WORSHOP SOBRE POWER LINE COMMUNICATIONS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "WORSHOP SOBRE POWER LINE COMMUNICATIONS"

Transcrição

1 WORSHOP SOBRE POWER LINE COMMUNICATIONS A CELG NO PROJETO OPERA 2 E SUAS PERSPECITVAS DE APLICAÇÃO DA TECNOLOGIA PLC ANEEL 04/MAIO/2007

2 ÍNDICE INTRODUÇÃO PROJETOS DE P&D s COM A TECNOLOGIA PLC/BPL A CELG E A PARTICIPAÇÃO BRASILEIRA NO PROJETO OPERA 2 PERSPECTIVAS DE APLICAÇÃO DA TECNOLOGIA PLC

3 INTRODUÇÃO SEMINÁRIOS APTEL I 1999 Rio de Janeiro V 2004 Goiânia Criação da Diretoria do Forum APTEL BRASIL PLC Projeto Ilhas Digitais Centro Comunitário Escola Municipal São Cristovão Cidade de Aruanã-GO (Rally dos Sertões) VIII Julho/ 2007 Porto Alegre RS Grupo de Trabalho Power Line APTEL Aspectos Técnicos, Comerciais e Regulatórios Projeto Piloto CELG 2003 Equipamentos Masters e Acopladores Internet, VoIP e Câmeras de Vídeo Acompanhamento da implantação do Campo de Teste para PLC do CPqD, Campinas SP 2003

4 INTRODUÇÃO Grupo de Trabalho Conjunto APTEL/ ANATEL para o Programa 2 da CBC-7, da ANATEL GT1 Regulamentação, Normatização e Certificação para Prestação de Serviços de Telecomunicações via Rede Elétrica com a Tecnologia PLC GT2 Produção Local da Tecnologia PLC e Benefícios para o país Estes trabalhos serviram de referência à ANATEL para criação no âmbito da CBC-7, do Sub-programa PLC- Utilização de PLC para Serviços de Comunicação Projeto de Inclusão Digital/ Barreirinhas (MA) Fase I APTEL e Parceiros Outubro/ 2004 Testes em conjunto com ANATEL e fabricantes de PLC sobre Análise de Espectro e Medição de Interferências, realizados em 2005 e 2006, em RD s da CELG (Goiânia) Artigo aprovado e apresentado no XI ISPLC (International Symposium on Power Line Communications and its Applications-IEEE) Pisa Itália, Março 2007 Regulation Issues about Broadband PLC: A Brazilian Experience and Perspective. Autores: Moisés V. Ribeiro (UFJF); Eduardo L. Rege (ANATEL-GO); Eliézer A. Teixeira; Thienne M. Johnson (UNAMA); Elton M de Souza (CELG); Fábio S. Marques (CELG).

5 PROJETOS DE P&D s COM TECNOLOGIA PLC/BPL CICLO 2004/2005 FITEC - Supervisão do Fornecimento de Energia Elétrica em Média Tensão através da Tecnologia PLC de Banda Larga. Contrato assinado e em execução CICLO 2005/2006 UFG - Modelo Prático de Gerência para Plataformas de Telecomunicações Envolvendo Tecnologia PLC EEEC/UFG. Procedimentos internos de contratação e confirmação final da ANEEL CICLO 2006/2007 ITCO Modelo de Negócios e Arquitetura de Sistema para Implementação de um Sistema de AMR na CELG ITCO Modelo de Evolução para SMARTGRID, para rede elétrica da CELG Procedimentos de análise

6 PROJETO (CELG/FITec) P&D CICLO 2004 / 2005 Supervisão do Fornecimento de Energia Elétrica em Média Tensão através da Tecnologia PLC de Banda Larga. OBJETIVO Desenvolver um sistema de supervisão, permitindo acompanhamento "on line" das redes de distribuição: Arquitetura de sistema Equipamentos PLC e Câmeras IP Supervisão de Chaves seccionadoras; Balanceamento energético; Gerenciamento com qualidade e precisão do fornecimento de energia; Controle das perdas técnicas e comerciais; Redução do tempo de interrupção de energia. RESULTADOS PRINCIPAIS Modelo detalhado da aplicação de PLC, nos moldes da arquitetura Intelligrid; Levantamento de dados sobre perdas técnicas e fraudes na rede da CELG. RESULTADO ADICIONAL Referência para o Projeto Piloto de Conectividade - Barreirinhas-MA (Fase II).

7 Arquitetura do Sistema Subestação 13,8 KV A 220 V 220 V 13,8 KV Div. Manutenção de Equipamentos MVG CPE MA M Poste 8 13,8 KV MVG Poste 7 Laboratório de Medição CPE MA M COS/COD Sistema de Supervisão Câmera IP 220 V BT LAN MVG Poste V Clube Recreativo CPE MA M MVG Poste 5 CELG Armazém CPE MA M Câmera IP IP Câmera IP 13,8 KV MA MVG Poste 4 MVG Poste V 220 V CELG CMD CPE MA M MVG Poste 2 CELG MED CPE MA M HE Poste 1 MA

8 Balanceamento Energético Medidor Circuito 1 Medidor Circuito 2 CPE CPE MA MA M M Sistema de Supervisão 220V Medidor Global MA M COS/COD LAN MT/BT 13,8KV IP HE Poste 1

9

10 P&D CICLO 2005 / 2006 PROJETO (CELG/UFG) Modelo Prático de Gerência para Plataformas de Telecomunicações Envolvendo Tecnologia PLC OBJETIVO Desenvolver um modelo de gerência para plataformas de telecomunicações envolvendo a tecnologia PLC (PowerLineCommunication), visando: Gerir a infra-estrutura dos sistemas de telecomunicações da concessionária; Reduzir custos por meio de ações de gerência de rede; Agregar valor com a disponibilidade de serviços de dados; Auxiliar o processo de padronização da tecnologia PLC para uso e aplicação da rede elétrica; Oferecer rede de acesso simplificada contribuindo para universalização de serviços públicos.

11 P&D CICLO 2006 / 2007 PROJETO I (CELG/ITCO) Modelo de Evolução para Smart Grid, para a Rede Elétrica da CELG OBJETIVOS Elaboração de Modelo de Abordagem e de Evolução para Redes Inteligentes, através de uma proposta de uma Arquitetura de Smart Grid para a Rede Elétrica da CELG. PROJETO II (CELG/ITCO) Modelos de Negócios e Arquitetura de Sistema para Implementação de um Sistema de AMR na CELG OBJETIVOS Proposta de modelo de negócio, arquitetura, serviços, tecnologias, padrões e protocolos de comunicação de uma Rede AMR para a CELG, considerando parâmetros de custos/benefícios, tecnologias selecionadas, serviços propostos e sistemas de gerência, dentre outros.

12 PROJETO OPERA OPERA - Open PLC European Research Alliance Projeto Integrado baseado em P&D com a Tecnologia PowerLine Communications (PLC) Recursos da Comunidade Européia - Sixth Framework Programme (FP6) Internet Society Technologies (IST) Prioridade Broadband for All

13 PROJETO OPERA Projeto OPERA tem uma duração estimada de 48 meses, dividido em duas fases de 24 meses cada. Jan 2004 Former Complete OPERA Proposal Dec 2008 Jan 2004 OPERA Phase 1 Jan 2006 Jan 2007 OPERA Phase 2 Dec 2008 A primeira fase ( ) foi finalizada e revisada em abril de 2006 A segunda fase ( ) iniciou-se em janeiro de 2007 A IBERDROLA está na gerência e coordenação do Projeto

14 OPERA Desenvolver procedimentos de aplicação da tecnologia Power Line Communications (PLC) que possa vir a ser uma alternativa de acesso Banda Larga, onde todos os usuários finais podem ser alcançados. Rede de Acesso Alternativa para xdsl & Cable -Melhoria desempenho -Menor custo Cobertura de regiões menos desenvolvidas, periféricas e áreas rurais -Integração do PLC com outras Tecnologias - Capilaridade da rede elétrica. Inclusão Digital - Acesso a serviços e informação Inclusão Social

15 OPERA II Participantes Consórcio de 26 parceiros integrados, buscando alcançar um padrão comum. 11 países representados no Projeto. Provendo e compartilhando o conhecimento no desenvolvimento de uma área de pesquisa Européia integrada em PLC. Universities Universities Swiss Federal Institute of Swiss Federal Institute of Technology (Switzerland) Technology (Switzerland) University of Comillas University of Comillas (Spain) (Spain) University of Dresden University of Dresden (Germany) (Germany) University of Duisburg- University of Duisburg- Essen (Germany) Essen (Germany) University of Karlsruhe University of Karlsruhe (Germany) (Germany) University Politécnica University Politécnica Madrid (Spain) Madrid (Spain) University Ramon Llull University Ramon Llull (Spain) (Spain) Telecom Telecom Operators Operators ONI (Portugal) ONI (Portugal) PPC (Germany) PPC (Germany) Utilities Utilities EDEV-CPL (EDF Group) EDEV-CPL (EDF Group) (France) (France) IBERDROLA (Spain) IBERDROLA (Spain) LinzAG Strom (Austria) LinzAG Strom (Austria) UNION FENOSA (Spain) UNION FENOSA (Spain) CELG CELG (Brazil) (Brazil) ELEKTRO LJUBLJANA ELEKTRO LJUBLJANA (Slovenia) (Slovenia) Technology Technology Providers Providers CTI (Switzerland) CTI (Switzerland) DS2 (Spain) DS2 (Spain) Other Other Organizations Organizations Chamber of Commerce Chamber of Commerce and Industry of Madrid and Industry of Madrid (Spain) (Spain) Developers Developers and and Manufactures Manufactures Amperion (UK) Amperion (UK) Dimat (Spain) Dimat (Spain) Schneider Electric Schneider Electric Powerline (Sweden) Powerline (Sweden) Eichhoff (Germany) Eichhoff (Germany) Robotiker (Spain) Robotiker (Spain) Telvent (Spain) Telvent (Spain) Engineering Engineering and and Consultancy Consultancy Companies Companies Eutelis Italia (Italy) Eutelis Italia (Italy) Iberdrola Ingeniería Iberdrola Ingeniería y Construcción y Construcción (Spain) (Spain)

16 OPERA II Estrutura do Projeto Project Coordinator / Chairman of Steering Committee Iberdrola STEERING COMMITTEE (SC) COMITÊ DIRETIVO Chairman of SC: Iberdrola Executive member 1: CTI Executive member 2: ONI (EDP Group) Executive member 3: DS2 Executive member 4: Linz Strom GmbH Executive member 5: EDEV-CPL (EDF group) Executive member 6: PPC Executive member 7: Iberdrola Executive member 8: Schneider Electric Powerline Communications TECHNICAL COMMITTEE (TC) COMITÊ TÉCNICO Chairman of TC and Tech. Coordinator: Schneider Electric Powerline Communications WP 1 leader (Coupling/conditioning devices, EMC and channel characteristics) CTI WP 2 leader (Trial and PLC Integration) ONI (EDP Group) WP 3 leader (PLC System improvements and customer equipment based on PLC) DS2 WP 4 leader (Services over PLC Network) Linz Strom GmbH WP 5 leader (Standardization) EDEV-CPL (EDF group) WP 6 leader (PLC Business Deployment and maintenance tools) PPC WP 7 leader (Dissemination) Iberdrola WP 1 Coupling / conditioning devices, EMC and channel characteristic CTI WP 2 Trial and PLC Integration ONI (EDP Group) WP 3 PLC system Improvements and customer equipment based on PLC DS2 WP 4 Services over PLC network Linz Strom WP 5 Standardization Project Leader EDEV-CPL (EDF) WP 6 PLC Business Deployment and maintenance tools PPC WP 7 Dissemination WP 8 Intellectual Property Rights WP9 Management Leader: Iberdrola Leader: Iberdrola Leader: Iberdrola

17 OPERA II Participação do Brasil Project Coordinator / Chairman of Steering Committee Iberdrola STEERING COMMITTEE (SC) TECHNICAL COMMITTEE (TC) WP 1 Coupling / conditioning devices, EMC and channel characteristic CTI WP 2 Trial and PLC Integration ONI (EDP Group) WP 3 PLC system Improvements and customer equipment based on PLC DS2 WP 4 Services over PLC network Linz Strom WP 5 Standardization Project Leader EDEV-CPL (EDF) WP 6 PLC Business Deployment and maintenance tools PPC WP 7 Dissemination WP 8 Intellectual Property Rights Leader: Iberdrola Leader: Iberdrola WP9 Management Leader: Iberdrola

18 OPERA II Kick OFF Meeting ENCONTRO PRESENCIAL 09 e 10 de Janeiro Madri Espanha Encontro dos Representantes dos Parceiros do Consórcio; Apresentação dos Líderes dos Grupos de Trabalhos WP s; Discussão das atividades de cada Grupo de Trabalho; Aprovação da agenda dos trabalhos; Definição do cronograma de atividades

19 OPERA II WP2: ONI (Herlander Branco) INTEGRAÇÃO E TESTE DE CAMPO COM PLC Principais Conclusões: Atividade 2.1: ESPECIFICAÇÃO DOS TESTES DE CAMPO: Descrição de Teste de Campo ONI (LISBOA) - SEPC Descrição de Teste de Campo IBERDROLA (MADRID) - CTI Descrição de Teste de Campo LINZ STROM (Linz) SEPC Campo de Teste na CELG Goiânia Participação e acompanhamento de relatórios. PRÓXIMOS ENCONTROS PROPOSTOS Junho/ Encontro WP2 Lisboa. Setembro/2007- Atenas (Amperion) ou Zurique (CTI Opcional)

20 SERVIÇOS SOBRE A REDE PLC OPERA II WP4: LINZ (Berthold Haberler) Trabalhos em andamento: Conference Call Discussão sobre a definição e priorização de serviços Integração com Grupo de Trabalho 2 - WP2 CONTRIBUIÇÃO DA CELG:» Comutação Remota» Localização de Falhas ATIVIDADES PROGRAMADAS Junho 2007: Workshop em Linz Dezembro 2007: Workshop em Barcelona

21 OPERA II WP6: PPC (Michael Koch) DESENVOLVIMENTO DE NEGÓCIOS - PLC/BPL Principais Conclusões: Detalhamento sobre o Plano de Trabalho de cada atividade Primeiro Draft sobre pesquisa de mercado na América do Sul CELG/ FITEC, enviada em Março de Continuidade dos Trabalhos Atividades conjuntas com informações complementares e atualização.

22 DISSEMINAÇÃO Principais conclusões: OPERA II WP7: IBERDROLA (Javier Simón) Acordo detalhado sobre o plano de trabalho de cada atividade. Manutenção do logo - Projeto OPERA Líder solicitará periodicamente informações e notícias para publicações no Boletim OPERA 2 (NEWSLETTER) ENCONTROS April 2007 Mannheim (Alemanha) Promovido pela PPC Novembro 2007 Madrid meeting - Promovido pela Iberdrola NEWSLETTER #1 NEWSLETTER Nº 1 ABRIL 2007 Internet page:

23 PERSPECTIVAS DE APLICAÇÃO DA TECNOLOGIA PLC VISÃO ESTRATÉGICA Focar na atividade Principal... Outros Negócios NEGÓCIO PRINCIPAL Outros Negócios... e aproveitar as oportunidades de mercado, com Novas...Tecnologias: -Potencializar o uso da Infra-estrutura e da Marca CELG - Modernização da Empresa - Fidelização dos seus Clientes

24 PERSPECTIVAS DE APLICAÇÃO DA TECNOLOGIA PLC Aproveitamento racional da Infra-estrura existente Capilaridade da rede elétrica Meta de 100 % dos domicílios Alternativas de novos serviços interligados com outras tecnologias Vantagem de atingir a Última Milha Planejamento integrado, reduzindo custos e impactos ambientais Atividades Multisetoriais

25 PERSPECTIVAS DE APLICAÇÃO DA TECNOLOGIA PLC ATENDIMENTO ÀS NECESSIDADES CORPORATIVAS Avaliação e aplicação de sistemas com o uso da Tecnologia PLC para VoIP, Internet e Sistemas de Controle, Supervisão e Vigilância Eletrônica Análise do uso de PLC para melhoria nos processos operacionais da CELG Sistemas de Telefonia, Transmissão de Dados e Telecontrole Sistemas de Gerenciamento, Automação e Telesupervisão de RD s e SE s Sistemas de Telemedição AMR Corte e religação remota Solução de Medição para Controle de Fraudes Telemetria Integrada: Energia + Água Gerência do Fornecimento de Energia Elétrica

26 PERSPECTIVAS DE APLICAÇÃO DA TECNOLOGIA PLC Projetos PLC específicos Internos: Show Room da Tecnologia PLC Diretorias/ Presidência CEDOC Envolvendo Câmeras de Segurança Agência de Atendimento e Subestações Outros Projetos Estádio Serra Dourada Shopping Flamboyant Rede METROGYN RNP- Rede Nacional de Ensino e Pesquisa UFG - FACOMB Parcerias APTEL Projeto Barreirinhas II (MA) Projeto Pirenópolis Projeto Cidade de Goiás Inclusão Digital/ Projeto Luz para Todos (MME)

27 AGÊNCIAS REGULADORAS ANEEL ANATEL PERSPECTIVAS DE APLICAÇÃO DA TECNOLOGIA PLC Acompanhamento da Regulamentação de PLC, junto às Agências Reguladoras. Acompanhamento e participação em conjunta com APTEL e fabricantes de PLC dos testes programados pela ANATEL sobre a Análise de Espectro e Medição de Interferências, nas instalações do CPqD Autorização da ANATEL Serviços Especiais para Fins Científicos e Experimentais.

28 PERSPECTIVAS DE APLICAÇÃO DA TECNOLOGIA PLC TOPOLOGIA BÁSICA DO BACKBONE ÓPTICO Anápolis Inhumas te Goiânia Trindade Aparecida de Goiânia Senador Canedo

29 BACKBONE ÓPTICO POP1 Internet PERSPECTIVAS DE APLICAÇÃO DA TECNOLOGIA PLC GTWY NOC ELETRA CMD/COD GILENO Call Center/COS POP2 Backbone Grande Goiânia GNL COD/CMD Ag. INH FER ARA-Shop INH XAV TRI AER Anel-3 Centro CAM CAM COD/CMD Ag. TRI Leste MPE Flamboyant Sudoeste GOA ATL IND Sul C.ARTE REA Anel-1 ANH AP-GNA BUR-Shop Anel-2 APS CMD/COD Anápolis DAA JUD Jundiaí STM-16/64 STM-16 STM-1 GbEthernet Agências Vapt-Vupt Agências CELG Estações Goiânia Estações Fora De Goiânia COD/CMD SEN SEN Centro

30 PERSPECTIVAS DE APLICAÇÃO DA TECNOLOGIA PLC PLATAFORMA DE ACESSO - MIX DE TECNOLOGIAS Núcleo IP Internet Base Station WiMAX SIP Server Roteador / BRAS Backbone Óptico - MPLS (Topologia MetroEthernet) Switch Híbrido Ethernet/SDH Fibra Óptica (Cabo Espinado) Fibra Óptica ou PLC na Média Tensão Master PLC Acesso WiMAX Acesso PLC Acesso via Fibra DSLAM/FTTH

31 MODELO DE DESENVOLVIMENTO Gestão do Projeto Rede de Acesso Serviços CELG Dist. e G&T Parcerias Usuários Projetos Específicos Aplicação Desverticalização CELG Projeto OPERA e P&D s Serviços Especiais à Entidades Públicas e Privadas Infra-estrutura de Telecom Inclusão Digital Plano de Ação Integrado

32 A tecnologia PLC vai até onde nenhuma outra chega!!! Quem Duvida?

33 Porto Alegre 5 e 6 de julho de 2007 Hotel Sheraton Promovido por CEEE PROCEMPA DAMOVO - FORUM APTEL BRASIL PLC Patrocínio BPL GLOBAL

34 Obrigado! Engº. José Gonçalves Vieira Fone: (62) / Cel: (62) Fax: (62)

CELGTelecom & Soluções. Novembro, 2008

CELGTelecom & Soluções. Novembro, 2008 CELGTelecom & Soluções Novembro, 2008 Localização Geográfica Agenda 1. Introdução 2. Estratégia Empresarial do Grupo CELGPAR 3. CELGTelecom & Soluções 4. Aspectos Tecnológicos 5. SmartGrids: Contexto e

Leia mais

Utilização de Tecnologia PLC para Suporte à Aplicações

Utilização de Tecnologia PLC para Suporte à Aplicações Utilização de Tecnologia PLC para Suporte à Aplicações SmartGrid Workshop Internacional - Power Line Communication ANEE L, 3 e 4 de Maio de 2007 [1] SmartGrid - Visão ¾ Visibilidade em tempo real das condições

Leia mais

Visão Geral do Smart Grid Pedro Jatobá Eletrobrás

Visão Geral do Smart Grid Pedro Jatobá Eletrobrás Visão Geral do Smart Grid Pedro Jatobá Eletrobrás Tendências do Setor Energético Mundial Aumento da demanda global Elevação no preço da energia Pressão para o uso de fontes renováveis Aumento da complexidade

Leia mais

Testes e Experiência do CPqD em Sistemas PLC

Testes e Experiência do CPqD em Sistemas PLC Testes e Experiência do CPqD em Sistemas PLC Rogério Botteon Romano Pesquisador Maio/2007 www.cpqd.com.br PLC no CPqD Projeto P&D ANEEL - ciclo 2001/2002 - CPFL - ELETROPAULO - BANDEIRANTE - ELEKTRO (São

Leia mais

Convergência: utilities com Smart Grid e PLC e operadoras de telecomunicações podem somar II

Convergência: utilities com Smart Grid e PLC e operadoras de telecomunicações podem somar II Convergência: utilities com Smart Grid e PLC e operadoras de telecomunicações podem somar II 24/09/2007 19:58 :: João Carlos Fonseca Por ocasião do VIII Seminário Nacional de Telecomunicações da Aptel,

Leia mais

Rede PLC da Restinga Primeira Etapa do Projeto

Rede PLC da Restinga Primeira Etapa do Projeto Primeira Etapa do Projeto Transferência de sinal da rede elétrica do prédio para cabo ou wireless e vice-versa D Repetidores e extratores de sinal para baixa tensão (220V/127V) e vice-versa C B Injeção

Leia mais

Gestão de Ativos de Distribuição

Gestão de Ativos de Distribuição Gestão de Ativos de Distribuição Smart Grid na Cemig Denys Cláudio Cruz de Souza Superintendência de Desenvolvimento e Engenharia da Distribuição O que é Smart Grid? Sistema elétrico inteligente, que integra

Leia mais

PERSPECTIVAS DO PROJETO SMART GRID EM ESPAÇOS POPULARES: DESAFIOS E POSSIBILIDADES *

PERSPECTIVAS DO PROJETO SMART GRID EM ESPAÇOS POPULARES: DESAFIOS E POSSIBILIDADES * PERSPECTIVAS DO PROJETO SMART GRID EM ESPAÇOS POPULARES: DESAFIOS E POSSIBILIDADES * Rosemar Aquino de Rezende JUNIOR 1 ; Laura Vitória Rezende DIAS 2 ; Getúlio Antero de DEUS JÚNIOR 3. 1 Bolsista do PET

Leia mais

Programa Smart Grid da AES Eletropaulo. - A Energia das Metrópoles do Futuro - Maria Tereza Vellano 27 de novembro de 2013

Programa Smart Grid da AES Eletropaulo. - A Energia das Metrópoles do Futuro - Maria Tereza Vellano 27 de novembro de 2013 Programa Smart Grid da AES Eletropaulo - A Energia das Metrópoles do Futuro - Maria Tereza Vellano 27 de novembro de 2013 1 Agenda Institucional Projeto Smart Grid Eletropaulo Digital Motivadores Objetivos

Leia mais

Projeto Cidades do Futuro Convênio D423 Cemig D

Projeto Cidades do Futuro Convênio D423 Cemig D Projeto Cidades do Futuro Convênio D423 Cemig D Tadeu Batista Coordenador Projeto Cidades do Futuro tbatista@cemig.com.br cidadesdofuturo@cemig.com.br www.cemig.com.br/smartgrid facebook.com/cemig.energia

Leia mais

AES ELETROPAULO. Workshop Smart Grid - FIESP 29/07/2015

AES ELETROPAULO. Workshop Smart Grid - FIESP 29/07/2015 AES ELETROPAULO Workshop Smart Grid - FIESP 29/07/2015 1 AES Eletropaulo AES Eletropaulo % Brasil Area Concessão 4,526 (km 2 ) 0,05% Brazil Consumidores 6,8 (milhões) 9% Brasil Energia 46 (TWh) 11% São

Leia mais

Luiz Carlos Santini Jr Gerente de Perdas Comerciais Enersul Brasil

Luiz Carlos Santini Jr Gerente de Perdas Comerciais Enersul Brasil Luiz Carlos Santini Jr Gerente de Perdas Comerciais Enersul Brasil 19 a 21 de outubro de 2009 Hotel Transamérica São Paulo BRASIL Enersul Empresa Energética de Mato Grosso do Sul Enersul Empresa distribuidora

Leia mais

Tem também grande experiência em desenvolvimento e padronização de processos em empresas de prestação de serviços.

Tem também grande experiência em desenvolvimento e padronização de processos em empresas de prestação de serviços. PLC - Power Line Communications Este tutorial tem por objetivo introduzir o tema PLC Power Line Communications. Esta tecnologia já está disponível, hoje, para o fornecimento de infra-estrutura para os

Leia mais

Smart Grid A Transição nas Redes das Concessionárias de Energia

Smart Grid A Transição nas Redes das Concessionárias de Energia 1 Smart Grid A Transição nas Redes das Concessionárias de Energia Autor: Kobi Gol Gerente de Desenvolvimento de Negócios e Soluções da RAD Data Communications. 2 As redes das empresas de energia estão

Leia mais

SISTEMAS DE MEDIÇÃO CENTRALIZADA

SISTEMAS DE MEDIÇÃO CENTRALIZADA SISTEMAS DE MEDIÇÃO CENTRALIZADA Estado da arte Aplicações atuais Perspectivas Landulfo Mosqueira Alvarenga Consultor Técnico Diretoria de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação CEPEL 1 Seminário Internacional

Leia mais

INDÚSTRIA TRANSPORTE COMÉRCIO DISTRIBUIÇÃO

INDÚSTRIA TRANSPORTE COMÉRCIO DISTRIBUIÇÃO INDÚSTRIA TRANSPORTE COMÉRCIO DISTRIBUIÇÃO Oportunidade e integração Setorial COMÉRCIO TRANSPORTE INDÚSTRIA DISTRIBUIÇÃO Informática & Comunicações Oportunidade e integração Setorial COMÉRCIO TRANSPORTE

Leia mais

Painel 1 A Banda Larga como Política Pública

Painel 1 A Banda Larga como Política Pública Painel 1 A Banda Larga como Política Pública Marco A O Tavares Gerente Operacional de Planejamento Engenharia do Espectro tavares@anatel.gov.br Agenda A Anatel neste Contexto Passos Percorridos E para

Leia mais

Aspectos Regulatórios de Redes Inteligentes no Brasil

Aspectos Regulatórios de Redes Inteligentes no Brasil IEEE Workshop SMART GRID Trends & Best Practices Aspectos Regulatórios de Redes Inteligentes no Brasil Marco Aurélio Lenzi Castro Superintendência de Regulação dos Serviços de Distribuição SRD/ANEEL Salvador,

Leia mais

06/04/2010. Abril/2008. Aula 4. Fonte: NASA. Cenário Internacional: mesma base tecnológica e raras exceções

06/04/2010. Abril/2008. Aula 4. Fonte: NASA. Cenário Internacional: mesma base tecnológica e raras exceções Abril/2008 Aula 4 Fonte: NASA Cenário Internacional: mesma base tecnológica e raras exceções 2 1 Soma de duas infra-estruturas 1.Infra-estrutura de energia Geradora de Energia Transformadores Nó de Entrada

Leia mais

PLC - Power Line Communications - 2009

PLC - Power Line Communications - 2009 PLC - Power Line Communications - 2009 Bruno Aguilar e Silva Bruno B. L. de Oliveira David Alves da Silva Hugo Pereira Rios Luiz Carlos Duarte Vilmar Batista da Silva Universidade Presidente Antônio Carlos

Leia mais

Cidades Digitais: Viabilidade Econômica e Sustentabilidade

Cidades Digitais: Viabilidade Econômica e Sustentabilidade Cidades Digitais: Viabilidade Econômica e Sustentabilidade Este tutorial apresenta conceitos e modelos de negócios para a implantação das Cidades Digitais e, através de um estudo de caso da cidade da Filadélfia

Leia mais

APTEL Associação de Empresas Proprietárias de Infra-Estrutura e de Sistemas Privados de Telecomunicações

APTEL Associação de Empresas Proprietárias de Infra-Estrutura e de Sistemas Privados de Telecomunicações APTEL Associação de Empresas Proprietárias de Infra-Estrutura e de Sistemas Privados de Telecomunicações 2009 Objetivos A APTEL é uma associação privada, sem fins lucrativos, cujos membros possuem, controlam

Leia mais

A Sothis é uma empresa provedora de voz e dados com suporte a gestão de economia. para sua empresa. Através da Tecnologia de IP, dispomos de soluções

A Sothis é uma empresa provedora de voz e dados com suporte a gestão de economia. para sua empresa. Através da Tecnologia de IP, dispomos de soluções C O M U N I C A Ç Ã O D I G I T A L A Sothis é uma empresa provedora de voz e dados com suporte a gestão de economia para sua empresa. Através da Tecnologia de IP, dispomos de soluções para o trafego de

Leia mais

Projetos PLC Desenvolvidos pela UFRGS em Parceria com a CEEE

Projetos PLC Desenvolvidos pela UFRGS em Parceria com a CEEE Projetos PLC Desenvolvidos pela UFRGS em Parceria com a CEEE Prof. Dr. Walter Fetter Lages w.fetter@ieee.org Universidade Federal do Rio Grande do Sul Escola de Engenharia Departamento de Engenharia Elétrica

Leia mais

P&D para Apoio a Regulamentação e a Padronização da Tecnologia PLC

P&D para Apoio a Regulamentação e a Padronização da Tecnologia PLC P&D para Apoio a Regulamentação e a Padronização da Tecnologia PLC Prof. Moisés s Vidal Ribeiro Programa de Pós-GraduaP Graduação em Engenharia Elétrica Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) Brasil

Leia mais

Objetivo. 0 Conceitos. 0 Funcionalidades. 0 Desafios. 0 Experiências de Implantação

Objetivo. 0 Conceitos. 0 Funcionalidades. 0 Desafios. 0 Experiências de Implantação Objetivo 0 Conceitos 0 Funcionalidades 0 Desafios 0 Experiências de Implantação Smart Grid Conceitos 0 NÃO é só Medição Eletrônica e Telecom!! 0 Envolve conhecimentos sobre: 0 Tecnologia, Padrões, Normas

Leia mais

A solução para relacionamento de. Gestão de consumo de energia elétrica, água e gás, contabilização e interfaces de relacionamento

A solução para relacionamento de. Gestão de consumo de energia elétrica, água e gás, contabilização e interfaces de relacionamento A solução para relacionamento de Smart Grid com os consumidores Gestão de consumo de energia elétrica, água e gás, contabilização e interfaces de relacionamento asmart Grid + Relacionamento ferramenta

Leia mais

Cidades Digitais: Viabilidade Econômica e Sustentabilidade

Cidades Digitais: Viabilidade Econômica e Sustentabilidade Cidades Digitais: Viabilidade Econômica e Sustentabilidade Este tutorial apresenta conceitos e modelos de negócios para a implantação das Cidades Digitais e, através de um estudo de caso da cidade da Filadélfia

Leia mais

SMART GRID METERING LATIN AMERICA EDIÇÃO 2009

SMART GRID METERING LATIN AMERICA EDIÇÃO 2009 SMART GRID METERING LATIN AMERICA EDIÇÃO 2009 27/10/09 1 AGENDA REGULAMENTAÇÃO DA TECNOLOGIA BPL NO BRASIL RESOLUÇÃO 527 ANATEL QUEM SOMOS POWERGRID COMMUNICATIONS BRASIL SERVIÇOS DE ENGENHARIA E ELETRICIDADE

Leia mais

Fernando Alvim Diório Coordenador do SGT ABNT Brasil

Fernando Alvim Diório Coordenador do SGT ABNT Brasil Fernando Alvim Diório Coordenador do SGT ABNT Brasil 19 a 21 de outubre de 2009 Hotel Transamérica São Paulo BRASIL PADRÕES PARA PROTOCOLO DE COMUNICAÇÃO. Agenda Histórico Objetivos Aplicações Nova proposta

Leia mais

AES Eletropaulo. Area Concessão. Energia. Eletropaulo. Brasil. 4,526 (km 2 ) 0,05% 6,8 (milhões) 46 (TWh) 11% Brasil.

AES Eletropaulo. Area Concessão. Energia. Eletropaulo. Brasil. 4,526 (km 2 ) 0,05% 6,8 (milhões) 46 (TWh) 11% Brasil. AES ELETROPAULO 1 AES Eletropaulo AES Eletropaulo % Brasil Area Concessão 4,526 (km 2 ) 0,05% Brazil Consumidores 6,8 (milhões) 9% Brasil Energia 46 (TWh) 11% São Paulo Estado 2 PROJETO AES ELETROPAULO

Leia mais

VoIP Peering. Operação, Tecnologia e Modelos de Negócio

VoIP Peering. Operação, Tecnologia e Modelos de Negócio VoIP Peering Operação, Tecnologia e Modelos de Negócio Histórico 2005 2004 2004 2003 2002 2001 2000 1999 1998 1996 1995 1993 Plataformas de Suporte ao Cliente Final Suporte ao protocolo SIP POP em Miami

Leia mais

UMA ABORDAGEM DE GERENCIAMENTO REMOTO DO SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA USANDO WEB SERVICES SOBRE TECNOLOGIA GPRS

UMA ABORDAGEM DE GERENCIAMENTO REMOTO DO SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA USANDO WEB SERVICES SOBRE TECNOLOGIA GPRS UMA ABORDAGEM DE GERENCIAMENTO REMOTO DO SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA USANDO WEB SERVICES SOBRE TECNOLOGIA GPRS Prof. Roberto A. Dias, Dr. Eng CEFET-SC Igor Thiago Marques Mendonça Reginaldo

Leia mais

Redes Inteligentes. Como passo inicial do Conceito Smart Grid. Belo Horizonte - 11/08/2010

Redes Inteligentes. Como passo inicial do Conceito Smart Grid. Belo Horizonte - 11/08/2010 Redes Inteligentes Como passo inicial do Conceito Smart Grid Belo Horizonte - 11/08/2010 A Rede Elétrica ONS Mercado De Energia NOSSO FOCO Geração Geração renovável Armazenamento Rede de Distribuição Negócio

Leia mais

SMART GRID EM ESPAÇOS POPULARES: DESAFIOS E POSSIBILIDADES. Bolsista do PET EEEC/UFG engenheiralaura1@hotmail.com.

SMART GRID EM ESPAÇOS POPULARES: DESAFIOS E POSSIBILIDADES. Bolsista do PET EEEC/UFG engenheiralaura1@hotmail.com. SMART GRID EM ESPAÇOS POPULARES: DESAFIOS E POSSIBILIDADES Rosemar Aquino de Rezende JUNIOR 1 ; Laura Vitória Rezende Dias 2 ; Getúlio Antero de Deus JÚNIOR 3 Grupo PET EEEC (Conexões de Saberes) /UFG

Leia mais

Apresentação institucional. Claudio A Violato Vice-Presidente de Tecnologia

Apresentação institucional. Claudio A Violato Vice-Presidente de Tecnologia Apresentação institucional Claudio A Violato Vice-Presidente de Tecnologia O CPqD Aumento da competitividade e inclusão digital do País Uma organização focada na inovação com base em Tecnologias de Informação

Leia mais

Telebras Institucional

Telebras Institucional Telebras Institucional Ibirubá-RS, Setembro 2011 A Telebrás Quem somos A TELEBRAS é uma S/A de economia mista, vinculada ao Ministério das Comunicações, autorizada a usar e manter a infraestrutura e as

Leia mais

7 Modelos de Négocio para o PLC

7 Modelos de Négocio para o PLC 87 7 Modelos de Négocio para o PLC Há basicamente três modelos de negócio que podem ser usados para o PLC baseados no valor de investimento e nível de risco que as empresas de energia se dispõem em aceitar

Leia mais

Pólo Industrial Santo André PISA

Pólo Industrial Santo André PISA Pólo Industrial Santo André PISA São Paulo Evento: Instituto Fernando Henrique Cardoso Agenda Evolução das Telecomunicações: Os processos de convergência e a importância da eficiência industrial Buscando

Leia mais

Projeto Smart Grid. Visão Geral

Projeto Smart Grid. Visão Geral Projeto Smart Grid Visão Geral Contextualização Sobre o Smart Grid Smart Grid Light Estratégia da Light para os próximos anos 2 3-8 usinas - 98 SE - 111 SE - 7.500 2500 circuitos 19.685 km 1045 Dispositivos

Leia mais

Self-Healing Semi-Centralizado e seus benefícios para clientes com base instalada

Self-Healing Semi-Centralizado e seus benefícios para clientes com base instalada XI SIMPÓSIO DE AUTOMAÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS 16 a 19 de Agosto de 2015 CAMPINAS - SP Self-Healing Semi-Centralizado e seus benefícios para clientes com base instalada Paulo Antunes Souza Wagner Hokama

Leia mais

1 Introduc ao 1.1 Hist orico

1 Introduc ao 1.1 Hist orico 1 Introdução 1.1 Histórico Nos últimos 100 anos, o setor de telecomunicações vem passando por diversas transformações. Até os anos 80, cada novo serviço demandava a instalação de uma nova rede. Foi assim

Leia mais

Sm S a m r a t r t Gr G i r d Bruno Erik Cabral

Sm S a m r a t r t Gr G i r d Bruno Erik Cabral Bruno Erik Cabral Smart Grid Agenda Introdução Definição Características Confiabilidade Flexibilidade Eficiência Sustentabilidade Medidores Inteligentes Controle avançado Cenário Internacional Cenária

Leia mais

Notação: T1i 1 - PLC: algoritmos atuais; T1i 2 - PLC: novos algoritmos;

Notação: T1i 1 - PLC: algoritmos atuais; T1i 2 - PLC: novos algoritmos; 31 3 Estudos do PLC Depois de apresentar algumas tecnologias PLC, será apresentado um cenário nacional e internacional que mostra a tecnologia hoje e o avanço esperado pela mesma no futuro. Alguns projetos

Leia mais

10/10/2012. Motivações sociais: Camada Gestão da Energia. Camada - Gestão de ativos, implantação, operação e manutenção. Camada Gestão da Informação

10/10/2012. Motivações sociais: Camada Gestão da Energia. Camada - Gestão de ativos, implantação, operação e manutenção. Camada Gestão da Informação Utilização de técnicas e métodos da arquitetura Smart Grid para implementar uma solução de gestão de consumo de energia elétrica e água, baseada na coleta de medições e submedições de Unidades Consumidoras

Leia mais

Seminário de Lei de Informática. Francisco Siqueira de Sousa Gerente Comercial

Seminário de Lei de Informática. Francisco Siqueira de Sousa Gerente Comercial Seminário de Lei de Informática Francisco Siqueira de Sousa Gerente Comercial Conteúdo Introdução Casos de Sucesso IMPORTÂNCIA DA LEI Estabelece uma Política de Desenvolvimento Nacional; Estimula a inserção

Leia mais

Mensagem da Administração

Mensagem da Administração Mensagem da Administração Quanto à área das Comunicações Wireless, o projeto Wavesys é o resultado de 3 anos de investigação e desenvolvimento e de 12 anos de experiência acumulada com a implementação

Leia mais

Área de concessão. 24 municípios incluindo a Capital. Abrangência: 4,526 km2 e 10% do consumo de energia do país. 6,7 milhões de unidades consumidoras

Área de concessão. 24 municípios incluindo a Capital. Abrangência: 4,526 km2 e 10% do consumo de energia do país. 6,7 milhões de unidades consumidoras Redes Inteligentes Área de concessão 24 municípios incluindo a Capital Abrangência: 4,526 km2 e 10% do consumo de energia do país 6,7 milhões de unidades consumidoras 8% da população do Brasil (aprox.

Leia mais

Integration and flexibility in business management Integração e flexibilidade na gestão dos negócios Ladislau das Chagas Júnior & Jose Domingos

Integration and flexibility in business management Integração e flexibilidade na gestão dos negócios Ladislau das Chagas Júnior & Jose Domingos Integration and flexibility in business management Integração e flexibilidade na gestão dos negócios Ladislau das Chagas Júnior & Jose Domingos Favoretto Jr. Integração e flexibilidade na gestão dos negócios

Leia mais

Mensagem da Administração

Mensagem da Administração Mensagem da Administração Quanto à área das Comunicações Wireless, o projeto Wavesys é o resultado de 3 anos de investigação e desenvolvimento e de 12 anos de experiência acumulada com a implementação

Leia mais

Buscamos sempre a solução mais eficaz, de acordo com o avanço tecnológico dos sistemas de Telecomunicações e Tecnologia da Informação.

Buscamos sempre a solução mais eficaz, de acordo com o avanço tecnológico dos sistemas de Telecomunicações e Tecnologia da Informação. A T7 Solutions Informática e Telecomunicações atua como prestadora de serviços de Infraestrutura de TI e Telecom, com foco no desenvolvimento e implementação de soluções de Infraestrutura, Dados e Voz.

Leia mais

MSc Eliton Smith elitonsmith@gmail.com. Gerenciamento e Administração de Redes

MSc Eliton Smith elitonsmith@gmail.com. Gerenciamento e Administração de Redes MSc Eliton Smith elitonsmith@gmail.com Gerenciamento e Administração de Redes 2 Gerência de Redes ou Gerenciamento de Redes É o controle de qualquer objeto passível de ser monitorado numa estrutura de

Leia mais

Projetos InovCityEDP. Rio de Janeiro, 15 de Maio de 2014

Projetos InovCityEDP. Rio de Janeiro, 15 de Maio de 2014 Projetos InovCityEDP Rio de Janeiro, 15 de Maio de 2014 Agenda Soluções Smart Grid implantadas na EDP Projeto InovCity Aparecida Projeto InovCity ES Desafios para o Setor Elétrico Barreiras à serem vencidas

Leia mais

VoIP em Redes PLC (PowerLine( Communications)

VoIP em Redes PLC (PowerLine( Communications) VoIP em Redes PLC (PowerLine( Communications) Christiane Borges Santos Doutoranda em Ciência da Computação - UNB Mestre em Eng. Elétrica e de Computação - EEEC/UFG Tecnóloga em Redes de Comunicação CEFETGO

Leia mais

ASPECTOS DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM REDES INTELIGENTES SMART GRIDS PROJETO DE PESQUISA 01: ANÁLISE DA MEDIÇÃO INTELIGENTE DE ENERGIA VIA PLC

ASPECTOS DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM REDES INTELIGENTES SMART GRIDS PROJETO DE PESQUISA 01: ANÁLISE DA MEDIÇÃO INTELIGENTE DE ENERGIA VIA PLC PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS, AMBIENTAIS E DE TECNOLOGIAS CEATEC PUC-CAMPINAS ASPECTOS DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM REDES INTELIGENTES SMART GRIDS PROJETO DE PESQUISA

Leia mais

Melhoria da Qualidade do Fornecimento de Energia Elétrica das Empresas Distribuidoras

Melhoria da Qualidade do Fornecimento de Energia Elétrica das Empresas Distribuidoras 1 / 16 Melhoria da Qualidade do Fornecimento de Energia Elétrica das Empresas Distribuidoras Seminário Internacional de Automação de Processos Comerciais e Operacionais nas Empresas de Distribuição da

Leia mais

MEDIÇÃO INTELIGENTE. www.ecilenergia.com.br

MEDIÇÃO INTELIGENTE. www.ecilenergia.com.br MEDIÇÃO INTELIGENTE Medidores BT Direto e Indireto (Monofásico, Bifásico e Trifásico) Medidor Indireto THS Medidor de Balanço Gateways para Rede FAN Santana de Parnaíba - SP/ Brasil Alameda Europa, 54

Leia mais

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social Programa 0465 SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO - INTERNET II Objetivo Incrementar o grau de inserção do País na sociedade de informação e conhecimento globalizados. Público Alvo Empresas, usuários e comunidade

Leia mais

Convergência: utilities com Smart Grid e PLC e operadoras de telecomunicações podem somar I

Convergência: utilities com Smart Grid e PLC e operadoras de telecomunicações podem somar I Convergência: utilities com Smart Grid e PLC e operadoras de telecomunicações podem somar I 24/09/2007 20:29 :: João Carlos Fonseca Por ocasião do VIII Seminário Nacional de Telecomunicações da Aptel,

Leia mais

LAGF. Otimizando Redes Comunicações Carlos Alberto Previdelli

LAGF. Otimizando Redes Comunicações Carlos Alberto Previdelli LAGF Otimizando Redes Comunicações Carlos Alberto Previdelli Setembro/2013 Agenda Smart Utilities & Smart Network Gestão integrada da Rede Conclusão Smart Utilities - Vetores da Governança Visão, Direção

Leia mais

Energias do Brasil-EDP

Energias do Brasil-EDP Prezados Senhores Energias do Brasil-EDP Atendendo orientação dos procedimentos da Consulta Pública em assunto, estamos encaminhando abaixo as contribuições do Grupo EDP - Energias do Brasil, a propósito

Leia mais

II Seminário Resultados da Lei da Informática

II Seminário Resultados da Lei da Informática II Seminário Resultados da Lei da Informática Rodrigo Pinto Diretor de P&D 29 de março de 2006 Agenda A Solectron Estratégia Organização Realizações Resultados entre 1998 2003 Resultados entre 2004-2005

Leia mais

Energy balance: A strategy to reduce losses Balanço energético: uma estratégia para redução de perdas Marcos Aurélio Madureira da Silva & Denis Maia

Energy balance: A strategy to reduce losses Balanço energético: uma estratégia para redução de perdas Marcos Aurélio Madureira da Silva & Denis Maia Energy balance: A strategy to reduce losses Balanço energético: uma estratégia para redução de perdas Marcos Aurélio Madureira da Silva & Denis Maia Balanço energético: uma estratégia para redução de perdas

Leia mais

Smart Grid e Net Metering no Brasil

Smart Grid e Net Metering no Brasil Smart Grid e Net Metering no Brasil Daniel Vieira Superintendência de Regulação dos Serviços de Distribuição SRD/ANEEL Cidade do México 30/01/2013 Sistema de Distribuição 63 concessionárias de distribuição

Leia mais

redes, infraestrutura e telecom

redes, infraestrutura e telecom redes, infraestrutura e telecom Integração de soluções, projetos, implementação e manutenção de redes, infraestrutura de TI e telecom para empresas de grande e médio portes. SERVIÇOS redes, infraestrutura

Leia mais

Aplicação de Sistema Telemedição em Unidades Consumidoras Alimentadas por Redes Subterrâneas Caso Praia do Paiva

Aplicação de Sistema Telemedição em Unidades Consumidoras Alimentadas por Redes Subterrâneas Caso Praia do Paiva Aplicação de Sistema Telemedição em Unidades Consumidoras Alimentadas por Redes Subterrâneas Caso Praia do Paiva Autores Marcelo Artur Xavier de Lima CELPE; José Aderaldo Lopes CELPE. 1 AGENDA: A Celpe;

Leia mais

WORKSHOP ENERGIA SMART GRIDS Cibersegurança em Smart Grid

WORKSHOP ENERGIA SMART GRIDS Cibersegurança em Smart Grid WORKSHOP ENERGIA SMART GRIDS Cibersegurança em Smart Grid José Reynaldo Formigoni Filho, MSc Gerente de Desenvolvimento de Tecnologias de Segurança da Informação e Comunicação Rafael de Simone Cividanes,

Leia mais

Palavras-chave: Smart Grid. Eficiência energética. Projetos pilotos. Eletricidade.

Palavras-chave: Smart Grid. Eficiência energética. Projetos pilotos. Eletricidade. IMPLEMENTAÇÃO DE PROJETOS SMART GRID NO BRASIL Marcos Vinicius Nunes Arruda Aluno do IFMT, Campus Cuiabá, voluntário Ruy de Oliveira Prof. Doutor. do IFMT, Campus Cuiabá, orientador Resumo As redes de

Leia mais

UNIDADE II. Fonte: SGC Estácio e Marco Filippetti

UNIDADE II. Fonte: SGC Estácio e Marco Filippetti UNIDADE II Metro Ethernet Fonte: SGC Estácio e Marco Filippetti Metro Ethernet é um modo de utilizar redes Ethernet em áreas Metropolitanas e geograficamente distribuídas. Esse conceito surgiu pois, de

Leia mais

Smart Grid pelo preço de AMI

Smart Grid pelo preço de AMI Smart Grid pelo preço de AMI John O Farrell Vice-Presidente Executivo, Desenvolvimento de Negócios Silver Spring Networks California, EUA jofarrell@silverspringnet.com 2008 Silver Spring Networks. All

Leia mais

Caminhos para as cidades digitais no Brasil. Campinas, 26 de março de 2009

Caminhos para as cidades digitais no Brasil. Campinas, 26 de março de 2009 Caminhos para as cidades digitais no Brasil Campinas, 26 de março de 2009 Atualmente, faz-se necessário o exame de meios que estimulem a difusão de cidades digitais sustentáveis pelo país, porque, além

Leia mais

IBM Solutions Center São Paulo

IBM Solutions Center São Paulo IBM Solutions Center São Paulo IBM Solutions Center A IBM está estabelecida há mais de 90 anos no Brasil e é um dos grandes motores do desenvolvimento da tecnologia de informação aplicada aos negócios.

Leia mais

Conquistas e Novos Desafios

Conquistas e Novos Desafios Conquistas e Novos Desafios Segmento ISPs e Integradores FTTx Marcos Kazushi Futikami - VSB Mercado - Cenario CRESCIMENTO CONTÍNUO AO LONGO DOS ANOS Brasil: 100% dos municípios do Brasil são cobertos pelos

Leia mais

AAssociação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) é

AAssociação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) é 70 NORMAS ABNT APLICÁVEIS AOS MEDIDORES ELETRÔNICOS DE ENERGIA ELÉTRICA DISCUTIDAS EM CONSULTA NACIONAL Por Jeferson Marcondes e Marcos Aurélio Ribeiro AAssociação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT)

Leia mais

CONSOLIDAÇÃO DAS DEMANDAS DO SORTEIO Nº 017/2011 - EDITAL DE CREDENCIAMENTO Nº 02/2009

CONSOLIDAÇÃO DAS DEMANDAS DO SORTEIO Nº 017/2011 - EDITAL DE CREDENCIAMENTO Nº 02/2009 1 1 3 2 1 3 3 4 1 4 4 1 5 5 3 6 5 3 7 5 3 CONSOLIDAÇÃO DAS DEMANDAS DO SORTEIO Nº 017/2011 - EDITAL DE CREDENCIAMENTO Nº 02/2009 avaliação inicial do "Desenvolvimento de Sistema Integrado de Geração de

Leia mais

X SIMPASE Temário TEMA 1. Automação e digitalização de usinas, subestações, redes de distribuição e instalações de grandes consumidores, tais como:

X SIMPASE Temário TEMA 1. Automação e digitalização de usinas, subestações, redes de distribuição e instalações de grandes consumidores, tais como: X SIMPASE Temário TEMA 1 Automação e digitalização de usinas, subestações, redes de distribuição e instalações de grandes consumidores, tais como: - Implantação, operação e manutenção de sistemas de automação

Leia mais

GERÊNCIA INFRAESTRUTURA Divisão Intragov - GIOV INTRAGOV Rede IP Multisserviços

GERÊNCIA INFRAESTRUTURA Divisão Intragov - GIOV INTRAGOV Rede IP Multisserviços GERÊNCIA INFRAESTRUTURA Divisão Intragov - GIOV INTRAGOV Rede IP Multisserviços Julho 2013 Milton T. Yuki Governo Eletrônico (e-gov) Público Alvo Cidadão/Sociedade Órgãos de Governo Serviços e-gov para

Leia mais

Investimentos brasileiros para melhoria da qualidade da banda larga e para a proteção de dados no País

Investimentos brasileiros para melhoria da qualidade da banda larga e para a proteção de dados no País Ministério das Comunicações Investimentos brasileiros para melhoria da qualidade da banda larga e para a proteção de dados no País Artur Coimbra Diretor do Departamento de Banda Larga Ministério das Comunicações

Leia mais

Communications PLC ANEEL 33 e 4 de maio de 2007

Communications PLC ANEEL 33 e 4 de maio de 2007 Comentários Sobre o Uso de Redes de Distribuição como Meio de Comunicação de Dados Fabio Cavaliere e Cesar Bandim 1 Workshop Internacional sobre Power Line Communications PLC ANEEL 33 e 4 de maio de 2007

Leia mais

REDES CORPORATIVAS. Soluções Avançadas para Comunicação Empresarial

REDES CORPORATIVAS. Soluções Avançadas para Comunicação Empresarial REDES CORPORATIVAS Presente no mercado há 31 anos, a Compugraf atua em vários segmentos da comunicação corporativa, oferecendo serviços e soluções de alta tecnologia, com reconhecida competência em diversos

Leia mais

Metering system for billing in the National Interconnected System Sistema de Medição para Faturamento no Sistema Interligado Nacional Neyl Hamilton

Metering system for billing in the National Interconnected System Sistema de Medição para Faturamento no Sistema Interligado Nacional Neyl Hamilton Metering system for billing in the National Interconnected System Sistema de Medição para Faturamento no Sistema Interligado Nacional Neyl Hamilton M. Soares Medição para Faturamento no Sistema Interligado

Leia mais

Cigré/Brasil. CE B5 Proteção e Automação. Seminário Interno de Preparação para a Bienal de 2008

Cigré/Brasil. CE B5 Proteção e Automação. Seminário Interno de Preparação para a Bienal de 2008 Cigré/Brasil CE B5 Proteção e Automação Seminário Interno de Preparação para a Bienal de 2008 Rio de Janeiro, 26-27 de junho de 2008 Dados do Artigo Número B5-106 Título Autoria Processo de comunicação

Leia mais

Cidades Digitais. Desmistificando a Tecnologia. Bruno Soares Henriques. www.inatel.br

Cidades Digitais. Desmistificando a Tecnologia. Bruno Soares Henriques. www.inatel.br Cidades Digitais Desmistificando a Tecnologia INATEL Competence Center Av. João de Camargo, 510 Santa Rita do Sapucai MG Tel: (35) 3471 9330 Bruno Soares Henriques O que é Cidade Digital City Cloud, Digital

Leia mais

INOVA ENERGIA. Plano Conjunto de Apoio à Inovação Propostas para atuação ANEEL BNDES FINEP

INOVA ENERGIA. Plano Conjunto de Apoio à Inovação Propostas para atuação ANEEL BNDES FINEP INOVA ENERGIA Plano Conjunto de Apoio à Inovação Propostas para atuação ANEEL BNDES FINEP Elementos de Articulação INOVA ENERGIA: Elementos da Proposta Fontes de Recursos Linhas Temáticas Subvenção, Crédito

Leia mais

Tópicos. 1. Conceitos Gerais de Smart Grids. 2. Evolução das Redes Inteligentes e Resultados (PDRI) 3. Enerq em Smart Grids

Tópicos. 1. Conceitos Gerais de Smart Grids. 2. Evolução das Redes Inteligentes e Resultados (PDRI) 3. Enerq em Smart Grids IEEE Workshop SMART GRID - Trends & Best Practices Smart Grid no Contexto da Geração e Distribuição 18/10/2013 NAPREI Núcleo de Pesquisas em Redes Elétricas Inteligentes enerq Centro de Estudos em Regulação

Leia mais

Resultados da Lei de Informática - Uma Avaliação. Parte 4 - Programas Prioritários em Informática

Resultados da Lei de Informática - Uma Avaliação. Parte 4 - Programas Prioritários em Informática Resultados da Lei de Informática - Uma Avaliação Parte 4 - Programas Prioritários em Informática Rede Nacional de Pesquisa Ministério da Ciência e Tecnologia Resultados da Lei de Informática - Uma Avaliação

Leia mais

Desafios para a construção" de uma rede de telecomunicações governamental no Estado

Desafios para a construção de uma rede de telecomunicações governamental no Estado Desafios para a construção" de uma rede de telecomunicações governamental no Estado Cristiane Lima Guadagnin Cardoso I Semana Estadual de Tecnologia da Informação e Comunicação - TIC Maio 2015. 1 AGENDA

Leia mais

Pioneirismo não se inventa. Mas pode ser reinventado todos os dias.

Pioneirismo não se inventa. Mas pode ser reinventado todos os dias. Pioneirismo não se inventa. Mas pode ser reinventado todos os dias. A velocidade das respostas é cada vez mais decisiva para o sucesso de uma empresa. Se estar conectado já não basta, é preciso sempre

Leia mais

RESPOSTA Nº 01 DO EDITAL ADG 003/2015 - Contratação de Prestação de Serviços de Telecomunicação Corporativa (RTC)

RESPOSTA Nº 01 DO EDITAL ADG 003/2015 - Contratação de Prestação de Serviços de Telecomunicação Corporativa (RTC) RESPOSTA Nº 01 DO EDITAL ADG 003/2015 - Contratação de Prestação de Serviços de Telecomunicação Corporativa (RTC) PERGUNTA 1: Com relação ao exposto no item 3.1.12.2 do Anexo II: A solução deverá suportar

Leia mais

ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 10/2009 NOME DA INSTITUIÇÃO: SKY BRASIL SERVIÇOS LTDA.

ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 10/2009 NOME DA INSTITUIÇÃO: SKY BRASIL SERVIÇOS LTDA. ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 10/2009 NOME DA INSTITUIÇÃO: SKY BRASIL SERVIÇOS LTDA. AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL ATO REGULATÓRIO: (Resolução nº, de de de 2009

Leia mais

A Atuação da Finep em Energia e Tecnologias Limpas DENE

A Atuação da Finep em Energia e Tecnologias Limpas DENE A Atuação da Finep em Energia e Tecnologias Limpas DENE Agenda FINEP Departamento de Energia e Tecnologias Limpas DENE Programas Setoriais Inova Energia A Finep A Finep é uma empresa pública vinculada

Leia mais

Classificação: Público

Classificação: Público Classificação: Público Classificação: Público Empresa Um dos maiores e mais sólidos grupos de energia elétrica do Brasil e América Latina, que completa 60 anos em 2012. Principais Atividades Energia: geração,

Leia mais

Plano Nacional. de Banda Larga. Brasília, 05 de maio de 2010

Plano Nacional. de Banda Larga. Brasília, 05 de maio de 2010 Plano Nacional de Banda Larga Brasília, 05 de maio de 2010 Sumário 1. Importância Estratégica 2. Diagnóstico 3. Objetivos e Metas 4. Ações 5. Investimento 6. Governança e Fórum Brasil Digital 2 1. Importância

Leia mais

SuSTAINABLE Projecto Europeu FP7

SuSTAINABLE Projecto Europeu FP7 SuSTAINABLE Projecto Europeu FP7 Info-Day Nacional de Energia Oportunidades de financiamento no âmbito do tema ENERGIA do Horizonte 2020, Concursos 2014&2015 António Messias, Inovgrid, EDP DISTRIBUIÇÃO

Leia mais

Projeto de Monitoração e Melhoria Contínua com Six-Sigma, IoT e Big Data

Projeto de Monitoração e Melhoria Contínua com Six-Sigma, IoT e Big Data Projeto de Monitoração e Melhoria Contínua com Six-Sigma, IoT e Big Data Contexto As pressões do mercado por excelência em qualidade e baixo custo obrigam as empresas a adotarem sistemas de produção automatizados

Leia mais

Desafio de Telecom em Projetos de Smart Grid

Desafio de Telecom em Projetos de Smart Grid Desafio de Telecom em Projetos de mart Grid David Dias Executivo de Desenvolvimneto de Novos negócios IB Brasil 28 30 eptember, 2010, ao Paulo, BAZIL 28 a 30 de etembro de 2010 Centro de Convenções Frei

Leia mais

CENTRAIS ELÉTRICAS DO NORTE DO BRASIL S.A. COMPETÊNCIAS ATRIBUIÇÕES ORGANIZACIONAIS DIRETORIA DE OPERAÇÃO

CENTRAIS ELÉTRICAS DO NORTE DO BRASIL S.A. COMPETÊNCIAS ATRIBUIÇÕES ORGANIZACIONAIS DIRETORIA DE OPERAÇÃO CENTRAIS ELÉTRICAS DO NORTE DO BRASIL S.A. COMPETÊNCIAS ATRIBUIÇÕES ORGANIZACIONAIS DIRETORIA DE OPERAÇÃO DIRETORIA DE OPERAÇÃO Cabe à Diretoria de Operação a gestão dos negócios geração, transmissão e

Leia mais

Introdução. Histórico da Silver Spring Networks

Introdução. Histórico da Silver Spring Networks Introdução A Silver Spring Networks agradece a oportunidade de poder enviar à ANEEL alguns comentários em resposta à consulta Implantação de Medição Eletrônica em Baixa Tensão, Nota Técnica nº 0013/2009-SRD/ANEEL

Leia mais

TECNOLOGIA PARA OS DESAFIOS DO BRASIL

TECNOLOGIA PARA OS DESAFIOS DO BRASIL TECNOLOGIA PARA OS DESAFIOS DO BRASIL Consultoria, tecnologia e outsourcing indracompany.com INDRA NO BRASIL UMA DAS PRINCIPAIS EMPRESAS DE CONSULTORIA E TECNOLOGIA DO PAÍS BRASIL. PRINCIPAL MERCADO INTERNACIONAL

Leia mais

Tendências para a próxima geração celular - 5G. Juliano J. Bazzo

Tendências para a próxima geração celular - 5G. Juliano J. Bazzo Tendências para a próxima geração celular - 5G Juliano J. Bazzo Agenda Motivação Roadmap: do 4G ao 5G Principais Tecnologias Tecnologia Nacional 4G/LTE Conclusão Evolução histórica Substituição de importações

Leia mais