Câmbio (R$) Dólar / BC Compra Paralelo 1,72 1,91 Comercial 1,786 1,788 Turismo 1,72 1,91 Euro / BC 2,2598 2,2607. Ouro (R$) Blue Chips %

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Câmbio (R$) Dólar / BC Compra Paralelo 1,72 1,91 Comercial 1,786 1,788 Turismo 1,72 1,91 Euro / BC 2,2598 2,2607. Ouro (R$) Blue Chips %"

Transcrição

1 Câmbio (R$) Dólar / BC Compra Venda Paralelo 1,72 1,91 Comercial 1,786 1,788 Turismo 1,72 1,91 Euro / BC 2,2598 2,2607 Ouro (R$) Grama 93,150 Variação + 0,05% Blue Chips % Ult. cotação BMF Bov. ON R$ 10,12 +0,09 Bradesco PN R$ 31,54 +1,05 Gerdau PN R$ 16,64 +1,46 Itaú Unib. PN R$ 35,73 +0,64 Petrobras PN R$ 23,61 +2,42 Sid Nac. PN R$ 16,42 +0,3 Vale PNA R$ 39,16 +0,53 Economia A Fundação Getúlio Vargas atualizará a partir de fevereiro os pesos dos itens dos Índices de Preço ao Consumidor (IPCs). A ponderação levará em conta o peso estimado a partir da Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) de do IBGE. PÁGINA 3 1ª FASE 1875 A RIO DE JANEIRO, TERÇA-FEIRA, 17 DE JANEIRO DE 2012 R$ 1,00 Alta em novembro (1,15%) ocorre após recuos em outubro (0,5%), setembro (0,06%) e agosto (0,54%) O Banco Central informou ontem que o índice de atividade da economia (IBC-Br) voltou a crescer em novembro, após três meses seguidos de retração. O índice dessazonalizado oscilou de 138,6 pontos em outubro para 142,19 pontos em novembro (1,15%). Nos três meses anteriores, houve retração de ÍNDICE DE ATIVIDADE 0,5% (outubro), queda de 0,06% (setembro) e baixa de 0,54% (agosto). Na avaliação da economista Zeina Latif, a retomada de alta do IBC-Br não aponta uma tendência clara de crescimento da economia. Segundo Zeina, a atividade estaria passando por uma acomodação. Quando o BC 2ª FASE ANO III EDIÇÃO Nº 519 divulgou o dado de outubro, houve uma revisão da série, inclusive aparentemente com uma mudança do padrão de ajuste sazonal. A série, nesse novo ajuste, está se mostrando mais volátil. O índice teve três quedas consecutivas, de intensidade forte, e agora alta, também forte, avaliou. PÁGINA 3 Sidney Hartung Universo do Direito Há aparente conflito de interesses que, embora em primeira análise, pudesse ser considerado insuperável, na verdade, o próprio interesse de todos para conciliar os direitos e deveres de produtores e ambientalistas pode superar a divergência. PÁGINA 7 Economia A OGX Petróleo e Gás Participações informou que foi identificada a presença de hidrocarbonetos nas seções albiana e aptiana do poço 1-OGX-63-SPS, no bloco BM-S-57, em águas rasas da Bacia de Santos. A empresa tem 100% de participação no bloco. PÁGINA 5 Mundo O governo italiano se prepara para declarar estado de emergência na região afetada pelo naufrágio do navio Costa Concordia. O anuncio foi feito ontem pelo ministro do Ambiente, Corrado Clini. A decisão oficial será anunciada até quinta-feira. PÁGINA 9 A Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) informou que as importações, em valor, aumentaram 40,4% em 2011, para US$ 427,7 milhões, ante US$ 304,5 milhões em Em número de pares de calçados, as compras externas cresceram 18,5%. Já as exportações caíram 12,8% em valor financeiro, de US$ 1,486 bilhão em 2010 para US$ 1,296 bilhão em 2011, com queda de 21% no número de pares. Os dados foram divulgados ontem pelo presidente da Abicalçados, Milton Cardoso, no primeiro dia da Couromoda Na avaliação de Cardoso, a indústria brasileira está sendo prejudicada por importações em condições desleais e pelo câmbio valorizado. Em função dos resultados do ano passado, a associação tem conversado regularmente com representantes do governo federal a respeito das importações fraudulentas. A expectativa do setor é que uma investigação do Ministério do Desenvolvimento, sobre a possível triangulação de importações para evitar tarifas impostas ao calçado chinês, deva ser encerrada até o fim do trimestre. PÁGINA 2 Após a alta verificada em novembro, as taxas de juros médias para operações de crédito para pessoa física e para empresas voltaram a cair em dezembro, segundo pesquisa divulgada ontem pela Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac). Para pessoa física, a taxa média caiu de 6,67% ao mês (117,02% ao ano) em novembro para 6,58% ao mês (114,84% ao ano) em dezembro. Para pessoa jurídica, passou de 3,99% ao mês (59,92% ao ano) para 3,87% ao mês (57,72% ao ano). PÁGINA 4 Cardoso: indústria é prejudicada por importações fraudulentas e câmbio valorizado Divulgação Elza Fiuza / ABr BANCO POSTAL - O vice-presidente de Negócios dos Correios, José Furian Filho (E), e o presidente de Varejo, Distribuição e Operações do Banco do Brasil, Dan Conrado, participaram ontem da inauguração de uma agência dos Correios no edifício-sede do BB em Brasília. Nas duas primeiras semanas da parceria foram abertas 75 mil contas no Banco Postal. PÁGINA 4

2 ECONOMIA 2 Terça-feira, 17 de janeiro de 2012 Associação diz que câmbio e negócios fraudulentes prejudicam indústria nacional Wladimir D Andrade As importações brasileiras de calçados, em valor, aumentaram 40,4% em 2011, para US$ 427,7 milhões, ante US$ 304,5 milhões em Em número de pares de calçados, as compras externas cresceram 18,5% no mesmo período. Já as exportações caíram 12,8% em valor financeiro, de US$ 1,486 bilhão em 2010 para US$ 1,296 bilhão em 2011, com a venda de 21% menos pares. Os números foram divulgados ontem pelo presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados), Milton Cardoso, no primeiro dia da Couromoda 2012, feira de calçados e assessórios, em São Paulo. Na avaliação de Cardoso, a indústria brasileira está sendo prejudicada por importações em condições desleais e pelo câmbio valorizado. Em função dos resultados do ano passado, segundo Cardoso, a associação tem conversado regularmente com representantes do governo federal a respeito das importações fraudulentas. A expectativa do setor é de que uma investigação do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) sobre a possível triangulação de importações para evitar tarifas impostas ao calçado chinês deva ser encerrada até o fim deste trimestre. O presidente da Abicalçados afirmou que a China declarou que exportou ao Brasil 38 milhões de pares de calçados em 2010, enquanto o Brasil declarou que importou da China 9 milhões de pares no mesmo ano. Três quartos dos sapatos que a China exportou em 2010 chegaram aqui como sendo feitos em outros países, afirmou Cardoso. Começamos a ver até mesmo dados muito exóticos, como calçados sendo fabricados em Hong Kong, que não tem nenhuma fábrica, acrescentou. As importações de calçados da China cresceram 10,7% em 2011, segundo a Abicalçados. Cardoso citou também a concorrência com a Indonésia, onde o custo da hora extra da mão de obra no setor, segundo cálculos da Abicalçados, seria de US$ 1,68, enquanto no Brasil seria de US$ 7,85 em 2011, a partir do câmbio médio do ano. Houve aumento 53% no número de pares importados pelo Brasil da Indonésia em 2011 em comparação com O Brasil levou 100 anos para montar uma indústria de calçados completa. Isso não pode ser destruído de uma hora para outra por concorrência desleal, afirmou Milton Cardoso. O presidente da Couromoda, Couromoda 2012 deverá reunir até quinta-feira 1 mil empresas de 13 estados Léo Barrilari Frame / AE Francisco Santos, fez coro no que diz respeito à China, afirmando que não permite estandes de marcas chinesas no evento. Eu fico aqui de quarto zagueiro. Não deixo grife chinesa entrar na Couromoda. Aceitamos todos os outros continentes, mas não a Ásia, disse ele. Argentina - Sobre novas imposições do governo argentino contra importações de produtos, o presidente da Abicalçados se disse surpreso com as medidas. Segundo ele, o acordo existente antes previa que as restrições deveriam beneficiar a indústria argentina, mas 75% dos calçados viriam do Brasil e 25%, de outros países. Mas ocorreu o contrário, quase 50% das importações argentinas do ano passado tiveram outras origens. De acordo com Cardoso, há 3 milhões de pares de sapatos brasileiros parados nos portos argentinos. Para que é que serve o Mercosul, se não conseguimos estabelecer livre trânsito de produtos, questionou. No varejo, de acordo com o presidente da Associação de Lojistas e Artefatos de Calçados (Ablac), Carlos Ajita, o faturamento cresceu 7% em valores financeiros em 2011 na comparação com o ano anterior e 5% em números de pares vendidos. Segundo Ajita, o crescimento das vendas em número de pares em 2012 deve ser de 5% por conta das eleições municipais, que, de acordo com ele, alavancam as vendas no varejo e por causa de feriados prolongados em 2012, que impulsionam diretamente o turismo e, consequentemente, as vendas. O diretor presidente da Vulcabras, Milton Cardoso, disse hoje que o objetivo da empresa ao comprar uma fábrica na Índia é conquistar o mercado do país asiático, mas admitiu a possibilidade de exportar para o Brasil calçados e componentes produzidos na unidade. O objetivo da Vulcabras é atuar no mercado indiano, embora possa haver exportação para o Brasil se isso for viável, afirmou após entrevista coletiva na Couromoda Localizada na cidade de Chennai, no sul da Índia, a fábrica foi adquirida pela Vulcabras em abril. Na coletiva de imprensa, Cardoso, que também ocupa a presidência da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados), citou que outras empresas do setor montaram fábricas fora do Brasil, em especial na América Central, para aproveitar acordos comerciais que alguns países da região têm com os Estados Unidos e entrar no mercado norte-americano com maior competitividade. Essas empresas tiveram que tomar esse caminho para manter seu viés exportador, explicou. Cardoso, no entanto, disse que cerca de 85% da produção brasileira de calçados é voltada ao mercado interno. Outro motivo que levou companhias a optarem pela produção no exterior foi o câmbio. De acordo com Cardoso, o real está entre 35% e 40% sobrevalorizado. Para a indústria calçadista, a taxa ideal seria de R$ 2,50, mas o dólar no patamar de R$ 2,15 satisfaria os empresários desde que a taxa fosse combinada com desonerações e o combate a importações desleais. Demissões - Após a entrevista coletiva, Cardoso disse que a Vulcabras não prevê demissões ou fechamento de fábricas em No mês passado, a empresa anunciou o fechamento de seis unidades na Bahia. No primeiro semestre de 2011, já havia desativado uma fábrica em Parobé (RS), com a demissão de 800 funcionários. Com o problema da invasão de importações tivemos que reduzir a capacidade de produção, afirmou. Fechamos as unidades menos rentáveis, acrescentou. O diretor presidente afirmou que o saldo de empregos criados pela Vulcabras na Bahia ainda é positivo. Começamos na Bahia com 9 mil empregados e chegamos a aumentar para 21 mil. Hoje, temos 14 mil, ainda 50% acima do número de quando começamos no estado. Jamil Chade Correspondente da Agência Estado em Genebra Em plena crise internacional, os turistas brasileiros dobraram seus gastos pelo mundo e, em 2011, ocuparam a segunda colocação entre os que mais expandiram seus gastos entre todas as nacionalidades. Dados da Organização Mundial do Turismo mostram que os brasileiros já estão próximos de entrar na lista das dez nacionalidades que mais gastam ao sair de viagem. Entre 2010 e 2011, os brasileiros aumentaram seus gastos no exterior em 32%, taxa superada apenas pelos chineses (38%). A taxa de expansão do dinheiro deixado pelo mundo pelos brasileiros é mais de seis vezes superior ao crescimento dos gastos de americanos e europeus. Em 2010, os turistas brasileiros gastaram US$ 16,4 bilhões. Em 2011, até outubro, o valor já havia sido um terço superior. Na avaliação de John Kester, economista da entidade, os gastos de brasileiros em 2011 deve ficar acima de US$ 21 bilhões. Em comparação com o ano de 2008, quando a crise mundial eclodiu, os gastos dobraram, em uma expansão similar a dos indianos. O Brasil ocupava até 2010 o vigésimo posto entre as nacionalidades que mais deixavam dinheiro ao viajar para o exterior. Em 2011, o País deve se aproximar dos dez maiores, disse Kester, ao informar que a nova classificação ficará pronta em abril. Valorização do real - Não por acaso, lojas pela Europa já colocam funcionários que falam português, estações de esqui abrem aulas dedicadas a brasileiros e operadoras organizam viagens de fim de semana para compras em cidades americanas. A valorização do real ajudou, mas não foi a único razão para o aumento. A alta do custo de vida no País e a maior renda também levaram turistas a optar por compras no exterior. A expansão dos gastos de brasileiros no exterior representa é superior à expansão dos gastos de estrangeiros no Brasil, que ficou em 15% no ano passado. A liderança em gastos de turistas é ainda da Alemanha, com US$ 78 bilhões. A segunda colocação é ocupada pelos turistas americanos, com US$ 76 bilhões. A China, em plena expansão, ocupa a terceira colocação, com US$ 55 bilhões, já superando o Reino Unido, França, Canadá, Japão, Itália e Rússia. Segundo a OMT, não foram apenas os gastos por pessoa que aumentaram. No geral, o número de turistas brasileiros aumentou em pelo menos 10%, contra a alta de 4% da média mundial. Em 2012, pela primeira vez, o número de turistas pelo planeta deve atingir a marca de 1 bilhão, ainda que a expansão seja menor do que se previa. O número de viajantes dobrou ao longo dos últimos 18 anos. Segundo a entidade, o turismo responde atualmente pelo equivalente a por 5% do PIB mundial. Na Europa, o crescimento do turismo foi de 6% em 2011, contra 10% na América do Sul e no Brasil. As turbulências políticas no Oriente Médio e no Norte da África afastaram os turistas de locais como Egito e Tunísia. No total, a região perdeu 7 milhões de visitantes em Na Europa, a expansão foi de 28 milhões de pessoas. O estudo aponta que a América do Sul recebeu 54 milhões de turistas, contra 100 milhões dos Estados Unidos. No entanto, a entidade aponta que serão justamente os turistas de países dos Brics que comandarão a expansão do setor nos próximos 20 anos, quando o mundo terá 1,8 bilhão de turistas. Os países emergentes não serão apenas emissores de turistas. Por ano, essas regiões verão um aumento de 30 milhões de pessoas, em média. Suzana Inhesta Unidades da Seara/Marfrig, da Cooperativa Central Oeste Catarinense (Aurora) e da Sul Valle Alimentos, todas localizadas no estado de Santa Catarina, foram as primeiras escolhidas pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento para a venda de carne suína in natura e termoprocessada para os Estados Unidos. As empresas confirmaram terem sido notificadas pelo Ministério. Da Seara/Marfrig, as unidades escolhidas foram as localizadas em Seara (SIF 490) e Itapiranga (SIF 3392); as da Aurora, em São Miguel do Oeste (SIF2183) e Chapecó (SIF 3548) e a da Sul Valle Alimentos, em São Miguel do Oeste (SIF 3237). De acordo com informações do mercado, a unidade de Herval D Oeste (SIF 140), da BRF Brasil Foods, também teria sido escolhida pelo Ministério Procurada, a BRF não confirmou a informação até o momento. De acordo com fontes, as empresas escolhidas são as indicações do Ministério para realizar os primeiros embarques. Até a semana que vem, elas deverão receber visitas de técnicos do pasta para verificar se cumprem as normas sanitárias exigidas pelo serviço de inspeção e segurança alimentar dos Estados Unidos (FSIS, na sigla em inglês), estipuladas na última visita dos técnicos norte-americanos no ano passado. Caso positivo, a lista será repassada às autoridades americanas, que deverão autorizar as indicações. Depois da confirmação dos EUA, o Ministério deverá divulgar a lista final. Os nomes das companhias e unidades de outros Estados, que poderão produzir matéria-prima para a produção de termoprocessados para a exportação aos Estados Unidos ainda são aguardadas pelo mercado. No caso da Aurora, o vicepresidente Neivor Canton, afirma que as unidades da empresa não necessitarão de uma nova inspeção, já que está dentro das normas e requisitos solicitados pelas autoridades brasileiras e norte-americanas. Procurado pela Agência Estado, o ministério não se pronunciou sobre o assunto até o fechamento dessa matéria. Publicação da empresa JGN Editora Ltda. Departamento Comercial e Administração Rua Debret, 23 Sobreloja 116 e 117 Centro - Rio de Janeiro CEP Diretora Geral Elizabeth Campos Roitman Comercial: PABX (21) Conselho Editorial: Des. José Geraldo da Fonseca Des. José Lisboa da Gama Malcher Mônica de Cavalcanti Gusmão Redação: (21) Projeto Gráfico:dtiriba design gráfico Impressão: Gráfica Monitor Mercantil Rua Marcílio Dias, 26 - Centro - RJ Editor- chefe: Jorge Chaves Subeditora: Rafaela Pereira Diagramação: Felipe Ribeiro Rodrigo Gurski Artigos & Colunas: Filiado à Preços de Assinatura Trimestral...R$ 60,00 Semestral...R$ 110,00 Anual...R$ 210,00 Serviço Noticioso Agências Brasil e Estado As matérias e artigos são de responsabilidade dos autores e não representam, necessariamente, a opinião deste jornal

3 Alta de 1,15% ocorre após tês meses seguidos de retração da atividade econômica Eduardo Cucolo A atividade econômica voltou a crescer em novembro no Brasil, após três meses seguidos de retração. Foi o que informou ontem o índice de atividade econômica do Banco Central (IBC-Br), que registrou em novembro expansão de 1,15% na comparação com outubro. O índice dessazonalizado oscilou de 138,6 pontos em outubro para 142,19 pontos em novembro. Nos três meses anteriores, houve retração de 0,5% (outubro), queda de 0,06% (setembro) e baixa de 0,54% (agosto), sempre na comparação com o mês imediatamente anterior. Os números observados - ou seja, sem o ajuste sazonal feito pelo BC - mostram crescimento de 0,79% em novembro em relação ao igual mês de O resultado é pouco superior ao verificado em outubro (0,69%), mas está abaixo do registrado em todos os outros meses do ano passado. Em agosto e setembro, por exemplo, a expansão havia sido ECONOMIATerça-feira, 17 de janeiro de de 3,04% e 1,27% nesta comparação, respectivamente. Nos 12 meses encerrados em novembro do ano passado, a economia brasileira acumulou um crescimento de 3,04%, de acordo com os dados da série ajustada. No acumulado de janeiro a novembro, o crescimento foi de 2,88%, com ajuste. Maria Regina Silva A retomada de alta do Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) em novembro não aponta uma tendência clara de crescimento da economia, na avaliação da economista Zeina Latif. Segundo ela, a atividade estaria passando por uma acomodação, mas não retomando o crescimento. Quando o BC divulgou o dado de outubro, houve uma revisão da série, inclusive aparentemente com uma mudança do padrão de ajuste sazonal. A série, nesse novo ajuste, está se mostrando mais volátil. O índice teve três quedas consecutivas, de intensidade forte, e agora alta, também forte, avaliou. Em novembro, o IBC-Br subiu 1,15% na comparação com outubro, na série com ajuste sazonal. Na comparação entre novembro de 2011 e o mesmo mês de 2010, o indicador registrou expansão de 1,23%. É claro que parte da volatilidade do dado de novembro está associada à reversão parcial das medidas macroprudenciais, o que influenciou positivamente a produção de veículos e as vendas no varejo. Se olharmos o número friamente, se passarmos um filtro nessa série para suavizar um pouco mais o resultado, trata-se de uma economia que está andando de lado, explicou. A economista ressalta que, da mesma forma não é possível afirmar que as quedas anteriores apontavam desaceleração expressiva da economia brasileira, o aumento do IBC-Br em novembro também é insuficiente para indicar retomada firme da atividade. É exagerado tomar o IBC-Br dos meses passados, que vieram negativos, como base e dizer que a economia estava contraindo. É forte demais afirmar que ela está se recuperando, indicando resultados robustos daqui para frente, avaliou. Zeina afirma que mantém sua previsão de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) abaixo de 3,00% em 2011, pois considera que a relação entre o PIB e o IBC-BR diminuiu. Segundo ela, o PIB deve registrar expansão entre 2,80% e 2,90% no período em análise. Quando olhamos o IBC-BR, percebemos que ele não está tão colado ao PIB. A mudança no ajuste sazonal do índice não indica uma mesma aderência ao PIB como se via. Acho possível que novas mudanças estão por vir. Se você pega a série dessazonalizada do IBC-Br e compara com o PIB, a correlação está menor. Portanto, mais uma razão para não tomar o IBC-Br como única medida tão acurada do PIB, afirmou. A economista disse que o processo de enfraquecimento da atividade ainda não se consolidou. Por isso, espera um primeiro trimestre de 2012 conservador no âmbito da atividade econômica Têm efeitos defasados que não se materializaram sobre a economia. O mercado de trabalho, mesmo com a taxa de desemprego em nível histórico de baixa, continua desacelerando. Além disso, a piora da confiança dos empresários sugere que ainda há dados da indústria que não são tão bons, o que tem impacto nas decisões de investimentos, disse. Para ela, os empresários deverão ficar em compasso de espera neste início de ano. Copom - Às vésperas da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), a economista disse que o processo de afrouxamento monetário vai continuar até que a taxa de juros caía ao nível de 9,5% ao ano. Isso porque considera que o enfraquecimento da atividade segue em curso, num contexto em que a crise internacional também permanece. Ela ressalta, porém, que se o BC perceber uma acomodação mais persistente da atividade que comprometa a convergência da inflação para o centro da meta, o ciclo de baixa dos juros poderá ser interrompido. Em princípio, proporcionalmente o aumento do salário mínimo pode ter impacto inflacionário menor do que se espera em virtude do mercado de trabalho, que está desacelerando. Se a economia não está aquecida, o efeito inflacionário, sem dúvida, é mais contido, finalizou. Alessandra Saraiva A Fundação Getúlio Vargas (FGV) atualizará a partir de fevereiro os pesos dos itens componentes dos Índices de Preço ao Consumidor (IPCs), como o Índice de Preços ao Consumidor-10 (IPC-10), Índice de Preços ao Consumidor-Mercado (IPC-M), Índice de Preços ao Consumidor-Disponibilidade Interna (IPC-DI) e IPC-S. A nova ponderação levará em conta o novo peso estimado a partir da Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) de do IBGE. Anteriormente, a FGV levava em conta os pesos da POF anterior, de A partir de fevereiro, nos IPCs, o número de classes de despesa sobe de sete para oito. O número de itens cai de 88 para 85; e o de subitens diminui de 558 para 338. A nova classe de despesa a ser incluída é de Comunicação. Segundo a FGV, a maior parte dos subitens excluídos pertencia ao grupo Alimentação. Isso, na prática, reflete maior diversificação do consumo na última década. Com isso, vários itens passaram a ter participação menor no orçamento familiar. Entre as mudanças detectadas via atualização de pesos, o grupo Alimentação passará a ter sua participação nas despesas familiares reduzida de 27,49% para 22,37%. Mas serviços relacionados a alimentos tiveram destaque entre as modificações: somente o peso de restaurante saltou de 2% para 6,05%. Haverá diminuição de 31,84% para 25,32% no peso do grupo Habitação. Esta diminuição está associada, principalmente, à criação do grupo Comunicação, que absorveu despesas de telefonia fixa e móvel. O peso do grupo Vestuário pouco se alterou, e passará de 5,40% para 5,89%. Já Saúde e Cuidados Pessoais aumentará de 10,36% para 11,43% sua participação nas despesas familiares. Transportes foi a classe de despesa que terá o maior aumento de peso entre os grupos, de 11,72% para 19,15%. Já o grupo Despesas Diversas terá sua participação diminuída de 4,44% para 2,67%. Por fim, o novo grupo Comunicação responderá por 5,8% do orçamento familiar e reúne todas as despesas com telefonia, TV por assinatura e internet. A principal novidade foi o surgimento dos pacotes de telefonia com internet. O detalhamento de novos pesos dos IPCs está disponível na página da FGV, na internet, em documento de 27 páginas. A perda de participação do grupo Alimentação dentro do cálculo dos IPCs pode ser explicada pela lei empírica que diz que, quanto mais a sociedade se desenvolve, diminui a proporção de despesas com alimentação. Isso porque, com maior renda, as famílias deslocam seus gastos para novos tipos de consumo. A FGV comentou ainda que, entre as Pesquisas de Orçamentos Familiares (POFs) de a do IBGE, houve acréscimo da renda do trabalho. Isso, na prática, estimulou perda de frequência no consumo de alimentos dentro de casa, entre os dois levantamentos, o que ajudou a derrubar o peso de Alimentação dentro dos IPCs. Educação - O brasileiro diminuiu seus gastos com educação e leitura na última década, o que levará à perda de peso do grupo Educação, Leitura e Recreação, de 8,74% para 7,37%, no cálculo dos indicadores da família dos IPCs. De acordo com a FGV, com a atualização de pesos, a participação do subgrupo educação, dentro de Educação, Leitura e Recreação, cairá de 5,7% para 3,8% a partir do mês que vem. No caso do subgrupo leitura, o peso diminuirá de 0,4% para 0,3%. Em contrapartida, o brasileiro tem usado mais de seu orçamento familiar em atividades recreativas. O subgrupo Recreação aumentará seu peso de 2,5% para 3,1%, dentro de Educação, Leitura e Recreação. A ascensão da classe C e a expansão do crédito na última década levaram às profundas mudanças nas despesas do orçamento familiar detectadas pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) na atualização de ponderação dos itens componentes da família dos Índices de Preços ao Consumidor (IPCs), que apuram a inflação no varejo. A atualização entrará em vigor a partir de fevereiro. Para economista da FGV André Braz, estes dois fatores explicam, por exemplo, a perda de força nos gastos com alimentos; e o aumento de interesse em comprar carros, apurados pela fundação. Embora tenha ressaltado que os IPCs abrangem famílias em diferentes classes sociais, com renda até 33 salários mínimos mensais, considerou que o consumidor de menor poder aquisitivo está incluído na abrangência do indicador - e pode ter ajudado a impulsionar as mudanças. Com o aumento de renda do trabalhador, na última década, o consumidor mais pobre desloca seus gastos para outros tipos de consumo, explicou. No caso do crédito, a maior disponibilidade de financiamentos ajudou a elevar o potencial de compras de carros do brasileiro. Agora, com o novo peso de veículos no cálculo da inflação do varejo, para cada 1% de aumento em veículos no varejo isso vai impactar positivamente em 0,06 ponto percentual os IPCs, afirmou. Braz minimizou o menor impacto dos gastos com educação no orçamento familiar na última década, também detectada na atualização de pesos dos IPCs. Ele lembrou que, no período, houve diminuição no número de filhos por família. Isso, na prática, ajudou a reduzir gastos familiares com educação. Semanal - Aumentos mais intensos nos preços de Educação, Leitura e Recreação (de 1,38% para 2,37%), Transportes (de 0,61% para 0,72%), Despesas Diversas (de 0,14% para 0,20%) e Habitação (de 0,25% para 0,28%) levaram à aceleração da alta do Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S), que saltou de 0,93% para 0,97% entre a primeira e a segunda quadrissemana de janeiro. Esta foi a maior taxa para o indicador desde a segunda semana de maio de 2011 (1,09%). Em cada uma destas classes de despesa, houve taxas de inflação mais intensas ou fim de deflação nos preços de cursos formais (de 2,07% para 3,8%), tarifa de ônibus urbano (de 0,53% para 1,19%), alimento para animais domésticos (de -0,24% para 0,76%) e tarifa de telefone fixo residencial (de 0,34% para 0,72%), respectivamente. Em contrapartida, houve desaceleração em Alimentação (de 1,92% para 1,76%), Vestuário (de 0,55% para 0,28%) e Saúde e Cuidados Pessoais (de 0,65% para 0,56%), da primeira para a segunda quadrissemana de janeiro. Célia Froufe Na semana em que o Comitê de Política Monetária (Copom) decidirá sobre o rumo da taxa básica de juros (Selic), hoje em 11%, o mercado financeiro reduziu as projeções para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de A mediana para o índice saiu de 5,31% para 5,3%. Esta é a sétima vez consecutiva que os economistas que enviam suas estimativas para o Banco Central (BC) reduzem as previsões para a inflação oficial do País. Há quatro semanas, a mediana estava em 5,39%. O documento do BC informa que a mediana das projeções para o IPCA de janeiro recuou de 0,59% para 0,57%. Há um mês, estava em 0,60%. Para fevereiro, a estimativa mediana recuou de 0,6% para 0,59%. Há quatro semanas, estava em 0,61%. Nas estimativas que constam do grupo de cinco instituições que mais acertam o resultado dos indicadores financeiro, o chamado Top 5, houve elevação para o IPCA de 2012 no médio prazo, passando de 5,24% para 5,38%. Com esse movimento, esses analistas voltaram para o patamar previsto há um mês. Para o IPCA de 2013, também do grupo Top 5 para o médio prazo, a projeção é de uma taxa de 5,00%. Há uma semana, estava em 4,84% e, há quatro, em 4,92%. Juros - Pela primeira vez, o BC dá destaque em seu relatório semanal Focus às estimativas do mercado para as variáveis de No caso da inflação, a mediana das projeções não sofreu variação, ficando em 5%. Há sete semanas, as previsões para esse indicador estão estacionadas nesse nível. No caso das previsões suavizadas para o mesmo indicador 12 meses à frente, as expectativas passaram de 5,38% para 5,32%. Há um mês, a mediana estava em 5,4%. As projeções do mercado financeiro para a Selic não sofreram alteração no relatório Focus. Para o fim de 2013, a mediana das estimativas ficou em 10,25% ao ano. Há quatro semanas, estava em 10,5% ao ano. Para o fim deste ano, a mediana também ficou estacionada na casa dos 9,5%, onde está há cinco semanas. Para o fim deste mês, a mediana das estimativas também permaneceu em 10,50% ao ano, o que indica que o mercado espera que o Copom reduza a taxa Selic em 0,50 ponto porcentual, na reunião que se encerra amanhã. Já a Selic média para 2013 permaneceu em 10,5% ao ano, conforme a Focus. A mediana está paralisada neste nível há nove semanas, de acordo com o documento. Para 2012, porém, houve uma elevação do indicador, que passou de 9,69% para 9,81% ao ano, patamar em que se encontrava também há quatro semanas. PIB - Os analistas do mercado financeiro reduziram suas estimativas para o crescimento do País neste ano. De acordo com o relatório, a mediana das projeções para o período passou de 3,3% para 3,27%. Há quatro semanas, estavam prevendo expansão de 3,4%. Para 2013, informação que passou a constar com destaque na divulgação da autoridade monetária a partir de ontem, a expectativa é a de que o Produto Interno Bruto (PIB) avance 4,2%, como já constava na semana passada. Há um mês, no entanto, a estimativa mediana era de um crescimento do Brasil de 4,4%. A projeção da relação dívida/pib também se manteve em 35,9% para 2013, conforme o documento. Há quatro semanas, estava em 35,95%. Para este ano, a mediana das estimativas passou de 37,4% para 37%. Há um mês, estava em 38%. Produção - O BC também informou, por meio do relatório Focus, que a produção industrial brasileira vai ter menos fôlego em 2012 do que o projetado há uma semana. Segundo relatório, a mediana das estimativas para o crescimento do setor caiu de 3,43% para 3,31% Há um mês, a mediana estava em 3,46%. Para 2013, o mercado espera que a produção industrial avance 4%. Esta estimativa vem sendo colhida pela autoridade monetária há seis semanas. A alta dos preços administrados, por sua vez, também será menor em 2012 do que o esperado na semana anterior. Esse conjunto de preços deverá registrar alta de 4,20%, ante estimativa de 4,50% colhida uma semana antes e que também já constava há um mês. Para 2013, o mercado não altera suas projeções para esse indicador há nada menos do que 101 semanas. Para os analistas, a taxa será de 4,50% no ano que vem. O dólar deve terminar o ano cotado a R$ 1,78, segundo o relatório Focus. Há uma semana, o prognóstico dos analistas era de que o câmbio encerrasse 2012 em R$ 1,77. Há um mês, a cotação estava em R$ 1,75 e é exatamente neste nível que os analistas acreditam que a moeda encerrará o próximo ano. Esta expectativa está há seis semanas em vigor. Já a taxa média de câmbio foi mantida pelo mercado financeiro para este e para o próximo ano. Para 2012, a variável mediana está em R$ 1,79 e, para 2013, em R$ 1,75. Há um mês, os analistas previam que o dólar médio ficasse em R$ 1,78 e R$ 1,73, respectivamente. Conta corrente - O déficit em conta corrente deverá ficar maior este ano do que o previsto há uma semana pelo mercado. A mediana das projeções para o indicador em 2012 passou de um saldo negativo de US$ 66,4 bilhões para US$ 66,45 bilhões. Mesmo assim, segue mais baixo que o previsto há um mês (déficit de US$ 68 bilhões). Para 2013, a expectativa de um déficit de US$ 70 bilhões prossegue há 21 semanas.

4 ECONOMIA 4 Terça-feira, 17 de janeiro de 2012 Taxa em dezembro atingiu 6,58% ao mês para pessoa física e 3,87% para empresas Wladimir D Andrade As taxas de juros médias para operações de crédito para pessoa física e para empresas voltaram a cair em dezembro na comparação ao mês anterior, após a alta verificada em novembro. A informação é da pesquisa feita pela Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac). Para pessoa física, a taxa média caiu de 6,67% ao mês (117,02% ao ano) em novembro para 6,58% ao mês (114,84% ao ano) em dezembro. Para pessoa jurídica, passou de 3,99% ao mês (59,92% ao ano) para 3,87% ao mês (57,72% ao ano), na mesma base de comparação. A taxa média para pessoa física é a menor da série histórica da Anefac, iniciada em Das seis linhas de crédito pesquisadas, apenas uma se manteve estável (cartão de crédito rotativo, em 10,69% ao mês ou 238,3% ao ano). O restante apresentou queda em dezembro. Entre elas, a maior queda foi verificada em empréstimos pessoal-financeiras (-0,22 ponto percentual), cuja taxa média passou de 8,88% ao mês em novembro para 8,66% em dezembro, a menor da série histórica. Também apresentaram recuo as taxas de empréstimo pessoalbancos, que passou de 4,39% para 4,21% no mesmo período - a menor da série histórica; juros do comércio, que saiu de 5,46% para 5,36% - a menor da série histórica; cheque especial, que caiu de 8,41% ao mês para 8,36% ao mês; e CDC-financiamento de automóveis, que apresentou redução de 2,2% ao mês em novembro para 2,18% ao mês em dezembro. No caso das operações de crédito envolvendo pessoa jurídica, a taxa média é a menor desde fevereiro de Todas as três linhas pesquisadas mostraram recuo em dezembro ante novembro. Em desconto de duplicatas, a taxa caiu de 3,14% ao mês para 2,96% ao mês de novembro para dezembro - a menor desde fevereiro de 2011; em capital de giro recuou de 2,67% para 2,52% ao mês - a menor da série histórica; e em conta garantida foi de 6,17% para 6,14% ao mês - a menor taxa desde outubro de ]Selic - A pesquisa da Anefac também relacionou os juros cobrados nas operações de crédito com a taxa Selic. No período de dezembro de 2010 ao mesmo mês de 2011, a Selic passou de 10,75% ao ano para 11% ao ano. No mesmo intervalo, a taxa de juros média para pessoa física caiu 5,13 pontos porcentuais, de 119,97% ao ano para 114,84% ao ano. No caso das pessoas jurídicas, a taxa média passou de 56,45% ao ano para 57,72% ao ano, alta de 1,27 ponto porcentual de dezembro de 2010 a dezembro de A Anefac prevê aumento do volume de crédito nos próximos meses por conta do crescimento econômico brasileiro. A nossa expectativa é de que as taxas de juros voltem a ser reduzidas nos próximos meses por conta das prováveis reduções da taxa básica de juros (Selic) conforme sinalizações do Banco Central, bem como de todas as medidas que o Banco Central e Ministério da Fazenda vêm promovendo para evitar uma desaceleração forte em nossa economia, afirma a entidade, em nota. Pesquisa da Fundação Procon- SP divulgada ontem mostra que itens de material escolar podem ser encontrados com diferença de preços de até 258,49% na cidade de São Paulo. Esse é o caso do apontador de lápis com depósito para lascas, que custa R$ 1,9 em uma loja do centro da cidade e R$ 0,53 na Zona Leste. A pesquisa, realizada em dois estabelecimentos comerciais de cada região da capital, constatou que a Zona Leste tem o maior número de itens com preços menores ou iguais ao preço médio desses produtos. As duas lojas da Zona Leste apresentaram 85% e 93% de parcela de produtos com preços iguais ou abaixo da média. Na Zona Norte, os resultados foram de 74% e 88%; na sul, de 31% e 55%; e no centro, de 26% e 70%. A Zona Oeste teve os piores índices, de 7% e 9% de produtos com preços iguais ou abaixo da média para os produtos. Também apresentaram grande variação os preços de caderno universitário de capa dura (127,76%), tesoura sem ponta (100%), cola bastão de 8 gramas (102,38%), lápis preto nº 2 (150%), caneta esferográfica de ponta fina (116,67%) e borracha látex (160,87%). Na comparação entre o menor e o maior preço encontrados nos 143 produtos pesquisados, 39 itens tiveram diferença abaixo de 50%; 84, entre 50% e 100%; e 20 apresentaram variação acima de 100%. Os preços dos produtos podem ter variações consideráveis de um estabelecimento para outro, inclusive por ocasião de descontos especiais e promoções. Por isso, o consumidor deve fazer uma pesquisa em vários estabelecimentos, negociar descontos e prazos para pagamento, recomenda a fundação. Em coleta realizada em janeiro do ano passado, o item que apresentou a maior variação de preços foi o lápis preto nº 2, com diferença de até 163,16% entre os estabelecimentos pesquisados. Ayr Aliski O Sindicato do Comércio Varejista de Material de Escritório, Escolar e Papelaria do Estado de São Paulo e Região (Simpa - SP) e o presidente da entidade, Antônio Martins Nogueira, devem parar imediatamente de realizar qualquer forma de recomendação de datas, valores e porcentuais de aumento dos preços de material escolar vendido ao consumidor. Ou seja, o governo proibiu o sindicato de recomendar aumentos de preços no setor. Fernanda Guimarães A CCR deve assumir em até dois meses a participação nos aeroportos internacionais do Equador, da Costa Rica e de Curaçao. Segundo o presidente da companhia, Renato Vale, o contrato será assinado em 15 dias e, depois disso, o negócio passará por todas as aprovações necessárias. A aquisição dos aeroportos foi aprovada ontem em Assembleia Geral Extraordinária (AGE). O valor definido para a aquisição desses ativos é de US$ 214,5 milhões no total. De acordo com o diretor financeiro e de Relações com Investidores da empresa, a companhia deverá fazer uma emissão de dívida para efetuar o pagamento. Nesse momento, os ativos do setor aeroportuário serão administrados pela diretoria de novos negócios e em um período de três a quatro meses serão transferidos para a área de gestão de novos negócios. Essa é uma evolução natural, disse Vale. O presidente da companhia afirmou que, com essa aquisição, que marcou a entrada da CCR no setor aeroportuário, a companhia irá começar a desenhar melhor o setor e analisar novas oportunidades Brasil - Com o leilão de três aeroportos já anunciados - em Campinas, Guarulhos e Brasília - a empresa estuda sua participação em consórcio formado com a operadora internacional Zurich. A decisão será tomada até o dia 22 deste mês. Para esses três leilões a CCR já possui um memorando de entendimentos com a Zurich. Caso ganhe alguma licitação, a empresa não planeja captação em Bolsa de Valores para os investimentos que serão necessários nos aeroportos. Para leilões no setor aeroportuário futuros, segundo o presidente da empresa, a CCR já poderá se encaixar como operadora internacional, devido às aquisições aprovadas ontem. O presidente da CCR confirmou que a empresa já entregou sua proposta para participar do leilão da BR-101. EcoRodovias - A concessionária EcoRodovias também entregou ontem proposta para participar do leilão da BR-101, marcado para amanhã. A licitação terá pelo menos seis participantes: além da EcoRodovias, estão na disputa a CCR, a OHL, a Triunfo, a Isolux em parceria com a Engevix, e o Grupo Invepar em parceria com a OPT (braço da Odebrecht). O prazo para a entrega da proposta se encerrou ontem às 17h. Caso alguma garantia apresentada não seja aceita, a recusa será anunciada hoje, a partir das 18h, no site da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). As propostas com as garantias aceitas serão abertas às 10h de amanhã, na sede da BM&FBovespa, em São Paulo. (Colaborou Silvana Mautone) A ordem foi dada ontem pela Secretaria de Direito Econômico (SDE) do Ministério da Justiça. A SDE também determinou que o Simpa - SP publique em cinco jornais de grande circulação uma nota para informar os afiliados sobre proibição de recomendar aumento nos valores dos produtos. A nota deverá ser publicada por dois dias seguidos. Além disso, os Procons de todo o país serão avisados por meio do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC) do Ministério da Justiça para que redobrem a atenção e o monitoramento de papelarias e lojas de revenda de materiais escolares. Na decisão, o Ministério da Justiça informa que levou em consideração notícias veiculadas pela imprensa em dezembro do ano passado. Segundo as reportagens, explica o MJ, o Simpa-SP recomendava aos varejistas o repasse da inflação no período para os preços dos produtos da lista de material escolar. O ministério destaca, ainda, que o Simpa-SP sugeria aos consumidores que antecipassem as compras de material escolar, para assim escapar da alta de 7% referente à inflação anual. A SDE, ao apurar o caso, descobriu que a mesma prática tinha sido promovida no ano anterior. O Ministério da Justiça alerta que combinação e alinhamento de preços é considerada uma prática anticoncorrencial prevista na lei 8884/94, a lei de Defesa da Concorrência. Se a medida preventiva seja descumprida, o sindicato estará sujeito ao pagamento de multa diária de R$ 10 mil. Ao final da investigação, o processo administrativo será enviado para o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). CONSUMIDOR O Índice de Confiança do Consumidor (ICC), divulgado ontem pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP), mostra que o otimismo do consumidor paulistano se manteve praticamente estável em janeiro, registrando alta de 0,1% em relação a dezembro. De acordo com a entidade, os bons níveis de emprego e renda fizeram com que o ICC atingisse neste mês 158,3 pontos - numa escala que vai de 0 a 200 pontos e indica otimismo quando acima dos 100. A Fecomercio-SP avalia, porém, que as perspectivas de desaceleração do crescimento do PIB neste semestre fará com que o índice recue. A confiança em relação ao futuro já antecipa esta tendência: o Índice de Expectativas do Consumidor (IEC) recuou para 162,6 pontos e registrou queda de 0,4% em relação a dezembro. Já a avaliação do momento presente, medida pelo Índice de Condições Econômicas Atuais (Icea), melhorou 0,9% e atingiu 151,9 pontos. Stênio Ribeiro O vice-presidente de Varejo, Distribuição e Operações do Banco do Brasil, Dan Conrado, disse ontem que foram abertas 75 mil contas no Banco Postal nas duas primeiras semanas de parceria entre o BB e os Correios 500 delas referentes a pessoas jurídicas. Durante inauguração de uma agência dos Correios no edifíciosede do BB, em Brasília, o dirigente ressaltou a importância da parceria que respondeu, no período, por 65% de todas as contas abertas na rede BB. Conrado estima que o banco ganhará aproximadamente 2,2 milhões de clientes este ano, com ênfase na atuação do Banco Postal, presente em 95% d municípios do país, e n pontos da rede Mais BB. Também presente à solen dade, o vice-presidente de N gócios dos Correios, José Furia Filho, lembrou que a aceitaçã de contas de empresas é um d ferencial nos serviços prestad pelo Banco Postal a partir d agora. No convênio anterior, co o Bradesco, só eram permitid contas de pessoas físicas. Até a última sexta-feira, Banco Postal divulgou a realiz ção de 3,5 milhões de transaçõ como saques, depósitos e rec bimento de contas de serviço além de pagamentos de 42 m benefícios do Instituto Nacion do Seguro Social (INSS). As op rações somaram R$ 600 milhõe Wellton Máximo O Banco do Brasil elevou em 50% o limite para que micro e pequenas empresas peguem empréstimos do Programa de Geração de Emprego e Renda Urbano (Proger Urbano). As linhas de crédito passaram a beneficiar clientes com faturamento bruto de R$ 7,5 milhões por ano. Anteriormente, esse teto era de R$ 5 milhões. Operadas com recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), as linhas do Proger Urb no financiam investimentos com reformas, mudanças de sistem e aquisição de máquinas, equip mentos e veículos utilitários. Os empréstimos têm jur equivalentes à taxa de juros d longo prazo (TJLP), atualmen em 6% ao ano, mais 5% ao an As empresas, no entanto, têm possibilidade de reduzir a tax para TJLP mais 2,5% ao ano, o crédito for vinculado ao Fund de Garantia de Operações (FGO e ao Fundo de Aval às Micro e P quenas Empresas (Fampe). Ayr Aliski O Brasil terminou o ano de 2011 com 242,231 milhões de acessos na telefonia móvel, informou ontem a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Houve, portanto, um total de 39,287 milhões de novas habilitações durante o ano passado, o que representou crescimento de 19,36% ante o total de 202,944 milhões de acessos registrados ao final de Somente no mês passado entraram no mercado 6,147 milhões novos acessos móveis. Em números absolutos, os mais de 39 milhões de novas habilitações no ano representaram um recorde, destaca a Anatel. Em 2010, por exemplo, foram habilitados 28,984 milhões de novos acessos móveis. Em 2009, foram 23,317 milhões de novas habilitações. Em 2008, 29,661 milhões de novos acessos entraram em operação. A teledensidade chegou a 123,87 acessos móveis para cada grupo de 100 habitantes ao final do ano passado, considerando a média de todo o País. No final de 2010, informa a Anatel, eram 104,68 acessos para cada cem habitantes. Houve, portanto, um crescimento de 18,33%. A Unidade da Federação com o maior adensamento de celulares em relação à população no final de 2011 foi o Distrito Federal, com 212,27 acessos móveis para cada 100 habitantes, ou seja, mais de dois celulares para cada brasiliense. Em São Paulo, a teledensidade C U R T A fechou o ano passado na marca d 142,55 acessos móveis para cad cem habitantes. O menor índic foi registrado no Maranhão, co teledensidade de 80,39 acess móveis para cada cem habitant ao final de Quanto à forma de pagamen preferida pelos brasileiros pa garantir o acesso ao serviço d telefonia móvel, o pré-pago ma teve a liderança. A Anatel inform que, em 2011, do total de acess em operação no país, 191,2 m lhões eram pré-pagos (81,81%) 44 milhões, pós-pagos (18,19% Em 2010, eram 167,1 milhões d acessos pré-pagos (82,34%) e 35 milhões de pós-pagos (17,66% Porcentualmente, portanto, os pó pagos conquistaram um pequen avanço de um ano para outro. A Anatel destaca ainda qu os terminais 3G, que permite acesso à banda larga móvel, s maram em 2011 mais de 41,1 m lhões de acessos. Isso represen um crescimento de 99,31% n ano, pois eram 20,6 milhões d acessos 3G no final de Na divisão de mercado, a Viv liderou o ranking, com 71,553 m lhões de acessos no final do an passado, ou seja, com uma partic pação de 29,54%. A Tim ficou e segundo lugar, com 64,083 milhõ de acessos e 26,46% de mercado. Claro ficou com a terceira posiçã com 60,379 milhões de acessos, o seja, 24,93% de participação. A O obteve o quarto lugar, com 45,48 milhões de acessos, ou 18,78% d mercado. CTBC e Sercomtel fic ram no fim do ranking. Itaú tem 1 milhão de cartões na América Latina, excluindo o Brasil O Itaú anunciou ontem que alcançou a marca de 1 milhão de cartões de crédito na América Latina, excluindo o Brasil. Desse total, 47% estão no Uruguai. O restante está distribuído entre a Argentina (24%), o Paraguai (18%), Chile (9%) e México (2%). Ainda de acordo com o comunicado, o Itaú fechou parceria com a empresa de telefonia Tigo, líder do setor no Paraguai, para oferece um plástico exclusivo aos clientes da operadora. No Uruguai, na Argentina e no México, a parceria existe com a Movistar.

5 Poço Fortaleza está localizado a 102 km da costa do estado do Rio de Janeiro A OGX Petróleo e Gás Participações, do megaempresário Eike Batista, informou ao mercado que foi identificada a presença de hidrocarbonetos nas seções albiana e aptiana do poço 1-OGX-63-SPS, no bloco BM-S- 57, em águas rasas da Bacia de Santos. A empresa detém 100% de participação no bloco. Essa descoberta é importante pela grande coluna e net pay (área com óleo de fato) identificados na seção albiana, assim como pela qualidade do reservatório aptiano e seu comportamento, afirmou, em nota, Paulo Mendonça, diretor geral e de Exploração da OGX. Foi encontrada uma coluna com hidrocarbonetos de cerca de metros em reservatórios albianos e net pay de aproximadamente 110 metros. O poço, que continua em andamento, já atingiu a seção aptiana do reservatório com hidrocarbonetos identificados através de forte presença de gás que resultou em um kick, que está sendo controlado, informou a empresa. O poço OGX-63, chamado Fortaleza, continua em andamento e está localizado no bloco BM-S- 57, a 102 km da costa do estado do Rio de Janeiro, em lâmina d água de aproximadamente 155 metros. A sonda Ocean Quest iniciou as atividades de perfuração no dia 8 de outubro de Shell - A Shell informou à Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) ECONOMIATerça-feira, 17 de janeiro de a existência de petróleo na área do bloco S-M-518, na Bacia de Santos. A petroleira está perfurando o poço 1SHEL26RJS desde 18 de dezembro do ano passado. A perfuração está sendo realizada em lâmina d água de metros. A informação enviada à agência regulatória é obrigatória sempre que uma companhia encontra indícios de hidrocarboneto, não significa viabilidade comercial e não indica quantidades possíveis de óleo recuperável ou reservas prováveis. Sabrina Valle Depois de sucessivos adiamentos, o setor de petróleo recebeu com expectativa, mas sem euforia, a declaração do ministro de Minas e Energia, Edson Lobão, de que a presidente Dilma Rousseff deve autorizar nas próximas semanas a realização da 11ª rodada de licitações para exploração de petróleo. O presidente do Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP), João Carlos De Luca, que representa as empresas, comemorou a sinalização do ministro. A notícia é extremamente positiva. A realização de uma nova rodada é um pleito da indústria há três anos, portanto, recebemos a declaração com grande expectativa, disse o presidente do IBP, João Carlos De Luca. O IBP mantém sua previsão, feita em dezembro, de que a rodada seja aprovada neste trimestre e realizada até o fim do semestre. A licitação evitaria que a área exploratória do País em concessão recuasse neste ano para seu menor nível histórico, 114 mil quilômetros quadrados, contra os atuais 338 mil quilômetros quadrados. A cada cerca de cinco anos, as empresas que não encontraram recursos precisam devolver as áreas à União. A última rodada foi realizada há quase quatro anos, e sem novas rodadas a área exploratória em concessão tem diminuído no País. A estimativa inicial da Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP) é que poderiam ser arrecadados no mínimo R$ 200 milhões com os bônus de assinatura a serem pagos pelas empresas pelos blocos. A realização da rodada seria possível tecnicamente, pois não envolverá áreas do pré-sal e será realizada pelo regime de concessão. Serão licitados 174 blocos (87 em mar, 87 em terra), divididos em 17 setores em nove bacias sedimentares: Barreirinhas, Ceará, Paranaíba, Espírito Santo, Foz do Amazonas, Pará- Maranhão, Potiguar, Recôncavo e Sergipe-Alagoas. A decisão do governo de realizar a rodada, no entanto, não é fácil politicamente, pois estados não produtores querem rever o regime de concessão dentro da discussão sobre o pré-sal. Áreas do pré-sal, pelo regime de partilha, dependem do fim da votação do novo marco regulatório do petróleo pelo Congresso. Uma votação da lei não é esperada antes das eleições regionais deste ano. A ANP ainda não recebeu Marina Guimarães Correspondente da Agência estado O governo da Argentina apresentou denúncia formal junto à Comissão Nacional de Defesa da Concorrência (CNDC), o organismo antitruste, contra cinco petrolíferas instaladas no país, entre elas Petrobras Energia, subsidiária da estatal brasileira. A denúncia para investigar se houve abuso de posição dominante, formação de cartel e monopólio nos preços do óleo diesel, segundo o ministro de Planejamento, Julio De Vido, envolve também as empresas Repsol - YPF, Shell, Esso e Oil Combustível. Há uma diferença entre os preços que as refinadoras vendem a granel e no atacado e queremos que essa distorção de preços seja nvestigada em profundidade pela Comissão Nacional de Defesa da Concorrência, no âmbito do Ministério de Economia, anunciou o ministro. Recebemos denúncia por parte do setor sobre a grande distorção de preços, afetando diretamente o transporte de passageiros e de cargas, justificou De autorização necessária do Conselho Nacional de Política Energética para realizar a licitação. Mesmo depois de autorizada, a rodada levaria mais de três meses para ser organizada e marcada. Depois do sinal verde, a agência lançará um pré-edital e abrirá o texto para audiência pública antes de fechar o edital definitivo, convocando as empresas para participar do leilão. A etapa de qualificação também prevê um prazo para as empresas apresentarem a documentação e outro para a agência averiguar a papelada. Segundo estudo do IBP, sem a assinatura de novos contratos neste ano, as áreas em concessão somariam 114,31 mil km2 em dezembro, menos da metade de hoje. A menor área foi registrada em 2004, com 130,25 mil km2 de blocos exploratórios. Vido, afirmando que a diferença de preços chega, em alguns casos, a 30%. Há uma desigualdade e o Estado conta com mecanismos para corrigir essa situação, ameaçou o ministro. A denúncia é uma ação que faz parte da decisão deste governo de combater os monopólios e os grupos de poder que distorcem as variáveis de mercados e as liberdades mais elementares, como foi o caso do direito à informação, como fizemos com Lei de Serviços de Comunicação Audiovisuais, comparou De Vido, referindo-se à Lei de Mídia, criticada pelos especialistas como uma forma de controle oficial da informação no país e de privilegiar empresários amigos do poder. No caso dos combustíveis, continuou o ministro, se trata de um serviço público e, como tal, deve ser universal e o Estado deve estar presente para garantir que todos tenham acesso a esse serviço. Queremos que o organismo antitruste descarte ou confirme se tem havido práticas de monopólio, formação de cartel ou abuso de posição dominante, afirmou De Vido. A União Europeia respondeu ontem à decisão da agência de classificação de risco Standard & Poor s de rebaixar os ratings de nove países da zona do euro, anunciada na sexta-feira. Segundo o porta-voz da UE, Olivier Bailly, a análise da S&P ignora iniciativas para impulsionar o crescimento e políticas de consolidação fiscal adotadas pelos membros do bloco. Nós acreditamos que alguns elementos estão faltando na análise deles. Quando se trata de estratégias de crescimento, não existe espaço de manobra para estímulos fiscais, mas nós acreditamos que uma estratégia de crescimento terá de depender principalmente de reformas estruturais, afirmou Bailly. O porta-voz também disse que a data da decisão da S&P é muito estranha, citando as políticas fiscais adotadas para combater a crise e os leilões de bônus bemsucedidos realizados por Espanha e Itália na semana passada. Nós acreditamos que a data desse anúncio é estranha, considerando os sinais dos mercados. Bailly acrescentou que a discussão dentro da UE para impedir a atribuição de notas pelas agências a países que estão sob programas internacionais Da BBC Brasil A agência de classificação de risco Standard and Poor s rebaixou nesta segunda-feira a nota do Fundo Europeu de Estabilização Financeira da zona do euro de AAA para AA plus. O fundo foi criado em 2010 para garantir a estabilidade de economias sob risco de insolvência e pode emitir de resgate está em andamento que deve ser concluída dentro de poucas semanas. Segundo o porta-voz, o objetivo geral é reduzir a dependência da UE das decisões das agências de rating. Nós queremos rebaixar a dependência das instituições financeiras da UE das agências de rating. O objetivo geral é não depender das análises das agências de ratings. Se nós já tivéssemos isso, teríamos uma reação diferente aos rebaixamentos na sexta-feira, comentou. BCE - O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario títulos no mercado financeiro. A redução da nota ocorre após a mesma agência rebaixar a nota da dívida de nove países europeus, inclusive a França, a segunda maior credora do fundo. O rebaixamento pode dificultar a tarefa do fundo de levantar capital no mercado financeiro, segundo o editor de economia da BBC, Robert Peston. Draghi, disse que a crise da dívida soberana de alguns países da zona do euro deteriorou desde outubro e que o Conselho Europeu de Risco Sistêmico (ESRB) está pedindo ações coordenadas e oportunas na área fiscal e o fortalecimento de firewalls de ajuda. Draghi falou na condição de chairman do ESRB, em discurso ao Comitê de Assuntos Econômicos e Monetários do Parlamento Europeu Primeiro, precisamos restaurar a confiança nos soberanos e assegurar que as firewalls da União Europeia estão operacionais e bem equipadas, com um mandato efetivo e flexível, disse Draghi. Ele pediu uma implementação rápida e completa dos compromissos assumidos pelos chefes de governo dos países da UE, especialmente aqueles que dizem respeito aos fundos de ajuda europeus, tanto temporários como permanentes. Somente se esse pacote amplo for implementado de maneira confiável, e comunicado claramente, os outros esforços poderão ter sucesso, acrescentou. Bancos - A União Europeia está criando uma equipe de especialistas de alto nível para atuar como consultores para a reforma do setor bancário da região. O presidente do Banco da Finlândia, Erkki Liikanen, vai liderar o grupo, segundo comunicado. A primeira reunião entre os especialistas está prevista para fevereiro. O mandato do grupo será determinar se, além das reformas regulatórias em andamento, reformas estruturais dos bancos da União Europeia reforçariam a estabilidade financeira e melhorariam a eficiência e a proteção ao consumidor e se é o caso de fazer alguma proposta relevante conforme o apropriado, de acordo com o comunicado. Claudia Violante, Alessandra Taraborelli e Márcio Rodrigues A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) voltou a fechar em alta ontem, incentivada pelo exercício de opções sobre ações terminado no início da tarde. Mas também não foi ontem que o mercado acionário doméstico recuperou os 60 mil pontos. Mesmo o ritmo tendo diminuído no período vespertino, por causa da do feriado nos Estados Unidos, as minguadas operações não tiveram fôlego para empurrar o índice de volta a esse mítico patamar. Petrobras e OGX se destacaram entre os ganhos neste início de semana. O Ibovespa terminou o dia com ganho de 1,37%, aos ,46 pontos. Na mínima do dia, registrou pontos (estável) e, na máxima, pontos (+1,41%). No mês e no ano, a Bolsa acumula elevação de 5,64%. O giro financeiro totalizou R$ 8,797 bilhões, dos quais R$ 4,457 bilhões referentes ao exercício de opções sobre ações. Abriu com força, teve o exercício e pronto. O pregão parou, resumiu um operador ao contar a dinâmica do mercado de ações nesse dia sem Nova York. Os mercados norte-americanos não abriram em razão do feriado em homenagem ao dia de Martin Luther King Jr. Esse movimento também ocorreu porque a referência da Bovespa na sessão foi a Europa, que fecha no começo da tarde. Vale destacar que as bolsas do velho continente subiram na maioria, praticamente ignorando o rebaixamento anunciado pela S&P nos ratings de vários países na sexta-feira, entre eles o da França. Ajudou as bolsas da região a fecharem em alta o leilão bem-sucedido de bônus pelo governo francês, pós rebaixamento. No Brasil, as ações de empresas do setor petrolífero estiveram entre os destaques de alta. OGX ON liderou o desempenho no Ibovespa, ao subir 5,36%. A empresa comunicou a presença de hidrocarbonetos no poço 1-OGX-63-SPS, no bloco BM- S-57, em águas rasas da Bacia de Santos. A companhia detém 100% de participação no bloco. Petrobras ON avançou 2,42%. Segundo um operador, muitos investidores podem ter trocado papéis pelos da estatal, que segue defasada. Vale ON subiu 0,53%. Câmbio - O dólar à vista no balcão registrou máxima de R$ 1,788 (-0,22%). Na BM&F, o dólar pronto encerrou em baixa, de 0,49%, a R$ 1,784. O giro total à vista registrado na clearing de câmbio até 16h36 era de US$ 2,383 bilhões (US$ 2,176 bilhões em D+2). No mercado futuro, às 16h39, o dólar fevereiro de 2012 recuava 0,11%, a R$ 1,793, com giro financeiro de US$ 7,177 bilhões, de um total de US$ 7,267 bilhões, com três vencimentos de dólar negociados, todos em baixa. Do lado externo, o euro segue perto das mínimas dos últimos 16 meses. Às 16h46, o euro caia a US$ 1,2664, ante US$ 1,2678 no fim da tarde de sexta-feira em Nova York. Juros - Ao término da negociação normal na BM&F, o DI janeiro de 2013 ( contratos) estava em 10,02%, de 10,01% no ajuste, enquanto o DI janeiro de 2014 ( contratos) indicava 10,50%, nivelado ao fechamento de sexta-feira. Entre os longos, o DI janeiro de 2017, com giro de contratos, cedia a 11,11%, de 11,16%, e o DI janeiro de 2021 (apenas 375 contratos) recuava para a mínima de 11,33%, ante 11,38% no ajuste. Altamiro Silva Júnior O banco mineiro BMG, focado em crédito com desconto em folha de pagamento - o crédito consignado -, prepara o lançamento de um Fundo de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC) para captar R$ 1 bilhão. A carteira está sob análise na Comissão de Valores Mobiliários (CVM). O FIDC deve ter recebíveis originados por operações de crédito consignado do banco mineiro com pensionistas e funcionários públicos. A Caixa Econômica Federal (CEF) é o administrador do fundo e o coordenador líder da oferta. O objetivo do BMG é captar os recursos vendendo as cotas do FIDC para fundos de pensão de funcionários públicos de Estados e municípios (entidades chamadas de RPPS) que são clientes da Caixa. Por isso, as cotas serão distribuídas nas agências do banco público. O valor mínimo de aplicação é de R$ 25 mil. De acordo com o prospecto da carteira, a distribuição das cotas começa em 14 de fevereiro. O encerramento da oferta está previsto para o dia 28 do mesmo mês. A agência de classificação de risco Standard & Poor s (S&P) deu a nota máxima AAA para o FIDC. Patrimônio - O FIDC deve ter patrimônio de R$ 1,281 bilhão. A razão é que, além do R$ 1 bilhão captado junto com os fundos de pensão, o BMG vai comprar R$ 281 milhões em cotas subordinadas (que servem como um colchão de liquidez para absorver eventuais perdas que o fundo registrar). A rentabilidade do fundo corresponderá à taxa de inflação (medida pelo índice IPCA) mais a taxa do título público NTN-B de vencimento em até três anos, acrescida de um spread de 1,5% ao ano, de acordo com o prospecto. Este é o segundo fundo de recebíveis que o BMG lança nos últimos meses para captar recursos. Em outubro, a CVM autorizou o banco a criar uma carteira de R$ 300 milhões. Além do BMG, outros bancos médios estão recorrendo a fundos de recebíveis para captar no mercado. BicBanco e Banco Volkswagen estão lançando carteiras, respectivamente, de R$ 1,5 bilhão e R$ 1 bilhão. Outros bancos, como Bonsucesso, Cruzeiro do Sul e BVA, também resolveram captar recursos lançando FIDCs.

6 PAÍS 6 Terça-feira, 17 de janeiro de 2012 Dilma Rousseff Conversa com a Presidenta Kátia Cilene de Albuquerque, 52 anos, dona de casa em Petrópolis (RJ) Quais são as ações do governo para que as nossas Presidenta Dilma O desmatamento ilegal da Amazônia, Kátia, que tinha chegado a 27,7 mil km², em 2004, vem caindo consistentemente, até ficar em 6,2 mil km² no último ano, uma queda de nada menos que 77,6%. Foi a menor área desmatada nos últimos 22 anos. Isto é justamente o resultado das várias ações que temos implementado desde o governo Lula, entre as quais destaco o Plano de Ação para a Prevenção e Controle do Desmatamento da Amazônia. Lançado em 2004, o plano promove o monitoramento, o controle e a fiscalização ambiental com ações integradas entre o Ibama, Polícia Federal, Forças Armadas e Força Nacional de Segurança Pública. Com a Operação Arco Verde, atuamos nos 43 municípios que respondiam por 55% de todo o desmatamento, promovendo regularização fundiária, ambiental, pactos pelo fim da derrubada de matas, educação ambiental, etc. Temos também estimulado quem faz o aproveitamento sustentável da floresta. Cito, como exemplo, o Bolsa Verde, concedido a beneficiários do Bolsa Família que moram em florestas nacionais, reservas extrativistas ou de desenvolvimento sustentável federais e assentamentos. Vamos continuar atuando com firmeza para impedir o desmatamento ilegal e para apoiar a regeneração das áreas já desmatadas e abandonadas. EMENDA 29 Sancionada lei que Um dos vetos descarta recursos adicionais em caso de revisão positiva do PIB Rafael Moraes Moura Com 15 vetos, a presidente Dilma Rousseff sancionou ontem a lei complementar que fixa os recursos mínimos a serem investidos anualmente por União, estados e municípios em saúde. Um dos vetos descarta recursos adicionais para a área em caso de revisão positiva do PIB, sob a justificativa de que a necessidade de constante alteração nos valores a serem destinados à saúde pela União pode gerar instabilidade na gestão fiscal e orçamentária. O texto diz que a União aplicará em saúde o correspondente ao valor empenhado no orçamento anterior, corrigido pela variação do PIB. O artigo vetado previa créditos adicionais em caso de revisão positiva do valor do PIB. O Produto Interno Bruto apurado a cada ano passa por revisões periódicas nos anos seguintes, justifica a presidente. Em caso de variação negativa, os recursos não poderão ser reduzidos. A lei determina que estados invistam, no mínimo, 12% da receita em serviços públicos de saúde; para municípios, o mínimo é de 15%. Em mensagem encaminhada ao presidente do Senado Federal, José Sarney (PMDB-AP), Dilma diz que, após ouvir os ministérios do Planejamento e da Fazenda, vetou parcialmente a lei por contrariedade ao interesse público e inconstitucionalidade. Também foi vetado o artigo que previa que taxas, tarifas ou multas arrecadadas por entidades da área não fossem considerados na conta dos recursos mínimos previstos em saúde. A presidente manteve, no entanto, a relação de despesas que não constituem serviços públicos de saúde, como o pagamento de aposentadorias e pensões, gastos com merenda escolar, ações de assistência social, saneamento básico e limpeza urbana - subterfúgios usados por governantes para maquiar as contas. São consideradas despesas desse gênero os gastos com aquisição de insumos hospitalares, remuneração de pessoal da área e obras de reforma da rede SUS. Os dispositivos referentes à aplicação da Contribuição Social para a Saúde (CSS) foram rejeitados, já que a própria proposta foi barrada pelo Senado Federal. Dilma vetou artigo que previa que a legislação fosse revista ainda neste ano. A própria Constituição prevê a reavaliação da lei a cada cinco anos, diz a justificativa. A presidente rejeitou a determinação de que os recursos de saúde fossem aplicados em conta específica, o que poderia facilitar a fiscalização. Críticas - A questão da saúde não é prioridade para o governo, nem para os parlamentares. A União está nadando em berço esplêndido com a arrecadação que tem, enquanto o cidadão pressiona na base, a prefeitura, que já investe 22% da receita anual na área, critica o presidente da Confederação Nacional de Municípios (CNM), Paulo Ziulkoski. O líder do PSDB na Câmara, deputado Duarte Nogueira (SP), quer que os vetos de Dilma sejam analisados com urgência. Os vetos desfiguram a regulamentação sob o ponto de vista do objetivo maior, que é prover mais recursos. Eles reduzem a possibilidade de um maior aporte de recursos do governo federal, critica Nogueira. Em nota, o Ministério da Saúde afirmou que a regulamentação evidencia o compromisso do governo da presidenta Dilma com o fortalecimento do SUS e de seus mecanismos de controle. De acordo com o ministério, o governo federal investiu R$ 78,9 bilhões na área em 2011, cifra que deve subir para R$ 86 bilhões neste ano. Bernardo Rodrigues dos Santos, 44 anos, comerciante em Riachão das Neves (BA) Presidenta Dilma Todos os municípios baianos recebem atenção e recursos do governo, assim como os municípios dos demais estados da Federação. Você pode verificar no site onde estão discriminados todos os repasses do governo federal. Em 2011, repassamos para o seu município R$ 22,7 milhões. O PAC já investiu R$ 3,1 bilhões em obras de saneamento em diversos municípios da Bahia, sendo que R$ 2,7 bilhões correspondem a repasses do governo federal. Na primeira fase do Minha Casa Minha Vida, foram contratadas 101,3 mil moradias na Bahia, das quais 23,4 mil já foram entregues, e investimos R$ 4,2 bilhões. Na segunda fase do programa, que está apenas no início, já foram contratadas 20,9 mil unidades habitacionais, entregues 4,5 mil e investidos R$ 883 milhões. O programa Bolsa Família beneficia atualmente 1,75 milhão de pessoas em praticamente todos os municípios baianos. O Luz para Todos já realizou ligações para 2,3 milhões de baianos da zona rural. Para ampliar o acesso à educação, são 9 novos campi universitários e 11 novas unidades da Rede de Escolas Técnicas, sobretudo em cidades do interior. O governo federal tem investido muito nos municípios da Bahia, o que é fundamental para a redução das desigualdades regionais e para elevar a qualidade de vida de todos os baianos. João Batista Ribeiro, 52 anos, empreiteiro em Divinópolis (MG) O - Presidenta Dilma João Batista, é muito importante que a população fique atenta aos serviços de saúde e denuncie sempre que houver problemas. Para facilitar a participação de todos, o Ministério da Saúde criou o serviço de ouvidoria do SUS, pelo número 136, que é gratuito e funciona em todo o País. O Ministério da Saúde realiza fiscalização periódica, para evitar fraudes, nas mais de 20 mil farmácias credenciadas em todo o País no programa Aqui Tem Farmácia Popular. Na sua cidade, por exemplo, das 41 farmácias privadas credenciadas no programa, cinco foram bloqueadas pelo Ministério da Saúde em 2011 por indícios de irregularidades. Até que as investigações sejam concluídas, procure uma das outras 36 farmácias conveniadas em Divinópolis. Você pode também recorrer a uma Unidade Básica de Saúde (UBS) do Sistema Único de Saúde (SUS). O programa Aqui Tem Farmácia Popular foi criado para ampliar os pontos de retirada de medicamentos para além das UBSs, que continuam ofertando medicamentos gratuitos à população. Para saber os endereços, ligue 136, ou consulte na internet Mesmo com o bloqueio de algumas farmácias, o número de beneficiados pelo programa quase dobrou em Divinópolis de janeiro a dezembro de 2011, passando de 4,9 mil para 8 mil. Caro leitor, você também pode fazer uma pergunta para a presidenta Dilma Rousseff. Basta enviá-la para o com nome completo, idade, ocupação e cidade de moradia. C U R T A Brasil envia ajuda humanitária para Quênia, Etiópia e Honduras O Brasil vai mandar ajuda humanitária para países africanos e centro-americanos. Quênia e Etiópia vão receber pouco mais de 18 mil toneladas de arroz doados pelo governo federal. Os grãos saíram de estoques da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e deixaram ontem o Brasil, pelo Porto de Rio Grande, no Rio Grande do Sul, rumo aos dois países. Também fori enviado cerca de 700 toneladas de milho para Honduras, pelo Porto de São Francisco do Sul, em Santa Catarina. Na semana passada, 31 toneladas de milho foram enviadas pelo mesmo porto para a Somália. FUNCAP Um projeto de lei aprovado no fim do ano passado, no Senado, pretende dar uma solução à falta de recursos para aos órgãos de defesa civil no Brasil. Ele quer que parte do dinheiro arrecadado pelas loterias seja usada no socorro às vítimas de desastres naturais. O substitutivo a projetos do Senado que tratam de casos específicos de liberação de recursos para desastres, aprovado pela Comissão de Assuntos Econômicos, prevê a criação do Fundo Nacional Especial para Calamidades Públicas (Funcap). O fundo terá a finalidade de socorrer os estados e municípios, além do Distrito Federal, atingidos por SÃO PAULO José Maria Tomazela Um novo grupo de luta pela terra estreou no estado de São Paulo com a invasão de três fazendas na região do Pontal do Paranapanema, extremo oeste do estado, no final de semana. O MST Independente, mais uma dissidência do Movimento dos Sem-Terra (MST), mobilizou cerca de 300 militantes para invadir as fazendas São Pedro e Almeida Prado, no município de Santo Antonio de Aracanguá, no sábado, e Nossa Senhora de Lurdes, em Junqueirópolis, no domingo. São nossas primeiras ocupações depois que nos desligamos do grupo do José Rainha, disse o líder Wesley Mauch, que já foi um dos seguidores do ex-líder do MST. Rainha está preso desde junho do ano passado, acusado de desviar verbas da reforma agrária. De acordo com Mauch, o novo grupo pretende tomar pelo menos mais duas fazendas esta semana para cobrar a retomada dos assentamentos na região. Uma das áreas invadidas, segundo ele, a fazenda São Pedro, foi desapropriada em 2002, ainda na gestão do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, mas não se tornou assentamento. A fazenda mudou de nome e continua sob a posse do fazendeiro. O foco inicial do grupo será a ocupação de fazendas já declaradas improdutivas ou devolutas. desastres de maneira, garantindo agilidade na liberação de recursos. Para o relator, senador Benedito de Lyra (PP-AL), o fundo servirá para diminuir a burocracia enfrentada pelas unidades da Federação na liberação de recursos para a defesa civil. Pelo texto, o Funcap será mantido com 2,5% da arrecadação da Caixa Econômica Federal com todas as loterias que administra. Os estados, municípios e o Distrito Federal também ajudarão a financiar o fundo, integralizando cotas a serem definidas individualmente. A União também participará do fundo investindo cinco vezes o que for destinado pela Caixa e três vezes o que for integralizado pelos entes federados. Se o projeto for aprovado, os municípios e estados atingidos pelos desastres poderão sacar a parte que depositaram no fundo e mais a parte proporcional depositada pela União e pela Caixa Econômica. Como não há obrigatoriedade de participação nem limite mínimo de valor de depósito pelas unidades da federação, o conselho diretor do Funcap poderá autorizar os estados e municípios que não tiverem cotas a receber o dinheiro integralizado pela Caixa e pela União no caso de calamidades públicas. Para o relator, esta é a forma de garantir que municípios pequenos e mais pobres possam ser socorridos pelo fundo mesmo não tendo condições de participarem com cotas. Essa regra tem a vantagem adicional de não alterar os percentuais de rateio dos atuais beneficiários legais e de não excluir nenhum município como beneficiário do fundo pelo fato de não ter integralizado cotas, disse Lyra em seu voto. O projeto foi aprovado em caráter terminativo na Comissão de Assuntos Econômicos, do Senado, e seguiu para a Câmara dos Deputados, onde também deverá tramitar em caráter terminativo nas comissões. Se sofrer alguma alteração, a matéria retornará ao Senado. DIREITOS HUMANOS O presidente do Conselho Distrital de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos, Michel Platini, confirmou ontem à Agência Brasil que até sextafeira será feita uma nova vistoria no Complexo de Detenção Provisória do Complexo Penitenciário da Papuda, onde foram observadas situações que levantam suspeitas sobre maustratos contra detentos. As denúncias foram feitas no sábado. Os depoimentos são chocantes. Porém, temos que esperar o resultado da perícia para a confirmação das agressões. Havia muito sangue na parede de uma cela do Bloco 2, mas enquanto vistoriamos um outro local dentro do complexo, a tal cela foi higienizada, o que causou um grande desconforto em todos nós, inclusive para o diretor da Papuda, que nos acompanhou durante toda a visita, disse Platini. Para a visita, Platini convidou representantes da Vigilância Sanitária, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), das câmaras Legislativa e Federal, da Defensoria Pública do Distrito Federal e da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Ele aguarda resposta dos convites. A ideia é que o grupo elabore um relatório conjunto que será encaminhado à Secretaria de Segurança do Distrito Federal e cobre providências. Há dois dias, a entidade esteve no presídio acompanhado pelo Conselho de Direitos Humanos, Defensoria Pública do Distrito Federal e pela promotora Adriana Holanda, representando o Ministério público, para apurar denúncias de violência e maus-tratos a presos. CONFERÊNCIA O governo brasileiro pretende aproveitar os debates da Conferência Rio+20 para destacar, como alternativa mundial, o desenvolvimento da economia verde por meio de incentivos à melhoria da qualidade de vida das populações, erradicando a pobreza e estimulando a sustentabilidade. Essa alternativa deve ser associada aos programas de transferência de renda, como os adotados no país, e aos números positivos da economia nacional. Uma das preocupações do governo brasileiro é incluir essa determinação no documento final, no qual estarão definidas as metas para o desenvolvimento sustentável nas próximas duas décadas e que serão adotadas por todos os participantes da Rio+20. A ideia é aprovar um documento como o definido pelas Nações Unidas, em 2000, quando foram estabelecidas as Metas do Milênio. No documento Metas do Milênio, da Organização das Nações Unidas (ONU), os objetivos se concentraram nos seguintes pilares: combate à fome e à pobreza, educação básica de qualidade para todos, igualdade entre sexos e valorização da mulher, redução da mortalidade infantil, melhoria da saúde das grávidas e combate à aids e à malária.

7 Sidney Hartung Universo do Direito Expectativa quanto ao novo Código Florestal I nicialmente, alerta-se para o fato de que, na coluna anterior, onde se lê taxa, leia-se caça. Feita esta ressalva, passa-se à abordagem da atual coluna. Com possibilidade de ser brevemente aprovado, o novo Código Florestal vem imbuído de harmonia e equilíbrio entre os defensores da preservação ambiental, ou seja, meio ambiente sadio e relevante, conservação de sua estrutura ambientalista, de um lado, e, de outro lado, o amparo à ordem econômica na produção agrícola principalmente, que, como todos sabem, é um dos mais relevantes processos de nosso desenvolvimento econômico. É verdade que o texto que foi elaborado e mereceu aprovação do Senado ainda tem duas etapas a percorrer. A primeira é seu retorno à Câmara, porque como foi alterado pelo Senado, suas mudanças poderão ou não ser aceitas pela Câmara. Em caso positivo, o texto será encaminhado para sanção ou veto parcial ou integral da Presidência da República e, na hipótese de rejeição, que para muitos é praticamente improvável, reiniciar-se-á em todas as suas etapas a tramitação legislativa do projeto. Apesar de tudo, há amplas possibilidades de aprovação do texto encaminhado pelo Senado Federal, sobre as quais faremos um singelo exame. Não se pode olvidar que a nova lei florestal dará um passo gigantesco para praticamente lançar e definir as bases da sustentabilidade, realidade que nos vai conduzir de forma racional e, portanto, sem exageros à biodiversidade como fator preponderante na manutenção da qualidade ambiental. Se assim ocorrer, vitorioso será o legislador ao atender aos anseios de ruralistas e ambientalistas. Contudo, uma lei do quilate do novo Código Florestal sempre será objeto de elogios e críticas, aprovação e combate de todos os segmentos que, de certa forma, são de relevância para a aplicabilidade do novo texto legal. E a magnitude da Lei Florestal é relevante e inafastável para compor as divergências que alimentam a polêmica entre ruralistas de um lado, e ambientalistas, do outro. Consideram os primeiros, aqueles que inclusive defendem a sobrevivência da agricultura em nosso território, que não pode haver obstáculos à produção agrícola, notadamente nas áreas consideradas como produtivas. Já os ambientalistas Não se pode olvidar que a nova lei florestal dará um passo gigantesco para lançar e definir as bases da sustentabilidade sustentam o fato de que o projeto, ao estabelecer a anistia, revela-se protetor do desmatamento e permite a derrubada incontrolável de árvores para a atividade agrícola. Como se falou aqui em anistia, entre as questões que apresentam desencontros nas áreas de preservação ambiental e produção agrícola, é um dos pontos que mais geram polêmicas, no que tange ao dispositivo que prevê a suspensão de multas ambientais para desmatamentos ocorridos anteriormente a julho de Neste aspecto, colhemos importante comentário contido no site meioambiente/entenda-o, onde bem se destaca que: (...) O senador Jorge Viana (PT-AC), relator da matéria no Senado, afirma que as multas serão convertidas em serviços ambientais, desde que os proprietários se cadastrem e participem do programa de regularização ambiental, que prevê a recomposição progressiva da vegetação desmatada. O texto prevê ainda que o Estado poderá recompensar financeiramente ações de preservação e regularização ambiental por meio de dedução de impostos ou créditos agrícolas. Sobre o tema, manifesta-se o ambientalista Márcio Astrini, responsável pela Campanha de Florestas do Greenpeace, no sentido de se considerar antipedagógica a anistia desmedida, que vai gerar como circunstância a impunidade do campo. Ainda se comenta que a suspensão de multas ambientais que foram aplicadas até o mês de julho de 2008, tem a aparência de anistia ao cometimento de crimes ambientais. Por outro lado, os ruralistas entendem que o texto legal vai acarretar segurança jurídica ao setor produtivo. Fácil se concluir que a mais acentuada divergência, embora na verdade não seja a única, é justamente a questão da anistia, sustentada pelos defensores do meio ambiente, pois o texto implicitamente perdoa desmatamentos em áreas destacadas e permite a possibilidade de compensação através de reservas federativas em áreas diversas das que se situam. Os produtores, por sua vez, consideram que, ao efetuar o cumprimento das exigências contidas no novo texto, sairá bem dispendioso para os pequenos produtores. Há, assim, aparente conflito de interesses que, embora em primeira análise, pudesse ser considerado insuperável, na verdade, o próprio interesse de todos para conciliar os direitos e deveres de produtores e ambientalistas podem superar a divergência. A polêmica realmente ocorre, mas, quem sabe, o tempo mesmo vai encaminhar a todos uma solução uniforme e que, mesmo que não seja a ideal, venha a diminuir acentuadamente as divergências atuais? Só o tempo dirá. Sidney Hartung Buarque é mestre em Direito Civil, professor de Direito Civil e Direito Ambiental, desembargador Presidente da 4ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, presidente do Conselho Consultivo da ESAJ Escola de Administração Judiciária do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro. JUSTIÇATerça-feira, 17 de janeiro de COAF Ivan Sartori se encontra com Eliana Calmon Justiça paulista é foco do desgaste entre desembargadora e alguns juízes Débora Zampier O presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP), Ivan Sartori, atribuiu ontem à imprensa parte da culpa pelos desentendimentos entre o Judiciário e a Corregedoria do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). A Justiça Paulista é o foco do desgaste entre a corregedora Eliana Calmon e alguns juízes, preocupados com uma suposta quebra de sigilo nas investigações promovidas no estado. Eu acho que há, em relação à corregedoria e o Judiciário, uma falta de entendimento. Entendimento esse que a imprensa parece que acaba fomentando um pouco, e acaba jogando um contra o outro, isso está aparecendo muito, disse Sartori, ao deixar reunião ocorrida na tarde de ontem com a ministra. Às vezes a pessoa está bem intencionada em fazer alguma coisa, investigar, e aí surge uma certa dissonância que a imprensa fomenta e isso se transforma em algo maior do que realmente é, completou. De acordo com o presidente da corte bandeirante, o motivo do encontro com Eliana Calmon foi para entregar o convite para a sua posse, marcada para o dia 6 de fevereiro. Ele admitiu, no entanto, que a reunião também tratou sobre a apuração da corregedoria sobre movimentação financeira atípica na magistratura paulista. O que eu quero é que fique tudo muito claro para que saibamos o que está acontecendo. Eu acho que por ora não temos nada contra o Tribunal de Justiça de São Paulo. Entretanto, vamos verificar, disse Sartori. Ele informou que hoje haverá uma reunião com representantes do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) para obter mais informações sobre o caso. Para o desembargador, o pagamento adiantado de verbas já devidas pelo tribunal não é considerado irregular. Ele também acredita que o apontamento de movimentações suspeitas de grande valor no estado se dilui no longo período apurado pelo Coaf (2000 a 2010) e também no tamanho do tribunal paulista, que é o maior do país. Não há nada que esconder de ambos os lados, e já me pus à disposição. Qualquer dificuldade que houver em São Paulo, estamos abertos. É um tribunal que se transformou em um tribunal transparente, e nós estamos dispostos a fornecer quaisquer informações. Amatra - A Associação dos Magistrados da Justiça do Trabalho da 1ª Região (Amatra 1) defendeu ontem a apuração minuciosa das denúncias de irregularidades em movimentações financeiras atípicas feitas em 2002 no âmbito do Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região. A Amatra 1 exige e apoia a apuração minuciosa de denúncias para que não pairem dúvidas sobre a conduta dos juízes do Trabalho da 1ª Região, diz nota assinada pela presidenta da associação, Áurea Sampaio. Segundo Áurea, a Amatra 1 está pronta a prestar esclarecimentos sobre pontos relacionados a seus associados. Um levamento do Coaf apresentado pelo CNJ ao STF apontou que, de 2000 a 2010, foram feitas, por funcionários do Judiciário e magistrados ou pessoas próximas, movimentação atípicas de R$ 855 milhões. A divulgação se deu em meio ao confronto entre Eliana Calmon e associações de magistrados. TRT do Rio pede esclarecimento ao CNJ Wilson Tosta FURADEIRA PM mata inocente e é absolvido Fábio Grellete O policial militar Leonardo Albarello, cabo do Batalhão de Operações Especiais (Bope), foi absolvido pela Justiça da acusação de ter matado um homem que segurava uma furadeira durante uma operação policial para prender traficantes de drogas no Andaraí, em 19 de maio de O policial, que atuava na corporação havia dez anos, confundiu a furadeira com uma arma e disparou um tiro de fuzil contra a vítima. O supervisor de supermercado Hélio Barreira Ribeiro, de 47 anos, que estava na varanda de casa fixando uma lona com o equipamento, teve o pulmão perfurado e chegou a ser hospitalizado, mas morreu. A Polícia Militar admitiu o engano e, à época, classificou o episódio como infeliz. A absolvição do cabo foi pedida pelo próprio Ministério Público e a sentença foi emitida pelo juiz Murilo Kieling Pereira, da 3ª Vara Criminal do Rio. Se quiserem, o advogado de Albarello e o próprio Ministério Público ainda podem recorrer da decisão. Segundo o juiz afirma em sua sentença, deve ser ressaltado que a distância, a influência dos raios solares e a presença de vasos do tipo xaxim pendurados no terraço (da casa da vítima) não permitiam que o acusado tivesse certeza na identificação do objeto que Hélio segurava. Segundo a família de Hélio, ele estava acompanhado pela mulher e, ao observar os primeiros policiais transitando pelo bairro para começar a operação policial, chegou a comentar com ela sobre o risco de ter a furadeira confundida com uma arma. Mas a mulher nem teve tempo para responder, pois segundos depois o marido foi baleado. O Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região (Rio de Janeiro) está pedindo ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ) esclarecimentos sobre a investigação em que foram detectadas 16 movimentações financeiras atípicas, que totalizaram R$ 282,9 milhões em 2002, feitas por pessoa próxima a juiz ou servidor da corte. O vice-presidente do TRT-RJ, desembargador Carlos Alberto Araujo Drummond, afirmou ontem que a instituição aguarda informações para tomar as providências que, dentro da lei, couberem - possivelmente, uma apuração a ser conduzida por sua Corregedoria. Ressaltou, porém, que o tribunal desconhece o assunto. Desconhecemos completamente o assunto. Sequer sabemos do que se trata. Fica difícil falar sobre aquilo que não se conhece. Seria mera especulação. Não sabemos sequer como se chegou a esse valor, se é um somatório de movimentações, se é o mesmo valor movimentado várias vezes, se é verdade, se é um servidor nosso, se é um funcionário, se é terceirizado. Enfim, não temos a menor informação do que se trata. Mas estamos aqui prontos para as providências que se fizerem necessárias, afirmou o magistrado, anunciando que o TRT está enviando ofício ao CNJ pedindo informações sobre a denúncia. Segundo o desembargador, atualmente o TRT-RJ tem funcionários e orçamento anual de R$ 1 bilhão, dos quais R$ 900 milhões são gastos com pagamento de pessoal e contratos. Ele afirmou que lhe parece inviável o desvio de R$ 282,9 milhões dez anos atrás, já que hoje apenas R$ 100 milhões sobram para outros gastos - seria impossível desviar o pagamento de servidores. Ele lembrou que em 2002 houve um incêndio que destruiu parte da sede, cuja reforma custou R$ 50 milhões. Na época, houve suspeitas de que o fogo fora iniciado criminosamente. Nenhum de nós, neste tribunal, percebeu qualquer servidor ou magistrado com sinais de riqueza esses anos todos. E magistrados e servidores não costumam ostentar riqueza, declarou Drummond. Ele lembrou que magistrados, quando processados internamente, respondem ao pleno do tribunal, e servidores, à administração. Há dois anos, contou, um contador da 24ª Vara foi demitido a bem do serviço público por desviar R$ 850 mil. O juiz da vara responde a processos disciplinar e criminal. Há outras investigações em curso. MACEIÓ Começa julgamento da Chacina da Gruta Tiago Décimo A sociedade alagoana parou para acompanhar o histórico julgamento do assassinato da deputada federal Ceci Cunha e de seus familiares, iniciado ontem, 13 anos após o crime conhecido como Chacina da Gruta. Além da deputada, foram assassinados o marido dela, Juvenal Cunha, a sogra, Ítala Neyde Maranhão Pureza, e o cunhado, Iran Carlos Maranhão. Segundo o Ministério Público Federal (MPF), o ex-deputado federal Talvane Albuquerque Neto foi o mandante da chacina, que teria sido executada por quatro de seus assessores e seguranças, Alécio César Alves Vasco, Jadielson Barbosa da Silva, José Alexandre dos Santos e Mendonça Medeiros da Silva. De acordo com os promotores, Talvane Albuquerque teria mandado matar Ceci Cunha, em 16 de dezembro de 1998, para herdar o mandato dela na Câmara. O crime foi cometido na varanda da casa de Ítala, onde as vítimas comemoravam a diplomação de Ceci. Um forte esquema de segurança foi montado para monitorar os visitantes. A escolha dos sete jurados deu início à sessão. Estavam previstos depoimentos de 20 testemunhas. Mas apenas sete, três de acusação e quatro de defesa, foram ouvidas. O depoimento mais esperado, o da irmã de Ceci e sobrevivente da chacina Claudinete Santos Maranhão, de 41 anos, deu início à sequência. Ela reafirmou que as vítimas estavam na varanda quando dois homens entraram no imóvel, um deles armado com revólver. Disse que conseguiu ver um dos assassinos - o segurança Jadielson Barbosa da Silva - e que se escondeu dentro da casa. Claudinete também contou ter ouvido, dos atiradores, a frase a deputada é esta. Em seguida, prestou depoimento o soldado reformado da PM, José Jorge Farias de Melo, que contou ter sido contratado por um homem, chamado Maurício Guedes, supostamente a mando de Talvane, para assassinar outro deputado recém-eleito pela coligação, Augusto Farias. O crime teria dado errado por Farias ter descoberto o plano. O acusado, então, teria decidido matar Ceci A terceira testemunha de acusação foi José Luiz dos Santos, porteiro do condomínio onde mora Talvane Albuquerque. Ele contou que os outros acusados costumavam visitar o então deputado. O julgamento entrou em recesso e foi reiniciado à noite na fase de depoimentos dos réus. A expectativa é que a decisão do júri seja conhecida apenas na noite de hoje. STF Peluso suspende reajuste de servidores O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Cezar Peluso, suspendeu os efeitos de uma liminar concedida pelo Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro que determinava a concessão integral e imediata de reajuste a cerca de 1,3 mil servidores do Judiciário local. Com a decisão, como informou o STF, fica mantido o cronograma de pagamentos estabelecidos na decisão administrativa que concedeu o reajuste. Peluso afirmou que o pagamento antecipado causaria grave lesão à economia pública, porquanto a decisão impugnada antecipara para um único pagamento o que a Fazenda Pública despenderia nos anos de 2012, 2013 e 2014, sempre nos meses de janeiro. O presidente do STF entendeu que o fundamento do acórdão contestado não está de acordo com a jurisprudência da Corte. ALBERTO BAND CPF CONVOCAÇÃO: Convoca a Sra. Maria de Fátima da Conceição Matos dos Santos, CPF , Carteira de Trabalho situada à Rua Luis Barbosa, 160 aptº 303 Vila Isabel a retornar ao trabalho no imóvel situado à Rua Conde de Bonfim, 555 aptº 201 Tijuca/RJ até o dia 23 de janeiro de 2012 sob pena de abandono de emprego.

8 RIO 8 Terça-feira, 17 de janeiro de 2012 MANGUINHOS Governador admite a instalação de UPP na região, mas sem previsão de data Carolina Gonçalves O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, admitiu ontem que, em Manguinhos traficantes estão expulsando proprietários de imóveis construídos por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), ameaçando recenseadores e manipulando o sorteio de unidades habitacionais na região. A gente ainda tem lá (em Manguinhos) problemas seríssimos de desmando, em função de o Poder Público não estar plenamente lá, disse Cabral explicando que a situação foi semelhante no Complexo do Alemão e na Rocinha, até a instalação das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) nessas comunidades. Sérgio Cabral garantiu a instalação de uma UPP em Manguinhos, mas não deu previsão de data. Só posso garantir uma UPP, que é a que instalaremos amanhã (hoje) no Vidigal. A UPP necessita de uma série de ações preliminares e um conceito do qual não abrimos mão, que são os policiais novos nessas unidades. É importante que sejam policiais novos, que entrem em um outro momento de convivência da polícia com a comunidade, explicou o governador. Até que o processo de pacificação comece, Cabral destacou que o governo está desenvolvendo ações de inteligência na região e identificando moradores, criminosos e imóveis incluídos no esquema. Em junho, será instalada a chamada cidade da Polícia Civil, entre Manguinhos e a comunidade do Jacarezinho, reunindo todas as especialidades da polícia, de acordo com informações do governador. Isso vai com certeza contribuir para ações efetivas de combate à criminalidade na região, avaliou Cabral. Apartamentos - As declarações foram dadas depois da inauguração de 192 apartamentos do PAC em Bonsucesso, no Complexo do Alemão, que devem atender 700 pessoas da comunidade. As unidades, com 42 metros quadrados, são divididas em dois quartos, sala, cozinha, banheiro e, em algumas delas, varanda. Desde o início da construção de unidades habitacionais, pelo PAC, já foram entregues mais de 1,3 mil apartamentos no Complexo do Alemão. Rocinha - Dois meses depois da ocupação da favela da Rocinha, pelas forças de segurança do estado, a comunidade recebeu ontem a 1ª Feira de Empregos. Até o fim da tarde, 32 empresas de diversos setores estão disponibilizando cerca de mil vagas para funções como promotor de vendas, demonstrador de produto, copeira, ajudante de cozinha, entre outros. De acordo com o coordenador do Núcleo de Projetos Sociais Qualificar, da escola de samba Acadêmicos da Rocinha, responsável pelo evento, Felippe Marques, a iniciativa é mais um passo para a consolidação da pacificação. Havia muito preconceito contra moradores de comunidades carentes e agora eles podem vislumbrar a possibilidade de sair da comunidade e trabalhar em grandes empresas. Ninguém vai conseguir uma fórmula para resolver todos os problemas [da Rocinha], mas estamos trabalhando em questões pontuais e dessa vez o passo é gerar emprego, afirmou. Ele acredita que levar oportunidades de emprego aos moradores ajuda a movimentar não só a economia local, mas a de todo o estado. De acordo com dados do Censo 2010, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), com cerca de 70 mil moradores, a Rocinha é a maior favela do país. Ainda durante a feira, estão sendo promovidas palestras sobre motivação, técnicas de venda, como se manter no emprego, entre outros. Além das vagas para preenchimento imediato, há outras disponíveis para cadastro reserva. A 1ª Feira de Empregos tem entrada franca e está sendo promovida na quadra da Rocinha, na Rua Bertha Lutz, 80, em São Conrado. Flávia Villela Cerca de 30 alunos da Harvard Business School, nos Estados Unidos, uma das instituições de ensino mais renomadas do mundo, visitaram ontem os morros do Chapéu Mangueira e da Babilônia, no Leme. Os estudantes, de diferentes nacionalidades, foram conhecer experiências de negócios nessas comunidades e deram algumas dicas aos comerciantes como expandir e consolidar seus empreendimentos. Após conhecer os trabalhos de artesanato do grupo Mulheres Guerreiras, do Morro da Babilônia, um dos alunos, o romeno Cristian Jitianu, orientou as artesãs a criarem uma marca padronizada e uma identidade visual para ela. Os trabalhos são muito bons e têm mercado para vendê-los, pois estão muito próximos da praia e dos turistas. Elas podem aproveitar para realçarem sua marca e ganharem competitividade, disse. Professor do curso negócios em mercados em desenvolvimento, Aldo Musacchio explicou que a instituição promove todos os anos uma visita com esse perfil em diferentes comunidades brasileiras. A Rocinha e o Cantagalo já receberam mestrandos da faculdade em anos anteriores. A ideia é aprender com a comunidade e tentar contribuir de alguma maneira. Falam que líderes mundiais, muitos foram ex-alunos de Harvard, estão distantes da realidade. Dizem que estão em um escritório chique em Nova York e fora do contato com a realidade. Então, a ideia é trazer esses alunos para esse contato, para se depararem com as diferenças. O professor citou o exemplo de alguns comerciantes que não pretendem expandir seus negócios, uma resposta inusitada para a maioria do grupo. Muitos comerciantes dizem que estão satisfeitos com o que têm e que não pretendem trabalhar mais, o que, para os alunos, é impressionante. Light - Pouco mais de um ano depois de ganhar uma nova rede elétrica, com o fornecimento regularizado, moradores das duas comunidades têm reclamado dos altos valores da conta de luz. Um comerciante e morador do Chapéu Mangueira, que não quis se identificar, disse que há quatro meses pagava cerca de R$ 30 pela energia utilizada em seu estabelecimento de pouco mais de dez metros quadrados e que a última conta passou para R$ 130. Tenho só uma geladeira, uma TV e um rádio. Aumentou demais. Está ficando difícil, queixou-se. A gerente de Atendimento às Comunidades da Light, Fernanda Mayrink, informou que o projeto de reciclagem foi instalado PRÉ-SAL O estado do Rio de Janeiro vai ganhar um importante complexo com investimentos avaliados em R$ 5,4 bilhões. De acordo com o secretário de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços, Julio Bueno, o Terminal Ponta Negra (TPN), a ser instalado na Praia de Jaconé, em Maricá, pela empresa DTA Engenharia, já é chamado de Porto do Pré-Sal, por ser destinado à tancagem do óleo a ser produzido naquela região. A área também tem vocação para se tornar uma das principais âncoras para escoar tanto o óleo do pré-sal para o Complexo Petroquímico do Estado do Rio de Janeiro (Comperj), em Itaboraí, como receber de volta os derivados petroquímicos lá produzidos. O porto terá capacidade para receber 850 mil barris de petróleo por dia, o equivalente a 40% da atual produção do país, e vai contar com uma nova tecnologia contra vazamento de óleo. Criamos uma tecnologia, que vamos patentear, que reduz o impacto de um eventual vazamento de óleo. Será uma cortina que liga Segundo governador, ações de inteligência serão desenvolvidas. O objetivo é identificar moradores, criminosos e quais os imóveis do PAC que fazem parte do esquema os molhes (estruturas de pedra que cercam o porto, reduzindo as ondas no terminal). No caso de derramamento, ela subirá e deixará o óleo restrito à área do porto, diz João Acácio Gomes de Oliveira Neto, presidente da DTA, empresa que planejou mais de 30 portos no Brasil e no exterior. O projeto tem total apoio do Governo do Estado do Rio de Janeiro, que vai criar acessos ao novo porto a partir do Arco Metropolitano do Rio e pela Estrada de Ferro Leopoldina. A previsão é que a obra seja concluída até 2015, a fim de coincidir com a inauguração do Comperj. Além da infraestrutura portuária e terminais de armazenagem de combustíveis, o TPN vai contar também com um estaleiro de reparos offshore. Vamos ter um excelente aproveitamento da área que oferece condições naturais para as embarcações, com calado de 30 metros muito próximo à costa, destaca o secretário Julio Bueno. Ele lembra também que a área possui poucos entraves ambientais, por não se tratar de uma área com mata nativa. O local abrigou em décadas passadas o campo de golfe que pertenceu ao empresário Roberto Marinho. Posteriormente, chegou a ser alvo de um empreendimento turístico que teria o mesmo campo de golfe como principal atrativo, até que a área fosse adquirida pela DTA. Não vemos problemas ambientais e acreditamos que a licença não vai tardar a sair, disse o secretário. Ainda segundo Bueno, o porto pode ser o início da redução de uso do Tebig (o terminal mais usado pela Petrobras no estado, em Angra dos Reis). É a chance de retirar a atividade de petróleo de um paraíso como o de Ilha Grande, acresecentou o secretário. Segundo os investidores, o porto deve destinar cerca de 30% de sua capacidade à Petrobras. O restante será voltado para as companhias estrangeiras que atuarão no pré-sal. A expectativa do presidente da DTA é de que haja até mesmo overbooking, já que há mais interessados do que área disponível. há aproximadamente um mês no local e é uma alternativa para as pessoas pagarem suas contas, trocando o material avaliado por peso - por um bônus na conta. Fernanda ressaltou que o projeto já foi implementado em agosto na comunidade do Morro Dona Marta, em Botafogo, e que lá, há três meses, alguns moradores pagam suas contas, de cerca de R$ 80 mensais, apenas com a troca de materiais reciclados. Em junho de 2009, as comunidades da Babilônia/Chapéu- Mangueira receberam uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP). Em agosto de 2010, a concessionária Light regularizou o fornecimento de energia no local e fez a troca de lâmpadas e geladeiras de moradores por outras mais novas e de baixo consumo. Também foi feito um trabalho educativo para que a população, que antes não pagava pela luz, usasse a energia de maneira eficiente. CHUVAS A Secretaria de Defesa Civil de Campos, no norte fluminense, informou ontem que está alertando os moradores da localidade de Três Vendas para que voltem às suas casa só depois da conclusão do trabalho de limpeza e desinfecção na área. A secretaria quer evitar que as pessoas se contaminem com a água que está imprópria para uso. Segundo o secretário municipal de Defesa Civil, Henrique Oliveira, as casas ficaram submersas por dez dias e muitos animais morreram no local. De acordo com ele, nesta segunda-feira cerca de 100 homens da prefeitura estão trabalhando com bombas para retirar a água e liberar o retorno das pessoas às suas residências com segurança. É muito perigoso, nessa hora, a volta para casa antes de uma desinfecção, antes de limpar as casas, disse. Oliveira acrescentou que em breve os moradores poderão voltar às suas casas. Lembrou, no entanto, que a Defesa Civil está encontrando dificuldades para trabalhar, já que algumas pessoas estão retornando às casas antes do fim das ações. LINHA VERMELHA O Rio de Janeiro ganha este mês mais um cartão-postal. A primeira ponte estaiada da cidade, que receberá o nome de Ponte do Saber, será inaugurada no próximo dia 27. Construída sobre o Canal do Fundão, a nova passagem, de 780 metros de extensão, deverá receber cerca de 25 mil veículos por dia. Além de trazer mais beleza à paisagem carioca, ela será fundamental para desafogar a saída da Cidade Universitária, na Ilha do Fundão, para a Linha Vermelha. Atualmente, quatro quilômetros separam a reitoria do acesso à via expressa. Já para a entrada da ponte, a distância da reitoria é de apenas 500 metros. Além de atender a comunidade acadêmica, a ponte é alternativa para técnicos e cientistas do polo tecnológico e do Centro de Pesquisas da Petrobras, afirmou o subsecretário de Projetos e Intervenções Especiais da Secretaria do Ambiente, Antônio da Hora. Cerca de 75 mil pessoas transitam por dia pela Cidade Universitária. A construção da ponte faz parte do plano diretor da UFRJ. Durante negociações com a Secretaria do Ambiente para a REDUÇÃO DO ICMS segunda etapa do Programa de Revitalização do Canal do Fundão, financiado pela Petrobras, ficou acertada a construção da nova ligação com a Linha Vermelha. A ponte é suspensa por 15 estais frontais e seis de retaguarda. Os cabos de sustentação metálicos são ancorados em um único pilar. A estrutura, com 100 metros de altura, é capaz de sustentar o vão livre de 180 metros. Obras no Canal do Fundão - Construída em concreto branco, a ponte ganhou um tratamento especial antipichação. A obra está em fase de finalização, com a colocação da mureta de proteção nos dois lados, projetada para suportar impactos de um veículo em movimento, e na divisória que separa as duas faixas. A obra está inserida em um programa maior de melhorias na cidade para a Copa do Mundo e Olimpíadas. Além da ponte, o Estado realiza desde maio de 2009 projeto de recuperação ambiental do Canal do Fundão, em que investe R$ 292 milhões. As melhorias incluem a dragagem de sedimentos ao longo do canal, reurbanização da Vila Residencial da UFRJ e o reforço dos pilares de sustentação da Linha Vermelha. Alana Gandra O secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços, Julio Bueno, defendeu a prorrogação, de dez para 25 anos, da Lei da Moda, cuja vigência vai até A questão será discutida em fevereiro pela Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). A reivindicação será levada por Julio Bueno ao governador Sergio Cabral Filho. A Lei da Moda foi criada em 2003 e reduz para 2% o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para o setor têxtil e de confecção no Rio. Em outros estados, a alíquota do ICMS para o setor varia entre 12% e 19%, disse o secretário durante visita aos polos de moda fluminense, no Salão de Negócios de Moda e Design Rio-à-Porter. Um aumento no prazo de vigência [da lei] garantiria continuidade para quem trabalha no setor, que hoje é sinônimo de empregabilidade e carrega grande função social em todo o estado, destacou Bueno. Ele lembrou que o Rio apresenta a melhor remuneração mensal no segmento da moda, equivalente a R$ 1,66 mil. Esse salário supera em 42% a média nacional do setor. A subsecretária estadual de Comércio e Serviços, Dulce Ângela Procópio, destacou que todos os dados mostram que o setor de confecção é extremamente empregador. Ele não é gerador de tributos, porque a maioria das empresas é de micro e pequeno porte e está no regime Simples Nacional. Quem gera imposto são as grandes empresas. Mas, as indústrias de confecção são geradoras de riqueza para o estado, por meio da empregabilidade. Você tem mais gente empregada, com mais dinheiro rodando na economia. Dulce Procópio informou que desde a criação da Lei da Moda, em 2003, o número de empresas formalizadas do setor de confecção aumentou no estado do Rio. Houve uma formalização grande das empresas e um aumento, sobretudo, do emprego. Então, é bastante justificado para o estado manter essa alíquota. Ela é suficiente para gerar riqueza e emprego. C U R T A Quatro praças cariocas começam a ser revitalizadas pela prefeitura A prefeitura do Rio iniciou hoje a recuperação de quatro novas praças nas Zonas Norte e Oeste da cidade. Os serviços a serem realizados incluem a recuperação dos brinquedos, equipamentos de ginástica e demais mobiliários, como bancos e cercados, por equipes da Comlurb. As equipes farão ainda limpeza, poda, roçada e capina em toda a área das praças. A Rioluz fará a manutenção no circuito de iluminação, com troca de lâmpadas e correção das que estiverem acesas durante o dia. Já os técnicos da Coordenadoria Geral de Conservação realizarão reparos na pavimentação asfáltica, limpeza e desobstrução do sistema de drenagem. Operação do Detro apreende 18 veículos irregulares O Departamento de Transportes Rodoviários (Detro) apreendeu ontem 18 veículos, durante operação de combate ao transporte irregular de passageiros nos municípios de São Gonçalo, Rio de Janeiro, Niterói e Nova Iguaçu. Só na capital, 14 veículos foram encaminhados ao depósito público, sendo duas vans e uma kombi em Santa Cruz, uma van e seis kombis na Pavuna e três vans e uma kombi em Madureira. Em Nova Iguaçu, as equipes recolheram uma kombi. Em Niterói, os fiscais retiraram de circulação outras duas kombis. Já em São Gonçalo, uma van foi apreendida.

9 CRUZEIRO Itália vai declarar estado de emergência Preocupação é que combustível dos tanques do navio se espalhe no mar Da redação, com agências O governo italiano está se preparando para declarar estado de emergência na região afetada pelo naufrágio do cruzeiro Costa Concordia, próximo à ilha de Giglio, na Toscana. O anuncio foi feito ontem pelo ministro do Ambiente, Corrado Clini. A decisão oficial será anunciada até quinta-feira, data do próximo Conselho de Ministros italiano. (A decisão) implica que todas as operações ligadas ao acidente passam a ser de interesse nacional e exigem a participação de instituições nacionais, para além das regionais, afirmou Clini depois de uma reunião com responsáveis locais. As autoridades italianas temem que o acidente com o navio de cruzeiro, que bateu em rochas próximo à ilha e se encontra parcialmente submerso e virado, se transforme PRIMÁRIAS em um desastre ambiental caso as cerca de 2,38 mil toneladas de combustível nos tanques do navio se espalhem pelo mar. Segundo o ministro, o combustível dispersado no mar, pode contaminar a costa, prejudicando a fauna marinha e a alimentação dos pássaros. As caixas-pretas do navio começaram a ser analisadas e as primeiras avaliações indicam que a embarcação estava a menos de 150 metros da terra firme. Também há indicações de que a Guarda Costeira só foi informada do acidente pela tripulação cerca de uma hora depois da colisão com o rochedo. Segundo Pier Luigi Foschi, presidente da empresa proprietária do navio, a Costa Crociere, o acidente ocorreu devido a um erro do capitão, Francesco Schettino, que foi detido ainda no sábado pelas autoridades. Capitão detido - O presidente do Conselho de Administração da companhia proprietária do navio Costa Concórdia, Pier Luigi Foschi, disse ontem que o capitão da embarcação fez um desvio de rota não autorizado, o que provocou o naufrágio. A embarcação tombou parcialmente na última sexta-feira, depois de bater em um rochedo na região italiana da Toscana. Seis pessoas morreram e 14 ainda estão desaparecidas. Cerca de 60 brasileiros estavam a bordo do navio, todos sobreviveram. O capitão, Francesco Schettino, foi detido pelas autoridades e sua atuação está sendo investigada. Foschi disse que a empresa vai dar ao capitão toda a assistência legal necessária, mas que a companhia se dissocia do seu comportamento. Schettino é acusado por várias testemunhas de ter se aproximado demais da costa, o que fez com que o navio batesse em divisão de voto republicano O pré-candidato presidencial Mitt Romney ficou sozinho no topo da lista dos candidatos para as primárias da Carolina do Sul nesta semana, onde três de seus concorrente mais conservadores dividem o poderoso bloco dos eleitores evangélicos e conservadores. O ex-governador de Utah, Jon Huntsman, de longe o mais moderado candidato republicano que concorria à nomeação para disputar a presidência em novembro, deixou a corrida nesta segundafeira e declarou apoio a Romney. Isso deixa apenas cinco homens na competição pelos votos da Carolina do Norte. Se Romney vencer no sábado, sua nomeação para a candidatura será praticamente inevitável. Romney saiu vencedor do primeiro caucus, realizado em Iowa, e também conquistou a vitória nas primárias de New Hampshire, na semana passada. Embora a maioria dos republicanos não confie em Romney por causa de seu passado moderado, eles não têm conseguido estabelecer seu apoio às alternativas mais conservadoras: Newt Gingrich, ex-presidente da Câmara dos Representantes; Rick Santorum, ex-senador pela Pensilvânia; ou o governador do Texas, Rick Perry. O candidato Ron Paul, deputado pelo Texas, não conseguiu reunir apoio suficiente para desafiar Romney nas primeiras primárias do sul norte-americano. Os republicanos parecem estar lentamente convergindo para Romney como a melhor opção para evitar que Barack Obama conquiste um segundo mandato. O atual presidente sofre os efeitos da economia, que recupera-se lentamente da recessão. O desemprego continua alto e milhões de norte-americanos perderam suas casa por falta de pagamento. Os candidatos enfrentam uma semana cheia de eventos de campanha e debates na televisão entre segunda e sexta-feira. Nas últimas três décadas, nenhum republicano conquistou a nomeação do partido Republicano sem vencer na Carolina do Sul. Liderança confortável - As pesquisas mostram Romney, exgovernador de Massachusetts que ficou em quatro lugar nas primárias de 2008 na Carolina do Sul, com uma liderança confortável. O Estado tem uma grande população de evangélicos e outros grupos de cristãos conservadores. Quatro anos atrás o LIGA ÁRABE Síria poderá sofrer intervenção militar Em uma semana, a Liga Árabe formada por 23 nações definirá se haverá intervenção militar na Síria como tentativa de conter a onda de violência, que atinge o país há quase um ano. O assunto é o principal tema da reunião marcada para o dia 21. Todas as ideias podem ser discutidas, disse o secretário-geral da entidade, Nabil Al Arabi. Porém, a previsão é que no próximo dia 19 a missão de observadores que está no país desde dezembro deixe a Síria. SAÚDE Tipo incurável de tuberculose na Índia O emir do Qatar, Hamad Bin Khalifa Al Thani, defendeu a proposta de enviar os militares árabes para a Síria. Segundo ele, a situação exige uma intervenção militar. Para uma situação dessas, que exige que mortes sejam impedidas, algumas tropas devem ser acionadas, disse. Também o ex-secretário da Liga Árabe Amr Mousa, que é candidato às eleições presidenciais no Egito, admitiu que a organização devia estudar a ideia de enviar tropas para o território Médicos indianos relataram os primeiros casos no país de um tipo de tuberculose totalmente resistente a drogas, uma forma muito temida e incurável da mortífera doença pulmonar. Desde 2003, pacientes já foram diagnosticados na Itália e no Irã, na maioria das vezes em áreas empobrecidas. Os especialistas acreditam que haja muitos casos não documentos, mas não creem que a doença vai se espalhar rapidamente, já que ela não é tão contagiosa como a gripe. Na maior parte das vezes, os casos desse tipo de tuberculose foram mutações que ocorreram em pacientes que não receberam tratamento adequado. Há ainda um debate dentro da comunidade de saúde pública sobre se é correto dizer que esse sírio. Nem mesmo a presença da missão da liga na região fez cessar a violência na Síria. Desde 26 de dezembro, quando os observadores desembarcaram em Damasco, 400 pessoas morreram. Pelos dados das Nações Unidas, os embates entre agentes do governo do presidente sírio, Bashar Al Assad, e manifestantes contrários a ele geraram mais de 5 mil mortes. Há ainda denúncias de violações de direitos humanos, como torturas, prisões indevidas e atentados a crianças e adolescentes. tipo de tuberculose é totalmente resistente a drogas. A Organização Mundial da Saúde (OMS) não aceita essa definição e considera a doença apenas como bastante resistente a drogas. No entanto, o médico Paulo Nunn, um coordenador da OMS em Genebra, disse que há ampla prova de que esse casos incuráveis de fato existem. MUNDOTerça-feira, 17 de janeiro de rochas. Um buraco foi aberto no casco do cruzeiro. Segundo o presidente, as embarcações da Costa Crociere têm as suas rotas programadas e há um sistema de alarmes que dispara quando se registram desvios. Esta rota foi estabelecida corretamente. O fato de o navio ter se afastado da rota deve-se a uma manobra do comandante que não foi aprovada, autorizada ou do conhecimento da Costa Crociere. Foschi repetiu que o navio passou por todos os testes técnicos e de segurança na avaliação que foi feita em Ele acrescentou que a principal preocupação da companhia agora é a segurança e o bem-estar dos passageiros e da tripulação, assim como as medidas que permitam evitar o vazamento de combustível do navio para as águas próximas à Ilha de Giglio. fato de Romney ser mórmon prejudicou sua candidatura. Mas Gingrich, Santorum e Perry disseram que após suas vitórias em Iowa e em New Hampshire, Romney continua a se beneficiar da divisão no campo republicano e do fracasso dos conservadores em se unir ao redor de uma única alternativa. Isso deixou Romney no controle da corrida, apesar da falta de apoio dos conservadores, descontentes com as mudanças de posição de Romney sobre questões sociais, como o aborto. Eu acho que a única forma de um moderado de Massachusetts vencer na Carolina do Sul é se os votos estiverem divididos, disse Gingrich no domingo, apresentando-se como o único conservador com chances reais de vencer Romney na Carolina do Sul. EGITO Islamita é apoiado para o Parlamento Vários partidos que se destacaram na última eleição legislativa do Egito estão apoiando um islamita para presidente do parlamento pela primeira vez. A Irmandade Muçulmana, maior vencedora da primeira eleição desde a queda do presidente Hosni Mubarak em fevereiro, anunciou ontem que se juntou a vários outros partidos para apoiar Saad el-katatni, secretário-geral do partido da Irmandade. O Parlamento deverá se reunir dia 23. A principal função do novo parlamento é escolher uma comissão de 100 pessoas para elaborar a nova constituição do Egito. Ontem, líderes da Irmandade se reuniram com políticos de outros partidos para tentar chegar a um acordo. Mohammed Morsi, líder do partido da Irmandade, disse que a reunião foi marcada para garantir que não ocorrerão exclusões, nem polarizações e conflitos. Ao contrário disso, haverá consenso nacional no Parlamento, ele disse. Mohammed Abouel Ghar, líder do secular Partido Social Democrático do Egito, que surgiu após a revolta popular de fevereiro do ano passado, disse que houve consenso para a escolha dos chefes dos subcomitês. Mesmo os partidos menores e aqueles com apenas uma cadeira não serão excluídos. PROGRAMA NUCLEAR Irã prende pessoas ligadas à morte de cientista O governo do Irã realizou algumas prisões ligadas ao assassinado do cientista nuclear Mostafa Ahmadi Roshan, de 32 anos, ocorrido na semana passada, afirmou ontem o presidente do Parlamento Ali Larijani, prometendo que seu país vai vingar a morte com o uso de táticas não terroristas. Ele não especificou quantas pessoas foram detidas, quando as prisões foram feitas ou deu qualquer detalhe sobre as identidades ou nacionalidades dos suspeitos. Nós descobrimos algumas pistas e algumas prisões foram feitas. As investigações continuam, disse Larijani à emissora em língua árabe Al Alam. Comandantes do Exército do Irã disseram que querem punir os responsáveis. Mas Larijani disse que o Irã não vai usar o terrorismo para se vingar. Não vamos hesitar em punir o regime sionistas (uma referência a Israel) para que ele entenda que tais ações têm respostas claras. Definitivamente haverá uma resposta, mas nossa ação será de natureza não terrorista, disse ele. No sábado, o vice-chefe das Forças Armadas iranianas, Masoud Jazayeri, disse que o Irã está estudando uma opção para responsabilizar os Estados Unidos, Israel e o Reino Unido por seu envolvimento nos ataques. Este foi o quinto ataque contra cientista iranianos nos últimos dois anos. Quatro cientistas - dos quais três envolvidos no programa nuclear iraniano - morreram vítimas dos ataques e um conseguiu escapar. O Irã acusou Israel, os Estados Unidos e a Grã-Bretanha pelo crime. Washington negou as acusações e Londres disse desaprovar as mortes de civis. Israel não comentou publicamente a morte do cientista. País prepara lançamento de satélite para fevereiro Renata Giraldi O ministro da Defesa do Irã, Ahmad Vahidi, anunciou ontem que o governo italiano se prepara para lançar um satélite ao espaço na primeira quinzena de fevereiro. Vahidi disse que a ideia é que o lançamento ocorra entre os dias 1º e 10 de fevereiro, durante as celebrações do 33º aniversário da vitória da Revolução Islâmica no país (1979). Também está nos planos do governo iraniano o lançamento de sua primeira missão tripulada ao espaço em As iniciativas ocorrem no momento em que o Irã anunciou que pretende retomar as negociações com a comunidade internacional para encerrar o impasse em torno de seu programa nuclear. SUBSÍDIOS O programa nuclear iraniano é alvo de suspeitas porque parte da comunidade internacional desconfia que há produção de armas. Porém, as autoridades iranianas negam as desconfianças. O país, no entanto, sofre sanções econômicas, comerciais e financeiras desde Em 12 de novembro do ano passado, Vahidi anunciou que o Irã estaria pronto para lançar ao espaço três satélites de fabricação nacional chamados de Fajr, Navid e Tolou. Segundo ele, os satélites têm o objetivo de sondar e desvendar os mistérios do universo. O Irã lançou seu primeiro satélite nacional em Em 20 de junho do ano passado, o presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, disse que o país ganhou acesso à tecnologia de desenvolvimento de vários satélites e anunciou o lançamento de satélites maiores. Sindicatos sustan greve na Nigéria Os dois principais sindicatos da Nigéria suspenderam ontem a greve nacional contra o fim dos subsídios aos combustíveis que fizeram com que os preços mais que dobrassem no país. A decisão dos sindicatos foi tomada horas depois de o presidente Goodluck Jonathan ter anunciado uma redução imediata dos preços da gasolina de 141 naira para 97 naira (US$ 0,60) por litro. O preço havia subido em 1º de janeiro, quando os subsídios foram abolidos. Por oito dias a greve e os protestos em todo o país paralisaram o maior produtor de petróleo bruto da África e interrompeu as exportações de cacau, outra importante fonte de receita do país. Ao anunciar a suspensão, o Congresso Trabalhista da Nigéria e o Congresso de Sindicatos disseram que nas últimas 24 horas, o movimento trabalhista e seus aliados revisaram suas várias ações e decidiram que, a fim de salvar vidas e pelo interesse da sobrevivência nacional, essas ações estão suspensas. Sucesso - Em comunicado conjunto à imprensa, eles destacaram o importante sucesso de suas ações, dentre elas a redução no preço dos combustíveis, que, conforme enfatizaram, foi decidido unilateralmente pelo governo. Os sindicatos disseram que outra conquista foi a de que o governo havia sido forçado a reduzir drasticamente os custos de sua máquina. O terceiro grande sucesso dos nigerianos foi fazer com que o governo federal tomasse medidas decisivas contra a pesada e mutilante corrupção no setor petrolífero, diz o documento. Por oito dias, greve e protestos paralisaram o maior produtor de petróleo bruto da África. Importações de cacau foram prejudicadas Os sindicatos disseram que vão aproveitar o convite do governo para se envolver ainda mais nestas questões e exigir a libertação de todos os detidos durante as greves, manifestações e protestos da semana passada. As pessoas devem voltar ao trabalho na terça-feira. Bashiru Olanrewaju, chairman da NLC disse que como foi a executiva nacional dos sindicatos que convocaram e suspenderam a greve, temos de respeitar e voltar para o trabalho amanhã. O presidente da NLC, Abdulwahed Omar, disse que os sindicatos vão participar do comitê liderado pelo juiz Alfa Belgore, ex-chefe de Justiça da Nigéria. O grupo foi estabelecido pelo presidente no início deste mês para reunir trabalhadores organizados e outras partes interessadas para discutir questões que podem surgir com a remoção do subsídio aos derivados de petróleo. Nós vamos explorar as brechas do comitê Belgore para deliberarmos uma série de discussões sobre a completa desregulação da distribuição dos derivados de petróleo, disse Omar.

10 10 ARTES Terça-feira, 17 de janeiro de 2012 Festa acontece há nove anos e abre a contagem regressiva para a folia de Momo BLOCOS Grito da Sebastiana abre o Carnaval de rua de 2012 Moyseis Marques, Tantinho da Mangueira e Cordão da Bola Preta animam a festa Nesta quinta-feira, véspera de feriado na capital carioca, os blocos da Sebastiana (Associação Independente dos Blocos de Carnaval de Rua da Zona Sul, Santa Teresa e Centro da Cidade do Rio de Janeiro) se encontram na Fundição Progresso para o Grito da Sebastiana. Promovido há nove anos pela associação, o evento abre a contagem regressiva para o Carnaval 2012 e aporta novamente na Fundição Progresso, se consolidando como parte do calendário de verão da casa. Entre as atrações desta edição está o cantor e compositor Moyseis Marques. O artista abre ESPORTES Rafael Nadal e Roger Federer estreiam com vitória na Austrália e garantem segunda rodada Publius Vergilus a noite com uma animada rodade-samba e terá como convidado especial Tantinho da Mangueira. Os dois prometem agitar o público com sambas antigos e novos, transformando o palco São Sebastião em um verdadeiro terreiro de bambas. A festa continua ao som das marchinhas da Banda do Cordão da Bola Preta, o mais antigo e tradicional bloco de rua do Rio de Janeiro, e termina com a Bateria da Sebastiana, que é a união das baterias dos blocos que integram a Sebastiana: Ansiedade, Barbas, Bloco de Segunda, Carmelitas, Escravos da Mauá, Gigantes da Lira, Imprensa Que Eu Gamo, Meu Bem Volto Já!, Que Merda é Essa?!, Simpatia É Quase Amor, Suvaco do Cristo e Virtual. Nos intervalos, o DJ Matheus Puertas não deixa ninguém parado. O Grito da Sebastiana é também uma homenagem a São Sebastião, padroeiro da cidade do Rio de Janeiro. O evento é realizado pela Sebastiana, em parceria com a Fundição Progresso, promoção da Globo Rio e apoio da Riotur. Melhores marchinhas - Arranjos prontos, campanhas na rua, disco gravado e ensaios marcados: está começando a fase mais divertida do Concurso Nacional de Marchinhas da Fundição Progresso Prêmio Mário Lago, que promove, amanhã, baile de lançamento do CD, na Parada da Lapa. Será a primeira apresentação pública das músicas finalistas, que serão executadas pela Banda Fundição e interpretadas por seus próprios autores ou cantores convidados. As dez músicas foram escolhidas pelo júri composto por Edu Krieger, Pedro Aragão, Rachel Valença, Thiago Cesário Alvim e pelo cantor, compositor e apresentador de TV Zéu Britto. Nesta edição o concurso recebeu inscrições e bateu a marca de músicas inscritas entre 2005 e Está na hora de assinar a Lei da Copa, diz Valcke Evento será realizado quinta-feira para explicar os diferentes preços dos ingressos Em mais uma missão ao Brasil para tratar de assuntos referentes à Copa do Mundo de 2014, o secretário-geral da Federação Internacional de Futebol (Fifa), Jérôme Valcke, disse que está na hora de assinar rapidamente a Lei Geral da Copa para que as entidades envolvidas possam focar em outras frentes para a realização do evento. Perguntado se o Brasil estava fazendo mais exigências do que outros países que também sediaram copas do mundo, Valcke respondeu que sim. Deus, sim. Talvez seja porque vocês (brasileiros) ganharam cinco vezes a Copa, e pensam que podem pedir, pedir e pedir. Na vida, é preciso pedir para ser atendido, é um princípio, só que agora está na hora de assinar (a Lei Geral da Copa), disse Valcke, em entrevista coletiva. Segundo ele, todos estão voltados, no momento, para a assinatura da lei, mas é preciso passar para outras prioridades. O secretário-geral da Fifa informou que será realizado na quinta-feira um evento no Rio para Marcello Casal Jr / ABr Valcke: Na vida, é preciso pedir para ser atendido D Presidente do Barcelona, Sandro Rosell, volta a falar em contratar Neymar, mas só em 2014 explicar, de forma clara, a diferenciação de preços de ingressos por categorias, tema no qual, segundo ele, há vários mal-entendidos, principalmente na chamada categoria 4, de ingressos populares. Já ouvi coisas completamente malucas sobre os ingressos. Acho que há, para ser educado, um malentendido. Vamos preparar um documento que vai explicar claramente todos os grupos e categorias de ingressos, enfatizou Valcke. Para ele, é necessário, porém, discutir as garantias da acessibilidade de alguns grupos aos jogos. Valcke exemplificou com os indígenas, aos quais o governo brasileiro pretende oferecer ingressos mais baratos. É fácil discutir sobre tickets, mas é preciso ter certeza de que essa política será implementada. Também presentes à coletiva, o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, e o ex-jogador Ronaldo Nazário, integrante do Comitê Organizador Local (COL) da Copa, ressaltaram os esforços feitos por todas as partes para que o país realize a melhor Copa de todos os tempos. FLA X FLU Continua novela com Thiago Neves Havia grande expectativa pela resolução ontem do caso Thiago Neves. O empresário Léo Rabello se pronunciou sobre o caso, mas não fez nenhuma revelação que incida luz sobre o episódio. A presidente do Flamengo também comentou o imbróglio, se mostrou profundamente irritada com a postura do Fluminense, que se manteve em silêncio sobre o assunto. A longa novela deve se arrastar por pelo menos mais um dia. Rabello, agente de Thiago Neves, voltou a frisar que as negociações entre o Al Hilal, da Arábia Saudita, que detém o jogador sob contrato, e o Flamengo seguem valendo e diz desconhecer acerto entre o apoiador e o Fluminense. O Thiago sempre me garantiu que não teve qualquer encontro pessoal com o Fluminense, apenas por telefone. Acredito no jogador. Mas se existe marido traído e mulher traída não vai haver empresário traído?, deixou no ar Rabello, também transparecendo insatisfação com a interferência das Laranjeiras nas negociações. A vaidade está imperando. Se fosse parceiro iria esperar acabar. Quero as coisas regidas pela ética, disse. Patrícia Amorim foi mais taxativa especialmente ao tratar do presidente tricolor, Peter Siemsen. Primeiro ele me fala que não sabe de nada, depois vejo ele dizendo que o Thiago vai usar a 10 no Fluminense, que nunca falou comigo. Esse rapaz tem um problema, atacou. João Marcos Cavalcanti MPB & outras histórias João Marcos Cavalcanti de Albuquerque é advogado formado pela PUC, ex-secretário chefe do gabinete de Cesar Maia, escritor bissexto e estudioso da MPB. Demônios da Garoa iogo Nogueira embarcou na ponte aérea e levou seu programa para São Paulo, onde montou seu botequim e em uma entrevista imperdível conversou com os componentes do Conjunto Demônios da Garoa. O atual líder do grupo, Sergio Rosa, deu um show de musicalidade e bom humor contando tudo sobre a trajetória do conjunto, que está na estrada desde 1943 fundado. Hoje os Demônios fazem parte do livro dos Recordes, como o mais antigo vocal em atividade no mundo. São 69 anos ininterruptos, nenhum conjunto resistiu tanto tempo. Seu nome primitivo foi Grupo do Luar, apresentando-se pela primeira vez no programa de calouros Hora da Bomba. Logo foram contratados pela Rádio Bandeirantes e passaram a ser presença constante no programa Vicente Leporace. O próprio Leporace, que achava o nome do grupo pouco radiofônico, realizou um concurso para que os ouvintes escolhessem um novo nome. Assim nascia os Demônios da Garoa. Entretanto, não se pode falar dos Demônios sem se reportar a Adoniran Barbosa, compositor a quem o grupo deve a maioria de seus sucessos. Conheceram-se durante a filmagem de O Cangaceiro, onde o conjunto cantava a trilha sonora da película, enquanto Adoniran trabalhava como ator. O primeiro samba da parceria foi Malvina, em 1953 gravaram mais um, Joga a Chave. Em 1954 gravaram Saudosa Maloca que passou despercebida pelo público. Foi quando o grupo resolveu rincar com a música enxertando alguns cacos e modificando a letra com erros de português que a música foi regrravada e virou um sucesso, com versões em 15 idiomas. Embora tenham interpretado músicas de outros compositores, o conjunto quando apresenta-se é praticamente obrigado pelo público a cantar as composições de Adoniran. Nesse tempo todo trabalhando a MPB, o conjunto gravou mais de 60 CDs e quando perguntado quantos shows já fizeram respondem: 69 anos ininterruptos fazendo em média 18 apresentações por mês, é só fazer as contas. Desejo ao grupo que continuem unidos divulgando por muitos anos a nossa música. Sucesso. Amanhã falarei sobre Adoniran Barbosa. No mais é Quais Quais Quais e Pasqualim Gundum! Novo carro da Ferrari para temporada 2012 passa em teste de impacto na segunda tentativa LONDRES Fifa diz que País deve desenvolver futebol feminino Tiago Rogero Em 2004, quando a seleção brasileira foi prata nos Jogos Olímpicos de Atenas, o futebol feminino era uma promessa no País. Oito anos depois, ainda é. E, pior, 2011 não foi um ano bom. Medalha de prata da seleção no Pan de Guadalajara, eliminação precoce no Mundial, nas quartas de final, e o fim da equipe feminina do Santos, principal do País, por falta de recursos. Quem vive a modalidade alerta: falta muito para o Brasil reverter o quadro e transformarse em potência. Mas pode chegar lá. Para a chefe de Competições de Futebol Feminino da Fifa, Tatjana Haenni, o Brasil tem jogadoras extremamente talentosas, mas a estrutura do esporte no País não evoluiu da mesma forma. Vocês sabem como desenvolver bem o futebol, apenas façam o mesmo pelas meninas, disse Tatjana, que esteve no Rio de Janeiro para o Soccerex, evento de negócios de futebol. Marta - Após cinco anos seguidos, 2011 foi o primeiro que não teve a craque Marta como melhor jogadora do mundo, eleita pela Fifa. Ela mesmo deixou claro que não pode mais levar nos ombros o futebol feminino nacional. Na semana passada, após receber o prêmio de segunda melhor, em Zurique (Suíça), cobrou de governo e empresas o resgate da categoria. Para a chefe de competições da Fifa, deveria haver futebol nas escolas e em clínicas do esporte. EUA chamam astros da NBA para Olimpíada A US Basketball, entidade que coordena a seleção americana de basquete, divulgou ontem os 20 nomes pré-convocados para a disputa da Olimpíada de Londres, em julho. A lista conta com alguns dos principais jogadores da NBA e dela sairão os 12 atletas que representarão os Estados Unidos nos Jogos. A ideia do técnico Mike Krzyzewski é mesclar as bases dos títulos da Olimpíada de Pequim e do Mundial da Turquia. Oito jogadores estiveram na China, em 2008, enquanto que outros dez garantiram o ouro no Mundial, dois anos mais tarde. Para completar a lista, o treinador apostou em Blake Griffin, do Los Angeles Clippers, e LaMarcus Aldridge, do Portland Trail Blazers, que foram convocados pela primeira vez. Sinto que temos uma incrível mistura de talentos das equipes da Olimpíada de 2008 e do Campeonato Mundial de 2010, que ganharam o ouro. Reduzir para o número limite de 12 jogadores será uma tarefa ainda mais difícil, mas vamos avaliar como estes jogadores se sairão na temporada 2011/2012 da NBA, disse Jerry Colangelo, diretor da seleção norte-americana. Os 12 nomes que vão para Londres serão divulgados no dia 18 de junho.

C&M CENÁRIOS 8/2013 CENÁRIOS PARA A ECONOMIA INTERNACIONAL E BRASILEIRA

C&M CENÁRIOS 8/2013 CENÁRIOS PARA A ECONOMIA INTERNACIONAL E BRASILEIRA C&M CENÁRIOS 8/2013 CENÁRIOS PARA A ECONOMIA INTERNACIONAL E BRASILEIRA HENRIQUE MARINHO MAIO DE 2013 Economia Internacional Atividade Econômica A divulgação dos resultados do crescimento econômico dos

Leia mais

1º a 15 de agosto de 2011

1º a 15 de agosto de 2011 1º a 15 de agosto de 2011 As principais informações da economia mundial, brasileira e baiana Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia Diretoria de Indicadores e Estatísticas Coordenação

Leia mais

Cenário Macroeconômico

Cenário Macroeconômico INSTABILIDADE POLÍTICA E PIORA ECONÔMICA 24 de Março de 2015 Nas últimas semanas, a instabilidade política passou a impactar mais fortemente o risco soberano brasileiro e o Real teve forte desvalorização.

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Agosto 2013 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS GRADUADOS

Leia mais

Introdução. PIB varia 0,4% em relação ao 1º trimestre e chega a R$ 1,10 trilhão

Introdução. PIB varia 0,4% em relação ao 1º trimestre e chega a R$ 1,10 trilhão 16 a 31 de agosto de 2012 As principais informações da economia mundial, brasileira e baiana Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia Diretoria de Indicadores e Estatísticas Coordenação

Leia mais

Indicadores da Semana

Indicadores da Semana Indicadores da Semana O saldo total das operações de crédito do Sistema Financeiro Nacional atingiu 54,5% do PIB, com aproximadamente 53% do total do saldo destinado a atividades econômicas. A carteira

Leia mais

Relatório Mensal. Janeiro de 2015. Cenário Internacional:

Relatório Mensal. Janeiro de 2015. Cenário Internacional: Relatório Mensal Janeiro de 2015 Cenário Internacional: EUA O diagnóstico dos membros do Federal Open Market Comittee (Fomc) sobre a atividade econômica é positivo: os EUA estão crescendo mais que a previsão,

Leia mais

1 a 15 de setembro de 2011

1 a 15 de setembro de 2011 1 a 15 de setembro de 2011 As principais informações da economia mundial, brasileira e baiana Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia Diretoria de Indicadores e Estatísticas Coordenação

Leia mais

Os fatos atropelam os prognósticos. O difícil ano de 2015. Reunião CIC FIEMG Econ. Ieda Vasconcelos Fevereiro/2015

Os fatos atropelam os prognósticos. O difícil ano de 2015. Reunião CIC FIEMG Econ. Ieda Vasconcelos Fevereiro/2015 Os fatos atropelam os prognósticos. O difícil ano de 2015 Reunião CIC FIEMG Econ. Ieda Vasconcelos Fevereiro/2015 O cenário econômico nacional em 2014 A inflação foi superior ao centro da meta pelo quinto

Leia mais

Cenário Econômico para 2014

Cenário Econômico para 2014 Cenário Econômico para 2014 Silvia Matos 18 de Novembro de 2013 Novembro de 2013 Cenário Externo As incertezas com relação ao cenário externo em 2014 são muito elevadas Do ponto de vista de crescimento,

Leia mais

Notícias Economia Internacional. e Indicadores Brasileiros. Nº 1/2 Julho de 2012

Notícias Economia Internacional. e Indicadores Brasileiros. Nº 1/2 Julho de 2012 Notícias Economia Internacional e Indicadores Brasileiros Nº 1/2 Julho de 2012 Sindmóveis - Projeto Orchestra Brasil www.sindmoveis.com.br www.orchestrabrasil.com.br Realização: inteligenciacomercial@sindmoveis.com.br

Leia mais

Palestra: Macroeconomia e Cenários. Prof. Antônio Lanzana 2012

Palestra: Macroeconomia e Cenários. Prof. Antônio Lanzana 2012 Palestra: Macroeconomia e Cenários Prof. Antônio Lanzana 2012 ECONOMIA MUNDIAL E BRASILEIRA SITUAÇÃO ATUAL E CENÁRIOS SUMÁRIO I. Cenário Econômico Mundial II. Cenário Econômico Brasileiro III. Potencial

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Julho 2012 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS GRADUADOS

Leia mais

ECONOMIA BRASILEIRA DESEMPENHO RECENTE E CENÁRIOS PARA 2015. Prof. Antonio Lanzana Dezembro/2014

ECONOMIA BRASILEIRA DESEMPENHO RECENTE E CENÁRIOS PARA 2015. Prof. Antonio Lanzana Dezembro/2014 ECONOMIA BRASILEIRA DESEMPENHO RECENTE E CENÁRIOS PARA 2015 Prof. Antonio Lanzana Dezembro/2014 SUMÁRIO 1. Economia Mundial e Impactos sobre o Brasil 2. A Economia Brasileira Atual 2.1. Desempenho Recente

Leia mais

ISSN 1517-6576 CGC 00 038 166/0001-05 Relatório de Inflação Brasília v 3 n 3 set 2001 P 1-190 Relatório de Inflação Publicação trimestral do Comitê de Política Monetária (Copom), em conformidade com o

Leia mais

5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA

5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA 5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA Os sinais de redução de riscos inflacionários já haviam sido descritos na última Carta de Conjuntura, o que fez com que o Comitê de Política Monetária (Copom) decidisse

Leia mais

Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008

Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008 Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008 Crise Mundo Os EUA e a Europa passam por um forte processo de desaceleração economica com indicios de recessão e deflação um claro sinal de que a crise chegou

Leia mais

A Ameaça Inflacionária no Mundo Emergente

A Ameaça Inflacionária no Mundo Emergente BRICS Monitor A Ameaça Inflacionária no Mundo Emergente Agosto de 2011 Núcleo de Análises de Economia e Política dos Países BRICS BRICS Policy Center / Centro de Estudos e Pesquisa BRICS BRICS Monitor

Leia mais

Dólar sem freios. seu dinheiro #100. Nem intervenções do BC têm sido capazes de deter a moeda americana

Dólar sem freios. seu dinheiro #100. Nem intervenções do BC têm sido capazes de deter a moeda americana #100 seu dinheiro a sua revista de finanças pessoais Dólar sem freios Nem intervenções do BC têm sido capazes de deter a moeda americana Festa no exterior Brasileiros continuam gastando cada vez mais fora

Leia mais

Relatório Mensal. 2015 Março. Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS

Relatório Mensal. 2015 Março. Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS Relatório Mensal 2015 Março Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS Composição da Carteira Ativos Mobiliários, Imobiliários e Recebíveis

Leia mais

Indicadores da Semana

Indicadores da Semana Indicadores da Semana O Copom decidiu, por unanimidade, elevar a taxa de juros Selic em 0,5 p.p., a 14,25% ao ano, conforme esperado pelo mercado. A decisão ocorreu após elevação de 0,5 p.p no último encontro.

Leia mais

Panorama Econômico Abril de 2014

Panorama Econômico Abril de 2014 1 Panorama Econômico Abril de 2014 Alerta Esta publicação faz referência a análises/avaliações de profissionais da equipe de economistas do Banco do Brasil, não refletindo necessariamente o posicionamento

Leia mais

O AMBIENTE ECONÔMICO. Boletim n.º 05 1º trimestre de 2013. Taxa de juros - SELIC (fixada pelo Comitê de Política Monetária COPOM)

O AMBIENTE ECONÔMICO. Boletim n.º 05 1º trimestre de 2013. Taxa de juros - SELIC (fixada pelo Comitê de Política Monetária COPOM) Boletim n.º 05 1º trimestre de O AMBIENTE ECONÔMICO Taxa de juros - SELIC (fixada pelo Comitê de Política Monetária COPOM) Atividade econômica A economia brasileira, medida pelo desempenho do Produto Interno

Leia mais

12 de setembro de 2014

12 de setembro de 2014 Capacidade de promover mudanças Para o rating brasileiro a recuperação econômica conduzida por investimento e o rígido cumprimento das metas de superávit primário entre 2% e 3% são essenciais. Por outro

Leia mais

Brasil não pode emperrar pré-sal, diz presidente do World Petroleum Council Qua, 19 de Setembro de 2012 08:08

Brasil não pode emperrar pré-sal, diz presidente do World Petroleum Council Qua, 19 de Setembro de 2012 08:08 Dirigindo uma das principais entidades de petróleo do mundo, o World Petroleum Council, mas também presidente da brasileira Barra Energia, Renato Bertani acha que o Brasil não pode se dar ao luxo, como

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO DISTRITO FEDERAL II RELATÓRIO ANALÍTICO

TRIBUNAL DE CONTAS DO DISTRITO FEDERAL II RELATÓRIO ANALÍTICO II RELATÓRIO ANALÍTICO 15 1 CONTEXTO ECONÔMICO A quantidade e a qualidade dos serviços públicos prestados por um governo aos seus cidadãos são fortemente influenciadas pelo contexto econômico local, mas

Leia mais

PESQUISA DE JUROS. As taxas de juros das operações de crédito apresentaram em agosto/2014 comportamentos distintos.

PESQUISA DE JUROS. As taxas de juros das operações de crédito apresentaram em agosto/2014 comportamentos distintos. PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito apresentaram em agosto/2014 comportamentos distintos. Na pessoa física as taxas de juros tiveram uma pequena elevação sendo esta a décima quinta

Leia mais

Análise CEPLAN Clique para editar o estilo do título mestre. Recife, 17 de agosto de 2011.

Análise CEPLAN Clique para editar o estilo do título mestre. Recife, 17 de agosto de 2011. Análise CEPLAN Recife, 17 de agosto de 2011. Temas que serão discutidos na VI Análise Ceplan A economia em 2011: Mundo; Brasil; Nordeste, com destaque para Pernambuco; Informe sobre mão de obra qualificada.

Leia mais

Taxas de juros das operações de crédito têm terceira elevação no ano, constata ANEFAC

Taxas de juros das operações de crédito têm terceira elevação no ano, constata ANEFAC Taxas de juros das operações de crédito têm terceira elevação no ano, constata ANEFAC Todas as linhas de crédito para pessoas jurídicas subiram. Para pessoas físicas, houve aumento nos juros do comércio,

Leia mais

Saiba o que vai mudar no seu bolso com as novas medidas econômicas do governo

Saiba o que vai mudar no seu bolso com as novas medidas econômicas do governo Cliente: Trade Energy Veículo: Portal R7 Assunto: Saiba o que vai mudar no seu bolso com as novas medidas Data: 21/01/2015 http://noticias.r7.com/economia/saiba-o-que-vai-mudar-no-seu-bolso-com-as-novas-medidaseconomicas-do-governo-21012015

Leia mais

INDICADORES ECONÔMICOS PARA ANÁLISE DE CONJUNTURA. Fernando J. Ribeiro Grupo de Estudos de Conjuntura (GECON) - DIMAC

INDICADORES ECONÔMICOS PARA ANÁLISE DE CONJUNTURA. Fernando J. Ribeiro Grupo de Estudos de Conjuntura (GECON) - DIMAC INDICADORES ECONÔMICOS PARA ANÁLISE DE CONJUNTURA Fernando J. Ribeiro Grupo de Estudos de Conjuntura (GECON) - DIMAC FORTALEZA, Agosto de 2013 SUMÁRIO 1. Fundamentos da Análise de Conjuntura. 2. Tipos

Leia mais

MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V. Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo.

MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V. Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo. 1 MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo Maio/ 2014 Metodologia 2 Metodologia 3 Técnica Pesquisa quantitativa,

Leia mais

Análise Semanal. Edição nº 23 10/07/15 CONJUNTURA ECONÔMICA. Mais um plano

Análise Semanal. Edição nº 23 10/07/15 CONJUNTURA ECONÔMICA. Mais um plano Mais um plano CONJUNTURA ECONÔMICA A chave da agenda positiva tão perseguida pelo governo federal em tempos de crise política e volta da inflação parece ser a preservação dos empregos. Na última terça-feira

Leia mais

X SEMINÁRIO SUL BRASILEIRO DE PREVIDÊNCIA PÚBLICA. BENTO GONÇALVES / RS / Maio 2012

X SEMINÁRIO SUL BRASILEIRO DE PREVIDÊNCIA PÚBLICA. BENTO GONÇALVES / RS / Maio 2012 X SEMINÁRIO SUL BRASILEIRO DE PREVIDÊNCIA PÚBLICA BENTO GONÇALVES / RS / Maio 2012 CENÁRIO INTERNACIONAL ESTADOS UNIDOS Ø Abrandamento da política monetária para promover o crescimento sustentável. Ø Sinais

Leia mais

Informe Econômico N 3

Informe Econômico N 3 Conjuntura Econômica Gerente Legislativa: Sheila Tussi da Cunha Barbosa Analista Legislativa: Cláudia Fernanda Silva Almeida Assistente Administrativa: Quênia Adriana Camargo Ferreira Estagiário: Tharlen

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Junho 2012 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS GRADUADOS

Leia mais

CENÁRIOS ECONÔMICOS O QUE ESPERAR DE 2016? Prof. Antonio Lanzana Dezembro/2015

CENÁRIOS ECONÔMICOS O QUE ESPERAR DE 2016? Prof. Antonio Lanzana Dezembro/2015 CENÁRIOS ECONÔMICOS O QUE ESPERAR DE 2016? Prof. Antonio Lanzana Dezembro/2015 1 SUMÁRIO 1. Economia Mundial e Impactos sobre o Brasil 2. Política Econômica Desastrosa do Primeiro Mandato 2.1. Resultados

Leia mais

PESQUISA DE JUROS. Estas reduções podem ser atribuídas aos fatores abaixo:

PESQUISA DE JUROS. Estas reduções podem ser atribuídas aos fatores abaixo: PESQUISA DE JUROS Após longo período de elevação das taxas de juros das operações de crédito, as mesmas voltaram a ser reduzidas em setembro/2014 interrompendo quinze elevações seguidas dos juros na pessoa

Leia mais

Perspectivas da Economia Brasileira

Perspectivas da Economia Brasileira Perspectivas da Economia Brasileira CÂMARA DOS DEPUTADOS Ministro Guido Mantega Comissão de Fiscalização Financeira e Controle Comissão de Finanças e Tributação Brasília, 14 de maio de 2014 1 Economia

Leia mais

PANORAMA EUA VOL. 3, Nº 5, JUNHO DE 2013

PANORAMA EUA VOL. 3, Nº 5, JUNHO DE 2013 PANORAMA EUA VOL. 3, Nº 5, JUNHO DE 2013 PANORAMA EUA OBSERVATÓRIO POLÍTICO DOS ESTADOS UNIDOS INSTITUTO NACIONAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA PARA ESTUDOS SOBRE OS ESTADOS UNIDOS INCT-INEU ISSN 2317-7977 VOL.

Leia mais

O cenário econômico atual e a Construção Civil Desafios e perspectivas

O cenário econômico atual e a Construção Civil Desafios e perspectivas O cenário econômico atual e a Construção Civil Desafios e perspectivas 1 O conturbado cenário nacional Economia em recessão: queda quase generalizada do PIB no 2º trimestre de 2015, com expectativa de

Leia mais

www.anefac.com.br Rua 7 de abril. 125 - conj. 405 - CEP 01043-000 República - São Paulo-SP - Telefone: 11 2808-320 PESQUISA DE JUROS

www.anefac.com.br Rua 7 de abril. 125 - conj. 405 - CEP 01043-000 República - São Paulo-SP - Telefone: 11 2808-320 PESQUISA DE JUROS PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em maio/2014, sendo esta a décima segunda elevação seguida, quinta elevação no ano. Estas elevações podem ser atribuídas

Leia mais

Perspectivas da economia em 2012 e medidas do Governo Guido Mantega Ministro da Fazenda

Perspectivas da economia em 2012 e medidas do Governo Guido Mantega Ministro da Fazenda Perspectivas da economia em 2012 e medidas do Governo Guido Mantega Ministro da Fazenda Comissão de Assuntos Econômicos do Senado Federal Brasília, 22 de maio de 2012 1 A situação da economia internacional

Leia mais

ÁREA DE MILHO CRESCEU 4,9% NA SAFRA 2012/2013, A MAIOR DESDE 1937, INDICANDO QUE O PAÍS COLHERIA UMA SAFRA RECORDE ESTE ANO

ÁREA DE MILHO CRESCEU 4,9% NA SAFRA 2012/2013, A MAIOR DESDE 1937, INDICANDO QUE O PAÍS COLHERIA UMA SAFRA RECORDE ESTE ANO GRÃOS: SOJA, MILHO, TRIGO e ARROZ TENDÊNCIAS DOS MERCADOS PARA 2012/2013 NO BRASIL E NO MUNDO Carlos Cogo Setembro/2012 PRODUÇÃO MUNDIAL DEVE RECUAR 4,1% NA SAFRA 2012/2013 ESTOQUES FINAIS MUNDIAIS DEVEM

Leia mais

Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016

Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016 COMUNICADO No: 58 Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016 10 de dezembro de 2015 (Genebra) - A International Air Transport Association (IATA) anunciou

Leia mais

IMA Institute of Management Accountants PESQUISA DE JUROS

IMA Institute of Management Accountants PESQUISA DE JUROS PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em outubro/2013, sendo esta a sexta elevação no ano. Esta elevação pode ser atribuída à última elevação da Taxa de Juros

Leia mais

A despeito dos diversos estímulos monetários e fiscais, economia chinesa segue desacelerando

A despeito dos diversos estímulos monetários e fiscais, economia chinesa segue desacelerando INFORMATIVO n.º 42 NOVEMBRO de 2015 A despeito dos diversos estímulos monetários e fiscais, economia chinesa segue desacelerando Fabiana D Atri - Economista Coordenadora do Departamento de Pesquisas e

Leia mais

Selic cai e poupança rende menos

Selic cai e poupança rende menos Selic cai e poupança rende menos Publicação: 30 de Agosto de 2012 às 00:00 São Paulo (AE) - O Banco Central anunciou ontem mais uma redução da taxa básica de juros, a Selic, de 8% para 7,5% ao ano. Um

Leia mais

INFORMATIVO FUNDOS GALT FIA - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES GERAL DIVIDENDO - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES. Química 12% Papel e Celulose 8%

INFORMATIVO FUNDOS GALT FIA - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES GERAL DIVIDENDO - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES. Química 12% Papel e Celulose 8% Outubro de 2015 INFORMATIVO FUNDOS GALT FIA - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES O Geral Asset Long Term - GALT FIA é um fundo de investimento que investe em ações, selecionadas pela metodologia de análise

Leia mais

Número 12 (18 de abril de 2008) Publicação periódica do Clube Brasileiro-Catalão de Negócios. Com o apoio de:

Número 12 (18 de abril de 2008) Publicação periódica do Clube Brasileiro-Catalão de Negócios. Com o apoio de: Clube Brasileiro-Catalão de Negócios (CB-CN) Av. Juscelino Kubitschek, 1726 conj. 111 sala 9 Vila Olímpia São Paulo SP Brasil CEP: 04543-000 www.cb-cn.com E-mail: info@cb-cn.com Número 12 (18 de abril

Leia mais

Sexta-feira, 06 de Maio de 2013. DESTAQUES

Sexta-feira, 06 de Maio de 2013. DESTAQUES DESTAQUES Bolsa encerra semana em alta Mercado aguarda IPCA para ajustar cenários Divisão Consumo da Hypermarcas cresce 10% M.Dias Branco tem lucro de R$108 mi Contax aprovou R$ 55,4 milhões em dividendos

Leia mais

Boletim de Conjuntura Econômica Outubro 2008

Boletim de Conjuntura Econômica Outubro 2008 Boletim de Conjuntura Econômica Outubro 008 PIB avança e cresce 6% Avanço do PIB no segundo trimestre foi o maior desde 00 A economia brasileira cresceu mais que o esperado no segundo trimestre, impulsionada

Leia mais

Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico

Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Crise não afeta lucratividade dos principais bancos no Brasil 1 Lucro dos maiores bancos privados

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Julho 2013 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO - PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS- GRADUADOS

Leia mais

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em janeiro/2015. Estas elevações podem ser atribuídas aos seguintes

Leia mais

Perspectivas para a Inflação

Perspectivas para a Inflação Perspectivas para a Inflação Carlos Hamilton Araújo Setembro de 213 Índice I. Introdução II. Ambiente Internacional III. Condições Financeiras IV. Atividade V. Evolução da Inflação 2 I. Introdução 3 Missão

Leia mais

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em setembro/2013, sendo esta a quinta elevação no ano. Esta elevação

Leia mais

Perspectivas da Economia Brasileira

Perspectivas da Economia Brasileira Perspectivas da Economia Brasileira Márcio Holland Secretário de Política Econômica Ministério da Fazenda Caxias do Sul, RG 03 de dezembro de 2012 1 O Cenário Internacional Economias avançadas: baixo crescimento

Leia mais

Relatório Econômico Mensal Agosto de 2015. Turim Family Office & Investment Management

Relatório Econômico Mensal Agosto de 2015. Turim Family Office & Investment Management Relatório Econômico Mensal Agosto de 2015 Turim Family Office & Investment Management ESTADOS UNIDOS TÓPICOS ECONOMIA GLOBAL Economia Global: EUA: PIB e Juros... Pág.3 Europa: Recuperação e Grécia... Pág.4

Leia mais

PAINEL 9,6% dez/07. out/07. ago/07 1.340 1.320 1.300 1.280 1.260 1.240 1.220 1.200. nov/06. fev/07. ago/06

PAINEL 9,6% dez/07. out/07. ago/07 1.340 1.320 1.300 1.280 1.260 1.240 1.220 1.200. nov/06. fev/07. ago/06 Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior ASSESSORIA ECONÔMICA PAINEL PRINCIPAIS INDICADORES DA ECONOMIA BRASILEIRA Número 35 15 a 30 de setembro de 2009 EMPREGO De acordo com a Pesquisa

Leia mais

Força de greves pode diminuir com evolução de canais de serviços on-line

Força de greves pode diminuir com evolução de canais de serviços on-line Boletim 853/2015 Ano VII 15/10/2015 Força de greves pode diminuir com evolução de canais de serviços on-line O impacto das novas plataformas deve ser maior no médio e longo prazo, principalmente com a

Leia mais

Cenário Macroeconômico 2015 X-Infinity Invest

Cenário Macroeconômico 2015 X-Infinity Invest Cenário Macroeconômico 2015 X-Infinity Invest SUMÁRIO PANORAMA 3 ATUAL CONTEXTO NACIONAL 3 ATUAL CONTEXTO INTERNACIONAL 6 CENÁRIO 2015 7 CONTEXTO INTERNACIONAL 7 CONTEXTO BRASIL 8 PROJEÇÕES 9 CÂMBIO 10

Leia mais

Considerações Iniciais

Considerações Iniciais ANO 2 NÚMERO 6 ABRIL 212 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO RABELO Considerações Iniciais Neste primeiro trimestre de 212 a economia brasileira apresenta índices econômicos preocupantes

Leia mais

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em fevereiro/2015. Estas elevações podem ser atribuídas aos seguintes

Leia mais

PESQUISA DE JUROS. As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em dezembro/2013 sendo esta a sétima elevação do ano.

PESQUISA DE JUROS. As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em dezembro/2013 sendo esta a sétima elevação do ano. PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em dezembro/2013 sendo esta a sétima elevação do ano. Esta elevação é reflexo da elevação da Taxa Básica de Juros (Selic)

Leia mais

ECONOMIA www.abras.com.br A informação que fala direto ao seu bolso 27 de Agosto de 2014

ECONOMIA www.abras.com.br A informação que fala direto ao seu bolso 27 de Agosto de 2014 Associação Brasileira de Supermercados Nº43 ECONOMIA www.abras.com.br A informação que fala direto ao seu bolso 27 de Agosto de 2014 Com crescimento em julho, setor acumula 1,48% no ano Em julho, as vendas

Leia mais

O indicador do clima econômico piorou na América Latina e o Brasil registrou o indicador mais baixo desde janeiro de 1999

O indicador do clima econômico piorou na América Latina e o Brasil registrou o indicador mais baixo desde janeiro de 1999 14 de maio de 2014 Indicador IFO/FGV de Clima Econômico da América Latina¹ O indicador do clima econômico piorou na América Latina e o Brasil registrou o indicador mais baixo desde janeiro de 1999 O indicador

Leia mais

Paraná Cooperativo EDIÇÃO ESPECIAL EXPORTAÇÕES Informe Diário nº 2.092 Sexta-feira, 08 de maio de 2009 Assessoria de Imprensa da Ocepar/Sescoop-PR

Paraná Cooperativo EDIÇÃO ESPECIAL EXPORTAÇÕES Informe Diário nº 2.092 Sexta-feira, 08 de maio de 2009 Assessoria de Imprensa da Ocepar/Sescoop-PR Paraná Cooperativo EDIÇÃO ESPECIAL EXPORTAÇÕES Informe Diário nº 2.092 Sexta-feira, 08 de maio de 2009 Assessoria de Imprensa da Ocepar/Sescoop-PR EXPORTAÇÕES DAS COOPERATIVAS NO AGRONEGÓCIO EM 1. RESULTADO

Leia mais

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito ficaram praticamente estáveis em janeiro/2013 frente a dezembro/2012. Pessoa Física Das seis

Leia mais

7.000 6.500 6.000 5.500 5.000 4.500 4.000 3.500 3.000 2.500 2.000 1.500 1.000 500 - -500-1.000 fev./2010. ago./2011. fev./2012. nov.

7.000 6.500 6.000 5.500 5.000 4.500 4.000 3.500 3.000 2.500 2.000 1.500 1.000 500 - -500-1.000 fev./2010. ago./2011. fev./2012. nov. 4 SETOR EXTERNO As contas externas tiveram mais um ano de relativa tranquilidade em 2012. O déficit em conta corrente ficou em 2,4% do Produto Interno Bruto (PIB), mostrando pequeno aumento em relação

Leia mais

EconoWeek Relatório Semanal. EconoWeek 18/05/2015

EconoWeek Relatório Semanal. EconoWeek 18/05/2015 18/05/2015 EconoWeek DESTAQUE INTERNACIONAL Semana bastante volátil de mercado, com uma agenda mais restrita em termos de indicadores macroeconômicos. Entre os principais destaques, os resultados de Produto

Leia mais

Carta Mensal Fev/Mar de 2013 nº 173

Carta Mensal Fev/Mar de 2013 nº 173 Carta Mensal Fev/Mar de 2013 nº 173 Destaques do mês - Copom sinaliza alta de juros, mas não se compromete com ação já na próxima reunião, em meados de abril; - Atividade econômica mostra sinais de recuperação

Leia mais

Terça-feira, 25 de Agosto de 2015. DESTAQUES

Terça-feira, 25 de Agosto de 2015. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa cai ao nível de 2009 com tensão global CCR tem expectativa positiva de crescimento para o próximo ano Ações PNA da Vale fecham na menor cotação desde 2006 Corte de produção na China e

Leia mais

Atravessando a Turbulência

Atravessando a Turbulência 1 Atravessando a Turbulência Guido Mantega Novembro de 20 1 2 Crise financeira sai da fase aguda A Tempestade financeira amainou. Há luz no fim do túnel. Crise não acabou, mas entra em nova fase. As ações

Leia mais

16 a 30 de junho de 2012

16 a 30 de junho de 2012 16 a 30 de junho de 2012 As principais informações da economia mundial, brasileira e baiana Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia Diretoria de Indicadores e Estatísticas Coordenação

Leia mais

Anexo I Objetivos das Políticas Monetária, Creditícia e Cambial (Art. 4 o, 4 o, da Lei Complementar n o 101, de 4 de maio de 2000)

Anexo I Objetivos das Políticas Monetária, Creditícia e Cambial (Art. 4 o, 4 o, da Lei Complementar n o 101, de 4 de maio de 2000) Anexo I Objetivos das Políticas Monetária, Creditícia e Cambial (Art. 4 o, 4 o, da Lei Complementar n o 101, de 4 de maio de 2000) Anexo à Mensagem da Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2013, em cumprimento

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Junho 2013 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO - PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS- GRADUADOS

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Novembro 2012 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO - PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS- GRADUADOS

Leia mais

Economic Outlook October 2012

Economic Outlook October 2012 Economic Outlook October 2012 Agenda Economia global Consolidação de crescimento global fraco. Bancos centrais estão atuando para reduzir riscos de crise. Brasil Crescimento de longo prazo entre 3.5% e

Leia mais

15 a 30 de setembro de 2015

15 a 30 de setembro de 2015 15 a 30 de setembro de 2015 As principais informações da economia mundial, brasileira e baiana Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia Diretoria de Indicadores e Estatísticas Coordenação

Leia mais

Vendas recuam, mas acumulam alta de 1,46% no ano

Vendas recuam, mas acumulam alta de 1,46% no ano Associação Brasileira de Supermercados Nº51 ECONOMIA www.abras.com.br A informação que fala direto ao seu bolso 29 de Abril de 2015 Vendas recuam, mas acumulam alta de 1,46% no ano Crescimento moderado

Leia mais

INDICADORES CORK SERVICES ABRIL 2014

INDICADORES CORK SERVICES ABRIL 2014 Página1 1. APRESENTAÇÃO INDICADORES CORK SERVICES ABRIL 2014 Os indicadores Cork Services contemplam os principais números de referência para a gestão de frotas, incluindo índices de inflação e variação

Leia mais

ANO 2 NÚMERO 08 AGOSTO 2012 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO

ANO 2 NÚMERO 08 AGOSTO 2012 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO ANO 2 NÚMERO 08 AGOSTO 2012 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO 1 - CONSIDERAÇÕES INICIAIS As recentes divulgações dos principais indicadores de desempenho da economia brasileira mostram

Leia mais

CONJUNTURA ECONÔMICA INDICADORES SELECIONADOS PELO FAE INTELLIGENTIA 1 IPC-FAE ÍNDICE DE PREÇOS DA CLASSE MÉDIA CURITIBANA

CONJUNTURA ECONÔMICA INDICADORES SELECIONADOS PELO FAE INTELLIGENTIA 1 IPC-FAE ÍNDICE DE PREÇOS DA CLASSE MÉDIA CURITIBANA CONJUNTURA ECONÔMICA INDICADORES SELECIONADOS PELO FAE INTELLIGENTIA 1 IPC-FAE ÍNDICE DE PREÇOS DA CLASSE MÉDIA CURITIBANA O Índice de Preços ao Consumidor da Classe Média de Curitiba - IPC-FAE, medido

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DE TAXAS DE JUROS / 2012 EMPRÉSTIMO PESSOAL E CHEQUE ESPECIAL

RELATÓRIO ANUAL DE TAXAS DE JUROS / 2012 EMPRÉSTIMO PESSOAL E CHEQUE ESPECIAL ANÁLISE COMPARATIVA RELATÓRIO ANUAL DE TAXAS DE JUROS / 2012 EMPRÉSTIMO PESSOAL E CHEQUE ESPECIAL O levantamento anual envolveu sete instituições financeiras: Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica

Leia mais

Sistema Financeiro e os Fundamentos para o Crescimento

Sistema Financeiro e os Fundamentos para o Crescimento Sistema Financeiro e os Fundamentos para o Crescimento Henrique de Campos Meirelles Novembro de 20 1 Fundamentos macroeconômicos sólidos e medidas anti-crise 2 % a.a. Inflação na meta 8 6 metas cumpridas

Leia mais

ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 08/2014

ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 08/2014 ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 08/2014 Data: 29/04/2014 Participantes Efetivos: Edna Raquel Rodrigues Santos Hogemann Presidente, Valcinea Correia da Silva Assessora Especial,

Leia mais

Relatório Econômico Mensal Agosto 2011

Relatório Econômico Mensal Agosto 2011 Relatório Econômico Mensal Agosto 2011 Tópicos Economia Americana: Confiança em baixa Pág.3 EUA X Japão Pág. 4 Mercados Emergentes: China segue apertando as condições monetárias Pág.5 Economia Brasileira:

Leia mais

Relatório de Gestão Renda Fixa e Multimercados Julho de 2013

Relatório de Gestão Renda Fixa e Multimercados Julho de 2013 Relatório de Gestão Renda Fixa e Multimercados Julho de 2013 Política e Economia Atividade Econômica: Os indicadores de atividade, de forma geral, apresentaram baixo desempenho em maio. A produção industrial

Leia mais

EconoWeek 14/09/2015 DESTAQUE NACIONAL

EconoWeek 14/09/2015 DESTAQUE NACIONAL 14/09/2015 EconoWeek DESTAQUE NACIONAL Sem a menor dúvida, a queda da classificação de risco do Brasil para abaixo do grau de investimento foi a notícia da semana. A agência Standard&Poor s rebaixou o

Leia mais

Spinelli Panorama Diário

Spinelli Panorama Diário Spinelli Panorama Diário 09 de fevereiro de 2010 Indicadores Variação - % Pontos dia semana mês Bolsas Ibovespa 63.153 0,62 0,62-3,44 IBX 19.989 0,47 0,47-3,70 S&P500 1.056-0,89-0,89-1,60 Dow Jones 9.908-1,04-1,04-1,58

Leia mais

Associação Brasileira de Supermercados Nº49 ECONOMIA. Honda: ritmo de vendas de janeiro foi positivo. Nesta edição:

Associação Brasileira de Supermercados Nº49 ECONOMIA. Honda: ritmo de vendas de janeiro foi positivo. Nesta edição: Associação Brasileira de Supermercados Nº49 ECONOMIA www.abras.com.br A informação que fala direto ao seu bolso 26 de Fevereiro de 2015 Setor inicia o ano com crescimento real de 3,42% Em janeiro de 2015

Leia mais

Preços. 2.1 Índices gerais

Preços. 2.1 Índices gerais Preços 2 A inflação mais elevada no trimestre finalizado em fevereiro evidenciou, essencialmente, o realinhamento dos preços monitorados e livres, pressões pontuais advindas da desvalorização cambial,

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa A Bovespa já iniciou o ano novo indicando que será mais um período de muita volatilidade para as ações. Diante de um cenário de grandes incertezas do lado doméstico e de olho nos acontecimentos

Leia mais

Segunda-feira 01 de Dezembro de 2014. DESTAQUES

Segunda-feira 01 de Dezembro de 2014. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa tem queda, mas encerra mês em alta Mercado vê inflação maior e PIB baixo em 2015 Casino vai acelerar expansão do Pão de Açúcar Minério de ferro cai 48% e tem pior cenário Brokers fecha

Leia mais

PLASCAR ANUNCIA RESULTADOS EM 30 SETEMBRO 2015.

PLASCAR ANUNCIA RESULTADOS EM 30 SETEMBRO 2015. PLASCAR ANUNCIA RESULTADOS EM 30 SETEMBRO 2015. Cotação (30/09/15) PLAS3 - R$ 5,50 (*) Valor de mercado em 30/09/15 (MARKET CAP BOVESPA) R$ 27 milhões Quantidade Ações (*) Ordinárias: 4.970 M Relação com

Leia mais

Discurso Presidente do Banco Central do Brasil Alexandre Tombini

Discurso Presidente do Banco Central do Brasil Alexandre Tombini Discurso Presidente do Banco Central do Brasil Alexandre Tombini Boa tarde. É com satisfação que estamos aqui hoje para anunciar o lançamento das novas cédulas de 10 e 20 reais, dando sequência ao projeto

Leia mais

seu dinheiro Consórcio ou financiamento? #103 Saiba qual é a melhor opção na hora de comprar um automóvel

seu dinheiro Consórcio ou financiamento? #103 Saiba qual é a melhor opção na hora de comprar um automóvel #103 seu dinheiro a sua revista de finanças pessoais Saiba qual é a melhor opção na hora de comprar um automóvel Consórcio ou financiamento? Poupança com ganho real Investimento volta a superar a inflação

Leia mais

1. COMÉRCIO 1.1. Pesquisa Mensal de Comércio. 1.2. Sondagem do comércio

1. COMÉRCIO 1.1. Pesquisa Mensal de Comércio. 1.2. Sondagem do comércio Nº 45- Maio/2015 1. COMÉRCIO 1.1. Pesquisa Mensal de Comércio O volume de vendas do comércio varejista restrito do estado do Rio de Janeiro registrou, em fevereiro de 2015, alta de 0,8% em relação ao mesmo

Leia mais