30/06/2015 IPSAS. Lançamentos Contábeis Típicos e DCASP MCASP. Lucy Fátima de Assis Freitas. 6ª Edição PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "30/06/2015 IPSAS. Lançamentos Contábeis Típicos e DCASP MCASP. Lucy Fátima de Assis Freitas. 6ª Edição - 2015 PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS"

Transcrição

1 CONVERGÊNCIA CONTÁBIL SETOR PUBLICO BRASILEIRO Lançamentos Contábeis Típicos e DCASP Lucy átima de Assis reitas Plano de Implantação Procedimentos Contábeis Patrimoniais Regulamenta o art. 13 da Portaria STN nº 634/13 Estabelece novos prazos obrigatórios para Implantação de todos os Procedimentos Patrimoniais Previsão de Conclusão da Implantação : 24 Alinhamento das Normas Brasileiras e Normas Internacionais Evolução Gradual e Alinhada com as Discussões em âmbito do Setor Público Brasileiro. CONVERGÊNCIA CONTÁBIL SETOR PUBLICO BRASILEIRO IPSAS NBC T SP CONVERGÊNCIA CONTÁBIL SETOR PUBLICO BRASILEIRO MCASP 6ª Edição - 15 MANUAL DE CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO Parte I Procedimentos Contábeis Orçamentários Parte II Procedimentos Contábeis Patrimoniais PLANO DE IMPLANTAÇÃO Parte III Procedimentos Contábeis Específicos 13 Parte IV PCASP - Plano de Contas Aplicado ao Setor Público 14 Parte V DCASP - Demonstrações Contábeis 14 CONVERGÊNCIA CONTÁBIL SETOR PUBLICO BRASILEIRO PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS 1. Estágio Atual da NCASP Normativos e Prazos PCO PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS S Portaria 634/13 - Prazos Portaria 733/14- Transição PCP PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS PATRIMONIAIS MCASP 6ª Edição : Procedimentos Plano de Implantação PCP (Minuta) PCE PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS ESPECIICOS - Audiência Pública até 30/06/15 MCASP 6ª Ed. 6 1

2 PCASP PCASP Plano de Contas Aplicado ao Setor Público Estrutura (Subsistemas/Classes de Informações : Patrimonial, Orçamentária e Atos Potenciais); Relacionamento das Contas ( Classes, Vertical e Horizontal); Atributos do Plano de Contas ( P e ); Níveis de Consolidação (CONSOLIDAÇÃO, CONSOLIDAÇÃO, INTRA, INTER). ESTRUTURAÇÃO SISTEMA CASP PCASP SISTEMAS CONTÁBEIS - LEI 43/64 SUBSISTEMAS DE INORMAÇÕES CONTÁBEIS NBC T Controles Aprovação Planejamento e Orçamento 6 - Controles da Execução Planejamento e Orçamento 5.1 Planejamento Aprovado 6.1 Execução Planejamento ORÇAMENTÁRIA 5.2 Orçamento Aprovado 6.2 Execução do Orçamento INANCEIRO C OMPENSAÇÃO CUSTOS 5.3 Inscrição Restos Pagar 6.3 Execução Restos Pagar 7 Controles Devedores 8 Controles Credores COMPENSAÇÃO 7.1 Atos Potenciais 7.2 Administração inanceira 7.3 Dívida Ativa 7.4 Riscos iscais 7.8 Custos 8.1 Execução de atos 8.2 Execução Adm.inanceira 8.3 Execução Dívida Ativa 8.4 Execução Riscos iscais 8.5 Apuração dos Custos Controles Atos Potenciais PCASP PCASP CONTAS NIVEIS CONSOLIDAÇÃO 1 ATIVO 3 - VPD 5 S APROVAÇÃO 6 - S DA EXECUÇÃO 7 S DEVEDORES PPA, LDO E LOA 2- PASSIVO E PL 4 - VPA CONTRATOS, CONVÊNIOS, DDR, CUSTOS 8 S CREDORES COMPENSAÇÃO CUSTOS 1 Consolidação (EXCETO RPPS) 2 Intra OSS- Entre Órgãos ( RPPS, SAE) 3 Inter OSS-União 4 Inter OSS-Estado 5 Inter OSS-Município ( RGPS, PM, CONVÊNIOS ) ( ICMS, IPVA, CONVÊNIOS) ( CONSÓRCIOS, CONVÊNIOS) Com base no cadastro de credores, classificar por tipo de relacionamento ( credor x ente) MODALIDADE 91 RECEITAS INTRA 7 E 8 2

3 COMPOSIÇÃO E ESTRUTURAÇÃO DO PATRIMÔNIO PÚBLICO ATRIBUTO P NO MUNICPIO NA UNIÃO REGISTRO DE ENCARGOS COM O INSS 5 Dígito PCASP = 3 Inter OSS-União ATIVO ATIVO CIRCULANTE ATIVO NÃO CIRCULANTE PASSIVO PASSIVO CIRCULANTE PASSIVO NÃO CIRCULANTE PATRIMÔNIO LÍQUIDO RESULTADOS ACUMULADOS 5 Dígito PCASP = 5 Inter OSS-Município NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE CIRCULANTE : CURTO PRAZO NÃO CIRCULANTE : LONGO PRAZO REGISTRO DE ENCARGOS COM O RPPS DDR DISPONIBILIDADE POR DESTINAÇÃO DE RECURSO SALDO DA DDR : DISPONIBILIDADE A UTILIZAR SALDO DO SUPERÁVIT INANCEIRO DISPONIBILIDADE A UTILIZAR DETALHADA POR ONTE : RECURSOS ORDINÁRIOS RECURSOS EDUCAÇÃO UNDEB NDE 25% C /88 RECURSOS CONVÊNIO RECURSOS SAUDE COMPOSIÇÃO E ESTRUTURAÇÃO DO PATRIMÔNIO PÚBLICO ATIVO ATIVO INANCEIRO ATIVO PERMANENTE PASSIVO PASSIVO INANCEIRO PASSIVO PERMANENTE RESULTADO ATIVO REAL LIQUIDO PASSIVO A DESCOBERTO LEI 43/64 INANCEIRO : INDEPENDE DE AUTORIZAÇÃO LEGAL PERMANENTE : DEPENDE DE AUTORIZAÇÃO LEGAL Arrecadou 100 Empenhou 80 Pagou 50 Disponibilidade comprometida Empenho 80 Pagamento 50 DA DDR DDR D C Saldo DDR : BANCOS D C 50 Saldo Banco : 50 D C EXECUÇÃO D C C C

4 DDR DCASP D x.xx.xx - Receita a realizar C x.xx.xx - Receita realizada D x.xx.xx - Controle da disponibilidade de recursos C xx.xx - Disponibilidade por destinação de recursos DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS APLICADAS AO SETOR PÚBLICO DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS LEI 43/64 DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS NBC T RES.CC Nº 1.133/08 D Crédito disponível C Crédito empenhado a liquidar D Disponibilidade por destinação de recursos C DDR comprometida por empenho D Crédito empenhado a liquidar C Crédito empenhado liquidado a pagar D DDR comprometida por empenho C DDR comprometida por liquidação D Crédito empenhado liquidado a pagar C Crédito Empenhado Pago D DDR comprometida por Liquidação C DDR comprometida por Pagamento ( Utilizada) BALANÇO BALANÇO BALANÇO INANCEIRO DEMONSTRAÇÃO DAS VARIAÇÕES PATRIMONAIS PORTARIA STN 438/12 Atualizou Art. 113 da Lei.43/64 IPC s STN ( Nº 04 a 08) BALANÇO BALANÇO BALANÇO INANCEIRO DVP - DEMONSTRAÇÃO DAS VARIAÇÕES PATRIMONAIS DC - DEMONSTRAÇÃO DO LUXO DE CAIXA NOTAS EXPLICATIVAS DMPL - DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO PCASP XLIX Ciclo de Estudos em Adm. Pública UNCIONAMENTO HORIZONTAL/VERTICAL Balanço Patrimonial EXERCÍCIO: PERÍODO: MÊS ATIVO DATA EMISSÃO: PÁGINA: PASSIVO ATIVO CIRCULANTE ESPECIICAÇÃO Atual Anterior PASSIVO CIRCULANTE ESPECIICAÇÃO Atual Anterior EXECUÇÃO DA RECEITA Caixa e Equivalentes de Caixa Créditos a Curto Prazo Estoques ATIVO NAO-CIRCULANTE Estoques Investimentos Participações Permanentes Demais Investimentos Permanentes (-) Redução ao Valor Recuperável Imobilizado Bens Moveis Bens Imóveis (-) Depreciação, Exaustão e Amortização Acumuladas Obrigações Trabalhistas, Previdenciárias e Assistenciais a Pagar a Curto Prazo Emprést. e inanciamentos a Curto Prazo ornecedores e Contas a Pagar a Curto Prazo PASSIVO NAO-CIRCULANTE Obrigações Trabalhistas, Previdenciárias e Assistenciais a Pagar A Longo Prazo Emprést. e inanciamentos a Longo Prazo ornecedores a Longo Prazo TOTAL DO PASSIVO PATRIMÔNIO LÍQUIDO Lançamentos fechados dentro das classes : 1, 2, 3 e 4 5 e 6 7 e 8 TOTAL ESPECIICAÇÃO Patrimônio Social e Capital Social justes de Avaliação Patrimonial Reservas de Lucros Resultados Acumulados TOTAL PATRIMÔNIO LÍQUIDO TOTAL Atual Anterior DVP DEMONSTRAÇÃO DAS VARIAÇÕES PATRIMONIAIS REGIME DE COMPETÊNCIA EXECUÇÃO DA DESPESA ATO GERADOR 4

5 RESULTADO LEI 43/64 VARIAÇÕES PATRIMONIAIS ATIVAS - PASSIVAS RESULTANTE DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA INDEPENDENTE EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA LEGALIDADE E EXECUÇÃO DO ORÇAMENTO NBC T 16.4 : NBC T 16.4 VARIAÇÕES PATRIMONIAIS QUANTITATIVAS o VARIAÇÕES PATRIMONIAIS OBSERVAM O REGIME DE COMPETÊNCIA o RECONHECIMENTO DAS RECEITAS E DAS DESPESAS : ATO GERADOR o AUMENTATIVAS - VPA DIMINUTIVAS VPD RESULTADO : (VPA VPD) VPA E VPD SÃO REGISTRADAS INDEPENDENTE DE RECEBIMENTOS/PAGAMENTOS, E AUTORIZAÇÃO ORÇAMENTÁRIA. QUALITATIVAS BALANÇO Mudanças relevantes: o Receita Orçamentária : Previsão Atualizada (LR) o Despesa orçamentária : Empenho, liquidação e Pagamento o Saldos de exercícios anteriores ( Créditos abertos no último Quadrimestre) o Linha para Superávit apurado no BP do exercício anterior o Anexos para Restos a Pagar DEMONSTRAÇÃO DAS VARIAÇÕES PATRIMONIAIS QUALITATIVAS EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA ( RECEITAS E DESPESAS DE CAPITAL). ALIENAÇÃO DE BENS D BANCOS C IMOBILIZADO/BENS AQUISIÇÃO DE BENS D IMOBILIZADO/BENS C BANCOS BALANÇO <ENTE DA EDERAÇÃO> BALANÇO EXERCÍCIO: PERÍODO: MÊS DATA DE EMISSÃO: PÁGINA: PREVISÃO PREVISÃO RECEITAS SALDO RECEITAS ORÇAMENTÁRIAS INICIAL ATUALIZADA REALIZADAS (a) (b) c = (b-a) RECEITAS CORRENTES RECEITA TRIBUTÁRIA RECEITA DE CONTRIBUIÇÕES RECEITA RECEITA AGROPECUÁRIA RECEITA INDUSTRIAL RECEITA DE SERVIÇOS TRANSERÊNCIAS CORRENTES OUTRAS RECEITAS CORRENTES RECEITAS DE CAPITAL OPERAÇÕES DE CRÉDITO ALIENAÇÃO DE BENS AMORTIZAÇÕES DE EMPRÉSTIMOS TRANSERÊNCIAS DE CAPITAL OUTRAS RECEITAS DE CAPITAL SUBTOTAL DAS RECEITAS (I) REINANCIAMENTO (II) Operações de Crédito Internas Mobiliária Contratual Operações de Crédito Externas Mobiliária Contratual SUBTOTAL COM REINANCIAMENTO (III) = (I + II) DÉICIT (IV) TOTAL (V) = (III + IV) SALDOS XERCÍCIOSANTERIORES (UTILIZADOS PARA CRÉDITOS ADICIONAIS) Superávit inanceiro Reabertura de créditos adicionais BALANÇO DESPESAS ORÇAMENTÁRIAS DOTAÇÃO INICIAL DOTAÇÃO DESPESA ATUALIZADA EMPENHADA DESPESA DESPESAS LIQUIDADA PAGAS SALDO DA DOTAÇÃO Despesas Orçamentárias - Elemento 92 - DEA Erros e Ajustes de exercícios anteriores 27 (d) (e) (f) (g) (h) (i)=(e-f) DESPESAS CORRENTES PESSOAL E ENCARGOS SOCIAIS JUROS E ENCARGOS DA DÍVIDA OUTRAS DESPESAS CORRENTES DESPESAS DE CAPITAL INVESTIMENTOS INVERSÕES INANCEIRAS AMORTIZAÇÃO DA DÍVIDA RESERVA DE CONTINGÊNCIA RESERVA DO RPPS SUBTOTAL DAS DESPESAS (VI) AMORTIZAÇÃO DA DÍVIDA/ REINANCIAMENTO (VII) Amortização da Dívida Interna Dívida Mobiliária Outras Dívidas Amortização da Dívida Externa Dívida Mobiliária Outras Dívidas SUBTOTAL COM REINANCIAMENTO (VIII) = (VI + VII) SUPERÁVIT (IX) - - TOTAL (X) = (VII + IX) 5

6 BALANÇO INANCEIRO RECEITA POR ORIGEM / ONTE DE RECURSOS DESPESA POR DESTINAÇÃO DE RECURSOS INGRESSOS DC CLASSIICAR AS OPERAÇÕES OPERAÇÕES INVESTIMENTOS INANCIAMENTOS IPTU 10 ISS 10 ICM S 10 PM 10 CONVÊNIO CORRENTE 10 CONVÊNIO CAPITAL 10 ALIENAÇÃO DE BENS 10 OPERAÇÃO DE CRÉDITO ( PMAT) 10 TOTAL TOTAL... TOTAL DESEMBOLSOS TOTAL TOTAL TOTAL... DC DEMONSTRAÇÃO DO LUXO DE CAIXA DC A DC é estruturada pelas seguintes transações: atividades operacionais; Método Direto: atividades de investimentos; e atividades de financiamentos. Identifica as entradas e saídas brutas de dinheiro dos principais componentes das atividades operacionais. Método Indireto: az a conciliação entre o lucro líquido e o caixa gerado pelas operações = INGRESSOS IPTU 10 ISS 10 ICM S 10 PM 10 CONVÊNIO CORRENTE 10 CONVÊNIO CAPITAL 10 OPERAÇÃO DE CRÉDITO ( PMAT) 10 ALIENAÇÃO DE BENS 10 DC CLASSIICAR AS OPERAÇÕES DESEMBOLSOS Parte integrante das demonstrações contábeis. Informações relevantes, complementares ou suplementares Critérios utilizados na elaboração das DCASP Eventos não suficientemente evidenciados ou não constantes nas DCASP. NOTAS EXPLICATIVAS TOTAL TOTAL

7 NOTAS EXPLICATIVAS ATIVO CIRCULANTE ESPECIICAÇÃO ATIVO Atual Anterior ESPECIICAÇÃO PASSIVO CIRCULANTE PASSIVO Atual Anterior Caixa e Equivalentes de Caixa Créditos a Curto Prazo Obrigações Trabalhistas, Previdenciárias e Assistenciais a Pagar a Curto Prazo Estoques Empréstimos e inanciamentos a Curto (1) Prazo ATIVO NAO-CIRCULANTE ornecedores e Contas a Pagar a Curto Prazo Estoques Investimentos PASSIVO NAO-CIRCULANTE Participações Permanentes Demais Investimentos Permanentes (-) Redução ao Valor Recuperável Imobilizado (2) Obrigações Trabalhistas, Previdenciárias e Assistenciais a Pagar A Longo Prazo Emprést. e inanciamentos a Longo Prazo Bens Moveis ornecedores a Longo Prazo Bens (1) Imóveis Estoques/Almoxarifados avaliados pelo critério do Custo Médio Ponderado (4) (-) Depreciação, Exaustão e Amortização Acumuladas TOTAL DO PASSIVO (2) Redução de valores considerando (3) perda de benefícios conforme laudo do Patrimônio. PATRIMÔNIO LÍQUIDO (3) Depreciação efetuada para os Bens adquiridos a partir de 01/01/15, com base em nos ESPECIICAÇÃO Atual Anterior Patrimônio Social e Capital Social Critérios estabelecidos pelo Relatório da Comissão Ajustes de de Avaliação Bens Patrimonial instituída pelo Decreto... Resultados Acumulados (4) Restos a pagar de exercícios anteriores mantidos TOTAL para PATRIMÔNIO pagamento LÍQUIDO ( justificativa), classificados TOTAL TOTAL no Longo Prazo, ( x R$...). 2. CARGA DA LOA D PPA a alocar em Leis Orçamentárias Anuais C PPA alocado em Leis Orçamentárias Anuais D Crédito Inicial C Crédito Disponível a Provisionar D Previsão Inicial da Receita Bruta C Receita a Realizar PREEITURA MUNICIPAL MUNDO ELIZ LANÇAMENTOS TÍPICOS 3. LANÇAMENTO DO IPTU D IPTU a Receber P C VPA de IPTU Elaboração : Isabela L. Stanguerlin e Marilia C. Xavier Colaboração : Marcel H.C. Gomes e Louiz. Wolanic 1. APROVAÇÃO DO PPA 4. ARRECADAÇÃO DE IPTU D Conta Única C IPTU a Receber P D Aprovação inicial do PPA C PPA a alocar em Leis Orçamentárias Anuais D Receita a Realizar C Receita Realizada DDR D Controle da Disponibilidade de Recursos C Disponibilidade por Destinação de Recursos

8 5. ARRECADAÇÃO DE ISS 7. EMISSÃO DE EMPENHOS Lançamentos D Conta Única C VPA de ISS D C PPA PPA Alocado em Leis Orçamentária Anuais Executado D Receita a Realizar C Receita Realizada DDR D Controle da Disponibilidade de Recursos C Disponibilidade por Destinação de Recursos D C D C Crédito Disponível Crédito Empenhado a Liquidar Emissão de Empenhos Empenhos a Liquidar D Disponibilidade por Destinação de Recursos C DDR Comprometida por Empenho ASSINATURA DE CONTRATO DE ORNECIMENTO DE MATERIAIS DE USO E CONSUMO 8. RECEBIMENTO DE COMPRAS/BENS Imobilizado D Bens Imóveis C ornecedores Curto Prazo P 0 D Crédito Empenhado a Liquidar D Contratos de ornecimento de Bens C Contratos de ornecimento de Bens A Executar 50 C Crédito Empenhado em Liquidação D Empenhos a Liquidar C Empenhos em Liquidação 0 7. EMISSÃO DE EMPENHOS 7.1 Apuração dos Valores Descrição da Despesa R$ Compra de Imobilizado 250 Compra de Material de Consumo 50 olha de Pagamento (Bruto) Contribuição Previdenciária Patronal 300 Total a Empenhar D Almoxarifado C ornecedores e Contas a Pagar Nacionais a Curto Prazo 8. RECEBIMENTO DE COMPRAS Material de Consumo D Crédito Empenhado a Liquidar C Crédito Empenhado em Liquidação D Empenhos a Liquidar C Empenhos em Liquidação P

9 9. LIQUIDAÇÃO Imobilizado 9.4 Retenção da Contribuição Previdenciária D Obrigações Trabalhistas, Previdenciárias Assistenciais a Pagar a Curto Prazo C Consignações 1 D Crédito Empenhado em Liquidação C Crédito Empenhado Liquidado a Pagar D Empenhos em Liquidação C Empenhos Liquidados a Pagar 0 D Crédito Empenhado Liquidado a Pagar C Crédito Empenhado Liquidado Pago D Empenhos Liquidados a Pagar C Empenhos Liquidados Pagos D DDR Comprometida por Liquidação C DDR Utilizada D DDR Comprometida por Empenho C DDR Comprometida por Liquidação 0 D Recursos Extra Orçamentários C DDR de Consignações e Retenções D DDR de Consignações e Retenções C DDR Comprometida por Consignações e Retenções LIQUIDAÇÃO 9.2 Material de Consumo 9.5 Retenção do IRR D Obrigações Trabalhistas, Previdenciárias e Assistenciais a Pagar a Curto Prazo 160 D Crédito Empenhado em Liquidação C Crédito Empenhado Liquidado a Pagar D Empenhos em Liquidação C Empenhos Liquidados a Pagar D DDR Comprometida por Empenho C DDR Comprometida por Liquidação D Contratos de ornecimento de Bens A Exec C Contratos de ornecimento de Bens - Execut C VPA IR Pessoas ísicas D Crédito Empenhado Liquidado a Pagar C Crédito Empenhado Liquidado Pago D Empenhos Liquidados a Pagar C Empenhos Liquidados Pagos D DDR Comprometida por Liquidação C DDR Utilizada D Remuneração a Pessoal 9. LIQUIDAÇÃO 9.3 olha de Pagamento C Obrigações Trabalhistas, Previdenciárias e Assistenciais a Pagar a Curto Prazo D Crédito Empenhado a Liquidar C Crédito Empenhado em Liquidação D Empenhos a Liquidar C Empenhos em Liquidação D Crédito Empenhado em Liquidação C Crédito Empenhado Liquidado a Pagar D Empenhos em Liquidação C Empenhos Liquidados a Pagar D DDR Comprometida por Empenho C DDR Comprometida por Liquidação Retenção do IRR (Continuação...) D Receita a Realizar 160 C Receita Realizada D Controle da Disponibilidade de Recursos 160 C Disponibilidade por Destinação de Recursos 9

10 9.6 Demais Consignações da olha D Obrigações Trabalhistas, Previdenciárias e Assistenciais a Pagar a Curto Prazo C Consignações D Crédito Empenhado Liquidado a Pagar C Crédito Empenhado Liquidado Pago 9.9 Provisão de érias D VPD de érias C érias a Pagar P 110 D Empenhos Liquidados a Pagar C Empenhos Liquidados Pagos D DDR Comprometida por Liquidação C DDR Utilizada D Recursos Extra Orçamentários C DDR de Consignações e Retenções D DDR de Consignações e Retenções C DDR Comprometida Consignações/Retenções Apropriação da Despesa da Contribuição Previdenciária Patronal D Contribuição Patronal para o RPPS C Contribuição a Regime Próprio de Previdência D Crédito Empenhado a Liquidar C Crédito Empenhado em Liquidação D Depósitos Restituíveis e Valores Vinculados C Valores Restituíveis 10. RECEBIMENTO DE DEPÓSITO DE CAUÇÃO 850 D Empenhos a Liquidar C Empenhos em Liquidação D Crédito Empenhado em Liquidação C Crédito Empenhado Liquidado a Pagar D Empenhos em Liquidação C Empenhos Liquidados a Pagar D Recursos Extra Orçamentários C DDR de Entradas Compensatórias de Cauções e outros Depósitos 850 D DDR Comprometida por Empenho C DDR Comprometida por Liquidação 300 D DDR de Entradas Compensatórias de Cauções e outros Depósitos C DDR Comprometida Entrada Compensatórias Provisão de 13º Salário 11. PAGAMENTOS ( BENS E CONSUMO) D VPD de 13º Salário C º Salário a Pagar P 100 D ornecedores e Contas a Pagar Nacionais a Curto Prazo C Conta Única 115 D Crédito Empenhado Liquidado a Pagar C Crédito Empenhado Liquidado Pago D Empenhos Liquidados a Pagar C Empenhos Liquidados Pagos 115 D DDR Comprometida por Liquidação C DDR Utilizada

11 D Consumo de Material C Almoxarifado 12. CONSUMO DE MATERIAL DO ALMOXARIADO P 10 PREEITURA MUNICIPAL MUNDO ELIZ LANÇAMENTOS DE ENCERRAMENTO 13. DEPRECIAÇÃO DE IMOBILIZADO D Depreciação 18 C (-) Depreciação Acumulada Bens Móveis P 15. CONTAS PATRIMONIAIS 15.1 Variações Patrimoniais Diminutivas D Superávits ou Déficits do C Remuneração a Pessoal C VPD de 13º Salário C VPD de érias C Contribuição Patronal para o RPPS C Consumo de Material C Depreciação 15.2 Variações Patrimoniais Aumentativas D VPA de IPTU D VPA de ISS D VPA de IR Pessoas ísicas C Superávits ou Déficits do DEVOLUÇÃO DE CAUÇÃO RECEBIDA 16.1 Receita Prevista e Não Realizada 16. CONTAS ORÇAMENTÁRIAS D Valores Restituíveis C Depósitos Restituíveis e Valores Vinculados 2 D Receita a Realizar C Previsão Inicial da Receita Bruta Receita Realizada D DDR Comprometida Entrada Compensatória C DDR Comprometida por entradas 2 D Receita Realizada C Previsão Inicial da Receita Bruta Compensatórias de Cauções e Outros Depósitos Utilizada 11

12 16. CONTAS ORÇAMENTÁRIAS 16.3 Crédito Disponível Não Utilizado D Crédito Disponível C Crédito Inicial Obrigações Contratuais D Contratos de ornecimento de Bens -Executado C DDR Orçamentária 17. CONTAS DE Contratos de ornecimento de Bens Empenhos Liquidados e Pagos no D Crédito Empenhado Liquidado Pago C Crédito Inicial D Empenhos Liquidados Pagos C Emissão de Empenhos D C DDR Utilizada Controle da Disponibilidade de Recursos 17.1 DDR Extra Orçamentária D DDR Comprometida por Entradas Compensatórias de Cauções e Outros Depósitos Utilizada C Recursos Extra Orçamentários CONTAS ORÇAMENTÁRIAS 16.5 Empenhos a Liquidar Inscritos em RP Não Processados D Crédito Empenhado a Liquidar PREEITURA MUNICIPAL MUNDO ELIZ C Empenhos a Liquidar Inscritos RP Não Processados 78 D Empenhos a Liquidar C Emissão de Empenhos 78 D C RP Não Processados Inscrição no RP Não Processados a Liquidar Inscrição no 78 DCASP D Empenhos a Liquidar Inscritos RP Não Processados C Crédito Inicial 78 BALANÇO 16. CONTAS ORÇAMENTÁRIAS 16.6 Empenhos Liquidados e Não Pagos Inscritos em RP Processados D Crédito Empenhado Liquidado a Pagar C Empenhos Liquidados Inscritos RP Processados D Empenhos Liquidados a Pagar C Emissão de Empenhos D C RP Processados Inscrição no RP Processados Inscrição no D Empenhos Liquidados Inscritos RP Processados C Crédito Inicial

13 BALANÇO BALANÇO B - QUADRO DOS ATIVOS E PASSIVOS INANCEIROS E PERMANENTES ATIVO (I) ,00 Ativo inanceiro ,00 Ativo Permanente 5.194,00 PASSIVO (II) 2.165,00 Passivo inanceiro 1.955,00 Passivo Permanente 210,00 Saldo Patrimonial (I - II) ,00 RECEITAS ORÇAMENTÁRIAS Receitas Correntes (I) Receita Tributária Receita de Contribuições Receita Patrimonial Receita Agropecuária Receita de Serviços Transferências Correntes Outras Receitas Correntes Receitas de Capital (II) Operações de Crédito Alienação de Bens Transferências de Capital Outras Receitas de Capital Recursos Arrecadados em s Anteriores (III) SUBTOTAL DAS RECEITAS (IV) = (I + II + III) Operações de Crédito / Refinanciamento (V) Operações de Crédito Internas Mobiliária Contratual Operações de Crédito Externas Mobiliária Contratual SUBTOTAL COM REINANCIAMENTO (VI) = (IV+V) Déficit (VII) TOTAL (VIII) = (VI + VII) Saldos de s Anteriores (Utilizados Para Créditos Adicionais) Superávit inanceiro Reabertura de Créditos Adicionais PREEITURA MUNICIPAL DE MUNDO ELIZ BALANÇO : XX Previsão inicial Previsão Atualizada Receitas Realizadas Saldo , , , ,00.000,00.000, , , , ,00 0, , , ,00 0, , , , , , , , , ,00 0,00 0, , , , ,00 BALANÇO (Continuação...) C - QUADRO DAS CONTAS DE COMPENSAÇÃO ATOS POTENCIAIS ATIVOS 0,00 Garantias e Contragarantias Recebidas 0,00 Direitos Conveniados e Outros Instrumentos Congêneres 0,00 Direitos Contratuais 0,00 Outros Atos Potenciais Ativos 0,00 Total dos Atos Potenciais Ativos ATOS POTENCIAIS PASSIVOS 28,00 Garantias e Contragarantias Concedidas 0,00 Obrigações Conveniadas e Outros Instrumentos Congêneres 0,00 Obrigações Contratuais 28,00 Outros Atos Potenciais Passivos 0,00 Total dos Atos Potenciais Passivos DESPESAS ORÇAMENTÁRIAS Despesas Correntes (IX) Pessoal e Encargos Sociais Juros e Encargos da Dívida Outras Despesas Correntes Despesas de Capital (X) Investimentos Inversões inanceiras Amortização da Dívida Reserva de Contingência (XI) Reserva do RPPS (XII) SUBTOTAL DAS DESPESAS (XIII) = (IX + X + XI + XII) Amortização da Dívida/ Refinanciamento (XIV) Amortização da Dívida Interna Dívida mobiliária Outras Dívidas Amortização da Dívida Externa Dívida Mobiliária Outras Dívidas SUBTOTAL COM REINANCIAMENTO (XV) = (XIII + XIV) Superávit (XVI) TOTAL (XVII) = (XV + XVI) Dotação inicial (e) Dotação Atualizada (f) Despesas Empenhadas Despesas Liquidadas Despesas Pagas.000,00.000, , ,00 15, , , , , ,00 0, ,00 (i) Saldo da Dotação (j) = (f-g) 0,00 0, , ,00 50,00 22,00 15, , , ,00 250,00 0,00 100, , , ,00 250,00 0,00 100, ,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0, , , , ,00 115, ,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0, , , , ,00 115, ,00 0,00 0,00 0,00 0,00.560, , , , ,00 115, ,00 BALANÇO BALANÇO D - QUADRO DO SUPERÁVIT / DÉICIT INANCEIRO ONTE DE RECURSOS 01 - Recursos Livres 9.665, Recursos Vinculados à Educação 5.140, Recursos Vinculados à Saúde 3.084, Recursos de Convênios 1.026, Recursos de demais Vinculações 1.645,00 Total.560,00 Despesas Correntes Pessoal e Encargos Sociais Juros e Encargos da Dívida Outras Despesas Correntes Despesas de Capital Investimentos Inversões inanceiras Amortização da Dívida TOTAL QUADRO DA EXECUÇÃO DOS RESTOS A PAGAR NÃO PROCESSADOS Em exercícios anteriores (a) Inscritos : XX Em 31 de Dezembro do Liquidados (c) Pagos (d) Cancelados (e) Anterior (b) 0,00 28,00 0,00 0,00 0,00 28,00 Saldo (f) = (a+b-d-e) 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 28,00 0,00 0,00 0,00 28,00 0, ,00 0, ,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 78,00 0,00 0,00 0,00 78,00 13

14 DEMONSTRAÇÃO DAS VARIAÇÕES PATRIMONIAIS BALANÇO BALANÇO INANCEIRO OBRIGADA BALANÇO INANCEIRO QUADRO ANEXO - DEMONSTRATIVO DA RECEITA ORÇAMENTÁRIA Receita Orçamentária (a) Deduções da Receita Orçamentária (b) Saldo (c ) = (a - b) ESPECIICAÇÃO Ordinária 9.435, ,00 Vinculada , ,00 Recursos Vinculados à Educação 5.540, ,00 Recursos Vinculados à Saúde 3.324, ,00 Recursos de Convênios 2.216, ,00 Recursos de Demais Vinculações 1.645, ,00 TOTAL , ,00 Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicadas ao Setor Público - NBC T SP 16 DE 21/11/08 NBC T 16.1 Conceituação,Objeto e Campo de Aplicação NBC T 16.2 Patrimônio e Sistemas Contábeis NBC T 16.3 Planejamento e seus Instrumentos NBC T 16.4 Transações no Setor Público NBC T 16.5 Registro Contábil NBC T 16.6 Demonstrações Contábeis NBC T 16.7 Consolidação das Demonstrações Contábeis NBC T 16.8 Controle Interno NBC T 16.9 Depreciação, Amortização e Exaustão NBC T Avaliação e Mensuração de Ativos e Passivos NBC T Custos 14

15 IPC S STN - INSTRUÇÕES DE PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS IPC 00 - Plano de Transição para Implantação da Nova Contabilidade Anexo III (atualizado em Dez 14) PCASP IPC 01 - Transferência de Saldos Contábeis e Controle de Restos a Pagar IPC 02 - Reconhecimento dos Créditos Tributários - Regime de Competência IPC 03 - Encerramento de Contas Contábeis no PCASP IPC 04 - Metodologia para Elaboração do Balanço Patrimonial (dez/ 14) IPC 05 Metodologia para Elaboração da DVP (DEZ/14) IPC 06 Metodologia para Elaboração do Balanço inanceiro IPC 07 Metodologia para Elaboração do Balanço Orçamentário IPC 08 Metodologia para Elaboração da Demonstração dos luxos de Caixa 15

Anexo 12 - Balanço Orçamentário

Anexo 12 - Balanço Orçamentário Anexo 12 - Balanço Orçamentário BALANÇO ORÇAMENTÁRIO EXERCÍCIO: PERÍODO (MÊS) : DATA DE EMISSÃO: PÁGINA: PREVISÃO PREVISÃO RECEITAS SALDO RECEITAS ORÇAMENTÁRIAS INICIAL ATUALIZADA REALIZADAS (a) (b) c

Leia mais

Análise de Balanços. Flávia Moura

Análise de Balanços. Flávia Moura Análise de Balanços Flávia Moura 1 Tópicos para Reflexão O que é análise de balanços? A análise de balanços consiste em proceder a investigações dos fatos com base nos dados Para que serve a análise de

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS APLICADAS AO SETOR PÚBLICO - DCASP

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS APLICADAS AO SETOR PÚBLICO - DCASP DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS APLICADAS AO SETOR PÚBLICO - DCASP Novas Demonstrações Contábeis do Setor Público DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO SETOR PÚBLICO Englobam todos os fatos contábeis e atos que interessam

Leia mais

Plano de Contas Aplicado ao Setor Público

Plano de Contas Aplicado ao Setor Público Plano de Contas Aplicado ao Setor Público Fonte: Apresentação da Coordenação Geral de Contabilidade STN/CCONT do Tesouro Nacional Última Atualização: 14/09/2009 1 Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DE SANTA CATARINA - DMU

TRIBUNAL DE CONTAS DE SANTA CATARINA - DMU Alterações em relação ao arquivos publicados em 03/06/2014: Item alterado/incluído Motivo Regras de consolidação. b.8 Numeração errada. Regras de consistência, b Exclui-se as consignações do passivo financeiro

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DE SANTA CATARINA - DMU

TRIBUNAL DE CONTAS DE SANTA CATARINA - DMU Alterações em relação aos arquivos publicados em 10/11/2014: Item alterado/incluído Evento 1.9 Evento 2.20.8 Evento 2.72.13 Motivo Obs: Os créditos relativos à Dívida Ativa podem ser registrados somente

Leia mais

perspectiva da Nova Contabilidade Aplicada ao Setor Público Demonstrações Contábeis sob a perspectiva da Nova Contabilidade Aplicada ao Setor Público

perspectiva da Nova Contabilidade Aplicada ao Setor Público Demonstrações Contábeis sob a perspectiva da Nova Contabilidade Aplicada ao Setor Público Demonstrações Contábeis sob a perspectiva da Nova Contabilidade Aplicada ao Setor Público Demonstrações Contábeis sob a perspectiva da Nova Contabilidade Aplicada ao Setor Público QUEM ATUALIZOU AS DEMONSTRAÇÕES?

Leia mais

10h40 às 12h - PALESTRA II TEMA: PLANO DE CONTAS APLICADO AO SETOR PÚBLICO Palestrante: Fernando Freitas Melo

10h40 às 12h - PALESTRA II TEMA: PLANO DE CONTAS APLICADO AO SETOR PÚBLICO Palestrante: Fernando Freitas Melo 10h40 às 12h - PALESTRA II TEMA: PLANO DE CONTAS APLICADO AO SETOR PÚBLICO Palestrante: Fernando Freitas Melo Plano de Contas Aplicado ao Setor Público CH: 1:20 h Conteúdo: 1. Aspectos gerais do Plano

Leia mais

NOVAS DIRETRIZES PARA A CONTABILIDADE MUNICIPAL ISAAC DE OLIVEIRA SEABRA TCE-PE

NOVAS DIRETRIZES PARA A CONTABILIDADE MUNICIPAL ISAAC DE OLIVEIRA SEABRA TCE-PE NOVAS DIRETRIZES PARA A CONTABILIDADE MUNICIPAL ISAAC DE OLIVEIRA SEABRA TCE-PE CENÁRIO ANTERIOR Gestão Dívida Financeira Pública ORÇAMENTO PUBLICO Contabilidade Receita e Despesa Demonstrativos Contábeis:

Leia mais

TÍTULOS PREVISÃO EXECUÇÃO DIFERENÇA TÍTULOS FIXAÇÃO EXECUÇÃO DIFERENÇA CRÉD. ORÇAM. SUPLEMENTARES DESPESAS CORRENTES . PESSOAL E ENC.

TÍTULOS PREVISÃO EXECUÇÃO DIFERENÇA TÍTULOS FIXAÇÃO EXECUÇÃO DIFERENÇA CRÉD. ORÇAM. SUPLEMENTARES DESPESAS CORRENTES . PESSOAL E ENC. 1 ANEXO III - PT/MPS Nº 95, DE 06 DE MARÇO DE 2007 DOU DE 07.03.07 MODELOS E INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS SÃO AS EXTRAÍDAS DOS LIVROS, REGISTROS E

Leia mais

TCE-TCE Auditoria Governamental

TCE-TCE Auditoria Governamental TCE-TCE Auditoria Governamental Pessoal, vou comentar as questões da prova. 61. Considere as informações extraídas do Balanço Orçamentário, referentes ao exercício financeiro de 2014, de uma entidade pública:

Leia mais

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL - DEPARTAMENTO NACIONAL BALANÇO PATRIMONIAL ESPECIFICAÇÃO 2014 2013 ESPECIFICAÇÃO 2014 2013

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL - DEPARTAMENTO NACIONAL BALANÇO PATRIMONIAL ESPECIFICAÇÃO 2014 2013 ESPECIFICAÇÃO 2014 2013 BALANÇO PATRIMONIAL ATIVO PASSIVO Ativo Circulante 1.149.479.180,77 989.839.743,43 Passivo Circulante 317.274.300,38 283.051.918,44 Caixa e Equiv. Caixa Moeda Nacional 800.954.874,69 676.326.925,34 Obrig.

Leia mais

Empresa Munic. de Transporte Urbano Presidente Figueiredo

Empresa Munic. de Transporte Urbano Presidente Figueiredo 03698709/000109 Exercício: 2015 BALANCETEISOLADO EMPRESA MUNICIPAL DE TRANSPORTE URBANO EMTU (UG:5) Página 1 de 5 100000000 05 ATIVO 343.632,70 139.134,52 114.972,75 367.794,47 110000000 05 ATIVO CIRCULANTE

Leia mais

Contabilidade Pública. Aula 4. Apresentação. Plano de Contas. Sistema de Contas e Demonstrativos Contábeis de Gestão. Sistemas Contábeis

Contabilidade Pública. Aula 4. Apresentação. Plano de Contas. Sistema de Contas e Demonstrativos Contábeis de Gestão. Sistemas Contábeis Contabilidade Pública Aula 4 Apresentação Prof. Me. Adilson Lombardo Plano de Contas Sistema de Contas e Demonstrativos Contábeis de Gestão Consiste em um rol ordenado de forma sistematizada de contas

Leia mais

939.108,16 582.338,94 553.736,74 967.710,36 468.462,90 582.338,94 553.736,74 497.065,10 111000000000 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA

939.108,16 582.338,94 553.736,74 967.710,36 468.462,90 582.338,94 553.736,74 497.065,10 111000000000 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA s s 100000000000 ATIVO 939.108,16 582.338,94 553.736,74 967.710,36 110000000000 ATIVO CIRCULANTE 468.462,90 582.338,94 553.736,74 497.065,10 111000000000 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA 111100000000 CAIXA

Leia mais

ENCONTRO TÉCNICO MCASP - Manual de Contabilidade Aplicado ao Setor Público

ENCONTRO TÉCNICO MCASP - Manual de Contabilidade Aplicado ao Setor Público SISTEMA INTEGRADO DE CONTROLE E AUDITORIA PÚBLICA - SICAP/CONTÁBIL ENCONTRO TÉCNICO MCASP - Manual de Contabilidade Aplicado ao Setor Público Portaria Conjunta STN/SOF nº 02/2012 Portaria STN nº 437/2012

Leia mais

CURSO DE ATUALIZAÇÃO PARA A NOVA CONTABILIDADE PÚBLICA

CURSO DE ATUALIZAÇÃO PARA A NOVA CONTABILIDADE PÚBLICA CURSO DE ATUALIZAÇÃO PARA A NOVA CONTABILIDADE PÚBLICA Demonstrações Contábeis José Rafael Corrêa Quanto mais eu sei, mais eu descubro que nada eu sei Sócrates 1 Conceitos CONTABILIDADE INFORMAÇÃO Informação

Leia mais

Implantação do Plano de Contas Aplicado ao Setor Público PCASP. A experiência do Estado do Rio Grande do Sul.

Implantação do Plano de Contas Aplicado ao Setor Público PCASP. A experiência do Estado do Rio Grande do Sul. Implantação do Plano de Contas Aplicado ao Setor Público PCASP. A experiência do Estado do Rio Grande do Sul. Público Alvo: Servidores de Prefeituras do Estado do Rio Grande do Sul que atuam na área contábil.

Leia mais

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS APLICADAS AO SETOR PÚBLICO

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS APLICADAS AO SETOR PÚBLICO 11º Congresso Catarinense de Secretários de Finanças, Contadores Públicos e Controladores Internos Municipais ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS APLICADAS AO SETOR PÚBLICO 1 Professor João Eudes Bezerra

Leia mais

115610000000 ALMOXARIFADO - CONSOLIDAÇÃO 115810000000 OUTROS ESTOQUES - CONSOLIDAÇÃO

115610000000 ALMOXARIFADO - CONSOLIDAÇÃO 115810000000 OUTROS ESTOQUES - CONSOLIDAÇÃO 100000000000 ATIVO 329.083,39 911.970,67 872.747,07 368.306,99 110000000000 ATIVO CIRCULANTE 3.073,50 898.201,87 872.747,07 28.528,30 111000000000 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA 111100000000 CAIXA E EQUIVALENTES

Leia mais

Anexo 14 - BALANÇO PATRIMONIAL

Anexo 14 - BALANÇO PATRIMONIAL Página 1 de 3 CIRCULANTE 17.957.906,23 13.781.064,25 CIRCULANTE 2.918.670,71 3.459.718,41 Caixa e Equivalentes de Caixa 11.326.508,18 CRÉDITOS A CURTO PRAZO Clientes Crédito Tributário a Receber Dívida

Leia mais

CAU - MT Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Mato Grosso CNPJ: 14.820.959/0001-88

CAU - MT Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Mato Grosso CNPJ: 14.820.959/0001-88 CAU - MT Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Mato Grosso CNPJ: 14.820.959/0001-88 Balanço Financeiro Período: 01/01/2012 a 31/12/2012 INGRESSOS DISPÊNDIOS ESPECIFICAÇÃO Exercício Anterior

Leia mais

Balanço Patrimonial. Art. 105. O Balanço Patrimonial demonstrará: I o Ativo Financeiro

Balanço Patrimonial. Art. 105. O Balanço Patrimonial demonstrará: I o Ativo Financeiro Segundo o MCASP, o é a demonstração contábil que evidencia, qualitativa e quantitativamente, a situação patrimonial da entidade pública, por meio de contas representativas do patrimônio público, além das

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS APLICADAS AO SETOR PÚBLICO

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS APLICADAS AO SETOR PÚBLICO CRC-DF DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS APLICADAS AO SETOR PÚBLICO Domingos Poubel de Castro Brasília/DF, 18 de Maio de 2012 NECESSIDADES PERMANENTES DO GESTOR INFORMAÇÕES CONTROLE Cenário Externo 0800 570 0800

Leia mais

1 de Verificação - 2014 Subsist. C.Sup. Fin.Descrição 1.2.3.1.1.03.02 (40966) MÓVEIS MÁQUINAS E E UTENSÍLIOS DE ESCRITÓRIO 339.159,49D 25.

1 de Verificação - 2014 Subsist. C.Sup. Fin.Descrição 1.2.3.1.1.03.02 (40966) MÓVEIS MÁQUINAS E E UTENSÍLIOS DE ESCRITÓRIO 339.159,49D 25. 1 de Verificação - 2014 Subsist. C.Sup. Fin.Descrição 1.217.589,73D 1.245.340,55D Atual1/8 ATIVO CIRCULANTE 588.962,97D 151.410,23D 194.301,54 188.047,63 166.550,72 160.296,81 616.713,79D 1.1.1.1.1.50.99

Leia mais

PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS E ATUARIAS NOS RPPS. Professor João Eudes Bezerra Filho

PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS E ATUARIAS NOS RPPS. Professor João Eudes Bezerra Filho PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS E ATUARIAS NOS RPPS Professor João Eudes Bezerra Filho DIAGNÓSTICO: CENÁRIO ATUAL DIMENSÃO CONTABILIDADE PATRIMONIAL ATIVO FINANCEIRO ATIVO FINANCEIRO Disponível Caixa (Tesouraria)

Leia mais

Documento gerado em 28/04/2015 13:31:35 Página 1 de 42

Documento gerado em 28/04/2015 13:31:35 Página 1 de 42 DCA-Anexo I-AB Balanço Patrimonial - Ativo e Passivo Padrao Balanço Patrimonial Ativo - Ativo - 1.0.0.0.0.00.00 - Ativo 96.744.139,42 1.1.0.0.0.00.00 - Ativo Circulante 24.681.244,01 1.1.1.0.0.00.00 -

Leia mais

CRESS/MA - 2ª Região Conselho Regional de Serviço Social/MA CNPJ: 06.042.030/0001-47

CRESS/MA - 2ª Região Conselho Regional de Serviço Social/MA CNPJ: 06.042.030/0001-47 Conselho Regional de Serviço Social/MA CNPJ: 06.042.030/0001-47 Balanço Patrimonial ATIVO PASSIVO ATIVO CIRCULANTE CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA CRÉDITOS A CURTO PRAZO PASSIVO CIRCULANTE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS,

Leia mais

Fundação Universidade do Estado de Santa Catarina BALANÇO PATRIMONIAL Em 31/12/2014 - Encerramento 9.817.136,65 40.159.587,34. Prazo 104.

Fundação Universidade do Estado de Santa Catarina BALANÇO PATRIMONIAL Em 31/12/2014 - Encerramento 9.817.136,65 40.159.587,34. Prazo 104. ATIVO PASSIVO Ativo Circulante Caixa e Equivalentes de Caixa - Bancos Conta Movimento - Demais Contas Rede Bancária - Arrecadação Aplicações Financeiras de Liquidez Imediata - Intra OFSS Recursos Liberados

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS APLICADAS AO SETOR PÚBLICO

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS APLICADAS AO SETOR PÚBLICO CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Departamento de Desenvolvimento Profissional Home Page: www.crc.org.br E-mail: cursos@crcrj.org.br DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS APLICADAS AO SETOR

Leia mais

NOVO MODELO DE CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO. A experiência do Estado do Rio de Janeiro na implementação do PCASP.

NOVO MODELO DE CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO. A experiência do Estado do Rio de Janeiro na implementação do PCASP. NOVO MODELO DE CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO A experiência do Estado do Rio de Janeiro na implementação do PCASP. A CONTADORIA GERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Entendendo a estrutura administrativa

Leia mais

1 de Verificação - 2015 Subsist. C.Sup. Fin.Descrição

1 de Verificação - 2015 Subsist. C.Sup. Fin.Descrição 1 de Verificação - 2015 Subsist. C.Sup. Fin.Descrição 129.967,90D 130.464,22D 1/8 1.1.1.1.1.01 ATIVO CIRCULANTE 54.320,75D 54.817,07D E EQUIVALENTES CAIXA MOEDA NACIONAL - CONSOLIDAÇÃO 51.666,68D 497.996,11

Leia mais

PCASP e os Consórcios Públicos

PCASP e os Consórcios Públicos Subsecretaria de Contabilidade Pública SUCON Coordenação-Geral de Normas de Contabilidade Aplicadas à Federação CCONF V FÓRUM MINEIRO DE CONTABILIDADE PÚBLICA MUNICIPAL Junho/2015 Conteúdo PCASP: introdução,

Leia mais

Previsão da receita e fixação da despesa referente à aprovação do orçamento com base na Lei Orçamentária Anual, no valor de R$ 50.000.

Previsão da receita e fixação da despesa referente à aprovação do orçamento com base na Lei Orçamentária Anual, no valor de R$ 50.000. Olá, pessoal! Comento neste toque as questões de Contabilidade Pública que caíram no concurso para conselheiro substituto do TCE-CE. A banca foi a Fundação Carlos Chagas. Aproveito a oportunidade para

Leia mais

Balanço Patrimonial. Janeiro à Novembro de 2014 - Anexo 14, da Lei 4.320/64. Exercício Anterior

Balanço Patrimonial. Janeiro à Novembro de 2014 - Anexo 14, da Lei 4.320/64. Exercício Anterior Página 1 de 5 CIRCULANTE 3.458.065,56 1.875.217,00 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA 2.816.152,90 1.000.561,87 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA EM MOEDA NACIONAL 2.816.152,90 1.000.561,87 CAIXA E EQUIVALENTES

Leia mais

NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE APLICADAS AO SETOR PÚBLICO

NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE APLICADAS AO SETOR PÚBLICO CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DE ALAGOAS VII ENCONTRO DE CONTABILIDADE DO AGRESTE ALAGOANO NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE APLICADAS AO SETOR PÚBLICO Fernando Carlos Almeida MAIO - 2014 Contabilidade

Leia mais

ANEXO DE RISCOS FISCAIS TABELA 1 - DEMONSTRATIVO DE RISCOS FISCAIS E PROVIDÊNCIAS 2013 ARF (LRF, art. 4º, 3º) PASSIVOS CONTINGENTES PROVIDÊNCIAS Descrição Valor Descrição Valor Abertura de créditos adicionais

Leia mais

Prof. Msc.: Vitor Maciel dos Santos

Prof. Msc.: Vitor Maciel dos Santos Prof. Msc.: Vitor Maciel dos Santos Orientações Estratégicas para a Contabilidade Aplicada ao Setor Público no Brasil Aspectos práticos da CASP e a importância da estruturação setorial PREMISSAS Orientações

Leia mais

Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público

Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público Coordenação Geral de Normas de Contabilidade Aplicadas à Federação STN/CCONF Última Atualização: 28/02/2012 Novas Demonstrações Contábeis do Setor Público

Leia mais

A Contabilidade Aplicada ao Setor Público: Dimensão Patrimonial e Ambiente da Convergência

A Contabilidade Aplicada ao Setor Público: Dimensão Patrimonial e Ambiente da Convergência A Contabilidade Aplicada ao Setor Público: Dimensão Patrimonial e Ambiente da Convergência 1 Professor João Eudes Bezerra Filho ATIVO FINANCEIRO 305.000,00 PASSIVO FINANCEIRO 115.000,00 ATIVO FINANCEIRO

Leia mais

Tabela de Fatos - DCA 2014

Tabela de Fatos - DCA 2014 Tabela de Fatos - DCA 2014 Element siconfi-cor:p1.0.0.0.0.00.00 siconfi-cor:p1.1.0.0.0.00.00 siconfi-cor:p1.1.1.0.0.00.00 siconfi-cor:p1.1.1.1.0.00.00 siconfi-cor:p1.1.1.1.1.00.00 siconfi-cor:p1.1.1.1.2.00.00

Leia mais

Manual de Contabilidade Aplicada no Setor Público: Plano de Contas Aplicado ao Setor Público

Manual de Contabilidade Aplicada no Setor Público: Plano de Contas Aplicado ao Setor Público Manual de Contabilidade Aplicada no Setor Público: Plano de Contas Aplicado ao Setor Público Coordenação Geral de Contabilidade STN/CCONT Última Atualização: 12/01/2010 Programa do Módulo 2 1. Plano de

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO E AUDITORIA PÚBLICA

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO E AUDITORIA PÚBLICA IESP INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DA PARAÍBA COORDENAÇÃO DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO E AUDITORIA PÚBLICA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO E AUDITORIA PÚBLICA DISCIPLINA: CONTABILIDADE E CONTROLADORIA

Leia mais

ANEXO III 280.864,02 264.833,28 39.905,58 37.578,73 18.357,59 0,00 271.900,62 264.843,53 39.905,58 37.578,73 9.383,94 0,00

ANEXO III 280.864,02 264.833,28 39.905,58 37.578,73 18.357,59 0,00 271.900,62 264.843,53 39.905,58 37.578,73 9.383,94 0,00 100000000 ATIVO 110000000 ATIVO CIRCULANTE 111000000 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA 111100000 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA EM MOEDA NACIONAL 111110000 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA EM MOEDA NACIONAL -

Leia mais

41210.29.13 - Contribuição Previdenciária para Amortização do Déficit Atuarial. Origem dos dados/descrição LINHA DA DCA

41210.29.13 - Contribuição Previdenciária para Amortização do Déficit Atuarial. Origem dos dados/descrição LINHA DA DCA ANEXO II VARIAÇÕES PATRIMONIAIS AUMENTATIVAS QDCC_Sistn A planilha abaixo ilustra a aplicação da metodologia simplificada descrita no item 10 da Nota Técnica nº 4/2015/CCONF/SUCON/STN/MFDF ao Plano de

Leia mais

ATIVO FINANCEIRO 855.661.519,48 DISPONÍVEL

ATIVO FINANCEIRO 855.661.519,48 DISPONÍVEL GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ PÁGINA: 1 BALANÇO PATRIMONIAL CONSOLIDADO - 2005 ANEXO 14 ATIVO ATIVO FINANCEIRO 855.661.519,48 DISPONÍVEL 450.323.096,72 CAIXA 47.294,31 BANCOS CONTA MOVIMENTO 210.194.091,20

Leia mais

[Anexo I-AB] Balanço Patrimonial - Ativo e Passivo. 1.1.1.1.2.00.00 - Caixa e Equivalentes de Caixa em Moeda Nacional - Intra OFSS

[Anexo I-AB] Balanço Patrimonial - Ativo e Passivo. 1.1.1.1.2.00.00 - Caixa e Equivalentes de Caixa em Moeda Nacional - Intra OFSS [Anexo I-AB] Balanço Patrimonial - Ativo e Passivo Qname siconfi-dca-anexo1abhi : BalancoPatrimonialAbstract siconfi-dca-anexo1abhi : AtivoAbstract siconfi-dca-anexo1abhi : AtivoLineItems siconfi-cor :

Leia mais

621.927,10 284.748,83 239.680,43 666.995,50 111115099000 F OUTRAS APLICAÇÕES FINANCEIRAS DE LIQUIDEZ IMEDIATA

621.927,10 284.748,83 239.680,43 666.995,50 111115099000 F OUTRAS APLICAÇÕES FINANCEIRAS DE LIQUIDEZ IMEDIATA Código BALANCETE ANALÍTICO CONTÁBIL SIMPLIFICADO BALANCETE - JANEIRO DE 2015 Saldo Inicial Débito Crédito Movimentação Débitos Créditos 111111901000 F BANCOS CONTA MOVIMENTO - DEMAIS CONTAS 621.927,10

Leia mais

37.899.634,30 PASSIVO CIRCULANTE CRÉDITOS DE TRANSFERÊNCIAS A RECEBER EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTO CONCEDIDOS

37.899.634,30 PASSIVO CIRCULANTE CRÉDITOS DE TRANSFERÊNCIAS A RECEBER EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTO CONCEDIDOS MUNICÍPIO DE CALDAS NOVAS ESTADO DE GOIAS Balanço Financeiro Anexo 1 (Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor Público MCASP)Portaria STN nº 37/2012 5a edição BALANÇO GERAL DO EXERCICIO DE 201 PERÍODO(MÊS)

Leia mais

AUTARQUIA MUNICIPAL DE ESPORTES DE CACOAL - AM Estado de Rondônia. Balancete do Sistema Orçamentário no Período de janeiro a janeiro Anexo TC-01

AUTARQUIA MUNICIPAL DE ESPORTES DE CACOAL - AM Estado de Rondônia. Balancete do Sistema Orçamentário no Período de janeiro a janeiro Anexo TC-01 Balancete do Sistema Orçamentário no Período de janeiro a janeiro 1. 1.1. 1.1.1. 1.1.1.1. 1.1.1.1.1. 1.1.1.1.1.19. 1.1.1.1.1.19.02. 1.1.1.1.1.19.04. 1.1.3. 1.1.3.8. 1.1.3.8.1. 1.1.3.8.1.08. 1.1.3.8.1.09.

Leia mais

MCASP - Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público DCASP. Oficina 70

MCASP - Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público DCASP. Oficina 70 MCASP - Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público DCASP Oficina 70 Coordenação Geral de Normas de Contabilidade Aplicadas à Federação Última Atualização: Mar/2013 STN/CCONF ABOP Slide 1 Programa

Leia mais

MCASP - Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público DCASP. Oficina 70

MCASP - Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público DCASP. Oficina 70 MCASP - Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público DCASP Oficina 70 Coordenação Geral de Normas de Contabilidade Aplicadas à Federação Última Atualização: Mar/2013 STN/CCONF ABOP Slide 1 Programa

Leia mais

BALANÇO FINANCEIRO ANO 2013

BALANÇO FINANCEIRO ANO 2013 ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTANA DO LIVRAMENTO SECRETARIA DA FAZENDA BALANÇO FINANCEIRO ANO 2013 Receita Despesa ORÇAMENTÁRIA (1) ORÇAMENTÁRIA (5) Receitas Orçamentárias Despesas

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul Plano de Contas 01 a 31 de Março de 2013 Folha: 1 Consorcio Publico do Extremo Sul

Estado do Rio Grande do Sul Plano de Contas 01 a 31 de Março de 2013 Folha: 1 Consorcio Publico do Extremo Sul Estado do Rio Grande do Sul Plano de Contas 01 a 31 de Março de 2013 Folha: 1 1.0.0.0.0.00.00.00.00.00 ATIVO 6.735,34 8.034,62 4.211,61 10.558,35 1.1.0.0.0.00.00.00.00.00 ATIVO CIRCULANTE 6.735,34 8.034,62

Leia mais

01 Apresentação das Demonstrações Contábeis... 03. 02 Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público DCASP... 11. - Balanço Patrimonial...

01 Apresentação das Demonstrações Contábeis... 03. 02 Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público DCASP... 11. - Balanço Patrimonial... ÍNDICE 01 Apresentação das Demonstrações Contábeis... 03 02 Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público DCASP... 11 - Balanço Patrimonial... 12 - Demonstração das Variações Patrimoniais... 15 -

Leia mais

SALDO (f)=(a+b-c-e) DESPESAS CORRENTES 8.201,60 4.051.439,12 3.861.681,23 25.087,21 172.872,28

SALDO (f)=(a+b-c-e) DESPESAS CORRENTES 8.201,60 4.051.439,12 3.861.681,23 25.087,21 172.872,28 BALANÇO ORÇAMENTÁRIO ANEXO I - DEMONSTRATIVO DE EXECUÇÃO DOS RESTOS A PAGAR NÃO PROCESSADOS : 2013 Data de Emissão: 29/03/2014 BALANÇO ORÇAMENTÁRIO ANEXO II - DEMONSTRATIVO DE EXECUÇÃO DOS RESTOS A PAGAR

Leia mais

INSTRUÇÕES DE PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS IPC 04 Metodologia para Elaboração do Balanço Patrimonial (Versão publicada em: 23/12/2014)

INSTRUÇÕES DE PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS IPC 04 Metodologia para Elaboração do Balanço Patrimonial (Versão publicada em: 23/12/2014) REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 15 de Novembro de 1889 MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL INSTRUÇÕES DE PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS IPC 04 Metodologia para Elaboração do Balanço Patrimonial

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO CIRCULANTE 19.549.765,82 17.697.855,44

BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO CIRCULANTE 19.549.765,82 17.697.855,44 BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO ATIVO R$ CIRCULANTE 19.549.765,82 17.697.855,44 Disponibilidades 1.222.288,96 946.849,34 Mensalidades a receber 4.704.565,74 4.433.742,86 Endosso para terceiros 1.094.384,84

Leia mais

EXERCÍCIO. Elaboração dos Demonstrativos Contábeis

EXERCÍCIO. Elaboração dos Demonstrativos Contábeis EXERCÍCIO Elaboração dos Demonstrativos Contábeis Considerando a Lei Orçamentária Aprovada para a Prefeitura de Belo Jardim para o exercício de X1, e os fatos contábeis ocorridos, lance os valores nos

Leia mais

Análise Contábil do Relatório de

Análise Contábil do Relatório de Análise Contábil do Relatório de Controle Interno Gerência de Contabilidade Centralizada Diretoria de Contabilidade Geral Flávio van GEORGE Rocha Sir. Flávio van GEORGE Rocha Composição do Relatório: 1.

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL. INSTRUÇÕES DE PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS IPC 03 Encerramento de Contas Contábeis no PCASP

MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL. INSTRUÇÕES DE PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS IPC 03 Encerramento de Contas Contábeis no PCASP REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 15 de Novembro de 1889 MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL INSTRUÇÕES DE PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS IPC 03 Encerramento de Contas Contábeis no PCASP 2013 IPC

Leia mais

Contabilidade Pública. Aula 6. Apresentação. Demonstração do Balanço Patrimonial. Demonstração dos Fluxos de Caixa. Necessidade e Função

Contabilidade Pública. Aula 6. Apresentação. Demonstração do Balanço Patrimonial. Demonstração dos Fluxos de Caixa. Necessidade e Função Contabilidade Pública Aula 6 Apresentação Prof. Me. Adilson Lombardo Demonstração do Balanço Patrimonial Necessidade e Função Demonstração dos Fluxos de Caixa Demonstração do Resultado Econômico Contextualização

Leia mais

1 de Verificação - 2015 Subsist. C.Sup. Fin.Descrição

1 de Verificação - 2015 Subsist. C.Sup. Fin.Descrição 1 de Verificação - 2015 Subsist. C.Sup. Fin.Descrição 99.562,86D 118.646,81D 1/9 ATIVO CAIXA CONTA CIRCULANTE E ÚNICA EQUIVALENTES DE CAIXA EM MOEDA NACIONAL - CONSOLIDAÇÃO 97.962,86D 250.343,95 231.260,00

Leia mais

ESTADO DE RONDÔNIA BALANCETE MÊS DE JANEIRO/2015. Página 1

ESTADO DE RONDÔNIA BALANCETE MÊS DE JANEIRO/2015. Página 1 CAMARA MUNICIPAL DE Página 1 1 ATIVO 69.111,18 60.711,80 75.399,38 1.1 ATIVO CIRCULANTE 60.711,80 1.1.1 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA 60.711,80 1.1.1.1 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA EM MOEDA NACIONAL 60.711,80

Leia mais

RECEITAS ORCAMENTARIAS PREVISAO INCIAL PREVISAO ATUALIZADA RECEITAS REALIZADAS SALDO (a) (b) c=(b-a)

RECEITAS ORCAMENTARIAS PREVISAO INCIAL PREVISAO ATUALIZADA RECEITAS REALIZADAS SALDO (a) (b) c=(b-a) FUNDACAO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PIAUI BALANÇO ORÇAMENTÁRIO Exercício 2015 RECEITAS ORCAMENTARIAS PREVISAO INCIAL PREVISAO ATUALIZADA RECEITAS REALIZADAS SALDO (a) (b) c=(b-a) RECEITAS CORRENTES 4.639.895,29

Leia mais

Plano de implantação dos Procedimentos Contábeis Patrimoniais

Plano de implantação dos Procedimentos Contábeis Patrimoniais Subsecretaria de Contabilidade Pública Coordenação-Geral de Normas de Contabilidade Aplicadas à Federação Plano de implantação dos Procedimentos Contábeis Patrimoniais Agenda Processo de Convergência

Leia mais

Estado de Santa Catarina Tribunal de Contas de Santa Catarina EVENTOS c/c DÉBITO c/c CRÉDITO

Estado de Santa Catarina Tribunal de Contas de Santa Catarina EVENTOS c/c DÉBITO c/c CRÉDITO 001 Previsão orçamentária inicial da receita Estado de Santa Catarina 1 5.2.1.1.1.00.00 Previsão inicial da receita bruta 1 6.2.1.1.0.00.00 Receita a realizar 002 Previsão adicional da receita 1 5.2.1.2.1.XX.XX

Leia mais

CAU - PR Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Paraná CNPJ: 14.804.099/0001-99

CAU - PR Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Paraná CNPJ: 14.804.099/0001-99 Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Paraná CNPJ: 14.804.099/0001-99 Balanço Patrimonial ATIVO PASSIVO ATIVO CIRCULANTE Especificação CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA CRÉDITOS A CURTO PRAZO Atual

Leia mais

Total 420.044.577,42 Total 420.044.577,42

Total 420.044.577,42 Total 420.044.577,42 Anexo 01 Demonstrativo da Receita e Despesa Segundo as Categorias Econômicas RECEITA DESPESA RECEITAS CORRENTES DESPESAS CORRENTES RECEITA PATRIMONIAL 1.324.567,17 JUROS E ENCARGOS DA DÍVIDA 0,00 RECEITA

Leia mais

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A.

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A. Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo Passivo e patrimônio líquido Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 17.488 25.888 Fornecedores e outras obrigações 17.561 5.153 Contas a receber

Leia mais

6º Congresso Catarinense de. Controladores Internos Municipais. 17 e 18 de junho de 2010

6º Congresso Catarinense de. Controladores Internos Municipais. 17 e 18 de junho de 2010 6º Congresso Catarinense de Secretários de Finanças, Contadores Públicos e Controladores Internos Municipais 17 e 18 de junho de 2010 RECEITAS E DESPESAS PÚBLICAS: Enfoque Orçamentário X Enfoque Patrimonial

Leia mais

DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE PÚBLICA EXERCÍCIO DE 2014

DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE PÚBLICA EXERCÍCIO DE 2014 NOTAS EXPLICATIVAS 1. DIVULGAÇÃO DE POLÍTICAS CONTÁBEIS Políticas contábeis são os princípios, bases, convenções, regras e procedimentos específicos aplicados pela entidade na elaboração e na apresentação

Leia mais

CORE/RS Conselho Regional dos Representantes Comerciais no Estado do Rio Grande do Sul CNPJ: 92.963.776/0001-25

CORE/RS Conselho Regional dos Representantes Comerciais no Estado do Rio Grande do Sul CNPJ: 92.963.776/0001-25 Conselho Regional dos Representantes Comerciais no Estado do Rio Grande do Sul CNPJ: 92.963.776/0001-25 Balanço Patrimonial ATIVO PASSIVO ATIVO CIRCULANTE Especificação CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA CRÉDITOS

Leia mais

CENÁRIO ATUAL DA CONTABILIDADE PÚBLICA BRASILEIRA

CENÁRIO ATUAL DA CONTABILIDADE PÚBLICA BRASILEIRA CONTABILIDADE PATRIMONIAL APLICADA AO SETOR PÚBLICO: UMA ABORDAGEM PRÁTICA Palestrante:André Ricardo Batista E-mail andrericardo@tce.pe.gov.br Facebook: Andre Ricardo Batista Tel. 081 3181-7677 1 CENÁRIO

Leia mais

As mensagens de erro são representadas por um código seguido da descrição do erro encontrado. Abaixo segue a estrutura do código de erro:

As mensagens de erro são representadas por um código seguido da descrição do erro encontrado. Abaixo segue a estrutura do código de erro: Anexo I - Regras de Validação - RREO O presente anexo possui o objetivo de apresentar a estrutura das mensagens de erros emitidas quando o sistema encontra alguma inconsistência na validação das fórmulas

Leia mais

Demonstrativo das Variações Patrimoniais

Demonstrativo das Variações Patrimoniais RESULTANTES DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA 28.393.390.678,55 RESULTANTES DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA 28.527.468.836,27 RECEITAS 13.532.898.028,40 ORÇAMENTÁRIA 13.532.898.028,40 DESPESA ORÇAMENTARIA 10.266.008.652,65

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE FOMENTO À HABITAÇÃO

SECRETARIA MUNICIPAL DE FOMENTO À HABITAÇÃO SEMANÁRIO OFICIAL João Pessoa, 27 de julho de 212 * n 1332 ESPECIAL * Pág. 11/66 SECRETARIA MUNICIPAL DE FOMENTO À HABITAÇÃO Pág. 12/66 * n 1332 ESPECIAL * João Pessoa, 27 de julho de 212 SEMANÁRIO OFICIAL

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC N.º 1.133/08. Aprova a NBC T 16.6 Demonstrações Contábeis.

RESOLUÇÃO CFC N.º 1.133/08. Aprova a NBC T 16.6 Demonstrações Contábeis. RESOLUÇÃO CFC N.º 1.133/08 Aprova a NBC T 16.6 Demonstrações Contábeis. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, CONSIDERANDO a internacionalização das

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL

MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 15 de Novembro de 1889 MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL INSTRUÇÕES DE PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS IPC 04 Metodologia para Elaboração do Balanço Patrimonial

Leia mais

Anexo 12 - Balanço Orçamentário

Anexo 12 - Balanço Orçamentário Anexo 12 - Balanço Orçamentário BALANÇO ORÇAMENTÁRIO EXERCÍCIO: PERÍODO: MÊS DATA DE EMISSÃO: PÁGINA: PREVISÃO PREVISÃO RECEITAS SALDO RECEITAS ORÇAMENTÁRIAS INICIAL ATUALIZADA REALIZADAS (a) (b) c = (a-b)

Leia mais

O PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO DAS NOVAS NORMAS CONTÁBEIS DA ÁREA PÚBLICA. Carla de Tunes Nunes

O PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO DAS NOVAS NORMAS CONTÁBEIS DA ÁREA PÚBLICA. Carla de Tunes Nunes O PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO DAS NOVAS NORMAS CONTÁBEIS DA ÁREA PÚBLICA Carla de Tunes Nunes A Ciência Contábil Reconhecimento Mensuração Evidenciação Histórico e Antecedentes Portaria MF 184/08 NBC T SP

Leia mais

02.10 PROVISÕES, PASSIVOS CONTINGENTES E ATIVOS CONTINGENTES 02.10.01 INTRODUÇÃO

02.10 PROVISÕES, PASSIVOS CONTINGENTES E ATIVOS CONTINGENTES 02.10.01 INTRODUÇÃO 02.10 PROVISÕES, PASSIVOS CONTINGENTES E ATIVOS CONTINGENTES 02.10.01 INTRODUÇÃO A normatização dos procedimentos contábeis relativos a provisões, passivos contingentes e ativos contingentes foi elaborada

Leia mais

Balancete. Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Piauí CNPJ: 14.882.936/0001-06. Créditos. Conta. Página:1/24

Balancete. Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Piauí CNPJ: 14.882.936/0001-06. Créditos. Conta. Página:1/24 Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado do Piauí CNPJ: 14.882.936/0001-06 Balancete Período: 01/05/2015 a 31/05/2015 Conta Anterior Débitos Créditos 1 - ATIVO 660.339,65D 383.449,46 379.045,53 664.743,58D

Leia mais

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais,

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, RESOLUÇÃO CFC Nº. 1.133/08 Aprova a NBC T 16.6 Demonstrações Contábeis. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, CONSIDERANDO a internacionalização das

Leia mais

CURSO DE CONTABILIDADE PÚBLICA PARA MULTIPLICADORES

CURSO DE CONTABILIDADE PÚBLICA PARA MULTIPLICADORES CURSO DE CONTABILIDADE PÚBLICA PARA MULTIPLICADORES Módulo V CURSO DE CONTABILIDADE PÚBLICA PARA MULTIPLICADORES Módulo V Demonst trações Contábei is Palestrante: Francisco Wayne Moreira Gerente de Normas

Leia mais

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL REGIONAL JARAGUAENSE - FERJ BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE Valores expressos em Reais. ATIVO Notas 2010 2009

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL REGIONAL JARAGUAENSE - FERJ BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE Valores expressos em Reais. ATIVO Notas 2010 2009 BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE ATIVO Notas 2010 2009 CIRCULANTE Caixa e bancos 422.947 20.723 Contas a receber 4 698.224 903.098 Outras contas a receber 5 3.304.465 121.908 Estoques 14.070

Leia mais

VOLUME II ANEXOS DA LEI 4.320/64

VOLUME II ANEXOS DA LEI 4.320/64 VOLUME II ANEXOS DA LEI 4.320/64 Apresentação Este volume compõe o Balanço Geral do Estado do exercício financeiro 2010. Nele são apresentados os anexos exigidos na LEI 4.320/64. LUIZ MARCOS DE LIMA SUPERINTENDENTE

Leia mais

Prefeitura Da Cidade do Rio de Janeiro Controladoria Geral do Município Subcontroladoria de Integração de Controles Contadoria Geral

Prefeitura Da Cidade do Rio de Janeiro Controladoria Geral do Município Subcontroladoria de Integração de Controles Contadoria Geral 1 RELATÓRIO DE DESEMPENHO DA PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO FRENTE À LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL NO EXERCÍCIO DE 2012 Este relatório tem por objetivo abordar, de forma resumida, alguns aspectos

Leia mais

www.casponline.com.br

www.casponline.com.br 1 Autores: Comissão de Estudos em CASP do CRC RS 2 Autor: Diogo Duarte Barbosa 3 Casp Online Social 1 www.casponline.com.br Aquisição pelo site: www.gestaopublica.com.br Administração Orçamentária e Financeira

Leia mais

10.936.971,00 3.2.4.3.1.00.00 - Benefícios Eventuais por Situações de Vulnerabilidade Temporária - Consolidação

10.936.971,00 3.2.4.3.1.00.00 - Benefícios Eventuais por Situações de Vulnerabilidade Temporária - Consolidação PREFEITURA DO RECIFE SECRETARIA DE FINANÇAS GERÊNCIA GERAL DA CONTABILIDADE DO MUNICÍPIO DEMONSTRAÇÃO DAS VARIAÇÕES PATRIMONIAIS - CONSOLIDADO - 2013 Demonstrativo das Variações Patrimoniais e Resultado

Leia mais

DECRETO 011 / 2012. ATENDER aos dispositivos da Portaria nº 828, de 14 de dezembro de 2011, da Secretaria do Tesouro Nacional, e;

DECRETO 011 / 2012. ATENDER aos dispositivos da Portaria nº 828, de 14 de dezembro de 2011, da Secretaria do Tesouro Nacional, e; DECRETO 011 / 2012 Institui o cronograma de execução das atividades a serem implementadas para o atendimento integral dos dispositivos constantes no Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor Público MCASP.

Leia mais

INSTRUÇÕES DE PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS IPC 08 Metodologia para Elaboração da Demonstração dos Fluxos de Caixa (Versão publicada em: 23/12/2014)

INSTRUÇÕES DE PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS IPC 08 Metodologia para Elaboração da Demonstração dos Fluxos de Caixa (Versão publicada em: 23/12/2014) REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 15 de Novembro de 1889 MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL INSTRUÇÕES DE PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS IPC 08 Metodologia para Elaboração da Demonstração dos Fluxos

Leia mais

Lançamentos Típicos de entidades do setor público

Lançamentos Típicos de entidades do setor público Lançamentos Típicos de entidades do setor público Efetue os lançamentos típicos a partir das informações captadas em cada caso típico do município de Transparência de Pombal. etermine inicialmente a Natureza

Leia mais

47º Congresso ARTAFAM - 2013. Diogo Duarte Barbosa. Novo PCASP - Consolidação a par0r do quinto nível - Aspectos prá0cos e polêmicos.

47º Congresso ARTAFAM - 2013. Diogo Duarte Barbosa. Novo PCASP - Consolidação a par0r do quinto nível - Aspectos prá0cos e polêmicos. 47º Congresso ARTAFAM - 2013 Diogo Duarte Barbosa Novo PCASP - Consolidação a par0r do quinto nível - Aspectos prá0cos e polêmicos. Quais são as novas normas? Facebook.com/casponline NOVAS NORMAS DE CASP

Leia mais

MANUAL DE CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO

MANUAL DE CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO MANUAL DE CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO Aplicado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios. Válido de forma facultativa a partir de 2010 e obrigatoriamente em 2012 para a União,

Leia mais

Adequação do Sistema de Contabilidade Pública: novo plano de contas, competência e custos Subsecretaria de Contabilidade Pública STN/MF

Adequação do Sistema de Contabilidade Pública: novo plano de contas, competência e custos Subsecretaria de Contabilidade Pública STN/MF Adequação do Sistema de Contabilidade Pública: novo plano de contas, competência e custos Subsecretaria de Contabilidade Pública STN/MF MUDANÇAS NA ESTRUTURA CONCEITUAL Demonstrações Contábeis Plano de

Leia mais

01 Apresentação das Demonstrações Contábeis... 03. 02 Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público DCASP... 13. - Balanço Patrimonial...

01 Apresentação das Demonstrações Contábeis... 03. 02 Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público DCASP... 13. - Balanço Patrimonial... ÍNDICE 01 Apresentação das Demonstrações Contábeis... 03 02 Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público DCASP... 13 - Balanço Patrimonial... 14 - Demonstração das Variações Patrimoniais... 17 -

Leia mais

20/07/2015. Receitas. Receitas. Receitas

20/07/2015. Receitas. Receitas. Receitas Em sentido amplo, os ingressos de recursos financeiros nos cofres do Estado denominam-se receitas públicas, registradas como receitas orçamentárias, quando representam disponibilidades de recursos financeiros

Leia mais

Demonstrativo das Variações Patrimoniais

Demonstrativo das Variações Patrimoniais RESULTANTES DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA 3.953.236.822,66 RESULTANTES DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA 3.320.180.698,63 RECEITAS 1.684.972.053,82 ORÇAMENTÁRIA 1.684.972.053,82 DESPESA ORÇAMENTARIA 3.044.151.183,85

Leia mais

Documento gerado em 27/04/2015 15:46:27 Página 1 de 42

Documento gerado em 27/04/2015 15:46:27 Página 1 de 42 DCA-Anexo I-AB Balanço Patrimonial - Ativo e Passivo Padrao Balanço Patrimonial Ativo - Ativo - 1.0.0.0.0.00.00 - Ativo 90.603.291,75 1.1.0.0.0.00.00 - Ativo Circulante 39.564.561,26 1.1.1.0.0.00.00 -

Leia mais