Redes de Conhecimento Antônio Carlos Fernandes Nunes

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Redes de Conhecimento Antônio Carlos Fernandes Nunes"

Transcrição

1 2º Congresso Ibero-Americano de Gestão do Conhecimento e Inteligência Competitiva Redes de Conhecimento Antônio Carlos Fernandes Nunes 31 de Julho de 2008 RNP/PAL/ RNP Flávio Cruvinel Brandão (www.flick.com)

2 O que é a RNP? Rede de Pesquisa: equivalente brasileiro à Internet2 (EUA) ou Renater (FR) Com mandato para o desenvolvimento tecnológico de redes, coordena o Programa Interministerial MEC/MCT Associação civil sem fins lucrativos, qualificada como Organização Social pelo governo do Brasil, vinculada ao MCT Parcerias com universidades, centros de pesquisa, agências federais, empresas de tecnologia, etc Planejamos e operamos a - rede Ipê - que inclui trabalhar com consórcios nas cidades para criação de redes ópticas com nossos clientes Para promover o desenvolvimento da Internet realizamos (1) inovação em aplicações, e (2) capacitação de recursos humanos Promover o uso inovador de redes avançadas no Brasil 2

3 O Programa Interministerial MEC/MCT Mais de 400 organizações usuárias (IFES, CEFETs, UPs e agências) Governança política: Comitê Gestor RNP MEC: SESU, SAA MCT: SPOA, SEPIN, RNP-OS Governança administrativa: Conselho de Administração da RNP MEC, MCT, SBC, LARC, PoP, Associados, Usuários Promover o uso inovador de redes avançadas no Brasil 3

4 Marcos Marcos do ciclo da RNP Atendidas 100% das 250 instituições federais (Universidades, CEFETS, Centros de Pesquisa, Embrapa, Fiocruz, EAFs) Maior qualidade e capacidade da rede nacional de alto desempenho Comparando 2004 com 2005, a rede nacional: aumentou a capacidade 30 vezes (60 Gigabit/seg), e diminuiu o custo anual em 30% Interligação de 12 países latino-americanos através da Rede Clara primeira interconexão direta regional e com a Europa Implantação dos programas de inovação e operação Difusão de aplicações de vídeo digital e voz para comunicação: VoIP para todos os clientes (redução média de R$ 30 mil/mês/cliente) Videoconferências nacionais e internacionais sem custo adicional Telemedicina entre 19 Hospitais Universitários e com o PSF/MS Soluções baseadas em empresas de base tecnológica e grupos de pesquisa brasileiros Promover o uso inovador de redes avançadas no Brasil 4

5 Novo Ciclo da RNP: Componentes: NACIONAL: Rede Ipê, 10 Gigabit/seg METROPOLITANO: Redecomep, instituições usuárias ligadas a 1 Gigabit/seg CAMPUS: VoIP, videoconferência, RUTE Ipê, RedClara RedeCOMEP VoIP, VC, Diretórios, ICP-Edu, Wimesh, RUTE RITU Capacitação Escola Superior de Redes (ESR) Promover o uso inovador de redes avançadas no Brasil 5

6

7 Panorama do backbone Fonte: Promover o uso inovador de redes avançadas no Brasil 7

8 Rede de classe mundial Fonte: Promover o uso inovador de redes avançadas no Brasil 8

9 Rede de classe mundial Fonte: Promover o uso inovador de redes avançadas no Brasil 9

10 Rede Clara, além de 2008 Estender Rede Clara para todos os países da AL&C Promover aplicações em educação e saúde Início do novo projeto com apoio da Comissão Européia em 2009 Promover o uso inovador de redes avançadas no Brasil 10 Fonte:

11 Promover o uso inovador de redes avançadas no Brasil 11

12 Modelo: Redes Comunitárias Tratar a rede como um patrimônio de uma região (estado, cidade, vila, campus...) e não como um serviço Em um condomínio de organizações cada uma possui suas fibras individuais em um cabo óptico cada um fica responsável por iluminar suas fibras (GbE..) coletivamente repartem os custos de manutenção, relocação, serviços Internet, etc empresas especializadas implantam e mantém a fibra Solução ideal para conexões ponto-a-ponto de instituições fixas retorno típico anterior a 2 anos Vantagens Redução e concentração da complexidade (RH, plataformas e aplicações) Independência de provedores de valor adicionado: pontos neutros Infra-estrutura compartilhada com baixo custo de crescimento incremental, alta capacidade, longa durabilidade Uso de tecnologia sem fio para inclusão nas franjas dos cabos ópticos Promover o uso inovador de redes avançadas no Brasil 12

13 Redecomep: Anéis Ópticos nas Capitais REDECOMEP: Redes Comunitárias de Educação e Pesquisa Ação Transversal: R$ 39 milhões (FNDCT/FINEP) Números 2008: 27 cidades já assinaram o Memorando de Entendimentos (MoU) 6 cidades com a rede em funcionamento 290 instituições ligadas R$ 13 milhões em investimento em fibra própria (estimado) R$ 10 milhões em investimento em equipamentos (estimado) 1200 Km de cobertura Promover o uso inovador de redes avançadas no Brasil 13 Fonte:

14 Redecomep: desafios e resultados Promover o uso inovador de redes avançadas no Brasil 14 Fonte:

15 REDECOMEP do Distrito Federal Parcerias com MPOG (swap) e GDF (extensão da rede) 23 instituições participantes 20 pontos de acesso com no mínimo 1 Gbps Hospital Universitário de Brasília Aproximadamente 65 Km de extensão Estação Experimental Biológica 15 Km de acesso de última milha Biblioteca Nacional de Brasília Promover o uso inovador de redes avançadas no Brasil 15

16 Andamento do projeto nas capitais Características e custos típicos: Cabo óptico, iluminado com equipamentos de prateleira, na velocidade de 1 Gigabit/seg (~ vezes a banda larga doméstica) R$ 22 mil/km, lançamento em postes R$ 90 mil/km, lançamento em dutos Promover o uso inovador de redes avançadas no Brasil 16

17

18 Promover o uso inovador de redes avançadas no Brasil 18

19 Extensão das redes comunitárias para o interior Complementação da infra-estrutura metropolitana de comunicação em cidades do interior do Brasil com densidade de organizações de educação e pesquisa 10 cidades inicialmente contempladas: Campinas, Itajubá, Ouro Preto, Pelotas, Petrolina, São José dos Campos, Uberaba, Uberlândia, Niterói, Petrópolis, além de São Carlos (piloto). A formação de parcerias com os governos estaduais e municipais de modo a suprir as necessidades próprias dessas localidades especialmente no que se refere à conectividade aos Pontos de Presença da RNP nas capitais Promover o uso inovador de redes avançadas no Brasil 19

20 CAMPUS: Revitalizar redes e implantar aplicações Redes e Aplicações no Campus RUTE - Rede Universitária de Telemedicina (www.rute.rnp.br) Fase I Fase II interligar e criar unidade de telemedicina em 19 Hospitais de ensino com grupos atuantes em telemedicina. HU-UFSC, HU-Pedro Ernesto-UERJ, Hospitas das Clínicas-UFPE, Hospital Universitário Prof. Edgar Santos Bahia, HU-UFMA 38 novos membros, 32 já estão com seus projetos aprovados e com contratos em processo de assinatura e devem iniciar o recebimento dos kits de equipamentos a partir de 08/2008. Os demais ainda passam por revisão do projeto. VoIP - utiliza telefonia pela RNP entre instituições no país e exterior capacitação, entrega dos equipamentos, início do serviço (nov/2006) atualmente 67 instituições de educação e pesquisa são usuárias do serviço TI CAMPI - revitalização de redes institucionais, disseminar aplicações em campi e capacitar gestores de TI Promover o uso inovador de redes avançadas no Brasil 20

21 Inovação: Grupos de Trabalho Programa Grupos de Trabalho RNP (GT-RNP) foi lançado em 2002 Viabilizar a criação de projetos colaborativos (entre a RNP e grupos de pesquisa nacionais) que demonstrem a viabilidade de uso de novos protocolos, serviços e aplicações de redes de computadores Alguns resultados dos GTs: serviços para a comunidade/novos projetos: VoIP Vídeo digital (sob demanda, transmissões ao vivo, gerência de vídeo) RITU RITVp Infra-estrutura de chaves públicas (ICP-EDU) Rede mesh de acesso universitário faixa larga sem-fio RUCA Promover o uso inovador de redes avançadas no Brasil 21

22 Inovação: Grupos de Trabalho 2008 GT EDAD - Educação a Distância Edmundo de Souza e Silva (UFRJ) GT Travel - Transporte em Alta Velocidade José Ferreira de Rezende (UFRJ) GT MV - Museus Virtuais Luiz Marcos Garcia Gonçalves (UFRN) GT Overlay - Redes de Serviços Sobrepostos Regina Melo Silveira (LARC-USP) GT ADReF - Automatização de Diagnóstico e Recuperação de Falhas Ronaldo Moreira Salles (IME) GT IEAD - Grupo de Trabalho em Infra-Estrutura para ensino a distância Valter Roesler (UFRGS) GT VCG - Virtual Community Grid Bruno Schulze (LNCC) Fonte: Promover o uso inovador de redes avançadas no Brasil 22

23 Capacitação: Escola Superior de Redes (ESR) Formação em TI Números até 1º/2008: ~1300 alunos já capacitados em cursos práticos (30 horas) 72 alunos de EAFs já capacitados em segurança de redes (2006) 4 unidades prontas em parceria com IFES: UFPB, IBICT/UnB, CBPF/LNCC e UFRGS unidades planejadas: regiões centro-oeste e norte Fonte: Administração de Sistemas Administração e Projeto de Redes Segurança Mídias de Suporte à Colaboração Digital Promover o uso inovador de redes avançadas no Brasil 23

24 Futuro Três fatores impulsionadores da Internet do futuro O cenário para uma rede avançada de Educação e Pesquisa no Brasil Promover o uso inovador de redes avançadas no Brasil 24

25 Redes no futuro - cenário global 1. Comoditização da capacidade entre quaisquer duas cidades novos materiais e protocolos criarão novos produtos na indústria de TIC: como o comprimento de onda de luz (> 10 Gbps) ou o dispositivo de acesso para E&P (faixa do espectro reservada) 2. Integração de serviços de rede e aplicações avançadas automatizada em larga escala middleware irá simplificar a localização e utilização de aplicações, recursos e pessoas colocando o controle nas mãos dos usuários (ex. web services, PKI, grids, etc) 3. Aplicações com imagens, predominantemente entre pares, que conformarão redes comunitárias, sobrepostas à infra-estrutura de TICs o foco de redes acadêmicas terá migrado da infra-estrutura para a modelagem e coordenação de aplicações colaborativas Promover o uso inovador de redes avançadas no Brasil 25

26 Redes de E&P no futuro possível cenário brasileiro Fibra óptica e espectro para uso em E&P nas capitais, grandes cidades e pólos regionais ainda será difícil assegurar qualidade nas aplicações de alto desempenho para organizações e empresas no interior capilarização através da formação de consórcios públicos e privados nas cidades e pólos regionais Aplicações do sistema nacional de C&T&I estarão integradas aos sistemas de educação, cultura, saúde empresas, escolas, universidades, centros de pesquisa, museus, bibliotecas, hospitais de ensino e laboratórios usufruirão de aplicações, como vídeo de alta qualidade, para comunicação e colaboração global As barreiras para uso de aplicações serão maiores nas folhas (campus ou empresa) do que nas supervias falhas na revitalização de infra-estrutura corporativa, integração segura e capital humano em TICs Promover o uso inovador de redes avançadas no Brasil 26

27 Evolução da RNP Indicador Capacidade da troncal nacional (Gbps) Capacidade de conexões internacionais (Gbps) 10 (9 capitais + DF) 10 (21 capitais + DF) 40 a 100 (26 capitais + DF) Capacidade da conexão das organizações à troncal (Mbps) (cidades) 8 (interior) (cidades) 34 (interior) (cidades) (interior) Capacidade das redes de empresas ou campus (Gbps) 0, a 100 Instituições (conexões diretas) > Cobertura nacional (cidades com anéis ópticos) Principal Aplicação (aplicadas à educação, saúde e cultura) Conferência Web, Vídeo streaming Vídeo de alta qualidade, grids Aplicações de colaboração estendida, imersão Atualmente as redes de pesquisa dos países líderes (Canadá, EUA, Japão, Holanda) utilizam a mesma tecnologia e capacidade da rede no Brasil, contudo sua abrangência nacional já foi consolidada, o domínio de aplicações avançadas é amplo entre seus clientes e sua evolução se dá em ciclos temporais inferiores (< 5 anos). Promover o uso inovador de redes avançadas no Brasil 27

28

29 Obrigado! Antônio Carlos Fernandes Nunes Promover o uso inovador de redes avançadas no Brasil 29

Resultados da Lei de Informática - Uma Avaliação. Parte 4 - Programas Prioritários em Informática

Resultados da Lei de Informática - Uma Avaliação. Parte 4 - Programas Prioritários em Informática Resultados da Lei de Informática - Uma Avaliação Parte 4 - Programas Prioritários em Informática Rede Nacional de Pesquisa Ministério da Ciência e Tecnologia Resultados da Lei de Informática - Uma Avaliação

Leia mais

RNP2: Política de Uso Comitê Gestor RNP

RNP2: Política de Uso Comitê Gestor RNP ANEXO 1 À RESOLUÇÃO Nº 04/2001, DO COMITÊ GESTOR RNP RNP2: Política de Uso Comitê Gestor RNP Novembro de 2000 Este documento apresenta as condições e políticas de uso aceitável do backbone RNP2, incluindo

Leia mais

Plano Nacional. de Banda Larga. Brasília, 05 de maio de 2010

Plano Nacional. de Banda Larga. Brasília, 05 de maio de 2010 Plano Nacional de Banda Larga Brasília, 05 de maio de 2010 Sumário 1. Importância Estratégica 2. Diagnóstico 3. Objetivos e Metas 4. Ações 5. Investimento 6. Governança e Fórum Brasil Digital 2 1. Importância

Leia mais

I Simpósio de Ciência e Tecnologia COMCIT. Rede GigaNatal: uma Rede Metropolitana de Alta Velocidade. Sergio Vianna Fialho, D.Sc.

I Simpósio de Ciência e Tecnologia COMCIT. Rede GigaNatal: uma Rede Metropolitana de Alta Velocidade. Sergio Vianna Fialho, D.Sc. I Simpósio de Ciência e Tecnologia COMCIT : uma Rede Metropolitana de Alta Velocidade Sergio Vianna Fialho, D.Sc. CG- RN / PoP- RN Agosto de 2008 Agenda A RNP e as iniciativas do Governo federal Rede Ipê

Leia mais

Tecnologia Videoconferências em Medicina e Saúde

Tecnologia Videoconferências em Medicina e Saúde Tecnologia Videoconferências em Medicina e Saúde O aumento da capacidade de tráfego na Internet e a redução de custos desses serviços têm propiciado o crescimento vertiginoso da aplicação das mais modernas

Leia mais

Programa Nacional de Banda Larga 18 meses depois

Programa Nacional de Banda Larga 18 meses depois Programa Nacional de Banda Larga 18 meses depois Caio Bonilha Telebras 1 Câmara dos Deputados, 06/12/2011 Mercado de Banda Larga no Brasil Conexões Banda Larga por região 9% 2% 17% 63% 9% Norte Nordeste

Leia mais

Desafios para a construção" de uma rede de telecomunicações governamental no Estado

Desafios para a construção de uma rede de telecomunicações governamental no Estado Desafios para a construção" de uma rede de telecomunicações governamental no Estado Cristiane Lima Guadagnin Cardoso I Semana Estadual de Tecnologia da Informação e Comunicação - TIC Maio 2015. 1 AGENDA

Leia mais

Acesso à informação científica no Brasil: políticas, estratégias e programas. Diretoria de Programas - CAPES

Acesso à informação científica no Brasil: políticas, estratégias e programas. Diretoria de Programas - CAPES Acesso à informação científica no Brasil: políticas, estratégias e programas Diretoria de Programas - CAPES Como deveria ser a infra-estrutura de TI das nossas bibliotecas? A infra-estrutura de TI de uma

Leia mais

Telebras Institucional

Telebras Institucional Telebras Institucional Ibirubá-RS, Setembro 2011 A Telebrás Quem somos A TELEBRAS é uma S/A de economia mista, vinculada ao Ministério das Comunicações, autorizada a usar e manter a infraestrutura e as

Leia mais

O direito à tecnologia da informação: perspectivas e desafios. Prof. José Carlos Vaz EACH-USP

O direito à tecnologia da informação: perspectivas e desafios. Prof. José Carlos Vaz EACH-USP O direito à tecnologia da informação: perspectivas e desafios Prof. José Carlos Vaz EACH-USP 1 1. A importância da democratização do acesso à TI A desigualdade no acesso à tecnologia é um fator adicional

Leia mais

Consórcio para Rede Metropolitana de Educação e Pesquisa na Grande Florianópolis. Edison Melo Dezembro/2005

Consórcio para Rede Metropolitana de Educação e Pesquisa na Grande Florianópolis. Edison Melo Dezembro/2005 Consórcio para Rede Metropolitana de Educação e Pesquisa na Grande Florianópolis Edison Melo Dezembro/2005 Agenda Iniciativa RNP/REDECOMEP - O projeto REDECOMEP Iniciativa RCT - Rede Catarinense de Ciência

Leia mais

2ª Oficina para Inclusão Digital Otimização de Redes e Acesso Universal

2ª Oficina para Inclusão Digital Otimização de Redes e Acesso Universal Redes Comunitárias 2ª Oficina para Inclusão Digital Otimização de Redes e Acesso Universal Nelson Simões 28 maio 2003 RNP/PAL/0191 2003 RNP Rede Nacional de Ensino e Pesquisa Missão: promover

Leia mais

CidadesDigitais. A construção de um ecossistema de cooperação e inovação

CidadesDigitais. A construção de um ecossistema de cooperação e inovação CidadesDigitais A construção de um ecossistema de cooperação e inovação CidadesDigitais PRINCÍPIOs 1. A inclusão digital deve proporcionar o exercício da cidadania, abrindo possibilidades de promoção cultural,

Leia mais

Infra-estrutura tecnológica para EaD na UFJF: situação atual e projeções

Infra-estrutura tecnológica para EaD na UFJF: situação atual e projeções Infra-estrutura tecnológica para EaD na UFJF: situação atual e projeções Prof. Dr. Mauricio L. Aguilar Molina, DSc. Coordenador Tecnológico Núcleo de Educação à Distância - UFJF www.nead.ufjf.br mauricio.aguilar@ufjf.edu.br

Leia mais

A RNP e as Mudanças na Internet

A RNP e as Mudanças na Internet Seminário Serviços e Sistemas de Informação Tecnológica Junho de 1998 Ari Frazão Jr. Consultor de Redes da RNP A Índice: Rede Internet A RNP A Nova Geração da Internet O Brasil Rumo à Internet2 A Ação

Leia mais

{ 2 } Parque Tecnológico Capital Digital

{ 2 } Parque Tecnológico Capital Digital { 2 } Parque Tecnológico Capital Digital { 3 } 1. INTRODUÇÃO: PARQUE TECNOLÓGICO CAPITAL DIGITAL - PTCD Principal polo de desenvolvimento Científico, Tecnológico e de Inovação do Distrito Federal, o PTCD

Leia mais

Pesquisa sobre Provedores de Serviços Internet no Brasil. São Paulo, 30 de novembro de 2011

Pesquisa sobre Provedores de Serviços Internet no Brasil. São Paulo, 30 de novembro de 2011 Pesquisa TIC Provedores 2011 Coletiva de Imprensa Pesquisa sobre Provedores de Serviços Internet no Brasil São Paulo, 30 de novembro de 2011 CGI.br Comitê Gestor da Internet no Brasil NIC.br Núcleo de

Leia mais

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social Programa 0465 SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO - INTERNET II Objetivo Incrementar o grau de inserção do País na sociedade de informação e conhecimento globalizados. Público Alvo Empresas, usuários e comunidade

Leia mais

Tecnologias disponíveis e as possíveis parcerias com a RNP

Tecnologias disponíveis e as possíveis parcerias com a RNP Tecnologias disponíveis e as possíveis parcerias com a RNP Encontro Provedores Regionais Rio de Janeiro Julho/2014 Agenda Tecnologias e tendências em redes ópticas; Oportunidades de negócio com a RNP.

Leia mais

Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal

Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS SUBCHEFIA DE ASSUNTOS FEDERATIVOS Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal Mapa de obras contratadas pela CEF, em andamento com recursos do Governo Federal 5.048

Leia mais

RNP Rede Nacional de Ensino e Pesquisa. SERVIÇOS Diretoria Adjunta de Gestão de Serviço

RNP Rede Nacional de Ensino e Pesquisa. SERVIÇOS Diretoria Adjunta de Gestão de Serviço RNP Rede Nacional de Ensino e Pesquisa SERVIÇOS Diretoria Adjunta de Gestão de Serviço WTR-SC OUTUBRO / 2014 ATENDIMENTO DE PRIMEIRO NÍVEL O Service Desk realiza o atendimento de primeiro nível aos clientes

Leia mais

Painel: Políticas Públicas para Estímulo a PD&I

Painel: Políticas Públicas para Estímulo a PD&I Painel: Políticas Públicas para Estímulo a PD&I Marcio Bunte de Carvalho Programa Interministerial de MEC/MCT RNP/PAL/0200 2003 RNP Flávio Cruvinel Brandão (www.flick.com) Rede Nacional de Ensino e Pesquisa

Leia mais

Ministério das Comunicações

Ministério das Comunicações Ministério das Comunicações Desafios para a melhoria da infraestrutura: Ampliação das comunicações móveis Diagnóstico Fonte: Cetic.br Tic Domicílios Diagnóstico Fonte: Cetic.br Tic Domicílios Diagnóstico

Leia mais

Ministério das Comunicações

Ministério das Comunicações Ministério das Comunicações Secretaria de Inclusão Digital 1º Fórum Regional de Cidades Digitais Foz do Rio Itajaí Itajaí, 26 de março de 2015 _cidades digitais construindo um ecossistema de inovação e

Leia mais

Serviço fone@rnp: descrição geral

Serviço fone@rnp: descrição geral Serviço fone@rnp: descrição geral Este documento descreve o serviço de Voz sobre IP da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa. RNP/REF/0347 Versão Final Sumário 1. Apresentação... 3 2. Definições... 3 3. Benefícios

Leia mais

Perspectivas para o Mercado de Sw & Serviços de TI:

Perspectivas para o Mercado de Sw & Serviços de TI: Perspectivas para o Mercado de Sw & Serviços de TI: Política Industrial & Plano de Ação C,T&I 2007-2010 Ministério da Ciência e Tecnologia Secretaria de Política de Informática - SEPIN outubro/2010 Agenda

Leia mais

PRESTAÇÃO DE CONTAS ORDINÁRIAS ANUAL Exercício de 2011 -

PRESTAÇÃO DE CONTAS ORDINÁRIAS ANUAL Exercício de 2011 - 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO PRESTAÇÃO DE CONTAS ORDINÁRIAS ANUAL Exercício de 2011 - ÓRGÃO/ENTIDADE PEÇAS E CONTEÚDOS - EERCÍCIO 2011 FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO

Leia mais

E-Ciência em Portugal 4ª Conferência Open Access

E-Ciência em Portugal 4ª Conferência Open Access E-Ciência em Portugal 4ª Conferência Open Access U. do Minho, Braga, 26 Nov 2009 Luis Magalhães UMIC Agência para a Sociedade do Conhecimento Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Estratégia

Leia mais

Projeto MIDAS Município Integrado Digital com Aplicações Sociais

Projeto MIDAS Município Integrado Digital com Aplicações Sociais Projeto MIDAS Município Integrado Digital com Aplicações Sociais Objetivos do Projeto MIDAS Desenvolver uma infraestrutura de intranet via rádio de baixo custo para integração digital total de municípios

Leia mais

Medição das TIC no contexto nacional: o caso do Brasil Maputo, Moçambique 7 de Julho de 2015

Medição das TIC no contexto nacional: o caso do Brasil Maputo, Moçambique 7 de Julho de 2015 Medição das TIC no contexto nacional: o caso do Brasil Maputo, Moçambique 7 de Julho de 2015 ROTEIRO DA APRESENTAÇÃO Dimensões das TIC e Políticas Públicas Apresentação de indicadores sobre os seguintes

Leia mais

Programa Nacional de Banda Larga

Programa Nacional de Banda Larga Programa Nacional de Banda Larga Metas e eixos de ação Comissão de Ciência e Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática Senado Federal Brasília, 31 de agosto de 2011 Dados de acesso à Internet em

Leia mais

Projeto GIGA: um laboratório de redes avançadas

Projeto GIGA: um laboratório de redes avançadas Projeto GIGA: um laboratório de redes avançadas Maio de 2003 Michael Stanton 2003 RNP Projeto GIGA Projeto em colaboração entre RNP e CPqD www.rnp.br e www.cpqd.com.br Explorar controle

Leia mais

5º Workshop RNP2 13 e 14 de maio de 2004 Gramado RS

5º Workshop RNP2 13 e 14 de maio de 2004 Gramado RS 5º Workshop RNP2 13 e 14 de maio de 2004 Gramado RS Promovendo o debate sobre iniciativas ópticas e aplicações avançadas para redes acadêmicas http://www.rnp.br/wrnp2/2004/ O Workshop RNP2 é um evento

Leia mais

Banda Larga Políticas Públicas e Regulação

Banda Larga Políticas Públicas e Regulação Banda Larga Políticas Públicas e Regulação Rogério Santanna dos Santos Brasília, 29 de Setembro de 2009 Mercado Banda Larga - Operadoras Empresas 2007 (x1000) 2008 (x1000) % Crescimento Ano 2007 Telefonica

Leia mais

II Workshop de Tecnologia de Redes do POP-BA. Serviços RNP. Diretoria Adjunta de Gestão de Serviços DAGSer/RNP. Salvador BA 19/09/2011

II Workshop de Tecnologia de Redes do POP-BA. Serviços RNP. Diretoria Adjunta de Gestão de Serviços DAGSer/RNP. Salvador BA 19/09/2011 II Workshop de Tecnologia de Redes do POP-BA Serviços RNP Leandro Marcos de Oliveira Guimarães Diretoria Adjunta de Gestão de Serviços DAGSer/RNP Salvador BA 19/09/2011 Agenda Catálogo de Serviços Lançamentos

Leia mais

Redes de Computadores. Prof. José Gonçalves Pereira Filho Departamento de Informática zegonc@inf.ufes.br

Redes de Computadores. Prof. José Gonçalves Pereira Filho Departamento de Informática zegonc@inf.ufes.br Redes de Computadores Prof. José Gonçalves Pereira Filho Departamento de Informática zegonc@inf.ufes.br Classificação de Redes Redes de Computadores Conjunto de nós processadores capazes de trocar informações

Leia mais

Caminhos para as cidades digitais no Brasil. Campinas, 26 de março de 2009

Caminhos para as cidades digitais no Brasil. Campinas, 26 de março de 2009 Caminhos para as cidades digitais no Brasil Campinas, 26 de março de 2009 Atualmente, faz-se necessário o exame de meios que estimulem a difusão de cidades digitais sustentáveis pelo país, porque, além

Leia mais

AÇÕES GOVERNAMENTAIS DE FOMENTO PARA O SETOR DE TI NA BAHIA

AÇÕES GOVERNAMENTAIS DE FOMENTO PARA O SETOR DE TI NA BAHIA AÇÕES GOVERNAMENTAIS DE FOMENTO PARA O SETOR DE TI NA BAHIA PARQUE TECNOLÓGICO DA BAHIA ÁREAS DE ATUAÇÃO BIOTECNOLOGIA E SAÚDE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ENERGIAS E ENGENHARIAS TECNOCENTRO

Leia mais

Rede PLC da Restinga Primeira Etapa do Projeto

Rede PLC da Restinga Primeira Etapa do Projeto Primeira Etapa do Projeto Transferência de sinal da rede elétrica do prédio para cabo ou wireless e vice-versa D Repetidores e extratores de sinal para baixa tensão (220V/127V) e vice-versa C B Injeção

Leia mais

FTTH FORUM 2008. Sociedade da Informação Portugal em Mudança CCB, 5 Nov 2008. Luis Magalhães UMIC Agência para a Sociedade do Conhecimento

FTTH FORUM 2008. Sociedade da Informação Portugal em Mudança CCB, 5 Nov 2008. Luis Magalhães UMIC Agência para a Sociedade do Conhecimento FTTH FORUM 2008 Sociedade da Informação Portugal em Mudança CCB, 5 Nov 2008 Luis Magalhães UMIC Agência para a Sociedade do Conhecimento Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Principais Orientações

Leia mais

Serviço fone@ms Projeto Piloto MS - RNP

Serviço fone@ms Projeto Piloto MS - RNP IV Workshop VoIP Serviço fone@ms Projeto Piloto MS - RNP Alex Galhano Robertson Recife, 29 de maio de 2009 Agenda Serviços Digitais para Saúde O serviço fone@ms Visão Geral Premissas Treinamento A rede

Leia mais

Desafios da Arte em Rede - I Rodada em Cultura, Arte, Tecnociência e Inovação I Rodada A arte em rede e a inovação FRÁGIL, FRÁGIL arte telemática

Desafios da Arte em Rede - I Rodada em Cultura, Arte, Tecnociência e Inovação I Rodada A arte em rede e a inovação FRÁGIL, FRÁGIL arte telemática O evento Desafios da Arte em Rede - I Rodada em Cultura, Arte, Tecnociência e Inovação tem como objetivo dar continuidade às ações conjuntas entre o Ministério da Cultura e a Rede Nacional de Ensino e

Leia mais

Entraves existentes ao desenvolvimento regional no Brasil: como vetor de desenvolvimento. Brasília, junho 2011

Entraves existentes ao desenvolvimento regional no Brasil: como vetor de desenvolvimento. Brasília, junho 2011 Entraves existentes ao desenvolvimento regional no Brasil: Inclusão digital i A Telebrás Tlbá como vetor de desenvolvimento. Brasília, junho 2011 O Desenvolvimento Desenvolvimento, em termos conceituais,

Leia mais

Documento de Referência do Projeto de Cidades Digitais Secretaria de Inclusão Digital Ministério das Comunicações

Documento de Referência do Projeto de Cidades Digitais Secretaria de Inclusão Digital Ministério das Comunicações Documento de Referência do Projeto de Cidades Digitais Secretaria de Inclusão Digital Ministério das Comunicações CIDADES DIGITAIS CONSTRUINDO UM ECOSSISTEMA DE COOPERAÇÃO E INOVAÇÃO Cidades Digitais Princípios

Leia mais

Criando Serviços Avançados na América Latina em Colaboração com a Comunidade Científica e as Redes Acadêmicas

Criando Serviços Avançados na América Latina em Colaboração com a Comunidade Científica e as Redes Acadêmicas Cuarta Conferencia de Directores de Tecnología de Información, TICAL2014 Gestión de las TICs para la Investigación y la Colaboración, Cancún, del 26 al 28 de mayo de 2014 Criando Serviços Avançados na

Leia mais

EQPS Belo Horizonte. Política de Software e Serviços: Política Industrial & Plano de Ação C,T&I 2007-2010

EQPS Belo Horizonte. Política de Software e Serviços: Política Industrial & Plano de Ação C,T&I 2007-2010 EQPS Belo Horizonte Política de Software e Serviços: Política Industrial & Plano de Ação C,T&I 2007-2010 Antenor Corrêa Coordenador-Geral de Software e Serviços Ministério da Ciência e Tecnologia Secretaria

Leia mais

Você pode não perceber, mas nós estamos sempre presentes

Você pode não perceber, mas nós estamos sempre presentes Centro de Informática e Automação do Estado de Santa Catarina Você pode não perceber, mas nós estamos sempre presentes Missão Marco Legal Atuação do CIASC Sistemas Data Center Rede Governo Responsabilidade

Leia mais

Da cidade de pedra à cidade virtual

Da cidade de pedra à cidade virtual Cidades Infovia Inteligentes Municipal (Uma nova revolução social) Da cidade de pedra à cidade virtual Prof. Leonardo Mendes Departamento de Comunicações Fac. Engenharia Elétrica e de Computação UNICAMP

Leia mais

A utilização das redes na disseminação das informações

A utilização das redes na disseminação das informações Internet, Internet2, Intranet e Extranet 17/03/15 PSI - Profº Wilker Bueno 1 Internet: A destruição as guerras trazem avanços tecnológicos em velocidade astronômica, foi assim também com nossa internet

Leia mais

Avanços importantes na Educação com o advento da Banda Larga

Avanços importantes na Educação com o advento da Banda Larga Avanços importantes na Educação com o advento da Banda Larga Conselho de Altos Estudos e Avaliação Tecnológica da Camara dos Deputados Carlos Bielschowsky Secretário de Educação a Distância - MEC Em 16

Leia mais

INTRODUÇÃO OBJETIVOS GERAIS E ESPECÍFICOS

INTRODUÇÃO OBJETIVOS GERAIS E ESPECÍFICOS INTRODUÇÃO Com base no Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais - REHUF, destinado à reestruturação e revitalização dos hospitais das universidades federais, integrados

Leia mais

REDE IP WAVENET INFRA-ESTRUTURA MULTISERVIÇOS IP WIRELESS

REDE IP WAVENET INFRA-ESTRUTURA MULTISERVIÇOS IP WIRELESS REDE IP WAVENET INFRA-ESTRUTURA MULTISERVIÇOS IP WIRELESS TÓPICOS - INTRODUÇÃO - HISTÓRICO - INTERNET PONTO A PONTO - INTERNET PONTO MULTIPONTO - TECNOLOGIA WI-MESH - REDE MULTISERVIÇOS IP - CASOS PRÁTICOS

Leia mais

Núcleo de Gestão do Porto Digital. Plano Bi-anual 2001-2002

Núcleo de Gestão do Porto Digital. Plano Bi-anual 2001-2002 Núcleo de Gestão do Porto Digital Plano Bi-anual 2001-2002 Identidade Missão A estruturação e gestão sustentável de um ambiente de negócios capaz de criar e consolidar empreendimentos de classe mundial

Leia mais

Bate-papo de Serviços Abertura. Capa - título da apresentação 2010 Antônio Carlos Fernandes Nunes

Bate-papo de Serviços Abertura. Capa - título da apresentação 2010 Antônio Carlos Fernandes Nunes Bate-papo de Serviços Abertura Capa - título da apresentação 2010 Antônio Carlos Fernandes Nunes Agenda Gestão de Serviços; Resultados de 2010; Propostas e projetos para 2011; Programação do bate-papo.

Leia mais

Política de Software e Serviços: Ações MCT 2007-2010

Política de Software e Serviços: Ações MCT 2007-2010 Política de Software e Serviços: Ações MCT 2007-2010 Encontro da Qualidade e Produtividade em Software - EQPS Manaus, novembro/2007 Antenor Corrêa Coordenador-Geral de Software e Serviços Ministério da

Leia mais

UFSC - Infraestrutura e Serviços de TIC Visão Geral

UFSC - Infraestrutura e Serviços de TIC Visão Geral Ponto de Presença da RNP em Santa Catarina Rede Metropolitana de Educação e Pesquisa da Região de Florianópolis 04 e 05 Outubro/2012 UFSC - Infraestrutura e Serviços de TIC Visão Geral Edison Tadeu Lopes

Leia mais

ANEXO I-a ARQUITETURA DA REDE INFOSUS II

ANEXO I-a ARQUITETURA DA REDE INFOSUS II ANEXO I-a ARQUITETURA DA REDE INFOSUS II 1. Descrição da rede INFOSUS II A Rede INFOSUS II, Infovia Integrada do Sistema Único de Saúde (SUS), consistirá em infra-estrutura de telecomunicações, a ser utilizada

Leia mais

A UAB ESTÁ INSTITUCIONALMENTE INTEGRADA COMO PROGRAMA PERMANENTE NA ESTRUTURA DA NOVA CAPES

A UAB ESTÁ INSTITUCIONALMENTE INTEGRADA COMO PROGRAMA PERMANENTE NA ESTRUTURA DA NOVA CAPES A UAB ESTÁ INSTITUCIONALMENTE INTEGRADA COMO PROGRAMA PERMANENTE NA ESTRUTURA DA NOVA CAPES UAB NA NOVA CAPES CAPES DIRETORIA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA DED UAB COORDENAÇÃO GERAL DE INFRA-ESTRUTURA DE PÓLOS

Leia mais

Barômetro. Cisco. Banda Larga. Análise de mercado. 2 o Trimestre/2006. 3 a Edição Setembro/2006

Barômetro. Cisco. Banda Larga. Análise de mercado. 2 o Trimestre/2006. 3 a Edição Setembro/2006 Barômetro Cisco Banda Larga da Análise de mercado 2 o Trimestre/2006 3 a Edição Setembro/2006 Barômetro Cisco da Banda Larga Introdução Você está recebendo a nova edição do Barômetro Cisco da Banda Larga,

Leia mais

Promovendo o uso inovador de redes avançadas no Brasil

Promovendo o uso inovador de redes avançadas no Brasil Promovendo o uso inovador de redes avançadas no Brasil CA ISI o de nça ção 832 ENGENHARIA E OPERAÇÕES ptografia taforma es IPTI CGEE Inep Capes ABDI tal Inovação apes Incidentes de Segurança FIRST NTP

Leia mais

Universidade do Minho, 15-16 Dez 2008

Universidade do Minho, 15-16 Dez 2008 3ª Conferência Openaccess Universidade do Minho, 15-16 Dez 2008 Luis Magalhães UMIC Agência para a Sociedade do Conhecimento Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Estratégia Nacional de e-ciência

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES CURSO TÉCNICO DE INFORMÁTICA Módulo A REDES DE COMPUTADORES Arquiteturas e Abrangência ESCOLHENDO A ARQUITETURA Em redes, podemos trabalhar em 2 tipos de arquiteturas, com vantagens e desvantagens; É diretamente

Leia mais

Interiorização das redes metropolitanas e expansão do backbone acadêmico em SC

Interiorização das redes metropolitanas e expansão do backbone acadêmico em SC Ponto de Presença da RNP em Santa Catarina Rede Metropolitana de Educação e Pesquisa da Região de Florianópolis 04 e 05 Outubro/2012 Interiorização das redes metropolitanas e expansão do backbone acadêmico

Leia mais

PDTI - Definição. Instrumento de diagnóstico, planejamento e

PDTI - Definição. Instrumento de diagnóstico, planejamento e PDTI - Definição Instrumento de diagnóstico, planejamento e gestão dos recursos e processos de Tecnologia da Informação que visa atender às necessidades tecnológicas e de informação de um órgão ou entidade

Leia mais

TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL

TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL Eixos Temáticos, Diretrizes e Ações Documento final do II Encontro Nacional de Educação Patrimonial (Ouro Preto - MG, 17 a 21 de julho

Leia mais

Iniciativa CDC RNP. Projeto CDC Piloto Huawei Encontro sobre Computação em Nuvem UNICAMP, 07 de abril de 2014

Iniciativa CDC RNP. Projeto CDC Piloto Huawei Encontro sobre Computação em Nuvem UNICAMP, 07 de abril de 2014 Iniciativa CDC RNP Projeto CDC Piloto Huawei Encontro sobre Computação em Nuvem UNICAMP, 07 de abril de 2014 Sumário Programa de Computação em Nuvem da RNP Iniciativa CDC RNP Estratégia Piloto Huawei Programa

Leia mais

Pesquisas em Redes de Computadores e Sistemas Multimídia

Pesquisas em Redes de Computadores e Sistemas Multimídia Pesquisas em Redes de Computadores e Sistemas Multimídia Profa. Débora Christina Muchaluat Saade Instituto de Computação - UFF debora@ic.uff.br Roteiro equipe Linhas de Pesquisa Redes Mesh Redes Avançadas

Leia mais

Tecnologia da Infomação e Comunicação nas escolas públicas Brasileiras

Tecnologia da Infomação e Comunicação nas escolas públicas Brasileiras Audiência Pública Tecnologia da Infomação e Comunicação nas escolas públicas Brasileiras Carlos Bielschowsky Secretário de Educação a Distância Ministério da Educação Utilizaçã ção o de TIC s nas escolas

Leia mais

Grupos de Trabalho RNP: Implantação da Segunda Fase do GT de Vídeo Digital

Grupos de Trabalho RNP: Implantação da Segunda Fase do GT de Vídeo Digital Grupos de Trabalho RNP: Implantação da Segunda Fase do GT de Vídeo Digital Implementação de um Serviço de Distribuição de Vídeo Digital com Suporte para Transmissão ao Vivo e sob Demanda Guido Lemos de

Leia mais

Solicitação de Propostas. Apoio à Conexão de Unidades de Ensino e Pesquisa a Redes Estaduais

Solicitação de Propostas. Apoio à Conexão de Unidades de Ensino e Pesquisa a Redes Estaduais Solicitação de Propostas Apoio à Conexão de Unidades de Ensino e Pesquisa a Redes Estaduais RNP/DIV/0085 SDP 01/2002 Solicitação de Propostas Apoio à Conexão de Unidades de Ensino e Pesquisa a Redes Estaduais

Leia mais

TE155-Redes de Acesso sem Fios Inclusão Digital usando Redes sem Fios

TE155-Redes de Acesso sem Fios Inclusão Digital usando Redes sem Fios Inclusão Digital usando Redes sem Fios Ewaldo Luiz de Mattos Mehl Universidade Federal do Paraná Departamento de Engenharia Elétrica mehl@eletrica.ufpr.br Inclusão Digital usando Redes sem Fios Conceito

Leia mais

Atendimento Integrado de Serviços. março/2014

Atendimento Integrado de Serviços. março/2014 Atendimento Integrado de Serviços março/2014 Agenda 1 A Rede Nacional de Ensino e Pesquisa - RNP 2 Programa Gestão por Processos 3 Processo Atendimento Integrado de Serviços 1 Rede Nacional de Ensino e

Leia mais

Pesquisa sobre o Uso das Tecnologias de Informação e Comunicação nas Escolas Brasileiras TIC Educação

Pesquisa sobre o Uso das Tecnologias de Informação e Comunicação nas Escolas Brasileiras TIC Educação Pesquisa TIC Educação 2010 Coletiva de Imprensa Pesquisa sobre o Uso das Tecnologias de Informação e Comunicação nas Escolas Brasileiras TIC Educação São Paulo, 09 de Agosto de 2011 CGI.br Comitê Gestor

Leia mais

SITUAÇÃO DOS RECURSOS HUMANOS DA ÁREA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NAS IFES

SITUAÇÃO DOS RECURSOS HUMANOS DA ÁREA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NAS IFES SITUAÇÃO DOS RECURSOS HUMANOS DA ÁREA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NAS IFES Introdução A questão dos recursos humanos na área de Tecnologia da Informação é assunto de preocupação permanente no Colégio de

Leia mais

Planejamento Estratégico de TI (2013-2015) - UFPel

Planejamento Estratégico de TI (2013-2015) - UFPel Planejamento Estratégico de TI (2013-2015) - UFPel 1 Missão Prover soluções de TI, com qualidade, à comunidade da UFPel. 2 Visão Ser referência em governança de TI para a comunidade da UFPel até 2015.

Leia mais

Tema: As vantagens de implantar uma rede estruturada em ambiente corporativo.

Tema: As vantagens de implantar uma rede estruturada em ambiente corporativo. 1 TEMA Assunto: Redes de computadores. Tema: As vantagens de implantar uma rede estruturada em ambiente corporativo. 2 PROBLEMA Problema: Qual a importância de criar uma rede estruturada em instituições

Leia mais

Pioneirismo não se inventa. Mas pode ser reinventado todos os dias.

Pioneirismo não se inventa. Mas pode ser reinventado todos os dias. Pioneirismo não se inventa. Mas pode ser reinventado todos os dias. A velocidade das respostas é cada vez mais decisiva para o sucesso de uma empresa. Se estar conectado já não basta, é preciso sempre

Leia mais

Consórcio para Rede Metropolitana de Educação e Pesquisa na Grande Florianópolis. Edison Melo. WRNP Belém Junho /2007

Consórcio para Rede Metropolitana de Educação e Pesquisa na Grande Florianópolis. Edison Melo. WRNP Belém Junho /2007 Consórcio para Rede Metropolitana de Educação e Pesquisa na Grande Florianópolis Edison Melo WRNP Belém Junho /2007 Agenda Acordos e Iniciativa Anteriores 1995 - RCT - Rede Catarinense de Ciência e Tecnologia

Leia mais

Claudete Alves Coordenadora do Comitê Gestor

Claudete Alves Coordenadora do Comitê Gestor Claudete Alves Coordenadora do Comitê Gestor ANTECEDENTES 1990: A Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) inaugura a fase I do seu backbone; 1995: A UFBA inaugura o primeiro backbone óptico acadêmico

Leia mais

I Fórum Lusófono de Comunicações. Abril. 2010

I Fórum Lusófono de Comunicações. Abril. 2010 I Fórum Lusófono de Comunicações Abril. 2010 Evolução do Setor de Telecomunicações no Brasil Pré-Privatização Monopólio estatal Poucos investimentos Baixa qualidade dos serviços 98 Grande demanda reprimida

Leia mais

RCO2. LANs, MANs e WANs Visão geral

RCO2. LANs, MANs e WANs Visão geral RCO2 LANs, MANs e WANs Visão geral 1 LAN, MAN e WAN Classificação quanto a alcance, aplicação e tecnologias Distâncias: WAN: : distâncias arbitrariamente longas MAN: : distâncias médias (urbanas) LAN:

Leia mais

Política de Software e Serviços

Política de Software e Serviços Política de Software e Serviços Encontro de Qualidade e Produtividade em Software - Brasília Dezembro / 2003 Ministério da Ciência e Tecnologia Secretaria de Política de Informática e Tecnologia Antenor

Leia mais

Tecnologia nos Municípios Brasileiros

Tecnologia nos Municípios Brasileiros PREFEITURA DE ITABORAÍ SECRETARIA DE FAZENDA ASSCT&I & (COBRA/BANCO DO BRASIL) DIRETORIA DE SISTEMAS INTEGRADOS Tecnologia nos Municípios Brasileiros O TERMO CIDADE DIGITAL Uma Cidade Digital muitas vezes

Leia mais

Programa Nacional de Banda Larga

Programa Nacional de Banda Larga Programa Nacional de Banda Larga Metas e eixos de ação Comissão de Ciência e Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática Senado Federal Brasília, 31 de agosto de 2011 Dados de acesso à Internet em

Leia mais

Previsão do tempo boletim indica chuva forte nesta sexta-feira (23/10) Comentários Recentes

Previsão do tempo boletim indica chuva forte nesta sexta-feira (23/10) Comentários Recentes Sexta, Outubro 23, 2009 Pesquisar: GO Inicio Noticia Mulher Saude Clima Resultado da Loteria Televisao Inscricoes Inscrever Pesquisar Pesquisa Destaques Climatempo Meteorologia regiões com pancadas de

Leia mais

2009 2010 2011 total 58.888 158.947 124.881 344.910

2009 2010 2011 total 58.888 158.947 124.881 344.910 Formação inicial 80000 Plano Nacional de Formação de Professores 70000 60000 50000 40000 Formação Pedagógica 30000 2ªLicenciatura 1ªLicenciatura especial 20000 1ªLicenciatura existente 10000 0 Presencial

Leia mais

PROJETO CIDADE DIGITAL. CIDADE ONLINE e Internet para todos

PROJETO CIDADE DIGITAL. CIDADE ONLINE e Internet para todos PROJETO CIDADE DIGITAL CIDADE ONLINE e Internet para todos 2 PROJETO CIDADE DIGITAL CIDADE(nome da cidade) ONLINE e Internet para todos 3 CONCEITO Em termos técnicos, uma CIDADE DIGITAL é a interconexão

Leia mais

Secretaria para Assuntos Estratégicos

Secretaria para Assuntos Estratégicos Secretaria para Assuntos Estratégicos DO DESAFIO A REALIDADE Nosso desafio: 399 municípios conectados por uma internet rápida, que oportuniza a aproximação da gestão pública com o cidadão. O projeto Rede399

Leia mais

Convergência por Design

Convergência por Design Convergência por Design Ronaldo Aloise Diretor de Vendas ESSN 2009 Hewlett-Packard Development Company, L.P. 1 As informações contidas neste documento estão sujeitas a alterações sem aviso. A Transformação

Leia mais

Ericsson e Vivo levam educação via computação em nuvem para amazônia

Ericsson e Vivo levam educação via computação em nuvem para amazônia Ericsson e Vivo levam educação via computação em nuvem para amazônia Parceria entre a Ericsson e a Vivo promoverá o acesso à educação de qualidade no coração da Amazônia com a implementação de soluções

Leia mais

01. O QUE É? 02. OBJETIVOS DO CURSO 03. CAMPO DE ATUAÇÃO

01. O QUE É? 02. OBJETIVOS DO CURSO 03. CAMPO DE ATUAÇÃO 01. O QUE É? O Curso de Desenvolvimento de Websites é um curso de graduação tecnológica de nível superior com duração de dois anos e meio. Este curso permite a continuidade dos estudos em nível de bacharelado

Leia mais

PTTMetro Informações e Destaques

PTTMetro Informações e Destaques PTTMetro Informações e Destaques 3 o PTT Forum 3 Dez 2009 Antonio Galvao de Rezende Filho Eduardo Ascenço Reis Milton Kaoru Kashiwakura 3o PTT Forum

Leia mais

Cidades Digitais: Viabilidade Econômica e Sustentabilidade

Cidades Digitais: Viabilidade Econômica e Sustentabilidade Cidades Digitais: Viabilidade Econômica e Sustentabilidade Este tutorial apresenta conceitos e modelos de negócios para a implantação das Cidades Digitais e, através de um estudo de caso da cidade da Filadélfia

Leia mais

PTTMetro. 11 Jan 2010

PTTMetro. 11 Jan 2010 PTTMetro 11 Jan 2010 Antonio Galvao de Rezende Filho Eduardo Ascenço Reis Milton Kaoru Kashiwakura PTTMetro http://ptt.br/ Apresentação 1 Sobre o CGI.br

Leia mais

mudanças qualitativas radicais na vida econômica, social e política das nações.

mudanças qualitativas radicais na vida econômica, social e política das nações. PRONUNCIAMENTO DO MINISTRO EDUARDO CAMPOS NA SOLENIDADE DE INSTALAÇÃO DA III ASSEMBLÉIA GERAL DA ASSOCIAÇÃO INTERNACIONAL DE PARLAMENTARES PARA A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (IPAIT), NA CÂMARA DOS DEPUTADOS,

Leia mais

Apoio financeiro da FINEP para Metrologia e Telecomunicações

Apoio financeiro da FINEP para Metrologia e Telecomunicações Apoio financeiro da FINEP para Metrologia e Telecomunicações Painel Setorial de Telecomunicações INMETRO 27 de outubro de 2006 Missão da FINEP Promover e financiar a inovação e a pesquisa científica e

Leia mais

Se eu tenho o serviço de Voz sobre Internet, para quem posso ligar?

Se eu tenho o serviço de Voz sobre Internet, para quem posso ligar? 1 Conheça o sistema de Voz sobre IP (ou VOIP) O que é Voz sobre IP / Voz sobre Internet Protocolo? R. Voz sobre IP permite que você faça ligações telefônicas utilizando uma rede de computadores, como a

Leia mais

GT ICP-EDU Uma Infra-estrutura de Chaves Públicas para o Âmbito Acadêmico

GT ICP-EDU Uma Infra-estrutura de Chaves Públicas para o Âmbito Acadêmico GT ICP-EDU Uma Infra-estrutura de Chaves Públicas para o Âmbito Acadêmico Ricardo Felipe Custódio, Jeroen van de Graaf e Ricardo Dahab Julho de 2003 Este documento tem como objetivo descrever o projeto

Leia mais

III Fórum Lusófono das Comunicações ARCTEL-CPLP

III Fórum Lusófono das Comunicações ARCTEL-CPLP III Fórum Lusófono das Comunicações ARCTEL-CPLP Tendências, Panorama e Desafios do Roaming Internacional II Painel Que Mercado na CPLP? Agenda Sobre a Oi Que Mercado na CPLP Panorama Roaming Internacional

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. MEMÓRIA: Reunião Preparatória do Comitê Temático de Inovação e Crédito GT Rede de Disseminação, Informação e Capacitação

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. MEMÓRIA: Reunião Preparatória do Comitê Temático de Inovação e Crédito GT Rede de Disseminação, Informação e Capacitação PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Secretaria da Micro e Pequena Empresa Fórum Permanente de Microempresas e Empresas de Pequeno Porte MEMÓRIA: Reunião Preparatória do Comitê Temático de Inovação e Crédito GT Rede

Leia mais