INTRODUÇÃO DE FATOR MODERADOR DE USO EM PLANOS DE SAÚDE COMO ELEMENTO DE CORREÇÃO DA SINISTRALIDADE NO SEGURO- SAÚDE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INTRODUÇÃO DE FATOR MODERADOR DE USO EM PLANOS DE SAÚDE COMO ELEMENTO DE CORREÇÃO DA SINISTRALIDADE NO SEGURO- SAÚDE"

Transcrição

1 INTRODUÇÃO DE FATOR MODERADOR DE USO EM PLANOS DE SAÚDE COMO ELEMENTO DE CORREÇÃO DA SINISTRALIDADE NO SEGURO- SAÚDE Fossati, Gilberto*; Ruschel, Felipe F**; Robinson, Gustavo GR**; Caye, Carlos A**; Robinson, Jorge G**. Fundação Faculdade Federal de Ciências Médicas de Porto Alegre. * Professor Adjunto ** Doutorandos

2 INTRODUÇÃO Atuaria é à parte da estatística que investiga problemas relacionados com a teoria e o cálculo de seguros numa coletividade. O cálculo dos preços dos seguros é feito de princípios atuariais, baseados fundamentalmente na maior ou menor ocorrência de dano ao bem segurado. Essa probabilidade, cientificamente avaliada, de ocorrência de prejuízo ou dano em algum bem segurado chama-se sinistralidade. O cálculo atuarial para determinar o preço de um seguro é proporcional a sua sinistralidade, ou seja, será tanto maior o preço quanto maior for a probabilidade de que ocorra um prejuízo ou dano ao bem segurado. A utilização de dados estatísticos sedimentados ao longo dos anos e permanentemente monitorados faz com que a margem de erro desses cálculos seja muito pequena. Assim o valor de um seguro contra incêndio de uma residência custa mais caro se ela for de madeira, porque a probabilidade de incêndio é maior do que se ela fosse de alvenaria. Da mesma forma, o seguro contra incêndio dessa residência custa proporcionalmente mais barato do que o seguro contra roubo, porque é estatisticamente comprovada a menor sinistralidade por incêndio do que por roubo em residências. Por outro lado, o seguro contra roubo dessa residência custa proporcionalmente menos do que o seguro contra roubo de um automóvel, porque a probabilidade de roubo do automóvel é maior do que o roubo na casa. Entretanto, quando se trata de seguros de saúde, além das probabilidades objetivas da ocorrência de doenças, que podem ser avaliadas estatisticamente e ter sua sinistralidade bem determinada, a utilização dos serviços médicos ocorre pelos mais diversos motivos subjetivos em, muitas vezes, indevidos. Basta que uma pessoa famosa tenha uma doença, que apareça uma reportagem na televisão, para que um grande número de pessoas não expostas àquela doença busquem consultas desnecessárias e exijam diagnósticos inúteis e caros. O mesmo ocorre em menor escala, mas de forma multicêntrica, quando uma pessoa tem uma doença grave e um expressivo contingente de familiares, parentes, vizinhos, colegas de trabalho, clientes, etc, ficam motivados a procurar serviços médicos para investigar a mesma ou outras doenças para as quais não apresentam sinais, sintomas ou riscos que justifiquem aquela investigação. A redução destes custos desnecessários é do interesse tanto da empresa seguradora, que não quer ter prejuízo, quanto do comprador do seguro, que não quer pagar mais caro para cobrir esse uso abusivo. Algumas administradoras de planos de saúde e os próprios institutos de previdência dos estados utilizam um fator moderador de uso, que consiste no pagamento de taxa de participação por parte do usuário no momento de fazer uma consulta médica ou exame laboratorial. Essa taxa de participação, mesmo sendo de valor pouco expressivo, provoca uma diminuição da procura dos serviços médicos naqueles casos em que não há motivos justificados. OBJETIVO Avaliar a importância da utilização de um fator moderador de uso na determinação dos custos de um plano de saúde e sua repercussão sobre o preço final do plano e a demanda por consultas médicas.

3 MATERIAL E MÉTODO Tomada aleatoriamente uma administradora de planos de saúde para obtenção de dados mensais sobre: - número total de usuários; - número total de consultas realizadas; - custo total das consultas realizadas em planos com um fator moderador de uso; - custo total das consultas realizadas em planos sem o fator moderador de uso. Com base nos dados torna-se importante à verificação da influência do fator moderador de uso na ocorrência de consultas médicas, no custo e na repercussão no preço final dos planos. RESULTADOS O Plano de Saúde sem um fator moderador de uso paga ao médico a importância de R$ 40,00 (quarenta reais), enquanto que o Plano de Saúde com fator moderador de uso o valor de R$ 25,00 e o segurado mais R$ 25,00 no momento da consulta. A Tabela 1 mostra a situação do Plano sem o fator moderador de uso. TABELA 1: RESULTADO DO PLANO DE SAÚDE SEM O FATOR MODERADOR DE USO, QUANTO ÀS CONSULTAS BENEFICIÁRIOS, CUSTO E RECEITA TOTAL MÊSES CONSULTAS BENEFIC. % CONSULTAS CUSTO REC. TOTAL % RECEITA TOTAL Janeiro , ,06 Fevereiro , ,93 Março , ,49 Abril , ,18 Maio , ,34 Junho , ,37 Julho , ,79 Agosto , ,70 Setembro , ,89 Outubro , ,32 Novembro , ,35 Dezembro , ,27 TOTAL , ,27 Este Plano de Saúde sem o fator moderador de uso mostra que o percentual médio de consultas por beneficiário do Plano é de 43,77%, consumindo 31,27% da receita do Plano.

4 O Plano de Saúde com fator moderador de uso, mostra na Tabela 2 uma situação diferente da anterior, onde apenas 24,64% dos beneficiários consultam todos os meses, implicando em custos da ordem de 19,55% dos recursos totais arrecadados pelo Plano. TABELA 2: RESULTADO DO PLANO DE SAÚDE COM O FATOR MODERADOR DE USO, QUANTO ÀS CONSULTAS BENEFICIÁRIOS, CUSTO E RECEITA TOTAL MÊSES CONSULTAS BENEFIC. % CONSULTAS CUSTO REC. TOTAL % RECEITA TOTAL Janeiro , ,33 Fevereiro , ,25 Março , ,06 Abril , ,15 Maio , ,03 Junho , ,78 Julho , ,16 Agosto , ,66 Setembro , ,74 Outubro , ,28 Novembro , ,00 Dezembro , ,08 TOTAL , ,55 O Plano de Seguro Saúde com fator moderador de uso mostra que, um percentual (24,64%) menor de beneficiários consultam, todos os meses em relação ao Plano sem fator moderador de uso que atinge (43,77%), implicando em um gasto, também, inferior da receita com consultas médicas. A análise dos dados permite tirar uma série de observações. No Plano sem o fator moderador de uso, o número de consultas aumentou no decorrer do período de janeiro a dezembro do ano em estudo, atingindo 63,8% de aumento nas consultas; os beneficiários aumentaram de para o que correspondeu a 64,1%; na relação consulta com o total de beneficiários do Plano foi verificado que 43,77% destes buscaram consulta médica. Comparativamente ao Plano com o fator moderador de uso, no mesmo período o número de consultas atingiu consultas; o número de beneficiários foi de com uma relação de utilização de consultas da ordem de 24,64%. No Plano sem fator moderador de uso o custo das consultas médicas foi de R$ ,00 (um milhão seiscentos e setenta e quatro mil trezentos e nove reais) para uma receita total do Plano de R$ ,00 (cinco milhões trezentos e cinqüenta e três mil quinhentos e sessenta e um reais) representando um consumo de recursos financeiros da ordem de 31,27%; enquanto que no Plano com fator moderador de uso o custo das

5 consultas médicas foi de R$ ,00 (trezentos e sessenta e quatro mil novecentos e sessenta e sete reais) para uma receita total do Plano de R$ ,00 (um milhão oitocentos e sessenta e seis mil quatrocentos e setenta e quatro reais) representando um consumo de recursos financeiros da ordem de 19,55%. A análise estatística, utilizando o teste de proporção com aproximação à curva normal, para um p < 0,05, para ambas as situações entre Planos, percentagem de consultas e custo de consultas, foi encontrado significância estatística. A percentagem de consultas no Plano de Saúde com fator moderador de uso é menor do que a percentagem de consultas no Plano sem fator moderador de uso podendo caracterizar-se como um mecanismo de controle do número de consultas, além de significar o melhor aproveitamento das consultas quanto a real necessidade do segurado na busca à assistência médica. A constatação de um menor percentual (19,55%) de consumo da receita total do Plano com fator moderador de uso, em relação à (31,27%) do Plano sem o fator moderador de uso permite, também, constatar que seria viável o melhor aproveitamento do Plano com maior extensão à população quando o Plano de Saúde trabalhar com um fator moderador de uso. Os benefícios seriam assim ampliados de maneira significativa e seria possível exigir-se do médico um melhor cumprimento das normas internacionais e nacionais quanto ao tipo e tempo do atendimento e, a resolutividade do problema de saúde do segurado-paciente. No Plano sem fator moderador de uso se utilizado o valor médio das consultas, R$ 21,90 (vinte e um reais e noventa centavos) obtido no Plano com fator moderador de uso, o Plano poderia ter ofertado 66% mais de consultas aos seus beneficiários, atingindo consultas com o mesmo custo tido no atendimento de seus segurados (R$ ,00 hum milhão seiscentos e setenta e quatro mil trezentos e nove reais). CONCLUSÕES Há uma tendência ao aumento de consultas médicas quando o Plano de Saúde não contempla um fator moderador de uso. O custo das consultas médicas é significantemente maior nos Planos sem um fator moderador de uso, apesar de o número de benefícios médicos serem significantemente menores. O fator moderador de uso funciona como um mecanismo de controle do número de consultas médicas, podendo significar atenção médica de melhor qualidade. Os benefícios podem ser ampliados quanto a resolutividade dos casos.

Encargos Financeiros 2016. Program a de Pó s - Gr adu ação La to Se ns u da FGV DIREIT O SP ( GV law)

Encargos Financeiros 2016. Program a de Pó s - Gr adu ação La to Se ns u da FGV DIREIT O SP ( GV law) Encargos Financeiros 2016 Programa de Pós-Graduação Lato Sensu da DIREITO GV (GVlaw) Valores dos cursos de 32 horas (para ingressantes no 1º semestre de 2016): R$ 3.045,00 (três mil e quarenta e cinco

Leia mais

ANEXO DE METAS FISCAIS AVALIAÇÃO DA SITUAÇÃO FINANCEIRA E ATUARIAL. (Artigo 4º 2º, inciso IV, alínea a da Lei Complementar nº 101/2000)

ANEXO DE METAS FISCAIS AVALIAÇÃO DA SITUAÇÃO FINANCEIRA E ATUARIAL. (Artigo 4º 2º, inciso IV, alínea a da Lei Complementar nº 101/2000) ANEXO DE METAS FISCAIS AVALIAÇÃO DA SITUAÇÃO FINANCEIRA E ATUARIAL (Artigo 4º 2º, inciso IV, alínea a da Lei Complementar nº 101/2000) PLANO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE LONDRINA

Leia mais

ESTADO MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE VARZEA GRANDE NOTIFICAÇÃO DE RECEBIMENTO DE RECURSOS FEDERAIS

ESTADO MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE VARZEA GRANDE NOTIFICAÇÃO DE RECEBIMENTO DE RECURSOS FEDERAIS 03.507.548/0001-10 Arrecadação: 661/13 03/01/2013 SUS-MAC-MEDIA ALTA COMPLEX. AMB. HOSP-624.004-1 Fonte de recursos: 0202 - Recurso de Convênio e Programa Saúde Total geral : Fica liquidada a importância

Leia mais

Governo do Estado do Amazonas Gabinete do Governador

Governo do Estado do Amazonas Gabinete do Governador Governo do Estado do Amazonas Gabinete do Governador DECRETO Nº 33.443, DE 25 DE ABRIL DE 2013. ABRE crédito adicional suplementar que especifica, no Orçamento Fiscal vigente da Administração Direta. O

Leia mais

ESTADO MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE VARZEA GRANDE NOTIFICAÇÃO DE RECEBIMENTO DE RECURSOS FEDERAIS

ESTADO MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE VARZEA GRANDE NOTIFICAÇÃO DE RECEBIMENTO DE RECURSOS FEDERAIS 03.507.548/0001-10 Arrecadação: 880/13 25/01/2013 373.00 FMAS/PROJOVEM ADOLESC-47.837-7 Fonte de recursos: 0301 - Recurso de Convênio e Programa-Outras Finalidades Total geral : Fica liquidada a importância

Leia mais

ESTADO DE SERGIPE PREFEITURA MUNICIPAL DE ITABAIANA FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE DE ITABAIANA CONTRATO N 071/2014

ESTADO DE SERGIPE PREFEITURA MUNICIPAL DE ITABAIANA FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE DE ITABAIANA CONTRATO N 071/2014 CONTRATO N 071/2014 CONTRATADA: EMPRESA: WD COMERCIAL E EQUIPAMENTOS MÉDICOS LTDA EPP (CNPJ: 10.492.910/0001-92). VALOR: R$ 116.794,50 (cento e dezesseis mil seiscentos setecentos e noventa e quatro reais

Leia mais

Presidência da República

Presidência da República Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 12.913, DE 18 DEZEMBRO DE 2013 (publicada no DOU de 19/12/13, Seção 1, página 19) Abre ao Orçamento Fiscal da União, em favor

Leia mais

ANEXO V PREÇO UNITÁRIO (R$) DEPENDENTES LEGAIS anos , , anos , , anos ,95 2.

ANEXO V PREÇO UNITÁRIO (R$) DEPENDENTES LEGAIS anos , , anos , , anos ,95 2. TABELA I PLANILHA INFORMATIVA DE BENEFICIÁRIOS E PREÇOS ESTIMADOS DO GRUPO A TITULARES E DEPENDENTES LEGAIS NO PLANO BÁSICO A - ENFERMARIA - SUBITEM 3.2.1 DO TERMO DE REFERÊNCIA - BENEFICIÁRIOS - TITULARES

Leia mais

LEI Nº 3.262/07 DE 13/12/07

LEI Nº 3.262/07 DE 13/12/07 LEI Nº 3.262/07 DE 13/12/07 ESTIMA A RECEITA E FIXA A DESPESA DO MUNICÍPIO DE CAMPOS NOVOS PARA O EXERCÍCIO DE 2008 Cirilo Rupp, Prefeito em exercício do Município de Campos Novos, Estado de Santa Catarina,

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DAS APLICAÇÕES DOS RECURSOS PREVIDENCIÁRIOS TRIMESTRE: ABRIL - JUNHO DE 2008

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DAS APLICAÇÕES DOS RECURSOS PREVIDENCIÁRIOS TRIMESTRE: ABRIL - JUNHO DE 2008 INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA À SAÚDE DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DE SANTA MARIA IPASSP SM DIRETORIA EXECUTIVA RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DAS APLICAÇÕES DOS RECURSOS PREVIDENCIÁRIOS

Leia mais

ORÇAMENTO 2014 QUADRO COMPARATIVO ENTRE A LEI Nº 9.979/13 E O PROJETO Nº 307/13

ORÇAMENTO 2014 QUADRO COMPARATIVO ENTRE A LEI Nº 9.979/13 E O PROJETO Nº 307/13 1 ORÇAMENTO 2014 QUADRO COMPARATIVO ENTRE A LEI Nº 9.979/13 E O PROJETO Nº 307/13 LEI Nº 9.979/13 Estima a receita e fixa a despesa do Estado para o exercício Financeiro de 2013. PROJETO DE LEI Nº 307/13

Leia mais

Contratada: EMBRAS - EMPRESA BRASILEIRA DE TECNOLOGIA LIMITADA Objeto: Prestação de serviços de informática. Aditamento n 2 - Contrato nº 06/2012.

Contratada: EMBRAS - EMPRESA BRASILEIRA DE TECNOLOGIA LIMITADA Objeto: Prestação de serviços de informática. Aditamento n 2 - Contrato nº 06/2012. Aditamento Fevereiro/2014 Contratada: OPENLEGIS CONSULTORIA E INFORMÁTICA LTDA Objeto: Prestação de serviços de informatização de processo legislativo com plataforma e desenvolvimento baseados em software

Leia mais

Extrato de Dispensa de Licitação nº 094/2015. Contratante: Município de Laje. Objeto: junho de 1993. Valor global R$ 14.130,48 (quatorze mil cento e trinta reais e quarenta e oito centavos). Contratado:

Leia mais

SIMPLES - Sistema Integrado de Pagamento de Impostos e Contribuições das Micro e EPP Alíquotas e sua Destinação

SIMPLES - Sistema Integrado de Pagamento de Impostos e Contribuições das Micro e EPP Alíquotas e sua Destinação SIMPLES - Sistema Integrado de Pagamento de Impostos e Contribuições das Micro e EPP Alíquotas e sua Destinação Constituição Federal do Brasil art. 179; Decreto 3.000/99 arts. 185 a 206 (RIR/99); IN SRF

Leia mais

Prestação de Contas Exercício 2013. Sisma/MT

Prestação de Contas Exercício 2013. Sisma/MT Prestação de Contas Exercício 2013 Sisma/MT SINDICATO DOS SERV. DA SAÚDE E MEIO AMB. ESTADO DE MATO GROSSO CNPJ: 03.094.349/0001-28 SINDICATO DOS SERV. DA SAÚDE E MEIO AMB. ESTADO DE MATO GROSSO CNPJ:

Leia mais

AVISO AOS ACIONISTAS

AVISO AOS ACIONISTAS AVISO AOS ACIONISTAS ALIANSCE SHOPPING CENTERS (ALSC3) COMUNICA O AUMENTO DE CAPITAL SOCIAL CONFORME DELIBERADO EM REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DO DIA 27 DE ABRIL DE 2015 Rio de Janeiro, 28 de

Leia mais

REDE ENERGIA S.A. CNPJ/MF nº 61.584.140/0001-49 NIRE 35.300.029.780 Companhia Aberta PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO

REDE ENERGIA S.A. CNPJ/MF nº 61.584.140/0001-49 NIRE 35.300.029.780 Companhia Aberta PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO REDE ENERGIA S.A. CNPJ/MF nº 61.584.140/0001-49 NIRE 35.300.029.780 Companhia Aberta São Paulo, 15 de junho de 2011. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO Assembléia Geral Extraordinária a realizar-se em 30/06/2011

Leia mais

Dispõe sobre os valores de anuidades, contribuições, taxas, multas e emolumentos para o exercício de 2014.

Dispõe sobre os valores de anuidades, contribuições, taxas, multas e emolumentos para o exercício de 2014. Belo Horizonte, 19 de Novembro de 2013. Resolução Especial CREF6/MG 2013 Dispõe sobre os valores de anuidades, contribuições, taxas, multas e emolumentos para o exercício de 2014. O PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 1 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO 20.050.042-11 - PLANO PREVER DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO 9- VALOR DE RESGATE 10- NÚMERO DE EMPREGADOS

Leia mais

MODELO E INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO

MODELO E INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO : 31.157.589/0001-60 5.200.000,00 (Cinco milhões e duzentos mil reais) Nº / ANO: 001/2014 Data: 03/01/2014 7º I b - FI 100% Títulos TN Aplicação na conta previdenciária nº 89-4 de recursos provenientes

Leia mais

RELATÓRIO SEGURIDADE. Março/2010

RELATÓRIO SEGURIDADE. Março/2010 RELATÓRIO SEGURIDADE Março/2010 O relatório da área de seguridade tem por finalidade apresentar as principais atividades desenvolvidas no mês, informando os números e valores relativos ao período de março

Leia mais

Previdência 2011: Novos Valores do Salário de Contribuição e Salário- Família 2011 03/01/2011

Previdência 2011: Novos Valores do Salário de Contribuição e Salário- Família 2011 03/01/2011 Previdência 2011: Novos Valores do Salário de Contribuição e Salário- Família 2011 03/01/2011 A Portaria Interministerial 568 MPS-MF, de 31-12-2010, publicada no Diário Oficial de 3-1-2011, reajustou em

Leia mais

CONSELHO CURADOR DO FUNDO DE GARANTIA DO TEMPO DE SERVIÇO RESOLUÇÃO N 289, DE 30 DE JUNHO DE

CONSELHO CURADOR DO FUNDO DE GARANTIA DO TEMPO DE SERVIÇO RESOLUÇÃO N 289, DE 30 DE JUNHO DE CONSELHO CURADOR DO FUNDO DE GARANTIA DO TEMPO DE SERVIÇO RESOLUÇÃO N 289, DE 30 DE JUNHO DE 1998 Estabelece diretrizes para a aplicação dos recursos e a elaboração das propostas orçamentárias do FGTS,

Leia mais

Fundo de Assistência Judiciária da Defensoria Pública do Estado da Bahia FAJDPE/BA

Fundo de Assistência Judiciária da Defensoria Pública do Estado da Bahia FAJDPE/BA Fundo de Assistência Judiciária da Defensoria Pública do Estado da Bahia FAJDPE/BA Relatório semestral - 2º trimestre / 2015 - APRESENTAÇÃO O presente relatório condensa a movimentação semestral das receitas

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAETITÉ

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAETITÉ TERMO DE ADJUDICAÇÃO Atendendo a decisão da Comissão de Pregão da Prefeitura Municipal de Caetité, Estado da Bahia, referente ao Pregão Presencial nº 020/2015, fica adjudicada a aquisição dos produtos

Leia mais

ESTADO DO AMAZONAS MUNICÍPIO DE LÁBREA

ESTADO DO AMAZONAS MUNICÍPIO DE LÁBREA ESTADO DO AMAZONAS MUNICÍPIO DE LÁBREA GABINETE DO PREFEITO DECRETO MUNICIPAL Nº. 466/GPML - DE 14 DE JANEIRO DE 2013. Dispõe sobre o valor a ser cobrado no Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial

Leia mais

Avaliação Atuarial de Banco de Dados

Avaliação Atuarial de Banco de Dados Avaliação Atuarial de Banco de Dados ASSOCIAÇÃO POLICIAL DE ASSISTÊNCIA A SAÚDE DE SÃO JOÃO DA BOA VISTA - SP São José dos Pinhais, 12 de Junho de 2007. Índice 1. Introdução---------------------------------------------------------------------------------------------------3

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS

CÂMARA DOS DEPUTADOS CÂMARA DOS DEPUTADOS Discurso pronunciado pelo deputado VINICIUS CARVALHO (PRB-SP), na Sessão do dia 05 de maio de 2015, no Pequeno Expediente. Sr. Presidente, Srs. Deputados, demais presentes, caros telespectadores

Leia mais

REQUERIMENTO DE INFORMAÇÃO Nº, DE 2005. (Do Sr. Geraldo Resende)

REQUERIMENTO DE INFORMAÇÃO Nº, DE 2005. (Do Sr. Geraldo Resende) REQUERIMENTO DE INFORMAÇÃO Nº, DE 2005. (Do Sr. Geraldo Resende) Solicita informações ao Excelentíssimo Ministro da Controladoria-Geral da União - CGU, acerca das providências tomadas por esse órgão no

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2004 E DE 2003

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2004 E DE 2003 1 - CONTEXTO OPERACIONAL A Sociedade tem como objetivo principal a prestação de serviços de segurança e vigilância de estabelecimentos industriais, comerciais, bancários e residenciais, tecnologia de segurança,

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2007 PROCESSO Nº

Leia mais

Fundo de Garantia Automóvel. Relatório Anual de Actividades 2010. Banco de Cabo Verde

Fundo de Garantia Automóvel. Relatório Anual de Actividades 2010. Banco de Cabo Verde Fundo de Garantia Automóvel Relatório Anual de Actividades 2010 Banco de Cabo Verde Índice 1. Introdução... 03 2. Actividades desenvolvidas em 2010.. 03 2.1 Abertura e encerramento de processos... 04 2.2.

Leia mais

Leitura e escrita de números - milhões. Leitura e escrita de números - milhões Duzentos e quatro milhões, dois mil e trezentos e três.

Leitura e escrita de números - milhões. Leitura e escrita de números - milhões Duzentos e quatro milhões, dois mil e trezentos e três. A1 1. Regista os na tabela e escreve a sua leitura. 1534879 20359451 835359424 100000001 204002303 52500500 999888777 101101101 Milhões Milhares Unidades C D U C D U C D U 1534879 - Um milhão, quinentos

Leia mais

JUNTA DE FREGUESIA DE GALVEIAS

JUNTA DE FREGUESIA DE GALVEIAS MINUTA DA ATA NR.8/2014 MINUTA DA ACTA DA REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA REALIZADA NO DIA DEZASSETE DE ABRIL DO ANO DE DOIS MIL E QUINZE ---------------------------------------------------------------------- ---------

Leia mais

-----------------------------------------------------------------------------------------------

----------------------------------------------------------------------------------------------- Contrato Nº..: 63/2013 Contratada...: INSTITUTO SINERGIA E EXTENSÃO E PÓS-GRADUAÇÃO Valor...: 41.810,00 (quarenta e um mil oitocentos e dez reais) Vigência...: Início: 08/04/2013 Término: 31/12/2013 Licitação...:

Leia mais

ESTADO DO CEARÁ PODER JUDICIÁRIO c TRIBUNAL DE JUSTIÇA Auditoria Administrativa de Controle Interno

ESTADO DO CEARÁ PODER JUDICIÁRIO c TRIBUNAL DE JUSTIÇA Auditoria Administrativa de Controle Interno Relatório de Auditoria Prestação de Contas Anual - FERMOJU 2012 página 1 ESTADO DO CEARÁ PODER JUDICIÁRIO c TRIBUNAL DE JUSTIÇA Objeto: Prestação de Contas Anual Origem: Fundo Especial de Reaparelhamento

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 20.934/2014

PROJETO DE LEI Nº 20.934/2014 PROJETO DE LEI Nº 20.934/2014 Estima a Receita e fixa a Despesa do Estado para o exercício financeiro de 2015. O GOVERNADOR DO ESTADO DA BAHIA, faço saber que a Assembleia Legislativa decreta e eu sanciono

Leia mais

Relatório anual de acompanhamento das ações executadas com os recursos da cobrança pelo uso de recursos hídricos na Bacia Hidrográfica do Rio Doce

Relatório anual de acompanhamento das ações executadas com os recursos da cobrança pelo uso de recursos hídricos na Bacia Hidrográfica do Rio Doce Relatório anual de acompanhamento das ações executadas com os recursos da cobrança pelo uso de recursos hídricos na Bacia Hidrográfica do Rio Doce CBH MANHUAÇU RELATÓRIO DE GESTÃO DO EXERCÍCIO DE 2013

Leia mais

DECLARAÇÃO DE VALOR DO EMPREENDIMENTO

DECLARAÇÃO DE VALOR DO EMPREENDIMENTO Em atenção a condicionante 2.1, Programa 27, contida na Licença Prévia No. 318/2009, de 09 de julho de 2009, do licenciamento do Empreendimento de Implantação do Projeto de Exploração de Bauxita denominado

Leia mais

Prefeitura Municipal de Ubatã Estado da Bahia CNPJ 14.235.253/0001-59

Prefeitura Municipal de Ubatã Estado da Bahia CNPJ 14.235.253/0001-59 CONTRATO ADMINISTRATIVO 086/2015 Proc. Administrativo: N 322/2014 CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA FORNECIMENTO DE MEDICAMENTOS, LOTE 01. LÍDER COMÉRCIO DE MEDICAMENTOS E MATERIAIS HOSPITALARES

Leia mais

LEI Nº 10.727, DE 4 DE ABRIL DE 2014. O Povo do Município de Belo Horizonte, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 10.727, DE 4 DE ABRIL DE 2014. O Povo do Município de Belo Horizonte, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 10.727, DE 4 DE ABRIL DE 2014 Concede reajuste remuneratório, altera as leis n os 7.227/96, 8.690/03, 9.240/06, 9.303/07 e 10.202/11, e dá outras providências. O Povo do Município de Belo Horizonte,

Leia mais

PREÇO DE VENDA DOS SERVIÇOS DE TRANSPORTE DE CARGA GERAL SINDICATO DOS CONDUTORES AUTÔNOMOS DE PARANAGUÁ

PREÇO DE VENDA DOS SERVIÇOS DE TRANSPORTE DE CARGA GERAL SINDICATO DOS CONDUTORES AUTÔNOMOS DE PARANAGUÁ PREÇO DE VENDA DOS SERVIÇOS DE TRANSPORTE DE CARGA GERAL SINDICATO DOS CONDUTORES AUTÔNOMOS DE PARANAGUÁ Dezembro de 2015 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO... 3 2. CARACTERÍSTICAS DO SERVIÇO DE TRANSPORTE... 4 2.1.

Leia mais

TELEFÔNICA BRASIL S.A. Companhia Aberta CNPJ MF 02.558.157/0001-62 - NIRE 35.3.001.5881-4

TELEFÔNICA BRASIL S.A. Companhia Aberta CNPJ MF 02.558.157/0001-62 - NIRE 35.3.001.5881-4 AVISO AOS ACIONISTAS PAGAMENTO DE JUROS SOBRE CAPITAL PRÓPRIO E DIVIDENDOS INTERMEDIÁRIOS EXERCÍCIO 2014 I A Diretoria da Telefônica Brasil S.A. ( Companhia ) comunica aos Senhores Acionistas, conforme

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Page 1 of 6 TERMO ADITIVO A ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RN000202/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 18/06/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR029210/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46217.004335/2013-95

Leia mais

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELA SAE NO MÊS DE SETEMBRO DE 2008

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELA SAE NO MÊS DE SETEMBRO DE 2008 RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELA SAE NO MÊS DE SETEMBRO DE 2008 Este relatório tem como finalidade apresentar a toda a comunidade araguarina e aos clientes da SAE as principais atividades realizadas

Leia mais

GesANTT PLANO DO PROJETO EPP.PP.01 1.1. ProPass Brasil Projeto da Rede Nacional de Transporte Rodoviário Interestadual e Internacional de Passageiros

GesANTT PLANO DO PROJETO EPP.PP.01 1.1. ProPass Brasil Projeto da Rede Nacional de Transporte Rodoviário Interestadual e Internacional de Passageiros 1 Nome do Projeto ProPass Brasil Projeto da Rede Nacional de Transporte Rodoviário Interestadual e Internacional de Passageiros 2 Chefe do Projeto Maria Ângela Cavalcanti Oliveira 3 Gestor do Projeto Sonia

Leia mais

VIA VAREJO S.A. CNPJ/MF / NIRE ( COMPANHIA )

VIA VAREJO S.A. CNPJ/MF / NIRE ( COMPANHIA ) VIA VAREJO S.A. CNPJ/MF 33.041.260/0652-90 NIRE 35.300.394.925 ( COMPANHIA ) COMUNICAÇÃO SOBRE AUMENTO DE CAPITAL, DECORRENTE DE PLANO DE REMUNERAÇÃO EM OPÇÕES DA COMPANHIA, APROVADO PELO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

TERMO ADITIVO AO ACORDO COLETIVO DE TRABALHO PARTES ACORDANTES

TERMO ADITIVO AO ACORDO COLETIVO DE TRABALHO PARTES ACORDANTES TERMO ADITIVO AO ACORDO COLETIVO DE TRABALHO PARTES ACORDANTES São partes signatárias do presente Acordo Coletivo de Trabalho, a Empresa CONCESSIONÁRIA AEROPORTOS BRASIL - VIRACOPOS S.A., com sede no Município

Leia mais

Edição Digital nº 8623 XX páginas 5ª feira 18/Jul/2013 - Edição nº 9002 37 Nova redação do Edital: ANEXO I ESPECIFICAÇÃO DO OBJETO DO LOTE 01: ESPECIFICAÇÕES DO PAINEL Tipo painel: IPS; (excluído); Resolução

Leia mais

NOSSA ABO/DF. Por ocasião da última Assembleia Geral Extraordinária (AGE) acontecida em 02 de Dezembro de 2013 informamos o que se segue.

NOSSA ABO/DF. Por ocasião da última Assembleia Geral Extraordinária (AGE) acontecida em 02 de Dezembro de 2013 informamos o que se segue. NOSSA ABO/DF Por ocasião da última Assembleia Geral Extraordinária (AGE) acontecida em 02 de Dezembro de 2013 informamos o que se segue. Assumimos nossa primeira gestão em 01 de abril de 2010, e em reuniões

Leia mais

COSAN S.A. INDÚSTRIA E COMÉRCIO CNPJ nº 50.746.577/0001-15 NIRE 35.300.177.045 Companhia Aberta

COSAN S.A. INDÚSTRIA E COMÉRCIO CNPJ nº 50.746.577/0001-15 NIRE 35.300.177.045 Companhia Aberta COSAN S.A. INDÚSTRIA E COMÉRCIO CNPJ nº 50.746.577/0001-15 NIRE 35.300.177.045 Companhia Aberta COSAN LOGISTICA S.A. CNPJ/MF 17.346.997/0001-39 NIRE 35.300.447.581 Companhia Aberta FATO RELEVANTE A COSAN

Leia mais

CONSULTORIA TÉCNICA ESPECIALIZADA

CONSULTORIA TÉCNICA ESPECIALIZADA CONSULTORIA TÉCNICA ESPECIALIZADA CONSULTORIA TÉCNICA ESPECIALIZADA PERFIL DAS MULTAS DE TRÂNSITO PROCESSADAS NO MUNICÍPIO DE LIMEIRA JAN-SET / 2015 Núcleo de Gestão de Políticas Públicas, Ciências Sociais,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 2.827. 1º Para efeito do disposto nesta Resolução entende-se: I - por órgãos e entidades do setor público:

RESOLUÇÃO Nº 2.827. 1º Para efeito do disposto nesta Resolução entende-se: I - por órgãos e entidades do setor público: RESOLUÇÃO Nº 2.827 Consolida e redefine as regras para o contingenciamento do crédito ao setor público. O BANCO CENTRAL DO BRASIL, na forma do art. 9º da Lei nº. 4.595, de 31 de dezembro de 1964, torna

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 3.759 R E S O L V E U:

RESOLUÇÃO Nº 3.759 R E S O L V E U: RESOLUÇÃO Nº 3.759 Estabelece as condições para a concessão de financiamentos passíveis de subvenção econômica pela União, destinados à aquisição e produção de bens de capital e à inovação tecnológica.

Leia mais

Relatório de Desempenho da Gestão do Fermoju Período: janeiro/2012 a dezembro/2012

Relatório de Desempenho da Gestão do Fermoju Período: janeiro/2012 a dezembro/2012 ESTADO DO CEARÁ PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA SECRETARIA DE FINANÇAS FERMOJU Relatório de Desempenho da Gestão do Fermoju Período: janeiro/2012 a dezembro/2012 1. Departamento de Gerência Executiva

Leia mais

EDITAL DE CONCORRÊNCIA PÚBLICA PARA ALIENAÇÃO DE BENS IMÓVEIS COMPARTILHADO/RNNE/SCPI Nº 0001/2014 ANEXO A DESCRIÇÃO DOS IMÓVEIS E CONDIÇÕES DE PREÇOS

EDITAL DE CONCORRÊNCIA PÚBLICA PARA ALIENAÇÃO DE BENS IMÓVEIS COMPARTILHADO/RNNE/SCPI Nº 0001/2014 ANEXO A DESCRIÇÃO DOS IMÓVEIS E CONDIÇÕES DE PREÇOS 1 DA DESCRIÇÃO DOS IMÓVEIS E PREÇO MÍNIMO 1.1 Imóvel 1 Unidade Residencial Casa nº 12, situada na Rua EAP do Condomínio Residencial GEBIG, sito à Município de Angra dos Reis, Estado do Rio de Janeiro,

Leia mais

COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO CPL/IPA ANEXO I PROJETO BÁSICO

COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO CPL/IPA ANEXO I PROJETO BÁSICO COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO CPL/IPA PROCESSO DE LICITAÇÃO N.º 21/ 2003. EDITAL DE CONCORRÊNCIA N.º 01/ 2003. ANEXO I PROJETO BÁSICO OBJETO: Contratação de uma empresa especializada na administração,

Leia mais

RELATÓRIO DE DIVULGAÇÃO DAS DESPESAS COM A CONSTRUÇÃO DA NOVA SEDE DA CÂMARA MUNICIPAL DE ARAXÁ

RELATÓRIO DE DIVULGAÇÃO DAS DESPESAS COM A CONSTRUÇÃO DA NOVA SEDE DA CÂMARA MUNICIPAL DE ARAXÁ 1 RELATÓRIO DE DIVULGAÇÃO DAS DESPESAS COM A CONSTRUÇÃO DA NOVA SEDE DA CÂMARA MUNICIPAL DE ARAXÁ ATÉ O DIA 17 de MARÇO/2010 2 LICITAÇÕES e CONTRATOS: PROCESSO DE LICITAÇÃO Nº 08/2009 - MODALIDADE: CARTACONVITE

Leia mais

ADITAMENTO A ACORDO COLETIVO DE TRABALHO PARTES ACORDANTES

ADITAMENTO A ACORDO COLETIVO DE TRABALHO PARTES ACORDANTES ADITAMENTO A ACORDO COLETIVO DE TRABALHO PARTES ACORDANTES São partes signatárias do presente Termo Aditivo ao Acordo Coletivo de Trabalho, a Empresa INFRAMÉRICA - CONCESSIONÁRIA DO AEROPORTO DE BRASILIA

Leia mais

RELATÓRIO DE ANÁLISE DA GESTÃO

RELATÓRIO DE ANÁLISE DA GESTÃO RELATÓRIO DE ANÁLISE DA GESTÃO A Assessoria de Controle Interno do Tribunal de Justiça do Estado do Acre ASCOI, em cumprimento às determinações legais, apresenta o Relatório de Análise da Gestão Orçamentária,

Leia mais

REPÚBLICA DE ANGOLA. Lei n.º 2/13 de 7 de Março

REPÚBLICA DE ANGOLA. Lei n.º 2/13 de 7 de Março REPÚBLICA DE ANGOLA ASSEMBLEIA NACIONAL Lei n.º 2/13 de 7 de Março O Orçamento Geral do Estado é o principal instrumento da política económica e financeira do Estado Angolano que, expresso em termos de

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA 2015

CHAMADA PÚBLICA 2015 EDITAL N º 13 /PRPPGI/2015 CHAMADA PÚBLICA 2015 PROGRAMA DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS COM FINALIDADE DIDÁTICO- PEDAGÓGICA EM CURSOS REGULARES NO EXECUÇÃO: MAIO A NOVEMBRO DE 2015. A Reitora

Leia mais

COSAN LOGÍSTICA S.A. CNPJ/MF nº 17.346.997/0001-39 NIRE 35.300.447.581 COMPANHIA ABERTA AVISO AOS ACIONISTAS

COSAN LOGÍSTICA S.A. CNPJ/MF nº 17.346.997/0001-39 NIRE 35.300.447.581 COMPANHIA ABERTA AVISO AOS ACIONISTAS COSAN LOGÍSTICA S.A. CNPJ/MF nº 17.346.997/0001-39 NIRE 35.300.447.581 COMPANHIA ABERTA AVISO AOS ACIONISTAS COSAN LOGÍSTICA S.A. ( Companhia ), em continuidade ao Fato Relevante de 28 de abril de 2016

Leia mais

Cartilha Plano A. Índice

Cartilha Plano A. Índice Cartilha Plano A Cartilha Plano A Índice Apresentação A Previnorte Histórico Patrimônio Plano de Benefícios e Plano de Custeio Salário Real de Contribuição Jóia Requisitos exigidos para filiação à PREVINORTE

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO UNIDADE AUDITADA : CONAB SUREG/PE CÓDIGO UG : 135285 RELATÓRIO Nº : 190674 UCI EXECUTORA : 170063 RELATÓRIO DE AUDITORIA Chefe da CGU-Regional/PE, Em atendimento

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR001597/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 11/05/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR024152/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.007124/2015-16 DATA DO

Leia mais

PREÇOS DOS SERVIÇOS DE ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO E DE INSPEÇÃO

PREÇOS DOS SERVIÇOS DE ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO E DE INSPEÇÃO PREÇOS DOS SERVIÇOS DE ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO E DE INSPEÇÃO NORMA Nº: NIE-CGCRE-0 APROVADA EM MAR/20 Nº 01/09 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Campo de Aplicação 3 Responsabilidade 4 Histórico das

Leia mais

ESTADO DA BAHIA PREFEITURA MUNICIPAL DE TANHAÇU EXTRATO DO CONTRATO Nº 066P/2015. Modalidade de Licitação Pregão Presencial

ESTADO DA BAHIA PREFEITURA MUNICIPAL DE TANHAÇU EXTRATO DO CONTRATO Nº 066P/2015. Modalidade de Licitação Pregão Presencial EXTRATO DO CONTRATO Nº 066P/2015 Aquisição de material de construção e hidráulico para manutenção, reforma e ampliação de escolas, PSF s, CAPS, ruas e Poços artesianos deste Município. Razão social: CINCAL

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO GABINETE DA PRESIDÊNCIA

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO GABINETE DA PRESIDÊNCIA TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO GABINETE DA PRESIDÊNCIA LOCAÇÃO, MANUTENÇÃO PREVENTIVA, CORRETIVA E ASSISTÊNCIA TÉCNICA DE MÁQUINAS COPIADORAS, COM FORNECIMENTO DE PEÇAS E SUPRIMENTOS (EXCETO

Leia mais

Terça-feira, 6 de maio de 2014. Resolução n.º 265/2014. Resolução n.º 266/2014. Empresa de Automóveis do Caniço, Lda.. Resolução n.

Terça-feira, 6 de maio de 2014. Resolução n.º 265/2014. Resolução n.º 266/2014. Empresa de Automóveis do Caniço, Lda.. Resolução n. REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Terça-feira, 6 de maio de 2014 Série Sumário PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL Resolução n.º 263/2014 Mandata o Dr. Paulo Jorge Figueiroa de França Gomes para, em

Leia mais

TERMO ADITIVO AO CONTRATO Nº. 034/2011 F

TERMO ADITIVO AO CONTRATO Nº. 034/2011 F TERMO ADITIVO AO CONTRATO Nº. 034/2011 F Pelo presente instrumento, de um lado o Município de Alvorada - RS, pessoa jurídica de Direito Público Interno, inscrito no CPNJ sob o nº. 88.000.906/0001-57, com

Leia mais

PORTAL DA TRANSPARÊNCIA 03/2011

PORTAL DA TRANSPARÊNCIA 03/2011 PORTAL DA TRANSPARÊNCIA 03/2011 CONTRATOS NÚMERO DATA ESPECIFICAÇÃO 001/2011 E 01/03/2011 Processo administrativo nº 3168/2011. Dispensa. Contratada: SERPAV COMÉRCIO E PAVIMENTAÇÃO LTDA. Objeto: SERV.

Leia mais

Se estiver no Mercosul, também poderá contar com os serviços de emergência, bastando ligar para 55 11 4133 6537.

Se estiver no Mercosul, também poderá contar com os serviços de emergência, bastando ligar para 55 11 4133 6537. Assist24h_AutoPasseio_jul 6/13/07 4:32 PM Page 1 CARO SEGURADO Para você que adquiriu o Real Automóvel e contratou os serviços de Assistência 24 horas, este é o seu guia de serviços da Real Assistência.

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul CÂMARA MUNICIPAL DE BENTO GONÇALVES Palácio 11 de Outubro TERMO DE ADITAMENTO CONTRATUAL

Estado do Rio Grande do Sul CÂMARA MUNICIPAL DE BENTO GONÇALVES Palácio 11 de Outubro TERMO DE ADITAMENTO CONTRATUAL Estado do Rio Grande do Sul CÂMARA MUNICIPAL DE BENTO GONÇALVES Palácio 11 de Outubro TERMO DE ADITAMENTO CONTRATUAL Pelo presente Termo de Aditamento Contratual, a CÂMARA MUNICIPAL DE BENTO GONÇALVES,

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS - CONSOLIDADO TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2007

Leia mais

O presente documento apresenta os resultados alcançados pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial Senac-DF, no exercício de 2014.

O presente documento apresenta os resultados alcançados pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial Senac-DF, no exercício de 2014. NOTAS EXPLICATIVAS O presente documento apresenta os resultados alcançados pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial Senac-DF, no exercício de 2014. Nota 1 Conteúdo Operacional Senac, criado pelo

Leia mais

Processo: Modalidade Contratada: Elemento de Despesa: 6.2.2.1.1.01.01.01.002.003 - PIS s/ Folha de Pagamento. RG/Inscrição Estadual:

Processo: Modalidade Contratada: Elemento de Despesa: 6.2.2.1.1.01.01.01.002.003 - PIS s/ Folha de Pagamento. RG/Inscrição Estadual: Número: 1701 Inexigibilidade Elemento de Despesa: 6.2.2.1.1.01.01.01.002.003 - PIS s/ Folha de Pagamento SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL ESPLANADA DOS MINISTERIOS Nº 05 7 ANDAR EIXO MONUMENTAL

Leia mais

NOTA DE EMPENHO Nº 328

NOTA DE EMPENHO Nº 328 CNPJ Nº : 11.528.956/1-87 215 NOTA DE EMPENHO Nº 327 2 1 1. 12.361.511.244. Encargos Pessoal Magistério-FUNDEB 6% 3 1 9 11 3.1.9.11.1 VENCIMENTOS E SALÁRIOS 2.517.66,22 177.538,38 12.263,14 2.55.343,8

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO TRIBUTÁRIA

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO TRIBUTÁRIA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO TRIBUTÁRIA Programa do Curso O curso será composto por seis Módulos de conteúdo, conforme detalhamento no item b) da página 11(onze) deste documento. Módulo 1 Legislação

Leia mais

PODER EXECUTIVO. A Prefeitura Municipal de Itiúba, Estado Da Bahia Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR.

PODER EXECUTIVO. A Prefeitura Municipal de Itiúba, Estado Da Bahia Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR. ANO. 2014 DO MUNICÍPIO DE ITIÚBA- BAHIA A Prefeitura Municipal de Itiúba, Estado Da Bahia Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR. 1 PUBLICAÇÃO DE RESUMO DE CONTRATO JANEIRO/2014/04 Itiuba -

Leia mais

CAPÍTULO III DA FORMA DE ELABORAÇÃO

CAPÍTULO III DA FORMA DE ELABORAÇÃO Instrução Normativa RFB Nº 1246 DE 03/02/2012 (Federal) Data D.O.: 06/02/2012 Dispõe sobre a apresentação da Declaração de Ajuste Anual do Imposto sobre a Renda referente ao exercício de 2012, ano-calendário

Leia mais

MARFRIG GLOBAL FOODS S.A. Companhia Aberta CNPJ/MF Nº 03.853.896/0001-40 (BM&FBOVESPA: MRFG3)

MARFRIG GLOBAL FOODS S.A. Companhia Aberta CNPJ/MF Nº 03.853.896/0001-40 (BM&FBOVESPA: MRFG3) MARFRIG GLOBAL FOODS S.A. Companhia Aberta CNPJ/MF Nº 03.853.896/0001-40 (BM&FBOVESPA: MRFG3) COMUNICADO SOBRE O AUMENTO DE CAPITAL SOCIAL DA COMPANHIA APROVADO PELO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO EM 05 DE

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 4.141, DE 27 DE SETEMBRO DE 2012. Documento normativo revogado pela Resolução nº 4.170, de 20/12/2012.

RESOLUÇÃO Nº 4.141, DE 27 DE SETEMBRO DE 2012. Documento normativo revogado pela Resolução nº 4.170, de 20/12/2012. RESOLUÇÃO Nº 4.141, DE 27 DE SETEMBRO DE 2012 Documento normativo revogado pela Resolução nº 4.170, de 20/12/2012. Estabelece as condições para contratação dos financiamentos passíveis de subvenção econômica

Leia mais

A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 62 da Constituição, adota a seguinte Medida Provisória, com força de lei:

A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 62 da Constituição, adota a seguinte Medida Provisória, com força de lei: MEDIDA PROVISÓRIA N o 713, DE 1 o DE MARÇO DE 2016 Altera a Lei n o 12.249, de 11 de junho de 2010, para dispor sobre o Imposto de Renda Retido na Fonte sobre a remessa de valores destinados à cobertura

Leia mais

DECRETO Nº 5 DE 2 DE JANEIRO DE 2013

DECRETO Nº 5 DE 2 DE JANEIRO DE 2013 DECRETO Nº 5 DE 2 DE JANEIRO DE 2013 SÚMULA: Estabelece a Programação Financeira, em Metas Bimestrais de Arrecadação, das Receitas previstas para o exercício financeiro de 2013, do Município de Londrina,

Leia mais

MUNICÍPIO DE ALCOBAÇA

MUNICÍPIO DE ALCOBAÇA ------29/14 PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE RECOLHA E ANÁLISE DAS COLHEITAS EFECTUADAS NOS PONTOS A TRANSMITIR PELOS SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS, EM TODO O CONCELHO, COM VISTA À ELABORAÇÃO DO PLANO DE CONTROLO DA

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO GRATIFICAÇÕES, ADICIONAIS, AUXÍLIOS E OUTROS

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO GRATIFICAÇÕES, ADICIONAIS, AUXÍLIOS E OUTROS SINDICATO AUX ADM ESCOLAR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, CNPJ n. 31.249.428/0001-04, neste ato representado (a) por seu Presidente, Sr(a). ELLES CARNEIRO PEREIRA; E ASSOCIACAO NOBREGA DE EDUCACAO E ASSISTENCIA

Leia mais

PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS

PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS A pesquisa foi realizada no período de 01 a 04 de setembro de, com uma amostra de 600 questionários. Utilizou-se o dimensionamento da pesquisa probabilística com p=0,50 e q=0,50, confiabilidade 95%, margem

Leia mais

EXTRATO DE CONTRATO EXTRATO DE CONTRATO

EXTRATO DE CONTRATO EXTRATO DE CONTRATO CONTRATO N.º 003/ADM/2005 TIPO... Instrumento Particular de Fornecimento de uma patrulha mecanizada Ref. ao Procedimento Licitatório, modalidade de Carta Convite nº 001/05. CONTRATADA... Rodomaq Máquinas

Leia mais

O CONGRESSO NACIONAL decreta:

O CONGRESSO NACIONAL decreta: REDAÇÃO FINAL MEDIDA PROVISÓRIA Nº 536-B DE 2011 PROJETO DE LEI DE CONVERSÃO Nº 25 DE 2011 Dá nova redação ao art. 4º da Lei nº 6.932, de 7 de julho de 1981, que dispõe sobre as atividades do médico-residente;

Leia mais

LEIS - DECRETOS - PORTARIAS DECRETOS

LEIS - DECRETOS - PORTARIAS DECRETOS 28 de Março de 2014 - Página 1 D.O. Nº 023/2014-GP DE 28/03/2014 Guarulhos, Sexta-feira, 28 de Março de 2014 - Ano XIV - nº 1367 LEIS - DECRETOS - PORTARIAS www.guarulhos.sp.gov.br DECRETOS Em, 27 de Março

Leia mais

COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO ATA DE ABERTURA DO ENVELOPE DE PROPOSTA DE PREÇOS

COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO ATA DE ABERTURA DO ENVELOPE DE PROPOSTA DE PREÇOS ATA DE ABERTURA DO ENVELOPE DE PROPOSTA DE PREÇOS Às 14h00min do dia 10 (dez) do mês de julho de 2012, na Sala de Reuniões da Comissão Permanente de Licitações no Prédio da Prefeitura Municipal de Rio

Leia mais

JUNTA DE FREGUESIA DE GALVEIAS

JUNTA DE FREGUESIA DE GALVEIAS ACTA NÚMERO 32/2010 -------- ACTA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA JUNTA DE FREGUESIA DE GALVEIAS, REALIZADA NO DIA VINTE E OITO DE DEZEMBRO DO ANO DE DOIS MIL E DEZ --------------------------------------------------------------

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE CORRETORES DE IMÓVEIS - 2a. REGIÃO 2ª REFORMULAÇÃO ORÇAMENTÁRIA DE 2012 QUADRO DE PROJETOS

CONSELHO REGIONAL DE CORRETORES DE IMÓVEIS - 2a. REGIÃO 2ª REFORMULAÇÃO ORÇAMENTÁRIA DE 2012 QUADRO DE PROJETOS PROJETO No. 01 No. 02 DADOS ESSENCIAIS, Obras e Instalações Aquisição de veículos para ampliação de frotas JUSTIFICATIVAS E NECESSIDADE verba destinada a investimentos relacionados a projeto para o setor

Leia mais

OBRASCON HUARTE LAIN BRASIL S.A. CNPJ nº 02.919.555/0001-67 NIRE nº 35.300.322.746

OBRASCON HUARTE LAIN BRASIL S.A. CNPJ nº 02.919.555/0001-67 NIRE nº 35.300.322.746 OBRASCON HUARTE LAIN BRASIL S.A. CNPJ nº 02.919.555/0001-67 NIRE nº 35.300.322.746 Companhia Aberta ATA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 13 DE MARÇO DE 2009 1. Data, Hora e Local: Aos

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2006 PROCESSO Nº : 01341.000109/2007-23 UNIDADE AUDITADA

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 11.482, DE 31 DE MAIO DE 2007. Mensagem de veto Conversão da Mpv nº 340, de 2006 Efetua alterações na tabela do imposto de renda

Leia mais

PREÇO DE VENDA DOS SERVIÇOS DE TRANSPORTE DE CONTAINER VAZIO (CONTRATO ESPECÍFICO)

PREÇO DE VENDA DOS SERVIÇOS DE TRANSPORTE DE CONTAINER VAZIO (CONTRATO ESPECÍFICO) PREÇO DE VENDA DOS SERVIÇOS DE TRANSPORTE DE CONTAINER VAZIO (CONTRATO ESPECÍFICO) SINDICATO DOS CONDUTORES AUTÔNOMOS DE PARANAGUÁ Dezembro de 2015 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO... 3 2. CARACTERÍSTICAS DO SERVIÇO

Leia mais

TELE NORTE CELULAR PARTICIPAÇÕES S.A. CNPJ: 02.558.154/0001-29 NIRE 3130002551-9 Companhia Aberta

TELE NORTE CELULAR PARTICIPAÇÕES S.A. CNPJ: 02.558.154/0001-29 NIRE 3130002551-9 Companhia Aberta TELE NORTE CELULAR PARTICIPAÇÕES S.A. CNPJ: 02.558.154/0001-29 NIRE 3130002551-9 Companhia Aberta Assembleia Geral Extraordinária Realizada em 9 de março de 2009 1. Data, Hora e Local. Realizada, em primeira

Leia mais