Palestrante: Carlos Dias TST

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Palestrante: Carlos Dias TST"

Transcrição

1 SISTEMAS DE SEGURANÇA PARA TRABALHOS EM ALTURA NR 35 ANEXO II NBR16325/NBR14626/NBR14627 Palestrante: Carlos Dias TST...O melhor vinho é aquele que a você gosta... Frase de Carlos Cabral, enólogo...o melhor sistema de ancoragem é aquele que atenda as normas técnicas e ofereça completa proteção ao trabalhador...

2 ANEXO II NR35 PORTARIA N.º 1.113, DE 21 DE SETEMBRO DE 2016 (DOU de 22/09/ Seção 1) Altera o item Equipamentos de Proteção Individual, Acessórios e Sistemas de Ancoragem e inclui o Anexo II -Sistema de Ancoragem na Norma Regulamentadora n.º 35 -Trabalho em Altura.

3 SISTEMAS DE PROTEÇÃO CONTRA QUEDAS (NR) É obrigatória a utilização de sistema de proteção contra quedas sempre que não for possível evitar o trabalho em altura. (NR) O sistema de proteção contra quedas deve: (NR) a) ser adequado à tarefa a ser executada; (NR) b) ser selecionado de acordo com Análise de Risco, considerando, além dos riscos a que o trabalhador está exposto, os riscos adicionais; (NR) c) ser selecionado por profissional qualificado em segurança do trabalho; (NR) d) ter resistência para suportar a força máxima aplicável prevista quando de uma queda; (NR) e) atender às normas técnicas nacionais ou na sua inexistência às normas internacionais aplicáveis; (NR) f) ter todos os seus elementos compatíveis e submetidos a uma sistemática de inspeção. (NR)

4 A SELEÇÃO DO SISTEMA DE PROTEÇÃO CONTRA QUEDAS DEVE CONSIDERAR A UTILIZAÇÃO: (NR) a) de sistema de proteção coletiva contra quedas - SPCQ; (NR) b) de sistema de proteção individual contra quedas - SPIQ, nas seguintes situações: (NR) b.1) na impossibilidade de adoção do SPCQ; (NR) b.2) sempre que o SPCQ não ofereça completa proteção contra os riscos de queda; (NR) b.3) para atender situações de emergência. (NR)

5 O SPCQ DEVE SER PROJETADO POR PROFISSIONAL LEGALMENTE HABILITADO. (NR) Profissional legalmente habilitado: trabalhador previamente qualificado e com registro no competente conselho de classe. Trabalhador qualificado: trabalhador que comprove conclusão de curso específico para sua atividade em instituição reconhecida pelo sistema oficial de ensino.

6 3. O SISTEMA DE ANCORAGEM PERMANENTE DEVE POSSUIR PROJETO E A INSTALAÇÃO DEVE ESTAR SOB RESPONSABILIDADE DE PROFISSIONAL LEGALMENTE HABILITADO. 4 Projetos e especificações: 4.1 O projeto, quando aplicável, e as especificações técnicas do sistema de ancoragem devem: a) estar sob responsabilidade de um profissional legalmente habilitado; b) ser elaborados levando em conta os procedimentos operacionais do sistema de ancoragem; c) conter indicação das estruturas que serão utilizadas no sistema de ancoragem; d) conter detalhamento e/ou especificação dos dispositivos de ancoragem, ancoragens estruturais e elementos de fixação a serem utilizados.

7 3.2 O SISTEMA DE ANCORAGEM TEMPORÁRIO DEVE: a) atender os requisitos de compatibilidade a cada local de instalação conforme procedimento operacional; b) ter os pontos de fixação definidos sob responsabilidade de profissional legalmente habilitado.

8 35.5 SISTEMAS DE PROTEÇÃO CONTRA QUEDAS (NR) e) atender às normas técnicas nacionais ou, na sua inexistência, às normas internacionais aplicáveis; (NR) Ponto relevante Norma Brasileira Norma Europeia Posição a ser adotada para equivalência por parte da Norma Europeia Grampo de fixação Flexibiliza a utilização Não permite Não requer ação Dispositivo tipo E de peso próprio Múltiplos usuários no tipo A Não é aceito na Norma Brasileira Não aceita Possui esse tipo de dispositivo Não impõe limitação Não é aceita para uso no Brasil Limitar o uso para apenas um usuário Norma separada por tipo de dispositivo de ancoragem Possui norma para tips: A,B,D e outra para C Trata todos dispositivos de ancoragem na mesma norma Não requer ação Manual de Instruções Atende a Seção 7 Atendem as Normas Européias Deve incluir todos os itens exigidos por essa parte ABNT NBR 16325

9 RESTRIÇÃO DE MOVIMENTAÇÃO X RETENÇÃO DE QUEDAS Os sistemas de ancoragem destinados à restrição de movimentação devem ser dimensionados para resistir às forças que possam vir a ser aplicadas. (NR) Havendo possibilidade de ocorrência de queda com diferença de nível, em conformidade com a análise de risco, o sistema deve ser dimensionado como de retenção de queda. (NR)

10 RESTRIÇÃO DE MOVIMENTAÇÃO X RETENÇÃO DE QUEDAS

11 6KN EQUIVALEM A 611KGF O SPIQ deve ser selecionado de forma que a força de impacto transmitida ao trabalhador seja de no máximo 6kN quando de uma eventual queda; (NR);

12 ZLQ-ZONA LIVRE DE QUEDA Zona livre de queda - ZLQ: região compreendida entre o ponto de ancoragem e o obstáculo inferior mais próximo contra o qual o trabalhador possa colidir em caso de queda, tal como o nível do chão ou o piso inferior.

13 GLOSSÁRIO Distância de frenagem: distância percorrida durante a atuação do sistema de absorção de energia, normalmente compreendida entre o início da frenagem e o término da queda. Distância de queda livre: distância compreendida entre o início da queda e o início da retenção.

14 PROJETOS COMPATÍVEIS COM A.R.

15

16

17

18 PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS

19 PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS

20 PROJETOS DE ACORDO COM A DINÂMICA DAS ATIVIDADES REALIZADAS

21 PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS

22 PROJETOS COMPATÍVEIS COM OS RISCOS

23 PROJETOS DE ACORDO COM A DINÂMICA DAS ATIVIDADES REALIZADAS

24 PROJETOS DE ACORDO COM A DINÂMICA DAS ATIVIDADES REALIZADAS

25 PROJETOS DE ACORDO COM A DINÂMICA DAS ATIVIDADES REALIZADAS

26 ESTRUTURAS

27 ESTRUTURAS

28 ESTRUTURAS

29 ESTRUTURAS

30 ESTRUTURAS

31 ABNT NBR 6123: FORÇAS DEVIDAS AO VENTO EM EDIFICAÇÕES

32 CÁLCULO DA CARGA ACIDENTAL IMPOSTA NA COBERTURA Carga acidental em uma região onde o vento tem velocidade média de 30m/s Ação do vento na Cobertura: 32 Kg/m²

33 CÁLCULO DA CARGA IMPOSTA NA COBERTURA. Ação do vento na Cobertura: 32 Kg/m² Cargas permanentes e sobrecarga adotadas. Peso próprio da Estrutura 20 kg/m² Peso das telhas 15 kg/m² (fibroamianto) Sobrecarga 15 Kg/m²(chuva, lâmina de água de 1,5cm) Total de carga na cobertura: 82kg/m²

34 TIPOS DE TELHAS Características Técnicas : Trapezoidal Metálica (4mm) Ondulada Fibrocimento (6mm) Peso Metro Quadrado: 10,00 kg/m² / Largura Útil 72cm /1,10cm Peso Metro Linear 8,10 kg / 16,2 kg 15 kg/m²

35 ABNT NBR PROTEÇÃO DE ESTRUTURAS CONTRA DESCARGAS ATMOSFÉRICAS. Vários profissionais consultados garantem a necessidade desse procedimento em linhas de vida de telhados. Consulte uma empresa especializada nesses sistemas

36 3-REQUISITOS DO SISTEMA DE ANCORAGEM Os sistemas de ancoragem devem: a) ser instalados por trabalhadores capacitados; b) ser submetidos à inspeção inicial e periódica A inspeção inicial deve ser realizada após a instalação, alteração ou mudança de local A inspeção periódica do sistema de ancoragem deve ser efetuada de acordo com o procedimento operacional, considerando o projeto do sistema de ancoragem e o de montagem, respeitando as instruções do fabricante e as normas regulamentadoras e técnicas aplicáveis, com periodicidade não superior a 12 meses.

37 INSPEÇÕES Os elementos do SPIQ que apresentarem defeitos, degradação, deformações ou sofrerem impactos de queda devem ser inutilizados e descartados, exceto quando sua restauração for prevista em normas técnicas nacionais ou, na sua ausência, em normas internacionais e de acordo com as recomendações do fabricante. (NR)

38 EPI -SPIQ O fabricante e/ou o fornecedor de EPI deve disponibilizar informações quanto ao desempenho dos equipamentos e os limites de uso, considerando a massa total aplicada ao sistema (trabalhador e equipamentos) e os demais aspectos previstos no item (NR) Na aquisição e periodicamente devem ser efetuadas inspeções do SPIQ, recusando-se os elementos que apresentem defeitos ou deformações. (NR) Antes do início dos trabalhos deve ser efetuada inspeção rotineira de todos os elementos do SPIQ. (NR) Devem-se registrar os resultados das inspeções: (NR) a) na aquisição; (NR) b) periódicas e rotineiras quando os elementos do SPIQ forem recusados. (NR)

39 A ANÁLISE DE RISCO PREVISTA NESTA NORMA DEVE CONSIDERAR PARA O SPIQ MINIMAMENTE OS SEGUINTES ASPECTOS: (NR) a) que o trabalhador deve permanecer conectado ao sistema durante todo o período de exposição ao risco de queda; (NR) b) distância de queda livre; (NR) c) o fator de queda; (NR) d) a utilização de um elemento de ligação que garanta um impacto de no máximo 6 kn seja transmitido ao trabalhador quando da retenção de uma queda; (NR) e) a zona livre de queda; (NR) f) compatibilidade entre os elementos do SPIQ. (NR)

40 O TALABARTE E O DISPOSITIVO TRAVA-QUEDAS DEVEM SER POSICIONADOS: (NR) a) quando aplicável, acima da altura do elemento de engate para retenção de quedas do equipamento de proteção individual; (NR) b) de modo a restringir a distância de queda livre; (NR) c) de forma a assegurar que, em caso de ocorrência de queda, o trabalhador não colida com estrutura inferior.

41 O TALABARTE, EXCETO QUANDO ESPECIFICADO PELO FABRICANTE E CONSIDERANDO SUAS LIMITAÇÕES DE USO, NÃO PODE SER UTILIZADO: (NR) a) conectado a outro talabarte, elemento de ligação ou extensor; (NR) b) com nós ou laços. (NR)

42 NR18-O primeiro item, , diz que "nas edificações com, no mínimo, quatro pavimentos ou altura de 12m a partir do nível do térreo, devem ser instalados dispositivos destinados à ancoragem de equipamentos de sustentação de andaimes e de cabos de segurança para o uso de proteção individual a serem utilizados nos serviços de limpeza, manutenção e restauração de fachadas".

43 NBR TIPO A1 OU TIPO A2 TIPO A1 28KN TIPO A1 40KN

44 INSTALAÇÃO -TIPO A1 APLICAÇÃO DE RESINA QUÍMICA COLOCAÇÃO BARRA ROSCADA

45 TESTE DE ARRANQUE - EQUIPAMENTO CALIBRADO TESTE INDIVIDUAL FATOR SEGURANÇA 2,5 = NORMA 2

46 NBR TIPO A1 OU TIPO A2 TIPO A2

47 NBR TIPO B

48 TIPO B

49 TIPO B

50 LINHA DE VIDA NBR TIPO D

51 Linha de Vida NBR tipo D

52 LINHA DE VIDA NBR TIPO D

53 NBR TIPO D

54 PÓRTICO COM LINHA DE VIDA RÍGIDA NBR TIPO D

55 NBR TIPO D

56 FIXAÇÕES QUE NÃO COMPROMETAM AS ESTRUTURAS E FACILITEM A MANUTENÇÃO

57 NBR TIPO D

58

59 NBR TIPO D

60 TRAVA-QUEDAS GUIADO EM LINHA FLEXÍVEL NBR14626 NÃO UTILIZAMOS PRESILHAS TUDO EM AÇO INOX

61 TRAVA-QUEDAS GUIADO EM LINHA FLEXÍVEL NBR14626 / NR 33

62 TIPO C -ABS/ABSORVEDOR DE ENERGIA

63 NBR TIPO C

64 NBR 11099

65 NBR /NBR TIPO C

66 NBR TIPO C

67 NBR TIPO C

68 ESTICADORES FORJADOS DE ALTA CAPACIDADE

69 ESTICADORES FORJADOS DE ALTA CAPACIDADE

70 ESTICADORES FORJADOS DE ALTA CAPACIDADE

71 DESCONEXÃO PERIGOSA

72 NBR TIPO C ABSORVEDOR DE ENERGIA COM MEDIDOR DE TENSÃO E ESTICADOR TERMINAL

73 NBR TIPO C

74 NBR TIPO C

75 NBR TIPO C INTERMEDIÁRIOS LIVRES INTERMEDIÁRIOS PARA TELHADOS INCLINADOS 45º

76 NBR TIPO C CURVA PARA LINHAS DE CONTORNO TROLLE LIVRE

77 NBR TIPO C

78 NBR TIPO C

79 NBR TIPO C

80 DATA BOOK ANEXO A NBR/ABNT16325

81 ANEXO A Recomendações de instalação, documentação de instalação e inspeções periódicas A.3 Orientação sobre documentação a ser fornecida após a instalação A.3.1 Para o usuário, a documentação de instalação fornece evidências de que a instalação foi realizada corretamente. Além disso, é a base essencial para a inspeção futura do dispositivo de ancoragem, dado que, em muitos casos, a fixação dos dispositivos de ancoragem não é visível ou acessível. A.3.2 Após a instalação, cópias da documentação de instalação devem ser entregues ao usuário. Esta documentação deve ser mantida no edifício para fins de inspeções subsequentes do dispositivo de ancoragem.

82 ANEXO A Recomendações de instalação, documentação de instalação e inspeções periódicas A documentação de instalação deve conter pelo menos as seguintes informações: a) endereço e localização da instalação; b) nome e endereço da empresa ou do profissional legalmente habilitado responsável pela instalação; c) nome da pessoa encarregada pela instalação; d) identificação do produto (fabricante do dispositivo de ancoragem, tipo, modelo); e) dispositivo de fixação (fabricante, produto, tensão permitida e forças transversais); f) plano de instalação esquemático, por exemplo, do telhado, e um manual de utilização, sobre, por exemplo, onde os pontos de ancoragem estão localizados; g) projeto de instalação.

83 PADRÕES DE MONTAGEM E AFERIÇÃO

84 CONTROLE DE QUALIDADE

85 AFERIÇÃO DE APERTO DE PORCAS E PARAFUSOS

86 AFERIÇÕES DOS SISTEMAS INSTALADOS

87 PROJETOS COM DETALHAMENTO PEÇAS

88 PROJETOS COM DETALHAMENTO DE SUPORTES

89 PROJETOS DETALHADOS

90 ESTUDOS DO DESEMPENHO DOS SISTEMAS

91 ESTUDOS DO DESEMPENHO DOS SISTEMAS

92 ESTUDOS DO DESEMPENHO DOS SISTEMAS

93 CERTIFICAÇÕES DOS INSTALADORES

94 CERTIFICAÇÃO DOS INSTALADORES

95 CERTIFICAÇÕES PARA TRABALHO EM ALTURA

96 PEÇAS CERTIFICADAS

97 CERTIFICAÇÕES

98 CERTIFICAÇÕES

99 IDENTIFICAÇÃO DOS SISTEMAS INSTALADOS

100 LEMBREM-SE,...O melhor sistema de ancoragem é aquele que atenda as normas técnicas e ofereça completa proteção ao trabalhador...

101 SISTEMAS DE SEGURANÇA PARA TRABALHOS EM ALTURA NR 35 ANEXO II NBR16325/NBR14626/NBR14627 Inspeção, Diagnóstico, Projetos, Instalação e Data Book Vendas Fabricação

102 Agradecemos ao GSO e a presença de todos! Consultor Carlos Dias (47) (47)

MINISTÉRIO DO TRABALHO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 1.113, DE 21 DE SETEMBRO DE 2016

MINISTÉRIO DO TRABALHO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 1.113, DE 21 DE SETEMBRO DE 2016 MINISTÉRIO DO TRABALHO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 1.113, DE 21 DE SETEMBRO DE 2016 Altera o item 35.5 - Equipamentos de Proteção Individual, Acessórios e Sistemas de Ancoragem e inclui o Anexo o

Leia mais

Portaria MTPS Nº 1113 DE 21/09/2016

Portaria MTPS Nº 1113 DE 21/09/2016 Portaria MTPS Nº 1113 DE 21/09/2016 Publicado no DO em 22 set 2016 Altera o item 35.5 - Equipamentos de Proteção Individual, Acessórios e Sistemas de Ancoragem e inclui o Anexo o Anexo II - Sistema de

Leia mais

Portaria Nº 1.113, de 21 de Setembro de 2016 Ministério do Trabalho

Portaria Nº 1.113, de 21 de Setembro de 2016 Ministério do Trabalho Portaria Nº 1.113, de 21 de PORTARIA Nº 1.113, DE 21 DE SETEMBRO DE 2016 Altera o item 35.5 - Equipamentos de Proteção Individual, Acessórios e Sistemas de Ancoragem e inclui o Anexo o Anexo II - Sistema

Leia mais

Ponto de Ancoragem. Segurança de alta performace

Ponto de Ancoragem. Segurança de alta performace No setor de construção civil existem diversas normas de segurança e medicina do trabalho que são necessárias e imprescindíveis, entre elas uma em questão se destaca: Esta Norma Regulamentadora - NR 18

Leia mais

INFORMATIVO Sistemas de Proteção contra Quedas O QUE HÁ DE NOVO?

INFORMATIVO Sistemas de Proteção contra Quedas O QUE HÁ DE NOVO? INFORMATIVO Sistemas de Proteção contra Quedas O QUE HÁ DE NOVO? Esta proposta de texto trata-se do Anexo II (REVISÃO DO ITEM 35.5 - EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL, ACESSÓRIOS E SISTEMAS DE ANCORAGEM)

Leia mais

NR-35 TRABALHO EM ALTURA

NR-35 TRABALHO EM ALTURA NR-35 TRABALHO EM ALTURA Publicação D.O.U. Portaria SIT n.º 313, de 23 de março de 2012 27/03/12 Alterações/Atualizações D.O.U. Portaria MTE n.º 593, de 28 de abril de 2014 30/04/14 Portaria MTE n.º 1.471,

Leia mais

IV Benchmarking de Segurança 2016

IV Benchmarking de Segurança 2016 IV Benchmarking de Segurança 2016 INOVAÇÃO EDUCAÇÃO COMPORTAMENTO Case: Ministério do Trabalho NR.35 Trabalho em Altura AFT engº Gianfranco Pampalon Quando edificares uma casa nova, farás um Quando edificares

Leia mais

Trabalhos em altura Nº 12

Trabalhos em altura Nº 12 1. Campo de Aplicação Este Anexo compõe o Procedimento Empresarial de Segurança e Saúde do Trabalho em Obras e Serviços Contratados - PE-RH0003 e aplica-se à CONTRATADA para a realização de atividades

Leia mais

NR-35 TRABALHO EM ALTURA.. Exceto Capítulo 3 (Capacitação e Treinamento) e item 6.4 que entram em vigor em 27/03/2013

NR-35 TRABALHO EM ALTURA.. Exceto Capítulo 3 (Capacitação e Treinamento) e item 6.4 que entram em vigor em 27/03/2013 Prazos:. Entra em vigor em 27/09/2012 NR-35 TRABALHO EM ALTURA Publicação D.O.U. Portaria SIT n.º 313, de 23 de março de 2012 27/03/12. Exceto Capítulo 3 (Capacitação e Treinamento) e item 6.4 que entram

Leia mais

ANCORAGEM PREDIAL. Alfa Proteções São Paulo Tel.: (11) / WhatsApp: (11)

ANCORAGEM PREDIAL. Alfa Proteções São Paulo Tel.: (11) / WhatsApp: (11) ANCORAGEM PREDIAL No setor de construção civil existem diversas normas de segurança e medicina do trabalho que são necessárias e imprescindíveis, entre elas uma em questão se destaca: Esta Norma Regulamentadora

Leia mais

CHECK-LIST TRABALHO EM ALTURA - NR 35

CHECK-LIST TRABALHO EM ALTURA - NR 35 CHECK-LIST TRABALHO EM ALTURA - NR 35 LOCAL: INSPETOR: RESPONSÁVEL PELO LOCAL: TELEFONES DE EMERGÊNCIA: DESCRIÇÃO DO SERVIÇO: DADOS DA INSPEÇÃO DATA: TELEFONE: TELEFONE: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 Condições

Leia mais

NR 35 - TRABALHO EM ALTURA

NR 35 - TRABALHO EM ALTURA NR 35 - TRABALHO EM ALTURA Alterações: Portaria MTE n. 593, de 28.04.14 Portaria MTE n. 1471, de 24.09.14 Portaria MTE n. 1113, de 21.09.16 Aprovada pela: Portaria SIT n. 313, de 23.03.12 35.1. Objetivo

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO Trata-se de proposta de texto para criação de Norma Regulamentadora sobre Trabalho em Altura

Leia mais

ggg A Dois Dez conta com anos de experiência na fabricação, fornecimento e instalação de diversos sistemas para trabalho em altura.

ggg A Dois Dez conta com anos de experiência na fabricação, fornecimento e instalação de diversos sistemas para trabalho em altura. ggg A Dois Dez conta com anos de experiência na fabricação, fornecimento e instalação de diversos sistemas para trabalho em altura. Desenvolvemos este artigo para ajudar você a entender mais sobre nosso

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DE PONTOS DE ANCORAGEM ANCORAGEM MESTRE MAX

MANUAL DE INSTRUÇÕES DE PONTOS DE ANCORAGEM ANCORAGEM MESTRE MAX MANUAL DE INSTRUÇÕES DE PONTOS DE ANCORAGEM ANCORAGEM MESTRE MAX www.mestremax.com.br (51) 3748-9439 atendimento@mestremax.com.br MANUAL DE INSTRUÇÕES ANCORAGEM MESTRE MAX 1. FABRICANTE: Edson Nonnenmacher

Leia mais

15 COISAS QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE LINHA DE VIDA

15 COISAS QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE LINHA DE VIDA 15 COISAS QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE LINHA DE VIDA Segundo o MTE, 40% dos acidentes causados no ambiente de trabalho são ocasionadas por quedas. Uma das soluções mais buscadas pelas empresas para solucionar

Leia mais

INSTRUÇÃO DE TRABALHO

INSTRUÇÃO DE TRABALHO PÁG. 1/12 1. OBJETIVO Sistematizar os procedimentos de execução de trabalho em altura acima de 2,00 m (dois metros) do nível inferior, onde haja risco de queda. 2. ÁREA DE ABRANGÊNCIA Esta instrução de

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO. PORTARIA Nº 313, DE 23 DE MARÇO DE 2012 (DOU de 27/03/2012 Seção I Pág.

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO. PORTARIA Nº 313, DE 23 DE MARÇO DE 2012 (DOU de 27/03/2012 Seção I Pág. MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO PORTARIA Nº 313, DE 23 DE MARÇO DE 2012 (DOU de 27/03/2012 Seção I Pág. 140) Aprova a Norma Regulamentadora n.º 35 (Trabalho em Altura).

Leia mais

Programa de Gestão Econômica, Social e Ambiental da Soja Brasileira. Segurança e Saúde em Trabalhos em Altura

Programa de Gestão Econômica, Social e Ambiental da Soja Brasileira. Segurança e Saúde em Trabalhos em Altura Programa de Gestão Econômica, Social e Ambiental da Soja Brasileira Segurança e Saúde em Trabalhos em Altura Porque este assunto preocupa? Impacto dos Acidentes envolvendo Quedas - 40% das fatalidades

Leia mais

PORTARIA No- 157, DE 10 DE ABRIL DE 2006

PORTARIA No- 157, DE 10 DE ABRIL DE 2006 PORTARIA No- 157, DE 10 DE ABRIL DE 2006 DOU 12-04-2006 Altera a redação da Norma Regulamentadora n.º 18 A SECRETÁRIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO e o DIRETOR DO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO,

Leia mais

Bom dia! Seleção, inspeção emanutenção dos EPIs

Bom dia! Seleção, inspeção emanutenção dos EPIs Bom dia! Seleção, inspeção emanutenção dos EPIs NR-35.5.1 Os EPI, acessórios e sistemas de ancoragem devem ser especificados e selecionados considerando-se a sua: eficiência, o conforto, a carga aplicada

Leia mais

Rua Dr. Sergio Francisco de Souza de Castro, 17 CEP: SEDE

Rua Dr. Sergio Francisco de Souza de Castro, 17 CEP: SEDE Rua Dr. Sergio Francisco de Souza de Castro, 17 CEP: 81580-030 SEDE MANUAL DE INTRUÇÕES Setti 2500kgf (25kN) DISPOSITIVO DE ANCORAGEM TIPO A1 / C NBR-16325-1 e 2 1) FABRICANTE: Setti Resgate e Alpinismo

Leia mais

ANDAIMES E PLATAFORMAS DE TRABALHO

ANDAIMES E PLATAFORMAS DE TRABALHO Página: 1 de 5 TEXTO APROVADO EM REUNIÃO DO CPN de 07/10/2010. ITEM TEXTO ATUAL TEXTO PROPOSTO 18.15.1 Manter 18.15.1.1 18.15.2 Os andaimes devem ser dimensionados e construídos de modo a suportar, com

Leia mais

Rua Dr. Sergio Francisco de Souza de Castro, 17 CEP: SEDE

Rua Dr. Sergio Francisco de Souza de Castro, 17 CEP: SEDE Rua Dr. Sergio Francisco de Souza de Castro, 17 CEP: 81580-030 SEDE MANUAL DE INSTALAÇÃO Setti 2500kgf (25kN) DISPOSITIVO DE ANCORAGEM TIPO A1 / C NBR-16325-1 e 2 1) FABRICANTE: Setti Resgate e Alpinismo

Leia mais

ATUALIZAÇÃO DAS NR NA CTPP - COMISSÃO TRIPARTITE PARITÁRIA PERMANENTE. Luiz Carlos Lumbreras Rocha SRTE/RJ

ATUALIZAÇÃO DAS NR NA CTPP - COMISSÃO TRIPARTITE PARITÁRIA PERMANENTE. Luiz Carlos Lumbreras Rocha SRTE/RJ ATUALIZAÇÃO DAS NR NA CTPP - COMISSÃO TRIPARTITE PARITÁRIA PERMANENTE Luiz Carlos Lumbreras Rocha SRTE/RJ Revisão das NR 2010-2016 Realizadas 58 alterações compreendendo: 3 Novas Normas NR 34, NR35 e NR36

Leia mais

Art. 1º Aprovar a Norma Regulamentadora nº 35 (NR-35), sob o título "Trabalho em Altura", com a redação constante no Anexo desta Portaria.

Art. 1º Aprovar a Norma Regulamentadora nº 35 (NR-35), sob o título Trabalho em Altura, com a redação constante no Anexo desta Portaria. Fonte: Diário Oficial da União, nº 60, Seção I, p. 140, 27.02.2012 Portaria SIT nº 313, de 23.03.2012 - Aprova a Norma Regulamentadora nº 35 (Trabalho em Altura). A Secretária de Inspeção do Trabalho,

Leia mais

Seralts Comércio, Serviços e Treinamentos Ltda - ME

Seralts Comércio, Serviços e Treinamentos Ltda - ME Portfólio 2016 APRESENTAÇÃO Este Portfólio tem como objetivo, apresentar o perfil da Seralts a nossos Clientes, Parceiros e Colaboradores, a fim de facilitar nosso processo de Integração. Fundada em 2012,

Leia mais

PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DA NR-18 Estruturas Pré-moldadas e Pré-Fabricadas de Concreto Versão_CPN ITEM / TEXTO ATUAL TEXTO PROPOSTO OBSERVAÇÕES

PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DA NR-18 Estruturas Pré-moldadas e Pré-Fabricadas de Concreto Versão_CPN ITEM / TEXTO ATUAL TEXTO PROPOSTO OBSERVAÇÕES PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DA NR-18 Estruturas Pré-moldadas e Pré-Fabricadas de Concreto Versão_CPN ITEM / TEXTO ATUAL TEXTO PROPOSTO OBSERVAÇÕES OBJETIVO Este anexo estabelece requisitos mínimos de segurança

Leia mais

Normativas Gerais da NR-18

Normativas Gerais da NR-18 Normativas Gerais da NR-18 18.12 - ESCADAS, RAMPAS E PASSARELAS 2 ESCADAS, RAMPAS E PASSARELAS - A transposição de pisos com diferença de nível superior a 40cm deve ser feita por meio de escadas ou rampas.

Leia mais

LINHA DE VIDA CONSULTORIA E PROJETOS PARA

LINHA DE VIDA CONSULTORIA E PROJETOS PARA 2019 CONSULTORIA E PROJETOS PARA LINHA DE VIDA A Danny possui uma equipe de engenharia altamente especializada com profissionais capacitados para desenvolver os mais diversos projetos de linha de vida.

Leia mais

Telhas ArcelorMittal

Telhas ArcelorMittal Telhas ArcelorMittal Apresentação As telhas de aço ArcelorMittal são produzidas a partir de bobinas de aço revestido que passam por perfiladeiras, assumindo formato trapezoidal ou ondulado. Os tipos de

Leia mais

Deuteronômios /10/2012

Deuteronômios /10/2012 MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO Deuteronômios 22.8 Quando edificares uma casa nova, farás um parapeito, no eirado (terraço), para que não ponhas culpa de sangue na tua casa, se alguém de algum modo cair

Leia mais

O USO DE ANDAIMES NA CONSTRUÇÃO CIVIL NR

O USO DE ANDAIMES NA CONSTRUÇÃO CIVIL NR O USO DE ANDAIMES NA CONSTRUÇÃO CIVIL NR 18 A evolução da fabricação e montagem de andaimes permitiu garantir maior eficiência nos canteiros de obras, aumentando o cuidado e preocupação do setor com a

Leia mais

A Empresa. Nosso objetivo é projetar e comercializar sistemas para fixação de módulos fotovoltaicos, cada vez mais eficiente para os nossos clientes.

A Empresa. Nosso objetivo é projetar e comercializar sistemas para fixação de módulos fotovoltaicos, cada vez mais eficiente para os nossos clientes. A Empresa A Spin está localizada na cidade de Barueri SP, atuando no mercado metal mecânico há mais de 25 anos, entramos no mercado fotovoltaico com o objetivo de fornecer sistemas de fixação com o mais

Leia mais

RECOMENDAÇÕES REFERENTES A UTILIZAÇÃO DOS SISTEMAS DE REDES DE SEGURANÇA

RECOMENDAÇÕES REFERENTES A UTILIZAÇÃO DOS SISTEMAS DE REDES DE SEGURANÇA RECOMENDAÇÕES REFERENTES A UTILIZAÇÃO DOS SISTEMAS DE REDES DE SEGURANÇA O Comitê Permanente Regional sobre Condições e Meio Ambiente do Trabalho na Indústria da Construção CPR/RS, preocupado com as proteções

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO PORTARIA Nº 201, DE 21 DE JANEIRO DE 2011

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO PORTARIA Nº 201, DE 21 DE JANEIRO DE 2011 MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO PORTARIA Nº 201, DE 21 DE JANEIRO DE 2011 DOU de 24/01/2011 (nº 16, Seção 1, pág. 100) Altera a Norma Regulamentadora nº 18. A SECRETÁRIA

Leia mais

PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DA NR Cabos de Aço e Cabos de Fibra Sintética_Versão_GT_Revisão da NR-18 TEXTO ATUAL TEXTO PROPOSTO JUSTIFICATIVA

PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DA NR Cabos de Aço e Cabos de Fibra Sintética_Versão_GT_Revisão da NR-18 TEXTO ATUAL TEXTO PROPOSTO JUSTIFICATIVA PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DA NR-18 18.16. Cabos de Aço e Cabos de Fibra Sintética_Versão_GT_Revisão da NR-18 TEXTO ATUAL TEXTO PROPOSTO JUSTIFICATIVA 18.16.1 É obrigatória a observância das 18.16.1 É obrigatória

Leia mais

Vantagens de uma linha de vida horizontal flexível certificada

Vantagens de uma linha de vida horizontal flexível certificada Vantagens de uma linha de vida horizontal flexível certificada O mercado brasileiro de segurança para trabalho em altura está evoluindo muito rápido. Um dos maiores avanços foi a publicação da Norma Regulamentadora

Leia mais

Informações e orientações para seleção e uso de um sistema de proteção individual contra queda (SPIQ) Palestrante: Marcos Amazonas

Informações e orientações para seleção e uso de um sistema de proteção individual contra queda (SPIQ) Palestrante: Marcos Amazonas ABNT NBR 16.489 Informações e orientações para seleção e uso de um sistema de proteção individual contra queda (SPIQ) Palestrante: Marcos Amazonas Realização: Bauru - Agosto 2017 Objetivo da apresentação

Leia mais

NR 35 - As soluções. Novembro de 2015

NR 35 - As soluções. Novembro de 2015 NR 35 - As soluções Novembro de 2015 Objetivo Atualidades da norma NR 35 e como a tecnologia e solução completa Honeywell pode auxiliar na conformidade. 2 Simbologia do trabalho em altura Principais tópicos

Leia mais

Instituto Lab System de Pesquisas e Ensaios LTDA.

Instituto Lab System de Pesquisas e Ensaios LTDA. Instituto Lab System de Pesquisas e Ensaios LTDA. Relatório de Ensaio (RAE) N.º 5640716 Pág.: 1 / 5 Data de emissão: 01/08/2016 1 Solicitante: Ultra safe omércio, Importação e Exportação Ltda. Endereço:

Leia mais

PRAÇA DOS ESPORTES E DA CULTURA MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

PRAÇA DOS ESPORTES E DA CULTURA MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PRAÇA DOS ESPORTES E DA CULTURA MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PROJETO: INCÊNDIO Modelo: 3.000 m2 MAIO 2011 SUMÁRIO 1. Apresentação... 03 2. Extintores... 04 3. Iluminação de Emergência...

Leia mais

DISPOSITIVO DE ANCORAGEM TIPO A EM AÇO INOX

DISPOSITIVO DE ANCORAGEM TIPO A EM AÇO INOX ZONE ANCHOR DISPOSITIVO DE ANCORAGEM TIPO A EM AÇO INOX Alta resistência 34 KN Produto a pronta entrega Material inoxidavel Pode ser utilizado como dispositivo de ancoragem ou como componente de outros

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA TALHA MOTORIZADA COM TROLLEY AMB 23.0792.0500.0 SAP 10005225 1. ESCOPO DO FORNECIMENTO Fornecimento de talha de corrente motorizada capacidade de carga 3.000 KG, para içamento e movimentação

Leia mais

MANUAL TÉCNICO ANDAIME MULTIDIRECIONAL SISTEMA MULTIMAX

MANUAL TÉCNICO ANDAIME MULTIDIRECIONAL SISTEMA MULTIMAX MANUAL TÉCNICO ANDAIME MULTIDIRECIONAL SISTEMA MULTIMAX Andaime Multidirecional...03 Instruções de Montagem...04 Componentes do Sistema...06 Informações Técnicas...08 Modos e Pontos de Ancoragem...09 Dicas

Leia mais

Trabalhos em Altura com a Utilização de Cadeira Suspensa (Balancim)

Trabalhos em Altura com a Utilização de Cadeira Suspensa (Balancim) PROCEDIMENTO DE SMS Trabalhos em Altura com a Utilização de Cadeira Suspensa (Balancim) PR-99-993-CPG-009 Revisão: 01 Aprovação: 24/02/2017 Página: 1/7 1. OBJETIVO Estabelecer requisitos de segurança para

Leia mais

001 Branco / 002 Verde / 003 Cinza / 004 Azul Marinho / 005 Marrom Cacau / Amarelo

001 Branco / 002 Verde / 003 Cinza / 004 Azul Marinho / 005 Marrom Cacau / Amarelo 1 OBJETIVO Estabelecer as condições mínimas para fornecimento de capacete de segurança para uso dos trabalhadores da Superintendência do Porto do Rio Grande, em atividades com exposição a riscos durante

Leia mais

Memorial de Cálculo de um Balancim Suspenso Série G2 C3BG ART N

Memorial de Cálculo de um Balancim Suspenso Série G2 C3BG ART N Telefone: 54 3211 8700 www.c3equipamentos.com.br Memorial de Cálculo de um Balancim Suspenso Série G2 C3BG2040515 ART N 7927159 Data: segunda-feira, 04 de maio de 2015 Engenheiro: Nome do estudo: Cálculo

Leia mais

Procedimento para trabalho em Altura NR 35

Procedimento para trabalho em Altura NR 35 Procedimento para trabalho em Altura NR 35 Trabalho em Altura NR 35 - SST Objetivo e Campo de Aplicação 35.1.1 Esta Norma estabelece os requisitos mínimos e as medidas de proteção para o trabalho em altura,

Leia mais

GlideLoc Sistemas de trilho para acesso seguro em escadas

GlideLoc Sistemas de trilho para acesso seguro em escadas GlideLoc Sistemas de trilho para acesso seguro em escadas FAQ Perguntas Mais Frequentes P1: O que são os kits GlideLoc para acesso seguro em escadas? R1: GlideLoc trata-se de de um sistema de linha de

Leia mais

Manual para Instalação de Redes Internas de Distribuição de Gás Natural e de Aparelhos à Gás Natural.

Manual para Instalação de Redes Internas de Distribuição de Gás Natural e de Aparelhos à Gás Natural. Manual para Instalação de Redes Internas de Distribuição de Gás Natural e de Aparelhos à Gás Natural Claudia Provasi Claudia Provasi provasi@gasnaturalfenosa.com 1. O Projeto 2. Objetivo 3. Etapas de Desenvolvimento

Leia mais

COMO ESCREVER UM MANUAL DE INSTRUÇÕES CONFORME A NR 12:

COMO ESCREVER UM MANUAL DE INSTRUÇÕES CONFORME A NR 12: COMO ESCREVER UM MANUAL DE INSTRUÇÕES CONFORME A NR 12: Com a publicação do texto revisado da Norma Regulamentadora 12, em Dezembro de 2010 pela Portaria SIT 197 do Ministério do Trabalho e Emprego, surgiram

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO. Balancim Individual Manual do Tipo Cadeirinha Modelo Cabo Passante

MANUAL DE OPERAÇÃO. Balancim Individual Manual do Tipo Cadeirinha Modelo Cabo Passante MANUAL DE OPERAÇÃO Balancim Individual Manual do Tipo Cadeirinha Modelo Cabo Passante Balancim Individual Manual KTB O Balancim Individual Manual KTB é um equipamento para movimentações verticais realizadas

Leia mais

Manual de Montagem Telhado Cerâmico com Gancho

Manual de Montagem Telhado Cerâmico com Gancho Manual de Montagem Telhado Cerâmico com Gancho SUMÁRIO 3 4 5 6 8 9 10 Empresa Garantia Segurança Lista de materiais Ferramentas necessárias Montagem do Gancho Montagem EMPRESA A Solar Group do Brasil,

Leia mais

Superintendência Comercial de Distribuição

Superintendência Comercial de Distribuição Superintendência Comercial de Distribuição MEDIÇÃO DE ENERGIA ETC 3.15 DISPOSITIVO DE GERENCIAMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA maio/2012 CÓPIA NÃO CONTROLADA Verificar versão atualizada na Internet SUMÁRIO 1-

Leia mais

Projeto de Sistema de Proteção Individual de Captura de Quedas

Projeto de Sistema de Proteção Individual de Captura de Quedas Projeto de Sistema de Proteção Individual de Captura de Quedas TECPUC Jaraguá do Sul 31/05/2012 Miguel C. Branchtein Auditor Fiscal do Trabalho miguel.branchtein@mte.gov.br 1 no RS Sumário Prevalência

Leia mais

Manual de Montagem Telhado Cerâmico com Gancho

Manual de Montagem Telhado Cerâmico com Gancho Manual de Montagem Telhado Cerâmico com Gancho SUMÁRIO 3 4 5 6 8 9 10 Empresa Garantia Segurança Lista de materiais Ferramentas necessárias Montagem do Gancho Montagem EMPRESA A Solar Group do Brasil,

Leia mais

Nº: e PROGRAMA : - - TÍTULO: TRABALHOS EM ALTURA CORDAS PARA LINHA DE VIDA ÍNDICE DE REVISÕES SMS/ECE/SEG GT CSQD SMS/ECE/SEG

Nº: e PROGRAMA : - - TÍTULO: TRABALHOS EM ALTURA CORDAS PARA LINHA DE VIDA ÍNDICE DE REVISÕES SMS/ECE/SEG GT CSQD SMS/ECE/SEG ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA Nº: ET-0000.00-5434-980-PPM-043 CLIENTE: : - d 1 18 e PROGRAMA : - - ÁREA: - - SMS ÍNDICE DE REVISÕES REV. DESCRIÇÃO OU S ATINGIDAS 0 Especificação Inicial REV. 0 REV. A REV. B REV.

Leia mais

faça do Sol a sua fonte de energia ESTRUTURAS DE FIXAÇÃO PARA PAINÉIS FOTOVOLTAICOS EDIÇÃO /05

faça do Sol a sua fonte de energia ESTRUTURAS DE FIXAÇÃO PARA PAINÉIS FOTOVOLTAICOS EDIÇÃO /05 faça do Sol a sua fonte de energia ESTRUTURAS DE FIXAÇÃO PARA PAINÉIS FOTOVOLTAICOS EDIÇÃO - 2018/05 faça do Sol a sua fonte de energia Estruturas de fixação para painéis fotovoltaicos As estruturas de

Leia mais

Estrutura para telhado

Estrutura para telhado A POLITEC possui estruturas de suporte de painéis fotovoltaicos específicos para o mercado brasileiro, oferecendo um produto robusto, eficiente, versátil e de baixo custo por Watt pico. Com design inovador,

Leia mais

Nº: e PROGRAMA : - - TRABALHOS EM ALTURA CONECTOR ENTRE COMPONENTES MOSQUETÃO ÍNDICE DE REVISÕES SMS/ECE/SEG GT CSQD SMS/ECE/SEG

Nº: e PROGRAMA : - - TRABALHOS EM ALTURA CONECTOR ENTRE COMPONENTES MOSQUETÃO ÍNDICE DE REVISÕES SMS/ECE/SEG GT CSQD SMS/ECE/SEG ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA Nº: ET-0000.00-5434-980-PPM-047 CLIENTE: : - d 1 18 e PROGRAMA : - - ÁREA: - - SMS ÍNDICE DE REVISÕES REV. DESCRIÇÃO OU S ATINGIDAS 0 Especificação Inicial REV. 0 REV. A REV. B REV.

Leia mais

Eng. Rafael Lubianca Diretor DEA Arq. Tadeu Foa Plano Diretor/DEA

Eng. Rafael Lubianca Diretor DEA Arq. Tadeu Foa Plano Diretor/DEA plano diretor / DEA 00081 CENTRO ADMINISTRATIVO PROJETO EXECUTIVO R-EE MEMORIAL DE PROJETO DE ARQUITETURA DESCRITIVO DE MOBILIÁRIOS ARQUIVOS DESLIZANTES Eng. Rafael Lubianca Diretor DEA Arq. Tadeu Foa

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO ARQUITETÔNICO

MEMORIAL DESCRITIVO ARQUITETÔNICO MEMORIAL DESCRITIVO ARQUITETÔNICO PROPRIETÁRIO: Município de Três Arroios OBRA: Pavilhão em concreto armado, coberto com estrutura metálica, destinado a Ginásio de Esportes (1ª etapa) LOCAL: Parte do lote

Leia mais

ANEXO I Pontos de ancoragem para amarração da carga em veículos para o transporte de carga. Requisitos e Ensaio 1. OBJETO E CAMPO DE APLICAÇÃO Este

ANEXO I Pontos de ancoragem para amarração da carga em veículos para o transporte de carga. Requisitos e Ensaio 1. OBJETO E CAMPO DE APLICAÇÃO Este ANEXO I Pontos de ancoragem para amarração da carga em veículos para o transporte de carga. Requisitos e Ensaio 1. OBJETO E CAMPO DE APLICAÇÃO Este anexo especifica os requisitos mínimos e os métodos de

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA TRABALHOS EM ALTURA

PROCEDIMENTO PARA TRABALHOS EM ALTURA 1 de 10 SUMÁRIO I. OBJETIVO II. LEGISLAÇÃO PERTINENTE III. DETALHAMENTO 1. Campo de Aplicação 2. Procedimentos 3. Responsabilidades 4. Recomendações Gerais de Segurança IV. EPI S NECESSÁRIOS V. REGISTROS

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES TÉCNICAS

MANUAL DE INSTRUÇÕES TÉCNICAS COPEL DDI DIRETORIA DE DISTRIBUIÇÃO SED SUPERINTENDÊNCIA DE ENGENHARIA DA DISTRIBUIÇÃO DOMS - DEPARTAMENTO DE OPERAÇÃO, MANUTENÇÃO E SERVIÇOS MANUAL DE INSTRUÇÕES TÉCNICAS PASTA : TÍTULO : MÓDULO : INSTRUMENTOS,

Leia mais

PROTEÇÃO CONTRA QUEDAS

PROTEÇÃO CONTRA QUEDAS ACTION Hércules TAMANHO PONTOS DE CONEXÃO NÚMERO DE AJUSTES FIBRA COR QUANTIDADE POR CAIXA HL012ACT Único Quatro Seis Poliéster Azul escuro e verde turquesa 5 unidades Cinturões CA 39.991 NBR 15835/ 15836

Leia mais

Guia do EPI. Foto: acervo Elton Fagundes

Guia do EPI. Foto: acervo Elton Fagundes Foto: acervo Elton Fagundes Os trabalhos realizados em altura ou com diferença de nível representam um alto grau de risco potencial, seja para a integridade física dos trabalhadores, como para as empresas

Leia mais

SEGALT TREINAMENTOS. Projeto Tr abalho em Altur a NR - 35 Acesso por Cor da NBR15.595/ (Alpinismo Industrial) Ricar do Pacheco

SEGALT TREINAMENTOS. Projeto Tr abalho em Altur a NR - 35 Acesso por Cor da NBR15.595/ (Alpinismo Industrial) Ricar do Pacheco SEGALT TREINAMENTOS Projeto Tr abalho em Altur a NR - 35 Acesso por Cor da NBR15.595/15.475 (Alpinismo Industrial) Ricar do Pacheco ACESSO POR CORDA Definição Técnica de progressão utilizando cordas, em

Leia mais

NR 12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS

NR 12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS NR 12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS Arranjo Físico e Instalações, Aspectos Ergonômicos, Sinalização, Procedimentos de Trabalho e Segurança e Capacitação Clarice I. Lorenzi Eng. de

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE SPDA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS - CAMPUS SENADOR CANEDO-GO

MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE SPDA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS - CAMPUS SENADOR CANEDO-GO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CAMPUS SENADOR CANEDO -GO MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE SPDA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS - CAMPUS SENADOR CANEDO-GO

Leia mais

Manual de Montagem Telhado Metálico Trapezoidal

Manual de Montagem Telhado Metálico Trapezoidal Manual de Montagem Telhado Metálico Trapezoidal SUMÁRIO 3 4 5 6 8 9 Empresa Garantia Segurança Lista de materiais Ferramentas necessárias Montagem EMPRESA A Solar Group do Brasil, localizada em Alphaville/SP,

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO ROLLER 3-4

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO ROLLER 3-4 ROLLER 3-4 TLV-0103 ROLLER 3-4 MANUAL DE UTILIZAÇÃO SEGURANÇA EM PRIMEIRO LUGAR! ROLLER 3-4 PARABÉNS, VOCÊ ACABA DE ADQUIRIR O SEU ROLLER 3-4! O dispositivo ROLLER 3-4, é ideal para a realização de movimentações

Leia mais

Nº: e PROGRAMA : - - TÍTULO: TRABALHOS EM ALTURA CORDELETE DE SUPORTAÇÂO DE CARGAS ÍNDICE DE REVISÕES SMS/ECE/SEG GT CSQD SMS/ECE/SEG

Nº: e PROGRAMA : - - TÍTULO: TRABALHOS EM ALTURA CORDELETE DE SUPORTAÇÂO DE CARGAS ÍNDICE DE REVISÕES SMS/ECE/SEG GT CSQD SMS/ECE/SEG ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA Nº: ET-0000.00-5434-980-PPM-045 CLIENTE: : - d 1 18 e PROGRAMA : - - ÁREA: - - SMS ÍNDICE DE REVISÕES REV. DESCRIÇÃO OU S ATINGIDAS 0 Especificação Inicial REV. 0 REV. A REV. B REV.

Leia mais

CÓDIGO VERSÃO DATA DA APROVAÇÃO USO EXCLUSIVO DA GPES PÁG. DE NT-010A 02 26/06/2019 NOTA TÉCNICA 1 7 CARGAS E ESTRUTURAS

CÓDIGO VERSÃO DATA DA APROVAÇÃO USO EXCLUSIVO DA GPES PÁG. DE NT-010A 02 26/06/2019 NOTA TÉCNICA 1 7 CARGAS E ESTRUTURAS NT-010A 02 26/06/2019 NOTA TÉCNICA 1 7 1. OBJETIVO Esta nota técnica tem o objetivo de apresentar as exigências técnicas referentes aos estudos, aos projetos e às especificações de equipamentos de cargas

Leia mais

Manual de Montagem Laje

Manual de Montagem Laje Manual de Montagem Laje SUMÁRIO 3 4 5 6 8 9 Empresa Garantia Segurança Lista de materiais Ferramentas necessárias Montagem EMPRESA A Solar Group do Brasil, localizada em Alphaville/SP, com a ajuda de conceituadas

Leia mais

NR 35 TRABALHO EM ALTURA

NR 35 TRABALHO EM ALTURA NR 35 TRABALHO EM ALTURA Sumário 35.1. Objetivo e Campo de Aplicação... 05 35.2. Responsabilidades... 05 35.3. Capacitação e Treinamento... 06 35.4. Planejamento, Organização e Execução... 07 35.5. Equipamentos

Leia mais

INSPEÇÃO PERIÓDICA DOS DISPOSITIVOS DE ANCORAGEM ATENÇÃO EM CASO DE INCÊNDIO, DISPOSITIVOS DE ANCORAGEM NÃO DEVEM SER UTILIZADOS.

INSPEÇÃO PERIÓDICA DOS DISPOSITIVOS DE ANCORAGEM ATENÇÃO EM CASO DE INCÊNDIO, DISPOSITIVOS DE ANCORAGEM NÃO DEVEM SER UTILIZADOS. ATUALIZADO: 07 JUN MANUAL DE INTRUÇÕES 0kN (000kgf) MANUAL DE INSTRUÇÕES DISPOSITIVO DE ANCORAGEM GIRATÓRIO COM CONTROLE DE INSTALAÇÃO - TIPO A NBR65- ) FABRICANTE: BONIER EQUIPAMENTOS DE SEGURANÇA LTDA.

Leia mais

Norma Regulamentadora N 35 Segurança em Trabalhos em Altura NR 35 Módulo Básico Trabalho em altura... 14 Objetivo e campo de aplicação... 14 Campo de aplicação... 15 Análise de risco e condições impeditivas...

Leia mais

SPDA - SISTEMAS DE PROTEÇÃO CONTRA DESCARGAS ATMOSFERICAS ( PARA-RAIOS ) Principais mudanças da norma NBR5419-Parte 3

SPDA - SISTEMAS DE PROTEÇÃO CONTRA DESCARGAS ATMOSFERICAS ( PARA-RAIOS ) Principais mudanças da norma NBR5419-Parte 3 SPDA - SISTEMAS DE PROTEÇÃO CONTRA DESCARGAS ATMOSFERICAS ( PARA-RAIOS ) Principais mudanças da norma NBR5419-Parte 3 A nova norma NBR5419 teve com o diretriz a IEC 62305 e se divide em 4 partes bem distintas,

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES

PERGUNTAS FREQUENTES PERGUNTAS FREQUENTES A HÉRCULES POSSUI CINTO PARA PESSOAS COM MAIS DE 100 KG OU POSSO UTILIZAR O CINTO DA HÉRCULES PARA MEU FUNCIONÁRIO COM MAIS DE 100 KG?? Concluímos que os cinturões paraquedistas da

Leia mais

A Empresa. Nosso objetivo é projetar e comercializar sistemas para fixação de módulos fotovoltaicos, cada vez mais eficiente para os nossos clientes.

A Empresa. Nosso objetivo é projetar e comercializar sistemas para fixação de módulos fotovoltaicos, cada vez mais eficiente para os nossos clientes. A Empresa A Spin está localizada na cidade de Barueri SP, atuando no mercado metal mecânico há mais de 25 anos, entramos no mercado fotovoltaico com o objetivo de fornecer sistemas de fixação com o mais

Leia mais

Manual de Montagem Telhado Fibrocimento com Prisioneiro

Manual de Montagem Telhado Fibrocimento com Prisioneiro Manual de Montagem Telhado Fibrocimento com Prisioneiro SUMÁRIO 3 4 5 6 8 9 Empresa Garantia Segurança Lista de materiais Ferramentas necessárias Montagem EMPRESA A Solar Group do Brasil, localizada em

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PROJETO DE ESTRUTURAS PARA COBERTURA DA ESCOLA ANTONIETA SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 2 1.1 INTRODUÇÃO...2 1.2 OBJETIVO DO DOCUMENTO...2 2 SISTEMA CONSTRUTIVO...

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS N o UNIFORMES E EQUIPAMENTOS DE SEGURANÇA DO TRABALHO

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS N o UNIFORMES E EQUIPAMENTOS DE SEGURANÇA DO TRABALHO 1. OBJETIVO Estabelecer as condições mínimas para o fornecimento e recebimento de mosquetão. 2. DEFINIÇÃO O mosquetão, denominado como conector é um anel metálico de diversos tipos e formatos para ligação

Leia mais

Segurança do Trabalho com Máquinas e Equipamentos. Thiago Freitas Engº Segurança do Trabalho

Segurança do Trabalho com Máquinas e Equipamentos. Thiago Freitas Engº Segurança do Trabalho Segurança do Trabalho com Máquinas e Equipamentos Thiago Freitas Engº Segurança do Trabalho Tem o objetivo de evitar que o trabalhador entre em contato com partes móveis da máquina. Definições Maquinas

Leia mais

ET-SE -030 TRAVESSIAS COM LUMINÁRIAS À LED

ET-SE -030 TRAVESSIAS COM LUMINÁRIAS À LED Sumário 1 OBJETIVO 2 2 DOCUMENTOS COMPLEMENTARES 2 3 DEFINIÇÃO 3 4 REQUISITOS ESPECÍFICOS 5 5 DOCUMENTAÇÃO 9 6 GARANTIA 11 Superintendência de Engenharia de Sinalização - SSI Página 1 1 OBJETIVO Estabelecer

Leia mais

Sistema Normativo Corporativo

Sistema Normativo Corporativo Sistema Normativo Corporativo COM LEITURA ATRAVÉS DE LENTE INSTALADA EM VERSÃO Nº PADRÃO TÉCNICO ATA Nº DATAA DATA DA VIGÊNCIA 00-10/08/2011 10/08/2011 APROVADO POR Edson Hideki Takauti SUMÁRIO 1. RESUMO...

Leia mais

Laudo de Comissionamento das Instalações Elétricas de Baixa Tensão

Laudo de Comissionamento das Instalações Elétricas de Baixa Tensão LEGGA SOLUÇÕES EM ENERGIA Eng. Adriel de Oliveira Engenheiro Eletricista - CREA PR: 119.257/D Av. Santos Dumont, 633 Londrina PR Fones: (43) 3039-2142 / (43) 9150-1414 E-mail: adriel@legga.com.br Laudo

Leia mais

4. Unidade Fiscalizadora: Serviço Social da Indústria - Departamento Regional Pará, Serviço de Engenharia SENGE / Logística.

4. Unidade Fiscalizadora: Serviço Social da Indústria - Departamento Regional Pará, Serviço de Engenharia SENGE / Logística. /TR 011/2019. Belém, 07 de Fevereiro de 2019. I) DEFINIÇÕES PRELIMINARES: 1. Objeto: Aquisição de Elementos de Fixação para suporte e montagem de Palco e Pórtico em Estrutura Metálica, para atendimento

Leia mais

Manual de Montagem Telhado Metálico com Prisioneiro

Manual de Montagem Telhado Metálico com Prisioneiro Manual de Montagem Telhado Metálico com Prisioneiro SUMÁRIO 3 4 5 6 8 9 10 Empresa Garantia Segurança Lista de materiais Ferramentas necessárias Aplicação Montagem EMPRESA A Solar Group do Brasil, localizada

Leia mais

PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DA NR Carpintaria Versão_CPN. TEXTO ATUAL TEXTO PROPOSTO JUSTIFICATIVA (discussões)

PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DA NR Carpintaria Versão_CPN. TEXTO ATUAL TEXTO PROPOSTO JUSTIFICATIVA (discussões) PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DA NR 18 18.7. Carpintaria Versão_CPN TEXTO ATUAL TEXTO PROPOSTO JUSTIFICATIVA (discussões) 18.7.1. As operações em máquinas e equipamentos necessários à realização da atividade de

Leia mais

Versátil, seguro e de rápida instalação! O melhor produto disponível no mercado!

Versátil, seguro e de rápida instalação! O melhor produto disponível no mercado! emade st Si da nhadevi i L c i at evq St Pr Sistema de - Versátil, seguro e de rápida instalação! O melhor produto disponível no mercado! Coberturas Considerando a experiência na fabricação e instalação

Leia mais

ITENS MAIS AUTUADOS PELA SRTE-RJ E AS RECENTES ALTERAÇÕES DA NR-06 E NR-18

ITENS MAIS AUTUADOS PELA SRTE-RJ E AS RECENTES ALTERAÇÕES DA NR-06 E NR-18 ITENS MAIS AUTUADOS PELA SRTE-RJ E AS RECENTES ALTERAÇÕES DA NR-06 E NR-18 Itens mais autuados pela Superintendência Regional do Trabalho SRTE-RJ relativos à Saúde Ocupacional Norma Item da norma Nome

Leia mais

NORMA TÉCNICA Nº 009/2002-CBMDF

NORMA TÉCNICA Nº 009/2002-CBMDF NORMA TÉCNICA Nº 009/2002-CBMDF Atividades Eventuais 1. Objetivo 1.1. Esta norma fixa as condições mínimas de segurança exigíveis para a realização de atividades eventuais que estimulem a concentração

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO GABINETE DO MINISTRO. PORTARIA N.º DE 09 DE DEZEMBRO DE 2013 (DOU de 11/12/2013 Seção I Pág.

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO GABINETE DO MINISTRO. PORTARIA N.º DE 09 DE DEZEMBRO DE 2013 (DOU de 11/12/2013 Seção I Pág. MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA N.º 1.895 DE 09 DE DEZEMBRO DE 2013 (DOU de 11/12/2013 Seção I Pág. 151) Altera a Norma Regulamentadora n.º 29. O MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO

Leia mais

NR 35 SEMINÁRIO Um Ano de Vigência da Norma de Trabalho em Altura

NR 35 SEMINÁRIO Um Ano de Vigência da Norma de Trabalho em Altura NR 35 SEMINÁRIO Um Ano de Vigência da Norma de Trabalho em Altura 26 de setembro do 2013 Projeto de norma Dispositivos de ancoragem Objetivo da apresentação: Apresentar o projeto de norma de dispositivos

Leia mais

Manual de Montagem Telhado Metálico Trapezoidal - Segmentado

Manual de Montagem Telhado Metálico Trapezoidal - Segmentado Manual de Montagem Telhado Metálico Trapezoidal - Segmentado SUMÁRIO 3 4 5 6 8 9 Empresa Garantia Segurança Lista de materiais Ferramentas necessárias Montagem EMPRESA A Solar Group do Brasil, localizada

Leia mais