GESTÃO AMBIENTAL EMPRESARIAL EM PEQUENAS ORGANIZAÇÕES: A UTILIZAÇÃO DA FERRAMENTA PARA A OBTENÇÃO DE BENEFÍCIOS ECONÔMICOS E ESTRATÉGICOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GESTÃO AMBIENTAL EMPRESARIAL EM PEQUENAS ORGANIZAÇÕES: A UTILIZAÇÃO DA FERRAMENTA PARA A OBTENÇÃO DE BENEFÍCIOS ECONÔMICOS E ESTRATÉGICOS"

Transcrição

1 1 GESTÃO AMBIENTAL EMPRESARIAL EM PEQUENAS ORGANIZAÇÕES: A UTILIZAÇÃO DA FERRAMENTA PARA A OBTENÇÃO DE BENEFÍCIOS ECONÔMICOS E ESTRATÉGICOS Murilo Fortunato Dropa (UTFPR) Ivanir Luiz de Oliveira (UTFPR) João Luiz Kovaleski (UTFPR) Luiz Alberto Pilatti (UTFPR) RESUMO Embora seja comum nas organizações que as regulamentações e normas impostas pelo governo proporcionem uma maior preocupação com o Meio Ambiente por parte dos administradores, o fato é que a Gestão Ambiental Empresarial (GAE) se estabeleceu como conceito fundamental diante às diversas atividades organizacionais. O presente artigo possui como objetivo apresentar os benefícios econômicos e estratégicos que podem ser proporcionados a empresas de pequeno porte por meio de um processo eficaz de gestão ambiental. A metodologia utilizada para o desenvolvimento da pesquisa tem caráter descritivo por realizar uma revisão da literatura, buscando conceitos e informações sobre os benefícios gerados com a gestão ambiental empresarial em consultas a livros, periódicos, trabalhos acadêmicos e sites da Internet, buscando elucidar claramente o objetivo da discussão sobre o tema proposto. A pesquisa aponta as principais vantagens propiciados através da correta utilização da ferramenta da Gestão Ambiental em pequenas empresas, além de ressaltar a importancia da liderança empresarial frente a preocupação com o Desenvolvimento Sustentável. Palavras-chave: Gestão Ambiental Empresarial, Meio Ambiente, Benefícios econômicos e estratégicos 1. Introdução Na crescente e constante procura de diferenciais competitivos as organizações têm estabelecido sua preocupação pelo meio ambiente, através de ações de responsabilidade social e ambiental. Seja pela conscientização dos

2 2 próprios administradores ou devido a regulamentações e normas impostas pelo governo, o fato é que a Gestão Ambiental Empresarial (GAE) se estabeleceu como conceito em pauta frente às diversas atividades organizacionais. Atualmente as empresas são percebidas como agentes ou precursores sociais diante ao processo de desenvolvimento sustentável. (BARBIERI, 2006) Essa conscientização se estabelece como variável significativa no planejamento que a empresa realiza frente às suas principais atividades. Conforme salienta Moura (2002 p. 48) verifica-se que: [...] a proteção ambiental passou a ser uma necessidade das pessoas e clientes da empresa e que, para sobreviver, as organizações estão se estruturando para atender melhor este aspecto, criando áreas específicas para atuar interna e externamente em melhorias de desempenho ambiental. Diante do cenário organizacional moderno, as empresas, sejam de pequeno ou grande porte, tendem a atuar visando à preocupação com a proteção ao meio ambiente. Dessa forma, programas e sistemas de GAE se estabelecem de maneira necessária e significativa. Assim, este trabalho apresenta uma revisão bibliográfica como o objetivo de evidenciar os benefícios que podem ser obtidos com a realização de uma gestão ambiental empresarial. Além de apresentar os conceitos que envolvem a Gestão Ambiental Empresarial e todas as suas caracterizações, apresenta uma abordagem em um panorama geral da ferramenta em pequenas organizações e do papel fundamental que é necessário a liderança exercer frente ao planejamento para a execução dessas novas atividades de cunho sustentável. 2. Gestão Ambiental Empresarial Moura (2002) estabelece que a GAE caracteriza-se pela administração das atividades organizacionais e das práticas gerenciais de forma a utilizar de maneira racional os recursos naturais, sendo entendida como a aplicação de planejamento e controle na identificação, avaliação, redução e eliminação dos impactos ambientais. Segundo Júnior e Demajorovic (2006) existem diversas classificações para avaliar a gestão ambiental empregada pelas organizações, desde as reativas (reação pontual a um problema específico), até as proativas (busca de uma forma de organizar a GAE visando à redução de riscos, identificação de oportunidades e melhoria da

3 3 imagem organizacional). As empresas que adotam essas atitudes devem visar à utilização de práticas que garantam a preservação da biodiversidade, a redução do impacto das atividades humanas sobre os recursos naturais e a reciclagem ou reutilização de possíveis matérias-primas. A ciência e a tecnologia já propiciam medidas e atitudes que possibilitam a resolução de inúmeros problemas decorrentes dos impactos ambientais. Entretanto, questões relacionadas a aspectos de cunho social, econômicos e políticos ainda dificultam a utilização dessas soluções (BARBIERI, 2006). Assim, a GAE considera todas essas questões, onde o papel dos administradores se efetiva em estabelecer diretrizes e atividades administrativas e operacionais, tais como planejamento, direção, controle, alocação de recursos e outras realizadas com o objetivo de obter efeitos positivos sobre o meio ambiente, quer reduzindo ou eliminando os danos ou problemas causados pelas ações humanas, quer evitando que os mesmos surjam. (BARBIERI, 2006, p. 20) 2.1 A Gestão Ambiental Empresarial e seus respectivos benefícios econômicos e estratégicos A correta utilização da GAE transforma-se em uma ferramenta que proporciona benefícios para ambos os lados relacionados, ou seja, tanto no meio ambiente quanto nas organizações. Dessa maneira, empresas orientadas para o meio ambiente estabelecem essas ações como vantagem competitiva diante do cenário empresarial contemporâneo. Segundo Donaire (1999) a GAE proporciona benefícios de ordem econômica de duas maneiras. A primeira vantagem é a economia de custos, isso é, proporcionar diminuição das despesas reduzindo o consumo de água, energia e outros insumos; implantando a ideia de reciclagem, revenda e aproveitamento de resíduos, e, por fim, eliminando multas e penalidades por poluição. Assumpção (2006) salienta que incidentes ambientais geralmente são caros e um sistema de gerenciamento identifica os problemas, evitando assim perdas de materiais e custos. A segunda forma da organização se beneficiar economicamente é através do incremento de novas receitas. Nesse quesito os benefícios se estabelecem pela ampliação no mercado devido a inovação de produtos e menor concorrência, pela

4 4 elevação da procura por produtos que cooperam com a diminuição da degradação ao meio ambiente e pela criação de novas linhas de produtos a novos mercados (DONAIRE, 1999). Apesar dos benefícios econômicos, as empresas devem visar principalmente desenvolver a GAE sobre uma abordagem estratégica. Dessa forma, a amenização dos impactos ambientais é observada como situações estratégicas, envolvidas com a procura da empresa pela sua vantagem competitiva. Barbieri (1999) evidencia que além de prevenir possíveis ameaças de poluição, a organização pretende se beneficiar de oportunidades de mercado, neutralizando ameaças que ocorrem a partir de questões ambientais que existem ou poderão surgir no futuro. A abordagem estratégica da GAE beneficia a empresa em fatores relacionados ao ambiente interno e externo. Dessa forma, as influências desse benefício atingem a imagem da empresa, funcionários, linhas de produtos, processos, funcionários, fornecedores, parceiros, clientes, governo, etc. Relacionada ao ambiente externo a principal vantagem obtida é a melhoria da imagem institucional. Segundo Moura (2002) é importante que a empresa adquira uma imagem positiva junto às autoridades públicas, consequentemente alcançando maior publicidade junto à mídia. Assumpção (2006) complementa ao salientar que essa melhoria na imagem resulta em um melhor relacionamento junto aos clientes, fornececedores, vizinhos, fiscalização ambiental, comunidade, ONG s, grupos ambientalistas ativistas e demais detentores de interesses. Além desse fator, as organizações se beneficiam pelo acesso e conquista de novos mercados e melhoria na competitividade organizacional. Existem mercados que exigem novas condições para que somente empresas com determinados prérequisitos ambientais possam neles atuar. Moura (2002) afirma que por ser um fator de competitividade a preocupação ambiental facilita a expansão em novos mercados, cativando diferentes clientes. Em uma visão mais ultrapassada, o fato de investir em melhorias ambientais era visto como despesas inúteis, entretanto com as novas necessidades dos clientes, os mesmos têm aceitado pagar um valor maior aos produtos, desde que percebam um retorno como melhor qualidade de vida. Ainda relacionado ao fator mercado, a empresa que desenvolve novos produtos e que aplica as ferramentas e sistemas de GAE assegura a permanência desses

5 5 produtos no mercado por um tempo maior. Esse fator é ocasionado por não ocorrerem reações negativas dos consumidores, ou seja, um problema ambiental identificado posteriormente ao lançamento de um novo produto pode levar à necessidade de retirá-lo, prematuramente, do mercado, perdendo-se grandes investimentos no seu desenvolvimento, publicidade, etc (MOURA, 2002, p.51). Outro fator relacionado ao ambiente externo se reflete na facilidade de obtenção de financiamentos e da própria certificação ambiental. Barbieri (2006) comenta que para implantar instrumentos de gestão ambiental e, consequentes melhorias nos processos produtivos existem linhas de financiamentos especiais, a juros menores, ofertados por orgãos e bancos nacionais e internacionais dispostos a estimular as ações de proteção ambiental. Além disso, empresas com um estruturado desempenho ambiental, através da adoção de procedimentos e técnicas de gestão ambiental, estão bastante próximas de obter uma certificação ambiental, a qual assegura que ela cumpre as normas ambientais, como por exemplo, a ISO Em relação ao ambiente interno organizacional o primeiro benefício estabelecido é a melhoria no relacionamento com os funcionários, assim como o comprometimento dos mesmos e melhores relações de trabalho. Assumpção (2006) afirma que a imagem institucional da empresa como ambientalmente correta contribui para o orgulho e motivação dos funcionários, que se sentem associados a esse resultado positivo. Dessa maneira um corpo de colaboradores motivados e de qualidade pode representar inúmeros benefícios para a empresa. Ocorre também a melhoria do desempenho da empresa em relação a sua produtividade e a desempenho ambiental. Segundo Moura (2002, p.50), essa melhoria transparece pela aplicação de um processo estruturado de ações gerenciais e também por meio de uma sistematização do gerenciamento ambiental, integrando-o ao sistema de gestão normal e utilizando ferramentas de qualidade total. A redução dos riscos e responsabilidade ambientais engloba outro benefício de influência ao ambiente interno das organizações. Assumpção (2006, p.30) ressalta que: [...] no caso existir na unidade riscos de acidentes ambientais ainda não identificados ou não controlados, os elementos do projeto ambiental em desenvolvimento têm como objetivo fazer com que os profissionais

6 6 participantes do programa, sem maiores dificuldades, identifiquem esses riscos e determinem ações para controle e eliminação dos mesmos. Dessa forma, se a empresa investe nas ações preventivas a problemas ambientais, consequentemente ela reduz riscos e sua responsabilidade frente a esses problemas (Assumpção, 2006). E, por fim, a GAE contribui para evitar maiores desperdícios, que podem ser facilmente identificados no planejamento e elaboração do plano de ações, ao serem estabelecidas as metas e objetivos do programa. Nesse momento, esses desperdícios podem ser reduzidos ou até automaticamente eliminados. Diversas outras vantagens adquiridas pela utilização de atividades de GAE poderiam ser citadas e caracterizadas. Entre essas estão a facilidade na identificação de problemas e seus solucionamentos; acesso a capital de baixo custo, menores impostos e a seguros mais baratos; abertura a novos desafios, etc. O importante é ressaltar que, cada um desses benefícios, quando desenvolvidos de maneira eficiente podem se estabelecer como uma vantagem competitiva frente ao cenário organizacional. O quadro 1 resume os fatores de como a empresa pode se beneficiar, sejam nos aspectos econômicos ou estratégicos:

7 7 Economia de custos - Economia devido à redução de águas, energia e outros insumos. - Economia devido à reciclagem, venda e aproveitamento de resíduos e diminuição de efluentes. - Redução de multas ou penalidades por poluição. Benefícios Econômicos Incremento de receitas - Aumento da contribuição marginal de produtos verdes que podem ser vendidos a preços mais altos. - Aumento da participação no mercado devido à inovação de produtos e menos concorrência. - Linhas de novos produtos para novos mercados. - Aumento da demanda para produtos que contribuam para a diminuição da poluição. Benefícios estratégicos Ambiente externo Ambiente Interno - Melhoria da imagem institucional. - Renovação do portifolio de produtos. - Melhores relações com autoridades - Produtividade aumentada. públicas,comunidade, grupos ambientalistas - Maior comprometimento dos funcionários e melhores ativistas, fiscalização ambiental e outros detentores de interesses. - Acesso assegurado aos mercados externos. - Acesso assegurado a novos mercados externos e melhoria na competitividade empresarial. - Maior facilidade na obtenção de financiamentos e da certificação ambiental. - Maior permanência do produto ou serviço no mercado. relações de trabalho motivação. - Criatividade e abertura para novos desafios. - Maior facilidade para cumprir os padrões ambientais. - Melhoria na performance do desempenho ambiental da organização e atendimento à legislações. - Facilidade na identificação de causas de problemas e seus solucionamento. - Redução de desperdícios. - Maior facilidade na obtenção de financiamentos e da certificação ambiental. - Acesso a capital de baixo custo e a seguros mais baratos. Quadro 1 Benefícios econômicos e estratégicos organizacionais da Gestão Ambiental Empresarial Fonte Adaptado Donaire (1999, p.59) Cabe ressaltar que a empresa simplesmente ao atender a uma norma ou lei que o governo estabelece não resulta em uma vantagem estratégica, pois mesmo caracterizando-se como uma mudança nas atividades, as demais organizações também são obrigadas a aderir às mesmas regulamentações (JÚNIOR;DEMAJOROVIC, 2007). A partir desse contexto afirma-se que as empresas com ideias inovadoras são as primeiras a alcançar a evolução nas questões de gestão ambiental, sendo esse um fator preponderante na abordagem ambiental estratégica que trata as questões ambientais visando proporcionar à empresa a agregação de valores que a diferenciem das demais. Barbieri (2004, p.20) ainda contribui afirmando que esses valores auxiliam para dotar a organização de vantagens competitivas sustentáveis, já que a empresa se antecipa no atendimento de novas demandas por meio de ações legítimas e verdadeiras, criando um importante diferencial estratégico. Nesse contexto, as empresas que enxergarem o meio ambiente como oportunidade competitiva aumentará de maneira significativa a sua chance de sobrevivência no mercado.

8 8 3. A Gestão Ambiental nas pequenas empresas As pequenas empresas contabilizam parcela significativa e de relevante importância no cenário globalizado atual. Além disso, esse setor é bastante considerado por sua capacidade de geração de empregos e eficientes melhorias da cadeia produtiva. Dessa forma, é correto afirmar que a utilização de instrumentos de gestão ambiental por esses modelos de organizações contribui para o bem-estar do meio ambiente, e consequentemente, para o desenvolvimento sustentável da sociedade (BARONI, 1992). As iniciativas e conscientização dos administradores dessas pequenas e médias organizações são a principal fonte do desenvolvimento da GAE. Seja pela preocupação com os recursos naturais esgotáveis, ou pelo atendimento às legislações do governo, ou ainda pela intenção de minimizar os riscos de seus investimentos, os empreendedores de menor porte podem enxergar na implantação de instrumentos de gestão ambiental possibilidades de vantagens estratégicas e, também, a preservação do cenário ambiental. Segundo Assumpção (2006), para as organizações de menor porte existe a vantagem da maior possibilidade do sistema funcionar com sucesso. Isso é, se o novo sistema for implantado de maneira eficiente e com o planejamento adequado, os resultados podem surgir com maior rapidez e ampla qualidade. Isso se deve ao fato das pequenas e médias empresas, em geral, possuirem vantagens quanto à elaboração e implantação de um sistema ambiental, já que nelas tudo é mais rápido, pois as linhas de comunicação, geralmente, são mais curtas, e a estrutura organizacional menos complexa, em comparação com grandes organizações. (Assumpção, 2006, p.28) Outro fator de importância da questão da GAE em menores organizações é a possibilidade da geração de novas idéias e métodos criativos no cenário das ações ambientalmente sustentáveis. Conforme mencionado, a inovação se estabelece como fator primordial e de diferencial significativo nas ações de proteção ao meio ambiente. Existe, dessa forma, a grande possibilidade dessas diferentes ferramentas adquirirem melhorias de maneira a, futuramente, serem aplicadas em empresas de grande porte.

9 9 A GAE se estabelece pela abordagem da dimensão ambiental da empresa a partir do prisma do aumento da rentabilidade/ lucratividade que poderá ser obtido com a diminuição ou até mesmo a eliminação dos desperdícios de insumos e recursos, levando os micro e pequenos empresários a adotarem práticas ambientalmente mais adequadas e, ao mesmo tempo, proporcionando o reposicionamento dos seus negócios para um contexto de mercado mais moderno e competitivo (SEBRAE, 2008). O SEBRAE (2008) ainda ressalta que grandes parcelas dos pequenos empreendedores ainda acreditam no mito de que para atuar como uma empresa ambientalmente correta são necessários altos investimentos. Entretanto, contribuir para a proteção ao meio ambiente pode gerar a redução de alguns custos, e, consequentemente, um acréscimo na lucratividade. Dessa forma, faz-se relevante a idéia de tornar as micro e pequenas empresas mais competitivas, aumentar as possibilidades de ampliar a rentabilidade de seus negócios e contribuir para a redução dos eventuais impactos negativos que possam causar danos ao meio ambiente. Segundo Barbieri (2006), nas micro e pequenas empresas as atividades ambientais podem ser conduzidas em conjunto com outras questões empresariais, principalmente em áreas relacionadas, como saúde ocupacional ou segurança. Assim, em empresas desse porte não é necessária a criação de departamentos ou divisões dedicadas à gestão ambiental, economizando tempo com treinamentos e qualificações. Mais do que o tamanho das organizações, ainda segundo Barbieri (2006), é a natureza de suas atividades que deve ser considerada na implantação de algum instrumento de GAE. Empresas com atividades potencialmente geradoras de impactos ambientais, mesmos que sejam estes de pequeno porte, devem conduzir suas preocupações ambientais de forma a permear todas as atividades e funções desenvolvidas pela empresa. É importante ressaltar que nas pequenas empresas os problemas que afetam o Meio Ambiente são observados mais claramente, e dessa forma, solucionados de maneira mais rápida. Também é necessário ter a visão de que as ações de sustentabilidade nas pequenas empresas não se representam por altos

10 10 investimentos ou grandes tecnologias e equipamentos, mas sim por um reposicionamento e uma mudança no comportamento do pequeno empreendedor, que deve visar uma análise de seu processo produtivo, buscando assim medidas de prevenção à possíveis impactos ambientais. 4. Líderes Sustentáveis Em um cenário mais complexo, além dessas habilidades técnicas de planejamento e gestão, o momento atual no mundo dos negócios exige líderes que demonstrem interesse pelo gênero humano, sendo focado o desenvolvimento das pessoas e da sociedade. Através da preocupação com o meio amibiente surge o conceito de líderes sustentáveis, que possuem como base de perfil quatro componentes: 1. Ter foco no resultado economicamente viável, justo e que promova a perenidade do negócio; 2. Promover ações socialmente responsáveis com foco no crescimento das pessoas; 3. Promover ações culturamente aceitas, praticando e zelando pelos valores da empresa; 4. Atuar em todo o ambiente de forma ecologicamente adequada. (Fonte: Mussak,2009) Os mercados só irão incorporar a cultura de RSE por força da atuação desses líderes socialmente responsáveis. Essa liderança deve visar a ética e responsabilidade, a capacidade de conciliar resultados econômicos, sociais e ambientais, a coragem para influenciar atitudes e comportamentos, romper paradigmas e mudar modelos de negócio e ainda consciência para compreender o propósito moral e filosófico da mudança que se deve operar no modo das empresas fazerem negócios. (GAZETA MERCANTIL, 2007, p.2) O desafio maior é incorporar as habilidades técnicas à conscientização moral na figura da liderança. Apenas dessa maneira a GAE se apresentará como ferramenta de importância e com capacidade de estabelecer mudanças na perspectiva ambiental no cenário organizacional. 5. Metodologia

11 11 A presente pesquisa tem o intuito de buscar conceitos e informações sobre os benefícios que podem ser obtidos com a realização de uma gestão ambiental empresarial. Esta por sua vez, tem caráter qualitativo por realizar uma revisão teórica sobre o tema proposto, baseando-se em consulta a livros, periódicos, anais de congressos e trabalhos acadêmico, buscando bibliografia para elucidar e definir claramente o objetivo desta pesquisa. Para Gil (1999) a vantagem realização de uma pesquisa bibliográfica consiste na abordagem de uma vasta gama de fenômenos do que poderia ser pesquisada diretamente. Segundo Lakatos e Marconi (2001, p.183), a pesquisa bibliográfica: [...]abrange abrange toda a bibliografia já tornada pública em relação ao tema estudado, desde publicações avulsas, boletins, jornais, revistas, livros, pesquisas, monografias, teses, material cartográfico, etc., até meios de comunicação orais: rádios, gravações em fita magnética e audiovisual: filmes e televisão. Do ponto de vista de seu objetivo, esta é classificada como uma pesquisa descritiva e exploratória, que segundo Gil (2002) são normalmente realizadas por pesquisadores sociais que se preocupam com a aplicação prática dos conhecimentos. 6. Conclusão A Gestão Ambiental Empresarial representa uma contribuição significativa, por parte das empresas, para o Desenvolvimento Sustentável da sociedade. É possível identificar que quando utilizada de maneira eficiente, essa ferramenta resulta em benefícios não somente para o Meio Ambiente, como para as próprias organizações. Além disso, conforme ressaltado no decorrer da pesquisa, os benefícios se representam de ordem econômica e estratégica. É possível perceber o quanto é importante as práticas de Gestão Ambiental Empresarial estarem inseridas no contexto organizacional das micro e pequenas organizações, pois as mesmas representam uma parcela significativa no percentual de empresas existentes no país. Consequentemente, é importante que as lideranças desses tipos de organizações tenham ciência dessa grande parcela de responsabilidade que possuem diante do Desenvolvimento Sustentável da sociedade.

12 12 Finalmente, é possível concluir, que a conscientização das organizações contribui de forma direta para a diminuição dos impactos ambientais. Dessa forma, se todas as empresas, independente de seu porte, inserirem à sua práticas de gestão atitudes socialmente responsáveis, surgirá uma possibilidade elevada do atendimento das necessidades básicas do homem e do Meio Ambiente e consequentemente contribuindo para a minimização dos impactos negativos de uso inadequado desses recursos. Referências ASSUMPÇÃO, L.F.J. Sistemas de Gestão Ambiental: Manual prático para implementação de SGA e Certificação ISO Ed. Curitiba: Juruá, BARBIERI, J. C. Gestão Ambiental Empresarial: Conceitos, Modelos e Instrumentos. 1. ed. São Paulo: Saraiva, BARONI, M. Ambiguidades e deficiências do conceito de desenvolvimento sustentável. Revista de Administração de empresas. V.32. São Paulo: 1992 DEMAKOROVIC, J.; JUNIOR, A.C. Modelos e ferramentas de Gestão Ambiental: Desafios e perspectivas para as organizações. 1 ed. São Paulo: SENAC São Paulo, DONAIRE, D. Gestão Ambiental na Empresa. 2 ed. São Paulo: Atlas, GAZETA MERCANTIL: O DESAFIO DE FORMAR LÍDERES SUSTENTÁVEIS. Disponível em: < Acesso em: 15 mai.2009 GIL, A.C. Como elaborar Projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, LAKATOS, E. M. MARCONI, M. A. Fundamentos de Metodologia científica. 4. ed. São Paulo: Atlas, MOURA, L. A. A. Qualidade e Gestão Ambiental: Sugestão para implantação das normas ISSO nas empresas. 3. ed. São Paulo: Juarez de Oliveira, MUSSAK, E. Revista Você S/A - Líderes Sustentáveis. Edição Abril. São Paulo: Abril, 2009.

13 13 ÁREA TEMÁTICA Gestão: Socio-Ambiental

01/12/2012 MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL. Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO

01/12/2012 MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL. Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO TAREFAS ESTRUTURA PESSOAS AMBIENTE TECNOLOGIA ÊNFASE NAS TAREFAS Novos mercados e novos conhecimentos ÊNFASE

Leia mais

CAVACO S. www.cavacos.com RESPEITANDO A NATUREZA. Combustível de Biomassa

CAVACO S. www.cavacos.com RESPEITANDO A NATUREZA. Combustível de Biomassa CAVACO S Combustível de Biomassa RESPEITANDO A NATUREZA www.cavacos.com EM 2014 OS NOSSOS SONHOS SÃO AINDA MAIORES. APRESENTAMOS AOS NOSSOS CLIENTES E PARCEIROS UMA NOVA CAVACO S, MUITO MAIS MODERNA, COM

Leia mais

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Data da Criação: 09/11/2012 Dara de revisão: 18/12/2012 1 - Sumário - 1. A Instant Solutions... 3 1.1. Perfil da empresa... 3 1.2. Responsabilidade ambiental...

Leia mais

Sistema de Gestão Ambiental

Sistema de Gestão Ambiental Objetivos da Aula Sistema de Gestão Ambiental 1. Sistemas de gestão ambiental em pequenas empresas Universidade Federal do Espírito Santo UFES Centro Tecnológico Curso de Especialização em Gestão Ambiental

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Elaboração Luiz Guilherme D CQSMS 10 00 Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes Avaliação da Necessidade de Treinamento

Leia mais

A CONTABILIDADE COMO INSTRUMENTO DE AUXÍLIO NO CONTROLE DO MEIO AMBIENTE

A CONTABILIDADE COMO INSTRUMENTO DE AUXÍLIO NO CONTROLE DO MEIO AMBIENTE 546 A CONTABILIDADE COMO INSTRUMENTO DE AUXÍLIO NO CONTROLE DO MEIO AMBIENTE Irene Caires da Silva 1, Ana Carlina Toni Pereira 2, Carlile Serafim Pestana 2, Fernando Henrique Grigoletto dos Santos 2, Henrique

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL

A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL Introdução A partir da década de 90 as transformações ocorridas nos aspectos: econômico, político, social, cultural,

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA

UNIVERSIDADE PAULISTA UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Marketing Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Marketing. 1. Introdução Os Projetos

Leia mais

ISO 9001. As três primeiras seções fornecem informações gerais sobre a norma, enquanto as cinco últimas centram-se na sua implementação.

ISO 9001. As três primeiras seções fornecem informações gerais sobre a norma, enquanto as cinco últimas centram-se na sua implementação. ISO 9001 A ISO 9001 é um Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ) standard que exige que uma dada organização satisfaça as suas próprias exigências e as dos seus clientes e reguladores. Baseia-se numa metodologia

Leia mais

Responsabilidade Socioambiental e Sustentabilidade

Responsabilidade Socioambiental e Sustentabilidade Responsabilidade Socioambiental e Sustentabilidade - Uma Estratégia Empreendedora - Roberta Cardoso Abril/2008 Por que o mundo inteiro fala em Sustentabilidade? AQUECIMENTO GLOBAL Evidências: Aumento

Leia mais

Política de Sustentabilidade

Política de Sustentabilidade Política de Sustentabilidade Síntese O Compromisso ALIANSCE para a Sustentabilidade demonstra o nosso pacto com a ética nos negócios, o desenvolvimento das comunidades do entorno de nossos empreendimentos,

Leia mais

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL SGA ISO 14.001:2004 O que é ISO? A ISO - International Organization for Standardization é uma organização sediada em Genebra, na Suíça. Foi fundada em 1946; A sigla ISO foi

Leia mais

SOlUçõES PARA O CAPItAl HUMANO de SUA EMPRESA

SOlUçõES PARA O CAPItAl HUMANO de SUA EMPRESA SOlUçõES PARA O CAPItAl HUMANO de SUA EMPRESA fundada em 1986 É precursora na implementação de serviços especializados em mapeamentos de competências humanas. Empresa de pesquisa aplicada especializada

Leia mais

A Importância do CRM nas Grandes Organizações Brasileiras

A Importância do CRM nas Grandes Organizações Brasileiras A Importância do CRM nas Grandes Organizações Brasileiras Por Marcelo Bandeira Leite Santos 13/07/2009 Resumo: Este artigo tem como tema o Customer Relationship Management (CRM) e sua importância como

Leia mais

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE Modelo de Otimização de SAM Controle, otimize, cresça Em um mercado internacional em constante mudança, as empresas buscam oportunidades de ganhar vantagem competitiva

Leia mais

Processos Gerenciais

Processos Gerenciais UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Processos Gerenciais Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Processos Gerenciais. 1.

Leia mais

Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras

Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras 1. DECLARAÇÃO Nós, das empresas Eletrobras, comprometemo-nos a contribuir efetivamente para o desenvolvimento sustentável, das áreas onde atuamos e

Leia mais

Gestão da Inovação no Contexto Brasileiro. Hugo Tadeu e Hérica Righi 2014

Gestão da Inovação no Contexto Brasileiro. Hugo Tadeu e Hérica Righi 2014 Gestão da Inovação no Contexto Brasileiro Hugo Tadeu e Hérica Righi 2014 INTRODUÇÃO Sobre o Relatório O relatório anual é uma avaliação do Núcleo de Inovação e Empreendedorismo da FDC sobre as práticas

Leia mais

Desenvolve Minas. Modelo de Excelência da Gestão

Desenvolve Minas. Modelo de Excelência da Gestão Desenvolve Minas Modelo de Excelência da Gestão O que é o MEG? O Modelo de Excelência da Gestão (MEG) possibilita a avaliação do grau de maturidade da gestão, pontuando processos gerenciais e resultados

Leia mais

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras Setembro de 2010 Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras DECLARAÇÃO Nós, das empresas Eletrobras, comprometemo-nos a contribuir efetivamente

Leia mais

ISO 9001 Relatórios. A importância do risco em gestao da qualidade. Abordando a mudança. ISO Revisions. ISO Revisions

ISO 9001 Relatórios. A importância do risco em gestao da qualidade. Abordando a mudança. ISO Revisions. ISO Revisions ISO 9001 Relatórios A importância do risco em gestao da qualidade Abordando a mudança BSI Group BSI/UK/532/SC/1114/en/BLD Contexto e resumo da revisão da ISO 9001:2015 Como uma Norma internacional, a ISO

Leia mais

Política de Gestão de Pessoas

Política de Gestão de Pessoas julho 2010 5 1. Política No Sistema Eletrobras, as pessoas são agentes e beneficiárias do fortalecimento organizacional, contribuindo para a competitividade, rentabilidade e sustentabilidade empresarial.

Leia mais

NORMA ISO 14004. Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio

NORMA ISO 14004. Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio Página 1 NORMA ISO 14004 Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio (votação 10/02/96. Rev.1) 0. INTRODUÇÃO 0.1 Resumo geral 0.2 Benefícios de se ter um Sistema

Leia mais

Micro-Química Produtos para Laboratórios Ltda.

Micro-Química Produtos para Laboratórios Ltda. Micro-Química Produtos para Laboratórios Ltda. Resumo Com a globalização e os avanços tecnológicos, as empresas estão operando num ambiente altamente competitivo e dinâmico. As organizações que quiserem

Leia mais

POLÍTICA DA QUALIDADE POLÍTICA AMBIENTAL POLÍTICA DE SEGURANÇA, SAÚDE E BEM ESTAR NO TRABALHO

POLÍTICA DA QUALIDADE POLÍTICA AMBIENTAL POLÍTICA DE SEGURANÇA, SAÚDE E BEM ESTAR NO TRABALHO POLÍTICA DA QUALIDADE POLÍTICA AMBIENTAL POLÍTICA DE SEGURANÇA, SAÚDE E BEM ESTAR NO TRABALHO Política da QUALIDADE A satisfação do cliente está na base das operações do Grupo Volvo. A Qualidade é um pré

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001. Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Curso: Ciências Biológicas - UFAM

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001. Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Curso: Ciências Biológicas - UFAM SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001 Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Conceitos Gerais A gestão ambiental abrange uma vasta gama de questões, inclusive aquelas com implicações estratégicas

Leia mais

4. Tendências em Gestão de Pessoas

4. Tendências em Gestão de Pessoas 4. Tendências em Gestão de Pessoas Em 2012, Gerenciar Talentos continuará sendo uma das prioridades da maioria das empresas. Mudanças nas estratégias, necessidades de novas competências, pressões nos custos

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO EMPRESARIAL: UMA ESTRATÉGIA NA INTEGRAÇÃO DAS AÇÕES DE SUSTENTABILIDADE

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO EMPRESARIAL: UMA ESTRATÉGIA NA INTEGRAÇÃO DAS AÇÕES DE SUSTENTABILIDADE Revista Ceciliana Jun 5(1): 1-6, 2013 ISSN 2175-7224 - 2013/2014 - Universidade Santa Cecília Disponível online em http://www.unisanta.br/revistaceciliana EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO EMPRESARIAL: UMA

Leia mais

Escolha os melhores caminhos para sua empresa

Escolha os melhores caminhos para sua empresa Escolha os melhores caminhos para sua empresa O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orienta na implantação e no desenvolvimento de seu negócio

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) Sustentabilidade

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) Sustentabilidade POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) Sustentabilidade POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) A CONCERT Technologies S.A. prioriza a segurança de seus Colaboradores, Fornecedores,

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

MARKETING AMBIENTAL: UMA FERRAMENTA EMPRESARIAL ESTRATÉGICA

MARKETING AMBIENTAL: UMA FERRAMENTA EMPRESARIAL ESTRATÉGICA 1 MARKETING AMBIENTAL: UMA FERRAMENTA EMPRESARIAL ESTRATÉGICA Felipe Rogério Pereira (UniSALESIANO Araçatuba/SP) HerculesFarnesi Cunha ( Docente das Faculdades Integradas de Três Lagoas- AEMS e UniSALESIANO

Leia mais

Estabelecimento da Diretriz Organizacional

Estabelecimento da Diretriz Organizacional Estabelecimento da Diretriz Organizacional AULA 3 Bibliografia: Administração Estratégica: Planejamento e Implantação da Estratégia SAMUEL C. CERTO & J. P. PETERTO ASSUNTO: Três importantes considerações

Leia mais

A POLÍTICA AMBIENTAL NAS EMPRESAS

A POLÍTICA AMBIENTAL NAS EMPRESAS SEMANA AMBIENTAL NA BRASIMET 2006 CIDADANIA E EDUCAÇÃO PARA UM PLANETA MELHOR A POLÍTICA AMBIENTAL NAS EMPRESAS A atual conjuntura econômica e os novos cenários sócio-ambientais nacionais e internacionais

Leia mais

O papel da empresa na relação com o meio natural

O papel da empresa na relação com o meio natural Gestão Ambiental O papel da empresa na relação com o meio natural Visão Tradicional Empresa Consumidor Compreensão Básica: - Relações econômicas determinadas pela Oferta/Procura -Visão do lucro como o

Leia mais

PROPOSTA DO SENAI PARA IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO AMBIENTAL NA INDÚSTRIA

PROPOSTA DO SENAI PARA IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO AMBIENTAL NA INDÚSTRIA PROPOSTA DO SENAI PARA IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO AMBIENTAL NA INDÚSTRIA Manuel Victor da Silva Baptista (1) Engenheiro Químico com pós-graduação em Engenharia Sanitária e Ambiental, SENAI-CETSAM,

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA

UNIVERSIDADE PAULISTA UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Recursos Humanos Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos 1.

Leia mais

Universidade de Brasília Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da Informação e Documentação Departamento de Ciência da

Universidade de Brasília Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da Informação e Documentação Departamento de Ciência da Universidade de Brasília Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da Informação e Documentação Departamento de Ciência da Informação e Documentação Disciplina: Planejamento e Gestão

Leia mais

Unidade II GESTÃO DO CONHECIMENTO. Profa. Leonor Cordeiro Brandão

Unidade II GESTÃO DO CONHECIMENTO. Profa. Leonor Cordeiro Brandão Unidade II GESTÃO DO CONHECIMENTO Profa. Leonor Cordeiro Brandão Relembrando Vimos alguns conceitos importantes: O que são dados; O que é informação; Quando uma informação se transforma em conhecimento;

Leia mais

Análise do Ambiente Interno

Análise do Ambiente Interno Análise do Ambiente Interno Professor: Claudemir Duca Vasconcelos Disciplina: Estratégia e Planejamento Corporativo Alunas: Gleice Costa e Cintia Belo 16 Abril 2015 Ambiente Interno de uma Organização

Leia mais

AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA. Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com.

AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA. Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com. AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com.br COM O SEBRAE, O SEU NEGÓCIO VAI! O Sebrae Goiás preparou diversas

Leia mais

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades;

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades; POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE OBJETIVO Esta Política tem como objetivos: - Apresentar as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente as inovações

Leia mais

DELOITE TOUCHE TOHMATSU Código PO-SIGA POLITICA CORPORATIVA Revisão 02

DELOITE TOUCHE TOHMATSU Código PO-SIGA POLITICA CORPORATIVA Revisão 02 Pagina 1/6 ÍNDICE 1. OBJETIVO...3 2. ABRANGÊNCIA / APLICAÇÃO...3 3. REFERÊNCIAS...3 4. DEFINIÇÕES...3 5. DIRETRIZES E RESPONSABILIDADES...4 5.1 POLITICAS...4 5.2 COMPROMISSOS...4 5.3 RESPONSABILIDADES...5

Leia mais

INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS. Conteúdo

INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS. Conteúdo Conteúdo O Instituto Ethos Organização sem fins lucrativos fundada em 1998 por um grupo de empresários, que tem a missão de mobilizar, sensibilizar e ajudar as empresas a gerir seus negócios de forma socialmente

Leia mais

18/06/2009. Quando cuidar do meio-ambiente é um bom negócio. Blog: www.tudibao.com.br E-mail: silvia@tudibao.com.br.

18/06/2009. Quando cuidar do meio-ambiente é um bom negócio. Blog: www.tudibao.com.br E-mail: silvia@tudibao.com.br. Marketing Ambiental Quando cuidar do meio-ambiente é um bom negócio. O que temos visto e ouvido falar das empresas ou associado a elas? Blog: www.tudibao.com.br E-mail: silvia@tudibao.com.br 2 3 Sílvia

Leia mais

Unidade IV PROCESSOS ORGANIZACIONAIS. Prof. Léo Noronha

Unidade IV PROCESSOS ORGANIZACIONAIS. Prof. Léo Noronha Unidade IV PROCESSOS ORGANIZACIONAIS Prof. Léo Noronha As normas podem ser separadas em dois grandes grupos Normas de produtos ou serviços; Normas de sistemas de gestão. Estas definem os processos administrativos

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL

RESPONSABILIDADE SOCIAL RESPONSABILIDADE SOCIAL Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Profa. Lillian Alvares TODO COMPORTAMENTO TEM SUAS RAZÕES. A ÉTICA É SIMPLESMENTE A RAZÃO MAIOR DAVID HUME DEFINIÇÕES

Leia mais

Código de Fornecimento Responsável

Código de Fornecimento Responsável Código de Fornecimento Responsável Breve descrição A ArcelorMittal requer de seus fornecedores o cumprimento de padrões mínimos relacionados a saúde e segurança, direitos humanos, ética e meio ambiente.

Leia mais

CURSO: GESTÃO AMBIENTAL

CURSO: GESTÃO AMBIENTAL CURSO: GESTÃO AMBIENTAL OBJETIVOS DO CURSO Objetivos Gerais O Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental tem por objetivo formar profissionais capazes de propor, planejar, gerenciar e executar ações

Leia mais

ECS -ASSESSORIA E CONSULTORIA TÉCNICA. ISO 14001:2015 Tendências da nova revisão

ECS -ASSESSORIA E CONSULTORIA TÉCNICA. ISO 14001:2015 Tendências da nova revisão ISO 14001:2015 Tendências da nova revisão A ISO 14001 EM SUA NOVA VERSÃO ESTÁ QUASE PRONTA Histórico ECS -ASSESSORIA E CONSULTORIA TÉCNICA As normas da série ISO 14000 foram emitidas pela primeira vez

Leia mais

Gestão Ambiental. Aula 5 Prof. Pablo Bosco

Gestão Ambiental. Aula 5 Prof. Pablo Bosco Gestão Ambiental Aula 5 Prof. Pablo Bosco Proposito da aula ISO 14001 2 ISO 14001 O que é a ISO 14001? A ISO 14001 é uma Norma pertencente a família das ISO 14000 que trata de Sistema de Gestão Ambiental

Leia mais

INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS

INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS Os Indicadores Ethos são uma ferramenta de gestão, de uso gratuito, que visa apoiar

Leia mais

Hospedagem Sustentável: Gestão Ambiental em meios de hospedagem para o município de São Roque. Darlyne de Aquino Silva

Hospedagem Sustentável: Gestão Ambiental em meios de hospedagem para o município de São Roque. Darlyne de Aquino Silva Hospedagem Sustentável: Gestão Ambiental em meios de hospedagem para o município de São Roque Darlyne de Aquino Silva Instituto Federal de Educação Ciência e tecnologia de São Paulo. São Roque, SP 2011

Leia mais

...estas abordagens contribuem para uma ação do nível operacional do design.

...estas abordagens contribuem para uma ação do nível operacional do design. Projetar, foi a tradução mais usada no Brasil para design, quando este se refere ao processo de design. Maldonado definiu que design é uma atividade de projeto que consiste em determinar as propriedades

Leia mais

Política de Responsabilidade So cio Ambiental

Política de Responsabilidade So cio Ambiental Política de Responsabilidade So cio Ambiental Sumário 1. FINALIDADE:... 4 2. ABRANGÊNCIA:... 4 3. DIVULAGAÇÃO... 4 4. IMPLEMENTAÇÃO... 4 5. SUSTENTABILIDADE EM NOSSAS ATIVIDADES... 4 6. REVISÃO DA POLÍTICA...

Leia mais

FLUXO DE CAIXA COMO FERRAMENTA DE GESTÃO FINANCEIRA PARA MICROEMPRESA

FLUXO DE CAIXA COMO FERRAMENTA DE GESTÃO FINANCEIRA PARA MICROEMPRESA FLUXO DE CAIXA COMO FERRAMENTA DE GESTÃO FINANCEIRA PARA MICROEMPRESA Laércio Dahmer 1 Vandersézar Casturino2 Resumo O atual mercado competitivo tem evidenciado as dificuldades financeiras da microempresa.

Leia mais

Conjunto de pessoas que formam a força de trabalho das empresas.

Conjunto de pessoas que formam a força de trabalho das empresas. 1. OBJETIVOS Estabelecer diretrizes que norteiem as ações das Empresas Eletrobras quanto à promoção do desenvolvimento sustentável, buscando equilibrar oportunidades de negócio com responsabilidade social,

Leia mais

CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO CAPÍTULO 30 FORTALECIMENTO DO PAPEL DO COMÉRCIO E DA INDÚSTRIA INTRODUÇÃO

CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO CAPÍTULO 30 FORTALECIMENTO DO PAPEL DO COMÉRCIO E DA INDÚSTRIA INTRODUÇÃO CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO CAPÍTULO 30 FORTALECIMENTO DO PAPEL DO COMÉRCIO E DA INDÚSTRIA INTRODUÇÃO 30.1. O comércio e a indústria, inclusive as empresas transnacionais,

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental Política de Responsabilidade Socioambiental SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 OBJETIVO... 3 3 DETALHAMENTO... 3 3.1 Definições... 3 3.2 Envolvimento de partes interessadas... 4 3.3 Conformidade com a Legislação

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL ABNT NBR ISO 14001

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL ABNT NBR ISO 14001 SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL ABNT NBR ISO 14001 Prof. Eduardo Lucena Cavalcante de Amorim INTRODUÇÃO A norma ISO 14001 faz parte de um conjunto mais amplo de normas intitulado ISO série 14000. Este grupo

Leia mais

Café com Responsabilidade. Sustentabilidade: a competência empresarial do futuro. Vitor Seravalli

Café com Responsabilidade. Sustentabilidade: a competência empresarial do futuro. Vitor Seravalli Café com Responsabilidade Sustentabilidade: a competência empresarial do futuro Vitor Seravalli Manaus, 11 de Abril de 2012 Desafios que o Mundo Enfrenta Hoje Crescimento Populacional Desafios que o Mundo

Leia mais

Quais estratégias de crédito e cobranças são necessárias para controlar e reduzir a inadimplência dos clientes, na Agroveterinária Santa Fé?

Quais estratégias de crédito e cobranças são necessárias para controlar e reduzir a inadimplência dos clientes, na Agroveterinária Santa Fé? 1 INTRODUÇÃO As empresas, inevitavelmente, podem passar por períodos repletos de riscos e oportunidades. Com a complexidade da economia, expansão e competitividade dos negócios, tem-se uma maior necessidade

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA GESTÃO DE CUSTOS NA ELABORAÇÃO DO PREÇO DE VENDA

A IMPORTÂNCIA DA GESTÃO DE CUSTOS NA ELABORAÇÃO DO PREÇO DE VENDA 553 A IMPORTÂNCIA DA GESTÃO DE CUSTOS NA ELABORAÇÃO DO PREÇO DE VENDA Irene Caires da Silva 1, Tamires Fernanda Costa de Jesus, Tiago Pinheiro 1 Docente da Universidade do Oeste Paulista UNOESTE. 2 Discente

Leia mais

TÍTULO: BENEFÍCIOS DO USO CONSCIENTE DA ENERGIA ELÉTRICA NO AMBIENTE EMPRESARIAL ASSOCIADO À EFICÁCIA ORGANIZACIONAL: ESTUDO DE CASO.

TÍTULO: BENEFÍCIOS DO USO CONSCIENTE DA ENERGIA ELÉTRICA NO AMBIENTE EMPRESARIAL ASSOCIADO À EFICÁCIA ORGANIZACIONAL: ESTUDO DE CASO. TÍTULO: BENEFÍCIOS DO USO CONSCIENTE DA ENERGIA ELÉTRICA NO AMBIENTE EMPRESARIAL ASSOCIADO À EFICÁCIA ORGANIZACIONAL: ESTUDO DE CASO. CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE 1) OBJETIVOS - Apresentar de forma transparente as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente

Leia mais

Planejamento de Recursos Humanos

Planejamento de Recursos Humanos UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Faculdade de Filosofia e Ciências Câmpus de Marília Departamento de Ciência da Informação Planejamento de Recursos Humanos Profa. Marta Valentim Marília 2014 As organizações

Leia mais

CAPITAL INTELECTUAL COMO VANTAGEM COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES EMPRESARIAIS

CAPITAL INTELECTUAL COMO VANTAGEM COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES EMPRESARIAIS CAPITAL INTELECTUAL COMO VANTAGEM COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES EMPRESARIAIS Cesar Aparecido Silva 1 Patrícia Santos Fonseca 1 Samira Gama Silva 2 RESUMO O presente artigo trata da importância do capital

Leia mais

Política de Responsabilidade Corporativa

Política de Responsabilidade Corporativa Política de Responsabilidade Corporativa Índice 1. Introdução...04 2. Área de aplicação...04 3. Compromissos e princípios de atuação...04 3.1. Excelência no serviço...05 3.2. Compromisso com os resultados...05

Leia mais

EVENTOS 2009 ENCONTRO INTERNACIONAL SOBRE SUSTENTABILIDADE NA CONSTRUÇÃO. Ruth Goldberg. 04 de junho de 2009

EVENTOS 2009 ENCONTRO INTERNACIONAL SOBRE SUSTENTABILIDADE NA CONSTRUÇÃO. Ruth Goldberg. 04 de junho de 2009 Responsabilidade Social Empresarial em Empresas Construtoras case Even Ruth Goldberg 04 de junho de 2009 Alinhando conceitos: SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL E C O N Ô

Leia mais

MBA Gestão Integrada de Resíduos Sólidos

MBA Gestão Integrada de Resíduos Sólidos ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO LASSU - LABORATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE MBA Gestão Integrada de Resíduos Sólidos Por que fazer um MBA LASSU USP? Grande parte do mercado e da sociedade ainda

Leia mais

MEIO AMBIENTE COMO UMA QUESTÃO DE NEGÓCIOS OBJETIVOS

MEIO AMBIENTE COMO UMA QUESTÃO DE NEGÓCIOS OBJETIVOS MEIO AMBIENTE COMO UMA QUESTÃO DE NEGÓCIOS OBJETIVOS Prover uma compreensão básica : do desenvolvimento da abordagem das empresas com relação às questões ambientais, dos benefícios provenientes de melhorias

Leia mais

PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO. Programa de Educação Ambiental Interno

PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO. Programa de Educação Ambiental Interno PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO Programa de Educação Ambiental Interno Condicionante 57 LO 417/2010 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO 04 2. IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA 05 3. REGULAMENTO APLICÁVEL 06 3.1. FEDERAL

Leia mais

Programa de Capacitação

Programa de Capacitação Programa de Capacitação 1. Introdução As transformações dos processos de trabalho e a rapidez com que surgem novos conhecimentos e informações têm exigido uma capacitação permanente e continuada para propiciar

Leia mais

ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções)

ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) 13. CONEX Pôster Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( X ) TRABALHO

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA POLÍTICA DA QUALIDADE POLÍTICA AMBIENTAL POLÍTICA DE SEGURANÇA, SAÚDE E BEM-ESTAR NO TRABALHO

POLÍTICA DE SEGURANÇA POLÍTICA DA QUALIDADE POLÍTICA AMBIENTAL POLÍTICA DE SEGURANÇA, SAÚDE E BEM-ESTAR NO TRABALHO POLÍTICA DE SEGURANÇA POLÍTICA DA QUALIDADE POLÍTICA AMBIENTAL POLÍTICA DE SEGURANÇA, SAÚDE E BEM-ESTAR NO TRABALHO Política de SEGURANÇA Política de SEGURANÇA A visão do Grupo Volvo é tornar-se líder

Leia mais

ANEC PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO UMA ABORDAGEM. Reflexões voltadas para a Gestão

ANEC PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO UMA ABORDAGEM. Reflexões voltadas para a Gestão ANEC PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO UMA ABORDAGEM Reflexões voltadas para a Gestão MUDANÇAS EDUCAÇÃO NO BRASIL 1996 Lei 9.934 LDB 1772 Reforma Pombalina 1549 Ensino Educação público no dos Brasil Jesuítas Lei

Leia mais

Capacitando Profissionais

Capacitando Profissionais Capacitando Profissionais 2014 Setup Treinamentos & Soluções em TI www.setuptreinamentos.com APRE SENTA ÇÃ O A atual realidade do mercado de trabalho, que cada dia intensifica a busca por mão-de-obra qualificada,

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL NAS EMPRESAS: SUSTENTABILIDADE COMO FOCO.

RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL NAS EMPRESAS: SUSTENTABILIDADE COMO FOCO. RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL NAS EMPRESAS: SUSTENTABILIDADE COMO FOCO. CARLA C. P. PUCHARELLI * ALINE C. SOUZA** RESUMO As mudanças ocorridas nas últimas décadas transformaram o modo de agir das empresas,

Leia mais

MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLÍTICA

MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLÍTICA MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLÍTICA VISÃO Ser a empresa líder e o fornecedor de referência do mercado nacional (na área da transmissão de potência e controlo de movimento) de sistemas de accionamento electromecânicos

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO Evolução de Pensamento Administrativo I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação; a evolução

Leia mais

Gestão Empresarial. Aula 5. A Estrutura Estratégica. Modelo de Gestão. Missão da Empresa. Prof. Elton Ivan Schneider.

Gestão Empresarial. Aula 5. A Estrutura Estratégica. Modelo de Gestão. Missão da Empresa. Prof. Elton Ivan Schneider. Gestão Empresarial Aula 5 Prof. Elton Ivan Schneider tutoriacomercioexterior@grupouninter.com.br A Estrutura Estratégica Comércio Exterior Fornecedores Macro Ambiente Organizacional Ambiente Organizacional

Leia mais

Código de Ética e Conduta

Código de Ética e Conduta Código de Ética e Conduta Introdução A Eucatex, através deste Código de Ética e Conduta, coloca à disposição de seus colaboradores, fornecedores e comunidade, um guia de orientação para tomada de decisões

Leia mais

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS QUALIDADE

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS QUALIDADE COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS QUALIDADE DESCRIÇÕES DOS NÍVEIS APRENDIZ SABER Aprende para adquirir conhecimento básico. É capaz de pôr este conhecimento em prática sob circunstâncias normais, buscando assistência

Leia mais

Informações sobre o Curso de Administração

Informações sobre o Curso de Administração Objetivo Geral do Curso: Informações sobre o Curso de Administração Prover a sociedade de profissional dotado de senso crítico e comportamento ético-profissional qualificado. Um Administrador criativo,

Leia mais

PRODUÇÃO INDUSTRIAL CRESCIMENTO ECONÔMICO

PRODUÇÃO INDUSTRIAL CRESCIMENTO ECONÔMICO UNIVERSIDADE DE CAIAS DO SUL PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO MESTRADO EM ADMINISTRAÇÃO Produção mais Limpa: O Caso do Arranjo Produtivo Local Metal-Mecânico Mecânico Automotivo da Serra Gaúcha Eliana Andréa

Leia mais

O ENSINO DA GEOGRAFIA NA INTERFACE DA PEDAGOGIA DE PROJETOS SOCIOAMBIENTAIS E DO MACROCAMPO INTEGRAÇÃO CURRICULAR.

O ENSINO DA GEOGRAFIA NA INTERFACE DA PEDAGOGIA DE PROJETOS SOCIOAMBIENTAIS E DO MACROCAMPO INTEGRAÇÃO CURRICULAR. O ENSINO DA GEOGRAFIA NA INTERFACE DA PEDAGOGIA DE PROJETOS SOCIOAMBIENTAIS E DO MACROCAMPO INTEGRAÇÃO CURRICULAR. Wedell Jackson de Caldas Monteiro E.E.M.I. Auzanir Lacerda wedellprofessor@gmail.com Nadia

Leia mais

AULA 5 SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL. Professor: ALAN Coordenador: Prof. LAÉRCIO

AULA 5 SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL. Professor: ALAN Coordenador: Prof. LAÉRCIO 1 Professor: ALAN Coordenador: Prof. LAÉRCIO 1 2 Reconheça o que está ao alcance dos seus olhos, e o que está oculto tornar-se-á claro para você. Jesus de Nazaré 2 3 1. Citar as principais contribuições

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS MISSÃO DO CURSO Formar profissionais de elevado nível de consciência crítica, competência técnica empreendedora, engajamento ético

Leia mais

Gestão Ambiental e Gerenciamento de Riscos

Gestão Ambiental e Gerenciamento de Riscos CONCURSO PETROBRAS TÉCNICO(A) AMBIENTAL JÚNIOR Gestão Ambiental e Gerenciamento de Riscos Questões Resolvidas QUESTÕES RETIRADAS DE PROVAS DA BANCA CESGRANRIO DRAFT Produzido por Exatas Concursos www.exatas.com.br

Leia mais

FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FEA USP ARTIGO

FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FEA USP ARTIGO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FEA USP ARTIGO COMO AS MUDANÇAS NAS ORGANIZAÇÕES ESTÃO IMPACTANDO A ÁREA DE RECURSOS HUMANOS Paola Moreno Giglioti Administração

Leia mais

EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016

EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016 EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016 901491 - EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação; a evolução da teoria organizacional

Leia mais

Apostamos em quem acredita, confiamos em quem arrisca, e somos muito apaixonados por quem empreende. Por isso, criamos o B.I. Empreendedores!

Apostamos em quem acredita, confiamos em quem arrisca, e somos muito apaixonados por quem empreende. Por isso, criamos o B.I. Empreendedores! Empreendedores Apostamos em quem acredita, confiamos em quem arrisca, e somos muito apaixonados por quem empreende. Por isso, criamos o B.I. Empreendedores! Por meio de um método de aprendizagem único,

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

Pesquisa sobre: Panorama da Gestão de Estoques

Pesquisa sobre: Panorama da Gestão de Estoques Pesquisa sobre: Panorama da Gestão de Estoques Uma boa gestão de estoques comprova sua importância independente do segmento em questão. Seja ele comércio, indústria ou serviços, o profissional que gerencia

Leia mais

CONTROLADORIA NO SUPORTE A GESTÃO EMPRESARIAL

CONTROLADORIA NO SUPORTE A GESTÃO EMPRESARIAL CONTROLADORIA NO SUPORTE A GESTÃO EMPRESARIAL Cristiane de Oliveira 1 Letícia Santos Lima 2 Resumo O objetivo desse estudo consiste em apresentar uma base conceitual em que se fundamenta a Controladoria.

Leia mais

Título: Pensando estrategicamente em inovação tecnológica de impacto social Categoria: Projeto Externo Temática: Segundo Setor

Título: Pensando estrategicamente em inovação tecnológica de impacto social Categoria: Projeto Externo Temática: Segundo Setor Título: Pensando estrategicamente em inovação tecnológica de impacto social Categoria: Projeto Externo Temática: Segundo Setor Resumo: A finalidade desse documento é apresentar o projeto de planejamento

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO Nome da disciplina Evolução do Pensamento Administrativo I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação;

Leia mais

EIXO DE APRENDIZAGEM: CERTIFICAÇÃO E AUDITORIA Mês de Realização

EIXO DE APRENDIZAGEM: CERTIFICAÇÃO E AUDITORIA Mês de Realização S QUE VOCÊ ENCONTRA NO INAED Como instituição que se posiciona em seu mercado de atuação na condição de provedora de soluções em gestão empresarial, o INAED disponibiliza para o mercado cursos abertos,

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing PROJETO PEDAGÓGICO Curso de Graduação Tecnológica em Marketing Porto alegre, 2011 1 1. Objetivos do Curso O projeto do curso, através de sua estrutura curricular, está organizado em módulos, com certificações

Leia mais

IDÉIAS SOBRE IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS EMPRESARIAIS INTEGRADOS. Prof. Eduardo H. S. Oliveira

IDÉIAS SOBRE IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS EMPRESARIAIS INTEGRADOS. Prof. Eduardo H. S. Oliveira IDÉIAS SOBRE IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS EMPRESARIAIS INTEGRADOS Introdução Nos últimos seis anos, tem ocorrido no Brasil uma verdadeira revolução na área de gestão empresarial. Praticamente, todas as grandes

Leia mais