismos Os microrganismos com maior importância industrial Processo de biotecnologia microbiana Selecção e melhoramento de estirpes Condições de cultura e produção Produtos do metabolismo microbiano Exemplos da utilização industrial de microrganismos Cap. 6 - Biotecnologia ambiental Bioremediação Ecologia microbiana Vias metabólicas de degradação Factores que influenciam a biorremediação Processos de Biorremediação Controlo da poluição aquática Biotecnologia dos ambientes aéreos e confinados Cap. 7 - Biotecnologia da saúde Terapia géncia e novas vacinas Sistemas de libertação controlada de fármacos Biomateriais Bioquímica Industrial Página 2

3 Bibliografia Biotecnologia Fundamentos e Aplicações Nelson Lima, Manuela Mota LIDEL 2003 Engenharia Enzimática Joaquim Cabral, Maria Raquel Barros, Miguel Gama LIDEL 2003 Enzymes in Industry Production and Applications Ed. Wolfgang Aehle WILEY-VCH 2004 Outros livros de interesse geral: Biochemical Engineering Harvey W. Blanch, Douglas S. Clark MARCEL DEKKER 1997 Principles of Fermentation Technology 2nd Edition, Stanbury, Whitaker & Hall BH 1995 Metodologia de Ensino e Aprendizagem As aulas práticas da disciplina incluem a realização dos seguintes trabalhos laboratoriais: -Escurecimento enzimático dos frutos: cinética da enzima polifenol oxidase (PPO) -Determinação da actividade da enzima lipase em detergentes em pó -Determinação da actividade proteolítica em detergentes em pó Outra componente das aulas práticas constitui na elaboração de uma monografia sobre um tema pré-designado pelo docente ou, em alternativa, a apresentação oral do trabalho de pesquisa realizado. Uma última componente prática consiste em palestras proferidas por oradores convidados pelo docente. Temas de monografia: Engenharia enzimática e/ou proteica e aplicações industriais Exploração comercial de microrganismos Biossensores Inovações tecnológicas para a indústria clínica/farmacêutica Bioreactores industriais Inovações e aplicações Bioquímica Industrial Página 3

4 Biocatalisadores imobilizados (produção e propriedades) Biotecnologia microbiana e aplicações industriais Indústria cosmética Aplicações químicas, bioquímicas e biotecnológicas Química verde A biotecnologia ao serviço da sociedade Desenvolvimento e aplicações de novas enzimas na Indústria Alimentar Biomateriais Recentes avanços e aplicações Sistemas de libertação controlada de Fármacos Biotecnologia Alimentar Alimentos transgénicos Alimentos funcionais: prebióticos e probióticos Bioinsecticidas e Biopesticidas Aplicação de metabolitos secundários na Indústria Alimentar Terapia genica e novas vacinas Biosurfactantes e suas aplicações industriais Bioremediação de solos Novas linhas de investigação Biotecnologia Vegetal Exemplos e aplicações Biotecnologia Farmacêutica (síntese de fármacos e derivados) Nanotecnologia A ciência do século XXI? Segurança e regulamentação em Biotecnologia HACCP Controlo de Qualidade Industrial Bioética Biotecnologia amiga ou inimiga? Economia de bioprodutos (Case Studies) Método de Avaliação Avaliação: Nota Teórica (NT): exame teórico Nota Prática (NP): monografia/artigos científicos + relatórios dos trabalhos laboratoriais + avaliação contínua Nota Final = NP x 0,25 + NT x 0,75 Bioquímica Industrial Página 4

5 Estatística de Desempenho Insc Aval Aprov Falt Excl Apr/Insc Apr/Aval Mín Méd Max D.P. Complementar % 100 % Melhoria de Nota (E % 100 % Recurso) Melhoria de Nota (E Normal) Correcção de Nota % 100 % Recurso Inscrição Normal % 100 % Síntese % 100 % Bioquímica Industrial Página 5

BIOQUÍMICA INDUSTRIAL

BIOQUÍMICA INDUSTRIAL BIOQUÍMICA INDUSTRIAL Mestrado em Bioquímica Prof. Nuno Mateus Gab. 2.17 Telef. 220402562 Email. nbmateus@fc.up.pt 1 Sumário Prefácio A bioquímica e a biotecnologia no nosso dia-a-dia Histórico; Empresas

Leia mais

Programa dos cursos em Química

Programa dos cursos em Química Programa dos cursos em Química Primeiro ciclo Licenciatura em Química 1º ano /1º semestre QUADRO N.º 4 Química Geral I QUI S 162 T: 45; TP: 30 6 Matemática I MAT S 162 T: 45; TP: 30 6 Física Geral I FIS

Leia mais

Boas-Vindas aos Novos Alunos de Biologia 2014/2015

Boas-Vindas aos Novos Alunos de Biologia 2014/2015 Boas-Vindas aos Novos Alunos de Biologia 2014/2015 Departmentos Biologia (DBA,) > DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA ANIMAL http://www.fc.ul.pt/pt/dbv http://www.fc.ul.pt/pt/dba > DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA ANIMAL

Leia mais

1. GRADE CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA BIOTECNOLÓGICA

1. GRADE CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA BIOTECNOLÓGICA 1. GRADE CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA BIOTECNOLÓGICA 1 2. CARACTERÍSTICAS GERAIS DO CURSO DE ENGENHARIA BIOTECNOLÓGICA Para melhor entendimento desta proposta de reestruturação curricular apresentamos

Leia mais

Instituto Politécnico de Castelo Branco Escola Superior Agrária Licenciatura em Engenharia Biológica e Alimentar

Instituto Politécnico de Castelo Branco Escola Superior Agrária Licenciatura em Engenharia Biológica e Alimentar Instituto Politécnico de Castelo Branco Escola Superior Agrária Licenciatura em Engenharia Biológica e Alimentar http://www.ipcb.pt/esa/index.php/eng-biologica-e-alimentar Objectivos Os licenciados em

Leia mais

Biotecnologia e desenvolvimento sustentável. Ana Cristina Rodrigues acrodrigues@esa.ipvc.pt

Biotecnologia e desenvolvimento sustentável. Ana Cristina Rodrigues acrodrigues@esa.ipvc.pt Biotecnologia e Ana Cristina Rodrigues acrodrigues@esa.ipvc.pt - Imposições legais - Opinião pública - Pressão de competitividade Actualmente: Conceito de adoptado por muitas indústrias/actividades: só

Leia mais

Resenha Histórica: O início do ensino farmacêutico na Universidade de Coimbra remonta aos finais do séc. XVI. Finais do séc. XVI: Curso prático de

Resenha Histórica: O início do ensino farmacêutico na Universidade de Coimbra remonta aos finais do séc. XVI. Finais do séc. XVI: Curso prático de Resenha Histórica: O início do ensino farmacêutico na Universidade de Coimbra remonta aos finais do séc. XVI. Finais do séc. XVI: Curso prático de boticários na Universidade de Coimbra. 1772: Reforma da

Leia mais

GRADE CURRICULAR DO CURSO DE BACHARELADO EM BIOTECNOLOGIA CAMPUS DE ARARAS

GRADE CURRICULAR DO CURSO DE BACHARELADO EM BIOTECNOLOGIA CAMPUS DE ARARAS GRADE CURRICULAR DO CURSO DE BACHARELADO EM BIOTECNOLOGIA CAMPUS DE ARARAS PERFIL 1 215090 Física para 1 04 220612 Tópicos em Matemática I 04 220663 Introdução a 04 220671 Fundamentos de Química 04 220680

Leia mais

Programa de Unidade Curricular

Programa de Unidade Curricular Programa de Unidade Curricular Faculdade Engenharia Licenciatura Engenharia e Gestão Industrial Unidade Curricular GESTÃO DA PRODUÇÃO Semestre: 5 Nº ECTS: 6, Regente João Paulo Oliveira Pinto Assistente

Leia mais

Comissão Coordenadora do MBMM: Filomena Fonseca Margarida P. Reis (C7-0.34)

Comissão Coordenadora do MBMM: Filomena Fonseca Margarida P. Reis (C7-0.34) Comissão Coordenadora do MBMM: Leonor Cancela Filomena Fonseca Margarida P. Reis (C7-0.34) Origem: Existência de recursos humanos e materiais na UALG que garantem a qualidade desta formação avançada na

Leia mais

BIOLOGIA MOLECULAR APLICADA AO ESTUDO DE DOENÇAS

BIOLOGIA MOLECULAR APLICADA AO ESTUDO DE DOENÇAS ! Universidade Federal de Pernambuco Centro de Ciências da Saúde Departamento de Patologia Laboratório de Imunopatologia Keizo Asami Prof. Dr. Lucas Brandão BIOLOGIA MOLECULAR APLICADA AO ESTUDO DE DOENÇAS

Leia mais

Matriz Curricular Bacharelado em Farmácia

Matriz Curricular Bacharelado em Farmácia Matriz Curricular Bacharelado em Farmácia Semestre 1 01 Introdução às Ciências Farmacêuticas 30 30-2 - 02 Anatomia 75 30 45 5-03 Biologia Celular e Molecular 60 30 30 4-04 Química Geral e Inorgânica 75

Leia mais

Universidade Lusófona

Universidade Lusófona Universidade Lusófona Licenciatura (1º Ciclo) em Ciências da Engenharia - Engenharia do Ambiente: Duração: 3 anos Grau: Licenciatura Director: Prof. Doutor José d'assunção Teixeira Trigo Objectivos: Formação

Leia mais

CURSO DE TECNOLOGIA EM BIOTECNOLOGIA

CURSO DE TECNOLOGIA EM BIOTECNOLOGIA CURSO DE TECNOLOGIA EM BIOTECNOLOGIA Departamento de Biotecnologia, Genética e Biologia Celular Centro de Ciências Biológicas Universidade Estadual de Maringá Coordenador: Prof. Dr. João Alencar Pamphile

Leia mais

BACHARELADO EM BIOTECNOLOGIA INGEB / UFU ESTÁGIO PROFISSIONAL SUPERVISIONADO

BACHARELADO EM BIOTECNOLOGIA INGEB / UFU ESTÁGIO PROFISSIONAL SUPERVISIONADO 1 BACHARELADO EM BIOTECNOLOGIA INGEB / UFU ESTÁGIO PROFISSIONAL SUPERVISIONADO O Estágio Profissional Supervisionado no Curso de BIOTECNOLOGIA INGEB-UFU tem como objetivo iniciar os discentes na prática

Leia mais

FFARM Faculdade de Farmácia

FFARM Faculdade de Farmácia FFARM Faculdade de Farmácia Secretaria: Prédio12 - Bloco A Fone: 3320-3512 E-mail: farmácia@pucrs.br www.pucrs.br/farmacia Departamentos: Análises Clínicas e Toxicológicas n.º 351 Desenvolvimento e Produção

Leia mais

MESTRADO EM FISIOLOGIA MOLECULAR DE PLANTAS 4ª EDIÇÃO

MESTRADO EM FISIOLOGIA MOLECULAR DE PLANTAS 4ª EDIÇÃO Escola de Ciências MESTRADO EM FISIOLOGIA MOLECULAR DE PLANTAS 4ª EDIÇÃO UNIVERSIDADE DO PORTO UNIVERSIDADE DO MINHO FACULDADE DE CIÊNCIAS ESCOLA DE CIÊNCIAS DEPARTAMENTO DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA DE BIOLOGIA

Leia mais

LICENCIATURA EM ENGENHARIA CIVIL Obrigatória. Unidade Curricular TECNOLOGIA DOS MATERIAIS DE CONSTRUÇÃOII

LICENCIATURA EM ENGENHARIA CIVIL Obrigatória. Unidade Curricular TECNOLOGIA DOS MATERIAIS DE CONSTRUÇÃOII Ficha de Unidade Curricular (FUC) Curso LICENCIATURA EM ENGENHARIA CIVIL Obrigatória Unidade Curricular TECNOLOGIA DOS MATERIAIS DE CONSTRUÇÃOII Opcional Área Científica ENGENHARIA CIVIL Classificação

Leia mais

BIOENGENHARIA A ENGENHARIA DOS SISTEMAS BIOLÓGICOS

BIOENGENHARIA A ENGENHARIA DOS SISTEMAS BIOLÓGICOS BIOENGENHARIA A ENGENHARIA DOS SISTEMAS BIOLÓGICOS Joaquim M.S. Cabral Laboratório rio Associado - Institute for Biotechnology and Bioengineering Centro de Engenharia Biológica e Química Instituto Superior

Leia mais

TOTAL: 215 créditos ou 3225 horas Conteúdos biológicos: 107+24+28+14= 173 créditos ou 2595 horas.

TOTAL: 215 créditos ou 3225 horas Conteúdos biológicos: 107+24+28+14= 173 créditos ou 2595 horas. Curso de Bacharelado em Ciências Biológicas- Período Integral NÚCLEO BÁSICO BA281 Anatomia Humana Geral 04 BB281 Bioquímica de Proteínas 04 BB381 Metabolismo 04 BC182 Biologia Celular I 04 BC282 Biologia

Leia mais

FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS EM BIOTECNOLOGIA

FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS EM BIOTECNOLOGIA FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS EM BIOTECNOLOGIA J O Ã O M A S S U D F I L H O P R E S I D E N T E, S B M F C O O R D E N A D O R D O C U R S O D E M F / U N I F E S P C E O, T R I A L S C O N S U L T I N

Leia mais

Conceitos: Microrganismos, Biodeterioração/Conservação/Produção, fermentação, glicólise, piruvato, fermentação alcoólica, fermentação láctica.

Conceitos: Microrganismos, Biodeterioração/Conservação/Produção, fermentação, glicólise, piruvato, fermentação alcoólica, fermentação láctica. Plano da aula Aula 1 Unidade 4: Produção Alimentar e Sustentabilidade Sumário: Fermentação; microrganismos envolvidos e vias metabólicas. Tema: Microbiologia e Indústria alimentar; Fermentação e actividade

Leia mais

ANEXO III. Domínios e áreas científicas

ANEXO III. Domínios e áreas científicas ANEXO III Domínios e áreas científicas Ciências da Vida e da Saúde Neurociências - Molecular e Celular Neurociências, Envelhecimento e Doenças Degenerativas Imunologia e Infeção Diagnóstico, Terapêutica

Leia mais

Currículos dos Cursos do CCB UFV CIÊNCIAS BIOLÓGICAS. COORDENADOR DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Marco Aurélio Pedron e Silva pedron@mail.ufv.

Currículos dos Cursos do CCB UFV CIÊNCIAS BIOLÓGICAS. COORDENADOR DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Marco Aurélio Pedron e Silva pedron@mail.ufv. 88 Currículos dos Cursos do CCB UFV CIÊNCIAS BIOLÓGICAS COORDENADOR DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Marco Aurélio Pedron e Silva pedron@mail.ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2002 89 Bacharelado e Licenciatura

Leia mais

Mestrado em Ensino da Física e da Química

Mestrado em Ensino da Física e da Química Mestrado em Ensino da Física e da Química Mestrado em Ensino da Física e da Química - Faculdade de Ciências da Universidade do Porto 1 5. Estrutura curricular e plano de estudos FORMULÁRIO 1. Estabelecimento

Leia mais

Ciência sem Fronteiras Alemanha (CsF) Oferta curricular para bolsistas CsF. Programa de Engenharia de Processos Resumo

Ciência sem Fronteiras Alemanha (CsF) Oferta curricular para bolsistas CsF. Programa de Engenharia de Processos Resumo Bernburg Dessau Köthen Hochschule Anhalt Fachbereich Angewandte Biowissenschaften und Prozesstechnik Ciência sem Fronteiras Alemanha (CsF) Oferta curricular para bolsistas CsF Departamento de Biociências

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA 30-30 02

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA 30-30 02 MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA 1º SEMESTRE 1. Anatomia Humana 30 30 60 04-2. Bioestatística Geral 30-30 02-3. Bioética 30-30 02-4. Biofísica 60-60 04-5. Citologia, Histologia e Embriologia

Leia mais

CIÊNCIAS BIOLÓGICAS. COORDENADORA Mara Garcia Tavares mtavares@ufv.br

CIÊNCIAS BIOLÓGICAS. COORDENADORA Mara Garcia Tavares mtavares@ufv.br CIÊNCIAS BIOLÓGICAS COORDENADORA Mara Garcia Tavares mtavares@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2009 117 Bacharelado ATUAÇÃO O Bacharelado em Ciências Biológicas tem como objetivo principal formar e capacitar

Leia mais

II 4BIOTEC 4 dias pela biotecnologia

II 4BIOTEC 4 dias pela biotecnologia II 4BIOTEC 4 dias pela biotecnologia 01 a 04 de Agosto Auditório Bento Prado Júnior Universidade Federal de São 03/08/2010 02/08/2010 Horário Atividade 08:30 12:00 Entrega do Material 14:00 15:30 Conferência

Leia mais

CONSIDERANDO a solicitação da Comissão Coordenadora do Programa, conforme processo nº 29900/2010;

CONSIDERANDO a solicitação da Comissão Coordenadora do Programa, conforme processo nº 29900/2010; DELIBERAÇÃO Câmara de Pós-Graduação Nº 004/2010 Reestrutura a organização curricular do Programa de Pós- Graduação em Ciência de Alimentos, em nível de Mestrado e Doutorado. CONSIDERANDO a solicitação

Leia mais

Curso(s): Licenciaturas em Engenharia Total de horas Aulas Teórico-Práticas 60 h

Curso(s): Licenciaturas em Engenharia Total de horas Aulas Teórico-Práticas 60 h UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA F A C U L D A D E D E E NGE N H ARIA Disciplina de DESENHO Contexto da Disciplina Horas de Trabalho do Aluno Curso(s): Licenciaturas em Engenharia Total de horas Aulas

Leia mais

FABIO Faculdade de Biociências

FABIO Faculdade de Biociências FABIO Faculdade de Biociências Secretaria: Prédio 12 - Bloco A - sala 204 Fone: 33.20.35.45 E-mail: biociencias@pucrs.br www.pucrs.br/fabio Departamentos: Ciências Morfológicas n.º 311 Ciências Fisiológicas

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA: BIOQUÍMICA

PROGRAMA DE DISCIPLINA: BIOQUÍMICA PROGRAMA DE DISCIPLINA: BIOQUÍMICA Departamento de Ciências Fisiológicas Carga horária total: 188h Ano letivo: 2012 - Série: 1º ano - Curso de Medicina Coordenador: Professor Doutor Wagner Ricardo Montor

Leia mais

FEFUC - FOLDER EXPLICATIVO DE FUNCIONAMENTO DE CURSOS CURSO DE FARMÁCIA 1ª LINHA CONCEITUAL: CARACTERIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DE FARMÁCIA

FEFUC - FOLDER EXPLICATIVO DE FUNCIONAMENTO DE CURSOS CURSO DE FARMÁCIA 1ª LINHA CONCEITUAL: CARACTERIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DE FARMÁCIA 1 FEFUC - FOLDER EXPLICATIVO DE FUNCIONAMENTO DE CURSOS CURSO DE FARMÁCIA 1ª LINHA CONCEITUAL: CARACTERIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DE FARMÁCIA O PROFISSIONAL FARMACÊUTICO O Farmacêutico é um profissional da

Leia mais

Universidade Federal de São Paulo Campus São José dos Campos LISTA DE DISCIPLINAS DA GRADUAÇÃO

Universidade Federal de São Paulo Campus São José dos Campos LISTA DE DISCIPLINAS DA GRADUAÇÃO A B C Álgebra Linear Álgebra Linear Computacional Álgebra Linear II Algoritmos e Estrutura de Dados I Algoritmos e Estrutura de Dados II Algoritmos em Bioinformática Alteridade e Diversidade no Brasil

Leia mais

REGULAMENTO DE TRABALHO EXPERIMENTAL EM BIOLOGIA MARINHA DO MESTRADO EM BIOLOGIA MARINHA

REGULAMENTO DE TRABALHO EXPERIMENTAL EM BIOLOGIA MARINHA DO MESTRADO EM BIOLOGIA MARINHA REGULAMENTO DE TRABALHO EXPERIMENTAL EM BIOLOGIA MARINHA DO MESTRADO EM BIOLOGIA MARINHA INTRODUÇÃO A unidade curricular Trabalho Experimental em Biologia Marinha, adiante designada TEBM, é uma unidade

Leia mais

PROGRAMA TEÓRICO. 2. O Dogma Central da Biologia Molecular

PROGRAMA TEÓRICO. 2. O Dogma Central da Biologia Molecular PROGRAMA TEÓRICO 1. As moléculas da Biologia Molecular: DNA, RNA e proteínas Aspectos particulares da composição e estrutura do DNA, RNA e proteínas. EG- Características bioquímicas dos ácidos nucleicos,

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n 95/ 2011 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em, Bacharelado, do Centro

Leia mais

Ficha da Unidade Curricular (UC)

Ficha da Unidade Curricular (UC) Impressão em: 03-01-2013 16:13:42 Ficha da Unidade Curricular (UC) 1. Identificação Unidade Orgânica : Escola Superior de Tecnologia e Gestão Curso : [IS] Informática para a Saúde Tipo de Curso : UC/Módulo

Leia mais

QUÍMICA Disciplina A Disciplina B Código Disciplina C/H Curso Disciplina C/H Código Curso Ano do Currículo 1ª período

QUÍMICA Disciplina A Disciplina B Código Disciplina C/H Curso Disciplina C/H Código Curso Ano do Currículo 1ª período QUÍMICA Código Disciplina C/H Curso Disciplina C/H Código Curso Ano do Conclusão 74471 Química Estrutural 34 Química Química Inorgânica para Ciências Farmacêuticas OU 68 68977 Ciências Farmacêuticas 2008

Leia mais

IX CONGRESSO MUNDIAL DE FARMACÊUTICOS DA APRESENTAÇÃO

IX CONGRESSO MUNDIAL DE FARMACÊUTICOS DA APRESENTAÇÃO REPÚBLICA DE ANGOLA FORMAÇÃO PRÉ-GRADUADA, PÓS-GRADUADAP E CONTÍNUA NUA EM ANGOLA Manuel Londa Vueba, Ph.D. IX CONGRESSO MUNDIAL DE FARMACÊUTICOS DA COMUNIDADE DE PAÍSES DE LÍNGUA L PORTUGUESA (CPLP) Cidade

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular CONTABILIDADE FINANCEIRA Ano Lectivo 2010/2011

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular CONTABILIDADE FINANCEIRA Ano Lectivo 2010/2011 Programa da Unidade Curricular CONTABILIDADE FINANCEIRA Ano Lectivo 2010/2011 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (1º Ciclo) 2. Curso Economia 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular

Leia mais

Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas

Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas UNIVERSIDAD DE COIMBRA (PORTUGAL) PROGRAMA DE FARMACIA Mestrado Integrado em Ciências s Ciências s voltar ao curso Plano de Estudos: Nome da Biologia Celular 1 01550003 Física Aplicada 1 01550014 Histologia

Leia mais

Manual Pedagógico para Biotecnologia Farmacêutica Mestrado em Ciências Farmacêuticas

Manual Pedagógico para Biotecnologia Farmacêutica Mestrado em Ciências Farmacêuticas Universidade de Sorocaba Manual Pedagógico para Biotecnologia Farmacêutica Mestrado em Ciências Farmacêuticas Prof. Doutor Victor Manuel Cardoso Figueiredo Balcão UNISO Sorocaba Ano letivo 2012/2013 Ficha

Leia mais

ANEXO LISTA DOS CURSOS DE GRADUAÇÂO ELEGIVEIS PELO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS

ANEXO LISTA DOS CURSOS DE GRADUAÇÂO ELEGIVEIS PELO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS ANEXO LISTA DOS CURSOS DE GRADUAÇÂO ELEGIVEIS PELO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS Agricultura Sustentável Agrimensura Agroecologia Agroindústria Agroindústria - Alimentos Agroindústria - Madeira Agronegócio

Leia mais

Síntese Artificial de Peptídeos

Síntese Artificial de Peptídeos Síntese Artificial de Peptídeos Rebeca Bayeh Seminário apresentado para a disciplina Princípios Físicos Aplicados à Fisiologia (PGF530) Prof. Dr. Adriano Mesquita Alencar Segundo semestre de 2013 Motivação

Leia mais

SECTOR DA SAÚDE. Investigador Entidade. Nº Pág.

SECTOR DA SAÚDE. Investigador Entidade. Nº Pág. SECTOR DA SAÚDE Nº Perfil das PME e Associações Industriais Requeridas Projecto Pretende-se uma empresa que invista na tecnologia associada ao desenvolvimento do projecto, nomeadamente para os testes in

Leia mais

ESCOLA DE ENGENHARIA DE LORENA EEL/USP PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA INDUSTRIAL - PPGBI

ESCOLA DE ENGENHARIA DE LORENA EEL/USP PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA INDUSTRIAL - PPGBI ESCOLA DE ENGENHARIA DE LORENA EEL/USP PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA INDUSTRIAL - PPGBI EDITAL PARA A SELEÇÃO DE MESTRADO, DOUTORADO E DOUTORADO DIRETO Encontram-se abertas na EEL-USP as inscrições

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular INFORMÁTICA Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular INFORMÁTICA Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular INFORMÁTICA Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (1º Ciclo) 2. Curso Gestão das Organizações Desportivas 3. Ciclo de Estudos 1º 4.

Leia mais

Desafios regulatórios Até onde vai a liberdade do Pesquisador?

Desafios regulatórios Até onde vai a liberdade do Pesquisador? Desafios regulatórios Até onde vai a liberdade do Pesquisador? Equipe de Identificação de pré-candidatos (internos ou externos) Pré-candidatos selecionados? Criação da Equipe do Projeto - Diretoria Diretória

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA PRO-REITORIA ACADÊMICA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA PRO-REITORIA ACADÊMICA DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Campus: Uruguaiana Curso: Enfermagem Componente Curricular: Genética Humana Código: UR 1303 Pré requisito: UR 1103 Co- requisito: ---------- Professor: Michel Mansur Machado Carga

Leia mais

A Cardiopneumologia é a Ciência que estuda a função (fisiologia) e estrutura sistemas cardíaco, vascular e respiratório.

A Cardiopneumologia é a Ciência que estuda a função (fisiologia) e estrutura sistemas cardíaco, vascular e respiratório. Licenciatura Cardiopneumologia Descrição A Cardiopneumologia é a Ciência que estuda a função (fisiologia) e estrutura sistemas cardíaco, vascular e respiratório. O Cardiopneumologista é o profissional

Leia mais

Suplemento ao Diploma

Suplemento ao Diploma Suplemento ao Diploma 1. INFORMAÇÃO SOBRE O TITULAR DA QUALIFICAÇÃO 1.1 Apelido(s): XXXXXXx 1.2 Nome(s) próprio(s): XXXXXXXXXXXXX O presente Suplemento ao Diploma segue o modelo elaborado pela Comissão

Leia mais

UFV Catálogo de Graduação 2011 197 ENGENHARIA AMBIENTAL. COORDENADORA Ann Honor Mounteer ann@ufv.br

UFV Catálogo de Graduação 2011 197 ENGENHARIA AMBIENTAL. COORDENADORA Ann Honor Mounteer ann@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2011 197 ENGENHARIA AMBIENTAL COORDENADORA Ann Honor Mounteer ann@ufv.br 198 Currículos dos Cursos do CCE UFV Engenheiro Ambiental ATUAÇÃO O curso de Engenharia Ambiental da UFV

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular GESTÃO COMERCIAL E DAS VENDAS Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular GESTÃO COMERCIAL E DAS VENDAS Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular GESTÃO COMERCIAL E DAS VENDAS Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (1º Ciclo) 2. Curso Gestão de Empresa 3. Ciclo de Estudos 1º 4.

Leia mais

RESOLUÇÃO CONEPE nº 005/2013

RESOLUÇÃO CONEPE nº 005/2013 RESOLUÇÃO CONEPE nº 005/2013 Aprova alterações na grade curricular do Curso de Bacharelado em Ciências Biológicas, Ênfase Biologia Marinha e e Ênfase Gestão Ambiental Marinha e. O Conselho de Ensino, Pesquisa

Leia mais

MATRIZ DA PROVA DE EXAME A NÍVEL DE ESCOLA AO ABRIGO DO DECRETO-LEI Nº 357/2007 DE 29 DE OUTUBRO BIOLOGIA 12º ANO

MATRIZ DA PROVA DE EXAME A NÍVEL DE ESCOLA AO ABRIGO DO DECRETO-LEI Nº 357/2007 DE 29 DE OUTUBRO BIOLOGIA 12º ANO MATRIZ DA PROVA DE EXAME A NÍVEL DE ESCOLA AO ABRIGO DO DECRETO-LEI Nº 357/2007 DE 29 DE OUTUBRO Duração da Prova 90 minutos + 30 minutos de tolerância BIOLOGIA 12º ANO (Cursos Científico-Humanísticos

Leia mais

Capítulo 3 Clonagem de plantas proliferação de meristemas e organogénese... 75 3.1. Introdução... 75 3.2. Tipos de meristemas... 76 3.2.1.

Capítulo 3 Clonagem de plantas proliferação de meristemas e organogénese... 75 3.1. Introdução... 75 3.2. Tipos de meristemas... 76 3.2.1. Sumário 7 Apresentação... 13 Lista de abreviaturas... 16 Capítulo 1 Introdução Geral... 19 1.1. O problema da alimentação à escala planetária... 19 1.2. O conceito de Biotecnologia... 27 1.3. A utilização

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular GESTÃO DAS EMPRESAS DESPORTIVAS Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular GESTÃO DAS EMPRESAS DESPORTIVAS Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular GESTÃO DAS EMPRESAS DESPORTIVAS Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (1º Ciclo) 2. Curso Gestão das Organizações Desportivas 3. Ciclo

Leia mais

Ambiente de Inovação. Biotecnologia. Micro e Pequenas Empresas

Ambiente de Inovação. Biotecnologia. Micro e Pequenas Empresas P&D e Inovação para Micro e Pequena Empresas do Estado do Rio de Janeiro: Como criar um ambiente de inovação nas empresas Estudo Setorial de Biotecnologia Prof a Adelaide Antunes Escola de Química da UFRJ

Leia mais

Unidades curriculares disponíveis para Programa IPL60+ 1º Semestre 15-16. Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar

Unidades curriculares disponíveis para Programa IPL60+ 1º Semestre 15-16. Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar Unidades curriculares disponíveis para Programa IPL60+ Semestre 15-16 Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar Animação Turística Inglês para Animação I Língua Estrangeira I (Espanhol I / Alemão

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO E GESTÃO DE PESSOAL

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO E GESTÃO DE PESSOAL Instituto de Ciências da Arte Universidade Federal do Pará Secretaria do Instituto de Ciências da Arte da UFPA, Av. Presidente Vargas Praça da Republica, n : s/n, Bairro: Campina, CEP: 66017060, Belém

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular FINANÇAS Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular FINANÇAS Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular FINANÇAS Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (2º Ciclo) 2. Curso Mestrado em Gestão 3. Ciclo de Estudos 2º 4. Unidade Curricular FINANÇAS

Leia mais

Titulação: Mestre em Química com área de concentração em Química Analítica UESB PLANO DE CURSO

Titulação: Mestre em Química com área de concentração em Química Analítica UESB PLANO DE CURSO CURSO DE FARMÁCIA Reconhecido pela Portaria MEC nº 220 de 01.11.12, DOU de 06.11.12 Componente Curricular: Controle de Qualidade de Água Código: FAR 207 Pré-requisito: - Nenhum Período Letivo: 2014.1 Professor:

Leia mais

Departamento de Ciências da Saúde LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOMÉDICAS - 2014-2015. Biologia Oral II. Designação ECTS Docentes T TP.

Departamento de Ciências da Saúde LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOMÉDICAS - 2014-2015. Biologia Oral II. Designação ECTS Docentes T TP. LICENCIATURA Ciências Biomédicas ANO/SEMESTRE UNIDADE CURRICULAR Biologia Oral II ANO LECTIVO 3 º Ano/1.º Semestre 2014/2015 ECTS DA UNIDADE HORAS DE CONTACTO 7 T:20 TP:14 RESPONSÁVEL DA UNIDADE Nuno Rosa

Leia mais

Caros alunos do curso de Biologia

Caros alunos do curso de Biologia Caros alunos do curso de Biologia Foi do entendimento dos Departamentos de Biologia Vegetal e de Biologia Animal, ser necessário fazer pequenos ajustes no Curso de Biologia, face à necessidade de adequar

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular INTRODUÇÃO À ECONOMIA Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular INTRODUÇÃO À ECONOMIA Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular INTRODUÇÃO À ECONOMIA Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (1º Ciclo) 2. Curso Relações Internacionais 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular

Leia mais

Faculdade de Ciências e Tecnologia Diploma de Estudos Avançados Engenharia Sanitária e Gestão Integrada de Resíduos. 1º Período

Faculdade de Ciências e Tecnologia Diploma de Estudos Avançados Engenharia Sanitária e Gestão Integrada de Resíduos. 1º Período 1. Plano de estudos: Faculdade de Ciências e Tecnologia Diploma de Estudos Avançados Engenharia Sanitária e Gestão Integrada de Resíduos 1º Período QUADRO N.º 2-Engenharia Sanitária e Gestão Integrada

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES Ano Lectivo 2012/2013

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES Ano Lectivo 2012/2013 Programa da Unidade Curricular SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES Ano Lectivo 2012/2013 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (1º Ciclo) 2. Curso Engenharia Electrotécnica e de Computadores 3.

Leia mais

EDITAL N 01/2008/INPA CONCURSO PÚBLICO ANEXO I VAGAS CONFORME AS CARREIRAS E PERFIS CORRESPONDENTES E LISTA DE TEMAS PARA PROVA ESCRITA.

EDITAL N 01/2008/INPA CONCURSO PÚBLICO ANEXO I VAGAS CONFORME AS CARREIRAS E PERFIS CORRESPONDENTES E LISTA DE TEMAS PARA PROVA ESCRITA. EDITAL N 01/2008/INPA CONCURSO PÚBLICO ANEXO I VAGAS CONFORME AS CARREIRAS E PERFIS CORRESPONDENTES E LISTA DE TEMAS PARA PROVA ESCRITA. 1. CARREIRA DE PESQUISA EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA CARGO DE PESQUISADOR

Leia mais

Professor Doutor Pedro Raposo de Almeida (DBUE), pmra@uevora.pt. Professora Doutora Maria Teresa Ferreira (ISA), terferreira@isa.utl.

Professor Doutor Pedro Raposo de Almeida (DBUE), pmra@uevora.pt. Professora Doutora Maria Teresa Ferreira (ISA), terferreira@isa.utl. EDITAL 1. TORNA-SE PÚBLICO A ABERTURA DA EDIÇÃO Nº 1 A INICIAR NO ANO LECTIVO 2007/2008 DO MESTRADO EM GESTÃO E CONSERVAÇÃO DE RECURSOS NATURAIS REGISTADO NA DGES COM O Nº R/B-CR100/2007. 2. O CURSO É

Leia mais

23-28 Novembro 2015. Programa de atividades. 24 de Novembro - Dia Nacional da Cultura Científica

23-28 Novembro 2015. Programa de atividades. 24 de Novembro - Dia Nacional da Cultura Científica 23-28 Novembro 2015 Programa de atividades 24 de Novembro - Dia Nacional da Cultura Científica 2015 28Nov sábado MUSEU GEOLÓGICO DE PORTUGAL DIA ABERTO Data: 28.11.2015 (Sábado) 15h00-16h30 Local de encontro:

Leia mais

CATÓLICA. VISEU Departamento de Ciências da Saúde LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOMÉDICAS - 2014-2015

CATÓLICA. VISEU Departamento de Ciências da Saúde LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOMÉDICAS - 2014-2015 LICENCIATURA Ciências Biomédicas UNIDADE CURRICULAR Microbiologia ANO/SEMESTRE ANO LECTIVO 2 º Ano/1.º Semestre 2014/2015 ECTS DA UNIDADE HORAS DE CONTACTO 6 T:35 TPs:14 RESPONSÁVEL da UNIDADE Maria José

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Ano Lectivo 2012/2013

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Ano Lectivo 2012/2013 1. Unidade Orgânica 2. Curso Ciências Humanas e Sociais (2º Ciclo) UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA MESTRADO EM ENSINO DE ARTES VISUAIS NO 3.º CICLO DO ENSINO BÁSICO E NO ENSINO SECUNDÁRIO 3. Ciclo de Estudos

Leia mais

A USC E O ESPAÇO EUROPEU DE EDUCAÇÃO SUPERIOR

A USC E O ESPAÇO EUROPEU DE EDUCAÇÃO SUPERIOR A USC E O ESPAÇO EUROPEU DE EDUCAÇÃO SUPERIOR est udos of erecem CALENDÁRIO ACADÉMICO Início do curso: Setembro Primeiro quadrimestre: Setembro a Janeiro Segundo quadrimestre: Fevereiro a Junho 2 Ciências

Leia mais

FACULDADE CATÓLICA SALESIANA DO ESPÍRITO SANTO

FACULDADE CATÓLICA SALESIANA DO ESPÍRITO SANTO FACULDADE CATÓLICA SALESIANA DO ESPÍRITO SANTO SECRETARIA GERAL/FCSES EDITAL Nº009/2010 EDITAL DE SELEÇÃO DO PROGRAMA DE MONITORIA VOLUNTÁRIA PARA O 2º SEMESTRE DE 2010 A Secretária Geral da Faculdade

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular HIGIENE, SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO Ano Lectivo 2011/2012

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular HIGIENE, SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO Ano Lectivo 2011/2012 Programa da Unidade Curricular HIGIENE, SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO Ano Lectivo 2011/2012 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (2º Ciclo) 2. Curso Mestrado em Gestão de Recursos Humanos

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular MARKETING INDUSTRIAL E DOS SERVIÇOS Ano Lectivo 2010/2011

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular MARKETING INDUSTRIAL E DOS SERVIÇOS Ano Lectivo 2010/2011 UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA Programa da Unidade Curricular MARKETING INDUSTRIAL E DOS SERVIÇOS Ano Lectivo 2010/2011 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (1º Ciclo) 2. Curso Marketing

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 19/04-CEPE

RESOLUÇÃO Nº 19/04-CEPE RESOLUÇÃO Nº 19/04-CEPE Fixa o Currículo Pleno do Curso de Farmácia, do Setor de Ciências da Saúde. O, órgão normativo, consultivo e deliberativo da Administração Superior, no uso de suas atribuições conferidas

Leia mais

Mestrado Biotecnologia e Inovação Um mestrado de 90 ECTS 3 semestres com especialização em:

Mestrado Biotecnologia e Inovação Um mestrado de 90 ECTS 3 semestres com especialização em: Mestrado Biotecnologia e Inovação Um mestrado de 90 ECTS 3 semestres com especialização em: > Ciência Alimentar > Nutrição Humana > Saúde e Qualidade de Vida > Ambiente e Sustentabilidade Uma estrutura

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA Centro Regional das Beiras Departamento de Economia, Gestão e Ciências Sociais

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA Centro Regional das Beiras Departamento de Economia, Gestão e Ciências Sociais UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA Centro Regional das Beiras Departamento de Economia, Gestão e Ciências Sociais UNIDADE CURRICULAR Qualidade Total e Gestão das Operações MESTRADO Gestão Negócios ANO E

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES. DISCIPLINA: Biologia TURMAS : A/B/C ANO: 12º ANO LECTIVO 2010/2011 ACTIVIDADES ESTRATÉGIAS

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES. DISCIPLINA: Biologia TURMAS : A/B/C ANO: 12º ANO LECTIVO 2010/2011 ACTIVIDADES ESTRATÉGIAS ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES SECUNDÁRIO DISCIPLINA: Biologia TURMAS : A/B/C ANO: 12º ANO LECTIVO 2010/2011 COMPETÊNCIAS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ACTIVIDADES ESTRATÉGIAS AULAS PREVISTAS

Leia mais

DGES DIRECÇÃO GERAL DO ENSINO SUPERIOR MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR FORMULÁRIO

DGES DIRECÇÃO GERAL DO ENSINO SUPERIOR MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR FORMULÁRIO FORMULÁRIO 1. Estabelecimento de ensino: INSTITUTO POLITÉCNICO DE BEJA 2. Unidade orgânica (faculdade, escola, instituto, etc.): 3. Curso: SAÚDE AMBIENTAL 4. Grau ou diploma: Licenciado 5. Área científica

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular FINANÇAS Ano Lectivo 2011/2012

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular FINANÇAS Ano Lectivo 2011/2012 Programa da Unidade Curricular FINANÇAS Ano Lectivo 2011/2012 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (2º Ciclo) 2. Curso Mestrado em Gestão 3. Ciclo de Estudos 2º 4. Unidade Curricular FINANÇAS

Leia mais

DA AGENDA CONSTRUÇÃO EMPRESA GOVERNO. Participação da sociedade ACADEMIA. Três Workshops. Consultores especializados

DA AGENDA CONSTRUÇÃO EMPRESA GOVERNO. Participação da sociedade ACADEMIA. Três Workshops. Consultores especializados Participação da sociedade CONSTRUÇÃO DA AGENDA Três Workshops Consultores especializados Colaboradores e revisores internos e externos Pesquisa de campo EMPRESA ACADEMIA GOVERNO AGENDA DE BIOECONOMIA:

Leia mais

NCE/12/01121 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/12/01121 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/12/01121 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de Ensino Superior / Entidade Instituidora: Universidade Do Algarve A.1.a.

Leia mais

Isto inclui o desenvolvimento de processos condizentes com a elaboração e a obtenção de produtos de interesse para as seguintes áreas:

Isto inclui o desenvolvimento de processos condizentes com a elaboração e a obtenção de produtos de interesse para as seguintes áreas: 1 4 - Seu Curso 4.1 - Informações Específicas sobre o Curso É apresentada a importância crescente da Biotecnologia e os reflexos no campo de atuação de seus profissionais, em áreas como engenharia genética,

Leia mais

Curso de Licenciatura em Ciências Naturais e Matemática. Formação Geral 1º e 2º anos

Curso de Licenciatura em Ciências Naturais e Matemática. Formação Geral 1º e 2º anos Formação Geral 1º e 2º anos DISCIPLINA 1º Semestre Cultura Brasileira História da Educação Inglês I Leitura e Produção de Textos Letramento Digital Matemática Sociedade, Tecnologia e Inovação 2º Semestre

Leia mais

GUIA BIOTRAINING A SUA EMPRESA BIOTECNOLÓGICA MAIS PRÓXIMA

GUIA BIOTRAINING A SUA EMPRESA BIOTECNOLÓGICA MAIS PRÓXIMA GUIA BIOTRAINING A SUA EMPRESA BIOTECNOLÓGICA MAIS PRÓXIMA 1 BIOTECNOLOGIA... 3 2 BIOTRAINING... 4 O QUE É?... 4 OBJECTIVOS... 4 A QUEM SE DIRIGE?... 5 QUE POSSO OBTER PARTICIPANDO EM BIOTRAINING?... 5

Leia mais

Dias Abertos no CNC Semana da Ciência e da Tecnologia 2012

Dias Abertos no CNC Semana da Ciência e da Tecnologia 2012 Dias Abertos no CNC Semana da Ciência e da Tecnologia 2012 Centro de Neurociências e Biologia Celular Universidade de Coimbra Durante a Semana da Ciência e da Tecnologia, de 19 a 25 de Novembro, instituições

Leia mais

Maria Augusta Soares. 15-16 de Dezembro 2010

Maria Augusta Soares. 15-16 de Dezembro 2010 Maria Augusta Soares F ld d de Faculdade d Farmácia F á da d Universidade U d d de d Lisboa L b 15-16 de Dezembro 2010 Panorama Farmacêutico em Portugal Ensino em Ciências i Farmacêuticas Pré graduado

Leia mais

LICENCIATURA EM ECOLOGIA E PAISAGISMO. Normas Regulamentares

LICENCIATURA EM ECOLOGIA E PAISAGISMO. Normas Regulamentares LICENCIATURA EM ECOLOGIA E PAISAGISMO Normas Regulamentares As presentes normas visam dar cumprimento ao artigo 14º do Decreto-Lei nº 74/2006, de 24 de Março. Diversa informação relativa a matérias aqui

Leia mais

FACIDER FACULDADE DE COLIDER. FACIDER atualizado 2014/1 FARMACIA, BACHARELADO ESTUDOS FORMATIVOS Página 1

FACIDER FACULDADE DE COLIDER. FACIDER atualizado 2014/1 FARMACIA, BACHARELADO ESTUDOS FORMATIVOS Página 1 Portaria Credenciamento IES: Portaria 1658 D.O.U. 25/07/01. Portaria Autorização Administração : Portaria 1658 D.O.U. 25/07/01 Portaria Reconhecimento Administração : Portaria 3.519 D.O.U.14/10/05. Portaria

Leia mais

EDITAL 01/2012 ABRE PERÍODO DE INSCRIÇÃO PARA VAGAS NO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO STRICTO SENSU DOUTORADO

EDITAL 01/2012 ABRE PERÍODO DE INSCRIÇÃO PARA VAGAS NO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO STRICTO SENSU DOUTORADO 1 EDITAL 01/2012 ABRE PERÍODO DE INSCRIÇÃO PARA VAGAS NO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO STRICTO SENSU DOUTORADO EM BIOTECNOLOGIA, DA UNIVERSIDADE BANDEIRANTE DE SÃO PAULO, RECOMENDADO PELA CAPES COM NOTA 04.

Leia mais

Universidade do Algarve. Faculdade de Ciências do Mar e do Ambiente

Universidade do Algarve. Faculdade de Ciências do Mar e do Ambiente Universidade do Algarve Faculdade de Ciências do Mar e do Ambiente Licenciatura (1º Ciclo) em Engenharia do Ambiente: Duração: 3 anos Grau: Licenciatura Directores de Curso: Prof.ª Doutora Maria João Bebianno

Leia mais

Pós-Graduação Conservação e Reabilitação do Edificado

Pós-Graduação Conservação e Reabilitação do Edificado Pós-Graduação Conservação e Reabilitação do Edificado Edital 4ª Edição 2012-2013 Barreiro, Julho de 2012 Pós-Graduação Conservação e Reabilitação do Edificado 1 ENQUADRAMENTO A Pós-Graduação em Conservação

Leia mais

Mestrado: Uso Sustentável de Recursos Naturais em Regiões Tropicais

Mestrado: Uso Sustentável de Recursos Naturais em Regiões Tropicais Mestrado: Uso Sustentável de Recursos Naturais em Regiões Tropicais Informações Gerais Nível do Curso: Mestrado Profissional (Pós-graduação stricto sensu) Área Básica: Meio Ambiente e Agrárias Área de

Leia mais

Auto-avaliação da Licenciatura em Gestão e Administração Hoteleira

Auto-avaliação da Licenciatura em Gestão e Administração Hoteleira Auto-avaliação da Licenciatura em Gestão e Administração Hoteleira Relatório Resumo Junho de 2012 Índice 1. Objectivo... 3 2. Enquadramento... 3 3. Trabalho realizado... 3 4. Dados síntese da Licenciatura

Leia mais

Caracterização de Disciplina

Caracterização de Disciplina Disciplina/Turma: GEV501 Produção de Proteínas Recombinantes 2012/1 de Créditos: 6 30 30 30 90 Professor(a) Responsável: Dra. Andrea Soares da Costa Fuentes : De 23 de julho a 06 de agosto, das 8h às 12

Leia mais

Objectivos gerais do ciclo de estudos:

Objectivos gerais do ciclo de estudos: Informações Gerais e Oferta Formativa de Cursos Avançados 1º Edição (2015-2019) Programa de Doutoramento em Ciências Biológicas Aplicadas à Saúde PhD program in Biological Sciences Applied to Health Objectivos

Leia mais