VoIP Perspectiva de um Operador de Telecomunicações

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "VoIP Perspectiva de um Operador de Telecomunicações"

Transcrição

1 ORDEM DOS ENGENHEIROS ENCONTRO NACIONAL DO COLÉGIO DE INFORMÁTICA Coimbra, Set 2005 VoIP Perspectiva de um Operador de Telecomunicações Luís Alveirinho Planeamento e Evolução da Rede PT Comunicações VoIP - Perspectiva de um Operador de Telecomunicações 1/28

2 1. O VoIP no contexto da Evolução das Redes 2. Principais Modelos e Aplicações 3. O Posicionamento/Estratégia da PT 4. Principais Impactos nos Operadores 5. Conclusões VoIP - Perspectiva de um Operador de Telecomunicações 2/28

3 O DESENVOLVIMENTO DA TECNOLOGIA VoIP CONSTITUI UM PROCESSO DE NORMAL EVOLUÇÃO DAS REDES DE TELECOMUNICAÇÕES Voz sobre IP é a tecnologia que possibilita o transporte e comutação de chamadas de voz, em ambiente de rede pública ou privada, utilizando o protocolo IP Comutação de Circuitos Voz Analógica Comutação de Circuitos Voz Digital Comutação de Pacotes Voz Digital 1ª Vaga 2ª Vaga 3ª Vaga Analógica Digital Pacotes IP VoIP - Perspectiva de um Operador de Telecomunicações 3/28

4 A TRANSFORMAÇÃO POTENCIADA PELO IP, TEM IMPACTO ADICIONAL PELO FACTOR HOLISTICO E DE CONVERGÊNCIA QUE ENCERRA... PSTN/ISDN Dados/IP Rede convergente All IP Rede Multiserviço IP/PMLS Voz (TDM) Dados Voz (VoIP) Dados No ambiente IP a voz é mais uma aplicação/serviço que, embora com características e necessidades de específicas, tirará partido dos aspectos de convergência das TIC possibilitando a criação de uma multiplicidade de aplicações e funcionalidades para o cliente final, em particular em ambiente de utilização web VoIP - Perspectiva de um Operador de Telecomunicações 4/28

5 HÁ HOJE EM DIA MÚLTIPLAS OFERTAS DE VoIP NA PERSPECTIVA INTERNET TELEPHONY. OUTROS MODELOS DÃO OS 1ºS PASSOS... In-Net In-Net Incoming Outgoing VoIP - Perspectiva de um Operador de Telecomunicações 5/28

6 OS OPERADORES TÊM JÁ OFERTAS IDÊNTICAS ÀS OFERTAS DOS NOVOS PLAYERS, LIGADAS ÀS SUAS OFERTAS DE BANDA LARGA Cá Dentro... Lá fora... VoIP - Perspectiva de um Operador de Telecomunicações 6/28

7 NO ENTANTO VoIP É MAIS DO QUE CHAMADAS DE VOZ NA INTERNET, VIA ACESSOS DE BANDA LARGA, PC OU TELEFONE COM ADAPTADOR... Voz sobre Internet VoIP Trunking Internet www (BT Comunicator) (Broadband Voice) Rede IP Gerida IP Telephony IP Centrex VPN VoIP Substituição PSTN (21CNetwork) Cliente Acesso Core A mesma tecnologia VoIP usada para diferentes aplicações sendo diferenciada pelo modelo de negócio e segmento de rede onde chega o IP VoIP - Perspectiva de um Operador de Telecomunicações 7/28

8 1. O VoIP no contexto da Evolução das Redes 2. Principais Modelos e Aplicações 3. O Posicionamento/Estratégia da PT 4. Principais Impactos nos Operadores 5. Conclusões VoIP - Perspectiva de um Operador de Telecomunicações 8/28

9 VoIP NAS REDES CORPORATIVAS DE CLIENTES Soluções VoIP nas redes internas das empresas VoIP sobre VPN 1 VPN para dados + Acessos RDIS para a ligação à PSTN. PBX híbridos TDM/IP (Gateways de VoIP Integradas), permitem aplicações VoIP sobre a VPNs de dados: Chamadas ON NET (intra sites) grátis e Chamadas OFF NET (PSTN/PLMN) mais baratas. Bypass à rede do Operador - O tráfego de voz é entregue o mais próximo do destino. PSTN PBX TDM/I P IP Phone Site A VPN Dados + Voz On Net Voz Off Net PBX TDM/I P IP Phone Site B Soluções VoIP empresarial - ofertas de Operador VPNs com 1 acesso integrado de voz e dados Deixam de ter Acessos directos à PSTN Todo o tráfego de voz (ON e OFF NET) é escoado pela VPN IP A ligação OFF NET à PSTN é assegurada pelo operador O tráfego entre VPNs é transportado em IP Soluções VoIP e multimédia geridas Telefonia IP gerida (Hosted PBX IP e IP Centrex) Aplicações multimédia (IM, Videoconferência), em ASP VoIP - Perspectiva de um Operador de Telecomunicações Hosted Aplica MGW PBX ções Softswitch Operador PBX TDM/IP IP Phone Site A SBC VPN Dados + Voz PSTN PBX TDM/IP IP Phone Site B 9/28

10 VoIP NAS REDES DOS OPERADORES VoIP no Core VoIP Trunking Substituição do troço de trânsito da actual rede TDM. Não há alterações ao nível de comutação local e da rede de acesso Motivação para o Operador: Diminuição dos custos nos circuitos de interligação PSTN Cl. 4 IP MGW MGW (gerida ou Internet) PSTN VoIP até ao Acesso RPG/Emulação PSTN Substituição integral da rede TDM, com softswitches Classe 5, Gateways de Acesso VoIP. Last mile fica inalterado. Emulação integral do actual serviço da PSTN. Todo o tráfego de voz e dados é transportado, desde o acesso, num core único IP/MPLS Motivação para o Operador: Criação de uma rede mais eficiente: Custos de opex optimizados e arquitectura aberta Maior facilidade na introdução de serviços e suporte de serviços convergentes Plat. Ser. Nó de Acesso Multi Serviço Softswitch IP/MPLS MGW Outros Operadore s PSTN VoIP - Perspectiva de um Operador de Telecomunicações 10/28 SIP Server MGC SBC

11 VoIP ATÉ AO CLIENTE (1/2) Auto-presta prestação VoIP (DIY Do It Yourself) Origem no mundo Internet MSN, YAHOO e SKYPE. Focus na comunicação: IM (Chat on line) + aplicações (partilha de ficheiros, fotos...) e também Voz e Vídeo Independente do acesso de BL (DSL, Cabo, WiFi): O fornecedor do serviço não controla a rede IP de Acesso Permite nomadismo Terminal: PC ou outro compatível com a aplicação (ex.:móvel, PDA). Soft Phone Aplicação que gere o serviço: disponível na Internet e gratuita Tipo de chamadas: IP-IP (mesma aplicação ou compatível ) IP2PHONE e PHONE2IP Gateway para a PSTN Os Operadores Incumbentes têm ofertas através dos seus ISP Não replica o SFT, mas é alternativa para tráfego internacional e nacional Baixo custo das chamadas IP- IP gratuitas ON NET IP2PHONE (PSTN/PLMN) mais baratas Grande adesão da camada jovem e viajantes A w w w Serv ers GW B PSTN C VoIP - Perspectiva de um Operador de Telecomunicações 11/28

12 VoIP ATÉ AO CLIENTE (2/2) VoBB (Acesso Indirecto VoIP) e Acesso directo VoIP Origem nos Operadores entrantes Focus: Oferta alternativa à voz dos Operadores Incumbentes: Serv ers Interne VoBB: Modelo de negócio ao acesso indirecto SFT (Vonage/US, Telio /Noruega) www t O fornecedor do serviço não controla a rede IP de Acesso IP GW PSTN Acesso directo VoIP Modelo de negócio ao acesso directo SFT (Fastweb, Op.Cabo) IP O fornecedor do serviço controla a rede IP de Acesso Comum Gerida Bundle de serviços: voz, acesso de BL e/ou broadcast TV, VoD ATA Terminal: Telefone analógico (ATA ou HGW), ou telefone IP- hard ou softphone (Softphone = PC precisa estar ligado) A B Numeração: E.164 (geográfico ou não geográfico). Possibilidade de nº virtuais Tipo de chamadas: Semelhantes ao SFT. Muitas ofertas de VoBB não disponibilizam acesso aos nºs de emergência (ex.:112). C Telef.. IP Alguns Operadores Incumbentes têm ofertas de voz sobre Internet, na lógica de 2ª linha Baixo custo das chamadas Serviços adicionais VoBB: nomadismo e logging de chamadas. Acesso directo VoIP: BL e/ou video Mercado Alvo- Residencial, SOHO e PMEs D Soft phone VoIP - Perspectiva de um Operador de Telecomunicações 12/28

13 EXISTEM DIFERENTES MODELOS E APLICAÇÕES VoIP: DO CORE DA REDE ATÉ AO TERMINAL DE CLIENTE Auto-prestação VoIP (DIY) Internet www VoBB R. IP Gerida Acesso directo VoIP Origem Mundo Internet Entrantes (~ acesso indirecto) Entrantes ( ~ acesso directo) Focus/ Ofertas Típicas Comunicação: chat on line + voz + vídeo. Chamadas IP-IP (só mesma aplicação) e IP2Phone Sem acesso ao 112 Serviço substituto da PSTN - Com numeração E.164 Nºs virtuais Acesso a serv. de emergência (112) não disponível. Bundle de serviços: voz + BL e/ou broadcast TV, VoD Ofertas de Incumbentes Via ISPs do Grupo Acordos c/ MSN e YAHOO Complementar SFT- 2ª linha (menos serviços, <qualidade) Triple play Tipo de Terminal PC/Softphone. QQ compatível c/ a aplicação Telefone analógico (com ATA- terminal adaptor).ou Telefone IP (Hard ou Softphone) R. Acesso/ QoS Tarifários Outros Qualquer Acesso de BL (DSL/Cabo). NÃO controlam a rede Controlam a rede de Acesso Download da aplicação Internet Codecs ilbc; G723;G711 QoS Best effort Codecs - G.729; G723;G711 QoS Controlada Aposta no preço baixo. Normalmente On Net free e Flat rates Possível disponibilizar: Nomadismo e Acessibilidade simultânea do nº em vários locais VoIP - Perspectiva de um Operador de Telecomunicações 13/28

14 1. O VoIP no contexto da Evolução das Redes 2. Principais Modelos e Aplicações 3. O Posicionamento/Estratégia da PT 4. Principais Impactos nos Operadores 5. Conclusões VoIP - Perspectiva de um Operador de Telecomunicações 14/28

15 A ESTRATÉGIA DE VoIP DA PT ESTÁ LIGADA COM A SUA APOSTA NA BANDA LARGA Telecomunicações Entretenimento Internet Mobilidade VIDEO DADOS VOZ MOBILIDADE > 800 mil clientes > 3 milhões de BANDA LARGA clientes > 1.5 milhões de clientes > 40% dos lares portugueses > 20% dos lares portugueses > 60% dos lares portugueses > Ligação automática ao WiFi para 800 mil clientes > UMTS lançado Cabo / Satélite Cabo / ADSL PSTN UMTS / WiFi VoIP VoIP - Perspectiva de um Operador de Telecomunicações 15/28

16 O GRUPO PT UTILIZA TECNOLOGIA VoIP NA SUA REDE DESDE 1999, EM COMUNICAÇÕES NACIONAIS E INTERNACIONAIS Rede internacional Rede 1024 PT Prime PTC VoIP trunking: transporte do tráfego de voz TDM, de forma transparente Picoas PSTN MGW GTK Vocaltec Rede Internacional Início em 1999 PSTN MGW Softswitch Surpass Siemens VPN IP (gerida) Rede Empresarial (1024) Início em 2001 BB IP Prime MGW MGW PSTN PSTN POP França POP Suiça Rede Longa Distância Piloto envolvendo comutadores de Lisboa e Porto MGW MGW PSTN PSTN POP 2 POP 28 VoIP - Perspectiva de um Operador de Telecomunicações 16/28

17 O SERVIÇO VoIP PC2PC DO GRUPO PT > Grátis > PC 2 PC > Baseado na Comunidade > Voz com qualidade superior > Funcionalidade de Vídeo > De fácil uso > Com hardware associado VoIP - Perspectiva de um Operador de Telecomunicações 17/28

18 NO LONGO PRAZO, A EVOLUÇÃO GLOBAL PARA VoIP IMPLICARÁ A MODIFICAÇÃO DA ESTRUTURA DA PSTN NUMA ÓPTICA 21st CN DA BT Situação actual* (Voz & BL) Rede TDM Serviços IN 4 Int. 6 Trânsito Nacional 25 Trânsito Regional 167 Com. Local Concent. SDH/ PDH/ WDM Ethernet Acesso Cobre Rede ADSL IP ATM DSLAM.µDSLAM Cenário Futuro Rede Objectivo SDH sem emalhamento Mais WDM SDH/ WDM IP/MPLS Ethernet IP/MPLS 1 só nível Hierárquico (softswitches < 6 ) 1 Nó Acesso Multiserviço 1 CONC. TDM + DSLAM REDE IP/MPLS Plat.de Serviços MSAN Aces FO ONT Aces. Cobre Outros Operadores MGW SBC PSTN RPG * Fev 05 VoIP - Perspectiva de um Operador de Telecomunicações 18/28

19 1. O VoIP no contexto da Evolução das Redes 2. Principais Modelos e Aplicações 3. O Posicionamento/Estratégia da PT 4. Principais Impactos nos Operadores 5. Conclusões VoIP - Perspectiva de um Operador de Telecomunicações 19/28

20 PARA UM OPERADOR HISTÓRICO E PARA O NEGÓCIO TRADICIONAL DE VOZ O VoIP ENCERRA UM CONJUNTO DE NOVOS DESAFIOS Alteração de paradigma do posicionamento do serviço o de Voz Alteração da concorrência De um Serviço para uma Aplicação sobre Internet: Forte pressão do mercado sobre o preço (NET=Free) Alterações nos tarifários (Flat rate, ON NET free) Aparecimento de ofertas de voz não reguladas De Operadores de nicho, focados no baixo preço da voz, para Operadores de serviços convergentes: Ofertas com mais valor do que as actuais (nomadismo, nºs virtuais, aplicações MM) Aumento do nº de potenciais concorrentes: A facilidade com que é possível disponibilizar o serviço VoIP. O pré pago abre a porta a Operadores globais ex.: Skype OUT Para um Operador de rede FIXA Diminuição do tráfego (início internacional e longa distância) Esmagamento das margens da voz Perda de clientes Criação de ofertas que vão canibalizar o SFT no curto prazo Perda de receitas Risco de se transformar em transportador de bits VoIP - Perspectiva de um Operador de Telecomunicações 20/28

21 MAS INCLUI IGUALMENTE UM CONJUNTO DE NOVAS OPORTUNIDADES QUE PODEM SER DEVIDAMENTE EXPLORADAS Novos serviços VoIP e convergentes VoIP é mais do que chamadas a baixo preço VoIP permite formatar: ofertas com funcionalidades não disponíveis na PSTN - centradas na presença, nas comunicações pessoais/nº virtuais, no nomadismo, na acessibilidade via vários tipos de terminais, na videtelefonia. ofertas específicas para o mercado empresarial Soluções de Telefonia IP gerida (PBX virtuais/ip Centrex), integradas com aplicações fornecidas em modo de ASP- aplicações multimédia (ex.: Videoconferência), comunicações integradas como o Unified Messaging e os serviços de presença (Instant Messaging),etc. bundle serviços mais facil Impacto das ofertas Podem ter impacto nas Ofertas actuais de serviço de voz, mas: Esbatem a diferença entre o SFT e o Serviço Móvel No mercado empresarial o Operador sobe na cadeia de valor do cliente - ofertas para além da conectividade Contribuem para a captação e fidelização de clientes. Geram novas fontes de receitas, que atenuarão a perda de receitas da voz VoIP - Perspectiva de um Operador de Telecomunicações 21/28

22 NO ENTANTO O VoIP ENCERRA AINDA UM CONJUNTO DE INCERTEZAS DE DIVERSAS NATUREZAS: MERCADO, SERVIÇO, REGULAÇÃO Drivers pró adesão Baixo preço Nºs virtuais/pessoais Nomadismo Bundle de serviços Regulação Adesão às ofertas VoIP Outros aspectos que determinam o grau de ameaça a que o negócio de voz do operador incumbente está sujeito Travões à adesão Segurança fraude (uso indevido) Robustez e fiabilidade da rede ex.: Spam over Internet telephony (SPIT) Acesso a serviços de emergência (112) Penetração da Banda Larga O grau de concorrência a que a PTC estará sujeita dependerá do nível de regulação a adoptar para os vários serviços VoIP Os níveis de regulação dependem da categoria onde são classificados. Os critérios de classificação ainda não são claros nem estão definidos. A Banda Larga é pré requisito para ter um serviço VoIP alternativo ao actual SFT % de Lares com BL em Portugal: Penetração* 23,8 % 4T04 50% Objectivos UMIC 2005 *8,2%/100 habitantes. Lares habitados ~3,6M; - (Fonte:ANACOM e UM VoIP - Perspectiva de um Operador de Telecomunicações 22/28

23 NÃO SÓ NO ÂMBITO TECNOLÓGICO E DE SERVIÇOS HAVERÁ IMPACTO: HÁ QUE TER EM ATENÇÃO OS PROCESSOS E RH/FORMAÇÃO Tecnologia Processos Operacionais Centralização de actividades de O&M. Enfoque na supervisão remota e na automatização de processos. Alguma capacidade de auto-provisão. Actividades de Atendimento e Instalação mais qualificadas. Serviços RH/Formação Maior nível de qualificação por a rede ser mais baseada em SW. Aproximação das valências técnicas às áreas de dados. Gestão da transição feita ao longo de período significativo VoIP - Perspectiva de um Operador de Telecomunicações 23/28

24 1. O VoIP no contexto da Evolução das Redes 2. Principais Modelos e Aplicações 3. O Posicionamento/Estratégia da PT 4. Principais Impactos nos Operadores 5. Conclusões VoIP - Perspectiva de um Operador de Telecomunicações 24/28

25 CONCLUSÕES A Voz sobre IP veio para ficar e apresenta já hoje uma dimensão significativa e é uma tendência crescente no futuro: > 155 milhões de downloads SKYPE > 51 milhões de utilizadores > 2,5 milhões de utilizadores simultâneos > 12,5 milhões de minutos de tráfego de voz Analistas prevêm que em 2008 na Europa Ocidental: Os Operadores perderão cerca de 13% de tráfego tradicional para VoIP 50 milhões de utilizadores poderão fazer bypass à PSTN Haverá cerca de 22 milhões de clientes com soluções de Voz sobre Banda Larga É incontornável que o VoIP tem impacto no negócio dos Operadores, mesmo não se configurando as actuais ofertas como substitutas do SFT VoIP - Perspectiva de um Operador de Telecomunicações 25/28

26 CONCLUSÕES A tecnologia VoIP está a introduzir alterações profundas na indústria das telecomunicações e traz consigo impactos significativos: Redes e Serviços integrados/convergentes Novos Serviços web based Re-avaliação global do actual modelo de negócio da voz Incerteza global do impacto, nomeadamente pelos aspectos regulamentares, da penetração da BL e da evolução de ofertas O processo de substituição a prazo da rede PSTN, originando um processo de migração, com impacto não inferior ao da digitalização ocorrida nos anos A PT é um lider neste domínio nio: Já tem em exploração comercial soluções de VoIP Trunking Tem em exploração ofertas VoIP convergentes, suportadas nas ofertas de acessibilidade de banda larga ADSL e que serão progressivamente evolutivas face à resposta do mercado Está a trabalhar na migração da rede TDM para uma rede all IP VoIP - Perspectiva de um Operador de Telecomunicações 26/28

27 O VoIP ESTÁ NA ORDEM DO DIA: PREÇO, SERVIÇO, QUALIDADE, CONVERGÊNCIA MAS SERÁ SÓ ISSO? Serviço Interligação de Redes Numeração, Portabilidade Regulamentação Tecnologia Base Transição Tecnológica Arquitectura de Rede Convergência VoIP- So, what s the problem? Qualidade Segurança Funcionalidade Preço Formação /Recursos Impacto Organizativo CAPEX OPEX VoIP - Perspectiva de um Operador de Telecomunicações 27/28

28 It's probably the most significant paradigm shift in the entire history of modern communications, since the invention of the telephone. Michael Powell, FCC Chairman World Economic Forum, Davos, September 2004 As more traffic moves off of the PSTN and onto IP, governments will be forced to look for a way to fill the tax gap Panelists at Supernova Conference, San Francisco, June 2005 in eweek VoIP Regulations enter a Perfect Storm VoIP - Perspectiva de um Operador de Telecomunicações 28/28

O VoIP como enabler do desenvolvimento da Rede de Voz da Novis

O VoIP como enabler do desenvolvimento da Rede de Voz da Novis VoIP Coimbra, 16 de Setembro 2005 O VoIP como enabler do desenvolvimento da Rede de Voz da Novis Índice A rede da Novis Transmissão Rede Multi-Serviços O VoIP como tecnologia de Transporte o enabler do

Leia mais

Sumário. VoIP - Vantagens e Desafios. Introdução ao VoIP Estado da Arte Case Studies Vantagens Desafios Próximos passos. Rui Ribeiro. sip:racr@fccn.

Sumário. VoIP - Vantagens e Desafios. Introdução ao VoIP Estado da Arte Case Studies Vantagens Desafios Próximos passos. Rui Ribeiro. sip:racr@fccn. VoIP - Vantagens e Desafios Rui Ribeiro sip:racr@fccn.pt 19 Janeiro 2006 1 Sumário Introdução ao VoIP Estado da Arte Case Studies Vantagens Desafios Próximos passos 2 VoIP Introdução ao VoIP Definição

Leia mais

Broadband & Mobility Uma perspectiva tecnológica. Eng.º João Picoito ( Siemens )

Broadband & Mobility Uma perspectiva tecnológica. Eng.º João Picoito ( Siemens ) Mobilidade Uma presença pervasiva no quotidiano das sociedades modernas 21 de Outubro de 2004 Hotel Le Meridien Broadband & Mobility Uma perspectiva tecnológica Eng.º João Picoito ( Siemens ) Patrocínio

Leia mais

ACESSO de BANDA LARGA. Uma perspectiva de Operador

ACESSO de BANDA LARGA. Uma perspectiva de Operador ACESSO de BANDA LARGA Uma perspectiva de Operador António Varanda I S T Lisboa, 8-Maio-2007 SUMÁRIO Um pouco de história e a evolução da Banda Larga Vídeo em tempo real: requisitos Análise de Operador:

Leia mais

O futuro da Banda Larga em Portugal

O futuro da Banda Larga em Portugal O futuro da Banda Larga em Portugal Dr. Miguel Horta e Costa Presidente Executivo da Portugal Telecom Lisboa, 5 de Fevereiro de 2004 Quadro 1 Portugal encontra-se hoje particularmente bem posicionado para

Leia mais

Estudo do Caso PT-SI: Dois passos em frente nos ambientes colaborativos. Carlos Pinhão Lisboa, 2 de Abril 2008

Estudo do Caso PT-SI: Dois passos em frente nos ambientes colaborativos. Carlos Pinhão Lisboa, 2 de Abril 2008 Estudo do Caso PT-SI: Dois passos em frente nos ambientes colaborativos Carlos Pinhão Lisboa, 2 de Abril 2008 Agenda O porquê da mudança Comunicações Conclusões 2 O porquê da mudança PT-SI conta com mais

Leia mais

O Backbone da Internet Infra-estrutura de rede de operador. O Backbone da Internet infra-estrutura de rede de operador

O Backbone da Internet Infra-estrutura de rede de operador. O Backbone da Internet infra-estrutura de rede de operador 11 O Backbone da Internet Infra-estrutura de rede de operador 22 Objectivo da apresentação 1. Apresentar a topologia-macro da infra-estrutura de rede 2. Identificar os principais desafios para os operadores

Leia mais

Diretoria de Projetos e Administração de Redes Marcio Patusco Lana Lobo Maio de 2004

Diretoria de Projetos e Administração de Redes Marcio Patusco Lana Lobo Maio de 2004 Diretoria de Projetos e Administração de Redes Marcio Patusco Lana Lobo Maio de 2004 Diretoria de Projetos e Administração de Redes - Marcio Patusco Lana Lobo 1 Conteúdo : Contexto e Conceitos Topologia

Leia mais

Tecnologia VoIP Produtos, serviços e aplicações

Tecnologia VoIP Produtos, serviços e aplicações Tecnologia VoIP Produtos, serviços e aplicações Fernando Canuto fcanuto@falevoice.com.br Diretor de Operações e Tecnologia Especialista em redes NGN www.falevoice.com Conteúdo da Palestra Evoluçao das

Leia mais

Benefícios da Adoção de. VoIP pelas empresas. Luciano Matsumoto

Benefícios da Adoção de. VoIP pelas empresas. Luciano Matsumoto Benefícios da Adoção de VoIP pelas empresas Luciano Matsumoto Apresentação Luciano Matsumoto Luciano Matsumoto lmatsumoto@tmais.com.br Engenheiro Elétrico c/ ênfase em Telecomunicações pela Escola Politécnica

Leia mais

Tecnologia ao seu dispor

Tecnologia ao seu dispor Tecnologia ao seu dispor EVOLUÇÃO DA ACTIVIDADE 1987 Janeiro Fundação como empresa de prestação de serviços na área da electrónica e Centro de Assistência Técnica para o Sul do País de um fabricante de

Leia mais

:: Telefonia pela Internet

:: Telefonia pela Internet :: Telefonia pela Internet http://www.projetoderedes.com.br/artigos/artigo_telefonia_pela_internet.php José Mauricio Santos Pinheiro em 13/03/2005 O uso da internet para comunicações de voz vem crescendo

Leia mais

6127. Redes comunicação de dados. RSProf@iol.pt. 2014/2015. Introdução.

6127. Redes comunicação de dados. RSProf@iol.pt. 2014/2015. Introdução. Sumário 6127. Redes comunicação de dados. 6127. Redes comunicação de dados A Internet: Permite a interação entre pessoas. 6127. Redes comunicação de dados A Internet: Ensino; Trabalho colaborativo; Manutenção

Leia mais

Convergência Fixo-Móvel

Convergência Fixo-Móvel 18as Palestras sobre Comunicações Móveis 2010 Instituto Superior Técnico 28 Maio 2010 Index Convergência Fixo-Móvel Agenda O que é a Convergência? O que é? Convergência resulta de um conjunto de iniciativas

Leia mais

Transmissão de Voz em Redes de Dados (VoIP)

Transmissão de Voz em Redes de Dados (VoIP) Transmissão de Voz em Redes de Dados (VoIP) Telefonia Tradicional PBX Telefonia Pública PBX Rede telefônica tradicional usa canais TDM (Time Division Multiplexing) para transporte da voz Uma conexão de

Leia mais

GOVERNANÇA NO SETOR DE TRANSPORTES. Telecomunicações Ferroviárias. Mário Alves. 9 de Maio de 2012. Brasília, 9 de Maio de 2012.

GOVERNANÇA NO SETOR DE TRANSPORTES. Telecomunicações Ferroviárias. Mário Alves. 9 de Maio de 2012. Brasília, 9 de Maio de 2012. Bem Brasília vindos 9 de Maio de 2012 AGENDA REFER TELECOM Desafios da Modernização Interoperabilidade Operação Ferroviária Modelo de negócio Gestão de Telecomunicações Gestão do Património Engenharia

Leia mais

Exmo Senhor Dr. Luís Filipe Menezes Director de Gestão e Apoio ao Conselho ICP-ANACOM Av. José Malhoa, 12 1099-017 LISBOA

Exmo Senhor Dr. Luís Filipe Menezes Director de Gestão e Apoio ao Conselho ICP-ANACOM Av. José Malhoa, 12 1099-017 LISBOA Exmo Senhor Dr. Luís Filipe Menezes Director de Gestão e Apoio ao Conselho ICP-ANACOM Av. José Malhoa, 12 1099-017 LISBOA Lisboa, 21 de Dezembro de 2005 ASSUNTO: Resposta à consulta pública sobre os serviços

Leia mais

Associação Comercial e Industrial da Ilha do Pico (ACIPICO) Condições Exclusivas para Associados

Associação Comercial e Industrial da Ilha do Pico (ACIPICO) Condições Exclusivas para Associados Associação Comercial e Industrial da Ilha do Pico (ACIPICO) Condições Exclusivas para Associados Setembro 2014 Para aderir ou obter mais informações: Contacte o seu gestor de cliente ou Ligue 16 206 (

Leia mais

Pacote de Comunicações Condições Especiais Agentes Generali

Pacote de Comunicações Condições Especiais Agentes Generali Pacote de Comunicações Condições Especiais Agentes Generali Condições Agentes Generali -Apresentação A PT Prime, em parceria com a Generali apresenta um pacote de comunicações exclusivo aos agentes Generali

Leia mais

Evolução das Redes de Acesso para suporte a Serviços de Nova Geração

Evolução das Redes de Acesso para suporte a Serviços de Nova Geração Evolução das Redes de Acesso para suporte a Serviços de Nova Geração Luís Alveirinho Direcção de Planeamento e Estratégia de Desenvolvimento da Rede PT Comunicações Seminário ANACOM - Lisboa, Outubro 2006

Leia mais

Resposta à Consulta Pública sobre VoIP Introdução

Resposta à Consulta Pública sobre VoIP Introdução Resposta à Consulta Pública sobre VoIP Introdução A Radiomóvel considera muito importante esta iniciativa da Anacom que vem no sentido de regular esta nova faceta da prestação de serviço telefónico, fruto

Leia mais

Unified Communications & IP Tl Telephony. IDC, 2 e 3 Abril de 2008

Unified Communications & IP Tl Telephony. IDC, 2 e 3 Abril de 2008 Unified Communications & IP Tl Telephony IDC, 2 e 3 Abril de 2008 Abril de 2008 Sumário Enquadrar sucintamente o ambiente que se vive na indústria em torno desta nova (r)evolução tecnológica. Constatar

Leia mais

Comparativo de soluções para comunicação unificada

Comparativo de soluções para comunicação unificada Comparativo de soluções para comunicação unificada Bruno Mathies Curso de Redes e Segurança de Sistemas Pontifícia Universidade Católica do Paraná Curitiba, Abril de 2010 Resumo Este artigo tem com objetivo

Leia mais

Redes de Nova Geração

Redes de Nova Geração Redes de Nova Geração Pedro Nascimento 9 de Outubro, 2006 Workshop sobre Redes de Nova Geração ANACOM Sumário O Mercado Português Números Dinâmica Factores de crescimento Os Serviços de Banda Larga Ofertas

Leia mais

Rede Telefónica Pública Comutada - Principais elementos -

Rede Telefónica Pública Comutada - Principais elementos - Equipamento terminal: Rede Telefónica Pública Comutada - Principais elementos - o telefone na rede convencional Equipamento de transmissão: meio de transmissão: cabos de pares simétricos, cabo coaxial,

Leia mais

Inovação em Gestão e Comunicação as novas ferramentas de gestão e comunicação para um mercado global. Pedro Gusmão Suchodolski CEO

Inovação em Gestão e Comunicação as novas ferramentas de gestão e comunicação para um mercado global. Pedro Gusmão Suchodolski CEO Inovação em Gestão e Comunicação as novas ferramentas de gestão e comunicação para um mercado global Pedro Gusmão Suchodolski CEO Evolução O ambiente de trabalho está em transformação! Estamos evoluindo

Leia mais

Mas afinal, o que é a CONVERGÊNCIA?

Mas afinal, o que é a CONVERGÊNCIA? Tecnologia 40 Mas afinal, o que é a CONVERGÊNCIA? DSL Cabo Fibra Móvel Móvel WiFi em movimento Convergência TERMINAL é poder MULTI- se comunicar ÓTIMO MÍDIA independente de local, dispositivo de acesso

Leia mais

Gestão de Redes e de Sistemas Distribuídos

Gestão de Redes e de Sistemas Distribuídos Gestão Res e Sistemas Distribuídos Setembro 2006 Da evolução da tecnologia à Gestão Integrada Sumário???? Uma visão global sobre a disciplina TMV/RSC - 2006 Gestão Res e Sistemas Distribuídos 2 O passado

Leia mais

Guia Técnico Inatel Guia das Cidades Digitais

Guia Técnico Inatel Guia das Cidades Digitais Guia Técnico Inatel Guia das Cidades Digitais Módulo 3: VoIP INATEL Competence Center treinamento@inatel.br Tel: (35) 3471-9330 As telecomunicações vêm passando por uma grande revolução, resultante do

Leia mais

Redes de Comunicações Case Study - Integração de Voz, Dados, Segurança e SVA s

Redes de Comunicações Case Study - Integração de Voz, Dados, Segurança e SVA s Redes de Comunicações Case Study - Integração de Voz, Dados, Segurança e SVA s IDC Banca & Seguros Lisboa, 06.Maio.2008 Nuno Miguel Nunes nuno.nunes@oni.pt Os Desafios Pressão da concorrência cada vez

Leia mais

Características dos operadores

Características dos operadores RÉPUBLIQUE FRANÇAISE Junho de 21 Números chave das comunicações electrónicas em França Números de 29 Características dos operadores Salvo indicação em contrário, os números apresentados neste documento

Leia mais

Valor Comercial das Telecomunicações. Telecomunicações nas Empresas. Superar barreiras geográficas. Superar barreiras do tempo

Valor Comercial das Telecomunicações. Telecomunicações nas Empresas. Superar barreiras geográficas. Superar barreiras do tempo Valor Comercial das Telecomunicações Superar barreiras geográficas Atendimento ao cliente/preenchimento de pedidos Superar barreiras do tempo Consultas de crédito (POS) Superar barreiras de custo Videoconferência

Leia mais

Agenda. Mobilidade, convergência e Cloud. A Rede ótica de próxima geração na PT. Evoluções

Agenda. Mobilidade, convergência e Cloud. A Rede ótica de próxima geração na PT. Evoluções Agenda 1. Mobilidade, convergência e Cloud 2. A Rede ótica de próxima geração na PT 3. Evoluções Tsunami de dados Data rate na hora de pico Gbps transport network. DL Utilização diária Gbps transport network.

Leia mais

Formação BEYOND INNOVATION

Formação BEYOND INNOVATION Formação BEYOND INNOVATION 05 APLICAÇÕES E SERVIÇOS INTRODUÇÃO Conceitos de Segurança - BYOD Triple Play Gestão de Identidades - Estado da Arte e Tendências Instalação de Soluções Triple Play - MEO MEO:

Leia mais

Telecomunicaçõ. Redes de Computadores

Telecomunicaçõ. Redes de Computadores Licenciatura em Engenharia e Gestão Industrial Telecomunicaçõ ções e Redes de Computadores Prof. João Pires (em substituição do Prof. Paulo Lobato Correia) IST, 2007/2008 Objectivos Rever alguns marcos

Leia mais

Processadores de telecomunicações

Processadores de telecomunicações 1 Processadores de telecomunicações ƒ Modems (modulação/desmodulação) ƒ Converte sinais entre os formatos analógico e digital. ƒ Multiplexadores ƒ Permitem que um canal de comunicação transporte simultaneamente

Leia mais

Condições de oferta e de utilização de Serviços de Comunicações Eletrónicas

Condições de oferta e de utilização de Serviços de Comunicações Eletrónicas Condições de oferta e de utilização de Serviços de Comunicações Eletrónicas Conteúdo 1. Identificação... 3 2. Serviços... 4 2.1. Serviços de Voz... 4 2.1.1. SIP Trunk /Voip... 4 2.1.2. IPBX... 4 2.1.3.

Leia mais

WiMAX. Miragem ou Realidade? Jorge Rodrigues PT Comunicações Universidade da Beira Interior, 4 de Outubro de 2005. WiMAX

WiMAX. Miragem ou Realidade? Jorge Rodrigues PT Comunicações Universidade da Beira Interior, 4 de Outubro de 2005. WiMAX 1 1 Miragem ou Realidade? Jorge Rodrigues PT Comunicações Universidade da Beira Interior, 4 de Outubro de 2005 2 2 Enquadramento A tecnologia 802.16 / afecta domínios tecnológicos cruciais para os operadores:

Leia mais

Redes de Telecomunicações. Redes de acesso 2006-2007

Redes de Telecomunicações. Redes de acesso 2006-2007 Redes de Telecomunicações Redes de acesso 2006-2007 Arquitectura da rede: Estrutura geral Central Local de Comutação concentra toda a comutação numa central de comutação telefónica ligando cada assinante

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL Você conectado ao mundo com liberdade APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL > ÍNDICE Sobre a TESA 3 Telefonia IP com a TESA 5 Portfólio de produtos/serviços 6 Outsourcing 6 Telefonia 7 Web

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE EMPRESAS PARA UMA REDE DE INOVAÇÃO EM AVEIRO (INOVARIA) CONDIÇÕES EXCLUSIVAS PARA ASSOCIADOS

ASSOCIAÇÃO DE EMPRESAS PARA UMA REDE DE INOVAÇÃO EM AVEIRO (INOVARIA) CONDIÇÕES EXCLUSIVAS PARA ASSOCIADOS ASSOCIAÇÃO DE EMPRESAS PARA UMA REDE DE INOVAÇÃO EM AVEIRO (INOVARIA) CONDIÇÕES EXCLUSIVAS PARA ASSOCIADOS Fevereiro 2014 Para aderir ou obter mais informações: Consulte o seu gestor PT Empresas Envie

Leia mais

Solução Base. Descrição do Serviço. A melhor solução de Internet e Voz para Profissionais e Empresas.

Solução Base. Descrição do Serviço. A melhor solução de Internet e Voz para Profissionais e Empresas. Solução Base Descrição do Serviço A melhor solução de Internet e Voz para Profissionais e Empresas. O acesso Internet Banda Larga que evolui com as suas necessidades. Características Solução adequada para:

Leia mais

LGW4000 Labcom Media Gateway. Labcom Media Gateway Apresentação Geral 10/11/2011

LGW4000 Labcom Media Gateway. Labcom Media Gateway Apresentação Geral 10/11/2011 LGW4000 Labcom Media Gateway Labcom Media Gateway Apresentação Geral 10/11/2011 LGW4000 Labcom Media Gateway LGW4000 é um Media Gateway desenvolvido pela Labcom Sistemas que permite a integração entre

Leia mais

Atualmente dedica-se à Teleco e à prestação de serviços de consultoria em telecomunicações.

Atualmente dedica-se à Teleco e à prestação de serviços de consultoria em telecomunicações. O que esperar dos Serviços VoIP Este tutorial tem por objetivo apresentar os principais conceitos dos serviços VoIP e o que se pode obter desses serviços considerando principalmente as características

Leia mais

Telecomunicações. Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br

Telecomunicações. Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br Telecomunicações Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br Rede de Telefonia Fixa Telefonia pode ser considerada a área do conhecimento que trata da transmissão de voz através de uma rede de telecomunicações.

Leia mais

LIGAMOS PEQUENAS EMPRESAS A GRANDES NEGÓCIOS.

LIGAMOS PEQUENAS EMPRESAS A GRANDES NEGÓCIOS. Soluções de Telecomunicações para Empresas LIGAMOS PEQUENAS EMPRESAS A GRANDES NEGÓCIOS. Permanência mínima para todos os serviços de 24 meses. IVA não incluido. Válido até Outubro de 2012 ZON Office ZON

Leia mais

Um Pouco de História

Um Pouco de História Telefonia IP Um Pouco de História Uma Breve Introdução às Telecomunicações Telefonia Tradicional Conversão analógica-digital nas centrais (PCM G.711) Voz trafega em um circuito digital dedicado de 64 kbps

Leia mais

Índice Benefícios da NGN 2 Arquitetura OPT 4 Solução Completa 7 Linha Vectura - Controle 12 Linha Vectura - Acesso 14 Linha Vectura - Serviços 19

Índice Benefícios da NGN 2 Arquitetura OPT 4 Solução Completa 7 Linha Vectura - Controle 12 Linha Vectura - Acesso 14 Linha Vectura - Serviços 19 Índice Benefícios da NGN 2 Arquitetura OPT 4 Modelo Open Packet Telephony 4 Camada de Controle 4 Camada de Transporte 5 Camada de Serviços 5 Vectura na Arquitetura OPT 6 Solução Completa 7 Longa Distância

Leia mais

VOIP A REVOLUÇÃO NA TELEFONIA

VOIP A REVOLUÇÃO NA TELEFONIA VOIP A REVOLUÇÃO NA TELEFONIA Introdução Saiba como muitas empresas em todo mundo estão conseguindo economizar nas tarifas de ligações interurbanas e internacionais. A História do telefone Banda Larga

Leia mais

MERC 2010/11 RCM/TRC/SIRS. Especificação do Projecto

MERC 2010/11 RCM/TRC/SIRS. Especificação do Projecto MERC 2010/11 RCM/TRC/SIRS Especificação do Projecto Grupo nº: 9 Turno (e campus): Taguspark Nome Número Luís Silva 68672 Ivo Marcelino 70684 José Lucas 70685 Nome do Projecto Enterprise Digital Content

Leia mais

Decisão relativa ao conjunto de elementos estatísticos a remeter ao ICP-ANACOM pelos prestadores do Serviço de Acesso à Internet (em local fixo)

Decisão relativa ao conjunto de elementos estatísticos a remeter ao ICP-ANACOM pelos prestadores do Serviço de Acesso à Internet (em local fixo) http://www.anacom.pt/template31.jsp?categoryid=262742 Deliberação de 19.12.2007 Decisão relativa ao conjunto de elementos estatísticos a remeter ao ICP-ANACOM pelos prestadores do Serviço de Acesso à Internet

Leia mais

6.3 Tecnologias de Acesso

6.3 Tecnologias de Acesso Capítulo 6.3 6.3 Tecnologias de Acesso 1 Acesso a redes alargadas Acesso por modem da banda de voz (através da Rede Fixa de Telecomunicações) Acesso RDIS (Rede Digital com Integração de Serviços) Acesso

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO GRUPO INCENTEA

APRESENTAÇÃO DO GRUPO INCENTEA APRESENTAÇÃO DO GRUPO INCENTEA Quem Somos Somos um grupo de empresas de prestação de serviços profissionais nas áreas das Tecnologias de Informação, Comunicação e Gestão. Estamos presente em Portugal,

Leia mais

Office. Telefone com central telefónica. Telefone Internet Televisão

Office. Telefone com central telefónica. Telefone Internet Televisão Office Telefone com central telefónica Telefone Internet Televisão A solução de voz mais completa para o escritório com utilização em grupo, que acompanha o crescimento do seu negócio Telefone Telefone

Leia mais

Tecnologias Atuais de Redes

Tecnologias Atuais de Redes Tecnologias Atuais de Redes Aula 5 VoIP Tecnologias Atuais de Redes - VoIP 1 Conteúdo Conceitos e Terminologias Estrutura Softswitch Funcionamento Cenários Simplificados de Comunicação em VoIP Telefonia

Leia mais

PT PRIME - APRESENTAÇÃO

PT PRIME - APRESENTAÇÃO PT PRIME - APRESENTAÇÃO A PT Prime Soluções Empresariais de Telecomunicações e Sistemas, é uma empresa do Grupo PT que presta serviços e soluções de comunicação e informação para o mercado empresarial.

Leia mais

Importância e rentabilidade

Importância e rentabilidade Jornadas da Ciência e tecnologia Projecto VoIP no IPG Importância e rentabilidade Jornadas da Ciência e Tecnologia 26/11/2010 Pedro Pinto ppinto (at) ipg.pt Centro de Informática do IPG DATACENTER @2010

Leia mais

Fundação. Sede. Chief Marketing Officer. Chief Technology Officer. Internacionalização. Santa Maria da Feira, Portugal. Sérgio Castro.

Fundação. Sede. Chief Marketing Officer. Chief Technology Officer. Internacionalização. Santa Maria da Feira, Portugal. Sérgio Castro. Apresentação da Empresa Fundação 2003 Sede Santa Maria da Feira, Portugal Chief Marketing Officer Sérgio Castro Chief Technology Officer Ruben Sousa Internacionalização Mercado actuação: Global Presença

Leia mais

Questão 1 - Como prevê o desenvolvimento do VoIP de uso móvel, nomeadamente face à evolução tecnológica e das normas aplicáveis?

Questão 1 - Como prevê o desenvolvimento do VoIP de uso móvel, nomeadamente face à evolução tecnológica e das normas aplicáveis? Questão 1 - Como prevê o desenvolvimento do VoIP de uso móvel, nomeadamente face à evolução tecnológica e das normas aplicáveis? A Media Capital Telecomunicações (MCT) acredita que a evolução tecnológica

Leia mais

01 _ Evolução dos negócios

01 _ Evolução dos negócios 01 _ Evolução dos negócios 14 Mercado doméstico 14 Rede fixa 20 Móvel Portugal TMN 24 Multimédia PT Multimédia 28 Mercado internacional 28 Móvel Brasil Vivo 32 Outros negócios internacionais 01 _ Evolução

Leia mais

Área. Científica COMPUTADORES MEEC 2006-2007. mario.nunes@inesc.pt http://comp.ist.utl.pt. Instituto de Superior Técnico

Área. Científica COMPUTADORES MEEC 2006-2007. mario.nunes@inesc.pt http://comp.ist.utl.pt. Instituto de Superior Técnico Área Científica COMPUTADORES MEEC 2006-2007 mario.nunes@inesc.pt http://comp.ist.utl.pt Instituto de Superior Técnico COORDENAÇÃO Coordenador da Área Científica de Computadores Prof. José Alberto Tomé

Leia mais

INFORMÁTICA IINTERNET / INTRANET

INFORMÁTICA IINTERNET / INTRANET INFORMÁTICA IINTERNET / INTRANET Objectivos História da Internet Definição de Internet Definição dos protocolos de comunicação Entender o que é o ISP (Internet Service Providers) Enumerar os equipamentos

Leia mais

UNIÃO DE ASSOCIAÇÕES DO COMÉRCIO E SERVIÇOS (UACS) CONDIÇÕES EXCLUSIVAS PARA ASSOCIADOS Março 2014

UNIÃO DE ASSOCIAÇÕES DO COMÉRCIO E SERVIÇOS (UACS) CONDIÇÕES EXCLUSIVAS PARA ASSOCIADOS Março 2014 UNIÃO DE ASSOCIAÇÕES DO COMÉRCIO E SERVIÇOS (UACS) CONDIÇÕES EXCLUSIVAS PARA ASSOCIADOS Março 2014 Para aderir ou obter mais informações: Consulte o seu gestor PT Empresas Envie email para protocoloseparceriasptempresas@telecom.pt

Leia mais

G9 SA TELECOMUNIICAÇÕES, S.A. RESPOSTA À CONSULTA PÚBLICA - ABORDAGEM REGULATÓRIA AOS SERVIÇOS DE VOZ SUPORTADOS NA TECNOLOGIA IP (VOIP)

G9 SA TELECOMUNIICAÇÕES, S.A. RESPOSTA À CONSULTA PÚBLICA - ABORDAGEM REGULATÓRIA AOS SERVIÇOS DE VOZ SUPORTADOS NA TECNOLOGIA IP (VOIP) G9 SA TELECOMUNIICAÇÕES, S.A. RESPOSTA À CONSULTA PÚBLICA - ABORDAGEM REGULATÓRIA AOS SERVIÇOS DE VOZ SUPORTADOS NA TECNOLOGIA IP (VOIP) Página 1 de 28 1. INTRODUÇÃO E POSIÇÃO GENÉRICA DA G9 A G9 congratula-se

Leia mais

Portugal Telecom Resultados do 1º Semestre de 2001

Portugal Telecom Resultados do 1º Semestre de 2001 Portugal Telecom Resultados do 1º Semestre de 2001 13 de Setembro de 2001 Princípios Contabilísticos Internacionais Síntese do 1º Semestre de 2001 Principais Acontecimentos do 1º Semestre Forte liderança

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM REDES E SEGURANÇA DE SISTEMAS TELEFONIA IP E VOIP RESUMO

INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM REDES E SEGURANÇA DE SISTEMAS TELEFONIA IP E VOIP RESUMO INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM REDES E SEGURANÇA DE SISTEMAS TELEFONIA IP E VOIP RESUMO Artigo Científico Curso de Pós-Graduação em Redes e Segurança de Sistemas Instituto

Leia mais

3. Clientes de serviços prestados em pacote

3. Clientes de serviços prestados em pacote QUESTIONÁRIO TRIMESTRAL DOS SERVIÇOS DE COMUNICAÇÕES ELECTRÓNICAS EM LOCAL FIXO E VOIP NÓMADA Serviço Telefónico Fixo (STF) Serviço VoIP nómada Serviço de Acesso à Internet (SAI) Serviço de Televisão por

Leia mais

Introdução ao Subsistema Multimídia IP (IMS) Conceitos básicos de IMS e terminologia

Introdução ao Subsistema Multimídia IP (IMS) Conceitos básicos de IMS e terminologia Introdução ao Subsistema Multimídia IP (IMS) Conceitos básicos de IMS e terminologia Introdução Formalmente, o IP Multimedia Subsystem (IMS) é definido como:... um novo 'domínio' principal da rede (ou

Leia mais

Serviços para o cliente residencial: que desafios?

Serviços para o cliente residencial: que desafios? Serviços para o cliente residencial: que desafios? Vitor Manuel Ribeiro PT Inovação, S. A. Conferência Habitação Digital ao Serviço o das Pessoas 21 de Outubro de 2005 Escola Superior de Tecnologia de

Leia mais

REDE IP WAVENET INFRA-ESTRUTURA MULTISERVIÇOS IP WIRELESS

REDE IP WAVENET INFRA-ESTRUTURA MULTISERVIÇOS IP WIRELESS REDE IP WAVENET INFRA-ESTRUTURA MULTISERVIÇOS IP WIRELESS TÓPICOS - INTRODUÇÃO - HISTÓRICO - INTERNET PONTO A PONTO - INTERNET PONTO MULTIPONTO - TECNOLOGIA WI-MESH - REDE MULTISERVIÇOS IP - CASOS PRÁTICOS

Leia mais

É uma rede mundial de computadores ligados entre si. INTERNET

É uma rede mundial de computadores ligados entre si. INTERNET INTERNET O QUE É A INTERNET? O QUE É NECESSÁRIO PARA ACEDER À INTERNET? QUAL A DIFERENÇA ENTRE WEB E INTERNET? HISTÓRIA DA INTERNET SERVIÇOS BÁSICOS DA INTERNET 2 1 INTERCONNECTED NETWORK INTERNET A Internet

Leia mais

MEO SHIFT MEO EMPRESARIAL - CAMPANHA PLAFOND M5O. SUBCORPM5OBASE ( 307,50) Código Campanha: PROF PLAFOND MxO 250 EUR 24M

MEO SHIFT MEO EMPRESARIAL - CAMPANHA PLAFOND M5O. SUBCORPM5OBASE ( 307,50) Código Campanha: PROF PLAFOND MxO 250 EUR 24M MEO SHIFT O Shift é um produto exclusivo empresarial que consiste num add-on do serviço MEO com telemóvel Este add-on permite evoluir o pacote MEO com telemóvel até um máximo de 10 cartões de telemóvel

Leia mais

Números chave das comunicações electrónicas em França Números de 2010

Números chave das comunicações electrónicas em França Números de 2010 RÉPUBLIQUE FRANÇAISE Junho de 211 Números chave das comunicações electrónicas em França Números de 21 Características dos operadores Salvo precisión en contrario, los datos presentados en este documento

Leia mais

Estratégia de VoIP das Operadoras de TV a Cabo

Estratégia de VoIP das Operadoras de TV a Cabo Estratégia de VoIP das Operadoras de TV a Cabo Este tutorial apresenta as vantagens e desafios na implantação de serviços de VoIP por parte das operadoras de TV a cabo, implantando uma estratégia de triple

Leia mais

Claranet Service Description

Claranet Service Description NETWORKS info@claranet.pt 707 50 51 52 Clara DSL Nova geração de serviços DSL Claranet Service Description DSL Direct xdsl PRO ADSL Business Tel: +351 21 319 92 00 Fax: +351 21 319 92 01 Ed. Parque Expo,

Leia mais

Comunicação VoIP PBX por Software

Comunicação VoIP PBX por Software Comunicação VoIP PBX por Software Introdução Com a difusão crescente de uso de computadores nas empresas e o uso de Internet que facilita a interconexão entre estes equipamentos surgiu a possibilidade

Leia mais

Mercados & Reguladores duas faces da mesma moeda Manuel Rosa da Silva Administrador Executivo

Mercados & Reguladores duas faces da mesma moeda Manuel Rosa da Silva Administrador Executivo Financiamento das Telecoms Mercados & Reguladores duas faces da mesma moeda Manuel Rosa da Silva Administrador Executivo III Forum Telecom & Media Diário Económico Lisboa, 22 de Setembro 2004 Agenda Wall

Leia mais

Escola Superior de Gestão de Santarém. Instalação e Manutenção de Redes e Sistemas Informáticos. Peça Instrutória G

Escola Superior de Gestão de Santarém. Instalação e Manutenção de Redes e Sistemas Informáticos. Peça Instrutória G Escola Superior de Gestão de Santarém Pedido de Registo do CET Instalação e Manutenção de Redes e Sistemas Informáticos Peça Instrutória G Conteúdo programático sumário de cada unidade de formação TÉCNICAS

Leia mais

Casa do Futuro Convergência Digital. Porto Alegre, 11 de Setembro de 2007

Casa do Futuro Convergência Digital. Porto Alegre, 11 de Setembro de 2007 Casa do Futuro Convergência Digital Porto Alegre, 11 de Setembro de 2007 O Ponto de Partida A Casa nos Anos 80 TV Aberta Analógica: Do ponto de vista das emissoras, o usuário final não era gerador direto

Leia mais

SAMA2020 OPERAÇÕES TEMÁTICAS RACIONALIZAÇÃO DAS TIC

SAMA2020 OPERAÇÕES TEMÁTICAS RACIONALIZAÇÃO DAS TIC AGÊNCIA PARA A MODERNIZAÇÃO ADMINISTRATIVA SAMA2020 OPERAÇÕES TEMÁTICAS RACIONALIZAÇÃO DAS TIC 1 DE JULHO DE 2015 OPERAÇÕES TEMÁTICAS OPERAÇÃO TEMÁTICA M/C DOTAÇÃO ORÇAMENTAL CAPACITAÇÃO PARA AVALIAÇÕES

Leia mais

Desenvolvimento regional e definição de um novo perfil regional/local. TIC no Alentejo Central

Desenvolvimento regional e definição de um novo perfil regional/local. TIC no Alentejo Central Desenvolvimento regional e definição de um novo perfil regional/local TIC no Alentejo Central Alentejo Central A Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central é composta pelos Municípios de Alandroal,

Leia mais

TEMA 1 CENÁRIOS DE MUDANÇA

TEMA 1 CENÁRIOS DE MUDANÇA Mestrado em Engenharia de Redes de Comunicações TEMA 1 CENÁRIOS DE MUDANÇA Parte I Redes tradicionais: - Redes Fixas de Voz e Dados - Redes Móveis: SMT, SMRP As Redes de Acesso à Internet: - ISP - WISP

Leia mais

4 Mercado setor de telecomunicações

4 Mercado setor de telecomunicações 4 Mercado setor de telecomunicações Nesta sessão é apresentada uma pequena visão geral do mercado de telecomunicações no Brasil, com dados históricos dos acontecimentos mais relevantes a este trabalho,

Leia mais

F n u d n a d ment n os o Vo V I o P Introdução

F n u d n a d ment n os o Vo V I o P Introdução Tecnologia em Redes de Computadores Fundamentos de VoIP Professor: André Sobral e-mail: alsobral@gmail.com Introdução VoIP (Voice over Internet Protocol) A tecnologia VoIP vem sendo largamente utilizada

Leia mais

Redes e Telecomunicações. 2º Pacote. Formação em

Redes e Telecomunicações. 2º Pacote. Formação em 2º Pacote Formação em Redes de Computadores Formação em Redes de Computadores Exposição dos conteúdos por um docente do ISEL do grupo de redes de comunicações Formação adequada a vários níveis de experiência

Leia mais

Introdução à Internet

Introdução à Internet Tecnologias de Informação e Comunicação Introdução Internet? Introdução 11-03-2007 TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO 2 Internet Introdução É uma rede global de computadores interligados que comunicam

Leia mais

II Semana de Engenharia de Telecomunicações - SETEL - 2013

II Semana de Engenharia de Telecomunicações - SETEL - 2013 II Semana de Engenharia de Telecomunicações - SETEL - 2013 Lívio Peixoto do Nascimento Gerente Anatel/RN UFRN Natal - RN Outubro/2013 Agenda Convergência Tecnológica Evolução dos Marcos Regulatórios Avaliação

Leia mais

CONVERGÊNCIA, VOIP E TRIBUTAÇÃO. Por Leonardo Mussi da Silva

CONVERGÊNCIA, VOIP E TRIBUTAÇÃO. Por Leonardo Mussi da Silva CONVERGÊNCIA, VOIP E TRIBUTAÇÃO Por Leonardo Mussi da Silva Evolução do sistema telefônico como tudo começou 1875 Alexander Graham Bell e Thomas Watson, em projeto dedicado a telegrafia, se depararam com

Leia mais

Manual de instruções do SEEME

Manual de instruções do SEEME Manual de instruções do SEEME O SEEME é uma maquina que permite usar equipamento IP, hardphones e softphones na rede telefónica. Com o SEEME é possível marcar em videochamada usando números telefónicos

Leia mais

NOTA DE ESCLARECIMENTO

NOTA DE ESCLARECIMENTO NOTA DE ESCLARECIMENTO SOBRE A UTILIZAÇÃO DE NUMERAÇÃO GEOGRÁFICA EM REDES PRIVATIVAS MULTI-SITE I ENQUADRAMENTO O ICP-ANACOM ao acompanhar a evolução tecnológica e tendo sido confrontado com um pedido

Leia mais

SOBRE A CALLIX. Por Que Vantagens

SOBRE A CALLIX. Por Que Vantagens Callix PABX Virtual SOBRE A CALLIX Por Que Vantagens SOBRE A CALLIX Por Que Vantagens Por Que Callix Foco no seu negócio, enquanto cuidamos da tecnologia do seu Call Center Pioneirismo no mercado de Cloud

Leia mais

Tarifário VPNCC-M- PROT_ON NET

Tarifário VPNCC-M- PROT_ON NET A sua empresa a comunicar sem limites. Chamadas de voz e SMS ilimitadas para todas as redes, desconto na aquisição de smartphones e acesso à internet no telemóvel. (Ver política de utilização responsável)

Leia mais

» Conveniência fixo-móvel

» Conveniência fixo-móvel 26 de Fevereiro 2008 Centro Cultural de Belém Lisboa Luis Esteves Martins Siemens Enterprise Communications Portugal» Conveniência fixo-móvel Page 1 Copyright Siemens Enterprise Communications 2007. All

Leia mais

3. Oferta de produtos e serviços ZON

3. Oferta de produtos e serviços ZON AGENDA 1. A Empresa e a sua história 2. Contexto do mercado de Telecomunicações e Entretenimento em Portugal 3. Oferta de produtos e serviços ZON 4. Novos projectos e iniciativas estratégicas 12 REDE AVANÇADA

Leia mais

Rede Telefónica Pública Comutada - Principais elementos -

Rede Telefónica Pública Comutada - Principais elementos - - Principais elementos - Equipamento terminal: o telefone na rede convencional Equipamento de transmissão: meio de transmissão, e.g. cabos de pares simétricos, cabo coaxial, fibra óptica, feixes hertzianos,

Leia mais

REDES COM INTEGRAÇÃO DE SERVIÇOS

REDES COM INTEGRAÇÃO DE SERVIÇOS REDES COM INTEGRAÇÃO DE SERVIÇOS (1ª Parte) Rede Digital com Integração de Serviços () 1 1. INTRODUÇÃO 2 EVOLUÇÃO DAS REDES PÚBLICAS DE TELECOMUNICAÇÕES 1: Rede Telefónica Analógica 2: Rede Telefónica

Leia mais

Introdução. Capítulo 1. Redes de telecomunicações porquê e para quê

Introdução. Capítulo 1. Redes de telecomunicações porquê e para quê Capítulo 1 Introdução Redes de telecomunicações porquê e para quê A rede de telecomunicações ideal deveria ser instantânea, sem custos, com capacidade ilimitada e estar sempre operacional, o que tornaria

Leia mais

DBL/BLM 01.08.2012. Banda Larga Móvel

DBL/BLM 01.08.2012. Banda Larga Móvel DBL/BLM 01.08.2012 Índice Banda Larga O que é? Abordagem Comercial O que é o 4G Evolução Tecnológica Uma Oferta duas marcas Tarifários Campanha de Adesão Equipamentos Serviços Adicionais Argumentário de

Leia mais

Especificação do Sistema Operativo CAMES - CAixa Mágica Enterprise Server

Especificação do Sistema Operativo CAMES - CAixa Mágica Enterprise Server Especificação do Sistema Operativo CAMES - CAixa Mágica Enterprise Server Versão: 1.06 Data: 2010-11-15 SO CAMES 1 ÍNDICE A Apresentação do CAMES - CAixa Mágica Enterprise Server - Sistema Operativo de

Leia mais