dias antes quo se cof-ite eni extrair i> projétil.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "dias antes quo se cof-ite eni extrair i> projétil."

Transcrição

1 r^ O ürtaná venceu o ferrovaro-0 Savoa derrotado pelo Pa lécra Sulf OU bllu l O HULull Ullull lllulu USS J y&uwe l.,,.nl)líks, a (lí.) "A conf.recla do Atlântco fu ula,ln que u encontro entro dlf urnndch hoens", declarou Kden o ãõu dscurso ncroscen- "fo ala «uo u on- tando: contro entro dos grnnlos po- ««> ^^s.^^^^la^. jjj -a da costa (Foto Luce) A» roítca.k \ UltHH..VS lhas* u a óculo ocuto do Oandorhnh, Òanüorhnh. 3M CASO u caso )H : \:t;:ss)v> \:t;:ssl)al>: servda dn do estrada do ferro dofc dc* SCAAO uscaa» A a rlllvtka rnvtoa l»a Tehorrn. Téhornh. Oh russos entrara ANO V - f V j t,, n ÍNDA >v labe tabé o e Mcsoltd Mo«o. a pouçnuuon ^_^^ Curtba í>egunda-fera,. de Setebro de 94 MOSCOU, MCJSCOU, 3 (lí.) (l.) _ Afl nltl llhlnncln dstanca <bt da frontera sovétca " «;** _xx _^ n as nforações que qua no se to lon co o Turquí-stãu Türqéatfln ao sul. s:l; Pahlovl nhlnvl Fnzcll. lnz-. O t prncpal 4ÍÊBS& _». n esta ca p t a sobro o a va nço da» tropas russa» na ran, n* porto do Mar Cáspo, para councnçoòh co a l. lt. 8; S. Fo as u progo batdo no den ruo a rogflo ocupara outá sondo Hen dfculdade oh- fo líçtalotte ocupado. De nfe naó funeráro do nazso. Fo ua lonõnstraçao de que tendda a parlo loflte do palí.. rn er dante todo o ltoral do toos nosso» plnnns de paz u AlÍM do porto nu.mar Nag*ò or Cáspo; cstíl sob controle tonnh- nbe ssa estratéga BnndftrHhentt o lo ponto ncal russo. Mckbabad já se enconta e pode- das tropas sòvlo- du guerra. A Europa, sto (;. da estrada lo forro Trnns-lrlana cuja ocupação fo ncatlcs, ba város das. De outro bs pnrtldrlo» ta coíaboraçlo n Aleanha, sabe agora da Onte juntaente to a lado os jornas oscovtas con* uo te t"n uno l"o fazer a escolha cscolh ocupacjln ncupnsíl) ta da poquena pequena cdade tnua tla dando cando grande (fraudo destaque aetnqe ústtt/.y,,.,\...,..7tí,. : (<«notca,, rcferontea REPACAO - A**.*Nl>?KA<;AO - koflntta : nova urde de fjõrfçánk. os sovlets entrara ás notcas referentes OF- "-" ller ou a nossa". hor» e BandcrRP* üna no avanllnun noutro local),,c-.-,l> CNAS: - PRAÇA CARLOS (JOMKP, l. GRAÇAS A F^3SjCÉS ^v Que acopanha co atou t<lo n esforço do Departaento o nprena e Propaganda para nnuadrar a prensa braslle «nas fleras purfcadas do Estado Nnvo, ha dc sentr loío, nas pequenas attudes, o lelo do un ulpronle. O sr. Lourlvnl Fontes, flgu ra central do nstéro do lnprensa c propaganda 6 n jornalleta profssonal, te não rreclsa apelar aos qotselhòlros Quando se t-nte do "etler". Graças Çt sua clarlvldencla a coprohonsao honesta (uo to loa probleas brasleros, o LOURVal íwís - jfa P* BOMBARDEO 28J) aparelbs pesados per ês nosso palz te se antdo fleotte, noa eatrcchoqes da opnão apaxonada, dentro da nãla rífforopa neutraldade. O otvo dessa bscrynçflo te fello gorar ulta ntrga nternaconal o dversos projetos audacosos. 5 justo ue, do Paraná lon- (rlcuo, ndoos tabé ao notável òrfjãnlsnclor, tn voto de soldaredade e conflatqtu B o CÒntEO DC) PAUANÀ Honto-se be abrndo o canlrro pnra a justa loenaíc que os nossos jornalstas pen sa prestar, breve, ao dretor do D.. P. NOVA ORQUE, 3 (Unted Pressj A fabrca de autooves Ford. co utos eses de antecedênca, a- nuncou ee ncará agora a construção de avões de bobardeo pesados, já que as nstalações que se faza necessáras estão prontas. A dreção da colossal organsação Ford, nforou que dentro de u ês estará produzndo 280 avões de bobardeo pesados ensal ente. As encoendas do governo á Ford, são calculadas e 48.ROO.O0n de dólares. l az e separa? "ínfre a Rússa e a LO>TDREfí. 3 f Unted Press) A propósto dos ruores de nue a Russa e a CHUNGKNG, 3 (Reu- FnlancMa estara concerters) O jornal "Jahung Pau" ostra-se scetco ao acordo eventual que possa resultar das conversações en tre o presdente Roòsevelt e o alrante Noura. tando ua naz e separado, o jornal londrnense, "Daly Sketch" dz que as negoca eões realza-se e ua captal neutra, cujo noe presue seja Estocolo. DRETOR : HETOR VALENTE rone: j -S-J - CAXA POSTA;: "". Xn. Avulso Í200 Nun Atrazado?300. A MF MO DSCÁf?A Novas e portes atvdsulés da ar- pa zhz. htítãçj que os alados não tê nenlu desígno contra a nté»trídnrlo terrtoral < a ndependênca do ran. Dvér.sns cdades aatrytíncas do ran serão ocupadas r.,os ao ran Quando a.u.- ~ Mas de «lll avões tála teporaraente pelas forcas ;fío ltar o porlr s ror-.nos e gerâncos fora des brtâncas o sovétcas. r;as brtâncas < russas Horío. trudòs ou grandeente da- Co escopenr do un pecluono rolltlns do terrtóro rnln no nfcados desde O coeço da CATTO, " M.. O nnn-j cfndlos fora ateadox nan pnçado do alto coando da UAF j nln-rns (tur* crcula o ;cr(»drfl nu Orente Próxo nfora- o, Bobarderos pesados ^LwL t\wl da UA- ll lnlenslspelo enos \ durante n note pasfladã reall- aorourpnos fóran nljngvdos zara un.podoroío ntnquo con-s^ndo rjuo tl,oíy fcara envolvtr aorolvonos ncupndn.s pelo dos e clnnns; sondo cue.-lls nllk-o n/v-llréeln, alründo tarde voara ptjlns ares. AJÍ coroa de SS BASJ,3A, :l (.) toneladas O cor Lava do exposlvos o bobas nvodaras tabé fora bonbardeados acrescenta o jor na* ro.-ípnndento en Vch do jor llwa _ foa lançadas causando danos dos, avões to nal "Bnslcr (8 unos qtò so achava do pousa- (dado e Nacbrcltcn" n sua conslltu.çjfo não produzndo grandes expoforte. contdera ví fs ao ateral fora que ua das balas que Oeat 6 *llko. Corto nuero dn «fes o ncondòa o varo» uto as forto pontos. as anfíu pactqn dretos fora obtdos Pterre Lava se encon- seu estado excepconalente ra stuada a lín centíetro do gravo. Abos estão co por > esplendor dos ncêndos e o a te nossos avadores contra o ban- clarão das explosões nóraçío era e quo anda se passarlo teraua as elevada vstos n e nó oento se torna possível do fóralu nncrns e elo do ao- Bar de -MDN. Outras pobas utos rrnndo dstanca", A trpulaçflo do.s avões atacantes das antes quo se cof-te en extrar > projétl. fazer proruqst ícoe. ròplanob dspersos e város n- declara ter percebdo o resplen- s..a. :u d:. ].) súllanoante co : oetpaqüo tes gerâncos abandonarão o ar nova ente \\u país o paeflca pafs dentro de una seana e nles expulsos, s julkar do Jran pelas tropas br- não t o pertr A a entrara de tlévo fnzo-lo-. tarcas o russas, anncou*í-q nutras pessoas dússa naconalr.-de. loje rte as codlqõcs l>* pa v. dtadas telos alados são as se- O governo ranano pertra. Kntes: o ransporto do ateral <"e por Koleraçãn parte da guerra destnado ; líussla atra Gran Bretanha e da llussa de vês eu terrtóro e troco dn (e os governos alados.ou- r.uarão paga ndo as regalas do petrõen e facltarão o forecínento de produtos n-re.ssa-... Krupo do locnleos alel*s ue.o o aõverno do ran toara, rnotóra lôa fõ, todos os resden eddas une entender para cl dor ros ncêndos de ua dlstabela do 20U lhas. Durn nte a esa note bo- : bardolros pesados atacara gtateule ãerodroos do Herolctlon na lha de Creta can- do as bobas sobre as pstas, Xa Clronalca u avao do coando da arnha bobardeou w depóstos e arsenas e Darda ln note de quarta-fera, je. produzndo certo nuero de jn- U(j cendloh. Dessas operações todos os nossos apa rolhos volta - ru ã.- suas bases. S DE ML ÂCES M EXO l on &àrà LOVDRES, 3 (Reuters) avões da ar.ha brtanlca, sesundo revela o ahnrantado brtânco, acresceutando algarsos que se refere aos aparelhos cuja des guerra até o f de agosto, trucão fo realente obser pelos vasos de guerra ou vacla. te : % -:. Ganhe u lndísso NTERAMENTE GRÁTS, SOMENTE COLECO- NANDO OS COUPONS DO GRANDE CONCURSO Do "0 DA" e do "CORREO DO PARANÁ «ue são dstrbudso nas seguntes casas, úncas e uo o letor deve fer suas copras: CASA SPORT, de Arnaldo Azevedo & Ca., à rua Munua de Novebro, 39*8. LOJA FLORA CTBANA, de WHly Creer, a *n Qulne de Nçyebro, «o,sasa *>AS MBA, a rua Qunze dc Novebro «. S9í -_ Te,p 6Ç6_..., CASA HERTEL, a easa das elhores úscas e nstruentos tslcáls, à PÍaça Çen. Marques, 5?. SALSO AYMÕRE, o salão 4è blhares onde se ou"o a elte curttba)a, Rua ÍÇ de Novebro....A Popular e spátca CASA TÓKO,. Kua Mon- SL"or Celstr, 30. v-^,v.0uvnér" perador das Sedas, Rua 5 dc No- MOSCOU, 3 (U.) A essora desta captal anuncou que as forças aúrcas russas ncursonaran sobre a cdade do vopnllr:,sl)f^rk, ondo atacara objetvos ltares, MOSCOU, ll (lí.) A essora local dvulgou que, duranto a note de 28 o o da do Onte, contnuava a batalha na dre<;fln de Knpsepp, Goe, Dneprotovslc o Odessa, As tropas do general KÓntew contnua a fazer pressílo aobre o nffo, na dreção ooste. l,0.\jles, (.) Os ohservadores ltares desta capta anfesta a opnão o que ja passou o ponto eulnauto da tercera arando ofen* alva sreranca na frento orlental, que nlo produzu resultados decsvos para a archa da Korra teuto-russa. ANCÁBA, 3 (.) A luta ao redor do Odessa prossegue co ntensa volênca, se que so tenha regstrado aueraçocs do vulto nas posções ocupadas pelas forças cobatentes dz ua e.ssílo do rado de Moscou, captada nesta cdade. FUMAÇA SOBRE 0 RHÜR Coentáro de u jornal aleão ZURC, 3 (Reuters) Qs rarjs da Raf sobre o oeste da Aleanha, nsprara ó segunte artgo ao "Essener Natonal Zetung", sob o ttulo "Fuaça sobre Rhur". O enconado artgp pende aos operáros locas das fabrcas de araento, que fque fres e seu lugar exposto. E faclente copreensível que operáros de fabrcas de araentos não apenas deve partcpar das vtoras ltares dáras, senão ta be tê dreto a ser consderados coo dretaente partcpando da batalha, en quanto estão nos seus lugares de trabalho. A partr ce hoje, l.o lo Selebro, e Santa Catarna vgorarão, para os gêneros de NOVA ORQUE, 3 (Reuters) nforações de Berl dze que a presente stuação da guerra já tornou necessára a oblsação das reservas do potencal nuano do tercero Rech, e toda a sua extensão. prera necessdade, os preços cata bo ec dos pelo governo. K Jonvle, a tabela 6 a sofjunto: Açúcar refnado de l.a Ç7UU o qulo: Açúcar crstal do l.t lst o qulo; Aguçar oldo de l.a S do o nulo-, Álcool 40..se o casco $G00 a garrafa; Arroz especal 2S000 o qulo; Arroz de l.a S800 o qulo; Arroz tpo cou?3(k o qulo; Hanha l.a lfloo o qulo; Banha 2.a -S000 o qulo; Batatnha (batata BÍ<.l St>0 o qulo; Cal* nodo lo l.a 4fS00 o qulo; Cnf6 oldo do 2.a l$200 o qulo; Farnha de írlgo (stura ofcal) ÍSOÜ o qulo; Farnha de audôca do l.a SlOO o qulo; Fa rlnha de andoca do 2-a SfOd o qulo; Farnha de lho (fubá) 5700 o qulo: Fejão proto $S00 o qulo; LlngulC" tpo Jaaguá (seca) SS00 o qulo; Lngüça tpo.la- rnía (fresca) 4500 o qu- lo; Mantega nata doce (co j.a) _ LÇO00 o qulo;.mnnteca tpo colonal (de l.a) 7?r,00 o qulo; Mantega tpo ateral ESTCCOLMO, 3 (Reuters) Coentarstas nèutros observa que se torla. cada vez as dnünutas as possbldades da Aleanha chegar a u íesulta do satsaloro, na Russa, antes ío nverno. colonal (dc 2.a) OílOl o qu- o; Toucnho enfuaçado o; Mlho 500 o qulo; Ovos $loo o qulo; Vnagre (se o 500 a dúza; Sal grosso casco) $SU0 a garrafa; Car* $-0( o qulo; Sal nodo saco ne Verde do l.a se o3so to ltgs. 500 o saco: Sal ;Ç200 o qulo; Carne do l.a ofdo ; granel Ç"ü0 o qu co osso Í570U o qulo., / \ M \- t O Geaeral Franco, não eererpe-:^ - ;>--;. <-"-. nrossta... Gosta dc... nuo ges.ía... p :

2 PB >^a>4a«a flãtaávtmaa^atà) Nos lares e salões... Setebro» - Santo Knuo - lua chea a 5 l í Segundía-feíra 8(j _ o Alrante Taan daré, bobardea Curuzu. Parnguay Anversáros l.y/.em ANOS HOJE AS SENHORAS: Rosalna da Slva, esposa do sr. Rodrgo Slva. Plar Taborda Rbas, esposa du dr. Vasco laborda Rbas. Dr. Oscar Martns Goes Transcorre e data de hoje as u anversáro natalclo do dstnto sr. dr. Oscar Martns Goes, con cetuado advogado e presí- Ua Nova Pelle Branca Fez Voltar Mnha Sorte e 3 Das -Quando lntao oêle era «3- cura. grossera flaclâa, tenlo poros dlatados e cravos. *o nao tlnba adradores ne convtes, as co o uso do Cree llkol. obtve ua cova Pulo branca qua trocoa lnhn sorte srn das. B au que nflo tnha nenhu pretendeote, receb agora 3 poddos ae casaento ao eso tepo" n. VA.nnt. Tods ulher podo aclarar, auavlsar e ebelezar sua péh. usando daraente o Cree lncnl cuja oene.trac.ho tostãotanea acala a rrtação das clandulas cutâneos, fecha ns DOros dlatados e dssolve os cravoa copletaente nao dexando vestígo affn. O cree Hhr<> ê o alento so «cual para a Pêl«PO» oranquela» as escora e suavlsa a al» rrtado e 8 das. tornando a bnca, bela. fresca e nova, o que alé de tornar o seu rosto foroso tabé lhe trará orte, Epurente o Cree Rntcol o fcará encantada. dtnte do Clube Curltlbano. XXX FHBRAM ANOS ONT=M AS SENHORAS: Crlclna Cordero Alpendre, esposa do sr. Gesar Alpendro. rene Franco Chaves, esposa do sr. dr. Gastáo chaves. _.. * :VS rjü...ur.lal3:, Ex, flha do sr. F. Tho az ac Aquno. Hcrna, flha du sr. us SENHORES Bellro Vasconcelos. Calo da Costa Borges Dr. Hpérdes Zanelo A Nascentos Lauro Al\o Acha-se enrquecdo o lar do proí. Lauro Esanhotu e dc sua exa. esposa, d. Lndar de L. G. E-sanhoto, co o nascento de í\8 SENHORTAS: Nalne, ílha do sr. Elpldo Catullo. u robusto garoto, que na pa batsal recebera o nue de "Lauro Antôno". Hertüa, flha do sr. Bclro Franco. Renato O sr. São vansk e sua OS JOVENS esposa, sra. d. Madalena Ean Quadros vansk, estão radantes de Davd Rocha Cordero * alegra, co o nascento de as u robusto ppolho que recebeu o noe de OS SENHORES: Halton de Matos Renato". Tte. Manoel Bttencourt Montero. 2S9 Proclaas No cartóro üc Casaentos desta captal, acha-se afxados os edtas ce proclaas para os seguntes casaentos: Do cap. Benedto Evangelsta aos Santos co d. jacra de Fretas; do sr Ja de Saturnno Vera Ma galhães co d. Cecíla Re ehann; do sr. José Auto no Lorenc co d. Geny Fagundes; do sr. André Go rczyca co d. Adelade Mo rera ;do sr. Jahyr Kara co d. Geny Fonseca; do dr Francsco Castellano Ne to co d. Nlse Garcez; do sr. Francsco Postarek So brnho co d. Leonor re ne Ayde Vercez; do dr. João Xaver Vana co c. Justna Seler Gglo; do sr. Attlo Catharell Flho co d. Mara da Luz Collere; do sr. Evvaldo Pe gel co d. Elzabeth Ma ra rene Hog; do sr. José Barbosa Rbas co d. Azoleh Accaca Carner; do sr. Henrque Machado co d. Mara Antona Frar co Lopes; do sr. anoel Brepohl co d. Use Lan ger, e do sr. Alfred Schob nèr co d. Ara Gullher na Knder. Telegraas Retdos Na Repartção dos Cor reos e Telégrafos da Cap tal, acha-se retdos os telegraas seguntes, para: lape: Dnro Loola Pres, av. Cânddo de Abreu 84 Stefa Czekasy. caxa postal 274: Leon, Vcente Ma chado 893, Blasco; Padres Oapuchnhos; Captão Le go, rua João Negrão 55. CONCURSO DE DATtO- GRAFO PATROCNADO PBLO "DASP"» Roaltoa-se aanha, ás 9,30 horas, na Escola Moral, a ulta prova do con curso de datllografos do nsttuto de Prevdênca Socnl, O dr. Aor Guapyassu, delegado especal do "Dajp solcta o coparecl^nto de todos os canddatos nscrltos, ea hora antes do nco da ulta prova, que Já é do conhecento gera). Oesfle de Personaldades Sír Walter Scott Sr Wallcr Scott, nascea c Edlbnrgo no ano de 77. toancsta escocês dc értos nepravels. Publcou váras obras, entre as quas, apontaos: os "Cantos tas frontera escocesa" (802); as "Baladas o trechos lírcos" (80G; n "Anão negro" (86); o ".Mostero c o Abade" (820J; o "Desposarto" (825); os "Contos dc u avó" (H2S- 82D-83), "Cartas c sõbre a dconologa" (830). Morreu nn castelo dc Abbotsford no ano dc 832. LONDRES, l.o (De Sndney Capbell, perto fnancero da Reuters) _ A3 futuras relações da Aerca Latna co os Eítados Undos.depos da oentosa declaração conjun ta dos srs. Churchll e Roosevelt, ocupa neste oento "Cty". a atenção da A prera pressão é que essa declaração uto concor rerá para tornar claro a vantase que exste para a Ae rca Latna na cooperação co as duas grandes potencas para o prepar ode ua tu t>üa próspera stuação econo ca do undo. Ebora não se tenha dto uto quanto aos passos dados nesse assunto, são utos ospontos que ndca que estão senco auxlados cs laços qte deverão estretar a? as relações entre as três grandes áreas consttuídas pela Gran Bretanha, Estados undos e Aerca Latna e u desses laços pode ser exeplfcado na torrente de personaldades lustres desses pases que rea- Usa u ntercâbo de relações pessoas. Os Estados Undos deons tra hoje, provavelente, * ECONOMA DE- COMBUSTÍVES NA BULGÁRA Dez anos de prsão para os contraventores SOFA,." (U. P.) _ A Partr do hojp fca terlnanteente probdo o transporte de ercadoras 0 veículos otorzados e lodn n nulcnra. Todas as onprcsas de transportes e cnnlnhflps, as s coo "chauffers", os por orde expressa do governo búlgaro, farão parte dn ua novo orsanlsação publca de transportes geras que terá o caráter de exclusva. A edda toada pleo governo (ssunase o centralzar a dstrbução e o consuo dos carbúrantes. 0B contrnven tores poderão ser pundos co 0 ano.; do prsão. M-tv CORREO DO PARAM* TRGO PARA POR- TÜGAL "Essex" 0 e o Weldwordw chepa a Lsboa cora fprtante carre- «foento LSBOA, í.«(o. P.) Os vaporo; nnerleanos "Essex" pro e.rdento do Fladélfa e "Woldv.-ord" procedentes de Nova Toroue cheknran a Lsboa co portante narrega-ento do trlg. destnado ao reabasteclento do Portugal. K de notnr que ebora nfo hnjs raconaento do pfn 0 pas ne stura na farnha panfcavd é necessáro todos o: anos portar certa qnantda de de trgo estrangero para fazer a solda das duas colhetas. EMP. DE PESCA LTDA. PRAÇA ZACS-aARÂS, 5 Grande quanfdae d pescados Entrega a Doclo o n Telefone: --a-" uto as nteresse na Aerca Latna e seus probleas do que no passado 0 fzera. Hoje os vstantes que chega a esses pases te logo sua atenção despertada pelos problenas des estoques que alguns países possue de eev tos produtos e que aos esos te causado certo e haraço quanto aos eos de dspor de tas reservas. Xnguegnora q-ue todo o undo terã. necessdade cesses estoques quando a guerra ternar e todos ansea, ass, para que se estabeleça co antecedênca planos que auxle a dstrbur ordenadaente esses grandes excessos de ercadoras arazenadas. O nteresse fnancero que os Estados Undos hoje toa pela Aerca Latna é u dos as portantes resultados das conversações nauguradas co a vsta da ssão Wlün gdon aos pases daquele ponto do hesféro, quando então Se tornou aparente que cs pro bleras al exstentes nteressava os Estados Undos. Q que aconteceu na esfera econôca da Europa desde $&T ^JJÊjtâfá? t-~^ - É$r ^H9 Mk^ \ o advento da aseenção do sr. Htler ao poder deve ostrar claraente ao captal latno "se aercano de que lado en contra a antega no pão. Na ugosláva, essa stuação é anda as sgufcatva, porquanto lhares de ser vos o eso da croatas, retradns para as ontanhas do Monte-negro, recusa sube ter-se á donação Hal"-a]eá e prossegue e guerrjlhas, de acordo co u plano estabelecdo. Nenhu patrota respondeu "ultatu" ao que deu oto das a todos esses rebeldes para se rendere. Honte, "eus quatro tachs" fora assassnados e Serájevo e novos contngentes talanos tvera de ser envados para tentar restabelecer a cr ce. Fnalente, coo nfor ação as expressva o Duque de Spoletto. cuo o sr. Mus soljn fez re da Croáca, jnlcou as prudente adar nde fndaente a sua sagração... CURTBANO A Snclodncle Socorro no» Neccssltrn precsa do teu ntllo: rucrctn-lc poo torto contrtbclnte. yotou a pravera... * -»-94l s* Recordar é Vver....ESCREVEM: Octavo Secundno e Arthur Pajuaba. Panos EssenfeHer - afnação artístca das haronas da aríe paranaense. Entre os nlto orgulhos que o arauú, frru entro Ces, c plano dc destaque, n portantíssa Fabrca de Planos Cssenfelcr, glora lo nosso Estado o ua lns as portantes, nfo só do Jlrasl coo dn Aerca do Sul. O Plano Bgscnfclder í loje, o nstruento undalente conhecdo o adrado conto u dos elhores uo gcnero, rvnllsnndo co ns fnbrc-s fle narcus as nlanudas. Fundou a fabrca o grnudç - nlclgenlc ndustrlnl Foluno Essenfeldcr, c 800, c Buenos Ares, onde receheu, SÍ8 yulloso prêo na Exposção da grande o adbnladu captal porlcnhn..^las (urde. Florlao Esscnfeldcr, ransfer sua fabrca para Plotas, no Ro Grande do Sul. Fnalente, c 000, o Pa anl teve t felcdade tlt verse udar paru a nossa Curltba, co grandes trunfes, a nus portante organlsaçâo pnnslca to Brasl. A está, pos, lní 2 anos. honrando n ndustra lslc ra. a grande casa de labor è arte tco se- chaa Fabrca cos Planos Rssenfelder. O Sr. Florano Ksscnfehler é, na ndustra paranaense, un noe cpe erece relevo e destaque. A contnuação da obra be fa/e..-) de seu pa, está sendo udravelente contnuada por seus ntelgentes flllos. O Pano Essenfeldcr te, e seu quadro de honra, <> concurso das seguntes exposlções: E ÜOS, no Ro, senco conteplado c-o grande preo. E Tur, e 0, obteve edalha de ouro. E por ocasão do Centenaro do lrnsll, e 022; nomío, consegundo grande prêo. A fabrca Essenfeldcr est agnfcaente nstalada uo "Juvevc". arrabalde ütlísn para fabrco de seus panos,-s rquíssas qualdades seléco nadas de nadera3 pnráhaenses. O servço nterno da potenca "Essenfeldcr" dvde-se do segunte odo, c seções:.» _ confeção de esq",0- to ove e arcnnra geral; 2." preparo das couraças de aço, as quas s-ío funddas c Curtba; :?,» fabrcação do teclados e pequenas peças. 4. fabrcação de caxas harôncas, que é talvés o as portante servço e "lue deanda o aor cudado c AS PESSOAS QUK TOSSEW As pesoas rjue ee reêfrl * 5e constldhn tar.llnante: as rjuê sente o tro e h nlrtnoe; arque Dor u allcflra nlarçu áe teoo fca uko co a vo> rouca e a earsanta ntlaaca 3 que jorre fe ua velhrbrnnqulte. os ^sutlcos e fltl ente as crança aue So aco etln de ^aqualuche, DOderft ler a certeza oe o.ue o sen reelo & o Xarope SSo Jofo E u produto centfco Drfss tarto sob a foro de u subo roso cnrope EJ" o unlco que nfl ataca o esto:ko ne oe r ;5 Ase coo tonteo cnlanl*? e tas ex perto rar se tossr Evta a? afeccoes do peto o da gtr ganta Paclllta a resolracíl [ tornando-a al? f p a U p- e fortnlece os oronqulos. evl tando a nflaação e pedlnru uoa puloes n nvasfa de dpt rçosop crotlos Ao DUbltCÕ recoerdaoít,. Sstrope So.lo<o paru eur^r tosses. orott-tes, asa, Krlp* coqueluche, ca tar roa de fluxos, corstlp:ço>5 e rodas na doenças «elo, lnblldntlc, eojnpctçcta o teeulcu; n.» fabrcação de calva" exlernus; (. cnvornlsnento c pollncnto; 7. _ Seção (le ençoropanelo c fabrcação d< «ordas Wrstán S. nnlacas; H." ontage nls);,.l,» afnações, nec: Al estú, on rápdo csloçn, o e 6 fabrca Rsscnfcu der, aqulo (pe o povo p-aacnso «o cugn á:- possur ua clan as be nparclhnchs fabrcas d,, plano,». rl c> adera dns elhores pe «a tícnlco o conpelente,,. a ntelgênca revelada $, verdaderos artstas do,(o. o Governo do Pnraí c do trasl, n povo pnrnnnense (>,j hrn lílclrò, a socedade (. 0 sentento artístco dos nelgenlcs, deve nllur a fnbrle Panos Esscn feldcr coo ua «as vugnrles do progresso braslero, aparau do-n c preslgaulo-. Churchll ^^^^ " lê í, f::l r *& - {<>?A] jj$r -t?f À VENDA EM TODAS AS BÔÁS LVRARAS Edtora NORTE-SUL. - Ro de Janero. ÉO,-.,....l^w-M^j. JlaMa»arr»^^l»aMMa*aTML*a8Ctr---- D 9 V 99 l S Def-.nda a sua bolsa, coprando nos estabelecentos e dstrbue os coupohs co Grande Concurso cl"0 Da e do CORREO DO PARANÁ. Cada pagaento dá dreto a u bônus no valor da copra, Quando juntar 5C0000 de bônus, troque-os por u cotlpen nuerado, para concorrer aos sorteos. Náo dex.. ce apanhar o seu coupon. Pcça-o sepre ao seu fornecedor, pos, de r;prcsenla dnhero, podendo dar-lhe, gratutaente, u nrêlu no valor de utos contos de res. NAO ENTRE EM NENHUMA OUTRA CASA. LMTE-SE A COMPRAR NOS SEGUNTES GRANDES ESTABELECMENTOS: Arazé. Berber-Rua 5 Novebro, 4. de Joalhere Rcardo A. Kugler - Rua 5 de Novebro, 43. V xtx lesvü-sos r. Halon Luz âseveoo CUJVCA GERAL - VAS CRNÀRÀS - PAR0S MOLESHAS Oll SENHORAS RESDÊNCA: - Rua Vsconde de Naear, 24 - Phone: 242Z. CONSULTÓRO: Edfíco Tacla. salas 2 e 4. o andar Praça Generoso Marques 2} CONSULTAS: as 5 horas da tarde. Fone, VMM MMft rn v R0D0LPH0 PAQORMK OUatea sara llu Urnara. > Uol*>«fJU nkoraa, Cona.) Fraca TlraDataa. 506 roo.: roí D U cu hr> Raa. Boa Dr Pcdroax, 6 fooa>. ANTtNÜR PUPO ueuoo Cllnlrn llcllcn Consultóro: Faráca Alança R. Erlllano Pernetta 350 Coltes - Heorrodas Fstulas Dr. Rbero de Caargo ESTÔMAGO FÍGADO _ NTESTNOS DOENÇAS ANO-RETAS.. Tabagn flaadenu par2 dagnóstco das afecções rcéeula, t canas blares. OUNCA - ELETKOTERAPA CRURGA Consultas, das «ás 2 e das 4 ás 7 horas «d. Hr.lotea A». Joo Pessoa, 40-2 andar rde/onca Cons 988 Res. 549 da PAULO DE CAMARGO Cuns : Av João Pessoa. 0 - Edrclo Heloísa -. and - ADart U. Fone: 2329 Daf ll).3( as 2 o, das 7 as 9 ha Pas M as f hh exclüalvaehte o; ro senhoras ZZOT Cllnlrn çcrnl farta Mo pfln rc *jenhnrn*]< Cone : Atos da Far Mlner va Das 0 4s 2 horas. Res : Av Afleungül, 70. Fone LAURO PORTUGAL TAVARES MEDCO Clnca Gertl Vas urlnarh ( taloa Ultra Voleta - Cona.: Altos da Far Brasl (Praça Tlradcutes). Coteoltaa das 3 as 7 hora». Rgp. Rua 24 de ABoato. 83 * l..ar B. Pedro" fone: M70. VRM0ND DE LMA AdJ daa S C. Msercórda do tlo O» Janero e Curtba Operador partelro Cona ltua 6 d«novebro, (Alto* da Far nternaconal) da» Í.JO lo 4.0 Bone: -6 0 Rea. Alaeda Dr. -Murlcl, 57S Fone -l DP. ANÍBAL A P.0CKA L0UP.ES Poençoa <\o Coração;.Ufes. Estornu,o. ntestno. Fcada lllrs. Nervosas o Mental». luberc-ulofe Adultos e Cranças) Operações Partos. Moléstas de Senhoras e Doenças Veneroas Forado pela Faculdade do Klo de Janero. -D os df trabalho esdoclalsacto nos Hosullals do Klo de Jant-lro. S Paulo a Curl tlba. Cons Pas As 2 da= S as H horas, na Farn ca Stellfeld (Flal) - la OULO CALDERAR Docente -vre da Cadera de Hgene o Moléstas nfants da Faculdade Fundador doaoulatorlo do HobdU de Cranças Partos. Operações de urgênca. af le. oléstas- do aparelho geulto urlnarlo. Keualsos Cura das varlses. Chefe do Ser vleu Kadlologlco do nsttuto de Medcna e Crurga do ParanA Cona.: Altoa da Faráca nternaclone a rua 5 de Nove bro les : Vlao de Quarapua va P>one: 97. CURTBANO A Socedade de Socorro n Neceanltndns precsa dn e o nnxtbo. nnrvpvn-te eonn eeo contrbunte DA DR RNEU ANTUNES (llnlrn Crluttvtrn (c de rrtnnçu*. Docente da KHtMldnde de Medcna Consultóro : 5 fk-o Heloísa, Avenlla Jnflo Pessflo o 0. í. andar Dos 0.80 ns USO e ns 5 ís 7 horas Fone: MATHAS PECHNK FLHO Cllnlcn psvecnmíndn de OLMOS C-t-An»lnrntf do nolluto t*e ntln Utrlcr dr (nnulna. Conslllorlo Kua Ur Murlcl n 05 (Altos da Farnada Andrí dí larros) _ Das 0,80 Aa.30 e dás H As 6 horas MEDCA DRA. NANNA DE CARVA- LHO SüNDAHL Cllnlrn de SnkArna t Crlancna Cupllcaçôes da enopaust. trataento pre-natal Partoa Puercultura Pertur hncoea do crerclsnlo Aaslstenclo A dade de enna o- Ca (puherdnde) t aos escolares ndutolerla Clatnsropla Rea Hua Fontana. 4 Fooe: -6 o Cona. Altoa da Faráca Stellfeld daa a l e daa ae 4. Excepcfto doa Sabadoa LUC0 P Cllnfca R-ral RBERO Trataento da bletorrasla no hoe e na ulher Doença*» le senhoras tüccns Vnrl z e a Heorrodas Cons t 5 de Novebro, 3t t u ndar - Fone: ü _ Mas ás horas les.: Traga T radentes, 230, Fone: fc Cares Heler Co pratca e Hosptas euope-js Medco Adj. da Santa Casa de Mlser.coráa Bx-cee de Ollnlca Gynecclügca da Baóuldaoe de Medcna du Paraná - Dathera - Ordas curtas e ultra curtas. Ralo ultra voleta. Latr.paa Sollux e Electrolyse CONSULTOhlO: - Ave.ta João Pessoa n. 63. Altos da Faráca Avenda - Consultas deloàs He3âsE. P0ne: 3.-,.;, (Resdênca: Rua Co. Arauo n. 70 Fone: 424. MeíSj DR rj s CARLOS CUNHA DocrntP Lvre dn Fnrnldnde d»? *l edtchtn dn "n rn na Trataento dns Doenças da Pela do Couro Cabeludo e Sft- Ms fllnlcn fl erl Cônsul tr, ro: Flr Heloísa. Avfda Jofo Pes.»,*.a. 4 0.* andar <\nt U - Uns S0 As S.ÍO ha Ke? de n ra: Av Jnyp tpl» 2S - Fone: DR NVALDO ALMEDA JÚNOR rrntnentn Clírfcn «ns l*rna tnlltea Slnnllr» _ rlrlc*. Brnnt, leu A.-.n l len. Atende dl a ra ente dn? M ho ras efn dante Cons : Kua Slo Francsco. 254 t Faráca Moderna) Tels Cons 844 Rua Elllano Perneta n. 7. DR OSCAR ESPÍNDOLA ClltlnA RKKAL ADALBERTO SCHERER SOBRNHO - C.MCA OEAL _ -UUU. _ Ato, da B.,rae)a Mn(j,rna rua gã0 RESDÊNCA.Fran,?"co- «naut.nt.la: a«0 as - S heraa. Rua Coendador Arado. nj. Foa,. UJ- W CERQUEÍRA LMA NETO Cllnlrn Mt-lrn rlrorl-» Va» Urnara» Co Araújo He» " Jos6 Lourero Fone s^a Consultas das 4 as 6 dn u Praça Genertío Marques Edfíco Tacla «Juls 9 l.«tndar - l-tes.: lurjn» Caxas. 550 Fone. *W B 5". Bar-osa MEDCO Doenças de senhoras e crl ancas. - Vas trnnras Syphls. Consultóro Edfíco t» Rosa andar. Praça fradentes. 250 Phone Das 9 ás e de às 3 Wf Resdênca: Rua André <" Barros, 867 LOURERO FERNAN- DES Moléstas do aparelho Kenltourlnarlo Consnlaa daa l aa 7 horaa Altoa oa Far TelL Rua lí Edfíco de Novebro. da Calu Econolc» tt Fone --í-l Praça^^, Fona: 82. HAR0LBO BELTRÃO MCCO Cllnlra de Orlara».,. = Cona Altoa da Fararl» ^ feld - Das l» Aa ho": ^ Rea. Praça luy Barbo»*. Fone 4<t.

3 pagna Tercera -y,-- / sss^ssgjgsg.,_ CORREO DO PARANÁ " PlTS ) "*«." í.^..*,, " *í,. " - -»>-.^».«M.B.^,,r., JM,.,,,^.,.,V. r.% :; ; -... PossKlÉe «le odfcações no governo CARO, (U. PA - O chefe do Partdo Wafdsta, Mustaphrt Nahas.asha, que vnha fazendo oposção ao governo, te realzado varas conterecas co os outros "leaders" dessa agreação, favoráves a ua nova orentação polítca, tanto no terreno doéstco cr.- o no capo nternaco<-. Nahas Fashn o eíus partdaros arts agora que os ataquês aéreos sofrdos por Alexandra e o canal de Suez e despeto do Egío r?r.o estar e gurrre, n o Exo são Ce natureza a odfcar a attude do pas ce respeto ao conflto, For outro lado, a opnão Realze o «fe sua esposa públca ostra-se nclnada a crer que o Egto, adotando u polítca, defnda, podera transforar-se :.o ratado "leatíar" dos povos de língua árabe. Ass, esses ruores perte supor a possbldade de breves odfcações no seo do goverr.o. Dè-lhe u refrgerador elétrco, ua áquna de sc-stura ou u lndo jogo dc crstas. e ganhe o senhor eso u autoóvel de ^0:CU)S0UÜ. Obtenha tudo gratutaente pedndo os ecupons do nosso Concurso ao pagar suas copras e adqurndo: na as Casa deal e flal, os as portantes estabelecentos do rao na cdade. fonas gss de na Joelhera Berta e e suas flas de jn.. vlle e Londrna, as casas dos bons artgos. na Lvrara Ghgncne, o aor Epóro de lvros no Paraná. N"A Vencedora", o colosso ca tvérnò Praça Tradentes 45 Fone yy.r. " í:;.: = ;" " ^ rnvznzrzz?cx.-*7v;-*,-*t.. íta%,»w^3_aakht^r>rtn3-vs«^r.-/.t»»tfjava^rak,*nt". -/y-.^.y -,";:...< j :r*-;;\y;.yy~::.;-.*;-~y.\j\ -- - :*,, -.;. GNÁSO, :- ^. :.V;..; """.fí."^.-; ^ í."-.- GUASSÚ Cnto Práro e Secanthrtf "aça Ru Barbosa fone: **""~" -Z06. Seduzda, e h % a raco de ta- VCH. (U. P.) O gover no anuncou ás rações que terão de vgorar no ês de sefebro, as quas são exsctásnts guas as de agosto, co exceyção t.e ua redução aor na banha, sendo que pela tabjla c vgor, no próxo ês, e facultado apenas o consuo <e 5 qulos e 250 graas ensas.??í Íck&-se u» ayankes" lèpár ra svestade yy poafla para crar 0 câncer e a y *.~".," H^ af^l MB»JMa><f*aV %&,.íl 8$ -4- o te Pírnnn OKHAL PARA POBRES E RCOS Rl R» nl..... ^ggp, -««huandade Ressalve abasra ento da febre Sk tvrs*n sa lepos oa guerra DENVER, (U. P.) O ST. Husph S. Cung, antgo drctor dc; Servços Ce Saúde públlca, dos Estados Undo." e Chefe da Cossão Sanltá.:a, panaercana, da Lga das Ncjôes declarou que c conseqüênca d?, guerra snrrlrá u nnr.rjo uto as terrível, ce o qual terá a huandade de enfretar, coo u sub-produto do conflto. "Este ngo tía hun.andadc será a epdea. Pn fávaos que a febre aarela tnha sdo extnta, entretanto crsr, posto apareceu, novaente o a enos que seja debeladt rá desenvolver-se largaente quan do as tropas ndanas, que serve na Áfrca, decere dss ontanhas e dus florestas e regrctsare ás suas Urras naüvar". Declarou o sr. Cung que, nesta guerra, haverá aor núero de ortes provocadas por balas. Acrescentou que a exstênca da nglaterra d^vc-se prncpal ente ao recorde de saúdc e á derrota das oléstas, o que pôde ser encarado ceo parte do lagre da defesa brltaxca contra as oléstas. Nocso trabalho edato deve ser o de proteger as nossas praas e estnros preparados para toas as èven^ualldadís, conclu-.u o sr. Cunj. ~ :,."..-.,... _ Ua fonte ltar c contacto dreto co n frente sovlétlcn, doclarou quo 0s russos n«o consogulra deter o avanço nleuo, as, teo snúldo «o haver co os KOlpea das forças ecanzadas de tler, 0 nforante observou que os aleães hava ncado n nvasão, envando os sous (an- ts e tropas otorzadas u- o a dentro dn.- lnhas sovl<?- tlcs, dexando a nfantara a segulrrllo ca trlho tlt,, a rctaguarda confora a t.átlca que epregara na Prança, us.tvera desde logo que operar ua revsão nos «eus étodos. Oa russos lnvla estuddo a nvasão dn França, e llnlan ua solução. Dexava or tanlts abrr canho e, e te- Ktdn, lançava assas de Bua nfantara sobre os contlngontos aleães que vnha n aestera dos carroà de assa o cosa que os franceses e ngleses não pudera fazer, devdo a desòrganzãçop que C aleães hava consegudo provocar na retaguarda da» lnhas aladas. Durante o da. os tanlts ale ães que hava atravessado as lnhas sovétcas ron<ecua n operar co rxjtn relatvo, as, co o car da note, os russos alvejava-ns se tréguas, co eanhõe? o ven lados soh a proteção das trevas. Ass, atualente _ sesundr, declarou a referda fonte ltar _. os tanks aleães não as se adanta le asado, a espera de quo a nfantara venha consoldar ns posleflep conqustadas, ap. fca apenas alguns nun= adante. o nforante observou q. n resultado dc tudo sso, í que o ataque aleão cada da que passa as seasséelha A l.álcn da guerra undal. quando a nfantara aconpanlavn de perto o< tanlts, sendo cada aro. dependente ra outra. u <&- DETRCT, (U. P. Por va aérea Os engenheros ca; Usnas Ford acaba ae cenolur a construção do prototpo de u novo otor ce avão que está despertando grande nteresse r.os ees da aeronau tca ltar. Trata-se de u otor esí - altnte nventado para o fabrco e assa e cujas "perforances deve ser geralente superores ás dos outras otores, pc pouco depos do nco da guerra que Henry Ford teve a déa ce:;e otor. Tendo estudado o otor nglês Rolls-Royce qu-3 o governo ngê: lhe pedra para construr, sob lcença, para o Exércto e para a Marnha norts-aercana, Henry Ford ver- fcou quo a fabrcação deste :no dc; os outros e velocdade, po equpa os auas autoóves Ford, e que alás eles esos tnha dealzado, os referdos engenheros fzera ^s planos de u otor de doze clndros dsposto c V. Ua das caactérstcas essencas deste otor 6 que os clndros, coo os dos otores de autoóves, são de aço funddo e fora un só bloco. Ncs outros otores do avão cs clndros são de rço forjado e ndependentes uns dos outros e a sua fabrcação é louga, nucosa e extreaente dspendosa. O otor Ford ceporta, por outro lado, u tubjcopressor que co ele fora u bloco. S e- tpo de refrgeração lquda. Náo te carbürador. A essênca é njetara tor apresentava crtas dlflyuldade... Decdu-se então a ver ar refrgerado entes de entrar dretaente nos, clndros s o LCKE FCREST. llnos, (ü. P. O rrult--lonérío Carles Sohweppe, de CO anos dn otcr.de avão que pudesse s r te otor é de.500 cavalos as se era possível agnar u nestes. A potênca noral des- dade, presdente da Lee Hggíúsoa nvestent Carporatcn e u otor de autoóvel. Oon- o tubó-copr-ssãor õ conserva e.a construído tão faclente coo ped» atngr até.800 e graças dretor de outras copanhas, fou as.uas déas acs en-^cnheros- o esl:s etera ães etros aca do solo. Os cra- ntata até grande altura: sucdou-se. Atrbüe-se o facto ao au estado ce saúde co sucda de parte no faoso "V íl", que que ce se ostro superor a a obra. nsprandc-se e gran deres deste novo otor espera teka de tsafüü t pastor protestante A Justça local está venu- j Durante a audênca préllanrlo u caso que consttu a nar, fo revelado qus o Rev. lé $r l nota sensaconal co da. O ] Vasl antala freqüentes Rev. Valdr Vasol, BELÉM, (A. N.) de 70 dsputas co sua sogra e sua U ; anos de dade, está sendo acu- esposa, esta de 30 anos d? dasado de haver atado sua sogra de, e jornal leal publca, hoje, nteressante que o acusado hava dcnua regão sclada da colóta clarado entrevsta co o cr. Fontoura, Flho cebre já estar tão farto daque o trataentò do catteer por eo ce do Kenya. O cadáver da vfí-- la que não vaclara atá-la a, a Sra. Flcrence Luccy, fo lec u tro. ua poatía da sua fórula. O doutor Fontoura Flho, que o dentsta, dz, tabé, ourar a lepra. Fez ecslosa fscalkapo da arreçadação do Aazonas BELÉM, (A. N.) Procedente && cdade de Manaus, cre gou, hoje, no avlfo da lra da Aazôna, o dr. Aérco Celestlno da Mota, nspetor do unposto da recua, no norte do Brasl, que acaba de fazer eüculosa; fscalzação ta arrecadaçâo no Aazonas e que fará O eso neste Estado, seguüco. depos para essa captal. NATRCE (Keuta), (rj. P.) encontrado varado por urna ha- :a. W.,:;;;; llhlf y gr 4 t Í-:\ " " :.. í:.;*" ":-.. ;:.;:;.r. ;íèí::í-;":;" ::?.. -;.;: > Ví.^ V-rí^t". - yy-y^rs..- V-. - :- :.l ::; «.: ; : yyyyy ; :?...;: v,.....;;...,.: ;tí;j:* >;.,;.-.. "..;-;... :,."..-.-r>-. :> ";.;; - $ "- ; ;. :. :: : -;f\ ".. -^./ - :-:f,;-v"-v.*;.,.-v- -" :.. s;;.;;.,:.,;;.v., ;.,/; ^>..>-í%.:\.--tv."... :...*..:., - ; lo^ss ^íoêzs nu uncípo pernabucano F^PJ REOPB, (A N.) Atoprensa estapa declarações ae pessoas que vstara a r«gao sertaneja do uncípo de Sao José do Efeto, onde cerca «l e duzentos garperos est&o trabalhando, lntensaente, na extração de ouro. U jornal publca declarações ae M. Perera PM*, vndo dal, e que dsse que a baca aurfera daquele uncípo está stuada nas encostar, da serra do Esplnhnço è por traz a serra da Borborea, copreendendo ua vasba área de cerca de trnta graus de longtude leste, por trnta graus de lattude sul, ou seja, dos l e qunhentos qulôetros quadrados. O buteaento usado é uto rudlentor e se ac/a alado á falta de agna, qtt- t carregada e tetas, as costas de anas, dícultando unoreente o trabalho de extraoro. Acreacenta qe sáo abundartes os nüeleos de garperos desanados pela caatnga. Os garperos nvade os terrenos aurlferos, pagando ao oroprletarlo d:z p:? cento da cxtração. tenca e durabldade. Nos eos aeronáutcos ltares jul ga-se que so o otor Ford tler os resultados prevstos se a sua fabrcação fôr tão fácl coo a dos otores ce autoòves, a produção de avões.nlltares e assa dará ua saperlorldade aérea nconte.;,»- vel aos Estados Undos e ás nações ás quas dão o seu auxílo. Ve ao Brasl a nérprete "Gran- da de Valsa RO, (C. do Paraná) _. Notcas de Hollywood nfora quo Mlza Kbrjus, a fao?a estrea do fl "A Grande Va sã" está de alas prontas para segur para o Ro. Depos de Grace Moore, ca õ a se-.«tda etrèla cantora do enea que, no prazo de ; és, vsta a Aérca do Sul partcularente o Brasl. Mlza Korjus, ale de sua voz çue lhe deu faa no unco ntero, ú ua ulher dn Cas- Pnanto beleza e de grande prestgo e toda a a]ta socedade aercana. M2a Korjus vajará de avão, devendo chegar ao Ro nn próxo ès de setebro. úb(a}&$ ap.p realza etalr- para a saèa VCH, (U. P.) As autorldade.s encarregadas de fsoallzar a ndústra etalúrgca notcara,hoje á note, que fo necessáro "chegar-se a u acordo para que a Aleanha entregue a quantdade do aço requerdo para a execução dos trabalhos alcás quo se faíe na França". O convêno e questão fo realzado a 7 de julho de 9 U e publcado, hoje. pelo duro ofcal. Evte o Pergo nfecloso PEDNDO, PELO TELE- FONE:.Í- Agua Ahu 3:k teí l:ll] r

4 _ Cada da que passa, representa u novo trunfa para a Grande Exposção de Curtba, que, sob o patrocíno da Assocação Coercal do Paraná va ostrar ao Brasl ntero o produto do esforço de ua adnstração, coo a do sr. Manoel Rbas, que gual anda não tveos. As oções de apoo vê SEJA NTELGENTE de toda Faça stns copras seente nos casas que djstrbue os coupuns do concurso d"0 Dã> o <o CORKZo DO PARANÁ, pos só ass poacra ganhar Gra-u3.ae»te u autoóvel e centenas (lc outros pr as no valor dc _,GO:OOOSO0O CASA COLOSSO O aor c o as sortdo core de socos e ollacos. O únco que püssu. artgos de n- nr. qualdade. Praça Generoso Marques nr. 38, Fone 372 Curtba. RELOJOARA RAEDEK, onde se cbte os aaarto.s Rdogos "Beta". CHAPELARA MODELO Rua 5 de Nov., 267. ELECTRO BRASL, a casa que possúe o as varado stock de peças para Rades, ateral electrlco, e(c. Rua 5 de Novebro, 529. Fone nr, 57, FABRCA PAULSTA D_ RUUfAS BKAW-AS, o al«r epóro eu artgos para hoens. Rua 5 de Novebro nr, 20. Fone nr..05. CASA FERRERA, Rua Qunze de Novebro, u0 Cascras, lnhos, brs e avaentos. CASA EDTH, Praça Generoso Marques, 37. Artgos para hoe, de prara qualdade, nclusve os ataacos chupéos Cury. ROSKAMP, a casa da elegânca. Rua 5 de Novenoo nr CASA MAX, Artgos de Tcucador, Gravatas, etc. Avenda João Pessoa nr. 6. LOJA DAS RENDAS, o aor e als sortdo epóro de rendas e artgos para senhoras e cavalheros. Rua 5 dc Novebro, nr. 26. ARMAZÉM ÁGUA VERD-, de Maro Cardon e Ca. O as sortdo estabelecento de secos e olhados, co arrabalde da Água Verde. Av. Repuouca Argentna n íetra Rpn Dpartaento de Fazenda. ->G7 Mara Oypa de A- raujü _onu requu ue aco._o oo us nona;oe> z-l Kcuíuao reuuoo CüXlU CLU_* Utí UL.ÜÍUU COU \xa Uu^ueü _Oo O-*. _v_, uuen;u _/_. \-vwcr, ue uco\u) COh u» U_ü-_-lüy) -í _Ot>t>0 _.CUCJ..-j.. j \J j. J (j.,_ca-_ r-.->;_-*_(.-, U- UCUuU L-UU t llula^üco u _Ú_; vacück ueít UU «..-...U---0 UÜl U3 llulluço-o LKJÓV O_ _-_(, -.(*_» -Uu.(U-l - qt ^tcn-j ue a;ulclo tu íá HUU Jllct^Ott) o U /l.uuu Ut.. CÍXUU CUüU C4-_-, "-c" «. u<j CÜlll íuotu-cues _--tójj.uu.s üfll 2_.jtí4l leparcaeuo ue ooras e Vaç-u -T.Í.U üúóôóv aenja _l Arquve-se 94 í)ó2.í} Aaoo Alberto Rska a -eerau ae acorao co as nuunnaçóes (> Ca. líorga e _uu Uu Paraná Defendo, de aco do co as níorações * õufj7 Maro Braga de ADren A e Antôno da Cruz Deferdo, de acordo co as nforações 500 Ca Força e Luz do Paraná Deferdo de açordo co as nforações 53 Antôno da Cruz Deferdo re acordo co as nforações 536 Fevd^nndo Josá Cargnano Deferdo, de a- cordn co as nforações 578 Ca. Fr>rna n luz do Paraná procerta-0<? nos terr"os das nforações pnc, c;.. Peveq e T 7 do T>orn*"í F^"**-r fl n^ol* do co as nforações 5404 C?-los tberô da Cunha Deferdo de ff,.., ~ nfnrn^.cões acordo ofco n" 223 Deo. Coras e Vação Ds açordo Ofco n 663 Secretara de Estado dos Negócos de O. P. Vação e Agrcultura Ao Dep. de Fazenda para os devdos lançaentos. De^oachos do exo. sr. dr. Prefeto Muncnal e 23 de agosto de 94. Departaento de Fazenda A. Couto e Ca. Proceda-se de acordo co _n.n_._rr parte, e, anda agora, regstraos, co júblo faclente copreensível, a que ve de ser envada pelo nstltuto Braslero de Geografa e Estatst ca, a cuja frente se acha a cerebração coruscante do ebaxador Macedo Soares e dos espírtos não enos br.dhantes de Texera de Freêtas, do fo DCA sfo navos..uksp.v.» (Cnltcd Press) Fo tücrltn n rnpllnl dn porto le Lsboa, n Sra. )." Marta das Dores l.ua/.es p San ns. K a pvul0 vp/. une n orlnl uv c(ln 0 e\v\- uda n Prestar servços de sartc a lundu dc navos. «EíS-H Ferdas o jjjjj "ELXR DE ffl uetenao de acordo co as níorações Despacnos do exo. sr as nforações dr. Prefeto e _ João Datola Coo Ano 932; requer, de acordo co as nforações 398U Morauores na rua José de Alencar E face da níonu.ao arquve-se Franco Proceda-se de a Antôno Gonçalves 937 cordo co as nforações 92 Luz ualf.gassa - E 4958 José Patrun Deferdo, de acordo co as n face das nfonnpções,qjve-se fovações 355 Moradas na rua Nuncí Machado - A quve se Deferra de acordo co as 4997 Donso J. Falarz 938 nforações 43 Afonso Alves de Caargo e outros. Nada as Deferdo de acordo co as 5065 João Sansonovvsk havpndo que deferr, arquve-se 582 Correa e Ca. De nforações 25 zaas Natel de Paula ferdo de acordo co as nforações a^nuve-se 5ÍW Francsco Slka 582 Correa e Ca. De Btr face dss nforações ar ferdo, de acordo co as nforações quve-se 3f^f) lovno do Rosáro 5337 Epreza do Crco Po Er" fnce da nforação arquve-se ln Coo requer, de açor núncos do co as nforações DENT8STAS KEY MAGURE CUtlllAll-llCVlSTA CKnlcn e rnrnf *o nln hrerttía. Ep daa à t da 4 & 0 horaa Praca Qarlbnldl. lt JOÃO RBAS DE MACEDO OHUtGMO-U_NT8TA Consultóro; K da Mao, 7 Edfíco 8. Laa Oonaultaas Daa l da 4 aa lt horaa ALBERTO ESCHOLZ FLMO (..Nt/l,, ALBANO VERSEN Crurgão Oeatlta Rua Alfredo Buírern a. 47. Daí 8-30 M Qora de -30 At LABORATÓRO DE &HAU- SES CLNCAS ODN DO AMARAL Exaes de sangue, urna résee, pús. llquar. «to. Auto.Vacnas e <cra Das nottlco precoce da gravdez Pesqusa do Baclo de Kooh no suco gástrco. RUA a_í SCHAL UEÒD--0. DenHata Te.: 2" -apaclallado e Dentaduraa Ponte». Consulta Das 6 _) lt daa lt aa S horaa. k. SALÃO NNA 7 da Setebro. 89S. Ondulação poranauto a óleo, eletrcdade e a vapor, co o elhorea olaoa e toda garanta. SAAC MELAMED Preço unlco: Manlcure Olrnrctfo-Dentlata co oaalton eatrangalroa:, Conatltorlo: Praoa Tlradentça, 250 Édlfolo Santa 50Q0. Cortea de cabolor: 2000 Penteadoa 2000 o: Rosa l.o andar }500. DoDllacío do 8 boraa. Realdenclo K. aobranoelha 2}000 Plota JoSo Nc rso, S8S frono: joo dp cabelo: e S0S0OO ALAO NNA Hun Klnohnolo. T. gora? NOGUERA" fe-üs Mlhare de curado» serrando as grades do xadrez, o acusado conseguu eva 7-*e do 3o Reg- \^arao ÁLFAATA- RAS ALFAATARA PASSOS. («naldade ela_aaela Roa Mal Florlano Pexoto, Ul/tS - roae atfl ALFAATARA RACHÜEL0 _. nn GulherBw Matter Sírrlsoa (no para olyla, l tre e «dnhoraa. Haa R chuolb, llt. ALFAATARA NOVO MÉXCO -._;_. B-(NJA QADADO nnn. Rna _t_. florlano CORREO DO PARANÁ de nstro Bernardlno de Souza e tantos outros. O nsttuto Braslero de Geografa e Estatístca dedcar-se-á a proceder ao retrato, as copleto possível, do Brasl, cujo desenvolvento, nos utos dez anos, desperta a adração profanda de todos os países do contnente. Regstrando esse gesto de solda, redade da prestgosa assocação dê cultura, que agrela os aores Uíerj tos naconas, poos e evdenca o fulgor nexcedlvel de que se revestrá a Grande Exposção de Curtba, a as expressva de quantas já se rea. lzara e todo pas. r Os «pequenos cantores da cryn; ftaeara»tra s_b te ua ensage da allt efarna ce Pars o. (C, do Paraná Agora, eles percorre, pela Eles não "a prova de que a prera vez. n Aerca do França aluda vve. Na voz ad- Sul. Espera que essa vsta ravel daqtole coro de cran de er.lnob franceses G do ças palpta o coração e n nl spns rãos a- velhos, anl a da França. Vera de lonce. {n snln ra pnlrlq re.t"( outros areadas do sgno da Ros pequenos cantores, uns e da pelo nvasor. A unerra M- provaçuo e da desgraça, dexa as alnndonnr Pars..Tunl.Vra-80 a ultdão de refncla tvera ouvdo, neste f de ra 0 coração daqueles que os ds ce, de oda nrl» trplr pno de 04, ressonânca va o eanlo do "Md" "Les T^ftjtq Clnnteurs a r, Crnlx Bn " plntraron a Lyon. Depos, a Marselha. re "nreza p de paz. Fo durante n ntervalo de ua "retlnn üén^rale" que o padre Fernando Mlt con- Já tenho dto,.por varas foras, o quanto de coplcado exste noj servços que presto a esta nossa cdode. E ua verdadera engrenage, que trabalha se cessar. Ml e u fatores tê que ser conjugados para que o nosso publco e tenha sepre á sua dsposção - explca o Snr. Klowatt, seu crado elétrco. - CA. FÔRP* : :::7. :w r;ham - Fone - claaa^ ALFAATARA SANTOS 4t ARSTOX_N_a SANTOS Confecção eaerada. Roa Pona t 6 Praga Oaorlo n." tt. ALFAATARA LÍDER "A Líder da Moda" taa Dr. Mnrlr. Ml*. ERLACH Alfaate Cortador dploado pela Ae_- dela de Buenoa Area. Pfa> ga -àcarlaa, ít, eafl. eo a rua -lltano Perneta. 7one SM- ALFAATARA "9, Roa D_ Ju_o G. "MOURA* Monra Jate da Teaonra Ma.arUí onaonhor Oeléo. D8. CURTBANO Vlsltn a *on loeledade Boaorro noa Necea»l doa e O ob^erro Oll dúno lencflclo venjr \ lnnflo no» deavaltdoa. ADVOGADOS ULYSS^ DE CAMPOS ADVOfJADO _ao Rua 5 n fs l. andar Fone Rea. Av Gracosa 00. DRS. TEXERA GRAÇA e SALVADOR DE MAH) Olvel Coerco Cre Palaolo do Coerco." andar Oonulta da 6,80 aa 7 hora*. FLAVO FONTANA Paláco do Coerco Roa al. jrta- BE M MCrUílfM «e«3<_-ol_tí3«sftí, A vwdedflr. *» tf**%r_ Vy 9YPHül * tn hstora adrável desso coro de cranças, Pelos corredores _ salões do Hotel VBla Mnr, c Santa Teresa, "Pequeno a e vnha os cantores", ua parttura nas ãos, ensaando una frase uscal. Aquele grupo de enlos, todos co o eblea "Manécantere" da no peto una cruz branca sobrepôsta á bandera da França eprestava u aspecto novo ao abente. Co a alegra e a vvacldnde própras da da EElPREZÂS DE TRANSPORTES 2-5- ê a noerr do lelelone dc Epreza PEDRO BNDO de de, trau.-onavan a quetado habtual daquele hotel trnn- (Hlo de Santa Teresa nu re canlo de doçura p de ecnnlaento. Padre Mnllet falou nterropendo aqu e a)l a sua nar ralva. De vez e quando, a í sala onde os ennos ensafava, Corrga un e outro senão que encontrava. E retoava o fo da narratva. Fo co o propósto de renovar á usca sagrada, con servã-la con parte do nosso patrôno artístco e esprtualqe surgu e 908 a Me canterje" Dto ocorreu no velho "nuartor de Vatrad, á ar Ke esquerda do Sena. Paul Berthler, Martns, Rebufat, Slon, fora seus anadores. Conservados os trajes e devas, os costues da época, o grupo dos Pequenos Cantores cantou, u da, a "Matna", na Catedral de Pars. A "Manécantere" tornouse faosa. Todos os recantos da Franpa quera ouvr os "Pequeno.- Cantores". Fo quando 94 chegou, Dtculdados de toda orde. se opuse ra a contnuação da grande obra. Veo a dspersão, Houve u certo hato no coro dos Pequenos Cantores. NSTTUÇÃO NACONAL Depos de 98, lentaente Pars fo retornado A vda. E co a cdade.tabé a "Ma néoanterle", ua de suas glo ras f> {Jç altas tradções. Wwo gôjtünte, padre Fer nand Alalllet fundara outro coro de craneps -. ã ar-.çe dreta do Sena, no bstóre.o barro re Bele-Vlle. Houve a fusão entre os dos grupos. Surgu a "Mane canterle des Pétts Chantenrs â. a Crox de Bos". Sob sua dreção sepre e Bele-Vlle o grupo too novo pulso e aor apltude. A "Manécantere des Pétts Chantenrs a a Crox de Bos" tornou-se ua nsttução naconal. Fo e S24. ""U. GUERRA O :\n ínn assnalou o nco ae Mn- ov. era. A "Mauécntore" t0 vaja ra o estrangero. PoJ levar outras a terras a ala o 0 et- Pírllo dn França. Aleí;a De, pos, atravessara o Atíantl" co. Descera B Nova York O sucesso fo extraordnáro O Canada acolheu-o, 0gó apôs, de braços abertos Nn nglaterra. _ O- sucesso do "Carnege Hnll _ a aor casa de espotáculos de Nova York 0«anara a outras excursões/ Suíça Holanda Bélg ca _ Tchecoslovaqua Au trla tála Egto. O ulto período de 938, íía vésperas da tensüo quo redundo na guerra atual, f0j encontrar os Pequenos Cante res na Aleanha. O ropento das hostlldades surpreendeu-os JA e Pars, o receo da dspersar verfcadn e 94 fez co que Padre Mallet toa.se ou tra attude, pfls as crjanças 8 seu cargo,por conta da organzação. Fora para a Espanha p Portugal. A S de ao, estava e Pars. Ua audção e Roa e a volta novaente a Pars, onde chegara a 0. No da 8, dexara a captal; fora para o "Md". Quarenta e oto horrs depos Pars caa. Os Pequenos Cantores esta belecera-se por algu tepo e Lyon. Depos, e Teulouse. Dexara a França 0 da 27 re julho, ruo a Aérca do Sul. Depos do to, vão a São Paulo, Montevdéu, lluenos Ares. Atravessarão os An des. Vstarão o Chle, o reru, a Colôba e talvez a Venezuela. Padre Mallet,ã s" (l"-ncde: Teos vnte e oto cante res veteranos na zona ocupada, prsoneros. Cncoenta fora oblzados. Dojs orrera nos capos de batalha. Mas a de-peto de todas as dl fculdades a "Manécantere des PéMts Cl«nloe. * " p..o- p B, :,.,.t, Écusavga ro ar n resüpe fe ceca ce contos de \ E eu, sepre atento ao eu trabalho, tudo faço no sentdo de velar pelo bo funconaento de tão ntrncada áaunfl- PORTO ALEGRE, (C. P.) _ A reportage teve colocíüto, onte, de que ha va sdo drgdo u peddo de provdencas ás autordades polcas, no sentdo de Sír localsado o paradero de Oscar Carvalho Bernardes, que usa tabé os noes de Oscar Carvalho ou Oscar Melo, conhecdo anda uncaen "Melnho", te por apontado coo o autor de u desfalque de cerca de ce contos de rés descoberto na tesourara do 3.o Regento de Avação, e Canoas. Procurando sndcar e tor no do caso.soubeos que Oscar Melo, desde alguns, das, encontrava-se preso na cadea transporte. daquele Regento, aguardan do o resultado do nquérto Telefona aepre que ae ofereoer ua oportundade ou de andara nstaurar que a3 autordades ltares poeeoalente e ele prontaente para apu rar voa atenderá. Praoa Traden-. todas as -. crcunstancas do tes n." 2 - at0 Fone da realdencla cuj s detalhes encerra l-l-l-t ua sere de crcunstancas audacosas. E que aquele fun J. QUEROZ CUNHA E M. DE SOUZA PNTO Enççnhelroa blvfa Projeta e Co^att-óU* e cern tí-b He. Roa Sn. tal. B 8ob- Fone 7. DAL0 ZPPN ADVOGADO»o_«a U conaro cível da tesourara do 3.» Regento de Avação, que al exerca sua atvdade, coo prolongaento de sua vda ltar, onde se anteve a contento,de seus superores quando anda era cabo, por eo de hábl anobra, conse guu apoderar-se de elevada quanta e dnhero. A atvdade de Oscar Melo soente fo descoberta tepos depos, pos sobre o eso não recaa a enor suspe a, Apuraos que sua peranencla no servço da tesourara íoj conseqüênca de sua noa stuação quando anda era cabo, tendo fcado no servço depos de se tornar cvl, novaente. O desvo pratcado por 0F" car Melo, segundo fcou devdaente constatado, era leva do a efeto por eo de u a alteração que o eso fa^ nas folhas de pagaento tjua" do estas saa do regento para o Servço de Fundos. Nestas condçfles, verfcl" da sua responsabldade "0 desfalque, 0?car fo preso p re colhdo ao xadrez, de onde fugu na note de ante-onte, de anera bastante audaclos"a. SERROU AS GRADES > XADREZ O desaparecento do Prl sonero fo constatado cerca das 22 horas de ante-onte, quando vra que se achava serradas as gradeb do xadre2- No exae tyocedldo no, cal, a3 autordades ltares verfcara "Mellon0 que fez uso de ua serra para «- var a cabo seu plano de evasão, o que se consuou de do favorável. O fato fo»b" dataente levado ao oonne cento da polca, no senta" de que esta procure localsn o paradero de Melnho, q"^ se presue tenha segudo P ra o nteror do Estado, Oscar Carvalho Bernarüe»j Oscar Melo, ou Oscar Cnr^. lho, pos uaa ele os três»9 es, é natural da oaart6a,n. Cachoera, te olhos cns nhos, cabelos da eso, Ç 3 anos de dade, narz»«" tado, rosto oval e b>n rep lar, sendo de cor n("f"n-

5 J _ Pagna Qunta - CORREO DO PARANÁ r entre a arnha e o exercto faponesês Três turnos durante os sete das da seana 0 que.dz a Cossão Naconal de Gas tos sobre a pfoduç ão das fabrcas Falta o cobre, o ítíel e o znco WASHNGTON, (U. p.) - O Sr. Steln, dretor do Coüe dc Prlorlda.lcs, falando na ""eunão dc dlrectorcs de jornas, declarou: "As atéras pras que as escassea para o desenvolvlento do prograa da defesa, são o cobre, o níquel, o znco". Por sua parte, o Sr. Mc-Conell, da Repartção de Dreção da Produção, declarou que a redução dos ateras que noralente se eprega na fabrcação de artgos para a Vta cvl pôde orgnar u peno do de nquetação, dentro de poucas seanas. U dos propóstos da reunão fo estular o oral púplco por eo de capanhas de educação. nw www»»». > > S "P" í FRACOS e ANÊMCOS TOMEM Vnla talado "SLVERA" -* / Grande Tônco " t,,;, C3 BB Os Estados Undos construrão 566 navos cargueros WASHNGTON, (U. P.) A Cossão de Marnha anuncta hoje eue fora copletadas r.-j negocações prelnares para a fonstrtrsão de 56G navos cargueros as, os quas ser&o destnados ao transporte de abastp:le: tos aos países que luta contra a Aleanha. Agenca Geral de Passagens Stuada á Rua 5 de Novebro Fone P Counca ao publco e e geral, que te Onbús para as seguntes localdades, raty, Castro, Tbagy, Londrna, Antonna e Porto Alegre. LMOTJSNES; até Porto Alegre "Pássaro e São Paulo. Azul". Atende-se excursões especas de Ônbus para qualquer parte e vagens especas de lousnes á qualquer hora. V. S. está nteressado á vajar, procure hoje eso á "Agenca Geral de Passagens". ««a«a«aaaaan««n».»»».»...»...». LONDRES, (U. P.) U ço de guerra, recoenda que a-r relatóro especal apresentado fabrcas adopte o as cedo pela Cossão Naconal de Gas-- possível três turnos por da e a tos sobre seu prero estudo.seana de setc das. do aspecto ndus. do eslor- A cossão opõe-se, não obstanto, dc anera categórca, l repetção da experênca ncada depos de Dttjuerque, a qual consstu s obrgar os operaros a peranecere e suas Sen ana írégua BERLM, (ü. P.) A "DNK anuncln que a artjara pesada aleã coeçou a bobardear, se dar a ür.a trégua, as posções russas do lu go orental do r^o Dneper, Acrescentou que os canhões aleães causara ua ncrível destrução entre os exérctos rus sos, cujas fleras estava ssndo nteraente árrazadas. grande exepo da No- "Orde va" dos nazstas LONDRES, (R.) Os fornas aleães publcadas na Polôna apela para a população, nslando-a a lutar contra a epdea de tlfodc que devasta os terrtóros ocupados. Dzs esses jeroa., que o flagelo se deve ás defcêncas de nu*.rção, às ant-hgêncas condções de vda, à falta de sabão, etc. Tas declarações são de verdade sgnfcatvas, por parte des nazstas, quando as coparaos a ua declaração recente do Governador Geral Prank, que afrou que o Governo Geral é "o elhor exe po" do que a Europa vrá a ser quando os nazstas tvere estabelecdo freente a sua "orde nova. he súe o CAFÉ LBERTY e guar de bônus de 2$000 tver juntado 50$000 de bônus troque- os por u coupon bancadas do trabalho durante os sete das da seana, oxperlcncla que resultou e ua rápda dnução da produção. destruídas duas dvsões ngas a leste de Sala HELSNK, (U. P.) Urgente O Estad.. Maor nfora que na frente fnlandesa fnra destruídas duas dvsões ngas a lste de Sala. Aeaçada a lgação entre Toshen ko e Budenny BERLM, (U. P.) AS tropas aleãs que ataca Cor ngov aeaça agora, pergosaente, roper toda lgação on. tre os exérctos dos arechas To.enko e ludenny Va ser julgado Guyot PARS, (U. P.) O tnbunal encarregado do julgancn to des terrorstas não funconou hoje. E possível que rence seus trabalhos..anhã, ou sá- Sen- bado, para julgar város deres counstas, nclusve o. deputado Guyot. CURTBANO A Suclèlnl* (p Socorro no».\)-."m*í(rnn.s nrr,: ln»c ullto, nsere vn-ít? coo sc» cuntrlnnto. : CHANGA, (U. P.) Acredta-se quc as tropas do Exércto japonês nspccclona estrtaente o transto de cvs entre a concessão nternadonal e os dstrtos dc Hungjão e Slécaw, depos do ter cstabelccldo ua barrera de arae ar pado e torno das concessões nternaconal e francesa. Crcula ruores não confradoa, segundo os quas os ce- >, e França, as epresas setas VCH, (U. P.) O f;0- verno toou hoje novas eddas ant-setas, entro as quas o confsco e venca de epre- Eas judacas. Sultaneaente fo nfora do que os aleãs detvera e pars coo reféns dversos advogados sraeltas, entre os quas alguns de grande renoe, coo os Drs. Valcnsc e Maas. As epresas confscadas s> rão entregues a síndcos nao setas e venddas pela elhor oferta. O produto das veneras não será entregue ao legto dono, as será depostado na tesourara naconal, na conta do Cossarado para assuntos judacos. Este deduzrá da portânca da venda a cfra de 0 per cento, pnra os gastos de r.dntstração das fras judacas que não possa ser venddas co proveto. Os c::-propretárcs receberão perodcaente, etlar.u ordens de pagaento, pcauenas soas de seu captal. ontos radcas do Exercto n. pónco exge o bloqueo dos concessões. Acrcscentu-K, uno obstante, que a esquadra Japonesa sj recusa o ncá-lo. 03 japoncjses expressara que os cs trnngclrcs não serão olestados c que as precáuçõrs fora adoplada. c conseqüênca da ntensfcação :.o terrorso des bandoleros chneses que onte a note assassnara, 0 dstrto de- Ynngtóc-Poo, o Sr. 5 kíchl Ktsakape e ferra graveente o s. Mokch Sun», abes ítucc-aárlos cvs to Exércto npónco. Trata se do tercero auqte realzado contra japoneses nos últos nove da.-. O Tchents- Volento aguacero desabou sobre Nova York NOVA ORQUE,.» (U. P.) U volento aguacero ce- «abou Onte sobro esta cdade, tluranto varas hora? trans tornando as councações novaprqunas coo jaas aoon tecera na hstora da cdade. Calçadas, esgotos, "subways" e parte da estrad atlo ferro lteralente nundadas, stbn do a água, na área etropoltana, 2,83 polegadas, ao es o tepo que varas localda dns era atngdas por flescar gas elétrcas. No decorrer deu se perodo, regstrara-se 70 alares de ncêndo, 235 claadoa de onerronca. pará auxlo no esvasaehto de adegas nundadas,e te lefonenas urgentes. ferdos e uesastre de avação ncurso "0^6 do "C e^aobe^ra.fj.jfa CONTOS DE PÉS ra ferdas. As autordades abrra - quérto para apurar se esse ao dente fo deternado por u acto do sabotage. Curonel Aklyna, porta-voz do* Exércto Japonffs, declarou que o próxo objetvo da nvasão brtânca sera Changal, passo para o qual os brtânco.: ulülzarla o pretexto da prose ça. nesta cdade, do eleentos - desejáves t oancra «eollntc ao que fzera co o ran. O Sr. Aklyaa se recusou a declarar se os Japoneses prote- «cra Changn contra a Ga- Bretanha, puré, dsse quo o Japão t fo neca at aeaças do Sr. Churchll. "Já teo:: bustanta de.-tu propagrda", derarou. Tabé não qus rcvwar se entre os eleentos tde;cver. dc Changal fgura aleas, SSOAS RDAS VCH, (U. P.) E con- seqüênca de ua colsão entre un ônbus e u tre de carga, na estação de Carnevllle, ao su de Cherbourg, 2 pessoas fca FE- FGRTO (U. P.l N-s edações da estação Senhora da Hora verfcou-s" u volento choque de trens, na anhã de hoje, havendo 50 pes- ;oas ferdas, ses das quas ;;a. veuee. A aora tas vtas 6 coposta por operáros. Ses carro? fora destruídos e conseqüênca da colsão. O cheque fo otvado polo nevoero que pedu que cs aqúrsta.3 vsse o snal. %b volento cho- de trens prox- wse do porto. A a das vtas e pçsla dí raros RÁ BE AMOSTRAS QTí AflO A européa wpfê?w a renú e JM?. Mífe desse cerfaw " RO, tn. F.) _ Segunoo parecer que acaba de se sado pelo sr. Jorge Oadsworth, ct6- fo da Secretara do Gabnete do Prefeto, a Fera de Anos.- trás será realzada c au de E42, co o carate Pan-arnetcano. Justfca es3e parcct- a dfculdade do oento >v,r» rcprcsentcçío de países de eutros contnentes. A realííçfto do certae este ano sera,ortanto u fracasso dado o seu aspecto nternaconal e anda pela falta absoluta de u lugar aproprado á nstalação de pavlr.ões. Torna-se portanto ulto us nteressante seja aquele certae realzado e 942. dentro das possbldades.de aor sucesso. Ale dsso, o caráter Pan-aercano concorrerá para estretar as es laços de azade exstentes entre as naçéís vznhas. O Prefeto acaba oe aprovar esse paracer, detertnnacdo seja estudadas as possbldades d.quela rea:zação. *-* *;-"; - Syphls Rheualso Ferdas e ge.al? «ELXR DE NOGUERA. Mlhares d» curcd-5 o dd Pãrafá" pe eoc onrará dentro áe cada pacote. Oua AUTCMPVEL e cente??s de outros prêos no valor de wvgavatmw^kwmf^u" abawn ***^T,*>**,*T**,*?*,,,*T"",*"lpl^r^^ t í Xí... - * { l j F.M Í^^^t/rt^K,l^Êl*^Ks*llk»t^MwMWÊkfM^ M%%%W*wvWÊ Venha rr co essa coeda as rca que todo o ouro do undo cv t7 * o oa n Ar a Ar ^w^^,^^.-^^w^^^^^ 6-Fera - LUZ - As 2;30-7,45 e 9,45 6 -Fera - LUZ - As 2,30 3 7,45 e 9,45 S=Z^^^ Ray Müand e Een Brew nu fle que é exctante coo T^P^9jÍH Â Vláll P líful D^RÇ^l uapertvogostoso " """f^oto-aoa \\..., -,. ^w^p^ ffue encantadora stura cl.ap.sas, uscas, coeda, ro- CptÀHAfA.C füft f?ftpâfhôc ctua?^ e ^as epeas r DfD p? v fe - ^4fv\ l Aguarde: LUZe PALÁCO t as: Ralf Belay e Blanche Yurka e ^^S^>-^^V U eoconante super draa polcal 7 Z^2- S^ fgs~rm John -^^ (fl ^ Cl Cl O Hutard e Carolo Lands. Censura Lvre. 3KraÍÍ R K n Fen?àMo JORNAL nsac,onaes coed»a HOJE-LUZ PALÁCO - Mft revelações dos últos acontecentos A note sessão lnca ás 7,45 delcosa e CARTHY: DECTETVE n teressante Censura Lvre HOJE - ClUE BROADWAY A note sessão ünca ás 7,45 JORNAL CULTURAL BRÁS LERO - Naconal O HOMEM QUE NAO PODA MORRER (O Judeu rante) TONTO KD Co Rex Bel. Censura Lvre FLASH GORDO.v 3o e 4 ep. Censura tvre A CAVERA 4f e Sg ep. Ccnrura.rr* ^fca., A. VNGANÇA DOS DALTONS es c]l,sanbrentas dc ho ens se le co Kay Fran- A VOZ DO MUNDO TJFA JORNAL TODA A MULHER TEM SEGREDOS Ua hstora dvertda co Vrpna Dalc Cens. Lvre ROMANCE DE CRCO Ua hstora nteressante e dvertda co John Hubard e Carclc Lands Er- Cne VESPKRAL AS 2 Broadway horas JORNAL CULTURAL BRASLERO Naconal O HOMEM QUE NÃO PODA MORRER Co Conrad Vedt Censura Lvre TODA A MULHER TEM SEGREDOS Co Vrgns» Dane: Cens. Lvre TONTO KD Co Rex B ell Censura Lvre

6 V craque Argentno, e agn 0*7 lo, vence a prova básca da farde - Ura novo n.sht.to de curas na c<m«confore llnlnn» nnulflo, tovo lknr íllen, An 0 lo. r.n «a nnnhn, n lnítu(rrrcr( do nsttuto Elôtrntoraplro Pa rní. co sele no Edfíco Sul- Araorlcn, sto ft r r. lo No> yonnro, COS, 9.0 nulnr. A Bolcnllnüe, «"o rovostlu- «o lo (írnnlo lrlll. coparocora núero» porsonllrtalc» lo dextnqua. entro na qtyl fl- «Sra-so totnr, os Srs. Dr. Vítor lo ural, retor ln Unv o rs <n lo do rarl, -Mjor nr. Jul Honres, roprcsetunlo " pr, Heoral coandante dn &.n [ lloslfa Mltar e o Clífo lo K> talo Mnlor; Dr. lulsnt Santoa, ropresantnndo " Dr. Antenor Santo», dretor dn Snfldc unllca do Paraná: Toncnto Joílo Clrlanlnakt, reproaotando o Cel. roanrlnnto do Corpo do Bobero»; nr. Lnfnlote Jenn, deletrado rebtonal do ro-..onaoaento Dr. Manuel do Abreu; Dr. flhttlo Chaves, lê do nues peaorh jxudaa e o representante to "O Ma." o COHHKO l" PARA- NA. Fzêra-BO ouvr ao "lapagno" na ara. Dra. Vítor do Aaral. Manuel do Abn o ras tflo Chaves, sendo todo» unnlea o dlaor da satlsfaçlln co quo presencava a natl- Rurnc&o do natltuto Elítroteraplco Pnranô. natltuto oato O.UO ]à é o negundo no 6hso Ratado e o tercero no lrnall. erguendo votos do prohperltlade á. beneérta nsttução, quo to coo dretor e Curtttba, o Dr. Carlos Doartét Neto. COMERCANTES ACUSADOS JUO, 30 (ntor-acrlcana) Fora denuncados ao Trbunal de»sogurançn, acusados de cres contra a econoa popular, os coercantes, José" Mára, Sebastão Mota Vana, Máuol Gerssorl o Bejínln Lar for. 8 ML CONTOS DE RENDAS PORTO ALEGRE, 30 (Agênca Naconal) As rendas federas do Ro Grande do Sul. nos sete preros eses dêste ano, atngra o total de cfns de rés. o ocowçlodcurtm _. av.oão KKU.M/M.-;.-fon U«Un Your Toes"-> MnMHan Durante o tepo o quo ro desenvolvera ou rtlvôríwh rlbft du nnururncftn,.fo dl aos (ronóhtea ua oscplcuçaõ huperfelrl do» prnelpòh McoH dn nnlnvol nvento do lcltnr Plníolvn, snltn coo dn» an apleae«">en o oflcloncln tópnp- dn nlrav^k do núero» ra* t aputou co rondo a do Cx to o ratfcado» por atestados lo n6 dlcr-h do noondn. Curltlun, nflo r***nn n enor dvldn, ve do ser dotada do u lstltt olôtroternplon prlu n HH onto n.stnlndo, atend* do por pessoal co pote ul *, on» dn na quo tfófron podorílo et. (onlrap o auxlo nepre efl^le t y dn oloncln, representado pe; j\ faoso nvento»nl pnonte nr. 2T.r.f. Hoje o natltuto Elêlrotcrpln do Paraná estara a (UroalçO dos curltbnnoá, co na suaa portas abertas para receber todoa <>? quo no lhe acercare o busca do trata onto do qunlouír olóhlh do fatylo hhçllar. Apresentando os nossos aadòctonton, nuffuraon u próspero futuro a novo nr^anlsjflo, dzendo quo -lonejaoe anotar toda* as roallfla> r.ftf» por ta ath.rlday no be do áxo later^nso.o odos o» cldndaa: a coletvdade. TOMBOU O GAL. KAL- MUKOFF BERLM, 30 (Agênca Naeonal) Morreu na frente orental, o general de dvsão Kurt Kalukoff, de 49 anos de dade. E o tercero general «ue a Aleanha perde e sua capanha contra a Rússa. " PELO NSTTUDO DE RESSEGUROS HO.0 (Agenca Naconal) O nsttuto lo nessepruros, levando e conta a ncatva r.o sentdo \o aparar os cheos de faílas nuerosas, decdu abonar, ensaonto, aos funclonarlos casados co vencentos nferores a :500$0PU, da.ce;lnto fora: 00JOO0, corrèsppndentes à esposa, nóçono n cada flho e dnde escolar o 30J000 a onda flho so da. d) escolar. " lruolt> do llooclnnolto o deobro próxo do ÜÜO.OOO rccrh, o Donnrlncnto da Quera dcclnra quo a nòtònclnlllnd) do exercto nflo sofrerá rodueã SurAo provdencada MOOOSSUrlaíl HUl)HtltUlQÕOH, D l)clnotn do Ouorra cto alcança hoje. MU. 000 soldádófl c oflculh O nonvoondoa rocrutnfl aproson* laudo o crosolno dn R.000 hononh nobre o total da ulta j ttoanu. O dorlnontn acentua quo joonclntento h6 tíorft- bfott* Brtana e Palestra vencedores na tar A tardo Cutlboltallca do onto no graado do alto da CJlora fo do veras ntoréssnnto. O Jotfo prncpal reunu os dos grnndoh advorfartph n,uo erarh o Ferrováro o o Urltanla. A equpo colorada nau pouüo so OJíquvur ln(ueou fronte aos brltaleos por ua eontá- Ko alarante. Con : a 0 flnaluou o encontro, justa o e* rcclda vtora do uuuln do "- h6. ara nós quo vos o quo fo o encontro nflo Hora ulto c dlaor tno a Urltanln tez jlz a lrlllunto vtora la \er. juo toda a culpu Jobuu futltòl técnca o produtvo; O plnçard da gcontro nntro lrltancof e ferrováros constltutu ua derrota esagadora, pos uc a alára d "ctondldok" julgava Uo o Forrovlarlo venca folgadaonto. Mas... o resultado fo dos as lógcos, pos que venceu > (ue as jogou, o o quo as aoubo proíluílr. \los u Ferrováro se controlo. Prncpalente no prl olro tepo da lula, sua lnha o no entenda, o seus artlholros o chutava no g>m adversáro. Os brtâncos abe. no prero tepo ta da f r.o a, produzra alguns ataques. O prero tepo da luta fo gual para os dos batdas. Nn fnso fnal o Jrtana atuou co grande superlordade, vndo desta fora vencer brlhanteente sou adversáro por ua alarante contage, os T-.vros Os pon los fora arcados no ulto tepo; ass o uno ás HOJE 0 as sensaconal prograa da Vesperal às 2 horas. À note às 8 horas (Sessão Únca) CNÉDA JORNAL Nr. 95 (Copl. Naconal Lvre) gadoros e Lanzonl co ua nlollgcnto cabeçada, nca a archa do placard, a.o ro.vro.v.v-u nu» Sauhn desfere u potente chuto ao arco do Luz, o a )0- u batendo na travo volta an graado, Lanscon, ífld perdeudo a hün oportundade, desva tx pelota para o fundo das rõ> des.».< PONTO H.VMC() Josf servo bo a Jotoalhho, o este dlllanda Beltrllo da a 6es Uo n.la te llflculdado c vencer l.ulz. OS MK.OHKS.KMKNTOS KM CAMPO Do Brtana e prero pana fal Joíloalnho ò elhor ele- ento no graado. Fez ua auaç&o brlhante. Francsqulnho fro e seguro estovo nnl- Jto bo. Bororó o Crstova ua boa zaga, sobrosulndo Bororu. Luvzotto atuou be, Fra jola bo no prero tepo o regular no fnal do prelo, Terolra atuou co freza o ntclgoncla. Góes, fraco, s6 ereco o feto no tonto que conqustou. José. o eleento que trabalhou co vontade, estovo quas quo no eso plano de Jooslnhn. l.anznu pergoso co,o so po; sau-se ben. Snol estovo regular no fnal do j.vello, e no nco atuou al. Do Ferrováro Luz, soguo, nada podo-so culpar dos ten tos que dexou passar. Belí.rno atuou rregularente, o Avão nau blso os ulto» fetos. Baano, Ferre ra o Alexandre o ponto sotldò dós colorados, tvera nna óta conduta. jzoquhha, Ary Carnero, nho e Rubens regulnres, Plvó f<>l o e lhor eleento da Unha atacan seana HOJE HARMONAS DE PUCnN - *--» _ Lvre) A obra de Roger e Hart, que obteve rudoso êxto tea tra se converte e u fle belísso, e que se destaca ZORNA a celebre Zorna, o anjo nada angélco, nu "Jtter ballet" que é u assobro para já vu todos os assobros Ua que delcosa opcreta uscal da VERA WARNER, ZORNA Seberba Sensaeonal Bela. (Cens. lvre) o u a atacao ntornnatonal nflo no agravar o quo o oxoroltp osta sondo preparado para rea- [llsnr ual(or tnaobra du fffnn lo envorgudurn. Acradlta-so uo u odldn ro j rtulto «lo cco onlondlonta nlpo-aoldeono, 7,22, Góes bo sorvdo por.tosé, contra alto á boca da eta ferrovára. Salta dversos jode ftboístca. A Htr..N vt Na prolslnar reunra-se as equpes p.loftrlnas e Wavola nas. Desforrou-so os palestrnas la revês sfllda " llrna. O alcstr fal un adversáro do KTudes rocureob, aplcando ans u JoKa p«rlgob«. Foz valer sua ala classe. 3a fo a contage verefleada a favor da equpo do.latr. Np prero tepo venca o Palestra par a l. JoRudo l lravtílnonto bo a equpe do M-. Dl Pna cnsebll a <esforra alejada. Nu fase fnal os pulostrlnoh arcara as dos-tonto», e > Svola fez o seu ponto. Os savolnnoh fzera llrllnlll tll Krancsuulnho; Hororo o Crlslava; Luvzotto Frajola u erclra; Oúòs, Josí, Joloslnho, Lunzon o Sann. Forrovlnrlo O l.ulz; Ávlílo a Uellrãa; üllnnn Ferrera o Alexandre; / > > tulnln, Ary Carnero, nho, Pv< tubens. rnlf.stra lí: Dtla; use- o Aazonas; JJaalu.Mro > >c.sau; rto-nl - c:, Cardeal, Aérco, Jntlr é van. Snvolll : [J0; J.ulln o Alfredo;.Mara Aleulcs o Poznlll; Turl "- e. Bélco, Hoou e Arullo. zx^-^ ( 4M0RTÍZAÇÃ0 DE AGOSTO 94.CAPTAL DUPLO SEGUNDO 77CS TERCERO 0»"7Í8 ÍQLAR0 B.7.?? ^OUN^. ^.. AGÊNCA PARA OS ESTADOS DO PARAHA E^^ARNA: Rua 5 de Novebro, CÜRlaA "O-cAWvr JMaaLct dentro oo ^Mor^ r.laatxr^ "rrr.r,nrftr...jmlmjlwtlb^^ :,^:.V.V..^-,-,-;--,(-:v. y :...í:...-:.,,. - v.>.-..-; -..na.., ÍSStSSSStUtB «**»>v- «-^w a.,\^ N vesau); -.v"v"; : Mllesult. :: reu lílfo A. Cos fl > nu; - Hlnl H tcslvc. ncú Ara a,,\ llleclel; 2 (Jcnnlc; ; Cnl. lar. nn a ltc llucurao (. \uz), "5C 2 Llüote; : (lrtcha. Argentno, e belo estlo,; urea.mlulno l, Vaz); tar ft 2 Suspesn; ;) Alzclla. "5" T reu lcllll v.. le/.el. no Ge P. Re o ra): - Aanlnl;; : lllclla. r-> Duque,n AMVHHSAO.-SH )() T.M... Co a reunão turfsta» a prova nttulada,.,.. onte levada a eleto no a de Caxas".. A da d te n.ht u ohu Lvaw [.,..,. no urero, Argentno,n H u uvorulo nntuc,, otas de SLHK r S4 u" bep.ançado flho de ^^^s^^, vrou o Jóque Clube fará Tenono c Bosaldta, sod,,.m. :,,,,, BS a.,, dreção dc Maro Recnt U.M,. S naense. (, ttull,u,, M cruzou o- poste vencedor co,>,; )U bondado o pelo seu O da. q«e te f.s ;":;,- on,a dferença de u corpo so- tutor leal. ras horas da tarde estava ua lun oxíbcao na prera "B,.,,, nn Hprnr- hro f»rnca Tucrelo Coelho, que lttuu fase da lula, nora na fase fnal brlsco. elholou 0 detor bre CMaCa. ^^ u ^ fí (, ]n.u.m^ dexare se donar, sendo en rer da esa, chegando Ue O "puplo. dos drs. He,.lll.lnu... ll(, n0hsò lu,.f fcj, tílfl derroto/loa por. a. a brndar o curtbano, co t.or e Saul Valente cupru tu eun>rlnehlndò pelo s. os tentas fora fetas 0] "perfoan- u radante só. vna destacada vt o re nl o do anlsfldes. a Forsu, Júlo (contra) Af.c- Brande assstênca lolce", pos. derrotou anas esse exu Banha («ra "« prnílsjynínl o anl t>?n V ("""lraítou nossas snceras felcta- t àedol,suv,da. as elegantes dependfft-;de alte ^_J^ Ú _?: «oe coto FORMAUAM os «ua- cas do Guabrotuba, an- handlcap" grandes vantagens.»»n ando co suas ovacõe* a 35" rodada turfstca «a presente teporada uoc«. Tancrédo Coelho, gerente Sflls Dns sete pareôs corrdos, co Stlfl Volfí^" n"? se fev Reuatso As atvdades sspo rfvas MANAOS Atlétco aazonense 5. Celeste Brasl F. G. 2. BELÉM Náutco 0 x Cruzero do Sul». S. SALVADOR 8. Clube Baano 2 x Vera Cvuz. RECFE Aerca 3 x a. Clube Nau tco 2. RU BRANCO (Acre) Ro Branco F. C. 5 Taubaté 3. BELO HORZONTE Palestra x Aerca 0. FjORANOPOLS Avaíry x - Fguerense 0. FURTO ALEGRE Grêo 3 x Cruzero 2, RO Flunense 4 Aerca 3. H- Eonsucesso Vasco da Gaa,- Canto do Ro j Botafogo 3 Flaengo 2. Bangu 0 V- Madurera 2 S. Crstova. V- S. PAULO Còrnthans 3 x Portugue- destacava-se o Grande Prêo -5 Regão Mltar ü Desasre avação. flhos f astro Clã U^ezã SAN j ->- *...-_, o íuíu e un ueüuüut; ul,, tuyu«j *->..uou L.J lllll*u,l<j UU UCCòü ttu L/lllt^ Of». ju v- XÜLutAU VUUU, JUU--,üll U-> lcuôs LtttlVjt. WV. o luau c uvòc - U-ü. Lj^.w -w t>p«uc a n jv* w-clt"-- VlUC Ut < lu C-.<- íl ~»3v; Ctjvt* lautí GtH v^uj.- jjuc. Uo CUUctVtíCtí UUò *~..loú Uc llulüulo lu UJUoa, ^ut* t aau UU UA-utJ^^v.^ o uouuuu cülu Uj t u juüavüj. ue joou uu, üèü c;üpeuuu> uju ntí^tu chjjlílll. ^auscu grade consturnu- ^au a cuü...uavao uo accuüce, cju jj.u^eluares a "o nao ora. reveaaos,.u o presctente ua Kepupcu -oo us eúos üo governo expressara as suas couuoeúuíj, oraeauco-se a suspersau uas eslv.aãdes ercontra o cavalo ArRent-O. fo M< f-l"nl-l ncadrável f"to dn ssa»npf0ísto nu» r.ko oto a pten"?" "nl "sfofo lu -- n".pnfnvp. Nn lho d" DrOV" rr(,r" "DnnP do Ca.- r^no^^-^tv,pn^, «vjo"t"rl- d" AvcRfl0 noy rt-.orn.ímn fo Au vnleot, revelou nnohddos nx"" npr"a:? po dsvrptr apó u """"" volentspo o n«cf-r, nnvn o vnnfrnrdíl.,".-ó<t do: pnn etro?. Nldáo, é «le pronredade da dstnta Srta. Dva C. Montero ua das nossas as ardorosas turlstas. Tnu nu AtakU*, ütlenos o.vklán u íltcu l" títll Tlll»ú", ft*;oljeu uaoròsoj cuprlllulllua Í0lÒ <fu. (n lllvo íl- Uu» Uu Jlcu íue cateffuu no- "írelo bru u tlor.su h gruntlo jtrnuen.su ígrro \az, íu bé etcont t nossa capltul vuto (Ut S, J ;t n»>. e vage tle recreo. Merre Xá/., fo taubc <» la bll lov) < Ltecuraa, que se sasru nu ü.u pu*co, üüotna lo "lloallnl.mllllur üo Cttrl ílla", lerroladü Lzúto v t-.túcl. Jtocursu, apareceu na grande reta já na lueauja to nelutao, o tan ala cedeu Ma posujãu, ne^u : nvosllda to J.z»He t[uo lünaltuou na «egunda coloea^ão. A T.;t carrera ;l tarde, -rcj srd a tljl \to de Üeln. Surgndo oh derradero» C*tr,on dt) percurao, ; plotada ue Kobalãí Ke^erra derrotou Pa r 0 SER9Q0 SECRETO FR T flf;«r por eorpu Aa bal; jue por uo anversáro do nstro HUt vez lvrou ; eseukyn dferonca le ao nteror Olàyurra teatodu sobro Fne ass da. cuú o festval aéreo e n. nuallkou no 4.o 6sU, que deva partcpar as v junlo co o.s pottehos. tas, e favor de ua co tlos,l.\l)l) uos AllKOS lea co o lea "Azas l Pnrco Ueacrente (A. Po para vesun); 2 OelV) l<> JJro. o Chle". Jpller (A Po as suas atvdades ntensas sdne, 3 (Reuters) tíestra x S. P. guerra. Todos os R. Equauto partdos os observadores apresentando estão epenhados pela Pprtutrueza de Santos e levar b x polmcos concorda Santos que ao f o áxo 3. rgor. Pre não ha probabmdades da ve-se vez pranga prera, no 5 x S. Caetano que Fadden fará consderayes concessões 5 verdadera êstabusàção poltca aos australana até o novo PONTA partdos oposconstas GROSSA ao acran, ua prero nstro Faden grande Guarany passo 2 x Juventus quo outros tenha feto face julga a que sessão sobre a nova Unão eleção 5 "estrela" x Castelo Branco 2. e será o u próxo orçaento eo do balado clássco 2 x para esclarecer Setebro, a stua frsa-se que a PARANAGUÁ* ção. atual crse polítca é Paranaguá quêstão Coo se vê, o Ro Branco. servço eraente seereto nterna e do -exo fracassou nada afeta na o esforço da Austrála. SUL AMERCA CAPTALZAÇÃO* A...ala l»»lmí< coupnülll,,. Cllallxnvflo ln Aèrlç,l sul AMOUTKAUOCS H AÍJOSTO No DE..rl.lo de «orílaaçgo 4* re-,ll.n,l, ;, r n,,.,. ll-a.*,,._,, -«"""«,r. l COMPLETARA 0 PROGRAMA : VPP SOV KMD UED QPH MGD PASSO a «(Censura Lvre) T On, fle «a Warner co os "anjos de cara suja". - Os "anjos" dexa a sargeta e vão para o quartel... _.Káíf Ferdas e geral? "ELXR DE NOGUERA» Mlhares do curados Capão w do à (Contnuarão) qo jrunvcb do tran. Afro so vo, óaso sjja,.«ccwsarlo, 9 forças novcuríts ca nha f nobre a frontofrn tn l n a, onde encontra tão p to KÇRtro. K anròkcenta-fío, co confança nos eos lt;t s, <ue a KusBla áorá o tu ulo to nazso, OS llkllh llll ( Ml t-. M A V KM DA lhka. B OUBON AVENDA - Hoje ás 7,45 Sessão Únca CM JOUNA. A.SH.KK "...E 0 VENTO LEVOU Da Metro, eo Clrlc Gnblc Ollva le llnvllllnd, Lvalle Hotvnrü - tpreneutíulo VV3 A.KUU. K narnvlhoho fócnlcolor (npr. ate - A nos) AVENDA - Hoje HATNCB A..0 c:.oh.na, uvs.: "...E 0 VENTO LEVOU" Super rrluçfto Metro, e TéeteolOr, eo Olnrk Cnhle, Ollvln le v, l.-alle lo- «un. e pré«e tndo VVSA.KK,.>> Sflrlelt 0lllrl (upr. 6 J- Aon) MPERAL - Hcjt ás 7,45 Sessão Únca CNE-JOHN Al H A Bll. C"«lOA JONAL 0 FLHO DOS DEUSES Da Fox. co Tyròe Po.ver lc.kko-, Lnln Dnrcll, llllr.v Aator, Jenl bt», llru Jnlev.v. Vlnt Crve, l" Uarnullte o Jane >nrvfcll. M lnreh de A7,A,N. Vcxtrj"; (Lvre) O ^LO DAS SK.- VAS l» Mclrt, <; JoulU WcNMller (Lvre) A NUNDAÇÃO DE PORTD ALEGRE Fl docuentaro ostrando os prhcpas aspétos da catast.rol" que assolou o Ro Grande do Sul. CNE 0DE0N Hoje ás 7,45 Sessão Onca ONB.).VA, HAS.MM" NOTCAS UU OA UM CASAL COMO POUCOS Coeda da Metro, co Ann Sother, Franchot Tone e Ruth Hussey. (Lvre), do Sul. A NUNDAÇÃO DE PORTO ALEGRE Fl docuentaro ostrando os prlncpas aspétos da catástrofe que assolou o Ro Grande TAZAV o [FLHO DAS SE" VAS Jn Metro, co.loh»" WrlNnullpr (.lvrf) H -.0 DOS DEUSSS Jn Po.tí oo Tyrone Po«r. Drnell (Llrrc). CNE REPUBLCA Hoje ít 7,45 Sessão Únca CNR JONAL ASLB»0 FOX JOUNA. TAH/,A,\, (> KLHO^UAS SE" VAS Blelro,yS.loln"» Wrslc? (Lvre) A lh(h7f.na,;s)0 UAUU.O Pox, co Vníírj Kelly c K" lllll] (Lvre)... _ A NUNDAÇÃO DE POR* ALEGRE Fl docue"" taro- ostrando os prncpas aspétos da catastvo3 «n.ru. "..,. - ":. ;. : \ ;."

(Às Co missões de Re la ções Exteriores e Defesa Na ci o nal e Comissão Diretora.)

(Às Co missões de Re la ções Exteriores e Defesa Na ci o nal e Comissão Diretora.) 32988 Quarta-feira 22 DIÁRIO DO SENADO FEDERAL Ou tu bro de 2003 Art. 3º O Gru po Parlamentar reger-se-á pelo seu regulamento in ter no ou, na falta deste, pela decisão da ma i o ria absoluta de seus mem

Leia mais

GASTRONOMIA. Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to.

GASTRONOMIA. Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to. GASTRONOMIA Instruções Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to. Res pe i te mar gens e en tra das de pa rá gra fo. Use as in for ma ções

Leia mais

Missa Nossa Senhora do Brasil

Missa Nossa Senhora do Brasil é%0'.m> }JÍU Pe. José Alves Mssa Nossa Senhoa do Basl PARTTURA Paa 3 vozes guas e Assebléa (*) (*) A pate paa Assebléa é edtada sepaadaente " en cha A 10. Publcado pela: Cossão Aqudocesana de Músca Saca

Leia mais

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10 QUESTÃO 1 VESTIBULAR FGV 010 JUNHO/010 RESOLUÇÃO DAS 15 QUESTÕES DE MATEMÁTICA DA PROVA DA MANHÃ MÓDULO OBJETIVO PROVA TIPO A O mon i tor de um note book tem formato retangular com a di ag o nal medindo

Leia mais

Resolução feita pelo Intergraus! Módulo Objetivo - Matemática FGV 2010/1-13.12.2009

Resolução feita pelo Intergraus! Módulo Objetivo - Matemática FGV 2010/1-13.12.2009 FGV 010/1-13.1.009 VESTIBULAR FGV 010 DEZEMBRO 009 MÓDULO OBJETIVO PROVA TIPO A PROVA DE MATEMÁTICA QUESTÃO 1 (Prova: Tipo B Resposta E; Tipo C Resposta C; Tipo D Resposta A) O gráfico abaio fornece o

Leia mais

Questionário sobre o Ensino de Leitura

Questionário sobre o Ensino de Leitura ANEXO 1 Questionário sobre o Ensino de Leitura 1. Sexo Masculino Feminino 2. Idade 3. Profissão 4. Ao trabalhar a leitura é melhor primeiro ensinar os fonemas (vogais, consoantes e ditongos), depois as

Leia mais

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e :

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : INSCRIÇÕES ABERTAS ATÉ 13 DE JULH DE 2015! Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : Caso vo cê nunca t e nh a pa

Leia mais

CAP RATES, YIELDS E AVALIAÇÃO DE IMÓVEIS pelo método do rendimento

CAP RATES, YIELDS E AVALIAÇÃO DE IMÓVEIS pelo método do rendimento CAP RATES, YIELDS E AALIAÇÃO DE IMÓEIS pelo étodo do rendento Publcado no Confdencal Iobláro, Março de 2007 AMARO NAES LAIA Drector da Pós-Graduação de Gestão e Avalação Ioblára do ISEG. Docente das caderas

Leia mais

.- >. , '. expedidos por estabelecimentos estrangeiros de ensino superior no âmbito I desta Universidade e;

.- >. , '. expedidos por estabelecimentos estrangeiros de ensino superior no âmbito I desta Universidade e; , UNVERS Fundaçso nsttu(da RESOLUÇÃO NO.^&. >., '. nsttu normas para revaldação a) 7. c),) de dplomas de graduação t

Leia mais

REGULAMENTO DE INSTALAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS DE HOSPEDAGEM No u s o d a c o mp e t ê n c i a p r e v i s t a al í n e a v ) d o n. º 1 d o ar t i g o 64º d o De c r e t o -Le i n. º 1

Leia mais

andréa del fuego os malaquias

andréa del fuego os malaquias andréa del fuego os malaquias 1 Serra Morena é ín gre me, úmi da e fértil. Aos pés de la vi vem os Malaquias, ja ne la com ta manho de porta, porta com autoridade de madeira escura. Corre, Adolfo! Donana

Leia mais

1. A cessan do o S I G P R H

1. A cessan do o S I G P R H 1. A cessan do o S I G P R H A c esse o en de reç o w w w.si3.ufc.br e selec i o ne a o p ç ã o S I G P R H (Siste m a I n te g ra d o de P la ne ja m e n t o, G estã o e R e c u rs os H u m a n os). Se

Leia mais

Departamento de Informática. Modelagem Analítica. Modelagem Analítica do Desempenho de Sistemas de Computação. Disciplina: Medida de Probabilidade

Departamento de Informática. Modelagem Analítica. Modelagem Analítica do Desempenho de Sistemas de Computação. Disciplina: Medida de Probabilidade Departaento de Inforátca Dscplna: do Desepenho de Ssteas de Coputação Medda de Probabldade Prof. Sérgo Colcher colcher@nf.puc-ro.br Teora da Probabldade Modelo ateátco que perte estudar, de fora abstrata,

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA ACÓRDÃO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA ACÓRDÃO / gtv. ESTADO DA PARAÍBA # PODER JUDCÁRO 5 8 Agravo de nstrumento n" 2004.008919-2 Relator: Des. Luz Slvo Ramalho Júnor Agravante: Antôno D'Avla Lns Flho e Espólo de Luz Antôno da Slvera D'Avla Lns. Advogado:

Leia mais

Correção da Unicamp 2009 2ª fase - Matemática feita pelo Intergraus. 14.01.2009

Correção da Unicamp 2009 2ª fase - Matemática feita pelo Intergraus. 14.01.2009 MATEMÁTICA 1. O transporte de carga ao porto de Santos é feito por meio de rodovias, ferrovias e dutovias. A tabela abaixo for ne ce al guns da dos re la ti vos ao trans por te ao por to no pri me i ro

Leia mais

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 Estratégico III Seminário de Planejamento Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 G es tão Em pre sa rial O rie nta ção pa ra om erc ado Ino vaç ão et

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL RESOLUÇÃO Nº 488, DE 29 DE AGOSTO DE 2002

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL RESOLUÇÃO Nº 488, DE 29 DE AGOSTO DE 2002 AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL RESOLUÇÃO Nº 488, DE 29 DE AGOSTO DE 2002 Regulamenta o estabelecdo na Resolução CNPE n 7, de 21 de agosto de 2002, aprovada pela Presdênca da Repúblca em 22

Leia mais

Vamos Subir Nova Voz

Vamos Subir Nova Voz c c Vamos Subir Nova Voz 2 Letra e Música: Lucas Pimentel Arr: Henoch Thomas 2 5 2 to Eu-pos tem - po te-nho ou vi - do a pro- 2 g g 8 mes - sa de que vi - rás pra res -ga -tar os fi-lhos Teus Nem sem-pre

Leia mais

White Paper. Datas Comemorativas. Calendário 2011 de datas comemorativas para campanhas sazonais

White Paper. Datas Comemorativas. Calendário 2011 de datas comemorativas para campanhas sazonais Datas Comemorativas White Paper Calendário 2011 de datas comemorativas para campanhas sazonais As datas comemorativas podem ser exploradas para rentabilizar o seu comércio, seja ele físico ou online. Dedique

Leia mais

MODALIDADES DE INSERÇÃO PROFISSIONAL DOS QUADROS SUPERIORES NAS EMPRESAS

MODALIDADES DE INSERÇÃO PROFISSIONAL DOS QUADROS SUPERIORES NAS EMPRESAS MODALIDADES DE INSERÇÃO PROFISSIONAL DOS QUADROS SUPERIORES NAS EMPRESAS João Pedro Cordeiro Resumo O presente artigo versa sobre as práticas de gestão de recursos humanos pelas empresas, e mais especificamente

Leia mais

Tópicos Quem é é a a PP aa nn dd ui t t?? PP oo rr qq ue um CC aa bb ea men tt oo PP er ff oo rr ma nn cc e? dd e AA ll tt a a Qua ll ii dd aa dd e e PP aa nn dd ui t t NN et ww oo rr k k II nn ff rr aa

Leia mais

10.1 Objetivos, Conceitos e Funções. Os obje ti vos prin ci pais do con tro le orça men tá rio são: Responsabilidade pelo Controle Orçamentário

10.1 Objetivos, Conceitos e Funções. Os obje ti vos prin ci pais do con tro le orça men tá rio são: Responsabilidade pelo Controle Orçamentário Capítulo 10 Controle Orçamentário Essa etapa acon te ce após a exe cu ção das tran sa ções dos even tos eco nô mi cos pre vis - tos no plano orça men tá rio. Não se con ce be um plano orça men tá rio sem

Leia mais

Casa, acolhida e libertação para as primeiras comunidades

Casa, acolhida e libertação para as primeiras comunidades PNV 289 Casa, acolhida e libertação para as primeiras comunidades Orides Bernardino São Leopoldo/RS 2012 Centro de Estudos Bíblicos Rua João Batista de Freitas, 558 B. Scharlau Caixa Postal 1051 93121-970

Leia mais

Ainda há Tempo, Volta

Ainda há Tempo, Volta Ainda há empo, Volta Letra e Música: Diogo Marques oprano ontralto Intro Envolvente (q = 60) enor aixo Piano Ó Œ. R.. F m7 2 A b 2 E b.. 2 Ó Œ É 2 Ó Œ F m7 2.. 2 2 A b 2 2 Ainda há empo, Volta Estrofe

Leia mais

RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO

RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO 1. RESULTADOS QUESTIONÁRIO I - PARTES/ CONCILIAÇÃO 1.1- QUESTIONÁRIO I - PARTES/ CONCILIAÇÃO: AMOSTRA REFERENTE AS

Leia mais

Classificação Periódica dos Elementos

Classificação Periódica dos Elementos Classificação Periódica dos Elementos 1 2 3 1 Massa atômica relativa. A incerteza no último dígito é 1, exceto quando indicado entre parênteses. Os valores com * referemse Número Atômico 18 ao isótopo

Leia mais

White Paper. Boas Práticas de E-mail Marketing

White Paper. Boas Práticas de E-mail Marketing White Paper Boas Práticas de E-mail Marketing Saiba como alguns cuidados simples podem melhorar os resultados de suas campanhas de e-mail marketing Para garantir a qualidade no mix de comunicação atual,

Leia mais

Introdução e Organização de Dados Estatísticos

Introdução e Organização de Dados Estatísticos II INTRODUÇÃO E ORGANIZAÇÃO DE DADOS ESTATÍSTICOS 2.1 Defnção de Estatístca Uma coleção de métodos para planejar expermentos, obter dados e organzá-los, resum-los, analsá-los, nterpretá-los e deles extrar

Leia mais

Correção da Unicamp 2010 2ª fase - Física feita pelo Intergraus. 12.01.2010

Correção da Unicamp 2010 2ª fase - Física feita pelo Intergraus. 12.01.2010 da Unicamp 010 ª fase - Física 1.01.010 UNICAMP 010 - FÍSICA Esta prova aborda fenômenos físicos em situações do cotidiano, em experimentos científicos e em avanços tecnológicos da humanidade. Em algumas

Leia mais

VESTIBULAR UNICAMP 2010-1ª FASE - NOVEMBRO/2009

VESTIBULAR UNICAMP 2010-1ª FASE - NOVEMBRO/2009 VESTIBULAR UNICAMP 2010-1ª FASE - NOVEMBRO/2009 Comentário da Redação Nes te ano, a pro va de Re da ção da Uni camp foi ex ce len te. Em pri me i ro lu gar, pelo res pe i to ao for ma to tra di ci o nal

Leia mais

Equipas Educativas Para uma nova organização da escola. João Formosinho Joaquim Machado

Equipas Educativas Para uma nova organização da escola. João Formosinho Joaquim Machado Equpas Educatvas Para uma nova organzação da escola João Formosnho Joaqum Machado TRANSFORMAÇÕES NA ESCOLA BÁSICA TRANSFORMAÇÕES NA ESCOLA BÁSICA A expansão escolar e a mplementação das polítcas de nclusão

Leia mais

CAMARÁ MUNICIPAL DE FORTALEZA

CAMARÁ MUNICIPAL DE FORTALEZA PROJETQ DE DECRETO LEGISLATIVO /2015. "Concede o título de cdadãl de Fortaleza ao artsta plástco Ramundo Pnhero Pedrosa, conhecdo como Bruno Pedrosa". A CAMARÁ MUNICIPAL DE FORTALEZA DECRETA: Art. 1 -

Leia mais

MATERIAL DO ALUNO PARA RECORTAR

MATERIAL DO ALUNO PARA RECORTAR MATERIAL DO ALUNO PARA RECORTAR O Sonho de Renato O Sonho de Renato a e i o u A E I O U so nho de Re na to Eu sou Renato Valadares Batista. Tenho 14 anos. Sou filho de Pedro Batista e Luzia Valadares.

Leia mais

Y X Baixo Alto Total Baixo 1 (0,025) 7 (0,175) 8 (0,20) Alto 19 (0,475) 13 (0,325) 32 (0,80) Total 20 (0,50) 20 (0,50) 40 (1,00)

Y X Baixo Alto Total Baixo 1 (0,025) 7 (0,175) 8 (0,20) Alto 19 (0,475) 13 (0,325) 32 (0,80) Total 20 (0,50) 20 (0,50) 40 (1,00) Bussab&Morettn Estatístca Básca Capítulo 4 Problema. (b) Grau de Instrução Procedênca º grau º grau Superor Total Interor 3 (,83) 7 (,94) (,) (,33) Captal 4 (,) (,39) (,) (,3) Outra (,39) (,7) (,) 3 (,3)

Leia mais

Das ideias ao sucesso

Das ideias ao sucesso www.pwc.pt Das deas ao sucesso PwC Startup Portugal 1 mllon fund project Busness Plan FY 2014/2015 Crou recentemente uma empresa com forte capacdade de crescmento? Tem espírto empreendedor com deas novadoras?

Leia mais

Prgrmçã O Mu s u Év r, p r l ém f rcr s s i g ns «vi s i t s cl áss i cs» qu cri m s p nt s c nt ct nt r s di v rs s p úb l ic s qu vi s it m s c nt ú d s d s u ri c s p ó l i, p r cu r, c nc m i t nt

Leia mais

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 D A T A D E A B E R T U R A : 2 9 d e d e z e m b r o d e 2 0 1 0 H O R Á R I O : 9:0 0 h o r a s L O C A L D A S E S S Ã O P Ú B L I C A: S a l a d a C P L/

Leia mais

Exercícios de Física. Prof. Panosso. Fontes de campo magnético

Exercícios de Física. Prof. Panosso. Fontes de campo magnético 1) A fgura mostra um prego de ferro envolto por um fo fno de cobre esmaltado, enrolado mutas vezes ao seu redor. O conjunto pode ser consderado um eletroímã quando as extremdades do fo são conectadas aos

Leia mais

NPQV Variável Educação Prof. Responsáv el : Ra ph a el B i c u d o

NPQV Variável Educação Prof. Responsáv el : Ra ph a el B i c u d o NPQV Variável Educação Prof. Responsáv v el :: Ra ph aa el BB ii cc uu dd o ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NA ÁREA DE EDUCAÇÃO 2º Semestre de 2003 ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NA ÁREA DE EDUCAÇÃO As atividades realizadas

Leia mais

'!"( )*+%, ( -. ) #) 01)0) 2! ' 3.!1(,,, ".6 )) -2 7! 6)) " ) 6 #$ ))!" 6) 8 "9 :# $ ( -;!: (2. ) # )

'!( )*+%, ( -. ) #) 01)0) 2! ' 3.!1(,,, .6 )) -2 7! 6))  ) 6 #$ ))! 6) 8 9 :# $ ( -;!: (2. ) # ) !" #$%&& #% 1 !"# $%& '!"( )*+%, ( -. ) #) /)01 01)0) 2! ' 3.!1(,,, " 44425"2.6 )) -2 7! 6)) " ) 6 #$ ))!" 6) 4442$ ))2 8 "9 :# $ ( -;!: (2. ) # ) 44425"2 ))!)) 2() )! ()?"?@! A ))B " > - > )A! 2CDE)

Leia mais

Nota Técnica Médias do ENEM 2009 por Escola

Nota Técnica Médias do ENEM 2009 por Escola Nota Técnca Médas do ENEM 2009 por Escola Crado em 1998, o Exame Naconal do Ensno Médo (ENEM) tem o objetvo de avalar o desempenho do estudante ao fm da escolardade básca. O Exame destna-se aos alunos

Leia mais

w w w. v o c e s a. c o m. b r SEFAZ BAHIA

w w w. v o c e s a. c o m. b r SEFAZ BAHIA sumário executivo w w w. v o c e s a. c o m. b r w w w. e x a m e. c o m. b r melhores empresas para você trabalhar São Pau lo, setembro de 2010. Pre za do(a) Sr(a)., SEFAZ BAHIA Em pri mei ro lu gar,

Leia mais

CONTRATO Nº 229/ 2014

CONTRATO Nº 229/ 2014 CONTRATO Nº 229/ 2014 Prestação de Serviços de Consultoria especializada em gestão na área de planejamento estratégico e mapeamento de processos. Que fazem entre si de um lado a Prefeitura Municipal de

Leia mais

Correção da Unicamp 2010 2ª fase - Geografia feita pelo Intergraus. 12.01.2010

Correção da Unicamp 2010 2ª fase - Geografia feita pelo Intergraus. 12.01.2010 UNICAMP 2010 - GEOGRAFIA 13. Ob serve o gráfico abaixo e responda às questões: a) Indi que a(s) re gião(ões) do glo bo com ta xa de es pe ran ça de vi da ao nas cer in fe ri or à mé dia mun di al, nos

Leia mais

A Gonçalves no México I N F O R M A

A Gonçalves no México I N F O R M A I N F O R M A Novembro de 2007 Depois de atuar por quase três anos no México com um escritório comercial, a Gonçalves investe em uma unidade industrial no país, que entrará em operação no início de 2008.

Leia mais

TERMO DE CONTRATO N 001/2014 - CMM

TERMO DE CONTRATO N 001/2014 - CMM \1erra do guaraná" TERMO DE CONTRATO N 001/2014 - CMM CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE ACESSO A INTERNET VIA SATÉLITE ATRAVÉS DE LINK DEDICADO, QUE ENTRE SI FAZEM A CÂMRA MUNICIPAL DE MAUÉS E A EMPRESA C H M

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 32/2014/CONEPE. O CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO da Universidade Federal de Sergipe, no uso de suas atribuições legais,

RESOLUÇÃO Nº 32/2014/CONEPE. O CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO da Universidade Federal de Sergipe, no uso de suas atribuições legais, SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 32/2014/CONEPE Aprova as Normas Geras do Processo Seletvo para

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO FUNDAMENTAL DEPARTAMENTO DE ACOMPANHAMENTO DO FUNDEF PRESIDENTES DOS CONSELHOS ESTADUAIS DO FUNDEF

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO FUNDAMENTAL DEPARTAMENTO DE ACOMPANHAMENTO DO FUNDEF PRESIDENTES DOS CONSELHOS ESTADUAIS DO FUNDEF 1. AC 2. AM JONATHAS SANTOS ALMEIDA DE CARVALHO HERALDO LUCAS MELO (068) 922-3257 / 226-4656 / 226-3939 Fax (068) 223-6421 jsantos@tre/ac.gov.br Rua Manoel Cesário, 100 Bairro Capoeira 69.000-000 Rio Branco

Leia mais

Missões O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) A Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho

Missões O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) A Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho Missões O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) é uma organização imparcial, neutra e independente cuja missão exclusivamente humanitária é proteger a vida e a dignidade das vítimas dos conflitos

Leia mais

RELAÇÕES ENTRE MUNDO RURAL E MUNDO URBANO Evolução histórica, situação actual e pistas para o futuro

RELAÇÕES ENTRE MUNDO RURAL E MUNDO URBANO Evolução histórica, situação actual e pistas para o futuro RELAÇÕES ENTRE MUNDO RURAL E MUNDO URBANO Evolução histórica, situação actual e pistas para o futuro João Ferrão Resumo As visões recentes sobre o mundo rural revelam grande permeabilidade à ideia de património

Leia mais

ESTADO DA PARAIBA PODER JUDICIARIO GABINETE DO DÊS SAULO HENRIQUES DE SA E BENEVIDES

ESTADO DA PARAIBA PODER JUDICIARIO GABINETE DO DÊS SAULO HENRIQUES DE SA E BENEVIDES I I... 4.4W. npub (,. ~Ne 10 ESTADO DA PARAIBA PODER JUDICIARIO GABINETE DO DÊS SAULO HENRIQUES DE SA E BENEVIDES ACORDÃO AGRAVO DE INSTRUMENTO N 001 2007 034803-0/001 RELATOR Des Saulo Henrques de Sá

Leia mais

n o m urd ne Hel e n o mis

n o m urd ne Hel e n o mis Em nosso cotidiano existem infinitas tarefas que uma criança autista não é capaz de realizar sozinha, mas irá torna-se capaz de realizar qualquer atividade, se alguém lhe der instruções, fizer uma demonstração

Leia mais

! Superlntenrlencia Reg.onaJ do Ma:toGro$So. Qualificação e Reinserção Profissional dos Resgatados do Trabalho Escravo elou em AÇÃO INTEGRADA

! Superlntenrlencia Reg.onaJ do Ma:toGro$So. Qualificação e Reinserção Profissional dos Resgatados do Trabalho Escravo elou em AÇÃO INTEGRADA ",, 1," ;,,," 1, C?5lMnstérO Públco do "':'1"') Trabalho PRT 23,! Superlntenrlenca RegonaJ do Ma:toGro$So!! (', ' \_ \ '1 j t t' 1 PROJETO: Qualfcação e Renserção Profssonal dos Resgatados do Trabalho

Leia mais

LEI Nº 5.869, DE 11 DE JANEIRO DE 1973. Insti tui o Código de Processo Ci vil.

LEI Nº 5.869, DE 11 DE JANEIRO DE 1973. Insti tui o Código de Processo Ci vil. Outubro de 2003 DIÁRIO DO SENADO FEDERAL Sexta-feira 31 34351 ares, me diante a exibição de ofí cio ou mandado em forma regular. 1º So men te se ex pe di rá pre ca tó ria, quando, por essa for ma, for

Leia mais

J u i n 2 0 0 9 L e ttr e d 'i n fo r m a ti o n n 1 9 E d i to r i al E p p u r si m u o ve «E t p o u r ta n t e l l e b o u g e» m u r m u r a G a l l i l é e s u r s o n c h a m p e s t l a r g e.

Leia mais

Introdução aos estudos de instalações hidráulicas. Inicia-se considerando a instalação hidráulica denominada de instalação de

Introdução aos estudos de instalações hidráulicas. Inicia-se considerando a instalação hidráulica denominada de instalação de Introdução aos estudos de nstalações hdráulcas. Inca-se consderando a nstalação hdráulca denonada de nstalação de recalque reresentada ela oto a seur. Foto 1 1 Dene-se nstalação de recalque toda a nstalação

Leia mais

Professor Mauricio Lutz CORRELAÇÃO

Professor Mauricio Lutz CORRELAÇÃO Professor Maurco Lutz 1 CORRELAÇÃO Em mutas stuações, torna-se nteressante e útl estabelecer uma relação entre duas ou mas varáves. A matemátca estabelece város tpos de relações entre varáves, por eemplo,

Leia mais

PADRÕES DE VIDA DOS ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS NOS PROCESSOS DE TRANSIÇÃO PARA A VIDA ADULTA

PADRÕES DE VIDA DOS ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS NOS PROCESSOS DE TRANSIÇÃO PARA A VIDA ADULTA PADRÕES DE VIDA DOS ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS NOS PROCESSOS DE TRANSIÇÃO PARA A VIDA ADULTA Rosário Mauritti Resumo Este artigo começa por analisar a influência das origens sociais nas trajectórias de

Leia mais

Alencar Instalações. Resolvo seu problema elétrico

Alencar Instalações. Resolvo seu problema elétrico Alencar Instalações Resolvo seu problema elétrico T r a b a lh a m o s c o m : Manutenção elétrica predial, residencial, comercial e em condomínios Redes lógicas Venda de material elétrico em geral. Aterramentos

Leia mais

CURSO ON-LINE PROFESSOR: VÍTOR MENEZES

CURSO ON-LINE PROFESSOR: VÍTOR MENEZES O Danel Slvera pedu para eu resolver mas questões do concurso da CEF. Vou usar como base a numeração do caderno foxtrot Vamos lá: 9) Se, ao descontar uma promssóra com valor de face de R$ 5.000,00, seu

Leia mais

MEDIÇÃO DA ACELERAÇÃO DA GRAVIDADE COM UM PÊNDULO SIMPLES

MEDIÇÃO DA ACELERAÇÃO DA GRAVIDADE COM UM PÊNDULO SIMPLES Medção da Aceleração da Gravdade co u Pêndulo Sples MEDIÇÃO DA ACEERAÇÃO DA GRAVIDADE COM UM PÊNDUO SIMPES O Relatóro deste trabalho consste no preenchento dos espaços neste texto Fundaento Teórco O pêndulo

Leia mais

Si Mesmo. Logosófica. Carlos Bernardo González Pecotche. Editora RAUMSOL

Si Mesmo. Logosófica. Carlos Bernardo González Pecotche. Editora RAUMSOL Carlos Bernardo González Pecotche RAUMSOL A Herança de Si Mesmo Editora Logosófica A HerAnçA de Si Mesmo Ao publicar o presente tra balho, o autor levou em conta a repercussão que ele pode alcançar no

Leia mais

A Teoria dos Jogos é devida principalmente aos trabalhos desenvolvidos por von Neumann e John Nash.

A Teoria dos Jogos é devida principalmente aos trabalhos desenvolvidos por von Neumann e John Nash. Teoria dos Jogos. Introdução A Teoria dos Jogos é devida principalente aos trabalhos desenvolvidos por von Neuann e John Nash. John von Neuann (*90, Budapeste, Hungria; 957, Washington, Estados Unidos).

Leia mais

TEORIA DE ERROS * ERRO é a diferença entre um valor obtido ao se medir uma grandeza e o valor real ou correto da mesma.

TEORIA DE ERROS * ERRO é a diferença entre um valor obtido ao se medir uma grandeza e o valor real ou correto da mesma. UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS DEPARTAMENTO DE FÍSICA AV. FERNANDO FERRARI, 514 - GOIABEIRAS 29075-910 VITÓRIA - ES PROF. ANDERSON COSER GAUDIO FONE: 4009.7820 FAX: 4009.2823

Leia mais

$% & '( )& & & $ *+ & % & ''( & & & & & $

$% & '( )& & & $ *+ & % & ''( & & & & & $ "#!!"# $% & '( )& & & $ *+ & % & ''( & & & & & $ $, &-. & */0$ & 1 &#&2& &2# &* &##&* 889$ 1# &0 ' 1 &:1 && 8$;:$!& 𕬸 '( & '( ' $ &# 1 &1 & $ $ % P a í s Em pre s a Té c nic a R e s po nde nte s

Leia mais

REVIS TA CONTATO LEITOR GALERIA COLUNAS EDIÇÕES ANTIGAS ASSINATURA. 30/7/2014 Salão de Gramado encerra nesta quinta-feira.

REVIS TA CONTATO LEITOR GALERIA COLUNAS EDIÇÕES ANTIGAS ASSINATURA. 30/7/2014 Salão de Gramado encerra nesta quinta-feira. Q u a, 3 0 d e J u l h o d e 2 0 1 4 search... REVIS TA CONTATO LEITOR GALERIA COLUNAS EDIÇÕES Selecione a Edição ANTIGAS C l i q u e n o l i n k a b a i xo p a r a a c e s s a r a s e d i ç õ e s a n

Leia mais

Sinais Luminosos 2- CONCEITOS BÁSICOS PARA DIMENSIONAMENTO DE SINAIS LUMINOSOS.

Sinais Luminosos 2- CONCEITOS BÁSICOS PARA DIMENSIONAMENTO DE SINAIS LUMINOSOS. Snas Lumnosos 1-Os prmeros snas lumnosos Os snas lumnosos em cruzamentos surgem pela prmera vez em Londres (Westmnster), no ano de 1868, com um comando manual e com os semáforos a funconarem a gás. Só

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 3259 RESOLVEU:

RESOLUÇÃO Nº 3259 RESOLVEU: Resolução nº 3259, de 28 de janero de 2005. RESOLUÇÃO Nº 3259 Altera o dreconamento de recursos captados em depóstos de poupança pelas entdades ntegrantes do Sstema Braslero de Poupança e Empréstmo (SBPE).

Leia mais

Quadro de conteúdos. Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano. Lição 1 As crianças e os lugares onde vivem

Quadro de conteúdos. Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano. Lição 1 As crianças e os lugares onde vivem Quadro de conteúdos Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano Língua Portuguesa Matemática História Geografia Ciências Naturais Arte Inglês ABC da passarinhada O alfabeto Quantidade A ideia de quantidade Eu, criança

Leia mais

Visando dar continuidade ao trabalho de simulação, encaminho o MODELO DE ALOCAÇÃO E DIMENSIONAMENTO DO PESSOAL DOCENTE DE TERCEIRO GRAU

Visando dar continuidade ao trabalho de simulação, encaminho o MODELO DE ALOCAÇÃO E DIMENSIONAMENTO DO PESSOAL DOCENTE DE TERCEIRO GRAU Ofíco Brasíla, 24 de anero de 2005. Senhora Presdente ANDIFES, Vsando dar contnudade ao trabalho de smulação, encamnho o MODELO DE ALOCAÇÃO E DIMENSIONAMENTO DO PESSOAL DOCENTE DE TERCEIRO GRAU revsado

Leia mais

UNICAMP 2012 (2ª Fase)

UNICAMP 2012 (2ª Fase) 1. Re so lu ção (se rá con si de ra do ape nas o que es ti ver den tro des te es pa ço). a)...in te res se do pú bli co (L1): Tra ta-se de um subs tan ti vo pos to que de ter mi na do pe lo ar ti go o,

Leia mais

ANÁLISE DE ERROS. Todas as medidas das grandezas físicas deverão estar sempre acompanhadas da sua dimensão (unidades)! ERROS

ANÁLISE DE ERROS. Todas as medidas das grandezas físicas deverão estar sempre acompanhadas da sua dimensão (unidades)! ERROS Físca Arqutectura Pasagístca Análse de erros ANÁLISE DE ERROS A ervação de u fenóeno físco não é copleta se não puderos quantfcá-lo Para é sso é necessáro edr ua propredade físca O processo de edda consste

Leia mais

CONHECIMENTOS TRADICIONAIS E PROPRIEDADE INTELECTUAL

CONHECIMENTOS TRADICIONAIS E PROPRIEDADE INTELECTUAL CONHECIMENTOS TRADICIONAIS E PROPRIEDADE INTELECTUAL Miguel Correia Pinto e Manuel Mira Godinho Resumo Com os avanços nos domínios da biotecnologia registados nas décadas mais recentes, os conhecimentos

Leia mais

PLANEJAMENTO (ADIVINHAS, UM GÊNERO PRESENTE NO FOLCLORE) ADIVINHAS, UM GÊNERO DO FOLCLORE BRASILEIRO

PLANEJAMENTO (ADIVINHAS, UM GÊNERO PRESENTE NO FOLCLORE) ADIVINHAS, UM GÊNERO DO FOLCLORE BRASILEIRO Professora: Raquel de Lemos Tochetto PLANEJAMENTO (ADIVINHAS, UM GÊNERO PRESENTE NO FOLCLORE) ADIVINHAS, UM GÊNERO DO FOLCLORE BRASILEIRO Competências Linguagem oral, leitura e escrita. Objetivo geral:

Leia mais

GLOSSÁRIO PREV PEPSICO

GLOSSÁRIO PREV PEPSICO GLOSSÁRIO PREV PEPSICO A T A A ABRAPP Aã Aã I Aí I R ANAPAR A A M A A A Lí Aá S C é ç í ê çõ 13ª í ã. Açã B E F Pê P. Cí ê, ã ê. V Cê Aã P ( á). N í, - I R P Fí (IRPF), S R F, à í á, ( 11.053 2004), çã.

Leia mais

KEITH CAMERON SMITH. As 10 principais diferenças entre os milionários e a classe média

KEITH CAMERON SMITH. As 10 principais diferenças entre os milionários e a classe média KEITH CAMERON SMITH As 10 principais diferenças entre os milionários e a classe média Prefácio Por que es cre vi es te livro? Três mo ti vos me le va ram a es cre ver es te li vro. O pri - meiro foi a

Leia mais

======================== ˆ_ ˆ«

======================== ˆ_ ˆ« Noss fest com Mri (Miss pr os simpes e pequenos, inspirdo em Jo 2,112) ( Liturgi I Puus) 1) eebremos n egri (bertur) Rgtime & c m m.. _ m m.. _ e e bre mos n_ e gri, nos s fes t com M ri : & _.. _ º....

Leia mais

PROTAGONISTAS E CONTEXTOS DA PRODUÇÃO TECNOLÓGICA EM PORTUGAL O caso da invenção independente

PROTAGONISTAS E CONTEXTOS DA PRODUÇÃO TECNOLÓGICA EM PORTUGAL O caso da invenção independente PROTAGONISTAS E CONTEXTOS DA PRODUÇÃO TECNOLÓGICA EM PORTUGAL O caso da invenção independente Cristina Palma Conceição Resumo Tendo como pano de fundo algumas das questões suscitadas pelo debate teórico

Leia mais

Sa i ba mais so bre Fator Previdenciário Págs. 10 a 13. O que você pre ci sa saber sobre re ci cla gem de lixo Pág. 20

Sa i ba mais so bre Fator Previdenciário Págs. 10 a 13. O que você pre ci sa saber sobre re ci cla gem de lixo Pág. 20 Sa i ba mais so bre Fator Previdenciário Págs. 10 a 13 O que você pre ci sa saber sobre re ci cla gem de lixo Pág. 20 To dos so mos igua is, ape nas te - mos di fi cul da des di fe ren tes. Le o nar do

Leia mais

REGULAÇÃO POLÍTICA DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL

REGULAÇÃO POLÍTICA DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL REGULAÇÃO POLÍTICA DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL José Nuno Lacerda Fonseca Resumo Analisando vários indícios da existência de efeitos anti-sociais da actividade dos meios de comunicação social, reflecte-se

Leia mais

In for má ti ca, ar qui vos, me mó ria, in ter net.

In for má ti ca, ar qui vos, me mó ria, in ter net. UMA MEMÓRIA PARA A TECNOLOGIA Fa us to Co lom bo Re su mo O tema da me mó ria, quan do as so ci a do ao das no vas tec no lo gi as, pro duz in te res san tes cor re la ções na me di da em que a in for

Leia mais

DATAPREV Divisão de Gestão Operacional e Controle - D1GC Serviço Técnico a Softwares de Produção STSP

DATAPREV Divisão de Gestão Operacional e Controle - D1GC Serviço Técnico a Softwares de Produção STSP GIS Gertran Integration Suite Guia de T ransferência de Arquivos Entidade x DATAPREV Versão 1.0 HTTPS G I S G ui a de T ra n sf er ên ci a d e Ar qu i vo s 1/ 8 ÍNDICE ANALÍT ICO 1. INTRODU ÇÃO......4

Leia mais

Câmara Municipal d.~rio Claro

Câmara Municipal d.~rio Claro Câmara Muncpal d.~ro Claro Estado d e 5ão Pau o ~ ORDEM DO DA N 45/2014 Sessão Ordnára - 24J11/2014 1-2 8 Dscussão da PROPOSTA DE EMENDA À LE ORGÂNCA N 04/2014 - PREFETO MUNCPAL - Altera o artgo 139 da

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE PERNAMBUCO DIRETORIA DE ENGENHARIA E ARQUITETURA

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE PERNAMBUCO DIRETORIA DE ENGENHARIA E ARQUITETURA ANEXO l TERMO DE REFERÊNCIA (Ofíco n. 077/2013-GDJAFS) PISO LAMINADO - CARPETE DE MADEIRA 1. DOOBJETO O presente Termo tem por objetvo a aqusção e nstalação de pso lamnado do tpo carpete de madera numa

Leia mais

! $&% '% "' ' '# ' %, #! - ' # ' ' * '. % % ' , '%'# /%, 0! .!1! 2 / " ') # ' + 7*' # +!!! ''+,!'#.8.!&&%, 1 92 '. # ' '!4'',!

! $&% '% ' ' '# ' %, #! - ' # ' ' * '. % % ' , '%'# /%, 0! .!1! 2 /  ') # ' + 7*' # +!!! ''+,!'#.8.!&&%, 1 92 '. # ' '!4'',! "#$%% $&% '% "' ' '# '"''%(&%') '*'+&%'# ),'#+# ' %, # - ' # ' "%'''' ' * '. % % ', '%'# ''''') /%, 0.1 2 / " ') 33*&,% *"'",% '4'5&%64'' # ' + 7*' # + "*''''' 12''&% '''&")#'35 ''+,'#.8.&&%, 1 92 '. #

Leia mais

Exmo. Sr. Des. Anto nio Lo yo la Vi e i ra do Órgão Espe ci al do Tri bu nal de Jus ti ça do Esta - do do Pa ra ná.

Exmo. Sr. Des. Anto nio Lo yo la Vi e i ra do Órgão Espe ci al do Tri bu nal de Jus ti ça do Esta - do do Pa ra ná. Advo ga dos Exmo. Sr. Des. Anto nio Lo yo la Vi e i ra do Órgão Espe ci al do Tri bu nal de Jus ti ça do Esta - do do Pa ra ná. Man da do de Se gu ran ça 768.003-5 Jul ga men to: Órgão Espe ci al. Rel.:

Leia mais

FORMAÇÃO, TENDÊNCIAS RECENTES E PERSPECTIVAS DE DESENVOLVIMENTO DA SOCIOLOGIA EM PORTUGAL José Madureira Pinto

FORMAÇÃO, TENDÊNCIAS RECENTES E PERSPECTIVAS DE DESENVOLVIMENTO DA SOCIOLOGIA EM PORTUGAL José Madureira Pinto FORMAÇÃO, TENDÊNCIAS RECENTES E PERSPECTIVAS DE DESENVOLVIMENTO DA SOCIOLOGIA EM PORTUGAL José Madureira Pinto Primórdios Afir mar que a so ci o lo gia por tu gue sa só co me çou ver da de i ra men te

Leia mais

Oferta Significado 2011. Candidaturas POPH 3.2, 8.3.2 e 9.3.2 Formação para a Inovação e Gestão. Setembro 2011

Oferta Significado 2011. Candidaturas POPH 3.2, 8.3.2 e 9.3.2 Formação para a Inovação e Gestão. Setembro 2011 Oferta Significado 2011 Candidaturas POPH 3.2, 8.3.2 e 9.3.2 Formação para a Inovação e Gestão Setembro 2011 Data para submissão das Candidaturas: Até 10 de Outubro 2011 Financiamento Formação Geral Micro

Leia mais

Física. Setor B. Índice-controle de Estudo. Prof.: Aula 23 (pág. 86) AD TM TC. Aula 24 (pág. 87) AD TM TC. Aula 25 (pág.

Física. Setor B. Índice-controle de Estudo. Prof.: Aula 23 (pág. 86) AD TM TC. Aula 24 (pág. 87) AD TM TC. Aula 25 (pág. Físca Setor Prof.: Índce-controle de studo ula 23 (pág. 86) D TM TC ula 24 (pág. 87) D TM TC ula 25 (pág. 88) D TM TC ula 26 (pág. 89) D TM TC ula 27 (pág. 91) D TM TC ula 28 (pág. 91) D TM TC evsanglo

Leia mais

A PRIMEIRA LEI DA TERMODINÂMICA

A PRIMEIRA LEI DA TERMODINÂMICA CAPÍTULO 4 8 CAPÍTULO 4 A PRIMEIRA LEI DA TERMODINÂMICA Processos de controlo de volue SUMÁRIO No capítulo 3 dscutos as nteracções da energa entre u sstea e os seus arredores e o prncípo da conservação

Leia mais

Apostila de Estatística Curso de Matemática. Volume II 2008. Probabilidades, Distribuição Binomial, Distribuição Normal. Prof. Dr. Celso Eduardo Tuna

Apostila de Estatística Curso de Matemática. Volume II 2008. Probabilidades, Distribuição Binomial, Distribuição Normal. Prof. Dr. Celso Eduardo Tuna Apostla de Estatístca Curso de Matemátca Volume II 008 Probabldades, Dstrbução Bnomal, Dstrbução Normal. Prof. Dr. Celso Eduardo Tuna 1 Capítulo 8 - Probabldade 8.1 Conceto Intutvamente pode-se defnr probabldade

Leia mais

ABRI AS PORTAS A CRISTO (Hino ao Beato João Paulo II)

ABRI AS PORTAS A CRISTO (Hino ao Beato João Paulo II) Órg. 6 11 q = 60 me mf ortas a ris to! Não te mais, não te nhais do: 'scanca rai o vosso cora ção ao mor de Deus. RI POR RIO (Hino ao eato João Paulo II) ortas a ris to! Não te mais não te nhais me do;

Leia mais

Aplicando o método de mínimos quadrados ordinários, você encontrou o seguinte resultado: 1,2

Aplicando o método de mínimos quadrados ordinários, você encontrou o seguinte resultado: 1,2 Econometra - Lsta 3 - Regressão Lnear Múltpla Professores: Hedbert Lopes, Prscla Rbero e Sérgo Martns Montores: Gustavo Amarante e João Marcos Nusdeo QUESTÃO 1. Você trabalha na consultora Fazemos Qualquer

Leia mais

White Paper. Flexibilidade e economia na era IP

White Paper. Flexibilidade e economia na era IP White Paper Flexibilidade e economia na era IP Saiba como utilizar as tecnologias mais modernas de comunicação de voz pela internet para conseguir mais economia e rapidez em telefonia para sua empresa

Leia mais

Hoje não tem vitamina, o liquidificador quebrou!

Hoje não tem vitamina, o liquidificador quebrou! A U A UL LA Hoje não tem vtamna, o lqudfcador quebrou! Essa fo a notíca dramátca dada por Crstana no café da manhã, lgeramente amenzada pela promessa de uma breve solução. - Seu pa dsse que arruma à note!

Leia mais

Relatório dos locais de estágio conveniados para receber alunos da FMVA

Relatório dos locais de estágio conveniados para receber alunos da FMVA Relatório dos locais de estágio conveniados para receber alunos da FVA Razão Soc.: ARANDO BRAGA RODRGUES PRES NETO E OUTRO Nome Fant.: AGROPECUÁRA FAZENDA BRASL AGROPECUÁRA FAZENDA BRASL NOVA XAVANTNA

Leia mais

Eletricidade 3. Campo Elétrico 8. Energia Potencial Elétrica 10. Elementos de Um Circuito Elétrico 15. Elementos de Um Circuito Elétrico 20

Eletricidade 3. Campo Elétrico 8. Energia Potencial Elétrica 10. Elementos de Um Circuito Elétrico 15. Elementos de Um Circuito Elétrico 20 1 3º Undade Capítulo XI Eletrcdade 3 Capítulo XII Campo Elétrco 8 Capítulo XIII Energa Potencal Elétrca 10 Capítulo XIV Elementos de Um Crcuto Elétrco 15 Capítulo XV Elementos de Um Crcuto Elétrco 20 Questões

Leia mais

Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março. Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março

Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março. Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março Prova Escrita de Física e Química A Prova Escrita

Leia mais

As tabelas resumem as informações obtidas da amostra ou da população. Essas tabelas podem ser construídas sem ou com perda de informações.

As tabelas resumem as informações obtidas da amostra ou da população. Essas tabelas podem ser construídas sem ou com perda de informações. 1. TABELA DE DISTRIBUIÇÃO DE FREQÜÊNCIA As tabelas resumem as normações obtdas da amostra ou da população. Essas tabelas podem ser construídas sem ou com perda de normações. As tabelas sem perda de normação

Leia mais

Y Zr Nb Mo Tc Ru Rh Pd Ag Cd In Sn Sb Te I Xe

Y Zr Nb Mo Tc Ru Rh Pd Ag Cd In Sn Sb Te I Xe A H,0 Li 7,0 Na 2,0 9 K 9,0 7 Rb 85,5 55 Cs,0 87 Fr (22) 2 2A Be 9,0 2 Mg 2,0 20 Ca 0,0 8 Sr 88,0 56 Ba 7,0 88 Ra (226) Elementos de Transição B B 5B 6B 7B 8B B 2B 5 6 7 A A 5A 6A 7A 78,5 8,0 8,0 86,0

Leia mais