Sumário. Capítulo 1 Introdução 1

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Sumário. Capítulo 1 Introdução 1"

Transcrição

1 Capítulo 1 Introdução 1 1 Conceito Contabilidade Teórica Contabilidade Prática 3 2 Objeto 3 3 Finalidade ou objetivo 5 4 Pessoas interessadas nas informações contábeis 6 5 Funções 8 6 Identificação dos aspectos patrimoniais 8 7 Áreas ou ramos 9 8 Campo de aplicação 10 9 Titular do patrimônio Empresário individual Empresa individual de responsabilidade limitada Sociedades empresárias Sociedade em nome coletivo Sociedade em comandita simples Sociedade limitada Sociedade anônima Sociedade em comandita por ações Sociedade em conta de participação 30 Sociedades empresárias quadro resumo Dissolução, liquidação e extinção Técnicas contábeis Escrituração contábil Demonstração Auditoria Análise das demonstrações contábeis ou financeiras 41 Questões comentadas 42 IX

2 Contabilidade Básica Capítulo 2 Patrimônio 51 1 Conceito 51 2 Bens 52 3 Direitos Duplicata Duplicata de prestação de serviços Remessa e devolução da duplicata Pagamento da duplicata Protesto da duplicata Cobrança judicial da duplicata Livro de Registro de Duplicatas Nota promissória Cheque 65 Comparação entre títulos de crédito 66 4 Obrigações 67 5 Situação líquida 69 6 Relações entre ativo, passivo exigível e situação líquida 79 7 Origens de recursos 81 8 Aplicações de recursos 83 9 Análise das origens e aplicações Terminologia contábil 85 Exercícios 89 Gabarito 90 Questões comentadas 91 Desafio 111 Capítulo 3 Contas Conceito Classificação das contas Elementos essenciais da conta Plano de contas Função das contas patrimoniais 122 Contas de ativo 122 Contas de passivo exigível 125 Contas de patrimônio líquido 125 Ricardo J. Ferreira X

3 5 Sistema de contas Elenco de contas Ativo Circulante Ativo Não Circulante Realizável a Longo Prazo Investimentos Imobilizado Intangível Passivo Circulante Passivo Não Circulante Patrimônio Líquido Resultado Receitas Despesas Contas de Compensação Contas de Compensação Ativas Contas de Compensação Passivas Movimentação das contas Balancete de verificação Teoria das contas Teoria Personalística Teoria Materialística Teoria Patrimonialista 150 Questões comentadas 151 Desafio 178 Capítulo 4 Escrituração contábil Conceito Métodos de escrituração Método das partidas simples Método das partidas mistas Método das partidas dobradas Funcionamento das contas no método das partidas dobradas Processos de escrituração Normas legais sobre escrituração 200 XI

4 Contabilidade Básica 9 Lançamento contábil Funções do lançamento Elementos essenciais do lançamento Fórmulas de lançamento Erros de escrituração e sua correção Livros de escrituração Descentralização da contabilidade Livros empresariais ou comerciais Livro Diário Livro-Razão Livros especiais Livros para fins tributários Sped Contábil 223 Questões comentadas 224 Desafio 242 Capítulo 5 Despesa Conceito Despesa de aluguel Despesa de juros Despesa de seguro Folha de pagamentos Contribuição previdenciária FGTS Salário-família Adiantamentos a empregados Provisão para férias Décimo terceiro salário Duplicatas Descontadas Cobrança simples bancária 267 Questões comentadas 269 Desafio 296 Capítulo 6 Receita Conceito Receita financeira 304 Ricardo J. Ferreira XII

5 3 Receita de venda de mercadorias Receita de serviços Receita de aluguel Reconhecimento da receita Mensuração da receita 315 Apêndice A Exemplos ilustrativos 316 Questões comentadas 327 Desafio 337 Capítulo 7 Apuração do resultado Conceito Contas transitórias e permanentes Encerramento dos saldos das contas de resultado Transferência do resultado para o patrimônio líquido Regimes contábeis: regime de caixa e regime de competência 353 Questões comentadas 361 Capítulo 8 Fato administrativo Conceito Fato permutativo Fato modificativo Fato misto ou composto Ato administrativo Insubsistências e superveniências 403 Questões comentadas 405 Capítulo 9 Operações com mercadorias Sistemas de inventário Sistema de inventário periódico Conta Mercadorias com função mista Método das três contas conta Mercadorias com função desdobrada Sistema de inventário permanente Métodos de avaliação de estoques Ficha de controle de estoque PEPS solução simplificada Média ponderada fixa 445 XIII

6 Contabilidade Básica 3.4 Método do varejo Custo específico CPC 16 (R1) Estoques Custos de aquisição do estoque Custos de transformação Outros custos Custos de estoque de prestador de serviços Custo do produto agrícola colhido proveniente de ativo biológico Outras formas para mensuração do custo Critérios de valoração de estoque Valor realizável líquido Reconhecimento como despesa no resultado 464 Questões comentadas 465 Capítulo 10 Provisões em geral Espécies de provisões Provisões relativas a passivos contingentes Passivos contingentes Ativos contingentes Provisão para devedores duvidosos 524 Questões comentadas 530 Capítulo 11 Princípios de Contabilidade Os princípios e sua observância Conceituação, amplitude e enumeração Princípio da entidade Princípio da continuidade Princípio da oportunidade Princípio do registro pelo valor original Princípio da competência Princípio da prudência Penalidades 558 Questões comentadas 559 Ricardo J. Ferreira XIV

7 Capítulo 12 Nova Estrutura Conceitual comentada (CPC 00) Comissão de Valores Mobiliários (CVM) Normas internacionais de contabilidade Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC) Nova Estrutura Conceitual comentada 581 Questões comentadas 665 Capítulo 13 Contabilidade tributária Noções básicas sobre tributos Impostos, taxas e contribuições Impostos Taxas Contabilização das taxas Contribuição de melhoria Contribuições especiais ou parafiscais Contribuição para custeio do serviço de iluminação pública Contabilização Empréstimos compulsórios Contabilização Atribuições da lei complementar Limitações constitucionais ao poder de tributar Participações governamentais Participação especial Retenção na fonte realizada pela administração pública federal Pessoas obrigadas à retenção Contabilização Hipóteses em que não se aplica a retenção Prazo de recolhimento Infrações e penalidades Tratamento dos valores retidos Imposto de Renda retido na fonte Rendimentos sujeitos à retenção Rendimentos do trabalho Rendimentos de capital Tratamento contábil Décimo terceiro salário 696 XV

8 Contabilidade Básica 3.6 Férias Ônus do imposto assumido pela fonte pagadora Imposto de Renda da pessoa jurídica Lucro real Contribuintes obrigados à apuração do lucro real Adições Exclusões Compensações Livro de Apuração do Lucro Real Lalur Lucro presumido Lucro arbitrado Adicional do Imposto de Renda CSLL contribuição social sobre o lucro líquido Base de cálculo CSLL com base no lucro presumido ou arbitrado ICMS Conceito de mercadoria Não cumulatividade Isenção e não incidência vedação ao crédito Seletividade Operações e prestações interestaduais com consumidor final ICMS na importação Imunidades Base de cálculo Lei Complementar nº 87/96 Lei Kandir Convênios Lei Complementar n 24/ Substituição tributária Tratamento do ICMS nas compras de mercadorias ICMS e frete nas compras ICMS incidente nas vendas de mercadorias IPI nas vendas PIS e Cofins na aquisição de mercadorias e serviços PIS/Cofins regime de incidência cumulativa PIS/Cofins regime de incidência não cumulativa Créditos do PIS/Cofins sobre o IPI PIS/Pasep sobre a folha de salários PIS/Pasep e Cofins na importação 767 Ricardo J. Ferreira XVI

9 7.5 Isenções do PIS/Pasep e Cofins Cide-Combustíveis Fatos geradores Contribuintes Responsáveis Base de cálculo Dedução do valor devido em operação anterior Alíquotas Pagamento Dedução do PIS/Cofins Imposto sobre serviços ISS Incidência Fato gerador Interpretação da lista de serviços Local da prestação do serviço Estabelecimento prestador dos serviços Contribuinte Responsável Não incidência Alíquotas Base de cálculo O ISS integra sua própria base de cálculo Autônomo Ressalvas relativas ao ICMS na lista de serviços Fornecimento de alimentação e bebidas Contabilização do ISS Contribuição previdenciária (INSS) Fato gerador Ocorrência do fato gerador Bases de cálculo Parcelas não integrantes da base de cálculo Alíquotas Regime Tributário de Transição RTT EFD-Contribuições Obrigatoriedade e dispensa Forma e prazo de apresentação Retificação da escrituração 812 XVII

10 Contabilidade Básica Capítulo 14 Tributos sobre o lucro Conceito Diferenças temporárias Diferenças temporárias tributáveis Diferenças temporárias dedutíveis Adições e exclusões temporárias Adições e exclusões permanentes Tributos correntes Reconhecimento de passivos fiscais diferidos Reconhecimento de ativos fiscais diferidos Ajustes a valor presente Reconhecimento de despesa ou receita tributária Consequências tributárias dos dividendos Compensação 823 Questões comentadas 824 Capítulo 15 Demonstrações contábeis Lei das S/A Lei das Sociedades por Ações Constituição da sociedade anônima Exercício social Demonstrações contábeis obrigatórias Finalidade das demonstrações contábeis Demonstrações comparativas Agrupamento de contas semelhantes Agrupamento de pequenos saldos Proposta de destinação dos lucros Demonstrações contábeis complementares Notas explicativas Principais critérios de avaliação dos elementos patrimoniais Investimentos relevantes Ajustes de avaliação patrimonial Ônus reais, garantias e outras responsabilidades Empréstimos de longo prazo Número, espécies e classes das ações do capital Opções de compra de ações 851 Ricardo J. Ferreira XVIII

11 10.8 Ajustes de exercícios anteriores Eventos subsequentes ao encerramento do exercício Modificação de métodos ou critérios contábeis Políticas contábeis, mudança de estimativa e retificação de erro Políticas contábeis Mudança de estimativa Retificação de erro Responsáveis pelas demonstrações contábeis Documentos da administração Sociedades de grande porte Contabilidade para pequenas e médias empresas Conjunto completo de demonstrações contábeis para PMEs Modelo contábil para microempresas e empresas de pequeno porte Carta de Responsabilidade Escrituração Conjunto obrigatório de demonstrações contábeis Modelos Divulgação sobre partes relacionadas Conceito Finalidade da divulgação sobre partes relacionadas Divulgação para todas as entidades Informações por segmento 864 Questões comentadas 866 Capítulo 16 Demonstração do resultado do exercício Conceito Estrutura da DRE conforme a Lei das S/A Estrutura da DRE conforme o CPC 26 (R1) Resultado líquido do período Informação na DRE ou nas notas explicativas Deduções da receita bruta das vendas e serviços Devoluções de vendas Devoluções de vendas de exercícios anteriores Abatimentos concedidos sobre vendas e serviços Descontos concedidos incondicionalmente Tributos incidentes sobre vendas 891 XIX

12 Contabilidade Básica 5 Custo das mercadorias, produtos e serviços vendidos Despesas operacionais Despesas operacionais com vendas Despesas operacionais financeiras Despesas operacionais gerais e administrativas Outras despesas operacionais Outras receitas operacionais Outras receitas e outras despesas Resultado de operações descontinuadas Participações Prejuízos acumulados no cálculo das participações Cálculo do lucro real com participações Lucro ou prejuízo líquido por ação Demonstração do resultado abrangente Juros sobre o capital próprio Ebitda 925 Questões comentadas 927 Capítulo 17 Balanço patrimonial Conceito Composição do balanço conforme o CPC 26 (R1) Critério de disposição das contas no ativo Critério de disposição das contas no passivo Compensação de saldos devedores e credores Composição do ativo Ativo circulante Disponibilidades Direitos realizáveis no curso do exercício social subsequente Aplicações de recursos em despesas do exercício seguinte Operações com seguros Registro de operações com juros antecipados Ativos especiais Método da efetiva utilização Método das quotas arbitradas Ativo não circulante realizável a longo prazo 988 Ricardo J. Ferreira XX

13 8.1 Direitos realizáveis de longo prazo Depósitos judiciais Operações não usuais com pessoas ligadas Despesas antecipadas de longo prazo Classificação de acordo com o ciclo operacional Demonstrações intermediárias Avaliação do ativo circulante e do realizável a longo prazo Avaliação das disponibilidades Avaliação de imóveis destinados à venda Avaliação dos investimentos temporários em ações Avaliação das mercadorias Avaliação das matérias-primas Avaliação dos produtos em elaboração e acabados Avaliação dos produtos agrícolas e extrativos Ajuste de ativo de longo prazo a valor presente 1010 Questões comentadas 1016 Capítulo 18 Instrumentos financeiros Instrumentos financeiros Espécies de instrumentos financeiros ativos Critérios de avaliação Ativo financeiro mensurado ao valor justo por meio do resultado Investimentos mantidos até o vencimento Empréstimos e contas a receber Ativos financeiros disponíveis para venda Apuração do valor justo Derivativo Mercado futuro Mercado a termo Mercado de opções Opção de compra Opção de venda Mercado de swaps Hedge 1070 Questões comentadas 1072 XXI

14 Contabilidade Básica Capítulo 19 Ativo não circulante Composição do ativo não circulante Investimentos permanentes Demais investimentos permanentes Propriedade para investimento Critérios de avaliação dos demais investimentos permanentes Imobilizado Critério para registro dos bens de uso permanente no imobilizado Imobilizações em andamento Benfeitorias em propriedades de terceiros Custo de aquisição ou produção do imobilizado Bens do imobilizado versus materiais de uso ou consumo Gastos com reparos, conservação ou substituição Critérios de avaliação do ativo imobilizado Depreciação de edificações Bens utilizados na exploração de recursos minerais e florestais Determinação do tempo de vida útil Método da soma dos dígitos Depreciação de bens usados Depreciação acelerada contábil Depreciação acelerada incentivada Ativo biológico Intangível Identificação Controle Reconhecimento Fase de pesquisa Fase de desenvolvimento Método de custo Período e método de amortização Ativo intangível com vida útil definida Ativo intangível com vida útil indefinida Diferido (extinto) Exaustão Ativo qualificável e custos de empréstimos 1122 Ricardo J. Ferreira XXII

15 1.8 Ativo não circulante mantido para venda 1123 Questões comentadas 1125 Capítulo 20 Arrendamento mercantil Arrendamento mercantil (leasing) Características e classificação do arrendamento mercantil Arrendamento mercantil financeiro no arrendatário Arrendamento mercantil operacional no arrendatário Arrendamento mercantil financeiro no arrendador Arrendamento mercantil operacional no arrendador Transação de venda e leaseback 1160 Questões comentadas 1163 Capítulo 21 Redução ao valor recuperável de ativos Análise sobre a recuperação Identificação de ativo que pode estar desvalorizado Mensuração do valor recuperável Valor recuperável de intangível com vida útil indefinida Valor justo líquido de despesa de venda Valor em uso Estimativas de fluxos de caixa futuros Reconhecimento e mensuração de perda por desvalorização Momento dos testes de redução ao valor recuperável Desvalorização em uma unidade geradora de caixa Reversão de perda por desvalorização para ativo individual 1189 Questões comentadas 1192 Capítulo 22 Participações permanentes Conceito Critérios de avaliação das participações permanentes Método da equivalência patrimonial Aplicação da equivalência patrimonial Ágio na aquisição de participação permanente Deságio na aquisição de participação permanente 1216 XXIII

16 Contabilidade Básica 3.4 Ágio (mais-valia) e deságio com base no valor de mercado do ativo Ágio (goodwill) e deságio com base em rentabilidade futura Ágio e deságio por fundo de comércio, intangíveis e outras razões Amortização do ágio e tratamento dado ao deságio Método do custo de aquisição Dividendos recebidos Realização de capital Provisão para perdas permanentes Ações ou cotas bonificadas Resultado não realizado Venda da controladora para controlada Venda de controlada para a controladora Apuração do resultado na equivalência patrimonial Resultados entre o investidor e coligada Equivalência patrimonial sobre outros resultados abrangentes Perdas permanentes em investimentos avaliados pela equivalência Negócios em conjunto 1229 Questões comentadas 1231 Capítulo 23 Passivo circulante e não circulante Conceito Classificação de acordo com o ciclo operacional Classificação de acordo com o exercício social Despesas financeiras e variações monetárias passivas Encargos financeiros (juros) a transcorrer Dívidas de operações não usuais com pessoas ligadas Critérios de avaliação do passivo exigível Obrigações, encargos e riscos Obrigações em moeda estrangeira Obrigações em moeda nacional Deságio na emissão de debêntures Prêmio recebido na emissão de debêntures Custo de transação na emissão de debêntures Doações e subvenções Subvenções para investimentos mediante incentivos fiscais 1259 Ricardo J. Ferreira XXIV

17 16 Benefícios a empregados Passivo atuarial Ajuste de passivo não circulante a valor presente Resultados de exercícios futuros e receitas diferidas 1271 Questões comentadas 1274 Capítulo 24 Patrimônio líquido Composição Capital social Gastos com emissão de títulos patrimoniais Reservas de capital Ágio na emissão de ações Ágio na conversão de debêntures em ações Produto da alienação de partes beneficiárias Produto da alienação de bônus de subscrição Prêmio na emissão de debêntures (extinta) Doações e subvenções para investimentos (extinta) Utilização das reservas de capital Adiantamento para futuro aumento de capital (AFAC) Ajustes de avaliação patrimonial Reserva de reavaliação (extinta) Reservas de lucros Reserva legal Limites da reserva legal Limite facultativo da reserva legal Complementação do limite facultativo Reservas estatutárias Reservas para contingências Reserva de incentivos fiscais Reserva de retenção de lucros Reserva de lucros a realizar Reserva especial para dividendos obrigatórios não distribuídos Limite das reservas de lucros em relação ao capital social Ações em tesouraria Dividendo obrigatório e dividendo adicional proposto Dividendos ou lucros antecipados 1328 XXV

18 Contabilidade Básica 1.9 Destinação do lucro remanescente Lucros ou prejuízos acumulados 1329 Questões comentadas 1337 Capítulo 25 Demonstração de lucros ou prejuízos acumulados Conceito Estrutura da demonstração de lucros ou prejuízos acumulados Saldo do início do período Ajustes de exercícios anteriores Mudança de critério contábil Retificação de erro Reversões de reservas de lucros Lucro ou prejuízo líquido do exercício Transferências para reservas de lucros Dividendos propostos Parcela dos lucros incorporada ao capital Dividendos intermediários 1361 Questões comentadas 1364 Capítulo 26 Dividendos Conceito Base para atribuição do dividendo Direito de reembolso em caso de redução do dividendo Cálculo do dividendo na hipótese de omissão do estatuto Reservas estatutárias e retenção de lucros Alteração do estatuto omisso sobre o cálculo dos dividendos Retenção dos dividendos na companhia fechada Reserva especial dividendos obrigatórios não distribuídos Dividendos intermediários Pagamento dos dividendos Destinação do lucro remanescente 1380 Questões comentadas 1382 Ricardo J. Ferreira XXVI

19 Capítulo 27 Demonstração das mutações do patrimônio líquido Aspectos legais 1391 Questões comentadas 1401 Capítulo 28 Demonstração dos fluxos de caixa Conceitos Fluxos das operações Fluxos dos financiamentos Fluxos dos investimentos Métodos de elaboração Método direto Identificação de recebimentos e pagamentos Método indireto Receitas que não afetam os fluxos de caixa Despesas que não afetam os fluxos de caixa Juros e dividendos Imposto de Renda e contribuição social sobre o lucro líquido Transações que não envolvem caixa ou equivalentes de caixa 1433 Questões comentadas 1435 Capítulo 29 Demonstração do valor adicionado Conceitos Aspectos legais Modelo proposto pelo CPC 1457 Modelo I demonstração do valor adicionado empresas em geral 1457 Questões comentadas 1470 Capítulo 30 Demonstrações consolidadas Aspectos legais e objetivo Aplicação da consolidação Participação de acionistas não controladores Resultados não realizados nos estoques 1493 XXVII

20 Contabilidade Básica 5 Resultados não realizados no ativo não circulante Ágio por expectativa de rentabilidade futura (goodwill) Impostos na consolidação Imposto de Renda ICMS, IPI, PIS, Cofins e ISS Demonstração do resultado consolidado Ativo diferido no consolidado 1504 Questões comentadas 1507 Capítulo 31 Matriz, filial, agência e sucursal Matriz Filial Agência Sucursal Contabilização Resultados entre estabelecimentos 1520 Questões comentadas 1522 Capítulo 32 Concentração e extinção de sociedades Aspectos gerais Protocolo Justificação Formação do capital Combinação de negócios Incorporação Contabilização na incorporação Incorporação com participação de uma sociedade na outra Fusão Contabilização na fusão Cisão Contabilização na cisão Direitos dos debenturistas Direitos dos credores na incorporação ou fusão Direitos dos credores na cisão 1544 Ricardo J. Ferreira XXVIII

21 12 Averbação da sucessão Participação recíproca Incorporação de companhia controlada Compensação de prejuízos fiscais 1545 Questões comentadas 1547 Capítulo 33 Conversão de demonstrações em moeda estrangeira Objetivo Alcance Definições Moeda funcional Investimento líquido em entidade no exterior Itens monetários e não monetários Reconhecimento inicial Apresentação ao término de períodos de reporte subsequentes Reconhecimento de variação cambial Conversão das demonstrações contábeis Conversão de ativo e passivo Conversão de receitas e despesas Variações cambiais Conversão de entidade no exterior Baixa total ou parcial de entidade no exterior Efeitos inflacionários Correção monetária integral 1566 Questões comentadas 1567 Bibliografia e páginas da internet 1575 XXIX

Resumo de Contabilidade Geral

Resumo de Contabilidade Geral Ricardo J. Ferreira Resumo de Contabilidade Geral 4ª edição Conforme a Lei das S/A, normas internacionais e CPC Rio de Janeiro 2010 Copyright Editora Ferreira Ltda., 2008-2009 1. ed. 2008; 2. ed. 2008;

Leia mais

4 Fatos Contábeis que Afetam a Situação Líquida: Receitas, Custos, Despesas, Encargos, Perdas e Provisões, 66

4 Fatos Contábeis que Afetam a Situação Líquida: Receitas, Custos, Despesas, Encargos, Perdas e Provisões, 66 Apresentação Parte I - CONCEITOS FUNDAMENTAIS DE CONTABILIDADE, 1 1 Introdução ao Estudo da Ciência Contábil, 3 1 Conceito, 3 2 Objeto, 3 3 Finalidade, 4 4 Técnicas contábeis, 4 5 Campo de aplicação, 5

Leia mais

19. Patrimônio líquido 19.1 Capital 20. Balanço patrimonial de acordo com a Lei n.º 6.404/76 e alterações Questões de provas comentadas

19. Patrimônio líquido 19.1 Capital 20. Balanço patrimonial de acordo com a Lei n.º 6.404/76 e alterações Questões de provas comentadas Sumário CAPÍTULO 1 CONCEITOS BÁSICOS 1. Conceito de contabilidade 1.1 Ciência social 1.1.1 Princípios de contabilidade 1.2 Objeto da contabilidade 1.3 Objetivo da contabilidade 1.4 Finalidade da contabilidade

Leia mais

6 Balanço Patrimonial - Passivo - Classificações das Contas, 25 Exercícios, 26

6 Balanço Patrimonial - Passivo - Classificações das Contas, 25 Exercícios, 26 Prefácio 1 Exercício Social, 1 Exercícios, 2 2 Disposições Gerais, 3 2.1 Demonstrações financeiras exigidas, 3 2.2 Demonstrações financeiras comparativas, 4 2.3 Contas semelhantes e contas de pequenos,

Leia mais

Contabilidade Básica FINALMENTE AMOSTRA DA OBRA. Ricardo J. Ferreira. 10ª edição. Teoria e mais de 1.600 questões comentadas

Contabilidade Básica FINALMENTE AMOSTRA DA OBRA. Ricardo J. Ferreira. 10ª edição. Teoria e mais de 1.600 questões comentadas AMOSTRA DA OBRA www.editoraferreira.com.br Contabilidade Básica 10ª edição Teoria e mais de 1.600 questões comentadas FINALMENTE você vai aprender contabilidade Sumário é graduado em Direito e Ciências

Leia mais

Contabilidade 2.0 FCC

Contabilidade 2.0 FCC AMOSTRA DA OBRA www.editoraferreira.com.br O sumário aqui apresentado é reprodução fiel do livro. Ricardo J. Ferreira Contabilidade 2.0 FCC teoria e questões sob medida Nota sobre o autor Sumário III Ricardo

Leia mais

Tributos sobre o Lucro Seção 29

Tributos sobre o Lucro Seção 29 Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis 12.1. Introdução O artigo 176 da Lei nº 6.404/1976 estabelece que, ao fim de cada exercício social, a diretoria da empresa deve elaborar, com base na escrituração mercantil, as

Leia mais

1.1.2.07.001 Empréstimos a empregados 1.1.2.07.002 Empréstimos a terceiros 1.1.2.08 Tributos a Compensar 1.1.2.08.001 IR Retido na Fonte a Compensar

1.1.2.07.001 Empréstimos a empregados 1.1.2.07.002 Empréstimos a terceiros 1.1.2.08 Tributos a Compensar 1.1.2.08.001 IR Retido na Fonte a Compensar A seguir um modelo de Plano de Contas que poderá ser utilizado por empresas comerciais, industriais e prestadoras de serviços, com as devidas adaptações: 1 Ativo 1.1 Ativo Circulante 1.1.1 Disponível 1.1.1.01

Leia mais

LEI N 12.973/14 (IRPJ/CSLL/PIS-PASEP E COFINS)

LEI N 12.973/14 (IRPJ/CSLL/PIS-PASEP E COFINS) LEI N 12.973/14 (IRPJ/CSLL/PIS-PASEP E COFINS) Miguel Silva RTD REGIME TRIBUTÁRIO DEFINITIVO (Vigência e Opção pela Antecipação de seus Efeitos) 1 Para efeito de determinação do IRPJ, CSLL, PIS-PASEP e

Leia mais

Documento gerado em 28/04/2015 13:31:35 Página 1 de 42

Documento gerado em 28/04/2015 13:31:35 Página 1 de 42 DCA-Anexo I-AB Balanço Patrimonial - Ativo e Passivo Padrao Balanço Patrimonial Ativo - Ativo - 1.0.0.0.0.00.00 - Ativo 96.744.139,42 1.1.0.0.0.00.00 - Ativo Circulante 24.681.244,01 1.1.1.0.0.00.00 -

Leia mais

Contabilidade 2.0 CESPE

Contabilidade 2.0 CESPE AMOSTRA DA OBRA www.editoraferreira.com.br O sumário aqui apresentado é reprodução fiel do livro Contabilidade 2.0 CESPE. Ricardo J. Ferreira Contabilidade 2.0 CESPE teoria e questões sob medida Nota sobre

Leia mais

ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS.

ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS. ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS. I. BALANÇO ATIVO 111 Clientes: duplicatas a receber provenientes das vendas a prazo da empresa no curso de suas operações

Leia mais

FAPAN Faculdade de Agronegócio de Paraíso do Norte

FAPAN Faculdade de Agronegócio de Paraíso do Norte BALANÇO PATRIMONIAL 1. CRITÉRIO DE DISPOSIÇÃO DAS CONTAS NO ATIVO E NO PASSIVO (ART. 178 DA LEI 6.404/76): a. No ativo, as contas serão dispostas em ordem decrescente de grau de liquidez dos elementos

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 5 Balanço Patrimonial Passivo 9 Demonstração do Resultado 12 Demonstração do Resultado

Leia mais

Tabela de Fatos - DCA 2014

Tabela de Fatos - DCA 2014 Tabela de Fatos - DCA 2014 Element siconfi-cor:p1.0.0.0.0.00.00 siconfi-cor:p1.1.0.0.0.00.00 siconfi-cor:p1.1.1.0.0.00.00 siconfi-cor:p1.1.1.1.0.00.00 siconfi-cor:p1.1.1.1.1.00.00 siconfi-cor:p1.1.1.1.2.00.00

Leia mais

CURSO DE CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA

CURSO DE CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA www.editoraferreira.com.br CURSO DE CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA Professor Humberto Fernandes de Lucena 6.1. Balanço Patrimonial Desde o início de nosso curso, vimos tratando sobre Balanço Patrimonial apenas

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 4 Balanço Patrimonial Passivo 6 Demonstração do Resultado 9 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Conta Descrição (em R$ mil) 31/03/2011 31/12/2010. 1 Ativo Total 13.623.774 13.422.948. 1.01 Ativo Circulante 1.403.533 1.180.328

Conta Descrição (em R$ mil) 31/03/2011 31/12/2010. 1 Ativo Total 13.623.774 13.422.948. 1.01 Ativo Circulante 1.403.533 1.180.328 Conta Descrição (em R$ mil) /0/0 //00 Ativo Total.6.77..98.0 Ativo Circulante.0.5.80.8.0.0 Caixa e Equivalentes de Caixa 69.7 8.657.0.0.0 Bens Numerários.0 05.0.0.0 Depósitos Bancários.07.57.0.0.0 Aplicações

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS»CONTABILIDADE «

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS»CONTABILIDADE « CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS»CONTABILIDADE «21. A respeito das funções da Contabilidade, tem-se a administrativa e a econômica. Qual das alternativas abaixo apresenta uma função econômica? a) Evitar erros

Leia mais

AGENTE E ESCRIVÃO DA POLÍCIA FEDERAL Disciplina: Contabilidade Prof.: Adelino Data: 07/12/2008

AGENTE E ESCRIVÃO DA POLÍCIA FEDERAL Disciplina: Contabilidade Prof.: Adelino Data: 07/12/2008 Alterações da Lei 6404/76 Lei 11638 de 28 de dezembro de 2007 Lei 11638/07 que altera a Lei 6404/76 Art. 1o Os arts. 176 a 179, 181 a 184, 187, 188, 197, 199, 226 e 248 da Lei no 6.404, de 15 de dezembro

Leia mais

2 Questão 31 Classificação de Contas e Grupos Patrimoniais

2 Questão 31 Classificação de Contas e Grupos Patrimoniais Conteúdo 1 Introdução... 1 2 Questão 31 Classificação de Contas e Grupos Patrimoniais... 1 3 Questão 32 Natureza das contas... 3 4 Questão 33 Lançamentos - Operações de captação de recursos... 4 5 Questão

Leia mais

ABDE Associação Brasileira de Desenvolvimento

ABDE Associação Brasileira de Desenvolvimento TAX ABDE Associação Brasileira de Desenvolvimento Ativo diferido de imposto de renda da pessoa jurídica e de contribuição social sobre o lucro líquido aspectos fiscais e contábeis Outubro de 2014 1. Noções

Leia mais

Notas Explicativas. Armando Madureira Borely armando.borely@globo.com

Notas Explicativas. Armando Madureira Borely armando.borely@globo.com CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Home page: www.crc.org.br - E-mail: cursos@crcrj.org.br Notas Explicativas Armando Madureira Borely armando.borely@globo.com (Rio de Janeiro)

Leia mais

Maratona Fiscal ISS Contabilidade geral

Maratona Fiscal ISS Contabilidade geral Maratona Fiscal ISS Contabilidade geral 1. Em relação ao princípio contábil da Competência, é correto afirmar que (A) o reconhecimento de despesas deve ser efetuado quando houver o efetivo desembolso financeiro

Leia mais

MÓDULO 2 PASSIVO EXIGÍVEL (PE) E RECEITAS DIFERIDAS (ANTIGO RESULTADO DE EXERCÍCIOS FUTUROS (REF))

MÓDULO 2 PASSIVO EXIGÍVEL (PE) E RECEITAS DIFERIDAS (ANTIGO RESULTADO DE EXERCÍCIOS FUTUROS (REF)) CONTABILIDADE INTERMEDIÁRIA CAPÍTULO 2: PASSIVO EXIGÍVEL E RECEITAS DIFERIDAS MATERIAL DE ACOMPANHAMENTO MÓDULO 2 PASSIVO EXIGÍVEL (PE) E RECEITAS DIFERIDAS (ANTIGO RESULTADO DE EXERCÍCIOS FUTUROS (REF))

Leia mais

Balanço Patrimonial. Janeiro à Novembro de 2014 - Anexo 14, da Lei 4.320/64. Exercício Anterior

Balanço Patrimonial. Janeiro à Novembro de 2014 - Anexo 14, da Lei 4.320/64. Exercício Anterior Página 1 de 5 CIRCULANTE 3.458.065,56 1.875.217,00 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA 2.816.152,90 1.000.561,87 CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA EM MOEDA NACIONAL 2.816.152,90 1.000.561,87 CAIXA E EQUIVALENTES

Leia mais

MATERIAL DE APOIO PROFESSOR

MATERIAL DE APOIO PROFESSOR Aula n 04 online MATERIAL DE APOIO PROFESSOR Balanço Patrimonial Plano de Contas É um elemento sistematizado e metódico de todas as contas movimentadas por uma empresa. Cada empresa deverá ter seu próprio

Leia mais

IFRS EM DEBATE: Aspectos gerais do CPC da Pequena e Média Empresa

IFRS EM DEBATE: Aspectos gerais do CPC da Pequena e Média Empresa IFRS EM DEBATE: Aspectos gerais do CPC da Pequena e Média Empresa outubro/2010 1 SIMPLIFICAÇÃO DOS PRONUNCIAMENTOS: Pronunciamento CPC PME - Contabilidade para Pequenas e Médias Empresas (225 páginas)

Leia mais

PLANO DE CONTAS REFERENCIAL ECD-ECF EMPRESAS EM GERAL (L100A)- CONTAS PATRIMONIAS (Dt.Inicio: 01/01/14) Número Conta Descrição (Nome da Conta) Ord

PLANO DE CONTAS REFERENCIAL ECD-ECF EMPRESAS EM GERAL (L100A)- CONTAS PATRIMONIAS (Dt.Inicio: 01/01/14) Número Conta Descrição (Nome da Conta) Ord PLANO DE CONTAS REFERENCIAL ECD-ECF EMPRESAS EM GERAL (L100A)- CONTAS PATRIMONIAS (Dt.Inicio: 01/01/14) Número Conta Descrição (Nome da Conta) Ord TipoConta SuperiorGrau Nat 1 ATIVO 1 S 1 1 1.01 ATIVO

Leia mais

e) 50.000.000,00. a) 66.000.000,00. c) 0,00 (zero).

e) 50.000.000,00. a) 66.000.000,00. c) 0,00 (zero). 1. (SEFAZ-PI-2015) Uma empresa, sociedade de capital aberto, apurou lucro líquido de R$ 80.000.000,00 referente ao ano de 2013 e a seguinte distribuição foi realizada no final daquele ano: valor correspondente

Leia mais

[Anexo I-AB] Balanço Patrimonial - Ativo e Passivo. 1.1.1.1.2.00.00 - Caixa e Equivalentes de Caixa em Moeda Nacional - Intra OFSS

[Anexo I-AB] Balanço Patrimonial - Ativo e Passivo. 1.1.1.1.2.00.00 - Caixa e Equivalentes de Caixa em Moeda Nacional - Intra OFSS [Anexo I-AB] Balanço Patrimonial - Ativo e Passivo Qname siconfi-dca-anexo1abhi : BalancoPatrimonialAbstract siconfi-dca-anexo1abhi : AtivoAbstract siconfi-dca-anexo1abhi : AtivoLineItems siconfi-cor :

Leia mais

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A.

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A. Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo Passivo e patrimônio líquido Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 17.488 25.888 Fornecedores e outras obrigações 17.561 5.153 Contas a receber

Leia mais

ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS 1 - BALANÇO PATRIMONIAL CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS TURMA 6º CCN

ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS 1 - BALANÇO PATRIMONIAL CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS TURMA 6º CCN CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Disciplina Estrutura e Análise das Demonstrações Contábeis PROFESSOR : Salomão Dantas Soares TURMA 6º CCN AULA 02 Turno/Horário Noturno Apostila

Leia mais

ANO XXIV - 2013-4ª SEMANA DE MAIO DE 2013 BOLETIM INFORMARE Nº 21/2013

ANO XXIV - 2013-4ª SEMANA DE MAIO DE 2013 BOLETIM INFORMARE Nº 21/2013 ANO XXIV - 2013-4ª SEMANA DE MAIO DE 2013 BOLETIM INFORMARE Nº 21/2013 ASSUNTOS CONTÁBEIS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS OBRIGATÓRIAS APÓS AS LEIS NºS 11.638/2007 E 11.941/2009... Pág. 341 IMPOSTO DE RENDA PESSOA

Leia mais

Sumário. Capítulo 1. Conceitos Básicos...1. Cap00.indd 17 15/02/2016 10:18:53

Sumário. Capítulo 1. Conceitos Básicos...1. Cap00.indd 17 15/02/2016 10:18:53 Sumário Capítulo 1 Conceitos Básicos...1 1. Contabilidade...1 1.1. Conceitos...1 1.2. Campo de Aplicação...2 1.3. Funções da Contabilidade...2 1.4. Usuários da Informação Contábil...3 1.5. Técnicas Contábeis

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS De acordo com o comando a que cada um dos itens de 51 a 120 se refira, marque, na folha de respostas, para cada item: o campo designado com o código C, caso julgue o item CERTO; ou o campo designado com

Leia mais

FAPAN Faculdade de Agronegócio de Paraíso do Norte

FAPAN Faculdade de Agronegócio de Paraíso do Norte DLPA DEMONSTRAÇÃO DE LUCROS OU PREJUÍZOS ACUMULADOS A DLPA expõe as variações ocorridas, durante o exercício, na conta Lucros ou Prejuízos Acumulados. Ela pode ser incluída na DMPL Demonstração das Mutações

Leia mais

CONTABILIDADE SOCIETÁRIA AVANÇADA Revisão Geral BR-GAAP. PROF. Ms. EDUARDO RAMOS. Mestre em Ciências Contábeis FAF/UERJ SUMÁRIO

CONTABILIDADE SOCIETÁRIA AVANÇADA Revisão Geral BR-GAAP. PROF. Ms. EDUARDO RAMOS. Mestre em Ciências Contábeis FAF/UERJ SUMÁRIO CONTABILIDADE SOCIETÁRIA AVANÇADA Revisão Geral BR-GAAP PROF. Ms. EDUARDO RAMOS Mestre em Ciências Contábeis FAF/UERJ SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 2. PRINCÍPIOS CONTÁBEIS E ESTRUTURA CONCEITUAL 3. O CICLO CONTÁBIL

Leia mais

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais,

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, Resolução CFC nº 1.159, de 13/02/2009 DOU 1 de 04/03/2009 Aprova o Comunicado Técnico CT 01 que aborda como os ajustes das novas práticas contábeis adotadas no Brasil trazidas pela Lei nº 11.638/07 e MP

Leia mais

Banrisul Armazéns Gerais S.A.

Banrisul Armazéns Gerais S.A. Balanços patrimoniais 1 de dezembro de 2012 e 2011 Nota Nota explicativa 1/12/12 1/12/11 explicativa 1/12/12 1/12/11 Ativo Passivo Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 4 17.891 18.884 Contas

Leia mais

Imunidade O PIS e a Cofins não incidem sobre as receitas decorrentes de exportação (CF, art. 149, 2º, I).

Imunidade O PIS e a Cofins não incidem sobre as receitas decorrentes de exportação (CF, art. 149, 2º, I). Comentários à nova legislação do P IS/ Cofins Ricardo J. Ferreira w w w.editoraferreira.com.br O PIS e a Cofins talvez tenham sido os tributos que mais sofreram modificações legislativas nos últimos 5

Leia mais

Setembro 2012. Elaborado por: Luciano Perrone O conteúdo desta apostila é de inteira responsabilidade do autor (a).

Setembro 2012. Elaborado por: Luciano Perrone O conteúdo desta apostila é de inteira responsabilidade do autor (a). Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

Sumário do Pronunciamento Técnico CPC 13

Sumário do Pronunciamento Técnico CPC 13 Sumário do Pronunciamento Técnico CPC 13 Adoção Inicial da Lei n o 11.638/07 e da Medida Provisória n o 449/08 Observação: Este sumário, que não faz parte do Pronunciamento, está sendo apresentado apenas

Leia mais

Prática - desenvolvimento de sistemas Av. Assis Brasil 1800/302 - Porto Alegre - RS - CEP:91010-001. Empresa: Plano referencial 4 - Seguradoras

Prática - desenvolvimento de sistemas Av. Assis Brasil 1800/302 - Porto Alegre - RS - CEP:91010-001. Empresa: Plano referencial 4 - Seguradoras 1 ATIVO 1.01 CIRCULANTE 1.01.01 DISPONÍVEL 1.01.01.01 Caixa 1.01.01.02 Valores em Trânsito 1.01.01.03 Bancos Conta Depósitos 1.01.01.04 Aplicações no Mercado Aberto 1.01.02 APLICAÇÕES 1.01.02.01 Títulos

Leia mais

DEFENSORIA PÚBLICA ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL 2012. Resolução comentada da prova de Contabilidade Prof. Milton M. Ueta. Analista-Contabilidade

DEFENSORIA PÚBLICA ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL 2012. Resolução comentada da prova de Contabilidade Prof. Milton M. Ueta. Analista-Contabilidade DEFENSORIA PÚBLICA ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL 2012 Resolução comentada da prova de Contabilidade Prof. Milton M. Ueta Analista-Contabilidade 1 Primeiramente, é necessário Apurar o Resultado pois, como

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - CIA CAT. DE ÁGUAS E SANEAMENTO - CASAN Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2011 - CIA CAT. DE ÁGUAS E SANEAMENTO - CASAN Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Fluxo de Caixa 6 Demonstração das Mutações

Leia mais

IFRS para PMEs: Seção 35 Adoção Inicial

IFRS para PMEs: Seção 35 Adoção Inicial Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

NOVAS REGRAS CONTÁBEIS PARA 2010 CONTINUAÇÃO DE PADRONIZAÇÃO INTERNACIONAL CONTÁBIL

NOVAS REGRAS CONTÁBEIS PARA 2010 CONTINUAÇÃO DE PADRONIZAÇÃO INTERNACIONAL CONTÁBIL NOVAS REGRAS CONTÁBEIS PARA 2010 CONTINUAÇÃO DE PADRONIZAÇÃO INTERNACIONAL CONTÁBIL Ana Beatriz Nunes Barbosa Em 31.07.2009, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) aprovou mais cinco normas contábeis

Leia mais

11 CIRCULANTE 111 DISPONÍVEL 1111 CAIXA 11111 CAIXA 1112 VALORES EM TRÂNSITO 11121 VALORES EM TRÂNSITO 11122 CHEQUES EMITIDOS

11 CIRCULANTE 111 DISPONÍVEL 1111 CAIXA 11111 CAIXA 1112 VALORES EM TRÂNSITO 11121 VALORES EM TRÂNSITO 11122 CHEQUES EMITIDOS 1 ATIVO 1 11 CIRCULANTE 111 DISPONÍVEL 1111 CAIXA 11111 CAIXA 1112 VALORES EM TRÂNSITO 11121 VALORES EM TRÂNSITO 11122 CHEQUES EMITIDOS 1113 BANCOS CONTA DEPÓSITOS 11131 BANCOS CONTA DEPÓSITOS - MOVIMENTO

Leia mais

Curso Extensivo de Contabilidade Geral

Curso Extensivo de Contabilidade Geral Curso Extensivo de Contabilidade Geral Adelino Correia 4ª Edição Enfoque claro, didático e objetivo Atualizado de acordo com a Lei 11638/07 Inúmeros exercícios de concursos anteriores com gabarito Inclui

Leia mais

Fornecedores. Fornecedores de Serviços (passivo. circulante) Salários e ordenados a pagar. Pró-labore (resultado) Caixa

Fornecedores. Fornecedores de Serviços (passivo. circulante) Salários e ordenados a pagar. Pró-labore (resultado) Caixa V Pagamento de fornecedores Retenção de IRF sobre serviços Retenção de IRF sobre salários Pró-labore Integralização de capital em dinheiro Integralização de capital em bens Depreciação ICMS sobre vendas

Leia mais

BACEN Técnico 2010 Fundamentos de Contabilidade Resolução Comentada da Prova

BACEN Técnico 2010 Fundamentos de Contabilidade Resolução Comentada da Prova Conteúdo 1 Questões Propostas... 1 2 Comentários e Gabarito... 1 2.1 Questão 41 Depreciação/Amortização/Exaustão/Impairment... 1 2.2 Questão 42 fatos contábeis e regime de competência x caixa... 2 2.3

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA CAPÍTULO 33 Este Capítulo é parte integrante do Livro Contabilidade Básica - Finalmente Você Vai Entender a Contabilidade. 33.1 CONCEITOS A demonstração dos fluxos de caixa evidencia as modificações ocorridas

Leia mais

ALTERAÇÕES DA LEI DAS SOCIEDADES POR AÇÕES MARCELO CAVALCANTI ALMEIDA

ALTERAÇÕES DA LEI DAS SOCIEDADES POR AÇÕES MARCELO CAVALCANTI ALMEIDA ALTERAÇÕES DA LEI DAS SOCIEDADES POR AÇÕES MARCELO CAVALCANTI ALMEIDA Sócio da Deloitte e autor de livros da Editora Atlas 1 EVOLUÇÃO Instrução CVM n 457/07 Demonstrações financeiras consolidadas a partir

Leia mais

Raízen Combustíveis S.A.

Raízen Combustíveis S.A. Balanço patrimonial consolidado e condensado (Em milhares de reais, exceto quando indicado de outra forma) Ativo 30.06.2014 31.03.2014 Passivo 30.06.2014 31.03.2014 Circulante Circulante Caixa e equivalentes

Leia mais

Introdução l Resumo Exercícios 15 Demonstrações Contábeis

Introdução l Resumo Exercícios 15 Demonstrações Contábeis Introdução l 1. l Um breve histórico l l.2 Definição do termo Contabilidade 2 1.3 O processo contábil 3 1.3.1 Posicionamento do contador em relação à empresa 4 l.4 Ramos de atuação da Contabilidade 5 l.4.

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01896-1 MEHIR HOLDINGS S.A. 04.310.392/0001-46 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01896-1 MEHIR HOLDINGS S.A. 04.310.392/0001-46 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/25 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Divulgação Externa O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CEAP 5º CCN 2012.1 DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CEAP 5º CCN 2012.1 DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO O artigo 187 da Lei nº 6.404, de 15 de dezembro de 1976 (Lei das Sociedades por Ações), instituiu a Demonstração do Resultado do Exercício. A Demonstração do Resultado

Leia mais

Rodobens Locação de Imóveis Ltda.

Rodobens Locação de Imóveis Ltda. Rodobens Locação de Imóveis Ltda. Demonstrações contábeis referentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 2014 e relatório dos auditores independentes Approach Auditores Independentes Relatório dos

Leia mais

ECF - PLANO REFERENCIAL - VERSAO 8 - TABELA - PJ em Geral

ECF - PLANO REFERENCIAL - VERSAO 8 - TABELA - PJ em Geral ECF - PLANO REFERENCIAL - VERSAO 8 - TABELA - PJ em Geral 1 ATIVO 1.01 ATIVO CIRCULANTE 1.01.01 DISPONIBILIDADES 1.01.01.01 CAIXA GERAL 1.01.01.01.01 Caixa Matriz 1.01.01.01.02 Caixa Filiais 1.01.01.02

Leia mais

A companhia permanece com o objetivo de investir seus recursos na participação do capital de outras sociedades.

A companhia permanece com o objetivo de investir seus recursos na participação do capital de outras sociedades. RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Apresentamos as Demonstrações Financeiras da Mehir Holdings S.A. referente ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2004 e as respectivas Notas

Leia mais

QUESTÕES PARA A PROVA ESPECÍFICA PARA ATUAÇÃO NA ÁREA DE AUDITORIA NAS INSTITUIÇÕES REGULADAS PELO BANCO CENTRAL DO BRASIL (BACEN)

QUESTÕES PARA A PROVA ESPECÍFICA PARA ATUAÇÃO NA ÁREA DE AUDITORIA NAS INSTITUIÇÕES REGULADAS PELO BANCO CENTRAL DO BRASIL (BACEN) QUESTÕES PARA A PROVA ESPECÍFICA PARA ATUAÇÃO NA ÁREA DE AUDITORIA NAS INSTITUIÇÕES REGULADAS PELO BANCO CENTRAL DO BRASIL (BACEN) 1. As normas e os procedimentos, bem como as Demonstrações Contábeis padronizadas

Leia mais

41210.29.13 - Contribuição Previdenciária para Amortização do Déficit Atuarial. Origem dos dados/descrição LINHA DA DCA

41210.29.13 - Contribuição Previdenciária para Amortização do Déficit Atuarial. Origem dos dados/descrição LINHA DA DCA ANEXO II VARIAÇÕES PATRIMONIAIS AUMENTATIVAS QDCC_Sistn A planilha abaixo ilustra a aplicação da metodologia simplificada descrita no item 10 da Nota Técnica nº 4/2015/CCONF/SUCON/STN/MFDF ao Plano de

Leia mais

O Impacto da Lei 11.638/07 no encerramento das Demonstrações Contábeis de 2008

O Impacto da Lei 11.638/07 no encerramento das Demonstrações Contábeis de 2008 O Impacto da Lei 11.638/07 no encerramento das Demonstrações Contábeis de 2008 Pronunciamento CPC 013 Adoção Inicial da Lei nº 11.638/07 e da Medida Provisória no 449/08 Antônio Carlos Palácios Vice-Presidente

Leia mais

2ª edição Ampliada e Revisada. Capítulo 10 Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos

2ª edição Ampliada e Revisada. Capítulo 10 Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos 2ª edição Ampliada e Revisada Capítulo Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos Tópicos do Estudo Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos (Doar). Uma primeira tentativa de estruturar

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 11.638, DE 28 DEZEMBRO DE 2007. Mensagem de veto Altera e revoga dispositivos da Lei n o 6.404, de 15 de dezembro de 1976, e

Leia mais

Original assinado por ROBERTO TEIXEIRA DA COSTA Presidente. NORMAS ANEXAS À INSTRUÇÃO N o 001 DE 27 DE ABRIL DE 1978.

Original assinado por ROBERTO TEIXEIRA DA COSTA Presidente. NORMAS ANEXAS À INSTRUÇÃO N o 001 DE 27 DE ABRIL DE 1978. Dispõe sobre as normas e procedimentos para contabilização e elaboração de demonstrações financeiras, relativas a ajustes decorrentes da avaliação de investimento relevante de companhia aberta em sociedades

Leia mais

CONTABILIDADE GERAL E GERENCIAL

CONTABILIDADE GERAL E GERENCIAL CONTABILIDADE GERAL E GERENCIAL AULA 03: ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS TÓPICO 03: ORIGEM E EVOLUÇÃO HISTÓRICA DA QUALIDADE A DRE tem por objetivo evidenciar a situação econômica de uma empresa,

Leia mais

ARQUIVO ATUALIZADO ATÉ 31/12/2012 Capitulo IX - Resultados não operacionais 2013

ARQUIVO ATUALIZADO ATÉ 31/12/2012 Capitulo IX - Resultados não operacionais 2013 ARQUIVO ATUALIZADO ATÉ 31/12/2012 Capitulo IX - Resultados não operacionais 2013 001 O que se entende por receitas e despesas não operacionais? Receitas e despesas não operacionais são aquelas decorrentes

Leia mais

ARQUIVO ATUALIZADO ATÉ 31/12/2011

ARQUIVO ATUALIZADO ATÉ 31/12/2011 ARQUIVO ATUALIZADO ATÉ 31/12/2011 Pagamento do Imposto 001 Como e quando deve ser pago o imposto apurado pela pessoa jurídica? 1) Para as pessoas jurídicas que optarem pela apuração trimestral do imposto

Leia mais

1. a. Preencha os balancetes: 1.01.x1: Formação do Capital, com $ 400 em dinheiro e uma perua no valor de $ 200

1. a. Preencha os balancetes: 1.01.x1: Formação do Capital, com $ 400 em dinheiro e uma perua no valor de $ 200 EXERCÍCIOS EXTRAS 1. a. Preencha os balancetes: 1.01.x1: Formação do Capital, com $ 400 em dinheiro e uma perua no valor de $ 200 S.DEVEDORES (APLICAÇÕES)............ S.CREDORES (ORIGENS)...... t o t a

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Julgue os itens a seguir, a respeito da Lei n.º 6.404/197 e suas alterações, da legislação complementar e dos pronunciamentos do Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC). 71 Os gastos incorridos com pesquisa

Leia mais

NBC T 19.4 - Subvenção e Assistência Governamentais Pronunciamento Técnico CPC 07

NBC T 19.4 - Subvenção e Assistência Governamentais Pronunciamento Técnico CPC 07 NBC T 19.4 - Subvenção e Assistência Governamentais Pronunciamento Técnico CPC 07 José Félix de Souza Júnior Objetivo e Alcance Deve ser aplicado na contabilização e na divulgação de subvenção governamental

Leia mais

Graficamente, o Balanço Patrimonial se apresenta assim: ATIVO. - Realizável a Longo prazo - Investimento - Imobilizado - Intangível

Graficamente, o Balanço Patrimonial se apresenta assim: ATIVO. - Realizável a Longo prazo - Investimento - Imobilizado - Intangível CONTABILIDADE GERAL E GERENCIAL AULA 03: ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS TÓPICO 02: BALANÇO PATRIMONIAL. É a apresentação padronizada dos saldos de todas as contas patrimoniais, ou seja, as que representam

Leia mais

PLANO DE CONTAS CONTÁBIL

PLANO DE CONTAS CONTÁBIL Cod.Normal Cód.Reduz. Grau Tipo Natureza Descrição 1. 1 1 S A ATIVO 1.1. 2 2 S AC ATIVO CIRCULANTE 1.1.1. 3 3 S AC DISPONÍVEL 1.1.1.01. 4 4 S AC BENS NUMERÁRIOS 1.1.1.01.001-5 5 A AC Caixa 1.1.1.01.002-6

Leia mais

Comentários às Mudanças Contábeis na Lei nº 6.404/76 MP nº 449/08

Comentários às Mudanças Contábeis na Lei nº 6.404/76 MP nº 449/08 Comentários às Mudanças Contábeis na Lei nº 6.404/76 MP nº 449/08 Comentários às Mudanças Contábeis na Lei nº 6.404/76 MP nº 449/08 No dia 3 de dezembro de 2008, foi editada a Medida Provisória nº 449,

Leia mais

Instrução Normativa RFB nº 1.397, de 16 de setembro de 2013

Instrução Normativa RFB nº 1.397, de 16 de setembro de 2013 Instrução Normativa RFB nº 1.397, de 16 de setembro de 2013 DOU de 17.9.2013 Dispõe sobre o Regime Tributário de Transição (RTT) instituído pelo art. 15 da Lei nº 11.941, de 27 de maio de 2009. O SECRETÁRIO

Leia mais

MÓDULO VI CONTABILIDADE GERENCIAL BALANÇO PATRIMONIAL INTRODUÇÃO

MÓDULO VI CONTABILIDADE GERENCIAL BALANÇO PATRIMONIAL INTRODUÇÃO MÓDULO VI CONTABILIDADE GERENCIAL BALANÇO PATRIMONIAL INTRODUÇÃO O tema Balanço Patrimonial será tratado sob a ótica do texto legal da Lei 6.404/76, Lei das Sociedades Anônimas e da Lei 10.406/02, o novo

Leia mais

Contabilidade Geral Correção da Prova APO 2010 Prof. Moraes Junior CONTABILIDADE GERAL

Contabilidade Geral Correção da Prova APO 2010 Prof. Moraes Junior CONTABILIDADE GERAL CONTABILIDADE GERAL 61- De acordo com a 750/93, do Conselho Federal de Contabilidade, foram aprovados os seguintes Princípios Fundamentais de Contabilidade: da Competência; da Prudência; do Denominador

Leia mais

Durante o mês de dezembro a Companhia efetuou as seguintes transações:

Durante o mês de dezembro a Companhia efetuou as seguintes transações: Durante o mês de dezembro a Companhia efetuou as seguintes transações: 1) Antecipação do pagamento de uma duplicata de $ 140.000 a um de seus fornecedores, com 2% de desconto. i 2) Efetuou os seguintes

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC Nº 1.418/12 -MODELO CONTÁBIL SIMPLIFICADO PARA MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE ITG 1000

RESOLUÇÃO CFC Nº 1.418/12 -MODELO CONTÁBIL SIMPLIFICADO PARA MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE ITG 1000 RESOLUÇÃO CFC Nº 1.418/12 -MODELO CONTÁBIL SIMPLIFICADO PARA MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE ALCANCE 1.... estabelece critérios e procedimentos específicos a serem observados pelas entidades

Leia mais

1. INVENTÁRIOS 1.2 INVENTÁRIO PERIÓDICO. AGENTE E ESCRIVÃO DA POLICIA FEDERAL Disciplina: Contabilidade Prof.: Adelino Corrêa. 1..

1. INVENTÁRIOS 1.2 INVENTÁRIO PERIÓDICO. AGENTE E ESCRIVÃO DA POLICIA FEDERAL Disciplina: Contabilidade Prof.: Adelino Corrêa. 1.. 1. INVENTÁRIOS 1..1 Periódico Ocorre quando os estoques existentes são avaliados na data de encerramento do balanço, através da contagem física. Optando pelo inventário periódico, a contabilização das

Leia mais

Anexo 12 - Balanço Orçamentário

Anexo 12 - Balanço Orçamentário Anexo 12 - Balanço Orçamentário BALANÇO ORÇAMENTÁRIO EXERCÍCIO: PERÍODO (MÊS) : DATA DE EMISSÃO: PÁGINA: PREVISÃO PREVISÃO RECEITAS SALDO RECEITAS ORÇAMENTÁRIAS INICIAL ATUALIZADA REALIZADAS (a) (b) c

Leia mais

PLANO DE CONTAS Critérios Para Elaboração

PLANO DE CONTAS Critérios Para Elaboração PLANO DE CONTAS Critérios Para Elaboração Sumário 1. Considerações Iniciais 2. Codificação 3. Abertura de Contas Novas 4. Manual de Contas 5. Estrutura e Classificação Das Contas Patrimoniais 6. Modelo

Leia mais

PATACÃO DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA.

PATACÃO DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. 1. CONTEXTO OPERACIONAL A Patacão Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. ( Distribuidora ) tem como objetivo atuar no mercado de títulos e valores mobiliários em seu nome ou em nome de terceiros.

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO CIRCULANTE 19.549.765,82 17.697.855,44

BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO CIRCULANTE 19.549.765,82 17.697.855,44 BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO ATIVO R$ CIRCULANTE 19.549.765,82 17.697.855,44 Disponibilidades 1.222.288,96 946.849,34 Mensalidades a receber 4.704.565,74 4.433.742,86 Endosso para terceiros 1.094.384,84

Leia mais

CONTABILIDADE: DEMONSTRAÇÃO DE LUCROS OU PREJUÍZOS ACUMULADOS (DLPA) PROCEDIMENTOS

CONTABILIDADE: DEMONSTRAÇÃO DE LUCROS OU PREJUÍZOS ACUMULADOS (DLPA) PROCEDIMENTOS CONTABILIDADE: DEMONSTRAÇÃO DE LUCROS OU PREJUÍZOS ACUMULADOS (DLPA) PROCEDIMENTOS SUMÁRIO 1. Considerações Iniciais 2. Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados (DLPA) na Lei das S.A. 3. Demonstração

Leia mais

Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A. Em 31 de dezembro de 2011 e 2010

Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A. Em 31 de dezembro de 2011 e 2010 54 RELATÓRIO ANUAL GERDAU 2011 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS RESUMIDAS Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A. Em 31 de dezembro de 2011 e 2010 GERDAU S.A. e empresas controladas BALANÇOS PATRIMONIAIS CONSOLIDADOS

Leia mais

PLANO DE CONTAS. - Plano 000001 FOLHA: 000001 0001 - INSTITUTO DE ELETROTÉCNICA E ENERGIA DA USP DATA: 18/08/2009 PERÍODO: 01/2007

PLANO DE CONTAS. - Plano 000001 FOLHA: 000001 0001 - INSTITUTO DE ELETROTÉCNICA E ENERGIA DA USP DATA: 18/08/2009 PERÍODO: 01/2007 PLANO DE S FOLHA: 000001 1 - ATIVO 1.1 - ATIVO CIRCULANTE 1.1.1 - DISPONÍVEL 1.1.1.01 - BENS NUMERÁRIOS 1.1.1.01.0001 - (0000000001) - CAIXA 1.1.1.02 - DEPÓSITOS BANCÁRIOS 1.1.1.02.0001 - (0000000002)

Leia mais

Enquadramento Page 1. Objectivo. Estrutura do documento. Observações. Limitações

Enquadramento Page 1. Objectivo. Estrutura do documento. Observações. Limitações Objectivo No âmbito do processo de adopção plena das Normas Internacionais de Contabilidade e de Relato Financeiro ("IAS/IFRS") e de modo a apoiar as instituições financeiras bancárias ("instituições")

Leia mais

INSTRUÇÃO CVM Nº 469, DE 2 DE MAIO DE 2008

INSTRUÇÃO CVM Nº 469, DE 2 DE MAIO DE 2008 Dispõe sobre a aplicação da Lei nº 11.638, de 28 de dezembro de 2007. Altera as Instruções CVM n 247, de 27 de março de 1996 e 331, de 4 de abril de 2000. A PRESIDENTE DA COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS

Leia mais

Brito Amoedo Imobiliária S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes

Brito Amoedo Imobiliária S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Brito Amoedo Imobiliária S/A Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Em 30 de Junho de 2007 e em 31 de Dezembro de 2006, 2005 e 2004 Parecer dos auditores independentes

Leia mais

Exercício 2008. Checklist para elaboração de demonstrações financeiras

Exercício 2008. Checklist para elaboração de demonstrações financeiras Exercício 2008 Checklist para elaboração de demonstrações financeiras 2 Checklist De acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil Este checklist foi desenvolvido com a finalidade de auxiliar na

Leia mais

SUMÁRIO. Sumário 7 APRESENTAÇÃO... 23

SUMÁRIO. Sumário 7 APRESENTAÇÃO... 23 Sumário 7 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 23 Capítulo 1 CONTABILIDADE GERAL... 25 Aspectos iniciais pertinentes ao Exame de Suficiência... 25 1. Patrimônio e Variações Patrimoniais... 26 1.1. Conceito e Objeto...

Leia mais

Plano de Contas - Modelo

Plano de Contas - Modelo Plano de Contas - Modelo Ativo Passivo Contas De Compensação Passivas (CCP) Contas De Resultado Despesas Operacionais (DO) Provisão para o Imposto Sobre a Renda e Contribuição Social (PR) Participações

Leia mais

NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE ITG 2002 ENTIDADE SEM FINALIDADE DE LUCROS

NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE ITG 2002 ENTIDADE SEM FINALIDADE DE LUCROS NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE ITG 2002 ENTIDADE SEM FINALIDADE DE LUCROS Índice Item CONTETO 1 6 ALCANCE 7 8 RECONHECIMENTO 9 10 REGISTROS CONTÁBEIS 11 22 DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS 23 25 CONTAS DE

Leia mais

DOAR DEMONSTRAÇÃO DAS ORIGENS E APLICAÇÕES DE RECURSOS UMA REVISÃO DOS CONCEITOS MAIO / 2007. Autor - Manoel Moraes Jr

DOAR DEMONSTRAÇÃO DAS ORIGENS E APLICAÇÕES DE RECURSOS UMA REVISÃO DOS CONCEITOS MAIO / 2007. Autor - Manoel Moraes Jr DOAR DEMONSTRAÇÃO DAS ORIGENS E APLICAÇÕES DE RECURSOS UMA REVISÃO DOS CONCEITOS MAIO / 2007 Autor - Manoel Moraes Jr OBJETIVOS DA DOAR Apresentar de forma ordenada e sumariada as informações relativas

Leia mais

ASSUNTOS CONTÁBEIS EXEMPLOS DE APURAÇÃO DO IRPJ - LUCRO REAL. Balancete encerrado em 31.08.2007

ASSUNTOS CONTÁBEIS EXEMPLOS DE APURAÇÃO DO IRPJ - LUCRO REAL. Balancete encerrado em 31.08.2007 SUPERAVIT - Boletim Eletrônico Fiscal Consultoria TRIBUTÁRIA: (84) 3331-1310 E-Mail: jorge@superavitcontabil@com.br MSN: superavit.contabil@hotmail.com SITE: www.superavitcontabil.com.br ASSUNTOS CONTÁBEIS

Leia mais

Contabilidade Financeira

Contabilidade Financeira Contabilidade Prof. Dr. Alvaro Ricardino Módulo: Contabilidade Básica aula 04 Balanço Patrimonial: Grupo de Contas II Aula 4 Ao final desta aula você : - Conhecerá os grupos de contas do Ativo e Passivo.

Leia mais