L e a s i n g o u C D C?!!!

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "L e a s i n g o u C D C?!!!"

Transcrição

1 página de 8 páginas L e a s i n g o u C D C?!!! Por Dr. Davi Chedlovski Pinheiro OAB/PR Advogado Militante no Brasil e Sócio Presidente do Pinheiro Advogados ntes de mais nada é importante salientar as diferenças entre o Leasing e o Financiamento. Muitos clientes são enganados pelo vendedor, e acabam pagando suas prestações sem saber que possuem um arrendamento no lugar de um empréstimo. O arrendamento é a definição da palavra estrangeira "Leasing". A grosso modo, se trata de um aluguel com opção de compra no final. Portanto, a maior diferença está no fato de quando se termina de pagar as prestações o veículo continua sendo do banco, a não ser que seja pago o valor residual (assim exercendo a opção de compra) que muitas vezes pode significar um valor bem alto para que já pagou 60 prestações achando que se tratava de um financiamento, por exemplo. ara evitar esses transtornos, certifique-se de que no cabeçalho do contrato assinado esteja escrito o que você realmente está procurando, um arrendamento ou um financiamento. Após a liberação dos documentos, verifique o campo Proprietário do CRLV - Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo, se constar o nome do banco e o seu estiver no campo Observações como arrendatário (abreviado), se trata de um Leasing. Em um financiamento, o nome do comprador figura no campo Proprietário e do banco nas Observações como reserva ou alienação fiduciária (abreviado). Perceba a diferença nos documentos de veículos financiados pelo Leasing (à esquerda) e dos veículos financiados pelo CDC (à direita):

2 página 2 de 8 páginas A definição jurídica dada ao leasing é aluguel com opção de compra no final, e seu nome em nossa língua é Arrendamento Mercantil. O termo opção de compra se refere, em teoria, sobre seu direito de devolver o veículo ao Banco após o pagamento da última parcela e receber de volta seu valor em dinheiro da época do financiamento. Na prática, você tem de ajuizar um processo judicial para fazer valer esse direito, pois o Banco até aceita o veículo de volta, mas não restitui o valor. Tabela Analítica Diferenças CDC Leasing Valor da Parcela maior menor Desconto da Parcela no Imposto de Renda Antecipação Pagamento Parcelas Venda do Veículo Antes da Quitação Venda do Veículo Após Quitação Em Caso de Roubo ou Perda Total Em caso de Falecimento Em Caso de Problemas financeiros Antes da Retomada do Veículo Em Caso de Retomada do Veículo Pelo Banco Possibilidade de Devolução do Veículo Propriedade do Veículo Viagens Internacionais com o Veículo (Argentina, Paraguai, etc) Responsabilidade pelo Pagamento Pontos (CDC) Pontos (leasing) proibido permitido tem desconto Desconto somente com Processo Judicial Se já decorreu mais da metade do financiamento, normalmente a loja quita o saldo junto ao banco com um bom desconto e lhe paga troco referente ao preço de mercado com o valor de quitação. Contudo, fazendo isso você sempre vai perder dinheiro Como no Leasing não há desconto nas parcelas pagas antecipadas e o desconto para quitação total é ridículo, mesmo que você já tenha pago mais da metade das parcelas a venda do veículo antes da quitação é impossível pois nenhuma loja irá quitar um saldo maior que o preço de mercado do veículo, para adquiri-lo procedimento simples procedimento mais burocrático e demorado deve continuar pagando herdeiros devem continuar pagando sob pena de retomada do veículo e de parte da herança caso o cliente não procure seus direitos o mais rápido possível e venha a atrasar 3 parcelas perde o veículo, perde o que já pagou e continua devendo o cliente tem 5 dias para pagar os valores atrasados com a multa e recuperar o veículo, mesmo assim deve procurar um advogado especialista no assunto para fazer a defesa em 5 dias somente em caso de defeito pré-existente é possível ajuizar ação de resolução de contrato e receber o VRG de volta herdeiros podem ajuizar inventário e ação de resolução contratual para devolver o veículo ao banco e receber o VRG de volta é possível ajuizar ação de resilição de contrato para devolução do veículo e recebimento do VRG de volta o veículo somente será recuperado se houver a quitação integral junto ao Banco, inclusive as parcelas futuras, o que costuma a resultar num valor maior que o preço de mercado atual do veículo. Não havendo a quitação o cliente tem 5 dias para procurar algum escritório de advocacia especializado no assunto para fazer a defesa e requerer a devolução dos VRGs pagos. Caso contrário o cliente perde o veículo definitivamente, perde o que já pagou e continua devendo. de acordo com a Lei, à qualquer momento o cliente pode devolver o veículo e ser reembolsado do VRG, pois o leasing é um aluguel. Embora os bancos não respeitem esse direito, o cliente pode ajuizar um processo individual para fazê-lo cumprir a lei. do cliente do Banco permitido cliente Proibido, pois o documento do veículo não fica em nome do cliente e sim do banco, o que impede a passagem nas fronteiras segundo a lei é o Banco, mas repassa essa responsabilidade ao cliente pelo contrato ilegal

3 página 3 de 8 páginas do IPVA Seguro Facultativo Negociação para Venda Junto à Lojas opcional obrigatório fácil difícil Total 0 5 (Tabela 0 fonte: Pois bem, vamos descrever as vantagens e desvantagens do leasing ou arrendamento mercantil demonstradas na tabela 0. A primeira vantagem prática é uma parcela menor se comparada com o financiamento do mesmo veículo pelo CDC, e a segunda está na possibilidade do consumidor final poder descontar o valor das parcelas do veículo na base de cálculo do Imposto de Renda pessoa física ou jurídica, já que o leasing é um aluguel e pode ser enquadrado como despesa descontável, consulte seu contador ou advogado. A vantagem teórica, assim denominada, pois embora exista, você tem que ajuizar um processo contra o Banco para exercê-la. Estamos falando da possibilidade de devolver o veículo e ser reembolsado com seu valor da época do financiamento, por exemplo, se o veículo valia R$ ,00 na época do financiamento, você pagou R$ 5.000,00 de entrada e mais R$ 5.000,00 em prestações, se devolver o veículo ao Banco terá direito de receber R$ 0.000,00, pois a entrada integra vrg inicial e as parcelas vrg diluído. Agora as desvantagens do leasing são incontáveis, sendo necessário no mínimo quinhentas folhas para descrevê-las. Neste artigo iremos descrever apenas suas principais desvantagens que são sentidas no bolso do consumidor final A primeira delas é a impossibilidade do cliente sair do país com o veículo, pois como não é proprietário do mesmo no documento CRV, não consegue passar nas fronteiras. Existem clientes que financiaram vans, ônibus e caminhões pelo leasing somente para fazer excursões, turismo ou fretamento à Argentina, Paraguai, Uruguai, etc. que tiveram de parar suas atividades. Portanto, deve-se ficar muito atento aos detalhes à seguir, pois dependendo o tipo de uso dado ao veículo, o leasing embora mais barato é um péssimo negócio. Outra desvantagem é para quem não pretende contratar seguro, pois existem cláusulas no contrato de leasing que tornam obrigatória a contratação, verifique seu contrato. Se tratando de veículos financiados, existem três tipos de seguros: O seguro prestamista, que faz aumentar de R$ 200,00 à R$ 400,00 o capital financiado e garante a quitação de até quatro parcelas no caso de demissão involuntária; o seguro obrigatório, também chamado DPVAT, que é o valor anual pago junto com as taxas do DETRAN e garante indenização em caso de invalidez ou morte no valor de R$ 2.700,00 à R$ 3.500,00; e o seguro facultativo que é contratado junto à qualquer seguradora à escolha do consumidor, como a Sulamérica, Porto Seguro e Liberty Paulista, por exemplo. Esse último é pago anualmente ou mensalmente e garante basicamente a indenização no valor do veículo em caso de acidente, roubo ou furto. Ocorre que para quem financia o veículo pelo leasing, o seguro facultativo também é obrigatório e em caso de sinistro quem recebe a indenização é o Banco que financiou o veículo. A obrigatoriedade-do-segurofacultativo é uma desvantagem desconhecida por muitos, pois não lêem os contratos assinados durante toda aquela emoção emanada pelo vendedor da loja ou concessionária. Considerando o custo adicional Ocorre que para quem financia o veículo pelo leasing, o seguro facultativo também é obrigatório e em caso de sinistro quem recebe a indenização é o Banco que financiou o veículo.

4 página 4 de 8 páginas desse tipo de seguro, em sua maioria pago mensalmente, o montante desembolsado incluindo a parcela mensal do leasing sempre fica mais caro se comparado com uma parcela de CDC. Contudo, para quem já estava pagando um seguro facultativo isso não chega a incomodar. Até o momento de descobrir que num eventual sinistro não receberá qualquer centavo da indenização. Nesse caso a Seguradora paga diretamente ao Banco que financiou o veículo e o consumidor fica a ver navios. Ou seja, quem financiou seu veículo pelo leasing está obrigado à pagar um seguro para o Banco, outro detalhe não observado nas letras miúdas do contrato assinado. Muita gente deve estar se perguntado agora: O meu financiamento é leasing e eu não pago nenhum seguro... Mas uma vez devemos voltar às letras miúdas do contrato de leasing, onde está escrito que no caso da não contratação do seguro-facultativo-obrigatório, o consumidor fica sujeito a responder por todos os danos causados ao veículo e a terceiros, mesmo que não tenha culpa. Nos casos de enchente, desabamento, raio ou incêndio o consumidor além de: () perder o veículo, (2) perder o que já pagou, (3) ser obrigado a indenizar terceiros, (4) também continua devendo as parcelas futuras do leasing. Se tivesse contratado o seguro-facultativo-obrigatório teria desembolsado somente a mensalidade adicional do seguro. Essas desvantagens no contrato de leasing são perfeitamente discutíveis na justiça, pois embora o consumidor tenha assinado o contrato, a lei veda que uma parte do contrato assuma obrigações extremamente desproporcionais perante a outra. A obrigação do consumidor assumir responsabilidade independente de culpa, para o direito chamado caso fortuito ou força maior, exige prévio e expresso consentimento, inclusive que haja uma rubrica ao lado desse tipo de cláusula e não apenas a assinatura no final de cada folha do contrato. Outra questão muito conhecida pelo judiciário é a reclamação do pagamento da indenização feita diretamente ao Banco que financiou o veículo, pois o beneficiário do seguro é quem o paga, ou seja, o consumidor final. Uma desvantagem sentida diariamente por que tem o financiamento pelo leasing é a impossibilidade de antecipar parcelas do carnê com desconto. Em alguns casos orientamos os clientes de CDC em nosso escritório Pinheiro Advogados a fazer o chamado pagamento de fora para dentro no carnê, que consiste em pagar a parcela do mês juntamente com a última parcela. Por exemplo, para quem financiou pelo CDC em 60 meses de R$ 584,55 sendo a primeira vencida em 07/07/2009 e a última com vencimento para 07/06/204 (início da copa do mundo) pode pagar a parcela do mês atual juntamente com a parcela de vencimento em 07/06/204, a próxima parcela juntamente com a parcela de 07/05/204 e assim sucessivamente. Como o sistema do banco calcula mais de um ano de pagamento antecipado em cada parcela extra paga, o valor cobrado será menor de R$ 292,27, ou seja menos da metade. Para cada pagamento mensal de R$ 876,82 o cliente diminui um mês de prazo e uma parcela final, acabando o financiamento na metade do tempo previsto e tendo economizado a metade do valor dos juros se fizer isso desde o começo. Agora no leasing isso não é possível. Se o cliente, quiser fazer o pagamento de fora para dentro reduzirá apenas o prazo, mas não terá qualquer economia, tendo de pagar R$.69,0 ao mês, pois o Banco não concede qualquer desconto pelos pagamento antecipados. Até para quem resolve quitar o veículo financiado pelo leasing fica no prejuízo, pois o Banco concede um desconto insignificante se comparado com a quitação se fosse pelo CDC. Agora imagine que você tenha feito um financiamento pelo leasing em 72 prestações e após cinco anos e onze meses pagando, você venha a falecer.

5 página 5 de 8 páginas O que a acontecerá com o veículo? A resposta mais simples seria seus herdeiros pagarem a última parcela vender o veículo de dividir o resultado da venda em partes para cada herdeiro. No Leasing, como os descontos para quitação são muito pequenos, dificulta na hora de negociar. Quem irá pagar R$ ,00 num veículo que vale R$ 5.000,00? Mas no leasing nem isso é simples, pois além do veículo não está em seu nome você está morto e não pode mais assinar qualquer contrato. O que deixa seus familiares vulneráveis às vontades do Banco. Em alguns contratos de leasing, não em todos, já percebemos a existência de uma cláusula que declara extinto o contrato em caso de falecimento do consumidor, é a chamada cláusula de perdimento, e se o Banco resolver seguir tal cláusula ao pé da letra, seus filhos e cônjuge terão de devolver o veículo. Perceba que tal cláusula fica bem escondida no contrato, normalmente são as últimas e possuem termos iniciados como casos de extinção ou recisão, ou morte do financiado, por exemplo. Para se ter uma idéia, após a quitação da última parcela, se o consumidor quiser finalmente transferir o veículo para seu nome deverá assinar o Documento Único de Transferência DUT, também chamado de recibo do veículo, como comprador junto ao DETRAN/PR, ou se o consumidor quiser vender o veículo deverá assinar um documento chamado de Declaração de Anuência para que o DETRAN/PR transfira o veículo diretamente do nome do Banco para o nome do terceiro que está comprando o veículo. Logo, em todos os casos, no final do leasing sempre será necessária sua assinatura. Seus familiares até podem continuar pagando as parcelas do carnê em nome do falecido, mas quem assinará os documentos necessários juntamente com o Banco? É nesse momento que o Banco toma conhecimento do falecimento do consumidor e pode exigir o veículo de volta. A única solução possível no caso de morte, é o ajuizamento de um processo de inventário o mais rápido possível para que alguém possa assinar os documentos em nome do falecido. Portanto, a chamada cláusula de perdimento presente em alguns contratos de leasing é uma desvantagem enorme para que tem filhos ou é casado. Agora imagine se a morte do consumidor ocorre dentro do veículo devido a um desabamento de encosta na BR 277, por exemplo, e dessa fatalidade ainda ocorra a perda total... ou se o consumidor atropela uma vaca solta na estrada que liga a capital ao interior, vindo a falecer no capotamento que ainda culmina na perda total do veículo... ou ainda se o consumidor é fulminado por um ataque cardíaco ao dirigir o veículo financiado pelo leasing e cai da ponte... Nesses casos existem duas cláusulas contratuais aplicáveis que são naturalmente impossíveis de serem aplicadas ao mesmo tempo, uma é a do seguro-facultativo-obrigatório e outra a cláusula do perdimento. Segundo a cláusula do perdimento, o contrato de ser extinto devolvendo-se o veículo acidentado ao Banco e segundo cláusula do seguro-facultativo-obrigatório seus filhos e cônjuge deverão assumir todos os prejuízos se não havia a contratação prévia do seguro facultativo, independente de culpa e até o limite dos bens do falecido. E então, qual cláusula aplicar primeiro: se aplicarmos primeiro a cláusula do seguro-facultativoobrigatório seus herdeiros perderão o que o falecido já pagou, terão obrigação de continuar pagando as parcelas do leasing, deverão devolver a carcaça do veículo acidentado ao banco, não terão direito à receber qualquer valor no final e ainda estão obrigados a pagar até a vaca atropelada no exemplo. É lógico que não se herda dívida, mas todas essas obrigações assumidas em vida podem comprometer o total da herança que você venha a deixar, incluído outros bens.

6 página 6 de 8 páginas Agora, se a cláusula do perdimento do perdimento for aplicada primeiro, o contrato estará extinto antes da aplicação da cláusula do seguro-facultativoobrigatório, e seus familiares somente deverão devolver o veículo acidentado ao Banco. Contudo, seguindo o critério mais prejudicial ao consumidor os Bancos sempre aplicam a pior cláusula primeiro. E as desvantagens continuam, como já mencionado, no leasing, como o consumidor não é proprietário do veículo, e detém somente a posse do mesmo, no caso de eventual atraso das prestações por período superior há três meses, o Banco ajuíza a chamada Reintegração de Posse ao invés da Busca e Apreensão que é utilizada somente nos casos dos financiamentos pelo CDC. A diferença fundamental, é que Em se tratando do leasing aqui no Brasil, e em vários outros países onde os bancos se instalaram para extrair dinheiro do povo medroso que não busca seus direitos, o arrendatário é obrigado a pagar junto com o aluguel, o valor do veículo atual para adquirilo somente no futuro. Para isso se inventou o termo VRG ou valor residual garantido, muito bonito e sonoro para os arrendatários leigos, que ficam obrigados a arcar com a desvalorização do veículo, mesmo sem serem os verdadeiros donos. após a apreensão do veículo, no CDC o consumidor tem até cinco dias para pagar as parcelas atrasadas com a respectiva multa e recuperar o veículo do pátio, agora nos financiamentos pelo leasing feita a apreensão o consumidor só recupera o veículo do pátio se quitar todas as parcelas em atraso e futuras, o que na prática se torna irreversível, pois o valor exigido para quitação é sempre maior que o valor atual do veículo, devido às multas e as despesas de cobrança. Nesse caso, o veículo vai a leilão e o valor da arrematação nunca é suficiente para quitar o saldo e o consumidor continua devendo, ou seja se mais de três parcelas do leasing ficam em atraso, o consumidor perde o que já pagou, perde o veiculo e continua devendo, sem ter qualquer chance de negociar. A única saída é procurar a Justiça. Nesse momento você já começa a perceber o motivo das parcelas do leasing sem aparentemente (sem considerar o seguro) menor que as do CDC. É uma verdadeira armadilha, pois o consumidor também não consegue se ver livre tão fácil do Banco que financia o veículo pelo leasing, pois como já dito, no valor de quitação, mesmo com as parcelas em dia, é concedido um desconto insignificante, ao contrário do CDC. Quem possui veículo financiado pelo CDC, e já pagou pelo menos metade do carnê, não agüenta mais andar de carro velho e passa mal só de ver aquele carnê, pode facilmente vender o veículo em algumas lojas do ramo, que irá quitar o veículo junto ao Banco e ainda pagar uma mixaria ao consumidor, melhor do que nada, pois no leasing isso é quase impossível. Como os descontos para quitação são muito pequenos, dificulta na hora de negociar. Quem irá pagar R$ ,00 num veículo que vale R$ 5.000,00? Até agora, o leitor ouviu dizer, em vários momentos, que no leasing o veículo não é de sua propriedade e que detém apenas a posse do mesmo, pois se trata apenas de um contrato de locação com opção de compra futura. Então não seria o consumidor abrigado à pagar o IPVA Imposto de Propriedade Veicular e sim o Banco que é o verdadeiro proprietário, certo? Sim o raciocínio está certo, mas se formos ler a letra miúda do contrato novamente veremos a presença de uma cláusula que obriga o consumidor a pagar o IPVA, o DPVAT, o CVRV, o ISS e até o ICMS, como se o consumidor tivesse comprado o veículo em seu próprio nome. Para quem financiou pelo Leasing, havia uma questão no mínimo curiosa que podia ser constatada nos documentos e propriedade veicular CRV emitidos até o ano de 2008, onde aparecia no campo proprietário o nome do banco juntamente com o endereço do cliente, fazendo parecer que a sede do banco situava-se no endereço do cliente.

7 página 7 de 8 páginas Essa gambiarra explícita nos documentos oficiais emitidos pelos DETRANs tinha finalidade óbvia, que era induzir os governos de cada estado à emitir a carta de cobrança do IPVA para o endereço do cliente, seja pessoa física ou jurídica. Dessa forma o cliente jamais imaginaria não ser o responsável legal pelo pagamento do imposto, pois recebia a cobrança em seu endereço Sempre lembrando, que a força obrigatória do pagamento do IPVA para o arrendatário é unicamente contratual, não advém do art. 55, inciso III da Constituição Federal e nem de qualquer outra lei, sendo portanto obrigação interna entre as partes, perfeitamente anulável pelos princípios da igualdade contratual, no direito civil. A maior prova disso ocorre quando o arrendatário deixa de pagar o IPVA. Nesse caso o respectivo governo estadual inclui o débito em dívida ativa e cobra do banco arrendador, verdadeiro proprietário. É óbvio que futuramente o banco cobra o que pagou do arrendatário com juros e multa, segurando-se nas cláusulas contratuais, como já dito, desproporcionais, pois para o arrendatário assumir o ônus de proprietário deveria gozar de todos os bônus da propriedade Para que o arrendatário pudesse ser obrigado a pagar o IPVA sem ofensa ao princípio da igualdade contratual, deveria possuir além do direito de uso, também o direito de gozo e fruição, inexistentes pela proibição de sublocação, venda ou livre acesso às fronteiras internacionais da Argentina e vizinhos. Contudo, a situação foi resolvida pelo Conselho Nacional de Trânsito Contran, que baixou a resolução n.º 30/2009, determinando em seu art. 3º a supressão do endereço dos proprietários em todos os CRVs agindo escancaradamente em favor dos interesses de bancos que financiam veículos pelo leasing. Então questiona-se: qual seria a utilidade da citada resolução em esconder o endereço do proprietário no CRV se mesmo assim fica mantido nos cadastros internos de cada DETRAN tal informação, para inclusive enviar notificações de multas por infração de trânsito. Não seria mais útil baixar uma resolução disciplinando o procedimento a ser utilizado para identificação do condutor infrator? Pois de acordo com o 7º do art. 257 do Código de Trânsito Brasileiro - CTB, o arrendatário que comete infrações de trânsito fica isento de pontos na carteira se simplesmente pagar a multa e não indicar o condutor infrator. Como o veículo está em nome do banco, pessoa jurídica não possuidora de carteira de motorista, se não houver a indicação do condutor infrator, quem assume a responsabilidade pela infração é o banco, mas isso não impede que o arrendatário pague a multa e continue infringindo as leis de trânsito inúmeras vezes sem receber qualquer ponto na carteira. Isso além de ilegal, não traz qualquer vantagem para o arrendatário infrator, pois segundo as normas do Direito Administrativo, o DETRAN tem até cinco anos para rever seus atos e destinar todos os pontos diretamente para a certeira do arrendatário, suspendo sua carteira de motorista imediatamente se houver mais de vinte pontos dentro do período de doze meses. Havendo a suspensão da carteira, o arrendatário fica proibido de dirigir, em média, por um ano. A nosso entender, para preencher a lacuna do 7º do art. 257 CTB sem desobedecê-lo, o Contran no lugar da resolução citada deveria ter baixado uma resolução que obrigasse o banco a indicar o condutor infrator, que pode ser tanto o arrendatário quanto o oficial de justiça, em caso de reintegração de posse. Mas, o Contram se preocupou apenas em esconder o endereço do proprietário no CRV, e limitar o envio de notificações para indicação do condutor infrator ao endereço do arrendatário, com base no cadastro interno de informações do Detran. Portanto, distanciado-se desse detalhes, mais uma desvantagem do leasing é ser obrigado a pagar o Imposto de Propriedade Veicular no presente e se tornar o verdadeiro proprietário somente num futuro bem distante. Finalmente, a última principal desvantagem do leasing, dentre várias outras, está na própria essência do leasing brasileiro. Diferentemente do original leasing americano, o nosso consiste na exigência do pagamento do preço futuro de compra do veículo de forma antecipada, ou seja, você paga o preço de hoje para comprar o veículo no futuro, quando seu valor será bem menor. A desvalorização do bem é algo natural e foi exatamente por isso que o leasing foi inventado nos Estados Unidos na época da expansão industrial, quando as máquinas perdiam seu valor rapidamente por ficarem obsoletas.

8 página 8 de 8 páginas Esse foi o motivo da criação do leasing, pois quem vendia as máquinas passou à alugá-las ao invés de vender, e dando ainda a opção de compra da máquina no final do contrato, quando o arrendatário podia adquiri-la pelo preço de mercado real, ou seja desvalorizado pelo uso. Em se tratando do leasing aqui no Brasil, e em vários outros países onde os bancos se instalaram para extrair dinheiro do povo medroso que não busca seus direitos, o arrendatário é obrigado a pagar junto com o aluguel, o valor do veículo atual para adquiri-lo somente no futuro. Para isso se inventou o termo VRG ou valor residual garantido, muito bonito e sonoro para os arrendatários leigos, que ficam obrigados a arcar com a desvalorização do veículo, mesmo sem serem os verdadeiros donos //

Saiba mais sobre os. no Brasil e o resultado disso no seu bolso

Saiba mais sobre os. no Brasil e o resultado disso no seu bolso Saiba mais sobre os no Brasil e o resultado disso no seu bolso (por Dr. Davi Chedlovski Pinheiro) O fenômeno do financiamento de veículos atingiu a marca de 172.131 unidades vendidas à crédito, conforme

Leia mais

GUIA PRÁTICO DO ARRENDAMENTO MERCANTIL

GUIA PRÁTICO DO ARRENDAMENTO MERCANTIL GUIA PRÁTICO DO ARRENDAMENTO MERCANTIL Sumário O que é Leasing?... 04 As partes deste negócio... 05 Entendendo o Leasing... 06 Modalidades de Leasing... 07 A escolha do bem... 08 Este guia tem por objetivo

Leia mais

Instruções para Preenchimento de DUT Leasing

Instruções para Preenchimento de DUT Leasing Prezado Cliente O arrendamento mercantil do seu veículo está chegando ao fim, por esse motivo, será necessária a transferência da sua propriedade (CRV/DUT Certificado de Registro de Veículo/Documento Único

Leia mais

Atenção: Este documento é apenas para instruir sobre como proceder, não deve ser assinado, reconhecido firma ou devolvido a Bradesco Financiamentos.

Atenção: Este documento é apenas para instruir sobre como proceder, não deve ser assinado, reconhecido firma ou devolvido a Bradesco Financiamentos. Atenção: Este documento é apenas para instruir sobre como proceder, não deve ser assinado, reconhecido firma ou devolvido a Bradesco Financiamentos. Caro Cliente, Após a quitação de seu contrato de Arrendamento

Leia mais

VEÍCULOS. - Pesquisar nas Justiças Estadual e Federal sobre a existência de ações de consumidores em face da montadora da marca escolhida;

VEÍCULOS. - Pesquisar nas Justiças Estadual e Federal sobre a existência de ações de consumidores em face da montadora da marca escolhida; VEÍCULOS Antes de Comprar Antes de comprar um veículo novo o comprador deve: - Ler atentamente o Termo de Garantia Contratual do veículo que está por adquirir e comparar as condições impostas com as condições

Leia mais

Instruções Liquidação de Contrato de Arrendamento Mercantil

Instruções Liquidação de Contrato de Arrendamento Mercantil Instruções Liquidação de Contrato de Arrendamento Mercantil Preparamos para você o passo a passo sobre o processo de liquidação contratual. Veja quais ações você precisará tomar para obter a liberação

Leia mais

SEGUROS. Manual de Seguros. Banco Mercedes-Benz do Brasil S/A

SEGUROS. Manual de Seguros. Banco Mercedes-Benz do Brasil S/A SEGUROS Manual de Seguros Banco Mercedes-Benz do Brasil S/A 2013 SUMÁRIO 1. CONCEITOS... 3 1.1. Objeto do Seguro... 3 1.2. Tipos de Seguro... 3 1.3. Vigência... 3 2. COBERTURAS ADICIONAIS... 4 2.1. Responsabilidade

Leia mais

Procedimentos para Liberação do DUT de Leasing

Procedimentos para Liberação do DUT de Leasing Caro Cliente, Após a quitação de seu contrato de Arrendamento Mercantil, chegou a hora de liberar o Documento de seu veículo(dut/crv - Documento Único de Transferência/Certificado de Registro do Veículo)

Leia mais

CLÁUSULAS E CONDIÇÕES GERAIS DO CONTRATO DE ARRENDAMENTO MERCANTIL FINANCEIRO SANTANDER LEASING S.A. ARRENDAMENTO MERCANTIL

CLÁUSULAS E CONDIÇÕES GERAIS DO CONTRATO DE ARRENDAMENTO MERCANTIL FINANCEIRO SANTANDER LEASING S.A. ARRENDAMENTO MERCANTIL LSG - 8500-B Santander Jun/2013 CLÁUSULAS E CONDIÇÕES GERAIS DO CONTRATO DE ARRENDAMENTO MERCANTIL FINANCEIRO SANTANDER LEASING S.A. ARRENDAMENTO MERCANTIL Este instrumento define as cláusulas e condições

Leia mais

IMPOSTO SOBRE A PROPRIEDADE DE VEÍCULOS AUTOMOTORES IPVA

IMPOSTO SOBRE A PROPRIEDADE DE VEÍCULOS AUTOMOTORES IPVA IMPOSTO SOBRE A PROPRIEDADE DE VEÍCULOS AUTOMOTORES IPVA IMPOSTO SOBRE A PROPRIEDADE DE VEÍCULOS AUTOMOTORES IPVA Informações Gerais Como consultar o valor do IPVA? É possível consultar o valor do IPVA

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO CONTRATO DE ARRENDAMENTO MERCANTIL FINANCEIRO (LEASING) VERSÃO C2

CONDIÇÕES GERAIS DO CONTRATO DE ARRENDAMENTO MERCANTIL FINANCEIRO (LEASING) VERSÃO C2 As Condições Gerais abaixo se aplicam à operação de arrendamento mercantil financeiro (leasing) contratada pelo Cliente junto à Arrendadora, sociedade integrante do Conglomerado Itaú Unibanco, de acordo

Leia mais

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS POLÍTICAS CORPORATIVAS

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS POLÍTICAS CORPORATIVAS 9 - Regulamentos Política de Empréstimos 9.1 Condições para associação O Funcionário, na sua admissão na empresa, assina a Proposta de Admissão e Depósito na Cooperativa, se for de seu interesse, sendo

Leia mais

ANTEVENDO O FUTURO E PROTEGENDO SEU CAIXA!!!

ANTEVENDO O FUTURO E PROTEGENDO SEU CAIXA!!! JJR ESTA RESOLVE!!! ANTEVENDO O FUTURO E PROTEGENDO SEU CAIXA!!! ESCRITÓRIOS: Porto Real (24) 3353-4054 Quatis (24)3353-6444 SITE: WWW.JJR.SRV.BR - VISITE-NOS TEMOS NOVIDADES. E-MAIL: CONTATO@JJR.SRV.BR

Leia mais

PROCEDIMENTOS DO SEGURADO EM CASO DE SINISTRO

PROCEDIMENTOS DO SEGURADO EM CASO DE SINISTRO PROCEDIMENTOS DO SEGURADO EM CASO DE SINISTRO 46 1. COLISÃO DO VEÍCULO SEGURADO Em caso de colisão, o Segurado deve atentar para as seguintes orientações: REGISTRO DE OCORRÊNCIA POLICIAL Para sua segurança

Leia mais

PLANO DE BENEFÍCIOS CARRO RESERVA 1.0 DO OBJETIVO DO PLANO:

PLANO DE BENEFÍCIOS CARRO RESERVA 1.0 DO OBJETIVO DO PLANO: PLANO DE BENEFÍCIOS CARRO RESERVA 1.0 DO OBJETIVO DO PLANO: 1.1 A destinação deste plano de benefício é disponibilizar, ora contratado, diárias de veículo econômico com ar para as pessoas físicas ou jurídicas

Leia mais

Instruções Aditamento ao Contrato de Arrendamento Mercantil

Instruções Aditamento ao Contrato de Arrendamento Mercantil Instruções Aditamento ao Contrato de Arrendamento Mercantil Preparamos para você o passo a passo sobre o processo de rescisão contratual. Veja quais ações você precisará tomar para obter a liberação do

Leia mais

O SEU PROCESSODE SINISTROS

O SEU PROCESSODE SINISTROS O SEU PROCESSODE SINISTROS O SEU PROCESSO 1. Abertura 1.1. Entre em contato com a seguradora para realizar a abertura do sinistro (portando DOCUMENTO DO VEÍCULO + CNH) ou se preferir ligue para a gente

Leia mais

*O pagamento acontece diretamente para o vendedor, PJ ou PF, após toda análise crédito e do bem.

*O pagamento acontece diretamente para o vendedor, PJ ou PF, após toda análise crédito e do bem. 1- Posso comprar dois automóveis com uma única carta de crédito? Sim. Podem ser alienados dois veículos em uma única cota de consórcios, porém são duas despesas para alienação dos bens. *O pagamento acontece

Leia mais

Direito Empresarial II. Foed Saliba Smaka Jr. Curso de Direito ISEPE Guaratuba 2015/2

Direito Empresarial II. Foed Saliba Smaka Jr. Curso de Direito ISEPE Guaratuba 2015/2 Direito Empresarial II Foed Saliba Smaka Jr. Curso de Direito ISEPE Guaratuba 2015/2 Contratos Aula 18 Contratos: Teoria Geral; Classificação; Requisitos; Objetos; Elementos; Contratos em Espécie: Compra

Leia mais

LEGISLAÇÃO DE TRÂNSITO SÉRIE A DE SIMULADOS PRIMEIRO DOS 3 SIMULADOS PREVISTOS NA SÉRIE A

LEGISLAÇÃO DE TRÂNSITO SÉRIE A DE SIMULADOS PRIMEIRO DOS 3 SIMULADOS PREVISTOS NA SÉRIE A LEGISLAÇÃO DE TRÂNSITO SÉRIE A DE SIMULADOS PRIMEIRO DOS 3 SIMULADOS PREVISTOS NA SÉRIE A ASSUNTOS: DO REGISTRO DE VEÍCULOS DO LICENCIAMENTO DA HABILITAÇÃO RESOLUÇÕES 04,110, 168 e 205 01 Com relação ao

Leia mais

CONTRATO DE LOCAÇÃO DE VEICULOS CARRENT ALUGUEL & VEICULOS LTDA, CNPJ sob n.o 23.002.258/0001 22 com Rua Bento Albuquerque 2653 A Papicu 60 191 355

CONTRATO DE LOCAÇÃO DE VEICULOS CARRENT ALUGUEL & VEICULOS LTDA, CNPJ sob n.o 23.002.258/0001 22 com Rua Bento Albuquerque 2653 A Papicu 60 191 355 CONTRATO DE LOCAÇÃO DE VEICULOS CARRENT ALUGUEL & VEICULOS LTDA, CNPJ sob n.o 23.002.258/0001 22 com Rua Bento Albuquerque 2653 A Papicu 60 191 355 doravante identificada LOCADORA e a pessoa física ou

Leia mais

Tudo o que você precisa saber sobre

Tudo o que você precisa saber sobre Tudo o que você precisa saber sobre CARTILHA DO ARRENDAMENTO MERCANTIL FINANCEIRO Produzida pela ABEL - Associação Brasileira das Empresas de Leasing Esta cartilha tem por objetivo esclarecer o que é

Leia mais

CASSAÇÃO DA CARTEIRA NACIONAL DE HABITAÇÃO POR DIRIGIR SUSPENSO

CASSAÇÃO DA CARTEIRA NACIONAL DE HABITAÇÃO POR DIRIGIR SUSPENSO CASSAÇÃO DA CARTEIRA NACIONAL DE HABITAÇÃO POR DIRIGIR SUSPENSO Rodrigo Kozakiewicz A cassação da Carteira Nacional de Habitação é uma penalidade prevista no artigo 256, inciso V do Código de Trânsito

Leia mais

Parabéns! Agora que a sua cota já está contemplada e você já recebeu sua CARTA DE CRÉDITO, você poderá concretizar o seu projeto.

Parabéns! Agora que a sua cota já está contemplada e você já recebeu sua CARTA DE CRÉDITO, você poderá concretizar o seu projeto. Orientações para aquisição de Bens Móveis Parabéns! Agora que a sua cota já está contemplada e você já recebeu sua CARTA DE CRÉDITO, você poderá concretizar o seu projeto. Lembrando que a análise do seu

Leia mais

INSTRUÇÕES - Aditamento ao Contrato de Arrendamento Mercantil

INSTRUÇÕES - Aditamento ao Contrato de Arrendamento Mercantil INSTRUÇÕES - Aditamento ao Contrato de Arrendamento Mercantil Como é feita a liberação do veículo em contratos de Leasing Nos contratos de leasing o veículo pertence à Instituição Financeira, mas ela deixa

Leia mais

BRB Banco de Brasília Escriturário

BRB Banco de Brasília Escriturário A2-AB98 29/12/2009 BRB Banco de Brasília Escriturário Conhecimentos Bancários Brasília 2010 2010 Vestcon Editora Ltda. Todos os direitos autorais desta obra são reservados e protegidos pela Lei nº 9.610,

Leia mais

MANUAL DE SINISTROS PARA SEGURADOS RSA SEGUROS AUTO FROTAS

MANUAL DE SINISTROS PARA SEGURADOS RSA SEGUROS AUTO FROTAS MANUAL DE SINISTROS PARA SEGURADOS RSA SEGUROS AUTO FROTAS 1 Prezados (as), A RSA Seguros se preocupa com a tranquilidade de seus clientes e quer contribuir para que seus negócios se mantenham em movimento.

Leia mais

Regulamento. Leiloeiro Eduardo Vaz

Regulamento. Leiloeiro Eduardo Vaz Regulamento Leiloeiro Eduardo Vaz Todos os participantes do leilão obrigam- se de forma definitiva e irrecorrível a acatarem as disposições do presente Regulamento não podendo se escusar de aceitá- lo

Leia mais

8) Qual o papel da administradora?

8) Qual o papel da administradora? 1) Como funciona o consórcio? R= Consórcio é um sistema que reúne em grupo pessoas físicas e/ou jurídicas com interesse comum para compra de bens ou serviços, por meio de autofinanciamento, onde o valor

Leia mais

Antena e telefones Na sala, foram instalados pontos para a antena de televisão e o telefone.

Antena e telefones Na sala, foram instalados pontos para a antena de televisão e o telefone. Antena e telefones Na sala, foram instalados pontos para a antena de televisão e o telefone. Aquecedor solar Caso sua moradia seja dotada de aquecimento solar, é necessário que, antes de utilizá-lo, você

Leia mais

EXTRATO DE CONTRATO PARA REPRESENTAÇÃO DE SEGUROS CUMULADO COM CORRESPONDENTE DE MICROSSEGURO

EXTRATO DE CONTRATO PARA REPRESENTAÇÃO DE SEGUROS CUMULADO COM CORRESPONDENTE DE MICROSSEGURO EXTRATO DE CONTRATO PARA REPRESENTAÇÃO DE SEGUROS CUMULADO COM CORRESPONDENTE DE MICROSSEGURO TOKIO MARINE SEGURADORA S.A., inscrita no CNPJ sob o número 33.164.021/0001-00 pessoa jurídica de direito privado

Leia mais

CADASTRO POSITIVO CONHEÇA ANTES DE FAZER

CADASTRO POSITIVO CONHEÇA ANTES DE FAZER CADASTRO POSITIVO CONHEÇA ANTES DE FAZER Entenda o que é e como funciona o Cadastro Positivo, antes de optar por aderir ou não. Quanto mais informado, melhor e mais consciente poderá ser a sua opção. Algumas

Leia mais

Conhecimentos Bancários. Item 2.2- Aplicação de Recursos Operações Ativas

Conhecimentos Bancários. Item 2.2- Aplicação de Recursos Operações Ativas Conhecimentos Bancários Item 2.2- Aplicação de Recursos Operações Ativas Conhecimentos Bancários Item 2.2- Aplicação de Recursos Operações Ativas CAPTAÇÃO DE RECURSOS APLICAÇÃO DE RECURSOS INSTITUIÇÃO

Leia mais

Módulo 2 Pr T odít ut U os L e O S erx viços Financeiros

Módulo 2 Pr T odít ut U os L e O S erx viços Financeiros Módulo 2 Produtos TÍTULO e Serviços X Financeiros CRÉDITO PESSOAL Olá! Neste módulo, vamos aprofundar nossos conhecimentos sobre os produtos e serviços financeiros que podemos oferecer aos nossos clientes.

Leia mais

Para extinção das dívidas e/ou saldos devedores do contrato com fundamento no art. 7º da MP nº 496/2010:

Para extinção das dívidas e/ou saldos devedores do contrato com fundamento no art. 7º da MP nº 496/2010: DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA: Extinção de dívidas do contrato Compra do imóvel com base no art. 12 da Lei nº 11.483/2007 Substituição do beneficiário do contrato de compra e venda ou cessão de direitos Emissão

Leia mais

CONTRATO DE LOCAÇÃO DE VEÍCULO

CONTRATO DE LOCAÇÃO DE VEÍCULO CONTRATO DE LOCAÇÃO DE VEÍCULO 1 DA LOCAÇÃO: 1.1 O Veículo objeto da presente locação, inclusive acessórios, devidamente caracterizado no anverso, está sendo entregue em perfeitas condições de funcionamento

Leia mais

MANUAL DOS DIREITOS DOS COMERCIÁRIOS

MANUAL DOS DIREITOS DOS COMERCIÁRIOS 11. DIREITOS NA HORA DA DEMISSÃO É de fundamental importância saber quais os direitos dos trabalhadores na hora da rescisão do contrato de trabalho. Devese ter especial atenção no caso de demissões sem

Leia mais

RELATÓRIO DA PESQUISA DE TAXA DE JUROS NAS MODALIDADES: CRÉDITO PESSOAL, CONSIGNADO E CHEQUE ESPECIAL NA CIDADE DE GOIÂNIA

RELATÓRIO DA PESQUISA DE TAXA DE JUROS NAS MODALIDADES: CRÉDITO PESSOAL, CONSIGNADO E CHEQUE ESPECIAL NA CIDADE DE GOIÂNIA RELATÓRIO DA PESQUISA DE TAXA DE JUROS NAS MODALIDADES: CRÉDITO PESSOAL, CONSIGNADO E CHEQUE ESPECIAL NA CIDADE DE GOIÂNIA Pesquisa realizada pelos técnicos do Procon Goiás, entre os dias 4 e 9 de setembro

Leia mais

Manual do Segurado Saldo do Financiamento

Manual do Segurado Saldo do Financiamento Manual do Segurado Saldo do Financiamento Produto Secundário SulAmerica Auto Abril/2013 1080.0776.0102 É um grande prazer receber você como cliente! Obrigado por ter contratado o Seguro Saldo do Financiamento.

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS RESERVE CLUBCAR

CONDIÇÕES GERAIS RESERVE CLUBCAR Seja bem-vindo à Blue Service Assistance, a opção mais vantajosa em assistência e clube de vantagens. É uma enorme satisfação ter você como nosso associado. A Blue Service Assistance está cada vez mais

Leia mais

Presenteie parentes ou amigos em qualquer lugar do Brasil.

Presenteie parentes ou amigos em qualquer lugar do Brasil. Compras de Final de Ano Veja as vantagens e como é prático comprar pela internet: Você não sai de casa para comprar; Recebe o produto no conforto do seu lar; Filas? Esqueça; Não precisa bater perna atrás

Leia mais

Consórcio. Imobiliário. na prática. Por que o consórcio é muito mais interessante do que o financiamento? Livre-se dos Juros!

Consórcio. Imobiliário. na prática. Por que o consórcio é muito mais interessante do que o financiamento? Livre-se dos Juros! Consórcio Imobiliário na prática Por que o consórcio é muito mais interessante do que o financiamento? Livre-se dos Juros! 1 Sobre a empresa A A+ Consórcios iniciou suas atividades com o objetivo de gerir

Leia mais

Conhecimentos Bancários. Conhecimentos Bancários. Mercado Financeiro. Mercado Financeiro

Conhecimentos Bancários. Conhecimentos Bancários. Mercado Financeiro. Mercado Financeiro Conhecimentos Bancários Mercado Financeiro Órgãos normativo/fiscalizador Conselho Monetário Nacional Banco Central do Brasil Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional Conhecimentos Bancários

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS CONTRATO DE EMPRÉSTIMO

CONDIÇÕES GERAIS CONTRATO DE EMPRÉSTIMO CONDIÇÕES GERAIS CONTRATO DE EMPRÉSTIMO Estas são as condições gerais do Empréstimo, solicitado e contratado por você. Leia atentamente estas condições gerais, que serão aplicáveis durante todo o período

Leia mais

PACTUAL LOCADORA CONTRATO DE LOCAÇÃO DE VEÍCULOS

PACTUAL LOCADORA CONTRATO DE LOCAÇÃO DE VEÍCULOS PACTUAL LOCADORA CONTRATO DE LOCAÇÃO DE VEÍCULOS Pelo presente Instrumento Particular de Contrato de Locação de Veículos, de um lado Pactual Comércio de Locação e Veículos Ltda, com sede na Rua 13 de Maio,

Leia mais

CIRCULAR GERAL. TÍTULO: Seguro de Veículos Apólice 2009/2010

CIRCULAR GERAL. TÍTULO: Seguro de Veículos Apólice 2009/2010 DISTRIBUIÇÃO A TÍTULO: Seguro de Veículos Apólice 2009/2010 1. A CAEFE Caixa de Assistência dos Empregados de FURNAS e ELETRONUCLEAR renovou com a SUL AMÉRICA Seguros, a Apólice Coletiva de Seguro de Veículos,

Leia mais

Tudo que você precisa saber no dia a dia com seu carro

Tudo que você precisa saber no dia a dia com seu carro Tudo que você precisa saber no dia a dia com seu carro FINANÇAS / ECONOMIA 01 - Como financiar um carro usado? 02 - Saiba tudo sobre IPVA, DPVAT e Licenciamento. 03 - Veja as melhores opções para financiamento

Leia mais

INSTRUMENTO PARTICULAR DE LOCAÇÃO DE EQUIPAMENTO(S) COM OPÇÃO DE COMPRA

INSTRUMENTO PARTICULAR DE LOCAÇÃO DE EQUIPAMENTO(S) COM OPÇÃO DE COMPRA I PARTES: I.1. WI2BE TECNOLOGIA S.A., pessoa jurídica de direito privado, inscrita no CPNJ/MF sob o nº 11.013.389/0001-26, com sede em Curitiba, Estado do Paraná, na Rua Padre Anchieta, nº 2310, 4º andar,

Leia mais

PASSO A PASSO LIQUIDAÇÃO DE CONTRATO DE ARRENDAMENTO MERCANTIL

PASSO A PASSO LIQUIDAÇÃO DE CONTRATO DE ARRENDAMENTO MERCANTIL PO PO LQUDÇÃO DE CONTRTO DE RRENDMENTO MERCNTL Preparamos para você o passo a passo sobre o processo de liquidação contratual. Veja quais ações você precisará tomar para obter a liberação de seu veículo:

Leia mais

REGULAMENTO DA CARTEIRA DE EMPRÉSTIMO BÁSICO

REGULAMENTO DA CARTEIRA DE EMPRÉSTIMO BÁSICO Rev. 01 Data: 21/05/2014 Página 1 de 8 CAPÍTULO I DEFINIÇÕES Art. 1º - Para fins de aplicação deste Regulamento, o masculino incluirá o feminino e o singular incluirá o plural, a menos que o contexto indique

Leia mais

Guia para contratação de Transporte Intermunicipal de Passageiros sob regime de FRETAMENTO

Guia para contratação de Transporte Intermunicipal de Passageiros sob regime de FRETAMENTO Guia para contratação de Transporte Intermunicipal de Passageiros sob regime de FRETAMENTO 100 95 75 25 5 0 Introdução A Artesp tem a finalidade de regulamentar e fiscalizar todas as modalidades de serviços

Leia mais

1O contrato escrito de CONTRATO DE LOCAÇÃO. Locação Comercial

1O contrato escrito de CONTRATO DE LOCAÇÃO. Locação Comercial 1 CONTRATO DE LOCAÇÃO Locação Comercial A locação comercial pode ser entendida como a cessão de um imóvel para terceiro, que ali pretende montar seu negócio e que, para isso, remunerará o proprietário

Leia mais

EXTRATO DO CONTRATO DE REPRESENTANTE DE SEGUROS

EXTRATO DO CONTRATO DE REPRESENTANTE DE SEGUROS EXTRATO DO CONTRATO DE REPRESENTANTE DE SEGUROS TOKIO MARINE SEGURADORA S.A., inscrita no CNPJ sob o número 33.164.021/0001-00 pessoa jurídica de direito privado com sede na Rua Sampaio Viana, 44 - Paraíso,

Leia mais

Autorização para débitos de MULTAS, AUTUAÇÕES e IPVA.

Autorização para débitos de MULTAS, AUTUAÇÕES e IPVA. Autorização para débitos de MULTAS, AUTUAÇÕES e IPVA. Declaro para os devidos fins que autorizo à GENERALI DO BRASIL COMPANHIA DE SEGUROS a debitar de minha indenização, as MULTAS, AUTUAÇÕES e IPVA existentes

Leia mais

5) COMPROMISSO PARTICULAR DE VENDA E COMPRA E OUTRAS COMPROMISSÁRIO VENDEDOR:..., brasileiro, solteiro, produtor rural, inscrito no CPF sob o

5) COMPROMISSO PARTICULAR DE VENDA E COMPRA E OUTRAS COMPROMISSÁRIO VENDEDOR:..., brasileiro, solteiro, produtor rural, inscrito no CPF sob o 5) COMPROMISSO PARTICULAR DE VENDA E COMPRA E OUTRAS AVENÇAS PARTES CONTRATANTES COMPROMISSÁRIO VENDEDOR:..., brasileiro, solteiro, produtor rural, inscrito no CPF sob o n.... e no RG sob o n...., residente

Leia mais

Leia atentamente as condições antes de participar do leilão

Leia atentamente as condições antes de participar do leilão Leia atentamente as condições antes de participar do leilão LANCES ONLINE A venda será realizada a quem maior lance oferecer através da Internet ou Presencial, reservando-se exclusivamente ao COMITENTE

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS FACULDADES - 2014

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS FACULDADES - 2014 CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS FACULDADES - 2014 Pelo presente contrato, a FUNDAÇÃO EDUCACIONAL "DR. RAUL BAUAB" - JAHU, com sede em Jaú, SP, na Rua Tenente Navarro, nº 642, CNPJ nº 50.761.121/0001-24,

Leia mais

CONTRATO DE LOCAÇÃO. 3.1.2. O pagamento devido pela locação far-se-á conforme Demonstrativo de Aluguel de Veículo.

CONTRATO DE LOCAÇÃO. 3.1.2. O pagamento devido pela locação far-se-á conforme Demonstrativo de Aluguel de Veículo. CONTRATO DE LOCAÇÃO 1. SIGNIFICAÇÃO 1.1. A BRASIL LOCADORA DE VEICULOS, com Sede em Recife (PE), doravante designada LOCADORA e o LOCATÁRIO assim designado, identificado no Demonstrativo de Aluguel de

Leia mais

12 dicas para baixar o preço do seguro do carro

12 dicas para baixar o preço do seguro do carro 12 dicas para baixar o preço do seguro do carro Especialistas ensinam a pagar mais barato sem assumir riscos demais cortando coberturas necessárias Carros antigos: seguros mais caros devido aos custos

Leia mais

CLÁUSULAS GERAIS DO CONTRATO DE CREDENCIAMENTO DE ESTABELECIMENTO COMERCIAL AO CARTÃO DE CRÉDITO AVISTA

CLÁUSULAS GERAIS DO CONTRATO DE CREDENCIAMENTO DE ESTABELECIMENTO COMERCIAL AO CARTÃO DE CRÉDITO AVISTA CLÁUSULAS GERAIS DO CONTRATO DE CREDENCIAMENTO DE ESTABELECIMENTO COMERCIAL AO CARTÃO DE CRÉDITO AVISTA Pelo presente instrumento de Contrato de Credenciamento de Estabelecimento Comercial ao Cartão de

Leia mais

INSTRUMENTO PARTICULAR DE VENDA DE INGRESSOS POR MEIO ELETRÔNICO (INTERNET)!

INSTRUMENTO PARTICULAR DE VENDA DE INGRESSOS POR MEIO ELETRÔNICO (INTERNET)! INSTRUMENTO PARTICULAR DE VENDA DE INGRESSOS POR MEIO ELETRÔNICO (INTERNET)! Trata-se o presente instrumento de um contrato celebrado através de meio eletrônico (internet), para venda de ingresso pelo

Leia mais

O melhor crédito para você

O melhor crédito para você 1016324-4 - abr/2012 Quer saber mais sobre como usar melhor o seu dinheiro? No site www.itau.com.br/usoconsciente, você encontra vídeos, testes e informações para uma gestão financeira eficiente. Acesse

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES GERAL INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL

FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES GERAL INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES GERAL INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL (ao abrigo do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 133/2009, de 2 de Junho) A. ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

IPVA. 9. Veículo Novo... 04

IPVA. 9. Veículo Novo... 04 IPVA ÍNDICE 1. IPVA...02 2. Contribuinte do IPVA...02 3. Legislação Estadual...02 4. Base de Cálculo...02 5. Alíquotas...03 6. Como pagar o IPVA......04 7. Desconto...04 8. Parcelamento do IPVA do Exercício

Leia mais

LEI Nº 13.979, DE 25 DE SETEMBRO DE 2007

LEI Nº 13.979, DE 25 DE SETEMBRO DE 2007 ESTADO DO CEARÁ LEI Nº 13.979, DE 25 DE SETEMBRO DE 2007 DISPÕE SOBRE A RENEGOCIAÇÃO DAS DÍVIDAS DECORRENTES DE EMPRÉSTIMOS CONCEDIDOS PELO EXTINTO BANCO DO ESTADO DO CEARÁ S/A BEC, POR PARTE DO ESTADO

Leia mais

Texto complementar à Proposta Simplificada de Vida em Grupo / Acidentes Pessoais Coletivo

Texto complementar à Proposta Simplificada de Vida em Grupo / Acidentes Pessoais Coletivo Texto complementar à Proposta Simplificada de Vida em Grupo / Acidentes Pessoais Coletivo 1. Definições 1.1. Apólice: é o documento emitido pela Seguradora que expressa o contrato celebrado entre a Seguradora

Leia mais

Os bens e direitos formam o ativo. As obrigações, o passivo exigível (ou simplesmente o passivo).

Os bens e direitos formam o ativo. As obrigações, o passivo exigível (ou simplesmente o passivo). Módulo 2 O Patrimônio Conceito. Estão compreendidas no campo de atuação do contabilista as atividades de estudo, controle, exposição e análise do patrimônio, de maneira a poder informar a situação patrimonial

Leia mais

INSTRUÇÕES - RESCISÃO DE CONTRATO DE ARRENDAMENTO MERCANTIL

INSTRUÇÕES - RESCISÃO DE CONTRATO DE ARRENDAMENTO MERCANTIL INSTRUÇÕES - RESCISÃO DE CONTRATO DE ARRENDAMENTO MERCANTIL 1. RESCISÃO DE CONTRATO Para dar início ao processo de Rescisão Contratual Leasing é necessário entrar em contato com a Central de Atendimento

Leia mais

Que fazem entre si, de um lado a empresa..., na..., aqui representada. por..., brasileiro,

Que fazem entre si, de um lado a empresa..., na..., aqui representada. por..., brasileiro, 34) INSTRUMENTO DE CONTRATO DE COMPRA E VENDA Que fazem entre si, de um lado a empresa..., inscrita no CNPJ/MF sob nº...., com sede na..., aqui representada por..., brasileiro, maior, casado, administrador

Leia mais

DETRAN Modelo 01 ao utilizar este modelo, lembre-se de preencher os dados específicos no texto abaixo

DETRAN Modelo 01 ao utilizar este modelo, lembre-se de preencher os dados específicos no texto abaixo DETRAN Modelo 01 a quem confere poderes para representá-lo(a) perante o DETRAN (ou outro órgão) e todos e quaisquer órgãos e repartições públicas federais, estaduais e municipais, autarquias, empresas

Leia mais

CONTRATO DE LOCAÇÃO LOCADOR:-

CONTRATO DE LOCAÇÃO LOCADOR:- CONTRATO DE LOCAÇÃO Pelo presente instrumento, as pessoas abaixo nomeadas e qualificadas contratam a locação do bem imóvel descrito e caracterizado, adiante designado simplesmente Objeto, com a finalidade,

Leia mais

Kit de Faturamento para cota não quitada PF/PJ

Kit de Faturamento para cota não quitada PF/PJ Kit de Faturamento para cota não quitada PF/PJ O Consórcio Fiat tem satisfação em participar da realização do seu projeto. Agora que você foi contemplado, siga as instruções abaixo para concluir o processo

Leia mais

I - EMITENTE II - INTERVENIENTE(S) / AVALISTA(S) III - CARACTERÍSTICAS DO(S) PRODUTO(S) MARCA MODELO ANO/MODELO COR COMBUSTÍVEL

I - EMITENTE II - INTERVENIENTE(S) / AVALISTA(S) III - CARACTERÍSTICAS DO(S) PRODUTO(S) MARCA MODELO ANO/MODELO COR COMBUSTÍVEL Nº DA CÉDULA CÉDULA DE CRÉDITO BANCÁRIO I - EMITENTE II - INTERVENIENTE(S) / AVALISTA(S) III - CARACTERÍSTICAS DO(S) (S) MARCA MODELO ANO/MODELO COR COMBUSTÍVEL RENAVAN CHASSI PLACA NOTA FISCAL (CASO VEÍCULO

Leia mais

DIREITO CIVIL Espécies de Contratos

DIREITO CIVIL Espécies de Contratos DIREITO CIVIL Espécies de Contratos Espécies de Contratos a serem estudadas: 1) Compra e venda e contrato estimatório; 2) Doação; 3) Depósito; 4) Mandato; 5) Seguro; 6) Fiança; 7) Empréstimo (mútuo e comodato);

Leia mais

LEASING UMA OPÇÃO DE FINANCIAMENTO

LEASING UMA OPÇÃO DE FINANCIAMENTO UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS - UNICAMP INSTITUTO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS - IFCH DEPARTAMENTO DE ECONOMIA E PLANEJAMENTO ECONÔMICO - DEPE CENTRO TÉCNICO ECONÔMICO DE ASSESSORIA EMPRESARIAL

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DA CÉDULA DE CRÉDITO BANCÁRIO OPERAÇÃO DE FINANCIAMENTO DE BENS OU DE EMPRÉSTIMO PESSOAL VERSÃO C2

CONDIÇÕES GERAIS DA CÉDULA DE CRÉDITO BANCÁRIO OPERAÇÃO DE FINANCIAMENTO DE BENS OU DE EMPRÉSTIMO PESSOAL VERSÃO C2 As Condições Gerais abaixo se aplicam a operação de financiamento de bens ou de empréstimo pessoal, contratada pelo Cliente junto ao Credor, sociedade integrante do Conglomerado Itaú Unibanco, ambos indicados

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DA CÉDULA DE CRÉDITO BANCÁRIO PARA FINANCIAMENTO DE VEÍCULOS

CONDIÇÕES GERAIS DA CÉDULA DE CRÉDITO BANCÁRIO PARA FINANCIAMENTO DE VEÍCULOS CONDIÇÕES GERAIS DA CÉDULA DE CRÉDITO BANCÁRIO PARA FINANCIAMENTO DE VEÍCULOS As Condições Gerais abaixo se aplicam à operação de Financiamento de Veículos, contratada pelo EMITENTE junto ao BANCO TOYOTA,

Leia mais

Programa de Arrendamento Residencial

Programa de Arrendamento Residencial CARTILHA DO PAR Módulo Arrendamento Programa de Arrendamento Residencial SUMÁRIO HISTÓRICO... 3 ORIGEM DOS RECURSOS... 3 PARTICIPANTES DO PROGRAMA... 4 ÁREAS DE ATUAÇÃO... 4 ARRENDAMENTO DAS UNIDADES...

Leia mais

Securitização De Créditos Imobiliários

Securitização De Créditos Imobiliários Securitização De Créditos Imobiliários Operações Imobiliárias A 1. O que é securitização de créditos imobiliários? Securitização é um processo estruturado, coordenado por uma instituição especializada

Leia mais

Respostas às perguntas mais recorrentes formuladas ao IPVA

Respostas às perguntas mais recorrentes formuladas ao IPVA Respostas às perguntas mais recorrentes formuladas ao IPVA INFORMAÇÕES GERAIS 1. O que é o IPVA? É o imposto sobre a propriedade de veículos automotores devido ao Estado por parte daqueles que são donos

Leia mais

CONDIÇÕES CONTRATUAIS GERAIS

CONDIÇÕES CONTRATUAIS GERAIS CONTRATO DE VENDA E COMPRA DE EQUIPAMENTO VENDEDORA A..., CNPJ/MF nº..., sediada em São Paulo SP, na Rua..., nº...,... (CEP...), representada pelo Sr...., RG nº... e inscrito no CPF/MF sob nº... OU representante

Leia mais

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orienta na implantação e no desenvolvimento de seu negócio de forma estratégica e inovadora. O que são

Leia mais

Leia atentamente as condições antes de participar do leilão

Leia atentamente as condições antes de participar do leilão Leia atentamente as condições antes de participar do leilão LANCES ONLINE Todos os lances serão acolhidos como condicional e a venda será realizada a quem maior lance oferecer através da Internet ou Presencial,

Leia mais

consumidor consulte seus direitos

consumidor consulte seus direitos Câmara dos Deputados consumidor consulte seus direitos com VINICIUS CARVALHO Deputado Federal Centro de Documentação e Informação Coordenação de Publicações BRASÍLIA 2008 05948.indd 1 25/04/2008 13:50:24

Leia mais

REGULAMENTO DO LEILÃO

REGULAMENTO DO LEILÃO REGULAMENTO DO LEILÃO As vendas realizadas no presente leilão são irrevogáveis e irretratáveis, não podendo o Comprador recusar o animal ou solicitar redução de preço (Artº. 1106 do Código Civil). Todos

Leia mais

mesmo nem ao inimigo, jamais sairá vitorioso. Sun Tzu: A Arte da Guerra

mesmo nem ao inimigo, jamais sairá vitorioso. Sun Tzu: A Arte da Guerra Se você conhece a si mesmo e ao inimigo, não temerá a batalha. Se você conhece a si mesmo, porém não ao inimigo, perderá uma batalha para cada batalha que ganhar; e se você não conhece a si mesmo nem ao

Leia mais

GUARDA DE DOCUMENTOS

GUARDA DE DOCUMENTOS GUARDA DE DOCUMENTOS Tabela de Temporalidade de Documentos de Pessoa Física 1. VIDA FINANCEIRA 1.1 PAGAMENTO DE TRIBUTOS 1.1.1 Imposto de 5 anos, contados Renda de Pessoa a partir do Física (IRPF) e exercício

Leia mais

EMPRESTIMO DESCONTO EM FOLHA 4031 - CECM DOS COLABORADORES VALE S.A.-LTDA

EMPRESTIMO DESCONTO EM FOLHA 4031 - CECM DOS COLABORADORES VALE S.A.-LTDA CONTRATO DE EMPRÉSTIMO COM DESCONTO PARA PAGAMENTO DE PRESTAÇÕES EM FOLHA DE PAGAMENTO Por este instrumento particular de Contrato de Empréstimo, de um lado CECM DOS COLABORADORES VALE S.A-LTDA SICOOB

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS CONTRATANTE: Pessoa Física e/ou Jurídica com os respectivos dados fornecidos neste instrumento de cadastro. CONTRATADA: TeksFlash Computer Networks Ltda., inscrita no

Leia mais

UM GUIA PRÁTICO SOBRE O QUE FAZER EM SINISTROS. Sinistro o que fazer? Seja qual for seu Sinistro saiba o que fazer!

UM GUIA PRÁTICO SOBRE O QUE FAZER EM SINISTROS. Sinistro o que fazer? Seja qual for seu Sinistro saiba o que fazer! UM GUIA PRÁTICO SOBRE O QUE FAZER EM SINISTROS Sinistro o que fazer? Seja qual for seu Sinistro saiba o que fazer! Batida Alagamento Roubo/Furto Incêndio Introdução O que é de sinistro? Sinistro é a ocorrência

Leia mais

Kit para comprar seu veículo Cota não quitada

Kit para comprar seu veículo Cota não quitada Kit para comprar seu veículo Cota não quitada Parabéns pela sua contemplação! Ficamos muito felizes por fazer parte das suas escolhas e conquistas. Agora que você já foi contemplado e já passou pela etapa

Leia mais

IF 011 01 CRÉDITO AO PARTICIPANTE PARA INTEGRALIZAÇÃO DE RESERVA PREVIDENCIÁRIA

IF 011 01 CRÉDITO AO PARTICIPANTE PARA INTEGRALIZAÇÃO DE RESERVA PREVIDENCIÁRIA CRÉDITO AO PARTICIPANTE PARA INTEGRALIZAÇÃO DE RESERVA PREVIDENCIÁRIA SUMÁRIO DA NORMA 1 OBJETIVO,1 2 DEFINIÇÕES,1 2.1 SIGLAS E ABREVIATURAS,1 2.2 CONCEITOS,1 2.3 PALAVRAS-CHAVES,1 3 NORMAS,1 3.1 CAMPO

Leia mais

BB SEGURO CRÉDITO PROTEGIDO

BB SEGURO CRÉDITO PROTEGIDO BB SEGURO CRÉDITO PROTEGIDO Condições Particulares Processo SUSEP Nº 15414.003063/2009-70 0 ÍNDICES CONDIÇÕES PARTICULARES 1. OBJETO DO SEGURO 2 2. ESTIPULANTE 2 3. GRUPO SEGURÁVEL 2 4. GRUPO SEGURADO

Leia mais

BB SEGURO VIDA PRESTAMISTA EXÉRCITO

BB SEGURO VIDA PRESTAMISTA EXÉRCITO BB SEGURO VIDA PRESTAMISTA EXÉRCITO Contrato de Seguro Processo SUSEP Nº 15414.003063/2009-70 COMPANHIA DE SEGUROS ALIANÇA DO BRASIL - CNPJ 28.196.889/0001-43 SERVIÇO DE ATENDIMENTO AO CLIENTE (SAC): 0800

Leia mais

CONTRATO DE INTERMEDIAÇÃO DE LOCAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO DE IMÓVEL

CONTRATO DE INTERMEDIAÇÃO DE LOCAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO DE IMÓVEL CONTRATO DE INTERMEDIAÇÃO DE LOCAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO DE IMÓVEL, que entre si fazem, GMI - Grupo Mineiro de Imóveis Ltda, inscrita no CNPJ sob o n.º 42.771.485/0001-67, CRECI PJ 2427, estabelecida nesta

Leia mais

MATERIAL DE APOIO. 1. CONTRATO DE ALIENAÇÃO FIDUCIÁRIA Dec-Lei 911/69

MATERIAL DE APOIO. 1. CONTRATO DE ALIENAÇÃO FIDUCIÁRIA Dec-Lei 911/69 MATERIAL DE APOIO 1. CONTRATO DE ALIENAÇÃO FIDUCIÁRIA Dec-Lei 911/69 Contrato de alienação fiduciária dentro do mercado de capitais, que se dá entre as instituições financeiras em geral e consórcios. Os

Leia mais

Crédito Imobiliário HSBC

Crédito Imobiliário HSBC Crédito Imobiliário HSBC A compra de um imóvel é sempre um passo muito importante na vida de qualquer pessoa. E para você ter a certeza de que está fazendo um bom negócio, o banco HSBC desenvolveu um conjunto

Leia mais

DICAS LEGAIS ADMINISTRAÇÃO INTERNA DICAS PARA ASSOCIADOS

DICAS LEGAIS ADMINISTRAÇÃO INTERNA DICAS PARA ASSOCIADOS DICAS LEGAIS ADMINISTRAÇÃO INTERNA DICAS PARA ASSOCIADOS Dados importantes na FICHA CADASTRAL Nome completo, sem abreviatura Data de nascimento Filiação (mesmo que falecidos) CPF/RG Nome do cônjuge Endereço/Tempo

Leia mais

Contrato de Empréstimo para Cliente Pré- Selecionado - Crédito Citibank

Contrato de Empréstimo para Cliente Pré- Selecionado - Crédito Citibank Contrato de Empréstimo para Cliente Pré- Selecionado - Crédito Citibank CONSIDERANDO QUE: i) A empresa para a qual o MUTUÁRIO trabalha ( EMPREGADOR ) celebrou com o MUTUANTE (BANCO CITIBANK S.A.) Convênio

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Educação Financeira para Beneficiários do Programa Bolsa Família

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Educação Financeira para Beneficiários do Programa Bolsa Família Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Educação Financeira para Beneficiários do Programa Bolsa Família Copyright 2009 Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Todos os direitos

Leia mais